__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

A PARTIR DE CASA SARA F. COSTA

TEMPESTADE, CÉU GONÇALO M. TAVARES

LÍNGUA E ESCRITA AUDE LOCATELLI

PENSAR A VIDA VALÉRIO ROMÃO

Nº 4791 SEXTA-FEIRA 18-6-2021 DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

MOP$10

hoje macau

ELEIÇÕES

CASO JIANGMEN NO CCAC PÁGINA 5

SANDS VS AAEC

O DIA DE TAM PÁGINA 9

FRC

FITAS DE MACAU EVENTOS

ARRAIAL

SÃO JOÃO JÁ SE ACABOU

SHENZHOU-12

PÁGINA 7

CHUVA DE APLAUSOS PÁGINA 13

OPINIÃO

ROTAS DOS IMPÉRIOS PUB.

JOÃO ROMÃO

Deixa-me ir Macau quer que as autoridades de Hong-Kong aliviem as restrições de viagem para quem já esteja vacinado ou apresente um teste negativo de ácido nucleico com a validade de 48 horas. Ao fim de 10 dias sem

casos, e apenas a quatro de atingir os requisitos impostos por Macau para alterar as medidas em vigor, o Governo da RAEM prepara já um plano de negociações com o Executivo da antiga colónia britânica.

GRANDE PLANO


2 grande plano

www.hojemacau.com.mo

18.6.2021 sexta-feira

Lau Fong Chi adiantou também que, quando se realizam escalas, “há restrições diferentes e pode haver diferentes considerações tendo em conta as realidades locais”. “Não há uma restrição quanto ao local de partida”

Uma vontade de ir HONG KONG MACAU QUER MENOS RESTRIÇÕES PARA QUEM ESTÁ VACINADO

As autoridades de Macau pretendem negociar com Hong Kong o levantamento de restrições de viagem para pessoas que já estejam vacinadas ou que apresentem um teste de ácido nucleico à covid-19 negativo com validade de 48 horas. A vacina da mRNA/BioNTech começa hoje a ser administrada a adolescentes a partir dos 12 anos

R

EDUZIR o período de quarentena ou levantar algumas restrições na emigração. São estas as possibilidades levantadas pelas autoridades de Macau, que revelaram

ontem estar disponíveis para negociar com Hong Kong o levantamento de medidas de prevenção à covid-19 para pessoas que já estejam vacinadas ou que apresentem um teste de ácido nucleico negativo à covid-19 com um

prazo de 48 horas. No entanto, Leong Iek Hou, coordenadora do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, não especificou se será possível aos residentes de Macau deslocarem-se a Hong Kong

para viajarem para outros países. “Não afastamos a possibilidade de alterar as medidas para as pessoas vacinadas ou as que apresentem um teste de ácido nucleico válido por 48 horas. Hong Kong está

há 10 dias consecutivos sem novos casos, e se atingir os 14 dias, estão preenchidos os requisitos para negociarmos novas medidas. Iremos pensar [em novas regras] para as pessoas vacinadas das duas regiões, ou encurtar o prazo

de quarentena, mas depende da negociação entre os dois governos.”, disse. Leong Iek Hou referiu que tem existido uma “comunicação estreita” entre as autoridades das duas regiões, mas que as negociações não


sexta-feira 18.6.2021

Foram também avançados novos dados sobre a administração da vacina da mRNA/ BioNTech a jovens com mais de 12 anos, depois da publicação do despacho em Boletim Oficial pelo Chefe do Executivo, Ho Iat Seng

terão ainda começado. “Assim que Hong Kong conseguir estar 14 dias sem casos locais poderemos negociar se há possibilidade de ajustar as medidas de emigração. Este é o pressuposto para arrancar com os trabalhos.” “Para já não existe ainda um plano concreto, e estamos cientes de que existem alguns casos em Macau. Só estamos há 10 dias consecutivos sem novos casos. Mesmo que da parte de Hong Kong surjam medidas não é possível alterar as medidas todas de uma só vez”, adiantou a coordenadora do Centro.

Para maiores de 12

Na conferência de imprensa de ontem, foram também avançados novos dados sobre a administração da vacina da mRNA/BioNTech a jovens com mais de 12 anos, depois da publicação do despacho em Boletim Oficial pelo Chefe do Executivo, Ho Iat Seng. “Vamos estender a vacina às pessoas com idade igual ou superior a 12 anos. As pessoas entre os 12 e os

grande plano 3

www.hojemacau.com.mo

15 anos podem fazer a marcação através do nosso sistema. Os locais de vacinação serão o Centro Hospitalar Conde de São Januário, na sala de colheita de sangue, e dois centros de saúde na Ilha Verde e Ocean Garden. A quota diária será para 800 pessoas”, adiantou Tai Wa Hou, coordenador do plano de vacinação. Os jovens podem fazer-se acompanhar pelos pais e terão sempre de

apresentar um comprovativo de consentimento. Está a ser pensado ainda um plano de proximidade junto das escolas, para dar mais informações sobre a vacina e criar uma sensibilização em prol da vacinação junto da comunidade escolar.  “Estamos a planear enviar pessoal para realizar palestras e queremos começar pelas escolas secundárias para aumentar o nível de sensibilização de pais e professores, considerando que os destinatários são menores e é necessário um consentimento dos tutores e dos pais.” O plano de proximidade, a existir, deverá arrancar só em Setembro. “Há escolas mais pequenas que podem ser juntas a outras para podermos fazer os nossos trabalhos”, disse ainda Tai Wa Hou. O responsável frisou que existe “um número suficiente de doses mRNA para jovens”, tendo em conta que este fim-de-semana Macau recebe mais 10 mil doses de vacinas deste laboratório. 

Sem restrições

Os responsáveis do Centro de Coordenação foram questionados sobre casos de

TNR EM QUARENTENA Há mais um trabalhador não residente (TNR) em quarentena devido a um contacto próximo, pela via secundária, com um caso de infecção por covid-19 em Cantão. Segundo uma nota do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, o contacto terá acontecido a 4 de Junho na empresa de telecomunicações onde se encontrava a pessoa de contacto próximo. O TNR tem 33 anos e tinha regressado a casa, localizada no distrito de Nansha, em Cantão. No dia 4 de Junho, o homem fez um percurso comum com a pessoa de contacto próximo na empresa de telecomunicações e regressou, no dia seguinte, a Macau através de Zhuhai. O TNR trabalha em Macau numa empresa de jardinagem, sendo um local de trabalho “maioritariamente ao ar livre ou na montanha”, sendo que, à excepção dos colegas de trabalho, não teve contacto com outras pessoas. Esta quarta-feira, foi sujeito a testes de ácido nucleico e anticorpos séricos na Urgência Especial do Centro Hospitalar Conde de São Januário, com resultados negativos. Também os colegas de trabalho foram submetidos a testes, todos eles com resultados também negativos. Segundo a nota do Centro, “o risco de infecção [do TNR] não é elevado.

É MELHOR ESPERAR Tai Wa Hou, coordenador do plano de vacinação contra a covid-19, voltou ontem a ser questionado sobre um caso de um doente com cancro do pulmão que não entrou para a lista de casos adversos à vacina. O responsável afastou a ligação deste problema de saúde com a vacina, mas disse que não é recomendável a vacinação contra a covid-19 a doentes que estejam na fase de tratamentos de quimioterapia. “Se o paciente com cancro estiver na fase de quimioterapia ou tiver realizado a operação, aconselhamos a que não receba a vacina de imediato. Em Macau, neste momento, o risco de transmissão [da covid-19] não é alto, mas como estas pessoas não estão numa boa situação em termos de imunidade, a reacção à vacina não será tão boa como uma pessoa que não está doente. Após a quimioterapia os pacientes podem esperar pela sua recuperação e será melhor serem vacinados depois.”  Tai Wa Hou alegou o sigilo médico em relação à situação clínica do doente em causa para não adiantar mais informações, mas garantiu que este “não está na situação que referimos”. 

residentes que pretendem voar para Macau através de Singapura e que estão a ser informados, nos locais de partida, de restrições à chegada ao território. Lau Fong Chi, representante da Direcção dos Serviços de Turismo, assegurou que “o melhor será entrar em contacto com as companhias aéreas”. “Sabemos que os residentes podem fazer escala por Singapura. Tudo depende do local de partida e quais são as restrições e exigências aí. As pessoas podem ter como referência a situação anterior, em que se fazia escala em Taiwan e a única restrição era a realização de uma escala de oito horas, pelo menos, ou a obrigatoriedade de voar na mesma companhia aérea.” Lau Fong Chi adiantou também que, quando se realizam escalas, “há restrições diferentes e pode haver diferentes considerações tendo em conta as realidades locais”. “Não há uma restrição quanto ao local de partida”, frisou. Relativamente aos estudantes do ensino superior que pretendem voltar ao território, 400 dos 803 previstos já regressaram. Andreia Sofia Silva

Outros desafios Vacinação é essencial para aumentar confiança dos visitantes

D

EPOIS de se ter transformado num verdadeiro caso de sucesso na luta contra a covid-19, Macau tem agora de lidar com o desafio de vacinar a população, o que traria maior confiança a quem pretenda visitar o território. A ideia é defendida pelos académicos Glenn Mccartney e José Pinto, da Universidade de Macau (UM), num comentário publicado na revista científica Lancet, intitulado “Respostas de Macau à covid-19: Do sucesso da eliminação do vírus aos desafios da implementação da vacinação” [Macao’s COVID-19 responses: From virus elimination success to vaccination rollout challenges]. “Uma população vacinada, sobretudo os trabalhadores da linha da frente, iria reforçar a confiança dos visitantes e os seus sentimentos de segurança. Macau constitui um estudo notável tendo em conta as lições aprendidas, a vacinação que decorre em toda a Ásia e a reabertura de fronteiras.” Além disso, os autores consideram que o território “é agora desafiado a, rapidamente, garantir a imunidade de grupo devido à existência de múltiplas variáveis na Ásia”.  “Macau está economicamente dependente do turismo, e com isto, a contínua abertura de fronteiras, com a criação de bolhas de viagem, garantiu alguns visitantes. É, ainda assim, limitador e é necessário mais para devolver os lucros à indústria”, apontam. 

Prognósticos difíceis  

Contactado pelo HM, Glenn Mccartney explicou que estão em causa factores que podem mudar muito rapidamente

consoante a evolução do próprio vírus. “Não ficaria surpreendido por ver mais pessoas a serem vacinadas com base na percepção do risco do vírus. Mas precisamos de mais investigação, sobre as razões pelas quais as pessoas querem vacinar-se, a mensagem que o Governo está a passar para o público e qual a sua influência.” O artigo aponta também para a necessidade de maior análise a esta nova fase do surto, incluindo “uma investigação às taxas de vacinação dos não residentes, os motivos e as percepções de risco”. Os mais recentes casos de covid-19 na província de Guangdong têm feito soar os alarmes e as autoridades locais têm vindo a reagir com novas medidas, mas o académico, especialista nas áreas do turismo e gestão hoteleira, defende que estamos perante um panorama que pode mudar diariamente.  “Guangdong constitui uma fonte chave de visitantes para o mercado de Macau, então naturalmente terá impacto [o aumento de casos]. Há também os visitantes de outras zonas da China que viajam para Macau através de Guangdong, e que passam pela ponte ou por Zhuhai. É muito difícil estimar o impacto, é de facto uma análise feita diariamente.” As medidas de contenção são, segundo o autor do comentário, “cruciais para que haja caminho a uma rápida recuperação” do sector do turismo e jogo, concluiu.  Em relação à vacinação, os autores do estudo lembram as mensagens que o Executivo teve de transmitir junto da população para disseminar falsos rumores.Acontinuação dos apoios financeiros “incitou a confiança junto da comunidade”, defendem. A.S.S. 


