Hoje Macau 27 OUTUBRO 2021 #4879

Page 1

QUARTA-FEIRA 27-10-2021 DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

MOP$10

hoje macau

Portugal com um golpe de asa

Pelos ajustes

F4 CHINESE CHAMPIONSHIP

Nº 4880

AUTOMOBILISMO

MACAU A ABRIR ÚLTIMA

No início da nova legislatura e numa sessão plenária com caras novas e antigas, as intervenções dos deputados incidiram maioritariamente sobre a reacção à pandemia. Planos de contingência para lidar com os surtos, novos apoios à população e às PME e incentivos à vacinação, foram alguns dos apelos ao Governo deixados ontem no hemiciclo pelos legisladores. PÁGINAS 2-3

VALES DE SAÚDE

UMA BURLA QUE VEM DE LONGE PÁGINA 5

DENTRO DOS MOMENTOS JOÃO PAULO COTRIM

TEDX SENADO SQUARE

O LUGAR DA MENTE EVENTOS


2 política

27.10.2021 quarta-feira

www.hojemacau.com.mo

COVID-19 DEPUTADOS PEDEM PLANOS DE CONTINGÊNCIA, INCENTIVOS À VACINAÇÃO E MAIS APOIOS

Na primeira sessão plenária da nova legislatura, vários deputados defenderam incentivos à vacinação, criticaram as medidas de ajuda às PME e pediram apoios directos. Perante uma política de “zero casos”, Leong Sun Iok, Wong Kit Cheng e Wang Sai Man querem planos de contingência que evitem o “caos” e o encerramento total da economia. Ella Lei e Lo Choi In insistiram no recarregamento do cartão de consumo e apoios directos às empresas

HOJE MACAU

Ponto de equilíbrio A

sessão legislativa mudou, mas o tema que mais mobilizou ontem deputados repetentes e estreantes, continuou a ser o impacto que prolongamento da pandemia está a ter na população e no tecido económico de Macau. No despertar dos mais recentes surtos de covid-19, muitos foram os deputados, como Leong Sun Iok, Wang Sai Man e Lam Lon Wai a sugerir a atribuição de incentivos à

“Surgiram muitas confusões que causaram grandes inconveniências às lojas, aos residentes, aos trabalhadores, aos estudantes e aos turistas.” LEONG SUN IOK DEPUTADO

vacinação, a toma da terceira dose e a criação de planos de contingência que evitem “situações caóticas” e o encerramento total das actividades económicas perante novos surtos. Por outro lado, também a atribuição de apoios directos aos residentes e às pequenas e médias empresas (PME), bem como a introdução de ajustes que tornem “mais abrangentes” as oito medidas de apoio às PME anunciadas pelo Governo no início do mês,

COVID-19 PEDIDA INTERVENÇÃO DO MNE PARA SAÍDA DE ESTRANGEIROS Ron Lam assumiu esta posição recordando ainda o discurso de Sam Hou Fai, presidente do Tribunal de Última Instância, que alertou para o aumento de casos de criminalidade associados à permanência de estrangeiros no território devido à pandemia. “Como o surto epidémico por todo o mundo ainda não suavizou, se o Governo não adoptar medidas mais pró-activas, esse problema da permanência dos estrangeiros em Macau será difícil de re-

solver a curto prazo, podendo até agravar-se”, disse. Na mesma intervenção, o deputado defendeu a adopção do modelo de Hong Kong, que desde Agosto voltou a autorizar a contratação

de empregados domésticos não residentes das Filipinas e Indonésia, mediante determinadas regras. Neste sentido, Macau deve permitir “que os trabalhadores domésticos estrangeiros que tenham tomado duas doses de vacina, e tenham prova de teste negativo de ácido nucleico efectuado antes do voo de partida para Macau, possam submeter-se a quarentena no território, para dar resposta à urgente procura de empregadas domésticas em Macau”.

Eleições/mandarim Apelo à educação cívica No rescaldo da elevada abstenção nas últimas eleições legislativas, Lei Chan U mostrou-se preocupado com a falta de interesse dos jovens pela política e pelos assuntos eleitorais. Fazendo questão de discursar em mandarim, o deputado referiu que é “difícil analisar a taxa de votação dos jovens”, devido à inexistência de RÓMULO SANTOS

O

deputado Ron Lam U Tou defendeu ontem, no período de interpelações antes da ordem do dia, que o Governo deve adoptar uma “atitude pragmática e pró-activa” e pedir “ao Comissariado do Ministério dos Negócios Estrangeiros da RPC na RAEM apoio no contacto com as instituições consulares de diversos países para disponibilizarem meios de transporte, ou outras medidas adequadas, a todos os estrangeiros retidos em Macau”.

fizeram parte das sugestões de Ella Lei, Song Pek Kei e Lo Choi In. Durante o período destinado às intervenções antes da ordem do dia, Leong Sun Iok começou por apontar a necessidade de “melhorar [a recolha de] dados sobre o impacto da epidemia na economia” para tornar possível o lançamento de medidas adaptadas aos diferentes sectores. À luz dos últimos surtos de covid-19, o deputado acusou ainda o Governo de não ter planos de contingência de

dados, mas avança que “uma parte da população foi politicamente fria e pouco participativa” nas últimas eleições, devido à falta de consciência política. Para Lei Chan U, o Governo deve reforçar a educação cívica e eleitoral nos jovens, “encorajando-os a discutir nas aulas matérias de carácter moral, social, cívico e eleitoral, e a expressarem os seus pontos de vista”. “O caracter chinês que significa ‘pessoa’ tem uma estrutura que parece transmitir a ideia de ‘solidariedade’ e, para assuntos relacionados com todos nós como ‘pessoas’, é necessária a participação solidária de todos”, acrescentou.


quarta-feira 27.10.2021

Espaço de sobrevivência

Picar e pronto

HOJE MACAU

Apontando o caminho da vacinação para a construção de uma barreira imunológica que permita o progressivo retorno à normalidade, Wong Kit Cheng defendeu também a criação de um plano de contingência de saúde pública que defina “pormenorizadamente” as medidas a adoptar pelos serviços públicos consoante o nível de gravidade da situação. Sobre a vacinação, Lam Lon Wai mostrou não ter dúvidas de que, se o número de inoculados não aumentar, dificilmente a economia será recuperada, bem como as condições para

Lam Lon Wai mostrou não ter dúvidas de que, se o número de inoculados não aumentar, dificilmente a economia será recuperada

Wang Sai Man defendeu que o Governo deve evitar “soluções radicais” sempre que surjam novos casos de covid-19

Outro dos tópicos a merecer a atenção de vários deputados, está relacionado com a atribuição de apoios a trabalhadores e empresas, nomeadamente com a necessidade de alterar os critérios das oito medidas de apoio às PME lançadas pelo Governo. Segundo Ella Lei, o plano permite a sobrevivência das empresas mas, como contribui ao mesmo tempo para “acumulação de empréstimos”, o Governo deve ponderar atribuir apoios directos às PME, bem como alargar o subsídio de 10 mil patacas previsto no plano, a mais residentes desempregados ou em layoff. Apontando que as medidas “têm bastantes restrições” e que “ficaram muito aquém das expectativas da sociedade”, Song Pek Kei sugeriu que o Governo use a reserva financeira para atribuir um subsídio de 10 mil patacas “às pessoas em situação de subemprego ou a todos”, subsídios directos aos grupos sociais desfavorecidos e que lance “uma nova ronda de empreitadas públicas”. Ella Lei e a estreante Lo Choi In sugeriram ainda que o Governo volte a atribuir oito mil patacas em cartão de consumo a toda a população, com a segunda a pedir ainda a redução ou isenção de tarifas de água, electricidade e internet. Pedro Arede

RÓMULO SANTOS

a retoma das excursões turísticas e da emissão de vistos electrónicos a partir do Interior da China. Durante a sua intervenção, o deputado sugeriu ainda que o Governo lance “medidas amigáveis” para facilitar a vacinação”, como licenças e dias de férias, e defendeu que avance “o quanto antes”, com a inoculação da terceira dose da vacina, para “minimizar os riscos de infecção”. Por seu turno, Ngan Iek Hang e Zheng Anting, para além de se mostrarem a favor da criação de incentivos à vacinação, concordaram que o Governo deve introduzir um código de deslocação, baseado no código de saúde, que permita monitorizar os itinerários dos infectados com covid-19.

GCS

não disponibilizar os equipamentos necessários para enfrentar a situação. “Surgiram muitas confusões que causaram grandes inconveniências às lojas, aos residentes, aos trabalhadores, aos estudantes e aos turistas, e registaram-se até situações caóticas. Isto demonstra a insuficiência de hardware e software, bem como a inexistência de planos de contingência”, disse. Para o deputado, e perante a política de “zero casos” que, “a qualquer momento” e com o surgimento de novos casos de covid-19, leva a que “as pessoas que precisam de passar as fronteiras, os lojistas, os trabalhadores, os alunos e os encarregados de educação” sejam afectados, Leong Sun Iok defende que o Governo deve “criar um novo modelo de funcionamento socioeconómico sob certas condições de segurança”, reduzindo o impacto na economia, na sociedade e na vida da população. TambémWang Sai Man defendeu que o Governo deve evitar “soluções radicais” sempre que surjam novos casos de covid-19 em Macau, através da criação de instruções “científicas e claras” que permitam aos estabelecimentos comerciais que reúnam as condições necessárias, a exploração limitada das suas actividades. “Por exemplo, os vacinados podem ir ao serviço, ajustar o horário do seu funcionamento, reduzir o número de trabalhadores, etc., e não suspender totalmente o seu funcionamento”, referiu.

política 3

www.hojemacau.com.mo

AL HO ION SANG PRESIDE À COMISSÃO DE REGIMENTO E MANDATOS

F

ORAM eleitos ontem os presidentes e membros das comissões da Assembleia Legislativa (AL). Para o cargo de presidente da Comissão de Regimento e Mandatos, os deputados escolheram Ho Ion Sang e como secretário Vong Hin Fai. Quanto às comissões permanentes, a 1ª comissão terá na liderança, pela primeira vez, a deputada Ella Lei, ficando Song Pek Kei como secretária. De pedra e cal na 2ª e 3ª comissões permanentes ficaram Chan Chak Mo e Vong Hin Fai, secretariados respectivamente por Lam Lon Wai e Leong Sun Iok. Por seu turno, a Comissão de Acompanhamento para os Assuntos de Terras e Concessões Públicas será presidida por Chui Sai Peng José, ficando Ma Chi Seng como secretário. Para o lugar ocupado anteriormente por Mak Soi Kun na liderança da Comissão deAcompanhamento para os Assuntos de Finanças Públicas, foi eleita Wong Kit Cheng, ficando Ip Sio Kai como secretário. Por fim, para a Comissão de Acompanhamento para os Assuntos daAdministração Pública foi eleito Zheng Anting (presidente) e Lei Chan U (secretário). Durante a sessão plenária, Angela Leong foi ainda eleita com 30 votos para integrar o Conselho Administrativo da AL. P.A.

