Page 1

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

MOP$10

QUARTA-FEIRA 8 DE AGOSTO DE 2018 • ANO XVII • Nº 4110

hojemacau VIVA MACAU

AL LAVA AS MÃOS PÁGINA 5

ATFPM

DO FUNDO DA CRIPTA

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

PÁGINA 7

TAIWAN

TÚNEL PARA O CONTINENTE PÁGINA 12

Sou atacado PÁGINA 4

h JOÃO PAULO COTRIM

PUB

sada semana. Sulu Sou foi acusado de populismo, de ser mau perdedor, arrogante, mau representante da democracia e de desrespeitar os colegas e os procedimentos da casa das leis.

AGÊNCIA COMERCIAL PICO 28721006

Sulu Sou saiu ontem da Assembleia Legislativa com as orelhas quentes. Nove deputados mostraram-se implacáveis nas críticas ao comportamento do pró-democrata no plenário da pas-

NADA É ÓBVIO NEM ABSOLUTO


2 grande plano

8.8.2018 quarta-feira

PATRIMÓNIO

A reabilitação de uma cidade muralhada em Wuhan, capital da província de Hebei, tem ocupado os dias de uma equipa de arquitectos do atelier de Maria José de Freitas e do Wuhan Research Center of Shared Built Heritage, ligado à UNESCO. É a primeira vez que a arquitecta portuguesa trabalha num projecto para a China em

parceria

com profissionais chineses

REINVENTAR A

O

ATELIER DE MARIA JOSÉ DE FREITAS DESENVOLVE PROJECTO PARA WUHAN

S dias têm apenas 24 horas, mas deveriam ter mais. As reuniões sucedem-se todas as manhãs e também à tarde, para que os dias que passam a correr no calendário não atrapalhem o objectivo de concluir o projecto de reabilitação de uma antiga cidade muralhada de Wuhan, na China. A entrega é já no dia 21 deste mês. Por estes dias, o atelier da arquitecta Maria José de Freitas anda num rebuliço para terminar o primeiro projecto feito em parceria com arquitectos chineses. São jovens já com doutoramentos e que fazem

parte do Wuhan Research Center of Shared Built Heritage, uma entidade da cidade de Wuhan, na China, que se dedica à preservação do património. Esta entidade pertence ao Conselho Internacional de Monumentos e Sítios, ligado à UNESCO. No total, uma equipa de sete pessoas trabalha sem parar para participar num concurso público que o município de Wuhan abriu há um mês para a preservação de uma cidade muralhada secular, onde ainda vivem pessoas. Numa pausa entre desenhos e programas de computador, os participantes

“[O projecto] tem uma escala urbana e é muito diferente daquilo a que estou habituado a trabalhar. Dificilmente trabalharia com isto na Europa. Na China é tudo muito diferente e às vezes a linguagem pode ser uma barreira, mas ultrapassa-se.” TIAGO REBOCHO ARQUITECTO

explicaram ao HM os desafios de se lançarem num projecto desta natureza. “Está em causa um local com muita história e com problemas estruturais, tal como o excesso de população com más condições de vida. As dificuldades são grandes no que diz respeito à concepção e planeamento que vamos propor ao Governo. Temos de nos preocupar com várias coisas, é um projecto difícil”, contou Li Jie, arquitecto ligado ao Wuhan Research Center of Shared Built Heritage. É a primeira vez que Li Jie está em Macau. Um dos grandes desa-


grande plano 3

quarta-feira 8.8.2018

MURALHA

japoneses, mas não temos muitos arquitectos portugueses. Era isso que me preocupava, achava que a Maria não teria a verdadeira noção de como as coisas acontecem na China. Não posso dizer que tenha um conhecimento a cem por cento, mas é rápida a aprender.” Tudo está no início, uma vez que a equipa de arquitectos chineses chegou a Macau este fim-de-semana e há muitas ideias que ainda estão a ser debatidas.

“Wuhan tem um património partilhado, uma vez que temos cinco concessões: uma britânica, francesa, alemã, japonesa e russa. É uma questão política também. Por outro lado, a China está a conhecer um desenvolvimento muito rápido.” DING YUAN ARQUITECTO

“É uma cidade com centenas de anos, muralhada, com várias portas”, explicou Maria José de Freitas ao HM. “Do lado de fora, uma das portas está protegida, mas dentro da cidade parece que a vida parou, e queremos que as pessoas que vivam lá consigam viver dentro das circunstâncias do século XXI. Também queremos que estas muralhas sejam mais permeáveis às influências e também que desempenhem um papel a nível internacional.” Há três grupos a trabalhar em simultâneo para este projecto, um deles está em Lisboa a fazer investigação sobre o local. “Pensamos na questão da mobilidade do trânsito, ao nível dos carros e da bicicletas. Queremos ter uma cidade ecológica e desenvolvida de forma sustentável. Queremos garantir um grande equilíbrio, trabalhamos com consultores, porque este projecto abrange um grande número de actividades.” fios que enfrenta prendem-se com trabalhar com colegas estrangeiros, que têm diferentes perspectivas da arquitectura. “Nunca tinha trabalhado com uma equipa internacional. Acho que para mim é uma nova oportunidade de aprendizagem.” Tiago Rebocho, arquitecto do atelier de Maria José de Freitas, também fala do lado desafiante deste tipo de projectos, que nunca lhe tinha passado pelas mãos. “Tem uma escala urbana e é muito diferente daquilo a que estou habituado a trabalhar. Dificilmente trabalharia com isto na Europa. Na China é tudo muito diferente

e às vezes a linguagem pode ser uma barreira, mas ultrapassa-se, e o facto de trabalhar com locais chineses dá-me uma experiência incrível”, apontou.

O ENCONTRO EM LISBOA

Maria José de Freitas, que está a fazer um doutoramento em Portugal na área do património, conheceu Ding Yuan, secretário-geral do Wuhan Research Center of Shared Built Heritage, em Lisboa, há dois anos, quando ambos participavam num seminário sobre o tema. De uma conversa inicial surgiu um convite para trabalharem em

conjunto, primeiro com o desenvolvimento do projecto em Macau e depois com a sua apresentação oficial junto das autoridades e do público de Wuhan. O contacto inicial levou-os à conclusão de que eram ambos apaixonados por património e a sua preservação face aos desenvolvimentos das sociedades actuais, mas surgiram alguns receios de que a diferença de idiomas e de horários pudesse deitar tudo a perder. “Na China conhecemos muitos arquitectos alemães, franceses, e são muito activos e populares na China, incluindo arquitectos

“Do lado de fora, uma das portas está protegida, mas dentro da cidade parece que a vida parou, e queremos que as pessoas que vivam lá consigam viver dentro das circunstâncias do século XXI.” MARIA JOSÉ DE FREITAS ARQUITECTA

Maria José de Freitas adianta que a cidade muralhada de Wuan e a sua renovação pode constituir um estudo de caso. “Queremos partilhar [o projecto] com outras universidades e cidades do mundo que enfrentem o mesmo tipo de problemas”, frisou. A participação neste concurso público também é sinónimo de competitividade. “O município tem vindo a receber vários projectos, mas a maior parte tem vindo a focar-se na muralha que circunda a cidade. Há cerca de um mês o município resolveu realizar um concurso público, que é difícil. Por qualquer motivo o Governo não está contente com o que tem recebido”, adiantou Maria José de Freitas.

MAIS PREOCUPAÇÃO

Este projecto nasce numa altura em que na China há cada vez uma maior preocupação pela preservação do património. Em Wuhan há diferenças que não podem ser ignoradas, como notou Ding Yuan. “Wuhan tem um património partilhado, uma vez que temos cinco concessões: uma britânica, francesa, alemã, japonesa e russa. É uma questão política também. Por outro lado, a China está a conhecer um desenvolvimento muito rápido.” Ding Yuan notou também que “Wuhan é uma grande cidade no centro do país que também se está a desenvolver muito depressa, e há muito património que pode estar em perigo”. “Alguns não querem [que isso aconteça], incluindo os locais, e pedem que sejam melhoradas as condições de vida”, apontou. Apesar de trabalhar em Macau, Tiago Rebocho também nota que, nos últimos anos, já não se destrói tudo na China sem uma preocupação sobre o passado. “AChina começa agora a ter uma preocupação em relação à protecção do património e isso tem-se notado nos últimos anos. Basicamente, construía-se a imitar aquilo que tinha sido demolido, que é o que estamos a evitar fazer. Estamos a tentar fazer uma reinterpretação da arquitectura local, contribuir com algo de novo e não fazer uma cópia.” O próprio caderno de encargos do concurso público aberto pelas autoridades do município de Wuhan revela “uma preocupação da China em crescer para o exterior, atrair turismo internacional e preservar o património que eles têm e mostrá-lo”. “Essa preocupação é recente e tem aumentado a largos passos. Já têm vários locais classificados e, além de quererem ser uma potência económica, querem também ser uma potência ao nível do turismo”, frisou Tiago Rebocho. Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo


4 política

RADICALISMO À SOLTA

Lao Chi Ngai e Pang Chuan, igualmente nomeados, também arrasaram a atitude do jovem pró-democrata: “Lamentavelmente, um deputado, provavelmente sob a influência nociva do populismo, não concordou com os resultados da apreciação de uma proposta de lei que, entretanto, tinha conseguido o apoio da maioria (...) e optou por recorrer, em nome da democracia, a formas radicais, gritando muito até ficar rouco”. A forma de agir de Sulu Sou, que “não parou de gritar ‘slogans’” mesmo após ter expirado o tempo para usar da palavra, equivale à de um “mau perdedor”, apontaram Lao Chi Ngai e Pang Chuan. “A sua tentativa de introduzir a má

RÓMULO SANTOS

O

nome do mais jovem deputado de Macau nunca foi directamente identificado pelos seus pares, mas ainda assim foi alvo de ira dos deputados mais alinhados com a posição do Executivo. As críticas foram motivadas pela postura de Sulu Sou no plenário anterior, em que foi aprovada a criação do Instituto para os Assuntos Municipais (IAM), o órgão municipal sem poder político que inicia funções a 1 Janeiro. Ma Chi Seng foi o primeiro a intervir: “No plenário de 30 de Julho, um deputado não respeitou, durante o seu uso da palavra no período de antes da ordem do dia, nem o Regimento da Assembleia Legislativa nem os colegas, o que merece a minha censura”. “Os comentários errados e o comportamento inadequado naquele dia provocaram um impacto negativo no bom funcionamento daAL”, afirmou o deputado nomeado, contestando os argumentos invocados contra o futuro órgão municipal. “Fizemos o que é correcto, mas fomos acusados de ‘matar a democracia municipal’e isto é uma distorção da realidade”, lamentou Ma Chi Seng, apontando que “é impossível pôr em prática a democracia” com base em ‘slogans’, ignorando “os factos jurídicos”. Ma Chi Seng qualificou ainda o comportamento de Sulu Sou como “indevido” por “não respeitar as opiniões da maioria dos colegas da AL, os resultados do esforço da Comissão em causa nem os governantes e outro pessoal presentes na reunião”. Além dos termos para descrever a proposta de lei, tal como ‘lixo’” e das palavras “de carácter crítico e ameaçador”, o deputado condenou também a postura de Sulu Sou, afirmando que “gritar, ser mal-humorado e atirar coisas e abandonar a sala também são comportamentos que não respeitam o Regimento”. “Como deputado, deve servir de modelo e cumprir a lei e não introduzir na AL, a bel-prazer, modelos de brigas de rua”, atirou.

8.8.2018 quarta-feira

Kou Hoi In e Ip Sio Kai “Não pode falar de democracia quem é arrogante, intransigente, presunçoso, abusa do seu poder, não respeita as regras e não reúne qualidades para ser democrata”

AL NOVE DEPUTADOS CENSURARAM COMPORTAMENTO DE SULU SOU NO ÚLTIMO PLENÁRIO

Sob fogo

Nove deputados, incluindo toda a bancada dos nomeados pelo Chefe do Executivo, censuraram ontem o comportamento de Sulu Sou. De desrespeito, a palhaçada, a populismo e radicalismo, as críticas foram disparadas em várias direcções durante as intervenções antes do período da ordem do dia na Assembleia Legislativa (AL) cultura parlamentar dos territórios vizinhos ou a cultura de manifestação no nosso hemiciclo põe em causa a solenidade”, sublinhou a dupla, sustentando que tal “não só provoca desrespeito”, como “não se adequa à essência parlamentar” de Macau. “Este comportamento distorcido deve ser alvo de censura e não se pode deixar que continue a acontecer no nosso hemiciclo”, defenderam. Wu Chou Kit e Chan Wa Keong engrossaram o rol de críticas, classificando de “lamentável” a adopção de “expressões e citações indevidas, que não correspondem à

verdade”. Iau Teng Pio e Fong Ka Chio afinaram pelo mesmo diapasão, contestando a afirmação de que “o nível da democracia de Macau retrocedeu”, numa intervenção conjunta dedicada igualmente a “esclarecer” factos históricos. “Comparando com o passado, quando só os portugueses podiam participar na vida política e não havia canal de comunicação entre as duas comunidades, qual é mais democrático?”, questionaram. “Pedimos que corrijam os pontos de vista e comportamentos errados, provocadores de conflitos entre as comunidades, repondo a verdade

histórica e evitando distorções, por forma a construir uma sociedade harmoniosa”. A dupla de nomeados pelo Chefe do Executivo também atacou o vocabulário usado por Sulu Sou, considerando que o jovem pró-democrata não só desrespeitou os outros deputados, como o sistema representativo democrático, o que “também pode constituir uma violação do disposto no Regimento sobre os deveres dos deputados”.

