Hoje Macau 27 MAIO 2022 #5016

Page 1

SUNCITY

TEATRO

CONTAS DO CRIME

OPINIÃO

DEIXA-ME RIR

PÁGINA 6

SER PARCEIRO

EVENTOS

JOÃO ROMÃO

HOJE MACAU www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

SEXTA-FEIRA 27-5-2022

MOP$10

Nº 5017

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

Toca a abrir A pouco e pouco, Macau vai finalmente aliviando as restrições de entrada. A partir de segunda-feira, as portas abrem para os cônjuges e filhos estrangeiros de residentes da RAEM. Também a entrada de trabalhadores domésticos, deixa de estar condicionada a nativos das Filipinas e Indonésia, sendo agora alargada a todas as nacionalidades. A redução do período de quarentena para 10 dias está a ser equacionada. PÁGINA 7

LEI DE CAPITAIS PÚBLICOS

APROVAÇÃO QUASE GERAL

PUB

PUB.

PÁGINA 4

“PORTUGUÊS À VISTA”

A VER SE NOS ENTENDEMOS GRANDE PLANO


2 grande plano

27.5.2022 sexta-feira

www.hojemacau.com.mo

Faça você mesmo USJ

PLATAFORMA “PORTUGUÊS À VISTA” VISA FOMENTAR COMPREENSÃO ORAL DA LÍNGUA

A Universidade de São José apresenta na segunda-feira o projecto “Português à Vista”, uma plataforma de conteúdos audiovisuais, com cerca de 100 vídeos e muitos exercícios para que os alunos possam desenvolver melhor uma das capacidades mais difíceis para quem aprende um idioma estrangeiro: a compreensão oral. A plataforma pode também ser usada por professores de português língua estrangeira das várias instituições de ensino no território

C

HAMA-SE “Português à Vista” e é o mais recente projecto audiovisual a pensar nos alunos e professores que trabalham com o ensino da língua portuguesa não materna. Lançado já na próxima segunda-feira, 30, e desenvolvido pelo Departamento de Línguas e Cultura da Faculdade de Artes e Humanidades da Universidade de São José (USJ), este é um projecto que pretende fomentar a compreensão oral do aluno, mas sobretudo a sua autonomia na aprendizagem da língua. “Português à Vista” conta com financiamento do Fundo do Ensino Superior e poderá ser usado por qualquer aluno e docente de língua portuguesa em Macau, ainda que tenha funcionalidades específicas para professores e estudantes da USJ.

Com cerca de uma centena de vídeos, que incluem documentários, notícias ou curta-metragens, entre outro tipo de conteúdos legendados, “Português à Vista” inclui também um conjunto diverso de exercícios

À frente desta iniciativa, está o professor João Paulo Pereira, que há dois anos trabalha no projecto. A ideia surgiu “na sequência da experiência no ensino como professor de português como língua estrangeira, e da necessidade de termos mais materiais audiovisuais para trabalhar aquela que é uma das competências mais difíceis para quem aprende português, que é a compreensão de textos orais”, contou ao HM. Com cerca de uma centena de vídeos, que incluem documentários, notícias ou curta-metragens, entre outro tipo de conteúdos legendados, “Português à Vista” inclui também um conjunto diverso de exercícios. “Esta é uma plataforma criada de raiz para que os alunos possam trabalhar esta competência da compreensão oral, mas também aquelas que estão

Acima de tudo, pretende-se promover “a autonomia do aluno na sua aprendizagem, porque esta abordagem meta cognitiva potencia isso, faz com que o aluno pense nas estratégias que deve usar para desenvolver a sua própria aprendizagem”

associadas às novas formas de comunicação, como é o caso do vídeo digital ou literacia visual”, contou o docente. João Paulo Pereira destacou ainda o facto de serem conteúdos reais transmitidos no dia-a-dia “e que são necessários para um contexto de aprendizagem do português como língua segunda”. Os exercícios associados a estes conteúdos apresentam ainda uma abordagem diferente, pois pretende-se que o estudante “reflicta sobre as estratégias que utiliza para a compreensão dos textos orais”. Tratam-se de “actividades meta-cognitivas, como questionários de auto-reflexão, por exemplo” e que são diferenciadoras face ao que existe actualmente em Macau em termos de materiais auto-didácticos. “Há também um diagrama de ansiedade, em que o aluno manifesta o grau de ansiedade que sentiu ao fazer cada sequência da actividade. Há um algoritmo que faz a análise do desempenho do aluno tendo em conta os resultados que obteve nos exercícios e que tem também em conta esta parte cognitiva. Nesse sentido, é uma proposta inovadora e que tira partido das funcionalidades da tecnologia”, acrescentou João Paulo Pereira.

Projecto inovador

João Paulo Pereira não tem dúvidas de que estamos perante “um pro-


sexta-feira 27.5.2022

jecto novo e diferente” que acrescenta uma diversidade de materiais didácticos e permite “trabalhar também outras competências”. A legendagem dos conteúdos revela-se fundamental, tendo em conta que no território, apesar de existir um canal de rádio e televisão em português, os conteúdos programáticos e noticiosos não estão legendados. “Tal facilita a compreensão a esses apoios textuais e visuais. Isso é também muito necessário, porque apesar de existirem muitos recursos audiovisuais em Macau, como o canal português da TDM, os alunos acabam por não recorrer a esses meios porque não compreendem o que ouvem, e

grande plano 3

www.hojemacau.com.mo

desistem. Em grande parte, porque os vídeos não são legendados e não existe este apoio didáctico. É uma proposta que não existia em Macau.” Acima de tudo, pretende-se promover “a autonomia do aluno na sua aprendizagem, porque esta abordagem meta cognitiva potencia isso, faz com que o aluno pense nas estratégias que deve usar para desenvolver a sua própria aprendizagem”. Uma outra das funcionalidades da plataforma “Português à Vista” permite que os estudantes “criem os seus próprios exercícios”. “É o chamado auto-exercício, e para isso o aluno só precisa de ter a transcrição

“Percebemos que os alunos ainda estão muito dependentes das orientações do professor e daquilo que ele lhes propõe em termos de materiais.” JOÃO PAULO PEREIRA DOCENTE DA USJ

DOCENTE E INVESTIGADOR João Paulo Pereira é professor da Faculdade de Artes e Humanidades da Universidade de São José. Detém um mestrado em Ensino do Português como Língua Segunda e Estrangeira, pela Universidade Nova de Lisboa, e encontra-se a fazer o doutoramento em Didática das Línguas – Multilinguismo e Educação para a Cidadania Global. É investigador no CHAM – Centro de Humanidades da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Além de Macau, conta com uma vasta experiência profissional em vários países da Europa e de África, tendo leccionado em instituições de ensino superior e não superior. Tem centrado a sua investigação nas áreas da Aquisição de Língua Segunda, do Desen-

volvimento de Materiais Didáticos e dos Estudos Interculturais. Tem vários artigos científicos publicados nestas áreas, assim como materiais didáticos para o ensino do Português como Língua Estrangeira (manual Dar à Língua, IPOR, 2017). Na área do desenvolvimento de materiais didáticos digitais, participou, como revisor científico, nos projectos “Escola Virtual”, da Porto Editora, e “Português mais perto”, da Porto Editora/ Instituto Camões. É ainda autor de um repositório de recursos digitais para alunos e professores de PL2/PLE, intitulado “ARELP – Árvore de Recursos da Língua Portuguesa”. Também se tem dedicado à formação de professores, contando com acções em Macau e em países da Ásia-Pacífico, como o Vietname e a Austrália.

da letra de uma canção, por exemplo, e a plataforma gera automaticamente um exercício para trabalhar a compreensão oral”, frisou o docente.

Agarrados ao livro

Questionado sobre a capacidade dos alunos de português como língua não materna de procurarem conteúdos fora da sala de aula e da alçada do professor, João Paulo Pereira concluiu que há ainda uma grande necessidade de recorrer ao livro. “No universo da USJ, e no âmbito deste projecto, foi feito um grupo de foco com turmas da licenciatura de estudos de tradução português-chinês, do primeiro ao quarto ano, e nesse âmbito percebemos que os alunos ainda estão muito dependentes das orientações do professor e daquilo que ele lhes propõe em termos de materiais. Há ainda muito a ideia de que o manual é o principal instrumento didáctico, e os materiais audiovisuais não são ainda muito utilizados por parte dos alunos de forma autónoma. Neste sentido, esta plataforma pretende ir ao encontro dessas dificuldades.” Nesta fase foram testados os materiais disponíveis na plataforma, tendo sido feitas entrevistas aos professores, que também experimentaram a funcionalidade dos conteúdos. Acima de tudo, “Português à Vista” poderá ser utilizado por

“Português à Vista” poderá ser utilizado por todas as instituições de ensino do território. “Qualquer aluno de português e professor pode aceder aos conteúdos da plataforma.” todas as instituições de ensino do território. “Qualquer aluno de português e professor pode aceder aos conteúdos da plataforma. Algumas funcionalidades estão reservadas aos alunos e docentes da USJ, como é o caso da criação de turmas. A plataforma pode ser usada em Macau por qualquer aluno e professor, e este pode criar os seus exercícios. Pode ser utilizada numa lógica de sala de aula ou como complemento às aprendizagens”, rematou João Paulo Pereira. O lançamento de “Português à Vista” será feito no campus da USJ e conta ainda com a presença de Carlos Sena Caires, director da Faculdade de Artes e Humanidades da USJ. Andreia Sofia Silva


4 política

27.5.2022 sexta-feira

RÓMULO SANTOS

www.hojemacau.com.mo

WYNN RON LAM FALA DE VIOLAÇÃO DA LEI LABORAL

R

ON Lam U Tou acusa a operadora Wynn Macau de violar a lei laboral ao propor o pagamento de dez por cento do salário mensal em acções da empresa cotadas na bolsa de valores de Hong Kong. O deputado revelou numa publicação no Facebook ter recebido várias queixas de trabalhadores da Wynn, a quem foi pedida “assinatura voluntária do acordo, caso contrário não poderiam deixar a sala de reuniões”, ou seja, o acordo seria feito mediante coação. Ron Lam U Tou lembrou que, segundo a lei laboral, os salários têm de ser pagos em moeda real que circule na RAEM.Além disso, o deputado lembrou que o valor das acções só será transferido para os funcionários da Wynn a 3 de Janeiro de 2023 e que a quebra no valor leva a um corte indirecto de salário. “O sector do jogo funciona há mais de 20 anos e as seis concessionárias ganharam muitos milhões de patacas. Qual é a sua responsabilidade social se só pagarem parte dos salários com acções em bolsa, tendo em conta as perdas que tiveram no curto espaço de tempo de dois anos em que dura a pandemia?”, questionou.

José Pereira Coutinho, deputado

A

Assembleia Legislativa aprovou ontem na generalidade o regime jurídico das empresas de capitais públicos, com a abstenção dos deputados da ATFPM, José Pereira Coutinho e Che Sai Wang. O diploma foi apresentado pelo Governo, que admitiu a necessidade de aumentar a supervisão

AL DEPUTADOS APROVAM LEI DAS EMPRESAS DE CAPITAIS PÚBLICOS

Siga para bingo destas entidades, cujas operações são cada vez mais questionadas. Coutinho e Che explicaram a abstenção por considerarem que o diploma vai criar funções de supervisão que duplicam competências do Comissariado de Auditoria e da Direcção dos Serviços de Finanças. Neste momento, não está definida a entidade responsável pela supervisão, detalhe que foi remetido para regulamento administrativo. “A lei vai criar mais um gabinete que tem os dias contados logo à partida [devido a redundâncias das funções]”, afirmou José Pereira Coutinho. A discussão do diploma demorou cerca de duas horas, e os membros da Assembleia Legislativa focaram atenções em duas vertentes: supervisão das empresas e melhoria da eficácia. Uma das intervenientes foi a deputada Ella Lei, ligada aos Operários, que se mostrou preocupada com a possibilidade de a nova lei não responder a casos verificados no passado, quando se verificaram investi-

mentos avultados, sem racionalidade. O exemplo avançado foi da empresa Macau Investimento e Desenvolvimento e dos gastos na Ilha da Montanha. “As pessoas têm dúvidas sobre a constituição das empresas com milhões de patacas à luz da nova lei. Será que vamos ter os mesmos problemas do passado?”, questionou. “E se houver investimentos milionários como no passado, como vai ser feita a supervisão? Será que vai ser mais rigorosa, com a participação deste hemiciclo e a realização de conferências de imprensa para resposta às perguntas da população?”, perguntou. Por sua vez, Sónia Chan, coordenadora Gabinete para o Planeamento da Supervisão dos Activos Públicos,

“Se as empresas não geram dinheiro, mais vale o Governo deixar de participar.” ZHENG ANTING DEPUTADO

justificou que a lei tem como objectivo “submeter as empresas a fiscalização mais permanente”, que contrasta com a “fiscalização dispersa” actual. A ex-secretária para a Administração e Justiça, que esteve acompanhada pelo sucessor, André Cheong, justificou também que a lei vai “evitar uma drenagem do erário público”.

Questão de necessidade

O papel das empresas com capitais públicos também foi colocado em questão. A posição mais vincada foi tomada por Zheng Anting, ligado à comunidade de Jiangmen, que considerou o conceito de empresa pressupõe a busca de lucro. “Se é uma empresa, acho que é para ajudar o Governo a ganhar dinheiro. Se não é para ganhar dinheiro, não é uma empresa. É um laboratório, serve para fazer umas experiências, pode ajudar, mas não é uma empresa porque não tem como fim o lucro”, afirmou. “É como o caso do Metro Ligeiro, como podemos falar de

uma empresa? Não tem paragens com espaços comerciais... então como gera lucros?”, perguntou. Zheng Anting abordou também a transformação da Orquestra de Macau numa empresa de capitais públicos. “Se a Orquestra de Macau vai ser gerida de acordo com as regras do mercado, têm de pensar em actividades e espectáculos para gerar dinheiro”, vincou. “Se as empresas não geram dinheiro, mais vale o Governo deixar de participar nelas”, sentenciou. Por sua vez, Sónia Chan explicou que estas empresas cumprem funções de interesse público, mas com um regime mais flexível do que é aplicado à administração. A ex-secretária defendeu que a Orquestra de Macau pode não gerar lucros, mas como empresa pode reduzir a dependência face ao Governo. “No entanto, pretendemos que continuem a desenvolver a sua actividade”, justificou. João Santos Filipe

TIAGO ALCÂNTARA

O mecanismo de supervisão e a utilidade das empresas com capitais públicos foram questionados durante a sessão plenária de ontem na Assembleia Legislativa. José Pereira Coutinho considera que a lei cria um regime de supervisão redundante

Ensino Saída da Função Pública não afecta salários

A saída dos quadros da Função Pública de funcionários das instituições públicas de ensino superior de Macau não irá afectar salários, nem regalias. A garantia foi dada por Kou Peng Kuan, director dos Serviços de Administração e Função Pública, em resposta a interpelação escrita de Lei Chan U. A medida por justificada com a flexibilidade necessária ao recrutamento na área académica e de investigação científica das instituições do ensino superior. Como tal, “o Governo da RAEM está a efectuar um estudo sobre o aperfeiçoamento do regime de recrutamento, e concluído o mesmo proceder-se-á à revisão dos respectivos diplomas legais, com o pressuposto de não afectar remuneração e regalias”, avançou Kou Peng Kuan.


sexta-feira 27.5.2022

sociedade 5

www.hojemacau.com.mo

Spa Sauna “Agradecemos muito o apoio prestado ao nosso negócio e pedimos desculpa por qualquer inconveniente.”

Numa altura em que o Governo destaca cada vez mais a necessidade de atrair turistas estrangeiros, o Spa Sauna, um dos espaços mais populares para clientes masculinos do Japão e da Coreia do Sul, fechou portas

ECONOMIA CRISE LEVOU SPA SAUNA A ENCERRAR PORTAS

Sem um final feliz O Spa Sauna, local muito popular entre turistas do Japão, Coreia do Sul e Hong Kong, foi obrigado a encerrar devido à pandemia. A notícia sobre o icónico espaço situado no Rio Hotel foi revelada ontem pelo portal Allin. De acordo a publicação, actualmente na porta do espaço de diversão nocturna foi afixado um aviso, com data de 16 de Abril, a indicar que o fecho é temporário. “Encerrado temporariamente para obras de manu-

Cartão de consumo 16 infracções em rondas anteriores

O presidente do Conselho de Consumidores (CC), Wong Hon Neng, revelou que nas duas primeiras rondas do cartão de consumo, lançadas em 2020 e 2021, foram registados 16 casos em que os envolvidos que foram obrigados a devolver o montante atribuído. Respondendo a interpelação escrita de Ella Lei, o responsável apontou que os casos dizem respeito à utilização indevida do dinheiro, a beneficiários sem qualificações para receber o montante e a situações de venda de cartões de consumo. Além disso, Wong Hon Neng adiantou que o CC investigou 83 situações relacionadas com aumento de preços, que não se vieram a confirmar nem a implicar a exclusão de estabelecimentos do plano de apoio à população. Para evitar “preços pouco razoáveis”, o presidente do CC indicou ainda que, no ano passado, a Direcção dos Serviços de Economia e Desenvolvimento Tecnológico (DSEDT) pediu aos supermercados e outros estabelecimentos para serem transparentes em relação ao preço dos produtos.

tenção. Agradecemos muito o apoio prestado ao nosso negócio e pedimos desculpa por qualquer inconveniente”, pode ler-se no aviso afixado na porta. “A data de reabertura será anunciada posteriormente através das nossas plataformas sociais, como o WeChat”, é acrescentado. No entanto, o portal de notícias online em chinês garante que o encerramento é permanente e que os trabalhadores foram despedidos. Além da carta de rescisão, os funcionários foram ainda informados que recebe-

Crise TNR contrabandeava documentos em troca de refeições

Uma trabalhadora não-residente oriunda do Interior da China foi detida por suspeita de contrabando de documentos falsos através da fronteira a troco de refeições. A mulher, de 20 anos de idade, foi interceptada na quinta-feira da semana passada no posto fronteiriço das Portas do Cerco. A suspeita tinha em sua posse dois documentos de autorização de permanência na RAEM, escondidos no corpo. Segundo o canal chinês da TDM – Rádio Macau, as autoridades policiais estão a investigar o paradeiro do homem que terá recrutado a mulher no final de Abril, aliciando-a com comida.

riam todas as compensações, como estipulado pela legislação laboral. O encerramento reflecte também o ambiente de pessimismo instalado entre os espaços de diversão nocturna devido às restrições de viagem e à falta de clientes, gerado pelo encerramento das fronteiras de Macau a estrangeiros.

Espaço de luxo

Aberta em 2006, o Spa Sauna apresentou sempre como uma das suas características o ambiente de luxo

DSF Começa hoje devolução de imposto profissional

A Direcção dos Serviços de Finanças (DSF) começa hoje a devolução sequencial de sessenta por cento da colecta do imposto profissional, até ao valor limite de 14.000 patacas, aos residentes que efectuaram o registo da recepção por transferência bancária. A medida irá beneficiar cerca de 157 mil contribuintes elegíveis, titulares do bilhete de identidade de residente de Macau em 31 de Dezembro de 2020. Quem optou pelo envio postal do cheque cruzado vai receber a devolução “de acordo com as moradas de correspondência fiscal registadas na DSF, prevendo-se a sua conclusão no início de Junho”. Em caso de extravio ou dano do cheque, os contribuintes podem requerer segunda via do cheque entre 16 de Junho de 2022 a 31 de Dezembro de 2025.

a pensar na clientela masculina. Na altura, da abertura o espaço contou com o apoio público do actor Natalis Chan Pak Cheung, que se assumiu como patrono. Além de prestar serviço de transporte com carros de luxo, à entrada os clientes eram recebidos com uma piscina interior aquecida e massagistas da Rússia, Japão, Coreia do Sul, Vietname, Tailândia e China. Na época de veloz desenvolvimento da indústria do jogo, o Spa Sauna assumiu-se rapidamente como um espaço de preferência entre os turistas do Japão, Coreia do Sul e Hong Kong. Além do Spa Sauna, fazem parte do mesmo grupo de negócios a 18 Sauna, Golden Sauna e o Darling Sauna, que encerrou o espaço que tinha na Avenida do Ouvidor Arriaga também já encerrou. João Santos Filipe e Nunu Wu

Macau Water Subsídios para casas e empresas em Julho

A Macau Water adiantou ontem que vai lançar um programa de apoio às tarifas da água para casas, empresas e estabelecimentos comerciais entre Julho e Dezembro. Os subsídios, que variam entre 100 e 500 patacas, vão ser concedidos a todas as unidades habitacionais e espaços de comércio durante seis meses. O apoio não se aplica a contratos feitos com casinos, hotéis de três ou mais estrelas e serviços públicos.


6 sociedade

27.5.2022 sexta-feira

www.hojemacau.com.mo

ID Piscinas do D. Bosco e Lin Fong encerradas

O Governo anunciou ontem o encerramento da piscina do Centro Desportivo do Colégio D. Bosco e da piscina do Centro Desportivo Lin Fong, por não cumprirem “os padrões de qualidade de água estabelecidos”. As piscinas foram encerradas temporariamente a partir de ontem até data a ser comunicada posteriormente, para que sejam feitos os trabalhos de desinfecção e de limpeza. Os níveis anormais dos valores da água foram detectados durante as medições de rotina e o Instituto do Desporto pediu “desculpa ao público pela inconveniência causada devido ao encerramento temporário das piscinas”. Quem comprou bilhetes da piscina do Centro Desportivo do Colégio D. Bosco através da marcação online será reembolsado pelo Instituto do Desporto, por via electrónica, para a conta electrónica associada ao meio de pagamento electrónico usado.

Contrabando Desmantelada rede de cosméticos

Alvin Chau acompanhado por agentes da Polícia Judiciária

MP ALVIN CHAU ACUSADO DE FUNDAR E LIDERAR UMA ASSOCIAÇÃO SECRETA

Na hora do sol posto

O antigo líder da Suncity Group foi ontem acusado pelo Ministério Público dos crimes de jogo ilegal, associação secreta, fraude e lavagem de dinheiro. No mesmo processo, foram ainda acusados outros 20 arguidos, em conexão com os crimes imputados a Alvin Chau

A

LVIN Chau conheceu ontem a acusação deduzida pelo Ministério Público. De acordo com a TDM – Rádio Macau, o antigo líder do maior promotor de jogo do território, o Suncity Group, foi ontem notificado dos crimes de que será acusado em tribunal. Correspondendo aos delitos penais de que era suspeito, Alvin Chau foi acusado de fundar e liderar uma associação secreta e dos crimes de jogo ilegal, lavagem de dinheiro e fraude. Pelo crime com a maior moldura penal, o magnata pode incorrer numa pena entre 8 e 15 anos, por “exercer funções de direcção ou chefia em qualquer grau

em associação ou sociedade secreta”. Este tipo de crime inclui “exploração ilícita de jogo, de lotarias ou de apostas mútuas, e cartel ilícito para jogo”, por exemplo.

Pelo crime com a maior moldura penal, Alvin Chau por incorrer numa pena entre 8 e 15 anos, por “exercer funções de direcção ou chefia em qualquer grau em associação ou sociedade secreta”

Em relação ao crime de jogo ilegal, o Ministério Público acusa Alvin Chau de promover online jogo ilegal, e jogo por intermédio de terceiros, delito que implica que o jogador não esteja presente fisicamente onde é feita a aposta. Normalmente, esta prática envolve um cúmplice que, por telefone ou outra forma digital, recebe instruções de alguém que não está presente.

Malhas da lei

Em conjunto com os restantes arguidos no processo, Chau foi também acusado dos crimes de lavagem de dinheiro e fraude contra as operadoras de jogo e a própria RAEM.

Recorde-se que a operação que levou à detenção do fundador do Suncity Group, aconteceu no dia seguinte ao anúncio de que as autoridades policiais de Wenzhou, na província

NÃO SOBRA NADA Alvin Chau colocou à venda por 56 milhões de dólares de Hong Kong, um apartamento idealizado por um designer famoso. Segundo o portal ligado ao sector financeiro “BossMind”, o apartamento em questão, localizado em Macau, está a ser vendido abaixo do preço de mercado, já que se trata de um dúplex com uma área de 520 metros quadrados, um pé-direito de sete metros, um terraço ajardinado e um elevador privado.

de Zhejiang, estariam a investigar o império empresarial de Alvin Chau desde Junho de 2020, por suspeitas de “ameaçar seriamente a ordem social do país” através da criação de uma associação para “jogo transfronteiriço”, que envolvia clientes do Interior e “quantidades enormes” de capital. Investigação que chegou mesmo a motivar um mandado de captura. As autoridades do Interior acusaram a organização de Chau de envolver cerca de 199 accionistas e representantes, mais de 12 mil promotores de jogo e ainda uma rede com mais de 80 mil jogadores no Interior.

Os Serviços de Alfândega (SA) desmantelaram na quarta-feira uma rede de contrabando que passava produtos cosméticos e peixe seco para Zhuhai pelo posto fronteiriço das Portas de Cerco. Segundo o jornal Ou Mun, o caso foi revelado quando uma mulher foi detida enquanto tentava passar as mercadorias através da fronteira. Interrogada pelas autoridades alfandegárias, a suspeita confessou fazer contrabando a partir de uma loja situada no piso térreo da Moradia Económica Bloco De Realojamento em Toi San, o que levou à detenção da proprietária do estabelecimento. As autoridades não descartaram a possibilidade de mais pessoas virem a ser detidas na sequência da investigação ao caso.

Hotelaria Ocupação com quebra de 10 % face a 2021

A taxa de ocupação hoteleira em Macau foi de 38 por cento nos primeiros quatro meses do ano, o que constitui uma quebra de 10,5 por cento em relação a igual período do ano passado. Os dados ontem divulgados pela Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC) revelam ainda que a queda do número de hóspedes foi de 18,8 por cento em igual período, tendo sido registados 1.744.000 no total. O período médio de permanência dos hóspedes foi de 1,8 noites, mais 0,1 noites face ao ano passado. Nos quatro primeiros meses do ano, o número de visitantes em excursões locais foi de 13.000, mais 2,1 por cento face ao mesmo período de 2021, enquanto o número de residentes de Macau que adquiriram serviços para viajarem para o exterior nas agências de viagens se fixou em 13.000, menos 73,5 por cento.


sexta-feira 27.5.2022

sociedade 7

www.hojemacau.com.mo

FRONTEIRAS ALARGADA ABERTURA A ESTRANGEIROS. QUARENTENA DE 10 DIAS EM ANÁLISE

A partir de segunda-feira, os cônjuges e filhos estrangeiros de residentes podem entrar em Macau, mediante autorização prévia dos Serviços de Saúde. Plano de entrada de trabalhadores domésticos alargado a todas as nacionalidades. Redução da quarentena para 10 dias está a ser equacionada, após várias cidades da China adoptarem a medida autorização de entrada ser descarregada no website do organismo. Ao entrar em Macau, os beneficiários terão, contudo, que fazer quarentena num hotel designado, apresentar o comprovativo de vacinação contra a covid-19 e um teste de ácido nucleico com resultado negativo. Dado que a medida se destina a familiares estrangeiros de residentes de Macau “que não possam entrar em Macau através de outros programas

“Esperamos ajustar, no futuro, o número de dias de quarentena, a partir dos dados recolhidos com a experiência da China.” LEONG IEK HOU MÉDICA

Covid-19 Detectado caso confirmado proveniente dos EUA

Um residente de 26 anos, proveniente dos Estados Unidos da América, testou positivo para a covid-19 na quarta-feira, dois dias depois de iniciar a quarentena no Hotel Tesouro. Por ter manifestado sintomas como tonturas, febre baixa, dores de cabeça e de garganta foi classificado como 83.º caso confirmado de covid-19 em Macau. Segundo o Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus, o homem está vacinado com duas doses da vacina contra a covid-19 e já foi levado para o Centro Clínico de Saúde Pública no Alto de Coloane para isolamento médico. Além deste, foram ainda detectados três casos importados, sendo que dois deles foram classificados como assintomáticos e um outro como de recaída. Os casos de infecção assintomática são referentes a residentes de Macau e o de recaída a uma residente de Hong Kong. Até ao momento, foram registados em Macau 83 casos confirmados de covid-19 e 143 casos de infecção assintomática.

MACACOS ME MORDAM

de isenção de restrição de entrada”, os nacionais portugueses não residentes continuam isentos de autorização para entrar em Macau. Durante a conferência de imprensa de actualização da pandemia, a Chefe da Divisão de Prevenção e Controlo de Doenças Transmissíveis dos Serviços de Saúde, Leong Iek Hou anunciou ainda que o plano de entrada de trabalhadores domésticos vai permitir a contratação de não residentes de qualquer nacionalidade. Segundo a responsável, até ao momento, foram recebidos 38 pedidos de contratação de empregadas oriun-

das das Filipinas e da Indonésia. Destes, 23 foram autorizados.

Quarentena em análise

Questionada sobre a possibilidade de o período de quarentena vir a ser reduzido de 14 para 10 dias, para permitir que os hotéis de observação médica tenham maior capacidade de acolher o expectável aumento de hóspedes nos próximos tempos, Leong Iek Hou referiu que essa é uma decisão “científica” e não “económica”. No entanto, admitiu que essa possibilidade está a ser analisada e que irá depender da experiência recolhida do Interior da China.

Apesar do aumento do número de casos de varíola dos macacos em Portugal e noutras regiões do globo, a médica Leong Iek Hou garantiu que o programa de entrada em Macau de não residentes portugueses e de outras nacionalidades é para continuar. Isto, dado que o risco de transmissão, considerou a especialista quando questionada, é “relativamente baixo”. “A transmissão da varíola dos macacos entre pessoas acontece por meio de contacto com o sangue ou fluidos corporais, por isso, a capacidade de transmissão é baixa ou reduzida”. No entanto, a responsável assegurou que as autoridades estão a acompanhar o desenvolvimento da doença e que já emitiram instruções sobre o seu tratamento. Citando o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças, Leong Iek Hou indicou que a maioria dos casos “são homens com relações sexuais mais casuais” e que, por isso, estas pessoas devem estar atentas e consultar o médico caso tenham sintomas.

COVID-19 MACAU PRESENTE NA ASSEMBLEIA MUNDIAL DA SAÚDE GCS

É

mais um passo rumo ao relaxamento das medidas nas fronteiras. Depois da autorização de entrada de não residentes de nacionalidade portuguesa, medida que entra hoje em vigor, os Serviços de Saúde anunciaram que, a partir de segunda-feira, os cônjuges estrangeiros e filhos menores dos residentes de Macau vão poder entrar no território. Para tal, os residentes de Macau interessados terão de apresentar, digitalmente, um requerimento dirigido às autoridades, juntamente com documentos de identificação e certificados de parentesco (certidão de casamento ou nascimento) a atestar a sua relação com o familiar de nacionalidade estrangeira. A decisão será comunicada pelos Serviços de Saúde no prazo máximo de 15 dias úteis, podendo a

GCS

Uma porta entreaberta

“Várias cidades do Interior da China estão a implementar 10 dias de quarentena e mais sete dias de isolamento em casa. Vamos acompanhar os resultados (…) mas primeiro precisamos de observar se essa medida é viável em Macau. Estamos a analisar essa possibilidade e esperamos ajustar, no futuro, o número de dias de quarentena, a partir dos dados recolhidos com a experiência da China”, explicou. Sobre o voo especial da Air Macau destinado a trazer estudantes que estão em Xangai, o Chefe do Departamento de Estudantes da DSEDJ, Chan Iok Wai, revelou ontem que a viagem vai mesmo acontecer no dia 1 de Junho e que, dos 200 pedidos de ajuda, cerca de 100 estudantes confirmaram a vontade de voltar a Macau. Pedro Arede

T

ENDO em vista uma “melhoria contínua das políticas de saúde de Macau”, a secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Ao Ieong U, o Director dos Serviços de Saúde, Alvis Lo Iek Long e os médicos Tai Wa Hou e Lam Chong participaram

por videoconferência na 75.ª Assembleia Mundial da Saúde (WHA75). Os membros do Governo de Macau integram a delegação chinesa chefiada por Ma Xiaowei, director encarregado da Comissão Nacional de Saúde. Segundo uma nota divulgada ontem pelos Serviços de Saúde, Ma Xiaowei frisou que considerando a situação da China, o país irá persistir na estratégia “meta dinâmica de infecção zero”, através

de “ajustes dinâmicos” e da introdução de “modificações nos planos” de acordo com a situação “real”. “A China consegue ter um controlo mais eficiente da pandemia com menos prejuízo ao desenvolvimento socioeconómico, protegendo no máximo a segurança da vida e a saúde da sua população”, apontou. Por seu turno, o Director Geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros

Adhanom Ghebreyesus, destacou que, embora os casos e mortes por covid-19 estejam a diminuir “significativamente”, ainda não chegou a altura de “baixar a guarda”. Recorde-se que, recentemente, o director da OMS apontou que a estratégia chinesa de tolerância zero à covid-19 “não é sustentável”. A Assembleia Mundial da Saúde começou a 22 de Maio e irá decorrer até 28 de Maio em Genebra, na Suíça.


8 publi-reportagem

27.5.2022 sexta-feira

www.hojemacau.com.mo

Nós Comprometemo-nos: A Sands China cresceu rapidamente a nível do impacto e do compromisso

A

operar na indústria há cerca de duas décadas, a Sands China Ltd. registou desde então um rápido crescimento. Tendo começado em 2004, com a abertura do Sands Macao, a empresa estabeleceu fortes laços com a comunidade de Macau, num período que foi simultaneamente auspicioso e desafiante. Desde então, a Sands China mantém uma crença inabalável no compromisso profundo com os seus funcionários, com os seus clientes e com a comunidade local e reconhece este princípio como um dos seus valores mais importantes.

empresa para com a RAE e a comunidade local, ajudando a transformar Macau naquilo que hoje é.

Notas estatísticas

• 91% de gestão local • 89% das compras são feitas localmente • A maior pegada de venda a retalho e MICE de Macau • 6 locais de entretenimento que acolheram 4,6 milhões de espectadores • 3.300 colaboradores voluntários

Sediada em Macau, e contando com uma robusta equipa de mais de 26.000 funcionários dedicados, a Sands China sempre incutiu nos seus colaboradores uma forte noção de compromisso organizacional. Não existe qualquer dúvida que o promotor de resorts integrados sempre defendeu o investimento em Macau e na sua comunidade – trazendo para Macau Veneza, Paris e Londres, porque a Sands trabalha para apoiar a meta do Governo de posicionar Macau como Centro Mundial de Turismo e Lazer, enquanto apoia o crescimento das PMEs locais.

Profissionalismo e educação nacional

A Sands China comprometeu-se e investiu mais de 15 mil milhões de dólares nos últimos cerca de 20 anos, um investimento que representa o empenho da

Desenvolvimento desportivo

• • • •

Visitas à Área da Grande Baía Formação profissional em literacia Palestras profissionais Intercâmbio profissional

Ensino Superior

• 15 bolsas de estudo consecutivas e doações para bolsas de estudo no valor de 12,4 milhões de patacas que, desde 2006, beneficiaram 1.500 estudantes • Boxe, golfe, ténis, basquetebol e outras competições e clínicas

• Patrocínio de 8 milhões de patacas à primeira edição internacional de sempre da corrida - 2021 Sands China Macao International 10K • Patrocinador do Sands China Macau GT Cup para o Macau Grand Prix 2021 • Apoio continuado à iniciativa Turismo+

Estimulando a recuperação económica • • • •

Feira de Compras da Sands 2020 & 2021 O maior evento de vendas em Macau Total de mais de 1060 stands Plataforma gratuita com a duração de 3 dias destinada às PMEs locais e aos fornecedores da Sands, durante a pandemia • Destino divertido de fim-de semana e hotspot de Verão para residentes e turistas

Datas de Abertura das Propriedades • • • • • • •

Maio 2004 Agosto 2007 Agosto 2008 Abril 2012 Setembro 2016 Outubro 2020 Fevereiro 2021

Sands Macao The Venetian Macao Four Seasons Hotel Macao Sands Cotai Central The Parisian Macao Grand Suites at Four Seasons The Londoner Macao – Fase 1


sexta-feira 27.5.2022

eventos 9

www.hojemacau.com.mo

TEATRO ESPECTÁCULO MUSICAL “CANÇÕES DE FACA E DE ALGUIDAR” ESTREIA HOJE NA CASA GARDEN

Quem canta os seus males espanta Estreia hoje o novo espectáculo da companhia teatral “D’As Entranhas”, muito ligado à música e ao universo cultural dos anos 80. “Canções de Faca e de Alguidar” é produzido com actores amadores e promete um registo “kitsch” e “trágico-cómico”, protagonizado no feminino

O

auditório da Casa Garden recebe hoje o espectáculo “Canções de Faca e de Alguidar”, a nova produção musical da companhia “D’As Entranhas”. Aconcepção e direcção artística está a cargo de Vera Paz, co-fundadora “D’As Entranhas”, e também intérprete nesta produção. Ao seu lado, no palco, juntam-se actores amadores e outros com formação e experiência nas lides teatrais, como é o caso de Mónica Coteriano, Catarina Cortesāo, Célia Brás ou Jorge Vale, entre outros. Sem querer desvendar muito a narrativa que dá o mote ao espectáculo, Vera Paz revela apenas que são histórias com “canções de faca e alguidar, protagonizadas no feminino, com um homem”.

As mulheres que sobem ao palco têm cerca de 50 anos e “uma história de vida de amores e desamores, com muitas lágrimas, lençóis e cicatrizes”. Este promete ser um “espectáculo com quadros vivos, separadores, e com uma componente vídeo e áudio muito marcada, como acontece sempre com os nossos espectáculos. É um registo kitsh, trágico-cómico, e a acção situa-se nos anos 80”. A homenagem aos anos 80 surgiu como natural, por ter marcado a geração de Vera Paz. “Era tudo muito sentimental e emocional, e, face aos tempos que correm em que tudo é digital, é preciso que os sentimentos estejam à flor da pele e se possam revelar. Queremos

As mulheres que sobem ao palco têm cerca de 50 anos e “uma história de vida de amores e desamores, com muitas lágrimas, lençóis e cicatrizes”

homenagear este período das nossas memórias, embora também tenhamos músicas dos anos 70 ou 50. Só não temos músicas do yé-yé dos anos 60, porque não gosto nada desse movi-

Música Orquestra Chinesa ao vivo domingo no Broadway Theatre

A Orquestra Chinesa de Macau apresenta no domingo, às 16h no Broadway Theatre, o “Concerto de Teatro Musical para a Família”, com a interpretação de “Varinha Mágica Musical – Em Busca da Bela Joia dos Sopros”. O espectáculo organizado pelo Instituto Cultural (IC) e coordenado pela Sociedade Orquestra de Macau conta com a participação do maestro residente do Teatro de Danças e Cantares da Província de Shanxi, Guo Ming. No repertório, constam “peças musicais de estilo distinto, trazidas pelos instrumentistas de sopros da Orquestra Chinesa de Macau, em parceria com a interpretação de forma animada do Big Mouse Kids Drama Group”, indica o IC. O concerto terá duração de cerca de 90 minutos, incluindo um período de intervalo. Os bilhetes estão disponíveis na Bilheteira Online de Macau, a preços que variam entre 120 e 200 patacas.

Livraria Portuguesa Obra de José Craveirinha celebrada amanhã

A Livraria Portuguesa acolhe amanhã, a partir das 17h30, o lançamento de “Poemas Selecionados” de José Craveirinha, uma edição bilingue em português e chinês, que “traz os versos do mais celebrado autor moçambicano para Macau e para os leitores de língua chinesa”. O livro editado pela Praia Grande Edições resulta do trabalho de Lola Geraldes Xavier, “mas também das dinâmicas criadas no Grupo de Estudos ECOADOR, Estudos de Culturas Ocidentais, Africanas e do Oriente, bem como da tradução de Lu Jing e Wu Hui”, especifica a editora. O lançamento da obra marca a passagem do centenário do nascimento de José Craveirinha, o primeiro autor africano a receber o Prémio Camões, reconhecido como o poeta maior de Moçambique.

mento (risos)”, contou Vera Paz ao HM.

O prazer do amador

“Canções de Faca e de Alguidar” tem uma segunda sessão amanhã, mas os espectáculos

já estão esgotados, sem que haja possibilidade de realizar uma terceira sessão. O facto de Vera Paz ter trabalhado com actores amadores não se revelou uma dificuldade acrescida, pelo contrário.

“Foi um desafio trabalhar com este elenco. Tenho dois actores profissionais, a Mónica Coteriano e o Jorge Vale que já têm alguma experiência na área. A Catarina [Cortesão] também alguma experiência no teatro universitário.” “Gosto muito de trabalhar com actores amadores”, por serem “actores-verdade”, declarou Vera Paz. “Demora mais tempo a lá chegar, porque tecnicamente não têm defesas nem recursos, mas têm uma enorme entrega. São pessoas que se identificaram com o projecto e isso foi muito positivo e gratificante. A equipa está equilibrada.” A companhia promete apresentar, em Novembro, um outro espectáculo, mas desta vez baseado na obra poética de Adília Lopes. “A história será também sobre uma mulher. Só trabalho sobre o universo feminino, que me é caro. O amor sempre em pano de fundo, as interrogações sobre tudo isto e as relações. O amor vale sempre a pena, até ao fim”, rematou a co-fundadora “D’As Entranhas”. As duas sessões do espectáculo começam às 21h. Andreia Sofia Silva

FRC LIVRO INFANTIL “LUZ DENTRO DE NÓS” APRESENTADO SÁBADO

C

HAMA-SE “Luz dentro de nós” e é o novo livro de literatura para a infância da autoria de Delora Sinha [pseudónimo de Teresinha Tcheong Gabriel] e Gabriel, a ser apresentado sábado, às 11h30, na Fundação Rui Cunha. Esta é uma edição trilingue (chinês, português e patuá, dialecto macaense) que conta a história “de luzes que falam e de quatro amigos que se encontram num momento mágico do calendário chinês”.

Todos eles estão “num lugar onde o tempo pára e onde aproveitam para conversar e também discordar, realçando os diferentes traços de personalidade, vivência, opiniões e atitudes, comprovando que cada um de nós tem uma luz dentro de si”. Com este livro, o pequeno leitor poderá “conhecer e entender a existência de diferentes emoções, reconhecendo a importância de cada ser existente no mundo, valorizando e respeitando tudo o que está à sua volta”.

A hitória tem como objectivo promover “o conhecimento sobre diferentes tipos de emoções e o auto-conhecimento emocional”, tidos como “muitos importantes para o crescimento da criança”. Teresinha Tcheong Gabriel é fundadora da LEKKA, um centro de explicações e de educação, além de ser autora do livro “Eu e… Eu sou… Eu sei…”, dedicado à prática do português. Foi ainda monitora de actividades extra-curriculares no jardim de infância D. José da Costa Nunes, nomeadamente na construção de origami, uma técnica japonesa. Por sua vez, Gabriel é engenheiro de profissão, revelando “desde muito cedo um profundo interesse pela música e cultura macaense”, sobretudo pelo patuá. Foi dele que partiu a ideia de criar um livro para crianças nas duas línguas oficiais do território e num dialecto que se encontra em vias de extinção.


10 china

27.5.2022 sexta-feira

www.hojemacau.com.mo

COVID-19 LI KEQIANG ALERTA PARA SITUAÇÃO ECONÓMICA MAIS GRAVE DESDE INÍCIO DA PANDEMIA

Pequim Demitido responsável da Saúde por suspeitas de corrupção

Verdades e consequências O

A cidade de Pequim demitiu o responsável pela saúde pública da capital chinesa, numa altura em que está a ser ponderado um novo confinamento para combater a disseminação da covid-19, avançou quarta-feira a imprensa estatal chinesa. Segundo a agência de notícias Xinhua, Yu Luming foi afastado na sequência de uma investigação por suspeita de “graves violações da disciplina e da lei”, acusação que é habitualmente feita em casos de corrupção. A China enfrenta um ressurgimento das infecções de covid-19 há vários meses, que está a afectar várias partes do país em graus diferentes.

primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, reconheceu que as medidas de prevenção epidémica estão a afectar a economia chinesa de forma inédita desde o início da pandemia, apelando a que se tenha em conta o emprego. Durante uma videoconferência organizada pelo Conselho de Estado, na noite de quarta-feira, Li admitiu que “as dificuldades em Março e Abril foram, em alguns aspectos, mais severas do que em 2020”, quando a pandemia de covid-19 começou, de acordo com a agência noticiosa oficial Xinhua. O primeiro-ministro citou como exemplo as quedas em indicadores como o emprego, produção industrial, consumo de energia e transporte de mercadorias. Li pediu a dezenas de milhares de funcionários do governo “esforços para manter a economia a operar a um nível adequado”. Os comentários de Li Keqiang ressaltam as dificuldades

HM • 2ª vez • 27-5-22

PUB.

CV3-20-0105-CEO

prego entre trabalhadores na faixa etária entre os 16 e 24 anos atingiu a taxa recorde de 18,2 por cento. “Vamos tentar garantir que a economia cresça no segundo trimestre”, disse Li, de acordo com uma transcrição do discurso a que o jornal Financial Times teve acesso. “Esta não é uma meta alta e está muito longe de meta de 5,5 por cento. Mas temos que o conseguir”, apontou.

Da estabilidade

O prolongado confinamento de Xangai, a “capital” financeira da China,

Li admitiu que “as dificuldades em Março e Abril foram, em alguns aspectos, mais severas do que em 2020”, quando a pandemia de covid-19 começou

nos últimos dois meses, poderá agravar os dados económicos do país. Li enfatizou a necessidade de implementar políticas, o mais rápido possível, para estabilizar a economia e apoiar o mercado e o emprego e garantir o sustento da população. “O desenvolvimento é a chave para resolver todos os problemas na China”, lembrou. O primeiro-ministro ordenou às entidades governamentais que apliquem as 33 medidas recentemente aprovadas pelo Conselho de Estado para estabilizar a economia até ao final de Maio. O Conselho de Estado vai enviar grupos de trabalho a 12 províncias para acompanhar o trabalho das autoridades locais na aplicação das medidas. “Os governos locais devem tratar as empresas de forma igual, continuar a melhorar os serviços logísticos e as cadeias industriais, para permitir a retoma da produção e garantir a rápida distribuição de benefícios sociais às pessoas necessitadas”, destacou Li.

A pesca no Pacífico `

MNE inicia périplo por oito países que inclui Timor-Leste

ANÚNCIO Execução Ordinária nº.

que a China vai ter para atingir a sua meta de crescimento anual, de 5,5 por cento, uma das mais baixas das últimas décadas, enquanto combate surtos provocados pela Ómicron, uma variante altamente contagiosa do novo coronavírus. A última vez que a economia chinesa registou uma contracção foi no primeiro trimestre de 2020, quando caiu 6,9 por cento, em termos homólogos, pondo fim a uma era de mais de 30 anos de crescimento ininterrupto. O comércio externo da China registou uma subida homologa de 0,1 por cento, em Abril passado, uma desaceleração significativa em relação ao crescimento de 5,8 por cento, registado em Março. No primeiro trimestre do ano a economia chinesa cresceu 4,8 por cento, mas as vendas a retalho contraíram 3,5 por cento, em termos homólogos, e a taxa oficial de desemprego nas áreas urbanas atingiu a pior marca dos últimos 22 meses: 5,8 por cento. O desem-

3º Juízo Cível

EXEQUENTE: LEI CHOI HONG residente na Avenida Panorânmica do Lago Nam Van, Edifício Lake View Mansion, Bloco I, 8º M em Macau. EXECUTADO: LAI, KA U, solteiro, maior, titular de BIRM, residente na Rua de Luís João Baptista, 2-A, Edifício Yan Weng, r/c B em Macau. *** O Doutor Chan Chi Weng, Juiz do 3º Juízo Cível do Tribunal Judicial de Base de Macau: FAZ-SE SABER QUE nos autos acima indicados, foi resolvida a venda por meio de propostas em carta fechada, do seguinte bem: BEM A VENDER Direito penhorado Direito de aquisição da fracção autónoma designada por E18, do 18º andar E, para habitação, omisso na matriz, Freguesia de Nossa Senhora do Carmo (Taipa), do prédio descrito na Conservatória do Registo Predial sob o número 22792-I e pertencente ao executado, conforme inscrição número 365372G. O valor base da venda é MOP$320.000,00. Consigna-se que o executado já procedeu ao pagamento de 30% do valor total do direito, faltando pagar 70% do valor do mesmo no montante de HKD$6.619.690,00. *** São convidadas todas as pessoas com interesse na compra do direito, a entregarem as suas propostas na Secção Central deste Tribunal, nas horas de expediente, até ao dia 08 de Julho de 2022, pelas 17:30 horas, devendo as propostas conter no envelope da proposta a indicação de “PROPOSTA EM CARTA FECHADA”, bem como o “NÚMERO DO PROCESSO CV3-20-0105-CEO”. No dia 11 de Julho de 2022, pelas 09,30 horas, no Tribunal Judicial de Base da RAEM, proceder-se-á à abertura das propostas de preço superior ao do valor base da venda até esse momento apresentadas, a cujo acto podem os proponentes assistir. Quaisquer titulares de direito de preferência na alienação do imóvel supra referido, Quaisquer titulares de direito de preferência na alienação do imóvel supra referido, podem, querendo, exercer o seu direito no próprio acto da abertura das propostas, se alguma proposta for aceite, nos termos do art.º 787º do C.P.C.M. RAEM, 16 de Maio de 2022

O

ministro dos Negócios Estrangeiros chinês chegou ontem às Ilhas Salomão, no início de um périplo por oito países do Pacífico Sul, que inclui Timor-Leste. Segundo a agência Associated Press, Wang Yi vai tentar obter o apoio de dez pequenas nações do Pacífico para um acordo abrangente, que cobre aspectos desde política de segurança a direitos de pesca, no que pode constituir uma mudança no jogo de influências na região. Um esboço daquele acordo, obtido pela agência AP, revela que a China quer expandir a cooperação na área da justiça e no âmbito da segurança “tradicional e não tradicional”. A China quer também desenvolver um plano conjunto para a pesca – que incluiria a lucrativa captura de atum do Pacífico –, aumentar a cooperação na administração do ciberespaço da região e criar delegações do Instituto Confúcio, orga-

nismo estatal que promove o ensino da língua chinesa. Em cima da mesa, está ainda a possibilidade de estabelecer uma área de livre comércio com as nações do Pacífico.

Receios e boicotes

A Austrália respondeu através do envio da nova

ministra dos Negócios Estrangeiros, Penny Wong, para as Fiji. “Temos que responder à tentativa da China de alargar a sua influência numa região do mundo onde a Austrália tem sido o parceiro de segurança preferido desde a Segunda Guerra Mundial”, disse o

novo primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese, citado pela imprensa australiana. AAssociação de Imprensa das Ilhas Salomão apelou aos seus membros para que boicotem uma conferência de imprensa na capital do país, Honiara, com Wang Yi e o homólogo das Salomão, Jeremiah Manele. Isto porque apenas imprensa seleccionada foi convidada e porque só a televisão estatal chinesa CCTV terá direito a questionar Wang. A China assinou um pacto de segurança com as Ilhas Salomão, no mês passado, que suscitou receios de que Pequim possa enviar tropas para a nação insular ou até estabelecer ali uma base militar, a cerca de 2.000 quilómetros da Austrália. As Ilhas Salomão e a China dizem que não há planos para uma base. Durante o périplo de 10 dias, Wang também planeia visitar Kiribati, Samoa, Fiji, Tonga, Vanuatu e Papua Nova Guiné.


sexta-feira 27.5.2022

china 11

www.hojemacau.com.mo

COOPERAÇÃO CHINA-UE PEQUIM E PARIS PROMETEM APROFUNDAR LAÇOS

O

conselheiro de Estado e ministro dos Negócios Estrangeiros da China, Wang Yi, conversou por telefone na quinta-feira com a recém-nomeada ministra dos Negócios Estrangeiros da França, Catherine Colonna, com ambos os lados a prometerem melhorar os laços bilaterais e aprofundar a cooperação China-UE. Observando que os chefes de Estado dos dois países concordaram recentemente em manter a parceria estratégica abrangente entre a China e a França e respeitar os interesses fundamentais de cada um, Wang pediu aos dois lados que implementem conjuntamente o consenso alcançado pelos dois chefes de Estado e façam novos esforços para desenvolver as relações China-França, aprofundar a cooperação China-UE e melhorar a governação global. Colonna afirmou que a França atribui grande importância à implementação do importante consenso alcançado pelos chefes de Estado dos dois países e de um plano de acção para os laços bilaterais. A França está empenhada em forPUB.

AVISO

Na sequência da decisão tomada pelo Conselho de Administração da Fundação Escola Portuguesa de Macau de contratar a exploração do serviço de bar/cantina dos alunos da Escola Portuguesa de Macau, com efeitos a partir do dia 01 de setembro de 2022, faz-se público que se encontra aberto o procedimento com vista à adjudicação do referido serviço.

Assine-o TELEFONE 28752401 | FAX 28752405 E-MAIL info@hojemacau.com.mo

www.hojemacau.com.mo

Mais se informa que as propostas devem ser entregues em mão na secretaria da Escola Portuguesa de Macau entre os dias 13 e 24 de junho de 2022 e que o procedimento para a escolha do adjudicatário e o caderno de encargos podem, a partir da presente data, ser levantados na secretaria da Escola Portuguesa de Macau os solicitados através do e-mail epmacau@macau.ctm.net. Macau, 26 de maio de 2022 O Conselho de Administração da Fundação Escola Portuguesa de Macau

talecer a amizade bilateral e está pronta para manter intercâmbios de alto nível e aproveitar o 60.º aniversário do estabelecimento dos laços diplomáticos como uma oportunidade para aprofundar a cooperação prática em uma ampla gama de áreas, de modo a elevar a parceria estratégica abrangente França-China a um novo patamar, disse Colonna. Os dois lados também concordaram em liderar conjuntamente o impulso positivo para a cooperação global sobre a mudança climática e a conservação da biodiversidade.


12 publicidade

27.5.2022 sexta-feira

www.hojemacau.com.mo

da gestão, conta, e avaliação de bens do Banco, e emitir um parecer respeitante à demonstração financeira e à proposta de distribuição de lucros, apresentadas pelo Conselho de Administração, para o ano de 2021. Para o efeito, Conselho Fiscal procedeu a uma fiscalização e uma revisão sobre o Banco para o ano de 2021 e manteve contacto regular com o Conselho de Administração, bem como fez uma análise ao relatório do Conselho de Administração de 2021 sobre o resultado da operação, a demonstração de resultados e o balanço, etc. e ao relatório de auditoria emitido pela Ernst & Young — Auditores de ano 2021, em que se apreciou a conta anual e emitiu a opinião sem reserva. Com base nos respectivos resultados, cremos que o resultado da operação, a demonstração de resultados etc. reflectem clara e verdadeiramente os activos e as situações financeiras do Banco. Portanto, a demonstração financeira, e o relatório apresentado pelo Conselho de Administração poderão ser aprovados na Assembleia Geral de Accionistas. A nossa opinião é que as contas do Banco mostraram claramente a posição financeira verdadeira e justa do Banco em 31 de Dezembro de 2021 e os resultados comerciais do exercício até ao fim do ano de exercício, e a demonstração financeira anual e o relatório apresentado pelo Conselho de Administração poderão ser aprovados na Assembleia Geral de Accionistas. Presidente de Conselho Fiscal ZHANG YI 30 de Março de 2022

Síntese do parecer do auditor externo Relatório de Auditor Independente sobre Demonstrações Financeiras Resumidas Para os accionistas da Banco de Formiga (Macau) Sociedade Anónima (sociedade por acções de responsabilidade limitada, registada em Macau) As demonstrações financeiras resumidas anexas que compreendem o balanço em de 31 de Dezembro de 2021, e a demonstração dos resultados, são extraídas das demonstrações financeiras auditadas da Banco de Formiga (Macau) Sociedade Anónima (o “Banco”) relativas ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2021. Expressámos uma opinião de auditoria não modificada sobre essas demonstrações financeiras no nosso relatório datado de 30 de Março de 2022. Essas demonstrações financeiras e as demonstrações financeiras resumidas não reflectem os efeitos de acontecimentos subsequentes à data do nosso relatório sobre essas demonstrações financeiras. As demonstrações financeiras resumidas não contêm todas as divulgações exigidas pelas Normas de Relato Financeiro da Região Administrativa Especial de Macau. Por isso, a leitura das demonstrações financeiras resumidas não substitui a leitura das demonstrações financeiras auditadas da Banco. Responsabilidade da Gerência pelas Demonstrações Financeiras Resumidas A Gerência é responsável pela preparação de um resumo das demonstrações financeiras auditadas de acordo com 1) do artigo 75.º do Regime Jurídico do Sistema Financeiro, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho. Responsabilidade do Auditor A nossa responsabilidade é expressar uma opinião sobre as demonstrações financeiras resumidas baseada nos nossos procedimentos, os quais foram conduzidos de acordo com a Norma Internacional de Auditoria (ISA) 810, Trabalhos para Relatar sobre Demonstrações Financeiras Resumidas, constante das Normas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. Resumo do Relatório Comercial:

Opinião

No ano de exercício de 2021, as diversas actividades do Banco de Formiga (Macau) continuam a desenvolver-se de forma estável, O número acumulado de clientes de carteira electrónica “ALIPAY(Macau)” já ultrapassou 350 mil, sendo utilizado em todos os aspectos da vida dos residentes de Macau. Ao mesmo tempo, a nossa carteira está constantemente a lançar novos produtos. Expandindo a cooperação com as empresas comerciais, tem sido bem acolhida pelos cidadãos de Macau. O Banco de Formiga (Macau) também coopera activamente com o Governo pela participação em projectos como os cartões de consumo e o Sistema de Pagamento Rápido EASY TRANSFER, no sentido de prestar serviços de pagamento cómodos e céleres aos residentes de Macau.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas extraídas das demonstrações financeiras auditada da Banco relativas ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2021 são consistentes, em todos os aspectos materiais, com essas demonstrações financeiras, de acordo com 1) do artigo 75.º do Regime Jurídico do Sistema Financeiro, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho.

No que diz respeito à actividade de empréstimo, o Banco de Formiga (Macau) continua a manter a atitude de prestação dos serviços financeiros inclusivos em Macau, concentrando-se em servir as pequenas e médias empresas dos sectores de comércio a retalho, restauração e comercialização, bem como responder activamente à iniciativa do Governo para apoiar o desenvolvimento das pequenas e médias empresas. No ano de exercício de 2021, a actividade transfronteiriça do Banco de Formiga (Macau) tem vindo a ser implementada gradualmente, servindo os clientes do comércio electrónico estrangeiros. O Banco de Formiga (Macau) continuará a manter uma estratégia sólida e pragmática para o desenvolvimento dos negócios. Olhando para o ano de 2022, a pandemia de Covid-19 continua a ser grave, mas nós acreditamos que a tendência de melhoria a longo prazo da economia da China não se alterou, sendo que os diversos sectores de Macau poderão recuperar rapidamente o crescimento após a pandemia. O Banco de Formiga (Macau) continuará a acompanhar o plano de desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau e a direcção ao desenvolvimento da diversificação adequada da economia do Governo de Macau, acompanhando estreitamente as oportunidades de desenvolvimento estratégico nacional da China. Lançando atempadamente mais produtos financeiros inclusivos que apoiem a economia local, bem como mais serviços financeiros transfronteiriços, esforçando-se por trazer mais serviços de qualidade aos residentes da Grande Baía e às pequenas e médias empresas. Presidente do conselho de administração SHI WENYI

BAO King To Contabilista Habilitado a Exercer a Profissão Ernst & Young - Auditores Macau 30 de Março de 2022 Instituições em que detém participação superior a 5% do respectivo capital ou superior a 5% dos seus fundos próprios: Nenhuma Lista dos accionistas qualificados COMPANHIA DE GESTÃO DE PARTICIPAÇÕES ALIPAY (MACAU) SOCIEDADE UNIPESSOAL LIMITADA COMPANHIA DE INVESTIMENTO ALIPAY (MACAU) SOCIEDADE UNIPESSOAL LIMITADA COMPANHIA DE INTELIGÊNCIA DE REDE STAR N CLOUD LIMITADA Nomes dos titulares dos órgãos sociais Conselho de Administração Presidente: Presidente: Administrador: Administrador:

SHI WENYI (Nomeação na 26 de Fevereiro de 2021) YU SHENGFA (Renúncia na 26 de Fevereiro de 2021)

SUN HO JI GANG

Conselho Fiscal Parecer do Conselho Fiscal Banco de Formiga (Macau) Sociedade Anónima de ano 2020 Parecer do Conselho Fiscal Nos termos da lei e de acordo com os estatutos do Banco de Formiga (Macau) Sociedade Anónima, compete ao Conselho Fiscal realizar a fiscalização idónea

Presidente: Membros: Membros: Secretário

ZHANG YI CHEONG SIO TONG ZHOU YI TONG IO CHENG


sexta-feira 27.5.2022

www.hojemacau.com.mo

antropofobias

CARLOS MORAIS JOSÉ

h

13

O Huan

ANA JACINTO NUNES

O viajante, que da Montanha de Jade Flutuante se dirija para leste, terá de passar outras cinco montanhas até atingir o famoso monte Xun (Xun Shan), local rico em ouro e jade, cuja distribuição nos faz interrogar sobre a existência de desígnios misteriosos na Natureza, como se as coisas não fossem simplesmente o que são e por detrás da sua existência roncasse um desejo, suspirasse uma vontade, uivasse uma determinação, e elas não acontecessem meramente por acaso. No caso do monte Xun, tão excessiva riqueza encontra-se equitativamente distribuída entre a encosta norte (o jade) e a encosta sul (o ouro). Por quê, perguntará o surpreendido geólogo de tão óbvia divisão. A única resposta é dada pela mito que associa o frio do jade ao norte e o brilho do ouro ao sul. Mas então tudo se passa como se fôra o mito a arquitectar a Natureza, o que não deixa de ser um pensamento perturbante. Ora no monte Xun, além desta rigorosa distribuição de riquezas, existe um animal que tem maravilhado os sábios ao longo de várias eras. Conhecido por huan, apresenta uma forma muito parecida com uma cabra, mas com as extraordinárias características de não ter boca e de ser imortal. Segundo as crónicas, a sua imortalidade deriva precisamente de não precisar de comer para sobreviver. A inexistência de boca, por outro lado, também impedirá os vapores malfazejos de se instalarem no seu corpo e provocarem uma inevitável decadência. É claro que o huan motiva a admiração de muitos e desperta uma contida raiva nos grandes mestres taoistas cuja vida é dedicada à procura da imortalidade. Ao que consta, alguns deles optaram mesmo por habitar o monte Xun para assim poderem apreciar de perto a existência de um ser que consegue, graças a atributos naturais, aquilo que muito estudo, muita meditação, muitos elixires, muito passeio por lugares ermos ou uma

