Page 1

Coreia do Norte diz que guerra está iminente. A do Sul conta quatro mortos páginas 2 e 3

Excesso de turistas está a degradar meio ambiente de Macau página 6

tempo pouco nublado min 17 max 24 humidade 40-85% câmbios euro 10.7 baht 0.26 yuan 1.21

hojemacau

pub

Mop$10

Agência Comercial Pico • 28721006

pub

Director carlos morais josé • quinta-feira 25 de Novembro de 2010 • ANO X • Nº 2258

Deputados torcem o nariz à introdução de reformas políticas

Incineração

Democracia à moda de Macau

Operadora nega multas e gases poluentes • P.7

Desporto

Benfica cancela viagem à Tailândia • P.10

Numa Assembleia Legislativa (AL) onde os deputados eleitos directamente são uma minoria, não admira que a maior parte não morra de amores pela ideia da reforma do sistema eleitoral. Entre os deputados, há quem diga que Macau já é uma sociedade democrática e que não existe uma opção de “não democracia”, e mesmo quem ache que uma maior democratização seria redundante, uma vez que os governantes existem para pensar por todos. Só Paul Chan Wai Chi exigiu que o Governo trabalhasse concretamente numa proposta de reforma eleitoral. >página 4

depois da China, é a vez de Macau ver mostra de 44 milhões de patacas

Chegou a exposição milionária Centrais

Direito

Deputado defende manutenção do português • P.5

Escola Portuguesa

Livro de lendas chinesas para mais tarde recordar • Última

Deputados

Governo trabalha demasiado para o “boneco” • P.4

os nossos contactos mudaram

info@hojemacau.com.mo

publicidade@hojemacau.com.mo


quinta-feira 25.11.2010 www.hojemacau.com.mo

2

actual

Governo sul-coreano revela mais vítimas, enquanto Norte admite guerra

considerou-o “ultrajante” e reiterou o apoio a Seul – Grã-Bretanha e Rússia. O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, veio também repudiar o que disse ser “o mais grave incidente” desde o fim da guerra, que veio aumentar ainda mais a tensão entre os dois países vizinhos.

Já se contam quatro mortos A polícia sul-coreana informou ontem que dois homens trabalhadores da construção civil, de aproximadamente 60 anos, também morreram em decorrência do ataque norte-coreano. No total, quatro pessoas morreram, duas delas militares. Horas depois dos disparos na tarde de terça-feira, o presidente sul-coreano, Lee Myung-bak, avisou que é necessária uma “enorme retaliação” para deter as incitações de Pyongyang. “Desta vez, a provocação pode ser considerada como uma invasão do território sul-coreano”, afirmou Lee, citado pela Yonhap. A agência descreveu o incidente de anteontem

como “o primeiro ataque de artilharia ao território sulcoreano desde que a guerra da Coreia [1950-1953] terminou num armistício” e sem um acordo de paz assinado até agora. O Governo sul-coreano, que estava a efectuar exercícios militares na região, garante que não foram disparados quaisquer tiros na direcção do norte, como sustentam as autoridades vizinhas. Seul afirmou que apenas se limitou a responder ao ataque lançado pela Coreia do Norte, que disparou 100 rajadas de artilharia contra Yeonpyeong, no mar Amarelo, perto da fronteira marítima que divide os dois países pub

Agência de Viagens e Turismo Hong Fai Macau Limitada Rua de Francisco Xavier Pereira, nº 161-D, R/C, Macau REGISTADA NA CRCBM SOB O Nº 1298, CAPITAL SOCIAL: MOP$1.000.000,00

Para os efeitos tidos por convenientes, anuncia-

se que, por deliberação da Assembleia Geral extraordinária realizada em 11 de Outubro de 2010, foi decidido, por unanimidade dos sócios, dissolver

e encerrar a liquidação, a partir da mesma data, da

(mas que nunca foi reconhecida por Pyongyang). O principal alvo foi uma base militar, mas dezenas de casas e lojas, bem como a floresta local, ficaram a arder. Pelo menos 15 soldados sulcoreanos e dois civis ficaram feridos. Centenas de pessoas deixaram a ilha depois dos ataques, apanhando barcos para o continente. “Ouvi o som da artilharia e senti que alguma coisa estava a voar sobre a minha cabeça”, comentou Lim Jung-eun, uma dona de casa de 36 anos, que fugiu de Yeonpyeong com os seus três filhos, citada pela BBC. “Depois, a montanha ficou a arder”. O ataque foi condenado pelos governos dos EUA – o presidente Barack Obama

Hipótese de guerra

A Coreia do Norte reagiu ontem aos ataques que fez à ilha sul-coreana e considerou que Seul está a “conduzir a situação para a iminência de uma guerra” entre os dois países. A agência oficial de notícias do Norte, a KCNA, disse que a Coreia do Sul está “a arruinar o processo de melhoria das relações intercoreanas, bloqueando as conversações mediadas pela Cruz Vermelha e conduzindo a situação para a iminência de uma guerra, ao seguir uma política de confronto com a DPRK (Coreia do Norte)”.

EUA mandam porta-aviões e navios de guerras para a Coreia do Sul

Manobras militares na fronteira Depois de uma conversa telefónica, os presidentes dos Estados Unidos e da Coreia do Sul definiram ontem a realização de manobras militares, que vão responder ao ataque do vizinho norte-coreano, no próximo domingo. A manobra conjunta vai

acontecer durante quatro dias no Mar Amarelo e o porta-aviões nuclear americano “George Washington” será utilizado, como avisou o governo sul-coreano. Além do avião, também devem ser enviados quatro navios de guerra, que segundo o Ministério de Defesa sul-coreano,

é para autodefesa contra a Coreia do Norte. Além do presidente dos EUA, Lee também conversou por telefone com o primeiroministro do Japão, Naoto Kan. O japonês avisou que a comunidade internacional vai pedir à China (aliada da Coreia do Norte) para que dinamize o pub

sociedade comercial por quotas denominada “Agência

de Viagens e Turismo Hong Fai Macau Limitada”, anteriormente designada por “Agência de Viagens e

Turísticas Chin Cheng Limitada” com sede na Rua Francisco Xavier Pereira, nº 161-D, R/C, Macau,

ASSEMBLEIA GERAL CONVOCATÓRIA

registada na Conservatória dos Registos Comercial e de Bens Móveis de Macau sob o nº 1298, a folhas 71 verso, do Livro C4, com o capital social de

MOP$1.000.000,00, tendo os respectivos registos sido requeridos em 15 de Novembro de 2010.

Macau, aos 24 de Novembro de 2010.

Nos termos do Artº 34º, nº 1, al. b) dos Estatutos em vigor, convoco a Assembleia Geral Ordinária para reunir na sua sede, sita na Avenida Doutor Mário Soares, nº 25, 3º andar (4º piso) do Edifício “Montepio”, no próximo dia 17 de Dezembro de 2010, pelas 17H15, com a seguinte ordem de trabalhos: 1ª - Discussão e aprovação do Orçamento do Montepio Geral de Macau para 2011; e 2ª - Outros assuntos de interesse da Associação. No caso de não comparecer nesse dia e hora indicados, o número de associados mencionado no nº 1 do Artº 36º, considera-se desde já convocada nova reunião, que se realizará nos termos do seu nº 2 no mesmo local decorrida uma hora, com qualquer número de associados.

Montepio Geral de Macau, aos 19 de Novembro de 2010.

A Presidente da Assembleia Geral, Rita Botelho dos Santos

diálogo entre as duas Coreias, na tentativa de diminuir a tensão na península. “Apoio o governo da Coreia do Sul. Vamos tomar medidas conjuntas com a Coreia do Sul e os Estados Unidos, e vamos conter as acções da Coreia do Norte juntamente com a China”, indicou Kan. Mais artilharia

Foi também ontem anunciado que a Coreia do Sul vai deslocar baterias de artilharia para a ilha Yeonpyeong, bombardeada terça feira pelo exército norte-coreano. “Nós temos baterias de artilharia K9 na ilha de Yeonpyeong e prevemos instalar outro material militar”, disse o ministro da Defesa sul-coreano Kim Tae-young perante a comissão de Defesa do parlamento sul-coreano. O mesmo responsável, citado pela agência Yonhap, salientou que a Coreia do Sul irá também substituir os obuses de 105mm por baterias de artilharia com maior alcance.


Macau acompanha situação das Coreias e não regista cancelamentos O Gabinete de Gestão de Crises do Turismo (GGCT) afirmou ontem que continua atento à situação de tensão entre as Coreia do Norte e a do Sul e tem mantido contactos com associações e indústria do turismo, bem como o representante da Direcção dos Serviços do Turismo (DST) na Coreia do Sul, de modo a se inteirar sobre a situação no país. Segundo informações do sector, nenhuma excursão com destino à Coreia do Sul foi cancelada e as viagens têm decorrido dentro da normalidade. Até ao momento, o Gabinete não recebeu qualquer pedido de apoio.

John Swenson-Wright não está à espera do pior porque o presidente sulcoreano, Lee Myung-bak, está empenhado em “dispersar a tensão”, afirmou por telefone o analista do think tank britânico Chatham House. Mas “as próximas horas são vitais. É muito imprevisível a forma como [o incidente] pode desenrolar-se e isso é assustador”. “Esta é, obviamente, uma provocação muito séria”, comenta por e-mail Christoph Bluth, professor de Estudos Internacionais da Universidade de Leeds. “Mas uma escalada é improvável.” A situação vai agravar-se?

Bluth acredita que os dois lados estão interessados em “evitar uma guerra maior”. No entanto, “poderá haver mais provocações navais de baixa escala”. Um conflito nuclear “continua a ser altamente improvável”, adianta o analista. “Os Estados Unidos já garantem a segurança da Coreia do Sul e o uso de arsenal nuclear poderá ser ponderado em casos extremos. A Coreia do Norte não consegue vencer uma guerra convencional contra a Coreia do Sul e os EUA, por isso, o armamento nuclear destina-se a travar o uso de engenhos nucleares e armas químicas por parte da Coreia do Norte. Isto é um ponto assente, apesar de não haver actualmente armas nucleares americanas na península”. Seul avisou que a resposta pode ser “muito mais forte” caso os ataques aumentem, segundo disse à Reuters o analista Lee Chung-min, também conselheiro para a segurança do Governo sul-coreano. Lee não rejeitou a expressão usada pelo Presidente russo - de que há um “perigo colossal” de escalada - e adiantou que “tudo depende das próximas provocações que a Coreia do Norte optar por fazer. Não prevejo que isto passe para uma guerra de grandes dimensões na península, mas se Pyongyang decidir que nos quer empurrar um pouco mais com ataques adicionais ao nosso território, então iremos responder militarmente, incluindo a possibilidade de atacar as suas instalações nucleares com a nossa força aérea”. Porquê agora?

A notícia da troca de fogo na península veio quase colada à da visita de um importante cientista americano, Siegfried Hecker, a novas instalações nucleares na central norte-coreana de Yongbyon. Hecker deu a conhecer o seu espanto com a sofisticação das instalações. É “bastante possível” que as duas coisas estejam relacionadas, comentou John Swenson-Wright. Esta manifestação de força poderá ser uma “mensagem da Coreia do Norte destinada à opinião pública interna”, explica o especialista. Será uma forma de responder às graves carências internas acenando com o fantasma “das tensões com o Sul e a hostilidade do exterior”, continua. Nesta equação também não será indiferente o facto de Pyongyang estar a preparar uma nova liderança - de Kim Jong-il para o seu filho mais novo, Kim Jong-un. Haverá outras explicações possíveis. O

Análise | O que significa a crise entre as coreias

Há motivos para alarme? regime de Pyongyang poderá estar a pretender “avançar com o processo negocial com uma posição mais forte”, quando recomeçarem as conversações a seis (que incluem as duas Coreias, EUA, China, Rússia e Japão), diz ainda Swenson-Wright. “Os objectivos precisos não são claros”, comenta por seu lado Christoph Bluth, concordando que, “aparentemente, a Coreia do Norte está a querer que os EUA regressem às conversações a seis nos seus próprios termos, ou seja, aceitando a Coreia do Norte como uma potência nuclear, e daí ter feito a demonstração das suas capacidades de enriquecimento [de urânio] ao cientista americano Siegfried Hecker”. Mas também pode estar a “responder aos exercícios militares conjuntos dos EUA e Coreia do Sul”, que podem estar a decorrer actualmente, acrescenta Swenson-Wright. O “mais provável” é uma combinação da operação de marketing interno com a procura de uma cartada para as negociações internacionais, diz. “Mas esta é uma estratégia muito arriscada. Não se sabe o que poderá acontecer.” O incidente de Março com uma corveta sul-coreana, que Seul diz ter sido afundada pelo Norte, matando os seus 46 ocupantes, tornou tudo “ainda mais imprevisível; há muito nervosismo”, adianta o analista da Chatham House.

fracasso da China?

