Issuu on Google+

PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

MOP$10

Ter para ler

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • QUARTA-FEIRA 18 DE JULHO DE 2012 • ANO XI • Nº 2654

TEMPO AGUACEIROS OCASIONAIS MIN 27 MAX 32 HUMIDADE 60-95% • CÂMBIOS EURO 9.5 BAHT 0.2 YUAN 1.2

HISTÓRIAS DE SOLIDARIEDADE GRAÇAS AO WEIBO

A rede social que está transformar a sociedade chinesa num exemplo CENTRAIS

ATRASOS CAUSAM ADIAMENTO

Deputados só vão de férias em Setembro PÁGINA 2

Jornalistas norte-americanos acusam Leonel Alves de favorecer Sands com o seu estatuto político. De rir, diz ele

Indiferente aos ataques O também deputado afirma que toda a história – onde, mais uma vez, é envolvido em esquemas de corrupção imputados ao grupo de Sheldon Adelson – não tem pés nem cabeça. “Este artigo merece uma grande gargalhada.” PÁGINA 5

NOVA LEI DO PATRIMÓNIO

Críticos sentem falta de critérios objectivos PÁGINA 3

VATICANO CONTRA CHINA

Bispo “amigo” de Pequim foi excomungado PÁGINA 10 PUB


2

política

quarta-feira 18.7.2012

www.hojemacau.com.mo

AL prolonga tempo de trabalho para conseguir analisar leis. Deputados aceitam, mas culpam Executivo

Férias só em Setembro Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

A

Assembleia Legislativa (AL) só vai de férias em Setembro por ter quase uma dezena de propostas de lei pendentes. A prorrogação do prazo de funcionamento normal foi ontem aprovada por unanimidade pelos deputados do hemiciclo, que dizem mesmo não se importar com o aumento dos dias de trabalho. No entanto, o Governo não escapa às acusações de ser o culpado por esta decisão, por não cumprir os prazos estipulados para a apresentação das propostas de lei. “Estamos à espera dos trabalhos do Governo, porque este nunca cumpre o calendário”, atirou Mak Soi Kun. Também Ho Ion Sang se

Fundação Macau com sistema informático para avaliar subsídios. Um conselho do Comissariado de Auditoria

Comissariado de Auditoria (CA) avisou e a Fundação Macau (FM) parece ter ouvido - vai ser criado um sistema informático para fiscalizar a forma como são utilizados os subsídios que a Fundação dá às associações. O anúncio surgiu depois de um encontro com responsáveis da FM e cerca de uma centena de associações locais que já beneficiaram com estes apoios. A reunião teve lugar na segunda-feira, mas só ontem foi dada a conhecer ao público a ideia, através de um comunicado. O objectivo do encontro era debater a implementação das medidas de aperfeiçoamento sugeridas pelo CA e uma dessas medidas foi encontrada através do uso de tecnologias. “A FM diz que está a criar o Sistema Informático de Gestão de Pedido e Acompanhamento de Apoios Financeiros e já encarregou instituições académicas para estudarem os indicadores de avaliação da eficácia social dos projectos a cuja realização se destina

o subsídio”, pode ler-se no comunicado. Depois de, na segunda-feira, Au Kam San ter utilizado o período antes da ordem do dia no hemiciclo para criticar duramente a fundação – acusando-a de esbanjar erário público sem ter de dar qualquer justificação -, a FM avançou também com a ideia de melhorar este sistema. Até porque, diz o presidente do Conselho de Administração, Wu Zhiliang, “a FM vai tratar de forma muito séria os problemas indicados pelo relatório do CA”. O relatório do comissaria-

do indicava falta de fiscalização aos apoios financeiros.

JÁ SE MEXERAM

Enquanto não está concluído o programa informático, a FM já elaborou novos formulários de requerimento de subsídio e de relatório de actividades. Assegura ainda ter mais medidas, que passam, por exemplo, por fiscalizar in loco a execução da actividade e solicitar às associações uma auditoria das contas. “As próprias associações devem dar importância à eficácia social da actividade ao utilizar erário público.” - J.F.

LUTA CONTRA ATRASOS

As enormes modificações nas versões dos diplomas têm sido já apontadas pelos deputados, por

demorar muito a ser novamente analisada a lei e emitido o parecer. Kwan Tsui Hang também quis ontem deixar claro, como presidente da 1ª. Comissão Permanente da AL, que havia condições para terminar a análise da Lei de Actividade de Mediação Imobiliária antes das férias, mas que isso não depende dos deputados. “Falta-nos a apresentação do Governo e só aí vamos acabar. Espero que o presidente da AL apele ao Executivo para apresentar o mais rápido possível a nova versão.” Ung Choi Kun apoia a colega. “Essa lei está a ser analisada há mais de um ano, o Governo deixou o trabalho parado.” A prorrogação do prazo até ao dia 31 de Agosto deixa a esperança que as análises das leis possam ser concluídas.

Lei do Apoio Judiciário votada até Agosto. Agregado familiar ganha novos critérios

Fiscalização avança após protestos

O

juntou ao membro do hemiciclo, pedindo mesmo a Lau Cheok Va, presidente da AL, que comunicasse o pedido de cumprimento dos prazos ao Executivo. “Estou plenamente disposto a concluir os trabalhos dentro do novo prazo, mas temos de ter em conta que muitas das propostas apresentadas pelo Executivo estão fora do calendário definido. Espera que esta dedicação dos deputados possa mostrar que tem de haver mais comunicação entre nós e o Governo e que deixem de se verificar grandes alterações nas versões das leis que nos chegam à AL.”

Família é quem partilha dinheiro

O montante do apoio vai estar indexado ao critério de risco social, em que “o cálculo das despesas é considerado o equivalente a 2,5 vezes o risco social e não com base nos rendimentos”.

Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

A

sexta reunião da 2ª Comissão da Assembleia Legislativa voltou a debruçar-se sobre a proposta de lei que define o Regime de Apoio Judiciário. O deputado Chan Chak Mo, que preside à Comissão, garantiu que o diploma deverá ser votado ainda na actual sessão legislativa, ou seja, até finais de Agosto. Uma das alterações feitas à proposta de lei prende-se com a redefinição do agregado familiar candidato ao apoio financeiro para manter um processo em tribunal. Agora, os critérios são iguais aos da habitação económica. “Segundo a assessoria, a versão anterior da proposta não estava adequada. Esta versão actual adoptou o critério da Lei de Habitação Económica, ou seja, o agregado familiar compreende o conjunto

“NÃO CONHEÇO”

de pessoas que vivam em situação de economia comum.” “Para além dessa situação, os membros estão ligados por uma ligação jurídica, familiar ou por união de facto. O Governo decidiu e a Comissão concordou, tendo votado na versão anterior da proposta, mas com a eliminação do número três.”

Quanto à Comissão que decide os apoios, será definida por regulamento administrativo, sendo que o seu presidente deve ser licenciado em Direito. Questionado sobre a recente petição entregue pela Associação Novo Macau (ANM) a criticar a proposta de lei, Chan Chak Mo escusou-se a comentar. “Não conheço quem são os membros nem as críticas, portanto não posso responder à questão. Durante as reuniões nunca houve referência porque as opiniões não são feitas em nome da ANM. Todos os deputados se manifestaram, mas não vou dizer quem disse o quê.”


quarta-feira 18.7.2012

política

www.hojemacau.com.mo

Governo quer equilíbrio entre protecção do património e desenvolvimento económico. Mas exigências da UNESCO serão cumpridas

Bens classificados estão a salvo joana.freitas@hojemacau.com.mo

A

A lei prevê, no entanto, um equilíbrio entre a protecção do património e o desenvolvimento económico de Macau, solução que deixou os membros do hemiciclo com algumas dúvidas. “Como se consegue este equilíbrio?”, atirou Ho Ion Sang, ajudado por Lau Veng Seng. “O ideal seria criar critérios de classificação objectiva, porque cada pessoa pode ter uma visão diferente do valor do objecto a ser protegido.” Cheong U acalmou os deputados dizendo que a protecção do património é o ponto fulcral para o desenvolvimento de Macau e admitiu que, apesar da dificuldade de “dizer o que prevalece” em caso de escolha entre a protecção e o desenvolvimento, tudo será feito dentro da legalidade. “O essencial é isso, bem como proteger sem prejudicar o desenvolvimento económico.” O secretário deu como exemplo o Leal Senado, local onde há alguns anos foram feitas obras e construídas lojas sem afectar o património.

HOJE MACAU

Joana Freitas

protecção do património vai ter de caminhar lado a lado com a continuação do desenvolvimento económico de Macau, mas Cheong U garante que nada afectará os bens classificados do território. A aprovação do diploma que pretende proteger o património da RAEM pode estar para breve, agora que o diploma foi apresentado à Assembleia Legislativa (AL) pelo secretário para os Assuntos Sociais e Cultura – demorou mais de seis anos a ser elaborada. Ontem, Cheong U mostrou aos deputados a lei finalizada, num plenário que serviu para esclarecer dúvidas. O novo diploma é composto por mais de cem artigos, onde estão contempladas medidas de protecção tanto para o património material como para o imaterial: o móvel, o imóvel e o intangível. Cada uma destas áreas tem um capítulo específico com formas de classificação, protecção e critérios de apreciação.

A

Lei de Salvaguarda do Património Cultural vai servir de referência para a Lei do Planeamento Urbanístico. Para a maioria dos deputados que ontem usaram da palavra no hemiciclo – onde foi apresentada a nova lei -, as questões prenderam-se com a articulação desta lei com a Lei do Planeamento Urbanístico. Afinal, uma das exigências do património mundial da UNESCO – da qual faz parte o património de Macau – é precisamente a vista desafogada para os edifícios listados e a construção de edifícios em seu redor. “A conjugação desta lei com as do planeamento urbanístico e do reordenamento dos bairros antigos vai ser feita?”, questionou Ho Ion Sang. “E se estas se atrasarem, o Governo conseguirá concluir a do património?” Para o deputado, todos os diplomas estão intimamente ligados e o ideal era serem aprovados ao mesmo tempo, para evitar conflitos. Cheong U não descarta a necessidade de articu-

“INTEGRIDADE VISUAL”

“A entrada de Macau na UNESCO em 2005 criou novas responsa-

Lei do Planeamento Urbanístico tem de obedecer a regras da Lei de Salvaguarda do Património

Inventário depois de aprovação lação das leis, mas avisa que podem ter diferentes prioridades. “Se esta lei [de Salvaguarda do Património] for aprovada antes da do Planeamento Urbanístico, vai contribuir para que a outra seja melhor. Apesar de não ser uma lei autónoma, a Lei do Planeamento Urbanístico vai ter de obedecer a regras da do património.” O responsável assegura que o diploma ontem apresentado servirá de referência e surge para colmatar “deficiências” na protecção dos bens listados como património. Da lei não constam, contudo, os bens já classificados nem os que poderão vir a sê-lo, ficando a promessa de que depois da aprovação da lei será actualizado o inventário. Entre os novos que entrarem está a possibilidade de

serem introduzidos imóveis ou bens do domínio privado, mas não agora. “Não afastamos a possibilidade dos privados, mas agora vamos concentrar-nos nos bens de domínio do Governo.”, assegurou Cheong U. Houve quem sugerisse que, no caso da apropriação de um imóvel privado, deva ser estipulado na lei um

Governo pondera lei para arquivos históricos Foi José Pereira Coutinho quem questionou Cheong U, secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, sobre a falta de recursos humanos para a protecção e classificação de documentos históricos. Ontem, no plenário, o responsável respondeu ao deputado anunciando a criação de uma nova lei. Ou a sua possibilidade. “Estamos a ponderar criar uma lei sobre os arquivos históricos de Macau para regulamentar melhor a matéria. A protecção dos documentos históricos é muito importante.” - J.F.

3

bilidades para Macau”, afirma Cheong U, acrescentando que uma delas é a criação de um diploma que proteja o património. O secretário admite que a salvaguarda do património não é uma tarefa autónoma e que tem de ser regulada por lei, uma vez que envolve o erário público. Mas na mesa de Cheong U não faltaram as preocupações relacionadas com os avisos da UNESCO. Recorde-se que foram já diversas as chamadas de atenção sobre a “integridade visual” do Património Mundial de Macau perante o desenvolvimento da região. O Comité do Património Mundial da UNESCO decidiu exigir ao Governo a apresentação de um relatório sobre o estado de conservação do património classificado até Fevereiro de 2013, apontando “preocupações” com a sua protecção e ausência de disposições legais para o efeito. No ano passado, uma responsável da UNESCO chegou a dizer ao Hoje Macau que, caso a RAEM não cumprisse o exigido, poderia ser excluída da lista. Ontem, Cheong U confirmou isso, mas assegura que tudo está a ser feito. “A UNESCO pede relatórios e documentos e os padrões estão a ser cumpridos.” Ho Ion Sang foi um dos muitos deputados que criticou o atraso na apresentação da lei e pediu que fosse implementada quanto antes, dado o tempo estar a esgotar-se. “Os trabalhos devem estar concluídos em 2013.”

prémio de incentivo como indemnização para o proprietário ou a possibilidade da troca de propriedades.

PARTICIPAÇÃO DO EXECUTIVO

A criação de um Conselho do Património Cultural já tinha sido anunciada, mas os membros do hemiciclo quiseram saber porque não está previsto na nova lei a forma como este será composto e que funções terá. “Por que não integram nesta proposta de lei as normas para o seu funcionamento?”, questionou Au Kam San. Do projecto do novo diploma consta apenas que o Conselho terá que emitir pareceres sobre procedimentos de classificação sobre a utilização a dar aos imóveis e à execução de obras, entre outras coisas. Cheong U diz que o grupo será composto por especialistas de diversos sectores, mas que as funções e regulamentações da Comissão serão geridas por regulamento administrativo. - J.F.


política

4

Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

O

GONÇALO LOBO PINHEIRO

grupo inter-departamental [com elementos do IACM e do Conselho dos Consumidores] está a concluir o estudo sobre o processo de importação e venda por grosso e a retalho dos principais alimentos”, avançou ontem Francis Tam, à margem da reunião da reunião plenária da Comissão para o Desenvolvimento de Convenções e Exposições, da qual é presidente. “Depois de conhecer os preços, o grupo vai analisar como melhorar o sistema.” Tal como o Governo fez saber no mês passado, este grupo deve apresentar propostas no sentido de “combater e tratar prováveis práticas ilícitas e injustas, designadamente os possíveis problemas de aumento de preços, insuficiência de pesos, monopolização do mercado e ambiguidade em marcação de unidade de pesos”, segundo revelou uma nota oficial. O objectivo da comissão é precisamente estabilizar os preços dos alimentos em Macau, cuja in-

quarta-feira 18.7.2012

www.hojemacau.com.mo

Estudo sobre os preços dos alimentos no território vai ser concluído em breve. Uma garantia de Francis Tam

“Vamos analisar como melhorar o sistema”

A subida dos preços alimentares mereceu a atenção particular do Executivo. O grupo interdepartamental, criado para estabilizar os preços dos bens alimentares, é o responsável pelo estudo flação em crescendo afecta a vida quotidiana dos trabalhadores. Os preços de retalho dos principais alimentos frescos e vivos das regiões adjacentes tendem a ser estáveis e os de certos alimentos começam a descer, explicava a mesma nota oficial. Em Macau, a taxa de inflação continua num nível elevado, ao contrário das regiões vizinhas,

tendo registado em finais de Maio 6,4 pontos percentuais. Francis Tam acredita que o aumento está relacionado com o consumo interno, “que promove o aumento dos preços dos produtos alimentares”.

