Page 1

PUB

hojemacau

Um mal menor Sulu Sou e Scott Chiang foram condenados a 120 dias de multa depois de o Tribunal Judicial de Base ter dado como provados os crimes de manifestação ilegal. As partes têm agora 20 dias para recorrer. Caso não o façam, o deputado suspenso pode regressar às suas funções no hemiciclo no final do mês de Junho. GRANDE PLANO

BENEFÍCIOS FISCAIS

TUBERCULOSE

PÁGINA 5

PÁGINA 7

EFEITO HAWKING

400 CASOS EM 2017

TIAGO ALCÂNTARA

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

MOP$10

QUARTA-FEIRA 30 DE MAIO DE 2018 • ANO XVII • Nº 4061

ECONOMIA

h

PIB EM TEMPO ALTA NENHUM

PÁGINA 9

JOÃO PAULO COTRIM

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

SOFIA MARGARIDA MOTA

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ


2 grande plano

30.5.2018 quarta-feira

Eram acusados de um crime de desobediência qualificada pelo Ministério Público, mas Sulu Sou e Scott Chiang acabaram

condenados a 120 dias de multa, pela prática de um crime de manifestação ilegal. A decisão permite a Sulu Sou regressar à Assembleia Legistiva, mas o Ministério Público, que pediu a prisão efectiva do deputado, pode recorrer nos próximos 20 dias

MULTAS ˜ A AVIOES DE PAPEL S ULU Sou foi condenado a uma pena de 120 dias de multa por ter cometido um crime de reunião e manifestação ilegal. A sentença foi lida ontem no Tribunal Judicial de Base (TJB), numa sessão que durou perto de uma hora. O outro arguido do caso, Scott Chiang, foi também punido com uma pena de 120 dias de multa. Os valores das multas aplicadas aos arguidos são diferentes, uma vez que os tribunais tiveram em consideração os diferentes rendimentos. Sulu Sou vai ter de pagar 40.800 patacas, equivalente a uma multa diária de 340 patacas, e Scott Chiang vai pagar 27.600 patacas, o equivalente 230 patacas por dia. No caso do não pagamento da multa, os dois arguidos são obrigados a passar 80 dias na prisão. A decisão tomada pela juíza Cheong Weng Tong permite a Sulu Sou regressar à Assembleia Legislativa sem ter de enfrentar um eventual processo de expulsão do hemiciclo. Contudo, a sentença poderá ainda não ser final, uma vez que a partir de hoje, e até dia 18 de Junho, tanto os arguidos, como o Ministério Público podem apresentar recurso da decisão. Até ao final do dia de ontem não havia uma decisão sobre se os arguidos tinham a intenção de recorrer, nem era conhecida a intenção do MP. Recorde-se que a delegada do Procurador tinha feito

TJB ABRE A PORTA AO REGRESSO DO DEPUTADO À AL

questão de pedir uma condenação com pena de prisão.

MANIFESTAÇÃO ILEGAL

Ontem, durante a leitura da sentença, Cheong Weng Tong referiu que os factos da acusação ficaram todos provados e que ambos agiram com dolo e conhecimento de que estavam a praticar uma conduta ilegal. Contudo, a juíza decidiu que o crime que estava em causa era o de reunião e manifestação ilegal, porque o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) não tinha autorizado uma manifestação naquela zona. A moldura penal é a mesma para ambos os casos e vai até uma pena máxima de dois anos de prisão ou 240 dias de multa. “Não se trata de um crime de desobediência qualificada, mas de reunião ilegal, que é equiparado a desobediência qualificada”, afirmou a juíza. “Os arguidos sabiam que o IACM proibia a reunião no Jardim da Penha e sabiam que o Palacete não recebia petições. Mas foram e incentivaram mais 20 a 30 pessoas. Reuniram-se e não houve um aviso prévio”, apontou. Por outro lado, o tribunal não colheu o argumento da defesa sobre o fim da manifestação na tenda branca de Nam Van. Nos vídeos ouvia-se Sulu Sou e Scott Chiang a informar que o protesto tinham chegado ao fim, mas depois disso ainda houve discursos. Foi ainda

SOFIA MARGARIDA MOTA

CASO SULU SOU

“Os arguidos sabiam que o IACM proibia a reunião no Jardim da Penha e sabiam que o Palacete não recebia petições. Mas foram e incentivaram mais 20 a 30 pessoas.” “O exercício do direito de manifestação tem de ser dentro do enquadramento jurídico. Os manifestantes não podem reunir-se de livre vontade. As reuniões que violam a lei têm de ser proibidas.” “Vocês é que sabem se vale a pena continuar com estas condutas, mas espero que no futuro não as repitam.” CHEONG WENG TONG JUÍZA

dito que alguns dos participantes iriam, de forma individual, entregar uma carta ao Palacete do Chefe do Executivo. “O anúncio do fim da manifestação [na tenda branca] foi uma declaração formal. Mas não coincidiu com o fim da manifestação. Só no fim dos discursos é que se pode considerar que chegou ao fim a manifestação”, considerou a juíza. “[Na tenda branca] tentaram incentivar o estado emocional dos participantes para que eles entendessem que estavam proibi-


grande plano 3

quarta-feira 30.5.2018

LÍDER DA NOVO MACAU ARRISCA ACUSAÇÃO

A

juíza Cheong Weng Tong ordenou que fossem retiradas certidões do processo para enviar ao Ministério Público, que terá de decidir se há matéria de facto para acusar outros cinco participantes na manifestação ilegal.

Entre os cerca de cinco suspeitos constam os nomes da actual presidente da Novo Macau, Kam Sut Leng, Alan Lam – co-arguido com Scott Chiang no caso da faixa no Hotel Estoril contra Alexis Tam – e um indivíduo

conhecido como Roberto, que apareceu em várias imagens captadas pela polícia no Palacete entre Scott e Sulu, na manifestação ilegal julgada.

PALACETE NÃO É LUGAR DE TRABALHO

P

ara a juíza do caso Sulu Sou, o Palacete do Governo não é um lugar de trabalho, mas um sítio onde o Chefe do Executivo descansa e recebe convidados. Foi por essa razão, que Cheong Weng Tong considerou que Scott Chiang

e Sulu Sou não poderiam ter ido ao local para deixar o panfleto, mas antes à sede do Governo. “O Palacete é um local para o Chefe do Executivo descansar e receber convidados. Não é um local de trabalho”, considerou.

REGRESSO À AL VAI DEMORAR

M

esmo que não haja recursos por parte do Ministério Público, nem dos dois arguidos, o deputado suspenso Sulu Sou nunca vai regressar ao seu assento na Assembleia Legislativa nos próximos 20 dias. Isto

porque é esse o tempo necessário para que a sentença transite em julgado, ou seja considerada final. Mesmo depois desse prazo, Sulu Sou terá 10 dias para fazer o pagamento da multa. Só depois de cumpridos es-

ses requisitos o tribunal poderá comunicar o fim do processo ao hemiciclo e o deputado poderá regressar ao lugar para o qual foi eleito com cerca de 9 mil votos.

4 PROCESSOS EM FASE DE INQUÉRITO

O

dos de ir ao Palacete e aderissem ao protesto. Se não tivessem a intenção de promover a manifestação [ilegal] não precisavam de ter mencionado essa informação”, justificou. O tribunal considerou que a partir do momento que abandonaram o percurso que tinha sido comunicado, que os indivíduos tiveram sempre num acto de reunião ilegal. Para o tribunal, o crime só terminou junto ao Palacete, quando, após atirarem os folhetins da manifestação em forma de

aviões de papel, os arguidos e os restantes 20 a 30 demonstrantes saíram do local.

PROTESTOS RESTRINGIDOS

Ao mesmo tempo que culpou os indivíduos pela promoção da manifestação ilegal, Cheong Weng Tong defendeu que o direito de reunião e manifestação só pode ser exercido dentro da lei e que esta impõe restrições. “O exercício do direito de manifestação tem de ser dentro do enquadramento jurídico. Os

manifestantes não podem reunir-se de livre vontade. As reuniões que violam a lei têm de ser proibidas”, sustentou na sentença. “O tribunal tem que salientar que a lei não permite que qualquer pessoa possa agir de livre vontade e que há regras, mesmo que em nome da lei ou de um interesse público. Todo o cidadão é igual perante a lei. A nossa sociedade é controlada pela lei, não é por determinada pessoa”, vincou. Na sentença ficou também escrito que o tribunal teve de trans-

primeiro de muitos. A condenação de Sulu Sou neste processo poderá ser apenas a primeira entre muitas. Na altura em que disse à juíza que este era o primeiro caso em que tinha de comparecer em julgamento na condição de arguido, o deputado revelou que recaem sobre ele quatro processos-crime, todos em fase de

inquérito e relacionados com o período da campanha eleitoral. Caso o juiz de instrução considere que existem motivos para levar o deputado novamente a julgamento, e sem o estatuto de primário, o deputado pode mesmo acabar ser condenado a pena de prisão e arriscar perder definitivamente o seu lugar na Assembleia Legislativa.

mitir uma mensagem importante em relação a esta conduta, mesmo que os manifestantes tenham agido em defesa do interesse público. Apesar disso, a própria juíza ressalvou que a reunião ilegal “não foi violenta nem prolongada” e que isso foi tido em conta na decisão da pena. Também foi ponderado o facto de ambos não terem antecedentes criminais, apesar de existirem outros processos em fase de inquérito.

pena continuar com estas condutas, mas espero que no futuro não as repitam”, aconselhou. Os factos que resultaram na condenação do deputado suspenso e de Scott Chiang ocorreram a 15 de Maio de 2016. Na altura, a Associação Novo Macau organizou uma manifestação contra o donativo da Fundação Macau no valor de 100 milhões de yuan à Universidade de Jinan. Durante os protestos, os manifestantes pediram a demissão do Chefe do Executivo, Chui Sai On, que era, ao mesmo tempo, presidente do Conselho Geral de Curadores da Fundação Macau e vice-presidente da Conselho Geral da universidade. Os manifestantes acreditavam que existe conflito de interesses, uma acusação que o Comissariado Contra a Corrupção, prontamente, negou.

MENSAGEM FINAL

Já depois de ter dado a conhecer as penas, Cheong Weng Tong deixou uma mensagem a Sulu Sou e a Scott Chiang, aconselhando o deputado suspenso e o activista a não repetirem as condutas no futuro. “Independentemente do recurso, os arguidos tem que assumir a responsabilidade pelas suas condutas. Independentemente da vontade de defenderem o interesse público, têm de agir de acordo com a lei”, começou por dizer nesta altura. “Vocês é que sabem se vale a

João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo


4 grande plano

30.5.2018 quarta-feira

P

ARA o deputado suspenso, nem ele nem Scott Chiang são culpados do crime de manifestação e reunião ilegal, apesar da condenação do Tribunal Judicial de Base. “Como dissemos no início, continuamos a achar que não somos culpados, estávamos a exercer a prática de um direito fundamental. Não podemos dizer que concordamos com a decisão”, disse Sulu Sou. “Considero que este caso teve algum impacto na sociedade civil e desde o início que pensamos que houve razões políticas por parte da polícia [neste processo]”, vincou. Sobre a possibilidade de recurso, Sulu Sou explicou que ainda vai pensar sobre esse assunto e que não consegue prever como o Ministério Público agirá: “Ainda vamos discutir se vamos recorrer. Temos 20 dias. Também não consigo prever se o MP vai recorrer, são eles que devem responder directamente à pergunta”, considerou. Sobre as suas acções políticas no futuro, Sulu Sou fez questão de sublinhar que não se vai restringir e que mais importante do que o seu lugar na Assembleia Legislativa são as liberdades da população. “Estamos preocupados que o espaço para a liberdade de expressão e opinião possa ficar diminuído após este caso e que qualquer pessoa possa correr um grande risco, quando decide exprimir a sua opinião sem autorização das autoridades. Esta é uma grande preocupação”, explicou. “O mandato de deputado não é o mais importante para mim. O mais importante para nós é que os cidadãos não tenham medo de exprimir as suas opiniões e possam exercer os seus direitos civis. É também este ponto que vai ser tido como referência para a decisão sobre o recurso”, revelou. Porém, o deputado ligada à Associação Novo Macau reconheceu que tinha havido respostas positivas à decisão do tribunal. “Concordo que muitos dos nossos apoiantes se sentem contentes após terem ouvido a decisão da primeira instância, porque posso voltar à Assembleia Legislativa”, admitiu. J.S.F. / D.M.

Pedro Leal Esperava absolvição

No final do julgamento, numa breve declaração, o advogado de Scott Chiang revelou que esperava que o seu cliente fosse absolvido. “Eu não estava à espera. Foi uma decisão negativa e que não esperava. Estava à espera de absolvição”, afirmou Pedro Leal. O advogado atirou também a decisão sobre a apresentação de um eventual recurso para o seu cliente: “A sentença é grande. É uma decisão com 60 páginas, todas escritas em chinês. É muito difícil dizer, para já, se vamos recorrer. Depois, não é uma decisão nossa. É uma decisão dos arguidos. Eles é que sabem as consequências que poderão ter em relação ao recurso”, justificou.

Jorge Menezes Não estou satisfeito

Jorge Menezes, advogado de defesa de Sulu Sou, revelou no final da sessão não ter ficado satisfeito com a decisão. O causídico também esperava ver o seu cliente declarado inocente pela juíza: “Não estou satisfeito. Evidentemente que estava à espera da absolvição”, disse no final do julgamento.

“Ainda não sei se as duas partes vão apresentar recurso, por isso, não posso comentar [o caso] porque ainda está a decorrer o processo judicial” SOFIA MARGARIDA MOTA

Sulu Sou “Não somos culpados”

Ho Iat Seng

Leonel Alves

“É porque há motivos suficientemente fortes para não se recorrer à punição mais severa. Se é razoável, ou não, eu não tenho bases para tecer qualquer tipo de comentário. Sinceramente, não posso dar opinião (se é muito ou pouco) porque não estou dentro da factualidade e também não sou criminalista. Lido muito pouco com processos penais de maneira que não posso objectivamente dizer nada de concreto. O que posso dizer é que o Ministério Público pediu prisão efectiva, o tribunal não seguiu essa ideia, o que demonstra que o tribunal ponderou devidamente os factos e encontrou esta solução. A defesa, obviamente, que defendia a absolvição, de maneira que creio que irá haver matéria de recurso.

Pereira Coutinho

“Acho que vamos ainda ter de esperar porque, muito provavelmente, o Ministério Público vai recorrer da decisão. Enquanto a sentença não for transitada em julgado, vamos ter, de facto, de esperar para ver o que vai acontecer” Podemos falar numa pequena vitória? “Não, acho que, de qualquer forma, foi pesada, porque se compararmos as sentenças mais ou menos parecidas que aconteceram com o edifício Sin Fong e os casos de brutalidade com o edifício Politex, em que ficaram danificadas várias viaturas policiais e alguns agentes da autoridade sofreram pequenas lesões, acho que este caso foi algo exagerado. Mas, em todo o caso, do mal o menos, pelo menos é uma pena de multa. Vamos aguardar até que a sentença transite em julgado para ver o resultado”

Frederico Rato

Scott Chiang Pronto para ser sacrificado O ex-presidente da Novo Macau afirmou não ter medo de ir para à prisão para defender os ideais democráticos e que não se importa de ser um sacrificado, mesmo que tenha uma filha com menos de dois anos e um outro filho em vias de nascer. “Ser detido não me impede de ser pai. Eles não podem prender-me para sempre. E mesmo que tenham outros casos focados noutras pessoas que participaram no protesto, não nos podem matar a todos. Essa é a ideia, e as ideias não se matam”, afirmou Scott Chiang, negando ter medo de ser detido. “Podes tentar encolher a margem de manobra que as pessoas têm para praticar direitos fundamentais, mas não podes de facto impedi-las de ter outra ideia diferente em relação ao que o Governo pensa. Há muitas pessoas lá fora”, frisou. Já sobre a sentença, Scott Chiang afirmou que não tinha expectativas,

mas que está consciente que este pode não ser derradeiro veredicto: “Todos sabemos que esta decisão pode não ser final, por isso, vou manter uma mente aberta. É uma batalha dentro de toda uma guerra. É uma luta perpétua caso não abandones o combate a meio, nem morras prematuramente. É um combate para vida”, apontou. J.S.F. / D.M.

