Issuu on Google+

PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

MOP$10

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • TERÇA-FEIRA 25 DE SETEMBRO DE 2012 • ANO XII • Nº 2702

TEMPO AGUACEIROS OCASIONAIS MIN 24 MAX 29 HUMIDADE 55-95% • CÂMBIOS EURO 9.4 BAHT 3.7 YUAN 0.7

CONCERTO DE CÂMARA NO CLUBE MILITAR

SCHUMMAN E RACHMANINOFF NA INTIMIDADE PÁGINA 15

Entrevista Paul Chan Wai Chi, deputado, critica estrutura da Assembleia Legislativa

“Aqui a política é como se fosse uma poça de água estagnada” Se fosse Chefe do Executivo priorizava habitação, inflação e reforma política. Chan Wai Chi, da Associação Novo Macau Democrático, não teme a compra de votos, em caso de sufrágio universal, e considera que a população de Macau está preparada para mais democracia. CENTRAIS

DESEJOS PARA 2013

Pereira Coutinho pede sindicatos PÁGINA 3

SENEGALÊS BALEADO

Ex-polícia condenado a um ano de prisão PÁGINA 4

CASINOS

SJM admite jogar fora de Macau PÁGINA 5

SPORTING DE MACAU

Leão ruge aos 86 anos PÁGINA 16


2

política

terça-feira 25.9.2012

www.hojemacau.com.mo

Governo explica variações de preços nos supermercados

A renda, o local e o poder de compra O director dos Serviços de Economia considera que a localização do supermercado, o poder de compra dos moradores ou a renda do espaço pode afectar os preços, mesmo que o espaço pertença à mesma cadeia. Sou Tim Peng garante que “o Governo não vai intervir na fixação de preços” Kun Man, director da empresa. Para já os responsáveis garantem que o mecanismo de fixação de preços, criado em Janeiro para a carne de porco, vai ser alargado em Janeiro de 2013 para a carne de vaca e de aves. O director dos Serviços de Economia adianta que uma das razões para a taxa de inflação estar elevada deve-se à procura elevada e ao ritmo de crescimento económico. E assegura que não há qualquer monopólio da Nam Yue e da Nam Kwong. “Temos aumentado o número de canais quanto à oferta de mercadorias e temos aceite mais empresas nos últimos quatro ou cinco anos. Não há um monopólio em Macau, porque a importação é livre, portanto qualquer comerciante que esteja interessado em importar produtos pode fazê-lo.”

Chefe do Executivo teve encontro com o secretário do Comité Municipal de Zhuhai do PCC

Ilha da Montanha”, tendo considerado que “os trabalhos iniciais arrancaram com sucesso”. Li Jia fez ainda uma breve apresentação do andamento das obras nos grandes projectos turísticos e no parque científico e industrial de medicina tradicional chinesa, na nova zona, bem como a situação dos bancos de Macau, os quais iniciaram a actividade sob o nono suplemento ao Acordo de Estreitamento das Relações Económicas e Comerciais entre o Interior da China e Macau (CEPA). O secretário do Comité Municipal de Zhuhai do PCC referiu ainda os projectos turísticos de grande escala trazem vantagens às pequenas e médias empresas que pretendam desenvolver-se na Ilha da Montanha. Ambos os responsáveis se mostraram atentos ao andamento das obras do novo campus da Universidade de Macau tendo Chui Sai On referido “ser um projecto importante que deve ser concluído num ambiente de segurança e qualidade”.

andreia.silva@hojemacau.com.mo

S

ÃO supermercados que pertencem à mesma cadeia, mas que praticam preços completamente diferentes. Esta foi a conclusão de uma análise do Conselho dos Consumidores (CC) tornada publica há dias, e que foi ontem comentada pelo directos dos Serviços de Economia (DSE), Sou Tim Peng. “Há vários factores que podem afectar o preço como a renda ou a localização do supermercado, além de que o poder de compra dos moradores também é diferente os consumidores pode escolher e as pessoas não são obrigadas a comprar naquela loja. A Administração está a fornecer elementos para que possamos ter um tipo de consu-

midor mais inteligente”, explicou o responsável à margem de um encontro da DSE com a Nam Yue e a Nam Kwong, as principais empresas fornecedoras de alimentos ao mercado. O relatório do CC que faz a “Constatação de Preços nos Supermercados” foi levado a cabo a 18 de

Deficientes IAS a estudar pensão de velhice antecipada

Alguns funcionários do Centro Hospitalar Conde de São Januário não sabem a função do cartão dos deficientes, anunciou ontem o canal chinês da Rádio Macau. Actualmente, há já 1200 portadores de deficiência que têm direito ao serviço de saúde grátis e outros três mil que têm descontos nos autocarros. Mas isso acontece porque aos deficientes é dado um cartão que atesta o seu problema. Ontem, e depois da população ter criticado o Governo por não permitir que uma pessoa adulta possa ter acesso antecipado à pensão de velhice quando portadora de deficiência, o Instituto de Acção Social disse que iria estudar a possibilidade de isso poder vir a acontecer. Os portadores de deficiência podem vir a ter acesso a esse apoio financeiro quando fizerem 40 ou 45 anos, como acontece noutros países. Contudo, esse será um regime especial que ainda tem de ser estudado e que dependerá, se instaurado, do grau de deficiência. - C.L.

2G para 3G DSRT afirma que serviço não pára para turistas

A Direcção dos Serviços de Regulação de Telecomunicações (DSRT) assume que ainda está a analisar o assunto, mas sublinha que não deverá parar o serviço da rede 2G de telemóveis aos turistas. Chan Meng Kam estava preocupado com o impacto que a transição da rede de 2G para a de 3G, marcada para Janeiro, poderia provocar aos turistas. Em interpelação escrita, o deputado questionou se o Governo pretenderia cessar também a oferta deste serviço de 2G para os turistas, uma vez que os operadores já receberam avisos sobre a cessação do uso geral de 3G no território, incluindo serviço local e serviço transfronteiriço. Mas a DSRT assegura que não. - C.L.

Setembro e revela que “existe uma diferença de preço dos produtos até mais de 100% entre as lojas situadas em distintas zonas da cidade, apesar de pertencerem à mesma cadeia de supermercados”. “O Governo não vai intervir na fixação dos preços. Estes são determinados pela oferta e procura do mercado, porque temos de respeitar as regras do mercado”, disse Sou Tim Peng. Contudo, ficou a promessa de estudar o mercado e a lei da oferta e da procura depois da reunião de ontem. “O grupo de trabalho vai ter mais informações para implementar algumas medidas concretas no futuro.”

se mantiveram estáveis, com uma tendência de descida, o mesmo não deverá acontecer com a carne de vaca e de aves, cujos preços deverão subir para o próximo ano. Quem o diz são os principais importadores destes produtos. “Com a oferta e procura há uma pressão para o preço da carne de vaca aumentar de preço. A carne de aves também sente essa pressão, porque o preço do milho e da ração está a aumentar”, garantiu Tony Chen, da empresa de importação Nam Yue. A sua principal concorrente, a Nam Kwong, concorda. “No próximo ano há uma pressão para aumentar o preço da carne de vaca. Se os custos aumentam claro que a empresa tem de transferir os custos para os consumidores, porque não pode existir uma parte de beneficio e outra de prejuízo”, disse Chiang

Andreia Sofia Silva

PREÇO DA CARNE DE VACA PODE SUBIR

Se entre Janeiro e Agosto deste ano os preços da carne de porco

A pensar nas pequenas e médias empresas

A

S autoridades da RAEM esperam apoio do Governo Central nas políticas preferenciais a Macau, para compensar o esforço das pequenas e médias empresas, que se espera participem no desenvolvimento da Ilha da Montanha, disse ontem o Chefe do Executivo, durante um encontro, na sede do Governo, com o secretário do Comité Municipal de Zhuhai do PCC, Li Jia. No encontro, realizado para discutir a cooperação entre Macau e Zhuhai, através de “uma retrospectiva do trabalho efectuado e das actividades que ambas as partes pretendem realizar no futuro na construção da próxima fase da Ilha da Montanha”, ambos os responsáveis “preten-

dem continuar a cooperar na construção da nova zona”. O Chefe do Executivo afirmou que, ao longo dos últimos três anos “tem havido uma colaboração, cada

vez mais próxima, entre os dois territórios”. Por seu lado, Li Jia revelou que “as actividades desenvolvidas entre Zhuhai e Macau representam uma parte fulcral

da cooperação realizada entre Guangdong e Macau”, acrescentando que ambos os territórios consideram “importante a exploração realizada, nos últimos anos, na


terça-feira 25.9.2012

política

www.hojemacau.com.mo

Pereira Coutinho apresenta propostas para as LAG 2013

OS PEDIDOS DE COUTINHO PARA 2013

Venham daí os sindicatos joana.freitas@hojemacau.com.mo

O

Governo deu oportunidade e José Pereira Coutinho não a dispensou. O deputado apresentou ontem ao Executivo as suas opiniões para as Linhas de Acção Governativa do próximo ano, a pedido da Administração. Sem muito a acrescentar ao que tem vindo constantemente a defender, Pereira Coutinho voltou a pedir ao Governo que apresente uma proposta de regulamentação ao artigo 27º da Lei Básica, referente à liberdade sindical e à negociação colectiva. “A ausência de regulamentação impede que os sindicatos independentes possam intervir em nome dos seus associados, o que permite a contínua exploração dos trabalhadores do sector público e privado.” A revisão das leis laborais foi outros dos pedidos expressos numa resposta ao Gabinete do Chefe do Executivo, que se debruçou sobre a protecção aos trabalhadores e a necessidade de criar um mecanismo de responsabilização para os altos cargos. Como já tinha sido de-

fendido pelo deputado no início deste ano – aquando da decisão demorada do Governo em actualizar os salários dos funcionários públicos -, Pereira Coutinho reiterou a sugestão de que a actualização salarial deveria ser indexada à taxa de inflação. Os salários não aumentaram na proporção dos preços, frisa, o que “significa uma queda na qualidade de vida da maioria dos cidadãos”. Coutinho diz ainda que a actualização não pode ser feita de forma atrasada, como aconteceu este ano.

• Construção de edifícios para trabalhadores da Função Pública e para os agentes das Forças de Segurança

GONÇALO LOBO PINHEIRO

Joana Freitas*

• Alteração da lei para que os agentes das Forças de Segurança tenham direito às pensões de aposentação • Abertura de mais concursos públicos para casas que estão sob posse da Direcção dos Serviços de Finanças, para que “trabalhadores com baixos salários e enorme agregado familiar que lutam com enormes dificuldades” • Abolição dos contratos tarefa na Função Pública • Cheques pecuniários de dez mil patacas para os residentes permanentes e de sete mil patacas para os não-permanentes • Abertura de inscrições para as casas económicas e construção de mais casas sociais • Parcerias com empresas de construção para proporcionar habitações com preços acessíveis aos jovens

SEMPRE OS SECRETÁRIOS

No documento enviado ao Governo, o deputado não esquece o que constantemente tem vindo a reclamar: a assunção de responsabilidades dos titulares dos principais cargos. Algo que, diz, “faz parte da promessa de construir um Governo limpo e honesto”. Pereira Coutinho pede ao Governo que reforce o sistema de responsabilização e, mais ainda, que remodele a equipa de secretários. “Emanam instruções e tomam decisões administrativas, mas quando os escândalos rebentam quase

3

• Acabar com os “monopólios” por forma a “facilitar a importação e comercialização de carnes e vegetais” • “Aceleração” do hospital público

nunca têm de assumir a sua quota responsabilidade, endossando-a para os seus subordinados.” Apesar de não especificar, são Lau Si Io e Florinda Chan a quem o deputado se refere como secretários que não são responsabilizados e que contribuem para as

polémicas de Macau. Pereira Coutinho cita o caso da concessão de mais terrenos à Moon Ocean, depois de ter sido provado que os primeiros foram motivo de corrupção, e o caso das sepulturas como exemplos de não assunção de responsabilidades. - * com A.S.S.

• Mais apoio financeiro a idosos, pessoas com deficiência e famílias monoparentais • Mais lares de idosos, creches e casas mortuárias públicas • Mais fiscalização a produtos de primeira necessidade • Mais qualidade nos medicamentos e contratação de mais especialistas

Moradores de Ká Hó querem comprar terrenos. Os da Rua João Clímaco querem ir para tribunal

Casos complicados para resolver

Cecília Lin

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

S

ÃO dois casos onde pessoas estão a ser expulsas das terras onde estão há anos e, apesar de terem contornos diferentes, não estão a correr bem para quem ocupa os terrenos. No domingo, no programa Fórum Macau da TDM, foi discutida a questão da legalidade do caso de Ká Hó e da Rua do Padre João Clímaco. Se no primeiro, os moradores – que estão a ser expulsos das casas que, alegadamente, terão ocupado ilegalmente – propuseram ao Executivo comprar os terrenos, já no segundo caso – onde os vendedores ambulantes estão a ser expulsos por estarem alegadamente a ocupar de forma ilegal o terreno -, os negociantes afirmam não estar

a querer extorquir o proprietário do terreno, mas querem levá-lo a tribunal. John Lo Seng Shun, dono da Companhia de Fomento Predial Kam Mei Tak que detém os terrenos da João Clímaco, disse ao Hoje Macau estar a ser extorquido. Há vendedores, diz, que querem entre

quatro a dez milhões de patacas de compensação para saírem das terras ou até duas unidades de habitação. A versão é, contudo, diferente da parte dos últimos quatro vendedores. “Nós não queremos nada compensação, mas levar o proprietário à justiça. O que John

Lo Seng Shun disse aos jornalistas não é verdadeiro.”

Cívicos e Sociais deu licenças aos vedadores?”