SEM PREOCUPAÇÃO

Apesar do abrandamento das receitas do jogo, “reflexo da situação económica mundial”,

a economia da RAEM continua em crescimento embora não tão acelerado como nos últimos anos, pelo que as pessoas não têm com que se preocupar, analisa Francis Tam. “Não existe preocupação salarial porque houve aumento [em Maio] nos salários dos trabalhadores e a situação do emprego está estável.” No entanto, o secretário para a

A Sands sabe de si O aval dados pelo Executivo para a prorrogação do prazo de aproveitamento do lote 3 do Cotai pela Sands China não levanta dúvidas a Francis Tam. “A suspensão da terceira fase de Sands China não significa que o seu negócio tem algum problema. O plano de desenvolvimento das empresas de jogo é deixada ao critério da empresa e de como gere o seu negócio.” A empresa comunicou no domingo à Bolsa de Valores de Hong Kong a decisão do secretário para os Transportes e Obras Públicas, Lau Si Io, tomada na sexta anterior. Recorde-se que a data de aproveitamento ia até Abril de 2013, agora estende-se até ao mesmo mês de 2016, tendo a operadora uma multa pelos atrasos na construção.

Economia e Finanças não explicou quais os procedimentos da Comissão Deliberativa das Remunerações da Função Pública - criada em Janeiro deste ano - sobre o mecanismo fixo de actualização salarial, tendo em conta a inflação.

Chan Meng Kam quer melhor tratamento de pacientes de cancro O deputado Chan Meng Kam considera que o serviço de tratamento do cancro ainda tem espaço para melhorar. Diz que, segundo pacientes de cancro, os recursos para tratá-los são sempre insuficientes, faltando camas e cuidados de profissionais de saúde. Por exemplo, agora só há 16 camas para os pacientes de cancro e três médicos de oncologia no Centro Hospitalar Conde de São Januário. Acusa ter havido pacientes deixados em lista de espera e que houve trabalhadores de saúde a tratarem mal

os pacientes, provocando danos físicos e mentais. Chan Meng Kam quer que as autoridades melhorem a alocação de recursos de saúde, a qualidade do serviço e, ainda, que seja revisto o serviço de apoio para as famílias dos doentes. Quer também saber como está o processo do centro de apoio na zona norte, planado para estar pronto em 2013. Finalmente, o deputado propõe que o Governo ofereça uma pensão aos doentes de cancro, tal como faz em relação aos portadores de deficiência. - C.L.


quarta-feira 18.7.2012

Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

I  

NVESTIGADORES federais norte-americanos suspeitam da forma como Sheldon Adelson, magnata da Sands China, expandiu a sua fortuna em Macau. Por isso, começaram uma investigação. Daí para a frente, o nome de Leonel Alves, advogado, deputado e membro do Conselho Executivo, tem sido citado como estando envolvido em práticas de corrupção da Sands no estrangeiro. A notícia de que Leonel Alves estaria a receber pagamentos elevados por honorários como advogado da Sands China surgiu no canal norte-americano PBS, fruto de uma investigação realizada pela Universidade da Califórnia e ProPublica, grupo norte-americano que se dedica a fazer jornalismo de investigação.

Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

Cecília Lin

cecília.lin@hojemacau.com.mo

F

OI no dia 13 que a Associação Novo Macau (ANM) veio a público acusar o jornal Ou Mun de arrendar ilegalmente o 12º andar do edifício que ocupa ao Centro de Estudos do Desenvolvimento de Qualidade dos Cidadãos de Macau (CEDQCM). O seu responsável, Lee Chong Cheng - que é também deputado da Assembleia Legislativa (AL) - jura que não existe qualquer renda. “O Ou Mun disponibiliza o andar gratuitamente para o CEDQCM. Não existe nenhuma despesa de 120 mil patacas por mês.” Não quis dar grandes por-

Sands Leonel Alves responde a acusação de jornalistas norte-americanos

“Este artigo merece uma grande gargalhada” É o facto de Leonel Alves ser membro do Conselho Executivo e deputado que coloca o advogado no centro da história, sendo insinuado no artigo que terá utilizado esse estatuto para exercer pressões na decisão do Executivo e assim ajudar a Sands China. “De acordo com os documentos, Alves encontrou-se com políticos e oficiais locais para discutir assuntos que originaram a falta de dinheiro da empresa, em 2008 e 2009”, pode ler-se no artigo. Depois de Alves ter exercido “pressão” nas autoridades locais, segundo o artigo, a empresa ganhou permissão para vender o que serão os apartamentos do Four Seasons. É num email enviado a Luís Melo, na altura consultor jurídico da Sands, que o artigo se baseia para dizer que Alves se encontrou com a Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT), para “acompanhar e pressionar o processo de revisão do contrato de concessão do terreno”. Alves terá recebido, de acordo com o artigo, 700 mil dólares americanos como honorários, em 2009. Honorários alegadamente pagos por reuniões e contactos com o Governo de Macau, um valor considerado alto pelas autoridades do Nevada –dizem ser três vezes superior ao inicialmente pedido pelo advogado. O pagamento,

ANTÓNIO FALCÃO

A Sands está a ser investigada por agentes federais norte-americanos, sob suspeita de violar a lei anti-corrupção dos EUA. As acusações atingem também Leonel Alves, que dizem favorecer a Sands com o seu estatuto político. O advogado (e deputado) fala em obrigações profissionais, desprezando as alegações

sociedade

www.hojemacau.com.mo

escrevem os jornalistas, leva a que a Sands possa vir a ser acusada de violar a lei anti-corrupção norte-americana.

INDIFERENÇA TOTAL

Aos jornalistas, após uma reunião do plenário da Assembleia Le-

gislativa, o deputado e advogado afirmou não ter lido o artigo em pormenor e mostra uma reacção indiferente ao que a PBS – televisão pública norte-americana – disse. “Da minha parte, este artigo merece uma grande gargalhada e desprezo.”

5

Alves não desmente, contudo, o encontro com as autoridades locais – na altura Edmund Ho, como Chefe do Executivo, e Chui Sai On, como secretário para os Assuntos Sociais e Cultura -, mas afirma que são consequências da sua profissão. “Não posso dizer publicamente, porque são obrigações profissionais. Mas acham estranho ter reunião com directores de serviços ou secretários? Exercer pressões é o quê, pôr uma faca em cima? Fazer pressões é fazer perguntas insistentes como me estão a fazer?” À Rádio Macau, o advogado explicou que o significado de “pressão” no seu email era no sentido de insistir. “Quem trabalha em Macau e tem um assunto pendente na Administração, se não telefonar todos os dias, ou três, quatro vezes durante a semana, o assunto é esquecido. Se isto é uma pressão ilegítima, acho que não. Aqui em Macau, infelizmente, os circuitos administrativos são pesados e complexos, e é preciso fazer muitas insistências para que os assuntos andem.” Sobre a possibilidade de haver conflito de interesse pelo estatuto que tem em Macau, Alves voltou a repetir o que tinha já dito numa entrevista anterior. “Há um mecanismo em Macau, na AL e no Conselho Executivo, para que haja declaração de impedimento. O regime existe.” Não foi, contudo, usado ainda e, segundo o advogado, não faz sentido que se use agora. “Todos os deputados exercem em actividades profissionais. No próprio Conselho Executivo, todos têm a sua profissão. Então, sarcasticamente digo que só os desempregados poderiam fazer parte do Conselho Executivo.” Leonel Alves fez questão de reiterar que ainda não leu o artigo em pormenor.

Lee Chong Cheng reage às acusações em torno do edifício do Ou Mun

“Se for necessário mostramos as contas” menores sobre as despesas do centro, mas deixou cair alguns valores. “Já foi dito à Fundação Macau (FM) quais são os custos necessários para ter o centro a funcionar. O orçamento que temos por ano são cerca de dez milhões de patacas, sendo que cinco milhões foram para obras de reparação. O resto é para custos de manutenção. Se for necessário podemos publicar as nossas contas.” A permanência do CEDQCM no edifício do Ou Mun Iat Pou, na Areia Preta, tem estado envolto em polémica. A ANM diz

que acontece por arrendamento ilegal, dado que o espaço é do Executivo. Uma fonte declarou ao Hoje Macau que o jornal chinês “já sabia que deixar o piso para o CEDQCM era contra a lei”. O Ou Mun esclareceu, em declarações citadas no Ponto Final, que a existência do centro no local acontece graças aos “laços de amizade” e que o inquilino apenas tem de pagar as despesas correntes.

“SOU SINCERO”

Lee Chong Cheng falou ainda do trabalho que o

centro desenvolve, sendo que todos os seus funcionários trabalham sob forma de voluntariado. “O escritório é para os voluntários fazerem o seu trabalho. Alguém disse que o centro funciona como um clube, mas isso não é justo.” O responsável optou também por não fazer quaisquer projecções para as próximas legislativas. “Não estou preocupado com a eleição dos deputados para o próximo ano, porque o que estou a fazer é para os cidadãos. Sou sincero.”


6

publicidade

www.hojemacau.com.mo

quarta-feira 18.7.2012


quarta-feira 18.7.2012

Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

A

Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT) mantém-se em silêncio quanto à ameaça feita por alguns cidadãos em irem para a barra dos tribunais, caso o percurso do Metro Ligeiro (ML) continue a passar no NAPE. Contudo, o organismo tem uma certeza: a decisão de manter o traçado na mesma área nada tem a ver com eventuais ilegalidades na concessão do terreno na zona da Orla Marítima Exterior. Isto porque o deputado José Pereira Coutinho acredita que esta seria a zona ideal para o futuro transporte público passar. A resposta dada pela DSSOPT ao Hoje Macau é clara. “Atendendo que todo o traçado que foi publicamente divulgado se encontra na via pública, não estão absolutamente em causa questões respeitantes à concessão do terreno. O traçado do ML teve como base, e sob o ponto de vista do planeamento urbanístico, os pareceres das companhias de consultoria, a opinião cientifica e pública, pelo que foi considerado pela Administração o melhor local para o efeito.” 10 mil assinaturas preencheram uma petição dos moradores da zona do NAPE, entregue ao Chefe do Executivo, e que já está nas mãos da DSSOPT. Na altura, Pereira Coutinho não poupou críticas. “Esta teimosia de insistir

sociedade

www.hojemacau.com.mo

DSSOPT fala do traçado do Metro Ligeiro no NAPE

“Não está em causa a concessão do terreno” O Governo garante que a manutenção do traçado do Metro Ligeiro na zona nada tem a ver com eventuais ilegalidades. As acusações tinham sido proferidas por Pereira Coutinho no trajecto tem a ver com o facto de o percurso inicial, que passaria pela Orla Marítima, ter sido posto de lado. Tudo devido ao facto de agora sabermos que dois terrenos concedidos por Ao Man Long, em 2001 e 2004, têm constituído barreiras para a não mudança do trajecto. Isto causa-me perplexidade e muitas dúvidas de que, tendo em conta o que o ex-secretário fez, pode existir a possibilidade dos terrenos terem sido obtidos por vias ilegais.”

À ESPERA DE RESULTADOS

A DSSOPT deu ainda explicações sobre outra petição, que diz respeito às obras no 19º andar do edifício Luen Fong Kok, na zona do Fai Chi Kei, que danificaram o tecto do 18º andar e que estão a provocar receios ao casal que mora

no apartamento, juntamente com dois filhos menores. O organismo afirma que, no passado, já enviou duas comissões de auditoria, para além da análise do Laboratório de Engenharia Civil de Macau (LECM), cujos resultados das inspecções “mostram que o pavimento é seguro”. “Atendendo ao receio manifestado pelo queixoso, morador da fracção do 18º andar, a DSSOPT veio propor ao queixoso a contratação de técnicos profissionais para a realização de inspecção e levantamento de provas, para que a DSSOPT possa acompanhar melhor a sua queixa”. O organismo comenta ainda a última reunião ocorrida com José Pereira Coutinho, o casal queixoso e os técnicos da LECM, a 5 de Julho. “O técnico contratado pelo queixoso referiu que irá contratar uma terceira entidade para a realização da respectiva inspecção. A DSSOPT aplaudiu esta solução, estando no momento a aguardar os fundamentos concretos apresentados pelo queixoso e os resultados da inspecção”. Quanto à renovação da licença da obra por parte da DSSOPT, terá sido feita com base nas análises feitas pelos peritos. “Foi considerado viável o plano da sua reparação, pelo que foi aprovado a prorrogação da licença, cabendo ao técnico responsável pela direcção da obra a sua fiscalização, bem como a avaliação do ponto de situação envolvente da fracção habitacional do 19º andar.”

Cidadãos descontentes com campanha da DSAT

Amigos dos autocarros ou do Governo? Cecília Lin

cecília.lin@hojemacau.com.mo

D

EZ pessoas que participaram na manifestação do passado fim-de-semana contra o aumento das tarifas de autocarro tiveram a prometida reunião com Wong Wan, da Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT). Contudo, do encontro saíram mais dúvidas do que certezas. Isto porque os manifestantes acusam a mais recente campanha do Governo, intitulada “Amigos do Autocarro”, de ser uma forma de manipulação para obter comentários positivos sobre o serviço, dado que uma das regras para participar é ter “experiência na participação de serviços sociais e na prestação de trabalho voluntário”. Depois do encontro, Wong

Wan não prestou quaisquer declarações. Bill Chou, docente da Universidade de Macau (UMAC), foi uma das figuras na reunião, que durou cerca de duas horas, bem como membros da Associação Novo Macau (ANM). Scott Chiang, vice-presidente, foi dos mais críticos. “Os requisitos para se participar são ainda mais exigentes do que para fazer parte do Conselho Consultivo do Trânsito. A campanha vai perder a sua função de avaliação e tornar-se numa actividade de excursão, como visitar uma fábrica e tirar fotografias. Os trabalhadores que andam de autocarro todos os dias não têm tempo para participar em actividades sociais. Se o Governo convida o público a participar tem de mostrar transparência. Se não, os verdadeiros amigos dos

autocarros serão os amigos do Governo.” Scott Chiang destacou ainda o facto da campanha estar a ser feita em parceria com a Associação Geral dos Voluntários de Macau, presidida pelo deputado Lee Chong Cheng. “Temos medo que os candidatos sejam escolhidos entre os cidadãos pró-governo. Achamos que os membros desta associação não deveriam participar nesta actividade para não levantar suspeitas.”

CARTA FOI ENTREGUE

7

Segundo as palavras do vice-presidente da ANM, “o director da DSAT afirmou que, antes de aprovar o aumento das tarifas, não era tão sensível à questão da qualidade do serviço de autocarros, mas que agora vai dar mais atenção às três empresas para melhorar o sistema”.

