Page 1

Ano 3 | Edição 07 | Junho 2016

Por um tratamento customizado. EM MOVIMENTO Dr. Gustavo Campos comenta sobre a novidade no tratamento das articulações.

VIDA SAUDÁVEL Dr. Victor Sorrentino fala sobre a suplementação como aliada na perda de peso e na influência sobre a leptina.

ENTRE ASPAS Confira a entrevista com a nutricionista, Dra. Patrícia Davidson, sobre os nutracêuticos que auxiliam nos tratamentos para o emagrecimento e a compulsão alimentar.


CONHEÇA O BLOG EPITELIZANDO Uma página exclusiva, onde você vai encontrar relatos de caso que comprovam a eficácia de EPIfactor® na regeneração epitelial, em: • Feridas e lesões; • Procedimentos dermatológicos; • Relatos veterinários.

24 2


INSTITUCIONAL

PHARMA NOSTRA®, REFERÊNCIA NA PREVENÇÃO E INOVAÇÃO DO TRATAMENTO CUSTOMIZADO.

A Pharma Nostra® faz parte de uma multinacional holandesa, que está presente em mais de 30 países, oferecendo produtos, serviços e conceitos para profissionais e instituições da área da saúde. Durante sua trajetória, a empresa construiu uma reputação baseada em inovar o setor magistral. Dessa forma, consolidou-se como especialista em tratamento customizado, ao trabalhar com produtos desenvolvidos com a mais alta tecnologia. Atualmente, com o objetivo de oferecer mais do que um método terapêutico para doenças, a Pharma Nostra® acredita que está na prevenção, a chave para melhorar a qualidade de vida como um todo, evolvendo as suas três áreas de atuação: Pele, Metabolismo Funcional e Articulação.

E é assim, pensando no futuro, que a empresa consegue expandir ainda mais as suas atividades e contribuir para a evolução do setor no Brasil, apostando em um conceito atual e tendo como base a qualidade. Esse alicerce é que sustenta e garante a credibilidade dos seus produtos, começando desde a compra do insumo, fracionamento até a aquisição de equipamentos e manutenção de infraestrutura adequada. Portanto, essa característica confirma a constante busca da Pharma Nostra® por excelência técnica, o que atribui a ela a reputação de empresa científica, voltada para a pesquisa e desenvolvimento. Fator que colabora ainda mais para qualificar os seus produtos e destacá-los como referência no mercado.

3


COLABORADORES Dr. Gustavo Constantino de Campos Médico ortopedista graduado pela Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), com residência médica e especialização em cirurgia do joelho no Instituto de Ortopedia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. É também Doutor em Ciências pela Faculdade de Medicina da USP e membro do Grupo de Doenças Osteometabólicas do IOT HC – FMUSP e do Grupo de Joelho da UNICAMP.

Dr. Márcio Tannure Márcio Alves Tannure se formou na faculdade de Medicina no ano de 2004. Durante sua trajetória profissional foi coordenador médico das categorias de base da Seleção Brasileira de Futebol entre 2007 e 2012. Atualmente é membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia e da Sociedade de Artroscopia e Traumatologia do Esporte. É chefe do Departamento Médico do Clube de Futebol Flamengo e diretor médico da Comissão Atlética de MMA (Confederação Brasileira de Mixed Martial Arts - CBMMA). Além de médico do UFC Brasil.

Dra. Patrícia Davidson Patrícia Davidson é especialista em Nutrição Clínica Cirúrgica, pós-graduada em Nutrição Clínica Funcional e Fitoterapia Funcional, e diplomada pelo The Institute for Functional Medicine (EUA), de onde também faz parte do hall de membros. Ela ainda é formada em Medicina Chinesa, Medicina Funcional e Exames Laboratoriais e Ortomoleculares. Atualmente se aperfeiçoa com os cursos de Nutriendocrinologia, Applied Sports & Exercise Nutrition e Fellowship de Antiaging, os dois últimos fora do Brasil.

Dr. Justin Green Justin Green, International Business Manager da Embria. Ele possui mais de oitos anos de experiência na indústria de suplementos alimentares e antes da Embria foi gerente de Produto Global, da Kemin, e cientista sênior, do Trimeris Inc. Dr. Green recebeu seu Ph.D. em Bioquímica e Biofísica Molecular, pela Universidade de Columbia e fez pós-doutorado na Escola Mount Sinai de Medicina, em Nova York. Também frequentou a Universidade de Northwestern, onde recebeu um B.A. em Bioquímica e Ciência Integrada.

Dr. Orlando Oliveira Neto Cirurgião plástico, faz parte do corpo clínico do Hospital Premium – Centro de Medicina Avançada, de Goiânia, e é regente do Serviço de Cirurgia Plástica da Associação de Combate ao Câncer em Goiás, Hospital Araújo Jorge. O médico é membro da Sociedade Ibero Latino Americana de Cirurgia Plástica e da ISAPS – International Society of Aesthetic Plastic Surgery e membro titular e especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Ele também é tesoureiro e secretário da SBCP – Regional Goiás.

Dr. Victor Sorrentino Médico graduado pela Universidade Luterana do Brasil, pós-graduado em Nutriendocrinologia, pela Faculdade de Ciências de São Paulo, e também em Prática Ortomolecular e em Nutrologia, pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). É integrante de instituições como International Hormone Society, Fuctional Medicine Institute e membro diretor da Sociedade Brasileira para Estudos da Fisiologia (SOBRAF).

EXPEDIENTE

A Revista Única é uma publicação da PHARMA NOSTRA®, distribuída gratuitamente a prescritores e farmacêuticos magistrais. Gerente Geral: Ivan Maróstica Coordenadora Editorial: Ana Carolina Barros Coordenadora Técnica: Ana Paula Fidélis Jornalista Responsável: Ana Carolina Barros – MTB 58.939/SP Projeto gráfico: Triunfo Sudler Brasil Diagramação: Victor Augusto Rodrigues Contato: revistaunica@pharmanostra.com.br Endereço: Av. Pierre Simon de Laplace, 751 - Lote 08 - Condomínio Tech Point - Techno Park Campinas - CEP 13069-320 - Campinas/SP

4

As opiniões dos artigos assinados e dos entrevistados são de responsabilidade de seus autores. Não é permitida a cópia ou a reprodução total ou parcial do conteúdo sem prévia autorização. As sugestões de fórmulas devem ser testadas previamente e utilizadas sob orientação médica. Este material fornece informação técnica adequada à tomada de decisão exclusiva do profissional de saúde, médico, nutricionista e farmacêutico magistral. As substâncias (ingredientes em sua forma isolada, necessitando prescrição e formulação magistral personalizada para serem utilizados) são de total propriedade e responsabilidade de seus fabricantes.


EDITORIAL

NOSSA PREOCUPAÇÃO É PROMOVER A SAÚDE DO CORPO E DA MENTE. A busca pela saúde é constante hoje em dia, principalmente quando envolvem temas como obesidade, estresse e prática de atividades físicas, itens tão debatidos em consultórios, conversas e pela mídia. E como a Pharma Nostra® acredita que qualidade de vida é sinônimo de saúde, traz para 2016 lançamentos que vão auxiliar no metabolismo e nos cuidados com as articulações. Neste primeiro, entendemos que o cortisol, um hormônio tão importante para o equilíbrio do nosso organismo, precisa ser controlado, e Relora® vem cumprir essa missão de diminuir os níveis de estresse e a compulsão alimentar. Assim como Citrimax®, que chega para auxiliar na saciedade, agindo na leptina e, consequentemente, levando a perda de peso. Para as articulações, a novidade é Move™, um anti-inflamatório natural e que não tem efeitos colaterais como os anti-inflamatórios comuns. As ações da empresa também estão pautadas nesse foco, por isso estamos envolvidos em Congressos nacionais e estaduais, além de eventos e feiras de nossas sociedades parceiras como a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD - Regionas do Rio de Janeiro e São Paulo), Sociedade Paranaense de Reumatologia (SPR) e Sociedade de Reuma-

tologia do Rio de Janeiro (SRRJ), com o objetivo de levar esse conceito para prescritores do Brasil. E em uma dessas ocasições, no Congresso Hi-Nutrition, conversamos com a nutricionista, a Dra. Patrícia Davidson, que falou para a nossa equipe, da importância da Nutrição Funcional para um tratamento customizado. Nas páginas da Revista Única, você leitor, encontra artigos do Dr. Márcio Tannure sobre sua experiência com UC-II® no tratamento de atletas, do Dr. Gustavo Campos, relatando o uso de Move™ como medida terapêutica para a osteoartrite, e do Dr. Victor Sorrentino, que defende a suplementação como auxiliar na perda de peso. Outro destaque para o texto do Dr. Orlando Oliveira Neto, sobre a importância da cicatrização no resultado estético das cirurgias e do uso de EPIfactor® para chegar a esse efeito satisfatório para o paciente. Isso e muito mais, você confere na publicação, que retrata o comprometimento da Pharma Nostra® em levar os ativos da mais alta tecnologia para o mercado magistral e com essas inovações esperamos contribuir, simultaneamente, para a saúde do corpo e da mente dos pacientes. Boa Leitura!

Ivan Maróstica Gerente G eral

5


ÍNDICE

BELEZA AVANÇADA

PELE

A importância da cicatriz no resultado estético das cirurgias.

ENTRE ASPAS

08

METABOLISMO FUNCIONAL

Em entrevista, a nutricionista, Dra. Patrícia Davidson comenta sobre as alternativas para o tratamento custonizado na Nutrição Funcional.

11

CUIDADO ÚNICO Conheça EpiCor™, o nutracêutico que auxilia no fortalecimento do sistema imunológico.

14

FORMULAÇÕES PARA PRESCRITORES Pág. Central

Tratamento customizado.

