Page 1

MACAU-LISBOA

LIVRO DE BORDO GRANDE PLANO

Nº 4819 QUARTA-FEIRA 28-7-2021 DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

MOP$10

hoje macau

ANTÓNIO FALCÃO

Sobe e desce CONSULADO

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

À MESA COM COUTINHO RÓMULO SANTOS

PÁGINA 4

ELEIÇÕES

VOTOS ESPECIAIS PÁGINA 5

SER COLHIDO

JOÃO PAULO COTRIM

O VIZINHO

NUNO MIGUEL GUEDES

As receitas brutas do jogo durante a terceira semana de Julho caíram 14% em relação à semana anterior. A trajectória irregular ao longo do mês reflecte a oscilação entre o alívio de restrições fronteiriças e a descoberta de infecções em Zhuhai e Nanjing. PÁGINA 7


2 grande plano

28.7.2021 quarta-feira

www.hojemacau.com.mo

II RAID MACAU-LISBOA

PARTICIPANTES PREPARAM LIVRO DE MEMÓRIAS DA VIAGEM

Volvidos dois anos da primeira aventura terrestre, em 1988, com a longa jornada de jipe entre Macau e Lisboa, outro grupo de residentes do território repetiu a proeza desta vez atravessando toda a URSS. Joaquim Correia, um dos viajantes, recorda peripécias e revela que um novo livro será publicado por uma editora de Hong Kong

O

II Raid Macau-Lisboa, realizado em 1990, vai resultar num livro que recorda esta viagem cheia de aventuras. Joaquim Correia, um dos residentes que se lançou à aventura, à data, bibliotecário e professor da Universidade de Macau (UM), conta ao HM as ideias sobre o projecto editorial lançado em três línguas, incluindo alguns capítulos em russo. O lançamento do livro está a ser pensado para Novembro, possivelmente no Museu do Grande Prémio. No entanto, a data de lançamento não está ainda confirmada, uma vez que os autores gostariam de estar no território para o evento. “Tudo depende da evolução da pandemia”, adiantou. “No ano passado, para celebrar os 30 anos da realização do raid, foi criada uma página no Facebook que recriou o dia-a-dia de toda a viagem, com textos retirados do diário de bordo e fotografias. A ideia foi bem recebida, fomos acompanhados por mais de 600 membros, e decidimos avançar então com a ideia do livro.”

MAPA DA VIAGEM

Pela estrada A história da viagem será contada em texto e em banda desenhada, incluindo uma colaboração de Joaquim Magalhães de Castro,

Outro dos objectivos do II Raid era também “seguir uma rota que, desde 1907, com o Raid Pequim-Paris, nunca mais tinha sido repetida, atravessando a Rússia dos czares e, depois da revolução de 1917, a URSS em viatura própria”

escritor de viagens, que “em 1990 não andava muito longe da nossa rota”, conta o ex-professor da UM. O livro será editado pela Jetsetter Ltd, de Hong Kong, tendo apoios, para já, da Fundação Oriente (FO). Além disso, está também a ser pensado “um filme em formato actualizado” bem como uma edição das músicas que constituíram a banda sonora desta viagem, com o apoio da TDM. Além de Joaquim Correia, a viagem foi feita por Mário Sin, ex-presidente do Automóvel Clube de Macau; António Calado, então técnico do Instituto de Desportos de Macau e posteriormente dos Serviços de Educação; Fernando Silva, médico; e António Teixeira, mecânico do Grande Prémio de Macau.


quarta-feira 28.7.2021

fora Partida em Macau

Deserto do Gobi, China

Desastre às portas de Moscovo

grande plano 3

www.hojemacau.com.mo

À data, lançarem-se numa jornada desta dimensão impunha-se como forma simbólica de “aprofundar a componente cultural, de paz e de amizade entre Macau e Portugal”. O território regressava à administração chinesa daí a nove anos, mas os viajantes queriam também celebrar a ligação entre a China e a então URSS. “Durante a viagem oferecemos livros em bibliotecas e distribuímos informações e lembranças sobre Macau à população, com quem estabelecemos constantes contactos”, recorda Joaquim Correia. Toda esta documentação foi fornecida por entidades como o Instituto Cultural, FO, Fundação Macau e Grande Prémio de Macau.

Uma viagem inesquecível

Outro dos objectivos do II Raid era também “seguir uma rota que, desde 1907, com o Raid Pequim-Paris, nunca mais tinha sido repetida, atravessando a Rússia dos czares e, depois da revolução de 1917, a URSS em viatura própria”. Joaquim Correia destaca o momento oportuno para a jornada porque “quer a China, quer a URSS, desejavam demonstrar a abertura ao mundo”. “Nunca tinha acontecido o facto de estrangeiros realizarem essa rota em viatura própria. E diga-se de passagem que continua a não ser repetida, e que agora atravessa país como o Cazaquistão, Quirguistão, Uzbequistão, Turquemenistão, Azerbaijão, Geórgia, Rússia e Ucrânia. Não será fácil, devido a vistos”, exemplificou. O II Raid levou 50 dias a completar e muitas histórias se foram acumulando, à medida que a caravana ia atravessando diversas geografias com ambientes sócio-políticos tão distintos. “Naturalmente que surgiram problemas pontuais com as viaturas e pequenas tensões entre os membros da equipa”, que envolveram “decisões importantes a tomar por parte dos raidistas cansados”. No entanto, estes problemas “eram contrabalançados com o prazer da solidariedade e da beleza que espreitava em cada estrada”. A partida foi várias vezes alterada devido a dificuldades logísticas de diversa ordem. Mas Joaquim Correia destaca o episódio da queda dos camelos na altura em que “alguns raidistas atravessavam as célebres dunas cantantes de Dunhuang, na China”. Essa queda teve, “felizmente, poucas consequências físicas”. Mas houve também o “espectacular desastre, próximo de Moscovo, quando um dos nossos Mitsubishi Pajero embateu num pequeno Moskvitch soviético. Foi com muita dificuldade que a viatura chegou até à Torre de Belém”.

“Naturalmente que surgiram problemas pontuais com as viaturas e pequenas tensões entre os membros da equipa, mas eram contrabalançados com o prazer da solidariedade e da beleza que espreitava em cada estrada”. JOAQUIM CORREIA

Mário Sin percebeu que, chegado à embaixada portuguesa em Pequim, tinha uma festa de aniversário surpresa à sua espera, enquanto que, na travessia do Mar Cáspio, “um dos raidistas teve aventuras ‘maliciosas’no camarote do comandante”, ironiza Joaquim Correia. A jornada motivou inclusive um documentário, que contou com a colaboração de três técnicos da TDM na equipa. O filme realizado por James Jacinto passou em televisões e cineclubes de Portugal, Macau, China, URSS e Japão, entre outros países.

Terminado o II Raid, outras viagens se seguiram, inspiradas por estes aventureiros. “Várias outras ligações terrestres entre Macau e Portugal aconteceram, ou foram tentadas, algumas, por diversas razões, mas não conseguiram os seus objectivos”, com rotas alternativas que passariam pelo Paquistão ou Irão.

Celebrou-se ontem o 31º aniversário do início do II Raid, que teve como ponto de partida o Jardim de Camões, em Macau. A viagem terminou a 13 de Setembro na Torre de Belém, em Lisboa, depois de terem sido percorridos mais de 21 mil quilómetros de estrada

Um dos capítulos do livro faz, aliás, o levantamento das grandes viagens terrestres, seja de comboio, carro ou mesmo bicicleta que passaram por várias zonas da Ásia. “A primeira vez em que estas ligações tiveram carácter essencialmente desportivo ou pelo prazer do desafio foi em 1907, quando o jornal Le Matin organizou o Raide Pequim-Paris em automóvel, passando por pontos intermédios como Zhangjiakou, Ulaanbaatar, Ulan-Ude, Irkutsk, Krasnoyarsk, Omsk, Chelyabinsk, Petropavlovsk, Perm, Kazan, Nizhny Novgorod, Moscovo, São Petersburgo, Vilnius, Varsóvia e Berlim”, poder ler-se. Este percurso, que teve início a 10 de Junho de 1907, tinha uma extensão total de 14.994 quilómetros, mas cada concorrente tinha liberdade para escolher o seu próprio itinerário. “Reza a lenda que um incógnito português, partindo de Lisboa, terá acompanhado a corrida, prolongando-a até Macau. Toda a expedição está narrada ao pormenor no livro da autoria de um dos concorrentes, Georges Cormier.” Uma viagem mais contemporânea foi a do artista Amílcar Carvalho, também conhecido como Mica Costa Grande, que entre 1984 e 1986, consultor do I Raid que ligou Macau a Lisboa, fez o mesmo percurso mas no sentido contrário. O livro descreve que este “abandonou a viatura no Paquistão, uma vez que não obteve autorização para atravessar a China”. Durante 27 meses Amílcar Carvalho fez aquela que terá sido “a primeira viagem completa, por terra, de Portugal a Macau pela Rota da Seda, tendo atravessado do Paquistão para a China dois meses depois de abrir o Kunjerab”. Um ano antes do I Raid, com jipes UMM, o antropólogo Zica Capristano e a sua esposa Judite Capristano lançaram-se numa viagem entre Lisboa e Macau através de países como a Turquia, Irão, Paquistão, Índia, Nepal. Deste país voaram depois para Hong Kong, regressando de comboio até Bombaim, na Índia, e depois por barco até Lisboa. O percurso foi feito em 70 dias. Celebrou-se ontem o 31º aniversário do início do II Raid, que teve como ponto de partida o Jardim de Camões, em Macau. A viagem terminou a 13 de Setembro na Torre de Belém, em Lisboa, depois de terem sido percorridos mais de 21 mil quilómetros de estrada, com uma velocidade média na ordem dos 55 quilómetros por hora. Andreia Sofia Silva


4 política

deputado Leong Sun Iok quer saber se o Governo está disponível para baixar ao máximo o preço das habitações económicas. Numa interpelação enviada ao Executivo, o legislador questiona se há vontade para “reduzir o montante do prémio de concessão e os custos administrativos” de forma a evitar que estes custos sejam transferidos para “o adquirente”. Em relação a este aspecto, o deputado pede também que “os custos de construção que não abrangem as habitações, tais como os silos e as lojas” sejam deixado fora do preço final. Por outro lado, Leong Sun Iok questionou o Executivo se tencionam elevar as exigências às construtoras: “Quanto à qualidade das habitações económicas, o Governo vai ponderar aumentar o prazo de garantia dos edifícios, para reforçar a garantia dos edifícios de

COMUNIDADES PORTUGUESAS COUTINHO OUVIDO PELO CÔNSUL “SEMPRE QUE NECESSÁRIO”

habitação económica por parte dos empreiteiros?”, perguntou. No documento divulgado ontem, Leong Sun Iok recorda a importância da habitação. “Se não temos uma habitação estável, como é que nos podemos sentir bem?”, pergunta, antes de sublinhar a necessidade urgente da implementação de políticas para a habitação: “O novo Governo propôs a criação de cinco escalões de habitação, para dar resposta às necessidades de habitação das famílias com diferentes rendimentos. A sociedade deseja que a nova política de habitação seja implementada quanto antes”, vincou.

PUB.

