Hoje Macau 08 AGOSTO 2022 #5066

Page 1

HOJE MACAU Nº 5067

MOP$10

Destino adiado

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

O futuro de Macau volta a estar comprometido. A descoberta de um caso positivo de um trabalhador do Grand Mart, na Taipa, com residência na Areia Preta, deixou o território novamente em estado de alerta, com inúmeros residentes a terem de realizar testes de ácido nucleico e vários edifícios encerrados. O confinamento está, para já, descartado, mas o anúncio de mais medidas depende dos resultados dos testes. PÁGINAS 2-3

CULTURA

SECTOR DE RASTOS PÁGINAS 2-3

TABACO

ATAQUE AOS PONTOS NEGROS PÁGINA 4

HOJE MACAU

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

SEGUNDA-FEIRA 8-8-2022

COVID-19

MUDA DE RUMO PÁGINA 5

CHINA

O PROVOCADOR PÁGINA 8

OPINIÃO

CINEMATECA PAIXÃO

AGOSTO ABERTO AO MUNDO EVENTOS

DA MORFOLOGIA URBANA MÁRIO DUARTE DUQUE


2 especial covid-19

8.8.2022 segunda-feira

www.hojemacau.com.mo

PANDEMIA

CASO DETECTADO EM ZHUHAI COLOCA MACAU EM ALERTA E ENCERRA EDIFÍCIOS

Futuro em suspenso

As autoridades de Zhuhai notificaram ontem Macau da detecção de um caso positivo de covid-19 relativo a um trabalhador não-residente de 26 anos, que morava na Areia Preta e que trabalha na padaria do Grand Mart, na Taipa. Cerca de 60 mil pessoas de zonas alvos fizeram ontem teste de ácido nucleico e toda a população fez ontem e fará hoje testes rápidos obrigatórios

P

ASSADOS poucos dias do levantamento das quarentenas obrigatórias à entrada em Zhuhai, as autoridades da cidade vizinha notificaram ontem o Governo de Macau da descoberta de um caso positivo de covid-19 relativo a um indivíduo de 26 anos, trabalhador não-residente em Macau. Embora o paciente tenha testado mais de dez vezes negativo nos sucessivos testes de ácido nucleico feitos em Macau, as autoridades indicam que “não se pode excluir o eventual risco de transmissão de vírus nas áreas onde esse indivíduo vive e trabalha”. Quando Macau se preparava para relaxar medidas restritivas, a descoberta do caso levou ao restabelecimento de novas zonas alvo, obrigando à realização de testes de ácido nucleico a um universo alargado de pessoas. Assim sendo, entre as 15h30 de ontem

e as 00h de hoje, foi decretada a obrigatoriedade de fazer um teste de ácido nucleico “às pessoas que morem ou trabalhem nas zonas delimitadas pela Avenida Dr. Sun Yat Sen, Estrada Almirante Marques Esparteiro, Rua de Viseu, Estrada Governador Albano de Oliveira, Avenida do Estádio, Rua do Des-

“Para já, não precisamos confinar, o essencial é fazer os testes de ácido nucleico e só os resultados podem ditar as medidas que vamos tomar. Mas não queremos tomar medidas de alta intensidade.” ALVIS LO DIRECTOR DOS SERVIÇOS DE SAÚDE

porto, Rua do Regedor, Rua da Ponte Negra e Avenida Olímpica, na Taipa. Os resultados devem ser conhecidos esta manhã Os testes são obrigatórios também para quem esteve nas zonas referidas por mais de meia hora no dia 3 de Agosto, ou após essa data, especialmente para quem frequentou a padaria do supermercado Grand Mart, em frente ao Jockey Club de Macau. A medida deve abranger certa de 60 mil pessoas, apesar do médico Tai Wai Hou ter frisado ontem a dificuldade em contabilizar todos os que devem fazer teste de ácido nucleico. As autoridades de saúde acrescentam que “considerando o alto risco nas áreas relevantes”, não ficaram “isentos os bebés e as crianças pequenas nascidos após o dia 1 de Julho de 2019, bem como os idosos com dificuldade de locomoção que necessitem de cuidados de acompanhamento ou, as pessoas com deficiência”. Porém,

quem já tinha feito teste de ácido nucleico ontem por estar incluído num grupo-chave não precisou fazer novo teste. As pessoas que recuperaram depois de infectadas ficaram isentos.

Voltam bloqueios

O indivíduo em causa morou até ao dia 4 de Agosto no Edifício Polytec Garden (bloco 1), na Rua Central da Areia Preta, num apartamento

Até ontem às 18h e em conexão com o caso positivo, estavam a ser acompanhados 33 contactos próximos, 18 pessoas fizeram o mesmo percurso, assim como 5 contactos por via secundária

com oito pessoas, seis delas ainda se encontraram em Macau, todos colegas de trabalho. As autoridades de saúde locais, confirmaram na conferência de imprensa que até ontem todos tinham testado negativo nos testes de ácido nucleico. Como resultado, o edifício em questão foi bloqueado e decretado zona vermelha, obrigando todos os moradores a fazer teste de ácido nucleico, estando previsto o fim do isolamento do prédio no próximo sábado e o levantamento do código de saúde amarelo no dia 15 de Agosto. Porém, o tempo de confinamento do edifício será determinado com base nos resultados dos testes dos moradores. Como a pessoa infectada visitou várias vezes a mesma loja no centro comercial City Plaza, perto das Portas do Cerco, “os trabalhadores do primeiro piso vão ser testados e sujeitos a medidas de controlo e serão recolhidos dados dos clientes que visitaram o centro comercial para fazerem também teste de ácido nucleico”, afirmou ontem a médica Leong Iek Hou. O edifício onde se situa o centro comercial acabou também por ser selado. As autoridades estão a averiguar a possibilidade de o indivíduo em causa estar envolvido em práticas de contrabando.

E agora?

Uma das consequências imediatas para a população geral foi a imposição de testes antigénio rápidos


segunda-feira 8.8.2022

especial covid-19 3

www.hojemacau.com.mo MACAU DAILY NEWS

Alto e pára o baile Agentes culturais lamentam efeito devastador de medidas antipandémicas

A

entre ontem e hoje. Mas a grande questão é saber até que ponto a descoberta deste caso em Zhuhai irá afectar a normalização de Macau. Importa referir que o fluxo de passagens transfronteiriças entre as duas cidades tem atingido grande intensidade e que a cidade vizinha detectou, pelo menos, três outros casos positivos na zona de Doumen. O director dos Serviços de Saúde, Alvis Lo, referiu ontem que os casos de Macau, com base na sequenciação genética e investigação epidemiológica, e que, para já, “não se justifica interromper de novo as passagens das fronteiras”. Entretanto, as autoridades de Zhuhai começaram a admitir entrada apenas a quem faça o teste já do outro lado da fronteira e montaram postos de testagem à entrada em Gongbei. Quanto ao futuro, só os resultados da testagem o dirão. “Temos de nos manter alerta, mas não precisamos ficar muito preocupados.

Para já, não precisamos confinar, o essencial é fazer os testes de ácido nucleico e só os resultados podem ditar as medidas que vamos tomar. Mas não queremos tomar medidas de alta intensidade”, apontou Alvis Lo. Ficou assim, em aberto o prolongamento do chamado período de estabilização. O director dos Serviços de Saúde voltou a apelar à população para evitar ao máximo as saídas desnecessárias e cumprir as habitais directrizes, como desinfectar as mãos com frequência, evitar aglomerações e convívios e usar máscara.

Braços descruzados

Além da incerteza se a semana pode começar com o retorno de restrições, a tónica da conferência de imprensa de ontem foi a rapidez com que as autoridades de Macau responderam ao comunicado da cidade vizinha, ponto repetido várias vezes por Alvis Lo.

Depois da notificação às 09h de ontem, ao meio-dia “já tinham sido bloqueadas zonas e identificado os grupos alvo que seriam sujeitos a testes de ácido nucleico”. “Fomos muitos rápidos a responder e pedimos aos cidadãos que façam teste antigénio hoje e amanhã [ontem e hoje] para identificar casos. Podemos ter casos esporádicos nos próximos tempo, mas precisamos fazer o nosso trabalho”, afirmou o director dos Serviços de Saúde. Segundo a médica Leong Iek Hou, até ontem às 18h e em conexão com o caso positivo, estavam a ser acompanhados 33 contactos próximos, 18 pessoas fizeram o mesmo percurso, assim como cinco contactos por via secundária. Para já, a medida de levantamento da gestão em circuito fechado em lares de idosos e instalações de reabilitação, que deveria ser descartada hoje, irá manter-se até serem apurados os resultados da testagem aos grupos-alvo. João Luz

DOIS CASOS IMPORTADOS Dois homens oriundos do exterior testaram positivo à covid-19 na sexta-feira, à chegada a Macau. De acordo com uma nota emitida no sábado pelo Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, os pacientes têm entre 20 e 24 anos, negaram qualquer histórico de infecção da doença e não apresentam sintomas, tendo sido encaminhados para isolamento médico. Da totalidade dos casos registados em Macau, apenas 791 são considerados “confirmados”, dado que os pacientes apresentaram sintomas. Os restantes 1.387 infectados são considerados casos assintomáticos, não entrando para essa contabilização.

