Page 1

Director carlos morais josé

www.hojemacau.com.mo

Mop$10

q u i n ta - f e i r a 6 d e a g o s t o d e 2 0 1 5 • ANO X I V • N º 3 3 8 8

IFT | Fotografia

Retratos do passado

novo macau scott chiang no lugar de sou ka hou

mexidas ˜ de verao

Sou Ka Hou demitiu-se da presidência da ANM e parte para Taiwan. Para o seu lugar avança no fim do mês Scott Chiang que promete der continuidade ao trabalho do seu antecessor. Jason Chao assume-se como candidato ao lugar de vice-presidente em eleições marcadas para daqui a duas semanas. página 4

Agência Comercial Pico • 28721006

hojemacau

pub

eventos centrais

opinião

Tensão em Calais rui flores

Página 15

studio city

Outros filmes no Cotai sociedade página

h

6

Labirintos da paixão Lawrence durrel


2

diário de bordo

‘‘

ontem macau

hoje macau quinta-feira 6.8.2015

Assolada pela seca, a Califórnia está a ser devorada por incêndios. Há mais de vinte incêndios activos na região, que sofre há quatro anos a maior seca na sua história. O maior, o Rocky Fire, queimou já 260 quilómetros quadrados e ameaça mais de cinco mil casas

horah

“Entre um projecto dos anos 60, cuja fachada considero que não tem grande interesse, (...) e um projecto do arquitecto Álvaro Siza, do século XXI, prefiro um projecto novo” Souto de Moura • Arquitecto, sobre o futuro do Hotel Estoril

“Eles [IACM] recusaram dar essa informação, disseram que não controlavam o número de animais comprados para venda. Se calhar, agora, estão já a disponibilizar os dados. Mas isso são poucos animais e poucas lojas. Estamos a falar de estabelecimentos licenciados, mas acho pouco possível” Albano Martins • Presidente da ANIMA, sobre os números de lojas de venda de animais divulgados pelo IACM

“Não foram feitas nenhumas alterações desde que o Regime está em vigor. Se houver mudanças na tecnologia e nos requisitos das slot machines, ou se houver vozes no público que procurem alterações ao Regime, o Governo estará sempre aberto a considerar rever o diploma”

“No Studio City esperamos que as componentes não Jogo possam ser rentáveis e precisamos de depender dos elementos de Jogo, que funcionarão como elementos de apoio financeiro” Lawrence Ho, director-executivo da Melco Crown, sobre a abertura do Studio City no Cotai | P. 6

Comunicado da DICJ, sobre o Regime de Fornecimento de Máquinas de Jogo

www. hojemacau. com.mo

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editores Joana Freitas; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; Filipa Araújo; Flora Fong; Leonor Sá Machado Colaboradores António Falcão; António Graça de Abreu; Gonçalo Lobo Pinheiro; José Simões Morais; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca Colunistas António Conceição Júnior; Arnaldo Gonçalves; André Ritchie; David Chan; Fernando Eloy; Isabel Castro; Jorge Rodrigues Simão; Leocardo; Paul Chan Wai Chi; Paula Bicho; Rui Flores; Tânia dos Santos Cartoonista Steph Grafismo Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo

l i g u e - s e • pa r t i l h e • v i c i e - s e

hojeglobal w w w. h o j e m a c a u . c o m . m o facebook/hojemacau twitter/hojemacau


hoje macau quinta-feira 6.8.2015

Cerca de 40 activistas estão a ocupar o espaço onde será erguido o novo empreendimento do empresário de Macau David Chow e asseguram que este é apenas o primeiro passo contra a construção. O presidente da Câmara da Praia já pediu ajuda às autoridades

grande plano

3

Cabo Verde Activistas contra casino-resort de David Chow

Acampados no ilhéu

O

presidente da câmara da Praia, Ulisses Correia e Silva, apelou ontem às autoridades para que desocupem o ilhéu de Santa Maria, onde cerca de 40 activistas estão acampados para impedir a construção do empreendimento turístico de David Chow. “Era o que faltava as pessoas agora decidirem fazer a ocupação dos espaços públicos, espaços que pertencem ao património de toda a comunidade e do país”, disse Ulisses Correia e Silva, apelando para a intervenção das autoridades para desocupar o ilhéu de Santa Maria. Cerca de 40 elementos do movimento “Korrenti di Ativista” estão, desde o início desta semana, acampados no ilhéu de Santa Maria, defronte à Cidade da Praia, em protesto contra a construção do empreendimento. Os activistas, que se dizem dispostos a permanecer na ilha o tempo que for necessário para impedir o início das obras, defendem que o empreendimento irá servir sobretudo para trazer para Cabo Verde “lavagem de capitais, prostituição e turismo sexual”. “Não está demonstrado, nem é intenção criar ali nenhum fenómeno de turismo sexual ou de turismo de droga ou de jogos que possam levar a situações de crime para o país”, sustentou Ulisses Correia e Silva, citado pela Rádio de Cabo Verde. O presidente da câmara da Praia e líder do maior partido da oposição, o Movimento para a Democracia (MpD), defendeu as vantagens do empreendimento, alertando para o risco de, com estas acções, se “afugentarem investidores”. “Não devemos criar quadros no nosso país que afugentem investidores, que conotem negativamente investidores, que criem estigmas”, disse Correia e Silva. “Posicionámo-

-nos favoravelmente a investimentos que possam trazer para a cidade da Praia e para Cabo Verde criação de riqueza, crescimento económico, emprego e rendimento, que é o que o país precisa”, sublinhou. O empreendimento, cujo projecto foi recentemente apresentado na Praia e representa um investimento de 250 milhões de euros, ocupará uma área de 152.700 metros quadrados, que inclui o ilhéu de Santa Maria e parte da praia da Gamboa.

“Não está demonstrado, nem é intenção criar ali nenhum fenómeno de turismo sexual ou de turismo de droga ou de jogos que possam levar a situações de crime para o país” Ulisses Correia e Silva Presidente da câmara da Praia

O complexo, que inaugurará a indústria de Jogo em Cabo Verde, prevê a construção de um hotel-casino a instalar no ilhéu de Santa Maria, uma marina, uma zona pedonal com comércio e restaurantes, um centro de congressos, infra-estruturas hoteleiras e residenciais na zona da Praia da Gamboa e uma zona de estacionamento. Segundo o contrato assinado entre o Governo e a Legend Development Company, de David Chow, a concessão será de 75 anos prorrogáveis por mais 30 e prevê ainda a construção de um hotel na Ilha do Maio. Chow terá ainda o monopólio do Jogo.

Sem desistir

O empresário chinês David Chow, que é também cônsul honorário de Cabo Verde em Macau, diz que o projecto está pronto a arrancar e deverá estar concluído dentro de três anos. Estima-se que venha a criar mil postos de trabalho. Apesar de não haver ainda data prevista para o arranque das obras, o movimento “Korrenti di Ativista” adianta que é preciso começar a

mobilizar as pessoas contra o que consideram “um investimento para ricos” O movimento “Korrenti di Ativista” é uma organização nãogovernamental cabo-verdiana que junta associações que intervêm junto das crianças e jovens dos bairros mais desfavorecidos da Cidade da Praia.

“Estamos a ocupar a ilha. A ilha está abandonada e o Governo quer vendê-la e não podemos aceitar que um pedaço de terra de Cabo Verde seja vendido. (...) Nós, os pobres não temos nada a ganhar com isso” João Monteiro Associação Pilorinhu

Os activistas estão acampados no ilhéu de Santa Maria. “Estamos a ocupar a ilha. A ilha está abandonada e o Governo quer vendê-la e não podemos aceitar que um pedaço de terra de Cabo Verde seja vendido”, disse à agência Lusa João Monteiro, mais conhecido por UV, daAssociação Pilorinhu, uma das que apoia crianças e jovens em risco. “Nós, os pobres não temos nada a ganhar com isso”, sublinhou João Monteiro, que considera as perspectivas de emprego que o novo empreendimento pode gerar “muito fracas em relação às consequências sociais gravíssimas que daí advêm”. João Monteiro alertou ainda para as consequências ambientais que a construção do complexo turístico terá em algumas espécies existentes na zona, que, acredita, irão desaparecer. Os activistas adiantam que a ocupação da ilha é a primeira fase da estratégia de luta contra a construção do complexo turístico e apelam para a mobilização e o apoio da população para esta causa. O HM tentou obter um comentário junto da Macau Legend de David Chow, mas não foi possível até ao fecho desta edição. LUSA/HM


4

política

hoje macau quinta-feira 6.8.2015

Novo Macau Scott Chiang substitui Sou Ka Hou na presidência

Meu querido mês de Agosto

S

cott Chiang vai substituir Sou Ka Hou na presidência da Associação Novo Macau. O anúncio da despedida de Sou aconteceu ontem no Facebook do jovem activista e foi depois confirmada ao HM por Scott Chiang, que vai ocupar o lugar do colega. Jason Chao já confirmou que se vai candidatar à vice-presidência da Associação. Sou Ka Hou deixa a presidência “no final de Agosto” para ir estudar para Taiwan, onde vai fazer uma pós-graduação. Os membros da Novo Macau foram avisados há poucos dias.

“Os meus planos são semelhantes. Primeiro vou acabar o resto do mandato e continuar com o que foi definido por Sou Ka Hou, com o plano de trabalho que ele já preparou e o trabalho com os outros membros da administração” Scott Chiang Futuro presidente da Novo Macau

“A minha demissão pode ser vista como irresponsável, mas sempre acreditei que este [cargo] era apenas um título, não tendo relação directa com as iniciativas e acções que levamos a cabo. Acredito que os meus sucessores têm a capacidade de fazer este trabalho” Sou Ka Hou Presidente demissionário da Novo Macau

joana.freitas@hojemacau.com.mo

“Ele apresentou a sua demissão a semana passada e tivemos uma eleição na passada terça-feira. Agora sou eu quem vai ficar na presidência, conforme a escolha”, explicou ao HM Scott Chiang, cujos objectivos não diferem muito dos de Sou Ka Hou. “Os meus planos são semelhantes. Primeiro vou acabar o resto do mandato e continuar com o que foi definido por Sou Ka Hou, com o plano de trabalho que ele já preparou e o trabalho com os outros membros da administração [da Associação].”