COMO PASSARÁ OS SEUS DIAS UM ANIMAL QUE PRESCINDE DE ALIMENTO? QUAL O OBJECTIVO DE UMA VIDA SEM FIM PREVISTO, QUE INFINITAMENTE SE ARRASTA PELO TEMPO? TERÁ O HUAN UMA CONSCIÊNCIA HISTÓRICA E UMA MEMÓRIA SUFICIENTE QUE LHE PERMITA USAR O QUE PRESENCIA AO LONGO DE UMA ETERNIDADE?

vida exaurida em grutas até hoje não conseguiu alcançar. Uma das questões que assombra o pensamento destes mestres e os leva perto do desespero é não conseguirem compreender se o huan tem ou não consciência da sua imortalidade e assim avaliar se as suas acções são condicionadas ou não por essa consciência. Como passará os seus dias um animal que prescinde de alimento? Qual o objectivo de uma vida sem fim previsto, que infinitamente se arrasta pelo tempo? Terá o huan uma consciência histórica e uma memória suficiente que lhe permita usar o que presencia ao longo de uma eternidade? Por outro lado, se nos ativermos aos sábios ocidentais, navegaremos no caudal das ideias que atribuem a emergência da consciência à consciência da morte. Como então conceber

consciência num ser que é imortal? Deveremos simplesmente considerar que essa consciência não existe ou, pelo contrário, admitir a possibilidade de um ser imortal desenvolver outro tipo de consciência, livre das angústias da mortalidade e da finitude. Compreensivelmente, a existência deste animal causou numerosas teorias sobre a vida, a morte e, sobretudo, a razão do desejo de imortalidade que habita certos homens. Valerá a pena ser imortal? Como condensar num instante milhares de anos de experiência? A reflexão sobre estes temas, motivada pelo huan, levou já muitos mestres taoistas a desistirem da sua busca e a tornarem-se bons confucionistas, abandonando as montanhas e passando a viver na companhia de outros homens, desistindo para sempre de uma demanda que agora se lhes afigura sem sentido.


5 6 1 2 8 9 0 7 3 4 8 2 9 1 4 3 7 0 6 5 7 0 3 9 5 6 4 8 1 2 www.hojemacau.com.mo 14 27.5.2022 sexta-feira 4 7[f]6utilidades 8 3 5 2 1 0 9 2 9 5 0 1 7 6 3 4 8 1 8 4 3 9 0 5 6 2 7 6 3 0 7 2 4 8 5 9 1 3 4 2 6 7 8 1 9 5 0 TEMPO AGUACEIROS MIN 25 MAX 29 HUM 80-98% UV 3 (MODERADO) • EURO 8.66 BAHT 0.23 YUAN 1.20 ´ 9 5 7 4 0 1 3 2 8 6 0 1 8 5 6 2 9 4 7 3

S7 3U5 0D1 8O4 9K6 2U UM DISCO HOJE

CINETEATRO

34 8 0 2 4 3 5 1 2 9 6 7

6 39 5 9 7 1 3 0 4 2 8 2

1 6 0 7 4 2 9 3 7 1 8

5 3 4 4 1 8 9 8 2 6 6 7 2 5 3 9

3 2 1 7 6 3 9 5 4 8 8 00

6 7 6 3 0 5 4 2 93 5 12

9 8 5 5 8 1 2 0 7 3 9 1 60 73

7 8 2 4 1 6 4 0 32 5

4 2 3 9 9 5 7 5 0 0 8 1 21

0 1 8 5 8 3 7 6 4 94

1 4 0 2 9 1 7 4 8 7 2 5 3 5 8 6

8 2 3 3 5 1 6 8 0 6 4 1 7 9 7 9

9 6 4 6 1 2 2 7 5 0 3 0 8

3 7 2 0 8 7 9 1 6 6 5 4 0 49

4 1 5 3 3 2 9 0 2 8 4 6 75 96

0 8 7 1 6 5 6 4 32 9 2 13

2 9 1 6 0 6 8 5 14 7 48 3 0

5 3 1 7 2 46 9 78 81 6 04

7 0 8 4 3 6 9 2 11 5

2

7

6

8

PUB.

41

0

3 6 8 1 7 9 4 1 0 6 5 0 9 4 6 3 8

6 5

7 1

1 7 2 5 3 0 0 2 9 7 5 4 2

1

6

8 3 4 3 9 0 1

38

3 0 1 6 9

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 36

36

2 5 9 0 6 7 1 4 8 1 5 0 4 8

PROBLEMA 37

37

40

7

2 1 7 9 0 4 4 0 8 0 7

3 2 4 5

MURRAY STREET | SONIC YOUTH

C I N E M A

SALA 1

TOP GUN: MAVERICK [B]

8 0 4 2 6 2 7 6 5 2 9

9

1 7 3 4

7 6 5 7 1

2 0

Daqui a um mês, “Murray Street”, o 12.º disco dos Sonic Youth, faz 20 anos. Ao longo de três décadas de carreira, a banda de noise conheceu várias mini-revoluções na produção e sonoridade. A evolução artística foi acontecendo, progressivamente, atingindo picos conceptuais em discos como “Daydream Nation” e “Dirty”. “Murray Street” é um dos desses picos de criação, atingindo numa altura em que o estado de maturidade da banda a afastava do experimentalismo e art-rock do início de carreira. Com o nome de uma rua de Nova Iorque onde ficava o estúdio de gravação, a produção de “Murray Street” foi interrompida devido ao atentado terrorista às Torres Gémeas. João Luz

Um filme de: Joseph Kosinski Com: Tom Cruise, Jennifer Connely, Val Kilmer, Miles Teller 14.15, 16.45, 19.15, 21.45 SALA 2

JUJUTSU KAISEN: ZERO [B]

FALADO EM JAPONÊS LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Seong-Hu Park 14.30, 21.45

UNPLANNED [C]

Um filme de: Cary Solomon, Chuck Konzelman

Com: Ashley Bratcher, Emma Rose Roberts, Michael J. Lindell, Jared Lotz 17.00, 19.30 SALA 3

THE BAD GUYS [B]

FALADO EM CANTONÊS LEGENDADO EM CHINÊS Um filme de: Ruben Fleischer 14.30, 17.00, 19.30

EVERYTHING EVERYWHERE ALL AT ONCE [C]

Um filme de: Daniel Kwan, Daniel Scheinert Com: Michelle Yeoh, Stephanie Hsu, Ke Huy Quan, James Wong 21.30

0 9 6 1 2 9 3 6 2 9 THE BAD GUYS 8 1 3 5 6 2 7 6 5 0 Propriedade Fábrica de Notícias, 9 3 1 8 Lda Director Carlos Morais José Editores João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; João Santos Filipe; Pedro Arede, Nunu Wu Colaboradores Anabela Canas; António Cabrita; Ana Jacinto Nunes; Amélia Vieira; Duarte Drumond Braga; Gonçalo Waddington; José Simões Morais; 2 3 0 5 8 1 Rosa Coutinho Cabral; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Colunistas André Namora; David Chan; João Romão; Olavo Rasquinho; www. 4 Julie Oyang;2Paulo Maia e Carmo; 7 Paul Chan Wai Chi; Paula Bicho; Tânia dos Santos Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua hojemacau. Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare 3 6 2 7 5 com.mo Morada Pátio da Sé, n.º22, Edf. Tak Fok, R/C-B, Macau; Telefone 28752401 Fax 28752405; e-mail info@hojemacau.com.mo; Sítio www.hojemacau.com.mo 9 3 4 2 42

9 0 3 7 4 6 5 4

5 9

7 6 3 0 8 4 4 1 2 7 9 8

8 0

2 8 9 6 1 2 7 5 6 4

9 0

2 6 4 6 5 7 7 0


sexta-feira 27.5.2022

opinião 15

www.hojemacau.com.mo

confeitaria

João Romão

COMO SE FOSSE PARCEIRO

DEPOIS DA COLABORAÇÃO, a parceria: o mundo do trabalho vai-se fazendo destas metamorfoses e pouco subtis mudanças na designação das relações e categorias profissionais: à precarização e individualização crescentes no capitalismo contemporâneo correspondem novas palavras que sugerem autonomia, equilíbrio, emancipação, enfim, uma certa justiça entre quem trabalha e quem emprega – ou entre a classe trabalhadora e o patronato, como se dizia em tempos não muito longínquos. “Parceria”, aliás, já teve outras utilizações dominantes no universo económico, ou no campo específico das relações empresariais, referindo-se a alianças tácticas ou estratégicas que, por conveniências várias, ocasionais ou duradouras, empresas supostamente orientadas para a competição sistemática podem assumir em determinados momentos. Também se faz de colaboração, afinal, a livre concorrência nos mercados capitalistas. Ganharam também manifesta notoriedade, frequentemente por maus motivos, as famigeradas “parcerias público-privadas”, que muitas vezes se revelaram como subterfúgios ou manobras de ilusionismo sofisticado para disfarçar processos de corrupção em pequena ou larga escala, ou pelo menos de manifesta distorção – e até eliminação – dos alegados mecanismos de concorrência dos mercados, para afinal se assegurar que os benefícios de investimentos massivos se deslocavam para as grandes empresas, enquanto os riscos e prejuízos eram assumidos e cobertos pelo Estado. Assim se construíram grandes e pequenas infraestruturas de maior ou menor utilidade e se promoveram grandes operações urbanísticas, frequentemente associadas a processos

