Issuu on Google+

PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

MOP$10

Ter para ler

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • QUINTA-FEIRA 26 DE SETEMBRO DE 2013 • ANO XIII • Nº 2943

NOS ÚLTIMOS TRÊS ANOS, OFERTA DE TRABALHO CONTINUA A SUPERAR A PROCURA

GOVERNO APRESENTA O NOVO BIR, UM “CARTÃO INTELIGENTE SEM CONTACTO”

PÁGINA 5

PÁGINA 2

• OFERTA AOS VISITANTES

Turismo criou quatro novos itinerários turísticos PÁGINA 4

OPINIÃO

O DR. COUTINHO E A EJACULAÇÃO PRECOCE

por Carlos Morais José

PÁGINA 18

• AVIAÇÃO CIVIL

Portugal quer ajudar China a coordenar espaço aéreo PÁGINA 6

PUB

BULLYING Psicóloga pede atenção governamental

Ele está no meio de nós Sempre existiu mas, nos tempos que correm e com a globalização, é cada vez mais um problema das sociedades modernas. Quadros de depressão, ansiedade e tentativas de suicídio são as repercussões mais comuns de actos de agressão e humilhação entre crianças e jovens. Ouvida pelo HM, a psicóloga Filipa Freire chama a atenção do Governo e fala da necessidade da criação de uma base de dados sobre o problema, uma vez que o conhecimento sobre bullying “é limitado”. PÁGINA 3

MÚSICA

MOONSPELL ESTREIAM-SE EM PEQUIM

PÁGINA 14


2

POLÍTICA

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

GOVERNO ANUNCIA NOVO BIR, QUE PASSA A SER “CARTÃO INTELIGENTE SEM CONTACTO”

Documento de cara lavada JOANA FREITAS

joana.freitas@hojemacau.com.mo

O

S Bilhetes de Identidade de Residente (BIR) vão mudar de cara.Apartir de 31 de Outubro, os documentos de identificação serão mais modernos, passando a ser do tipo “cartão inteligente sem contacto”. Ou seja, os ‘chips’ que, actualmente, se encontram na parte exterior, vão ser introduzidos dentro do cartão. Isto vai acabar com o incómodo de se perder ou desgastar a peça metálica e permitir que o cartão possa ser lido sem ter de ser introduzido nas máquinas de leitura. “Nas fronteiras, as pessoas não precisam de colocar o cartão

BIR, a partir do dia 31 de Outubro

na ranhura, basta colocar em cima do leitor para que seja efectuada a leitura do código”, explicou Lai Ieng Kit, director dos Serviços de Identificação (DSI), acrescentando que continua a ser necessária a impressão

BIR actual

digital. Para quem tem registo nos canais electrónicos das fronteiras, o sistema mantém-se o mesmo. Uma das melhorias neste novo cartão é o aumento da segurança face a possíveis falsificações. O novo BIR

adopta técnicas mais avançadas – como uma fotografia numa espécie de marca de água e inscrições a alto relevo. “São características mais perceptíveis ao tacto, que garantem um mais alto nível de protecção contra a

falsificação”, explica Lai, apesar de garantir que há registo de casos de falsificações de BIR em Macau.

PRÁTICO E “POUPADO”

A substituição pode ser feita de forma natural, isto é, os

AU KAM SAN CRITICA INSTALAÇÕES SUSPENSAS DA HABITAÇÃO PÚBLICA DE SEAC PAI VAN

“Médico apenas às quartas-feiras” cecilia.lin@hojemacau.com.mo

A

habitação publica em Seac Pai Van já está completa há alguns meses mas as instalações de apoio, nomeadamente, equipamentos sociais, ainda estão em falta uma vez que ainda não se encontram em funcionamento. Ontem, por meio de interpelação escrita ao Governo, o deputado Au Kam San, da associação Novo Macau, identificou os principais problemas em Seac Pai Van: não há escola, nem médico, nem mercado. “Para realizar o compromisso de 19 mil unidades de habitação pública, o Governo desistiu de construir outras instalações e concentrou-se apenas no imobiliário. Contudo, quando acabou as obras de habitação deixou suspensas, por exemplo, a escola, o centro de saúde e o mercado”, criticou o deputado. Au Kam San apontou ainda que as terras de CN6 a, b, c, d onde deveriam construir a escola, a mercado, a biblioteca, o centro de saúde, o lar

para os pacientes mentais, o auto-silo e a estação de autocarros ainda não apresentam nada em funcionamento. “Segundo o plano anterior, as creches e a escola primária poderiam entrar em vigor no próximo ano em Setembro. Contudo, como agora ainda não há nada, será possível estar pronto tudo isso no próximo ano?Aliás, o mercado que os moradores precisam todos os dias também estará construído em breve?” questionou. “O centro de saúde também não tem calendário para estar concluído embora actualmente já exista um na comunidade a título provisório, no entanto, apenas às quartas-feiras há médicos ao serviço, e nos restantes dias estão unicamente enfermeiras a trabalhar. Isso obviamente não pode satisfazer a necessidade dos moradores.” Au Kam San recomenda que, antes do centro de saúde estar em funcionamento, se possa adicionar mais serviços de saúde, incluindo o estender da hora de serviço bem como garantir que todos os dias haja médicos.

TIAGO ALCÂNTARA

CECÍLIA LIN

A substituição pode ser feita de forma natural, isto é, os residentes podem esperar pela necessidade de renovação do documento, até porque o BIR actual continua a ser válido. Quem tiver BIR vitalício não precisa sequer de mudar para o novo residentes podem esperar pela necessidade de renovação do documento, até porque o BIR actual continua a ser válido. Quem tiver BIR vitalício não precisa sequer de mudar para o novo. No total, há 640 mil BIR emitidos, apesar de Macau contar apenas com cerca de 550 mil residentes. Dentro destes números, mais de 50 mil são documentos pertencentes a idosos, que não precisam de ser substituídos. O Governo prevê que, desde o próximo ano e durante três anos seja “o pico de substituição” dos cartões, uma vez que a maioria dos cartões válidos por dez anos expiram em 2014. A mudança de equipamentos e do sistema de software para a emissão dos novos cartões inteligentes custou aos cofres do Executivo cerca de 48 milhões de patacas, mas a DSI garante que o investimento vale a pena. “O novo sistema não precisa de ser reparado tantas vezes, sendo que a manutenção fica apenas por 2,8 milhões de patacas, que é mais barato que o anterior [sistema]. Como não precisámos de reparar tantas vezes, poupamos mais de vinte milhões de patacas.”


SOCIEDADE

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

3

BULLYING PSICÓLOGA CHAMA A ATENÇÃO PARA A NECESSIDADE DA CRIAÇÃO DE UMA BASE DE DADOS

Prevenção e intervenção precisam-se

O levantamento de dados sobre bullying é muito limitado em Macau. Quem o diz é Filipa Freire, uma psicóloga clínica e de aconselhamento, que vai ser oradora no workshop “Bullying: O que todos os adultos precisam de saber”, organizado pela Be Cool na próxima sexta-feira, ao pedir atenção governamental para um problema que deve ser alvo de prevenção e intervenção em terreno conhecido RITA MARQUES RAMOS rita.ramos@hojemacau.com.mo

A

S consequências físicas e psicológicas do bullying já têm vindo a ser desvendadas. Quadros de depressão, ansiedade e tentativas de suicídio são repercussões de actos recorrentes de agressão e humilhação sobre crianças e adolescentes nas escolas. Felizmente, em Macau, o caso não é, até ao momento, muito complexo. Ainda assim, nada é certo, porque a investigação não é feita a fundo. O alerta é dado pela psicóloga clínica e de aconselhamento Filipa Freire, com experiência em contexto comunitário, que vai dar uma palestra na Be Cool, na Taipa, sobre “Bullying: O que todos os adultos precisam de saber”, na próxima sexta-feira, às 19 horas, aberta a todos os interessados, que terá o apoio também do Instituto de Acção Social (IAS). “A necessidade de informação para trabalhá-la é fundamental porque senão não sabemos muito bem onde estamos a intervir e intervimos no vazio. E há que fazer um levantamento de necessidades e essa é uma das minhas principais preocupações”, explica a especialista da Clínica Maló. “Deveria ser estudada a fundo a situação real de Macau neste momento sobre o bullying e depois criar programas de prevenção e de intervenção que pudesse envolver tanto a escola como os pais e alunos bem como a comunidade.” A psicóloga entende que esta é uma necessidade premente que, a concretizar-se num futuro próximo, poderá ser “bastante positivo para se fazer intervenções concertadas a vários níveis”. “Há algumas estratégias que as escolas poderiam trabalhar no sentido de criar um ambiente positivo, existir uma maior vigilância, criar grupos de trabalho sobre bullying, não só com alunos mas também pais. Criar laços”, frisa. E, neste aspecto, reconhece que o teatro-fórum, técnica muito utilizada na América do Sul, seria um bom meio de actuação porque a partir da dramatização, em que a plateia participa activamente no desfecho da narrativa, pode-se mais facilmente intervir. Os últimos dados conhecidos, compilados pela Direcção dos

Há algumas estratégias que as escolas poderiam trabalhar no sentido de criar um ambiente positivo, existir uma maior vigilância, criar grupos de trabalho sobre bullying, não só com alunos mas também pais. Criar laços FILIPA FREIRE Psicóloga

Serviços de Educação e Juventude (DSEJ), indicam que se registaram 148 casos que envolveram vítimas de bullying, menos 11 por cento face ao ano lectivo anterior. Mas sobre a nova variante deste fenó-

meno, o cyberbullying, ou “acto ou comportamento agressivo feito não de uma forma pessoal e evidenciada mas de forma anónima utilizando os componentes electrónicos”, apenas surge num relatório de 2010 da Polícia Judiciária (PJ) que dá conta de quatro queixas, lembra Filipa Freire.

O BULLYING E AS DROGAS

A iniciativa da Be Cool, projecto da Associação de Reabilitação de Toxicodependentes de Macau (ARTM), que todos os meses faz workshops com temáticas variadas, pretende com a escolha deste tema demonstrar a ligação directa entre o consumo de substâncias psicotrópicas e este fenómeno. “Fazemos este workshop para consciencializar os pais para tomar atenção aos filhos. Se há vários factores de risco para que as crianças comecem a tomar drogas, acreditamos que um deles é o bullying”, explica Fiona Tam, monitora de actividades e conselheira no Be Cool. “Nunca tivemos nenhum

caso destes na instituição mas, de acordo com a nossa experiência, o bullying cria stress e este é um factor determinante para o uso de drogas”, salienta. Os efeitos das drogas, de resto, podem ser sentidos tanto nas vítimas como nos agressores, realça Filipa Freire. “O consumo de substâncias quer de álcool, tabaco ou droga nas vítimas de bullying são alguns dos factores associados ao bullying, não só por parte das vítimas mas dos agressores. Há estudos que parecem indicar que existe uma grande proximidade ou o desenvolvimento de um padrão ao nível de delinquência. Esse pode conduzir para uma menor saúde mental e consequências de dependência”, evidencia. De resto, são também os agressores que podem ser vistos como “vítimas” na medida em que “estão expostos a comportamentos agressivos em casa” ou por “não existir um acompanhamento dos pais a essa criança, uma não vigilância e a não existência de diálogo

para com estas crianças”, explica a especialista. “Este é um padrão de educação não positivo o que faz com que pensem que é o mais adequado para a resolução desses problemas. Há mesmo um estudo brasileiro que mostra que a grande maioria dos agressores sente-se mal após esse acto de agressividade para com o outro”, frisa. Mas não há dúvida que são os visados nesses actos que devem conseguir arranjar armas de defesa que passam, antes demais, pelo diálogo com os pais ou algum adulto da sua confiança com “quem possa partilhar o problema”. “A estratégia passa também pelo aluno não valorizar o agressor pode retirar-lhe alguma importância e fazer com que o acto perca força”, explica Freire. Aos pais, mais uma chamada de atenção, é preciso estar preparado para que as crianças com dificuldades cognitivas, de aprendizagem ou provenientes de grupos desfavorecidos, possam ser os “estereótipos” das vítimas de Bullying.