4 política

18.6.2021 sexta-feira

www.hojemacau.com.mo

RÓMULO SANTOS

CÂMBIO WONG KIT CHENG QUER MEDIDAS PARA COMBATER TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAIS

A

CONSUMO INSTRUÇÕES PARA VENDEDORES EQUIVALEM PORTUGUÊS E INGLÊS

O peso do dinheiro

Depois de dois anos de discussão na especialidade, a Primeira Comissão Permanente da Assembleia Legislativa terminou a discussão da Lei de Protecção dos Consumidores. O documento precisa de ser votado no plenário, mas deve entrar em vigor no próximo ano

O

S custos para os operadores comerciais foram a razão apontada pelo Governo e deputados para que nos produtos vendidos as instruções em português possam ser substituídas pelo inglês. A explicação faz parte da análise na especialidade da Lei de Protecção dos Direitos e Interesses dos Consumidor, que deve ser votada nas próximas semanas. “Visto tratar-se de bens determinados, é necessário ter em conta a natureza dos bens em causa e não ser tão oneroso o cumprimento dessa exigência para os operadores comerciais”, é justificado no parecer elaborado pelos deputados da Primeira Comissão Permanente da Assembleia Legislativa. A questão sobre a relegação do português para o estatuto do inglês tinha sido colocada pelo deputado José Pereira Coutinho, que considerou que a proposta

nestes moldes “ia diminuir o estatuto da língua portuguesa enquanto língua oficial da RAEM”. O legislador ligado à ATFPM, não faz parte da comissão, mas enviou uma carta aos colegas e ao presidente da AL sobre o assunto, a argumentar que esta escolha “poderia pôr em causa as características identitárias de Macau, no que respeita à ligação ao mundo Lusófono”. Apesar dos argumentos, o Governo e os deputados da comissão tomaram a decisão sobre

A lei da protecção dos consumidores demorou mais de dois anos a ser discutida e envolveu 20 reuniões da comissão da Assembleia Legislativa

este aspecto de forma unânime. O parecer sobre a análise na especialidade foi assinado ontem pelos membros da comissão e o documento vai ser votado nas próximas semanas. No último encontro da comissão, presidida por Ho Ion Sang, foi frisado o facto do diploma responder à evolução das formas de consumo. “Esta lei reforça a defesa dos direitos dos consumidores e faz com que as novas formas de contrato relacionados com bens fiquem regulamentos”, sublinhou Ho. “No caso das infracções há igualmente um melhor regime sancionatório para as novas formas de consumo”, acrescentou. O deputado ligado à União Geral das Associações dos Moradores de Macau (UGAMM) destacou também que a nova lei vem regulamentar o sector das convenções, uma aposta do Governo da RAEM. “Macau tem como objectivo o desenvolvimen-

to do sector das convenções e a lei tem um capítulo só para esse aspecto”, destacou. A lei da protecção dos consumidores demorou mais de dois anos a ser discutida e envolveu 20 reuniões da comissão, 16 das quais com a presença de representantes do Executivo, e várias versões, com a mais recente a datar de 11 de Junho. O relatório final contém 282 páginas, na versão portuguesa, e cerca de 180 na versão chinesa, com o trabalho de bastidores dos envolvidos a ser destacado por Ho Ion Sang. “Quero agradecer a todos os que contribuíram para este trabalho muito longo, desde os assessores jurídicos, tradutores, entre outros. A todos os envolvidos”, mencionou. Caso seja aprovada em plenário, a Lei de Protecção dos Direitos e Interesses dos Consumidor entra em vigor no início do próximo ano. João Santos Filipe

deputada Wong Kit Cheng quer saber que medidas estão a ser adoptadas pelo Governo para fazer face ao aumento da criminalidade relacionada com o jogo. As questões surgem numa interpelação escrita divulgada ontem pela legisladora ligada à Associação das Mulheres de Macau, e que deverá ter resposta dos responsáveis da pasta da segurança. “Em resposta ao aumento das trocas ilegais de moeda causadas pela recuperação da indústria do jogo e do aumento da criminalidade, será que as autoridades já começaram os trabalhos de prevenção e combate a este tipo de crimes, para evitar que entre nas comunidades?”, questiona. Segundo a deputada, o problema tem as raízes no Interior e na transferência de capitais para Macau. Por isso, Wong pergunta também se há mecanismos de combate na “fonte” para limitar as actividades das redes criminosas envolvidas. Finalmente, a legisladora menciona a necessidade de ser desenvolvida uma campanha, com os hotéis e casinos, para explicar aos residentes e turistas os perigos que correm quando participam nas actividades de troca ilegal de dinheiro. Wong Kit Cheng apontou também baterias às medidas adoptadas pelas forças de segurança face à prática destes crimes e considera que a proibição de entrada para pessoas do Interior, sem pena de prisão, é insuficiente para fazer face ao fenómeno.

DSAT Deputados discutem inundações

A Direcção de Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) recebeu os deputados Sulu Sou, José Pereira Coutinho e Leong Sun Iok para dar explicações sobres as cheias no estacionamento subterrâneo na Praça Ferreira do Amaral. O resumo do encontro foi feito por Rocky Chan, membro da Associação Novo Macau, que acompanhou o deputado Sulu Sou. De acordo com Chan, as cheias ficaram-se a dever à chuva do dia 1 de Junho, que ultrapassou a capacidade das bombas existentes para retirarem a água do estacionamento. A DSAT defendeu ainda a empresa responsável pela gestão do estacionamento subterrâneo, que disse ter cumprido com todas as exigências do local.


sexta-feira 18.6.2021

“A associação não apresentou um pedido para constituir uma comissão de candidatura.”

GCS

Passa a bola Caso das ofertas da Associação de Jiangmen no CCAC

A

Comissão de Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa (CAEAL) entregou o caso da oferta de vales de 100 patacas de supermercado, pela Associação de Conterrâneos de Jiangmen, ao Comissariado Contra a Corrupção (CCAC). No entanto, o presidente da CAEAL, o juiz Tong Hio Fong, afirma que não existem indícios de corrupção eleitoral. “A associação não apresentou um pedido para constituir uma comissão de candidatura. [...] Sobre a eventualidade de haver corrupção, por enquanto, não verificamos indícios de corrupção eleitoral”, afirmou Tong, após a reunião de ontem da CAEAL. “Encaminhámos o caso ao CCAC e lembramos que esses actos, a oferta de lembranças e benefícios, não podem ter ligação com as actividades eleitorais”, acrescentou. A Associação de Conterrâneos de Jiangmen não está envolvida directamente nas eleições, mas conta nas fileiras com vários membros, como os deputados Zheng Anting e Mak Soi Kun, da comissão de

política 5

www.hojemacau.com.mo

TONG HIO FONG PRESIDENTE DA CAEAL

candidatura União de Macau-Guangdong. Esta comissão que serviu de base para a lista vencedora de 2017 vai voltar a participar nas eleições, numa lista que deverá ser encabeçada pro Zheng Anting. Na segunda-feira a Associação de Conterrâneos de Jiangmen promoveu a oferta de dois vales de desconto de 50 patacas no supermercado Royal e a entrega de máscaras. A campanha levou a uma corrida à sede da associação, com a polícia a ter de intervir para garantir o cumprimento das distâncias de segurança.

os actuais deputados. No entanto, faz parte das quatro, a comissão Ou Mun Kong I, do potencial candidato Lee Sio Kuan, que prometeu adoptar a estratégia do “Cão Louco” durante a campanha, sem revelar a táctica secreta. Por outro lado, foram aceites cinco listas candidatas ao sufrágio indirecto, que correspondem ao número de colégios eleitorais disponíveis. Este facto significa que assim que a ordem das listas ao sufrágio indirecto for decidida os candidatos vão ser quase automaticamente eleitos. As cinco listas candidatas pelo sufrágio indirecto são as mesmas da edição de 2017, à excepção da comissão de candidatura União dos Interesses De Medicina De Macau. Todavia, o deputado Chan Iek Lap, eleito por essa lista, deve ser integrado na lista União dos Interesses Profissionais de Macau, pelo que deve manter o lugar na Assembleia Legislativa. João

Quatro no limbo

Após a reunião de ontem, o presidente da CAEAL anunciou também que das 22 comissões de candidatura, 16 foram aprovadas e quatro contactadas para resolverem questões burocráticas, como a falta de assinaturas ou problemas como os logótipos e denominações utilizadas. Entre as comissões de candidatura com problemas burocráticos não se encontra nenhuma que tenha servido anteriormente para eleger

Santos Filipe (com J.L.)

PUB.

EDITAL Notificação relativa à audiência sobre reparação de prédio Edital n.º : 3 /E-AR/2021 Processo n.º : 35/AR/2021/F Local : Rua de Cinco de Outubro n.º 41, Edf. Fu Va, Macau.

Assine-o TELEFONE 28752401 | FAX 28752405 E-MAIL info@hojemacau.com.mo

www.hojemacau.com.mo

Lai Weng Leong, Subdirector da Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes, no uso das competências delegadas pelo Despacho n.º 06/SOTDIR/2020, publicado no Boletim Oficial da RAEM n.º 11, II série, de 11 de Março de 2020, faz saber que ficam notificados os condóminos, inquilinos ou demais ocupantes do prédio acima indicado, do seguinte: Em conformidade com o Auto de Vistoria da Comissão constante do processo a decorrer nesta Direcção de Serviços, a laje de betão armado sobrejacente à instalação sanitária da fracção 1.º andar A encontra-se visivelmente em mau estado, a qual deve ser reparada e consolidada. Pertencendo o referido elemento estrutural à parte comum do prédio, devem ser por isso os próprios condóminos a proceder à sua reparação. Nos termos do n.º 2 do artigo 54.º do Decreto-Lei n.º 79/85/M (Regulamento Geral da Construção Urbana) de 21 de Agosto, ficam os interessados notificados da audiência relativa à sua reparação. No uso das competências delegadas pela alínea 9) do n.º 2 do Despacho n.º 06/SOTDIR/2020, publicado no Boletim Oficial da RAEM n.º 11, II série, de 11 de Março de 2020, o Chefe do Departamento de Urbanização da DSSOPT, Lau Koc Kun, homologou o Auto de Vistoria acima indicado através de despacho de 8 de Junho de 2021. Notificam-se os interessados que no prazo de 10 (dez) dias a contar a partir da data da publicação do presente edital, devem dar cumprimento à ordem emanada no Auto de Vistoria, ou apresentar no mesmo prazo, conforme o disposto no artigo 94.º do Código do Procedimento Administrativo (CPA), aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M de 11 de Outubro, as alegações escritas relativas à decisão do procedimento da reparação do prédio acima indicado, podendo requerer diligências complementares acompanhadas de documentos. Se findo o prazo acima referido os interessados não derem cumprimento à respectiva ordem nem apresentarem quaisquer alegações escritas, tal não afecta a decisão tomada por esta Direcção de Serviços. Os interessados podem consultar o processo durante as horas de expediente nas instalações da Divisão de Fiscalização do Departamento de Urbanização desta DSSOPT, situadas na Estrada de D. Maria II, n.º 33, 15.º andar, em Macau. RAEM, 8 de Junho de 2021 Pela Directora de Serviços O Subdirector Lai Weng Leong


6 publicidade

www.hojemacau.com.mo

18.6.2021 sexta-feira


sexta-feira 18.6.2021

sociedade 7

www.hojemacau.com.mo

CEPA Exportações para o Interior ultrapassaram mil milhões Entre Março de 2004 e Maio deste ano, o valor total da exportação de mercadorias entre Macau e o Interior com isenção de direitos aduaneiros foi de 1.160 milhões de patacas, de acordo com um comunicado divulgado ontem pela Direcção dos Serviços de Economia e Desenvolvimento Tecnológico (DSEDT). O período em causa diz respeito à implementação do comércio de mercadorias entre as regiões no âmbito do Acordo de Estreita-

mento das Relações Económicas e Comerciais entre o Interior da China e Macau (CEPA). Em relação a este ano, até Maio, o valor das exportações para o Interior tinha sido de 35,4 milhões de patacas, o que representou um aumento de 14,3 por cento face ao período homólogo. Segundo o comunicado da DSEDT, os principais produtos exportados incluem laminados de cobre, têxteis e vestuário, selos, alimentos e bebidas.

Comércio Empresários discutiram integração no Interior Cerca de 40 representantes das instituições de promoção do comércio e das associações comerciais de Macau e do Interior participaram numa Reunião Conjunta das Associações Comerciais do Interior da China e de Macau 2021. O encontro foi realizado na quarta-feira

e contou com a presença do secretário para a Economia e Finanças, Lei Wai Nong, que desejou que os dois lados possam contribuir para a construção da zona de cooperação aprofundada entre Guangdong e Macau e o desenvolvimento das indústrias prioritárias da RAEM.

SÃO JOÃO ARRAIAL VOLTA A SER CANCELADO POR FALTA DE CONDIÇÕES

Sem balão para brincar

Pelo segundo ano consecutivo, a comissão organizadora do Arraial de São João cancelou o evento por considerar que não estão reunidas condições para a sua realização nos moldes habituais desde 2007. Chegaram a ser ponderados locais alternativos, como a Doca dos Pescadores ou a Torre de Macau

A

comissão organizadora do Arraial de São João decidiu cancelar, pelo segundo ano consecutivo, o Arraial de São João, que estava agendado para os dias 26 e 27 deste mês no bairro de São Lázaro. Segundo uma nota informativa, a comissão evoca questões logísticas, relacionadas com a pandemia, que dificultam a realização da festa, tal como a “necessidade de manter abertas determinadas vias públicas que atravessam a zona abrangida pela área do arraial”. Além disso, estão em causa “as medidas preventivas impostas pelos Serviços de Saúde e, sobretudo, a limitação no apoio financeiro de que o arraial tem beneficiado nestes últimos anos, motivadas pela pandemia”. Estes factores “tornaram impossível que o evento se realize no local previsto, uma vez que os custos são insuportáveis pelas associações organizadoras”.  A comissão adiantou ainda que chegou a ponderar fazer o arraial noutro local. No entanto, “tal hi-

pótese exigiria um compromisso imediato, algo incompatível com os ajustes orçamentais e a burocracia inerentes à alteração do pedido de apoio financeiro, que tal mudança implicaria.

Outras alternativas

Ao HM, Miguel de Senna Fernandes, presidente da Associação dos Macaenses, que integra a comissão organizadora, adiantou que a Doca dos Pescadores ou a Torre de Macau foram outros locais pensados.

“Vamos ter de repensar o arraial, sem drama, e ver as coisas como são tendo em conta a realidade. A ideia é que este seja um dia festivo e há várias fórmulas possíveis.”