PME ASSOCIAÇÃO CONSIDERA NOVAS MEDIDAS “POUCO EFICAZES”

O

presidente da Associação de Pequenas e Médias Empresas de Macau, Stanley Au considera que as novas medidas de apoio às PME e trabalhadores anunciadas pelo Governo são “pouco eficazes”, apesar de “úteis”. Isto quando, segundo o jornal Ou Mun, o responsável sublinhou, inclusivamente, que alguns dos membros da associação foram, entretanto, obrigados a encerrar as suas próprias empresas.

Durante o encontro de segunda-feira com o Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, que serviu para apresentar sugestões para a elaboração das Linhas de Acção Governativa (LAG) para o próximo ano, Stanley Au disse ainda apoiar o desenvolvimento da indústria financeira na zona de cooperação em Hengqin, acrescentando que, na senda da diversificação económica, Macau deve “reforçar a formação de quadros qualificados nestas áreas” para

criar mais oportunidades de emprego para os jovens. De acordo com uma nota oficial, outros membros da delegação presentes na reunião apresentaram ainda sugestões para que sejam tomadas medidas no sentido de impulsionar a economia, reforçar do apoio às PME na transformação digital e melhorar o planeamento urbano, o governo electrónico, a redução e reciclagem de resíduos, as políticas energéticas de protecção ambiental, os procedimentos

da contratação pública e o sistema educativo. Por seu turno, Ho Iat Seng agradeceu as sugestões apresentadas e assegurou que as mesmas serão analisadas “de forma integral e abrangente” na elaboração das LAG para 2022. Tendo marcado também presença na reunião, o secretário para a Economia e Finanças, Lei Wai Nong sublinhou que a pandemia justifica a “necessidade de acelerar o ritmo da diversificação económica”

e que o projecto da Ilha da Montanha surge no momento certo para que as PME possam aproveitar as oportunidades oferecidas. “[Hengqin] dá espaço para Macau se desenvolver. O governo vai, com os diversos sectores da sociedade, articular as vantagens de Macau com as políticas de apoio do País, incentivando as PME a explorar oportunidades na Zona da Cooperação Aprofundada”, vincou o secretário. Pedro Arede com N.W.


4 publicidade

27.10.2021 quarta-feira

www.hojemacau.com.mo

Notificação n.o 00116/NOEP/DJN/2021 Considerando que não se revela possível notificar os interessados, pessoalmente, por ofício, telefone, ou outra forma, para o efeito do regime procedimental nos respectivos processos administrativos sancionatórios, nos termos do artigo 14.º do Decreto-Lei n.º 52/99/M, de 4 de Outubro, e do artigo 68.º e n.º 1 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, o signatário notifica, pela presente, ao abrigo do n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, os infractores constantes das tabelas anexas a esta notificação, do conteúdo das respectivas decisões sancionatórias: Nos termos do n.º 4 do artigo 36.º, n.º 1 do artigo 37.º, artigo 38.º e artigo 39.º do Regulamento Geral dos Espaços Públicos, aprovado pelo Regulamento Administrativo n.º 28/2004, o Presidente do Conselho de Administração para os Assuntos Municipais ou seus substitutos exararam despachos nas respectivas informações, tendo em consideração as infracções administrativas comprovadas e a existência de culpa confirmada. Assim: 1. Foram aplicadas aos infractores constantes das Tabelas I a V as multas previstas no n.º 2 do artigo 45.º do Regulamento Geral dos Espaços Públicos e no artigo 2.º do Catálogo das Infracções, aprovado pelo Despacho do Chefe do Executivo n.º 106/2005, no valor de MOP 600,00 (cada infracção): Os factos ilícitos exarados nas acusações, provados testemunhalmente, constituem infracções administrativas ao disposto no n.º 1 do artigo 11.º do Regulamento Geral dos Espaços Públicos e estão previstos no n.º 9 do artigo 2.º do Catálogo das Infracções, porquanto resultam da prática do actos de “utilizar contentores ou outros recipientes destinados aos resíduos sólidos domésticos ou aos públicos para colocação de resíduos de outro tipo, nomeadamente resíduos sólidos industriais, comerciais ou especiais”, tendo sido as infractoras notificadas do conteúdo das acusações. (Cfr.: Tabela I) Os factos ilícitos exarados nas acusações, provados testemunhalmente, constituem infracções administrativas ao disposto no n.º 1 do artigo 4.º do Regulamento Geral dos Espaços Públicos e estão previstos no n.º 23 do artigo 2.º do Catálogo das Infracções, porquanto resultam da prática de actos de “colocar ou abandonar no espaço público quaisquer materiais ou objectos”, tendo sido os infractores notificados do conteúdo das acusações. (Cfr.: Tabela II) Os factos ilícitos exarados nas acusações, provados testemunhalmente, constituem infracções administrativas ao disposto no n.º 5 do artigo 12.º do Regulamento Geral dos Espaços Públicos e estão previstos no n.º 16 do artigo 2.º do Catálogo das Infracções, porquanto resultam da prática de actos de “manter no passeio ou na via pública contentores ou outros recipientes de resíduos sólidos que devem ser diariamente recolhidos”, tendo sido as infractoras notificadas do conteúdo das acusações. (Cfr.: Tabela III) O facto ilícito exarado na acusação, provado testemunhalmente, constitui infracção administrativa ao disposto no n.º 1 do artigo 13.º do Regulamento Geral dos Espaços Públicos e está previsto no n.º 7 do artigo 2.º do Catálogo das Infracções, porquanto resulta da prática de acto de “nos espaços públicos, abandonar resíduos sólidos fora dos locais e recipientes especificamente destinados à sua deposição”, tendo sido a infractora notificada do conteúdo da acusação. (Cfr.: Tabela IV) O facto ilícito exarado na acusação, provado testemunhalmente, constitui infracção administrativa ao disposto na alínea 1) do n.º 1 do artigo 14.º do Regulamento Geral dos Espaços Públicos e está previsto no n.º 3 do artigo 2.º do Catálogo das Infracções, porquanto resulta da prática de acto de “despejar, derramar ou deixar correr líquidos poluentes, nomeadamente águas poluídas, tintas ou óleos em espaços públicos”, tendo sido a infractora notificada do conteúdo da acusação. (Cfr.: Tabela V) 2. Além disso, os infractores podem ainda apresentar reclamação contra os actos sancionatórios ao autor do acto, no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da data da publicação da notificação, nos termos dos artigos 145.º, 148.º e 149.º do Código do Procedimento Administrativo, sem prejuízo da aplicação do disposto no artigo 123.º do referido Código. Para efeitos do disposto no n.º 2 do artigo 150.º do mesmo Código, a reclamação não tem efeito suspensivo sobre o acto. 3. Quanto aos actos sancionatórios, os infractores podem apresentar recurso contencioso no prazo estipulado nos artigos 25.º e 26.º do Código de Processo Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 110/99/M, de 13 de Dezembro, ao Tribunal Administrativo da Região Administrativa Especial de Macau. 4. Sem prejuízo da aplicação do disposto no artigo 75.º do Código do Procedimento Administrativo, para efeitos do disposto no n.º 4 do artigo 55.º do Regulamento Geral dos Espaços Públicos, os infractores devem efectuar o pagamento das multas, dentro do prazo de 30 (trinta) dias, a partir da data da publicação da presente notificação, na Divisão Jurídica e de Notariado do IAM (Núcleo Operativo do IAM para a Execução do Regulamento Geral dos Espaços Públicos), sita na Rua do Dr. Soares, n.º 6, Edifício Soares (Casa Amarela, sita ao lado do Edifício do IAM), Macau, ou efectuar a liquidação de todo o valor das multas aplicadas, nos centros de prestação de serviços ao público do IAM (vide endereços em https://www.iam.gov.mo/p/servicept/introduction/servicecenter/), sendo também possível pagar as multas, no seu valor total, por meios electrónicos, através do acesso ao endereço electrónico https://app.iam.gov.mo/rgepwebpay, ou dirigindo-se aos quiosques de serviços e informação ou aos quiosques de multiaplicações da Direcção dos Serviços de Identificação, sendo ainda possível efectuar a liquidação do valor total das multas através da aplicação para telemóvel “Acesso Comum aos Serviços Públicos”. Caso contrário, o IAM submeterá os processos à Repartição das Execuções Fiscais da Direcção dos Serviços de Finanças, para a cobrança coerciva, nos termos do artigo 17.º do DecretoLei n.º 52/99/M e do artigo 29.º do Decreto-Lei n.º 30/99/M. 5. Não é de atender a esta notificação, caso os infractores constantes das tabelas anexas tenham já

saldado, aquando da presente publicação, as respectivas multas, resultantes da acusação. Para informações mais pormenorizadas, os interessados poderão ligar para o telefone n.º 8399 3248 ou dirigir-se pessoalmente ao referido Núcleo Operativo deste Instituto. Aos 12 de Outubro de 2021. O Presidente do Conselho de Administração para os Assuntos Municipais José Tavares Tabela I Designação da sociedade comercial (pessoa colectiva)/ empresário comercial, pessoa singular 潮發餐飲管理有限公司 正順地產有限公司 LEGEND PURE FOMENTO PREDIAL LDA. 贏到粥有限公司 COMPANHIA DE YENG DOU JOK LDA. 川菜皇飲食有限公司

