Page 1

MOP$10

SEGUNDA-FEIRA 24 DE SETEMBRO DE 2018 • ANO XVIII • Nº 4141

hojemacau

JUDITH SCHLOSSER

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

ÓPERA

ENCANTOS NO FIMM SHUTTER STOCK

EVENTOS

CAMINHOS DE FERRO www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

LIGAÇÕES REGIONAIS PÁGINA 4

SAÚDE

ESPECIALISTAS, NEM VÊ-LOS

Ao fim de 70 anos a China e o Vaticano chegaram a um pré-acordo que culminou no reconhecimento, pelo Papa Francisco, de sete bispos nomeados pelas autoridades chinesas. Em Macau a notícia foi aplaudida apesar das muitas dúvidas que ainda persistem sobre este entendimento. GRANDE PLANO

PUB

Igreja da concórdia

AGÊNCIA COMERCIAL PICO 28721006

PUB

PÁGINA 9


2 grande plano

A

China e o Vaticano chegaram a um acordo provisório e histórico, depois de mais de 70 anos de costas voltadas, e o Papa Francisco reconheceu com efeitos imediatos sete bispos, nomeados pelo Governo Central. A revelação sobre o acordo foi feita no sábado, pelo Vaticano, mas os detalhes não são ainda conhecidos. Actualmente a Igreja Católica no Interior da China está dividida entre os fiéis que frequentam as igrejas da Associação Patriótica Católica Chinesa, cujos bispos e controlo está com o Governo Central, e os católicos fiéis a Roma, que frequentam igrejas consideradas ilegais pelas autoridades chinesas, cujos bispos são secretamente nomeados pelo Papa. Embora não haja números oficiais, estima-se que nas duas facções existam entre 10 e 13 milhões de católicos na China. Até ser assinado este pré-acordo e haver o reconhecimento dos sete bispos da Associação Patriótica Católica Chinesa, os guias espirituais tinham sido excomungados e não eram reconhecidos pela Igreja Católica. A situação muda com este pré-acordo, que é visto como um primeiro passo para o restabelecimento das relações entre o Vaticano e a China. “O Papa Francisco espera que com estas decisões seja dado início a um novo período, que permita que as feridas do passado sejam ultrapassadas e que resulte numa comunhão total entre todos os católicos chineses”, afirmou o Vaticano, em comunicado no sábado, depois de ter sido anunciado o acordo. Também Greg Burke, assessor do Vaticano, veio a público fazer alguns esclarecimentos, face à pouca informação sobre o real teor do acordo assinado entre as duas pates. “Isto não é o fim de um processo. É um começo”, começou por frisar o assessor. “O pré-acordo é o resultado de um diálogo, da existência de muita paciência em ouvir o outro, principalmente quando os dois lados têm pontos-de-vista muito diferentes”, acrescentou.

POLÍTICA À PARTE

Porém, Greg Burke veio ainda negar o teor político do documento e um eventual corte nas relações diplomáticas com Taiwan e o consequente reconhecimento da República Popular da China. Actualmente, o Estado do Vaticano reconhece o Governo de Taiwan como a entidade com soberania política. “O objectivo do acordo não é político, mas pastoral e passa por permitir que os crentes tenham bispos em comunhão com Roma, mas que seja ao mesmo tempo reconhecido pelas autoridades chinesas”, clarificou. Por sua vez, as autoridades do Continente foram mais comedidas

24.9.2018 segunda-feira

CATOLICISMO

“HABEMUS” ´ PRE-ACORDO CHINA E VATICANO MOSTRAM-SE EM SINTONIA, QUASE 70 ANOS DEPOIS

Em Macau, há muitas incertezas, mas o pré-acordo que levou ao reconhecimento de sete bispos da China pelo Vaticano é visto com esperança. Em Roma, nega-se a existência de uma vertente política que leve ao corte de relações com Taiwan. Contudo, o Cardeal Joseph Zen acusa o Papa Francisco de trair os crentes que se mantiveram fiéis ao Vaticano ao longo dos anos

na reacção ao acordo: “ A China e o Vaticano vão continuar a manter uma postura de comunicação e a promover o progresso de forma a melhorar as relações bilaterais”, foi escrito, num curto comunicado, no portal do Ministério para os Negócios Estrangeiros. Segundo a informação disponibilizada pelas duas partes, não é claro quem terá a última palavra sobre a nomeação dos bispos, se será o governo de Pequim ou o Papa.

MACAU APLAUDE

Segundo os padres de Macau ouvidos pelo HM, a notícia do pré-acordo é vista como positiva. Existe agora a expectativa que

possa haver alterações para uma maior tolerância sobre a prática do catolicismo no Continente, mesmo que a situação seja vista como altamente complexa. “É sempre positivo quando há um reatamento de relações entre entidades e quando esse reatamento pode contribuir para

o bem-estar e diálogo entre os povos, entre as comunidades e instituições. É sempre um progresso para a Humanidade”, afirmou o padre Peter Stilwell, em declarações ao HM. “O teor do conteúdo não é explícito. Sabemos que a Santa Sé reconheceu sete bispos, a quem faltava ter uma relação com o Vaticano. Agora, aguardamos para ver como as coisas vão evoluir”, acrescentou, de forma cautelosa. Contudo, para o padre, a reconciliação entre as duas igrejas no Interior pode colocar alguns desafios: “Não será fácil [a conciliação], porque há católicos que foram perseguidos e viveram na

clandestinidade e outros que viveram de acordo com as posições do Governo, da chamada Igreja Patriótica. Fazer conseguir encontrar estas duas comunidades vai ser um grande desafio pastoral”, previu. Por outro lado, Stilwell explicou que não espera alterações no panorama de Macau, devido ao facto da Igreja Católica do território estar sob a alçada do Vaticano, tal como acontece em Hong Kong. “A nível de Macau não espero nenhum impacto directo. Macau é um território que está abrangido pela Lei Básica. Está previsto que a Igreja Católica tenha liberdade de culto e que continue a ter o mesmo regime que tinha, aquando

