Page 1

QUARTA-FEIRA 4 DE JULHO DE 2018 • ANO XVII • Nº 4085

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

DIREITOS LGBT

ARCO-ÍRIS EM HONG KONG

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

TAILÂNDIA

PÁGINA 6

PÁGINA 9

ESPECULAR MATRÍCULAS

SOBREVIVENTES NO ESCURO

hojemacau

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

GRANDE PLANO

PONTE HZM

MOP$10

TRAGÉDIA NA AREIA PRETA Fuga de gás provoca explosão em restaurante na Areia Preta. Até ao fecho da edição o balanço oficial apontava para uma vítima mortal e seis feridos.

ÚLTIMA


2 grande plano

4.7.2018 quarta-feira

HONG KONG Um estudo do Centro de Direito Público Comparado da Universidade de Hong Kong revela que 50,4 por cento dos inquiridos concorda com a legalização do matrimónio entre pessoas do mesmo sexo e com a igualdade direitos. Em 2013, apenas 38 por cento concordava com a legalização do casamento gay. Em Macau não há dados oficiais, numa sociedade que permanece conservadora, segundo activistas locais

A IGUALDADE AQUI AO LADO

E

ESTUDO REVELA MAIORIA A FAVOR DO CASAMENTO GAY

M quatro anos muito mudou no que diz respeito à atitude que a sociedade de Hong Kong tem em relação à comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgénero). Um estudo ontem divulgado pelo Centro de Direito Público Comparado da Universidade de Hong Kong revela que cerca de metade dos inquiridos, ou seja, 50,4 por cento, concorda com a legalização do casamento homossexual na região vizinha. Em 2013, apenas de 38 por cento dos inquiridos se mostravam a favor, “uma minoria de residentes”, apontam os autores do estudo. O trabalho desenvolvido teve como objectivo estabelecer um termo de comparação com os dados de há quatro anos atrás, com a diferença de que, o ano passado, os investigadores decidiram perguntar às pessoas se concordavam com a inclusão dos casais do mesmo sexo no pedido de visto de permanência em Hong Kong, no caso de um dos parceiros ser natural da RAEHK. “Um total de 53 por cento dos inquiridos concorda que homossexuais e lésbicas de Hong Kong devem poder pedir um visto para os seus parceiros de longo termo que vivem no território. 18 por cento mostraram-se neutros, enquanto que 29 por cento concordaram”, lê-se no documento divulgado na página oficial do centro da Universidade de Hong Kong no Facebook. Holning Lau, Charles Lau, Kelley Loper, Yiu-tung Suen, os autores do estudo, apontam alguns factores para esta mudança de atitude. “É importante realçar que, no período que separou os dois inquéritos, os tribunais de EUA e Taiwan consideraram ser inconstitucional excluir os casais do mesmo sexo do casamento. Estes desenvolvimentos

fizeram muitas manchetes em Hong Kong e podem ter contribuído para uma mudança na opinião pública.” Os autores apontam ainda para o facto das opiniões não estarem directamente relacionadas com questões morais, uma vez que os dados são diferentes no que diz respeito à aceitação da homossexualidade e do casamento gay. “É interessante observar que, tanto em 2013 como em 2017, a percentagem de pessoas que aceita-

vam muito ou de forma moderada os homossexuais e lésbicas é menor do que a percentagem de pessoas que disse que os casais do mesmo sexo deveriam, pelo menos, ter os mesmos direitos dos casais heterossexuais. Esta discrepância pode sugerir porque os indivíduos em Hong Kong não formam as suas opiniões sobre direitos legais com base nas suas crenças privadas e morais.” Na visão dos autores, “os indivíduos podem opor-se à ho-

mossexualidade com base nas suas convicções religiosas mas, ao mesmo tempo, podem acreditar que as leis de Hong Kong deveriam basear-se em noções seculares de igualdade e aceitam os direitos dos casais do mesmo sexo”. Apesar da homossexualidade continuar a não ser bem aceite em muitos países, os investigadores defendem que a mentalidade da sociedade de Hong Kong está a ir numa direcção mais positiva do que negativa. “Estudos recentes sugerem que a aceitação da comunidade gay e dos seus direitos tem vindo a aumentar em muitas partes do mundo. Contudo, o mundo também tem vindo a polarizar-se neste sentido, com a aceitação a diminuir em alguns países. A nossa investigação sugere que o padrão de mudança de Hong Kong está relacionado com a o padrão global e maioritário de uma aceitação crescente.”

DIREITOS PARA TODOS

Um estudo da Universidade de Hong Kong revela que cerca de metade dos inquiridos, ou seja, 50,4 por cento, concorda com a legalização do casamento homossexual na região vizinha. Em 2013, apenas de 38 por cento dos inquiridos se mostravam a favor

Este trabalho foi realizado entre 12 de Maio e 6 de Junho do ano passado, com uma amostra de residentes de Hong Kong com mais de 18 anos. Um total de 1437 pessoas completaram o inquérito em cantonês e inglês. No geral, 78 por cento dos inquiridos acredita que os “casais do mesmo sexo deveriam ter, pelo menos, alguns dos direitos de que usufruem os casais heterossexuais, comparando com os 73 por cento registados em 2013”. “Concluímos que, na questão sobre a aceitação social, que houve um significativo aumento estatístico na percentagem de pessoas que afirmam aceitar homossexuais e lésbicas”, acrescentam os autores, explicitando os direitos que os inquiridos gostariam de ver alarga-


grande plano 3

quarta-feira 4.7.2018

dos aos casais gay. Igualdade nas visitas a hospitais, direitos legais a pedir indemnizações em caso de acidentes mortais ou acesso à herança, entre outros, foram algumas situações apontadas e que registaram também uma maior aceitação em relação a 2013. “Em quatro anos houve um aumento significativo na percentagem de pessoas que concordam que os casais do mesmo sexo deveriam ter os mesmos direitos em todas estas áreas”, referiram os autores do estudo. Olhando para os números, 67 por cento concorda que os casais do mesmo sexo deveriam estar protegidos da

discriminação ao nível da habitação. Já 72 por cento concorda que o parceiro deve ter direito a uma indemnização em situações de acidentes fatais, enquanto que 61 por cento concorda que os casais

do mesmo sexo deveriam poder herdar a propriedade do outro. A nível jurídico, a população de Hong Kong não está apenas aberta à legalização do casamento gay como também está a favor que

“No geral, as pessoas de Macau tendem a ser conservadoras, a ficar em silêncio, optam por manter a postura de ‘não perguntes, não respondas’. Não podemos dizer se a sociedade teve progresso em relação à aceitação dos casais do mesmo sexo nos últimos dois anos.” ANTHONY LAM ASSOCIAÇÃO ARCO-ÍRIS DE MACAU

estes casais estejam protegidos por lei em situações discriminatórias. “Um total de 69 por cento das pessoas afirmaram em 2017 que Hong Kong deveria ter uma lei contra a discriminação sexual, comparando com os 58 por cento de 2013.”

MACAU, AQUELE DESERTO

O HM contactou a Associação Arco-Íris de Macau, da qual fazem parte Anthony Lam e Jason Chao, no sentido de perceber se também no território houve uma mudança de mentalidades nos últimos anos. Os únicos dados estatísticos que existem sobre a comunidade LGBT surgiram de dois inquéritos realizados

pela associação, e que foram feitos com uma amostra de pessoas que pertencem à comunidade LGBT. Foi este o motivo que levou Anthony Lam, presidente da associação, a ter dificuldades em traçar o retrato da situação na RAEM. “O estudo que fizemos há dois anos mostra que quase 100 por cento dos participantes defenderam a importância de legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo em Macau, e que a comunidade LGBT não deveria ser discriminada. As leis de Macau não protegem os casais do mesmo sexo, o casamento não é permitido e não temos direitos em termos de heranças dos nossos parceiros”, exemplificou. Para Anthony Lam, permanece o silêncio quando se fala deste assunto. “No geral, as pessoas de Macau tendem a ser conservadoras, a ficar em silêncio, optam por manter a postura de ‘não perguntes, não respondas’. Não podemos dizer se a sociedade teve progresso em relação à aceitação dos casais do mesmo sexo nos últimos dois anos”, apontou. Jason Chao, outro activista dos direitos da comunidade LGBT, acredita que a postura da sociedade vai mudar, mas apenas daqui a algumas décadas. Em relação a Hong Kong, apesar de se registar uma mudança na forma de pensar da população, o Governo continua a não querer legalizar o casamento. “A semana passada tive a oportunidade de discutir a questão da legalização do casamento gay em Hong Kong com alguns dos meus colegas, e eles sabem que pode existir de facto uma maior protecção relativamente aos direitos dos casais do mesmo sexo, mas que as autoridades de Hong Kong continuam a não defender a legalização do casamento.” Na visão de Jason Chao, o Governo Central não vai travar uma maior protecção de direitos aos casais de LGBT, mas o Executivo da RAEHK deverá seguir a mentalidade mais tradicional vinda do continente. “Não é que vá existir uma proibição clara da parte de Pequim relativamente à legalização do casamento gay, mas parece-me que há muitas autoridades mais fundamentalistas que estão a fazer o que podem para travar os desejos da comunidade LGBT.” Tanto Anthony Lam como Jason Chao não conseguiram garantir se a Associação Arco-Íris vai realizar um novo estudo sobre este assunto. “Neste momento, não consigo supervisionar a realização de nenhum inquérito, mas deveria ser feito um novo estudo. Não sei se teremos recursos para realizar um novo inquérito”, adiantou Jason Chao, também activista político ligado à Associação Novo Macau. Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo


4 política

4.7.2018 quarta-feira

F

OI ontem assinado, pela totalidade dos deputados da 3ª comissão permanente, o parecer da proposta de lei sobre o benefício fiscal à contratação de pessoas com deficiência. A diploma vai agora ser apresentado à Assembleia Legislativa para votação na especialidade, apesar de ter sido alvo de críticas dos deputados ao longo do processo legislativo. De acordo com o parecer, o Governo deveria definir, consoante os graus de deficiência e o salário auferido, diferentes níveis no montante dedutível no valor do imposto. O objectivo seria conceder um maior benefício fiscal às entidades empregadoras que contratem pessoas com um grau e deficiência grave ou para um posto de trabalho com salários mais elevados. O Executivo não aceitou a sugestão. “A administração considera que não há uma relação proporcional entre grau de invalidez e a facilidade ou dificuldade de uma pessoa portadora de deficiência ser contratada e a sua capacidade de trabalho”, refere o parecer. No entender do Governo, o factor que vai influenciar a produtividade de um trabalhador com deficiência é a conciliação entre o tipo de trabalho para que é contratado e a incapacidade que tem. “Uma pessoa com deficiência auditiva extrema grave pode ser qualificada para trabalhos físicos”, exemplifica o Executivo. Sobre o mesmo ponto, a Administração deu novamente como referência o caso do cientista Stephen Hawkings que, apesar de ter sido “portador de uma deficiência motora muito grave”, a incapacidade “não afectou o seu trabalho e sucessos alcançados como cientista”, lê-se no parecer.

DEFICIÊNCIA BENEFÍCIOS FISCAIS SEGUEM PARA VOTAÇÃO NA ESPECIALIDADE

Mais vale parecer

Apesar das críticas, o parecer da proposta de lei sobre o benefício fiscal à contratação de pessoas com deficiência foi assinado por todos os deputados da 3ª comissão permanente. O documento vai ser agora submetido ao presidente da AL para, depois, seguir para votação na especialidade

Apesar da aceitação por parte dos deputados da proposta que agora vai ser apresentada ao hemiciclo para votação na especialidade, o

presidente da 3ª comissão permanente, Vong Hin Fai, não deixou de expressar que as preocupações se mantêm.

“Com isto, os empregadores podem querer contratar apenas pessoas com menor grau de deficiência e com salários mais

reduzidos”, apontou o presidente da comissão. De acordo com a proposta, para terem acesso ao benefício fiscal, as empresas têm de contratar trabalhadores com cartão de registo de avaliação de deficiência, que já é atribuído pelo Governo, e com um horário que complete, pelo menos, 128 horas mensais.

PATRÕES EXCLUÍDOS

No que respeita aos empregadores, apesar dos pedidos da comissão para que, no caso de também serem deficientes, fossem incluídos nos beneficiários da proposta de lei, o Governo manteve a sua exclusão. “Para que este benefício seja aplicado é necessário que exista uma relação de empregador/trabalhador”, argumentou a Administração. A proposta prevê uma dedução fiscal de 5000 patacas no imposto complementar de rendimento do empregador por cada trabalhador com deficiência que tenha a seu cargo.

“A administração considera que não há uma relação proporcional entre grau de invalidez e a facilidade ou dificuldade de uma pessoa portadora de deficiência ser contratada e a sua capacidade de trabalho.” PARECER DA 3ª COMISSÃO PERMANENTE DA AL

No documento inicial, este benefício seria dado por despacho do Chefe do Executivo. No entanto, depois da discussão da proposta na sessão parlamentar que a aprovou na generalidade, e ouvidas as opiniões dos deputados da comissão, a dedução passa a constar do próprio diploma. “A versão final da proposta de lei estabelece agora, inequivocamente, o montante máximo da dedução fixado em 5000 mil patacas”, referiu Vong In Fai após a reunião de ontem.

SALÁRIO DE PARTE

Quanto à questão de proporcionalidade, o Governo considera que o nível salarial não reflecte a capacidade de trabalho nem o desempenho das pessoas portadoras de deficiência. “Classificar o benefício fiscal a obter a partir dos diferentes níveis salariais é inadequado para fomentar a contratação de mais pessoas portadoras de deficiência por parte dos empregadores”, aponta o documento.

