Issuu on Google+

PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

MOP$10

Ter para ler

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • QUINTA-FEIRA 5 DE SETEMBRO DE 2013 • ANO XIII • Nº 2930

CAEAL AVISA MELINDA CHAN E WILLIAM KUAN SOBRE PUBLICIDADE INDEVIDA

UMAC Processo de atribuição de alojamentos na Ilha da Montanha está suspenso e a ser investigado pelo CCAC e CA

Driblar a lei

• 4.º PONTE MACAU-TAIPA

Resultados finais da viabilidade saem este ano PÁGINA 7

• ESTACIONAMENTO ILEGAL

DSAT INSTALA MAIS CÂMARAS NA TAIPA E NA PENÍNSULA PÁGINA 8

Quem quiser ter uma casa no novo campus da Universidade de Macau é só entrar no sistema de atribuição de alojamento com base numa pontuação, que apenas beneficia docentes e funcionários mais antigos. Mas o novo método é ilegal. De acordo com o que vigora na lei, é

necessário cada indíviduo candidatar-se a um concurso público ou esperar pela atribuição imediata de casa, no caso de contratação no exterior. As mudanças constam do novo regulamento interno da UMAC mas não estão consagradas em Boletim Oficial. PÁGINAS 2 E 3

• EDUCAÇÃO

Governo gastou 500 milhões no ensino gratuito PÁGINA 6

PUB

PÁGINAS 4 E 5

BRUCE KWONG DIZ SER MUITO DIFÍCIL COMBATER CORRUPÇÃO


2

REPORTAGEM

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

ILHA DA MONTANHA PROCESSO DE ATRIBUIÇÃO DE CASAS PELA UMAC SUSPENSO E INVESTIGADO

Regras de alojamento em Hengqin fintam lei Para se ter acesso a uma casa no novo campus da Universidade de Macau na Ilha da Montanha não é preciso candidatar-se a um concurso público ou esperar pela atribuição imediata de casa para os que vêm de fora, como manda a lei. Pelo contrário, todos entram no mesmo sistema de atribuição de alojamento com base em pontos, que só beneficiam docentes e funcionários mais antigos. São estes que terão acesso facilitado às maiores casas, quando em Hengqin os T3 estão em minoria. O processo está parado e está a ser investigado pelo Comissariado contra a Corrupção e Comissariado de Auditoria ANDREIA SOFIA SILVA

andreia.silva@hojemacau.com.mo

M

ANDAM as leis de Macau que um funcionário contratado ao exterior para a Função Pública tem, obrigatoriamente e sem concurso público, direito a alojamento. Essa mesma lei, datada da década de 90, diz ainda que a casa deve ser atribuída conforme o número de membros da família desse funcionário. Cabe aos Serviços de Finanças (DSF) coordenar todo o processo. A Universidade de Macau (UMAC), por ser uma instituição académica pública, também deve respeitar estas leis no que diz respeito ao alojamento de docentes e outros funcionários, mas tem autonomia para coordenar a atribuição de casas. Contudo, com a mudança para o novo campus na Ilha da Montanha, as regras mudaram, sem estarem de acordo com a lei em vigor. Tudo consta no regulamento interno da universidade que não está sequer publicado em Boletim Oficial (BO), nem consta na página oficial da UMAC na Internet. Segundo documentos consultados pelo HM, os apartamentos estão a ser atribuídos a todos sem qualquer tipo de concurso, sejam residentes de Macau ou contratados ao exterior. No grupo elegível para ter uma casa em Hengqin entram reitores ou vice-reitores, pessoal administrativo, pessoal ligado à direcção das faculdades, docentes no topo da carreira, docentes que estão a começar, professores que acabaram de chegar a Macau. Quem é residente em Macau e possui uma casa própria, por exemplo, também pode pedir um apartamento na Ilha da Montanha. O processo de candidatura passa pelo preenchimento de um formulário e o requerente não pode sequer pedir uma casa consoante o seu agregado familiar. Tem, pelo contrário, de respeitar um esquema de atribuição de pontos que só beneficia aqueles que andam pelos corredores da UMAC há mais tempo.

As novas regras foram apresentadas em Maio deste ano em diversas reuniões realizadas com os interessados e o departamento de alojamento da universidades. Professores contactados pelo HM, e que optaram por manter o anonimato, dizem que as críticas ao processo são uma constante nos corredores, e que a maioria diz não conseguir ter um apartamento à sua medida. Com o anúncio oficial do arranque das actividades no novo campus, o HM sabe ainda que o processo de atribuição do alojamento se encontra suspenso e que o Comissariado contra a Corrupção

(CCAC) está a analisar as regras de atribuição, depois de ter recebido queixas. O HM sabe que o Comissariado de Auditoria (CA) também está de olho no caso. Os resultados das candidaturas deveria ter sido conhecido no passado dia 15 de Julho, sendo que a selecção dos apartamentos deveria acontecer entre 16 e 30 do mesmo mês. A mudança para as novas casas deveria ter acontecido no passado dia 20 de Agosto, mas a direcção da faculdade enviou um e-mail nesse mesmo dia a dizer que o processo estava parado devido a “questões le-

SISTEMA DE ATRIBUIÇÃO DE CASAS POR CONCURSO PÚBLICO PARA FUNCIONÁRIOS RESIDENTES “Cada funcionário apenas pode candidatar-se à atribuição da moradia de tipologia correspondente à composição do respectivo agregado familiar” “A atribuição das moradias é da responsabilidade da Direcção dos Serviços de Finanças e é feita mediante concurso público” “Os candidatos e os membros do seu agregado familiar não podem ser proprietários de qualquer prédio urbano situado no território” “A renda base será igual ao valor resultante da aplicação das percentagens de 3 a 2% sobre o vencimento, salário ou pensão, consoante o imóvel ou fracção disponha ou não de mobiliário fornecido” INFORMAÇÕES A CONSTAR NO BOLETIM DE CANDIDATURA: • Identificação e categoria do requerente • Identificação dos membros do agregado familiar • Identificação dos proventos familiares • Antiguidade na Função Pública e tempo de residência em Macau TIPOLOGIA DAS CASAS: • Um trabalhador mais uma pessoa (T1) • Um trabalhador ou casal mais uma pessoa (T2) • Um trabalhador ou casal mais duas pessoas (T3) • Um trabalhador ou casal mais três pessoas (T4) • Um trabalhador ou casal mais quatro pessoas (T5)

gais” e ao facto de “infra-estruturas como a água ou o gás” não estarem prontas, confirmou um professor que irá mudar-se para Hengqin. Contudo, não há qualquer calendário definido e ninguém sabe que tipo de casa vai ter. Contudo, fonte próxima do processo garantiu que a transferência dos professores e funcionários deverá acontecer no segundo semestre de 2014. O HM contactou ainda o departamento responsável pela atribuição de casas há mais de um mês, tendo ainda enviado perguntas à reitoria da universidade. Até ao fecho desta reportagem, não houve qualquer resposta nem foi revelada qualquer intenção de acompanhar o caso. Se o CCAC respondeu, por escrito, que “não vai fazer qualquer comentário” sobre o assunto, uma coordenadora do CA garantiu ao HM que não podem ser feitos comentários sobre eventuais investigações que estejam a ser feitas, nem mesmo sobre queixas que tenham ocorri-

do. Ficou a promessa do envio do relatório sobre o caso, assim que esteja disponível.

O POLÉMICO SISTEMA DE PONTOS

O sistema de pontuações que dá acesso a um apartamento junto à nova universidade tem logo no topo a categoria de professor catedrático, que tem direito a 75 pontos. Em segundo lugar, um professor ganha 65 pontos. Depois, um professor associado 50 pontos. A antiguidade de um docente também é tida em conta, sendo que um ano de serviço equivale a um ponto. O problema surge na parte inferior da tabela, em que o facto de se ser contratado ao exterior é um dos factores para se ter pontos, quando tal nem deveria ser especificado na lista, por ser uma obrigatoriedade contida na lei. Caso o funcionário tenha um companheiro ganha dez pontos, sendo que cada filho dá direito


reportagem 3

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

a dez pontos. O documento consultado pelo HM faz a referência de que esta regra está de acordo com o regulamento interno da UMAC, não publicado em BO, sendo que a definição de agregado familiar não está de acordo com o decreto-lei de 1996, que determina as tipologias de casas a atribuir a cada agregado familiar. O diploma diz que um trabalhador tem direito a um T1, um casal e uma pessoa deve ter um T2, o trabalhador ou casal e mais duas pessoas, T3, até à tipologia T5. O HM entrou em contacto com um docente da faculdade de Direito, que pediu para não ser identificado, e que comentou este novo regime de pontuações. “Todos os sistemas de pontuação são discutíveis, e há outros critérios não especificados que dão mais pontos.” “Tenho ouvido alguma insatisfação junto de colegas meus, mas não estudei a questão dos critérios ao nível do pormenor que me permita tecer mais comentários. Certamente que as pessoas que fizeram esse trabalho adoptaram alguma razoabilidade.”

O QUE DIZ O DECRETO-LEI SOBRE ALOJAMENTO PARA CONTRATADOS AO EXTERIOR “Alojamento atribuído em função da composição do agregado familiar e do nível de funções a desempenhar” “O trabalhador deve devolver a moradia até à data da cessação de funções” “Diploma regulamenta o direito a alojamento previsto no estatuto do pessoal recrutado ao exterior”

“A universidade tem casas há mais de vinte anos e não estamos a falar de uma situação nova”, diz ainda. “O que se está a passar é uma forma profunda de regimento, com base num sistema que existe há muitos anos. Os professores de topo na carreira académica devem ter a vida facilitada em relação a quem é assistente, e o facto de haver

No grupo elegível para ter uma casa em Hengqin entram reitores ou vice-reitores, pessoal administrativo, pessoal ligado à direcção das faculdades, docentes no topo da carreira, docentes que estão a começar, professores que acabaram de chegar a Macau. Quem é residente em Macau e possui uma casa própria, por exemplo, também pode pedir um apartamento na Ilha da Montanha

pontuações não me parece que seja uma desigualdade.” Para o professor de Direito, o facto de todos os funcionários e professores serem elegíveis não é sinónimo de desigualdade. “A universidade dá mais dez pontos a quem vem de fora para poder contratar pessoas a ter casas. O salário da universidade não é muito competitivo em termos internacionais e depois há os custos de vida, já que, como se sabe, o mercado de arrendamento é uma dor de cabeça. Quem tem casa em Macau não está excluído de ir viver para o campus. Não estou a ver aqui grandes problemas, a universidade tem que ter maneiras de gerir isso para poder contratar pessoas de fora.”

A RENDA É 5%, A LEI DIZ ENTRE 2 A 3%

Passada a fase dos pontos, o funcionário deve assinar o acordo de alojamento válido por três anos. Trata-se de mais uma situação fora da lei porque o acordo deve estar indexado ao contrato de trabalho, pois o trabalhador deve ter alojamento enquanto trabalha para a UMAC. As regras determinam ainda que qualquer pessoa que vá viver para Hengqin deve descontar 5% do seu salário para o pagamento da renda. Para além do valor ser igual para todos os moradores, independentemente do salário que estas auferem, a percentagem afixada vai contra a legislação, que diz que a “renda base será igual ao valor resultante da aplicação das percentagens de 3 a 2% sobre o vencimento, salário ou pensão”. Segundo o regulamento interno, tanto o reitor como os vice-reitores “estão isentos do pagamento de renda e de despesas de utilização”, e esta regra sempre existiu. Um professor estrangeiro, da área das ciências sociais e humanas, assistiu às três reuniões de apresentação do regime de pontuação e contou ao HM o descontentamento sentido por alguns presentes. “No segundo encontro foi dado a entender que todo o processo seria feito tendo em conta as necessidades, mas no terceiro ficou a ideia de que os apartamentos maiores vão ficar para os professores com famílias e

que os mais pequenos ficam para os professores leitores. No primeiro encontro todos ficaram insatisfeitos, mas no segundo já pareciam ir de encontro aos interesses dos funcionários das camadas mais baixas, mas depois mudaram as regras de novo sem grande consulta.” “No segundo encontro houve um recuo e passou a haver a ligação ao sistema de pontos e também introduziram pontos para o número de filhos, algo que não havia antes”, acrescenta. “Podemos ver que os funcionários mais velhos vão ter espaços maiores, por causa do número de pontos que lhe são atribuídos. Tenho a certeza de que um grande número de pessoas não está satisfeito”, disse ainda ao HM. No seu caso, a mudança para a Ilha da Montanha avizinha-se inevitável, apesar de não saber que tipologia de casa vai ter. “Vamos ter de nos mudar porque os contratos têm uma duração mais pequena e as rendas estão a aumentar. A oferta é algo limitada e temos de ver o que vai ser feito.”

NÃO HÁ CASAS PARA TODOS

A limitação de que fala o professor contactado pelo HM é real. Há apenas 350 casas no total. Desses, 42 apartamentos têm três quartos, parcialmente mobilados, sendo que não há nenhum T3 totalmente equipado. Há 300 apartamentos T2 e apenas oito T1. “Estou neste momento a fazer figas e à espera do que vai acontecer”, aponta o professor da área das ciências sociais e humanas. “Mas tenho a certeza de que vão haver muitas pessoas que querem mudar-se para a Ilha da Montanha

e não vão conseguir. Há pessoal que vem de fora e que pensa que 75 metros quadrados é um espaço que não é suficiente, e que para um novo campus poderiam ter feito algo melhor. Poderia ter existido mais criatividade, ainda se houvesse restrições de financiamento... mas será certamente impossível satisfazer toda a gente.” Sobre o pagamento dos 5% de renda, o professor também atira críticas. “Estamos numa situação em que eu, professor e solteiro, ou se tiver uma mulher, só vou ter uma casa com 154 metros quadrados, e não há razão para ter um espaço mais pequeno quando pago a mesma renda.”

“TER EM CONTA AS NECESSIDADES”

O docente recorda que, durante as reuniões, “foi comentado que eles deveriam permitir que as pessoas tivessem o espaço que quisessem. Do meu ponto de vista gostaria que a universidade tivesse em conta as minhas necessidades e da minha família.” Outro docente, da mesma faculdade, e que também vai mudar-se para a Ilha da Montanha, refere que não tem grandes queixas a fazer, mas diz não estar “inteiramente satisfeito e que ninguém está”. “Desconheço as questões legais e não posso comentar, mas se calhar seja esse o motivo pelo qual ainda estamos à espera. A maioria dos meus colegas não têm grandes problemas, mas sabemos que os funcionários com grandes famílias não vão ter espaço suficiente para todos. A maior das queixas tem a ver com a existência de poucas casas com três quartos. Essa parece-me ser a grande preocupação.”

SISTEMA DE PONTOS DA UMAC • Professor catedrático - 75 • Professor - 65 • Professor associado - 50 • Professor assistente - 40 • Leitor/ Instrutor sénior / Instrutor - 20 • Chefe de Unidade Académica / Chefe de Unidade Administrativa - 30 • Sub-chefe de Unidade Académica / Sub-chefe de Unidade Administrativa / Secretária - 20 • Administrativo sénior - 15 • Lugar de recrutamento fora da RAEM - 10 • Antiguidade como membro da universidade (um ponto por cada ano completo de serviço) – Até 10 *Membros familiares • Cônjuge - 10 • Filhos (5 pontos por cada) – Até 10 *Outras considerações (sujeitas a decisão do Comité Financeiro) • Necessidades relacionadas com trabalho – Até 10 • Necessidades relacionadas com a vida pessoal – Até 10


4

ELEIÇÕES

Metade das listas violam a lei das campanhas, diz PSP O Corpo da Política de Segurança Publica (PSP) lançou, ontem, um comunicado a dizer que mais de metade das listas da candidatura são suspeitas de violar a lei eleitoral. Segundo avança, as listas põe grande quantidade das cartazes nos pontos legais para campanha, nas ruas, na parede dos edifícios de residência e de comércio, na janela de lojas e estação dos autocarros. A PSP avisa que os candidatos que violem as regras estão sujeitos a responsabilidade criminal.

