Page 1

vida abundante 10/2016

1 IGREJA PRESBITERIANA UNIDA COREANA DE SÃO PAULO


2


Colaboradores (em ordem alfabética): Tradução: Bong Yeon Nam Choi Chin Hae Kim Da Hae Kwon Duk Young Choi Jee Ae Park Hong Jin Hi Kim Jung Manuela Kim Priscila Chung Renata Kim Soon Chan Hong Soung Hwa Jo Suk Min Soh Sun Kyong Kim Sung Whan Hong Yoon Ji Kim Yun Sun Choi

Este material foi selecionado do devocional "SEM-MUL" do ano 2015.

3


Antes de tudo, sejam santos Juízes 14-21 O livro de Juízes termina mostrando a situação a que Israel chegou com a secularização. Em Israel da época de juízes, estavam vivazes o egoísmo e o facciosismo, que são viveiros da secularização, e os líderes estavam se corrompendo cada vez mais. Através da vida do último juiz, Sansão, e dos dois episódios (17-18, 19-21) que são relatados como epílogo do livro, observa-se que aspecto tem a geração que se afastou de Deus e que “cada um fazia o que lhe parecia certo”. Sansão, que perdeu a identidade de nazireu (14-16) Comparado aos outros juízes anteriores, Sansão era superior quanto à origem e ao poder. Ele foi consagrado a Deus como nazireu antes do nascimento, o Espírito do Senhor apossou-se dele, podendo enfrentar sozinho os filisteus com sua impressionante forma física, e ainda tinha alto conhecimento cultural, visível nos seus enigmas e cantos, mas a sua vida era degradada. Nela, não transparecia a identidade de nazireu, ou seja, a santidade. O juiz, que fora designado para a missão de salvar Israel das mãos dos filisteus, casou-se com uma filisteia (14:2). Casamento com gentios era um pecado típico que dissipava a identidade do povo de Deus. Ainda, ele comeu o mel que se formara no cadáver do leão que havia matado (14:8-9), violando a regulamentação de não tocar num cadáver, mesmo que seja de algum falecido da família (vide Nm 6:6-7). Sansão trava “batalha” contra os filisteus da sua maneira. A começar

4

pela morte de trinta filisteus, aos quais ele propôs o enigma no seu casamento (14:19) e o incêndio provocado nas plantações dos filisteus por trezentas raposas, em cujas caudas foi amarrada a tocha (15:4-5). Ele atacou os filisteus para vingar a morte do sogro e da mulher (15:7-8) e matou mil filisteus em Leí (15:15-16). Em Gaza, ele zombou o poder da Filístia, quando arrancou inteiramente a porta da cidade e a pôs ao topo da colina defronte de Hebrom (16:1-3). Quando o Espírito do Senhor se apossava de Sansão, ele sozinho era mais forte que todos os filisteus juntos, porém Israel não se renovava devido às suas vitórias. Ele obteve sucesso em atormentar os filisteus seguidamente, no entanto a vitória sem a santidade não conseguiu fazer Israel se unir e nem voltar para Deus. Sansão era apenas um vândalo que atormentava os filisteus. O Espírito do Senhor não esteve para sempre com Sansão, que não se arrependeu do pecado. Dalila (16:4) era para Sansão como um


pecado que comete repetidamente, mesmo sabendo que é errado. Sansão não conseguiu reagir ativamente às ameaças de Dalila, ficando ele “a ponto de morrer” (16:16). Assim como ele não guardou a resposta do enigma proposto no seu casamento em Timna (14:16-17), ele não guardou o seu segredo, contando-o a Dalila (16:17). Das regulamentações designadas a nazireu, a única que Sansão cumpriu foi de não cortar o cabelo. Só passava a navalha na cabeça de um nazireu, quando este entrava em contato com algo impuro (vide Nm 6:9, 12), todavia Sansão teve o seu cabelo cortado involuntariamente. Como ele não se afastou do pecado mesmo sabendo que estava errado, ele teve os seus dois olhos furados, depois foi levado para Gaza, onde ele havia arrancado a porta da cidade (16:1-3), e a sua posição decaiu para um prisioneiro que gira um moinho da prisão (16:21). O fim que Sansão teve no templo de deus Dagom foi primeira e última luta contra os filisteus como um santo. Depois que teve a sua cabeça raspada, o cabelo de Sansão começou a crescer. Só nesse momento, a santidade, que é a identidade de um nazireu, foi restaurada e o Espírito do Senhor apossou-se dele novamente. Nesse dia, Sansão matou mais homens do que em toda a sua vida (16:30). Se Sansão tivesse atacado os filisteus como um santo desde o começo, Deus teria operado mais por meio dele. Sansão era, entre os juízes, o mais capaz, entretanto não conseguiu expulsar os filisteus por

5

não ter a santidade obediente à palavra. Isso nos ensina que o mais importante para o povo de Deus é a “santidade” e não, o poder. Ausência de um líder espiritual (17-18) O livro de Juízes começa com o aviso sobre a ausência de um líder espiritual (1:1-3) e termina com a explicação sobre a ausência de um líder espiritual e político em Israel. Na situação sem um rei (17:6, 18:1, 19:1, 21:25), ou seja, sem um líder político, o ministério de juízes chegou a um limite e até a liderança espiritual dos levitas caiu ao chão. Nessa época, os levitas começaram a perambular à procura de emprego para o seu sustento (17:7-10) e não se acanhavam em tomar para si uma concubina (19:1). A história de Mica mostra a decadência espiritual de Israel: a fé em Deus resume-se em servir um ídolo (17:13). A atitude imprudente da tribo de Dã e o levita que a segue mostram também a corrupção espiritual de todo Israel (18:17-20). A fé deles estava baseada em misticismo e o levita não passava de um oráculo. Não havia em Israel quem os ensinasse corretamente sobre a fé em Deus. Dessa forma, a tribo de Dã não tomou como herança a terra que lhe foi distribuída por Josué e preferiu, sem permissão de Deus, conquistar Laís, onde “o povo vivia desocupado e tranquilo”. Os danitas conquistaram Laís, matando todos ao fio da espada e queimando a cidade (18:27-29). A conquista de Canaã não era apenas a guerra para conquistar o território, mas cumprir a justiça de Deus, no entanto os danitas agiram como ladrões do


povo que vivia em paz. A vitória da tribo de Dã, ou seja, o roubo, resulta em idolatria, construindo um santuário para o ídolo que havia tomado de Mica (18:30-31). O povo sem rei (19-21) O livro de Juízes termina com a explicação da tragédia daquela época, quando “não havia rei em Israel” (19:1, 21:25). A liderança espiritual desapareceu em Israel, conforme as atitudes de Mica e a tribo de Dã. Não havia quem liderasse as doze tribos politicamente, por isso o epílogo do livro de Juízes é sobre a tragédia que Israel deveria experimentar. A apresentação do personagem, “levita que foi buscar a sua concubina, que lhe fora infiel, na casa do seu pai”, faz confundir o leitor (19:1-3). Na casa do sogro do levita, não é tratado o pecado da filha, que é uma concubina, somente aparece o sentimento humano de não querer se separar (19:4-9). A tolice do levita de querer sair ao entardecer foi um problema, porém lamentavelmente, até a sua previsão de receber hospitalidade dos benjamitas, em vez dos jebuseus, que é um povo estrangeiro, falhou (19:15). Ainda em Gibeá, acontece um ato depravado semelhante ao de Sodoma (19:22) e isso leva todo Israel para a guerra. O levita cortou o cadáver da sua concubina em doze pedaços e os enviou a todas as regiões de Israel (19:29), que não foi uma atitude correta. Segundo a lei, quando ocorria um assassinato, deveria apelar primeiro para os líderes da comunidade, mas analisando o que acontece depois disso, vemos que o sistema judicial

6

também não estava funcionando corretamente. Todos os israelitas que ouviram o apelo do levita ficaram indignados e se ajuntam para castigar os vadios de Gibeá (20:8-10), mas os benjamitas não quiseram ouvir os seus irmãos israelitas. Para estes, o faciosismo era mais importante do que a justiça da lei e a santidade do povo de Deus, por causa disso, a exigência de castigar os homens criminosos tornou-se uma guerra interna. Na batalha entre Israel e Benjamim, novamente Judá foi indicado como líder (20:18, vide 1:2). A tribo de Benjamim tomou o lugar dos povos de Canaã, que deveriam ser julgados por Deus, mas a vitória não veio facilmente. A batalha entre Israel e Benjamim assemelha-se à batalha de Josué contra a cidade de Ai. Assim como Israel foi derrotado devido ao pecado de Acã, os israelitas também foram derrotados duas vezes pelos benjamitas (20:1925), porque todo Israel era impuro. Somente quando todos os israelitas subiram a Betel, onde jejuaram e ofereceram holocaustos e ofertas de comunhão ao Senhor, eles receberam o poder de Deus. Na terceira batalha, os benjamitas foram derrotados como o povo da cidade de Ai (20:26-48). Além disso, os israelitas fizeram juramento de não dar filhas em casamento a um benjamita. Isso é uma declaração de que trataria os benjamitas como os gentios (21:1). Certamente, essa medida disciplinar contra os benjamitas era exagerada e contra a lei, contudo os israelitas, em vez de se arrependerem do seu erro e corrigi-lo, encobrem um erro com outro. Eles mataram homens do povo de Jabes-Gileade, por não


terem participado da batalha, e deram as moças virgens aos benjamitas. Ainda sequestraram moças de Siló para dar aos seiscentos benjamitas remanescentes, encobrindo um crime com outro (21:8-23). Eles consideravam o juramento perante o Senhor algo supersticioso (21:18). Deus lhes dera uma lei para corrigir um voto mal feito (Lv 22, 27). O Senhor deseja que não cometamos pecado, em vez de cumprirmos tudo que juramos, mas Israel não tinha interesse nos ensinamentos da Lei e acabou cometendo um crime maior, por achar que deveria cumprir com o que jurou. Isso é o fim da superstição, feitiçaria e idolatria.

O livro de Juízes termina confirmando a situação lamentável de Israel (21:25). Depois que Adão quis se igualar a Deus no discernimento entre o bem e o mal (Gn 3:5), as pessoas tentaram discernir o bem do mal de acordo o que lhes parecia certo, e essa situação se agravou na modernidade. Isso foi o início de todo o mal da humanidade. O povo de Deus deve ir contra essa correnteza e viver uma vida santa, considerando Deus como rei e seguindo como padrão somente a Sua palavra para discernir o certo e o errado. Oramos para que possamos refletir sobre a nossa fé durante o mês de outubro, através de Israel descrito no livro de Juízes.

7


01 sáb

A estupidez que faz nascer as sementes do conflito Juízes 14:8-14

8 Algum tempo depois, quando voltou para casar-se com ela, Sansão saiu do caminho para olhar o cadáver do leão, e nele havia um enxame de abelhas e mel.

acompanharem na festa. 12 “Vou propor-lhes um enigma”, disse-lhes Sansão. “Se vocês puderem dar-me a resposta certa durante os sete dias da festa, então eu lhes darei trinta vestes de linho e

9 Tirou o mel com as mãos e o foi comendo pelo caminho. Quando voltou aos seus pais, repartiu com eles o mel, e eles também comeram. Mas não lhes contou que tinha tirado o mel do cadáver do leão.

trinta mudas de roupas. 13 Se não conseguirem dar-me a resposta, vocês me darão trinta vestes de linho e trinta mudas de roupas. ” “Proponha-nos o seu enigma”, disseram. “Vamos ouvi-lo. ”

10 Seu pai desceu à casa da mulher, e Sansão deu ali uma festa, como era costume dos noivos.

14 Disse ele então: “Do que come saiu comida; do que é forte saiu doçura”. Durante três dias eles não conseguiram dar a resposta.

11 Quando ele chegou, trouxeramlhe trinta rapazes para o

8


Análise do conteúdo

Percepção

1. O que aconteceu de especial com Sansão? (v.8)

4. O que você aprende ao ver Sansão que encurrala os convidados da festa para uma situação perigosa?

2. Que enigma foi proposta por Sansão às pessoas que vieram acompanhar a festa? (v.14) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que Sansão propôs um enigma indecifrável, apostando vários bens?

5. O que você precisa corrigir no falar e no agir, para ser um exemplo de cristão? O que você fará hoje para corrigir esse erro? Anotação

9


“Tirou o mel com as mãos” (v.9): era proibido para um nazireu ter contato com cadáveres (Nm 6:7) "Do que come saiu comida; do que é forte saiu doçura" (v.14): enigma baseado no paralelismo (rima de ideias). “Do que come/do que é forte” saiu “comida” / “doçura”.

Sansão descobre o cadáver do leão que havia matado com suas mãos algum tempo atrás. No cadáver que deveria estar em decomposição e cheio de bichos, havia um enxame de abelhas e mel (v.8). Sansão usou esse acontecimento especial para propor um enigma aos convidados do seu casamento, que evidentemente não conseguem decifrá-lo (vs.12-14). Naquela época, trinta vestes de linho e mudas de roupas tinha um valor considerável, por isso no fim, todos poderiam sair prejudicados. Os bens prometidos àquele que resolver o enigma de Sansão seria o ponto de partida para a luta sangrenta que se desdobraria mais adiante. Deus certamente usou como instrumento esse desvio de conduta de Sansão, para exterminar Filístia, no entanto nada poderia justificar a sua atitude. Hoje, analisando-o, ao invés de um juiz consagrado, vemos que não passa de um homem difícil. O autor de Juízes de maneira alguma crítica Sansão, mas mostra como Deus lançou mão até mesmo da fraqueza do juiz nazireu para cumprir Seus propósitos. Há algo que precisa ser corrigido nas suas palavras e ações?

ORAÇÃO

Faça com que eu aja com sabedoria, pensando na influência que causo como cristão. Anotação

10


02

Viver como uma família que tem a vida espiritual de nazireu

dom

Culto no Lar - Juízes 13:1-7

Família à mesa. Reúna a sua família à mesa e compartilhe a comida e as percepções e aplicações do sermão do dia. Leitura bíblica 1 Os israelitas voltaram a fazer o que o Senhor reprova, e por isso o Senhor os entregou nas mãos dos filisteus durante quarenta anos.

porque o menino será nazireu, consagrado a Deus desde o nascimento; ele iniciará a libertação de Israel das mãos dos filisteus.

2 Certo homem de Zorá, chamado Manoá, do clã da tribo de Dã, tinha mulher estéril.

6 Então a mulher foi contar tudo ao seu marido: Um homem de Deus veio falar comigo. Era como um anjo de Deus, de aparência impressionante. Não lhe perguntei de onde tinha vindo, e ele não me disse o seu nome,

3 Certo dia o Anjo do Senhor apareceu a ela e lhe disse: Você é estéril, não tem filhos, mas engravidará e dará à luz um filho.

7 mas ele me assegurou: “Você engravidará e dará à luz um filho. Todavia, não beba vinho nem outra bebida fermentada, e não coma nada impuro, porque o menino será nazireu, consagrado a Deus, desde o nascimento até o dia da sua morte”.

4 Todavia, tenha cuidado, não beba vinho nem outra bebida fermentada, e não coma nada impuro; 5 e não se passará navalha na cabeça do filho que você vai ter,

11


CULTO NO LAR

Desvendando a palavra Os israelitas pecaram novamente diante dos olhos de Deus e em consequência, sofrem a opressão nas mãos dos filisteus durante quarenta anos (v.1), no entanto Deus teve misericórdia deles e preparou um salvador, dando-lhes um nazireu consagrado a Deus desde o nascimento, na família de Manoá, do Clã da tribo de Dã. A esposa de Manoá recebeu alguns avisos do anjo do Senhor que apareceu para passar essa mensagem. Assim, ela teve que tomar cuidado de não beber vinho nem outra bebida fermentada e não comer nada impuro (v.4). Da mesma maneira, ela ouviu que não deveria passar navalha na cabeça do filho que nasceria (v.5).

demandada à sua mãe que o teria e o criaria. Que significado tinha então, o nazireu nessa época? Adotando a perspectiva de que o nazireu é alguém que foi totalmente consagrado ao fazer o voto de separação, Jesus Cristo se entregou como um sacrifício vivo em nosso lugar; assim, distinguiu espiritualmente o povo do Senhor para sempre - o povo que fazia promessas de nazireu temporárias e fez com que pudéssemos viver aqui na terra com essa nova identidade. Como deve ser um nazireu em espírito? Deve afastar-se de todas as impurezas e dos valores do mundo e não deve deixar ninguém acima da sua cabeça além de Deus. Todos que tenham fé devem ser assim, por isso devem se esforçar para viver como nazireu, em espírito, puros e sagrados, na sua família; e antes de tudo, devem ensinar essa vida aos filhos e ser um exemplo. Desejamos que possamos refletir diante de Deus e consagrar essa semana totalmente ao Senhor, encorajando um ao outro e verificando se não precisamos nos reajustar para vivermos como nazireus em espírito.

Primeiramente, precisamos entender o que era ser um nazireu. Assim como o Senhor disse a Moisés, nazireu é uma pessoa que faz um voto especial, separando o seu corpo para o Senhor durante certo período (Nm 6:2). Quando faz o voto de viver como nazireu, ele não pode comer nada que venha da videira, cortar o cabelo ou se aproximar de um cadáver. Mas no caso de Sansão, por ser um nazireu consagrado desde o nascimento, a mesma pureza foi

12


CULTO NO LAR

Compartilhando a graça 1. Deus quer que a influência espiritual flua através de nós, nazireus em espírito. Compartilhem entre si as correções necessárias para ser um nazireu em espírito.

2. Como sua família poderia ter uma completude maior para serem nazireus em espírito? Compartilhem com detalhes, as decisões que podem ser tomadas para essa semana.

Compartilhando agradecimentos 1. Relembrando a vida que teve durante a semana, vamos falar sobre o que teve para agradecer, para confessar e pedir perdão diante de Deus e da família.

2. Vamos fazer oferta como a expressão de gratidão, de arrependimento e de amor pelos próximos.

Orando juntos Que eu possa suplementar e complementar o que falta para ser um nazireu em espírito; e que a santidade e a integridade transpareçam de mim para a minha amada família e para todos que estão comigo.