4 sociedade

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

TURISMO DST CRIA QUATRO NOVAS ROTAS PARA ALIVIAR PRESSÃO DO CENTRO HISTÓRICO

Sentir Macau, a pé A Direcção para os Serviços de Turismo (DST) criou quatro itinerários turísticos fora do centro histórico, ainda antes da semana Dourada, mas a medida cria dúvidas a especialistas do sector CECÍLIA LIN

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

JOANA FREITAS

joana.freitas@hojemacau.com.mo

A

partir de sexta-feira, a Direcção dos Serviços de Turismo (DST) lança quatro novos roteiros turísticos, com o intuito de dividir o fluxo de turistas e aliviar, assim, a pressão do centro histórico. Mas a medida ainda está a dar que falar entre os profissionais do sector. Para o presidente da Associação de Indústria Turística de Macau (AITM), Andy Wu, quanto mais escolhas tiverem os turistas, melhor. A introdução de novos itinerários, diz, contribui de forma positiva para a indústria turística do território, podendo até aumentar o tempo de estadia dos visitantes que têm mais escolhas do que fazer na RAEM. “O fundamental é como equilibrar o mercado, ou seja, como desenhar itinerários para diferentes propósitos”, disse na conferência de imprensa da Expo Internacional de Turismo de Macau 2013, citado pelo jornal Ou Mun. O responsável aponta que, uma vez que cada itinerário precisa de uma ou duas horas a pé para ser completado, isto pode estender o tempo de permanência dos turistas em Macau, ficando até dois dias inteiros, ao invés do actual um dia registado. Os quatro roteiros passam por zonas mais comunitárias da cidade, como por exemplo da Doca dos Pescadores ao Templo de Á-Má. Andy Wu aponta que este itinerário (definido com o número 4, ver caixa) é um itinerário importante de Macau e é adaptado para toda a família, mas “é um pouco longo”. O responsável sugere que se divida em duas partes:

uma a partir Doca dos Pescadores até à Torre de Macau – que pode ser para os mais jovens – e outra desde a Torre ao templo, que pode ser feito pelos mais idosos. Mas, deixa ainda outras sugestões. “Os turistas normalmente reúnem-se na zona do Leal Senado, mas nunca se estendem além disso. Se os terminais de autocarros e táxis pudessem chegar até ao Ponte 16, conseguiria aliviar-se a pressão da Avenida Almeida Ribeiro.” Wu aponta ainda que as pequenas e médias empresas (PME) de Macau localizadas ao redor dos novos itinerários também podem aproveitar o fluxo de visitantes. Contudo, salienta, o Governo precisa de acrescentar mais áreas de descanso, casebres e máquinas de bebidas. A DST compromete-se a contactar as agências de viagens estrangeiras para “visitas de familiarização a Macau”, incentivando as agências de viagens a organizarem viagens turísticas mas tendo como referência estes novos roteiros. O plano “Sentir Macau passo-a-passo” não acaba aqui e a DST garante que “estão a planear mais roteiros, incluindo nas Ilhas, sendo que serão divulgados no próximo ano”. Anteriormente, o Governo também tinha afirmado estar a analisar a possibilidade de ser usado um “autocarro verde” para transportar os turistas entre os diversos locais do património, a fim de evitar poluir os monumentos. Andy Wu salienta que, para os itinerários tenham sucesso,

o Executivo terá de estender este serviço também nestas zonas. A questão do transporte é também levantada pela Associação de Beneficência e Assistência Mútua dos Moradores do Bairro O Tâi. O seu presidente, Chan Peng Hong, disse ao Ou Mun que faltam instalações nos itinerários propostos e ainda que não haja transportes convenientes, os turistas podem não querer experimentá-los.

NOVOS ITINERÁRIOS PARA VISITAR MACAU 1. PASSEIO PELOS LOCAIS HISTÓRICOS Avenida da Praia Grande - Estação Central dos Correios de Macau - Edifício do Leal Senado - Largo do Senado - Igreja de S. Domingos - Sam Kai Vui Kun (Templo de Kuan Tai) - Casa de Penhores Tradicional Arquivo Histórico da Associação Beneficência Tung Sin Tong - Associação Seong Ka Mok Ngai - Travessa do Mastro - Rua da Felicidade - Teatro Cheng Peng - Rua da Caldeira - Porto Interior - Casa de Ópio - Praça de Ponte e Horta. 2. PASSEIO PELA NATUREZA E CRIATIVIDADE Pagode Pou Chai Sim Iun (Templo de Kun Iam Tong) - Museu das Comunicações - Reservatório de Macau - Teleférico da Guia - Fortaleza da Guia - Praça do Tap Seac - Casa Memorial do Dr. Sun Yat Sen - Jardim Lou Lim Ieoc - Igreja de S. Lázaro 3. ENCONTRO ENTRE O ORIENTE E O OCIDENTE Largo do Senado - Largo de Santo Agostinho - Igreja de S. Lourenço - Seminário e Igreja de S. José - Casa do Mandarim - Largo do Lilau Templo de A-Má - Museu Marítimo 4. PASSEIO PELA ARTE E CULTURA Doca dos Pescadores - Centro Cultural de Macau Museu de Arte de Macau - Museu das Ofertas sobre a Transferência de Soberania de Macau - Centro de Ciência de Macau - Centro Ecuménico Kun Iam - Torre de Macau - Templo de A-Má

TRICICLOS TAMBÉM QUEREM PARTICIPAR Os condutores de triciclos disseram ao jornal Ou Mun que há itinerários onde o acesso aos triciclos é possível, mas, alguns deles, nem sabiam dos novos roteiros. O senhor Leong, profissional há mais de dez anos, considera os triciclos um símbolo de Macau, mas critica o facto de apenas estarem disponíveis no Terminal Exterior e no Hotel Lisboa. O condutor diz esperar que o Governo aumente os itinerários para os triciclos, a fim de “promover o turismo de Macau para todos os sectores”. Um dos problemas, ainda que não apoquente muito os entrevistados pelo Ou Mun, é que os itinerários que a DST promove para os pedestres, são muitas vezes usados pelos triciclos.

NOVA LEI DA CHINA PODE CAUSAR PERDA DE MILHÕES DE TURISTAS Na secção de Economia do jornal Ou Mun, o director da Associação das Agências de Viagens de Macau (AAVM), Alex Lau, assegura que poderá haver uma redução de quase um milhão de visitantes do continente por causa de nova Lei de Turismo da China, que vai entrar em vigor no próximo dia 1 de Outubro. A nova lei insta a que as agências de turismo obriguem os turistas a fazer compras em lojas definidas, sendo compensados, contudo, no preço mais barato das viagens. Alex Lau aponta que, no início, os turistas vão pensar que a tarifa para viajar para Macau é mais cara, mas depois vão perceber que essas tarifas já incluem o que se pagará na viagem, sendo que a situação vai ser melhorada. Contudo, Lau prevê que, nos primeiros três meses, Macau venha a ter menos um milhão de turistas do continente.


sociedade 5

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

joana.freitas@hojemacau.com.mo

N

O ano passado, houve menos pessoas a pedir emprego apesar das muitas ofertas de trabalho. Dados compilados no relatório anual de actividades da Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL), e analisados pelo HM, mostram uma diferença notória entre os pedidos e as ofertas de emprego: mais de 265 mil empresas pretendiam recrutar trabalhadores, mas apenas 7975 pedidos de trabalho foram entregues ao organismo. Desde 2010 que a tendência tem sido esta. Enquanto as ofertas sobem, desce a procura, notando-se, por exemplo, um decréscimo de 25,6% face aos pedidos de emprego feitos à DSAL em 2011 e realizados no decorrer do ano passado. Já as ofertas de trabalho subiram 18%.

Em 2012, cerca de 62 pessoas com deficiência apresentaramse pela primeira vez na DSAL para pedir trabalho. Dos que conseguiram ser contratados, 29,4% sofriam de deficiência nos membros e 27,5% eram surdos Para a DSAL, a “construção de projectos de grande envergadura na área do entretenimento contribuiu para que a situação de emprego em Macau se mantivesse satisfatória”. De acordo com os dados oficiais, uma das profissões mais procuradas é precisamente na área da construção civil, seguida do sector da segurança. Não são, no entanto, estas as áreas que mais pedem profissionais. A maioria das ofertas de emprego foi para empregados de mesa – mais de 30 mil – e para pessoal

EMPREGO MAIS DE 200 MIL OFERTAS EM 2012, MAS PEDIDOS NÃO CHEGAM A DEZ MIL

Macau das maravilhas Desde há três anos que a oferta de emprego supera a procura mostrando que, em 2012, houve menos 26% a pedir emprego do que no ano anterior. Os dados são da DSAL, que indica ainda que a construção de projectos de grande envergadura contribuiu uma situação estável no emprego do território de limpeza. Já as respostas a estas ofertas ficaram-se muito abaixo destes números: apenas 353 pessoas se ofereceram para trabalhar em restaurantes ou cafés e cerca de 467 quiseram ingressar na área das limpezas. Segundo o relatório, quem pede emprego são pessoas sem formação ou estudos. “As profissões mais procuradas pelos candidatos são as que exigem técnicas profissionais de baixo nível e em que o salário médio oferecido pelos empregadores é mais baixo do que o pretendido pelos candidatos”, revela a DSAL. O organismo conseguiu colocação para 3237 pessoas entre todos os candidatos a um emprego.

ENSINAR A TRABALHAR

No último trimestre do ano passado, a taxa de desemprego desceu para um “mínimo histórico”, atingindo apenas 1,9%. A DSAL atribui parte deste fenómeno à abertura de mais cursos de formação profissional. “Em 2012, foram abertos 448 cursos de formação [mais de dez são novos] que contaram com a participação de mais de 11 mil formandos.” A maioria destes – 55% - escolheu integrar o sector industrial e do comércio, que

foi também o que teve mais cursos abertos. Má pontuação para a área da indústria transformadora – que teve apenas um formando – e das telecomunicações, que contou com dois alunos. “Durante o período de formação, os formandos com uma taxa de presença de 80% recebem um subsídio de formação até 3500 patacas por mês”, salienta a DSAL. “Em 2012, graduaram-se 34 formandos, tendo 13 sido contratados pela empresa onde realizaram estágios. No espaço de um mês após a conclusão do curso, 29 formandos conseguiram emprego.”

3237

é o numero de pessoas que conseguiu colocação em empregos pela DSAL

No ano passado, ainda se registaram 763 pessoas que conseguiram receber um certificado de aptidão profissional, em áreas tão diferentes que vão desde electricista até floristas ou esteticistas. Em 2012, a mediana do rendimento mensal subiu ainda 20% face a 2011, para as 12 mil patacas.

A DSAL recebeu 18 novos pedidos de licenciamento de agencias de emprego só no ano passado, tendo renovado 110 licenças e cancelado seis

TIAGO ALCÂNTARA

JOANA FREITAS

PUB


6 sociedade

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

AVIAÇÃO ‘KNOW-HOW’ DE PORTUGAL PODE AJUDAR AUTORIDADES CIVIS E MILITARES DA CHINA

Rota em linha recta é visão a vender Fazer viagens em linha recta, de forma a reduzir o combustível ao máximo, é algo em que Portugal foi pioneiro. Quem o garante é Luís Coimbra, o presidente da NAV -Navegação Área de Portugal, que entende que esta é uma experiência que pode ser passada à China, numa missão que remete para que autoridades civis e militares entrem em coordenação RITA MARQUES RAMOS rita.ramos@hojemacau.com.mo

S

OMOS pioneiros na Europa em ‘free route’, ou seja, os aviões podem andar em linha recta, um conceito que reduz ao máximo possível o consumo de combustível”, começa por destacar Luís Coimbra, presi-

dente da NAV - Navegação Área de Portugal, à margem da 4.ª Conferência de Aeroportos da China e dos Países de Língua Portuguesa, um evento de três dias com lugar no hotel Grand Hyatt. Este desenho do espaço aéreo, encontrado na região de informação de Lisboa, e que virá a estar disponível na região de informação de voo

de Santa Maria (que representa um terço do Atlântico norte em termos de espaço aéreo), também sob a responsabilidade desta empresa pública, pode vir a ser adoptada pela China. Para tal, o Governo português presta-se a partilhar experiências sobre esta matéria. “Podemos oferecer aos chineses aquilo que conseguimos resolver

ANA EXCLUIU-SE NAS NEGOCIAÇÕES DE LIGAÇÃO DIRECTA ENTRE CHINA E PORTUGAL Depois de Adolfo Mesquita Nunes, secretário de estado do Turismo português, ter referido em Macau, no âmbito do Fórum de Economia e Turismo Global na passada semana, que está a ser trabalhada a ligação aérea directa entre a China e Portugal, a ANA – Aeroportos de Portugal rejeita interferências nesse processo de negociação inter-governamental. “Não tenho novidades relativamente a essa matéria. É um assunto que tem sido

reflectido. A seu tempo seguramente será encontrada uma viabilidade para essa realidade. Essa é uma matéria que não tem directamente a ver com a ANA”, garantiu Mário Lobo, membro do Conselho de Administração da empresa recémprivatizada que gere os aeroportos portugueses. De outro modo, à margem da 4.ª Conferência de Aeroportos da China e dos Países de Língua Portuguesa, o responsável explicou que há vontade em alargar

a cooperação, por meio de um memorando de entendimento, entre a empresa e a CAM - Sociedade do Aeroporto Internacional de Macau, mesmo depois de finda a participação da ANA. “A disponibilidade para cooperar com a CAM mantém-se ao nível de formação e de apoio de planeamento e gestão aeroportuária. Temos mantido a cooperação ao longo dos anos mesmo depois de 2009 e queremos que seja reforçada”, revela Lobo.