Paul Pun quer menos discrepância entre os ricos e os pobres

2013

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

MELINDA CHAN E WILLIAM KUAN AVISADOS PELA COMISSÃO ELEITORAL DEVIDO A PUBLICIDADE INDEVIDA QUE ANDA A CIRCULAR NOS TÁXIS

Sem autorização, pena sujeita Os candidatos número um das listas Aliança Pr’a Mudança e Cuidados para Macau podem estar debaixo de olho da CAEAL. O organismo proíbe a afixação de cartazes de campanha nos táxis, sem autorização dada, pelo que os candidatos correm o risco de incorrerem num crime por desobediência.

O candidato número um pela lista Associação Esforço Juntos para Melhorar a Comunidade invocou ontem na apresentação do seu programa político que vai acelerar a alocação de terrenos para construção de habitação pública, melhorar o nível de saúde e ajudar os mais desfavorecidos para reduzir o fosso de riqueza. Pun diz ter confiança de que irá ganhar mais votos do que nas eleições de 2009 de forma a ganhar um lugar na AL. Paul sublinhou que agora acumula 11 cargos em conselhos do Governo e, promete, se for eleito vai deixar algum.

FAOM pede à CAEAL mecanismo para controlar difamações

Ontem a Federação das Associações de Operários de Macau (FAOM) entregou uma carta à Comissão de Assuntos Eleitorais de Assembleia Legislativa (CAEAL) para pedir que haja uma mecanismo eficaz para tratar as difamações de outras listas. O presidente da FAOM, Chiang Chong Sek, disse que a FAOM já publicou a carta aberta mas até ontem ainda não recebeu nenhuma resposta e, por isso, acusa a CAEAL de nada fazer.

Habitantes de Ká-Hó queixam-se a Chan Meng Kam

HOJE MACAU

Ontem a lista da Chan Meng Kam fez campanha na vila de Ká Hó, em Coloane. Os residentes de vila de Ká Hó queixam-se ao candidato do facto da escritura antiga das suas propriedades não ser reconhecida pelo Governo pelo que as habitações têm o risco de cair se não forem reconstruídas. Segundo o porta-voz do residentes da povoação, Cheong Kuok Choi, agora Ká Hó tem oito a dez casas antigas em risco de ruir, por isso, espera que o Governo possa avaliar o caso e permitir que sejam reconstruídas. Cheong disse ainda que há cerca de mais de 100 famílias na vila pelo que pede atenção do Governo para este problema.

RITA MARQUES RAMOS* rita.ramos@hojemacau.com.mo

A

lei eleitoral é peremptória. E a Comissão para os Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa (CAEAL) avisa: todas as viaturas de transportes colectivos, incluindo os autocarros e os veículos de rádio-táxis e táxis, não podem efectuar propaganda eleitoral para qualquer candidatura, através de publicidade comercial ou a título gratuito, tanto no exterior como no interior dos veículos, sem autorização nos termos legalmente previstos. O comunicado da CAEAL foi divulgado na terça-feira ao fim do dia pelo Gabinete de Comunicação Social e apesar de não avançar os nomes dos candidatos a quem está a ser dirigida a advertência, o HM sabe que uma das visadas é Melinda Chan, a deputada e candidata número um da lista 12, Aliança Pr’A Mudança, já que o seu cartaz eleitoral está em, pelo menos, um táxi preto que circula pela

cidade (como prova a imagem) a apelar ao voto. Pelo menos, até ontem de manhã um táxi foi visto a circular na Avenida Rodrigo Rodrigues. E, segundo apuraram os jornalistas chineses, também William Kuan, que encabeça a lista Cuidados para Macau, tinha o seu cartaz de campanha a circular em alguns táxis. Ontem, porém, Kuan disse à comunicação social, à margem de uma conferência de imprensa, que já não existe nenhuma publicidade nos táxis. “A CAEAL não fez um guia claro, não tendo dito explicitamente que não podia haver este tipo de campanha. Mas agora que já fizeram saber que este acto não é permitido, já mandámos retirar os cartazes destes veículos”, esclareceu. O organismo presidido pelo juiz Ip Son Sang explica que é necessário garantir um tratamento justo a todas as listas de candidaturas. De acordo com o código penal, o candidato pode assim ocorrer no crime de “desobediência” e, nesse caso, está sujeito a uma pena de prisão que

pode ir até dois anos ou pena de multa até 240 dias. Mas também na lei eleitoral está prevista uma pena de até um ano de prisão ou pena de multa até 360 dias por “utilização indevida do nome, denominação, sigla ou símbolo”. No entanto, a CAEAL não diz se já passou o caso ao Ministério Público para ser investigado.

MAK SOI KUN VIOLOU LEI ELEITORAL

“Segundo notícias recentemente publicadas em jornais, uns membros de certa lista alegam que as instruções da CAEAL não são claras, de modo que os agentes da polícia da linha da frente não têm executado bem as suas funções e os membros da referida lista foram perturbados pelos agentes da polícia quando estavam a fazer distribuição de artigos de propaganda em espaços públicos”, explica o organismo, num outro comunicado lançado também na terça-feira à noite. As críticas à actuação de agentes policiais são da lista União de Macau-Guangdong, encabeçada por Mak Soi Kun,

já que um dos membros e vice-presidente da Associação de Amigos de Jiangmen, Chan Pou Sam, reprovou em declarações ao jornal Macau Post Daily o desempenho de agentes policiais por terem impedido a distribuição de propaganda e disse ainda que as instruções da CAEAL não são claras, nomeadamente, se é ilegal afixar cartazes de propaganda nas viaturas privadas, edifícios privados, átrios dos hotéis e montras de estabelecimentos comerciais privadas. A CAEAL contraria essa argumentação. “No dia 30 de Agosto de 2013, antes do início do período de campanha eleitoral, a CAEAL já publicou a Instrução n.° 6/CAEAL/2013, que regulamenta os assuntos relativos à afixação de propaganda gráfica, à reunião e manifestação e à propaganda sonora durante o período de campanha eleitoral”, reagiu. “Portanto, todas as pessoas que, incluindo as listas de candidaturas, colocarem a propaganda gráfica em locais públicos que não sejam reservados e determinados pela CAEAL, serão punidas com a pena prevista para o crime de desobediência qualificada.” Sobre a actuação dos agentes, a CAEAL diz que “actuaram nesse dia uma vez que a respectiva lista colocou cartazes de propaganda em suporte desmontável com altura de um adulto no espaço público, e o acto violou o disposto sobre a exibição de propaganda gráfica na referida Instrução”, frisou. Por essa razão, a lista infringiu o disposto previsto na eleitoral, sublinhou a CAEAL e “a entidade competente já fez o acompanhamento necessário do referido incidente”, explicou. E fez saber que é preciso corresponder a certos parâmetros para a “afixação dessa propaganda”, por exemplo, ter o consentimento do estabelecimento comercial e do condomínio, o que leva a que todas as listas também o possa fazer em prol da igualdade, só pode ser feita no interior, e deve ser retirada até à meia-noite de 13 de Setembro. - *com Cecília Lin


eleições 5

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

BRUCE KWONG, PROFESSOR DA UMAC, AVALIA ELEIÇÕES PARA A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

“É muito difícil combater a corrupção” CECÍLIA LIN

TIPOS DE ELEITORES

O

Bruce Kwong divide os eleitores em três tipos: os mais velhos, que votam quando recebem prendas das associações, os que têm mesmo consciência do programa político da lista e os funcionários das grandes empresas, que se preocupam com o seu emprego e votam nos representantes das empresas. “Para os que costumam votar, normalmente só votam porque no dia das votações há autocarros especiais do seus apoiantes para ir aos pontos de votação. Eles gostam de receber interesses e não pensam mesmo nas eleições na forma como influenciam o futuro.” Bruce Kwong diz ainda que, desta vez, a inflação também acompanha a “corrupção” das eleições. “Em 1992 o preço do voto era de 200 ou 300 patacas, em 1996 um voto já custava 500 patacas. Já em 2013, se ainda for 500 patacas não é nada atraente.” Bruce Kwong apontou ainda que o trabalho de incentivar os eleitores a votar no dia das eleições é necessário, porque “muitas vezes os eleitores falam muito nas redes sociais mas no dia de votação não aparecem”. “Tem que se incentivar, espacialmente os jovens, através de Facebook e telemóvel para votar.”

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

especialista político e docente da Universidade de Macau (UMAC), Bruce Kwong, disse ontem ao jornal All About Macau que considera ser muito difícil combater a corrupção nas eleições. Tudo, “porque o processo de investigação é lento” e a Comissão para os Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa (CAEAL) não age. Além disso, apontou ainda que também há alguns eleitores que não exercem o seu direito no dia da votação. Mas as críticas não são apenas para a CAEAL. “O Comissariado contra a Corrupção (CCAC) não fez quase nada e as violações às regras durante as eleições ficam cada vez mais graves. Além disso, agora os candidatos também sabem cometer actos de corrupção de forma menos óbvia: jantares baratos, prendas, descontos no caso de serem membros de alguma associação e mensagens com informações dos candidatos. O Governo sempre disse que a situação de corrupção nas eleições não é grave. O problema é, quando houver dez mil casos suspeitos mas apenas existam duas queixas no CCAC, o Governo vai dizer que apenas há dois casos, mas os cidadãos sabem que são muitos mais.” Bruce Kwong considera ainda que o processo de investigação

O jornal All About Macau também fez entrevistas com 30 eleitores em Agosto, sendo que 57% afirmam que vão votar, 40% dizem que não. Porém, 97% dos entrevistados pensam que existe corrupção nestas eleições. No trabalho de combate à corrupção nas eleições, o CCAC não tem nenhum comentário de “satisfeito”, mas 40% considera que o trabalho deste organismo “não é satisfatório”, 17% consideram mesmo “muito insatisfeito”. Já no que toca ao programa político, o que atrai mais atenção dos eleitores é habitação (23%), assuntos sociais (20%), educação (13%) e desenvolvimento do sistema político (7%). 14% DOS entrevistados responderam apenas que “não fazem ideia sobre o que têm mais interesse”.

CCAC DEFENDE-SE demora muito tempo. “De facto, se algum caso tiver que ir a julgamento, o candidato eleito já completou o seu trabalho na AL.” Para o académico, o normal nas eleições noutros lugares é que se dê prioridade aos casos de violações das regras, mas em Macau, diz, o tempo de investi-

gação é muito longo, resultando na oportunidade de os candidatos violarem a lei. “Além disso, a CAEAL não deveria defender os casos suspeitos. Os candidatos têm direito e a responsabilidade de se defenderem a si próprios, a CAEAL é uma terceira parte, tem que desempenhar o seu papel.”

O Comissariado contra a Corrupção (CCAC) escreveu ao jornal chinês All About Macau a explicar porque apareceram tantas suspeitas de campanhas ilegais, ou seja antes do tempo. O organismo diz que o intervalo entre o período de entrega da comissão de candidatura e o período de campanha é muito longo, “sendo que os candidatos predem a paciência e começam a fazer aquecimento” e a lei de Macau não tem um período para fazer estes trabalhos preparativos antes das campanhas, “como nos países estrangeiros”. Além disso, não há regulamentos que obriguem a diferenciar as associações dos candidatos, por isso os dirigentes das associações que também são candidatos fazem as campanhas em seu nome.

CREMATÓRIO, JOGO RESPONSÁVEL E HARMONIA SÃO AS GRANDES APOSTAS DA LISTA CUIDADOS PARA MACAU

Crentes na eleição um crematório. A ideia não é apenas para os residentes de Macau mas também pode aumentar a imagem do turismo. Infelizmente se um turista morrer em Macau, se for impossível ter uma cremação, é muito difícil transferir o corpo.” Além do crematório, também vai exigir ao Governo a criação de crematórios de ossadas. Enquanto presidente da Associação para o Jogo Responsável, William Kuan dá muita atenção para desenvolvimento saudável do sector do jogo. “A lista quer reunir todas as classes,

incluindo os operários, comerciantes e os dirigentes do Governo, por isso, a harmonia de Macau é importante”, repara. TIAGO ALCÂNTARA

A

lista liderada por William Kuan tem dez objectivos no seu programa político mas ontem, numa conferência de imprensa, o candidato deixou claro que os seus compromissos vão muito além das propostas escritas porque a “Cuidados para Macau” vai mesmo “cuidar da cidade”. Além dos objectivos para melhorar os assuntos sociais, a habitação, o serviço saúde e o desenvolvimento da democracia, Kuan promete ainda combater a corrupção. Mas os seus compromissos estão mais virados para os antepassados e os animais: um crematório e direito dos animais são as “construções” a pôr em prática. “Acho que só nós temos um programa político para criar

97% PENSAM QUE EXISTE CORR UPÇÃO

A fim de incentivar a um jogo responsável, William Kuan quer que haja mais creches para cada empresa de jogo. “Os funcionários

podem trazer o seu filho antes de ir ao trabalho, depois podem ir buscá-lo quando acabar. O desenvolvimento económico causou mesmo um problema, isto é, os pais não conseguem cuidar os seus filhos porque ambos têm que trabalhar”, lamenta. Para os jogadores patológicos, William também apontou que tem intenção de criar um sistema para evitar que os funcionários joguem nos outros casinos quando acabam o trabalho.

LIGAÇÃO COM LAI NÃO PODE SER JULGADA

William Kuan

Nas eleições de 2009, William Kuan foi número dois da lista do irmão de Lai Tong Seng, Lai Cho Wai, a lista não conseguiu nenhum assento na Assembleia Legislativa (AL) no ano passa-

do e há rumores de que foi por causa do “background” de Lai. Na verdade, segundo conta, parece que a população ainda não o conhece bem e tende a confundi-lo com o ex-número um da lista em que participou há quatro anos. “Quando fiz campanha na rua, um cidadão chama-me senhor Lai. Mas sinceramente sou senhor Kuan. A participação nas eleições de 2009 deixou-me conhecer melhor a sociedade de Macau mas a ligação ao senhor Lai sempre causou um mal-entendido. O ex-Chefe do Executivo Edmund Ho também tem ligação com as associações, contudo, só quem é criminoso é que será punido por lei”, justificou. William Kuan acredita ter este ano votos suficientes para entrar na AL. - C.L.