Acho que é uma decisão muito acertada. Está de acordo com a jurisprudência dos tribunais de Macau quando o arguido é primário. Além de tudo o mais, existe também aí alguma justiça de natureza substancial, porque o caso teve grandes repercussões na opinião pública e era preciso através de uma decisão judicial clara, simples, transparente e tranquila devolver à opinião pública a importância e a valoração penal desse tipo crime. Por isso, fico muito satisfeito. Espero que o MP tenha o bom senso de superar os exageros da pena que pediu nas alegações finais e aceitar a decisão judicial como justa e dela não recorrer para terminarmos com esse folhetim e o deputado Sulu Sou retomar de pleno as suas funções na Assembleia Legislativa, para as quais foi eleito pelo voto popular.

Agnes Lam

“Considero [ a decisão do tribunal] positiva”. Foi desta forma que a deputada Agnes Lam comentou a notícia da condenação de Sulu Sou com uma pena de 120 dias de multa.


política 5

GCS

quarta-feira 30.5.2018

LEI GOVERNO REJEITA DIFERENCIAR GRAUS DE DEFICIÊNCIA NO BENEFÍCIO FISCAL À CONTRATAÇÃO

O exemplo de Hawking

O Governo afastou a possibilidade de diferenciar o benefício fiscal a atribuir às empresas com base no grau de deficiência dos trabalhadores contratados, após dar como exemplo Stephen Hawking

A

3ª Comissão Permanente da Assembleia Legislativa (AL) entende que o benefício fiscal a conceder às empresas que contratem deficientes deve “ter em conta” o grau de deficiência do trabalhador, mas o Governo afastou essa possibilidade. Em causa figura a proposta de lei, actualmente em análise em sede de especialidade, que prevê uma dedução fiscal de até 5.000 patacas por ano e por cada trabalhador contratado. “Este benefício é uniforme, ou seja, não faz distinção dos graus de deficiência, [pelo que] o empregador pode obter uma dedução fiscal de 5.000 patacas por ano desde que contrate uma pessoa avaliada pelo Instituto de Acção Social (IAS) e preencha os requisitos previstos”, afirmou ontem o presidente da 3ª Comissão Permanente da AL, após uma reunião com representantes do Governo. A preocupação dos deputados reside na possibilidade de as empresas optarem por contratar apenas portadores de defi-

ciência ligeira, mas o Executivo rejeitou a hipótese de fazer uma diferenciação. “O Governo deu uma resposta muito detalhada, dizendo que é difícil criar uma articulação entre os graus de deficiência, o posto [que vai ocupar] e a capacidade de trabalho dos portadores de deficiência”, explicou Vong Hin Fai. Segundo o presidente da 3ª Comissão Permanente da AL, o Executivo argumentou que existem portadores de deficiência grave que têm uma elevada capacidade de trabalho, tendo citado, aliás, como exemplo o físico britânico Stephen Hawking, que morreu em Março último. Face ao exposto, o Governo considera ser “difícil proceder à avaliação dessa situação”, pelo que “decidiu manter a sua decisão, explicou. Em sentido inverso, acolheu a opinião dos deputados de que o montante do benefício fiscal deve ser fixado através da lei e não por despacho do Chefe do Executivo a publicar em Boletim Oficial, como prevê a versão inicial da

proposta em causa, aprovada na generalidade em Novembro. Outro ponto que o Executivo acedeu prende-se com os requisitos para a concessão do benefício fiscal, dado que o articulado apenas define que os portadores de deficiência contratados têm de trabalhar no mínimo e cumulativamente 128 horas semanais.

INCENTIVO AO CONTRATO

Segundo Vong Hin Fai, a 3ª Comissão Permanente da AL advertiu anteriormente ser preciso observar o previsto no decreto-lei de 1995, relativo às regras da suspensão das relações de trabalho e na redução

A preocupação dos deputados reside na possibilidade de as empresas optarem por contratar apenas portadores de deficiência ligeira

dos horários, tendo o Governo atendido à sugestão dos deputados. Tanto que na nova versão de trabalho, entretanto elaborada, “foram já elencadas uma por uma todas as situações [ali] referidas e que têm de ser consideradas”, explicou o mesmo responsável. Foi também abordado o ano da dedução. Ao abrigo da proposta de lei, o valor do imposto é aplicável ao ano do exercício a que se reporta o benefício fiscal, mas o Executivo aceitou a sugestão dos deputados e vai poder ser acumulado até cinco anos. “Se uma empresa tiver prejuízos não precisa de pagar o imposto [complementar de rendimentos], [pelo que], se tiver contratado um deficiente, o valor da dedução pode ser utilizado noutro ano”, exemplificou Vong Hin Fai. Segundo o presidente da 3ª Comissão Permanente da AL, a nova versão de trabalho vem também clarificar melhor que se [o trabalhador não atingir as 128 horas mensais definidas o benefício fiscal “é apurado proporcionalmente”.

Dado que o diploma pretende incentivar as empresas a contratar deficientes, os deputados questionaram o Governo sobre se dispõe, em paralelo, de políticas, para incentivar e/ou apoiar os deficientes a ingressarem no mercado de trabalho. O Governo respondeu afirmativamente, dando conta de que vários serviços públicos, lançaram medidas para o efeito. Face à resposta, Vong Hin Fai indicou que “não se afasta a possibilidade” de a Comissão de Acompanhamento para os Assuntos da Administração Pública da AL, da qual faz parte, vir então acompanhar a implementação das referidas medidas. Questionado sobre o número de portadores de deficiência que integram actualmente o mercado de trabalho, Vong Hin Fai afirmou que o Governo não facultou dados a esse respeito. Foi apenas referido que, nos últimos três anos, mais de 100 foram encaminhados para empresas por sete centros de reabilitação, incluindo geridos por organizações sem fins lucrativos que oferecem cursos de formação, dos quais entre “50 a 60 por cento” foram então efectivamente contratados. Aquando da apresentação da proposta de lei, em Outubro, o porta-voz do Conselho Executivo, Leong Heng Teng, indicou que 78 empresas empregavam 325 pessoas com deficiência, sendo que, de acordo com estimativas oficiais, existem cerca de 12 mil nessa condição em Macau. Diana do Mar

dianadomar@hojemacau.com.mo


6 sociedade

30.5.2018 quarta-feira

Fernando Gomes, médico “Nunca percebi muito bem o sistema dos parquímetros, logo a começar pelo ecrã. É difícil seleccionar os itens no ecrã, a visibilidade é horrível, porque é a preto e branco. Os parquímetros ficam ainda mais complicados de usar quando recorremos ao pagamento através do Macau Pass. Já desisti, só pago com moedas”

P

RIMEIRO quem estacionava o veículo nas vias públicas pagava sem ter direito a recibo comprovativo do pagamento, algo que violava o Código Civil em vigor. Mas o panorama alterou-se. Os estacionamentos do território passaram a ter novos parquímetros que permitem o pagamento através do Macau Pass e a emissão de recibo. Uma solução que não fez desaparecer os problemas. A deputada Chan Hong enviou uma interpelação escrita ao Governo sobre este assunto, em que denuncia queixas dos cidadãos referentes a constantes avarias nas máquinas dos parquímetros. As mais comuns prendem-se com o aparecimento no ecrã da frase “fora de serviço”, o que impede os utilizadores de pagarem o lugar onde estacionaram. Quando estes inserem o seu Macau Pass surge a

PARQUÍMETROS DEPUTADA E UTILIZADORES QUEIXAM-SE DE FALHAS

Sem passar cartão

A deputada Chan Hong questionou o Governo sobre os problemas na utilização dos novos parquímetros. Dois utilizadores alertam para falhas no pagamento com Macau Pass, bloqueios constantes, um sistema complicado e a ausência do inglês como opção frase “apresente a chave do cartão”, não possibilitando a conclusão do pagamento. A acrescentar a esta situação, por vezes os utilizadores não conseguem inserir moedas porque o canal não está aberto. De acordo com a interpelação da deputada, estas ocorrências le-

vam a que os agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) multem condutores, sem que tenham em conta as avarias dos parquímetros. Por esta razão, Chan Hong questiona a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) quanto à realização de testes antes

Medicina tradicional chinesa Patentes aumentam 30 por cento ao ano Zhang Baoxian, orientador de doutorandos do Instituto de Medicamentos Chineses e Vice-Director do Conselho de Preparação de Medicamentos da Comissão da Farmacopeia Chinesa (CFC), disse que “o aumento anual da taxa de crescimento dos medicamentos tradicionais chineses patenteados tem sido superior

a 30 por cento”. As declarações foram proferidas num fórum co-organizado pelo Governo de Macau. “À medida que for aperfeiçoado o sistema de seguro de saúde nacional e o mecanismo da segurança social da China, os medicamentos chineses irão desenvolver-se a um ritmo célere”, pode-se ler num comunicado.

da instalação dos parquímetros e como vão ser resolvidas estas falhas de funcionamento. A deputada pede também que sejam encontradas formas para evitar que os condutores sejam multados de forma indevida.

COMPLICADO E SEM INGLÊS

Miguel Duque, designer e condutor, considera que o sistema dos novos parquímetros não é fácil de utilizar. “O sistema é complicado e deveria ser muito mais fácil do ponto de vista do utilizador. O painel com as informações poderia ser mais simplificado, porque tem muita informação e é muito confuso. Já ouvi pessoas a queixarem-se da mesma coisa. Este domingo quando estacionei o carro em Coloane, o parquímetro estava avariado”, contou ao HM. Fernando Gomes, médico, também se queixa de um sistema que

não funciona devidamente. “Posso dizer que nunca percebi muito bem o sistema dos parquímetros, e logo a começar pelo ecrã. É difícil seleccionar os itens no ecrã, a visibilidade é horrível, porque é a preto e branco. Os parquímetros ficam ainda mais complicados de usar quando recorremos ao pagamento através do Macau Pass. Já desisti, só pago com moedas, porque depois o tempo de utilização acaba por ser muito e descontam-me o dinheiro do Macau Pass.” Ambos os condutores alertam ainda para o facto das línguas disponíveis nos parquímetros serem apenas o chinês e o português, os idiomas oficiais do território. Seria fundamental a inserção do inglês, conforme notou Fernando Gomes. “O Governo apregoa que Macau é a cidade internacional de turismo e lazer e todos sabemos que a língua internacional é o inglês. Acho muito bem que se respeite a língua portuguesa, ainda que haja menos utilizadores, mas é o que está consagrado na Lei Básica. A língua mais utilizada é o inglês, mas essa questão vai sempre colocar-se para tudo. Há milhares de trabalhadores não residentes que trabalham em Macau, da Indonésia, das Filipinas, e que não dominam nem o português, nem o chinês. Estas pessoas não têm o direito a estacionar o seu carro?”, questionou. Andreia Sofia Silva e Vítor Ng info@hojemacau.com.mo


sociedade 7

quarta-feira 30.5.2018

SAÚDE QUASE 400 NOVOS CASOS DE TUBERCULOSE REGISTADOS EM 2017

Dados incompletos

A

tuberculose causou 18 mortes em Macau no ano passado, altura em que foram sinalizados 381 novos casos. Não obstante os números, divulgados ontem, os Serviços de Saúde garantem que tanto a taxa de incidência como a de mortalidade têm diminuído anualmente desde que, nos anos 1990, Macau adoptou programas de padrões internacionais, como o Tratamento de Observação Directa (DOT, na sigla em inglês). No comunicado, não são, contudo, facultados dados concretos relativos a anos anteriores, tanto a da incidência como da mortalidade, que permitam melhor compreender a evolução da doença no território. A taxa de incidência correspondeu a 58,3 casos por cada 100 mil habitantes, um valor que figura “no nível médio” da Organização Mundial da Saúde (OMS) e que é “similar” ao de regiões vizinhas como Hong Kong, Taiwan, Singapura ou Japão. Já a taxa de mortalidade foi de 2,8 casos por cada 100 mil habitantes. Segundo os dados dos Serviços de Saúde, 12 das 18 vítimas mortais que foram registadas em 2017 tinham idade igual ou superior a 65 anos, enquanto a mais jovem tinha 42. Actualmente, existem 251 doentes (162 homens e 89 mulheres) que recorrem ao Centro de Prevenção e Tratamento de Tuberculose para tratamento médico da doença infecto-contagiosa, dos quais 61 são idosos.

TOSSE NÃO RESIDENTE

O Centro de Prevenção e Tratamento de Tuberculose presta serviços de prevenção e tratamento da tuberculose a título gratuito aos residentes. Segundo os Serviços de Saúde, de acordo com as instruções da OMS nos novos casos diagnosticados é

Ao longo do ano passado foram detectados 381 novos casos de tuberculose em Macau, uma doença que fez em 2017 um total de 18 vítimas

NAM VAN IFT DE SAÍDA, NOVO CAFÉ AINDA AGUARDA POR LICENÇA

O

café escola que tem operado no espaço Anim’Arte Nam Van sob a égide do Instituto de Formação Turística (IFT) desde 2016 fechou portas para dar lugar a um outro espaço semelhante operado por uma empresa privada. A informação consta de um comunicado ontem divulgado. “A loja onde o Café IFT estava localizado vai fechar para dar lugar ao novo concessionário a 1 de Junho de 2018, para a operacionalização de um café de lazer, enquanto que as outras lojas vão transformar-se num restaurante que oferece hambúrgueres, pizas e outros pratos similares”, pode ler-se. Contudo, “os proprietários destes dois

restaurantes necessitam de pedir a licença antes da sua abertura”, pelo que não há ainda uma data precisa para que o novo espaço de restauração abra portas. A segunda fase do concurso público decorreu entre Outubro do ano passado e Fevereiro deste ano, tendo sido destinado para a operação do espaço do Café IFT e de outras cinco lojas. As três lojas que restam vão estar incluídas numa terceira ronda do concurso público que “possivelmente vai começar no próximo mês”. O projecto Anim’Arte Nam Van arrancou a 3 de Junho de 2016, sendo que a primeira fase do concurso público começou apenas em Março do ano passado.

METEOROLOGIA CALOR MANTÉM-SE NOS PRÓXIMOS DOIS DIAS

U

Segundo os dados dos Serviços de Saúde, 12 das 18 vítimas mortais que foram registadas em 2017 tinham idade igual ou superior a 65 anos, enquanto a mais jovem tinha 42 necessário administrar, em conjunto, quatro tipos de medicamentos. A terapia tem, normalmente, uma duração de seis a nove meses. É de referir, com efeito, que 47 dos 381 novos casos sinalizados no ano passado dizem respeito a não residentes. O HM questionou, entre outros, os Serviços de Saúde sobre o preçário para trabalhadores não residentes, mas não obteve resposta. A este respeito, os Serviços de Saúde referiram apenas que,

à luz da legislação vigente, a tuberculose não pode servir de fundamento para suspender a qualificação de permanência de um não residente. Estes dados foram divulgados publicamente ontem em comunicado, após terem sido facultados a este jornal na noite de segunda-feira, dia 28, ou seja, mais de dois meses depois do envio das perguntas. Diana do Mar

dianadomar@hojemacau.com.mo

M comunicado emitido ontem pelos Serviços Meteorológicos e Geofísicos (SMG) avisa que o calor deverá manter-se mais dois dias, “com sol e temperaturas elevadas durante o dia”. Contudo, “a nebulosidade aumentará ligeiramente no fim desta semana, prevendo-se aguaceiros ocasionais”. “Devido à influência contínua de uma crista de alta pressão em meados de Maio, a Estação Meteorológica da Taipa Grande tem registado temperaturas elevadas que rondaram os 33 graus celsius durante seis dias consecutivos entre os dias 19 e 24, o

recorde mais longo, durante o mês de Maio e também a temperatura mais alta da mesma estação desde 1991.” Ontem, a temperatura foi especialmente quente por volta das 13 horas, tendo sido registados 35,8 graus celsius na Estação Meteorológica da Taipa Grande. Esta foi “a mais alta temperatura registada, nesta estação, este ano e foi também a mais elevada em Maio desde 1952”, aponta o mesmo comunicado. Os SMG “aconselham a população a evitar a exposição directa e prolongada ao sol e a beber uma quantidade de água adequada”.

