Page 1

Planejamento

EstratĂŠgico do Instituto Federal Catarinense 2013-2017


“A melhor maneira de predizer o futuro é criá-lo.” Peter Drucker


Construído por: Reitor Francisco José Montório Sobral Pró-Reitores Fernando Dilmar Bitencourt – Administração Josete Mara Stahelin Pereira – Ensino José Carlos Brancher – Extensão Nery Jorge Golynski – Desenvolvimento Humano e Social João Célio de Araujo – Pesquisa, Pósgraduação e Inovação Diretorias Sistêmicas Maurício Lehmann – Des. Institucional Joseane Evaldt C. Teixeira – Gestão de Pessoas Márcio Crescêncio – Diretoria de T I Setores Estratégicos Valter Estevam Júnior – Pesquisador Institucional Marcelo Bradacz Lopes – Coord. de Engenharia Adonilton Luiz Pizzatto – Auditor Chefe Manuir Schons – Assessor do Reitor Patric Douglas Griseli – Diretor de Orçamento e Finanças Nicole Trevisol – Coordenadora de Comunicação

Diretores-Gerais de Câmpus Jonas Cunha Espíndola – Araquari Carlos Renato Oliveira - Blumenau Antônio Alir Dias Raitani Júnior – Brusque Rogério Luis Kerber - Camboriú Jolcemar Ferro - Concórdia Jonatan Rafael Rakoski Zientarski Fraiburgo Fernando José Taques - Ibirama Eduardo Butzen - Luzerna Oscar Emilio L. Harthmann - Rio do Sul Amir Tauille - São Francisco do Sul Carlos Antonio Krause - Sombrio Rosangela Aguiar Adam - Videira Diretores de Desenvolvimento Educacional Josefa Surek de Souza de Oliveira Araquari Aldelir Fernando Luiz - Blumenau Sirlei de Fátima Albino - Camboriú Gilmar de Oliveira Veloso - Concórdia Douglas Horner - Ibirama Mauro André Pagliosa - Luzerna Tiago Boechel - Rio do Sul Adamô Dal Berto - São Francisco do Sul Miguelangelo Ziegler Arboitte - Sombrio Raul Eduardo Fernandez Sales - Videira


Diretores de Administração e Planejamento Robert Lenoch - Araquari Fabiano Oliveira - Blumenau Marcel Amaral Dauod - Camboriú Andressa Thais Schwingel - Ibirama Gisele Vian Francio - Luzerna Marco Antônio Imhof - Rio do Sul Jorge Luís de Souza Mota - Sombrio Valdinei Cecílio - São Francisco do Sul Horaldo Antonio Brandelise - Videira Representantes da comunidade interna – Articuladores Fani Lúcia Martendal Eberhardt Blumenau Marouva Fallgatter Faqueti - Camboriú Volmar de Césaro - Concórdia Fábio Pinheiro – Fraiburgo Sônia Schappo Imhof - Ibirama Ricardo Kerschbaumer - Luzerna Daniela Koster - Reitoria Luciano Rosa - São Francisco do Sul Gilberto Mazoco Jubini - Rio do Sul Antônio Marcos Marangoni - Sombrio Giovana von Mecheln - Videira

Equipe INPEAU/UFSC Pedro Antônio de Melo - Coordenador Júlio Eduardo Ornelas Silva Maurício Fernandes Pereira João Benjamin da Cruz Jr. Carla Cristina Dutra Búrigo Alexandre Moraes Ramos Equipe Organizadora do Processo Léo Serpa - Camboriú Ana Clara Medina Menezes de Souza Reitoria Carla Zandavallli - Reitoria Marta Inês Caldart de Mello - Reitoria Maurício Lehmann - Reitoria Elaboração do Documento Carla Zandavallli Ana Clara Medina Menezes de Souza Marta Inês Caldart de Mello Editoração CECOM/IFC - Núcleo de Publicidade, Design e Marketing Nicole Trevisol - coordenação geral Sonia Trois - projeto gráfico e diagramação


Sumário Apresentação 8 O IFC 10 Planejamento Estratégico 14 Análise do ambiente 18 Missão 22 Visão 23 Valores 24 Objetivos estratégicos 26 Mapa estratégico 28 Perspectivas 30 Mapa estratégico do IFC 32 Perspectiva: Atuação Institucional 34 Perspectiva: Processos Internos 36 Perspectiva: Recursos 37 Acompanhamento do Plano 38


Apresentação

A

visibilidade e o reconhecimento que as Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica alcançam pelo país, reafirmam a identidade das mesmas como instâncias da sociedade e para a sociedade. Dialogam de forma efetiva, com a diversidade do povo brasileiro, estabelecendo vínculo indissociável entre educação e desenvolvimento a partir de uma realidade: o território onde se estabelecem as relações de vida e de trabalho. O Instituto Federal Catarinense – IFC, atua em todos os níveis e modalidades da Educação Profissional e Tecnológica em praticamente todas as regiões do estado de Santa Catarina com a marca legítima de fazer educação para a sociedade. Nesse sentido, é imperioso planejar as ações institucionais para os próximos anos através da construção de um processo de gestão baseado em um Planejamento Estratégico, afim de nortear suas atividades para o período de 2013 a 2017. O Planejamento Estratégico de uma instituição pública de ensino aponta determi-


nadas escolhas que necessariamente passaram por discussões de caráter político, objetivando principalmente a inclusão social com qualidade.