Sofia Margarida Mota

Sofia.mota@hojemacau.com.mo

KAIFONG CHEFE DO EXECUTIVO PRESENTE EM ESCOLA LIGADA A HO ION SANG

O

Chefe do Executivo realizou ontem uma visita à Escola dos Moradores do Bairro do Patane, ligada à União Geral das Associações de Moradores de Macau (UGAMM, ou Kaifong), a que pertence o deputado Ho

Ion Sang. O encontro serviu, de acordo com um comunicado oficial, para “a troca de impressões acerca do aperfeiçoamento do ensino”. O Chefe do Executivo referiu que, nos últimos anos, houve uma “grande” evolução no sistema

de ensino, uma vez que “o Governo vem aumentando gradualmente os recursos atribuídos a esta área, desde o ensino básico ao superior”. Ho Ion Sang, também assessor da comissão da escola, esteve presente no encontro,

que serviu para apresentar o projecto de expansão do campus da instituição de ensino, “articulando as necessidades de admissão de mais alunos com o aumento das instalações de ensino, servindo, deste modo, a população”. Foi

pedido apoio ao Governo, mas o Chefe do Executivo advertiu para eventuais problemas que possam ocorrer. “Chui Sai On alertou para a necessidade de conhecer bem a regulamentação de construção no espaço circundante à escola, [tendo

sugerido] que a expansão do campus seja planeada através de uma visão a longo prazo, seguindo as exigências educativas actuais e salvaguardando ainda as condições e qualidade do ensino”, lê-se no comunicado.


política 5

quarta-feira 4.7.2018

Agora sim, o regresso Deputado pró-democrata Sulu Sou voltou ontem à AL

A `

S 10h15 da manhã de ontem Sulu Sou recebeu a notificação daAssembleia Legislativa (AL) a informar que a sua suspensão estava terminada. “A AL notifico-me de que tinha recebido o documento do tribunal a confirmar que o meu caso estava fechado”, disse aos jornalistas depois da reunião da terceira comissão da qual já fez parte. “Foi uma emergência para mim, porque foi apenas 15 minutos antes da reunião”, disse. Mas o deputado já estava na AL desde as 9h30 e “já tinha preparado o material para discussão do tema em sede de comissão na noite anterior”, apontou Sou. A satisfação por voltar ao trabalho legislativo era visível, até porque se sentiu bem-vindo no regresso a funções. “Gostei de ver que houve deputados que se mostraram satisfeitos com o meu regresso. Penso que o presidente Vong Hin Fai já sabia, até antes de mim, do meu regresso porque quando entrei não o notei surpreendido”, revelou. Mas o deputado não pensou apenas nos colegas PUB

aquando do seu regresso às lides legislativas. “Penso que muitos dos meus apoiantes ficaram contentes com esta notícia de última hora”, afirmou.

TRANSPARÊNCIA EM VISTA

Ao saber que podia regressar ao trabalho, Sulu Sou partilhou um vídeo no Facebook em que mostrou o percurso, agora já no exercício das suas funções, do seu gabinete à sala de reuniões da 3ª comissão permanente.  O deputado, que antes da suspensão, defendia a abertura das reunião de comissão ao público para uma maior transparência reafirmou ontem esta posição. "Espero que um dia possa transmitir ao vivo estas reuniões", até porque a “AL sempre pediu ao Governo transparência  e nós ainda temos muito espaço para melhorar a nossa transparência também”, sublinhou. Hoje Sulu Sou entrega um pedido de debate na AL numa iniciativa conjunta com o deputado José Pereira Coutinho. “Vou cooperar com o deputado Coutinho no que respeita ao pedido de debate acerca da construção do crematório e espero que possamos submeter o debate em conjunto”, rematou. Sofia Margarida Mota

Sofia.mota@hojemacau.com.mo

Grande Baía Mais uma visita do CE

O Chefe do Executivo, Fernando Chui Sai On, vai liderar uma comissão do Governo da RAEM que vai visitar várias cidades da zona da Grande Baía, nomeadamente Zhaoqing, Foshan, Huizhou e Dongguan, entre 9 e 11 de Julho. A informação foi avançada, ontem, pelo Governo em comunicado. Esta viagem acontece poucos dias depois de Chui Sai On ter feito uma semelhante, a outras cidades da Grande Baía. Além de Macau e Hong Kong, Guangzhou, Shenzhen, Zhuhai, Foshan, Huizhou, Dongguan, Zhongshan, Jiangmen e Zhaoqing são as cidades que integram a Grande Baía.


6 sociedade

4.7.2018 quarta-feira

POLÍCIA SEGURANÇA PRIVADA À PORTA DE ESQUADRAS É SUSPENSA

F

TRÂNSITO PONTE FAZ DISPARAR ESPECULAÇÃO COM MATRÍCULAS DUPLAS EM HONG KONG

O preço incerto

Em Macau ainda não há casos registados, mas na região vizinha começou a corrida às matrículas duplas com acesso à ponte. Se o preço original era de 960 dólares de Hong Kong, agora há quem as revenda por 600 mil dólares

A

S matrículas para a circulação de veículos na Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau estão a ser especuladas no território vizinho e, em alguns casos, chegam a valer 600 mil dólares de Hong Kong. Um valor exorbitante face ao preço original de venda que é 960 dólares de Hong Kong. A informação foi avançada, ontem, numa reportagem da Central News Agency (CNA), agência ligada ao Governo de Taiwan. Segundo os regulamentos da ponte, as matrículas duplas emitidas para a circulação Hong Kong e a Província de Cantão vão ter acesso à infra-estrutura, durante um período experimental de dois anos. São estas matrículas que estão agora a ser especuladas. Casos semelhantes foram noticiados pelo jornal TaKungPao, de Hong Kong, que contou que, apesar da ponte ainda não estar a funcionar, já foram detectados casos de especulação na compra deste tipo de matrículas. Os Serviços de Viagem da China em Hong Kong (China Travel Service) é a entidade responsável pelos pedidos de matrículas duplas para as duas regiões. Contudo, a

oferta deste tipo de matrículas é limitada e a emissão de novos pedidos está suspensa, depois de ter sido alcançada a quota máxima. É por esta razão que os preços das matrículas dispararam até 600 mil dólares de Hong Kong na região vizinha, porque além do acesso à Província de Guangdong permitem igualmente o acesso à ponte.

POR 410 MIL DÓLARES

São também várias as agências que anunciam online e nas ruas os serviços para ajudar os residentes de Hong Kong a comprar as placas metálicas “mágicas”. Por exemplo, um homem entrevistado pela CNA, que trabalha no sector

As matrículas para a circulação de veículos na Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau estão a ser especuladas no território vizinho e, em alguns casos, chegam a valer 600 mil dólares de Hong Kong

de restauração e dos táxis, revelou que comprou três matrículas, cada uma com por 410 mil dólares. Agora o seu objectivo passa por vender as matrículas quando os preços voltarem a subir novamente. Enquanto aguarda pela valorização, aproveita para poder conduzir em Guangdong e mesmo na ponte, assim que esta abrir. Outro indivíduo explicou à CNA que na origem da especulação galopante está o facto das autoridades terem limitado a emissão de matrículas nesta fase inicial. Segundo a entrevista existe um desfasamento demasiado grande entre a procura e oferta das matrículas duplas. Esta não é a primeira vez que a situação se regista em Hong Kong. Em Agosto do ano passado, quando ainda havia a expectativa de que a ponte pudesse começar a funcionar no final de 2017, os Serviços de Viagem da China em Hong Kong tiveram mesmo de emitir um aviso contra fraudes a explicar que não existiam agências subcontratadas para autorizar os pedidos de circulação. Ao contrário da RAEHK, em Macau as matrículas duplas com o Continente não tem quotas para circular na ponte. Vítor Ng

info@hojemacau.com.mo

OI suspensa a segurança privada à porta dos Comissariados Policiais de Macau e das Ilhas, revelou ontem o canal de rádio da TDM. A medida tinha sido aplicada no início do ano, tal como a Radio Macau tinha anunciado. Agora, o Corpo da Polícia de Segurança Pública (CPSP), explica que foi apenas a título experimental. Apesar da insistência da TDM-Rádio Macau, o CPSP não indica quando é que a medida foi suspensa. A segurança privada aplicava-se aos Comissariados Policiais 1, 2 e 3, em Macau, e ainda aos Comissariados Policias das Ilhas, Taipa e Coloane. O CPSP explicou, em resposta à Rádio Macau, que estas “eram medidas experimentais, exclusivamente nas entradas e saídas das principais instalações. “Atendendo à necessidade desta Polícia, actualmente, o pessoal de segurança é colocado no Serviço de Migração”, acrescentou. A PSP indicou também que “face às necessidades de pessoal, não se descarta que, no futuro, a colocação do pessoal de segurança seja novamente reconsiderada”. O recurso ao pessoal de segurança privada nas esquadras, notou a PSP na mesma resposta à Radio, “surgiu como medida de apoio ao serviço policial da linha de frente e o seu emprego é flexível e apropriado à satisfação das necessidades reais e de acordo com as situações quando assim se justificam”. O reforço do pessoal de segurança teve início em 2015, nos postos fronteiriços das Portas do Cerco e do Cotai, apenas em dias feriados e de festividades.  Em 2016, a medida passou a ser implementada diariamente nesses postos fronteiriços, bem como na Sede do Serviço de Migração e no Posto Fronteiriço do Parque Industrial Transfronteiriço Zhuhai-Macau. Esta política acabou por ser estendida em 2017 aos restantes postos fronteiriços.

Mosquitos Índice de propagação mais baixo

Os Serviços de Saúde registaram em Junho uma média do índice de propagação de mosquitos (ovitrap) de 56,5 por cento, valor mais baixo do que a média registada no período homólogo desde 2002 (66,3 por cento). A Península de Macau foi a área onde o índice de propagação de mosquitos (ovitrap) registou um valor mais elevado em particular nos bairros sociais do São Lourenço e Fai Chi Kei, com 72.6 por cento e 57.9 por cento, respectivamente. Nas Ilhas, o valor mais elevado foi registado em Coloane atingindo os 78.2 por cento. A informação foi avançada ontem pelos Serviços de Saúde de Macau, que apelam à população para tomar as medidas de protecção necessárias.


sociedade 7

quarta-feira 4.7.2018

TIAGO ALCÂNTARA

TURISMO VISITANTES REGRESSAM A CASA SATISFEITOS COM MACAU

Com final feliz A

associação Poder do Povo realizou ontem uma conferência de imprensa onde pediu uma nova lei que trave a especulação que a associação refere estar a acontecer na gavetões fúnebres. O pedido foi feito depois dos dirigentes da associação notarem a actuação de empresas privadas que tentam captar a atenção dos residentes de Hong Kong para a compra de espaços em columbários de Macau. Neste sentido, a Poder do Povo teme que exista uma situação de especulação à semelhança do que acontece na área do imobiliário. No entender de Si Tou Fai, presidente da associação, apesar da publicidade na região vizinha não ter levado a um aumento de preços em Macau, a verdade é que, em Hong Kong a procura é superior à oferta, o que pode levar a um maior investimento no território. Ainda assim, o dirigente lembra que, em 2005, os preços das casas em Macau registaram um aumento significativo devido aos investimentos que vieram de Hong Kong, temendo que a história se repita, desta vez com os gavetões fúnebres. Neste sentido, a Poder do Povo defende que a lei deveria determinar um prazo para a proibição da venda nos espaços nos columbários a seguir à sua compra, à semelhança do que acontece com as habitações económicas. Foi também sugerido que se cobre aos investidores que não residam em Macau impostos mais elevados sobre a compra de espaços em câmaras funerárias e avance com restrições quanto ao número de aquisições por pessoa. V.N. / A.S.S.

A relação entre residentes e visitantes é o aspecto mais negativo do turismo local, de acordo com um estudo recente. Mesmo assim, as pessoas do continente regressam a casa com uma imagem positiva e mostram-se disponíveis para recomendar aos amigos uma visita a Macau TIAGO ALCÂNTARA

PODER DO POVO PEDIDA LEI DE COMBATE À ESPECULAÇÃO DE GAVETÕES FÚNEBRES

Os serviços foram uma das áreas que mais impressionaram os visitantes dos continentes. A frase “Em geral, os serviços de turismo oferecidos em Macau são de qualidade elevada” conseguiu uma pontuação uma média de concordância de 5,930 pontos. Na mesma linha, a premissa de que a oferta de serviços de turismo em Macau face ao Interior da China é superior em todos os aspectos, alcançou uma concordância média de 5,922 pontos. Os turistas destacaram igualmente o sentimento de segurança que sentiram nas ruas da RAEM. A frase “não me sinto preocupado com o crime em Macau” teve um consenso de 5,759 pontos, enquanto que o sentimento de segurança face à existência de violência e ataques terroristas somou 5,889 pontos e 5,878 pontos, respectivamente.

POUCOS SORRISOS

A

maior parte dos turistas vindos do Interior fica satisfeita com a visita ao território e tem tendência para aconselhar Macau como destino aos amigos e conhecidos. Esta é uma das conclusões de um estudo elaborado, no mês passado, por Ivan Ka, da Cidade Universidade de Macau, Yide Liu, da Universidade de Ciência e Tecnologia de

Macau, Dong Lu, da Universidade de Chengdu e Michael Hitchcock, da Universidade de Londres. O trabalho tem como título “A influência do meio boca a boca na escolha de destinos turísticos”. Através de um total de 422 questionários feitos em alguns dos principais pontos turísticos da RAEM, os inquiridos foram desafiados a classificar diferentes aspectos numa escala de 1 a 7, em

que o valor mais baixo corresponde a “discordo fortemente” e o valor mais elevado significa “concordo fortemente”. Segundo os resultados apurados, o aspecto que teve uma média mais elevada foi a predisposição das pessoas para contarem a amigos, familiares e conhecidos coisas positivas sobre Macau, que alcançou um pontuação média de 5,925, na escala de 1 a 7 pontos.