Os presentes no encontro com a DSAT entregaram um Macaupass a Wong Wan com a sua fotografia, bem como uma carta com mais de sete mil assinaturas, que mostram o descontentamento face ao já congelado aumento das tarifas. Wong Wan fez questão de receber o Macaupass e mostrar o seu próprio passe de autocarro, tendo afirmado que também ele utiliza o serviço. Antes já tinham sido feitas queixas de que o director da DSAT nunca tinha andado de autocarro, e que por isso não tinha consciência da gravidade dos acidentes causados pelos autocarros. A candidatura para a campanha “Amigos do Autocarro” decorre até 16 de Agosto, sendo que o processo de avaliação dos transportes dura até Dezembro. Os candidatos estão sujeitos a uma análise de dados e a uma entrevista. O júri é composto por dois elementos da DSAT e um da associação presidida por Lee Chong Cheng.


8

nacional

quarta-feira 18.7.2012

www.hojemacau.com.mo

Investimento directo estrangeiro caiu 3% no primeiro semestre

Consequências da crise global

O

investimento directo estrangeiro na China caiu 3% no primeiro semestre do ano para 59,1 mil milhões de dólares americanos, na sequência do abrandamento da economia global, informou hoje o Ministério chinês do Comércio. As empresas estran-

geiras investiram 59,1 mil milhões de dólares na China entre Janeiro e Junho, face aos 60,89 mil milhões de dólares investidos no período homólogo do ano passado. “O ritmo de recuperação da economia mundial continua lento e muitas incertezas persistem”, salientou o porta-voz do Ministério

chinês do Comércio, Shen Danyang, em declarações aos jornalistas. “Em particular, a crise da dívida da Europa continua por resolver.” A elevação dos custos de produção na China e o reforço das políticas relacionadas com o imobiliário também contribuíram para

os resultados do primeiro semestre, acrescentou. Asegunda economia mundial registou um crescimento de 7,6% entre Abril e Junho face a igual período do ano passado, o ritmo mais lento em mais de três anos devido ao impacto da situação externa, segundo os dados oficiais revelados recentemente.

A China acolheu até Junho investimento europeu avaliado em 3,52 mil milhões de dólares, mais 1,6% do que no primeiro semestre do ano passado. Já o investimento na China originário das dez nações e territórios asiáticos, incluindo Macau, Hong Kong, Japão e Filipinas, caiu

2,8% para 51,07 mil milhões de dólares, enquanto o investimento norte-americano registou uma queda de 3,2%, para 1,63 mil milhões de dólares. O Governo chinês mantém-se, porém, confiante com os efeitos que poderão gerar as suas políticas de promoção do crescimento económico e da procura interna. “Vão promover a confiança dos investidores estrangeiros na China e ajudá-los a acelerar o ritmo do seu processo de tomada de decisões”, defendeu Shen Danyang.

Vice-primeiro-ministro Li Keqiang com mensagem de serenidade

Consumo interno e equilíbrio

O

vice-primeiro-ministro da China, Li Keqiang, disse que o país seguirá o princípio de “busca do crescimento enquanto garante a estabilidade” e colocará a economia no caminho para impulsionar a procura interna e o crescimento equilibrado. Li fez o comentário durante uma visita de inspecção à Província de Hubei, centro da China, no fim-de-semana. “ A China deve aderir ao princípio geral de buscar o crescimento enquanto mantém a estabilidade, esforçando-se para expandir o consumo interno a fim de estabilizar o crescimento económico.” A economia da China registou um crescimento anual de 7,6% no segundo trimestre de 2012, menor que os 8,1% do primeiro trimestre, informou na sexta-feira o Departamento Nacional das Estatísticas. Foi o sexto trimestre consecutivo de queda do crescimento e ritmo

mais lento do que no primeiro trimestre de 2009. A China deve expandir o consumo e reestruturar a economia executando seriamente as políticas de reduções tributárias estruturais, estimulando o consumo e incentivando e guiando o investimento privado, comentou o líder chinês. O país também deve fomentar as indústrias emergentes e transformar as capacidades de produção obsoletas noutras de melhor qualidade, disse ainda.

MUITA PRUDÊNCIA

O banco central da China reiterou no domingo que o país continuará a aplicar uma política fiscal proactiva durante 2012. O comunicado foi emitido assim que se divulgou que o crescimento da segunda maior economia do mundo desacelerou. A economia da China enfrenta um complicado ambiente tanto interno quanto externo e as regu-

lamentações macro-económicas do governo enfrentam crescentes dilemas, disse o banco central, ao referir-se à pressão pelo baixo crescimento económico e à queda dos valores de algumas empresas. O banco central prometeu impulsionar o papel das finanças no apoio da economia real e promover os serviços para impulsionar o consumo e o desenvolvimento das pequenas empresas. O país dará continuidade às reformas das taxas de juros e intensificará os esforços para desenvolver um sistema de taxas de juros de referência orientado ao mercado, indicou ainda o comunicado. O banco também prometeu melhorar o mecanismo de fixação da taxa de câmbio do yuan e manter a estabilidade básica da moeda, ao invés de expandir o uso da moeda nos pagamentos de transacções comerciais e investimentos transfronteiriços.


quarta-feira 18.7.2012

www.hojemacau.com.mo

Cabo Verde vai candidatar-se a apoios chineses para desenvolvimento. Embaixador sublinha importância do financiamento

“Temos vários projectos na forja”

C

ABO Verde vai candidatar-se a financiamento chinês para projectos de desenvolvimento no país em diversas áreas, disse à agência Lusa o embaixador do país africano na China, Júlio Morais, ontem, dia em que recebeu o primeiro-ministro cabo-verdiano na capital chinesa. Contactado telefonicamente a partir de Macau, Júlio Morais explicou que a visita de Março à China da ministra cabo-verdiana das Finanças, Cristina Duarte, foi importante “porque permitiu estabelecer uma agenda bilateral” na área económica. Disse ainda que o país tem vários “projectos na forja”. para os quais se vai candidatar a apoios chineses. Júlio Morais especificou que os projectos em preparação incluem áreas como pescas, logística, energias renováveis e tecnologias de informação e comunicação, “todos, em princípio, no quadro de financiamento do fórum de cooperação

sino-africano”, através do Banco de Desenvolvimento da China, que tem três instrumentos de financiamento para os países africanos. Cabo-Verde candidata-se pela primeira vez.

AMIZADE E COOPERAÇÃO

Sobre a visita do primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria das Neves, o embaixador explicou que tem duas características: a primeira de “amizade e cooperação”, a convite do Partido Comunista Chinês, e a segunda, já como chefe de Governo, para participar na cerimónia inaugural da quinta conferência ministerial do Fórum de cooperação sino-africano, que tem lugar esta semana. “Aproveita-se a estadia do senhor primeiro-ministro para ter encontros de cortesia com o seu homólogo chinês, o primeiro-ministro Wen Jiabao, e com mais um líder da Comissão Permanente do Comité central do Partido Comunista”, explicou, ao salientar que

o objectivo “é trocar pontos de vista e fazer um ‘update’ das relações”.

VINDA A MACAU

Júlio Morais disse também que a nova conjuntura de Cabo Verde, que está graduado como dos “países menos avançados”, acarreta novos desafios. Será com esse pano de fundo que Cabo Verde apresentará às autoridades chinesas os “novos desafios e as melhores maneiras de poder então projectar no futuro as relações do país com a China”. Depois de Pequim, onde estará até sexta-feira, José Maria das Neves visitará a Zona Económica Especial de Shenzhen, adjacente a Hong Kong no sábado. O último dia da visita à China será no domingo, quando se deslocar a Macau, onde manterá um encontro com o chefe do Executivo, Fernando Chui Sai On, e participará num jantar com a comunidade radicada na actual Região Administrativa Especial chinesa.

Países africanos esperam apoio financeiro

Todos ao mesmo

O

S funcionários africanos que estão em Adis-Abeba, capital da Etiópia, para participar na 19ª Cúpula da União Africana, expressaram anteontem a sua expectativa para a Conferência Ministerial do Fórum de Cooperação China-África, a ser realizada em Pequim. Todos frisam o optimismo em cooperações com apoio financeiro chinês. O presidente da Comissão da Comunidade Económica dos Estados da África

Ocidental, Ablasse Ouedraogo, afirmou que o desenvolvimento da China beneficiou a organização. Para ele, a cooperação económica e comercial com o país asiático é muito importante para a sua Comunidade e é exactamente isso que a entidade vai procurar durante a Conferência em Pequim. A ministro das Relações Externas e da Cooperação do Ruanda, Louise Mushikiwabo, revelou que a delegação do país será chefiada pelo ministro das Finanças. Para ele, a cooperação sino-africana é de benefício recíproco. Disse que a China contribuiu bastante para a reconstrução socioeconómica do Ruanda e que o modelo chinês de desenvolvimento é um bom exemplo para o país. O chanceler da Tanzânia, Bernard Kamilius, afirmou que as relações entre a China e os países africanos têm como base a cooperação e o benefício recíproco. Tem grande expectativa pela Conferência em Pequim.

nacional

9


nacional

10

quarta-feira 18.7.2012

www.hojemacau.com.mo

Relações com Pequim pioram de dia para dia

Vaticano confirma excomunhão de bispo

A

Santa Sé anunciou ontem que o padre Yue Fusheng incorreu numa pena de excomunhão automática (latae sentetiae) após ter sido ordenado bispo, na sexta-feira, sem autorização do Papa. “O reverendo Joseph Yue Fusheng, ordenado sem mandato pontifício e, portanto, ilicitamente, incorreu automaticamente nas sanções previstas pelo cânone 1382 do Código de Direito Canónico”, refere um comunicado divulgado pela sala de imprensa do Vaticano. A nota oficial acrescenta que a Santa Sé não reconhece

o sacerdote como bispo da administração apostólica de Harbin, no nordeste do país, e que Yue Fusheng, de 48 anos, tinha sido chamado a não aceitar a “ordenação episcopal”. A cerimónia foi promovida pela Associação Patriótica Católica (APC), subordinada a Pequim. O Vaticano diz que os bispos que participaram na celebração têm de se justificar para evitar as “sanções previstas pela lei da Igreja”, entre as quais a excomunhão, para estes casos. A Santa Sé pede também que as autoridades da China evitem “acções contrárias” ao diálogo bilateral e cesse

as “celebrações ilegítimas e ordenações episcopais sem mandato pontifício”.

PRISÃO DOMICILIÁRIA

A declaração oficial considera como “motivo de apreço e alento” a “ordenação episcopal legítima” de D. Thaddeus Ma Daqin como bispo auxiliar da Diocese de Xangai, no sábado, mas lamenta a presença de um bispo “que não está em comunhão” com o Papa, gesto tido como “inoportuno”. O novo bispo, que chegou a ser dado como desaparecido, está em prisão domiciliária no seminário de Seshan, noticiou

Apoio profissional a portadores de deficiência

Governo aposta na integração Segundo as estatísticas oficiais, a China tem 85 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência.

DIREITOS HUMANOS

A

China vai reforçar o treino profissional para os portadores de deficiência, a fim de ajudá-los a encontrar emprego através de vários programas de reabilitação, de acordo com uma declaração conjunta publicada na segunda-feira. A declaração, divulgada em conjunto pela Federação Chinesa de Portadores de Deficiência (CDPF, na sigla em inglês) e dois ministérios, pede que as agências relacionadas do governo subsidiem programas de treino e ofereçam informações gratuitas e serviços de emprego para os portadores de deficiência. As administrações locais deverão elaborar planos de treino de médio e longo prazos, assim como de duração anual, para os portadores de deficiência, segundo a declaração. Os planos devem ser baseados no nível de desenvolvimento económico local e atender as necessidades de quem tem necessidades especiais.

Um plano de acção do governo emitido em Junho declarou que a China planeia ajudar 13 milhões de portadores de deficiência a reabilitarem-se através da implementação de programas-chave. O Plano de Acção Nacional dos Direitos Humanos da China (2012-2015), publicado pelo Departamento de Comunicação do Conselho de Estado, promete fazer esforços para ajudar os portadores de deficiência, promover a segurança social relacionada e proteger direitos e interesses. Também garante que a China estabilizará e expandirá o emprego para os deficientes, oferecendo-lhes serviços de emprego e formação profissional, para criar 800 mil novos empregos até 2015. Nos últimos cinco anos, a China criou empregos para cerca de 1,8 milhão de portadores de deficiência provenientes das zonas urbanas e garantiu o sustento de mais de 6,1 milhões em zonas rurais pobres, afirmou em Junho o vice-presidente da CDPF, Wang Xinxian.

também ontem a agência católica AsiaNews, após ter apresentado a sua demissão da APC. A APC foi criada em

1957 para evitar interferências estrangeiras, em especial da Santa Sé, e para assegurar que os católicos viviam em conformidade

com as políticas do Estado – o que inclui o controlo de Pequim sobre a nomeação de bispos, pretensão não reconhecida pelo Vaticano.

Oferecem assistência legal nas regiões menos desenvolvidas

Advogados chegam-se à frente A

DVOGADOS voluntários e estudantes de direito estão a oferecer assistência legal nas regiões menos desenvolvidas da China e têm ajudado os governos locais a resolver quase 4 mil casos de disputas que envolveram grupos de pessoas em três anos. Os seus esforços fazem parte da Campanha de Acção de Assistência Legal Voluntária da China “um-mais-um” realizada desde 2009, segundo uma conferência sobre a campanha realizada no domingo. A campanha tem o objectivo de ampliar a rede de assistência legal para o país inteiro. Até agora, a rede tem cobertura em 19 províncias e regiões incluindo Tibete, Xinjiang, Qinghai, Ningxia e Gansu. Nos últimos três anos, quase 800 advogados e estudantes universitários visitaram mais de 300 distritos carentes de recursos legais nas áreas desfavorecidas e voluntariaram os seus serviços para mais de um milhão de pessoas, disse o director-geral da Fundação de Assistência Legal da China, Yue Xuanyi, cuja agência organizou a campanha.

Air China oferece bilhetes por culpa de avaria informática A transportadora aérea chinesa vendeu bilhetes de Pequim para Melbourne, Sydney e Bangkok a custo zero por problemas técnicos no seu site. O incidente aconteceu na semana passada, na noite de 10 de Julho. Por alguns instantes, os passageiros puderam adquirir bilhetes, pagando unicamente as taxas de embarque, segundo o China Daily Europe. Foi possível conseguir viagens de ida e volta, de Pequim para Sydney, por 313,48 dólares, cerca de cinco vezes menos que o preço normal. A companhia aérea anunciou no seu blog que cobrirá as perdas causadas pelo erro, podendo os passageiros viajar ao preço a que compraram os seus bilhetes. 


quarta-feira 18.7.2012

Timor-Leste sem incidentes significativos

A

H

OUTRA VISÃO

dos votos e 25 lugares, o Partido Democrático (PD) 10,30% e oito lugares e a Frente Reconstrução Nacional de Timor-Leste (Frente Mudança) 3,11% dos votos e dois lugares. No domingo, os distúrbios ocorreram depois de o partido de Xanana Gusmão ter convidado os dois partidos que elegeram menos deputados para formar Governo – proposta aceite -, rejeitando uma coligação com a Fretilin, o segundo partido mais votado pelos timorenses.