vimento do país, o que legitima e justifica a importância de sua natureza pública e afirma uma educação profissional e tecnológica como instrumento realmente vigoroso Pensar o IFC, do ponto de vista político, na construção e resgate da cidadania e da significa definir um lugar nas disputas tra- transformação social. vadas no âmbito do Estado e da sociedade Basicamente, o Planejamento Estratégico civil e esse “lugar” é o território. Território objetiva direcionar os rumos do IFC e dar pensado para além de sua circunscrição a ele sustentabilidade apontando para geográfica, como espaço de relações vivas, respostas a questões fundamentais como: situado e datado por pessoas que constro- Onde estamos? E onde queremos chegar? em a cultura de seu tempo, que influencia Assim esse documento, em sua 1ª edição, e é influenciado pelos atores ali presentes e passa a servir como eixo norteador para pelas interações que dele emergem. outros documentos e propostas a serem Reconhecer o compromisso do IFC com discutidas e apresentadas tanto para o um território bem como com uma identi- Instituto Federal Catarinense como para dade é, de certa maneira, reavivar o diálogo a sociedade. que, dentro das instituições de educação profissional e tecnológica, sempre se estabeleceu entre Educação e Trabalho. Nesse sentido, o papel do IFC, é o de atuar em diferentes territórios propondo garantir perenidade das ações que visem a incorporar setores sociais que historicamente foram alijados dos processos de desenvol-

Francisco José Montório Sobral Reitor


O IFC I

ntegrante da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, o IFC tem em sua concepção a premissa da integração e articulação entre ciência e tecnologia, cultura e trabalho. Tem como caráter distintivo o diálogo com a realidade local e regional na busca de soluções, em especial, aquelas relacionadas com a educação profissional. Sua atuação institucional se faz em todos os níveis e modalidades da educação Profissional e Tecnológica. Com uma larga e verticalizada oferta de formação, na Formação Inicial e Continuada, nos cursos técnicos em diversos eixos tecnológicos, em especial na forma integrada com o ensino médio, nas licenciaturas, cursos superiores de tecnologia e bacharelados, estendendose à Pós-Graduação lato sensu, com foco predominantemente na pesquisa aplicada e inovação tecnológica. Atualmente é composto por 15 câmpus nas cidades catarinenses de Abelardo Luz, Araquari, Blumenau, Brusque, Camboriú, Concórdia, Fraiburgo, Ibirama, Luzerna, Rio do Sul, Santa Rosa do Sul, São Bento do Sul, São Francisco do Sul, Sombrio, Videira e Reitoria instalada na cidade de Blumenau.


Localização dos câmpus

01 - Reitoria (Blumenau) 02 - Abelardo Luz 03 - Araquari 04 - Blumenau 05 - Brusque 06 - Camboriú 07 - Concórdia 08 - Fraiburgo

09 - Ibirama 10 - Luzerna 11 - Rio do Sul 12 - Santa Rosa do Sul 13 - São Bento do Sul 14 - São Francisco do Sul 15 - Sombrio 16 - Videira

11


O IFC Camboriú Abelardo Luz • Especialização em Educação no Campo

BLUMENAU Superiores • Análise e Desenvolvimento de Sistemas Técnicos • Informática

Araquari

Superiores • Medicina Veterinária • Sistemas de Informação • Ciências Agrícolas • Química • Especialização em Aquicultura Técnicos • Agropecuária • Aquicultura • Agrimensura • Informática • Química

Superiores • Pedagogia • Matemática • Negócios Imobiliários • Sistemas de Informação • Especialização em Educação Profissional Integrada a Educação Básica na Modalidade EJA • Especialização em Treinador e Instrutor de Cães-guia

Técnicos • Agropecuária • Controle Ambiental • Hospedagem • Informática • Meio Ambiente • Redes de Computadores • Segurança do Trabalho • Transações Imobiliárias • Turismo e Hospitalidade

ibirama

Fraiburgo

Superiores • Design de Moda

Técnicos • Informática • Segurança do Trabalho

Técnicos • Administração • Eletromecânica • Informática • Vestuário

Concórdia Superiores • Alimentos • Engenharia de Alimentos • Física • Matemática • Medicina Veterinária • Especialização em Educação Profissional Integrada a Educação Básica na Modalidade de EJA

• Especialização em Gestão da Tecnologia da Informação Técnicos • Agropecuária • Alimentos • Informática