“A China não pode levar a Coreia do Norte a respeitar as obrigações que o Ocidente gostaria que a Coreia do Norte respeitasse”, responde Swenson-Wright. “Há expectativas demasiado elevadas quanto ao que pode ser o papel da China”, o único país próximo de um aliado que o regime de Kim possui. Pequim estará “seguramente” a fazer “trabalho de bastidores”, porque continua a ser “o actor mais importante” para ajudar a resolver o programa nuclear norte-coreano, no centro de conversações multipartidárias, que Pyongyang abandonou em Abril de 2009. “Se não acontecer nada mais grave pode ter sido por causa da intervenção chinesa. Ficaria estupefacto se não estivessem a decorrer intensas negociações neste preciso momento”.Já para Christoph Bluth, o ataque de ontem é uma prova do falhanço diplomático de Pequim, “porque apesar de os norte-coreanos terem dito que iriam voltar às negociações, não foi com termos que os Estados Unidos aceitem”, salientou o analista de Leeds. “A China pode pressionar muito a Coreia do Norte, mas teme

o seu colapso e deseja que a sucessão decorra tranquilamente. Mas a Coreia do Norte está a testar a paciência chinesa”. O incidente foi inesperado?

O “Asia Times Online” escrevia ontem que o regime “tinha as suas razões”.Aparentemente, terá enviado uma mensagem ao início do dia avisando para o perigo dos exercícios marítimos sul-coreanos que estariam a decorrer na zona, perto da linha fronteiriça do mar Amarelo. Também tinha ameaçado visar alvos sul-coreanos em qualquer momento. Mas como referia o ATO, a retórica foi interpretada como apenas isso, retórica. que acontecerá às negociações?

A China vê aqui uma boa razão para o seu reinício. Mas não os EUA. A Administração Obama está a ser atacada por alguns críticos. “Temos de regressar às negociações”, comentou Donald Gregg, ex-embaixador em Seul, à ABC. “Mas eu reparo que isso está a ser excluído, pelo menos por agora, pela Casa Branca.” – Público pub

quinta-feira 25.11.2010 www.hojemacau.com.mo

3

Ataque ligado à sucessão de Kim Jong-Il

O Governo de Seul considerou ontem que o ataque norte-coreano foi um acto calculado para “consolidar” o processo de sucessão do líder Kim Jong-Il a favor do seu filho mais novo. “Acreditamos que a Coreia do Norte levou a cabo o ataque para consolidar o processo de sucessão no país e demonstrar a liderança de Kim Jong-un”, disse o ministro sul-coreano da Defesa Kim Tae-young. Kim Jong-Il, de 68 anos, consagrou no final de Setembro como seu sucessor Kim Jong-un, de 27 anos, ao nomeá-lo para a cúpula do poder de Pyonyang. Segundo o ministro sul-coreano, o ataque de terça-feira foi intencional depois terem sido reveladas informações sobre o programa de enriquecimento de urânio da Coreia do Norte.

Ajuda humanitária suspensa

Seul decidiu ontem suspender o envio de ajuda humanitária prometida à Coreia do Norte depois das inundações que o país viveu em Agosto, como resposta ao ataque norte-coreano. Em Outubro, o Governo de Seul enviou para a Coreia do Norte um primeiro lote de ajuda com 5000 toneladas de arroz e 3000 de cimento, de forma a atenuar os efeitos das inundações. Estava ainda previsto o envio de 7000 toneladas de cimento e material médico. A assistência humanitária a ser enviada para Pyonyang era a primeira custeada por Seul desde que o conservador Lee Myungbak assumiu a presidência do país em Fevereiro de 2008, impondo uma política dura perante a Coreia do Norte.


quinta-feira 25.11.2010 www.hojemacau.com.mo

4

política

Deputados conservadores quanto a reformas políticas

Kahon Chan

info@hojemacau.com.mo

Os deputados mostraram uma postura conservadora ao se pronunciarem sobre a democracia no segundo dia de sessões de perguntas sobre assuntos administrativos e judiciais. Melinda Chan considera que as associações podiam surgir com melhores propostas, Tong Io Cheng diz que Macau já é uma sociedade democrática e que não existe uma opção de “não democracia”. Chan Chak Mo disse que, uma vez que os governantes pensam por todos, a democracia é redundante. A integridade de Florinda Chan foi defendida por Vitor Cheung, que pôs em causa a tentativa maliciosa de publicitar os escândalos. Mas Cheung abandonou a Assembleia Legislativa (AL) antes que Chan respondesse à sua “questão”. A reforma política foi um dos assuntos mais recorrentes na sessão de pergunta-e-resposta de dois dias com Florinda Chan e, enquanto Kwan Tsui Hang mostrou o seu

kahon chan

Macau já tem democracia

apoio a que o Governo se esforce mais por avançar rumo à democracia eleitoral, Paul Chan, da Associação Novo Macau Democrático, foi o único deputado a exigir que o Governo trabalhasse concretamente numa proposta de reforma eleitoral, e que não sacudisse a res-

ponsabilidade para cima do povo com uma atitude passiva. Melinda Chan tem a sua maneira pessoal de ver o assunto. “Penso que a democracia é liberdade de expressão e a supervisão popular do governo e o melhor sistema é aquele que atenda às pessoas que

Deputado da FAOM diz que o Governo trabalha demais “para o boneco”

vivem aqui”. Temendo que o povo se recusasse a aceitar a proposta feita pelo Governo, Melinda propôs a Florinda Chan que as associações não governamentais fossem autorizadas a apresentar as suas próprias propostas de reforma eleitoral. Numa aparente rejeição do

IACM criticado por “tocar em tudo” Numa altura em que os deputados disparam críticas sobre os vários serviços e comités jurídicos, outra das faces da gestão da secretária Florinda Chan acabou por ir parar também na frente da linha de tiro. O deputado Lam Heong Sang, antigo líder sindical para os funcionários públicos, criticou o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) por alegadamente tocar em demasiadas coisas sem ter a mínima ideia de como lidar com cada situação. Enquanto membro veterano da Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM), uma das maiores organizações não governamentais (ONG) de Macau, que cuida de muitos serviços de assistência social, Lam Heong Sang

considera que o Governo se tem expandido muitas vezes sem razão. “Algumas destas coisas eram garantidas pelas ONG e costumavam funcionar bem, mas o Governo interveio e as coisas pioraram, desperdiçando recursos. Isso acontece todos os dias”, afirmou. Além de retirar tarefas às ONG, Lam sente que o Executivo tem trabalhado como um conjunto de serviços fragmentados que estão relacionados, mas que se tornam redundantes. Por exemplo, o IACM parece querer meter-se e “tocar” em tudo para mostrar autoridade, seja na cultura, na educação, no desporto ou no ambiente. “Algumas vezes, outros serviços cederam tarefas ao IACM, que as aceitou sempre, mas depois não soube o que fazer com

ponto de vista democrata, Tong Io Cheng disse que Macau era “basicamente” uma sociedade democrática e um estado de direito, pelo que a questão da democracia já não era uma escolha entre “sim” e “não”, mas como desenvolver um sistema existente. “Todos os deputados, eleitos directa ou indirectamente para a AL estão a representar o público, e o Governo tem ouvido as opiniões levantadas por esses representantes? Há registos disso? Consultas têm sido realizadas com outras associações?”, questionou Tong, deputado nomeado pelo chefe do Executivo. Mas a opinião mais ousada veio de Chan Chak Mo, que disse que o processo de reforma política em Hong Kong mostrou uma divisão de tal forma profunda na sociedade que o deputado nem quis ver a televisão na altura. “Singapura é uma sociedade menos democrática do que nós, mas tem sido bem dirigida porque os que estão no poder têm boas ideias para o lugar. As pessoas também acusam a China de ter um só partido, mas o Estado é forte e rico porque os líderes são óptimos”, afirmou, considerando que Hong Kong tem tido um desempenho comparativamente pior e que Macau deveria concentrar-se na sua economia e subsistência.

elas. Os esgotos são uma situação clássica”, lembrou, lançando as questões: “Há alguma forma de tomarmos o pulso e descobrir, com determinação, o que é que a Administração tem de reformar? Porquê reformar? O que está a faltar?” Para o deputado, os funcionários públicos até são diligentes, mas a actual escada das carreiras no sector público é uma “constante tortura” que não favorece a selecção do talento. “Precisamos romper com alguma coisa? Ou continuamos a adoptar este sistema [em que os funcionários públicos são promovidos] um por um [com base na experiência]?” Os funcionários públicos estão também preocupados com os procedimentos complicados que são obrigados a se submeter, apesar da baixa eficiência. “Os procedimentos funcionam há anos e os funcionários públicos da linha da frente estão a ser repreendidos

pela população todos os dias. No final, todos os lados chutam as culpas com 'jogos de palavras', documentos vêm e vão dizendo que estão todos a trabalhar conforme a lei”, afirmou. “Estamos todos separados e essa é a raiz do problema. Essa é a questão mais profunda na reforma administrativa. Como podemos fazer o povo sentir que o Governo está a trabalhar em nome dos serviços, com procedimentos destes?”, questionou, recomendando a Florinda Chan que fizesse uma pausa e repensasse os reais problemas dentro do Governo. Na sessão de respostas, nenhum dos responsáveis quis responder a essa questão. Florinda Chan reiterou que a revisão funcional dos serviços do Governo é um processo sem fim, uma vez é uma “engenharia sistemática” de longo prazo para adaptar o sector às mudanças que têm lugar em Macau. - K.C.