6

POLÍTICA

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

ENSINO ESCOLARIDADE GRATUITA LEVA GOVERNO A GASTAR MAIS DE 500 MILHÕES SÓ NO 2.º TRIMESTRE

Apostar na educação para todos JOANA FREITAS

joana.freitas@hojemacau.com.mo

O

Governo despendeu mais de 500 milhões de patacas para os subsídios de escolaridade gratuita das escolas do território, só no segundo trimestre deste ano. Os dados, analisados pelo HM, estavam ontem disponíveis em Boletim Oficial (BO). Através da Direcção dos Serviços de Educação e Juventude (DSEJ), em três

O

meses, saíram um total de 933.906.111,3 patacas em subsídios e apoios financeiros. Deste montante, 57% foi alocado para os subsídios de escolaridade gratuita para 64 escolas diferentes – no valor total de 527,26 milhões de patacas. O Governo anunciou este ano aumentos para este tipo de subsídio em todos os graus de ensino até 2017/2018. Os dados mostram que esta é a segunda prestação dos subsídios de escolaridade gratuita para o ano lectivo

Governo já tinha anunciado a possibilidade de atribuir um subsídio de subsistência aos funcionários públicos em maiores dificuldades económicas, aquando da sua visita à Assembleia Legislativa, e ontem voltou a reiterar essa possibilidade. Chui Sai On teve ontem um encontro com a Associação dos Trabalhadores da Função Pública de Origem Chinesa e da Associação dos Técnicos da Administração Pública de Macau, para trocar opiniões sobre os apoios mais apropriados aos trabalhadores de base da função pública com dificuldades económicas, actualização das regalias e subsídios vigentes e aperfeiçoamento do respectivo regime jurídico. O líder do Executivo diz querer fazer o possível para minimizar as pressões financeiras, pelo que o Governo vai, “brevemente, introduzir várias medidas complementares e de apoio” para estes funcionários. As medidas incluem subsídio de subsistência aos trabalhadores que têm dificuldades efectivas e subsídio para reparação de veículos aos trabalhadores que conduzam veículos oficiais ou que por motivos de serviço tenham de desempenhar funções de condução. O presidente da Associação dos Trabalhadores da Função Pública de Origem Chinesa de Macau, Cheong Kuok In, apresentou, em nome da Associação, várias sugestões, incluindo um ajustamento ao subsídio de residência passando para 40 pontos do índice salarial, o subsídio de sobrevivência para 20 pontos do índice salarial – ou seja, 1400 patacas -, aumento do prazo dos contratos entre serviços e funcionários, aquisição e uniformização do seguro para os funcionários e continuar a ter como referência as opiniões dos funcionários públicos.

de 2012/2013. A Escola que mais dinheiro recebeu com este subsídio foi a Escola de São Paulo – que recebeu 27,4 milhões de patacas -, seguida da Escola dos Moradores de Macau, que recebeu 25,6 milhões, e a secção chinesa do Colégio Santa Rosa de Lima, que recebeu 23,4 milhões de patacas. Nos dados analisados pelo HM, é ainda possível ver que mais 10,5 milhões foram atribuídos às escolas no formato de “subsídio para melhoria do rácio de profes-

sores por turma ou professor por aluno”. A intenção deste subsídio é diminuir o número de alunos por turma. Em Abril, o Executivo anunciou aumentos nos montantes do subsídio para turmas reduzidas, cujo objectivo é que cada turma seja constituída por menos de 35 alunos, de forma a que haja uma melhor aprendizagem. Nos primeiros três meses do ano, a DSEJ anunciou ter gasto mais de 43 milhões de patacas com este apoio, mas o Governo pretende elevar

este subsídio para turmas reduzidas até ao ensino secundário complementar, estimando que sejam gastos até 1,2 mil milhões. No total, no primeiro semestre deste ano gastaram-se apenas 50 milhões de patacas. Ainda este ano, em Março, foi anunciada a despensa de mais de cem milhões de patacas com subsídios para o desenvolvimento profissional dos professores de Macau e com a atribuição de prémios de antiguidade. Os dados de ontem, e respeitantes a Abril,

Maio e Junho, mostram que só para o pessoal docente foram gastos mais de 120 milhões de patacas em subsídios para desenvolvimento profissional e prémios de antiguidade, respeitantes à segunda prestação do ano lectivo que passou. Na lista, salienta-se ainda a distribuição de um total de 300 mil patacas – através de subsídios individuais de 20 mil patacas por aluno – para estudantes que frequentaram cursos de Língua Portuguesa e de Direito em Portugal.

FUNÇÃO PÚBLICA CHUI SAI ON REITERA NOVAS MEDIDAS EM REUNIÃO COM ASSOCIAÇÃO

Mais subsídios para alegrar a malta

Também o presidente da direcção da Associação dos Técnicos da Administração Pública de Macau, Kun Sai Hoi, apresentou sugestões, nomeadamente o aperfeiçoamento

do regime de remuneração, lançamento de medidas de apoio às camadas mais desfavorecidas e às famílias dos trabalhadores da função pública com dificuldades

económicas, ajustamento do subsídio de residência entre outros subsídios e do sistema de recrutamento central. No entanto, Chui Sai On disse

CHEFE DO EXECUTIVO PARTICIPA NO IX FÓR UM DO DELTA DO RIO DAS PÉROL AS Chui Sai On lidera uma delegação do Governo da RAEM, que viaja este domingo para a cidade Guiyang, na província de Guizhou, onde irá decorrer o IX Fórum para a Cooperação e Desenvolvimento da Região do Grande Delta do Rio das Pérolas. Nesta reunião, os líderes das nove províncias e das duas

Regiões Administrativas Especiais vão discutir o aprofundamento da cooperação. Em foco a criação conjunta de rotas turísticas com múltiplos destinos no Grande Delta do Rio das Pérolas para aumentar a competitividade turística ao nível global e o reforço do sistema regulador para criar uma nova forma

de cooperação turística regional. Pela primeira vez vão ser, também, debatidos a “Inovação na Cooperação Financeira e o Novo Modelo de Urbanização”. O Chefe do Executivo vai ainda manter encontros com os dirigentes das Províncias de Guizhou e Sichuan, antes do regresso a Macau, marcado para segunda-feira.

que o subsídio de subsistência deve ser atribuída apenas uma vez, algo que não agrada à Associação dos Trabalhadores da Função Pública de Origem Chinesa. O Governo e associação estão de acordo no ponto principal, ou seja, que deve ser criado um subsídio de subsistência, no entanto, divergem sobre a frequência. A associação quer uma ajuda mensal, enquanto o Chefe do Executivo fala numa prestação única para os funcionários públicos que lutam contra grandes dificuldades económicas, avança a Rádio Macau.


SOCIEDADE

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

7

4.ª LIGAÇÃO ESTUDO DE VIABILIDADE FOI ADJUDICADO EM 2010 POR 14 MILHÕES DE PATACAS

Proposta é submetida este ano, diz GDI Há três anos foi adjudicado um estudo de viabilidade sobre a 4.ª ligação rodoviária marítima Macau - Taipa à empresa China Highway Planning and Design Institute (HPDI) Consultants, Inc no valor de 14 milhões de patacas. O GDI diz que os resultados desta análise estarão concluídos este ano, numa proposta que deve avançar a opção mais exequível entre uma ponte e um túnel RITA MARQUES RAMOS rita.ramos@hojemacau.com.mo

O

Governo adjudicou em Dezembro de 2010 à empresa China Highway Planning and Design Institute (HPDI) Consultants, Inc, uma sub-empresa da estatal China Communications Construction Company, um “Estudo de Viabilidade da 4ª Ligação Rodoviária Marítima Macau - Taipa e do Túnel Submarino entre as zonas de aterro A e B”, no valor de mais 14,692,500 milhões de patacas. Mas, até ao momento, não houve qualquer conclusão deste

projecto que já leva três anos de andamento. O montante atribuído foi escalonado num despacho do Chefe do Executivo, em Agosto de 2012, para dois anos (2011 e 2012). No entanto, na segunda-feira, o escalonamento foi rectificado em novo despacho do Chefe do Executivo, publicado em Boletim Oficial, para passar a incluir a atribuição de um valor também em 2013. O montante manteve-se igual. O HM questionou o Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-Estruturas (GDI) sobre a fase do estudo e a sua data de conclusão. O organismo revela que “foi realizada uma conferência com

especialistas de Macau e do continente, em 27 de Dezembro de 2012, para avaliar” estas ligações. No mesmo encontro “foi realizada uma avaliação sobre o estudo que embora aprovado necessitava de mais detalhes” pelo que seria necessário mais um ano de trabalho. “Este estudo tem estimativas de investimento, valor económico e social e estará pronto este ano”, adianta o GDI, em resposta escrita ao HM. A quarta ligação está a ser pensada para ligar a zona A (leste da Areia Preta e do reservatório) e a zona E (ponta nordeste da Taipa, perto do aeroporto) dos novos

aterros mas nada ainda é certo, segundo um porta-voz do GDI. Ainda assim, no estudo adjudicado, a empresa analisa já a viabilidade de um túnel subaquático entre as zonas A e B (no sul da península de Macau, junto à ponte Governador Nobre de Carvalho).

CALENDÁRIO DE CONSTRUÇÃO SERÁ CONHECIDO

A Direcção de Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) tinha já indicado ao HM, no mês passado, que uma empresa especializada nas áreas do design de pontes e túneis, estava agora a fazer uma avaliação geral do projecto. Em consideração estavam diferentes aspectos, nomeadamente, a a necessidade da passagem se manter aberta sob quaisquer condições meteorológicas, o seu tempo de construção, a avaliação ambiental, as limitações de acordo com a segurança do canal de transportes marítimos, o impacto no terreno e o calendário de construção. Porém, para já, nenhum dos dois organismos, avança ainda o

QUASE TODAS AS FAMÍLIAS DE MACAU USAM ANTENEIROS PARA VER TELEVISÃO

TV Cabo tem clientes virtuais JOANA FREITAS

joana.freitas@hojemacau.com.mo

A

maioria das famílias de Macau utiliza os serviços dos anteneiros para ver televisão. “Cerca de 80% das famílias em Macau usufruem dos sinais televisivos providenciados pelas companhias de antenas comuns”, disse uma porta-voz da Direcção dos Serviços de Regulação das Telecomunicações (DSRT) ao HM. A DSRT assume que os dados “não são oficiais”, mas ainda assim os números mostram que a TV Cabo de Macau se mantinha apenas com cerca de 20% de quota de mercado. Uma situação que muda, agora, com o acordo assinado entre a operadora e os anteneiros. Segundo a DSRT, “os dados não são relevantes para a situação actual, uma vez que o acordo fez com que todos os sinais televisivos sejam fornecidos pela TV Cabo”. Ou seja, é como se a TV Cabo ficasse com a percentagem total de utilizadores de televisão como seus clientes, mas sem receber por isso, uma vez que a população não terá de pagar mais à empresa ou aos anteneiros pelos serviços.

O acordo entre anteneiros e TV Cabo – assinado em Agosto com 14 empresas de antenas comuns – permite a retransmissão de canais televisivos da TV Cabo pelos anteneiros, algo que estes sempre fizeram, mas que era considerado ilegal, uma vez que a operadora tem um contrato de exclusividade com o Governo. O Executivo anunciou que iria alocar mais de 11 milhões de patacas para as despesas que a TV Cabo terá com a instalação de novos cabos, equipamentos e outros. As autoridades já disseram que não iria ser entregue mais dinheiro à TV Cabo, apesar de Tam Wong Peng, Director de Operações da empresa, ter manifestado ao jornal Ou Mun a sua insatisfação com o acordo. Dos montantes disponibilizados pelo Governo, um é considerado a despesa de começo, destinada à aquisição de equipamentos, o outro é uma taxa mensal de 980 mil patacas pela concessão do serviço prestado pela TV Cabo. O contrato de exclusividade com a TV Cabo acaba em Abril próximo. Quanto à possível renovação de um contrato com a operadora, o Governo põe de lado totalmente a exclusividade e fala na liberalização do mercado. Os anteneiros também poderão concorrer à obtenção de uma licença.

calendário para início da construção da obra. No Verão do ano passado, tanto a Direcção dos Serviços de Obras Públicas e Transportes (DSSOPT) como a DSAT consideraram que um túnel subaquático, apesar de mais caro (poderá custar o valor de duas pontes), se mostrava a solução mais viável para a nova passagem entre as duas ilhas, sobretudo, devido às restrições à construção de uma ponte na área junto ao aeroporto de Macau, para onde está pensada. O facto de a altura da ponte – que não pode exceder os 53 metros de altura – poder condicionar a segurança e o controlo do tráfego aéreo é uma das razões invocadas. A população também defendeu a construção de uma quarta ligação em túnel entre Macau e a Taipa, que possibilite a circulação por 24 horas. A ligação está prevista há sete anos, e era suposto arrancar a obra em Outubro de 2006 mas acabou por ser protelada a título indefinido por ordem do Governo Central que vetou o projecto devido a questões ambientais.

Polícia rejeita críticas do CCAC

O

Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP) garante que liderou a investigação ao agente dos Serviços de Migração acusado de abuso de poder e falsificação de registos nas fronteiras de forma “justa, correcta, imparcial, rigorosa e de acordo com a lei”. Em resposta à Rádio Macau, a direcção do CPSP sublinha que procede assim “em todos os casos internos” que envolvem activos da força de segurança. O Comissariado Contra a Corrupção (CCAC) deteve um agente, na semana passada, suspeito de ter manipulado os dados de um visitante que só podia permanecer em Macau durante sete dias. O CCAC argumenta que o polícia, de apelido Lio, acedeu ao sistema informático dos Serviços de Migração para alterar os registos de entrada e saída de um homem do Continente. Quando o caso foi tornado público, esta segunda-feira, o Comissariado Contra a Corrupção fez reparos à investigação interna do CPSP. O CCAC apontou “algumas insuficiências”, como o facto de o agente não ter sido ouvido por estar doente ou a ausência do alegado crime que terá cometido no processo instaurado pela força policial.


8 sociedade

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

TRÂNSITO CÂMARAS COLOCADAS ENTRE MACAU E TAIPA PARA DETECÇÃO DE ESTACIONAMENTO ILEGAL

Onze em funcionamento RITA MARQUES RAMOS rita.ramos@hojemacau.com.mo

A

Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) disse ao HM que está prevista a colocação de 16 câmaras para detecção de estacionamento ilegal nos próximos tempos. No final do mês passado, havia já onze colocadas, dez em Macau e uma na Taipa. As novas áreas em vista incluem, por exemplo, na zona das Portas do Cerco, explicou um porta-voz no mês passado. O HM tentou inquirir há uma semana a PSP sobre o número e montante de multas passadas este ano referentes a estacionamento ilegal mas, até ao fecho

desta edição, não houve qualquer pelos veículos infractores ao ambiente do trânsito”, explica. E, em resposta. Ontem, à tarde, a DSAT deu a Outubro deste ano, espera que enconhecer em comunicado lançado tre em funcionamento o sistema de pelo Gabinete de Comunicação detecção do estacionamento ilegal de veículos instalado nos Social as zonas onde se acessos dos auto-silos incluem as câmaras de viPak Lai e do Campo dos deovigilância (ver caixa) Operários, junto do Istmo e a razão pelo combate a de Ferreira do Amaral, esta infracção civil. “A será o número ambos na zona das Portas DSAT tem introduzido, nos últimos anos, o final de câmara do Cerco. Até porque, adiante, sistema de detecção de a instalar pela “existem sempre longas estacionamento ilegal em DSAT filas de espera de veículos várias paragens de autonos acessos dos auto-silos carros, linhas contínuas de cor amarela e nos acessos de Pak Lai e do Campo dos Operários, auto-silos, controlando e ordenan- as quais ocupam sempre uma faixa do os veículos infractores, através de rodagem das respectivas vias” dos meios científicos, no sentido que, em alguns lugares, “pode de combater o impacto causado afectar a segurança dos peões no

Fortes chuvas provocam inundações e pequenas derrocadas na RAEM

A

S escolas encerraram ontem de manhã em Macau devido à chuva que provocou pequenas derrocadas e alguns pontos de inundação, principalmente nas ilhas da Taipa e de Coloane, disse à agência Lusa o director dos Serviços de Meteorologia. Fong Soi Kun afirmou que entre as 7 e as 8h foram registados na ilha de Coloane cerca de 100 milímetros de chuva por metro quadrado de um total de 185 milímetros registados até às 15h. Medição sensivelmente idêntica pela ma-

nhã foi feita na ilha da Taipa, onde também foram registadas pequenas inundações, mas até às 15h tinham sido registados 150 milímetros de chuva. As autoridades não registaram feridos, mas após ter sido hasteado o sinal de chuvas fortes, o início das aulas foi cancelado, regressando os alunos apenas aos turnos da tarde. Na península de Macau, os Serviços de Meteorologia registaram apenas 85 milímetros de chuva por metro quadrado.