PUB

DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE SOLOS, OBRAS PÚBLICAS E TRANSPORTES Anúncio Faz-se saber que em relação ao concurso público para a execução da empreitada de “OBRA DE CONSTRUÇÃO DA TRAVESSIA PEDONAL AO LONGO DA AVENIDA DE GUIMARÃES NA TAIPA”, publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau, n° 20, II Série, de 16 de Maio de 2018, foram prestados esclarecimentos, nos termos do artigo 2° do programa do concurso, e foi feita aclaração complementar conforme necessidades, pela entidade que realiza o concurso e juntos ao processo do concurso. Os referidos esclarecimentos e aclaração complementar encontram-se disponíveis para consulta durante o horário de expediente no Departamento de Infra Estruturas da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, n°33, 16° andar, Macau. Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes, aos 25 de Maio de 2018. O Director dos Serviços LI CANFENG


8 publicidade

30.5.2018 quarta-feira


sociedade 9

O

Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 9,2 por cento, em termos reais, no primeiro trimestre do ano, alcançando os 107.409 milhões de patacas. Dados divulgados ontem pela Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC) indicam que o aumento – acima do trimestre anterior (8 por cento) – foi impulsionado, principalmente, pelas exportações de serviços, onde entra o desempenho da indústria do jogo, e pelo consumo privado. Aprocura externa manteve-se em alta, alavancando o aumento anual de 16 por cento nas exportações de serviços, entre as quais se destacam as de serviços do jogo (mais 16,5 por cento) e as de outros serviços turísticos (mais 19,6 por cento). Já as exportações de bens registaram um crescimento de 12 por cento em termos anuais homólogos. Aprocura interna voltou a subir.A despesa de consumo privado cresceu 4,8 por cento, em termos anuais, o que, segundo a DSEC, ficou a dever-se ao aumento da população e dos salários. Já a despesa de consumo final do Governo cresceu 4,8 por cento, com a DSEC a destacar as subidas das remunerações dos funcionários (mais 2,5 por cento) e das aquisições líquidas de bens e serviços (mais 1,6 por cento).

TIAGO ALCÂNTARA

quarta-feira 30.5.2018

Crime Polícia Judiciária deteve mãe que abandonou bebé

Nos píncaros PIB subiu 9,2% em termos reais no primeiro trimestre

Em sentido inverso, o investimento sofreu uma queda de 1,9 por cento. Se, por um lado, o investimento em activos fixos do sector público registou um aumento significativo de 132,5 por cento, por outro, o do sector privado sofreu uma diminuição anual de 16,4 por cento. Segundo a DSEC, o aumento do investimento do sector público

deveu-se ao crescente investimento na zona de administração de Macau na ilha fronteiriça artificial da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau; enquanto a descida do investimento do sector privado resultou da conclusão das várias obras de grandes empreendimentos turísticos e de entretenimento, bem como de edifícios residenciais.

Já o comércio externo de mercadorias manteve “um comportamento satisfatório” no primeiro trimestre do ano, com a DSEC a assinalar os aumentos homólogos de 12,8 por cento nas exportações e de 7 por cento nas importações. O deflactor implícito do PIB – que mede a variação global de preços – registou um crescimento anual de 3,4 por cento, segundo a DSEC. Em 2017, a economia de Macau cresceu 9,1 por cento em termos reais, pondo termo a três anos de contracção. D.M.

A Polícia Judiciária deteve na segunda-feira a alegada mãe do bebé de 10 meses que foi abandonado, num Centro Comercial da Avenida Tamagnini Barbosa. De acordo com as informações relatadas pelo canal chinês da Rádio Macau, a mulher tem 27 anos, é casada, e é natural de Hong Kong. Já o pai é um residente de 60 anos, com quem a mulher de Hong Kong tinha uma relação extraconjungal há vários anos. Na origem do abandono esteve um disputa entre o pai e a mãe em relação à pensão de alimentos da criança. A mulher exigia ao homem 240 mil patacas, que o sujeito não quis pagar. Por essa razão, a mulher foi à casa da irmã em Macau, onde estava o bebé e decidiu abandonálo. Foi já quando se preparava para abandonar o território com destino a Hong Kong que foi detida pelas autoridades. A mulher incorre na prática de um crime de abandono, que é punido com uma pena que pode ir de 1 ano a 5 anos de prisão.

PUB

Anúncio Concurso Público N.º 19/ID/2018 «Aquisição de equipamentos de resgate para a 65.ª Edição do Grande Prémio de Macau» Nos termos previstos no artigo 13.o do Decreto-Lei n.o 63/85/M, de 6 de Julho, e em conformidade com o despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 16 de Maio de 2018, o Instituto do Desporto vem proceder, em representação do adjudicante, à abertura do concurso público para a aquisição de equipamentos de resgate para a 65.ª Edição do Grande Prémio de Macau. A partir da data da publicação do presente anúncio, os interessados podem dirigir-se ao balcão de atendimento da sede do Instituto do Desporto, sito na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, n.o 818, em Macau, no horário de expediente, das 9,00 às 13,00 e das 14,30 às 17,30 horas, para consulta do processo de concurso ou para obtenção da cópia do processo, mediante o pagamento de $500,00 (quinhentas) patacas. Podem ainda ser feita a transferência gratuita de ficheiros pela internet na área de download da página electrónica do Instituto do Desporto: www.sport.gov.mo. Os interessados devem comparecer na sede do Instituto do Desporto até à data limite para a apresentação das propostas para tomarem conhecimento sobre eventuais esclarecimentos adicionais. A sessão de esclarecimento deste concurso público terá lugar no dia 1 de Junho de 2018, sexta-feira, pelas 10,30 horas, na sala de reuniões do Edifício do Grande Prémio, sito na Avenida da Amizade n.º 207, em Macau. Em caso de encerramento do Instituto do Desporto na data e hora da sessão de esclarecimento acima mencionada, por motivos de tufão ou por motivos de força maior, a data e hora estabelecidas para a sessão de esclarecimento serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. O prazo para a apresentação das propostas termina às 12,00 horas do dia 21 de Junho de 2018, quinta-feira, não sendo admitidas propostas fora do prazo. Em caso de encerramento do Instituto do Desporto na data e hora limites para a apresentação das propostas acima mencionada, por motivos de tufão ou por motivos de força maior, a data e a hora limites estabelecidas para a apresentação das propostas serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. Os concorrentes devem apresentar a sua proposta dentro do prazo estabelecido, na sede do Instituto do Desporto, no endereço acima referido, acompanhada de uma caução provisória no valor de $30 000,00 (trinta mil) patacas. Caso o concorrente opte pela garantia bancária, esta deve ser emitida por um estabelecimento bancário legalmente autorizado a exercer actividade na Região Administrativa Especial de Macau e à ordem do Fundo do Desporto ou efectuar um depósito em numerário ou em cheque (emitida a favor do Fundo do Desporto) na mesma quantia, a entregar na Divisão Financeira e Patrimonial, sita na sede do Instituto do Desporto. O acto público do concurso terá lugar no dia 22 de Junho de 2018, sexta-feira, pelas 9,30 horas, no auditório da sede do Instituto do Desporto, sito na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, n.o 818, em Macau. Em caso de encerramento do Instituto do Desporto na data e hora para o acto público do concurso, por motivos de tufão ou por motivos de força maior, ou em caso de adiamento na data e hora limites para a apresentação das propostas, por motivos de tufão ou por motivos de força maior, a data e hora estabelecidas para o acto público do concurso serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. As propostas são válidas durante 90 dias a contar da data da sua abertura. Instituto do Desporto, 30 de Maio de 2018. O Presidente, Pun Weng Kun

ANÚNCIO Concurso Público n.o 001/SZVJ/2018 “Prestação de Serviços de Limpeza e Manutenção do Lago Nam Van, Lago Sai Van e Lago da Barra” Faz-se público que, por deliberação do Conselho de Administração do IACM, tomada em sessão de 11 de Maio de 2018, se acha aberto concurso público para a “Prestação de Serviços de Limpeza e Manutenção do Lago Nam Van, Lago Sai Van e Lago da Barra”. O programa de concurso e o caderno de encargos podem ser obtidos, todos os dias úteis e dentro do horário normal de expediente, no Núcleo de Expediente e Arquivo do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), sito na Avenida de Almeida Ribeiro nº 163, r/c, Macau. O prazo para a entrega das propostas termina às 17:00 horas do dia 19 de Junho de 2018. Os concorrentes devem entregar as propostas e os documentos no Núcleo de Expediente e Arquivo do IACM e prestar uma caução provisória no valor de MOP40.000,00 (quarenta mil patacas). A caução provisória pode ser efectuada na Tesouraria da Divisão de Contabilidade e Assuntos Financeiros do IACM, sita no résdo-chão do mesmo edifício, por depósito em dinheiro, cheque ou garantia bancária, em nome do “Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais”. O acto público de abertura das propostas realizar-se-á no Centro de Formação do IACM (sito na Avenida da Praia Grande, n° 804, Edf. China Plaza 6° andar), pelas 15:30 horas do dia 20 de Junho de 2018. Além disso, o IACM realizará uma sessão de esclarecimento que terá lugar às 15:30 horas do dia 6 de Junho de 2018 no Centro de Formação do IACM. Aos 23 de Maio de 2018 A Administradora do Conselho de Administração UNG SAU HONG WWW. IACM.GOV.MO


10 china

30.5.2018 quarta-feira

ECONOMIA UE QUER CONTROLAR INVESTIMENTO CHINÊS

O

Noah Bookbinder, Cidadãos para a Responsabilidade e Ética em Washington “Isto levanta questões sobre corrupção, a possibilidade de estar a beneficiar financeiramente da posição e da presidência do pai, ou que pode o desempenho [de Ivanka] ser influenciado pela forma como os países tratam os seus negócios.”

COMÉRCIO PEQUIM APROVA 13 NOVAS MARCAS DE IVANKA TRUMP

À vista de todos

A China concedeu na segunda-feira a aprovação final para a 13.ª nova marca registada de Ivanka Trump, filha do Presidente dos Estados Unidos, um número alcançado nos últimos três meses, noticiou a agência Associated Press (AP)

N

O mesmo período, Ivanka Trump, que é assessora na Casa Branca, conseguiu ainda do Governo chinês o aval provisório para mais oito marcas registadas. No total, as marcas registadas permitem-lhe comercializar produtos que vão desde cobertores para bebés a caixões, bem como perfumes, espelhos, maquilhagem, taças, móveis, livros, café, chocolate e mel.

A filha de Donald Trump deixou de gerir a marca e colocou os activos num fundo fiduciário familiar, mas continua a lucrar com os negócios, o que levanta a questão de um conflito de interesses com a Casa Branca. “A recusa de Ivanka Trump de se alienar dos seus negócios é especialmente problemática, até porque a sua marca continua a expandir-se para outros países estrangeiros”, alertou Noah Bookbinder, director executivo do grupo Cidadãos

para a Responsabilidade e Ética em Washington, citado pela AP. “Isto levanta questões sobre corrupção, já que levanta a possibilidade de estar a beneficiar financeiramente da posição e da presidência do pai, ou que pode o desempenho [de Ivanka] ser influenciado pela forma como os países tratam os seus negócios”, indicou.

SOB INFLUÊNCIA

Preocupações sobre a influência política sobre Ivanka e Donald

Trump têm sido levantadas, de forma mais particular na China. Responsáveis chineses sublinharam que todas as marcas registadas são analisadas de acordo com a lei, enquanto Abigail Klem, presidente da marca Ivanka Trump, argumentou que “o aumento dos pedidos de registo de marca por terceiros sem relação com ela” levou a empresa a agir rapidamente para garantir seus direitos, sobretudo em regiões onde essa violação é comum. De acordo com dados oficiais chineses, a última vez que a companhia de Ivanka Trump solicitou a aprovação das marcas registadas foi a 28 de Março de 2017, um dia antes da filha de Donald Trump assumir funções na Casa Branca, como assessora. Na segunda-feira, os mesmos registos indicavam que pelo menos 25 marcas registadas de Ivanka Trump aguardavam análise, encontrando-se 36 activas e oito já com aprovação provisória.

S deputados europeus da comissão do Comércio Internacional aprovaram um texto para reforçar uma proposta da Comissão que pretende criar um “quadro” europeu para controlar o investimento estrangeiro, designadamente chinês, na União Europeia (UE). Se o texto for validado em plenário, em Junho, o Parlamento Europeu pode começar as negociações, que se preveem complicadas, com o Conselho, que representa os Estados-membros. A França, a Alemanha e a Itália, inquietas de ver os grupos estrangeiros, nomeadamente chineses, obterem a baixo custo e de forma que consideram desleal um saber e tecnologias modernas, através da compra das suas empresas, reclamam desde há muito uma legislação europeia que permita filtrar certas operações. Mas, alguns Estados liberais, como os Países Baixos, a Irlanda ou o Luxemburgo, estão muito reticentes a tal mecanismo. Pressionada pelo Presidente francês, Emmanuel Macron, a Comissão Europeia apresentou em Setembro uma proposta, limitada na ambição, para criar um quadro europeu favorável à cooperação entre Estados-membros, mas sem os obrigar. Os eurodeputados desejam reforçar esta proposta, propondo, entre outras, que se um terço dos Estados-membros estimar que um investimento estrangeiro num outro Estado membro prejudica os seus interesses, o país em questão deve negociar uma resolução do problema. Por outro lado, propõem também que se um investimento estrangeiro ameaçar um projecto ou um programa da UE, a Comissão deve divulgar a sua opinião. A UE deve “proteger os activos europeus essenciais”, afirmou Franck Proust, do partido Popular Europeu, de direita, autor do texto, aprovado por 30 votos contra seis. “Quando ela é pioneira em sectores estratégicos, a Europa deve poder conservá-los”, acrescentou.

