Page 1

ID

64

º GRANDE

ESTE SUPLEMENTO É PARTE INTEGRANTE DO HOJE MACAU E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE

PRÉMIO DE MACAU SEXTA-FEIRA 17.11.2017

NORRIS CAUSA


GRANDE PRÉMIO DE MACAU DE FÓRMULA 3 SUNCITY GRUPO TAÇA DO MUNDO DE F3 DA FIA

Favorito assumiu-se LANDO NORRIS fez jus ao seu estatuto de favorito e foi o mais rápido por uma larga margem na primeira sessão de qualificação do “Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 Suncity Grupo - Taça do Mundo de F3 da FIA”. Contudo, como nem todos os candidatos à vitória utilizaram o mesmo número de pneus novos, só hoje se ficará a perceber melhor a diferença entre os pilotos da frente. Depois de uma sessão de treinos livres relativamente morna pela manhã, onde Sérgio Sette Câmara foi o mais lesto, o espectáculo foi outro da parte da tarde. Depois dos acidentes do veterano japonês Ryuji “Dragon” Kumita e do espanhol Alex Palou a abrir a sessão, esta estabilizou, com os tempos a caírem progressivamente, numa batalha acesa pelo melhor

registo, até que, a onze minutos do término, o Dallara-VW de Sette Câmara embateu com estrondo nas barreiras de protecção da Curva “R”, felizmente sem consequências para o piloto brasileiro. Contudo, a sessão teve que ser interrompida por mais de trinta minutos para restabelecer a segurança na pista.

DE VOLTA AO NORMAL

No regresso à normalidade, Norris rodou em 2:11.570 com o Dallara-VW da equipa Carlin, deixando a concorrência sem argumentos. Contudo, o piloto protegido da McLaren F1 é prudente quanto ao registo obtido. “Nós colocámos dois pneus novos, o que nos deu vantagem sobre os nossos adversários. Amanhã todos irão meter pneus novos e irão melhorar. Estou satisfeito como

correu esta sessão, mas ainda temos que melhorar as afinações do carro”, explicou o piloto de 18 anos. Pedro Piquet foi quem ficou mais perto ficou do britânico, tendo o brasileiro do Dallara-Mercedes, terminado a nove décimas do campeão europeu da especialidade, mas também ele colocou dois pneus novos nos últimos momentos da sessão. Maximilien Gunther, o melhor dos pilotos da SJM Theodore Racing e que liderou boa parte da sessão, e Daniel Ticktum, o jovem do Red Bull Junior Team que este fim-de-semana regressa à Fórmula 3, seguiram-se na tabela de tempos, à frente de Joel Eriksson e Yuhi Sekiguchi, sendo que este dois últimos se queixaram de não ter tempo para realizar uma volta limpa.

Arredado prematuramente, Sette Câmara ficou com o nono tempo do dia, mas o recordista da melhor volta de Fórmula 3 ao Circuito da Guia mostrou que tem qualidade para ir mais além hoje. A sessão terminou mais cedo que o previsto porque o indiano Jehan Daruvala bateu na subida de São Francisco, causando a quarta e última bandeira vermelha. Os Fórmula 3 regressam à pista hoje, para mais uma sessão de treinos-livres pela manhã, e para enfrentarem a segunda qualificação à tarde, qualificação essa que será decisiva na formação da grelha de partida para a Corrida de Qualificação de sábado. Como é tradição, será na tarde de domingo que será disputada a corrida que decidirá o vencedor do 64º Grande Prémio de Macau. • Sérgio Fonseca

