Page 1

ID

63

º

ESTE SUPLEMENTO É PARTE INTEGRANTE DO HOJE MACAU E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE

GRANDE PRÉMIO DE MACAU SEXTA-FEIRA 18.11.2016

FÉLIX REGRESSO


63 Quem sabe não esqu º

GP

TAÇA DO MUNDO FIA DE FÓRMULA 3

hoje macau SEXTA-FEIRA EQUIPAS 18.11.2016

CORRIDA NO TEMPO

UMA MODA QUE NÃO É DE AGORA Enganem-se aqueles que pensam que esta moda de certos pilotos veteranos quererem regressar ao Grande Prémio de Fórmula 3 é coisa recente. Em 1988, Stefan Johansson – que curiosamente é o manager de Félix Rosenqvist e chegou a correr pela Ferrari na F1 – aceitou o desafio de Eddie Jordan para conduzir um dos seus carros no Grande Prémio de Macau quando já estava na F1. O sueco não brilhou e, no conjunto das duas mangas, não foi além de um modesto 14º lugar. Melhor fez Julian Bailey que, depois de ter passado pela Tyrrell na F1 em 1988 e ter integrado o programa de resistência da Nissan no ano seguinte, voltou ao Circuito da Guia em 1989 para tentar vencer. O inglês terminou no segundo lugar, apenas atrás de David Brabham.

N

UM dia muito luso no Grande Prémio de Macau, António Félix da Costa conquistou a pole-position provisória para a Taça do Mundo FIA de Fórmula 3. Após ter sido o sétimo mais rápido no treino-livre da manhã, o piloto português foi o mais forte na qualificação, que teve quatro interrupções, batendo por duas décimas de segundo Callum Ilott e o super favorito Felix Rosenqvist, que procura a terceira vitória consecutiva na prova, mas que ontem se queixou do comportamento dos pneus.

ÀC ON V ER SACOM

Kenta Yamashita, o campeão japonês de F3, foi o quarto mais rápido, após ironicamente ter perdido uma roda no início da sessão. Por seu lado, Dani Juncadella, outro ex-vencedor, fez o quinto tempo, mas teve uma sessão atribulada, causando mesmo o acidente que ditou o fim prematuro da sessão, ao colidir nas barreiras de protecção da Curva dos Pescadores. “Ainda estamos no início e muito pode acontecer num fim-de-semana de Grande Prémio de Macau, mas é sempre melhor começar à frente do que atrás”, disse Félix da Costa. “Rapidamente consegui rodar depressa,

não estava muito contente com a minha sessão desta manhã, mas a equipa fez um grande trabalho em efectuar mudanças no carro e que funcionaram. Estou bastante satisfeito”, concluiu o piloto luso, que tripula um Dallara-VW da equipa inglesa Carlin. Sobre o que acontecerá daqui em diante, Félix da Costa diz que “a experiência conta muito em Macau, mas não há dúvidas que os jovens pilotos estão a andar muito e está mais difícil do que nunca”. Esta está a ser a primeira edição da prova com pneus Pirelli, depois de 33 anos de reinado da Yokohama,

“Ainda estamos no início e muito pode acontecer num fimde-semana de Grande Prémio de Macau.”

FÉLIX DA COSTA

mas por agora não houve felizmente qualquer problema. Os pilotos apenas assinalaram um maior desgaste das borrachas italianas, o que obrigou a FIA a autorizar o uso de

Filipe Clemente Souza “O OBJECTIVO É TENTAR CHEGAR AO PÓDIO”