SISTEMA DETECÇÃO DE ESTACIONAMENTO ILEGAL

16

1.

Entrada principal do Edifício “China Civil”

2.

Entrada principal do Edifício “Kin Heng Long”

3.

Alameda Dr. Carlos d’Assumpção

4.

Avenida da Praia Grande

5.

Avenida de Venceslau Morais

6.

Estrada do Cemitério

7.

Edifício “Pou Long” (Taipa)

8.

Avenida Dr. Rodrigo Rodrigues

9.

Auto-Silo do Jardim Vasco da Gama

10.

Edifício “China Plaza”

11.

Escola Primária “Pui Tou”

atravessamento”. O sistema está agora a ser examinado nesta zona. Um comunicado lançado pela DSAT no Gabinete de Comuni-

cação Social explica que a multa aplicada nestes casos pode variar entre as 300 e 600 patacas, embora não adiante dados deste ano.

MARCAS PORTUGUESES APOSTAM NA INTERNACIONALIZAÇÃO NA ASIA FRUIT LOGISTICA

“Mercados da saudade” em vista A

RRANCOU ontem, em Hong Kong, a Asia Fruit Logistica com participação de empresas portuguesas. A Nutrigreen estreia-se no certame, que conta com a participação de empresas de 30 países e territórios, distribuídas por 341 expositores. A empresa foi fundada em 2008, tem sede no distrito de Santarém e já conquistou prémios internacionais na Rússia e nos Emirados Árabes Unidos. “Os nossos produtos são feitos maioritariamente com matéria-prima portuguesa”, explica o director para

os mercados internacionais da Nutrigreen, Carlos Mendes, em declarações à Rádio Macau, sobre os produtos da empresa, que incluem essencialmente barras e puré de fruta fresca. A presença em Hong

Kong, nota, prende-se essencialmente com a intenção de alargar mercados. “Esta é a nossa primeira feira aqui, serve para medir o pulso do mercado e ver potenciais compradores”, indica Carlos Mendes, que olha para Hong

Kong como a “porta de entrada” para a China, ainda que reconheça o valor estratégico de Macau. A Nutrigreen está na Europa, no Médio Oriente e aposta agora na Ásia. “Já estamos a desenvolver alguns contactos com empresas de ‘trading’ de Hong Kong. Mas também queremos apostar nos mercados da saudade, onde há consumidores portugueses que dão valor aos produtos nacionais”, adianta. Além da Nutrigreen, a representação portuguesa na Asia Fruit Logistica é garantida pela Luís Vicente SA.

PUB

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO N.° 250/AI/2013

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO N.° 259/AI/2013

-----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se o infractor CONG GUOQIANG (portador de salvo-conduto de dupla viagem da República Popular da China n.° W47804xxx), que na sequência do Auto de Notícia n.° 88/DI-AI/2011 de 04.12.2011, levantado pela DST, por prestação ilegal de alojamento da fracção autónoma situada na Avenida do Dr. Rodrigo Rodgigues n.° 1142-V, Edifício Centro Internacional de Macau, Bloco XIII, 12.° andar C, Macau, bem como por despacho de 29.08.2013, exarado no Relatório n.° 305/DI/2013, de 23.08.2013, lhe foi determinada a aplicação de uma multa de $200.000,00 (duzentas mil patacas), e ordenada a cessação imediata da prestação ilegal de alojamento no prédio ou da fracção autónoma em causa, nos termos do n.° 1 do artigo 10.° e n.°1 do artigo 15.°, todos da Lei n.° 3/2010.-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------O pagamento voluntário da multa deve ser efectuado no Departamento de Licenciamento e Inspecção destes Serviços, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, de acordo com o n.° 1 do artigo 16.° da Lei n.° 3/2010, findo o qual será cobrada coercivamente através da Repartição de Execuções Fiscais, nos termos do n.° 2 do artigo 16.° do mesmo diploma.----------------------------------------------------------------------Da presente decisão cabe recurso contencioso para o Tribunal Administrativo, a interpor no prazo de 60 dias, conforme estipulado na alínea do n.° 2 do artigo 25.° do Código do Processo Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto-Lei n.° 110/99/M, de 13 de Dezembro e no artigo 20.° da Lei n.° 3/2010.----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Há lugar à execução imediata da decisão caso esta não seja impugnada.-----------------------------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d'Assumpção n.os 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18.° andar, Macau.---------------------------

-----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se a infractora YU FUZHEN(portadora do Salvo-Conduto de dupla viagem da RPC n.° W43229XXX), que na sequência do Auto de Notícia n.° 92/DI-AI/2012, de 24.08.2012, levantado pela DST e por despacho da signatária de 29.08.2013, exarado no Relatório n.° 316/DI/2013, de 21.08.2013, foi desencadeado procedimento sancionatório, por controlar a fracção autónoma situada na Rua do Terminal Maritimo n.os 93-103, Edf. Centro Internacional de Macau, Bloco 2, 14.° Andar H e utilizada para a prestação ilegal de alojamento.-----------------------------------------------------------------------------------------------No mesmo despacho foi determinado, que deve, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, apresentar, querendo, a sua defesa por escrito sobre a matéria constante daquele Auto de Notícia, oferecendo nessa altura todos os meios de prova admitidos em direito. Nos termos do n.° 2 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010 não é admitida apresentação de defesa ou de provas fora do prazo.-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------A matéria constante daquele Auto de Notícia constitui infracção ao artigo 2.° da Lei n.° 3/2010, tal facto é punível nos termos no n.° 1 do artigo 10.° da Lei n.° 3/2010.---------------------------------------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18.° andar, Macau.----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

-----Direcção dos Serviços de Turismo, aos 29 de Agosto de 2013.

-----Direcção dos Serviços de Turismo, aos 29 de Agosto de 2013.

A Directora dos Serviços Maria Helena de Senna Fernandes

A Directora dos Serviços, Maria Helena de Senna Fernandes


hoje macau quinta-feira 5.9.2013

publicidade 9


10

A

CHINA

S ameaças que os EUA estão a fazer de atacar a Síria, citando novas provas de que o presidente, Bashar al-Assad, usou gás sarin contra o próprio povo, colocam o governo da China perante um novo dilema. Durante décadas, o princípio primordial da política externa chinesa foi de não interferir nos assuntos de Estados soberanos. Esta postura levou a uma série de conflitos diplomáticos no Médio Oriente, já que as autoridades da política externa preferem apostar nos regimes existentes, mesmo quando estes perdem o apoio da população. Desde Moammar Kadafi, o ex-governante líbio, até Hosni Mubarak, no Egipto, os líderes chineses apoiaram sempre os ditadores do Médio Oriente. As mudanças de regime sob qualquer circunstância — mesmo, como no caso da Síria, com o suposto uso de gás sarin — deixam os líderes chineses nervosos. A aversão de derrubar líderes vem em parte da profunda insegurança que sentem quanto à sua própria legitimidade política, num país onde as agitações sociais fermentam à conta de problemas como a poluição e os direitos de terras. Se os países ocidentais decidirem intervir para der-

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

POSSÍVEL ATAQUE DOS EUA À SÍRIA É UM DESAFIO PARA A DIPLOMACIA CHINESA

Um novo dilema rubar os governos antidemocráticos do Médio Oriente, raciocinam os líderes chineses, o que os impedirá de um dia tentar derrubar o governo comunista da China? É verdade que os problemas que a China tem não são nem de perto parecidos com os que afligem os governos de países do Médio Oriente, como o Egipto. As questões chinesas derivam de um crescimento económico que foi talvez rápido demais e desigual. Ao contrário de muitos países do Médio Oriente, a China logrou vitórias expressivas na luta contra a pobreza. A sua economia cria empregos e oportunidades em abundância. Ainda assim, o aparato de segurança da China reagiu com uma força exagerada há dois anos atrás nas ruas de Pequim, em resposta às convocatórias on-line para as manifestações de apoio à “Revolução de Jasmim”, inspirada na Primavera Árabe. Os protestos nunca se concretizaram. De um modo geral, os conflitos no Médio Oriente destacaram o facto de que

ainda há uma única superpotência no mundo de hoje: os Estados Unidos. No livro “China Goes Global” (“A China torna-se global”, em tradução livre), David Shambaugh, académico especialista em China da Universidade George Washington, escreve: “As superpotências reais moldam os eventos e produzem os resultados. A China, pelo contrário, adopta repetidamente uma postura passiva e discreta na sua diplomacia.”

FALTA IMPLANTAÇÃO

A China não tem bases militares nem tropas no Médio Oriente. Provavelmente ainda vai demorar alguns anos até que o país exerça um poder sustentável para além de suas fronteiras imediatas no leste asiático, onde está a fazer frente ao domínio americano com submarinos e mísseis balísticos, e a desenvolver-se na guerra espacial e cibernética. Ao mesmo tempo, a China tem um interesse crescente no Médio Oriente. Investiu fortemente em campos de petróleo no Iraque

e em imensos projectos de construção na Arábia Saudita e no Golfo Pérsico. As estatais enviaram dezenas de milhares de engenheiros, geólogos e operários para trabalhar nestes projectos. Ironicamente, a falta de alcance estratégico da China no Médio Oriente é agravada por um desafio que está a causar uma reviravolta na balança do poder da região: enquanto os EUA estão cada vez menos dependentes de petróleo importado, inclusive do Médio Oriente, a dependência da China está a aumentar. Este ano, a China vai ultrapassar os EUA como o maior importador líquido de petróleo numa base mensal, segundo o Departamento de Energia americano. A diferença vai crescer à medida que a produção de petróleo e gás de xisto nos EUA aumenta. Enquanto isto, uma China industrializada vai consumir combustível em grandes quantidades e, embora o país esteja à procura de novas fontes em África e na América Latina, o Médio Oriente continuará a ser um fornecedor crucial.

Está cada vez mais claro que o lado escolhido pela China lhe está a sair caro. As relações do governo chinês com os regimes populistas que emanaram das agitações que varreram o Médio Oriente complicaram-se, colocando em risco as perspectivas das empresas chinesas de petróleo e engenharia.

De um modo geral, os conflitos no Médio Oriente destacaram o facto de que ainda há uma única superpotência no mundo de hoje: os Estados Unidos Mais amplamente, dizem diplomatas ocidentais e analistas políticos, o apoio instintivo da China ao status quo deixou o país sem acção perante a rapidez com que os eventos se desenrolaram. Crise após crise, a China reagiu às iniciativas dos EUA e de outras potências europeias, apesar das suas aspirações de ser vista em pé

de igualdade com os EUA. Por exemplo, o governo chinês ficou furioso quando o seu apoio a uma acção limitada da Nato na Líbia - um raro exemplo no qual o país comprometeu os seus princípios de não-intervenção -, se transformou num grande ataque ao clã de Kadafi. Isto pode ter endurecido as respostas de Pequim sobre a Síria, dizem alguns diplomatas. Para além disto, a China usou três vezes o seu poder de veto na ONU para bloquear as tentativas de isolar o regime de Assad. Os chineses uniram-se à Rússia para impedir a forte intenção aliada. Até agora, a crise mais recente não tem deixado os chineses tão isolados como ocorreu noutras situações no passado. Com excepção da França, nenhum país europeu se declarou inequivocamente a favor dos ataques militares. A agência de notícias oficial Xinhua afirmou que a obsessão do presidente dos EUA, Barack Obama, com as opções militares “levará a América a extraviar-se”. Enquanto o governo de Obama tenta angariar o apoio do Congresso para um ataque à Síria, a China tem ampliado suficientemente o seu poder para que os EUA tenham em consideração as suas preocupações.


china 11

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

G20 CIMEIRA NA RÚSSIA DEVE CONCENTRAR-SE NOS PAÍSES EM VIAS DE DESENVOLVIMENTO

Emergentes em foco O

G20, cuja 8.ª cimeira decorrerá esta quinta e sexta-feira na Rússia, deverá “mudar de perspectiva” e concentrar-se mais nos países emergentes e em vias de desenvolvimento, defendem dois analistas chineses num artigo publicado ontem na imprensa oficial. Aquele fórum internacional “tem prestado mais atenção à recuperação económica nos países desenvolvidos, mas, nesta cimeira, o foco deve mudar para os países em vias de desenvolvimento e em especial as economias emergentes”, afirmam Fan Yongming e Shen Chen, investigadores da Universidade Fudan, em Xangai. O G20 é constituído pelos países membros do G7 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França,

Itália, Japão e Reino Unido), mais a África do Sul, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, China, Coreia do Sul, Índia, Indonésia, México, Rússia, Turquia e União Europeia. A primeira cimeira do G20, em Novembro de 2008, foi convocada pelo Presidente norte-americano à época, George W. Bush, para tentar concertar uma resposta global à crise financeira e económica que então abalou o mundo. Os líderes que vão reunir-se esta semana em São Petersburgo “devem encontrar uma solução que impulsione a confiança dos mercados, mas também ter em conta os interesses práticos de todas as partes, para alcançar um crescimento económico global e promover o emprego”, sustentam Fan Yongming e Shen Chen.

No conjunto, o G20 representa dois terços da população do planeta e 90% do Produto Económico Global. A Cimeira de São Petersburgo assinala igualmente a estreia no G20 do novo líder chinês, Xi Jinping. “Uma China estável e próspera é indispensável para um panorama económico global mais radioso e a Cimeira de São Petersburgo dará muita atenção ao empenhamento da nova liderança chinesa no aprofundamento da sua política de Reforma e Abertura”, afirmam os dois especialistas da Universidade Fudan. Segunda economia mundial, a seguir aos Estados Unidos, a China é também o maior exportador, à frente da Alemanha e do Japão, mas este ano o seu crescimento deverá abrandar para cerca de 7,5%, o mais baixo desde o final da década de 1990.