com a Força Aérea Portuguesa, ou seja, para andarmos em linha recta é forçoso que haja uma grande coordenação entre as autoridades civis e militares”, começou por dizer. “Isso, por enquanto, na China ainda não acontece. Os aviões têm que muitas vezes alterar o seu percurso devido a limitações do espaço aéreo reservado à força militar chinesa, estamos completamente abertos para contar qual foi a nossa experiência enquanto prestadores de serviços de navegação aérea civil e força aérea - que também é um prestador de serviços, na medida em que faz a busca e salvamento em caso de necessidade no Atlântico, e não só - e estamos abertos a essa cooperação”, deixou em aberto Coimbra, um dos oradores do painel sobre “Coordenação e Desafios do Controlo de Tráfego Aéreo”, que teve lugar na manhã de ontem, segundo dia do evento. Mas não é só por aí que Portugal pode ser útil à China. Mais uma vez, o responsável da NAV enaltece os feitos do país, ao nível do espaço aéreo, acrescentando que o sistema de navegação é, actualmente, “o mais moderno do mundo”. “Para além disso, porque somos pioneiros, não na zona da Ásia-Pacífico, mas Atlântico Norte e Sul, das ligações entre a Europa e Estados Unidos, sem passar pela rota circular norte, a interoperabilidade dos sistemas, a modernização dos equipamentos

LIGAÇÃO AÉREA ENTRE MACAU E ÍNDIA ESTE ANO Os voos entre Macau e a Índia podem começar a ser efectuados ainda este ano. A garantia foi dada pelo director do Aeroporto Internacional de Macau, António Barros, à Rádio Macau. “Aponto para que ainda podemos ter voos entre Macau e Índia este ano”, adianta o responsável, sem antecipar uma data concreta para o arranque da ligação área. “Depende da companhia, que está a fazer toda a sua preparação”, nota. A SpiceJet será a responsável pela ligação com partida e destino em Nova Deli, tal como avançou o Business Daily em Agosto. No entanto, as primeiras previsões apontavam para que os voos só começassem a estar disponíveis em Março do próximo ano.

de última geração, que já temos instalados em Portugal, são boas indicações para que a China possa aprender connosco.” Luís Coimbra lembra ainda que, hoje em dia, há já uma boa cooperação com a China, e Macau incluído, sendo que anualmente é dada formação a, pelo menos, 12 controladores de tráfego aéreos chineses em Lisboa.


sociedade 7

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA GOVERNO NÃO VOLTA ATRÁS NEM REPETE CONSULTA

Qual crime público, qual quê A proposta de lei da Violência Doméstica não irá contemplar o acto como sendo um crime público. A certeza foi dada ontem à Rádio Macau pelo Instituto de Acção Social (IAS), que revelou não haver qualquer intenção por parte do Governo de reabrir a consulta pública sobre o tema, depois da questão ter sido bandeira da maioria das listas candidatas à Assembleia Legislativa (AL) pela via directa. O IAS explicou que respeita as diversas posições que existem sobre a questão, mas também deu a garantia de que o articulado foi “revisto adequadamente” e “de acordo com as opiniões e sugestões recolhidas junto de diferentes sectores sociais”. Por outro lado, acrescentou IAS, no Código Penal “não são poucos os actos

PUB

envolvidos em violência doméstica” que caem na definição de crime público. Entre eles, os que envolvem “ofensas a menores” ou “ofensas graves”. Já os actos de ofensa considerados

“leves” ficam “dependentes da vontade e queixa da vítima”, explicou o instituto à Rádio Macau. A nova proposta de lei prevê, de acordo com o IAS, um reforço das

medidas de garantia de protecção e apoio à vítima, como o alojamento temporário, a assistência médica e económica, o aconselhamento e ainda a prestação de informação

jurídica. Ao mesmo tempo, o IAS explica que vai ter “a faculdade de ordenar ao agressor que aceite o serviço de aconselhamento”, sob pena de ter de “assumir as responsabilidades penais” – o objectivo, segundo o instituto, é “combater e reprimir actos de violência doméstica, para salvaguardar a harmonia familiar”. Também ontem, as activistas Cecília Ho e Juliana Devoy admitiram ao jornal Ponto Final a possibilidade de levar a problemática da violência doméstica ao Comité dos Direitos Humanos das Nações Unidas, durante o próximo 2014, através da apresentação de um relatório daquilo que se passa em Macau. A iniciativa, a tomar, só acontecerá caso a proposta de lei venha a ser aprovada sem a classificação destas agressões como crime público.

Maus tratos contra os animais com sanções pesadas

O Instituto para os assuntos Cívicos e Municipais (IACM) revelaram ontem que já acabaram de fazer a proposta de lei da protecção animal. O presidente do instituto, Alex Vong afirmou mesmo que espera ver o articulado aprovado ainda este ano. Ng São Hong, membro da comissão de gestão do IACM, afirmou que as multas são pesadas e podem ir até às 100 mil patacas. Contudo, nem tudo são evoluções. O mesmo responsável deu a entender que ainda é cedo para passar as sanções administrativas a criminosas, mas acredita que os valores das multas vão deixar as pessoas a pensar antes de terem vontade de fazer algum mal aos animais. Com a nova proposta de lei, o IACM fica igualmente com capacidade de execução de coimas, não necessitando de trabalhar com a polícia para fazer exercer a lei.


8

CHINA

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

CORRUPÇÃO OFICIAIS VÃO SOFRER AUDITORIAS ANTES DE PROMOÇÕES

Empregados das empresas europeias com capitais chineses quase quintuplicaram O número de pessoas a trabalhar em empresas europeias com capitais chineses quase quintuplicou em 2012, somando cerca de 124.000 em Janeiro passado, indica um estudo citado ontem no jornal China Daily. “Investimento da nação ajuda a criar empregos e salva postos de trabalho na Europa”, diz o jornal ao anunciar as conclusões do relatório sobre Investimento Sino-Europeu em 201112 elaborado pela Escola de Gestão de Antuérpia, na Bélgica. O estudo, envolvendo 35 países (mais sete do que os 28 membros da União Europeia), concluiu também que, em Janeiro de 2013, o número de empresas com participação chinesa atingiu os 7.148, contra 4.525 um ano antes. Quanto aos postos de trabalho, o número subiu de 27.381 para 123.780. O valor dos activos daquelas companhias subiu ainda mais, de cerca de 150.000 milhões de patacas para cerca de 880.000 milhões de patacas, indica a mesma fonte.

Combate chega ao exército O S oficiais militares da China devem passar por uma auditoria completa antes de serem promovidos ou de passarem à reforma, anunciou ontem a Comissão Militar Central. Os oficiais militares a serem recomendados como candidatos para postos de nível de comandante de regimento ou superior, aqueles que se aposentarão, assim como os que serão transferidos para postos civis terão

de sofrer uma auditoria antes de deixar os seus postos, de acordo com a directriz. A acção “terá um impacto significante e de longo prazo na intensificação da administração e supervisão dos oficiais militares, na melhoria do seu estilo de trabalho e na luta contra a corrupção”, acrescenta a directriz da Comissão Militar. A auditoria concentra-se na posse de bens imóveis dos oficiais, no seu uso do poder, e

nas viaturas oficiais, entre outras coisas. Os oficiais de unidades ou empresas afiliadas ao exército também serão incluídos na auditoria. Os oficiais militares serão transferidos ou removidos de seus postos actuais se falharem em “cumprir as suas responsabilidades económicas” ou se violarem seriamente os regulamentos, de acordo com a nota. A acção para promover estilos de trabalho limpo no exército

faz parte da campanha mais abrangente contra a corrupção lançada pelo Partido Comunista da China no final de 2012. No combate ao abuso do poder e à corrupção, o exército chinês adoptou novas placas de veículos militares em Maio. Os veículos militares possuíam privilégios legais, que incluíam várias isenções como as tarifas de estacionamento, e no passado eram dados a amigos e familiares dos oficiais como favores.

Duas companhias aéreas chinesas encomendaram 43 aviões A320 à Airbus

A Qingdao Airlines solicitou 23 aeronaves, enquanto a Zhejiang Loong Airlines 20, disse ontem, em comunicado, a fabricante europeia. As viagens aéreas têm vindo a crescer de forma constante na Ásia e noutros mercados emergentes, com as viagens de passageiros na China a subirem 9% em 2012 face ao ano anterior. “Saudamos a Qingdao Airlines como novo membro da grande família Airbus”, disse o director da área de clientes da Airbus, John Leahy, num comunicado, citado pela AFP, acrescentando que “o compromisso da Zhejiang Loong Airlines é outro voto de confiança para a (…) popular família A320”. Na sua previsão anual para a indústria, divulgada na terça-feira, a Airbus prevê que a Ásia-Pacífico ultrapasse a Europa e a América do Norte em termos de tráfego aéreo em 2032.

BC chinês altera comité de política monetária

O comité de política monetária do Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) foi alterado, informou o Conselho de Estado esta quarta-feira. O Comité continua a ser chefiado pelo presidente do banco central chinês, Zhou Xiaochuan, e possui 15 membros, de acordo com um comunicado na página oficial do PBoC. Entre os novos membros, figuram nomes como Xiao Jie, vice-secretário-geral do Conselho de Estado, Wang Bao’an, viceministro das Finanças, Pan Gongsheng, vice-presidente do PBOC, Xiao Gang, chefe da Comissão Reguladora de Valores Mobiliários (CRVM) da China, e Hu Huaibang, chefe da associação de bancos do país. Os três académicos - Qian Yingyi, Chen Yulu e Song Guoqing – vão permanecer no comité, que se reúne trimestralmente e faz sugestões políticas.

VENDAS DE SMARTPHONES DEVEM ULTRAPASSAR OS 450 MILHÕES EM 2014

Subida de 25 por cento A China, o maior mercado de smartphones do mundo, venderá provavelmente mais de 450 milhões de aparelhos em 2014, o que representa uma subida de pelo menos 25 por cento em relação a este ano, segundo o centro de pesquisa IDC. O IDC anunciou que o aumento será impulsionado pela emissão de licenças 4G pelo governo e pelas expectativas

de que a China Mobile, a maior operadora wireless do mundo, comece a vender iPhones. Espera-se que a China, um mercado dominado pela Samsung e pela Lenovo, faça remessas de 120 milhões de smartphones com tecnologia 4G para corresponder à procura dos consumidores pela conectividade com a Internet. Segundo o IDC, a expectativa é de que as vendas cheguem aos 360 milhões.