KWAN E NG KUOK CHEONG AO BARULHO

KÁ HÓ ÀS COMPRAS

O caso da Rua Padre João Clímaco chamou a atenção da deputada Kwan Tsui Hang, que considera “estranho” o facto de o Governo não ter chamado os vendedores a comparecer em tribunal quando o tribunal deu ao anterior proprietário dos terrenos a prova de que estes eram seus. “Isso mostra que ainda existem defeitos no processo judicial.” Também Ng Kuok Cheong atacou o Executivo, dizendo que tem de se evitar que o processo judicial seja usado apenas pelas pessoas que têm poder e dinheiro. “Se a terra era privada, porque é que o Instituto para os Assuntos

Já no caso dos moradores de Kó Hó, dois deles apontaram que pode ser obtido o direito de continuar a viver na vila se for feito negócio através do plano urbano dos Pedidos de Concessão de Terrenos na Vila de Coloane. Os moradores dizem que é injusto que empresas de desenvolvimento predial possam comprar a terra ao Governo para construir prédios, mas os moradores não. Um represente dos moradores disse mesmo estar disposto a ser punido pela construção ilegal, mas espera que o Governo lhe permita utilizar a forma de “compra e venda” para recuperar a terra onde a família vive há várias gerações.


sociedade

Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

O

polícia reformado que, em Dezembro do ano passado, terá disparado um tiro contra a perna de um cidadão senegalês foi condenado a um ano de prisão com pena suspensa. Segundo fontes próximas do processo, o ex-agente, – cujo nome completo o Hoje Macau opta por não revelar -, foi condenado pelo Tribunal Judicial de Base (TJB), ontem de manhã. O caso que opunha o polícia macaense, de apelido Lao, e Massamba Ba, natural do Senegal, remonta a Dezembro de 2011. Massamba Ba, ou Max, entrou em conflito com Lao devido a desacatos com Vitoria Aguillar, actual namorada do polícia reformado e ex-companheira do senegalês. O problema residia não em Vitoria, mas no facto de a mulher filipina não deixar Max ver o filho de ambos. Foi este o motivo que levou o homem a ser atingido de raspão por uma bala no dia 5 de Dezembro, conforme noticiado pelo Hoje Macau. Uma nota do Ministério Público (MP) emitida nesse mês confirmava que Lao teria disparado uma arma e mais tarde Massamba mostrou ao Hoje Macau a perna ligeiramente esfolada, as calças com uma mancha que seria alegadamente da bala e os papéis do hospital. O ataque contra Max, contudo,

Ex-polícia envolvido em confrontos com senegalês foi declarado culpado

Um ano com pena suspensa

não acabou por aqui, com o senegalês a queixar-se que o ex-polícia mantinha constantes ameaças de morte. Ainda no ano passado, e presentes à justiça, Max queixou-se de terem deixado Lao sair em liberdade e afirmou ao Hoje Macau que os agentes apenas falaram com o ex-polícia. Max dizia não ter sido maltratado pelos juízes, mas

A razão que motivou os conflitos entre os dois homens ainda se mantém por resolver. Para o cidadão senegalês, a questão centra-se apenas à volta do filho de dois anos. Max foi proibido de ver o filho pela mãe da criança e, apesar de a mãe estar com o visto caducado há mais de três anos e a PSP ter confirmado ao Hoje Macau que a mulher ia ser deportada, ambos se mantêm no território. O filho do senegalês nasceu em Macau, mas devido a nenhum dos pais ser residente, a criança não tem nacionalidade. O tribunal disse estar à espera de resolver esta questão, mas Max terá de deixar Macau no dia 1 de Dezembro. “Eu perdi tudo por causa dela [Vitoria] e vivo aqui com o

Sete milhões e meio para “revisão independente” MTR Corporation Limited, empresa responsável pela gestão e operação do metro da vizinha RAEHK, vai ser também ser a entidade da “Revisão Independente da Concepção do Sistema e do Comboio do Metro Ligeiro” em Macau. A prestação dos serviços vai custar aos cofres da RAEM sete milhões e meio de patacas. Publicado ontem em Boletim Oficial, o despacho assinado por Chui Sai On, Chefe do Executivo, autoriza a celebração do contrato com a MTR Corporation Limited, que paga à empresa um total de 7.519.000 de patacas, divido por dois anos.

contestava o facto do caso estar a demorar tanto tempo para ser resolvido, depois de todas as provas terem sido recolhidas. Ontem, o cidadão do Senegal viu a espera terminar, quando o TJB puniu Lao. Ainda assim, e mesmo tendo sido dado como provado que o ex-agente estará envolvido em outros casos que já o levaram à justiça, foi dada pena suspensa a Lao.

De partida mas com assuntos pendentes

Empresa de HK responsável por revisão da concepção do metro de Macau

A

terça-feira 25.9.2012

www.hojemacau.com.mo

HOJE MACAU

4

Este ano, a MTR Corporation recebe já metade do valor, com o resto a ser pago apenas em 2013. O encargo referente a este ano será suportado pela verba relativa aos Investimentos do PIDDA. Esta não é a primeira vez que a empresa da RAEHK colabora com Macau no desenvolvimento do metro ligeiro. Este ano, foi ainda formalizada uma cooperação entre Macau e Hong Kong para a formação de profissionais para o novo sistema de transporte. A Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL) e a MTR Corporation

Limited, assinaram um memorando de entendimento onde ficou acordada a formação de funcionários para as áreas de administração, técnicas, manutenção e funcionamento do metro. Não há, contudo, informação sobre os custos, número de alunos ou datas previstas para o início dos cursos. A MTR Corporation conta já com 30 anos de experiência no planeamento de instalações e funcionamento do sistema de metro ligeiro de várias cidades do interior da China, Pequim e Londres, entre outras cerca de 40 regiões em todo o mundo. - J.F.

dinheiro que a minha família me manda do Senegal”, conta ao Hoje Macau. “Pago 2400 patacas por um quarto, sem luz, sem água, sem cozinha. Como quando dá e eu não posso continuar aqui sem dinheiro.” Max afirma ter que voltar, mas gostaria, diz, de regressar ao Senegal com o filho. Para isso, contudo, precisa de dinheiro para pagar a um advogado ou, claro está, um advogado que esteja disposto a ajudar o senegalês gratuitamente. “Se fosse eu a escolher, não iria sem o meu filho. Mas não posso fazer mais nada sem ajuda. Não quero que Vitoria vá comigo, só queria levar o meu filho. Mas no tribunal preciso de alguém que me ajude.”

Mais turistas em Macau, mas crescimento pouco acentuado

Continente é a principal origem M

AIS de 18,7 milhões de pessoas visitaram Macau nos primeiros oito meses de 2012, números que representam uma subida homóloga de 1,1%, um crescimento menos acentuado do que no passado. Dados estatísticos oficiais indicam que entre Janeiro e Agosto entraram em Macau 18.703.119 visitantes, dos quais 11.202.643 pessoas ou 59,89% eram oriundas do continente chinês, mercado que registou uma subida homóloga de 6,6%. Também em forte subida - de 8,3% e 14,6 %- estavam os mercados da Coreia do Sul - com 298.850 visitantes - e do Japão com 283.771 visitantes, indicam os dados oficiais. Em sentido inverso, mas com um

peso muito mais acentuado na estrutura do turismo de Macau, estavam os mercados de Hong Kong e de Taiwan. Da antiga colónia britânica chegaram nos primeiros oito meses a Macau 4.790.983 pessoas, menos 7,8% do que entre Janeiro e Agosto de 2011 e num mercado que tem um peso de 25,61% no turismo de Macau. Já o mercado de Taiwan - com um peso de 3,8% na estrutura - forneceu 719.917 pessoas, menos 14,6% face aos primeiros oito meses de 2011. - Lusa


terça-feira 25.9.2012

sociedade

5

HOJE MACAU

www.hojemacau.com.mo

Novos paraísos do jogo na Ásia podem vir a contar com um projecto da SJM

“Estamos abertos a outras oportunidades” Ambrose So não descarta a possibilidade de investir fora de portas. O director-executivo da Sociedade de Jogos de Macau (SJM) pondera alternativas dentro de fronteiras asiáticas que possam ser vantajosas para a operadora Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

C

OM diversas portas asiáticas a abrirem portas à indústria do jogo, a Sociedade de Jogos de Macau (SJM) pode vir a expandir-se para novos mercados além de Macau. Esta foi a possibilidade deixada em aberto por Ambrose So, director-executivo da SJM, que se diz atento àquilo que países como o Japão, Taiwan e Coreia do Sul podem vir a oferecer, pelo que cada caso será cuidadosamente analisado. “Vamos considerar todas as possibilidades e oportunidades que

possam surgir”, avançou ontem aos jornalistas à margem da inauguração de uma exposição no Grand Lisboa Piazza, às portas do casino. “Temos as raízes em Macau, a nossa principal operação tem sido em cá, mas estamos abertos a conhecer outras oportunidades, se for benéfico para a empresa”, adiantou o responsável. Na mesma ocasião, Ambrose So não escondeu a ânsia na aprovação do Governo face à nova parcela a que se candidataram, de 70 mil metros quadrados, junto à Nave Desportiva dos Jogos da Ásia Oriental (Macau Dome), anunciada em Dezembro de 2010. “Estamos ansiosos de saber a qualquer momento qual a resposta do Governo sobre o terreno”, disse. O responsável frisou que esta é a “hora certa” para desenvolver o projecto, no aterro entre a Taipa e Coloane, e mostra-se confiante quanto ao aumento do número de turistas. Em Fevereiro deste ano, a concessionária de jogo mais antiga de Macau entregou ao Governo o seu ‘master plan’ para o resort do Cotai, e à época, ainda antes de concessionado novo terreno à operadora Wynn, Ambrose So dizia haver vantagens no facto de serem os últimos a chegar ao

Cotai, devido aos êxitos e insucessos observados. Ambrose So demonstrou ainda interesse em adquirir 600 ou 700 mesas de jogo no novo empreendimento, no entanto, o Governo só vai dar mais duas mil para as cinco companhias que fizeram pedidos antes de 2008, pelo que cabe à SJM apenas 400 mesas. “Cada casino vai pensar que são muito poucas mesas”, reagiu.

CHEGA DE CASINOS NA PENÍNSULA

“A península e o Cotai representam dois mercados diferentes, no Cotai há sobretudo turistas e famílias mas a península é um centro de jogo por isso as pessoas vêm aqui para jogar, mais do que aquelas que visitam o Cotai”, analisou o empresário. Também por esta razão, não vê possibilidades de novos investimentos na península, até porque já nem há terras suficientes.

Os lotes sete e oito, envoltos em polémica ultimamente, já não contam com a Sands China na corrida, no entanto, segundo Ambrose So, essas parcelas de terreno, para as quais a SJM também se mostrou interessada em candidatar-se, ainda estão sob avaliação do Governo. “Expressámos o nosso interesse por escrito para o Governo e eles já nos responderam a dizer que não é a melhor altura para porem a jogo os lotes porque têm de resolver com o Venetian [Sands China] este processo legal e depois terão de decidir o propósito que irão dar ao lote sete e oito, algo que será posteriormente anunciado”, explicou.

SUBIR AOS 30%

O Greek Mithology foi a pedra no sapato no crescendo das quotas de mercados anunciadas no primeiro semestre deste ano. Ambrose So

Casino-boutique não pertence à SJM

O casino-boutique, que vai ser desenvolvido junto ao empreendimento de luxo do One Oasis, orçamentado em 6 mil e 390 milhões de patacas, parece não estar sob a tutela da SJM. “Não, não tenho conhecimento disso”, disse apenas Ambrose So, sobre a possibilidade da concessionária ser a detentora do novo projecto, construído em terreno privado. Avançado pelo jornal Business Daily, o casino-boutique foi aprovado através de um acordo de prestação de serviços que recorre a uma licença de jogo de uma das concessionárias.

previa uma subida de 30% no princípio do ano, no entanto, os resultados da líder do mercado de jogo (que detém 20 dos 35 casinos locais) ficaram-se nos 27%. “Tivemos um desequilíbrio no Greek Mithology, onde há uma disputa interna entre os accionistas, o que afectou um pouco as nossas receitas. Esperamos que depois de resolvidas estas disputas, os negócios possam voltar tal como de costume”, explicou o director-executivo da SJM. No entanto, ressalva, há a questão da crescente competitividade em que todas as concessionárias tentam ganhar cada vez mais quotas de mercado. Mas fica a promessa. “Tentaremos o melhor e esperemos conseguir chegar ao nosso objectivo de cerca de 30%.” Isto porque, os casinos que se auto-gerem estão a fazer o seu melhor, bem como os os satélites da empresa, explicou, pelo que acredita que tudo se encaminhe, dentro deste esforço combinado. Quanto à recente afirmação do presidente da Las Vegas Sands, sobre o direito às mesas de jogo de acordo com o investimento de cada concessionária, o que garantia 80% à operadora americana, Ambrose So escusa-se a comentários. “Isto é a opinião dele, não tenho comentários sobre essa afirmação.”


nacional

6

Tóquio envia vice-MNE a Pequim. Dois barcos chineses nas Diaoyu

A China enviou uma diplomata a Tóquio para falar sobre as Diaoyu. O Japão apressou-se a responder na mesma moeda

O

Resposta na mesma moeda

vice-ministro dos Negócios Estrangeiros do Japão, Chikao Kawai, viajou ontem para a China para uma visita de dois dias destinada a aliviar a tensão bilateral causada pela disputa territorial das ilhas Diaoyu, disse fonte oficial. Chikao Kawai deve reunir-se na terça-feira com um alto dirigente do ministério dos Negócios Estrangeiros da China para abordar a deterioração das relações entre os dois países, antes de regressar no mesmo dia a Tóquio. A deslocação à China ocorre pouco depois de o próprio Chikao Kawai ter manifestado a sua insa-

tisfação pela “intrusão territorial” de vários navios-patrulha chineses em águas das ilhas alvo de disputa numa conversa ao telefone com o embaixador chinês no Japão, Cheng Yonghua. Esta é a terceira vez que navios-patrulha chineses penetram em águas que o Japão considera suas desde 11 de Setembro, dia em que Tóquio adquiriu três das cobiçadas ilhas. O gesto provocou protestos da China e de Taiwan, que também reclama a soberania das ilhas, e reavivou o sentimento antijaponês na China, palco de uma onda de protestos contra o país vizinho. Além disso, Pequim anunciou no domingo a suspensão da cerimónia que iria assinalar os 40 anos de normalização das relações diplomáticas

Primeiro-ministro japonês na ONU

No melhor pano cai o Noda

O

primeiro-ministro japonês, Yoshihiko Noda, viajou ontem para Nova Iorque para assistir à 67.ª assembleia-geral da ONU, durante a qual deve ser abordado o conflito territorial com a China por causa da soberania das ilhas Diaoyu. Prevê-se que o chefe do governo nipónico aluda à questão das reivindicações territoriais e à resolução do diferendo através da lei no seu discurso diante da assembleia, a qual que coincide com um clima de forte tensão com Pequim devido às ilhas desabitadas do Mar do Sul da China. O ministro dos Negócios Estrangeiros nipónico, Koichiro Gemba, também segue para Nova Iorque, onde poderá reunir-se, esta quarta-feira, com o homólogo chinês, Yang Jiechi, na tentativa de aliviar a tensão bilateral, indicou a televisão pública japonesa NHK. Além da China, Tóquio viu deteriorem-se as relações com a Coreia do Sul nas últimas semanas, devido a uma outra disputa territorial pelas ilhas Dokdo – administradas por Seul, mas que Tóquio reclama como suas. O Japão instou Seul a levar a sua disputa ao Tribunal

terça-feira 25.9.2012

www.hojemacau.com.mo

com o Japão, prevista para esta semana. “É muito decepcionante”, reagiu ontem o ministro porta-voz nipónico, Osamu Fujimura. Face à escalada da tensão, Pequim também anunciou no domingo o envio, ontem, de uma delegação diplomática ao Japão, encabeçada pela antiga director geral para os Assuntos Asiáticos, Yang Yanyi, na tentativa de melhorar a actual situação.

DOIS NAVIOS CHINESES NAS DIAOYU

Entretanto, ontem dois navios-patrulha chineses entraram ontem numa zona, ao largo das disputadas ilhas no Mar do Sul da China, considerada pelo Japão parte das suas águas territoriais, anunciou a guarda costeira nipó-

nica. O governo nipónico convocou uma reunião extraordinária no gabinete do primeiro-ministro para estudar a eventual adopção de medidas. A movimentação ao largo das

ilhas ocorre um dia depois de a China ter decidido “adiar” uma cerimónia que assinalaria os 40 anos da normalização das relações entre a China e o Japão, actualmente sob forte tensão.

Empresários cancelam visita por razões de segurança

U

Não vá o diabo tecê-las

M grupo de empresários japoneses que há 37 anos mantém anualmente encontros com políticos de topo chineses decidiu cancelar a viagem deste ano por razões de segurança relacionadas com protestos antijaponeses, foi ontem anunciado. A Associação Económica Japão-China, uma das sete organizações de amizade Japão-China que deveria marcar presença na cerimónia que assinalaria o 40.º aniversário da normalização das relações entre Pequim e Tóquio na

quinta-feira, disse que vai cancelar a viagem da delegação de 175 empresários. Contudo, o presidente Fujio Cho, que é também o presidente da Toyota Motor, vai estar presente num jantar na quinta-feira em Pequim, onde se deverá encontrar com o antigo ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, Tang Jiaxuan, informou Takahiro Miyahara, funcionário da associação. O grupo de empresários japoneses dever-se-ia encontrar com

líderes chineses, incluindo com o primeiro-ministro, Wen Jiabao, mas na semana passada decidiram cancelar a viagem por causa de receios ao nível da segurança, na sequência da onda de protestos antijaponeses que ocorreram em vários pontos da China, motivados pela vendas de ilhas do Mar da China. A associação envia empresários de renome à China desde 1975. No passado, a delegação reuniu-se como figuras como o Presidente Hu Jintao e o antigo líder Deng Xiaoping.

Marinha recebe primeiro porta-aviões do país

Internacional de Justiça, algo que a Coreia do Sul rejeitou por considerar que não há dúvidas de que as ilhas são território sul-coreano. Durante a sua estadia em Nova Iorque, onde permanece até quarta-feira, Noda deverá manter reuniões bilaterais com o Presidente egípcio, Mohamed Mursi, e com a primeira-ministra australiana, Julia Gillard. Já o chefe da diplomacia japonesa dever-se-á encontrar com o seu homólogo russo, Serguéi Lavrov, e com a secretária de Estado de Estados Unidos, Hillary Clinton.

O “nosso” Varyag

O

primeiro porta-aviões da China foi ontem entregue à marinha, informaram jornais estatais, numa altura em que aumenta a tenção sobre a disputa de águas territoriais nos mares da China Oriental e do Sul. Há cerca de uma década chegou a ser referida a hipótese do Varyag vir para Macau para ser usado como casino, o que não chegou a acontecer. A cerimónia de entrega do navio de 300 metros, inicialmente construído

para a marinha da União Soviética com o nome de Varyag, ocorreu no porto de Dalian, no nordeste da China, após uma profunda remodelação feita por um estaleiro naval chinês, informou o Global Times. Durante a cerimónia,

uma bandeira nacional chinesa foi içada no mastro, uma bandeira do Exército de Libertação do Povo à proa e as cores do navio à popa, adianta a notícia. Pequim confirmou no ano passado que iria modernizar o antigo navio

soviético, agora conhecido como “número 16” e insistiu que o porta-aviões não representa qualquer ameaça para os seus vizinhos, já que deverá ser usado sobretudo para formação e investigação. Mas numerosos ensaios com o navio realizados no mar desde Agosto do ano passado preocuparam poderes regionais, nomeadamente o Japão e os EUA, que pediram a Pequim que explicasse porque precisa de um porta-aviões.


www.hojemacau.com.mo

nacional

Número 2 de Bo Xilai condenado a 15 anos de prisão

Bo Xilai foi considerado “o homem do ano”. Filho de um antigo vice-primeiro-ministro, Bo Xilai, 63 anos, dirigia o maior município chinês, com 33 milhões de habitantes, e era considerado um dos mais fortes candidatos a um dos nove lugares do novo Comité Permanente do Politburo, a cúpula do poder na China. Em Fevereiro passado, num gesto sem precedentes na administração chinesa, Wang Lijun refugiou-se no Consulado dos Estados Unidos na vizinha cidade de Chengdu, onde pediu asilo político. Wang Lijunera também vice-presidente do governo municipal de Chongqing. A deserção suscitou o maior escândalo político das últimas duas décadas na China e provocou a queda de Bo Xilai, que está a ser investigado por “graves violação da disciplina” e que não é visto em público há cerca de seis meses. A mulher de Bo, Gu Kailai, foi entretanto condenada a morte, com pena suspensa por dois anos, pela morte de um empresário inglês em Chongqing, em Novembro de 2011, um crime que Wang Lijun inicialmente encobriu. Segundo o relato oficial do julgamento, no dia 28 de Janeiro passado, Wang Lijun comunicou a Bo Xilai que a sua mulher, Gu, era “altamente suspeita” de envolvimento naquele homicídio. Embora sem mencionar o nome de Bo Xilai, o relato refere que no dia seguinte (29 de Janeiro), Wang Lijun foi “colericamente repreendido” e “esbofeteado” pelo “então líder do Comité do PCC em Chongqing”. Aquela referência constitui a mais explícita alusão feita até agora acerca da ligação de Bo Xilai à morte do empresário inglês, susceptível de procedimento criminal.

terça-feira 25.9.2012

O

antigo chefe da polícia Chongqing, Wang Lijun, e braço direito do antigo líder regional Bo Xilai, foi ontem condenado a 15 anos de cadeia, revelou a agência oficial chinesa, Xinhua. O julgamento de Wang Lijun terminou na terça-feira, num tribunal de Chengdu, no noroeste da China. Na segunda-feira, Wang tinha sido julgado, à porta fechada, pelos crimes de deserção e manipulação da lei em benefício próprio. Na audiência pública de terça-feira, Wang enfrentou as acusações de aceitação de suborno e abuso de poder. O ex-chefe da polícia, envolvido no maior escândalo político a abalar a China nas últimas décadas, pediu asilo político aos Estados Unidos após ter ajudado a encobrir o assassinato de um empresário britânico por Gu Kailai, a mulher de Bo Xilai, o qual era até então líder do Partido Comunista Chinês em Chongqing e um dos mais poderosos homens do país. Wang Lijun foi o herói da drástica “campanha anti-máfia” de 2009, que converteu Bo Xilai, num dos políticos mais populares do país. Sob a sua direcção, a polícia de Chongqing anunciou o “desmantelamento de mais de 500 gangues criminosos” que, “com a cumplicidade de responsáveis locais, controlavam o jogo, tráfico de droga, prostituição e outras actividades ilegais” na cidade. Cerca de 5.700 pessoas foram presas, entre os quais um ex-vice-comandante da polícia, Wen Qiang, posteriormente condenado à morte e executado. O papel de Wang Lijun inspirou até uma série de televisão e, em 2010, numa sondagem efectuada on line pelo Diário do Povo, o órgão central do Partido Comunista Chinês (PCC),

De herói a bandido

A sua acção contra as tríades inspirou uma série de televisão. Mas a sua ligação a Bo Xilai levou-o ao banco dos réus. Foi a sua fuga para o consulado americano que desencadeou a queda de um dos casais mais poderosos da China

Foxconn suspende produção em fábrica devido a conflito entre funcionários

A

Foxconn anunciou ter suspendido hoje a produção numa fábrica no norte da China na sequência de confrontos envolvendo até dois mil funcionários. A empresa e a polícia indicaram que os confrontos entre funcionários eclodiram este domingo ao final do dia num dormitório, de gestão privada, situado perto da fábrica da empresa em Taiyuan, no norte do país. De acordo com a agência oficial chinesa Xinhua, a situação ficou sob controlo depois de dez horas, sendo que a causa dos conflitos ainda está a ser investigada, não parecendo,

As lutas continuam

para já, estar relacionada com o trabalho. Comentários publicados na Internet referem que os confrontos começaram depois de um segurança ter batido num funcionário.

A Foxconn, que informou que a actividade da fábrica será retomada hoje, recusou indicar se a unidade, com 79 mil trabalhadores, está envolvida na produção dos iPhone. O

grupo é o maior fabricante mundial de componentes de computadores e produz para marcas multinacionais como a Apple, Sony e Nokia. “Decidimos fechar e aguardar que as autoridades chinesas nos confirmem que está tudo sob controlo”, afirmou o porta-voz da empresa, Simon Hsing, a partir de Taiwan, sede da firma, ao indicar que na origem dos confrontos terão estado “motivos pessoais”. A agência oficial chinesa Xinhua reduz o número de feridos a dez e adianta que um dispositivo for-

mado por 5.000 polícias foi montado no local para conter os conflitos. Confrontados com a versão oficial e com a apresentada pela empresa, alguns meios de comunicação referem que os trabalhadores concentraram-se na noite de domingo em forma de protesto contra as condições em que trabalham. Simon Hsing negou as afirmações e realçou que o “incidente” ocorreu fora do horário de trabalho e que do universo de 79 mil funcionários da fábrica de Taiyuan apenas dois mil participaram.

7

Gasto com investigação atinge 2,2% do PIB A China espera que os investimentos do governo e de sectores da economia em investigação e desenvolvimento científico ficarão em média em 2,2% do Produto Interno Bruto (PIB) do país durante o período de 2011 a 2015, de acordo com comunicado divulgado pelo comité central do Partido Comunista e pelo Conselho Estatal, publicado neste domingo pela agência de notícias estatal Xinhua. Para 2020, a expectativa é que esses investimentos superem a marca de 2,5% do PIB. Até 2015, a China estipulou que as taxas de investigação e desenvolvimento de médias e grandes companhias industriais aumentem para uma média de 1,5% da receita obtida com suas principais operações, conforme a Xinhua. A agência não apontou números anteriores para comparação.


8

nacional

Q

UANDO um investidor chinês comprou uma quinta perto desta aldeia, há alguns anos, ficou tão contente que lhe chamou Terra Dourada. O solo era rico, o sol e a chuva, abundantes. A terra, nas profundezas rurais da Rússia, também era muito despovoada. Agora já não é. Hoje, filas de estufas estão cheias de agricultores chineses que colhem tomates. E, numa estação com colheita abundante, o capataz disse que poderia aceitar mais umas centenas. O influxo de trabalhadores agrícolas chineses na Rússia reflecte os crescentes laços comerciais e económicos entre os dois países, um rico em terras e recursos, o outro em pessoas. Depois da ruptura da União Soviética, os dois países lutaram para transformar essas forças complementares em verdadeiras oportunidades de negócios. Alguns empreendimentos de mineração estão a ter êxito, e companhias estatais obtiveram grandes contratos de petróleo, carvão e madeira que formam a espinha dorsal da relação económica. Embora os empreendimentos chineses na agricultura russa tenham sido em menor escala, poderão acabar por ser igualmente

terça-feira 25.9.2012

www.hojemacau.com.mo

Chineses exploram terras agrícolas na Rússia

Cada um dá o que tem importantes – no mínimo, por criarem tensões sobre o papel dos imigrantes. Segundo o Programa Mundial de Alimentos, a Rússia tem a maior reserva de terras aráveis do mundo ainda não aproveitadas. A população da Rússia é de 141 milhões, comparada com o 1,3 mil milhões da China. A China tem constantes preocupações para garantir alimento suficiente e encontrar trabalho para a sua população rural. Algumas quintas dirigidas por chineses na Rússia enviam as suas colheitas de soja para a China e, enquanto cresce a presença de chineses no sector agrícola, também aumenta o potencial de mais exportações de alimentos. Quando os preços dos alimentos dispararam há cinco anos, o governo chinês abriu negociações para investir em terras russas. O programa entrou em vigor neste ano, com uma contribuição de US$ 1 mil milhões da China Investment Corporation num fundo

conjunto russo-chinês que investe em agricultura e madeira na Rússia e outros países que faziam parte da União Soviética. Sob um programa apoiado pelo governo russo, empresas chinesas também alugam cerca de 400 mil hectares de terras agrícolas e 800 mil hectares de florestas siberianas, onde os chineses extraem madeira para exportação.

PUB

Nalguns casos, os investidores chineses estão a comprar terra na Rússia. A Terra Dourada é uma das nove quintas chinesas em Sverdlovsk, no centro da Rússia, segundo o Ministério da Agricultura local. Outras sugiram no sul. Quintas de legumes chinesas operam até perto de Moscovo e São Petersburgo, a milhares de quilómetros da fronteira.

A mão de obra chinesa está mais do que disposta a fazer a viagem em comboios de terceira classe repletos através da Sibéria, partindo da Manchúria. É uma viagem em busca de oportunidade económica, familiar para inúmeros trabalhadores migrantes em todo o mundo. Li Hunlao, uma agricultora da região de Harbin, cidade no sudeste da China, explicou por que se aventurou até tão longe de casa: “Eu vim pelo dinheiro, o que acha?” Os salários de aproximadamente US$ 650 por mês são cinco vezes o que esses trabalhadores ganham na China, disse ela. O governo russo estabeleceu a meta de aumentar o comércio com a China para US$ 200 mil milhões por ano, contra US$ 80 mil milhões em 2011. Em comparação, o comércio entre os EUA e a China foi de US$ 503 mil milhões em 2011, segundo o Departamento do Comércio. Alguns russos temem que a maior cooperação económica leve a que uma onda de imigrantes chineses ocupe territórios muito pouco povoados. Mas Vladimir Balasanyan, um morador de Ostanino que trabalha como gerente na fazenda, disse que poucos russos querem empregos rurais hoje em dia.

Starbucks perto de templo budista causa polémica na China

Invasão cultural

A

abertura de um estabelecimento da rede americana Starbucks nas imediações do templo de Lingyin, em Hangzhou (província oriental de Zhejiang), reavivou a polémica na internet que em 2007 levou ao fechamento de outro estabelecimento da empresa na Cidade Proibida de Pequim. Segundo o jornal Shanghai Daily, a abertura, este fim de semana, de um café nas imediações do templo,

situado na encosta de uma montanha nos arredores de Hangzhou, a 170 km de Xangai, foi criticada como uma “invasão cultural”. Enquanto muitos internautas expressaram nas últimas horas a sua rejeição à abertura do café, que na sua opinião leva a perder a serenidade que deveria rodear um templo budista, outros não a vêem com maus olhos, já que de facto está numa rua comercial que nos últimos

Apple abre segunda loja em Hong Kong A Apple vai abrir no próximo sábado uma segunda loja em Hong Kong como resultado da grande procura na China, anunciou a fabricante norte-americana nesta segunda-feira. A companhia tem cinco lojas na China, o seu segundo maior mercado, e planeia abrir filiais nas cidades de Chengdu e Shenzhen, de acordo com representantes do governo. A China está perto de superar os Estados Unidos como o maior mercado de smartphones do mundo. Além de generosos subsídios que as três principais operadoras oferecem sobre os aparelhos, a procura beneficia de um público aficionado por tecnologia e por produtos cada vez mais baratos. A China apurou em Agosto um aumento de 1 por cento no número de assinantes de telefones móveis, para 1,07 mil milhões.

meses se encheu de lojas e restaurantes. Em 2007 a rede americana acabou por fechar o estabelecimento que tinha no interior da Cidade Proibida de Pequim, que estava há sete anos aberto, depois do apresentador da televisão estatal CFTV, Rui Chenggang, ter proposto no seu blogue o seu encerramento, tendo conseguido o apoio de meio milhão de ciberrnautas.


terça-feira 25.9.2012

região

www.hojemacau.com.mo

Filipinas Governo proíbe mercado de sexo pela internet

Pelo fim da pornografia virtual Uma nova unidade da polícia filipina vai dedicar-se a perseguir quem vende pornografia virtual. Pedofilia e sexo forçado são os principais alvos

O

governo das Filipinas decretou na quinta-feira a proibição da oferta de serviços de sexo pela internet, com uma polémica lei que tenta impedir os crimes cibernéticos. O cybersex, oferecido principalmente por mulheres, envolve conversas de natureza sexual e a realização de actos sexuais em

frente a câmaras ligadas à internet. Esta indústria está em crescimento em todo o mundo e envolve, com frequência, mulheres jovens e menores de idade que actuam contra a própria vontade. Qualquer pessoa que for apanhada a desobedecer à lei nas Filipinas pode ser multada em cerca de 48 mil patacas e apanhar uma pena de prisão até seis meses. No entanto, embora a lei fale especificamente sobre o crime cibernético, as empresas de media filipinas disseram temer que a legislação seja usada para limitar a liberdade de expressão, já que o acto legislativo inclui a difamação na lista dos crimes cibernéticos. A legislação determina que um indivíduo declarado culpado por comentários difamatórios na internet, inclusive comentários

feitos em redes sociais, pode ser sentenciado até 12 anos de prisão.

CRIMES VIRTUAIS

A legislação para o combate ao crime cibernético foi assinada em 2012 pelo presidente do país, Benigno Aquino, em Setembro. A lei define sexo cibernético

13 desaparecidos após colisão de pesqueiro e cargueiro no Pacífico

Barcos distraídos

T

REZE pessoas continuam desaparecidas na sequência da colisão entre um barco pesqueiro e um cargueiro em águas do Pacífico, a cerca de 900 quilómetros da costa noroeste do Japão, informou ontem a guarda costeira nipónica. O acidente teve lugar por volta das 02:30 locais, quando o barco pesqueiro Horiei Maru, de 119 toneladas, chocou com o

cargueiro Nikkei Tiger, de 25 mil toneladas. Nove dos tripulantes do pesqueiro, em que seguiam 17 japoneses e cinco indonésios, foram resgatados pelas 07:00 locais por outra embarcação de pescadores, segundo uma fonte da guarda costeira, citada pela agência noticiosa Kyodo. Entre os resgatados, encontram-se cinco pescadores japoneses e quatro indonésios. As autoridades recebe-

ram um pedido de auxílio do pesqueiro japonês durante esta madrugada, enquanto que o cargueiro, cujos 21 tripulantes que seguiam a bordo não foram afectados pelo impacto, informou ter colidido com um barco que não tinha avistado. O acidente ocorreu a cerca de 900 quilómetros da costa da província japonesa de Miyagi, localizada a aproximadamente 300 quilómetros a norte de Tóquio.

Coreia do Norte ameaça agir na fronteira marítima A Coreia do Norte prometeu realizar uma acção militar se a Coreia do Sul invadir a sua fronteira marítima. O comunicado norte-coreano é uma resposta a um incidente na sexta-feira no qual a Coreia do Sul disse que um navio seu disparou tiros de alerta contra barcos pesqueiros norte-coreanos que cruzaram uma disputada fronteira no Mar Amarelo. A Coreia do Norte disse que a Marinha da Coreia do Sul

está a usar barcos de pesca de outra nação sem nome para incriminar barcos nortecoreanos e cruzar a fronteira. O país prometeu “travar uma grande guerra” caso haja mais disparos. Os barcos pesqueiros da China e de ambas as Coreias cruzam-se regularmente no Mar Amarelo durante a temporada de pesca de caranguejos. Vários confrontos navais desde 1999 fizeram uma dúzia mortos.

como “o envolvimento voluntário, manutenção, controlo ou a operação, directa ou indirecta, de qualquer exibição lasciva de órgãos ou de actividade sexual, com auxílio de um sistema de computador” . Um dos autores da lei, o senador Edgardo Angara, disse que

9

a lei é necessária para combater problemas como o hacking, roubo de identidade, envio de spam e pornografia infantil na rede. O departamento nacional de investigações criminais no país pretende agora criar uma unidade de crime cibernético para cuidar de casos que envolvam violações à nova legislação. Também serão criados tribunais para julgar estes casos. As Filipinas têm vindo a adoptar uma linha dura no tratamento do crime cibernético, num país em que jovens mulheres e crianças são frequentemente forçadas a oferecer serviços sexuais pela internet. A nova lei dá poder aos tribunais do país para actuar sobre qualquer violação da legislação no território filipino – onde quer que o contratante dos serviços esteja localizado. Em 2011, dois suecos receberam pena de prisão perpétua por administrar serviços deste tipo no país, e três filipinos apanharam uma pena de 20 anos por ajudar os estrangeiros.

Coreia Candidata presidencial pede desculpa por abusos do pai

Tem filha que não é cega A

candidata do partido no poder na Coreia do Sul às presidenciais, Park Geun-Hye, pediu ontem desculpa pelos abusos dos direitos humanos cometidos durante a administração do seu falecido pai, Park Chung-Hee. A menos de três meses das eleições, a veterana política, que no passado defendeu o legado de seu pai, reconheceu sentir remorsos pelo sofrimento causado durante a ditadura de Park. “Na sombra do rápido crescimento da Coreia do Sul houve dor, sofrimento e irregularidades, bem como várias violações de direitos humanos cometidas pelas autoridades”, admitiu a candidata presidencial. Park Geun-Hye tem vindo a ser alvo de uma crescente pressão para clarificar a sua posição relativamente à governação autoritária da

Coreia do Sul pelo seu pai (1961-79). O pedido de desculpas foi incluído num discurso de dez minutos feito aos jornalistas e transmitido em directo a partir da sede do partido conservador Nova Fronteira. Park Geun-Hye, que há um mês figurava como favorita na corrida pela presidência da Coreia do Sul, perdeu terreno, de acordo com as recentes sondagens de opinião, para os rivais da esquerda Moon Jae-In e Ahn Cheol-Soo. O fraco apoio foi parcialmente atribuído a declarações consideradas ambíguas sobre o legado do pai, que ainda nos dias de hoje divide profundamente a Coreia do Sul. Park Chung-Hee chegou ao poder em 1961 na sequência de um golpe de Estado

e liderou o país com mão de ferro até ser assassinado em 1979, tendo colocado em prática políticas repressivas que, contudo, impulsionaram um rápido crescimento económico e estabeleceram as bases para o desenvolvimento que se seguiu. Caso vença as eleições de 19 de Dezembro pelo Partido da Nova Fronteira (Saenuri), Park Geun-hye, 60 anos, será a primeira mulher a ocupar a presidência da Coreia do Sul. Park ganhou as primárias conservadoras com 84 por cento dos votos dos militantes contra quatro rivais, todos homens. Nascida a 02 de Fevereiro de 1952, Park Geun-hye desempenhou o papel de primeira-dama ao lado do pai, depois do assassínio da mãe em 1974, por um norte-coreano.


entrevista

Não comenta se gosta ou não de Chui Sai On como Chefe do Executivo, mas garante que o futuro líder da RAEM tem de romper com os interesses e ter pensamentos a longo prazo. Paul Chan Wai Chi fala ao Hoje Macau sobre a política que se faz em Macau, a liberalização do jogo e o que falta para atingir o sufrágio universal

terça-feira

www.hojemacau.com.mo

Paul Chan Wai Chi, membro da Associação Novo Macau Democrático e depu

“É importante ter alguém com c de romper com os interesses” GONÇALO LOBO PINHEIRO

10

Joana Freitas*

joana.freitas@hojemacau.com.mo

Porque decidiu ser candidato à Assembleia Legislativa e o que sentiu quando soube que tinha sido eleito? Como membro da Associação Novo Macau, sempre apoiei a participação da associação nas eleições. Até 2005, por ter sido necessário, tornei-me um assistente do candidato às eleições. Quando soube que, mesmo assim, tinha sido eleito, claro que fiquei contente. O primeiro sentimento é de agradecimento ao apoio e à esperança que os eleitores depositaram na ANM e em mim próprio. Mas senti também uma responsabilidade a cair-me nos ombros da qual não posso fugir. Quais são as principais dificuldades de se fazer política em Macau? A estrutura da Assembleia Legislativa só é favorável para a cooperação que existe entre poder executivo e o poder legislativo. Não é propícia a uma supervisão eficaz dos deputados e nós, os deputados eleitos directamente, temos pouco espaço para desempenhar as nossas funções. O desenvolvimento político ficou para trás há já muito tempo. Há uma grave situação em que se controla e influencia a sociedade e isso sufoca o estabelecimento de uma liberdade e de um pensamento social. Por aqui a política é como se fosse uma poça de água estagnada – a sociedade não é activa na política de Macau. Depois, há demasiada complacência e falta de concorrência. Quais eram as primeiras três medidas que tomava se fosse Chefe do Executivo? Não sou, mas vou lembrar-lhe que é preciso tratar bem e ter atenção especial a três questões: habitação dos residentes locais, inflação e uma verdadeira reforma política. Manifesta-se muitas vezes contra o actual Chefe do Executivo. Que tipo de pessoa gostaria de ver nesse lugar, no futuro? Alguém com um pensamento claro

e perspectivas a longo prazo. O mais importante é ter alguém que tenha coragem de romper com os interesses e que queira lutar para benefício de toda a população. E o actual Chefe do Executivo não satisfaz esses requisitos? (Risos) Sobre se o senhor Chui Sai On é o Chefe do Executivo ideal para mim, não comento. Quero deixar os leitores pensarem por eles próprios, por respeito a ele. AAssembleia tem pouca produção legislativa própria. Não acha que os deputados deveriam apresentar mais projectos de lei? Sim, esta parte tem de ser fortalecida. Se houver mais deputados directos, acredito que a situação vai melhorar,

porque os deputados directos são os que têm mais responsabilidade perante os eleitores. Não teme a compra de votos no caso de sufrágio universal em Macau? Este tipo de casos existe em todo o lado do mundo. Mas o sufrágio universal não tem ligação necessária com a corrupção. Aqui, o que importa não é pensar que o sufrágio universal vai ser alvo de corrupção, o mais importante é ter a certeza que o sistema contra a corrupção nas eleições é eficaz. E a população está preparada para um sufrágio universal? Bem, nunca há casos onde 100% da população esteja 100% preparada. Mas estamos a melhorar cada

vez mais e os residentes de Macau têm experiência de eleições, bem como a cultura do eleitor está cada vez avançada. Quando houver boa coordenação entre a população e o poder político, o sufrágio universal será um sucesso. E a Novo Macau vai continuar a esforçar-se nesta área.

Região Especial Administrativa, porque é que Macau não pode ser igual a Hong Kong?

E quando poderá haver esse sufrágio universal? Em Hong Kong já se pode fazer em 2017, mas como a sociedade e a qualidade dos cidadãos de Macau não são tão altas como em Hong Kong, podemos ficar um pouco atrás. Ainda assim, como referi, isto não é o principal. A implementação do sufrágio universal depende do Governo Central, se nos deixa ou não. Mas se Hong Kong pode, como uma

Recentemente, Jason Chao foi eleito presidente da ANM, porque não havia mais ninguém. Têm falta de novos elementos na ANM? A Novo Macau está a acrescentar cada vez mais elementos novos, especialmente nos jovens. Por isso, mais tarde vão surgir novas caras.

Quem sai favorecido com o actual sistema político de Macau? Os grupos de interesse... os poucos dignitários que têm poder em Macau.

Existe liberdade de expressão na RAEM ou as pessoas têm medo de criticar o governo?


25.9.2012

utado

coragem Em Macau existe a chamada liberdade de expressão, mas depois quando as pessoas falam contra o Governo essa liberdade é reprimida. As críticas são abafadas e o número de pessoas que se atreve a criticar o Governo diminui. Isso não é nada bom para a sociedade. Defende permanentemente os direitos dos residentes, sendo muito raro ouvi-lo em defesa de quem vem de fora, como por exemplo empregadas domésticas e trabalhadores da construção civil, que enfrentam condições precárias. Estas pessoas não merecem o seu apoio só porque são de fora? As pessoas nascem iguais. Já dei atenção aos problemas dos interesses dos trabalhadores. A este respeito considero que não há fronteiras. A Novo Macau também ajuda os trabalhadores estrangeiros, as empregadas domésticas e os empregados filipinos. Lá porque não surgiu nos jornais, não significa que não dou atenção a isso. Tendo Macau tanta falta de quadros qualificados, não devia abrir-se à entrada de estrangeiros, que possam dar formação e uma visão universalista do mundo? Pansy Ho, enquanto dirigente na área do turismo, defendeu essa ideia há dias. A mais importante questão a pensar é: por que falta? Agora Macau tem muitos residentes que se formam no ensino superior e esses têm qualidade para ser quadros qualificados. Na minha opinião, isso de não haver quadros qualificados não é culpa da qualidade dos residentes. Falta é a Macau um mecanismo de concorrência leal e de um ambiente livre. Eu não rejeito talento estrangeiro. Se não há limite a ele na Lei Básica e não funciona é porque o mais necessário é substituir a liderança do Governo, trazendo novas ideias e pensamentos novos para Macau. A liberalização do jogo foi uma boa a decisão? Que mudanças trouxe aos comportamentos sociais? Só posso dizer que foi uma medida boa para melhorar a estabilidade económica, mas a curto prazo. Os efeitos negativos do jogo são de longo alcance. Desde a liberalização do jogo que a estrutura industrial foi-se, gradualmente, inclinando para a indústria de jogo, provocando

www.hojemacau.com.mo

um declínio dos valores sociais e dos padrões morais. Depois, traz falta de competitividade à cidade e tudo isso é motivo de preocupação. Naturalmente, a prosperidade no mercado económico e o aumento geral dos ordenados dos residentes é bom. No entanto, também causa muitas despesas e uma taxa de inflação alta. Isso também é digno de análise. Quem deve assumir a responsabilidade social dos aspectos maus do jogo: casinos ou Governo? Não só os casinos, nem só Governo. Isso é um problema que diz respeito à própria sociedade. Jason Chao tem defendido a comunidade homossexual. Qual é a sua posição? Por que nunca apresentou uma proposta que legalizasse o casamento entre homossexuais? Toda a gente pode ter ideias diferentes quando não forem contra a lei e não violarem a liberdade dos outros. Como Católico, tenho a minha opinião, os assuntos sociais são para discussão social. É professor. Quais os principais valores que procura transmitir aos seus alunos? Eu contenho a minha própria posição religiosa e princípios pessoais. Tenho um respeito absoluto pela liberdade de escolha dos estudantes. Portanto limita-se a ensinar a matéria? Eu encorajo os alunos a pensar como seres individuais e também os aconselho a comentar as notícias da sociedade e da política. Embora existam alunos que não apoiam a minha posição ou opiniões políticas, discutimos juntos e fazemos comparações. Mas respeito sempre as suas opiniões. - * com Cecília Lin

Perfil Nasceu em Macau? De onde é natural a sua família? Nasci em Macau... O que gosta de fazer nos tempos livres? Compro muitos livros mas tenho pouco tempo para os ler, por isso, vejo mais jogos de futebol. Mas jogo pouco. O que pensa de Confúcio, Lao Zi e Mao Zedong? Os primeiros dois são pensadores e Mao é um político. Qual o livro que mais o marcou? E o seu filme preferido? Dao De Jing, ou “O Livro da Via e da Virtude”, escrito por Lao Zi, e a Bíblia. Para já ainda não tenho um filme preferido. Quem é a sua personagem histórica ou celebridade preferida? Porquê? Há muitos, mas só posso citar uma única pessoa: Jesus Cristo.