13


03 seg

O ministério eficaz Juízes 14:15-20

15 No quarto dia disseram à mulher de Sansão: “Convença o seu

Ela, por sua vez, revelou o enigma ao seu povo.

marido a explicar o enigma. Caso contrário, poremos fogo em você e na família de seu pai, e vocês morrerão. Você nos convidou para nos roubar? ”

18 Antes do pôr-do-sol do sétimo dia, os homens da cidade vieram lhe dizer: “O que é mais doce que o mel? O que é mais forte que o leão? ” Sansão lhes disse: “Se vocês não tivessem arado com a minha novilha, não teriam solucionado o meu enigma”.

16 Então a mulher de Sansão implorou-lhe aos prantos: “Você me odeia! Você não me ama! Você deu ao meu povo um enigma, mas não me contou a resposta! ” “Nem a

19 Então o Espírito do Senhor apossou-se de Sansão. Ele desceu a Ascalom, matou trinta homens, pegou as suas roupas e as deu aos que tinham explicado o enigma. Depois, enfurecido, foi para a casa do seu pai.

meu pai nem à minha mãe expliquei o enigma”, respondeu ele. “Por que deveria explicá-lo a você? ” 17 Ela chorou durante o restante da semana da festa. Por fim, no sétimo

20 E a mulher de Sansão foi dada ao amigo que tinha sido o acompanhante dele no casamento.

dia, ele lhe contou, pois ela continuava a perturbá-lo.

14


Análise do conteúdo

Percepção

Decisão e Aplicação

Estudo e Reflexão

15


Orientações

O enigma de Sansão Juízes 14:15-20

Análise do conteúdo Sansão propôs um enigma aos convidados do seu casamento. Eles ameaçaram colocar fogo em toda a família da esposa em Timna, caso o seu marido não explicasse o enigma. Quando eles solucionaram o enigma, Sansão desceu enfurecido a Ascalom e matou trinta homens, deu as roupas deles aos que tinham explicado o enigma e partiu para a casa do seu pai. Estudo e Reflexão 1. Com que intuito Sansão propôs o enigma? - Naquela época, era comum propor enigmas durante as festas de casamento e oferecer prêmios aos que os decifrassem. A intenção de Sansão, ao propor um enigma sobre o mel que saiu do cadáver do leão que ele havia matado, parecia ser uma provocação, pois os filisteus nunca a solucionariam. Na verdade, Deus estava usando Sansão como um meio para destruir Filístia. 2. Por que Deus ajudou Sansão, fazendo o Espírito do Senhor se apossar dele para matar os trinta filisteus? - Por meio da atitude de Sansão que matou e roubou os homens de Ascalom, sob o pretexto de entregar essas roupas aos filisteus que ameaçaram sua esposa para solucionarem o enigma, vemos um homem impulsionado por vingança a fim de ‘defender sua própria honra’. Contudo Deus usou até mesmo a maldade de Sansão para derrotar Filístia.

Embora não fosse de maneira ideal, vemos a providência de Deus se manifestar poderosamente sobre Sansão para destruir Filístia. Percepção Mesmo sendo um nazireu desde o nascimento, Sansão não viveu como tal. Envolvido com um casamento equivocado e com o fracasso familiar, Sansão acabou deixando de ter uma vida consagrada ao Senhor, contudo através dele, o plano de Deus para a salvação de Israel avançou. Sansão que permaneceu até o fim como líder de Israel, teve suas falhas, fraquezas e até o seu apego ao desejo carnal, usados como instrumentos nas mãos do Deus fiel (16:31). Embora eu tenha uma vida de fé, peco pela falta de mansidão, tolerância e um coração cheio de amargura e fraqueza. Por isso me sinto mal, toda vez que ouço que o cristão deve ser uma boa influência, no entanto quando penso que Sansão, mesmo cheio de falhas, foi usado segundo a vontade de Deus, coloco a esperança viva no Senhor que me capacitará na minha própria imperfeição. Decisão e aplicação 1. Enfatizo a importância do culto, mas nunca dei o exemplo. Neste sábado à noite lerei a Bíblia e orarei pelo culto de domingo da nossa família. 2. Aos domingos, tenho-me atrasado para servir, pois tenho saído de casa cada vez mais tarde. Nesta semana sairei de casa 10 minutos mais cedo.

16


Análise do conteúdo

Percepção

1. De que maneira os filisteus obtiveram a resposta do enigma? (vs.15-17)

4. O que você aprende ao ver a presença constante do poder do Senhor sobre Sansão, que era fiel somente aos seus desejos carnais?

2. Como Sansão reagiu ao perder a aposta? (vs.19-20) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que o Espírito do Senhor se apossou de Sansão que matava pessoas para alcançar seus objetivos? (v.19)

5. Como você considera o fato de um homem não qualificado aos olhos de qualquer pessoa, trabalhar pela obra do Senhor? Em que aspecto você sente que deve melhorar, ao ver Deus usar um homem imperfeito para realizar a Sua obra? Anotação

17


Tanto os filisteus que descobriram a resposta do enigma ameaçando incendiar a casa da mulher de Sansão, quanto o enfurecido Sansão que desceu a Ascalom para matar trinta homens e pegou as suas roupas, não passam de vândalos criando confusão, mas então subitamente o Espírito do Senhor apossou-se de Sansão (v.19). Sansão não liderou a guerra para salvar sua pátria, porém para conseguir a sua desforra. Sansão tinha uma vida degenerada, a ponto de não ser mais possível diferenciá-lo dos outros vândalos filisteus, no entanto Deus havia dado a ele uma missão. Embora não estivesse consciente disso, o propósito de Deus que enviou Sansão ao mundo ainda era eficaz. Deus usa até mesmo homem de caráter e moral fracos para ampliar Seu Reino. Não devemos justificar a fraqueza de um homem, mas reconhecermos o agir de Deus através dele. Você reconhece a soberania de Deus que usa até mesmo os mais fracos?

ORAÇÃO

Faça com que antes de julgar o próximo pela aparência, eu enxergue o Deus que age na sua fraqueza. Anotação

18


04 ter

A emoção vai antes da palavra Juízes 15:1-8

1 Algum tempo depois, na época da colheita do trigo, Sansão foi visitar a

Depois prendeu uma tocha em cada par de caudas,

sua mulher e levou-lhe um cabrito. “Vou ao quarto da minha mulher”, disse ele. Mas o pai dela não quis deixá-lo entrar.

5 acendeu as tochas e soltou as raposas no meio das plantações dos filisteus. Assim ele queimou os feixes, o cereal que iam colher, e também as vinhas e os olivais.

2 “Eu estava tão certo de que você a odiava”, disse ele, “que a dei ao seu amigo. A sua irmã mais nova não é mais bonita? Fique com ela no lugar da irmã”.

6 Os filisteus perguntaram: “Quem fez isso?” Responderam-lhes: “Foi Sansão, o genro do timnita, porque a sua mulher foi dada ao seu amigo”. Então os filisteus foram e queimaram a mulher e seu pai.

3 Sansão lhes disse: “Desta vez ninguém poderá me culpar quando eu acertar as contas com os filisteus! ”

7 Sansão lhes disse: “Já que fizeram isso, não sossegarei enquanto não me vingar de vocês”. 8 Ele os atacou sem dó nem piedade e fez terrível matança. Depois desceu e ficou numa caverna da rocha de Etã.

4 Então saiu, capturou trezentas raposas e as amarrou aos pares pela cauda.

19


Análise do conteúdo

Percepção

1. Como Sansão agiu depois de ouvir do sogro que a sua mulher havia sido dada ao seu amigo? (vs.4-5)

4. O que você aprende ao ver os filisteus e Sansão agirem com violência ao se depararem com um problema?

2. Como os filisteus reagiram a essa atitude de Sansão? (v.6) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que Sansão e os filisteus se vingaram de terceiros e não daqueles que estavam diretamente envolvidos?

5. Em quais situações você age de forma emocional? Qual é o problema que você precisa resolver hoje e como você vai fazer isso? Anotação

20


Ex 22:6 “Se um fogo se espalhar e alcançar os espinheiros, e queimar os feixes colhidos ou o trigo plantado ou até a lavoura toda, aquele que iniciou o incêndio restituirá o prejuízo”.

A briga entre Sansão e os filisteus era um ato de violência brutal. Sansão manchou o seu casamento de conflito, ameaça, violência e homicídio, que merecidamente deveria estar cheio de alegria e bênção. Além disso, ele deixou a sua mulher ainda quando estavam recém-casados e voltou repentinamente pedindo de volta a sua mulher. Isso é fora do senso comum. Igualmente, o seu ato de queimar a colheita dos filisteus com as trezentas raposas capturadas, explodindo a sua ira, porque a sua mulher se casara com outro homem, foge da lei de Deus (vide Ex 22:6). Por um lado, os filisteus também não foram muito diferentes de Sansão ao queimarem o genro de Sansão e a sua filha, por acharem que a causa de todo o acontecimento estava neles. Em seguida, com o pretexto de que se vingaria do seu genro e da sua esposa, Sansão abriu porta para uma briga suja, com a matança dos filisteus. Através desse caso de Sansão, o livro de Juízes mostra o quão baixo estava o nível espiritual dos israelitas da época. Os filisteus e Sansão tiveram comportamentos radicais turvados pela emoção, ao invés de tomarem decisões na base da palavra. Reflita se você não está cometendo o mesmo erro.

ORAÇÃO

Que o Senhor nos dê discernimento para avaliar e resolver os problemas de forma objetiva, dentro da fé. Anotação

21


05 qua

Israel que teme pela transformação Juízes 15:9-13

9 Os filisteus foram para Judá e lá acamparam, espalhando-se pelas proximidades de Leí.

Você viu o que nos fez? ” Ele respondeu: “Fiz a eles apenas o que

10 Os homens de Judá perguntaram: “Por que vocês vieram lutar contra nós? ” Eles responderam: “Queremos levar Sansão amarrado, para tratá-lo como ele nos tratou”.

12 Disseram-lhe: “Viemos amarrá-lo para entregá-lo aos filisteus”. Sansão disse: “Jurem-me que vocês mesmos não me matarão”.

eles me fizeram”.

13 “Certamente que não! ”, responderam. “Somente vamos amarrá-lo e entregá-lo nas mãos deles. Não o mataremos. ” E o prenderam com duas cordas novas e

11 Três mil homens de Judá desceram então à caverna da rocha de Etã e disseram a Sansão: “Você não sabe que os filisteus dominam sobre nós?

o fizeram sair da rocha.

22


Análise do conteúdo

Percepção

1. Por que os filisteus subiram até Judá e acamparam lá? (v.10)

4. Os homens de Judá entregaram Sansão aos filisteus, em vez de querer lutar e ganhar deles, para manter a condição atual. O que você aprende com isso?

2. Como os homens de Judá agiram ao ouvir o motivo da vinda dos filisteus? (vs.11-13) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que os homens de Judá queriam amarrar Sansão e entregá-lo aos filisteus?

5. Do que você tem medo de mudar ou do que você não consegue abrir mão diante de Deus? O que você deve entregar corajosamente diante do Senhor e colocar em prática, para que haja uma transformação? Anotação

23


Jz 13:5 “Você (...) engravidará e dará à luz um filho (...) ele iniciará a libertação de Israel das mãos dos filisteus”.

Sansão se escondeu no meio da rocha de Etã e os filisteus se reuniram em Leí para capturá-lo (v.9). Nesse momento, os homens de Judá conferiram qual era o propósito dos filisteus, desceram à caverna da rocha de Etã e lá encontraram Sansão (vs.10-11). Mas a perspectiva dos homens de Judá sobre essa situação era muito egocêntrica. Eles acharam que a atitude de Sansão causou um sério risco nas suas vidas e nos seus bens, por isso eles queriam amarrar e entregar Sansão como os filisteus haviam pedido (v.12). Considerando-se que três mil homens desceram para isso, parece que eles visavam usar a força física para capturar Sansão, caso ele não aceitasse a proposta passivamente. Na verdade, Sansão nasceu como aquele que iria salvar o povo de Israel das mãos dos filisteus (vide 13:5), portanto os homens das tribos de Judá e de Israel, em vez de entregá-lo aos filisteus, deveriam ter feito planos para atacá-los sob a condução de Sansão. No final, eles acabaram amarrando e arrastando Sansão. Você também, assim como os homens de Judá, não está esperando apenas que a situação confortável seja mantida?

ORAÇÃO

Que eu não fique preso ao direito adquirido ou me satisfaça com a manutenção da situação atual, mas sim ser alguém que suporta a batalha espiritual. Anotação

24


06 qui

Abre a rocha para aqueles que clamam Juízes 15:14-20

14 Quando ia chegando a Leí, os filisteus foram ao encontro dele aos gritos. Mas o Espírito do Senhor apossou-se dele. As cordas em seus braços se tornaram como fibra de linho queimada, e os laços caíram das suas mãos.

e o local foi chamado Ramate-Leí.

15 Encontrando a carcaça de um jumento, pegou a queixada e com ela matou mil homens.

19 Deus então abriu a rocha que há em Leí, e dela saiu água. Sansão bebeu, suas forças voltaram, e ele recobrou o ânimo. Por esse motivo essa fonte foi chamada En-Hacoré, e ainda lá está, em Leí.

18 Sansão estava com muita sede e clamou ao Senhor: “Deste pela mão de teu servo esta grande vitória. Morrerei eu agora de sede para cair nas mãos dos incircuncisos? ”

16 Disse ele então: “Com uma queixada de jumento fiz deles montões. Com uma queixada de jumento matei mil homens”.

20 Sansão liderou Israel durante vinte anos, no tempo do domínio dos filisteus.

17 Quando acabou de falar, jogou fora a queixada;

25


Análise do conteúdo

Percepção

1. Como Sansão reagiu quando o Espírito do Senhor se apossou dele, na hora em que estava prestes a ser entregue aos filisteus com as cordas em seus braços? (vs.14-15)

4. O que você aprende ao ver a graça de Deus que respondeu ao clamor de Sansão?

2. O que Sansão clamou ao Senhor quando estava com muita sede depois da sua luta contra os filisteus? (v.18) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que Deus abriu a rocha para que Sansão recobrasse o ânimo?

5. Mesmo na sua fraqueza, você já recebeu a resposta ao clamor a Deus? Como você vai ajudar as pessoas fragilizadas ao seu redor, quando elas se encontrarem em dificuldades? Anotação

26


“A carcaça de um jumento” (v.15): significa uma carcaça de jumento que morreu há pouco tempo.

Deus utiliza do impuro Sansão para castigar os filisteus. O Espírito do Senhor apossou-se de repente de Sansão e ele pegou a carcaça de um jumento e com ele matou mil homens (vs.14-15). Ele tinha transgredido a lei dos nazireus de não tocarem nos cadáveres dos animais. Além disso, ele contou as suas proezas “fiz”, “matei”, como se ele tivesse realizado tudo sozinho (v.16), assim Deus coloca Sansão numa situação que só lhe resta clamar a Ele. Depois do registro de que Deus entregou Israel nas mãos dos filisteus durante quanrenta anos (v.13:1), é a primeira vez que aparece a expressão “clamou” (v.18). Deu utilizou de Sansão, que não passava de um arruaceiro, para conseguir uma grande vitória sobre os filisteus, fazendo com que reconhecessem Deus e clamassem por Seu nome. A imagem de Sansão bebendo a água que jorrou da rocha que Deus abriu, faz-nos lembrar de Israel que recebeu a água no deserto. Deus concedeu graça a Sansão mesmo sabendo de suas fraquezas. Nós também devemos dar atenção à capacidade e não à fraqueza da pessoa. ORAÇÃO

Que eu possa enxergar com a visão de Deus a capacidade e não a fraqueza do meu próximo. Anotação

27


07 sex

A prepotência que não se afasta do pecado Juízes 16:1-9 induzi-lo a mostrar-lhe o segredo da sua grande força e como poderemos dominá-lo,para que o amarremos e o subjuguemos. Cada um de nós dará a você treze quilos de prata”.

1 Certa vez Sansão foi a Gaza, viu ali uma prostituta, e passou a noite com ela. 2 Disseram ao povo de Gaza: “Sansão está aqui! ” Então cercaram o local e ficaram à espera

6 Disse, pois, Dalila a Sansão: “Conte-me, por favor, de onde vem a sua grande força e como você pode ser amarrado e subjugado”.

dele a noite toda, junto à porta da cidade. Não se moveram a noite inteira, dizendo: “Ao amanhecer o mataremos”.

7 Respondeu-lhe Sansão: “Se alguém me amarrar com sete tiras de couro ainda úmidas, ficarei tão fraco quanto qualquer outro homem”.

3 Sansão, porém, ficou deitado só até a meia-noite. Levantou-se, agarrou firme a porta da cidade, com os dois batentes, e os arrancou, com tranca e tudo. Pôs tudo nos ombros e o levou ao topo da colina que fica defronte de Hebrom.

8 Então os líderes dos filisteus trouxeram a ela sete tiras de couro ainda úmidas, e Dalila o amarrou com elas. 9 Tendo homens escondidos no quarto, ela o chamou: “Sansão, os filisteus o estão atacando! ” Mas ele arrebentou as tiras de couro como se fossem um fio de estopa posto perto do fogo. Assim, não se descobriu de onde vinha a sua força.

4 Depois dessas coisas, ele se apaixonou por uma mulher do vale de Soreque, chamada Dalila. 5 Os líderes dos filisteus foram dizer a ela: “Veja se você consegue

28


Análise do conteúdo

Percepção

1. O que Sansão fez em Gaza? (vs.1-3)

4. O que você aprende ao ver Sansão que não consegue ficar longe do pecado, mesmo sabendo do perigo?

2. Segundo Sansão, poderiam dominá-lo? (v.7)

como

Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que Sansão mentiu a Dalila?

5. Qual é o problema que você não consegue resolver, com a presunção de que pode controlar suficientemente o pecado? O que você vai fazer no dia de hoje para se livrar desse pecado? Anotação

29


“O topo da colina que fica defronte a Hebrom” (v.3): refere-se à colina que dá para ver Hebrom. Fica a 65km de distância e com a altura superior a 900m.