NA MUITO esperada primeira sessão dos carros de GT, Maro Engel bateu por escassos 0,021 segundos Raffaelle Marciello, isto, num primeiro confronto em que Mercedes AMG mostrou uma certa superioridade sobre a fortíssima concorrência. Numa sessão que não teve qualquer incidente, o piloto germânico, que venceu esta corridas por duas ocasiões e corre este fim-de-semana com uma decoração em homenagem ao malogrado vocalista dos Linkin Park, rodou sempre nos lugares cimeiros, mas só na derradeira volta conseguiu destronar o seu companheiro de equipa no topo da tabela de tempos. Além dos dois primeiros lugares, o construtor de Estugarda viu ainda o “Sr Macau” Edoardo Mortara realizar o terceiro melhor tempo, a apenas uma décima de Engel. Felix Rosenqvist, a conduzir o Ferrari 488 GT3 pela primeira vez, foi o melhor “não-Mercedes”, suplantando por cinco milésimas Robin Frinjs, o melhor piloto da armada Audi. O espanhol Daniel Juncadella, o quarto elemento da Mercedes AMG este fim-de-semana, completou o lote dos seis primeiros que terminaram separados por pouco mais de três décimas. Com estas diferenças, e sabendo em antemão que a maioria dos pilotos e equipas tomaram bastantes precauções nesta sessão, é de esperar um resto de fim-de-semana intensamente disputado, onde a incerteza irá ser a nota dominante. • S.F. ID

ID

GT MARO ENGEL POR DUAS DÉCIMAS

SOFIA MARGARIDA MOTA

À C O N V E R S A C O M André Pires “CONSEGUIR FICAR NOS 15 PRIMEIROS JÁ SERIA MUITO BOM” QUAL É o balanço desta prova de qualificação que acabou de terminar? Correu bem, em primeiro lugar porque consegui chegar ao fim. Estamos com uns problemas nas afinações. Estou a tentar arranjar a melhor maneira de modo a conseguir correr bem, mas está difícil. Não sei o que se passa. Quais são as dificuldades?

A estrada está com ressaltos e está-me a custar um bocadinho a afinar a suspensão para poder sentir a mota estável. Mas estamos a tratar do problema e certamente que amanhã (hoje) estará resolvido e vamos melhorar.

a qualificação. Vou tentar fazer depois, na prova, um bom arranque e é a corrida que conta. Os treinos estão a servir para tentar dar o máximo de voltas possível. É esse o objectivo e com isso arranjar a afinação certa para a corrida.

Amanhã também é o último dia de qualificações nesta prova. Sim, mas também não me preocupo muito com

Qual é o objectivo para a corrida? Conseguir ficar entre os 15 primeiros lugares já seria muito bom. Mas os

concorrentes são também muito fortes e estão todos a melhorar. Neste segundo treino só baixei um segundo, mas estamos, em equipa, a tentar encontrar o caminho certo e o dia de amanhã vai ditar um bocado a posição e quanto vou conseguir baixar de modo a ver em que lugares me poderei encaixar. Fez só os últimos dez minutos da qualificação.

Entrei logo no início mas depois tive de sair umas duas ou três vezes porque não me sentia confortável. A mota que estou a usar também tem um motor muito maior do que as outras e isso muda muita coisa, como as situações em saídas de curva e nas rectas. Mas outro factor de vantagem das outras motas é a ciclística que elas têm. • Sofia Margarida Mota


1. Thed Bjork (Volvo) – 228,5 pontos

hoje macau SEXTA-FEIRA 17.11.2017

2. Norbert Michelisz (Honda) – 212 pts ID

3. Nicky Catsburg (Volvo) – 209,5 pts 4. TIAGO MONTEIRO (Honda) – 200 pts 5. Tom Chilton (Citroen) 184.5 pts

NÃO HÁ SEGREDOS

TAÇA CTM DE CARROS DE TURISMO DE MACAU

UM POUCO DE TUDO A TAÇA CTM de Carros de Turismo de Macau, aquela que é a corrida que mais pilotos de Macau reúne, trinta e cinco no total, apresenta-se com um formato diferente este ano, aglomerando numa só corrida os concorrentes da “antiga” Taça CTM e aqueles que participavam na extinta Corrida Macau Road Sport Challenge. A corrida que já foi um marco das corridas de carros de Turismo no continente asiático será dividida em duas classes, uma para viaturas 1600cc Turbo e outra para viaturas 1950cc ou Acima, uma decisão que não foi do agrado da maioria dos pilotos. Vinte e cinco pilotos de cada uma das classes foram apurados para esta prova nas corridas de qualificação realizadas no Verão no Circuito de Zhuhai, mas destes, apenas dezoito melhores de cada classe irão participar na corrida da manhã de domingo. Cada categoria terá as suas sessões de treinos-livres e qualificação ex-