A Samsung e a Lenovo mantiveram a liderança no mercado chinês no segundo trimestre, com participações de 18,5 e 9,8 por cento respectivamente, enquanto que o Coolpad da China Wireless Technologies subiu à terceira posição do mercado desde o trimestre passado. A participação de mercado dos iPhones da Apple caiu para cinco por cento, chegando à sexta posição no segundo

trimestre, sendo que há um trimestre atrás detinha nove por cento de participação e estava colocada na quinta posição, segundo os analistas da IDC. A participação de mercado da gigante de tecnologia dos EUA sofre normalmente uma queda um ou dois trimestres antes do seu próximo lançamento. Actualmente, apenas a China Unicom e a China Telecom vendem iPhones no país.


china 9

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

J

Á diziaAristóteles e pode aplicar-se à relação entre a China e a Venezuela. As oportunidades abertas para a América do Sul, por uma China preocupada em assegurar o seu abastecimento de matérias-primas, tornaram-se ainda mais claras neste fim de semana. Os riscos desta aposta, também. O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, viajou à capital chinesa, entre sexta-feira e domingo, acompanhado de uma comitiva de ministros. Firmou nada menos de doze acordos relevantes, que garantem financiamento de cerca de 40 biliões de dólares ao seu país – hoje em dificuldades para saldar compromissos externos. Em contrapartida, ofereceu a Pequim ampla participação em sectores estratégicos da economia venezuelana. E abriu aos parceiros, segundo as suas próprias palavras, um caminho “não somente para o mercado e para a economia venezuelana, como também uma plataforma ao mercado e à economia integrada que está a surgir na nossa região”. O acordo mais importante envolve exploração de petróleo. O China Petroleum & Chemical Corporation (Sinopec) investirá 14 biliões de dólares na extracção de combustível da Faixa Petrolífera do Orinoco, considerada o maior depósito de petróleo pesado e extra-pesado do planeta. As inversões darão-se, a princípio, num dos quatro campos da Faixa – o de Junin – , de onde se espera uma produção de 200 mil barris por dia, cerca de um décimo do que o país extrai actualmente. Especula-se, aliás, que a Sinopec participará também do leilão do campo de Libra (no Pré-Sal brasileiro), caso este seja mantido. Mas as ambições sino-venezuelanas vão além. Ainda no terreno das commodities minerais, Caracas assinou, com o grupo estatal chinês Citic, um memorando de entendimento para permitir a exploração do complexo de Las Cristinas, onde estariam as maiores jazidas não exploradas de ouro do mundo. Lá, os chineses substituirão uma empresa canadense, que perdeu os direitos após conflito com governo local, há alguns anos. A Citic assegurou, ainda, presença nos trabalhos de elaboração de um futuro Mapa Mineral da Venezuela. Noutro acordo revelador – uma carta de intenções –, a chinesa Beidahuang assumiu direito de cultivar 60 mil hectares de terras venezuelanas. Cultivará milho, arroz e soja. Detentora de tecnologia de ponta, será, disse Maduro, uma aliada da Venezuela na

Universidade suspende dupla apanhada a fazer sexo oral

Um acto sexual gravado pelo circuito interno de segurança chocou os estudantes da Universidade de Jiangnan em Wuxi, na província chinesa de Jiangsu. Dois funcionários da cantina universitária foram apanhados a fazer sexo oral, e as imagens foram parar a todos os monitores instalados no campus. Os alunos que estavam no refeitório depararam-se com a cena sexual e postaram a imagem no site de microblogues chinês Weibo, sendo compartilhada por dezenas de internautas. Segundo a universidade, o casal envolvido no acto sexual foi já suspenso e a instituição abriu uma investigação para apurar o caso.

Tufão Usagi faz 29 mortos no sul da China

Segundo dados actualizados às 17 horas desta terça-feira, o tufão Usagi, que atingiu a província de Guangdong, na costa sul da China, já provocou a morte a 29 pessoas. Cerca de 400 vilas locais sofreram danos sérios e mais 9,2 milhões de habitantes foram afectados. As cidades costeiras de Shanwei e Shantou ficaram sem acesso a energia e água. A intrusão de água salgada submergiu algumas regiões. A falta de abastecimento de água afectou o funcionamento dos hospitais, resultando na suspensão do tratamento de diálise dos pacientes. Conforme informações do governo local de Shanwei, o fornecimento de electricidade e água foi retomado às 22 horas de ontem. O departamento de civis da província de Guangdong disponibilizou um fundo no valor de dez milhões de yuans para regaste, além de tendas, camas dobráveis e cobertores.

Pequim e Cuba trocam experiência em trabalho político ideológico

GEOPOLÍTICA OS CURIOSOS ACORDOS CHINA-VENEZUELA

Sem amigos ninguém escolheria viver conquista de “soberania alimentar” (hoje, o país importa a maior parte da comida que consome). Mas os chineses estarão certamente interessados, também, em abastecer a sua própria demanda por alimentos – que cresce rapidamente, com a urbanização da sociedade e a formação de uma classe média de centenas de milhões de pessoas. Embora menos expressivos, outros compromissos envol-

vem investimento chinês em construção civil (especialmente habitações), estradas, venda de autocarros.Aempresa do mercado automóvel Chery abrirá uma fábrica na Venezuela – o que, segundo Maduro, “capacitará os nossos jovens na produção automotora, no âmbito da missão Saber e Trabalho”. A parceria estratégica entre a China e a Venezuela foi aberta ainda no Governo de Hugo Chávez. O coman-

dante incomodava-se com o facto de os Estados Unidos concentrarem a maior parte do comércio exterior do seu país, e estabelecerem hostilidade crescente com Caracas. Viu em Pequim um aliado poderoso, endinheirado, interessado em ampliar sua presença económica e geopolítica em todo o mundo. Como se vê pelos acordos firmados agora, a relação entre as duas partes é repleta de oportunidades e riscos.

Dirigentes da China e de Cuba trocaram experiências no terreno do trabalho político ideológico, durante uma visita de três dias de uma delegação presidida por Rolando Alfonso, chefe do Departamento Ideológico do Partido Comunista de Cuba (PCC). A visita terminou com uma reunião com Liu Qibao, membro do Comité Político do Partido Comunista da China (PCCh) e incluiu um encontro com Chen Fengxiang, vice líder do Departamento Internacional do Partido Comunista da China (PCCh). Outras actividades de Alfonso e seus acompanhantes contemplaram um intercâmbio de trabalho com representantes do Departamento de Propaganda do Comité Central do PCCh e do escritório nacional de Administração de Internet. Nesse sentido, a delegação do PCC visitou o Grupo Editorial do Diário de Pequim e a sede da Agência Xinhua Net, entre outros lugares de interesse.


10

CLIMA

hoje macau quinta

ONU CIENTISTAS FINALIZAM RELATÓRIO SOBRE A CIÊNCIA DAS ALTERAÇÕES

Culpa humana no aq O

S cientistas estão mais seguros do que nunca de que o ser humano é o maior responsável pelo aumento recente da temperatura da Terra, segundo o último relatório do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), que será aprovado no final desta semana. Numa reunião iniciada nesta segunda-feira em Estocolmo, cientistas e representantes governamentais vão discutir, linha a linha, a redacção final do relatório sobre o que se sabe hoje acerca das alterações climáticas. Versões preliminares do documento classificam como “extremamente provável” (95% de certeza) que mais de metade da subida do termómetro global desde 1950 se deve às actividades humanas. “As provas científicas das alterações climáticas são reforçadas ano após ano,

deixando poucas incertezas quanto às suas graves consequências”, disse o presidente do IPCC, Rajendra Pachauri, na sessão de abertura da reunião de Estocolmo. O que está sobre a mesa agora é a avaliação da base científica sobre as alterações climáticas. Dois outros relatórios – sobre os impactos e sobre a redução das causas do aquecimento global – serão publicados mais tarde, em Março e Abril de 2014. Neste primeiro relatório, 259 autores principais, secundados por centenas de outros cientistas, passaram a pente fino toda a produção

académica desde a última avaliação do IPCC, em 2007. Cerca de 55 mil comentários foram recebidos e avaliados. Segundo versões recentes do relatório, o termómetro global poderá subir até 4,8 graus Celsius até 2100, no pior cenário, ou apenas 0,2 graus Celius, no mais favorável. A subida no nível do mar é estimada num intervalo entre 26 a 81 centímetros.

CONFIANÇA NA CULPA DESDE 2007

No relatório de 2007, os cenários de aumento de temperatura estavam entre 1,1 e 6,4 graus Celsius

Versões preliminares do documento classificam como “extremamente provável” (95% de certeza) que mais de metade da subida do termómetro global desde 1950 se deve às actividades humanas

e a subida do nível do mar entre 18 e 59 centímetros. Em 2007, havia 90% de confiança na culpa humana sobre a maior parte do aquecimento desde 1950. Um tema que vai ser abordado no relatório agora é a relativa estabilização da temperatura média global na última década e meia. Esta tendência tem sido utilizada como argumento de sectores que contestam a tese da culpa humana nas alterações climáticas. A Organização Meteorológica Mundial – que fundou o IPCC juntamente com o Programa das Nações Unidas para o Ambiente, em 1988 – tem chamado à atenção, no entanto, para o facto de a Terra estar a passar pelo seu período mais quente do último século e meio, desde que há registos fiáveis. Entre as explicações possíveis dadas por cientistas para a subida

No relatório de 2007, os cenários de aumento de temperatura estavam entre 1,1 e 6,4 graus Celsius e a subida do nível do mar entre 18 e 59 centímetros. Em 2007, havia 90% de confiança na culpa humana sobre a maior parte do aquecimento desde 1950.


clima 11

a-feira 26.9.2013

UMA “PAUSA” NA SUBIDA DE TEMPERATURA ESTÁ A DEIXAR CIENTISTAS PERPLEXOS

Quebra-cabeças para os peritos O

CLIMÁTICAS

quecimento global menor da temperatura nos últimos anos estão variações na actividade solar e a absorção de calor pelos oceanos. Durante quatro dias, o relatório do IPCC vai ser discutido, ponto a ponto, não só por cientistas, mas também por representantes governamentais – que têm assento no painel climático da ONU. Na sexta-feira, o IPCC deverá divulgar uma síntese do relatório, com cerca de três dezenas de páginas. Esta é a quinta avaliação climática do IPCC, desde a sua a criação. A organização foi galardoada com Prémio Nobel da Paz em 2007, juntamente com o ex-vice-presidente norte-americano Al Gore. Nos últimos anos, tem sido alvo de críticas, devido a erros encontrados no seu último relatório, em particular sobre o possível derretimento dos glaciares no futuro.

Grupo Intergovernamental de Peritos para a Evolução do Clima (GIEC), o órgão científico de referência em matéria de aquecimento, vai declarar oficialmente nesta sexta-feira em Estocolmo que a temperatura do globo já aumentou mais de 0,8 graus Celsius desde o início do século XX e que continuará a subir ao longo do século XXI. Mas esta constatação mais do que repetida apresenta uma anomalia há dez a 15 anos: enquanto as concentrações de dióxido de carbono (CO2), principal responsável pelo aquecimento, continuam a aumentar, a temperatura da superfície dos oceanos e dos continentes tende a estabilizar-se. De facto, segundo uma versão do resumo do novo relatório do GIEC, o ritmo do aquecimento desde 1998, que foi um ano particularmente quente, terá diminuído para 0,05 graus Celsius por década, contra 0,12 graus Celsius em média desde 1951. O resumo vai ser debatido esta semana entre cientistas e representantes dos 195 países-membros do GIEC, antes da sua publicação formal na sexta-feira. Os cépticos das alterações climáticas já se apoderaram obviamente deste recente hiato no aquecimento global para questionar os modelos do clima e até contestar o contributo humano para o aquecimento. Quanto aos climatólogos, lembram que a tendência ao longo de várias décadas confirma as suas previsões. Para mais, a última década foi a mais quente de que há registo e os outros sinais de aquecimento não estão a marcar uma pausa: diminuição das áreas de gelo, subida do nível do mar, eventos extremos… Seja como for, as causas desta estabilização não foram ainda completamente desvendadas. Será ela devida à influência das partículas vulcânicas, que reflectem os raios do Sol? Ou a uma diminuição da actividade solar? Os estudos mais recentes destacam o papel dos oceanos, e a uma maior absorção do calor em profundidade, e à influência fulcral do recente arrefecimento do Pacífico equatorial

UMA OU DUAS VEZES POR SÉCULO

O Serviço Meteorológico britânico (Met Office) reconheceu este Verão que esta “pausa” levanta “importantes questões sobre o nosso nível de compreensão e de

observação” do sistema climático e dos oceanos. Contudo, conclui, “isso não invalida os modelos climatológicos”. “Actualmente, a duração do fenómeno não é incompatível com os modelos”, confirmou à AFP Laurent Terray, físico do clima do Centro Europeu de Investigação e de Formação Avançada em Cálculo Científico (Cerfacs). “Isso pode acontecer uma ou duas vezes por século. Se se prolongar por duas décadas sucessivas, podíamos começar a perguntar se os modelos não estarão a subestimar a variabilidade interna do clima” – isto é, a sua variabilidade natural, acrescenta o investigador. O problema, para o GIEC reside no facto que muitos estudos sobre o tema são demasiado recentes para terem encontrado o seu lugar no longo processo de síntese e de validação na base do novo relatório destinado a esclarecer os decisores políticos e económicos. Em Estocolmo, desde segunda-feira, as discussões têm incidido em parte sobre a maneira de evocar esta “pausa”. E a julgar pelos comentários submetidos pelos governos antes da reunião, a que a AFP teve acesso, as opiniões divergem. Para a Noruega, o relatório “devia abordar a pausa actual de forma mais explícita, explicando como o calor foi absorvido pelos oceanos nos últimos 10 a 15 anos”. A China e os EUA também advogam a favor de uma maior clareza na explicação da pausa. Quanto à Bélgica, deplora a utilização de 1998 como início de um qualquer período de avaliação estatística, dado aquele ano, marcado pelo fenómeno El Niño, ter sido excepcionalmente quente. Mas será que o GIEC pode manter o silêncio sobre esta questão? “Dada a atenção de que este tema está a ser alvo, acho que o GIEC precisa de a abordar e de apresentar claramente os factores para que os decisores percebam”, diz Aklen Meyer, um dos responsáveis pela estratégia da Union of Concerned Citizens, um influente grupo de reflexão norte-americano. O GIEC, sob pressão após a detecção de vários erros no seu último relatório (de 2007), “tornar-se-ia extremamente vulnerável a novas críticas, sinceras ou não” se não falasse do tema, diz por seu lado Wendel Trio, director da ONG Climate Action Network Europe.


12 publicidade

hoje macau quinta-feira 26.9.2013


VIDA

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

13

AMBIENTE CONSELHO CONSULTIVO PEDE “ANÁLISES MAIS APROFUNDADAS”

Lau Si Io diz que há eficácia nas políticas A 2.ª Reunião Ordinária do Conselho Consultivo do Ambiente (CCA) deste ano realizou-se ontem na Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA) e os conselheiros pediram ao Governo para refinar e efectuar uma análise mais aprofundada sobre os dados e circunstâncias indicados no “Relatório do Estado do Ambiente de Macau 2011”. Durante o encontro, a DSPA apresentou aos membros do CCA esse relatório e a lista de tipos de projectos sujeitos à avaliação do impacto ambiental, a serem publicados em breve. Para a maioria dos conselheiros, é preciso “melhorar as políticas ambientais e o planeamento para o futuro”. No entanto, o presidente do CCA e secretário para as Obras Públicas e Transportes, Lau Si Io, considerou que “Relatório do Estado do Ambiente de Macau”, anualmente publicado, não só mostra a eficácia e os resultados das políticas

ambientais implementadas, mas também fornece referências e fundamentos científicos importantes para elaborar o planeamento, as políticas e as medidas ambientais mais adequados para o futuro, afirmações com as quais nem todos os conselheiros concordaram. Alguns membros do CCA acharam que, embora os dados mostrem que a quantidade média de resíduos produzida diariamente por pessoa seja estacionária ainda é relativamente alta em comparação com a quantidade registada em Hong Kong, Taiwan e outras regiões vizinhas. Para isso, os conselheiros pedem “a necessidade de fortalecer a promoção da política de sensibilização e educação ambiental junto dos habitantes e dos turistas desta cidade”. Além disso, alguns membros propuseram a necessidade de se proceder à análise mais detalhada sobre algumas partes do “Relatório do Estado do Ambiente de Macau 2011”,

a fim de se obter uma melhor compreensão da evolução do estado do ambiente e de se elevar a eficácia das políticas ambientais. No sentido de aumentar a capacidade de gestão ambiental, de acordo com o “Planeamento de Protecção

HÁ 14 NOVOS PANDAS BEBÉS NA CHINA

Parecem de brincar, todos alinhados e a dormitar para a fotografia, mas são pandas-gigantes, espécie em extinção. A família do Chengdu Research Base of Giant Panda Breeding, na província chinesa de Sichuan, cresceu: os 128 pandas-gigantes que por lá passeiam têm, agora, mais 14 novos amigos, mostrados ao público no início desta semana. Ainda não se podem juntar ao resto da enorme família, por isso ficam-se por uma espécie de berço comunitário, entre cobertores cor-de-rosa e criadores atentos. Esta base de criação de pandas-gigantes de Chengdu procura preservar e chamar a atenção para a espécie e, no início do mês, viu nascer mais uma cria — a única sobrevivente dos trigémeos que a panda Jiaozi teve.

Ambiental de Macau (20102020)”, “há necessidade de elaborar um regime da avaliação de impacto ambiental PUB

(AIA) que melhor se adeqúe à situação real de Macau”. Como tal, e em jeito de promessa, o Governo da RAEM

vem promover o regime da AIA, para além de abordar várias formas, nomeadamente, o aproveitamento de terreno, o planeamento urbanístico e a protecção ambiental, entre outros aspectos, tendo em consideração global estar em linha com o desenvolvimento sustentável, a fim de fazer um equilíbrio entre o desenvolvimento e a conservação ambiental. A lista de tipos de projectos sujeitos à avaliação do impacto ambiental é um bem necessário, admitiram os conselheiros na reunião do CCA. Os membros concordaram com a necessidade do estabelecimento da lista, que pode ajudar o sector privado ou o Governo a conhecer melhor quais os projectos que tenham necessidade de elaboração do relatório de AIA e, assim, realizar o projecto de construção o mais rápido possível.


14

CULTURA

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

MOONSPELL CONCERTO SERÁ A 17 DE NOVEMBRO E ENCERRA A DIGRESSÃO ALPHA BEAST TOUR

A primeira banda lusa a actuar em Pequim O

S Moonspell vão tornar-se na primeira banda rock portuguesa a tocar na capital da China. O concerto em Pequim está marcado para 17 de Novembro e encerra a Alpha Beast Tour que arranca a 25 de Outubro em Praga (República Checa) e passa ainda pela Polónia, Lituânia, Bielorrússia, Ucrânia, e Rússia, culminando com a estreia em território asiático. Ao todo são 20 concertos, 12 dos quais numa longa passagem pela Rússia. Para Fernando Ribeiro, líder da banda e confesso admirador da cultura russa, este é o “realizar

A

conceituada Christie’s, uma das mais importantes leiloeiras do mundo, a par da Sotheby’s, pode estar prestes a entrar no mercado chinês, que como se sabe se tem destacado no meio. Depois de ter anunciado que nesta quinta-feira vai realizar o primeiro leilão de arte na China, mais precisamente em Xangai, a leiloeira fez saber agora que faz parte dos seus planos ter uma sucursal naquele país. Há muito tempo que no mercado de leilões de arte muitos dos licitadores e investidores são oriundos do continente asiático, em especial da China. Só no ano passado, a Ásia foi responsável pela maior fatia das receitas em leilão, com 43% do mercado, contra os cerca de 30% europeus. Sendo que por países, a líder incontestada é mesmo a China, com 38,8%. Factores como o crescimento económico da China, que já é a segunda potência mundial, e o apoio tanto governamental como privado ao mercado da arte, ajudam a explicar os números.

de um sonho, percorrer o maior país do Mundo, chegar à Sibéria, atravessar a Mongólia e depois a China. Pode parecer assustador, são viagens de mais de 20 horas, mas vai ser um grande momento para os Moonspell”, não hesita em afirmar. Para o vocalista, esta ‘tour’ será mesmo como um “pé na porta da Ásia”. E explica: “os Moonspell fazem do esforço o seu cartão de visita e o desejo de nos expandirmos é muito grande. Por isso, queremos aproveitar esta porta que agora abrimos e, quiçá, para o ano ou depois podermos vir a tocar noutros países asiáticos,

na Indonésia, Malásia ou até na Índia”, lançou. A deslocação ao Leste, e a Pequim em particular, estão a ser preparadas com todo o rigor até porque o Inverno se aproxima também. Mas são sobretudo as apertadas regras e protocolo que mais preocupam de momento os Moonspell. “Não queremos que nos aconteça o mesmo que aos Dark Tranquility, que foram presos em Pequim, alegadamente por razões burocráticas. Estamos a acabar de responder às questões para os vistos e é complicado”, avança o músico, que critica ainda o facto

de não haver em Portugal um organismo que possa “potenciar esta exportação”, lidando com a parte burocrática. “A Bielorrússia, por exemplo, não tem cá qualquer representação”, declarou. Em Pequim, os Moonspell vão tocar numa sala com capacidade para cerca de mil fãs e o concerto será “especial”, promete Fernando Ribeiro, que revelou ainda que a banda vai também levar merchandise para a ocasião. A digressão de ‘Alpha Noir/ Omega White’ arrancou em Abril do ano passado, e já levou os Moonspell a mais de 40 países, na

Europa e América do Sul. Só este ano, o grupo participou ainda em mais de 30 festivais um pouco por toda a Europa. Fica a faltar uma visita a Macau. Fernando Ribeiro, em entrevista ao suplemento h do HM, já tinha mostrado intenção de vir até ao território. Para ele, o mercado metal na Ásia está em desenvolvimento e Macau nunca se poderia descartar. Até, porque agora, os Moonspell têm um formato alternativo – A Sombra – em som acústico que permite ser tocado noutro tipo de ocasiões e espaços, como, por exemplo, o Festival da Lusofonia.

ARTE DEPOIS DO PRIMEIRO LEILÃO NA CHINA, CHRISTIE’S PRETENDE ABRIR UMA SUCURSAL

Operar independentemente E por tudo isto, este é um mercado no qual a Christie’s está decidida a apostar, desta vez com uma presença mais marcada, de forma a estabelecer um maior contacto com os licitadores. O leilão de 42 obras de arte, entre as quais um Picasso e um Warhol, que acontece na quinta-feira é assim o primeiro passo para a entrada no mercado chinês. Esta terça-feira, numa conferência de imprensa, Steven Murphy, director-executivo da casa de leilões, mostrou-se optimista em relação ao leilão, vincando a vontade de ter uma sucursal da Christie’s na China. “Estamos felizes por operar aqui (mesmo) sem a liberdade de vender antiguidades culturais, e quando isso mudar abraçaremos essa mudança”, disse Murphy, citado pela AFP, referindo-se à lei

chinesa que proíbe que leiloeiras estrangeiras possam organizar leilões independentes na China. Em especifico, esta lei diz respeito a antiguidades, ou seja, todas as obras de arte anteriores a 1949, podendo-se vender pintura contemporânea, relógios, vinhos e jóias. “Somos pacientes e respeitamos, temos esperança que o mercado se abra em algum momento”, acrescentou Murphy. Com este leilão que vai acontecer esta semana a Christie’s, fundada em Londres em 1766, torna-se na primeira leiloeira estrangeira a operar em nome próprio na China. O próximo objectivo é instalar depois a marca no país, “em primeiro lugar, para responder ao público chinês, aos clientes, aos coleccionadores”, como explicou Murphy. E, em segundo lugar, para

“ligar Xangai – e assim toda a China continental, à rede da Christie’s em Nova Iorque, Londres, Paris, Milão, etc”. Apesar de ainda ser uma licença limitada, tendo em conta a legislação chinesa, a Christie’s, cujo número de clientes oriundos da China continental duplicou desde 2008, fica mais perto agora do seu objectivo. Seguindo as regras estabelecidas, a leiloeira pode operar independentemente durante os próximos 30 anos. Com a limitação que existia até agora o que acontecia era que a Christie’s, ou a Sotheby’s, que para entrar na China continental fez no ano passado uma joint-venture com um grupo cultural chinês, organizando o primeiro leilão em Dezembro, levaram as suas vendas a Hong Kong, tornando-se este

num dos principais centros dos leilões internacionais. No ano passado, Hong Kong foi mesmo o terceiro maior centro de leilões da Christie’s, contribuindo com 673 milhões de dólares (aproximadamente 498 milhões de euros) em vendas.


cultura 15

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

PROJECTO PARA TER O REALIZADOR NORTE-AMERICANO A FILMAR EM LISBOA EXISTE DESDE 2012

Portas fez “contacto” com Woody Allen L ISBOA está a cortejar Woody Allen desde 2012 e foi há cerca de um ano que houve contactos ao mais alto nível: o então ministro dos Negócios Estrangeiros Paulo Portas, aproveitando uma estadia em Nova Iorque no âmbito de uma visita oficial às Nações Unidas, encontrou-se com a equipa de produção do realizador para “abrir uma primeira porta” na potencial relação da capital com o realizador norte-americano. O gabinete do agora vice-primeiro-ministro confirmou esta terça-feira ao PÚBLICO que, tal como o jornal i escreve na sua edição de hoje, Paulo Portas se encontrou com membros da equipa de produção de Allen para “um contacto prévio” para “ter ideia das condições” em que projectos anteriores do realizador em cidades europeias eram realizados. A mesma fonte diz que o encontro decorreu no âmbito de uma visita oficial de Portas à ONU – durante o mandato português no Conselho de Segurança das Nações Unidas, que findou a 31 de Dezembro de 2012. PUB

Os oito filmes europeus de Woody Allen realizados nos últimos anos - um deles em produção no sul de França - têm tido cidades como Londres (Scoop, Match Point), Paris (Meia-Noite em Paris), Barcelona (Vicky Cristina Barcelona) ou Roma (Para Roma com Amor) como cenário, sendo vistos como importantes cartões postais para o seu turismo e visibilidade internacional. Mais baratas do que a sua Nova Iorque

e dotadas de ‘film commissions’ que agilizam processos de licenciamento, isentam de taxas e, em articulação com os responsáveis pelo turismo, favorecem outro tipo de condições, como a instalação de equipas ou viagens, tornaram-se panos-de-fundo para os filmes do realizador na última década. A Lisbon Film Commission, contactada esta terça-feira pelo jornal Público, remeteu quaisquer

perguntas sobre o tema para a Câmara de Lisboa, que por seu turno não respondeu ainda às questões sobre o assunto dirigidas ao presidente da autarquia, António Costa. O Turismo de Portugal, outro eixo dos contactos portugueses com Allen para trazer uma produção do realizador de Ana e Suas Irmãs, Annie Hall ou Manhattan, disse que “analisará qualquer projecto que lhe seja apresentado para efeitos de financiamento, este ou qualquer outro, e avaliará do seu potencial de projecção do destino e captação de turistas”.