N.o fiscal de contribuinte

N.º da acusação

Data da infracção

8296****

2-000177TF/2021

2021-03-29

Data em que foi exarado o despacho de aplicação da multa 2021-07-06

8274**** 2-000091UN/2021

2021-03-01

2021-07-06

8230**** 2-000091UB/2020

2020-02-14

2020-05-14

8234**** 2-000042UB/2020

2020-01-22

2020-04-15

Tabela II Designação da sociedade comercial (pessoa colectiva)/ N.o fiscal de empresário comercial, pessoa contribuinte singular 黃玉好 0204**** 深記蔬菜集團有限公司 8297**** 宅一族有限公司 8259**** 黃北金 0161**** 匯盈豐投資有限公司 8269****

N.º da acusação

Data da infracção

2-000146UJ/2021 2-000124TP/2021 2-000215UN/2020 2-000288UB/2020 2-000448TG/2019

2021-03-05 2021-03-03 2020-06-25 2020-05-11 2019-12-17

Data em que foi exarado o despacho de aplicação da multa 2021-05-17 2021-05-17 2020-10-16 2020-06-30 2020-03-13

Tabela III Designação da sociedade comercial (pessoa colectiva)/ N.o fiscal de empresário comercial, pessoa contribuinte singular 金寶島(飲食)有限公司 COMPANHIA DE (COMIDAS E BEBIDAS) 8157**** ILHA DOIRADA, LIMITADA 輝豪餐飲有限公司 BRILLIANT PRIDE 8271**** RESTAURAÇÃO LIMITADA 陞鴻飲食有限公司 8286**** 恒益食材餐飲有限公司 COMPANHIA DE ALIMENTOS E 8223**** RESTAURAÇÃO HENG YI LIMITADA

N.º da acusação

Data da infracção

Data em que foi exarado o despacho de aplicação da multa

2-02153WB/2020

2020-07-16

2020-12-29

2-00365WB/2020

2020-01-28

2021-03-01

2-000082TF/2020

2020-01-24

2020-05-20

2-000419UA/2018

2018-11-26

2019-02-27

Data da infracção

Data em que foi exarado o despacho de aplicação da multa

2020-01-09

2020-04-15

Tabela IV Designação da sociedade comercial (pessoa colectiva)/ N.o fiscal de N.º da acusação empresário comercial, pessoa contribuinte singular 輝豪餐飲有限公司 BRILLIANT PRIDE 8271**** 2-000020TZ/2020 RESTAURAÇÃO LIMITADA Tabela V Nome da associação 澳門台山赤溪田頭同鄉會

www. iam.gov.mo

N.º do registo N.º da acusação da associação 25**

2-02821WB/2019

Data da infracção 2019-03-31

Data em que foi exarado o despacho de aplicação da multa 2020-01-09


quarta-feira 27.10.2021

www.hojemacau.com.mo

CRIME DESMANTELADA REDE DE BURLAS COM VALES DE SAÚDE

Design MGM Cotai vence dois prémios internacionais

Tradição ainda é o que era

A Emerald Villa no MGM Cotai foi distinguida com dois prémios internacionais, o SBID International Design Awards 2021 na categoria de design de quartos e suites e o 2021 MUSE Design Awards in the Interior Design na categoria de hotéis e resorts. A MGM aponta que os principais trunfos da Emerald Villa que contribuíram para as distinções foram o aquário em forma de diamante que domina o centro da suite, a banheira inspirada na imagem de um lingote de ouro e a famosa cadeira chaise lounge Rio, da autoria do arquitecto brasileiro Oscar Niemeyer.

PME 75 candidaturas a subsídios

A Direcção dos Serviços de Economia e Desenvolvimento Tecnológico (DSEDT) recebeu 75 candidaturas de pequenas e médias empresas (PME) no primeiro dia de implementação das três medidas de apoio financeiro a estas entidades. As medidas passam pela concessão da bonificação de juros, o relaxamento do requisito de candidatura à concessão do empréstimo e a prorrogação do prazo de candidatura à medida de ajustamento de reembolso. Das 75 candidaturas, oito dizem respeito ao Plano de Apoio a PME, destinado a empresas que têm actividade há pelo menos um ano e que podem ter direito a um empréstimo isento de juros até ao valor máximo de 600 mil patacas, com um prazo de reembolso de, até, oito anos. Existe ainda uma candidatura ao Plano de Bonificação de Juros de Créditos Bancários para as PME, com uma taxa anual máxima de quatro por cento, e com um prazo máximo de bonificação de três anos. As restantes 66 candidaturas versam sobre a medida de “ajustamento de reembolso”.

Entre 2019 e Julho deste ano, uma loja de produtos medicinais chineses e uma clínica burlaram os cofres públicos em cerca de 8,5 milhões de patacas. O método já se tornou um clássico na criminalidade local: a troca do valor de vales de saúde por dinheiro vivo ou produtos

O

erário público voltou a ser desfalcado em cerca 8,5 milhões de patacas através de um esquema fraudulento de troca de vales de saúde por dinheiro ou produtos. A Polícia Judiciária deteve na segunda-feira seis indivíduos alegadamente responsáveis por um esquema que defraudou os cofres públicos entre Janeiro de 2019 e Julho deste ano. Os detidos são três médicos de uma clínica de medicina tradicional chinesa e três pessoas de uma família ligada a uma loja de produtos medicinais: o dono do estabelecimento, a sua esposa e o filho. O modo de actuação não é original. Um cidadão vai a uma clínica e troca o vale de saúde por 70 por cento do seu valor, em dinheiro vivo ou produtos de uma loja intermediária, sem receber qualquer tratamento médico. Neste caso, uma clínica de medicina tradicional chinesa situada na Areia Preta recebeu

16 mil vales de saúde, com um valor unitário de 600 patacas, envolvendo cerca de 5.200 residentes. De acordo com a PJ, os médicos terão apurado 3,3 milhões de patacas. O passo seguinte era a transferência de dinheiro da clínica para a loja produtos medicinais chineses, onde o cidadão iria levantar, em dinheiro vivo ou em troca de produtos grátis, 70 por cento do valor do vale de saúde. Recorde-se que em 2020, ao abrigo das medidas de apoio à população na sequência da crise pandémica, o Governo atribuiu um vale extra a cada residente.

Produtos de primeira

Além dos médicos, a PJ deteve também uma família (pai, mãe e filho) que operavam a loja de produtos medicinais nas imediações da clínica. As autoridades, além de terem identificado uma transferência bancária, no valor de 200 mil patacas, de um dos médicos para o dono da loja de produtos medicinais, testemunharam no

sociedade 5

Saúde Pedidas medidas para regresso de doentes ao trabalho

O modo de actuação não é original. Um cidadão vai a uma clínica e troca o vale de saúde por 70 por cento do seu valor, em dinheiro vivo ou produtos de uma loja intermediária, sem receber qualquer tratamento médico

local o vai e vem de alegados doentes, que depois de permanecerem apenas um ou dois minutos na clínica seguiam directamente para a loja para levantar o dinheiro, ou um produto num valor equivalente. A PJ entrevistou residentes envolvidos no esquema que confessaram a troca do vale de saúde por montante equivalente a 70 por cento do seu valor, cerca de 420 patacas. Os cerca de 5.200 residentes envolvidos

podem ser acusados do crime de burla, punível com prisão até 3 anos ou com pena de multa. Quanto aos médicos e detidos da loja, são suspeitos da prática de burla de valor elevado, com moldura penal entre 2 e 10 anos de prisão, e associação criminosa, punida entre 3 a 10 anos de prisão. Nunu Wu com João Luz

Jennifer Chau, directora executiva da Associação de Reabilitação Fu Hong, pede que sejam disponibilizados mais recursos por parte do Governo para a área da saúde mental, não só para que os profissionais recebam formação, mas também para que as empresas possam contratar antigos pacientes a tempo parcial, antes de estes entrarem no mercado de trabalho. Segundo o jornal Ou Mun, Jennifer Chau lembrou que é complicado o recrutamento de pessoas que recuperaram de doenças do foro mental ou psicológico, sendo difícil que trabalhem a tempo inteiro. A responsável defendeu que os edifícios do Governo ou instalações públicas poderiam ser usados por associações sociais para aí desenvolverem as suas actividades, como a gestão de quiosques ou de postos de informações. Esta poderia ser uma forma de aumentar as vagas de emprego para quem recuperou de uma doença mental, a fim de melhorar a sua integração na sociedade.

ONU Tina Ho recorda compromissos assumidos pela China

Tina Ho, presidente da Associação Geral das Mulheres, lembrou as grandes responsabilidades assumidas pela China numa altura em que se celebram os 50 anos da sua entrada para a Organização das Nações Unidas (ONU). Segundo o jornal Ou Mun, a dirigente associativa considera que o discurso de Xi Jinping sobre esta efeméride é inspirador, e que a China sempre assumiu os maiores esforços e responsabilidades para cooperar com os restantes países do mundo. Tina Ho, que é também irmã do Chefe do Executivo, Ho Iat Seng, adiantou que a China é uma força principal para que a ONU mantenha operações diplomáticas pacíficas. Além disso, a responsável lembrou que o papel das mulheres nestas acções diplomáticas não deve ser esquecido, uma área à qual a China também tem dado apoio nos últimos anos.


