Page 1

Prefeitura Municipal de Palmeira Secretaria Municipal de, Cultura e Esportes Departamento de Cultura Museu Histórico –Criação: Lei Municipal nº 894 15/08/1977 Denominação: “Dr. Astrogildo de Freitas” Lei nº 2.367 - 25/04/2005 Praça Raul Braz de Oliveira. S/N – Tel; 42 3909 5047 PARANÁ SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA

SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA DECRETO Nº 9.859 DE 26/082015 - INSTITUI O REGISTRO DO "PÃO DE BAFO" COMO BEM CULTURAL DE NATUREZA IMATERIAL, PASSANDO A INTEGRAR O PATRIMÔNIO CULTURAL DO MUNICÍPIO DE PALMEIRA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

O Prefeito Municipal de Palmeira, Estado do Paraná, no uso das atribuições que o cargo lhe confere, especialmente das que lhe são conferidas pela Lei Orgânica Municipal: CONSIDERANDO o contido no art. 216 da Constituição Federal, na Lei Municipal nº 2.274 de 10 de julho de 2003, na RESOLUÇÃO nº 1, de 03 de agosto de 2006 do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN, bem como no processo administrativo nº 3.310/2015; CONSIDERANDO a noção de patrimônio imaterial como elemento que engloba o universo das culturas populares tradicionais e das manifestações que os palmeirenses buscam de preservar e valorizar a respeito da inserção do "Pão no bafo" como legado cultural dos Alemães do Volga que o inseriram na culinária palmeirense e fora transmitido de geração em geração; CONSIDERANDO se tratar de um prato já consagrado como "Típico de Palmeira" uma vez que caiu no gosto da população desde a chegada dos imigrantes, aderido por todas as formações étnicas do Município; CONSIDERANDO que o "Pão no Bafo", pela sua singularidade, pode distinguir o Município de Palmeira, pela criação de identidade forte, impulsionadora para o turismo sustentável, segmento que vem se fomentando no município; CONSIDERANDO, que o "Pão no Bafo" pode ser encontrado em restaurantes da cidade com facilidade, uma vez que consta do cardápio diário, podendo ser consumido pelos turistas;

1


CONSIDERANDO, ainda, o parecer favorável ao seu registro como patrimônio da cultura imaterial do Município, emitido pela comissão especial, constituída pela Portaria Municipal nº 11.374, de 04 de agosto de 2015; DECRETA:

Art. 1º Fica instituído o Registro do "Pão no bafo" como Bem Cultural de Natureza Imaterial, passando a integrar o patrimônio cultural do Município de Palmeira, através da inscrição em Livro próprio de Registro.

Art. 2º A inscrição no Livro próprio de Registro tem como referência a continuidade histórica do bem e sua relevância local para a memória, a identidade e a formação da sociedade palmeirense, contendo a seguinte descrição:

Livro nº 01 Registro nº 01 Folha nº 1 Data: 06/08/2015 Bem: Pão no Bafo Requerimento: Instituto Histórico e Geográfico de Palmeira e Conselho Municipal de Desenvolvimento do Turismo CODETUR Protocolo: nº 3310/2015. 28/07/2015 Parecer: Comissão Especial. 06/07/2015. Descrição do Bem: Pão no Bafo. Modo de Fazer: - Receita Básica Tradicional. 10 a 12 porções. Ingredientes: Para a massa do Pão. Receita 1 1 kg de Farinha de trigo 1 c fermento biológico ½ xícara de banha de porco 1 copo de água morna(ou até dar ponto) 1 ovo(opcional) Sal a gosto 1 Repolho médio cortado ou um maço de couve 500 grs. Bacon (ou torresmo de porco) 2


500 grs de lingüiça de3fumada ou costelinha Outros derivados de porco (opcional) Temperos a gosto (sal, cebola, alho, cheiro verde, etc) Como Fazer. Prepara-se a massa do pão, misturando-se todos os ingredientes num recipiente. Deixar a massa crescer até dobrar o seu volume. Depois de crescida retira-se do recipiente e forma-se as bolinhas, enquanto elas crescem novamente até dobrar de tamanho, prepara-se as carnes. Mistura-se as carnes em uma panela grande, frita-se e deixa-se cozinhar por uns 10 minutos. Acrescenta-se ½ litro de água e reserva-se. Coloca-se o repolho ou a couve picada sobre a carne sem misturar. Sobre o repolho ou a couve acomodam-se as bolinhas do pão sobre o repolho ou couve. Tape a panela, protegendo a tampa com um pano de partos, para que o bafo não caia sobre a massa do pão. Deixe cozinhar por 45 a 50 minutos em fogo brando e sem abrir a tampa para sondar. Serve-se quente e dispensam-se outros pratos para acompanhamento.