Funcionária dos serviços de informações militares de Taiwan desapareceu

Na lista dos mais procurados

T

AIWAN colocou uma funcionária dos serviços de informações militares na lista de procurados da ilha, por não ter regressado ao trabalho depois de umas férias na Tailândia no mês passado, informou hoje o Ministério da Defesa local. Identificada apenas pelo apelido Yeh, a funcionária em causa foi demitida dos serviços de informações militares e enfrentará um tribunal marcial por ter abandonado o seu posto se regressar a Taiwan, explicou o Ministério da Defesa da ilha. O organismo nega, porém, as especulações veiculadas pelos órgãos de comunicação social da ilha,

Um centro internacional

criminalidade de pessoas que atiram pedras e se escondem, que tentam obstruir as ruas e fogem e que atacam carros. Pessoas quase sempre no anonimato.” Opinião diferente tem, contudo, o presidente timorense, Taur Matan Ruak. Na segunda-feira, depois de reunir com os quatro partidos que conquistaram assentos parlamentares, afirmou que os incidentes registados no domingo foram provocados por partidos com assento parlamentar, sem especificar quais. Nas legislativas de 7 de Julho, o Conselho Nacional da Reconstrução de Timor-Leste (CNRT), de Xanana Gusmão, angariou 36,68% dos votos, garantindo 30 lugares no Parlamento, a Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin) 29,89%

que indicam que Yeh terá angariado informações militares importantes de Taiwan e desertado para a China. “Estamos a investigar o caso e vamos rever os nossos sistemas de recrutamento, selecção e treino de pessoal”, refere o Ministério em comunicado.

Antigo presidente da Panasonic morreu aos 99 anos Masaharu Matsushita, genro do fundador da Panasonic, que ajudou durante meio século a afirmar a empresa de electrónica japonesa como uma marca global, morreu aos 99 anos, na segunda-feira, num hospital em Osaka. Filho de um pintor, Matsushita estudou Direito e casou com a filha do fundador da Panasonic, tendo assumido a presidência da empresa em 1961, durante 16 anos. As causas da morte não foram reveladas.

11

Quase um milhão de empresas registadas confirmam importância de Hong Kong

Sossego está de volta

situação em Timor-Leste “está calma” e a noite “foi passada sem incidentes significativos”, disse ontem à agência Lusa fonte policial, ao salientar que a polícia tem respondido a todas as solicitações. “Com excepção de uma ou outra pedrada e da criminalidade normal não se registaram quaisquer incidentes no país.” Depois de dois dias com registo de acções criminosas com ataques a viaturas e a pessoas, a polícia nacional timorense mantém várias patrulhas prontas a actuar em qualquer cenário e tem tratado os casos de ataques e obstrução das vias como simples actos criminais. “Isto não é luta política, porque essa faz-se no parlamento através da discussão de ideias, apoiadas ou não pela população, que se expressa através do voto. Isto é

região

www.hojemacau.com.mo

ONG Kong tinha no final do primeiro semestre quase um milhão de empresas no activo, mais 41.358 companhias do que no final de 2011. Um número que atesta a importância da cidade como entreposto financeiro e comercial. O crescimento do número de empresas registadas - mais 4,3% do que no final de 2011 - confirma a importância de Hong Kong como entreposto comercial internacional que muitos analistas defendem estar a perder para cidades chinesas como Cantão, mas principalmente para Xangai. Por outro lado, traduz ainda a existência de uma comunidade empresarial forte e activa, quer local quer internacional, que se

estabelece na antiga colónia britânica para promover negócios no âmbito regional, incluindo para o interior da China. Do universo de companhias registadas, 11.150 eram públicas, sendo que, segundo os mesmos dados, operavam ainda na antiga colónia britânica, no final de Junho, um total de 8.694 companhias estrangeiras. Nos primeiros seis meses do ano, foram registadas 72.427 novas empresas, um acréscimo de 2,97% relativamente às 70.338 constituídas na segunda metade do ano passado. Em contrapartida, foram dissolvidas 31.204 empresas, contra as 55.959 que cessaram actividade no final de 2011.

General Hyon Yong-chol nomeado novo chefe do Exército da Coreia do Norte

Personagem desconhecida A

Coreia do Norte nomeou o general HyonYong-chol como novo chefe do Exército Popular, um dia depois de ter sido anunciado o afastamento de Ri Yong-ho alegadamente por razões de saúde, informou a agência estatal norte-coreana KCNA. Hyon Yong-chol, membro do Comité Central do Partido dos Trabalhadores, principal órgão político da Coreia do Norte, foi nomeado “vice marechal do Exército Popular”, na segunda-feira, pela Comissão Militar do Partido dos Trabalhadores e a Comissão Nacional de Defesa, refere um breve despacho da KCNA. Pouco se sabe sobre Hyon além de ter sido nomeado general em Setembro de 2010, a par do novo líder norte-coreano, Kim Jong-un.

Na segunda-feira, a KCNA informou que, no domingo, o Comité Central do Partido dos Trabalhadores tinha afastado “de todos os cargos” Ri, considerado um dos principais líderes da Coreia do Norte e mentor do jovem líder Kim Jong-un.

FOI DOENÇA...

Ri Yong-ho, nascido em 1942, era também membro da junta governa-

Senado dos EUA diz que HSBC ignorou irregularidades

A direcção do Banco de Hong Kong e Xangai (HSBC) ignorou, durante anos, alertas de que as operações estrangeiras deste banco britânico estavam a ser usadas para lavagem de dinheiro e possivelmente para financiar terroristas, segundo uma investigação do Senado dos Estados Unidos. Num relatório de quase 400 páginas, o subcomité detalhou uma cultura no banco em que alguns executivos teriam adoptado comportamento de risco em busca de lucros. O relatório afirma que o HSBC pouco fez para limpar as operações que deveriam ter levantado preocupações, inclusive no seu banco no México. Esse banco tinha uma agência nas Ilhas Caimão, sem escritório nem empregados, mas com 50.000 contas de clientes, diz o relatório. A operação mexicana estaria ligada a casas de câmbio que, por sua vez, foram citadas por autoridades americanas como fachadas para a lavagem de dinheiro do narcotráfico.

tiva da comissão política, membro do Comité Central do Partido dos Trabalhadores e vice-presidente da comissão militar central. O regime norte-coreano alegou “doença” como a razão para o afastamento de Ri, especulando-se, no entanto, que a situação poderá ter motivações políticas. O Ministério da Unificação da Coreia do Sul considerou a situação como “muito incomum” e analistas locais consideram a possibilidade de o afastamento de Ri estar relacionado com uma luta de poder no seio do regime norte-coreano e com o controlo que Kim Jong-un pretende exercer sobre o Exército. Com cerca de 1,1 milhões de efectivos, o Exército Popular da Coreia do Norte é um dos mais numerosos do mundo.


12

reportagem

quarta-feira

www.hojemacau.com.mo

Versão chinesa

Salva salva

Cada vez mais chineses tê pouco tempo. Como as qu mas também sonhos realiz

O

Sina Weibo, popularmente chamado de Weibo, é uma versão chinesa do site de microblogging Twitter. Contabiliza 300 milhões de utilizadores, sendo uma das redes sociais mais populares do mundo. Uma reportagem da BBC, feita a partir de Xangai pelo repórter Duncan Hewitt, mostra como algumas das histórias que o Weibo desencadeou dão uma ideia dos meandros da vida na China moderna. O impacto da internet na sociedade chinesa parece ser maior do que em qualquer outro país. Web e o microblogging dão às pessoas a oportunidade de se expressar - algo que, por razões políticas, seria impossível fazer de outro modo. O Weibo, controlado pelo maior portal de internet do país, o Sina, não só desafia a predominância global do Twitter, como também teve um impacto importante nas vidas de cidadãos que, afinal, são tudo menos comuns.

O SALVADOR DE CÃES

Zhang Xiaoqiu ainda se lembra da data: 15 de Abril de 2011. Foi quando o Weibo mudou a sua vida e a de centenas de cães. O empresário, que mora em Pequim, sempre foi um amante dos animais, mas a notícia que recebeu naquele dia 15, via Weibo, levou-o a agir. Imagens dos animais enjaulados foram postas no Weibo, atraindo de imediato a atenção de centenas de milhares de chineses. Pelo menos cem defensores dos animais organizaram-se, entraram em seus carros e foram bloquear o camião onde seguiam os animais.

Zhang foi um desses motoristas. Ao parar o camião, atraindo a atenção da polícia e de outras autoridades, os activistas conseguiram angariar rapidamente perto de 20 mil patacas, que deram ao condutor do camião para convencê-lo a levar sua “carga” a uma ONG que cuida de cães. Hoje, Zhang é voluntário nessa ONG. Diz que, graças a campanhas organizadas via Weibo, diversas outras iniciativas semelhantes de resgate de animais ocorreram no último ano. “Cada vez que alguém divulga esse tipo de informação no Weibo, voluntários de todo o país começam a telefonar para as empresas transportadoras, para a polícia, para a sociedade protectora dos animais e para o governo. Isso põe uma enorme pressão sobre essas pessoas. Não têm outra alternativa senão agir.”

CICATRIZES

Zhou Yan, de 17 anos, está sobre uma maca, num hospital de Pequim, ainda dorida das cicatrizes na cara, nos braços e nas pernas. A sua história começou em Setembro, quando foi atacada por um ex-colega de turma, cujas investidas românticas ela tinha rejeitado. Louco, ele atirou-lhe combustível de isqueiro e ateou fogo ao seu corpo, provocando-lhe queimaduras muito graves. A situação dela poderia ter sido pior se não fosse o Weibo. As imagens dos seus ferimentos tornaram-se virais, desencadeando uma onde de ofertas de ajuda financeira e legal. Um hospital especializado em cirurgia plástica de Pequim entrou

em contacto com a família da jovem e ofereceu tratamento gratuito. Além disso, houve outro apoio mais importante, segundo conta Li Cong, mãe de Zhou Yan. “Sinto que o que mais ajudou foi o apoio espiritual recebido.” A jovem fala com esperança renovada. “Antes, achava que, com as cicatrizes, a minha vida tinha acabado. Mas agora há tanta gente a ajudar-me. Estou confiante no futuro.” Ainda que a família não esteja satisfeita com a sentença de 12 anos de prisão que recaiu sobre o agressor de Zhou, ela e os seus pais acham que, se o caso não tivesse tanta repurcussão online, o acusado poderia ter sido solto.

AR MAIS LIMPO

As preocupações com os problemas ambientais chineses têm crescido rapidamente na última década, e o Weibo tem tido um papel importante em amplificar as vozes das pessoas comuns na questão. Em Outubro de 2011, uma pioria na qualidade do ar de Pequim desen-

cadeou um grande debate público no Weibo - principalmente após algumas celebridades começarem a partilhar mensagens sobre a monitorização da poluição atmosférica, informação que o governo chinês tinha tentado manter em segredo. Depois disso, e pela primeira vez, o governo concordou em tornar públicas as monitorizações dos níveis de poluentes na cidade. “Antes, o público não tinha bons canais para expressar suas opiniões”, afirma Feng Yongfeng, ambientalista e jornalista que participou da campanha. “A internet e o Weibo mudaram a forma como as pessoas se expressam - e quanto mais as pessoas discutiram o tema, mais poderosas elas se tornaram.” Yongfeng lançou um apelo no Weibo, pedindo doações para a compra de equipamentos que permitissem que as ONG do país também

monitorizassem a qualidade do ar e verificassem os números divulgados pelo governo. Diversos desses equipamentos já foram comprados. Recentemente, também apelaram


a 18.7.2012

reportagem

www.hojemacau.com.mo

13

a do Twitter mudou a vida da população

am-se os animais, am-se as pessoas

êm acesso à internet. Uma mudança estrutural que traz histórias impossíveis de contar há muito ue acontecem graças ao Weibo, que, com os seus 300 milhões de utilizadores, tem muita conversa zados para a proibição do uso de barbatanas de tubarão nas tradicionais sopas chinesas. “O Weibo trará à sociedade mudanças que não poderão ser interrompidas. Não é só uma forma de encaminhar notícias, é também uma forma de agir. A tecnologia cria um canal directo e igualitário entre as pessoas. Esse espírito realmente combina com a ideia de uma

sociedade civil - podemos lançar campanhas e inspirar os outros a envolverem-se.”

CONTRACULTURA

Numa velha fábrica em Chengdu, Gas, de 21 anos, trabalha no duro. Mas, vestindo os seus jeans largueirões, a t-shirt de basebol e uma barba de estilo boémio, dificilmente se

encaixa no estereótipo do tradicional trabalhador chinês. Nas suas próprias palavras, Gas é um “escritor de grafitti”, um artista que pinta sua marca, baseada no símbolo chinês qi - que significa “ar” ou “energia no corpo” - nos muros da cidade de Chengdu e arredores. Grafitar costuma ser um trabalho solitário na China. Até recentemen-

te, grafittis eram raramente vistos no país. Mesmo hoje, Gas estima que sejam poucos os que realmente levam a coisa a sério. A polícia e as autoridades locais pintam regularmente por cima dos grafittis. Mas Gas agora usa o Weibo para divulgar os seus desenhos, para mais de mil seguidores na China e em Hong Kong. O método também

o ajudou a entrar em contacto com outros “grafiteiros” do país. “É quase uma forma diferente de viajar. Não viajo, mas o meu trabalho sim, via internet.” É também um exemplo de como a internet e o Weibo contribuíram para o rápido crescimento da cultura alternativa - do hip-hop ao vegetarianismo - entre a população mais jovem, ansiosa por se expressar.

MÃES NA WEB

A formação de grupos online de mães é um dos fenómenos mais curiosos da internet chinesa na última década. Isto porque mulheres que antes estavam isoladas agora usam a web para partilhar informações sobre gravidez e maternidade.

O Weibo ajudou a aproximar esses grupos, tanto na vida real como no universo online. No pequeno parque junto a um edifício da cidade de Chengdu (oeste), grávidas reúnem-se regularmente aos fins-de-semana, para discutir os benefícios da amamentação - num país em que é grande a pressão, inclusive de alguns médicos, para que as mulheres alimentem os filhos com leite em pó em vez de leite materno. O grupo hoje tem acima de 5 mil seguidores, com mais de 200 mulheres a frequentar os encontros. Yushi, uma das organizadoras da iniciativa, lançou também uma campanha pró-leite materno e pró-parto normal em hospitais de Chengdu. “Sem a internet, não sei se conseguiríamos. Talvez também fosse forçada a fazer uma cesariana e a alimentar o meu filho com leite em pó, por causa do que vejo na TV. Acho que quando se muda a mãe muda-se a sociedade. É por isso que fazemos o que fazemos.”


14

publicidade

www.hojemacau.com.mo

ANÚNCIO

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO PARA “Empreitada de Amplificação do Hospital Conde São Januário(1ª Fase) - Alojamento dos Profissionais de Saúde de Primeira Linha”

CONCURSO PÚBLICO PARA «EMPREITADA DE EXECUÇÃO DO ATERRO E CONSTRUÇÃO DO DIQUE DA “ZONA A” DOS NOVOS ATERROS URBANOS» 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13.

14. 15. 16. 17.