Anúncio Concurso Público n.º 04/2021 para a prestação de Serviços de Segurança à Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública De acordo com o disposto no artigo 13.º do Decreto-Lei n.º 63/85/M, de 6 de Julho e, ainda, ao abrigo do despacho do Ex.mo Senhor Secretário para a Administração e Justiça, de 15 de Julho de 2021, a Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública vem, em representação do adjudicante, proceder a concurso público para a «Prestação de Serviços de Segurança à Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública». 1. Adjudicante: Secretário para a Administração e Justiça. 2. Serviço responsável pela realização do processo de concurso: Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública (SAFP). 3. Modalidade do concurso: concurso público. 4. Objecto do concurso: fornecimento aos SAFP de «Prestação de Serviços de Segurança». 5. Prazo de validade das propostas: não inferior a noventa dias, a contar da data do acto público do concurso. 6. Caução provisória: a caução provisória é de $ 150.000,00 (cento e cinquenta mil patacas) e deve ser prestada por meio de depósito bancário ou por caução bancária legal a favor da Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública da Região Administrativa Especial de Macau. 7. Caução definitiva: valor correspondente a 4% (quatro por cento) do preço global da adjudicação. 8. Condições de admissão: podem concorrer todas as sociedades com sede ou delegação em Macau inscritas na Conservatória dos Registos Comercial e de Bens Móveis da RAEM, cujo objectivo social inclua exclusivamente os serviços de segurança, conforme a Lei n.º 4/2007, Lei da Actividade de Segurança Privada, e com alvará do exercício da actividade de segurança privada, devendo apresentar certificado de que têm as suas obrigações fiscais em dia. 9. Todas as dúvidas sobre o programa do concurso e o caderno de encargos deste concurso público podem ser apresentadas de acordo com o determinado no mesmo programa do concurso, e realizar-se-á uma sessão de esclarecimento sobre o presente concurso público no seguinte local, data e hora: Local: Auditório, sito na Rua do Campo, n.º 162, Edifício Administração Pública, cave 1, Macau. Data e hora: 11H00 do dia 09 de Agosto de 2021. 10. Local, data e hora limite para entrega das propostas: Local: Balcão da Sala de Expediente dos SAFP, sito na Rua do Campo, n.° 162, Edifício Administração Pública, r/c, Macau. Horário de funcionamento: 2.ª a 5.ª-feira, das 09H00 às 13H00 e das 14H30 às 17H45; 6.ª-feira, das 09H00 às 13H00 e das 14H30 às 17H30; (fechado aos Sábados, Domingos e feriados oficiais). Data e hora limite: até às 17H45 do dia 18 de Agosto de 2021 (não serão aceites propostas fora do prazo). 11. Local, data e hora do acto público: Local: Auditório, sito na Rua do Campo, n.º 162, Edifício Administração Pública, cave 1, Macau. Data e hora: 11H00 do dia 19 de Agosto de 2021. 12. Forma de consulta do processo: A partir da data da publicação do anúncio, os interessados poderão obter a cópia do programa do concurso e do caderno de encargos através da página electrónica dos SAFP, em www.safp.gov.mo, ou, durante o horário de expediente, dirigir-se ao balcão de atendimento dos SAFP, sito na Rua do Campo, n.º 162, Edifício Administração Pública, r/c, Macau para a consulta do programa do concurso e do caderno de encargos ou para a obtenção da cópia dos mesmos, mediante o pagamento da importância de $100,00 (cem patacas). 13. Critérios de apreciação das propostas e respectivos factores de ponderação: a) Preço de proposta (70 %) b) Experiência e capacidade (15 %) c) Recursos humanos (15%) 14. Esclarecimentos adicionais: A partir da data da publicação do presente anúncio até à data limite para a entrega das propostas, os concorrentes podem, durante o horário de expediente, dirigir-se ao balcão da Sala de Expediente dos SAFP, sito na Rua do Campo, n.° 162, Edifício Administração Pública, r/c, Macau, ou visitar a página electrónica dos SAFP (www.safp.gov.mo) para obterem quaisquer eventuais esclarecimentos adicionais. Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública, aos 19 de Julho de 2021. O Director dos Serviços, Kou Peng Kuan

Faça favor, senhor deputado

SOFIA MARGARIDA MOTA

HABITAÇÃO ECONÓMICA LEONG SUN IOK PEDE PREÇOS MAIS BARATOS

O

28.7.2021 quarta-feira

www.hojemacau.com.mo

José Pereira Coutinho deixou de ser conselheiro das Comunidades Portuguesas, mas continuou a participar nas reuniões entre o organismo e a representação consular. O cônsul diz que reúne com “entidades locais” sempre que considera necessário, sem esclarecer o estatuto de deputados nestes encontros

A

PESAR de ter deixado de ser um dos conselheiros das Comunidades Portuguesas, José Pereira Coutinho continuou a participar nas reuniões dos conselheiros com o cônsul-geral de Portugal em Macau e Hong Kong. Quanto questionado sobre o estatuto que permite a José Pereira Coutinho participar nos encontros, o representante diplomático limitou-se a responder que se reúne com as diferentes enti-

dades sempre que considera necessário, sem esclarecer o estatuto de deputados nas reuniões. “No âmbito das minhas funções reúno-me, sempre que necessário, com os conselheiros das comunidades portugueses, com o deputado Pereira Coutinho, ou com quaisquer outras entidades locais”, explicou ao HM Cunha Alves. No início de Fevereiro deste ano José Pereira Coutinho deixou de ser conselheiro das Comunidades Portuguesas. A

Pequim Gabinete defende sentimento de pertença nacional Por ocasião de uma visita a Pequim de 40 delegados da Associação dos Embaixadores Juvenis para a Divulgação da Lei Básica de Macau, o Gabinete dos Assuntos de Hong Kong e Macau do Conselho de Estado defendeu a necessidade de incutir um maior sentimento de pertença nacional aos jovens de Macau. De acordo com o jornal Ou Mun, o subdirector do Gabinete, Deng Zhonghua sublinhou que o sentimento de amor à pátria e o princípio “Um País, Dois Sistemas”

são valores nucleares da sociedade de Macau. Por isso mesmo, espera que a sua população seja capaz, não só de herdar essa tradição, mas também que, especialmente os jovens, devem procurar conhecer activamente o desenvolvimento do país e a sua história recente. O responsável defendeu ainda que seja feito um esforço para melhorar a divulgação e o ensino da Constituição da República Popular da China, da Lei Básica e do princípio “Um País, Dois Sistemas”.

Coutinho afirmou ter abdicado da posição de conselheiro por considerar que as reuniões tinham “muita conversa”

notícia foi tornada pública, sem que o ex-conselheiro tivesse alguma vez revelado o abandono do cargo, em Abril, através da emissora Rádio Macau. Posteriormente, o também presidente da Associação de Trabalhadores da Função Pública de Macau (ATFPM) foi substituído no lugar por Gilberto Camacho, que fazia parte, como membro suplente, da lista única que elegeu Coutinho, Rita Santos e Armando de Jesus. Apesar de ter abdicado do estatuto, em pelo menos numa ocasião, no mês de Abril, Coutinho participou num encontro entre Paulo Cunha Alves e o Conselho das Comunidades Portuguesas, que contou já com a presença de Gilberto Camacho.

“Muita conversa”

O próprio deputado confirmou a participação nas reuniões do conselho depois de ter deixado o cargo, quando entregou a lista “Nova Esperança”, candidata às eleições para a Assembleia Legislativa, de Setembro.

Na altura, Coutinho afirmou ter abdicado da posição de conselheiro por considerar que as reuniões, principalmente através de plataformas online devido à pandemia, tinham “muita conversa” e que o seu tempo seria melhor empregue a trabalhar para as comunidades. O Conselho das Comunidades Portuguesas é o órgão consultivo do Governo de Portugal para as políticas relativas à emigração e às comunidades portuguesas no estrangeiro. As eleições para a escolha dos novos conselheiros deviam ter decorrido em Junho do ano passado, mas acabaram por ser adiadas devido à pandemia da covid-19. No entanto, em Abril deste ano, a secretária de Estado das Comunidades, Berta Nunes, indicou que o novo acto eleitoral deve ocorrer na primeira quinzena de Novembro deste ano, quando se acredita que já haverá condições para mobilizar o eleitorado. João Santos Filipe

AL Novo regime de construção urbana votado amanhã

Realiza-se amanhã uma sessão plenária na Assembleia Legislativa que tem na agenda a votação, na especialidade, do novo regime jurídico da construção urbana. Recorde-se que o diploma foi apresentado no hemiciclo em Dezembro do ano passado e visa rever uma lei geral em vigor há muitos anos, tal como algumas disposições técnicas em vigor desde 1963. Na nota justificativa, o

Governo considera que “algumas disposições legais estão desactualizadas, carecendo de eficácia para fazer face aos desafios emergentes do rápido desenvolvimento na área da construção civil”. No mesmo dia será também votado, na especialidade, o novo estatuto dos agentes das Forças e Serviços de Segurança, apresentado pelo Executivo no hemiciclo em Outubro de 2020.


quarta-feira 28.7.2021

C

ELEIÇÕES AGNES LAM QUER MAIS APOIO A PORTADORES DE DEFICIÊNCIA

Em pé de igualdade Agnes Lam lembra em interpelação escrita que o Planeamento dos Serviços de Reabilitação para o Próximo Decénio (2016-2025), criado para concretizar a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e a Estratégia Incheon, já vai “a meio” e que, por isso, o Governo deve “empregar esforços na melhoria das instalações sem barreiras em prol da acessibilidade às eleições da Assembleia Legislativa”, tendo em conta

que se trata de um “evento social relevante”. Por escrito, a deputada atira ainda que, até ao momento, a CAEAL“nada disse” sobre a realização da habitual reunião com os representantes de vários grupos de deficientes com o intuito de ouvir as suas opiniões sobre o apoio que lhes deve ser prestado durante a votação. “Nas eleições para a Assembleia Legislativa deste ano, o Governo vai ouvir as opiniões desses represen-

“Durante a campanha eleitoral, que medidas suplementares vão ser adoptadas para responder às necessidades dos portadores de diferentes tipos de deficiência.”

Aviso sobre pedido de junção de restos mortais em sepultura perpétua

CÓDIGO DE SAÚDE REGISTO DO PERCURSO AINDA “EM DESENVOLVIMENTO” LVIS Lo, director dos Serviços de Saúde (SSM), garantiu, em resposta a uma interpelação escrita de Agnes Lam, que está ainda a ser desenvolvido o sistema de registo dos percursos dos residentes nos códigos de saúde, a fim de prevenir surtos comunitários de covid-19. “No que concerne à função do registo do percurso registado no código de saúde de Macau, e que se encontra em desenvolvimento, e em cumprimento das condições estipuladas na lei de protec-

Agnes Lam lembra ainda uma actividade organizada pela CAEAL onde vários portadores de deficiência auditiva sentiram-se “deixados de fora do eleitorado”. O caso aconteceu a 2 de Setembro de 2017, dia que marcou o início da campanha eleitoral desse ano. Conta Agnes Lam que, só depois de chegarem ao local, é que os portadores de deficiência descobriram que não havia interpretação em língua gestual nem transcrição de áudio para texto, não conseguindo assim “compreender o que se dizia no palco”. “As necessidades dos surdos e portadores de deficiência auditiva não são tidas em conta nas eleições, nos inquéritos, na apresentação de queixas e denúncias, e até na divulgação de mensagens televisivas no dia das eleições”, referiu a deputada. Pedro Arede

PUB.

AGNES LAM DEPUTADA

A

tantes? Como? Durante a campanha eleitoral, que medidas suplementares vão ser adoptadas para responder às necessidades dos portadores de diferentes tipos de deficiência?”, perguntou Agnes Lam.

A não repetir

Agnes Lam considera que, até hoje, CAEAL e Governo não foram capazes de proporcionar condições necessárias para promover a participação igualitária de portadores de deficiência nas eleições. A deputada refere que é necessário melhorar as acessibilidades, serviços em língua gestual e de transcrição de áudio para assegurar um “direito fundamental” de todos os cidadãos RÓMULO SANTOS

OM o dia das eleições a aproximar-se a passos largos, a deputada Agnes Lam mostra-se preocupada com a falta de atenção prestada tanto pelo Governo, como pela Comissão para osAssuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa (CAEAL) sobre a promoção de medidas que permitam aos portadores de deficiências auditivas, visuais e outras, de participar plenamente no processo eleitoral. Apontando que os portadores de deficiência devem ter as mesmas oportunidades de participação nos assuntos políticos que a restante população, dado que o “direito de sufrágio é um direito fundamental de todos os cidadãos”, a deputada quer saber se o Governo irá disponibilizar serviços de interpretação em língua gestual e de transcrição de áudio para texto, para que surdos e portadores de deficiência auditiva consigam compreender os conteúdos eleitorais a tempo do início da campanha, apontada para o final de Agosto.

política 5

www.hojemacau.com.mo

ção de dados pessoais, todos os dados serão guardados nos dispositivos móveis dos residentes depois de terem sido criptografados, o que permite garantir a segurança dos dados pessoais.” O director dos SSM assegura ainda que “as técnicas utilizadas nos cartões inteligentes já existentes, como o Macau Pass, não são capazes de registar todos os itinerários, por isso não são passíveis de registar a função pretendida”. “De facto, a função do registo do percurso ainda não está

concluída e será divulgada atempadamente quando houver medidas concretas”, acrescentou. Alvis Lo disse ainda que os Serviços de Administração e Função Pública (SAFP) estão a desenvolver “um sistema simplificado de pedido do código de saúde, o que permite ao pessoal dos serviços públicos ajudar as pessoas com necessidades a solicitar o código de saúde através do bilhete de identidade ou do título de identificação de trabalhador não residente”.