PALHAÇADA NA SAGRADA CASA

Ao coro dos sete nomeados juntaram-se ainda Kou Hoi In e Ip Sio Kai, eleitos por sufrágio indirecto. “Aqueles que defendem essa teoria de reversão da democracia devem fazer uma auto-reflexão, não devem exagerar apenas para conseguir popularidade junto do público, fazendo afirmações irresponsáveis que contrariam gravemente os factos históricos”, apontaram, defendendo que, ao longo dos tempos, “os deputados que realmente querem servir a população têm trabalhado em silêncio, participando e apresentando opiniões construtivas”. “Os deputados que querem mesmo aperfeiçoar as propostas de lei vão, com certeza, participar na sua apreciação nas comissões e apresentar as suas opiniões, portanto, não vão aguardar até à votação em plenário para, precipitadamente e face aos frutos do trabalho de vários meses das comissões, requerer que tudo volte a ser reapreciado. Afinal, quais são os assuntos de grande relevância que estão em causa? Nem o próprio

interessado conseguiu esclarecer, portanto, é mesmo uma palhaçada e um abuso das regras”, afirmaram os deputados, numa intervenção conjunta. “Na sagrada Casa Parlamentar, todas as intervenções e requerimentos devem ser prudentes e responsáveis, mas lamentavelmente parece que um deputado é demasiado brincalhão, aliás, só para se mostrar, abusando mesmo dos seus poderes, usou este hemiciclo como um teatro ou até obrigou toda a Assembleia a colaborar no seu ridículo espectáculo, afectando gravemente a eficiência desta Assembleia”, criticaram. Kou Hoi In e Ip Sio Kai falaram ainda do conceito de democracia que, na sua perspectiva, “não é gritar nem barafustar”. Além disso, acusaram, o deputado “não respeitou, de todo, nem obedeceu à opinião da maioria e ao resultado da votação, pois entende que só ele é que está correcto e não consegue aceitar outras opiniões” e, “obviamente, usa a democracia para encobrir as suas ideias absolutistas”. “O núcleo da democracia é respeitar os outros. Não pode falar de democracia quem é arrogante, intransigente, presunçoso, abusa do seu poder, não respeita as regras e não reúne qualidades para ser democrata. E chamar a si a pertença a um partido democrático é o maior insulto para a democracia”, afirmaram. “É de salientar que não se pode querer apenas o poder e ignorar o dever”, remataram. Diana do Mar

dianadomar@hojemacau.com.mo


política 5

quarta-feira 8.8.2018

RÓMULO SANTOS

AL CHUMBADA PROPOSTA DE DEBATE SOBRE VIVA MACAU

Sem discussão A Assembleia Legislativa (AL) chumbou ontem a proposta para a realização de um debate sobre o caso da Viva Macau, submetida por Pereira Coutinho e Sulu Sou

P

OR que razão falharam as garantias dos empréstimos à Viva Macau e quem são os responsáveis pela impossibilidade de serem recuperados? Era o que Pereira Coutinho e Sulu Sou queriam apurar através de um debate sobre assunto de interesse público, que convoca os membros do Governo a deslocarem-se ao hemiciclo.Aproposta foi, contudo, chumbada com 24 votos contra e apenas seis a favor, incluindo dos proponentes. “O Governo está a trabalhar, o Comissariado contra a Corrupção [CCAC] a investigar. Creio que, neste momento, o que precisamos de fazer é dar tempo suficiente”, afirmou Ma Chi Seng, resumindo, grosso modo, os argumentos dos que votaram contra. Davis Fong, também deputado nomeado, subscreveu, sustentando que o debate não permitiria “descobrir a verdade”, em linha com Ip Sio Kai que também contestou o método escolhido. Para o deputado eleito por sufrágio indirecto, o hemiciclo deve decidir se acompanha o caso da falida transportadora aérea mas só depois do resultado da investigação. Apesar de entender que, “além do CCAC, a AL também precisa de fiscalizar o caso”, Leong Sun Iok manifestou-se contra o conteúdo da proposta, dado que

os empréstimos concedidos à Viva Macau, totalizando 212 milhões de patacas, foram recentemente objecto de uma reunião da Comissão de Acompanhamento para osAssuntos de Finanças Públicas, da qual faz parte. “O Governo já respondeu a várias questões e creio que, posteriormente, irá facultar-nos mais documentos”, afirmou, apontando que, mesmo durante as férias legislativas, o órgão pode reunir com o Executivo mal haja mais informações. “A comissão já cumpriu a nossa responsabilidade”, afirmou Mak Soi Kun, que preside a esse núcleo. “Também estou preocupado com o erário público. Nós exigimos ao Governo para reclamar direitos e averiguar [o caso] do ponto de vista criminal. Também que nos faculte a lista de pessoal envolvido, que ainda não recebemos”, apontou o deputado eleito por sufrágio universal que elevou a voz para pedir respeito. Apesar de ter votado a favor, por entender estarem em causa matérias que merecem ser acompanhadas, Agnes Lam constatou “problemas” operacionais. “Como consigo debater como falharam as garantias dos empréstimos à Viva Macau?”, questionou. “Em certa medida, limita-se a ser uma oportunidade para os colegas manifestarem a sua posição”, observou, fazendo referência ao facto de uma

das duas partes do debate envolver apenas os membros do hemiciclo.

DEPUTADOS NA PELE DE JUÍZES

Song Pek Kei defendeu, por seu turno, que, embora “o tema mereça respeito” por parte do hemiciclo, a expressão “responsáveis”, utilizada na moção, afigura-se “muito perigosa”. “Parece que os deputados querem usar a AL como tribunal para julgar o caso”, defendeu, numa declaração de voto assinada com o colega de bancada, Si Ka Lon. A deputada foi ainda mais longe ao considerar que, caso a AL aprovasse a proposta de debate, tal iria “interferir na investigação do CCAC”, considerando inadequado que os deputados se pronunciem nesta fase. Ho Ion Sang defendeu o mesmo: “Não é oportuno nem reúne os requisitos para ser debatido”. Para o deputado, “o Governo tem responsabilidade de esclarecer o caso”, sendo que o facto de o ter remetido para o CCAC prova a “determinação” em fazer as coisas de acordo com o primado da lei. Além dos proponentes, votaram a favor da proposta de debate os deputados pró-democratas Ng Kuok Cheong e Au Kam San, bem como Agnes Lam e Ella Lei, dos Operários. Diana do Mar

dianadomar@hojemacau.com

Serviços Sociais Pensão para idosos actualizada em 2019 A pensão para idosos, actualmente fixada em 3.450 patacas, vai ser revista em alta no próximo ano. O anúncio foi feito ontem pelo secretário para os Assuntos Sociais e Cultura que não concretizou, porém, qual será o valor da actualização. Alexis Tam falava na Assembleia Legislativa, durante a apreciação, em sede de especialidade, do regime jurídico de garantias dos direitos e interesses dos idosos. Apesar da aprovação, por unanimidade, artigo a artigo, os deputados passaram três horas a discutir o diploma. A maior parte do tempo foi dedicada ao pedido de proposta de alteração do texto, apresentado por Pereira Coutinho que queria

deixar claro num artigo que, além da sociedade, o Governo também é responsável pela protecção dos direitos dos idosos. Depois de uma série de intervenções sobre se tal seria possível à luz do Regimento da AL, com deputados a reconhecerem inclusive desconhecer as regras, e a debaterem mesmo se o termo sociedade já abarca, ou, não Governo. O próprio secretário não levantou problemas, mas acabou por recuar após “tão caloroso debate” entre os deputados, acabando por concordar que seria “redundante” e “desnecessário”, propondo que a redacção permanecesse inalterada, resolvendo imediatamente o impasse.

Song Pek Kei “Parece que os deputados querem usar a AL como tribunal para julgar o caso”


6 sociedade

Vários membros da comunidade vão juntar-se, a 18 de Agosto, para um jantar de despedida do cônsul de Portugal em Macau. A iniciativa está a ser organizada por associações locais

U

M jantar para homenagear o cônsul com “características invulgares” e que se aproximou como nunca antes tinha acontecido da comunidade. É desta forma que Miguel de Senna Fernandes, presidente da Associação dos Macaenses, caracteriza o jantar agendado para o próximo dias 18, em jeito de despedida de Vítor Sereno, que deixa as funções de Cônsul-geral de Portugal em Macau e Hong Kong entre o próximo mês e inícios de Outubro. A iniciativa é organizada por várias associações locais, entre as quais Casa de Portugal, APOMAC, Santa Casa da Misericórdia de Macau, Escola Portuguesa de Macau, e realiza-se às 19h30 de 18 de Agosto no Restaurante Varandas, no Hotel Roosevelt. “É uma iniciativa de várias associações feita para um Cônsul que angariou em pouco tempo um carinho muito especial da comunidade.Asua saída de Macau deve ser assinalada, não digo que deva ser celebrada, mas pelo menos homenageada”, afirmou Miguel de Senna Fernandes, ao HM. “Durante o tempo que esteve em Macau como representante do Estado Português, Vítor Sereno exerceu de forma exemplar e eficaz

N

OS últimos dias, Zoe Tang, activista da ANIMA, prestou várias declarações a criticar o prazo de 60 dias para os galgos serem retirados do Canídromo, assim como a ausência de cuidados veterinários. Foram estas palavras que fizeram com que a activista fosse afastada do cargo de representante da ANIMA no Canídromo e que o presidente da associação, Albano Martins, viesse a público desmarcar-se das posições assumidas por Zoe Tang. “Estou muito preocupada porque os cães podem morrer como resultado deste prazo ridículo, até

GONÇALO LOBO PINHEIRO

8.8.2018 quarta-feira

CONSULADO ASSOCIAÇÕES JUNTAM-SE PARA DIZER ADEUS A VÍTOR SERENO

O último minchi e útil as suas funções de diplomata e aproximou-se de maneira indelével à comunidade”, acrescentou. Os interessados em participarem na iniciativa devem recolher o bilhetes junto da ADM e Casa de Portugal. Os preços são de 300 patacas, com bebidas, para pessoas com idades superiores a 12 anos e de 150 patacas para crianças com idades entre os 6 e os 12 anos. Os mais novos não pagam.

ENCONTRO INFORMAL

À imagem do estilo muitas vezes utilizado por Vítor Sereno, também a iniciativa pretende ter um cariz mais informal para garantir ainda uma maior proximidade na altura da despedida.

“Queremos um jantar informal para um indivíduo que tem realmente características invulgares de diplomata”, frisou o presidente da ADM. “Não vai haver um programa especial para o evento, vai ser um jantar que se quer o mais informal possível. É um jantar de Verão, com boa comida, bebida e galhofa, sem qualquer protocolo. Acho que o próprio homenageado prefere desta forma”, explicou Miguel de Senna Fernandes.

“Queremos um jantar informal para um indivíduo que tem realmente características invulgares de diplomata.” MIGUEL DE SENNA FERNANDES PRESIDENTE DA ADM

Diz que disse

Zoe Tang, da ANIMA, acusou IACM de não fornecer cuidados veterinários a galgos, mas Governo nega

porque todos os galgos vão ter de ser esterilizados no prazo de 60 dias. Mas só um procedimento de esterilização demora até quatro horas e alguns cães sofrem de problemas dentários graves que precisam de ser resolvidos urgentemente”, afirmou Zoe Tang, citada pelo South China Morning Post. “Alguns dos dentes dos cães estão numa condição

“É um evento que vai depender muito da animação e boa-disposição que as pessoas levarem. Acho que vai ser muita e estou certo que não vai faltar animação”, completou. Em relação ao número de participantes este poder ser reduzido devido à data. Agosto é tradicionalmente um mês em que grande parte da comunidade está de férias, pelo que existem expectativas moderadas por parte dos organizadores.

tão má, que eles não conseguem sequer comer e as condições não são de todo as ideais para as esterilizações. Tentei o meu melhor e entrar em contacto com as pessoas envolvidas para alterar esta situação, mas não consigo ficar mais calada”, desabafou, quando veio a público falar. Zoe Tang relatou ainda o caso de um cão que estava a sangrar do nariz e que,

alegadamente, o Governo terá negado auxílio.

IACM ATENTO

O Executivo veio a público negar todas as acusações. “Os veterinários do Instituto verificam, de forma contínua, os galgos, e encontraram durante o tratamento que alguns cães têm doença periodontal, feridas na pele e artrite, estando as causas das doenças acima referidas principalmente relacionadas com as lesões anteriores, gestão de alimentação e ambiente de alimentação. Mais de 40 galgos estão sujeitos ao tratamento dos veterinários e alguns deles estão a recu-

“Entre a comunidade havia a expectativa de um jantar de despedida. Mas, claro que temos pena que a despedida seja nesta altura do ano, em que grande parte das pessoas está de férias. Só que não havia outra data possível para se fazer uma coisa maior”, reconhece o organizador. “O mais importante é que fica o gesto e a sua despedida é assinalada com uma homenagem que ele merece. Queremos desejar-lhe as melhores felicidades para o futuro que se avizinha”, frisou. Vítor Sereno, está de saída para o Dakar, onde além de assegurar a representação no Senegal vai ainda ter garantir as mesmas funções no Burquina Faso, Costa do Marfim, Gâmbia, Libéria, Mali, Mauritânia, República da Guiné e Serra Leoa. Para o Consulado de Portugal em Macau e Hong Kong deverá entrar Paulo Cunha Alves, Embaixador de Portugal na Austrália.

perar-se”, foi sublinhado num concurso do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais. O caso do cão com uma hemorragia no na-

João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo

riz também foi abordado. Segundo o IACM, num primeiro momento foi feito um curativo rápido que estancou o sangue. Contudo, no dia seguinte, a situação repetiu-se. Isto fez com que o animal tivesse de ser operado no Canil Municipal de Macau. “Após a cirurgia, o respectivo galgo deixou de sangrar e está de boa saúde”, revelou o IACM. “O IACM está atento ao estado de saúde e ambiente de vida dos galgos no Canídromo e, além de assegurar a limpeza e segurança, já completou suprimentos médicos e aprovisionou os respectivos técnicos”, garante ainda o Governo. J.S.F.


sociedade 7

quarta-feira 8.8.2018

CRIPTOMOEDA FUNDADOR DA ATFPM DESCONTENTE COM USO DA ASSOCIAÇÃO

“Feio e impensado”

Jorge Fão, fundador da Associação dos Trabalhadores da Função Pública de Macau, está descontente com o facto das instalações da associação terem sido usadas para promover um seminário sobre investimentos em criptomoeda que culminou em fraude. José Pereira Coutinho diz que a associação nada tem a ver com o assunto Pública veja o seu nome envolvido neste caso, que está a ser investigado pela Polícia Judiciária. “Isto não me incomoda pouco, incomoda bastante”, disse ao HM. “É uma instituição com algum bom passado, interessante, e que foi criada por macaenses e portugueses. Ter chegado onde chegou deixa-me muito triste.” Jorge Fão confirma os convites feitos através do envio de mensagens de telemóvel. “Sei que várias pessoas foram convidadas, entre as quais alguns amigos meus. Alguns foram, outros não. Convidaram pessoas que têm alguma riqueza para poderem fazer investimento.” “Achei muito feio e impensado o facto de se terem servido das instalações da ATFPM para fazerem uma coisa daquelas. O processo em si acho que é pueril, pelo que li na imprensa. Como é que seria possível obter um pagamento de 25 por cento de juros por mês? Em quatro meses eu iria recuperar o

capital que tinha investido”, acrescentou.

IMAGEM EM CAUSA

Para Jorge Fão, está em causa a imagem e credibilidade da ATFPM, que é presidida pelo deputado José Pereira Coutinho. “A ATFPM, hoje em dia, só tem mesmo o nome, pois servem-se dela para

angariarem todo o tipo de associados e não apenas funcionários públicos. Agora, se se servem da associação para outros eventos, seminários ou palestras, podem vender de tudo, e penso que isso tem de ser filtrado. É evidente que o nome da ATFPM ficou manchado.” O antigo dirigente, que também foi deputado, deixa

PEDIDOS E MAIS PEDIDOS

SOFIA MARGARIDA MOTA

O

recente caso de fraude por investimentos em criptomoeda prejudicou 70 pessoas em Macau, incluindo Rita Santos e o filho, Frederico do Rosário. Rita Santos faz parte da direcção da Associação dos Trabalhadores da Função Pública de Macau (ATFPM), que acolheu, em Janeiro deste ano, várias palestras que promoveram o investimento em criptomoeda, com o título “Forging Dreams with eSports e Sports and cryptocurrency”. Frederico do Rosário é, de acordo com a sua página na rede social Linkedin, presidente da direcção da associação Growup eSports, que visa promover a indústria dos jogos no território. Foram enviadas várias mensagens a associados e ao público em geral a apelar à participação nestes eventos. Jorge Fão, fundador da ATFPM e antigo presidente, lamenta que uma entidade que visa defender os direitos dos que trabalham na Função

claro que a ATFPM dispõe “de muitos contactos”, “não só de associados como de outros; andaram sempre a amealhar estes contactos”. O seu uso, por parte da ATFPM, “pode ser muito variado, e não apenas para a caça aos votos”. “É para outras finalidades também e esta é a prova de uma das finalidades. Isto veio trazer a lume o que nós já sabíamos”, adiantou Jorge Fão. Contactado pelo HM, José Pereira Coutinho garantiu que a ATFPM nada tem a ver com a fraude e remeteu mais questões para Rita Santos, que durante todo o dia não se mostrou disponível via telefone. “Tanto a ATFPM como o meu gabinete de atendimento não receberam quaisquer queixas. Não tenho nada a ver com isso. Todos os anos temos centenas de associações e indivíduos que usam as nossas instalações”, disse apenas. Não é apenas Jorge Fão que se queixa, uma vez que o assunto tem sido debatido em fóruns online. Uma internauta escreveu ontem no Facebook que “o facto da ATFPM negar o envolvimento, quando apareceu como organizador do evento, ou co-organizador, é fazer dos outros parvos”. “A ATFPM apareceu em material impresso, com logótipo, apareceu no evento no Facebook, e eu recebi o alerta do evento com dados da ATFPM e não da Grow uP eSports a quem supostamente aATFPM cedeu o espaço. Também recebi pedidos e mais pedidos para uma sondagem para aderir ao investimento”, escreveu

ENSINO UNIVERSIDADE CHINESA VENCE CONCURSO MUNDIAL DE CHINÊS-PORTUGUÊS

A

S equipas da Universidade de Comunicação da China e do Instituto Politécnico de Macau ganharam o primeiro e o segundo prémios gerais, respectivamente, da segunda edição do Concurso Mundial de Tradução Chinês-Português, foi ontem anunciado. O terceiro prémio

geral foi para uma equipa da Universidade de Estudos Internacionais de Xian, enquanto o IPM conquistou o primeiro e o segundo lugares na categoria de prémios especiais para equipas de instituições de ensino superior de Macau, de acordo com um comunicado agora divulgado.

