Hoje Macau 28 JUNHO 2022 #5037

Page 1

COMUNIDADE PORTUGUESA

CAMINHO DAS PEDRAS PÁGINA 7

HOJE MACAU TERÇA-FEIRA 28-6-2022

CINEMA

A BELA ZHUHAI EVENTOS

CONVERSAS EM DIA PUB.

PÁGINAS 10-11

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

Dar conta do recado

Segundo o Governo, as medidas até agora aplicadas para conter o novo surto de covid-19 têm obtido resultados “muito positivos”, não sendo por isso necessário procurar ajuda do Interior. Macau tinha ontem 391 casos positivos confirmados. Um deles em estado grave.

RÓMULO SANTOS

PÁGINAS 2-3

COVID-19

LUGAR AO DEBATE? PÁGINAS 4-5

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

CHINA

Nº 5038

MOP$10


2 especial covid-19

www.hojemacau.com.mo

Zonas Vermelhas Isolamento reduzido para cinco dias

O período de isolamento dos indivíduos inseridos em edifícios classificados como zonas vermelhas foi reduzido de sete para cinco dias. De acordo com uma nota do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus divulgada na madrugada de ontem, após a implementação do confinamento (dia 0), estas pessoas passam agora a ter o código de saúde de cor amarela no 6º e 7º dia (período de autogestão), devendo realizar um teste de ácido nucleico no 7º dia para que o código de saúde seja convertido em verde. Durante o período de isolamento e em que o código está vermelho, os indivíduos terão de realizar testes de ácido nucleico no 1º e 5º dia e testes rápidos no 2º, 3º e 4º dia. Quanto aos indivíduos inseridos nas zonas amarelas, terão de realizar testes de ácido nucleico no 1º, 2º, 4º e 7º dia e testes rápidos no 3º, 5º e 6º dia antes de ver o seu código de saúde convertido na cor verde.

Mercados Vendedores obrigados a teste rápido diário

Para poderem operar as suas bancas, os vendedores dos mercados municipais e das zonas de vendilhões passaram a estar obrigados a fazer um teste rápido de antigénio diariamente. Segundo o Instituto para os Assuntos Municipais (IAM), foram destacados fiscais para garantir que todos os trabalhadores efectuaram o teste à covid-19 e que estes cumprem as orientações de prevenção epidémica e higiene pessoal, de forma a assegurar a saúde dos consumidores. Adicionalmente, revela o IAM, os diversos mercados e zonas circundantes são diariamente limpos e desinfectados durante o período de almoço e os seguranças do espaço fornecem desinfectante às pessoas que pretendam entrar nesses espaços.

Testes antigénio IAS lança vídeo tutorial para idosos

Com o objectivo de ensinar a população idosa a fazer o teste rápido de antigénio, o Instituto de Acção Social (IAS) produziu e divulgou um vídeo onde são demonstradas, passo a passo, todas as etapas necessárias para a realização do exame à covid-19 em casa. O vídeo pode ser encontrado no canal do IAS na plataforma YouTube, onde também consta um vídeo sobre os procedimentos relativos à declaração do resultado do teste rápido. “O IAS espera que os equipamentos sociais, os sectores sociais e o público em geral ajudem a divulgar o vídeo em causa e, em simultâneo, apela os residentes para que ajudem familiares ou vizinhos idosos a aprofundarem os procedimentos do teste rápido de antígeno e da declaração do resultado do teste”, pode ler-se em comunicado.

SURTO

“SUCESSO” DO TRABALHO DE PREVENÇÃO AFASTA PEDIDO DE AJUDA AO INTERIOR

COPO MEIO CHEIO

28.6.2022 terça-feira

O Governo considera que os últimos dados demonstram que a situação epidémica está controlada e o trabalho de prevenção a ser um sucesso, não sendo por isso necessário pedir ajuda ao Interior da China. Até ontem, foram registados 391 casos positivos, havendo, entre eles, um caso grave referente a uma residente de 60 anos

O

Governo descartou, para já, emitir qualquer pedido de ajuda às autoridades do Interior da China para concretizar os trabalhos de prevenção epidémica afectos ao último surto de covid-19 em Macau e considerou que os mais recentes dados traduzem o “sucesso” das medidas aplicadas. Segundo explicou a médica Leong Iek Hou, o sucesso está materializado no elevado número de casos detectados nas zonas de gestão e controlo e na comunidade. “Todos os trabalhadores da linha frente, voluntários e cidadãos têm contribuído para que, neste momento, os trabalhos estejam a ser um sucesso e temos conseguido controlar a epidemia”, começou por explicar Leong Iek Hou.


terça-feira 28.6.2022

especial covid-19 3

www.hojemacau.com.mo

RÓMULO SANTOS

TESTES RÁPIDOS PUBLICADA QUANTIDADE DE STOCK A CADA DUAS HORAS

O

“De acordo com dados de hoje [ontem], podemos ver que houve 96 novos casos confirmados, dos quais 50 foram detectados na comunidade e 46 detectados através das medidas gestão e controlo. Por isso, podemos ver que através das várias rondas de teste em massa, dos testes rápidos e da investigação epidemiológica, estamos a conseguir detectar os pacientes. Isto significa que houve um resultado muito positivo dos nossos trabalhos (…) e espero que possamos continuar”, explicou. Segundo Leong Iek Hou, o apoio que o Governo Central está a dar a Macau traduz-se no envio de material médico e na garantia do fornecimento de bens alimentares à população, através da facilitação das passagens fronteiriças.

Primeiro caso grave

Os dados revelados ontem em conferência de imprensa foram avançados numa altura em que tinham sido registados, no total, 357 novos casos de covid-19 em Macau. Contudo, mais tarde, a

mesma responsável anunciou que a contabilização já tinha subido para 391. Além disso, foi anunciado que entre os casos positivos, uma residente de Macau vacinada com três doses da vacina da Sinopharm encontra-se em estado grave, após lhe ter sido diagnosticada uma pneumonia nos dois pulmões. No entanto, a sua condição de saúde é considerada “estável”. “Uma mulher de 60 anos que tem uma doença crónica e está vaci-

“Se não houver essa necessidade, não vamos activar o plano de gestão circunscrita. Nesta fase, os cidadãos devem cumprir as exigências do Governo e apenas sair de casa em caso de necessidade. Por favor, não saiam de casa.” CHEONG KIN IAN SPU

nada com três doses, teve entretanto dificuldades a nível respiratório, tem uma baixa taxa de oxigénio no sangue e as análises mostram que existe uma pneumonia nos dois pulmões. Já lhe foram recomendados medicamentos contra covid-19 e é considerado um estado grave, embora o seu estado clínico seja estável”, foi indicado. Questionado sobre a possibilidade de a cidade vir a ser submetida a um confinamento geral (gestão circunscrita), o Chefe de Divisão de Relações Públicas dos Serviços de Polícia Unitários (SPU), Cheong Kin Ian, diz não haver para já essa necessidade. “Se não houver essa necessidade, não vamos activar o plano de gestão circunscrita. Nesta fase, os cidadãos devem cumprir as exigências do Governo e apenas sair de casa em caso de necessidade. Por favor, não saiam de casa”, vincou.

Problemas em massa

Acerca do plano de testagem em massa da população, foi esclarecido que os funcionários estão a

exigir a apresentação do resultado do teste de antigénio nos postos e que, se a população já não tiver testes disponíveis em casa, poderão ser disponibilizados kits de testes rápidos no local. Isto, apesar de haver stock suficiente [ver texto]. Leong Iek Hou admitiu ainda a possibilidade de vir a dispensar algumas crianças de próximas rondas de testarem, caso estas tenham permanecido sempre em casa com a família. Sobre as quarentenas impostas à população devido a contactos próximos ou itinerários semelhantes, foi confirmada a ocorrência de atrasos na saída do Hotel Sheraton devido à impossibilidade de realizar testes a todos os hóspedes a quem foi dada alta. Foi ainda relatado um caso em que uma ambulância tardou a acudir um residente que se sentiu mal no hotel de quarentena, devido à complexidade e coordenação que o procedimento implica entre entidades. Pedro Arede

Instituto para a Supervisão e Administração Farmacêutica (ISAF) anunciou ontem que vai passar a publicar a cada duas horas as informações sobre o stock de testes rápidos de covid-19 nas farmácias de Macau. A medida foi revelada através de comunicado e explicada com a preocupação da população sobre a eventual falta de testes. Os testes rápidos são cada vez mais utilizados e as autoridades têm pedido aos residentes que façam testes antes de irem para os centros de testes. Até ao momento, foram fornecidos gratuitamente 10 testes por pessoa após a realização dos teste em massa. Sobre a situação no mercado, o preço dos testes rápidos de covid-19 varia entre 10 e 50 patacas, o que foi explicado com a diferença de embalagem, marca e origem. “Em resposta à evolução da situação epidémica em Macau, os importadores aumentam as importações, prevendo-se a sua chegada dentro desta semana” foi revelado. Segundo a ISAF, actualmente existem 69 tipos de testes rápidos autorizados em Macau, e as autoridades garantem a eficácia de todos, independentemente das marcas. J. S. F.


4 especial covid-19

28.6.2022 terça-feira

www.hojemacau.com.mo

POLÍTICA DE ZERO CASOS EX-DEPUTADO SULU SOU DEFENDE DISCUSSÃO

RÓMULO SANTOS

A força da inevitabilidade

COOPERAÇÃO NELSON KOT QUER AJUDA DE EQUIPAS DO INTERIOR

N

ELSON Kot, ex-candidato a deputado e presidente da “Associação de Estudos Sintético Social de Macau”, defende que as equipas médicas do Interior devem vir urgentemente ao território ajudar no combate ao surto. A opinião foi deixada num artigo publicado ontem no Jornal do Cidadão, em que Kot sugere que seja pedida assistência à Comissão de Saúde de Guangdong. “Até agora, as políticas de saúde tiveram por base as opiniões da equipa de Zhong Nanshan, sem registo de problemas. No entanto, como o surto se tornou mais sério e perigoso, será que a

equipa de Zhong Nanshan pode enviar pessoal para vir a Macau assistir na prevenção da epidemia?”, questionou. Num cenário em que diz que os trabalhadores da função pública estão cansados e cada vez mais nervosos com a possibilidade de serem infectados, Nelson Kot quer que a província vizinha assuma um papel mais activo. “A Associação de Estudos Sintético Social de Macau recomenda que o Governo da RAEM contacte imediatamente a Comissão de Saúde da Província de Guangdong e a Comissão de Saúde Nacional para pedir assistência, para reforçar os recursos humanos e resolver

rapidamente a situação epidémica”, pode ler-se. “Espero que o Governo considere estas opiniões”, acrescentou. Ao mesmo tempo, o candidato a deputado derrotado duas vezes aponta que a situação nos casinos não é satisfatória e que os trabalhadores, apesar de fazerem testes rápidos a cada dois dias, estão preocupados por terem de trabalhar. Segundo Nelson Kot, estas pessoas têm medo de serem infectadas no trabalho e contaminar as respectivas famílias. Por isso, pediu ao Executivo a suspensão temporária do funcionamento dos casinos. J. S. F.