Ofertas de Formação luzerna

São Francisco do Sul

Superiores •Engenharia de Controle e Automação • Engenharia Mecânica

Superiores • Redes de Computadores • Logística

Técnicos • Automação Industrial • Mecânica • Segurança do Trabalho

Rio do Sul

Superiores • Agronomia • Ciência da Computação • Física • Matemática Técnicos • Agrimensura • Agroecologia • Agropecuária • Florestas • Eletroeletrônica • Informática

Câmpus em implantação • São Bento do Sul • Brusque

Sombrio / Santa Rosa do sul

Superiores • Agronomia • Redes de Computadores • Gestão de Turismo • Matemática Técnicos • Agropecuária • Informática • Guia de Turismo

Técnicos • Informática para Internet • Secretariado • Administração

Videira Superiores • Ciência Da Computação • Pedagogia • Especialização em Desenvolvimento Rural e Agronegócios • Especialização em Desenvolvimento Web • Especialização em Educação

com Ênfase nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental Técnicos • Agropecuária • Eletroeletrônica • Informática • Segurança do Trabalho

Comunidade acadêmica Fonte: Censo IFC-Abril/2014

• Professores: 744 • Técnicos Administrativos: 547 • Alunos: 9.255 • Projetos de pesquisa em desenvolvimento: 272 • Bolsas de pesquisa: 200

• Projetos de extensão em desenvolvimento: 243 • Bolsas de extensão: 185 • Participação em programas sociais: PRONATEC, Mulheres Mil, CERTIFIC, PROEJA.

13


Planejamento Estratégico

N

este Planejamento definiu-se a estratégia global do IFC para os próximos cinco anos – 2013 a 2017, representada por um conjunto de objetivos que descreve como a instituição pretende cumprir sua missão institucional e alcançar sua visão de futuro, direcionando o comportamento e o desempenho do IFC.

Metodologia A metodologia utilizada foi estruturada em três momentos: I. diagnóstico estratégico – momento da tomada de consciência da necessidade de iniciar um processo de planejamento de longo prazo; II. definição do direcionamento estratégico – momento em que as lideranças definem as diretrizes que nortearão as ações dos próximos anos, e; III. implantação e controle – momento em que o Plano Estratégico começa a efetivamente “sair do papel”. O processo seguiu um roteiro de etapas, conforme a figura à direita.

Fluxograma das etapas do PE

Formação para Dirigentes (março) Sensibilização (dez/fev/mar) Discussões nos câmpus (fev/mar/abr)


Elaboração do PE (abril)

Formação para implementação (maio/junho)

Implementação equipe gestora (a partir de agosto)

PDI e PPI

15


Planejamento Estratégico

O

trabalho envolveu as seguintes pessoas da Instituição: Reitor, Pró -Reitores, Diretores-gerais, Diretores de Desenvolvimento Educacional e de Administração dos câmpus, Diretores Sistêmicos de TI, de Desenvolvimento Institucional e de Gestão de Pessoas e demais responsáveis pelos setores estratégicos da instituição, como Assessor de Gabinete, Coordenadora de Comunicação, Auditor Chefe, Pesquisador Institucional da Reitoria, Coordenador de Engenharia, Diretor de Orçamento e Finanças, além dos representantes dos demais servidores, os quais foram denominados Articuladores.

Pesquisas em Administração Universitária – INPEAU/UFSC. Esta parceria, principalmente na fase inicial do processo, foi fundamental para a sensibilização dos gestores, pois neste momento foram abordados temas relacionados à gestão e ao planejamento, continuando ao longo do processo com a realização de oficinas de trabalho. O objetivo de intercalar momentos de formação com oficinas de trabalho enriqueceu o processo, a medida em que os participantes tiveram a oportunidade de debater as temáticas com especialistas das mais diversas áreas. Todas as atividades desenvolvidas nos encontros foram coordenadas pelo INPEAU com o apoio da Equipe Organizadora. As oficinas de trabalho foram desenvolvidas sob a orientação técniO processo foi conduzido de forma a propi- ca de um profissional pertencente ao quadro ciar a participação da comunidade interna. de especialistas do INPEAU. Todos os servidores tiveram a oportunidaFoi estabelecido um cronograma sendo de de apresentar suas ideias e sugestões que no total foram realizados onze enconem discussões promovidas pelos Articulatros de sensibilizações nos câmpus e reidores dos câmpus e reitoria. toria e seis encontros de trabalho com a Com a participação de uma variedade de equipe de gestores. As atividades seguiram áreas e setores foi possível a formação de a sequência conforme quadro à direita. um grupo de trabalho heterogêneo, com A metodologia foi realizada com o firme interesses e conhecimentos distintos, propropósito de tornar o resultado do processo porcionando a troca de conhecimentos e o de planejamento o mais legítimo possível e enriquecimento do processo – o que talvez coerente com as necessidades e perspectinão aconteceria se o trabalho estivesse resvas do IFC, com vistas ao fortalecimento da trito a determinados setores. gestão multicampi e desenvolvimento instiCabe salientar que a formulação deste Pla- tucional. Em todas as etapas, a construção nejamento contou com a contribuição espe- do Plano contou com a participação efetiva cial e altamente significativa do Instituto de dos dirigentes e Articuladores.