6 eventos

www.hojemacau.com.mo

27.10.2021 quarta-feira

Olhar a me TEDX SENADO SQUARE SAÚDE MENTAL MARCA EDIÇÃO DESTE ANO

Acontece este sábado, no Teatro D. Pedro V, mais uma edição do TEDX Senado Square, desta vez de forma presencial. O programa é composto por seis oradores que vão falar dos seus projectos e experiências, sempre dentro do tema “Despertar”. Venus Loi, curadora do evento, revela que a saúde mental é a grande problemática desta edição, tendo em conta o contexto da pandemia

O

TEDX Senado Square está de regresso a Macau de forma presencial. Este sábado o evento acontece entre as 13h30 e as 18h no Teatro D. Pedro V com seis oradores locais e dois artistas musicais que vão actuar nos intervalos das palestras. Sob o tema “Despertar” participam personalidades como Danny Leong, biólogo e um dos seleccionados pela National Geographic para integrar um grupo de 15 exploradores emergentes a nível global. O painel conta também com a presença do arquitecto André Lui, a curadora e artista Alice Kok e ainda o psicólogo Elvo Sou, que irá falar sobre “Sentimentos. Palavras. Diálogo com as Emoções”. Em palco, haverá ainda espaço para a partilha das experiências com o teatro físico, graças à presença de Yukie Lai, e da meditação, com Hio Lou Chang. Ao HM, a curadora do evento, Venus Loi, referiu que o TEDX Senado Square terá apenas 160 lugares disponíveis, devido às restrições pandémicas. A escolha do tema “Despertar” pareceu natural tendo em conta o panorama da covid-19 que ainda se vive

no território, com as fronteiras quase fechadas ao exterior. “A pandemia entrou nas nossas vidas nos últimos dois anos e temos passado por um período de incertezas. Espero que com esta edição do TEDX Senado Square possamos partilhar algo que nos ajude a repensar o nosso estilo de vida e de como nos podemos

“Este evento é uma plataforma importante para Macau. Uma vez que não conseguimos trazer oradores internacionais é importante partilhar ideias locais.” VENUS LOI CURADORA

adaptar à pandemia. Esta edição tem temas que pretendem levar as pessoas a pensar sobre isso”, apontou. Desta forma, as palestras apresentadas pelos oradores convidados versam sobre as emoções, mas também sobre temáticas relacionadas com a protecção ambiental. “Este evento é uma plataforma importante para Macau. Uma vez que não conseguimos trazer oradores internacionais é importante partilhar ideias locais.” Exemplo disso é o convite feito ao biólogo e investiga-


quarta-feira 27.10.2021

ente dor Danny Leong “Ele foi seleccionado pela National Geographic e, para Macau, é algo impressionante. Queremos que o mundo conheça os nossos feitos e também queremos partilhar discussões ligadas à protecção ambiental, tendo em conta o rápido desenvolvimento de Macau”, adiantou Venus Loi.

A sós

Venus Loi não tem dúvidas de que a questão da saúde

“Espero que com esta edição do TEDX Senado Square possamos partilhar algo que nos ajude a repensar o nosso estilo de vida.” VENUS LOI CURADORA

mental é central no cartaz deste ano. “Durante a pandemia passámos mais tempo connosco próprios e reflectimos mais sobre quem somos e que tipo de desenvolvimento pessoal queremos. Aprendemos a lidar com as emoções e sobretudo com as incertezas.” A curadora do evento chama a atenção para o aumento de problemas psicológicos junto dos jovens. “Não estou certa das razões, mas penso que isso talvez se deva ao facto de passarmos mais tempo sozinhos ou com as nossas famílias, devido ao confinamento, o que levou a problemas de comunicação entre pais e filhos. Também houve uma adaptação a um outro estilo de vida”, concluiu. Andreia Sofia Silva

eventos 7

www.hojemacau.com.mo

ARTM NOVA EXPOSIÇÃO INAUGURA ESTE SÁBADO

“A

RT of Healing II” é o nome da nova exposição que a Associação de Reabilitação dos Toxicodependentes de Macau (ARTM) inaugura este sábado, por volta das 16h, na galeria ARTM H2H, situada nas casas amarelas da antiga leprosaria de Ka-Hó, em Coloane. Esta mostra revela as obras feitas pelas pessoas em recuperação da dependência de drogas não apenas da ARTM, mas também de vários centros de tratamento da China, localizados em 20 províncias do país. É a segunda vez que a associação de Macau colabora com a Comissão de Narcóticos da China para este projecto. Augusto Nogueira, presidente da ARTM, adiantou que as 90 peças estarão disponíveis para venda, sendo que esta mostra pretende revelar “a importância e valorização da capacidade das pessoas que estão em tratamento de poderem exprimir os seus sentimentos através da arte”. Para o presidente da entidade, é também importante que estas pessoas “se sintam valorizados” e que haja uma desmistificação da ideia de que estes pacientes são criminosos apenas por consumirem estupefacientes. Nesse sentido, é importante “fazer entender que a recuperação é possível e que estas pessoas precisam de ajuda e não devem ser punidas”, existindo em Macau “canais próprios em Macau para ajudar pessoas com problemas”, frisou Augusto Nogueira. A mostra celebra também o Dia Nacional da República Popular da China.

HOJE TERAPIA Paula Bicho

Naturopata e Fitoterapeuta • obichodabotica@gmail.com

Gases e Distensão Abdominal Diversas plantas medicinais podem ser úteis para o alívio de gases e distensão abdominal, sendo de destacar as plantas carminativas. As plantas com esta propriedade favorecem a expulsão do tubo digestivo de gases provocados pelas fermentações intestinais e são, geralmente, aromáticas, ou seja, ricas em óleos essenciais muito odoríficos. Curiosamente, muitas destas plantas são utilizadas como ervas aromáticas ou especiarias em culinária, adicionando sabor aos alimentos e contrariando alguns dos seus efeitos. Vamos conhecer Hoje algumas destas plantas: Anis (Anis-verde, Erva-doce), Pimpinella anisum, sementes: Muito cultivado pelas suas sementes deliciosamente fragantes, usadas como remédio e em culinária, o Anis é originário do Mediterrâneo Oriental, Ásia Ocidental e Norte de África. Trata-se de uma herbácea, que pode alcançar 60 cm de altura, com caules erectos, flores amarelas agrupadas em ramalhetes terminais (umbelas) e sementes caneladas de cor verde-acinzentada. Cultivado no Egipto há pelo menos 4000 anos, foi referido desta forma por Dioscórides, famoso médico e botânico grego do século I d.C.: o Anis «aquece, seca e dissolve; facilita a respiração, alivia a dor, provoca a urina e acalma a sede». Tem propriedades digestivas, favorece a expulsão de gases e combate os espasmos, sendo muito recomendado para o tratamento de flatulência, distensão abdominal e digestões difíceis, e para aliviar as cólicas dos bebés e crianças. É ainda útil em caso de náuseas, hiperacidez e espasmos do estômago. Pode ser tomado em infusão. Caneleira (Canela-de-Ceilão), Cinnamomum verum (sin. C. zeylanicum), cascas interiores: Conhecida como uma das principais especiarias, a Canela é igualmente um antigo remédio. Com uma longa história de uso na Índia, foi utilizada pela primeira vez com fins medicinais no Egipto e em algumas regiões da Europa cerca de 500 a.C. Trata-se de uma árvore sempre-verde, que pode alcançar 8 a 18 metros de altura, com casca macia de cor

(PARTE I)

castanho-avermelhada, folhas verde-escuras com nervuras longitudinais e pequenas flores amarelas, nativa das florestas tropicais do Sri Lanka e Índia. Apreciada para o tratamento das perturbações digestivas pelos seus efeitos estimulantes e tonificantes, é também antiespasmódica e promove a expulsão de gases. Tomada em infusão ou tintura, ajuda a aliviar a flatulência, distensão abdominal, enjoos e digestões difíceis, sendo um remédio tradicional para as náuseas e vómitos. Coentro (Coentros), Coriandrum sativum, sementes: Herbácea muito aromática, com folhas finamente recortadas, pequenas flores de cor branca ou rosada e sementes redondas de cor bege; pode crescer até 50 cm de altura. Oriundo da Europa Meridional e Ásia Ocidental, onde é usado há mais de 2000 anos, o Coentro é referido no papiro de Ebers, documento médico egípcio datado em cerca de 1500 a.C. Durante a dinastia Han terá sido introduzido na China, onde, no século VI, era empregue como auxiliar da digestão. Tomado em infusão, é indicado para aliviar a flatulência e distensão abdominal e acalmar os espasmos intestinais, pelas suas propriedades digestivas, carminativas e antiespasmódicas. Erva-cidreira (Melissa, Limonete), Melissa officinalis, folhas: Nativa da Europa do Sul, Ásia Ocidental e Norte de África, a Erva-cidreira apresenta minúsculas flores brancas e folhas ovais com veios profundos que, quando esmagadas, exalam um aroma a Limão; pode atingir 1,5 metros de altura. Usada como remédio há mais de 2000 anos, foi mencionada por Plínio e Dioscórides, entre outros autores idóneos ao longo da História. Com actividade digestiva, carminativa e fortemente antiespasmódica, esta planta é ainda calmante e tónica do sistema nervoso, sendo um remédio específico para perturbações digestivas de origem nervosa, como digestões difíceis, hiperacidez, náuseas, espasmos do estômago, flatulência, cólicas e distensão abdominal. Pode ser tomada em infusão.

ADVERTÊNCIAS: Este artigo tem como objectivo apenas a divulgação e não deve substituir a consulta de um profissional de saúde, nem promover a auto-prescrição. Além disso, algumas plantas têm contra-indicações, efeitos adversos ou interacções com medicamentos.


8 china

27.10.2021 quarta-feira

www.hojemacau.com.mo

COVID-19 LANZHOU EM CONFINAMENTO APÓS SER DETECTADO NOVO SURTO

China colocou em confinamento a cidade de Lanzhou, no centro do país e com quatro milhões de pessoas, devido ao aumento dos casos de covid-19 registado nos últimos dias, anunciaram ontem as autoridades. A Comissão Nacional de Saúde do país asiático notificou seis novos casos em Lanzhou, a capital da província de Gansu, diagnosticados nas últimas 24 horas. No total, há agora 51 casos activos em Gansu, entre os quais 39 em Lanzhou, desde que o surto foi detectado, no país, em meados de Outubro. Mais de 33.300 pessoas estão sob observação médica em todo o país. “O controlo da epidemia e a situação de prevenção em Lanzhou são sérios e comple-

REUTERS

Quatro milhões confinados A xos”, disseram as autoridades locais, em comunicado. Aquela decisão foi tomada para evitar que o surto se alastre ainda mais. A cidade vai lançar uma campanha de testes de ácido nucleico e confinar complexos residenciais, dos quais só será possível sair para

comprar alimentos, receber tratamento médico ou participar das tarefas de controlo e prevenção contra o coronavírus. Quem entra e sai de casa deve apresentar no telemóvel um código de reconhecimento rápido (“QR code”) verde, que garante que a pessoa não

está infectada ou não entrou em contacto com infectados.