Os cinco prémios de menção honrosa foram entregues a equipas do Instituto Politécnico de Leiria, da Universidade Jiaotong de Pequim, da Universidade de Minho, da Universidade de Estudos Internacionais de Pequim e da Universidade de Estudos Internacionais de Sichuan.

Aos participantes da próxima edição deste concurso, organizado pelo IPM e pelo Gabinete de Apoio ao Ensino Superior (GAES), o responsável do IPM disse esperar “novos contributos para o desenvolvimento e prosperidade cultural sino-lusófona”.

As equipas concorrentes, compostas por dois ou três alunos e um professor orientador, tiveram cerca três meses para traduzir um texto de português para chinês, contendo mais de cinco mil frases e sem ultrapassar as dez mil. O primeiro prémio é de 140 mil patacas (14,7 mil

“Achei muito feio e impensado o facto de se terem servido das instalações da ATFPM para fazerem uma coisa daquelas. O processo em si acho que é pueril, pelo que li na imprensa.” JORGE FÃO EX-PRESIDENTE DA ATFPM

a mesma internauta, com quem o HM não conseguiu estabelecer contacto. Além disso, a internauta recorda que “o próprio email da ATFPM apareceu no material promocional do seminário, não fosse alguém ter dúvidas e querer contactar os organizadores, bem como os contactos telefónicos. E não se envolveram?”. O HM questionou Frederico Rosário sobre o recurso às instalações da ATFPM, mas este apenas adiantou que já remeteu o caso para as autoridades policiais de Hong Kong. “Fiz queixa deste caso à polícia de Hong Kong e instrui representantes legais para iniciar um processo nos tribunais contra Dennis Lau [empresário de Hong Kong que estará envolvido no caso de fraude]. Com base no conselho dos meus advogados, não vou fazer mais comentários aos media sobre este assunto”, referiu. Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

euros), o segundo de 105 mil e o terceiro de 75 mil. Cada equipa que ganhar uma menção honrosa receberá 25 mil patacas. O prémio especial para as equipas das instituições de ensino superior de Macau é de 68 mil patacas para o primeiro lugar e de 35 mil para o segundo.


8 publicidade

8.8.2018 quarta-feira

DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE TURISMO ANÚNCIO

DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE TURISMO ANÚNCIO

A Direcção dos Serviços de Turismo do Governo da Região Administrativa Especial de Macau, faz público que, de acordo com o Despacho de 27 de Julho de 2018 do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, se encontra aberto concurso público para adjudicação do serviço de realização do Espectáculo do Lançamento de Fogo-de-Artifício para a Celebração do 19.º Aniversário do Estabelecimento da Região Administrativa Especial de Macau. Desde a data da publicação do presente anúncio, nos dias úteis e durante o horário normal de expediente, os interessados podem examinar o Processo do Concurso na Direcção dos Serviços de Turismo, sita em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.os 335-341, Edifício Hotline, 12.o andar, e ser levantadas cópias, incluindo o Programa do Concurso, o Caderno de Encargos e demais documentos suplementares, encontrando-se o referido processo igualmente patente no website da Direcção dos Serviços de Turismo (http://industry. macaotourism.gov.mo), podendo os concorrentes fazer “download” do mesmo. O limite máximo do valor global da prestação de serviço é de MOP1.500.000,00 (um milhão e quinhentas mil patacas). Critérios de apreciação das propostas e percentagem: Critérios de adjudicação Factores de ponderação Preço 20% A quantidade de disparos 20% Criatividade 20% - Descrição do tema do espectáculo de fogo-de-artifício - Utilização de tecnologia nova (descrição de utilização de criatividade ou produto específico, ou descrição de efeitos espectaculares) - Descrição do plano do lançamento e dos seus efeitos - Descrição do equipamento a ser utilizado Maior garantia de segurança e eficiência na prestação do serviço 30% - Plano de transporte dos materiais pirotécnicos - Plano do lançamento - Plano de segurança na operação do lançamento - Mapa do traçado do local do lançamento Experiência do concorrente 10%

O Governo da Região Administrativa Especial de Macau, através da Direcção dos Serviços de Turismo, faz público que, de acordo com o Despacho de 24 de Julho de 2018 do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, se encontra aberto concurso público para adjudicação de Prestação de serviço de emissão de convite aos convidados e acolhimento na área de relações públicas no âmbito do “3.º Festival Internacional de Cinema e Cerimónia de Entrega de Prémios • Macau”. Desde a data da publicação do presente anúncio, nos dias úteis e durante o horário normal de expediente, os interessados podem examinar o Processo do Concurso na Direcção dos Serviços de Turismo, sita em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.os 335-341, Edifício “Hotline”, 12.o andar, e ser levantadas cópias, incluindo o Programa do Concurso, o Caderno de Encargos e demais documentos suplementares, mediante o pagamento de MOP200,00 (duzentas patacas); ou ainda consultar o website da Direcção dos Serviços de Turismo: http://industry.macaotourism.gov.mo, e fazer “download” do mesmo. A Sessão de esclarecimento será realizada no Auditório da Direcção dos Serviços de Turismo, sito em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.os 335-341, Edifício “Hotline”, 14.o andar pelas 15:00 horas do dia 13 de Agosto de 2018. Para quaisquer esclarecimentos, os interessados podem, até às 13:00 horas do dia 22 de Agosto de 2018, apresentar o pedido de esclarecimento por escrito, nos Avisos Públicos da Página Electrónica da Indústria Turística de Macau (http://industry.macaotourism. gov.mo) da Direcção dos Serviços de Turismo, sendo as respostas, também, dadas na mesma. O limite máximo do valor global da prestação do serviço é de MOP1.500.000,00 (um milhão e quinhentas mil patacas). Critérios de adjudicação e factores de ponderação: Critérios de adjudicação Factores de ponderação Experiência do concorrente 30% Preço 30% Introdução da Empresa e currículo da equipa que encarrega o presente projecto 30% Fornecimento de soluções optimizadas para os serviços de acolhimento na área de 5% relações públicas, estipulados no ponto 3.2. do “Mapa de Caracterização” Capacidade para acompanhamento e reação às situações do local dos eventos 5%

Os concorrentes deverão apresentar as propostas na Direcção dos Serviços de Turismo, sita em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.os 335-341, Edifício Hotline, 12.o andar, durante o horário normal de expediente e até às 17:45 horas do dia 4 de Setembro de 2018, devendo as mesmas ser redigidas numa das línguas oficiais de RAEM ou em inglês, prestar a caução provisória de MOP30.000,00 (trinta mil patacas), mediante 1) depósito em numerário à ordem do “Fundo de Turismo” no Banco Nacional Ultramarino de Macau 2) garantia bancária 3) depósito nesta Direcção dos Serviços em numerário, em ordem de caixa ou em cheque, emitidos à ordem do “Fundo de Turismo” (número da conta:8003911119). Acto público do concurso, no Auditório da Direcção dos Serviços de Turismo, sito em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.os 335-341, Edifício Hotline, 14.o andar pelas 10:00 horas do dia 5 de Setembro de 2018. Os representantes legais dos concorrentes deverão estar presentes no acto público de abertura das propostas para efeitos de apresentação de eventuais reclamações e/ou para esclarecimento de eventuais dúvidas dos documentos apresentados ao concurso, nos termos do artigo 27.o do Decreto-Lei n.o 63/85/M, de 6 de Julho. Os representantes legais dos concorrentes poderão fazer-se representar por procurador devendo, neste caso, o procurador apresentar procuração notarial conferindo-lhe poderes para o acto público do concurso. Em caso de encerramento destes Serviços por causa de tempestade ou por motivo de força maior, o prazo de entrega das propostas e de abertura das propostas serão adiados para o primeiro dia útil imediatamente seguinte, à mesma hora.

Os concorrentes deverão apresentar as propostas na Direcção dos Serviços de Turismo, no balcão de atendimento, sito em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.os 335-341, Edifício “Hotline”, 12.o andar, durante o horário normal de expediente e até às 13:00 horas do dia 3 de Setembro de 2018, devendo as mesmas ser redigidas numa das línguas oficiais da RAEM ou, alternativamente, em inglês, prestar a caução provisória de MOP30.000,00 (trinta mil patacas), mediante: 1) depósito em numerário à ordem da Direcção dos Serviços de Turismo no Banco Nacional Ultramarino de Macau 2) garantia bancária 3) depósito nesta Direcção dos Serviços em numerário, em ordem de caixa ou em cheque, emitidos à ordem da Direcção dos Serviços de Turismo, ou 4) por transferência bancária na conta do Fundo do Turismo do Banco Nacional Ultramarino de Macau (n.o 8003911119). O acto público do concurso será realizado no Auditório da Direcção dos Serviços de Turismo, sito em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.os 335-341, Edifício “Hotline”, 14.o andar pelas 15:00 horas do dia 4 de Setembro de 2018. Os representantes legais dos concorrentes deverão estar presentes no acto público do concurso para efeitos de apresentação de eventuais reclamações e/ou para esclarecimento de eventuais dúvidas dos documentos apresentados a concurso, nos termos do artigo 27.o do Decreto-Lei n.o 63/85/M, de 6 de Julho. Os representantes legais dos concorrentes poderão fazer-se representar por procurador devendo, neste caso, o procurador apresentar procuração notarial conferindo-lhe poderes para o acto público do concurso. Em caso de encerramento destes Serviços por causa de tempestade ou por motivo de força maior, o termo do prazo de entrega das propostas, a data e hora de sessão de esclarecimento e de acto público do concurso serão adiados para o primeiro dia útil imediatamente seguinte, à mesma hora.

Direcção dos Serviços de Turismo, aos 1 de Agosto de 2018.

Direcção dos Serviços de Turismo, aos 1 de Agosto de 2018. O Director dos Serviços, Subst.o Cheng Wai Tong

O Director, Subst.o Cheng Wai Tong

DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE TURISMO ANÚNCIO A Direcção dos Serviços de Turismo do Governo da Região Administrativa Especial de Macau, faz público que, de acordo com o Despacho de 20 de Julho de 2018, do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, se encontra aberto o concurso público para a “Prestação de Serviços de Concepção e Remodelação do Balcão de Informações para a Direcção dos Serviços de Turismo (no Edifício do Posto Fronteiriço da Zona de Administração de Macau da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau)”. Desde a data da publicação do presente anúncio, nos dias úteis e durante o horário normal de expediente, os interessados podem examinar o Processo do Concurso na Direcção dos Serviços de Turismo, sito em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.os 335-341, Edifício “Hotline”, 12.° andar, e levantar cópias, incluindo o Programa de Concurso, o Caderno de Encargos e demais documentos suplementares, mediante o pagamento de MOP 200,00 (duzentas patacas); ou ainda consultar o website da Direcção dos Serviços de Turismo (http://industry.macaotourism.gov.mo), e fazer livremente o “download” do mesmo. Os concorrentes poderão comparecer no Auditório da Direcção dos Serviços de Turismo, sito no Edifício “Hot Line”, Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, 14.° andar, Macau, pelas 3 horas do dia 16 de Agosto de 2018, para uma sessão de esclarecimento de dúvidas referentes ao presente concurso público. O limite máximo do valor global da prestação deste serviço é de MOP 2.500.000,00 (dois milhões e quinhentas mil patacas) Os critérios de apreciação das propostas e respectivos factores de ponderação são os seguintes: - Planeamento e concepção do espaço (40%); - Preço Global (30%); - Equipamentos do sistema Multimédia (10%); - Experiência do concorrente (10%); - Prazo de execução de serviço (10 %) Os concorrentes deverão apresentar as propostas na Direcção dos Serviços de Turismo, sita em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.os 335-341, Edifício “Hotline”, 12.o andar, durante o horário normal de expediente e até às 5 horas do dia 29 de Agosto de 2018, devendo as mesmas ser redigidas numa das línguas oficiais da RAEM, prestar a caução provisória de MOP 50.000,00 (cinquenta mil patacas), mediante: 1) depósito nesta Direcção dos Serviços em numerário, em ordem de caixa ou em cheque visado, emitidos à ordem da Direcção dos Serviços de Turismo, ou 2) garantia bancária. O acto público de abertura das propostas realizar-se-á no Auditório da Direcção dos Serviços de Turismo, sito no Edifício “Hot Line”, Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, 14.° andar, Macau, pelas 10 horas do dia 30 de Agosto de 2018. Em caso de encerramento destes Serviços por causa de tempestade ou outras causas de força maior, a data e hora de sessão de esclarecimento, o termo do prazo de entrega das propostas e a data e a hora estabelecidas de abertura de propostas serão adiados para o primeiro dia útil imediatamente seguinte. Os concorrentes ou os seus representantes legais deverão estar presentes no acto público de abertura das propostas para efeitos de apresentação de eventuais reclamações e/ou para esclarecimento de eventuais dúvidas dos documentos apresentados ao concurso, nos termos do artigo 27.° do Decreto-Lei n.° 63/85/M, de 6 de Julho. Os representantes legais dos concorrentes poderão fazer-se representar por procurador devendo, neste caso, o procurador apresentar procuração notarial conferindo-lhe poderes para o acto público de abertura das propostas. Direcção dos Serviços de Turismo, aos 27 de Julho de 2018. A Directora dos Serviços, Subst.o Cheng Wai Tong