VIDA SAUDÁVEL A suplementação, uma eficaz aliada no controle da saciedade e, consequentemente, na perda de peso.

17

EM DESTAQUE Estudo comprova a eficácia de Relora® no nível de cortisol e no estado de bom humor.

EM MOVIMENTO

19

ARTICULAÇÃO

Anti-inflamatório natural, Move™, é a novidade no tratamento de doenças articulares.

27

RELATOS MÉDICOS Dr. Márcio Tannure fala sobre o uso do colágeno não desnaturado tipo II como auxiliar na prevenção e tratamento das articulações. 6

29


PELE

7


BELEZA AVANÇADA Dr. Orlando Oliveira Neto

A IMPORTÂNCIA DA CICATRIZ NO RESULTADO ESTÉTICO DAS CIRURGIAS O processo de cicatrização da pele consiste de uma perfeita e coordenada cascata de eventos sequenciais, que desencadeiam invariavelmente na formação de uma cicatriz residual, podendo esta ser esteticamente favorável ou não. Entretanto, é sabido que em cirurgias plásticas as cicatrizes favoráveis são parte da excelência dos resultados almejados. O processo de cicatrização é dividido didaticamente em três fases: A inflamatória, a proliferativa ou de granulação, e a de maturação ou remodelação do colágeno. Este último é a proteína mais abundante no corpo humano e também é o principal componente da matriz extracelular dos tecidos. O colágeno estrutura-se numa rede densa e dinâmica, resultante da sua constante deposição e reabsorção, compondo assim, a cicatriz residual a um trauma. O processo cicatricial é comum a todas as feridas, porém o agente causador, a forma

(...) uma cicatriz anormal pode impactar de forma definitiva a vida de um paciente tornando-se um estigma. Lançamos mão de muitas táticas cirúrgicas e artifícios, com intuito de minimizar os efeitos da cicatrização anormal, que pode ocorrer em todos esses processos e etapas ou ser insuficiente ou exagerada com relação a produção e remodelação do colágeno.

8

como é tratada e fatores intrínsecos, inerentes a cada indivíduo em particular, são determinantes para o resultado cicatricial final. Sabendo que nos dias atuais se faz necessário uma rápida recuperação no pós-operatório de qualquer cirurgia, especialmente em cirurgia plástica, na qual a cobrança por um resultado cicatricial é muito maior que nas outras especialidades. E lembrando ainda, que uma cicatriz anormal pode impactar de forma definitiva a vida de um paciente tornando-se um estigma. Lançamos mão de muitas táticas cirúrgicas e artifícios, com intuito de minimizar os efeitos da cicatrização anormal, que pode ocorrer em todos esses processos e etapas ou ser insuficiente ou exagerada com relação a produção e remodelação do colágeno. Como táticas cirúrgicas, podemos escolher os melhores locais para a colocação dessas cicatrizes, de acordo com sulcos, dobras e linhas de força; causar o menor trauma possível nos tecidos adjacentes, diminuir ao máximo e distribuir melhor a tensão na pele, e escolher os instrumentais e materiais cirúrgicos mais adequados e de melhor qualidade que dispomos. E como artifícios, mantemos por uma semana ou, quando houver, até a retirada dos pontos, curativos compressivos, que diminuem a tensão, impermeabilizam a ferida e restringem a possibilidade de formação de espaços mortos e, consequente, seroma. Em diversos casos, após a retirada desse curativo, temos iniciado o uso diário, por dois meses, de EPIfactor®, em forma de creme. Este


Fator de Crescimento Epidermal (EGF) é uma substância de natureza peptídica, produzida através de processo biotecnológico de fermentação, a fim de resultar em uma molécula idêntica, natural e efetiva, às já existentes em nosso organismo. No corpo humano, o EGF está presente em plaquetas, macrófagos e fluidos (plasma, urina, saliva e leite). Atuando na pele, seus efeitos são proliferação de queratinócitos, estimulação da angiogênese e ativação dos fibroblastos. O fator de crescimento age também na regulação da melanogênese e dos níveis de colágeno e elastina.

O objetivo principal de EPIfactor® é imitar o processo natural da cicatrização, que permita um estímulo de cicatrização normal, encurtando o tempo das fases deste processo. Ao imitar a estrutura e função dos EGF endógenos na pele, aceleramos o processo de cicatrização e minimizamos seus efeitos indesejáveis nas fases inflamatória, proliferativa e de remodelação. Dispondo deste artifício, associado aos cuidados dos pacientes no pós-operatório e contando com fatores genéticos e intrínsecos favoráveis, podemos vislumbrar aquela que consideramos uma cicatriz ideal; normotrófica, normocrômica e imperceptível.

O objetivo principal de EPIfactor® é imitar o processo natural deste processo, que permita um estímulo de cicatrização normal, encurtando o tempo das fases deste processo.

Pré-op. de Lifting Facial

(PO-30) 3 semanas com uso de EPIfactor®

Paciente de 38 anos, PO-60 de mastoplastia com prótese, em uso de EPIfactor® há 45 dias. 9


10

METABOLISMO FUNCIONAL


ENTRE ASPAS Dra. Patrícia Davidson

NUTRIÇÃO FUNCIONAL, A ALTERNATIVA PARA AUXILIAR NO TRATAMENTO CUSTOMIZADO A Dra. Patrícia Davidson é a primeira nutricionista funcional do Rio de Janeiro e em seus 15 anos de experiência tem se destacado por buscar constantemente aperfeiçoamento e, por isso, hoje divide o tempo entre a prática clínica e acadêmica, assim como na publicação de livros voltados para a área nutricional. Essa vivência fez com que a nutricionista aplicasse em sua prática o que há de mais atual e estivesse em sintonia com o novo olhar da Nutrição, a Nutrição Funcional, que procura avaliar cada ser humano de maneira individual. A equipe da Revista Única conversou com a Dra. Patrícia em março, durante o 2º Congresso Hi-Nutrition, em São Paulo. Ela contou que além da alimentação, utiliza ativos na prescrição clínica, com o objetivo de auxiliar na melhora

do funcionamento do metabolismo de seus pacientes. Segundo a nutricionista, essa prática faz parte de sua vida profissional desde a formação. Para ela, a maneira de garantir a qualidade na prescrição é, por exemplo, exigir das farmácias os laudos técnicos de produtos específicos, para ver a padronização, com o objetivo de conhecer, de fato, como é feito dentro do estabelecimento. Além disso, a preferência por produtos que são padronizados assegura que vai ser sempre mantida aquela concentração do princípio ativo, dentro do produto prescrito, e é isso que vai depender o resultado final. Confira a entrevista na íntegra com a nutricionista funcional, Dra. Patrícia Davidson.

R.U.: A Nutrição Funcional trabalha também de forma personaliza. Como é a sua atuação dentro dessa prática? P.D.: Na Nutrição Funcional é trabalhado um conceito um pouco mais amplo, mas isso não quer dizer que seja uma nutrição diferente. É a mesma nutrição, só que o olhar é um pouco mais ampliado; não só sobre o que as pessoas ingerem, mas em como esse alimento, esse nutriente é metabolizado. Acompanhamos o processo em todas as etapas, pois se uma delas está prejudicada, certamente a boa nutrição não vai acontecer, não vai chegar ao alvo, que é a nossa célula. Buscando o crescimento do cabelo, melhorar a massa óssea, ganhar músculo ou emagrecer, você tem um destino final, que aquele ativo tem que trabalhar. Observamos todas essas etapas e também trabalhamos identificando quais alimentos são bons ou ruins para cada pessoa. Para isso, eu realizo pesquisas na minha prática

diariamente e todos os meus cardápios são montados, de acordo com essa individualidade, na precrição nutricional e identificando as etapas do processo que esse alimento vai ter e corrigindo esses processos, seja por meio de fitoterápicos, fitoquímicos dos alimentos, com ativos manipulados, enfim, com os recursos que eu conheço. R.U.: Como faz a identificação das necessidades individuais de seus pacientes? P.D.: Essa identicação pode ser feita por intermédio de exames e também por meio de um questionário bem apurado e mais individualizado, junto com a minha experiência. O alimento que é ruim para cada um de nós funciona como um gatilho de inflamação e essa inflamação pode acontecer em qualquer parte do nosso corpo. Pode ser uma enxaqueca, uma gastrite, uma sinusite ou uma rinite. E é muito comum na minha prática receber pessoas que 11


me procuram hoje até para esse tipo de finalidade, para corrigir um processo inflamatório, por exemplo, só para artrite, só para enxaqueca e não exatamente para emagrecer. Eu acho que esse olhar mais ampliado da Nutrição, permitiu que os nutricionistas atualmente pudessem tratar de temas muito mais amplos, do que só o colesterol, só a glicose, só o emagrecimento, que é o que acontecia há 15 anos, quando eu me formei. A busca era muito mais para uma queixa metabólica; era aquela nutrição muito vinculadada à área médica apenas. E hoje em dia o nutricioinista se dissociou mais nesse aspecto e tem muitos recursos poderosos com a alimentação ou com suplementação e estamos fazendo uso disso e com muito sucesso. R.U.: E a busca pelo emagrecimento diminuiu? P.D.: A busca ela pode ainda ser pelo emagrecimento, só que quando uma pessoa vem precisando emagrecer, ela tem uma série de outras questões que precisam ser equilibradas junto com o emagrecimento. Hoje não tratamos apenas o emagrecimento, tratamos pessoas que nos procuram com todas as características que está trazendo. Por isso, as prescrições vão ser sempre individualizadas, porque uma pessoa que precisa emagrecer e tem enxaqueca, não vai ter o mesmo tratamento que uma outra que precisa emagrecer e tem prisão de ventre. Então, com essas características e essa individualidade, que o paciente me traz, é a ferramenta que tenho e consigo inserir a minha experiência, dentro da história de cada um, com resultados efetivos. R.U.: Os nutracêuticos estão entre as suas prescrições? E como essas substâncias se enquadram na sua prática clínica? P.D.: Com certeza. Os nutracêuticos podem ajudar desde uma questão de estética, melhora de crescimento de cabelo, firmeza do fio, redução de oleosidade, crescimento de unha, redução de celulite... Se for para uma área mais de tratamento, por exemplo, de obesidade, eu posso usar nutracêuticos que trabalhem no controle da ansiedade, da compulsão, aumento da taxa metabólica diária, ou seja, de fazer o paciente gastar mais energia. Posso trabalhar com nutracêutico para o favorecimento do ganho da massa muscular, de força muscular ou de recuperação muscular; e isso também auxilia na prática do exercício físico. Para um indivíduo, que não tem uma boa qualidade de sono, eu posso usar um nutracêutico para aprofundar o sono, para 12