FILIPE CLEMENTE SOUZA é bicampeão doAAMC Challenge, a categoria máxima do Campeonato de Macau de Carros de Turismo (MTCS, na sigla inglesa) e é um dos pilotos do território que almeja um lugar no pódio na Taça de Carros de Turismo de Macau – CTM. Souza ocupa o terceiro posto no campeonato TCR Asia Series que, integrado na Corrida da Guia, também pontua e chega ao fim em Macau. Podia ter corrido na Corrida da Guia, onde é terceiro no TCR Asia, como na Taça CTM. Porque é que escolheu esta última? ACorrida da Guia é uma prova a pensar nos concorrentes internacionais. A Taça CTM é mais pensada para pilotos como eu, pilotos locais. As hipóteses de conseguir um bom resultado à geral são muito maiores para mim na Taça CTM do que são na Corrida da Guia, onde as equi-

pas e os pilotos do TCR International Series têm outros meios à disposição que nós, pilotos de Macau, não temos. Paul Poon e a equipa Teamworks Motorsport têm dominado a Taça CTM e são novamente favoritos. Acha que tem alguma hipótese de lutar pelos lugares da frente? Estou confiante que sim, que este ano o meu carro está mais forte. Fiz várias alterações no meu carro (Chevrolet Cruze 1.6T) para a corrida deste ano e está melhor ainda do que estava quando vencemos o AAMC Challenge no Circuito de Zhuhai. O carro agora tem um motor novo, mais potente, e o objectivo é terminar nos lugares do pódio. Sempre foi um dos pilotos que se manifestou contra o actual regulamento 1.6T Produção que tem criado dificuldades à maioria dos pilotos da RAEM.

O regulamento 1.6T da Taça CTM foi introduzido com o intuito de não se gastar tanto dinheiro, mas não foi isso que aconteceu. Estamos a gastar mais do que antes. É um regulamento que não existe noutro lado do mundo. Não há ninguém mais a correr com este regulamento. Temos de ser nós, os pilotos, a gastar dinheiro para desenvolver os nossos carros. É preciso testar muito e isso custa muito dinheiro. E qual dos dois gosta mais de conduzir? O Volkswagen Golf Gti TCR ou Chevrolet Cruze 1.6T? É uma escolha difícil porque, apesar de serem ambos dois carros de turismo, são dois carros diferentes e ambos têm o seu lado bom. O Volkswagen é mais rápido, tem maior velocidade de ponta, mas quando se trata do prazer de controlar, o Chevrolet é um carro que dá muito mais gozo de conduzir.


cinco jogos novos de pneus para o fim-de-semana, em vez de três jogos e meio que eram usados no tempo do fabricante nipónico. Hoje os concorrentes têm ainda uma sessão de treinos-livres pela manhã e uma segunda qualificação de tarde para determinar a grelha de partida para a corrida de qualificação de amanhã. Se hoje os aguaceiros marcarem presença em Macau, então a qualificação de hoje poderá ficar comprometida e os resultados da qualificação de ontem poderão acabar por prevalecer para delinear a grelha de partida de sábado.

SJM TAÇA GT MACAU - TAÇA GT MUNDIAL DA FIA

MUITO MAIS QUE “MARO VS EDO”

AUDI - Edoardo Mortara - Laurens Vanthoor

PORSCHE

GCS

uece

A

Federação Internacional do Automóvel (FIA) queria sete construtores, cada um com dois carros oficiais, e mais dois carros privados de apoio, para assim ter uma grelha de partida de 28 carros. Pois bem, o tiro dos homens da Praça da Concórdia saiu pela culatra. Apenas quatro construtores, menos um que em 2015, alinharam neste desafio: Audi, Mercedes-Benz, Lamborghini e Porsche. Para alguns comentadores de circunstância, a corrida vai-se resumir ao duelo “Audi vs Mercedes”, ou a “Edoardo Mortara vs Maro Engel”. A Audi era dona e senhora desta corrida, mas há dois anos para cá que a Mercedes-Benz vence e desta vez o construtor de Estugarda apresenta-se à partida com dois novos AMG GT pintados de verde para Engel e Renger Van der Zande. “Não será uma corrida fácil, especialmente com o Morara e o Audi”, reconhece Engel. Contudo, este ano a situação é bem mais complexa. Mortara vai fazer em Macau a sua última corrida pela Audi. Na segunda-feira, o “Sr. Macau” já estará ao serviço da arqui-rival Mercedes-Benz. Para guiar o seu segundo carro, a Audi convocou Laurens Vanthoor, que é provavelmente o piloto que melhor conhece o R8 LMS ultra. Porém, também a relação do belga com a marca dos quatro anéis viveu dias melhores e poderá trocar de construtor no Inverno. No entanto, Vanthoor deverá querer despedir-se em grande. Pelo sim, pelo não, a Audi colocou um piloto de fábrica, Nico Muller, num dos dois carros privados da Audi Hong Kong, ao lado do local Marchy Lee. A Porsche, no ano passado, teve uma passagem anónima por esta corrida e agora quer deixar melhor imagem num mercado muito importante. De Weissach viajaram dois novos Porsche 911 GT3 R preparados pela Manthey Racing, que hoje em dia é parte do grupo alemão, e dois pilotos de fábrica, do melhor que havia disponível. Earl Bamber é um ex-vencedor das 24 horas de Le Mans