JOSÉ MARIA BÁRTOLO

FALECIMENTO

A família de JOSÉ MARIA BÁRTOLO tem o penoso dever de informar que este seu ente querido faleceu no dia 26 de Julho. JOSÉ MARIA BÁRTOLO, esposo de Rosalina Maria B. Bártolo (falecida) e pai de Maria José B. Bártolo (falecida), deixa a filha Sandra Margarida B. Bártolo, o filho Licínio José B. Bártolo e a filha Tânia Sofia B. Bártolo, e os netos Rute Chantal B. Gabriel e Artur Dinarte B. de Melo. A missa de corpo presente realiza-se sábado, dia 31 de Julho, pelas 20 horas na Casa Mortuária Diocesana. No dia seguinte, domingo, dia 01 de Agosto, pelas 09:30horas, realizar-se-á a missa de 7º dia na Casa Mortuária Diocesana, seguindo depois o corpo para a China onde será cremado.

Eu, Cheong Kin Weng(張 建 榮), nos termos da alínea 4) do n.º 1 e dos n.ºs 2 a 4 do artigo 26.º-A do Regulamento Administrativo n.º 37/2003, alterado pelo Regulamento Administrativo n.º 22/2019, apresento um pedido da junção das ossadas de Lei Man I(李 敏 兒) na sepultura n.º CT-1-A2-28 do Cemitério Sá Kong da Taipa. A defunta cujos restos mortais se pretende juntar era nora do falecido já ali depositado, o primeiro inumado, Cheong Mon Wong Si aliás Cheong Mun Vong Si( 張 門 黃 氏). Venho por este meio informar as pessoas indicadas no n.º 1 do artigo 26.ºA do Regulamento Administrativo acima referido de que podem apresentar objecção por escrito no prazo de 30 dias, contados a partir da data da publicação do aviso, ao IAM. A objecção escrita deve ser entregue no escritório dos assuntos de cemitérios da Divisão de Higiene Ambiental do IAM, sito no 3.º andar do Edifício Comercial Nam Tung, na Avenida da Praia Grande n.º 517. Se o IAM não tiver recebido objecção por escrito dentro do prazo determinado, o pedido de junção pode ser autorizado. Aos 28 de Julho de 2021 Cheong Kin Weng


6 sociedade

28.7.2021 quarta-feira

www.hojemacau.com.mo

DROGA RESIDENTE DE 23 ANOS DETIDA POR CONSUMO DE ICE

Gelados no Norte

Uma residente de Macau foi detida no Iao Hon na posse de três pacotes de ice que tinha acabado de comprar por 1.300 patacas. Outras duas pessoas foram também detidas na zona norte da cidade por suspeitas de tráfico de estupefacientes. No total, a Polícia Judiciária apreendeu 43,96 gramas de ice no valor de 145 mil patacas

A

Polícia Judiciária (PJ) deteve na passada segunda-feira no bairro do Iao Hon, uma residente de Macau de 23 anos suspeita do crime de consumo ilícito de estupefacientes. A mulher estava na posse de 0,83 gramas de ice que tinha acabado de adquirir naquela zona. De acordo com informações reveladas ontem em conferência de imprensa, a PJ começou a investigar PUB.

Anúncio Concurso Público n.º 05/2021 para a prestação de serviços de administração de instalações à Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública De acordo com o disposto no artigo 13.º do Decreto-Lei n.º 63/85/M, de 6 de Julho e, ainda, ao abrigo do despacho do Ex.mo Senhor Secretário para a Administração e Justiça, de 15 de Julho de 2021, a Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública vem, em representação do adjudicante, proceder a concurso público para a «Prestação de Serviços de Administração de Instalações à Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública». 1. Adjudicante: Secretário para a Administração e Justiça. 2. Serviço responsável pela realização do processo de concurso: Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública (SAFP). 3. Modalidade do concurso: concurso público. 4. Objecto do concurso: fornecimento aos SAFP de «Prestação de Serviços de Administração de Instalações». 5. Prazo de validade das propostas: não inferior a noventa dias, a contar da data do acto público do concurso. 6. Caução provisória: a caução provisória é de $ 250.000,00 (duzentas e cinquenta mil patacas) e deve ser prestada por meio de depósito bancário ou por garantia bancária legal a favor da Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública da Região Administrativa Especial de Macau. 7. Caução definitiva: valor correspondente a 4% (quatro por cento) do preço global da adjudicação. 8. Condições de admissão: podem concorrer todas as empresas ou empresários com sede ou escritório na Região Administrativa Especial de Macau inscritos na Conservatória dos Registos Comercial e de Bens Móveis da RAEM, cujo objecto social inclua total ou parcialmente a prestação de serviços de administração de condomínios, e com licença de actividade comercial de administração de condomínios, devendo apresentar a certidão do cumprimento das obrigações fiscais. 9. Todas as dúvidas sobre o Programa do Concurso e o Caderno de Encargos deste concurso público podem ser apresentadas de acordo com o determinado no mesmo Programa do Concurso. Esta Direcção de Serviços realizará uma sessão de esclarecimento sobre o presente concurso público no seguinte local, data e hora, para esclarecer de forma aberta as dúvidas colocadas: Local: Auditório do Edifício Administração Pública, sito na Rua do Campo n.º 162, Cave 1, Macau. Data e hora: 11H00 do dia 10 de Agosto de 2021. 10. Local, data e hora limite para entrega das propostas: Local: Balcão de atendimento – “expediente” dos SAFP, sito na Rua do Campo n.º 162, Edifício Administração Pública, r/c, Macau. Horário de expediente: 2.ª a 5.ª-feira, das 09H00 às 13H00 e das 14H30 às 17H45; 6.ª-feira, das 09H00 às 13H00 e das 14H30 às 17H30; (fechado aos Sábados, Domingos e feriados oficiais); Data e hora limite: até às 17H45 do dia 19 de Agosto de 2021 (não serão aceites propostas fora do prazo). 11. Local, data e hora do acto público: Local: Auditório do Edifício Administração Pública, sito na Rua do Campo n.º 162, Cave 1, Macau. Data e hora: 11H00 do dia 20 de Agosto de 2021. 12. Forma de consulta do processo: A partir da data da publicação do anúncio, os interessados poderão descarregar o Programa do Concurso e o Caderno de Encargos na página electrónica dos SAFP (www.safp.gov.mo), ou, dirigir-se, durante o horário de expediente, ao balcão de atendimento dos SAFP, sito na Rua do Campo n.º 162, Edifício Administração Pública, r/c, Macau para a consulta do Programa do Concurso e do Caderno de Encargos, ou para a obtenção da cópia dos mesmos, mediante o pagamento da importância de $ 100,00 (cem patacas). 13. Critérios de apreciação das propostas e respectivos factores de ponderação: a) Preço da proposta (50 %) b) Experiência e Capacidade (30%) c) Recursos humanos (20 %) 14. Esclarecimentos adicionais: A partir da data da publicação do presente anúncio até à data limite para a entrega das propostas, os concorrentes podem, durante o horário de expediente, dirigir-se ao balcão de atendimento – “expediente” dos SAFP, sito na Rua do Campo n.º 162, Edifício Administração Pública, r/c, Macau, ou visitar a página electrónica dos SAFP (www.safp.gov.mo) para obter quaisquer eventuais esclarecimentos adicionais. Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública, aos 19 de Julho de 2021. O Director dos Serviços, Kou Peng Kuan

o caso, após ter tomado conhecimento de que, recentemente, uma residente de Macau que costumava consumir estupefacientes tinha por hábito circular com frequência no bairro do Iao Hon. Munida dessa informação, por volta das 20h da

passada segunda-feira, a PJ iniciou uma operação na zona norte da cidade, tendo observado que a suspeita se dirigiu à entrada de um edifício. À saída, a mulher foi interceptada pelas autoridades na posse de 0,83 gramas de ice, distribuídos por três

doses, que confessou ter adquirido para consumo próprio a uma mulher de nacionalidade vietnamita por 1.300 patacas. No local onde a residente de Macau tinha estado momentos antes, os agentes destacados para a operação localizaram a segunda mulher, que tinha dois pacotes de ice com o peso total de 0,87 gramas. Durante as buscas na residência da suspeita, a PJ encontrou um homem, também de nacionalidade vietnamita. No quarto do indivíduo, que vivia com a segunda suspeita, foram encontrados 36 pacotes de ice com o peso total de 42,27 gramas, utensílios para preparar e consumir droga e ainda 3.500 patacas em dinheiro, que terá resultado da venda de estupefacientes. Durante o interrogatório, os dois suspeitos informaram as autoridades que eram apenas amigos, apesar de viverem na mesma casa, da qual a mulher é proprietária. Os dois são trabalhadores não residentes com documentação expirada. Na sequência das investigações, a PJ concluiu que os dois vietnamitas começaram a vender droga há seis meses, sobretudo, a frequentadores de espaços de diversão nocturna. Além disso, os dois suspeitos recusaram-se a revelar a origem da droga. Quando submetidos a exames médicos para com-

TUI GOVERNO PERDE RECURSO NO CASO SURF HONG

O

Tribunal de Última Instância (TUI) decidiu contra a secretária para os Assuntos Sociais e Cultural, Elsie Ao Ieong U, no âmbito do processo da aplicação de uma multa de 7,6 milhões de patacas à empresa Surf Hong. Em causa está a greve dos trabalhadores da empresa que impediu o fornecimento dos serviços de nadadores salvadores, durante o Verão de 2018. Os fundamentos da decisão não são conhecidos, e o acórdão não está disponível, mas no portal dos tribunais é indicado que foi “negado provimento ao recurso da entidade administrativa”. Na decisão também é indicado que o recurso da Surf Hong sobre o acórdão do TSI teve aceitação parcial.

Em Fevereiro deste ano, o TSI já havia decidido anular a multa de 7,6 milhões de pataca à empresa, o que levou o Governo a decidir recorrer para o TUI. Este não é o único caso em tribunal que opõe as duas partes. Houve uma segunda multa imposta à empresa de 4,1 milhões de patacas. Na primeira instância, o Tribunal de Segunda Instância (TSI) anulou a multa de 4,1 milhões de patacas por considerar que a greve era um motivo de força maior. Porém, posteriormente, o Governo recorreu para o TUI, que reenviou o caso novamente para o TSI, que teria de tomar uma nova decisão. Este último diferendo ainda se encontra a decorrer nos tribunais.

provar o consumo de estupefacientes, o resultado dos testes foi positivo. Contas feitas, a PJ apreendeu 43,96 gramas de ice, no valor de 145 mil patacas.

Três em um

O caso seguiu ontem para o Ministério Público (MP), sendo que a residente de Macau irá responder pelos crimes de consumo ilícito de estupefacientes e detenção indevida de utensílios. A confirmar-se a acusação, poderá ser punida, por cada um deles, com pena de prisão de 3 meses a 1 ano ou com pena de multa de 60 a 240 dias.

Contas feitas, a PJ apreendeu 43,96 gramas de ice, no valor de 145 mil patacas Quanto aos dois suspeitos de nacionalidade vietnamita podem ser punidos também com uma pena de prisão entre 5 e 15 anos pela prática dos crimes de produção e tráfico de estupefacientes. Adicionalmente, por albergar um homem que se encontrava em situação de imigração ilegal, a mulher vietnamita é também acusada do crime de acolhimento, pelo qual pode incorrer na pena de prisão até 2 anos. Pedro Arede

Segurança alimentar IFT certificado por agência de Hong Kong

O Instituto de Formação Turística (IFT) adquiriu o certificado HACCP nas áreas da segurança alimentar e gestão de higiene atribuído pela Hong Kong Quality Assurance Agency (HKQAA) no passado dia 15. Segundo um comunicado, o certificado garante que “todos os estudantes e funcionários podem vivenciar um ambiente de trabalho com padrões internacionais de segurança alimentar e higiene reconhecidos, providenciando aos hóspedes uma experiência gastronómica consistente e excepcional”. Desta forma, o restaurante educacional do IFT “possui agora um sistema de gestão de segurança alimentar com padrões internacionais”. O certificado HACCP é reconhecido internacionalmente em matérias de gestão alimentar na indústria hoteleira e estabelece programas de controlo de qualidade e monitorização para prevenir contágios de vária ordem no fornecimento de alimentos.