EDITAL Notificação relativa à audiência sobre reparação de edifício em mau estado de conservação Edital n.º : 4/E-AR/2018 Processo n.º : 3/AR/2012/F Local : Avenida do Conselheiro Borja n.º 122, EDF. KONG MOU UN TAI HA, Macau. Shin Chung Low Kam Hong, Director Substituto da Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes, faz saber que ficam notificados os condóminos e os inquilinos ou demais ocupantes do edifício acima indicado, do seguinte: Em conformidade com o Auto de Vistoria da Comissão de Vistoria constante do processo em curso nesta Direcção de Serviços, a parede exterior do edifício acima indicado carece de reparação, encontra-se em mau estado de conservação e existem danificações em alguns elementos dela (por exemplo: a pala metálica, etc.), pelo que, nos termos do n.º 2 do artigo 54.º do Decreto-Lei n.º 79/85/M (Regulamento Geral da Construção Urbana) de 21 de Agosto, foi instaurado o procedimento administrativo relativo à notificação da sua reparação e da demolição dos seus elementos danificadas. No uso das competências delegadas pela alínea 12) do n.º 2 do Despacho n.º 11/SOTDIR/2016, publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) n.º 21, II Série, de 25 de Maio de 2016, o Chefe do Departamento de Urbanização da DSSOPT, Lai Weng Leong, homologou o Auto de Vistoria acima indicado através de despacho de 25 de Julho de 2018. Notificam-se os interessados que no prazo de 10 (dez) dias, contados a partir da data da publicação do presente edital, devem dar cumprimento à ordem emanada no Auto de Vistoria, ou apresentar no mesmo prazo, conforme o disposto no artigo 94.º do Código do Procedimento Administrativo (CPA), aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, as alegações escritas relativas à decisão do procedimento da sua reparação e da demolição dos seus elementos danificados, podendo requerer diligências complementares acompanhadas de documentos. Se findo o prazo acima referido os interessados não derem cumprimento à respectiva ordem nem apresentarem quaisquer alegações escritas, tal não afecta a decisão tomada por esta Direcção de Serviços. Além disso, caso necessário, esta Direcção de Serviços pode aplicar aos infractores a multa estabelecida nos artigos 66.º e 67.º do citado diploma legal. Os interessados podem consultar o processo durante as horas normais de expediente nas instalações da Divisão de Fiscalização do Departamento de Urbanização desta DSSOPT, situadas na Estrada de D. Maria II, n.º 33, 15.º andar, em Macau. RAEM, 27 de Julho de 2018 O Director dos Serviços, Subst.º Shin Chung Low Kam Hong


sociedade 9

quarta-feira 8.8.2018

JOGO PERITOS ADVERTEM QUE GUERRA COMERCIAL PODE AFECTAR MACAU

Estilhaços económicos

Especialistas do jogo consideram que Macau pode ser palco da guerra comercial entre a China e os Estados Unidos, nomeadamente as operadoras norte-americanas que querem renovar as licenças, à medida que se aproxima o final das concessões

“O

processo de licenciamento dos casinos está a ser analisado pelo Governo de Macau para determinar que operadores podem continuar a fazer negócios” na capital mundial do jogo, sendo “possível que a China aproveite esta oportunidade para diluir a influência dos investidores estrangeiros” no território, disse à Lusa a analista da Bloomberg Margaret Huang, especialista no jogo na Ásia. As licenças de jogo terminam entre 2020 e 2022. Até à data não é conhecido um calendário para a revisão das licenças, nem é claro se será mantido o modelo de concessões e subconcessões. “A China tem estado atenta às questões relativas ao fluxo de capital”, lembrou Margaret Huang. Para o fundador da Newpage Consulting, consultora especializada em regulação de jogos em Macau, o desenvolvimento futuro da guerra comercial EUA/China será fulcral para perceber se Macau será palco, ou não, deste conflito económico. “A guerra comercial ocorre num momento em que os

EUA estão a promover a militarização do mar do Sul da China e estão a tentar formar uma aliança de países com o objectivo de serem um contrapeso à iniciativa chinesa ‘Uma Faixa, Uma Rota’”, disse à Lusa David Green. O risco é real, mas “se ficar restrita às tarifas, é difícil ver os operadores afiliados aos EUA em Macau a serem muito afectados”, analisou o fundador da Newpage Consulting. Em Julho, o Presidente norte-americano, Donald Trump, impôs taxas alfandegárias de 25 por cento sobre 34 mil milhões de dólares (29 mil milhões de euros) de importações chinesas,

contra o que considerou serem “tácticas predatórias” de Pequim, que visam o desenvolvimento do sector tecnológico.

DILUIR INFLUÊNCIA

A China retaliou com o aumento dos impostos sobre o mesmo valor de importações oriundas dos EUA. “Tudo depende como a guerra comercial se desenvolver (…). Já não estamos somente a falar de tarifas. Acho que é a conjugação destes eventos que apresentam um risco real aos interesses dessas ope-

radoras [norte-americanas com sucursais em Macau]”, sublinhou. Anunciada pelo Presidente chinês, Xi Jinping, a iniciativa “Faixa económica da rota da seda e a Rota da seda marítima do século XXI”, mais conhecida como “Uma Faixa, Uma Rota”, está avaliada em 900 mil milhões de dólares, e visa reactivar as antigas vias comerciais entre a China e a Europa através da Ásia Central, África e Sudeste Asiático. Como contrapeso, os Estados Unidos estão ago-

ra a formar a sua própria aliança para tentar travar a crescente influência de Pequim, principalmente no Sudeste Asiático. O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, participou na sexta-feira e no sábado nas reuniões da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), em Singapura, onde anunciou um investimento de cerca de 300 milhões de dólares (259 milhões de euros) para cooperação e segurança na região da Ásia-Pacífico. A maioria dos países da ASEAN tem conflitos territoriais com Pequim no mar do Sul da China. Neste contexto geopolítico e da escalada do conflito económico entre as duas

“Certamente, um novo concurso dará à China uma oportunidade de diluir a influência dos investidores estrangeiros, caso o deseje fazer.”

maiores potências mundiais, a China pode decidir não renovar as concessões às operadoras de jogo norte-americanas. “Penso que a República Popular da China sempre ficou um bocado confundida pelo facto de três concessões efectivamente se terem tornado em seis, duas destas a serem compradas por entidades afiliadas aos EUA”, explicou David Green. Entre Março e Junho de 2002 foram celebrados contratos entre o Governo de Macau, a Sociedade de Jogos de Macau (SJM), Galaxy Casino e a Wynn Resorts Macau para a atribuição de três concessões. Em Dezembro desse ano foi feita uma alteração ao contrato de concessão do Casino Galaxy na qual foi permitida à Venetian Macau explorar jogos de fortuna ou azar no território, mediante subconcessão. A SJM e a Wynn vieram também a assinar contratos de subconcessão com a MGM e a Melco Resorts. A Venetian pertence à Sands China, que é uma sucursal da norte-americana Las Vegas Sands. A Wynn e a MGM são também grupos empresariais com maioria de capital norte-americano. “Certamente, um novo concurso dará à China uma oportunidade de diluir a influência dos investidores estrangeiros, caso o deseje fazer”, explicou o fundador da Newpage Consulting. A questão agora é “quando é que este concurso acontecerá”, afirmou David Green, lembrando que o Chefe do Executivo de Macau tem o poder de “estender os prazos de concessão em cinco anos”.

DAVID GREEN FUNDADOR DA NEWPAGE CONSULTING

PUB

Casinos Dez novas salas para fumadores As autoridades de Macau aprovaram 10 novas salas para fumadores requeridas por dois casinos, das 68 que tinham sido solicitadas por 11 casinos, foi ontem anunciado. “Até ao momento foram aprovadas (…) 10 salas de fumadores requeridas por dois casinos”, divulgaram ontem em comunicado, os Serviços de Saúde de Macau, acrescentando que “até ao passado dia de 31 de Julho, 11 de 47 casinos requereram aos Serviços de Saúde a criação de 68 salas de fumadores”.

De acordo com a mesma nota, nos primeiros sete meses do ano 964 pessoas foram acusadas de fumarem dentro dos casinos. Os Serviços de Saúde de Macau revelam ainda que foram feitas no território, durante os meses de Janeiro a Julho, mais de 200 mil inspecções a estabelecimentos, que resultaram em 3.196 acusações. O número de pessoas acusadas de fumarem em espaços proibidos diminuiu 29,1 por cento, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Anúncio Concurso Público « Serviços de gestão das piscinas situadas em Macau afectas ao Instituto do Desporto » Faz-se saber que em relação ao concurso público para os «Serviços de gestão das piscinas situadas em Macau afectas ao Instituto do Desporto», publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau n.º 29, II Série, de 18 de Julho de 2018, foram prestados esclarecimentos, nos termos do ponto 3.3 do programa do concurso, pela entidade que preside ao concurso e juntos ao processo de concurso. Os referidos esclarecimentos encontram-se disponíveis para consulta, durante o horário de expediente, na sede do Instituto do Desporto, sito na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, n.o 818, em Macau. Instituto do Desporto, 8 de Agosto de 2018. A Presidente Substituta, Lam Lin Kio


10 eventos

8.8.2018 quarta-feira

HOJE NA CHÁVENA Paula Bicho

Naturopata e Fitoterapeuta • obichodabotica@gmail.com

Rábano-negro Nome botânico: Raphanus raphanistrum subsp. sativus (L.) Domin Sinonímia científica: Raphanus niger Mill.; Raphanus sativus var. niger (Mill.) J.Kern. Família: Brassicaceae (Cruciferae). Nomes populares: RÁBANO; RÁBÃO. Ainda que se desconheça ao certo a origem do Rábano-negro, supõe-se que seja originário do Sul da Ásia. Trata-se de uma planta inexistente no estado espontâneo, sendo actualmente cultivada em todas as regiões de clima temperado do planeta. É uma herbácea, de folhas ásperas e profundamente recortadas, cujo talo floral pode alcançar um metro de altura; as flores, reunidas em cachos, têm 4 pétalas de cor branca, rosada ou violeta-claro, com riscas mais escuras bem marcadas e, o fruto, curto e esponjoso, é uma síliqua; a raiz, comprida e volumosa, é sumarenta e negra por fora mas branca por dentro. Extensamente cultivado no Egipto faraónico, o Rábano-negro era usado como alimento e remédio. Segundo Heródoto, famoso historiador grego do século V a.C., os construtores de pirâmides eram pagos em Rábanos, Cebolas e Alhos. Os médicos Gregos já conheciam as suas propriedades calmantes da tosse e, na RomaAntiga, o óleo de Rábano era empregue no tratamento das doenças de pele. Na China, é mencionado como estimulante digestivo na obra Tang Materia Medica (século VII). Foi enaltecido por Dioscórides e, mais tarde, por Laguna e John Gerard.Actualmente é muito utilizado em fitoterapia. São usadas as raízes frescas. Composição Glucosinolatos (glucobrassicina, gluco-rafenina), uma enzima que os hidrolisa (mirosinase) e um óleo essencial sulfurado (isotiocianato de alilo, metil mercaptano, rafanina, sinapina); contém ainda glúcidos (açúcares), aminoácidos, vitaminas (B, C) e sais minerais (arsénico, cálcio), enzimas (oxidases, peroxidases) e pigmentos antocianósidos. Aroma picante e sulfuroso; sabor quente e picante. Acção terapêutica Com acção protectora e regeneradora das células hepáticas, o Rábano-negro aumenta a produção de bílis pelo fígado, descongestionando-o e desintoxicando-o, e estimula a musculatura lisa da vesícula biliar, contraindo-a e melhorando a evacuação da bílis para o duodeno. É muito recomendado nas hepatites agudas e crónicas, fígado gordo (esteatose hepática), cirrose, intoxicação hepática provocada pelo consumo de álcool, fármacos, produtos químicos ou cogumelos, cálculos biliares (previne e trata) e vesícula preguiçosa (disquinesia biliar).

Esta planta estimula o apetite e a digestão, tonifica o estômago e os intestinos, aumenta o peristaltismo intestinal, combate os espasmos, facilita a libertação de gases e é laxante; tem sido usada na perda de apetite, meteorismo, flatulência e, sobretudo, nas más digestões e obstipação, especialmente nas relacionadas com o mau funcionamento da vesícula. Outras propriedades Com propriedades peitorais, o Rábano-negro dissolve as mucosidades das vias respiratórias, favorece a expectoração, e acalma a tosse e as irritações da garganta, sendo muito indicado em caso de catarro das vias respiratórias, tosse irritativa, laringites, bronquites e asma; é particularmente benéfico nas sinusites e um contributo valioso nas curas de desintoxicação tabágica. Também é útil nas doenças infecciosas pela actividade tonificante do organismo, anti-séptica, antibacteriana, antiviral e antifúngica. Alguns autores referem a sua acção antitumoral, possivelmente relacionada com o elevado teor em glucosinolatos. Como diurético, o Rábano-negro tem sido utilizado no tratamento dos cálculos urinários e, como depurativo, na acne e dermatites. Como tomar • Uso interno: Suco fresco: 50 a 100 ml por dia. Tomar às colheres de sopa, várias vezes por dia, adoçado com mel. Pode ser conservado umas horas no frigorífico. Cru, em saladas. Em ampolas, xarope, solução oral, gotas, cápsulas e comprimidos, em simples ou fórmulas, para as afecções já referidas e, ainda, como desintoxicante e depurativo, no emagrecimento, dermatoses, saúde cardiovascular e impotência sexual. As folhas jovens podem condimentar saladas e verduras cozidas. As flores podem ornamentar saladas e pratos. As sementes germinadas podem ser ingeridas em saladas. Precauções Contra-indicado em caso de gastrite, úlcera gastroduodenal, obstrução dos canais biliares e hipotiroidismo. Em geral, o Rábano-negro é bem tolerado, no entanto, devido ao efeito potente dos compostos sulfurados, em pessoas sensíveis pode causar irritação da mucosa gástrica, azia e diarreia; alguns glucosinolatos têm actividade antitiroideica, indutora de bócio. Devido à sua acção sobre a vesícula biliar, em caso de cálculos pode originar cólicas – usar apenas sob vigilância. Respeitar as posologias e não ultrapassar um mês de tratamento. Em caso de dúvida, consulte o seu profissional de saúde.

Mais de 100 obras vão estar patentes na exposição promovida pela Associação de Pintura e Caligrafia Macau Oriente, na Casa Garden, a partir do próximo dia 22. A iniciativa pretende mostrar o que os associados fazem e este ano traz também obras de artistas japoneses

Arte d

EXPOSIÇÃO PINTURA CHINESA E CALIGRAFIA

A

Associação de Pintura e Caligrafia Macau Oriente inaugura no próximo dia 22 "A segunda exposição de associados". O evento terá lugar na galeria da Fundação Oriente às 18h30. Esta é a segunda iniciativa do género desenvolvida pela associação e tem como objectivo a "promoção do intercâmbio entre a cultura chinesa e portuguesa”, revelou o responsável pela entidade, André António, ao HM. Este ano o certame oferece algumas novidades e conta com um espaço dedicado a uma exposição internacional que exibe trabalhos de autores japoneses.  A exposição está dividida em três partes. Num primeiro momento "A segunda exposição de associados" apresenta um conjunto de trabalhos feito pelos membros da entidade que se expressam através de

pinturas a óleo, aguarelas tradicionais chinesas e alguns trabalhos de caligrafia. Num segundo momento, a mostra foca-se mais especificamente no trabalho do mestre local, Lam Iok Fai. Por fim, vai estar patente uma exposição colectiva internacional em que a Associação de Pintura e Caligrafia Macau Oriente "convida amigos de vários países en-

“Misturamos algumas técnicas e conceitos ocidentais nas obras que fazemos, o que lhes confere características especiais.” ANDRÉ ANTÓNIO PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DE PINTURA E CALIGRAFIA MACAU ORIENTE

CINEMA ROBERT REDFORD CONFIRMA FIM DE CARREIR


eventos 11

quarta-feira 8.8.2018

de cá

A PATENTE NA FUNDAÇÃO ORIENTE

tre os quais Portugal". Este ano, e para alargar o espectro do tipo de pinturas, foram também convidados artistas das Filipinas, Índia e Japão. No entanto, e dada a falta de tempo para concluir trabalhos, apenas os artistas japoneses vão marcar presença. "Os artistas da Índia e das Filipinas não tinham tempo para terminar as suas obras”, explicou André António. Nesta parte, a caligrafia fica de lado e vão ser expostas pinturas a óleo e aguarelas. 