Tolerância zero

O último surto foi detetado na China em meados de Outubro, como resultado da viagem de um grupo de reformados a áreas turísticas nas províncias de Gansu, Mongólia Interior

(norte) e Shaanxi (centro). Segundo as autoridades sanitárias, o surto foi causado pela variante delta, considerada a mais contagiosa. A Comissão Nacional de Saúde informou ontem que existem agora 603 casos activos em todo o país, 21 dos quais em estado grave.

Apesar de 2.250 milhões de doses de vacinas já terem sido administradas entre a população chinesa de 1.411 milhões de habitantes, as autoridades continuam a seguir uma política de “tolerância zero” contra a doença, o que implica confinamentos selectivos e testes em massa contra o coronavírus nos locais onde são detectados surtos.

“O controlo da epidemia e a situação de prevenção em Lanzhou são sérios e complexos.” O país aplica ainda rígido controlo nas entradas. Quem viaja para a China tem de apresentar testes de anticorpos negativos antes de embarcar e cumprir um período de quarentena centralizada de pelo menos duas semanas. Segundo a Comissão Nacional de Saúde, 96.840 pessoas ficaram infectadas na China desde o início da pandemia, das quais 4.636 morreram.

PUB.

ECONOMIA CHINA E EUA TÊM “AMPLO DIÁLOGO” Edital n.º Processo n.º Assunto Local

O

EDITAL

: 72/E-BC/2021 : 675/BC/2010/F : Início de audiência pela infracção às disposições do Regulamento de Segurança Contra Incêndios (RSCI) : Avenida do Conselheiro Ferreira de Almeida n.º 82-D, Edf. Tak Kuan, parte do terraço sobrejacente à fracção 5.º andar F (CRP:F4), Macau.

Lai Weng Leong, Subdirector da Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT), no uso das competências delegadas pelo Despacho n.º 04/SOTDIR/2021, publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) n.º 33, II Série, de 18 de Agosto de 2021, faz saber que ficam notificados o dono da obra e o proprietário do local acima indicado, cujas identidades se desconhecem, do seguinte: 1. Na sequência da fiscalização realizada pela DSSOPT, apurou-se que nos locais acima indicados realizaram-se as seguintes obras não autorizadas: Obra 1.1

Infracção ao RSCI e motivo da demolição

Construção de um compartimento de um piso com Infracção ao n.º 4 do artigo 10.º, obstrução do caminho cobertura de betão, paredes em alvenaria de tijolo, de evacuação. janelas de vidro e gaiola metálica (CRP:F4). 1.2 Instalação de um suporte, cobertura e escada metáliInfracção ao n.º 4 do artigo 10.º, obstrução do caminho cos no compartimento construído. de evacuação. 2. Sendo o terraço do edifício considerado caminho de evacuação, deve o mesmo conservar-se permanentemente desobstruído e desimpedido, de acordo com o disposto no n.º 4 do artigo 10.º do RSCI, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 24/95/M de 9 de Junho. As alterações introduzidas pelos infractores no referido espaço, descritas no ponto 1 do presente edital, contrariam a função desse espaço enquanto caminho de evacuação e comprometem a segurança de pessoas e bens em caso de incêndio. Assim, as obras executadas não são susceptíveis de legalização pelo que a DSSOPT terá necessariamente de determinar a sua demolição a fim de ser reintegrada a legalidade urbanística violada. 3. Nos termos do n.º 3 do artigo 87.º do RSCI, a infracção ao disposto no n.º 4 do artigo 10.º é sancionável com multa de 4 000,00 a 40 000,00 patacas. Além disso, de acordo com o n.º 4 do mesmo artigo, em caso de pejamento dos caminhos de evacuação, será solidariamente responsável a entidade que presta os serviços de administração ou de segurança do edifício. 4. Considerando a matéria referida nos pontos 2 e 3 do presente edital, podem os interessados, querendo, pronunciar-se por escrito sobre a mesma e demais questões objecto do procedimento, no prazo de 5 (cinco) dias contados a partir da data da publicação do presente edital, assim como requerer diligências complementares e oferecer os respectivos meios de prova, em conformidade com o disposto no n.º 1 do artigo 95.º do RSCI. 5. O processo pode ser consultado durante as horas de expediente nas instalações da Divisão de Fiscalização do Departamento de Urbanização desta DSSOPT, situadas na Estrada de D. Maria II, n.º 33, 15.º andar, em Macau (telefones n.os 85977154 e 85977227). RAEM, 10 de Setembro de 2021 Pela Directora de Serviços O Subdirector Lai Weng Leong

vice-primeiro-ministro chinês Liu He e a secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, tiveram ontem um “amplo diálogo” sobre economia, via videoconferência, informou a imprensa estatal chinesa. A agência noticiosa oficial Xinhua apontou que o diálogo se centrou em questões como a situação macroeconómica ou a cooperação multilateral, e foi “franco, prático e construtivo”. Ambas as partes concordaram que a recuperação económica global atravessa um “momento crucial” e que é importante que ambos os países “fortaleçam a coordenação e a comunicação sobre as suas políticas macroeconómicas”. A delegação chinesa expressou preocupação sobre

as sanções e taxas alfandegárias impostas pelos Estados Unidos e o tratamento dado às empresas chinesas. Em comunicado, o Tesouro dos Estados Unidos revelou que Yellen também expressou preocupações dos Estados Unidos, sem avançar mais detalhes.

ASEAN Li Keqiang reúne com líderes asiáticos A convite de Haji Hassanal Bolkiah, sultão de Brunei, país na presidência rotativa da Associação das Nações do Sudeste Asiático, Li Keqiang, o primeiro-ministro chinês, vai participar na 24.ª reunião de líderes China-ASEAN, da 24.ª reunião de líderes da ASEAN mais a China, Japão e

Ambas as partes concordaram em continuar a dialogar no futuro. Em 9 de Outubro, Liu reuniu-se com a Representante do Comércio dos EUA, Katherine Tai, numa reunião que foi também foi descrita pela China como “construtiva”. As relações entre Pequim e Washington deterioraram-se rapidamente nos últimos anos, face a atritos no comércio, tecnologia e Direitos Humanos. Após Joe Biden assumir a presidência norte-americana, em Janeiro, os dois países tentaram aliviar as tensões, embora Washington tenha dado continuidade à política de sanções e vetos às empresas chinesas iniciada por Trump.

República da Coreia (ASEAN Mais Três), e da 16.ª Cimeira da Ásia Oriental que teve início ontem e termina hoje. O porta-voz do Ministério dos Negócios Estranfgeiros, Wang Wenbin, fez o anúncio na segunda-feira, acrescentando que as reuniões serão realizadas por videoconferência.


quarta-feira 27.10.2021

diário de um editor

JOÃO PAULO COTRIM

www.torpor.abysmo.pt

SERPA PINTO, LISBOA, DOMINGO, 3 OUTUBRO Desde a (provável) primeira exposição de banda desenhada acolhida por museu nacional, dedicada a José Muñoz («Cidade, jazz da solidão»), nos idos de 1994, no Museu Rafael Bordalo Pinheiro/Museu da Cidade, muito terá mudado, mas desconfio que não o bastante para evitar os esgares de excelso desdém ao ver bd nas paredes do MNAC. Mais ainda tratando-se de tira cómica, Bartoon. Talvez se salve por apresentar «O artista do momento: o Homem do Paleolítico». O mano Luís [Afonso], no seu inesgotável labor, uma escrita de subtilezas à base de gestos e olhares, anda esculpindo há décadas as luzes que projecta sobre temas que vão fazendo de nós o que somos, corpos do momento. No caso, reúne-se o comentando à volta das magníficas gravuras a céu aberto de Côa, tendo até acrescentado o dito Homem do Paleolítico à sua galeria de personagens. Digo magníficas em eco do que fui «ouvendo». Apesar de ter passado noite acampado à porta do Museu de Etnologia em greve de fome para que não acabassem debaixo de água, ainda não fui celebrar aquele sagrado, como deve ser, de olhos abertos e corpo inteiro. (E vão duas recordações em um só parágrafo, continuas envelhecendo, meu velho). E depois reencontrei o António Faria (vivemos tempos de reencontros, valha-nos isso), que interrompeu as suas paisagens para desenhar esta exposição. E para revelar o verdadeiro rosto do Luís, artista dos muitos momentos, desvelado a partir dos olhos das suas personagens. HORTA SECA (VERSÃO N.º 20), LISBOA, SÁBADO, 9 OUTUBRO A Quinzena [Jean Moulin] fecha com estrondo e dois lançamentos. O do livro-relâmpago, «Jean Moulin Lisboa 1941», onde se acolheu o essencial dos textos e dos vestígios da sua passagem por Lisboa e por nós: o discurso de Malraux, dele fazendo rosto da França, o testemunho literário e (talvez) vivido de Jorge Reis, um belíssimo conto do Fernando [Sobral] a esticar todas as possibilidades ao limite da paisagem, o relatório com as contas da Resistência partida, e muito mais. Umas noitadas valentes, a fazer lembrar outros combates de urgência, corremos atrás do Jorge [Silva] que andou, tal maestro tresloucado, a pôr tudo e todos no andamento certo. Entregámos as 216 páginas a 4/4 cores ao Carlos Vintém na segunda-feira e ao fim do dia seguinte tínhamos 50 exemplares brilhando (demais) nas mãos. (Estes milagres ainda vão acabar com as tuas dúvidas acerca da impressão digital, cota…). Faltou o terno e atento texto do Ferreira Fernandes, que fez a propósito para «A Mensagem» (https://amensagem.pt/2021/10/05/jean-moulinlisboa-comemoracoes/), mas nem a mais radical tecnologia resolveu o tempo: como incluir texto que ainda não foi escrito? E depois o outro, aquele para as supostas crianças, quem sabe jovens, inevitáveis adultos, «Jean Moulin, a sombra não apaga a cor» (ed. APCC), traçado a meias com o Tiago [Albuquerque], que acabou por não conseguir estar. Aliás, senti-lhe

www.hojemacau.com.mo

h

9

Dentro dos momentos

a falta durante o processo inteiro de criação, que me interessa mais partilhado, dividido, rasgado. O combate entre o possível e o impossível nem sempre se perde, nem sempre se ganha. O que aconteceu por estes lados, explodindo a partir da Casa da Imprensa, fez-nos acreditar. Descontemos os encontros e reencontros, que os houve e abraçados, além de gestos simples e comoventes, presenças regulares, disponibilidades que reverberam. Aconteceram filmes de sala cheia até altas horas, aqui no Ideal. Centenas de gente a perder-se nas exposições. Debates, acesos, e não apenas entre historiadores de renome. E depois a pedra, momento singelo em dia de comemorar a República, com todos os muitos oradores ironicamente disso se esquecendo. Está no chão do miradouro, a dizer com um olhar penetrante em granito negro do Zimbabué sobre lioz branco que as raízes podem ser horizonte. Afinal, com bem notou FF, se foi aqui que Moulin ganhou a luz, andámos, entre fogo e rasgo, a celebrar Lisboa. Uma certa Lisboa. HORTA SECA, LISBOA, SEGUNDA, 11 OUTUBRO Desmontada e embalada com mil cuidados a exposição Moulin, aguardo o transporte que a levará para Óbidos. Folheio o jornal do Festival Literário e noto gralha na prosa onde tratei de fazer coincidir festival e almoço de verão. Não dá para sacudir. Que venham os dias de outros e dessoutros, de vertigem e cansaço, de saber e sabor, de festa e hipocrisia, de deslumbramento e desfeita. «Uma vespa. Uma vespa pousa-me no braço, sendo esquerdo pede palmada da mão oposta, dizem. Travo para garantir ao olhar que não é abelha, digna de respeito maior. O dono da casa e da mesa sob latada mediterrânica grita as vezes suficientes até que me aperceba: a bicha tem nome, não merece morte súbita. Uma vespa pode ter nome e nisto percebo o essencial. Sou do Sul, portanto lugar de mesa invariavelmente estendendo-se sob sol-posto em rima com a maltosa feita casa, cal de parede

e o sacudir de paisagem, serviço dobrado de sorrisos e vincos fazendo cama para pão e vinho. O cortejo dos dedos pendentes de suas mãos, marcadas pelo fazer, reparo, trazem comida e bebida, as cores, as dores. Alguém levanta a voz, sussurros concorrem com o vento, os talheres debatem-se, há-de alguém amanhar as tensões e as flores dos que, pelo toque, se dizem família. Os amigos, com eles montanhas e rectas. As falas que se partem como pão, dizem. As vozes logo se alevantam sob sopro da alegria, outros mandam calar, que faz parte. Há segredos para conter e revelações de nada para celebrar, corpos ansiosos por correr. Entorna-se um copo, elogia-se a receita, o forno, o gesto. Um dos outros terá que lavar a loiça, recolher os restos, abraçar o que sobra da partilha, uns que chegam e partem, a mesa afinal um peito. Como saber se a refeição abre, vai de meio, ou se finda? Só se ama conhecendo. E nisto um festival. Do outro lado da mesa atiram papel amachucado garantido registo de rima imemorial com cantar e de discussão com pensamento e de debate com o marulhar do oceano e os toques de pele com o desejo e uns raios que nos partam. Para que conste, o deejay, antes de o ser ao ar livre, foi na rádio o maestro das convergências. Deixemo-lo ser agora nas noites recolhidas ao cubo. Valha-nos São Programador, padroeiro dos acidentes, esse Cristóvão das curvas! Ao quarto parágrafo (no original estava terceiro, nunca atinas com números, velha carcaça) partilhemos a clareza possível: sacudo folhas e sobra-me um Folio a perder de vista, almoço de domingo para o que der e vier, pequenas heranças e o horizonte que nem navalha, erga-se em grito flamengo a coreografia de mãos desdobrando paisagens, guardanapos, gritos dissonantes, ideias de passar muralhas e de erguer livrarias no altar, toque enfarinhado da quentura da côdea, a sopa arrefecendo, velhas histórias, uma promessa de fruta. Cá entre nós, mal o outro mal se assome no desvão da frase faz-se fruta tocada. Morra quem se negue.»


10 [f]utilidades

TEMPO

MUITO

NUBLADO

MIN

22

MAX

26

HUM

S U D O K U UM LIVRO HOJE 3

4 5

9

2

1 0 9 4 2 1 0 8 3 6 2 9 8 1 0 7 8 4 9 7 5 6 1 3 1 7 3 6 8 1

6 22 9 5 8 3 0 4 7 1 5 0 2 6

4 0 7 1 7 1 2 9 8 3 4 6 8 5

1 2 9 7 7 5 6 4 1 8 3 0

21

5 8 0 6 4 3 5 0 2 9 2 7 1 7

3 5 4 0 5 2 8 1 9 7 7 6 6 9 8 1 4 2

7 3 7 5 6 8 5 9 0 2 9 0 4 4 1 3 6 8

2 4 1 1 0 6 8 3 3 5 7 9 8 0

9 6 4 5 4 8 1 3 9 0 2 7

0 1 3 7 1 6 7 8 2 5 3 4 5 9

8 7 2 2 3 9 4 5 1 6 0 6 3 4

PUB.

24

20

1 8 2 6 0 7 3 5 4 9 8 7 5 6 0 1 2 1 5 3 9 4 7 2 6 2 9 8 8 0 4 9 www. 3 5 1 0 hojemacau. com.mo 7 3 6 4

8 1 7 6 5 2 0 9 4 3

2 4 9 0 6 5 8 3 7 1

9 7 3 4 1 6 5 2 8 0

1 2 8 3 0 7 6 4 9 5

5 9 2 7 3 1 4 6 0 8

4 8 1 9 2 0 3 5 6 7

0 3 6 8 7 9 2 1 5 4

6 5 4 1 8 3 7 0 2 9

7 0 5 2 9 4 1 8 3 6

9.30

BAHT

0.24

CINETEATRO

1.25

C I N E M A

SALA 1

VENOM: LET THERE BE CARNAGE [C]

Um filme de: Andy Serkis Com: Tom Hardy, Michelle Williams, Naomie Harris, Woody Harrelson 14.30, 16.30, 19.30, 21.30 SALA 2

RON’S GONE WRONG [B]

FALADO EM CANTONÊS Um filme de: Jean Philippe Vine, Sarah Smith, Octavio Rodrigue 14.30, 16.30, 19.30

MY HERO ACADEMIA: WORLD HEROES MISSION [B] FALADO EM JAPONÊS

YUAN

LEGENDADO EM CHINÊS Um filme de: Kenji Nagasaki 21.30 SALA 3

THE ADDAMS FAMILY 2 [B] FALADO EM CANTONÊS LEGENDADO EM CHINÊS Um filme de: Greg Tiernan, Laura Brousseau, Kevin Polvovic 14.30, 16.30

NO TIME TO DIE [B]

Um filme de: Cary Joji Fukunaga Com: Daniel Craig, Rami Malek, Léa Seydoux, Lashana Lynch 18.15, 21.15

22

(Indicado pelo concorrente; deve consultar os pontos 8 e 9 do Preâmbulo do Programa de Concurso). 10. Preço base: não há. 11. Condições de admissão: pessoas, singulares ou colectivas, inscritas na DSSOPT na modalidade de execução de obras, bem como aquelas que à data limite de apresentação de propostas tenham requerido ou renovado a referida inscrição, sendo que neste último caso a admissão é condicionada ao deferimento do pedido de inscrição ou renovação. As pessoas, singulares ou colectivas, por si ou em agrupamento, só podem submeter uma única proposta. 12. Modalidade jurídica da associação a adoptar pelo concorrente em agrupamento a quem venha eventualmente a ser adjudicada a empreitada: consórcio externo nos termos previstos no Código Comercial, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 40/99/M, de 3 de Agosto. 13. Local e hora para consulta do processo do concurso e obtenção de cópias: Local: sede do GDI, sita na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 9.º andar. Hora: todos os dias úteis, das 9,00 às 12,45 e das 14,30 às 17,00 horas. Cópias do processo do concurso: Versão digital, mediante o pagamento de $2 000,00 (duas mil patacas). 14. Local, data e hora limite para a entrega das propostas: Local: sede do GDI, sita na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 9.º andar. Data e hora limite: dia 17 de Novembro de 2021 (quarta-feira), até às 17,00 horas. Em caso de encerramento do Serviço (GDI) na hora limite para a entrega de propostas por motivo de força maior, o prazo para a entrega das propostas é adiado para o primeiro dia útil seguinte à mesma hora. 15. Língua a utilizar na redacção da proposta: A proposta e os documentos que a acompanham devem estar redigidos numa das línguas oficiais da RAEM. É permitida a utilização de língua não oficial da RAEM nos casos expressamente indicados no Programa do presente Concurso. 16. Prazo de validade das propostas: 90 (noventa) dias, a contar a partir da data de encerramento do acto público do concurso, prorrogável nos termos do artigo 93.º do Decreto-Lei n.º 74/99/M, de 8 de Novembro. 17. Caução provisória: $28 000 000,00 (vinte e oito milhões de patacas), a prestar mediante depósito em dinheiro, garantia bancária ou segurocaução aprovado nos termos legais. 18. Caução definitiva: 5% do preço total da adjudicação (das importâncias que o adjudicatário tiver a receber, em cada um dos pagamentos parciais são deduzidos 5% para garantia do contrato, em reforço da caução definitiva prestada). 19. Data de realização do acto público do concurso: Local: sala de reunião do GDI, sita na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 10.º andar. Dia e hora: 18 de Novembro de 2021(quinta-feira), pelas 09,30 horas. Em caso de encerramento do Serviço (GDI) para o referido acto público, por motivo de força maior ou qualquer outro motivo impeditivo, a data de realização do acto público do concurso é adiada para o primeiro dia útil seguinte à mesma hora. Os concorrentes ou os seus representantes devidamente mandatados devem estar presentes no acto público para os efeitos previstos no artigo 80.º do Decreto-Lei n.º 74/99/M, de 8 de Novembro, e para esclarecer eventuais dúvidas relativas aos documentos apresentados no concurso. 20. Critérios de apreciação das propostas: – Preço da empreitada: 50% – Prazo de execução: 30% – Experiência e qualidade em obras: 20% 21. Critério de adjudicação: A adjudicação é efectuada ao concorrente com pontuação total mais elevada e, no caso de haver empate na pontuação total mais elevada, a adjudicação é efectuada ao concorrente com a proposta de preço mais baixo. Região Administrativa Especial de Macau, aos 21 de Outubro de 2021. O Coordenador, Lam Wai Hou