Água DSPA vai definir instruções para bebedouros públicos

A Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA) espera que até ao final do anos as instruções para os bebedouros públicos, que ainda estão a ser elaboradas, sejam publicadas. O objectivo passa por impulsionar e facilitar o fornecimento de água potável nas instalações seguras e higiénicas ao público. Além disso, o

Executivo está a procurar instalar filtros de água para poder fornecer água potável nas actividades públicas de grande dimensão. A informação foi avançada num comunicado enviado pela Associação da Sinergia de Macau, na sequência de um encontro entre o presidente da associação, Lam U Tou, e o director da

DSPA, Raymond Tam. A Associação da Sinergia de Macau tinha divulgado em Junho um mapa, que elaborou em cooperação com outros dois grupos de protecção ambiental, com os locais onde turistas e residentes podem beber água potável, de forma a reduzir a utilização de garrafas de plástico.

A área que teve uma classificação mais negativa foi a relação entre residentes e turistas. Mesmo assim obteve uma pontuação suficiente para ser considerada positiva. A frase “Os residentes de Macau são amigáveis com os turistas” teve uma pontuação de 4,951 pontos, ao mesmo tempo que o aspecto “Os residentes de Macau estão disponíveis para interagir com os turistas” acumulou uma média de 5,026 pontos. “Os resultados da análise mostra que a percepção de segurança tem efeitos significativos tanto na satisfação geral com a viagem como nas recomendações feitas boca a boca”, sublinhas os investigadores. “Conclui-se que a relação entre residentes e turistas e a percepção de segurança são factores importantes para o crescimento sustentado como destino turístico”, é acrescentado no estudo. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo


8 china

4.7.2018 quarta-feira

ECONOMIA PEQUIM PEDE AOS EUA QUE NÃO BLOQUEIE AS SUAS EMPRESAS

A grande muralha de Donald Trump

A China pediu ontem aos Estados Unidos que não especule com as empresas chinesas nem trave as suas operações, depois de Washington ter recomendado que seja negada uma licença à China Mobile para operar no país

“A

PELAMOS aos EUA que abandonem a mentalidade da Guerra Fria e o jogo de soma nula, deveriam ver este assunto de forma correcta”, afirmou Lu Kang, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, numa conferência de imprensa, em Pequim. Washington deve “oferecer um trato igualitário e um ambiente favorável para as empresas chinesas e fazer mais para promover a confiança mútua e cooperação”, algo que “serve o interesse de ambos os países”, acrescentou. Lu apelou às

empresas chinesas que invistam nos EUA com respeito pelas leis chinesas, as regras internacionais e locais. PUB

O comentário do porta-voz chinês surge depois de a Administração Nacional de Informação e Telecomunicações dos EUA, que está sob a tutela do Departamento do Comércio, ter apontado motivos de “segurança nacional”, para recomendar à Comissão Federal de Comunicações, uma agência independente, que trave a entrada no país da estatal chinesa China Mobile, a maior operadora de telecomunicações do mundo.

SEGURANÇA NACIONAL

“Depois de uma significativa interacção com a China Mobile, as preocupações

“Apelamos aos EUA que abandonem a mentalidade da Guerra Fria e o jogo de soma nula, deveriam ver este assunto de forma correcta.” LU KANG PORTA-VOZ DO MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS

sobre o aumento de riscos para a ordem pública e segurança nacional não foram dissipadas”, afirmou em comunicado David J. Redl, o vice-secretário para as Comunicações e Informação do Departamento de Comércio. Com cerca de 900 milhões de usuários, a China Mobile pediu em 2011 uma licença para operar nos EUA. A Administração de Donald Trump anunciou, no mês passado, taxas alfandegárias de 25 por cento sobre um total de 34.000 milhões de dólares de importações oriundas da China, numa retaliação contra a falta de protecção dos direitos de propriedade intelectual das empresas norte-americanas no país asiático. Washington acusa Pequim de exigir às empresas estrangeiras que transfiram tecnologia para potenciais concorrentes chinesas, em troca de acesso ao mercado chinês. Trump ameaça ainda limitar os investimentos chineses nos EUA.

Signo de Rodman Equipas de basquetebol da Coreia do Sul em Pyongyang para jogo amigáveis

A

S equipas feminina e masculina de basquetebol da Coreia do Sul estão a caminho da Coreia do Norte para jogarem uma série de jogos amigáveis, em mais uma demonstração do estreitamento das relações entre os dois países vizinhos. Uma delegação sul-coreana, composta por jogadores, autoridades governamentais e jornalistas saiu ontem em dois aviões da base aérea de Seongnam com destino a Pyongyang por volta das 20h, de acordo com os órgãos de comunicação social presentes na delegação. O ministro da Unificação sul-coreano, Cho Myoung-gyon, que lidera a delegação, afirmou esperar que ambas as partes “caminhem em direcção à paz”. O ministro preferiu não revelar pormenores sobre o itinerário que a delegação vai fazer enquanto estiver na Coreia do Norte, não confirmando também se vai ou não encontrar-se com o líder norte-coreano, Kim Jong-un. As equipas masculinas e femininas dos dois países vão disputar quatro partidas, amanhã e quinta-feira, sendo que em duas destas partidas

as equipas vão-se misturar com atletas dos dois países. No dia 18 de Junho, a Coreia do Norte e a Coreia do Sul reuniram-se na fronteira para discutirem colaborações no âmbito desportivo. A deslocação das equipas de basquetebol à Coreia do Norte foi uma das consequências desta reunião. A outra, foi divulgada na semana passada, quando foi anunciado que as duas Coreias vão competir com uma equipa conjunta nas modalidades de canoagem, remo e basquetebol feminino nos Jogos Asiáticos que decorrem no final de Agosto na Indonésia. Em mais um passo rumo ao desanuviamento das relações entre os dois países vizinhos, atletas das duas Coreias vão desfilar juntos na cerimónia de abertura dos Jogos que decorrem entre 18 de Agosto e 2 de Setembro. O desporto tem sido um 'trampolim' para a reconciliação entre o sul e o norte. Os Jogos Olímpicos de Inverno que decorreram em Fevereiro na Coreia do Sul serviram de ponto de partida para o ambiente de apaziguamento que se vive actualmente.

Índia Pelo menos cinco pessoas feridas após colapso de ponte pedestre

P

ELO menos cinco pessoas ficaram feridas ontem na sequência do colapso parcial de uma ponte pedestre numa estação de comboio de Mumbai, anunciaram as autoridades. De acordo com responsáveis, pelo menos uma pessoa continua presa nos escombros e os cinco feridos já foram hospitalizados. Um oficial dos bombeiros afirmou que o trabalho de resgate estava a ser realizado na estação de Andheri, mas que as fortes chuvas que se fazem sentir na região estão a dificultar as operações de socorro. Esta ponte ligava a parte leste e oeste

da estação. O incidente ocorreu pela manhã, numa hora de grande afluência de pessoas naquela estação. Os serviços de comboio na área circunscrita foram interrompidos. Um porta-voz dos caminhos-de-ferro já veio a público declarar que nenhum comboio atravessou esta estação durante o desabamento parcial da ponte. O ministro dos Caminhos-de-Ferro da Índia, Piyush Goyal, já ordenou uma investigação sobre o incidente. Todos os dias, milhões de passageiros usam a extensa rede ferroviária de Mumbai, uma das mais congestionadas do mundo.


região 9

quarta-feira 4.7.2018

Os responsáveis pelas operações de resgate da equipa de futebol encontrada numa gruta no norte da Tailândia têm agora de decidir como retirar os meninos e o treinador da caverna parcialmente inundada, uma tarefa que pode levar semanas

D

ESFIGURADOS e famintos, os meninos (entre 11 e 16 anos) piscaram os olhos com a chegada do facho de luz transportado pela primeira equipa de mergulhadores a encontrá-los, depois de 10 dias nas profundezas escuras de uma caverna parcialmente inundada na Tailândia. A caverna Tham Luang Nang Non fica na província de Chiang Rai e estende-se sob uma montanha por cerca de 10 quilómetros. Grande parte dela tem uma série de passagens estreitas que levam a amplas câmaras. O solo rochoso e lamacento faz várias mudanças na elevação ao longo do caminho. O vídeo da descoberta destes meninos e do seu treinador (de 25 anos) pelos socorristas já foi visto milhões de vezes na internet. Nele, os 12 meninos e o treinador trocam breves palavras com o mergulhador britânico que os encontrou na noite de segunda-feira. A troca começa com um obrigado em uníssono pelas crianças tailandesas em inglês e prossegue com o aparecimento das equipas de resgate, que emergem das águas turvas da caverna. "Quantos são vocês?", pergunta o britânico em voz alta, com a luz varrendo a escarpa lamacenta onde o grupo encontrou refúgio, longe dos meandros da rede

TAILÂNDIA RETIRAR EQUIPA DE FUTEBOL DE CAVERNA PODE LEVAR SEMANAS

Meninos da caverna subterrânea. "Treze", responde em inglês um dos pequenos tailandeses, ao mesmo tempo que a lâmpada ilumina os meninos um por um, como se o mergulhador os contasse. Alguns dos "javalis selvagens", como se chama a equipa de futebol, colocaram as suas camisas vermelhas nos joelhos para tentar proteger-se do frio. Parecem abatidos, mas aqueles que se expressam parecem lúcidos, apesar dos longos dias sem comida. O vídeo publicado na noite de segunda-feira na página oficial do Facebook da Marinha da Tailândia já foi visto 14 milhões de vezes. A conversa continua com murmúrios

em tailandês, pontuados pelas palavras do mergulhador que os quer tranquilizar. Um dos garotos pergunta em inglês hesitante se eles vão "sair". "Não, não hoje (...) Somos dois, temos de mergulhar (...) Estamos a chegar, há muita gente a chegar, muita gente, nós somos os primeiros". O mergulhador levanta as mãos para dizer ao grupo que está no subsolo há dez dias, acrescentando: "vocês são muitos forte". Então, dá uma lâmpada ao grupo. A câmara de filmar treme e o som desaparece, mas o vídeo estabiliza. "Estou muito feliz", disse um dos adolescentes. "Estamos felizes também", responde o elemento

das equipas de resgate. “Muito obrigado”, respondem os garotos.

NAS PROFUNDEZAS

Os mergulhadores britânicos Robert Harper, Richard Stanton e John Volanthen chegaram às crianças antes dos especialistas da marinha tailandesa. O Conselho Britânico de Resgate de Cavernas, que tem membros envolvidos na operação, estima que os garotos tenham percorrido cerca de dois quilómetros de caverna e estejam entre 800 metros e um quilómetro abaixo da superfície. Outras estimativas colocam os meninos até quatro quilómetros para dentro da gruta.

O vídeo da descoberta destes meninos e do seu treinador (de 25 anos) pelos socorristas já foi visto milhões de vezes na internet. Nele, os 12 meninos e o treinador trocam breves palavras com o mergulhador britânico que os encontrou

As autoridades tailandesas dizem que estão comprometidas a 100 por cento com a segurança destas crianças na altura de decidir como as retirar. Os meninos não parecem precisar de sair urgentemente da gruta por razões médicas. De acordo com o coordenador nacional da Comissão Nacional de Resgate em Cavernas nos EUA e editora do Manual das Técnicas de Salvamento em Cavernas, a principal decisão agora é retirar as crianças ou alimentá-las ainda no interior. Depois de uma pausa nos últimos dias, mais chuvas estão a caminho nesta época de monções. A previsão do Departamento Meteorológico da Tailândia para Chiang Rai indica chuva leve até sexta-feira, seguida por fortes chuvas a partir de sábado e pelo menos até dia 10 de julho. Essas tempestades podem elevar os níveis de água na caverna novamente e complicar qualquer possibilidade de retirada dos meninos. Junto com os esforços de busca dentro da caverna, equipas de resgate têm procurado na montanha por outros caminhos possíveis para as cavernas. As autoridades disseram que estes esforços continuarão e que retroescavadoras e equipamentos de perfuração foram enviados para a montanha, adiantando que criar um eixo grande o suficiente para extrair os meninos seria extremamente complicado e poderia levar muito tempo. O Conselho Britânico de Resgate de Cavernas disse que os garotos estão "localizados num espaço relativamente pequeno” e que “isso tornaria qualquer potencial tentativa de perfuração como um meio de resgate muito difícil". Enquanto isso, na web tailandesa, é a explosão de alegria. "Estou quase a chorar, vocês são tão corajosos e persistentes", dizem os comentários dos internautas tailandeses na página do Facebook da Marinha.

JAPÃO UNIVERSIDADE PARA MULHERES VAI ACEITAR TRANSEXUAIS EM 2020

U

MA universidade só para mulheres no Japão anunciou que vai aceitar alunos transexuais a partir de 2020, uma decisão rara no país, onde os direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (LGBT) estão ainda aquém de outros países

desenvolvidos. “É importante criar um ambiente no qual a sociedade, como um todo, aceite a diversidade e seja solidária com as pessoas transexuais”, declarou na ontem o ministro da Educação japonês, Yoshimasa Hayashi, em conferência de imprensa.