clusivas, reunindo-se todo o pelotão de 36 viaturas na corrida de 12 voltas. Na classe 1600cc Turbo, onde participam cinco conhecidos nomes portugueses, Paul Poon (Peugeot RCZ), seis vezes vencedor desta corrida, confirmou o favoritismo, efectuando a melhor marca. Numa sessão que acabou com bandeiras vermelhas, devido ao aparatoso acidente de Ryan Wong (Chevrolet Cruze) na Curva “R”, Liu Man Kit (Mini Cooper S) e Célio Alves Dias (Mini Cooper S), ambos de Macau, foram os segundo e terceiro mais rápido, respectivamente. Filipe Clemente Souza (Chevrolet Cruze) foi apenas o quinto na tabela de tempos, mas antes da sessão ser interrompida vinha claramente a melhorar o seu melhor “crono”. Eurico de Jesus (Ford Fiesta) fez o 11º tempo, ao passo que Rui Valente (Mini Cooper S), com problemas técnicos, e Jerónimo Badaraco

(Chevrolet Cruze) que deu um ligeiro toque no gancho da Melco, tiveram um dia menos feliz. Disputada sob um sol radioso, a sessão dos concorrentes da classe 1950cc ou Acima, os carros mais rápidos das duas classes, foi bastante tranquila, sem incidentes de maior, com o grande favorito à vitória no domingo e piloto local Leong Ian Veng (Mitsubishi Evo9) a realizar o melhor tempo, superando por oito décimas de segundo o colombiano residente em Zhuhai, Julio Acosta (Lotus Evora). Mesmo com o carro a verter óleo, Wong Wan Long (Mitsubishi Evo9), outro piloto do contingente da casa, foi o terceiro. Apesar de ter perdido algum tempo da sessão parado nas boxes, Luciano Castilho Lameiras (Mitsubishi Evo9) fez o nono tempo, ao passo que o estreante Delfim Mendonça Choi (Mitsubishi Evo9) foi o 17º na sessão. • Sérgio Fonseca

ROB HUFF tem oito triunfos em corridas no Circuito da Guia, um número só igualado pelo motociclista Michael Rutter. Mas o piloto inglês diz não ter qualquer segredo para o seu contínuo sucesso nesta prova. “Macau sempre foi um local mágico para mim desde o meu primeiro momento. Sempre fui rápido e senti-me confiante aqui”, explica o britânico, que lembra que na primeira vez em Macau “o meu amigo Tom Coronel ajudou-me. Ele já cá tinha estado várias vezes antes e, na segunda e terça-feira antes do evento, passámos duas horas, a partir das duas horas da manhã, a andar de táxi pela pista. Apesar de não dar para fazer uma volta completa, estas viagens de táxi ajudaram-me a perceber o circuito”. O companheiro de equipa de Rodolfo Ávila no Campeonato da China de Carros de Turismo tem o recorde da melhor volta na Corrida da Guia, quando em 2014 fez o tempo de 2m27.009s

SOU O ÚNICO

com um pouco competitivo LADA Granta. “Não me pergunte como foi possível” porque também ele não sabe responder. “Tu podes cometer alguns erros no Nurburgring Nordschleife e sair impune,” explica Huff. “Em Macau cometes um erro e és punido.