Associação dos Artistas de Macau alerta que o sector cultural sofreu um impacto “devastador” devido às fortes restrições fronteiriças, confinamentos parciais e quarentena impostas pelas autoridades no combate à pandemia da covid-19. “O sector cultural tem sido devastado”, disse à Lusa o presidente e artista de Macau, Ken Sou Io Kuong, lamentando que “devido a tudo isso os eventos estão totalmente suspensos”. “O sector cultural e de entretenimento e artes performativas não tem a certeza do tipo de apoio que receberá do Governo no futuro, porque a indústria do entretenimento não é uma necessidade na mente do público”, sublinhou. Ken Sou Io Kuong explicou que as ajudas do Governo visam salvar primeiro sectores da restauração e que garantam os meios de subsistência e que o esquema de apoios não contempla a indústria cultural. “No sector cultural, muitos artistas fazem outros trabalhos em part-time, alguns deles até abandonaram esta indústria para trabalharem noutra coisa”, acrescentou. Uma bailarina brasileira, Julia Moreschi, passou a ser instrutora de yoga devido à falta de oportunidades de dançar e de eventos. “A indústria do espectáculo foi desaparecendo. (...) Basicamente todos os meus amigos bailarinos deixaram Macau”, frisou, salientando que por vezes ainda iam conseguindo alguns trabalhos, mas que, entretanto, foram cancelados a partir dos confinamentos parciais. Antes de 2020, detalhou, podiam ser contratados para dez

trabalhos durante a época alta, mas este ano até agora só recebeu propostas para três. Já o director e maestro da Orquestra Jovem Chinesa de Macau, Paul Cheong, adiantou que, antes de 2020, a orquestra tinha uma forte ligação com várias cidades na China e chegou a ser convidado a actuar na Ucrânia. A pandemia afectou seriamente os intercâmbios culturais de Macau com a Área da Grande Baía, bem como outras partes da China continental, acrescentou. “Desde o surto, todas as actividades de intercâmbio cultural tiveram de ser terminadas (...). Receamos convidar instrutores e peritos estrangeiros para virem a Macau para actividades de mentoria, quanto mais para organizar eventos de intercâmbio noutras cidades fora de Macau”, sublinhou o maestro. O antigo deputado da Assembleia Legislativa de Macau, Sulu Sou, chegou a acusar o Governo de discriminar o sector. “Embora não tenha sido encontrado nenhum caso de covid-19 ligado a teatros e outros locais culturais, foram sempre os primeiros a encerrar e os últimos a reabrir no meio de surtos”, escreveu nas redes sociais. “Apesar de nos últimos dois anos e meio não ter sido detectada qualquer infecção relacionada com locais de artes performativas, só lhes foi permitido operar na metade da capacidade durante um período prolongado, antes de serem relaxadas as medidas pandémicas, permitindo-lhes funcionar a três quartos da capacidade, e sob condições”, acrescentou.


4 política

8.8.2022 segunda-feira

www.hojemacau.com.mo

TAXISTAS ANUNCIADO APOIO DE 51 MILHÕES

O

SAÚDE INSPECÇÕES SURPRESA EM ESCOLAS PARA COMBATER TABAGISMO JUVENIL

Caça aberta à beata Para combater o consumo de tabaco entre menores, os Serviços de Saúde elaboraram uma lista de ponto negros onde os mais novos se juntam para fumar e têm realizado “inspecções surpresa” em escolas durante o intervalo do almoço. Até hoje, não foram detectados casos de venda ilegal de tabaco, revela Alvis Lo

O

S Serviços de Saúde elaboraram uma lista de pontos negros onde menores se reúnem para fumar e têm realizado “inspecções surpresa” em escolas durante o intervalo do almoço e fora do horário escolar. As medidas, reveladas em resposta a interpelação escrita do deputado Lei Chan U, fazem parte do plano do Governo para combater e controlar o tabagismo entre os menores. Admitindo atribuir “elevada importância” ao controlo do tabagismo dos jovens, o director dos Serviços de Saúde, Alvis Lo Iek Long, revela que o organismo optou por realizar “acções especiais”, onde se inclui a divulgação da lei junto de lojas que vendem tabaco, distribuição de folhetos promocionais sobre os seus malefícios e o “combate ao acto ilegal de fumar por jovens”, nas redondezas das escolas.

“Os Serviços de Saúde também elaboram uma lista de pontos negros onde os jovens costumam passear e reunir-se para fumar, sendo que têm sido organizadas inspecções especiais direccionadas a estes locais de acordo com o plano estratégico. Têm sido realizadas inspecções surpresa aos locais mais relevantes durante o intervalo do almoço e fora do horário escolar, a fim de aumentar a eficácia de promoção e de execução da lei”, pode ler-se na resposta a Lei Chan U. Recorde-se que na interpelação, o deputado mostrou-se preocupado com as “lacunas” da lei do tabaco em vigor desde 2011, que permitiram a um menor com 13 anos, que acidentalmente provocou um incêndio num edifício habitacional com um cigarro, comprar tabaco no comércio local. Além disso, Lei Chan U questionou o Governo sobre quantos casos de venda ilegal de tabaco a menores foram regista-

dos e se estão a ser ponderadas alterações legislativas.

Sempre zero

Na réplica, Alvis Lo Iek Long não faz referência a uma eventual revisão do actual regime de prevenção e controlo do tabagismo, lembra que os comerciantes devem exigir o documento de identificação sempre que suspeitarem que o comprador tem menos de 18 anos e justifica o problema da venda de tabaco a menores

“Têm sido realizadas inspecções surpresa aos locais mais relevantes durante o intervalo do almoço e fora do horário escolar.” SERVIÇOS DE SAÚDE

com a “dificuldade” que existe em detectar vendas irregulares. Sobre o número de casos de venda ilegal, o responsável diz não haver registo de qualquer ocorrência. “A venda é um acto de curta duração, daí os agentes de fiscalização encontrarem dificuldades em detectar a venda irregular durante as inspecções para emissão imediata de acusação. Após a entrada em vigor da lei, até ao momento, os Serviços de Saúde não receberam queixas ou denúncias sobre a venda de produtos de tabaco a menores de 18 anos”, apontou Alvis Lo. Quanto a outras medidas, os Serviços de Saúde referem que estão a ser levadas a cabo “actividades promocionais de educação”, que incluem workshops, palestras, teatros itinerantes, jogos online e “acampamentos anti-tabagismo”. Contas feitas, entre 2012 e 2021, revela o organismo, foram organizadas 900 palestras sobre os malefícios do tabaco, que contaram com a participação de mais de 49 mil alunos. Por último, Alvis Lo aponta que os Serviços de Saúde estão a “criar directrizes relevantes” para tornar os dados sobre o tabagismo “comparáveis” com outros países e regiões. De acordo com o estudo mais recente realizado em Macau, o consumo de cigarros convencionais entre os jovens caiu de 6,1 em 2015 para 3,8 por cento em 2021. Em sentido contrário, o consumo de cigarros electrónicos subiu de 2,6 para 4,0 por cento. Pedro Arede

Conselho Executivo anunciou na sexta-feira mais subsídios para apoiar os taxistas a fazer face à crise gerada pela pandemia de covid-19. Contas feitas, o Governo irá apoiar mais de 4.000 taxistas com a atribuição de um subsídio para combustível e energia no valor de 12 mil patacas, prevendo assim desembolsar, no total, 51 milhões de patacas. Dos beneficiários, fazem parte todos os taxistas que tenham acumulado 35 horas de trabalho entre 1 de Janeiro e 31 de Julho deste ano, não sendo possível acumular este apoio com o chamando “apoio pecuniário para aliviar o impacto negativo da pandemia aos trabalhadores e profissionais liberais em 2022”, no valor de 10 mil patacas. Nestes casos, será atribuída a diferença (2.000 patacas), após deduzido o apoio pecuniário. “Há um grupo que receberá o apoio financeiro por ser referente aos profissionais liberais em Agosto, ou seja, os restantes motoristas, cerca de 800, receberão o subsídio de combustível de 12 mil patacas. Cerca de 3.000 taxistas receberão o subsídio para profissionais liberais de 10 mil patacas primeiro, antes de receberem o subsídio de combustível de 2.000 patacas”, começou por explicar Lam Hin San, director dos Serviços para os Assuntos de Tráfego, de acordo com a TDM-Canal Macau. “O programa de subsídio de combustível surgiu depois de termos considerado a situação epidémica (...), dado que, durante o surto, os residentes saíram com menos frequência. No entanto, alguns taxistas continuaram a consumir combustível antes e durante o surto, mesmo que não houvesses passageiros”, acrescentou.