Etapa 1 Sensibilização

Apresentação, realizada pela Equipe Organizadora, abordando as linhas gerais da formulação estratégica e metodologia adotada para a construção do PE em todos os câmpus e reitoria.

Etapa 2 Levantamento das variáveis influentes no desempenho da instituição

Diagnóstico para conhecimento da realidade atual por meio de levantamento de informações junto aos câmpus, realizado pelos Articuladores. O objetivo desta etapa foi coletar sugestões a fim de fornecer subsídios para a construção do Plano. Todos os servidores do IFC tiveram oportunidade de contribuir com sugestões.

Etapa 3 Preparação para o PE Etapa 4 Redefinição da Missão, Visão e Valores do IFC e Diagnóstico Estratégico

Encontro de Formação e sensibilização dos dirigentes.

Capacitação e oficina de trabalho com a direção estratégica e articuladores do IFC com o objetivo de construir as diretrizes de longo prazo. A adoção do horizonte 2013-2017 decorreu da decisão tomada pelas lideranças presentes. O diagnóstico foi feito mediante a identificação dos principais fatores que interferem no desempenho institucional – o Ambiente Interno (Forças e Fraquezas) e o Ambiente Externo (Oportunidades e Ameaças) os quais impactam de forma positiva ou negativamente nos resultados do IFC. Como referência para o debate foram considerados os insumos obtidos na etapa 2, pois traziam a percepção dos servidores quanto a atuação do Instituto.

Etapa 5 Construção dos objetivos estratégicos

Capacitação e oficina de trabalho com os dirigentes e articuladores do IFC com o objetivo de construir os objetivos estratégicos. Nesta etapa, ocorreu o levantamento das variáveis influentes nas atividades da instituição. A definição dos pontos a serem contemplados no PE foi validada por todos os presentes.

Etapa 6 Priorização dos objetivos

Oficina de trabalho com o Colégio de Dirigentes (Reitor, Pró-Reitores e Diretores-gerais) do IFC com a finalidade de relacionar os objetivos estratégicos por ordem de prioridade, estabelecendo prazos e definindo responsáveis.

Etapa 7 Apresentação do rol de objetivos

Além da capacitação para os dirigentes e articuladores do IFC, apresentouse o resultado da etapa anterior a todos os demais envolvidos.

Etapa 8 Início da Implementação

Encontro com o Colégio de Dirigentes do IFC com o objetivo de iniciar a fase de implementação, desenvolvimento e acompanhamento das ações.

17


Análise do Ambiente Pontos Fracos

Dificuldades e fragilidades do IFC.

• Parcerias com instituições públicas e privadas; • Execução dos recursos para pesquisa e extensão; • Número de servidores docentes e técnicos para a demanda atual; • Política de qualificação de servidores; • Política voltada à Gestão Ambiental; • Normatizações internas, regimentos e manuais de procedimentos; • Cultura de planejamento; • Evasão escolar; • Matrizes curriculares não padronizadas; • Gestão de Tecnologia da Informação – sistema de gerenciamento; • Integração do ensino, pesquisa e extensão; • Acessibilidade;

• Formação empreendedora – incubadoras; • Identidade institucional Marca do IFC; • Infraestrutura padronizada – biblioteca, refeitório, sala de convivência, auditório; • Fundação de apoio; • Liberação dos recursos de assistência estudantil; • Estrutura organizacional – organograma e atribuições dos cargos e funções; • Ações voltadas à produção artística e cultural e resgate da história institucional; • Número de publicação de pesquisas em periódicos listados no Qualis; • Pesquisas aplicadas direcionadas aos arranjos produtivos locais – produção tecnológica; • Infraestrutura de internet;

• Comunicação e Marketing; • Eficiência e eficácia dos cursos; • Integração entre os câmpus – visão individualizada; • Uso de indicadores de gestão; • Planejamento da gestão orçamentária; • Capacitação para atividades executivas e de gestão; • Atendimento às demandas regionais; • Educação à Distância; • Núcleo de Inovação Tecnológica – política de inovação tecnológica; • Planejamento para implantação de novos campus; • Atuação nos programas CERTIFIC e PROEJA; • Acesso à instituição – localização.


Pontos Fortes

Competências e habilidades do IFC.

• Oferta de cursos em todos os níveis; • Políticas de inclusão e permanência; • Presença do IFC em 15 cidades; • Referência no ensino agrícola; • Ensino médio integrado; • Escola fazenda / laboratório vivo;

• Professores com dedicação exclusiva; • Qualificação dos servidores; • Fomento às atividades de pesquisa e extensão; • Facilidade de comunicação com os dirigentes;

• Tradição na oferta dos cursos técnicos • Conselhos representativos; de nível médio em agropecuária; • Escolha dos dirigentes por meio de • Iniciação científica; consulta à comunidade; • Eventos de iniciação científica; • Autonomia para execução • Programas de assistência estudantil;

orçamentária;

• Acesso aos programas sociais de governo;

• Autonomia administrativa e financeira dos câmpus;

• Gratuidade e qualidade do ensino;

• Núcleo de Gestão Ambiental.