Educação Deputado alerta para risco de surto prolongado

O deputado Kou Kam Fai, também director da Escola Secundária Pui Ching, admite que se a situação epidémica não for controlada até Setembro o ensino vai enfrentar problemas muito sérios. Em declarações ao Jornal do Cidadão, o legislador afirmou que não acredita que a situação não esteja resolvida até ao início do próximo ano lectivo, mas admitiu que nesse cenário as escolas vão enfrentar problemas de grande escala. Na pior das situações, Kou apontou como hipótese o reforço do ensino online, que disse ter conhecido um grande desenvolvimento nos últimos 10 anos e que pode ser uma solução. Quanto ao final antecipado do ano lectivo, Kou Kam Fai considerou que não teve um grande impacto, porque a maior parte dos exames estavam concluídos. Ainda assim, apelou para que o sector adopte medidas menos rigorosas de avaliação, dada a complexidade da pandemia, e pediu para que o desempenho ao longo de todo o ano seja tido em conta na avaliação dos estudantes, além dos exames.


terça-feira 28.6.2022

especial covid-19 5

www.hojemacau.com.mo

O vice-presidente da Associação Novo Macau considera urgente o combate ao surto pandémico. Depois de resolvida a situação, Sulu Sou gostaria de ver debatida a manutenção da política de zero casos em Macau ou a passagem a uma fase de coexistência com a covid-19

A

Lutar contra a natureza

Em relação à política actual, Sulu Sou acha que o Governo está a gastar muitos recursos no combate

“Não posso dizer que estou optimista sobre este debate, se tivermos em conta que o actual espaço público para discutir é muito reduzido.” SULU SOU EX-DEPUTADO

ao coronavírus, que está sempre em mutação. O vice-presidente da Novo Macau indicou também que os recursos eram melhor utilizados se fossem canalizados para grupos de risco, como idosos, crianças, doentes crónicos, ou pessoas portadoras de deficiência. Por outro lado, o ex-legislador questionou o objectivo da política de zero casos, argumentando ser impossível eliminar um vírus de um momento para o outro. “Alguma vez os humanos foram capazes de tomar medidas que ultrapassassem a capacidade de um vírus para se espalhar? Alguém acha que é desta vez que os humanos vão eliminar um vírus tão contagioso?”, questionou. “Acho que até o cidadão normal,

como eu, que não é profissional de saúde, está surpreendido com esta visão”, frisou. Este aspecto foi apontado depois de Alvis Lo, director dos Serviços de Saúde, ter afirmado que para controlar o surto as autoridades teriam de ser mais rápidas a actuar, a detectar as diferentes infecções, para quebrarem a cadeia de transmissão.

Depende das condições

Em relação ao debate, Sulu Sou argumenta que não se deve limitar a

discussão a duas opções inflexíveis: a política de zero casos ou a coexistência com o vírus. No seu entender, ambas as visões têm aspectos positivos que podem ser adoptados, de acordo com a evolução da pandemia. Contudo, o ex-deputado recusa que a política de coexistência seja definida como a escolha de deixar morrer os mais fracos, como acredita que Ho Iat Seng deu a entender durante a conferência de imprensa da semana passada. Para Sulu Sou, não é assim que se pode discutir de forma saudável um problema profundo, apenas criando condições para no futuro haver grande oposição para a adopção de uma política menos restritiva. Sulu Sou apontou ainda uma incoerência no discurso de Ho Iat Seng e nas medidas adoptadas. Na conferência, Ho Iat Seng apelou à calma da população, porque a estirpe actual não tem a taxa de mortalidade das estirpes anteriores do vírus. Sulu Sou concorda com a afirmação e reconhece que os dados reflectem essa realidade, porém, não deixou de notar que

as medidas tomadas não reflectem esta nova realidade.

Sem condições para mudar

Finalmente, Sulu Sou reconheceu que nas condições actuais, e segundo a apresentação do Chefe de Executivo na conferência de imprensa, não vai ser possível desistir da política de zero casos tão depressa. Mesmo afastando a impossibilidade de Macau adoptar políticas diferentes das praticadas no Interior da China, devido ao encerramento das fronteiras, Sulu Sou indicou que o Governo não tem trabalhado para viver com o vírus, o que limita as opções. O ex-deputado é assim contra uma alteração repentina, por temer que os Serviços de Saúde não estejam preparados para a mudança. Mesmo indicando que a reacção das autoridades ao surto tem sido dinâmica, com aprendizagem, como a alteração de critérios das zonas amarelas e vermelhas comprova, Sou espera que antes da implementação de mudanças estas sejam bem explicadas à população para evitar respostas negativas. João Santos Filipe

Sulu Sou argumenta que não se deve limitar a discussão a duas opções inflexíveis: a política de zero casos ou a coexistência com o vírus. No seu entender, ambas as visões têm aspectos positivos que podem ser adoptados, de acordo com a evolução da pandemia

GCS

PESAR de a pandemia da covid-19 se prolongar em Macau há mais de dois anos e meio, nunca houve uma discussão pública sobre a política de zero casos. O ex-deputado Sulu Sou considera que depois de resolvido o surto actual, seria importante abrir espaço para se debater a manutenção da política de zero casos ou, à semelhança do que acontece no resto do mundo, avançar para a coexistência com o vírus. Numa entrevista ao jornal All About Macau, Sulu Sou afirmou que existem cada vez mais vozes na sociedade que questionam a política actual e o pendor para eliminar os casos comunitários a todo o custo. Nesse sentido, o ex-legislador entende que a política deve ser analisada mais profundamente, o que não tem acontecido. Na perspectiva de Sulu Sou, o debate é muito importante e a sociedade devia estar mais aberta para a discussão, apesar de reconhecer limites. “Não posso dizer que estou optimista sobre este debate, se tivermos em conta que o actual espaço público para fazer estas discussões é muito reduzido”, desabafou. O ex-deputado, banido das últimas eleições legislativas, indicou que actualmente toda a discussão foca a criação, ou não, de mais postos de testes ou se uma espera de 15 minutos nos postos de testes é aceitável. “É o tipo de debate que os órgãos de comunicação social tradicionais têm permitido e que faz com que o espaço para a discussão mais profunda seja muito limitado”, opinou.

CHANINNY/SHUTTERSTOCK

SAÚDE MENTAL UNIVERSIDADE ACONSELHA INFORMAÇÃO DO GOVERNO PARA ACALMAR STRESS

A

Universidade Cidade de Macau elaborou uma lista de actividades a desenvolver e a evitar para preservar a saúde mental dos alunos durante o surto de covid-19 que afecta Macau. Para quem sente ansiedade ou perturbações psicológicas durante a pandemia, a universidade aconselha “não partilhar informação não confirmada sobre o surto”, não consumir demasiado in-

formação, evitar compras de pânico, não perturbar o relógio biológico com refeições e sono a horas irregulares e não esconder ou ignorar sentimentos”. No capítulo do conforto emocional, a universidade estabelece cinco palavras-chave: Segurança, calma, eficácia, conectividade, esperança. A primeira refere apenas as básicas regras de segurança durante a pandemia,

como usar máscara, observar boa higiene e evitar aglomerados. Nas dicas para encontrar calma durante períodos de ansiedade ou perturbações, é aconselhado o recurso “à informação oficial sobre a pandemia, respirar fundo quando não se sentir bem, relaxar e descansar”. No que toca a encontrar esperança, é recomendado que os estudantes afastem “pensamentos negativos,

mantenham uma atitude positiva e esperançosa”, além de “procurarem a auto-motivação e o ânimo”. Em casos graves, a Universidade Cidade de Macau aconselha o contacto online com as equipas de aconselhamento psicológico e os serviços de consulta. Para tal, os estudantes têm de preencher um formulário antes de serem contactados “dentro de dois dias úteis”. J. L.


6 política

28.6.2022 terça-feira

www.hojemacau.com.mo

INTERNET DEPUTADO ALERTA PARA “ARMADILHAS” DE INFLUENCERS E PEDE FISCALIZAÇÃO

Silêncio dos influentes Ma Io Fong está preocupado com os menores que são levados a gastar dinheiro em jogos online e transmissões em troca de upgrades ou de “um sorriso de um influencer”. Para o deputado, o Governo deve ponderar alterações legislativas que permitam maior fiscalização e apostar na sensibilização e formação dos encarregados de educação

O

deputado Ma Io Fong considera que o Governo deve tomar medidas para fiscalizar o acesso de menores a jogos online que envolvam o pagamento de montantes em troca de recompensas e sensibilizar os encarregados de educação para a “obscuridade” da prática. Segundo o deputado, a massiva utilização dos smartphones com acesso à internet e a influência de celebridades em diversas plataformas online, tem contribuído para levar menores a despender avultadas quantidades de dinheiro. “Diversos jogos alegam ser grátis, mas, geralmente, têm itens àenda, atraindo os jogadores a injectar dinheiro no jogo. Mais, com o desenvolvimento do entre-

em 2017 por uma instituição de aconselhamento sobre o vício do jogo, o deputado aponta que 62 por cento dos inquiridos efectuou pagamentos envolvendo, na sua maioria, montantes entre 1.001 e 5.000 patacas.