“Contudo, isso exigia de nós uma resposta rápida e não era possível”, revelou. A comissão quer continuar a celebrar o São João no dia 24 de Junho, mas poderão surgir festividades alternativas ao arraial. “Vamos ter de repensar o arraial, sem drama, e ver as coisas como são tendo em conta a realidade. A ideia é que este seja um dia festivo e há várias fórmulas possíveis.” Miguel de Senna Fernandes não quis adiantar quais foram os cortes orçamentais. “Há várias maneiras de celebrar, terá de ser com um arraial? Sim ou não, dependendo das condições. Este ano estas continuam a não existir para fazer o arraial segundo os moldes anteriores”, frisou. Além da ADM, integram a comissão organizadora a Associação dos Jovens Macaenses, Associação dos Aposentados, Reformados e Pensionistas de Macau e Casa de Portugal em Macau, entre outras. Andreia Sofia Silva

MIGUEL DE SENNA FERNANDES COMISSÃO ORGANIZADORA

TRIBUNAIS TRÊS ANOS E SEIS MESES DE PRISÃO POR PRESTAÇÃO DE FALSOS TESTEMUNHOS

O

Tribunal de Segunda Instância (TSI) rejeitou dois recursos apresentados por dois condenados ao crime de prestação de falsos testemunhos pelo Tribunal Judicial de Base (TJB). O caso remonta a 2018 quando um dos recorrentes pediu 500 mil dólares de Hong Kong emprestados a duas

pessoas numa sala VIP de um casino. Depois de ter perdido o dinheiro no jogo, as duas pessoas levaram-no para dois hotéis onde ficou preso. Um deles “desferiu vários murros e pontapés” ao condenado “depois de este ter manifestado que não podia pagar o empréstimo”, tendo-o proibido de sair do

quarto. Três dias depois, o homem manietado pediu ajuda à polícia, que o encontrou no quarto do hotel. Na qualidade de testemunha, o indivíduo prestou declarações para memória futura no Juízo de Instrução Criminal do Tribunal Judicial de Base (TJB), onde alegou

que “foi tratado de forma violenta por não ser capaz de devolver o dinheiro emprestado e que a sua liberdade foi restringida”. O homem voltaria depois para o interior da China, e recebeu um telefonema do irmão do agressor a pedir o seu perdão e apoio. O homem disse ao telefone que

“um advogado ia encontrar-se com ele a fim de o ensinar a testemunhar em tribunal e a responder às perguntas do Delegado do Procurador e do Juiz”. Em Março de 2019, a vítima foi a Gongbei para se encontrar com um sujeito que o ensinou “a testemunhar em audiências de jul-

gamento com o objectivo de atenuar a culpa do alegado agressor”. O TJB condenou a testemunh a dois anos de prisão efectiva e homem que o instruiu a três anos e seis meses de prisão, também efectiva, pelos crimes de prestação de falsos testemunhos. O TSI manteve agora ambas as penas.


8 sociedade

18.6.2021 sexta-feira

AFP

www.hojemacau.com.mo

TDM AIPIM PREOCUPADA COM CONTEÚDOS APAGADOS DO “CONTRAPONTO”

A

DSEDJ ACTIVIDADES DE FÉRIAS NA GRANDE BAÍA CANCELADAS

Ficar em terra

A situação epidémica na Grande Baía levou ao cancelamento de actividades de férias planeadas pelo Governo para os jovens de Macau. Entretanto, os Serviços de Educação e Desenvolvimento da Juventude vão lançar este ano um plano para alargar o sentimento patriótico, com base na história de Macau

M

AIS e mais amor” podia ser um hino não oficial da segu n d a r eu nião deste ano do Conselho da Juventude. Após a reunião do órgão, Cheong Man Fai, da Direcção dos Serviços de Educação e Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ), revelou que será lançado ainda este ano o “plano educativo de extensão do sentimento patriótico”. O plano terá como ponto estratégico central a Base da Educação do Amor pela Pátria e por Macau, e pretende mostrar pontos geográficos de aprendizagem da história local e facultar recursos pedagógicos que dêem a conhecer, “de forma animada e viva”, a história e o desenvolvimento social da pátria e de Macau. “Em Macau há vários museus, como a Casa do Mandarim, Museu Memorial de Xian Xinghai, Museu de Macau, todos esses

locais merecem ser visitados e permitem conhecer melhor a história de Macau”, afirmou Cheong Man Fai. A chefe do Departamento de Juventude indicou que estas visitas serão organizadas conjuntamente entre a DSEDJ, o IAM e o IC. A ideia é acompanhar o andamento do que é ensinado nas salas de aula. Por exemplo, quando a história sobre a Guerra do Ópio for leccionada, as escolas podem inscrever-se para este tipo de actividade e conhecer de perto episódios e locais que marcaram o período histórico focado curricularmente. Além das visitas guiadas, Cheong Man Fai, adiantou que na

base da educação do amor serão realizados espectáculos de dança do dragão interactivos, dedicadas a alunos do ensino primário. Além de conteúdos que incidam mais sobre Macau, foram várias as vozes no Conselho da Juventude que sugeriram que a base da educação do amor se aperfeiçoasse através do recurso a novas tecnologias, como a realidade virtual, realidade aumentada e aumento dos conteúdos nas plataformas online. A aposta tecnológica não só iria colmatar os limites espaciais da base, como permitirá atrair mais visitantes, na óptica da DSEDJ, “não apenas estudantes, mas toda

“Em Macau há vários museus, como a Casa do Mandarim, Museu Memorial de Xian Xinghai, Museu de Macau, todos esses locais merecem ser visitados e permitem conhecer melhor a história de Macau.” CHEONG MAN FAI DSEDJ

a sociedade de Macau”, afirmou Cheong Man Fai. Até Maio passado, a base foi visitada por alunos de 42 escolas secundárias e primárias e 3 universidades, num total de 5000 pessoas.

Pausas curtas

No final da reunião de ontem do Conselho da Juventude foi revelado a cancelamento de actividades de férias que estavam planeadas para a zona da Grande Baía, devido aos casos de covid-19 detectados na região. Segundo Choi Man Chi, da divisão de desenvolvimento geral de estudantes da DSEDJ, no final da inscrição para as actividades de férias as autoridades contaram mais de 32 mil inscrições, para um total de 38 mil vagas. A pandemia é o núcleo principal das férias, com as autoridades a fazerem os possíveis para evitar ajuntamentos, a proporcionar distância social e uso de máscaras. Quanto ao relatório da consulta pública sobre o Política da Juventude para os próximos 10 anos, foi revelado ontem que o documento será divulgado em breve. Sobre a polémica e possível retirada da expressão “pensamento crítico” do texto, Cheong Man Fai adiantou que as expressões “pensamento crítico” e “pensamento distintivo” se vão manter no documento, e que são essencialmente sinónimos. Importa recordar que “pensamento crítico” não é uma forma de demonstrar oposição, mas um conceito analítico de avaliação da validade de uma asserção ou teoria. João Luz

Associação de Imprensa em Português e Inglês de Macau (AIPIM) manifestou ontem “preocupação” com a eliminação de comentários sobre Tiananmen num debate da Teledifusão de Macau (TDM), que levou dois comentadores a abandonarem o programa. “Estas situações e o que veio a público são motivo de atenção e preocupação por parte dos nossos associados”, escreveu a AIPIM, numa declaração enviada ontem à Agência Lusa. Em causa está um caso avançado na terça-feira pelo jornal Expresso, e confirmado ontem à Lusa por um dos comentadores do painel do programa de debate em língua portuguesa “Contraponto”, emitido pela TDM. “Objectivamente não vislumbramos motivo que impeça comentadores de se pronunciarem sobre processos em curso nos tribunais, independentemente da natureza dos mesmos e desde que se respeitem as regras e os princípios aplicáveis, como o segredo de justiça ou a presunção de inocência (...), como aliás tem sido prática», criticou a associação. “Esta situação, sendo ao que sabemos inédita no referido espaço de opinião e análise, suscita natural surpresa e preocupação”, acrescentou. Nos comentários eliminados, Frederico Rato defendia que a proibição da vigília violava a Lei Básica e que esta “corria o risco de passar a letra morta”, prenunciando “o princípio do fim da [sua] aplicação”. O jurista, que considerou o incidente “completamente inédito”, contestou ainda as justificações da estação. “Eu não fiz qualquer comentário à decisão de qualquer tribunal, fosse ele qual fosse”, disse, criticando ainda a alegação da TDM de que “não é conveniente” comentar processos judiciais em curso. “Para já, pode-se falar [sobre processos em curso], os advogados [nas causas] é que não podem, mas eu não estava lá na condição de advogado, e além disso não falei nem um segundo na gravação sobre qualquer decisão de qualquer tribunal”, acrescentou o jurista, há 37 anos em Macau.


sexta-feira 18.6.2021

sociedade 9

www.hojemacau.com.mo

CPSP Indivíduo preso por ataque aleatório a transeunte

O Corpo de Polícia de Segurança Pública deteve um homem com 40 anos que alegadamente terá agredido de forma aleatória um transeunte na Rua do Comandante João Belo. O crime foi gravado e partilhado nas redes sociais, o que levou a polícia a procurar o autor. A detenção do suspeito aconteceu ontem, por volta das 11h30, depois de as autoridades considerarem que o detido seria a mesma pessoa do vídeo. Questionado pela polícia, o homem confessou ter atacado o transeunte. As autoridades apelam a quem tenha assistido ao ataque que entre em contacto para ser testemunha no caso.

Crime Homem detido na posse de 4 gramas de ice

A Polícia Judiciária (PJ) deteve ontem um homem, com 36 anos de idade, por suspeitas de tráfico de droga. Segundo o canal chinês da Rádio Macau, o indivíduo guardava metanfetaminas, também designada por ice, num esconderijo nas escadas de um prédio da zona do Patane, perto do mercado municipal. No total, as autoridades apreenderam 4 gramas de ice, estupefaciente cujo valor no mercado negro é de cerca de 15 mil patacas. Segundo a PJ, o homem de nacionalidade vietnamita foi despedido de um casino, onde trabalhava em limpezas, e aguardava repatriamento para o Vietname. Há três meses que se dedicava ao tráfico de droga e teria como público alvo noctívagos em busca de diversão.

PJ Mulher apanhada com 267 processadores de computador

A Polícia Judiciária deteve ontem uma mulher que tentou entrar na China, através do posto fronteiriço de Gongbei, com 267 unidades centrais de processamento (CPU, na sigla inglesa). Segundo o canal chinês da Rádio Macau, as autoridades perceberam que algo de errado se passava quando viram que a mulher se deslocava de forma anormal. A razão para tal era o facto de ter os processadores escondidos no abdómen. Além disso, as autoridades interceptaram também um cidadão chinês que tinha consigo dois milhões de dólares de Hong Kong. Este preparava-se para deixar o território através do posto fronteiriço de Hengqin. Os dois casos prosseguem agora para investigação.

JUSTIÇA FRANCIS TAM TESTEMUNHOU NO CASO QUE OPÕE A SANDS À AAEC

Puxar pela memória

Manuel Joaquim das Neves testemunhou ontem no julgamento que opõe a Las Vegas Sands à Asian American Entertainment Corporation, e disse que a comissão do concurso público para as concessões trabalhou “com o máximo rigor”. Francis Tam, ex-secretário para a Economia e Finanças, prestou declarações por escrito

F

RANCIS Tam, ex-secretário para a Economia e Finanças e antigo presidente da comissão do primeiro concurso público para atribuir concessões de jogo, testemunhou por escrito no processo que a Asian American Entertainment Corporation (AAEC) instaurou contra a Las Vegas Sands. No entanto, não respondeu a várias perguntas. Foi o que afirmou ontem Jorge Menezes, advogado da autora, no julgamento que está a decorrer no Tribunal Judicial de Base. AAAEC pede uma indemnização superior a 96 mil milhões de patacas, num litígio que se arrasta há cerca de 20 anos. Em 2001, a Las Vegas Sands e a AAEC submeteram um pedido para licença de jogo, mas a Sands mudou de parceiro a meio do processo para se aliar à Galaxy, acabando por obter a concessão. Os resultados do concurso foram anunciados pelo Governo em Fevereiro de 2002. Ontem à tarde foi ouvido Manuel Joaquim das Neves, que

integrou a comissão do concurso público. A testemunha não se recordava do grau de semelhança entre a proposta inicial da AAEC e, mais tarde, a da Galaxy, mas indicou que ambas se centravam naquilo que o grupo Sands podia oferecer, nomeadamente quanto à organização de exposições e convenções. Além disso, respondeu que sem o grupo Sands, a Galaxy provavelmente não teria obtido a concessão.