19


Análise do Ambiente Ameaças

Influências externas negativas.

• Expansão de outras instituições federais de ensino em áreas geográficas em que o IFC atua;

• Recursos insuficientes;

• Oferta de educação à distância de outras instituições de ensino;

• Vulnerabilidade às políticas de governo;

• Política de expansão dos Institutos Federais; • Política de governo para abertura de alguns cursos;

• Frequente contingenciamento orçamentário;

• Liberação de código de vagas para contratação servidores; • Morosidade de acesso aos recursos orçamentários.


Oportunidades

Influências externas positivas.

• Crescimento e diversificação industrial – arranjos produtivos locais;

• Demanda por Pós-Graduação – Lato e Stricto Sensu;

• Parcerias entre instituições públicas e privadas;

• Demanda por Educação à Distância;

• Incentivo governamental à inovação tecnológica; • Políticas públicas de incentivo à educação profissional;

• Editais de órgãos externos de fomento; • Recursos extraorçamentários.

21


Missão

A

missão define o propósito fundamental do IFC e como pretende atuar no seu dia a dia. Traduz as diretrizes gerais, em busca da satisfação das aspirações da sociedade. A missão responde à seguinte questão: Por que ou para que existimos?

Proporcionar educação profissional atuando em ensino, pesquisa e extensão, comprometida com a formação cidadã, a inclusão social e o desenvolvimento regional.


Visão

A

visão é a expressão que traduz a situação futura desejada, é estabelecida sobre os fins da instituição e corresponde à direção suprema que o IFC busca alcançar. É um plano, uma ideia que descreve o que se quer realizar objetivamente no horizonte estratégico.

Ser referência em educação profissional, científica e tecnológica em Santa Catarina.

23


Valores

O

s valores significam as bases que devem pautar o comportamento de todos que trabalham no IFC. São elementos motivadores que direcionam as ações das pessoas, contribuindo para a unidade e a coerência do trabalho. Os valores traduzem as ideias fundamentais em torno das quais se constrói a instituição e devem nortear as políticas institucionais na realização da sua visão de futuro.

Ética Compromisso com a excelência

Credibilidade

Formação cidadã CATARINENSE

Compromisso com a Sustentabilidade

Transparência

Compromisso e Justiça Social Compromisso com a qualidade de ensino, pesquisa e extensão


Ética Agir com honestidade e respeito de acordo com os princípios da legalidade, moralidade, impessoalidade, atuando segundo os padrões de conduta estabelecidos no Código de Ética do Servidor Público Federal.

Compromisso e justiça social Preservar os valores da sociedade, dedicando tratamento justo às pessoas.

Credibilidade

Transparência

Atuar de forma técnica, competente, responsável, imparcial, coerente e comprometida com o bom emprego dos recursos públicos.

Dar visibilidade a todas as decisões, atos e resultados institucionais, em linguagem clara e acessível.

Compromisso com a excelência

Compromisso com a sustentabilidade

Em cada tarefa, fazer tudo da melhor forma possível. Ser melhor a cada momento. Ser incansável na busca da qualidade.

Promover a utilização dos recursos de forma racional, buscando sua preservação e minimizando os danos ao meio ambiente.

Formação cidadã Comprometimento com a construção do saber, a formação de profissionais competentes e compromissados socialmente, ampliando sua capacidade de perceber os problemas contemporâneos e posicionar-se criticamente. Por meio da formação cidadã proporcionar ao educando autonomia intelectual e visão integrada do contexto, levando-o à emancipação.

Compromisso com a qualidade de ensino, pesquisa e extensão Atuar com eficiência, eficácia e efetividade nas ações de ensino, pesquisa e extensão, pautando o processo pedagógico nas finalidades da educação e no pleno desenvolvimento do educando para o exercício da cidadania e capacitação para o trabalho. Promover a melhoria contínua do processo educacional e serviços prestados à sociedade.


Objetivos Estratégicos

O

s objetivos estratégicos retratam os principais desafios a serem enfrentados pelo IFC no alcance de sua visão de futuro e no cumprimento de sua missão institucional. São fruto de um processo participativo construído e validado pela atual gestão, e representa o estágio inicial do planejamento. São objetivos do IFC:

1

Implantar sistema de gestão;

2

Criar mecanismos que evitem a evasão e promovam a permanência na instituição;

3

Criar mecanismos de incentivo ao ensino, pesquisa e extensão;

4

Desenvolver projetos para captação de recursos extraorçamentário; visando a melhoria do ensino, da pesquisa, da extensão e da gestão;

5

Implementar programa de melhoria da qualidade da educação básica;

6

Criar políticas e programas de formação e aperfeiçoamento contínuo de servidores docentes e técnicoadministrativos em todos os níveis;

7

Definir a estrutura organizacional da instituição com padronização mínima;