Obscurantismo digital

tenimento no mundo da internet, surgiram as gorjetas para as celebridades ou influencers”, começa por explicar através de uma interpelação escrita. “Esta variedade de produtos, a publicidade e a influência das celebridades constituem um grande atractivo para os menores, enquanto grupo que não tem ainda conceitos amadurecidos sobre o dinheiro e a sua gestão. Assim, muitas vezes pagam fortunas só para comprar uma coisa ou conseguir um sorriso de uma qualquer celebridade ou influencer. Com a generalização dos telemóveis inteligentes, este fenómeno passou a ser um problema social”, acrescentou. Ma Io Fong classifica ainda como “armadilhas psicológicas” os

sorteios de recompensas incluídos nos jogos online, que, de acordo com deputado, levam os menores a gastar dinheiro, acreditando que estão “quase a conseguir alcançar uma determinada meta”. Além disso, citando um estudo realizado

“Muitas vezes [os menores] pagam fortunas só para comprar uma coisa ou conseguir um sorriso de uma qualquer celebridade ou influencer.” MA IO FONG DEPUTADO

Neste contexto e lembrando que muitos países, incluindo a China, têm tomado medidas para “reprimir” empresas que desenvolvem jogos ou plataformas de transmissão em directo, como o Twitch, quanto à prática de incluir menores no seu público alvo, Ma Io Fong defende que o Governo de Macau deve também ponderar alterações legislativas nesse sentido. Além disso, tendo em conta que os servidores dos respectivos jogos e plataformas se encontram instalados na China, o deputado pede mesmo ao Executivo para dialogar com os serviços competentes do Interior para “prevenir, através das políticas e legislação” os menores de participar nestas actividades. “O Interior da China já recorreu à políticas e legislação para restringir os actos de injecção de dinheiro nos jogos virtuais e de pagamento de gorjetas na internet por parte dos menores e até criou mecanismos para a devolução das quantias pagas”, começou por indicar. “O acto de injectar dinheiro pode até envolver o elemento jogo, assim, as autoridades devem rever a legislação vigente, estudando a viabilidade de fiscalizar as actividades de sorteio nos jogos virtuais. Já o fizeram?”, questionou. Por último, perante a “obscuridade subjacente à (…) práticas de injectar dinheiro e de pagar gorjetas”, Ma Io Fong defendeu ainda o reforço da sensibilização e educação destinados a encarregados de educação. O objectivo passa por “aumentar os conhecimentos dos pais sobre o desenvolvimento da Internet e (…) o bom aproveitamento das funções de filtragem, ajudando-os a reforçar a guarda das contas destinadas ao pagamento electrónico”. Pedro Arede

SAÚDE MENTAL COUTINHO DEFENDE MEDIDAS PREVENTIVAS

O

deputado José Pereira Coutinho interpelou o Governo sobre a necessidade de implementar “medidas eficazes com maior envolvimento dos cuidados de saúde primários na prevenção e tratamento das perturbações depressivas e do humor”, tendo em conta o potencial aumento de casos de depressão e suicídio. Além disso, entende ser necessário mais investimento na área educativa, nomeadamente na “capacitação do corpo docente e de funcionários das escolas para identificarem potenciais quadros de perturbação mental nos jovens”. Sobre os cuidadores informais, Coutinho considera fundamental dispor de “medidas concretas e eficazes” para o acompanhamento psicológico destas pessoas, além de serem necessárias “equipas com especialistas para os profissionais de saúde”, a fim de prevenir casos de “burnout”. O deputado pede também a criação de uma linha de apoio psicológico destinada a “profissionais de saúde e demais trabalhadores essenciais”. A interpelação dá conta que, nos últimos três anos, o território tem enfrentado uma série de confinamentos “que ninguém sabe quando acabam”, o que pode ter efeito negativo na saúde mental da população. O deputado alerta para o facto de a economia local “estar de rastos”, com as autoridades a gastarem as “reservas acumuladas” em apoios à população e empresas. “Multiplicam-se os testes de despistagem, distribuem-se centenas de milhares de kits, aumenta o número de infectados e tudo isto provocou alterações profundas nos cidadãos na sua forma de pensar e de viver. Muitos cidadãos vivem com a angústia, tristeza, medo, incertezas, frustração, cansaço e desgaste individual”, rematou.


terça-feira 28.6.2022

D

ADOS da Autoridade Monetária e Cambial de Macau (AMCM) revelam que os investimentos de residentes em títulos emitidos por entidades independentes estrangeiras têm aumentado gradualmente desde o primeiro ano da pandemia. A 31 de Dezembro de 2021 os investimentos dos residentes foram de 1.098,1 mil milhões de patacas, mais 1,9 por cento face a 30 de Junho desse ano, enquanto que esse valor representou mais 7,2 por cento face ao final do ano de 2020. Os investimentos que obtiveram um aumento maior, na ordem dos 12,4 por cento, foram os realizados em títulos representativos de capital, incluindo fundos mútuos e investimentos em trusts, no valor total de 389,2 mil milhões de patacas em finais de 2020. A Ásia surge em primeiro lugar nas escolhas dos residentes para investir, representando 54,3 por cento, seguindo-se as zonas do Atlântico Norte e Caraíbas, com 16,2 por cento. O investimento nos títulos emitidos por entidades no Interior da China (incluindo títulos listados em bolsas no exterior) continuou a ser predominante, representando 36,3 por cento da carteira de investimentos externos aplicados pelos residentes de Macau. Entretanto, a quota da carteira de investimentos emitidos por Hong Kong diminuiu de 13,6 para 12,2 por cento, tendo diminuído 3,6 por cento o valor de mercado (134,1 mil milhões de patacas). Quanto aos títulos emitidos por países integrantes do projecto “Uma Faixa, Uma Rota”, excluindo a China, detidos por residentes, registaram um aumento do valor de mercado em 19 por cento face a finais de 2020, valendo 93,6 mil milhões de patacas. Estes títulos representam 8,5 por cento do total da carteira de investimentos de residentes no exterior.

COMUNIDADES PORTUGUESAS ASSOCIAÇÕES EM PEDEM ATENÇÃO A PORTUGAL

Dar gritos de alerta

A Casa de Portugal em Macau e a Associação dos Macaenses relataram a Rita Santos as dificuldades financeiras e operacionais pelas quais estão a passar nesta fase da pandemia, alertando que é necessária maior atenção por parte das autoridades portuguesas

R

ITA Santos, na qualidade de Conselheira das Comunidades Portuguesas, reuniu dia 16 com representantes de associações de matriz portuguesa do território a fim de levar sugestões e ideias para a reunião anual do Conselho das Comunidades Portuguesas, que se realiza em Lisboa de 4 a 19 de Julho. Segundo uma nota de imprensa, associações como a Casa de Portugal em Macau (CPM), Associação dos Macaenses (ADM) e Associação dos Jovens Macaenses estiveram representadas. Amélia António, presidente da CPM, “assinalou as dificuldades financeiras que atravessa a instituição devido a obstáculos burocráticos associados aos apoios de que a mesma depende, e que resultam do abrandamento da economia local”. A responsável disse ser “fundamental continuar a transmitir às autoridades responsáveis em Portugal a importância do apoio constitucional às actividades da CPM”. Além disso, Amélia António “falou da necessidade de promover o intercâmbio entre instituições como forma de apoio às actividades da CPM”. O encontro serviu também para debater “a renovação dos contratos dos portugueses no território, a necessidade de aumentar a participação dos portugueses nas acções do Fórum Macau,

TIAGO ALCÂNTARA

AMCM INVESTIMENTOS DE RESIDENTES SOBEM PROGRESSIVAMENTE

Casa de Portugal

permitindo, assim, promover a diversificação e a sustentabilidade das actividades económicas da RAEM e intensificar as relações entre China e Portugal”. Foi ainda discutida “a importância da definição de uma política cultural para Macau”. Por sua vez, Miguel de Senna Fernandes, presidente da ADM, disse “comungar de algumas das preocupações ex-

Amélia António “falou da necessidade de promover o intercâmbio entre instituições como forma de apoio às actividades da CPM”

JOGO RECEITAS DE MASSAS SÓ RECUPERARAM EM 2024

S

EGUNDO a previsão do Credit Suisse, as receitas de jogo devem atingir em 2024 cerca de 80 por cento do nível de receitas apuradas antes da pandemia. O banco de investimento reviu assim em baixa uma estimativa anterior que previa a recuperação até 2024 para 98 por cento das receitas do

sociedade 7

www.hojemacau.com.mo

segmento de massas em 2019. Segundo o jornal Exmoo, o banco prevê que as receitas de jogo deste ano se situem em 56,977 mil milhões de patacas, 113,482 mil milhões de patacas no

próximo ano e 162,039 mil milhões de patacas em 2024. As novas estimativas do Credit Suisse representam uma quebra entre 39 por cento e 23 por cento em relação às previsões an-

teriores. Os analistas do banco de investimento reviram em baixa as estimativas com base no combate activo ao jogo transfronteiro promovido pelas autoridades do Interior da China, nomeadamente às restrições na emissão de vistos a jogadores frequentes que atravessam a fronteira para jogar em Macau.

pressas pela presidente da CPM, nomeadamente a notória dificuldade de Portugal interpretar as características de Macau e as especificidades dos portugueses de Macau”. O presidente da ADM “enalteceu o esforço da comunidade macaense e os seus representantes na manutenção da identidade cultural de origem portuguesa”, além de ter sugerido a “promoção de um intercâmbio de conhecimentos e formação em áreas específicas de que o território poderia beneficiar da experiência portuguesa”.

Preservar a identidade

Dirigida por António Monteiro e Paula Carion, a Associação dos Jovens Macaenses apresentou a estratégia de acção para os próximos meses, tendo em conta

que a nova direcção foi eleita há poucos meses. Um dos objectivos é “acentuar a preservação da identidade cultural de Macau”, considerando “fundamental a importância da ligação com os jovens da diáspora macaense, algo que poderá ser facilitar através do desenvolvimento de uma plataforma tecnológica para o efeito”. A mesma associação disse na reunião com Rita Santos que é necessário “expandir as actividades para as áreas abrangentes dos interesses dos jovens da comunidade, tais como a economia, o desenvolvimento e a tecnologia, em complemento da sua componente cultural, no âmbito da actual estratégia do desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau”. A.S.S.

SMG Temperaturas altas e possibilidade de tempestade tropical

Até à próxima quinta-feira o tempo em Macau vai continuar muito quente, com as temperaturas mais elevadas a poderem chegar aos 35 graus celsius. Paralelamente, a Direcção dos Serviços Meteorológicos e Geofísicos (SMG) alertou para a possibilidade de uma “vasta área de baixa pressão localizada próximo das Filipinas” poder vir a desenvolver-se para uma tempestade tropical que poderá entrar no Mar do Sul da China a meio da semana e chegar às regiões costeiras de Guangdong e Fujian durante o fim-de-semana. Segundo os SMG, mesmo que o sistema não desenvolva para uma tempestade tropical, “o tempo em Macau vai passar a muito nublado com aguaceiros e trovoadas e o vento vai intensificar-se”, entre os dias 1 e 3 de Julho, devido à influência de uma faixa de nuvem associada.