O bom líder

Ainda não se sabe quem fica na vice-presidência da Novo Macau, ocupando o lugar que pertencia a Scott Chiang. Só “daqui a duas semanas” vão acontecer as eleições para este cargo, mas Jason Chao revelou ao HM que vai ser candidato. “Correcto, vou candidatar-me à vice-presidência”, começou por dizer, acrescentando estar “optimista”, mas descartando mais comentários por não ser oportuno. Questionado sobre a decisão de Sou Ka Hou, Jason Chao diz respeitá-la e confessa que o trabalho do colega, até agora, foi bem executado. “Ele era um bom líder, conseguiu manter relações com diversos grupos da sociedade, algo que

Crédito a PME Subdirector dos Serviços de Economia preside a comissões

O actual subdirector dos Serviços de Economia, Tai Kin Ip foi nomeado presidente da Comissão de Apreciação do Plano de Garantia de Créditos a PME e da Comissão de Apreciação relativa ao Plano de Garantia de Créditos a Pequenas e Médias Empresas Destinados a Projecto Específico. De acordo com despacho publicado em Boletim Oficial, fazem também parte das comissões a ex-deputada e CEO da Associação Industrial de Macau, Tina Ho Teng Iat, o ex-membro do Conselho Consultivo do Fundo de Pensões, Vong Sin Man, e Chan Yuk Ying, representante de uma sociedade de auditores. Entre os membros substitutos nomeados está o ainda deputado Lau Veng Seng. Tai Kin Ip já havia sido nomeado presidente da Comissão de Apreciação do Plano de Apoio a Pequenas e Médias Empresas, em Abril passado. As nomeações têm efeito a partir de 14 deste mês e a duração de um ano.

Scott Chiang

eu não consegui fazer enquanto presidente, mas ele foi muito bom neste aspecto também.” Jason Chao não poderia candidatar-se à presidência da Novo Macau, uma vez que foi eleito por duas vezes e considera que

Adio, adieu...

As eleições para a liderança da Novo Macau contaram apenas com Chiang como o único candidato disponível para ocupar o cargo. Na hora de votar, estiveram presentes oito pessoas, todas membros do quadro, as mesmas que podiam candidatar-se ao lugar. Incluía-se Ng Kuok Cheong, deputado, mas não o colega do hemiciclo, Au Kam San. Sou Ka Hou esteve no comando da Novo Macau durante um ano, tendo dito ontem que a decisão de regressar ao estudos deveria ter sido tomada o ano passado, mas salientando que, “de modo geral”, considera ter feito alguns bons ajustamentos na Associação. No anúncio do Facebook, aquele que era o mais jovem presidente da ANM, dizia que o regresso aos estudos era vontade sua e da família e que tudo o que fez pela Associação não poderia ter feito sozinho. “Houve um choque geral com a minha decisão de ficar com esta batata quente nas mãos, mas definitivamente não conseguia ter feito o que fiz sem a ajuda dos meus parceiros. Qualquer decisão que tomasse nunca iria ser a melhor e a minha demissão pode ser vista como irresponsável, mas sempre acreditei que este [cargo] era apenas um título, não tendo relação directa com as iniciativas e acções que levamos a cabo. Acredito que os meus sucessores têm a capacidade de fazer este trabalho.” Sou Ka Hou deveria ter ficado na presidência até Julho do próximo ano. O jovem escreve ainda na carta de despedida que a Novo Macau é de extrema importância para a sociedade e que esta ajuda em diversas formas a sociedade civil. Numa entrevista dada ao HM há pouco tempo, Scott Chiang dizia que não gostaria de ocupar o lugar de presidente neste momento, mas não descartava o facto de que se fosse o único, um dia, o poderia fazer. “A verdadeira resposta é que nesta Associação o cargo de presidente é só um cargo, basicamente quem tem disponibilidade para assumir o cargo candidata-se. Não é uma coisa que esteja relacionada com a capacidade, mas sim um conjunto de factores, companheirismo, disponibilidade, vontade para o fazer. Claro, se algum dia for o único disponível para tal, porque não?”, disse, na altura, ao HM. Sou Ka Hou ainda se vai manter ligado à Novo Macau e Chiang ocupa o cargo no dia 1 de Setembro.

hoje macau

No final do mês, Sou Ka Hou deixa a presidência da Novo Macau para continuar os estudos. No seu lugar fica Scott Chiang, que se diz preparado para continuar o trabalho do colega. Jason Chao é candidato à vice-presidência, cujas eleições acontecem daqui a duas semanas

uma nova candidatura iria contra os regulamentos da Associação. O HM tentou chegar à fala com Ng Kuok Cheong, mas não foi possível até ao fecho desta edição.

Joana Freitas


política 5

hoje macau quinta-feira 6.8.2015

A

lgunsmembros da lista encabeçada por José Pereira Coutinho para as eleições dos Conselheiros da Comunidade Portuguesa (CCP) estão em Portugal para ter encontros com representantes governamentais.

CCP Delegação de Macau encontra-se com Maria de Belém

e das relações empresariais e comerciais entre as empresas de Portugal e a China”, explica.

A espalhar charme

Com potencial mos interesses da comunidade portuguesa residente na RAEM, RAEHK e interior da China, como se pode ler num comunicado enviado às redacções. “Estes encontros acontecem no âmbito das relações amistosas que o Gabinete de Conselheiros tem com os responsáveis do Governo e as outras instituições com as quais o gabinete trocou impressões durante o ano de trabalho”, começa por explicar José Pereira Coutinho, cabeça de lista que se irá juntar à delegação em meados do presente mês. Sobre o encontro com a deputada socialista, Pereira Coutinho avança que foram debatidos vários temas. “A delegação conversou sobre vários assuntos, nomeadamente o ponto de situação entra as comunidades, o problema da língua, da cultura portuguesa, do trabalho

atfpm

Rita Santos e Armando Jesus estão em Portugal como representantes da lista para o Conselho das Comunidades Portuguesas, encabeçada por Pereira Coutinho. Na lista de encontros que a delegação pretende ter está o desta semana, com a deputada socialista Maria de Belém Roseira

O aproveitamento dos recursos humanos existentes em Macau, com o domínio das duas línguas, foi ainda outros dos assuntos em cima da mesa para discussão dos intervenientes. “Todos estes assuntos estiveram em discussão entre a delegação e a deputada (...) tendo sempre em mente as potencialidades de Macau”, frisou. Apesar de ainda não existir mais nenhum encontro agendado, Pereira Coutinho explicou ao HM que mais estão previstos. A delegação irá manter-se em Portugal para “encetar diversos encontros e estreitamento de laços de amizade com responsáveis governamentais, políticos e instituições relacionadas com os interesses da comunidade portuguesas residente em Macau”. O HM tentou chegar à fala com Rita Santos, mas não foi possível. Filipa Araújo

filipa.araujo@hojemacau.com.mo

pub

Na passada terça-feira, Rita Santos e Armando Jesus, dois dos cinco membros da delegação presente em

Portugal, encontraram-se com a deputada socialista Maria de Belém Roseira, para trocar impressões sobre

o estado de cooperação entre Portugal-China-Macau e abordar diversos assuntos relacionados com os legíti-

Anúncio Função Pública Recolha de opiniões sobre novo mecanismo de queixas

Comissão independente na calha O Governo está a efectuar consultas junto dos serviços públicos, trabalhadores da Função Pública e respectivas associações para apresentar o conteúdo da proposta de lei sobre o mecanismo de tratamento das queixas apresentadas pelos trabalhadores dos serviços públicos. Esta é uma lei prometida há mais de três anos, sendo que apenas ontem foi tornado público que o Executivo começou uma ronda de auscultações desde o dia 20 de Julho. O mecanismo tem vindo a ser pedido por deputados e funcionários, uma vez que as actualmente, em caso de queixas, os trabalhadores da função pública têm de recorrer aos seus superiores, o que nem sempre é vantajoso, nomeadamente se os conflitos se derem entre eles. As

reivindicações dos funcionários e associações da Função Pública nunca terão sido ouvidas até agora, altura em que o Governo assegura que vai reunir opiniões sobre as melhorias do mecanismo.

Da neutralidade

De acordo com um comunicado, essas melhorias passam pela criação de uma entidade independente que lide com as queixas. “No âmbito do mecanismo de tratamento de queixas seria criada uma comissão especializada que, na qualidade de uma entidade terceira, iria estimular os serviços públicos a receberem e tratarem as queixas dos seus trabalhadores, assegurando-se deste modo um tratamento justo e imparcial a cada queixa apresentada”, começa por apontar o Executivo. “A comissão, caracterizada como uma entidade neutra, além de acompanhar as queixas apresentadas pelos trabalhadores dos serviços públicos, quando necessário poderia proceder a conciliações, no senti-

do de eliminar qualquer desentendimento ou diferendo entre as partes, ou resolver conflitos nas relações interpessoais.” Vai ainda ser designado um responsável pelo tratamento das queixas dos trabalhadores.As sessões decorrem até 19 de Agosto e, até agora, já contaram com a participação de cerca de 300 pessoas. “Os participantes apresentaram activamente as suas opiniões e sugestões, tais como o âmbito de aplicação, procedimentos do funcionamento, as responsabilidades a assumir pelo queixoso e pelo serviço público, assim como o apoio e instruções que podem ser prestados pelos Serviços de Administração e Função Pública (SAFP), entre outros. Os participantes comunicaram e interagiram positivamente com o pessoal dos SAFP, tendo sido também trocadas, num ambiente animado, experiências obtidas no tratamento de queixas”, realça um comunicado. Joana Freitas

joana.freitas@h ojemacau.com.mo

HM-1ª vez 6-8-15 PROC INTERDIÇÃO N.º CV1-15-0030-CPE 1º Juízo Cível REQUERENTE: MINISTÉRIO PÚBLICO. REQUERIDO: SOU IAN VA, solteiro, maior, filho de Sou Kam Fu e de Ng Ieng, nascida em 13 de Outubro de 1963, natural de Macau, titular do BIR nº 5075814(3), com residência no Lar São Luís Gonzaga, sito em Macau na Taipa no Caminho das Hortas. *** A MM.ª JUIZ DO 1º JUÍZO CÍVEL DO TRIBUNAL JUDICIAL DE BASE DA R.A.RE.M. FAZ SABAER QUE, foi distribuída neste Tribunal, em 27 de Julho de 2015, uma Acção Especial de Interdição por Anomalia Psíquica, com o número acima indicado, que o Ministério Público move contra SOU IAN VA, a fim de ser decretado a sua interdição por anomalia psíquica. Para constar se lavrou este e outro de igual teor, que serão legalmente afixados. Tribunal Judicial de Base de RAEM, aos 28 de Julho de 2015. ***