Sansão estava ciente de que os filisteus estavam esperando uma oportunidade para matá-lo, mas sem nenhum receio, passou a noite com uma prostituta filisteia e ostentou a sua força sobrenatural, rindo da ameaça dos filisteus (vs.1-3). Esse comportamento de Sansão não era definitivamente louvável e santo e ele não passava de um arruaceiro que provocava tumulto para os filisteus. Claro que Sansão representava perigo para os filisteus e Deus utilizou dele para castigá-los, mas Sansão esqueceu-se de que era um nazireu e não se lembrou de que o pecado era algo perigoso. Ele pensou que a força que lhe tinha sido dado, lhe pertencia e acabou caindo na prepotência. Certamente, Sansão deve ter percebido o real motivo de Dalila quando ela perguntou sobre a origem de sua força, mas ele não abandonou Dalila, acreditando que a força sobrenatural o protegeria para sempre. Se não tiver medo de pecar acreditando que possa arcar com as suas consequências, o resultado será o fracasso e a morte. Será que não tem essa tentação do pecado em você?

ORAÇÃO

Que eu saiba reconhecer o pecado e que não caia na prepotência de supervalorizar a minha capacidade. Anotação

30


08 sáb

O pecado que nos deixa aflito Juízes 16:10-16

10 Disse Dalila a Sansão: “Você me fez de boba; mentiu para mim! Agora conte-me, por favor, como você pode ser amarrado”.

tranças da minha cabeça e o prender com uma lançadeira, ficarei tão fraco quanto qualquer outro homem”. Assim, enquanto ele dormia, Dalila teceu as sete tranças da sua cabeça num pano

11 Ele disse: “Se me amarrarem firmemente com cordas que nunca tenham sido usadas, ficarei tão fraco quanto qualquer outro homem”.

14 e o prendeu com a lançadeira. Novamente ela o chamou: “Sansão, os filisteus o estão atacando! ” Ele despertou do sono e arrancou a lançadeira e o tear, com os fios.

12 Dalila o amarrou com cordas novas. Depois, tendo homens escondidos no quarto, ela o chamou: “Sansão, os filisteus o estão atacando! ” Mas ele arrebentou as cordas de seus braços como se fossem uma linha.

15 Então ela lhe disse: “Como você pode dizer que me ama, se não confia em mim? Esta é a terceira vez que você me fez de boba e não contou o segredo da sua grande força”.

13 Disse Dalila a Sansão: “Até agora você me fez de boba e mentiu para mim. Diga-me como pode ser amarrado”. Ele respondeu: “Se você tecer num pano as sete

16 Importunando-o o tempo todo, ela o cansava dia após dia, ficando ele a ponto de morrer.

31


Análise do conteúdo

Percepção

1. Como é a reação de Dalila? (vs.12, 14)

4. O que você aprende ao ver Sansão aflito sem poder se afastar de Dalila que tenta matá-lo?

2. Como fica Sansão, com Dalila cansando-o dia após dia? (v.16) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que Sansão ficou aflito por causa de Dalila?

5. Qual é o pecado que te deixa aflito? O que você irá colocar em prática para se livrar dessa aflição? Anotação

32


Dalila perguntou o segredo da grande força de Sansão e ele mentiu três vezes repetidamente. Toda vez depois de fazer como ele dissera, Dalila falava que os filisteus estavam atacando (vs. 12, 14). A essa altura, era impossível Sansão não ter percebido as verdadeiras intenções de Dalila. Mesmo assim, ela o cansava dia após dia, ficando ele a ponto de morrer (v.16). Dalila estava empenhada em prender e ameaçar a vida de Sansão, mas ele era impossível de ser amarrado, porque era um homem de Deus. Ele deveria tê-la deixado, porém continuou ao seu lado sofrendo de angústia. Essa é a essência do pecado. O ser humano sabe que deve se afastar do pecado e tem a capacidade de se afastar dela, mas ele não consegue e cai na angústia. Dessa maneira, o pecado tira a paz espiritual e traz o medo e a preocupação. Será que você tem um pecado que o está arrastando à morte? ORAÇÃO

Que eu possa cortar o pecado que me angustia. Anotação

33


09

O único salvador da nossa família

dom

Culto no Lar - Juízes 15:11-17

Família à mesa. Reúna a sua família à mesa e compartilhe a comida e as percepções e aplicações do sermão do dia. Leitura bíblica e o fizeram sair da rocha.

11 Três mil homens de Judá desceram então à caverna da

14 Quando ia chegando a Leí, os filisteus foram ao encontro dele aos gritos. Mas o Espírito do Senhor apossou-se dele. As cordas em seus braços se tornaram como fibra de linho queimada, e os laços caíram das suas mãos.

rocha de Etã e disseram a Sansão: “Você não sabe que os filisteus dominam sobre nós? Você viu o que nos fez? ” Ele respondeu: “Fiz a eles apenas o que eles me fizeram”.

15 Encontrando a carcaça de um jumento, pegou a queixada e com ela matou mil homens.

12 Disseram-lhe: “Viemos amarrálo para entregá-lo aos filisteus”. Sansão disse: “Jurem-me que vocês mesmos não me matarão”.

16 Disse ele então: “Com uma queixada de jumento fiz deles montões. Com uma queixada de jumento matei mil homens”.

13 “Certamente que não! ”, responderam. “Somente vamos amarrá-lo e entregá-lo nas mãos deles. Não o mataremos. ” E o prenderam com duas cordas novas

17 Quando acabou de falar, jogou fora a queixada; e o local foi chamado Ramate-Leí.

34


CULTO NO LAR

Desvendando a palavra amarrado aos seus inimigos ou no Sansão, um nazireu, que agiu segundo a sua vontade sem dar importância ao seu juramento. Mesmo nessa época, o Espirito de Deus estava presente fortemente no Sansão, revelando o poder de Deus. Era uma situação de depravação total, mas o Espirito veio e se manifestou. Ao refletirmos, podemos notar que a imoralidade, ódio, vingança e atos de destruição nos tempos de hoje, não tem nada de diferente. Na sociedade de hoje também transborda de ódio e vingança, nação contra nação e homem contra homem; imoralidade e atos destruidores, relacionamentos anormais, emaranhados entre si. Apesar de ser época onde todos parecem fracos e deficientes, o Espirito de Deus trabalha como sempre na nossa família e em cada um de nós, proclamando que o Senhor é único Deus salvador, todo poderoso. Nós que nos tornamos filhos através de sangue de Cristo, devemos responder ao Seu cuidado de nos fazer vitoriosos mesmo nas fraquezas, com louvores e agradecimentos diante do poder de Deus, armados com humildade. Que essa proclamação transborde nos nossos lares.

Sansão queimou os feixes, cereal que iam colher, vinhas e olivais dos filisteus, ao saber que deram sua esposa para outra pessoa. Em consequência deste ato, os filisteus mataram a esposa e o sogro, queimando-os cruelmente. Sansão se vinga dos filisteus outra vez (vs.6-8). Finalmente, grande número de filisteus acampa em Judá a fim de prender Sansão. Ameaçaram os homens de Judá e exigiram que o trouxesse (vs.9, 10). Sob a ameaça dos filisteus, três mil homens de Judá desceram à caverna de rocha de Etã, onde Sansão se encontrava escondido. Quando o amarraram e o entregaram aos filisteus, o espirito de Deus se apossou dele. As cordas dos seus braços caíram como fibras de linho queimado e com a queixada de um jumento matou mil homens. Sabemos que na época de Sansão, havia muita imoralidade, ódio, vingança e atos destruidores nos relacionamentos entre os povos em si e entre os homens. Ao analisarmos os seus atos, especialmente dos filisteus, não vemos esperança no povo de Israel que entrega seu compatriota

35


CULTO NO LAR

Compartilhando a graça 1. Vamos compartilhar o poder e a graça que experimentamos durante a semana. Há algum problema ou sofrimento antigo não resolvido? Compartilhe.

2. O que fará para crer e confessar que ao orarmos, o poder e a graça de Deus se manifestarão segundo o seu tempo e à sua maneira? Vamos decidir e encorajar um ao outro a compartilhar

Compartilhando agradecimentos 1. Relembrando a vida que teve durante a semana, vamos falar sobre o que teve para agradecer, para confessar e pedir perdão diante de Deus e da família.

2. Vamos fazer oferta como a expressão de gratidão, de arrependimento e de amor pelos próximos.

Orando juntos Que possamos agradecer por nos cercar com o seu imenso poder, mesmo nas nossas fraquezas. E que juntos possamos nos aproximar mais de Deus.

36


10 seg

Terminou o período de nazireu Juízes 16:17-22

17 Por isso ele lhe contou o segredo: “Jamais se passou navalha em minha cabeça”, disse ele, “pois sou nazireu, desde o ventre materno. Se fosse rapado o cabelo da minha cabeça, a minha força se afastaria de mim, e eu ficaria tão fraco quanto qualquer outro homem”.

ela chamou um homem para cortar as sete tranças do cabelo dele, e assim começou a subjugá-lo. E a sua força o deixou. 20 Então ela chamou: “Sansão, os filisteus o estão atacando! ” Ele acordou do sono e pensou: “Sairei como antes e me livrarei”. Mas não sabia que o Senhor o tinha deixado.

18 Quando Dalila viu que Sansão lhe tinha contado todo o segredo, enviou esta mensagem aos líderes dos filisteus: “Subam mais esta vez, pois ele me contou todo o segredo”. Os líderes dos filisteus voltaram a ela levando a prata.

21 Os filisteus o prenderam, furaram os seus olhos e o levaram para Gaza. Prenderam-no com algemas de bronze, e o puseram a girar um moinho na prisão. 22 Mas, logo o cabelo da sua cabeça começou a crescer de novo.

19 Fazendo-o dormir no seu colo,

37


Análise do conteúdo

Percepção

Decisão e Aplicação

Estudo e Reflexão

38


Orientações

Tudo que tenho vieram a partir de Deus

Juízes 16:17-22 Análise do conteúdo Sansão falou a Dalila, que a força o deixaria ao rapar o cabelo. Dalila chamou os líderes filisteus e eles raparam o cabelo de Sansão que estava adormecido. Ao acordar do sono Sansão não percebeu que Senhor o tinha deixado. Os filisteus o prenderam, furaram os seus olhos, prenderam com algemas de bronze e o puseram a girar moinho na prisão. Estudo e Reflexão 1. Por que era importante guardar os seus cabelos, se Sansão já tinha infligido outras leis de nazireu? - Quando Sansão tocou no cadáver, comeu dos produtos da uva e etc., já estava infligindo leis de nazireu. Único sinal que tinha sobrado é que conservava cabelo sem cortar. A lei que diz que nazireu não pode cortar cabelo deve ser importante, por ser mais visível do que outros sinais que o identifica como nazireu. 2. Qual foi o motivo verdadeiro que o fez perder a sua força? - Sansão perdeu a sua força após rapar o cabelo, mas a fonte da sua força não era o cabelo, e sim Deus Jeová que o chamou. Ele o separou como santo desde o ventre da mãe, confiou-lhe uma missão e esteve sempre ao seu lado, portanto o verdadeiro motivo de Sansão ter perdido a força foi ter se esquecido da sua origem e da sua missão. Por ter quebrado o pacto com Deus, o Seu espirito o deixou. Percepção Desde o seu nascimento, Sansão

39

foi separado como santo e coberto pelo poder de Deus. Recebeu a missão de salvar Israel das mãos dos filisteus. Mas ele se esqueceu da sua missão e pagou um preço caro por isso. Refletindo a palavra de hoje, pensemos no que fazer para viver sempre experimentando a presença de Deus. Deus me chamou e supriu as minhas necessidades na Sua soberana graça, eu que não tenho nada de bom. Mesmo sabendo que a minha missão é testemunhar o Reino de Deus com a capacidade, bens materiais e saúde que Ele me deu, acabo me esquecendo disso frequentemente. Muitas vezes usei tudo isso apenas para a minha vaidade e orgulho diante do mundo. Não devo me expor como isca diante de tentações do mundo e da carne. Preciso sempre me lembrar de que fui separado como santo e viver usufruindo os dons e capacidades que Deus me concedeu para realizar a missão confiada a mim. Decisão e aplicação 1. Durante culto no lar com essa passagem da Bíblia, vamos separar um tempo para lembrar que a nossa capacidade vem desse Deus que nos fortalece nas nossas fraquezas. Vamos compartilhar e decidir com a família como vamos viver e o que vamos fazer para realizar a missão confiada a nós. 2. Vou levar cartões com versículos bíblicos e pequenos presentes na próxima reunião dos meus amigos e falar de palavra de Deus.


Análise do conteúdo

Percepção

1. Qual é a verdade que Sansão revelou a Dalila? (v.17) 2. Como ficou Sansão após ter o seu cabelo cortado? (vs.19-21)

4. O que podemos aprender na figura de Sansão após a sua queda, como resultado da sua desobediência às normas de um nazireu?

Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que Sansão não conseguiu usar mais a sua força após corte do cabelo, se das vezes que desobedeceu outras normas de um nazireu continuava ostentando a sua força?

5. Quais são as coisas que usou como se fosse seu, mesmo sabendo que era a graça de Deus? O que você pode fazer hoje para reconhecer que todas as coisas vêm de Deus? Anotação

40


Nm 6:9 "Se alguém morrer repentinamente perto dele, contaminando assim o cabelo que consagrou, ele terá que rapar a cabeça sete dias depois, dia da sua purificação. ” Nm 6:12b “Não se contarão os dias anteriores porque ficou contaminado durante a sua separação. ”

Sansão desobedeceu às normas que um nazireu deveria seguir, e Deus providenciou para que ele arcasse com as consequências dos seus pecados. De acordo com a lei, quando um nazireu se torna impuro pela sua desobediência, raspa-se a cabeça após sete dias e oferece holocausto a Deus, o passado fica nulo e começa novamente a vida de nazireu (vide Nm 6:9, 12b). Sansão já sabia dos seus deveres como nazireu, mas não vivia de acordo (v.17). Deus fez a execução sumária segundo as normas, através das mãos de Dalila. No lugar de raspar a cabeça no sétimo dia, cortaram as sete tranças (v.19). Assim foi proclamado o fim da vigência de nazireu e o poder de Deus o deixou. Sansão arcou com as consequências de todos os seus pecados até este dia. Usou o poder de Deus como se fosse seu e finalmente é forçado a ser castigado segundo as normas. Tudo o que temos, foi Deus que nos concedeu para que usemos de acordo com a Sua vontade. Se utilizá-lo segundo nossa vontade, um dia pode ser tirado de nós, assim como aconteceu com Sansão.

ORAÇÃO

Que possamos ser pessoas que usufruem da graça de Deus segundo a Sua vontade. Lembrando que tudo que possuímos veio a partir dEle. Anotação

41


11 ter

Caráter digno do chamado Juízes 16:23-31

23 Os líderes dos filisteus se reuniram para oferecer um grande sacrifício a seu deus Dagom e para

na galeria, havia cerca de três mil homens e mulheres vendo Sansão, que os divertia.

festejar. Comemorando sua vitória, diziam: “O nosso deus entregou o nosso inimigo Sansão em nossas mãos”.

28 E Sansão orou ao ­Senhor: “Ó Soberano Senhor, lembra-te de mim! Ó Deus, eu te suplico, dá-me forças, mais uma vez, e faze com que eu me vingue dos filisteus por causa dos meus dois olhos! ”

24 Quando o povo o viu, louvou o seu deus: “O nosso deus nos entregou o nosso inimigo, o devastador da nossa terra, aquele que multiplicava os nossos mortos”.

29 Então Sansão forçou as duas colunas centrais sobre as quais o templo se firmava. Apoiando-se nelas, tendo a mão direita numa coluna e a esquerda na outra,

25 Com o coração cheio de alegria, gritaram: “Tragam-nos Sansão para nos divertir! ” E mandaram trazer Sansão da prisão, e ele os divertia. Quando o puseram entre as colunas,

30 disse: “Que eu morra com os filisteus! ” Em seguida ele as empurrou com toda a força, e o templo desabou sobre os líderes e sobre todo o povo que ali estava. Assim, na sua morte, Sansão matou mais homens do que em toda a sua vida.

26 Sansão disse ao jovem que o guiava pela mão: “Ponha-me onde eu possa apalpar as colunas que sustentam o templo, para que eu

31 Foram, então, os seus irmãos e toda a família do seu pai para buscálo. Trouxeram-no e o sepultaram entre Zorá e Estaol, no túmulo de Manoá, seu pai. Sansão liderou Israel durante vinte anos.

me apóie nelas”. 27 Homens e mulheres lotavam o templo; todos os líderes dos filisteus estavam presentes e, no alto,

42


Análise do conteúdo

Percepção

1. Qual é o motivo dos filisteus terem tirado Sansão da prisão? (vs.23-25)

4. O que aprende sobre providência de Deus que usou a vida de Sansão após purificação, para fazer justiça aos filisteus?

2. Qual era o desejo de Sansão e qual foi o seu resultado? (vs.2830) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Qual foi o motivo de Deus permitir Sansão ter esse fim?

5. Tem algo que você deveria ter feito, mas não fez pelo erro cometido no passado? O que pode fazer hoje para resolver esse “algo”? Anotação

43


A festa dos filisteus pelo fato de prender Sansão parecia uma comemoração de vitória (v.23). Deus utilizou-se de Sansão mesmo desregrado, como soldado para confrontar os filisteus e providenciou para ter seu fim como um juiz de Deus. Para um nazireu, cortar cabelo significa um novo começo. Mesmo de olho furado e na situação de girar moinho na prisão, ele pôde experimentar a restauração da santidade a partir da ruptura de toda infidelidade. Sansão teve pela primeira e última vez, um ato compatível à imagem do chamado de Deus (nazireu e juiz), aplicou um golpe com toda força aos filisteus, provocando assim maior dano do que qualquer luta em toda sua vida (v.30). Mostrou que teve uma vitória maior ao realizar a missão de modo santo, denunciando que os atos anteriores eram errados. Deus deu a Sansão a chance de se arrepender e fez cumprir a missão da sua vida no último instante. Deus nos dá também a chance de nos arrependermos dos erros que cometemos. Não vamos ficar presos aos erros anteriores e foquemos na missão que Deus nos concedeu.