8 eventos

28.6.2022 terça-feira

XINHUA

www.hojemacau.com.mo

EURIMAGES TRÊS CO-PRODUÇÕES PORTUGUESAS APOIADAS

T

RÊS co-produções portuguesas vão receber apoio do programa Eurimages do Conselho da Europa, anunciou ontem aquela entidade. Num comunicado, em que revela os 24 filmes que vão ser apoiados no âmbito da segunda sessão de avaliações de projetos do Eurimages em 2022, com uma verba total de 6,511 milhões de euros, surge “Sob a chama da candeia”, de André Gil Mata, numa co-produção entre a portuguesa Rua Escura e França, que vai receber 140 mil euros do programa europeu. Outros projectos que envolvem co-produtoras nacionais são “The Rye Horn”, da espanhola Jaione Camborda Coll, entre Espanha, Bélgica e Portugal, que vai receber 312 mil euros, e “Re-Writing”, do espanhol Victor Iriarte, a receber 232 mil euros, numa co-produção entre Espanha, Portugal e França. Entre outros projectos apoiados pelo Eurimages em 2022 contam-se “A Case Story”, do romeno Radu Jude, e “A Massacre”, do suíço Milo Rau. O Eurimages é o fundo de apoio cultural do Conselho da Europa e, desde que foi criado em 1988, já apoiou 2.320 co-produções com um valor total de 661 milhões de euros.

André Gil Mata

Os participantes foram desafiados a apresentar histórias emocionantes sobre os residentes da ilha, como o carteiro, o médico e professores da aldeia e os papéis que desempenharam no de

CINEMA SEIS REALIZADORES DE MACAU MOSTRAM AS BELEZAS NATURAIS DE ZHUHAI

Fitas da ilha dos Seis jovens cineastas da Universidade Cidade de Macau vão participar no Hong Kong, Macao & Taiwan Youth Image Program 2022, um evento organizado em colaboração com a Beijing Normal University de Zhuhai e a universidade local. O desafio lançado aos jovens criadores é retratar em filme as histórias dos moradores da Ilha de Wailingding, em Zhuhai

A

Ilha de Wailingding, no arquipélago vizinho de Wanshan em Zhuhai, é a musa de um evento cinematográfico que pretende juntar trabalhos de jovens realizadores de Ma-

cau, Hong Kong e Taiwan. De acordo com informação veiculada pelo Governo da cidade de Zhuhai, seis jovens realizadores da Universidade da Cidade de Macau irão cooperar com oito produtores de filmes da Beijing Normal

University em Zhuhai (BNU Zhuhai) na edição deste ano do Hong Kong, Macao & Taiwan Youth Image Program. As autoridades da cidade vizinha acrescentam que o objectivo é a produção de curtas-metragens documen-

tais, com cerca de 10 minutos de duração, que captem e demonstrem a beleza das paisagens rurais da Ilha Wailingding, distinguida a nível nacional como um local de extrema beleza e interesse cultural. O evento conta com a organização conjunta do Centro de Investigação de Comunicação de Imagem da Cultura Chinesa do BNU e pela Faculdade de Humanidades e Ciências Sociais da Universidade da Cidade de Macau. No programa de recolha de curtas-metragens deste ano, os participantes foram desafiados a apresentar histórias emocionantes sobre os residentes da ilha, como

o carteiro, o médico e professores da aldeia e os papéis que desempenharam no desenvolvimento da Ilha de Wailingding. O programa, que é um dos principais focos do centro de investigação, foi iniciado em 2019. Ao longo da sua curta vida, as entidades organizadoras do evento convidaram mais de meia centena de jovens realizadores de Macau, Hong Kong e Taiwan para retratarem em formato de curta documental aspectos da cultura chinesa. Os filmes foram disponibilizados nas várias plataformas online através dos canais oficiais das universidades de Macau, Hong Kong, Taiwan e Guangdong.


terça-feira 28.6.2022

eventos 9

www.hojemacau.com.mo

Oceano de histórias Projeto FILMar ajuda a perceber relação dos portugueses com mar

esenvolvimento da Ilha de Wailingding

s amores Numa curta declaração citada pelo portal noticioso do Governo de Zhuhai, Li Huaizhi, director executivo do centro de investigação, manifestou a esperança de que

O objectivo é a produção de curtas-metragens documentais, com cerca de 10 minutos de duração, que captem e demonstrem a beleza das paisagens rurais da Ilha Wailingding

os realizadores de Macau possam contar histórias únicas sobre a ilha de Wailingding, para que os jovens de Macau possam ter uma melhor compreensão da vida rural.

Inspiração insular

Mas afinal, o que tem de especial a Ilha de Wailingding? Situada a 10 quilómetros a sul da ilha de Cheung Chau (Hong Kong), Wailingding é um sítio pitoresco com uma aldeia piscatória como ponto nevrálgico no sopé da pequena montanha que ocupa o centro da ilha. Com apenas 4 quilómetros quadrados de área, não faltam paisagens e riqueza natural para atrair turistas. Quase à semelhança de Cheung Chau, quem sai do ferry em Wailingding tem

uma rua costeira repleta de restaurantes onde o marisco e o peixe são reis, em particular uma iguaria muito apreciada por portugueses: percebes. Com uma vida vagarosa, longe da confusão urbana, Wailingding tem uma pequena praia, uma avenida com um “local cénico para amantes” e as suas contas em redes sociais, um parque com gravuras em rochas, o Sino Madrugador do Monte do Imperador do Norte, o Pico Lingding e as baías de Tawan e Dadong. Wailingding é uma das 10 maiores ilhas de Zhuhai, que tem mais de uma centena de ilhas. João Luz

ALBUFEIRA 1968, ANTÓNIO DE MACEDO

O

projecto da Cinemateca de digitalização do cinema português ligado à temática do mar já permitiu “conhecer a fundo os arquivos” e perceber que os oceanos foram “uma matéria profundamente manipulada”, disse à Lusa o coordenador, Tiago Bartolomeu Costa. Numa altura em que Lisboa se prepara para acolher a Conferência dos Oceanos da Organização das Nações Unidas, a Cinemateca Portuguesa tem em curso um programa, com financiamento europeu, de digitalização de pelo menos 10.000 minutos de filmes do cinema português, relacionados com a temática do mar e abrangendo mais de um século de produção cinematográfica. Num balanço do trabalho já feito, desde 2020, a Cinemateca já digitalizou 55 curtas-metragens e sete longas-metragens, totalizando 1.440 minutos. O projecto de digitalização, financiado com cerca de 880 mil euros, através do Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu (EEA Grants), prevê retrospectivas no final do programa, mas a Cinemateca está já a programar sessões com alguns dos filmes digitalizados, cumprindo um dos objectivos: Devolver o cinema português aos espectadores. Com o trabalho já feito, a Cinemateca provou que “era possível traçar na história da produção de cinema em Portugal uma linha contínua, transversal a todos os géneros, que é o mar”, afirmou Tiago Bartolomeu Costa. Foram já digitalizados documentários, filmes de promoção turística, filmes informativos sobre práticas culturais e sociais relacionadas com o mar, obras propagandísticas do Estado Novo e algumas obras de ficção, de vários géneros. “Conseguimos encontrar títulos que vão permitir resgatar, ou do desconhecimento ou da sombra, determinadas filmografias ou reconhecer o papel que tiveram na construção do cinema contemporâneo”, sublinhou o coordenador. Mais do que fazer uma simples digitalização e dis-

ponibilização ao público, a Cinemateca quer propor novas leituras do cinema português em estreita colaboração com festivais, cineclubes, museus ou no âmbito do Plano Nacional do Cinema e do Plano Nacional das Artes. “Existem muitos filmes carregados de ideologia. Não basta digitalizar os filmes, é preciso encontrar formas de apresentação desses filmes, encontrar contextos adequados para que sejam relidos à luz daquilo que hoje sabemos”, explicou.

Do misticismo

Neste trabalho do FILMar foi possível, por exemplo, digitalizar o filme “Gente da Praia da Vieira” (1975), de António Campos, cujo centenário do nascimento será assinalado este ano pelo festival Curtas de Vila do Conde, ou a curta “Albufeira” (1968), de António de Macedo, que abriu o festival IndieLisboa. Sobre o que já foi digitalizado, Tiago Bartolomeu Costa disse que já é possível tirar algumas conclusões e falar de “um lado mítico” da relação dos portugueses com o mar. “Há sobretudo uma consciência muito grande de que o mar foi uma matéria profundamente manipulada e quem manipulava era consciente de que o mar lhe escapava permanentemente. Razão pela qual existem muitas sequências em que se acha que se está a filmar o mar, mas se está a falar de perda, de revelação, de desistência, de redescoberta”, disse. O trabalho de restauro e digitalização está a decorrer nos laboratórios do Arquivo Nacional das Imagens em Movimento (ANIM), pertencente à Cinemateca, e que

funciona numa quinta perto de Lisboa.

Linhas de montagem

Numa visita ao ANIM foi possível ver que os técnicos trabalham numa espécie de linha de montagem dos laboratórios, em diferentes salas, seguindo-se um percurso de tratamento, limpeza e restauro da película, tanto na imagem como no som. O objectivo da digitalização não é retirar todas as imperfeições e desgastes da passagem do tempo. É corrigir e tratar uma obra para que seja exibida o mais aproximado possível das condições em que foi mostrada originalmente, explicou Tiago Bartolomeu Costa. Numa sala, um dos técnicos está a corrigir a cor do filme “Sentinelas do mar” (1959), de Armando de Miranda, sobre exercícios militares da marinha, noutra sala trabalha-se o som do filme “Henrique, o Navegador” (1960), de João Mendes, de propaganda ideológica do Estado Novo. No ANIM, onde estão preservados milhares de bobines e quilómetros de película, em cofres climatizados, foi criada também uma pequena sala de cinema, para simular uma exibição em sala dos filmes já restaurados. Findo o programa FILMar, em 2024, Tiago Bartolomeu Costa diz que a Cinemateca entrará “num novo ciclo de vida”. “O programa FILMar serviu para experimentar formas de programação e de contextualização que, quando o projecto foi idealizado, não estavam previstas e que a pandemia ajudou a revelar; e que o potencial e a grandeza destes ajudou a descobrir”, disse.