Uma questão de rigor

Em tribunal, Joaquim das Neves indicou que a importância daquilo que o grupo Sands oferecia a Macau se centrava na área de exposições e convenções, na qual “estava em vantagem” relativamente a outros participantes. No entanto, quando questionado se outro concorrente aliado ao grupo Sands aliado conseguiria uma concessão, o antigo membro da comissão frisou que era necessário ver a pontuação. Quanto aos resultados na hipótese de o grupo ter mantido a ligação à

AAEC, a testemunha respondeu ser “especulação” e disse que preferia ser “mais objectivo”. “A comissão fez o seu trabalho com o máximo de rigor possível”, frisou a testemunha. Foram analisados critérios como a experiência na área do jogo, proposta de investimento, emprego e formação profissional. Uma tabela exibida em tribunal mostra que a Wynn obteve 6.433 pontos, acima dos 6.400

Foram analisados critérios como a experiência na área do jogo, proposta de investimento, emprego e formação profissional. Uma tabela exibida em tribunal mostra que a Wynn obteve 6.433 pontos, acima dos 6.400 da Galaxy

da Galaxy. Questionado sobre o ordenamento dos concorrentes, Joaquim das Neves disse que foi “bombardeado” com informações “de há 20 anos” e que não se recorda. De resto, foram vários os pontos em que respondeu não se lembrar de detalhes da altura. Ainda assim, Joaquim das Neves recorda-se de a AAEC ter apresentado um pedido de associação a outra entidade que foi indeferido, e também que o fim da relação com o grupo Sands aconteceu “na parte final”. Luís Cavaleiro de Ferreira, que representa a Las Vegas Sands, pretende mostrar que o pedido de associação revela que deixou de haver relação com o grupo Sands em meados de Janeiro. Já a autora, alega que o vínculo se manteve até dia 1 de Fevereiro de 2002, quando a comissão foi notificada do fim da ligação entre o grupo Sands e a AAEC. A próxima sessão do julgamento é na quarta-feira, e terá Carlos Lobo como testemunha. Salomé

Fernandes


10

MELHORES MARCADORES

Romelu Lukaku 2 golos

Patrik Schik 2 golos

Cristiano Ronaldo 2 golos

Ciro Immobile 2 golos

ASSISTÊNCIAS

Rafa Silva 2

Domenico Berardi 2

Gareth Bale 2

Artem Dzyuba 1

PRÓXIMOS JOGOS 00:00

Croácia-República Checa

03:00

Inglaterra-Escócia

21:00

Hungria-França

Vendaval ofensivo Itália vence Suíça com dois golos de Locatelli

C

18.6.2021 sexta-feira

www.hojemacau.com.mo

OMO a identidade histórica dos azzurri reside quase sempre nos processos defensivos, fica claro que a selecção de Roberto Mancini é muito mais que uma equipa a praticar o catenaccio de Helenio Herrera. Por fim a dizer presente no lote dos favoritos a conquistar o Euro, Itália venceu a Suíça por 3-0 numa exibição completa e premiada pelo puro talento ofensivo. O jogo começou de forma intensa, aliás se existe característica apontada às diversas equipas italianas é a garra, com a Suíça incapaz de sair do seu meio-campo devido à pressão alta que os médios Manuel Locatelli, Nicolò Barella e Jorginho exerceram em Remo Freuler e especialmente Granit Xhaka, os médios helvéticos. Apesar da dificuldade na 1.ª fase de construção, com médios e laterais italianos a pressionarem o lado onde estava a bola, a Suíça não era capaz de ocupar o espaço deixado nas costas de Barella e Locatelli, havendo uma grande distância entre estes dois

e o médio mais recuado, Jorginho. Esperava-se mais desta selecção orientada por Vladimir Petkovic mas a noite pertenceu mesmo aos italianos, e, concretamente, a Locatelli. O médio do Sassuolo, cobiçado pela Juventus, marcou dois golos. O primeiro foi logo aos 26 minutos a concluir uma boa jogada iniciada pelo próprio, finalizando após assistência de Domenico Berardi. O segundo, aos 52 minutos, foi através de um remate com o pé esquerdo à entrada da área suíça. O terceiro e último golo foi marcado por Ciro Immobile aos 89 minutos. Mesmo com a vitória expressiva em mente, Mancini desvaloriza o favoritismo “No Euro há França, Portugal e Bélgica. Um destes é campeão mundial, outro é campeão europeu e o último é a melhor selecção no ranking. Estas equipas foram construídas ao longo de anos sendo normal estarem mais à frente que nós, mas tudo acontece no futebol (...)” concluiu o seleccionador italiano.

SELECÇÃO LUSA DEFRONTA ALEMANHA NO PRIMEIRO TESTE DE FOGO

E no fim ganh Há rivalidades históricas que fazem o coração luso bater mais rápido. Seja contra Inglaterra, França ouAlemanha, o orgulho português torna-se gigante e imbatível. Em termos práticos, os confrontos contra os alemães são como o Evereste. Desde o ano 2000 que Portugal não sorri contra os germânicos. Mas cada Evereste terá um Sir Edmund Hillary, alguém capaz de o escalar

N

UNO Mendes ainda não tinha nascido. João Félix tinha um ano de idade e Cristiano Ronaldo ainda estava nas camadas jovens do Sporting Clube de Portugal. O ano dava início ao milénio e Portugal vencia a Alemanha pela terceira e última vez em 21 anos. Estávamos em território francês e em pleno Euro 2000 quando Sérgio Conceição marcava três golos à Mannschaft no terceiro jogo da fase de grupos da competição. Volvidas duas décadas, Portugal é campeão europeu e a Alemanha campeão mundial de 2014. Parece existir menos desequilíbrio entre ambas as equipas, algo que não concorda com o histórico de confrontos. O grupo F do Euro 2020 é um autêntico grupo da morte. Portugal já passou o primeiro teste com menção de excelência, com a vitória frente à Hungria por 3-0. Já a Alemanha, não parecia a selecção que tantas noites

“Espero uma selecção a tentar ganhar e o que espero de nós é uma equipa a tentar ganhar. É difícil prever porque o jogo tem vários momentos, decisões tomadas ao segundo e o nosso objectivo passa por ter bola e ganhar.” BRUNO FERNANDES

em branco deu aos portugueses quando perdeu por 1-0 frente à França. Os dois jogos são ilustrativos do momento de forma das equipas. Esta selecção germânica não impressiona. Não tem nomes sonantes e já está na calha um novo seleccionador, o ex-treinador do Bayern de Munique, Hans Flick, que tomará conta da equipa depois deste Euro. Contra a França, a Alemanha foi uma nulidade ofensiva, tendo tido bastantes dificuldades em ultrapassar a barreira gaulesa. Não foi um jogo anormal, porque a França não perde em competições oficiais desde Junho de 2019 frente à Turquia. Apesar de qualquer inferioridade alemã, continua a existir poderio do lado do adversário da selecção das quinas, pelo menos no lado mental. Portugal terá uma certa desvantagem por ter de lidar com esse historial negativo de confrontos. Ter de passar esta barreira poderá desbloquear a tal “ansiedade” que Fernando Santos atribuiu à sua equipa no início da segunda parte contra a Hungria. Com isto em mente, Portugal irá defrontar o teste mais difícil desde 2016 quando derrotou a França, conquistando o Euro. Não ter um adversário à altura desde 2016 pode ser problemático para a equipa lusa, mas não há nada melhor que ter logo um embate contra um gigante no segundo jogo da competição de maneira a preparar uma possível reconquista.

Chave da experiência

Com o teste mais difícil à porta desde que o Euro de Portugal teve início,

não há necessidade para o medo se interiorizar no seio desta equipa porque o conjunto luso já mostrou que consegue alcançar grandes conquistas. Sem defrontar a Alemanha desde 2014, e com a consciência da dificuldade da tarefa, jogadores como Pepe, Ronaldo e João Moutinho podem liderar os mais jovens e estreantes jogadores a não pensarem nos aspectos negativos do embate entre os dois


sexta-feira 18.6.2021

11

www.hojemacau.com.mo

ha Portugal?

gigantes europeus. Os três craques acima nomeados já experimentaram todas as surpresas, todos os sentimentos e todos os ensinamentos que o desporto rei lhes atirou à cara.

A Alemanha só será um adversário complicado se a selecção lusa acreditar que sim

Ter vozes destas ajudará o balneário português a ficar calmo e a entender que o seu lugar é a batalhar contra os melhores deste mundo. A montanha é grande, e em termos teóricos pode parecer um trajecto impossível, mas para Bruno Fernandes, médio do Manchester United, a confiança é um dado adquirido. “Espero uma selecção a tentar ganhar e o que espero de nós é uma equipa a tentar ganhar. É difícil

prever porque o jogo tem vários momentos, decisões tomadas ao segundo e o nosso objectivo passa por ter bola e ganhar”. Ter jogadores a pensar desta maneira só trará indícios positivos ao jogo de sábado para domingo (00:00). Nuno Mendes falhou o treino de quinta-feira devido a uma mialgia na perna esquerda. Com esta baixa, Raphaël Guerreiro irá assumir, novamente, a titularidade na lateral esquerda.

NO REINO DA PREVISIBILIDADE, VENCEU A RÚSSIA

D

EPOIS de a Finlândia ter surpreendido a Dinamarca no jogo de abertura do Grupo B, expectava-se que o mesmo poderia acontecer frente à Rússia. Após a goleada por 3-0 contra a Bélgica, o conjunto russo quis dar outra resposta e o seleccionador Stanislav Cherchesov mexeu no onze procurando dar nova vida à sua equipa. Substituiu o experiente guarda-redes Anton Shunin pelo jovem Matvei Safonov e tirou do onze Yuri Zhirkov e Andrey Semyonov, tendo colocado o médio da Atalanta Aleksey Miranchuk e o defesa Igor Diveev. A Finlândia apenas alterou uma peça no seu onze inicial, trocando Tim Sparv por Rasmus Schüller. As mudanças não melhoraram a estética do encontro. Ambas as equipas tinham processos ofensivos semelhantes, não mostrando grande variedade ou surpresa no ataque à baliza adversária. A organização ofensiva tinha sempre o mesmo tipo de jogada e finalidade, especialmente da parte da Rússia. Os processos ofensivos eram mais colectivos que individuais, no entanto os russos mostravam alguma incapacidade em chegar a zonas de finalização e a criar oportunidades de golo. Quanto à Finlândia, os processos criativos passavam mais pela individualidade de Glen Kamara, Teemu Pukki e Joel Pohjanpalo, também estes incapazes de incomodar a baliza de Safonov. Apesar da falta de poderio ofensivo, Miranchuk acabou por decidir o encontro ainda antes do intervalo. Lançado pelo seu seleccionador, o médio ofensivo concluiu uma jogada de combinação com o avançado Artem Dzyuba dentro da grande área com um belíssimo golo ao canto superior esquerdo da baliza finlandesa. Foi-lhe atribuído o prémio de melhor em campo de forma justa. O médio russo teve uma óptima exibição e um golo ainda melhor.

AAlemanha só será um adversário complicado se a selecção lusa acreditar que sim. Com confiança e motivação em ser, novamente, campeão europeu, Portugal é capaz de mover mundos e fundos até ao objectivo final. Dia 11 de Julho é o dia mais importante e onde o foco deverá permanecer sempre. Contra os alemães marchar!


12 eventos

18.6.2021 sexta-feira

www.hojemacau.com.mo

FRC “SHANGHAI SURPRISE” EM EXIBIÇÃO NA PRÓXIMA TERÇA-FEIRA

Amor e fama nas margens do Yangtze Na próxima terça-feira é exibido “Shanghai Surprise” na Fundação Rui Cunha, de Jim Goddard, filme protagonizado pelo casal, à altura, recém-casado Sean Penn e Madonna e que tem Macau como fundo escolhido para filmagens de exteriores. A projecção deste filme insere-se no programa Macau no Cinema, e é a quarta de uma série de nove

H

Á 35 anos, Sean Penn e Madonna formavam um dos casais mais falados do mundo, mediatismo alargado pelo casamento. Na próxima terça-feira, 22 de Junho, a Fundação Rui Cunha exibe “Shanghai Surprise”, filme protagonizado pelo casal recém-casado, e com grande parte dos exteriores filmados em Macau. Com hora de início marcada para as 18h30, este é o quarto filme de uma série de nove do programa “Macau no Cinema”. Realizado em 1986 por Jim Goddard e produzido pelo ex-Beatle George Harrison, que assina grande parte da banda sonora, o filme conta a história de um caçador de fortunas e homem de aventuras (Penn) que conhece uma enfermeira missionária (Madonna). A personagem encarnada pela autora de “Like a Virgin” está determinada para arranjar ópio para aliviar a dor dos seus doentes. Este desígnio irá cruzar-se com a vontade do personagem de Sean Penn de embarcar com destino aos Estados Unidos. Com estas duas demandas entrelaçadas, assim como as vidas do aventureiro e da enfermeira, “o destino leva-os a uma agitada, exótica e muito romântica busca pelas drogas roubadas”, descreve a Fundação Rui Cunha. Como seria habitual, entrar no negócio do tráfico de droga coloca em perigo o inusitado casal, uma vez que a mercadoria que ambicionam é cobiçada por contrabandistas e assassinos.

Exteriores do interior

Passado no final da década de 30 do século passado, “Shanghai Surprise” é uma comédia de aventura passada durante o período da ocupação japonesa.

CASA GARDEN EXPOSIÇÃO DE ERNEST WONG INAUGURA ESTE SÁBADO

A

galeria principal da Casa Garden recebe, a partir deste sábado e até ao dia 20 de Agosto, a exposição “Em Algum Lugar Ainda Selvagem”, de Ernest Wong Weng Cheong, e que se insere nas celebrações do 10 de Junho - Dia de Portugal, Camões e das Comunidades Portuguesas. Amostra inclui seis instalações e quatro fotos que espelham “um mundo selvagem surreal”. Segundo palavras do próprio artista, citadas por uma nota da Fundação Oriente, o público poderá ver trabalhos onde “‘criaturas’ parecidas com ovelhas abandonaram a sua necessidade básica de sobrevivência e que se afastaram da superfície terrestre sem quaisquer reservas”.  Estas “criaturas”, à medida que as suas pernas cresciam, “apartavam-se da erva que sustentava a sua vida” e, mesmo enfrentando a fome, “os seus genes não permitem mais que se curvem”.  Desta forma, e conforme explicou Ernest Wong, estas “criaturas” continuam a crescer e são capazes de observar tudo o que se passa no mundo. “Apesar da vulnerabilidade da sua posição,

não têm predadores neste lugar selvagem. Ironicamente, ao abandonarem a proximidade ao chão e à erva que as alimentava, estes seres podem-se ter tornado o seu único inimigo natural. Por isso, neste mundo selvagem, ao olhar a superfície terrestre, poder-se-á observar o epitáfio final destas criaturas escrito no seu sangue”, adiantou o artista. Ernest Wong estudou no Reino Unido, no London Goldsmith College of Art, de onde regressou “silencioso como antes, realmente como aquelas ovelhas longilíneas do seu país surreal”, descreve James Wong, coordenador da mostra. Desta forma, com esta exposição, “tudo se reflecte a partir do interior”. “Solitário, o resto do mundo provavelmente seria indiferente ao que se apresenta nesta exposição”, descreve James Wong, que não é mais do que "uma onda calma pairando sob o céu cinza, algumas casas de estacas altas à beira da água, que espelha o rebanho de ovelhas vagueando pelas encostas relvadas do vale do rio, poucas imagens de vida, duas aparições vivas”. 