ORAÇÃO

Que eu possa viver uma vida focada no propósito, confiando no poder da graça do perdão de Deus. Anotação

44


12 qua

Cada um fazia o que lhe parece certo Juízes 17:1-6

1 Havia um homem chamado Mica, dos montes de Efraim,

4 Mas ele devolveu a prata à sua mãe, e ela separou dois quilos e quatrocentos gramas, e os deu a um

2 que disse certa vez à sua mãe: “Os treze quilos de prata que lhe foram roubados e pelos quais eu a ouvi pronunciar uma maldição, na verdade a prata está comigo; eu a peguei”. Disse-lhe sua mãe: “O Senhor o abençoe, meu filho! ”

ourives, que deles fez a imagem e o ídolo. E estes foram postos na casa de Mica.

5 Ora, esse homem, Mica, possuía um santuário, fez um manto sacerdotal e alguns ídolos da família e pôs um dos seus filhos como seu sacerdote.

3 Quando ele devolveu os treze quilos de prata à mãe, ela disse: “Consagro solenemente a minha prata ao Senhor para que o meu

6 Naquela época não havia rei em Israel; cada um fazia o que lhe parecia certo.

filho faça uma imagem esculpida e um ídolo de metal. Eu a devolvo a você”.

45


Análise do conteúdo

Percepção

1. Por que a mãe de Mica o abençoou? (v.2)

4. O que você aprende ao ver a fé dedicada ao Senhor misturar-se com o ato de fazer ídolo para si mesmo?

2. O que a mãe de Mica fez com a prata que recuperou? (vs.3-4) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que eles fizeram um ídolo com a prata que consagraram ao Senhor?

5. Você se esforça para distinguir a vontade de Deus da sua própria opinião? O que precisa ser feito para seguir a vontade de Deus? Anotação

46


O caos espiritual na época dos juízes tinha esta forma: a mulher fica alegre por ter a prata de volta, em vez de corrigir o filho que roubou a prata da própria mãe. A mãe de Mica faz o ídolo, dizendo que vai consagrar a prata ao Senhor, coloca-o na sua casa e faz o filho como seu sacerdote. Esta atitude é confusa, pois não dá para saber se tudo isso é para Deus ou para adorar outros deuses e exemplifica uma época caótica permeada pela falta de ética e materialismo. Os israelitas stavam vivendo de acordo com o que lhes parecia certo, independente da vontade Deus ou da verdadeira fé, mas isso não era um fenômeno apenas da época dos juízes. Isso pode acontecer a qualquer momento se nós ficarmos distantes da palavra de Deus. Será que você não está misturando o seu desejo com a vontade de Deus? A sua forma de adoração a Deus está de acordo com a Bíblia? Pense o que precisa ser feito quando a sua opinião prevalece sobre a vontade de Deus. ORAÇÃO

Faça com que eu seja firme e consciente para seguir a vontade de Deus. Anotação

47


13 qui

A certeza equivocada causada pela ignorância espiritual Juízes 17:7-13

7 Um jovem levita de Belém de Judá, procedente do clã de Judá,

darei cento e vinte gramas de prata por ano, roupas e comida. ”

8 saiu daquela cidade em busca de outro lugar para morar. Em sua viagem[46], chegou à casa de Mica, nos montes de Efraim.

11 O jovem levita concordou em ficar com Mica, e tornou-se como um dos seus filhos.

12 Mica acolheu o levita, e o jovem se tornou seu sacerdote, e ficou morando em sua casa.

9 Mica lhe perguntou: “De onde você vem? ” “Sou levita, de Belém de Judá”, respondeu ele. “Estou procurando um lugar para morar. ”

13 E Mica disse: “Agora sei que o Senhor me tratará com bondade, pois esse levita se tornou meu sacerdote”.

10 “Fique comigo”, disse-lhe Mica. “Seja meu pai e sacerdote, e eu lhe

48


Análise do conteúdo

Percepção

1. O que o levita vindo de Belém estava procurando? (vs.8-9)

4. O que você aprende vendo Mica entender a bênção de Deus sob o seu próprio ponto de vista?

2. O que Mica propôs ao jovem levita? (v.10) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que Mica tinha certeza de que o Senhor o abençoaria?

5. Qual é a prova de que a sua fé não está focada na bênção material ou que é egocêntrica? O que pode ser feito para recuperar a essência que agrada a Deus? Anotação

49


“No total, as cidades dos levitas nos territórios dos outros israelitas foram quarenta e oito cidades com os seus arredores. ” (Js 21:41) "Dou aos levitas todos os dízimos em Israel como retribuição pelo trabalho que fazem ao servirem na Tenda do Encontro. ” (Nm 18:21)

Na época de Mica, os levitas viviam nas 48 cidades (vide Js 21:41), sem ter um terreno pois o trabalho deles era adorar a Deus, sustentados pelo dízimo feito pelas outras tribos de Israel (vide Nm 18:21). Nesse contexto, um jovem levita ter chegado até os montes de Efraim, vindo de Belém de Judá, significava que os levitas estavam perambulando porque não conseguiam se sustentar por falta de dízimo (v.7). Assim, um levita que deveria adorar a Deus se tornou um empregado de Mica. Levita decidiu fazê-lo seu sacerdote privado e esse jovem se contentou com o salário, decidindo ficar (vs.10-11). Para piorar a situação, Mica acreditava que seria abençoado por ter um levita como seu sacerdote. Um levita que deveria adorar apenas a Deus, havia se tornado um sacerdote privado de Mica, mas mesmo assim, ele ansiava pela bênção de Deus. Isso mostra que a ignorância espiritual de Israel havia passado dos limites imagináveis. Nós devemos desejar que a vontade de Deus seja cumprida e não ansiar pelas bênçãos materiais. O que precisa ser feito para você adorar a Deus dentro da verdade? ORAÇÃO

Que eu não busque uma fé instável e que restaure a fé verdadeira. Anotação

50


14 sex

Encontrar a vontade de Deus na palavra Juízes 18:1-6

1 Naquela época não havia rei em Israel, e a tribo de Dã estava procurando um local onde estabelecer-se, pois ainda não tinha recebido herança entre as tribos de Israel.

de Mica, reconheceram a voz do jovem levita; aproximaram-se e lhe perguntaram: “Quem o trouxe para cá? O que você está fazendo neste lugar? Por que você está aqui? ”

2 Então enviaram cinco guerreiros de Zorá e de Estaol para

4 O jovem lhes contou o que Mica fizera por ele, e disse: “Ele me

espionarem a terra e explorá-la. Esses homens representavam todos os clãs da tribo. Disseramlhes: “Vão, explorem a terra”. Os homens chegaram aos montes de Efraim e foram à casa de Mica,

contratou, e eu sou seu sacerdote”. 5 Então eles lhe pediram: “Pergunte a Deus se a nossa viagem será bemsucedida”. 6 O sacerdote lhes respondeu: “Vão em paz. Sua viagem tem a aprovação do Senhor”.

onde passaram a noite. 3 Quando estavam perto da casa

51


Análise do conteúdo

Percepção

1. Por qual motivo a tribo de Dã enviou os espiões para a terra? (vs.1-2)

4. O que você aprende vendo a desobediência da tribo de Dã e a falsa profecia do jovem levita?

2. O que eles pediram ao jovem levita e qual foi a resposta dele? (vs.5-6) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que o jovem levita disse aos espiões que a viagem deles tinha a aprovação do Senhor?

5. De que forma você costuma buscar a vontade de Deus? O que pode ser feito para praticar uma vida espiritual correta que obedece à palavra de Deus? Anotação

52


A tribo de Dã não conseguiu expulsar o povo de Canaã das terras designadas por Moisés e Josué, e enviou cinco espiões em busca de outra terra para se mudar. Quando eles chegaram à casa de Mica e se hospedaram, perguntaram ao jovem levita se Deus faria a viagem deles bem-sucedida. O jovem levita responde a eles para irem em paz, pois a viagem deles tinha a aprovação do Senhor, porém essa profecia era falsa (v.6). Deus designou uma determinada área de Canaã para cada tribo de Israel e mandou ocupá-las. Em vez de seguir a ordem de Deus e conquistá-las, eles estavam procurando outra terra mais fácil de ocupar, desobedecendo à ordem do Senhor. Na verdade, essa conversa entre os espiões e o jovem levita é algo mais provável de acontecer entre os astrólogos pagãos. Apenas pelo fato de ser um levita, uma pessoa que não sabia absolutamente nada sobre a palavra e a vontade de Deus, falava sobre o Senhor. No entanto ele apenas dizia frases de conforto, assim como os pagãos faziam. Essa não é a maneira de conhecer a vontade de Deus.

ORAÇÃO

Faça com que eu busque a vontade de Deus na palavra e que eu não me afaste da palavra da verdade. Anotação

53


15 sáb

Será que era a vontade de Deus? Juízes 18:07-13

7 Os cinco homens partiram e chegaram a Laís, onde viram que o povo vivia em segurança, como os sidônios, despreocupado e tranqüilo, e gozava prosperidade, pois a sua terra não lhe deixava faltar nada. Viram também que o povo vivia longe dos sidônios e não tinha relações com nenhum outro povo.

10 Chegando lá, vocês encontrarão um povo despreocupado e uma terra espaçosa que Deus pôs nas mãos de vocês, terra onde não falta coisa alguma! 11 Então seiscentos homens da tribo de Dã partiram de Zorá e de Estaol, armados para a guerra. 12 Na viagem armaram acampamento perto de QuiriateJearim, em Judá. É por isso que até hoje o local, a oeste de Quiriate-

8 Quando voltaram a Zorá e a Estaol, seus irmãos lhes perguntaram: “O que descobriram?” 9 Eles responderam: Vamos atacálos! Vimos que a terra é muito boa. Vocês vão ficar aí sem fazer nada? Não hesitem em ir apossar-se dela.

Jearim, é chamado Maané-Dã. 13 Dali foram para os montes de Efraim e chegaram à casa de Mica.

54


Análise do conteúdo

Percepção

1. O que os cinco espiões descobriram em Laís? (v.7) 2. Como foi o relatório deles depois de espiar Laís? (vs.9-10)

4. O que você aprende vendo que a tribo de Dã deixa o caminho mais difícil para escolher o caminho mais fácil, acreditando que isso é a vontade de Deus?

Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Se a decisão de atacar Laís foi da tribo de Dã, por que eles disseram que essa decisão era uma ordem de Deus?

5. Quando você é tentado a disfarçar a sua ganância com a vontade de Deus? O que você pode fazer para corrigila? Anotação

55


Cinco espiões estavam procurando uma terra para estabelecer e chegaram a Laís, que fica no extremo norte de Israel, situada no vale, possuía água abundante e a terra era fértil. Como as características topográficas da cidade davam condições para a fácil defesa, os habitantes viviam pacificamente e não estavam acostumados com a guerra. Os espiões, querendo estabelecer Laís como novo lar, reivindicam para atacar. (vs.9-10). No processo, eles tentam convencer o povo, laçando mão do nome do Senhor: “Deus entregou-os nas suas mãos”, frase frequentemente utilizada por Josué ou pelos juízes para derrotar as nações de acordo com a palavra de Deus. A dificuldade de conquistar a terra que recebera originalmente na distribuição fez com que a tribo de Dã abandonasse o local e fosse à procura de outro lugar que facilmente poderia conquistar. Ainda declarou que isso era "vontade de Deus", usando o nome de Deus em vão. Precisamos nos afastar da atitude de que o que é bom e confortável para mim é a vontade de Deus, e o que é difícil e perigoso para mim é contra a vontade de Deus. Pelo contrário, sejamos cristãos que avança com confiança nas adversidades, para cumprir a vontade de Deus. ORAÇÃO

Que possa praticar a vontade de Deus em qualquer situação sem medo. Anotação

56


16

Lar que cumpre a sua missão

dom

Culto no Lar – Juízes 16: 23-30

Família à mesa. Reúna a sua família à mesa e compartilhe a comida e as percepções e aplicações do sermão do dia. Leitura bíblica 23 Os líderes dos filisteus se reuniram para oferecer um grande

templo; todos os líderes dos filisteus estavam presentes e, no alto, na

sacrifício a seu deus Dagom e para festejar. Comemorando sua vitória, diziam: “O nosso deus entregou o nosso inimigo Sansão em nossas mãos”.

galeria, havia cerca de três mil homens e mulheres vendo Sansão, que os divertia. 28 E Sansão orou ao ­Senhor: “Ó Soberano Senhor, lembra-te de

24 Quando o povo o viu, louvou o seu deus: “O nosso deus nos entregou o nosso inimigo, o devastador da nossa terra, aquele que multiplicava os nossos mortos”.

mim! Ó Deus, eu te suplico, dá-me forças, mais uma vez, e faze com que eu me vingue dos filisteus por causa dos meus dois olhos!”

29 Então Sansão forçou as duas colunas centrais sobre as quais o templo se firmava. Apoiando-se nelas, tendo a mão direita numa coluna e a esquerda na outra,

25 Com o coração cheio de alegria, gritaram: “Tragam-nos Sansão para nos divertir!” E mandaram trazer Sansão da prisão, e ele os divertia. Quando o

30 disse: “Que eu morra com os filisteus! ” Em seguida ele as empurrou com toda a força, e o templo desabou sobre os líderes e sobre todo o povo que ali estava. Assim, na sua morte, Sansão matou

puseram entre as colunas, 26 Sansão disse ao jovem que o guiava pela mão: “Ponha-me onde eu possa apalpar as colunas que sustentam o templo, para que eu me apóie nelas”.

mais homens do que em toda a sua vida.

27 Homens e mulheres lotavam o

57


CULTO NO LAR

Desvendando a palavra Sansão perdeu todo o poder que recebera de Deus e virou uma zombaria dos filisteus. Os filisteus, acreditando que seu deus Dagom dera-lhes a vitória, se alegraram e cantaram o canto da vitória. Do ponto de vista dos filisteus, a prisão de Sansão não era apenas uma captura, mas era como se tivesse vencido a guerra, pois Sansão havia destruído a terra dos filisteus (vs.15:1-8) e matado muitos deles (vs.15:15, 16:24). Assim eles zombaram de Sansão, obrigando-o a diverti-los. Sansão que capturou sozinho, trezentas raposas e matou sozinho, mil filisteus, por causa da desobediência à Palavra de Deus, agora se encontrava diante dos três mil filisteus, divertindo-os e aguentando todo tipo de humilhação. Sansão não se desesperou nesta situação miserável e invocou o nome do Senhor. Com toda a sua força clamou a Deus, então Deus não deixou de ouvir a sua oração, mesmo que ele tivesse violado a lei de nazireu e agido segundo a sua própria vontade. Quando seu cabelo foi cortado, ele pagou o preço dos seus pecados, novamente recuperou a condição

de um nazireu santificado. Dessa forma, ele foi capaz de enfrentar o seu fim como um nazireu santificado e um juiz de Israel.Todos os filisteus que comemoravam a vitória de Dagom, zombando do Deus de Sansão, morreram inesperadamente. Embora Sansão tenha vivido de acordo com a sua própria vontade, quando precisou pagar o preço do seu pecado, ele morreu cumprindo a sua missão que recebera desde o seu nascimento. Através da sua vida, Sansão mostrou o quão estúpido é não obedecer à palavra de Deus. Ele também fez conhecer a Deus, que não descarta os eleitos e ouve o clamor daqueles que se arrependem e choram, e que trabalha para realizar a Sua obra. Verifiquemos se a nossa família está vivendo uma vida de obediência à palavra de Deus. Se acharmos alguma falha, tenhamos um tempo para nos arrependermos. Relembremos de que a nossa família foi chamada para ser um lar que serve ao Senhor. Oremos juntos para encorajar a viver de acordo com a Palavra e que possamos cumprir missão do nosso lar.

58


CULTO NO LAR

Compartilhando a graça 1. Por que Deus permitiu novamente o poder para Sansão? O que você aprende com isso?

2. O que você aprende enquanto observa o último momento de Sansão? Então, vamos compartilhar o que você pode decidir e praticar diante de Deus e como podemos incentivar os outros.

Compartilhando agradecimentos 1. Relembrando a vida que teve durante a semana, vamos falar sobre o que teve para agradecer, para confessar e pedir perdão diante de Deus e da família.

2. Vamos fazer oferta como a expressão de gratidão, de arrependimento e de amor pelos próximos.

Orando juntos Que sejamos homens de fé. Reconheçamos a missão que nós recebemos, sem buscar desejos em vão e que todos os dias, possamos estar tentando nos esforçar para cumprir nossa missão.

59


17 seg

Mantenha sua dignidade espiritual Juízes 18:14-20

14 Os cinco homens que haviam espionado a terra de Laís disseram a seus irmãos: “Vocês sabiam que

sacerdote e os seiscentos homens armados permaneciam à porta. 18 Quando os homens entraram na casa de Mica e apanharam a imagem, o manto sacerdotal, os ídolos da família e o ídolo de metal, o sacerdote lhes perguntou: “Que é que vocês estão fazendo?”

numa dessas casas há um manto sacerdotal, ídolos da família, uma imagem esculpida e um ídolo de metal? Agora vocês sabem o que devem fazer”. 15 Então eles se aproximaram e foram à casa do jovem levita, à casa de Mica, e o saudaram.

19 Eles lhe responderam: “Silêncio! Não diga nada. Venha conosco, e seja nosso pai e sacerdote. Não será melhor para você servir como sacerdote uma tribo e um clã de Israel do que apenas a família de um só homem?”