10 china

www.hojemacau.com.mo

28.6.2022 terça-feira

GUANGZHOU AVANÇA CONSTRUÇÃO DA GRANDE ÁREA DA BAÍA EM NANSHA

A

China emitiu medidas detalhadas para promover o desenvolvimento do distrito de Nansha na cidade de Guangzhou, numa tentativa de aprofundar a cooperação abrangente na Grande Área da Baía Guangdong-Hong Kong-Macau (GBA, sigla em inglês) e expandir a abertura de alta qualidade. A região de Nansha melhorará o seu mecanismo de inovação tecnológica, serviços públicos e ambiente de negócios, disse Guo Lanfeng, funcionário da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma durante uma reunião na sexta-feira, citado pela Xinhua. Até 2025, a região procurará aprofundar a cooperação industrial com Hong Kong e Macau e impulsionará os serviços públicos relativos a startups, educação e saúde, de acordo com uma directriz divulgada pelo Conselho de Estado, o gabinete da China. A directriz apresenta desenvolvimento sinérgico entre a região de Nansha e Hong Kong e Macau, e maior abertura na GBA, disse Guo. A directriz revela que, até 2035, grandes avanços surgirão nos sistemas locais de inovação e transformação industrial, bem como nos ambientes de trabalho e de vida, ao mesmo tempo em que o número de residentes de Hong Kong e Macau em Nansha deverá aumentar significativamente. Ao melhorar o ambiente de negócios da região e expandir a abertura de alta qualidade, a China fará esforços sólidos para construir Nansha em uma plataforma principal para facilitar a cooperação abrangente na GBA, pode ler-se na directriz. O documento acrescenta que a região de Nansha implementará medidas para fomentar indústrias de alta tecnologia, apoiar os jovens em startups, melhorar o transporte e a logística globais e facilitar a convergência regulatória na GBA. “Hengqin concentra-se em servir Macau, enquanto Qianhai procura apoiar Hong Kong”, disse Guo. Mais de 2.700 empresas de Hong Kong e Macau se estabeleceram-se no distrito, com o valor do investimento a somar 117 mil milhões de dólares, segundo dados oficiais. Nansha aproveitará seus recursos na ligação entre mercados nacionais e internacionais para aumentar as vantagens da GBA nas cooperação e concorrência internacionais, acrescentou Guo.

Um dos temas da conversa poderá ser a manutenção das tarifas impostas pelos Estados Unidos aos produtos fabricados na China e a obrigação chinesa de aumentar a compra de produtos norte-americanos

PRINCIPAL CONSELHEIRO POLÍTICO REÚNE COM MEMBROS DO PCCH DE TAIWAN

O

mais alto conselheiro político da China, Wang Yang, instou os delegados do Partido Comunista da China (PCCh) de origem taiwanesa a cumprirem seriamente as suas funções e a fazerem as contribuições devidas para o 20.º Congresso Na-

cional do PCCh, informa a Xinhua. Wang, membro do Comité Permanente do Buraeau Político do Comité Central do PCCh e presidente do Comité Nacional da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês (CCPPC), fez as observa-

ções numa reunião com membros do PCCh de origem taiwanesa no domingo. Na reunião, Wang disse que os membros do PCCh de origem taiwanesa devem compreender plenamente a política geral do Partido para resolver a questão de Taiwan na nova era,

implementar as decisões da liderança central do Partido em relação a Taiwan e permanecer altamente consistentes com a liderança central do Partido em questões importantes relativas aos princípios. Wang também os encorajou a dar um bom exemplo

em oporem-se à chamada “independência de Taiwan” e facilitar a reunificação. Também devem trabalhar para garantir os interesses dos compatriotas de Taiwan, além de fazerem sua parte no aprimoramento das trocas e da comunicação através do Estreito, disse Wang.


terça-feira 28.6.2022

china 11

www.hojemacau.com.mo

Região

JOE BIDEN E XI JINPING DEVERÃO FALAR NAS PRÓXIMAS SEMANAS

Conversas essenciais

Segundo o conselheiro diplomático norte-americano, Jake Sullivan, os dois líderes deverão encontrar-se dentro de algumas semanas

O

S Presidentes dos Estados Unidos e da China deverão reunir-se “nas próximas semanas”, confirmou ontem o principal conselheiro diplomático norte-americano, Jake Sullivan, à margem da cimeira do G7, na Alemanha. O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o seu homólogo chinês, Xi Jinping, “terão a oportunidade de conversar nas próximas semanas”, afirmou Sullivan, sem especificar a forma nem a data desta reunião. O encontro deverá acontecer numa altura em que as relações entre as duas superpotências estão extremamente tensas, por causa das posições assumidas face à guerra na Ucrânia e ao estatuto de Taiwan e por questões económicas. Assegurando que, tanto ao nível do G7 (grupo dos sete países mais industrializados do mundo) como da NATO sempre houve “convergência relativamente aos desafios”, Jake Sullivan

XINHUA

O

antigo Presidente timorense apelou ontem à junta militar de Myanmar para libertar Aung San Suu Kyi, e manifestou consternação pela decisão de transferir para um complexo prisional e de manter em isolamento a líder deposta. “Apelo à Junta Militar, que governa o país, para libertar Aung San Suu Kyi e para seguir o caminho do diálogo e da tolerância, com vista a restauração da transição democrática do país”, disse Xanana Gusmão, num apelo público enviado à Lusa. “A minha solidariedade está com o povo de Myanmar, o qual tem de ser ouvido e respeitado. As minhas preces são para a Junta Militar, para que os seus responsáveis tenham a abertura e a lucidez de enveredar pela reconciliação de diferendos que conduzam a paz política e social”, salientou. À própria Aung San Suu Kyi, Xanana Gusmão endereçou “uma palavra de encorajamento por

tudo o que tem feito pelo país em prol da democracia, quer antes da mudança de regime, quer, até recentemente, antes de ser privada da sua liberdade”. Na semana passada, a líder deposta de Myanmar (antiga Birmânia) foi transferida de um local de detenção secreto para uma prisão na capital do país, Naypyidaw. Suu Kyi, de 77 anos, foi detida a 1 de fevereiro de 2021, na sequência de um golpe militar. A ex-responsável tem estado a ser julgada por vários crimes, tendo sido já condenada a 11 anos de prisão por ter importado e ter ilegalmente na sua posse ‘walkie-talkies’ e violar as restrições de combate à pandemia de covid-19. Nobel da Paz em 1991, Aung San Suu Kyi passou cerca de 15 anos detida durante um anterior regime militar, mas esteve quase todo esse período em prisão domiciliária na residência familiar, em Rangum, a maior cidade do país.

JAPÃO GOVERNO PEDE REDUÇÃO DE CONSUMO DE ELETRICIDADE

A sublinhou que “competição não significa confronto”. Um dos temas da conversa poderá ser a manutenção das tarifas impostas pelos Estados Unidos aos produtos fabricados na China e a obrigação chinesa de aumentar a compra de produtos norte-americanos. Questionado na semana passada pelos jornalistas, quando dava um passeio de bicicleta, Biden admitiu que ia falar com Xi Jinping, mas sublinhou não ter ainda tomado nenhuma decisão sobre as sobretaxas.

As sobretaxas, que somam o equivalente a 350 milhões de dólares (anuais, foram impostas pelo anterior Presidente norte-americano, Donald Trump, mas o prazo de validade não ficou explícito, podendo ser levantadas em 6 de Julho, em 23 de Agosto ou no período entre Setembro próximo e Setembro de 2023. A expectativa de uma reunião entre Biden e Xi ganhou força na segunda-feira passada, depois de um encontro pessoal entre o principal conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos e o principal diplomata chinês.

Mergulho China conquista primeiro ouro no Mundial de Budapeste Os chineses Cao Yuan e Wang Zongyuan venceram a final sincronizada masculina de 3m no primeiro dia de competição de saltos no 19.º Campeonato Mundial da FINA, realizado em Budapeste, na Hungria, no domingo. A dupla Cao/Wang recebeu um total de 459,18 pontos, à frente de Jack Laugher/Anthony Harding da Grã-Bretanha (451,71) e Lars Rudiger/ Timo Barthel da Alemanha (406,44). Wang, de 20 anos, já é campeão

MYANMAR XANANA APELA À JUNTA PARA LIBERTAR AUNG SAN SUU KYI

olímpico. Ganhou ouro nos Jogos de Tóquio, emparelhado com Xie Siyi. Cao, de 27 anos, venceu o trampolim de 3m nas Olimpíadas do Rio em 2016 e perdeu o ouro nos 10m sincronizados em Tóquio. Os 3m sincronizados foi a única final de mergulho realizada no domingo. Na ronda preliminar da plataforma de 10m feminino no domingo, as chinesas Chen Yuxi e Quan Hongchan terminaram no topo com 413,95 e 410,85 pontos, respectivamente.

S autoridades japonesas advertiram ontem para a escassez de electricidade, quando o país regista temperaturas recordes e com a capital, Tóquio, a viver a mais curta estação das chuvas desde 1951. “Pedimos que reduzam o consumo de energia ao início da noite”, numa altura em que as reservas de eletricidade se encontram em baixo na região metropolitana de Tóquio, declarou o secretário-geral adjunto do Governo nipónico, Yoshihiko Isozaki. Ao mesmo tempo, o Governo japonês recomendou à população que se proteja do calor e evite insolações. Temperaturas de 35ºC (Celsius) foram anunciadas durante o dia, na capital japonesa, onde os termómetros não deverão baixar dos 34ºC antes de domingo, de acordo com a Agência Meteorológica Japonesa (JMA). A estação das

chuvas devia estar, nesta altura, a decorrer em grande força na maior parte do território nipónico, mas a JMA já anunciou que terminou na segunda-feira na região de Kanto, onde se encontra Tóquio, no centro do país e em parte da ilha de Kyushu (sudoeste), estabelecendo também um recorde. Esta foi uma das mais curtas estações das chuvas, que terminaram 22 dias antes do que é habitual, desde que o Japão começou a registar dados comparáveis em 1951. No domingo, os termómetros subiram aos 40,2ºC na localidade de Isesaki, a uma centena de quilómetros a norte de Tóquio, na mais alta temperatura alguma vez registada no Japão, em Junho. “Logo a seguir à estação das chuvas, muitas pessoas não estão ainda habituadas ao calor, o que representa um risco mais elevado de insolação”, preveniu a JMA.