IC NOVA EDIÇÃO DA REVISTA DEDICADA ÀS MISSÕES JESUÍTAS

O

Macau foi o local escolhido por toda a equipa técnica para as gravações exteriores, tendo trazido ao território Sean Penn e Madonna, duas estrelas cujas personalidades bastante extravagantes para a época, agitavam tudo à sua volta

Macau foi o local escolhido por toda a equipa técnica para as gravações exteriores, tendo trazido ao território Sean Penn e Madonna, duas estrelas cujas personalidades bastante extravagantes para a época, agitavam tudo à sua volta. Antes da exibição do filme haverá lugar para uma pequena apresentação a cargo de Filipa Guadalupe. O filme é falado e legendado em inglês e a entrada é livre, mas sujeita a limitação de lugares. João Luz

novo número da Revista de Cultura, editada pelo Instituto Cultural (IC), tem como destaque as missões jesuítas a oriente, nomeadamente ao “método missionário jesuítico dos séculos XVII e XVIII”, incluindo “a evidência do domínio competitivo católico romano de locais religiosos chineses em Macau durante o período da expansão marítima portuguesa para a Ásia Oriental e a trajectória do cristianismo protestante em Macau”. A revista aborda também a comunidade macaense neste contexto, com artigos centrados “nas metamorfoses e redefinição identitária dos euro-asiáticos que abrange o período de transição

em Macau”. Segundo uma nota do IC, “a herança macaense proveniente de Nagasaki e os efeitos da Segunda Guerra Sino-Japonesa e Segunda Guerra Mundial em Macau” são outros temas abordados. É também analisada a acção dos portugueses no Oceano Pacífico no século XVI, sendo que a revista inclui ainda um artigo onde se faz o “escrutínio da vida e obra do oficial da armada portuguesa e escritor Jaime do Inso”. A revista custa 150 patacas e pode ser adquirida no Centro de Informações ao Público, Arquivo de Macau e Plaza Cultural Macau, estando também disponível no website do IC.   


sexta-feira 18.6.2021

COVID-19 CHINA ENVIA 500 MIL DOSES DE VACINA PARA A GUINÉ EQUATORIAL

U

M lote de 500 mil doses de uma vacina chinesa contra a covid-19 foi enviado na quinta-feira da capital da China, Pequim, com destino à Guiné Equatorial, anunciou o Ministério da Saúde daquele país africano. Segundo uma publicação colocada nas redes sociais, as doses da vacina BBIBP-CorV, desenvolvida pelo laboratório estatal chinês Sinopharm, foram adquiridas pelo Governo da Guiné Equatorial. O ministério referiu que 17 por cento da população da Guiné Equatorial está já vacinada contra a covid-19. A Guiné Equatorial é o terceiro país de África com maior percentagem da população já vacinada, tendo superado o objectivo da União Africana de imunizar 10 por cento da população até Setembro, referiu o ministério. A Guiné Equatorial já tinha recebido em Fevereiro um lote com 100 mil doses da vacina BBIBP-CorV, doadas pelo Governo chinês. Parte das doses foram usadas para vacinar os cerca de 1.500 cidadãos chineses que vivem no país africano, uma campanha que terminou no início de Maio. A campanha na Guiné Equatorial fez parte da operação “Sementes da Primavera”, que o ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, Wang Yi, anunciou publicamente em 7 de Março, para vacinar os seus cidadãos no estrangeiro. A China também anunciou, em 8 de Maio, o final da campanha de imunização de quase 10 mil chineses que vivem em Angola, com a vacina da Sinopharm. A operação “Sementes da Primavera” já foi também lançada em Moçambique e em Timor-Leste. Segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana, a Guiné Equatorial registou um número total de 120 óbitos associados à covid-19 e 8.662 casos de infecção.

china 13

www.hojemacau.com.mo

ESPAÇO NAVE CHINESA COM TRÊS ASTRONAUTAS ACOPLA NA NOVA ESTAÇÃO ESPACIAL

Macau aplaude missão O C h e f e do Executivo, Ho Iat Seng, enviou, ontem, ao Governo Popular Central, uma mensagem de felicitações a congratular o sucesso do lançamento da nave espacial tripulada Shenzhou-12. «Foi com enorme alegria que tomámos conhecimento do lançamento bem-sucedido da nave espacial Shenzhou-12. Eu, em nome do Governo da Região Administrativa Especial de Macau, endereço os maiores votos de felicitações, pela indústria espacial da nossa pátria que regista novo auge, no âmbito da engenharia espacial tripulada, concretizando a primeira missão de voo espacial tripulado durante a construção da estação espacial, que abre uma nova era da estação espacial da China, bem como aos três astronautas e a todos os investigadores científicos”, pode ler-se na mensagem enviada por Ho Iat Seng. A nave espacial chinesa que partiu ao início do dia de ontem com uma tripulação de três pessoas já acoplou na nova estação espacial da China, para uma missão de três meses, noticia a imprensa estatal chinesa. A nave Shenzhou-12 acoplou no módulo residencial da estação espacial Tianhe cerca de seis horas após ter descolado. A tripulação chinesa vai realizar experiências científicas, trabalhos de manutenção, caminhadas espaciais e preparar a instalação de dois módulos adicionais. “Perante isso, os compatriotas de Macau, como o povo do país inteiro, sentem-se bastante encorajados e entusiasmados por esta experiência espacial e o seu resultado! O Governo da Região Administrativa Especial de Macau e toda a população continuarão a apoiar com todo

Ho Iat Sen Chefe do Executivo“Os compatriotas de Macau, como o povo do país inteiro, sentem-se bastante encorajados e entusiasmados por esta experiência espacial e o seu resultado!”

o empenho o desenvolvimento da indústria nacional do voo espacial tripulado, contribuindo devidamente para a prosperidade e fortalecimento da pátria e para a construção de um país forte no âmbito aeroespacial. Uma vez mais, desejamos que a tecnologia aeroespacial do

nosso país e os nossos astronautas obtenham resultados mais frutíferos», acrescenta Ho Iat Seng na mensagem do Governo da RAEM.

A crescer

Embora a China admita que chegou tarde à corrida das esta-

ESTADOS UNIDOS FELICITAM CHINA Os Estados Unidos felicitaram ontem a China pelo lançamento bem-sucedido da nave espacial Shenzhou-12 com três astronautas a bordo para participarem na construção da estação espacial de Tiangong. O administrador da agência aeroespacial norte-americana NASA, Bill Nelson, felicitou a Agência Espacial da China pelo evento. “Parabéns à China pelo lançamento bem-sucedido da tripulação para a sua estação espacial. Espero com curiosidade os descobrimentos científicos que virão”, indicou Nelson, em comunicado conciso.

ções espaciais, o país assegura que as suas instalações são de ponta e podem durar mais que a Estação Espacial Internacional, que está a chegar ao fim do seu período útil. O lançamento de ontem também relança o programa espacial tripulado da China após um hiato de cinco anos. Com a tripulação de ontem, a China aumenta para 14 o número de astronautas que lançou para o espaço, desde que alcançou o feito pela primeira vez, em 2003, tornando-se o terceiro país a fazê-lo, depois da antiga União Soviética e dos Estados Unidos. À medida que a economia chinesa começou a ganhar força, no início dos anos 1990, a China formulou um plano para a exploração espacial, que executou numa cadência constante e cautelosa. Na quarta-feira, o director-assistente da Agência Espacial Tripulada da China, Ji Qiming, disse aos jornalistas, no centro de lançamento de Jiuquan, que a construção e operação da estação espacial elevarão as tecnologias da China e “acumularão experiências úteis para todas as pessoas”. O programa espacial é parte de um esforço geral para colocar a China no caminho para missões ainda mais ambiciosas e fornecer oportunidades de cooperação com a Rússia e outros países, principalmente europeus, juntamente com o Escritório das Nações Unidas para Assuntos do Espaço Sideral. O programa espacial da China tem sido grande fonte de orgulho nacional, ilustrando a ascensão desde a pobreza até se tornar segunda maior economia do mundo, nas últimas quatro décadas.

TIKTOK FACTURAÇÃO DA APLICAÇÃO MAIS DO QUE DUPLICOU EM 2020

O

grupo chinês ByteDance, que detém a aplicação TikTok, mais do que duplicou a facturação em 2020, para o equivalente a 28.704 milhões de euros, segundo o jornal norte-americano The Wall Street Journal (WSJ). De acordo com documentos internos da empresa citados pelo jornal, as receitas aumentaram

111 por cento, face ao ano anterior, enquanto o lucro bruto aumentou 93 por cento, para o equivalente a 15.899 milhões de euros. O grupo de tecnologia registou um prejuízo líquido equivalente a 37.657 milhões de euros, devido a ajustamentos contabilísticos efetuados pela empresa, face ao aumento do valor das suas ações

preferenciais convertíveis e resgatáveis, algo que, segundo o WSJ, é comum entre empresas novas cuja avaliação disparou. Após uma ronda de financiamento no final do ano passado, a empresa estava avaliada em cerca de 150.627 milhões de euros. No final de Dezembro, o grupo ByteDance acumulava cerca

de 1.900 milhões de utilizadores activos mensais em todas as suas plataformas, que incluem, entre outras, o TikTok e a sua versão para a China, o Douyin. Nos últimos meses foram publicadas informações que davam conta que o ByteDance está a considerar entrar na bolsa em Hong Kong ou Nova Iorque.


h

14

expectoração

SARA F. COSTA

Já escrevi sobre a geracão Z num artigo anterior. Isto de voltar a um tópico sobre “os jovens” e “os dias de hoje” pode perfeitamente parecer um conflito geracional mal resolvido - um daqueles que prometi que nunca iria ter. Vou antes encarar este interesse como uma forma de estar atenta à mudança e ser capaz de antecipar cenários (económicos, sociais e políticos). O meu sobrinho um dia destes perguntou-me se eu queria fazer parte de uma equipa de “mineração de bitcoin”. Aparentemente, só tinha que lhe emprestar a potência do meu computador para o deixar ligado a “minerar” a moeda digital. A mineração é, basicamente, a resolução de um problema matemático. Quanto mais pessoas existirem numa rede com computadores ligados a tentarem resolver uma equação, como por exemplo x - 2 = 0. O primeiro a chegar à solução “x = 2” recebe a recompensa pelo trabalho. Não é fácil o meu sobrinho convencer os avós sobre isto de tentar ficar rico já aos treze anos usando apenas um computador. Nunca existiu uma época como esta. Uma série de miúdos com acesso a comunidades e fóruns online como o discord, passam informação e conhecimento sobre procedimentos vários que lhes permitem começar a trabalhar quando quiserem, em casa, em frente ao - sim, adivinharam- computador. Mas se a existência digital é nova, o ditado é antigo “dinheiro gera dinheiro”. Aquele que conseguir convencer elementos da geração que o precede em relação à sua visão de negócio digital, pode mesmo vir a ter capital para investir. A partir daí, tudo vai depender de quantos vídeos viu no YouTube sobre como investir em criptomoedas, liderar esquemas de pirâmide, fazer marketing social ou aprender a vender coisas que não lhe pertencem. Perguntam-me os leitores muitíssimo interessados neste texto: como assim, vender coisas que não lhes pertencem? O termo é “dropshipping”. Numa forma de comércio tradicional, um vendedor vai fazer compras ao

www.hojemacau.com.mo

18.6.2021 sexta-feira

Faça dinheiro a partir de casa

retalho e revender com a sua margem de lucro. Nesta fórmula, os produtos são também exibidos num website criado pelo jovem que entende de internet. Nesse site, ele coloca fotos e informações do produto e torna-o disponível para compra. Só que não o tem! As fotos e as informações foram retiradas de plataformas de e-commerce chinesas como o aliexpress ou o Alibaba e quando um pedido cai no website do revendedor, ele encomenda nesses

sites e entrega ao consumidor final. O segredo do sucesso deste modelo passa pela observação minuciosa do comportamento das pessoas online. Existem sites que revelam exatamente toda a informação que o Facebook, o Instagram e o Tiktok têm sobre quantas pessoas reagiram a uma publicação para um produto específico (produtos de nicho). Ao analisar a tendência de interesse, o revendedor vai investir com pagamento de publicidades,

RESTA-NOS DESEJAR QUE AS ARTES, HUMANIDADES E CIÊNCIAS SOCIAIS (MENOS “PRODUTIVAS”), PERMITAM AOS JOVENS SEREM JOVENS E QUE ESTE CONTINUEM, COMO É SEU PAPEL, A SONHAR EM MUDAR O MUNDO E NÃO A DEIXÁ-LO COMO ESTÁ EM NOME DO BENEFÍCIO PRÓPRIO

criação de websites, lojas online, etc. Há tempos, estavam em voga uns calções de banho que mudavam de cor quando uma pessoa entrava na água. Afinal, é possível montar um negócio lucrativo sem acabar o secundário? De facto, para se ser rico, não é preciso saberse muito mais sobre o mundo do que aprender a reproduzir lógicas de acumulação de capital e exploração de mão de obra. É desta forma que se alcança o sonho capitalista, desvalorizando qualquer tipo de experiência que não conduza a uma produtividade material. Resta-nos desejar que as artes, humanidades e ciências sociais (menos “produtivas”), permitam aos jovens serem jovens e que este continuem, como é seu papel, a sonhar em mudar o mundo e não a deixá-lo como está em nome do benefício próprio.


sexta-feira 18.6.2021

www.hojemacau.com.mo

GONÇALO M. TAVARES

Tempestade, céu e avião 2.