3 6 0 5 4 8 9 7 1 2

EURO

3 7 0 4 5 9 4 6 9 2 8 1 0 1 3 5 6 2 9 8 2 3 4 7 MY HERO ACADEMIA: WORLD HEROES MISSION 6 4 7 9 0 8 1 0 8 6 3 5 Propriedade 5 3 1Fábrica 0 de7Notícias, 4 Lda Director Carlos Morais José Editores João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; João Santos Filipe; Pedro Arede, Nunu Wu Colaboradores Anabela Canas; António Cabrita; António de Castro Caeiro; Ana Jacinto Nunes; Amélia Vieira; Duarte Drumond Braga; Emanuel Cameira; Gonçalo 7 5M.Tavares; 6 1 Gonçalo 2 3Waddington; Inês Oliveira; João Paulo Cotrim; José Simões Morais; Luis Carmelo; Nuno Miguel Guedes; Paulo José Miranda; Paulo Maia e Carmo; Rosa Coutinho Cabral; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Teresa Sobral; Valério Romão Colunistas André Namora; David Chan; João Romão; Olavo 8 2 Paul 4 Chan 7 Wai 9 Chi; 6 Paula Bicho; Tânia dos Santos Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Rasquinho; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia 2 9Morada 5 Pátio 8 da1Sé, 0n.º22, Edf. Tak Fok, R/C-B, Macau; Telefone 28752401 Fax 28752405; e-mail info@hojemacau.com.mo; Sítio www.hojemacau.com.mo Welfare

9 5 4 6 7 0 8 2 3 1 5 9 6 0 4 7 1 3 8 2 8 7 6 5 3 0 2 0 3 9 5 7 1 4 8 6 8 1 2 9 5 6 4 0 7 3 3 0 2 4 7 1 8 2 4 5 6 9 0 3 4 7 8 6 3 2 9 5 1 0 5 4 DE 8 4 0 3 6GABINETE 9 2 PARA 7 O1DESENVOLVIMENTO 5 3 INFRA-ESTRUTURAS 0 7 1 8 5 6 4 2 9 6 4 3 0 5 2 ANÚNCIO Concurso empreitada designada por «Empreitada 6 3 2público 1 de 8 4 5de obra 0napública 7 9 2 3de construção 4 5 de9habitação 0 pública 8 7no lote 6 B41 Nova 2 3 9 Zona 6 A – Obra de superestrutura» 1. Entidade que5 põe a 0 obra a3 concurso: Administrativa Especial de Macau. 1 7 4 Região 8 6 1 6 de0Infra-estruturas. 2 7 9 3 8 4 5 2. corre o procedimento do concurso: 1 Serviço 2 9por onde 8 2 3Gabinete para o Desenvolvimento 3. Modalidade de concurso: concurso público. 5 8 6 7 2 9 3 4. 0 Objecto 1da empreitada: 2 1 construção 6 da superestrutura 7 4 0 8da habitação pública. 7 2 1 3 6 4 5 9 0 8 5. Local de execução: no lote B4 da Nova Zona A. 6. 0 Obra 9 dividida 1 4 3 6não. 7 5 2 8 9 4 5 8 0 1 2 6 3 7 1pordepartes: 7. Admissibilidade apresentação9de anteprojecto: não. 8. Tipo de empreitada: por preço global. 3 2 de7execução 8 9 1 0 máximo 6 5global4 8 9dias4de trabalho, 1 3contados 7 a partir 2 da5data 6de 9. Prazo da 7 consignação, 2 obra: 0 o prazo 5de construção é de 8000(oitocentos) com 1 (uma) meta obrigatória de execução, sendo a: 4 - 6 Primeira obrigatória: conclusão de execução da superestrutura 5 (1.ª)0 2 8 3 9 7 dadacobertura 6 5do edifício, 3 7com o2prazo8máximo0de execução 1 9de 480 4 5(quatrocentos 6meta 3 4de trabalho, 2 1contado 7 a partir e oitenta) dias data de consignação.

23

O primeiro livro de poesia do moçambicano Otildo Justino Guido é uma ode permanente às emoções, sejam elas ligadas ao amor e restantes relações humanas, ou aos problemas sociais que Moçambique enfrenta. Este livro foi o vencedor do prémio Fundação Fernando Leite Couto [pai do escritor Mia Couto] em 2019. Destaque para o poema “Memória ao Vento”: “Amor? / Ou apenas / uma forma voluntária / de sofrer feliz / nos braços de alguém?”. Andreia Sofia Silva

5 4 3 6 SOLUÇÃO DO PROBLEMA 19

19

2 7

60-95% ´

O SILÊNCIO DA PELE | OTILDO JUSTINO GUIDO | FUNDAÇÃO FERNANDO LEITE COUTO

PROBLEMA 20

20

1

27.10.2021 quarta-feira

www.hojemacau.com.mo

24 4 3 9 6 2 1 0 5 7 8

8 1 0 7 3 2 9 6 4 5

2 5 8 4 7 6 1 3 9 0

7 9 5 3 4 0 2 1 8 6

6 0 1 8 5 9 4 7 2 3

5 2 6 9 1 7 3 8 0 4

3 7 4 0 8 5 6 9 1 2

1 8 3 5 0 4 7 2 6 9

0 6 2 1 9 8 5 4 3 7

9 4 7 2 6 3 8 0 5 1

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO N.o 21/P/21

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO N.o 31/P/21

Faz-se público que, por despacho da Ex.ma Senhora Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, de 7 de Outubro de 2021, se encontra aberto o Concurso Público para «Fornecimento de Reagentes Exclusivos para o Serviço de Anatomia Patológica dos Serviços de Saúde», cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos se encontram à disposição dos interessados desde o dia 27 de Outubro de 2021, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato destes Serviços, sita na Rua do Campo, n.º 258, Edifício Broadway Center, 3.º andar C, Macau, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de MOP46,00 (quarenta e seis patacas), a título de custo das respectivas fotocópias (local de pagamento: Secção de Tesouraria dos Serviços de Saúde, que se situa no r/c do Edifício do Centro Hospitalar Conde de São Januário) ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet na página electrónica dos S.S. (www. ssm.gov.mo).

Faz-se público que, por despacho da Ex.ma Senhora Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, de 12 de Outubro de 2021, se encontra aberto o Concurso Público para a «Prestação de Serviços de Reparação e Manutenção dos Equipamentos do Sistema Electromecânico e Isolador da Sala de Limpos ao Centro Hospitalar Conde de São Januário», cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos se encontram à disposição dos interessados desde o dia 27 de Outubro de 2021, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato destes Serviços, sita na Rua do Campo, n.º 258, Edifício Broadway Center, 3.º Andar C, Macau, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de MOP 43,00 (quarenta e três patacas), a título de custo das respectivas fotocópias (local de pagamento: Secção de Tesouraria dos Serviços de Saúde, que se situa no r/c do Edifício do Centro Hospitalar Conde de São Januário) ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet na página electrónica dos S.S. (www.ssm.gov.mo).

As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 22 de Novembro de 2021. O acto público deste concurso terá lugar no dia 23 de Novembro de 2021, pelas 10,00 horas, na “Sala de Reunião”, sita na Rua do Campo, n.º 258, Edifício Broadway Center, 3.º andar C, Macau. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de MOP100.000,00 (cem mil patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/SeguroCaução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 21 de Outubro de 2021 O Director dos Serviços de Saúde Lo Iek Long

Os concorrentes do presente concurso devem estar presentes no Departamento de Instalações e Equipamentos do Centro Hospitalar Conde de São Januário, no dia 1 de Novembro de 2021, às 15,00 horas, para efeitos de visita às instalações a que se destina à prestação de serviços objecto deste concurso. As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,30 horas do dia 26 de Novembro de 2021. O acto público deste concurso terá lugar no dia 29 de Novembro de 2021, pelas 10,00 horas, na “Sala de Reunião”, sita na Rua do Campo, n.º 258, Edifício Broadway Center, 3.º Andar C, Macau. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de MOP111.600,00 (cento e onze mil, seiscentas patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/ Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 21 de Outubro de 2021 O Director dos Serviços de Saúde Lo Iek Long


quarta-feira 27.10.2021

www.hojemacau.com.mo

macau visto de hong kong

opinião 11

David Chan

JAKUB SCHIKANEDER, MURDER IN THE HOUSE

CRIME EM TAIWAN

CHEN TONGJIA, o suspeito de ter assassinado a namorada Pan em Taiwan, não se encontrou com a mãe da vítima no Conselho Legislativo de Hong Kong. O facto despertou a atenção da comunicação social. Alegadamente, Chen Tongjia abandonou o corpo da namorada nos subúrbios de Taipé, antes de apanhar o avião para Hong Kong. Posteriormente, Chen Tongjia usou o cartão de crédito de Pan em Hong Kong, tendo sido acusado de aproveitamento de bens de outrém e considerado culpado deste crime. Depois de ter sido libertado da prisão, foi colocado numa casa segura protegida pela polícia. Esta protecção terminou recentemente. Actualmente, vive numa zona remota de Hong Kong. Embora Chen Tongjia tenha expressado a vontade de se entregar às autoridades de Taiwan, através da mediação de um advogado taiwanense, o Governo local impediu-lhe a entrada. A mãe de Pan insistiu repetidamente, através da comunicação social, para que ele se apresentasse em Taiwan a fim de ser julgado. No entanto, actualmente a entrada está-lhe vedada. Este caso encontra-se num impasse. O suspeito está impedido de entrar em Taiwan

e, como tal, não pode expressar a sua vontade de assumir a responsabilidade do delito e de arcar com as consequências legais. A família da vítima não consegue que se faça justiça. Os apelos públicos da mãe exprimem a dor de alguém de perdeu um filho de forma brutal. A justiça de Taiwan fica abalada se o julgamento não se realizar. Se esta situação se mantiver, todos saem a perder. Chen Tongjia foi condenado em Hong Kong por ter usado o dinheito da vítima e foi preso. Agora vive numa zona desabitada. Embora já não esteja preso, tem uma vida muito restrita. Não pode ter contacto com o mundo exterior e não goza da liberdade de uma pessoa normal. Para além disso, como é muito conhecido, a sua história está sempre a circular na Internet. A “prisão perpétua” online é outro tipo de punição. Em Hong Kong, houve um terrível assassinato em 1985. As vítimas eram um homem e uma mulher britânicos. O homem foi espancado até à morte e a mulher violada e morreu porque lhe foi introduzido no ventre um objecto afiado. Como alguns dos criminosos eram menores, apesar de terem sido julgados e considerados culpados, a sentença não foi determinada. Quando Hong Kong regressou à soberania