ser um indutor de sono, enfim, para ajudar na sonolência diurna, por exemplo. Portanto, temos vários recursos. R.U.: Os nutricionistas também trabalham na regulação dos níveis de cortisol para o metabolismo? P.D.: Sem dúvida. Eu acho que a questão do cortisol é um norteador de várias queixas que chegam à clínica, desde o aumento de peso até o aumento de ansiedade. O cortisol, não está sempre muito alto, pode estar em um nível muito baixo também, que são aquelas pessoas que vivem um estresse crônico, prolongado e até para essas situações temos estratégicas nutricionais e nutracêuticas para reverter esse quadro. As pessoas, por exemplo, que têm baixo cortisol, são prostradas, podem ser mais deprimidas, são mais suscetíveis a problemas inflamatórios e têm mais intolerância alimentar. Por isso, temos que estar atentos, através de sinais e sintomas, e também de exames clínicos e salivares, que possam nortear como é que está essa situação do cortisol ao longo do dia. Por exemplo, no exame salivar, eu tenho como saber desde o momento em que você produz o cortisol, de manhã, até o horário em que vai dormir, ou a sua dificuldade do sono, enfim, como está essa produção desse hormônio. Isso me permite atuar em momentos específicos do dia de maneira diferente e, assim, trabalhar de maneira muito personalizada, acompanhando exames. R.U.: E quais as estratégias que você mais utiliza para auxiliar no emagrecimento? P.D.: Gosto de estratégias que diminuem a leptina e que ajudam a diminuir o colesterol, pois acho que pode ser uma ação importante no emagrecimento. E existem ativos que são importantes no emagrecimento e que agem nessas vias. Por isso dou preferência a compostos que possam ajudar nesse aspecto como, por exemplo, que permita que a serotonina fique mais tempo, antes de sofrer recaptação na fenda sináptica; que diminua a resistência à leptina, naqueles individuos obesos, e até diminua a produção de leptina, sabendo que nesses obesos a substância sofre uma resistência; ou que além de fazer essas duas ações também possa promover uma diminuição do colesterol e dos triglicerídeos. Por isso, eu tenho propensão a escolher, para não prescrever muita coisa ao mesmo tempo, ativos específicos, com formulações que possam ter um efeito


muito abrangente, às vezes, com três, quatro vias de atuação, que aí conseguimos atingir diferentes objetivos com um produto só. Essas estratégias estão sempre associadas a alimentação. Eu acho que são ações intimamente casadas, assim como, eu acho que em alguns casos, só alimentação sem a formulação, também tem um efeito limitado, pois as pessoas têm dificuldade na adesão de um cardápio diferenciado. Essa alternativa dá uma chance delas seguirem no próprio ritmo, mas com um auxílio naqueles pontos, justamente, que tem dificuldade. R.U.: Dra. Patrícia, fale um pouco da sua experiência com nutracêuticos que auxiliem no emagrecimento e compulsão alimentar no tratamento dos pacientes? P.D.: Por exemplo, no caso de auxílio na perda de peso, a minha experiência com a Garcínia cambogia já é muito antiga. Gosto de indicar para os meus pacientes que têm mais dificuldade de adesão ao plano alimentar, justamente porque consegue promover uma saciedade e aumentar os níveis de serotonina. Nós sabemos que isso faz muita

Relora® Relora® é uma combinação exclusiva e patenteada, padronizada em Honokiol e Berberina (Magnolia officinalis e Phellodendron amurense). Possui eficácia científica comprovada na regulação dos níveis de cortisol, controlando, assim, a ansiedade e a compulsão alimentar causada pelo estresse. VANTAGENS • Efeito ansiolítico, sem causar dependência; • Ação tranquilizante, sem causar sono; • Ajuda a regular os níveis de cortisol; • Previne o ganho de peso associado ao estresse; • Melhora o humor; • Possui estudo in vivo. POSOLOGIA: Dosagem oral de 250mg, de duas a três vezes ao dia.

diferença no tratamento e eu vejo uma boa adesão, um maior resultado de perda de peso, quando eu consigo associar. Porque isso não é para todo mundo, mas identificamos, de maneira personalizada, que são os pacientes candidatos à utilização e quem não o são. E fiquei super feliz, que temos o extrato padronizado e patenteado no Brasil para utilização. E sabemos que os extratos que são padronizados acabam tendo um resultado que podemos ficar seguros e tranquilos, que as farmácia vão trabalhar isso de maneira perfeita. E também tenho tido experiencia pessoal com o uso do Phellodendron amurense com a Magnolia officinalis para pacientes que têm muita dificuldade também de aderir ao plano por ansiedade, por compulsão ou aqueles que “beliscam” muito durante o dia. Percebemos que esse composto consegue realmente ter um efeito bastante interessante até para efeito antidepressivo. Aqueles pacientes que chegam sem muito ânimo para começar um planejamento novo, percebemos que eles têm um resultado bastante interessante.

Citrimax® Citrimax®, derivado da Garcínia cambogia, é uma formulação patenteada de ácido hidroxicítrico (HCA), ligado ao cálcio e ao potássio. Sua configuração única, de duplo sal, faz com que o HCA seja altamente solúvel, biodisponível e eficaz na perda de peso. O ativo inibe a lipogênese e reduz a produção de colesterol e ácidos graxos, além de aumentar a queima de gordura e controlar o apetite, aumentando assim, a saciedade. VANTAGENS • Reduz os níveis de colesterol total e LDL; • Não estimula o sistema nervoso central; • Reduz o Índice de Massa Corpórea (IMC); • Segurança comprovada por estudo. POSOLOGIA: Citrimax® é indicado de 1.5000 a 4.500mg ao dia. Divididos em duas ou três tomadas, antes das principais refeições.

13


CUIDADO ÚNICO Dr. Justin Green

EPICOR™ METABÓLITO IMUNOGÊNICO QUE FORTALECE O SISTEMA IMUNOLÓGICO E PREVINE AS DOENAÇS OPORTUNISTAS O sistema imunológico é a base de uma boa saúde, que reflete tanto na doença como o bem-estar do ser humano. E a diferença entre uma pessoa doente e outra saudável não está necessariamente relacionada ao que cada uma foi exposta, mas sim com qual eficiência o seu sistema imunológico está funcionando. Por isso, mantê-lo fortalecido é extremamente importante, pois além de combater microrganismos invasores como bactérias, vírus, protozoários e fungos, esse sistema ainda realiza a limpeza do organismo, removendo células mortas e renovando determinadas estruturas, e é responsável pela memória imunológica. Também é sua função identificar e destruir células alteradas, que diariamente surgem como resultado de mitoses

EpiCor™ é um eficiente metabólito imunogênico, totalmente natural à base de levedura e produzido através de propriedade comercial confidencial, altamente protegida, que nutre o sistema imune do corpo, aumentando sua resistência e mantendo o saudável...

14

anormais, podendo dar origem a tumores. No entanto, fatores como estresse, poluição, toxinas, exposição às substâncias químicas, má alimentação, insônia e tabagismo, podem enfraquecer essa defesa do corpo, resultando em um organismo vulnerável aos microrganismos causadores de certas doenças, as chamadas doenças oportunistas, como gripes, resfriados e alergias, que em geral não afetariam indivíduos com um sistema imunológico reforçado. EpiCor™ é um eficiente metabólito imunogênico, totalmente natural à base de levedura e produzido através de propriedade comercial confidencial, altamente protegida, que nutre o sistema imune do corpo, aumentando sua resistência e mantendo o saudável, fazendo funcionar a um nível inteiramente novo. Indicado para a prenvenção e não quando gripe ou o resfriado já estão instalados. O nutracêutico é composto por metabólitos, β-glucans, vitaminas (principalmente do complexo B), aminoácidos, oligossacarídeos, ácidos e ésteres orgânicos, assim como também, substâncias antioxidantes, que promovem elevado poder antirradicais livres, apresentando-se como a mais eficaz proposta para manutenção da saúde. Mantém o sistema imunológico fortalecido, evitando o aparecimento de doenças


relacionadas à baixa imunidade e à diminuição brusca da resistência do organismo. O ativo é fabricado por meio de um processo único, com várias fases de fermentação e secagem. Seguro para uso regular e contínuo, devido a sua incontetável garantia de pureza e eficácia comprovadas cientificamente, já que EpiCor™ apesar de ser uma novidade no mercado de nutrição humana, conta com décadas de pesquisa e estudo de eficácia.