Receita nº 2

Tamp Kleis (Pão no Bafo em Alemão) Receita da Senhora Judite de BastosIngredientes: 1 Pão médio ja assado e descascado. 1 Repolho médio- ½ litros de água ½ kg .Costela de porco picada e temperada. 10 bolinhas de Pão. Temperos a gosto( alho, cebola, cheiro verde etc) Modo de Preparar. Frita-se a costela com u pouco de banha Acrescenta-se o repolho cortado grosseiramente.

3


Mistura-se em um recipiente, a massa do pão costada em pedaços bem miúdos, acrescenta-se o ovo e água até formar uma massa homogenia, forma-se as bolinhas. Acrescenta-se á costela frita os temperos e a água. Acomodam-se as bolinhas de pão, tapando a panela, sem que o ar ou o vapor circulem. Deixa-se cozinhar por 30 minutos em fogo brando Serve-se quente.

Histórico. Desde a chegada dos Imigrantes “Alemães do Volga” em Palmeira no ano de 1878, o “Pão no Bafo” fora introduzido na culinária palmeirense. Logo, todas as outras etnias, tanto as que habitavam em Palmeira, como aquelas que vieram depois, como os poloneses, os italianos, os ucranianos entre outros, fora inserindo no seu dia a dia o “Pão no Bafo” no cardápio. Carne de porco repolho, couve e a massa de pão cozida no vapor, são os três ingredientes básicos de uma das mais tradicionais receitas da culinária palmeirense; A arte Culinária, ao longo do tempo proporcionou que cada família, ou cada etnia acrescentasse em toque especial na sua construção, no entanto sem perder a sua base, dando denominações variadas de acordo com o idioma de cada uma delas, porém mantendo-se inalterado o modo de preparo, que consiste na fritura da carne de porco, o repolho ou couve picados e as bolinhas de pão semi crescidos, tapados em uma panela, com cozimento médio de 50 minutos em fogo brando. O Pão no Bafo, também conhecido como “pão de russo” caiu no gosto da população, tanto da zona urbana, como rural, tornando-se o prato típico de Palmeira, dos mais conhecidos regionalmente, é apreciado por inúmeras pessoas; considerado o sucesso na gastronomia local, tendo em vista que são vários de os restaurantes que o servem com pontualidade. A noção de patrimônio imaterial como elemento que engloba o universo das culturas populares tradicionais e das manifestações que os palmeirenses buscam de preservar e valorizar a respeito da inserção do Pão no bafo como legado cultural dos Alemães do Volga que o inseriram na culinária palmeirense transmitida de geração em geração. O pão no bafo pela sua singularidade, pode nos 4


distinguir, dando-nos uma identidade forte que também pode ser usada como mola para o turismo sustentável, segmento que vem se fomentando no Município. Dai a sua importância para o registro como Patrimônio da Cultura Imaterial do Município. Isto posto, publique-se e que se dê ampla Divulgação. Palmeira, 06 de agosto de 2015, eu Josiel Jacob Caldas, Secretario municipal de Esportes e Cultura, em cumprimento ao despacho exarado, às folhas 31 do processo nº 3310/2015 procedo como se pede, registrei o Pão de Bafo como Patrimônio da Cultura Imaterial do Município de Palmeira, que ora é apresentado em sessão solene nas dependências do Clube Palmeirense nesta data. Palmeira, 06 de agosto de 2015. (Ass): Josiel Jacob Caldas.

Art. 3° Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Prefeitura, sede do Município de Palmeira, Estado do Paraná, em 26 de agosto de 2015. EDIR HAVRECHAKI Prefeito do Município de Palmeira Publicado por:

Jurema Aparecida Padilha Taufer Código Identificador:9EA2055F

Matéria publicada no Diário Oficial dos Municípios do Paraná no dia 27/08/2015. Edição 0822 A verificação de autenticidade da matéria pode ser feita informando o código identificador no site: http://www.diariomunicipal.com.br/amp/

5

Decreto pão no bafo  

SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO PÚBLICA DECRETO Nº 9.859 DE 26/082015 - INSTITUI O REGISTRO DO "PÃO DE BAFO" COMO BEM CULTURAL DE NATUREZA IM...

Advertisement