Matadouro Governo admite dificuldades

José Tavares, presidente do Instituto dos Assuntos Municipais (IAM), admite que o Matadouro está a enfrentar dificuldades financeiras, devido à redução do número de abates de gado suíno. O cenário foi traçado em resposta a uma interpelação do deputado Ron Lam. “Desde 2007 que o custo de abate de porcos vivos não tem aumentado. Além disso, o volume de abates tem vindo a diminuir nos últimos anos, o que faz com que haja maiores dificuldades operacionais no Matadouro”, reconheceu Tavares. “No entanto, como o funcionamento do Matadouro é fundamental para a vida das pessoas, é necessário mantê-lo em funcionamento, assim como garantir que é abastecido de forma adequada”, acrescentou. Apesar deste cenário, o Governo admite que o futuro da estrutura está a ser equacionado, sem avançar com mais pormenores.


segunda-feira 8.8.2022

sociedade 5

www.hojemacau.com.mo

COVID-19 PEDIDO SUBSÍDIO PARA TNR E FIM DA POLÍTICA DE ZERO CASOS

São dores de amor Os Serviços Meteorológico e Geofísicos (SMG) avisaram ontem para a “possibilidade de desenvolver-se uma tempestade tropical nos próximos dias”, devido a “uma vasta área de baixa pressão localizada na parte central do Mar do Sul da China”. Segundo a informação disponibilizada, a baixa pressão vai deslocar-se para as regiões entre a costa oeste de Guangdong e a Ilha de Hainão. Os SMG admitem que “ainda existem variáveis na sua trajectória e intensidade” que tornam o percurso imprevisível, mas admitem que a partir do meio desta semana que o tempo esteja instável, com aguaceiros fortes e trovoadas, ao mesmo tempo que são esperadas cheias no Porto Interior. A população é aconselhada a prestar atenção aos avisos dos SMG.

CGD BNU contribuiu para lucros com 157 milhões

O Banco Nacional Ultramarino (BNU) contribuiu, no primeiro semestre do ano, com 19 milhões de euros (157 milhões de patacas) para os lucros consolidados do Grupo Caixa Geral de Depósitos (CGD). De acordo com a Rádio Macau, a CGD encerrou os primeiros seis meses deste ano com lucros de 486 milhões de euros (4 mil milhões de patacas). No primeiro semestre de 2021, o BNU apresentou lucros de 219,4 milhões de patacas. Em 2020, o BNU tinha entregue à casa-mãe 29,8 milhões de euros nos primeiros seis meses do ano. A redução do contributo dos lucros do BNU para o grupo prende-se com a pressão económica sentida em Macau, que tem reduzido os lucros locais e ainda devido às alterações no câmbio da pataca face ao euro verificadas nos últimos três anos.

Incêndios Luz verde para regular entidades de fiscalização

O Conselho Executivo concluiu na passada sexta-feira o regulamento administrativo para acondicionar a inscrição das entidades terceiras qualificadas para avaliar projectos de segurança contra incêndios. De acordo com uma nota oficial, o objectivo passa por “regulamentar as condições profissionais necessárias ao exercício de actividade de avaliação dos projectos de especialidade de segurança contra incêndios por entidade terceira qualificada”. Concretamente, serão definidos requisitos de inscrição, pedidos de inscrição, a apreciação de pedidos, a renovação da inscrição, a avaliação do desempenho, o cancelamento da inscrição e a publicação da relação da inscrição.

A

Associação Comercial de Macau defende a atribuição de um cartão de consumo no valor de 3 mil patacas para os trabalhadores não-residentes. A posição da entidade foi divulgada na sexta-feira, através de um comunicado, e faz parte das sugestões apresentadas pela associação relativas a mais um pacote de apoio à economia no valor de 10 mil milhões de patacas. “Em primeiro lugar, deve-se fornecer um subsídio monetário universal único para combater a [crise provocada pela] pandemia”, pode ler-se no comunicado da associação, citado pela agência Lusa. Além da sugestão que visa não-residentes, a associação

HOJE MACAU

SMG Tufão pode chegar nos próximos dias

A Associação Comercial de Macau sugeriu o lançamento de um cartão de consumo para não-residentes, no valor de três mil patacas. Por sua vez, a Associação Industrial e Comercial da Zona Norte de Macau quer o fim da política de zero casos

consegue sobreviver se for obrigada a fechar outra vez (...) e muitas já fecharam os seus negócios”. O empresário defendeu ainda que Macau deve abrir a fronteira com Hong Kong. “Tenho negócios em Hong Kong, e há dois anos que não posso lá ir. Hong Kong faz parte da China, porque não podemos ir?”, questionou, sublinhando que a “população está vacinada”. Macau começou a administrar a quarta dose de vacina para toda a população na sexta-feira, com prioridade dada aos idosos e os doentes imunodeprimidos.

“Tenho negócios em Hong Kong, e há dois anos que não posso lá ir. Hong Kong faz parte da China, porque não podemos ir?” RAYMOND WONG EMPRESÁRIO

liderada por Frederico Ma considera importante a atribuição de mais um cheque para a população e ainda apoios financeiros para as Pequenas e Médias Empresas (PME), que ficaram de fora da ronda mais recente de apoios. Para o dirigente associativo, é essencial ajudar os negócios que foram impedidos de operar durante o surto mais recente. As sugestões foram apresentadas ainda antes de as autoridades bloquearem um edifício residencial na Areia Preta e um espaço de comércio na Taipa, devido a

um caso positivo detectado pelas autoridades de Zhuhai.

Negócios a fechar

Por sua vez, a Associação Industrial e Comercial da Zona Norte de Macau disse à Lusa que espera que o Governo abandone a política de zero casos, alertando para os graves danos das medidas restritivas na economia. “Esperamos que o Governo não prossiga a operação da ‘política zero’”, disse o presidente, Raymond Wong. “E se no futuro houver novamente um surto na comunidade? Uma empresa pequena não

O território que tinha registado cerca de 80 infecções de covid-19, foi atingido em Junho deste ano pelo pior surto enfrentado desde o início da pandemia, que infectou 1.821 pessoas, a maioria dos casos assintomáticos, e poderá ter estado por trás da morte de seis idosos, que tinham doenças crónicas. As fortes restrições fronteiriças, confinamentos parciais e o isolamento de partes da cidade em sintonia com a política de casos zero imposta por Pequim, a crise no turismo e na indústria do jogo tiveram um grande impacto na economia, muito dependente de turistas e dos casinos.

PAÍSES LUSÓFONOS EXPORTAÇÕES PARA MACAU SUBIRAM 42,5%

A

S exportações de mercadorias dos países de língua portuguesa para Macau subiram 42,5 por cento nos primeiros seis meses deste ano, em comparação com o mesmo período de 2021, indicaram dados oficiais divulgados na sexta-feira. O valor exportado pelos países lusófonos para o território fixou-se em

472 milhões de patacas, no período em análise, de acordo com a Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC) de Macau. Já o montante importado pelo bloco de países de língua portuguesa de mercadorias de Macau, naquele período, caiu 75,2 por cento, ficando-se pelas 870 mil patacas.

As exportações de mercadorias por Macau, entre Janeiro e Junho, foram de 7,17 mil milhões de patacas, mais 7,3 por cento, comparativamente a igual período de 2021, enquanto o valor importado de mercadorias foi de 74,02 mil milhões de patacas, ou seja, mais 0,6 por cento, em termos anuais, indicou a DSEC.

O défice da balança comercial de Macau no primeiro semestre deste ano fixou-se em 66,85 mil milhões de patacas, menos 63 milhões de patacas relativamente ao período homólogo do ano passado. Em Junho, o último mês em análise, Macau registou um défice na balança comercial de 9,55 mil milhões de patacas.


6 eventos

8.8.2022 segunda-feira

www.hojemacau.com.mo

CINEMATECA PAIXÃO AGOSTO COM SELECÇÃO INTERNACIONAL, SE PANDEMIA DEIXAR

Preso por arames

Se a pandemia der um descanso a Macau, esta semana começa com uma selecção eclética de filmes na Cinemateca Paixão, com produções do Japão, Estados Unidos, Espanha, Irão, Coreia e Taiwan. “El Buen Patrón”, com Javier Barden, “Just Remembering”, do japonês Daigo Matsui e a produção iraniana “A Hero” serão algumas das películas em exibição

P

OUCOS dias antes de Macau ter voltado a encerrar edifícios devido à pandemia, a Cinemateca Paixão anunciou o cartaz de Agosto com sessões diárias ao longo do mês e uma panóplia de filmes que vão estar em exibição, se não forem impostas

novas restrições no combate à pandemia. Assim sendo, as sessões na Travessa da Paixão devem regressar amanhã com a exibição de “Just Remembering”, às 19h e “Love Talk” às 21h30. Inspirado no clássico “Night on Earth”, do cineasta Jim Jarmusch, “Just Remem-

bering” é uma espécie de álbum de recordações de uma história de amor. O filme do japonês Matsui Daigo ganhou no ano passado o prémio do público do Festival Internacional de Tóquio. O argumento de “Just Remembering” centra-se na relação entre um bailarino,