SEGURANÇA PESQUISADA Estudos de segurança, realizados nos últimos dois anos, demonstraram que EpiCor™: Totalmente atóxico – Estudo de toxicologia aguda (14 dias) e sub-aguda (90 dias) comprovaram que EpiCor™ não provocou sintomas tóxicos em ratos, mesmo em quantidades muito superiores ao equivalente da dosagem para humanos. Sem contraindicações – Um estudo in vitro, utilizado para avaliar os efeitos de uma substância em enzimas metabolizadoras de medicamentos, demonstrou que EpiCor™ não interfere no caminho metabólico de medicamentos comuns prescritos. Não mutagênico – Um teste de reversão de mutagenicidade de bactérias e uma análise do linfoma de um camundongo verificaram que EpiCor™ não causa mutação genética. Não mitogênico – Um estudo in vitro constatou que quando linfócitos humanos saudáveis foram cultivados na presença de EpiCor™, o ingrediente não causou a proliferação das células. Seguro para humanos – Um estudo farmacocinético humano constatou que uma única dose oral, diária, de 500mg de

Em um ensaio clínico, EpiCor™ mostrou influência em diversos e importantes marcadores de funções imunes distintas. Enquanto apresentou aumento da IgA salivar, os níveis de IgE sérica diminuiu, demonstrando a eficácia do nutracêutico para o equilíbrio imune.

EpiCor™, durante 28 dias, foi bem tolerada e não causou nenhum efeito colateral. EFICÁCIA PESQUISADA Teste adicionais desenvolvidos para definir a composição e identificar o mecanismo de ação do ingrediente revelou que EpiCor™: É um eficiente metabolito imunogênico. O exclusivo processo MetaGen4™ da Embria, com diversas fases de fermentação e secagem, produz metabólitos nutricionais que fortalecem o sistema imunológico. Possui três vezes mais poder antioxidante, comparado a qualquer outra fruta. Uma análise da capacidade de absorção de radicais de oxigênio (ORAC) constatou que EpiCor™ possui valor ORAC de 450-650 – quase três vezes mais poder antioxidante que o maior índice ORAC – valor para alimento como, por exemplo, framboesas pretas, que possuem 164. Ativa as células “natural killers” (Nk). Consideradas “cães de guarda” do sistema imunológico, as céluas NK caçam e matam os invasores externos. Um estudo in vitro confirmou que EpiCor™ aumenta em quatro vezes a atividade das células NK.

15


Ativa as células B humanas. As células B ajudam a transferência dos linfócitos (as benéficas células brancas) do sangue para os tecidos, onde eles são importantes para a batalha. Em testes de laboratório, EpiCor™ ativou signficantemente as células B humanas. Equilíbrio dos agentes estressores. Em um ensaio clínico, EpiCor™ mostrou influência em diversos e importantes marcadores de funções imunes distintas. Enquanto apresentou aumento da IgA

salivar, os níveis de IgE sérica diminuiu, demonstrando a eficácia do nutracêutico para o equilíbrio imune. O grupo que utilizou EpiCor™, teve níveis IgE que permaneceram próximos aos níveis iniciais de referência, dando a confirmação laboratorial dos relatos dos indivíduos que tiveram menos problemas alérgicos que o normal. Assim como também foi observado o aumento da proteção da barreira imune, devido aos elevados níveis de secreção salivar IgA, um importante componente de defesa imune.

O efeito de EpiCor™ na IgA Salivar e IgE Sérica IgE Sérica

IgA Salivar 1.2

IgAs Salivar Normalizada

IgE Sérica Normalizada

1.4 1.3 1.2 1.1 1 0.9

1

2

3

IgE EpiCor™

16

4 5 6 Semanas

7

8

IgE Grupo Controle

1.1 1 0.9 0.8 0.7

1

2

3

IgAs EpiCor™

4 5 6 Semanas

7

8

IgAs Controle


FORMULAÇÕES PARA PRESCRITORES TRATAMENTO CUSTOMIZADO

17


CUIDADOS COM A PELE REGENERAÇÃO PÓS-LASER ABLATIVO EPIfactor® é um ativo capaz de estimular a regeneração cutânea, acelerando a recuperação do paciente e melhorando os sinais da inflamação, sem interferir nos resultados finais do procedimento como, por exemplo, lasers ablativos. Quando manipulado em base anidra, possibilitamos conforto na aplicação, melhorando a adesão correta aos cuidados home care, diferente das emulsões e séruns que contenham água e provocam intensa ardência.

EPIfactor® Tospearl 3000A SF 1202 Silsoft gel

1ml 10% 17% Qsp 30g

Regenerador e cicatrizante. Silicone em pó. Silicone volátil. Silicone elastômero.

Modo de uso: Aplicar, após procedimento dermatológico, duas vezes ao dia, ou conforme orientação médica. Observação: Devido à pele estar sensibilizada, não é recomendado o uso de fragrâncias.

HOME CARE PÓS-PEELING Após peelings, cuidados como a hidratação são essenciais, além disso, potencializar a proliferação celular e a produção de matriz dérmica pode melhorar os resultados. Por isso, nesta formulação combinamos EPIfactor®, ativo conhecido por alta capacidade de estimular uma melhor regeneração cutânea, e o Phytosqualan®, esqualano vegetal que proporciona hidratação natural e suave. O veículo de escolha foi a base Equilibrium®, pois possui toque aveludado e é capaz de controlar levemente a secreção sebácea.

EPIfactor® Phytosqualan® Equilibrium®

1ml 1,5% Qsp 30g

Regenerador e cicatrizante. Esqualano vegetal, que promove hidratação imediata. Veículo ideal para peles oleosas.

Modo de uso: Aplicar, após peeling, duas vezes ao dia, ou conforme orientação médica. Observação: Devido à pele estar sensibilizada, não é recomendado o uso de fragrâncias.

PREVENÇÃO DA FORMAÇÃO DE CICATRIZES INESTÉTICAS Para prevenção tradicional de cicatrização hipertrófica e formação de queloide, algumas providencias comuns são tomadas, como oclusão e hidratação do local da incisão. Por isso, a utilização de silicones e óleos vegetais é comum, a fim de restaurar a função barreira. Para incrementar a formulação, adiciona-se EPIfactor®, ativo de natureza proteica, que tem como função estimular os processos naturais de regeneração da pele. Essa combinação atua como mais um aliado para prevenção do aparecimento de cicatrizes inestéticas.

EPIfactor® Óleo de Rosa Mosqueta Alantoína Nostrabase® Cold Cream

1ml 4,0% 1,0% Qsp 150g

Regenerador e cicatrizante. Auxilia na função regeneradora. Renovação celular. Veículo.

Modo de uso: Aplicar, duas vezes ao dia, no local da incisão ou conforme orientação médica. Observação: Devido à pele estar sensibilizada, não é recomendado o uso de fragrâncias.

IMPORTANTE: A formulação contendo EPIfactor® possui 60 dias de validade e deve ser mantida sob refrigeração.

18


CUIDADOS COM O METABOLISMO CONTROLE TOTAL DO ESTRESSE Indicado para inquietação e tensão. Eficaz nos sintomas causados pelo estresse, principalmente a insônia.

Relora®

250mg

Combinação padronizada de ativos de plantas, que age na diminuição da ansiedade e compulsão alimentar, associadas ao estresse.

Passiflora Ext. Seco

100mg

Fitoterápico com propriedades calmantes e sedativas.

Valeriana Ext. Seco

100mg

Fitoterápico com ação ansiolítica.

Excipiente

Qsp 01 cáp.

Posologia: Tomar uma cápsula, duas vezes ao dia.

ACELERADOR DO METABOLISMO Diminui a digestão de carboidratos, a vontade de ingerir alimentos calóricos, como doces, e aumenta a saciedade.

Citrimax®

500mg

Emagrecedor patenteado em ácido hidroxicítrico complexado ao cálcio e ao potássio, que age como potente inibidor da ATP citrato-liase.

Citrus aurantium

150mg

Fitoterápico com ação termogênica, que promove o aumento da lipólise.

Chá Verde Ext. Seco

100mg

Fitoterápico com ação diurética e acelerador do metabolismo.

Excipiente

Qsp 01 cáp.

Posologia: Tomar 1 cápsula, 1 hora antes do café da manhã, almoço e jantar.

ESTIMULANTE METABÓLICO Redução de peso, aumento da queima de gordura e dos níveis de serotonina.

Citrimax®

500mg

Emagrecedor patenteado em ácido hidroxicítrico complexado ao cálcio e ao potássio, que age como potente inibidor da ATP citrato liase.

DM-II™ 25%

1,5mg

Dinicocisteinato de cromo, eficaz na redução dos níveis de glicose sanguínea e coadjuvante na síndrome metabólica.

Gymnema Silvestre

250mg

Fitoterápico com capacidade de aumentar os níveis de insulina e diminuir a compulsão por doces.

Excipiente

Qsp 01 cáp.

Posologia: Tomar uma cápsula, três vezes ao dia, 1 hora antes das principais refeições.

19


CUIDADOS COM AS ARTICULAÇÕES

REDUTOR DA DEGRADAÇÃO DA CARTILAGEM E DA INFLAMAÇÃO ARTICULAR Diminuição da degradação da cartilagem e da dor, em atletas ou pacientes com alguma artropatia relatada.

Move™

100mg

Anti-inflamatório natural, com ação rápida e livre de efeitos colaterais.

UC-II®

40mg

Promove saúde e mobilidade das articulações, diminuindo a degradação da cartilagem.

Excipiente

Qsp 01 cáp.

Posologia: Tomar uma cápsula, uma vez ao dia.

ALÍVIO DAS CÃIBRAS NOTURNAS Cãibras noturnas são dolorosas e muito frequentes em pacientes com artrose. A formulação é indicada para controle da dor, diminuição da recorrência e melhora da artrose.

Move™

100mg

Anti-inflamatório natural, com ação rápida e livre de efeitos colaterais.

UC-II®

40mg

Promove saúde e mobilidade das articulações, diminuindo a degradação da cartilagem.

Magnésio Quelato

50mg

Mineral fundamental para formação de colágeno.

Ciclobenzaprina

5mg

Relaxante muscular.

Excipiente

Qsp 01 cáp.