Coloane Acidente causa dois feridos

Um carro despistou-se ontem na Estrada de Coloane contra um poste de iluminação, por volta da 13h40, e causou dois feridos ligeiros. As vítimas são a condutora de 52 anos e um passageiro com 59 anos. De acordo com a informação das autoridades, os feridos foram transportados para o Hospital Conde de São Januário para observação. Após o acidente, os bombeiros foram chamados ao local por haver fumo junto da viatura, mas concluíram que não havia sinais de fogo.


quarta-feira 28.7.2021

Surto em Nanjing 144 pessoas registadas para quarentena

O centro de coordenação e contingência do novo tipo de coronavírus recebeu, até às 12h de ontem, o registo de 144 pessoas que estiveram no aeroporto de Lukou, em Nanjing, e que necessitam de realizar quarentena de 14 dias. Recorde-se que o surgimento de um caso de infecção em Zhuhai, com origem neste aeroporto de Nanjing, obrigou as autoridades locais a exigir uma observação médica a 150 pessoas que viajaram da capital de Jiangsu no dia 14 de Julho, incluindo os dias seguintes. Entretanto, até às 10h de ontem, 1430 pessoas registaram nos seus códigos de saúde terem estado nas mesmas zonas frequentadas por um indivíduo de 29 anos infectado com covid-19, entre os dias 19 e 21 deste mês. Estas pessoas terão agora de ser sujeitas a testes de ácido nucleico. Nas 24 horas de ontem, Nanjing identificou mais 31 casos de covid-19, elevando para 90 casos nos útimos dias. Nanjing lançou uma campanha de testes e colocou sob confinamento dezenas de milhares de pessoas.

Zhuhai Caso de covid com pouco impacto no mercado de trabalho

O presidente da Associação Macau Oversea Worker Employment Agency, Ao Ieong Kuong Kao, acredita que, apesar da deterioração da situação epidémica em Zhuhai, que resultou da confirmação de um novo caso de covid-19, a possibilidade de se verificar uma redução de recursos humanos pelas empresas locais é “baixa”. Segundo o jornal Ou Mun, Ao Ieong Kuong Kao defendeu que a actual situação do mercado de trabalho de Macau não será beliscada, até pelo aproximar do período das férias de Verão, altura em que haverá um previsível aumento de visitantes. O responsável apontou ainda que existem actualmente 120 mil trabalhadores não residentes do Interior da China em Macau, oriundos maioritariamente de Gongbei e Xiawan.

sociedade 7

www.hojemacau.com.mo

As receitas de jogo tiveram uma quebra na semana passada, depois dos casos de covid-19 que afectaram Zhuhai. Segundo o banco de investimento Sanford C. Bernstein Ltd, o novo surto de coronavírus em Nanjing pode voltar a prejudicar o mercado

JOGO RECEITAS CAÍRAM 14% NA SEMANA PASSADA

Como um elevador

A

S receitas brutas do jogo registaram uma quebra de 14 por cento na semana entre 19 a 25 de Julho em comparação com a semana anterior, que agregou os dias entre 12 a 18 de Julho. A informação foi avançada ontem, num relatório do banco de investimento Sanford C. Bernstein Ltd, citado pelo portal GGRAsia. Segundo o relatório dos analistas Vitaly Umansky, Louis Li e Kelsey Zhu, na semana de 19 a 25 de Julho as receitas diárias brutas foram de 257 milhões de patacas, o que para os sete dias significa um valor aproximado de 1,7 mil milhões de patacas. O montante representa uma quebra de 14 por cento face à semana anterior, entre 12 e 18 de Julho, quando as receitas diárias brutas tinham sido de cerca

ACÇÕES AFUNDARAM Ontem, à imagem dos últimos dias, as acções das operadoras dos casinos voltaram a desvalorizar na bolsa de valores de Hong Kong. Sands China, SJM Holdings, Galaxy, MGM China e Wynn Macau viram o valor dos seus títulos cair entre 2,76 por cento e 5,97 por cento. Com as flutuações de mercado registadas ontem, a Galaxy tem as acções mais valiosas e ontem, à hora do fecho do mercado, valiam 52,85 dólares de Hong Kong por acção. No pólo oposto, a SJM Holdings tem os títulos mais baratos, que custam 6,96 dólares de Hong Kong por acção. A Melco não está listada na Bolsa de Hong Kong.

de 300 milhões de patacas por dia, o que no total da semana se reflectiu num montante aproximado de 2,1 mil milhões de patacas. “Segundo as nossas estimativas, em Julho as receitas brutas vão ter uma quebra para cerca de 60 por cento do valor comparado com Julho de 2019; e uma subida de aproximadamente 30 por cento em comparação com o mês de Junho de 2021”, pode ler-se no documento. Em Junho desta ano as receitas foram de cerca de 6,5 mil milhões de patacas, pelo que calculando um aumento de cerca de 30 por cento o montante em Julho deverá rondar os 8,5 mil milhões de patacas, no que seria um dos valores mais elevados deste ano.

Melhorias pós-surto

De acordo com os analistas, a melhoria sequencial das receitas

brutas do jogo em Julho tem sido motivada pela recuperação no número de visitantes, “depois das limitações de viagem em Guangdong” causadas por um surto de covid-19 terem sido aliviadas. Os analistas também indicam que a “nova vaga” de casos de covid-19 no Interior “pode limitar a curto prazo” o número de visitantes à RAEM. Contudo, segundo a Sanford Bernstein, o caso está controlado: “Dois casos recentes

Os analistas indicam que a “nova vaga” de casos de covid-19 no Interior “pode limitar a curto prazo” o número de visitantes à RAEM

ligados à nova vaga de infecções locais em Nanjing causaram preocupação sobre um potencial novo surto em Guangdong: até agora, a situação está controlada com a testagem de toda a cidade a ficar completa na Terça-Feira [27 de Julho]”, foi explicado. Desde o início do ano até Junho as receitas brutas do jogo ultrapassaram 49 mil milhões de patacas, que representou uma subida de 45,4 por cento, em relação a 2020, quando o montante tinha sido de 33 mil milhões de patacas. O valor actual das receitas está longe dos níveis pré-pandémicos. Em 2019, ainda antes da pandemia, entre Janeiro e Junho as receitas brutas do jogo tinham sido de 149,5 mil milhões de patacas.

João Santos Filipe


8 eventos

www.hojemacau.com.mo

28.7.2021 quarta-feira

A exibição do clássico “Era uma vez no Oeste”, no dia 18 de Setembro, protagonizado por Claudia Cardinale, Henry Fonda e Charles Bronson, terá como aperitivo um concerto do grupo The Swing Band

O

imaginário dos comboys e do faroeste estará em destaque em Agosto e Setembro na Cinemateca Paixão com “A Sombra da Katana, Armas, Espadas - Festival das Artes Marciais, Samurai e Filme Ocidental”. O ciclo propõe-se apresentar “25 excelentes filmes sobre artes marciais, samurais e filmes do faroeste para espectadores de Macau”. O filme de abertura, que será exibido dia 13 de Agosto, é uma versão restaurada de “A Touch of Zen”, de King Hu, filme chinês de 1970. A história gira em torno de Gu, um jovem estudioso que vive perto de um forte degradado que todos dizem estar assombrado. Um dia, Gu trava amizade com Yang, uma jovem bela e misteriosa que se esconde dentro do forte. Depois de uma noite de paixão, Yang revela a Gu que o seu pai, um oficial, foi executado pelo Eunuch Wei, que a partir daí a começa a perseguir.

CINEMATECA PAIXÃO CARTAZ INCLUI FILMES DE WONG KAR-WAI, SERGIO LEONE E TARANTINO

Esparguete e nood

Películas como “O Bom, o Mau e o Vilão”, de Sergio Leone, ou “Django Unchained”, de Quent o programa de 25 filmes de artes marciais, samurais e westerns que vão estar em exibição em Cinemateca Paixão. Haverá ainda espaço para filmes de Wong Kar-wai, Kobayashi Masaki e d

O filme venceu o Grande Prémio Técnico no festival de cinema de Cannes, em 1975, além de ter ganho, em 1972, o prémio “Melhor Design de Arte” no festival de filmes Golden Horse. Em 2015 “A Touch of Zen” foi novamente recordado no festival

de cinema de Cannes, na secção Cannes Classics. O cartaz inclui ainda outros grandes nomes do cinema ocidental, como Quentin Tarantino. O filme “Django Unchained” será exibido dia 5 de Setembro e

Bibliotecas “Os Livros e a Cidade” partilha dicas de empreendedorismo A 27ª edição de “Os Livros e a Cidade” já está disponível para levantamento gratuito. Sob o tema “empreendedorismo e criação de riqueza”, a nova edição propõe-se a partilhar dicas e sugestões, a partir da experiência de autores conceituados da área e de empreendedores locais de sucesso que foram responsáveis por revitalizar lojas

antigas. A coluna “Retrato da Biblioteca” conta com uma entrevista ao responsável pela curadoria de pequenas feiras temáticas de livros seleccionados a partir colecção da Biblioteca Pública de Macau. Já na secção “Fala o Autor” é possível ler uma entrevista com a designer local Esther Chan, autora de “I Am Designing My Life”. Os 3.000

exemplares da 27ª edição de “Os Livros e a Cidade” podem ser levantados gratuitamente nas bibliotecas dependentes do IC, instituições de ensino superior, Galeria Tap Siac, espaços culturais e livrarias seleccionadas. As 26 edições anteriores podem ser consultadas no website da Biblioteca Pública de Macau.

insere-se na secção do festival “A Estética da Violência”. Realizado em 2013, “Django Unchained” passa-se no sul dos Estados Unidos, antes da Guerra Civil. Django é um escravo que acaba por ser resgatado pelo caçador de prémios Dr. King

Schultz. A dupla improvável lança-se numa epopeia vingativa com um objectivo central: resgatar Broomhilda, a esposa desaparecida de Django. Este filme de Tarantino venceu dois óscares em 2013, incluindo o de Melhor Argumento Origina e Melhor Actor Secundário, além de três nomeações. Em 2014 foi nomeado para Melhor Filme Estrangeiro nos prémios César. Ainda na secção “A Estética da Violência” destaque para o clássico “O Bom, o Mau e o Vilão”, de Sergio Leone, de 1966, será exibido a 28 de Agosto e 10 de Setembro. Sergio Leone volta a estar em destaque no festival, uma vez que


quarta-feira 28.7.2021

www.hojemacau.com.mo

PUB.

O

dles

tin Tarantino, compõem m Agosto e Setembro na dos irmãos Cohen o filme de encerramento deste programa especial será “Era uma vez no Oeste”, de 1968, exibido nos dias 3 e 18 de Setembro. A exibição do clássico filme de Leone, protagonizado por Claudia Cardinale, Henry Fonda, Jason Robards e Charles Bronson, terá como aperitivo uma actuação musical do grupo The Swing Band.

Wong e companhia

Na secção “Sabores Literários em Filmes de Acção” a Cinemateca Paixão incluiu “Ashes of Time Redux”, de Wong Kar-wai, e que será exibido nos dias 9 e 14 de Setembro.

O programa da Cinemateca Paixão inclui também as secções “Armas ocidentais e espadas orientais”, onde se incluem obras de realizadores como Johnnie To, Bastian Meiresonne e Xu Haofeng, entre outros; e ainda “Heroínas”, com realizadores como Chao-Bin Su e Hsiao-hsien Hou, além de King Hu. Em “Projecções Especiais” há ainda a destacar a exibição, a 11 de Setembro, do filme “No Country for Old Men” [Este país não é para velhos], de Joel e Ethan Coen, de 2007. Este filme varreu a edição 2008 dos Óscares ao vencer nas categorias de melhor filme, melhor realização, melhor argumento adaptado, melhor actor secundário, entre outras. Nesse ano, mas nos Globos de Ouro, a obra dos irmãos Cohen venceu nas categorias de melhor actor secundário e melhor argumento, além de ter recebido duas nomeações. “No Country for Old Men” conta a história de Llewelyn Moss, interpretado por Josh Brolin, que enquanto caça faz uma descoberta macabra: vários corpos, um homem ferido, droga e dois milhões de dólares em dinheiro num camião abandonado. A forma como vai lidar com a violenta descoberta, dita o desenrolar da acção. Andreia Sofia Silva

eventos 9


10 publicidade

www.hojemacau.com.mo

SINTESE DO RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

MACAUPORT – Sociedade de Administração de Portos, S.A. Demonstração de Resultados Em 31 de Dezembro de 2020 MOP Réditos

16,069,355

Outros rendimentos operacionais

10,994,436

Gastos com o pessoal

(12,841,678)

Gastos de depreciação e de amortização

(3,657,117)

Outros gastos operacionais

(4,019,306)

Lucro operacional Gastos financeiros

28.7.2021 quarta-feira

6,545,690 (63,730)