6

sociedade

O projecto Macau Studio City abre portas no Cotai a 27 de Outubro com a estreia do filme “The Audiction”, filmado no resort. Lawrence Ho continua a querer mais do que 150 mesas de Jogo e considera o pedido de 400 mesas “realista”, face à concorrência

A

Melco Crown Entertainment anunciou ontem oficialmente a data de abertura do seu empreendimento no Cotai. O Studio City abre portas a 27 de Outubro e a festa de inauguração contará com a estreia mundial do filme de Hollywood “The Audiction”, dirigido por Martin Scorsese e com a presença dos actores Leonardo DiCaprio, Robert de Niro e Brad Pitt. Os jornalistas foram ontem convidados a visitar as obras do futuro resort da operadora detida pelo filho de Stanley Ho. Haverá nove salas de fumo dentro do casino, cerca de 600 quartos e ainda uma espécie de teleférico giratório

hoje macau quinta-feira 6.8.2015

Studio City abre a 27 de Outubro. Melco Crown espera 400 mesas

Um número “realista” no centro do edifício, intitulado “Golden Reel”, que vai permitir uma vista privilegiada do Cotai, a 130 metros de altura. Os visitantes poderão ainda experienciar a simulação do voo do Batman ou visitar a “Warner Bros. Fun Zone”, com personagens de desenhos animados. Em conferência de imprensa, Lawrence Ho, director-executivo da Melco Crown, garantiu que o Studio City se trata de um projecto diferenciador. “De um modo geral queremos, com este resort, fazer a diferença. No Studio City esperamos que as componentes não Jogo possam ser rentáveis e precisamos de depender dos elementos de Jogo, que funcionarão como elementos de apoio financeiro.” O responsável da Melco Crown continua à espera que o Executivo tome uma decisão quanto ao pedido de 400 mesas de Jogo. Recorde-se que o Deutsche Bank, citado pelo website GGRAsia, revelou que a operadora teria apenas direito a 150 mesas, mas Lawrence Ho continua a desejar mais. “Sempre falámos em 400 mesas de Jogo e esperamos que o Governo de Macau retribua os nossos esforços feitos nos últimos anos. Não fizemos pedidos ridículos como as outras operadoras, de 600 ou mil mesas. Neste momento a questão está nas mãos do Governo. Estamos bastante preocupados com a questão da alocação das mesas e

“Sempre falámos em 400 mesas de Jogo e esperamos que o Governo de Macau retribua os nossos esforços feitos nos últimos anos. Não fizemos pedidos ridículos como as outras operadoras, de 600 ou mil mesas”

MGM com quebra de 44% nas receitas

A

MGM China registou no primeiro semestre um lucro de 1700 milhões de dólares de Hong Kong, menos 43,98% do que no mesmo período de 2014. Os dados contabilísticos da empresa de jogo, detida maioritariamente pela norte-americana MGM e que tem como co-presidente Pansy Ho, filha de Stanley Ho, estão disponíveis no portal da companhia e referem também receitas de 9036,6 milhões de dólares de Hong Kong arrecadados nos casinos, uma queda de 33,4% face aos primeiros seis meses de 2014. Já no capítulo das outras receitas, a MGM arrecadou 166,98 milhões de dólares de Hong Kong, valor 13,59% superior ao apurado no primeiro semestre de 2014. Com os resultados obtidos, a MGM vai distribuir 44,7 cêntimos de dólar de Hong Kong por acção, menos 44% do que o

valor pago no primeiro semestre de 2014. No total, a empresa encaixou receitas de 9203,6 milhões de dólares de Hong Kong, menos 33% do que nos primeiros seis meses do ano passado com o EBITDA ajustado a fixar-se em 2.435,7 milhões de dólares de Hong Kong, menos 36,19% em termos homólogos. Na componente hoteleira, a MGM registou uma taxa de ocupação de 98,2%, menos 0,4% do que no mesmo período do ano passado. Em linha com o previsto, segundo a MGM, continua a construção do novo empreendimento da empresa nos aterros do Cotai, um espaço que deverá abrir portas no último trimestre de 2016, que terá 1500 quartos e espaço para albergar 500 mesas de jogo, mas que no global terá 85% do seu espaço dedicado ao sector não jogo.

a economia de Macau se encontra. Ultrapassámos esse processo e continuámos a crescer”, apontou. O empresário do Jogo considera que o Studio City tem uma “localização privilegiada”, a qual será “capitalizada” com a inauguração da nova ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau e do metro ligeiro. “A nova ponte ficará concluída no futuro e não será necessário mais do que alguns minutos até chegar ao Studio City. Esta é uma das vantagens da nossa localização. A capacidade de Macau para os turistas vai ser muito maior. Em termos à nossa posição e diferenciação no mercado, estamos muito confiantes, porque isto vai ser um resort integrado diferente e único.” Para Lawrence Ho Macau vai continuar a ter dificuldades em atrair turistas de países ocidentais. “A penetração do mercado do continente em Macau ainda é muito baixa, porque o grande tráfego de turistas tem vindo da província de Guangdong. Em termos geográficos isso não é muito distante. Haverá a capacidade para atrair mais visitantes da China que possam ficar mais noites e Macau será sempre um mercado chinês, mas vamos ver mais países asiáticos a visitar.”

Lawrence Ho Director-executivo da Melco Crown

esperamos ter mais do que 150 mesas de jogo e 400 é um número realista.”

Um projecto diferente

Revelando uma postura optimista face ao futuro do sector, apesar da quebra das receitas, Lawrence Ho não deixou de comparar a actual

fase de ajustamento da economia de Macau com o período de construção do City of Dreams (COD), inaugurado em 2009, após a crise do subprime dos Estados Unidos. “Penso que há algumas semelhanças entre a abertura do COD, durante a crise financeira e a abertura do Studio City na fase em que

Prevendo “uma fase difícil” nos próximos meses, devido ao ajustamento do mercado, Lawrence Ho não deixou de reagir ao cenário de uma possível crise económica vinda da China. “O Produto Interno Bruto (PIB) da China está fortemente ligado a Macau e vemos que a queda das receitas está relacionada com a China. Como concessionária só podemos apoiar o Governo e temos estado a preparar-nos para a mudança”, disse, garantindo que o futuro do mercado passa pelo crescimento do jogo de massas e não do sector VIP. Para responder a isso, a operadora “espera que Macau tenha mais infra-estruturas”. Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo


sociedade 7

hoje macau quinta-feira 6.8.2015

GP Costa Antunes fica como Coordenador da Comissão

FM Universidade Cidade de Macau com metade de apoios concedidos

Trimestre bem recheado

A

Universidade Cidade de Macau, instituição ligada ao deputado Chan Meng Kam, recebeu 46,2% dos quase 272 milhões de patacas distribuídos pela Fundação Macau em apoios no segundo trimestre do ano, foi ontem anunciado. De acordo com a lista de apoios da Fundação Macau publicada no Boletim Oficial, a Fundação da Universidade Cidade de Macau recebeu dois apoios financeiros. Um primeiro de seis milhões de patacas para “despesas com o apoio ao ensino e aprendizagem, actividades académicas, estudos e investigação científica, subsídios de propinas e bolsas de estudo aos alunos” e, depois, 89,68 milhões de patacas para “obras de renovação do novo campus e a aquisição dos equipamentos pedagógicos”. Apesar das obras no novo campus, a Universidade Cidade de Macau recebeu este ano, recorde-se, parte das instalações antigas da Universidade de Macau. Esta foi a única instituição privada a conseguir um espaço no local e

U

ma enfermeira do Centro Hospitalar Conde de S. Januário perdeu um recurso no Tribunal de Segunda Instância (TSI), que lhe confirmou uma acção disciplinar e aposentação compulsiva, além do pagamento da indemnização. De acordo com um acórdão ontem tornado público, o caso remonta a 2011, quando a mulher se terá “aproveitado do mecanismo de cálculo de compensação por trabalho extraordinário adoptado pelo CHCSJ (compensação essa é calculada com base na hora em que conclui a consulta do último

ficou com uma parte considerável, com mais de 37.600 metros quadrados – o edifício administrativo e outros sete blocos, entre eles o centro cultural. Tudo somado, os apoios concedidos à Fundação perfazem 125,68 milhões de patacas, 46,2% dos quase 272 milhões de patacas distribuídos pela Fundação Macau entre Abril e Junho do corrente ano.

tiago alcântara

A universidade ligada ao deputado Chan Meng Kam recebeu quase metade dos apoios fornecidos no segundo trimestre pela Fundação Macau, com mais de 200 milhões a servirem para despesas de ensino e outros 90 para obras de renovação do campus

Hospital das Ilhas Aberto concurso para construção de fundações

Outros premiados

Além da Universidade Cidade de Macau, dezenas de outras instituições foram contempladas com apoios financeiros, entre as quais a Universidade de Ciência e Tecnologia, que recebeu 50 milhões de patacas para actividades do seu plano anual, incluindo o

89,68

milhões de patacas recebidos para “obras de renovação do novo campus e a aquisição dos equipamentos pedagógicos”