A decisão da Universidade Ochanomiz, em Tóquio, é uma abertura “provavelmente sem precedentes”, disse fonte do mesmo Ministério à agência France-Press (AFP). “As universidades precisam de tomar medidas para melhor compreender as

necessidades das minorias sexuais, mesmo que depois a decisão pertença a cada estabelecimento”, acrescentou. De acordo com o porta-voz da Universidade, a medida entra em vigor em Abril de 2020 e dirige-se a futuros estudantes nascidos homens, mas que se

identificam como mulheres.A secretária-geral da Aliança do Japão para a legislação LGBT, Akane Tsunashima, saudou a iniciativa, que considerou “um passo positivo em direcção a um ambiente de aceitação geral das minorias sexuais nas universidades”. Os direi-

tos dos LGBT no Japão são relativamente progressistas para os padrões asiáticos, mas continuam a não ter a mesma igualdade jurídica. De acordo com o instituto japonês de pesquisa LGBT, 8 por cento dos japoneses pertencem a minorias sexuais.


10 mundial 2018

4.7.2018 quarta-feira

pinião

A burocratização do futebol

Yuri Bobeck

Quem acompanha futebol há muitos anos, ou nem há tantos anos assim, pelo menos nas últimas duas décadas, nota que o futebol de seleções ‘burocratizou-se’. Na primeira fase deste Mundial’2018 foram poucos os jogos realmente atraentes, salvo o Portugal 3-3 Espanha, e nesta fase dos oitavos de final, exceptuando a magnífica vitória francesa sobre a Argentina por 4-3, o grande jogo deste Campeonato do Mundo até aqui, e a louca segunda parte do Bélgica 3-2 Japão, temos acompanhados jogos demasiado enfadonhos, burocráticos, tacticamente pobres e sem grandes momentos para mais tarde recordar. A impressão é que faltam talentos em maior abundância, mais agressividade na parte ofensiva por parte dos seleccionadores, e talvez, em minha opinião, mais vontade de vencer. Acompanhar os 120 minutos de sonolentos jogos de futebol que foram os deste domingo, 1 de Julho, nas classificações por penáltis de Rússia e Croácia, fez-me lembrar de quando os jogos do Mundial de futebol eram mais atraentes, criavam mais expectativa, e realmente contavam-se os dias para determinada partida. A antiga máxima de que ‘o medo de perder é maior que a vontade de ganhar’ parece estar mais actual que nunca entre as selecções participantes do grande evento que pára o planeta a cada quatro anos. O Brasil, que ainda espera um brilho maior de Neymar, não teve grandes dificuldades até aqui, jogando contra equipas mais preocupadas em defender do que ganhar os jogos. A vitória brasi-

leira sobre o México nos oitavos foi convincente, principalmente pela exibição de Willian, médio do Chelsea, e que não vinha de bons jogos pelo ‘escrete’. Coutinho, o melhor brasileiro até aqui no torneio, pouco produziu contra os mexicanos, e Neymar, com um importante golo que abriu a classificação aos quartos, e protagonista de uma confusão com o ex-portista Layún, são as principais figuras canarinhas na Rússia, e terão pela frente o primeiro teste a sério neste Mundial, a Bélgica e sua grande geração que procura fazer história. Este confronto entre Brasil e Bélgica promete ser um dos grandes jogos deste Campeonato do Mundo, talvez um daqueles para ficar na memória. Quem sabe seja o grande jogo de Neymar, ou a confirmação desta badalada geração belga comandada pelo trio Hazard, De Bruyne e Lukaku. Que este Brasil e Bélgica seja um espectáculo à altura de um Campeonato do Mundo, com lances de génio por parte dos camisolas 10. Que seja um jogo atraente, com emoção, e nada burocrático. Pelo bem do futebol e de seus ainda milhões de fãs, que talvez estejam a sentirem-se um pouco órfãos, agora sem a presença de Cristiano Ronaldo e Messi nos relvados russos, eliminados precocemente. Enfim, que o duelo entre Neymar e Hazard possa entrar para a história como um dos grandes confrontos dos Mundiais, e que o talento sempre supere a chatice e o pragmatismo de selecções e seleccionadores avessos ao espectáculo e ao futebol.

SONHOS EFÉMEROS

Num dos jogos mais aborrecidos deste Mundial, um golo de Fosberg, no segundo tempo, foi suficiente para a Suécia derrotar a Suíça e garantir um lugar nos quartos-de-final. Em São Petersburgo, os suíços tiveram mais bola mas os nórdicos criaram mais perigo. Na próxima fase vão medir forças com o vencedor do Colômbia Inglaterra

D

O ponto de vista dos nomes, este seria o jogo menos apetecível dos oitavos-de-final. Duas selecções sem grandes pergaminhos no futebol mundial, apesar de a Suécia ter sido vice-campeão Mundial em 1958, quando perdeu em casa para o Brasil. Mas este estava longe de ser um jogo inédito entre estas duas selecções. Suíça e Suécia já se tinham enfrentando em fases finais de Mundiais de futebol em cinco ocasiões, com duas vitórias dos nórdicos e três dos helvéticos. De recordar que a Suécia foi a vencedora do Grupo F, com os mesmos seis pontos do México, numa poule onde a Alemanha terminou em último. Já a Suíça ficou em 2.º no Grupo E, tendo empatado com o Brasil na ronda inaugural. Os primeiros 45 minutos foram mornos, com pouca qualidade. Duas selecções com formas diferentes de actuar: a Suécia, a tentar chegar a área contrária o mais rápido possível, com lances de contra-ataque ou então bolas longas, a Suíça tentar pensar mais o jogo, com Shaqiri como principal municiador do ataque. Mas o médio do Stoke City raramente conseguiu colocar a bola em Drmic, Dzemaili e Zuber. Os suecos, com menos toques na bola, chegavam com mais facilidades à área contrária e criavam mais perigo. Berg falhou o 1-0 aos oito minutos, Sommer negou o tento a Berg aos 29 com uma defesa fantástica

S de

SUÉCIA ELIMINA SUÍÇA E ESTÁ NOS “QUART

Golo no último minuto deixa a Bélgica nos 'quartos' e o Japão em lágrimas

U

M golo de Chadli, no último lance da partida, completou ontem de madrugada a reviravolta no marcador e garantiu à Bélgica um lugar nos quartos de final do Mundial2018 de futebol, num triunfo dramático sobre o Japão, por 3-2. Na Arena Rostov, a Bélgica recuperou de uma desvantagem de dois golos e protagonizou por Chadli, aos 90+4 minutos, a ‘cambalhota’ no jogo, quando o prolongamento já parecia inevitável. Foi mesmo o último lance do jogo, já que de seguida o árbitro apitou para o final, não dando qualquer hipótese

ao Japão de poder chegar ao empate. Com surpresa e de uma forma ‘letal’, os nipónicos colocaram-se na frente do marcador com golos de Haraguchi, aos 48 minutos, e Inui, aos 52, mas os belgas recuperaram por Vertonghen, aos 69, e Fellaini, aos 74. Com este triunfo, a Bélgica 'carimbou' um lugar nos ‘quartos’ e vai defrontar o Brasil, na sexta-feira, em Kazan. Os ‘canarinhos’ bateram o México, por 2-0. A formação europeia, comandada pelo espanhol Roberto Martinez, beneficiou do maior poderio físico que teve

sobre os jogadores nipónicos, mas também de alguma ingenuidade da equipa rival, que permitiu à Bélgica construir um rápido lance de contra-ataque nos segundos finais, que acabou por resultar no golo decisivo de Chadli. Com os dois golos de ‘rajada’ do Japão, a Bélgica ‘tremeu’ e ficou mesmo com ‘pé e meio’ fora do Campeonato do Mundo, mas a entrada de Fellaini e Chadli, aos 65 minutos, mudou a partida e os dois jogadores acabaram mesmo por ser determinantes. A Bélgica teve sempre mais bola, mas falhou muito


mundial 2018 11

quarta-feira 4.7.2018

e seca

TOS” PELA 5ª VEZ NA SUA HISTÓRIA

e Ekdal atirou por cima aos 42, após centro fantástico de Lustig. Três boas oportunidades, contra apenas um da Suíça, de Dzemaili aos 39, já dentro da área. O segundo tempo não foi diferente do primeiro: Suíça com mais bola, Suécia a criar mais perigo. Aos 67, Lindeloff iniciou uma jogada de ataque pela direita, a bola chegou a Forsberg no meio. O remate do médio foi desviado por Akanji e traiu Sommer. Finalmente um golo. Vladimir Petkovic, seleccionador helvético, aproveitou para arriscar mais, lançado Seferovic, avançado do Benfica, e Embolo, para tentar o empate. Pressionou muito, tentou de todas as formas mas não foi suficiente. Embolo viu Forsberg tirar-lhe um golo em cima da linha de golo aos 80.  Seferovic também teve uma oportunidade aos 90 mas o seu cabeceamento foi defendido por Olsson. Já nos descontos, Lang foi expulso após travar Martin Olsson que ia isolado para marcar. O árbitro começou por marcar penálti mas, após consultar as imagens, por sugestão do VAR, corrigiu a decisão e marcou falta de fora da área já que o empurrão ao sueco aconteceu fora da área. No livre, a Sommer defendeu com os punhos. A Suécia está nos quartos-de-final de um Mundial pela 5.ª vez na sua história. Há 20 anos que os 'vikings' não chegavam a esta fase. Nos quartos-de-final vão defrontar o vencedor do Colômbia - Inglaterra.

FACTOS DIVERSOS...

México Layún alvo de ameaças de morte

Miguel Layún tem sido alvo da fúria dos adeptos brasileiros nas redes sociais, depois do lance em que esteve envolvido com Neymar. Corria o minuto 70 da partida entre Brasil e México, a contar para os oitavos de final da competição, quando o lateral mexicano pisou Neymar na altura em que este ia recuperar a bola na linha lateral. Na sequência deste lance, as redes sociais de Layún, e até as da sua família, foram invadidas por adeptos brasileiros, com mensagens de ofensa e até ameaças de morte. Esta situação levou o lateral do FC Porto a reagir, deixando uma mensagem onde

diz que aceita as críticas, mas a apelar para que tenham respeito pela sua família. “A toda a gente do Brasil: não tenho interesse em entrar numa discussão que na minha opinião não faz sentido. Primeiro, porque o futebol se joga no relvado e, segundo, porque penso que vocês têm cabeça para entender o primeiro ponto. Se alguém tiver algum problema com o que aconteceu no jogo (mesmo o árbitro, após rever o VAR, falou comigo e disse-me que tinha visto que não tinha pisado de forma propositada. Caso contrário, seria expulso), podem enviar mensagens para a minha conta, mesmo a ameaçar. Não tenho problema, eu percebo bem de futebol. Mas se fizerem favor, respeitem a minha família. Isso não aceito. Obrigado”, escreveu o mexicano, nas Histórias do Instagram. Este caso acontece também depois dos jogadores da Dinamarca também terem sido ameaçados de morte depois da eliminação frente à Croácia.

Alemanha Löw permanece no comando

O seleccionador alemão de futebol, Joachim Löw, vai continuar no cargo, apesar da eliminação da ‘mannschaft’ na fase de grupos do Mundial2018, anunciou ontem a federação germânica (DFB). Com contrato até ao fim do Mundial2022, a disputar no Qatar, Löw, de 58 anos, orienta a selecção alemã desde 2006, tendo conquistado o título mundial em 2014, no Brasil, e a Taça das Confederações em 2017, na Rússia. “Estou muito grato pela confiança que a DFB continua a demonstrar por mim e, apesar das criticas justificadas pela nossa eliminação, senti apoio global e encorajamento. A minha desilusão continua a ser enorme, mas quero regressar com a mesma motivação. Vamos fazer uma análise conjunta, discutir, tudo a tempo do reinício da época internacional, em Setembro”, afirmou o técnico, citado pelo organismo que rege o futebol alemão. Igualmente satisfeito, o director da selecção alemã, o antigo futebolista Oliver Bierhoff, assumiu-se confiante na prossecução de um trabalho de sucesso. “Estou muito satisfeito que Jogi [Joachim] Löw esteja no comando da nossa equipa nacional e sentámo-nos durante muito tempo ontem [na segunda-feira] e sentimos plena energia para continuar. Depois de 14 anos de sucesso, teremos agora de reconstruir e de pensar sobre isso e sobre futuras mudanças estruturais”, referiu o antigo avançado.

Maradona quer treinar Argentina. De borla na definição final dos lances. Por isso mesmo, na primeira parte, apesar do domínio, o melhor que conseguiu foram dois remates, primeiro de Hazard e depois de Mertens à figura do guarda-redes Kawashima. Por seu lado, o Japão, que tentava chegar pela primeira vez na sua história aos ‘quartos’, procurava aproveitar algumas debilidades da defensiva belga para lançar rápidos contra-ataques, mas na primeira metade nunca chegou a incomodar a sério o guardião Courtois. A toada do encontro mudou logo no arranque da

segunda parte, com Haraguchi, aos 48 minutos, a dar vantagem ao Japão, concretizando da melhor forma uma transição rápida, num lance em que Vertonghen falhou a intercepção. Quando os belgas estavam ainda a ‘digerir’ a desvantagem, uma ‘bomba’ de Inui reforçou a liderança dos asiáticos e deixou os europeus em ‘maus lençóis’. Foi a melhor fase do Japão no encontro, que passou a dominar o meio campo e foi criando algum perigo junto de Courtois, perante uma Bélgica que parecia estar completamente atordoada.