3.

4.

5.

6.

7.

8.

9.

tempestade - os ventos procuram  o norte descarrilamento  - a vida fica  onde a deixou o desastre de noite  na alfândega  dançam canções livres os degraus  só têm um sentido - ela está lá em cima com o anel rapa do sapato o excremento da vaca homem corajoso  imobilizado  - carro sem gasolina o homem imoral  ajuda o velho a levantar-se - vida confusa no museu  o quadro entedia-se  - demasiados visitantes mão do torto  coração - mas direito o traço

10. na montanha alta - é uma altura efémera tens de descer   11. o atleta   não entende  a meta… 12. na meta  ganha balanço - parte quando devia dormir…   13. na meta  começa o dia seguinte   14. luzes fechadas mas a casa não dorme - ansiedade

15

FICÇÃO, ENSAIO, POESIA, FRAGMENTO, DIÁRIO

entre oriente e ocidente

1.

ARTES, LETRAS E IDEIAS

ILUSTRAÇÃO ANA JACINTO NUNES


16

h

www.hojemacau.com.mo

18.6.2021 sexta-feira

Tentativas de dessemantização da língua e de vocalização da escrita Para Mallarmé, que pedia que «não puséssemos Música ao pé dos seus versos», a poesia é, na essência, a própria Música: «não é das sonoridades elementares dos metais, cordas, madeiras, mas, sem dúvida, do ápice da palavra intelectual, que a Música, em toda a sua plenitude e evidência, enquanto conjunto das relações existentes em tudo, deve resultar.» Se é inadequado, segundo essa perspectiva, falar de «musicalização» da linguagem poética, podemos dizer que toda uma parte da poesia experimental se empenhou, à sua maneira, em retomar o seu «contributo» para a música, valorizando a dimensão fónica da linguagem. A este respeito, J.-M. Gleize distingue dois pólos, não deixando de especificar que a polarização «admite todas as práticas intemédias»: por um lado, um «pólo a-semântico ou infrasemântico: poesia fonética (sons, onomatopeias), talvez ruidosa» e, por outro, um «pólo semântico: um texto numa “língua” classificada ou não, mas cujo significado parcial (porventura o essencial, em certos casos) depende da sua realização acústica através da activação dos parâmetros musicais da linguagem falada (timbre, potência, tempo...), com ou sem adjuvantes técnicos (microfones, amplificadores, gravadores, vídeos, etc...)». Ao primeiro pólo correspondem diversas tentativas de dessemantização da língua: a poesia fonética (H. Ball, K. Schwitters) e o movimento letrista de I. Isou são dois exemplos de experimentações que levam assim a uma saturação sonora da escrita, que se transforma numa «música» onomatopaica. Isou usa precisamente, para os seus poemas, indicações de tempo (andante, allegro, lento...), de silêncio (uma pausa de um segundo), de tom (tom selvagem, rouco, patético...). Como destaca F. Escal, «a primazia dada ao aspecto sonoro do texto confere então à língua o mesmo funcionamento simbólico (o simbólico é o que resiste à “degradação” em signos ou em imagens) da música: o seu sentido, não formulável, é a sua forma». O facto de esta música ser capaz de integrar todos os

AUDE LOCATELLI

(TRADUÇÃO DE EMANUEL CAMEIRA)

Henri Chopin (1922-2008)

tipos de sons, incluindo os não fonéticos (inspiração, expiração, respiração ofegante, espirro, estalido de língua, crepitação, escarro...) aproxima-nos, segundo ele, do segundo pólo, que nasce de um desejo de vocalizar a escrita. Essa preocupação com a vocalização é ainda mais significativa nas diferentes formas de poesia sonora, se se pensar nos «poemas para gritar e dançar» do precursor P.-A. Birot, nas «permutações» de B. Gysin, nos «grito-ritmos» de F. Dufrêne, nos «audio-poemas» de H. Chopin, na «poesia-acção» de B. Heidsieck ou nos poemas

elementares de J. Blaine. A poesia sonora, que nem sempre se empenha no processo de dessemantização da linguagem, mesmo se perde muitas vezes as suas referências semânticas, aspira, antes de mais, à vocalização do poema. B. Heidsieck, que opta por uma «propulsão directa» da poesia durante as leituras públicas e que mobiliza recursos electroacústicos para multiplicar a sua voz e criar, a partir dela, efeitos de polifonia, afirma que o dever do poeta sonoro é o de «ARRANCAR o texto da página, [de] o descolar do papel, desse suporte que carrega o peso de tantos séculos, para o

A POESIA SONORA, QUE NEM SEMPRE SE EMPENHA NO PROCESSO DE DESSEMANTIZAÇÃO DA LINGUAGEM, MESMO SE PERDE MUITAS VEZES AS SUAS REFERÊNCIAS SEMÂNTICAS, ASPIRA, ANTES DE MAIS, À VOCALIZAÇÃO DO POEMA

projectar para uma audiência no momento certo e ao vivo». O poema também não é concebido como um simples objecto sonoro mas como um facto que envolve todo o corpo. Neste sentido, tomando em consideração o corpo e a violênca que pode ser detectada na palavra poética viva, junta-se à poesia sonora (pense-se na vociferação do texto poético a que se presta, por exemplo, J. Blaine) alguém como A. Artaud, proferindo, após mais de vinte anos de censura, o seu poema radiofónico intitulado «Para acabar [de vez] com o juízo de Deus». A problemática da vocalização da escrita convida, por outro lado, a sublinhar a influência do blues, contraparte profana dos espirituais negros que M. Yourcenar se esforçou por traduzir, sobre a literatura americana do século XX, e em particular sobre os poetas da geração beat, conforme testemunha o carácter sincopado dos Mexico City Blues de Kerouac. Se temos criticado o carácter arbitrário dos paralelismos estabelecidos por C. Elsen, «para quem o jazz está para a música o que a poesia está para a literatura e que associa Ellington a Verlaine, Miles a Milosz e Monte a Péret», ou por P.-L. Rossi, que faz corresponder «Monte a Ponge, Parker a Mallarmé, o movimento bop ao movimento dada, o scat ao letrismo, Coltrane a Artaud, Ellington a Reverdy, Mingus a Michaux, O. Coleman a A. Césaire, Rollins a Tzara, a improvisação do jazz à escrita automática», existem muitas relações efectivas entre o jazz e a poesia, de que são prova não só os poemas inspirados pelo jazz, como a recolha Carte noire, de F. Valorbe, mas também experiências poético-musicais originais: por exemplo, quando J. Cocteau, em 1929, recita poemas da sua colectânea Opéra acompanhado pela orquestra de jazz de D. Parrish, ou quando, em 1937, P. Reverdy grava com o trompetista P. Brun e o guitarrista D. Reinhardt um poema intitulado «Fonds secrets». Tradução de: Locatelli, Aude, Littérature et Musique au XXe siècle, Paris, Presses Universitaires de France, 2001, pp. 96-99.


sexta-feira 18.6.2021

ofício dos ossos

VALÉRIO ROMÃO

As cidades, por maiores que sejam, acabam por se dividir em pequenos bairros, por vezes não maiores que duas ou três ruas, nos quais toda a gente – para o bem e para o mal – se conhece. Isso não acontece na suburbia porque a suburbia não foi, de raiz, pensada para ser assim; não foi, aliás, pensada. A suburbia é um polvilhado difuso de blocos de apartamentos que aparecem onde quer que haja espaço e ligações à cidade que a alimenta. É uma necessidade habitacional criada pelas oportunidades de emprego intensivo e mal pago que a cidade oferece. Essa oferta não inclui, claro está, direito de habitação ou usufruto. A cidade, para aqueles que a frequentam na perspectiva única de formiga obreira, empurra para fora de si à tarde aquilo que, pela manhã, convoca e abraça. E a vida dos bairros da cidade pode ser mais ou menos a mesma anos a fio. Duas pastelarias razoáveis – uma com o café mais barato do que na outra mas mal servida de bolos –, uma funerária onde amolece amarelada, na montra, uma Nossa Senhora sem protector solar, uma loja de fotografias involuntariamente transformada em museu-galeria do bairro, por onde as pessoas passam, apontando: «olha, que é feito desta?», uma lavandaria onde a mitralhada da rua vai beber café na máquina de venda automática – porque é mais barato – e na qual a turistada vem lavar e secar a roupa, tasquinhas de bêbedos intemporais, tasquinhas de carapauzinhos fritos com arroz de tomate, tasquinhas de bola, minis e tremoços com balcões altos onde a dona, nos dias de mais algazarra, se pendura, furibunda, alçando-se naquela voz de atrair morcegos, de tão aguda: «mas vocês pensam que estão em casa???» Estes bairros correspondem a ciclos de vida na cidade. E estes ciclos existem desde sempre (ou, pelo menos, desde que há cidades e desde que há bairros). As pessoas nascem e morrem, os negócios aparecem e desaparecem consoante as necessidades das pessoas e os avanços tecnológicos, as fachadas vão levando umas obras a ver se a coisa se segura, o recheio das casas vai mudando. É todo um ecossistema urbano no qual as pessoas modificam e são

ARTES, LETRAS E IDEIAS

www.hojemacau.com.mo

Pensar a vida

modificadas por aquilo que os rodeia. Esse ecossistema, em grande parte de lisboa histórica, estava em claro declínio. Nalguns casos, estava mesmo moribundo. A casualidade de termos sido descobertos como destino turístico bom e barato revitalizou grande parte desses bairros, embora o tenha feito ao modo da erva daninha, reclamando espaço apenas para si e sufocando o que crescia, a custo, a seu redor. Os edifícios cai-não-cai já não caem; pelo contrário, têm bom aspecto. Mas são enclaves de turistas onde os moradores só entram, no máximo, para limpar e fazer camas. Nada do que foi recuperado na cidade o foi pensando nas

pessoas que nela habitam. Estas são, no limite, figurantes com interesse zoológico, adereços para esconder o plástico que vai corroendo e substituindo, todos os dias um pouco mais, a vida. Esta interrupção impensada e involuntária causada pela pandemia devia pôr as boas alminhas que nos governam a pensar no modelo de cidade que propuseram como necessidade pós-troika. Por essa Europa fora não faltam exemplos de sítios que o turismo descobriu e rapidamente consumiu na ânsia de tudo ver e catalogar sem realmente se imiscuir. O teste de fogo são estas autárquicas que se avizinham e o Verão de 2022. Até ver, business as usual.

A CASUALIDADE DE TERMOS SIDO DESCOBERTOS COMO DESTINO TURÍSTICO BOM E BARATO REVITALIZOU GRANDE PARTE DESSES BAIRROS, EMBORA O TENHA FEITO AO MODO DA ERVA DANINHA, RECLAMANDO ESPAÇO APENAS PARA SI E SUFOCANDO O QUE CRESCIA, A CUSTO, A SEU REDOR

17


50

7 9 3 6 [9f]utilidades 1 7 18 1 8 7 2 8 6 5 2 9 T E M6P O N U B L A 5 DO MIN 8 9 7 7 2 6 49

S7 9U6 1D2 O 3 8K 5 4U 5 4 3 4 9 6 3 1 8 2

6

2 6 8 3 7 2 4 1 5 7 9 3

4 2 9 8 1 9 7 8 5 6 3 2 3

8 2 6 1 3 4 4 7 9 5

7 5 9 6 2 3 8 5 4 2

2 1 5 8 2 4 7 6 6 5 3 7 9 9

8 6 4 1 7 4 5 3 1 9 5

6 4 7 5 8 9 3 2 1 7

4 2 5 9 1 8 7 2 6 9 7

7 3 9 2 5 3 1 8 4 5 6

1 7 5 2 3 6 9 4 3 5

9 7 4 3 6 2 1 5 6 8 3

6 2 1 3 4 9 7 8 1

9 3 7 5 8 7 2 1 6 6 1 5

1 8 3 1 5 9 4 7 7 9 5 6 2

5 6 9 2 5 9 1 8 3 7 8 4

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 51

51 54 3 5 7 6 2 9 1 4 8 2 1

3 1 8 5 2 6 6 4 4 7 2

PROBLEMA 52

52

53 3 2 1 7 4 9 5 8 6 4 6 8 5 2 1 9 7 3 9 7 5 8 6 3 1 4 2 1 3 2AVISO 4 9N.° 80/AI/2021 7 6 5 8 6-----Atendendo 5 à4gravidade1para 8o interesse2público7e não3sendo possível 9 proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se os infractores discriminados:-------------------------------------------------------------------7abaixo 8 9 3 5 6 4 2 1 -----1. Mandado de Notificação n.° 527/AI/2021:HUANG YAN, portadora do Salvo-Conduto para Deslocação a Hong Kong e Macau da RPC n.° 5CB0764xxx, 9 que6na sequência 2 do3Auto de4Notícia8 1 7 n.° 272/DI-AI/2019, levantado pela DST a 11.10.2019, e por despacho do Director dos Serviços de Turismo, 8Substituto,1de 04.03.2021, 3 6exarado7no Relatório 5 n.°269/DI/2021, 9 de4 01.02.2021, em conformidade com o disposto no n.° 1 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010, desencadeado 2lhe foi 4 7 procedimento 9 1 sancionatório 8 3por suspeita 6 de5controlar a fracção autónoma situada na Rua de Luis Gonzaga Gomes, n. 210-212, Kam

PUB.