“hospital Universitário, da Escola Internacional de Macau, e o Centro de Formação Médica para o Desenvolvimento Profissional, da Faculdade das Ciências de Saúde da Universidade”. AAssociação dos Conterrâneos de Chon Kong de Macau recebeu 5,4 milhões de patacas para organizar o grande encontro mundial dos conterrâneos de Chon Kong e as actividades das comemorações

dos 70 anos do fim da Segunda Guerra Mundial. Estes mais de cinco milhões são apenas a primeira prestação, indica ainda a rádio. Entre as entidades beneficiadas estão também a Associação de Jovens Macaenses, a Santa Casa da Misericórdia de Macau, Associação dos Aposentados, Reformados e Pensionistas ou a Associação dos Trabalhadores da Função Pública. LUSA/HM

SS Tribunal confirma punição a enfermeira que falsificou documentos

Sem escapatória possível utente registada no sistema informático, acrescida de 20 minutos para arrumações)” para pedir pagamentos por horas que não teria feito. “Agiu repetidamente durante um longo período de tempo a furtar senhas de acesso ao sistema de informação clínico dos médicos para activar o referido sistema depois dos médicos concluírem as consultas e saírem do gabinete de consulta, lendo os registos

clínicos dos utentes sem autorização e alterando as horas de armazenamento dos registos clínicos, para que recebesse as compensações pecuniárias de trabalho extraordinário por meio fraudulento”, pode ler-se no acórdão. A 20 de Julho de 2012, o director dos Serviços de Saúde, Lei Chin Ion, proferiu um despacho, determinando a instauração de um processo disciplinar contra a enfer-

A Comissão do Grande Prémio (GP) volta a ter, por mais um ano, João Manuel Costa Antunes como coordenador. De acordo com despacho publicado em Boletim Oficial, o português voltou a ser nomeado para cumprir funções à frente da organização do GP, como tem acontecido há já vários anos. O prazo da nova nomeação estende-se de 20 deste mês a 31 de Dezembro.

meira. Também o Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, na altura Cheong U, proferiu um despacho no ano de 2013, determinando a aplicação de pena de aposentação compulsiva à profissional e a reposição das quantias de compensação por trabalho extraordinário indevidamente recebidas. A mulher, contudo, interpôs recurso contencioso para o Tribunal de Segunda Instância, alegando vícios e

falta de fundamentação nas decisões dos responsáveis.

Factos demonstrados

O TSI, contudo, não admitiu as alegações. Todos os factos foram, segundo o tribunal, apurados para a punição e “foi demonstrada a falsificação dos registos de trabalho extraordinário pela recorrente”. A mulher alegou ainda violação

Está aberto o concurso público para a construção das fundações de parte do Hospital das Ilhas, situado no Cotai. O anúncio, publicado em Boletim Oficial, prevê um prazo máximo de cerca de ano e meio para a finalização da obra, estando elegíveis “todas as entidades inscritas” na Direcção dos Serviços de Solos, Transportes e Obras Públicas (DSSOPT) para execução de obras. A proposta de abertura do concurso foi feita pelo Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas e está em causa a construção das fundações por estacas e suporte do Edifício do Hospital Geral e do Edifício de Apoio Logístico. A caução apresentada no mesmo despacho é de 25,6 milhões de patacas. O GDI exige que 60% da decisão tenha em conta o critério de razoabilidade de preço.

da lei porque nem o relatório, nem o acto administrativo, indicaram as quantias exactas indevidamente recebidas que deveriam ser restituídas, mas o TSI considera que “embora o acto administrativo não mencionasse as quantias exactas, verificava-se do aludido acto que este remetia a liquidação para a Direcção dos Serviços de Saúde em conformidade com as informações da causa, cálculo que posteriormente foi efectuado, de que a recorrente foi notificada, não havendo, portanto, desrespeito” à lei. O TSI negou, então, provimento ao recurso, mantendo as decisões dos responsáveis da Saúde. J.F.


eventos

Culinária CEM organiza concurso com fogões de indução

A

Companhia de Electricidade de Macau (CEM) abriu ontem as inscrições para o concurso de cozinhar de forma saudável com fornos de indução. Em parceria com o Centro de Formação de Serviços de Catering e Cozinha da FAOM e com o apoio da Associação de Nutricionistas Profissionais de Macau, a CEM criou um concurso para promover a criação de pratos saudáveis e a utilização de fogões por indução, que poupam mais energia do que os convencionais. “Os participantes irão cozinhar os seus pratos no local, tendo oportunidade de experimentar as vantagens dos fogões por indução, que oferecem uma apreciável eficiência de 90% na condução de calor relativamente ao comportamento dos tradicionais fogões a

gás, com 40% de eficiência, e apresentando um tempo de cozedura um terço mais rápido do que aquele método”, explica a CEM em comunicado. Os interessados devem apresentar uma receita original própria até 30 de Setembro, sendo requerido conter pelo menos um dos ingredientes da lista da CEM. O concurso de culinária vai ter lugar a 25 de Outubro, no centro de formação da FAOM. Os vencedores serão seleccionados por um painel de júris, que por sua vez escolherão com base em critérios como a cor, fragrância, aspecto e paladar do pratos, escolha dos ingredientes e valor nutricional. Os premiados terão direito a cupões para compra de produtos eléctricos de 1500, 2000 e 3000 patacas.

Japoneses vão envelhecer whisky na gravidade zero do espaço

U

ma destilaria japonesa vai enviar várias amostras de whisky para o espaço para envelhecerem durante vários anos na Estação Espacial Internacional (EEI), esperando desenvolver uma bebida mais suave, informou ontem o jornal Asahi. O grupo japonês de bebidas Suntory enviará a bebida a bordo de uma nave espacial de carga não tripulada HTV5, também denominada “Konotori 5” (Cegonha branca). O lançamento ocorrerá no próximo dia 16 de Agosto no centro espacial de Tanegashima, no sudeste do país, indicou o Asahi. No total, seis tipos de whisky produzidos pela destilaria nipónica serão enviados para a EEI, entre as quais constam amostras de dez,

dezoito e vinte um anos e ainda alguns licores que não tenham sido submetidos ao processo de envelhecimento. Os compostos mudarão a bordo da estação espacial durante vários anos antes de regressarem à Terra, disse o fabricante. Por não haver gravidade no espaço, a influenciar a mistura dos fluidos, as moléculas da água e do álcool poderão juntar-se mais facilmente proporcionando à empresa a hipótese de obter um whisky de sabor mais suave no seu retorno. Uma vez que o objectivo do projecto é apenas aprender a desenvolver um uísque mais suave, a Suntory disse ao jornal japonês que a bebida envelhecida no espaço não será vendida ao público.

hoje macau quint

Fotografia IFT acolhe exposição de retratos antigos da cidade

Pela memória co O IFT apresentou ontem, no restaurante da escola, uma exposição de fotografias que mostram a cidade antiga, nomeadamente zonas que hoje em dia estão irreconhecíveis. O trabalho é de cinco fotógrafos locais e pretende reforçar a memória colectiva

O

Instituto de Formação Turística (IFT) inaugurou ontem uma exposição de fotografias da cidade e da população, datadas entre as décadas de 60 e 90. A mostra, dividida por duas zonas da escola, mostra uma série de fotografias que congelaram a arquitectura, vivências, objectos, quotidiano e pessoas de um tempo ao qual já não é possível assistir. O mérito concede-se a Tong Ka, Kong Iu Lam, Ao Peng, Tam Kai Hon e Carlos Dias, cinco fotógrafos locais, todos

À venda na Livraria Portuguesa A Pista de Gelo • Roberto Bolaño

hoje macau

8

Tudo se passa durante um mês de verão numa praia do Mediterrâneo. Há uma mansão arruinada, uma bonita patinadora em decadência, e a paixão de um autarca de província. É há um crime, nas diferentes versões de três narradores que se vão completando e corrigindo. Remo Móran, Gaspar Heredia e Enric Rosquelles estão ligados a esse acontecimento central e, sem o saberem, podiam tê-lo impedido. Pista de Gelo - que se constrói sobre as linhas características do projeto narrativo de Roberto Bolaño - é um espaço de reflexão sobre a corruptibilidade dos políticos, sobre a ação perturbadora do amor nas pessoas, sobre o desenraizamento, a amizade e a dissolução dos sonhos. E mostra-nos, sobretudo, que nada é o que aparenta ser, nada é bem o que nos contam; e que mesmo na ausência de sentido, a vida prossegue.

eles com ligações próximas a associações de fomento à arte de fotografar. Através da memória, o IFT pretende dar a conhecer aos seus alunos e aos visitantes da mostra que Macau nem sempre foi feita somente de luz e caos, jogo e turismo. Uma

grande parte desta mostra zonas da cidade actualmente inexistentes, como são as orlas costeiras e bairros mais antigos, como o da Barra. De entre os artistas consta Tong Ka, fundador da Associação de Fotografia Digital de Macau. Aos média, Tong

confessa ainda deambular pela cidade, decifrando-a visualmente com a sua máquina, que ontem carregava orgulhosamente ao pescoço. “Muitos dos prédios ou cenários [que retratei] nas fotografias já não existem, mas estas permitem que a

Rua de S. Domingos 16-18 • Tel: +853 28566442 | 28515915 • Fax: +853 28378014 • mail@livrariaportuguesa.net

A Rosa Negra • Nora Roberts

Rosalind Harper é uma mulher cuja experiência a tornou forte o suficiente para enfrentar qualquer situação. Viúva, com três filhos, resistiu a um segundo casamento desastroso e construiu a sua empresa de jardinagem que, mais do que um mero negócio, se transforma num símbolo de esperança e independência para ela. Mas agora Roz está a ser posta à prova e conta com a ajuda do dr. Mitchell Carnegie, contratado para investigar a identidade da Noiva Harper. Só que o tempo escasseia para descobrir a verdade antes que a imprevisível aparição destrua a única pessoa que a poderá ajudar a descansar em paz.


eventos 9

ta-feira 6.8.2015

olectiva

Literatura Fundação Macau apresenta livro sobre judeus na China

“Muitos dos prédios ou cenários [que retratei] nas fotografias já não existem, mas estas permitem que a população conheça a cidade de antigamente”

“T

Tong Ka Fundador da Associação de Fotografia Digital de Macau

parte do que captei simboliza o movimento da cidade e das pessoas, não tanto de lugares específicos”, acrescentou.