Chen Tongjia ainda não foi julgado em tribunal e a situação está actualmente num impasse, o que não é bom para ninguém. Vale a pena reflectir sobre os desenvolvimentos deste caso

chinesa em 1997, a sentença foi finalmente proferida pelo Chefe do Executivo.Antes de tomar a sua decisão, o Chefe do Executivo recebeu inesperadamente uma carta dos familiares das vítimas e expressar o seu perdão e a pedirem uma pena mais leve para os agressores. Desta forma, acabaram por ter um castigo atenuado. Vinte anos mais tarde, em 2005, um polícia de Hong Kong descobriu, durante uma patrulha, um homem armado com uma faca e acabou por ser esfaqueado durante o interrogatório. Na sequência do ataque, ficou em estado vegetativo. Apesar de ter recebido os melhores cuidados médicos, não melhorou. O agressor foi libertado após ter estado vários anos na prisão. A família do polícia não perdoou o agressor, embora ele tenha sido preso e eles tenham sido indemnizados. A mulher do polícia diz apenas: “Estou sempre à espera de um milagre.” Existem precedentes em que a famíla da vítima perdoa os agressores e pede uma pena mais leve; mas também se verifica o contrário. Chen Tongjia ainda não foi julgado em tribunal e a situação está actualmente num impasse, o que não é bom para ninguém. Vale a pena reflectir sobre os desenvolvimentos deste caso.

Professor Associado da Escola Superior de Ciências de Gestão/ Instituto Politécnico de Macau • Consultor Jurídico da Associação para a Promoção do Jazz em Macau • legalpublicationsreaders@yahoo.com.hk • http://blog.xuite.net/legalpublications/hkblog


“Em política, a comunhão de ódios é quase sempre a base das amizades.” PALAVRA DO DIA

Alexis de Tocqueville

quarta-feira

27.10.2021

CHINA PILOTOS DE MACAU LIDERAM CAMPEONATOS

Somos rápidos

ONU ÁSIA TEVE O ANO MAIS QUENTE DE SEMPRE EM 2020

PUB PUB.

Ásia teve o ano mais quente de sempre em 2020, alertou ontem as Nações Unidas, antes da cimeira climática da COP26. No relatório anual sobre o estado do clima na Ásia, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) afirmou que toda a região tem sido afectada pelas alterações climáticas. "O clima extremo e as alterações climáticas na Ásia em 2020 causaram a perda de milhares de vidas, deslocaram milhões a mais e custaram centenas de biliões de dólares", disse a OMM num comunicado. "O desenvolvimento sustentável está em risco.Ainsegurança alimentar e hídrica, os riscos para a saúde e a degradação ambiental estão a aumentar", afirmou. No relatório, a OMM também faz um balanço das perdas económicas anuais devidas a risc os climáticos. Estes são estimados em 238 mil milhões de dólares na China, 87 mil milhões na Índia, 83 mil milhões no Japão e 24 mil milhões na Coreia do Sul. "Os riscos climáticos e meteorológicos, particularmente inundações, tempestades e secas, tiveram um impacto significativo em muitos países da região", disse o Secretário-Geral da OMM, Petteri Taalas, citado na mesma nota. Em 2020, as inundações e tempestades afetaram cerca de 50 milhões de pessoas e causaram mais de 5.000 mortes. O ano passado foi o mais quente de sempre na Ásia, com a temperatura média 1,39 graus Celsius acima da média de 1981-2010. No final de Junho de 2020, foram registados 38°C em Verkhoyansk, no nordeste da Sibéria, Rússia, que é provisoriamente a temperatura mais alta registada a norte do Círculo Ártico. No relatório observa-se também que as temperaturas à superfície do mar nos oceanos asiáticos estão a aumentar mais fortemente do que a média global. Os glaciares na Ásia estão a recuar a um ritmo acelerado e a OMM prevê que "a sua massa diminuirá em 20-40% até 2050, afectando a vida e a subsistência de cerca de 750 milhões de pessoas".

O HM ERROU

F4 CHINESE CHAMPIONSHIP

A

O primeiro evento da temporada teve quatro corridas e contou com a participação de quinze concorrentes (...) sem grande surpresa, o domínio esteve a cargo dos pilotos de Macau, com Charles Leong Hon Chio a vencer as quatro corridas

N

A véspera da conferência de imprensa do 68.º Grande Prémio de Macau, aqui ao lado, no Circuito Internacional de Zhuhai, o Campeonato da China de Fórmula 4 realizava a sua primeira corrida desde o Grande Prémio do ano passado, com total domínio dos pilotos da RAEM. O primeiro evento da temporada teve quatro corridas e contou com a participação de quinze concorrentes, um número que a organização espera ver crescer quando dentro de três semanas a caravana seguir até ao Circuito da Guia. Sem grande surpresa, o domínio esteve a cargo dos pilotos de Macau, com Charles Leong Hon Chio a vencer as quatro corridas. O piloto do território, que venceu o Grande Prémio na estreia da Fórmula 4 entre nós, apenas foi superado na primeira sessão de qualificação por um adversário, tendo estado praticamente inalcançável ao longo do fim de semana. Contudo, como Charles Leong não pode pontuar para o campeonato, pois a FIA não permite que anteriores vencedores dos campeonatos de Fórmula 4

possam marcar pontos em campeonatos da mesma categoria, o grande beneficiado foi outro piloto de Macau: Andy Chang Wing Chung. O ex-piloto da F3 britânica, que terminou no segundo lugar em 2020 na corrida de Fórmula 4 do Circuito da Guia, vai tentar este ano bater o seu conterrâneo na tarde do dia 21 de Novembro. Andy Chang terminou duas corridas no segundo lugar e outras duas no terceiro lugar, o que lhe dá a liderança do campeonato com 86 pontos, contra 61 do segundo classificado, Ryan Liu. O único campeonato chinês de monologares deveria prosseguir em Ningbo na próxima semana, mas a ronda deverá ser cancelada, com o objectivo de reduzir os custos antes do Grande Prémio. A prova de Zhuhai ficou marcada por dois episódios com carros que se incendiaram após acidentes, algo extremamente invulgar nos monologures construídos em França pela Mygale e motorizados pela chinesa Geely.

Ávila vence e lidera TCR

Rodolfo Ávila regressou à acção este fim de semana no Circuito

Internacional de Zhuzhou, na Província de Hunan, para mais uma prova conjunta do TCR Ásia, TCR China e Campeonato Chinês de Carros de Turismo - Super Classe (CTCC), conquistando dois triunfos no campeonato TCR China. O piloto português de Macau, que alinha num dos quatro MG 6 XPower TCR oficiais, lidera o campeonato com 113 pontos, mais dez que o segundo classificado, o chinês Wang Tao.

Rodolfo Ávila

Entretanto, por apenas estar concentrada no campeonato TCR China, a MG XPower Racing não vai participar este ano na Corrida da Guia do Grande Prémio, visto que a célebre prova de carros de Turismo apenas pontua para o TCR Ásia, em que os carros da rival Lynk&Co estão destacadamente à frente. O TCR China chega ao fim no primeiro fim de semana de Novembro em Xangai com mais uma jornada de quatro corridas. Sérgio Fonseca

Macau Pass Exigidos cartões com o nome do titular

O deputado Ngan Iek Hang, defende, em interpelação escrita, que deve ser criado um novo cartão de Macau Pass com o nome do titular, a fim de facilitar a identificação dos passageiros nos autocarros no caso da ocorrência de um novo surto de covid-19. Segundo o jornal Ou Mun, o deputado ligado à União Geral das Associações de Moradores de Macau lembrou que os utilizadores do actual Macau Pass podem sempre escapar à realização do teste de ácido nucleico ou à quarentena obrigatória pelo facto de no cartão não constar o nome. Ngan Iek Hang questionou ainda o Governo sobre as medidas de controlo dos pagamentos das tarifas de autocarro com dinheiro. Na mesma interpelação, o deputado questionou se o Governo vai reforçar a cooperação com as autoridades do interior da China a fim de evitar uma mudança repentina das políticas transfronteiriças. Ngan Iek Hang quis também saber que medidas estão tomadas para aumentar a taxa de vacinação no território.

Samsung Herdeiro multado em 52.000 euros por uso de propofol

O herdeiro e líder de facto do conglomerado sul-coreano Samsung foi multado ontem por uso ilegal de propofol, um potente anestésico, informou a agência noticiosa Yonhap. Lee Jae-yong, a 238.ª pessoa mais rica do mundo segundo a Forbes, foi multado em 52.000 euros pelo Tribunal Distrital de Seul. O empresário foi considerado culpado de usar propofol em várias ocasiões nos últimos anos, numa clínica de cirurgia plástica em Seul. O propofol, normalmente utilizado como anestésico em unidades cirúrgicas e de cuidados intensivos, é por vezes utilizado de forma recreativa como narcótico. Foi uma ‘overdose’ deste medicamento que, por exemplo, causou a morte do músico Michael Jackson em 2009. Lee Jae-yong, de 53 anos, é o vice-presidente da Samsung Electronics, o maior fabricante mundial de ‘smartphones’ e ‘chips’ de memória.


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.