- Kévin Estre - Earl Bamber

MERCEDES-BENZ AMG - Maro Engel - Renger Van der Zande

AUTOMOBILI LAMBORGHINI - Mirko Bortolotti - André Couto

mas bem se pode queixar do tráfego que apanhou.

COUTO EM 16º

Mortara vai fazer em Macau a sua última corrida pela Audi. Na segunda-feira, o “Sr. Macau” já estará ao serviço da arqui-rival Mercedes-Benz e fartou-se de coleccionar vitórias na Ásia no troféu Porsche, e Kévin Estre é um ex-piloto da McLaren que aqui correu em 2015 com o fabricante de supercarros inglês. Ontem, nos treinos-livres Earl Bamber, ao efectuar o melhor tem-

po, deixou uma mensagem clara aos seus adversários. Aliás, ontem, a Porsche colocou três carros no Top-5. Bamber foi o mais rápido, em 2m19s253, batendo por 0.239s Mortara, que ocupou por muito tempo o topo da tabela de tempos durante a sessão. Ainda no mesmo segundo do neo-zelandês ficaram o segundo Audi, de Vanthoor, e o segundo Porsche de fábrica, de Estre. A quinta marca do dia ficou na posse de Richard Lyons, o melhor dos concorrentes não inscrito por qualquer construtor, que aqui conduz um Porsche 911 GT3-R da Craft-Bamboo Racing. No melhor dos novos Mercedes AMG GT3, o campeão em título Maro Engel fez o sexto tempo, a 1.434s de Bamber,

Sem equipa oficial, a Lamborghini vai confiar na FFF Racing Team by ACM para defender as suas cores. A equipa é fruto da parceria entre o milionário de Xangai, Sean Fu Songyang, e o piloto italiano, Andrea Caldarelli, e este ano venceu o campeonato GT Asia Series. André Couto foi uma das escolhas da equipa, depois ter deixado boa imagem no ano passado dentro da estrutura. O piloto da casa conhece o Circuito da Guia como ninguém e apenas tem o handicap de desconhecer o “touro” de Sant’Agata Bolognese. Ao lado de Couto vai estar o italiano Mirko Bortolotti que é um desconhecido em Macau, mas que tem um currículo brutal. O ex-piloto da Red Bull Junior Team, que chegou a testar pela Scuderia Ferrari F1 e pela Williams, venceu na sua carreira em quase tudo o que competiu. Ontem nem tudo correu bem aos homens da casa transalpina. Bortolotti foi 11º e Couto foi 16º, após ter passado boa parte da sessão parado nas boxes. Mas a corrida não se resume às equipas de fábricas e há uma série de concorrentes privados que irão colocar em pistas viaturas tão exóticas como o Bentley Continental GT3, o novo Ferrari 488 GT3, o BMW M6 GT3 ou o já “entradote” BMW Z4 GT3.

