Page 1

& A no 1 3 e di ç ão 5 8 D e ze mb ro de 20 1 5

informativo do instituto de oncologia do vale

Segurança do paciente é prioridade no IOV

O

Instituto de Oncologia do Vale (IOV) tem como grande desafio a implementação de melhorias que priorizem a segurança do paciente e a qualidade dos serviços prestados. “Atualmente desenvolvemos três grandes projetos na unidade

• Projeto Cuidados Paliativos Responsável: Dra. Glaucia Ribeiro Albino Zucarelli, médica oncologista do IOV. Em agosto de 2015, o IOV criou o Ambulatório de Cuidados Paliativos no Hospital Regional do Vale do Paraíba, em Taubaté, visando garantir a continuidade e a qualidade no tratamento dos pacientes com câncer em estágio avançado, quando já se esgotaram todas as possibilidades terapêuticas necessitando de conforto e atendimento humanizado. Segundo a Organização Mundial da Saúde, os Cuidados Paliativos promovem melhoria da qualidade de vida do paciente e seus familiares, por meio do alívio do sofrimento, da compaixão pelo doente e seus familiares, do controle impecável dos sintomas e da dor, da busca pela autonomia e pela manutenção de uma vida ativa enquanto ela durar. Para tanto, é necessário abordar o paciente em todas as esferas que fazem parte dele: física, social, emocional e espiritual. O Ambulatório busca atender justamente tais princípios: “Entendimento da vida e da morte como um processo natural, integração dos aspectos psicológicos, sociais e espirituais no cuidado do paciente, sistema de apoio à família em seu próprio ambiente, foco nas necessidades dos pacientes e de seus familiares, incluindo aconselhamento e suporte ao luto”, afirma a Dra. Glaucia, responsável pelo projeto. A médica ainda destaca a importância do trabalho em equipe: “O tratamento em Cuidados Paliativos deve reunir habilidades de multiprofissionais para ajudar o paciente a adaptar-se às mudanças e promover a

de Taubaté e no Serviço de Oncologia do HRVP (Hospital Regional do Vale do Paraíba) que caminham neste sentido”, explica a Dra. Évelin A. Santos Marotta, médica oncologista e site manager do IOV em Taubaté. São eles:

Equipe de Cuidados Paliativos passa a atuar no Hospital Regional do Vale do Paraíba, em Taubaté

reflexão necessária para o enfrentamento da doença e seu tratamento”, conclui. Todas as decisões relacionadas à assistência e tratamentos médicos devem ser tomadas com base em princípios éticos e a equipe interdisciplinar é imprescindível para o controle de todo e qualquer sintoma, tornando a comunicação adequada, entre equipe de saúde, familiares e pacientes. “Além de promover alívio para dor e outros sintomas, os Cuidados Paliativos contribuem no aspecto psicológico, social e espiritual do paciente, assim como de seus familiares, oferecendo uma rede de apoio para ajudá-los a lidar com a doença”, finaliza Dra. Gláucia. • Reestruturação do Projeto de Pacientes Frágeis Responsável: Camila Moraes dos Santos, farmacêutica e VSM (Value Stream Manager) da Assistência ao Paciente.

Tem como objetivo principal promover a segurança dos pacientes, no sentido de implantar ações efetivas junto a equipe para receber pacientes mais frágeis e debilitados, inclusive com adaptações na infraestrutura do local. O projeto já está sendo implantado no IOV em Taubaté. • Projeto Reestruturação do Time de Resposta Rápida Responsável: Sheila Viana Reis, enfermeira oncológica e VSM (Value Stream Manager) do Fluxo de Informação. Visa à padronização do atendimento das situações emergenciais por meio da formação de um time que recebe treinamentos com simulações periódicas, para garantir segurança e agilidade no atendimento, quando essas situações vierem a ocorrer. O projeto já está sendo implantado no IOV em Taubaté.