O congelar do movimento

população conheça a cidade de antigamente”, começou o fotógrafo por explicar. Questionado sobre o sentimento que tem ao olhar para as imagens sem movimento, Tong esclarece: “a vida e as pessoas daqueles tempos eram mais humildes e simples

H&M Galaxy recebe segunda loja em Macau

e as suas vidas eram mais duras do que hoje em dia”. Se por um lado, se discerne perfeitamente as duas realidades transformadas da cidade, por outro, compreende-se a beleza destes dois mundos, que coexistem sem grande parte estar já viva. “A maior

A cadeia de lojas H&M irá abrir as portas da sua segunda loja em Macau, no Galaxy, já na próxima semana. A inauguração está agendada para dia 14 pelas 10h00. Sendo a maior loja no território, o espaço terá mais de 2200 metros quadrados, dividido em dois andares. A H&M irá oferecer um vale de 500 patacas ao seu primeiro cliente, e cem patacas aos 149 clientes seguintes. A loja estará aberta das 10h00 às 11h00 de segunda a quinta-feira, e das 10h00 à meia-noite de sexta-feira a domingo.

Uma das paredes, na sala dos fundos, tem pendurada uma série de películas da Rua da Praia do Manduco e da Almirante Sérgio. Chuvadas tropicais que provocam inundações, autocarros como ninguém imaginaria passarem pelas ruas da região, pescadores, mães e filhos e manobras de ginasta em paredões são apenas alguns dos momentos congelados, agora na memória de quem por ali passar os olhos. Durante a inauguração, a directora da Escola de Hotelaria e Turismo, Diamantina Coimbra referiu que espera uma grande afluência de visitantes, uma vez que a abertura contou com a presença “de mais de cem pessoas”. Muitos certamente não se recordarão de como era desenhada a cidade nos anos 60, quando Salazar ainda governava Portugal e Macau era vista aos olhos do estrangeiro como uma mera colónia, mas tinha, precisamente por se situar na ponta oposta do mundo, uma natureza e vivências particulares. Entre os vendilhões, as quinquilharias e os tin-tins, havia crianças a brincar na rua, irmãos a beber água de fontes e as mães à coca, sem esquecer paisagens quietas e apaziguadas da região. Vistas do rio e da terra.

A mostra está patente até 30 de Novembro, no Restaurante Educacional, servindo para comemorar o 20º aniversário da fundação do IFT, sem esquecer a celebração do decénio da inscrição do Centro Histórico na UNESCO e da inauguração do curso de Gestão do Património, que também teve início em 2005. Tem entrada livre. Leonor Sá Machado

leonor.machado@hojemacau.com.mo

pub

he Jewish Diaspora and the Perez Family Case in China, Japan, the Philippines, and theAmericas (16th Century)” é o título do novo livro editado pela Fundação Macau, em conjunto com o Centro Científico e Cultural de Macau e do Instituto Público do Ministério da Educação e Ciência, e que acabou de ser apresentado. O livro é da autoria de Lúcio de Sousa, professor associado da Universidade de Estudos Estrangeiros de Tóquio, e foi originalmente redigido em Português, tendo sido traduzido para a língua inglesa por Joseph Abraham Levi, professor da Universidade George Washington. “São muito poucos os estudos sobre o exílio dos judeus em Macau. Este livro aborda a diáspora judaica em Macau e a sua relação com esta cidade e vem preencher uma lacuna que existia nos estudos realizados sobre Macau”, indica um comunicado da Fundação Macau. O livro cita diversos documentos antigos espa-

nhóis e, com a análise à vida da família Perez na China, no Japão, nas Filipinas e na América Latina, descreve a diáspora de uma família de judeus comerciantes nascida em Viseu e também a vida das comunidades judaicas em Macau, em Manila e em Nagasaki no séc. XVI. É ainda feita uma narração detalhada sobre a diáspora judaica durante a Era dos Descobrimentos, assim como o exílio dos judeus e a sua relação com os negócios marítimos e com as actividades comerciais e religiosas. O livro está à venda nas livrarias de Macau pela quantia de cem patacas.


10 publicidade

hoje macau quinta-feira 6.8.2015

NOTIFICAÇÃO EDITAL Nº. 43/2015 (Solicitação de Comparência do Empregador)

Nos termos das alíneas b) e c) do n.º 1 do artigo 6.º do Regulamento da Inspecção do Trabalho, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 60/89/M, de 18 de Setembro, conjugadas com o artigo 58.º e n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, notifica o senhor Lei Seng Kai, proprietário de “HAP SENG CONG CHENG”, sita na Rua Norte do Canal das Hortas n.º 225, Edifício Hou Kong, Bloco 5, Mui Kuai Kok, Loja L, r/c, em Macau, para no prazo de 15 (quinze) dias, a contar do dia seguinte ao da publicação do presente edital, comparecer no Departamento de Inspecção do Trabalho, sita na Avenida do Dr. Francisco Vieira Machado n.ºs 221-279, edifício “Advance Plaza”, 1.º andar, Macau, a fim de prestar auto de declarações no processo n.º 6093/2015, proveniente da queixa apresentada nestes Serviços, pelo ex-trabalhadores residentes SI TOU SOU HIP e KUAN KUAI FA, relativa a matéria de salário em dívida. Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais – Departamento de Inspecção do Trabalho, aos 29 de Julho de 2015.

A Chefe do Departamento Substa.,

Ng Wai Han


china

hoje macau quinta-feira 6.8.2015

A

primeira ordenação de um bispo católico na China nos últimos três anos, aconteceu na terça-feira, consagrando um padre escolhido pelas autoridades comunistas, mas também aprovado pelo Vaticano, durante uma cerimónia sob vigilância policial apertada. A ordenação do padre Joseph Zhang Yilin em Anyang, numa província do Henan (centro), teve presente um forte dispositivo de forças de segurança, segundo a agência noticiosa AFP. Um cordão policial fechou todos os acessos à igreja do Sagrado Coração de Jesus, deixando apenas passar os titulares de autorização, obtida com várias semanas de antecedência. A cerimónia foi um teste ao estado das relações entre Pequim e o Vaticano, que não têm relações diplomáticas. Aúltima ordenação na China, em Xangai, em 2012, terminou com a prisão do novo bispo católico. Designado em conjunto com a Cidade do Vaticano, Mgr Thaddeus Ma Dagin rejeitou publicamente durante a sua cerimónia de ordenação a tutela da Associação Católica Patriótica da China – órgão sob controlo do Partido Comunista (PCC) encarregado de supervisionar o clero chinês.

Primeira ordenação de bispo em três anos

Com bênção do Vaticano O ponto da discórdia entre Roma e Pequim continua a ser a consagração de bispos sem consentimento pontifical: para a China, renunciar ao controlo deste processo seria limitar a sua soberania política Depois dessa afronta, está, desde então, em prisão domiciliar. De acordo com a agência de notícias católica UCA News, Joseph Zhang Yilin fazia parte de uma lista de potenciais bispos aprovados pelo Vaticano, antes de ser escolhido pela Associação Patriótica, em Abril passado.

Os três bispos chineses, John Wang Renlei, Joseph Bin Shen e Yonggiang Yang, que presidiram à sua ordenação, tinham também sido reconhecidos pela Vaticano, afirma a UCA News. A presença de um bispo não reconhecido pelo Vaticano, como aconteceu no passado, é interpretado como uma provocação de Pequim.

Por outro lado, a escolha dos bispos presentes na cerimónia de terça-feira pode ser visto como um sinal de apaziguamento para com a Santa Sé. Uma centena de padres estiveram presentes na cerimónia, segundo os fiéis, incluindo alguns padres chineses que vivem nos Estados Unidos e na Itália e que foram para a ocasião.

11

A China não reconhece a autoridade do Vaticano sobre a Igreja Chinesa, e criou a sua própria organização, a Associação Católica Patriótica, para gerir o clero local e os locais de culto aprovado por Pequim. Expostos a esta Igreja “oficial”, muitos eclesiásticos chineses recusam, no entanto, ser filiados. Esta é uma questão crucial para o Vaticano, como reconheceu no passado o papa Francisco. O país conta um total de 12 milhões de católicos. O Presidente chinês, Xi Jinping, e o papa Francisco trocaram cartas formais após as suas respectivas eleições em 2013. Segundo o site argentino “Infobae”, o papa Francisco escreveu uma carta a Xi Jinping, convidando-o para um encontro e para estabelecer relações, noticia a AFP. O ponto da discórdia entre Roma e Pequim continua a ser a consagração de bispos sem consentimento pontifical: para a China, renunciar ao controlo deste processo seria limitar a sua soberania política. Desde a chegada ao poder de Xi Jinping, o controlo da sociedade civil e das religiões reforçou-se significativamente na China.

pub

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO N.o 26/P/15 Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 21 de Julho de 2015, se encontra aberto o Concurso Público para «Fornecimento e Instalação do Sistema Informático de Gestão de Sangue ao Centro de Transfusões de Sangue dos Serviços de Saúde», cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos se encontram à disposição dos interessados desde o dia 5 de Agosto de 2015, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato destes Serviços, sita na Rua Nova à Guia, n.º 335, Edifício da Administração dos Serviços de Saúde, 1.o andar, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de MOP 60,00 (sessenta patacas), a título de custo das respectivas fotocópias (local de pagamento: Secção de Tesouraria destes Serviços de Saúde) ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet no website dos S.S. (www.ssm.gov.mo). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral

destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 5 de Outubro de 2015. O acto público deste concurso terá lugar no dia 6 de Outubro de 2015, pelas 10,00 horas, na sala do “Museu” situada junto ao C.H.C.S.J. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de MOP144.410,00 (cento e quarenta e quatro mil, quatrocentas e dez patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/ Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 31 de Julho de 2015 O Director dos Serviços Lei Chin Ion

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO N.o 28/P/15 Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 21 de Julho de 2015, se encontra aberto o Concurso Público para «Fornecimento de Equipamentos Laboratoriais Cedidos Como Contrapartida do Fornecimento de Reagentes ao Laboratório de Saúde Pública dos Serviços de Saúde>>, cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos se encontram à disposição dos interessados desde o dia 5 de Agosto de 2015, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato destes Serviços, sita na Rua Nova à Guia, n.º 335, Edifício da Administração dos Serviços de Saúde, 1.o andar, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de MOP 40,00 (quarenta patacas), a título de custo das respectivas fotocópias (local de pagamento: Secção de Tesouraria destes Serviços de Saúde) ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet no website dos S.S. (www.ssm.gov.mo).