Há circuitos que são desafiantes, mas não há nenhum tão imperdoável como Macau. Não há espaço para um erro. Aqueles que conduzem nos limites em cada curva serão recompensados mas também pode acabar em desastre. Nunca há estragos pequenos em Macau…” • S.F. MOTORSPORT.COM

SOFIA MARGARIDA MOTA

CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO

Rob Huff

Mak Ka Lok defenderá as cores da RAEM nesta corrida. O veterano piloto local das corridas de carros de Turismo vai tripular o LADA Vesta TC1 que o “compatriota” Filipe Clemente Souza guiou nas provas do WTCC na China e Japão. O piloto do território terá o seu primeiro contacto com o carro do construtor russo só este fim-de-semana e as ambições, em termos de resultados, são relativamente limitadas, passando por “conseguir os mínimos para me qualificar para as corridas”, e depois “tentar terminar ambas, independentemente da posição”.

PRIMEIRAS IMPRESSÕES

Os concorrentes do WTCC optaram por jogar pelo seguro no treino de ontem, o primeiro no Circuito da Guia desde 2014, guardando energias e trunfos para a qualificação de hoje. No entanto, esta demonstração inicial permitiu perceber que Norbert Michelisz, o chefe de fila da Honda e que fez o melhor tempo do dia, está disposto a correr riscos para sair de Macau com hipóteses de ser campeão. E a maior oposição ao húngaro poderá nem vir dos Volvo, mas sim os Citroen privados. Rob Huff foi o segundo mais rápido e atrás dele ficaram mais três Citroen – Bennani, Chilton e Ma Qing Hua. O melhor Volvo, de Nestor Girolami, foi apenas sexto. Apostando numa toada moderada e tentando conhecer ao máximo o Vesta TC1, Mak Ka Lok fez o décimo sexto tempo, a dez segundos da melhor marca. O piloto do território só precisará de arriscar um pouco mais para estar confortável que conseguirá os mínimos na qualificação hoje.

Pedro Piquet “MACAU É UMA EXPERIÊNCIA ÚNICA” FOI A primeira volta da classificação para a corrida de F3. Quais são as suas primeiras impressões? Apesar da boa classificação de hoje (ontem), é ainda muito pouco expressiva. Amanhã tenho de melhorar. Como é uma pista de rua da para fazer melhoramentos rápidos e temos de adaptar um pouco a forma de conduzir. Mas foi bom ter ficado em segundo lugar.

Está confiante para que amanhã (hoje) consiga manter este ritmo? Acho que sim. Hoje foi uma surpresa a velocidade rápida que consegui a usar os pneus mais velhos e com os pneus novos fiquei a uma distância um pouco maior do primeiro lugar mas também só dei uma volta com eles. Acho que se tivesse dado mais teria conseguido um resul-

tado melhor, mas estou bem confiante. O que é que acha do circuito de Macau? Macau é uma experiência única. Não é nada do que vemos em qualquer outra pista no mundo. Macau é uma pista muito mais difícil. Hoje em dia em qualquer autódromo podemos sair do circuito e voltar tanto em curvas como em rectas. Aqui não. Aqui é como nos

velhos tempos em que os carros não têm área de escape. Aqui há que ter mais cuidado. É filho de uma referência da Fórmula 1. Sente alguma pressão na sua carreira por causa disso? Acho que essa situação tinha mais influência quando era mais novo mas depois essa sensação vai diminuindo. Na pista tratamo-nos todos

de forma igual. Não podemos ficar a viver na sombra do nosso apelido e isso não seria justo nem saudável para mim. Tenho de fazer as minhas próprias conquistas. Próximo passo, Fórmula 1? Ainda estamos a decidir o que vou fazer no ano que vem, mas a F1 ainda tem de esperar. • Sofia Margarida Mota


hoje macau SEXTA-FEIRA 17.11.2017

[6.2 km]