Teruo, que trabalha como assistente de iluminação numa companhia e teatro, e uma condutora de táxi, Yo, que reencarna o papel interpretado por Winona Ryder na obra de Jarmusch. Com base no eixo amoroso entre Teruo e Yo, o filme retrocede na relação amorosa entre

as personagens, do fim para o princípio. “Just Remembering” tem exibições marcadas para amanhã e sexta-feira, às 19h e domingo às 21h30, e ao longo do mês nos dias 16, 17, 19, 21 e 23 de Agosto. O outro filme que inaugura amanhã o cartaz deste mês é “Love Talk”, um projecto

que resultou da inspiração da realizadora de Taiwan Kuo Chen-Ti, nos contos do autor japonês Kanoko Okamoto. Com a acção a desenrolar-se em Taiwan, Yamagata (Japão) e Kuala Lumpur (Malásia), “Love Talk” apresenta uma série de “paisagens amorosas” e episódios cómicos que retratam as relações amorosas contemporâneas. “Love Talk” será exibido amanhã, quinta-feira, sábado e dia 19, sempre às 21h30. Na quarta-feira, às 19h, é exibido “El Buen Patrón”, uma comédia do realizador Fernando León de Aranoa, que conta na sua filmografia com películas marcantes como “Barrio” e “Los Lunes al Sol”. O protagonista de “El Buen Patrón”, interpretado por Javier Bardem, é um empresário carismático e manipulador que gere uma unidade fabril familiar numa pequena cidade espanhola. No meio da rotina de trabalho, o empresário imiscui-se na vida dos operários, numa tentativa desesperada de ganhar um prémio de Excelência Empresarial e apresentar a imagem do melhor patrão da história da indústria. Além de ter entrado na lista preliminar para o Óscar de melhor filme estrangeiro, “El Buen Patrón” foi o grande vencedor dos Prémios Goya. Tem exibições marcadas para quarta-feira, sábado, 16 e 18 de Agosto às 19h, e depois com sessões às 21h30 nos dias 23 e 24 de Agosto e às 18h30 no dia 28 de Agosto.

Do drama ao épico

“The Northman” é o filme de maior orçamento na selecção de Agosto da Cinemateca Paixão. Realizado por Robert Eggers, este thriller épico inspirado na mitologia nórdica tem um elenco de luxo com Alexander Skarsgård, Nicole Kidman, Claes Bang, Anya Taylor-Joy, Ethan Hawke, Björk e Willem Dafoe nos papéis principais. Partindo da premissa simples da sede de vingança de um jovem príncipe viking que procura vingar a morte do seu pai, assassinado pelo tio, “The Northman” parece catapultar a brutalidade da guerra, sangue a correr, ossos a partir e lama a invadir todos os poros para a dimensão de personagens. Um filme que convida a um duche depois de ser visto. “The Northman” será exibido na quinta-feira e domingo às 19h, e ao longo do


segunda-feira 8.8.2022

Mais uma vez, Asghar Farhadi, que realizou “A Separation”, transporta o público para ambientes intensamente dramáticos com aparente leveza, através de uma narrativa que desafia os limites da moralidade. Um exemplo da vitalidade e subtileza do cinema iraniano Mais uma vez, Asghar Farhadi, que realizou o aclamado “A Separation”, consegue transportar o público para ambientes intensamente dramáticos com aparente leveza, através de uma narrativa que desafia os limites da moralidade. Um exemplo da vitalidade e subtileza do cinema iraniano. “A Hero” será exibido às 21h30 de quarta-feira e sexta-feira, e nos dias 17, 20, 25 e 27 de Agosto às 19h. A selecção de Agosto conta ainda com o filme sul-coreano “Broker” que só tem uma data de projecção na Travessa da Paixão e que já está esgotada. A entrada para cada sessão custa 60 patacas. João Luz

PUB. PEDRO GRANADEIRO/GLOBAL IMAGENS

mês, dias 18, 20, 21 e 24, em horários diversos. Finalmente, “A Hero” é a outra proposta cinematográfica do cartaz de Agosto da Cinemateca Paixão. Realizado por Asghar Farhadi, “A Hero” tem merecido o reconhecimento de festivais de cinema pelo mundo fora, como os Globos de Ouro, o Festival Internacional de Cinema de Palm Springs ou o Festival de Cinema de Cannes. A produção iraniana assenta na atribulada vida de Rahim, interpretado por Amir Jadidi, que acaba por ser preso devido a uma dívida que não consegue pagar ao seu cunhado. Durante uma saída precária de dois dias, o protagonista tenta de tudo para saldar a dívida, incluindo convencer o cunhado a retirar a queixa que apresentou.

www.hojemacau.com.mo

ÓBITO/ANA LUÍSA AMARAL PR DESTACA ESCRITORA SINGULAR E “VEEMENTEMENTE DO SEU TEMPO”

O

Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou sábado a morte de Ana Luísa Amaral, uma escritora “veementemente do seu tempo”, destacando a singularidade das suas obras. Numa nota publicada na página oficial da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que entre a primeira “poesia reunida” de Ana Luísa Amaral, publicada em 2005, e a segunda, em 2010, “tornou-se claro que nenhum roteiro da poesia portuguesa das últimas décadas ficava completo sem Ana Luísa Amaral, não pelas semelhanças com outros, mas pelas singularidades: determinada temática, determinada imagética, e uma certa toada, melódica e dissonante, tocante e irónica”. “Escapando à homogeneidade um pouco fictícia das ‘gerações’, Ana Luísa Amaral não deixou de ser veementemente do seu tempo; diversificando os seus trabalhos, produziu uma incindível unidade”, considerou Marcelo Rebelo de Sousa. A poeta Ana Luísa Amaral, recentemente galardoada com o Prémio Rainha Sofia

de Poesia Ibero-Americana, morreu na sexta-feira, aos 66 anos, copmunicou sábado a Universidade do Porto (UP). Nascida em Lisboa, em Abril de 1956, a escritora e professora universitária Ana Luísa Amaral, tradutora de romancistas e poetas, vivia em Leça da Palmeira desde os 9 anos e recebeu múltiplas distinções ao longo da carreira, estando, entre as mais recentes, o Prémio Vergílio Ferreira, da Universidade de Évora, o galardão espanhol Leteo, da Direção de Acção e Promoção Cultural de Leão, e o Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana, atribuído pelo Património Nacional de Espanha e a Universidade de Salamanca, que reconhece o contributo significativo de uma obra poética para o património cultural deste universo. Doutorada em Literatura Norte-Americana pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde foi professora, Ana Luísa Amaral soma dezenas de títulos de poesia publicados, desde “Minha Senhora de Quê” (1990), além de já ter escrito teatro, ficção e vários livros para a infância.

eventos 7


8 china

8.8.2022 segunda-feira

www.hojemacau.com.mo

PUB. AP | LIU ZHENG

Notificação Edital (execução coactiva)