Tudo mudou aos 65 minutos, com o técnico Roberto Martinez a desfazer a linha de três centrais e a lançar no jogo Fellaini e Chadli, que deram novo ‘poder de fogo’ à Bélgica, Aos 69 minutos, com alguma sorte à mistura, num cabeceamento totalmente imprevisto, Vertonghen redimiu-se do erro e reduziu a diferença e, cinco minutos depois, Fellaini refez a igualdade, também de cabeça, saltando com alguma facilidade entre os defesas nipónicos. A Bélgica continuou em ‘cima’ do Japão e obrigou

Kawashima a três boas defesas, que foram mantendo os asiáticos na partida, mas já nos descontos Courtois também foi chamado a intervir, para parar um excelente livre de Honda. O prolongamento era mais que uma certeza, mas a Bélgica aproveitou alguma desatenção do Japão para lançar um venenoso contra-ataque, nos últimos segundos do tempo regulamentar, e chegou mesmo à vitória, com Chadli a concretizar já dentro da área, após excelente combinação entre De Bruyne, Meunier e Lukaku.

Em entrevista ao programa de rádio 'De la mano del Diez', Diego Maradona falou sobre a prestação da equipa argentina no Mundial da Rússia, depois da selecção ter sido eliminada pela França ainda nos oitavos de final. 'El Pibe' lamentou a exibição da albiceleste e mostrou-se disposto a voltar ao cargo de seleccionador da selecção argentina: "Trabalharia gratuitamente. Não pediria nada em troca". Apesar da oferta de Maradona, o actual seleccionador da Argentina - Jorge Sampaoli - tem contrato até 2022

e a sua saída renderia uma indemnização de 17 milhões de euros. No entanto, a imprensa argentina o técnico não vai continuar no cargo de seleccionador e pode já ter dado início ao processo de resolução contratual com a AFA (Federação Argentina). "Não gostei de ver a Argentina ser batida por uma equipa que não penso que seja uma das melhores do campeonato. Fico triste por ver que tudo o que construímos com tanto esforço pode ser destruído com tanta facilidade", lamentou Maradona. O antigo jogador foi seleccionador da Argentina em 2009/2010. Comandou a equipa em 25 jogos e conseguiu levar a albiceleste a 17 vitórias, no entanto, deixou o cargo de seleccionador depois da Argentina ter perdido os quartos de final do Mundial da África do Sul com a Alemanha por 4-0.


12 publicidade

4.7.2018 quarta-feira


eventos 13

quarta-feira 4.7.2018

VÍDEO PRESENT FUTURE FILM FESTIVAL ABERTO A CANDIDATURAS

e o festival no território tem data apontada para Setembro. Nesta edição, “além do cinema do ICentre, também vamos expandir as exibições a vários cafés locais, nomeadamente, ao Macau Design Center, ao Che Che e ao Café Voyage”, esclareceu Sou Zoe. De acordo com a responsável, a ideia é chegar a mais público e promover o interesse por este tipo de produções artísticas.

Festival além-fronteiras

O Present Future Film Festival está de volta para apresentar ao público de Macau trabalhos de vídeo e cinema de animação. A 5ª edição do festival, que ocorrerá em Setembro, já mexe e abriu a fase de submissão de candidaturas. Os projectos selecionados serão exibidos em Macau, Taiwan e Japão

E

STÃO abertas as candidaturas para a 5ª edição do festival de vídeo Present Future Film Festival. A iniciativa organizada pelo ICenter visa “facilitar a criação de vídeos e animações”, refere a responsável pelo projecto, Sou Zoe. Paralelamente, o evento propõe-se a levar as produções de autores locais a outros destinos, garantindo a divulgação além-fronteiras do que se faz em Macau.

Os filmes candidatos vão ser seleccionados por um júri composto por especialistas do território, Taiwan e Japão. Os vencedores , além de garantirem um lugar no programa da edição deste ano do festival, têm a oportunidade de verem os seus trabalhos distribuídos por parceiros do evento que se encontram nas três regiões. “A ideia deste festival é também construir uma plataforma para a troca de vídeos entre as três áreas geográficas e apresentar os mais

CAMINHO ANDADO

recentes trabalhos em vídeo e animação que recebemos”, apontou. Para Sou Zoe “há muitos talentos nesta área, tanto internacionais como

locais” que precisam de espaço para mostrarem os seus trabalhos. As candidaturas estão abertas até ao próximo dia 10 de Agosto

Além da promoção dos criadores e públicos locais, o Present Future Film Festival tem como fim encontrar interessados na distribuição dos trabalhos premiados. Mas há objectivos maiores. Se até agora a iniciativa tem estado concentrada em Macau, Taiwan e Japão, no futuro a organização pretende passar por outros destinos. “Esperamos expandir o projecto a outros países e por vários locais do mundo”, afirmou Sou Zoe. Por outro lado, com a apresentação de trabalhos internacionais, a organização espera que a produção local fique mais rica e que os criadores de Macau se sintam motivados a investir mais nos seus trabalhos. Sofia Margarida Mota

Sofia.mota@hojemacau.com.mo

PUB

Festival Sound&Image já recebeu quatro mil candidaturas de vários países

A

9.ª edição do Sound&Image Challenge de Macau, festival internacional de música e curtas-metragens, já recebeu mais de quatro mil candidaturas provenientes das mais "variadas regiões", anunciou ontem a organização. Organizado pela Creative Macau, espaço cultural que comemora este ano o 15.º aniversário, o festival avança para a oitava edição com filmes provenientes da Grécia, Egipto, Estados Unidos, Reino Unido, Irão, Portugal, Brasil, entre outros. A organização anunciou que entre 26 de Julho e 24 de Agosto serão exibidas as curtas-metragens vencedoras das últimas edições (2010-2017). Por ocasião do 15.º aniversário, a Creative Macau decidiu organizar este ano a exposição colectiva "Open Future", que estará patente naquele espaço cultural entre os dias 28 deAgosto e 22 de Setembro, lê-se na nota.

"O que o futuro reserva para nós?" ou "Como podemos mudar o futuro?" são algumas das questões abordadas nas exposições de escultura, pintura, instalação, fotografia e poesia. Em Maio, a coordenadora da Creative Macau, Lúcia Lemos, afirmou à Lusa já ter recebido pelo menos 27 candidaturas de filmes portugueses. À data, a responsável aproveitou para revelar que um dos directores do festival internacional de Curtas de Vila do Conde, Miguel Dias, vai ser grande júri do Festival. O Sound&Image Challenge International Festival divide-se em duas competições: a de curtas-metragens, nas categorias de Ficção, Documentário e Animação, e a de vídeos musicais. A estes prémios, a organização decidiu acrescentar este ano novas nomeações: Prémios de melhor realizador, melhor cinematografia, melhor edição, melhor música, melhor banda sonora, melhores efeitos visuais para a competição de curtas, e de melhor canção e melhores efeitos visuais para a competição de vídeos musicais, que por enquanto não têm valor monetário. Os trabalhos finalistas vão ser apresentados de 4 a 9 de Dezembro no Teatro Dom Pedro V.

Livros António Carlos Cortez vence Grande Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes

O

livro “A dor concreta”, de António Carlos Cortez, é o vencedor da edição deste ano do Grande Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes da Associação Portuguesa de Escritores (APE), anunciou ontem aquela entidade. O prémio foi decidido, por unanimidade, por um júri constituído por Daniel Jonas, Isabel Cristina Mateus e pelo presidente daAPE, José Manuel Mendes. Sobre a obra de António Carlos Cortez, o júri destacou “(…) a solidez de um percurso que, evoluindo, se reconfigura em cada momento, caminhando para um depuramento crescente da linguagem poética”, lê-se num comunicado da APE. Este galardão tem o valor de 12.500 euros e destina-se a premiar anualmente uma obra escrita em português por um autor nacional que seja publi-

cada na íntegra e em primeira edição, assim como obras completas de poesia ou antologias poéticas de autor. Na edição deste ano do galardão coordenado pela APE, com o patrocínio da Câmara Municipal de Amarante, concorreram obras publicadas em 2017, a título excecional, e 2016. Nascido em Lisboa, em 1976, António Carlos Cortez é poeta, ensaísta e professor de literatura portuguesa e português no Colégio Moderno, em Lisboa. O poeta é ainda investigador do Centro de Literatura de Expressão Portuguesa e Lusófona da Universidade de Lisboa (CLEPUL), consultor do Plano Nacional de Leitura, do Clube UNESCO para a Literatura em Portugal e crítico de poesia do Jornal de Letras e das revistas Colóquio/Letras e Relâmpago. "A dor concreta" está editado pela Tinta-da-China e a cerimónia de entrega do prémio ainda não tem data marcada. "Arrancar penas a um canto do cisne", de Luís Quintais, foi a obra premiada na edição 2017 do galardão. LUSA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE MACAU Anúncio CONCURSO PÚBLICO N.º 02/DOA/2018 “OBRAS DE REMODELAÇÃO DO NOVO CAMPUS DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE MACAU NA TAIPA, NO EDIFÍCIO DE JUBILEU DE PÉROLAS E NO EDIFÍCIO DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO” Faz-se saber que em relação ao concurso público para a execução das “OBRAS DE REMODELAÇÃO DO NOVO CAMPUS DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE MACAU NA TAIPA, NO EDIFÍCIO DE JUBILEU DE PÉROLAS E NO EDIFÍCIO DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO”, publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau, nº 24, II Série, de 13 de Junho de 2018, foram prestados esclarecimentos, nos termos do artigo 2º do programa do concurso, e foi feita aclaração complementar conforme necessidades, pela entidade que realiza o concurso e juntos ao processo do concurso. Os referidos esclarecimentos e aclaração complementar encontram-se disponíveis para consulta durante o horário de expediente na Divisão de Obras e Aquisições, sita no r/c do Edifício Administrativo do Instituto Politécnico de Macau, na Rua de Luís Gonzaga Gomes. Instituto Politécnico de Macau, aos 29 de Junho de 2018. O Presidente do Instituto, Lei Heong Iok.


14 publicidade

4.7.2018 quarta-feira

ANÚNCIO Concurso Público n.º 010/SZVJ/2018 “Prestação de Serviços de Manutenção de Árvores nas Ilhas nos anos 2019 a 2021” Faz-se público que, por deliberação do Conselho de Administração do IACM, tomada na sessão de 18 de Maio de 2018, se acha aberto o concurso público para a “Prestação de Serviços de Manutenção de Árvores nas Ilhas nos anos 2019 a 2021”. O Programa de Concurso e o Caderno de Encargos podem ser obtidos no horário normal de expediente dos dias úteis no Núcleo de Expediente e Arquivo do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), sito na Avenida de Almeida Ribeiro n.º 163, em Macau. O prazo para a entrega das propostas termina às 12:00 horas do dia 18 de Julho de 2018. Os concorrentes devem entregar as propostas e os documentos no Núcleo de Expediente e Arquivo do IACM e prestar uma caução provisória. A Prestação de Serviços de Manutenção de Árvores nas Ilhas nos anos 2019 a 2021 diz respeito ao trabalho a prestar nas duas zonas – Taipa e Coloane –, sendo a caução provisória relativa a cada zona de MOP 50.000,00 (cinquenta mil patacas). A caução provisória deve ser entregue na Tesouraria da Divisão de Contabilidade e Assuntos Financeiros do IACM, sita no rés-do-chão do Edifício do IACM, por depósito em numerário, cheque, garantia bancária ou seguro-caução, em nome do «Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais». O acto público do concurso realizar-se-á no Centro de Formação do IACM, sito na Avenida da Praia Grande, Edifício China Plaza, 6.º andar, pelas 15:30 horas do dia 19 de Julho de 2018. O IACM realizará uma sessão de esclarecimento que terá lugar às 10:30 horas do dia 9 de Julho de 2018 no Centro de Formação do IACM. Aos 22 de Junho de 2018. A Administradora do Conselho de Administração Isabel Jorge WWW. IACM.GOV.MO

Anúncio Concurso público da empreitada de « Obra de Instalação do Centro de Dados no Mercado do Patane » 1. Modalidade do concurso: concurso público. 2. Local de execução da obra: Avenida de Demétrio Cinatti, no Complexo Municipal do Mercado do Patane . 3. Objecto da empreitada: Obra de Instalação do Centro de Dados no Mercado do Patane . 4. Prazo de validade das propostas: o prazo de validade da proposta é de 90 dias, a contar da data do acto público do concurso, prorrogável nos termos previstos no programa de concurso. 5. Tipo de empreitada: a empreitada é por Série de Preços. 6. Caução provisória: MOP$ 140,000.00 e pode ser prestada por depósito em dinheiro, por garantia bancária ou por seguro-caução aprovado nos termos legais. 7. Caução definitiva: a caução definitiva é de 5% do preço total da adjudicação (das importâncias que o empreiteiro tiver a receber em cada um dos pagamentos parciais são deduzidos 5% para garantia do contrato, em reforço da caução definitiva a prestar). 8. Preço base: não há. 9. Condições de admissão: inscrição na DSSOPT na modalidade de execução de obras. 10. Local, dia e hora limite para entrega das propostas: Núcleo de Expediente e Arquivo do IACM, sito na Avenida de Almeida Ribeiro, n.º 163, R/C , Edifício Sede do IACM, Macau, até às 17:00 horas do dia 26 de Julho de 2018. 11. Local, dia e hora do acto público: Divisão de Formação e Documentação do IACM, sita na Avenida da Praia Grande n.º804, Edifício China Plaza 6º andar, Macau, no dia 27 de Julho de 2018, pelas 10:00 horas. Os concorrentes ou seus representantes deverão estar presentes no acto público de abertura de propostas para os efeitos previstos no artigo 80.º do Decreto-Lei n.º 74/99/M, e para esclarecer as eventuais dúvidas relativas aos documentos apresentados no concurso.