12

h

XUNZI

Os vulgares provedores da doutrina dizem, “Era prática dos tempos muito antigos realizar enterros frugais1. Os caixões não tinham mais de três polegadas de espessura e haviam só três conjuntos de roupas funerárias. As campas não obstruíam a lavoura e, por isso, as pessoas não as profanavam. A prática desta idade caótica é realizar opulentos funerais, usando caixões muito ornamentados que incitam as pessoas a profaná-los”. Ora isto é algo dito por aqueles que não atingiram uma compreensão de como estabelecer a ordem, nem investigaram a razão pela qual as pessoas profanam, ou não, as campas. Sempre que as pessoas se dedicam ao furto, fazem-no decerto em nome de possuírem coisas. Se não for em nome de obterem aquilo de que lhes falta o suficiente, então é em nome de multiplicar aquilo que já têm em abundância. Porém, a maneira de um rei-sage educar as pessoas comuns é assegurando-se de que cada uma delas satisfaz a condição de estar bem fornecida de provisões e abastada, como aqueles que não sabem quando estar satisfeitos, embora também se assegure de que as pessoas não excedem a medida adequada na sua posse da abundância. Assim, os ladrões deixam de se dedicar ao furto e os vilões deixam de matar gente. [Tanta é a abundância que] os cães e os porcos recusarão até feijões e cereais e os lavradores e mercadores serão generosos em questões de bens e riqueza. Os costumes das pessoas se refinarão: os homens e mulheres deixarão de se acostar nas ruas e o povo comum sentirá vergonha de se apoderar de coisas perdidas. Por isso, Confúcio disse, “Quando o

www.hojemacau.com.mo

28.6.2022 terça-feira

ELEMENTOS DE ÉTICA, VISÕES DO CAMINHO

Dos Juízos Correctos mundo conhecer o Caminho, não serão os ladrões os primeiros a mudar?” Nesse caso, mesmo que o corpo esteja revestido de pérolas e jades, o caixão interior coberto de têxteis com padrões e bordados e o caixão exterior coberto de objectos de ouro; mesmo que seja embelezado com cinabre e decorado com malaquite, árvores de corno de rinoceronte e dentes de elefante e frutos feitos das pedras lianggan, huajin e longzi – ainda assim ninguém profanará o túmulo2. E porquê? Porque o seu desejo de lucro afrouxou e a sua vergonha em ir contra o que foi determinado é grande. Só na caótica idade presente é que as coisas são o oposto disto. Os superiores empregam pessoas sem seguir o modelo apropriado e os seus subordinados comportam-se sem seguir a medida apropriada. Aqueles que são inteligentes não participam das deliberações do governo, aqueles que são capazes não se vêem envolvidos no estabelecimento da ordem e aqueles que são merecedores não são empregues pelo líder. Quando as coisas assim são, perdese a natureza do Céu em cima, em baixo perdemse os benefícios da Terra e, no meio, perde-se a harmonia entre a humanidade. Deste modo, as cem tarefas são negligenciadas, a riqueza e provisões diminuem e desastres e caos emergem. Em cima, reis e duques são assolados por deficiências. Em baixo, o povo comum gela e passa fome e se emacia. Pessoas do calibre de Jie e Zhòu congregamse, ladrões e vilões roubam e matam ao ponto de porem em perigo mesmo quem está em cima. São pessoas com a conduta de pássaros e bestas, tão

IX

rapaces como tigres e lobos. E, assim, chegarão mesmo a cozinhar crianças e fazer carne seca com adultos. Quando há pessoas assim, como espantar-se que profanem túmulos e vasculhem as bocas dos cadáveres? Mesmo que alguém seja enterrado nu, o exumarão – e depois como o tornar a enterrar se decerto lhe comerão a carne e roerão os ossos? Por isso, dizer que “A prática de tempos muito antigos era realizar enterros frugais, de modo a que as pessoas não profanavam os túmulos, mas nesta idade caótica os funerais são opulentos e, por isso, as pessoas os profanam” é apenas um caso de gente vil enganada por doutrinas caóticas, que as usa para enganar e afundar os tolos e os roubar. Há um provérbio que diz, “Põem os outros em perigo para obterem segurança para si próprios. Causam dano a outros para obterem lucros para si próprios”. Isto exprime o que quero dizer.

1 - Os defensores mais conhecidos da prática dos “enterros frugais” eram os seguidores de Mencius. 2 - Estes eram, aparentemente, três tipos de pedras preciosas, embora não saibamos exactamente quais. Algumas árvores artificiais, frequentemente em bronze, têm sido encontradas em túmulos antigos, em particular da dinastia Han. São conhecidas como “árvores do dinheiro” e apresentam ramos carregados de moedas em vez de fruta (para uso do defunto no além).

Xunzi (荀子, Mestre Xun; de seu nome Xun Kuang, 荀況) viveu no século III Antes da Era Comum (circa 310 ACE - 238 ACE). Filósofo confucionista, é considerado, a par do próprio Confúcio e Mencius, como o terceiro expoente mais importante daquela corrente fundadora do pensamento e ética chineses. Todavia, como vários autores assinalam, Xunzi só muito recentemente obteve o devido reconhecimento no contexto do pensamento chinês, o que talvez se deva à sua rejeição da perspectiva de Mencius relativamente aos ensinamentos e doutrina de Mestre Kong. A versão agora apresentada baseia-se na tradução de Eric L. Hutton publicada pela Princeton University Press em 2016.


terça-feira 28.6.2022

JOSÉ SIMÕES MORAIS

Sun Yatsen e Chen Jiongming, ambos naturais da província de Guangdong, tinham uma visão divergente para a China, pois um concebia-a a nível nacional e o outro por regiões, apesar de colaborarem até 1922. Para Sun, filho de camponeses, o país devia ser uno e governado por um poder nacionalista republicano de teor socialista democrático revolucionário e Chen, descendente de proprietários rurais abastados, enquanto confucionista apelava a reformas para modernizar a monarquia, evoluindo para um ideal de ser a China uma República federalista democrática. A sua ideia era fazer de Guangdong um exemplo de governação para, como modelo, federando as províncias unificar a China, pois os chineses, após a dinastia manchu e as derrotas nas guerras do Ópio, já sem unidade como povo, radicavam-se nas suas comunidades rurais e daí a força dos locais poderes militares. Sun considerava tal visão servir para justificar os senhores da guerra. Sun Yatsen (1866-1925), cujo nome de nascimento era Sun Wen e após a morte conhecido por Sun Zhongshan, na adolescência estudou no Hawai e regressando à China licenciou-se em Medicina em Hong Kong. Exercia clínica em Macau com o ideal de ajudar o povo e percebendo daí não vir a solução, resolveu em 1893 começar uma acção revolucionária para derrubar a monarquia manchu. No Hawai, em 1894 organizou com a comunidade ultramarina chinesa a Sociedade para a Regeneração da China (Xingzhonghui) com a finalidade de estabelecer na China uma República Democrática. Em 1905 unificou-a com a organização anti-Qing Guangfuhui (Sociedade de Restauração, estabelecida em 1904) e fundou em Tóquio, com os chineses refugiados no Japão, a Aliança Revolucionária Chinesa (Tungmenghui) baseada em três princípios: o nacionalismo para combater o governo imperial da dinastia Qing, pois as potências estrangeiras não tinham nenhum interesse em derrubá-lo; o segundo, o da constituição de um governo democrático republicano; e o terceiro, o de redistribuir as terras pelo povo para a sua subsistência, pois este encontrava-se na completa pobreza.

www.hojemacau.com.mo

ARTES, LETRAS E IDEIAS

13

Sun Yatsen foge de Guangzhou

Chen Jiongming (18781933), após licenciar-se em 1908 na Faculdade de Direito e Administração da Universidade de Cantão, onde tomou conhecimento do movimento anarquista, ao qual se juntou, entregou-se à política, apresentando uma série de reformas para tornar a monarquia constitucional. Eleito em 1909 membro da Assembleia Provincial de Guangdong sob o regime da dinastia Qing, não foi a Beijing participar como delegado no Parlamento Nacional, mas a 27 de Abril de 1911 em Guangzhou efectuou uma sublevação revolucionária. Com 7 mil homens no seu exército, o general Chen Jiongming foi Governador Militar de Guangdong entre 1911 e 1912, ocorrendo nesse período a Revolução Xinhai, a queda da dinastia Qing e o início da República da China a 1 de Janeiro de 1912 com Sun Yatsen na presidência. O general Yuan Shikai (18591916) controlava o Exército imperial de Beiyang, leal ao poder de Beijing, mas pressionado para reconhecer a República, a 12 de Fevereiro de 1912 forçou Puyi, o último Imperador Qing, a abdicar. Sem grandes apoios, Sun Yatsen a 15 de Fevereiro cedeu temporariamente a Yuan Shikai a presidência provisória da República. A constituição

provisória promulgada em Março de 1912 estipulava a formação de um sistema parlamentar com eleições no prazo de dez meses para o Parlamento e Presidente e para participar, a Sociedade da Aliança (Tungmenghui) de Sun Yatsen converteu-se no Partido Nacional Popular (Guomindang). Faltando à palavra, Yuan Shikai em Janeiro de 1914 dissolveu o parlamento e colocou os seus membros a elaborar uma constituição, que lhe delegou todo o poder e a 13-12-1915 autoproclamou-se Imperador Hongxian. Após a sua morte a 6 de Junho de 1916, as províncias foram-se revoltando, desencadeando os senhores da guerra uma luta entre eles pela conquista da China, que ficou totalmente fragmentada. Em Guangdong, o general Chen Jiongming voltava a dominar e em 1917, Sun Yatsen, líder do Guomindang, criava em Guangzhou um governo militar, que no ano seguinte passou para as mãos dos senhores da guerra de Guangxi, sendo o poder entregue em 1920 a Beijing. 16-6-1922 Em 1922, Guangzhou, capital da China Republicana do Sul, estava mergulhada no caos. Digladiavam-se Sun Yatsen, Presidente Extraordinário da República da China desde 5-51921, apoiado pelo Governo do Guomindang e Chen Jiongming, desde Outubro de 1920 Governador Civil de Guangdong. Em 21-4-1922, Sun retirou-lhe o comando do Exército de Guangdong (Yue) por, em Março de 1922, se ter recusado ir combater as forças Beiyang a Hubei, preferindo fortalecer militarmente Guangdong. Com o objectivo de unificar a China, Sun Yatsen partia a 6 de Maio com quinhentos homens para Norte e logo a 20 de Maio, Ye Ju, que substituíra Chen no comando militar, trazia o Exército Yue de Guangxi para Guangdong,