As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 9 de Setembro de 2015. O acto público deste concurso terá lugar no dia 10 de Setembro de 2015, pelas 10,00 horas, na sala do “Museu” situada no r/c do Edifício da Administração dos Serviços de Saúde junto ao C.H.C.S.J. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de MOP 110 000,00 (cento e dez mil patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 31 de Julho de 2015 O Director dos Serviços Lei Chin Ion


h

hoje macau quinta-feira 6.8.2015

artes, letras e ideias

12

fichas de leitura*

Manuel Afonso Costa

Labirintos da paixão

O

romance Justine é outro dos acontecimentos literários da minha vida, como a Conversa na Catedral, O Lobo das estepes, O Danúbio, Os Passos Perdidos, entre outros a que me referirei, ao longo das minhas “Fichas de Leitura” sempre que me parecer apropriado. Devo ainda acrescentar que apesar da óbvia qualidade literária dos romances que marcaram a minha aventura intelectual e poética, há quase sempre elementos de outra natureza responsáveis pela importância e pela paixão que produziram e não raro são indissociáveis da minha própria vida. Atrevo-me a pensar que é sempre assim que as coisas acontecem, salvo talvez no caso dos leitores profissionais que marcam as suas preferências através de outras agendas biobibliográficas. Comigo acontece que posso evidenciar obras apenas pelo seu valor literário e pela importância que me parece que têm desempenhado na História da Literatura e ao mesmo tempo evidenciar outras pelo lugar simbólico que desempenharam na aprendizagem e evolução da minha paixão literária, quer em termos formativos quer apenas em termos lúdicos. A ordem de preferências sofre assim naturais oscilações. Daí que possa construir duas genealogias paralelas ainda que alguns textos pertençam muito naturalmente às duas famílias. Alguns exemplos muito ilustrativos: O Estádio de Wimbledon de Daniel de Giudice foi um dos textos mais importantes para mim nos anos oitenta mas não me atreveria a considerá-lo uma obra-prima nem a integrar o seu autor na lista dos autores de génio do século passado. A Montanha Mágica de Thomas Mann é seguramente um dos momentos chave da História da Literatura do século XX e contudo não desempenhou um papel decisivo na minha formação, enfim talvez tenha desempenhado esse papel no plano intelectual, mas não no plano emocional. Por isso nunca me refiro a ele com o entusiasmo com que me refiro a textos seguramente menos importantes mas muito mais apaixonantes para mim, como se houvesse em mim uma história do pathos ao lado de uma história formal. Uma em quanto professor e outra em quanto simples leitor. Mas as duas acabaram sempre por se intersectar no plano coloquial e não sistemático da experiência literária. O Quarteto de Alexandria de Lawrence Durrel, será um dos casos em que converge a importância historiográfica do autor

Durrel, Lawrence, O Quarteto de Alexandria, Justine, Ulisseia, Lisboa, 1992. Descritores: Ficção, Literatura Inglesa (Irlandesa), Esteticismo, Decadentismo, Tradução de Daniel Gonçalves, 282, [1] p.:22 cm, ISBN: 972-568-088-X. Cota: 821.111-31  Dur  4a

e da obra com a minha história pessoal e mesmo assim muito forçadamente pois a verdade é que a obra tem vindo a perder a importância que se lhe chegou a atribuir. Para mim contudo não a perdeu pois so-

bretudo Justine continua a ser para mim uma obra de culto. Todo o Quarteto se passa em Alexandria no período que decorre entre as duas grandes guerras, nesse ambiente

Lawrence George Durrell nasceu em Jalandhar a 27 de Fevereiro de 1912, no Nepal aos pés do Himalaia e veio a falecer em Sommières no dia 7 de Novembro de 1990. Apesar de ter nascido na Índia é logicamente considerado um romancista inglês. A sua obra mais famosa é o Quarteto de Alexandria, uma tetralogia composta pelos livros Justine (1957), Balthazar (1958), Mountolive (1958) e Clea (1960). O Quarteto de Alexandria tem a particularidade genial para a época de todos os livros contarem a mesma história cada um na perspectiva de uma determinada personagem. O meu preferido é contudo o primeiro livro da tetralogia, designado por Justine, a personagem mais fascinante da obra. Enfim a mais fascinante no quadro das personagens representativas da intriga, pois o poeta Constantino Kavafis apesar de aparecer apenas a espaços acaba por contaminar os textos de um simbolismo que ilumina tudo com a sua luz própria. Em 1974, começou um novo ciclo de romances, o Quinteto Avignon, que seguiria os cenários e técnicas do Quarteto, sendo mais amplo no tempo, porém. Há também interessantes tramas paralelas, como a história do tesouro escondido dos Templários e a ocupação da França pelos nazis. Grande parte da sua vida foi passada longe de Inglaterra, em função da sua vida de diplomata e isso marcou a sua obra. Viveu na Grécia, em Chipre, no Egipto e na Argentina.

excepcional de um cosmopolitismo exacerbado onde convivem pacificamente mas também perigosamente egípcios, gregos, sírios, judeus e ingleses entre muitos outros elementos étnicos. Justine, é o primeiro livro da tetralogia e aparece sobretudo centrado no amor e na paixão. É portanto um bom princípio, pois em boa verdade havendo um princípio de subordinação geral nas questões existenciais e vitais esse princípio só poderia ser ou o amor ou a morte, mas a verdade é que apesar de ambos se conterem e complementarem mutuamente; o amor é mais vital do que a morte. O romance desenvolve-se à volta da vida particular de Justine, a belíssima judia, esposa de Nassim, poderoso banqueiro copta. O narrador, chamado Darley, é um jovem apaixonado pela literatura e ele próprio pretendente à arte da escrita, que virá a conhecer a bela Justine na trama dos encontros e desencontros de um grupo de amigos da sociedade alexandrina. Nesse torvelinho de relações, encontros e desencontros Darley acabará por se envolver não apenas com a misteriosa e enigmática Justine mas também com a frágil Melissa. A partir destas relações subtis e complexas, vai o autor elaborando a rede de episódios sempre marcados por um denso erotismo, sensualidade e tensão. Pressente-se o perigo e o drama, e até o trágico em cada página. A cidade é ela própria, em si, um topos de grandes paixões e emoções, pois tudo nela favorece uma certa irracionalidade: o clima, a miséria, a história compósita, o carácter labiríntico do seu tecido social e étnico hostil às formas de sistematização racional e lógica. Ao acabarmos de ler Justine e depois o resto da tetralogia apetece de modo, também ele, irracional partir para Alexandria e viver lá as emoções que a obra nos promove de modo no entanto sobretudo alusivo ao sabor de uma interseccionismo complexo de elementos culturais, históricos, étnicos, compósitos e indiscerníveis através do logos e onde se vislumbra sempre, como num sonho, uma espécie de beleza prometida, irreal, mas eterna e sobretudo arquetipal. *No quadro da colaboração de Manuel Afonso Costa com a Biblioteca Central de Macau-Instituto Cultural, que consiste entre outras actividades no levantamento do espólio bibliográfico da biblioteca e na sua divulgação sistemática, temos o prazer de acolher estas “Fichas de Leitura” que, todas as quintas-feiras, poderão incentivar quem lê em Português.


( F ) utilidades

hoje macau quinta-feira 6.8.2015

tempo

pouco

?

nublado

min

27

max

33

hum

60-90%

euro

8.67

baht

0.23

Cineteatro

O que fazer esta semana

yuan

13

1.28

Cinema

fantastic four Sala 1

fantastic four [b]

Filme de: Josh Trank Com: Miles Teller, Jamie Bell, Kate Mara, Michael B. Jordan 14.00, 17.50, 19.45, 21.45

doraemon the movie: nobita and the space heroes [a]

Falado em cantonês legendado em chinês Filme de: Yoshihiro Osugi 15.55 Sala 2

mission: impossible rogue nation [b] Filme de: Christopher McQuarrie

Com: Tom Cruise, Jeremy Renner, Simon Pegg, Rebecca Ferguson 14.15, 16.45, 19.15, 21.45 Sala 3

doraemon the movie: nobita and the space heroes [a]

Falado em cantonês legendado em chinês Filme de: Yoshihiro Osugi 14.30

to the fore [b]

Falado em cantonês e mandarim legendado em chinês e inglês Filme de: Dante Lam Com: Eddie Peng, Siwon Choi, Shawn Dou 16.30, 19.15, 21.30

Diariamente exposição “I am my own landscape” de Crystal Chan Albergue SCM, 18h30 (até 22/08) Entrada livre

Aconteceu Hoje

6 de agosto

Exposição de obras de arte de agentes da PSP (até 9/08) Centro UNESCO de Macau, 10h00 às 19h00 Entrada livre

Morre Jorge Amado, nasce Alexander Fleming

Exposição de fotografia “Cities” Creative Macau (até 22/08) Entrada livre

U m d i s c o h o j e Exposição “Saudade” (até 30/9) MGM Macau Entrada livre “A Arte de Imprimir” (até Dezembro) Centro de Ciência de Macau Entrada livre Exposição “Ao Risco da Cor - Claude Viallat e Franck Chalendard” Galeria do Tap Seac (até 9/08) Entrada livre Exposição “De Lorient ao Oriente - Cidades Portuárias da China e França na Rota Marítima da Seda” Museu de Macau (até 30/08) Entrada livre Exposição “Valquíria”, de Joana Vasconcelos (até 31 de Outubro) MGM Macau, Grande Praça Entrada livre