Rendimento de investimento

9,451,079

Outros ganhos e perdas

1,164,871

Resultado antes de imposto

17,097,910

Imposto Resultado do exercício

(2,075,504) 15,022,406

A MACAUPORT – Sociedade de Administração de Portos, S.A. (abreviadamente, Macauport), manteve, no exercício findo, o controlo da gestão e administração das suas subsidiárias e associadas, bem como a operação do Terminal de Contentores do Porto de Ká-hó, em Coloane, Macau, R.A.E. As operações no Terminal de Contentores do Porto de Ká-hó, em Coloane, continuaram a ser realizadas pela sua subsidiária Macauport Sociedade de Administração do Terminal de Contentores, Lda., bem como pela associada Companhia de Navegação Veng Lun Fat, Lda. e pela companhia Wui Tung (HK & Macau) Shipping Ltd. As participações da MACAUPORT em subsidiárias, associadas e participadas, incluem designadamente a Macauport Sociedade de Administração do Terminal de Contentores, Lda.; Companhia de Navegação Veng Lun Fat, Lda.; e Sociedade de Gestão do Terminal de Combustíveis de Macau, Lda., as quais se mantiveram sem alterações. Apesar de ter havido um decréscimo da carga movimentada, de forma que o rendimento proveniente da prestação de serviços em relação ao exercício precedente registasse uma quebra de 19%, baixando de $19.919.880, em 2019, para $16.069.355, em 2020, ou seja, uma redução de $3.850.525, tendo em conta o aumento em outros rendimentos, designadamente o rendimento de investimentos, o resultado do exercício antes de imposto não foi seriamente afectado, tendo até registado um acréscimo na ordem de 23%. Macau, 19 de Julho de 2021 Pelo Conselho de Administração, Leung Henry Yee Hang Vai Hoi Ieong

Balanço Em 31 de Dezembro de 2020 MOP

ACTIVOS Activos não correntes Activos fixos tangíveis Investimentos em subsidiárias Investimentos em associadas Outros investimentos de longo prazo Empréstimo a uma subsidiária

55,473,587 12,709,500 315,040 705,000 3,605,000 72,808,127

Activos correntes Dívidas de subsidiárias Dívida de uma associada Dívida de uma empresa relacionada Dívidas comerciais a receber Outras dívidas a receber, depósitos e pré-pag. Depósito caucionado Caixa e equivalentes de caixa

13,819,071 6,500,000 526,366 8,034 3,351,600 4,020,107 161,322,937 189,548,115

Total dos activos

262,356,242

RELATÓRIO DO AUDITOR INDEPENDENTE SOBRE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS Aos accionistas da MACAUPORT – Sociedade de Administração de Portos, S.A. (Constituída e matriculada em Macau, R.A.E.) Auditámos as demonstrações financeiras da MACAUPORT - Sociedade de Administração de Portos, S.A., referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2020, em conformidade com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria vigentes em Macau, R.A.E., e sobre essas demonstrações financeiras expressámos a nossa opinião, sem reservas, no nosso relatório datado de 31 de Março de 2021. Efectuámos uma comparação entre as demonstrações financeiras resumidas, preparadas pela administração da Sociedade para efeitos de publicação, e as demonstrações financeiras que auditámos. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas estão consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas. Macau, 31 de Março de 2021 Manuel Basilio Basílio e Associados Sociedade de Auditores de Contas

CAPITAL PRÓPRIO E PASSIVOS Capital próprio Capital Reservas Resultados acumulados

Total do capital próprio

120,000,000 19,015,527 119,682,859 258,698,386

Passivos Passivos correntes Dívidas a associadas Dívida a uma empresa relacionada Dívidas comerciais a pagar Outras dívidas a pagar, depósitos e acréscimos Provisões para imposto s/ rendimentos

Total dos passivos Total do capital próprio e dos passivos

10,315 700,000 205,920 666,118 2,075,503 3,657,856 262,356,242

SÍNTESE DO RELATÓRIO DO CONSELHO FISCAL Nos termos da lei e dos estatutos da MACAUPORT - Sociedade de Administração de Portos, S.A. (“MACAUPORT, S.A”.), o Conselho de Administração submeteu a parecer do Conselho Fiscal o relatório anual e as demonstrações financeiras, referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2020. Considerando que o relatório do Conselho de Administração é suficientemente elucidativo quanto às actividades desenvolvidas pela MACAUPORT, S.A. em 2020, e as demonstrações financeiras submetidas para análise traduzem adequadamente a situação patrimonial e financeira da MACAUPORT, S.A. Nesta conformidade, este Conselho é de parecer que os documentos de prestação de contas do exercício de 2020, apresentados pelo Conselho de Administração, estão em condições de merecer aprovação em Assembleia Geral. Macau, 18 de Janeiro de 2021 Pelo Conselho Fiscal, Chui Sai Peng, Presidente


quarta-feira 28.7.2021

Indústria Lucros subiram quase 70% no primeiro semestre

Os lucros das principais empresas industriais da China aumentaram 66,9 por cento, em termos homólogos, nos primeiros seis meses de 2021, em parte devido à base comparativa, uma vez que o país paralisou durante o primeiro trimestre de 2020. No entanto, os dados divulgados ontem pelo Gabinete Nacional de Estatísticas da China (GNE) revelam também que, quando comparado ao período entre Janeiro e Junho de 2019, o aumento no primeiro semestre de 2021 é de 45,5 por cento. Para o estatístico do GNE Zhu Hong, a situação deve-se em grande parte à recuperação da procura pela produção industrial e à “melhoria sustentada nas condições operacionais das empresas”. No primeiro semestre, os ganhos do setor fixaram-se em 4,22 biliões de yuan. Para a elaboração deste indicador, o GNE leva em consideração apenas as empresas industriais com um facturamento anual superior a 20 milhões de yuans.

china 11

www.hojemacau.com.mo

Problemas de rede Acções de gigantes da Internet afundam face a receio de regulação

A

S acções dos gigantes chineses da tecnologia continuaram ontem a afundar, ilustrando o nervosismo dos investidores, face ao crescente escrutínio do Governo chinês sobre o sector, até então pouco regulado. Na bolsa de Hong Kong, a gigante de jogos ‘online’ e das redes sociais Tencent Holdings Ltd. caiu 9 por cento, fixando o valor da sua capitalização de mercado em cerca de 563 mil milhões de dólares. A empresa perdeu cerca de 379 mil milhões de dólares, desde que as suas acções registaram máximos históricos, em meados de Fevereiro. As acções listadas em Hong Kong do grupo Alibaba Group, a empresa líder do comércio electrónico na China, desceram 6,35 por cento. Nos últimos meses, Pequim instaurou processos contra diversas empresas do sector, solicitadas a “rectificar” práticas até então toleradas, e que abrangem questões como a segurança dos dados, com-

As acções da Kuaishou Technology, que detém um popular aplicativo de partilha de vídeos, caíram quase 5 por cento, para 111,90 dólares de Hong Kong.

As acções listadas em Hong Kong do grupo Alibaba Group, a empresa líder do comércio electrónico na China, desceram 6,35 por cento

portamento monopolista e estabilidade financeira. Novas directrizes que visam limitar o lucrativo sector do ensino de preparação também enervaram os investidores.

Rota descendente

O índice Hang Seng Tech que reúne as 30 principais empresas

de tecnologia do país listadas na bolsa de Hong Kong, caiu quase 8 por cento, o que fixou o índice no valor mais baixo, desde que foi lançado, há um ano. Entre outras grandes empresas 'online', a gigante da entrega de alimentos Meituan recuou quase 18 por cento.

Isto fixou o seu valor abaixo do preço de oferta pública inicial. A empresa realizou uma entrada em bolsa de grande sucesso, em Fevereiro passado, e as suas acções dispararam rapidamente para múltiplos do preço de entrada, mas desde então caíram constantemente à medida que o sentimento dos investidores em relação à Indústria da Internet na China piorou.

PUB.

GABINETE PARA O DESENVOLVIMENTO DE INFRA-ESTRUTURAS ANÚNCIO Concurso público de empreitada de obra pública designada por «Empreitada de construção de habitação pública no lote B10 na Nova Zona A – Obra de superestrutura» 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.

Entidade que põe a obra a concurso: Região Administrativa Especial de Macau. Serviço por onde corre o procedimento do concurso: Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas. Modalidade de concurso: concurso público. Objecto da empreitada: construção da superestrutura da habitação pública. Local de execução: no lote B10 da Nova Zona A. Obra dividida por partes: não. Admissibilidade de apresentação de anteprojecto: não. Tipo de empreitada: por preço global. Prazo de execução da obra: o prazo máximo global de construção é de 750 (setecentos e cinquenta) dias de trabalho, contados a partir da data de consignação, com 1 (uma) meta obrigatória de execução, sendo a: - Primeira (1.ª) meta obrigatória: conclusão de execução da cobertura da superestrutura do edifício, com o prazo máximo de execução de 450 (quatrocentos e cinquenta) dias de trabalho, contado a partir da data de consignação. (Indicado pelo concorrente; deve consultar os pontos 8 e 9 do Preâmbulo do Programa de Concurso). 10. Preço base: não há. 11. Condições de admissão: pessoas, singulares ou colectivas, inscritas na DSSOPT na modalidade de execução de obras, bem como aquelas que à data limite de apresentação de propostas tenham requerido ou renovado a referida inscrição, sendo que neste último caso a admissão é condicionada ao deferimento do pedido de inscrição ou renovação. As pessoas, singulares ou colectivas, por si ou em agrupamento, só podem submeter uma única proposta. 12. Modalidade jurídica da associação a adoptar pelo concorrente em agrupamento a quem venha eventualmente a ser adjudicada a empreitada: consórcio externo nos termos previstos no Código Comercial, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 40/99/M, de 3 de Agosto. 13. Local e hora para consulta do processo do concurso e obtenção de cópias: Local: sede do GDI, sita na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 9.º andar. Hora: todos os dias úteis, das 9,00 às 12,45 e das 14,30 às 17,00 horas. Cópias do processo do concurso: Versão digital, mediante o pagamento de $2 000,00 (duas mil patacas). 14. Local, data e hora limite para a entrega das propostas: Local: sede do GDI, sita na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 9.º andar. Data e hora limite: dia 18 de Agosto de 2021 (quarta-feira), até às 17,00 horas. Em caso de encerramento do Serviço (GDI) na hora limite para a entrega de propostas por motivo de força maior, o prazo para a entrega das propostas é adiado para o primeiro dia útil seguinte à mesma hora. 15. Língua a utilizar na redacção da proposta: A proposta e os documentos que a acompanham devem estar redigidos numa das línguas oficiais da RAEM. É permitida a utilização de língua não oficial da RAEM nos casos expressamente indicados no Programa do presente Concurso.. 16. Prazo de validade das propostas: 90 (noventa) dias, a contar a partir da data de encerramento do acto público do concurso, prorrogável nos termos do artigo 93.º do Decreto-Lei n.º 74/99/M, de 8 de Novembro. 17. Caução provisória: $15 000 000,00 (quinze milhões de patacas), a prestar mediante depósito em dinheiro, garantia bancária ou seguro-caução aprovado nos termos legais. 18. Caução definitiva: 5% do preço total da adjudicação (das importâncias que o adjudicatário tiver a receber, em cada um dos pagamentos parciais são deduzidos 5% para garantia do contrato, em reforço da caução definitiva prestada). 19. Data de realização do acto público do concurso: Local: sala de reunião do GDI, sita na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 10.º andar. Dia e hora: 19 de Agosto de 2021(quinta-feira), pelas 09,30 horas. Em caso de encerramento do Serviço (GDI) para o referido acto público, por motivo de força maior ou qualquer outro motivo impeditivo, a data de realização do acto público do concurso é adiada para o primeiro dia útil seguinte à mesma hora. Os concorrentes ou os seus representantes devidamente mandatados devem estar presentes no acto público para os efeitos previstos no artigo 80.º do Decreto-Lei n.º 74/99/M, de 8 de Novembro, e para esclarecer eventuais dúvidas relativas aos documentos apresentados no concurso. 20. Critérios de apreciação das propostas: – Preço da empreitada: 50% – Prazo de execução: 30% – Experiência e qualidade em obras: 20% 21. Critério de adjudicação: A adjudicação é efectuada ao concorrente com pontuação total mais elevada e, no caso de haver empate na pontuação total mais elevada, a adjudicação é efectuada ao concorrente com a proposta de preço mais baixo. Região Administrativa Especial de Macau, aos 22 de Julho de 2021. O Coordenador, Lam Wai Hou

EDITAL Edital n.º Processo n.º Assunto Local

: 47/E-BC/2021 : 404/BC/2019/F : Demolição de obras não autorizadas pela infracção às disposições do Regulamento de Segurança Contra Incêndios (RSCI) : Pátio de Além-Bosque n.º 2, Edf. Heng Yip, partes do terraço sobrejacentes às fracções 5.º andar C e 5.º andar E, Macau.

Lai Weng Leong, Subdirector da Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT), no uso das competências delegadas pelo Despacho n.º 06/SOTDIR/2020, publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) n.º 11, II Série, de 11 de Março de 2020, faz saber que ficam notificados os donos das obras ou seus mandatários, bem como os utentes dos locais acima indicados, cujas identidades se desconhecem, do seguinte: 1.