8

Criar política de identidade institucional;

9

Criar programa para melhorar a eficiência da gestão de compras;

10

Criar manuais e fluxos de trabalhos no IFC;

11

Criar política para a implantação gradativa de novos cursos;

12

Fazer mapeamento de competências de cargos e funções;

13

Estabelecer plano de reposição docente com critérios claros, visando agilizar as contratações;


14

Criar política de incentivo a inovação tecnológica;

27

Criar programa para diagnosticar, avaliar e otimizar a distribuição de aulas, disciplinas e atividades por área de conhecimento;

15

Criar mecanismos para avaliação constante da infraestrutura mínima necessária ao bom funcionamento dos câmpus;

28

Instituir política de comunicação;

16

Padronizar no mínimo 75% das matrizes curriculares dos cursos do IFC;

29

Definir eixos tecnológicos por câmpus;

17

Criar critérios de gestão a fim de agilizar a execução orçamentária e financeira;

30

Criar política de acompanhamento dos egressos;

18

Desenvolver mecanismos para melhorar a distribuição da carga horária de professores entre ensino, pesquisa e extensão;

31

Promover a publicação dos trabalhos em periódicos indexados;

19

Criar programa de incentivo e fortalecimento de grupos de pesquisa de acordo com as áreas de atuação do câmpus;

32

Criar política de apoio à produção cultural;

20

Identificar demandas sociais e econômicas para o desenvolvimento de projetos de extensão e pesquisa;

33

Estudar a viabilidade de implantação de incubadoras nos câmpus;

21

Promover educação à distância para a qualificação interna dos servidores técnico-administrativos, servidores docentes e gestores.

34

Estabelecer programa de parcerias nacionais e internacionais;

22

Criar programas de Assistência Estudantil;

35

Implantar e consolidar as Coordenações de Comunicação, normatizando e formando equipes com profissionais da área;

23

Criar política de gestão ambiental;

36

Implantar projetos de ação social;

24

Fomentar a pesquisa aplicada e a participação em eventos;

37

Desenvolver política de acessibilidade;

25

Viabilizar a utilização de Fundações de Apoio para o IFC;

38

Implantar programa de apoio a estudantes com elevado desempenho.

26

Criar programa de formação continuada para gestores na modalidade presencial e/ ou distância;

27


Mapa Estratégico

O

mapa estratégico é o agrupamento de todas as informações e representa a articulação entre Valores, Missão, Visão e Objetivos Estratégicos em três perspectivas: •

Atuação Institucional: Responsabilidade Social, Ensino, Pesquisa e Extensão;

Processos Internos: Eficiência operacional e Gestão;

Recursos: Pessoas, Orçamento, Infraestrutura e Tecnologia.

Atuação institucional

Processos internos

Recursos


Responsabilidade social

Ensino

pesquisa

Eficiência operacional

pessoas

extensão

Gestão

infraestrutura e tecnologia

orçamento

29


Perspectivas

C

ada uma das perspectivas engloba um conjunto de objetivos correlacionados, a saber:

Atuação Institucional Define os resultados que o IFC deve gerar para cumprir sua missão institucional, atender às expectativas da sociedade e alcançar a visão desejada para 2017. Trata-se de medição e acompanhamento do valor entregue à sociedade por meio da sua atuação institucional.

Processos Internos Retrata os processos prioritários nos quais o IFC deverá buscar excelência e concentrar esforços a fim de alcançar os objetivos. Esta perspectiva identifica os processos críticos nos quais o IFC deve ter desempenho excelente. Os objetivos de Gestão e Eficiência Operacional, agrupados nessa perspectiva, estão voltados para o aperfeiçoamento dos processos existentes e para a identificação de estratégias que influenciem positivamente nos resultados da instituição.


Recursos Compreende o inter-relacionamento dos recursos físicos, tecnológicos e de pessoas disponíveis e necessários para a modernização e crescimento institucional. As pessoas representam o capital intelectual que estão na base de todos os processos, por isso a necessidade de desenvolvimento de habilidades, conhecimentos e atitudes adequadas às atividades institucionais. Por sua vez, a Infraestrutura e Tecnologia garantem a qualidade dos serviços e as

condições de trabalho ao prover recursos físicos (mobiliário e imobiliário) e tecnológicos (equipamentos, redes, sistemas e comunicações). O Orçamento é o suporte necessário ao desenvolvimento dos objetivos finalísticos, ao aprimoramento dos processos de trabalho e às iniciativas de capacitação, desenvolvimento e bem-estar das pessoas. A seguir apresenta-se o Mapa Estratégico que representa um resumo do processo.

31


Recursos

processos internos

Atuação institucional

VISÃO: Ser referência em educação profissional científica e tecnológica em Santa Catarina.