N.º 35/2022

Lei Sio Peng, Chefe do Departamento de Inspecção do Trabalho, manda que se proceda, nos termos do n.º 3 do artigo 9.º e artigo 11.º do Regulamento Administrativo n.º 26/2008 – “Normas de funcionamento das acçções inspectivas do trabalho”, conjugados com o n.º 2 do artigo 72.º e n.º 2 do artigo 136.º do Código de Procedimento Administrativo (CPA), aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, ficam os transgressores abaixo mencionados notificados para no prazo de 15 (quinze) dias a contar do primeiro dia útil seguinte ao da publicação do presente notificação edital, proceder ao pagamento da multa aplicada no aludido auto e efectuar aos pagamentos da quantia em dívida aos trabalhadores dentro do mesmo prazo. Por outro lado, devem os transgressores apresentar ao DIT os comprovativos dos pagamentos referidos nos 5 (cinco) dias subsequentes ao do termo do prazo acima referido. 1. Processo n.º 324/2021: O transgressor Leung Sai Ki Thomas (proprietário de Aki Consult & Engineering, titular do Bilhete de Identidade de Residente de Hong Kong) do Auto de Notícia n.º AT-129/2022/DIT, proceder aos pagamentos da multa aplicada no aludido auto, no valor total de MOP$10.000,00 (dez mil patacas), por prática da transgressão nos termos do artigo 77.º da Lei n.º 7/2008 – “Lei das relações de trabalho”, e punida nos termos da alínea 5) do n.º 3 do artigo 85.º da Lei n.º 7/2008 – “Lei das relações de trabalho”, e deve efectuar aos pagamentos das quantias em dívidas aos 2 trabalhadores Chen Jinrong e Huang Yutao, no valor total de MOP$24.000,00 (vinte e quatro mil patacas). 2. Processo n.º 2463/2021: O transgressor Cheang Wan Long (proprietário de 炸雞之家, titular do Bilhete de Identidade de Residente de Macau) do Auto de Notícia n.º AT-178/2022/DIT, proceder aos pagamentos da multa aplicada no aludido auto, no valor de MOP$5.000,00 (cinco mil patacas), por prática da transgressão nos termos do artigo 20.º da Lei n.º 21/2009 – “Lei de contratação de trabalhadores não residentes”, conjugados com artigo 77.º da Lei n.º 7/2008 “Lei das relações de trabalho”, e punida nos termos da alínea 5) do n.º 3 do artigo 85.º da Lei n.º 7/2008 – “Lei das relações de trabalho”, e deve efectuar ao pagamento da quantia em dívida ao trabalhador RICOMANO MELANIO YARCIA no valor de MOP$3.186,90 (três mil cento e oitenta e seis patacas e noventa avos). 3. Processos n.ºs 1736/2021, 1781/2021, 1880/2021, 1902/2021 e 2454/2021: O transgressor Lei Seng Kai (titular do Bilhete de Identidade de Residente de Macau) do Auto de Notícia n.º AT-188/2022/DIT, proceder aos pagamentos da multa aplicada no aludido auto, no valor total de MOP$46.666,70 (quarenta e seis mil e seiscentos e sessenta e seis patacas e setenta avos), por prática da transgressão nos termos do artigo 77.º da Lei n.º 7/2008 – “Lei das relações de trabalho”, e punida nos termos da alínea 5) do n.º 3 do artigo 85.º da Lei n.º 7/2008 – “Lei das relações de trabalho”, e deve efectuar aos pagamentos das quantias em dívidas aos 7 trabalhadores Io Kin Chun, Lam Chio Iap, U Se Fong, Choi Ka Keong, Chan Chong Man, Si Tou Sou Hip e Kuan Kuai Fa, no valor total de MOP$61.200,00 (sessenta e um mil e duzentos patacas). 4. Processos n.ºs 2562/2021 e 127/2022: O transgressor Lei Seng Kai (proprietário de San Si Toi Transportation Installation And Appending, titular do Bilhete de Identidade de Residente de Macau) do Auto de Notícia n.º AT-189/2022/DIT, proceder aos pagamentos da multa aplicada no aludido auto, no valor total de MOP$10.000,00 (dez mil patacas), por prática da transgressão nos termos do artigo 77.º da Lei n.º 7/2008 – “Lei das relações de trabalho”, e punida nos termos da alínea 5) do n.º 3 do artigo 85.º da Lei n.º 7/2008 – “Lei das relações de trabalho”, e deve efectuar aos pagamentos das quantias em dívidas aos 2 trabalhadores Loi Kin Peng e Fong Fok Kei, no valor total de MOP$21.000,00 (vinte e um mil patacas). 5. Processos n.ºs 1825/2021, 2408/2021, 2501 e 312/2022: O transgressor Chan Wai Lam (proprietário de Wai Fat Decoração Engenharia, titular do Bilhete de Identidade de Residente de Macau) do Auto de Notícia n.º AT-191/2022/DIT, proceder aos pagamentos da multa aplicada no aludido auto, no valor total de MOP$55.000,00 (cinquenta e cinco mil patacas), por prática da transgressão nos termos do n.º 1 do artigo 37.º, n.º 3 do artigo 62.º e artigo 77.º da Lei n.º 7/2008 – “Lei das relações de trabalho”, e punida nos termos da alínea 6) do n.º 1, alíneas 2) e 5) do n.º 3 do artigo 85.º da Lei n.º 7/2008 – “Lei das relações de trabalho”, e deve efectuar aos pagamentos das quantias em dívidas aos 7 trabalhadores Ian Kei Chan, Tam Sai Chio, Ao Ieong Tong, Chan Sut Wang, Chan Kam Son, Wu Yukun e Wu Haixiong, no valor total de MOP$105.776,60 (cento e cinco mil e setecentos e setenta e seis patacas e sessenta avos). Os transgressores acima mencionados poderam, dentro das horas normais de expediente, levantar as cópias dos Autos, as notificações, os mapas de apuramento da quantia em dívida aos referidos trabalhadores e as guias de depósito, no Departamento de Inspecção do Trabalho, sita na Avenida do Dr. Francisco Vieira Machado, n.ºs 221-279, Edifício “Advance Plaza”, 1.º andar, Macau, sendo-lhe também facultada a consulta dos processos mediante requerimento escrito. Decorridos os prazos acima referidos, a falta de apresentação dos documentos comprovativos dos pagamentos efectuados, implica a remessa por este DIT, nos termos legais, os respectivos documentos ao Juízo. A Chefe do Departamento de Inspecção do Trabalho, Lei Sio Peng 29 de Julho de 2022

Hua Chunying, porta-voz do MNE chinês “Se um estado norte-americano procura separar-se dos EUA e afirma ser um país independente, e um país estrangeiro fornece armas e apoio político a esse estado, o governo e o povo dos EUA permitirão que isso aconteça?”

O seu a seu dono China denuncia EUA como “provocador não provocado e o criador da crise”

U

M porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China disse na sexta-feira que o contexto e os eventos que levaram às tensões no Estreito de Taiwan são claros. Os EUA são o provocador não provocado e o criador da crise. A porta-voz Hua Chunying fez estas declarações numa conferência de imprensa diária. “A situação actual é inteiramente causada pela presidente da Câmara Pelosi e outros políticos dos EUA”, disse Hua. Hua acrescentou que o assunto de Taiwan não é sobre democracia, mas sobre a soberania e integridade territorial da China. “Se um estado norte-americano procura separar-se dos EUA e afirma ser um país independente, e um país estrangeiro fornece armas e apoio político a esse estado, o governo e o povo dos EUA permitirão que isso aconteça?”, perguntou Hua, instando o lado dos EUA a colocar-se no lugar dos outros. A visita de Pelosi a Taiwan é uma grave violação do princípio de Uma Só China.

Atropela seriamente as normas básicas das relações internacionais. Também prejudica seriamente a soberania e a integridade territorial da China. A China fez todo o possível diplomaticamente, disse Hua.

Sem excessos

A porta-voz apontou que a China agiu em legítima defesa somente depois da acção provocadora dos EUA. As contramedidas da China são necessárias como um alerta aos provocadores e como um passo para defender a soberania e a segurança do país. “Agora os EUA e os seus aliados manifestaram-se acusando a China de ‘exagerar’. Mas se eles realmente se importam com a paz e a estabilidade regionais, por que não se levantaram e tentaram dissuadir Pelosi logo no início?”, disse a porta-voz. Hua Chunying enfatizou que as contramedidas da China são justificadas, necessárias e proporcionais, e não há nada de excessivo nelas. Os EUA, como provocador e causador da crise, necessitam e devem assumir toda a responsabilidade.

HAINAN MAIS DE 80 MIL TURISTAS RETIDOS APÓS DETECÇÃO DE CASOS DE COVID-19

M

AIS de 80.000 turistas estão retidos na ilha chinesa de Hainan, no sul da China, depois de terem sido detectados casos de covid-19 que levaram as autoridades a cancelar todos os voos e comboios locais. Ontem, foram registados 483 casos de covid-19 na cidade costeira de Sanya, que tem mais de um milhão de habitantes, na ilha de Hainan, apelidada de “Havai

chinês”, segundo a agência de notícias AFP. To d o s o s v o o s d e Sanya, um local popular para os surfistas, foram cancelados durante o fim de semana e as vendas de bilhetes de comboio foram suspensas. Os turistas que desejam sair devem ter cinco testes PCR negativos realizados nos últimos sete dias, segundo as autoridades de saúde.

Os hotéis da cidade devem oferecer aos seus hóspedes um desconto de 50 por cento até que as restrições de viagem sejam levantadas, disse um funcionário numa conferência de imprensa no sábado. Em Sanya, locais de entretenimento público como ‘spas’ e bares estão fechados desde a semana passada, mas serviços essenciais como supermercados e farmácias continuam abertos.


segunda-feira 8.8.2022

www.hojemacau.com.mo

Retratos que Gu Jianlong fez na horizontal e na vertical PAULO MAIA E CARMO texto e ilustração

«Os lotos murchos, as pétalas dobrando-se para se proteger da chuva,/ Os crisântemos despidos ainda orgulhosos nos seus ramos estendidos atravessando a geada./ Há que lembrar que este é o tempo oportuno para a paisagem ser observada,/ Se as laranjas estão amarelas e os cunquates verdes, é esta a estação adequada.»