Primeiro colaboradores e agora parceiros, sempre sem contrato, sempre à jorna, sempre sem direitos, sempre imprescindíveis nas tarefas que fazem mover o mundo todos os dias mas descartáveis porque há desemprego suficiente - há sempre outra parceria ou outra colaboração inevitável

de gentrificação de grandes e atractivas zonas urbanas, com a decorrente expulsão e substituição de populações residentes por outras, residentes ou não, mas com poder de compra mais adequado à voragem dos negócios contemporâneos. “Partner” é a designação que encontro hoje inscrita nas costas das pessoas que

fazem as entregas de refeições através da plataforma digital que costumo utilizar nos dias em que falta o tempo para preparar o jantar. Não se trata da plataforma mais conhecida internacionalmente, a tal que transformou abruptamente os direitos e regulações do transporte público em viaturas automóveis privadas – ou táxis, como são universalmente reconhecidos – passando o trabalhador a ser também responsável pelo investimento e reprodução do capital: o condutor que além de conduzir precisa de ser o proprietário do automóvel, pagar o seguro e assegurar a respectiva manutenção, a troco de um trabalho pago à tarefa, sem horários, sem férias pagas, sem protecção contra doenças e outras desventuras, enfim, com muito poucos dos direitos laborais que se foram conquistando lenta e brutalmente ao longo do século 20. Esta é outra plataforma, que eu saiba a operar exclusivamente nas entregas de refeições a domicílio, simpaticamente orientada para pequenos restaurantes locais, que aqui encontraram uma solução bastante razoável para a sobrevivência económica em tempos de covid-19. A consumidores como eu garantiu-se um acesso fácil e confortável a uma série bastante diversa e alargada de simpáticos restaurantes: basta clicar agora e abrir a porta do prédio pouco tempo depois, que a comida é trazida à porta de casa, evitando até desnecessários contactos pessoais, que o vírus anda solto. E daí nunca ter reparado na tal designação escarrapachada nas costas de quem me traz a comida na sua bicicleta ou motorizada: “partner”. Não é inocente nem inconsequente esta substituição sistemática da palavra “trabalhador”. Por outras que sugerem uma

relação mais equilibrada e entre iguais, como “colaborador” ou “parceiro”. Este é o resultado de um longo, persistente e global processo de isolamento de cada pessoa no exercício da sua profissão, de individualização permanente, destruição sistemática de laços de solidariedade, destruição máxima da representatividade de sindicatos e outras organizações da classe de quem trabalha e que só se pode defender dos abusos e da exploração máxima se tiver outra plataforma – a da auto-organização e resistência colectiva. Este é o contexto em que os salários deixaram de crescer ou crescem muito pouco, em que o desemprego se mantém convenientemente alto, em que a estabilidade do emprego é cada vez menor ou em que os direitos extra-salariais à qualidade de vida e de trabalho são sistematicamente reduzidos. A linguagem tem então essa função branqueadora e, à falta de justiça, a cada vez maiores desigualdades correspondem novas terminologias: aumentam os bilionários e o número de pessoas que passa fome mesmo estando a trabalhar – ou até a acumular vários empregos precários e miseráveis – mas as novas palavras sugerem harmonia, equilíbrio de poderes, relações entre iguais, justiça, enfim, num mundo de pessoas emancipadas. Primeiro colaboradores e agora parceiros, sempre sem contrato, sempre à jorna, sempre sem direitos, sempre imprescindíveis nas tarefas que fazem mover o mundo todos os dias mas descartáveis porque há desemprego suficiente – há sempre outra parceria ou outra colaboração inevitável o lucro máximo de quem engorda com este sistema económico que deixa o planeta em decomposição acelerada.


“Os medos e os desejos não estão ao alcance dos bisturis.” PALAVRA DO DIA

27.5.2022

AFP

Rafael Chirbes

sexta-feira

Ilhas Salomão Pequim assegura que não quer construir base militar

GUINÉ ONU DISTRIBUI ARROZ, COM APOIO DA CHINA, A CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA

O chefe da diplomacia chinesa, Wang Yi, garantiu ontem que o seu país “não tem a intenção” de construir uma base militar nas Ilhas Salomão, referindo-se a um pacto de segurança que vai ser assinado entre os dois países. O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês rejeitou as preocupações de vários países, em particular da Austrália e dos Estados Unidos, que temem que este acordo permita a Pequim instalar uma presença militar no arquipélago. O pacto é “irrepreensível, honesto e com integridade”, assegurou Wang. Wang Yi chegou ontem às Ilhas Salomão, no início de um périplo por oito países do Pacífico Sul, que inclui Timor-Leste, uma iniciativa que originou especulações sobre as ambições de Pequim (ver páginas. 10-11).

Alibaba Lucro cai 59% no ano fiscal concluído em Março de 2022

O gigante chinês do comércio electrónico Alibaba revelou ontem que obteve um lucro de 61.959 milhões de ienes no ano fiscal concluído em 31 de Março, menos 59 por cento em termos homólogos. Em comunicado enviado à Bolsa de Valores de Hong Kong, onde a empresa está cotada, esta atribuiu a queda nos resultados líquidos aos “macro desafios” que teve que enfrentar. E prossegue: “Os ‘macro desafios’ e o seu impacto nas cadeias de fornecimento e na confiança do consumidor” levaram a que o lucro registasse um decréscimo no último exercício. Apesar disso, a facturação do grupo aumentou 19 por cento para 853.062 milhões de ienes, salienta o gigante chinês.

Volta a Itália João Almeida de fora por estar com covid-19

PUB PUB.

O ciclista português João Almeida, quarto da classificação geral, abandonou ontem a Volta a Itália após um teste positivo ao coronavírus, anunciou a sua equipa, a UAE Emirates. “O português, que teve sintomas de gripe durante a noite, testou positivo à covid”, informou a equipa dos Emirados Árabes Unidos, em comunicado. O corredor de 23 anos, que liderava a classificação da juventude, estava na quarta posição da geral, a 1.54 minutos do camisola rosa, o equatoriano Richard Carapaz (INEOS), e a 49 segundos do terceiro classificado, o espanhol Mikel Landa (Bahrain Victorious). O director, Mauro Gianetti, mostrou-se “profundamente transtornado” com a notícia, porque “o João e a equipa que o apoia estavam a fazer uma excelente corrida”. “Os nossos objectivos eram o pódio do Giro e a camisola branca, de melhor jovem, e estávamos na luta para conseguir ambos”, lamentou.

M

As cidades estão a multiplicar os incentivos para aumentar a vacinação entre a população. Em Pequim, um distrito perto do Templo do Céu está a oferecer 1.000 yuans em vales para qualquer pessoa com 80 anos ou mais que decida receber a primeira dose

XANGAI ESCOLAS REABREM EM JUNHO PARA RECEBER ALGUNS ALUNOS

Passo a passo

A

S escolas do ensino básico e secundário de Xangai reabrirão em Junho para receber alguns alunos, disseram ontem as autoridades locais, num sinal de relaxamento do confinamento imposto à capital económica da China para conter a covid-19. Perante o ressurgimento da covid-19, que atinge a China há alguns meses, grande parte dos 25 milhões de habitantes da cidade foi obrigada a ficar em casa desde o início de Abril. Com a diminuição acentuada do número de casos positivos nas últimas semanas, várias restrições já foram levantadas. Entretanto, as pessoas geralmente só podem sair por algumas horas por dia. Os alunos do segundo e terceiro ano do ensino secundário, que devem fazer o exigente exame para a entrada na universidade, poderão regressar às escolas em

6 de Junho, disse Yang Zhenfeng, director-adjunto do Departamento de Educação de Xangai Os alunos do 9.º ano do ensino básico poderão voltar à escola a partir de 13 de Junho. Quanto aos demais alunos, terão que continuar a acompanhar as aulas por meios digitais em casa. "Uma organização especializada oferecerá testes PCR para professores e alunos (…) no final das aulas, para que possam obter os seus resultados antes que as aulas recomecem no dia seguinte", disse Yang.

Toca a vacinar

O Ministério da Saúde chinês anunciou ontem 338 novos casos positivos em Xangai nas últimas 24 horas – contra os mais de 25.000 no final do mês passado. O longo confinamento e as restrições de viagem estão a afectar muito os habitantes e a economia local. No entanto, a autarquia já autorizou a reaber-

tura de algumas fábricas e linhas de transporte público. A China, ao contrário da maioria dos países do mundo, ainda aplica uma estratégia de tolerância zero em relação à covid-19, com o objectivo de limitar ao máximo o número de mortes, utilizando os confinamentos massivos quando aparecerem alguns casos. As autoridades dizem ter poucas alternativas perante a variante Ómicron do novo coronavírus, muito contagiosa, e da taxa relativamente baixa de vacinação entre os idosos. Cerca de 80 por cento das pessoas com 60 anos ou mais receberam pelo menos duas doses da vacina contra a covid-19. As cidades estão a multiplicar os incentivos para aumentar a vacinação entre a população. Em Pequim, um distrito perto do Templo do Céu está a oferecer 1.000 yuans em vales para qualquer pessoa com 80 anos ou mais que decida receber a primeira dose.

AIS de 360 crianças guineenses com necessidades especiais receberam este mês mais de uma tonelada de arroz para levarem para casa no âmbito de um projecto-piloto do Programa Alimentar Mundial (PAM), apoiado pela China. “No total, 1,1 toneladas de arroz foram distribuídas no mês de Maio a 364 crianças de três escolas de ensino especial do país, com o objectivo de assegurar tanto a sua alimentação, como uma maior participação e retenção escolar”, refere, em comunicado, o PAM. O lançamento oficial do projeto-piloto foi feito ontem em Bissau na Escola Bengala Branca, onde foi distribuído arroz comprado localmente, financiado pela embaixada da China. “Pela primeira vez no país, crianças com deficiência, que frequentam escolas de ensino especial, vão beneficiar de assistência alimentar para consumo junto das suas famílias”, salienta o programa das Nações Unidas. No comunicado, a agência da ONU sublinha que tem vindo a construir uma “parceria cada vez mais forte” com a China em “torno da alimentação escolar”. O PAM, através da organização não-governamental Humanité&Inclusion, apoia desde 2020 o projecto “Educação sem Barreiras”, que tem como objectivo melhorar o acesso à educação e nutrição de 138 crianças com necessidades especiais em 23 escolas das regiões de Oio e Cacheu. Na Guiné-Bissau, o PAM dá apoio nutricional a 96.000 mulheres grávidas e lactantes e crianças menores de 5 anos, bem como a 6.500 pessoas que estão a receber tratamento para o vírus da sida e tuberculose. O PAM desenvolve também um programa que fornece refeições quentes a 173.000 crianças em idade escolar e distribui às meninas porções de comida para levarem para levar para casa, incentivando a sua permanência na escola.