Tudo sobre imóveis agora em versão online A partir do final deste mês, a Direcção dos Serviços de Finanças passará a divulgar mensalmente, na sua página electrónica (www.dsf.gov.mo), os dados estatísticos respeitantes aos imóveis destinados à habitação que no mês anterior foram transaccionadas e declarados para liquidação do imposto do selo por transmissões de bens. O objectivo é permitir que a população possa obter com maior rapidez a informação e aumentar a transparência nas transacções. No pacote de dados, vai haver informações sobre zonas geográficas, altura do edifício, preço médio e a área útil.

quinta-feira 25.11.2010 www.hojemacau.com.mo

5

Leonel Alves defende o bilinguismo no direito de Macau

Chinês e... português Gonçalo Lobo Pinheiro info@hojemacau.com.mo

“O bilinguismo é útil para Macau e sempre será”, disse o deputado Leonel Alves durante a segunda sessão de pergunta-e-resposta com Florinda Chan, ontem, na Assembleia Legislativa (AL), enquanto apontava variadas pessoas no hemiciclo que falam chinês e português. Para o advogado, tem de se assumir “a importância do ensino do português no sistema de ensino local”. “Temos de dizer aos jovens do ensino secundário que o português é tão importante como o inglês.” Leonel Alves acredita que se uma posição mais forte for tomada em relação pub

à língua portuguesa, Macau corre o risco de perder parte da sua identidade. “Se não se alterar esta questão, daqui a uns anos Macau terá bilingues a falar chinês e inglês como em Hong Kong.” Num sistema jurídico de matriz portuguesa, o advogado apelou à formação de novos juristas no sentido do alargamento dos quadros públicos e defendeu que “a língua portuguesa é importante na formação dos profissionais locais”. Na sua intervenção, Alves lembrou também que os deputados sempre insistiram para que o Governo apresentasse propostas de lei, pois sem diplomas não se justifica um plená-

rio. Posto isso, cada área e cada tutela apresentou uma lista a que o Governo chamou “road-map” de reformas legislativas, mas essa listagem “foi feita de um modo acrítico e sem calendarização”. Leonel Alves enalteceu o trabalho dos juristas locais, nomeadamente nos últimos dez anos, em que se conseguiu aprovar 156 leis e 363 regulamentos. “É obra”, afirmou o deputado. Um apontamento de Alves prendeu-se com a revisão dos códigos. “Gostava de perguntar ao Governo para que serve a revisão dos códigos. É parcelar ou é total?”, questionou. “Eu recordo que os códigos são recentes e são os documentos que

representam a estrutura da lei. Não podem ser mudados todos os anos”, acrescentou Leonel Alves. A concluir, o deputado da AL lembrou que “não se justifica o Tribunal Judicial de Base ainda estar a funcionar num centro comercial” e, em relação à Última Instância, “são muito poucos os processos que ali chegam. É um desperdício

e um desrespeito à nossa lei base”, acusou Alves. Universidade de Direito na berlinda

A secretária para a Administração e Justiça, Florinda Chan, mostrou-se atenta ao discurso de Leonel Alves e na sua intervenção retorquiu dizendo que “o Governo têm preparado nas LAG todas as matérias que dizem respeito

ao ensino e exercício do Direito na RAEM. O próprio Chefe do Executivo acha que é preciso a criação de uma Universidade de Direito”. De acordo com a secretária, já foram formados localmente e a tempo inteiro nove professores e o Executivo está a analisar o que mais ainda pode ser concretizado. No que ao bilinguismo diz respeito, Florinda Chan, assumiu que depois da transição havia alguma inibição no uso da língua portuguesa ,mas que agora “com o apoio da Pátria a situação tem de se alterar.” A responsável pela pasta da Administração e Justiça esclareceu, igualmente, que a revisão dos cinco códigos essenciais da Lei Básica serão feitos de modo parcial e não no seu todo, procurando “rever os aspectos menos precisos na sua tradução para evitar problemas jurídicos”.


quinta-feira 25.11.2010 www.hojemacau.com.mo

6

sociedade

Excesso de visitantes leva à degradação progressiva da qualidade ambiental

Turismo prejudica ambiente Gonçalo Lobo Pinheiro info@hojemacau.com.mo

Num território como Macau, cujo Governo tem como bandeira primordial a promoção turística mas onde os recursos naturais são muito limitados, “a rápida expansão do turismo vai, inegavelmente, provocar mudanças no ambiente natural ou urbano”. Esta é a principal conclusão de um estudo feito pela investigadora búlgara Kameliya Georgieva Scerleva e que arrecadou uma menção honrosa na área do Património, Cultura e Identidade do Prémio Jovem Investigador 2010, promovido pelo Instituto Internacional de Macau (IIM). A investigadora começa por defender que o “turismo, devido à sua complexa estrutura, interligado com actividades socioeconómicas, está provado ter vários efeitos positivos e negativos num destino”. Macau, de acordo com a investigação, é “um destino que apresenta um caso curioso para a análise em termos de expansão” por se ter tornado, em menos de dez anos, “no principal destino de turismo de casinos e jogo do mundo”. De facto, a cidade passou por mudanças estruturais de modo a facilitar a expansão do desenvolvimento do turismo com um vasto leque de importantes impactos económicos e socioculturais. Para Kameliya Scerleva, o turismo entra muitas vezes em conflito com o meio ambiente e contribui para a degradação progressiva da qualidade ambiental do destino. A sua tese apresenta vários impactos do turismo sobre os ambientes

Convocar uma conferência de imprensa só por convocar não é uma boa ideia, considerou ontem o porta-voz adjunto do Governo, Victor Chan, quando questionado pelos jornalistas sobre a possibilidade de realização de conferências de imprensa regulares do porta-voz do Executivo. No entanto, Chan apontou que as autoridades mantêm uma posição aberta sobre o assunto e está a “estudar a fundo” o pedido da comunicação social.

naturais e urbanos e apresenta evidências de que o turismo “não é planeado e controlado correctamente, tendo em conta as características do destino”. Os turistas e os moradores do território tiveram uma palavra nesta investigação e foram testados. As suas percepções e opiniões sugerem que alguns dos principais problemas de Macau prende-se com a poluição do ar, poluição sonora, trânsito excessivo e má limpeza da cidade. Por outro lado, “a consciência ambiental e actividades de conservação são apresentadas como benefícios estimulados pelo crescimento do turismo”.

O turismo em Macau “não é planeado e controlado correctamente, tendo em conta as características do destino” Apesar disso, as conclusões da tese não são totalmente definitivas devido às várias limitações contextuais que não permitem uma análise aprofundada do impacto do turismo sobre o meio ambiente pleno em Macau. Os argumentos da investigadora búlgara servem apenas, segundo a própria, “como referencial para análise futura, de modo a facilitar a abordagem à investigação do impacto do turismo em Macau”. A estudiosa defende, igualmente, que

é necessária “uma abordagem mais saudável à expansão do turismo em Macau” e deixa a recomendação de que o crescimento saudável da indústria “é a base sobre a qual o futuro económico vai prosperar a longo prazo”. Macau recebeu 20,6 milhões de visitantes entre Janeiro e Outubro, o que representa um acréscimo de 16% face ao período homólogo de 2009. De acordo com dados divulgados esta semana pelos Serviços de Estatística e Censos, entraram em Macau 10,8 milhões de excursionistas nos primeiros dez meses do ano, o que perfaz 52,3% do total de visitantes do território. Só no mês de Outubro, Macau recebeu cerca de dois milhões de visitantes, dos quais 55% eram excursionistas, o que representa um acréscimo de 7,5% face ao mês homólogo de 2009. Nascida em 1987, Kameliya Georgieva Scerleva tem nacionalidade búlgara e obteve o ‘Bachelor of Science in Tourism Business Management’ pelo Instituto de Formação Turística (IFT). Apesar de jovem, os seus estudos nesta área são já vastos tendo estudado na Bulgária, Holanda, Espanha e Escócia, além de Macau. O Prémio Jovem Investigador foi criado pelo IIM com o objectivo de incentivar, entre os jovens estudantes, professores, investigadores e criativos, o gosto pela investigação, especialmente em questões de interesse para a RAEM. Destinado a galardoar o melhor trabalho de investigação científica, é dedicado, no ano de 2010, às áreas de Ciências Aplicadas e de Património, Cultura e Identidade.

Os moradores e turistas do território têm, agora “a consciência ambiental e actividades de conservação (...) que são apresentadas como benefícios estimulados pelo crescimento do turismo”

GCS não considera boa ideia organizar conferências sem assunto definido

Só quando houver o que dizer

PB

O responsável usou o exemplo de outros territórios para afirmar que “uma conferência de imprensa regular do porta-voz sem um tema definido não parece ter grande efeito e ser bem acolhida pela comunicação social”. Na opinião de Chan, um encontro com os média deve ser convocado quando

houver algum assunto para comunicar. “É mais pragmático e permite dar resposta mais rápida à população e à comunicação social”, acrescentou. Victor Chan, que é também director do Gabinete de Comunicação Social (GCS), lembrou que a criação do sistema de porta-vozes do

Governo, no início deste ano, tem servido para construir um mecanismo sistemático de divulgação mais célere e aberta de informação, para dar a conhecer as políticas e medidas do Governo ao público. Victor Chan acrescentou que o papel mais importante do sistema

de porta-voz é apoiar os serviços públicos, principalmente na formação de pessoal e recolha de informações, na coordenação e contactos com todos os serviços públicos, para preparar a divulgação de informação e notícias. “Com uma atitude pragmática e realista, em termos da realização de conferências de imprensa, elas devem responder rapidamente às necessidades da sociedade e dos órgãos de comunicação social”, disse.


Greve geral de Portugal afecta também Macau A greve geral decretada para ontem em Portugal paralisou o atendimento ao público no Consulado Geral de Portugal em Macau, confirmou à agência Lusa o cônsul Manuel Carvalho. O mesmo responsável escusou-se, contudo, a comentar números da adesão à greve remetendo qualquer explicação para a Secretaria de Estado das Comunidades em Lisboa. No entanto, acrescentou ainda, “não existiam condições para se proceder ao atendimento ao público”. O Consulado Geral de Portugal em Macau tem inscritos cerca de 130 mil cidadãos, maioritariamente portugueses de etnia chinesa, e presta também serviços consulares aos portugueses residentes em Hong Kong.

quinta-feira 25.11.2010 www.hojemacau.com.mo

7

info@hojemacau.com.mo

Operadora da Central de Incineração refuta multas e emissões de poluentes

A empresa responsável pela operação e manutenção da Central de Incineração de Resíduos Sólidos de Macau (CIRS), a Sinogal, refutou, ontem, ao Hoje Macau, as acusações das quais tem sido alvo, de que teria queimado indiscriminadamente resíduos que libertaram gases poluentes acima dos níveis estabelecidos. A acusação foi lançada por um funcionário entrevistado pelo canal de televisão em chinês MASTV, na semana passada. Ontem, a Sinogal afirmou ao Hoje Macau que se tratam de apreciações de “mentirosas” e “caluniosas”. “A Sinogal refuta veementemente as inverdades e boatos divulgados sobre a operação da Central de Incineração, que não são mais do que calúnias proferidas por

quem não vislumbra melhores iniciativas que aquelas de promover a mentira e afrontar as relações institucionais entre a DSPA [Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental] e a Sinogal”, referiu a empresa. Segundo a operadora, que é uma “joint-venture” entre as empresas portuguesa Consulgal e a taiwanesa CTCI Corporation, os trabalhos realizados dentro da CIRS respeitam “estritamente” o disposto contratualmente com o Governo da RAEM, “com base em práticas do mais elevado rigor técnico e profissionalismo, que são, aliás, a garantia de um profícuo serviço na protecção ambiental de Macau”.

Vanessa Amaro

pub

Tudo dentro das normas acordadas

A empresa garante que “os limites contratuais das emissões nunca foram ultrapassados”, afirmação também reconhecida pela DSPA. No entanto, o Executivo está à espera da

conclusão de um relatório interno da Sinogal que, de acordo com esta, irá “repor a verdade sobre o controlo da emissões poluentes, legitimando a operação e condução da CIRS”.

Na reportagem da MASTV, o funcionário, apenas identificado como senhor Li, avançou que “o Governo multou por 136 vezes a companhia por emissão excessiva de gases poluentes”

durante o mês de Agosto, o que teria resultado em infracções que juntas somavam 11 milhões de patacas. A responsável pela CIRS nega que tenha sido penalizada por algo que nunca se passou. “A Sinogal nunca foi alvo da aplicação de quaisquer multas decorrentes de qualquer tipo de incumprimento legal. A DSPA nunca aplicou qualquer multa à operadora da CIRS”, afirma a empresa na sua resposta por escrito. A DSPA está à espera do relatório da Sinogal nos próximos dias para avaliar a situação, mas avançou que irá abrir um concurso público ainda este ano para dotar a incineradora com novos equipamentos de filtragem de ar. No entanto, a CIRS já tratou de substituir as velhas fitas de plástico que vedavam as janelas para prevenir a entrada de moscas e odores.