16 Os seiscentos homens de Dã, armados para a guerra, ficaram junto à porta. 17 Os cinco homens que haviam espionado a terra entraram e apanharam a imagem, o manto

20 Então o sacerdote se alegrou, apanhou o manto sacerdotal, os ídolos da família e a imagem esculpida e se juntou à tropa.

sacerdotal, os ídolos da família e o ídolo de metal, enquanto o

60


Análise do conteúdo

Percepção

Estudo e Reflexão

Decisão e Aplicação

61


Orientações

A identidade cristã que balança com a tradição do mundo

Juízes 18:14-20 Análise do conteúdo Seiscentos homens de Dã, que partiram para conquistar a terra de Laís, foram conduzidos pelos cinco espiões. Eles foram à casa de Mica e roubaram imagem, os ídolos e o sacerdote. O sacerdote levita, no primeiro momento, ficou surpreso, vendo que os visitantes voltaram e se transformaram em bandidos, mas ao receber uma proposta de melhor condição, se alegrou e se juntou a eles, deixando os antigos donos que, quando ele estava procurando um lugar, o acolhera e ainda o colocara como sacerdote da família. Estudo e Reflexão 1. Por que a tribo de Dã roubou as imagens de Mica? - Devido à crença errônea e conhecimento incorreto de que, através dos ídolos que estavam na casa de Mica, eles iriam prosperar e buscar a vontade de Deus. A tribo de Dã estava servindo Deus com a superstição e profanando o Seu nome. 2. Por que o sacerdote que estava na casa de Mica aceitou o convite e se juntou com as pessoas da tribo de Dã? - O jovem levita que estava na casa de Mica, ao receber proposta de melhor condição da tribo de Dã, se alegrou e ainda ajudou a roubar os ídolos. Não existia nele a vocação para ser um sacerdote. Lembra mais um ministro profissional que segue somente para seu próprio benefício. Percepção Com base no valor das pessoas que apareceram no texto, a prioridade delas não era a palavra de Deus e sim a prosperidade para sua vida. 62

Para prosperar, achavam que era necessário ter ídolos. É realmente uma ideia perigosa, acreditar que para alcançar prosperidade pode-se roubar e servir os ídolos. Eles acreditarão em Deus se as coisas estiverem bem, mas quando vem o sofrimento, vão deixa-Lo de lado e seguirão atrás de uma superstição mística. Vou examinar se não existe tal loucura em minha vida de fé e quero ter a fé que somente dependente de Deus. Será que, como na época de juízes, a minha vida não está tendo caos e reviravolta? Afinal, confesso que também tenho fé que busca prosperidade neste mundo. Vou me esforçar em oração para que a vontade de Deus seja feita acima da minha prosperidade, pois Deus me mostrou que afinal somente neste caminho que conseguiremos ter a recompensa no Reino de Deus. Para isso sem desviar, eu vou caminhar com a plenitude da fé, somente através da Palavra de Deus e do ensinamento da Igreja oficial. Comprometo-me a ler a Bíblia e focar sobre o ensino e formação da minha igreja do que sair por aí por curiosidade procurar pregações de muitas outras igrejas e de vários sites religiosos. Decisão e aplicação 1. De acordo com a tabela de leitura do ano na Igreja, vou completar a leitura da Bíblia sem interromper e fazer reflexão do Vida Abundante diariamente. Aproveitando as férias do trabalho, vou deixar em dia a minha leitura bíblica. 2. Costumava conversar nas reuniões sobre “pregação de tal pastor da igreja tal era bom”. Desta vez, vou compartilhar a reflexão e a percepção que tive sobre a pregação desta semana.


Análise do conteúdo

Percepção

1. O que espiões e as pessoas da tribo de Dã fizeram quando chegaram à casa de Mica? (vs.1517)

4. O que você aprende quando observa a atitude do sacerdote que cede à tentação de uma posição elevada e uma vida estável?

2. O que eles ofereceram para o sacerdote? E como ele reage? (vs.19-20) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que o sacerdote se alegrou e se juntou a eles?

5. O que faz desmoronar a dignidade da sua vida como cristão? O que você tem escolhido e praticado para defender a dignidade cristã? Anotação

63


Os espiões e os homens de Dã armados para guerra foram à casa de Mica novamente. Os espiões acreditavam que profecia do jovem levita havia se cumprido. Eles achavam que iam ser capazes de receber a ajuda de Deus quando fossem atacar Laís, se levassem o sacerdote, manto sacerdotal e os ídolos da família que estavam na casa aparentemente milagrosa. Aparência de quem tem essa falsa fé seria bem distante do povo de Deus. Além disso, o sacerdote levita é impelido em sua mente sobre a oferta de tornar-se sacerdote da tribo de Dã, vendendo ainda uma consciência básica e a dignidade dos levitas. Nesse mundo cheio de falsa fé e da falsa profecia, as coisas acontecem frequentemente usando o nome de Deus, roubando e fazendo feitiçaria. Por trás de tudo isso, tem a ganância material. Quanto a nós, se formos abalados, a nossa dignidade cristã também será vencida por essa falsidade. O mundo, sempre está tentando sacudir a nossa identidade como cristão. Vamos vencer a todas as tentações doces com uma identidade clara e nos tornar um discípulo de Cristo.

ORAÇÃO

Que possa vencer várias tentações mundanas, mantendo a dignidade de ser discípulo do Reino de Deus. Anotação

64


18 ter

Levantaram o ídolo para si. Juízes 18:21-31

21 Pondo os seus filhos, os seus animais e os seus bens na frente deles, partiram de volta.

para ele, Mica virou-se e voltou para casa. 27 Os homens de Dã levaram o que Mica fizera e o seu sacerdote, e foram para Laís, lugar de um povo pacífico e despreocupado. Eles mataram todos ao fio da espada e

22 Quando já estavam a certa distância da casa, os homens que moravam perto de Mica foram convocados e alcançaram os homens de Dã.

queimaram a cidade. 28 Não houve quem os livrasse, pois viviam longe de Sidom e não tinham relações com nenhum outro povo. A cidade ficava num vale que se

23 Como vinham gritando atrás deles, estes se voltaram e perguntaram a Mica: “Qual é o seu problema? Por que convocou os seus homens para lutar?”

estende até Bete-Reobe. Os homens de Dã reconstruíram a cidade e se estabeleceram nela.

24 Ele respondeu: “Vocês estão levando embora os deuses que fiz e o meu sacerdote. O que me sobrou? Como é que ainda podem perguntar: “Qual é o seu problema?””

29 Deram à cidade anteriormente chamada Laís o nome de Dã, em homenagem a seu antepassado Dã, filho de Israel.

25 Os homens de Dã responderam: “Não discuta conosco, senão alguns homens de temperamento violento o atacarão, e você e a sua família perderão a vida”.

30 Eles levantaram para si o ídolo, e Jônatas, filho de Gérson, neto de

26 E assim os homens de Dã seguiram seu caminho. Vendo que

31 Ficaram com o ídolo feito por Mica durante todo o tempo em que o

eles eram fortes demais

santuário de Deus esteve em Siló.

Moisés, e os seus filhos foram sacerdotes da tribo de Dã até que o povo foi para o exílio.

65


Análise do conteúdo

Percepção

1. Qual foi a resposta dos homens de Dã para a reclamação de Mica? (v.25)

4. O que você aprende vendo o estado espiritual da época, onde o mal e a idolatria eram praticados ilimitadamente?

2. O que os homens de Dã fizeram ao ocuparem a cidade de Laís? (vs.29-30) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que o autor do livro de Juízes descreveu o ídolo levantado pelos homens de Dã como “levantado para si”? (vide Dt 5:8)

5. Quando a sua vontade é diferente da vontade Deus, o que costuma fazer? O que você faz para mudar, quando o centro da sua vida não é Deus? Anotação

66


Dt 5:8 ‘Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra ou nas águas debaixo da terra.’

Mica perseguiu os homens que levaram embora seus deuses e seu sacerdote, mas os homens de Dã pouco se abalaram com isso. Pelo contrário, ironicamente perguntaram o motivo da perseguição e fizeram ameaças a Mica que soavam como bandidos. Os ídolos de Mica haviam sido feitos da prata roubada de sua mãe e o sacerdote nomeado por si mesmo era um levita perambulando; não recebendo bênção alguma de Deus, os ídolos e o sacerdote foram tirados pelos homens de Dã. A conquista de Israel sobre a terra de Canaã foi o julgamento de Deus contra o povo que estava em pecado, porém a conquista de Dã sobre a cidade de Laís era simplesmente uma invasão violenta contra um povo fraco. Ainda levantaram ídolos, que haviam sidos roubados de Mica, beirando ao ridículo. O santuário de Dã é comparado ao santuário de Deus em Siló, e futuramente se torna o principal motivo para destruir a unidade de Israel. O ídolo levantado em Dã era aquele que os mandamentos de Deus proibiam dizendo ‘não farás para ti nenhum ídolo’. O caos espiritual é inevitável quando Deus é usado para satisfazer as próprias vontades. ORAÇÃO

Pai, quero viver uma vida que glorifica a Ti, e não a mim mesmo. Anotação

67


19 qua

Naquela época não havia rei. Juízes 19:1-9 genro: “Coma alguma coisa, e depois vocês poderão partir”.

1 Naquela época não havia rei em Israel. Aconteceu que um levita que vivia nos montes de Efraim, numa região afastada, tomou para si uma concubina, que era de Belém de Judá.

6 Os dois se assentaram para comer e beber juntos. Mas o pai da moça disse: “Eu lhe peço que fique esta noite, e que se alegre”.

2 Mas ela lhe foi infiel. Deixou-o e voltou para a casa do seu pai, em Belém de Judá. Quatro meses depois,

7 E, quando o homem se levantou para partir, seu sogro o convenceu a ficar ainda aquela noite. 8 Na manhã do quinto dia, quando ele se preparou para partir, o pai da moça disse: “Vamos comer! Espere até a tarde!” E os dois comeram juntos.

3 seu marido foi convencê-la a voltar. Ele tinha levado o seu servo e dois jumentos. A mulher o levou para dentro da casa do seu pai, e quando seu pai o viu, alegrou-se.

9 Então, quando o homem, sua concubina e seu servo levantaram-se para partir, o pai da moça, disse outra vez: “Veja, o dia está quase acabando, é quase noite; passe a noite aqui. Fique e alegre-se. Amanhã de madrugada vocês poderão levantar-se e ir para casa”.

4 O sogro dele o convenceu a ficar ali; e ele permaneceu com eles três dias; todos comendo, bebendo e dormindo ali. 5 No quarto dia, eles se levantaram cedo, e o levita se preparou para partir, mas o pai da moça disse ao

68


Análise do conteúdo

Percepção

1. Quando ocorreram esses acontecimentos? (v.1)

4. O que você aprende ao ver o levita se relacionar com as pessoas somente pela influência social, mesmo tendo perdido sua autoridade espiritual?

2. Como era a relação entre a concubina e o levita que vivia em Efraim? (vs.2-3) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que o autor do livro de Juízes relata que ‘naquela época não havia rei em Israel’?

5. Dentre as suas amizades, quais são as que você não consegue partilhar da sua vida espiritual? O que você pode fazer para construir uma amizade compartilhando coisas espirituais? Anotação

69


Assim como o levita que morava na casa de Mica, o levita que vivia nos montes de Efraim perdera totalmente a sua verdadeira identidade. Ele tinha uma concubina, era tão rico que quando foi buscar sua mulher infiel, levou consigo ‘um servo e duas jumentas’(v.3), mas não tinha autoridade espiritual para julgar o pecado de traição conforme a Lei. Muito menos o pai da mulher, que morava em Belém, mostrou sinais de vergonha pela atitude pecadora de sua filha; pelo contrário, ele se alegrou com a vinda do genro para buscar sua filha e se preocupou somente em agradá-lo. O único interesse deles era a relação social que tinham entre eles, não tinham o mínimo interesse nas Leis de Deus. O autor do livro de Juízes define a ausência da autoridade espiritual como “naquela época não havia rei”, expressando o estado de “anomia espiritual”. Se entre as suas amizades, há alguém que está indo além das leis de Deus, em amor e oração você precisa ajudar ele a se aproximar de Deus novamente. ORAÇÃO

Quero construir meus relacionamentos em Ti, e viver um amor efetivo. Anotação

70


20 qui

A fé que acolhe os estrangeiros. Juízes 19:10-21 procedente dos montes de Efraim e que estava morando em Gibeá (os homens do lugar eram benjamitas), voltava de seu trabalho no campo.

10 Não desejando ficar outra noite, o homem partiu rumo a Jebus, isto é, Jerusalém, com dois jumentos selados e com a sua concubina.

17 Quando viu o viajante na praça da cidade, o homem idoso perguntou: “Para onde você está indo? De onde vem?”

11 Quando estavam perto de Jebus e já se findava o dia, o servo disse a seu senhor: “Venha. Vamos parar nesta cidade dos jebuseus e passar a noite aqui”.

18 Ele respondeu: Estamos de viagem, indo de Belém de Judá para uma região afastada, nos montes de Efraim, onde moro. Fui a Belém de Judá, e agora estou indo ao santuário do Senhor. Mas aqui ninguém me recebeu em casa.

12 O seu senhor respondeu: “Não. Não vamos entrar numa cidade estrangeira, cujo povo não é israelita. Iremos para Gibeá”. 13 E acrescentou: “Ande! Vamos tentar chegar a Gibeá ou a Ramá e passar a noite num desses lugares”.

14 Então prosseguiram, e o sol se pôs quando se aproximavam de Gibeá de Benjamim.

19 Temos palha e forragem para os nossos jumentos, e para nós mesmos, que somos seus servos, temos pão e vinho, para mim, para a sua serva e para o jovem que está conosco. Não temos falta de nada. 20 “Você é bem-vindo em minha casa”, disse o homem idoso. “Vou atendê-lo no que você precisar. Não passe a noite na praça.”

15 Ali entraram para passar a noite. Foram sentar-se na praça da cidade. E ninguém os convidou para passarem a noite em sua casa.

21 E os levou para a sua casa e alimentou os jumentos. Depois de lavarem os pés, comeram e beberam alguma coisa.

16 Naquela noite um homem idoso

71


Análise do conteúdo

Percepção

1. Como foi a reação das pessoas de Gibeá, quando o levita quis passar a noite ali? (v.15)

4. O que você aprende ao ver a hospitalidade do homem idoso, mesmo correndo risco de ser prejudicado?

2. Como o homem idoso, procedente dos montes de Efraim, tratou o levita e os que acompanhavam? (vs.20-21) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. O que motivou o homem idoso a ser tão hospitaleiro com o levita e seus acompanhantes? (vide Dt. 10:19)

5. Quem é o estrangeiro, a quem você deve oferecer hospitalidade? O que você pode fazer para cuidar com amor esse estrangeiro? Anotação

72


Dt 10:19 “Amem os estrangeiros, pois vocês mesmo foram estrangeiros no Egito”

Como o levita ficou cinco dias na casa de seu sogro, para poder voltar até o sábado do Senhor era preciso partir, portanto sair mais tarde fora um erro (vs.8-10). Quando começou a escurecer, o levita e sua companhia preferiram ir para Gibeá, descendentes de benjamim, a ficar em Jebus, terra estrangeira, pois acreditaram que seriam mais bem recepcionados. Tais expectativas foram ignoradas, já que ninguém naquela cidade os convidou para passar a noite (v.15). O mandamento de Deus, ‘amem os estrangeiros’ (Dt10:19), estava sendo completamente desprezado. Então um homem idoso, procedente dos montes de Efraim, os convida para passar a noite em casa. Provavelmente não estranharam o homem idoso, pois o levita e sua companhia estavam indo em direção aos montes de Efraim (v.18). Diferente dos moradores de Gibeá, o homem idoso estava praticando as Leis do Senhor, entendendo o coração do estrangeiro. Nós, assim como esse homem idoso, precisamos firmar nossas vidas na fé, tratar com hospitalidade e carinho a todos os estrangeiros que Deus coloca em nosso meio; pois essa é a vontade de Deus.

ORAÇÃO

Pai, lembra-me do amor que tenho recebido de Ti, enche o meu coração de amor e compaixão pelo próximo que se encontra em necessidade. Anotação

73


21 sex

Reação do crente diante da ira Juízes 19:22-30 26 Ao romper do dia a mulher voltou para a casa onde o seu senhor estava hospedado, caiu junto à porta e ali ficou até o dia clarear.

22 Quando estavam entretidos, alguns vadios da cidade cercaram a casa. Esmurrando a porta, gritaram para o homem idoso, dono da casa: “Traga para fora o homem que entrou em sua casa para que tenhamos relações com ele!”

27 Quando o seu senhor se levantou de manhã, abriu a porta da casa e saiu para prosseguir viagem, lá estava a sua concubina, caída à entrada da casa, com as mãos na soleira da porta.

23 O dono da casa saiu e lhes disse: Não sejam tão perversos, meus amigos. Já que esse homem é meu hóspede, não cometam essa loucura.

28 Ele lhe disse: “Levante-se, vamos!” Não houve resposta. Então o homem a pôs em seu jumento e foi para casa.

24 Vejam, aqui está minha filha virgem e a concubina do meu hóspede. Eu as trarei para vocês, e vocês poderão usá-las e fazer com elas o que quiserem. Mas, nada

29 Quando chegou, apanhou uma faca e cortou o corpo da sua concubina em doze partes, e as enviou a todas as regiões de Israel.

façam com esse homem, não cometam tal loucura!

30 Todos os que viram isso disseram: “Nunca se viu nem se fez uma coisa dessas desde o dia em que os israelitas saíram do Egito. Pensem! Reflitam! Digam o que se deve fazer!”

25 Mas os homens não quiseram ouvi-lo. Então o levita mandou a sua concubina para fora, e eles a violentaram e abusaram dela a noite toda. Ao alvorecer a deixaram.

74


Análise do conteúdo

Percepção

1. Quando os vadios de Gibeá tentam violentar o levita, como o idoso os detém? (vs.23-24)

4. O que você aprende ao ver a maneira como o levita demonstra sua ira?

2. Ao morrer a concubina que fora violentada, o que o levita faz? (vs.28-29) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que o levita cortou o corpo da sua concubina em doze partes e as enviou a todas as regiões de Israel? (vide 20:6)

5. Geralmente, como você reage quando sofre alguma injustiça? O que você deve fazer para reagir de forma digna de um filho de Deus ao sentir-se irado? Anotação

75


Gn 19:5 Chamaram Ló e disseram: “Onde estão os homens que vieram à sua casa esta noite? Traga-os para nós aqui fora para que tenhamos relações com eles”.