“Chasing Yesterday” (Noel Gallagher’s High Flying Birds, 2015) Noel Gallagher é tão bom a solo como foi enquanto eternizou a Wonderwall dos Oasis, com o seu irmão Liam. Desta vez, Noel apresenta ‘Chasing Yesterday’, segundo álbum a solo e que, coincidência ou não, tem muito que ver com ‘What’s the Story Morning Glory’, da autoria dos Oasis. O timbre da voz é inconfundível e este disco revela solidez e homogeneidade numa carreira que se sabe não acabar aqui. Há ainda um longo caminho para Noel, mais que não seja junto dos fãs da mítica dupla. Para esta quinta-feira, recomendam-se as músicas “The Girl with X-Ray Eyes”, “While the Song Remains the Same” e “You Know We Can’t Go Back”. Propositadamente ou não, soam a juventude perdidas e crescimentos descobertos, a uma Brit-pop que já não existe. “Riverman” é melodicamente muito semelhante à “Wonderwall”, mas subtilmente mais madura. Leonor Sá Machado

• Hoje é dia de recordar o eterno Jorge Amado, escritor brasileiro, um dos maiores autores de Língua Portuguesa. Amado morreu no dia 6 de Agosto, dia em que nasceu Alexander Fleming, o cientista que descobriu a penicilina. Jorge Leal Amado de Faria nasceu em Itabuna, a 10 de Agosto de 1912. É hoje lembrado como um dos maiores autores brasileiros, o autor com mais trabalhos adaptados para a televisão brasileira, apenas superado nos números de vendas por Paulo Coelho. A obra de Jorge Amado conheceu inúmeras adaptações para cinema, teatro e televisão, sendo que os seus livros foram traduzidos para 55 países, em 49 línguas. Era um escritor com uma marca única, com um estilo literário inconfundível, reconhecido em 1994 com o prestigiado Prémio Camões. Amado viria a morrer em 2001, em Salvador, a 6 de Agosto de 2001, vítima de uma paragem cardio-respiratória. Contava então 88 anos. Neste dia, em 1661, é assinado o acordo de Paz de Haia, entre Portugal e a República Holandesa. Já em 1945, durante a II Guerra Mundial é lançada a bomba atómica ‘Little Boy’ sobre Hiroshima, a partir do avião B-29 ‘Enola Gay’. Já a 6 de Agosto de 1966, é inaugurada a Ponte Salazar, em Lisboa, rebaptizada como Ponte 25 de Abril. Nasceram neste dia Nicolas Malebranche, filósofo francês (1638), Alexander Fleming, cientista e médico bacteriologista britânico, que descobriu a penicilina (1881), Robert Mitchum, actor de cinema norte-americano (1917), Andy Warhol, desenhador, pintor, publicitário e escultor (1928) e Mário Coluna, ex-futebolista moçambicano naturalizado português (1935).

João Corvo

fonte da inveja

Não desejar: o nirvana do tédio.


14

opinião

hoje macau quinta-feira 6.8.2015

Leocardo

bairro do oriente

Quando vejo uma criança, ela inspira-me dois sentimentos: ternura, pelo que é, e respeito pelo que virá a ser. Louis Pasteur

D

ei com um debate num fórum de uma dessas redes sociais onde o tema era “Adopção entre casais do mesmo sexo” – não era para ser debate, mas acabaria por ser uma acesa troca de argumentos, onde em muitos casos os sentimentos mais recalcados acabariam por vir ao de cima, e não faltariam os habituais remoques mais frequentes quando se fala da comunidade LGBT. Os direitos das pessoas que escolheram uma sexualidade alternativa ao núcleo familiar tradicional deram um salto considerável desde que o activista e advogado “gay” nova-iorquino Harvey Milk introduziu o conceito na esfera da política, que é onde, por e através de que tudo se decide: tinha nascido um “lobby”. Com o poder de discutir as suas exigências em termos de direitos civis em sede própria, o “lobby” LGBT viria a conquistar o direito ao casamento civil em praticamente todo o mundo livre, e vai caminhando paulatinamente no sentido de tornar “normal” a adopção de crianças, suponho que inicialmente, e durante muito tempo, não tenham pais quem olhe por ela – atenção não confundir adopção com famílias de acolhimento, que acolhem menores a título temporário. Argumento frequente e falacioso: pais a quem sejam retirados os filhos devido a abusos ou maus tratos, ou que estejam a cumprir uma pena de prisão, podem ser adoptadas por casais “gay”, e assim “arrancadas de uma família normal”, o único que os opositores à adopção “gay” aceitam como família adoptiva. Estranhamente, ou talvez nem por isso, não se vê a comunidade LGBT a bater-se por esta causa com o mesmo afinco que vimos na questão do casamento, mas aqui há outros valores que se levantam, a começar pelas próprias crianças. E isto leva-me a que diga a minha opinião sobre o assunto, uma vez que me fui dedicando a seguir a evolução do caso, e fiquei positivamente surpreendido com a paz com que decorreu esse processo, sem exibicionismo ou espalhafato, e não consta que crianças tenham sido usadas como extras em paradas “gay”. Perante isto, não me oponho, uma vez que não me diz respeito directamente, e não se prevê que surjam mais tarde, e só me afectam se eu quiser”. É verdade, e esta é a altura ideal para malhar o ferro, enquanto ainda está quente. Assim, tendo ficado ponto assente que a homossexualidade não era tão impeditiva da adopção, tratando-se aqui de uma mera relação hierárquica familiar. Não

Gus Van Sant, milk

Pai,pai/queijo, queijo

foram argumentos que chegasse para deter os opositores da ideia, que desta feita ficaram com a sempre rígida e sensaborona Igreja, e não queriam muitas misturas com a extrema-direita ou adoptar outra posição que interferisse com a angariação de votos. Aqui todos os argumentos que ouvi foram lancinantes. De uma agudeza e de uma brutalidade que só leva a que todos fiquem prejudicados, e se levante novamente o fantasma do ódio por homossexuais, conhecido por “homofobia”. Os homens heterossexuais são quem tem o maior problema com os homossexuais, pois estes têm uma “fraqueza”...uns pelos outros, o que causa alguma estranheza aos restantes, que nunca “provaram” daquele prato, e se calhar também não é assim tão mau como dizem: vejam como eles estão felizes? Agora que as crianças

podem ser usadas como arma de arremesso, reiteram-se alguns conceitos ultrapassados, ou se for necessário inventam-se outros. É aqui que o meu estômago e a minha paciência se esgotam, e fica o pão por comprar. As alegações que mesmo assim foram zunindo nos meus ouvidos incluíam coisas como a ligação ao útero materno, o leitinho, e cheguei a ver uns mesmo muito patuscos, de que passo a citar dois: “as crianças ficam sem saber o que comprar no dia da mãe”, e “toda a gente sabe que as primeiras palavras de uma criança são papá e mamã” – ai que lá fica a criança muda por causa disso. O problema aqui no fundo ainda é um pouco a mentalidade antiga, que vê a sexualidade com um olhar muito “biológico” e ao mesmo tempo “mecânico”, ciente do que entra onde, e faz o

Os homens heterossexuais são quem tem o maior problema com os homossexuais, pois estes têm uma “fraqueza”...uns pelos outros, o que causa alguma estranheza aos restantes, que nunca “provaram” daquele prato, e se calhar também não é assim tão mau como dizem: vejam como eles estão felizes?

quê. Torna-se imperativa a figura da mãe, ignorando-se o facto de muitas família serem monoparentais, e só as crianças para a adopção passam a merecer destaque, especialmente as que pretendem ser adoptadas por dois homens. Aqui o primativismo do falo, da imponência e tudo isso pode ter alguma coisa a ver com os receios, ou o desconforto, mas por outro lado nas meninas é mais tolerado. Quem defende a tese da obrigatoriedade da figura da mãe e se isto se desmontar recordando que as crianças para a adopção não têm pai nem mãe, passa-se ao argumento das leis da natureza. Ora na natureza não existe a figura da adopção, então para quê separar o que estava (bem) misturado. Seja como for o debate sobe sempre de tom, culminando por vezes com alguém que desabafa: “não se devem deixar as crianças com homossexuais” – bingo. Irónico fica se for um elemento da Igreja Católica a dizê-lo. E é a Igreja que fica a torcer o nariz com o casamento que terá que repartir com o registo civil, que “casa homens com homens. E baralha-se, dá-se, e acaba sempre tudo na mesma. Boas Férias a todos em geral, e em particular aos que vão agora de férias no mês de Agosto.


opinião 15

hoje macau quinta-feira 6.8.2015

Rui Flores

ruiflores.hojemacau@gmail.com

dissonâncias

A quem interessa a tensão em Calais? -ministro britânico comprometeu-se a fazer um referendo sobre a continuidade britânica nos tratados da União Europeia. Tem no interior do seu país partidos nacionalistas a crescer – partidos que recusam o carácter pacifista do Islão, como, por exemplo o UKIP – e que procuram acabar com o apoio concedido a quem consegue atravessar o estreito e encontra asilo no Reino Unido. A continuidade desta crise – as negociações no interior da União Europeia deram em nada nesta segunda-feira – tenderá a reforçar sentimentos contra a integração. Já esta semana a presidência da câmara de Calais clamou que a Europa não estava a ajudar, mas que eles franceses haviam ajudado a Grécia. Onde está a solidariedade europeia? Onde está a partilha da responsabilidade? Perguntava o presidente da Câmara de Calais, mas havia dito também o primeiro-ministro italiano quando no passado os Estados se revelaram reticentes em ajudar Roma a lidar com o problema de ter uma ilha tão perto da Líbia.