UMA QUESTÃO DE DINHEIRO

Fonte do Turismo de Portugal precisa ainda que “qualquer participação financeira” da instituição “terá como pressuposto esse potencial de projecção e captação, aferido de acordo com critérios previamente definidos e que devem ser demonstrados pelos promotores. De acordo com instruções do Secretário de Estado do Turismo, o Turismo de Portugal apenas terá intervenção

neste processo se, uma vez apresentado um projecto concreto, este reunir esses pressupostos”. O gabinete de Paulo Portas não avançou mais pormenores sobre potenciais resultados ou informações dadas pela equipa de produção nesse encontro em Nova Iorque, estando o tema a cargo da autarquia da capital e do Turismo de Portugal. O realizador já foi confrontado com perguntas sobre a possibilidade de filmar em Lisboa pela TVI, existe um grupo no Facebook que regularmente mostra o melhor da cidade a Allen e o presidente da câmara, António Costa, confirmou há semanas ao semanário Sol que “tem havido contactos, quer por parte do município quer por parte do Estado” nesse sentido. “Acho que um dia serão um sucesso”, disse ainda à revista do semanário, lamentando não ter “condições de dizer o que o prefeito Eduardo Paes, do Rio de Janeiro disse: que pagava o que fosse necessário para que Woody Allen filmasse o Rio”.


16

DESPORTO

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

BOLINHA BENFICA GOLEIA O CHENG

Águias inexcedíveis MAR CO CARVALHO info@hojemacau.com.mo

A

Casa do Sport Lisboa e Benfica de Macau continua a fazer uma campanha inexcedível no Campeonato de Futebol de Sete da Segunda Divisão. A formação orientada por Fernando Silva somou ontem o terceiro triunfo em outras tantas partidas disputadas na edição de 2013 da competição. Depois de terem derrotado o União por seis bolas a zero e repetido a goleada frente ao sete do I Long Hau, as águias do território foram ainda mais longe no duelo com o O Cheng, massacrando

o adversário pelo dilatado parcial de doze golos sem resposta. Num partida de sentido único - o da baliza do O Cheng - as águias necessitaram de oito minutos para derrubar a muralha defensiva do adversário, mas a partir daí não precisaram de se esforçar muito para levar os seus objectivos a bom porto. O brasileiro Fabrício Lima foi o homem que fez ruir a resistência adversária, num duelo directo com o guarda-redes do O Cheng. O golo teve o condão de desmoralizar a defensiva da formação de matriz chinesa e o Benfica foi soman-

do golos com naturalidade. Aos onze minutos, René Soares acertou contas com o guarda-redes adversário e elevou a contagem para as duas bolas a zero, depois de ter desperdiçado duas boas oportunidades nos minutos iniciais. O terceiro golo encarnado surgiu aos dezoito minutos, num remate colocado do internacional Iuri. O luso-filipino acertou no poste menos de um minuto depois e viu Fabrício Lima apontar o quarto do encontro e segundo da conta pessoal a quatro minutos do fim da primeira parte. O brasileiro completou o hat-trick no segundo minuto da etapa complementar, abrindo caminho para uma segunda metade completamento avassaladora. Em grande destaque na segunda parte, Iuri Capelo voltou a inscrever o nome nos anais da partida, ao marcar por várias ocasiões. René Soares e Marcus Vinicius Tavares também contribuíram para a goleada, numa partida em que o resultado acabou por se revelar magro face à condescendência e inoperância do O Cheng. Com três vitórias em três jogos, 23 golos marcados e nenhum sofrido, o Benfica ocupa a liderança do Grupo L da segunda divisão da Bolinha e encontra-se em posição privilegiada para garantir a presença na segunda fase da competição.

FUTEBOL AUSTRÁLIA ESMAGA MACAU POR 14 – 1

Sub-16 fora do Asiático C

ONTINUA a desiludir, a selecção de Macau que disputa na vizinha Região Administrativa Especial de Hong Kong a campanha de qualificação para o Campeonato Asiático na categoria de Sub-16. Orientado pelo macaense João Rosa, o jovem onze do território somou a meio da manhã de ontem a terceira derrota noutros tantos encontros disputados na competição e está, como se previa, fora da fase final do Asiático. Depois de ter perdido por cinco bolas a zero frente a Taiwan e de ter somado novo desaire por margem idêntica no confronto frente à anfitriã Hong Kong, o grupo de trabalho dirigido por João Rosa não conseguiu evitar nova e copiosa derrota no duelo com a super-favorita Austrália. Depois de ter derrotado Taiwan por sete bolas a zero, a selecção australiana dilacerou sem dó nem piedade a formação do território, brindando a frágil formação do Lótus com uma derrota por catorze bolas a uma. Sem capacidade de lutar de igual para igual com o adversário, a formação do território sofreu o primeiro golo logo aos quatro minutos, numa jogada concluída por Jamal Reiners. Nicholas D’Agostino elevou a contagem para os “Joeys” menos de um minuto depois e aos quinze minutos foi a vez de Charlie Devereux marcar, antes de Tommy Stokes deixar a contagem nos

4-0 aos dezassete minutos. Caio de Godoy marcou aos 19 e aos 43 minutos, depois de Kosta Petratos ter marcado e de D’Agostino ter bisado a partir da marca de onze metros. Ao intervalo, o onze australiano vencia por oito golos sem resposta e na segunda parte voltou a festejar novamente por seis ocasiões. Reiners marcou o segundo da conta pessoal aos 51 minutos e Petratos repetiu a façanha do colega de equipa a oito minutos do fim do tempo regulamentar. Danny Kim, Daniel Maskin, Joe Calleti e Eric Mendez também inscreveram o nome nos anais da partida com um golo cada. O melhor que Macau conseguiu foi amortizar uma derrota já então onerosa, com Vong Chak Man a marcar aos 56 minutos. O golo foi o único apontado pela selecção do território até ao momento na campanha de qualificação para o Campeonato Asiático do próximo ano. Com três derrotas em três jogos, vinte e quatro golos sofridos e apenas um marcado, Macau já se despediu da corrida por um lugar na fase final da prova, agendada para a Tailândia. A formação orientada por João Rosa vai tenta salvar a face no último jogo que tem pela frente em Hong Kong. A selecção do território enfrenta amanhã Singapura no estádio do Hong Kong Football Club a partir das dez e meia da manhã. – M.C.

PUB

Aviso

COMISSÃO DE REGISTO DOS AUDITORES E DOS CONTABILISTAS

Aviso

Torna-se público, de acordo com o n.º 4 do ponto 5.º dos Regulamentos da prestação de provas para a inscrição inicial ou a revalidação de registo como auditor de contas, contabilista registado e técnico de contas, elaboradas nos termos do artigo 18.º do Estatuto dos Auditores de Contas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 71/99/M, de 1 de Novembro, do artigo 13.º do Estatuto dos Contabilistas, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 72/99/M, de 1 de Novembro, e da alínea 3) do artigo 1.º do Regulamento da Comissão de Registo dos Auditores e dos Contabilistas, aprovado pelo Despacho do Chefe do Executivo n.º 2/2005, que se encontra afixada, na sobreloja da Direcção dos Serviços de Finanças, sita na Avenida da Praia Grande nºs 575, 579 e 585, e colocada para efeitos de consulta no respectivo “Web-site”, no local relativo à CRAC, a lista provisória dos candidatos à prestação de provas para inscrição inicial ou revalidação de registo como Auditor de Contas, Contabilistas Registado e Técnico de Contas no ano de 2013, elaborada e homologada por deliberação do Júri designado para o efeito. Em caso de dúvidas, por favor contactar a CRAC durante as horas de expediente, através dos números de telefone 85990168 ou 85990139.

Direcção dos Serviços de Finanças, aos 18 de Setembro de 2013.

O Presidente do Júri, Iong Kong Leong

Faz-se público que em virtude de tufão, a prestação da prova de conhecimentos do concurso de ingresso, para o preenchimento de quatro lugares de técnico de 2.ª classe, 1.º escalão, área de gestão de instalações desportivas, prevista para o dia 22 de Setembro de 2013, pelas 10:00, é alterada para o local, data e hora seguintes: Data:

29 de Setembro de 2013 (Domingo)

Horas:

15:00

Local:

Sheng Kung Hui Escola Choi Kou (Macau) (Sucursal), Avenida do Dr. Francisco Vieira Machado, n.º 266, Macau

o Júri 23 de Setembro de 2013


FUTILIDADES

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

TEMPO

C H U VA

FRACA

[TELE]VISÃO TDM 13:00 13:30 14:30 18:30 19:30 20:30 21:00 21:30 22:00 23:00 23:30 00:00 00:30

TDM News - Repetição Telejornal + 360° (Diferido) RTPi DIRECTO Caminho das Índias (Repetição) Vingança Telejornal TDM Talk Show Castle Sr.4 Caminho das Índias TDM News Macau 2012/13 Telejornal (Repetição) RTPi DIRECTO

RTPi 82 14:00 14:35 15:05 15:30 16:00 17:00 17:50 18:40 19:10 20:00 21:15 22:10

Telejornal Madeira Ligados à Terra Sal na Língua Consigo Bom Dia Portugal Decisão Final Vingança Best of Portugal Voo Directo Jornal da Tarde O Preço Certo Portugal no Coração

MIN

24

MAX

29

HUM

75-95%

EURO

] C I N E M A

[

SALA 1

ELYSIUM [C]

Um filme de: Neill Blomkamp Com: Matt Damon, Jodie Foster, Sharlton Copley, Alice Braga 14.30, 16.30, 19.30, 21.30 SALA 2

2 RUNNER, RUNNER [C] ELYSIUM

Um filme de: Brad Furman Com: Justin Timberlake, Ben Affleck, Gemma Arterton 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

10.7

40 - FOX Movies 12:05 Perfect Stranger 13:55 Home Alone 2 15:55 Mummy 17:55 Chernobyl Diaries 19:25 Peace, Love & Misunderstanding 21:00 Stolen 22:40 John Carter 00:55 True Justice 41 - HBO 13:00 Rock Of Ages 15:00 I Am Sam 17:30 Changing Lanes 19:10 The Italian Job 21:00 Sleepy Hollow 22:50 That’S My Boy 00:45 Eurotrip 42 - Cinemax 11:20 American History X 13:10 Justice League: Doom 14:25 The Marksman 16:00 Anzio 18:00 True Crime 20:15 One In The Chamber 22:00 In Dreams 23:45 Spartacus: War Of The Damned 00:45 Cold Steel

YUAN

1.3

SALA 3

SADAKO 2 [C]

FALADO EM JAPONÊS LEGENDADO EM CHINÊS Um filme de: Tsutomu Hanabusa Com: Miori Takimoto, Koji Seto, Itsumi Oosawa 14.30, 19.30

PARANOIA [B]

Um filme de: Roberto Luketic Com: Liam Hemsworth, Amber Heard, Harrison Ford 16.30, 21.30

Foto: Facebook

POR MIM FALO

Pu Yi

As horas que marcam o relógio

30 - FOX Sports 13:00 Liga Bbva 2013/14 Granada CF vs. Valencia CF 15:00 NASCAR Sprint Cup Series 2013 - Highlights 16:00 AFC Champions League 2013 Semifinal 18:00 European Rally Championship - Review 18:30 The Open Championship 2013 - Official Film 2013 19:30 (LIVE) FOX SPORTS Central 20:00 The Football Review 2012 - 13 20:30 My Beautiful Game - Greatest Goals 21:00 La Liga 2013/14 Elche CF vs. Real Madrid CF 22:00 FOX SPORTS Central 22:30 Thursday Fight Night With UFC 23:00 The Ultimate Fighter 31 - STAR Sports 13:00 Mobil 1 The Grid 2013 13:30 Smash 2013 14:00 FIM Mx3 World Championship 2013 - Highlights 14:30 WTA - Guangzhou International Women’s Open Final 16:00 Sports Max 2013/14 17:00 Mobil 1 The Grid 2013 17:30 Smash 2013 18:00 Liga Bbva 2013/14 Elche CF vs. Real Madrid CF 19:30 Inside WTCC 20:00 European Rally Championship - Review 20:30 Total Rugby 21:00 2 Wheels 21:30 (LIVE) Score Tonight 2013 22:00 The Football Review 2012 - 13 22:30 2 Wheels 23:00 Inside WTCC 23:30 FIA Asia Pacific Rally Championship 2013 - Highlights 23:55 Score Tonight 2013 00:25 Liga Bbva 2013/14 Elche CF vs. Real Madrid CF 01:55 (LIVE) Liga Bbva 2013/14 Athletic Club de Bilbao vs. Real Betis 03:55 (LIVE) Liga Bbva 2013/14 Villarreal CF vs. RCD Espanyol

0.2

Cineteatro

M A C A U [ S Ã ] A S S A D O VAI UM DOMINÓ?