ENSINO NOVA LICENCIATURA DE PORTUGUÊS ARRANCA NO INÍCIO DE OUTUBRO

O grande mundo do mercado luso A

Wang Suyi

Campanha contra corrupção atingiu mais dois quadros comunistas

O Partido Comunista Chinês (PCC) anunciou ontem a expulsão de mais quadros da organização por “grandes violações da disciplina”, ampliando a campanha anti-corrupção promovida pela nova liderança do país. Um antigo membro do Comité Permanente do Comité Central do PCC na Mongólia Interior, Wang Suyi, “aproveitou-se da sua posição para beneficiar outros e aceitou largas somas de dinheiro ou recebeu-as através de familiares”, disse a Comissão Central de Controlo e Disciplina do Partido. O outro caso anunciado ontem, que envolve idênticas acusações, diz respeito a Li Daqiu, exvice-presidente da Conferência Política Consultiva do Povo Chinês na Região Autónoma de Guangxi, no sudoeste do país, e antigo líder da Federação sindical local. Ambos os quadros foram também expulsos da função pública e entregues às autoridades judiciais, indicou a mesma fonte.

mais recente licenciatura de português criada na China continental arranca no início de Outubro na Universidade de Estudos Internacionais de Zhejiang (ZISU) com 22 alunos, elevando para dezoito o numero daquele tipo de cursos no país. “Há muito interesse pelo português e um grande mercado para os licenciados em português”, disse à agência Lusa a directora do Departamento de Português da Faculdade de Línguas e Culturas Euro-Asiáticas da ZISU, Shen Lu. “Teremos uma segunda turma no próximo ano e o terceiro (e

penúltimo ano da licenciatura) deverá ser em Portugal. Queremos estabelecer relações de cooperação com universidades portuguesas”, adiantou a responsável. Shen Lu, 24 anos, licenciou-se em língua portuguesa na Universidade de Estudos Internacionais de Xangai, onde fez também um mestrado em linguística. Estudou vários meses em Portugal e já ensinou português em escolas privadas. “Sinto-me muito contente”, disse. A ZISU fica situada em Hangzhou, capital de uma das províncias mais prósperas da

China (Zhejiang) e terra natal da professora Shen Lu. O corpo docente do primeiro curso de português daquela universidade inclui mais dois professores, um dos quais contratado em Portugal. Até ao final da década de 1990, não contando com Macau e Hong Kong, apenas duas universidades chinesas tinham licenciaturas em português: uma em Pequim e outra em Xangai. Hoje, há 18, espalhados por uma dezena de cidades. “Os falantes de português na China são muito procurados”, disse Shen Lu.

A maioria das licenciaturas apareceu na última década, coincidindo com o desenvolvimento das relações económicas e comerciais entre a China e os países de língua portuguesa, especialmente Brasil e Angola. No conjunto, há cerca de 1.200 jovens chineses a estudar português e centenas de outros aprendem a língua em escolas privadas. Segunda economia mundial, a seguir aos Estados Unidos, a China é hoje o maior parceiro comercial do Brasil e centenas de empresas chinesas operam em Angola. Em 2012, a China Three Gorges pagou 2.700 milhões de euros por 21,3% do capital da EDP, tornando-se o maior accionista da eléctrica portuguesa. Foi uma das maiores aquisições feitas pela China na Europa. A presença chinesa em Moçambique, Timor-Leste e outros países da CPLP é também cada vez mais forte. Cantão, Nanjing, Tianjin, Xian, Jilin, Dalian, Harbin, Haikou, Chongqing e Shijiazhuang são as outras cidades chinesas onde há licenciaturas em português.


12 publicidade

hoje macau quinta-feira 5.9.2013


hoje macau quinta-feira 5.9.2013

publicidade 13


14 publicidade

hoje macau quinta-feira 5.9.2013


hoje macau quinta-feira 5.9.2013

publicidade 15


16

HOJE MACAU

12

hoje macau quint

ANOS

TESTEMUNHOS SOBRE NÓS No âmbito das múltiplas especificidades do território um jornal em língua portuguesa no pós-1999 tem desafios e responsabilidades acrescidas. Não existe nem mercado nem público que o justifique, pelo menos do ponto de vista estritamente comercial, mas há o legado da língua que é preciso não esquecer e há ainda a óbvia função (embora muitas vezes esquecida) que é a de dar voz a uma comunidade que embora minoritária é parte integrante de Macau e não se pode nem deve alhear do presente e do futuro. Um jornal tem como matéria-prima a realidade circundante e deve pautar os seus desígnios tendo por base dois primados: o da objectividade e o da liberdade. Em Macau, a realidade é e sempre foi muito ‘sui generis’ e está em constante mutação… Marcado por alguma irreverência na abordagens e nos títulos o HM continua a representar uma lufada de ar fresco no panorama da comunicação social macaense. Terminado um ciclo de 12 anos, sugeria ainda mais espaço nas páginas do jornal ao mosaico da sociedade local nas suas múltiplas vertentes. Não me ocorre agora o nome de quem disse que um jornal nasce e morre todos os dias. Renascer das cinzas diariamente é tarefa muitas vezes hercúlea. Lidar com a angústia do efémero é um desafio constante que urge não descurar. Em nome, não só de Portugal ou da China, mas sobretudo de Macau! JOÃO BOTAS Jornalista, ex-residente, autor de vários livros sobre a história de Macau e do blogue Macau Antigo

Foi no Hoje Macau, no tempo em que ainda era Macau Hoje, que me iniciei nas lides jornalísticas. Curiosamente, com uma série de crónicas sobre o Tibete, região de mundo onde voltaria várias vezes e onde concentraria parte do meu trabalho de investigação. Ao longo dos anos, as portas do Hoje manterse-iam abertas, fosse para as minhas colaborações, fosse para a divulgação do trabalho que ia produzindo. Só posso, por isso, desejar ao Hoje Macau votos de muitos e prósperos anos de vida. Preferencialmente, marcados pela irreverência que sempre foi a sua imagem de marca JOAQUIM MAGALHÃES DE CASTRO Escritor

O Hoje Macau é um jornal com muita importância para a comunidade portuguesa e brasileira, pois temos acesso às notícias na nossa própria língua e isso torna a sua leitura muito

2001

confortável e prazerosa. Acho que as matérias são muito boas e o jornal faz sérias abordagens sobre meio-ambiente, o quadro socioeconómico, arte e cultura, mostrando sempre uma opinião sobre os assuntos, mostrando o lado positivo e o lado negativo de cada abordagem, sendo um veículo de comunicação verdadeiro e de fácil compreensão. Parabéns a todos os profissionais, continuem exercendo essa actividade pois precisamos da vossa informação. O conhecimento é a chave para o entendimento JULIANA MORESCHI Bailarina

Muitos parabéns ao jornal Hoje Macau pelos 12 anos de história e espero que continue a sua dedicação a Macau PAULA CARION Judoca

A minha profissão de cartoonista exige um acompanhamento constante da actualidade. A leitura diária do Hoje Macau tem sido indispensável para mim desde que vim para cá, há pouco mais de três anos. Os 12 anos que o diário agora comemora podem parecer pouco quando se fala de um jornal, mas o Hoje Macau acompanhou de perto a colossal evolução que o território protagonizou na última década. E hoje ocupa um espaço singular no panorama da imprensa local. Parabéns ao Hoje Macau e àqueles que o fazem RODRIGO DE MATOS Cartoonista

Muitos parabéns ao Hoje Macau pelo seu 12.º aniversário. O Hoje destaca-se, a meu ver, pelo espaço que dedica à cultura e à opinião, aliado ao excelente design e cuidado pela componente gráfica e estética, quer na edição impressa, quer na edição online. Sob o risco de soar redundante, um grande obrigado, como leitor, pelo suplemento e artigos relacionados à arte e cultura. Aproveito também para saudar o gato Pu Yi, do qual sou fã assumido. Admito que fiquei um pouco chateado com as suas previsões de resultados durante o Europeu de Futebol, mas, tirando isso, é um gato com “G” grande: com as garras bem afiadas, com personalidade e, como qualquer gato que se preze, bastante independente. Espero que continue assim! Muita saúde e energia para todos os que tornam o jornal possível. Ficam assim, mais uma vez, os votos e desejos sinceros deste vosso leitor assíduo! SÉRGIO PEREZ realizador

2002

2003

2004

2005

2006


hoje macau 12 anos 17

ta-feira 5.9.2013

CARLOS MORAIS JOSÉ

editorial

Um ciclo, uma vida... Alentejo não tem sombra Senão a que vem do céu Sente-se aqui menina À sombra do meu chapéu

U

MA data é o que é e a mais não é obrigada. Abrigados estamos nós por poder comemorá-la, com menos pompa e mais circunstância, esta data que representa o fim de um ciclo. Nascido em 2001, Ano da Serpente, o Hoje Macau perfaz hoje 12 anos, ou seja, completa um ciclo, profícuo e feliz. Foram 12 anos em que tudo mudou, para que tudo continuasse na mesma. Da nossa parte, a mesma atenção aos interesses da população da RAEM, o mesmo fanatismo pela Língua Portuguesa, o mesmo amor a Macau e às suas gentes. Da parte da cidade que generosamente nos acolhe, uma mudança radical da paisagem mas uma permanência constante das gentes, destas gentes de Macau que nos governavam e governam. O facto mais interessante é que percorremos juntos este caminho, um momento ímpar da História desta cidade, em que o Hoje Macau foi depositário não apenas das notícias mas, sobretudo, da opinião e da reflexão, como espaço onde é possível o espraiar da liberdade e da inteligência. Tivemos, pois, a sorte de sabermos estar a escrever História todos os dias. De sabermos que nas nossas páginas ficou registado, em Português, o quotidiano de Macau, da sua política, da sua sociedade e da sua cultura. Ficaram também as pessoas, as suas opiniões e angústias, os problemas mais sérios e as trivialidades que dão sabor à vida. Temos, ontem e sempre, como

2007

2008

lema o serviço à população de Macau, sobretudo os mais desprotegidos, os desamparados pela sorte e pela crueldade dos homens. Defendemos e defenderemos essa massa anónima, que produz a riqueza alheia e pouco usufrui dessa mesma riqueza que produz. Teremos, como horizonte, a mesma estrada, uma senda que julgamos prioritária no sentido de, todos os dias, devolvermos a Macau o que Macau tão generosamente nos proporciona, através do nosso trabalho que encaramos como um serviço público, eivado de transparência, bom senso e rigor. Os nossos leitores sabem que podem continuar a contar connosco. *

Temos, é certo, uma língua afiada, raramente venenosa. Ou não fôramos Serpente. E não será por acaso que o destino nos quis assim. Por vezes, errámos. Doutras, escorregámos. Mas esse é o risco de quem prefere viver com intensidade as coisas, na certeza de que não existiu nunca qualquer intenção de causar dolo a alguém. Haverá outro modo de levar uma vida? Não nos parece ou não o desejamos. Neste fim de ciclo, que significa um recomeço, o Hoje Macau sente-se rejuvenescido, mais capaz do que nunca de cumprir o seu papel, suportado numa redacção de jornalista novos e ambiciosos, a quem nada mais se pede além de uma dedicação completa, não ao jornal em si

Nestes anos vimos alguns dos nossos mais chegados amigos partirem (como o poeta Alberto Estima de Oliveira, o escritor Henrique de Senna Fernandes, o professor Silveira Machado, entre outros), pessoas que nos iluminaram, que nos ensinaram sobre a cidade e a vida e de quem nos declaramos incondicionais discípulos. Fizemos também novas amizades, estabelecemos novos contactos, porque por aqui é permanente este fluxo de chegadas e partidas, de novas ideias e novos hábitos, novas tertúlias e novas ambições.

2009

2010

2011

mesmo, mas ao papel histórico que desempenham e pelo qual não serão esquecidos. * A verdade é que não entendemos o Hoje Macau apenas como um jornal mas, sobretudo, como uma aventura da Língua Portuguesa em terras do Extremo Oriente. E é de velas ufanas que esta caravela por aqui continuará a navegar. Sabemos que, ao assentar âncora, o podemos fazer porque outros antes de nós criaram condições para isso. Agora – tenhamos todos bem claro – cabe-nos a distinta responsabilidade de fazermos o mesmo, não deixarmos extinguir esta epopeia de cinco séculos, dos quais nós somos, para o melhor e para o pior, os ilustres sucessores. Foi há 500 anos que, pela primeira vez, portugueses e chineses iniciaram esta viagem. Conheceram a bonança e detiveram-se nas procelas. Mas, olhando para trás e feitas as contas, muito temos para somar. E para continuar a somar, nesta matemática que dá dos encontros entre os povos e as culturas, os modos de ser e os modos de fazer e, modestamente, contribuir para a escrita das páginas onde se espelham, complexos e brilhantes, os reflexos de uma nova humanidade. Aos nossos pacientes leitores, um infinito obrigado! Fiquem connosco. Esta aventura vai mesmo valer a pena!

2012


18 publicidade

hoje macau quinta-feira 5.9.2013


hoje macau quinta-feira 5.9.2013

publicidade 19


20 publicidade

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

A SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE MACAU FELICITA O HOJE MACAU PELA PASSAGEM DO SEU 12.0 ANIVERSÁRIO


publicidade 21

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

A WELFARE PRINTING LIMITED FELICITA O HOJE MACAU PELA PASSAGEM DO SEU 12.º ANIVERSÁRIO

A ASSOCIAÇÃO DOS TRABALHADORES DA FUNÇÃO PÚBLICA DE MACAU FELICITA O HOJE MACAU PELA PASSAGEM DO SEU 12.º ANIVERSÁRIO


22

VIDA

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

POLUIÇÃO QUASE TRÊS TONELADAS DE PEIXES MORTOS RETIRADOS DAS ÁGUAS

Substâncias orgânicas nas lamas

Q

UASE três toneladas de peixes mortos foram retiradas das águas ao largo de Macau desde domingo pelas autoridades locais, que continuam a monitorizar a situação, disse ontem à agência Lusa fonte oficial. De acordo com uma porta-voz da Direcção dos

Serviços de Assuntos Marítimos e de Água (anteriormente designada por Capitania dos Portos), foram retiradas da Bacia Norte do Patane, junto ao Fai Chi Kei, na parte norte da península, 2,9 toneladas de pescado sem vida entre domingo e terça-feira. Ontem, pelo menos até às 16h, não tinham sido desco-

AMONÍACO MATA CEM MIL TONEL ADAS DE PEIXE Uma descarga de amoníaco no rio Fuhe, nos arredores de Wuhan, centro da China, matou cerca de cem mil toneladas de peixe, anunciaram hoje as autoridades locais. Os exames realizados pela comissão de protecção ambiental da província de Hubei revelaram que a densidade de amoníaco nas águas do rio era de 196 mg por litro, “muito acima do padrão nacional”. A fábrica química que fez a descarga, propriedade de uma empresa sediada em Yingcheng e cotada da Bolsa de Shenzhen, foi “intimada a suspender a laboração e rectificar o seu equipamento de controlo da poluição”, disse a agência noticiosa oficial chinesa Xinhua. Mais de 2.000 habitantes de uma aldeia da região vivem da pesca no rio Fuhe, referiu a Xinhua. A poluição tornou-se nos últimos anos uma das principais fontes de descontentamento popular da China, ao lado da corrupção e do fosso entre ricos e pobres.

bertos mais peixes mortos, pelo que as autoridades apontam para uma melhoria da actual situação. Segundo os resultados da análise inicial, o aparecimento de uma grande quantidade de peixes mortos “poderá ter a ver com a existência de substâncias orgânicas nas lamas no fundo da bacia”, com “a má circulação das correntes de água” e com “uma diminuição de oxigénio dissolvido na água devido às condições do tempo, às altas temperaturas atmosféricas e à baixa pressão atmosférica”, explicou, por seu turno, a Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA). Tal pode não estar a permitir que as algas existentes na água produzam oxigénio através da fotossíntese, durante os dias nublados consecutivos, agravando a falta do oxigénio na água, detalha o organismo, dando conta de que, “de um modo PUB

geral, a quantidade mais apropriada de oxigénio dissolvido na água para os peixes deverá estar acima

de 4mg/L”. “Segundo o resultado das análises às amostras recolhidas nos últimos dias e, de acordo

com os dados do posto de monitorização da água, instalada na Bacia Norte do Patane, os valores de oxigénio dissolvido na água são muito inferiores aos dos dias normais, verificando-se que, durante algum tempo, os valores têm sido inferiores a 0,5mg/L, originando a morte de grande parte dos peixes devido à falta de oxigénio necessário”, refere a DSPA. O mesmo organismo garante que “irá não só continuar a destacar o seu pessoal para inspecção, mas também estar muito atenta às eventuais alterações da qualidade da água”. Os primeiros peixes mortos - na sua maioria tainhas - foram descobertos, no passado domingo, durante a realização de uma patrulha por parte de uma equipa responsável pela limpeza das águas.