&

EDITORIAL

Em 2015, o IOV comemorou 20 anos com muito o que celebrar

A

o longo de todo esse tempo fomos guiados pela nossa missão de reduzir o impacto do câncer na vida das pessoas. É essa meta que continua a nos motivar a realizar ações para melhorar a assistência em saúde otimizando os recursos disponíveis e como promover o bem estar da população. Para isso, realizamos eventos de prevenção à doença e promoção à saúde, em parques e outras áreas públicas, em datas como o Dia Mundial de Combate ao Fumo e o Dia Nacional de Combate ao Câncer, promovemos Oficinas de Qualidade de Vida que proporcionam bem estar e auxiliam nossos pacientes no enfrentamento da doença, participamos de importantes pesquisas internacionais para o desenvolvimento de novos medicamentos e também investimos no desenvolvimento de nossas equipes e na implantação da metodologia enxuta (Lean) no IOV. Graças aos bons resultados que obtivemos com a filosofia Lean, que geraram eliminação de desperdício e melhoria na qualidade dos atendimentos, nos tornamos uma referência em Lean da área da saúde, passamos a receber visitas de profissionais de diversas instituições do Brasil e do exterior interessados em conhecer nosso modelo de trabalho e passamos a disseminar essa cultura em outras entidades como o Hospital Regional do Vale do Paraíba, como uma forma de contribuir com a transformação da sociedade. Sabemos que ainda novos desafios virão, mas continuaremos a ser motivados pela nossa missão e a promover novas ações que visem tornar melhor a vida de quem tem câncer.

Oficina de Qualidade de Vida trabalha autoestima dos homens G

erar momentos de descontração, trabalhar a criatividade e exercitar a mente foram as propostas da Oficina de Qualidade de Vida, que aconteceu no último mês de agosto. O evento focou principalmente o público masculino e contou com jogos e ginástica para o cérebro. Realizadas periodicamente pelo IOV, as oficinas oferecem aos pacientes e familiares um momento de pausa na ansiedade em relação ao tratamento e promovem o bem estar e, consequentemente, a me- Campanha evidenciou a importância do homem também se atentar à sua lhora da saúde. “Por duas vezes precisei saúde e autoestima retirar o tumor e quase perdi as esperanças. A preocupação das pessoas que me atendem aqui no IOV me fez mudar o pensamento”, afirma Gilson Otílio Ferreira, 52 anos, paciente do IOV. Gilvan Inácio Ferreira, irmão de Gilson, também participou da Oficina como acompanhante e destacou sua importância. “A oficina estimulou meu irmão a conviver ainda melhor com as dificuldades da doença”, explicou. Já Edmar Aranda, 72 anos, também paciente do IOV, vê o evento como um espaço de alegria. “É muito importante ter um espaço destinado a elevar a nossa autoestima. Participar da oficina me faz sair daqui mais feliz e estimulado”, afirma. Para participar das Oficinas de Qualidade de Vida não é necessário fazer inscrição prévia, basta que o interessado compareça na data agendada. Fique atento às próximas datas e participe.

Jogos e ginástica para o cérebro foram as atividades oferecidas na Oficina

Dr. Carlos Frederico Pinto Diretor Executivo do IOV

EXPEDIENTE Responsável Técnico: Dr. Carlos Flávio Turci – CRM 27.301 Diretoria: Dr. Adriano Diniz B. Mendes, Dr. Carlos Flávio Turci, Dr. Carlos Frederico Pinto e Dr. Marcelo Taborda | Comunicação e MKT IOV: Fabiano Gaspar Vieira | IOV & Você circula junto aos pacientes, familiares, área médica e profissionais da saúde. Correspondências devem ser enviadas sob o título “Jornal IOV & Você” para: Rua Major Antônio Domingues, 472 – SJC – 12.245-750. Tel.: (12) 3924-9055. E-mail:iov@iov.med.br. *Registrado no cartório de registro de notas e documentos sob o número 171517. | Produção: Agência de Imprensa - Tel.: (12) 3913-3858 - www.agenciadeimprensa.com.br – Coordenação de Jornalismo e Edição: Areta Braga – Jornalista Responsável: Areta Braga - MTb 38.005 – Redação: Liane Mota, Helen Camargo, Bianca Lemos e Rafaela Garcia - Fotos: Arquivo/ Divulgação IHI – Diagramação: Luiz Carlos Coltro – Revisão: Maurícia Maciel – Gráfica: Copcentro – Tiragem: 1000 exemplares.