SOAVAM JÁ OS PRIMEIROS TIROS, DE MISTURA COM GRITOS DE <MORTE A SUN WEN!>, QUANDO ESTE, ACOMPANHADO POR UM ÚNICO GUARDA-COSTAS, ABANDONOU A RESIDÊNCIA” E A COBERTO DA NOITE, ATRAVESSOU DISCRETO A CIDADE DE CANTÃO “ATÉ À SEGURANÇA DO CRUZADOR YUN FENG JOÃO GUEDES

ficando em posição de dominar Guangzhou. “Sun apercebia-se, ser o seu aliado de há muitos anos na verdade agora um rival, razão que o levou a suspender a campanha e a regressar. (..). Ch’en (que era também líder da Tríade) encarregou a seita de eliminar o rival. No caso de as coisas correrem mal, a sua figura ficaria fora de qualquer suspeita”, refere João Guedes, que nos relata numa outra versão o dia 16 de Junho de 1922, quando Sun Yatsen foi atacado em Guangzhou. Wang Pik-wan, elemento da Tríade e casada com um dos comandantes da Clique de Guangxi, circunstancialmente aliada a Ch’en, escolheu o grupo de homens armados com a missão de apanhar Sun na sua residência oficial, local indefensável. “O ataque desencadeou-se pelas duas horas da madrugada de 16 de Junho de 1922, mas o factor surpresa foi anulado por um providencial telefonema que pouco antes dera o alerta. A revelação do que se preparava foi apenas suficiente para improvisar a defesa, mas permitiu salvar o presidente. Soavam já os primeiros tiros, de mistura com gritos de <Morte a Sun Wen!>, quando este, acompanhado por um único guarda-costas, abandonou a residência” e a coberto da noite, atravessou discreto a cidade de Cantão “até à segurança do cruzador Yun Feng, uma unidade naval do Kuomintang que se encontrava fundeada no porto, preparada para emergências do género. Soong ching-ling, sua mulher, que permaneceu ainda algum tempo nas instalações, escapava igualmente algumas horas mais tarde no meio da confusão do assalto, conseguindo alcançar o cruzador com o despontar da manhã.” Na residência, cerca de cinquenta soldados da guarda pessoal resistiam, fazendo crer ainda ali se encontrarem os visados. Caído o último dos defensores, os atacantes penetraram no edifício à procura de Sun Yat-sen, mas mais interessados estavam nos seus arquivos pessoais, sendo os documentos encontrados depois entregues ao general Ch’en, que os usou para desacreditar nacional e internacionalmente Sun. O edifício foi incendiado e reduzido a escombros. História contada por João Guedes.


56

6 4 7

1 0

9 5 3 www.hojemacau.com.mo 28.6.2022 terça-feira 0 5 8 7 3 2 NUBLADO MIN 26 MAX 33 HUM 65-95% UV 10 (MUITO ALTO) • EURO 8.54 BAHT 0.22 YUAN 1.20 0 ´ 2 9 8 CINETEATRO 1 3 0 56

14 [f]1utilidades 0

1 4 6 4 5 0 2 6 5 4 TEMPO POUCO 8 1 6 3 8 9 4 6 8 2 7 55

HOJE S6 8U3 1D7 4O0 2K9 5U UMA6 SÉRIE 4 7 2 1 0 8 9 6 0 7 3 5 2 0 5 8 4 3 1

2 1 5 4 6 9 7 7 9 3 4 0

4 7 5 9 0 4 1 7 1 8 2 3 62 9

9

3 60 0 5 7 7 4 9 6 8 2 3 1

59

5 9 7 6 0 8 4 3 8 16 2

8 0

6 2 3 4 3 5 1 7 8 0 1 5 9 4

9 8 1 0 2 3 2 6 8 5 5 4 36 77

4 1 9 3 8 2 7 0 5 6

6 7 2 1 0 5 9 4 8 3

1 9 7 5 2 0 6 2 3 4 6 80 3

5 3 0 1 4 9 8 8 7 26 69 4

8 1 2 3 0 5 9 9 1 0 7 67 8 6 2 4 1 37 5 1 79 93 0

6 3 7 1 9 3 2 2 5 80 49 4 7 8 29 6 03 35 9 18 5

1 8 9 6 6 8 5 3 1 4 09 72

7 6 8 9 2 3 4 4 0 1 5 3

4

0 4 90 67 56 18 29 32 74 81

0 32 4 8 7 1 6 6 9 0 2 8 3

7 11 6 98 8 3 0 5 45 2 6

2 5 34 8 7 4 9 1 0 69

8 5 6 2 7 4 0 3 9 1

0 9 1 7 5 3 6 8 4 2

PUB.

3 8 5 0 4 6 1 7 2 9

7 2 0 5 6 9 4 1 3 8

5 6 8 4 3 0 2 9 1 7

9 0 4 8 1 7 3 2 6 5

1 3 7 9 2 8 5 6 0 4

2 4 3 6 9 1 8 5 7 0

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 57

57

3 4 6 2 5 8 0 2 7 6 9 5

PROBLEMA 58

58

8 9 5 1 0 2 7 3 4

2 0 9 7 8 3 1 5 6

1 3 2 5 6 4 0 9 8

7 1 4 9 3 8 6 0 5

58

6 8 7 4 2 0 9 6 1 3 4 5 5 2 6 0 0 5 1 2 4 7 8 9 7 9 3 1 3 4 2 7 www. 8 1 0 3 hojemacau. com.mo 9 6 5 8

60 8 7 6 9 1 4 0 2 3 5

3 2 5 0 9 6 7 1 8 4

4 1 0 3 2 8 5 6 7 9

9 8 2 5 6 3 1 0 4 7

9 4 8 0 5 7 3 6 2

5 6 3 2 4 9 8 1 7

3 5 7 6 1 0 2 4 9

9 0 7 6 3 2 5 4 8 1

5 6 8 0 4 7 1 9 2 3

3 4 2 1 8 9 6 5 7 0

JEFFREY EPSTEIN: FILTHY RICH | LISA BRYANT

C I N E M A

SALA 1

LIGHTYEAR [B]

Esta série documental disponível no Netflix põe a nu as duas camadas do sistema judicial norte-americano: a justiça para o povo e para os ultra-ricos e conectados politicamente. “Jeffrey Epstein: Filthy Rich” é um exemplo da imundice moral de Wall Street e da classe imune à justiça, focado em Epstein, um charlatão da alta finança que abusou sexualmente de um número incontável de menores. O documentário mostra contactos próximos com membros da realeza britânica, Bill Clinton e Donald Trump. Epstein acabaria por se suicidar na prisão, antes de testemunhar e revelar nomes de quem partilhou a rede de tráfico de menores que controlou. João Luz

FALADO EM CANTONÊS Um filme de: Angus MacLane 14.30, 16.30, 19.30, 21.30 SALA 2

TOP GUN: MAVERICK [B] Um filme de: Joseph Kosinski Com: Tom Cruise, Jennifer Connely, Val Kilmer, Miles Teller 14.00, 19.15

JURASSIC WORLD: DOMINION [B] Um filme de: Colin Trevorrow

Com: Chris Pratt, Bryce Dallas Howard, Laura Dern, Jeff Goldblum 16.30, 21.45

THE LOST CITY [B]

Um filme de: Adam Nee, Aaron Nee Com: Sandra Bullock, Channing Tatum, Daniel Radcliffe, Brad Pitt 14.30, 16.30, 21.45 SALA 3

EVERYTHING EVERYWHERE ALL AT ONCE [C]

Um filme de: Daniel Kwan, Daniel Scheinert Com: Michelle Yeoh, Stephanie Hsu, Ke Huy Quan, James Wong 19.00

9 1 3 0 5 2 7 8 5 3 1 4 2 0 7 6 9 8 1 9 4 8 3 7 LIGHTYEAR 3 6 8 7 4 9 5 3 2 1 0 6 8Propriedade 4 6 Fábrica 5 2de Notícias, 0 Lda Director Carlos Morais José Editores João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; João Santos Filipe; Pedro Arede, Nunu Wu Colaboradores Anabela Canas; António Cabrita; Ana Jacinto Nunes; Amélia Vieira; Duarte Drumond Braga; Gonçalo Waddington; José Simões Morais; 6Julie5Oyang; 0 Paulo 9 Maia 8 e1Carmo; Rosa Coutinho Cabral; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Colunistas André Namora; David Chan; João Romão; Olavo Rasquinho; 4Paul7Chan9Wai2Chi; Paula 6 5Bicho; Tânia dos Santos Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare 0Morada 2 Pátio 1 da4 Sé,7n.º22,3Edf. Tak Fok, R/C-B, Macau; Telefone 28752401 Fax 28752405; e-mail info@hojemacau.com.mo; Sítio www.hojemacau.com.mo 2 3 4 8 0 7 6 9 5 1

0 5 1 7 4 2 9 3 6 8

7 6 9 1 3 5 4 8 0 2

5 0 7 6 8 9 2 4 1 3

1 9 8 4 7 0 3 5 2 6

6 4 3 2 5 1 8 7 9 0

Assine-o TELEFONE 28752401 | FAX 28752405 E-MAIL info@hojemacau.com.mo

www.hojemacau.com.mo


terça-feira 28.6.2022

www.hojemacau.com.mo

macau visto de hong kong

opinião 15

David Chan

NOS ESTADOS UNIDOS, a semana passada ficou marcada pela reversão da despenalização do aborto decretada pelo Supremo Tribunal. A despenalização do aborto que datava de 1973, ocorreu na sequência do veredicto no caso Roe v Wade. O direito das mulheres americanas à interrupção voluntária da gravidez deixou de ser consagrado na Constituição. Este acórdão desencadeou de imediato manifestações de protesto por todo o país. Alguns estados anunciaram que vão continuar a garantir o direito das mulheres à prática do aborto, enquanto que outros apoiam a decisão do Tribunal. Para reverter a decisão do caso Roe v Wade o Tribunal alegou que os argumentos que consagravam o direito ao aborto eram fracos e pouco convincentes. Dos nove juízes que compõem o Supremo Tribunal, seis votaram a favor da reversão da lei e três votaram contra. Na argumentação final, estes três juízes afirmaram que esta decisão vai prejudicar os direitos das mulheres americanas. O juiz Samuel Alito salientou que esta decisão vai dar a última palavra a cada um dos Estados da União, que têm o poder de legislar a favor do aborto. O acórdão assinalou que a Constituição deixava de garantir às mulheres o direito ao aborto, pelo que o caso parecia estar encerrado, no entanto, os problemas que se lhe seguiram são inúmeros. Primeiro, houve uma fuga do projecto escrito do acórdão. O rascunho da decisão circulou na sociedade americana através de canais desconhecidos. À data da promulgação do acórdão, a investigação ainda não tinha produzido quaisquer resultados, pelo que se acredita que vá prosseguir. Segundo, se existir direito ao aborto, quem detém esse direito, quem o pode exercer, e em que circunstâncias existe, são todas questões controversas. Agora, que o caso Roe v Wade foi revertido, estas questões são remetidas para cada um dos estados, onde devem ser solucionadas através da legislação. O resultado vai variar de estado para estado. Esta questão tem provocado discussões infindáveis na América e está em curso outro enorme debate. Terceiro, aqueles que são a favor ou contra o direito ao aborto deparam-se com questões que nunca podem ser articuladas. Por exemplo, como lidar com a situação de uma mulher que engravide na sequência de uma violação, ou durante uma relação incestuosa. Mulheres com défice cognitivo podem abortar? Estas são algumas das muitas questões que se levantam. Quarto, neste cenário surgem ainda alguns tópicos secundários. Por exemplo, uma mulher casada precisa do consentimento do marido para interromper a gravidez?