Wu Weye (1609-72) o poeta, pintor e literato atento e celebrado que viveu num desconfortável tempo de desencontros foi representado na pose habitual dos retratos de ancestrais, sentado de face virada para a frente como se olhando o tempo que passou e o que virá. Observando o rolo vertical (tinta e cor sobre seda, 149,7 x 89,8 cm, no Museu de Nanquim) como que se pressente a verdade sobre os seus arrependimentos no olhar desolado, debaixo da cabeça coberta com um tradicional barrete de tecido preto do tipo fujin, que já se usava na dinastia Han. E que contrasta com as vestes claras acinzentadas, mais escuras perto dos pés, calçados de vermelho tal como a espécie de almofada confortável que cobre a inesperada cadeira grosseira onde está sentado, construída com ramos nodosos de madeira não tratada. Uma peça de mobiliário cujo significado foi evoluindo em pinturas, desde iconografia característica de personalidades budistas até caracterizar agora a elegância espiritual de personalidades cultas. Que se reconheciam em palavras do Daodejing: «Bloqueia as aberturas, fecha as portas, amacia as arestas, desfaz os nós, abranda o teu olhar; deixa que as tuas rodas se movam apenas em antigos sulcos. Isto é conhecido como a misteriosa paridade.» (Cap.56) O autor da pintura, que em algum momento certamente se espelhou no olhar humilde do retratado, era um pintor de Suzhou chamado Gu Jianlong (1606-depois de

1687) que se relacionou com essas distintas figuras de literatos tendo acompanhado o poeta Qian Qianyi (1582-1644) a Pequim onde esteve nos anos de 1660-70 e realizou pinturas e retratos nos mais diversos estilos para outras relevantes personalidades da corte e da cultura, afirmando a sua vocação de apreender o olhar do outro. No retrato horizontal de Wang Shimin (15921680) que está no Instituto de Arte de Minneapolis (rolo, tinta e cor sobre seda,35,2 x 119,7 cm) ele moldaria o conteúdo da representação ao formato do suporte. Gu Jianlong faz nessa pintura um retrato que é a detalhada descrição da morada organizada de um homem de letras, que se vê no centro na única divisão que abre para a rua, numa pose descontraída de perna traçada. Está rodeado de álbuns perfeitamente arrumados dispostos sobre mesas e armários. Separados dele, em corredores, quartos e outras divisões da mansão aninhada entre nevoeiros e árvores, como pinheiros, salgueiros e canas de bambu, encontram-se mulheres, criados e até crianças. Num desses quartos, o mais sumptuoso, diante de um tieluo está na sua pose digna, a esposa do pintor e numa janela velada ao seu lado, percebe-se ainda uma outra senhora. É um retrato da vida habitual muito diferente do de 1616, que o mostra isolado, feito por Zeng Jing (1564-1647) quando Wang Shimin tinha pouco mais de vinte anos e que o mostra sério, concentrado no futuro.

h

9


7

3 2 1 7 10 [f]utilidades 6 3 6 4 1 1 7 4 TEMPO TROVOADAS MIN 2

4

1 2

3

7 4

2 7 5 1 3

5

2

4

4 6 29 1 2 3 1 5 7 5

5 1 3 6 4 7 2

28 6

PUB.

6 3 7 1 6 2 4 5

30

7 2 5 6 3 1 4

1 6 4 2 7 3 5 1

3 4 1 2 7 5 6

1 2

7 6

6 7 2 2 3 1 4 5 3

1 5 7 4 3 2 5 3 6

4 1 5 2 6 7 3

7 3 4 5 1 6 2

1 5 6 4 2 7 3

3 2

3 4 6 5 7 2 1 4

2 3 7 5 6 4 1

1 6 7 3 5 2 4 5 7 3 1 4 6 2

5

7 2 4 1 5 6 3 7

2 3 5 6 7 7 6 1 2 4

2 5 6 1 4 3 7

5 2 3 4 7 1 6

4 6 2 7 1 3 5

6 1 4 3 5 2 7

STRAIGHT OUTTA COMPTON | N.W.A.

5

6

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 26

26

7

CINETEATRO

28

PROBLEMA 27

1 2 5 4

7

26 MAX 30 HUM 70-95% UV 10 (MUITO ALTO) • EURO 8.23 BAHT 0.22 YUAN 1.20

S U D O K U UM DISCO HOJE 27

8.8.2022 segunda-feira

www.hojemacau.com.mo

1 1

31

7 1 6 5 3 3 7

2

C I N E M A

SALA 1

Com: Chris Pratt, Bryce Dallas Howard, Laura Dern, Jeff Goldblum 16.30, 21.45

LIGHTYEAR [B]

FALADO EM CANTONÊS Um filme de: Angus MacLane 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

Lançado em 1988, “Straight Outta Compton” é um disco pioneiro em vários aspectos. Não só inaugura o gangsta rap, como deu voz às ruas que explodiam em violência policial e motivou um acérrimo discurso sobre censura na música. “Fuck tha Police” viria mesmo a tornar-se um dos hinos dos motins de LA, que rebentaram depois do caso Rodney King, o motorista afro-americano gratuitamente espancado por polícias que viriam a ser decla32inocentes. “Straight Outta rados Compton” apresentou também ao mundo os génios Dr Dre e Ice Cube. “You are now about to witness the strength of street knowledge”, é a frase que antecipa a primeira batida. João Luz

THE LOST CITY [B]

Um filme de: Adam Nee, Aaron Nee Com: Sandra Bullock, Channing Tatum, Daniel Radcliffe, Brad Pitt 14.30, 16.30, 21.45

SALA 2

TOP GUN: MAVERICK [B] Um filme de: Joseph Kosinski Com: Tom Cruise, Jennifer Connely, Val Kilmer, Miles Teller 14.00, 19.15

3

SALA 3

EVERYTHING EVERYWHERE ALL AT ONCE [C]

JURASSIC WORLD: DOMINION [B] Um filme de: Colin Trevorrow

Um filme de: Daniel Kwan, Daniel Scheinert Com: Michelle Yeoh, Stephanie Hsu, Ke Huy Quan, James Wong 19.00

7

7 2 3 4 1 6 5 3 4 5 1 2 7 6 3 1 6 7 2 5 4 2 1 7 4 3 6 5 30 LIGHTYEAR 1 5 4 2 7 3 6 1 5 6 3 4 2 7 3 2 6 6 7 5 3 4 2 1 6 2 1 7 5 4 3 4 3 Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editores João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; João Santos Filipe; Pedro Arede, 2 3 1 Nunu 6Wu Colaboradores 5 4 7Anabela Canas; António Cabrita; 4 Ana 3 Jacinto 2 Nunes; 6 Amélia7Vieira;5Duarte1Drumond Braga; Gonçalo Waddington; José Simões Morais; 5 Oyang; Paulo Maia e Carmo; Rosa Coutinho Cabral; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Colunistas André Namora; David Chan; João Romão; Olavo Rasquinho; www. 5 4 2 Julie 1 6 7 3 5 7 3 2 6 1 4 Paul Chan Wai Chi; Paula Bicho; Tânia dos Santos Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua hojemacau. 6Secretária 4 Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare com.mo 4 6 7 Morada 5 Pátio 3de redacção 1 e Publicidade 2 Madalena da 7 6 4 5 1 3 2 da Sé, n.º22, Edf. Tak Fok, R/C-B, Macau; Telefone 28752401 Fax 28752405; e-mail info@hojemacau.com.mo; Sítio www.hojemacau.com.mo 1 5 3 33 34 3 7 24 16 4 6 52 2 3 6 7 5 4 1 Aviso sobre pedido de junção de restos 4 1 5 7 2 6

35

5 1 3 7 4 6 2

6 2 4 3 1 5

2 7 4 5 1 3 6

Assine-o TELEFONE 28752401 | FAX 28752405 E-MAIL info@hojemacau.com.mo

www.hojemacau.com.mo

1 5 7 4 6 3

4 3 6 1 7 2 5

3 6 2 5 7 4

7 5 2 6 3 4 1

7 3 1 6 5 2

3 6 5 4 2 1 7

5 7 3 2 4 1

1 2 7 3 6 5 4

2 4 6 1 3 7

6 4 1 2 5 7 3

5 7 4 3 2 1 7 6Edital1 4 3 5 (7/FGCL/2022) 3 5 2 1 6 7 Nos termos do artigo 6.º da Lei n.º 10/2015 (Regime de garantia de créditos laborais), o Conselho Administrativo do 4de Créditos 2 Laborais 7 5(FGCL)1deliberou,6 Fundo de Garantia em 29 de Julho de 2022, autorizar a atribuição dos créditos requeridos a favor 6dos trabalhadores 1 5 dos2devedores 4 abaixo3 mencionados (inclusive os eventuais juros de mora), pelo que, de acordo com a alínea 1) do n.º 1 do artigo 9.º da lei acima 1com o4n.º 2 do3artigo 6 7 2do referida, conjugada 72.º do “Código Procedimento Administrativo”, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M de 11 de Outubro, os devedores abaixo referidos são notificados que o FGCL irá, no prazo de oito dias contados a partir da data da publicação deste edital, atribuir os montantes resultantes dos créditos a favor dos trabalhadores mencionados no quadro abaixo. Além disso, nos termos do artigo 8.º da mesma Lei, o FGCL fica sub-rogado nesses créditos, após a sua atribuição.