DOIS EM UM

No total estão prontas a ser exibidas mais de 100 obras. Devido à falta de espaço, a exposição vai ser alterada cerca de duas semanas após a sua inauguração. “Estamos a pensar em mudar a exposição depois de decorridos 15 dias da sua abertura porque não conseguimos colocar todos os trabalhos de uma vez e assim as pessoas podem ver duas ex-

RA COMO ACTOR

posições numa só iniciativa”, explicou André António. “Primeiro colocamos uma parte das obras e depois mudamos para mostrar as que restarem. Num mês as pessoas podem ver duas exposições".  A Associação de Pintura e Caligrafia Macau Oriente foi constituída há oito anos, mas só teve a sua primeira exposição no ano passado na galeria da Fundação Rui Cunha.  A ideia de constituir esta entidade partiu do próprio Mestre Lam Iok Fai que "é muito conhecido em Macau como artista" apontou André António. “Na década de 80 o Governo da altura chegou a comprar obras do artista que fazem actualmente parte do espólio do Museu de Macau”, acrescentou. Da associação fazem parte elementos portugueses, macaenses e chineses num total de 30 membros. “Não precisamos de muitos mais

O

Syoichi Akamoto, pintor de aguarelas, um dos artistas da mostra colectiva

também porque queremos ter artistas de qualidade”, disse. Segundo o responsável, a arte tradicional chinesa, tanto na área da pintura como da caligrafia, é alvo de cada vez mais interesse e muito procurada por parte do público, especialmente do continente. Os trabalhos dos artistas associados são particularmente procurados por apresentarem particularidades que dizem respeito ao próprio

actor norte-americano Robert Redford confirmou que o filme “The old man & the gun”, de David Lowery, será o último da sua carreira de actor. Numa entrevista à revista Entertainment Weekly, Robert Redford – que no dia 18 completa 82 anos – diz que o filme, que se deverá estrear em Novembro em Portugal, será o último da sua carreira de actor. “Para mim é o fim da representação. Depois sigo para a reforma. Ando nisto desde os 21 anos. Já chega”, afirma o protagonista de “Os Homens do Presidente”. As palavras do actor confirmam aquilo que já havia dito em 2016, quando, numa conversa com o neto Dylan Redford, afirmou que, terminados os projectos de “Nós, ao anoitecer” e “The old man & the

território. "Misturamos algumas técnicas e conceitos ocidentais nas obras que fazemos, o que lhes confere características especiais", explicou. "É um trabalho ligeiramente diferente do tradicional, também por ser feito em Macau", acrescentou André António numa referência à mistura cultural que caracteriza o território.   Sofia Margarida Mota

Sofia.mota@hojemacau.com.mo

PUB

gun”, seria o ponto final da carreira como actor: “Quando estiverem prontos, vou dizer ‘adeus a tudo isso’ e concentrar-me na realização”. Em “The old man & the gun”, Robert Redford desempenha a personagem de Forrest Tucker, um ladrão de bancos especialista em fugas da prisão, já com 60 anos no mundo do crime. "Ele roubou 17 bancos, foi apanhado 17 vezes e foi para a cadeia por 17 ocasiões. Mas também fugiu 17 vezes", afirmou o actor sobre o criminoso que morreu em 2004. "Interrogo-me se ele não queria, de facto, ser apanhado para viver o que realmente lhe dava gozo na vida, que era escapar”, frisou o actor, que também produz o filme. Sissy Spacek, Danny Glover, Casey Affleck e Tom Waits constam do

elenco de “The old man & the gun”. Questionado sobre se vai também por fim à carreira de realizador, Robert Redford limitou-se a referir à Entertainment Weekly: “Vamos ver”. Fundador do festival Sundance, Robert Redford venceu um Óscar de Melhor Realizador com “Gente Vulgar” (1980), tendo sido nomeado para a mesma categoria com “Quiz show” (1994). Sem qualquer Óscar como actor, Robert Redford – que começou a carreira de actor na década de 1960 - foi nomeado uma vez para a estatueta mais famosa de Hollywood, em 1973, pelo desempenho em “A golpada” em que contracenou com Paul Newman.


12 china

8.8.2018 quarta-feira

Acidente Quatro mortos e nove desaparecidos após explosão em mina

“Será um dos maiores e mais desafiantes projectos de engenharia civil do século XXI”, disse um dos cientistas do Governo chinês ao SCMP

O

estudo para construir o mais longo túnel do género no mundo, com 135 quilómetros debaixo do mar, surge num período de crescentes tensões entre Pequim e o Governo de Taiwan. Alguns analistas consideram, no entanto, que a China poderá começar a trabalhar no projecto de forma unilateral. “Será um dos maiores e mais desafiantes projectos de engenharia civil do século XXI”, disse um dos cientistas do Governo chinês ao SCMP, que não refere o seu nome, por se tratar de um “projecto sensível”. A ideia de um túnel a ligar o continente chinês e Taiwan já tem um século, mas só agora cientistas e engenheiros chegaram a um consenso sobre a melhor forma de materializar o projecto. O túnel começaria em Pingtan, na província de Fujian, leste da China, e atingiria 200 metros de profundidade, atravessando espessas camadas de rocha, incluindo granito extremamente duro, e com pelo menos dois desvios de falhas geológicas, regressando à superfície em Hsin-

OBRAS CHINA ENTREGA PLANO PARA CONSTRUIR TÚNEL FERROVIÁRIO ATÉ TAIWAN

Luz ao fundo Cientistas chineses enviaram ao Governo um plano para construir um túnel ferroviário submarino entre o continente chinês e Taiwan, noticiou ontem um jornal de Hong Kong, numa altura de renovadas tensões entre Taipé e Pequim chu, uma cidade costeira próxima de Taipé. A construção seria três vezes e meio mais longa do que o Canal da Mancha, que liga França ao Reino Unido, e foi concluído em 1994. O projecto chinês teria características comuns àquela construção, consistindo em três túneis individuais,

segundo o SCMP. Dois dos túneis seriam usados por comboios em direcções opostas, enquanto uma terceira passagem, no meio, iria alojar linhas eléctricas, cabos de comunicação e saídas de emergência. O plano inclui ainda a criação de um par de ilhas artificiais a meio

do trajecto, onde seria instalada uma estação de tratamento do ar, que canalizaria ar fresco para dentro do túnel.

DAQUI À LUA

Desde que há dois anos a Presidente taiwanesa, Tsai Ing-wen, do Partido Democrata Progressista, pró-independência, ascendeu ao poder, a China tem aumentado a pressão diplomática e militar sobre Taiwan. “Começar a construção sem chegar antes a um acordo com o outro lado iria incitar sentimentos anti-China na ilha”, afirmou Zhao Jian, professor de economia na Universidade Jiaotong, em Pequim, citado pelo SCMP. “Iria fazer com que se afastassem ainda mais, em vez de promover uma maior aproximação”, disse. Zhu Hehua, director de pesquisa sobre túneis e estruturas subterrâneas na universidade de Tongji, em Xangai, considerou que, devido à situação política, o projecto “parece tão distante como ir à Lua”, mas que “eventualmente se realizará”.

CORRUPÇÃO PRESIDENTE QUE GERE AEROPORTOS DE XANGAI INVESTIGADO

O

presidente da Autoridade Aeroportuária de Xangai, Wu Jianrong, está a ser investigado por alegada violação da lei e da disciplina do Partido Comunista Chinês (PCC), anunciou ontem o órgão anticorrupção da cidade. Segundo o jornal de Hong Kong South China Morning Post (SCMP),

trata-se do maior escândalo nos últimos anos envolvendo o chefe de uma empresa estatal com sede em Xangai, a “capital” económica do país. O órgão de inspecção e disciplina local não especifica quais as irregularidades alegadamente cometidas por Wu, mas refere que este cometeu “graves violações

da disciplina”, termo que habitualmente descreve os casos de corrupção. Wu, de 56 anos e antigo vice-secretário geral do governo municipal de Xangai, assumiu em meados do ano passado a entidade que opera os aeroportos de Pudong e Hongqiao, que em 2017 registaram um total de 112 milhões de passageiros.

Não se sabe se as irregularidades foram cometidas durante o seu mandato à frente daquele organismo. Mais de 440 dirigentes, alguns dos quais ministros, foram já atingidos pela campanha anticorrupção em curso na China, desde que o Presidente chinês, Xi Jinping, assumiu a chefia do PCC em Novembro

de 2012. Trata-se da mais persistente e ampla campanha do género na história da China comunista, mas críticos apontam que esta serve para Xi afastar rivais políticos, promovidos por outras cliques internas do PCC, argumentando que é gerida por um órgão interno do partido e não uma entidade independente.

Quatro pessoas morreram e outras nove continuam desaparecidas após uma explosão numa mina de carvão no sudoeste da China causada por uma fuga de gás, informou ontem a agência noticiosa oficial Xinhua. O acidente ocorreu na noite de segunda-feira, na cidade de Panzhou, província de Guizhou, detalharam as autoridades locais, citadas pela agência. As equipas de salvamento continuam a trabalhar para resgatar os nove mineiros desaparecidos. As minas de carvão na China, consideradas na última década as mais perigosas do mundo, registaram o ano passado 219 acidentes, dos quais resultaram 375 mortos, uma descida de 28,7 por cento face a 2016 e 20 vezes menos do que os registados há uma década. O pior ano deste século foi 2003, quando se contabilizaram 6.990 mortes nas minas do país. O encerramento de minas ilegais, muitas delas de pequena dimensão, e o aumento das acções de fiscalização contribuíram para a queda no número de vítimas mortais. Cerca de dois terços da energia consumida na China continuam a assentar no carvão.

Astronomia Descoberta estrela gigante rica em lítio, elemento associado ao Big Bang

Astrónomos chineses descobriram uma estrela gigante rica em lítio, um dos elementos químicos considerados presentes no Big Bang, momento que corresponde ao início do Universo, divulgou ontem a revista científica Nature Astronomy. Segundo uma equipa dos Observatórios Astronómicos Nacionais da China, a estrela, designada gigante por ter uma luminosidade entre dez e mil vezes mais intensa que a do Sol, tem 3.000 vezes mais lítio do que outras estrelas e está a 4.500 anos-luz da Terra. O lítio é considerado um dos três elementos químicos sintetizados no Big Bang, juntamente com o hélio e o hidrogénio. A abundância dos três elementos é entendida pela comunidade científica como a prova mais forte da teoria do Big Bang, que defende que o Universo nasceu de um único ponto contido no espaço e que depois se expandiu. O Universo tem cerca de 14 mil milhões de anos.


região 13

quarta-feira 8.8.2018

DESPORTO JAPÃO PONDERA ALTERAR O FUSO HORÁRIO PARA OS JOGOS OLÍMPICOS

Tudo pela fresquinha O Japão, país anfitrião dos Jogos Olímpicos de 2020, está a ponderar adiantar os relógios duas horas durante os três meses de Verão, a fim de iniciar as provas com temperaturas mais baixas

TURISMO CONCURSO PARA DORMIR NA GRANDE MURALHA SUSCITA CRÍTICAS AO AIRBNB

A

plataforma electrónica de aluguer de casas Airbnb lançou um concurso que oferece uma noite numa atalaia da Grande Muralha, o símbolo mais expressivo da China, suscitando críticas por parte dos internautas chineses, que temem danos. Oito viajantes terão a oportunidade de passar uma noite numa das maiores maravilhas da arquitectura antiga, considerada património da humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), caso vença o concurso que a empresa lançou em 11 mercados, e que não inclui Portugal. O alojamento envolve a conversão de uma atalaia da Grande Muralha, monumento com 2600 anos, em dupla habitação, com cama, decoração e iluminação por velas, mas sem electricidade, ligação à internet, ar condicionado ou televisão. Por lei, não é proibido pernoitar na Grande Muralha, mas o Airbnb assegura que é a primeira vez que se faz algo deste género. No entanto, as leis que visam a protecção e conservação do monumento, que se estende ao longo de 21.000 quilómetros, proíbem a construção de instalações que não sejam para a conservação deste. “A Grande Muralha é património histórico sob protecção, como é possível que permitam a sua conversão para alojamento”, reagiu um internauta na rede social Weibo, equivalente ao Twitter na China. “Agora, até relíquias antigas podem ser alugadas para ganhar dinheiro”, questionou outro. O Airbnb reagiu, entretanto, afirmando que a protecção de relíquias históricas e culturais foi a “intenção original” daquele concurso, que pede aos utilizadores um breve ensaio sobre o motivo pelo qual é importante para eles derrubar as barreiras entre culturas. O prémio inclui ainda as viagens aéreas desde os países de origem até Pequim, os custos para obter o visto chinês ou alimentação.

A

possibilidade de alterar o fuso horário durante os Jogos Olímpicos surge numa altura em que uma onda de calor, que matou 120 pessoas este ano, está a preocupar as autoridades. O Governo japonês ainda não decidiu se esta será ou não a melhor medida a adoptar, mas um primeiro teste pode ser feito já no próximo ano. “Planeámos medidas amplas, como começar as provas mais cedo, ter mais vegetação e pavimentos que inibem o calor”, anunciou o secretário-chefe do gabinete, Yoshihide Suga. Segundo a informação avançada pela BBC, as autoridades olímpicas pediram ao primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, para que alguns eventos sejam programados nas primeiras horas da manhã. Outra das medidas inovadoras para estas olimpíadas japonesas é, como não poderia deixar de ser, tecnológica. Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2020 vão utilizar um

inovador sistema de reconhecimento facial com tecnologia artificial para garantir a segurança dos atletas, anunciaram ontem os organizadores. Segundo a NEC, a empresa responsável pelo desenvolvimento do sistema “o principal objectivo é fortalecer as medidas de segurança. O sistema de reconhecimento facial, que será utilizada por atletas e pessoas acreditadas, consiste na confirmação da identidade através de uma foto pré-gravada e armazenada num ‘chip’ colocado na acreditação. O vice-presidente da NEC, Masaaki Suganuma, explicou que serão necessários 0,3 segundos para o reconhecimento e garantiu que o sistema permitirá realizar controlos 2,5 vezes mais rápidos do que os procedimentos baseados na leitura de códigos de barras.

Segundo a empresa, o sistema, que “evitará qualquer entrada fraudulenta”, será também importante para uma entrada rápida nos recintos, tendo também em conta as elevadas temperaturas nos meses de julho, agosto e setembro.

QUEM VÊ CARAS

A tecnologia de reconhecimento facial desenvolvida pela NEC foi testada nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio2016, nas instalações utilizadas pelos meios de comunicação japoneses. Outra das prioridades é aproveitar o cariz mundial do evento para reforçar a posição do Japão globalmente. Assim sendo, as cerimónias dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 combinarão as diversas facetas do espírito do Japão, anunciou

“Planeámos medidas amplas, como começar as provas mais cedo, ter mais vegetação e pavimentos que inibem o calor.” GOVERNO JAPONÊS

Mansai Nomura, prestigioso actor do teatro tradicional japonês, escolhido para dirigir a abertura e o encerramento do evento. A designação de Mansai Nomura como director artístico sugere que as artes tradicionais devem ocupar um espaço importante nos eventos. “Darei o melhor de mim para que as cerimónias dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos sejam simples, mas que exprimam a riqueza do espírito do Japão”, afirmou Nomura. “Quero mostrar todas as cores de nossa paleta”, completou. A equipa de direcção artística de Nomura inclui Hiroshi Sasaki, o homem que fez aparecer no estádio do Maracanã no encerramento dos Jogos Rio-2016 o primeiro-ministro japonês, ShinzoAbe, disfarçado da personagem icónica dos jogos de vídeo Mario, no momento da passagem da chama olímpica à cidade de Tóquio. Sasaki negou a repetição do ‘Abe Mario’, por considerar que perderia o factor surpresa, mas prometeu “algo mais espectacular”. Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 decorrem entre 24 de Julho e 9 de Agosto, enquanto os Paralímpicos vão ser disputados entre 25 de Agosto e 6 de Setembro.