FÓSSIL PERTENCERIA A UM GRUPO DE PEQUENO PORTE

Descoberto dinossauro carnívoro na Lourinhã O Museu da Lourinhã anunciou esta terça-feira a descoberta do fóssil de um dinossauro carnívoro, acompanhado de uma mão-cheia de achados de dinossauros encontrados durante a campanha de escavações deste ano nos afloramentos do Jurássico Superior daquela região, com cerca de 150 milhões de anos. “Este ano, os resultados incluíram pegadas e ossos, com destaque para um dinossauro carnívoro de pequeno porte, com menos de dois metros de comprimento. Este esqueleto de dinossauro não está completo, mas está muito bem conservado e articulado (com os ossos na posição anatómica, tal como em vida), o que é muito raro”, refere o comunicado do museu. “A análise preliminar indica que poderá tratar-se de um representante de um grupo de dinossauros carnívoros raros em Portugal, os celurossauros.”

Na campanha, coordenada pelo paleontólogo Octávio Mateus, do Museu da Lourinhã e da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, foram ainda recolhidas pegadas de dinossauros saurópodes, ornitópodes e de pterossauros. “Uma das pegadas de saurópode, com 120 centímetros de comprimento, é uma das maiores que se conhecem”, frisa o comunicado. “Também se descobriram pequenos fósseis, destacando-se a mandíbula de um mamífero, o que é igualmente raro.” Todo este material recolhido está agora no laboratório de paleontologia do Museu da Lourinhã, onde terá de ser preparado para poder ser estudado. Só com esses estudos se poderá perceber exactamente as espécies de dinossauros a que pertencem os fósseis recolhidos e a sua importância. O Museu da Lourinhã ficou mundialmente conhecido em 1997, quando foi revelada a descoberta de os ovos com embriões de dinossauros carnívoros bípedes, com 150 milhões de anos. Tinham sido encontrados em 1993. Já em 2013, voltaram a descobrir-se na zona da Lourinhã centenas de fragmentos de cascas de ovos, com ossos de embriões e dentes com 150 milhões de anos. Estes dois achados são os ovos de dinossauros carnívoros mais antigos do mundo. Ovos ainda mais antigos, só os de dois dinossauros herbívoros, encontrados na África do Sul e na China, ambos com cerca de 190 milhões de anos.


vida 23

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

ESTUDO REVELA QUE SEGUIMOS MAIS FACILMENTE EM FRENTE QUANDO ESTAMOS NUMA RELAÇÃO ANTIGA

Traição rapidamente esquecida L ESTER Burnham, o protagonista do filme Beleza Americana, está descontraído a trabalhar num franchise de hambúrgueres. Já revolucionou a sua vida: começou a correr e a fazer musculação, fuma marijuana, abandonou um emprego que odiava, guia um Pontiac Firebird de 1970 enquanto canta American Woman, deixou de receber ordens da sua mulher, atira-se à amiga da sua filha adolescente e vai morrer. Naquele momento está feliz, a virar rodelas de carne na cozinha, quando ouve num altifalante a voz da sua mulher, bem-disposta, a pedir um hambúrguer duplo. Ouve também uma voz masculina e sabe, imediatamente, da traição. Mas dirige-se até à casinha onde se entregam os menus aos clientes que chegam de carro e apanha em flagrante um homem a beijar o pescoço de Carolyn, a sua mulher.

É um dos momentos “foste apanhada” mais memoráveis do cinema das últimas décadas. A descoberta podia ser uma oportunidade de separação para Lester. Afinal, uma traição parece sempre ser uma mistura de mentira, ofensa e cinismo, dificilmente desculpável, que gera camadas de sofrimento sem fim à vista. Mas a longa relação (psicótica) de Lester e Carolyn mantém-se até ao fim da película, com direito a uma epifania. Essa aparente capacidade de perdão parece estar marcada no nosso cérebro. As pessoas com relações longas estão mais dispostas a es-

quecer uma traição do que quem é traído numa relação nova, mostra um artigo na revista Proceedings of the National Academy of Sciences. Uma quebra na confiança não se reduz às relações amorosas. Pode acontecer entre amigos, em situações profissionais ou até no jogo. Para estudar o tema, a equipa de Karen Cook, da Universidade de Stanford, na Califórnia, utilizou um modelo que pôs os participantes do estudo no mundo do jogo.

O TESTE

Aequipa colocou cem pessoas à frente de um computador para uma sequência de 24 jogadas. O computador ofereceu em cada jogada oito dólares. Cada participante podia ficar com os oito dólares ou dá-los a um jogador

B. Essa segunda opção fazia com que o dinheiro triplicasse. Depois, o jogador B tinha a oportunidade de dividir o total do seu montante em 12 dólares entre si e o outro jogador ou, pelo contrário, de ficar com o total dos 24 dólares - o que, neste contexto, seria visto como traição. O que não era revelado é que o jogador B era, afinal, um programa informático feito para este estudo. A equipa dividiu os cem participantes em dois lotes. Num deles, o programa informático estava concebido para ficar com os 24 dólares logo na quinta ou sexta jogada, para estudar os efeitos da traição quando a ligação entre o participante e o jogador B era recente. No outro grupo, a “traição” do jogador B só acontecia mais tarde, na 15.ª ou 16.ª jogada, quando a ligação entre eles estava cimentada. A equipa observou depois como os dois grupos

reagiam após a traição: se voltavam, ou não, a confiar no jogador B nas jogadas seguintes. “A proporção de transferência de dinheiro foi significativamente maior nas relações mais longas”, lê-se no artigo. O grupo traído mais tarde voltou a confiar mais rapidamente. Em seguida, a equipa observou que partes do cérebro ficavam activas após a quebra de confiança, usando imagens de ressonância magnética. No caso de uma traição em que a ligação era recente, o participante activava mais o córtex cingulado anterior, associado a uma maior reflexão e deliberação sobre as acções. Enquanto as quebras de confiança mais

tardias provocavam com mais frequência a activação o córtex temporal lateral, ligado a respostas automáticas. “Estas descobertas podem ser aplicadas a várias situações”, defende Oliver Schilke, outro autor do estudo, da Universidade da Califórnia em Los Angeles. “Os resultados sugerem que as pessoas podem “perdoar mais” se a quebra de confiança ocorre quando já se conhecem há algum tempo”, diz ao jornal Público. No início das relações, a traição poderá forçar a uma aprendizagem maior sobre o outro e a uma resposta mais planeada, associada à nova desconfiança. No caso de Lester Burnham, ele próprio esteve prestes a trair a mulher com a amiga da filha, naquilo que seria a implosão final daquele lar. Mas parou no último momento, a tempo de voltar a olhar para a família com amor e de morrer grato.


24

CULTURA

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

PRIMEIRO MÊS DA CULTURA BRASILEIRA NA CHINA ARRANCOU ESTA TERÇA-FEIRA

Ao ritmo do samba O

primeiro Mês da Cultura Brasileira na China, destinado a “aprofundar o conhecimento recíproco” entre as sociedades dos dois grandes países emergentes, arrancou esta terça-feira à noite num teatro de Pequim, ao ritmo do samba. “Brasil e China são hoje importantes parceiros no âmbito politico, económico, comercial, científico e tecnológico. No plano cultural, contudo, muito precisa ainda ser feito para que aprofundemos o nosso conhecimento recíproco”, disse o embaixador do Brasil na China, Valdemar Carneiro Leão. “A imagem que temos um do outro limita-se a alguns estereótipos”, designadamente a “alegria do carnaval” e a “arte do futebol”, acrescentou. Este inédito Mês da Cultura Brasileira, que de-

correrá até 29 de Setembro com exibição de filmes, música, dança, exposições de fotografia e debates com artistas, abriu com um espectáculo de Francis Hime e Olívia Hime dedicado a um dos mais populares poetas do seu país, Vinicius de Morais. Pianista e compositor, nascido em 1939, Francis Hime é considerado um dos expoentes da música brasileira da década de 1960. O espectáculo de terça-feira foi a sua primeira actuação no Oriente. “Nunca tinha vindo para este lado do mundo”, disse o músico à agência Lusa. Cerca de 400 pessoas, a maioria jovens chinesas, encheram a sala e, a avaliar pelos aplausos, mesmo sem tradução, parecem ter compreendido aquele famoso verso de Vinicius de Morais: “A alegria é a melhor coisa que existe”. “É

um público muito carinhoso e curioso, atento e muito bem-humorado. A música é uma língua universal”, comentou Francis Hime no final do espectáculo. E como a palavra ‘saudade’, ‘samba’ não tem tradução: “É uma forma de oração”, diria Vinicius de Morais. A iniciativa brasileira será retribuída em Outubro pela China, com a realização de um Mês da Cultura Chinesa no Brasil, de 15 de Outubro a 11 de Novembro. A China tornou-se em 2009 o maior parceiro comercial do Brasil, ultrapassando os Estados Unidos. Os dois países têm também um crescente relacionamento político ao nível do G-20 e do bloco de economias emergentes denominado BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

EUROS VINDOS DO FUNDO DE FOMENTO CULTURAL GARANTEM CINEMATECA ATÉ AO FINAL DO ANO

RÁDIO INTERNACIONAL DA CHINA PROMOVE TELENOVELAS NACIONAIS PARA ÁFRICA, ÁSIA E AMÉRICA LATINA

Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema vai receber em quatro tranches mensais, entre Setembro e Dezembro, 700 mil euros para continuar a funcionar até ao final do ano, disse ao jornal Público a directora da instituição, Maria João Seixas. Essas verbas provêm, tal como aconteceu nos meses de Junho e Julho, de “dotações excepcionais” do Fundo de Fomento Cultural. Maria João Seixas detalhou esta terça-feira os termos do despacho que, como a mesma anunciou na sexta-feira passada, garantiu que a Cinemateca continuasse a funcionar em termos de tesouraria neste mês de Setembro depois de um aperto financeiro que se agudizou em Agosto. “Não sabemos ainda o valor de

Rádio Internacional da China (CRI) vai promover as telenovelas nacionais dobradas para os países da Ásia, África e América Latina. A informação foi revelada nesta terça-feira durante uma apresentação nas instalações da estação. A CRI começou a fazer dobragens de telenovelas, filmes e documentários chineses em 2012, incluindo cinco telenovelas, 26 filmes e quatro documentários, afirmou o director da emissora, Wang Gengnian. Segundo Wang, as obras foram traduzidas para sete línguas, entre as quais o inglês, francês, português e espanhol, e serão transmitidas em alguns países africanos e latino-americanos. Segundo o vice-director daAdministração Geral da Publicação, Rádio, Filme e Televisão da China, Nie Zhenxi, a dobragem dos filmes e das telenovelas desempenha um papel importante na promoção da amizade e entendimento entre os povos da China e da África e América Latina. Com as dobra-

Balão de oxigénio A

cada tranche, mas vamos conseguir funcionar assim”, diz Seixas. “A Cinemateca pode funcionar com pouco, com nada é que não pode.” Confirmando que a verba, tal como aconteceu em Junho e Julho provém do Fundo de Fomento Cultural, Maria João Seixas precisou que já está a “remonetizar tudo com as chefias” dos vários serviços da Cinemateca e anunciou que vai procurar “apoios de mecenas” para complementar as verbas agora disponibilizadas pela Secretaria de Estado da Cultura. “Estamos cheios de ânimo.” Sobre 2014 e o que o futuro poderá reservar para a instituição, cujo financiamento provém na sua maioria de 20% das receitas obtidas com o pagamento por parte dos anunciantes de uma taxa de 4% sobre a exibição de publicidade nos canais de televisão, a responsável disse apenas que já foi apresentada à tutela “as previsões” do orçamento. Mas quanto a uma alteração do modelo de financiamento da Cinemateca Portuguesa, que abarca o mais valioso arquivo de cinema português, o ANIM, Maria João Seixas não quis fazer comentários.

Traduzidas para sete línguas A gens, mais africanos e latino-americanos poderão assistir às novelas chinesas nas suas línguas maternas, de forma a conhecerem melhor a cultura e história chinesa, afirmou Nie Zhenxi.

No segundo semestre, mais de 80 telenovelas e filmes chineses traduzidos e dobrados pela CRI vão chegar às televisões de vários países em África, Ásia e América Latina.


cultura 25

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

A

19.ª edição do Festival Internacional de teatro do Mindelo (Mindelact), que se inicia na quinta-feira, vai homenagear a companhia de teatro de Macau Point View Art Association. O presidente do Mindelact, João Branco, disse esta terça-feira à agência Lusa que este certame teatral, que decorre de 05 a 14 de Setembro, é considerado um dos maiores da África Lusófona e Ocidental e declarou-se satisfeito com o projecto, que conta com a parceria do Ministério da Cultura e apoio da presidência cabo-verdiana. “Estamos felizes por poder homenagear uma das

FESTIVAL DE TEATRO DO MINDELO, EM CABO VERDE, HOMENAGEIA COMPANHIA DE MACAU

Estreia asiática melhores companhias de teatro do mundo, a Point View Art, que é de Macau. É a primeira vez em 19 anos que temos a presença de uma companhia asiática no Mindelact. A Point View Art Association traz a peça ‘Playing Landscape’”, afirmou. Os macaenses estreiam-se no dia 14, com um espectáculo que, declarou João Branco, alia “teatro

e movimento, imagem e efeitos com água”. Segundo a organização, este ano há uma maior aposta na produção nacional, com cinco grupos representados em quatro espectáculos, sem no entanto descurar a internacionalização do festival, que irá contar, “pela primeira vez na história do Mindelact”, com grupos de quatro continentes (África,

América, Ásia e Europa), no palco principal. De Portugal está programada a participação de Paulo Laje, que apresenta a peça “Branca de Neve”, de Robert Walser, enquanto a companhia Os Satyros, com a peça “Inferno na Paisagem Belga”, é a convidada do Brasil. Da França está prevista a apresentação da peça “Magic Dust”, da companhia Azhar, e de Angola, o Elinga,

que participa no Mindelact pela quinta vez, apresenta “as Bondosas”. João Branco adiantou que nos dez dias de teatro haverá cinco companhias nacionais que subirão ao palco principal no Auditório do Centro Cultural do Mindelo. Nesta edição, o festival terá estreias absolutas, destacando-se a peça “Adão e Eva”, da Companhia Sikinada, da Cidade da Praia, com o texto original escrito pelo ministro da Cultura Mário Lúcio Sousa. A peça “Tempêstad”, uma versão crioula do texto de William Shakespeare, também consta do leque das grandes estreias na programação de 2013 e é uma

co-produção do Grupo do Centro Cultural do Mindelo e do grupo CraqOtchod. Do Fogo subirá ao palco o grupo de teatro Sem-Nexo, que apresentará a peça “Dissimulações Obscénicas”, fechando assim o quadro de estreias desta edição para este ano. O Festival Mindelct apresenta ainda, além dos espectáculos programados para o palco principal, o Festival Off e a Afrolândia, dedicada às crianças e incluindo um ciclo internacional de contadores de histórias. Este ano, o Teatro de Periferia, cujos espectáculos são apresentados em zonas periféricas da cidade, inclui também uma representação na cadeia civil da Ribeirinha para os reclusos. O Mindelact aposta ainda em várias acções de formação que serão ministradas nas vertentes de cenografia, dramaturgia, encenação, e “corpo movimento”. Durante o festival, a Associação Mindelact organiza, de 05 a 14 de Setembro, o 1.º Encontro Internacional de Programadores de Artes Cénicas. O objectivo é promover um espaço de intercâmbio entre os agentes teatrais cabo-verdianos e os programadores, no sentido de darem a conhecer os seus projectos teatrais, tendo em vista futuras participações em eventos fora de Cabo Verde. Uma iniciativa que tem como parceiro o Ministério da Cultura e que se enquadra na estratégia de fazer do Mindelo uma plataforma internacional e ideal para a circulação de espectáculos, dada a sua localização geográfica.