ANÚNCIO “Fornecimento de artigos eléctricos e informáticos ao IACM” Concurso Público n° 012/SFI/2018 Faz-se público que, por deliberação do Conselho de Administração do IACM, tomada em sessão de 15 de Junho de 2018, se acha aberto concurso público para o “Fornecimento de artigos eléctricos e informáticos ao IACM”. O programa do concurso e o caderno de encargos podem ser obtidos, todos os dias úteis e dentro do horário normal de expediente, no Núcleo de Expediente e Arquivo do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), sito na Avenida de Almeida Ribeiro nº 163, r/c, Macau. O prazo para a entrega das propostas termina ao meio dia do dia 24 de Julho de 2018. Os concorrentes ou seus representantes devem entregar as propostas e os documentos no Núcleo de Expediente e Arquivo do IACM. A caução provisória pode ser efectuada na Tesouraria da Divisão de Contabilidade e Assuntos Financeiros do IACM, sita na Avenida de Almeida Ribeiro nº 163, r/c, Macau, por depósito em dinheiro, cheque ou garantia bancária, em nome do “Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais”, o valor da caução provisória é o seguinte: Grupo A–MOP1.000,00 (Mil patacas); Grupo B–MOP1.000,00 (Mil patacas). O acto público de abertura das propostas realizar-se-á no auditório da Divisão de Formação e Documentação do IACM, sita na Avenida da Praia Grande, nº 804, Edf. China Plaza 6º andar, pelas 10:00 horas do dia 25 de Julho de 2018. Macau, aos 22 de Junho de 2018. O Administrador do Conselho de Administração Mak Kim Meng WWW. IACM.GOV.MO

12. Local, dia e hora para exame do processo e obtenção da cópia: O projecto, o caderno de encargos, o programa do concurso e outros documentos complementares podem ser examinados, nos Serviços de Construções e Equipamentos Urbanos do IACM, sitos na Avenida da Praia Grande n.º517, Edifício Comercial Nam Tung, 18º andar, Macau, durante as horas de expediente, desde o dia da publicação do anúncio até ao dia e hora do acto público do concurso. No local acima referido poderão ser solicitadas até às 17:00 horas do dia 18 de Julho de 2018, cópias do processo de concurso ao preço de MOP$1,500.00 por exemplar, ao abrigo do n.º 3 do artigo 52.º do Decreto-Lei n.º 74/99/M. 13. Prazo de execução da obra: O prazo de execução não poderá ser superior a 90, contados a partir da data de consignação dos trabalhos. 14. Critérios de apreciação de propostas e respectivos factores de ponderação: - Preço Global da empreitada e Lista de Preços Unitários.................................60% - Prazo de execução razoável:............................................................................10% - Plano de trabalhos............................................................................................10% - Experiência em obras semelhantes...................................................................10% - Material............................................................................................................10% 15. Junção de esclarecimentos: Os concorrentes deverão comparecer nos Serviços de Construções e Equipamentos Urbanos do IACM, sitos na Avenida da Praia Grande n.º517, Edifício Comercial Nam Tung, 18º andar, Macau, a partir de 23 de Julho de 2018 inclusive, e até à data limite para entrega das propostas, para tomar conhecimento de eventuais esclarecimentos adicionais. Macau, aos 27 de Junho de 2018 O Vice-Presidente do Conselho de Administração Lo Chi Kin​ WWW. IACM.GOV.MO


quarta-feira 4.7.2018

É pelas próprias virtudes que se é mais bem castigado

Diário de um Editor João Paulo Cotrim

HORTA SECA, LISBOA, 14 JUNHO As idas a Paredes, ao REALIZAR:poesia, ecoam pelas mais diversas razões. Fazem-se com facilidade amizades que perduram. Desta vez e por exemplo, os vizinhos Do Lado Esquerdo apresentaram-me a «Um Tal de Koslowski». Tenho conversado amiúde com a figura, com quem me cruzo quase todos os dias. Nenhuma razão para espanto, tende a acontecer quando personagens literários coincidem com esqueleto do real. «Koslowsky jura a pés juntos ter-se encontrado pessoalmente com Huckleberry Finn, há muitos anos. “Mas ele é apenas um personagem literário!”, protestou alguém. “Também eu sou”, disse Koslowsky.» A criação do poeta alemão, Michael Augustin, que também faz colagens, essa linguagem de restos significativos, nasceu no riquíssimo país do absurdo, que visitei já. Importado para português de corte impecável por João Cláudio Arendt e pelo João Luís [Barreto Guimarães], apresenta-se esculpido em contos curtos, golpes de lógica que volteia no ar e corta em todas as direcções. Cada título surge à maneira de proposição de tratado, como se procurasse, em desespero e com asma, o âmago do ser. Veja-se o cristalino Da pergunta e da resposta: «“É verdade que você, independentemente do que lhe perguntem, dá sempre uma resposta errada?”, pergunta alguém. “É isso mesmo!”, responde Koslowski.» O humor está sempre a querer chegar-se à frente, mas não consegue, nem à força de cotovelo, afastar a melancolia que se instalou de armas e bagagens. Estes olhares que descascam tendem a deixar-nos em carne viva. Trouxe o Mário Henrique-Leiria para a conversa, que, por muito produtiva, acaba sempre de modo abrupto. Tal qual a puta da vida. Em Da proximidade da morte, o Koslowski namora com a senhora da gadanha e entra em coma, nada de grave. «Fui subitamente invadido por um sentimento de conforto semelhante ao calor de um casaco de pele de animal, pois sabia que, em breve, o famoso filme da minha vida passaria diante dos meus olhos. Preparei-me, então, para cenas extraordinárias. Mas a única coisa que vi foram anúncios comerciais». HORTA SECA, LISBOA, 15 JUNHO A placa gráfica do computador encheu-se de pó e curtocircuitou. Tenho uma relação especial com o pó, coisa de amor-ódio que hei-de levar a próxima conversa com o Koslowski. Mas enquanto o pobre do José Carlos [Gonçalves] resolvia o problema “informático” tratei de ouver «Sonatina», escrita por José Miguel Gervásio, e composta para livro pelo mano Miguel [Rocha], que me custa ver tão pouco. Mão

h

15

‘‘Um rumor na noite!’’ sabão, sardinhas em conserva, os rótulos inventados, as caixas iluminam-se em evocações do que pode ser a vida. A história seria outra, sem os desenhos, a cadência da paginação, o trabalho de corpos na tipografia, as entradas de capítulo, as duplas páginas engenhosas, o texto estendido à maneira de toalha de piquenique, pronto a acolher os insectos-afectos que recolhemos de velhos grafismos. O meu exemplar tem caderno fora de sítio e resisti à tentação de o tentar corrigir. Se não estivesse atento, poderia ter lido o fim antes, muito antes. Mas nem assim daria desígnio àquelas vidas. As últimas páginas começam por ser manchas ruidosas de cor antes de terminarem com pontos arrumados. Se dançarmos algo se arruma. Antes, um halterofilista de enormes bigodes promete saúde. Na legenda aconselha: «Conservar em lugar seco e fresco. E ao abrigo de insectos.»

amiga e por coincidência havia-me avisado que estava disponível a entrevista dada à Ana [Sousa Dias], há mais de uma década, a propósito do «Salazar, Agora na Hora da Sua Morte», talvez a empresa que mais me satisfez e perturbou (https://arquivos. rtp.pt/conteudos/joao-paulo-cotrim-e-miguel-rocha/). O Miguel mantém relação íntima com o teatro e foi ele que suscitou esta raridade, pequeno livro no meu A5 fetiche, capa dura e crua apenas forrada com sobrecapa, com edição artesanal da Oficina de Impressão e Oficinas do Convento, de Montemor-o-Novo. O conto, esticado quase a pequena novela, poderia ser vivido por um tal de Koslowski, se este tivesse conhecido Bernardo Soares. O absurdo não explode neste caso com o fogo de artifício da (i)lógica, antes procura o reverso do sentido, a bainha onde as minudências se ocultam da narrativa: uma cidade e um porto, talvez um amor, pelo menos um encontro, e rumores não bastam para que as vidas ganhem propósito, para que desfaçam o enigma, se desmanchem em enigma. Como migalhas em labirinto, os minúsculos paladares, gostos, prazeres são transformados em anúncios ilustrados. Bolachas, fósforos, carne enlatada, biscoitos,

HORTA SECA, LISBOA, 16 JUNHO O Jorge [Silva], de tanto zombar com a minha tendência para o, chamemos-lhe assim, barroco bucólico, acabou por provar do mesmo veneno. O anódino «Publicidade Ilustrada – 1895 -1972» passou a «O Sono Desliza Perfumado», belo fecho de anúncio, com desenhos de Carlos Carneiro (algures nesta página). O álbum, capa dura em tons de azul texturado, anuncia colecção de prazeres gráficos, todos com raiz na Biblioteca Silva. «Uma

O humor está sempre a querer chegar-se à frente, mas não consegue, nem à força de cotovelo, afastar a melancolia que se instalou de armas e bagagens. Estes olhares que descascam tendem a deixar-nos em carne viva

biblioteca com facilidade se torna floresta de faróis, se plantada com saber e sabor. Outra coisa não vem fazendo Jorge Silva, no que à ilustração portuguesa diz respeito. Há décadas que demanda, nos baldios do património, com extremo afinco e persistência, a matéria de que é feita a memória gráfica nacional. Como colecionador apaixonado, persegue a presa, indo longe na investigação, não apenas de documentos, mas de figuras e testemunhos, desfazendo o nevoeiro da dúvida, sistematizando o terreno das explicações até à solidez. E depois constrói e comunica, por via de textos e enumerações, alguns recolhidos em Almanaque Silva (https://almanaquesilva. wordpress.com), organizando inúmeras exposições e espalhando-se por aulas e conferências e mais. Almeja tudo recolher, para o ter à mão de semear, debaixo de olho, sem nunca por nunca excluir o gosto. Como bom coleccionador.» São 227 anúncios com trabalhos de Bernardo Marques, Carlos Botelho e Cottinelli Telmo, e tantos outros. De cada vez que folheio, descubro razão para voltar. Antes de mais pelas imagens, também pelos jogos com a tipografia e o grafismo, mas sobretudo pelo desenho puro, as composições engenhosas, o cómico, o realismo, o espírito. Estou sempre a encomendar fotogravuras com Fred Kardofler, a beber café com Luís Flipe Abreu e cerveja com Lima de Freitas. E a dançar no Bristol com Carlos Barradas. Mas também vale a pena voltar para nos vermos ao espelho do que fomos, do que vestimos ou comemos. E do que ainda somos, seguidores cegos do progresso, crentes ingénuos nas propriedades salvíficas da moda. Quase acredito que um telefone nos pode salvar da solidão e do perigo. HORTA SECA, LISBOA, 18 JUNHO Há atrasado, o Ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, considerou em entrevista que «temos pequenos editores que fazem um trabalho notável... a Língua Morta, a Abysmo. Fazem um trabalho importante e publicam autores importantes de poesia, mas não têm a distribuição que deveriam ter.» Agradecemos a atenção, algo distorcida, e apesar da companhia, não tanto pelos livros, mas pela doença do editor. Mas eis que, na altura em que podiam ajudar, as autoridades se negam com argumentos falaciosos. Talvez até tenhamos autores importantes, e até traduzidos para castelhano, mas, pelos vistos, não possuem suficiente sex appeal. Vem isto a propósito de novo bocejo. A comitiva portuguesa à Feira do Livro de Guadalajara, hoje anunciada, confirma aquele mais do mesmo que se faz costume: só o que é mediático é bom.


16 publicidade

4.7.2018 quarta-feira


desporto 17

quarta-feira 4.7.2018

FUTEBOL NUNO CAPELA DEIXA SPORTING DE MACAU

Fim de um ciclo Técnico dos leões decidiu encerrar um ciclo “intenso” de dois anos na Liga de Elite para dedicar-se à família e obter a certificação como treinador. Porém, vai estar disponível para analisar propostas futuras. O seu lugar será ocupado pelo, até agora, treinador adjunto Pedro Lopes um dos responsáveis pela academia. Esta é uma posição que vai manter, pelo menos, até ao final do mês.

“Há compromissos assumidos até ao final do mês, que vou cumprir. Depois terá de haver um novo con-

FACEBOOK

N

UNO Capela abandonou o comando do Sporting de Macau, após a derrota por 2-0, no domingo, frente ao Benfica de Macau. A saída acontece antes de se começar a disputar a Taça de Macau. Ao HM, Nuno Capela explicou a decisão com o “fim de ciclo”. “Chegou ao fim o ciclo, achei que estava na altura de dar o lugar a outros. Avisei a direcção que iria sair do clube a meio do mês. Infelizmente, depois, surgiu esta questão da taça [de Macau], que nem me passou pela cabeça, quando a comuniquei a saída”, disse o técnico, ontem. “Só tenho de agradecer a oportunidade que me foi dada. Foi importante poder orientar um clube de primeira divisão, numa altura em que estou a começar a treinar. Foi uma experiência fantástica, foram dois anos muito intensos”, acrescentou. A demissão foi acertada a bem e, apesar da questão da Taça de Macau ter surgido depois, Nuno Capela já não vai regressar ao banco: “A participação na Taça de Macau não se coloca”, justificou. Além de treinador da equipa sénior dos leões, Nuno Capela é igualmente

trato para a academia. Se houver interesse por parte do Sporting vamos conversar sobre esse assunto”, indicou. Em relação ao futuro, o treinador diz que se quer focar mais na família e em obter a certificação como técnico. Porém, se surgir “alguma boa proposta”, diz que está disponível para analisá-la.