Posologia: Tomar uma cápsula, uma vez ao dia.

EQUILIBRIO DA DOR E DA ANSIEDADE EM PACIENTES COM ARTROPATIAS Melhora da dor e estabilização emocional em pacientes com artropatias .

Move™

50mg

Anti-inflamatório natural, com ação rápida e livre de efeitos colaterais.

Relora®

250mg

Combinação padronizada de ativos de plantas que, age na diminuição da ansiedade e compulsão alimentar, associadas ao estresse.

Excipiente

Qsp 01 cáp.

Posologia: Tomar uma cápsula, duas vezes ao dia.

20


VIDA SAUDÁVEL Dr. Victor Sorrentino

A SUPLEMENTAÇÃO COMO ALIADA DA MEDICINA NA PERDA DE PESO A luta contra a balança virou epidêmica e não faz somente parte das classes abastadas. A obesidade assombra todas as esferas sociais, provando que não é só o excesso de alimentos que tem causado esse problema tão sério, mas sim a forma de alimentação, ou seja, a sua qualidade. São mais de 1 bilhão de pessoas com sobrepeso no mundo, mais de 300 milhões clinicamente obesos, e a obesidade é o principal contribuidor para gerar doenças crônicas e incapacidade. Diversos medicamentos foram e continuam sendo criados, mas o certo é que, ainda, nenhum deles conseguiu a fórmula milagrosa do emagrecimento. Sim, a Medicina perdeu a batalha contra a obesidade e aguarda que seja lançada uma nova droga potente, que consiga resolver esse problema. Entra ano sai ano, é sempre a mesma história que já estamos cansados de ver. Na realidade, enquanto esperamos unicamente os medicamentos, estaremos sempre perdendo essa batalha, pois a obesidade e também o sobrepeso, são apenas sintomas de um problema criado pela própria pessoa, mas que a partir do momento em que se “instala”, não depende somente de usarmos algo que diminua a fome. Precisamos procurar formas de, além de otimizar o metabolismo do indivíduo, possa também criar facilidades para que ele consiga modificar seus hábitos e ter saúde.

E definitivamente, não conseguimos isso com medicamentos com potencial de gerar dependência, mas idealmente com suplementos que possam ser usados por longos períodos, sem os riscos associados às drogas. O problema não é fazer a pessoa emagrecer. A questão é entender que esse indivíduo perdeu peso e não foi compreendida a causa que realmente o levou à obesidade, portanto ela provavelmente recidivará. As estatísticas estão disponíveis para que não precisemos discutir acerca de imaginação ou os famosos “eu acho”, “ouvi dizer” ou “aprendi com um professor”, inadmissível na área da saúde, mas que ainda impera: • Tratamentos medicamentosos e dietas para emagrecer: aproximadamente 94% das pessoas que são tratadas para emagrecer voltam a engordar. • Cirurgia da obesidade (redução de estômago): 96% das pessoas, ou seja 9 de cada 10, que foram submetidas a essa intervenção cirúrgica, voltam a engordar dentro de um período de 10 anos. Portanto, o fato é que a Medicina precisa evoluir no tratamento desta epidemia que mata bilhões de pessoas diariamente. A área está em constante transformação e algumas correntes de pensamento, inclusive, estão lançando mão de novas e eficazes terapias como, por exemplo, suplementação, fitoterápi17 21


cos, nutracêuticos e modulação hormonal, que tem como objetivo ajudar na difícil missão que o médico vem enfrentando para controlar e tratar esse sério problema de saúde. Para sair do trivial e obter bons resultados, necessitamos de uma ampla gama de conhecimento sobre fisiologia e bioquímica, abrindo espaço para que possamos utilizar tanto medicamentos, quando necessário, como também e principalmente, o que denominamos de suplementos, que quando bem indicados são infinitamente melhor tolerados e atrelados a riscos ínfimos, em relação às drogas. Garcínia cambogia Existem relatos muito antigos do uso de uma planta chamada Garcínia cambogia. Na literatura médica, estudos e experiências clínicas endossam a efetividade do seu uso terapêutico. Entretanto, para que o ativo realmente tenha importância em relação à influência sobre a leptina e o mecanismo de utilização e estoque de energia pelo corpo, é preciso ser uma forma patenteada de Ácido Hidroxicítrico (HCA). No momento em que o HCA é potencializado bioquimicamente, para que tenha maior

biodisponibilidade, avançamos em dois itens muito significativos: aumento da potência com menores doses e diminuição do potencial tóxico. O HCA provoca inibição da enzima ATP citrate-liase, resultando em diminuição da liberação de Acetil-CoA e, consequentemente, no aumento de glicogênio hepático. Esse mecanismo sinaliza estoques sustentáveis de energia e reduz o apetite. Estudos sugerem que, essa ação de auxílio sobre a sensibilização à leptina e melhora na produção de serotonina, possa ser resultante de uma melhor na função adrenal e oxidação dos ácidos graxos. Essa sequência de acontecimentos metabólicos estão geralmente relacionadas fisiologicamente e são resultado de múltiplos efeitos hormonais e enzimáticos. O fato é que a cada evolução na área da suplementação, cada vez mais conseguimos contar com melhoria de resultados e sinergia de ativos de excelente qualidade, para que passemos a praticar uma Medicina diferenciada daquela forma já consagrada e fracassada, que tão somente pensa em medicações isoladas.

4 VIAS DE AÇÃO DE CITRIMAX® Via diminuição da Leptina (hormônio responsável pelo controle da saciedade e gasto energético)

Via aumento da disponibilidade de serotonina (neurotransmissor envolvido na regulação do apetite e no comportamento alimentar)

Citrimax® Via aumento do consumo energético

Via diminuição da lipogênese (síntese de ácidos graxos e triglicérides)

BENEFÍCIOS DIRETOS HCA diminui a produção desse hormônio, que nos obesos é produzido em excesso e perde sua função

18 22

Aumento ocasionado pela inibição da receptação de serotonina

Aumento da gliconeogênese, formação de glicose por outros substratos

Inibição da clivagem do citrato, impedindo a liberação de Acetil-CoA

Citrimax® (Garcínia cambogia), é uma forma patenteada de ácido hidroxicitrico (HCA) ligado a cálcio e potássio. As formas comerciais encontradas no mercado de HCA são tipicamente disponíveis, associadas apenas ao cálcio e resultam em moléculas relativamente insolúveis e de baixa biodisponibilidade. A configuração única de duplo sal de Citrimax® faz com que o ácido hidroxicitrico (HCA) seja altamente solúvel, biodisponível e eficaz. O ativo auxilia no gerenciamento de peso, sem estimular o sistema nervoso central, é não geneticamente modificado (Non-GMO) e possui certificado GRAS (Generally recognized as safe).


EM DESTAQUE Estudo publicado pela Sociedade Internacional de Nutrição nos Esportes - 2013

EFEITO DE RELORA® NO

NÍVEL DE CORTISOL E NO ESTADO DE HUMOR PSICOLÓGICO, EM INDIVÍDUOS MODERADAMENTE ESTRESSADOS. Histórico A relação entre o estresse psicológico crônico e a saúde reduzida é uma associação bem estabelecida. O estresse psicológico vem sendo demonstrado como causa do aumento da suscetibilidade de uma gama de doenças, incluindo a ansiedade, depressão, diabetes e obesidade. Até mesmo o “estresse” da falta de sono, em curto prazo, tem implicações significativas, em longo prazo, para a saúde e bem-estar, devido a efeitos sistêmicos adversos, incluindo função imune suprimida, obesidade abdominal, insônia, depressão e fadiga generalizada. Intervenções para estresse e ansiedade variam desde suportes nutricionais até o uso de medicamentos antidepressivos, tais como benzodiazepínicos e inibidores seletivos de recaptação de serotonina. Uma patente dos Estados Unidos (No. 6.582.735) foi concedida para o uso de um extrato de casca de Magnolia officinalis, em condições de estresse, envolvendo cortisol elevado, tal como o controle de peso corporal, distúrbios de sono e inquietação. Extratos de casca de Magnolia officinalis e a sua substância ativa, honokiol, têm sido estudados em modelos de animais, com atividade

ansiolítica semelhante ao diazepam (um ansiolítico de benzodiazepina, usado para tratar a ansiedade), mas sem os efeitos colaterais associados, tais como sedação. Berberina, um constituinte do extrato de Phellodendron, também demonstrou um efeito ansiolítico significativo em estudos de estresse em roedores, incluindo o teste de labirinto em cruz elevado e o teste de natação forçada. A combinação de Magnólia e Phellodendron parece ser, ainda, mais eficaz no controle do estresse/ansiedade, em comparação a qualquer erva utilizada separadamente. O objeto desse estudo, Relora® (Next Pharmaceuticals, Inc, Salinas, CA), é uma formulação de suplemento dietético, patenteada, que consiste em uma mistura de extratos de casca de Magnolia officinalis e Phellodendron amurense, padronizados para honokiol e berberina, respectivamente. Em estudos anteriores, Relora® demonstrou eficácia para reduzir o estresse e ansiedade, em animais, e melhorar a sensação de bem-estar, em seres humanos. Um estudo também avaliou os efeitos de Relora® nos níveis de cortisol salivar, encontrando benefícios na redução de cortisol e aumentando os níveis de Desidroepiandrosterona (DHEA), em indivíduos sob estresse.