AP

VEREDICTO FINAL

O aborto é um assunto intrinsecamente complexo e o facto de haver tantos factores a considerar ainda o torna mais problemático. Seja em que sociedade for, é um tema que vai sempre dividir opiniões

Quinto, se uma mulher viver num estado que proíbe o aborto, se quiser abortar tem de se deslocar a um outro estado onde esta prática seja legal. Este procedimento resolve o problema? É claro que não. O aborto é uma prática médica, e agora a decisão dá a cada Estado o direito de decidir se o aborto é legal ou ilegal. Esta discussão levanta também a questão de o aborto ser ou não coberto pelos seguros de saúde. Em caso afirmativo, até onde vai essa cobertura, tanto as companhias de seguros como as mulheres precisam de ser mais cuidadosos em relação a esta matéria. Sexto, segue-se outro tópico, as pílulas abortivas. Os estados que proíbem o aborto vão naturalmente proibir estes medicamentos. Alguns destes medicamentos têm múltiplas utilizações, não são indicados apenas para abortar. Deve haver conversações entre

os representantes da sociedade americana e a entidade reguladora dos fármacos dos EUA para que sejam feitos acordos sobre certos medicamentos nos estados que ilegalizarem o aborto. O aborto é um assunto intrinsecamente complexo e o facto de haver tantos factores a considerar ainda o torna mais problemático. Seja em que sociedade for, é um tema que vai sempre dividir opiniões. Seria um erro pensar que este vai ser o veredicto final nos EUA. De futuro, será certamente levado outro caso de aborto perante o Supremo Tribunal dos Estados Unidos. Nessa altura, vamos esperar para ver qual será o veredicto. mas é certo que as mulheres que precisarem de interromper a gravidez por motivos pessoais ficarão sujeitas a esta decisão do Supremo Tribunal dos Estados Unidos.

Professor Associado da Escola Superior de Ciências de Gestão/ Instituto Politécnico de Macau • Consultor Jurídico da Associação para a Promoção do Jazz em Macau • legalpublicationsreaders@yahoo.com.hk • http://blog.xuite.net/legalpublications/hkblog


“A vida tornou-se a ideologia da sua própria ausência.” PALAVRA DO DIA

Theodore Wiesengrund Adorno

terça-feira

28.6.2022

COVID-19 RESTAURANTES E PME EM DIFICULDADES DEVIDO A NOVO SURTO

CHINA ANGOLA ANTECIPA PAGAMENTO DA DÍVIDA COM RECEITA DO PETRÓLEO

OM o novo surto de covid-19 na cidade, Fong Kin Fu, representante da Associação dos Proprietários de Restaurantes de Macau, acredita que a proibição de tomar refeições nos restaurantes vai fazer com que apenas 20 a 30 por cento se mantenham operacionais. Em declarações ao canal chinês da Rádio Macau, Fong apontou ainda que os restaurantes vão apostar cada vez mais em promoções e descontos para manter o negócio. Sobre o impedimento de vários não-residentes atravessarem a fronteira, Fong considerou que não está a ter impacto no sector, e que a mão-de-obra é suficiente para fazer face ao volume de negócios. Porém, reconheceu que o impacto da pandemia está a ser muito forte e que a indústria está a sofrer perdas, apelando a medidas de apoio financeiro do Executivo. Por sua vez, um representante da Associação Industrial e Comercial da Zona Norte de Macau, Ma Kin Chio, explicou ao canal chinês da Rádio Macau que apesar dos apelos do Governo há muitas Pequenas e Médias Empresas que não podem trabalhar de casa. Apesar disso, apelou para que se reduza o número de trabalhadores na empresa dentro das possibilidades, no sentido de cooperar com o Governo.

dívida de Angola à China desceu 351 milhões de dólares no primeiro trimestre deste ano, para 21,4 mil milhões, de acordo com a consultora REDD Intelligence, citada pelo jornal South China Morning Post. “De acordo com a consultora de mercado REDD Intelligence, a dívida a credores chineses desceu 351 milhões de dólares no primeiro trimestre deste ano, para 21,4 mil milhões de dólares, depois de se ter mantido estável nos 22 mil milhões de dólares nos últimos dois anos”, lê-se na edição em inglês do jornal chinês. O aumento nos preços do petróleo, no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, está a prejudicar muitas economias, mas está a ajudar o país lusófono africano, o segundo maior produtor de petróleo na África subsaariana, a reduzir a dívida aos credores chineses. As receitas de Angola subiram de 1,4 mil milhões de dólares, em Abril deste ano, para 2,1 mil milhões de dólares em Maio, de acordo com os dados do Governo, e o preço do barril estava acima dos 110 dólares na sexta-feira, o que representa perto do dobro face aos 57 dólares previstos no Orçamento para este ano.

A

C

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República “A urgência da pandemia ou da guerra não podem ser a desculpa para esquecer os desafios estruturais duradouros e os seus efeitos na nossa vida do dia a dia.”

“Os oceanos ficam” Marcelo pede cooperação global na questão do mar

O

esta conferência chega “na altura certa, apesar de dois anos de adiamento forçado, de pandemia, de guerra, de crise económica e social dramática e ainda coincidindo com a reunião do G7 e com a Cimeira da NATO”. “A urgência da pandemia ou da guerra não podem ser a desculpa para esquecer os desafios estruturais duradouros e os seus efeitos na nossa vida do dia a dia”, defendeu. Agora há que “recuperar o demasiado tempo perdido e dar uma oportunidade à esperança, uma vez mais, antes que seja tarde de mais”, declarou. Marcelo Rebelo de Sousa argumentou que “os oceanos são centrais para o equilíbrio de poder geopolítico, os cuidados de saúde, recursos económicos, energia, mobilidade, migrações, desenvolvimento económico e científico, alterações climáticas”. No seu discurso, chamou a atenção para os países e populações especialmente afectados pela falta de acção nesta matéria, “esquecidos ou minimizados pela narra-

tiva mediática liderante do chamado primeiro mundo, os ricos e privilegiados”, e falou das gerações mais jovens que esperam ser ouvidas nesta conferência.

Pontes e plataformas

O Presidente da República descreveu Guterres como “um homem de princípios, de convicções, um promotor da paz, da justiça social e do desenvolvimento sustentável” e Portugal como um país que “é o que é por causa dos oceanos”. “Portugal, uma plataforma entre oceanos, continentes, culturas civilizações, no passado, no presente, no futuro. Às vezes com sucesso, outras falhando, mas sempre presente e construindo pontes, como esta coorganização frutuosa com o Quénia, outro construtor de pontes – um do norte, outro do sul”, disse. “Esta tem de ser a conferência do desconfinamento e da ambição, no lugar certo, na hora certa, com a abordagem correta. Aqui estamos hoje. Sejam bem-vindos, sintam-se em casa”, concluiu.

REUTERS

chefe de Estado português deixou esta mensagem na abertura da 2.ª Conferência dos Oceanos da Organização das Nações Unidas (ONU), coorganizada por Portugal e pelo Quénia, que decorre até sexta-feira na Altice Arena, em Lisboa. Convidado por Kenyatta a fazer a declaração inicial, Marcelo Rebelo de Sousa considerou que esta cimeira acontece “no lugar certo, na hora certa, com a abordagem certa e com o secretário-geral das Nações Unidas certo” para promover este encontro. Numa intervenção feita em inglês, o Presidente da República pediu “cooperação global em prioridades comuns” e afirmou que “os regimes, os poderes institucionais, os políticos passam”, enquanto “os oceanos ficam”. “Têm milhões e milhões de anos, são muito anteriores à humanidade, continuarão por milhões e milhões de anos, desde que cuidemos deles e paremos de os matar”, acrescentou. Segundo Marcelo Rebelo de Sousa,

G7 LÍDERES DOS SETE MAIS RICOS PROMETEM APOIAR KIEV ENQUANTO FOR NECESSÁRIO

O

PUB PUB.

S líderes do G7 comprometeram-se ontem a “continuar a fornecer” apoio financeiro, humanitário, militar e diplomático à Ucrânia enquanto for necessário, numa declaração conjunta divulgada na cimeira a decorrer na Alemanha.

Na declaração, citada pela agência francesa AFP, os líderes do G7 também apelaram à Rússia para permitir a exportação de cereais da Ucrânia para evitar o agravamento da crise alimentar a nível global.

“Apelamos urgentemente à Rússia para que cesse incondicionalmente os seus ataques às infraestruturas agrícolas e de transporte e permita a livre passagem de mercadorias agrícolas dos portos do Mar Negro da Ucrânia”,

disseram os líderes do G7. Os líderes das sete nações mais industrializadas expressaram igualmente a sua “profunda preocupação” por a Rússia (que iniciou uma ofensiva militar contra a Ucrânia em 24 de Fevereiro) ter anuncia-

do que poderá transferir mísseis com capacidade nuclear para a Bielorrússia. O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, fez uma intervenção por videoconferência no início do segundo dia da cimeira do G7, que decorre até

terça-feira, em Elmau, no sul da Alemanha. Sob presidência da Alemanha, participam ainda no encontro do G7 os líderes do Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido, bem como da União Europeia (UE).