2

www.iov.com.br


&

Cuidado Coordenado garante qualidade no tratamento A

lém do controle da dor e dos sintomas psicológicos, sociais e espirituais que envolvem os princípios paliativos no tratamento, o acompanhamento das etapas de transição da doença é outro fator fundamental, o chamado Cuidado Coordenado. “Ao receber muitas informações sobre a doença no início do tratamento, o paciente e sua família podem sentir dificuldades em lidar com as emoções e tendem a não se atentarem a tais cuidados. Por esse motivo, acompanhamos todo o processo de transição do tratamento, desde a quimioterapia, cirurgias, mudanças de protocolo, tratamento oral, radioterapia e equipe multidisciplinar”, explica Elisângela Keli Romano, VSM (Value Stream Manager) do Fluxo da Assistência e coordenadora de enfermagem do IOV de São José dos Campos. Para fazer com que essas etapas sejam cumpridas no tempo de tratamento estabelecido para cada paciente, o IOV vem aplicando, desde setembro de 2015, o Cuidado Coordenado nos tratamentos de câncer de Mama, Próstata e Cólon/Reto. Todos os cuidados são orientados e executados com o objetivo de garantir a qualidade do tratamento do paciente. “Nós seguimos todas as etapas do tratamento, verificando e atuando diante das dificuldades e atrasos que possam interferir ou prejudicar o andamento", explica Amanda Isaura da Silva, colaboradora do Cuidado Coordenado do IOV.

Cuidado Coordenado monitora todas as etapas de transição da doença e auxilia pacientes

A importância do físico médico na oncologia A

física médica é uma área multidisciplinar que aplica os conceitos e leis da física, juntamente com os avanços tecnológicos, no que diz respeito à prevenção, diagnóstico, tratamento e desenvolvimento de técnicas para prática médica. Mas o que faz exatamente físico médico? Ele é responsável por planejar os tratamentos radioterápicos. “Em conjunto com o médico responsável, o físico médico determina e calcula como será feita a irradiação do volume no alvo demarcado pelo radio-oncologista, de modo a atingir a dose prescrita e minimizar o efeito da radiação em órgãos sadios próximos”, afirma Sarah Vergueiro, física médica do IOV. O profissional também é o responsável pelo controle de qualidade dos equipamentos. “No IOV, os equipamentos mecânicos são avaliados mensalmente, mesmo em casos mais complexos, como os que envolvem radioterapia com intensidade, modulada para garantir a proteção radiológica dos pacientes e de todos os funcionários, no que tange a exposições 3

www.iov.com.br

ocupacionais, rotinas de segurança e monitoramento individual”, explica Sarah. A especialista em radioproteção do IOV, Roseli Aparecida Dal Bello B. Farias, colaboradora há 22 anos no IOV, destaca ainda a importância da certificação do profissional físico médico e suas atribuições no tratamento dos pacientes. “O físico médico identifica informações importantes, que podem provocar alterações no tratamento, tornando-o mais efetivo. Por esse motivo, é muito importante que o profissional seja graduado e reconhecidamente especializado na área”, afirma. O Grupo IOV possui, atualmente, quatro físicos médicos em sua equipe multidisciplinar. Todos são graduados em Física da Radioterapia, credenciados e titulados também pela Associação Brasileira de Física Médica e pela Comissão Nacional de Energia Nuclear. A valorização desses profissionais é indispensável, já que eles possuem o conhecimento, aptidão e especialização necessária para identificar os danos e os benefícios que a radiação pode causar nas pessoas.


&

Qualidade e Segurança são diferenciais no IOV METODOLOGIA LEAN, ALINHADA A TREINAMENTOS, CONTRIBUI PARA A REDUÇÃO DE DESPERDÍCIOS, MAIOR PRODUTIVIDADE E MELHORES RESULTADOS