Entidade que põe a obra a concurso: Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas. Modalidade de concurso: concurso público. Local de execução da obra: na zona marítima em frente à Avenida da Ponte da Amizade (troço de ligação à Ponte da Amizade no lado de Macau). Objecto da Empreitada: execução de aterro e construção de dique. Prazo máximo de execução: 990 (novecentos e noventa) dias. Prazo de validade das propostas: o prazo de validade das propostas é de noventa dias, a contar da data do acto público do concurso, prorrogável, nos termos previstos no programa do concurso. Tipo de empreitada: a empreitada é por preço global. Condições de carácter profissional, técnico, económico e financeiro: os concorrentes devem apresentar documentos comprovativos ou respectivas cópias devidamente autenticadas, com assinaturas reconhecidas notarialmente, relativas à execução de obras semelhantes à da empreitada posta a concurso e de outras obras previstas no programa do concurso, bem como relativamente às restantes condições previstas no mesmo programa. Modalidade jurídica de associação que deve adoptar qualquer agrupamento de empresas a quem venha eventualmente a ser adjudicada a empreitada: consórcio externo nos termos previstos no Código Comercial, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 40/99/M, de 3 de Agosto. Caução provisória: $60 000 000,00 (sessenta milhões de patacas), a prestar mediante depósito em dinheiro, garantia bancária ou seguro-caução aprovado nos termos legais. Caução definitiva: 5% do preço total da adjudicação (das importâncias que o empreiteiro tiver a receber em cada um dos pagamentos parciais são deduzidos 5% para garantia do contrato, para reforço da caução definitiva a prestar). Preço base: não há. Condições de admissão: Concorrentes estabelecidos em Macau: são admitidas as entidades inscritas na DSSOPT para execução de obras, bem como as que à data da sessão pública de abertura das propostas tenham requerido a sua inscrição ou renovação; neste último caso a admissão é condicionada à aprovação da sua inscrição ou renovação; Concorrentes não estabelecidos em Macau: são admitidas as entidades com equivalência à inscrição na DSSOPT para execução de obras, nos termos dos n.ºs 3 e 4 do artigo 63.º do Decreto-Lei n.º 74/99/M, de 8 de Novembro, bem como as que à data da sessão pública de abertura das propostas tenham requerido a equivalência à inscrição; neste último caso a admissão é condicionada à aprovação da equivalência à inscrição. Local, dia e hora limite para entrega das propostas: Local: sede do GDI, sito na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 10.º andar; Dia e hora limite: dia 4 de Outubro de 2012, quinta-feira, até às 17,00 horas. Local, dia e hora do acto público: Local: sede do GDI, sito na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 10.º andar, sala de reunião; Dia e hora: dia 5 de Outubro de 2012, sexta-feira, pelas 9,30 horas. Os concorrentes ou seus representantes deverão estar presentes ao acto público de abertura de propostas para os efeitos previstos no artigo 80.º do Decreto-Lei n.º 74/99/M e para esclarecer as eventuais dúvidas relativas aos documentos apresentados no concurso. Local, hora e preço para obtenção da cópia e exame do processo: Local: sede do GDI, sita na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 10.º andar; Hora: horário de expediente; Preço: $5 000,00 (cinco mil patacas). Critérios de apreciação de propostas e respectivos factores de ponderação: Avaliação técnica das propostas: Critérios de Apreciação Condições Profissionais e Técnicas - Plano de trabalhos - Plano de fornecimento de areias - Equipamentos - Experiência em obras semelhantes Condições Económicas e Financeiras - Valor das obras concluídas Integridade e Honestidade

Pesos atribuídos

25% 20 % 8% 25% 10% 12%

Critério de Adjudicação: A adjudicação será efectuada ao concorrente que tenha apresentado a proposta de mais baixo preço de entre as propostas e que tenham obtido a pontuação igual ou superior a 65% (sessenta e cinco por cento) do total da pontuação na respectiva avaliação técnica. Junção de esclarecimentos: Os concorrentes poderão comparecer na sede do GDI, sita na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 10.º andar, a partir de 5 de Setembro de 2012, inclusive, e até à data limite para a entrega das propostas, para tomar conhecimento de eventuais esclarecimentos adicionais. Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, aos 10 de Julho de 2012. O Coordenador Chan Hon Kit 18.

AVISO CONCURSO PÚBLICO N.º 20/P/2012 Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 29 de Junho de 2012, se encontra aberto o Concurso Público para «Fornecimento de Material de Consumo Especial para Equipamento de Esterilização de Baixa Temperatura de Tipo “Sterrad” aos Serviços de Saúde», cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos encontram à disposição dos interessados desde o dia 18 de Julho de 2012, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato sita na Cave 1 do Centro Hospitalar Conde de S. Januário, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de $39,00 (trinta e nove patacas), a título de custo das respectivas fotocópias ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet no website dos S.S. (www.ssm.gov.mo). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 13 de Agosto de 2012. O acto público deste concurso terá lugar no dia 14 de Agosto de 2012, pelas 10,00 horas, na sala do «Auditório» situada no r/c do Edifício da Administração dos Serviços de Saúde junto ao C.H.C.S.J. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de $ 24 000,00 (vinte e quatro mil patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 6 de Julho de 2012 O Director dos Serviços, Lei Chin Ion

AVISO CONCURSO PÚBLICO N.º 21/P/2012 Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 4 de Julho de 2012, se encontra aberto o Concurso Público para «Fornecimento de perfusão intravenosa e líquido para diálise peritoneal aos Serviços de Saúde», cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos encontram à disposição dos interessados desde o dia 18 de Julho de 2012, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato sita na Cave 1 do Centro Hospitalar Conde de S. Januário, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de $56,00 (cinquenta e seis patacas), a título de custo das respectivas fotocópias ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet no website dos S.S. (www.ssm.gov.mo). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 10 de Setembro de 2012. O acto público deste concurso terá lugar no dia 11 de Setembro de 2012, pelas 10,00 horas, na sala do «Auditório» situada no r/c do Edifício da Administração dos Serviços de Saúde junto ao C.H.C.S.J. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de $ 100 000,00 (cem mil patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 12 de Julho de 2012 O Director dos Serviços, Lei Chin Ion

quarta-feira 18.7.2012

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11.

Entidade que põe a obra a concurso: Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes. Modalidade de concurso: Concurso Público. Local de execução da obra: Área entre Estrada do Visconde de S. Januário e Rua Nova à Guia. Objecto da Empreitada: A construção de um alojamento dos profissionais de saúde de primeira linha . Prazo máximo de execução: 660 dias (seiscentos e sessenta dias). Prazo de validade das propostas: o prazo de validade das propostas é de noventa dias, a contar da data do Acto Público do Concurso, prorrogável, nos termos previstos no Programa de Concurso. Tipo de empreitada: a empreitada é por Série de Preços. Caução provisória: $2 200 000,00 (dois milhões, duzentas mil patacas), a prestar mediante depósito em dinheiro, garantia bancária ou seguro-caução aprovado nos termos legais. Caução definitiva: 5% do preço total da adjudicação (das importâncias que o empreiteiro tiver a receber, em cada um dos pagamentos parciais são deduzidos 5% para garantia do contrato, para reforço da caução definitiva a prestar). Preço Base: não há. Condições de Admissão: Serão admitidos como concorrentes as entidades inscritas na DSSOPT para execução de obras, bem como as que à data do concurso, tenham requerido a sua inscrição, neste último caso a admissão é condicionada ao deferimento do pedido de inscrição. 12. Local, dia e hora limite para entrega das propostas: Local: Secção de Atendimento e Expediente Geral da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, R/C, Macau; Dia e hora limite: dia 23 de Agosto de 2012 (Quinta-feira), até às 12:00 horas. 13. Local, dia e hora do acto público: Local: Sala de reunião da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, 5º andar, Macau; Dia e hora: dia 24 de Agosto de 2012 (Sexta-feira), pelas 9:30 horas. Os concorrentes ou seus representantes deverão estar presentes ao acto público de abertura de propostas para os efeitos previstos no artigo 80º do Decreto-Lei n.º74/99/M, e para esclarecer as eventuais dúvidas relativas aos documentos apresentados no concurso. 14. Local, hora e preço para obtenção da cópia e exame do processo: Local: Departamento de Edificações Públicas da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, 17º andar, Macau; Hora: horário de expediente (Das 9:00 às 12:45 horas e das 14:30 às 17:00 horas) Na Secção de Contabilidade da DSSOPT, poderão ser solicitadas cópias do processo de concurso ao preço de $1 250,00 ( mil e duzentas e cinquenta patacas). 15. Critérios de apreciação de propostas e respectivos factores de ponderação: - Preço razoável 60%; - Plano de trabalhos 10%; - Experiência e qualidade em obras 18%; - Integridade e honestidade 12%. 16. Junção de esclarecimentos: Os concorrentes poderão comparecer no Departamento de Edificações Públicas da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, 17º andar, Macau, a partir de 30 de Julho de 2012 (inclusivé) e até à data limite para a entrega das propostas, para tomar conhecimento de eventuais esclarecimentos adicionais. Macau, aos 11 de Julho de 2012. O Director dos Serviços Jaime Roberto Carion


quarta-feira 18.7.2012

publicidade

www.hojemacau.com.mo

15

Notificação n° 001/DVD-SIS/2012 Com vista a manter, na ordem, a exploração de vendilhões, a Chefe dos Serviços de Inspecção e Sanidade, Ung Sau Hong, decidiu, no uso das competências conferidas pelo Despacho n° 01/VPD/2011, publicado no Boletim Oficial da RAEM n° 4, II Série, de 26 de Janeiro, e pelo Despacho n° 01/VPD/2012, publicado no Boletim Oficial da RAEM n° 3, II Série, de 18 de Janeiro, e de acordo com as disposições do n° 4 e do parágrafo único do artigo 10° do “Código de Posturas Municipais do Concelho das Ilhas”, de 6 de Fevereiro de 1974, e dos nos 1 e 7 do artigo 3° da “Postura dos Vendilhões, Artesãos e Adelos da Cidade de Macau”, de 1 de Junho de 1987, aplicar a multa aos infractores, constantes do quadro. O IACM possui provas bastantes sobre a exploração de actividade dos respectivos infractores como vendilhões sem a devida licença. O facto ilícito que a cada qual é imputado consta do respectivo auto de notícia, constituindo as testemunhas e os produtos apreendidos temporariamente provas das suas infracções. Os mesmos infractores não apresentaram defesa escrita após terem sido notificados das acusações pelo IACM. Considerando que não se revela possível comunicar directamente aos interessados, por ofício ou outra forma, as decisões administrativas do IACM, relativas aos assuntos acima referidos, notificam-se, assim, nos termos do n° 2 do artigo 72° do “Código do Procedimento Administrativo”, os infractores que constam do seguinte quadro, para conhecimento das respectivas decisões.

Nome

N° do Documento de Identificação

N° do auto de notícia

Data da Infracção

CHAN YET MUI CHEN ZHONG LIN CHEONG OI KUAN CHEONG OI KUAN CHEONG OI KUAN CHEONG OI KUAN CHEONG OI KUAN CHEONG OI KUAN CHEONG OI KUAN CHEONG OI KUAN CHEONG OI KUAN CHEONG OI KUAN CHIO CHAT MUI CHIO CHAT MUI FONG HOK KUN FONG HOK KUN FONG HOK KUN FONG HOK KUN FONG HOK KUN FONG HOK KUN FONG HOK KUN FONG KUAN HOU FONG SAO LAN FONG SAO LAN GUAN SHAO LING HAO MEI CHU HAO MEI CHU HE GONG RUI HE JIA HAO HE WEI QIANG HE WEI QIANG HE WEI YUAN HO SAI MUI IEONG SUT MEI IEONG SUT MEI KUOK KAM CHOI

52009**(*) W50427*** 12998**(*) 12998**(*) 12998**(*) 12998**(*) 12998**(*) 12998**(*) 12998**(*) 12998**(*) 12998**(*) 12998**(*) 15121**(*) 15121**(*) 73704**(*) 73704**(*) 73704**(*) 73704**(*) 73704**(*) 73704**(*) 73704**(*) 59069/I10*** 74154**(*) 74154**(*) G54553*** 74288**(*) 74288**(*) W47712*** R07061**(*) W21664*** W21664*** W30631*** 14809**(*) 52003**(*) 52003**(*) 151/I10***

07/DVD/SIS/2012 119/DVD/SIS/2012 174/DVD/SIS/2011 269/DVD/SIS/2011 276/DVD/SIS/2011 314/DVD/SIS/2011 372/DVD/SIS/2011 375/DVD/SIS/2011 443/DVD/SIS/2011 462/DVD/SIS/2011 06/DVD/SIS/2012 31/DVD/SIS/2012 204/DVD/SIS/2011 214/DVD/SIS/2011 195/DVD/SIS/2011 210/DVD/SIS/2011 216/DVD/SIS/2011 264/DVD/SIS/2011 294/DVD/SIS/2011 364/DVD/SIS/2011 404/DVD/SIS/2011 397/DVD/SIS/2011 215/DVD/SIS/2011 263/DVD/SIS/2011 272/DVD/SIS/2011 251/DVD/SIS/2011 362/DVD/SIS/2011 353/DVD/SIS/2011 392/DVD/SIS/2011 333/DVD/SIS/2011 348/DVD/SIS/2011 403/DVD/SIS/2011 407/DVD/SIS/2011 305/DVD/SIS/2011 356/DVD/SIS/2011 01/DVD/SIS/2012

2012/1/3 2012/3/3 2011/6/21 2011/9/6 2011/9/15 2011/10/11 2011/11/3 2011/11/5 2011/12/12 2011/12/26 2012/1/3 2012/1/11 2011/7/8 2011/7/12 2011/7/5 2011/7/11 2011/7/12 2011/8/31 2011/9/22 2011/11/1 2011/11/23 2011/11/22 2011/7/12 2011/8/29 2011/9/9 2011/8/13 2011/10/31 2011/10/26 2011/11/19 2011/10/18 2011/10/20 2011/11/22 2011/11/26 2011/10/4 2011/10/28 2012/1/2

Data em que foram Valor da exarados os multa despachos de (Patacas) decisão final 2012/6/1 300 2012/6/1 500 2012/6/1 900 2012/6/1 900 2012/6/1 900 2012/6/1 900 2012/6/1 900 2012/6/1 900 2012/6/1 900 2012/6/1 900 2012/6/1 900 2012/6/1 900 2012/6/1 300 2012/6/1 300 2011/12/21 300 2011/12/21 300 2011/12/21 300 2011/12/21 300 2012/6/1 300 2012/6/1 300 2012/6/1 300 2012/6/1 20 2012/6/1 300 2012/6/1 300 2012/6/1 500 2012/6/1 600 2012/6/1 600 2012/6/1 500 2012/6/1 500 2012/6/1 500 2012/6/1 1000 2012/6/1 500 2012/6/1 600 2012/6/1 300 2012/6/1 300 2012/6/1 500

1. Os infractores necessitam de, no prazo de 15 dias, contados a partir da publicação da presente notificação, dirigir-se ao Centro de Serviços do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais, sito na Avenida da Praia Grande, 2° andar, Edifício “China Plaza”, para pagarem as respectivas multas. 2. Nos termos do artigo 149° e do n° 1 do artigo 155° do Código do Procedimento Administrativo, os infractores podem apresentar, no prazo de 15 dias, a contar da publicação da presente notificação, reclamação a Chefe dos Serviços de Inspecção e Sanidade, e/ou recurso hierárquico necessário para o Conselho de Administração do IACM, no prazo de 30 dias. Caso o infractor não liquide a multa no prazo fixado, nem apresente reclamação ou recurso hierárquico necessário nos períodos atrás referidos, o IACM submeterá o respectivo processo à Repartição das Execuções Fiscais para cobrança coerciva, nos termos da Lei em vigor. 3. O presente acto é passível de recurso contencioso para o Tribunal Administrativo, no prazo fixado no artigo 25° do Código de Processo Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto-Lei n° 110/99/M, de 13 de Dezembro, caso os infractores não hajam recebido, no prazo previsto no Código do Procedimento Administrativo, as decisões tomadas sobre o referido recurso, ou não as aceitem, salvo acto nulo.