PUB

entrevista

11


publicidade

12

terça-feira 25.9.2012

www.hojemacau.com.mo

ANÚNCIO Convite para adesão à base de dados dos fornecedores do IACM e actualização dos dados dos fornecedores existentes

ANÚNCIO [N.º270/2012] Para os devidos efeitos, vimos por este meio notificar os representantes dos agregados familiares seleccionados da lista de espera de habitação económica abaixos mencionados: N.º do boletim de candidatura 63647 35865 86053 87837 *74649 89937 76162 103531 77955 127729 84146 52392 80582

Nome KAM LAI HONG LAM TAK KUAN IP SON PENG WONG CHI WAI *LEONG LAI PENG CHANG HONG CHAO CHON UN CHAN SAO LON KUAN POU ON HO SUT IAN SOU FU IENG IEONG SIO WAI WU TENG TENG IEONG UN MAN ALIAS YANG WANWEN CHEONG MEI IP UN FO CHUN HO KAM KUAI SOU SOU LENG *LOU WUN LENG WAN UT HOU ALIAS WAN FONG HA CHOI FONG MUI

86490 74464 69519 71496 102401 *118768 52407 75280

N.º do boletim de candidatura 32420 119826 80094 *110532 80797 94708 115533 94626 115054 106807 126581 114274 *75219

CHAN CHEONG KIT KUOK WAI PENG AO IEONG KIN MEI *KAM KA IENG CHU CHAN PONG LEI TAK MENG LEONG CHOI LIN WONG KA HONG CHONG CHUN LEONG LEONG U TONG LEONG KAM MENG LO WENG TAI *CHIO WENG PIO

87816

CHEONG WAI SENG

117198 114980 114800 113098 77436

PUN POU KAO KUOK WAI I LAO KAN LENG KONG CHOI TAI WONG SUN WA

119999

CHU TAK IU

101555

LAM KEONG SENG

Nome

De acordo com os termos do artigo 12.º do Decreto-Lei n.º 26/95/M, de 26 de Junho, o Instituto de Habitação (IH) informa os representantes dos agregados familiares acima referidos, através de ofícios, para se dirigirem pessoalmente ao IH, sita na Travessa Norte do Patane, n.º 102, Ilha Verde, Macau (perto da Escola Primária Luso-Chinesa do Bairro Norte), no dia 4 de Outubro de 2012, às horas fixadas nos respectivos ofícios, para escolha das fracções de habitação económica disponíveis de T3 na zona de Macau. Nessa altura, os agregados familiares da lista de espera acima referidos devem apresentar os documentos comprovativos (originais e cópias) abaixo mencionados, para efectuar a nova verificação dos requisitos da candidatura da aquisição de habitação económica. Caso as respectivas informações afectem os actuais requisitos da aquisição de fracção ou existirem mudança da composição dos agregados familiares acima referidos, este Instituto irá suspender, imediatamente, o procedimento da escolha de habitação económica: 1. Documentos de identificação de todos os elementos do agregado familiar e os seus cônjuges (caso houver) registados no boletim de candidatura de habitação económica. 2. Prova de casamento (aplicável aos indivíduos casados. Caso tenha entregue ao IH, nos últimos três meses, não é necessário a entregar de novo). 3. Boletim de candidatura dos dados dos agregados familiares de habitação económica devidamente preenchidos e assinados. De acordo com os termos do n.º 2 do artigo 13.º do decreto-lei acima referido, com as alterações introduzidas pelo Regulamento Administrativo n.º 25/2002, caso os agregados familiares da lista de espera acima referidos não tenham comparecido no IH, no dia e horas fixados, e apresentado os documentos acima referidos, para escolha de habitação ou não pretendam adquirir nenhuma das fracções de habitação económica disponíveis no momento podem optar entre, por motivo não justificado, implica a perda do direito de escolha e passagem automática para o último lugar da lista geral; ou após a apreciação dos dados apresentados, verifique que não reunirem com os requisitos da candidatura, os agregados familiares seleccionados serão excluídos na lista geral. * Em caso da 2.ª convocação, os agregados familiares seleccionados que não tenham comparecido no IH, no dia e horas fixados, e apresentado os documentos acima referidos, para escolha de habitação ou não pretendam adquirir nenhuma das fracções de habitação económica disponíveis no momento podem optar entre, serão excluídos na lista geral, de acordo com os termos das alínea a) do artigo 14.º do decreto-lei acima referido, com as alterações introduzidas pelo Regulamento Administrativo n.º 25/2002 e alínea 2 do n.º 5 do artigo 60.º da Lei n.º 10/2011. No intuito de proporcionar os agregados familiares seleccionados para terem mais conhecimentos sobre as informações das fracções de habitação económica disponíveis, o IH juntamente os ofícios enviará em anexo o catálogo com descrições das fracções para venda, tabela dos preços, rácio bonificado, pontos de observação, informações sobre a fracção de modelo. Caso os agregados familiares seleccionados não tenham recebidos os ofícios remetidos pelo IH, até sete dias antes da data fixada, poderão dirigir-se ao IH sito na Travessa Norte do Patane n.º 102, Ilha Verde, Macau) ou consultar através do telefone n.º 2859 4875, durante o horário de expediente.

O Presidente, Tam Kuong Man 21 de Setembro de 2012

Faz-se público que, por deliberação do Conselho de Administração do IACM, tomada na sessão de 6 de Julho de 2012, se encontra aberto o convite público para adesão à base de dados dos fornecedores do IACM e, simultaneamente, para actualização dos dados dos fornecedores já existentes. I. Convidam-se as empresas e os empresários em nome individual a aderirem à base de dados dos fornecedores deste Instituto e constituírem seus destinatários para a consulta de preços. Os interessados necessitam de apresentar os seguintes elementos: 1.“Boletim de Pedido de Inscrição na Base de Dados dos Fornecedores do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais” e “Tabela de ramos de actividade”; 2. Declaração de adesão à “Base de Dados dos Fornecedores do IACM”; 3. Cópia da Declaração de Início de Actividade / Alterações da DSF (M/1); 4. Contribuição industrial do último ano económico – Conhecimento de cobrança (M/8); 5. Fotocópia da caderneta bancária, em patacas/extracto mensal (página com o nome do Banco e o número da conta bancária; o nome na conta bancária deve ser idêntico ao da loja/empresa para fins de liquidação e transferência); 6. Caso o âmbito de exploração envolva um ramo de actividade específico (vide nº 1 – 10 da nota do anexo constante do boletim do pedido, e.g. computadores, tecnologia informática, materiais, equipamentos e obras contra incêndios, etc.), necessita de apresentar os respectivos documentos comprovativos, de acordo com o conteúdo do anexo constante do boletim de pedido. 7. O requerente poderá apresentar documentos complementares que provem pertencer ao ramo de actividade que exerce e contribuam para a apreciação do requerimento de habilitação (e.g. breve apresentação da empresa, técnicas profissionais e pessoal, apresentação dos produtos, etc.); II. O IACM solicitará, por ofício, aos fornecedores existentes, a apresentação dos documentos indicados no ponto I a partir da data do anúncio e até ao dia 24 de Outubro de 2012; caso contrário, será considerado que pretendem renunciar ao direito de se constituírem fornecedores deste Instituto. III. Os fornecedores já existentes que aderiram a esta base de dados em Agosto de 2012 ou data posterior, ficarão isentos de apresentar os respectivos documentos. Os fornecedores que pretendam efectuar o pedido, podem, a partir de hoje, levantar o respectivo boletim nos locais abaixo indicados ou através de download na página electrónica do IACM (http://www.iacm.gov.mo) e enviá-lo por correio, depois de devidamente preenchido, juntamente com os referidos documentos à Divisão de Património e Aprovisionamento, sita na Calçada do Tronco Velho, no. 14, Edf. Centro Oriental, R/C, ou entregá-lo directamente nos seguintes locais: Locais para levantamento e entrega dos pedidos: Horas de expediente: 1.Divisão de Património e Aprovisionamento, sita na Calçada do Tronco Velho, no. 14, Edf. Centro Oriental (Telefone para informações: 8399 0255, Fax: 2833 9814)

2ª a 5ª feira, das 09:00 às 13:00 horas e das 14:30 às 17:45 horas 6ª feira, das 09:00 às 13:00 horas e das 14:30 às 17:30 horas.

2. Postos de Atendimento e Informação do IACM (Posto de Atendimento e Informação Central, Posto de Atendimento e Informação de S. Lourenço e Posto de Atendimento e Informação de T’ói San)

2ª a 6ª feira, das 09:00 às 19:00 horas (sem interrupção à hora de almoço).

3.Centros de Prestação de Serviços (Centro de Prestação de Serviços ao Público da Zona Norte, Centro de Prestação de Serviços ao Público das Ilhas e Centro de Prestação de Serviços ao Público da Zona Central)

2ª a 6ª feira, das 09:00 às 18:00 horas (sem interrupção à hora de almoço).

4. Núcleo de Expediente e Arquivo do IACM, sito na Av. de Almeida Ribeiro, n.º 163, R/C, Edf. Sede do IACM

2ª a 5ª feira, das 09:00 às 13:00 horas e das 14:30 às 17:45 horas 6ª feira, das 09:00 às 13:00 horas e das 14:30 às 17:30 horas.

Será guardado sigilo absoluto sobre todos os dados recolhidos. Estes apenas servirão para fins de adesão à base de dados dos fornecedores do IACM e não serão devolvidos. Para mais informações, é favor contactar este Instituto através do telefone no. 8399 0255 e 8399 0265, ou por email: supplier_request@iacm.gov.mo.

Aos 24 de Setembro de 2012.

O Presidente do Conselho de Administração

www. iacm.gov.mo

Tam Vai Man


terça-feira 25.9.2012

Ambrose So, director-executivo da SJM, inaugurou a nova ecoexposição do Grand Lisboa reflectindo sobre a necessidade de Macau, enquanto centro turístico, se associar cada vez mais à prática ambiental da reciclagem Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

M

OSTRAR-SE mais amigo do ambiente. É este o propósito do casino Grand Lisboa, da Sociedade de Jogos de Macau (SJM). Em época de celebrações, com o Festival do Bolo Lunar a ser celebrado pelas

13

Grand Lisboa tem nova cor e luminosidade à entrada com garrafas de plástico

Lanterna amiga do ambiente criações artísticas, também gostaríamos que reflectissem sobre a necessidade de fazer uma reciclagem responsável dos produtos residuais, que é especialmente importante para o nosso turismo e economia de lazer.” Segundo anunciado ontem, todas as garrafas de plástico usadas na exposição serão recicladas e tornadas produtos amigos do ambiente e doadas para associações de caridade locais. No ano em que se marca o quinto aniversário do Grand Lisboa e o décimo da SJM, pelo que a exposição usa o logo dos dez anos, em forma de lótus, representando os resultados conseguidos pela operadora, a que o próprio responsável escreveu em caligrafia chinesa. “No logo, Grand Lisboa é formado pelo caracter chinês que repre-

principais ruas da cidade, e em vésperas do Dia Nacional, o Grand Lisboa decidiu celebrá-lo junto da comunidade com uma escultura totalmente reciclável. A “lanterna vermelha”, de cinco metros de altura, foi projectada pelo artista de Hong Kong Wong Kwok Chung, ao qual se associaram outros criadores da região vizinha para outras nove peças de arte contemporâneas de cores diversas. “Estamos felizes de trazer ao Grand Lisboa esta exposição de eco-esculturas em celebração do Dia Nacional e do Festival do Bolo Lunar”, anunciou ontem à tarde o director-executivo da SJM, Ambrose So, na inauguração do espaço. “Enquanto esperamos que todos os visitantes do Grand Lisboa possam aproveitar as

Feira de ambiente decorre em Assisi e mostra área protegida chinesa

China e Itália: uma amizade ecológica É

vida

www.hojemacau.com.mo

já na próxima sexta-feira que tem início a Expo Mundial de Turismo na cidade italiana de Assisi. O evento, que dura até domingo, promete ser uma oportunidade para que China e Itália mostrem os diversos trabalhos de cooperação que têm vindo a desenvolver na área ambiental. Segundo a agência noticiosa Xinhua, a China tem em mãos mais de 200 projectos para promover os recursos renováveis, a eliminação de produtos químicos e ainda desenvolver sistemas tecnológicos que favoreçam as baixas emissões de carbono. Li Pei, membro do Ministério chinês para a Protecção Ambiental, frisou que muitas das iniciativas levadas a

cabo com a Itália já produziram “resultados concretos” nos últimos 10 anos, com investimentos avaliados em mais de 1.75 milhões de dólares norte-americanos. A expo em Assisi tem o patrocínio da UNESCO, que classifica a Itália como o país com o maior número de património cultural (47) e a China como o terceiro país onde isso acontece (43). A Expo deste ano conta com uma apresentação de rios de Yunnan, que ficam numa área protegida e classificada como património: são mais de um milhão de hectares onde se juntam o rio Yangtze, o Mekong e o Salween.

senta o cinco e a figura do um, que reflecte o orgulho na harmoniosa cultura que agrega o oriente e ocidente em Macau, e o nosso compromisso continuada para com a sociedade que remonta à sua herança de há 50 anos atrás.”

QUANTAS GARRAFAS?

A par do evento, o Grand Lisboa lançou a campanha “Adivinhe quantas garrafas”, que pretende chamar curiosos a decifrar o número de garrafas que compõem a “lanterna chinesa”. Todos os participantes estão habilitados a dez prémios monetários no valor de 5 mil patacas. Os formulários serão distribuídos em shuttle bus da operadora, entre as 12h e as 18h diariamente, e em alguns locais estratégicos da cidade, até 14 de Outubro, dia último da exposição.

Chupeta pode atrasar desenvolvimento emocional dos rapazes, revela estudo

Meninas são mais maduras, mesmo em bebés O

uso intensivo de chucha na infância pode atrasar o desenvolvimento emocional nos rapazes porque tira aos bebés a oportunidade de treinar expressões faciais, indica um estudo de investigadores norte-americanos, citada pelo Diário de Notícias. Nas conclusões de um estudo publicado esta semana no Jornal de Psicologia Básica e Aplicada, uma equipa de psicólogos da universidade de Wisconsin-Madison relaciona o uso da chucha nos rapazes com mau desempenho em vários testes de maturidade emocional. Na sua página na internet, a instituição salienta que é a primeira vez que se apontam consequências psicológicas ao uso de chuchas, apesar de tanto a Organização Mundial de Saúde como a Associação Americana de Pediatria já terem apelado a um uso “limitado” deste objecto para promover o aleitamento e evitar infecções auditivas ou problemas dentários. O problema nos rapazes é

que a chupeta inibe-os de imitar as expressões e a linguagem corporal das pessoas que os rodeiam, referem os académicos no estudo. O que acontece é que os adultos usam “o tom da voz e as expressões faciais” que os bebés mimetizam, a não ser que tenham uma chucha na boca, o que os torna menos capazes de imitar as expressões e emoções que vêem. Muita da comunicação nos bebés

assenta nas expressões faciais e que a chucha «limita a sua capacidade de compreender e explorar as suas emoções». Mas o problema é maior no sexo masculino, já que as meninas são mais imunes aos efeitos perniciosos da chucha, uma vez que se desenvolvem mais cedo e é possível que consigam crescer emocionalmente antes de começarem a usar chucha ou apesar de a usarem.


14

cultura

terça-feira 25.9.2012

www.hojemacau.com.mo

Festival de Música abre inscrições para visita guiada aos bastidores de “Peter Pan - O Musical”

O rapaz que não queria crescer

A

26ª edição do Festival Internacional de Música de Macau (FIMM), organizado pelo Instituto Cultural, inaugura com a produção do clássico da Broadway Peter Pan– O Musical, em cena do dia 5 ao dia 7 de Outubro, cujos bilhetes esgotaram quase imediatamente, obrigando à adição de um espectáculo extra. Em resposta ao grande entusiasmo por parte do público, a companhia decidiu realizar após cada noite de espectáculo uma visita guiada aos bastidores, intitulada “Voando com Peter Pan”, dando a oportunidade ao público de conhecer melhor o musical e de descobrir, com a ajuda da equipa técnica, os mecanismos que permitem a Peter Pan voar sobre o palco. “Peter Pan – O Musical”, é uma produção duas vezes vencedora do Prémio Emmy e duas vezes nomeada para o Prémio Tony, e conta a intemporal história recheada de aventuras e momentos mágicos de Peter Pan, o rapaz que não queria crescer. Protagonizado pela actriz nomeada para o Prémio Tony, Cathy Rigby, este musical da Broadway apresenta um elenco de elite, bem como uma cenografia e um guarda-roupa de grande requinte e realismo, transformando o palco do Centro Cultural numa verdadeira Terra do Nunca, diz a nota de imprensa da organização. De 5 a 7 de Outubro, no final de cada espectáculo (excepto na sessão extra do dia 7 de Outubro, às 15:00 horas), a companhia produtora do espectáculo irá realizar uma visita guiada aos bastidores, oferecendo cada noite a oportunidade a 20 espectadores com bilhete de conhecer o espectáculo por dentro. Para proceder à inscrição, os interessados deverão ligar para o número 8399 6699, durante o horário de expediente, até ao dia 3 de Outubro, sendo as marcações efectuadas por ordem de inscrição.

Herman José concluiu dois espectáculos com vontade de voltar à Las Vegas do Oriente

O

“Na Europa estamos muito mal habituados”

humorista português Herman José concluiu em Macau uma série de dois espectáculos no Teatro D. Pedro V com casa cheia e a vontade de regressar à Las Vegas do Oriente em 2013. Fascinado pelos néon da nova Macau - incomparável à cidade que conheceu no final dos anos 1970 e início dos anos 1980 - Herman José subiu ao palco para mais uma actuação do “one (Her)man Show” provocando gargalhadas constantes com o seu humor, ao qual não escapa-

ram muitas figuras públicas. Duarte Lima, José Castelo Branco, Lili Caneças, muitos colegas e amigos do humorista, e até o próprio Herman José serviram de mote para uma série de humor, em que não faltaram personagens como “Serafim Saudade”, acompanhado de um coro feminino escolhido entre a plateia, “José Esteves”, o “Nelo” ou a “Maximiniana”. “Eu não me contento com uma taxa de agrado inferior a 100 por cento e de há dois

ou três anos para cá tenho conseguido isso em todos os sítios por onde tenho passado e se não tivesse conseguido isso cá - isto é um discurso um bocadinho imodesto era das maiores tristezas da minha vida”, diz Herman José à agência Lusa, no balanço de dois espectáculos no território.

APAIXONADO POR CASINOS

O artista confessa que das duas primeiras vezes que esteve em Macau não estava

na posse das suas “faculdades artísticas” acabando sempre com a sensação de que faltava alguma coisa ao espectáculo. Por outro lado, Herman José, com 40 anos de carreira, olha também para Macau de forma diferente, confessa-se um apaixonado por casinos, pelos néon da cidade e pela qualidade dos novos empreendimentos da cidade, ligados aos novos casinos que foram abrindo desde 2004 depois da concessão de novas licenças atribuídas

a diversos operadores e disse sentir-se um “miúdo na Disneyworld”. “Depois era trocar a depressão que nós sentimos um bocadinho no ar em Portugal por este ambiente de crescimento, uma certa euforia que se sente ainda nestas zonas do mundo onde está tudo a crescer e faz-nos bem porque nós na Europa, como estamos muito mal habituados, tendemos a ser um bocadinho derrotistas e em Portugal já ninguém liga às coisas

boas que foram feitas”, considera. Para um novo espectáculo, Herman José confessa que gostaria de trazer, pelo menos, quatro dos músicos com quem trabalha há vários anos para “uma versão um bocadinho mais pomposa” do seu trabalho, um desejo que ficaria mais que realizado com a “big band” para a qual, confessa, “precisava de um patrocínio de um casino”, um dos seus grandes empregadores, mas para os quais não contribui porque não joga.


terça-feira 25.9.2012

Rachmaninoff

Sergei Vasilievich Rachmaninoff (1 de Abril de 1873 – 28 de Março de 1943) foi um compositor, pianista e maestro russo, um dos últimos grandes expoentes do estilo Romântico na música clássica europeia. Rachmaninoff é tido como um dos pianistas mais influentes do Século XX. Os seus trejeitos técnicos e rítmicos são lendários, e suas mãos largas eram capazes de cobrir um intervalo de uma 13ª no teclado (um palmo esticado de cerca de 30 centímetros). Especula-se se ele era ou não portador da Síndrome de Marfan, já que pode-se dizer que o tamanho de suas mãos correspondia à sua estatura, algo entre 1,91 e 1,98m. Ele também possuía a habilidade de executar composições complexas à primeira audição. Os trabalhos de Rachmaninoff tornaramse parte do repertório padrão, mas a sua popularidade tanto entre músicos quanto entre ouvintes veio em crescendo durante a segunda metade do Século XX, com algumas de suas sinfonias e trabalhos orquestrais, canções e músicas de coral a ser reconhecidas como obras-primas ao lado dos trabalhos para piano, mais populares. Rachmaninoff foi director do Teatro Bolshoi, de 1904 a 1906, e também um dos últimos grandes representantes do pós-romantismo musical na Rússia pré-revolucionária. As características de suas obras são a elegância mundana, a profunda tristeza, os ritmos exaltados e as melodias arrebatadoras. Em 1917, Rachmaninoff, após perder todos os seus bens com a revolução, abandonou o país e fixou residência na Europa Ocidental. Em 1935, mudou-se para os Estados Unidos, onde obteve êxito como concertista de piano. Rachmaninoff interpretava as próprias obras, mas também as de Chopin, Liszt e Alexander Scriabine, fascinando completamente o público com seu virtuosismo como pianista. Antes de abandonar a Rússia, Rachmaninoff compôs três grandes concertos para piano e, em 1937, já nos Estados Unidos, um quarto concerto. Entre as obras para piano, uma das mais conhecidas é o Prelúdio em Dó Menor Sustenido, composto em 1892. Nos Estados Unidos, são especialmente populares as sinfonias, bem como os poemas sinfónicos, como A Ilha dos Mortos (1909) e sua última grande composição, Danças Sinfónicas (1940), magnífica obra da maturidade. Rachmaninoff compôs também três óperas, coros e lieder.

O

artista plástico português José de Guimarães tornou-se no fim de semana o primeiro ocidental a expor no novo museu da histórica cidade de Suzhou, leste da China, confirmando a sua afinidade com a Ásia Oriental. Trata-se também da terceira exposição de José de Guimarães na China continental em apenas uma década, com cerca de 80 obras, incluindo pinturas, instalações e maquetas das suas esculturas públicas. “Sinto uma certa afinidade com esta região, que tem uma cultura muito antiga, e penso que, num futuro próximo, a arte ocidental pode

cultura

www.hojemacau.com.mo

“Jornadas Musicais do Clube Militar” prosseguem com Schumann e Rachmaninoff

Os últimos românticos

Akane Kubota

N

Albert Cheng

O âmbito do projecto “Jornadas Musicais do Clube Militar - Concertos de Música de Câmara” terá lugar na próxima sexta-feira, dia 28 de Setembro, pelas 19 horas, no Salão Stanley Ho daquela instituição, mais um concerto de música de câmara. Desta vez a organização convidou a pianista japonesa, Akane Kubota e o violinista natural de Hong Kong, Albert Cheng, para interpretarem peças dos compositores associados ao Romantismo, Robert Shumann, Sergei Rachmaninoff e Camille Saint-Saens. Akane Kubota nasceu em

Tóquio e começou a estudar piano com seis anos. Já com inúmeras participações em concertos, bem como várias actuações a solo, tanto no Japão, como no estrangeiro, Kubota vive actualmente em Nova Iorque e ganhou uma bolsa de estudo para estudar com o reputado pianista, Miyoko Lotto. Albert Cheng, nasceu em Hong Kong e iniciou-se no violino com apenas cinco anos, tendo recebido vários prémios durante o seu crescimento enquanto músico, nomeadamente o de Estudante de Música do Ano, em 2000, atribuído pelo jornal, South

China Mornig Post. Em 2001 ganhou uma bolsa de estudo e foi aceite na prestigiada Juilliard School, de Nova Iorque, onde se licenciou e estudou com Robert Mann, primeiro violino, maestro e compositor do quarteto de cordas daquela instituição. Paralelamente a cada concerto o Clube Militar organiza um jantar-convívio, aberto a todos os participantes, com um menu especialmente preparado para o evento. Os bilhetes encontram-se à venda por 50 patacas ou 250 patacas (incluindo jantar), na recepção do Clube Militar. - J.C.M.

Schumann

  Robert Alexander Schumann nasceu a 8 de Junho de 1810, em Zwickau, Saxónia, Alemanha. Sobre a educação de Robert, sabe-se que, aos seis anos ingressou na escola primária. No ensino secundário apreciava, sobretudo, o grego e o latim e os autores antigos, de Homero a Tácito, passando pôr Platão e Sófocles. O despertar de seu talento musical ocorreu cedo. Aos sete anos o seu pai providenciou para que o menino estudasse com Johann Kuntzsch, autodidata que lecionava no liceu e tocava órgão na igreja de Santa Maria. Não era um grande músico, mas serviu para estimular o futuro compositor. Meses mais tarde, Robert já escrevia pequenas danças. Aos doze anos formou um pequeno conjunto com seus amigos de escola (dois violinos, duas flautas, duas trompas e um clarinete) para tocar na escola e nas casas de família. Em 1828, o compositor tornou-se aluno de Friedrich Wieck, um famoso professor de piano, e pai de Clara, uma talentosa menina de nove anos, virtuosa do piano, com quem, viria a casar. Nos meses seguintes, surgiram as primeiras obras primas de Schumann: Variações sobre o Nome Abbeg, Papillons. Em 1851, ocupando o cargo de director de orquestra em Düsseldorf, Schumann teve graves problemas com os músicos, devido a sua estabilidade emocional. Em 1853, começa a ter alucinações auditivas, ouvindo incessantemente a nota “lá”; a isso juntavam-se a dificuldade de fala e a melancolia. No início do ano seguinte, as alucinações tornam-se cada vez mais frequentes. A obsecante nota “lá” tranforma-se em música, música descrita pôr Schumann como “a mais maravilhosa e executada pôr instrumentos que ressoam tão esplendidamente como jamais se ouviu”. Atormentado e insone, na noite de 17 de Fevereiro de 1854, levanta-se repentinamente de sua cama para escrever um tema ditado por anjos que via ao seu redor. Mas, aos poucos, essas figuras celestiais se transformam em demónios em forma de hiena e de tigre. E essas novas visões são acompanhadas de uma música tenebrosa e assustadora. Pede então para ser internado num asilo de alienados. Poucos dias depois, a 27 de Fevereiro, tenta o suicídio, atirando-se às águas do rio Reno. Salvo por barqueiros, é conduzido ao asilo de Endenich, próximo de Bonn. De Endenich, Schumann jamais sairia. A 29 de Julho, o compositor expira, aos 46 anos.

José de Guimarães, o primeiro ocidental a expor em Suzhou

Na senda dos antigos

ter na China uma zona de implantação muito forte”, disse o artista à agência Lusa. A exposição, intitulada “Metropolis - Cities and Citizens” (Metrópolis Cidades e Cidadãos), está patente até 21 de Novembro

no novo Suzhou Jinji Lake Art Museum, aberto na primavera passada. “É uma grande exposição de arte portuguesa contemporânea”, salientou o embaixador de Portugal na China, José Tadeu Soares,

que foi convidado para a inauguração. Parte das obras expostas, entre as quais “pinturas de grande formato” (quatro por dois metros de comprimento), já foram apresentadas nas instalações do Parlamento Europeu em Bruxelas, mas o conjunto é inédito em Portugal. José Guimarães, 73 anos, formado em engenharia, iniciou a carreira na década de 1960. É um dos mais viajados

15

artistas portugueses contemporâneos, com obras espalhadas por museus de 15 países, e há cinco anos fez também uma grande exposição em Pequim, no Today Art Museum. O Shuzou Jinji Lake Art Museu descreve a obra de Guimarães como “uma magnificente osmose entre culturas” e diz que o artista segue “um método semelhante ao de um antropólogo, através do qual mergulha em diversas civilizações”.

José de Guimarães concorda que o seu trabalho tem “um certo paralelismo com a pesquisa antropológica”, mas prefere identificar-se como “nómada transcultural”: “A minha obra é a de um artista nómada, que caminha ao longo da História e da Geografia”, diz. “É quase como perseguir os caminhos dos antigos navegadores portugueses”, acrescenta. Situada na margem de um grande lago (Taihu), Suzhou era conhecida outrora como “a Veneza da China” e os seus “clássicos jardins” fazem hoje parte da lista de património mundial da UNESCO.


16

desporto

terça-feira 25.9.2012

www.hojemacau.com.mo

Sporting Clube de Macau celebra aniversário hoje

tudo, a criatividade pode ser o grande motor para alcançar o objectivo”, disse ao Hoje Macau. Por outro lado, acrescenta, o clube tem sido muito crítico na forma como o futebol está organizado em Macau, já que “não basta dar pontapés na bola” mas “defender a ideologia”. De outro modo, o presidente salienta a “fidelização de jogadores”, num clube que privilegia um clima de franca amizade entre os cer-

Leão ruge há 86 anos Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

A

equipa de riscas verdes e brancas, filial do homónimo da capital portuguesa, vai comemorar hoje o seu aniversário, mantendo-se como a mais antiga equipa portuguesa ou lusófona no território. O Sporting Clube de Macau (SCM) convidou todos os sócios e simpatizantes a soprar as 86 velas de história no campo do Colégio D. Bosco, logo mais à noite pelas 21h15, local onde depois se disputará um confronto com a equipa Hou Chon, uma partida da segunda divisão para o campeonato de futebol de sete (o Bolinha). Em vésperas do aniversário, o presidente António Conceição Júnior revelou o seu desejo de que o SCM

ca de trinta jogadores, mas também fora dos relvados, com a coesão e apoio de sócios e adeptos. O Sporting de Macau está também a ponderar uma edição especial de vinhos com a marca do clube, uma ideia que, refere Conceição Júnior, surgiu exactamente daquilo a que chama “associativismo participado”, levando a direcção a ponderar sobre esta “medida inédita em Macau”.

A fundação em 1926

possa ingressar na primeira divisão, como “parte de um processo natural de crescimento e de evolução”,

embora a direcção tenha plena consciência das dificuldades e das assimetrias entre equipas.

“Não possuímos o mesmo dinheiro do que outros clubes de expressão portuguesa mas isso também não é

PUB

Foi de uma reunião de direcção do Sporting Clube de Portugal a 22 de Setembro de 1926, na qual constava Pedro Navarro (presidente), Júlio de Araújo, Veiga Pinto, João de Korth e Francisco Stromp que foi resolvido considerar como filial o Sporting  Clube de Macau, a quem coube o número 25, segundo indica a página online, através de documentação recolhida pelo presidente actual, António Conceição Júnior. Um ano após a sua fundação, o jornal de Macau “A Pátria” escrevia sobre a composição da segunda direcção do Clube. “A filiação no SC Portugal que acabou de ligar o clube local ao club metropolitano, dando-nos assim mais um bom exemplo de boa iniciativa de aproximação e bom entendimento entre todos os portugueses - família espalhada na China - foi e será, um dos problemas capitais a que a Direcção cessante tem consagrado e a que  a nova vai consagrar todo o seu carinho e amor, cuidado e trabalho”, relata a página online (http:// sportingclubemacau.blogspot.com).

Ávila faz quarto “com sabor a terceiro”

De partida para Xangai O

piloto português de Macau, Rodolfo Ávila, obteve a quarta posição na corrida da Taça Porsche Carrera Ásia disputada no passado domingo no circuito citadino de Singapura. “Este resultado acaba por ter um sabor a terceiro lugar, visto que a corrida foi ganha pelo carro convidado que não marca pontos para o campeonato”, revela um comunicado do piloto. Na noite de sábado, em Marina Bay, decorreu a sessão de qualificação que seria severamente afectada por um longo período de bandeiras vermelhas. Ávila foi o quinto mais rápido, mas no final da sessão não estava totalmente satisfeito com o seu resultado. “Foi uma qualificação atípica. Acabei por dar apenas duas voltas rápidas. O Keita Sawa bateu mesmo à minha frente

e tive muita sorte em não lhe ter acertado. No recomeço da sessão fomos para a pista com as pressões de pneus muito altas e foi impossível conseguir atingir a temperatura ideal”, explicou o piloto que tripula o Porsche 911 GT3 Cup da Team Jebsen. Duas horas antes do início Grande Prémio de Singapura de Fórmula 1, os 28 concorrentes da Taça Porsche Carrera Ásia lançaram-se ao asfalto para as 12 voltas da única corrida do fim-de-semana na cidade-estado. Ávila fez um mau arranque e perdeu uma posição, mas ainda na primeira volta conseguiu reposicionar-se no quinto lugar. Dai até final, o piloto envolveu-se numa luta a quatro pela quarta posição, em que levaria a melhor. “Foi uma corrida bastante intensa, com várias lutas renhidas, mas sempre limpas. Senti algumas dificuldades nas primeiras voltas para conseguir colocar temperatura nos pneus, mas com o decorrer da corrida e apesar do desgaste, ainda consegui melhorar ligeiramente as minhas voltas. Apesar de obviamente ambicionar um lugar no pódio, posso dizer que estou satisfeito com a minha prestação na corrida”, conclui Ávila. Depois da passagem pela Malásia e Singapura, a Taça Porsche Carrera Ásia regressará à China para a derradeira prova da temporada, que está agendada para o fim-de-semana de 10 e 11 de Novembro, no Circuito Internacional de Xangai.


terça-feira 25.9.2012

futilidades

www.hojemacau.com.mo

[ ] Cinema

17

Cineteatro | PUB TED [C]

Um filme de: Seth MacFarlane Com: Mark Wahlberg, Mila Kunis, Glovanni Ribisi 16.30, 19.30, 21.30 SALA 2

RESIDENT EVIL: RETRIBUTION 3D [C] TED

Um filme de: Paul W. S. Anderson Com: Milla Jovovich, Michelle Rodriguez, Li Bing Bing 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

SALA 1

SALA 3

Falado em tailandês, legendado em chinês e inglês Um filme de: Monthon Arayankoon Com: Jesdaporn Pholdee, Natthaweeranuch Thongmee, 14.30

Um filme de: Brad Parker Com: Jesse McCartney, Jonathan Sadowski, Kevin Kelley 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

I MISS U [C]

CHERNOBYL DIARIES [C]

VERTICAIS: 1-Arrancar. Pronome demonstrativo (pl.). 2-Joeiram, outam. Pacóvio, troxa. 3-Achanar. Tirai a vida. 4-Conversa com outra pessoa. A Primeira de um série ou ordem. 5-Segurei com a mão. Catedral. Pendem. 6-Amimai. 7-Constelação austral. 101 (Rom.). Prezar, venerar. 8-Desbastaram. Reflexão da voz. 9-Insista. Embarcações de recreio. 10-Prezai. Sexualmente degenerada, anormal. 11-Cicatrizou, curou. Pessoas ruins e manhosas.

SOLUÇÕES DO PROBLEMA

Sudoku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: 1-Mulher que ouve muito mal. Que têm aptidão. 2-Apertais com nó. Obra em verso. 3-Ligai pelo matrimónio. Sentir aversão. 4-Condutor de palanquim na India. O m. q. ami (planta). 5-O m. q. rosicler. 6-Pranteava, chorava. 7-Despovoada. Gritam (Fig.). 8-Produz som. Acto de ciar (Mar.). Sapo amazónico. 9-Coloca num lugar certo. Substância mineral simples, boa condutora do calor e da electricidade. 10-Prova a que alguém é submetido. Consinta. 11-Desocupem. Venturas.

Aqui há gato [Tele]visão TDM 00:00 00:40 01:15 13:00 13:30 14:45 17:00 18:30 19:35 20:30 21:00 21:30 22:10 23:00 23:30

Heranças D\’Ouro Telejornal (Repetição) RTPi DIRECTO TDM News - Repetição Jornal das 24h RTPi DIRECTO Liga Sagres: Sporting - Gil Vicente (Repetição) TDM Desporto (Repetição) Resistirei Telejornal TDM Entrevista Linha da Frente Ballet Rose TDM News Magazine Liga dos Campeões (Champions League Magazine) INFORMAÇÃO TDM

22:30 Trans Tasman Test Series 2012 - Mens 23:30 FIFA Beach Soccer World Cup 2013 Qualifiers Netherlands vs. Russia 31 - STAR Sports 13:00 Engine Block 2012 13:30 WTA - Guangzhou International Women’s Open 2012 Semifinals 16:30 International Motorsport News 2012 17:30 The Verdict 18:00 WTA - Guangzhou International Women’s Open 2012 Semifinals 21:00 Golf Focus 2012 21:30 (LIVE) Score Tonight 2012 22:00 The S-League Show 22:30 Golf Focus 2012 23:00 SBK Superbike World Championship 2012 Race 2 40 - FOX Movies 12:20 The Conspirator 14:25 Spy Kids 4 15:55 Love, Wedding And Marriage 17:35 127 Hours 19:15 Sarah’S Key 21:00 The Help 23:25 Made Of Honor

RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:30 O Meu Bairro - Foz 15:00 Sal na Língua 15:30 Consigo 16:00 Bom Dia Portugal 17:00 Decisão Final 18:00 Vingança 18:45 Best of Portugal 19:00 Ler +, Ler Melhor 19:15 Velhos Amigos 20:00 Jornal da Tarde 22:00 O Preço Certo 22:10 Ler +, Ler Melhor 22:15 Portugal no Coração 30 - ESPN 11:00 IAAF Grand Prix - Eaa Premium Meeting 14:00 World of Gymnastics 2012 14:30 NASCAR Sprint Cup Series 2012 - Highlights 15:30 MLB Regular Season 2012 Toronto Blue Jays vs. Baltimore Orioles 18:30 (Delay) Baseball Tonight International 2012 19:30 (LIVE) Sportscenter Asia 2012 20:00 Trans Tasman Test Series 2012 - Mens 21:00 FIFA Beach Soccer World Cup 2013 Qualifiers Netherlands vs. Russia 22:00 Sportscenter Asia 2012

41 - HBO 12:00 Morning Glory 13:50 North Face 16:00 The Bonfire Of The Vanities 18:15 Senna 20:00 Terminator 3 22:00 Due Date 23:35 True Blood 00:35 Kalifornia

42 - Cinemax 12:05 Robin Hood 14:25 The Boogens 16:00 A Dandy In Aspic 18:35 Hudson Hawk 20:15 The Rundown 22:00 Strike Back 22:50 The River Wild 00:35 Assassination Games

HORIZONTAIS: 1-SURDA. APTAS. 2-ATAIS. POEMA. 3-CASAI. ODIAR. 4-AMAL. M. AMIO. 5-R. ROSICRE. U. 6-T. GEMIA. T. 7-ERMA. A. MIAM. 8-SOA. CIA. ARU. 9-SITUA. METAL. 10-EXAME. ACEDA. 11-SAIAM. ROSAS. VERTICAIS: 1-SACAR. ESSES. 2-UTAM. TROIXA. 3-RASAR. MATAI. 4-DIALOGA. UMA. 5-ASI. SE. CAEM. 6-MIMAI. 7-APO. CI. AMAR. 8-PODARAM. ECO. 9-TEIME. IATES. 10-AMAI. TARADA. 11-SAROU. MULAS.

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA OS LITIGANTES • John Grisham

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição SOLUÇÃO DO PROBLEMA DO DIA ANTERIOR

Krayoxx, um medicamento muito popular para reduzir o colesterol em doentes obesos e produzido por um gigante da indústria farmacêutica, está sob fogo depois de vários casos de ataques cardíacos associados ao tratamento. Wally, sócio de uma firma de advogados, já sente o cheiro do dinheiro. Uma pequena pesquisa na Internet confirma as suas suspeitas: uma grande firma da Florida está a preparar uma ação contra a Varrick, a farmacêutica em questão. A única coisa que tem de fazer agora é encontrar meia dúzia de pessoas que tenham tido ataques cardíacos enquanto tomavam o medicamento, convencê-las a tornarem-se clientes e prepararem-se para a fama e a fortuna. Com um bocadinho de sorte, nem sequer terão de ir a tribunal! Parece quase bom de mais para ser verdade. E é. Um livro extremamente divertido, repleto das estratégias legais e do suspense que fizeram de John Grisham um dos escritores preferido da América.

OS LUSÍADAS PARA GENTE NOVA • Vasco Graça Moura

Um livro admirável em que Vasco Graça Moura, um dos mais destacados poetas portugueses, dialoga, em verso, com o texto camoniano, iluminando, esclarecendo e exaltando o canto originário. Através de um perfeito equilíbrio entre a reescrita modernizadora e a fidelidade à estrutura e aos significados da epopeia de Camões, Vasco Graça Moura assina uma obra indispensável a professores, educadores e jovens, para a compreensão fluída, correcta e abrangente de Os Lusíadas pelas novas gerações. RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

O STUDIO VAI DEIXAR SEM CINEMA A CITY Podia ser um projecto irreverente nesta nova Las Vegas, e podia dar alguma lufada de ar fresco, um ‘je ne sais quoi’ ao estilo Hollywoodesco neste, tão afamado, centro internacional de turismo e lazer mas não. Os governantes gostam de dar o dito por não dito e voltam sempre com a palavra em prol dos interesses que falam mais alto. E assim, a história acaba, e os residentes continuarão a manter-se longe do Cotai e do seu glamour feito a pensar nos continentais pouco europeístas. Falo especificamente do Studio City, da operadora Melco Crown (MC), que era suposto tornar-se uma estancia de cinema e cocktails mas afinal a ideia já não agrada sobremaneira aos dirigentes que preferem lucrar, enquanto dá, com as mesas de jogo. E ir atrás, à ganância, do stock limitado até e pós-2013. Francis Tam, por sua vez, já veio garantir que houve um pedido antes de 2008, já que depois desta data fecharam-se as portas a casinos. Curioso é só agora vir a lume, depois do próprio Lawrence Ho, directorexectivo da MC, se ter descaído sobre estar a aguardar a confirmação do Governo relativa às novas mesas no novo “Estúdio da Cidade”. Ora, e parece que está tudo traçado. Já estão quase todos os lotes do Cotai destinados às grandes operadoras e o pólo turístico é nada mais do que aquele, a indústria do jogo e as lojas para os bolsos só de alguns poucos. Agrade a quem agradar. Aos turistas, bem sabido, apenas e só a esses. Enquanto estiverem abertos ao estilo “démodé” de Macau.

Pu Yi


18

opinião

terça-feira 25.9.2012

www.hojemacau.com.mo

Maria Alberta Meireles

 Bater no ceguinho

A

QUI em Macau somos todos muito felizes. A cidade é pequena, os filhos andam em boas escolas, ainda se vai a casa à hora de almoço e até que não se ganha mal de todo. Contudo, a pouco e pouco tudo isso vai deixando de ser verdade. Entre patrões que exigem oito horas de trabalho diário (sem intervalo de almoço), legislações que permitem seis dias de baixa e de férias anuais, a vida vai ficando difícil.  Tanto é o brilho do néon e o barulho da fantasia que pouco nos apercebemos dos direitos que vão, a pouco e pouco, deixando de existir. Talvez sempre tenha sido assim, mas agora a realidade é igual para todos. As futuras mamãs de Macau aparecem, de batinha cor-de-rosa em imagens do telejornal, aquando de ocasiões importantes. Essas mesmas senhoras terão, em muitos casos, menos de um mês para ficarem com os seus bebés. Se não forem residentes, então estarão numa situação bem mais complicada. Do mesmo modo, o trabalhador residente de Macau terá os seus direitos protegidos pela Lei. Lei essa (e os senhores Juristas farão o favor de corrigir os possíveis erros), que serve de pouco pois tudo acaba por se resumir ao acordo entre a entidade patronal e o trabalhador, o que funciona bem para o patrão.

Assim se explicam coisas como o trabalho extraordinário que não é pago, o trabalho em condições precárias, os turnos que não seguem os padrões internacionais, os dias a menos nas licenças de maternidade, entre muitas outras. São tudo acordos de boa-vontade, entre patrão e empregado.

Esquecer o que se passa em Macau, pior ainda, o que LEGALMENTE se passa em Macau, é fácil, quando não se vê. E nós vivemos longe de quase tudo nesta cidade. O que é preciso não esquecer, é que de dia para dia essa realidade está mais próxima Depois existe o direito à saúde. Aqui no território temos as senhas de MOP 500, que como se sabe é uma grande ajuda numa despesa de hospitalar. Embora haja de facto um grande apoio às crianças e idosos, a grande maioria da  força trabalhadora acaba por não estar coberta por qualquer tipo de serviço de saúde gratuito. O Governo no entanto, é generoso. E

jardim das pombas

- porque ele anda a precisar estou certa que é generosidade que os leva a distribuírem MOP 7000 pelos residentes permanentes. Mas, como me dizia um amigo estrangeiro, este I’m sorry Money, não cobre o que vamos perdendo a cada ano que passa. Mas de quem é a culpa? Do governo que “elegemos”? Dos nossos deputados que são, salvo raras e honrosas excepções, eles próprios patrões com interesses em quase todos os sectores da economia de Macau? Parece-me natural que assim seja.  Mas não é tudo. A culpa é também nossa, e da moleza com que vamos encarando todas estas afrontas à dignidade. Mais ainda porque muitos de nós, mesmo os que orgulhosamente fazem discursos sobre liberdade e democracia nas celebrações 25 de Abril, pactuamos e tiramos proveito de tudo isto. Seja nas pequenas empresas que gerimos, seja as condições que oferecemos às mulheres-a-dias que empregamos. Depois vamos à China ali ao lado comprar presentinhos para as amigas em Lisboa a quem contamos que a vida aqui é fácil e não tem crise. Esquecer o que se passa em Macau, pior ainda, o que LEGALMENTE se passa em Macau, é fácil, quando não se vê. E nós vivemos longe de quase tudo nesta cidade. O que é preciso não esquecer, é que de dia para dia essa realidade está mais próxima.


terça-feira 25.9.2012

opinião

www.hojemacau.com.mo

Helder Fernando

19

à flor da pele

Quase sempre não dançamos com elas I Não pode ser verdade as sociedades unirem-se na inevitabilidade dos ódios ditos patriotistas e ódios ditos religiosos, sem elas próprias fazerem absolutamente nada, a não ser tentar violenta e tardiamente reprimir para reverter esse volta atrás civilizacional. O que andam a fazer os educadores religiosos, os ideólogos políticos, as elites instaladas e que tanto gostam de passar por gente esclarecida? Correm muito perigo as lutas por causas sociais, as lutas contra a exploração imposta por políticas económicas deploráveis - não pode ser confundida com aqueles actos de terrorismo, a enorme justeza destas lutas, nem pelas polícias de choque nem pelo cidadão comum, nem pelas governanças. É imprescindível que o cidadão não se deixe armadilhar por políticas que o querem remeter à Idade Média - em alguns países bem próximos, há meia dúzia de anos milhões e milhões de pessoas nem conheciam sequer os seus mais elementares direitos. Não pode ser verdade que existe nas sociedades uma capacidade sem fim para sofrer injustiças. Como não é verdade que, ao ser governante, fica perdida toda a capacidade de entender a política como um serviço público a prestar permanentemente. O egocentrismo, esse, é o primeiro inimigo do governante e, afinal, de todos. II Da intolerância não nasce a luz. Evoquemos Ogun, Alá, Buda, Maomé, Cristo, Bahal ou a coca-cola, cada um, de passagem ou para ficar, está a viver as suas evocações. Apenas por não partilharmos a mesma invocação vamos destruir, matar, odiar? Quem e o quê, verdadeiramente intriga e instiga à maior ferocidade? O mais certo é ser uma combinação de grandes interesses que ultrapassam completamente os motivos que são lançados nas praças públicas. Não

Não existe livro ou dogma com a verdade total e absoluta - todos eles foram escritos sob influência e pressão de cada tempo e das directas necessidades, histórias, reflexões e vontades. Escreveuse nas pedras e nas madeiras, escreveram-se barbaridades, mas também coisas maravilhosas

existe livro ou dogma com a verdade total e absoluta - todos eles foram escritos sob influência e pressão de cada tempo e das directas necessidades, histórias, reflexões e vontades. Escreveu-se nas pedras e nas madeiras... escreveram-se barbaridades, mas também coisas maravilhosas. A brutalidade de atirar pedras e bombas em quem não pensa como um determinado colectivo de fundamentalistas é gerar cada vez mais novos extremismos, novas brutalidades, novos criminosos que se vão multiplicando como sabemos.

A indecisão pode ser um sintoma de medo. O medo, num decisor, seja ele o que for, mesmo que seja o natural medo de errar, é assustador. Cada indecisão gera nova indecisão em cadeia e quase sempre até resulta pior do que uma má decisão

III Em Macau, na agenda de algumas conhecidas figuras públicas, continua a contestação ao que se considera serem graves carências na preocupação social, assistencial, ambiental e até cultural, nas propostas ou programas governativos. Sabemos o que se responde sobre os preços e os monópolios dos produtos alimentares. Sabemos o que se responde sobre os loucos preços das habitações, na compra ou no aluguer - como se Macau fosse a Suíça ou a Holanda e se por cá houvesse o cuidado estético, a qualidade de construção e sua fiscalização que existe por lá. Sabemos o que se responde quando al-

gum colectivo ou individual pretende levar por diante um projecto na área cultural, mesmo com manifesto interesse para Macau, normalmente sem custos relevantes. Sabemos o que se responde quando se constata que o serviço hospitalar devia e podia ser muito melhor. Sabemos o que se responde quando se interroga publicamente sobre a qualidade do ensino em muitas escolas da região. E também sabemos, sobre estas e muitas outras questões, o que não se responde. IV Será que existe dificuldade ou incapacidade de escolher a melhor opção entre várias alternativas, porventura sem estar a pensar

em ferir este ou aquele interesse? Será tão difícil assim? A indecisão pode ser um sintoma de medo. O medo, num decisor, seja ele o que for, mesmo que seja o natural medo de errar, é assustador. Cada indecisão gera nova indecisão em cadeia e quase sempre até resulta pior do que uma má decisão. V Sobe a atenção que devemos dar a diferentes situações. Uma delas é ao que dizem os governantes: anotemos, para tempo depois compararmos com as novas falas dos mesmos. Quase sempre os mesmos formulários, idênticas expressões, lenga-lengas adormecedoras. Ou o que ficou por dizer não foi exactamente o que se calou na vez anterior. E tentemos compreender porquê. Sim, ficou para trás o tempo em que tínhamos aquela impressão natural de não nos fazer falta alguma as equações matemáticas, as combinações químicas, a velocidade dos corpos, a expansão dos antigos impérios. Havia sonhos, muitos, isso havia, o estimado leitor recorda-se bem. Dançávamos com eles, flutuávamos olhos nos olhos com eles e até conseguíamos estar à frente desses sonhos. Agora, confrontamo-nos diariamente com realidades. Quase sempre não dançamos com elas.

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Cecilia Lin; Joana Freitas; José C. Mendes; Rita Marques Ramos Colaboradores António Falcão; António Graça de Abreu; Fernando Eloy; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Carlos M. Cordeiro; Correia Marques; David Chan; Gonçalo Alvim; Helder Fernando; Jorge Rodrigues Simão; José Pereira Coutinho, Leocardo; Maria Alberta Meireles; Mica Costa-grande; Paul Chan Wai Chi; Vanessa Amaro Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


terça-feira 25.9.2012

www.hojemacau.com.mo

c a r t o on Homem tenta imolar-se e é morto pela polícia

Um chinês que tentava imolar-se pelo fogo para protestar contra a confiscação das suas terras e a destruição da sua casa foi morto a tiro pela polícia no nordeste do país. Esta morte, muito comentada na internet, ilustra de novo o problema da China que é a confiscação de terras, principal motivo de revoltas contra as autoridades do país. Wang Shujie, de 36 anos, ateou fogo ao próprio corpo para tentar defender o acesso à sua casa na província de Liaoning (nordeste). Uma investigação preliminar concluiu que o polícia que matou Wang agiu dentro da lei, segundo um blogue do Diário do Povo, órgão oficial do Partido Comunista, no poder. Segundo vários advogados, a confiscação de terras multiplicou-se desde o final dos anos de 1990 na China porque os dirigentes locais dependem da venda de terrenos para alcançar os seus objectivos de crescimento económico.

Romney promete ser mais agressivo

O candidato republicano à Presidência dos EUA, Mitt Romney, prometeu domingo que será mais agressivo nos cerca de 40 últimos dias de campanha antes das eleições de Novembro. A declaração, feita a repórteres a bordo do seu avião de campanha, indica que Romney está a combater as críticas feitas por membros do seu próprio partido de que passou tempo demais a arrecadar fundos para a campanha em vez de conversar com eleitores. «Acho que a temporada de recolha (de fundos) está provavelmente a ficar mais calma. Vou passar mais tempo nos Estados-chave», disse Romney, na sua primeira conversa com jornalistas desde a segunda-feira passada.

Os jornalistas gregos iniciaram ontem uma greve de 24 horas, em protesto contra as novas medidas de austeridade e que vai deixar o país sem programas de rádio e televisão, e na terça-feira sem jornais. Centenas de jornalistas, técnicos e outros funcionários manifestaram-se no centro de Atenas e exibiram cartazes contra as «condições medievais» no universo mediático. «Pediram-nos para assinar contratos com uma redução salarial de 25 por cento, e que anula o acordo colectivo», disse à agência noticiosa AFP a técnica Fotini Karagussi, que trabalha há 13 anos na rádio privada Alpha.

Angola 10 detidos por protesto

Hospital coreano quer instalar-se em Macau

A febre das plásticas Cecília Lin

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

J

IN Donghe, director do Hospital de Cirurgia Plástica da Coreia Be For, afirma querer fundar um hospital do género em Macau. “Metade dos clientes do sector de cirurgia plástica na Coreia são da China”, disse, citado pelo jornal Ou Mun, que avança com a notícia. Normalmente, as famílias chinesas viajam para a Coreia e a mãe vai fazer cirurgia plástica,

enquanto e o pai e as crianças se entretêm com outras coisas.” Jin Donghe assegura que anda a “estudar” o mercado de Macau, uma vez que fica próximo da China continental. “Já discutimos com os hotéis para que o hospital fosse instalado num deles. Isto já em 2008, mas como as condições não estão ainda maduras, não chegamos um acordo.” O coreano assegura que, garantindo uma despesa de 140 mil dólares de Hong Kong em

operações, os médicos cirurgiões podem vir para Macau um ou dois dias por semana para fazer as operações. Contudo, a renda diária de um hospital é cara para que seja já instalado um hospital em Macau, mas que poderia ser se fosse dentro de um dos hotéis de um território. O custo de uma cirurgia plástica na China continental é três vezes mais caro do que na Coreia, o que leva a que os coreanos tenham “confiança” no mercado chinês.

Viajou 7 mil km à procura de uma mulher que viu brevemente

U Greve de jornalistas contra austeridade

À BEIRA DO CONFLITO

por Steff

Uma paixão persistente

M dentista canadiano viajou milhares de quilómetros na tentativa de encontrar uma irlandesa por quem se apaixonou após dois minutos de conversa, numa iniciativa que chamou a atenção da imprensa de vários países e até de casas de apostas. Sandy Crocker, que mora na cidade de Kelowna, no extremo oeste do Canadá, conta que se apaixonou por uma rapariga ruiva que conheceu no Condado de Clare, uma região no litoral da Irlanda. «Eu estava a viajar de férias no ano passado e foi no meu penúltimo dia antes de me ir embora (que eu a conheci)», lembra Crocker. «Eu tive um breve encontro com a irlandesa mais bonita que se pode imaginar», conta. Mas, por temer demonstrar que estava muito interessado nela, acabou por ter uma conversa apenas breve com a rapariga num café. «Eu fiquei a observá-la. Ela é

aquele tipo de pessoa que parece ser muito atenciosa. Levantei-me e pedi algumas orientações (sobre a cidade) e perguntei que horas eram. Talvez se eu tivesse a elogiado, dito que ela era incrível, eu teria resolvido tudo logo ali». Ao voltar para o Canadá, mesmo tendo conhecido várias outras mulheres, o dentista não conseguia esquecer a irlandesa. Agora, um ano depois daquele breve encontro, viajou quase 7 mil km e está de volta à Irlanda, percorrendo as cidades da região na esperança de dar com a ruiva novamente. Voltou ao café onde se encontraram e colocou um anúncio na página de classificados do jornal local, Clare People, mas até agora a busca foi em vão. Em vez de encontrar a rapariga, Cocker acabou por atrair um turbilhão de repórteres, que começaram a noticiar a história do dentista apaixonado. «Se eu

a encontrasse agora, acho que começaria a rir-me sobre a maluquice em que tudo isto se tornou», diz. «A história saiu em tudo que é lugar na Irlanda e agora está a aparecer nos Estados Unidos e no Canadá. Está a chamar a atenção mundial. Já há casas de apostas a calcular as probabilidades de eu a encontrar, ou especulando se ela já é casada ou não. E eu nem sequer sei o nome dela. Esse é o aspecto mais divertido e engraçado de tudo isto», disse. Mesmo que não encontre a irlandesa dos seus sonhos, Cocker diz que já está feliz por ter tentado. «Eu dei uma oportunidade à sorte», diz. «A maioria das pessoas ia apenas rir-se e esquecer. Mas eu voltarei para casa e, daqui a 50 anos, não vou ter-me arrependido das poucas semanas que passei a percorrer a Irlanda, sendo um pouco tolo, tentando achar uma rapariga que achei que era linda», afirma.

Pelo menos 10 pessoas foram ontem detidas em Luanda numa frustrada vigília contra a entrada da oposição no parlamento, disse Rosa Mendes, uma das organizadoras da iniciativa. O objectivo era protestar contra a já anunciada intenção da UNITA, segundo partido mais votado nas eleições gerais de 31 de Agosto, em ocupar os 32 lugares que conquistou no escrutínio, apesar do partido do «Galo Negro» defender a impugnação do ato eleitoral. Os organizadores da iniciativa, que se autodenominam «Revús», de Revolucionários, pretendiam ainda sensibilizar outras duas formações da oposição, a CASA-CE, que elegeu oito deputados, e o PRS, que conquistou três lugares, a prescindirem de caucionar as eleições gerais, assumindo os lugares no parlamento.

Ban Ki-moon defende Palestina soberana

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) Ban Ki-moon, apelou domingo para que a comunidade internacional apoie os esfoços da Autoridade Nacional Palestiniana (ANP) em busca da sua autonomia e de ser transformada num Estado. Acrescentou que, desta forma, a comunidade internacional vai colaborar para evitar um efeito desestabilizador no Médio Oriente. «Não fazer isso neste momento crítico pode ter consequências que podem revelar-se como desestabilizadoras (no Médio Oriente)», disse Ban Kimoon, lembrando que a expansão dos colonatos (israelitas) e da divisão do povo palestiniano são as principais ameaças para as negociações entre palestinianos e israelitas. «A situação actual não é sustentável. O estabelecimento de um Estado viável, democrático e soberano da Palestina, vivendo lado a lado com Israel está muito atrasada», lamentou Ban Ki-moon.

“Sin City 2” começa a ser filmado

A esperada sequela de “Sin City” começa a ser rodada em Novembro. A informação partiu da actriz Rosario Dawson, que interpreta Gail, líder de um grupo armado de prostitutas, na sequela de Sin City, em entrevista ao site MTV News. “Talvez eu não devesse contar isto. Mas vou dizer Novembro. Serei honesta e colocarei isso para fora. Está muito próximo, estou emocionada!”, disse.Em comunicado, o estúdio Dimension Films já havia anunciado que o filme será lançado em 3D no dia 4 de Outubro de 2013. O filme retorna a parceria de direcção de Frank Miller e Robert Rodriguez, e terá a sua história baseada em “A Lady To Kill For” - que, segundo Rosario, funcionará com uma prequela, e explicará alguns factos de “Sin City” (2005): “Irão entender as referências que fazemos no primeiro filme”, afirmou.


Hoje Macau 25 SET 2012 #2702