14

h

8.8.2018 quarta-feira

Nós vivemos num tempo que se caracteriza pela irracionalidade dos comportamentos gerais

A Poesia Completa de Li He

南 山 田 中 行 秋野明,秋風白,塘水漻漻蟲嘖嘖。    雲根台蘚山上石,冷紅泣露嬌啼色。    荒畦九月稻叉牙,蟄螢低飛隴徑斜。    石脈水流泉滴沙,鬼燈如漆點松花。

Atravessando os Campos da Montanha Sul Esplendem os ermos outonais, Alvo vento outonal.1 Água do tanque funda e clara, Insectos gemendo. Nuvens nascem de rochas, Montanhas cobertas de musgo. Vermelhos frios lacrimejam orvalho, Cor do grácil chorar. Campos desolados de Outubro – O arroz bifurca. Tórpidas libélulas voam baixo Cruzando os caminhos no topo dos diques. Água flui das veias das rochas, Fontes gotejam na areia. Lanternas espectrais como lamparinas de lacre Alumiam as flores dos pinheiros.2

1 2

O branco, cor do luto, está associada ao Outono. O brilho do fogo fátuo, dando pouca luz como as lamparinas de lacre negro colocadas nos túmulos.

Tradução de Rui Cascais • Ilustração de Rui Rasquinho Li He (790 a 816) nasceu em Fu-chang durante a Dinastia Tang, pertencendo a um ramo menor da casa imperial. A sua morte prematura aos vinte e sete anos, a par da escassez de pormenores biográficos, deixam-nos apenas com uma espécie de fantasma literário. A Nova História dos Tang (Xin Tang shu) diz-nos que He “nunca escrevia poemas sobre um tópico específico, forçando os seus versos a conformarem-se ao tema, como era prática de outros poetas [...] Tudo quanto escrevia era inquietantemente extraordinário, quebrando com a tradição literária.” Segundo um crítico da Dinastia Song, o alucinátorio idioma poético de Li He é a “linguagem de um imortal demoníaco.” A versão inglesa de referência aqui usada é a tradução clássica da autoria de J.D. Frodsham, intitulada Goddesses, Ghosts, and Demons, publicada em São Francisco, em 1983, pela North Point Press.


ARTES, LETRAS E IDEIAS 15

quarta-feira 8.8.2018

Diário de um editor João Paulo Cotrim

Nada é óbvio nem absoluto MYMOSA, LISBOA, 19 JULHO Não me lembro da última vez que almocei sozinho, gestos dos mais anti naturais da civilização. O desatino destes dias de apocalipse que piso a tanto obriga, daí o peso acrescido da mensagem que me trouxe à tona do aquário alheado em que mergulhei: Luis García Montero acaba de ser dado como novo director do Instituto Cervantes, substituindo o querido Juan Manuel Bonet, que não reencontrei durante o seu mandato. A ausência dos óculos fez com que o colocasse em uma qualquer short list do homónimo Prémio. Ambas as situações segregam estranheza, que os nossos autores não são de frequentar prémios, ou melhor, os prémios não os visitam a eles; e os corredores do poder estão em lados opostos da cidade. Ainda assim, a notícia alegra-me, pelo que conheço do afã polémico da figura, do modo como radica em Lorca uma ética, da sua paixão pela língua, do carinho por Portugal, da generosidade que testemunhei. Sendo apenas nomeação a um cargo, estou em crer que pode sair daqui algo de bom, assim como horizontes. Melhor: tenho a certeza, pois acredito no que salta do seu O Dogmatismo É A Pressa das Ideias: «Aqui junto das dunas e dos pinheiros,/ enquanto a tarde cai/ nesta hora ampla de beleza no céu/ e faço meu sem pressa/ o vermelho livre da luz,/ penso que sou o dono do minuto que falta/ para que o sol repouse sob o mar.// Essa é a minha razão, o meu património,/ depois de tanta margem/ e de tanto horizonte,/ ser o dono do último minuto,/ do minuto que falta para dizer que sim,/ para dizer que não,/ para chegar depois ao outro lado/ de tudo o que afirmo e do que nego.// Essa é a minha razão/ contra as frases feitas e a manhã,/ enquanto a tarde cai por amor à vida,/ e nada é óbvio nem absoluto,/ e a águia que desfaz os jornais/ arrasta as palavras como peixes de prata,/ como espuma de onda/ que sobe e se matiza/ dentro do coração.» Não fecha assim, antes afirmando «esse único dogma do abraço, minha única razão, meu património.» Partilhando esse dogma único, o do abraço, aqui segue um, com o devido atraso.

ções que pisamos tantos e tão díspares princípios de viagem que justificam este queimar da alegria. Os autores não são de papel, são árvores de tantos frutos. Por cada criança que nasce, vejo surgir, na voz, no olhar, um outro pai, uma distinta mãe, baralhando a posição do céu e da terra, dos ramos e das raízes.

HORTA SECA, LISBOA, 23 JULHO Circunstância do devir: de cada vez que cai relâmpago perto sinto-o na pele como frase de jazz, desmultiplicadora de inspiração e presságio. O nascimento do Jaime, filho da Liliana [Ribeiro] e do Paulo [Moura], marca nas constela-

CURRY CABRAL, LISBOA, 27 JULHO Não sou supersticioso pela óbvia razão que dá tremendo azar. Tive e estimei gata preta, senhora de muitas sortes. Adoro a parte de baixo das escadas, mesmo quando não as subo. Parto espelhos e espalho sal com displicência e descuido.

HORTA SECA, LISBOA, 25 AGOSTO Nos últimos anos, quem se atreva a escrever, a publicar e a editar, está sujeito, ao abrigo da liberdade (talvez de imprensa), ao enxovalho de julgamentos e condenações sem sombra de contraditório. Eles afirmam-se jornalistas, mas confundem código deontológico com etiqueta masturbatória; eles dizem-se críticos, mas trocam a leitura aberta pela cegueira maldosa; eles julgam-se poetas, desde que cada verso se faça degrau para o altar supremo do culto em que oficiam, o único que assegura a única e mais verdade que a verdadeira poesia; eles são editores, mas que só arriscam o himalaia do cânone, aquele que congela para sempre o tempo e as opiniões sagradas dos mortos; eles são livreiros que criticam o capitalismo aberrante, sem que nada os impeça de especular com as raridades anti-sistema. Mimetizando outros tempos e outras figuras em versão serôdia e fora de prazo, celebram a «postura crítica», mas nisso agridem, fazem execráveis ataques de carácter, cometem sem pejo a ignorância mais profunda, riem do seu próprio fel, arrotam sound bites vendendo-os como pensamento. E há quem compre, claro. Gente até que devia saber mais. Não se lhes exija coerência. Estão tão acima moralmente de todos os outros, que nenhuma das regras detestadas por escrito se lhes aplica. Estão muito fora, muito além, muito apesar, muito contra, tudo e todos, mas não sei de nenhum que tenha estado preso ou passado fome. Detestam militantemente a alegria e a festa e o único prazer que se lhes conhece está em chafurdar no ódio. Por mim, levá-los-ei a sério quando doarem o corpo à ciência para que se estude o seu inegável contributo civilizacional: de tão puros, deixaram de cagar.

Celebro muito o treze, por razão tremendíssima, e acumulo bilhetes em que me sentam, por acaso, na sobredita cadeira. Partilho com poetas de envergadura este divertimento. Como interpretar agora o facto do meu velho pai aterrar, ao fim de deambulação de meses, em cama número 13? HORTA SECA, LISBOA, 28 JULHO Parece impossível mas couberam nas nossas duas modestíssimas salas os cinquenta e nove autores de Ilustração Portuguesa. O veterano Diniz [Conefrey] comentava há pouco o caminho, desde o Salão Lisboa e outras iniciativas semelhantes, vetustas de duas décadas: «o que andámos para aqui chegar». Alguns nomes mantêm-se em estimulante laboração, mas nada impressiona mais que a riqueza de estilos e linguagens e temas e

Não sou supersticioso pela óbvia razão que dá tremendo azar. Tive e estimei gata preta, senhora de muitas sortes. Adoro a parte de baixo das escadas, mesmo quando não as subo. Parto espelhos e espalho sal com displicência e descuido

projectos. Tal selva só se atravessa sabendo onde pôr os olhos. No último canto, mesmo junto à janela, a ordem alfabética arrumou aqui as peças assinadas por Tida Siuda, polaca a residir no Porto. A janela alargou-se, melhor escrevendo, tal a frescura dos seres-formas que por ali convivem (um deles algures na página, mas outros podem ser verificados aqui: https://tinasiuda.com/). A força poética toca-me, bem como a subtileza das suas cores. Despertam gestos e palavras muito para além do óbvio. HORTA SECA, LISBOA, 2 AGOSTO Eis as palavras do poeta Montero chegando ao cargo com pressuposto radical, antes mesmo de irónico presupuesto, contra a desintegração ética da sociedade: o esforço de ser bom, ainda que seja, por ora, tão pouco sexy. «Esta mañana siento la voz de don Quijote, en una de sus famosas parrafadas en homenaje a la libertad, la poesía, la dignidad o el buen gobierno, advirtiéndome sobre la responsabilidad que asumo. Yo le contesto que en mi responsabilidad se abrazan a la vez la exigencia y la ilusión. A los 60 años de edad, cuando he vivido tantos momentos diferentes de la historia de España, agradezco la oportunidad que se me da de compartir en mi oficio una vocación cívica y un tiempo nuevo para la democracia española. Empecemos por las primeras palabras, esas que según Elsa Morante hacen del arte una apuesta contra la desintegración ética de la sociedad. El mayor reto que tenemos, desde muy diferentes perspectivas, es el esfuerzo por ser buenos, en el buen sentido de la palabra bueno, frente a los que trabajan por crear un tiempo propicio al odio. Cito, como ya sabéis, a Antonio Machado y a Ángel González.»


16 publicidade

8.8.2018 quarta-feira

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO N.o 32/P/18

Aviso Arrendamento da Área de Congelados do Edifício do Novo Mercado Abastecedor de Macau Concurso Público Faz-se público que, por deliberação do Conselho de Administração do IACM tomada na sessão de 27 de Julho de 2018, se acha aberto o concurso público para o arrendamento das áreas de congelados no 7º andar do Edifício do Novo Mercado Abastecedor de Macau”, sito na Avenida do Parque Industrial e Rua Nova do Parque Industrial. O Programa de Concurso e o Caderno de Encargos podem ser obtidos no horário normal de expediente dos dias úteis no Núcleo de Expediente e Arquivo do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), sito na Avenida de Almeida Ribeiro n.º 163, Macau. O prazo para entrega das propostas termina às 17:00 horas do dia 23 de Agosto de 2018. Os concorrentes devem entregar as propostas e restantes documentos necessários no Núcleo de Expediente e Arquivo do IACM. A caução provisória deve ser entregue na Tesouraria da Divisão de Contabilidade e Assuntos Financeiros do IACM, sita no rés-do-chão do Edifício do IACM, na Avenida de Almeida Ribeiro n.º 163, Macau, por dinheiro, cheque ou garantia bancária em nome de «Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais». As cauções provisórias são as abaixo discriminadas: Área de Congelados A - Sessenta e duas mil patacas (MOP62 000,00);

Área de Congelados B - Sessenta e sete mil e duzentas patacas (MOP67 200,00);

Área de Congelados C - Sessenta e três mil e duzentas patacas (MOP63 200,00);

Área de Congelados D - Quarenta e sete mil e oitocentas patacas (MOP47 800,00);

Área de Congelados E - Quarenta e sete mil e oitocentas patacas (MOP47 800,00);

Área de Congelados F - Trinta e nove mil e quatrocentas patacas (MOP39 400,00);

Área de Congelados G - Setenta e duas mil e seiscentas patacas (MOP72 600,00);

Área de Congelados H - Cinquenta e oito mil e seiscentas patacas (MOP58 600,00);

Área de Congelados I - Cento e oito mil e quatrocentas patacas (MOP108 400,00);

Área de Congelados J - Cinquenta e oito mil patacas (MOP58 000,00); Área de Congelados K - Sessenta mil e quatrocentas patacas (MOP60 400,00).

As rendas mínimas mensais das áreas de congelados mencionadas para propor referem-se conforme o seguinte: Tipo da área de congelados

Zona

Superfície

Preço-base do concurso

(-18 ºC até 4ºC )

A B

115,8 m 125,6 m2

C

117,7 m2

I

202,5 m2

J

128,9 m2

K

134,3 m2

Trinta e uma mil patacas (MOP31.000,00) Trinta e três mil e seiscentas pataca(MOP33.600,00) Trinta e uma mil e seiscentas patacas(MOP31.600,00) Cinquenta e quatro mil e duzentas patacas (MOP54.200,00) Vinte e nove mil patacas (MOP29.000,00) Trinta mil e duzentas patacas (MOP30.200,00)

Refrigerador (inferior aos - 4 ºC)

2

Vinte e três mil e novecentas patacas(MOP23.900,00) Vinte e três mil e novecentas 2 E 117,7 m patacas(MOP23.900,00) 119,4 m2 Dezanove mil e setecentas patacas(MOP19.700,00) Armazém com ar F G 224,7 m2 Trinta e seis mil e trezentas patacas(MOP36.300,00) condicionado Vinte e nove mil e trezentas H 194,1 m2 patacas(MOP29.300,00) O acto público do concurso realizar-se-á no Centro de Formação do IACM, sito na Avenida da Praia Grande n.º 804, Edifício China Plaza, 6.º andar, pelas 10:00 horas do dia 24 de Agosto de 2018. O IACM realizará uma sessão de esclarecimento que terá lugar às 10:00 horas do dia 15 de Agosto de 2018 no Centro de Formação do IACM, bem como uma visita ao local no mesmo dia. (0 ºC até 4ºC )

D

117,7 m2

Aos 02 de Agosto de 2018. A Administradora do Conselho de Administração Isabel Jorge WWW. IACM.GOV.MO

Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 30 de Julho de 2018, se encontra aberto o Concurso Público para «Prestação do serviço de Manutenção e Reparação do Sistema Telefónico do Centro Hospitalar Conde de São Januário», cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos se encontram à disposição dos interessados desde o dia 8 de Agosto de 2018, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato destes Serviços, sita no 1. º andar, da Estrada de S. Francisco, n.º 5, Macau, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de MOP 41,00 (quarenta e uma patacas), a título de custo das respectivas fotocópias (local de pagamento: Secção de Tesouraria dos Serviços de Saúde) ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet na página electrónica dos S.S. (www.ssm.gov.mo). Os concorrentes do presente concurso devem estar presentes no Departamento de Instalações e Equipamentos do Centro Hospitalar Conde de São Januário, no dia 15 de Agosto de 2018, às 11,00 horas, para efeitos de visita às instalações a que se destina à prestação de serviços objecto deste concurso. As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 10 de Setembro de 2018. O acto público deste concurso terá lugar no dia 11 de Setembro de 2018, pelas 10,00 horas, na “Sala Multifuncional”, sita no r/c da Estrada de S. Francisco, n.º 5, Macau. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de MOP90.000,00 (noventa mil patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 3 de Agosto de 2018. O Director dos Serviços Lei Chin Ion