A preocupação do idoso se torna realidade através do ato repugnante dos vadios de Gibeá que queriam violentar o levita. A delinquência de Gibeá, onde a homossexualidade e o estupro eram frequentes, e que causou tal perversidade contra um viajante, faz-nos lembrar da transgressão de Sodoma e Gomorra que foram condenadas com fogo (v.22, vide Gn 19:5). O problema, no entanto, é o fato de que o levita que sofreu esse incidente, foi imoral e covarde ao mandar sua concubina para que fosse violentada em seu lugar. Ao final, esse caso se tornou o ponto de partida para a tragédia que causa uma guerra fratricida entre o povo de Israel. De acordo com a Lei, todo aquele que encostar em um cadáver se torna impuro. Ao mandar as partes do cadáver para as doze tribos de Israel, o levita fez a terra de todas as tribos se tornar impura. Devido ao ato extremo do levita que estava irado, a ira se espalhou por todas as tribos de Israel, que cai num ciclo de guerra interna. Isso acontece quando se paga o mal pelo mal. Em um momento de sofrimento, deve-se decidir se irá semear a paz ou se irá semear a discórdia.

ORAÇÃO

Faça com que eu não reaja com ira diante de uma injustiça, mas que eu creia na obra de Deus. Anotação

76


22 sáb

Da desonestidade para a honestidade Juízes 20:1-11

1 Então todos os israelitas, de Dã a Berseba, e de Gileade, saíram como um só homem e se reuniram

cada região da herança de Israel, pois eles cometeram essa perversidade e esse ato vergonhoso

em assembléia perante o Senhor, em Mispá.

em Israel. 7 Agora, todos vocês israelitas, manifestem-se e dêem o seu veredicto.

2 Os líderes de todo o povo das tribos de Israel tomaram seus lugares na assembléia do povo de Deus, quatrocentos mil soldados armados de espada.

8 Todo o povo se levantou como se fosse um só homem, dizendo: Nenhum de nós irá para casa. Nenhum de nós voltará para o seu lar.

3 (Os benjamitas souberam que os israelitas haviam subido a Mispá.) Os israelitas perguntaram: “Como aconteceu essa perversidade? ”

9 Mas é isto que faremos agora contra Gibeá: separaremos, por sorteio, de todas as tribos de Israel,

4 Então o levita, marido da mulher assassinada, disse: Eu e a minha

10 de cada cem homens dez, de cada mil homens cem, de cada dez mil homens mil, para conseguirem provisões para o exército poder chegar a Gibeá de Benjamim e dar a eles o que merecem por esse ato vergonhoso cometido em Israel.

concubina chegamos a Gibeá de Benjamim para passar a noite. 5 Durante a noite os homens de Gibeá vieram para atacar-me e cercaram a casa, com a intenção de matar-me. Então violentaram minha concubina, e ela morreu.

11 E todos os israelitas se ajuntaram e se uniram como um só homem contra a cidade.

6 Peguei minha concubina, cortei-a em pedaços e enviei um pedaço a

77


Análise do conteúdo

Percepção

1. Como o levita explica os detalhes do caso às pessoas que estavam reunidas em Mispá? (vs.4-6)

4. O que você aprende ao ver que o exagero e falso relato do levita fez toda Israel ficar irada?

2. Ao ouvir isso, de que forma os descendentes de Israel reagem? (vs.8-11) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que o relatório do levita é muito diferente do fato real?

5. Quão honesto você é ao conversar com as pessoas? Se houver, o que você deve praticar para abandonar a desonestidade? Anotação

78


Ao ver as partes do corpo enviadas pelo levita, todos os Israelitas, de Dã a Verseba, e de Gileade, se reuniram em Mispá (v.1). Ele relata que havia ido a Gibeá para passar uma noite com sua concubina, mas as pessoas da cidade cercaram a casa em que estava hospedado, e violentaram e mataram sua concubina (vs.4-5). No entanto, o levita não menciona o fato de que ele mesmo a mandou para fora, e que estava dentro da casa enquanto sua concubina era violentada, deixando de fora tudo o que o prejudicaria. Ele principalmente fala que os homens de Gibeá tentaram matá-lo, mas esses ‘homens de Gibeá’(v.5) não indicam os vadios, e sim os líderes de Gibeá. Dessa forma, o levita relatou uma mentira aos israelitas. Não se sabe se isso foi proposital ou se foi devido à ira, mas o falso relato do levita faz com que todos os israelitas, como um só homem, tomem a decisão de atacar Gibeá. Quão transparente e honesta é a sua conversa com outras pessoas? Se você também não tem domínio próprio ou tem um pouco de desonestidade, como o levita, o que você deve colocar em prática para abandonar isso?

ORAÇÃO

Faça com que eu abandone a fala e atos desonestos e que viva uma vida honesta diante do Senhor e das pessoas. Anotação

79


23

Família que vive o ensino da Palavra

dom

Culto no Lar – Juízes 18:24-30

Família à mesa. Reúna a sua família à mesa e compartilhe a comida e as percepções e aplicações do sermão do dia. Leitura bíblica 24 Ele respondeu: “Vocês estão levando embora os deuses que fiz

povo pacífico e despreocupado. Eles mataram todos ao fio da

e o meu sacerdote. O que me sobrou? Como é que ainda podem perguntar: “Qual é o seu problema?””

espada e queimaram a cidade. 28 Não houve quem os livrasse, pois viviam longe de Sidom e não tinham relações com nenhum outro povo. A cidade ficava num vale que

25 Os homens de Dã responderam: “Não discuta conosco, senão alguns homens de temperamento violento o atacarão, e você e a sua família perderão a vida”.

se estende até Bete-Reobe. Os homens de Dã reconstruíram a cidade e se estabeleceram nela. 29 Deram à cidade anteriormente chamada Laís o nome de Dã, em

26 E assim os homens de Dã seguiram seu caminho. Vendo que eles eram fortes demais para ele, Mica virou-se e voltou para casa.

homenagem a seu antepassado Dã, filho de Israel.

27 Os homens de Dã levaram o que Mica fizera e o seu sacerdote, e foram para Laís, lugar de um

Moisés, e os seus filhos foram sacerdotes da tribo de Dã até que o povo foi para o exílio.

30 Eles levantaram para si o ídolo, e Jônatas, filho de Gérson, neto de

80


CULTO NO LAR

Desvendando a palavra A tribo de Dã saqueou a casa de Mica, lugar onde anteriormente os cinco espiões enviados pela tribo haviam passado a noite. Eles fizeram aquilo que os foras da lei fazem sem peso na consciência e ignorando as regras (vs.14-17). O sacerdote que servia ao ídolo feito por Mica também aceitou alegremente a proposta feita por esses homens (vs.19-20). Isso mostra uma das faces da era dos Juízes. Além disso, a tribo de Dã foi para Laís, matou um povo inocente e queimou a cidade. A essência dessa batalha foi totalmente diferente das batalhas de conquista de Josué. Nessa época, Deus aniquilou o povo cananeu, porque eles eram cheios de pecado e os julgou através dos israelitas, porém Laís não era uma terra que Deus havia permitido ser conquistada pelos israelitas. Mesmo sendo um povo que cultua a Deus e que leva o Seu nome, não justifica o ato de agir fora da lei de Deus. Não há como não lamentar, ao vê-los agirem de forma degradável, usando o nome de

81

Deus Jeová sem um pingo de sentimento de culpa e adorando outro deus além do Senhor. Eles tinham uma justiça totalmente errada. Os israelitas nem tinham consciência de seus atos errôneos, pois não tinham discernimento do certo e do errado. Consequentemente, não demonstraram nenhuma atitude de arrependimento. Esta é uma conduta descarada de quem está espiritualmente morto, separado de Deus, que vive obedecendo ao comando do próprio coração pecaminoso. Quando a Palavra de Deus não permanece no nosso meio, certamente cairemos. Mesmo que clame pelo nome de Deus através da sua boca, se a palavra verdadeira não estiver no seu meio, está praticando idolatria e agirá igual aos perversos deste mundo. O povo de Deus deve viver dentro dos ensinamentos da Palavra. Nós também poderemos fazer o mesmo erro se não permanecermos na Palavra, portanto vamos nos comprometer a ser uma família que medita a Palavra e a pratica todos os dias.


CULTO NO LAR

Compartilhando a graça 1. Os homens de Dã agiram como se o ilegal fosse legal. O que aprende diante desta atitude?

2. O que sente ao ver a atitude inconsciente dos homens de Dã? Vamos compartilhar sobre como podemos agir e colocar em prática.

Compartilhando agradecimentos 1. Relembrando a vida que teve durante a semana, vamos falar sobre o que teve para agradecer, para confessar e pedir perdão diante de Deus e da família.

2. Vamos fazer oferta como a expressão de gratidão, de arrependimento e de amor pelos próximos.

Orando juntos Faz-me viver de forma honesta com consciência cristã, e que obedeça a Palavra corrigindo os valores errados da vida.

82


24 seg

Resolva segundo a palavra Juízes 20:12-19

12 As tribos de Israel enviaram homens a toda a tribo de Benjamim, dizendo: O que vocês dizem dessa maldade terrível que foi cometida no meio de vocês?

16 Dentre todos esses soldados havia setecentos canhotos, muito hábeis, e cada um deles podia atirar com a funda uma pedra num cabelo sem errar.

13 Agora, entreguem esses canalhas de Gibeá, para que os matemos e eliminemos esse mal de Israel. Mas os benjamitas não quiseram ouvir seus irmãos israelitas.

17 Israel, sem os de Benjamim, convocou quatrocentos mil homens armados de espada, todos eles homens de guerra. 18 Os israelitas subiram a Betel e consultaram a Deus. “Quem de nós irá lutar primeiro contra os

14 Vindos de suas cidades, reuniram-se em Gibeá para lutar contra os israelitas.

benjamitas?”, perguntaram. O Senhor respondeu: “Judá irá primeiro”.

15 Naquele dia os benjamitas mobilizaram vinte e seis mil homens armados de espada que vieram das suas cidades, além dos setecentos melhores soldados que viviam em Gibeá.

19 Na manhã seguinte os israelitas se levantaram e armaram acampamento perto de Gibeá.

83


Análise do conteúdo

Percepção

Estudo e Reflexão

Decisão e Aplicação

84


Orientações

Meu orgulho vs. Palavra de Deus Juízes 20:12-19

Análise do conteúdo As tribos de Israel enviaram homens a toda a tribo de Benjamin para relatar a maldade cometida pelos vadios de Gibeá. Queriam eliminar o mal, matando-os, no entanto os benjamitas não cooperam e escolhem a guerra. O exército benjamita tinha vinte e seis mil soldados, e dentre os que viviam em Gibeá havia setecentos canhotos que podiam atirar com a funda uma pedra sem errar. Em comparação, o exército israelita tinha quarenta mil homens. Estudo e Reflexão 1. Por que as tribos de Israel enviaram homens a toda a tribo de Benjamin para relatar a maldade cometida? - Como na época não havia um rei, também não havia um sistema de segurança, e provavelmente ocorria muita depravação e corrupção. Para eliminar o mal da comunidade espiritual de Israel e manter a espiritualidade, era preciso que os transgressores fossem condenados. Como um julgamento errado da tribo de Benjamin causaria um fratricídio, me parece que isso era um ato para instigar a compreensão e subordinação da tribo de Benjamin. 2. Por que a tribo de Benjamin demonstrou resistência sendo que a força militar de todas as tribos de Israel era muito maior? - Os setecentos soldados que foram selecionados de Gibeá podiam atirar com a funda uma pedra sem errar. Parece-me que a tribo de Benjamin havia superestimado a força desses soldados. 85

Não somente isso, acho que eles tinham um sentimento de desconforto e revolta imediata em relação à condenação de seus familiares, e estavam confiantes demais com a vitória, a ponto de serem imprudentes. Isso faz com que a tribo de Benjamin corra o risco de ser exterminada. Percepção Parece-me que, naquela época, crimes hediondos estavam generalizados em Israel, assim como nos dias de hoje. Fico triste ao ver que, como consequência disso, a tragédia do fratricídio ocorreu. Acredito que tenha sido a condenação de Deus contra Benjamin e todas as outras onze tribos. A tribo de Benjamin mostra descontentamento em relação à acusação e exigência de condenação de familiares e também se ilude quanto à de grandeza de suas habilidades. Nisso também vejo meu egocentrismo ao querer ignorar as críticas aos meus erros. Decidi que devo refletir mais uma vez se eu estou mantendo meus valores e equilíbrio, para que minha comunidade espiritual não perca a integridade. Decisão e aplicação 1. Às vezes, eu ficava impaciente e brava com o crescimento espiritual tardio de meu filho, em vez de ser paciente e esperar. A partir de agora vou fazer com que ele participe do encontro de novos fieis e vou respeitálo com paciência e em oração. 2. Estou procurando o que eu posso fazer para o benefício da igreja como um todo, mas por enquanto vou usar o ônibus da igreja ou transporte público para ir ao culto de domingo.


Análise do conteúdo

Percepção

1. Como a tribo de Benjamim reage diante da proposta das tribos de Israel para resolver o caso? (vs.13b-14)

4. O que você aprende ao ver que os benjamitas não ouviram os israelitas?

2. Qual era a diferença da força militar entre Benjamim e a união das outras tribos de Israel? (v.24) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que a tribo de Benjamim escolheu a guerra mesmo tendo uma proposta de solução dada pelas outras tribos?

5. Com que padrão e valores você resolve um problema? O que você deve praticar para resolver os problemas de forma correta? Anotação

86


Ainda que o levita, em meio à ira, tenha denunciado todos os moradores de Gibeá, os líderes das outras tribos queriam ouvir a explicação da tribo de Benjamim. Eles queriam receber os vadios e matá-los, e assim resolver o problema, no entanto os benjamitas não ouvem seus irmãos israelitas e, pelo contrário, se reúnem em Gibeá para lutar contra eles. No exército de Benjamim havia setecentos soldados muito hábeis, além de vinte e seis mil homens armados de espada. Esse era um número muito baixo comparado aos quatrocentos mil soldados da união das outras tribos de Israel. Ainda assim, a tribo de Benjamim queria lutar contra Israel. Devido ao orgulho e sentimento de exclusão, Benjamim acabou escolhendo fazer uma guerra imprudente. A proposta das tribos irmãs de condenar os criminosos à morte e eliminar a maldade estava baseada na Lei, mas a tribo de Benjamim não dá ouvidos. Com que padrão e valores você resolve um problema? O que você deve decidir e praticar para resolver os problemas de acordo com a palavra de Deus?

ORAÇÃO

Ao ver e resolver todos os problemas, faça que eu não use os meus padrões, mas siga apenas a palavra de Deus. Anotação

87


25 ter

Verdadeiro arrependimento é mais que lágrimas Juízes 20:20-28

20 Os homens de Israel saíram para lutar contra os benjamitas e tomaram posição de combate contra eles em Gibeá.

benjamitas saíram de Gibeá para enfrentá-los, derrubaram outros dezoito mil israelitas, todos eles armados de espada.

21 Os benjamitas saíram de Gibeá e naquele dia mataram vinte e dois mil israelitas no campo de batalha.

26 Então todos os israelitas subiram a Betel, e ali se assentaram, chorando perante o Senhor. Naquele

22 Mas os homens de Israel procuraram animar-se uns aos outros, e novamente ocuparam as mesmas posições do primeiro dia.

dia jejuaram até a tarde e apresentaram holocaustos e ofertas de comunhão ao Senhor. 27 E os israelitas consultaram ao

23 Os israelitas subiram, choraram perante o Senhor até a tarde, e consultaram o Senhor: “Devemos atacar de novo os nossos irmãos benjamitas?” O Senhor respondeu: “Vocês devem atacar”.

Senhor. (Naqueles dias a arca da aliança estava ali, 28 e Finéias, filho de Eleazar, filho de Arão, ministrava perante ela.) Perguntaram: “Sairemos de novo ou

24 Então os israelitas avançaram contra os benjamitas no segundo dia.

não, para lutar contra os nossos irmãos benjamitas?” O Senhor respondeu: “Vão, pois amanhã eu os entregarei nas suas mãos”.

25 Dessa vez, quando os

88


Análise do conteúdo

Percepção

1. Qual foi a reação dos Israelitas toda vez que perdiam a batalha contra a tribo de Benjamim?

4. O que aprende ao ver Deus prometendo vitória, quando houve um verdadeiro arrependimento?

2. O que Deus falou antes da terceira batalha? (v.28) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que os israelitas jejuaram e apresentaram holocaustos e ofertas de comunhão ao Senhor?

5. Há alguma coisa que você deve se arrepender diante do fracasso mais recente? O que você pode fazer hoje para ter um arrependimento íntegro? Anotação

89


Finalmente iniciou a luta entre 400 mil soldados unificados de Israel e 27 mil homens da tribo de Benjamim. Apesar da superioridade numérica avassaladora de vinte contra um, a força da coalizão de Israel foi derrotada perdendo 22 mil pessoas na primeira batalha e 18 mil na segunda. O resultado da batalha revela claramente que os israelitas, que haviam se reunido para julgar a maldade dos benjamitas, também não eram justos diante de Deus, porém houve uma mudança depois destas duas derrotas: houve um arrependimento diante de Deus. Quando aconteceu a primeira derrota, os israelitas choraram ‘perante o Senhor’ até a tarde (v. 23). E após a segunda derrota eles não apenas choraram ‘perante o Senhor’, mas também jejuaram e apresentaram holocaustos e ofertas de comunhão ao Senhor (v.26). Jejum e sacrifício é uma expressão de arrependimento. Além de expressar a dor e a sensação de perda, descobrir o pecado em mim é o que temos que fazer ‘perante o Senhor’. Nesse momento, diferente das vezes anteriores, Deus nos dá a promessa de vitória "eu os entregarei em suas mãos” (v.28).