Na sequência da fiscalização realizada pela DSSOPT, apurou-se que nos locais acima indicados realizaram-se as seguintes obras não autorizadas: Local

2.

3.

4.

5. 6.

1.1

Parte do terraço sobrejacente à fracção 5.º andar C

1.2

Parte do terraço sobrejacente à fracção 5.º andar E

Obra Construção de um compartimento com paredes em alvenaria de tijolo, cobertura metálica e janelas de vidro e instalação de um tubo de abastecimento e de drenagem de água. Construção de um compartimento com paredes em alvenaria de tijolo, cobertura e gradeamento metálicos, janelas de vidro e chapas de madeira.

Infracção ao RSCI e motivo da demolição Infracção ao n.º 4 do artigo 10.º, obstrução do caminho de evacuação. Infracção ao n.º 4 do artigo 10.º, obstrução do caminho de evacuação.

De acordo com o n.º 1 do artigo 95.º do RSCI, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 24/95/M de 9 de Junho, foi realizada, no seguimento de notificação por edital n.º 63/E-BC/2019 publicado nos jornais em língua chinesa e em língua portuguesa de 15 de Outubro de 2019, a audiência escrita dos interessados, mas estes não apresentaram qualquer resposta no prazo indicado e não foram carreados para o procedimento elementos ou argumentos de facto e de direito que pudessem conduzir à alteração do sentido da decisão de ordenar a demolição das obras não autorizadas acima indicadas. Sendo o terraço do edifício considerado caminho de evacuação, deve o mesmo conservar-se permanentemente desobstruído e desimpedido, de acordo com o disposto no n.º 4 do artigo 10.º do RSCI. Assim, nos termos do n.º 1 do artigo 88.º do RSCI e no uso das competências do Despacho n.º 06/SOTDIR/2020, publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) n.º 11, II Série, de 11 de Março de 2020, e por despacho do signatário de 15 de Julho de 2021 exarado sobre a informação n.º 06326/DURDEP/2021, ordena aos interessados que procedam, por sua iniciativa, no prazo de 8 dias contados a partir da data da publicação do presente edital, às respectivas demolições e à reposição dos locais afectados, bem como à remoção de todos os materiais e equipamentos neles existentes e à sua desocupação, devendo, para o efeito e com antecedência, apresentar nesta DSSOPT os pedidos de demolição das obras ilegais, cujos trabalhos só podem ser realizados depois da sua aprovação. A conclusão dos referidos trabalhos deverá ser comunicada à DSSOPT para efeitos de vistoria. Findo o prazo da demolição e da desocupação, não será aceite qualquer pedido de demolição das obras acima mencionadas. De acordo com o n.º 2 do artigo 139.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M de 11 de Outubro, notifica-se ainda que nos termos dos n.os 1 e 2 do artigo 89.º do RSCI, findo o prazo referido, a DSSOPT, em conjunto com outros serviços públicos e com a colaboração do Corpo de Polícia de Segurança Pública, procederá à execução dos trabalhos acima referidos, sendo as despesas suportadas pelos infractores. Uma vez iniciados os trabalhos, os infractores não poderão solicitar o seu cancelamento. Os materiais e equipamentos deixados nos locais acima indicados ficam aí depositados à guarda de um depositário a nomear pela Administração. Findo o prazo de 15 (quinze) dias a contar da data do depósito e caso os bens não tenham sido levantados, consideram-se os mesmos abandonados e perdidos a favor do governo da RAEM, por força da aplicação do artigo 30.º do Decreto-Lei n.º 6/93/M de 15 de Fevereiro. Nos termos do n.º 3 do artigo 87.º do RSCI, a infracção ao disposto no n.º 4 do artigo 10.º é sancionável com multa de 4 000,00 a 40 000,00 patacas. Além disso, de acordo com o n.º 4 do mesmo artigo, em caso de pejamento dos caminhos de evacuação, será solidariamente responsável a entidade que presta os serviços de administração e/ou de segurança do edifício. Nos termos do n.º 1 do artigo 97.º do RSCI e do n.º 7 do Despacho n.º 06/SOTDIR/2020, publicado no Boletim Oficial da RAEM n.º 11, II série, de 11 de Março de 2020, da decisão referida no presente edital cabe recurso hierárquico necessário para o Secretário para os Transportes e Obras Públicas, a interpor no prazo de 8 (oito) dias contados a partir da data da publicação do presente edital.

RAEM, 15 de Julho de 2021 Pela Directora de Serviços O Subdirector Lai Weng Leong


12

h

diário de um editor

JOÃO PAULO COTRIM

www.torpor.abysmo.pt

HORTA SECA, LISBOA, SEXTA, 16 JULHO Que esconde uma montra? Percorro a página de abertura do sítio (www.abysmo.pt) e vejo como vem sendo parca a colheita, que nunca foi dada a abundâncias. Logo os restos de sangue camponês encontram razão nas vicissitudes do tempo, cargas de água e sol abrasador ou aquele nevoeiro que se abateu sobre o mundo e as vontades. O bom agricultor sabe ler a meteorologia, até a atmosfera da desgraça, pelo que não será apenas por isso. Onde se conservam as sementes adiadas, em que compostagem os apodrecidos? E as sombras, que celeiro bojudo as mantém na boa temperatura? Tanto por enfrentar e as ferramentas ferrugentas, rombas, quebradas… O conforto de uma côdea surge de volumes como este «Eva – Ilustradoras Portuguesas do Século XX», aliás no seguimento do «Tom», com grafismo que se vai tornando assinatura (algures na página uma capa) e que celebra a letra em entrada para exposições portáteis que andam por aí nas mãos e olhos de quem as agarrar. O Jorge [Silva] continua, aqui e ali a convite de instituições, a fazer do seu hobby uma vocação, de um interesse pessoal autêntico serviço público. Ao contrário de tantos respigadores, ele pensa o que vai recolhendo quando o oferece em livro. (Em mercado drogado em novidades, desaconselham-se indícios que datem a obra. Caiu em desuso a classificação de catálogo, para que o livro não fique preso a uma circunstância.) Neste caso, que esteve patente na Casa da Cerca, em Almada, o ar dos tempos soprou-lhe por tema o feminino. São nove os nomes primeiros (Alice, Mily, Raquel, Guida, Laura, Ofélia, Sarah, Maria e Fernanda), quase todos bastante conhecidos, mas manda o habitual que se conheça mais o nome (vagamente) que a obra (minimamente). Esta sistemática recolha do esquecimento traz consigo invariável motivo de espanto. Para além dos costumes citadinos, os da alta burguesia e os da mítica ruralidade, de uma infância não menos mítica, encontramos representações da mulher que escapam ao lugarcomum e intenso trabalho plástico. Um bálsamo, as expressivas interpretações de

www.hojemacau.com.mo

28.7.2021 quarta-feira

Colher e ser colhido possibilidades ao máximo. Com o que tal significa sempre ignorar com sobranceria o impossível anunciado, imposto, palpável. Surge até como metáfora esta brincadeira à la Silva com o código de barras. A imposição logística de um pequeno indicador de (quase) identidade, sobretudo, preço e arrumação, transforma-se em pretexto para modular formas. Ao limite.

Maria Keil para «Folhas Caídas», do Garrett. Estonteantes, as composições e as poses e os rostos de Guida Ottolini para a capas da revista «Eva». Melancólicas, as formas de Mily Possoz, que vão do minimal ao colorido solar, passando pelo quase cubismo em ponta seca. Postas as lentes de aumentar da actualidade, o Jorge não hesita em sublinhar na contracapa: «apesar das contingências da sua educação escolar e familiar, e do expectável papel que a sociedade patriarcal lhes reservava, muitas mulheres conseguiram afirmar um percurso ou uma carreira como ilustradoras editoriais, realizar uma obra inspiradora e inspirada nas vanguardas dos movimentos estéticos e pugnar por um papel igualitário na sociedade do seu tempo.» Tendo a achar, a partir de testemunhos, que muitas vezes se tratou apenas de viver as

SÃO CRISTOVÃO, LISBOA, TERÇA, 27 JULHO Tem andado um rio entre nós, pelo que há muito me não encontrava com o Paulo [José Miranda], para acerto de agulhas e apanha da notícia madura. Acompanho nestas páginas e às terças o seu excêntrico contributo para a letradura, não apenas com títulos – entre o doce e o estridente –, mas também com – e tal não será para todos – autores que suscitam a busca dos sequiosos leitores. Vale volume, pelo que comecem os trabalhos de apuro e enxertia! Em 2022, arredondam-se datas e soam já projectos pelo que temos de pensar em arredores para o centro que será, para nós e todo sempre, o livro. E a poesia. Passámos pelo futebol e, pour cause, um verde branco, antes de nos atirarmos ao tinto e às mudanças, que serão apenas de geografia. Apenas? Sim, quando os passos são no caminho da conversão, ao encontro de si mesmo, o exacto lugar não interessa por aí além. Mal lhe falei de novidades traduzidas, tomei nota da sua surpresa por publicarmos traduções. Se nem os casa conhecem os cantos às lombadas... Quedámo-nos em princípio muito inicial e prometedor de romance. O Paulo gosta de ler excertos em voz

“ESTÃO ELENCADAS, E NÃO APENAS PELOS PROFISSIONAIS DO CONTRATUDISMO, AS FRAQUEZAS DOS FESTIVAIS LITERÁRIOS: A VACUIDADE DAS IDEIAS DISTRIBUÍDAS, A CLAUSTROFOBIA DOS TEMAS E EDITORAS DOMINANTES, O ESPECTÁCULO DAS VAIDADES, A PROMOÇÃO DA LEITURA REDUZIDA AO CULTO DO AUTOR, A DISLEXIA ENTRE PERFORMANCE PÚBLICA E QUALIDADE DE ESCRITA, A INSISTÊNCIA EM UM SÓ MODELO DE CONVERSA PEQUENA PERANTE PLATEIAS ENORMES, ETECETERA. AH, E O EXCESSO DE FESTA!”

alta e eu de o ouvir. Não que me concentre, antes me faz andar por lugares. Lá foi o olhar subindo e descendo a estreita e geométrica escadaria que se estende entre azuis à nossa frente, Tejo em cima e céu em baixo. CALCUTÁ, LISBOA, TERÇA, 28 JULHO Estão elencadas, e não apenas pelos profissionais do contratudismo, as fraquezas dos festivais literários: a vacuidade das ideias distribuídas, a claustrofobia dos temas e editoras dominantes, o espectáculo das vaidades, a promoção da leitura reduzida ao culto do autor, a dislexia entre performance pública e qualidade de escrita, a insistência em um só modelo de conversa pequena perante plateias enormes, etecetera. Ah, e o excesso de festa! Cultura não condiz com alegria, coisa de entretenimento. (O que para aí vai, aliás, de confusão entre uma e outro.) Por princípio, não nos negamos aos ditos. Para o melhor e o pior, são encontros. Quando solicitados, participamos muito para além das nossas possibilidades (e da nossa capela). Nem sempre com bons resultados, nem sempre recebendo o devido tratamento. Anuncia-se o regresso do Folio, sendo caso particular. Antes mesmo dos dias concretos e definidos de Óbidos, tratamos de pôr mesas de tal modo cubistas que não sei como os copos e os pratos e as vozes e o resto de estar à mesa se aguentam. Com a Raquel [Santos] e o José [Pinho], além de ocasionais convidados, pintamos assim festival dadaísta e muito particular de leituras ao ouvido e absurdas encenações imersivas, projecções holográficas de autores queridos e outros, jogos de sociedade a partir das sinopses, combate entre badanas, intervenções relâmpago de poetas patafísicos, disparates épicos de par com ambiciosos centros de experimentação, enfim, ideias, planos, propostas, esboços e delírios. Não podia ser de outro modo, da gigantesca lista riscada nas toalhas de papel apenas se cumprirá à risca uma sensata e mínima parte, mas a discussão, o gargalhado, a criação bruta, o dito e o pensado, faz com que se cumpra logo ali algo de essencial. Para mim, o resto será sobremesa.


quarta-feira 28.7.2021

NUNO MIGUEL GUEDES Fazemos os nossos amigos, fazemos os nossos inimigos, mas Deus faz o nosso vizinho. G. K. Chesterton