19 23


Nesse estudo, relatamos os efeitos do uso da combinação de casca de Magnolia officinalis e Phellodendron de , Relora®, nos níveis de cortisol salivar e no bem-estar psicológico, de indivíduos saudáveis, sob níveis moderados de estresse psicológico. O presente estudo empregou uma avaliação psicológica bem validada, conhecida como o Profile of Mood States (POMS), para avaliar o estado de humor. Um dos principais objetivos do estudo foi explorar como 4 semanas de suplementação de Magnólia/Phellodendron (Relora® versus placebo) afetou o cortisol, alguns comportamentos de humor e os níveis de estresse em geral, sob condições de estresse psicológico moderado. Métodos Suplemento dietético Relora® é uma mistura patenteada de extrato da casca de Magnolia officinalis com extrato da casca de Phellodendron amurense (US Patent Nos. 6582735 e 6814987). O produto é padronizado para “não menos do que 1,5% de honokiol e 0,1% de berberina.” Os indivíduos ingeriram 500mg/dia no café da manhã (250mg) e jantar (250mg), em cápsulas brancas opacas ou um placebo idêntico, de mesmo tamanho, forma e cor. Design de estudo Este estudo foi realizado em conformidade com a Declaração de Helsinki, revista em 1983, para investigação clínica envolvendo seres humanos e todos os procedimentos, medidas e processos de consentimento informados, que foram revistos e aprovados por um conselho externo de revisão (Aspire IRB; Santee, CA). Os indivíduos assinaram documentos de consentimento informados, após serem explicados os detalhes da pesquisa. O estudo utilizou um design randomizado, placebo controlado e duplo-cego. Os participantes foram aleatoriamente designados, através de um gerador de números aleatórios, para 500mg/dia, 20 24

contendo o suplemento (250mg de Relora®, consumidos no café da manhã e jantar) ou um placebo idêntico (250mg de farinha de arroz); frascos foram etiquetados apenas com um código aleatório pré-atribuído. Os indivíduos autoadministraram as cápsulas, duas vezes ao dia, no café da manhã e no jantar, durante 4 semanas. Eles foram contatados semanalmente, a fim de lembrá-los para tomar as suas cápsulas diárias. Frascos vazios foram devolvidos, após o estudo para uma contagem de todas as cápsulas não utilizadas (indicador de doses perdidas). O cumprimento dessas instruções foi alto (dados não divulgados). Foram selecionados 60 indivíduos, com níveis moderados de estresse psicológico, sendo que 56 deles completaram o estudo. Sessenta (60) indivíduos foram randomizados para receber suplemento (30 indivíduos) ou o placebo idêntico (30 indivíduos), durante 4 semanas. A duração de 4 semanas foi o período escolhido como o mais representativo para alterações mais persistentes no estado de humor, que podem resultar de equilíbrio hormonal superior, em oposição à mudanças de emoções à curto prazo, que podem ser mais estreitamente relacionadas à fatores de estresse do dia a dia. No início do tratamento (semana 0) e durante a pós-suplementação (semana 4), foram avaliados o peso corporal e o percentual de gordura corporal (analisador de impedância bioelétrica Tanita BDF-300A), estresse geral (Yale Stress Survey), estado de humor psicológico (Pesquisa - Profile of Mood States) e cortisol salivar. Estados de humor (vigor, depressão, raiva, confusão, fadiga e ansiedade) foram avaliados usando o a pesquisa Profile of Mood States (POMS). O nível de cortisol foi avaliado em amostras de saliva reunidas, recolhidas em três momentos, durante cada dia de coleta (manhã, tarde e noite). A amostra da manhã foi coletada ao acordar, aproximadamente às 06:00; a amostra da tarde por volta das 14:00; e a amostra da noite, imediatamen-


te antes de dormir, por volta das 22:00, para representar uma “concentração de cortisol” diária total para cada indivíduo possível. Dados sobre o ritmo circadiano de cortisol serão relatados em outro momento. Amostras de saliva foram analisadas para cortisol livre por ensaio imunoenzimático (EIA; Salimetrics, State College, PA, EUA). Cinquenta e seis indivíduos (35 homens e 21 mulheres, idade 28 ± 11 anos) completaram o estudo, com inadimplência de duas mulheres em cada grupo (não retornou relatórios finais ou amostras de saliva). Avaliação de humor Foi empregado o questionário Profile of Mood States (POMS), para medir os 6 fatores psicológicos primários (tensão, depressão, raiva, fadiga, vigor e confusão), além do combinado “estado de humor global”, como uma indicação de bem-estar subjetiva. A metodologia POMS tem sido utilizada em cerca de 3 mil estudos e a sua validade é bem estabelecida. O perfil POMS usa 65 escalas de intensidade com adjetivos, pontuados em uma escala hedônica 0-4 (0 = nada 4 = extremo). As 65 respostas com adjetivo são classificadas em seis fatores de humor (tensão, depressão, raiva, fadiga, vigor e confusão), tabulados, registados e analisados. O resultado do questionário POMS é uma avaliação dos humores positivos e negativos de cada indivíduo no início do estudo e em 4 semanas.

Gerenciamento de dados e análise Todos os questionários foram preenchidos em um local central e transcritos para um banco de dados central. Indivíduos que não completaram os questionários ou questionários incompletos apresentados foram retirados do estudo e não foram incluídos na análise do estudo (quatro indivíduos - duas mulheres de cada grupo). Os dados foram identificados pelo número dos indivíduos e examinados para precisão e perfeição. Dados tabulados foram analisados com JMP 8.0 (SAS Institute), utilizando testes t-paramétricos padrão emparelhados e a significância foi avaliada com um nível alfa bicaudal de 0,05. Resultados Ao longo do período de suplementação de 4 semanas, não houve eventos adversos ou efeitos colaterais relatados. Não houve mudanças significativas no peso corporal ou percentual de gordura corporal. Na semana 4, o nível de cortisol salivar foi significativamente (p<0,05) inferior (-18%) no grupo Relora® (Figura 1). Índices de estado de humor, significativamente melhores, (p<0,05) foram observados no grupo

25


Relora®, para Estresse Global (-11%) e Estado de Humor Global (-11%), em comparação com o placebo (Figura 2). Subescalas de Estado de Humor (Figura 3) foram significativamente melhores (p<0,05) no grupo Relora®, em comparação com o placebo na semana 4; Tensão (-13%), Depressão (-20%), Raiva (-42%), Fadiga (-31%), Confusão (-27%) e Vigor (+ 18%). Discussão Antidepressivos são a classe de medicamentos mais comumente prescrita nos Estados Unidos e são utilizados por atletas e não atletas da mesma forma [24]. Mais de 10% da população americana toma um ou mais medicamentos antidepressivos, o que representa 27 milhões de indivíduos que recebem mais de 120 milhões de receitas e gastam mais de US$ 80 bilhões por ano. De acordo com uma pesquisa recente [25], um grande número de americanos acredita que um medicamento antidepressivo seja útil para: lidar com o estresse do dia a dia (83%); facilitar as relações com a família e amigos (76%); e ajudar as pessoas a se sentirem melhor consigo mesmas (68%). No entanto, as drogas antidepressivas nos Estados Unidos são as que possuem as advertências mais rigorosas em relação aos cuidados com a saúde (associadas a efeitos

0.7

* -18%

Placebo Relora®

0.6 0.5 0.4 0.3 0 Semana 4

Figura 1: Cortisol Salivar (ug/ml). Cortisol Salivar foi 18% menor (p<0,05) no grupo Relora®, em comparação com o placebo, na Semana 4 (0,525+0,1900,642+0,353).

22 26

140 120

* -11%

Placebo Relora®

100 80 60

* -11%

40 20 Humor Global

Estresse Global

Figura 2: Estado de Humor Global (POMS) e Estresse Global (Yale Stress Survey). O Estado de Humor Global foi 11% melhor (p<0,05) no grupo Relora®, em comparação com o placebo (118±18 a 133±30) - pontuação mais baixa é a “melhor” do Estado de Humor Global (POMS). Estresse Global (Yale Stress Survey) foi 11% menor (p<0,05) no grupo Relora®, em comparação com o placebo (30,2±5,2 a 33,9±7,4). O Estado de Humor Global foi calculado com base em respostas de pontuação (0-4, com 0=nada, 2 = moderado e 4 = extremo) de 58 dos 65 adjetivos do POMS (pontuação mais baixa é a “melhor” do Estado de Humor Global). O Estado de Humor Global é a combinação da pontuação das 6 subescalas do POMS (McNair et al., [9]).

adversos graves potencialmente fatais), de acordo com o United States Food and Drug Administration (FDA). Portanto, há necessidade de abordagens naturais seguras e eficazes para a redução do estresse e da ansiedade. Além de uma dieta equilibrada, atividade física regular e várias técnicas de administração de estresse, certos suplementos dietéticos podem ser eficazes na manutenção, para naturalmente manter o equilíbrio normal entre o estresse, o cortisol e o bem-estar emocional. Há numerosos exemplos comerciais de chás que promovem o “relaxamento” e a “calma”, com base em misturas de ervas tradicionais, como a camomila, a erva-doce, a erva-cidreira e outros, enquanto os extratos das cascas da Magnolia e Phellodendron foram especificamente demonstrados como agentes ansiolíticos naturais. Como tal, os suplementos alimentares adequados podem servir como um complemento natural, seguro e eficaz para a administração de dietas/exercícios/estresse e trazer as respostas de estresse e os níveis de cortisol de


Placebo Relora®

16 14 12

* +18%

* -13%

10

* -20%

* -42%

* -31% * -27%

8 6 4 2 0

Tensão

Depressão

Raiva

Fadiga

Confusão

Vigor

Figura 3: Perfil dos Estados de Humor (POMS). Pontuações numéricas para cada um das 6 subescalas do POMS (McNair et ai., [9]). O grupo Relora® mostrou melhoras significativas nos parâmetros de estado de humor, em comparação com placebo, na semana 4 (* = p<0,05).