P

roporcionar ao paciente e aos familiares um ambiente acolhedor, seguro e confortável faz toda a diferença no momento do tratamento de uma enfermidade. O IOV tem evoluído rapidamente neste sentido e hoje já é reconhecido por seus diferenciais nas instituições de saúde. Recentemente, ferramentas de qualidade com treinamentos Yellow Belt, alinhadas à metodologia Lean, foram agregadas às rotinas de diversas áreas do Instituto, permitindo a análise e melhoria constante dos processos. “A produtividade aumentou com a utilização das ferramentas Lean. Percebemos que os clientes internos e externos estão muito satisfeitos de forma geral”, afirma o Dr. Carlos Frederico Pinto, médico oncologista e diretor executivo do IOV. O Yellow Belt é um treinamento que capacita profissionais na utilização de métodos e ferramentas para a redução de desperdícios, maior produtividade e melhores resultados. “Os cursos são muito práticos e relativamente de curta duração. Neles, os colaboradores têm a chance de discutir os problemas diários ocorridos nos processos assistenciais e apresentar projetos de melhorias que ofereçam benefícios aos pacientes”, explica Stela Maris, gerente de qualidade do IOV. O Instituto vem aplicando o treinamento desde 2009 em médicos,

Sites Managers e VSM participaram do treinamento Yellow Belt em 2015

farmacêuticos, enfermeiros e no setor administrativo. Em 2015, o treinamento envolveu os Sites Managers e VSM (Value Stream Managers) e aconteceu em duas etapas, sendo a primeira: desenvolver a liderança participativa dos colaboradores com atitudes do coach; e a segunda, capacitar líderes para que possam identificar os problemas e os desperdícios ocorridos nos processos assistenciais. “O treinamento nos direciona a uma nova maneira de pensar, de discutir nossos problemas e resolvê-los em equipe, proporcionando melhoria contínua em nosso trabalho e valorização das pessoas”, comenta a médica oncologista do IOV, Dra. Glaucia Ribeiro Albino Zucarelli.

IOV apoia restauração do Parque Vicentina Aranha P ara o IOV, estimular um estilo de vida saudável e a vida social ativa também faz parte das estratégias de combate ao câncer, por isso, desde 2013, o Instituto apoia as obras de restauro do Parque Vicentina Aranha, importante patrimônio histórico e cultural de São José dos Campos. Para Ângela Tornelli, diretora executiva da Associação Joseense para o Fomento da Arte e da Cultura de

Parque Vicentina Aranha, patrimônio histórico e cultural de São José dos Campos, passa por restauração 4

SJC, a participação da iniciativa privada no processo de recuperação do parque tem reflexos diretos na execução da obra. “O apoio do IOV na restauração evidencia ainda mais a preocupação do Instituto em conservar um dos melhores locais da cidade para a prática de exercícios físicos, tão importante no processo de prevenção e tratamento do câncer”, afirma. O Parque Vicentina Aranha tem 63 mil metros quadrados de área verde e 11 mil de área construída. Trata-se de um patrimônio cultural tombado em nível municipal e estadual, configurado como um dos mais significativos exemplares da arquitetura senatorial da América Latina. Foi responsável pela transformação física e econômica da cidade no início do século XX, exercendo sua função como equipamento de saúde até o final da década de 1990. Com sua desativação, o processo de degradação física se intensificou, fato que incentivou a mobilização para tombamento e consequentemente a recuperação gradativa do espaço. A primeira etapa da restauração já foi executada, assim como a segunda, iniciada em 2013. Já foram restaurados e reabilitados integralmente dois pavilhões, em 2014 e 2015. Em 2016 a obra seguirá a todo vapor. www.iov.com.br