36

Número 1

2

3

4 5 3 6 2 7 1

3 2 7 4 5 1 6

7 1 6 3 4 2 5

5 4 2 1 6 3 7

2 3 5 7 1 6 4

1 6 4 2 7 5 3

Nome dos N.º do Montante total trabalhadores pedido dos créditos (MOP) ZHOU, $14,534.40 AGÊNCIA DE 468/2022 HONGXIN VIAGENS LUÍS $29,068.80 WU, $14,534.40 CHOU LIMITADA 469/2022 XINMIN SOCIEDADE DE ENGENHARIA E CHAN TAK CONSTRUÇÃO 459/2022 $98,784.90 KEONG CIVIL C&U LIMITADA $16,864.90 XUE, JAPAN CONCEPT 493/2022 WENYAO GROUP $32,996.30 $16,131.40 INTERNACIONAL HUANG, 494/2022 LDA. ZHIWEI Devedor(es)

Os devedores acima referidos podem comparecer, durante as horas de expediente, na sede da Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais, sita na Avenida do Dr. Francisco Vieira Machado nos. 221 a 279, Macau, para consultar o respectivo processo. 3 de Agosto de 2022. O Presidente do Conselho Administrativo do FGCL, Wong Chi Hong

mortais em sepultura perpétua

6 Eu, Chan Ioc Chi (陳玉志), nos ter2mos da alínea 5) do n.º 1 e dos n. 2 a 4 do artigo 26.º-A do Regulamento Admi4nistrativo n.º 37/2003, alterado pelo ReAdministrativo n.º 22/2019, 3gulamento apresento o pedido relativo à junção das 7ossadas de Lei Hei(李喜), que era cônjuge de Chan Tim aliás Chan Keng Tim 5aliás Chan King Tin(陳敬添), inumada os

na sepultura n.º CT-1-B1-332 do Cemitério Municipal de Sá Kong da Taipa, nessa sepultura. Venho por este meio informar as pes6soas indicadas no n.º 1 do artigo 26.º-A do Administrativo acima refe7Regulamento rido de que podem apresentar objecção 1por escrito no prazo de 30 dias, contados a partir da data da publicação do aviso, ao 5IAM. A objecção escrita deve ser entreno escritório dos assuntos de cemi3gue térios da Divisão de Higiene Ambiental 4do IAM, sito no 3.º andar do Edifício Comercial Nam Tung, na Avenida da Praia 2Grande n.º 517. Se o IAM não tiver recebido objecção por escrito dentro do prazo determinado, o pedido de junção pode ser autorizado. Aos 8 de Agosto de 2022 Chan Ioc Chi


segunda-feira 8.8.2022

opinião 11

www.hojemacau.com.mo

Mário Duarte Duque*

PLANEAMENTO GERAL DO TRÂNSITO E TRANSPORTES TERRESTRES DE MACAU II – DA MORFOLOGIA URBANA (continuação de dia 1 de Agosto) A PLANIFICAÇÃO DE infra-estruturas de transporte, tal como as conhecemos hoje, não foi, nem é, alheia à morfologia dos territórios. Isso foi resultado tanto da viabilidade técnica, como de eficiência e economia de execução, a que também importaram critérios paisagísticos. Efectivamente, na escolha do traçado, fosse uma estrada ou um caminho de ferro, a contrapartida é muito maior se, para além das vantagens da acessibilidade e da construção, tirasse também partido de atributos de paisagem, tal como as margens de um rio, ou o avistamento de uma montanha, como recorrentemente acontece. Quando transpomos o mesmo para o espaço urbano, o que se altera é que os atributos de paisagem não são só resultado da morfologia natural, mas também da morfologia construída. Como até as próprias infra-estruturas de transporte no espaço urbano têm capacidade de induzir outras novas morfologias, ou de elas próprias serem o novo elemento morfológico. Assim, e da mesma maneira que a RAEM não tem um Plano Paisagístico Geral para assistir ao Planeamento Geral do Trânsito e Transportes Terrestres, no que se prende com a construção de infra-estruturas de transportes, vai ter de se munir das mesmas avaliações paisagísticas e de salvaguarda, que se discutem caso a caso, tal como se faz com a emissão de Plantas de Condições Urbanísticas (PCUs), a respeito da definição da volumetria de ocupação dos lotes. Como acontece já na vigência de um Plano Director, mas ainda na ausência de planos de pormenor, que dispensariam tais definições avulsas, sujeitas por isso ao escrutínio do Conselho do Planeamento Urbanístico. Na história do urbanismo, poucos foram as situações em que a cidade foi planeada paisagisticamente, visualmente ou mesmo pictoricamente, porque a definição racional e abstracta da cidade, mesmo apenas planimetricamente, já comtemplava elementos com capacidade de gerar atributos visuais, cujos efeitos era conhecidos, e possíveis de prever. A necessidade de intervir visualmente ou pictoricamente na paisagem urbana foi, na maior parte dos casos, uma consequência da falha, ou do descontrolo, dos métodos convencionais de planeamento, e nas situações onde em causa estavam valores achados histórica ou socialmente sensíveis. Em certa medida, o instrumento de controlo e planeamento do skyline de uma cidade pode considerar-se nessa categoria. Em Macau foi possivelmente exemplo dessa forma de intervir visualmente na cidade, a edificação realizada recentemente no sopé da escadaria de S. Paulo, que não foi resultado de

uma projecção pictórica, mas antes de reconstrução pictórica, cuja informação foi possível retirar de um desenho de Chinnery. Retomando o caso das infra-estruturas de transporte, um dos aspectos de maior impacto visual resulta das situações em que é necessário construí-la elevada. O impacto é facilmente antecipável e a reacção é espectável, como efectivamente aconteceu quando se definiu que a Av. da Praia Grande iria ser sobrevoada por um viaduto, e que só era essa a alternativa possível para servir o centro com um transporte automático, tal como fora previsto de início. Mas também, como para tudo o que acontece em contexto, o resultado é sempre fruto da selecção dos elementos de composição, da sua caracterização ou tratamento, assim como da sua posição. Um viaduto avistado de perto, mas suficientemente longe da paisagem, serve de moldura a essa mesma paisagem. Mas um viaduto, quando é avistado mais de longe já corta ou bloqueia a paisagem que lhe segue. Ou seja, na definição paisagística da cidade, importa saber onde os observadores se encontram ou os lugares que frequentam, ou mesmo definir posições ou circuitos privilegiados de observação, articulados com as novas infra-estruturas a erigir. Já com as infra-estruturas de transporte de superfície, a questão que mais se coloca é a resulta da sua hierarquia e da intensidade do seu tráfego, com outras necessidades de atravessamento. Por via da nova morfologia de aterros da RAEM com características de arquipélago, acrescem novos atributos paisagísticos litorais. Aqueles que conferem às edificações notáveis efeitos visuais de reflexos na água, proporcionam aos habitantes locais ambientalmente mais aprazíveis para residir, assim como para lazer dos utentes em geral. Mas também permitem também construir vias marginais de tráfego mais eficiente. Vias que são de difícil atravessamento de nível, impossíveis no caso de circulações ferroviárias. Essas apenas possíveis atravessar nas situações de eléctricos urbanos, que tanto podem circular a alta velocidade em vias exclusivas, como a muito baixa velocidade em zonas pedonais, mas que não foram a opção de transporte automático da RAEM. Tendencialmente as ocupações urbanas litorais caracterizam-se por orlas paralelas com especialidades funcionais diferentes, muitas vezes ao longo de uma encosta. No passado a mobilidade entre zonas distintas da cidade era menos necessária, e os percursos dos habitantes faziam-se quase exclusivamente em ruas perpendiculares ao litoral, através dessas orlas paralelas. A cidade dependia dessas ruas também para assegurar

a higiene do ar, fazendo uso das brisas que circulam entre a terra e a água, e que alternam de direcção ao longo do dia e da noite. Muito do que hoje é apreciado nas ocupações litorais, foi destruído em muitos outros locais litorais por via da intensificação de circulação marginal. Boa demonstração disso são as cidades do Porto e de Lisboa, respectivamente. As vias marginais de tráfego intenso é uma tradição que se instaurou no urbanismo contemporâneo, originariamente por necessidade e por ser recurso mais fácil de lançar mão, mas que nunca foi elemento originário de modelos urbanísticos. Ponderadas todas estas situações, afigura-se que os eixos de circulação principal que o Planeamento Geral do Trânsito e Transportes Terrestres de Macau propõe para circulação marginal, os mesmos coexistiriam mais favoravelmente se instalados nas vias paralelas mais interiores desses aterros, onde poderiam existir até elevados com reduzido impacto paisagístico, possibilitando desejáveis e mais tranquilos fluxos transversais de acesso local ao litoral desses aterros, para que aí se pudessem localizar ocupações e equipamentos em condições ambientalmente mais aprazíveis, com novos e melhores atributos paisagísticos de frente litoral, e menos perturbados pelo tráfego. De outra forma, os novos terrenos da RAEM nascem assim já murados em relação à sua frente litoral, o mesmo que aconteceu em outras cidades, mas por falta de alternativas e em resultado das limitações de um território já consolidado. Ainda para o que se prende com o transporte automático da RAEM, o metro ligeiro, importa que se instaurou um dado fundamental e indiscutível, i.e. instalou-se um dogma, do qual resulta a impossibilidade dessas instalações integrarem ou se conjugarem com quaisquer outras finalidades. Há muito que em Macau se admite que um edifício possa albergar mais do que uma finalidade, mas a finalidade “transporte” encontra-se disso afastada. Disso resulta que as instalações de transporte tenham que existir tanto em instalações exclusivas como em espaço público. Efectivamente toda a parafernália que uma instalação de metro requer é grande, e a sua construção na Taipa teve necessariamente que ocupar o espaço público existente, em zonas urbanas já consolidadas.