ORAÇÃO

Que eu possa conseguir a vitória através do arrependimento e não através da auto piedade. Anotação

90


26 qua

Armadilha chamada experiência Juízes 20:29-39

29 Então os israelitas armaram uma emboscada em torno de Gibeá.

não perceberam que a desgraça estava próxima deles.

30 Avançaram contra os benjamitas no terceiro dia e tomaram posição contra Gibeá, como tinham feito antes.

35 O Senhor derrotou Benjamim perante Israel, e naquele dia os israelitas feriram vinte e cinco mil e cem benjamitas, todos armados de espada.

31 Os benjamitas saíram para enfrentá-los e foram atraídos para longe da cidade. Começaram a ferir alguns dos israelitas como tinham feito antes, e uns trinta homens foram mortos em campo aberto e nas estradas, uma que vai para Betel e a outra que vai para Gibeá.

36 Então os benjamitas viram que estavam derrotados. Os israelitas bateram em retirada diante de Benjamim, pois confiavam na emboscada que tinham preparado perto de Gibeá. 37 Os da emboscada avançaram repentinamente para dentro de Gibeá, espalharam-se e mataram todos os habitantes da cidade à espada.

32 Enquanto os benjamitas diziam: “Nós os derrotamos como antes”, os israelitas diziam: “Vamos retirarnos e atraí-los para longe da cidade, para as estradas”. 33 Todos os homens de Israel saíram dos seus lugares e ocuparam posições em Baal-Tamar, e a emboscada israelita atacou da sua posição a oeste de Gibeá. 34 Então dez mil dos melhores soldados de Israel iniciaram um ataque frontal contra Gibeá. O combate foi duro, e os benjamitas

91

38 Os israelitas tinham combinado com os da emboscada que estes fariam subir da cidade uma grande nuvem de fumaça, 39 e então os israelitas voltariam a combater. Os benjamitas tinham começado a ferir os israelitas, matando cerca de trinta deles, e disseram: “Nós os derrotamos como na primeira batalha”.


Análise do conteúdo

Percepção

1. Como aconteceu a tática de emboscada da coalizão israelita? (vs.31-33)

4. O que você aprende vendo que eles confiaram na sua própria experiência e caíram na armadilha?

2. Quando os benjamitas perceberam sua derrota? (vs.3538) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que os benjamitas foram enganados pela estratégia da coalizão israelita?

5. Qual foi a mais recente decisão que tomou confiando mais na própria experiência do que em Deus? O que especificamente você precisa orar e decidir hoje? Anotação

92


“Foram atraídos para longe da cidade” (v.31): significa que houve uma tática ativa da coalizão israelita. “

Com a promessa de vitória dada por Deus, agora partiram para a terceira batalha contra a tribo de Benjamim. Desta vez usaram estratégia de disfarce e, fingindo seguir a mesma estratégia de antes, levaram os benjamitas para fora da cidade para um ataque-surpresa. Os benjamitas caíram na emboscada como planejado. Eles tiveram uma fé cega na experiência vitoriosa anterior e foram enganados pela armadilha dos israelitas. Os israelitas tomaram posição contra Gibeá, “como tinham feito antes” (v.30), e trinta homens foram mortos no início da batalha. A tribo de Benjamim estava convencida da vitória, quando disseram: "Nós os derrotamos como antes", recordando a vitória prévia. As duas afirmações dos benjamitas (vs.32, 39) mostram que eles estavam completamente dependentes da experiência antecedente. Eles tiveram a experiência de vitória usando essa forma, portanto estavam confiantes nesse mesmo método de sucesso. Toda a experiência humana pode tornar-se uma armadilha se confiamos mais que em Deus.

ORAÇÃO

Por favor, não deixe minha experiência estar acima da oração e ajude-me a confiar apenas na sua palavra. Anotação

93


27 qui

O pecado que exige um preço alto demais Juízes 20:40-48

40 Mas, quando a coluna de fumaça começou a se levantar da cidade, os benjamitas se viraram e viram a fumaça subindo ao céu.

45 Quando se viraram e fugiram rumo ao deserto, para a rocha de Rimom, os israelitas abateram cinco mil homens ao longo das estradas. Até Gidom eles pressionaram os benjamitas e mataram mais de dois mil homens.

41 Então os israelitas se voltaram contra eles, e os homens de Benjamim ficaram apavorados, pois perceberam que a sua desgraça havia chegado.

46 Naquele dia vinte e cinco mil benjamitas que portavam espada morreram, todos eles soldados valentes.

42 Assim, fugiram da presença dos israelitas tomando o caminho do deserto, mas não conseguiram escapar do combate. E os homens de Israel que saíram das cidades os mataram ali.

47 Seiscentos homens, porém, viraram as costas e fugiram para o deserto, para a rocha de Rimom, onde ficaram durante quatro meses.

43 Cercaram os benjamitas e os perseguiram, e facilmente os alcançaram nas proximidades de Gibeá, no lado leste.

48 Os israelitas voltaram a Benjamim e passaram todas as cidades à espada, matando inclusive os animais e tudo o que encontraram nelas. E incendiaram todas as cidades por onde passaram.

44 Dezoito mil benjamitas morreram, todos eles soldados valentes.

94


Análise do conteúdo

Percepção

1. O que os homens de Benjamim fizeram ao perceber a derrota? (vs.41-42)

4. O que você aprende ao ver que o final do pecado é muito mais cruel do que o início dele?

2. No final, o que aconteceu com o exército de Benjamim e as suas cidades? (vs.46-48) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que a tribo de Benjamim teve que pagar um preço tão alto?

5. De que pecado deve se arrepender imediatamente? O que deve fazer hoje para remover esse pecado desde a sua raiz? Anotação

95


Quando a coluna de fumaça começou a se levantar na cidade, os homens de Benjamim que perceberam a sua derrota tentaram fugir para deserto, mas acabaram sendo mortos pelos israelitas (v.42). O lado leste de Gibeá, a estrada que leva à Rocha de Rimon, Gidom, nesses três lugares o exército de Benjamim foi praticamente aniquilado e as suas cidades foram incendiadas e destruídas pelos israelitas. Eles mataram tudo que encontraram, inclusive animais, como aconteceu no passado com as nações de Canaã, aniquiladas pelo exército de Israel, liderado por Josué. Apesar de um breve triunfo obtido pela vitória nas duas batalhas anteriores, no final, a tribo de Benjamim não pôde evitar o julgamento. Obviamente, há também o erro dos aliados de Israel por punir com rigor excessivo uma tribo exaltada, mas a grande verdade é que tudo começou, porque não se arrependeram dos seus pecados, pior, saíram em sua defesa. Mesmo que o início tenha sido a morte de uma mulher, no final, os 25.000 homens de Benjamim pagaram o preço do pecado. Se somar ambos os exércitos juntos, mais de 65.000 homens morreram nessa guerra. Assim é o pecado. Cresce como fermento e rapidamente se expande gerando resultados destrutivos. ORAÇÃO

Faça-nos enfrentar o poder destrutivo do pecado e abandonar o seu modelo. Anotação

96


28 sex

Quando o problema surge dentro da comunidade Juízes 21:1-7 5 Os israelitas perguntaram: “Quem dentre todas as tribos de Israel

1 Os homens de Israel tinham feito este juramento em Mispá: “Nenhum de nós dará sua filha em casamento a um benjamita”.

deixou de vir à assembléia perante o Senhor?” Pois tinham feito um juramento solene de que qualquer que deixasse de se reunir perante o Senhor em Mispá seria morto.

2 O povo foi a Betel, onde esteve sentado perante Deus até a tarde, chorando alto e amargamente.

6 Os israelitas prantearam pelos seus irmãos benjamitas. “Hoje uma tribo foi eliminada de Israel”, diziam.

3 “Ó Senhor Deus de Israel”, lamentaram, “por que aconteceu isso em Israel? Por que teria que faltar hoje uma tribo em Israel?”

7 “Como poderemos conseguir mulheres para os sobreviventes,

4 Na manhã do dia seguinte o povo se levantou cedo, construiu um altar e apresentou holocaustos e ofertas de comunhão.

visto que juramos pelo Senhor não lhes dar em casamento nenhuma de nossas filhas?”

97


Análise do conteúdo

Percepção

1. Qual foi o juramento feito pelos israelitas em Mispá? (v.1)

4. O que você aprende ao ver que a guerra ocorrida dentro da nação de Israel gerou grandes feridas e perdas para uma tribo?

2. Qual foi a crise que ocorreu com a tribo de Benjamim? (v.6) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Porque a tribo de Benjamim estava em crise?

5. Na comunidade, como você reage quando um membro erra? O que você pode fazer pela comunidade nas situações onde há crítica e discussão pelo erro? Anotação

98


Israel conseguiu a vitória com a captura dos benjamitas durante a guerra entre as tribos, mas surgiu um novo problema. A tribo de Benjamim corria o risco de desaparecer em face à crise. Embora a tribo de Benjamim tenha sido castigada pelo próprio pecado, a possibilidade de uma tribo pertencente a Israel, como a tribo de Benjamim, desaparecer era algo inimaginável e terrível para israelitas. Na verdade, esse problema surgiu, porque os israelitas exageraram na punição e destruíram a tribo de Benjamim (20:48) e também por terem feito juramento de não dar em casamento nenhuma filha deles a um benjamita (vs.1,7). Nos conflitos internos da comunidade, não interessa quem ganha. O fato é que acarretará em grandes danos e perdas para a comunidade. Quando surgir um problema na comunidade, deve solucionar com diálogo e conciliação e se houver erro, deve corrigir com uma punição condizente a esse erro. De que maneira você tenta resolver os conflitos? Será que na comunidade onde você faz parte como família, igreja, etc. há situações de crise devido à condenação excessiva pelo pecado?

ORAÇÃO

Quando surgir problema na comunidade, dênos um coração compreensivo antes de condenar alguém. Anotação

99


29 sáb

Encobrir erro com outro erro Juízes 21:8-18

8 Então perguntaram: “Qual das tribos de Israel deixou de reunir-se perante o Senhor em Mispá?” Descobriu-se então que ninguém de Jabes-Gileade tinha vindo ao acampamento para a assembléia. 9 Quando contaram o povo, verificaram que ninguém do povo de Jabes-Gileade estava ali.

enviou uma oferta de comunhão aos benjamitas que estavam na rocha de Rimom. 14 Os benjamitas voltaram naquela ocasião e receberam as mulheres de Jabes-Gileade que tinham sido poupadas. Mas não havia mulheres suficientes para todos eles.

10 Então a comunidade enviou doze mil homens de guerra com instruções para irem a JabesGileade e matarem à espada todos os que viviam lá, inclusive mulheres e crianças. 11 “É isto o que vocês deverão fazer”, disseram, “matem todos os homens e todas as mulheres que não forem virgens.”

15 O povo pranteou Benjamim, pois o Senhor tinha aberto uma lacuna nas tribos de Israel. 16 E os líderes da comunidade disseram: Mortas as mulheres de Benjamim, como conseguiremos mulheres para os homens que restaram? 17 Os benjamitas sobreviventes precisam ter herdeiros, para que uma tribo de Israel não seja destruída.

12 Entre o povo que vivia em Jabes-Gileade encontraram quatrocentas moças virgens e as levaram para o acampamento de Siló, em Canaã.

18 Não podemos dar-lhes nossas filhas em casamento, pois nós, israelitas, fizemos este juramento: Maldito seja todo aquele que der mulher a um benjamita.

13 Depois a comunidade toda

100


Análise do conteúdo

Percepção

1. Qual das tribos não compareceu à assembleia de Israel? (v.8)

4. O que aprende ao ver Israel matar o povo de outra tribo para salvar a tribo de Benjamin?

2. Quem Israel salvou dentre eles e trouxe para o acampamento? (v.12) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Qual a razão por trás do ataque de Israel contra JabesGileade?

5. Qual medida tomaria, se deparasse com uma situação desesperadora? Mesmo em situação de perigo, será que estamos preparados para agir de acordo com propósito de Deus? Anotação

101


Pelo crime cometido por alguns malfeitores a uma mulher em Gibeá, todas as mulheres benjamitas foram aniquiladas e sobraram somente 600 homens na tribo de Benjamin. Certamente, os benjamitas erraram ao encobrirem os malfeitores, mas é crime também Israel aniquilar todas as mulheres benjamitas. Para poder solucionar o problema que surgiu pelo crime e ignorância cometido por eles, os israelitas planejam outra perversidade. Para cumprir o juramento, planejam raptar moças de alguma tribo e entregar à tribo de Benjamin. Pelo fato do povo de Jabes-Gileade não ter participado na assembleia de Israel, toma como motivo para atacar o povo de Jabes, aniquilando todos menos as moças virgens e entregam as 400 moças aos filhos da tribo de Benjamin. O povo de Jabes-Gileade também são povos de Israel. Porém para salvar uns irmãos de Israel, cometeram perversidade de matar outros irmãos. Vamos observar se não estamos cometendo mais um erro ingênuo para encobrir outro erro. ORAÇÃO

Quando estiver diante de uma tribulação, ajude-me a superar com sabedoria. Anotação

102


30

Família que age segundo a vontade de Deus

dom

Culto no Lar – Juízes 21:19-25

Família à mesa. Reúna a sua família à mesa e compartilhe a comida e as percepções e aplicações do sermão do dia. Leitura bíblica 19 Há, porém, a festa anual do Senhor em Siló, ao norte de Betel, a leste da estrada que vai de Betel a Siquém, e ao sul de Lebona.

inocentes, visto que não lhes deram suas filhas. 23 Foi o que os benjamitas fizeram. Quando as moças estavam dançando, cada homem tomou uma para fazer dela sua mulher. Depois voltaram para a sua herança,

20 Então mandaram para lá os benjamitas, dizendo: Vão, escondam-se nas vinhas 21 e fiquem observando. Quando as moças de Siló forem para as danças, saiam correndo das vinhas e cada um de vocês apodere-se de uma das moças de Siló e vá para a terra de Benjamim. 22 Quando os pais ou irmãos delas se queixarem a nós, diremos: Tenham misericórdia deles, pois não conseguimos mulheres para eles durante a guerra, e vocês são

reconstruíram as cidades e se estabeleceram nelas. 24 Na mesma ocasião os israelitas saíram daquele local e voltaram para as suas tribos e para os seus clãs, cada um para a sua própria herança. 25 Naquela época não havia rei em Israel; cada um fazia o que lhe parecia certo.

103


CULTO NO LAR

Desvendando a palavra A tribo de Benjamim por pouco não foi totalmente exterminada no conflito contra todo o Israel (20:48). Os enraivecidos homens de Israel tinham feito o juramento de que ninguém daria sua filha em casamento a um benjamita (21:1), mas quando a guerra se acalmou, perceberam que fizeram um juramento tolo. Isto porque se não dessem suas filhas em casamento, a tribo de Benjamim acabaria totalmente extinta. Nesse caso, o normal seria mostrar arrependimento diante de Deus para anular o juramento. A Lei ensinava que um voto (juramento) deveria ser sempre cumprido, mas também havia um decreto que anulava o voto errado (Lv 27). Apesar disso, Israel acaba fazendo uma escolha tola e comete um pecado ainda maior ao tentar cumprir o voto forçosamente. Por não lutarem junto deles, os israelitas exterminaram a tribo de Jabes-Gileade e capturaram 400 mulheres solteiras para entregá-las aos benjamitas (21:14), no entanto continuava faltando 200 mulheres. Por isso, como consta na passagem de hoje, foi permitido que eles se apoderassem das moças que haviam saído para

104

dançar na festa anual do Senhor em Siló. Foi uma estratégia elaborada na tentativa de preservar a tribo de Benjamim sem quebrar o juramento, mas que culminou em um pecado ainda pior, matando inocentes e sequestrando mulheres. Lamentavelmente o livro de Juízes termina de forma melancólica afirmando que “naquela época não havia rei em Israel; cada um fazia o que lhe parecia certo”. Por qual motivo? Porque com a boca falava de Deus e O buscava quando necessário, mas não praticava a vontade e Lei do Senhor, agindo de acordo com a sua própria vontade e maneira. Por isso passaram a usar de meios ardis e de má conduta, dando continuidade a uma vida sem arrependimento. Revejamos o quanto a nossa família permanece na palavra de Deus e se estamos servindo-O corretamente. O motivo de cultuarmos juntos é para que confiemos na vontade e nos meios divinos. Desejamos que a nossa família não faça acordos ou force soluções como quando “cada um fazia o que lhe parecia certo”, dito diversas vezes em Juízes. Que para compreendermos o verdadeiro coração de Deus, possamos nos ajoelhar diante das dificuldades, erguendo-nos por meios divinos.


CULTO NO LAR

Compartilhando a graça 1. Vamos compartilhar se em alguma esfera do coração de cada um, continua reinando os meus próprios princípios ou meios mundanos.

2. Vamos orar juntos para que nesta semana a nossa família compreenda o coração de Deus e compartilhe espontaneamente as mudanças necessárias.

Compartilhando agradecimentos 1. Relembrando a vida que teve durante a semana, vamos falar sobre o que teve para agradecer, para confessar e pedir perdão diante de Deus e da família.

2. Vamos fazer oferta como a expressão de gratidão, de arrependimento e de amor pelos próximos.

Orando juntos Faça com que a nossa família sirva a Deus como o verdadeiro rei, apresentando-nos não com princípios ou meios humanos, mas segundo a vontade e à maneira de Deus.

105


31 seg

Perguntar sempre qual o propósito de Deus Juízes 21:19-25

19 Há, porém, a festa anual do Senhor em Siló, ao norte de Betel, a leste da estrada que vai de Betel a Siquém, e ao sul de Lebona. 20 Então mandaram para lá os benjamitas, dizendo: Vão, escondam-se nas vinhas 21 e fiquem observando. Quando as moças de Siló forem para as danças, saiam correndo das vinhas e cada um de vocês apodere-se de uma das moças de Siló e vá para a terra de Benjamim. 22 Quando os pais ou irmãos delas se queixarem a nós, diremos: Tenham misericórdia deles, pois não conseguimos mulheres para

eles durante a guerra, e vocês são inocentes, visto que não lhes deram suas filhas. 23 Foi o que os benjamitas fizeram. Quando as moças estavam dançando, cada homem tomou uma para fazer dela sua mulher. Depois voltaram para a sua herança, reconstruíram as cidades e se estabeleceram nelas. 24 Na mesma ocasião os israelitas saíram daquele local e voltaram para as suas tribos e para os seus clãs, cada um para a sua própria herança. 25 Naquela época não havia rei em Israel; cada um fazia o que lhe parecia certo.