volta para a normalidade, em indivíduos que sofrem de estresse crônico ou em atletas que sofrem da Síndrome de Overtraining. As cascas da Magnolia (Magnolia officinalis) e do Phellodendron (Phellodendron amurense) são medicamentos tradicionais à base de plantas, utilizados desde 100 a.C. para o tratamento da “estagnação do QI”, na Medicina Chinesa, que é análogo ao que vemos na Medicina Ocidental, como redução do vigor psicológico ou da Síndrome de Burnout. Extratos de casca de Magnólia são ricos em compostos fenólicos, honokiol, enquanto os extratos da casca de Phellodendron são ricos em berberina - cada um dos quais contribui para efeitos antiestresse, antiansiedade e de redução de cortisol. A pesquisa mostrou que os extratos de Magnólia e Phellodendron e seus bioativos primários (honokiol e berberina) possuem poderosos benefícios de “acuidade mental”, através de suas ações na modulação da atividade de vários neurotransmissores e enzimas relacionadas no cérebro, incluindo o fator neurotrófico, derivado do cérebro, acetilcolina, colina acetiltransferase e acetilcolinesterase. Diversos estudos em animais demonstraram que a berberina e o honokiol atuam como agentes ansiolíticos. Quando comparados com os agentes farmacêuticos, tais como o

Valium (diazepam), honokiol e berberina, parecem ser muito eficazes em sua atividade antiansiedade mas, no entanto, não tão potentes em sua capacidade sedativa. Esses resultados têm sido demonstrados em diversos estudos em animais e sugerem que o Relora®, padronizado tanto para honokiol (a partir da casca de Magnolia) quanto para berberina (a partir da casca de Phellodendron), seja uma abordagem eficaz e natural para controlar os efeitos prejudiciais do estresse diário, sem os efeitos colaterais dos agentes farmacêuticos. Estudos anteriores sobre o Relora®, em humanos, demonstraram benefícios antiestresse e ansiolíticos semelhantes em indivíduos moderadamente estressados. Os resultados apresentados nesse estudo expandem descobertas anteriores de benefícios simples de “relaxamento” de Relora®, para demonstrar efeitos específicos sobre os parâmetros de estado de humor psicológico em indivíduos moderadamente estressados, incluindo benefícios para Estado de Humor Global (análogo a uma avaliação de bem-estar geral), Tensão, Depressão, Fadiga e Vigor (o estado psicológico oposto à Síndrome de Burnout). A magnitude do benefício na redução em 18% do hormônio do estresse (cortisol) e melhora do estado de humor (11%-42%) é significativo do ponto de vista do desempenho mental e físico ideal. Por exemplo, o aumento de 28% do Vigor ou a redução de 20% da Depressão, na pontuação observada no grupo Relora®, poderiam ser razoavelmente associados a indivíduos que relataram “sentir-se bem” (nos casos de indivíduos moderadamente estressados) ou “ter bom desempenho” (nos casos de atletas sob estresse ou sobretreinamento, que devem ser objeto de estudos futuros). Embora nosso estudo não tenha sido realizado em atletas competitivos, um número considerável dos indivíduos moderadamente estressados saudáveis estudados, eram corredores e ciclistas amadores que comentaram sobre se sentirem mais “equilibrados” em 23 27


seus treinos, quando seus níveis de estresse foram equilibrados. Essa é uma percepção individual lógica, baseada em uma série de estudos em atletas profissionais e amadores, que encontraram uma relação direta entre o estresse global (treino físico e estresse psicológico) e o desempenho atlético, incluindo os parâmetros de desempenho mental e físico. Atletas competitivos tendem a ser caracterizados por uma pontuação elevada em Vigor e menor pontuação em Fadiga, comparados com não atletas. No entanto, em muitos estudos de intervenção de atletas, há uma relação dose-resposta entre o estresse de treinamento e o estado de humor. Portanto, quando o “estresse de treinamento” físico geral é elevado, superior a um certo ponto de inflexão, o estado de humor psicológico torna-se deprimido. Além disso, baixo vigor e estado de humor psicológico reduzido foram identificados como preditores de futura lesão atlética [30]. As mudanças mais dramáticas no estado de humor psicológico são logicamente resultados de períodos de treinamento intensificados (por exemplo, aumento da intensidade de treinamento e/ou duração), que pode ser modulado de forma positiva ou negativamente pelo estresse psicológico (por exemplo, exames), ansiedade competitiva, rede de apoio social, padrões de sono e métodos de recuperação. Com base na magnitude das mudanças positivas nos níveis de cortisol e nos parâmetros de estado de humor, nós recomendamos mais estudos específicos em atletas, para avaliar os possíveis benefícios em desempenho mental/físico de Relora®, em melhorar a recuperação pós-exercício e prevenir a Síndrome do Overtraining em atletas profissionais.

24 28

Os resultados do presente estudo indicam que a suplementação diária com uma combinação das cascas de Magnolia e Phellodendron (Relora®) reduz os níveis de cortisol e o estresse percebido, ao mesmo tempo em que melhora uma variedade de parâmetros de estado de humor. Em comparação com o grupo placebo, a concentração de cortisol na saliva foi significativamente inferior (-18%) no grupo Relora®, enquanto os parâmetros de estado de humor foram significativamente mais elevados, incluindo um Estado de Humor Global 11% superior e Vigor 18% mais alto, com Tensão 13% mais baixa e índices de Depressão 20% mais baixos. Esses resultados indicam que a suplementação diária com uma combinação de Magnólia e Phellodendron (Relora®) é uma abordagem natural eficaz para os efeitos prejudiciais à saúde do estresse crônico. Conclusões O presente estudo indica um benefício “antiestresse” significativo da suplementação da casca de Magnólia/Phellodendron (Relora®) em indivíduos não atletas moderadamente estressados e sugere um possível benefício para atletas na recuperação de “estresses de treinamento”, causados pelas exigências físicas e psicológicas durante competições e treinamentos. Estudos futuros devem examinar os benefícios potenciais de Relora®, para ajudar o atleta a melhorar sua recuperação pós-exercício e, possivelmente, para ajudar a prevenir a Síndrome do Overtraining.


POTENTE INIBIDOR DA CITRATO-LIASE (ENZIMA QUE FORNECE O SUBSTRATO PARA A PRODUÇÃO DE GORDURA)

AÇÕES •

GERENCIA O PESO

AUMENTA A SACIEDADE

REDUZ A INGESTÃO CALÓRICA

AUXILIA A QUEIMA DE GORDURA 29


30

ARTICULAÇÃO


EM MOVIMENTO

MOVE , UMA NOVA OPÇÃO NO TRATAMENTO DA OSTEOARTRITE ™

A artrose ou osteoartrite (OA) não é um simples desgaste articular e, por isso a doença não pode ser considerada uma consequência inevitável do envelhecimento. Venho repetindo constantemente essa frase, pois esse conceito antigo e inadequado ainda está fortemente enraizado. A osteoartrite envolve sim, desgaste das estruturas e destruição da cartilagem, que fica mais fina ou mesmo inexistente. No entanto, não é só isso. Existem complexos processos patológicos atuando no surgimento e na perpetuação da enfermidade, com dor, inchaço e alterações estruturais, aparecendo como consequência de estímulos inflamatórios. A inflamação na OA surge devido a diversos e complexos mecanismos. Ainda não conhecemos todas as moléculas envolvidas, mas sabemos que, além da via clássica através das prostaglandinas, observamos na doença inflamação mediada pela interleucina 1 (IL-1) e pelo fator de necrose tumoral alfa (TNF-alfa) que, por sua vez, diminuem a síntese de colágeno e aumentam mediadores catabólicos, como metaloproteinases (MMPs) e outros mediadores inflamatórios, como interleucina 8 (IL-8), interleucina 6 (IL-6), prostaglandina E2 (PGE2), óxido nítrico (NO) e até mesmo pela ativação de linfócitos no ambiente articular. Essa diversidade e complexidade de vias inflamatórias favorece o uso de drogas que tenham a capacidade de agir “promiscua-

Dr. Gustavo Campos

mente”, modulando múltiplos alvos celulares. Nesse contexto, a opção pelo Move™, que é um derivado da Boswellia serrata, torna-se atraente, pois trata-se de um produto que, além dos mecanismos de ação direta em receptores celulares específicos, atua através de caminhos ainda não muito bem esclarecidos, como interações com proteínas plasmáticas e mecanismos epigenéticos, inibindo a inflamação e seus sintomas com maior eficiência. O ativo tem ação anti-inflamatória direta, através da inibição da 5-lipoxigenase, diminuindo a produção de leucotrienos, além da inibição do fator de necrose tumoral alfa, citocina pró-inflamatória responsável, entre outras coisas, pela diminuição da produção de colágeno pelo condrócito, pelo aumento da inflaMove™ não age na via da ciclo-oxigenase, mas através da inibição da enzima 5-lipoxigenase, diminuindo a inflamação através da diminuição da produção de leucotrienos. Mais interessante ainda: existem evidências de que a inibição em longo prazo da 5-lipoxigenase não só é segura, como pode trazer benefícios em pacientes com doença coronariana, aterosclerose e até mesmo doença de Alzheimer. E além disso, o ativo também pode ser usado no tratamento de alguns tumores. 27 31


mação articular e pela produção de metaloproteinases, com destaque para a MMP-3. A Boswellia serrata, assim como a maioria dos fitoterápicos utilizados no tratamento da osteoartrite, ainda tem ação anti-inflamatória e analgésica através de caminhos ainda não esclarecidos. Uma grande vantagem do Move™, em relação aos demais extratos de Boswellia serrata, é sua composição enriquecida com 20% de AKBA (Acetyl-11-keto-ß-boswellic acid) e óleos não voláteis de Boswellia serrata, o que o torna mais biodisponível do que outros extratos contendo AKBA. Sem dúvida, a grande vantagem do uso de um medicamento desse tipo na terapia da osteoartrite refere-se à sua segurança. A ação anti-inflamatória com mínima ou nenhuma interferência na ciclo-oxigenase 1 e 2 (COX1 e COX-2) é muito benéfica, principalmente, sabendo que em sua grande maioria os pacientes em tratamento da OA são idosos. A inibição da COX-1, mecanismo de ação predominante dos anti-inflamatórios não hormonais clássicos, pode causar desconforto gástrico, úlceras e até mesmo perfuração do trato digestivo. Também pode ser responsável por sobrecarga e falência hepática, além das consequências renais, por ter o potencial de alterar a perfusão renal, sobretudo em pessoas da terceira idade. O uso indiscriminado de anti-inflamatórios não hormonais é hoje a principal causa de insuficiência renal nessa faixa etária. A inibição da COX-2, mecanismo de ação dos anti-inflamatórios “sele-