GCS

CORRIDA DA GUIA MACAU 2.0T SUNCITY GRUPO MONTEIRO DÁ O MOTE, PILOTOS QUEIXAM-SE

N

O seu tão antecipado regresso ao Circuito da Guia, Tiago Monteiro foi o piloto mais rápido no treino-livre da Corrida da Guia. Monteiro rodou em 2m34s6 e superou por 0.372s o espanhol Pepe Oriola, num dos SEAT Léon TCR. “É fantástico estar de volta a Macau. Como sempre na primeira sessão de reinos, a pista está muito suja e há pouca aderência”, explicou Monteiro. “A minha primei-

ra impressão sobre o carro é positiva, mas ainda é muito cedo para dizer o que quer que seja. Nós ainda estamos três segundos acima dos tempos esperados”, disse o português, que alertou para um factor. “Por agora, o maior problema tem sido o tráfego e o número (elevado) de carros e pilotos em pista que são realmente muito lentos. Isto será um problema.” Monteiro não foi o único dos pilotos da frente do TCR International Series a

queixar-se dos pilotos lentos. Oriola também se mostrou desagradado, pois não conseguiu “efectuar uma volta limpa” durante toda a sessão. Já o francês Jean-Karl Vernay, que colocou o seu Volkswagen no quarto lugar, atrás do Honda de Gianni Morbidelli, também se manifestou descontente. “Há demasiado trânsito em pista. Não penso que seja uma boa ideia permitir que ‘gentleman drivers’ corram, mas Macau é mesmo assim,

e temos de viver com esta situação.” Apesar das críticas, o treino só teve uma interrupção, quando o SEAT Léon de Edgar Lau bateu no Ramal dos Mouros, ainda na volta de abertura. Kevin Tse, em Volkswagen, foi o 14º da geral e o melhor representante da RAEM, visto que Michael Ho não participou na sessão, apesar do seu Honda estar na garagem.


63

º

GP

hoje macau

EQUIPAS SEXTA-FEIRA 18.11.2016

PROGRAMA

18 DE NOVEMBRO (SEXTA-FEIRA) • 06:00 Fecho do Circuito • 06:30-07:00 Inspecção do Circuito • 07:30-08:15 Treinos livres do 50.º Grande Prémio de Motos de Macau Suncity Grupo (cronometrados) • 08:40-09:10 Treinos livres da Taça da Corrida Chinesa Suncity Grupo (cronometrados) • 09:35-10:15 Treinos livres do Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 Suncity Grupo – Taça do Mundo de F3 da FIA • 10:40-11:10 Treinos livres da SJM Taça GT Macau – Taça do Mundo de GT da FIA • 11:35-12:05 Treinos livres da Macau Road Sport Challenge Suncity Grupo (cronometrados) • 12:30-13:00 Treinos livres da Corrida da Guia Macau 2.0T Suncity Grupo • 13:55-14:25 Treinos livres da Taça de Carros de Turismo de Macau – CTM (cronometrados) • 14:55-15:25 Treinos livres da SJM Taça GT Macau – Taça do Mundo de GT da FIA (cronometrados)

• 15:55-16:35 Treinos livres do Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 Suncity Grupo-Taça do Mundo de F3 da FIA (cronometrados) • 18:00-18:00Abertura do Circuito

• 15:30-16:30 50.º Grande Prémio de Motos de Macau Suncity Grupo 12 voltas • 18:00-18:00 Abertura do Circuito

19 DE NOVEMBRO (SÁBADO) • 06:00 Fecho do Circuito • 06:30-07:00 Inspecção do Circuito • 07:30-08:30 Treinos livres da Corrida da Guia Macau 2.0T Suncity Grupo (cronometrados) • 09:00-09:50 Macau Road Sport Challenge Suncity Grupo - 10 voltas • 10:20-11:10 Taça da Corrida Chinesa Suncity Grupo - 10 voltas • 11:20-11:40 Treinos livres do 50.º Grande Prémio de Motos de Macau Suncity Grupo • 12:10-13:10 SJM Taça GT Macau – Taça do Mundo de GT da FIA (Prova Classificativa) 12 voltas • 13:50-14:40 Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 Suncity Grupo – Taça do Mundo de F3 da FIA (Prova Classificativa) – 10 voltas • 14:40-15:05 Parada