os

Fung Tai Ha, Bloco 2, 15.° andar K onde se prestava alojamento ilegal.-------------- 2. Mandado de Notificação n.° 530/AI/2021:LEI MAN FAI, portador do Bilhete de Identidade de Residente Permanente da RAEM n.º 51326xxx, que na sequência do Auto de Notícia n.° 15/DI-AI/2020, levantado pela DST a 10.01.2020, e por despacho da signatária de 26.04.2021, exarado no Relatório n.° 366/DI/2021, de 23.03.2021, em conformidade com o disposto no n.° 1 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010, lhe foi desencadeado procedimento sancionatório por suspeita de controlar a fracção autónoma situada na Rua Cidade de Santarém n.° 416, Edf. “Hot Line”, 11.° andar AB onde se prestava alojamento ilegal.--------------------------------------------------------------------------------------------- 3. Mandado de Notificação n.° 536/AI/2021:FONG HOI CHIO, portador do Bilhete de Identidade de Residente Permanente da RAEM n.° 13178xxx, que na sequência do Auto de Notícia n.° 375/DI-AI/2019, levantado pela DST a 12.12.2019, e por despacho da signatária de 26.02.2021, exarado no Relatório n.° 192/DI/2021, de 25.01.2021, em conformidade com o disposto no n.° 1 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010, lhe foi desencadeado procedimento sancionatório por suspeita de controlar a fracção autónoma situada na Taipa, Avenida de Kwong Tung n.º 819, Hong Fat Fa Un, 15.° andar C onde se prestava alojamento ilegal.-------------------------------------------------------------------------------------Pelo mesmo despacho foi determinado que deve, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, apresentar, querendo, a sua defesa por escrito, oferecendo nessa altura todos os meios de prova admitidos em direito, não sendo admitida a apresentação de defesa ou de provas fora do prazo conforme o disposto no n.° 2 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010. -----------------------------------------A matéria apurada constitui infracção ao artigo 2.° da Lei n.° 3/2010, punível nos termos do n.° 1 do artigo 10.° do mesmo diploma.------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, Edifício “Hot Line” (Centro “Hot Line”), 18.° andar, Macau.----------------------------------------Direcção dos Serviços de Turismo, aos 15 de Junho de 2021. A Directora dos Serviços, Maria Helena de Senna Fernandes

18.6.2021 sexta-feira

www.hojemacau.com.mo

28

MAX

32

HUM

65-90%

UM50 DOCUMENTÁRIO HOJE 2 7 4 6 8 9 1 3 5 6 9 3 4 5 1 8 7 2 1 5 8 7 3 2 9 6 4 9 8 2 1 7 6 4 5 3 5 4 7 8 9 3 2 1 6 3 1 6 5 2 4 7 8 9 4 6 9 3 1 8 5 2 7 8 2 5 9 6 7 3 4 1 7 3 1 2 4 5 6 9 8 52 9 7 6 8 1 3 4 5 2 2 8 1 3 6 4 5 9 7 7 4 5 www. 6 3 8 hojemacau. com.mo 1 2 9

•´ E U R O

55 9 7 4 5 2 6 3 1 8

9.55

CHERNOBYL: 35 YEARS AFTER THE NUCLEAR DISASTER | DEUTSCHE WELLE | 2021

0.25

CINETEATRO

1.24

C56 I N E M A

8 9 1 2 6 4 7 5 3

4 2 6 5 3 7 9 1 8

57 58 5 3 2 1 4 8 7 6 8 4 2 1 3 5 9 8 6 3 9 5 1 4 6 9 4 5 2 7 5 3 4 9 6 8 1 2 7 4 7 5 2 6 8 1 7 1 8 3 6 9 9 2 1 3 7 5 6 4 8 2 1 9 4 3 7 5 THE 9 4 5 6 7 3 3 7 5 2 8 6 9 1 4 1 HITMAN´S 8 7 WIFE´S 6 BODYGUARD 9 2 3 8 7 1 9 5 2 1 4 9 7 5 3 8 6 2 3 5 6 8 1 4 9 3 2 6Fábrica4de Notícias, 8 1Lda Director Carlos Morais 6 8José 2 1 João9Luz;4José C.5Mendes 7 Redacção 3 Andreia Sofia9Silva;4João Santos 2 3Filipe;7Pedro5Arede;6 Propriedade Editores Salomé Fernandes Colaboradores Anabela Canas; António Cabrita; António de Castro Caeiro; Ana Jacinto Nunes; Amélia Vieira; Duarte Drumond Braga; Emanuel Cameira; 1 8M.Tavares; 3 2Gonçalo 9 Waddington; 6 8José1Simões 2 Morais; 7 Luis 9 Carmelo; 6 Nuno Miguel Guedes; 7 Paulo 3 José 1 Miranda; 5 8Paulo6Maia2e Gonçalo Inês Oliveira;4João5 Paulo3 Cotrim; Carmo; Rosa Coutinho Cabral; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Teresa Sobral; Valério Romão Colunistas André Namora; David Chan; João Romão; Jorge Rodrigues Simão; 2 9 Paul 7 Chan 1 Wai4 Chi; Paula Bicho; Tânia 2 dos1Santos 7 Grafismo 6 3Paulo9Borges, 4 Rómulo 8 5 9Fotografia 4 7Hoje2Macau;3Lusa;8 Olavo 5 Rasquinho; Santos Agências Lusa;5Xinhua GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia 4 6Morada 7 Pátio 8 da3Sé, n.º22, 5 Edf. Tak Fok, R/C-B,8Macau; 9 Telefone 6 528752401 4 Fax 7 28752405; 2 3e-mail 1 info@hojemacau.com.mo; 6 2Sítio8www.hojemacau.com.mo 1 4 9 7 Welfare

7 9 6 5 2 8 4 1 3

2 3 8 4 7 1 9 6 5

4 9 1 8 5 2 7 3 6

3 7 8 9 6 1 2 5 4

----- 2. Mandado de Notificação n.° 497/AI/2021:KE YUANXIA, portadora do Passaporte da RPC n.° E96428xxx e do Salvo-Conduto para Deslocação a Hong Kong e Macau da RPC n.° C57076xxx, que na sequência do Auto de Notícia n.° 59/DI-AI/2020, levantado pela DST a 01.02.2020, e por despacho do Director dos Serviços de Turismo, Substituto, de 04.06.2021, exarado no Relatório n.° 551/DI/2021, de 10.05.2021, em conformidade com o disposto no n.° 1 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010, lhe foi desencadeado procedimento sancionatório por suspeita de controlar a fracção autónoma situada na Avenida de Sagres n.° 58, Edf. Complexo ‘‘Iat Hou Kuong Cheong” (One Central) - 37.° andar T4/A onde se prestava alojamento ilegal.------------------------------------------------------------------------------------------------ 3. Mandado de Notificação n.° 511/AI/2021:RONG XIUYING, portadora do Salvo-Conduto para Deslocação a Hong Kong e Macau da RPC n.° C47671xxx, que na sequência do Auto de Notícia n.° 245/DI-AI/2019, levantado pela DST a 09.09.2019, e por despacho do Director dos Serviços de Turismo, Substituto, de 04.06.2021, exarado no Relatório n.° 565/DI/2021, de 11.05.2021, em conformidade com o disposto no n.° 1 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010, lhe foi desencadeado procedimento sancionatório por suspeita de controlar a fracção autónoma situada na Taipa, Rua de Évora n.° 410, Palácio do Sucesso, Harvest Palace, 5.° andar A onde se prestava alojamento ilegal.---------------------------------------------------------------------------------------------Pelo mesmo despacho foi determinado que deve, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, apresentar, querendo, a sua defesa por escrito, oferecendo nessa altura todos os meios de prova admitidos em direito, não sendo admitida a apresentação de defesa ou de provas fora do prazo conforme o disposto no n.° 2 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010. ----------------------------------------A matéria apurada constitui infracção ao artigo 2.° da Lei n.° 3/2010, punível nos termos do n.° 1 do artigo 10.° do mesmo diploma.------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, Edifício “Hot Line” (Centro “Hot Line”), 18.° andar, Macau.----------------------------------------Direcção dos Serviços de Turismo, aos 15 de Junho de 2021. A Directora dos Serviços, Maria Helena de Senna Fernandes

pectador fica a conhecer as consequências do acidente e a forma como os afectados lidam com os danos físicos e traumas. O documentário está disponível no Youtube da emissora em inglês. João Santos Filipe

4 8 9 1 6 2 5 7 3

YUAN

5 7 3 8 1 9 2 6 4

54 5 2 1 3 9 4 7 8 6 4 8 6 5 7 1 2 3 9 7 9 3 2 8 6 4 1 5 3 6AVISO 2 N.° 1 81/AI/2021 5 7 8 9 4 -----Atendendo gravidade 9 à5 8para o6interesse4público3e não sendo 1 possível 7 pro-2 ceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se as infractoras abaixo discriminados:-------------------------------------------------------------------1 7 4 8 2 9 5 6 3 -----1. Mandado de Notificação n.° 427/AI/2021:ZHANG WENJIAN, portadora do Salvo-Conduto para Deslocação a Hong Kong e Macau da RPC n.° 8que na3sequência 7 do Auto 4 de Notícia 6 n.°255/DI-AI/2020, 9 5levantado1 C93288xxx, pela DST a 31.01.2020, e por despacho da signatária de 07.06.2021, exarado no Relatório2 n.° 471/DI/2021, o disposto 1 9de 19.04.2021, 7 3em conformidade 5 6com 4 8 no n.° 1 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010, lhe foi desencadeado procedimento sancionatório por suspeita de controlar a fracção autónoma situada na Rua de 6 4 5 9 1 8 3 2 7 Londres n.° 98, Wan Yu Villas, 9.° andar O onde se prestava alojamento ilegal.-

3 6 8 1 7 2 5 Lançado 1 9em2Abril4deste6 ano pela DW, a emissora 8 estatal 2 5alemã,6 o 3docu-7 mentário Chernobyl: 9 358Years2 After 7 the6Nu-3 clear Disaster leva-nos 1 de4volta3ao 8cenário 9 do5 7 apocalipse. 3 1 Através 4 5 de8 depoimentos de pes6 soas 7 que4trabalharam 9 2 na1 central onde decorreu o 4 maior 5 incidente 6 3 nuclear 8 9 de sempre e de morado2 res9da localidade, 7 5 o1teles-4

BAHT

59 7 1 2 6 3 5 4 9 3 8 6 2 4 9 5 1 5 4 9 8 1 7 3 2 2 1 3 9N.° 525/AI/2021 8 7 6 MANDADO4DE NOTIFICAÇÃO 3 8para5o interesse 7 público 6 2e não4 -----Atendendo9à gravidade sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, 6 5 7 1 2 4 8 3 pelo presente notifique-se LI JUNJIE, portador do Salvo Conduto para 1 Deslocação a Hong7Kong 6 4 8e Macau 2 da9RPC5 n.° C54255xxx, que na sequência do Auto de Notícia n.° 2 levantado 7 5pela9DST6a 26..2019, 3 1e por8 201/DI-AI/2019, despacho de 10..2021, exarado no Relatório n.° 578/ 8 9 3 4 5 1 6 7 DI/2021, de 17..2021, em conformidade com o disposto

no n.° 1 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010, lhe foi desencadeado procedimento sancionatório por suspeita de controlar a fracção autónoma situada Taipa, Rua de Bragança n.° 350, Urbanização da Nova Taipa-Fase 1, Bloco 26, 22.° andar P onde se prestava alojamento ilegal.----------------No mesmo despacho foi determinado que deve, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, apresentar, querendo, a sua defesa por escrito, oferecendo nessa altura todos os meios de prova admitidos em direito, não sendo admitida a apresentação de defesa ou de provas fora do prazo conforme o disposto no n.° 2 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010. --------------------------------------A matéria apurada constitui infracção ao artigo 2.° da Lei n.° 3/2010, punível nos termos do n.° 1 do artigo 10.° do mesmo diploma.--------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, Edifício ‘‘Hot Line” (Centro “Hot Line”), 18.° andar, Macau. --------------------------------------------------------------------Direcção dos Serviços de Turismo, aos 10 de de 2021. A Directora dos Serviços, Maria Helena de Senna Fernandes

5 3 1 A QUITE PLACE PARTII [C] 4 7 9 8 2 6 SALA 1

THE HITMAN´S WIFE´S BODYGUARD [C]

2 1 7 9 4 5 3 8 6

Um filme de: Patrick Huges Com: Ryan Reynolds, Samuel L. Jackson Salma Hayek 14.30, 16.45, 19.15, 21.30 SALA 2

Um filme de: John Krasinski Com: Emily Blunt, Noah Jupe, Millicent Simmonds 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

6SHADOW 3 IN7THE CLOUD 9 [C]1 5 8 6 3 4 4CRUELLA 9 [B]8 2 5 3 1 4 6 7 7 2 9 5 8 8 6 2 1 3 1 4 5 8 6 2 7 3 4 9 9 5 1 7 2 SALA 3

Um filme de: Roseanne Liang Com: Chloe Grace Moretz, Nick Robinson Beulah Koale 14.30, 16.30, 21.30 FALADO EM CANTONÊS LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Craig Gillespie Com: Emma Stone, Emma Thompson 19.00