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO N.º 31/P/18 Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 20 de Julho de 2018, se encontra aberto o Concurso Público para «Fornecimento e Instalação de Uma Máquina de Gelo Salina Estéril e Respectivos Cinco Conjuntos de Materiais de Consumo nos Serviços de Saúde», cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos se encontram à disposição dos interessados desde o dia 8 de Agosto de 2018, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato destes Serviços, sita no 1. º andar, da Estrada de S. Francisco, n.º 5, Macau, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de MOP40,00 (quarenta patacas), a título de custo das respectivas fotocópias (local de pagamento: Secção de Tesouraria dos Serviços de Saúde) ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet na página electrónica dos S.S. (www.ssm.gov.mo). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,30 horas do dia 7 de Setembro de 2018. O acto público deste concurso terá lugar no dia 10 de Setembro de 2018, pelas 10,00 horas, na “Sala Multifuncional”, sita no r/c da Estrada de S. Francisco, n.º 5, Macau. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de MOP19.360,00 (dezanove mil, trezentas e sessenta patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 3 de Agosto de 2018

O Director dos Serviços Lei Chin Ion


desporto 17

quarta-feira 8.8.2018

JOGOS ASIÁTICOS CHUI COM “GRANDES EXPECTATIVAS”

C

HUI Sai On recordou ontem à comitiva de atletas que vai representar Macau nos Jogos Asiáticos que desde o retorno à Pátria foi feito um grande investimento no desporto, pelo que há grandes expectativas em relação a participação na competição. Assim, o Chefe do Executivo define como metas para a competição um “desempenho de qualidade e criação de laços de amizade”. No discurso perante os atletas que vão representar a RAEM em Jacarta, o Chefe do Executivo vincou por várias vezes o trabalho do seu Executivo. “Diversas medidas foram sendo adoptadas para o aperfeiçoamento das instalações desportivas e aposta nos recursos humanos, reforçando-se, assim, a plataforma local para competições e eventos desportivos”, sublinhou. Apesar disso, ressalvou que os resultados não são o mais importante: “A nossa missão fundamental, neste sector, é “desenvolver o desporto para reforçar a saúde dos moradores”, apontou. Mesmo assim, o Chefe do Executivo defende que houve avanços ao nível dos resultados. “Nos últimos anos, com os esforços conjuntos do Governo da RAEM e dos representantes do sector desportivo, Macau conquistou novos avanços, quer no desporto de massas, quer ao nível competitivo”, frisou. Chui Sai On reconhece ainda os esforços feitos pelos atletas nos treinos que lhes permitiu o apuramento para as competições. “Aos atletas presentes, reconheço que todos tiveram de enfrentar treinos rigorosos, fazendo grandes sacrifícios. Gostaria de dizer que tenho confiança em cada um e estou certo de que conseguirão competir com carácter, demonstrando as vossas capacidades e esforçando-se para a glória da nossa Região”, finalizou.

Atletismo Inês Henriques campeã europeia de marcha

A portuguesa Inês Henriques sagrou-se ontem campeã europeia nos 50 quilómetros de marcha, em Berlim, nos Europeus de atletismo, juntando o título continental ao do mundo, conquistado em 2017. A marchadora do CN Rio Maior, de 38 anos, liderou a prova desde o início, concluindo a distância em 4:09.21 horas, impondo-se à ucraniana Alina Tsviliy e à espanhola Julia Takács, segunda e terceira classificadas, respectivamente. Inês Henriques já deteve o recorde do mundo (4:05.56 horas) desde 13 de Agosto de 2017, quando conquistou o título mundial, em Londres, mas Liang Rui retirou 1.20 minutos à sua marca (4:04.36), em 5 de Maio último, no Mundial de marcha por Nações, em Taicang, na China. Esta foi a primeira vez que os 50 quilómetros de marcha integraram o programa feminino dos Europeus.

FUTEBOL EQUIPA DA AFM PARTICIPA NA 4.ª DIVISÃO DO CONTINENTE

A busca do sonho

São 22 os jogadores locais que vão entrar em campo para disputar a quarta divisão chinesa. Os dirigentes da AFM têm esperança que alguns talentos possam usar a competição para dar o salto para o futebol profissional

U

MA equipa da Associação de Futebol de Macau (AFM) vai participar na quarta divisão do campeonato da China, conhecido como Liga dos Campeões dos Membros da Associação da Chinesa de Futebol. A competição para amadores arranca na sexta-feira e decorre até 16 de Agosto, na cidade de Wuhan, em Hubei, com a formação local a realizar três jogos no espaço de dez dias. Na apresentação dos 22 atletas, o treinador Iong Cho Ieng destacou como principal objectivo da participação a acumulação de experiência num ambiente mais competitivo, ao mesmo tempo que espera que os jogadores possam ter maior visibilidade. “O objectivo desta equipa é formar atletas que possam alcançar a profissionalização, também a pensar no futuro da

selecção de Macau. Com esta participação esperamos que os atletas possam dar mais um passo nesse sentido”, disse, Iong Cho Ieng, que é ainda o técnico da selecção principal. Por outro lado, o treinador destacou o nível da competição e recordou que nesta liga amadora existem jogadores que no passado ascenderam a profissionais. Por isso, estes confrontos poderão ser uma mais valia para a formação dos atletas locais. “Neste torneio todas as equipas são amadoras e os profissionais não são permitidos. Mas, sabemos que alguns dos

jogadores são profissionais que se retiraram. Por isso, falamos de alguns atletas com um nível bem elevado”, explicou. “Temos uma equipa muito jovem e o nosso objectivo é conseguir dar luta aos jogadores com mais experiência e qualidade. Vamos lutar por isso”, sublinhou. A média de idades da equipa de Macau, que vai participar como se fosse um clube e não como selecção, está nos 23 anos. O atleta mais novo tem 17 anos e o mais velho 28.

SEM PROMOÇÃO

A segunda fase da Liga dos Campeões dos Membros da Associação da Chinesa de Futebol conta

Este torneio é igualmente uma plataforma para os atletas se mostrarem e, claro, gostávamos que alguns dos atletas pudessem impressionar olheiros de clubes profissionais” IONG CHO IENG TREINADOR

com oito séries separadas por zonas norte e sul. Macau está na Zona Sul número 2, que engloba as formações Wuhan Shangwen, Wuhan Freeman, Hubei Chufeng Heli, Hubei Wuhan Athletics Zaiming, Changsha Sihai, Hunan HBS Mangguoba e Guangzhou Glorious. Destas equipas, Macau apenas vai defrontar três, mas o sorteio só vai ser realizado mais tarde. Os primeiros dois classificados de cada grupo passam à próxima fase, que define a classificação final. Os seis primeiros tem a oportunidade de subir à 3.ª divisão, porém, mesmo em caso de apuramento, a equipa da AFM nunca poderá ser promovida. Esta foi uma das condições impostas pela Associação de Futebol Chinesa. Outro dos grandes objectivos da participação passa pelos atletas captarem a atenção de olheiros de clubes do Interior, ou seja dos especialistas em identificar futuros talentos. “Para poderem ser profissionais os nossos atletas precisam de oportunidades em equipas desse género, que não existem em Macau. Este torneio é igualmente uma plataforma para os atletas se mostrarem e, claro, gostávamos que alguns dos atletas pudessem impressionar olheiros de clubes profissionais”, reconheceu o treinador. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo


25

26

8 5 7 3 2 9 1 6 4 6 4 1 8 7 5 9 3 2 4 7 2 6 5 8 3 1 9 TEMPO AGUACEIROS 3 6 8 9 1 2 4 5 7 5 1 9 7 3 4 8 2 6 3 5 4FAZER 9 1 6 7 8 O2 QUE 7 8 4SEMANA 2 6 3 5 9 1 ESTA 1 9 6 5 8 7 2 4 3

1 9 6 7 3 7 5 8 8 4 2 9 2 6 1 4 27 MAX 7 3 9 2 5 8 4 3 4 2 7 5 6 5 8 1 9 1 3 6

18 9 2(f)utilidades 3 1 4 6 7 8 5

?

MIN

Sexta-feira OUTLOOK 27 FESTIVAL MACAU 2018 – FESTA DE LANÇAMENTO Live Music Association | A partir das 22h00

9 8 2 5 1 6 7 4 3 4 7 5 2 3 8 1 6 9 6 3 1 4 7 9 5 2 8 Sábado LMA REVER4 3 6 1 5 7LOUNGE2 ELBIS 9 8 Live Music Association | A partir das 22h00 3 6 4 1 2 5 8 9 7 PALESTRA VICENTE 1 5SOBRE 8OBRA 9DE6 7BRAVO 2 3 4 Albergue SCM 5 1 6 7 9 4 3 8 2 INÍCIO DO FESTIVAL INTERNACIONAL DE ANIMAÇÃO 8 9 Paixão 3 6 5 2 4 7 1 Cinemateca 2 4 7 3 8 1 9 5 6 Diariamente UMA NOITE COM PIANO NA GALERIA Fundação Rui Cunha | Das 18h00 às 20h00

EXPOSIÇÃO “ART IS PLAY” Grande Praça – MGM | Até 9/9

31

5 4 1 2 3 6 83 35 6 1 7 9 9 8 4 3 2 7

2 3 8 4 2 4 6 9 9 1 1 5 7 7 6 9 7 3 8 5 HUM 60-95% • 8 4 5 6 9 6 2 1 2 3 3 1 6 5 7 7 9 2 1 4 5 8 4 3 8

28

7 3 2 6 1 8 4 5 9

1 8 4 9 6 5 2 7 3 3 2 9 7 1 4 6 5 8 EXPOSIÇÃO “UNIVERSO” 7 5do Boi6| Até89/9 2 3 4 9 1 Armazém 6 3“APROFUNDAR” 1 5 4 8 7 2 9 EXPOSIÇÃO Art9 Garden 4| Até89/9 2 7 1 5 3 6 5 7“CHAPAS 2 6SÍNICAS” 3 9 8 1 4 EXPOSIÇÃO Museu das Ofertas sobre a Transferência 6 de7Macau 3 | Até97/82 1 4 5 de8 Soberania 4 9 5 1 8 7 3 6 2 “MARC CHAGALL – LUZ E COR NO SUL DE FRANÇA” 2| Até126/83 4 5 6 9 8 7 MAM

C I N E M A

CHRISTOPHER ROBIN

FALADO EM CANTONENSE Um filme de: Kazuaki Imai 14.30, 16.30, 19.30

ALONG WITH THE GODS: THE LAST 49 DAYS [C] FALADO EM COREANO LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Kim Yong-hwa Com; Ha Jung-woo, Ju Ji-hoon, Kim Hyang-gi, Don Lee 21.30 SALA 2

MISSION IMPOSSIBLE - FALLOUT [B]

3 9 8 7 2 5 9B4 AHT 7 1 6 8 4 6 5 3 1 2

33

6 4 9 5 2 7 1 8 3

8 5 1 9 4 3 7 2 6

9 6 4 7 3 2 5 1 8

2 7 3 1 8 5 6 9 4

5 1 8 4 9 6 3 7 2

1 9 7 8 6 4 2 3 5

4 2 5 3 7 9 8 6 1

3 8 6 2 5 1 9 4 7

O CARTOON STEPH 30 4 9 8 1 2 3 6 7 5

6 5 1 8 4 7 3 9 2

3 2 7 6 9 5 1 8 4

9 1 2 7 3 6 4 5 8

5 4 6 2 8 1 7 3 9

8 7 3 4 5 9 2 6 1

1 3 5 9 6 2 8 4 7

3 6 7 4 2 9 5 8 1

Um filme de: Christopher McQuarrie Com: Tom Cruise, Henry Cavill, Simon Pegg, Rebecca Ferguson 14.30, 18.00, 21.00

UM FILME HOJE Lucky é a personagem do filme homónimo que se apercebe, aos 90 anos, da sua finitude quando tem uma queda. O filme conta-nos a história deste homem, ateu, numa viagem espiritual em que restabelece relações com as personagens que habitam com ele numa pequena cidade no meio do deserto. O filme de John Carrol Lynch, conta no elenco com o realizador David Lynch e marca o adeus a Harry Dean Stanton, (Lucky) o actor de Paris, Texas que morreu em Setembro do ano passado. Sofia Margarida Mota

4 8 5 1 7 6 2 9 3

1 9 2 5 3 8 4 6 7

9 3 6 8 4 1 7 2 5

8 7 4 2 9 5 1 3 6

2 5 1 3 6 7 9 4 8

5 1 3 9 8 2 6 7 4

6 2 8 7 5 4 3 1 9

7 4 9 6 1 3 8 5 2

CHRISTOPHER ROBIN [A] Um filme de: Marc Forster Com: Ewan Mcgregor, Hauley Atwell, Bronte Carmichael 14.30, 19.30, 21.30

Um filme de: Christopher McQuarrie Com: Tom Cruise, Henry Cavill, Simon Pegg, Rebecca Ferguson 16.30

7 6 4 5 1 8 9 2 3

35

www. hojemacau. com.mo

2 1 6 5 6 8 7 3 9 11 .41 73 9 7 1 8 2 7 6 9 4 4 5 2 3 8 5

E se houvesse dinheiro, muito dinheiro, num território pequeno, muito pequeno, o que seria possível fazer? Seria um exemplo, para tudo e para todos. Seria um lugar com a melhor saúde do mundo. Hospitais exemplares com especialistas internacionais a dominar as enfermarias e os centros de investigação. Seria uma referência. Seria limpo, muito limpo. O exemplo de como viver em sustentabilidade. Haveria condições para dar primazia a transportes públicos, daqueles que andam a electricidade. Todos. Arranjava-se espaço para bicicletas. Acabava-se exemplarmente com a utilização de combustíveis fósseis. Respirava-se. Seria o topo no ensino. Gratuito. Porque sem educação não se constrói nada nem ninguém. Não se formam consciências, nem se fazem ciências. A arte. Haveria espaço para 32 experimentar, para trazer os melhores e criar outros tanto por cá. Haveria ruas bonitas, paredes vivas. Haveria criação e imaginação. Haveria quartos e quintos espaços para dar verde às pessoas. Não seria necessário chamar-lhes quartas dimensões ou nomes esquisitos. Seria Macau, um lugar com casinos, mas muito, tanto mais. Seria um local que todos gostariam de visitar, só para dizer, “há ali um lugarzito no sudeste asiático que devia ser exemplo para o mundo. Têm dinheiro e sabem como o aplicar”. Mas por ora é tudo no pretérito imperfeito. Tudo sonhos de quem vê de fora e vive cá dentro. Tudo possível se houvesse vontade. Sofia Margarida Mota