20 DE NOVEMBRO (DOMINGO) • 06:00-06:00 Fecho do Circuito • 06:30-07:00 Inspecção do Circuito • 07:00-07:30 Carros de Segurança e Intervenção Rápida – Voltas de teste • 08:30-09:30 Taça de Carros de Turismo de Macau – CTM - 12 voltas • 10:00-12:00 Corrida da Guia Macau 2.0T Suncity Grupo - 2 corridas de 10 voltas com 15 minutos de intervalo • 12:55-14:15SJM Taça GT Macau – Taça do Mundo de GT da FIA - 18 voltas • 14:15-14:40 Parada • 15:10-15:25 Dança do Leão • 15:30-16:30 Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 Suncity Grupo – Taça do Mundo de F3 da FIA - 15 voltas • 18:00-18:00 Abertura do Circuito

50º GRANDE PRÉMIO DE MOTOCICLISMO

Rutter arregaçou as mangas

M

à pista e com a sua BMW S1000RR bateu o tempo do seu rival em mota igual por pouco menos de um segundo, numa última “volta canhão”. Dois outros ex-vencedores desta corrida, Ian Hutchinson, em BMW, e John McGuiness, que em Honda fez o seu melhor tempo na derradeira volta, seguiram-se na tabela de tempos. Destaque para as prestações muito modestas de Peter Hickman e Stuart Easton, os dois companheiros de equipa de Rutter, que não foram além do nono e

décimo tempos respectivamente, e para o brilhante sétimo tempo do estreante Gleen Irwin na sua Ducati. Ainda a adaptar-se a uma máquina que conhece mal, André Pires fez o 27ª tempo entre os 28 concorrentes que participam no Jubileu de Ouro da prova. Hoje, caso as condições meteorológicas ajudem, todos os concorrentes têm uma segunda hipótese para melhorar os seus tempos na qualificação que determina a grelha de partida para a corrida de amanhã à tarde.

MOTORSPORT.COM

ICHAEL Rutter teve de arregaçar as mangas para ficar com o melhor tempo da sessão de qualificação de ontem. “The Blader” rapidamente efectuou um bom tempo e deu-se ao luxo de parar nas suas boxes a dez minutos do fim da sessão. O que o inglês não esperava é que Martin Jessopp, segundo classificado na corrida do ano passado e eterno outsider, fosse roubar-lhe o melhor tempo a cinco minutos do fim da sessão. Rutter teve de regressar

TAÇA DA CORRIDA CHINESA SUNCITY GRUPO

A

mais patriótica das competições chinesas – a Taça da Corrida Chinesa – poderá ter ironicamente um vencedor do mundo da lusofonia. A missão de Hélder Assunção não é fácil, mas não é impossível. Na corrida de 2014, Assunção colocou o seu BAIC Motor Senova D70 na segunda linha da grelha de partida, mas infelizmente uma boa corrida perdeu-se na monumental carambola na primeira travagem para a Curva do Hotel Lisboa. No ano passado, Assunção conseguiu o sexto tempo nos treinos-livres, mas depois o seu carro não esteve bem na

Toque lusófono num mundo chinês

qualificação e na corrida que encerrou o programa de sábado sucumbiu antes de completar uma volta. Assunção é um dos três pilotos que representa a Associação Geral de Automóvel de Macau-China (AAMC) num campeonato que reúne as quatro Associações Desportivas Nacionais da Grande China, onde também se incluem a Federação de Desportos Automóveis e Motociclismo da China (CAMF), a Associação Automóvel de Hong Kong (HKAA) e a Associação de Desportos a Motor do Taipei Chinês (CTMSA).