MUSEU DE ARTE ANTIGA E MUSEU DO PRADO ASSINAM ACORDO

Projectos conjuntos na forja A exposição “Rubens, Brueghel, Lorrain. A Paisagem do Norte no Museu do Prado”, a ser inaugurada a 29 de Novembro, é um dos primeiros projectos deste acordo. Na próxima segunda-feira, dia 9 de Setembro, o Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, e o Museu Nacional do Prado, de Madrid, vão assinar um acordo “com vista à realização de projectos conjuntos que promovam o conhecimento das colecções dos dois museus”, refere, em comunicado, a primeira instituição. A cerimónia terá lugar no Salão Nobre do Museu Nacional de Arte Antiga. Presentes estarão António

Filipe Pimentel, director do museu português, e Miguel Zugaza, director do Museu do Prado, é confirmado no mesmo comunicado. Entretanto foi já anunciada a inauguração no Museu Nacional de Arte Antiga da exposição “Rubens, Brueghel, Lorrain. A Paisagem do Norte no Museu do Prado”, marcada para o próximo dia 29 de Novembro. A exposição conta com quase 60 obras de grandes mestres do século XVII, pertencentes ao museu espanhol, sendo, como refere o Museu de Arte Antiga, “a primeira de várias iniciativas resultantes deste convénio”.

Cher, uma loira sensual aos 67 anos

A cantora renovou o visual para o seu novo álbum intitulado ‘Closer To The Truth’ onde aparece na capa de lingerie. Nas imagens promocionais do seu novo disco, Cher aparece deitada sobre uma almofada branca, vestida com uma camisa de noite em seda, e em poses sensuais. Além de mostrar que, aos 67 anos, continua em excelente forma física, a artista voltou a exibir o seu lado camaleónico já que trocou os seu longos cabelos pretos por um loiro platinado. “Este é provavelmente o melhor álbum que já fiz. As canções são brilhantes. Tive muita sorte”, revelou a cantora sobre o seu novo trabalho discográfico que é lançado no dia 24 deste mês.


26

DESPORTO

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

BOLINHA FC PORTO VENCEU CASA DE PORTUGAL POR 3-0

Vitória desafogada em encontro invernoso MAR CO CARVALHO info@hojemacau.com.mo

P

ELÉ foi ontem um técnico dividido. Afastado do banco e dos relvados por decisão oficial da Associação de Futebol de Macau, o jovem treinador de origem são-tomense é oficiosamente o responsável quer pela equipa da Casa de Portugal em Macau, quer pelo ressuscitado Futebol Clube do Porto do território. Ontem viu os dois emblemas esgrimirem argumentos no campo do Colégio Dom Bosco, numa

N

partida irremediavelmente prejudicada pelo mau tempo que se abateu sobre Macau. Num desafio lento e pouco espectacular, triunfou a formação que mais fez para abraçar a vitória. O Futebol Clube do Porto derrotou o Organismo Autónomo Desportivo pelo desafogado parcial de três bolas a zero, numa partida em que a chuva intensa estrangulou a mais ténue manifestação de bom futebol. Com uma linha avançada de grande qualidade, o Futebol Clube do Porto foi

UNCA os clubes ingleses tinham despendido tanto dinheiro na contratação de jogadores no mercado de Verão. Segundo a Delloite, as equipas da Premier League gastaram 7,4 mil milhões de patacas, batendo o recorde de 2008, ano em que usaram 5,9 mil milhões na compra de futebolistas. “A história deste mercado de Verão é de novos recordes: um novo recorde para os gastos da Premier League, bem como um novo recorde no valor de uma transferência”, disse Dan Jones, responsável da Delloite, citado pela BBC. Dan Jones refere-se à transferência de Gareth Bale, do Tottenham para o Real Madrid, que, segundo a imprensa inglesa, atingiu as mil milhões de patacas. O jornal espanhol El País também cita fontes do Tottenham, dando conta de um valor dessa ordem, o que faz desta a transferência mais alta de sempre, batendo os 94 milhões de euros que o Real Madrid pagou ao Manchester United por Cristiano Ronaldo – a generalidade da imprensa espanhola, no entanto, tem referido 910 milhões de patacas,

a primeira formação a levar perigo ao último reduto adversário. Muito dinâmico na frente de ataque dos dragões, o cabo-verdiano Alison Brito acabou por ser a principal figura do desafio, ao marcar dois dos três golos com que o sete azul e branco derrotou a Casa de Portugal. De regresso ao Futebol Clube do Porto depois de ter cumprido a temporada do futebol de onze com a camisola do Ka I, Brito inaugurou o marcador a meio da primeira parte e quase repetiu a dose nos instantes finais da etapa

inaugural, num cabeceamento que falhou por pouco o enquadramento com a baliza à guarda de Rafael. Co-adjuvado na frente de ataque dos dragões pelo brasileiro Leandro Fernandes, o cabo-verdiano voltou a mostrar trabalho no início da segunda metade, mas a primeira grande oportunidade de golo da etapa complementar pertenceu, no entanto, à Casa de Portugal. Uma ligeira desatenção da defesa azul e branca possibilitou um bom remate da linha avançada do sete do

Organismo Autónomo Desportivo. Ao conjunto azul e branco valeram os reflexos e a atenção do guarda-redes João Guedes. Quem não marca, arrisca-se a sofrer e foi o que sucedeu aos 39 minutos. Num dos raros momentos do desafio em que a água acumulada no relvado sintético do campo do colégio Dom Bosco não interrompeu uma acção ofensiva dos dragões, a bola sobrou para Alison Brito, após uma defesa incompleta de Rafael. Sem oposição, o dianteiro cabo-verdiano

empurrou para o fundo das redes adversárias com um remate cruzado, apontando o segundo golo da conta pessoal. Nos instantes finais do desafio foi a vez do franco-angolano Áureo Neto fazer o gosto ao pé, encerrando as contas do marcador. Com o triunfo, a Casa do Futebol Clube do Porto de Macau passa a somar quatro pontos. Com três derrotas em outros tantos jogos, a Casa de Portugal em Macau ainda não pontuou na presente edição do Campeonato de Futebol de Sete da I Divisão.

FUTEBOL EQUIPAS DA PREMIER LEAGUE DESPENDERAM 7,4 MIL MILHÕES DE PATACAS

Clubes ingleses batem recordes

Mesut Ozil (à direita)

colocando Bale como o segundo mais caro de sempre. Independentemente do valor real do negócio Bale, este Verão ficará na memória como tempo de

Marouane Fellaini

negócios milionários, que serviram para renovar a lista das transferências mais altas de sempre. Além de Bale, registo para mais três contratações que entram direc-

Serena Williams com Li Na nas meias-finais do Open dos EUA

A tenista norte-americana Serena Williams, número um do mundo, venceu na terçafeira a espanhola Carla Suarez Navarro por 6-0 e 6-0 no Open dos Estados Unidos e vai defrontar, nas meias-finais, a chinesa Li Na. Serena Williams, de 31 anos, apurou-se pela oitava vez e quinta consecutiva para as meias-finais do torneio e terá como rival Li Na, número cinco do mundo, que venceu a russa Ekaterina Makarova por 6-4, 6-7 (5-7) e 6-2. Williams procura garantir o seu quinto título no Open dos Estados Unidos.

tamente para o top ten das mais caras: o PSG pagou 645 milhões ao Nápoles por Cavani, o Mónaco gastou 600 milhões na aquisição de Falcao ao Atlético de Madrid e o Barcelona pagou 570 milhões para ter Neymar, ex-jogador do Santos. A Liga inglesa acabou por ser a mais gastadora, graças a alguns negócios de última hora: Ozil chegou ao Arsenal por 500 milhões de patacas e Marouane Fellaini foi contratado pelo Manchester United ao Everton, por 320 milhões. A seguir à Liga inglesa, destacaram-se as compras da Liga espanhola e da Série A italiana (ambas com 3,9 mil milhões de patacas, a Liga francesa (3,7) e a Liga alemã (2,7 milhões). A Delloite não divulgou dados sobre a Liga portuguesa, mas, segundo o site Transfermarkt, os clubes portugueses terão gasto cerca de 700 milhões de patacas, sendo que FC Porto e Benfica são responsáveis por cerca de 600 milhões.

Olhando para os dados por clubes, o Real Madrid foi o mais gastador, apesar de até ter feito a maior venda da sua história (Ozil ao Arsenal por 500 milhões de patacas). Segundo o Transfermakt, o clube presidido por Florentino Pérez gastou mais de 1,7 mil milhões de patacas, seguido pelo Mónaco (1,6), Tottenham (1,2), Manchester City (1,1) e PSG (1,1). Do lado dos clubes vendedores, os russos do Anzhi fizeram o maior encaixe (1,3 mil milhões), graças às vendas de Willian ao Chelsea (380 milhões) e de vários outros jogadores (Denisov, Lassana Diarra ou Kokorin) no mercado russo. O Tottenham foi o segundo na lista das vendas (1,3 mil milhões), à frente do Real Madrid (1,1), da Roma (mil milhões) e do Sevilha (900 milhões). O FC Porto, graças às vendas de Moutinho e James ao Mónaco, surge no sétimo posto, com um encaixe de 740 milhões.


FUTILIDADES

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

27

TEMPO AGUACEIROS OCASIONAIS MIN 24 MAX 29 HUM 80-95% • EURO 10.5 BAHT 0.2 YUAN 1.2

[TELE]VISÃO TDM 13:00 13:30 13:45 14:30 19:00 19:30 20:30 21:00 21:20 22:20 23:00 23:30 23:45 00:45 01:15

TDM News - Repetição Campanha Eleitoral para a Assembleia Legislativa Telejornal + 360° (Diferido) RTPi DIRECTO Caminho das Índias (Repetição) Vingança Telejornal Campanha Eleitoral para a Assembleia Legislativa TDM Talk Show Caminho das Índias TDM News Resumo Liga dos Campeões Herman 2013 Telejornal (Repetição) RTPi DIRECTO

RTPi 82 14:00 14:35 15:30 16:00 17:00 17:20 18:20 19:10 20:00 21:15 22:05 22:20

Telejornal Madeira Poplusa Moda Portugal Bom Dia Portugal Recantos Verão Cá Dentro O Teu Olhar (Telenovela) Amores e Desamores Jornal da Tarde O Preço Certo Destinos.pt Verão Total

] C I N E M A

[

SALA 1

SALA 2

SALA 3

Um filme de: David Twohy Com: Vin Diesel, Kerl Urban, Katee Sackoff, Jordi Mollà 14.30, 16.45, 19.15, 21.30

Um filme de: Dean Parisot Com: Bruce Willis, John Malkovich, Mary-Louise Parker, Helen Mirren 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

(FALADO EM JAPONÊS E LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS) Um filme de: Takashi Miike Com: Takao Osawa, Nanako Matsushima, Tatsuya Fujiwara 14.30, 16.45, 19.15, 21.30

RIDDICK [C]

RIDDICK

Cineteatro

RED 2 [B]

SHIELD OF STRAW [C]

M A C A U [ S Ã ] A S S A D O ESPECIALISTA OU NÃO...

Foto: Facebook

Pu Yi

O lençol Claro que gostava de dormir contigo, Agora que a minha cama me engole o corpo, Neste quarto quente e solitário. Reviro o sono do anseio. Preciso de me sentir estático e abraçado Pelo sonho da tua presença. Esta noite sou insónia. Não me entra na cabeça o inconsciente Do dormir profundo e calmo.

30 - FOX Sports 13:00 Liga Bbva 2013/14 Real Madrid CF vs. Athletic Club de Bilbao 14:30 Liga Bbva 2013/14 Valencia CF vs. FC Barcelona 16:00 Dutch Eredivisie 2013/14 FC Groningen vs. Ajax Amsterdam 17:30 Road To Kona Frankfurt 18:00 GTS Series Highlights 2013 18:30 Liga Bbva 2013/14 La Liga World 19:00 Football Asia 2013/14 19:30 (LIVE) FOX SPORTS Central 20:00 The Football Review 2012-2013 20:30 The Ultimate Fighter 22:00 FOX SPORTS Central 22:30 Classic Boxing: Tyson Vs Berbick 23:00 Classic Boxing: Ali Vs Ron Lyle 31 - STAR Sports 13:00 Total Rugby 13:30 2 Wheels 14:00 Auto GP World Series 15:00 Rebel TV 20 15:30 Inside Grand Prix 2013 15:55 (LIVE) FIA F1 World Championship 2013 Practice Session 1 Italian Grand Prix 17:30 2 Wheels 18:00 Liga Bbva 2013/14 Real Sociedad vs. Atletico de Madrid 19:30 The Football Review 2012-2013 19:55 (LIVE) FIA F1 World Championship 2013 Practice Session 2 Italian Grand Prix 21:30 (LIVE) Score Tonight 2013 22:00 Football Asia 2013/14 22:30 Inside Grand Prix 2013 23:00 (LIVE) Formula Friday 23:30 Score Tonight 2013 23:55 (LIVE) 2014 FIFA World Cup Brazil Asian Qualifiers Jordan vs. Uzbekistan 40 - FOX Movies 11:35 The Three Stooges 13:10 Salt 14:50 Once Upon A Time 15:40 Eve Of Destruction 17:10 Wreck-It Ralph 18:55 We Bought A Zoo 21:00 Chronicle 22:25 Bait 00:00 The Darkest Hour 41 - HBO 11:00 The Matrix Revolutions 13:20 Red Eye 14:50 The Rock 17:10 Changing Lanes 18:50 Battleship 21:00 The Italian Job 22:50 The Eagle 00:45 Tower Heist 42 - Cinemax 13:00 Evil Never Dies 14:45 Wonder Woman 16:00 Rebel Without A Cause 18:00 Catwoman 19:45 Battle Los Angeles 21:45 Epad On Max 22:00 Spartacus: War Of The Damned 23:00 The Cold Light Of Day 00:45 Captain America

POR MIM FALO

• Ao olharmos para esta imagem existe algo que não nos deixa com dúvidas: trata-se de uma loja de uniformes. Agora se o dono na loja é um expert na matéria, a coisa pode ficar um pouco mais enevoada. Especialista ou não, temos uniformes, senhores!