HOJE 06:00-06:00 Fecho do Circuito 06:30-07:00 Inspecção do Circuito 07:30-08:15 Treinos livres do 50.º Grande Prémio de Motos de Macau Suncity Grupo (cronometrados) 08:40-09:10 Treinos livres da Taça da Corrida Chinesa Suncity Grupo (cronometrados) 09:35-10:15 Treinos livres do Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 Suncity Grupo – Taça do Mundo de F3 da FIA 10:40-11:10 Treinos livres da SJM Taça GT Macau – Taça do Mundo de GT da FIA 11:35-12:05 Treinos livres da Macau Road Sport Challenge Suncity Grupo (cronometrados) 12:30-13:00 Treinos livres da Corrida da Guia Macau 2.0T Suncity Grupo 13:55-14:25 Treinos livres da Taça de Carros de Turismo de Macau – CTM (cronometrados) 14:55-15:25 Treinos livres da SJM Taça GT Macau – Taça do Mundo de GT da FIA (cronometrados) 15:55-16:35 Treinos livres do Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 Suncity Grupo Taça do Mundo de F3 da FIA (cronometrados) 18:00-18:00 Abertura do Circuito

EQUIPAS

51º GRANDE PRÉMIO DE MOTOS DE MACAU

TAÇA DA CORRIDA CHINESA

IRWIN ESMAGA RUTTER E HICKMAN

ASSUNÇÃO DEIXA BOAS INDICAÇÕES

GLENN IRWIN não esteve com contemplações e na sessão de qualificação de ontem esmagou os favoritos do Grande Prémio de Motos de Macau. O piloto da Ducati vermelha impôs-se a Michael Rutter em 1,462 segundos e deixou Peter Hickman, o vencedor da edição de 2016, a 1,952 segundos. O piloto da Irlanda do Norte já tinha mostrado ao que vinha nos treinos-livres, mas foi na qualificação, que encerrou o programa do primeiro dia do Grande Prémio, que verdadeiramente impressionou. Contudo, resta saber quanto Rutter, que parou

A “OUTRA” corrida de suporte do programa este ano é a Taça da Corrida Chinesa e foi a primeira entre as provas dos automóveis a sair para a pista. O que um dia foi uma corrida confinada ao troféu monomarca que dá nome à corrida em Macau, em que as quatro associações automóveis da “Grande China” se confrontavam saudavelmente no asfalto, apresenta-se este fim-de-semana sem essa originalidade, com uma grelha de partida que mistura os carros do troféu monomarca – os novos BAIC D50 – e alguns participantes do campeonato TCR China, uma competição cujas viaturas são de todo idênticas àquelas que vimos na Corrida da Guia em 2016. O treino-livre de ontem teve os primeiros acidentes do dia, e não foram tão poucos quanto isso, obrigando os comissários de pista a transpirar logo pela manhã. Nesta sessão, os cinco mais

O GRANDE Prémio de Macau do próximo ano pode vir a receber uma demonstração de carros de competição autónomos. A ideia foi deixada ontem ao HM pelo CEO da Roborace, e também piloto da modalidade GT pela Audi, Lucas Di Grassi. Para o piloto “os carros autónomos são o futuro do transporte comercial e faz sentido termos uma área dos desportos motorizados dedicada a este sector”. Neste momento já estão em andamento as negociações para trazer uma demonstração de competição de carros autónomos a ter lugar no Grande Prémio do próximo ano. “Uma das acções

velozes ficaram separados por apenas seis décimas de segundo, com o experiente chinês Zhang Zhi Qiang (BAIC) a efectuar a melhor volta. Os dois pilotos da RAEM não desiludiram, terminando ambos dentro dos cinco primeiros. Hélder Assunção fez o terceiro melhor tempo com o BAIC da equipa Tianjin Leo Racing. Aproveitando o seu superior conhecimento do traçado, na sua estreia ao volante do carro de construção chinesa, o piloto macaense ficou a escassos 0.496 segundos do melhor ID

reputada equipa Paul Bird Motorsport. Conor Cummins e Martin Jessopp, dois outros veteranos do Circuito da Guia, foram quarto e quinto respectivamente, com Derek Sheils a surpreender ao ser sexto. O português André Pires marcou o 26º tempo, a 13,281 segundos da marca registada pelo herói do dia. Os pilotos das duas rodas abrem hoje pelas 7h30 as hostilidades do segundo dia do Grande Prémio ao disputarem a sessão de qualificação final que determinará a grelha de partida para a corrida de sábado à tarde. • Sérgio Fonseca