Os outros dois pilotos nomeados pela AAMC são os veteranos Lam Kam Sam e Jo Merszei, este último um

• TREINOS LIVRES

O campeão 2015 David Zhu foi o mais rápido e o único a quebrar a barreira do minuto três, ao rodar em 2m59s4, seguiram-se Look e o irmão Carlos Zhu. Hélder Assunção foi o mais rápido da “prata da casa”, ao rodar em 3m01s9. Lam Kam San fez o 13º registo e Jo Merszei o 16º “crono”. Hoje decorre a qualificação decisiva.

dos mais versáteis pilotos da RAEM. A corrida conta com outros pilotos consagrados como os irmão David e Carlos Zhu (CAMF), o jovem piloto da Porsche China Zhang Da Sheng (CAMF) ou os veteranos Kenneth Look (HKAA) e Michael Soong (HKAA). Ao todo, são 25 carros “made in China” iguais, pintados de igual e preparados pela mesma equipa, para que, na teoria, ninguém tenha uma vantagem ilegítima, pois o que realmente interessa é o espírito de amizade e cooperação entre as quatro associações de desporto motorizado do estreito.

MACAU ROAD SPORT CHALLENGE SUNCITY GRUPO

Esta costuma sair à casa

S

E há corrida em que Macau realmente tem uma hipótese de ver um dos seus pilotos vencer é esta. Até porque há quatro anos que ninguém bate os pilotos da casa nesta corrida. Mesmo não contando com o retirado Sun Tit Fan, o piloto com mais vitórias nesta corrida e o único a vencer por mais de uma ocasião, Leong Ian Veng (Mitsubishi Evo9), vencedor em 2015, e Wong Wan Long (Mitsubishi Evo10), vencedor em 2014, devem chegar para a concorrência estrangeira. E se não chegarem, ainda há Lei Kit Meng (Nissan GT-R R34) ou Ng King Veng (Mitsubishi Evo9), que têm máquinas competitivas numa corrida onde mais do que os dotes dos pilotos conta a potência e fiabilidade destas viaturas. Viaturas estas que são construídas localmente e praticamente de raiz para esta corrida e que, devido a um regulamento demasiado permissivo, custam uma pequena fortuna. O maior adversário da armada da RAEM adivinha-se ser o Nissan GT-R R34 preparado em Zhaoqing para o experiente japonês Mitsuhiro Kinoshita. Desde que Sérgio Lacerda poisou o capacete e Hélder Assunção passou a apostar na Taça da Corrida China, o único macaense à partida nesta corrida é Luciano Castilho Lameiras, cujo Mitsubishi Evo 9 se apresenta com novas cores nesta prova, ligeiramente melhorado em termos de peso e electrónica. Luciano espera terminar “dentro dos quinze primeiros”, pois este ano acredita que a concorrência está mais forte. Isto se o Circuito da Guia se mantiver seco durante o fim-de-semana porque se chover, as contas podem sair baralhadas para alguns ditos favoritos, pois estes carros, alguns com mais de 600 cavalos de potência, não são particularmente fáceis de conduzir no molhado.

• TREINOS LIVRES

Foi uma sessão bastante atribulada, com muitos concorrentes a nem sequer completarem uma volta. Leong Ian Veng fez jus ao estatuto de favorito e rodou em 2m35s6, sendo tranquilamente o mais rápido. Os cinco primeiros foram todos pilotos da casa – Veng, Lei, Wong, Lo Ka Fung e Chu Hiu Fung. Lameiras fez o sétimo tempo, mas já a mais de 11 segundos do Mitsubishi “voador” da Son Veng Racing Team.

TEXTOS SÉRGIO FONSECA

63.º GP Macau #2 - 18/11/2016  

Suplemento 63.º Grande Prémio de Macau - 18/11/2106 - Dia 2

63.º GP Macau #2 - 18/11/2016  

Suplemento 63.º Grande Prémio de Macau - 18/11/2106 - Dia 2

Advertisement