Issuu on Google+

PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

MOP$10

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • QUINTA-FEIRA 29 DE MARÇO DE 2012 • ANO XI • Nº 2581

Ter para ler

TEMPO MUITO NUBLADO MIN 19 MAX 26 HUMIDADE 60-90% • CÂMBIOS EURO 10.6 BAHT 0.2 YUAN 1.2

André Couto quis animar crianças hospitalizadas, mas São Januário não deixou

“Foi preguicite aguda” O piloto, que perdeu um filho vítima de leucemia, desenvolve campanhas de apoio a crianças. Em Macau, quis fazê-lo com visitas aos hospitais locais. No Kiang Wu receberam-no de braços abertos, no São Januário recusaram sem grandes explicações. PÁGINAS 14 E 15

FUNDO FÓRUM MACAU

Investimento prioritário prometido às PME PÁGINA 3

TELECOMUNICAÇÕES

Operadora nova garante perto de 1000 empregos PÁGINA 5

HONG KONG

Tribunal volta atrás e desilude 290 mil empregadas PÁGINA 8


2

política

quinta-feira 29.3.2012

www.hojemacau.com.mo

GCS pondera eliminar criação dos conselhos de jornalistas

Governo fica de fora

Se algo há em que todos concordam relativamente às Leis de Imprensa e de Radiodifusão é que devem ser revistas. As divergências começam na formação dos Conselhos de Jornalistas

Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

P

ODEM vir a ser eliminados das Leis de Imprensa e de Radiodifusão os artigos que concedem a possibilidade de criação de dois Conselhos de Jornalistas. A ideia surge depois de ter chegado ao fim a

consulta pública sobre a revisão dos diplomas. Ontem, Vitor Chan, director do Gabinete de Comunicação Social (GCS), apresentou aos jornalistas o relatório preliminar da sondagem deliberativa, realizada pela ERS – Soluções Macau, em conjunto com instituições académicas de Hong Kong, Portugal e EUA.

Não restam muitas dúvidas sobre a necessidade de revisão das duas leis – 67% dos inquiridos consideram que a Lei de Imprensa deve ser alterada e 71% dizem o mesmo sobre a Lei de Radiodifusão -, mas não há consenso sobre a criação dos dois conselhos de jornalistas. Se os membros dos órgãos de comunicação social portugueses e ingleses sempre o defenderam, já os chineses mostram-se renitentes em que sejam constituídos. Vitor Chan considera, por isso, que a criação dos conselhos poderá ser retirada da lei, bem como a elaboração do Estatuto de Jornalistas – actualmente previstos pelos diplomas. “As opiniões são claras. A maioria considera que estas situações não devem estar dentro da lei, logo deveremos eliminar. Mas falta o parecer técnico dos serviços jurídicos.”

Ainda assim, no caso de poderem ser criados os conselhos, há consenso da parte de jornalistas e cidadãos em, pelo menos, dois pontos.

COMPETÊNCIAS PRÓPRIAS

Os representantes da comunicação social não querem, de todo, a integração de membros do Executivo no Conselho de Imprensa ou no de Radiodifusão.

De fora também quem represente cargos oficiais. “Esta questão deverá ser organizada pelo próprio sector, assim como o Estatuto do Jornalista”, refere o relatório do GCS. As vantagens apontadas pelos jornalistas de imprensa lusa e inglesa passam pela emissão de carteiras profissionais – que não existe em Macau -, a elevação do nível profissional e a responsabilização. Como

desvantagem, é apontado – na maioria das vezes pelos profissionais chineses -, a falta de maturidade para a criação de um conselho e o medo da limitação à liberdade de imprensa. Seja como for, os Conselhos devem ter poder legal próprio, ser compostos por cidadãos e uma maioria de jornalistas e advogados. Não deve, contudo, contar com as chefias dos órgãos de comunicação social.

Proposta passa pelas mãos da DSAJ A maioria das sugestões considera necessário rever as leis, desde que seja aumentada a liberdade de imprensa actual e que seja garantida a cobertura noticiosa. Porém, os jornalistas de línguas inglesa e portuguesa consideram não ser necessária uma revisão muito profunda dos diplomas – até por não ter havido quase casos de violação de ética jornalista. Já os profissionais chineses pedem que artigos relacionados com sanções graves a jornalistas e artigos que não têm consenso devem ser revogados. A sondagem deliberativa é uma forma de auscultação pública baseada

em ouvir opiniões de grupos antes e depois de estes estarem informados sobre os casos. Foi entregue à ERS – Soluções Macau e custou aos cofres do Governo 3,5 milhões de patacas. A possibilidade de revisão das leis foi anunciada em Março de 2010 e o relatório final deve ser apresentado em Agosto deste ano. Este relatório ainda é preliminar, mas de uma coisa Vitor Chan tem a certeza: as opiniões vão chegar à Direcção dos Serviços para os Assuntos de Justiça (DSAJ) para que os assessores jurídicos dêem o seu parecer técnica e apresentem propostas.

Entidade assina hoje acordo para troca de títulos em yuan

É

Coutinho volta a atacar AMCM

já hoje que a Autoridade Monetária de Macau (AMCM) vai assinar um acordo com o Banco Popular da China, para adquirir títulos em yuan. A intenção é promover a diversificação dos investimentos. Em comunicado, a AMCM explicou que foi feita uma proposta ao Governo Central sobre a possibilidade de serem adquiridos activos em yuan. O Banco Popular da China “teve uma adesão positiva”, frisa o comunicado. “Após várias rondas de negociações foi finalizada a confirmação sobre o pedido de subscrição de títulos denominados em renminbis no mercado do continente, consubstanciando assim a pretensão do Governo em aplicar uma parte de fundos nos mesmos.” O “Acordo de agenciamento para investimento no mercado de títulos interbancários da China” autoriza a AMCM a efectuar

aplicações de fundos para a sua carteira da reserva directamente no mercado de títulos interbancários do continente. O valor máximo aprovado foi de 10 mil milhões de yuan.

INDEXAÇÃO NÃO

José Pereira Coutinho voltou ontem a criticar a indexação da moeda do território ao dólar de Hong Kong e, consequentemente, ao dólar americano. O deputado escreveu nova interpelação escrita sobre o assunto, acusando o Governo de, com esta decisão, permitir que a pataca se desvalorize pela desvalorização que o dólar dos EUA tem vindo a sentir, especialmente face ao yuan. “Isto contribui para a subida de preços e do custo de vida em Macau, já que a maioria dos bens essenciais são comprados em yuan do interior da China”, critica Pereira Coutinho.

O deputado dá como exemplo uma conversão de Março de 2011 – altura da primeira interpelação sobre o assunto -, onde indica que uma nota de 100 yuan valia 128.20 patacas. E, diz ainda, a valorização da moeda do continente tem sido gradual ao longo do anos. “Por que razão tem o Governo insistido em manter a indexação da pataca ao dólar de Hong Kong recusando sugestões, sem questionar a população, como a de indexar a pataca ao renmbini ou de a indexar a um cabaz de moedas que incluísse yuan, euro, dólares de Hong Kong e americanos? Que interesses tem o Governo pretendido acautelar?” Antes desta nova interpelação de Pereira Coutinho, o deputado já tinha recebido resposta da AMCM, que desvaloriza a preocupação do membro do hemiciclo. “O Governo respondeu que o dólar de Hong Kong

tem desempenhado um papel essencial na economia e no sistema financeiro de Macau, até porque os depósitos em dólares de Hong Kong chegam aos 55% no território, com mais de 147 mil milhões desta moeda a ser depositados pelos residentes.” Na perspectiva da AMCM, a desindexação da pataca ao dólar de Hong Kong conduz a eventual valorização da pataca, que acarretaria prejuízos para a banca, porque “desvalorizaria os créditos da banca cujo valor estivesse fixado em dólares de Hong kong.” Agora, Pereira Coutinho quer saber se o Executivo alguma vez virá a admitir a possibilidade de alterar esta política cambial. “Até que nível terão de chegar a valorização do yuan e a inflação em Macau para o Governo decida indexar a pataca ao yuan?” - J.F.

Combate à prática de suborno 

O director dos Serviços de Administração e Função Pública (SAFP), José Chu, disse à Lotus TV que Macau registou uma grande evolução na sua cultura eleitoral e que o Governo irá continuar a combater, no futuro, a prática de suborno. Desde a passagem do território para a China que o Governo tem dado grande atenção aos problemas de cultura eleitoral, afirmou o director, acrescentando que a situação melhorou muito depois de a legislação ter sido aperfeiçoada. “Há muito menos casos de suborno durante o período de eleições.” Existe ainda, no entanto, espaço para melhorar e o Governo irá continuar a elevar o nível de civismo e de cultura eleitoral, concluiu o director dos SAFP. – V.L.


quinta-feira 29.3.2012

política

www.hojemacau.com.mo

3

Reforma política Sectores profissional, dos serviços sociais e da educação

Os favoritos

Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

S

Regras do Fundo do Fórum Macau discutidas em Pequim

Poder nas mãos das PME

Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

O

encontro que serviu de apresentação do novo Fundo do Fórum Macau reuniu ontem cerca de 200 pessoas, e, de acordo com Rita Santos, secretária-geral adjunta do organismo, as empresas locais “já estão a acompanhar muito de perto” o processo, embora ainda não se saiba o número exacto dos projectos que, de Macau, querem ter acesso ao apoio financeiro. De acordo com o embaixador de Portugal em Pequim, José Tadeu, as regras do Fundo vão ser discutidas na capital chinesa brevemente.

Os mil milhões de dólares servirão, sobretudo, para apoiar as Pequenas e Médias Empresas (PME). Segundo António José Rezende de Castro, cônsul-geral do Brasil em Hong Kong e Macau, é esta a principal intenção do Fundo. “A grande empresa, em geral, não tem dificuldade em financiar-se. Já a PME não, daí a importância do Fundo.” Adianta também que o projecto “abre novas perspectivas para o aumento da integração regional” para o Brasil, em áreas como a indústria do calçado, infra-estruturas ou tecnologia agrícola. Segundo Rita Santos, tem existido feedback dos empresários locais. “Pode haver mais uma via para que as empresas de Macau possam ter um estreitamento de relações económicas e comerciais com os países de língua portuguesa.”

“UMA BOA IDEIA”

Dois empresários ouvidos pelo Hoje Macau, ligados ao sector dos vinhos, mostram-se expectantes face ao Fundo anunciado. Guiomar Pedruco, da Macau Bazaar Co., diz ser “uma boa ideia”, esperando que traga mais negócios. “É importante para os países à volta da China, e Macau é uma cidade que tem esse lado único de ser a plataforma.” Os fundos de investimento podem ajudar a contornar as dificuldades.

Fórum “mais maduro” As vozes da diplomacia não têm duvidas. O começo do Fundo proporciona uma fase “madura” do Fórum Macau. A reunião ordinária decorrida ontem trouxe avanços ao organismo enquanto centro de formação, sendo que para este ano deverão decorrer sete cursos. “Depois de nove anos sobre a criação do Fórum Macau, ainda temos uma etapa longa pela frente”, disse Rita Santos. “O mais importante é que todos os países, incluindo a China, reconhecem o papel de Macau.”

“O Governo criou subsídios para as PME, mas deveria ter criado mais medidas. Está cada vez mais difícil arranjar empregados e é difícil para as PME competir com os hotéis e casinos, porque conseguem pagar mais. Tem de se facilitar o acesso à mão-de-obra.” João Azevedo, director comercial da Universal Export Ltd, acredita que o Fundo será um grande impulso. “Vamos ter a oportunidade de aparecer em feiras. Macau vai ser falado e ao nível das PME será positivo.” Uma ajuda para contornar as dificuldades “na divulgação e internacionalização, o que não é muito fácil”. O responsável receia, contudo, eventuais dificuldades no acesso ao Fundo. “Na ligação entre os países de língua portuguesa e a China vamos ser sempre privilegiados, mas no sentido da ligação de Macau com os países lusófonos, não sei como vai funcionar. Será que só vou ter apoio se estiver ligado à China?”

CABO VERDE EM FOCO

Júlio Morais, embaixador de Cabo Verde em Pequim, revelou que o capital poderá começar a ser operacionalizado já este ano, em Junho. “Estamos ainda a discutir as modalidades de funcionamento, e há uma reflexão conjunta a fazer.” Além do encontro de Pequim, a Ilha do Sal, em Cabo Verde, vai ser palco de outra reunião importante, em Junho. “Vamos ter o 8º encontro de empresários de língua portuguesa e da China, onde reunimos com o grupo de trabalho de investimento, começamos a seleccionar projectos, porque temos de avançar.” Segundo Júlio Morais, há empresas de Macau convidadas para ir ao país, estando já em fase de inscrição.