7 2 5 8 6 4 3 9 1

3 4 1 9 2 5 8 6 7

4 3 5 7 2 1 6 9 8

7 1 6 4 8 9 3 2 5

2 9 8 3 6 5 4 7 1

6 7 9 5 3 2 1 8 4

3 8 4 9 1 7 5 6 2

5 2 1 6 4 8 7 3 9

1 4 7 2 9 3 8 5 6

8 5 2 1 7 6 9 4 3

9 6 3 8 5 4 2 1 7

2 4 3 9 6 5 8 1 7

1 5 6 5 7 4 8 9 7 3 2

2 7 6 4 1 3 9 8 8 2 1 4 9 5

1 5 6 3 3 1 4 7 9 2 6 8

8 8 9 2 5 1 7 6 7 4 5 3

3 2 9 8 6 5 4 1 6 7 1 4

3 4 4 1 8 6 3 7 5 2 9

6 7 5 2 9 4 3 8 1

36

3 1 2 84 6 8 37 5 9 16 8 7 2 5 9 81 74 9 85 34 7 1 43 6 8 5 73 6 61 2 4 9 47 94 7 9 8 3 25 2 16 38 2 71 49 7 6 5 3 5 7 29 5 3 8 1 4 2 2 4 88 6 69 77 3 1 3 1 6 3 5 54 92 8 9 33

9 3 2 8 1 4 6 5 7

2 1 5 3

4 9 8 6 7 1 2 3 4 5 6

34

4 6 7

7 | JOHN CARROL 5 LYNCH “LUCKY” 9

3 6

1

5 2 7 3 1 5 7 1 9 6 3 3 5 6

9

8 9 7 8 6 9 4

8 5

7 4

5 2 1

1 6

5

9 3

7

9 2 8 6 3

8 5 1

35

36

1 8 6 9 2 1

SALA 3

MISSION IMPOSSIBLE - FALLOUT [B]

2 8 9 3 7 4 5 1 6

31

9 4 5 8 7 1 3 9 8 6 2 4 2 7 6 5 0.24 YUAN 4 5 8 3 1 3 9 6 VIDA DE5 CÃO2 7 1 3 8 1 7 E SE… 6 9 4 2 34

PROBLEMA 31

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 30

DORAEMON THE MOVIE: NOBITA’S TREASURE ISLAND [A]

7 1 4 6 1 4 2 3 9.37 8 2 9 5 3 8 6 7 5 9

S U D O K U

EXPOSIÇÃO “AYIA” Casa Garden | Até 9/9

SALA 1

5 6 8 3 2 5 8 3 9 7 1 6 EURO 4 5 3 1 7 4 2 9 1 9 8 2 6 4 7

DE

29

Cineteatro

32

8.8.2018 quarta-feira

4 2 7

3 2

3 7

8 7

6

8 9 2

4 6 1

4 8 7

8 5 1 6 5 1 Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; Diana do Mar, João Santos Filipe; Sofia 7 Vieira; Anabela3Canas;8António Cabrita; 4 António Castro Caeiro; António Falcão; Gonçalo9Lobo Pinheiro; 1 João Paulo Cotrim; 6 Margarida Mota; Vitor Ng Colaboradores Amélia José Drummond; José Simões Morais; Manuel Afonso Costa; Michel Reis; Miguel Martins; Paulo José Miranda; Paulo Maia e Carmo; Rui Cascais; Rui Filipe Torres; Sérgio 9 Fa Seong; Jorge Morbey; Jorge Rodrigues Simão; Leocardo; 5 Paul3Chan Wai Chi; Paula Bicho; Tânia Fonseca; Valério Romão Colunistas António2 Conceição Júnior; David Chan; dos Santos Cartoonista Steph Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua Secretária 4 Assistente 8 9de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia 2 Welfare Morada3Calçada de de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo

9 3


opinião 19

quarta-feira 8.8.2018

sexanálise

O

Maria-rapaz

NDE é que está a masculinidade perfeita? Os mais insensíveis dirão que se encontra nos homens detentores de um pénis. Claro está que existem expectativas pelas quais todos nós trabalhamos árdua e diariamente. Esta perspectiva biológica de que a masculinidade pressupõe um pénis já leva tempo que tenta ser desconstruída. A minha tentativa de desconstrução fará uso da masculinidade sem pénis, mas com uma vagina. Afinal, onde podemos nós encaixar, no léxico e semântica sexual, a masculinidade feminina? Há toda uma literatura académica que se debruça acerca de um possível fenómeno de masculinidade feminina que é a ‘Maria-Rapaz’. Os especialistas mostram que é um estado que tem sido retratado como aceitável na infância e talvez parte da adolescência, e por isso é circunscrita no tempo. Contudo, com algumas limitações, porque a Maria-Rapaz é castigada quando começa a ter uma forma exagerada de identificação masculina, i.e, quando quiser mudar de nome e recusar toda e qualquer forma de identificação ‘típica’ feminina – como roupas, acessórios, maquilhagem. Na análise literária e cinematográfica das Marias-Rapazes, esta rebelião é tida como uma forma de evitamento da fase adulta, e não necessariamente uma rebelião de fase adulta feminina. A representação da Maria-Rapaz nos nossos objectos culturais reduz a masculinidade feminina a uma experiência de desapropriação pessoal e emocional, mas não a relacionada com um desejo de, sei lá, mudar de sexo, manter formas ambíguas de género, ou querer ser uma mulher masculinizada – e ser adulta dessa forma.Aliás, para juntar à fantasia colectiva que as Marias-Rapazes passam por ‘fases’ que têm que ser ultrapassadas - é que as narrativas da feminilidade vêm depois todas em força. Juro-vos que tenho reconhecido um padrão em que as grandes referências da figura feminina, e de como a feminilidade é apresentada, como as super-modelos e super actrizes de hoje em dia, foram todas, outrora, algures no tempo, Marias-Rapazes. Para melhor explorar este conceito difícil de masculinidade feminina (que é um conceito que está cheio de pré-concepções, mas facilita o nosso entendimento mais mundano do foco desta análise – pessoas de vagina e as suas masculinidades) não há nada como analisar o problema das casas de banho. As casas de banho públicas são a materialização de um binarismo extremo, estático, e sem espaço de manobra. E de acordo com rela-

EUGÉNIA CÂNDIDA DA FONSECA DA SILVA MENDES, JOSÉ DE ALMEIDA FURTADO

TÂNIA DOS SANTOS

tos de gentes que querem e tentam pôr em causa a sua feminilidade, as casas de banho públicas são um teste a todos os envolvidos. Aos que não são de binarismos, aos limites e violências desses mesmos binarismos e aos medos e injustiças da nossa falta de reconhecimento do que é diferente. Contam-se histórias de pessoas de masculinidades femininas que entram nas casas de banho das raparigas e que são acusadas de terem entrado na casa de banho errada. Ou pior, verem a ser chamados seguranças que batem à porta dos cubículos para uma verificação da legitimidade daquela presença. É de uma

A minha tentativa de desconstrução fará uso da masculinidade sem pénis, mas com uma vagina. Afinal, onde podemos nós encaixar, no léxico e semântica sexual, a masculinidade feminina?

violência atroz, não é? Ter que justificar uma simples entrada na casa de banho: porque quando os indicadores de que estamos à esperam falham em ser exibidos o que nos resta? Mostrar os genitais para garantir uma entrada pacífica? Um acto tão simples como ir fazer xixi parece ter um potencial complicador que muitos simplesmente evitam. Que mundo estranho vivemos nós que a simples ida à casa de banho, para concretizar uma necessidade fisiológica básica, pode ser tão pouco inclusiva? A masculinidade é um constructo com o potencial mutante e transformador para o qual todos nós contribuímos com as nossas ideias e comportamentos. Mudando as nossas ideias e comportamentos podemos mudar as violências das fronteiras (fronteiras de qualquer tipo, mas neste caso conceptuais). Não será novidade que o nosso bem-estar também depende da possibilidade de nos criarmos à luz do que queremos ser. E esta criação pode ser dita ‘normativa’ ou pode não sê-lo. Porque as Marias-Rapazes podem tornar-se em Marias-Homens também – e não deveria existir problema algum.


Você pode viver até aos cem anos se abandonar todas as coisas que fazem com que você queira viver até os cem anos. Woody Allen

Saúde Farmacêutica acusada de adulterar vacinas manteve prática desde 2014

A

PUB

farmacêutica chinesa Changsheng Biotech, acusada de adulterar e falsificar os registos da produção de vacinas, manteve aquelas práticas desde 2014, confirmaram ontem as autoridades, no maior escândalo de saúde pública dos últimos anos na China. A equipa de investigação do Conselho de Estado, o Executivo chinês, confirmou que a Changsheng recorreu a material fora de prazo no fabrico de vacinas contra a raiva, para uso humano, e que não registou correctamente as datas ou os números de série dos produtos, pelo menos desde 2014. No final de Julho, uma investigação da Administração de Alimentos e Medicamentos da China (CFDA), acusou a empresa de falsificar registos de produção de aproximadamente 113 mil vacinas contra a raiva, além de distribuir mais de 250 mil doses defeituosas contra difteria, tétano e tosse convulsa. A presidente da empresa, Gao Junfang, e outros 14 membros da direcção, foram detidos. As autoridades, que prometeram graves consequências para os culpados, reforçaram também o controlo sobre os fabricantes de vacinas em todo o país, numa tentativa de conter a indignação pública. Já em 2016, mais de 130 pessoas foram detidas na China, num escândalo com a venda ilegal de vacinas fora de validade e armazenadas sem condições. Em 2008, um outro escândalo de saúde pública na China resultou na morte de seis crianças e danos para a saúde de outras 300 mil, devido a leite em pó contaminado com melamina.

Nos pratos da balança Princípio da confidencialidade versus interesse público na discussão da lei da arbitragem

A

possibilidade de o Governo celebrar contratos que incluam cláusulas de arbitragem poder beliscar a transparência, sobretudo se em causa estiver informação de interesse público, vai ser levantada pela 1.ª Comissão Permanente da Assembleia Legislativa (AL), que se encontra a analisar a proposta de Lei da Arbitragem. Isto porque o princípio da confidencialidade pode traduzir-se em menor transparência, com eventuais litígios a serem resolvidos sem serem tornados públicos, ao contrário do que sucede quando as disputas chegam aos tribunais. “Esta questão poderá ser discutida no futuro quando discutirmos os outros artigos. Nós também vamos discutir essa matéria se a população também estiver preocupada com isso”, afirmou o presidente da 1.ª Comissão Permanente da AL, Ho Ion Sang, aos jornalistas, após a segunda reunião com membros do Executivo. O princípio da confidencialidade, que figura como uma das pedras basilares da arbitragem, dita que “o processo arbitral, os seus sujeitos e o respectivo conteúdo devem ser mantidos sigilosamente, sem prejuízo dos casos em que esse sigilo pode ceder nos termos da lei”. “O princípio da confidencialidade é muito importante”, realçou Ho Ion Sang, sustentando que é, aliás, uma das principais razões que leva as empresas internacionais a aderirem à arbitragem. Isto porque “não querem divulgar os contratos”, algo que sucederia caso os litígios chegassem à barra dos tribunais.

Filipinas Duterte ameaça polícias corruptos

O

“No futuro, o Governo da RAEM poderá celebrar acordos com empresas do exterior que, normalmente, estipulam essas cláusulas de arbitragem”, as quais podem ser definidas já, à luz de leis avulsas, em contratos de aquisições de bens ou serviços ou adjudicações, explicou o deputado dos Kaifong. Ho Ion Sang destacou as vantagens, dando o exemplo de um eventual conflito entre o Governo e um empreiteiro. “Se a obra se arrastar por muito tempo vai-se despender muito do erário público e também não se consegue finalizar a obra. Se houver acordo para arbitragem é muito importante”, argumentou.

ÁRBITRO DE EMERGÊNCIA

Outro dos aspectos do diploma abordados foi o “inovador” terceiro capítulo dedicado ao árbitro de emergência, uma figura criada com base nas experiências de Hong Kong e Singapura, que visa “resolver atempadamente os litígios”. “O árbitro de emergência pode decretar medidas provisórias emergentes” que são o equivalente

a providências cautelares dos tribunais, explicou Ho Ion Sang, indicando que podem ser impostas a requerimento de uma das partes ouvida a parte contrária, independentemente de concordar. As competências do árbitro de emergência são exercidas antes de ser criado o tribunal arbitral, extinguindo-se logo que tal aconteça. Este diploma, que tem como objectivo generalizar o regime de arbitragem, segue as normas da Lei Modelo da Comissão das Nações Unidas para o Direito Comercial Internacional sobre a arbitragem comercial internacional (versão de 2006), com vista a um regime “mais simples e alinhado com os padrões internacionais”. Uma opção que traduziu-se, porém, em “dificuldades técnicas”, explicou o presidente da 1.ª Comissão Permanente da AL, dando conta de que vão ser feitos ajustamentos a nível técnico por haver diferenças relativamente ao sistema jurídico de Macau, esperando-se que o Governo submeta um novo texto em Outubro, após as férias legislativas. D.M.

Coreia do Norte Austrália pediu restos mortais de soldados A ministra dos Negócios Estrangeiros da Austrália, Julie Bishop, disse ontem que pediu ao seu homólogo norte-coreano, Ri Yong-ho, a recuperação dos corpos dos 43 soldados australianos desaparecidos na Guerra da Coreia. Os dois ministros reuniram-se no fim-de-semana em Singapura durante a cimeira da Associação de Nações do Sudeste Asiático, um dos únicos eventos internacionais no qual o regime de Pyongyang participa. Em Bali, na Indonésia, a governante disse

quarta-feira 8.8.2018

PALAVRA DO DIA

à Sky News que tinha lembrado Ri Yong-ho que a Coreia do Norte já tinha entregado os restos mortais de alguns soldados americanos, na sequência da cimeira de Junho entre o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un. “Eu pedi o acesso àqueles lugares”, disse Bishop, acrescentando que a Austrália ofereceu assistência forense e especializada para recuperar os restos mortais dos soldados australianos” desaparecidos durante a

Guerra da Coreia”. A chefe da diplomacia australiana acrescentou que tinha aproveitado a reunião para pressionar o ministro sobre a desnuclearização da Coreia do Norte, uma matéria à qual Ri Yong-ho se mostrou “evasivo”. “Queremos ver um desmantelamento completo, verificável e irreversível do programa nuclear da Coreia do Norte”, disse Bishop, reiterando que, até que isso aconteça, a Austrália continuará a apoiar as sanções impostas contra o regime de Pyongyang.

Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, ameaçou ontem matar os polícias corruptos, um dia após ter assinado uma lei que amplia a autonomia da região de Mindanao (sul), de maioria muçulmana. Responsáveis oficiais filipinos referiam que mais de 100 polícias criticados pelo chefe de Estado enfrentam acusações administrativas e criminais, incluindo violação, roubo e tráfico de drogas ilegais. A Lei Orgânica do Bangsamoro, a nova designação da região, é consequência do acordo de paz assinado em 2014 com a Frente Moro de Libertação Islâmica (FMLI), o maior grupo rebelde muçulmano do país. “Espero que finalmente ponha fim um conflito de décadas na luta de Bangsamoro pela autodeterminação e o reconhecimento da sua identidade única”, sublinhou Duterte em Malacañang, a sede da Presidência filipina em Manila. O chefe de Estado filipino, muito contestado pela oposição interna, países ocidentais e diversas organizações de direitos humanos, exprimiu a sua gratidão aos membros da FMLI e da Frente Moro de Libertação Nacional (FMLN) – um grupo rebelde que cindiu com a FMLI e assinou a paz com o Governo em 1996 –, pelo seu “inquebrantável compromisso, determinação e perseverança” para o sucesso desta lei.

Hoje Macau 8 AGO 2018 #4109  

N.º 4109 de 8 de AGO de 2018

Hoje Macau 8 AGO 2018 #4109  

N.º 4109 de 8 de AGO de 2018

Advertisement