Crime Membros de grupo mafioso condenados a penas até 20 anos por extorsão

Dois líderes de um grupo mafioso foram condenados na China a 20 anos de prisão e outros 14 membros a penas entre três e 11 anos, por um esquema de extorsão em grande escala. O grupo “vendia” protecção a embarcações que extraíam ilegalmente areia do fundo do rio Yangtze, próximo da cidade de Wuhan, capital da província de Hubei, segundo a agência noticiosa oficial Xinhua. No total, o grupo extorquiu mais de 1,73 milhões de yuan (230.000 euros), desde 2015, a quase 2.400 embarcações, escreve a agência.


china 11

quarta-feira 30.5.2018

S

EGUNDO um comunicado do Macroeconomic and Financial Management Institute of Eastern and Southern Africa (MEFMI), citado pela agência oficial chinesa Xinhua, participam no fórum 17 altos quadros dos bancos centrais e Governos dos respectivos países. O tema do fórum é “Tendências na Gestão de Reservas Soberanas”. “No final de 2017, as reservas da maioria dos países da região do MEFMI fixaram-se no limiar, ou abaixo, da tradicional referência de três meses de importações. A dívida pública denominada em moedas estrangeiras continua a aumentar, assim como as taxas de juros”, refere-se no comunicado. Na mesma

ECONOMIA PAÍSES AFRICANOS ESTUDAM USO DO YUAN COMO DIVISA DE RESERVA

Dólar perde terreno

Países do leste e sul de África, num total de 14 que inclui Angola e Moçambique, reúnem hoje num fórum em Harare, para estudar a possibilidade de usar a moeda chinesa, o yuan, como divisa de reserva nota acrescenta-se que o grosso das reservas na maioria dos países da região está investido em dólares norte-americanos, o que não acompanha as grandes mudanças na economia mundial. “Isto é particularmente evidente quando a China e a Índia continuam a definir as tendências económicas

como principais parceiros comerciais da região”, lê-se. “A maioria dos países na região do MEFMI receberam empréstimos ou apoios da China e faria sentido económico que fossem pagos em renminbi [a moeda chinesa]”, acrescenta. A internacionalização do renminbi é uma prio-

ridade para Pequim, que quer contrariar a hegemonia do dólar norte-americano e negociar na sua moeda recursos como petróleo e ferro, dos quais é o maior mercado mundial, e facilitar os investimentos chineses além-fronteiras. Em 2016, o renminbi aderiu formalmente ao cabaz

de moedas do Fundo Monetário Internacional (FMI), um instrumento criado pela instituição com a finalidade de permitir liquidez aos países membros. As reservas internacionais angolanas voltaram em Abril às quedas, depois de uma ligeira recuperação em Março, renovando mínimos

históricos desde 2010 ao chegar aos 12.733 milhões de dólares (10.778 milhões de euros). Angola vive desde finais de 2014 uma crise financeira, económica e cambial, decorrente da quebra para metade nas receitas com a exportação de petróleo. Angola figura entre os três maiores receptores de apoio financeiro prestado por Pequim ao exterior, logo atrás da Rússia e Paquistão, segundo a unidade de investigação sediada nos Estados Unidos, a China AidData. Entre 2000 e 2014, o país africano, que é também um dos principais fornecedores de petróleo da China, recebeu 14,3 mil milhões de dólares em empréstimos e doações de Pequim, detalha a mesma fonte.

Região

U

M destacado general da Coreia do Norte deve fazer uma visita aos Estados Unidos, noticiou ontem a agência de notícias sul-coreana Yonhap, sublinhando que se trata de uma deslocação pouco habitual. O general Kim Yong chol chegou ontem ao aeroporto de Pequim onde efectua uma escala antes da chegada aos Estados Unidos, que deve acontecer hoje, acrescenta a agência de notícias que cita fontes diplomáticas. O oficial da Coreia do Norte tem na agenda um encontro com responsáveis da República Popular da China, num contexto de alterações diplomáticas no sentido da aproximação entre Pyongyang e Seul e no quadro da provável cimeira entre o líder norte-coreano Kim Jong-un e o chefe de Estado norte-americano, Donald Trump, prevista para o dia 12 de Junho em Singapura. No domingo, uma equipa de diplomatas dos Estados Unidos chefiada pelo embaixador dos Estados Unidos nas Filipinas encontrou-se com responsáveis norte-coreanos em Panmunjom, na Zona Desmilitarizada (Paralelo 38) que separa as duas Coreias. Entretanto, o Departamento de Estado norte-americano anunciou que uma outra delegação está prestes a deslocar-se a Singapura tendo como missão os preparativos logísticos da cimeira.

A viagem fantástica General de Pyongyang em rara deslocação aos EUA

A confirmar-se, a visita do general norte-coreano aos Estados Unidos vai ser a primeira deslocação de um alto oficial militar norte-coreano desde o ano 2000, altura em que o vice-marechal Jo Myong rok se encontrou com o então presidente norte-americano Bill Clinton em Washington. Veterano da Guerra da Coreia (1950-1953) o vice-marechal foi até à morte, em 2010, uma das figuras mais fortes do regime da Coreia do

Norte. O general Kim Yong chol é igualmente apontado como um militar próximo do líder Kim Jong-un e participou nos primeiros contactos diplomáticos que aliviaram a tensão entre o norte e o sul, no passado mês de Janeiro. O oficial assistiu também aos Jogos Olímpicos de Inverno de Peyongchang, na Coreia do Sul, em que esteve presente Ivanka Trump, filha do chefe de Estado norte-americano e

acompanhou o líder norte-coreano nas duas recentes deslocações a Pequim. O general que é considerado homólogo de Mike Pompeo, secretário de Estado norte-americano é também vice-presidente do Comité Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte. Kim Yong chol é igualmente uma figura controversa na Coreia do Sul devido ao alegado envolvimento na preparação do ataque, negado por Pyongyang, contra a corveta Cheonan, da Coreia do Sul, e que provocou a morte a 46 marinheiros, em 2010.

MALAYSIA AIRLINES TERMINARAM AS BUSCAS PELO AVIÃO DESAPARECIDO EM 2014

A

S buscas de uma empresa norte-americana para encontrar o avião da Malaysia Airlines desaparecido em 2014 no Oceano Índico terminaram ontem, depois de analisados mais de 80.000 quilómetros quadrados, sem qualquer vestígio do aparelho. O Governo afirmou, no entanto, que irá rever as investigações e deixou em aberto a possibilidade de uma terceira busca. Ao abrigo de um acordo com o ex-Governo da Malásia, a empresa privada Ocean Infinity só seria remunerada se encontrasse o aparelho ou as caixas negras. A empresa iniciou novas buscas em Janeiro - um ano após a suspensão das buscas oficiais das autoridades australianas, malaias e chinesas. As buscas não permitiram, no entanto, encontrar nada que possa contribuir para explicar o misterioso desaparecimento do voo MH370,

a 8 de Março de 2014, quando fazia a ligação entre Kuala Lumpur e Pequim com 239 pessoas a bordo. O ministro dos transportes, Anthony Loke, precisou que o acordo com a empresa tinha a validade de 90 dias, devendo terminar em Abril, mas foi prolongado um mês a pedido da Ocean Infinity. “Não haverá mais prolongamentos. Não pode continuar para sempre. Vamos esperar até 29 de Maio e depois decidimos como proceder”, declarou o ministro na semana passada. O acordo previa o pagamento de 70 milhões de dólares (cerca de 59,8 milhões de euros) se a missão tivesse êxito no prazo de três meses. As autoridades afirmaram na altura haver 85 por cento de hipóteses de encontrar destroços numa nova área de buscas de 25.000 quilómetros quadrados definida por peritos.


12 publireportagem

30.5.2018 quarta-feira

Sands China Lança o mais recente Programa de Desenvovimento Horizontal para membros da sua equipa PRIMEIRA INICIATIVA DO GÉNERO OFERECE DOIS ANOS DE PREPARAÇÃO ACADÉMICA NO IFT E FORMAÇÃO LABORAL COM TRÊS DEPARTAMENTOS DA SANDS CHINA

A

Sands China Ltd. realizou uma sessão de partilha de informação no dia 10 de Maio, no The Venetian Macao, para avaliar os resultados da sua parceria com instituições educativas locais, especializadas no desenvolvimento de aptidões profissionais. A empresa também aproveitou esta oportunidade para efectuar uma cerimónia de lançamento da sua mais recente iniciativa de desenvolvimento horizontal, o Programa de Desenvolvimento de Managers para Resorts Integrados da Sands China.

nomia e Negócios da Universidade Católica de Lisboa, Portugal; e a Cornell School of Hotel Administration, em Ithaca, Nova Iorque, EUA. Um grupo de 25 membros locais das equipas de gestão completou este programa.

e pelo IFT, tem a duração de dois anos e proporciona oportunidades de desenvolvimento de carreira. Oferece aos locais cursos de formação profissional e diversas experiências de trabalho no plano da gestão hospitaleira dos resorts integrados.

Programa de Supervisão/Detecção Rápida – um total de 21 diplomados excepcionais passaram a supervisores, trabalhando em diversos departamentos.

Com o apoio e a direcção do Governo da RAE de Macau, a Sands China tem vindo a trabalhar para desenvolver talentos locais, através de iniciativas tais como uma colaboração pró-activa com instituições educativas de Macau através da criação de um vasto leque de programas de desenvolvimento profissional.

A Sands Retail Academy – proporcionou formação complementar aos empregados das Lojas Sands. Com mais de 26.000 horas de formação dada a mais de 6.200 trabalhadores das Lojas Sands, até à data.

É o primeiro programa de desenvolvimento horizontal para supervisores e gestores a proporcionar uma formação académica com duração de dois anos no IFT e ainda formação no local de trabalho, em três departamentos da Sands China: restauração, frente de casa e manutenção. Durante o primeiro ano, os participantes recebem um dia de formação paga no IFT e quatro dias nos departamentos da Sands China. No ano seguinte, recebem formação a tempo inteiro num destes departamentos, de forma a desenvolverem capacidades e adquirirem experiência em gestão. Os participantes que se qualificam recebem no final uma certficação internacional do IFT.

Na sessão de 10 de Maio foram mostrados exemplos da colaboração da Sands China com diversas instituições educativas, com tipos de programas que incluem formação continuada, certificação profissional, formação vocacional, desenvolvimento horizontal de talentos, desenvolvimento de talentos de elite, jogo responsável, e o desenvolvimento profissional de locais de Macau, incluindo os não empregados pela Sands China. ALGUNS DESTAQUES DESTE PROGRAMA:

“A Sands China considera o desenvolvimento de competências crucial para o sucesso da empresa e para o desenvolvimento contínuo de Macau, enquanto centro mundial de turismo e lazer” afirma o Presidente da Sands China Ltd. Dr. Wong. “Pensamos que os membros das nossas equipas são o nosso bem mais precioso, e vamos continuar a investir para lhes proporcionar um leque diversificado de programas que visem o crescimento das suas carreiras. Estamos muito gratos às instituições educativas com quem trabalhámos, por nos terem ajudado a proporcionar uma plataforma que permite o desenvolvimento profissional dos habitantes de Macau.”

No Programa de um ano para obtenção do Diploma em Gestão de Negócios, em parceria com a Universidade de Macau – mais de 140 membros da equipa obtiveram diplomas até á data.

O evento incluia ainda a cerimónia de abertura do Programa de Desenvolvimento de Gestão da Sands China para Resorts Integrados, oficiado pelos Dr. Wong e pela Drª. Fanny Vong, Presidente do Instituto de Estudos de Turismo (IFT).

Programa da Sands China de Estratégia em Liderança Internacional para Resorts Integrados – em parceria com a Universidade de São José em Macau; a Escola de Eco-

Esta recente iniciativa constitui o novo programa lançado pela empresa e visa o desenvolvimento horizontal dos membros das suas equipas. A formação, organizada conjuntamente pela Sands China

• Convidados de honra presentes na sessão do dia 10 de Maio, no The Venetian Macao, que avaliaram os frutos da colaboração entre a Sands China e as instituições educativas locais no desenvolvimento de competências profissionais. O evento incluiu a cerimónia de abertura da mais recente iniciativa de desenvolvimento horizontal.

O primeiro grupo de 23 colaboradores iniciou já o curso. Uma vez que a formação esteja concluida, os diplomados estão qualificados para participar nas operações de gestão dos resorts integrados. Cada participante recebe da Sands China um subsídio superior a 16.000 patacas para a realização do curso. Empenhada em desenvolver uma força de trabalho especializada, a Sands China oferece um leque de oportunidades de mobilidade horizontal e vertical aos membros das suas equipas, através de promoções internas e de programas de desenvolvimento de carreira nos resorts integrados. A empresa está também concentrada na formação e no desenvolvimento profissional dos locais e apostando inclusamente na formação daqueles que não são seus colaboradores– como é o caso dos empregados dos comerciantes com quem tem parcerias – com o objectivo de contribuir para o crescimento de Macau, enquanto centro mundial de turismo e lazer.

• Membros das equipas envolvidos no Programa de Desenvolvimento de Gestão da Sands China para Resorts Integrados no palco com o Presidente da Sands China Ltd, Dr. Wilfred Wong e a Presidente do IFT, Dra. Fanny Vong, na cerimónia de abertura realizada no dia 10 de Maio no The Venetian Macao.


eventos 13

quarta-feira 30.5.2018

Cinema

CCM INSPIRARTE REGRESSA NO VERÃO COM 300 EVENTOS

Férias inspiradoras O InspirARTE está de regresso a Macau com uma série de propostas que visam incutir o gosto pelas artes de palco em miúdos e graúdos

“O TESTAMENTO DO SR. NAPUMOCENO” EXIBIDO HOJE NO CONSULADO

O

filme “O Testamento do Sr. Napumoceno”, baseado na obra de Germano Almeida, vai ser exibido hoje pelas 18h30 no auditório Dr. Stanley Ho do Consulado Geral de Portugal. A iniciativa é daAssociação de Divulgação da Cultura Cabo-verdiana (ADCC) que pretende homenagear o escritor cabo-verdiano que foi recentemente distinguido com o Prémio Camões, o mais

importante galardão na área da literatura de língua portuguesa. “O Testamento do Sr. Napumoceno”, que foi a sua obra de estreia, foi adaptado para cinema pelo realizador português Francisco Manso, em 1997. Germano Almeida conta com 17 livros editados, sendo “O Fiel Defunto”, publicado este ano, o seu mais recente romance, indica a ADCC em comunicado.

NOVO FILME DA GUERRA DAS ESTRELAS LIDERA BILHETEIRA

“H

AN Solo: Uma História da Guerra das Estrelas”, o novo filme da Disney, liderou as bilheteiras nos Estados Unidos com uma receita de cerca de 71,4 milhões de euros, mas inferiores ao esperado, foi ontem anunciado. Segundo o site especializado da Box Office Mojo, apesar de o filme ter chegado ao primeiro lugar da bilheteira, a Disney esperava uma receita de entre os 111 e os 128 milhões de euros para o fim-de-semana prolongado nos Estados Unidos, mas os números parecem longe do objectivo. Vários analistas especializados consideram que o facto de o filme “Guerra das Estrelas: Episódio VIII - Os Últimos Jedi” ter

estreado apenas há cinco meses teve impacto na bilheteira, bem como alguns filmes que estão em exibição, como o “Deadpool 2” ou o último de “Os Vingadores”. A Disney lançou os três últimos filmes da Guerra das Estrelas nos meses de Dezembro, mas este filme, centrado na juventude de Han Solo, foi a primeira tentativa de estreia no início do Verão.

C

OM o Verão à porta chega mais um InspirARTE, um conjunto de actividades destinadas a incentivar a criatividade de crianças e famílias durante as férias. O programa, que decorre nos meses de Julho e Agosto, inclui 38 oficinas intensivas distribuídas por aproximadamente 300 sessões. Apróxima edição do InspirARTE, iniciativa organizada pelo Centro Cultural, vai contar com a orientação de artistas experientes oriundos de latitudes diversas, como Espanha e Escócia, que vão juntar-se a profissionais de Macau e Hong Kong “na missão de partilhar a sua arte através de jogos e desafios criativos”, indica o Instituto Cultural (IC) em comunicado. Os workshops para crianças incluem desde sessões acrobáticas, aos segredos dos palhaços, passando pela inspiração musical e pelo mundo dos adereços teatrais, sendo que os mais pequenos terão ainda oportunidade de participar em pequenas apresentações. Já as actividades pensadas para a família vão das abordagens teatrais, às marionetas até à dança, com pais e filhos a terem ainda possibilidade de entrarem numa aventura mais técnica por via do workshop de efeitos sonoros e música guiados pelos profissionais do espectáculo “Beatles para Bebés”.