HOJE MACAU

Mais do que negócios de larga escala, a quantia de mil milhões de dólares do Fundo do Fórum Macau é anunciada ao serviço das pequenas e médias empresas. Dois empresários locais revelam as suas expectativas

E ontem fosse a única sessão a contar para a decisão final sobre a reforma política, estariam decididos os sectores a entrar na Assembleia Legislativa (AL) pela via indirecta. Em mais uma actividade de consulta pública sobre as alterações às metodologias para a eleição dos deputados do hemiciclo e do Chefe do Executivo, foram cerca de duas dezenas os representantes de associações que intervieram na sessão, que contou com a presença de Francis Tam, secretário para a Economia e Finanças, ao lado das figuras habituais: Florinda Chan, secretária para a Administração e Justiça, e José Chu, director dos Serviços de Administração e Função Pública. Sem grande novidade, 18 dos 19 intervenientes optaram pela proposta 2+2 – acréscimo de dois deputados pela via directa e dois pela indirecta -, havendo apenas um que pediu algo inédito: mais três deputados nos assentos de cada eleição e uma diminuição de dois membros nos nomeados pelo Chefe do Executivo. Durante uma hora e meia, contudo, foi maior o consenso do que a discordância, principalmente no que diz respeito aos sectores que devem entrar pela via indirecta nos dois lugares que, ao que tudo indica, vão ser acrescentados no plenário. Um dos lugares é pedido para alguém que represente os serviços sociais, da educação,

cultura e desporto – conjuntos na AL – e outro para quem fale pelo sector profissional. Estes, defendem os intervenientes, são os sectores que verdadeiramente representam a classe mais baixa. Apesar de não haver a possibilidade na proposta fornecida pelo Governo de colocar um jovem no hemiciclo, houve ainda quem defendesse que essa voz seria necessária, mas que também as associações que entrem pela via indirecta podem escolher que os seus representantes sejam mais novos. Na sessão de ontem, houve contudo uma voz discordante. Kwan Huan Tsi, que não indicou a associação que representava, considera que o importante é colocar no hemiciclo os sectores que mais empregam cidadãos em Macau. São eles o turismo e a área do entretenimento. “Como podemos esquecer estes sectores, que empregam a maior parte da população?”

Lei de Bases e Garantias está atrasada

Idosos à espera

Virginia Leung

virginia.leung@hojemacau.com.mo

A

proposta de Lei de Bases dos Direitos e Garantias dos Idosos está atrasada. Anunciada o ano passado, a proposta deveria ter ficado concluída no primeiro semestre deste ano, mas, segundo a Comissão para os Assuntos do Cidadão Sénior, só deve estar pronta para entrar no Conselho Executivo nos últimos seis meses do ano. “Ainda temos de rever alguns artigos”, explicou um dos responsáveis do Instituto de Acção Social (IAS). “Depois, no segundo semestre, há ainda uma revisão final. Esperamos que o

Governo possa aprovar a lei até ao final do ano.” A Comissão para os Assuntos do Cidadão Sénior reuniu ontem. Segundo o responsável do IAS, o diploma está a ser elaborado de acordo com as sugestões. Recorde-se que esta proposta já esteve em auscultação pública e a segunda fase de consultas terá lugar no segundo semestre. Além dos direitos dos mais velhos, também os deveres da família e do Executivo serão incluídos na proposta. Mas há mais: o Governo irá incentivar os patrões a dar emprego a idosos, bem como vai ainda integrar na comissão um idoso com mérito social reconhecido.


4

sociedade

quinta-feira 29.3.2012

www.hojemacau.com.mo

Gonçalo Lobo Pinheiro glp@hojemacau.com.mo

N

UMAparceria entre a Direcção dos Serviços de Economia (DSE) e a Associação dos Empreiteiros Internacionais da China, Macau acolhe, nos próximos dias 24 e 25 deAbril no Venetian, o 3.º Fórum Internacional sobre Investimento e Construção de Infra-estruturas. “Muitas empresas chinesas participam em infra-estruturas de Macau”, referiu a secretária-geral da Associação dos Empreiteiros internacionais da China, Yu Xiaohong, para justificar a escolha do território para a realização do Fórum. Com o tema “Cooperação entre a China e o estrangeiro: desenvolvimento comum”, o Fórum terá cerca de 800 representantes de vários países e proveniências. A crise financeira mundial, a cooperação bilateral e multilateral ou os desafios da construção de infra-estruturas são os pontos principais a debater. “O grande objectivo é promoção da comunicação

Fórum para debater investimento e construção em Abril

Depois de Pequim, vem aí a primeira vez de Macau entre países e empresas, utilizando Macau como uma plataforma de discussão e entendimento.” Os países lusófonos também não foram esquecidos para o debate, contudo nem

todos marcaram presença no Venetian. “Certo estão as presenças de Angola e Moçambique mas a China terá muito prazer em receber projectos de todos os países lusófonos”, concluiu a secretária-geral da

Associação dos Empreiteiros internacionais da China.

FUNDO SÓ DEPOIS

Questionado sobre se o Fundo do Fórum Macau poderá ser utilizado para os projectos que

nasçam do 3.º Fórum Internacional sobre Investimento e Construção de Infra-estruturas, o director dos Serviços de Economia (DSE), Sou Tim Peng, foi lacónico. “O seminário terá lugar em Abril,

pelo que acho muito difícil que o Fundo do Fórum Macau esteja disponível nessa data.” Contudo, deixou em aberto o seu uso em edições futuras. “Talvez nas 4.ª e 5.ª edições do Fórum Internacional sobre Investimento e Construção de Infra-estruturas, o fundo do Fórum Macau possa ter alguma utilidade, promovendo projectos que englobem parcerias entre a China, Macau e os países lusófonos.” Macau será, de acordo com o director da DSE, “sempre” uma plataforma onde os países de língua portuguesa podem fazer os seus negócios, e este, relacionado com investimentos e construção de infra-estruturas, não foge à regra. O Fórum, fundado em 2010, é organizado pela Associação dos Empreiteiros Internacionais da China. Conta com a aprovação e certificação do Ministério do Comércio do Estado chinês. As primeiras duas edições foram realizadas em Pequim, tendo atraído mais de dois mil representantes provenientes de 80 países.

PUB

ANÚNCIO

HM-2ª Vez 29-03-2012 Execução Por Alimentos

CV3-08-0023-MPS-B

3º Juízo Cível

EXEQUENTE: MINISTÉRIO PÚBLICO.--------------------------------------EXECUTADO: KUAN CHONG FONG, ora preso no EPM.-------------------*** FAZ SABER que, nos autos acima indicados, são citados os credores desconhecidos do executado para, no prazo de QUINZE DIAS, que começa a correr depois de finda a dilação de VINTE DIAS, contada da data da segunda e última publicação do anúncio, reclamarem o pagamento dos seus créditos pelo produto do bem penhorado sobre que tenham garantia real, e que é o seguinte:-------IMÓVEL PENHORADO Denominação: 1/2 de Fracção autónoma “V16”, do 16º andar V-- Situação: Avenida da Concórdia, nºs 76 a 136, e Rua Dois, Bairro da Concórdia nºs 79 a 131.--------------------------------------------------------------- Fim: Para habitação.----------------------------------------------------------- Número de matriz: 038080.------------------------------------------ Número de descrição na Conservatória do Registo Predial: nº. 21535, a fls. 30 do Livro B51.-------------------------------------------------------------------------- Número de inscrição em nome do executado KUAN CHONG FONG e a sua mulher CHU SAO PENG: nº. 25217 a fls. 23 do Livro F31.-------------DEPÓSITOS BANCÁRIOS PENHORADOS Depósito na conta bancária nº 204-2-24767-7 do Banco Tai Fung no montante de---------------------------------------------------------------MOP1.115,54. Depósito na conta bancária nº 010920043963 do Banco Delta Asia, SARL no montante de-----------------------------------------------------HKD711,41. Depósito na conta bancária nº 11-11-20-020440 do Banco da China no montante de-------------------------------------------------------------HKD270,07. Depósito na conta bancária nº 18-11-10-123423 do Banco da China no montante de-------------------------------------------------------------HKD426,81. Depósito na conta bancária nº 11-01-10-215532 do Banco da China no montante de-------------------------------------------------------------MOP18,08. TÍTULOS PENHORADOS Acções #08047 depositada na conta bancária do Banco Delta Asia, SARL.----------------------------------------------------------------------------150,000. *** Macau, 12 de Março de 2012 ***

Infecção colectiva de gripe

Os Serviços de Saúde foram ontem notificados de vários casos de infecção colectiva de gripe no Jardim Infantil da Cáritas, com um número acumulado de sete alunos afectados. Todos os doentes apresentaram sintomas do tracto respiratório, nomeadamente febre, tosse, corrimento nasal e recorreram às entidades médicas para tratamento, sendo o seu estado normal. Nenhum tinha sido submetido à vacina antigripal para o Inverno de 20112012. Os Serviços de Saúde recolheram as amostras do tracto respiratório de alguns doentes para efeitos de análises laboratoriais, bem como solicitaram aos estabelecimentos escolares acima referidos a aplicação das medidas de controlo da infecção, tais como o reforço na desinfecção, limpeza e manutenção da ventilação de ar no interior das instalações e o cumprimento rigoroso da norma que os alunos doentes não podem ir à escola.


quinta-feira 29.3.2012

sociedade

www.hojemacau.com.mo

5

Operadora promete investimento de MOP mil milhões

Mil empregos à vista com a MTEL prédios habitacionais, ao fim de dois anos não menos de 70% e no prazo de quatro anos uma cobertura de 99%. “Estas são as expectativas do governo de Macau e será um desafio”, diz Michael Choi. “Estamos conscientes das dificuldades no cumprimento dos deadlines, mas faremos o nosso melhor.” A linha de telefone é da própria operadora, sem atribuição de concessões, e de fibra óptica, afiança a companhia, que não prevê ainda o pacote completo com TV Digital “porque o regulamento não permite”.

Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

M

ICHAELChoi, representante da MTEL, esteve ontem presente na cerimónia de abertura da proposta, na sede da Direcção de Serviços de Regulação de Telecomunicações (DSRT), onde os documentos iniciais foram validados pela Comissão do Concurso. Choi lançou alguns detalhes sobre a sua proposta, e o futuro das telecomunicações fixas em Macau, caso venha a ser aprovada. “O investimento inicial será de MOP 1000 milhões e vem garantir de 800 a 1000 empregos, directos e indirectos.” Recorde-se que, até dia 27 de Março, prazo imposto para licenciamento de instalação e operação de redes públicas de telecomunicações fixas em Macau, apenas uma proposta foi entregue à DSRT. A MTEL será por isso a única empresa que pode vir a fazer concorrência à CTM, depois da avaliação da proposta pela Comissão do Concurso, a decorrer nos próximos 180 dias. A MTEL, formada apenas por ocasião do licenciamento e segundo obrigatoriedade do regulamento do concurso público, tem como principal investidor e fornecedor a ZTE, empresa multinacional de equipamentos e sistemas de telecomunicações, a segunda maior no mercado chinês. No entanto, enquanto o licenciamento não for concedido, não se juntará numa joint-venture com a ZTE ou com qualquer outra empresa, garante Choi. Na proposta, a MTEL entregou um documento que comprova que se tratará de um consórcio ou sociedade comercial. “Na altura diremos a que accionistas nos juntaremos, deverão ser entre três e quatro”, adianta o representante. O regulamento específico do concurso público para o licenciamento de instalação e operação de redes públicas de telecomunicações fixas na RAEM prevê que a exploração na sua fase inicial tenha uma cobertura de 30% do número total de

CONCORRÊNCIA GARANTIDA

Durante a conferência, Hoi Chi Leong, presidente da Comissão de Concurso, e subdirector da DSRT, falou sobre não ter havido entrega de outras propostas. “Nada tem a ver com as exigências do regulamento. Uma só garante a concorrência.” Recorde-se que, em Fevereiro, a DSRT revelou ter recebido seis pedidos de informações de empresas interessadas em obter esclarecimentos sobre o regulamento. “As mais de 100 perguntas e dúvidas podem ser consultadas na internet.” A Hutchinson, uma das empresas interessadas, diz ter sido demasiado curto o prazo concedido pelo Governo às novas operadoras para que garantissem a cobertura de 30% dos edifícios residenciais do território. O prazo para a prestação

Lei do Ensino Superior terá anteproposta em Abril

comercial dos serviços tem de ser feito no prazo de 18 meses, contados a partir da data de emissão da licença, prevê o regulamento. Por sua vez, o presidente da comissão do concurso diz que poderá haver penalizações se a nova operadora não conseguir cumprir com os prazos referentes às percentagens de cobertura, mas tem de se verificar se será uma questão técnica ou da própria empresa, caso ganhe efectivamente o licenciamento.

PRAZOS RAZOÁVEIS

Tou Veng Keong, director da DSRT, à margem da Comissão, avaliou os prazos dispostos, que foram “razoáveis para qualquer companhia de telecomunicações que de facto tem experiência na construção da rede”. E frisou que o grande propósito do licenciamento é precisamente introduzir liberalização no mercado de telecomunicações de Macau o mais em breve possível. “A qualidade da companhia é o importante e não a quantidade, e acho que pode prestar concorrência de mercada”, entende Tou, ainda que não tenho muito conhecimento sobre a MTEL. O essencial para Macau? O director da DSRT assume que são os serviços convergentes com tudo incluído porque não é um sítio isolado do Mundo. “A tecnologia da rede a construir é tecnologicamente neutral, portanto pode levar quaisquer sinais de telecomunicações”

Com guia de remessa para Cheong U A

anteproposta da futura lei de bases do Ensino Superior estará prestes a chegar às mãos do Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Cheong U, segundo revelou à Rádio Macau o Gabinete de Apoio ao Ensino Superior (GAES). O organismo dirigido por Sou Chio Fai garante que a legislação sobre o sector é uma das prioridades da equipa para 2012. O GAES, de acordo com a Rádio Macau, está agora a certar

as últimas agulhas antes de enviar a proposta para o gabinete de Cheong U. Umas das metas do GAES passa pelo desenvolvimento a longo prazo do sector do ensino superior. Para isso, o gabinete pretende beber as experiências de países com um sistema de acreditação reconhecido e adaptar essas referências ao contexto local. O fundo para o ensino superior também é uma das medidas que o GAES pretende ver legislada. A sua implementação visa

tornar os recursos mais estáveis e flexíveis. O Gabinete informou que apenas vai entregar a proposta de regulamento administrativo à equipa de Cheong U, depois de aprovada a nova lei do ensino superior. A intenção de rever a legislação na área do ensino superior foi avançada há alguns anos. Desde então o Governo procedeu a várias consultas sobre o assunto, mas até ao momento não foi apresentada uma proposta de lei.


6

publicidade

www.hojemacau.com.mo

quinta-feira 29.3.2012


quinta-feira 29.3.2012

O

nacional

www.hojemacau.com.mo

pré-candidato presidencial norte-americano Mitt Romney procura formas de pressionar a China sobre as supostas manipulações cambiais e os subsídios comerciais injustos, disse um assessor da campanha do candidato esta terça-feira. “Acho que ele quer maximizar a pressão”, afirmou Grand Aldonas, ex-subsecretário de Comércio Internacional dos EUA, durante um simpósio sobre o futuro da indústria no país. Romney, o favorito para receber a indicação do Partido Republicano à Casa Branca, já prometeu que acusaria formalmente Pequim de manipulação cambial, algo que o governo do democrata Barack Obama, candidato à reeleição, evitou fazer por seis vezes. Segundo o plano de Romney, uma vez formalizado este estatuto, os EUA poderiam impor retaliações tarifárias aos produtos chineses, para contrabalançar o efeito de um suposto subsídio cambial. No ano passado, a Câmara dos Deputados dos EUA, controlada pelos republicanos, bloqueou uma medida semelhante, por temer o início de uma guerra cambial. Semestralmente, o Departamento do Tesouro anuncia se

Mitt Romney ataca China na questão cambial

Pressão anunciada

algum país está a manipular a sua moeda para obter vantagens comerciais indevidas - o próximo anúncio será a 15 de Abril. Desde 1994 que nenhum país é citado, e a China foi o último sê-lo.

SUBSÍDIOS E EMPREGOS

Aldonas disse que Romney tem a séria intenção de pressionar a China para permitir a valorização do yuan, mas acrescentou que qualquer legislação cambial precisa de abordar também os amplos subsídios que estimulam as empresas chinesas a construírem uma capacidade produtiva exagerada, “que invade o nosso mercado”. Num discurso no mesmo evento, Gene Sperling, assessor económico da Casa Branca, não tratou directamente da política cambial chinesa, mas disse que “não há dúvidas” de que se perderam milhões de empregos industriais nos EUA nas últimas décadas devido às importações de produtos chineses.

Importação em 2011 atingiu grandes valores. Angola beneficiou

A

15 mil milhões em diamantes

S importações chinesas de diamantes, deAngola e outros países, excederam as cerca de MOP 15 mil milhões em 2011, informou ontem o jornal “China Daily”. “A produção de diamantes em Angola é promissora e

o comércio com a China está a subir”, disse o embaixador de Angola na China, João Garcia Bires, citado por aquele jornal. “Há muitas áreas à espera de serem exploradas e Angola está aberta aos investidores chineses que quei-

ram criar empresas mistas”, acrescentou o diplomata, sem precisar números. Os diamantes são das principais importações chinesas de Angola, a seguir ao petróleo. “O rápido desenvolvimento económico da

China nas últimas décadas aumentou os rendimentos e as pessoas começaram a virar-se para os diamantes, sobretudo os de muitos carates, para contornar o aumento da inflacçāo”, afirmou o secretário-geral da

Associação de Gemologia da China, Liu Jianhua. As exportações angolanas para a China aumentaram 9,1% em 2011, e, segundo o “China Daily”, aquele país é já o maior parceiro comercial de Angola.

BRICS são grupo “ baseado em interesses” e “não em valores”

Amigos, amigos, ideologias à parte B

RASIL, Rússia, Índia, China e África do Sul (BRICS) partilham sobretudo “um robusto crescimento económico” e não “valores ideológicos”, proclamou ontem um jornal chinês a propósito da IV cimeira do grupo, desta quinta-feira, em Nova Deli. “Os BRICS também enfrentam a opressão dos países desenvolvidos”, mas “os conflitos entre eles e os países desenvolvidos são baseados em interesses e não em ideologias”, disse o Global Times num editorial sobre a reunião. Segundo o jornal, uma publicação em inglês do grupo

7

Diário do Povo, órgão oficial do Partido Comunista Chinês, “pregar hoje os valores é tão absurdo como era pregar a luta de classes na China das décadas de 1950 e 1960”. “Os direitos humanos tendem a centrar-se nos valores, mas nunca dominaram verdadeiramente a política mundial. Outras questões urgentes como as alterações climáticas e as disputas comerciais não estão directamente ligadas a valores.” “Uma Parceria para a Estabilidade global, Segurança e Prosperidade” é o lema da cimeira de Nova Deli.

Vinho engarrafado quase duplica em 2011

As importações chinesas de vinho engarrafado aumentaram 94% em 2011, para um montante recorde de cerca de MOP 993 mil milhões, segundo dados difundidos ontem num fórum internacional do sector, no Leste da China. A China importa também vinho a granel, mas neste caso, o volume diminuiu 20% em relação ao ano anterior, somando apenas cerca de MOP 938 milhões. “Em dois anos, as vendas de vinho engarrafado importado duplicaram as do vinho a granel, mostrando que a qualidade do mercado está a evoluir”, disse um perito, citado pela agência noticiosa oficial chinesa. Para os vinhos portugueses, a China é igualmente um dos mercados que mais cresce. Não contando com o Porto e o Madeira, as exportações de vinhos portugueses para a China cresceram 91,7% em 2011, para cerca de MOP 83 milhões, fazendo daquele país o quinto maior mercado de Portugal fora da Europa. “As perspectivas são muito boas, até 2015, a China vai ser um dos maiores consumidores mundiais de vinho”, disse na semana passada à agência Lusa em Pequim a gestora da ViniPortugal para a Ásia e África, Sónia Fernandes.

Dependência externa de petróleo aumenta

A China deverá importar 58% do petróleo que consumirá em 2012, acentuando a sua dependência externa neste domínio, alerta um relatório do sector citado ontem pela revista de investigação financeira Caixin. A previsão representa um aumento de 1,5 pontos percentuais em relação ao ano passado. As importações chinesas de gás natural também deverão aumentar em 2012, passando a constituir 30% do consumo do país, contra 20% em 2011, indica o relatório, elaborado pela China Petroleum Entreprise Association e a Universidade Chinesa do Petróleo. “A crescente dependência da China nas importações será uma ameaça à sua segurança energética e expõe o país à volatilidade dos preços no mercado internacional”, disse um perito citado pela Caixin.


8

nacional

quinta-feira 29.3.2012

www.hojemacau.com.mo

Governo reforça investimento na área científica

Mais investigação e credibilidade O

Tribunal de Hong Kong revoga decisão sobre residência permanente

Revés para 290 mil empregadas

U

M tribunal de Hong Kong revogou ontem uma decisão histórica sobre um pedido de residência permanente de uma filipina, que abria a porta a que milhares de empregadas domésticas estrangeiras pedissem o mesmo estatuto. “Compete à autoridade de Governo decidir se a extensão do estatuto de residente permanente deve ser concedida a estrangeiros”, escreveu o juiz Andrew Cheung na sentença de 66 páginas, aceitando o recurso do governo contra a decisão judicial anterior. A 30 de Setembro, um outro tribunal determinou que a empregada doméstica de origem filipina Evangeline Banao Vallejos tinha o direito de requerer o estatuto de residente permanente, algo negado às empregadas estrangeiras até então. O governo de Hong Kong contestou a decisão, invocando que as autoridades tinham poder para decidir quem era elegível

para obter o estatuto de residente, rejeitando os argumentos que as restrições sobre as empregadas domésticas eram inconstitucionais e discriminatórias. Um painel de três juízes do Tribunal de Recurso aceitou agora o argumento por unanimidade, invocando que a primeira decisão judicial não pode substituir a autoridade do governo para decidir quem pode ter o estatuto de residente na cidade e quem não pode.

PRINCÍPIO FUNDAMENTAL

A decisão constitui um revés para dezenas de milhares de empregadas domésticas estrangeiras que poderiam ser consideradas elegíveis para o estatuto de residente se o caso Vallejos terminasse favoravelmente para a empregada. “É um princípio fundamental no direito internacional que um estado soberano tem o poder de admitir, excluir e expulsar os estrangeiros”, escreveu o juiz Cheung. O juiz considerou que “a es-

tada das empregadas domésticas estrangeiras em Hong Kong cumpre um propósito muito especial e limitado, que é o de executarem um trabalho que não pode ser preenchido por trabalhadores locais”. Os advogados de Evangeline Banao Vallejos não estavam presentes na leitura da sentença, mas já indicaram que irão levar o caso ao mais alto tribunal de Hong Kong, o Tribunal de Última Instância, se necessário.

A MAIORIA

De acordo com a Lei Básica de Hong Kong, qualquer estrangeiro a “residir regularmente” e durante sete anos consecutivos em Hong Kong pode pedir o estatuto de residente permanente. As leis de imigração excluem, no entanto, as 292.000 empregadas domésticas estrangeiras, argumentando que não podem ser reconhecidas como “residentes regulares”, disposição contestada pelos advogados de Vallejos. Evangeline Banao Vallejos começou a trabalhar em Hong Kong em 1986, tendo interposto uma acção em tribunal depois de o seu pedido de residente permanente ter sido rejeitado. Em Hong Kong, tal como em Macau, a maioria das empregadas domésticas é oriunda das Filipinas e da Indonésia. Na antiga colónia britânica, com uma população de 7,1 milhões de habitantes, trabalham 120.000 naturais das Filipinas num universo de 290.000 empregadas estrangeiras.

Pequim aumenta multas sobre tabaco Os fumadores que violarem a proibição de fumar em Pequim serão punidos com multas até cerca de MOP 250, segundo o projecto anti-tabaco que está a ser submetido a consulta pública e deverá estar concluído no fim de Abril. O projecto define multas entre cerca de MOP 60 e 250 por fumar em locais públicos como restaurantes, museus e hospitais, onde o fumo é proibido desde 2008. A multa actual é de MOP 12. O regulamento também exige que os distribuidores de tabaco suspendam temporariamente suas vendas no Dia Mundial Sem Tabaco, a 31 de Maio de cada ano. A China tem 300 milhões de fumadores.

governo chinês planeia destinar mais de MOP 15 mil milhões do orçamento central à Fundação Nacional de Ciência Natural (FNCN) do país, de acordo com o director da organização. “Tentando fomentar tanto a investigação básica como a de vanguarda, a fundação fará mais esforços para impulsionar a inovação e promover talentos na área das ciências, a fim de desempenhar um papel importante no apoio e na orientação do desenvolvimento social e económico do país”, disse o director da FNCN, Chen Yiyu, numa reunião realizada nesta terça-feira. A FNCN puniu 24 pessoas por comportamentos impróprios no sector das ciências no ano passado, como parte dos esforços da organização para fortalecer a sua credibilidade.

Uma investigação feita pela Associação Chinesa de Ciência e Tecnologia em 2009 desencadeou uma onda de preocupações sobre fraudes académicas no país. O relatório da associação mostrava que quase metade dos profissionais em institutos de pesquisa, universidades, instituições médicas e hospitais consideravam “comum” a fraude académica. Num caso famoso ocorrido no ano passado, o Ministério da Ciência e Tecnologia anulou o Prémio Estatal de Progresso Científico e Tecnológico, a mais alta distinção académica do país, dado a Li Liansheng, então professor da Universidade Jiaotong de Xi’an, depois de descobrir que o seu projecto premiado era um plágio de outros trabalhos.

Jovem tibetano que se imolou pelo fogo morreu ontem

China acusa dalai lama

O

jovem tibetano que se imolou pelo fogo na segunda-feira em Nova Deli, em protesto contra a visita à Índia do presidente chinês, Hu Jintao, morreu ontem de manhã no hospital, informou um activista. Jamyang Yeshi, de 26 anos, estava hospitalizado com queimaduras em 90% do corpo. A China tinha acusado esta terça-feira o dalai lama de estar por trás da imolação pelo fogo do jovem tibetano. O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Hong Lei, não apresentou qualquer prova ligando o líder espiritual tibetano ao exilado que correu em chamas numa manifestação na capital da Índia. Hong Lei disse que o dalai lama e os seus apoiantes têm instigado a independência do Tibete e criado “agitação” e que isso mostra que planearam a imolação de segunda-feira. “Estes actos que visam conseguir a independência do Tibete e o separatismo através da morte de pessoas nunca serão bem sucedidos e serão condenados severamente pela comunidade internacional.” Cerca de 30 protestos do mesmo tipo ocorreram no último

ano na China em zonas onde está concentrada a etnia tibetana. O auto declarado governo tibetano no exílio rejeitou as acusações do governo chinês e divulgou declarações desencorajando a imolação pelo fogo.

NEGAÇÃO

“No interesse a longo prazo da causa tibetana, exortamos os tibetanos a concentrarem-se na educação secular e monástica para se conseguirem os recursos humanos necessários e a capacidade para fortalecer e apoiar o nosso movimento”, disse o grupo numa declaração divulgada na Internet. “Mais uma vez, lembramos aos tibetanos para se absterem de acções drásticas.”


quinta-feira 29.3.2012

região

www.hojemacau.com.mo

9

Ministra da Justiça de Timor-Leste garante que irá responder a acusações em tribunal

Corrupção e abuso de poder

A

ministra da Justiça de Timor-Leste, Lúcia Lobato, garantiu ontem que no dia 23 de Maio estará no Tribunal Distrital de Díli para ser julgada por alegados crimes de corrupção, abuso de poder e falsificação de documentos. “Agradeço aos deputados por votarem e suspenderem as minhas funções para ir a tribunal”, disse Lúcia Lobato, numa conferência de imprensa em Díli, salientando, contudo, não perceber a razão pela qual estará suspensa do cargo por dois meses. “No dia 23 de Maio estarei no tribunal para julgamento.” No passado dia 20, o Parlamento timorense aprovou a suspensão da ministra, pedida pelo Tribunal Distrital de Díli para dar início ao julgamento, que esteve inicialmente marcado para 14 de Março. No entanto, a falta de quórum no parlamento para a aprovação da suspensão da ministra obrigou o tribunal a adiar o julgamento para dia 23 de Maio. “A suspensão é para prosseguimento dos autos no tribunal. Portanto, qual é a razão de me suspenderem de imediato a 20 de Março, apesar do julgamento estar marcado para daqui a dois meses?”

POLITIZAÇÃO

Em comunicado distribuído no final da conferência de imprensa, a ministra da Justiça “repudia” o que considera ser a “politização do processo judicial em que é arguida” e lamenta o “aproveitamento político que tem vindo a ser feito pelos mais variados sectores da sociedade timorense”. “Note-se que não é por casualidade que o culminar desta situação acontece muito próximo do período eleitoral e na sequência de uma vitória política do Governo, com a aprovação no Parlamento do Pacote de Lei de Terras.” O Pacote de Lei de Terras foi recentemente vetado pelo Presidente da República, Ramos Horta, que o devolveu ao parlamento para reapreciação. Questionada sobre esta devolução, a ministra disse que recebeu através do parlamento nacional uma cópia do documento. “Estou a preparar-me para ir ao parlamento, que irá agendar novamente a lei para finalmente ser votada. Não se sabe se vamos conseguir os 33 votos, mas o parlamento vai ter de discutir a lei para confirmar ou não o diploma e enviá-lo novamente ao Presidente da República.”

TEOR DA ACUSAÇÃO

Sobre se é possível a sua presença no parlamento, estando com as

funções suspensas, a ministra da Justiça disse que são os “deputados que devem resolver essa questão”. “Eu quero ir ao parlamento porque fui eu que preparei este projecto (...) É uma questão política e acho que devo de ir ao parlamento. Agora cabe aos deputados definirem essa questão.” Segundo o despacho do Tribunal Distrital de Díli, a que a Lusa teve acesso, a acusação pública

é deduzida contra Lúcia Lobato e contra um homem identificado como António de Araújo Freitas. O despacho refere também que os arguidos são “acusados do crime de corrupção, abuso de poder e de falsificação de documento”, nomeadamente por favorecimento em concursos públicos para a construção de conservatórias de registo civil em vários distritos.

Terminou em Seul a II Cimeira de Segurança Nuclear

A

Todos contra terrorismo

cimeira sobre segurança nuclear de Seul pediu ontem uma acção vigorosa à escala nacional e internacional para anular a grave ameaça do terrorismo nuclear, de acordo com o comunicado final. «O terrorismo nuclear continua a ser uma das maiores ameaças para a segurança internacional», declararam os 53 países participantes nesta cimeira bianual, que começou na segunda-feira em Seul, com a presença do presidente norte-americano, Barack Obama. «Resolver esta ameaça necessita medidas vigorosas à escala de cada país e uma cooperação internacional dado o seu potencial em termos de consequências políticas, económicas, sociais e psicológicas.» O comunicado final omitiu a necessidade de «etapas concretas» para um mundo sem armas nucle-

ares, uma frase que figurava no projecto de comunicado, datado de 21 de Março, de acordo com a agência noticiosa francesa AFP. Os dirigentes contentaram-se em «reafirmar os objectivos partilhados relativamente ao desarmamento nuclear, de não proliferação nuclear e utilização pacífica da energia nuclear».

VIGIAR MATERIAIS

Os representantes dos 53 países insistiram «na responsabilidade dos Estados, de acordo com as obrigações nacionais e internacionais, de manter a segurança de todo o material nuclear», para que possam impedir a aquisição destes materiais para fins criminosos. O «material nuclear» inclui o material usado nas armas e centrais nucleares sob controlo dos estados.

Os participantes «reafirmaram que estas medidas para reforço da segurança nuclear não serão um entrave ao direito dos estados de desenvolver e utilizar a energia nuclear com fins pacíficos». Os dirigentes sublinharam também a necessidade de vigiar a segurança dos stocks de urânio altamente enriquecido e de plutónio, duas substâncias que permitem o fabrico de armas nucleares.

REUNIÃO NA HOLANDA

O comunicado encoraja os Estados que possam fazer o anúncio voluntariamente, até 2013, a acções específicas para minimizar a utilização de urânio e plutónio, através da conversão de reactores que funcionavam com aqueles elementos para reactores com urânio empobrecido - que não entra na composição de armas nucleares.

Além dos 53 países, a cimeira de Seul contou com a participação de quatro organizações internacionais: Interpol, Agência Internacional para a Energia Atómica, União Europeia e Nações Unidas. A próxima reunião deste tipo, a terceira depois da de Washington em 2010 e da de Seul, decorrerá em 2014 na Holanda.

Coreia do Sul e Espanha promovem cooperação económica e comercial

A nova dupla

O

primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, terminou ontem a sua deslocação a Seul com um encontro com o presidente sul-coreano, Lee Myung-bak, durante o qual acordaram promover a cooperação económica e comercial entre os dois países. Rajoy salientou durante o encontro que a defesa da economia e das empresas são uma prioridade da política externa espanhola e acordou com o presidente sul-coreano a promoção da cooperação económica e comercial bilateral, de acordo com fontes do Executivo

espanhol citadas pela agência Efe. Segundo as mesmas fontes, a reunião esteve centrada na análise da situação económica internacional e na educação. Rajoy explicou a Lee as reformas que o seu Governo está a desenvolver e elogiou o “exigente” sistema educativo da Coreia do Sul. Durante o encontro, o presidente sul-coreano convidou o rei Juan Carlos a visitar a Coreia do Sul no próximo ano e Rajoy convidou Lee a visitar Espanha, de acordo com as fontes citadas pela Efe.


10

história

www.hojemacau.com.mo

Muralha da China comemora 25 anos de Património Mundial da UNESCO

Quilómetros de história

A

Grande Muralha da China comemora este ano um quarto de século como Património Mundial da UNESCO. Inscrita em 1987, a muralha, que tem uma extensão de quase nove mil quilómetros, é uma impressionante estrutura de arquitetura militar de defesa construída durante a China Imperial. A construção, erguida ao longo de várias dinastias e dois milénios - começou no ano 221 a.C com termino no século XV, durante a Dinastia Ming -, consiste constitui um símbolo da China e uma procurada atração turística. As suas diferentes partes distribuem-se entre: o Mar Amarelo (litoral Nordeste da China), o deserto de Góbi e, a Mongólia (a Noroeste). Apesar da magnitude da obra, esta não impediu as in-

cursões de mongóis, xiambeis e outros povos que ameaçaram o império chinês ao longo de sua história. Por volta do século XVI perdeu a sua função estratégica, vindo a ser abandonada a partir de 1664, com a expansão chinesa na direcção norte na dinastia Qing. No século XX, na década de 80, Deng Xiaoping priorizou a Grande Muralha como símbolo da China, estimulando uma grande campanha de restauração de diversos trechos que, entretanto, foi questionada. A requalificação do monumento para o turismo sem normas para o seu adequado usufruto, aliado à falta de critérios técnicos para a restauração de alguns trechos gerou várias críticas por parte de preservacionistas, que estimam que cerca de dois terços do total do monumento estejam em ruínas.

Por não se tratar de uma estrutura única, as características da Grande Muralha variam de acordo com a região em que os diferentes troços se inscrevem. Devido a diferenças de materiais, condições de relevo, projectos e técnicas de construção, e mesmo da situação militar vivida por cada dinastia, os trechos da muralha apresentam variações. Em 1986, a China inscreveu na Lista do Património Mundial da UNESCO, entre vários monumentos, a Muralha da China, nomeação aprovada pelo Comité do Património Mundial em 1987. A Muralha da China após concurso informal internacional em 2007, foi considerada uma das Novas Sete Maravilhas do Mundo. Segundo anunciaram cientistas chineses em Abril de 2009, o comprimento total da muralha é de 8.850 km.

quinta-feira


a 29.3.2012

www.hojemacau.com.mo

PUB

hist贸ria

11


12

vida

quinta-feira 29.3.2012

www.hojemacau.com.mo

Investigadores chineses e brasileiros descobrem pterossauros

Réptil voador tinha residência chinesa

A

INDA não dá para dizer se era um sertanejo de origem chinesa ou um chinês com vocação para sertanejo, diz a versão online do Folha de São Paulo. De qualquer modo, sabe-se que um réptil voador recém-descoberto no Extremo Oriente é parente próximo dos que habitavam o interior do Nordeste do Brasil na era dos dinossauros. O protagonista da história é o pterossauro guidraco venator, cujo esqueleto fossilizado (e até as fezes) foram encontrados na região de Liaoning, noroeste da China. Entre os “pais” científicos da criatura estão Xiaolin Wang, da Academia Chinesa de Ciências, e o brasileiro Alexander Kellner, do Museu Nacional da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

A

S pessoas com diabetes tipo 2, com peso acima do normal e obesas, podem ver uma solução mais eficaz para a doença com dois tipos de cirurgias ao sistema digestivo. Esta conclusão foi publicada num estudo, esta segunda-feira, na revista norte-americana The New England Journal of Medicine. O trabalho, conduzido na Clínica de Cleveland, mostrou que, ao fim de um ano, os pacientes que fizeram as cirurgias tinham três vezes mais probabilidades de controlar a diabetes do que o grupo que foi tratado com medicamentos. “Em apenas dias ou horas depois da cirurgia – antes de haver diferenças de peso mensuráveis –, vimos mudanças drásticas”, disse Philip Schauer, director do Instituto Bariátrico e Metabólico da Clínica de Cleveland, que liderou os ensaios clínicos. “A maioria dos pacientes [que fez a cirurgia] deixou o hospital com níveis normais de açúcar no sangue. No entanto, isto não foi tão eficiente nas pessoas que tiveram diabetes durante muitos anos.” A diabetes de tipo 2 está associada a uma má alimentação. Os doentes deixam de conseguir metabolizar o açúcar no sangue, o que pode provocar vários problemas, como ataques cardíacos. É diferente da diabetes do tipo 1, que tem causas congénitas e acontece em crianças ou jovens. O estudo integrou 150

O paleontólogo brasileiro, um dos principais especialistas em pterossauros do mundo, já descreveu outras espécies em parceria com colegas chineses. A descoberta “é um exemplo da falta de conhecimento que ainda temos sobre esses animais”.

FISIONOMIA

Medindo cerca de três metros de uma ponta à outra das asas (mais ou menos o mesmo que uma grande águia), o guidraco venator tinha dentes pontiagudos que escapavam para fora da boca mesmo quando ele a fechava. E, a julgar pelas fezes petrificadas que os cientistas acharam perto do esqueleto, era um apreciador de peixe (dieta bastante comum entre pterossauros).

Outros grupos de répteis alados encontrados na China também estão presentes na chapada do Araripe (Ceará, Pernambuco e Piauí), a meca brasileira dos pterossauros, mas esses bichos são relativamente cosmopolitas, sendo achados também em África, por exemplo. No entanto, o guidraco venator é quase uma espécie-irmã de um bicho que só aparece no Araripe, o ludodactylus. A idade dos animais também é semelhante - em torno de 120 milhões de anos, embora as datações no Brasil sejam menos precisas, diz Kellner. Uma das possibilidades, afirma o paleontólogo, é que os vários tipos de pterossauros tenham surgido na China, onde a diversidade é maior, e voado rumo ao Brasil.

Bypass gástrico controla mais eficazmente

Cirurgias são solução para diabéticos tipo 2

pacientes, três quartos dos quais eram mulheres, com um índice de massa corporal (IMC) entre 27 e 43. Indivíduos cujo resultado esteja acima de 25 têm um peso acima do normal e se o resultado for acima dos 30 são considerados obesos.

NÚMEROS ELUCIDATIVOS

Os 150 pacientes foram divididos em três grupos, um fez um bypass gástrico, em que parte do sistema digestivo foi redireccionado unindo-o a uma região mais avançada do intestino delgado, de modo a reduzir o comprimento do tubo digestivo e a quantidade de nutrientes absorvidos pelo organismo. Outro grupo fez uma operação ao estômago, reduzindo-o para um quarto do tamanho original. O terceiro grupo fez o tratamento químico mais avançado para a diabetes que não utiliza insulina. O objectivo do estudo era

reduzir os níveis de açúcar no sangue abaixo de um certo valor. Para verificar isso, os investigadores utilizaram um teste que mede a quantidade de açúcar ligado aos glóbulos vermelhos, o que permite saber o nível de açúcar no organismo nos últimos dois a três meses. Segundo a investigação, 42% dos pacientes que fizeram o  bypass  gástrico conseguiram atingir os níveis saudáveis, enquanto nos que fizeram a cirurgia ao estômago só 37% atingiram esses valores. Apenas 12% daqueles que tomaram os medicamentos tiveram resultados semelhantes. “Este estudo mostra, nos grupos de pacientes que não conseguem controlar a diabetes, que a cirurgia é mais eficiente do que os medicamentos”, disse Schauer. “Mais médicos que tratam a diabetes vão pensar na cirurgia para os seus pacientes.”

Sabia que... ... o frigorífico é, entre todos os electrodomésticos o que consome mais energia: 2000 kWh

por ano? Mas este número pode variar em 50% consoante o modo como é utilizado.


quinta-feira 29.3.2012

vida

www.hojemacau.com.mo

13

Gripe é mais perigosa em doentes com alteração do gene IFITM3

Mutação genética propicia infecções

F

OI a primeira vez que se encontrou um gene directamente responsável pela vulnerabilidade a infecções. Uma mutação no gene humano IFITM3 foi associada a uma maior vulnerabilidade a infecções virais, em particular à gripe, segundo estudo publicado na revista Nature. A mutação mostrou-se mais frequente em doentes graves, hospitalizados devido à estirpe H1N1, durante a pandemia de 2009, do que na população normal. “As doenças infecciosas são elas próprias genéticas”, disse Kenneth Baillie, da Universidade de Edimburgo, um dos autores que assinou o artigo, citado pela BBC News. “Esta foi a primeira observação de um gene que leva à susceptibilidade da gripe. Pensamos num vírus como algo que nos infecta ou não. Mas, de facto, sabemos que a probabilidade de se contrair uma doença infecciosa é

A

tripulação da ISS (Estação Espacial Internacional) teve de se refugiar em cápsulas de fuga de emergência temendo uma colisão com um pedaço de lixo espacial. O pedaço descartado de um foguete russo foi detectado sexta-feira passada, quando já era tarde demais para mover a ISS. A NASA (agência espacial americana) afirmou que o objecto não chegou a aproximar-se tanto da estação a ponto de constituir uma ameaça, mas acrescentou que era preciso tomar medidas de precaução. Com frequência, a ISS enfrenta o risco de ser atingida por lixo especial. Em Junho, um detrito chegou a 335 metros da plataforma espacial. Segundo a agência espacial russa, o pedaço de foguete no último sábado passou a uma distância bem menor, a 23 quilómetros.

REFÚGIO DE EMERGÊNCIA

A tripulação hoje é composta pelos russos Oleg Kono-

passada nas famílias de uma forma mais forte do que o cancro ou as doenças cardíacas.”

PROTEÍNA PERDE FUNÇÃO

A equipa começou por estudar o efeito deste gene em ratinhos. Estes

agentes patogénicos dependem da maquinaria celular para se replicar: entram na célula, inserem o seu ADN no meio dos cromossomas humanos e põem a maquinaria celular a produzir material genético e proteínas que se agregam,

formando novos vírus. Depois, os agentes saltam fora da célula destruída, prontos para repetir a táctica e continuarem a infecção. No caso da gripe, o IFITM3 começa a ser expresso no tecido dos pulmões quando o sistema imunitário dá sinais da existência do vírus. Nos ratinhos mutantes que tinham este gene disfuncional, uma simples gripe era muito mais letal. Em comparação com ratinhos normais, o vírus penetrava mais no tecido dos pulmões, tinha uma replicação dez vezes maior e causava pneumonia como nas situações mais severas de gripe. Os ratinhos emagreciam muito e ficavam à beira da morte.

VULNERABILIDADES

No caso da pandemia H1N1, 53 doentes estudados foram para o hospital, no Reino Unido, com situações graves de gripe. Este

Estação Espacial Internacional teme colisão com detritos

Lixo espacial “ataca” tripulação nenko, Antonb Shkaplerov e Anatoli Ivanishin; os americanos Donald Pettit e Daniel Burbank, e o holandês André Kuipers, da Esa (Agência Espacial Europeia). A equipa recebeu ordens de se refugiar em duas cápsulas Soyuz na eventualidade de a estação ser atingida, mas um porta-voz da NASAinformou que eles receberam o sinal verde para regressar à estação na madrugada do sábado. O ‘’exercício de abrigo’’, segundo o porta-voz, foi realizado ‘’com extremo zelo e de forma muito cuidadosa’’. Ele acrescentou que tudo ocorreu ‘’como manda o figurino e o pequeno detrito passou pela ISS sem que houvesse incidentes’’. A NASA está actualmente a investigar cerca de 22 mil objectos na órbita terrestre, mas a agência es-

grupo tinha uma frequência 17 vezes maior de uma mutação não funcional do gene IFITM3 do que a população caucasiana europeia. Os investigadores acreditam que a versão alterada do gene poderá causar uma proteína mais pequena ou diminuir a abundância da molécula. Uma das primeiras barreiras contra este vírus fica comprometida. Apesar de a mutação só aparecer numa parcela pequena dos doentes graves infectados pelo vírus H1N1, não explicando todas as situações, Abraham Brass, cientista da Universidade de Havard que liderou a investigação, diz que estes resultados sugerem que “indivíduos e populações com uma actividade menor do gene IFITM3 podem correr um risco acrescido durante uma pandemia, e que o IFITM3 pode ser vital para defender as populações humanas contra outros vírus como a gripe aviária”.

pacial acredita que possam existir milhões de objectos rondando o espaço, como consequência de décadas de programas espaciais.

CHINA DESTRUIU SATÉLITE

Os detritos variam de tamanho, podendo ser desde pequenos objectos com menos de um centímetro de comprimento até grandes pedaços de foguetes, satélites fora de serviço ou tanques de combustível descartados. Todos estes detritos que constituem o lixo espacial viajam a velocidades de vários quilómetros por segundo e, numa eventual colisão, podem provocar sérios danos à plataforma espacial ou a satélites. Um dos eventos que provocou a maior criação de detritos deu-se em 2007, quando a China usou um míssil para destruir um de seus próprios satélites. A explosão criou mais de 3.000 detritos, que puderam ser rastreados, e outras 150 mil partículas.

*NOTA DA REDACÇÃO A partir do mês de Abril, o Hoje Macau vai substituir a rubrica “Click Ecológico” por outra, intitulada “Macau sã assado”. O desafio serve para mostrar diversos aspectos do quotidiano caricato do território. Os nossos leitores ficam assim convidados a enviar fotos para o e-mail info@hojemacau.com.mo, em assunto “Macau sã assado” e uma breve legenda. As fotos devem retratar os momentos mais engraçados e insólitos do dia-a-dia de Macau e deverão ser identificadas com o nome do seu autor.


desporto

quinta-feira 29.3.2012

www.hojemacau.com.mo

ANTÓNIO FALCÃO

14

André Couto quis levar sorrisos às crianças de Macau. Hospital não deixou

São Januário negou visita

O piloto já está no Japão para mais um campeonato de Super GT, onde vai continuar a visitar hospitais pediátricos para levar um sorriso a quem está doente. Em Macau, acusa a direcção do Conde São Januário de recusar receber a sua iniciativa Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

Q

UE expectativas coloca em mais um campeonato? Estou no Japão há muitos anos, já sei o que é preciso fazer para correr tudo bem. O campeonato deste ano é bastante competitivo. Vou correr com um Lexus, que conheço bem. Sempre fui piloto na Toyota. Portanto já não há grandes novidades. Não. Mas é a primeira vez que estou a usar uns pneus diferentes. Vou correr com uns da Yokohama, numa equipa oficial. Até agora, nos testes de Inverno, as coisas têm corrido bem, inclusivamente à chuva.

Ainda não sabemos quem é que está forte, porque nos testes de Inverno as equipas escondem um pouco as armas. Nesta primeira corrida é que podemos ver a competitividade do carro e dos pneus. Vai melhorar a marca conseguida o ano passado? É sempre um objectivo. No ano passado tivemos um inicio de temporada um pouco difícil, mas acabámos na última corrida em terceiro, com um pódio. Queria fazer uma boa temporada e umas corridas onde o carro anda bem. Há circuitos que são melhores para uma marca do que para outras. Se o nosso carro for forte, se estiver com a temperatura ideal para os pneus funcionarem bem, nesse é que temos de capitalizar a 100%. Neste momento é mesmo ver

corrida a corrida para conseguirmos o máximo de pontos possível. Vai correr ao lado de Seiji Ara. Como funciona a equipa? É um bom piloto, bastante conceituado no Japão, e nestes testes de Inverno tenho-me dado bem com ele. Fala inglês e já correu muitas vezes na Europa, entende melhor o europeu. Os testes de inverno foram realizados no Japão? Uns na Malásia, em Saipang, porque também era importante testar no calor. O resto dos testes foram feitos no Japão. Já fizemos cerca de uns dez dias de testes. Está bem preparado, portanto. Sim. As equipas conceituadas estiveram sempre a treinar, estamos

sempre iguais, não tenho vantagens em relação aos outros. Tenho é a lógica de uma pessoa que testa bastante, que nunca perdeu a forma. A nível físico e a nível de corridas. A preparação mental é mais importante? Os níveis de confiança têm de estar sempre lá em cima. Um carro de G3 não é fácil guiar e se ficar parado durante muito tempo perco o ritmo. Fiquei logo no pico de forma e não saí de lá. Este ano também tive sorte com a equipa da Yokohama, que está sempre a treinar, para ver a qualidade dos pneus. Estou mais vezes sentado no carro do que alguns pilotos, é uma vantagem. Só para dar uma ideia, quando terminou o último Grande Prémio (GP) de Macau, na semana seguinte já estava a treinar no Japão.

Afirmou que ia tentar arranjar um patrocinador mais forte para levar para o Japão. Conseguiu? Ainda não. Então como funciona em termos de apoios? Está um pouco complicado. Espero apoio do Governo de Macau, mas têm umas regras que não funcionam muito bem. Não é difícil ver quem são os pilotos de Macau, com algum talento e que conseguem correr em corridas decentes, e não em campeonatos que não interessam a ninguém. Há alguns pilotos de Macau que mereciam ter mais apoios. E não é assim porquê? O que acontece é que metem todo o tipo de pilotos num saco, amadores ou não, nomeadamente os que correm duas vezes na China e fazem desporto automóvel para se divertirem. As pessoas responsáveis têm que ter mais conhecimento sobre corridas e não tomar decisões politicamente correctas. Isso não vai desenvolver o desporto, vê-se que não há novas gerações. E mesmo as que estão no pico da carreira, de repente tiram-lhes o tapete. Fazem as regras só mesmo para satisfazer todos os pilotos de Macau, quando devia existir uma diferença.


quinta-feira 29.3.2012

Estão a tirar-lhe o tapete? Sim, claro. É esquisito no ano passado ter recebido menos do que outros pilotos. Alguns receberam mais do que um milhão, eu recebi simplesmente 300 e tal mil. E pilotos que correm na China, ao lado. Há qualquer coisa nos regulamentos que não está bem. Referiu as competições feitas por divertimento. É o caso do GP de Macau, que se tornou a bandeira de uma cidade que quer ser o centro de turismo e lazer? A nível de competição o GP está muito bem. Tem um excelente nome e é muito conceituado internacionalmente. O que há a fazer é melhorar sempre na parte do divertimento e envolver mais as pessoas. No Japão e nos outros circuitos, e mesmo na Fórmula 1, há mais actividades durante aquele fim-de-semana. Uma pessoa vai ao GP de Singapura e não tem nada a ver, a cidade transforma-se mais. Quem está a participar em Macau, dentro do circuito, sente a mudança na cidade, mas poderia haver mais coisas. Concertos à noite, uma grande festa.

Espero apoio do Governo de Macau, mas têm umas regras que não funcionam muito bem. Não é difícil ver quem são os pilotos de Macau, com algum talento e que conseguem correr em corridas decentes, e não em campeonatos que não interessam a ninguém. É esquisito no ano passado ter recebido menos do que outros pilotos. Alguns receberam mais do que um milhão, eu recebi simplesmente 300 e tal mil Mais do que o grande ecrã, que este ano esteve na praça do Leal Senado. Muito mais do que isso. Trazer artistas mundialmente conhecidos, como fazem em Singapura. Se queremos novas gerações, podíamos pegar nos miúdos. Se não podem entrar, como é que se vão interessar? Pelo menos no Japão já chegaram à conclusão que têm de envolver as famílias. Mas em Macau não podem, é difícil arranjar acessos. Podiam obrigar os pilotos, naquele período de tempo livre, a pôr os miúdos em contacto directo com eles, é assim que se cativa. Foi assim que começou a paixão pelo automobilismo? Foi. Mas eu quebrava o esquema. Naquela altura não me deixavam

desporto

www.hojemacau.com.mo

entrar, arranjava sempre maneira de furar até alguém me apanhar e pôr-me lá fora outra vez. Foi assim com esse contacto directo que ganhei o bichinho para correr. Voltando ao GP, já tem planos para este ano? Planos não tenho. Sei é que vou tentar correr no GP de Macau. O WTCC é uma possibilidade, mas ainda não sei. O campeonato de Super GT serve também para promover a sua campanha de angariação de dadores de medula óssea. Como está esse projecto? Já falámos com a organização do Super GT, que concordou e disse que ia apoiar. As marcas Toyota e

A nível de competição o GP de Macau está muito bem. Tem um excelente nome e é muito conceituado internacionalmente. O que há a fazer é melhorar sempre na parte do divertimento e envolver mais as pessoas. Concertos à noite, uma grande festa Nissan também estão envolvidas. Estamos a prever ter campanhas nos circuitos para chamar mais dadores. A Cruz Vermelha Japonesa leva lá um camião para fazer recolhas directamente no circuito. Há a campanha de distribuição de panfletos, porque o Super GT envolve muito o público, é um pouco diferente daqui. Também se fazem leilões, onde oferecemos um fato, capacete ou luvas, e esse dinheiro vai todo para centros de

medula óssea no Japão. Depois também vamos visitar os hospitais dos circuitos por onde passamos, como já fizemos nos anos anteriores. Focalizamo-nos mesmo nos miúdos e ficam muito contentes. O super GT tem muito merchadising das corridas e levamos jogos e carros de várias escalas. Não nos custa nada e as marcas também já entenderam isso. Nessas visitas aos hospitais vamos sempre três pilotos, da Toyota, Nissan e Honda.

15

Cá em Macau, no ano passado, debati-me com uma situação estranhíssima, porque queria fazer uma visita e disseram-me que não. Qual foi o hospital? Foi no Conde de São Januário. Queria visitar os dois hospitais. No Kiang Wu ficaram contentíssimos. Que argumentos utilizaram para a recusa? Acho que foi preguicite aguda. Tive um filho lá e realmente quem faz isto não merece sequer estar à frente do mundo hospitalar. A minha intenção era ir com mais gente e dar brinquedos.Acho muito estranho. O Conde São Januário, que eu achava ser o melhor hospital de Macau, disse logo que não. No Kiang Wu correu muito bem e fizeram-nos uma grande recepção, até com o director do hospital. Quantos hospitais é que já receberam a vossa campanha? Não tenho ideia. Individualmente também posso ir aqui ou ali. Gostava que o GP de Macau abraçasse uma causa qualquer, espalhar não custa nada. No ano passado já houve uma boa colaboração, onde dei uma ideia à organização: levar miúdos dos orfanatos ao GP, que não têm possibilidades de ver a prova. O objectivo foi levar os miúdos às boxes e a organização realmente ajudou-me. Conseguimos organizar, juntamente com o meu patrocinador, o transporte e o contacto com os orfanatos, e levámos quase 100 miúdos. Ainda não há um centro de medula óssea em Macau. É um projecto que faz falta? Sim. Macau poderia ser melhor em tudo. Há crise em Portugal e na Europa, mas aqui não há crise alguma e a cidade tem muitas falhas. Pior é difícil fazer. Há uma margem de progressão muito grande, não só no desporto.

Correr por uma causa O Hoje Macau contactou o hospital Conde São Januário para mais esclarecimentos, não tendo obtido, até ao fim da edição, qualquer informação. Recorde-se que o luso-macaense André Couto viu a sua vida transformar-se em Novembro de 2010, altura em que o seu filho Afonso, de sete anos, morreu vítima de leucemia linfoblástica aguda, no Hospital de São João, no Porto. O piloto iniciou na altura uma campanha internacional para encontrar um dador de medula compatível. O transplante realizou-se em Maio de 2010, mas o estado de saúde de Afonso deteriorou-se devido a uma infecção. Desde então, André Couto não parou de ajudar os mais pequenos.


16

cultura

quinta-feira 29.3.2012

www.hojemacau.com.mo

Wu Bai e Chen Sheng actuam em Macau

Canções de amor no Dia do Trabalhador O

Ute Lemper em Junho para concerto no CCM

O cabaret íntimo

O

Centro Cultural de Macau (CCM) apresenta a cantora Ute Lemper a 7 de Junho no Grande Auditório, num concerto íntimo com recreações de preciosas canções francesas retiradas dos repertórios de imortais como Jacques Brel e Édith Piaf, obras-primas alemãs de Bertolt Brecht e Kurt Weill, bem como uma passagem pelo tango com a música de Ástor Piazzolla. De acordo com a assessoria do CCM, “parecem não existir adjectivos suficientes para descrever esta aclamada actriz

A

e cantora alemã cujo percurso artístico e prémios falam por si”. Ute, que já venceu o prémio Cross Over de Artista do Ano atribuído pela revista Billboard e o prémio Laurence Olivier pelo seu desempenho no musical Chicago, traz a Macau a sua capacidade artística, que vai muito para além da interpretação de clássicos, uma vez que a “camaleónica” cantora, para além de cantar em cinco línguas, também compõe os seus próprios temas, como os que incluiu no álbum “But One Day”, lançado em 2003, para o qual também escreveu as letras.

candidatura do Cante Alentejano a Património Imaterial da Humanidade manifestou ontem publicamente, em Lisboa, a sua “indignação” pela não entrega do processo à UNESCO, em Paris, que deveria acontecer na próxima sexta-feira. O actor Nicolau Breyner, natural de Serpa, foi o rosto da candidatura, que na casa do Alentejo leu um comunicado em que se afirma que “adiar a entrega de um excelente e bem fundamentado documento é exigir aos portugueses que continuem a desbaratar dinheiros públicos durante não se sabe quanto tempo”. A comissão executiva da candidatura afirmou ontem claramente que não concorda “nem com a opinião do embaixador António Almeida Ribeiro [presidente da Comissão Nacional da UNESCO] nem com as razões por ele invocadas”.

2012 marca, assim, a sua muito aguardada estreia em Macau. Para além do concerto, o CCM organiza um tertúlia pós-espectáculo conduzida em cantonense pelo músico Humphrey Cheong tendo como tópicos o estilo vocal e o programa do concerto. Esta sessão de entrada livre tem lugar na Sala de Conferências do CCM, uma hora antes do início do espectáculo. Os bilhetes, a vários preços e descontos estarão disponíveis nas bilheteiras do CCM e balcões da rede Kong Seng a partir do dia 1 de Abril de 2012.

Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) organiza, para comemorar o dia 1 de Maio, um concerto dedicado ao amor. Para isso convidou o famoso cantor de rock na Ásia, Wu Bai, e o cantor e autor tradicional, Chen Sheng, que, com estilos diferentes, se reúnem num espectáculo intenso e sensível. O concerto dará a conhecer criações originais sendo que a maior parte das melodias e letras das canções de Wu Bai e Chen Sheng são da sua autoria. “São também uma boa demonstração do espírito criativo pelo que são um bom incentivo à criação de música pop em Macau”, referiu o IACM em comunicado.

Wu Bai é cantor e, ao mesmo tempo, autor de música rock muito célebre por terras por onde se fala chinês, tendo as suas obras obtido inúmeros prémios. Editou 22 discos a solo e vendeu, na Ásia, cerca de dez milhões de discos. O concerto mundial itinerante que organizou em 2007, percorreu 11 cidades da Ásia e América, o que fez com que a sua alcunha – King of Live - ficasse conhecida mundialmente. Rara será a comunidade chinesa que não conhece as canções tradicionais de amor, cantadas por Chen Sheng. Ganhou os prémios Chinese Music Media Awards, Best Song Written for a Movie - Golden Horse Awards, Best Composer - Golden Me-

Candidatura do Cante Alentejano não foi entregue à UNESCO

Indignados também na cultura Fonte da Comissão Executiva da candidatura tinha dito anteriormente à Lusa que a Comissão Nacional da UNESCO, a quem cabe apresentar a candidatura na sede da organização, em Paris, optou por não avançar com a apresentação da candidatura sexta-feira, seguindo os pareceres de dois dos nove elementos da Comissão Científica. De acordo com uma mensagem que o presidente da Comissão Nacional da UNESCO, António Almeida Ribeiro, enviou por correio electrónico ao presidente da Comissão Executiva da candidatura, os pareceres dos dois membros da Comissão Científica

referem “claramente” e “sem quaisquer margens para dúvidas” que “não estão reunidas as condições mínimas para apresentação da candidatura” na sexta-feira e recomendam “o seu definitivo adiamento para 2013”.

ALENTEJANOS UNIDOS

Da Casa do Alentejo, os representantes da candidatura e 500 elementos de diferentes ranchos e grupos corais do Alentejo e da Área Metropolitana de Lisboa deslocam-se para o Ministério dos Negócios Estrangeiros, onde deverão ser recebidos pelo chefe de gabinete do ministro Paulo Portas

lody Awards, etc. Além disso, foi ainda escolhido para figurar entre os “Dez Homens mais atraentes do Ano” por Lianhe Wanbao e TVBS e foi eleito o “Representante da Música POP - Figura Cultural do Ano”, pela publicação The journalist. O concerto terá lugar, no dia 1 de Maio, às 15:00 horas, no Pavilhão I do Fórum de Macau. Não há marcação de lugares e os bilhetes serão vendidos por ordem de chegada. O primeiro dia de venda dos bilhetes ocorrerá no dia 1 deAbril, pelas 10:00 horas, nos locais de venda e na página electrónica da rede Kong Seng; o preço do bilhete é de MOP250. Quem possuir o BIR permanente pode adquirir o bilhete ao preço de MOP50.

e pelo presidente da Comissão Nacional da UNESCO. Esta reunião entre os representantes da candidatura e os responsáveis políticos foi decidida durante a manhã de ontem. O antropólogo Paulo Lima, membro da comissão científica da candidatura, disse à Lusa: “Não entendo as razões apresentadas para a não entrega do dossier, quer do ponto de vista científico, quer até da mobilização dos diferentes grupos de Cante Alentejano”. Questionado pela Lusa sobre se existiam algumas diferenças entre esta candidatura e a do fado, que saiu vitoriosa no ano passado, o antropólogo disse que a do Cante demonstrou até maior eficácia na medida em que havia “um século de investigações a menos”. Paulo Lima acrescentou: “este `Não` tem claramente outros interesses por detrás”.


quinta-feira 29.3.2012

[ ] Cinema

futilidades

www.hojemacau.com.mo

17

Cineteatro | PUB SALA 2

WRATH OF THE TITANS

WRATH OF THE TITANS [3D] [C] Um filme de: Jonathan Liebesman Com: Liam Neeson, Ralph Fiennes 14.30, 16.30, 19.30, 21.30 SALA 3

THE SECOND WOMAN [B]

(Falado em cantonense e mandarim legendado em chinês e inglês) Um filme de: Michael Sucsy Com: Channing Tatum, Rachel McAdams 14.30, 16.30, 19.30 SALA 1

THE HUNGER GAMES [C] Um filme de: Gary Ross Com: Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson 14.15, 16.45, 19.15, 21.45

A SIMPLE LIFE [A]

Aqui há gato

(Falado em cantonense legendado em chinês e inglês) Um filme de: Ann Hui Com: Andy Lau, Deannie Yip 21.30

VERTICAIS: 1-Doença da pele. Dar alabança (Ant.). 2-Pequeno poema da Idade Média. Estabelecimento fabril (Bras.). 3-Reparavam. Su-Sudoeste (abrev.). Conferir (abrev.). 4-Sacerdote budista (pl.). Dama de companhia. 5-Gazeante. 6-Constelação, o m. q. Orião. Sã e salva. 7-Cavadela. 8-Fedor (Bras.). Cidade japonesa. 9-Acusada. Uiva. Edifício em construção. 10-Tombada pelo próprio peso. Preposição e artigo (pl.). 11-Pestilência. Pundonor, generosidade.

SOLUÇÕES DO PROBLEMA

Su doku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: 1-Qualquer coisa a que se dirija o tiro. 2-Tomba. Dê traços, risque. 3-Ninho (Prov.). Planta lamiácea. Para este lugar. 4-Amargura, tristeza (Fig.). Umas (Arc.). 5-Bandolim. 6-Bastante, suficientemente. Já utilizada. 7-Cada uma das quarto réguas horizontais do tear destinadas, duas a duas, a conservar entre si uma série de lissas. 8-Parte da data. Alago. 9-Bário (s.q.). Une, ajunta. Prover de aba. 10-Ciumenta. Desgasta. 11-Coçara, gastara pelo uso. Facto, circunstância.

[Tele]visão TDM 13:00 13:30 14:30 18:20 19:00 19:30 20:30 21:00 21:30 22:15 23:00 23:35 23:45 00:40 01:15 01:45 02:55 05:00

TDM News - Repetição Jornal das 24h RTPi DIRECTO Lost Sr.5 (Perdidos Sr.5) Montra do Lilau (Repetição) Amanhecer Telejornal TDM Talk Show Castle Passione TDM News Resumo Liga dos Campeões Herman 2012 Reportagem Sic Telejornal (Repetição) RTPi DIRECTO Liga Europa: Sporting - Metalist Kharkiv (Directo) RTPi DIRECTO INFORMAÇÃO TDM

RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:30 Gostos e Sabores 15:00 Poplusa 16:00 Bom Dia Portugal 17:00 O Elo Mais Fraco 18:00 Vingança 18:45 Moda Portugal 2 19:20 Os Compadres 20:00 Jornal Da Tarde 21:20 O Preço Certo 22:00 Com Ciência 22:45 Portugal no Coração ESPN 30 13:00 14:00 16:30 18:00 19:30 20:00 20:30 21:00 21:30 22:00 22:30 23:00

America’s Cup Uncovered US Open 9-Ball C’ship 2011 Sec Women’s Gymnastics Championship 2012 Winter X Games (LIVE) Sportscenter Asia 2012 ABL 2012 Weekly H/L Global Football 2011 Inside WTCC Smash 2012 Sportscenter Asia 2012 ABL 2012 Weekly H/L Global Football 2011

23:30

Mundialito De Clubes - Beach Soccer Corinthians vs. Vasco De Gama

STAR SPORTS 31 13:00 The S-League Show 13:30 Smash 2012 14:00 Max Power 2012/13 15:00 European Mixed Team Championship 17:00 Sports Max 2011/12 17:55 Isle Of Man Tt 2011 18:55 FA Classics FA Cup 2010/11 Stevenage vs. Newcastle United 19:55 (LIVE) Asian Olympic Qualifiers Oman vs. Uzbekistan 22:00 Global Football 2011 22:30 Inside WTCC 23:00 (Delay) Score Tonight 2012 23:30 Total Rugby FOX MOVIES 40 12:05 The Incredibles 14:05 Sniper 2 15:40 Sniper 3 17:15 The Way Back 19:30 Surf’s Up 21:00 127 Hours 22:35 Perfect Catch 00:15 The Walking Dead HBO 41 12:00 13:40 15:00 16:15 18:00 20:25 22:00 00:00

Anger Management Green Lantern Luck Lottery Ticket Apollo 13 Ice Twisters Boardwalk Empire Up In The Air

CINEMAX 42 12:10 14:10 16:00 17:30 19:30 21:15 22:00 00:00

Blown Away Bird On A Wire The Werewolf Charade Starsky & Hutch Xiii The Book Of Eli Painkiller Jane

HORIZONTAIS: 1-ALVO. OCARAM. 2-CAI. TRACE. I. 3-NIAL. IVA. CA. 4-E. MAGOA. UAS. 5-U. MANDOLIM. 6-ASSAZ. USADA. 7-LISSEIRA. A. 8-ANO. ALACO. B. 9-BA. ADE. ABAR. 10-A. CIOSA. ROI. 22-RAFARA. CASO. VERTICAIS: 1-ACNE. ALABAR. 2-LAI. USINA. A. 3-VIAM. SSO. CF. 4-O. LAMS. AIA. 5-T. GAZEADOR. 6-ORION. ILESA. 7-CAVADURA. A. 8-ACA. OSACA. C. 9-RE. ULA. OBRA. 10-A. CAIDA. AOS. 11-MIASMA. BRIO.

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA UMA FAZENDA EM ÁFRICA • João Pedro Marques

Uma Fazenda em África acompanha a vida e as histórias dos primeiros colonos numa terra brutal, trazendo à superfície os sucessos e desaires, os perigos e as surpresas da sua fixação num território inóspito e selvagem. Baseado numa investigação histórica meticulosa e tendo como pano de fundo a colonização de Moçâmedes, este novo romance de João Pedro Marques levanos por uma África simultaneamente enternecedora e inclemente, carregada de exotismo e em cujos trilhos a aventura e o amor caminham de mãos dadas.

MANUAL DA GRAVIDEZ SEMANA A SEMANA • Vários

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição SOLUÇÃO DO PROBLEMA DO DIA ANTERIOR

Enfrentar mudanças profundas e duradouras, por mais belas que elas sejam, pode ser assustador! Quaisquer que sejam as suas interrogações, medos ou ansiedades, não encontrará um guia mais útil do que este “Manual da Gravidez - semana a semana”. Escrito por uma equipa de especialistas, este livro inclui informações detalhadas sobre a evolução do seu bebé, conselhos sobre o parto e nascimento para além de inúmeras dicas úteis que a ajudarão a manter a boa forma física e o bem-estar emocional durante toda a sua gravidez.

RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

ESCREVEREMOS SEMPRE ALÉM DOS BASTÕES Poderia aqui escrever as linhas iniciais de uma história. O dia estaria a raiar e Patrícia de Melo Moreira pegava na sua máquina fotográfica para captar pedaços da realidade de uma greve geral. José Goulão fazia a mesma coisa. Poderiam ser histórias de dias a começar de forma diferente, mas quis os destinos que se cruzassem da pior forma. O bastão de um polícia é, por vezes, a coisa mais injusta do mundo, e naquele dia soalheiro a injustiça varreu a calçada do belo Chiado, em Lisboa. Se tirar fotografias de uma manifestação, em trabalho e com a devida identificação, origina tamanha violência, então já não sei o que mais resta da Democracia em Portugal. Mais do que as bastonadas, as explicações da policia e aquelas “politicamente correctas” dos políticos e restantes organismos doem sempre mais. Em Macau vivemos uma democracia peculiar, muitas vezes falsificada por demais artifícios, mas vivemola. Escrevesse o que se quer. Alguns silêncios que acontecem porque muitas vezes esquecem-se que o português (ainda) é oficial aqui. Mas a RAEM também já teve os seus casos peculiares de injustiça. De uma democracia distorcida. Recordo-me dos dois jornalistas de Hong Kong que não passaram da fronteira, dos colegas que foram apanhados na violência originada pela polícia num primeiro dia de Maio, ou de outro que foi impedido de fotografar um agente da autoridade. Senhores polícias, nunca tenham medo da liberdade de escrever e de retratar um pedaço de vida através das imagens. Tenham medo de quem atenta contra a vida pessoal de alguém, de quem mata ou viola, e usem aí o vosso bastão vezes sem conta. Não nos jornalistas. Porque eles escrevem sempre para além dos bastões. E a quem um dia escreveu num diário português que a liberdade de contar histórias aos outros estaria condicionada, tenho aqui a dizer que não é verdade. Mas que há histórias estranhas, há.

Pu Yi


18

opinião

www.hojemacau.com.mo

quinta-feira 29.3.2012

Mato, logo existo Dominique Moïsi* in PÚBLICO

É

preciso lutar contra os terroristas e contra as causas do terrorismo com a mesma determinação”. Essa fórmula, inventada há dez anos, no rescaldo dos ataques terroristas de 11 de Setembro de 2001, por líderes tão diversos como Javier Solana, então secretário-geral da NATO, e o então presidente dos EUA, George W. Bush, continua da mesma forma válida no rescaldo do recente massacre em França. O Estado francês conseguiu identificar e “neutralizar” o terrorista em pouco tempo, apesar de persistirem duas questões cruciais: Ele deveria ter sido preso muito antes? Poderia ter sido capturado vivo? Agora, o Estado francês precisa de ir mais longe. O presidente francês, Nicolas Sarkozy estava certo ao chamar Mohammed Merah um “monstro”. Mas Merah foi onosso monstro. Ele nasceu, foi criado e foi distorcido em França, tal como os terroristas que atacaram o metro de Londres, em Julho de 2005, foram produtos da sociedade britânica. É imperativo, não só para a França mas para o mundo inteiro, entender como é que um único e solitário homem foi capaz de ter um país inteiro como refém, durante quase uma semana. A única forma que Merah encontrou para dar sentido à sua vida parece ter sido assassinar soldados e crianças judias. Matar – e da maneira mais fria que se possa imaginar – era para existir. Muitos franceses inicialmente, e no seu íntimo, esperavam que o que tinha acontecido em Toulouse fosse provar ser uma repetição dos ataques em Oslo, em 2011 – que o terrorista se revelasse ser o produto da extrema-direita. Merah alegou estar a agir em nome do fundamentalismo islâmico; na realidade, ele era o produto de uma seita sangrenta e pervertida.

cartoon por Steff

Como pode um insignificante delinquente, uma criança perdida da nação francesa, cair nas mãos do ódio terrorista de qualquer tipo? Os assassinatos no sudoeste de França reflectem três factores principais. Primeiro, há o campo de batalha do Médio Oriente, alargado de modo a incluir o Afeganistão e o Paquistão. Esses problemas não foram a causa directa dos ataques, mas também não eram um mero pretexto. Os problemas dessa região incivilizada agem como uma caixa-de-ressonância particularmente perigosa, para a juventude muçulmana alienada em França.

A alienação é a realidade para muitos franceses muçulmanos, agravada por uma crise económica que resultou na elevada taxa de desemprego entre os jovens – e que atinge a juventude muçulmana de forma particularmente intensa, retardando a sua integração na República francesa Segundo, a alienação é a realidade para muitos franceses muçulmanos, agravada por uma crise económica que resultou na elevada taxa de desemprego entre os jovens – e que atinge a juventude muçulmana de forma particularmente intensa, retardando a sua integração na República francesa. Finalmente, um desvio de identidade em França pode atingir uma dimensão mais séria. É pura coincidência o facto de Merah, que era de ascendência argelina, ter optado agir no preciso momento em que a França e a Argélia estavam a comemorar os 50 anos da independência argelina?

Merah provavelmente não se sentiu nem francês nem argelino. Escolheu o que para ele seria uma identidade muçulmana. Mas foi uma versão perversa, extrema e sectária do islamismo. Questões pessoais – a ausência de um pai ou uma estrutura familiar coesa – provavelmente precipitaram o seu desvio de identidade. Ele estava à procura de um modelo que pudesse impor algumas regras na sua vida e não conseguiu descobri-lo até encontrar o terrorismo.

OS PLANOS DE ANNAN

Confrontada com o horror das acções de Merah, a nação francesa tem demonstrado a sua união. Ao escolher como seus alvos soldados muçulmanos e cristãos, bem como crianças judias, Merah reforçou a solidariedade de um país que queria dividir. Mas esta união é instável. A República francesa tem que recapturar seus territórios perdidos mais importantes: jovens alienados e frágeis de origem imigrante. A tragédia favoreceu, inegavelmente, a campanha de Sarkozy para vencer o segundo mandato das eleições presidenciais em Abril. Ele estava no comando e agiu de forma decisiva e responsável. A agenda política, pelo menos a curto prazo, desviou-se para a segurança, onde Sarkozy tem uma vantagem estrutural comparado com o seu rival socialista, François Hollande. Mas, tal como o ex-primeiro-ministro britânico Harold Wilson disse a famosa frase: “Uma semana é muito tempo na política”. Muita coisa pode mudar antes da primeira volta das eleições. O que preocupará mais os eleitores franceses quando votarem? Será que os receios económicos voltarão a prevalecer sobre a agenda de segurança? Ou será que os factores pessoais dominarão, com o reflexo de um “mais ninguém para além de Sarkozy”, de um lado, e uma falta de confiança no não carismático – e, possivelmente, não preparado – Hollande?Os ataques selvagens de Merah são um lembrete amargo de que o terrorismo ainda assombra muitas sociedades.Asegurança deve ser reforçada, enquanto as suas causas precisam de ser abordadas. E descobriremos brevemente se este espasmo de terror foi apenas um trágico parêntese ou um ponto de viragem. *Autor da obra The Geopolitics of Emotion


quinta-feira 29.3.2012

Ciclone

opinião

www.hojemacau.com.mo

19

Se eles não te conseguem destruir, que se juntem a ti. POR FERNANDO

Carlos M. Cordeiro

da estrela

As palavras leva-as o vento “O que temos ou nos resta são palavras, pobre riqueza de humanos, ramagem dos sentidos, sentimentos erguidos à luz de uma qualquer heráldica do dizer” António Conceição Júnior, in ‘Conversas do Chá e do Café’

N

ÃO dormiu nada. O nervoso miudinho atormentou-o toda a noite só de pensar na sua primeira presença num congresso do seu partido. Pela manhã cedo tomou um duche retemperador. Juntou à roupa que tinha colocado na maleta os produtos de higiene e preparou-se para uma viagem de três horas e meia até Lisboa. Era uma experiência única ao serviço do seu PSD. Um novo líder - pensou o delegado provinciano - com novas ideias, novas propostas e novas decisões para a solução dos problemas que atormentam os portugueses. A si, e aos companheiros de partido que na cidade do interior de Portugal têm vivido amargurados, a tormenta poderia ser alterada com novas linhas de acção a partir do congresso. Acontece que ele e os companheiros assistem todos os meses ao encerramento de fábricas e empresas. O seus amigos e conhecidos, mesmo de outros partidos políticos, transmitem-lhe assidu-

amente que o país está a caminhar para a desgraça, para o abismo, para o confronto. Na sua mente durante a viagem até à capital removeu umas palavras do seu discurso e a alteração deu-lhe a sensação de que iria fazer boa figura. Essencialmente, mudar o mundo. Aliás, mudar Portugal. Aliás, mudar a sua cidade. Aliás, mudar o seu bairro. Aliás, mudar a sua rua. A rua da amargura. A rua onde se reúnem, na esplanada do café, os desempregados e que testemunha os dissabores e os desgostos de quantos trabalhavam ainda há um ano. O delegado identificou-se, entregaram-lhe um cartão com um V grande, e logo um jornalista se apressou a perguntar-lhe se iria usar da palavra. A sua zona de residência é complicada, tem dado que falar, tem feito correr muita tinta em função das manifestações que têm sido levadas a efeito como alerta e protesto da situação degradada que já atingiu algumas áreas do país. Uma situação de desemprego gritante e desolador. Há casais que já ficaram sem nada e que os filhos são criados pelos avós enquanto, eles, deambulam pelas ruas e ruelas a implorar um trabalho. No decorrer do congresso do PSD o nosso delegado começa a não gostar da brincadeira quando tenta, em vão, conversar,

O nosso delegado não foi ao congresso para se promover. Só pretendeu deixar uma mensagem de importância vital. Ele queria que o seu partido lhe desse atenção no sentido que os portugueses não paguem mais impostos. Que a austeridade tem de cessar funções. Que o desemprego pode provocar uma revolta social e que, estar em São Bento poderá ser coisa de meses

debater, propor ou abordar determinadas questões com os dirigentes do partido. Constata que os seus interlocutores só têm tempo livre para a televisão. Para defenderem no palanque umas ideias já caducas sob palmas praticamente obrigatórias. Os seus interlocutores estão mais interessados em dar nas vistas para poderem ser nomeados para as autarquias. O nosso delegado não foi ao congresso para se promover. Só pretendeu deixar uma mensagem de importância vital. Ele queria que o seu partido lhe desse atenção no sentido que os portugueses não paguem mais impostos. Que a austeridade tem de cessar funções. Que o desemprego pode provocar uma revolta social e que, estar em São Bento poderá ser coisa de meses. Entregue a si próprio e ao ostracismo a que os “patrões” do partido o vetaram,

o delegado, que viajou de comboio desde o interior, decide-se por enfrentar o líder. Os assessores respondem que por enquanto nada feito. Sábado nada, domingo pior. Com oito folhas de papel na mão dirige-se para o microfone. O silêncio na sala não é sinal de respeito, mas sim de debandada. Os outros delegados tinham ido comer qualquer coisinha e ver o que se passava com o futebol. Depois de deixar o palco por onde tinham passado todas as hipocrisias e todas as inutilidades, o protagonista desta crónica convenceu-se, de uma vez por todas, que as palavras leva-as o vento e que de regresso à terra efectuará uma luta independente baseada em actos concretos. À saída do pavilhão Atlântico quis manifestar o que lhe ia na alma e foi entregar o seu cartão de militante. Para sempre.

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editores Nuno G. Pereira; Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Joana Freitas; José C. Mendes; Rita Marques Ramos; Virginia Leung Colaboradores António Falcão; António Graça de Abreu; Carlos Picassinos; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Carlos M. Cordeiro; Correia Marques; Gonçalo Alvim; Helder Fernando; Jorge Rodrigues Simão; José Pereira Coutinho, Marinho de Bastos; Paul Chan Wai Chi; Pedro Correia; Peng Zhonglian; Vanessa Amaro Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


quinta-feira 29.3.2012

www.hojemacau.com.mo

“Conferência do Mar” destaca capacidades marítimas de Portugal

A língua ganha pernas

Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

O

NTEM, o Instituto Internacional de Macau (IIM) acolheu uma conferência que mostra o desejo de Portugal se virar novamente ao mar. A recém-criada Associação Seaborne Portugal (ASP) promoveu a “Conferência do Mar - As oportunidades de Portugal e da China”, em parceria com o Turismo de Portugal, e com apoio de diferentes ministérios portugueses, para destacar “Portugal como uma mancha de mar no Atlântico (3 milhões de quilómetros quadrados) que conta com uma pequena parcela rectangular no continente europeu”,

caracteriza o representante da ASP, Vitório Rosário Cardoso. Concretamente, no que se refere à relação de 500 anos entre Portugal e a China, José Maria Silva, director coordenador do Turismo de Portugal, diz que o próximo ano “vai potenciar o intercâmbio entre os dois países porque vai permitir uma atenção diferente”. Existe inclusivamente um comité a fazer o preparo das comemorações, adianta o representante. Segundo a entidade, também se tem notado um reforço do turismo chinês em Portugal, já que em 2011 houve cerca de 14 mil visitantes da RPC, mais 9% do que em 2010. A ASP, que se move pelo

HOJE MACAU

Atlântico no imaginário

objectivo de promover os assuntos ligados ao mar, fez na RAEM a sua primeira actividade oficial, apresentando um KIT Mar aos alunos da Escola Portuguesa de Macau PUB

(EPM). “Podemos munir os jovens e sensibiliza-los do renovado desígnio nacional português e transmitir este novo formato geográfico de Portugal”, referiu Vitório Rosário Cardoso. Jorge Rangel, presidente

Timor-Leste poderá comprar a TAP

da IIM, recordou as potencialidades marítimas de Portugal, por razões históricas, e porque deve, com a crise na Europa, tomar consciência que deve continuar a fazer uma afirmação no mundo que ajudou a criar.

De acordo com o blogue Pau Para Toda a Obra, da autoria de João E. Severino, ex-director do Macau Hoje, o Governo português já iniciou o processo de privatização da companhia aérea TAP e os interessados são muitos. Os principais são a British Airways e a Iberia. Seja como for, iniciaram-se contactos, não governamentais, no sentido de sensibilizar as autoridades de Timor-Leste para que aquele país se interessasse pela compra de determinada percentagem na aquisição futura da TAP. O objectivo poderá passar por uma parceria com a China, onde a proposta sinotimorense se apresentaria com a maior credibilidade junto do Governo português. Por outro lado, a visita do ministro português das Finanças a Angola pode estar ligada à privatização da TAP. Vítor Gaspar pode ter dado conta às autoridades angolanas do valor global da empresa e em que parâmetros financeiros poderá ser efectuada a privatização. Recordese que Angola tem tido os maiores problemas com a sua companhia aérea TAAG, o que poderá provocar um grande interesse pela TAP por parte dos angolanos.

À margem do evento, o presidente do IIM diz que estão em vista algumas actividades e seminários no âmbito da tutela do Observatório de Língua Portuguesa (OLP) mas ainda não têm data prevista. Jorge Rangel garante, no entanto, que a entidade associativa tem servido o seu grande propósito de acompanhar a internacionalização da língua portuguesa e o seu valor económico. “Aqui em Macau, contribuímos com informação actualizada para o site da OLP para dar a conhecer o que se passa com a língua em Macau e no Oriente”, refere. Depois da Assembleia Geral da associação, realizada no último mês, determinou uma quota em que todos os membros pagam 30 euros por ano, fundo que paga as despesas da OLP, já que, garante Jorge Rangel, não recebe subsídios nenhuns.

CasinoLeaks ataca MGM

A União Internacional de Engenheiros Operacionais (IUOE, na sigla inglesa) pediu a Roland Hernandez, director da MGM Resorts International, por uma “revisão completa das operações da MGM em Macau”. A notícia foi avançada ontem pelo site CasinoLeaks e frisa que a revisão não pode ser feita por quem tenha actualmente, ou tenha tido, negócios ou relações comerciais com a MGM Macau ou qualquer outra operadora do território. Jeffrey Fiedler, o director dos projectos especiais da IUOE, anexou à carta enviada a Roland Hernandez, um relatório com as principais preocupações sobre a MGM Macau. Fiedler acusa a operadora de ter relações com dois homens, alegadamente ligados ao crime organizado. Recorde-se que, há três semanas, a IUOE pediu às autoridades do jogo do Nevada para investigar uma junket de Macau. - J.F.

h

Suplemento H vai de férias

Nas próximas semanas, os colaboradores do suplemento H estarão de férias, pelo que não haverá a respectiva edição semanal, à sexta-feira. O regresso fica marcado para o fim de Abril, com a liberdade que caracteriza o H.


Hoje Macau 29 MAR 2012 #2582