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA LUÍSA SOBRAL • The Cherry on my Cake

Voz, guitarra, papel e caneta. «The Cherry on my Cake» é o primeiro disco assinado em nome próprio de uma viagem musical que começou logo aos 12 anos. Dos Beatles a Billie Holiday, de Ella Fitzerald a Chet Baker, de Regina Spektor a Bjork, todos cabem no universo de Luísa Sobral. A cantora estudou na Berklee College of Music, em Boston (EUA), e durante a estadia de 4 anos naquela cidade foi nomeada para «Best Jazz Song», no Malibu Music Awards (2008); «Best Jazz Artist» no Hollywood Music Awards; «International Songwirting Competition» (2007) e ainda «The John Lennon Songwriting Competition» (2008).

PANDA VAI À ESCOLA • O Musical – ao vivo

Um dos personagens mais famosos e queridos pelas crianças está de volta com o DVD “Panda Vai à Escola, O Musical – ao vivo”, um espectáculo onde não faltam temas como “Laranjas e Bananas”, “Olha o Piolho” ou “O Jogo das Cores” e muitos outros sucessos. No espectáculo participa a turminha do Panda, composta por um elenco de jovens cantores, actores e bailarinos que contagiam com a sua alegria, energia e boa disposição, a que aliam uma grande interacção com o público, sempre com o objectivo de ensinar, a brincar. RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

Volta! Devolve-me a almofada do teu corpo E cobre-me com a acalmia da tua pele. És o meu lençol.


28 publicidade

hoje macau quinta-feira 5.9.2013


hoje macau quinta-feira 5.9.2013

publicidade 29

FELICITAÇÕES PELO 12º ANIVERSÁRIO DO HOJE MACAU

ASSOCIAÇÃO DOS APOSENTADOS, REFORMADOS E PENSIONISTAS DE MACAU FELICITA O HOJE MACAU PELA PASSAGEM DO SEU 12.O ANIVERSÁRIO


OPINIÃO

A broa dos velhos

A

Alberto Pinto Nogueira in Público

República vive da mendicidade. É crónico. Alexandre de Gusmão, filósofo, diplomata e conselheiro de D. João V, acentuava que, depois de D. Manuel, o país era sustentado por estrangeiros. Era o Séc. XVIII. A monarquia reinava com sumptuosidades, luxos e luxúrias. A rondar o Séc. XX, Antero de Quental, poeta e filósofo, acordava em que Portugal se desmoronava desde o Séc. XVII. Era pedinte do exterior. A Corte, sempre a sacar os cofres públicos, ia metendo vales para nutrir nobrezas, caçadas, festanças e por aí fora…. Uma vez mais, entrou em bancarrota. Declarou falência em 1892. A I República herdou uma terra falida. Incumbiu-se de se autodestruir. Com lutas fratricidas e partidárias. Em muito poucos anos, desbaratou os grandes princípios democráticos e republicanos que a inspiraram. O período posterior, de autoritarismo, traduziu uma razia deletéria sobre a Nação. Geriu a coisa pública por e a favor de elites

cartoon por Stephff

com um só pensamento: o Estado sou eu. Retrocedia-se ao poder absoluto. A pobreza e miséria dissimulavam-se no Fado, Futebol e Fátima. As liberdades públicas foram extintas. O Pensamento foi abolido. Triturado. O Povo sofria a repressão e a guerra. O governo durou 40 anos! Com votos de vivos e de mortos. A II República recuperou os princípios fundamentais de 1910, massacrados em 1928. Superou muitos percalços, abusos e algumas atrocidades. Acreditou-se em 1974, com o reforço constitucional de 1976, que se faria Justiça ao Povo. Ingenuidade, logro e engano. Os partidos políticos logo capturaram o Estado, as autarquias, as empresas públicas. Nada aprenderam com a História. Ignoram-na. Desprezam-na. Penhoraram a Nação. Com desvarios e desmandos. Obras faraónicas, estádios de futebol, auto-estradas pleonásticas, institutos públicos sobrepostos e inúteis, fundações público-privadas para gáudio de senadores, cartões de crédito de plafond ilimitado, etc. Delírio, esquizofrenia esbanjadora. O país faliu de novo em 1983. Reincidiu em 2011.

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

O ENTERRO DO FARAÓ NO VALE DOS REIS

30

Penhoraram a Nação. Com desvarios e desmandos. Obras faraónicas, estádios de futebol, auto-estradas pleonásticas, institutos públicos sobrepostos e inúteis, fundações público-privadas para gáudio de senadores, cartões de crédito de plafond ilimitado, etc. Delírio, esquizofrenia esbanjadora

O governo arrasa tudo. Governa para a troika e obscuros mercados. Sustenta bancos. Outros negócios escuros. São o seu catecismo ideológico e político. Ao seu Povo reservou a austeridade. Só impostos e rombos nas reformas. As palavras “Povo” e “Cidadão” foram exterminadas do seu léxico. Há direitos e contratos com bancos, swaps, parcerias. Sacrossantos. Outros, (com trabalhadores e velhos) mais que estabelecidos há dezenas de anos, cobertos pela Constituição e pela Lei, se lhe não servem propósitos, o governo inconstitucionaliza aquela e ilegaliza esta. Leis vigentes são as que, a cada momento, acaricia. Hoje umas, amanhã outras sobre a mesma matéria. Revoga as primeiras, cozinha as segundas a seu agrado e bel-prazer. É um fora de lei. Renegava a Constituição da República que jurou cumprir. Em 2011, encomendou a um ex-banqueiro a sua revisão. Hoje, absolve-a mas condena os juízes que, sem senso, a não interpretam a seu jeito!!! Os empregados da troika mandam serrar as reformas e pensões. O servo cumpre. Mete a faca na broa dos velhos. Hoje 10, amanhã 15, depois 20%. Até à côdea. Velhos são velhos. Desossem-se. Já estão descarnados. Em 2014, de corte em corte (ou de facada em facada?), organizará e subsidiará, com o Orçamento do Estado, o seu funeral colectivo. De que serviu aos velhos o governo? E seu memorando?

RADIAÇÃO EM FUKUSHIMA ATINGE O TOPO


opinião 31

hoje macau quinta-feira 5.9.2013

Ricardo Pinho

disse-me um passarinho...

twitter.com/ricardo

A celebração mais humana é aquela que não pressupõe a derrota de outrém. Em muitos adeptos

de clubes e militantes partidários, pura maldade.

LEOCARDO

bairro do oriente

Campanhas negras no dia 15. Pode ser que haja tufão nesse dia. Isso seria ouro sobre azul.

FRANCISCO DE GOYA, SATURNO DEVORANDO O SEU FILHO

I Estamos desde sexta-feira em período de campanha eleitoral, com as 20 listas candidatas aos 14 lugares no hemiciclo pela via directa a tentar captar os votos do eleitorado, mudando o sentido de uns, convencendo os indecisos e aborrecendo toda a gente. A caça ao voto teve início à meia-noite da última sexta-feira – pelo menos oficialmente – e prolonga-se até à meia-noite de sexta-feira 13, e sabendo o que a casa gasta, deverá ainda “mexer” até ao encerramento das urnas, no final da tarde do Domingo seguinte. O comportamento de grande parte das listas, dos seus candidatos e elementos da sua estrutura é lamentável. Nem parece que são gente crescida. Mais parecem pré-adolescentes em campanha para a eleição de presidente do recreio. Sem ofensa para os mais jovens, pois uma campanha para eleição de uma associação de estudantes numa escola secundária da Bobadela ou da Cova da Piedade decorreria de forma mais ordeira. Já não chegou terem começado a campanha antes da data, aproveitando-se descaradamente das “zonas cinzentas” da lei e da displicência da Comissão Eleitoral, como ainda se comportaram como vândalos na hora de começar a colar os cartazes na Praça do Tap Seac. Algumas listas nem conseguiram aguardar pela meia-noite, e começaram o chinfrim eleitoral quinze minutos antes da hora marcada, não sei se por despeito, ou apenas por mera falta de educação. Alguns destes infractores são figures da nossa praça, com experiência nestas andanças e supostamente gente “fina”. Não sei se esta estratégia do safanão, do empurrão e da pisadela produz algum resultado na angariação de votos, ou se comportar-se como duas sopeiras que andam ao estalo pelo último conjunto de talheres de cozinha na feira lhes traz dois ou três votos que podem fazer toda a diferença. Confesso a minha completa ignorância sobre esta estranha arte, muito própria das pseudo-democracias, como é o caso de Macau. Mas ao ver a “fina flor” da política local a agir como uma cambada de rufias armados em espertalhões, dá-me vontade de os mandar todos à fava, e ficar em casa

Não sei se esta estratégia do safanão, do empurrão e da pisadela produz algum resultado na angariação de votos, ou se comportar-se como duas sopeiras que andam ao estalo pelo último conjunto de talheres de cozinha na feira lhes traz dois ou três votos que podem fazer toda a diferença. Confesso a minha completa ignorância sobre esta estranha arte, muito própria das pseudo-democracias, como é o caso de Macau

II A Associação de Patinagem de Macau (APM) comemora os seus 30 anos com a realização de um torneio quadrangular de hóquei em patins, e que se inicia hoje, com a participação da selecção local, o Japão, Taiwan e a equipa de sub-17 de Macau, que se estreia no próximo mês no mundial de sub20 da modalidade. Os atletas formados pela APM são na sua grande maioria portugueses nascidos no território, e viajam no final do mês até Cartagena, na Colômbia, onde entre 6 e 12 de Outubro vão medir forças com a elite mais jovem do hóquei patinado. Neste braço-de-ferro a formação de Macau leva desvantagem, quer pela sua juventude (o jogador mais velho tem 17 anos), quer pela sua inexperiência, pelo que é pouco recomendável alimentar expectativas ou falar de vitórias – vão sobretudo para aprender. São conhecidas as dificuldades com que se debatem os praticantes do hóquei, que se queixam há anos da falta de recintos para treinar e de uma certa ostracização a que são vetados, talvez por se tratar do desporto “dos portugueses”. Portugueses ou não, a verdade é que o hóquei em patins é a única modalidade desportiva em que Macau apresenta resultados acima da fasquia do humilhante, e em que o nome do território sobe ao lugar mais alto do pódio a nível asiático. Só depois de oito campeonatos asiáticos conquistados e uma participação num mundial “A” em 2005, tiveram o seu mérito reconhecido pelo governo da RAEM, que apenas o ano passado os distinguiu com uma medalha de mérito desportivo. Se isto não é má vontade, é pelo menos “amnésia selectiva”. Não obstante tudo isto, há ainda que ache imensa piada quando a selecção é goleada frente a outras com muito mais condições, experiência e ritmo competitivo, oriundas de países onde se leva a sério o desporto de competição – em geral, não apenas este. Fico a torcer para que os “benjamins” de Alberto Lisboa dêem o seu melhor, e seja qual for a sua prestação, valeu sempre a pena investir. Ficar de braços cruzados a mandar bocas é que não leva ninguém nem à Colômbia, nem a lado nenhum.

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Cecilia Lin; Joana de Freitas; José C. Mendes; Rita Marques Ramos; Zhou Xuefei [estagiária] Colaboradores Amélia Vieira; Ana Cristina Alves; António Falcão; António Graça de Abreu; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; David Chan; Fernando Eloy ; Fernando Vinhais Guedes; Gonçalo Alvim; Helder Fernando; Isabel Castro; Jorge Rodrigues Simão; Leocardo; Paul Chan Wai Chi Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Tiago Alcântara; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


hoje macau quinta-feira 5.9.2013

ARIEL CASTRO MANTEVE TRÊS MULHERES EM CATIVEIRO EM CASA DURANTE DEZ ANOS

Sequestrador enforcado na cela

depois foi transportado e o óbito foi declarado” às 22h52 locais (3h52 de Lisboa), acrescentou a porta-voz do estabelecimento prisional. De acordo com o The New York Times o detido foi levado para o Ohio State University Wexner Medical Center, onde foi confirmada a morte. Entretanto foi aberto um inquérito ao caso já que, ainda de acordo com o NYT, não é clara a forma como Ariel Castro se terá enforcado.

LUGAR PARA ARIEL SÓ NA PRISÃO, DISSE O JUIZ

O

sequestrador de Cleveland, que manteve três mulheres escondidas em casa, no Ohio, foi encontrado enforcado na cela. Ariel Castro ainda estava vivo e os guardas prisionais transportaram-no para o hospital mas as manobras de reanimação falharam e o detido acabou por morrer. De acordo com as informações da prisão, citadas pela BBC, Ariel Castro morreu na noite de terça-feira, aos 53 anos. Tinha sido condenado no dia 1 de Agosto a pena de prisão perpétua por ter mantido durante mais de uma década em cativeiro três mulheres. O caso foi descoberto em Maio, altura em que se soube que as três mulheres (agora com 32, 27 e 23 anos) estiveram acorrentadas e que foram repetidamente violadas pelo antigo condutor de uma carrinha escolar. Com uma delas chegou mesmo a ter um filho. Entretanto, a casa onde tudo aconteceu foi demolida. Uma porta-voz do estabelecimento prisional de Ohio ondeAriel Castro estava detido, JoEllen Smith, citada pela BBC, especificou que o condenado estava sozinho numa cela e que era feita uma ronda a cada 30 minutos devido à notoriedade do seu caso, ainda que não houvesse medidas especiais relacionadas com risco de suicídio.

RISCO DE SUICÍDIO TINHA SIDO AFASTADO

Segundo o Washington Post, antes da condenação, Ariel Castro chegou a estar preso com vigilância permanente mas como foi afastado o risco de suicídio após a condenação passou-se para este tipo de ronda. “Depois de encontrarem Castro inanimado, a equipa médica da prisão começou as manobras de suporte básico de vida. Pouco

No dia em que foi condenado, Ariel Castro ouviu o juiz afirmar que não havia lugar para ele neste mundo a não ser a prisão. E ouviu Michelle Knight, uma das três mulheres que raptou, violou e manteve presas durante vários anos, dizer-lhe que o seu inferno iria começar naquele momento. Ariel Castro foi acusado de 977 crimes, entre eles homicídio agravado, ao ter provocado um aborto numa das mulheres que mantinha presas em casa. Nos termos de um acordo, considerou-se culpado de 937 desses crimes – no início do processo declarou-se inocente. Em tribunal, Ariel Castro pediu desculpa às vítimas, mas garantiu não ser um monstro, insistindo que não é mau nem violento e que foi vítima de abusos quando era criança. “Estão a pintar-me como um monstro. Não sou um monstro. Sou doente”, disse o antigo motorista, de 53 anos, que compareceu em tribunal de uniforme laranja e barba. Aliás, durante os dez anos de cativeiro Castro conseguiu manter uma vida normal perante amigos e família e chegou mesmo a comparecer perante vigílias pelas meninas desaparecidas. A audiência foi muito emotiva e ficou marcada pelo depoimento de Michelle Knight, a única das três vítimas a comparecer em tribunal. “Durante 11 anos, estive no inferno. Agora o teu inferno está a começar. Vais viver no inferno pela eternidade”, disse Michelle Knight, de 32 anos. “A partir deste momento, não vou deixar que me afectes. Vou seguir a minha vida e tu morrerás um bocadinho todos os dias.” A sentença surgiu depois de Ariel Castro ter chegado a acordo com o tribunal para evitar a pena de morte. Castro raptou Michelle Knight, Amanda Berry e Georgina DeJesus entre 2002 e 2004. Berry tinha 16 anos, DeJesus 14 e Michelle Knight 21.

PUB


Hoje Macau 5 SET 2013 #2930