PARA OS MAIS CRESCIDOS

Os adolescentes também não ficam de fora do programa que inclui nomeadamente um workshop sobre música no teatro. O público juvenil também é incentivado a explorar expressões artísticas, tais como técnicas de percussão vocal, uma demonstração de beatbox, ou incursões pela expressão corporal, salienta o IC na mesma nota de imprensa. O InspirARTE apresenta ainda workshops a pensar naqueles que pretendem desenvolver habilidades específicas, os quais cobrem, por exemplo, a iluminação de palco. O programa reserva ainda espaço para o público sénior, com os participantes a serem desafiados a reinventarem-se enquanto exploram as suas capacidades dramáticas ou vocais. O InspirARTE no Verão é um evento cultural regular que, ao longo dos últimos anos, tem trazido uma perspectiva aprofundada a um número crescente de amantes das artes de palco. Os interessados em participar podem pré-inscrever-se online a partir de hoje e até domingo, sendo que o período de inscrição propriamente dito decorre até ao próximo dia 24 de Junho. Diana do Mar

info@hojemacau.com.mo

Artistas experientes de Macau, Hong Kong, Espanha e Escócia vão ministrar uma série de workshops durante o Verão PUB


14 publicidade

30.5.2018 quarta-feira


quarta-feira 30.5.2018

A lua ignora que é tranquila e clara. E não pode sequer saber que é lua

Tempo nenhum

Diário de um editor

MYMOSA, LISBOA, 3 MAIO Hesito e já mudei umas vezes este princípio. Deve ou não convidar-se a morte para a mesa, para as nossas mesas? O flamenco parece-me resolvê-lo melhor que o fado, mas vou em busca de confirmação. Encontro com manos – sim, insisto nessa forma irritante de nos assinalarmos próximos –, distendido no terreno que vamos amanhando vale a rega, a paciência, e espera do fruto. Pessanha janta connosco e afinámo-nos na vibração que desconjunta o mundo. Mãe pode baralhar o cima e o baixo fazendo-se pano de fundo, que o colo se faz mundo. Pai pode rasgar degraus que dificilmente subirás, sem antes os descer. Carlos [Morais José] vem das pirâmides a falar do céu e da canoa que comunica. António [de Castro Caeiro] domesticou o tempo e trá-lo a fazer as necessidades na Bica. Ele apanha os dejectos (luminosos), não se aflijam. Mas discutimos pela razão, para mim simples, de que a tradição mística interrompe. Reconheço, mais ainda debatendo em supremo desequilíbrio na Calçada da Bica Grande, a enorme intuição de que devemos caminhar de costas para o futuro. A cada instante, mudando a resposta ao que formos sendo, índio, mas cobói, cavalo, mas comboio, bala, mas seta. E eis que acontece o acontecer, sempre nem nunca: kairos. Deus na sua forma incandescente de ser todos os tempos ou nenhum, diz ao ouvido, inscreve na carne, de um e não outro, poema que atira a narrativa para um nó (desfaz aí a História…). Princípio e fim, cima e baixo, longe e perto são coordenadas que na experiência do místico desfazem o sentido. Por instantes, a experiência mística ilumina o mundo ao realizar-nos. Logo nos apagamos: mártires. Provocação: ser, no tempo? MYMOSA, LISBOA, 10 MAIO Cada encontro com o José Alberto Marques, ainda que seja marcado pelo ritmo estúpido dos afazeres, transfigura-se em brincadeira de putos. Jardim infantil!, atiram os (bons) tolos. Não percas tempo. Uma mesa não pode ser apenas lugar de pousar papéis. Entornámos agora memórias de beijos, quentes nos lábios mais quentes do surrealismo; uma repetição para afirmar traços entre a palavra e um texto; um recorte que tiras da cartola; o disparate enquanto o garfo amanha o peixe; a convicção de que o livrinho está feito, excepto o acrescento doido do momento; uma chamada para pedir o whiskey; aquele pacato regresso de comboio a casa depois da revolução, quando tudo ardia. HOJE MACAU, 11 MAIO Subidas e descidas na cidade, noite e dia, assim se fazem. Páginas de jornal do-

car e para seduzir. O poeta foi o seu tempo com tal intensidade que é agora o nosso.

ÜLVARO LAPA, EM QUE PENSAS? NO TEMPO TODO(PORMENOR)/FOTO FILIPE BRAGA

João Paulo Cotrim

h

15

CAFÉ VITÓRIA, PORTO, 12 MAIO Uma sala de vidro para ouvir Júlio Machado Vaz, Rui Reininho e João Paulo Meneses tecer loas aos aforismos da Inês [Menezes]. Estes «Amores…» davam filmes. Agora que estão escritos, são convites a entrar na brincadeira. Muito calor e flores que se prolongaram noite dentro.

bram-se barcos, origamam-se aviões e isto. «A diferença é no modo de olhar. Uma diferença que está sempre a constituir-se, porque a passagem do tempo cria uma alteração convulsiva em cada instante: antecipa-o para o ver cair para o presente, e do presente, empurra-o para o passado. Cada instante é uma projecção do tempo na sua totalidade. O tempo é sempre o mesmo na sua duração, no trânsito e na sua passagem. E de um instante para o outro pode perceber-se a estranheza da passagem do tempo, inexorável, mas como se nada se passasse na realidade. É como se tudo fosse exactamente o mesmo e não conseguíssemos apurar a diferença. E na identidade absoluta da realidade a própria realidade desagrega-se na passagem, na alteração

dentro da identidade, na estranheza de perceber que as coisas se alteram e é estranho perceber-se a alteração, quando tudo aparentemente se mantém na mesma.» E se for o tempo a mirar-nos, estamos capazes de o olhar, olhos nos olhos, ainda os não tenha? Fechar o tempo na sua totalidade é escolher a poesia. Portanto, a dedicatória é desafio: não és homem não és nada! CASA DA CULTURA, SETÚBAL, 11 MAIO Luiz Fagundes Duarte enche uma sala cheia. Conta do Antero conhecido e desconhecido, lê Antero, interpreta Antero. O romântico quis combater. O progressista emendava para poupar trabalho ao tipógrafo. O poeta usava a poesia para provo-

Deve ou não convidar-se a morte para a mesa, para as nossas mesas? O flamenco parece-me resolvê-lo melhor que o fado, mas vou em busca de confirmação. Encontro com manos – sim, insisto nessa forma irritante de nos assinalarmos próximos –, distendido no terreno que vamos amanhando vale a rega, a paciência, e espera do fruto.

SERRALVES, PORTO, 13 MAIO Experimento ir e logo me apetece ficar «No Tempo Todo». Até por acontecerem mesas, deuses antigos, heróis. Afinal como nas outras linguagens, apesar das vigilâncias académicas, a pintura possui ainda alguns casos-limite, inclassificáveis, que resistem aos alinhamentos onde as historiografias os tentam arrumar, aquietar. Álvaro Lapa, portanto. Grande leitor, as suas aproximações ao texto são do território da chama, do fascínio, no modo como o integra, na jogo cómico e lúdico com o pensamento até ao ponto em que as letras se desfazem em formas, passam a ser corpos apenas, seres que esvoaçam de quadro em quatro. No gesto, nas cores, no olhar, algo de primordial acontece. E convida-nos a mudar maneiras. Veja-se este (aqui na página, por gentileza da Fundação Serralves): « – Em que pensas? / – No tempo todo.» O texto surge singelamente como mais uma forma do negro, na sucessão das manchas. Equilíbrios e desequilíbrios que umas lâminas de cor ajudam a compor. O tempo fez aqui das suas, afectou a matéria, deu ar acabado ao que parecia inacabado. Rasga-se aqui uma janela na qual podemos ver que subidas e descidas, cabeças e montanha. A noite e uma conversa. Grande, grande exposição, que brilhará na noite mais obscura, graças ao saber de Miguel von Haffe Pérez. (Detalhe divertido, que o divertiria a ele, amante dos “materiais pobres”: um agrafo, no jargão museológico, passou a ser “elemento metálico”). ADEGA SPORTS BAR, PORTO, 13 MAIO Em boa companhia, vejo o Sporting soçobrar, desistir, sem chama. Aquele “frango” de Rui Patrício fica como o retrato da época na minha caderneta. PINGUIM CAFÉ, PORTO, 13 MAIO «Quero risco, aventura, novidade.» Noite fria, meia dúzia de gatos-pingados sentiram na pele a voz marítima do João [Rios]. Sem solenidade falou do país, que é ele. «Conquistar é péssimo!» Neste dia tão particular, naquele sítio mítico, era dado início às comemorações oficial dos 25 anos da poesia de João Rios, que ainda não tinha feito as contas. Comissários oficiais: Mário Cesariny e Manuel António Pina (gatos).


16 publicidade

30.5.2018 quarta-feira

(Publicações ao abrigo do artigo 76º do R.J.S.F. aprovado pelo Decreto-Lei nº 32/93/M, de 5 de Julho)

´ ´

Síntese do Parecer dos Auditores Externos

Relatório de Gestão 2017 A direcção tem o prazer de anunciar os resultados da Sucursal de Macau do Standard Chartered Bank (“A Sucursal”) relativos ao exercício findo a 31 de Dezembro de 2017. Actividades Principais A Sucursal faz parte do Standard Chartered Bank, um banco constituído no Reino Unido e registado em Inglaterra e no País de Gales. As principais actividades da Sucursal são a prestação de serviços de banca comercial e serviços financeiros relacionados. Resultados de 2017 Os lucros antes de impostos aumentaram em 16,96%, de 34,647 milhões de Patacas para 40,522 milhões de Patacas. A receita dos juros líquidos aumentou em 56,34% para 37,103 milhões de Patacas. Outras receitas, incluindo receitas de taxas e comissões, diminuíram em 14,11% relativamente a 2016. O total das receitas operacionais aumentou em 15,78% para 56,657 milhões de Patacas. As despesas operacionais aumentaram 2,86% em 2017 para 15,584 milhões de Patacas. A imparidade em empréstimos e adiantamentos foi de 0,551 milhões de Patacas em 2017, em comparação com a recuperação por imparidade em empréstimos e adiantamentos foi de 0,862 milhões de Patacas em 2016. Os lucros depois de impostos foram de 35,703 milhões de Patacas, correspondentes a um aumento de 5,167 milhões de Patacas relativamente aos 30,536 milhões de Patacas registados em 2016. O resultado da exploração do exercício calculado em conformidade com o regulamento da Autoridade Monetária de Macau apresenta um lucro de 27,540 milhões de Patacas, correspondendo a um aumento de 0,558 milhões de Patacas em comparação com os 26,982 milhões de Patacas registados no ano de 2016. A Directora da Sucursal Standard Chartered Bank Sucursal de Macau Candy Vu

Para o gerente-geral do Standard Chartered Bank, Sucursal de Macau (Sucursal de um banco comercial de responsabilidade limitada, incorporado no Reino Unido) Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Standard Chartered Bank, Sucursal de Macau relativas ao ano de 2017, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 4 de Maio de 2018, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo. As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2017, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas. As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da sucursal. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da sucursal. Para a melhor compreensão da posição financeira da sucursal e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria. Ieong Lai Kun, Auditor de Contas KPMG Macau, aos 4 de Maio de 2018


publicidade 17

quarta-feira 30.5.2018

Sucursal de Macau (Publicações ao abrigo do artigo 76º do R.J.S.F., aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

Hang Seng Bank Limited, Sucursal de Macau Resumo de Resultados Operacionais A economia mundial recuperou dinamismo em 2017. Não obstante, o impacto da transição económica em curso na China Continental e a incerteza relativamente às políticas de comércio internacional futuras continuaram a criar desafios para a indústria bancária de Macau. Tendo em conta este contexto, a Sucursal de Macau (Sucursal) continuou a seguir a estratégia a longo prazo de crescimento sustentável do Banco Hang Seng capitalizando nos seus fortes princípios financeiros fundamentais, no seu posicionamento único no mercado e na sua cultura de excelência dos serviços prestados. A Sucursal manteve ainda princípios de gestão prudente dos riscos de crédito, por forma a preservar uma qualidade satisfatória dos activos dos seus portfolios de financiamento e investimento. As principais actividades da sucursal no ano de 2017 consistiram na prestação de serviços bancários a clientes pessoais e comerciais, incluindo uma gama diversificada de serviços de depósito e de serviços financeiros comerciais, serviços comerciais transfronteiriços denominados em Renminbi, empréstimos hipotecários, financiamentos comer-

ciais, serviços de transferências e de câmbio, serviços de cobrança e de agenciamento de seguros. À data de 31 de Dezembro de 2017, os depósitos e empréstimos de clientes da sucursal cifraram-se em MOP2,833 milhões e MOP13,019 milhões, respectivamente. O lucro apurado após impostos cifrou-se em MOP165 milhões para o ano de 2017. Olhando para o futuro, a Sucursal irá continuar a aperfeiçoar a sua estratégia de segmentação de clientes e reforçar o seu relacionamento com estes, apostando no desenvolvimento de produtos e serviços que se coadunem com a evolução dos estilos e necessidades dos seus clientes dos diversos segmentos, assegurando, ao mesmo tempo, elevados padrões de corporate governance que sejam do melhor interesse dos nossos clientes, accionistas e de outras partes interessadas. A sucursal gostaria de aproveitar esta oportunidade para expressar a sua sincera gratidão pelo contínuo apoio que recebe de várias autoridades Governamentais, clientes, colegas do sector em Macau e staff. Isidorus Fong Administrador da Sucursal Hang Seng Bank Limited, Sucursal de Macau

RELATÓRIO DOS AUDITORES EXTERNOS SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS HANG SENG BANK LIMITED – SUCURSAL DE MACAU As demonstrações financeiras resumidas anexas do Hang Seng Bank Limited — Sucursal de Macau (a Sucursal) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2017 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos da Sucursal referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2017 e a demonstração dos resultados do exercício findo naquela data, são da responsabilidade da Gerência da Sucursal. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Exas. enquanto Gerência, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da Sucursal, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório. Auditámos as demonstrações financeiras da Sucursal referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2017 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria

emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 27 de Abril de 2018. As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2017, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da Sucursal. Para uma melhor compreensão da posição financeira da Sucursal, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente. Cheung Pui Peng Grace Auditor de contas PricewaterhouseCoopers Macau, 27 de Abril de 2018


18 publicidade

Anúncio Concurso Público N.º 18/ID/2018 «Empreitada da Obra n.º 5b – Instalação de bancadas, coberturas e plataforma de filmagem junto à curva do Hotel Lisboa para a 65.ª Edição do Grande Prémio de Macau» 1. 2. 3. 4.