Nome

N° do Documento de Identificação

N° do auto de notícia

Data da Infracção

LAM WAI SENG LAM WAI SENG LAM WAI SENG LAM WAI SENG LIO IOK OI LIU RUN HUA LIU YAN MEI LIU YUAN ZHI LONG CHI PAN LONG CHI PAN MA FAT KAN MAI RONG FENG NGUYEN THI HOAN NGUYEN THI HUONG NGUYEN THI THAO NIE YING QUN PHAM THI LY PHAM THI TRANG SIN HO SU WEN YONG U KUAN HOU WONG WA CHAI WONG WUI TAI XIE JUN HONG YE RUI HUI YE RUI HUI YE RUI HUI YU QUN HAO YU XIU RONG YU XIU RONG YU XIU RONG YU XIU RONG YU XIU RONG YU XIU RONG ZENG YI TU

72259**(*) 72259**(*) 72259**(*) 72259**(*) 12320/M24*** G50385*** G38139*** G59654*** 51133**(*) 51133**(*) 74241**(*) W50991*** N1207*** B4015*** B4528*** W33535*** B1743*** 20114*** 51970**(*) W36947*** 123365/M*** 74224**(*) 54615/I10*** G46350*** G38981*** W38043*** G38981*** G50166*** W33497*** W33497*** W33497*** W33497*** W33497*** W33497*** W35214***

224/DVD/SIS/2011 227/DVD/SIS/2011 274/DVD/SIS/2011 382/DVD/SIS/2011 67/DVD/SIS/2012 163/DVD/SIS/2011 118/DVD/SIS/2012 137/DVD/SIS/2012 24/DVD/SIS/2012 238/DVD/SIS/2011 359/DVD/SIS/2011 298/DVD/SIS/2011 393/DVD/SIS/2011 175/DVD/SIS/2011 223/DVD/SIS/2011 121/DVD/SIS/2012 10/DVD/SIS/2012 354/DVD/SIS/2011 450/DVD/SIS/2011 66/DVD/SIS/2012 268/DVD/SIS/2011 296/DVD/SIS/2011 360/DVD/SIS/2011 99/DVD/SIS/2012 270/DVD/SIS/2011 278/DVD/SIS/2011 332/DVD/SIS/2011 271/DVD/SIS/2011 239/DVD/SIS/2011 242/DVD/SIS/2011 311/DVD/SIS/2011 377/DVD/SIS/2011 451/DVD/SIS/2011 461/DVD/SIS/2011 205/DVD/SIS/2011

2011/7/23 2011/7/24 2011/9/9 2011/11/12 2012/1/21 2011/6/11 2012/3/3 2012/3/7 2012/1/10 2011/8/4 2011/10/30 2011/9/28 2011/11/20 2011/6/23 2011/7/22 2012/3/4 2012/1/4 2011/10/27 2011/12/14 2012/1/21 2011/9/6 2011/9/24 2011/10/30 2012/2/7 2011/9/6 2011/9/19 2011/10/17 2011/9/9 2011/8/6 2011/8/9 2011/10/8 2011/11/11 2011/12/14 2011/12/26 2011/7/9

Data em que foram exarados os despachos de decisão final 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1 2012/6/1

Valor da multa (Patacas) 100 100 100 100 500 100 500 500 100 100 100 500 1000 500 1000 500 1000 1000 300 500 1000 200 500 500 1000 500 1000 500 1000 1000 1000 1000 1000 1000 500

Macau, aos 09 de Julho de 2012 O Presidente do Conselho de Administração, substº Lei Wai Nong www. iacm.gov.mo


16

vida

quarta-feira 18.7.2012

www.hojemacau.com.mo

Convenções e exposições são a aposta forte na diversificação da economia

Centro verde procura amadurecimento pelo que o grupo de trabalho indicado vai iniciá-lo em breve. As medidas concretas ainda estão por isso em ponderação mas não serão, à partida, obrigatórias mas apenas orientadoras, adiantou Sou Tim Peng. No entanto, uma vez viabilizadas, os organizadores são incentivados a fazerem as actividades com cariz “verde”.

A proposta veio de uma vogal da Comissão para o Desenvolvimento de Convenções e Exposições. Estudo sobre a viabilidade de Macau como um centro verde nesta área vai começar em breve

15 MILHÕES PARA A INDÚSTRIA

Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

O

conceito ainda é genérico mas está a ser considerado pela Comissão para o Desenvolvimento de Convenções e Exposições (CDCE). As actividades de convenções e exposições podem vir a

sofrer orientações sob o princípio da protecção ambiental, indica o secretário-geral da CDCE, Sou Tim Peng. “A vogal que sugeriu um centro verde fez uma

breve introdução sobre o projecto. Tem a ver com o facto de organizar as actividades de convenções e exposições com materiais de construção ‘verdes’”, indica o também director

PSP é a primeira força policial do mundo com uma frota de veículos eléctricos

Um exemplo a seguir

P

ORTUGAL já foi considerado pioneiro na mobilidade elétrica. Agora, a Policia de Segurança Pública torna-se a primeira força policial do mundo a possuir uma frota de automóveis com zero emissões de CO2. Os oito novos veículos eléctricos

Nissan LEAF vão prestar serviço ao abrigo do programa Escola Segura e impulsionar a redução da pegada ecológica das forças policiais. “Temos o orgulho de ser a primeira força policial no mundo a incorporar carros com tecnologia zero emissões na nossa frota de 5000 veículos”, afirmou o director nacional da PSP, Paulo Gomes Valente, em comunicado à imprensa. “Queremos contribuir para a redução da poluição nos grandes centros urbanos e a introdução dos Nissan LEAF 100% eléctricos constitui um marco para a nossa frota”, acrescentou. Em 2011, Portugal foi apontado como um dos pioneiros na mobilidade eléctrica, após ter sido um dos primeiros a implementar uma rede de abastecimento eléctrico público.

dos serviços de economia após a reunião plenária da CDCE. O estudo de viabilidade sobre este Centro Verde de Convenções e Exposições Asiático foi ontem aprovado,

Com as rédeas do plano de estímulo ao sector de convenções e exposições desde o início deste ano, a Direcção dos Serviços de Economia (DSE) já recebeu 36 pedidos para projectos desta natureza desde 30 de Junho. Sou Tim Peng garantiu que já foram aprovados 16 planos de actividades, totalizando uma verba de 15,4 milhões de patacas para as empresas de diferentes sectores.

O plano é anual pelo que as candidaturas chegam ao longo do ano, não só de Macau. “Tanto empresas locais como de fora podem aceder a este apoio financeiro para organizar estas actividades de convenções e exposições”, avançou o responsável. O sector, visto como uma aposta forte para diversificar a economia de Macau, ainda não tem um lugar de destaque mas Sou Tim Peng está confiante que o caminho é risonho. “Tentamos promover mais o plano e aperfeiçoá-lo de modo a que mais empresas possam beneficiar dele”, avançou. “Ainda vamos fazer tudo para crescer mais. Mas hoje em dia ainda é muito cedo porque a orgânica é recente, foi alterada no fim do ano passado. Vamos tentar fazer todo o possível para crescer no desenvolvimento económico de Macau.


quarta-feira 18.7.2012

vida

www.hojemacau.com.mo

17

Hác-Sá vai ter nova arborização mais adequada às condições naturais da zona

Terminálias a caminho Noventa pés já foram transplantados da zona verde da Estrada Flor de Lótus para a área de Hác-Sá, faltam as restantes 74 terminálias. As casuarinas estão a ser alvo de fiscalizações para assegurar a segurança pública Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com

A

S obras de construção do túnel de Ká Hó vieram exigir a transplantação dos 164 pés de terminálias de folha pequena da zona verde da estrada Flor de Lótus. As condições climatéricas da zona de Hác Sá, avança o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), satisfaz as necessidades de adaptação desta espécie pelo que já estão a ser transferidas para a Colónia Balnear de Hác Sá e para a Estrada Nova de Hác Sá. “Noventa pés foram já transplantados e estão a adaptar-se bem ao ambiente e crescem fortes”, disse o IACM numa resposta enviada ao Hoje Macau. As terminálias devem ser plantadas na orla costeira e são resistentes ao vento e sal, por sua vez forma da espécie permite a penetração da luz solar. “Para além de embelezarem a paisagem, irão deixar passar mais luz natural para os visitantes da zona, e desta forma garante-se a segurança do público.”

UE aprovou novas regras para o uso de produtos biocidas As novas regras da União Europeia sobre o uso de produtos biocidas começam a ser aplicadas a partir de 1 de Setembro de 2013, reduzindo, entre outras medidas, os ensaios em animais, anunciou esta terçafeira a Comissão Europeia. O novo regulamento prevê ainda uma plataforma informática específica - o Registo de Produtos Biocidas - que servirá para apresentar pedidos, registar decisões e divulgar informação ao público. “Trata-se de mais um passo para assegurar um elevado nível de protecção da saúde dos cidadãos e do ambiente. O seu objectivo é assegurar que só sejam disponibilizados produtos seguros e

que as substâncias mais perigosas sejam mantidas fora do nosso mercado”, disse o comissário europeu para o Ambiente, Janez Potocnik. Os produtos biocidas incluem desinfectantes domésticos ou utilizados em hospitais, raticidas, repelentes de insectos, aerossóis e tintas fungicidas, comprimidos de purificação da água e muitos outros produtos. A partir de 1 de Setembro de 2013, as empresas terão duas opções para pedirem autorização para comercializar os seus produtos. A primeira, obriga-as a apresentar um pedido à Agência Europeia dos Produtos Químicos, que autoriza a venda em toda a UE. A segunda exige que as empresas

apresentem um pedido às suas autoridades nacionais, para venderem um produto no seu país de origem e nos Estados-membros em que haja reconhecimento mútuo. A nova Directiva Produtos Biocidas aumentará a segurança destes produtos químicos e simplificará a sua autorização no mercado da UE, melhorando a sua livre circulação no mercado interno. O novo regulamento contém também disposições mais eficientes sobre a autorização de produtos, os requisitos e a partilha de dados relacionados com os produtos, estimando-se uma poupança de cerca de 2,7 mil milhões de euros, durante um período de 10 anos, para a indústria.

A nova arborização da zona vem também no seguimento do resultado de um relatório da Universidade de Sun Yat-Sen, no interior da China, que avaliou a situação do crescimento das casuarinas ou árvores da tristeza da zona da praia de Hác-Sá. “Indicou que a entrada da Colónia Balnear de Hác-Sá tem 51 pés de casuarinas, dos quais mais de 50% se encontram murchos, 30% estão meio murchos e menos de 20% estão saudáveis.” Pelo que, o IACM tenciona “reforçar a sua criação e proceder ao controlo de rejuvenescimento (melhorar as condições nutritivas e intensificar a prevenção contra insectos) dos exemplares mais murchos”. Neste momento, o organismo está a proceder à poda dos ramos, de modo a promover o seu crescimento saudável. Desta forma, as casuarinas murchas vão ser sujeitas a “tratamento” para que se proceda à replantação ou a “remoção” das espécies que “não possam ser recuperadas”. A sua elevada altura também dá conta de graves riscos para a segurança pública, garante o IACM. Assim, as fiscalizações foram intensificadas

bem como os trabalhos de controlo da altura, consolidação e remoção.

PALMEIRAS RABO-DE-RAPOSA

O relatório apurou que as árvores da tristeza estiveram durante muitos anos “sob a influência das neblinas marítimas, tempestades de areia, elevada densidade de nutrientes em terrenos com alto teor de sal, sofrendo com a carência de nutrientes minerais, com a fúria dos tufões, com a invasão dos insectos e interferências humanas”. Com o enfraquecimento e envelhecimento natural a sua capacidade de resistência a insectos vai ficando reduzida, pelo que a recuperação também é mais lenta, explica o IACM. Mas esta não será a única espécie a ter lugar na orla costeira de Coloane. A caminho estão também palmeiras rabo-de-raposa, avançou o comunicado do organismo responsável pela reordenação do território. “Vamos plantar uma pequena quantidade após a conclusão da obra de construção da parede de retenção ao longo da costa da praia de Hác Sá.”

Macau Sã Assado

DESATE A FALAR MAL • Eram 17h50 em Macau quando a DSAT lançou um aviso de congestionamento de trânsito (pensamos nós). Só não sabemos muito bem onde, porque “um pico de ponte” é algo desconhecido no mapeamento de Macau Porque Macau sã assi mas também sã assado Foto: Joana Freitas


18

cultura

quarta-feira 18.7.2012

www.hojemacau.com.mo

Livro de Alexandra Rangel será apresentado no Brasil

Casas de Macau precisam de “apoios mais substanciais” andreia.silva@hojemacau.com.mo

M

UITOS temas lhe invadiram a mente na hora de realizar a tese de mestrado em Comunicação e Cultura, mas a escolha acabou por recair na comunidade que a viu nascer. Alexandra Rangel passou por Lisboa para apresentar o livro “Filhos da terra – a comunidade macaense ontem e hoje”, que deverá seguir para o Rio de Janeiro. Ao Hoje Macau, a autora defende uma juventude mais activa e a continuação de apoios governamentais Que desafios encontrou na hora de desenvolver a sua tese de mestrado? A abundante bibliografia existente sobre Macau. Foi necessário fazer uma selecção de todo esse imenso material e saber sintetizar essa informação, especialmente na parte respeitante à origem da comunidade e ao seu enquadramento histórico. Chegou a pensar em outros temas para desenvolver a sua tese? Enquanto frequentava os seminários durante o curso, vários outros temas foram encarados, relacionados com os trabalhos que fui preparando. Mas escolhi este porque era uma boa oportunidade para fazer uma maior divulgação desta comunidade tão singular, à qual a minha família está intimamente ligada há dez gerações.

mento oficial nas comemorações do Dia de Portugal. Será também feita uma apresentação no Rio de Janeiro e está prevista a sua divulgação através das Casas de Macau. Gostaria de investigar outras questões ligadas à comunidade a que pertence?