O modelo continua o mesmo, tanto que, que os novos aterros tiveram o seu loteamento definido, antes de definidas as suas infra-estruturas, nomeadamente de transportes, que necessariamente irão ter de ocupar o espaço público que resultou dessas operações de loteamento, e onde não foram previstas. Efectivamente as estações do metro ligeiro já realizadas na Taipa não puderam à data albergar qualquer finalidade comercial, mesmo contribuindo para a solvência do serviço, sequer mesmo instalar painéis solares, sob pena de entrar em conflito de interesses com a própria concessionária que alimenta a RAEM de energia eléctrica. Como também o modelo de exploração não permite que as estações possam existir em edifícios com outras finalidades. Já aqui ao lado, em Hong Kong, as estações de metro tanto são génese, como integram novos polos habitacionais e comerciais, assim como, quando foram construídas no tecido urbano já consolidado, não foi necessário ocupar o espaço público, sequer para saídas à superfície, as quais foram criadas em lotes já existentes, nos segmentos do circuito subterrâneo, Aquestão importa e está sujeita a escrutínios que tanto são de sustentabilidade como de gestão de bens públicos. Espaço público, assim como urbanização, são bens/recursos públicos. Em territórios como Macau, onde a alta densidade impera e o espaço público é proporcionalmente escaço, a gestão do espaço público tem que ser eficaz. A ocupação do que é escaço, mas que simultaneamente é de utilização exclusiva, não se afigura eficaz, sequer sustentável, se o bem em causa for escaço. Em grande medida, é também este modelo de concepção e de exploração o que inviabiliza servir o centro da cidade pelo circuito de metro, uma vez que não é possível disponibilizar, sequer sacrificar mais, o espaço público do centro da cidade que este modelo requer. Quando tudo o que são instalações de um metro ligeiro, para as quais não existe alternativa, são apenas as linhas e os cais, pois tudo o mais, são átrios, acessos e instalações técnicas, cuja existência se pode negociar nos lotes já existentes. Em verdade, no princípio do sec. XX foi possível estabelecer uma comunicação directamente entre o cais de passageiros no Porto Interior e o Leal Senado (a Av. de Almeida Ribeiro), da mesma maneira que outras cidades rasgaram boulevards das estações de caminho de ferro ao centro da cidade. Não ocorre porque não é possível, ou não haja interesse, em dotar a RAEM de uma estação de metro ligeiro que sirva o centro da cidade. (com continuação) *arquitecto


“Num mundo de cegos quem tem um olho é aleijado. ” PALAVRA DO DIA

KOSOVO JORNALISTA RUSSA DETIDA POR SUSPEITA DE ESPIONAGEM

O valor das trocas comerciais em yuan entre a China e o resto do mundo aumentou 16,6 por cento em Julho, em termos anuais, informou ontem a Administração Geral das Alfândegas da China. Em particular, as exportações aumentaram 23,9 por cento, um ritmo muito mais rápido do que as importações (+7,4 por cento). No sétimo mês do ano, o comércio com outros países totalizou 3,81 biliões de yuan.

U

CUBA UE EXPRESSA APOIO A POVO CUBANO APÓS INCÊNDIO EM TANQUES DE PETRÓLEO

A

PUB.

8.8.2022

Vergílio Ferreira

China Trocas comerciais crescem 16,6% em Julho

União Europeia expressou ontem o seu apoio ao povo cubano, na sequência do incêndio na zona industrial da província de Matanzas, no oeste da ilha, que provocou pelo menos um morto, 121 feridos e 17 bombeiros desaparecidos. “Face ao trágico incêndio num tanque de armazenamento de petróleo bruto em Matanzas, Cuba, expresso a minha solidariedade às vítimas e transmito o apoio da União Europeia ao povo cubano nestes tempos difíceis”, disse o alto representante para a Política Externa, Josep Borrell, numa mensagem publicada na rede social Twitter. O incêndio começou na sexta-feira passada, quando um raio atingiu um dos oito tanques de combustível da zona industrial. As autoridades cubanas indicaram que mais de 1.000 pessoas foram retiradas do local e que as operações continuam para retirar os que vivem em lugares vulneráveis perto da zona do incidente. Este incêndio aconteceu apenas três meses depois de uma explosão no hotel Saratoga, em Havana, que provocou 47 mortos. O Governo cubano já anunciou que pediu ajuda a especialistas internacionais de “países amigos”, com experiência no sector petrolífero, para controlar o incêndio provocado por um raio, que causou várias explosões e acabou por alastrar o fogo a outro tanque.

segunda-feira

O movimento palestiniano Hamas mantém-se, por enquanto, à margem do conflito, o que conseguiu conter a sua intensidade, mas já condenou Israel, considerando que está “novamente a cometer crimes”

A guerra continua Jihad Islâmica lança 600 ‘rockets’. Jerusalém ataca 140 alvos

A

Jihad Islâmica Palestiniana lançou quase 600 ‘rockets’ contra Israel desde sexta-feira, segundo dados divulgados ontem pelo exército israelita, que, por sua vez, atacou cerca de 140 alvos do grupo na Faixa de Gaza. O exército israelita informou ontem que pelo menos 585 ‘rockets’ foram lançados de Gaza pelo grupo Jihad Islâmica desde que teve início o actual pico de tensão, tendo provocado, até ontem, 29 mortos - todos palestinianos - e mais de 250 feridos. Do total de projécteis lançados de Gaza, 470 atravessaram Israel e 115 caíram dentro da própria Faixa antes de cruzarem a cerca que separa os territórios. Até agora, Israel sofreu poucos ataques em áreas povoadas, até porque, de acordo com o exército, o sistema de defesa antiaérea ‘Iron Dome’ tem uma taxa de sucesso de 97 por cento, interceptando 185 dos foguetes lançados. Os restantes caíram em áreas despovoadas do país.

Embora a maioria dos projécteis disparados tenham sido dirigidos às comunidades israelitas da fronteira com Gaza, foram também disparados tiros em direcção a Telavive no sábado e a Jerusalém no domingo, apesar de terem sido todos interceptados antes de chegarem ao seu destino. O exército informou também ter bombardeado 139 alvos da Jihad Islâmica em Gaza, incluindo instalações onde o grupo palestiniano disse que as armas eram fabricadas e armazenadas, locais de onde os ‘rockets’ foram lançados e uma rede de túneis supostamente usada pelo grupo. Esses ataques causaram a morte de pelo menos nove membros da milícia da Jihad, incluindo Khaled Mansur e Taysir al-Jabari, os principais comandantes do seu braço armado. Por sua vez, o Ministério da Saúde palestiniano especificou que entre os mortos contam-se seis crianças e quatro mulheres. Cinco dos menores morreram no sábado à noite após o impacto de um projéctil no

norte de Gaza, num incidente que, segundo Israel, foi um lançamento de foguete fracassado pela Jihad Islâmica, que, por seu lado, culpou o exército israelita pelo ataque.

Das origens

O actual pico de tensão começou após a detenção, na segunda-feira passada, do alto dirigente da organização Jihad Islâmica na Cisjordânia, Bassem Saadi. Face a rumores sobre a possibilidade de acções armadas de retaliação a partir do enclave palestiniano, Israel lançou um ataque preventivo contra alvos da Jihad em Gaza. O movimento palestiniano Hamas mantém-se, por enquanto, à margem do conflito, o que conseguiu conter a sua intensidade, mas já condenou Israel, considerando que está “novamente a cometer crimes”. Israel e grupos armados em Gaza têm travado vários conflitos, o último dos quais aconteceu em Maio de 2021 e durou 11 dias, causando a morte de 260 palestinianos e 13 israelitas.

MA jornalista russa, Daria Aslamova, foi detida no Kosovo por suspeita de espionagem, informou o ministro do Interior do Kosovo, Xhelal Svecla, numa mensagem divulgada no sábado à noite. Numa declaração publicada na rede social Facebook, o ministro garantiu que vários países provaram que Aslamova agiu, nos seus territórios, como espiã dos serviços militares secretos da Rússia e destacou que a jornalista divulgou propagada a favor da ocupação russa durante a guerra na Ucrânia. Segundo Xhelal Svecla, a jornalista tentou entrar no Kosovo uma semana depois das tensões “causadas pelas estruturas criminosas” no norte do país, e no mesmo dia em que “as mesmas estruturas criminosas lideradas pelo [Presidente sérvio Aleksandar] Vucic” dispararam contra a polícia. Na semana passada, os sérvios bloquearam estradas no norte de Kosovo em protesto contra a tentativa das autoridades de forçá-los a usar cartas de condução e matrículas kosovares, em vez de sérvias, uma acção fortemente apoiada pela Rússia. “A coincidência entre a sua tentativa de entrar no país e o desenvolvimento da situação no norte mostra claramente a ligação à Rússia e à sua propaganda que visa, juntamente com a Sérvia, desestabilizar o nosso país”, disse Svecla. As autoridades kosovares vão investigar minuciosamente as intenções de Aslamova no Kosovo, anunciou o ministro na mensagem publicada no Fcebook, na qual publica fotos da jornalista a abraçar o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, e a sorrir ao Presidente sírio, Bashad al-Assad.