BAHT

17

• Em Macau, o pessoal estaciona tão juntinho que por vezes a coisa corre mal. Algum motard quis, sem se saber porquê, jogar dominó e pronto... Lá foi tudo por ali abaixo. Esta coisa do dominó de motas tem muito que se lhe diga... Aqui jogam muito

São zero. As horas que marcam o relógio. Podiam ser vinte e quatro. Há quem queira não terminar o tempo Do dia anterior e começar o próximo. Eu gosto de viver. Para mim são zero As horas que marcam o relógio. Penduro o tempo para o ver melhor. Ele passa e resolve. Destina a minha vida ao melhor desígnio. Espero!

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA

As horas que marcam o relógio são nulas. Parece que, por momentos, o tempo pára Para nos unir-mos num só. Eu e tu, razão. Zero!

A MÃE QUE CHOVIA • José Luís Peixoto, Daniel Silvestre da Silva

O protagonista do primeiro livro infantil de José Luís Peixoto é filho da chuva. Com uma mãe tão original, tão necessária a todos, tem de aprender a partilhar com o mundo aquilo que lhe é mais importante: o amor materno. Através de uma ternura invulgar, de poesia e de uma simplicidade desarmante, este livro homenageia e exalta uma das forças mais poderosas da natureza: o amor incondicional das mães.

Nunca um número significou tanto E tão pouco neste instante. Agora liberto-te. Corre tempo... Mostra-me o que de melhor posso ter. Dá-me o prazo de duração das coisas E deixa-me abrir os braços para me trespassares.

A ANTROPOLOGIA FACE AOS PROBLEMAS DO MUNDO MODERNO • Claude Lévi-Strauss

São zero. As horas que marcam o relógio E aqui continuo, A olhar o relógio e o infinito.

Se, por um lado, os leitores de Lévi-Strauss encontram aqui as questões que subjazem aos seus trabalhos, as novas gerações poderão descobrir uma visão do futuro proposta pelo célebre antropólogo. Sublinhando a importância da antropologia como novo “humanismo democrático”, Claude Lévi-Strauss interrogase sobre “o fim da supremacia cultural do Ocidente”, sobre as ligações entre relativismo cultural e juízo moral. Quando examina os problemas de uma sociedade que se tornou mundial, são também as práticas económicas que são interrogadas, as questões ligadas à procriação artificial, as ligações entre pensamento científico e pensamento mítico. Claude Lévi-Strauss apresenta ainda as suas inquietações relativas aos problemas cruciais do nosso mundo, sobre as afinidades entre as diversas formas de “explosão ideológica” e o futuro dos integrismos.

RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET


18

OPINIÃO

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

CARLOS MORAIS JOSÉ

a outra face

O

artigo publicado ontem neste jornal, que alguém escreveu para o dr. Coutinho assinar (como é óbvio) merece uma resposta. Quanto mais não seja pelo esforço do articulista em procurar palavras para... enfim... dar alguma elevação ao que tem o hábito de rastejar baixinho. Sinto-me, portanto, útil já que provoquei uma corrida ao dicionário, vulgo tesauro, na prosa imbecil do assessor. Deixem-me começar por dizer que adoro polémicas. Talvez por serem um meio de debater ideias, por exemplo. Infelizmente, no caso vertente, a polémica surge frouxa porque o dr. Coutinho (ou o seu assessor) desenvolve tantas ideias como os peixes ali daquele aquário que não existe nesta sala. Portanto, como a sua resposta se limita a malhar na minha pessoa, ao invés de apresentar factos que contrariem as opiniões expressas ou um arremedo de um conceito, a polémica não existe. Mas nada disto será novo. O que me parece mais fantástico, quase surrealista, é a convicção do dr. Coutinho que poderia insultar a seu bel-prazer os jornalistas do Hoje Macau sem levar nas trombas. O deputado deve confundir imunidade parlamentar com imunidade em geral. Quer dizer: o bicho acha que pode chegar-se à frente e pôr na lama o nosso nome, a nossa reputação profissional, a nossa integridade, de forma obscena e mal educada, e que depois não levaria uma resposta. Pois fique sabendo que, deste lado, não engolimos desaforos nem insultos, venham eles de onde vierem. Sendo generosos, o dr. Coutinho é, para nós, um castiço. Aquele género de político que monta qualquer onda para atingir os seus objectivos políticos: uma espécie de surfista desesperado. Ora tal não teria especialmente mal se esses objectivos coincidissem com o interesse da população de Macau. Mas o que ressalta é que a única coisa que o dr. Coutinho defende com eficácia é o seu próprio poder. E, nessa senda, vale tudo. Nomeadamente insultar profissionais da comunicação social como se estes não estivessem simplesmente a fazer o seu trabalho. É claro que na sua (?) resposta nada é dito sobre os excelentes benefícios que a sua presidência na ATFPM trouxe aos funcionários públicos, sobre o facto do seu populismo ter impedido esses mesmos funcionários de terem um interlocutor com o Governo. Na verdade, responda a estas perguntas, se puder: – O que beneficiaram os funcionários consigo, dr. Coutinho? – Quais foram os aumentos ou regalias que conseguiu para eles em tantos anos de presidência da ATFPM? – E, já agora, enquanto conselheiro das comunidades portuguesas, conseguiu

DALI, TENTAÇÃO DE STº ANTÓNIO

O dr. Coutinho e a ejaculação precoce

O que podemos notar no dr. Coutinho é que fala muito alto. Insulta muito, acusa muito, barafusta muito, mas o que diz resulta, basicamente, em nada de concreto. É como aqueles homens que tudo prometem às mulheres, mas as deixam insatisfeitas ao fim de cinco minutos. O dr. Coutinho sofre, politicamente, de ejaculação precoce alguma coisa, fez algo pelos portugueses de Macau, ou limitou-se a conseguir, desonestamente na minha opinião, mais um poleiro para si e para os seus “amigos”? Zero ou, para ser correcto, menos que zero. Pelo contrário, enquanto os seus problemas antigos com a secretária Florinda Chan, do tempo em que era fiscal dos Serviços de Economia, fechavam a sua possibilidade de diálogo com o Governo, o dr. Coutinho conseguiu o impossível, a saber, que os aumentos salariais nem sequer chegassem ao nível da inflação. Bravo! Parabéns pelo excelente trabalho! Para além disso, garante na sua resposta, os funcionários públicos votaram nele. Ele lá sabe. Eu, por mim, pensava que o voto é secreto. Mas o dr. Coutinho sabe exactamente quem votou nele. Provavelmente porque os levou naquelas camionetas que garantem o exercício da democracia em Macau. A vergonha na cara não é, de facto, um apanágio desta falácia a que chamam eleições. Realmente, o que podemos notar no dr. Coutinho é que fala muito alto. Insulta muito, acusa muito, barafusta muito, mas o que diz resulta, basicamente, em nada de concreto. É como aqueles homens que tudo prometem às mulheres, mas as deixam insatisfeitas ao fim de cinco minutos. O dr. Coutinho sofre, politicamente, de ejaculação precoce. Ora o problema de quem sofre deste mal, como se sabe, é o facto de estar demasiado habituado, desde a adolescência, à masturbação. Ora, politicamente, o dr. Coutinho passa demasiado em frente ao espelho, apaixonado pela sua própria imagem, daí que não consiga satisfazer quem nele aposta. Não o condenamos por isso,

como aliás não o condenámos por andar anos e anos a enganar os membros da ATFPM. Mas o que o deputado tem que aprender é a não insultar os outros, a não matar o mensageiro que se limita a transmitir as notícias. Ou seja, viva e deixe viver quem honestamente faz o seu trabalho e não procure bodes expiatórios para os seus próprios pecados. Expliquemo-nos: uma senhora escreve no ciberespaço que um deputado, candidato, teve comportamentos sexuais menos próprios. Logo, para o dr. Coutinho a culpa é do jornal que publica a notícia, independentemente do facto desta ter sido escrita com recurso às regras do jornalismo, ou seja, ouvindo todas as partes. Por amor do tesauro, dr. Coutinho, em que medida em que o Hoje Macau não cumpriu os ditames da nossa profissão? E com que direito julga o senhor que pode insultar a seu bel-prazer os jovens profissionais que fazem parte deste jornal e que todos os dias, melhor ou pior, se esforçam por proporcionar à população de Macau uma informação livre e independente? Quem julga o dr. Coutinho que é? Inimputável? Por mim, facilmente, depois de analisado o seu comportamento e psique, lhe reconheceria esse estatuto mas, infelizmente, nesta falácia eleitoral, há quem o eleja deputado, logo tem de ser responsável pelas suas afirmações. Por mais tesauro que possa consultar, nada o exime de cumprir com as regras mínimas da boa educação e do respeito por quem trabalha para servir a população da RAEM. Mas, quanto a esta última parte, já sabemos o que a casa gasta: o dr. Coutinho farta-se de defender os trabalhadores... em causa própria.

Olhando para trás, verifica-se que o dr. Coutinho ganha votos e os trabalhadores perdem regalias. E ninguém se pergunta por quê? Só o dr. Coutinho é que, até hoje, ganhou alguma coisa com a acção política do dr. Coutinho. A verdade é esta e é insofismável. O dr. Coutinho não é um mentiroso, mas mente com quantos dentes tem na boca. Provavelmente, nem perceberá que mente porque duvidamos que a sua ética lhe permita distinguir a verdade da mentira. Mente, insulta, ataca quem lhe parece que não terá força para se defender. Já quanto se trata dos verdadeiramente poderosos desta terra, fica calado como um rato. Bem o vimos ao lado das agências imobiliárias, bem o vemos calado, caladinho, quando se trata dos interesses dos seus amigos do imobiliário que, como se sabe, realmente mandam e ganham rios de dinheiro com esta terra em desfavor de uma melhor distribuição da riqueza. Etc... etc... Para concluir, é pena que o dr. Coutinho tenha escolhido o Hoje Macau como alvo da sua ira, como bode expiatório dos seus pecados. É que o nosso valor também se mede pelo valor dos nossos “inimigos” e, sinceramente, não o elegemos como alvo porque não o achamos à altura. Por nós, pode existir e é bem-vindo: faz parte do folclore local. Afinal, o riso que, geralmente, nos provoca é sempre uma alegria acrescentada. Quanto mais não seja por vermos que despacha num instante o que os outros levam mais tempo a concluir. No entanto, a verdade é que existe gente na RAEM que está satisfeita com a sua performance. Também pudera... não conhecem melhor... Mas, sobre as eleições, falaremos amanhã...


opinião 19

hoje macau quinta-feira 26.9.2013

Ricardo Pinho

disse-me um passarinho...

twitter.com/ricardo

Como chamar, em português, aos computadores tablet? Lousa.