&

Com apoio de personalidades, campanha "Diga Não ao cigarro” foi um sucesso

Campanha do IOV mobilizou a população no Dia Nacional de Combate ao Fumo

T

ransformar o Dia Nacional de Combate ao Fumo em um dia sem cigarro em São José dos Campos e melhorar a qualidade de vida das pessoas foi o objetivo da campanha promovida pelo IOV no mês de agosto de 2015, no Parque Vicentina Aranha. A ação, sob o tema “Diga Não ao Cigarro”, mobilizou a população a vestir branco e ficar sem fumar durante o dia todo. Atividades físicas, como a yoga e um pocket show com os cantores Priscila Couto e Peleco também envolveram o público que passou pelo parque ao longo do dia. Além da ação, o IOV também veiculou na TV Vanguarda um comercial com personalidades como a nadadora Fabíola Molina, os apresentadores Kelly Maria, Vinícius Valverde, Jonas Almeida e Ana Paula Torquetti, colaboradores e médicos do Instituto, entre outros, estimulando a população a ganhar o dia e dizer não ao cigarro. “Abandonar o cigarro não é um processo rápido, pois se trata de uma droga que precisa ser retirada do dia a dia do paciente”, afirma a Dra. Cristiane Dias Bittencourt, médica oncologista do IOV e coordenadora da campanha. “No entanto, beber muita água, começar um novo esporte, fazer exercícios leves como caminhadas ou yoga, evitar café e bebidas alcoólicas, são dicas que podem auxiliar os dependentes”, ressalta. O fumo é responsável por ao menos 90% dos casos de câncer de pulmão e 25% das doenças vasculares, como o infarto do miocárdio. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam ainda que aproximadamente 5 milhões de pessoas/ano, no mundo, chegam

5

www.iov.com.br

a óbito em razão do tabagismo. Nos últimos nove anos, segundo pesquisa do Ministério da Saúde o país registrou uma queda de 30,7% no número de fumantes. “Ações recentes, como cortar a publicidade de empresas fabricantes de cigarro e a lei antifumo, que restringe os locais para fumantes, contribuíram bastante para essa diminuição nas estatísticas. Nós do IOV também fazemos nossa parte realizando campanhas e incentivando a qualidade de vida”, conclui Dra. Cristiane.

Dra. Fernanda Navarro, médica oncologista do IOV também participou da campanha e abraçou a causa


&

CIPA arrecada produtos de higiene e limpeza para Casa Recomeço

A arrecadação de itens de higiene e limpeza para a Casa Recomeço seguirá durante todo o ano de 2016, informe-se em uma das unidaades.

A

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) do IOV, unidades de São José dos Campos e Taubaté, realizam mensalmente a coleta de doações de itens de higiene e limpeza para a Casa Recomeço, entidade filantrópica que apoia pacientes com câncer e seus familiares. A ação começou no início de 2015 e conta com a participação dos colaboradores do IOV, médicos e pacientes. Os produtos que são arrecadados foram selecionados no planejamento do começo do ano e divididos nos 12 meses, sendo que em cada mês foi doado um tipo de produto

diferente, como papel higiênico, amaciante, sabão em pó, sabonete, dentre outros. Segundo Maurício Gomes, técnico de segurança do trabalho no IOV, a iniciativa é uma forma de contribuir com a instituição que trabalha diretamente com os pacientes do IOV. “Criamos um meio de suprir necessidades da Casa com as doações, pois o retorno que temos é muito positivo. O atendimento da Casa Recomeço aos pacientes do IOV é muito elogiado e requisitado”, explica. Informe-se em uma das unidades sobre como contribuir com a ação, que continua em 2016.

IOV forma 3ª turma do curso de liderança CAPACITAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DUROU TRÊS MESES E FORMOU 13 NOVOS LÍDERES

O

IOV, por meio da Escola de Líderes, após três meses de aulas de teorias e práticas que auxiliam a liderança em seu dia a dia, formou a 3ª turma do curso de liderança. O treinamento foi dividido em oito módulos e abordou temas como comunicação eficaz, administração de conflitos, administração do tempo, análise de resultados, entre outros e contou com a participação de 13 profissionais do IOV. A Escola de Líderes oferece mais conhecimento e contribui para potencializar habilidades dos colaboradores, além de mostrar como é possível administrar crises, superar desafios e alcançar resultados. “Precisamos ter colaboradores preparados para novas lideranças na empresa e motivar a equipe a enfrentar com criatividade, diferentes cenários”, explica Patrícia Claro, coordenadora do departamento de Recursos Humanos do IOV. Os cursos de formação de líderes começaram em 2013 e até o momento 42 profissionais já foram capacitados. Os participantes são escolhidos de acordo com desenvolvimento individual, análise de histórico, necessidades da instituição e projetos futuros. 6

www.iov.com.br

O Rally a Pé marcou a formação da 3ª turma do curso de liderança da Escola de Líderes

IOV&VOCÊ Edição 58  

Informativo do Instituto de Oncologia do Vale

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you