tivos”, comprovadamente aumenta o risco de eventos cardiovasculares e de morte. Então, estamos falando de eventos adversos seríssimos que se tornam um preço muito alto a pagar pela analgesia e ação anti-inflamatória dessas drogas. Move™ não age na via da ciclo-oxigenase, mas através da inibição da enzima 5-lipoxigenase, diminuindo a inflamação através da diminuição da produção de leucotrienos. Mais interessante ainda: existem evidências de que a inibição em longo prazo da 5-lipoxigenase não só é segura, como pode trazer benefícios em pacientes com doença coronariana, aterosclerose e até mesmo doença de Alzheimer. E além disso, o ativo também pode ser usado no tratamento de alguns tumores. Portanto, trata-se de um produto que une eficácia e segurança, permitindo um uso tranquilo por períodos prolongados, que é o que precisamos quando falamos em tratamento da osteoartrite. O ativo tem ação anti-inflamatória direta, através da inibição da 5-lipoxigenase, diminuindo a produção de leucotrienos, além da inibição do fator de necrose tumoral alfa, citocina pró-inflamatória responsável, entre outras coisas, pela diminuição da produção de colágeno pelo condrócito, pelo aumento da inflamação articular e pela produção de metaloproteinases, com destaque para a MMP-3.

MECANISMO DE AÇÃO Move™ reduz a inflamação presente na OA atuando em mais de uma via, além de auxiliar na diminuição da degradação da cartilagem. 1ª VIA:

28 32

Inibe a 5-lipoxigenase (Enzima envolvida diretamente na produção de mediadores inflamatórios)

Inibe a produção dos Leucotrienos (Mediadores pró-inflamatórios envolvidos na inflamação.)

Inibe TNF-α (Citocina pró-inflamatória presente na OA, responsável pelo aumento da inflamação e da produção de MMP-3)

Controla a inflamação e diminui a produção de MMP-3

Controla a inflamação, diminuindo seus sintomas

2ª VIA: Diminui a degradação do colágeno


RELATOS MÉDICOS Dr. Márcio Tannure

UC-II®, PREVENÇÃO E TRATAMENTO

PARA AS LESÕES ARTICULARES

O meu trabalho tem como foco o tratamento individualizado, seja com os pacientes do consultório ou com os atletas de alta performance que convivo constantemente, pois entendo que cada indivíduo é único, com um metabolismo específico, que vai reagir de maneira diferente diante de cada prescrição. Especificamente no caso dos esportistas, eles estão constantemente sujeitos a traumas e para se obter o máximo de performance com o mínimo de lesões, temos que utilizar todos os recursos possíveis e isso inclui prevenção, controle de carga e individualização do treinamento. Quanto mais parâmetros para controle, mais específico e individual pode ser o treinamento, mas ciência no exercício é refletir e tomar as decisões de acordo com a especificidade e individualidade dos atletas; um método bom para um talvez não seja para outro. Por isso, é preciso ter bom senso e sabedoria para fazer a indicação correta em cada caso. O ideal é desenvolver um tratamento multidisciplinar, no qual haja uma parceria entre médicos, nutricionistas e preparadores físicos, no acompanhamento de atletas de alto rendimento. Pudemos observar com a experiência, que um ponto chave para o desempenho desse profissional é a recuperação. A cada dia, ele precisa treinar melhor do que no dia anterior e se não se recupera bem, isso não acontece e, pior ainda, as lesões começam a aparecer. E a lesão é o pior inimigo de qualquer desportista. O treinamento é uma evolução, é como subir

O UC-II® é indicado no tratamento de artrites, artrite reumatoide, artrose, lesões de cartilagem e dores articulares, pois evita o processo inflamatório nas articulações e, com isso, o desgaste articular, com a prevenção da quebra do colágeno na cartilagem. uma escada, um degrau a cada dia, e quando o atleta se lesiona, é como se voltasse muitos degraus abaixo, impedindo sua chegada ao topo. Ele precisa se alimentar bem, suplementar de maneira correta, descansar e ter boas noites de sono, para melhorar a performance. Sem isso, não conseguirá evoluir nos treinos. E a suplementação pós-treino, é fundamental para a manutenção do bom estado físico dele e deverá ser completa, com consumo de proteínas e aminoácidos livres, carboidratos e eletrólitos. No entanto, apesar dos cuidados, o excesso de exercícios físicos pode fazer com que a cartilagem sofra o desgaste ou impacto, gerando dor e incapacidade funcional e afetando, principalmente, o joelho, que é a articulação do membro inferior mais sujeita a lesões, tanto por traumas diretos quanto por forças indiretas, as chamadas torções. Ligamentos e meniscos são as regiões mais afetadas os que praticam atividades de alto impacto como futebol, basquete e voleibol, especialmente, os considerados “atletas de final de semana”, que não têm uma musculatura adequada e fortalecida, o que predispõe a 29 33


Colágeno não desnaturado tipo II, efi cácia no tratamento da osteoartrite do joelho O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia e tolerabilidade do UC-II® para a osteoartrite do joelho (OA), dor e sintomas associados, em comparação com placebo e cloridrato de glucosamina, mais o sulfato de condroitina (GC). Para isso, 191 voluntários foram escolhidos aleatoriamente e divididos em três grupos que receberam uma dose diária de UC-II®, (40 mg), GC (1500 mg G e 1200 mg C) , ou placebo, durante um período de 180 dias. O endpoint primário foi a mudança no Índice Osteoartrite McMaster Ocidental Total (WOMAC), desde o início até o dia 180, para o grupo UC-II® versus placebo e GC. Os endpoints secundários incluíram o índice de Le-

30 34

quesne Funcional (LFI), a Escala Analógica Visual (VAS) para dor e as subescalas WOMAC. A análise de intenção de tratamento modificada foi realizada para todos os pontos de extremidade, usando análise de covariância e medidas repetidas modelo misto, enquanto as áreas incrementais sob a curva foram calculadas pelo método de intenção de tratar. O resultado: No dia 180, o grupo UC-II® demonstrou uma redução significativa na pontuação global WOMAC, em comparação com o placebo (p = 0,002) e GC (p = 0,04). A suplementação com UC-II® também resultou em mudanças significativas para todas as três subescalas WOMAC: dor (p = 0,0003 vs. placebo; p = 0,016 vs GC); rigidez (p = 0,004 vs. placebo; p = 0,044 vs. GC); função física (p = 0,007 vs placebo). Os resultados de segurança não diferiram entre os grupos. A conclusão é a de que UC-II® melhorou sintomas comuns em indivíduos com OA do joelho e foi bem tolerada. Estudos adicionais que elucidam o mecanismo, para as ações desse suplemento, são garantidos.

WOMAC | FUNÇÃO FÍSICA, RIGIDEZ E DOR *WOMAC: Western Ontario and McMaster 40

TOTAL WOMAC ( % de melhora)

uma estrutura muscular mais fraca e que sofre uma sobrecarga. E essas lesões podem levar desde a intervenção cirúrgica, até o desgaste da articulação, ocasionando a artrose precoce, levando dor, dificuldades na movimentação e inchaço do joelho. Para auxiliar no tratamento e na prevenção dessas lesões em esportistas e pessoas que não praticam regularmente atividades físicas, hoje temos um nutracêutico natural, que consegue diminuir esse desgaste, a dor, melhorar a qualidade de vida e prevenir as doenças articulares, o UC-II®, que é um suplemento nutricional derivado de cartilagem de frango. O UC-II® é indicado no tratamento de artrites, artrite reumatoide, artrose, lesões de cartilagem e dores articulares, pois evita o processo inflamatório nas articulações e, com isso, o desgaste articular, com a prevenção da quebra do colágeno na cartilagem. O colágeno tipo II, presente nesse produto, permite que a proteína se mantenha intacta, associado a uma diminuição das colagenases pelo sistema imunológico, enzimas que quebram o colágeno. O bloqueio da quebra do colágeno endógeno diminui o ciclo destrutivo das cartilagens e, consequentemente, melhora a inflação e a dor.

UC-II 30

20

G+C

10

0 0

30

60

90

DURAÇÃO DO TRATAMENTO (dias)

UC-II® reduziu em 33% a rigidez/dor, comparado a 14% de glucosamina + condroitina.


SAÚDE E MOBILIDADE DAS ARTICULAÇÕES

2x

MAISEFICAZ

VANTAGENS

+

QUE CONDROITINA + GLUCOSAMINA

• Desacelera a destruição articular e diminui a inflamação • Aumenta a adesão do paciente ao tratamento pela pequena dosagem • Melhora a mobilidade das articulações • Permite associação com outros ativos • 100% natural

WWW.PHARMANOSTRA.COM.BR/UC-II 35


Av. Pierre Simon de Laplace, 751 - Lote 08 CondomĂ­nio Tech Point - Techno Park Campinas CEP.: 13069-320 - Campinas - SP Satec: (19) 2101.4005 canalmedico@pharmanostra.com.br @pharmanostra

36

facebook.com/pharmanostra

Edição nº 7  
Edição nº 7  
Advertisement