Responsabilidade social

Ética

C

de

lida

ibi red

Pesquisa

• Criar política de Gestão Ambiental • Criar política de apoio a produção cultural • Implantar projetos de ação social • Desenvolver política de acessibilidade

• Criar política de incentivo à inovação tecnológica • Criar programa de incentivo e fortalecimento de grupos de pesquisa de acordo com as áreas de atuação do câmpus • Fomentar a pesquisa aplicada e a participação em eventos • Promover a publicação dos trabalhos em periódicos indexados

Gestão • Definir a estrutura organizacional da instituição com padronização mínima • Criar política de identidade institucional • Definir Eixos Tecnológicos por câmpus • Criar política para a implantação gradativa de novos cursos • Estabelecer plano de reposição docente com critérios claros, visando agilizar as contratações

infraestrutura e tecnologia • Criar mecanismos para avaliação constante da infraestrutura mínima necessária ao bom funcionamento dos câmpus • Implantar um sistema de gestão

Missão: Proporcionar educação profissional atuando em ensino, pesquisa e extensão,


cia rên

nspa

Tra

tiça

Jus oe iss rom cial omp So

C

Extensão • Identificar demandas sociais e econômicas para o desenvolvimento de projetos de extensão e pesquisa • Estudar a viabilidade da implantação de incubadoras nos câmpus. • Estabelecer um programa de parcerias nacionais e internacionais.

o miss dade o r i p Com a qual pesquisa , m o o c nsin ensão de e e ext

ma o co ade iss m id pro abil Com ustent S

m o co iss m pro lência Com a exce

ã dad ão ci

maç

For

Ensino • Criar mecanismos que evitem a evasão e promovam a permanência na instituição • Implementar Programa de melhoria da qualidade da educação básica • Padronizar no mínimo 75% das matrizes curriculares dos cursos do IFC • Criar Programa de Assistência Estudantil • Criar política de acompanhamento dos egressos • Implantar programa de apoio a estudantes com elevado desempenho

pesquisa, extensão e ensino • Criar mecanismos de incentivo ao ensino, pesquisa e extensão; Viabilizar a utilização de fundações de apoio para o IFC

Eficiência Operacional • Criar programa para melhorar a eficiência da Gestão de Compras • Criar critérios de gestão a fim de agilizar a execução orçamentária e financeira • Instituir política de comunicação • Criar manuais e fluxos de trabalhos no IFC • Criar programa para diagnosticar, avaliar e otimizar a distribuição de aulas, disciplinas e atividades por área de conhecimento • Desenvolver mecanismos para melhorar a distribuição da carga horária de professores entre ensino, pesquisa e extensão • Implantar e consolidar as Coordenações de Comunicação, normatizando e formando equipes com profissionais da área

pessoas • Criar políticas e programas de formação e aperfeiçoamento contínuo de servidores docentes e técnico-administrativos em todos os níveis • Fazer mapeamento de competências de cargos e funções • Promover a educação à distância para a qualificação interna dos servidores técnicoadministrativos, servidores docentes e gestores • Criar programa de formação continuada para gestores na modalidade presencial e/ou distância

orçamento • Desenvolver projetos para captação de recursos extraorçamentários, visando a melhoria do ensino, da pesquisa, da extensão e da gestão

comprometida com a formação cidadã, a inclusão social e o desenvolvimento regional.


Perspectiva: Atuação Institucional Cada perspectiva agrupa um conjunto de objetivos. Para cada objetivo definiu-se um setor responsável pelo seu desenvolvimento, bem como o prazo para início da implementação das ações.

Objetivos Estratégicos Criar programa de assistência estudantil Criar mecanismos que evitem a evasão e promovam a permanência na instituição Criar Política de Acompanhamento dos Egressos Implantar programas de apoio a estudantes com elevado desempenho Implementar programa de melhoria da qualidade da educação básica Padronizar no mínimo 75% das matrizes curriculares dos cursos do IFC

Objetivos Estratégicos Criar política de incentivo à inovação tecnológica Criar programa de incentivo e fortalecimento de grupos de pesquisa de acordo com as áreas de atuação dos câmpus Fomentar a pesquisa aplicada e a participação em eventos Promover a publicação dos trabalhos em periódicos indexados

ENSINO

Responsável PRODHS

Prazo Março 2014

PROEN Março 2014 Direção Câmpus Santa Rosa Outubro 2014 do Sul Direção Câmpus Brusque Dezembro 2014 PROEN

Setembro 2014

PROEN

Dezembro 2014

PESQUISA

Responsável

Prazo

Direção Câmpus Videira

Dezembro 2014

PROPI

Agosto 2014

PROPI

Dezembro 2013

PROPI

Março 2014


EXTENSÃO

Objetivos Estratégicos Identificar demandas sociais e econômicas para o desenvolvimento de projetos de extensão e pesquisa Estabelecer programa de parcerias nacionais e internacionais Estudar a viabilidade de implantação de incubadoras nos câmpus

Responsável

Prazo

PROEX

Outubro 2014

PROEX

Agosto 2014

Direção Câmpus Luzerna

Dezembro 2014

ENSINO-PESQUISA-EXTENSÃO

Objetivo Estratégico Criar mecanismos de incentivo ao ensino, pesquisa e extensão Viabilizar a utilização de fundações de apoio para o IFC