Por vezes, para apaziguar o pessimismo que sob temperaturas estivais passa a um nível efervescente detenho-me a considerar o tanto que o ser humano conseguiu para elevarse na lama. A arte. A literatura. A arquitectura. A música. O cinema. As formas de organização social, geridas por um Estado de Direito e que permitem liberdade individual e possibilidade de escrutínio aos que detêm o poder. Os grandes filósofos, que nos ensinam a pensar. E mais haverá que seria ocioso aqui enumerar. Tudo conquistas dignas, extraordinárias, contra todas as possibilidades e que tendem a engrandecer a natureza humana. Mas depois lembro-me dos vizinhos. O leitor sabe, que eu sei que sabe. Vamos lá ver: um vizinho em si não é coisa má. É necessária e é uma forma orgânica de comunidade que muitas vezes nos ajuda e até salva. Naturalmente esse tipo de altruísmo aparece ao mais alto nível e sem surpresa nas grandes tragédias: lembraivos do início da pandemia e do confinamento, quando saltitavam os vídeos de vizinhos confinados cantando e acenando para outros vizinhos. Que comovente maravilha. E agora que já vamos no segundo ano desta situação, a coisa continua solidária, alegre, com manifestações espontâneas de amizade entre vizinhança e…ah, espera. Não se julgue que o vizinho é uma tipologia moderna, no entanto. Não, amigos: há milhares de páginas da nossa literatura que tentam caracterizar ou defender o sujeito ali do lado ou do andar de baixo. Por mim bastaria uma reunião de condóminos, mas isso sou eu. Chesterton, que ali está em epígrafe, concordaria comigo, como aliás George Bernard Shaw que deixou esta lapidar verdade: «Se ofenderes o teu vizinho é melhor não o fazeres pela metade». O romântico Schiller lembra a categoria de “mau vizinho” para lembrar que nem o homem mais bondoso consegue a paz se isso não agradar ao dito cujo. O Código Civil está cheio de artigos que visam justamente regular e confirmar

ARTES, LETRAS E IDEIAS

13

O vizinho REAR WINDOW

divina comédia

www.hojemacau.com.mo

a existência desta espécie. Por outro lado também existem as apologias mas normalmente são feitas por homens de enorme estatura moral e bondade, como Martin Luther King,Jr que confundem o amor ao vizinho com o amor ao próximo. Percebo mas a prática muitas vezes torna-se difícil.

Por mim, prefiro o anonimato discreto, o cumprimento cortês mas lacónico e o silêncio angustiante do elevador partilhado. Mais a mais agora, em que registo uma guerra surda com um desses cavalheiros acima descritos que me atormentam a paz e o sossego com queixas injustificadas. Como uma que

“POR MIM, PREFIRO O ANONIMATO DISCRETO, O CUMPRIMENTO CORTÊS MAS LACÓNICO E O SILÊNCIO ANGUSTIANTE DO ELEVADOR PARTILHADO. MAIS A MAIS AGORA, EM QUE REGISTO UMA GUERRA SURDA COM UM DESSES CAVALHEIROS ACIMA DESCRITOS QUE ME ATORMENTAM A PAZ E O SOSSEGO COM QUEIXAS INJUSTIFICADAS.”

ficará nos anais: na última passagem do ano, com duas pessoas a jantarem na sala, confinados que estávamos, ouviu-se gritos do andar de baixo e a tradicional vassourada no tecto, reclamando contra o barulho. Estava a televisão ligada, imagine-se. E eram 21 horas numa passagem de ano. Enfim. Percebeis agora o motor desta crónica. Só devemos escrever sobre o que sabemos, ensinaram-me os mestres. E sobre este tema tinha muito mis para dizer, só que quero que esta coluna continue acessível a todas as idades. Mas sempre vos direi, parafraseando um célebre slogan: poderíamos viver sem vizinhos? Poderíamos, mas não seria a mesma coisa. Seria melhor.


1 6 3 7 4 5 0 2 5 9 1 3 8 6 7 8 4 0 9 2 3 14 0 7[f]5utilidades 6 8 4 2 8 2 6 5 7 9 1 3 9 0 4 1 6 5 9 4 1 8 0 3 7 6 3 8 2 5 0 9 T4E M0 P 7 O 3 P2O U1C O 8 5 1 2 9 6 7 4

8 2 9 0 7 4 6 1 5 1 9 3 4 3 0 2 8 7 5 6 2 7 4 1 9N U 5 B6L A D O 3 0 8

16

S5 7 U0 1D4 9O6 2K8 3U 2 3 4 6 2 5 0 1 1 9 8

21 5

0 6 5 8 7 9 5 4 1 2 2 8 3 6 4 1

18 1 6 2 4 8 0 3 7 2 9 5 6 7

9 4 9 3 1 8 7 1 2 5 0 7 5 6 4

3 9 2 9 4 6 8 7 6 5 5 3 1 0

0 6 6 9 4 2 2 8 1 7 3 5 7

2 3 1 0 5 7 9 8 0 2 4 4 6 7

8 5 4 1 5 2 1 9 3 0 8 6 0 7 2

6 8 0 7 4 9 2 7 1 9 5 3 3

3 2 7 0 9 7 8 6 5 8 2 4 6 1 3

1 7 9 2 3 2 6 3 5 0 4 7 8

7 8 1 5 3 0 9 1 0 4 2 9 5

4 5 8 3 0 4 6 9 3 1 7 6 2 1

1 0 3 7 2 5 4 4 6 9 5 8 9 3 1

8 2 3 4 6 2 7 4 9 9 1 8 0 5

5 7 2 0 9 3 9 6 6 1 4

9 4 1 6 5 3 1 3 0 4 8 6 7 9 2 0

4 9 9 5 6 1 8 7 2 5 0 8 7

7 0 9 5 6 1 2 5 4 3 8 4 9 3

PUB.

23

7 6 0 9 3 2 5 7 4 2 5

5

0

8 9 4 0 7 AVISO7 3 1 5

6 5 3 7 Faz-se saber que em relação ao concurso 7 para3 empreitada 5 9de obra 0pública público 7 designada 3 2 por « Empreitada 9 0 de5 construção do Teatro Caixa 5 Preta7do Centro 4 9Cultural de Macau4», publicado 3 no Boletim 1 Oficial da

Região Administrativa Especial de Macau n.º 28, II Série, de 14 de Julho de 2021, foram prestados esclarecimentos, nos termos do artigo 2.2 do programa do concurso, e foi feita aclaração complementar conforme necessidades, pela entidade que realiza o concurso e juntos ao processo do concurso. Os referidos esclarecimentos e aclaração complementar encontramse disponíveis para consulta, durante o horário de expediente, no Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, sito na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 9.º andar, Macau. Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, aos 22 de Julho de 2021. O Coordenador do Gabinete, Lam Wai Hou

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 18

6 4 1 2 8 9 7 4 3 0 2 6 0

PROBLEMA 19

19

4 5 2 0 8 7 3 2 5 6 9 4 7 1 1 8 M6I N9 0 3

6 8 9 6 1 0 7 5 8 2 3 1 0 9 5 3 42 87 2 4

UM21LIVRO

3 0 2 7 1 9 5 1 0 4 7 1 3 8 5 2 8 4 5 9 3 2 4 6 6 3 9 1 8 6 www.hojemacau.com.mo 4 9 0 7 9 6 7 4 9 0 3 1 8 7 3 6 5 0 8 7 2 4 0 5 8 2 4 5 6 3 0 2 1 0 6 7 9 2 4 3 4 7 M A X 3 4 H U M 6 0 ´2 2 3 5 1 0 8 19 55% 9 1 8 6 5 7 9 6 8

HOJE

6 5 0 3 2 4 8 7 20 2 8 4 do 1 Público 0 9 avisa 7 3 A ex-jornalista 1 0 7 4 2 que 1 “Líbano, 7 9 Labirinto” 0 6 5 não 3 é4 6 0mas as um livro 8 3 9de 6reportagem, 7 1traçam 8 4um2 fotografias e os 9 relatos 0 7 5 8 cru 4 do7Líbano 6 9nos2dias5 de0 retrato 9 sofre desde 1 a3explohoje.0O país 27 1 5 7 9 61 3 a crise 3política são em Beirute, 4 30e 55os 2jovens 8 0buscam 1 98 adensa-se por 9 respostas que demoram 02 3 4 57 18 6 a8 chegar. Pode não ser um livro 5 6 27 mas 85 3tem7muitas 00 16 de reportagem, histórias lá dentro. 7 15 8 9 40 6Andreia 4 2 5 Sofia Silva 6 8 2 3 0

23

1 6 8 8 7 5 3 5 40 79 26 9 03 1

7 1 0 8 9 3 4 5 •6 2

3 9 4 6 0 5 8 2 7 1 3 2 4 5 6 2 6 1 7 8 9 9 1 0 E U4R O8 0 5 7 3

2 8 6 9 7 3 5 4 1 28.7.2021 quarta-feira 4 5 0 1 0 2 8 9 7 3 6 5 6 2 8 79 .34 89 B A H T 0 . 2 4 Y U A N 1 . 2 3 0 1 4

22 | ALEXANDRA LUCAS COELHO “LÍBANO, LABIRINTO” 9 5 2 0 1 8 6 7 4 3

9 8 7 1 6 5 2 4 0 3

0 2 3 7 1 8 4 6 5 9

5 6 4 2 9 3 0 1 8 7

1 4 9 3 7 0 6 8 2 5

3 9 6 5 2 4 7 0 1 8

2 5 8 4 0 1 3 9 7 6

7 0 1 6 8 9 5 2 3 4

4 3 0 8 5 6 1 7 9 2

CINETEATRO

8 7 5 0 4 2 9 3 6 1

SALA 1

C I N E M A

BOSS BABY: FAMILY 6THE BUSINESS [B] FALADO EM CANTONÊS EM CHINÊS 1LEGENDADO Um filme de: Tom McGrath Com: Alec Baldwin, Jeff Goldblum, Greenblatt, Jimmy Kimmel 2 14.30,Ariana 16.30, 19.30 9BLACK WIDOW [B] Um filme de: Cate Shortland Scarlett Johansson, Florence Pugh, 3Com: Rachel Weisz, David Harbour 21.30 7 EYES: G.I. JOE ORIGINS [C] 8SNAKE Um filme de: Robert Schwentke Com: Henry Golding, Andrew Koji, Corberó, Samara Weaving 5 14.30,Úrsula 16.45, 19.15, 21.30 4 0 SALA 2

SALA 3

LUCA [A] FALADO EM CANTONÊS Um filme de: Enrico Casarosa 14.30

BUTT DETECTIVE THE MOVIE: THE CASE OF THE COURAGEOUS CURRY + MYSTERY OF THE LADYBUG RUINS [B] FALADO EM CANTONÊS LEGENDADO EM CHINÊS Um filme de: Hiroki Shibata 16.30, 18.00, 19.30

ESCAPE ROOM: TOURNAMENT OF CHAMPION [C] Um filme de: Adam Robitel Com: Taylor Russel, Logan Miller 21.30

24

22 9

1 7 8 6 4 2 0 5 3 0 4 8 6 2 7 5 9 1 3 49 8 05 9 33 12 5 74 6 26 9 2 5 8 1 3 0 6 7 4 28 6 56 1 7 0 3 83 9 41 3 1 6 0 4 9 7 5 8 2 3 4 9 29 5 8 01 6 7 1 7 6 3 4 5 1 8 2 9 0 BLACK WIDOW 01 2 82 4 95 64 7 38 1 59 4 0 1 3 9 6 2 7 5 8 6 5 39 77 0 2 18 45 8 9 5 8 9 7 6 2 3 0 4 1 Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editores 3 0 9 6 8 7 1 3 Salomé 4 5Fernandes 9 2Colaboradores 0 6 Anabela Canas;1 António 7 2 9 8 João 0 Luz;4José3C. Mendes 6 5Redacção Andreia Sofia Silva; João Santos Filipe; Pedro Arede; Cabrita; António de Castro Caeiro; Ana Jacinto Nunes; Amélia Vieira; Duarte Drumond Braga; Emanuel 1 4 0Gonçalo 8 Waddington;6Inês9Oliveira; 72 3 20 6 Cameira; 17 93Gonçalo 8 5M.Tavares; 0 João 5 Paulo 3 8Cotrim;1 José4 Simões 2 Morais; 7 Luis Carmelo; Nuno Miguel Guedes; Paulo José Miranda; www. 8 Paulo Maia e Carmo; Rosa Coutinho Cabral; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Teresa Sobral; Valério Romão Colunistas André Namora; David Chan; João Romão; Olavo 2 1 0 6 5 Rasquinho; 2 7 Paul 4 Chan 9 Wai 3 Chi; 8 Paula Bicho; Tânia2dos5Santos7 Grafismo 1 0Paulo4 Borges, 6 8 3 Santos 9 Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Rómulo hojemacau. Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia 0 8 9 4 com.mo 5 9 4 0 Welfare 8 3Morada 6 Pátio 1 da2Sé, 7n.º22, Edf. Tak Fok, R/C-B, 8 3Macau; 4 Telefone 2 728752401 5 9Fax 28752405; 1 0 6e-mail info@hojemacau.com.mo; Sítio www.hojemacau.com.mo 3 7 8 6 2 0 24

0 9

6 2 7 5 1 3 6 0 4 9 7 5 7 3 5 1 2 AVISO 0 9 6 5 8 saber que em relação ao concurso 4 Faz-se 8 0 público para «Empreitada de concepção e construção de 0 habitação pública no 4lote A2 da Nova Zona de Aterro A», publicado no 2 5 7 8 3 Boletim Oficial da Região Administrativa 2 n.º 26, II Série, 9 de1 30 de Especial de4 Macau

3 4 0

AVISO

AVISO

Junho de 2021, foram prestados primeiros esclarecimentos, nos termos do artigo 2.2 do programa do concurso, e foi feita aclaração complementar conforme necessidades, pela entidade que realiza o concurso e juntos ao processo do concurso. Além disso, serão prestados os restantes esclarecimentos no prazo previsto no artigo acima mencionado.