Alfonso Cuarón, Children of Men

C

omecemos com um facto: entre refugiados, deslocados, pessoas em busca de asilo e apátridas há presentemente 55 milhões de seres no mundo. Isto equivale a cinco vezes a população de Portugal! Estes 55 milhões de pessoas são potenciais imigrantes a caminho de países em desenvolvimento. Entre esses, a Europa é uma das zonas do globo às quais os imigrantes mais apostam em chegar. Os refugiados partem sobretudo de África – Sudão, Somália, Líbia, Eritreia – ou do Médio Oriente, da Síria e do Iraque, com a Europa ali tão perto. Mas saem também do Afeganistão. Fogem à guerra, a conflitos internos, a perseguições políticas, à pobreza. Nada têm a perder. Partem com uma pequena réstia de esperança numa vida melhor, na possibilidade de poderem dar um futuro à família e a eles próprios. Para muitos, as precárias condições de vida que criaram nos acampamentos improvisados nos arredores de Calais, no norte de França, enquanto aguardam a oportunidade de se enfiarem no atrelado de um camião ou de conseguirem fazer a travessia no túnel no Canal da Mancha, são apenas um pouco piores do que aquelas que experimentaram nos campos de acolhimento para onde fugiram quando eclodiram os conflitos nos seus países de origem. Noutros casos, também as suas aldeias não têm água canalizada nem electricidade. Quem nada tem, nada tem a perder. No fundo, têm muito: uma força irresoluta que lhes permite não ceder aos milhares de quilómetros que tiveram de percorrer, às intempéries, à polícia. A sua capacidade de resiliência é enorme. São pois algumas destas pessoas que se encontram por estes dias em França. Depois da ilha italiana de Lampedusa, bem perto do continente africano, no início do ano, a tragédia humana dos que esperam chegar a um oásis de civilização mudou-se para Calais. E o circo noticioso mudou-se para lá também. É vê-los a todos – CNN, BBC… RTP – a transmitir em directo desde a porta de saída da Europa continental para o Reino Unido. É curioso, no entanto, que a imprensa internacional não mostre o drama dos refugiados que entram na Europa pela Hungria. Foi por essa fronteira a leste da União Europeia que muitos dos que aguardam a passagem para o outro lado do Canal da Mancha começaram a sua odisseia no interior da Europa. E é lá, na Hungria, que o governo conservador do primeiro-ministro Viktor Órban está a construir um muro de 170 km na fronteira com a Sérvia para travar um fluxo migratório sem precedentes. Até Junho, segundo os dados oficiais, ascendiam a 80.000 pessoas as que tinham atravessado a fronteira. Já em Itália o número era de 55.000. Na Grécia, 45.000. O total europeu andaria pelos 175.000. A partir de Calais, segundo

Esta crise reforça sentimentos nacionalistas que estão a ganhar terreno na Europa. A repetição das imagens de Calais permitem que quem quer fechar a Europa a mais imigrantes ganhe popularidade

os dados disponíveis, apenas 3.000 pessoas conseguiram chegar ao Reino Unido. Os refugiados procuram sobretudo chegar à Alemanha. No primeiro trimestre deste ano, Berlim teve de lidar com quase 50.000 pedidos de asilo, seguida pela França a uns distantes 17.000 requerimentos e o Reino Unido com menos de 13.000. Devemos pois interrogarmo-nos: se a “crise” em Calais é de uma dimensão muito menor do que a que se vive na Itália, na Hungria ou na Grécia, porque é que a imprensa internacional está agora tão preo-

cupada em narrar o que ali se passa? E porque é que o Governo britânico está tão empenhado em mostrar como esta crise sem precedentes afecta a estabilidade do reino de Sua Majestade? Dito de outra forma, ao contrário de se olhar apenas para Calais, é preciso ver o quadro geral. E no quadro geral está um primeiro-ministro britânico – que agora apela à União Europeia ajuda na resolução da crise dos refugiados – que aquando das últimas negociações, a pedido de Itália, se recusou a acolher refugiados. Este mesmo primeiro-

Esta crise reforça sentimentos nacionalistas que estão a ganhar terreno na Europa. Viu-se com a questão grega, quando de certa forma o norte continental se opôs ao sul europeu, mediterrâneo. Viu-se com a crise dos imigrantes na Itália. Vê-se de novo agora, com Marine Le Pen, líder da Frente Nacional francesa, a vociferar que é preciso mais navios de guerra no Mediterrâneo para impedir que alguém passe. Os sinais de desunião são evidentes. O ministro sueco da justiça e da imigração acusou David Cameron de estar a pagar o preço de não ter aceitado mais refugiados; e o Presidente da República Checa veio afirmar que a crise de imigrantes é uma consequência da estratégia militar europeia e americana no Médio Oriente. A repetição das imagens de Calais e a manutenção deste status quo permitem que quem quer fechar a Europa a mais imigrantes ganhe popularidade. No final, é a Europa como um projecto comum de integração política que sai a perder. Aqueles que estão interessados nisso estão claramente por cima.


hoje macau quinta-feira 6.8.2015

cartoon

hiroshima: 70 anos

por Stephff

Saúde Novo caso de gastroenterite com sandes adquiridas em Macau

A

ronda por estabelecimentos comerciais, feita pelo Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), para verificar a existência de alguma agência concessionária que fornecesse sandes da marca “Horng Ryen Jen”, de Taiwan, não correu bem. Depois do IACM assegurar que não havia destas sandes à venda no território, surge um novo caso de gastroenterite depois do consumo deste tipo de sandes, estas adquiridas numa loja de Macau. Num comunicado à imprensa, os Serviços de Saúde (SS), explicam que um jovem de 27 anos ficou internado a receber tratamento depois de consumir uma sandes oferecida por um amigo. “As sandes foram adquiridas numa loja de Macau”, garantem os SS, sublinhando que “de acordo com as informações disponíveis, os amigos, familiares e colegas do doente, num total de seis pessoas, consumiram as sandes, sendo que num deles houve manifestação de sintomas de febre e diarreia tendo recuperado após tratamento”. Este é o terceiro caso de gastroenterite devido às sandes em Macau, ainda que seja o primeiro em que a sandes foi comprada em Macau. O caso já foi entregue ao Centro de Segurança Alimentar do IACM.

Homem detido no São Januário

pub

Um homem foi ontem detido no Centro Hospitalar Conde de São Januário, depois de ter ameaçado funcionários com um objecto pontiagudo. Até ao fecho desta edição não foi possível apurar quais as motivações do homem, que terá nacionalidade filipina, para o ataque, que não causou feridos. O sucedido levou ao encerramento temporário do edifício administrativo do Centro Hospitalar, obrigando à intervenção da polícia. A situação normalizou ao fim da tarde e, segundo a rádio, o homem teria um garfo na mão.

Economia Depósitos de residentes a subir ligeiramente

O

GP Conhecido o número de vagas para os pilotos locais

Primeiros qualificados A Associação Geral Automóvel de Macau China (AAMC) publicou um boletim no início da semana, na sua página electrónica, com o número de vagas para os pilotos locais para as corridas Taça de Carros de Turismo de Macau – CTM e Macau Road Sport Challenge da 62ª edição do Grande Prémio de Macau. A exemplo do ano passado foram abertas 40 vagas no total para as duas corridas, mas com uma distribuição diferente. Sendo assim, depois de disputadas as duas jornadas duplas de apuramento no Circuito Internacional de Zhuhai, 24 dos 27 concorrentes que disputaram as quatro corridas da categoria “AAMC Challenge” vão ter entrada directa na Taça de Carros de Turismo de Macau – CTM. Quer isto dizer que todos os macaenses e portugueses que participaram na competição foram apurados, incluindo aqueles que passaram por maiores dificuldades nos

dois eventos realizados na pista permanente da cidade chinesa adjacente à RAEM, como Hélder Rosa ou Rui Valente. Com uma grelha de partida que contempla 36 viaturas, os restantes participantes virão do Campeonato de Hong Kong de Carros de Turismo (HKTCC), que este ano contou apenas com oito concorrentes, a que se juntarão alguns convidados da China continental e, provavelmente, de outras paragens do continente asiático.

Estrelas de fora

Dado o maior interesse global que existe na categoria Road Sport, o número de vagas disponíveis para os pilotos locais foi de apenas 16, duas menos que em 2014, o que, por agora, deixa de fora vários nomes sonantes da categoria. O vencedor por quatro ocasiões e recordista de vitórias na Corrida Macau Road Sport Challenge, Sun Tit Fan, não conseguiu o apuramento automático, assim como o ex-campeão de Macau da

categoria Un Wai Kai, o português Sérgio Lacerda ou o veterano macaense Belmiro Aguiar. Estes terão que esperar por desistências ou por pilotos que optem por alinhar noutras corridas do extenso programa do Grande Prémio, para ter acesso à prova principal da temporada. Aqueles que não participarem também não estarão habilitados ao subsídio a pilotos locais participantes nas corridas no exterior em 2016. Entretanto, segundo o regulamento da Corrida da Guia de Macau 2.0T – Suncity Grupo, dada a natureza da prova, os pilotos de Macau e Hong Kong que queiram participar necessitam de convite por parte da AAMC. O 62º Grande Prémio de Macau realiza-se entre os dias 19 e 22 de Novembro deste ano e as inscrições para as duas corridas aqui mencionadas deverão abrir em breve. Sérgio Fonseca

info@hojemacau.com.mo

s depósitos dos residentes de Macau subiram ligeiramente 0,7% em Junho e face ao mesmo mês de 2014 para 477.361,4 milhões de patacas, embora a distribuição da poupança tenha sofrido alterações. De acordo com os dados da Autoridade Monetária de Macau (AMCM), os depósitos à ordem dos residentes ampliaram-se 11% para 55.174,2 milhões de patacas e os de poupança 12,6% para 142.929,1 milhões de patacas. Apesar de constituírem a grande fatia do bolo - 278.916,5 milhões de patacas - os depósitos a prazo caíram 6% face ao mesmo mês do ano passado. Já os depósitos dos não residentes subiram 25,6% para 265.976,7 milhões de patacas, potenciados pelo crescimento de 29,4% para 217.603,3 milhões de patacas dos depósitos a prazo. O sector público viu os seus depósitos caírem 1,1% para 294.271,4 milhões de patacas, muito embora tenha reforçado o equilíbrio entre os depósitos na AMCM e na banca local com o reforço de 38,2% das entregas de dinheiro para 121.689,6 milhões de patacas ao sector financeiro privado local. Em forte subida estiveram também os empréstimos ao sector privado com um aumento de 21,9% para 376.014,2 milhões de patacas e os empréstimos ao exterior com uma subida de 18,4% para 385.690,9 milhões de patacas.

Hoje Macau 6 AGO 2015 #3388  

N.º3388 de 6 de AGO de 2015

Hoje Macau 6 AGO 2015 #3388  

N.º3388 de 6 de AGO de 2015

Advertisement