ID

dez minutos antes da sessão acabar, e Hickman esconderam no dia de ontem e o que ainda realmente dispõem as suas BMW para contra-atacar a ofensiva inicial da mota italiana. Irwin rodou em 2:24.310, ficando a apenas sete décimas do recorde da pista. “A pista ainda está um pouco suja, mas vai melhorar. Ainda há algumas coisas que podemos fazer na mota. Por exemplo, estamos a ter muita aderência na zona central do pneu. Ter aderência é bom, mas assim estou a perder tempo. Amanhã talvez use um pneu diferente, mais duro”, disse o piloto da

GP PODE TER DEMONSTRAÇÃO DE CARROS AUTÓNOMOS PARA O ANO

UMA CORRIDA SEM PILOTOS dos desportos motorizados na área dos carros autónomos é trazer uma demonstração já no próximo ano ao circuito do Grande Pémio de Macau”, afirmou o piloto. No entanto a popularidade dos carros que não precisam de pilotos para andar não entra em confronto com os actuais desportos motorizados, considera Lucas di Grassi. “Não é porque existem carros que não há as corridas de cavalo. Mas os carros autónomos vão ser

uma realidade e que precisa de ser demonstrada em condições extremas e só a área dos desportos motorizados pode proporcionar isso”, explica. O piloto brasileiro falou ao HM depois da primeira sessão de treinos livres em que se estreia ao volante de um Audi R8 LMS GT3 e em que ficou no 16º lugar. O resultado modesto pode estar associado à mudança de carro. “Não foi bom mas faz parte. Aqui em Macau temos de arriscar, mas

acho que vou melhorar e ainda temos mais duas sessões de preparação para o fazer.” Depois de ter corrido de Ferrari no Circuito da Guia, o piloto oficial da Audi está confiante que irá melhorar durante o fim-de-semana. “Estou contente com o progresso e acho que vamos estar bem nas próximas sessões”, referiu ao HM. O regresso a Macau representa sempre o voltar a uma das pistas mais desafiantes do mundo. Para o

tempo da sessão, num claro sinal prometedor para o fim-de-semana. Numa sessão de treinos em que houve lugar à mostragem de uma bandeira vermelha e foi realmente difícil efectuar voltas limpas, Liu Lic Ka, em SEAT Leon TCR, obteve o quinto melhor tempo. A qualificação desta corrida decorre amanhã, com a corrida a ser disputada no sábado.

FAVORITOS NEM SEQUER A MACAU CHEGARAM

Os mais atentos com certeza se aperceberam que nem todos os carros da lista de inscritos desta corrida participaram no treino-livre. Isto aconteceu porque os contentores das equipas participantes no campeonato TCR China, provenientes de Ningbo, “não chegaram ao destino” e com isto os principais favoritos ficaram prematuramente de fora, reduzindo em oito concorrentes a grelha de partida. • Sérgio Fonseca

piloto brasileiro, o território “tem uma pista muito longa e que combina tudo desde as altas velocidades com o circuito de rua, à montanha que é muito difícil. É também uma das pistas mais difíceis do mundo e por isso todos os pilotos gostam de passar por aqui”. Também campeão de Fórmula E, o vencedor do GP Macau 2005 em F3 acha ainda que há lugar para introduzir a modalidade que integra carros eléctricos. “Poderia fazer-se aqui o circuito de fórmula E duas semanas antes de Hong Kong e poderiam existir as duas provas. A pista já existe e seria só avançar com a prova”, sugere. • Sofia Margarida Mota

64.º GP Macau #2 - 17/11/2016  

Suplemento 64.º Grande Prémio de Macau - 17/11/2106 - Dia 2

64.º GP Macau #2 - 17/11/2016  

Suplemento 64.º Grande Prémio de Macau - 17/11/2106 - Dia 2

Advertisement