Faz-se saber que em relação ao concurso público para «Empreitada de concepção e construção de habitação pública no lote A3 da Nova Zona de Aterro A», publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau n.º 26, II Série, de 30 de Junho de 2021, foram prestados primeiros esclarecimentos, nos termos do artigo 2.2 do programa do concurso, e foi feita aclaração complementar conforme necessidades, pela entidade que realiza o concurso e juntos ao processo do concurso. Além disso, serão prestados os restantes esclarecimentos no prazo previsto no artigo acima mencionado.

Faz-se saber que em relação ao concurso público para «Empreitada de concepção e construção de habitação pública no lote A12 da Nova Zona de Aterro A», publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau n.º 26, II Série, de 30 de Junho de 2021, foram prestados primeiros esclarecimentos, nos termos do artigo 2.2 do programa do concurso, e foi feita aclaração complementar conforme necessidades, pela entidade que realiza o concurso e juntos ao processo do concurso. Além disso, serão prestados os restantes esclarecimentos no prazo previsto no artigo acima mencionado.

Os referidos primeiros esclarecimentos e aclaração complementar encontramse disponíveis para consulta, durante o horário de expediente, no Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, sito na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 9.º andar, Macau.

Os referidos primeiros esclarecimentos e aclaração complementar encontramse disponíveis para consulta, durante o horário de expediente, no Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, sito na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 9.º andar, Macau.

Os referidos primeiros esclarecimentos e aclaração complementar encontramse disponíveis para consulta, durante o horário de expediente, no Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, sito na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 9.º andar, Macau.

Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, aos 22 de Julho de 2021.

Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, aos 22 de Julho de 2021.

Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, aos 22 de Julho de 2021.

O Coordenador do Gabinete Lam Wai Hou

9

O Coordenador do Gabinete Lam Wai Hou

O Coordenador do Gabinete Lam Wai Hou


quarta-feira 28.7.2021

opinião 15

www.hojemacau.com.mo

In esquerda.net

Maria Luísa Cabral

NA MORTE DE OTELO, UM SILÊNCIO INSUPORTÁVEL

QUEM NASCEU depois do 25 de Abril poderá perceber o significado da data, tem obrigação. Quem viveu o 25 de Abril não pode esquecer o dia, a esperança e a alegria que encheram as ruas. Era madrugada quando se começou a perceber que a Junta Militar era uma fachada. Nem podia ser outra coisa, aquelas caras fechadas, autoritárias, marciais não correspondiam ao que vivêramos na rua. Não foi de imediato que os portugueses souberam quem estava por trás do movimento. Quem teria arquitectado o que depois se veio a considerar a maior operação estratégica militar de Portugal independente? Como se tinham utilizado as infraestruturas existentes para dar a volta a um regime que caduco, autoritário nos oprimia e massacrava? Só alguém que conhecesse muito bem a estrutura militar e as suas fragilidades operacionais. Já o

“A gratidão que sentimos é a mesma hoje, 47 anos depois. Não mudou. Ganhámos a liberdade e a democracia, duas palavras para tanto, para tudo. Neste aspecto muito concreto a História está feita.”

dia tinha passado quando o nome de Otelo começou a ser conhecido. A gratidão que sentimos é a mesma hoje, 47 anos depois. Não mudou. Ganhámos a liberdade e a democracia, duas palavras para tanto, para tudo. Neste aspecto muito concreto a História está feita. Alguma direita não aceita, pensa e fala de forma desprezível. Outros, porém, batem no peito, mas não dão (ou demoram?) um passo importante, um gesto público de reconhecimento. O luto nacional devia já ter sido decretado, as bandeiras a meia haste seriam uma obrigação, uma homenagem mínima. O governo na sua vertente PS esteve ocupado com as autárquicas, não pode interromper por minutos esse périplo para reflectir. Tudo absolutamente lamentável, triste. Indigno. Um gesto que também teria a sua carga de ambição. Talvez possamos todos homenagear na rua o homem que nos ajudou a conquistá-la.


“Não tenho certeza de nada, mas a visão das estrelas faz-me sonhar.” PALAVRA DO DIA

Vincent Van Gogh

quarta-feira

28.7.2021 episódio 45

O Jogo das Escondidas

Melco Perdas líquidas de 185,7 milhões de dólares no 2.º trimestre

um folhetim por Fernando

A operadora de jogo Melco Resorts & Entertainment, com quatro casinos em Macau, teve perdas líquidas de 185,7 milhões de dólares no segundo trimestre do ano, anunciou ontem a empresa. Ainda assim, a perda líquida foi menor do que a registada no mesmo período homólogo de 2020, período em que a pandemia e as restrições fronteiriças atingiam de forma mais acentuada a capital mundial dos casinos. O presidente da empresa, Lawrence Ho, mostrou-se satisfeito “por ver uma recuperação progressiva dos níveis de negócios durante o segundo trimestre de 2021, apesar dos desafios da pandemia de covid-19 e das restrições fronteiriças, que apesar de relaxadas para a China, ainda estão em vigor. O grupo apresentou receitas operacionais no segundo trimestre de 2021 de 566,4 milhões de dólares, um aumento de aproximadamente 222 por cento. No segundo trimestre de 2021, o grupo apresentou um EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado positivo de 79,1 milhões de dólares.

Covid-19 Milhares de estrangeiros abandonam Indonésia

Milhares de estrangeiros abandonaram a Indonésia nas últimas semanas, indicam os registos do aeroporto ontem divulgados, aparentemente impulsionados por uma violenta vaga da pandemia de covid-19 e uma escassez generalizada de vacinas, que foram primeiro administradas aos grupos prioritários. A Indonésia tem agora o maior número de casos diários na Ásia, depois de as infecções e as mortes terem aumentado drasticamente no mês passado e o surto gigantesco na Índia ter abrandado. As infecções atingiram o ponto mais alto em meados de Julho, com a média diária mais elevada registada de mais de 50.000 novos casos num dia. Até meados de Junho, o número diário de casos era cerca de 8.000. Desde o início deste mês, quase 19.000 cidadãos estrangeiros deixaram o país pelo Aeroporto Internacional Sokarno-Hatta, situado na capital, Jacarta.

Energia China State Grid assume controlo de maior eléctrica do Chile

PUB PUB.

O grupo China State Grid, que em Portugal é o maior accionista da REN, assumiu na segunda-feira o controlo do Conselho de Administração da maior empresa de electricidade do Chile, a Compañía General de Electricidad (CGE). A estatal chinesa comprou, em Março passado, uma participação de 96,04 por cento da empresa, à espanhola Naturgy, por cerca de 3 mil milhões de dólares. A CGE detalhou à Comissão do Mercado Financeiro do Chile a renovação do seu Conselho de Administração, ao qual se juntou Dai Yan (presidente nomeado), Liang Chengzhong, Huang Futao, Liu Chengzu e Rodrigo Valdés, ex-Ministro das Finanças do Chile. Com esta operação, a State Grid consolidou o controlo de mais de metade do mercado de distribuição de energia eléctrica no Chile. Em 2019, a estatal chinesa assumiu a empresa responsável por grande parte da distribuição de energia eléctrica de Valparaís, centro litoral do país, por cerca de 2,4 mil milhões de dólares.

Linha aberta A Coreias retomam comunicação telefónica depois de um ano

S duas Coreias retomaram ontem a comunicação telefónica 13 meses depois de ter sido cortada unilateralmente pelo Norte em protesto contra o envio de propaganda antirregime por activistas do Sul. Os dois vizinhos, tecnicamente ainda em guerra desde o fim da Guerra da Coreia, decidiram retomar os contactos telefónicos a partir das 09h, disse, em comunicado, o porta-voz da Presidência da Coreia do Sul, Park Soo-hyun. O Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, trocaram cartas, várias vezes desde Abril, para discutir o restabelecimento das relações intercoreanas”, de acordo com a mesma nota. O comunicado acrescentou que “os dois também con-

cordaram em restabelecer a confiança mútua entre as duas Coreias o mais rapidamente possível e fazer novos progressos na relação bilateral”.

Desligar com estrondo

A agência noticiosa estatal da Coreia do Norte, a KCNA, também divulgou o restabelecimento das comunicações e da correspondência entre os líderes

A agência noticiosa estatal da Coreia do Norte indicou que “toda a nação coreana deseja ver a relação Norte-Sul recuperar dos reveses e da estagnação”

dos dois países. A KCNA indicou que “toda a nação coreana deseja ver a relação Norte-Sul recuperar dos reveses e da estagnação” e que o reinício das trocas “terá efeitos positivos na melhoria e no desenvolvimento das relações Norte-Sul”. Em 9 de Junho do ano passado, Pyongyang suspendeu as comunicações telefónicas com o Sul, argumentando que Seul não tinha feito o suficiente para impedir o envio de balões de propaganda a partir do seu território. Pouco depois, Pyongyang destruiu o edifício do gabinete de ligação intercoreano local e bloqueou o diálogo entre os dois países, retomado em 2018, menos de um ano depois de Moon se ter tornado Presidente na Coreia do Sul.

Sobral

- Não sou um fantasma, tenente. Pode aproximar-se e ver que sou real. Se quiser tem aqui uma cadeira e uma cerveja para beber. Ou um cigarro, se quiser fumar. Ao contrário do que dizia, Benedito gostava de se mostrar como um fantasma que governava as almas a partir do mundo subterrâneo. O universo que muitos não conheciam e outros não desejavam conhecer. Não era inocente esta escolha. No seu jogo, Benedito gostava de ser dono do baralho de cartas ou das das peças de mahjong. Ali não se estava num território neutro. Amoroso sentou-se e agarrou na garrafa de cerveja que o padre lhe estendeu. Bebeu um pouco e voltou a focar a atenção nele. - Este mundo é curioso, não é tenente? Hipnotiza-nos. Vai mudar, não tenhamos dúvidas. Eu, por certo mudarei com ele. Mas ao contrário da sua amiga Ding Ling, não o quero mudar. Vou adaptar-me ao que me espera. E o tenente, que pretende fazer? Adaptar-se ou mudar o mundo? - Eu já tentei mudar o mundo, meu caro Benedito. Mas sobre o futuro tenho apenas uma certeza: não conheço as respostas para a pergunta que me estás a fazer. Benedito fez um sorriso e acendeu o cigarro. O seu rosto, por momentos, pareceu ficar rijo, como pedra. - Realmente a minha pergunta era errada. E é inútil procurar respostas para questões como esta. Ninguém sabe que decisões tomará. Eu compreendo-o, tenente. Percebo como se sente. Não há muito tempo, eu também me sentia perdido. Sem amigos. Sem identidade. Achava que não havia vida para mim que fizesse sentido. Melhor, sentia que não havia via nenhuma. Depois houve um momento, em Singapura, em que descobri o meu espaço. Fungou, antes de continuar: - Não me pergunte o que aconteceu. Não lho vou dizer. Mas há sempre uma vida. Há sempre um futuro, se o quisermos construir. Mas há limites para o que sonhamos sozinhos. E se amamos alguém compreendemos melhor esses limites. Mas eu não sou como o tenente. Acho que há vida para lá do amor por uma mulher. - Acha mesmo isso? - Para percebermos essa dura realidade temos de ter informação. E termos bons espiões. (continua)

Profile for Jornal Hoje Macau

Hoje Macau 28 JULHO 2021 #4819  

Nº 4819 de 28 JULHO de 2021 - Edição em papel do jornal Hoje Macau

Hoje Macau 28 JULHO 2021 #4819  

Nº 4819 de 28 JULHO de 2021 - Edição em papel do jornal Hoje Macau

Profile for hojemacau
Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded