Page 1

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

MOP$10

QUARTA-FEIRA 28 DE NOVEMBRO DE 2018 • ANO XVIII • Nº 4183 PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

Casa dos espíritos Em dia de debate das Linhas de Acção Governativa da Economia e Finanças, o director dos Serviços de Economia foi ao hemiciclo dizer que iria contactar o arquitecto

responsável pelo antigo edifício do GCS, por uma questão de direitos de autor. Esqueceu-se, contudo, de um pequeno detalhe: Eduardo Lima Soares faleceu em Lisboa há seis anos.

ENSINO SUPERIOR

Diga doutor PÁGINA 9

LU SHAN

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

hojemacau

MUSEU DO ORIENTE

NOVA ARTE CHINESA EVENTOS

CHARLES LEONG

UM SABOR AGRIDOCE PÁGINA 17

O não consentir

OPINIÃO | TÂNIA DOS SANTOS FELIX WONG/SOUTH CHINA MORNING POST

PÁGINAS 4-5

PRÓ-DEMOCRACIA

Energias negativas GRANDE PLANO


2 grande plano

SEM MEDO´ DE CONTAGIO POLÍTICA

ROY ISSA

28.11.2018 quarta-feira

PRÓ-DEMOCRATAS DE MACAU NÃO TEMEM RÉPLICA DAS ELEIÇÕES DE HONG KONG E TAIWAN

N SOFIA MARGARIDA MOTA

O passado fim-de-semana tanto em Hong Kong como em Taiwan, as forças políticas com posições mais afastadas do Governo Central foram penalizadas nas urnas. Em Macau, os deputados e analistas ouvidos pelo HM não acreditam que a tendência se vá repetir nem que o eleitorado mais próximo dos democratas tenha a tendência para se aproximar do sector pró-sistema. No caso de Taiwan, o Partido Progressista Democrático (DPP, na sigla inglesa) foi penalizado nas eleições municipais, com o número de câmaras controladas a cair de 13 para 6, ou seja menos sete câmaras. Desde que o DPP regressou ao Governo, em Taiwan, no ano de 2016,

a presidente Tsai Ing-wen tem feito questão de não reconhecer o Consenso de 1992, ou seja quando os Governos de Taipé e Pequim se comprometeram a aceitar que só existe uma única China, apesar de haver interpretações diferentes. Ao mesmo tempo, o Kuomintang (Partido Nacionalista, em português), mais próximo de Pequim, aumentou o número de câmaras de 6 para 15, ou seja ganhou 9, com sete a serem conquistadas ao DPP e as restantes duas câmaras a independentes. No caso de Hong Kong, nas eleições intercalares para atribuir o lugar da democrata Lau Siu-lai, expulsa do cargo de deputada por irregularidades no juramento, a vitória foi para o campo pró-Pequim.

“Tanto em Hong Kong como em Taiwan as candidaturas pró-democratas falharam redondamente em prestar atenção aos problemas das comunidades. Foi tão simples quanto isto.” JOSÉ PEREIRA COUTINHO DEPUTADO

A candidata independente Chan Hoy-yan derrotou Lee Cheuk-yan, membro do Partido Trabalhista e candidato substituto da própria Lau Siu-lai, independente que foi impedida de participar nas eleições, após o Governo de Hong Kong a ter acusado de defender a autodeterminação da RAEHK. Segundo o deputado José Pereira Coutinho, este é um cenário que muito dificilmente se vai repetir em Macau. Ao HM, o legislador apoiado pela Associação de Trabalhadores da Função Pública de Macau (ATFPM) sustentou que as penalizações nas urnas se ficaram a dever à desvalorização das necessidades da população. “Em Macau não acredito que haja este tipo de alterações nos eleitorados. Em qualquer parte do mundo, e sempre disse isto, um governante ou um deputado da Assembleia Legislativa tem de desempenhar as suas funções a pensar nos problemas dos cidadãos. São estas as suas funções primordiais”, começou por explicar. “Com base nas informações que recebi e através do que li nos órgãos de comunicação social, tanto em Hong Kong como em Taiwan as candidaturas pró-democratas falharam redondamente em prestar atenção aos problemas das comunidades. Foi tão simples quanto isto”, acrescentou.

Também em ambos os casos, José Pereira Coutinho acusa as forças mais afastadas de Pequim de se concentrarem demasiado na independência, descurando o eleitorado. “As pessoas do DPP focaram-se demasiado na independência, tal como aconteceu em Hong Kong com os pró-democratas, e não prestaram a atenção devida aos assuntos sociais”, apontou. Por este motivo, o deputado ligado à ATFPM considerou “até normais” os resultados de ambas as forças políticas das regiões.

HISTÓRIAS DIFERENTES

Também Sulu Sou, o deputado mais jovem da Assembleia Legislativa e representante da Associação Novo Macau, não acredita que a tendência de penalizar pró-democratas e forças mais afastadas de Pequim chegue à RAEM. “O campo democrático de Macau é muito mais fraco do que o campo democrata de Hong Kong, havendo uma diferença muito maior entre os resultados das forças pró-sistema e pró-democracia. São histórias e contextos sociais bastante diferentes, o que faz com que as comparações não possam ser muito directas”, começou por realçar Sulu Sou, ao HM. HOJE MACAU

O afastamento dos problemas das comunidades e o foco excessivo em assuntos contra Pequim são vistos no território como as principais razões para que tanto o Partido Progressista Democrático, em Taiwan, como os democratas de Hong Kong, tenham sido penalizados pelo eleitorado

Lee Cheuk-yan, Partido Trabalhista, Hong Kong

Todavia, mostrou-se de acordo com o facto dos assuntos sociais terem de ser encarados como prioritários, sem se abdicar das condições que garantem o Segundo Sistema e seguindo os princípios democráticos. “Acredito que o campo democrático tem de continuar a ter em consideração tanto os assuntos sociais como os assuntos da manutenção do Segundo Sistema, indicando claramente quais são os problemas institucionais em ambos os aspectos”, defendeu o

“Não espero consequências semelhantes para o campo pró-democrata em Macau. O próximo grande desafio a nível político é perceber o que vai acontecer à economia da China e como lidar com os impactos que vão ser sentidos em Macau.” NG KUOK CHEONG DEPUTADO


grande plano 3

quarta-feira 28.11.2018

REUTERS

Tsai Ing-wen, Presidente de Taiwan e membra do DPP

ELITISMO DEMOCRÁTICO

Após terem sido conhecidos os resultados das eleições de Taiwan, o Governo de Pequim veio a público dizer que os eleitores da Ilha Formosa não queriam o afastamento do Interior da China. No entanto, para o analista político Larry So dificilmente os resultados se podem explicar principalmente pela posição do DPP face a Pequim. O analista também fez questão de frisar que os eleitorados de Taiwan e de Hong Kong são diferentes e que muito dificilmente podem ser comparados directamente. Contudo, reconhece que em ambos os casos a lição a retirar é a mesma. “Por exemplo, em Taiwan como é possível que o candidato Han Kuo-yu [Kuomintang] tenha sido eleito presidente do município

de Kaoshiung, um dos bastiões do DPP? Deve-se ao facto dele não ter utilizado a abordagem tradicional do Partido Nacionalista, ou seja focou-se no voto popular”, explicou o analista político. “Ele teve uma abordagem popular, que costumava ser a estratégia do DPP e que está a ser abandonada. Foi por isso que o DPP ganhou o voto popular e o poder tão depressa, depois de ser criado”, esclareceu. Já em Hong Kong, Larry So considera que os pró-democratas HOJE MACAU

legislador. “São duas áreas muito importantes, assim como a relação que é estabelecida com o Governo Central. Mas, como democratas não podemos desvalorizar este conceito e princípio político”, sustentou.

estão num “bolha” político-partidária, que em muitos aspectos não respondem às prioridades das pessoas. “Os democratas estão a afastar-se cada vez mais da base popular, e focam-se cada vez mais nas lutas partidárias, dentro da arena política. Estão a afastar-se do cidadãos comum”, apontou. O analista sustentou também que no final de contas, uma das principais razões para as pessoas votarem são os aspectos económicos. “No caso de Taiwan temos de

“No caso de Taiwan temos de ver que não interessa muito se as pessoas são fervorosas defensoras de uma ideologia. Se, no final, o Governo piora a situação financeira, as pessoas vão achar que simplesmente não estão a ser bem governadas.” LARRY SO ANALISTA POLÍTICO

ver que não interessa muito se as pessoas são fervorosas defensoras de uma ideologia. Se, no final, o Governo piora a situação financeira, as pessoas vão achar que simplesmente não estão a ser bem governadas. É algo que também acontece na União Europeia e nos Estados Unidos da América. A economia é fundamental, mesmo nos países democráticos, para definir o rumo de um Governo”, indicou.

CHEFE DO EXECUTIVO COMO CHAVE

Neste momento, ainda faltam cerca de três anos para as próximas eleições legislativas, pelo que os deputados não quiseram fazer grandes previsões sobre o futuro. Porém, Ng Kuok Cheong acredita que o plano económico vai ser a principal preocupação em altura de campanha eleitoral, principalmente tendo em conta a guerra comercial entre a China e os Estados Unidos e a possível bolha imobiliária no outro lado da fronteira. “Não espero consequências semelhantes para o campo pró-

-democrata em Macau. O próximo grande desafio a nível político é perceber o que vai acontecer à economia da China e como lidar com os impactos que vão ser sentidos em Macau, assim como nas outras regiões. É esse aspecto que vai ter um grande impacto”, frisou Ng Kuok Cheong, em declarações ao HM. Para Larry So haverá outro factor mais importante para saber se o campo pró-democrata pode crescer, ou se vai mesmo diminuir: “Os resultados vão ser muito influenciados pelo futuro Chefe do Executivo. Se o futuro líder conseguir adoptar medidas que beneficiem a população, a base dos democratas pode estagnar ou ser reduzida. Mas se a situação actual se mantiver, se o futuro CE seguir as mesmas políticas, então acredito que o número de votantes cresça”, concluiu o analista político. João Santos Filipe (com A.S.S.) joaof@hojemacau.com.mo


4 assembleia legislativa

28.11.2018 quarta-feira

Chamada para Tai Kin Ip, director dos Serviços de Economia, disse ontem no hemiciclo que o Governo vai contactar o arquitecto que fez o projecto do antigo edifício do Gabinete de Comunicação Social por motivos de direitos de autor. Contudo, Eduardo Lima Soares faleceu há seis anos

O

responsável máximo pela Direcção dos Serviços de Economia (DSE), Tai Kin Ip, parece não ter feito bem o seu trabalho de casa para o segundo dia de debate das Linhas de Acção Governativa na área da Economia e Finanças. Ontem, em resposta a deputados sobre o reaproveitamento do edifício que albergou em tempos o Gabinete de Comunicação Social (GCS), Tai Kin Ip cometeu uma gafe ao prometer contactar o arquitecto autor do edifício. Contudo, o HM confirmou junto de três profissionais do sector que Eduardo Lima Soares faleceu em Lisboa há seis anos, depois de ter tido um intenso percurso profissional em Macau. Na sua intervenção, Tai Kin Ip prometeu o contacto por respeito a direitos de autor do edifício. “Temos de fazer os trabalhos de concepção [do novo projecto] e ainda vamos ouvir o arquitecto que desenhou este edifício para ver como o novo projecto vai ser desenvolvido”, apontou o governante, que resumiu os entraves que o Governo tem tido até aqui para reabilitar um edifício há muito devoluto.

GOOGLE EARTH

EDIFÍCIO GCS GOVERNO COMETE GAFE E DIZ QUE VAI CONTACTAR ARQUITECTO JÁ FALECIDO

“Em 2015 a DSE recebeu a gestão do edifício e tiveram início os trabalhos de reparação. Nesse período, houve chuvas torrenciais e muitas infiltrações e aí notificámos a Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT). Em 2017 recebemos uma notificação da CEM pelo facto do edifício estar localizado no centro histórico e ser necessária articulação com a nova subestação de abastecimento”, apontou. Tai Kin Ip adiantou ainda que “em Fevereiro vai ser aberto o concurso público para as obras”.

PROJECTOS DO ZAPE E COTAI

Apesar de falecido, Eduardo Lima Soares tem ainda em sua posse os direitos de autor do prédio em causa, uma vez que o regime de direitos de autor e direitos conexos determina que a autoria de uma obra permanece 50 anos após o falecimento, e que os descendentes devem ser contactados caso haja uma intenção de alteração do projecto original. Além disso, a mesma lei obriga à colocação do nome do autor no edifício, o que não é o caso. “No caso da obra de arquitectura, é obrigatória a identificação do autor, por forma bem legível, não só em

Moeda Davis Fong defende fim da expressão “pataca portuguesa”

O deputado nomeado Davis Fong defendeu na Assembleia Legislativa que os bancos e restantes entidades oficiais devem deixar de utilizar a expressão “pataca portuguesa” (em chinês pou pai), passando a utilizar a designação “pataca de Macau” (em chinês ou mun pai). “Ainda se utiliza a designação 'pataca portuguesa'. Não há problema se os cidadãos usarem este termo, mas penso que não é correcto as entidades oficiais ainda usarem esta designação. Vai incutir na população o uso do termo 'pataca de Macau'?”, questionou o também professor da Universidade de Macau. Chan Sau San, presidente da Autoridade Monetária e Cambial de Macau (AMCM), garantiu que tem sido feita uma campanha de sensibilização para que se deixe de usar a designação antiga. “A AMCM notificou todos os agentes imobiliários e outras empresas para usarem a designação MOP como unidade de preço. Muitas pessoas ainda usam a designação antiga e já tentamos sensibilizar as pessoas para isso através de campanhas publicitárias. Exortamos o uso da designação oficial da pataca”, concluiu.

cada cópia dos estudos e projectos, como ainda junto ao estaleiro da construção e na própria construção, depois de concluída”, lê-se no diploma que data de 1999.

Nascido em 1945, em Lisboa, Eduardo Lima Soares formou-se na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, e viveu em Macau a partir de 1977.

Combustíveis Mais fornecedores de gasolina sem chumbo

Tai Kin Ip, director dos Serviços de Economia, garantiu ontem que já operam no mercado novos fornecedores de combustíveis, o que pode levar ao equilíbrio dos preços. “Houve uma oscilação dos preços dos combustíveis, mas vamos continuar a introduzir concorrentes. Têm existido mais fornecedores de gasolina sem chumbo”, referiu. O deputado Ho Ion Sang foi um dos membros do hemiciclo que alertou para os elevados valores praticados no mercado. “Muitos residentes queixam-se dos preços altos dos combustíveis e não podem não apresentar explicações. Têm de conhecer as necessidades dos cidadãos”, apontou.

Além de ter desenhado o edifício que serviu de casa ao GCS, o arquitecto português participou na concepção da Zona Aterros do Porto Exterior (ZAPE) entre 1978 e 1979,

Imóveis Lionel Leong defende “medidas diversificadas” para controlar preços

O secretário para a Economia e Finanças foi ontem questionado sobre as medidas a adoptar até ao fim deste Executivo para controlar os preços dos imóveis. Lionel Leong esquivou-se à questão com a habitual premissa do equilíbrio entre oferta e procura e defendeu a necessidade de diferentes medidas para resolver o problema. “Tudo depende da oferta e procura que existe no mercado. Agora há mais transacções de casas de primeira habitação em relação aos imóveis de segunda ou terceira habitação. O mais importante é a oferta e temos de ver se é suficiente, isso afecta muito o ponto de vista dos compradores.” Lionel Leong defendeu que uma mexida nos impostos vai aumentar o custo de aquisição de casa. “Temos de pensar qual é a melhor forma para o desenvolvimento do mercado. As medidas têm de ser diversificadas, se não os preços só vão aumentar”, concluiu.


assembleia legislativa 5

quarta-feira 28.11.2018

a o além

Recrutamento express

Governo estuda novo modelo de contratações no exterior

L

IONEL Leong, secretário para a Economia e Finanças, avançou ontem que está a ser estudado um novo modelo de contratação de trabalhadores no exterior, que passa pela criação de um novo instituto que fará uma aprovação prévia dos quadros qualificados. Os visados podem depois procurar emprego sem contrato de trabalho ou abrir uma empresa no território. A ideia foi ontem anunciada no hemiciclo por Lionel Leong, no segundo dia de debate das Linhas de Acção Governativa da sua tutela. “Os trabalhadores não residentes (TNR) precisam de uma empresa que os contrate, e quem deseja o BIR tem de responder a muitas exigências. Podemos considerar atrair os talentos que precisamos sem estas limitações”, apontou. Lionel Leong lembrou que em Hong Kong existe um instituto destinado apenas à aprovação dos pedidos de residência para quadros qualificados, medida que poderá ser realidade em Macau. “Achamos que com a criação de um instituto podemos atrair mais pessoas na área da tecnologia ou ciência. Neste novo instituto os talentos não precisam ser contratados por uma empresa, e os que forem autorizados podem optar por procurar emprego ou apostar no empreendedorismo”, frisou o secretário. Lionel Leong não conseguiu, contudo, explicar como será feita a aprovação dos pedidos de forma mais rápida, mas a via do despacho assinado pelo Chefe do

teve nas primeiras concepções dos aterros que deram origem ao Cotai. Em 1992 a DSSOPT abriu um concurso público para a concepção da “Nova Cidade do Cotai”. A equipa vencedora era composta por Eduardo Lima Soares, Jon Prescott e Mário Neves e “produziu um plano urbano que juntava habitação e infra-estruturas sociais, quatro centros de saúde, 13 escolas do ensino preparatório e cinco escolas secundárias” e área recreativa, com muitas zonas verdes e reservatórios de água”. Este mesmo plano contabilizava também o número de residentes e não residentes que ali iriam viver e trabalhar.

“Temos de fazer os trabalhos de concepção [do novo projecto] e ainda vamos ouvir o arquitecto que desenhou este edifício.”

um trabalho que desenvolveu em parceria com Jon Prescott, de acordo com um artigo académico da autoria de Bruce Taylor, da Universidade de Macau, intitulado “Planing for

High Concentration Development: Reclamation Areas in Macau”. Num artigo publicado na revista Macau Business, é também referido o papel que Eduardo Lima Soares

De acordo com o artigo da revista Macau Business, o projecto contemplava também “áreas mais pequenas destinadas a actividades turísticas, sobretudo na parte ocidental, de frente para a ilha de Hengqin e fisicamente ligadas à nova ponte Flor de Lótus”. Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

CASAS DESOCUPADAS OUVIR POPULAÇÃO SOBRE IMPOSTO

O

Executivo vai lançar uma consulta pública sobre a possibilidade de criar um imposto a pagar pelos proprietários de casas desocupadas. A informação foi avançada ontem por Iong Kong Leong, director dos Serviços de Finanças, naAssembleia Legislativa, no segundo dia de debate das Linhas de Acção Governativa na área da Economia e Finanças. “Macau está a acompanhar esta medida e que impacto pode ter”, começou por dizer. “Temos como

referência o caso de Hong Kong, mas a sociedade tem opiniões diferentes sobre a introdução deste imposto, há pessoas que estão contra. Achamos que é necessária uma consulta pública antes da criação do imposto, no futuro vamos lançar essa medida”, referiu. Iong Kong Leong adiantou que Macau tem cerca de dez mil fracções desocupadas, a maioria construída antes de 2000 e que não servem como primeira habitação dos seus proprietários.

A ideia de criar um imposto para quem tem casas que não habita tem vindo a ser apoiado pela deputada Agnes Lam, sendo que ontem a deputada Song Pek Kei também interrogou o Executivo sobre o assunto. “Sugerimos a criação de um imposto sobre os imóveis desocupados. Se as regiões vizinhas conseguem implementar, porque não conseguimos nós? O Governo tem alguma sugestão?”, questionou. A.S.S.

GCS

TAI KIN IP DIRECTOR DOS SERVIÇOS DE ECONOMIA

Executivo poderá ser a solução. “Temos de pensar mais sobre este novo regime, ainda temos de contactar empresários e analisar quais serão as condições. Será preciso determinar uma quota anual para a importação de quadros qualificados”, adiantou.

SERÁ QUE CHEGA?

Numa fase em que Macau se prepara para a integração regional na Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, e com a abertura de novos casinos, a necessidade de flexibilidade ao nível da contratação dos recursos humanos tem sido apontada por vários analistas. No debate de ontem o próprio secretário defendeu que talvez as actuais medidas não sejam suficientes. “Será que as políticas do Instituto de Promoção do Comércio e Investimento de Macau (IPIM) e da fixação de técnicos qualificados são suficientes para satisfazer as necessidades do território? A entrada de talentos diz respeito ao aumento das empresas e das suas necessidades, e sugerimos ao Chefe do Executivo uma medida para atrair novos talentos”, referiu. Tendo apontado que este projecto “pode avançar com a maior brevidade possível”, Lionel Leong deixou claro que a iniciativa pode “ajudar a resolver melhor o problema que estamos a enfrentar”. “Este plano para a importação de quadros qualificados e a introdução de elites é um meio encontrado para responder às necessidades de Macau”, concluiu. A.S.S.


6 publicidade

28.11.2018 quarta-feira

Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental Edital n.º 005/DSPA/2018 Visto ter sido impossível informar os interessados através da notificação pessoal ou via postal, ao abrigo das disposições dos n.ºs 2 e 4 do artigo 21.º da Lei n.º 8/2014 “Prevenção e controlo do ruído ambiental”, para efectuar o procedimento sancionatório por infracções administrativas, são deduzidas acusações contra o seguinte interessado, por via edital, nos termos do n.º 7 do artigo 21.º da Lei acima mencionada: Interessado BALMACEDA MARICEL MADDUMA,portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2218XXXX BULAUAN CLINTON SANTOS,portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2377XXXX GUTIERREZ MARY JEAN CUARESMA,portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2381XXXX

e da notificação de N.º do auto de notícia N.º do processo acusação Auto de notícia n.º R-0000649 de 4 de Abril de 2018 Auto de notícia n.º R-0000641 de 4 de Abril de 2018 Auto de notícia n.º R-0000655 de 17 de Junho de 2018

NGUYEN VIET HUNG, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2363XXXX

Auto de notícia n.º R-0000064 de 16 de Fevereiro de 2018

DAVID MICHELLE CHUA, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2080XXXX ORENIO JAIME JR EPISCOPE, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:1320XXXX PASCUA ROMMEL AGUILAR,portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:1446XXXX MAG ISA AIZA MALGAPO,portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2360XXXX RANGCPAN REYSAN JAY MAMAUAG, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2135XXXX TUBBAN CLAUDINE DUGIT, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2372XXXX

Auto de notícia n.º R-0000556 de 17 de Março de 2018

REYES ARMON ALF, portador do passaporte filipino n.º:P5348XXXX

Auto de notícia n.º R-0000525 de 26 de Fevereiro de 2018

TUAZON LIEZEL EBORDE, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2152XXXX DELA CRUZ DAISY CARIAGA, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2094XXXX ARCONCIL DIONELIN PIMENTEL, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2274XXXX

Auto de notícia n.º R-0000526 de 16 de Março de 2018

GAW MYIN SAUNG, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2258XXXX

Auto de notícia n.º R-0000557 de 22 de Abril de 2018

TWAM PYI NEIN, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2365XXXX

Auto de notícia n.º R-0000661 de 22 de Abril de 2018

NGUYEN THI HUYEN, portador do passaporte do Vietnam n.º﹕B997XXXX

Auto de notícia n.º R-0000529 de 28 de Março de 2018

SEGUNDO LESLYN ALVISO, portador do passaporte filipino n.º:EC590XXXX

Auto de notícia n.º R-0000611 de 11 de Março de 2018

TRUJILLO SAYA ANDREA, portador do passaporte venezuelano n.º:11016XXXX

Auto de notícia n.º R-0000305 de 1 de Abril de 2018

JATINDER SINGH, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2223XXXX

Auto de notícia n.º R-0000511 de 10 de Dezembro de 2017

SANDEEP SINGH, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2240XXXX

Auto de notícia n.º R-0000512 de 10 de Dezembro de 2017

曾思勇, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2187XXXX

Auto de notícia n.º R-0000670 de 21 de Abril de 2018

ASISTIDO RYAN MARK DERAMAS, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:2271XXXX

Auto de notícia n.º R-0000622 de 18 de Março de 2018

ZARA SONIA MANALO, portador do passaporte filipino n.º:P3985XXXX

Auto de notícia n.º R-0001407 de 2 de Junho de 2018

OGARTE CINDY LOU DUGAYLUNGSOD, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º﹕2325XXXX

Auto de notícia n.º R-0000536 de 6 de Março de 2018

Auto de notícia n.º R-0000627 de 22 de Abril de 2018 Auto de notícia n.º R-0000628 de 22 de Abril de 2018 Auto de notícia n.º R-0000544 de 11 de Fevereiro de 2018 Auto de notícia n.º R-0000545 de 11 de Fevereiro de 2018 Auto de notícia n.º R-0000546 de 11 de Fevereiro de 2018

Auto de notícia n.º R-0000527 de 16 de Março de 2018 Auto de notícia n.º R-0000528 de 16 de Março de 2018

Processo n.º :00054/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:4637/0978/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00054/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:4640/0981/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00079/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:4687/1167/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00035/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:2476/0531/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00047/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:3839/0944/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00063/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:3482/0740/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00063/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:3483/0741/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00031/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:3361/0659/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00031/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:3360/0660/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00031/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:3362/0661/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00040/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:2936/0478/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00043/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:3421/0756/DIA/DCPA/2018 Processo n.º 00043/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º: 3422/0757/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00043/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:3423/0758/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00060/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:4734/1152/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00060/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:4735/1153/DIA/DCPA/2018 Processo n.º ﹕00051/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º﹕3301/0688/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00044/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:4603/0876/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00052/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:3007/0646/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00016/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:3424/0663/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00016/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:3425/0664/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00064/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:4522/0785/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00046/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:2937/0552/DIA/DCPA/2018 Processo n.º :00075/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º:4690/1109/DIA/DCPA/2018 Processo n.º ﹕00042/PCRA/DIA/ DSPA/2018 Notificação de acusação n.º﹕2472/0533/DIA/DCPA/2018

Suspeita de Infracções

Multa

A produção de ruído perturbador em É punível com multa espaços públicos. no valor de 1.000 a O respectivo acto 2.000 patacas, nos violou o disposto no termos alínea 1) do artigo 10.º da Lei n.º n.º 1 dodaartigo 12.º da 8/2014 “Prevenção mesma Lei. e controlo do ruído ambiental”.

A produção de ruído perturbador em É punível com multa espaços públicos. no valor de 1.000 a O respectivo acto 2.000 patacas, nos violou o disposto no termos alínea 1) do artigo 10.º da Lei n.º n.º 1 dodaartigo 12.º da 8/2014 “Prevenção mesma Lei. e controlo do ruído ambiental”.

A produção de ruído perturbador em com multa espaços públicos.. Énopunível valor de 1.000 a O respectivo acto 2.000 patacas, nos violou o disposto no da alínea 1) do artigo 10.º da Lei n.º termos n.º 1 do artigo 12.º da 8/2014 “Prevenção mesma Lei. e controlo do ruído ambiental”.

A prática de actividades da vida quotidiana geradoras de ruído perturbador em edifícios É punível com multa habitacionais. O no valor de 1.000 a respectivo acto 2.000 patacas, nos violou o disposto termos da alínea 1) do no n.º 1 do artigo 7.º n.º 1 do artigo 12.º da da Lei n.º 8/2014 mesma Lei. “Prevenção e controlo do ruído ambiental”.

Nos termos do n.º 2 do artigo 11.º do Decreto-Lei n.º 52/99/M, do n.º 1 do artigo 93.º e do artigo 94.º do Código do Procedimento Administrativo, e do n.º 2 do artigo 19.º da Lei n.º 8/2014 “Prevenção e controlo do ruído ambiental”, os interessados acima referidos podem, no prazo de 15 dias a contar da data da publicação do presente edital, apresentar as alegações e defesa escritas em chinês ou em português, juntamente com os eventuais documentos comprovativos, por via postal ou pessoalmente, à Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental, sita na Estrada de D. Maria II, n.os 32 a 36, Edifício CEM, 1.º andar, Macau. Considera-se renúncia ao supracitado direito quando apresentadas fora do prazo fixado. Caso os interessados não apresentem as alegações e defesa escritas no prazo fixado, não é afectada a execução da sanção decidida por estes serviços nos termos legais. Além disso, nas alegações e defesas escritas deve ser citado o número do processo. Os interessados acima indicados podem fazer uma marcação antes de se dirigir à DSPA para consultar o dossier do respectivo processo no horário de expediente, podendo também ligar para o número de telefone da DSPA, 2876 2626, no mesmo horário, em caso de dúvidas. O Director da DSPA, Tam Vai Man 28 de Novembro de 2018


política 7

Caridade Gabinete de Ligação e MNE fazem doação para Marcha para Um Milhão

O Gabinete de Ligação e o Ministério dos Negócios Estrangeiros da China em Macau vão estar representados na Marcha para Um Milhão e contribuíram com doações para o Fundo de Beneficência dos Leitores do Jornal Ou Mun. De acordo com a publicação, o sub-director do Gabinete de ligação, Zhang Rongshun prometeu marcar presença na Marcha agendada para o próximo dia 9 de Dezembro. Zhang, que também vai presidir ao evento, entende que a iniciativa de caridade tem grande relevância para o território. Como tal, o Gabinete de Ligação doou 100 000 patacas para o fundo de beneficência. Shen Beili, Comissária do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE), também vai marcar presença no evento e doou 50 000 patacas ao Fundo de Beneficência dos Leitores do Jornal Ou Mun.

PUB

RÓMULO SANTOS

quarta-feira 28.11.2018

O

Executivo estabeleceu a redução de 40 a 50 por cento das emissões de carbono até 2020 tendo como referência valores de 2005. A medida integra os trabalhos de longo-prazo da Direcção de Serviços de Protecção Ambiental (DSPA) para a redução das emissões de gases e para o combate ao aquecimento global. O cumprimento das obrigações previstas na Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima é um dos objectivos em vista. Em resposta a uma interpelação escrita da deputada Agnes Lam, a DSPA explica ainda que a razão da ausência de avaliação da taxa de cumprimento da qualidade

Gases reduzidos Governo estipula meta para reduzir emissões de carbono

do ar e da taxa de arborização urbana está relacionada com a actualização de critérios nesta matéria. O Governo adiantou também que os trabalhos a médio-prazo relativos ao sistema de redução de emissões nas empresas e à construção de um sistema de consumo reduzido de carbono já foram iniciados. Ainda assim, admite que os valores da taxa de consumo de energia limpa não atingiram as expectativas. A justificação apontada

pela DSPA assenta nos atrasos do fornecimento de gás natural.

CARROS POUCO VERDES

Por outro lado, no que respeita aos veículos eléctricos, a DSPA salienta que o Executivo simplificou os procedimentos de instalação de carregadores de baterias nos parques de estacionamento de condomínios. De acordo com a resposta a Agnes Lam, a CEM está também a instalar equipamentos de carregamento de baterias eléctricas nos auto-silos públicos e nos

lugares de estacionamentos das vias públicas. “Até ao final do ano, Macau vai ter 170 postos de carregamento para veículos eléctricos distribuídos por 35 auto-silos públicos e em cinco locais na via pública”, refere a DSPA. Para promover a aquisição de mais veículos ecológicos, o Governo promete a criação de benefícios fiscais para que os residentes se sintam motivados a optar por este tipo de transporte e “abandonem progressivamente os veículos altamente poluentes”. Entretanto, a DSPA recorda que, em 2014, o Executivo actualizou os requisitos gerais de aquisição de veículos por parte da função pública para fomentar uso de veículos eléctricos.    Vítor Ng

info@hojemacau.com.mo


8 sociedade

28.11.2018 quarta-feira

ANTÓNIO FALCAO

TRABALHO APLICAÇÃO PLENA DO SALÁRIO MÍNIMO PROMETIDA DESDE 2015

Promessa adiada

O salário mínimo universal é uma intenção por realizar desde as Linhas de Acção Governativa para 2015. Quatro anos depois continua a fazer parte dos planos do Executivo. O secretário para a Economia e Finanças avançou que a medida entra em processo legislativo no próximo ano, sem data para implementação efectiva. Em 2012, Lionel Leong achava que a introdução do salário mínimo não era adequada

A

promessa foi feita mais uma vez: uma proposta de lei que irá fixar o salário mínimo universal deverá entrar em processo legislativo no próximo ano. O anúncio feito pelo secretário da Economia e Finanças, Lionel Leong, repete uma intenção do Executivo que consta nos relatórios das Linhas de Acção Governativa (LAG) desde 2015. Em Novembro de 2014, na apresentação das LAG para o ano seguinte, a implementação do salário mínimo para todos era uma objectivo do Governo. “Foi dado início (…) aos trabalhos de discussão sobre a viabilidade da implementação gradual e ordenada do salário mínimo em todos os sectores, por parte do Conselho Permanente de Concertação Social”, refere o relatório da altura. A medida integrava as políticas de “protecção dos direitos e interesses dos residentes no acesso ao emprego e aumento da competitividade no mercado de trabalho”.

PRAZOS FALHADOS

Em Novembro de 2014, na apresentação das LAG para o ano seguinte, a implementação do salário mínimo para todos era uma objectivo do Governo

Em 2015, a viabilidade do regime para fixar o rendimento mínimo para todos os sectores ganhou outro peso. Além de serem anunciados estudos para perceber a sua viabilidade, o Executivo avançou mesmo nas LAG para 2016 com um prazo para a implementação. “Foi fixado o salário mínimo para os trabalhadores de limpeza e de segurança na actividade de administração predial e, no prazo de três anos, contados a partir da

entrada em vigor da respectiva lei, será implementado o salário mínimo em todos os sectores”, apontava o devido relatório. A lei referente entrou em vigor a 1 de Janeiro de 2016, sendo que, contas feitas, Macau teria um rendimento mínimo para todos até ao final deste ano. Para o ano de 2017, o tom do discurso foi mais ameno. Lionel Leong afirmou durante a apresentação das LAG da sua tutela que o Governo iria “acompanhar

TEORIA DA ADEQUAÇÃO

E

m 2012, em entrevista à TDM – Rádio Macau, Lionel Leong considerava que a introdução do salário mínimo não era adequada a Macau. O, à altura, empresário e membro do Conselho Executivo não afastava totalmente a medida, implementada em Hong Kong no ano anterior, mas não achava havia chegado o período ideal para tal. “Acho que vai haver salário mínimo em Macau, mas não neste momento, porque temos um sistema semelhante que funciona muito bem”, dizia à TDM - Rádio Macau. O agora secretário acrescentou ainda na mesma entrevista que “quando os empregadores não podem pagar muito, então o Governo subsidia. Isso ajuda aqueles trabalhadores locais que estão a perder competitividade e faz com que toda a gente possa estar empregada”.

em tempo oportuno a aplicação do regime jurídico sobre o salário mínimo para os trabalhadores de limpeza e de segurança, com vista a criar uma base para a plena implementação do salário mínimo”. De acordo com o relatório para o ano de 2017, o Governo refere ainda que iniciou o “estudo e trabalho preparatório da produção legislativa para a plena implementação do salário mínimo”, No final de 2017, teve lugar a consulta pública relativamente a esta matéria e mais de 90 por cento dos residentes mostraram concordância com a implementação da medida, apesar de entenderem que política não deveria contemplar empregadas domésticas, pessoas portadoras de deficiência e não residentes. Na altura, a Direcção de Serviços para os Assuntos Laborais concordou com os dois primeiros grupos a excluir, mas considerou que a medida deve ser aplicada aos TNR. As LAG para 2018 não apresentaram acrescentos de maior nesta matéria. “Continuar-se-á a acompanhar a revisão e elaboração de propostas de lei e projectos de regulamentos administrativos da área do trabalho, e a execução dos trabalhos de estudo sobre a produção legislativa da matéria em questão, incluindo a legislação relativa à plena implementação do salário mínimo”, lê-se. Sofia Margarida Mota

Sofia.mota@hojemacau.com.mo

INTERPELAÇÃO MAK SOI KUN PEDE PAPEL HIGIÉNICO NOS SANITÁRIOS PÚBLICOS

P

APEL higiénico nas casas de banho públicas. Esta é uma das demandas de Mak Soi Kun e tema de uma interpelação escrita que dirigiu ao Executivo. Como é natural nas lides interpelativas, o deputado recebeu queixas de residentes que apontaram falhas aos sanitários públicos, nomeadamente a ausência de papel higiénico, “o maior

incómodo”. “Quando os cidadãos têm a necessidade de utilizar esses sanitários públicos, mas não levam papel higiénico, a situação é muito embaraçosa, isto é, ‘não se pode avançar nem recuar’”, lê-se na interpelação. O assunto levou mesmo o grupo de trabalho do deputado a realizar uma vistoria aos sanitários

públicos de Macau, através do método de amostragem aleatória, como refere na interpelação. A investigação constatou a realidade de que os cidadãos se queixavam. Como tal, Mak Soi Kun traça o panorama económico em que esta circunstância acontece: “Desde o retorno à pátria, a economia de Macau tem vindo a desenvolver-se

bruscamente, e o seu posicionamento é transformar-se num centro mundial de turismo e lazer, e numa cidade habitável”. Mais à frente, o deputado contextualiza. “Anualmente, visitam Macau mais de 40 milhões de turistas, e estes e os cidadãos de Macau podem, em qualquer momento, ter a necessidade de

utilizar os sanitários públicos e vão descobrir que na RAEM, onde não há falta de dinheiro, há, entretanto, falta de papel higiénico. Qual a razão para isto?”, questiona. Mak Soi Kun foi o candidato mais votado nas eleições legislativas do ano passado, recolhendo 17.214 votos.


sociedade 9

quarta-feira 28.11.2018

ENSINO MAIS DE 30 POR CENTO DOS RESIDENTES TEM UM DIPLOMA

MP Médico detido por fraude sexual

O médico de medicina tradicional chinesa suspeito de abuso sexual de uma doente, foi detido pela Polícia de Segurança Pública (PSP) na passada segunda-feira no seu apartamento e levado ao Ministério Público (MP) pelo crime de fraude sexual. De acordo com o Jornal Exmoo News, uma mulher pediu ajuda às autoridades por suspeitar que o médico que a consultou a tinha assediado sexualmente durante um tratamento. Segundo a imprensa chinesa, até à data, a PSP recebeu apenas um pedido de ajuda neste sentido e a Polícia Judiciária não recebeu nenhuma denúncia. O suspeito recusou-se a responder a questões, afirma a mesma fonte.

Terra de doutores O Conselho do Ensino Superior revelou ontem que um em cada três residentes é portador de um grau emitido por uma universidade. De acordo com um estudo prévio, apresentado na primeira reunião plenária da entidade, é necessário promover a cooperação entre os estabelecimentos de ensino locais e os de língua portuguesa, bem como com as regiões vizinhas

BoBo Associação promove reunião contra embalsamamento

A Associação de Protecção aos Animais Abandonados de Macau vai realizar uma reunião, no próximo sábado na zona zoológica do Jardim da Flora, entre as 16h e as 17h para expressar a sua oposição ao embalsamamento do urso BoBo. Segundo o comunicado enviado pela Associação Novo Macau, a associação organizadora vai ainda recolher assinaturas, no mesmo dia das14h às 20h, para impedir o avanço do processo de embalsamamento que já está em curso.

ENSINO DIRIGIDO

Já no que respeita a políticas dedicadas à promoção do ensino universitário, o Conselho sublinha o papel da lei do ensino superior, do fundo de apoio ao ensino superior e do sistema de creditação como elementos fundamentais para o desenvolvimento deste sector educativo. Tudo isto contribui, considera “para que Macau tenha entrado num novo patamar”, aponta o comunicado. O Chefe do Grupo de estudos e planeamentodo Gabinete de Apoio ao Ensino Superior (GAES), Teng Sio Hong, aproveitou a realização desta primeira reunião plenária para apresentar o estudo preliminar que tem sido feito pelas instituições de ensino e que dará origem ao planeamento de estratégias de desenvolvimento a médio e longo prazo. De acordo com o responsável o objectivo “é assegurar um desenvolvimento constante do sector e garantir o fornecimento de bases científicas que sustentem políticas futuras”, lê-se.

“Em 2017, a taxa de residentes com um grau de ensino superior chegou aos 36,51 por cento”

Crime Estudante detida por transporte de droga

A Polícia Judiciária (PJ) deteve uma estudante de Hong Kong com 15 anos de idade, por suspeita de transportar droga para Macau a mando de uma organização criminosa. Segundo o canal chinês da Rádio Macau, a PJ recebeu uma denúncia que indicava que um grupo de tráfico de droga de Hong Kong recrutava menores para transportar droga para Macau. Na passada segunda-feira, as autoridades testemunharam a recepção de estupefacientes entre uma estudante e um homem com 23 anos de idade na zona do Terminal Marítimo de Passageiros do Porto Exterior. A PJ deteve as duas pessoas e apreendeu 36 gramas de cocaína, no valor 120 mil dólares de Hong Kong, que estavam na posse da estudante. A detida admitiu que foi recrutada por um grupo de traficantes para fazer o transporte de droga entre Hong Kong e Macau e que recebia uma compensação 2 mil dólares de Hong Kong. A PJ vai continuar a investigar o caso para apurar se a detida está envolvida em mais casos do género. O homem envolvido vai ser acusado de tráfico de droga.

lectivo, dos 1,513 professores universitários que dão aulas em Macau, 72,1 por cento é detentor de doutoramento.

CONSELHO DO ENSINO SUPERIOR

N

O ano passado, um em cada três residentes era portador de um grau de ensino superior de acordo com os dados divulgados ontem em comunicado pelo Conselho do Ensino Superior, após a primeira reunião plenária da entidade

consultiva. “Em 2017, a taxa de residentes com um grau de ensino superior chegou aos 36,51 por cento”, aponta a mesma fonte. O Conselho revelou ainda que no ano lectivo de 2017/2018 existiam 33,098 estudantes nas universidades do território. Destes, 5,803 alunos estão a frequentar graus de

doutoramento, 259 são mestrandos, e 24,575 são alunos de licenciatura. Há ainda uma faixa de estudantes que se encontra a frequentar outras formações leccionadas pelas universidades locais. Por outro lado, e no que respeita ao corpo docente e às suas qualificações, no passado ano

O resultado deste trabalho preliminar foca-se na necessidade de uma melhoria contínua do sistema de ensino superior através da optimização das instituições, do desenvolvimento de programas de intercâmbio de alunos, e da “definição de disciplinas fundamentais em que as instituições de ensino se possam destacar para promover a integração entre produção de conhecimento, ensino e investigação”. De acordo com o mesmo estudo preliminar, é ainda necessário o reforço da cooperação com os países de língua portuguesa e com os estabelecimentos das regiões vizinhas, nomeadamente com os que integram o projecto da Grande Baía. Sofia Margarida Mota

Sofia.mota@hojemacau.com.mo


10 eventos

28.11.2018 quarta-feira

A maturidade da arte contem

JOÃO MARTINHO

MUSEU DO ORIENTE EXPOSIÇÃO “PUREZA” MOSTRA OBRAS DE JOVENS ARTISTAS

A

O entrar na sala de exposições é difícil ficar indiferente ao filme de dezassete minutos que passa continuamente. O som chama a atenção para o écrãn onde se repetem as imagens. São figuras humanas numa fábrica, vestidas com um uniforme amarelo, e que surgem penduradas como bonecos num processamento em série. Seguimos numa distopia? “We don’t want boring repetitive work”, dizem os trabalhadores. Na mesma projecção, a fazer recordar o “Sonho” de Kurosawa, uma mulher move-se entre cenários de diferentes desenhos. As imagens mostram o etéreo do sonho. E a não realidade prossegue entre um homem que dá ordens e as vozes que dizem estar fartas dos Media. O homem grita e ostenta um casaco comprido cheio de olhos ficcionados. “Gene Sugar” foi o nome escolhido pelo jovem artista Lu Shan para a vídeo-projecção, apresentada em 2016 pela primeira vez. Lu Shan é um entre os 23 artistas chineses escolhidos que com-

PUB

A

Phillips Gallery, casa em Hong Kong da leiloeira com o mesmo nome, recebe até ao próximo dia 7 de Dezembro uma exposição do anónimo e incontornável Banksy, o mais conhecido nome do street art. A mostra é constituída por 27 trabalhos, alguns deles imagens icónicas de intervenção social e política. Apesar da entrada livre, as obras expostas estão à venda. Depois do muito badalado episódio de “Girl With Balloon”, o quadro de Banksy que se autodestruiu depois da última licitação na prestigiada Sotheby’s em Londres, o foco do mundo artístico vira-se para Hong Kong, mais precisamente na Ice House Street em Central, onde o trabalho do britânico está exposto. Recorde-se que a imagem destruída remotamente depois da última licitação, foi vendida por 1.4 milhões de dólares americanos, uma história à qual voltaremos. A exposição organizada pela leiloeira, com o título “Banksy: Who’s Laughing Now?”, conta

põem “Purity, Purification”, uma exposição de arte contemporânea chinesa que inaugurou a 22 de Novembro no Museu do Oriente em Lisboa. Resultado de uma coprodução entre o Museu do Oriente e a CICA– China International Culture Association -, a exposição pretende mostrar uma jovem face da arte contemporânea chinesa . Depois de duas décadas de grande divulgação e procura de arte contemporânea chinesa pelos maiores museus e galerias do mundo, “Purity, Purification” é apresentada como uma “exposição de jovens artistas”, nomes que se afirmaram nas últimas décadas no contexto artístico mundial. Na verdade, alguns nasceram no final dos anos 70 e começaram a expôr no início deste século. Com uma visão claramente influenciada pelas mudanças recentes do país, os trabalhos expostos levam-nos a uma China onde materiais tradicionais, como o bambu, a madeira ou a cerâmica, são apresentados numa outra forma conceptual. Entre pintura, instalação, vídeo, fotografia e

Guerrilh

Mostra de Banksy em Hong Kong a

com trabalhos de séries bastante conhecidas como “Love is in the Air”, “Girl with Balloon”, “Love Rat”, “Laugh Now”, e “Avon & Somerset Constanbulary”. Além destas peças, facilmente reconhecíveis, estão expostos (e à venda) trabalhos nunca antes expostos. A Phillips fez questão de caracterizar os trabalhos originais e “prints” como peças que pertencem a “uma importante colecção eu-

ropeia ção da exposi de Ban timas d pionei art des dedico a perc confro as bela Os Centra


eventos 11

quarta-feira 28.11.2018

LU SHAN, GENE SUGAR

mporânea chinesa escultura, a exposição reflecte a variedade que também os une - aos artistas – em volta de um conceito de uma China que já se afirmou como global.

INSUSTENTÁVEL LEVEZA

Sob a curadoria de Liu Chunfeng, “Purity, Purification” pretende revelar um olhar jo-

vem, sobretudo pela idade dos participantes, nascidos entre os finais de 70 e os anos 90. Mas mostra, por outro lado, uma maturidade exposta ao retratar temas actuais, questões polémicas, dúvidas que se colocam a muitos, numa sociedade moderna cada vez mais homogeneizada.

Entre pintura, instalação, vídeo, fotografia e escultura, a exposição reflecte a variedade que também os une - aos artistas – em volta de um conceito de uma China que já se afirmou como global

ha na galeria

até 7 de Dezembro

a”. Miety Heiden, da direca leiloeira, referiu que “a ição ilustra as conquistas nksy ao longo das duas úldécadas. Um visionário e iro na vanguarda da street sde os anos 1990, Banksy ou a sua carreira a desafiar cepção da sociedade no onto entre a arte de rua e as artes.” trabalhos expostos em al têm preços entre 200 mil

HKD e 30 milhões de HKD, 17 deles nunca foram submetidos a leilão.

RIR PARA NÃO CHORAR

Um dos destaques entre as obras apresentadas, que dá nome à mostra, é uma peça com seis metros de largura intitulada “Laugh Now” onde figuram dez macacos com mensagens escrita “riam agora, que um dia estaremos nós no poder”, numa

“Rejuvenescimento”, por exemplo, é uma obra de vídeo e fotografia de Tang Yuhan que faz alternar as caras de duas mulheres de diferentes idades, levando-nos à questão entre ser jovem e envelhecer. Repetem-se continuamente e a dado momento quase parecem unir-se. Bu Xianlei, outro artista presente, mostra uma instalação de bambu, uma caixa totalmente feita de cana de bambu de onde saem vários utensílios feitos do mesmo material. “Uma das formas de um metro cúbico” é o nome escolhido para a instalação que nos leva a questionar a

das habituais alusões a um futuro distópico tema de Banksy. Outro dos temas recorrentes do guerrilheiro artístico é o desdém pelo comercialismo, como ficou bem patente no episódio do quadro que se autodestruiu em Londres. Porém, o tiro saiu-lhe pela culatra. Assim que a imagem começou a ser retalhada, o próprio licitador caracterizou a situação como “um brilhante momento à Banksy”. Apesar da destruição de “Girl With Ballon” ser acto de guerrilha artística contra a mercantilização do mercado das artes, o quadro muito provavelmente valorizou depois do incidente. Aliás, Alez Branczik da Sotherby’s disse mesmo em conferência de imprensa que “Banksy não destruiu uma obra de arte, criou uma”, ou seja, o mercado anti-mercado está em alta.Aprópria compradora da obra confessou que quando o quadro começou a ser rasgado ficou em choque mas que, gradualmente, apercebeu-se que acabara de adquirir um pedaço da história da arte moderna. João Luz

info@hojemacau.com.mo

problemática do espaço, um tema tão actual para a China. Hu Ke, um artista nascido em 1978 e já conhecido por algumas das suas esculturas, mostra em Lisboa dois trabalhos sendo que num deles, o seu homem sem cabelo surge sentado no topo de um livro que arde e para o qual ele olha assustado vendo as folhas que são consumidas pela chama. “Purity, Purification” aborda conceitos que são transversais ao Ocidente e ao Oriente. No título da exposição, propositadamente deixado apenas em inglês e em mandarim, fixamo-nos nos caracteres - Puro. Ponto. Transformação. É este o ponto de partida. A exposição estará patente todos os dias até 14 de Janeiro de 2019. Maria João Belchior info@hojemacau.com.mo

PUB

Cinema “El Aura” hoje na Fundação Rui Cunha

Hoje, às 19h, é projectado na Fundação Rui Cunha o filme argentino “El Aura”, um thriller psicológico do realizador Fabián Bielinsky, protagonizado por Ricardo Darín. O enredo tem como personagem principal Esteban Espinosa, um taxidermista que sofre de epilepsia e que fantasia com o crime perfeito. Os sonhos inconfessáveis de Esteban tornam-se realidade quando durante uma caçada mata, acidentalmente, um guia. “El Aura” foi o filme escolhido para representar a Argentina na candidatura a melhor filme estrangeiro dos Óscares de 2006.


12 china

28.11.2018 quarta-feira

IMPRENSA JINRI TOUTIAO PAGA A INTERNAUTAS QUE DESMONTEM RUMORES

Tudo em páginas limpas

A plataforma de notícias chinesa tem em curso uma campanha de “limpeza” de conteúdos indesejáveis. Os melhores artigos que desmascarem boatos podem receber até três mil yuans

O

popular agregador de notícias chinês, Jinri Toutiao, está a oferecer recompensas em dinheiro até três mil yuans por artigos que desmontem rumores, noticiou ontem o South China Morning Post (SCMP). Apelidado de "100", o projecto foi lançado na segunda-feira e vai premiar os 100 melhores artigos que desmascarem rumores. A aplicação é gerida pela Bytedance, com sede em Pequim, uma das 'startups' mais valorizadas do mundo. A campanha de "limpeza" visa qualquer conteúdo considerado como inapropriado, incluindo notícias políticas sensíveis, rumores que tenham as celebridades como alvo, denúncias de incidentes violentos e piadas entendidas como desagradáveis, segundo o SCMP. No início do mês, o órgão regulador dos 'media' chineses informou que as pessoas podem ser recompensadas com valores até 600 mil yuans por reportarem conteúdo pornográfico e "ilegal", online ou impresso, a partir de 1 de Dezembro. O Diário do Povo, o jornal oficial do Partido Comunista da China, alertou em Outubro os criadores de conteúdo de que os "rumores não podem possuir a mente das pessoas", e apelou a todos os internautas a não criarem rumores ou a acreditarem em especulações. Jinri Toutiao, que significa "manchetes de hoje", foi lançado em 2012 como o primeiro aplicativo de notícias da China baseado em algoritmos de inteligência artificial para recomendar diferentes notícias a diferentes leitores.

A popular aplicação, no entanto, não escapou à campanha de "limpeza" chinesa, já que em Abril foi removido de todas as plataformas de aplicações por duas semanas devido a "conteúdo obsceno", recordou o SCMP na sua edição de ontem. Nesse período, o fundador e executivo-chefe da Bytedance, Zhang Yiming, escreveu um pedido público de desculpas em que prometia "auto-reflexão".

REDE CERCADA

A campanha de “limpeza” visa qualquer conteúdo considerado como inapropriado, incluindo notícias políticas sensíveis, rumores que tenham as celebridades como alvo, denúncias de incidentes violentos e piadas entendidas como desagradáveis

A Toutiao recuperou o quarto lugar no 'ranking' de aplicações com maior número de downloads na loja chinesa de 'apps' para iOS no mês passado, segundo a empresa de pesquisa de aplicações para dispositivos móveis App Annie. Segundo o SCMP, a campanha do Governo chinês para reprimir o conteúdo online colocou mais pressão sobre os operadores de plataformas para contratarem mais pessoas para monitorizar e remover conteúdo em tempo real. De resto, Zhang terá prometido reforçar a sua equipa de censura de seis mil para dez mil pessoas em Abril. Toutiao anunciou ter interceptado mais de 500 mil artigos contendo rumores e baniu 9.026 conteúdos que espalharam rumores desde Maio, através do uso de censores humanos e tecnologia de inteligência artificial. A empresa também informou que se juntou à Universidade de Michigan para utilizar tecnologias de inteligência artificial.

QUÉNIA TRÊS FUNCIONÁRIOS CHINESES ACUSADOS DE SUBORNO

T

RÊS cidadãos de nacionalidade chinesa foram ontem acusados num tribunal em Mombaça, no sudeste do Quénia, de subornos e tentar influenciar uma investigação criminal sobre um escândalo de corrupção no maior projecto de infraestruturas do país. De acordo com a agência noticiosa Efe, os três acusados são funcionários da construtora China Road and Bridge Corporation (CRBC), subsidiária da empresa estatal Communications Construction

Company (CCCC), e negaram no tribunal as acusações que enfrentam. Os três homens são acusados de tentar subornar, com 5.000 dólares, uma equipa que investigava um caso de corrupção na construção do terminal de comboios da Standard Gauge Railway (SGR, na sigla em inglês) de Mombaça. Segundo a acusação, foram registados outros subornos, em períodos posteriores, no valor de 2.000 dólares. Para evitar que os arguidos tentassem influenciar

o processo judicial, o juiz não permitiu que os três homens saíssem em liberdade mediante o pagamento de uma caução. O Departamento de Investigação Criminal acompanha, ainda, um alegado caso de manipulação de bilhetes de comboio, que poderá ser parte de uma fraude multimilionária que levou à detenção de vários funcionários quenianos da CRBC, operadora da linha ferroviária do SGR Madaraka Express.

Com um custo estimado de 3.600 milhões de dólares, que a torna na infraestrutura mais cara no Quénia desde a sua independência, em 1963, a SGR foi construída principalmente pela CRBC. Ainda que a primeira viagem oficial na linha se tenha realizado em 1 de Junho de 2017, dia de Madaraka, que comemora a independência do país e que baptizou a linha, esta só começou o seu serviço de forma regular em 1 de Janeiro deste ano.

Sichuan Sete mortos em atropelamento

Um carro atropelamento ontem vários peões no sudoeste da China causando a morte a sete pessoas e ferindo outras quatro, informaram as autoridades. O carro subiu o passeio antes de atingir as vítimas por volta das 10:00 numa localidade situada no distrito de Leshan, província de Sichuan, segundo a polícia local. A polícia não especifica se o incidente é acidental ou intencional, indicando apenas que o condutor foi detido e que está a investigar o caso.

13,6%

INDÚSTRIA LUCROS CRESCEM

O

S lucros da indústria na China aumentaram 13,6 por cento entre Janeiro e Outubro em relação ao mesmo período de 2017, segundo dados do Gabinete Nacional de Estatísticas (GNE) ontem divulgados. Dos 41 sectores analisados, 34 registaram um aumento dos lucros. Segundo o GNE, os sectores do aço, dos materiais de construção e dos produtos químicos contribuíram para 75,7 por cento do aumento total dos lucros industriais nos dez primeiros meses do ano. Os lucros totais da indústria de mineração registaram um aumento de 47,1 por cento em relação ao ano anterior, os da indústria de transformação cresceram 11,5 por cento, enquanto os das empresas produtoras e fornecedoras de electricidade, aquecimento, gás e água aumentaram 6,2 por cento. A produção industrial, lembrou o GNE, é utilizada pelas estatísticas chinesas para medir a atividade das empresas com facturação anual superior a 20 milhões de yuan. Em relação ao mês de Outubro, os lucros das empresas industriais chinesas subiram 3,6 por cento em relação ao mesmo período do ano passado, valor inferior aos 4,1 por cento obtidos em Setembro. Pelo sexto mês consecutivo, os lucros das empresas cresceram a um ritmo mais lento do que no mês anterior, de acordo com os dados.


região 13

quarta-feira 28.11.2018

Fujam da cruz Rodrigo Duterte aconselha filipinos a evitarem igrejas católicas

O

filipinos a não irem à igreja para pagar contribuições. "Construam uma capela nas vossas próprias casas e rezem lá, assim não há necessidade de ir à igreja para pagar a esses idiotas", disse Rodrigo Duterte, na

segunda-feira, durante a inauguração do sistema de abastecimento de água na cidade de Davao, no sul das Filipinas. O Presidente destacou que as "crenças católicas são arcaicas" e que os seus

PRESIDENTIAL PHOTOS

Presidente das Filipinas reacendeu o confronto com os bispos e padres católicos do país, onde mais de 85% da população professa o catolicismo, aconselhando os

NISSAN CARLOS GHOSN SUSPEITO DE USAR FUNDOS PARA COBRIR PERDAS PESSOAIS

ensinamentos não podem ser aplicados ao presente porque estão reféns de uma fé com três mil anos. Na semana passada, Duterte acusou o bispo de Caloocan, Pablo Virgilio David, de roubar, por pedir contribuições aos fiéis mais pobres. O prelado respondeu, afirmando que o Presidente não sabe o que diz, "porque está doente". Duterte insistiu, dizendo acreditar num Deus diferente, que "não cobra dinheiro" e que não é "estúpido". Após um diálogo com a hierarquia católica no país, ambas as partes acordaram uma trégua na troca de acusações, entretanto quebrada por Duterte. O confronto entre o Presidente das Filipinas e a Igreja Católica remonta a Fevereiro de 2017, quando a conferência episcopal criticou a sangrenta guerra contra as drogas, apelidando-a de um "reinado de terror", uma posição à qual Duterte reagiu com insultos dirigidos aos bispos.

O

ex-presidente da Nissan Motor Carlos Ghosn terá utilizado fundos da empresa japonesa para cobrir perdas de investimentos pessoais no valor de cerca de 13,2 milhões de euros, noticiou ontem a agência nipónica Kyodo. De acordo com a agência, que cita fontes ligadas ao processo, Ghosn sofreu essas perdas durante a crise financeira de 2008. Esta revelação junta-se a uma série de actos de má conduta financeira

Rodrigo Duterte, Presidente das Filipinas “Construam uma capela nas vossas próprias casas e rezem lá, assim não há necessidade de ir à igreja para pagar a esses idiotas.”

que Ghosn supostamente cometeu nos últimos anos e que levaram à sua detenção em 19 de Novembro. Ghosn, que está detido numa prisão de Tóquio, a aguardar detalhes da acusação, foi demitido como presidente da Nissan e também das mesmas funções na empresa japonesa Mitsubishi. No domingo, a Renault lançou uma auditoria interna sobre as remunerações de Ghosn, que também é presidente executivo da empresa francesa, e 'arquitecto' da aliança Renault-Nissan. Além de Ghosn foi também detido o seu principal colaborador, o norte-americano Greg Kelly. Segundo as informações divulgadas esta manhã pelo canal público NHK, Carlos Ghosn negou as acusações que lhe são imputadas de ocultar rendimentos e de má gestão do dinheiro da empresa.

PUB

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO N.o 41/P/18 Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São para os Assuntos Sociais e Cultura, de 13 de Novembro de 2018, Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do se encontra aberto o Concurso Público para «Fornecimento dia 19 de Dezembro de 2018. e Instalação de um Sistema Completo de Simulador de O acto público deste concurso terá lugar no dia 21 de Dezembro Tratamento de Pacientes aos Serviços de Saúde», cujo Programa de 2018, pelas 10,00 horas, na “Sala Multifuncional”, sita no r/c da do Concurso e o Caderno de Encargos se encontram à disposição Estrada de S. Francisco, n.º 5, Macau. dos interessados desde o dia 28 de Novembro de 2018, todos os A admissão a concurso depende da prestação de uma caução dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, provisória no valor de MOP21.600,00 (vinte e uma mil e na Divisão de Aprovisionamento e Economato destes Serviços, seiscentas patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante sita no 1. º andar, da Estrada de S. Francisco, n.º 5, Macau, onde depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução os interessados sujeitos ao pagamento de MOP44,00 (quarenta de valor equivalente. e quatro patacas), a título de custo das respectivas fotocópias (local de pagamento: Secção de Tesouraria dos Serviços de Serviços de Saúde, aos 22 de Novembro de 2018 Saúde) ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet na página electrónica dos S.S. (www.ssm.gov.mo). O Director dos Serviços As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral Lei Chin Ion

ANÚNCIO Venda em Hasta Pública

Faz-se público que se vai realizar uma venda em hasta pública de sucata resultante de veículos, de bens (incluindo vinho) e de sucata de bens, que reverteram a favor da Região Administrativa Especial de Macau nos termos da lei ou que foram abatidos à carga pelos serviços públicos. Os locais, dias e horas marcadas para visualização dos bens agora colocados à venda, para efeitos de prestação da caução e da hasta pública propriamente dita, são os seguintes: Visualização dos bens 1. Sucata resultante de veículos, bens (não incluindo vinho) e sucata de bens Na tabela abaixo indicada encontram-se discriminados os lotes de sucata resultante de veículos, de bens (não incluindo vinho) e de sucata de bens colocados à venda, bem como, a respectiva data, hora e local para visualização dos mesmos na presença de trabalhadores da Direcção dos Serviços de Finanças: No. de lote VS01(parte), VS02, VS03, MS02, MS03, L01 (parte) VS01(parte), MS01 L01(parte), L02, BL01 Nota

Data: Horário: Local:

www.hojemacau.com.mo

Horário (1) 10:00

Macau

04/12/2018

15:00

Macau

05/12/2018

10:00

Local (2) Parque de estacionamento provisório para veículos abandonados (Estrada de Flor de Lotus, (Coloane) Edifício Veng Fu San Chun (Rua da Penha, nº 3 – 3C, (Macau) Edf. Industrial Cheong Long (Ramal dos Mouros, nº 11-21, Macau)

A visualização de sucata resultante de veículos, de bens (não incluindo vinho) e de sucata de bens inicia-se, impreterivelmente, quinze minutos após a hora marcada, não sendo disponibilizada uma outra oportunidade para o efeito. Os interessados devem providenciar meio de transporte para se deslocarem ao local de armazenamento de cada lote. (2) Para se dirigirem aos locais de armazenamento de sucata resultante de veículos, de bens (não incluindo vinho) e de sucata de bens, devem os interessados concentrar-se nos locais acima indicados. Não há lugar à visualização de sucata resultante de veículos, de bens (não incluindo vinho) e de sucata de bens no dia da realização da hasta pública, mas são projectadas fotografias dos mesmos através de computador. 2. Bens (vinho) Há lugar à visualização dos bens no local da realização da hasta pública, e, simultaneamente, são projectadas fotografias dos mesmos através de computador. 3. As listas de bens podem ser consultadas na sobreloja do Edifício “Finanças”, ou na página electrónica desta Direcção dos Serviços (website: http:// www.dsf.gov.mo). As listas dos bens com descrição pormenorizada podem ser consultadas no 8.º andar do Edifício “Finanças”, sala 803. Prestação de caução

Realização da Hasta Pública

Assine-o

Data de identificação 04/12/2018

(1)

Período: Montante: Modo de prestação da caução:

TELEFONE 28752401 | FAX 28752405 E-MAIL info@hojemacau.com.mo

Local de armazenamento Taipa e Coloane

Desde a data do anúncio até ao dia 11 de Dezembro de 2018 $5,000.00 (cinco mil patacas) - Por depósito em numerário ou cheque, o qual será efectuado mediante a respectiva guia de depósito e paga em instituição bancária nela indicada. A referida guia de depósito será obtida na sala 803 do 8.º andar do Edifício “Finanças”, sito em Macau na Avenida da Praia Grande, n.ºs 575, 579 e 585; ou, - Por garantia bancária, de acordo com o modelo constante do anexo I das Condições de Venda. 12 de Dezembro de 2018 (quarta-feira) às 09:00 horas – registo de presenças às 10:00 horas – início da hasta pública Auditório, na Cave do Edifício “Finanças”, sito em Macau na Avenida da Praia Grande, n.º 575, 579 e 585.

Consulta das Condições de Venda As Condições de Venda podem ser: - obtidas na sala 803 do 8.º andar do Edifício “Finanças”, sito em Macau na Avenida da Praia Grande, n.ºs 575, 579 e 585; - consultadas na sobreloja do Edifício “Finanças”, ou na página electrónica da Direcção dos Serviços de Finanças (website: http://www.dsf. gov.mo). O Director dos Serviços Iong Kong Leong


14

h

28.11.2018 quarta-feira

A roupa suja que sou, sem rol, pra o decurso das coisas

A Poesia Completa de Li He

惱公 (第一章) 宋 玉 愁 空 斷 , 嬌 饒 粉 自 紅 。    歌 聲 春 草 露 , 門 掩 杏 花 叢 。    注 口 櫻 桃 小 , 添 眉 桂 葉 濃 。    曉 奩 妝 秀 靨 , 夜 帳 減 香 筒 。    鈿 鏡 飛 孤 鵲 , 江 圖 畫 水 葒 。    陂 陀 梳 碧 鳳 , 腰 裊 帶 金 蟲 。    杜 若 含 清 露 , 河 蒲 聚 紫 茸 。    月 分 蛾 黛 破 , 花 合 靨 朱 融 。    發 重 疑 盤 霧 , 腰 輕 乍 倚 風 。    密 書 題 豆 蔻 , 隱 語 笑 芙 蓉 。    莫 鎖 茱 萸 匣 , 休 開 翡 翠 籠 。  弄 珠 驚 漢 燕 , 燒 蜜 引 胡 蜂 。    醉 纈 拋 紅 網 , 單 羅 掛 綠 蒙 。    數 錢 教 奼 女 , 買 藥 問 巴 賨 。    勻 臉 安 斜 雁 , 移 燈 想 夢 熊 。    腸 攢 非 束 竹 , 胘 急 是 張 弓 。    晚 樹 迷 新 蝶 , 殘 霓 憶 斷 虹 。    古 時 填 渤 澥 , 今 日 鑿 崆 峒 。    繡 沓 褰 長 幔 , 羅 裙 結 短 封 。    心 搖 如 舞 鶴 , 骨 出 似 飛 龍 。   

Ressentimento (Parte I) As vãs esperanças de Sung Yu desvaneceram-se em melancolia, Que grácil beldade ela era, polvilhada de rosa.1 Escuto-a cantar entre a orvalhada erva primaveril, Está fechado seu portão, encimado por flores de alperce. Ela pinta a boca, uma pequena cereja, Põe lápis nas sobrancelhas, de verde profundo como folhas de cássia. Na alba maquilha o rosto junto ao aparador, No leito, o aroma da noite se evola do incensário. Do seu espelho embutido voa uma pega solitária.2 Num biombo, uma paisagem de rio com capim pintado. O seu cabelo espirala, é uma fénix azul-negra, Com dourados insectos trémulos nela pousados. Ela é uma íris transbordante de claro orvalho, Um espigão púrpura de tifal.3 Sobrancelhas negras, luas crescentes que não franzem, Covinhas da cara vermelhas como flores vincadas. Madeixas em seu redor pesadas como névoa, A cintura tão fina que a partiria uma brisa. Escreve cartas de amor revestidas a cardamomo, Rindo da secreta palavra “lótus”.4 Não cerres a caixa de brocado púrpura, Nem abras o cesto forrado a penas de guarda-rios. Brincando com suas pérolas assusta as andorinhas do sul, Queimando mel atrai as abelhas do norte. Lança redes vermelhas manchadas de branco, E instala finos laços de verde gaze. Ensina suas lindas moças a lidar com dinheiro, Pergunta a seu servo de Ba que remédios comprar.

Uma linha de gansos cruza o pó de arroz da sua face, Movendo a lamparina, rumina sonhos com ursos.5 Os seus sentimentos não se cingem como bambu atado, A carne do seu ventre de súbito tensa como um arco. No ocaso, borboletas novas transviam-se nas árvores, Desvanecendo-se, um arco-íris fêmea anseia por um macho desaparecido. Há muito, uma ave tentou secar todo o Golfo de Chihli, Hoje, um velho escava túneis nos montes Kong Tong.6 De uma corda bordada suspensas longas cortinas, Sua saia de seda atada pela bainha curta. Como grou dançante seu coração adeja, Os seus ossos saídos como os de um dragão caído.

1

2

3 4 5 6

O autor da tradução inglesa consultada para esta versão portuguesa alude à particular obscuridade deste poema e afirma, muito justificadamente, ter realizado uma tradução conjectural em vários momentos. Sung Yu, suposto autor dos Nove Argumentos (Jiu Bien) foi um poeta do século III a.c., famoso pelo seu comportamento dissoluto e mulherengo. A pega era um motivo decorativo comum em espelhos e uma alusão à história de um casal que partiu um espelho em dois, cada um guardando uma metade. Se a esposa fosse infiel na ausência do marido, a sua metade do espelho transformar-se-ia num pega que voava a ir contar-lhe. Typha orientalis. A flor de cardamomo simbolizava o amor. “Lótus” (蓮 lián) e “amor” (戀 liàn) pronunciavam-se da mesma forma (1o tom) em chinês antigo. Sonhar com ursos era presságio do nascimento de um filho; com cobras, de uma filha. Os esforços de esquecer seu amor são tão vãos quanto os do pássaro jing-wei, que tentou encher de terra o Mar Oriental, ou os do famoso Mestre Simples da Montanha Setentrional, que se lançou ao trabalho de demolir os Montes Tai-lang e Wang-wu.

Tradução de Rui Cascais • Ilustração de Rui Rasquinho Li He (790 a 816) nasceu em Fu-chang durante a Dinastia Tang, pertencendo a um ramo menor da casa imperial. A sua morte prematura aos vinte e sete anos, a par da escassez de pormenores biográficos, deixam-nos apenas com uma espécie de fantasma literário. A Nova História dos Tang (Xin Tang shu) diz-nos que He “nunca escrevia poemas sobre um tópico específico, forçando os seus versos a conformarem-se ao tema, como era prática de outros poetas [...] Tudo quanto escrevia era inquietantemente extraordinário, quebrando com a tradição literária.” Segundo um crítico da Dinastia Song, o alucinátorio idioma poético de Li He é a “linguagem de um imortal demoníaco.” A versão inglesa de referência aqui usada é a tradução clássica da autoria de J.D. Frodsham, intitulada Goddesses, Ghosts, and Demons, publicada em São Francisco, em 1983, pela North Point Press.


ARTES, LETRAS E IDEIAS 15

quarta-feira 28.11.2018

Diário de um editor

João Paulo Cotrim

HORTA SECA, LISBOA, 17 NOVEMBRO A língua pode ser revista. Traz promessa de passar em revista o alfabeto inteiro começando pela letra primeira, a de Atlântico. Chega-se com nome que não podia ser mais feliz: linguará. Não por acrescentar princípio a língua, toque que amplifica, até porque A de perfil faz altifalante, mas por ser, em algum dos muitos afluentes semeados na outra banda oceânica, sinónimo de intérprete (de branco para índio e vice-versa, na origem, a evitar nos dias correctos). Em tempos brutos, a subtileza com que se anuncia vem portadora de imensa frescura: «uma revista pela língua portuguesa». Com a densa simplicidade do azul, são cadernos A4, que só não voam porque e linha na lombada os mantém próximos da mão. Orquestrada pela Maria José [Amorim] e companheiras, Carla Paoliello e Priscilla Ballarin – que também desenha, com amplitude e afecto, esta edição (http://www.revistalinguara. com) a aventura toca-me pela leveza com que apresenta as múltiplas, fugazes, desafiantes cambiantes da língua. Na vez de publicar ruído, digo, redundâncias tonitruantes, convoca para a frente do espelho fragmentos, restos que, por vezes, nos fazem falsos amigos, noutras nos atiram para longo beijo de língua. Faz tanta falta este amoroso descomprometimento que reúna no mesmo lugar, no mesmo falar, o astrofísico e a o alfaiate, o mecânico e o místico, o malabarista e merceeiro. Ou seja, mais do que longos e académicos ensaios, encontramos pormenores ampliados, ligações avulso que produzem sentido. O artesanato material e o linguajar comum cruzam-se com a pesquisa erudita e a aspiração artística para fazerem primaveras. Andorinha, a palavra ergue-se rainha, mas não desdenha a imagem, como nas fotos de lugares homónimos ou na caligrafia artística em busca de azulejo onde se eternizar. O intérprete faz-se ponte movediça entre tudo e mais alguma coisa. O puro prazer desta recolha não esconde a teoria dos cruzamentos que fazem crescer esta água na boca. Há tradição para descobrir, modernidade para oferecer, maneiras de fazer, ideias à deriva, poesia e filosofia, memória e canção brega. Desconfio que não seja essa a intenção, mas além da mais interessante política de língua comum (ou vice-versa) pode nascer daqui uma outra de promoção a leitura. Diz Adélia Prado, Antes do Nome: «A palavra é disfarce de uma coisa mais grave, surda-muda,/ foi inventada para ser calada.// Em momentos de graça, infrequentíssimos,/ se poderá apanhá-la: um peixe vivo com a mão./ Puro susto e terror.» Uma língua pode morrer na nossa mão. Ou arejar. HORTA SECA, LISBOA, 22 NOVEMBRO Este voar baixo e cego, de que me cansa falar, impediu-me de saborear devidamente (lamber a cria, diz-se) a chegada do volume III da poesia completa do Antero, permito-me, sem rir, o tratamen-

O grão da surpresa to por via da convivência. Tacteio a cor da capa do volume mais surpreendente por razões que o Luiz [Fagundes Duarte] não se cansa de anunciar em conferências, mais e menos participadas: há um Antero para além «santidade» fixada. Descobrem-se por aqui, com grão de surpresa, mundanidades, dislates, ensaios, voluntarismos, sátiras, ânsias e fúrias, perfumes do desejo e vapores da política, humanidades, enfim, deliciosas preciosidades, para rimar. Folhear basta para encontrar coincidências com os dias, ainda e para sempre estes nossos: «Bem é falar de tristezas/ Por estes tempos de risos,/ Em que passa a Gargalhada/ Na face dos paraísos […]». As tormentas vêm de todos os horizontes e o poeta leva a Alma pela mão visitando o que se anuncia nos mapas e nos mitos, mas antes esculpe rostos. «[…]A gargalhada do sábio,/ Que se chama… indagação;/ A gargalhada do céptico,/ Que tem nome… negação:// A gargalhada do santo, Que tem nome — fé e crença;/ A gargalhada do ímpio,/ Que se chama… indiferença:// A gargalhada da história/ Que se chama… Revolução:/ E a gargalhada de Deus,/ Que tem nome… Escuridão […]». Resultado? Leia quem possa, que hesito na conclusão. Entrar na boca do demónio que vive desta atroada de possessos ou sonhar com a luz que sairá do peito do condenado.

HORTA SECA, LISBOA, 23 NOVEMBRO «Prólogo a la Invención del Diluvio», assim se chama a antologia do José Luiz [Tavares], com tradução de Diego Cepeda, com que abriu asas e voou a Puro Pássaro, novíssima editora do Jerónimo Pizarro e do Pedro Rapoula, com ninho em Bogotá. Seguiu-se, entre outros, «Las Cosas», da Inês [Fonseca Santos], no caso com tradução do Pedro Rapoula. Edições cuidadas, pequenas no formato de lombos coloridos, com ilustrações, desenhadas ou fotografadas, a quererem afirmar a poesia como o lugar maior da língua. No «Dilúvio» há mesmo folhas em vegetal que propõem versão (sobreposta) do poema no crioulo de Cabo Verde. E cuidadas, sobretudo, no transpôr do verbo, do espelhar da construção, no tento com que se busca o verso exacto. Encontro nestes esforços, de que o Jerónimo se vem fazendo pródigo, solo bem mais fértil que o dos acampamentos de pompa e circunstância nas feiras internacionais (do negócio e da vaidade). Mas isso sou eu, que montei casa em horta seca. «Solo yo no me quedo bien, my señor,/ que espero toda la tarde ele poema/ que no viene, aunque barcos suban/ el tajo aullando a través la niebla». FACEBOOK, ALGURES, 24 NOVEMBRO O mano Gaspas, de seu nome inteiriço, Luis Manuel Gaspar, publicou um con-

junto de imagens, devidamente legendadas – com as mais dispersivas coordenadas, com se latitude e longitude fossem primeiros passos na viagem – da Maruja Mallo. Digam lá o que disserem, há quem faça das redes um tapete de serviço público, servindo para limpar sapatos antes de entrar ou para sair a correr um direcção ao espanto e maravilhamento. O mano produz sequências em torno dos seus queridos (Almada e Alvarez e Amadeo, Botas e Botto, Herberto e Helder, Wyatt e Waits, Ramón e Ramos Rosa) que espalham informação segura, detalhes explosivos, um gosto feito trepadeira a crescer. Aqui e ali, mostra migalhas das suas detalhistas e cruzadas composições (a isso voltaremos), mas interessa-nos agora a autêntica produção de conteúdos raros e sensíveis. Ando para falar disso há tempos, armado em intérprete-tradutor-ponte, e eis que a pintora, «metade anjo, metade marisco», se faz pretexto. (Algures na página, «A Surpresa do Trigo»). O motivo, para o mano sem acento, raras vezes nasce da actualidade, mas a sua página está sempre a estender-se tapete de museu vivo. No caso, da Maruja trouxe trigo e festas de aldeia, em composições de geometria «fatal» que atiram para a melancolia. Uma colorida melancolia onde os elementos da vida poderiam ainda fazer sentido. Um incerto sentido sobre o qual caminhar.


16

h

Divina Comédia

Nuno Miguel Guedes

S

E conseguir escapar à proverbial (e desejável) ingratidão que rege a memória da música popular, a Canção Infinita de Manuel Fúria & Os Náufragos irá sobreviver-nos. Nesses seis minutos e dezassete segundos o cantor e autor faz uma viagem ao seu passado afectivo – as primeiras leituras, as primeiras audições, as cumplicidades juvenis que estão na base de todas as descobertas, a sua geografia de adolescente - e à sua condição de criador. Revisita heróis musicais, cita-os, invoca-os. A própria base harmónica da canção é construída deliberadamente sobre os mesmos acordes de Ceremony, tema incluído no primeiro single dos New Order, ex-Joy Division - o primeiro a ser editado depois da morte trágica de Ian Curtis e ainda com as suas palavras. Duas referências de Fúria, que depois de citar os primeiros versos de Curtis lança a extraordinária confissão e constatação: “Sou um ladrão!” , afirmação que pode ser aplicada ao longo da história da arte. Nada vem do nada e a criação artística, por mais rupturas que deseje fazer, não

28.11.2018 quarta-feira

Somos ladrões pode fugir a esta condição humana, felizmente humana. Mas Canção Infinita lida também com a memória num estado particular – a nostalgia. Há um passado idealizado e a dor mansa de não lá poder regressar – no fundo o que está na etimologia da própria palavra: do grego nóstos

Que uma canção que nos comove é uma canção que nos redime. E assim aceito a nostalgia, nesta perspectiva de tornar a nossa existência menos sofrível. Somos ladrões, sim; mas também ladrões do tempo

(reencontro) e álgos (dor, sofrimento). E sempre foi algo em que não confiei. Ao longo do tempo, o próprio conceito (que foi outrora considerado condição patológica, como a melancolia) foi adulterado, tornado mercenário e mercantil. O mercado da saudade aumentou e a nostalgia perdeu a sua inocência mais ou menos contemplativa. Por mim, se perguntado, respondo da mesma forma, com um neologismo pateta mas eficaz: sou agnostálgico. Quer dizer, preciso da nostalgia mas não a quero como normalmente me é entregue. O inebriamento de passado é perigoso pelo simples facto de que nos podemos esquecer de viver agora – e isso sim, é imperdoável. Sobre a nostalgia já fui mais inamovível: recusava-a, pura e simplesmente. Manifestações colectivas da coisa, como reuniões de bandas que admirei em jovem, eram evitadas com cinismo e precisão. De certa forma ainda o são. Lembro-me sempre das palavras de Eric Idle, um dos Monty Python, ditas aquando da mítica reunião do grupo de humoristas em 2014:«As pessoas não vêm ver um grupo de velhos a di-

zer piadas. Vêm para se lembrarem como eram quando eram novas». Ainda acho que Idle tem razão. Mas a agnostalgia, tal como a entendo, não é um dogma mas uma atitude – e como tal falível. O único truque consiste em estar bem com essa falibilidade porque é de imperfeição de que somos feitos e queremos ser feitos. Há pouco tempo tive a oportunidade de pôr à prova esta teoria, durante um concerto em que tocou Fúria e logo a seguir um dos meus ídolos musicais: Johnny Marr, antigo guitarrista dos The Smiths, banda que atropelou a minha vida em 1983 e a de muita gente. Ainda continua a fazê-lo. Preparei-me para o embate com a dignidade possível, mas durou pouco: o som da guitarra de Marr, os acordes de canções que sei de cor e com que ainda vivo deixaram-me literalmente em lágrimas. Nostalgia ou não, sei que é bom isto acontecer. Que uma canção que nos comove é uma canção que nos redime. E assim aceito a nostalgia, nesta perspectiva de tornar a nossa existência menos sofrível. Somos ladrões, sim; mas também ladrões do tempo.


desporto 17

quarta-feira 28.11.2018

C

HARLES Leong terminou a primeira participação no Campeonato Asiático de Fórmula 3 num quarto lugar, a 82 pontos do vencedor. O piloto de Macau foi o melhor piloto asiático do campeonato, atrás dos britânicos Raoul Hyman e Jake Hughes, primeiro e segundo classificados, e do norte-americano Jaden Conwright. Ao longo do ano, o piloto da Dragon Hitech GP somou seis pódios, com um segundo lugar e cinco terceiros lugares, tendo alcançado a melhor posição na primeira ronda do campeonato, disputada no Circuito Internacional de Sepang. Contudo, ao HM, o piloto admite que esperava mais da época de estreia. “Não é o lugar em que esperava terminar o campeonato. Sinto que tive muito azar nas últimas corridas. De uma certa forma, senti que toda a minha má sorte se acumulou para me afectar, principalmente na última ronda do campeonato”, disse Charles Leong, piloto local. “A nível de resultados foi um ano que não correspon-

“A nível de resultados foi um ano que não correspondeu às minhas expectativas, queria ter ficado melhor classificado, mas não foi possível.” CHARLES LEONG PILOTO

Com sabor a pouco Charles Leong finaliza Campeonato Asiático de F3 no 4.º lugar

deu às minhas expectativas, queria ter ficado melhor classificado, mas não foi possível”, acrescentou. Charles Leong tinha chegado à última ronda do campeonato com hipótese de lutar pelo terceiro lugar.

Contudo, problemas com o carro em duas das três corridas impediram-no de se aproximar de americano Jaden Conwright, não indo além de um 13.º e de um 15.º lugares. Na última corrida do fim-de-semana, acabou

por chegar ao nono lugar, depois de ter arrancado do fim da grelha. Já o americano selou a questão do lugar mais baixo do pódio com um terceiro lugar na última corrida e ainda com os oito pontos do

sexto lugar, logo na primeira corrida do fim-de-semana de provas na Malásia.

FUTURO EM ABERTO

Em aberto continua ainda o futuro do piloto, que vai estar entre 6 e 9 do próximo mês a participar Taça Internacional de Macau KZ, em Coloane. Este é um facto que também se fica a dever às alterações no Campeonato Europeu de Fórmula 3, que vai integrar o

campeonato GP3, mudando o nome para Campeonato Internacional de Fórmula 3. Por este motivo há ainda uma grande incerteza entre as diferentes equipas que competem nas duas categorias: “Neste momento ainda há muita indefinição sobre o futuro da modalidade, devido às alterações na Fórmula 3, com o novo campeonato. Nem as equipas sabem muito bem o que se vai passar. Por isso estamos todos na expectativa e ainda não sei o que vai acontecer no próximo ano”, reconheceu. “Mas espero poder ir competir para a Europa”, frisou. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo

PUB HM • 2ª VEZ • 28-11-18

Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental Edital n.º 004/DSPA/2018 Visto ter sido impossível informar os infractores, pessoalmente ou via postal, de acordo com o disposto nos n.ºs 2 e 4 do artigo 21.º da Lei n.º 8/2014 “Prevenção e controlo do ruído ambiental”, para efectuar o procedimento sancionatório por infracções administrativas, informa-se os seguintes infractores, por via edital, da decisão sancionatória, nos termos do n.º 7 do artigo 21.º da mesma lei. Para assegurar que os infractores em causa sejam ouvidos e exerçam o seu direito à defesa, estes serviços notificaram os seguintes infractores das respectivas acusações. Posteriormente, após analisadas as provas disponíveis (o auto de notícia e a declaração da Lei do Ruído, as testemunhas e a eventual defesa escrita apresentada pelo infractor), verifica-se que os seguintes infractores violaram as disposições da Lei n.º 8/2014 “Prevenção e controlo do ruído ambiental”. Usando da faculdade conferida pelo artigo 14.º da lei acima referida e de acordo com as respectivas disposições do artigo 12.º da mesma lei, aplico aos seguintes infractores a multa correspondente. Infractor LIU LIANG,portador do salvo-conduto da República Popular da China para deslocação a Hong Kong e Macau n.º:C3771XXXX BAUN ROWENA GONZALES, portador do Título de Identificação de Trabalhador Não Residente n.º:1251XXXX 高海洋,portador do salvo-conduto da República Popular da China para deslocação a Taiwan n.º﹕T1964XXXX

N.ºs de processo e de notificação de multa

Data de infracção

Processo n.º :00087/ PCRA/DIA/DSPA/2017 28 de Notificação de Multa Novembro n.º:3295/0375/DIA/ de 2017 DCPA/2018

Data de decisão sancionária

Infracção

Multa

21 de Junho de 2018

A prática de actividades da vida quotidiana geradoras de ruído perturbador em edifícios Processo n.º :00008/ habitacionais. O PCRA/DIA/DSPA/2018 17 de 7 de 1,000 respectivo acto Notificação de Multa n.º Dezembro Setembro de patacas violou o disposto 4907/1188/DIA/ de 2017 2018 no n.º 1 do artigo 7.º DCPA/2018 da Lei n.º 8/2014 “Prevenção e Processo n.º :00073/ controlo do ruído PCRA/DIA/DSPA/2017 11 de 4 de ambiental”. Notificação de Multa Outubro de Maio de n.º:2325/0500/DIA/ 2017 2018 DCPA/2018

ANCHETA RESLIE Processo n.º :00036/ BAUTISTA, portador do PCRA/DIA/DSPA/2018 18 de Título de Identificação Notificação de Multa Fevereiro de Trabalhador n.º:3841/1012/DIA/ de 2018 Não Residente DCPA/2018 n.º:2126XXXX

17 de Julho de 2018

A produção de ruído perturbador em espaços públicos. O respectivo acto 1,000 violou o disposto no patacas artigo 10.º da Lei n.º 8/2014 “Prevenção e controlo do ruído ambiental”.

Os infractores em causa podem fazer uma marcação, no horário de expediente, antes de se dirigirem ao 1.º andar do Edifício CEM, sito na Estrada de D. Maria II, n.os 32 a 36, Macau, para obter a cópia do despacho da decisão sancionatória e a guia de receita eventual da Direcção dos Serviços de Finanças (DSF), no sentido de efectuar o pagamento da multa na Recebedoria da Repartição de Finanças da DSF (Avenida da Praia Grande, n.os 575, 579 e 585, Edifício “Finanças”, r/c, Macau), mediante a apresentação dessa guia, no prazo de 15 dias a contar da data da publicação deste edital, ao abrigo do n.º 3 do artigo 19.º da Lei n.º 8/2014 “Prevenção e controlo do ruído ambiental” e nos termos do artigo 17.º do Decreto-Lei n.º 52/99/M. Na falta do pagamento voluntário da multa no prazo fixado, a DSPA enviará cópias de toda a documentação, acompanhadas do comprovativo da cobrança coerciva, à Repartição das Execuções Fiscais da DSF, para se proceder à cobrança coerciva. Para além disso, os infractores podem, nos termos dos artigos 145.º, 148.º e 149.º do Código do Procedimento Administrativo, apresentar reclamação contra a decisão sancionatória ao Director da DSPA, no prazo de 15 dias a contar da data da publicação deste edital (a reclamação deve ser redigida em chinês ou em português e apresentada por via postal ou pessoalmente à DSPA, sita na Estrada de D. Maria II, n.os 32 a 36, Edifício CEM, 1.º andar, Macau, na qual deve ser indicado o número do processo), e/ou, nos termos do artigo 25.º do Código do Processo Administrativo Contencioso, interpor recurso contencioso para o Tribunal Administrativo da Região Administrativa Especial de Macau, no prazo de 30 dias a contar da data da publicação deste edital. Caso não seja impugnada a decisão, a DSPA procederá à execução da respectiva decisão sancionária. O Director da DSPA, Tam Vai Man 28 de Novembro de 2018

ANÚNCIO Proc. Divisão de Coisa Comum

n.º CV2-17-0056-CPE

2º Juízo Cível

Requerentes: 1. HSU TSAI TAO (徐再道), de sexo feminino, maior, de naciona lidade chinesa, residente em Hong Kong九龍油塘油麗村翠麗樓 2118室; e 2. LEUNG MALCOLM JERRY (梁威豪), de sexo masculino, maior, de nacionalidade chinesa, residente em Macau, na Rua Norte do Patane, Edifício Weng Ken, Bloco 4, 17º andar D. Requerida: LI YUN KOW (李恩救), de sexo feminino, maior, de nacionalidade chinesa, residente em Macau, na Avenida do General Castelo Branco, nº 426, Jardim Iat Lai, 6º andar AT. * Nos autos supra identificados, foi designado o dia 13 de Dezembro de 2018, pelas 09:30 horas, neste Tribunal, para a venda por meio de propostas em carta fechada, o bem acima identificado. Imóvel Denominação da fracção autónoma: “AT6”, 6º andar AT. Situação: Em Macau, na Avenida do Conselheiro Borja nºs 212 e 250, Rua do Dr. Ricardo de Sousa nº 61, na Avenida do General Castelo Branco nº 426, e na Rua Central de T´oi San nºs 302 e 338. Fim: Para habitação. Número de matriz: n.º 073013. Número de descrição na Conservatória do Registo Predial: nº. 21045, a fls. 198V do Livro B46. Valor a anunciar para a venda: Três Milhões, Oitocentas e Oito Mil Patacas (MOP$3.808.000,00), correspondendo a 100% do valor do bem. O preço das propostas deve ser superior ao valor a anunciar para a venda acima indicado. * Os interessados na compra devem entregar a sua proposta em carta fechada, com indicação nos envelopes das propostas, a seguinte expressão “proposta em carta fechada”, “2º Juízo Cível” e o “Processo Número: CV2-17-0056-CPE”, na Secção Central deste Tribunal, até o dia 12 de Dezembro de 2018, até 17:45 horas, podendo os proponentes assistir ao acto da abertura das propostas. Quaisquer titulares de direito de preferência na alienação do imóvel supra referido, podem, querendo, exercerem o seu direito no próprio acto da abertura das propostas, se alguma proposta for aceite, nos termos do artº 787º do C.P.C.M. Aos 21 de Novembro de 2018. *****


18 (f)utilidades

28.11.2018 quarta-feira

?

TEMPO PERÍODOS DE CHUVA MIN 17 MAX 21 HUM 70-98% • EURO 9.10 BAHT 0.24 YUAN 1.15

Hoje

CINEMA | “EL AURA” DE FABIÁN BIELINSKY Fundação Rui Cunha | 19h

Diariamente

VIDA DE CÃO

13

1 9 5

EXPOSIÇÃO KEITH HARING MAZE MACAO Venetian Expo Hall F | Até 31/12 EXPOSIÇÃO SALÃO DE OUTONO Casa Garden | Até 30/11 EXPOSIÇÃO | PAISAGEM MUTANTE Museu de Arte de Macau | Até 10/02/2019

7 3 2

EXPOSIÇÃO | CHAPAS SÍNICAS Museu de Ofertas sobre a Transferência de Macau Até 7/12 “FINDING DREAMS IN THE FALL OF RUA DOS ERVANÁRIOS” Até Dezembro

13 4 1 9 5 8 0 7 3 2 6

6 7 8 4 2 1 9 0 5 3

8 3 2 1 9 4 6 5 0 7

9 5 6 0 3 7 4 2 8 1

2 0 3 7 5 6 8 1 9 4

DE

7 2 1 6 4 8 5 9 3 0

3 9 0 2 6 5 1 4 7 8

5 8 4 3 7 9 0 6 1 2

0 4 5 8 1 3 2 7 6 9

1 6 7 9 0 2 3 8 4 5

15 Cineteatro 8 4 5 0C 3 I6 N7 9 E 1M2 9 0 7 3 6 2 5 1 4

7 9 3 2 1 8 6 0 5

1 8 2 4 0 9 7 3 6

17

2 6 1 9 5 3 4 7 8

6 4 5 7 8 1 0 2 9

6 7 4 5 8 1 3 0 9 2 7 2 1 8 0 9 4 6 3 5 0 1 8 4 6 FANTASTIC 2 9BEASTS: 5 THE7CRIMES 3 OF GRINDELWALD [B] Um filme de: David Yates 5 8 9 0 7 Com: Eddie Redmayne, Johnny Depp, Jude Law, Katherine Waterson 6 21.452 1 4 14.15,3 16.45, 19.15, 8 0 7 2 9 THE CURED [C] Um filme de: David Freyne 5Ellen Page, 3 6 1 Com:4 Sam Keeley, SALA 1

SALA 2

Tom Vaughan-Lawlo 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

O CARTOON STEPH 14

4 5 9 1 7 0 2 8 3

5 1 6 8 2 4 3 9 0

8 2 0 5 3 6 1 4 7

3 7 8 0 4 5 9 6 2

0 3 4 6 9 7 8 5 1

3 2 4 1 8 9 5 0 6 7

Um filme de: Kenji Nagasaki 21.30

0 1 7 5 4 6 2 3 9 8

7 6 3 9 5 0 4 8 2 1

4 5 8 2 1 7 6 9 3 0

A

5 7 1 6 0 3 8 2 4 9

6 4 2 7 9 1 0 5 8 3

1 3 5 4 7 8 9 6 0 2

0 6 1 9 5 3 7 1 6 4 7 2 5www. 0 9

hojemacau. com.mo

19 44 9 3 7 25 11 8 6 2 50

55 2 9 20 48 03 91 4 7 66

37 66 41 8 4 0 2 03 25 99

61 48 55 2 6 9 7 20 84 33

98 7 2 06 59 35 60 1 3 74

16 1 8 3 00 47 4 5 9 22

4 9 5 7 2 0 8 1 6 3

5 1

PROBLEMA 15

17

6 9 0 2 5 4

21 5 3 20 47 9 4 86 68 2 1

0 09 8 1 86 57 2 5 73 4

23

58 91 4 3 2 5 9 7 26 60

82 7 06 9 60 31 3 44 8 15

96 4 32 5 58 83 0 71 9 27

07 72 3 8 1 6 5 0 64 89

4 65 1 6 97 09 8 2 40 3

9 0 65 74 3 8 31 06 7 2

9 05 30 1 62 94 3 87 56 8 23 6 7 82 75 60 14 9 1 08

2 3 4 5 1 6 9 8 0 7

1

0 3 4 2 8 6 5 9 7 1

7 1 6 0 9 5 2 4 8 3

3 6

0 4 17 9 3 8 6 32 1 5

7

4 3 8 0 9 7 6 1 4 5 0 8 3 2 7 9 6 1 3 5 8 2 1 5 2 7 3 5 8 2 0 1 6 7 9 4 2 0 5 8 4 1 6 7 6 9 1 4 2 3 9 0 5 7 1 4 6 8 1 2 7 3 6 8 0 9 5 2 0 3 8 4 7 6 1 9 2 3 5 0 4 5 9 0 8 6 1 3 0 1 6 2 1 2 4 3 8 0 9 5 7 6 5 6 3 9 0 7 4 1 5 4 8 7 3 9 5 9 0 7 6 8 4 1 2 3 8 7 1 4 2 3 9 5 2 1 7 0 4 6 0 8 3 5 9 2 7 6 4 1 9 3 2 6 1 4 7 0 Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; Diana do Mar, João Santos Filipe; Sofia 4 Margarida 3 2Mota;8Vitor9Ng Colaboradores 5 6 António 1 2Cabrita; 4 António 7 3 9António 0 Falcão; 5 Gonçalo Lobo Pinheiro; 0 4João Paulo 8 Cotrim; 5 7José Drummond; 2 3 6 Amélia Vieira; Castro8Caeiro; José Navarro de Andrade; José Simões Morais; Luis Carmelo; Michel Reis; Nuno Miguel Guedes; Paulo José Miranda; Paulo Maia e Carmo; Rui Cascais; Rui Filipe Torres; Sérgio 3 Fonseca; 0 9Valério6Romão 5 Colunistas 8 António Conceição 4 Júnior; 0 David 1 Chan; 9 João 3 Romão; 6 Jorge 5 Morbey; 2 8Jorge Rodrigues 7 3 1 4 2 9 0 5 8 Simão; Leocardo; Paul Chan Wai Chi; Paula Bicho; Tânia dos Santos Cartoonista Steph Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; GCS; Xinhua 8 2 3 4 7 1 7 6 5 8 2 4 3 0 1 9 6 8 0Lusa; 7 5 9Secretária 2 4

4 1 8 3 5 7 9 0

0 5 2 3 6 1 8 9 4 7

9 0

3 0 66 4 7 2 5 49 8 1

8 2 9

3 8 4

3

6 0 9 3 8 4 2 7 1 5

9 5 3 1 0 7 8 5 0 7 6 3 2 1

2 8 0 1 6

3 7 1

9 3

0 4 6

1 3

8

9 4 1 3 0 2 9 3 6 8 5 7 6

Este livro, um dos mais 6 2 da 7 obra 8 de4Italo9 relevantes Calvino, baseia-se no relato 3 7 5 2 1 4 de Marco Polo ao Impera4Kublai 9 Khan 0 6acerca 8 das2 dor cidades por onde passou 0 4 9 3 7 1 o conhecido viajante. Os 2 1de metrópoles 8 5 6ima-0 relatos ginadas por Marco Polo são 7 6 1 0 3 5 o suporte de Khan para es5 8 um 2 império. 4 9 “As6 tabelecer cidades invisíveis” é uma obra fortemente influenciada pelo Realismo Mágico, partindo da realidade, com 5 1 na2 factualidade 7 9 6 suporte histórica, para um 3 8 4 0 patamar 6 9 de fantasia brilhantemente 7 2pelo3autor 5 italiano. 0 8 escrito Um 4 dos6livros 9 essenciais 8 1 da7 literatura italiana do século 9 3João8Luz 4 7 5 XX.

18

6 5 2

5 4 6 8

0 4 3

6 7 9

5 8 1 4 2 6 7 3 1 6 9 0 3

1 3 LIVRO 6 9 5 HOJE 8 4 2 UM 8 0 4 7 2 3 9 6

9 8 0 3 2 5 7 4 1 6

2 1

2 6 1

0 2

3 5 0

3 0 7 6 9 2 1 8 5 4

16

2 0 9 8 6 4 3 1 7 5

6 8 9

14muito se percebeu que o mercado Há laboral é um quebra cabeças difícil 8 ou até 7 um cubo 6mágico, 2 de decifrar daqueles 2 que só6os japoneses 5 7 4conseguem jogar. É cada vez mais difícil 7 apesar8dos1portugueses 5 obter um BIR, terem esse direito por lei, e a contra1 de0 não residentes está sujeita a 8 tação quotas 3 que não 4 se adequam 1 0 ao que7as 6 empresas precisam. Ontem o secretário 6 da tutela 7 da 3 Economia 8 4 Lionel 2 Leong, e Finanças, parece ter acordado para 5 1 ao anunciar que haverá 3 a realidade, um instituto3a atribuir 9 autorização 2 6de residência ou permanência no território 6 a exigência2 de3um4contrato 8 de sem trabalho. Essa pessoa pode procurar 4 ou, imagine-se, 1 3 uma 5 emprego abrir empresa! Será que terminaram agora os falsos argumentos utilizados numa 16 20 de pleno emprego? O de economia que os não residentes tiram o emprego 3 9 4 5 8 ou 4 que0 há2residentes 9 1a0 6 aos residentes, serem 8 despedidos 7 9 7 6 por 3 receber 1 9 5 mais? 8 4 Será que as empresas podem agora funcionar 1 4 3 3 1plenamente 9 0 4 7 6sem8 0 estes 5 2 entraves burocráticos que não fazem 6 2 7 1 8num 5 território 7 2 que 0 4se quer 9 3 1 sentido internacional e que caminha a passos 2 5 0 1 5 3 6 8 7 8 largos para a integração na grande China?6 Contrate-se, 0 3 0 7 8 enfim, 9 4 as1pessoas que este pequeno território precisa para 4 9 9 3 0do jogo 8 empresarial 7 2 5 4 a8 5 pôr0as máquinas mexer. 4 Contrate-se depressa e bem. Se 8 6 5 2 6 1 0 5 3 7 7 0 3 este instituto não virar um novo IPIM, que7simplesmente 2 0 4 0 3 não6soube 9 ler 8 ou2ver 7 o que estava na lei, acredito que a nova 4 1 1pode2funcionar 5 7 e8 3 6o7 9 medida8 flexibilizar mercado laboral. Andreia Sofia Silva

7 1 2 8 0 3 4 5 2 6 9 8 1 0

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 14

9 0 3 1 2 4 7 6 8 5 3 9 5 6 4 0 2 1 7 8 THE CURED 5 3 9 2 7 8KAMEN 1RIDER0BUILD4x UCHU 6 SENTAI KYURANGER THE MOVIE [B] 6FALADO4EM JAPONÊS 2LEGENDADO 3 EM1CHINÊS Um filme de: K. Kamihoriuchi, T. Shibazaki 714.30, 16.30, 5 19.308 0 9 MY HERO 1THE MOVIE 6 ACADEMIA 4 5 3 - TWO HEROES [B] FALADO EM JAPONÊS LEGENDADO 2EM CHINÊS8E INGLÊS 7 9 0 SALA 3

8 9 6 0 3 2 1 7 5 4

15

TEMOS FLEXIBILIZAÇÃO?

S U D O K U

O QUE FAZER ESTA SEMANA

1 8 9 0 4 2 7 3 5 6

18

22 1 2 2 6 5 3 4 0 7 7 8 3 9

3 4 9 3 8 4 1 2 5 1 0 7 6 7

7 0 6 3 1 4 5 1 7 9 2 8 9 4

9 8 6 7 2 1 9 3 6 2 1 4 3 5 8 0

6 4 9 5 0 7 9 8 1 3 6 0 2 2 1

4 2 3 7 6 0 8 5 4 1 9 3 8

7 5 1 9 5 8 6 9 0 8 3 6 4 2

AS CIDADES INVISÍVEIS | ITALO CALVINO

4 9 2 8

24

de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


opinião 19

quarta-feira 28.11.2018

sexanálise

TÂNIA DOS SANTOS

C

UECAS sensuais não são sinal de consentimento. Eu sei, a cultura popular faz-nos acreditar que as mulheres só usam um par de cuecas rendilhado e sensual quando estão interessadas em envolver-se com alguém. Mas também sabemos que as mulheres podem bem usar uma cueca rendilhada e acetinada porque lhes apetece. O problema é que as instituições de justiça podem ser um poço acrítico do que as séries de comédia têm a dizer sobre relações humanas e sexuais – como aconteceu recentemente na Irlanda. Digo isto porque é bastante caricaturado na cultura popular – assim de repente vem-me à cabeça a Bridget Jones - o facto de nós, mulheres, querermos estar bem apresentadas antes de um potencial encontro sexual. Por isso não tenho outra forma de julgar as escolhas do tribunal irlandês como caricatas também. ‘Supostamente’ nós temos muito em que pensar antes do sexo. Assim se aplica aos pêlos que devemos arrancar, às roupas sensuais e à roupa interior á là victoria secret que devemos utilizar. E isso inclui uma tanga rendilhada. O meu coração morre um bocadinho sempre que vejo a acontecer certas e determinadas barbaridades. Primeiro, porque o mundo ocidental é presunçoso ao achar-se um poço de sensibilidade progressista e, segundo, porque a tentativa de mostrar que certas relações de poder estão a favorecer opressores e não os oprimidos parece que continua a não ser óbvia. A clássica culpabilização da vítima sempre me irritou, mas usarem como prova um par de cuecas é absolutamente escandaloso. Sociedades ditas desenvolvidas, o tanas. Perdoem-me o pessimismo, mas lá por se ter taxas de mortalidade baixas, boas condições de higiene e de saúde e um nível de educação mais alto salva-nos parcialmente de um regime patriarcal e opressor. Porque digamos – ao que que querem chamar ter-se usado um par de cuecas como prova para ilibar um violador e, pior, o facto de ter resultado? Mas eu percebo, sou uma pessoa extraordinariamente compreensiva. E eis a minha explicação para que estas coisas continuem a acontecer: cada um de nós tende a interiorizar certas dinâmicas de relação (sejam quais forem, de raça, género, etnia, idade), ou estereótipos, se quiserem. E há uma representação silenciosa que de alguma forma dita que os homens são os dominadores do sexo e as mulheres as dominadas. Não é por acaso que a violação demorou muito tempo para ser considerada um crime, porque infelizmente era normalizada, e de alguma forma, ainda o é. Por isso algumas pessoas ainda têm dificuldade em perceber

O não-consentimento

como é que alguém pode ser violado se, por exemplo, se encontra numa relação amorosa com essa pessoa. Eu percebo. Mas é extremamente frustrante a luta contra

A clássica culpabilização da vítima sempre me irritou, mas usarem como prova um par de cuecas é absolutamente escandaloso. Sociedades ditas desenvolvidas, o tanas

estas expectativas medievais de como um homem, uma mulher e o sexo funcionam. Porque também não é por acaso que um caso de violação onde a mulher é a violadora e o homem o violado seja muito difícil de encontrar. Não é porque não aconteça – porque acontece. Mas já é pedir muito à imaginação do comum mortal pensar que um homem – o suposto dominador – possa ser uma vítima também. Quando comecei a ver posts nas redes sociais com cuecas de renda e a dizer ‘não é consentimento’ fiquei seriamente confusa sobre o que se tratava. Talvez porque mesmo

que tente compreender as (nossas) mentes ainda envenenadas com expectativas enviesadas, ainda seja ingénua - e ainda me deixo escandalizar. Se o facto de usar cuecas de renda faz com que eu possa ser culpabilizada por uma violação, mais vale não usarmos esse tipo de cuecas de todo. Aliás, o melhor será taparmos os nossos corpos para que o pénis masculino não sinta a tentação da carne. Como se fosse um objecto de mecânica simples – reacção e acção. Simples. Mais vale usarmos o que nos tape da cabeça aos pés? Ou, talvez seja melhor nem sair de casa.


Contra factos tudo são argumentos.

Mia Couto

MEDITERRÂNEO ONG ACUSADAS DE AJUDAREM TRAFICANTES DE PESSOAS

FRANÇA FECHO DE 14 REACTORES NUCLEARES ATÉ 2035

O

O

ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, defendeu ontem que a presença de navios humanitários no Mediterrâneo ajuda “de forma deliberada ou involuntária” os traficantes de pessoas. Salvini referia-se às organizações não-governamentais Mediterranea, Sea-Watch e Spanish Open Arms, que instalaram os seus três navios no centro do Mediterrâneo para salvar as vidas dos imigrantes e garantir que os direitos humanos são cumpridos. “Podem ir aonde quer que os amigos das ONG queiram, mas não chegam à Itália”, disse Salvini, que desde o início do seu mandato proibiu os imigrantes de desembarcar em portos italianos. Salvini desejou, ironicamente, uma “boa viagem” a estes navios e assegurou que “desta maneira as travessias (de imigrantes) são encorajadas”, frisando que “é evidente que, quando os navios retornam, deliberadamente ou involuntariamente ajudam os traficantes e estes voltam a fazer o seu trabalho”. O ministro italiano e líder da Liga, de extrema direita, sublinhou que no ano passado 117.000 pessoas chegaram à costa italiana e que agora “o número parou em 23.000”.

Futebol Petit é o novo treinador do Marítimo

PUB

Petit foi ontem anunciado como novo treinador do Marítimo, sucedendo a Cláudio Braga, para orientar o emblema madeirense, 13.º classificado da I Liga portuguesa de futebol. O antigo médio, 57 vezes internacional A por Portugal, passou por clubes como Benfica, Boavista e os alemães do Colónia, tendo ‘pendurado as chuteiras' na temporada 2012/13, a mesma em que iniciou a carreira de treinador, ao serviço dos ‘axadrezados'. Depois de treinar o Boavista, Petit orientou Tondela, Moreirense por duas vezes e Paços de Ferreira. O Marítimo leva uma série de dez jogos sem vencer, com cinco derrotas consecutivas.

quarta-feira 28.11.2018

PALAVRA DO DIA

As notas que Chau deixou para trás revelaram que o missionário queria levar o cristianismo aos indígenas

Orgulhosamente sós ONG pede à Índia que abandone buscas por norte-americano morto por indígenas

U

M grupo de defesa dos direitos humanos pediu às autoridades indianas que abandonem os esforços para recuperar o corpo de um norte-americano que terá sido morto por indígenas numa ilha onde apenas é permitida a presença a locais. A organização não-governamental (ONG) Survival International, que trabalha para proteger os povos indígenas, alertou em comunicado na segunda-feira que os habitantes locais podem ser expostos a doenças mortais se os elementos das equipas de resgate pisarem na ilha Sentinela do Norte, onde John Allen Chau foi morto no início deste mês. As notas que Chau deixou para trás revelaram que o missionário queria levar o cristianismo aos indígenas. Equipas das autoridades indianas viajaram por várias vezes

nos últimos dias perto daquela ilha remota, mas ainda não procederam a qualquer desembarque. Os estudiosos acreditam que os indígenas são descendentes de africanos que migraram para aquela área há cerca de 50 mil anos. Os indígenas terão matado o turista norte-americano que se arriscou a chegar a uma ilha indiana remota no arquipélago de Andamão e Nicobar, no Oceano Índico, cujo acesso é proibido para proteger o povo que a habita, disse fonte policial. “O turista é cidadão norte-americano e foi visto pela última vez no passado dia 16 de Novembro pelos pescadores que o acompanharam até à ilha Sentinela do Norte”, explicou Jatin Narwal, porta-voz da Polícia de Andamã, na baía de Bengala. As autoridades desconhecem até agora de que forma o turista morreu, ainda que segundo a imprensa local a vítima tenha morrido

pelo impacto de flechas, pouco depois de ter posto os pés na ilha.

AO LONGE

Frequentemente descrita como a tribo mais isolada do planeta, os habitantes da ilha Sentinela do Norte vivem num regime de autossuficiência. O Governo indiano proíbe a aproximação a menos de cinco quilómetros da ilha. Segundo a Survival International, os indígenas que habitam a ilha há 55.000 anos mataram em 2006 dois pescadores que se aproximavam da costa. A população indígena das ilhas Andamã conta com 28.077 indivíduos, segundo dados da Comissão Nacional Para as Tribos (NCST). As ilhas Andamão e Nicobar, situadas a cerca de mil quilómetros do território da Índia, eram pouco visitadas até à época colonial, permitindo que as tribos mantivessem intacta a sua forma de vida.

governo francês vai fechar 14 dos 58 reatores nucleares até 2035 e vai aumentar o apoio ao desenvolvimento das energias renováveis, anunciou ontem o Presidente Emmanuel Macron, apresentando as grandes linhas da Programação Plurianual de Energia (PPE). Quatro a seis dos reactores serão encerrados até 2030, além dos dois da central de Fessenheim “no Verão de 2020”, disse. No discurso sobre a transição energética, no Eliseu, o chefe de Estado francês indicou que o país não vai decidir para já sobre a construção de mais reactores nucleares de nova geração EPR (reactor pressurizado europeu) e esperará pelo menos até 2021. “Peço à EDF (Electricidade de França, a maior produtora e distribuidora de energia) para trabalhar na elaboração de um programa de ‘novo nuclear’ assumindo compromissos firmes sobre o preço, para que eles sejam mais competitivos. Tudo deve estar pronto em 2021 para que a escolha que seja proposta aos franceses possa ser transparente e esclarecida”, disse Macron. Quanto ao apoio ao desenvolvimento das energias renováveis, vai passar dos cinco mil milhões actuais para “sete a oito mil milhões de euros por ano”, anunciou o Presidente francês, evocando uma triplicação da eólica terrestre e uma multiplicação por cinco da fotovoltaica até 2030. “Concentramos os nossos esforços no desenvolvimento das energias renováveis mais competitivas e, porque estamos atentos ao poder de compra dos franceses, vamos exigir dos profissionais a redução dos custos”, assinalou Macron. Os até oito mil milhões de euros anuais até ao final da PPE, que termina em 2028, representam um total de 71 mil milhões de apoio às energias renováveis (eléctricas, biogás, calor renovável) nesse período. “A subida das energias renováveis em França é inevitável”, considerou Macron.

Hoje Macau 28 NOV 2018 #4182  

N.º 4182 de 28 de NOV de 2018

Hoje Macau 28 NOV 2018 #4182  

N.º 4182 de 28 de NOV de 2018

Advertisement