Comparações:

www.hojemacau.com.mo

8 António Falcão

info@hojemacau.com.mo

No palanque, a inaugurar a exposição “O Sucesso da RAEM - A Nova Imagem, Uma Herança do Passado”, os dois Chefes do Executivo que Macau conheceu, Fernando Chui Sai On e Edmund Ho. Cá em baixo as figuras de proa de uma experiência de sucesso que canta no seu refrão o lema “um país, dois sistemas.” Há duas grandes questões no projecto da exposição “O Sucesso da RAEM - A Nova Imagem, Uma Herança do Passado” e respondem pelos seus valores. Na totalidade todo este empreendimento, iniciado em Pequim em Dezembro de 2009 e percorrendo, posteriormente, dez cidades do continente “onde foram recebidos os votos de felicidades e prosperidade dos compatriotas das diferentes províncias”, custou aos cofres do executivo da RAEM perto de 44 milhões de patacas. Este é o primeiro número, o segundo, o valor daquilo que realmente se está a pagar, nunca o saberemos. A meio da exposição pode-se observar um vídeo que mostra a modernidade do território, com a sua cultura mesclada e o seu dinamismo, enquanto se misturam laivos da tradição secular chinesa, simbolizados em exercícios de tai-chi, tomados em vários pontos da cidade. Filme publicitário, com uma fotografia exemplar, que edifica o propósito de toda a mostra, que agora aterrou em Macau. O spot foi produzido por uma empresa de Hong Kong e realizado para o primeiro capítulo da exposição em Pequim, sobre ele, os comentários de alguns membros do Gabinete de Comunicação Social (GCS), organismo da administração responsável por este desígnio, ditam: “por isso é que foi tão caro!” Qualidade paga-se, é verdade, e o director do GCS, Victor Chan, justifica os custos elevados pelo valor da promoção em questão de carácter “nacional”. Referindo a projecção que o território de Macau teve por causa da exposição durante o seu périplo pela Mãe Pátria que, para além do espaço limitado da mostra, alcançou um grande número de órgãos de comunicação social chineses, com reportagens exclusivas na CCTV, chegando, na opinião do responsável pelo GCS, aos olhos de metade da população da República Popular, que assim ouviu falar do “sucesso de Macau.” Chan continuaria com um “ninguém fez uma exposição como esta”, desabafando por fim que “não sei porque estão sempre a falar na questão do dinheiro”. Pedra no sapato

Mas “a questão é outra”, como o próprio director do GCS menciona, quando inquirido sobre o caso, e

cultura

História antiga, passo pa Exposição polémica dos dez anos da RAEM chegou ao Fórum

António Falcão | bloomland.cn

quinta-feira 25.11.2010

trata-se do processo Primedia. Vamos por partes, separando primeiro as águas. No último trimestre de 2008, o GCS assina um contrato com a empresa de Eva Lou, Primedia, para a produção e organização da exposição comemorativa do 10.º aniversário da RAEM em Pequim, com uma área de 1500 metros quadrados. Nada de mais se o contrato

não fosse adjudicado directamente e o valor do cheque não tivesse tantos zeros, muito superior à primeira estimativa para o projecto. Trinta e dois milhões de patacas foi a quantia paga pelo Executivo a Eva Lou. “A Primedia era a única companhia local que reunia as condições necessárias. Quisemos encontrar uma empresa que tivesse filial

em Pequim. (...) Não tivemos nenhuma outra alternativa”. Estas foram as palavras de Victor Chan para explicar o imbróglio em que se viu metido quando o acordo foi tornado público no Verão morno do ano passado, na fase transitória em que o actual Chefe do Executivo, Fernando Chui Sai On, dialogava com a população e com entidades locais como único candidato ao cargo que agora ocupa. O caso mudaria ainda mais de figura, incendiando de imediato a ‘silly season’, quando se percebeu que Eva Lou era a coordenadora do gabinete da candidatura de Chui.

O processo da comemoração dos dez anos do “Novo Macau” em Pequim viu-se então sob fogo de várias direcções e os protestos não se fizeram espera, formando as letras gordas de todos os jornais e abrindo os momentos nobres na televisão. Nem a explicação do GCS de que a escolha salientou o “factor vantajoso em termos de contactos directos e coordenação” por a Primedia ter uma delegação na capital do continente. O prato do dia eram, sobretudo, os números que ninguém soube explicar. Já que em exposição similar em 2007, Hong Kong tinha gasto


Bollywood grava filme em Macau A produtora de Bollywood Maruti International inicia em Janeiro de 2011 a rodagem do filme “Double Dhamaal” (“Divertimento a Dobrar”) em Macau. A película é sequela do filme “Dhammal”, que em 2007 alcançou sucesso nas bilheteiras dos Estados Unidos, e cujo enredo é transposto para o cenário da RAEM, depois da acção ter tido inicialmente como pano de fundo Goa. Cerca de 50% das imagens do filme terão Macau como cenário, numa comédia onde quatro jovens procuram obter dinheiro fácil nos casinos do Cotai. A produção representa um investimento de quatro milhões de dólares norteamericanos e o filme tem estreia prevista para Junho de 2011, contando com distribuição internacional.

ara o futuro carácter de urgência”, não devendo por isso ter-se prescindido do concurso público. Cartão laranja

A Exposição está patente ao público até ao dia 15 de Dezembro, das 10h00 às 20h00 diariamente, com entrada gratuita. Há lembranças para todos os visitantes.

apenas dois milhões da sua moeda. Para Victor Chan, a quantia paga pelo seu gabinete era “um orçamento razoável”. O democrata Ng Kuok Cheong, deputado eleito, criticaria a decisão publicamente entregando uma petição na sede do Governo, alegando que a obra adjudicada “não tinha um

Ainda durante o Verão, a varinha do juiz Vasco Fong, agora na era Chui à frente do Comissariado Contra a Corrupção (CCAC), admoestava o GCS, e todos os procedimentos latentes durante o obscuro processo, no seu relatório de actividades de 2009. Ficou concluído que o departamento de Victor Chan tinha errado e, por mais de uma vez. No documento divulgado pelo CCAC pode ler-se: “O procedimento tendente ao reconhecimento deveria ser objectivo e transparente, de modo a evitar a suspeita de ‘jogo de bastidores’ com todo o prejuízo para a reputação da Administração”. Explicando ainda que o GCS deveria ter informado de antemão o Chefe de Executivo sobre as suas intenções, facto que não ocorreu, baseando a decisão tomada apenas na sua vontade “por não se encontrarem no mercado outras companhias com capacidade e experiência para a realização senão a companhia P.” Assim dita o que acabou por ser apenas uma recomendação para o futuro, que o GCS iria cumprir à risca para a actual exposição, adjudicada por concurso público, com o conselho técnico de várias associações na área das “MICE”, à empresa Nam Kwong que se encarregou do projecto conceptual, montagem e multimédia, por oito milhões de patacas, e à Companhia de Desenvolvimento e Promoção de Actividades Desportivas, Culturais e Recreativas Proactivities, Lda, que passou a factura, referente à ceri-

quinta-feira 25.11.2010 www.hojemacau.com.mo

9

mónia de inauguração, promoção e gestão da exposição, com o valor a tocar os dois milhões de patacas. Contando com as 800 mil gastas no périplo pela China, a fasquia chega às já referidas 44 milhões de patacas. No final, o que fica na história é que a exposição esteve patente em Pequim entre os últimos dias de Novembro e Janeiro deste ano, com um total de cerca de 140 mil visitantes, alcançando um “grande êxito”. Para quem gosta de contas, a RAEM, ou o erário público, como tanto gostam de lhe chamar, pagou 228,5 patacas por pessoa. Um ano depois, após uma viagem terminada em Nanquim, englobada em várias feiras comerciais onde Macau se viu representado, a polémica exposição chega ao Fórum com uma versão mais reduzida, que além de perder 500 metros quadrados da sua área, deixou para trás de certo parte do seu fulgor, não fosse custar um terço do valor original. Até pode ser que o céu seja o limite

E aí estão as luzes para o famigerado “sucesso” de Macau alcançado nos últimos anos, como uma política aberta ao jogo e incrementando os traços da sua tolerância. O que se vê na mostra é a história de todo este processo recheado de bons resultados, entre uma panóplia de painéis fotográficos, pequenos filmes, uma maqueta do território assente no seu futuro, onde se vislumbram o metro ligeiro e o gigantesco arranha-céus a erguer na Ilha Verde. Além disso, há o “Lago de Lótus”, uma sala escura, com “aroma perfumado”, que além de projectar dedicatórias nas sua paredes, contém um aquário artificial, onde, num processo que liga robótica a meios multimédia, se vêem crescer uma série de flores de lótus, símbolo fulcral da “grande era RAEM”. Victor Chan, visivelmente orgulhoso, referia que “o certame fala da história de toda a população de Macau e do caminho percorrido pelas suas gentes ao longo do processo de crescimento da Região Administrativa Especial, com muita alegria e grande orgulho” e, claro, “sem esquecer de agradecer o apoio e carinho da mãe pátria.” Em conclusão, a mostra reflecte sobre o passado mais próximo e dá um passo em direcção a um destino auspicioso representando mais uma etapa “para o fortalecimento de laços com a Pátria” e com todos os compatriotas, bem como uma prova de que “nas nossas veias corre o mesmo sangue”. Eva Lou não estava presente.

20

artistas da serigrafia portuguesa [Museu de Arte de Macau até 16 de Janeiro de 2010]

• ANTÓNIO PALOLO (1946-2000)

• O RITMO E A COR DAS FAIXAS CROMÁTICAS João António Palolo nasceu em Évora. Artista autodidacta, realizou ainda muito novo as primeiras experiências plásticas. O seu trabalho desenvolveuse numa relação de cumplicidade e atenção ao seu tempo, o que permitiu o estabelecimento de linhas de pesquisa em diversas direcções e aparentemente contraditórias. António Palolo viveu dessa imperiosa necessidade de experimentar e acabaria por deixar toda uma vida em aberto ao morrer prematuramente, ao 54 anos de idade..Inicialmente informalista, o seu trabalho avança no sentido de uma

clarificação formal, construindo um sistema integrado de formas orgânicas e estruturas geométricas. O desenvolvimento desta vertente geométrica na passagem para os anos 70, conduziuo a um abstraccionismo de sinalização pop ou psicadélico, através da cuidada articulação de bandas coloridas, num progressivo fascínio pelas possibilidades construtivas da simetria e do ritmo. As faixas cromáticas tornam-se o suporte do seu jogo pictórico, fundado na utilização de cores vibrantes e de uma dinâmica espacial que o artista desenvolve segundo modelos pessoais de simetrias e alternâncias. São exactamente desta época a obras apresentadas na exposição do MAM.


quinta-feira 25.11.2010 www.hojemacau.com.mo

10

desporto Benfica soma primeira vitória

A equipa de basquetebol do Benfica registou, esta terçafeira, a primeira vitória na Eurochallenge, impondo-se na recepção ao Lugano por 8984. Derrotados na ronda inaugural pelo Lukoil Academic, na Bulgária, os encarnados superaram o rival helvético por cinco pontos, apesar de terem saído para a intervalo em desvantagem (38-47).