Espero poder fazê-lo. Para já, vou ainda identificar os temas. Como tem sido o acolhimento do público? Tem sido positivo, com grande satisfação minha. E sei que muitos exemplares do livro foram já vendidos. No dia da apresentação

Como surgiu a oportunidade de publicar a tese em livro? Quando defendi a dissertação, os professores que constituíram o júri encorajaram-me a fazê-lo. Atribuíram-me uma nota elevada e senti a responsabilidade de ir mais longe. Várias alternativas me foram facultadas, mas escolhi o Instituto Internacional de Macau (IIM) para a publicação, visto que ele tem nos seus objectivos uma vertente importante, neste contexto, que é a valorização da memória macaense. Depois deste lançamento em Lisboa, vai levar a obra a outros lugares? O livro teve uma pré-apresentação no Encontro da Comunidade Juvenil Macaense, que se realizou em Abril, em Macau, e o seu lança-

Fazem falta mais estudos sobre a comunidade? Existem muitos estudos publicados. No entanto, muito mudou com a criação da RAEM. Parece-me que há lugar para mais trabalhos de investigação sobre a comunidade, a sua inserção na RAEM, e até em relação a períodos da história de Macau ainda insuficientemente tratados.

Quais os desafios que a nova geração de macaenses enfrenta no futuro? A responsabilidade de dar continuidade a um legado que se identifica com Macau e a sua história. Depois, a manutenção das instituições macaenses, quer locais, quer da diáspora, cujo funcionamento futuro dependerá, em larga medida, da participação e da capacidade de liderança das camadas mais jovens. E ainda, no contexto actual da RAEM, o reforço duma presença que as autoridades locais e as da própria China desejam e respeitam.

O PAPEL DOS JOVENS

O FUTURO DE UMA CULTURA

em Lisboa, todos os exemplares disponibilizados foram adquiridos pelo público, que em grande número participou na sessão.

Andreia Sofia Silva

Alexandra Rangel ao lado do pai, Jorge Rangel (ao centro)

associação de jovens macaenses. Vê com bons olhos essa ideia? Deve ser apreciada por todos. Convém, no entanto, lembrar que é imprescindível uma participação mais activa dos jovens no seio das Casas de Macau e de outros organismos da comunidade. Isto ainda é mais relevante do que a criação de uma nova associação englobando só jovens.

Recentemente aconteceu mais um encontro da comunidade macaense mais jovem. Que balanço faz da iniciativa? Estive presente, e creio que o balanço é positivo. Muitos jovens da diáspora puderam conhecer melhor a terra-mãe e estabeleceram-se relações entre todos que poderão ser importantes no futuro. Não só foi feita uma experiência útil com jovens da comunidade empenhados na organização do encontro, como também os jovens da diáspora regressaram às suas terras mais preparados para ajudarem a dinamizar as Casas de Macau. Um dos projectos que poderá sair desse encontro é a criação de uma

Alguns elementos culturais de Macau tornaram-se Património Intangível da Humanidade. É um passo em frente pelo maior reconhecimento desta cultura? É a confirmação pública de um reconhecimento que já existia. Esta decisão pode ser encarada como um poderoso estímulo para as associações macaenses prosseguirem a sua acção em conformidade com os seus objectivos estatutários, fazendo ainda mais e melhor. O Governo da RAEM tem feito o necessário para preservar a cultura macaense, para além do “boom” do jogo? A primeira responsabilidade neste esforço de preservação e de valorização deve pertencer à própria comunidade e às suas instituições. Sei que existe um bom relacionamento entre essas instituições e as autoridades locais e centrais chinesas. Por outro lado, as Casas de Macau e outras associações da diáspora desenvolvem, nos países onde estão instaladas, uma acção positiva, precisando, porém, de apoios materiais mais substanciais. Julgo que o Governo da RAEM e a Fundação Macau têm procurado patrocinar múltiplas iniciativas desses organismos. É desejável que se possa ir ainda mais longe e que os apoios às instituições tenham um carácter mais permanente, para funcionarem com maior solidez. Acredito que a comunidade macaense, não obstante as modificações conhecidas, de natureza política e administrativa, pode e deve continuar a desempenhar um papel muito importante na construção do futuro de Macau.


quarta-feira 18.7.2012

Jogos Olímpicos Não há nada parecido na história

N

Em baixo no ranking IFFHS A

Liga portuguesa é a 20.ª mais forte do Mundo, de acordo com o ranking da Federação de História e Estatística do Futebol (IFFHS), que teve em conta apenas os seis primeiros meses de 2012. Devido ao período tido em conta, os campeonatos dos países da América do Sul e da Ásia surgem mais bem posicionados do que seria considerado normal, mas, ainda assim, é a

um grande esforço físico, exige de qualquer forma que o corpo responda de forma eficaz e imediata. A rapidez de reflexos e a concentração são fundamentais, a pressão é inerente. Mas Nur garante que a sua performance até melhorou com a gravidez. “Uma vantagem que vejo é que a minha estabilidade

aumentou talvez porque a minha gravidade e o meu peso aumentaram”, observa a atleta de 29 anos. De facto, os resultados de Nur Suryani têm melhorado desde Janeiro, quando garantiu a qualificação: em Abril acertou 392 de 400 tiros, em Maio subiu para 394 e em Junho, em Munique, atingiu 396. PUB

Defesa britânica revela-se ao jornal Express

“Fui vítima de bullying na infância” C

ASEY Stoney é uma das mais versáteis defesas da Selecção de futebol que defenderá a Grã-Bretanha nos Jogos Olímpicos de Londres, e por isso ostentará a braçadeira de capitã durante as partidas. Apesar de toda a sua actual fama e importância actual, teve uma infância bastante difícil. Quando era criança, Stoney preferia jogar futebol a fazer «coisas de menina», e revelou que sofria de bullying dos jovens que a conheciam. A atleta disse que fazia cara feia e fingia não ligar aos insultos, entretanto quando chegava a casa desfazia-se em lágrimas. «Eu tenho uma personalidade muito forte por fora, mas por dentro sou muito sensível. Eu ria da cara deles, mas em casa eu chorava», admitiu em entrevista ao jornal britânico Express.

Espanha que lidera este ranking. A IFFHS realça ainda o facto de o poder da Liga inglesa estar a decair nos últimos três anos, equivalendo-se agora ao nível da Serie A italiana e da Bundesliga. No que diz respeito à Liga portuguesa, salienta-se o facto de ter estado em muito boa posição de forma interina em 2011, mas o 20.º lugar que ocupa agora demonstra que mantém o nível dos anos recentes.

CLASSIFICAÇÃO -se muitas dúvidas sobre se devia continuar, por parte dos responsáveis desportivos malaios. Ela defendeu que sim, não queria abdicar desta oportunidade. O seu médico deu-lhe luz verde para competir e viajar para Londres, e aí vai ela. Vai competir na disciplina de carabina de ar a 10 metros e, se a modalidade não lhe exige

«Eles costumavam chamar-me de menino por preferir jogar futebol. Eu ia sempre para casa a pensar como uma coisa que eu amava tanto fazer me trazia tanta tristeza», relembra Stoney. Mas nem todas as feridas foram cicatrizadas. Agora ela sonha ganhar o ouro olímpico jogando em casa e manda um recado para os jovens: «Se eu ganhar a medalha de ouro, seria como um ah ah para eles, não seria?». «Eles faziam-me chorar, mas agora querem falar comigo», enfatiza mostrando que ainda guarda mágoas. Casey só se tornou a jogadora que é porque contou com o apoio da sua mãe e de dois professores nos momentos em que pensou abandonar o futebol. A Grã-Bretanha está no grupo A das Olimpíadas, o mesmo do Brasil.

19

Liga portuguesa é a 20.ª

Nur Suryani vai competir grávida de oito meses

UR Suryani será a primeira atleta da Malásia a participar nos Jogos Olímpicos na competição de tiro, mas não é por isso que tem atraído tantas atenções. Ela está grávida, e muito. Quando competir em Londres 2012 estará de oito meses. O nascimento do bebé está previsto para o início de Setembro. Ela vai competir no tiro e fará algo inédito. Não há registo de atletas em tão avançado estado de gravidez na história dos Jogos Olímpicos. “A minha barriga é mais popular que eu”, ri-se Nur em conversa com o “New York Times”, e já a sonhar com a história que terá para contar à filha daqui por uns anos: “Quando ela tiver idade suficiente para perceber, vou-lhe dizer: ‘Tens muita sorte, ainda não tinhas nascido e já tinhas ido aos Jogos Olímpicos.’” Nur qualificou-se dois dias depois de saber que estava grávida, e seguiram-

desporto

www.hojemacau.com.mo

(por pontos)

1. Espanha 761,0

11. México

341,5

2. Argentina

613,0

12. Rep. da Coreia 331,5

3. Brasil

590,0

13. Grécia

324,0

4. Inglaterra

470,0

14. Equador

315,0

5. Itália

469,0

15. Arábia Saudita 305,0

6. Alemanha

445,0

16. Turquia

294,0

7. Chile

411,5

17. Colômbia

290,0

8. Paraguai 384,0

18. Irão

280,0

9. França

372,0

19. Uruguai

280,0

10. Holanda

358,5

20. Portugal

278,5


20

publicidade

quarta-feira 18.7.2012

www.hojemacau.com.mo

RELATÓRIO DA ACTIVIDADE EM MACAU O resultado da actividade da Manulife em Macau, no ano de 2011, foi favorável, tendo os seguros novos de vida registado um incremento de 43%, pelo que os prémios globais ascenderam a mais de 120 milhões de patacas. Atendendo às celebrações do 15º. aniversário do estabelecimento da sucursal da Manulife em Macau, lançou-se uma campanha publicitária, consubstanciada em propaganda e anúncios colocados em autocarros, ou difundidos nos jornais, rádio e televisão com o objectivo de divulgar o nome da Manulife junto dos cidadãos de Macau. Devido ao aumento da nossa equipa responsável pela comercialização e à criação de novos distritos para intermediação, o serviço de comercialização da Manulife passou a ser efectuado nos 14º. e 16º. pisos do Edifício “Circle Square”, sito na Avenida Almeida Ribeiro, 39, mantendo-se o Serviço de Apoio ao Cliente no 8º. andar do Edifício Comercial “Nam Tung”, continuando a prestar-se um serviço de qualidade aos nossos clientes da sucursal de Macau da Manulife.

RELATÓRIO DE AUDITOR INDEPENDENTE SOBRE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Para os Administradores da Manulife (International) Limited: Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras da Manulife (International) Ltd., Sucursal de Macau (“Sucursal de Macau da Manulife”), relativas ao ano de 2011, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau, bem como nos termos das Normas Internacionais de Auditoria. No nosso relatório, datado de 20 de Abril de 2012, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo. As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2011, a demonstração de rendimento integral, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas. As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas a que acima se faz referência. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas. Para a melhor compreensão da posição financeira da Sucursal de Macau de Manulife e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangidos pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria. Bao, King To Auditor de Contas Ernst & Young - Auditores Macau, aos 20 de Abril de 2012


quarta-feira 18.7.2012

[ ] Cinema

SALA 2

FALADO MANDARIM LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Wuershan Com: Chen Kun, Zhou Xun, Mini Yang 14.30, 16.45, 19.15, 21.30

Um filme de: Marc Webb Com: Andrew Garfield,, Emma Stone 21.30

THE AMAZING SPIDER-MAN [3D][B]

SALA 2

SALA 3

FALADO EM CANTONENSE Um filme de: Steve Martino, Mike Thurrneier 14.30, 16.15, 18.00, 19.45

Um filme de: Timur Bekmambetov Com: Benjamin Walker, Anthony Mackie, Dominic Cooper 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

ICE AGE 4: CONTINENTAL DRIFT [3D] [A]

ABRAHAM LINCOLN: VAMPIRE HUNTER [3D] [C]

VERTICAIS: 1-Provido de albarda. 2-Tecido fino. Peça de vestuário, que se veste por cima do sapato e das calças, para proteger do frio. 3-Cheiro desagradável (Bras.). Bário (s.q.). Autores (abrev.). 4-Juntai. Estado da Paraíba, Brasil (abrev.). Surpresa (Interj.). 5-Vogal (pl.). Pessoa metediça, intrometida (Bras.). 6-Protecção (Fig.). Ena!. Aguardente. 7-Acabais. Entre eles. 8-Prefixo de negação. Nome de letra. Ressoar. 9-Cobalto (s.q.). Sexto. Soma, une. 10-Aspecto fisionómico, garbo. Duas vogais. 11-Designação genérica dos compostos de arsénio em que este elemento entra com a menor valência.

SOLUÇÕES DO PROBLEMA

Sudoku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: 1-Relativo ao gelo ou às geleiras. 2-Tornassem oco. Doutor (abrev.). 3-Arsénio (s.q.). Amerício (s.q.). Cintura. 4-Duas consoantes. Soluço. Conceda abono. 5-Filó. Negação (Pref.). 6-Nome que os Muçulmanos dão ao seu Deus. Mulher solteira já de certa idade. 7 (Rom.). 7-Deus-Sol, no antigo Egipto. Habitante de praia ou praias (Bras.). 8-Demo, diabrete. Escândio (s.q.). Pertences. 9-Nome de mulher. Senhor (abrev.). Duas vogais. 10-Oferece. O m. q. ocelado. 11-Convocareis.

Aqui há gato [Tele]visão TDM 13:01 13:30 14:45 19:00 19:35 20:30 21:05 21:30 22:15 23:00 23:35 01:20 01:50

23:30 TDM News - Repetição Jornal das 24h RTPi DIRECTO TDM Entrevista (Repetição) Resistirei Telejornal Tempos Modernos Brothers and Sisters (Irmãos e Irmãs) Aquarela do Brasil TDM News Chá Forte com Limão Telejornal (Repetição) RTPi DIRECTO INFORMAÇÃO TDM

RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:30 Com Ciência 15:00 Gostos e Sabores 15:30 Cenas do Casamento - SIC 16:00 Bom Dia Portugal 17:30 Decisão Final 18:00 Vingança 18:45 Destino: Portugal – Vila Viçosa 19:15 Portugueses Pelo Mundo – Rússia-Moscovo 20:00 Jornal Da Tarde 21:15 Ler +, Ler Melhor 21:30 O Preço Certo 22:15 Verão Total 30 - ESPN 13:00 15:00 15:30 18:30 19:30 20:00 20:30 21:00 22:00 22:30 23:00

IRB Junior World Championship 2012 Finals South Africa vs. New Zealand FINA Aquatics World 2012 MLB Regular Season 2012 Toronto Blue Jays vs. New York Yankees (Delay) Baseball Tonight International 2012 (LIVE) Sportscenter Asia 2012 Global Football FINA Aquatics World 2012 Open Championship Official Film 2010 Sportscenter Asia 2012 Global Football Open Championship 2012

Open Championship Official Film 2011

31 - STAR SPORTS 13:00 FIM Mx3 & Women Motocross World Championship 2012 - Highlights 13:30 Golf Focus 2012 14:00 V8 Supercars Championship Series 16:00 IRB Junior World Championship 2012 Wales vs. New Zealand 18:00 Living The Dream 19:00 Asian Olympic Qualifiers Korea Republic vs. Saudi Arabia 21:00 Mobil 1 The Grid 2012 21:30 (LIVE) Score Tonight 2012 22:00 When The Games Begin 22:30 Smash 2012 23:00 When The Games Begin 40 - FOX MOVIES 12:35 Up 14:15 The Double 15:55 Scream 4 17:50 Across The Universe 20:05 U2 = Bbc 21:00 X-Men 22:45 Skyline 00:20 The Double 41 - HBO 12:00 Hemingway & Gellhorn 14:35 An Officer And A Gentleman 16:35 Blue Crush 2 18:25 Cinema Verite 19:55 The Spy Who Loved Me 22:00 Beastly 23:30 Machete 42 - CINEMAX 13:00 Frankenfish 14:30 Universal Soldier 16:00 The Ambushers 17:45 The Lovely Bones 20:00 Lethal Weapon 2 22:00 Orcs! 23:20 Strike Back 00:10 Robin Hood

HORIZONTAIS: 1-HEROI. PAGAM. 2-A. AVOCETA. I. 3-RE. ODAHORIZONTAIS: 1-GLACIARIO. A. 2-OCASSEM. DR. 3-A. AS. COS. 4-LP. AI. ABONE. 5-BOBINETE. AN. 6-ALA. TIA. VII. 7-RA. PRAIEIRO. 8-DIABO. SC. ES. 9-ANA. SR. OA. O. 10-DA. OCULADO. 11-O. CHAMAREIS. VERTICAIS: 1-G. ALBARDADO. 2-LO. POLAINA. 3-ACA. BA. AA. C. 4-CASAI. PB. OH. 5-IS. INTROSCA. 6-ASA. EIA. RUM. 7-REMATAIS. LA. ECOAR. 9-O. CO. VI. ADE. 10-DONAIRE. OI. ARSENIOSO. S.