LEOCARDO

bairro do oriente

A última vez que vi Portugal Os cinco anos que passei sem voltar às origens após a minha vinda para Macau foram de uma utilidade extrema. Serviram para me soltar das correntes da saudade, foram o curso, a pós-graduação e o estágio que fizeram de mim um português de Macau, e não um português em Macau

ainda precisamos de deitar qualquer coisa fora. Cada vez que voltamos de Portugal levamos connosco o triplo da bagagem que levámos de Macau, como quem evita levar consigo qualquer vestígio da mulher quando se encontra com a amante, mas volta depois a casa com o perfume da outra. Quando comemos em Macau uma sensaborona lagosta criada num insonso aquário, suspiramos pelos “bichos” que saltitam na nossa costa e acabam na marisqueira onde nos deliciamos com o seu sabor a mar. Andamos onze meses a economizar em Macau para depois “estoirar” o pé-de-meia em Portugal, mas na consciência temos aquela vozinha que nos lembra de onde veio aquele dinheiro que andamos a gastar sem pensar. Vou a Portugal em cada dois ou três anos,

AMADEO DE SOUSA CARDOSOI, FESTA DO CORPO DE DEUS

E

STAMOS em finais de Setembro, a “temporada” 2013/2014 está no início, mas para muitos é já uma realidade factual. As últimas férias passaram num ápice, e as próximas parecem uma realidade distante, e mesmo os “resistentes”, que as guardaram para Setembro, vai caindo como tordos, rendidos ao “chumbo” da realidade do trabalho e das aulas. Para a comunidade portuguesa em Macau, ir a Portugal durante os meses do Verão é um deleite, uma oportunidade de rever família e amigos, matar essas malditas saudades, e renovar a sua lusitanidade, o seu sentimento de pertença a uma nação pobrezinha mas orgulhosa, com uma História que causa inveja americanos, canadianos e outros “noveau riche”. Ir a Portugal é cansativo, pois a juntar às 14 ou 15 horas de viagem, incluindo a escala, há ainda a espera no aeroporto de uma cidade europeia qualquer, já com aquele “bichinho” que nos faz sentir que Portugal está mais perto a mexer. É com satisfação que ficámos a saber que a TAP está a estudar a possibilidade de realizar voos directos de Lisboa a Macau, mas para encurtar mesmo a distância, o ideal era recortar do mapa aqueles países esquisitos que nos separam e colar Macau mais perto do país do nosso coração. Ir a Portugal sai caro, e o custo dos bilhetes de avião acaba por ser um mal menor, comparado com despesa que se faz durante os dias que lá estamos. Ninguém vai até tão longe para depois ficar em casa, e fazendo as contas ao que se gasta em passeios, jantaradas, fins-de-semana no Algarve, dois ou três dias na Madeira, hotéis, pousadas, mimos para os miúdos, copos com os amigos e tudo mais, acabamos por pensar que andamos três ou quatro meses a “trabalhar para o boneco” em Macau. Visto de fora, desta distância e deste fuso horário, em Portugal está tudo bem, e a crise é apenas residual, exacerbada pelos telejornais e restante imprensa. Os hipermercados estão sempre a abarrotar de gente possuída de uma febre consumista, os ingressos para os concertos de Verão esgotam em poucas horas, e é impossível arranjar mesa numa marisqueira em Sesimbra a partir das sete da tarde. O país está sempre em festa, e

até parece que fizeram o melhor para nos receber bem, como quem nos convida a juntar-se ao arraial. Recorrendo a uma analogia romântica, Macau está para Portugal como uma esposa fiel e dedicada está para uma amante exigente e estouvada. Em Macau fazemos as compras para a semana no supermercado, em Portugal perdemos a cabeça nas grandes superfícies, compramos o que não precisamos e no fim

e às vezes nem isso. Quando cheguei a Macau pela primeira vez fiquei cinco anos sem lá voltar, e mesmo quando vou sinto que é mais para fazer uma reciclagem do que com um propósito útil. Claro que não fico indiferente às diferenças para melhor, afinal sou apenas humano. Das últimas vezes recordo-me especialmente de um “buffet” de comida alentejana num restaurante à beira da estrada ali para os lados de Azeitão, que na sua simplicidade metia no bolso qualquer

um daqueles hotéis de luxo em Macau, sem alma e com comida a metro, onde os turistas do continente se atiram à travessa das ostras como se não houvesse amanhã, e se usa a mesma espátula com que se corta o tiramisú para cortar o pudim flan. Lembro-me de um restaurante junto do Castelo de S. Jorge, em Lisboa, onde o empregado nos recomendou um prato de peixe em detrimento de outro, que “não estava tão fresco”. Em Macau traziam-me o que eu pedisse e estavam-se nas tintas para a frescura. Cada vez que entro numa livraria ou numa loja de discos em Portugal sinto-me como uma criança gulosa numa fábrica de chocolates. E o que dizer do clima? Sequinho, dias quentes e noites frescas, nem uma nuvem no céu, contrastando com a chuva e o calor acompanhado da humidade que são o pão nosso de cada dia do Verão das monções, onde se inclui Macau. O mais parecido que temos aqui com o azul impecável do céu é o tecto do Venetian. Os cinco anos que passei sem voltar às origens após a minha vinda para Macau foram de uma utilidade extrema. Serviram para me soltar das correntes da saudade, foram o curso, a pós-graduação e o estágio que fizeram de mim um português de Macau, e não um português em Macau. Se há coisa que nunca quis ser foi um emigrante, imagem que associo a alguém derrotado, que vira as costas a todos e a tudo quanto ama, e parte contrariado rumo ao desconhecido, de mala de cartão numa mão e passaporte na outra. É uma maravilha ir a Portugal de férias, sem dúvida, especialmente quando tantos portugueses já se esqueceram do significado da palavra “férias”. O que gastamos pelo simples facto de termos vindo de Macau é o equivalente aos que os mais bafejados pela sorte gastam ao passar as férias na República Dominicana e nas Seychelles. Para quem sabe a razão porque está em Macau a trabalhar, e onde os seus filhos vão à escola, em vez de estar a usufruir daquele país fantástico de onde volta sempre a dizer maravilhas, sabe que tudo não passa de uma fantasia. A amante pode ser mais jovem, bela e divertida, mas é a esposa que sabe como ninguém de como gostamos do café, que nos deixa a roupa passada, que nos aconchega quando temos frio, que nos atura as birras. Macau é a realidade, Portugal é um sonho lindo, mas distante.

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Cecilia Lin; Joana de Freitas; José C. Mendes; Rita Marques Ramos; Zhou Xuefei [estagiária] Colaboradores Amélia Vieira; Ana Cristina Alves; António Falcão; António Graça de Abreu; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; David Chan; Fernando Eloy ; Fernando Vinhais Guedes; Gonçalo Alvim; Helder Fernando; Isabel Castro; Jorge Rodrigues Simão; Leocardo; Paul Chan Wai Chi Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Tiago Alcântara; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


hoje macau quinta-feira 26.9.2013

cartoon por Stephff

IRÃO DIZ QUE QUER PAZ

Numa conversa à margem da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, revelou que não fuma por ter «medo da mulher». A confissão foi feita enquanto falava com o relator especial das Nações Unidas, Maina Kiai, e foi registada por uma câmara da CNN. Segundo a TSF, sabe-se que Obama masca pastilhas de nicotina para controlar o vício que foi interrompido há seis anos.

EUA Republicano discursou horas a fio

Ted Cruz, senador republicano do Estado do Texas, começou a falar no senado às 14 horas locais de terça-feira e ainda não se calou. A sua intervenção contra a reforma do sistema de saúde, conhecida por ObamaCare - no fecho desta edição já ia em 19 horas -, com apenas pequenas pausas para intervenções de outros senadores. Cruz prometeu, quando começou, «falar até não conseguir estar de pé.» Já discursou, até já leu um livro infantil, quando ia com seis horas de discurso, para uma sala cada vez mais vazia. O Obamacare é a reforma do sistema de saúde norte-americano proposto pelo Presidente Barack Obama, aprovada em 2010 e da qual algumas disposições devem entrar em vigor a 1 de Outubro, mas que precisa de fundos adicionais. A atitude de Cruz, apoiados pelos ultraconservadores do partido Tea Party, pretende atrasar a discussão e a votação: enquanto estiver a falar, mais ninguém discursa nem há votações, e a proposta fica bloqueada.

Britânico detido em Nairobi por suspeita de ataque

Ainda não foi divulgada a informação se é um homem ou uma mulher, mas já foi confirmada a detenção de um cidadão britânico, por suspeitas de ligação ao atentado ao centro comercial de Nairobi, no Quénia. «Podemos confirmar a detenção de um cidadão britânico em Nairobi e estamos a fazer contactos para lhe dar a assistência consular normal», disse a porta-voz da polícia à agência France Press. Esta terçafeira, a imprensa britânica deu conta da participação de Samantha Lewthwaite, uma britânica de 29 anos convertida ao islamismo e viúva de um dos autores dos atentados de Londres de 2005, no assalto que já foi dado como terminado.

Paquistão Sismo terá criado uma ilha

O sismo de magnitude 7,7 na escala de Richter que atingiu esta terça-feira o Paquistão terá dado origem a uma nova ilha, ao largo do mar Arábico. A violência do tremor de terra na região do Baluchistão, que já provocou cerca de 240 mortos, parece ter dado origem a uma pequena ilha, como mostram imagens do canal Geo TV. O terramoto terá causado uma elevação do fundo do mar e criado a superfície rochosa que se eleva acima do nível do mar a 600 metros da costa paquistanesa de Gwadar, no Mar Arábico, para onde se dirigem muitos curiosos.

Obama não fuma por ter “medo da mulher”

Egipto Encerrado jornal da Irmandade Muçulmana

WTCC PILOTOS DE MACAU NÃO SE MOSTRARAM EM SUZUKA

O campeão Yvan Muller SÉRGIO FONSECA info@hojemacau.com.mo

A

Corrida da Guia do Grande Prémio de Macau, que este ano comemora o sexagésimo aniversário, não será desta vez decisiva na atribuição do título do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo (WTCC). As contas do mundial de Turismos foram seladas no passado fim-de-semana em Suzuka, no Japão. Um terceiro lugar na primeira corrida da jornada dupla da prova nipónica bastou para o francês Yvan Muller, que este ano conduz um Chevrolet Cruze 1.6T

da equipa privada RML, sagrar-se pela quarta vez campeão da disciplina. “Este título tem um sabor especial, porque um mês antes do início do campeonato eu ainda não tinha um contrato para correr. Este triunfo tem um sabor especial. O nosso orçamento é pequeno e a equipa teve que fazer vários sacrifícios”, disse Muller que já tem contrato para guiar para a Citroën na próxima temporada. Com o título de construtores também já entregue à Honda, onde corre o português Tiago Monteiro, a prova de Macau apenas será decisória na luta pelo “Troféu dos Independentes” e na conquista do vice-campeonato de pilotos, em que o italiano Gabriele

Tarquini ocupa uma posição privilegiada quando o campeonato se dirige a Xangai.

As autoridades egípcias encerraram as instalações em que estava instalado o jornal da Irmandade Muçulmana, organização que apoiou o ex-presidente Morsi. Os jornalistas do «Al-Hourreya wal Adala», o órgão oficial da Irmandade Muçulmana, já manifestaram o descontentamento: «Nós, jornalistas do Al-Hourreya wal Adala, condenamos o encerramento do jornal pelas forças do golpe de Estado», afirmam. Recorde-se que na passada segunda-feira um tribunal do Cairo ordenou a interdição de todas as actividades da Irmandade e de todos os grupos que estão ligados à organização.

REPRESENTAÇÃO DE MACAU DISCRETA

Sem surpresas, dada a falta de experiência e parca preparação, a representação de Macau em Suzuka quedou-se pela cauda do pelotão. Jerónimo Badaraco, que se estreou no WTCC aos comandos de um Chevrolet Cruze LT, foi o melhor dos cinco pilotos da RAEM que tomaram parte da prova, sendo o único que não foi dobrado pelos habituais concorrentes do mundial em ambas as corridas, tendo obtido um décimo-oitavo lugar na segunda manga como melhor resultado do fim-de-semana. Badaraco, que estava a conduzir o Chevrolet pela primeira vez, foi ainda terceiro classificado no recém-constituído “Troféu Asiático” na segunda corrida, num evento em que apenas pontuaram os cinco pilotos do território e três pilotos japoneses. Felipe Clemente de Souza (Chevrolet Cruze) finalizou logo atrás de Badaraco na primeira corrida e abandonou ainda na primeira volta da segunda. Já o seu companheiro de equipa Ng Kin Veng (Chevrolet Cruze) terminou ambas as corridas como vigésimo primeiro e vigésimo classificado. O veterano Ma Ka Lok (BMW 320si) foi o último na primeira corrida e despistou-se na segunda, enquanto Henry Ho (BMW 320si) somou dois abandonos.

Tartaruga de duas cabeças será atracção

Ainda não tem nome mas já é vista como uma das principais atracções futuras do museu «Ripley´s Believe It or Not!», devido ao facto de ter duas cabeças. O animal em causa é uma tartaruga que será exposta no referido museu, no estado norteamericano da Flórida. Para acolher o exemplar raro, mas saudável, o museu criou um tanque específico para as necessidades da tartaruga. O tanque terá poucos obstáculos e mais terra que água, uma vez que o animal, que sofre de uma condição que afeta uma em cerca de 10 mil tartarugas, tem dois cérebros que funcionam de forma independente um do outro. Entretanto o museu criou uma página no Facebook para os interessados poderem escolher o nome do animal.


Hoje Macau 26 SET 2013 #2943