Responsável

Prazo

PROEX

Outubro 2014

Direção Câmpus Araquari

Dezembro 2014

RESPONSABILIDADE SOCIAL

Objetivo Estratégico Criar política de gestão ambiental Implantar projetos de ação social

Responsável Direção Câmpus Blumenau Direção Câmpus Fraiburgo Câmpus São Criar política de apoio à produção cultural Direção Francisco do Sul Desenvolver política de acessibilidade Direção Câmpus Concórdia

Prazo Outubro 2013 Julho 2014 Março 2015 Julho 2014

35


Perspectiva: Processos Internos Objetivo Estratégico Criar política de identidade institucional Definir eixos tecnológicos por câmpus Criar política para a implantação gradativa de novos cursos Estabelecer plano de reposição docente com critérios claros visando agilizar as contratações Definir a estrutura organizacional da instituição com padronização mínima

GESTÃO

Responsável Prazo Direção Câmpus Rio do Sul Dezembro 2013 Direção Câmpus Ibirama Março 2015 PROEN

Agosto 2014

Direção Câmpus Ibirama

Dezembro 2014

Gabinete do Reitor

Julho 2015

EFICIÊNCIA OPERACIONAL

Objetivo Estratégico Criar programa para melhorar a eficiência da Gestão de Compras Criar critérios de gestão a fim de agilizar a execução orçamentária e financeira

Criar manuais e fluxos de trabalhos no IFC Criar programa para diagnosticar, avaliar e otimizar a distribuição de aulas, disciplinas e atividades por área de conhecimento Desenvolver mecanismos para melhorar a distribuição da carga horária de professores entre ensino, pesquisa e extensão Instituir política de comunicação Implantar e consolidar as Coordenações de Comunicação, normatizando e formando equipes com profissionais da área

Responsável

Prazo

PROAD

Dezembro 2013

PROAD

Dezembro 2013

Direção Câmpus São Francisco do Sul

Dezembro 2014

Direção Câmpus Camboriú Julho 2014 Direção Câmpus Camboriú Dezembro 2014 DIDES

Março 2015

Direção Câmpus Blumenau

Setembro 2014


Perspectiva: Recursos PESSOAS

Objetivo Estratégico Criar políticas e programas de formação e aperfeiçoamento contínuo de servidores docentes e técnico-administrativos em todos os níveis Fazer mapeamento de competências de cargos e funções Promover educação à distância para a qualificação interna dos servidores técnicoadministrativos, servidores docentes e gestores Criar programa de formação continuada para gestores na modalidade presencial e/ ou a distância

Responsável

Prazo

PRODHS

Março 2014

Gabinete do Reitor

Julho 2015

Direção Câmpus Camboriú Julho 2014 PRODHS

INFRAESTRUTURA E TECNOLOGIA

Objetivo Estratégico Responsável Criar mecanismos para avaliação constante da infraestrutura mínima necessária ao Direção Câmpus Luzerna bom funcionamento dos câmpus Implantar um sistema de gestão DIDES

Objetivo Estratégico Desenvolver projetos para captação de recursos extraorçamentários visando a melhoria do ensino, da pesquisa, da extensão e da gestão

ORÇAMENTO

Responsável

Março 2014

Prazo Dezembro 2013 Dezembro 2013

Prazo

Direção Câmpus Rio do Sul Dezembro 2014

37


Acompanhamento do Plano

E

ste trabalho é fruto da ação conjunta de todas as unidades do IFC. Foi elaborado mediante esforços dos envolvidos, no sentindo de identificar as ações para o período 2013 – 2017, que contribuirão para o alcance dos objetivos, de forma a garantir o cumprimento da missão institucional. O alcance da visão é o principal objetivo deste Planejamento, o qual direcionará as atividades e a da utilização dos recursos disponíveis de forma racional e equilibrada. O planejamento tático – planos de ação deverão ser preparados anualmente, pelas Pró-Reitorias e câmpus, tomando como base os objetivos aqui estabelecidos. Esses, devem ser desdobrados em planejamento operacional – projetos es-

tratégicos que tenham relação direta com o alcance dos objetivos. Os resultados serão mais factíveis na medida em que o processo tenha monitoramento contínuo e integrado, utilizando-se a validação permanente dos indicadores, das metas e da relevância atribuída a cada um deles. O sucesso do Planejamento dependerá da capacidade de execução de tudo o que foi planejado, e deverá contar com o comprometimento de todos. Para isso acontecer, os líderes devem conduzir esse processo, apontando a visão para onde o IFC quer chegar e assim mobilizar os servidores em torno de objetivos comuns. Devem garantir uma condução determinada, continuada e profundamente participativa, em benefício da instituição e da sociedade.


CATARINENSE

Planejamento Estratégico do Instituto Federal Catarinense  

O Planejamento Estratégico objetiva direcionar os rumos do IFC e dar a ele sustentabilidade apontando para respostas a questões fundamentais...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you