SPORTING CINCO REFORÇOS ENTRE OS 30 FUTEBOLISTAS NO REGRESSO AO TRABALHO

PARTIDA PACÍFICA

O

A saída do técnico foi anunciada pelo Sporting Clube de Macau através de uma mensagem nas redes sociais, publicada na segunda-feira à noite. A equipa agradeceu o contributo e desejou-lhe as maiores felicidades. “O Sporting Clube de Macau agradece o contributo do Professor Nuno Capela durante as épocas de 2017 e de 2018. O seu papel foi absolutamente fundamental em 2017, quando o SCM garantiu a manutenção na Liga de Elite, numa fase complicada do clube”, recordou a formação. “Foi ainda parte integrante da equipa responsável pela criação da Academia de Futebol Júnior do SCM, assumindo o seu comando técnico, com a capacidade e dedicação que lhe são publicamente reconhecidas”, foi ainda sublinhado. Ao HM, José Reis, director do SCM, também desejou as felicidades a Nuno Capela e confirmou que a saída partiu do técnico, dentro da normalidade, sem que tivesse existido qualquer diferendo entre clube e treinador. Pedro Lopes, que até agora era adjunto de Nuno Capela, é o senhor que se segue no comando da equipa técnica do Sporting de Macau. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo

Nuno Capela, treinador “Só tenho de agradecer a oportunidade que me foi dada. Foi importante poder orientar um clube de primeira divisão.”

TOUR SKY CONFIRMA FROOME COM APOIO DE KWIATKOWSKI E THOMAS

A

Sky anunciou ontem os sete corredores que vão acompanhar Chris Froome na Volta a França em bicicleta, que vai ser disputada entre sábado e 29 de Julho, e na qual o britânico procura o seu quinto triunfo. O polaco Michal Kwiatkowski, campeão do mundo em 2014, e o britânico Geraint Thomas, vencedor da Volta ao Algarve em 2015 e 2016, integram

a equipa britânica, num elenco que volta a contar também com Luke Rowe. Além dos quatro repetentes de 2017, e um dia após a União Ciclista Internacional (UCI) ter ilibado Froome do procedimento disciplinar por doping, a Sky confirmou a presença do colombiano Egan Bernal, vencedor da Volta a França do Futuro de 2017 e que vai estrear-se na ‘Grande

Boucle’, tal como o italiano Gianni Moscon. A equipa fica completa com o espanhol Jonathan Castroviejo e com o holandês Wout Poels, o único dos ‘eleitos’ que colaborou no primeiro triunfo de Froome na Volta a Itália, em Maio último. Froome, de 33 anos, venceu as edições de 2013, 2015, 2016 e 2017 do Tour, a de 2017 da Vuelta e a deste ano do Giro.

Sporting fez ontem o primeiro treino da equipa de futebol da pré-época, com vista ao arranque da temporada 2018/19, com 30 atletas no plantel, dos quais cinco são reforços e 11 são regressos. O guarda-redes Viviano (ex-Sampdoria), os defesas Bruno Gaspar (ex-Fiorentina) e Marcelo (ex-Rio Ave), o médio Jatobá (ex-Dunav Ruse) e o extremo Raphinha (ex-Vitória de Guimarães) foram as caras novas no primeiro trein orientado pelo novo treinador José Peseiro, aberto na totalidade à comunicação social. Com o director-geral para o futebol, Augusto Inácio, também no relvado,

vários foram os futebolistas que regressaram ao clube de Alvalade e com uma surpresa, depois de terminados os respectivos empréstimos. O avançado holandês Luc Castaignos, que estava cedido ao Vitesse, foi a grande novidade no relvado da Academia de Alcochete. Já esperados eram os regressos de Francisco Geraldes, Ryan Gauld, André Geraldes, Jonathan Silva, Jefferson, Mattheus Oliveira, Walysson Malman, Gelson Dala, Domingos Duarte e Carlos Mané, o único que fez trabalho específico à margem dos restantes. De resto, Piccini e Matheus Pereira só se apresentam durante a tarde de ontem, enquanto o extremo Marcus Acuña, que esteve ao serviço da Argentina no Mundial2018 na Rússia, tem ordem para se apresentar mais tarde, assim como o central uruguaio Coates, ainda a representar a selecção.

PUB HM • 1ª VEZ • 4-7-18

ANÚNCIO Execução Ordinária n.º

CV1-18-0047-CEO

1.º Juízo Cível

Exequente: BANCO INDUSTRIAL E COMERCIAL DA CHINA (MACAU) S.A., matriculada na Conservatória dos Registos Comercial e Automóvel de Macau sob o n.º 610. -----------------------------------------------------------------------------------------------------Executados: 1. IP SENG CHIO, casado, de nacionalidade chinesa, titular do B.I.R.M., com última residência conhecida em Macau, Rua das Margoseiras, s/n.º - Complexo “One Oasis”, Torre II, Edifício “Red Wood Tower”, 10.º andar E, Coloane, ora ausente em parte incerta; e -----------------------------------------------------------------------------------2. IP LENG LENG, casada, de nacionalidade chinesa, titular do B.I.R.M., com última residência conhecida em Macau, Rua das Margoseiras, s/n.º - Complexo “One Oasis”, Torre II, Edifício “Red Wood Tower”, 10.º andar E, Coloane, ora ausente em parte incerta.------------------------------------------------------------------------------------------------*** -----FAZ-SE SABER que pelo Tribunal Judicial de Base da RAEM, correm éditos de TRINTA DIAS, contados a partir da segunda e última publicação do anúncio, citando os EXECUTADOS acima identificados, para, no prazo de VINTE DIAS, findo o dos éditos, pagar a dívida exequenda ao exequente no montante de MOP$4.217.651,70, juros e custas, ou nomear bens à penhora, ou, querendo, deduzir oposição à execução no mesmo prazo, sob pena de ser ordenada a penhora dos bens hipotecados, tudo como melhor consta da petição inicial, cujo duplicado se encontra nesta secretaria à disposição do citando. ----------------------------------------------------------------------------------------------E ainda que é obrigatória a constituição de advogado caso seja deduzida oposição (art. 74.º do C.P.C.). --------------------------------------------------------------------------------------Tribunal Judicial de Base da R.A.E.M., 26 de Junho de 2018.---------------------------***


18 (f)utilidades

O QUE FAZER ESTA SEMANA Hoje

FILME “THE ITALIAN JOB” Casa Garden | 19h00

2

DOCUMENTÁRIO “SPELL REEL” Cinemateca Paixão | 19h30 FILMES “DJON ÁFRICA + LIBERDADE” Cinemateca Paixão | 21h30

Amanhã

SERÕES COM HISTÓRIAS – “PEIXE NOS DOIS LAGOS”, COM MIGUEL DE SENNA FERNANDES Fundação Rui Cunha | 18h30 FILMES “COMBOIO DE SAL E AÇÚCAR + LOUCURA” Cinemateca Paixão | 19h30

3

3

4

2 84 8 3 5 6 7 9 17 1 6 2 8 59 5 3 5 39 43 4 17 81 8 2 1 7 52 5 6 4 9 38 8 6 79 27 32 3 14 1 4 4 53 5 9 1 8 62 6 3 2 81 48 74 7 6 5 9 8 4 36 3157127 6 6 5 791 9 2 3 4 5

UMA NOITE COM PIANO NA GALERIA Fundação Rui Cunha | 18h00

Sábado

DOCUMENTÁRIO “SPELL REEL” – FESTIVAL CINEMA ENTRE CHINA E PALOP Cinemateca Paixão | 19h30

Diariamente

“ART IS PLAY” Grande Praça – MGM | Até 9/9

6 3 9 28 2 7 4 5 17 1 5 9 6 84 38 3 4 8 2 51 5 3 9 67 8 8 47 64 6 1 2 95 9 2 2 6 73 7 9 5 1 4 9 9 5 1 3 84 28 62 6 3 4 57 5 8 1 692 1 62 46 34 3 9 758 5 89 8 267 6 341

C I N E M A

ANT-MAN AND THE WASP

SALA 2

ESCAPE PLAN 2: HADES [C] Um filme de: Steven C. Miller Com: Sylvester Stallone, Dave Bautista, Huang XiaoMing 14.30, 16.30, 21.30

OCEAN’S EIGHT [B] Um filme de: Gary Ross Com: Sandra Bullock, Cate Blanchett, Anne Hathaway, Mindy Kaling 19.30

2 6 5 4

4

SALA 3

COLORS OF THE WIND [B] FALADO EM JAPONÊS, LEGENDADO EM INGLÊS / CHINÊS Um filme de: Kwak Jae-Young Com: Furukawa Yûki, Fujii Takemi 14.15, 21.30

9 5 3 7 2 4 8 1 6

1 2 6 3 8 7 9 5 4

6

3 53 69 8 28 7 84 5 5 1 32 6

Há em Macau contrastes em quase tudo, já para não falar de injustiças. O último relatório do Comissariado contra a Corrupção revela mais um desses casos: o Instituto de Promoção do Comércio e Investimento de Macau (IPIM) autorizou a atribuição da residência a pessoas que, afinal, nada investiram em Macau e que só contribuíram para a especulação imobiliária, que criaram negócios que não trouxeram mais valia à economia, por não gerarem capital ou emprego. Muitos falsificaram currículos. Em muitos casos, o IPIM não verificou, sequer, a veracidade desses currículos, acreditou na palavra das pessoas e preencheu os formulários. Nem sequer verificou se as empresas operavam nas moradas declaradas. Isto já não é corrupção, é mesmo inteligência limitada. Temos, por um lado, leis que tentam atrair investimentos que tragam empregos fora do jogo, e que até permitem a atribuição de BIR para facilitar o processo. O Governo quer diversificar a economia e desenvolver as indústrias criativas. Até aqui tudo bem. Mas depois, um grupo de funcionários do IPIM dá cabo destas ideias políticas que tinham tudo para dar certo, mas que falharam redondamente. Onde fica a injustiça no meio disto tudo? No meio destes falsos BIR, de pessoas que nem em Macau vivem, faz-se a perseguição aos trabalhadores não residentes que ficam cá o ano todo e que nunca conseguem o BIR.Afinal de contas, os males do mundo são deles. Andreia Sofia Silva

1 4 9 2 3 7 8 5 6

www. hojemacau. com.mo

1 5 8 4 2 9 3 7 6

7 2 3 1 8 6 9 5 4

3 7 8 5 4 6 9 1 2

6 2 5 8 9 1 3 7 4

5 3 4 6 2 9 7 8 1

7 8 1 3 5 4 2 6 9

2 9 6 1 7 8 4 3 5

4 1 2 7 6 3 5 9 8

8 5 7 9 1 2 6 4 3

9 6 3 4 8 5 1 2 7

9 1 6 2 4 8 7 5 3

8 7 2 1 5 3 4 6 9

5 3 8 9 6 4 1 2 7

4 2 7 3 1 5 9 8 6

1 6 9 8 7 2 5 3 4

7 8 3 5 2 9 6 4 1

6 4 5 7 8 1 3 9 2

2 9 1 4 3 6 8 7 5

11

5 47 24 2 6 1 8 6 4 5 8 1 2 73 2 1 79 37 53 5 64 1 36 3 5 98 9 2 8 23 2 9 67 6 51 9 2 6 1 84 78 7 4 9 8 53 5 7 26 3 8 7 6 9 4 5 7 15 41 4 32 3 89

9 7 6 4 5 3 2 1 8

3 5 4 6 9 7 2 1 8

TOURIST | ST GERMAIN (2000)

Lançado em 2000, mesmo no virar de século, “Tourist” é um marco incontornável do acid jazz. Quem passou por uma pista de dança com o mínimo de bom gosto no início deste século lembra-se, de certeza, do sample “I want you to get together”: O mandamento solidário que antecipava a batida funda do DJ francês, Ludovic Navarre, mais conhecido como St Germain. “Tourist” é o terceiro disco de St Germain, que precedeu um hiato considerável do DJ e produtor francês. A prova da qualidade do disco é que sobreviveu bem à passagem do tempo. Um disco que torna menos penoso o exercício de andar nas ruas apinhadas de Macau. João Luz

JURASSIC WORLD: FALLEN KINGDOM [B] Um filme de: J.A. Bayona Com: Chris Pratt, Bryce Dallas Howard, BD Wong, Jeff Goldblum 16.30, 19.00

6

3 5 6 9 1 4 4 2 9 61 .72 15 1 9 3 2 8 7 7 4 2 8 6 1 5 3 8

9

3 1 5 2 86 78 7 4 98 69 6 37 43 4 2 1 42 4 7 1 5 9 6 8 89 28 2 14 1 3 5 6 7 5 4 98 9 6 31 3 6 13 1 25 2 7 8 49 5 6 93 9 7 1 24 82 4 92 9 6 8 5 3 7 1 7 38 3 4 2 59 5

PROBLEMA 6

UM DISCO HOJE

Um filme de: Peyton Reed Com: Paul Rudd, Evangeline Lilly, Michael Douglas 14.30, 16.45, 19.15, 21.30

1 4 6 3 5 7 9 2 8

5O CARTOON STEPH

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 5

ANT-MAN AND THE WASP [B]

4.7.2018 quarta-feira

DE

Sexta-feira

SALA 1

7

VAI AO IPIM

FILME “AS BOAS MANEIRAS” Cinemateca Paixão | 21h30

Cineteatro

2

6 4 87 18 51 5 9 2 3 2 9 4 8 2 2 4 3 8 7 96 59 15 1 9 5 1 2 4 3 8 76 7 3 6 8 7 51 5 2 4 3 9 78 67 6 7 5 1 6 8 78 67 6 1 59 25 2 4 3 38 3 29 2 6 7 5 4 1 4 3 421 89B8 8 2 9 3 3 23749 M4A2X5 823 18 H1U7M 67 0 - 9 8 % 5 •1 E6U7 MIN R O 9 .9 AHT 0.24 YUAN 1 6 2 4 3 57 5 98 9 6 7 5 4 2 2 9 8 56 5 1 7 3 4 7 58 5 9 16 31 3 42 4 1 4 3 5 4 74 37 3 9 28 2 6 1 5 VIDA DE5 CÃO8 6 1 26 2 9 83 48 4 17 1 5 87 18 31 3 9 46 4 25 2 5 3 7 16 1 2 94 89 8 3 42 4 5 7 18 1 96 9 4 3 2 9 QUERES 4 1 8 7 5 9 6 3 2 9 56 5 21 42 4 3 8 7 9 1 BIR? 7 2

?