106


Análise do conteúdo

Percepção

Estudo e Reflexão

Decisão e Aplicação

107


Orientações

É necessária uma decisão prudente Juízes 21:19-25

Análise do conteúdo A tribo de Benjamin quase chega ao extermínio com a guerra interna provocada pela atitude de alguns vadios de Gibeá e o povo de Israel tenta arrumar mulheres para eles, mas como o povo de Israel tinha jurado que não iriam dar suas filhas para povo de Benjamin, ordena aos benjamitas que apoderem das moças de Siló aproveitando o momento da festança. Tudo isso aconteceu, porque naquela época não tinha rei e cada um agia de acordo com que pensava que era adequado. Estudo e Reflexão 1. Por que a tribo de Benjamin chegou a ponto de não conseguir mais mulheres? (v.18) - Após guerra entre as tribos de Israel, todas as mulheres benjamitas foram mortas e o povo de Israel jurou não lhes dar as suas filhas e se alguém descumprisse o juramento seria amaldiçoado. 2. Por que o povo de Israel se arrepende de ter aniquilado uma família e peca ajudando arrumar mulheres para eles? (v.25) - Como nessa época Israel não tinha um rei, cada um agia da maneira que achava que era certo e isso provocavam julgamentos errôneos. Percepção Israel quase aniquila os benjamitas pelos seus comportamentos injustos, mas arrependidos de tentar acabar

com uma tribo, arrumam mulheres

108

de forma absurda. Para salvar tribo de Benjamin, raptam moças que vieram participar do festival dedicado a Deus para fazer delas suas mulheres, mas esse ato é inaceitável. Deveriam ter se alertado desde que levita cortou os membros da sua concubina e enviou a todas as regiões de Israel. Tem momentos na nossa vida que resolvemos muitos problemas sem muita indolência e depois deparamos com problemas maiores. Através dos atos e arrependimentos do povo de Israel podemos ver que precisamos perguntar, quantas vezes necessárias, para Deus que administra nossas vidas. Posso ver que ao meu redor também tem irmãos de fé que está sofrendo mentalmente e economicamente pelas decisões errôneas precipitadas. Eu também estou em dificuldades econômicas há dois anos por ter mudado meu local de trabalho sem muita seriedade, mas sei que o Senhor tem propósito para nós e está olhando por mim e minha família e espero preencher com Sua presença esses momentos difíceis. Decisão e aplicação 1. Combinei de ir ao sitio da igreja com diáconos do ministério na semana que vem. Vamos compartilhar as nossas dificuldades e orar pela esperança futura. 2. Hoje vou consolar minha família que está sofrendo com a dificuldade econômica e orar agradecendo por esse momento.


Análise do conteúdo

Percepção

1. Qual foi ordem que Israel deu aos benjamitas? (vs.19-21)

4. O que aprende vendo Israel proporcionar sofrimento aos povos de Siló para reestruturar tribo de Benjamin?

2. De onde os benjamitas arrumaram as mulheres? (v.23) Estudo e reflexão

Decisão e aplicação

3. Por que o autor de Juízes fez avaliação negativa a respeito do método que favoreceu benjamitas?

5. Como você reagiria vendo utilizar um método indigno para um propósito digno? Qual determinação deve ter para solucionar um propósito digno com método digno? Anotação

109


Podemos ver que as atitudes de Israel para cumprir o juramento são de formas quase supersticiosa e obsessiva. Para poder suprir a falta de moças para benjamitas, ficaram de olho nas 200 moças de Siló que participavam do festival em Israel. Como Israel decidiu que não iriam dar as moças para benjamitas e o povo de Siló também não iriam entregar espontaneamente as suas mulheres, Israel convence os benjamitas a raptar as moças de Siló aproveitando o festival (vs.19-21). Ainda, Israel garante que vai tranquilizar o povo de Siló se porventura criar confusão (v.22), dizendo a eles que não violaram o juramento que tinha feito, pois não entregaram as moças espontaneamente e os benjamitas executam o plano e conquistam as moças. Essa atitude é totalmente contrária aos mandamentos que Deus deu através da Aliança concebida a eles. Vamos observar se não estamos expostos à influência supersticiosa e perguntar a Deus, quantas vezes necessárias, para podermos tomar decisões certas. ORAÇÃO

Ajude-me a conceber a sabedoria de Deus e escolher o caminho que irá alegrá-Lo. Anotação

110


Estudo Bíblico da Fazenda

1

O resultado das escolhas erradas. Juízes 14:1-7

semana

Cada vez que olhamos as notícias, o que não têm faltado são os artigos relacionadas a crimes, e quando analisamos a razão das escolhas feitas pelo criminoso, descobrimos que existem motivos próprios para tais escolhas. Por outro lado, são claramente escolhas erradas que o levarão a pagar por estes erros. Nós também, que vivemos na fé, podemos cometer os mesmos erros. É necessário que vivamos tendo como referência a palavra de Deus, mas quando vivemos de acordo com a nossa própria consciência, fazemos as escolhas erradas. Hoje, através do protagonista do texto, Sansão, poderemos observar qual foi o resultado da escolha errada e meditemos em relação a como deve ser a nossa vida.

1. Apesar da oposição dos pais de Sansão, por que ele desejou ter a mulher filisteia como esposa e qual era o plano que estava reservado por Deus, através de Sansão? (vs.3-4)

2.

O que acontece quando Sansão vai para Timna? (vs.5-6)

3. O que aconteceu quando Sansão voltou para se casar com a mulher filisteia? (vs.8-9) Que lei de narizeu tal comportamento estava violando? (Nm 6:3-4, 6)

111


4. Apesar de contar com um plano para atingir os filisteus, Sansão, sendo um narizeu, não observa as regulamentações do seu voto. O que aprende com isso?

5. Já passaram pela situação de esquecer o dever como cristão, ao realizarem a obra de Deus ou da igreja? Particularmente, quando têm agido desta maneira?

6. Servindo a igreja como povo de Deus, vamos compartilhar o que necessariamente devemos observar para vivermos neste mundo e como podemos compensar as nossas fraquezas, no meio de tudo isso.

Talvez Sansão estivesse já cogitando atingir os filisteus mesmo durante o decurso do seu casamento, no entanto mesmo tendo tido um bom propósito, como narizeu, isso não era uma justificativa para ele ter entrado em um vinhedo e tomado o mel de um cadáver, agindo de acordo com sua própria vontade. Precisamos olhar para nós mesmos através desta atitude de Sansão. Mesmo que leiamos a Bíblia e oremos com todo o nosso esforço, servindo na igreja, se não observarmos o nosso dever como cristãos, haverá um limite para nosso ministério e nossa vida. Deus derrama a verdadeira graça quando a missão dada por Ele é concluída da forma que Lhe satisfaça e no lugar desejado. Olhando para as nossas vidas, vamos refletir, se mesmo servindo ao Senhor, não estamos praticando um pecado detestado por Deus.

112


2

Estudo Bíblico da Fazenda O pecado que não conseguiu abandonar Juízes 16:1-17

semana

Deus deu uma missão a todos nós. A ordem de sermos testemunhas do evangelho até os confins da terra é uma missão da qual não podemos negar. Para isso, cada um se esforça para viver como discípulo de Jesus, conforme os talentos recebidos. No texto de hoje vemos a presença de Sansão, juiz de Israel, que desde o nascimento era separado para ser nazireu, mas que não vivia conforme a missão dada a ele. Vamos observar a história de Sansão para saber o porquê disso e refletir se temos vivido corretamente e de acordo com a missão concedida por Deus.

1. Por que Sansão foi a Gaza e o que o povo de Gaza fez ao ouvir a notícia que Sansão estava lá? (vs.1-2)

2. Qual é o nome da mulher por quem Sansão se apaixonou e o que os líderes filisteus pediram-lhe? (vs.4-5)

3. Quando Dalila perguntou a Sansão várias vezes, como ele respondeu as três primeiras vezes e o que aconteceu? (vs.7-14)

113


4. Dalila estava tentando matar Sansão e apesar de ter falhado por três vezes, de que forma ela o convenceu na última vez? Finalmente, o que Sansão respondeu na quarta vez e o que podemos aprender através desta atitude? (vs.15-17)

5. Vamos pensar nas tentações, importunações do mundo e o esgotamento que Sansão deve ter sentido diante disso (v.16). E se existe alguma tentação mundana que está atacando a vida espiritual, vamos compartilhar o que é, e como podemos resolver este problema.

6. Um dos grandes motivos pela qual não conseguimos viver conforme nossa missão é que não conseguimos nos livrar do pecado. Vamos compartilhar o que cada um aprendeu através de Sansão.

Sansão se apaixonou por uma mulher chamada Dalila, do vale do Soreque, entretanto ela foi como o pecado em forma de mulher, que levou Sansão à destruição. Dalila perguntou por três vezes sobre o segredo de sua grande força e sabendo que os líderes dos filisteus estavam procurando acabar com ele, Sansão deveria acabar com Dalila ou no mínimo tê-la deixado. Ele sabia que Dalila era uma ameaça à sua vida, mas não conseguiu deixá-la e por fim acabou arruinado. Nossa natureza decaída ama o pecado e não quer deixá-lo. Apesar de saber a verdade que este pecado um dia nos arruinará, não conseguimos deixálo e ficamos hesitando e por fim, acabamos esquecendo nossa missão, nada diferente de quem vive para comer, viver girando pedra de moinho. Para vivermos conforme a missão dada por Deus, antes de tudo, devemos deixar o pecado para trás. Qual é o pecado que devemos abandonar?

114


Estudo Bíblico da Fazenda

3

A face nua da teologia da prosperidade. Juízes 17:7-13

semana

Deus prometeu que responderia aos pedidos dos seus filhos. Mesmo assim, há aqueles que pedem com intenções e métodos incoerentes com a palavra. Mesmo que Deus ensinou como deveria pedir em oração, esses acabam colocando os pedidos e desejos pessoais em primeiro lugar. E ainda, se a reposta parece não chegar a tempo, saem à procura de videntes ou aqueles que garantem a resposta imediata. Tudo isso mostra os motivos e os meios errados em discordância com o ensino do Espírito Santo. Os israelitas também estavam orando fervorosamente a Deus, mas de forma errada.

1.

Quem chegou à casa de Mica e como Mica o tratou? (vs.7,10-12)

2. Qual é a moradia designada aos levitas? (vide Js 21:41) O que podemos concluir sobre o estado religioso daquela época, pelo fato de um jovem levita sair da cidade de Belém à procura de outro lugar para morar? (vs. 5-6, vide Nm 18:21)

3. Em sua opinião, teria a capacidade suficiente de se tornar um sacerdote digno, esse jovem levita, uma vez que “jovem” é o termo atribuído normalmente aos que tem no máximo 20 anos de idade? (vide Nm3:3,6 ; 4:3)

115


4. Por que Mica, que não é digno de nomear um sacerdote, contratou o jovem levita como sacerdote familiar, mesmo que ele não tenha capacidade de se tornar um, e ainda segue achando que seria abençoado por Deus?

5. Que tipo de esforço você está fazendo para receber a graça de Deus? Examine se está suplicando pela graça, de acordo com o ensino da escritura.

6. O que você precisa mudar para melhorar sua vida de fé, que só tem aparência sem o devido conteúdo? O que você colocaria em prática nessa semana para que sua fé se torne mais madura e forte?

Os israelitas deixaram de seguir a Lei, e cada um fazia o que lhe parecia certo. Aquele que não é apto a nomear um sacerdote está nomeando um jovem incapaz que nem atingiu a idade suficiente para se tornar o sacerdote. Esse tipo de episódios era algo corriqueiro nas religiões pagãs, mas era terminantemente proibido por Lei aos judeus. Aparentemente se mostrava esforçado a servir a Deus, mas na verdade fazia o que parecia certo na opinião de cada um, adorando os ídolos. Isso é muito parecido com súplicas sem saber como suplicar corretamente. E você? Está suplicando a Deus de acordo com o ensino da Bíblia? Pense como deveria suplicar a fim de alegrar o Senhor que espera por nossos pedidos. Examine a sua vida de oração para fazer orações que agradam ao Senhor.

116


4

Estudo Bíblico da Fazenda O resultado de não ter consultado ao Senhor. Juízes 20:1-19

semana

A opinião mais importante para um cristão é a de Deus, porém ao rever a nossa vida, podemos observar, frequentemente, momentos de discordância à vontade do Senhor. Em vez de palavra do Senhor, ouvimos em primeiro lugar a opinião das pessoas mais íntimas. Ou muitas vezes levamos em conta a opinião da maioria ou adotamos como solução aquilo que vem sendo feito habitualmente. Os israelitas, que se orgulhavam ser o povo escolhido de Deus, também não eram diferentes. A atitude de buscar a opinião da maioria em vez da opinião de Deus, que priorizava o interesse da tribo ante a vontade de Deus, acabou resultando em guerra civil. Através do episódio de hoje vejamos como devemos corrigir a nossa atitude.

1. Por que o povo de Israel se reuniu? Qual era o método da tomada de decisão deles? (vs. 4-7)

2. Qual foi a conclusão deles? (vs.10-11) Diante da grande aglomeração do exército israelita, como a minoria da tribo de Benjamin reagiu? (v.14)

3. Por que os benjamitas decidiram guerrear apesar da clara definição de culpa por parte do povo de Gibeá? (v.13)

117


4. Chegou o momento de decidir quem irá batalhar na linha de frente. (v.18) Por que Israel consultou só nesse instante a vontade de Deus, mesmo tendo sido reunido em assembleia perante o Senhor bem antes?

5. Já teve o caso em que a vontade de Deus ficou para o segundo plano, porque a opinião de muitos acabou prevalecendo? Ou porque priorizou opinião das pessoas mais íntimas ao tomar a decisão? O que experimentou nessas situações?

6. O texto deixa claro qual foi o erro de Israel. O que devemos fazer para não ficar repetindo o mesmo erro? Compartilhe como cada indivíduo ou a igreja poderiam priorizar a busca pela vontade de Deus e ore uns com os outros.

É fácil encontrar as pessoas que falam sobre a “vontade de Deus” da boca para fora, mas raramente encontramos os que realmente se preocupam e levam a sério, suplicando-a. Acabamos dando mais valor à vontade particular e ao acordo firmado com as pessoas próximas do que buscar a vontade de Deus. Naturalmente, Deus usa a assembleia e mostra a Sua vontade através dela também, porém há um importante pré-requisito aqui. Devemos nos lembrar, que antes de nos considerarmos os membros da assembleia, cada um faz parte da propriedade exclusiva de Deus. Ele nos chamou em Assembleia do povo de Deus, e quem pertence a Deus busca a Sua vontade. Se não basearmos a nossa decisão nesse fato, acabaremos sofrendo desintegração irreparável ao priorizar erroneamente a decisão da grande maioria ou benefício de um grupo seleto. Que nessa semana você possa ajustar os parâmetros de tomadas de decisões segundo os critérios da vontade de Deus.

118


5

Estudo Bíblico da Fazenda Correto segundo a nossa própria perspectiva Juízes 21:1-12

semana

No dia 26 de Junho de 2015, o casamento gay foi legalizado pela Suprema Corte do país fundado pelos puritanos, os Estados Unidos. Famosos, como o presidente Barak Obama, Mark Zuckenberk do Facebook dentre outros, comemoram o fato, afetando também o nosso país. Assim a sociedade atual vai tomando suas próprias decisões e em nome dos direitos humanos vai negando a verdade que está em nós. É claro que negar a verdade e tomar as próprias decisões são atos que sempre ocorreram. Através do texto de hoje e observando os incidentes abomináveis que ocorreram em Mispá no tempo de juízes, vamos refletir em como um cristão deverá viver.

1. Aonde e que juramento fez o povo de Israel, bem como lamentação que fizeram diante de Deus? (vs. 1-3)

2. O que se sucedeu no dia seguinte ao juramento e que outro juramento o povo de Israel fez? (vs. 4-5)

3. Que decisão tomaram os israelitas em relação ao povo de JabesGileade e qual a razão de terem tomado tal decisão? (vs. 8-11)

119


4. Por que os israelitas pouparam 400 virgens em Jabes-Gleade e qual a sua opinião em relação a esta conduta?

5. Será que não estamos agindo da mesma forma, segundo a nossa própria perspectiva? Como é o seu processo de tomada de decisão em casa, igreja ou sociedade?

6. Vamos meditar hoje nas atitudes que devemos tomar para vivermos como povo Deus, levando-se em conta as consequências desastrosas quando vivemos segundo a nossa própria perspectiva.

A decisão de matar a tribo, que não havia comparecido a assembleia geral, é por si só um ilícito. Os pecados, onde a pena de morte é aplicável ou não, estão explícitos na Lei, entretanto os israelitas mataram as pessoas de Jabes-Gileade sem que ao menos elas tenham cometido pecado para tal, e para que a tribo de Benjamin não perecesse, pouparam 400 virgens que foram ofertadas a tribo de Benjamin, cometendo tal atrocidade. Assim, neste período de juízes, onde as pessoas agiam segundo a sua própria perspectiva, foi um período brutal e idade das trevas, onde absolutamente não se sabia qual era a verdade. A verdade é negada e não há grande diferença entre esta época de juízes, onde o falso é apresentado como verdade difundindo o pecado, com os tempos atuais. É certo que essa não é a vontade de Deus e mais do que qualquer um Ele abomina o pecado, por isso devemos buscar a vontade de Deus como seu povo, se esforçando para viver de forma pura e limpa.

120


121

Vida Abundante Outubro 2016  

Devocional Vida Abundante para o mês de Outubro 2016

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you