Entidade que preside ao concurso: Instituto do Desporto. Modalidade de concurso: concurso público. Local de execução da obra: zona do Jardim das Artes junto à curva do Hotel Lisboa. Objecto da empreitada: planeamento, montagem e desmontagem das bancadas provisórias para espectadores, incluindo a construção da estrutura de suporte, da cobertura, dos acessos e das passagens, assim como todos os trabalhos preparatórios necessários. 5. Prazo máximo de execução: seguir as datas limites constantes no caderno de encargos. 6. Prazo de validade das propostas: o prazo de validade das propostas é de 90 dias, a contar da data do acto público do concurso. 7. Tipo de empreitada: a empreitada é por preço global (os itens «Se necessários» mencionados no Anexo IV – Lista de quantidades e do preço unitário do Índice Geral do Processo de Concurso são retribuídos por série de preços através da medição das quantidades executadas). 8. Caução provisória: $140 000,00 (cento e quarenta mil) patacas, a prestar mediante depósito em numerário ou em cheque (emitido a favor do Fundo do Desporto), garantia bancária ou seguro caução (emitida a favor do Fundo do Desporto) aprovado nos termos legais. 9. Caução definitiva: 5% do preço total da adjudicação (das importâncias que o empreiteiro tiver a receber em cada um dos pagamentos parciais são deduzidos 5% para garantia do contrato, em reforço da caução definitiva a prestar). 10. Preço base: não há. 11. Condições de admissão: serão admitidos como concorrentes as entidades inscritas na Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes, para execução de obras, bem como as que à data do concurso, tenham requerido a sua inscrição. Neste último caso a admissão é condicionada ao deferimento do pedido de inscrição. 12. Sessão de esclarecimento: a sessão de esclarecimento terá lugar no dia 6 de Junho de 2018, quartafeira, pelas 10,00 horas, na sala de reuniões do Edifício do Grande Prémio de Macau, sito na Avenida da Amizade n.º 207, em Macau. Em caso de encerramento do Instituto do Desporto na data e hora da sessão de esclarecimento acima mencionadas, por motivos de tufão ou por motivos de força maior, a sessão de esclarecimento será adiada para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. 13. Local, dia e hora limite para a apresentação das propostas: Local: Instituto do Desporto, sito na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, n.º 818, em Macau. Dia e hora limite: dia 20 de Junho de 2018, quarta-feira, até às 12,00 horas. Em caso de encerramento do Instituto do Desporto na data e hora limites para a apresentação das propostas acima mencionadas, por motivos de tufão ou por motivos de força maior, a data e a hora limites estabelecidas para a apresentação das propostas serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. 14. Local, dia e hora do acto público do concurso: Local: Instituto do Desporto, sito na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, n.º 818, em Macau. Dia e hora: dia 21 de Junho de 2018, quinta-feira, pelas 9,30 horas. Em caso de adiamento da data limite para a apresentação das propostas de acordo com o mencionado no artigo 13 ou em caso de encerramento do Instituto do Desporto na data e hora para o acto público do concurso, por motivos de tufão ou por motivos de força maior, a data e hora estabelecidas para o acto público do concurso serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. Os concorrentes ou seus representantes legais devem estar presentes ao acto público do concurso para os efeitos previstos no artigo 80.º do Decreto-Lei n.º 74/99/M, de 8 de Novembro, e para esclarecer as eventuais dúvidas relativas aos documentos apresentados no concurso. 15. Local, dia e hora para exame do processo e obtenção da respectiva cópia: Local: Instituto do Desporto, sito na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, n.º 818, em Macau. Hora: horário de expediente (das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas). Na Divisão Financeira e Patrimonial do Instituto do Desporto, podem obter cópia do processo do concurso mediante o pagamento de $1 000,00 (mil patacas). 16. Critérios de apreciação de propostas e respectivos factores de ponderação: - Preço total da obra: 60% - Prazo de execução da obra: 10% - Plano de trabalhos: 15% - Experiência em obras semelhantes: 15% 17. Junção de esclarecimentos: Os concorrentes devem comparecer no Instituto do Desporto, sito na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, n.º 818, em Macau, até à data limite para a apresentação das propostas, para tomarem conhecimento de eventuais esclarecimentos adicionais. As propostas são válidas durante 90 dias a contar da data da sua abertura. Instituto do Desporto, 30 de Maio de 2018. O Presidente, Pun Weng Kun

30.5.2018 quarta-feira

Anúncio Prestação dos serviços de manutenção e reparação do sistema mecânico-eléctrico (01/09/2018-31/08/2020) do Edifício Meng Tak, na Sede do Instituto Politécnico de Macau CONCURSO PÚBLICO N.º 01/DOA/2018 Faz-se público que, de acordo com o despacho de 14 de Maio de 2018, do Exm.º Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, se encontra aberto concurso público para a “Prestação dos serviços de manutenção e reparação do sistema mecânico-eléctrico do Edifício Meng Tak, na Sede do Instituto Politécnico de Macau”. 1. Entidade adjudicante: Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura. 2. Entidade que põe o serviço a concurso: Instituto Politécnico de Macau. 3. Modalidade de concurso: Concurso Público. 4. Objecto do Concurso: Serviços de manutenção e reparação dosistema mecânico-eléctrico (01/09/2018-31/08/2020) do Edifício Meng Tak, na Sede do Instituto Politécnico de Macau. 5. Período: 1 de Setembro de 2018 a 31 de Agosto de 2020. 6. Prazo de validade das propostas do concurso: As propostas do concurso são válidas até 90 dias contados da data de abertura das mesmas. 7. Garantia provisória: $125 940,00 (cento e vinte e cinco mil e novecentas e quarenta patacas), através de depósito no Serviço de Contabilidade e Tesouraria do Instituto Politécnico de Macau ou mediante garantia bancária a favor do Instituto Politécnico de Macau, em Macau. 8. Garantia definitiva: 4% do preço global da adjudicação (para garantia do contrato). 9. Condições de admissão: Entidades com sede ou delegação na RAEM cuja actividade total ou parcial se inscreva na área objecto deste concurso. 10. Local, data e hora de explicação: Local: Divisão de Obras e Aquisições do Instituto Politécnico de Macau, sita na Rua de Luis Gonzaga Gomes, em Macau. Hora e Data: 4 de Junho de 2018, pelas 10H00. 11. Local, data e hora do limite da apresentação das propostas: Local: Divisão de Obras e Aquisições do Instituto Politécnico de Macau, sita na Rua de Luis Gonzaga Gomes, em Macau. Hora e Data: 14 de Junho de 2018, antes das 17H45. 12. Local, data e hora da abertura do concurso: Local: Sala n.º 603 do Edifício Meng Tak do Instituto Politécnico de Macau, sita na Rua de Luis Gon zaga Gomes, em Macau. Hora e Data: 15 de Junho de 2018, pelas 10H00. 13. Local, hora e preço para exame do processo e obtenção da cópia do processo: Local de exame: Divisão de Obras e Aquisições do Instituto Politécnico de Macau, sita na Rua de Luís Gonzaga Gomes, em Macau. Local de obtenção: Divisão de Obras e Aquisições do Instituto Politécnico de Macau, sita na Rua de Luís Gonzaga Gomes, em Macau, mediante o pagamento de MOP$100,00 (cem patacas). Hora: de 2ª feira a 5ª feira das 09H00 às 13H00 e das 14H30 às 17H45. 6ª feira das 9H00 às 13H00 e das 14H30 às 17H30. Informações: 8599 6140, 8599 6153 ou 8599 6279. 14. A avaliação das propostas do concurso será feita de acordo com os seguintes critérios: - Preço Razoável (60%). - Qualidade do Serviço (40%): (a) Harmonizar os diferentes serviços de manutenção e reparação do sistema mecânico-eléctrico no Edifício Meng Tak, na Sede do Instituto Politécnico de Macau, referidos no Mapa de caracterização, tais como as condições da nomeação do pessoal, distribuição do trabalho, catálogos elucidativos das características dos equipamentos e produtos (10%); (b) Curriculum Vitae, competências e experiência do concorrente (10%); (c) Outras e demais propostas favoráveis para a execução dos serviços de manutenção e reparação do sistema mecânico-eléctrico no Edifício Meng Tak, na Sede do Instituto Politécncio de Macau, referidas no Mapa de Caracterização (15%); (d) Esclarecimentos na reunião (questões profissionais sobre a prestação dos serviços de manutenção e reparação do sistema mecânico-eléctrico no Edifício Meng Tak do Instituto Politécnico de Macau, levantadas pelo Instituto Politécnico de Macau) (5%). Macau, aos 21 de Maio de 2018 Presidente do Instituto, Lei Heong Iok


publicidade 19

quarta-feira 30.5.2018

Direcção dos Serviços de Turismo Anúncio A Região Administrativa Especial de Macau, através da Direcção dos Serviços de Turismo, faz público que, de acordo com o Despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 18 de Maio de 2018, se encontra aberto concurso público para adjudicação do serviço de “Transporte de Material Pirotécnico, Morteiros e Materiais Sobressalentes destinados ao 29.º Concurso Internacional de Fogo-de-Artifício de Macau”. 1. Entidade que põe a prestação de serviços a concurso: Direcção dos Serviços de Turismo. 2. Modalidade do procedimento: Concurso público. 3. Local de execução dos serviços: Locais mencionados no Caderno de Encargos. 4. Objecto dos serviços: Transporte de Material Pirotécnico, Morteiros e Materiais Sobressalentes destinados ao 29.º Concurso Internacional de Fogo-de-Artifício de Macau. 5. Prazo de execução: Cumprimento das datas constantes no Caderno de Encargos. 6. Prazo de validade das propostas: Noventa dias, a contar do dia do acto de abertura das propostas. 7. Caução provisória: MOP140.000,00 (cento e quarenta mil patacas), a prestar mediante garantia bancária ou depósito em numerário, em ordem de caixa ou cheque visado, emitido à ordem do “Fundo de Turismo”, efectuado directamente na Divisão Financeira da Direcção dos Serviços de Turismo ou no Banco Nacional Ultramarino de Macau, através de depósito à ordem do Fundo de Turismo, na conta número:「8003911119」devendo ser especificado o fim a que se destina. 8. Caução definitiva: 4% do preço total da adjudicação. 9. Preço base: Não há. 10. Local, dia e hora limite para entrega das propostas: Direcção dos Serviços de Turismo, sito em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’ Assumpção, n.os 335-341, Edifício Hotline, 12.º andar até às 17:45 horas do dia 25 de Junho de 2018. 11. Local, dia e hora do acto de abertura das propostas: Auditório da Direcção dos Serviços de Turismo, sito em Macau, na Alameda Dr. Carlos d´Assumpção, n.os 335-341, Edifício “Hotline”, 14.º Andar, Macau, pelas 10:00 horas do dia 26 de Junho de 2018. Os concorrentes ou os seus representantes legais deverão estar presentes no acto público de abertura das propostas para os efeitos de apresentação de eventuais reclamações e/ou para esclarecimento de eventuais dúvidas dos documentos apresentados a concurso, nos termos do artigo 27.° do Decreto-Lei n.° 63/85/M, de 6 de Julho. Os concorrentes ou os seus representantes legais poderão fazer-se representar por procurador devendo, neste caso, apresentar procuração notarial conferindo-lhe poderes para o acto de abertura das propostas. 12. Adiamento: Em caso de encerramento dos serviços públicos por motivo de força maior, o termo do prazo de entrega das propostas, a data e a hora da sessão de esclarecimento e do acto de abertura de propostas serão adiados para o primeiro dia útil imediatamente seguinte, à mesma hora. 13. Critérios de apreciação das propostas: Critérios de adjudicação Factores de ponderação Preço 30% Flexibilidade dos prazos na prestação do serviço 20% Garantia de segurança e eficiência na prestação do serviço 40% Experiência do concorrente 10%    14. Local, dias, horário para a obtenção da cópia e exame do processo do concurso: Local: Balcão de Atendimento da Direcção dos Serviços de Turismo, sito em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.os 335-341, Edifício Hotline, 12.º andar, além disso ainda se encontra igualmente patente no website da Direcção dos Serviços de Turismo (http://industry.macaotourism.gov.mo), podendo os concorrentes fazer “download” do mesmo. Dias e horário: Dias úteis, desde a data da publicação do presente anúncio até ao dia e hora limite para entrega das propostas e durante o horário normal de expediente. Direcção dos Serviços de Turismo, aos 23 de Maio de 2018. A Directora dos Serviços Maria Helena de Senna Fernandes

Gabinete do Procurador Anúncio Concurso Público n.º 2/MPCP/2018 Faz público que, de acordo com o despacho do Procurador, de 21 de Maio de 2018, se encontra aberto o concurso público para a prestação de serviços de segurança para os Serviços do Ministério Público e o Gabinete do Procurador. Os concorrentes que estejam interessados podem dirigir-se ao Gabinete do Procurador, sito na Alameda de Dr. Carlos d’Assumpção, Edifício Hotline, 16-Andar, NAPE ou navegar no site do Ministério Público (https://www.mp.gov. mo) para consultarem os respectivos programa do concurso e caderno de encargos. Para a obtenção da cópia dos documentos referidos, os concorrentes devem pagar cem patacas ($100.00). Antes do termo de entrega de propostas, os concorrentes interessados devem consultar os documentos de esclarecimentos adicionais eventualmente existentes junto do Gabinete do Procurador. A visita aos locais realizar-se-á às 10H00 de 6 de Junho de 2018 no átrio do Gabinete do Procurador, sito na Alameda Dr. Carlos D’Assumpção, Edifício Hotline, 16-Andar, NAPE. Os concorrentes que estejam interessados em participarem a visita devem entregar antes das 17H45 de 5 de Junho de 2018 a Declaração de Designação de Representantes para a Visita aos Locais conforme a forma de entrega referida no ponto 5.1 do programa do concurso. Devem ser entregues as propostas até 17H30 de 29 de Junho de 2018 ao Gabinete do Procurador, sito na Alameda Dr. Carlos D’Assumpção, Edifício Hotline, 16-Andar, NAPE. O acto público do concurso terá lugar no dia 2 de Julho de 2018, pelas 10H00, na sala de reunião do Gabinete do Procurador, sito na Alameda Dr. Carlos D’Assumpção, Edifício Hotline, 16.o andar. Os concorrentes ou os seus representantes legais devem apresentar-se na sessão de abertura de propostas para os esclarecimentos de eventuais dúvidas aquando da entrega de propostas e a apresentação de reclamação em caso de necessidade. Se os concorrentes deverem entregar a caução provisória no valor de trezentas e cinquenta e duas mil patacas (MOP352,000.00) em numerário, cheque ou mediante garantia bancária em nome de beneficiário do “Gabinete do Procurador” ao Departamento de Gestão Pessoal e Financeira, deve o respectivo documento comprovativo ser um dos documentos que instruem a proposta. Caso requeira o esclarecimento do processo de concurso, deve efectuar, por escrito, antes das 17H45 de 11 de Junho de 2018, o requerimento ao Gabinete do Procurador. Em caso de encerramento do Gabinete do Procurador por razões de tempestade ou por motivo de força maior, a data da entrega de propostas e acto público estabelecida será prorrogada para o primeiro dia útil seguinte com a mesma hora da realização. Gabinete do Procurador, aos 23 de Maio de 2018 A Chefe do Gabinete, Subtª Wu Kit I

AVISO Renovação da licença da agência de viagens e atenção para a garantia bancária e o seguro da responsabilidade civil profissional 1. Faz-se público que a renovação da licença da agência de viagens deve ser requerida até 30 dias antes do termo do seu prazo de validade e que a renovação da licença, quando requerida fora do prazo, está sujeita a uma taxa adicional, nos termos do estipulado no Decreto-Lei n.º 48/98/M, de 3 de Novembro, com a nova redacção dada pelo Regulamento Administrativo n.º 42/2004. As informações das formalidades e das taxas estão disponíveis na página electrónica da Indústria Turística de Macau desta Direcção de Serviços: http://industry.macaotourism.gov.mo/license/. 2. Nos termos do mesmo diploma, as agências devem ainda apresentar anualmente na Direcção dos Serviços de Turismo os documentos comprovativos de estarem em vigor a caução e o seguro. Estes documentos devem ser apresentados até ao termo da validade dos existentes e os mesmos têm de dar, obrigatoriamente continuidade aos anteriores, sob pena da caducidade e cancelamento da licença. 3. Chama-se a atenção dos titulares da licença das agências de viagens de que a licença bem como a caução e o seguro devem estar válidos e em vigor. A par disso, devem dar cumprimento à disposição respeitante à obrigatoriedade da presença do director técnico na agência durante o seu funcionamento. Para esclarecimento, poderá ser contactada a Divisão de Licenciamento por via telefónica: 2831-5566, por fax: 2833-0518 ou por correio electrónico: dl@macaotourism.gov.mo. A Directora dos Serviços Maria Helena de Senna Fernandes

AVISO Renovação da licença de estabelecimentos de sauna e/ou massagem e de estabelecimentos do tipo de “health club” ou de “karaoke” Chama-se a atenção dos titulares das licenças dos estabelecimentos referenciados em epígrafe de que a renovação da licença deve ser requerida nesta Direcção dos Serviços antes do termo do seu prazo de validade e que a licença caduca quando não houver renovação antes do termo da validade. Após a caducidade da licença, caso o interessado queira continuar o exercício da actividade, deve requerer o novo licenciamento. As informações das formalidades e das taxas estão disponíveis na página electrónica da Indústria Turística de Macau desta Direcção de Serviços: http://industry.macaotourism.gov.mo/license/. Para esclarecimento, poderá ser contactada a Divisão de Licenciamento por via telefónica: 2831-5566, por fax: 2833-0518 ou por correio electrónico: dl@macaotourism.gov.mo. A Directora dos Serviços Maria Helena de Senna Fernandes


20 desporto

30.5.2018 quarta-feira

Futebol João Amaral no Benfica

O futebolista português João Amaral, proveniente do Vitória de Setúbal, assinou um contrato de três temporadas com o Benfica, anunciaram ontem os ‘encarnados’ no seu site oficial. O extremo, de 26 anos, fez a sua formação no Vilanovense, passando depois por Candal, Mirandela, Pedras Rubras e AD Oliveirense, antes de chegar ao Vitória de Setúbal em 2016/17. Em duas temporadas nos sadinos, João Amaral fez 78 encontros e marcou 14 golos, nove dos quais na última temporada.

AUTOMOBILISMO AAMC ORGANIZA PROVA DA TAÇA DA CORRIDA CHINESA EM ZHUHAI

Solução aqui ao lado

Sem espaço no programa da 65ª edição do Grande Prémio de Macau, a Taça da Corrida Chinesa terá a sua corrida da RAEM no Circuito Internacional de Zhuhai. O calendário para 2018 deste troféu monomarca foi dado a conhecer na passada sexta-feira

A

Shanghai Lisheng Racing Co. Ltd, o organizador desta corrida, que na realidade não é apenas uma, mas sim um campeonato disputado com viaturas BAIC Senova D50

TCR em vários circuitos da Grande China, esperava regressar ao Circuito da Guia este ano, mas acabou por ver a sua prova ultrapassada pela “Taça de Grande Baía”. A Taça da Corrida Chinesa, prova que o ano passado PUB

HM • 2ª VEZ • 30-5-18

ANÚNCIO Acção Ordinária n.º

CV2-18-0031-CAO

2º Juízo Cível

AUTORES: 1. ÁLVARO DOS SANTOS RODRIGUES, solteiro, maior, de nacionalidade portuguesa, residente na Rua de Seng Tou, n.º 493, Edf. Nova Taipa Garden, Bloco 29, 21º andar B, Taipa, Macau; e 2. GRAZIELA NAHIL FIGUEIREDO, solteira, maior, de naciona lidade Guineense, residente na Rua de Seng Tou, n.º 493, Edf. Nova Taipa Garden, Bloco 29, 21º andar B, Taipa, Macau. RÉUS: INTERESSADOS INCERTOS (不確定的利害關係人). *** Correm éditos de trinta (30) dias, a contar da segunda e última publicação do anúncio, citando os réus, para no prazo de trinta (30) dias, decorrido que seja o dos éditos, contestarem, querendo, o pedido formulado pela Autora nos autos acima identificados, que resumidamente consiste em que; Deve a presente acção ser julgada procedente por provada e, em consequência, ser proferida douta sentença que reconheça que os ora Requerentes vivem em união de facto há mais de 7 anos. Conforme tudo melhor consta do duplicado da petição inicial que neste 2.º Juízo Cível se encontra à sua disposição e que poderá ser levantada nesta secretaria nas horas normais de expediente, de que a falta da contestação, não implica o reconhecimento dos factos articulados pela Autora e ainda que é obrigatória a constituição de advogado (nos termos do art.º 74.º do C.P.C.M.). Macau, em 23 de Maio de 2018. ***

foi ganha no Circuito da Guia pelo macaense Hélder Assunção, vai manter o espírito das edições anteriores, realizando cinco eventos organizados pelas associações desportivas nacionais da República Popular da China, Hong Kong, Taiwan e Macau. A prova até aqui organizada pela Associação Geral Automóvel de Macau-China (AAMC) no fim-de-semana do Grande Prémio de Macau como última prova da temporada, vai passar agora a ser a prova de abertura. A Taça da Corrida Chinesa sob a égide da AAMC irá decorrer no fim-de-semana de 30 de Junho e 1 de Julho, no circuito permanente da cidade chinesa adjacente à RAEM, durante o segundo “Festival de Corridas de Macau” do ano. “A cerimónia de abertura da Taça da Corrida Chinesa será na casa da associação automóvel de Macau,AAMC,

A prova até aqui organizado pela Associação Geral Automóvel de Macau-China (AAMC) no fim-de-semana do Grande Prémio de Macau, como última prova da temporada, vai passar agora a ser a prova de abertura

em Zhuhai, Guangdong, de 30 de Junho a 1 de Julho. Esta será a primeira vez que a Taça da Corrida Chinesa corre no Circuito Internacional de Zhuhai, enfrentando com empenho os desafios da primeira pista construída na China”, dizia comunicação da organização do campeonato colocada a correr nas redes sociais. Para além de Zhuhai, o calendário de cinco eventos inclui também passagens por circuitos em Guangzhu, Ningbo, Xangai e Wuhan.

MILHÕES PARA A TAÇA DA GRANDE BAÍA

Entretanto, o promotor da “Taça de Grande Baía”, Eric Wong, confirmou à imprensa de Hong Kong, o que o HM já tinha noticiado em primeira mão: esta nova adição ao programa do Grande Prémio será disputada com viaturas da marca Lotus. O gestor da Richburg Lotus escreveu dois artigos de opinião na imprensa de Hong Kong, publicados na pretérita semana, onde revelou que a sua organização adquiriu vinte e cinco Lotus, motorizados com blocos V6 de 3.5 litros, por 20 milhões de dólares de Hong Kong. Com negociações em curso entre a Comissão Organizadora do Grande Prémio de Macau e o promotor desta iniciativa, pormenores sobre os moldes de como esta competição destinada a pilotos da região Guangdong-Hong Kong-Macau será disputada serão dados a conhecer ao público mais tarde. Sérgio Fonseca

info@hojemacau.com.mo

SPORTING CONSELHO DIRECTIVO DIZ NÃO A COMISSÃO DE FISCALIZAÇÃO

O

Conselho Directivo (CD) do Sporting alegou ontem, em comunicado, que não se verificam nenhuma das premissas invocadas pela Mesa da Assembleia Geral (MAG) para ser nomeada uma comissão de gestão do Conselho Fiscal e Disciplinar. Na nota emitida, o CD ‘leonino’ diz ter sido “surpreendido com nova tentativa de assalto ao poder no clube por parte do presidente da MAG, quando, na noite de ontem [segunda-feira], emitiu um comunicado e enviou o mesmo para os serviços do clube (juntamente com o pedido de apoio técnico para a marcação da AG extraordinária), anunciando que vai nomear uma Comissão de Fiscalização para substituir o Conselho Fiscal e Disciplinar demissionário, ao abrigo do nº 1 do Artigo 41 dos Estatutos do Sporting CP”. Aquele conselho justifica que as premissas não se verificam já que “continuam em fun-

ções Bruno de Carvalho, Carlos Vieira, Rui Caeiro, José Quintela, Luís Gestas, Luís Roque e Alexandre Godinho no CD” e no Conselho Fiscal e Disciplinar “continua em funções, pelo menos, Fernando Carvalho, que não renunciou, além de um membro suplente deste órgão, Tito Carvalho, que, até à data, não foi chamado a efectividade de funções”. É acrescentado ainda que “existe uma lista candidata, e já com as assinaturas recolhidas, à MAG”, bem como “existe uma lista candidata, e já com as assinaturas recolhidas, ao Conselho Fiscal e Disciplinar”, pelo que o CD acha ser “inequívoco que não pode ser nomeada qualquer comissão de gestão”. A MAG do Sporting, presidida por Jaime Marta Soares, designou na segunda-feira uma comissão de fiscalização para exercer transitoriamente as funções que cabem ao Conselho Fiscal e Disciplinar, que se encontra demissionário.


19 20 (f)utilidades 21 9 7 2 3 8 1 4 5 6 6 9 5 7 1 8 3 2 4 6 3 8 2 5 4 1 7 9 7 3 8 2 6 4 1 9 5 5 1 4 7 6 9 8 2 3 1 2 4 9 3 5 7 8 6 7 8 5 4 3 2 6 9 1 4 6 1 8 5 3 9 7 2 TEMPO POUCO NUBLADO MIN 27 MAX 35 HUM 45-90% • EURO 9.35 BAHT 0.25 YUAN 1.26 3 4 1 5 9 6 2 8 7 3 7 9 4 2 1 6 5 8 2 6 9 1 7 8 5 3 4 8 5 2 6 9 7 4 1 3 VIDA DE CÃO 2 7 9 4 5 3 6 8 2 4 6 5 7 9 8 3 1 O81 QUE FAZER 5 3 6 1 7 9 4 2 5 1 7 3 8 6 2 4 9 ESTA SEMANA MENTES 4 9 6 8 2 3 7 1 5 9 8 3 1 4 2 5 6 7 BRILHANTES Hoje CINEMA | SEMANA DE ÁFRICA – DOCUMENTARY 21– “CONTRACT” 22 FILM Quando um Governo se serve do exemplo Fundação Rui Cunha | 18h30 de Stephen Hawking como estandarte 2 5 1 8 9 3 4 6 7 7 4 3 5 8 2 1 6 9 para argumentar que há pessoas com CINEMA | “MACAU – O PODER DA IMAGEM REVISITADO 2” deficiencias profundas que são perfeita4 6 9 5 7 1 8 3 2 5 9 6 4 3 1 8 2 7 Cinemateca Paixão | 19h30 mente operacionais e que podem ter um 8 7 3 2 6 4 5 9 1 1 8 2 7 9 6 3 5 4 rendimento de trabalho normal é caso CINEMA | FILMES RECOMENDADOS PELO FIRST FESTIVAL para baixar os braços e desistir. Desistir de INTERNACIONAL 1 4 5DE CINEMA 3 2DE XINING 9 6 7 8 9 7 1 3 5 4 2 8 6 pensar, de querer e de esperar o quer que Cinemateca Paixão | 21h30 seja. Sim, Hawking foi um génio. Teve a 6 9 8 1 5 7 2 4 3 6 2 5 9 1 8 7 4 3 CINEMA | “O TESTAMENTO DO SR. NAPUMOCENO” desfortuna de ter uma doença degenara7 3do consulado-geral 2 6 4 de 8 1 | 18h30 5 9 8 3 4 2 6 7 9 1 5 auditório Portugal tiva muito grave e a sorte de ser um dos únicos com acesso à mais alta tecnologia 3 2 4 9 8 6 7 1 5 3 1 7 8 4 5 6 9 2 Quinta-feira para que. Mas isso ser sinónimo de que as CINEMA | FILMES RECOMENDADOS PELO IFVA 5 1 7 4 3 2 9 8 6 2 5 8 6 7 9 4 3 1 pessoas portadoras de deficiência grave Cinemateca Paixão | 19h30 em Macau conseguem ser altamente pro9 8 6 7 1 5 3 2 4 4 6 9 1 2 3 5 7 8 dutivas nas suas funções laborais pareceCINEMA | “CHUVA PASSAGEIRA”

quarta-feira 30.5.2018

?

Cinemateca Paixão | 21h30

O CARTOON STEPH 24 3 9 2 6 5 8 7 4 1 5 7 4 2 9 8 6 6 4 8 7 3 1 9 5 7 1 9 5 8 2 6 3 4 3 5 9 6 7 2 1 2 8 6 1 4 3 5 9 9 2 4 8 1 6 3 7 5 7 3 2 9 4 1 8 8 6 1 3 7 5 4 2

A

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 24

UM FILME HOJE

SOLO: A STAR WARS STORY SALA 1

SOLO: A STAR WARS STORY [B] Um filme de: Ron Howard Com: Alden Ehrenreich, Woody Harrelson, Emilia Clarke 14.30, 16.45, 19.15, 21.30 SALA 2

THE CRIMES THAT BIND [B] FALADO EM JAPONÊS LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Katsuo Fukuazawa Com: Hiroshi Abe, Nanako Matasushima, Junpei Mizobata 14.30, 16.45, 19.00

AVENGERS: INFINITY WAR [B] Um filme de: Anthony Russo, Joe Russo

Cinema Paradiso é um marco incontornável, tanto o filme como a maravilhosa banda sonora. O disco homónimo de Ennio Morricone, consegue transportar quem o ouve para dentro do filme, reúne composições que levam o ouvinte/espectador ao riso e à ansiedade, à ternura máxima e a uma frenética exaltação. A banda sonora de “Cinema Paradiso” está recheada com pérolas de eficácia e mestria de Morricone que permitem experimentar o cinema pela audição. Independentemente do filme, este é um disco bonito em que tudo parece perfeito. Sofia Margarida Mota

Com: Robert Downey Jr., Chris Evans, Chris Hemsworth 21.15 SALA 3

I CAN ONLY IMAGINE [B] Um filme de: Jon Erwin & Andrew Erwin Com: Dennis Quaid, J.Michael Finley, Madelline Carroll 14.30, 16.30, 21.45

DESTINY: THE TALE OF KAMAKURA [B] FALADO EM JAPONÊS LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Takashi Yamazaki Com: Masato Sakai,Mitsuki Takahata 19.15

www. hojemacau. com.mo

1 3 2 4 8 7 5 6 9

25

7

5

9

4

2 1

3

3

4 2 9

2

5

PROBLEMA 25

8

8 4 1 6

7

9 8

1

S U D O K U

23 Sexta-feira CONCERTO | UMA NOITE COM PIANO 2| 18h00 4 7 9 5 3 8 1 na 6 Galeria 3 8 7 4 2 1 9 5 6 9 1 5 8 6 3 7 4 2 Cineteatro C I N E M 2 6 1 5 4 9 8 3 7 7 3 9 2 1 8 5 6 4 5 4 8 6 3 7 2 1 9 1 5 2 3 7 6 4 9 8 4 9 3 1 8 2 6 7 5 8 7 6 9 5 4 1 2 3

DE

-me, à semalhança de muito do que se diz por aqui, um disparate inconsequente, se 26mesmo um insulto para quem todos não os dias tem de lidar com uma cidade que não foi feita para eles. Uma cidade cheia de gente e sem passagem exclusiva para quem tem dificuldades de movimento. Uma cidade em que taxis não levam o vulgar transeunte, quanto mais alguém que não se consegue expressar. Onde ninguem ajuda o mais velho que mal consegue subir o degrau do autocarro com motoristas que são os primeiros a atentar contra a segurança de todos. Com base no discurso dos talentos que anda nas bocas dos políticos de Macau, talvez haja uma multidão de génios à semelhança de Hawking a andar anonimamente por aí. Nunca se sabe. Sofia Margarida Mota

5 9

27

28

29

30

6 9

8

7 5 2 7 9 2 4 6 3 5 1 9 7 3 4 9 8 2 3 7 4

5ENNIO MORRICONE 3 8 ORIGINAL SOUNDTRACK) 4 5 | CINEMA PARADISO (THE 3 4 5 6 4 9 4 8 9 1 1 8 5 7 1 4 6 2 6 9 2 9 5 2 5 6 3 9 1 8 9 7 6 4 8 7 1 2 6 7 3 3 2

6

9 6 2

2

1 2 8

8 7 1 4 6 1

9 2

7 1 3 2 1 9 1 9 8 3 9 1 4 7 8 8 5 7 Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; Diana do Mar, João Santos Filipe; Sofia 1 4 2 3 3 Margarida Mota; Vitor Ng Colaboradores Amélia Vieira; Anabela Canas; António Cabrita; António Castro Caeiro; António Falcão; Gonçalo Lobo Pinheiro; João Paulo Cotrim; José Drummond; José Simões Morais; Manuel Afonso Costa; Michel Reis; Miguel Martins; Paulo José Miranda; Paulo Maia e Carmo; Rui Cascais; Rui Filipe Torres; Sérgio 9 1 8 9 7 Fonseca; Valério Romão Colunistas António Conceição Júnior; David Chan; Fa Seong; Jorge Morbey; Jorge Rodrigues Simão; Leocardo; Paul Chan Wai Chi; Paula Bicho; Tânia dos Santos Cartoonista Steph Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua Secretária 8 7 6 3 de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


22 opinião

30.5.2018 quarta-feira

sexanálise

TÂNIA DOS SANTOS

Sexo de paralelos e perpendiculares

A

geometria que esperamos da vida não é única, nem previsível. O que sentimos nem sempre corresponde ao mundo que vivemos, às vezes está ao lado, às vezes está no encontro e às vezes estamos nós a sabotar com tesouradas as realidades que podiam ser mais pacíficas, mas que não são. O dualismo corpo – mente é uma dessas realidades complicadas. Desde Descartes que começámos a separar o corpo da nossa consciência, um objecto material e outro imaterial que vivem de forma (quase) paralela mas que se encontram nas esquinas. O Damásio bem tentou desmistificar o pressuposto cartesiano com o seu tratado mais popular ‘O Erro de Descartes’, mas nem a perspectiva das ciências puras e duras,

muito menos as medicinas holísticas vêm ajudar à mudança. Porque é que esta é uma discussão relevante ao sexo? Eu atrevo-me a dizer que o sexo interessa a tudo, e que tudo interessa ao sexo. O sexo no fundo é interseccional às várias dimensões da vida. Neste dualismo, o sexo manifesta-se na consciência de quem somos e na forma como lidamos com o nosso corpo e com a nossa ‘materialidade’. Percebem? Mente e Corpo. Se calhar a solução para a desmistificação dualista não é neurologia do Damásio. Precisamos de sexo. Porque se o sexo carrega o dilema corpo mente mais polémico de sempre, se calhar até será capaz de resolvê-lo. Podemos pensar nas várias dimensões do sexo, nas suas formas conceptuais para perceber que o dualismo cartesiano até se encaixa. A sabedoria popular facilmente escolhe o sexo como biologia ou o sexo como emoção para melhor perceber as vidas sexuais. E isso só perpetua a crença que estas poderão ser arestas paralelas, não relacionadas - mas as perpendiculares existem, tanta intersecção que existe! Tal como existem as tesouras, de golpes certeiros dos

quais não estamos à espera, como o Marcelo Rebelo de Sousa que veta a lei da mudança de género em Portugal. No fundo, o que é problemático para o sexo é o uso do corpo, este corpo que é julgado com características essencialistas – se tens uma vagina, és mulher, se tens um pénis, és um homem. E o uso deste corpo de forma tão categórica sobrepõe-se as imaginações desta mente, que também tem corpo, mas que o re-inventa. O prazer é dos exemplos clássicos de contestação do dualismo, que só existe com corpo e mente, juntos, em sintonia, em perpen-

O prazer é dos exemplos clássicos de contestação do dualismo, que só existe com corpo e mente, juntos, em sintonia, em perpendicularidade. O prazer que pode ser o sexual e o orgásmico, também é o de sermos quem somos

dicularidade. O prazer que pode ser o sexual e o orgásmico, também é o de sermos quem somos. Porque o corpo e a mente também nos fazem sentir mulher quando temos um pénis, ou homem quando temos uma vagina. Quando aparecem acusações de que a naturalidade do corpo não é respeitada percebe-se que a doutrina dominante acredita que o corpo que se vê é real, e a nossa consciência... O que poderá ser? A grande vitória das gentes Irlandesas que num referendo histórico conseguiram acabar com a abolição do aborto, uma luta de mentalidades que punham em causa a utilização deste corpo - de que direitos e liberdades? Quando a cabeça tem juízo, o corpo não paga, o corpo também pode ser feliz. Estou ciente de que a minha tentativa de simplificação só veio complicar. Mas talvez, mostrar a complexidade da mente e do corpo para não os colocarmos em caixinhas certas e direitinhas seja o melhor caminho. Para não estarmos convencidos de que o que é paralelo nunca se encontra e que, lá por magia ou o que quer que seja, o paralelo ‘perpendicula’ – só mesmo porque geometria nunca foi comigo.


ócios/negócios 23

quarta-feira 30.5.2018

3 CM JUICELAB, LOJA DE SUMOS CHEANG PAK LAM, FUNDADOR

Laboratório da fruta Por todo o território têm vindo a proliferar espaços de venda de comida e bebidas saudáveis, onde o açúcar não é bem-vindo. Contudo, o conceito por detrás da 3cm Juicelab é que cada cliente se sinta como se o seu sumo estivesse a ser criado em laboratório. Falámos com Cheang Pak Lam, fundador do projecto

F

OI em Julho do ano passado que Cheang Pak Lam decidiu investir na loja de sumos naturais chamada 3cm JuiceLab, um espaço de bebidas onde se podem encontrar 15 opções diferentes de sumos de fruta. Os clientes escolhem três para fazer a sua bebida, sempre sem adicionar açúcar ou água. Cheang Pak Lam, um dos sócios, explicou ao HM que a 3cm JuiceLab tem como objectivo levar os seus clientes a sentirem-se num laboratório de sumos, uma vez que, depois de adquirirem a sua bebida, podem saber as informações nutricionais e os respectivos benefícios da bebida que vão provar. A inspiração para a 3cm JuiceLab foi encontrada em Taiwan. “Eu e o meu parceiro estudámos no estrangeiro, em Taiwan. Por acaso, descobrimos que lá havia lojas semelhantes a esta, e pensámos que seria uma boa ideia trazer este

conceito para Macau. Com esta loja sinto que podemos contribuir para a saúde dos clientes”, frisou. A qualidade e o lado saudável dos sumos é algo que querem manter. “Insistimos em não adicionar água ou açúcar nas nossas bebidas, porque queremos que sejam saudáveis”, adiantou Cheang, que explicou que existe a cooperação com um nutricionista neste projecto.

“Eu e o meu parceiro estudámos no estrangeiro, em Taiwan. Por acaso, descobrimos que lá havia lojas semelhantes a esta, e pensámos que seria uma boa ideia trazer este conceito para Macau. Com esta loja sinto que podemos contribuir para a saúde dos clientes.”

Relativamente aos preços praticados, Cheang defende que os sumos da 3cm JuiceLab são um pouco mais caros do que nas restantes lojas, custando, em média, 30 patacas. Mas tal deve-se ao recurso aos ingredientes naturais, que representam metade dos custos. O sócio defendeu que os clientes compreendem as razões dos preços mais elevados. Contudo, esse factor traz alguma dificuldade para o sucesso do negócio, pois nem todos aceitam os elevados preços. Muitos clientes também se revelam confusos sobre as frutas a escolher. Cheang disse que, além de explicar aos clientes as frutas que podem escolher, foi criada uma lista com dez opções pelas quais as pessoas podem optar.

SEM GRANDES LUCROS

Um ano e meio depois de abrir portas, a 3cm JuiceLab ainda não gera grandes lucros para os seus sócios. Cheang Pak Lam notou que, neste fase, há apenas um equilíbrio entre despesas e receitas, sendo que existe o objectivo de atrair mais clientes nos próximos meses. Por esse motivo, a loja vai apostar na venda de produtos através da aplicação Aomi.

RUA DO BRANDÃO, NO. 2-2A, EDIFÍCIO HUNG FOK, RÉS DO CHÃO, C MACAU

Na visão do sócio, na qualidade de empresa de pequena dimensão em Macau, é difícil ter uma especialidade ou uma localização para o seu funcionamento. “Como podemos atrair mais clientes? Temos de pensar muito bem este aspecto do negócio.” Antes de avançar para a abertura da 3cm JuiceLab, Cheang levou cerca de meio ano a fazer trabalhos preparatórios, tal como a concepção do espaço e a escolha dos produtos. Mas os valores elevados das rendas fizeram com que tenha demorado mais tempo até chegar o dia de inauguração do espaço. Os sócios da 3cm JuiceLab têm guardado na manga um trunfo para o futuro, uma maior variedade de sumos, com mais opções, já a partir do próximo mês. Está também a ser pensada a criação de um cartão de cliente para dar mais benefícios. Além dos sumos, a 3cm JuiceLab também disponibiliza frutas frescas e secas, estando prevista a importação de mais frutas da Tailândia, sobretudo aquelas que não se encontrem facilmente nos mercados e supermercados em Macau. Vítor Ng

info@hojemacau.com.mo


Só nos esquecemos do tempo quando o utilizamos.

Charles Baudelaire

quarta-feira 30.5.2018

CHINA CRÍTICAS A BOLSAS PARA ESTRANGEIROS FORAM “MAL-ENTENDIDO”

BÉLGICA DOIS POLÍCIAS MORTOS A TIRO EM LIÈGE, ATIRADOR NEUTRALIZADO

U

U

M porta-voz do Ministério da Educação chinês clarificou ontem um “mal-entendido” sobre o orçamento do país para o ensino, que gerou uma onda de críticas nas redes sociais às bolsas atribuídas a estudantes estrangeiros. Uma carta aberta publicada no fim-de-semana na rede social Wechat questiona porque é que o dinheiro destinado a estudantes estrangeiros na China é o dobro do orçamento atribuído às escolas primárias e secundárias do país. Um relatório do ministério, publicado em Abril, reserva 3,3 mil milhões de yuan (442 milhões de euros) para os estudantes estrangeiros na China, um acréscimo de 16 por cento, face a 2017. O mesmo documento revela que o orçamento para as escolas primárias e secundárias se fixou em 416,6 milhões de yuan (56 milhões de euros) e 1,2 mil milhões de yuan (162 milhões de euros), respectivamente. A carta aberta, que é assinada por “um cidadão da República Popular da China” e teve mais de 100.000 visualizações, considera aquele orçamento “discriminação racial”, “um insulto para os contribuintes” e um acto de “sabotagem” à igualdade no ensino. E lembra que muitas escolas rurais do país são subfinanciadas. Um porta-voz do ministério afirma ontem que aquele orçamento abrange apenas escolas primárias e secundárias afiliadas com universidades directamente sob a tutela do ministério da Educação. Os três países que mais beneficiam das bolsas de estudo chinesas são Coreia do Sul, Tailândia e Paquistão.

A liga dos livros Mais de metade das livrarias de Hong Kong controladas pelo Gabinete de Ligação

O

Gabinete de Ligação do Governo Central em Hong Kong detém, indirectamente, a propriedade de um conglomerado editorial que gere mais de metade das livrarias da antiga colónia britânica, revelou ontem a RTHK. Segundo a investigação jornalística da Rádio e Televisão Pública de Hong Kong, o Gabinete de Ligação controla a Sino United Publishing Holdings Limited que, por seu turno, tem 53 filiais e é dona de mais de trinta editoras na antiga colónia britânica. O principal accionista do conglomerado editorial é uma empresa local denominada “Xin Wenhua Hong Kong Development Company” que, por sua vez, é detida por uma firma de

Guangzhou. E, segundo apurou a RTHK, a empresa de Cantão têm um único accionista: o Gabinete de Ligação do Governo Central em Hong Kong. De acordo com a emissora, documentos da empresa de Cantão revelam que o seu objecto de negócio envolve “a gestão de notícias e eventos culturais na Região Administrativa Especial”. Reagindo à investigação, transmitida no programa “Hong Kong Connection”, o primeiro presidente do grupo Sino, Lee Cho-jat, afirmou que o conglomerado é um “activo nacional” e que o Gabinete de Ligação é obrigado por Pequim a coordenar “diferentes unidades”, negando, no entanto, qualquer tipo de agenda política. Diversos responsáveis do Gabinete de Ligação em Hong

Kong recusaram reagir à reportagem da RTHK. O Gabinete para os Assuntos Constitucionais e da China de Hong Kong afirmou não ter informação relevante a facultar. A Chefe do Executivo de Hong Kong, Carrie Lam, reagiu à investigação jornalística, afirmando que a representação de Pequim na Região Administrativa Especial pode ter qualquer negócio que entenda, desde que seja legal. Questionada sobre se o negócio vai contra o princípio “Um país, dois sistemas”, a líder do Governo insistiu que o Gabinete de Ligação pode levar a cabo outros trabalhos relacionados com os seus objectivos operacionais desde que dentro da lei, defendendo ainda que ninguém deve interferir no trabalho do Gabinete de Ligação.

Israel Netanyahu promete resposta forte a morteiros disparados de Gaza O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, prometeu ontem responder com força aos cerca de 30 morteiros disparados da Faixa de Gaza para o sul de Israel, que não provocaram vítimas. “Israel leva muito a sério os ataques contra [o seu território] (...) pelo Hamas e pela Jihad Islâmica da Faixa de Gaza”, disse Netanyahu em conferência de imprensa, prometendo que o exército israelita “responderá com a força a estes ataques”. Entretanto, a Jihad Islâmica felicitou a resistência armada palestiniana PUB

PALAVRA DO DIA

pelo ataque contra Israel a partir da Faixa de Gaza ontem de manhã, que segundo a agência de notícias espanhola Efe terá causado um ferido ligeiro. A fronteira entre Gaza e Israel tem vivido momentos de tensão nas últimas semanas, com os palestinianos a promoverem protestos contra o bloqueio imposto por Israel e pelo Egito, após a chegada ao poder do Hamas, em Janeiro de 2006. Pelo menos 110 palestinianos morreram desde 30 de Março em resultado de acções israelitas.

M homem matou ontem a tiro dois agentes da polícia e um civil na cidade belga de Liège e foi neutralizado, disse fonte da procuradoria. O tiroteio ocorreu cerca das 10h30 (16h30 em Macau) perto de um café na Avenida d’Avroy. O primeiro-ministro belga condenou o acto de “violência cobarde e cega” em Liège, onde um homem abateu dois polícias e um civil antes de ser morto pelas autoridades, e anunciou que deverá visitar o local, acompanhado pelo Rei, Philippe. “Violência cobarde e cega em Liège. Todo o nosso apoio às vítimas e seus entes queridos. Estamos a acompanhar a situação com os serviços de segurança e o centro de crise”, escreveu Charles Michel na sua conta da rede social Twitter. Dois polícias e um passageiro de um automóvel morreram na sequência de uma troca de tiros em Liège, a cerca de 100 quilómetros de Bruxelas, num caso que está a ser tratado como um acto terrorista. Segundo a polícia local, dois outros agentes foram feridos e o autor dos disparos abatido. Em conferência de imprensa, a Procuradoria do Rei esclareceu que um homem com uma arma branca atacou dois polícias pelas costas, desferindo vários golpes, e desarmou-os, matando-os em seguida. O atacante disparou depois sobre um jovem de 22 anos que se encontrava no lugar do passageiro numa viatura, tendo depois entrado numa escola secundária onde tomou uma mulher como refém. O suspeito foi abatido quando saiu da escola disparando, tendo ainda ferido dois polícias nas pernas.

Hoje Macau 30 MAI 2018 #4061  

N.º 4061 de 30 de MAI de 2018

Hoje Macau 30 MAI 2018 #4061  

N.º 4061 de 30 de MAI de 2018

Advertisement