Portugal goleia Montenegro Marco Carvalho

info@hojemacau.com.mo

Quando se despediu de Macau em Junho último, Luis Filipe Vieira partiu com um sorriso nos lábios e com fortes razões para acreditar que a deslocação ao território pode abrir as portas de todo um continente ao mais premiado dos clubes portugueses. O presidente do Sport Lisboa e Benfica foi acolhido na RAEM de forma entusiástica, por um verdadeiro banho de adeptos e partiu com a “opinião reforçada de que o mercado asiático é

Deslocação dos juvenis do Benfica à Tailândia cancelada

Águiazinhas sem asas um espaço que interessa ao clube da águia e que Macau é o ponte de partida ideal para a internacionalização do emblema”. Com a Casa do Sport Lisboa e Benfica em Macau – filial 232.ª do clube encarnado - como principal pólo dinamizador, o primeiro episódio de uma tal pub

internacionalização deveria ocorrer já no próximo fimde-semana, com a deslocação do grupo de trabalho dos escalões de formação do Benfica à capital tailandesa, Banguecoque. As formações de infantis e juvenis da Casa do Sport Lisboa e Benfica no território deviam participar num torneio internacional de futebol destinado aos mais pequenos, mas dificuldades de última hora, aliadas à instabilidade política e social em que ainda está imersa a capital tailandesa - Banguecoque foi na sexta-feira palco de uma nova manifestação anti-governamental - obrigaram os responsáveis pela colectividade a abrir mão da iniciativa. As cores do Macau e Benfica deviam estar representadas nos torneios de Sub-8 e de Sub-12 do evento que tem como palco o “país dos sorrisos”, naquela que seria também a primeira deslocação oficial de um clube de matriz portuguesa à Tailândia desde a transferência de administração do território entre Portugal e a República Popular da China. Apesar de ter sido acolhido com alguma mágoa por parte de alguns atletas, o anúncio do cancelamento da iniciativa não roubou o entusiasmo aos pequenos craques encarnados, que compareceram em peso à sessão de treinos ontem re-

alizada no relvado sintético do Centro de Hóquei da Taipa, paredes meias com o Estádio de Macau. Os pequenos artistas da bola treinaram às ordens de João Braga. De regresso ao território, o professor de educação física, de 34 anos, assumiu há cerca de dois meses o estatuto de coordenador das estratégias de formação das escolinhas da Casa do Sport Lisboa e Benfica em Macau, assumindo o legado de Rui Cardoso. João Braga não se mostra incomodado com a incumbência, até porque o treinador da formação sénior do clube da águia continua a acompanhar de perto a evolução dos mais pequenos: “Eu não diria que há um legado a que tenhamos que responder, até porque o Rui Cardoso continua a trabalhar comigo e com os miúdos e continua a acompanhar de muito perto a evolução deste grupo de trabalho. Aquando da minha primeira passagem por Macau, há coisa de dez anos, tive a oportunidade de treinar com o Rui Cardoso e conheço bem os seus métodos e a paixão com que se entrega ao que faz. O maior desafio se calhar é mesmo o de conseguir transmitir esses valores aos miúdos, mas é isso que temos vindo a tentar fazer”, assume o jovem técnico. Apesar de reconhecer que a deslocação à Tailândia

poderia ter tido um efeito positivo sob o espírito de entrega dos pequenos craques encarnados, João Braga desvaloriza o cancelamento da iniciativa. O coordenador das estratégias de formação do clube da águia acredita que outras oportunidades da índole poderão surgir no futuro e só lamenta o facto dos miúdos das escolinhas não poderem competir com maior regularidade: “É de certa forma ingrato para os miúdos passarem um ano inteiro a treinar sem terem a oportunidade de jogar mais amiúde, mas sabemos como as coisas são em Macau. Não há um campeonato de infantis, não há um campeonato de juvenis e só agora se fala no eventual regresso do campeonato de juniores. Tentámos agendar jogos com as outras escolinhas de futebol do território, com as equipas das escolas chinesas, mas nem sempre é possível”, explica João Braga. Para compensar o cancelamento da deslocação à Tailândia, os responsáveis pela Casa do Sport Lisboa e Benfica em Macau poderão anunciar brevemente a organização, na RAEM, de um torneio destinado aos mais novos. A ideia ainda não saiu do papel, mas os responsáveis pelas estratégias de formação do clube da águia prometem novidades para dentro em breve.

A Selecção portuguesa de futebol de sub-18 goleou esta terça-feira, em Mafra, a congénere do Montenegro por 5-1, no primeiro de dois jogos de preparação programados entre ambas as equipas. A superioridade da Selecção lusa foi a tónica dominante da partida, mas só foi traduzida por um golo durante a primeira parte, marcado logo aos três minutos por Fábio Martins, por falta de eficácia na finalização. No entanto, esta pecha foi corrigida depois do intervalo, com Portugal a marcar mais quatro golos, o primeiro dos quais um auto-golo de Agovic, aos 51 minutos, a que se seguiram os tentos de Mateus Fonseca (54), Hugo Basto (79) e Alves (83). Montenegro fez o seu golo de honra aos 65 minutos, por intermédio de Rados Dedic.

Del Bosque elogia Messi e Ronaldo

"Messi e Ronaldo são dois grandes jogadores que temos a sorte de ter no nosso campeonato e que representam dois grandes clubes", afirmou Vicente Del Bosque, que falava à margem da apresentação da Maratona Cidade de Málaga. Vicente Del Bosque, que foi jogador e treinador do Real Madrid, recordou ainda que - de acordo com o regulamento da eleição para a Bola de Ouro não pode votar em jogadores espanhóis. O seleccionador espanhol defendeu ainda a sua neutralidade perante o jogo da próxima segunda feira entre o Barcelona e o Real Madrid, até pelas funções que desempenha, embora não renegue a sua procedência e origem.


pub.

quinta-feira 25.11.2010 www.hojemacau.com.mo

11

RelatóRio de actividades em macau Apesar dos efeitos da crise financeira internacional, a Manulife Sucursal de Macau continuou a obter, no ano de 2009, um bom resultado. As novas actividades cresceram 19% e o total do valor dos prémios atingiu oitenta e seis milhões de patacas. Em relação aos produtos e serviços, temos vindo a melhorar os produtos, introduzir novos produtos e optimizar os procedimentos do funcionamento interno, por forma a elevar a qualidade dos serviços. A Manulife Sucursal de Macau possui equipamentos e formação de qualidade, o que permite contratar pessoas qualificadas para a sua equipa de venda, tornando-se numa equipa de gestão financeira com excelente profissionalismo, no intuito de ajudar os clientes a atingirem os seus objectivos de gestão financeira.

RelatóRio de auditoRia independente sobRe os Resumos das demonstRações FinanceiRas Aos Administradores da Manulife (International) Limited, Auditámos as demonstrações financeiras do Ano de 2009 da Manulife (International) Ltd., Sucursal de Macau (Manulife Sucursal de Macau), de acordo com as Normas de Auditoria e as Normas Técnicas de Auditoria, ambas da Região Administrativa Especial de Macau, bem como de acordo com os Padrões Internacionais de Auditoria. No nosso relatório datado de 20 de Abril de 2010, exprimimos uma opinião, sem reservas, sobre essas demonstrações financeiras. As demonstrações financeiras acima referidas por nós auditadas compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2009, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa, referentes ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas mais importantes e outras notas explicativas. Os resumos das demonstrações financeiras, em anexo, elaboradas pela gerência representam o conteúdo da síntese das demonstrações financeiras por nós auditadas. Em nossa opinião, esse conteúdo é idêntico, em todos os aspectos importantes, com as demonstrações financeiras por nós auditadas. Para uma melhor compreensão da situação financeira e dos resultados das operações da Manulife Sucursal de Macau, bem como do âmbito abrangido pela nossa auditoria, os resumos das demonstrações financeiras, em anexo, devem ser lidos em conjunto com as demonstrações financeiras por nós auditadas e o relatório de auditoria independente. Macau, aos 20 de Abril de 2010 Ernst & Young Auditores


quinta-feira 25.11.2010 www.hojemacau.com.mo

o Hoje [r]ecomenda

12

«My Beautiful Dark Twisted Fantasy»

[f]utilidades Su doku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: 1 – Vestuário largo e sem mangas, que pende dos ombros e se usa por cima da outra roupa; fêmea do boi. 2 – Cidade do distrito de Santarém; café (plural). 3 – Ligue-se; parte areada do anfiteatro, onde lutavam gladiadores ou feras. 4 – Tio da América; pronunciar em voz alta; eu e mais alguém. 5 – Zumbe; (fig.) rebenta. 6 – (ART). É um dos temas mais cultivados pelas artes plásticas; grito de dor e, às vezes de alegria. 7 – Flexão feminina de seu; (FÍS.). clarão produzido por substância que arde. 8 – Aspecto; regressar; forma de pronome tu na função de complemento directo. 9 – São e salvo; (ZOOL.) noem dado aos crustáceos isópedes do género Azelius. 10 – Instante; transformar em soro. 11 – Cantas; para vivaz e filamentosa dos líquenes. VERTICAIS: 1 – Filtras; (fig.). gritas. 2 – Ousado; elevação do solo, por impulso próprio, para voltar ao mesmo sítio ou deslocar-se para outro. 3 – Indíviduo em relação aos filhos dos seus tios; (QUÍM.) é a amida do ácido carbâmico ou a diamida do ácido carbónico. 4 – Elemento de composição de palavras que significa ar, vento, gás, aéreo; nome de mulher; mensagens escritas. 5 – Tudo o que se desvia do que é honesto e moral; movimento rápido de qualquer objecto pelo ar. 6 – Prep. Designativa de lugar, tempo, modo, etc.; um dos nomes da letra J. 7 – Casa de bebidas; chefe etíope. 8 – Regressar; que se compra por baixo preço; princípio ou ideia que exerce grande influência. 9 – Gesto compreensível feito com a cabeça, olhos ou mãos; órgão feminino que interfere na gestação e no parto. 10 – (NÁUTICA) Embarcação pequena; vigiar com o máximo cuidado e interesse. 11 – Dispositivo morfológico constituinte do aparelho de voo, consistindo ou na modificação dos membros anteriores dos vertebrados ou na expansão do tórax dos insectos; concessão de maior prazo para pagamento ou restituição de alguma coisa.

Soluções do problema HORIZONTAIS: 1-CAPA. VACA. 2-OUREM. BICAS. 3-ADIRA. ARENA. 4-SAM. LER. NOS. 5-ZOA. VOA. 6-NU. AI. 7-SUA. LUZ. 8-MAR. VIR. TEM. 9-ILESO. ASELO. 10-ATIMO. SORAR. 11-SOAS. LORA. VERTICAIS: COAS. MIAS. 2-AUDAZ. SALTO. 3-PRIMO. UREIA. 4-AER. ANA. SMS. 5-MAL. VOO. 6-EM. JI. 7-BAR. RAS. 8-VIR. VIL. SOL. 9-ACENO. UTERO. 10-CANOA. ZELAR. 11-ASAS. MORA.

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição solução do problema do dia anterior

«My Beautiful Dark Twisted Fantasy» é aquilo que Kanye West há muito procurava e não havia conseguido ainda. Uma espécie de recorde mundial artístico para deixar a concorrência a milhas. Ao quinto álbum, Kanye West assina a sua obra maior. Um «Thriller» que é tão bom que nos troca as voltas e, mesmo assim, nunca deixa de ser admirável. Falta-lhe apenas um bombom, um «Hey Ya» para eternizar ainda mais este pot-pourri de cultura pop polvilhado com rap.

[ Te l e ] v i s ã o TDM 13:00 TDM News - Repetição 13:30 Jornal das 24h RTPi 14:30 RTPi Directo 15:00 Debate das Linhas de Acção Governativas Área da Economia e Finanças (Directo) 20:00 Música Movimento Sr.3 (Repetição) 20:30 Telejornal 21:00 Jornal da Tarde RTPi (Diferido) 22:10 O Clone 22:58 Acontecimentos Históricos 23:00 TDM News 23:30 Ásia Global 00:00 Grande Entrevista 00:30 Telejornal - Repetição 01:00 RTPi Directo INFORMAÇÃO TDM RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:30 América, América...Chegámos Todos Bem (Os Navegadores) 15:00 Magazine Canadá Contacto 15:30 Gostos E Sabores 16:00 Bom Dia Portugal 17:00 O Preço Certo 17:45 O Olhar Da Serpente 18:30 Príncipes Do Nada 19:15 Conta-me Como Foi 20:00 Jornal Da Tarde 21:15 O Preço Certo 21:30 Magazine Canad Contacto 22:15 Portugal No Coração TVB PEARL 83 06:00 Bloomberg Rewind 07:30 NBC Nightly News 08:00 CCTV News – LIVE 08:30 ETV 10:30 Inside the Stock Exchange 11:00 Market Update 11:30 Inside the Stock Exchange 11:32 Market Update 12:00 Inside the Stock Exchange 12:02 Market Update 12:30 Inside the Stock Exchange 12:35 Market Update 13:00 CCTV News - LIVE 14:00 Market Update 14:40 Inside the Stock Exchange 14:43 Market Update 15:58 Inside the Stock Exchange 16:00 Sesame Street 17:00 Taste Buds 17:30 The Spectacular Spider-Man 18:00 Putonghua News 18:10 Putonghua Financial Bulletin 18:15 Putonghua Weather Report 18:20 Financial Report 18:30 FIFA Football World 19:00 Hong Kong Connection 19:30 News At Seven-Thirty 19:50 Weather Report 19:55 Earth Live 20:00 Nigella’s Christmas Kitchen 20:35 Supernatural 21:30 Dolce Vita 22:00 Modern Family 22:30 Marketplace 22:35 Castle 23:30 World Market Update 23:35 Jamie’s Eat To Save Your Life 01:45 European Art At The MET 02:00 Bloomberg Television 05:00 TVBS News 05:30 CCTV News ESPN 30 13:00 AFC Champions League 2010 Final Seongnam Ilhwa vs. Zobahan 15:00 World Championships China - Womens 16:00 Cbe Classic Championship 18:00 Total Rugby 18:30 Players Lives 19:00 Chang World of Football 19:30 (LIVE) Sportscenter Asia 20:00 Castrol Football Crazy 20:30 Simply The Best 21:00 X Games 16 Show 7 22:00 Sportscenter Asia 22:30 Castrol Football Crazy 23:00 ABL game2game