60 8 1 8 7 5 2 9 6 7 3 4 2 8 1 6 5 6 5 9 6 7 3 4 2 5MANDADO DE NOTIFICAÇÃO 6 1 4 N.° 2 550/AI/2021 5 7 3 1-----Atendendo à gravidade 7 2para o3interesse 9 público 8 1 e não 4 possível proceder à respectiva notificação pessoal, 9sendo 9 5 8 4 6 3 7 pelo presente notifique-se o infractor WU KAI CHON, de Residente 3portador do Bilhete de4Identidade 6 1 3 9da RAEM 5 8 n.º 51135xxx, que na sequência do Auto de Notícia n.° 4185/DI-AI/2019, levantado 2 7pela9DST6a 08.07.2019, 4 8 e1 por despacho da Directora dos Serviços de Turismo de 230.03.2021, exarado8no Relatório 3 5 n.° 1333/DI/2021, 7 2 de 9 12.03.2021, em conformidade com o disposto no n.° 1 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010, lhe foi desencadeado procedimento sancionatório por suspeita de controlar a fracção autónoma situada na Taipa, Rua de Seng Tou n.° 313, Urbanização da Nova Taipa - Fase I, Bloco 21, 29.° andar D onde se prestava alojamento ilegal.---------------------No mesmo despacho foi determinado que deve, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, apresentar, querendo, a sua defesa por escrito, oferecendo nessa altura todos os meios de prova admitidos em direito, não sendo admitida a apresentação de defesa ou de provas fora do prazo conforme o disposto no n.° 2 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010. --------------------------------------A matéria apurada constitui infracção ao artigo 2.° da Lei n.° 3/2010, punível nos termos do n.° 1 do artigo 10.° do mesmo diploma.--------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, Edifício ‘‘Hot Line” (Centro “Hot Line”), 18.° andar, Macau. --------------------------------------------------------------------Direcção dos Serviços de Turismo, aos 4 de Junho de 2021. O Director dos Serviços, Subst.°, Hoi Io Meng


sexta-feira 18.6.2021

opinião 19

www.hojemacau.com.mo

confeitaria

João Romão

NOVAS ROTAS DOS IMPÉRIOS ESTÁ A FAZER dois anos: foi a 28 de Junho de 2019 que aqui publiquei “Muros e estradas”, uma crónica em que comparava o abnegado esforço do então presidente dos Estados Unidos da América para a construção de muros que protegessem o seu país de potenciais invasões de imigrantes, com a inciativa que a China designou como a “nova rota da seda”, a reactivação dos caminhos que ligam o extremo oriente asiático à Europa, desta vez através de um programa de investimentos promovidos pelo estado chinês e destinados a reforçar as infraestruturas e capacidade produtiva de países com recursos mais escassos, não só na Ásia mas também em África, que as rotas de hoje têm maior amplitude e flexibilidade geográfica - também à medida das ambições de quem pode adaptar-se às circunstâncias ou disputar em várias frentes territoriais as competições desenfreadas que a globalização capitalista vai promovendo. Na altura olhava-se desde os Estados Unidos e da Europa com manifesta desconfiança e animosidade para esta iniciativa chinesa, percebida como uma tentativa de aumentar a influência económica, cultural e política do país com o pretexto do apoio ao desenvolvimento - enfim, o discurso habitual sobre os perigos e consequências do imperialismo, das pouco democráticas implicações da expansão da hegemonia política por via da dominação económica. A curiosidade, desta vez, é que o discurso sobre estes perigos vinha precisamente do governo de um dos países mais desenvolvidos do mundo - os Estados Unidos, com toda a sua longa tradição e pergaminhos no assunto em questão - com o diligente e dedicado apoio de governos e instituições europeias. Na minha crónica de há anos comparava então a nova “Rota da Seda” promovida pelo governo chinês com o que ficou conhecido como o “Plano Marshall”, financiado sobretudo pelos Estados Unidos, que apoiou programas de larguíssima escala para a reconstrução de infra-estruturas e capacidade produtiva após a II Guerra Mundial. Foi um plano altamente apreciado, não só por quem o promoveu, mas também pelos países que receberam os investimentos - e até pela generalidade dos analistas e estudiosos de políticas económica nas décadas que se seguiram, à esquerda e à direita do espectro ideológico. Foi um plano que claramente beneficiou os países que receberam os investimentos e que tiveram oportunidade de promover um ciclo longo de acelerada e intensa recuperação económica, que levaria até a que se viessem a questionar os limites destes acelerados processos de desenvolvimento, com a inerente delapidação de recursos e degradação ambiental, já no final dos anos 1960. Na altura, evidentemente, o plano também contribuiu - e muito largamente - para se afirmar no planeta uma hegemonia económi-

ca, cultural e política dos Estados Unidos que até então se desconhecia. Havia Hollywood, o jazz e viria o rock’n’roll, que dificilmente teriam a expansão global que tiveram se não fosse o ambiente de generalizada expansão económica, aumento do consumo, florescimento de novas actividades e interesses culturais, abertura de horizontes e perspectivas mais cosmopolitas, pelo menos para quem não vivesse sob a tenebrosa sombra de regimes ditatoriais, pobres e broncos, como o que assombrou o povo português por quase meio século. A consolidação dos EUA na hegemonia política do planeta é largamente tributária da sua liderança económica no período do pós-II Guerra e isso muito se deve a este portentoso programa internacional de investimentos. Dois anos volvidos sobre a tal crónica que aqui publiquei, muda então o cenário: há um novo governo nos Estados Unidos e uma outra percepção sobre as novas rotas da seda - que são, na realidade, novas rotas da finança: não basta olhar com desconfiança e discurso crítico para o papel que a China está a assumir ou a reforçar no apoio ao desenvolvimento económico da regiões mais desfavorecidas do planeta: se se quer disputar o inerente reforço da influência

Posicionam-se então os impérios para nova disputa sobre a economia do planeta e a inerente hegemonia política. A China retomou a velha Rota da Seda para propor uma modernização acelerada de países menos desenvolvidos. Os Estados Unidos aproveitam a crise provocada pela pandemia de covid-19 para oferecer apoios à recuperação económica

económica, cultural e política, não há outra alternativa senão fazer o mesmo. Nasce agora então novo plano, apresentado esta semana pelo presidente dos Estados Unidos aos seus parceiros líderes das potências económicas planetárias, o chamado G7, um dos símbolos máximos do imperialismo económico do planeta, disposto agora a mobilizar 40 mil milhões de dólares para apoiar investimentos na América Latina, Caraíbas, África e Indo-Pacífico. Posicionam-se então os impérios para nova disputa sobre a economia do planeta e a inerente hegemonia política. A China retomou a velha Rota da Seda para propor uma modernização acelerada de países menos desenvolvidos. Os Estados Unidos aproveitam a crise provocada pela pandemia de covid-19 para oferecer apoios à recuperação económica. Em ambos os casos, mobilizam-se os recursos da sobre-acumulação de capital que vai engordando bilionários avarentos, alimentando processos globais de especulação imobiliária ou financeira e criando sucessivas novas oportunidades para branqueamento de capitais variados. Pelo menos parte do que estes respeitáveis larápios vai acumulando retornará à esfera da produção. Já não é mau de todo.


“Só é lutador quem sabe lutar consigo mesmo.” PALAVRA DO DIA

sexta-feira

18.6.2021

Carlos Drummond de Andrade

episódio 20

O Jogo das Escondidas

Arquitectura Exposição sobre Bienal de Veneza inaugurada hoje

um folhetim por Fernando

F

É

hoje inaugurada, nas Casas Museu da Taipa, às 18h30, a exposição sobre a presença de Macau na Bienal de Arquitectura de Veneza, intitulada “17.ª Exposição Internacional de Arquitectura, La Biennale di Venezia - Trabalhos do Evento Colateral Macau China”. Esta exposição tem curadoria do arquitecto Carlos Marreiros e dos arquitectos e urbanistas Chan Ka Tat, Che Chi Hong, Ho Ting Fong e Lao Man Si. A mostra é composta por quatro obras intituladas “Via de Acesso”, “Conectividade de um ponto a outro”, “Verticalização de Fronteiras - a Colisão de Dois Sistemas Urbanos Diferentes” e “Coexistência”, as quais “interpretam a arquitectura, os terras, a memória colectiva e a vida urbana a partir de múltiplas perspectivas”.  A mostra está também patente em Veneza, Itália, tendo sido inaugurada no passado dia 22 de Maio. Em Macau, a exposição está aberta ao público até ao dia 24 de Setembro na Galeria de Exposições e Casa de Nostalgia das Casas da Taipa.

Japão Estado de emergência levantado no próximo domingo

PUB.

O estado de emergência imposto devido à pandemia do novo coronavírus termina domingo na maior parte do Japão, mas algumas restrições serão mantidas em certas áreas, incluindo Tóquio, anunciou ontem o Governo japonês. A medida foi tomada a um mês da abertura dos Jogos Olímpicos (Tóquio2020), que vão decorrer de 23 de Julho a 8 de Agosto no país. Segundo a agência de notícia EFE, dez das 47 autarquias japonesas mais populosas do país estão abrangidas pelo estado de emergência declarado inicialmente em 25 de Abril, incluindo a capital Tóquio (leste) e Osaka (oeste). A partir de segunda-feira, o estado de emergência continuará em vigor apenas em Okinawa (sudoeste). No entanto, sete províncias continuarão a ser afectadas por certas restrições pelo menos até 11 de Julho, afectando principalmente a actividade comercial, como bares e restaurantes, de acordo com o anúncio realizado ontem pelo primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga.

Sobral

“Bacalhau” chinês Estaleiro de Dalian constrói maior plataforma petrolífera do mundo no Brasil

O

estaleiro chinês Dalian Shipbuilding Industry Corporation (DSIC) anunciou o assentamento da quilha da maior plataforma de exploração de petróleo ‘offshore’ do mundo, encomendada pela petrolífera estatal brasileira Petrobras. Após o assentamento, marcado por uma cerimónia realizada na terça-feira num estaleiro em Dalian, no norte da China, a plataforma FPSO-8 será transferida para as docas, onde irão decorrer os restantes trabalhos, avançou num comunicado a subsidiária da construtora estatal China State Shipbuilding. A plataforma, também conhecida por Bacalhau, será instalada em Búzios, no litoral da Bacia de Santos, litoral dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, onde estão as maiores reservas já descobertas a grande profundidade, abaixo da camada de sal do subsolo marinho. A Petrobras tinha entregado o contrato de construção da plataforma a um consórcio

formado pela petrolífera estatal norueguesa Equinor e à construtora japonesa Mitsui Ocean Development & Engineering. A Equinor disse em Outubro de 2020 que a plataforma deverá começar a produzir em 2024. Esta será a maior plataforma de exploração de petróleo ‘offshore’ já construída no mundo, com um comprimento de quase 340 metros, permitindo a extração em simultâneo de

Esta será a maior plataforma de exploração de petróleo ‘offshore’ já construída no mundo, com um comprimento de quase 340 metros, permitindo a extração em simultâneo de crude e de gás natural

crude e de gás natural, avançou o DSIC.

Búzios a bombar

A Petrobras anunciou na sexta-feira a assinatura de um contrato no valor de 2,3 mil milhões de dólares para a aquisição de uma outra plataforma de exploração de petróleo ‘offshore’. A plataforma P-79, com capacidade de extração de 180 mil barris de óleo e 7,2 milhões de metros cúbicos de gás por dia, deverá ser entregue em 2025 e será a oitava a ser instalada em Búzios. O campo de Búzios conta actualmente com quatro plataformas, que respondem por quase 20 por cento dos quase 2,2 milhões de barris de petróleo que a Petrobras produz por dia. O plano estratégico da Petrobras prevê a instalação de 12 plataformas nesta área até 2030, quando a sua produção pode chegar a 2 milhões de barris por dia.

EZ uma pausa, antes de continuar: - E o deputado Agatão Lança aproveitou para trucidar a política externa portuguesa. Veja o que ele disse, sobre a nossa delegação em Washington: “O consulado é um quarto de hotel, onde habita o nosso representante e diz que Portugal é tão pequeno que cabe no seu bolso do colete”. E mais: “Os nossos interesses na América do Norte estão exactamente melhor defendidos na época do Verão, isto é, quando o nosso Ministro em Washington vai gozar as delícias do clima em outra terra, ficando a legação entregue ao nosso ministro do Brasil”. O futuro de Macau parece bem entregue, não? - Que lhe posso dizer, senhor Governador, que já não saiba? - Foi por isso que fugiu de Lisboa e se refugiou aqui, tenente? - Foi um conjunto de razões. O aroma pouco agradável do panelão onde se misturam interesses pessoais e negócios foi outro. - Compreendo. E os chineses, o que acharão? - Para já estão em lutas internas. Como se provou até há pouos meses aqui. Mas não deverão achar piada a uma eventual venda. Ou correm connosco daqui, ou negococeiam com quem já estão habituados a viver. - Isso não é apenas uma mentira que contamos a nós próprios? - Os chineses e os portugueses criaram um clima de entendimento quase perfeito aqui. Excepto os mais radicais ou nacionalistas, há um equilibrio estável. Nem nós os incomodamos nos seus negócios. Nem eles nos chateiam. - Já agora, aproveito para lhe colocar outra questão, tenente. Acha que a morte do senhor secretário João Carlos da Silva pode estar ligada a todas estas movimentações? - Pode estar. Afinal, muitos podem estar interessados no que se decide em Lisboa ou Santa Sancha. Ter lá um ouvido atento dá jeito. Para já coloquei os meus melhores informadores em campo. Rodrigo Rodrigues dobrou o jornal e fitou Amoroso: - Parece-me bem. Convém estarmos atentos. Já agora, se não se importa, tenente, gostava de saber a sua opinião sobre um assunto. (continua)

Profile for Jornal Hoje Macau

Hoje Macau 18 JUNHO 2021 #4791  

Nº 4791 de 18 JUNHO de 2021 - Edição em papel do jornal Hoje Macau

Hoje Macau 18 JUNHO 2021 #4791  

Nº 4791 de 18 JUNHO de 2021 - Edição em papel do jornal Hoje Macau

Profile for hojemacau
Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded