Issuu on Google+

PRAÇA DO TAP SEAC

Bailado sai à rua de noite PÁGINA 20

PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

MOP$10

Ter para ler

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • QUARTA-FEIRA 30 DE MAIO DE 2012 • ANO XI • Nº 2620

TEMPO AGUACEIROS OCASIONAIS MIN 25 MAX 29 HUMIDADE 75-95% • CÂMBIOS EURO 9.8 BAHT 0.2 YUAN 1.2

Kwan Tsui Hang contra alterações do Executivo à Lei de Mediação Imobiliária

Uma mudança incompreensível A nova versão diz que as punições financeiras, em caso de incumprimento de normas, serão definidas por regulamentos administrativos. Para a deputada, isto não só é um retrocesso como viola a lei, pois vai contra o regime jurídico de enquadramento de fontes normativas internas. Na prática, significa que será o Governo a decidir as sanções. PÁGINA 3

PEREIRA COUTINHO ACUSA

Governo age em conivência com canal TDM PÁGINA 2

UNIVERSIDADE DE SÃO JOSÉ

Cursos encerrados e reforma curricular posta em marcha PÁGINA 6

DESCIDA BEM-VINDA

Cidadãos e casinos consomem menos electricidade PÁGINA 18


2

política

quarta-feira 30.5.2012

www.hojemacau.com.mo

Pereira Coutinho pede criação de entidade reguladora da comunicação social

Governo acusado de conivência com TDM joana.freitas@hojemacau.com.mo

“A

TDM sempre foi uma empresa deficitária que insiste numa gestão e exploração de modelo privado patriarcal e manifestamente pouco transparente.” As palavras são do deputado José Pereira Coutinho que, numa interpelação escrita ao Governo, exige saber se o Chefe do Executivo vai averiguar alguns acontecimentos que têm lugar no canal chinês da estação. Pereira Coutinho, que escreve como presidente da Associação dos Trabalhadores e Função Pública de Macau (ATFPM), alerta existirem queixas contra a responsável da edição de notícias em chinês por “perseguição e marginalização” de jornalistas e selecção noticiosa. O deputado pede que seja criada uma entidade reguladora da comunicação social, para que

possam ser recebidas as queixas dos cidadãos e se garante o cumprimento da liberdade de imprensa e informação. Ao ser um serviço público - a TDM tem como principal accionista o Governo de Macau –, diz o deputado, a estação tinha obrigação de agir como formadora do público, mas tal não acontece. “Devia ser uma estação televisiva predisposta a informar com rigor e ética profissional. (....) Mas as notícias são seleccionadas, favorecendo uns e prejudicando as minorias, tomando partidos.” O deputado põe a culpa da falta de fiscalização na TDM no Governo de Macau, por não existir uma entidade reguladora independente e também por considerar que o Executivo age em conivência com a empresa. “Todos os anos são injectadas dezenas de milhões de patacas do erário público para esta empresa deficitária.”

ANTÓNIO FALCÃO

Joana Freitas

Chan Meng Kam questionou a dívida da CAM O deputado Chan Meng Kam considera que o desenvolvimento do aeroporto de Macau tem sido condicionado pelas dívidas. Embora recentemente a Companhia de Aeroporto de Macau (CAM) tenha emitido aos accionistas títulos com o valor de 19,47 mil milhões de patacas, o aeroporto tem ainda cerca de 20 mil milhões em dívidas. Admitiu que o Governo já fez um plano para o desenvolvimento do Aeroporto Internacional de Macau, mas frisou que não houve qualquer menção de como resolver em absoluto o problema da dívida, assim como melhorar o tráfego de passageiros e de mercadorias e outras questões. Desde 2008, afirmou, que tanto o tráfego de passageiros como o de mercadorias estão em queda. Por isso, Chan Meng Kam quis saber que medidas estão pensadas para inverter a tendência e atrair mais passageiros e mercadorias à RAEM. “Além disso, Macau posicionase como um centro de lazer do turismo mundial, mas a Air Macau tem a franquia da rota que parte de Macau, o que condiciona outras companhias aéreas que querem abrir novas rotas.” - C.L.

Chui Sai On na conclusão das obras do Centro Desportivo Macau-Guangyuan

O

Ajuda a Sichuan materializa-se

Chefe do Executivo, Chui Sai On, esteve presente, ontem, na cerimónia de conclusão das obras do Centro Desportivo Macau-Guangyuan, projecto principal da RAEM no apoio à reconstrução do grande terramoto de Wenchuan. Afirmou que a conclusão das respectivas obras e a entrada em funcionamento das instalações vão providenciar novas oportunidades e criar novas plataformas para o intercâmbio desportivo entre Wenchuan e Macau. A cerimónia teve lugar na cidade de Guangyuan, da província de Sichuan, e foi presidida pelo vice-presidente da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, Edmund Ho, pelo Chefe do Executivo, Chui Sai On, e pelo secretário do Comité Provincial de Sichuan, Liu Qibao, entre outros convidados. No discurso proferido na ocasião, o Chefe do Executivo elogiou os compatriotas de Sichuan por terem alcançado, com forte vigor e extrema força de vontade, o objectivo de reconstrução após terramoto, entrando numa nova fase de maior desenvolvimento da sociedade económica. “O Governo da RAEM presta a maior dedicação aos trabalhos

de reconstrução de Sichuan, uma vez que é também um desejo comum da população em geral do território.”

COOPERAÇÃO DESPORTIVA

O Centro Desportivo Macau-Guangyuan constitui um dos principais projectos com apoio da RAEM no âmbito da reconstrução de Sichuan, cujas obras foram lançadas em Março de 2009 e concluídas agora,

entrando em funcionamento, facto que contribui para novas oportunidades entre Wenchuan e Macau no ramo do desporto. O Chefe do Executivo revelou ainda que “a relação entre Sichuan e Macau tem-se desenvolvido de forma contínua, designadamente no âmbito do turismo, economia e comércio, desporto, cultura, bem como nas demais áreas, atingindo novos resultados e acumulando novas experiências”.

O apoio financeiro que o Governo da RAEM apostou no projecto do Centro Desportivo Macau-Guangyuan cifra-se em 200 milhões de renminbi, cujas instalações incluem um estádio e um pavilhão desportivo com uma área total de 25.500 metros quadrados, bem como um campo ao ar livre e outros equipamentos desportivos complementares, num total de 26.800 metros quadrados.


quarta-feira 30.5.2012

política

www.hojemacau.com.mo

opinião

Governo e deputados discordantes no diploma da Mediação Imobiliária

“A AL não deve aprovar uma lei que viole outra lei”

U

M braço de ferro de quase três horas entre deputados e Governo não foi suficiente para demover Lau Si Io e a assessoria da Administração - da Lei de Mediação Imobiliária (a ser analisada há um ano) não vão constar as sanções para quem cometer infracções administrativas. A intenção da legislação – nova em Macau – é regular a actividade imobiliária, implementando punições e credenciando agentes, para que seja diminuída a especulação sentida nesta área. Mas, depois do diploma passar por uma análise da 1.ª Comissão Permanente da Assembleia Legislativa (AL), o Governo decidiu fazer alterações. Além de mais reduzida – o conteúdo passou de 50 artigos para 39 – a nova versão da Lei não agrada aos deputados, porque determina que as punições financeiras, em caso de incumprimento das normas, passem a ser definidas por regulamentos administrativos. “Isto viola o regime jurídico de enquadramento das fontes

Q

UASE um mês e meio depois de começar a ser julgado, Ao Man Long vai ouvir amanhã a sentença do Tribunal de Última Instância (TUI), onde está a ser julgado por corrupção passiva e crimes de branqueamento de capitais. O terceiro processo a envolver o ex-secretário das Obras Públicas e Transportes teve a sua primeira audiência na segunda quinzena de Abril. Ao Man Long vai acusado pelo Ministério Público (MP) de seis crimes de corrupção passiva e três de branqueamento de capitais. Na primeira sessão do julgamento, deixou claro não querer responder às acusações e remeteu-se ao silên-

normativas internas e a AL não deve aprovar uma lei que viole outra lei”, acusou Kwan Tsui Hang, presidente da comissão. O regime dita que casos de privação de direitos e definição de crimes, penas ou sanções sejam regulados por leis. “Contribui para que os lesados tenham noção dessas normas.” Para o Governo, no entanto, a decisão de não prever as sanções no diploma respeita todas as leis. Por isso, insiste em manter o que agora apresentou: a definição das punições fica para regulamento administrativo. Kwan diz que a decisão não afecta directamente os direitos dos compradores, mas ainda assim mostra-se preocupada, até porque os regulamentos administrativos só precisam do aval do Chefe do Executivo. “É uma questão de princípio. As sanções ficarão reguladas em regulamentos, mas se houver alterações aos valores, não precisam de passar pela AL e os deputados não participam. Além de que não permite dar uma ideia [aos intervenientes] das sanções em caso de infracção.” A aplicação e montante das sanções não serão os únicos ar-

HOJE MACAU

joana.freitas@hojemacau.com.mo

tigos a passar para regulamento administrativo. A entidade competente da fiscalização da actividade imobiliária, por exemplo, foi outra das normas retiradas na nova versão do diploma. “Na versão anterior, a entidade fiscalizadora era o Instituto da Habitação e agora não se especifica quem é.”

NAS MÃOS DO HEMICICLO

Kwan Tsui Hang não diz que lei irá chumbar aquando da sua aprovação na especialidade pelo plenário, mas reafirma a posição da comissão a que preside. “A maioria dos deputados discorda da decisão do Executivo, uma vez que consideram que viola a lei.

Nuno G. Pereira

Credibilidade adiada Estamos nas vésperas

Kwan Tsui Hang é peremptória: a ausência de sanções no diploma de Mediação Imobiliária viola a lei. A decisão de retirar estas punições foi do Executivo e não caiu bem aos deputados, que desistiram de analisar a proposta, vencidos pelo cansaço. Agora, resta o plenário decidir se a lei passa Joana Freitas

Mas o plenário conta com outros deputados.” Da 1.ª Comissão Permanente fazem parte nove deputados, que se encaixam num hemiciclo de mais 29 membros. Apesar de ter sido aprovada em Fevereiro do ano passado, a Lei de Mediação Imobiliária precisou de muitas reuniões. Ainda assim, faltava uma análise mais aprofundada, da qual os deputados acabaram por desistir, como sublinhou Kwan. “Se eles não clarificam, não temos condições para continuar a discutir a proposta. Não há maneira de impulsionar este processo. É lamentável, mas eu tenho de informar o público.” A presidente da comissão diz que os deputados aguardam apenas a assinatura oficial do Chefe do Executivo para que seja redigido o parecer e a proposta chegue ao plenário. A intenção da lei – pioneira em Macau – era regular a actividade do sector e deveria, diz Kwan, incluir todas as matérias para que pudessem ser clarificadas juntos dos operadores. Uma vez que o consenso foi inatingível, não houve qualquer conclusão e continuar a discutir só atrasaria os trabalhos. “Agora, cabe ao plenário a decisão.”

do veredicto dos processos de corrupção de que é acusado Ao Man Long. Acusações cujo impacto está mais naquilo que recordam do que no seu efeito prático, uma vez que o réu já foi condenado em casos prévios. Tudo junto fez deste ex-secretário das obras públicas uma má memória para o povo, é certo, mas também para a classe política de Macau. Porque deu razão aos que desconfiam das intenções de quem apregoa transparência em cada minuto de discurso. Também por estes dias, Chui Sai On garantiu que o seu Executivo jamais interferirá nos processos judiciais, produzindo em poucas palavras mais um juramento acerca da honestidade da sua equipa. E dele próprio. No artigo que abre esta página, lê-se a história de como uma deputada eleita directamente pelos habitantes de Macau, Kwan Tsui Hang, desesperou com a decisão da Administração chefiada por Chui Sai On: na Lei de Mediação Imobiliária, as punições financeiras, em caso de incumprimento de normas, passam a ser definidas por regulamentos administrativos, em vez de já estarem previstas. Isto significa, por exemplo, que quando um infractor for apanhado será o Executivo a dizer se ele paga muito ou pouco. Quando se discute a credibilidade de um Governo, pode-se ouvir as opiniões de muita gente. Basta um facto, porém, para obter a melhor resposta.

Ao Man Long ouve sentença para nove crimes amanhã no TUI

Culpado ou inocente? cio, esclarecendo apenas que tinha sido notificado das actuais acusações em Julho do ano passado e que não tinha mais processos pendentes. O silêncio que ocupou algumas das audiências seguintes foi, contudo, quebrado nas alegações finais, onde Ao Man Long decidiu falar. Negou ter recebido o dinheiro – 20 milhões de patacas – que o MP acredita que ele recebeu para conceder os cinco lotes de terrenos em frente ao aeroporto.

3

Este terceiro processo – Ao Man Long já foi acusado anteriormente por 81 crimes de corrupção passiva, branqueamento de capitais e abuso de poder – envolve diversos projectos de obras. São eles a construção e concepção de um Edifício Industrial no Parque Industrial Transfronteiriço, a concepção, construção, operação e manutenção da ETAR e da segunda fase desta nesse mesmo parque, a concessão de cinco terrenos em frente ao Aeroporto Internacional

de Macau e a concepção, construção, operação e manutenção da ETAR de Coloane. Se forem tidas em conta todas as acusações feitas ao ex-secretário, terá recebido pagamentos superiores a 50 milhões de patacas, apenas nestes casos. Em nenhum dos processos o ex-secretário teve direito a recurso por estar a ser julgado no TUI como um alto cargo. Se amanhã for considerado culpado neste terceiro julgamento, Ao Man Long não pode ser condenado a mais do que um ano e meio de prisão, uma vez que a pena máxima em Macau é de 30 anos, em cúmulo jurídico. - J.F.


4

publicidade

www.hojemacau.com.mo

quarta-feira 30.5.2012


quarta-feira 30.5.2012

www.hojemacau.com.mo

publicidade

5


6

sociedade

quarta-feira 30.5.2012

www.hojemacau.com.mo

Peter Stillwell revela cortes nos cursos e maior selecção no nível dos docentes

Passar a “pente fino” a estrutura da USJ

Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

C

HEGADO há cerca de um mês ao território, o novo reitor da Universidade de São José já tem linhas de acção planeadas. A selecção dos cursos, sobretudo de mestrado, e passar “a pente fino” o corpo docente são duas das prioridades. Ontem, em entrevista à TDM, Peter Stilwell disse que não serão aceites mais inscrições em determinados cursos de especialização porque “mostraram pouca atracção”, embora não tenham sido especificados. “Há cursos na Universidade

de São José que não vão ser continuados isto não quer dizer que vão ser cortados e que os alunos não os vão fazer chegar ao fim”, explica o reitor. Por sua vez, Filosofia e Teologia, Business e Serviço Social, Educação e Psicologia, Arquitectura e Design são as áreas em que a nova direcção pensa em investir mais. Ao Hoje Macau, o reitor já tinha anteriormente afiançado também que as reformas curriculares estariam para chegar e que seriam “coordenadas com a nova lei de enquadramento do ensino superior” que conta ser aprovada pelo GAES no início de 2013. Além disso, referiu também, que o Conselho Científico e o Pedagógico iriam estudar os conteúdos e as formas dos cursos por etapas, de forma a melhorar a qualidade de ensino. “Estamos na fase de fazer uma passagem a pente fino daquilo que é o nosso corpo docente, como é que estão, qual é a sua qualificação, a prazo temos que colocar aos professores este desafio de exigência. Quer dizer, ninguém deve estar no ensino universitário sem fazer esta opção da carreira docente. Não só darem aulas, como fazerem investigação e publicarem”, adiantou ontem o reitor nas instalações da USJ. A progressão na carreira, como já tinha afiançado, será feita por concurso e segundo avaliação de

Pavilhão Panorâmico do Centro de Ciência de Macau abre ao público a 1 de Junho

Ao entrar no Centro de Ciência de Macau, subindo as recentes escadas rolantes exteriores, com 38 metros, direcciona-se até ao novo miradouro: o Pavilhão Panorâmico. A Leste, os visitantes podem aproveitar a vista sobre a Doca dos Pescadores, já a Oeste podem apreciar o Centro Ecuménico de Kun Iam e a visita das pontes Nobre de Carvalho e Sai Van. A partir de 1 de Junho, os visitantes antes de se aventurarem pelos 450 expositores interactivos, podem aceder À esta vista panorâmica sobre a cidade. Nas férias de Verão, de 1 de Julho a 31 de Agosto, o Centro de Ciência de Macau estará aberto sete dias por semana, das 10h às 18h.

Jackpot para turista do continente

Uma mulher de 33 anos, oriunda da província de Guangdong, conseguiu um jackpot no casino Grand Lisboa, avaliado em mais de 6 milhões de dólares de Hong Kong. O valor foi obtido numa mesa de póquer. Louis Ng, chefe de operações da Sociedade de Jogos de Macau, deu os parabéns à visitante sortuda. “Parabéns à segunda vencedora de um jackpot desde a abertura do Grand Lisboa! É o melhor local de Macau onde o verdadeiro jogador encontra estimulação para participar em imensas actividades de entretenimento, e também um lugar de sorte para os vencedores de jackpot”.

pares, a um nível internacional, de forma a inviabilizar qualquer “favorecimento no interior da instituição”. A futura Agência de Acreditação e Avaliação será a entidade responsável por este sistema de avaliação, que conta com entidades independentes do Governo.

MÁRIO PIRES

Em entrevista, Peter Stilwell garantiu o encerramento de alguns cursos e que vai avançar com uma reforma curricular mais eficaz que eleve a qualidade do corpo docente. Mais contratações estão dependentes da expansão da instituição

INTERROGAÇÃO NA EXPANSÃO

A contratação de mais docentes depende do alargamento das instalações da universidade e do número de alunos, cujo objectivo da universidade é subir para os 2000 no fim do ano (mais dois mil do que os registados actualmente). O novo reitor manifesta também o desejo de ver os custos para os estudantes serem reduzidos. E diz haver vontade do Governo em apoiar mais os alunos universitários. Como já tinha afirmado anteriormente, a grande preocupação é conseguir a evolução dos alunos de secundário e licenciatura no inglês, língua franca na universidade. Até dia 21 de Julho será aprovada uma das cinco propostas de adjudicação da obra do novo campus, desde que se garantam as condições “financeiras” necessárias. “Estamos nesta fase de alguma aceleração para tentar fazer tudo isso no espaço de um mês. Em Agosto ou Setembro posso dizer em que fase ficaram as coisas”, reiterou ontem à Televisão Portuguesa de Macau.

DSSOPT lança novas regras anti-roubo para casas

Gaiolas passam a ser proibidas Andreia Sofia Silva* andreia.silva@hojemacau.com.mo

É

já a partir de hoje que entram em vigor as novas regras implementadas pela Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT) no que diz respeito à protecção das casas contra furtos. As instruções para as instalações de segurança e prevenção de furtos nos edifícios passa a proibir a instalação de gaiolas externas nas moradias, passando estas a ser substituídas por grades nas janelas. “Verificou-se que a instalação de gradeamento na janela é uma solução apropriada para banir a instalação da gaiola metálica (...) por razões de segurança pública,

não é permitida a instalação de pala, gaiola ou suporte de vaso saliente numa janela ou varanda”, afirma a DSSOPT em comunicado. Fica também proibida a instalação de portões nas partes comuns do edifício que obstruam os corredores. Portões de correr e abertos para o exterior devem ser a solução a adoptar.

Terraços e pátios podem ter apenas coberturas móveis. Até ao momento, a DSSOPT detectou 629 casas incumpridoras, enquanto 283 já mudaram as suas instalações anti-roubo. As mudanças aconteceram devido a ilegalidades verificadas em alguns edifícios. “A maioria dos elementos acessórios existentes em Macau não obedece às disposições legais e regulamentares, nem muito menos produz o efeito de protecção previsto” para além de “prejudicar a relação com os vizinhos e danificar a estrutura do edifício”. As novas regras pretendem pôr fim a estruturas que muitas vezes são ilegais e que, por si só, comportam perigos

para moradores e cidadãos. A DSSOPT refere que muitas das gaiolas “são instaladas por trabalhadores não qualificados. Isto não só afecta a estética do edifício como representa risco de queda”. Para além disso, existem perigos para a saúde. “Atendendo que a gaiola é facilmente alvo de ferrugem, o que causa a queda do betão das paredes, consistindo no perigo para terceiros.” A par disso, “a cobertura da gaiola acumula facilmente lixos (...) podendo também ser levada pela tempestade de um tufão”. Desta forma, “a construção clandestina não tem qualquer vantagem e ao longo dos anos têm-se verificado várias queixas sobre a questão”. - *com

Cecília Lin


quarta-feira 30.5.2012

Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

O

Governo quer criar mais regras para o comércio que se faz nas cinco ruas do bairro San Kio, mantendo, contudo, a ligação entre o tradicional e o moderno. Para tal, as lojas que usam a rua para montar pequenas bancas com produtos vão ter de possuir uma licença temporária, que deverá ser renovada anualmente. Dos 96 espaços que possuem bancas de rua, 40% já fez o seu pedido junto do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), sendo que a maioria dos lojistas está situada na rua da Emenda. No total, são cinco as ruas abrangidas por esta medida: rua Lu Cao, do Rebanho, Tomé Pires e rua Brás da Rosa, incluindo a já referida rua da Emenda. O plano foi anunciado por Lei Wai Long, presidente do comité de gestão do IACM, durante mais uma sessão do Conselho Consultivo. “Estas licenças têm como objectivo a melhoria dos espaços do pequeno e grande comércio”, disse. “Cerca de 40% dos lojistas já fizeram o seu pedido, e passo a passo vamos ter mais comerciantes a pedir a licença temporária ao IACM.” Dado que em 2006 apenas 56 espaços possuíam autorização para expor produtos na rua, o IACM espera agora garantir uma maior reorganização do comércio na zona. “Queremos que os lojistas possam trabalhar em segurança, e espero que

Junho é mês de eclipse

sociedade

www.hojemacau.com.mo

7

40% das lojas já pediram documento ao IACM

Comércio em San Kio sob licença As lojas do bairro San Kio que usam a via pública para exporem os seus produtos terão de ter licença para o fazer. Quase metade dos 96 espaços comerciais em questão já fizeram o seu pedido ao IACM, sendo que a maioria situa-se na rua da Emenda

Recolha do vidro por decidir O que também está por decidir é se Macau avança ou não com a reciclagem do vidro. O IACM afirma que tem estado a colaborar com bares e empresas, mas ainda não há um plano concreto. “Desde 2011 já recolhemos 9 mil quilos de vidro, e achamos que os cidadãos já dão grande importância a este assunto. Cooperamos com mais de 300 empresas e mais de 200 edifícios participaram neste plano. Estamos a trabalhar com cinco bares e em Junho vamos colaborar com mais cinco. Temos de fazer mais preparação sobre este assunto, e estamos numa fase de estudo. Quanto aos resíduos domésticos, queremos colocar mais caixotes do lixo, e também junto dos mercados”, disse Lei Wai Long.

A Direcção dos Serviços Meteorológicos e Geofísicos prevêm que no inicio do mês de Junho deverá acontecer um eclipse parcial da Lua e trânsito de Vénus, que deverão ser visíveis caso o tempo o permita. A noite do dia 4 (segunda-feira), bem como a manhã do dia 6 (quarta-feira) são os dias previstos para acontecerem os fenómenos astronómicos. O trânsito de Vénus consiste na passagem astronómica do planeta diante do Sol, visto da Terra.

Mercado do Iao Hon em obras Na reunião do Conselho Consultivo ficou ainda decidido que o mercado municipal do bairro do Iao Hon vai sofrer remodelações no primeiro e segundo piso, por forma a melhorar as condições do comércio. Lei Wai Long garantiu que o novo edifício deverá estar pronto em Julho, estando prevista a transferência de 57 barracas de vestuário, bem como 36 locais para alimentos. Está também prevista uma nova decoração para o segundo e terceiro andar.

Bombeiros em formação

O Corpo de Bombeiros (CB) realizou ontem um curso de formação sobre conhecimento de segurança contra incêndios, em conjunto com a Associação da Administração de Propriedades de Macau. Dividida em duas partes, a palestra sobre segurança e prática do uso de extintores decorreu no comando do CB e Posto Operacional do lago Sai Van, bem como no centro de instrução de simulacro. Cerca de 100 profissionais participaram, sendo esta a oitava vez que o curso é realizado.

as licenças sejam obtidas o mais rapidamente possível para que os cidadãos possam fazer compras de forma mais conveniente”, disse Lei Wai Long.

RUA CONTINUA POR EMENDAR

Na agenda do IACM está ainda o reordenamento das cinco ruas que compõem o bairro San Kio, sendo que a primeira fase do projecto deverá ser feita na rua da Emenda. Embora o tema tenha sido dos mais discutidos na reunião, não foi avançada qualquer data concreta para que os trabalhos tenham um efeito prático. “O reordenamento tem de ser feito em várias fases, e ainda estamos em fase de preparação. Esperamos que sejam ouvidas mais opiniões dos comerciantes, e depois vamos lançar o plano passo a passo. O lado da segurança é o mais importante em todo o projecto, para que o reordenamento avance sem quaisquer conflitos e para que se possa garantir as boas relações entre comerciantes. Desta forma, quando os

PUB

cidadãos passarem pela rua da Emenda podem encontrar um ambiente mais agradável”, frisou Lei Wai Long. O plano de requalificação do bairro passa por criar uma zona de comércio unicamente para acesso dos peões, criar espaço suficiente para veículos e ainda reorganizar o espaço cedido aos vendilhões. As mudanças na rua da Emenda têm sido alvo de discussão entre o IACM e as diversas associações envolvidas nos assuntos do bairro. Em Fevereiro deste ano, a Associação do Mútuo Auxilio Comercial entregou uma petição junto do Gabinete do Chefe do Executivo, onde o IACM era acusado de “forçar os lojistas a assumir compromissos”, reclamando “tratamento igual para todos”. A sessão do Conselho Consultivo serviu ainda para apresentar o que já foi feito por parte do IACM. Até finais de Abril, estavam concluídos 67 projectos, sendo que a taxa de execução dos planos para este ano se situa nos 33,8%.


8

publicidade

quarta-feira 30.5.2012

www.hojemacau.com.mo

Síntese do Parecer dos Auditores Externos Para o gerente-geral do Standard Chartered Bank, Sucursal de Macau (Sucursal de um banco comercial de responsabilidade limitada, incorporado no Reino Unido)

O Banco Standard Chartered registou um firme desenvolvimento no ano 2011, contando com um acréscimo de 15% no rendimento das suas actividades. Registou-se um lucro líquido de MOP 61.878.448,18 após ter deduzido as despesas e amotizado alguns créditos mal parados, dando um aumento de 12% em relação ao ano transacto. Como habitualmente, o Banco Standard Chartered agradece muito aos seus clientes, às autoridades de supervisão e aos colaboradores do Grupo pelos constantes apoios, aos quais se devem as actividades e opreções bem sucedidas e aos mesmos gostaria de expressar pessolamente os mais sinceros agradecimentos. Prevemos, para o futuro, um crescimento do negócio a par da permanência dos serviços bancários e de gestão de risco qualificados a fim de melhor servir a sociedade.

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Standard Chartered Bank, Sucursal de Macau relativas ao ano de 2011, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 10 de Maio de 2012, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo. As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2011, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas. As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da sucursal. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da sucursal. Para a melhor compreensão da posição financeira da sucursal e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

O Chefe do Banco Standard Chartered, Sucursal de Macau Wong Wai Hing, Simon 14 de Maio de 2012

Lei Iun Mei, Auditor de Contas KPMG Macau, aos 10 de Maio de 2012

Síntese do Relatório das Actividades


quarta-feira 30.5.2012

publicidade

www.hojemacau.com.mo

Síntese do relatório de actividade Em 2011, apesar de em recuperação, a economia global estava cheio de incertezas e o impacto na crise financeira global continua a prevalecer. Neste complexo envolvimento de economia global e turbulento, apenas os mercado emergentes estão a recuperar gradualmente e o clima económico de Macau está a crescer em paralelo. Em Macau, beneficiando do efeito do início do novo desenvolvimento em várias indústrias, novas oportunidades surgem no sector bancário. Nós devemos manter na expansão da nossa actividade activamente, com o lançamento de novos produtos e serviços para cobrir com o crescimento do mercado. Para o ano findo em 31 de Dezembro de 2011, o nosso Banco teve um proveito operacional total de MOP7.43 milhões, um aumento de 0.2% em comparação com o ano anterior. O lucro após impostos foi de MOP1.33 milhões, representando um aumento substancial de 107%. O total de depósitos dos clientes foi de MOP290 milhões, representando um decréscimo de 39%. O total empréstimos a clientes foi de MOP68.86 milhões, representando um decréscimo ligeiro de 6%. O total de activo líquido foi de MOP400 milhões representando um decréscimo de 30%. No próximo ano, espera-se que a economia de Macau continuará a desenvolver com uma apropriada diversificação, fortalecimento de cooperação regional e construção de resorts e outras infraestruturas de lazer. A estratégia do nosso País demonstrou um tremendo apoio à economia de Macau e desta forma estendeu o momento para a economia de Macau. Nós iremos continuar fortalecer a nossa gestão interna, desenvolver mais produtos e serviços de alta qualidade para ir ao encontro das necessidades dos clientes retribuindo à comunidade de Macau pela sua confiança e apoio. O Gerente, Lau Hing Keung

Síntese do parecer dos auditores externos Ao Gerente da Sucursal do Chong Hing Bank Limited – Sucursal de Macau Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Chong Hing Bank Limited — Sucursal de Macau relativas ao ano de 2011, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório datado de 9 de Maio de 2012, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo. As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2011, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações da conta corrente com a sede e reserva e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas. As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas a que acima se faz referência, a Sucursal criou a provisão genérica para crédito concedido de acordo com o Aviso n.º 18/93-AMCM da Autoridade Monetária de Macau. Esta provisão genérica é apresentada como «Dotações adicionais para provisões conforme RJSF» nas acompanhadas Conta de Lucros e Perdas publicadas como ajustamento da conta da resultado do exercício. A «Reserva Regulamentar» representa a diferença entre a provisão genéricas as perdas de imparidade do crédito concedido apresentada na demonstração de alterações da conta corrente com a sede e reserva das demonstrações financeiras para o ano findo. Excepto o acima citado, em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas. Para a melhor compreensão da posição financeira do Chong Hing Bank Limited –Sucursal de Macau e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria. Quin Va Auditor de Contas Deloitte Touche Tohmatsu — Sociedade de Auditores Macau, 9 de Maio de 2012

9


10

nacional

quarta-feira 30.5.2012

www.hojemacau.com.mo

Taiwan mobiliza pela primeira vez mísseis na direcção da China

Wu Bangguo promove relações comerciais na Europa

O vice-ministro chinês do Comércio, Zhong Shan, concedeu segunda-feira uma entrevista à imprensa espanhola, onde valorizou a visita a Holanda, Croácia, Luxemburgo e Espanha, feita pelo presidente da Assembleia Popular Nacional da China, Wu Bangguo, entre os dias 15 e 28 deste mês. Segundo Zhong Shan, esta viagem impulsionou a confiança mútua política e a cooperação pragmática entre a China e os quatro países europeus e teve um grande significado para a promoção de relações comerciais bilaterais. Durante a viagem, Wu Bangguo e os líderes europeus trocaram opiniões acerca da situação económica internacional e da crise de dívida da Europa. O dirigente chinês também expressou o desejo de que a China continue a apoiar a recuperação económica da Europa através do reforço da importação e do investimento.

Maioria das empresas europeias considera novos investimentos na China

Segundo uma sondagem divulgada ontem pela Câmara Comercial Sino-Europeia, 63% das empresas europeias consideram fazer novos investimentos na China. A pesquisa indica que, sendo o país que actualmente mais contribui para o crescimento económico do mundo, a China tem um papel de importância sem precedentes para as empresas do continente europeu. Quase todas as empresas inquiridas (97%) acreditam que o país se torna cada dia mais significativo nas suas estratégias globais, enquanto 78% das entrevistadas mostram estar optimistas com a perspectiva de negócios na China nos próximos dois anos.

Apontados à tensão

T

AIWAN mobilizou pela primeira vez mísseis cruzeiro capazes de alcançar importantes bases militares ao longo da costa sudeste da China continental, indicou esta segunda-feira a imprensa da ilha. Os mísseis Hsiungfeng 2E, fabricados em Taiwan e que têm um alcance de 500 km, estão operacionais, segundo o Liberty Times, que cita uma fonte militar não identificada. O ministério da Defesa não comentou estas informações. Segundo este jornal, o projecto, cujo nome de código é “Chichun”, custou cerca de 8 mil milhões de patacas. Os especialistas militares consideram que o

PUB

ESTREIA PERIGOSA

De acordo com Song Jan Wen, membro de um painel de especialistas convidados

pelo exército taiwanês para analisar o relatório anual de defesa, é a primeira vez que Taiwan aponta directamente mísseis para a China. Taiwan, refúgio do exército nacionalista derrotado pelos comunistas em 1949, é independente desde então, mas Pequim

considera que se trata de uma província rebelde e não exclui recorrer à força para recuperá-la. No entanto, as relações melhoraram com a chegada à presidência de Ma Ying-jeu, em 2008. Em Janeiro de 2012, foi reeleito para um segundo mandato.

Dez anos para resolver problemas de distribuição da riqueza

Putin de visita entre 5 e 7 de Junho

O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Liu Weimin, anunciou esta terça-feira que a convite do presidente chinês, Hu Jintao, o presidente russo, Wladimir Putin, fará, entre os dias 5 e 7 de Junho, uma visita de Estado à China, além de assistir à 12ª reunião do conselho dos chefes de Estado dos países membros da Organização de Cooperação de Xangai.

exército da China continental, o Exército de Libertação Popular, dispõe, por sua vez, de cerca de 1.600 mísseis apontados a Taiwan. “Em caso de guerra no Estreito de Taiwan, os mísseis podem ser utilizados para atacar aeroportos e outras bases militares do Exército de Libertação Popular”, declarou à AFP Keving Cheng, chefe de redacção do Asia-Pacific Defense Magazine, com sede em Taipé. Cheng considera que Taiwan tem mais de cem mísseis Hsiungfeng 2E apontados para a China.

U

Década de esperança

M especialista chinês em estudos sociais disse ter confiança numa reforma do sistema de distribuição da riqueza, que possivelmente será lançada este ano, mas advertiu que o país necessitará de pelo menos uma década para resolver completamente o problema. “Calculamos que levaremos dez anos para aperfeiçoar o sistema de distribuição da riqueza e corrigir o problema de desequilíbrio na distribuição”, disse Zheng Gongcheng, professor da Universidade Renmin, numa entrevista publicada no domingo pelo jornal Qilu Evening News.

Zheng indicou que o baixo salário dos trabalhadores de nível básico, a disparidade da riqueza e a distribuição injusta são os três problemas principais no sistema de distribuição do país, que não só causaram conflitos sociais mas

também enfraqueceram a moralidade da população e a sua crença numa atitude diligente no trabalho. No entanto, os problemas actuais acumularam-se nas últimas décadas e não existe para já uma solução imediata, disse Zheng. Durante os primeiros 30 anos do processo de reforma e abertura, o sistema de distribuição destacou o estímulo do desenvolvimento económico, e agora é o momento de oferecer igual atenção tanto à expansão do volume da riqueza como a uma distribuição equilibrada da mesma, acrescentou o académico.

Rede de prostituição infantil de raparigas entre 12 e 14 anos

A

Funcionário político detido

polícia da província de Zhejiang, leste da China, prendeu seis pessoas suspeitas de envolvimento numa rede de prostituição infantil, entre as quais um funcionário político e empresários locais, revelou ontem a imprensa oficial. O caso passou-se na cidade de Yongkang, onde desde Fevereiro “mulheres novas e raparigas da escola secundária, com idades entre os 12 e 14 anos”, eram recrutadas

para manter relações sexuais com “patrões ricos”, noticiou o Global Times. “Nem todas as raparigas eram menores, mas algumas eram estudantes do primeiro ciclo da escola secundária”, afirmou uma fonte local, citada por aquele jornal. Dada a idade das estudantes, os suspeitos poderão ser acusados de violação de menores. Um dos suspeitos, Hu Liangqi, é o líder da sua

aldeia e delegado à Assembleia Popular de Yongkank, adiantou o China Daily. Foi o segundo caso do género conhecido em menos de uma semana. No domingo passado, a agência noticiosa oficial chinesa anunciou a detenção de um antigo director da secretaria-geral do Partido Comunista em Yongcheng, na província de Henan, por ter alegadamente violado mais de 10 raparigas menores.


quarta-feira 30.5.2012

nacional

www.hojemacau.com.mo

O

Japão e a China vão iniciar na sexta-feira a troca directa das suas divisas, o iene e o yuan, nos mercados de Tóquio e Xangai, para dinamizar o comércio e o investimento bilateral, anunciou ontem o Ministério das Finanças japonês. Até à data, as moedas japonesa e chinesa são trocadas através de um sistema que tem o dólar como elemento central na determinação da taxa de câmbio iene-yuan. “A partir de 1 de Junho, a taxa de câmbio iene-yuan será sempre indicada em ambos os mercados, facilitando a negociação de pleno direito e a troca directa”, disse o ministro das Finanças do Japão, Jun Azumi, em conferência de imprensa. “Ao não usar o dólar como moeda intermediária, podemos baixar os custos de transacção e os riscos de liquidação nas instituições financeiras, bem como tornar ambas as moedas das nações mais úteis.” O anúncio surge numa altura em que a China tem vindo a introduzir medidas para atingir o objectivo de longo prazo de internacionalizar a sua moeda para rivalizar com o dólar.

A China ultrapassou o Japão, tornando-se a segunda maior economia mundial em 2010.

APROXIMAÇÃO

China e Japão iniciam sexta-feira trocas directas de moeda

Dólar a ficar fora de jogo Pequim descreveu o anúncio de ontem como um “passo importante” no “reforço da cooperação entre a China e o Japão, no desenvolvimento dos mercados financeiros e na promoção da negociação directa entre

as duas moedas com base no princípio do mercado”. “O Banco Popular da China apoia activamente o movimento”, indicou um comunicado emitido pelo centro de câmbio monetário internacional chinês (China

Foreign Exchange Trade System). O banco central chinês fixou na manhã de ontem uma taxa de 7.9480 yuan por cada 100 ienes, reportou a Dow Jones. O iene negocia livremen-

te contra o dólar a nível mundial nos mercados cambiais, com o dólar a comprar 79,52 ienes nas praças asiáticas esta terça-feira. No entanto, o yuan tem uma margem limitada em relação ao dólar.

Lançamento de contratos futuros de petróleo planeados para este ano

A

China planeia lançar contratos futuros de petróleo este ano e permitir que estes sejam negociados também por investidores estrangeiros, com o país a acelerar a abertura dos seus futuros de commodities para players internacionais, disse a presidente da bolsa de futuros de Xangai (SHFE) esta segunda-feira. As instituições globais estão bastante interessadas em aceder às bolsas chinesas, que representaram mais de metade do volume de derivativos de commodities negociados globalmente em 2010, de acordo com dados da Federação Mundial de Bolsas de Valores. A partir do lançamento do contrato de petróleo, a Bolsa de Futuros de Xangai irá gradualmente permitir que investidores estrangeiros negociem noutros contratos, nomeadamente os de metais

11

O cofre está a abrir não ferrosos que devem ser os próximos a ser libertados, e posteriormente os metais preciosos. “O lançamento dos futu-

ros de petróleo não marca apenas a abertura de mais um contrato na bolsa de Xangai, mas simboliza a abertura gradual do mercado

de futuros de commodities a investidores estrangeiros”, disse a presidente da entidade Wang Lihua.

AINDA TRANCADO

Hoje os futuros de commodities oferecem apenas uma pequena janela para a participação estrangeira. Além dos contratos de metais preciosos, as instituições financeiras estão proibidas de negociar contratos de commodities. As limitações para a conversão do yuan também dificultam a participação estrangeira no mercado futuro de commodities na China. O contrato de petróleo poderá ser cotado tanto em yuans como em dólares americanos, disse a SHFE. Wang não deu detalhes se os investidores internacionais poderão credenciar-se directamente na bolsa ou se precisarão de usar as corretoras nacionais para realizar negócios.

Os dois países vizinhos têm vindo a estreitar os laços de negócios, apesar das frequentes disputas diplomáticas sobre reivindicações territoriais e persistentes animosidades históricas. A China é o maior parceiro comercial do Japão, mas cerca de 60% do seu comércio mútuo é denominado em dólares norte-americanos. Em Março, o Japão disse que conseguiu a aprovação de Pequim para comprar títulos do governo chinês pela primeira vez - Pequim não permite aos investidores comprar livremente a sua dívida, exigindo a aprovação oficial. As potências económicas também concordaram em promover o uso das suas moedas nas transacções bilaterais, tais como o investimento estrangeiro directo por empresas japonesas na China em yuan - para reduzir os riscos cambiais. O iene, porém, bateu recordes históricos em relação ao dólar no ano passado, tornando os produtos dos exportadores menos competitivos no exterior do Japão.

Lenovo quer produzir computadores no Brasil

A Lenovo, fabricante chinesa de computadores pessoais, tablets e outros produtos, quer instalar-se no Brasil e produzir os seus produtos no país, diz o MarketWatch, do Wall Street Journal. Além disso, a Lenovo tem também interesse em adquirir empresas brasileiras, de acordo com a reportagem. Segundo o MarketWatch, a empresa está esforçar-se para crescer nos mercados emergentes como Brasil, Índia, Indonésia, Argentina e México. O presidente da Lenovo para a América Latina e para a região Ásia-Pacífico, Milko Van Dujil, destacou a necessidade de evitar as altas taxas de importação como motivo do interesse de instalar uma filial no Brasil. Actualmente, de acordo com o MarketWatch, a Lenovo é a nona empresa com maior participação no mercado de computação pessoal no Brasil, tendo obtido uma parcela de 3,6% do mercado em Março deste ano.

Oportunidade para melhorar indústria de serviços

O director-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Pascal Lamy, declarou esta segunda-feira em Pequim que a China tem uma grande oportunidade para melhorar a sua indústria de serviços. Lamy fez a afirmação no fórum intitulado “OMC e China: Fórum Internacional de Pequim”, que faz parte da Feira Internacional de Comércio de Serviços de Pequim. Segundo Pascal Lamy, o país está numa fase crucial face à globalização económica. Diante da grande oportunidade de crescimento, o país deve desenvolver ainda mais a sua própria indústria de serviços, além de agregar mais valor e qualidade aos serviços e produtos.


12

nacional

Foxconn prepara-se para fabricar televisores inteligentes da Apple

Uma fábrica da Foxconn está a produzir, em fase de teste, os anunciados televisores inteligentes da Apple, informaram ontem fontes em Taiwan. Os novos televisores chegarão ao mercado no princípio de 2013, com ecrãs de 42 a 55 polegadas e a um custo de cerca de 12 a 16 mil patacas, segundo Gene Munster, analista de investimentos do banco Piper Jaffray. Os novos televisores permitirão uma integração com os computadores, na nuvem, via internet. “Os televisores são um mercado maduro com margens de lucro reduzidas e o maior desafio da Apple será conseguiu uma margem elevada”, disse o vice-presidente da empresa de análise de mercados DisplaySearch para a grande China, Xie Qinyi. A internet móvel preparou o terreno para a convergência digital, o que levou Apple, Samsung e outras empresas a entrar no mercado dos televisores inteligentes, que necessitarão de ligações à internet rápidas e de qualidade. A Foxconn é uma filial do grupo taiwanês Hon Hai, fabricante mundial de produtos electrónicos que tem a maior parte das suas fábricas na China.

Milionário oferece mais de seis milhões de patacas por noiva virgem Um milionário chinês está a procura de uma noiva. Entre os requisitos está que tem de ser “pura”, ou seja, virgem. Das 2800 candidatas, 320 passaram à final. O homem, que ainda não tem 50 anos, resolveu voltar a casar-se. Para isso contratou um clube de solteiros para lhe encontrar a noiva perfeita. Estão a realizar uma digressão por dez cidades chinesas para encontrar as candidatas e 320 já passaram à final. As exigências do milionário são: entre os 20 e 26 anos, entre 1,62 m e 1,70 m, pesar 50 quilos, educação acima do ensino básico, de boas famílias, com boa apresentação e corpo puro. Este último requisito é mesmo considerado indispensável. O pretendente apresenta-se como divorciado, menos de 50 anos, multimilionário, diz ser um conhecido empresário chinês, gosta de golfe e tem um corpo forte e saudável. A eleita receberá as cerca de MOP seis milhões (em dinheiro ou prendas de valor igual), iniciará uma relação com o milionário e terá direito a um apartamento no valor de quase quatro milhões de patacas.

Mark Zuckerberg aparece em vídeo curioso na China

Está a circular na net um vídeo no mínimo curioso sobre o fundador e presidente do Facebook, Mark Zuckerberg. O criador da rede social e a mulher, Priscilla Chan, aparecem durante um trecho de um documentário chinês cujo videoclip promocional de 40 segundos está a fazer grande sucesso no país. Promovido por milhares de contas no Sina Weibo, uma espécie de Twitter asiático, a imagem rapidamente chegou ao YouTube. O vídeo é parte de uma produção da Televisão Central da China sobre a polícia de Xangai e mostra o casal a sorrir, aparentemente filmado por acaso nas ruas da cidade. Zuckerberg e a mulher aparecem em segundo plano, atrás de uma dupla de agentes da polícia. O casal está com as mesmas roupas que usava quando foi fotografado por repórteres de agências internacionais na sua visita à China, no mês de Março, antes do casamento. O registo é visto como um acontecimento praticamente impossível, considerando a população de Xangai, que tem quase 23 milhões de habitantes.

quarta-feira 30.5.2012

www.hojemacau.com.mo

China aumenta restrições em microblogues

Manual de conduta obrigatória alertando-o do possível cancelamento da sua conta. Quem se “comportar bem” por dois meses consecutivos volta a ter 80 pontos.

NÃO AO RUMOR

O

maior microblogue da China adoptou esta segunda-feira um código de conduta que censura os comentários indesejados pelo governo do país. O Sina Weibo, partilhado por mais de 300 milhões de utilizadores, terá a partir de agora um sistema de pontos que pode cancelar uma conta se o cibernauta não cumprir as regras estipuladas. A medida foi adoptada depois de as autoridades do país criticarem “rumores infundados” postos por alguns utilizadores. Boatos sobre um falso assassinato do líder

norte-coreano Kim Jong-un, um suposto golpe militar contra o presidente chinês Hu Jintao e rumores sobre membros do Partido Comunista Chinês espalharam-se nos últimos tempos pelas redes sociais. Os cibernautas usam muitas vezes códigos para fazer passar as mensagens, tentando assim despistar os censores. De acordo com os novos termos de uso, cada perfil partirá de 80 pontos. Quem participar em actividades promocionais ganha e quem contrariar as regras perde. Quando atingir 60 pontos ou menos, o utilizador receberá uma mensagem

Entre as actividades proibidas citadas pela BBC estão disseminação de rumores, publicação de notícias falsas, oposição aos princípios da constituição chinesa, ataques pessoais, revelação de segredos nacionais, incitamento de protestos ou aglomerações e promoção de superstições. Quem não cumprir as regras e for apanhados a usar códigos, por exemplo, também será punido. A imposição do manual já ganhou repercussões internacionalmente. Para muitos, é mais uma manobra do governo para restringir a liberdade existente na internet. O Twitter, o maior microblogue do mundo, e o Facebook são proibidos no país. Um blogue chinês argumentou que as regras pertencem à legislação chinesa e não se restringem aos termos de uso da rede social, podendo ser aplicadas com ou sem um contrato assinado pelo utilizador. Em Março, o governo chinês ordenou que todos os membros de redes sociais se registassem com os seus nomes reais e não com pseudónimos.

Vinexpo Ásia-Pacífico abre portas em Hong Kong

França lidera expositores

A

quinta edição da Vinexpo Ásia-Pacífico abriu ontem em Hong Kong, com mais de um milhar de expositores provenientes de 28 países, metade dos quais de França, com vista a tirar partido do crescimento da economia chinesa. “Pode haver incertezas aqui ou ali em relação ao ritmo de crescimento da economia chinesa, mas o futuro é radiante e este salão é a perfeita ilustração disso”, disse Georges Haushalter, presidente do Conselho Interprofissional do Vinho de Bordeaux (CIVB). Em volume, o ritmo de crescimento do mercado chinês deve abrandar para 54% entre 2011 e 2015, con-

tra mais 140% entre 2006 e 2010, segundo o estudo anual realizado pela britânica ISWR para a Vinexpo. Mas neste intervalo, o mercado europeu conhecerá um crescimento quase nulo e o consumo chinês por habitante deverá duplicar (actualmente é de apenas 1,3 litros por ano, contra 2,4 litros no Japão, 4,6 litros em Hong Kong e 50 litros em França). A Ásia representará, por si só, nos próximos quatro ou cinco anos, mais de metade do crescimento do mercado do vinho a nível mundial, segundo o ISWR. Champagne, vinhos de Bourgogne, de Bordeaux ou de Provence, tintos e brancos, marcam presença na feira, onde também estão os vinhos do novo mundo, dos produtores chilenos ou argentinos, mas sobretudo australianos e neo-zelandeses, com cerca de 50 stands.


quarta-feira 30.5.2012

região

www.hojemacau.com.mo

13

Ex-PM japonês reconhece responsabilidade, mas defende decisões na gestão da crise nuclear

Conclusões de inquérito só em Junho

O

ex-primeiro-ministro japonês Naoto Kan, no cargo quando se deu o desastre nuclear de Fukushima, reconheceu esta segunda-feira a responsabilidade do Estado, mas defendeu a forma como geriu a crise. Kan testemunhava perante uma comissão de inquérito parlamentar independente, depois de ter sido questionado sobre o controlo do acidente atómico desencadeado na central de Fukushima Daiichi pelo sismo seguido de tsunami, catástrofes que devastaram o nordeste do Japão a 11 de Março de 2011. “Uma vez que o acidente ocorreu numa central que resulta da política estatal, a responsabilidade primeira é do Estado”, declarou o antigo chefe do governo perante os membros da comissão, presidida pelo cientista e ex-conselheiro político Kiyoshi Kurokawa. “Quero renovar as minhas desculpas por não ter conseguido parar a crise.” Após esta declaração e nas duas horas e meia seguintes, Kan defendeu as decisões tomadas na altura, apesar de reconhecer que várias medidas foram tardias.

Kan foi questionado sobre pontos polémicos, como a visita à central a 12 de Março, o atraso na ventilação para evitar explosões de hidrogénio, a injecção contestada de água do mar nos reactores, a intenção da empresa gestora de evacuar o local e a recusa da ajuda técnica dos Estados Unidos nos primeiros dias.

PELO ABANDONO

O ex-primeiro-ministro acrescentou que as suas decisões, nomeadamente a ordem de retirada das populações num raio de três, depois de dez e de 20 quilómetros em redor da central nuclear, tiveram em conta a opinião de peritos, nem sempre de acordo. A audição de Kan, transformado em advogado do abandono da energia nuclear, ocorre mais de um ano depois da tragédia, numa altura em que o Japão está actualmente privado de reactores e em que ainda está por definir a política energética a seguir. A comissão de inquérito parlamentar independente, que realizou segunda-feira a 16.ª sessão, deverá apresentar as conclusões no próximo mês.

Ministro dos negócios estrangeiros timorense de visita à China elogia relação com país asiático

Filipinas grávidas viajam ao estrangeiro para vender os seus bebés

À procura dos benefícios Novo alvo de traficantes O

ministro dos negócios estrangeiros de Timor-Leste, Zacarias da Costa, considerou ontem “excelentes” as relações com a China. “Temos uma excelente relação com a China, baseada no respeito e confiança mútuas, e com possibilidade de ser ainda mais aprofundada”, disse à agência Lusa em Pequim. “A China é hoje um país importantíssimo na região e no mundo e um parceiro económico incontornável. Nós temos encontrado a melhor forma de aproveitar esse excelente relacionamento para benefício dos nossos países e povos.” Zacarias da Costa chegou no passado fim-de-semana a Pequim, numa “visita de trabalho” de cinco dias à China para celebrar o 10.º aniversário do estabelecimento das relações diplo-

máticas entre os dois países e “aprofundar” os contactos bilaterais. “A China foi um dos primeiros países a estabelecer relações com Timor e um dos primeiros a abrir uma embaixada em Díli.” Referiu ainda que a China é um dos “cinco maiores parceiros” de Timor-Leste, juntamente com Indonésia,

Austrália, Singapura e Portugal. Enumerando as áreas de “avultada cooperação” com a China, o ministro timorense destacou a agricultura, em particular o desenvolvimento do arroz híbrido, a construção de infra-estruturas, nomeadamente edifícios públicos, e a formação de recursos humanos. “Desde a independência, mais de mil funcionários públicos participaram em cursos de curta duração na China.” Zacarias da Costa realçou também que “os dois maiores investimentos privados” feitos no seu país, entre os quais um complexo comercial em Díli, com hotel e escritórios, são de timorenses de etnia chinesa. A embaixadora de Timor-Leste na China, Vicky F.H.Tchong, é igualmente de origem chinesa.

A

S redes de tráfico de pessoas nas Filipinas têm um novo alvo, as mulheres grávidas, levadas para o estrangeiro para deixar os filhos em troca de dinheiro. No final do ano passado, as autoridades de Malta denunciaram o primeiro caso de que se tem notícia desta modalidade de tráfico humano. Em 2010, uma mulher filipina teria viajado para o país europeu como turista, onde deu a luz e deixou o bebé. “Teve o filho em Malta e abandonou-o, supomos que em troca de dinheiro”, disse à Agência Efe Bernadette Abejo, directora do Painel para a Adopção Internacional das Filipinas, órgão do governo local que cuida das adopções internacionais. “Não há dúvida de que é uma forma de tráfico.”

Segundo a Unicef, entre 60 mil e 100 mil pessoas são vítimas do tráfico humano nas Filipinas todos os anos. Embora até o momento este seja o único registo de venda de um bebé no exterior, Bernadette acredita que “sem dúvida que ocorreram mais casos”. “Recebemos relatórios não oficiais das autoridades de Malta e de outros lugares. Chegam-nos notícias sobre casos como este, mas não podemos torná-los públicos até obtermos todas as provas. Também não temos

relatórios de como operam estes grupos.” Há algumas semanas o congressista Rufus Rodriguez disse no Parlamento que os grupos dedicados ao tráfico de pessoas fixam o seu alvo em mulheres pobres, para quem conseguem documentos, passagens e dinheiro para que viagem para o estrangeiro, onde deixam os bebés. O caso de Malta só foi descoberto quando os pais adoptivos iniciaram os trâmites burocráticos para legalizar a situação da criança. “Só descobrimos casos assim anos depois. Uma criança foi deixada na Áustria de forma clandestina com um ano e meio. Só conseguimos obter estas informações quando somos informados pelas autoridades do país em questão.”


14

publicidade

www.hojemacau.com.mo

quarta-feira 30.5.2012


quarta-feira 30.5.2012

www.hojemacau.com.mo

publicidade

15


16

publicidade

www.hojemacau.com.mo

quarta-feira


a 30.5.2012

www.hojemacau.com.mo

publicidade

SOU TÃO MODERNO QUE ATÉ TENHO UMA PÁGINA NO FACEBOOK!

Junte-se à página do Hoje Macau. Não para ser moderno, mas para ter a melhor informação mais perto de si. E, em breve, teremos várias surpresas.

www.facebook.com/hoje.macau

Basta clicar em “Gosto” para se juntar à comunidade.

17


vida

18

quarta-feira 30.5.2012

www.hojemacau.com.mo

Consumo de electricidade dos agregados familiares foi o que mais desceu

Macau menos consumidor de energia 6% em relação ao quarto trimestre de 2011, segundo os Serviços de Estatística e Censos. No trimestre de referência o volume de gasóleo (GPL) consumido foi mais de 16% do que o observado no trimestre antecedente. Aqui, foram os agregados familiares que mais aumentaram o seu consumo, 20,2%, enquanto o sector comercial e industrial ficou-se pelos 14,8%. Consequentemente, também o volume do GPL importado aumentou em cerca de 19%, subindo o preço médio de importação em 13%, ou seja, 9,59 patacas por quilo. Os preços médios de venda ao público da gasolina sem chumbo e do GPL em botija subiram também e fixaram-se nas 12,58 Patacas por litro. – R.M.R.

Os números dos consumo de electricidade diminuíram em Macau, tanto no consumo particular como nos sectores de jogo, comercial e industrial. Por outro lado, o consumo de gasolina e gasóleo aumentou, o que levou a aumentos de importação e do preço médio

O

consumo de electricidade baixou comparativamente ao quarto trimestre de 2011. No total, foram menos de 9,6% de energia consumida. As famílias foram quem menos electricidade gastou no seu consumo caseiro, seguidas do sector do jogo e do sector comercial e industrial. O volume de electricidade importada no primeiro trimestre deste ano registou uma descida de 10,6% face ao trimestre precedente. Este montante de energia, medida em 746 milhões de kWh corresponde a cerca de 88% da disponibilidade de energia no território. Por sua vez, a produção bruta local cresceu

Mais da metade da água subterrânea na China está contaminada

OS NÚMEROS DAS DESCIDA - O volume de electricidade consumida alcançou os 821 milhões de kWh, reduziu-se 9,6%

A

- O volume consumido pelo sector comercial e industrial desceu 7,4%, atingindo 646 milhões de kWh (equivalentes a 78,7% do volume da electricidade consumida) - O volume de electricidade consumida pelo sector do jogo caiu 7,7%, enquanto o volume consumido pelos agregados familiares alcançou os 138 milhões de kWh, baixou 18,3% - O volume de gasóleo (GPL) consumido foi de 12.746 toneladas, mais 16,3% - O volume das existências do Gasóleo e do GPL foi de 18,32 milhões de litros, respectivamente, ou seja, diminuiu 16,1%

PUB

Veneno no subsolo

água subterrânea em 57% dos pontos de vigilância nas cidades chinesas está contaminada ou extremamente contaminada, informou nesta segunda-feira o jornal Diário de Informação Económica, operado pela Agência de Notícias Xinhua, citando dados do Ministério da Proteção Ambiental (MPA). As estatísticas do MPA sugerem também que 298 milhões de residentes rurais não têm acesso a água potável segura. No primeiro semestre do ano passado, dos sete principais sistemas de abastecimento de água do país, apenas o Rio Yang-

tze e o Rio das Pérolas registaram boa qualidade, enquanto o Rio Haihe no norte mostrou índices de alta contaminação, e os demais rios contaminação moderada, segundo o MPA. Para aumentar a qualidade de água, o MPA decidiu reforçar a protecção das fontes de água. O ministério informou que não haverá permissão para projectos de construção nas regiões de nascente a menos que tenham áreas específicas de protecção sob a administração do ministério, ou que tenham sido aprovados nos testes de qualidade da água. O chefe do Instituto dos

Assuntos Públicos e Ambientais (IAPA) em Beijing, Ma Jun, disse que as fontes de água potável, normalmente localizadas nas regiões menos desenvolvidas dos cursos superiores dos rios, tendem a ser áreas de desenvolvimento de indústria pesada como minérios e petroquímica. A China publicou, recentemente, uma directriz de luta contra a poluição de água no período entre 2011 e 2015, na qual especifica a meta de que 60% dos rios e lagos principais do país deverão ser suficientemente limpos até o final de 2015 para servir como fonte de água potável.

Direcção dos Serviços de Finanças Aviso

Nos termos da alínea c) do n.º 1 do artigo 100.º do Código de Processo Penal, por remissão do artigo 277.º do Estatuto dos Trabalhadores da Administração Pública de Macau, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 87/89/M, de 21 de Dezembro, e em cumprimento do n.º 3 do artigo 328.º do mesmo Estatuto, é notificada a funcionária da Direcção dos Serviços de Finanças Ho Cheang Veng Si que, em 22 de Fevereiro de 2012 foi dado início à inscrição do processo disciplinar contra si instaurado, por Despacho da Directora dos Serviços de 17 de Fevereiro de 2012. Para os efeitos previstos no n.º 3 do artigo 329.º do mesmo Estatuto, mais é notificada a arguida para comparecer perante a instrutora do referido processo, no dia 14 de Junho do corrente ano, pelas 10:30 horas, a fim de ser ouvida em declarações, no 9.º andar do Edifício da Direcção dos Serviços de Finanças, sito na Avenida da Praia Grande, n.ºs 575, 579 e 585, na RAEM. Direcção dos Serviços de Finanças, aos 28 de Maio de 2012. A Instrutora Carolina Figueiredo

Sabia que... ...75% das áreas piscatórias já foram totalmente espoliadas dos seus cardumes. Mas as árvores ainda estão pior: 80% das florestas mundiais já foram à vida?


quarta-feira 30.5.2012

vida

www.hojemacau.com.mo

Fármaco poderá vir a substituir quimioterapia

OMS quer reduzir 25% de doenças como cancro e diabetes

A eterna luta contra o cancro da mama

Melhor saúde mundial

A

U

M novo medicamento poderá vir a substituir o tratamento com quimioterapia em casos de cancro da mama. O anúncio foi feito recentemente pelo presidente da divisão latino-americana da farmacêutica Roche, responsável pelo desenvolvimento do fármaco em questão. Durante um fórum de saúde realizado na cidade brasileira do Rio de Janeiro, Jörg-Michael Rupp afirmou que o medicamento, o T-DM1, permitiu reduzir o tamanho dos tumores e aumentar a esperança de vida das pacientes que apresentavam o tipo de cancro da mama mais agressivo em estado avançado. “O remédio ataca directamente a célula cancerígena e mata-a, por isso seria desnecessário o uso de quimioterapia, o que evitaria efeitos colaterais como a perda de cabelo”, explicou Rupp durante o evento, citado pela agência EFE. Embora os testes preliminares tenham sido feitos num momento adiantado da doença, o presidente

mostrou-se optimista quanto à possibilidade de o medicamento também ser eficaz nas fases iniciais e, inclusive, noutros tipos de cancro. “Se o fármaco funciona numa fase avançada, há uma possibilidade maior de ser eficaz nas primeiras fases”, apontou. De acordo com o responsável, a combinação do T-DM1 com outros remédios que já existem no mercado gerou “melhores resultados” que os tratamentos tradicionais, como as sessões de quimioterapia. Jörg-Michael Rupp estimou ainda que os testes clínicos possam demorar cerca de três

a quatro anos a ter início e preferiu não falar na possibilidade de introduzir o T-DM1 no mercado, uma vez que tal medida necessitará sempre da aprovação das autoridades reguladoras de cada país. Os detalhes concretos dos testes efectuados pela Roche, que se referem apenas a mulheres que já tinham sido submetidas a outros tratamentos oncológicos, vão ser divulgados no próximo Congresso da Associação Americana de Oncologia Clínica (ASCO), que terá lugar em Chicago, nos EUA, e está marcado para o início de Junho.

Organização Mundial de Saúde quer reduzir em 25% a mortalidade prematura por doenças não transmissíveis, como o cancro e a diabetes, até 2025, um compromisso que saiu do encontro anual do organismo, que terminou no sábado. Após seis dias de discussão na Assembleia Mundial de Saúde, que a Organização Mundial de Saúde (OMS) realiza anualmente em Genebra, na Suíça, os delegados dos 194 países membros adoptaram 21 resoluções e três decisões. De acordo com as conclusões do encontro, “os Estados membros concordaram em adoptar uma meta global de redução de 25% na mortalidade prematura por doenças não transmissíveis, como doenças cardiovasculares, cancro, diabetes e doenças respiratórias crónicas, em 2025”. A OMS pretende envolver neste combate outros sectores fora da Saúde, “para evitar mortes prematuras e reduzir a exposição a factores de risco, como o uso do tabaco, o uso nocivo de álcool, dieta não saudável e sedentarismo”. Os Estados membros aprovaram

um relatório sobre os progressos das metas da Saúde até 2015 estabelecidas nos Objectivos do Milénio, embora tenham reconhecido que ainda há muito para fazer nos próximos três anos. Como desafios da organização, a directora-geral da OMS, Margaret Chan, reeleita nesta Assembleia, destacou ainda “a saúde do idoso, a saúde materno-infantil, a sub e a sobrenutrição, a erradicação da poliomielite e as exigências da saúde durante as emergências humanitárias”. Vários Estados apoiaram o conceito de cobertura universal da saúde, que “deve ser uma das principais prioridades dos projectos de desenvolvimento [dos países], porque sem saúde nenhum desenvolvimento é possível”, afirmou o presidente eleito da Assembleia Mundial da Saúde, Thérèse N’Dri-Yoman, também ministro da Saúde da Costa do Marfim. Muitos dos participantes pediram à OMS para continuar com políticas de educação sexual e de sensibilização para o problema do casamento precoce e da gravidez na adolescência.

Macau Sã Assado

“DEISEL”, AQUELE COMBUSTÍVEL • São apenas 400, os litros de “deisel” que untam com óleo os cilindros. Aparentemente, descobriu-se que existe um derivado do petróleo que oleia melhor do que outra qualquer já existente. Porque Macau sã assi mas também sã assado Foto: Vanessa Amaro

19


20

cultura

quarta-feira 30.5.2012

www.hojemacau.com.mo

Festival de Artes de Macau aproveita os exteriores da cidade

O bailado saiu à rua numa noite assim...

C

ONGREGATIONé o nome do bailado da companhia britânica KMA, inscrito no Festival deArtes de Macau, que vai aproveitar a praça do Tap Seac até quinta-feira para sessões entre as 20h e as 22h. O ballet tem uma core-

ografia de luz e som através de um discurso corporizado e não-verbal, inteiramente concebido para transeuntes. Congregation ilumina as respostas que os seres humanos dão a pausas no seu ambiente, causadas pela aparição de uma figura solitária (O Anjo). Esta

figura não pode comunicar e parece desprovida de poder, mas, ao mesmo tempo é absolutamente amovível e, como tal, entendida como sobre-humana e tão poderosa como qualquer força da natureza. A nossa necessidade humana de acreditar - de

atribuir significado, de compreender o nosso meio ambiente - leva-nos a fazer tentativas extraordinárias de estabelecer uma relação com esta presença enigmática, remetendo-nos rapidamente para padrões universais de religião, espiritualidade e fé.

Fundação Macau patrocina exposição de obras de Lei Sol Chong no Clube Militar O Clube Militar acolhe desde ontem uma exposição de pintura do artista chinês Lei Sol Chong. Nascido em 1941 na cidade de Guangxi, o pintor estudou na Academia de Belas Artes de Guangzhou entre 1957 e 1965, tendo imigrado para Macau em 1982. A sua obra “Encontro em Jinggangshan” criada durante a Revolução Cultural foi a rampa de lançamento para uma longa e prestigiada carreira. Com uma extensa participação em exposições colectivas nacionais e internacionais o artista

também já exibiu as suas obras a solo em Macau, Itália, Singapura, Pequim, Taiwan, etc. Os seus quadros fazem parte de quinze museus chineses, para além de diversas colecções particulares espalhadas um pouco por todo o mundo. Membro permanente da Associação de Artistas da China, Lei Sol Chong revela através das suas obras o amor pela pátria, a busca da paz, a amizade e a humanidade. As obras poderão ser vistas no Clube Militar até ao próximo dia 6 de Junho. - J.C.M. com C.L.

Congregation foi nomeado para o Northern Art Prize e para o Prix Ars Electronica e foi também seleccionado para representar o Reino Unido no Dia Nacional na Exposição Mundial de Xangai 2010. O trabalho elaborado por Kit Monkan e Tom Wexler,

artistas da KMA, foca-se em iluminar, encorajar, e desenvolver interacções entre as pessoas em espaços públicos, através do uso de projecções controladas digitalmente. KMA rejeita a noção histórica do cidadão como espectador passivo. – R.M.R.


quarta-feira 30.5.2012

cultura

www.hojemacau.com.mo

21

Raízes culturais expostas em Macau nas comemorações do Dia do Património Cultural

Da Mongólia Interior com amor

património de Macau localmente. “Sentimos que a população dá cada vez mais importância à salvaguarda do património - sobretudo com a entrada de Macau nas listas de Património Material e Intangível da UNESCO - não só a nível de artesanatos mas também à tradição oral, que desempenhou um papel de grande importância entre o Ocidente e o Oriente. Ainiciativa conjunta contou com um orçamento de 800 mil patacas, do qual fazem parte a organização de outras iniciativas no âmbito do Dia Internacional dos Arquivo.

Macau alia-se mais uma vez às comemorações nacionais do Dia do Património Cultural da China, no dia 9 de Junho. Este dia será marcado pela arte popular e folclore da Mongólia Interior Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

Cartaz dos eventos

A

Mongólia Interior é a região autónoma distinguida este ano nas comemorações do Dia do Património Cultural da China, um dia em que se pretende fomentar “a cultura de protecção do património cultural e sensibilizar a população para a importância de salvaguardar este legado”, refere o vice-presidente do Instituto Cultural, organizador deste evento. “O Ministério da Cultura da República Popular da China (RPC) escolheu a Mongólia, sob o aspecto do seu património cultural tangível e intangível. É muito importante conseguir apegar a população destes conceitos. É uma forma de salvaguardar estas culturas”, explica Leung Hio Ming, numa iniciativa que é apoiada conjuntamente pela RPC e pela Secretaria para os Assuntos Sociais e da Cultura. As canções e danças mongóis, bem como as demonstrações de costumes do povo nómada, estão assim no epicentro desta efeméride, que atribui grande importância ao desenvolvimento cultural de um país com mais de cinco mil anos de história. A Exposição e Demonstração de Arte Popular e Folclore da Mongólia Interior “Génese e Espírito”, que inclui a exposição “Memórias da Pradaria” e a demonstração de folclore “Tradições do Passado”, tem o apoio da operadora Galaxy, que cede o espaço às exposições onde vai ser instalado um tum yurt gigante - uma tenda igual às usadas pelo povo nómada mongol. Por sua vez, “Tradições do Passado” vai ter lugar nas Ruínas de São Paulo, no fim-de-semana de 9 e 10 de Junho, às 17 e 11 horas, respectivamente, realçando ao vivo as características do Património Cultural Imaterial desta

região através da música, canções e danças das pradarias da Mongólia Interior.

CONHECER A CULTURA MONGOL

Destas actividades participam mais de 60 mongóis, entre artistas, cantores e bailarinos, que dão corpo e alma às danças folclóricas mongóis, música tradicional urtiin duu (“canções longas”), canto grutural Tuva e à interpretação de morin khuur, um instrumento de cordas tradicional mongol.

“Vamos mostrar artes manuais como, os vestuários tradicionais, os tapetes em pele de ovelha, gravuras, bordados, recortes de papel característico do povo mongol e outras peças de artesanato além da musica tradicional e do canto cultural”, indica Qiao Yuguang, vice-presidente do Departamento Cultural da Região Autónoma da Mongólia Interior durante a apresentação do programa no Auditório do IC. O responsável da região autónoma estará ainda presente

na palestra “A Cultura da Pradaria Mongol e o seu Valor Actual: o Património Cultural Imaterial da Pradaria e a sua Conservação”, que decorre no auditório do Museu de Macau, no dia 30 de Maio, pelas 17 horas. O vice-presidente do IC refere a importância destas actividades para dar a conhecer à população que desconhece a cultura mongol mas realça a importância de cada vez mais divulgar também a importância da conservação do

O Arquivo Histórico mostra o espólio do veterano Chan Tai Pak, com 70 anos de trabalho jornalístico, entre os dias 9 de Junho e 12 de Agosto, que testemunhou momentos importantes da história de Macau. As peças seleccionadas permitem “fornecer um vislumbre da sociedade local durante a guerra sino-chinesa na cidade e o desenvolvimento dos jornais em língua chinesa do território”, explica o departamento de comunicação do IC. A 9 e 10 de Junho está marcado um workshop sobre “Preservação e Conservação Documental”, que introduz os procedimentos com documentos e trabalhos em papel. No dia 16 de Junho está agendado um atelier sobre a história oral, que contará com a participação da ex-directora do Arquivo Nacional de Singapura, Pitt Kuan Wah para compartilhar as suas experiências locais. A Biblioteca Central de Macau (BCM) organiza uma exposição de cartazes que mostram diferentes fases do passado do território. De 9 a 30 de Junho, a mostra estará patente na Biblioteca Sir Robert Ho Tung, seguindo depois para a BCM. Há também concertos marcados para assinalar o Dia do Património Cultural da China. A Orquestra Chinesa de Macau toca no dia 10 de Junho, no átrio do Museu de Macau. No dia 9 (às 11h30) e no dia 10 (às 15h30), a Orquestra Chinesa dos Alunos do Conservatório de Macau é responsável por concertos na Casa do Mandarim. Nas noites de 09 e 10 de Junho, a Associação dos Embaixadores do Património de Macau organiza visitas guiadas gratuitamente a diversos lugares do Património da Humanidade, um percurso que reflecte também a evolução de Macau e o encontro das culturas chinesa e portuguesa na construção da cidade.


22

publicidade

www.hojemacau.com.mo

quarta-feira 30.5.2012


quarta-feira 30.5.2012

desporto

www.hojemacau.com.mo

23

Em entrevista, Balotelli considera-se um “génio”

N

Adeptos da Académica reúnem-se à mesa no sábado

Uma festa briosa Marco Carvalho info@hojemacau.com.mo

A

conquista da Taça de Portugal por parte da Associação Académica de Coimbra dá o mote para uma confraternização de contornos pouco habituais em Macau. Adeptos, simpatizantes e antigos atletas da formação dos “Estudantes” reúnem-se à mesa no próximo sábado, para um jantar que tem por grande objectivo dar a todos quantos nasceram, cresceram ou estudaram na Lusa Atenas a possibilidade de se reencontrarem e trocarem experiências a mais de dez mil quilómetros do Mondego e do Paço das Escolas. Daniel Pinto, treinador da Casa do Futebol Clube do Porto de Macau e antigo jogador da Associação Académica de Coimbra, é a força motriz por detrás da iniciativa. O antigo internacional da selecção do território defende que apesar de não ter a magnitude e o

palmarés de equipas como o FC Porto, o Benfica ou o Sporting, a Académica é um clube carismático e, como tal, respeitado e bem-visto porquem gosta de futebol: “A vitória da Académica na final da Taça de Portugal acaba por ser apenas um pretexto para um convívio que já peca por tardia. Há muita gente com ligações a Coimbra a viver em Macau, há antigos atletas da Académica cá radicados e mesmo junto dos adeptos de outras equipas há quem olhe para a Académica com uma simpatia especial. Estou certo que será uma noite memorável”, sustenta Daniel Pinto. O jantar, que está agendado para as oito e meia da noite do próximo sábado, deve reunir no Restaurante “O Santos”, na Taipa, cerca de meia centena de adeptos e simpatizantes da Briosa. As inscrições para a iniciativa decorrem até à próxima sexta-feira e os prognósticos são ainda incertos, mas o organizador do certame está

convicto de que a fasquia das cinco dezenas será facilmente ultrapassada.

MÍSTICA DE NEGRO

Nascido em Cabo Verde, Daniel Pinto envergou a camisola negra da Académica durante três temporadas no final da década de 70 e início da década de 80. Durante os três anos em que jogou em Coimbra, o agora ténico da formação da Casa do Futebol Clube do Porto de Macau foi orientado por Mário Wilson e partilhou o balneário com jogadores como Álvaro Magalhães, Carolino ou Rosado, numa Académica que mantinha ainda uma ligação umbilical à academia: “Gostava, obviamente, de ter tido uma experiência da envergadura da conquista de uma Taça de Portugal enquanto estive em Coimbra, mas os tempos eram diferentes. Na altura, uma boa parte dos jogadores do plantel acumulavam o estatuto de jogadores com o estatuto de estudantes e havia um grande envolvimento

Sem papas na língua

UMA entrevista concedida à France Football, o craque italiano voltou a elogiar-se a si próprio, ele que acredita ser um génio. Mas desengane-se quem pensa que lidar com tamanho talento é fácil. “Penso que sou um génio”, começa por afirmar, entrando logo ‘a matar’. “O talento que Deus me deu é belo, é magnífico, é divinal, e penso que existem muito poucos que se possam comparar a mim. É por isso que quase ninguém me entende, porque sem serem como eu não me podem julgar. Mas é muito difícil de carregar com este talento, não é nada fácil.” O italiano contou ainda que gosta de ser criança, excepto quando está em campo: “Aí tenho de ser adulto”, e que não compreende como em 2012 ainda existe racismo. “Sou italiano, mas sinto-me também muito orgulhoso da minha herança africana.

Não percebo com nos dias de hoje, em 2012, ainda existem pessoas que não sabem lidar com isso. Se alguém me volta a lançar bananas, como uma vez aconteceu em 2009, mato-o!”, afirmou, mostrando que o que tem em talento lhe falta em calma. O avançado do City disse ainda que nem tudo é fácil. Porque se no trabalho é o dotado que diz ser, já ao amor, nada acontece. “Nunca tive sorte ao amor. Todas as histórias acabam mal, vamos lá ver como acaba esta”, salientou referindo-se ao actual relacionamento com Raffaella Fico, modelo italiana.

Scolari Ricardo Carvalho é “uma nhaca” com a cidade. Agora, as ligações não são tão vincadas, mas a Académica continua a ter uma mística muito especial”, defende Dani.

VETERANO DO CALCIO

O técnico da Casa do Futebol Clube do Porto em Macau é um dos antigos jogadores da Académica com presença confirmada no jantar de próximo sábado, mas não é o único. Confirmada está também a presença do pediatra Jorge Humberto. Radicado em Macau há quase três décadas, Humberto surpreendeu o mundo do futebol na temporada de 1960/61, ao tornar-se o primeiro atleta português a transferir-se para o Calcio. Com dez golos marcados ao serviço da Académica, Jorge Humberto foi sondado pelo Inter de Milão. Então orientada por Helénio Herrera, a formação milanesa acabou por contratar o estudante de medicina para reforçar o ataque dos nerazzurri.

O ex-treinador da selecção nacional portuguesa Felipe Scolari, disse em entrevista à RTP que se riu quando souve que Ricardo Carvalho tinha sido afastado da equipa das quinas. “Quando soube da história comecei a rir, porque é mesmo coisa do Ricardo Carvalho. De vez em quando dá-lhe uma raiva e ele toma uma atitude que ninguém imagina. Depois disso ele se arrepende. Meia hora depois, uma hora depois, um dia depois ele está arrependido.” O treinador brasileiro usou depois um termo brasileiro de difícil compreensão, mas que o contexto se encarrega de explicar. Isto tudo no meio de uma aparente crítica feroz, que afinal mais não foi do que um grande elogio. “Se observarem um treino do Ricardo Carvalho, o treinador tem raiva dele. Fica tinhoso com ele. Porque ele não está nem aí para o treino. Como dizemos no Brasil, nos treinos ele é uma nhaca. Mas quando chega o jogo, ele é um leão.” Na mesma entrevista, Felipão salientou ainda que torce muito pelo sucesso da selecção portuguesa e de Paulo Bento. “Portugal pode chegar bem longe. Ficar entre os finalistas. A minha maior satisfação vai ser um triunfo de Portugal no Euro para depois poder dar um abraço [a Paulo Bento e aos jogoadores].”


24

publicidade

www.hojemacau.com.mo

quarta-feira 30.5.2012


quarta-feira 30.5.2012

www.hojemacau.com.mo

publicidade

25


26

publicidade

www.hojemacau.com.mo

quarta-feira 30.5.2012


quarta-feira 30.5.2012

publicidade

www.hojemacau.com.mo

27

AVISO CONCURSO PÚBLICO N.º 17/P/2012

Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 8 de Maio de 2012, se encontra aberto o Concurso Público para «Fornecimento de Fraldas Descartáveis e Pensos Higiénicos aos Serviços de Saúde», cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos encontram à disposição dos interessados desde o dia 30 de Maio de 2012, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato, sita na Cave 1 do Centro Hospitalar Conde de S. Januário, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de $37,00 (trinta e sete patacas), a título de custo das respectivas fotocópias ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet no website dos S.S. (www.ssm. gov.mo). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São

Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 26 de Junho de 2012. O acto público deste concurso terá lugar no dia 27 de Junho de 2012, pelas 10,00 horas, na sala do «Auditório» situada no r/c do Edifício da Administração dos Serviços de Saúde junto ao C.H.C.S.J. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de $ 74 000,00 (setenta e quatro mil patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 23 de Maio de 2012 O Director dos Serviços, Substº Chan Wai Sin

AVISO CONCURSO PÚBLICO N.º 18/P/2012

Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 8 de Maio de 2012, se encontra aberto o Concurso Público para «Fornecimento de Equipamentos Laboratoriais Cedidos como Contrapartida do Fornecimento de Reagentes ao Laboratório de Saúde Pública dos Serviços de Saúde», cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos encontram à disposição dos interessados desde o dia 30 de Maio de 2012, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato, sita na Cave 1 do Centro Hospitalar Conde de S. Januário, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de $35,00 (trinta e cinco patacas), a título de custo das respectivas fotocópias ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet no website dos S.S. (www.ssm. gov.mo). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral

destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 27 de Junho de 2012. O acto público deste concurso terá lugar no dia 28 de Junho de 2012, pelas 10,00 horas, na sala do «Auditório» situada no r/c do Edifício da Administração dos Serviços de Saúde junto ao C.H.C.S.J. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de $ 85 000,00 (oitenta e cinco mil patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 23 de Maio de 2012 O Director dos Serviços, Substº Chan Wai Sin


28

futilidades

quarta-feira 30.5.2012

www.hojemacau.com.mo

[ ] Cinema

Cineteatro | PUB SALA 2

MEN IN BLACK III [B]

Um filme de: Barry Sonnenfeld Com: Will Smith, Tommy Lee Jones, Josh Brolin 14.30, 16.30, 19.30, 21.30 SALA 3

DARK SHADOWS [C] MEN IN BLACK III SALA 1

THE WOMAN IN BLACK [C]

Aqui há gato

Pu Yi

TDM 13:01 13:30 14:45 19:00 19:30 20:30 21:00 21:30 22:15 23:00 23:30 01:00 01:30

TDM News - Repetição Jornal das 24h RTPi DIRECTO TDM Entrevista (Repetição) Amanhecer Telejornal Montra do Lilau Brothers and Sisters (Irmãos e Irmãs) Aquarela do Brasil TDM News Longe da Vista Telejornal (Repetição) RTPi DIRECTO

INFORMAÇÃO TDM

STAR SPORTS 31 13:00 FIM Mx3 Motocross World Championship 2012 13:30 Golf Focus 2012 14:00 Asean Basketball League 2012 San Miguel Beerman vs. Westports Malaysia Dragons 16:00 FIA Asia Pacific Rally Championship 2012 16:30 SBK Superbike World Championship 2012 Race 1 & 2 18:25 (LIVE) AFC Champions League 2012 Ulsan Hyundai vs. Kashiwa Reysol 20:30 FIA World Touring Car Championship 2012 21:00 Golf Focus 2012 21:30 (LIVE) Score Tonight 2012 22:00 Mobil 1 The Grid 2012 22:30 Smash 2012 23:00 Autobacs Super GT Series 2012 FOX MOVIES 40 11:40 Big Mommas 13:30 Talladega Nights 15:20 Robots 16:55 Open Season 18:25 Prom 20:10 Once Upon A Time 21:00 Who Killed The Electric Car? 22:35 Il Divo - Live In London 23:35 Big Mommas:

RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:30 Com Ciência 15:00 Gostos e Sabores 15:30 Príncipes do Nada 16:00 Bom Dia Portugal 17:30 O Elo Mais Fraco 18:00 Vingança 18:30 Trio D’Ataque 20:00 Jornal Da Tarde 21:15 O Preço Certo 22:00 Recantos 22:15 Só Energia 22:45 Portugal No Coração ESPN 30 12:30 Perth Track Classic 13:30 Sydney Track Classic 14:30 NASCAR Sprint Cup Series 2012 Highlights 15:30 MLB Regular Season 2012 Washington Nationals vs. Miami Marlins 18:30 (Delay) Baseball Tonight International 2012 19:30 (LIVE) Sportscenter Asia 2012 20:00 (LIVE) AFC Champions League 2012 Guangzhou Evergrande vs. FC Tokyo 22:00 Sportscenter Asia 2012 22:30 Global Football 23:00 AFC Champions League 2012 Ulsan Hyundai vs. Kashiwa Reysol

HBO 41 12:00 13:35 16:00 17:45 19:25 19:55 22:00 23:45

Luck Robin Hood Manhattan Murder Mystery Ready To Rumble Hbo Central Batman & Robin The Tourist Hall Pass

CINEMAX 42 13:00 14:20 16:00 17:30 19:00 20:25 22:00 23:35

Red Skies The Ripper (PP) The Spy With A Cold Nose Justice League Of America The Devil’S Teardrop Hush Little Nikita Strike Back

AVENGERS [B]

Um filme de:Joss Whedon Com: Judi Dench, Bill Nighy 21.30

HORIZONTAIS: 1-Barbeiro. Filtrai. 2-Pira, altar. Obrigado a sair. 3-Repare, observe. Que não é real. 4-Solicito. 5-Apartamento (abrev.). Indispensável, exacta. 6-Recíproco. Dar eco. 7-Que obteve formatura numa universidade. Rádio (s.q.). 8-Relativo a urina e ao canal da ureta. 9-Bonacheirona, calma. Oposição (Pref.). 10-Cogumelo que nasce em árvores velhas ou cortadas. Dueto. 11-Que não é comum, insólita. Suspensas no ar. VERTICAIS: 1-Suprimiam. Tatu-bola (Bras.). 2-Arco. Enfado, cansaço (Interj.). A letra muda do nosso alfabeto. 3-Choquei, colidi. Pôr touca. 4-Impelira com força. 5-Aférese de até. Comprometi-me. 6-Condene a exílio. Combate, assalta. 7-Comportei-me. Duas vogais. 8-O m. q. Curricada, espécie de cegonha da América. 9-Que tem óleo. Em que parte?. 10-Puxador, pega. Rio que banha Berna. De ti. 11-Embarcação estreita, movida a remos. Telefonia (pl.).

SOLUÇÕES DO PROBLEMA HORIZONTAIS: 1-BABETE. COAI. 2-ARA. EXPULSO. 3.NOTE. IRREAL. 4-I. IMPLORO. E. 5-AP. PRECISA. 6-MUTUO. ECOAR. 7-FORMADA. RA. 8-A. URETICO. D. 9-PACATA. ANTI. 10-AGARICO. DUO. 11-RARA. AEREAS. VERTICAIS: 1-BANIAM. APAR. 2-APRO. PUF. AGA. 3-BATI. TOUCAR. 4-E. EMPURRARA. 5-TE. PROMETI. 6-EXILE. ATACA. 7-PROCEDI. OE. 8-CURRICACA. R. OLEOSO. ONDE. 10-ASA. AAR. TUA. 11-IOLE. RADIOS.

Ora bem, é lida amanhã a sentença do senhor Ao Man Long, o ex-secretário para as Obras Públicas e Transportes que parece ter feito tudo sozinho nas suas ilegais concessões de terrenos. Como gato que sou, e depois de ter percorrido os meus bigodes pelas notícias que acompanham este julgamento, devo dizer “aqui há gato”. Há coisitas que me baralham a cabeça, me eriçam o pêlo e me deixam com vontade de me juntar ao chato do Au Kam San e gritar: “estão a fazer de nós burros.” Para quem não está por dentro do assunto – que devem ser poucos! – eu dou umas dicas. Muito sucintamente, o Ao Man Long foi um secretário das obras públicas que andou a receber uns tostões para conceder terrenos a empresas sem concursos públicos. Terrenos do Governo. Ora, acontece que o senhor trabalhava com diversas outras pessoas – que assumem ter feito porcaria da grossa e disseram em tribunal ter mudado documentos legais “porque alguém” – deve ter sido o espírito santo – lhes mandou. E o homem, sentado no banco dos réus, ouve tudo e não fala. Ou fala pouco. Todos os outros que com ele trabalhavam passam pelo banco das testemunhas, afirmam ter alterado documentos – que é quase como se admitissem que sabiam de tudo e até ajudaram – e o que lhes acontece? São vítimas, coitadinhos. E depois são compensados, porque caíram nas garras do malvado Ao Man Long. São promovidos, passam a ter cargos mais altos dos que o que já tinham. Tudo isto porque aparecem no tribunal a franzir a testa e as sobrancelhas ao estilo Calimero: “Eu fui notificado por Chan Hon Kit, que tinha sido por Jaime Carion. Calculo que ele tenha recebido indicação do superior, Ao Man Long.” Pois, calculam. Como já disse o Au Kam San uma vez no plenário – e deve ter sido das poucas coisas acertadas – o caso do Ao foi “como um milagre” para o Governo. “Num caso de corrupção tão grave só uma pessoa foi responsabilizada, o seu superior hierárquico não foi, nenhum colega entrou em conluio, nem sequer os seus subordinados tiveram qualquer relacionamento com o caso”. E continuou: “Os únicos culpados foram Ao Man Long e a sua família, todos os outros dirigentes do Governo ficaram livres de qualquer responsabilidade. Estão a fazer de nós burros.” Ora, deixando de lado o facto de a pena de prisão ser de 25 anos em casos de homicídio e do Ao Man Long poder ficar 30 atrás das grades – a pena máxima por cúmulo jurídico que se pode apanhar em Macau - há outras situações caricatas. As provas da acusação são básicas e diz-se que a defesa não tem acesso total ao mesmo que tem o MP. Hmmm.. há quem chame este caso um exemplo. Que é um que está a pagar pelos outros que ainda aí andam. Quanto a isso não sei. Mas, quem aposta qual vai ser a sentença amanhã? E não lhe adianta espernear, ele já sabe que não tem hipótese de recurso. Bem, ao menos não se lembraram de abrir (mais excepções) neste caso. É que se não fosse o limite do cúmulo jurídico e o ex-secretário cumpriria 368 anos e nove meses de cadeia.

[Tele]visão

Sudoku [ ] Cruzadas

A SERVIR DE EXEMPLO

Um filme de: James Watkins Com: Daniel Radcliffe, Ciarán Hinds, Janet McTeer 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

Um filme de: Tim Burton Com: Johny Deep, Michelle Pfeiffer 14.30, 16.5, 19.15

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA PELO DIA DENTRO • Camané

Qualquer disco de Camané está entre os melhores de sempre da música portuguesa. Acredito mesmo, no que ao fado diz respeito, que as suas interpretações, a cumplicidade de José Mário Branco, as letras e os poemas escolhidos e a contribuição dos diferentes músicos, fazem de cada novo disco de Camané um marco no género, apenas ao alcance da imensidão da sua voz. Ao abrirmos a caixa de “Pelo Dia Dentro”, retirando o CD que lá se encontra, deparamo-nos com um verdadeiro abismo... a negro. A proposta volta a ser a de um compêndio sobre os mistérios da vida, afirmada no seu imperativo de liberdade, sem Deus nem senhor. Um homem na cidade (Lisboa) entregue ao seu destino. Um fado profundamente existencialista e distinto dos demais. Numa palavra, essencial.

QUINTO • António Zambujo

Este é o quinto disco da carreira de António Zambujo, cuja obra tem sido elogiada e referenciada em todo o mundo, especialmente no Brasil, onde a sonoridade de António Zambujo tem ilustres apoiantes como Caetano Veloso, Jô Soares, Vanessa da Mata, Roberta Sá, entre outros. O disco marca a estreia do fadista nos discos sob a chancela da Universal Music Portugal. Um dos trunfos de Zambujo é a fórmula que aplica nas suas composições e estrutura musical: tendo o fado como matriz, a grande inovação prende-se com a introdu��ão elementos do jazz, bossa nova, morna e do cante alentejano, conferindo-lhe uma identidade sonora única, que encantou a imprensa dedicada e gerou um público muito especial e atento. António Zambujo conta com a colaboração de vários músicos oriundos de distintas áreas da música, desde a música clássica ao jazz, algo que lhe permite várias abordagens ao longo do disco. É o regresso de uma das grandes vozes da nova geração do fado. “Quinto”, um disco único!

RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição SOLUÇÃO DO PROBLEMA DO DIA ANTERIOR


quarta-feira 30.5.2012

opinião

www.hojemacau.com.mo

Fernando Eloy

29

chá muito verde

Só eu sei por que fico em casa

A

QUI há dias uma amiga de Pequim visitou-me. É uma amante de Macau e sempre que pode não perde uma oportunidade de vir calcorrear as velhas ruas da cidade. Dizia-me ela desta vez: “Macau ainda é uma cidade romântica.” E sublinhava a ideia afirmando como muito plausível a rodagem de um filme como o “Vicky Cristina Barcelona” do Woody Allen. “Mas está a perder-se tão depressa... Cada vez que cá venho desapareceu mais um bocado.” Encolhi-me na resposta por não a ter. Ou por estar farto de a dar, de a sentir, de a ver, ou por ela ter razão e eu saber que a razão dela e de todos os outros que a partilham não chegar para chamar à razão quem há muito a perdeu. Uma outra amiga, essa nascida por cá e ex-funcionária pública, auto-excluída de um lugar de chefia bem pago para seguir uma vida de menores proveitos mas menos im-

cartoon por Steff

becilidades, como ela própria diz, diz-me o seguinte: “Sabes o que digo aos funcionários quando tenho de lidar com eles?... Digo-lhes assim: vocês deviam era chegar e marcar o ponto e depois sair e marcar o ponto. Durante as oito horas ‘entrepicos’ não façam nada, por favor. Viveríamos todos muito melhor.” Cada vez mais sair à rua em Macau é para mim uma penitência. Para além do trânsito caótico, das manadas de autocarros e das hordas de turistas, corta-me a alma a violação em curso dos diversos espaços da cidade. A bela Macau mediterrânica e a maravilhosa e secular cidade chinesa, a cidade dupla que tantos fez sonhar, escrever, romancear e desejar, transforma-se a um ritmo vertiginoso num buraco urbano sem sentido, onde as obras não param há 10 anos e onde as instalações provisórias como os estéticos pilares de trânsito da Av. da Amizade ameaçam tornar-se num ícone capaz de rivalizar com as ruínas de São Paulo. Vive-se como se se estivesse desespera-

Daqui a uns anos, quando Macau perder finalmente o seu estatuto de primo afastado, tendo já vilipendiado todo o seu encanto e originalidade, não lhe restará mais do que a consolação de ser um bairro saloio, do vício e das memórias distantes, de uma cidade planeada, gigante e avassaladora chamada Zhuhai. damente à procura de um objectivo sempre prestes a alcançar mas nunca atingido. Há uma ânsia no ar fácil de explicar mas difícil de entender. A Taipa há muito que não tem solução, nem percebo por que ainda mantêm as casas do lago tendo em conta o valor

A MÁQUINA DE ANNAN

daqueles terrenos com soberba vista para Veneza e arredores... Será, porventura, a pressão do lobby dos fotógrafos de casamento a inibi-lo? Um mistério insondável. Sobra ainda a antiga fábrica de panchões, encerrada e fechada a sete chaves, claro. Nem serve para os promotores imobiliários nem para mais ninguém. Talvez fechada as pessoas se esqueçam dela. Assunto encerrado. Por alguns instantes, os ingénuos ainda pensaram que Coloane se mantivesse altiva e à margem do reboliço. Puro engano, claro. Nem ela, ilha maldita e afastada onde os leprosos eram despejados, ilha abençoada e distante onde as famílias iam para fins de semana de sonho, ilha não mais ilha onde as gentes escapavam e os locais vivam numa pacatez há muito perturbada, nem ela conseguiu escapar à fúria do chamado progresso & desenvolvimento. Já tinha sido violada com o terminal de gás e recentemente estuprada com a excelente ideia da prisão. Mas isso não chegou para atenuar a loucura. Nestes últimos tempos, passar o Cotai já há muito que se tinha tornado num suplício mas antes ainda existia a estrada de trás, agora bloqueada e transformada noutro suplício. Mas ao passar o parque de Seac Pai Van éramos beneficiados com o verde que se esvaía pela vedação de rede. Agora somos comprimidos pela nova muralha branca, parda, de mármore faiscante muito mais a propósito, muito mais fina e progressiva. Agora, à chegada à ex-ilha já não chegamos a outro mundo mas sim ao mesmo mundo que deixámos para trás. Um bairro colossal e estrepitoso mordeu irreversivelmente a montanha e em breve hordas de seres ali estarão, pois não havia espaço em Macau. Não havia, apesar de só no Iao Hon existirem quarteirões inteiros de prédios sem as mínimas condições de vida e que há muito deviam ter desaparecido. Como se não chegasse, em frente ao social, ergue-se o social. Tudo muito a preceito. A estrada, continuamente riscada pela marcha incessante das betoneiras, faz tremer a velha vila de Coloane, receosa por estar cada vez mais perto das bestas devoradoras, trémula pelo futuro incerto que aquelas lhe traçam. Entretanto, ao lado, noutro país, na Ilha da Montanha, ergue-se silenciosa, e provavelmente invisível para os “planeadores” do burgo macaíno, uma cidade enorme com prédios de referência de arquitectos de nome mundial, edifícios gigantescos entre os quais um, fronteiro à torre de Macau e três vezes mais alto que esta, uma marina colossal... e mais não sei quantas instalações, acomodações e repartições. Daqui a uns anos, quando Macau perder finalmente o seu estatuto de primo afastado, tendo já vilipendiado todo o seu encanto e originalidade, não lhe restará mais do que a consolação de ser um bairro saloio, do vício e das memórias distantes, de uma cidade planeada, gigante e avassaladora chamada Zhuhai.


30

opinião

quarta-feira 30.5.2012

www.hojemacau.com.mo

Correia Marques

a paliçada

Relvas e bugalhas

E

U sei que este título não tem ponta por onde se lhe pegue. E, como irão ver, o escrito ainda menos. Aliás, até os nossos valentes forcados só no México podem pegar touros em pontas. Em Portugal os nossos brandos costumes só permitem que se peguem os touros com os cornos embolados. E chamar os bois pelos nomes lá pelas nossas bandas, isso nem pensar que é tudo gente fina, honesta e dedicada à coisa pública. Reparem bem que digo dedicada à coisa e não à causa pública. Está na cara (e na conta bancária) a diferença. Descansem, todavia, os meus amigos – os inimigos que se catem!- que eu sou silva, mas não sou jorge, nem carvalho; sou filho único, não tenho “irmãos”; não sou frincheiro; não costumo pisar a relva por respeito aos espaços públicos; ainda não pirei de vez e, talvez por tudo isso, não consigo deslindar o imbróglio das secretas. Apesar de eles nem isso saberem ser e, até, se exporem ao ponto do envio de mensagens de telemóveis sobre questões sensíveis e agora vindas a lume no âmbito das apreensões feitas judicialmente. Incompetência ou descaramento e sentido de impunidade? Ou não passam de meros voyeures? Mas não percamos a esperança. Afinal o ministro gramado já aceita ir ao Parlamento. Vá, vá, que o seu ir tem graça, mas vá com cautela e caldos de galinha, digo eu, que quando a manta é curta e se tapam os

Nesses tempos não havia mensagens de sms, mas isso não quer dizer que não houvessem recadinhos amorosos escritos em folhas de cadernos escolares, entregues à socapa. Como não faltavam os poemas que, por timidez, ficavam na gaveta pés logo se descobre a careca, e vice-versa. Vamos lá então ao dicionário. Relva, “camada de erva rasteira, espontânea ou tratada; designação de plantas herbáceas, pertencentes a duas espécies da família das Gramíneas, espontâneas e frequentes em Portugal”. Oh, se o são! Bugalha, “pequeno bugalho; corpo globoso; galha de carvalho”. Que bom é ter memória. E um dicionário para consultar, pelas associações de ideias que o mesmo nos permite e induz. Associações essas que nos levam até coisas mesquinhas e secretas, mas perigosas, que nunca se vão deslindar, mas que ajudam a esquecer a crise lá no nosso “chão de raiz”. Coisas mofentas que me fazem recuar até aos tempos da “outra senhora”. Mas, que, depressa, vão ser esquecidas porque, a partir do próximo dia 9 de Junho, o “destino” do país se vai jogar noutros relvados, os da Polónia e

da Ucrânia. Ou muito me engano - e espero estar enganado - mas, depois de mais uma euforia nacional despropositada, aí teremos mais uma profunda depressão colectiva a somar a tantas outras. É que, cá no meu cogitar, acho que o povo português tende a ser masoquista, assim que como mulher de vagabundo: “quanto mais me bates, mais eu gosto de ti”. Sou, apesar de tudo e de alguns, um orgulhoso português. E como português que se preze, descubro sempre algo de consolador, mesmo na desgraça. Maneira esta de ser português traduzida de forma cabal no aforismo popular: «magreza é beleza, gordura é formosura». Assim, se as mensagens de sms trocadas -e as reuniões havidas- entre um (então) putativo ministro e um ex-frincheiro, candidato a espião-mor-do-reino, pela sua natureza e propósitos de devassa da vida privada e seu aproveitamento para fins políticos e de negócios, me fazem lembrar, com tristeza e desilusão, outros tempos, fazem-me igualmente recuar até aquilo que de bom e feliz esses tempos tiveram para mim: a juventude. Recordo os fins de tarde de verão, sem relógio e sem tempo. O limite do tempo era o pôr-do-sol, horas de cear, como se dizia na altura. Deitado na areia do rio, à sombra dos salgueiros, um livro aberto, o título e autor não interessam. A intervalos, o livro caído sobre a toalha, de olhos fechados, saboreando a brisa e sonhando. Às vezes, fruto de planeada coincidência, ela deitada a meu lado, trocávamos leves toques, sorrisos cúmplices, e fazíamos planos para depois da guerra. Só isso que, já nessa altura, havia espias coscuvilheiros que nos vigiavam escondidos nos milheirais. E nós sabíamos.E os tempos eram outros. Eram os tempos em que ainda havia vergonha. Nesses tempos não havia mensagens de sms, mas isso não quer dizer que não houvessem recadinhos amorosos escritos em folhas de cadernos escolares, entregues à socapa. Como não faltavam os poemas que, por timidez, ficavam na gaveta. É um desses escritos, de 1972, o qual fala de desilusão amorosa mas que, lido hoje, reflete também a desilusão política, que convosco partilho, não pela sua valia literária mas por ser revelador de um modo de sentir de antes e de agora, ainda que por razões distintas.

Desilusão Nem o rio de águas calmas, onde nossos corpos banhámos. Nem as quentes e finas areias, onde deitados, beijos furtivos trocámos. Já nada existe. O rouxinol já não canta no salgueiro. Agora o sol se põe breve, o verão deu lugar ao frio inverno. E, eu estou triste.


quarta-feira 30.5.2012

Ciclone

opinião

www.hojemacau.com.mo

31

Só se pode apontar defeitos a outrem quem já os tem. POR FERNANDO

Carlos Morais José

editorial

Macau e as suas gentes A reportagem

de Cecília Lin, que publicámos esta semana, sobre os novos imigrantes chineses, tem muita matéria para pensar o futuro. Adeus o tempo dos A-Chans e dos tailokos, essa massa de gente destinada ao trabalho pesado, que entrava nesta cidade para fazer tudo aquilo a que os locais torciam o nariz. Hoje trata-se de gente qualificada, ousada, muito mais alerta para a contemporaneidade que os próprios residentes da RAEM, que parecem adormecidos para o mundo, ao invés de o tentar compreender e dominar. Se as coisas continuam assim, brevemente o lema “Macau governado pelas suas gentes” se tornará numa espécie de relíquia da História ou uma mera boa intenção, já que, na prática, as pessoas locais não têm qualificações suficientes ou sequer ambições cívicas. Todos sabemos que a educação proporcionada nas nossas escolas é fraca e lamentável. Os alunos chegam às universidades sem noções básicas do mundo, da sua História e cultura. E isto também é verdade se considerarmos o universo chinês. Hoje aprendem-se umas americanices de gestão e de recursos humanos, umas pseudo-ciências que encaram o mundo de forma limitada, sem nunca proporcionarem uma visão de conjunto e cultura geral. Deste modo, os alunos aprendem a ser instrumentos e não

Se as coisas continuam assim, brevemente o lema “Macau governado pelas suas gentes” se tornará numa espécie de relíquia da História ou uma mera boa intenção, já que, na prática, as pessoas locais não têm qualificações suficientes ou sequer ambições cívicas pessoas, aprendem a fazer parte de uma máquina que não percebem nem discutem, aprendem a esperar por uma ordem para a cumprir. Ora o resultado disto é, no longo prazo, nefasto. Se tivermos em conta que do continente chegam todos os dias pessoas mais bem preparadas, a dominar melhor as línguas estrangeiras, com vontade real de vencer e com conhecimento do que são as dificuldades da vida, é bom de ver que serão eles que, mais tarde ou mais cedo, tomarão normalmente as rédeas nesta terra. A influência perniciosa de Hong Kong a nível ideológico começa a deixar marcas profundas nesta juventude que nem perdida sabe estar. Na ex-colónia britânica a excessiva importância prestada ao dinheiro e ao consumo queima as celulazinhas cinzentas a muito boa gente deste Barreiro que, basicamente, se alimenta da televisão e das revistas de celebridades honguekonguenses. Por outro lado, a atitude paternalista e facilitista do nosso Governo, remete a juventude

para uma espécie de limbo de bem-estar que em nada estimula, porque depois não dá por qualquer exigência, a vontade de viver, compreender e vencer. Já os imigrantes da China aqui aterram com outra atitude, com outras ambições. Com o comportamento próprio de quem não tem a papinha feita e na mesa como a malta de Macau. Parece óbvio que, no limite, ganharão o seu espaço e provavelmente as batalhas. “Macau governado pelas suas gentes” será uma máscara que ocultará uma verdade que se adivinha num horizonte muito próximo. E isso é mau? Se o governo da RAEM não encontrar meios de credibilizar a função pública e continuar a adoptar medidas e políticas que claramente favorecem apenas alguns, sem ser capaz de se distanciar do mundo dos interesses empresariais e outros, se não exigir das escolas um sistema de ensino voltado para a contemporaneidade, sem que sejam deixados para trás os pilares da nossa identidade, então talvez não seja. O povo é sereno mas não é parvo.

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editores Nuno G. Pereira; Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Cecilia Lin; Joana Freitas; José C. Mendes; Rita Marques Ramos Colaboradores António Falcão; António Graça de Abreu; Fernando Eloy; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Carlos M. Cordeiro; Correia Marques; David Chan; Gonçalo Alvim; Helder Fernando; Jorge Rodrigues Simão; José Pereira Coutinho, Marinho de Bastos; Paul Chan Wai Chi; Pedro Correia; Peng Zhonglian; Vanessa Amaro Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


quarta-feira 30.5.2012

www.hojemacau.com.mo

Condenada psiquiatra que raptou bebé para bruxaria

Facebook quer smartphone próprio até 2013

A rede social Facebook tem planos de lançar seu próprio smartphone até o ano que vem, por forma a impulsionar os seus ganhos, informa o jornal norte-americano The New York Times. Com base diversas fontes fontes, o New York Times noticiou que o Facebook contratou mais de meia dúzia de engenheiros de hardware e software que trabalharam no projecto do iPhone, da Apple, e um engenheiro com experiência no tablet iPad. As informações são da Dow Jones.

Vietname sem químicos para executar 400 presos

O Vietname trocou a execução por fuzilamento pela injecção letal, mas o país não tem produtos químicos para executar mais de 400 condenados. Estes últimos estão à espera de ser executados, já que o país não tem os produtos químicos que compõem a mistura utilizada na injeção letal. “Nós temos mais de 400 condenados à morte que não podemos executar. As formalidades dos processos estão concluídas em mais de 100 casos mas não dispomos dos produtos necessários para as efectuar”, disse ao jornal Tuoi tre o vice-ministro da Segurança Pública, Dang Van Hieu. A lei que trocou o modo de execução para injecção letal entrou em vigor a 1 de Julho de 2011 mas não consegue ser aplicada.: “A injecção letal exige a construção de centros especiais equipados com máquinas de execução. O Ministério da Segurança Pública construiu esses centros, mas nós não temos os produtos necessários e a sua importação é difícil.”

Mourinho quer Drogba a jogar no Real Madrid

Depois de ter orientado o avançado costamarfinense no Chelsea, José Mourinho parece decidido a ter Didier Drogba novamente às suas ordens, desta vez no Real Madrid. De acordo com o Daily Mail, as duas partes iniciaram já negociações e, em cima da mesa, estará um contrato de dois anos para o experiente jogador, de 34 anos. Drogba, recorde-se, decidiu abandonar Stamford Bridge após oito temporadas consecutivas ao serviço do clube londrino. A confirmar-se a notícia do Daily Mail, o Real Madrid junta-se a Juventus, Shanghai Shenhua e a diversos clubes italianos e alemães no lote de candidatos à contratação do goleador.

Embaixador da transferência de soberania

Morreu Rui de Medina

O

embaixador Rui de Medina, que chefiou a delegação portuguesa que negociou a transferência da soberania de Macau para a China, morreu na segunda-feira aos 87 anos, vítima de doença prolongada, informou ontem a família. Segundo uma nota enviada à Lusa pela família,

PUB

o corpo esteve a partir das 17h na Basílica da Estrela, de onde partirá ao final da manhã de hoje para o cemitério. O embaixador chefiou a delegação de Portugal que negociou a transferência da soberania de Macau de Portugal para a República Popular da China e, a 26 de Março de 1987, rubricou a Declaração Conjunta Sino-

-Portuguesa sobre a Questão de Macau, nome oficial do tratado internacional que determinou a passagem da soberania, que se concretizaria a 20 de Dezembro de 1999. Ao longo da sua carreira, Rui de Medina foi representante de Portugal junto da ONU e embaixador em países como Itália, Israel, Suécia, Alemanha e Líbano.

Um tribunal suíço condenou a três anos de prisão uma psiquiatra que raptou uma bebé na Roménia para poder, através dela, reencarnar a sua mãe morta, revela o «Daily Mail». Na companhia do marido, Constanta Albumel, de 40 anos, partiu de Zurique, na Suíça, para Timisoara, na Roménia, onde raptou o um bebé de um hospital. O Daily Mail indica que Albumel terá realizado rituais de xamanismo e entoado cânticos sobre a criança, numa tentativa de que a sua mãe, já falecida, voltasse a viver. O caso remete para 2009, quando a mulher, mãe de dois filhos, e originária de Bucareste, ficou obcecada com a ideia de fazer reencarnar a progenitora.

Brasil e a descriminalização do cultivo e posse de droga

A comissão de juristas para a reforma do Código Penal brasileiro propõe a descriminalização do cultivo, compra e posse de drogas para consumo próprio. Ontem foi aprovada a inclusão desta proposta na lista de sugestões de matérias a enviar ao Congresso, mas, segundo o Folha de S. Paulo, a mesma só se tornará lei se for aprovada nas duas câmaras. Apesar de a lei brasileira não criminalizar o consumo de estupefacientes, o mesmo não se aplica ao cultivo, compra e posse, o que resulta na penalização do consumidor. Para a autora da proposta, Juliana Belloque, é preciso reduzir o número de consumidores presos que foram considerados traficantes. A proposta aprovada pela comissão tem, contudo, uma excepção: o consumo é considerado crime caso seja feito na presença de menores.

Ordenado da directora do FMI alimenta críticas

As polémicas em torno da directora do FMI ainda não terminaram. Depois das suas declarações sobre a Grécia, o cerne da crítica é o valor que Christine Lagarde aufere por ano: 380 mil euros livres de impostos. Este valor está a suscitar uma forte contestação, já que, durante o fim de semana, a responsável do Fundo Monetário Internacional deu uma entrevista onde defendia que os gregos deveriam empenhar-se em ajudar o país, pagando os seus impostos. Mas Lagarde tem uma remuneração livre de impostos, já que usufrui de estatuto diplomático.


Hoje Macau 30 MAI 2012 #2620