23:30 Sportscenter Asia STAR SPORTS 31 13:00 Superleague Formula 2010 14:00 AFC Annual Awards 2010 16:00 GT 4 Round 7 17:00 FA Classics 1992/93 FA Cup Ipswich Town vs. Arsenal 18:00 FEI World Cup Jumping 2010/11 19:00 AFF Suzuki Cup 2008 Final Thailand vs. Vietnam 21:00 Game 21:30 (LIVE) Score Tonight 22:00 Sport Express 22:30 The FA Cup 2010/11 Preview Show 23:00 Commonwealth Bank Tournament Of Champions 2010 Highlights HBO 41 12:50 Shark In Venice 14:30 There'S Something About Mary 16:35 John Crisham'S The Rainmaker 18:55 Vip Access: Unstoppable 19:25 Gamer 21:00 Judge Dredd 22:40 Deuce Bigalow: Male Gigolo 00:10 The Terminator CINEMAX 42 12:00 Bad Boys 13:55 Animals 15:10 Ba'Al: The Storm God 16:40 The Wild Bunch 19:00 Darkman Ii: The Return Of Durant 20:30 Darkman Iii: Die Darkman Die 22:00 The Wire 23:50 Tmz 373 00:10 Cyborg Conquest MGM 43 11:30 The Golden Seal 13:15 Rockula 14:45 Heaven's Gate 18:15 It Takes Two 19:30 Death Wish II

www.macaucabletv.com

21:00 That Championship Season 23:15 Ruby Jean and Joe DISCOVERY CHANNEL 50 13:00 Mythbusters - Firearms Folklore 14:00 Build It Bigger: Rebuilding Greensburg 15:00 River Monsters - Killer Snakehead 16:00 Peak Power - Toba River, Canada 17:00 Dirty Jobs 18:00 How It's Made 19:00 Out Of Egypt - Sins Of The City 20:00 The Big Question 21:00 Spanning The Saigon - Phu My Bridge, Vietnam 22:00 Lost Tapes 23:00 A Haunting - The Forgotten 00:00 Spanning The Saigon - Phu My Bridge, Vietnam NATIONAL GEOGRAPHIC CHANNEL 51 13:00 Trading Faces 14:00 Word Travels 15:00 Sleeping Beauties - The Incorrupt 16:00 Strongman 17:00 Viewer's Favourite - Africa 18:00 Don't Tell My Mother... 19:00 Texas Oil Explosion 20:00 Deaflympics 21:00 Inside The Legion 22:00 Singapore's Vegas 23:00 Grand Canyon Skywalk 00:00 Texas Oil Explosion ANIMAL PLANET 52 13:00 In The Shadow Of Armoured Giants 14:00 Wild Poland 15:00 Going Ape - A New Life 16:00 Up Close and Dangerous 17:00 Human Prey - Killer Bears 18:00 Undercover Sting 19:00 Night Of The Living Dead 20:00 Man-Eating Leopards 21:00 Into The Pride - The Bush Rules 22:00 Up Close and Dangerous 23:00 Human Prey - River Killers 00:00 Man-Eating Leopards HISTORY CHANNEL 54 13:00 Wild, Wild West 14:00 Mega Ocean Conquest 15:00 The Puppet Master 16:00 Chasing Mummies - Discovered 17:00 Altered States 18:00 Super Human 19:00 Barbarians Lair 20:00 All You Can Eat 21:00 Tigers In The Suburbs 22:00 Jack The Ripper 23:00 Trick Shot Showdown 00:00 Raptor Vs. T-Rex STAR WORLD 63 12:30 America's Next Top Model 13:20 Got To Dance UK 14:10 Accidentally On Purpose 14:35 Cougar Town 15:00 Rules Of Engagement 15:25 The King Of Queens 15:50 Brothers & Sisters 16:40 Ghost Whisperer 17:30 Australia's Next Top Model 18:20 Bachelorette 19:10 Cougar Town 19:35 How I Met Your Mother 20:00 Australia's Next Top Model 20:50 Masterchef US 21:40 True Beauty 22:30 Bachelorette 23:20 Brothers & Sisters 00:10 Australia's Next Top Model

(MCTV 54) History Channel 22:00 Jack The Ripper Informação Macau Cable TV


quinta-feira 25.11.2010 www.hojemacau.com.mo

[O]bjectiva Gonçalo Lobo Pinheiro

13 Raio [X]

Capítulo do Tsunami José Manuel Simões

Di Maria, uma jóia que o Benfica perdeu (Barcelona, 2009)

Para[ ]comer • Pérola 3/F, Sands, Largo de Monte Carlo, no.203 8983 82222888 3352 http://www.sands.com.mo • VINHA Alm Dr. Carlos d' Assumpção 393 r/c AC 2875 2599vinha@macau.ctm.net http://www.vinha.com.mo • FAT SIU LAU (SINCE 1903) Av.Dr.Sun Yat-Sen,Edf.Vista Magnifica Court Rua de Felicidade No.64, R/C Macau 2857 3585fsl1903@macau.ctm.net http://www.fatsiulau.com.mo

• Casa Carlos Bispo Medeiros 28D 2852 2027

• HAC SA PARK Hac Sa Park-Hac Sa Beach Coloane 2888 2297 http://www.yp.com.mo/hacsa

• António (TP) R, dos Negociantes 3 28999998

• SOL NASCENTE (TP) Av Dr Sun Yat Sen No.29-37 R/C 2883 6288 http://www.yp.com.mo/solnascente • TENIS CIVIL (LEON) Av.da República N°14 1° Macau 2830 1189 http://www.yp.com.mo/leon • Platão Trav. São Domingos No.3 2833 1818 reservation@plataomacau.com • Banza (Tp) Nam San Bl.5, GH 28821519

• Galo (Tp) Clérigos 45 2882 7318 http://www.yp.com.mo/domgalo • Riquexó Av Sid Pais 69 2856 5655

• Clube Militar Av Praia Grande 795 2871 4000 cmm@macau.ctm.net • Espaço Lisboa Lda (Col) Gaivotas 8 2888 2226 2888 1850 • Camilo Av Sir Anders Ljungsted 37 2882 5688

• Dom Galo Vista Magnifica Court 2875 1383 domgalo@yp.com.mo http://www.yp.com.mo/domgalo • O Santos (TP) R. do Cunha 28827508 • Porto Exterior Ed Chong U 2870 3276 http://www.portoext.com.mo • Restaurante Fernando (Col) Praia Hác Sá 9 2888 2264

• Ó MANEL (Tp) Fernão M Pinto 90 2882 7571

• Litoral Restaurante Lda Alm Sérgio 261 2896 7878 2896 7996 http://www.yp.com.mo/litoral

• A PETISQUEIRA (TP) S João 15A 2882 5354

• Nga Tim Café (Col) Caetano 8 2888 2086

Tacos – Cozinha internacional & Café Bar (Macau) – Rua Cidade de Braga 51 A r/c. Tel.28750151

• O Porto Interior Alm Sérgio 259B 2896 7770 • A Lorcha Alm Sérgio 289 2831 3195

• Sawasdee Thai Av Sid Pais 43AE 2857 1963 • Aquamarine Thai Café (Tp) Jardm Nova Taipa bl 21 2883 0010 • Bangkok Pochana Ferrª Amaral 31 2856 1419 • Kruatheque Henrique Macedo 11-13 2835 3555 • Restaurante Thai Abreu Nunes 27E 2855 2255

• Afonso III Central 11A 2858 6272

• LA COMEDIE CHEZ VOUS Ed Zhu Kuan S/N G (Oppsite Cultural Centre) 2875 2021

• Bar Oporto Tv Praia 17 2859 4643 • Maria’s Comida Portuguesa Patane 8A 2823 3221

• LE BISTROT (Tp) Nova Taipa Garden Block 27, G/F 2884 37392884 3994

• Restaurante Pinocchio (Tp) Regedor 181-185 2882 7128 • Canal dos Patos Parque Municipal Sun Yat Seng 2822 8166

• CHURRASCÃO Nova Taipa Garden, Block 27 G/F, Taipa 2884 37392884 3994 • Yin Alª Dr Carlos d’Assumpção 33 2872 2735

the next three days Cineteatro | PUB

• Fogo Samba VENETIAN-Grand Canal Shoppes Apt 2412 2882 8499

[ ] Cinema

Sala 1 Skyline [C] Um filme de: Collin Strause, Greg Strause Com: Eric Balfour, David Zayas, Scottie Thompson 14.30, 16.30, 19.30, 21.30 SALA 2 the next three days [B] Um filme de: Paul Haggis Com: Russell Crowe, Elizabeth Banks, Liam Neeson 14.15, 16.45, 19.15, 21.45

Sala 3 the extraordinary adventures of adèle blanc-sec [c] Francês legendado em chinês e inglês Um filme de: Luc Besson Com: Louise Bourgoin, Mathieu Amalric 14.30, 16.30,21.30 Sala 3 unstoppable [B] Um filme de: Tony Scott Com: Denzel Washington,Chris Pine 19.30

Depois de ter passado pela ilha de Phuket e desaguado na vila com o mesmo nome onde vi algumas dezenas de montras cor-de-rosa com meninas expostas, um número redondo na blusa e um ar de “tu não que és estrangeiro e deves ter a pila grande”, eis que cheguei às Phi Phi, imponente santuário da natureza. Sabes, estas ilhas são sublimes mas não consigo relaxar porque recorrentemente vêm-me à cabeça a possibilidade do regresso da onda gigante. Deve ser porque em todo o lado se encontram placas a indicar: “zona de evacuação em caso de tsunami”. E se voltasse agora mesmo, nesta hora de mar plácido, à tragédia seguir-se-iam lágrimas e depois, de novo, a bonança? Não será um privilégio morrer aqui, neste lugar onde a natureza toma dimensões do divino? Claro que as pessoas, que num minuto viram os seus familiares serem levados de vez pela onda, devem achar esta ideia completamente disparatada. Ontem nadei com centenas de peixinhos multicoloridos em corais prodigiosos mas de vez em quando lá estava eu a olhar o horizonte a ver se a onda vinha. Os habitantes locais não acreditam nessa possibilidade e se se fala de morte parecem recear sobretudo a do amado rei. Figura realmente admirável, pólo unificador e pacificador das relações entre budistas, muçulmanos, vermelhos e amarelos. O Rei da Tailândia, Bhumibol Adulyadej - o monarca mais rico do mundo com uma fortuna avaliada em 23,5 mil milhões de euros - tem 84 anos, está doente e todos os tailandeses temem a sua definitiva partida. Acho mesmo que perdendo o rei, perdem o fiel da balança e não vão conseguir suplantar a perda. Eles veneram-no na mesma proporção em que desprezam o príncipe, um “playboy”, dizem, e sem sucessão capaz estou em crer que a monarquia morrerá com ele. Preocupo-me porque, tu sabes, a Tailândia é linda, os tailandeses, sobretudo os do Norte, os budistas, são altamente pacifistas, mas isto está mesmo preso por um fio. Uma outra coisa que não me sai do pensamento é a, eventual, relação entre o filme “The Beach” que revelou ao mundo este paraíso e o tsunami que aconteceu dois anos depois, precisamente quando estas praias edílicas começaram a ser invadidas por massas de turistas. Aliás, é curioso constatar que os visitantes, na sua grande maioria casais jovens europeus, têm pinta de estrelas de cinema ou pretensões a sucessores de Leo DiCaprio. Há pouco subi até ao miradouro mais alto da ilha usurpada, a Phi Phi Don, para ver o pôrdo-sol com um belo casal de espanhóis, ou melhor de Bilbau, onde um local, ex lutador de Muay Thai, desfazia a erva que colocou num cachimbo de água feito de bambu que rodou de mão em mão. Quando chegou até mim decidi negá-lo e deparei-me a achar que com a idade tinha ficado “careta”. Perguntavasme um dia destes se eu já tinha, como é que dizias mesmo, afogado o ganso aqui na Tailândia, ah sim, molhado o pincel, pois, se queres saber a verdade vais ter que ficar atento às cenas do próximo capítulo.

[José subiu à montanha no lusco-fusco e nunca mais encontrou o caminho de volta]


pub.

quinta-feira 25.11.2010 www.hojemacau.com.mo

14

NOTIFICAÇÃO EDITAL (Solicitação de Comparência do Trabalhador)

N.º 330/2010

Nos termos da alínea b) do n.º 1 do artigo 6.º do Regulamento da Inspecção do Trabalho, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 60/89/M, de 18 de Setembro, conjugado com o artigo 58.º e n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, notifica-se PHAN THI MY HANH ex-trabalhadora nãoresidente da sociedade “Melco Crown Hospitalidade e Serviços, Limitada”, para no prazo de 15 (quinze) dias, a contar do primeiro dia útil seguinte à da publicação dos presentes éditos, comparecer no Departamento de Inspecção do Trabalho, sita na Avenida do Dr. Francisco Vieira Machado, n.os 221 a 279, Edifício “Advance Plaza”, 1.º andar, Macau, a fim de prestar declarações no processo n.º 4145/2010, proveniente do acidente de trabalho em que a notificada foi vítima. Mais se comunica que nos termos da alínea a), n.º 2 do artigo 103.º do aludido Código, o procedimento é extinto quando por causa imputável ao notificando este esteja parado por mais de seis meses. Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais – Departamento de Inspecção do Trabalho, aos 17 de Novembro de 2010. O Chefe do Departamento, Raimundo Vizeu Bento

ANÚNCIO (Processo n.º 09/CDH-DAG/2010) São por esta via notificados Leong Tim e Lao Peng Lan, proprietários da fracção do 12.º andar H do Edifício Lok Fu San Chun Lok Tak Lao, no uso das competências delegadas no n.º 11 do Despacho n.º 15/IH/2010, publicado no Boletim Oficial da RAEM n.º 14, II Série, de 7 de Abril de 2010, e nos termos do n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, do seguinte: Conforme as averiguações deste Instituto, verificou-se que foram construídas armações metálicas nas paredes exteriores pelos proprietários da fracção do 12.º andar H do Edifício Lok Fu San Chun Lok Tak Lao, com prova pelas fotografias. Este Instituto notificou, através do Ofício n.º 1008180038/DAJ, de 20 de Agosto de 2010, os interessados acima mencionados que deviam ter apresentado, por escrito, as suas contestações, no prazo de dez dias, para explicarem a situação ilegal supracitada, mas estes não as apresentaram no prazo indicado. Neste acto existe infracção, nos termos da alínea g) do n.º 2 do artigo 16.º do Decreto-Lei n.º 41/95/M. De acordo com as competências delegadas na alínea 5) do n.º 1 do Despacho n.º 15/IH/2010 e o Despacho da Vice-Presidente do Instituto de Habitação n.º 31/IH/2010, de 27 de Setembro de 2010, foi decidida a aplicação da multa de mil patacas (MOP 1 000,00). Pelo que, devem dirigir-se ao Instituto de Habitação, sito na Travessa Norte do Patane, n.º 102, Ilha Verde, Macau, para pagar a multa, no prazo de 10 dias, a contar da data da publicação do presente anúncio, sob pena de a mesma ser executada coercivamente em processo civil. Ao mesmo tempo, estão obrigados a repor, no prazo de trinta dias, a contar da data de publicação do presente anúncio, a situação original sobre a ilegalidade. Se o não fizerem, a multa será diária de mil patacas (MOP 1 000,00), até ser reposta a situação original, nos termos do n.º 3 do artigo 18.º do mesmo decreto-lei. De acordo com o n.º 17 do Despacho n.º 15/IH/2010 e os termos do artigo 155.º do Código do Procedimento Administrativo, podem interpor recurso hierárquico necessário, ao Presidente do Instituto de Habitação, no prazo de trinta dias, a contar da data de publicação do presente anúncio, tendo este efeito suspensivo. Aos, 19 de Novembro de 2010 Pela Vice-Presidente, Iam Lei Leng Chefe da Divisão de Assuntos Jurídicos

NOTIFICAÇÃO EDITAL (Reparação coerciva)

N.º 331/2010

Raimundo Vizeu Bento, Chefe do Departamento de Inspecção do Trabalho, manda que se proceda, nos termos do n.º 3 do artigo 9.º e do artigo 11.º do Regulamento Administrativo n.º 26/2008 – Normas de funcionamento das acções inspectivas do trabalho conjugados com os artigos 58.º, 72.º n.º 2 e 136.º n.º 2 do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, à notificação do transgressor do Auto n.º 309/0708/2010, de 12 de Outubro de 2010, o sr. JIN CHANGXIN, proprietário do estabelecimento de comidas “FOK TONG PAK IAN”, sito na Rua do Campo, n.º 153 a 157, edifício “NGAN FAI”, loja E, r/c e sobreloja, em Macau, para no prazo de 15 (quinze) dias, a contar do 1.º dia útil seguinte ao da publicação dos presentes éditos, proceder ao pagamento do cúmulo material da pena de multa aplicada no aludido auto, no valor de Mop$60.000,00 (sessenta mil patacas), por prática das transgressões laborais previstas nas alíneas 1), 2) e 3) do n.º 1 do artigo 28.º, e punidas na alínea 3) do n.º 1 do artigo 85.º da Lei n.º 7/2008 – Lei das relações de trabalho, de 18 de Agosto, devendo ainda, nos 5 (cinco) dias subsequentes ao do termo do atrás citado prazo, fazer prova do pagamento efectuado. A cópia do auto, a notificação para pagamento das multas aplicadas e a guia de depósito deverão ser levantados, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Inspecção do Trabalho, sita na Avenida do Dr. Francisco Vieira Machado, n.os 221-279, edifício “Advance Plaza”, 1.º andar, Macau, sendo facultada a consulta do processo em causa, instruído por este Serviços. Decorridos os prazos, sem que tenha sido dado cumprimento à presente notificação, seguir-se-á a tramitação judicial, com a remessa do auto de notícia a Juízo. Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais – Departamento de Inspecção do Trabalho, aos 19 de Novembro de 2010. O Chefe do Departamento, Raimundo Vizeu Bento


opinião c arta ao d i r ector

Exmo. Senhor Director do Hoje Macau, Quis deixar terminar a última edição do Festival Internacional de Música de Macau (FIMM) para felicitar o Hoje Macau pelo artigo publicado sobre o evento, intitulado “Warren a mais na camioneta”, no passado dia 21 de Outubro, pois já há muito que vinha sendo necessário colocar o dedo nessa ferida. O FIMM foi criado em 1987 pelo então Governo de Macau, para lançar a imagem cultural de Macau e promover o intercâmbio cultural entre Oriente e Ocidente, arrancando com um programa de apenas oito espectáculos e um conceito único na Ásia, incluindo no seu programa, até 1991, um concerto anual de beneficência a favor da UNICEF, que marcava o festival com uma mensagem de preocupação mundo, inaugurado com a imortal estrela de cinema Audrey Hepburn. Sob a direcção do pianista Adriano Jordão, o primeiro director artístico (19871991), o FIMM, destacando o canto lírico, contou com a participação de um leque de artistas excepcional que, devo sublinhar, Macau deve estar grato pelo privilégio: Ileana Cotrubas, Lucia Valentini-Terrani, Max van Egmond, Alfredo Kraus, Tereza Berganza, Christa Ludwig, Peter Schreier, entre outros; no plano instrumental, nomes lendários como Ingrid Haebler e Moura Lympany, Claudio Scimone, Sándor Végh, Michel Corboz, Carlos Paredes, entre outros; no plano sinfónico: Salzburg Camerata, Deutsche Kammerphilharmonie, Capella Istropolitana, etc. Não foram esquecidos grandes nomes da China como de outros países da Ásia: Yuan Fang, Chen Zuohuang e Zheng Xiaoying, Kong Zhaohui, Takako Nishizaki e Yuzuko Horigome, Orquestra da Rádio da China, Orquestra Filarmónica Central de Pequim, etc. João Pereira Bastos viria a diversificar e a ampliar o FIMM, não deixando diminuir a qualidade. Destaque-se também a diversificação e originalidade dos locais dos concertos, alguns dos quais nunca voltariam a ser utilizados (como o estupendo Pavilhão do Jardim Lou Lim Ieoc, o Largo do Senado ou o Salão Nobre do Leal Senado). Sob a sua direcção (1992-1999), o FIMM contou, mais uma vez com nomes de destaque, como: Monica Pick-Hieronimi, Anna Tomowa-Sintow, Galina Gorchakova, William Matteuzzi, Maurizio Frusoni e Renato Bruson; no plano de câmara e sinfónico: The Sixteen, I Musici, Moscow Piano Quartet, Orquestra do Teatro de Novosibirsk, Orquestra Sinfónica da Ópera Central de Pequim, etc.; maestros Harry Christophers, Nick Davies, Ronald Zollman, Miguel Graça Moura e Chen Xieyang; no plano dos instrumentistas: Mario Brunello, Maria José Falcão, John Lill, Katia e Marielle

Labèque, Sequeira Costa, Naum Shtarkman, António Rosado e Artur Pizarro, Jiang Kemei, Yu Xunfa, Dai Ya, etc. Infelizmente, constatamos que nos últimos dez anos o FIMM não contou, pelo menos a nível lírico, com muitos artistas desta envergadura e qualidade, salvo raras excepções, como é o caso de Elena Bocharova, na recente produção de Il Trovatore. Quando é que o Sr. Mok vai contratar elencos que estejam a este nível, pois foi a fasquia que o FIMM colocou desde a sua criação. Sendo o Sr. Mok cantor lírico, parece-nos no mínimo estranho que os seus contactos não dêem para mais! E admirados com a sua ausência nos palcos desta última edição do FIMM, perguntamo-nos se o Sr. Mok compreendeu finalmente que não tem nem deve submeter, ano após ano, o público de Macau às suas medíocres capacidades de representação e ao seu sofrível talento de cantor? Será que o Sr. Mok levou dez anos para compreender que contratar-se e apresentar-se constantemente a si próprio nos palcos que dirige só lhe fica mal? E que já ninguém o pode ver e ouvir? Pode-se afirmar-se que o FIMM, do qual sou assíduo espectador desde o seu início, marcou durante largos anos, a toada da cultura do território, mesmo depois da abertura do Centro Cultural de Macau, em 1999. Mas afinal qual é o balanço actual de um festival:

c arto o n por Steff

- No qual o seu director, desde 2000, participou como artista convidado por 10 vezes e contratou pelo menos 29 vezes cantores (na sua grande maioria medíocres) para o cartaz do FIMM (muitos repetidamente) à mesma agência de cantores de ópera, a Bel Canto Global Arts, com sede em Nova Iorque, que por sinal é também a sua? E para o qual contratou pelo menos 6 vezes o director da mesma, o baixo Brian Jauhiainen, o qual vinha já pisando os palcos do FIMM desde finais da década de 90? Isto para não falar das repetições noutras áreas! - De cuja estrutura não faz parte, como em qualquer festival de música internacional, um conselho consultivo nacional e muito menos internacional, como bem apontou o vosso artigo? Ou seja, um festival que aparentemente coloca à disposição e ao critério de uma só pessoa. Mok, um orçamento de mais de 25 milhões de patacas?; - Que vem repetindo a mesma fórmula, ano após ano e os mesmos locais? - Que não tem aparentemente conceito ou é estático? - Que, ao contrário de todos os grandes festivais internacionais, não tira partido da presença de artistas e agrupamentos para promover de forma sistemática e integrada a educação musical e artística, para além de meia dúzia de actividades mal divulgadas

ataque norte-coreano

quinta-feira 25.11.2010 www.hojemacau.com.mo

15

e de alcance limitado? Um festival que, logo, não se aproxima do público e das comunidades; - Que ao contrário do que sucedia anteriormente, não é projectado internacionalmente (nem regionalmente) e para o qual não são sequer convidados jornalistas e críticos internacionais? - Que é, ao que parece, programado “em cima do joelho”? - Que deixou de ser enriquecido por exposições ligadas à música como as realizadas durante os anos 90; - Do qual deixou de fazer parte a dança (clássica e contemporânea), disciplina indissociável da música? (ao que consta, a anterior presidente do IC, entendeu, em 2002, que a dança não deveria ter espaço no evento, por fazer já parte do Festival de Artes!) Será isto que o público quer e tem o direito de ter num território que aspira a ser um destino de classe mundial? Temos muitas dúvidas! A situação que atravessa o FIMM não ocorreria num país em que o governo tivesse que prestar contas das opções que toma e da forma como gasta o erário público! É que, ao que parece, quem está à frente da cultura não compreende que o FIMM, como evento promovido pelo Governo, ainda tem a primazia de educar públicos (ainda pouco educados) e, como tal, tem a obrigação de seleccionar artistas e programas de primeira qualidade, de outro modo o sector privado não irá atrás. Como escrevia um leitor identificado neste jornal há semanas, “numa altura em que se fala tanto em Macau na apreciação urbana, de qualidade de vida e de índices de felicidade, convirá prestar uma atenção [...] a algumas das falhas que não permitem que uma cidade como Macau – onde o tratamento que a administração dispensa à cultura, ao ambiente e ao planeamento urbano, para citar apenas 3 áreas essenciais para que se fale em qualidade de vida, é de nível infantil – possa sequer pensar em garantir um lugar ao sol.” Parece-nos que, enquanto o novo presidente do IC não resolver dar alguma atenção a este área, injectando sangue novo em departamentos que já cheiram a mofo, o FIMM não irá contribuir para que esse lugar ao sol seja conseguido. Apesar dos apelos óbvios de Pequim, no sentido do estabelecimento de Macau como destino turístico de lazer de classe mundial, nada se vislumbra nas Linhas de Acção Governativa de 2011, muito menos uma nova sala de concertos ou teatro de ópera, que dê indicações nesse sentido e estamos certos que o FIMM não irá passar tão cedo do programa desestruturado e sem conceito a que chegou, nem de defender sobretudo os interesses do seu eterno Director Artístico, Sr. Warren Mok. Leitor identificado

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José editor Vanessa Amaro Redacção António Falcão; Gonçalo Lobo Pinheiro; Kahon Chan; Rodrigo de Matos Colaboradores Carlos Picassinos; João Carlos Barradas; José Manuel Simões; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Rui Cascais; Sérgio Fonseca Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Correia Marques; Gilberto Lopes; Hélder Fernando; João Miguel Barros; Jorge Rodrigues Simão; José I. Duarte; Marinho de Bastos; Paul Chan Wai Chi; Pedro Correia Cartoonista Steph Grafismo Paulo Borges; Catarina Lau Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão; António Mil-Homens; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Laurentina Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Av. Dr. Rodrigo Rodrigues nº 600 E, Centro Comercial First Nacional, 14º andar, Sala 1407 – Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


a fechar quinta-feira 25.11.2010

Portugal População cresceu em 2009

Segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), ontem divulgados pela Lusa, a população portuguesa aumentou em 2009. Apesar do número de nascimentos ter diminuído e de se ter verificado um aumento de óbitos, registou-se um acréscimo populacional de cerca de 10.500 pessoas. As estatísticas demográficas revelam que a população residente em Portugal a 31 de Dezembro situava-se nas 10,677 milhões de pessoas. Trata-se de um valor que representa um “acréscimo populacional de 10.463 indivíduos”. Para este aumento contribuiu o saldo migratório positivo de 15.408 pessoas e um saldo natural negativo de 4.945.

Futebol José Mourinho pede expulsões

O técnico do Real Madrid, José Mourinho, pediu para Sergio Ramos e Xabi Alonso serem expulsos no jogo com o Ajax, para a Liga dos Campeões (vitória por 4-0). As televisões apanharam o pedido do português. Mourinho conversou com membros da sua comissão técnica e com o guarda-redes Dudek, que transmitiu ao campo o pedido para que Sergio Ramos e Xabi Alonso forçassem o segundo cartão amarelo na partida. No final do jogo, Mourinho disse ao jornal Marca que não tinha gostado das expulsões.

Saúde Portugal é o quinto da UE na despesa

Portugal é o quinto país da UE com maior despesa em saúde, quando comparada com o Produto Interno Bruto. Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), que cita o Eurostat, em 2006, o país gastou 9,4% do PIB em despesa corrente em saúde. Nesse ano, os estados com maior representatividade da despesa corrente em saúde no PIB foram a França (10,7%) e a Alemanha (10,2%). Entre nós, essa despesa foi maioritariamente financiada por entidades das Administrações Públicas, com realce para o Serviço Nacional de Saúde, tendo o financiamento público sido, em média, de 68,2% do total dos gastos entre 2000 e 2008. Verifica-se, contudo, uma descida do financiamento público ao longo desse período, com o consequente aumento da despesa dos cidadãos e de entidades privadas. Isto em anos em que não se verificaram alterações significativas na estrutura da prestação de cuidados de saúde, destacando-se como principais prestadores os hospitais (em média, 38,1%), os prestadores de cuidados em ambulatório (31,2%) e as farmácias (21,8%). No conjunto, estes prestadores concentraram, em todos os anos, mais de 90% da despesa corrente.

Cinema Cazaquistão filma novo “Borat”

O cineasta cazaque Erkin Rakishev realizou uma sequela da famosa comédia “Borat”, o falso documentário que colocava o britânico Sacha Baron Cohen como um jornalista do Cazaquistão que parte para a América em busca de uma noiva – nada mais, nada menos, que a actriz Pamela Anderson. Segundo Rakishev, o filme “Borat” denegriu a imagem do país e os seus habitantes, pois a qualquer lado que vão, os cazaques são confrontados por ocidentais que associam o país a Borat. “Acho que passou do limites. Talvez o objectivo fosse simplesmente fazer uma piada, mas acabaram denegrindonos, insultando-nos, comparando-nos a animais bárbaros e selvagens. Com o nome “Borat, My Brother”, o filme conta a história de um jornalista americano chamado John que, após assistir ao primeiro filme de Borat, decide visitar o Cazaquistão, não encontrando a localidade onde o jornalista vivia, mas descobrindo uma terra moderna e desenvolvida – onde o irmão de Borat, Bilo, está internado num hospício onde se encontram também Osama Bin Laden e George Bush.

www.hojemacau.com.mo

Nova agência jurídica quer acelerar processo legislativo

Cérebro central Kahon Chan

info@hojemacau.com.mo

O Chefe do Executivo vai coordenar a ordem de prioridade das propostas de lei em parceria com as secretarias, assim que a agência central de coordenação for estabelecida. O novo organismo será responsável por verificar os progressos com outros departamentos legislativos e ficará com as responsabilidades herdadas dos Gabinetes para a Reforma Jurídica (GRJ) e dos Assuntos do Direito Internacional (GADI). Ontem, na Assembleia Legislativa, Florinda Chan defendeu que a agência central nada tem a ver com as tarefas da Direcção dos Serviços para a Administração e Justiça (DSAJ), que apenas trabalha nas suas próprias leis, assim como o Instituto de Habitação ou outras pastas do Governo. Neste momento, os projectos de lei são da responsabilidade

dos próprios departamentos e dos seus conselheiros jurídicos. No entanto, Chu Lam Lam, coordenadora do GRJ e futura líder da agência central, afirmou que o Executivo planeia adoptar um mecanismo que promova a praticabilidade. Isso quer dizer que, no futuro, as propostas de lei vão ser submetidas à agência central, que irá determinar, então, se os diplomas estão preparados para seguirem para a outra fase do processo legislativo. A lista de propostas será analisada em reuniões que vão contar com a presença do Chefe do Executivo, secretários e membros do Conselho Executivo, para que fique determinada a ordem de preferência e urgência. O “cérebro” central ficará também responsável por requerer regularmente a todos os organismos públicos relatórios sobre o progresso das propostas e irá oferecer ajuda no caso de pub

problemas ou incongruências. Dependendo da urgência, poderá a vir ser solicitado mão-deobra extra e se houver dúvidas em relação ao diploma e o seu papel dentro das políticas do Governo, o Chefe do Executivo será consultado. Seja como for, a secretária para a Administração

e Justiça realçou que as funções do novo departamento não irão sobrepor-se as da DSAJ. O director Direcção dos Serviços de Identificação, Lai Ieng Kit, avançou ontem que a população limitada de Macau tem criado entraves para a assinatura de acordos para a isenção de vistos para os residentes das RAEM que desejam deslocarse a países como Canadá ou Nova Zelândia. No entanto, há já documentos preliminares assinados com Brunei, Peru e Venezuela. Uma delegação russa virá ao território no próximo mês discutir o tema.

Epm lança livro sobre China antiga

Contos e lendas

Alunos da Escola Portuguesa lançaram ontem a obra “Sob o Véu do Tempo”, que reúne 20 contos e lendas da China antiga e de Macau em português, com resumos em inglês e mandarim. “Lanterna de Lótus”, “Pranto na Grande Muralha”, “O Rei Macaco”, “Cinderela Chinesa”, “A Deusa da Lua” e “O Poço dos Ananases” são apenas alguns dos contos e lendas ilustradas que três turmas dos 6.º e 7.º anos reuniram em livro numa adaptação inédita para português. O projecto, desenvolvido ao longo de um ano, no âmbito da disciplina da Área de Integração

com o patrocínio da Direcção dos Serviços de Educação e Juventude (DSEJ), pretendeu uma maior inclusão dos alunos no universo cultural onde crescem. “Os nossos alunos pouco conhecem da cultura chinesa, tirando os livros da Alice Vieira, por isso este projecto pretende divulgar a rica cultura que temos à nossa volta e que acaba por passar ao lado dos miúdos, já que os manuais não trazem este tipo de contos”, disse Marinela Ferreira, uma das professoras que coordenou a iniciativa. Zélia Mieiro, que também guiou os alunos nesta “viagem cultural”, sublinhou que a “Escola Portuguesa está rodeada de uma cultura milenar, ancestral a que muitas vezes não se liga tanto como isso”: “É uma aposta muito grande que temos, envolver mais os alunos na cultura que os circunda”, disse.

karaté conquista mais duas medalhas

Bronzes a dobrar

Ontem foi um dia bom para o karaté de Macau. Tanto no feminino como no masculino o território conseguiu mais duas medalhas de bronze, para juntar ao bornal olímpico. Os terceiros lugares conquistados por Cheung Pui Si, em femininos, e por Lei Kuong Cheong, nos masculinos, permitem que Macau esteja num plano razoável nos Jogos Asiáticos de Cantão 2010, onde até agora conquistou quatro medalhas - uma de ouro, uma de prata e duas de bronze. Cheung Pui Si, apontada desde o início à luta pelas medalhas, derrotou na final Kata mulheres, pelas 11h, no tatami 2 do Guangdong Gymnasium a atleta Li Pui Ki de Hong Kong. Na parte da tarde, nova alegria para a comitiva macaense com Lei Kuong Cheong (+ 84kg) a ganhar, no mesmo tatami e no mesmo ginásio, o seu congénere chinês, Li Peng. Faltam agora mais dois dias para que Macau possa ganhar mais medalhas que lhe permitam subir no ranking que ocupa actualmente – 23.º em 36 países. – G.L.P.

Hoje Macau • 2010.11.25 #2258  

Edição do jornal Hoje Macau de Quinta-feira • 25 de Novembro de 2010 • ANO IX • Nº 2258