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA 30 ANOS DE MAU FUTEBOL • João Pombeiro Uma fabulosa recolha das frases mais extravagantes do futebol português nos últimos trinta anos. Um anedotário onde figuram presidentes de clubes como Pinto da Costa ou Sousa Cintra, treinadores como Artur Jorge, Octávio Machado ou Jaime Pacheco, jogadores como Paulo Futre ou João Pinto, e árbitros como Jorge Coroado ou Veiga Trigo. Tudo o que um dia tiveram coragem de dizer.

REGRAS |

100 MITOS SOBRE O MÉDIO ORIENTE • Fred Halliday

SOLUÇÃO DO PROBLEMA DO DIA ANTERIOR

Uma breve prospecção, rigorosa e acessível, dos lugares-comuns e das falácias que povoam a historiografia da região. Halliday põe em causa, desconstrói e reinterpreta grande parte dos mais generalizados preconceitos acerca do Médio Oriente.

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição

21

Cineteatro | PUB

SALA 1

PAINTED SKIN II [C]

futilidades

www.hojemacau.com.mo

RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

E-MAILS E MAIS E-MAILS Há qualquer coisa que está por explicar. O Wall Street Journal e a Universidade da Califórnia deram a conhecer nos últimos tempos diversas trocas de e-mails entre diversas personalidades. Tudo relacionado com o império de Sheldon Adelson, a Las Vegas Sands ou a Sands China. Ontem, um texto da Universidade da Califórnia dava a conhecer correspondência de Steve Jacobs e também um e-mail de Leonel Alves enviado ao antigo consultor jurídico da Venetian, o advogado Luis Melo. O deputado da Assembleia Legislativa, e também advogado, tem vindo a ser relacionado com diversas trocas de e-mails que, em certo modo, o colocam numa posição delicada. Leonel Alves nunca desmentiu os “casos” mas vem sempre a terreiro com ameaças de processos judiciais e com vontades de gargalhar. Uma coisa é certa. Com pressão ou não, o deputado vê-se envolvido num imbróglio que aparenta não ter fim à vista e, mesmo com o perdão de Chui Sai On – que ouviu e compreendeu as explicações de Leonel Alves depois da matéria publicada pelo Wall Street Journal -, a margem de manobra do deputado começa a encurtar. O que será melhor? Dedicar-se apenas à advocacia? Se calhar é mesmo o melhor, não vá o diabo tecê-las – aliás isto da acumulação de cargos, onde os interesses convergem será matéria para outro Aqui Há Gato no futuro, pois só não vê quem não quer, e o ganho está nas mãos de quem, de forma nem sempre transparente, nos representa na Assembleia. E como um azar nunca vem só, o Benfica já não virá ao território este ano, possivelmente só em 2013. Mas, senhor deputado: “O nosso grande clube?”. Tenha paciência, cada macaco no seu galho... Miau!

Pu Yi


22

opinião

quarta-feira 18.7.2012

www.hojemacau.com.mo

Marginalizar Rapper Valete

A minha admiração por Relvas é porque ele ainda é um Gangster à antiga como os G’s sicilianos do século 19, cujo o controlo e o poder era tanto que não tinham problema nenhum em dar a cara

À

S vezes oiço alguns manos que traficam umas substâncias ilegais que mal dá pa’ fazerem 1.000 euros por mês a auto-intitularem-se de Gangsters. Inspirados por filmes de bairros étnicos norte americanos, pavoneiam-se insuflados sem a mínima noção da sua pequenez e da sua condição de vítimas. Se querem inspirar-se com reais figuras do Gangsterismo, inspirem-se em Miguel Relvas. Certamente não dos maiores G’s do nosso país, mas pelo menos o G mais “que sa foda”. Relvas é sem dúvida o governante mais street que eu conheci em Portugal. - Coordenou os Serviços Secretos para espiarem a vida de personagens importantes (empresários, políticos, jornalistas etc.) da vida pública nacional quando ainda nem sequer era Ministro. Nem fazia parte do Governo e já recebia informação sobre tudo o que se fazia nos Serviços Secretos. Nem fazia parte do Governo e já coordenava aquela merda toda. Chantageou e ameaçou uma jornalista do Público para que esta não publicasse uma PUB

notícia a seu respeito e ainda foi absolvido pela ERC (suposto órgão de regulação da comunicação social) , o que deu a entender que foi a jornalista que fabricou aquela história toda. Demitiu Pedro Rosa Mendes da Antena 1 porque este na sua crónica semanal, fez o relato mais real e fidedigno sobre o regime angolano. Orquestrou a ascensão de Passos Coelho

a líder do PSD, com vários esquemas e sub-esquemas de bastidores dentro do partido. Tentou desviar verbas comunitárias para a empresa de Passos Coelho, querendo forçar os arquitectos municipais a fazerem lá formação como contou Helena Roseta. Faz licenciaturas num ano. Já lhe chamam a turbo-licenciatura.

É amigo pessoal de alguns dos maiores Gangsters do Regime Angolano. Tem quase toda a comunicação social na mão ( Graças a “Deus” que não é toda), porque está a gerir o processo de privatização da RTP, quando se sabe que não há mercado publicitário em Portugal para sustentar 3 canais privados em regime aberto. O que está a fazer com que o grupo Impresa e o grupo Media Capital andem cheios de medo do que vai fazer o Sr. Relvas. Conhecido durante anos por ser o chibo do PSD (e não só) que fornecia aos jornais quase todas as notícias chocantes sobre o partido (e não só), para foder alguns companheiros de partido (e não só) e para catapultar outros. A minha admiração por Relvas é porque ele ainda é um Gangster à antiga como os G’s sicilianos do século 19, cujo o controlo e o poder era tanto que não tinham problema nenhum em dar a cara. Hoje a maioria dos G’s mais pesados nunca os vimos, escondem-se. Relvas ‘tá-se a cagar – siciliano old school. Toda a gente sabe que é um G, toda a gente sabe que é sujo, mas ele ‘tá-se a cagar. Continua aí. Que sa foda style.


quarta-feira 18.7.2012

www.hojemacau.com.mo

O dinamismo frugal da Índia Shashi Tharoor * In Público

A

economia derrapante da Índia tem inspirado um sentimento de pessimismo e ruína em larga escala, mas esta crescente opinião negativa é despropositada. A Índia ainda promete alguma esperança, mas, para compreender como, é necessário pôr de lado os indicadores macroeconómicos e ter em conta uma perspectiva micro. Por exemplo: se pesquisarmos no Google o termo “inovação frugal”, os primeiros 20 resultados da pesquisa estarão relacionados com a Índia. As empresas indianas reconheceram há muito as oportunidades resultantes de satisfazer uma procura anteriormente negligenciada na “base da pirâmide”. As saquetas de champô tiveram a sua origem na Índia há mais de duas décadas, criando um mercado para um produto que permitiu às pessoas mais carenciadas o acesso a um artigo que antes não tinham capacidade para comprar. Os indianos que não tinham onde nem como poder comprar um frasco inteiro de champô por 100 rupias passaram a poder comprar uma saqueta por cinco rupias e que dava para uma ou duas utilizações. Mas a liderança da Índia em termos de “inovação frugal” vai além da redução da dimensão: começa na identificação das necessidades dos consumidores pobres – o próprio termo é em si inovador (quem diria que os pobres poderiam ser consumidores?) – e prossegue desse ponto para trás. Em vez de complicar ou aperfeiçoar os seus produtos, os inovadores indianos simplificam-nos até ao mínimo imprescindível, tornando-os mais baratos, acessíveis, duradouros e eficazes. Os indianos são líderes natos no que respeita a inovação frugal, estando fortemente empenhados no sistema “jugaad” de desenvolvimento de soluções improvisadas mas práticas, a partir de recursos limitados. O conceito “jugaad” transmite essencialmente um modo de vida, uma visão global que integra a qualidade de improvisar com os poucos recursos existentes para satisfazer as necessidades. Mas o sistema “jugaad” não tem a ver com pirataria ou com o fabrico de cópias baratas de marcas globais. Tem a ver com a inovação – criação de soluções baratas, muitas vezes improvisadas no imediato, dentro dos condicionalismos de um país em desenvolvimento com enorme escassez de matéria-prima onde a pobreza é abundante. Um aldeão indiano constrói um veículo improvisado para transportar o seu gado e produtos, montando para o efeito uma bomba de irrigação manual, que serve de motor, numa carroça de madeira. Esta é a filosofia “jugaad”. Máquinas comuns e objectos domésticos reencarnam em formas que os seus criadores nunca imaginaram. Tudo é reutilizável e

reinventável. Caso não haja dinheiro para pagar a conta do telefone, inventa-se o conceito da “chamada perdida” – um toque rápido que não é atendido, mas que revela a necessidade de se falar com o destinatário. A criatividade indiana tem produzido um número surpreendente de inovações mundiais imbatíveis, mas nenhuma delas foi mais impressionante do que o Tata Nano, que, com um preço de dois mil dólares, custa aproximadamente o mesmo que um leitor de DVD de um carro de topo de gama ocidental. É claro que o Nano não tem um leitor DVD (também não tem rádio, pelo menos no modelo básico); mas as suas inovações (que já acumularam 34 patentes) não são unicamente resultantes de uma política de eliminar o que não é essencial (incluindo travagem assistida, ar condicionado e espelhos retrovisores laterais. O facto de se reduzir a utilização de aço, inventando, em alternativa, um motor em alumínio; de se aumentar o espaço através da colocação das rodas nos limites do chassis e de se implementar uma concepção modular que permite a montagem do carro através de kits provou de forma conclusiva que é possível fazer mais com menos. Existe também o GE MAC 400, um electrocardiógrafo (ECG) portátil que custa 800 dólares (a alternativa mais barata custa dois mil dólares) e o Tata Swachh, um purificador de água que custa 24 dólares (é dez vezes mais barato do que o seu concorrente mais próximo). O GE MAC 400 está equipado com apenas quatro botões, em vez da dezena habitual e com uma pequena impressora, sendo suficientemente pequeno para caber dentro de uma mochila, podendo até funcionar a pilhas; este dispositivo reduziu o custo de cada ECG em

cartoon

Uma ferramenta de diagnóstico da tuberculose e de doenças contagiosas de uma empresa em Bangalore custa 200 dólares, ao passo que o equipamento semelhante que encontramos no ocidente custa 10 mil dólares um dólar por utente. O Swachh utiliza cascas de arroz (um dos desperdícios mais comuns na Índia) para purificar a água. Tendo em conta que anualmente morrem cerca de cinco milhões de indianos devido a doenças cardiovasculares (mais de uma quarta parte deste número com menos de 65 anos) e que cerca de dois milhões morrem por beber água contaminada, o valor destas inovações é evidente. Existem muitos outros exemplos de inovação frugal no mercado, incluindo um mini-camião económico de baixo consumo, um mini-tractor cuja comercialização tem sido bem-sucedida nos Estados Unidos, um frigorífico com corrente proveniente de baterias, um inversor eléctrico que custa 100 dólares e uma lâmpada solar que custa 12 dólares. Para além disso, as inovações no campo médico são generalizadas. Uma empresa indiana inventou uma vacina contra a Hepatite B mais barata, baixando o preço de 15 dólares por vacina para menos de 0,1 dólares. O custo da insulina baixou 40% graças à empresa líder no ramo da biotecnologia. Uma ferramenta de diagnóstico da tuberculose e de doenças contagiosas de uma empresa em Bangalore custa 200 dólares, ao passo que o

opinião

23

equipamento semelhante que encontramos no ocidente custa 10 mil dólares. No final do ano passado, o governo indiano lançou um computador de mão que irá custar apenas 2.250 rupias (cerca de 40 dólares). O Aakash tem um ecrã táctil resistente, parecido com o do iPad da Apple. Está equipado com um invólucro exterior em plástico robusto, tem dois gigabytes de memória flash, duas portas USB, saídas para áudio e vídeo e capacidade Wi-Fi. O Aakash funciona com o sistema operativo Android 2.2 e consome apenas dois watts de energia, que é fornecida por uma bateria interna de iões de lítio que pode ser carregada através de um carregador solar. E o governo irá subsidiar 50% do seu custo a estudantes, para que qualquer jovem indiano apenas tenha de pagar 20 dólares para ter um tablet. As críticas iniciais são positivas. Até o sector financeiro foi alvo de inovação. Há apenas três anos, existiam somente 15 milhões de contas bancárias num país com 1,2 mil milhões de pessoas. Os indianos concluíram que se as pessoas não iam aos bancos, então os bancos iriam até às pessoas. O resultado tem sido a criação de equipas de caixas itinerantes, munidos de dispositivos manuais, que têm transformado as salas das casas rurais em balcões temporários, aceitando depósitos de apenas um dólar. Mais de 50 milhões de novas contas bancárias foram criadas, integrando a população rural pobre da Índia no sistema financeiro moderno. A inovação frugal está presente na economia indiana. É por isso que o dinamismo existente na economia indiana é maior do que pensam aqueles que apenas olham para dados macroeconómicos. Por vezes é importante concentrarmo-nos mais no detalhe e menos no todo.

* Ex-ministro de Estado indiano para os Assuntos Externos e subsecretário geral da Nações Unidas

NO MELHOR PLANO CAI O SANGUE

por Steff

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editores Nuno G. Pereira; Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Cecilia Lin; Joana Freitas; José C. Mendes; Rita Marques Ramos Colaboradores António Falcão; António Graça de Abreu; Fernando Eloy; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Carlos M. Cordeiro; Correia Marques; David Chan; Gonçalo Alvim; Helder Fernando; Jorge Rodrigues Simão; José Pereira Coutinho, Marinho de Bastos; Paul Chan Wai Chi; Pedro Correia; Peng Zhonglian; Vanessa Amaro Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


www.hojemacau.com.mo

quarta-feira 18.7.2012


Hoje Macau 18 JUL 2012 #2654