AGUACEIROS

1

S U D O K U

TEMPO

1

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; Diana do Mar, João Santos Filipe; Sofia Margarida Mota; Vitor Ng Colaboradores Amélia Vieira; Anabela Canas; António Cabrita; António Castro Caeiro; António Falcão; Gonçalo Lobo Pinheiro; João Paulo Cotrim; José Drummond; José Simões Morais; Manuel Afonso Costa; Michel Reis; Miguel Martins; Paulo José Miranda; Paulo Maia e Carmo; Rui Cascais; Rui Filipe Torres; Sérgio Fonseca; Valério Romão Colunistas António Conceição Júnior; David Chan; Fa Seong; Jorge Morbey; Jorge Rodrigues Simão; Leocardo; Paul Chan Wai Chi; Paula Bicho; Tânia dos Santos Cartoonista Steph Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


opinião 19

quarta-feira 4.7.2018

sexanálise

TÂNIA DOS SANTOS

I

Confissões de uma Femininista

NTERESSANTE ver como o feminismo continua a ser intensamente discutido, escrutinado e contestado. Nem sequer há um consenso na esquerda. Ser-se feminista nos dias que correm é entendido como um radicalismo – um radicalismo de género. Perceber se isto é verdade ou não, não vai ser amplamente discutido aqui - porque há muitos feminismos, e há muitas formas de perceber as injustiças deste mundo. Vamos partir do princípio que existem formas mais reaccionárias do que outras para tratar deste assunto. Li um artigo de opinião do New York Times em que discutia a possibilidade de nós, mulheres, podermos odiar os homens – à luz de tudo o que tem acontecido e que tem posto o dedo na ferida da desigualdade de género. Esta desigualdade que é amplamente reconhecida no mundo dito em desenvolvimento, mas que ainda está a ser discutido se será um problema ainda por resolver no mundo ocidental. Será legítimo odiar a condição masculina? Será que nos é dada a possibilidade de odiar o violador, o abusador, a pessoa que carrega os valores do patriarcado para todas as acções da sua vida e odiar também, a ideia de homem em geral, o homem que por nascer com um pénis tem asseguradas as vantagens de uma sociedade que valoriza sobejamente os princípios masculinos? Tenho visto as vozes mais críticas preocupadas com o ódio. Estas imaginam que o futuro pelo qual as feministas lutam é um futuro exclusivamente feminino, sem espaço para a masculinidade. Onde as mulheres governam o mundo e põe todos os homens num campo de concentração onde seriam todos exterminados. Primeiro: diria que a maioria das feministas não têm esse objectivo, segundo: se de facto for verdade, acho que qualquer pessoa com dois dedos de testa sabe que o ódio pode escalar para coisas como já vimos acontecer na nossa história. Olhem com o que aconteceu com os Judeus e de como uma narrativa de vitimização tem perpetuado o conflito Israelo-Palestiniano. Ou como a Hungria, um país que durante centenas de anos sofreu ocupações violentas e que contou com o apoio humanitário internacional e agora criminaliza quem ajudar os refugiados que chegam ao país. As vítimas podem tornar-se abusadores. O ódio que as mulheres poderão sentir relativamente à condição masculina, pode ser problemática, confesso. Mas será que a solução é ‘higienizar’ as posições mais reivindicativas? Será que podemos censurar o ódio ou a raiva que se pode sentir? Não acredito que seja assim tão simples. Em Espanha, um grupo de 5 homens violou uma rapariga e oram postos em liberdade mediante o pagamento da módica quantia de 6 mil euros. 6 mil euros não é muito. Como esta ideia enraivece-nos, milhares de pessoas (maioritariamente mu-

lheres) saíram à rua em Espanha para mostrar a sua zanga, a sua consternação. Será que a mostrar ódio também? Nós só conseguimos transformar a nossa negatividade se formos capazes de enfrentá-la. Isto é um princípio básico na psicoterapia – não podemos simplesmente evitar e censurar as nossas emoções, temos que compreendê-las e reconhecê-las para poder transformá-las. O que não quero dizer com isto que as mulheres e os seus ‘radicalismos’

são um problema - não. Estou simplesmente a justificar que sentir ódio, raiva ou o que quer que seja pode não culminar no genocídio masculino, a importância do ódio vem na necessidade de validar muitas injustiças aos quais as mulheres estiveram sujeitas. A verdade é que ultimamente tenho medo de me intitular como feminista. Já recebi reacções muito fortes, como se o meu feminismo fosse da mesma qualidade do racismo ou de outra forma de

Não concordará o leitor que o feminismo existe porque ainda é necessário, mesmo que na Arábia Saudita as mulheres já possam conduzir? Ando continuamente a surpreender-me com o tom de desaprovação com que muita gente anda a comentar o valor do feminismo

discriminação. Às vezes ouço as queixas com paciência, outras vezes não. Neste caso em particular, sobre o ódio que pode ser sentido (e alastrado) a preocupação é legítima, e percebo que a qualidade de ‘vítima de um mundo de injustiças’ não dá o direito a ninguém a fazerem o que lhes apetece. O ódio pode simplesmente fazer parte do processo, e não o fim em si mesmo. Não concordará o leitor que o feminismo existe porque ainda é necessário, mesmo que na Arábia Saudita as mulheres já possam conduzir? Ando continuamente a surpreender-me com o tom de desaprovação com que muita gente anda a comentar o valor do feminismo. Não acham gritante que o género feminino componha 50 por cento da população mundial, mas é continuamente caracterizado (e tratado) como uma minoria?


É necessária uma certa dose de estupidez para se fazer um bom soldado. Florence Nightingale

PALAVRA DO DIA

UM Universidade diz que pouco podia fazer quanto a suspeitas de violação

NATO TRUMP CRITICA FALTA DE PAGAMENTOS DE PAÍSES COMO PORTUGAL

O secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, disse ontem que já recebeu o relatório da Universidade de Macau (UM) relativo ao caso de suspeita de violação cometido por John Mo, ex-director da Faculdade de Direito da instituição. De acordo com o canal chinês da Rádio Macau, o secretário adiantou, com base no relatório, que a UM só soube da violação depois de ter sido confrontada pela polícia, uma vez que o caso não terá ocorrido no campus, na Ilha de Hengqin. Tendo em conta esse factor, o âmbito de actuação da UM era limitado, explicou Alexis Tam.

O

PUB

presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, enviou em Junho mensagens aos aliados da NATO, incluindo Portugal, queixando-se das contribuições insuficientes dos respectivos países junto da Aliança Atlântica. De acordo com uma notícia publicada ontem no jornal New York Times, os destinatários das cartas foram, entre outros, o Governo português, a chanceler alemã, Angela Merkel, o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, e o novo chefe do Governo espanhol, Pedro Sánchez. As mensagens de Trump são conhecidas uma semana antes da cimeira da NATO agendada para os dias 11 e 12 de Julho, em Bruxelas. Nas cartas, Trump refere que em 2017 formulou queixas em privado e em público para pressionar os países da NATO a contribuírem com 2 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) para a defesa comum. Segundo a notícia, Trump indica que os pagamentos não foram “suficientes” acrescentando que na sequência da situação os Estados Unidos podem vir a reconsiderar a “presença militar” a nível mundial. “Como discutimos durante a visita em Abril, verifica-se uma frustração que é crescente nos Estados Unidos em relação a alguns aliados que não deram o passo seguinte, tal como tinham prometido”, diz Trump na mensagem enviada a Angela Merkel. “Os Estados Unidos continuam a contribuir com mais recursos para a defesa da Europa numa altura em que a economia europeia se encontra bem. Isto já não é sustentável para nós [Estados Unidos]”, sublinha Trump. Segundo o New York Times, além dos governos de Portugal, Espanha, Alemanha e Canadá também receberam a carta os governos da Noruega, Bélgica, Itália, Holanda e Luxemburgo.

quarta-feira 4.7.2018

Pânico na Areia Preta Explosão em restaurante na Areia Preta resulta num morto e seis feridos

U

MA explosão num restaurante na zona da Areia Preta causou ontem pelo menos seis feridos, três homens e três mulheres, de acordo com informação da PSP. O sinistro ocorreu por volta das 21h45. À hora de fecho do HM e segundo o jornal Ou Mun que cita fontes oficiais, uma das mulheres já ter mesmo morrido devido a ferimentos sofridos. O acidente aconteceu num restaurante no Edifício Pak Lei, na Avenida do Hipódromo, e na origem terá estado uma fuga de gás. Os bombeiros e a polícia chegaram rapidamente ao local e começaram de imediato a trans-

portar os feridos para o Centro Hospitalar Conde São Januário. Um dos feridos teve mesmo de ser retirado dos escombros, onde tinha ficado preso após a explosão, que causou vários danos. Outro dos sinistrados ficou deitado na via pública em cima de vidros. Na operação estiveram envolvidos pelo menos 40 operacionais, assim como várias viaturas. A Avenida foi cortada ao trânsito para que as operações de salvamento pudesse decorrer dentro da normalidade. Além dos feridos, foram ainda muitos os danos causados pelos pedaços de vidro que foram atirados para a via. Vários carros e motas estacionados no local, ou que pas-

savam na via na altura do acidente, foram atingidos por vidros. Durante as operações de salvamento os bombeiros colocaram dois pilares amovíveis para suportar a estrutura, uma vez que os danos no edifício ainda estavam por apurar, à hora de fecho do HM. À hora do acidente eram vários os residentes que estavam em casa, pelo que a explosão foi sentida por muitas pessoas. Por isso, foram vários os residentes que se apressaram a partilhar as imagens do local nas redes sociais, minutos após o acidente, com relatos de que tinham sentido o prédio a estremecer e ouvido um barulho muito alto. João Santos Filipe

info@hojemacau.com.mo

China Dezasseis mortos e mais de 100 mil sem casa devido a chuvas torrenciais

Pelo menos 16 pessoas morreram e 10 estão desaparecidas, enquanto mais de 100 mil foram retiradas de casa, após várias dias de chuvas torrenciais em diferentes regiões do centro e sul da China, de acordo com a Xinhua. Os mortos e desaparecidos foram registados na região autónoma de Guangxi, sul da China, onde vários edifícios ruíram, segundo a Xinhua, que cita as autoridades locais. As equipas de resgate tiveram que usar barcos insufláveis

para retirar milhares de estudantes de uma universidade nos subúrbios de Guilin, capital de Guangxi. Outras 10 mil pessoas foram retiradas da província de Sichuan, sudoeste do país, depois de inundações ocorridas em várias cidades. Em Changsha, capital da província de Hunan, centro do país, as águas do rio Xiang, afluente do Yangtse, alcançaram um nível recorde de quase 40 metros de profundidade.

ECONOMIA BANCO CENTRAL CHINÊS ASSEGURA QUE VAI MANTER O YUAN ESTÁVEL

O

governador do Banco do Povo Chinês (banco central) assegurou ontem que a moeda chinesa vai-se manter estável e a um nível razoável, numa altura de desvalorização, face às disputas comerciais com Washington. Segundo as cotações do Banco do Povo Chinês, um dólar valia hoje 6,64 yuan, o nível mais baixo desde Agosto de 2017. Em declarações ao portal chinês de informação financeira China Securities Journal, Yi assegurou que utilizará as ferramentas políticas necessárias e a sua experiência para “manter a estabilidade básica” da taxa de câmbio do yuan a “um nível razoável e equilibrado”. Yi acrescentou que a política monetária do banco central da China continuará a ser neutra e prudente e que avançará na reforma do sistema de cambio de divisas. “Houve alguma flutuação no mercado de divisas recentemente e estamos a segui-las de perto. Isto deve-se sobretudo a factores como a valorização do dólar e incertezas externas, assim como alguns comportamentos cíclicos”, afirmou. O governador transmitiu uma mensagem de tranquilidade ao mercado e defendeu que os pilares da economia chinesa são sólidos, afirmando que os riscos financeiros são controláveis, e que se está a acelerar a transformação económica rumo a um modelo de desenvolvimento de alta qualidade.

Hoje Macau 4 JUL 2018 #4084  

N.º 4084 de 4 de JUL de 2018

Hoje Macau 4 JUL 2018 #4084  

N.º 4084 de 4 de JUL de 2018

Advertisement