BENEFÍCIOS PARA A USJ

PAPA CRIA DIOCESE DE CHENGDE

os últimos anos a Universidade de São José tem tentado junto das autoridades do governo central ter autorização para aceitar inscrições de estudantes do Continente. Até hoje tal nunca foi possível, contudo este pré-acordo abre a porta para que a situação possa sofrer alterações: “Do ponto de vista da Universidade, pode ser que isto facilite o recrutamento de estudantes da China Continental, coisa que não nos tem sido permitido fazer até aqui”, reconhece. A USJ espera ter autorização para aceitar 100 inscrições em quatro cursos.

lém do reconhecimento de sete bispos, o Papa criou igualmente uma diocese na cidade de Chengde, na província de Hebei. A decisão foi justificada com o desejo do Papa Francisco de promover “os cuidados pastorais pelo rebanho do Senhor”, assim como promover uma maior eficácia do “espírito do bem”. No comunicado publicado no portal do Vaticano é ainda explicado que a catedral vai ficar situada na Divisão Administrativa de Shuangluan e que foi criada com o apoio e autorização da Sé de Pequim.

N

A


grande plano 3

segunda-feira 24.9.2018

da presença portuguesa. Durante este período de 50 anos não haverá efeitos”, explicou.

PATRIOTAS E CATÓLICOS

Também o padre Luís Sequeira vê o acordo como muito positivo, apesar de reconhecer as desconfianças que existem entre ambas as partes. “Parece-me um facto muito positivo. Claro que é um princípio de um processo que tem de ir mais fundo e ter um princípio maior de compreensão mútua da realidade”, apontou. Sequeira frisou também que o patriotismo e o catolicismo não são características que se excluam mutuamente e que podem conviver.

“[o Papa] Rendeu-se por completo. É uma traição (à nossa fé). Não tenho outras palavras para descrever este acordo.” JOSEPH ZEN CARDEAL

Porém, este facto reconhece que em certas situações podem gerar tensões. “A preocupação da igreja é mais espiritual, a do Governo é mais política. Se não houver uma compreensão para este facto, poderão surgir tensões. Mas nada

impede que um católico possa ser patriota e um patriota possa ser católico e estar unido a uma Igreja universal”, defendeu. O pré-acordo surge depois de recentemente terem circulado notícias de perseguições a católicos no Interior da China. Segundo alguns relatos, os crentes tinham mesmo sido obrigados a remover cruzes de igrejas. Contudo este ambiente de tensão entre católicos e o governo chinês não é novo. Também segundo Luís Sequeira este cenário do Vaticano reconhecer bispos nomeados pelos governo não é novo, o mesmo aconteceu em Portugal e Espanha, durante as ditaduras de Salazar e Franco.

RECONHECIMENTO PÓSTUMO

S

ete bispos foram reconhecidos pelo Papa Francisco, mas houve um oitavo reconhecido a título póstumo. Anthony Tu Shihua foi o bispo reconhecido, depois de ter morrido a 4 de Janeiro do ano passado, com 98 anos. Anthony Tu foi ordenado padre em 1944, mas perdeu o mandato papal em 1959, devido ao facto de ter ingressado na Associação Patriótica Católica Chinesa. Mesmo assim, na altura da sua morte, expressou o desejo de se reconciliar com a Igreja de Roma. A reconciliação chegou agora, por decisão do Papa Francisco, quase dois anos após a sua morte.

Já o ex-deputado e católico Paul Chan Wai Chi admitiu estar muito reticente com este acordo. “É complicado analisar o pré-acordo nesta altura porque os detalhes não são conhecidos. Por enquanto só posso rezar pela Igreja Católica. No futuro tudo pode acontecer, para melhor ou para pior”, disse. “Considero que é necessário esperar pelo futuro, antes de ter uma opinião. Mas acredito que Deus controla tudo. Tenho alguma esperança na existência de uma maior liberdade religiosa para os católicos no interior da China, mas é preciso esperar para ver o que acontece”, acrescentou.

“NA BOCA DO LOBO”

Apesar de uma visão mais optimista sobre o acordo em Macau, o mesmo não sucedeu com o cardeal Joseph Zen, de 86 anos de Hong Kong, conhecido pelas suas posições contra a aproximação entre o Vaticano e o Governo Central. “Estão a meter o rebanho na boca do lobo. É um acto incrível de traição”, afirmou Joseph Zen, de acordo com as declarações prestadas à agência Reuters. O facto dos detalhes do pré-acordo ainda não serem conhecidos, leva Zen a falar de um “pacto secreto”.

“Tenho alguma esperança na existência de uma maior liberdade religiosa para os católicos no Interior da China, mas é preciso esperar para ver o que acontece.” PAUL CHAN WAI CHI EX-DEPUTADO

“As consequências desta traição vão ser trágicas e vão prolongar-se durante muito tempo, não só para a imagem da Igreja da China, mas para toda a Igreja porque atingem a credibilidade da instituição. Talvez seja por isso que mantêm o acordo em segredo”, considerou. Ainda sobre o histórico pré-acordo, Zen acredita que vai ser visto como uma mancha negra no percurso do Papa Francisco. “Rendeu-se por completo. É uma traição (à nossa fé). Não tenho outras palavras para descrever este acordo”, frisou. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo


4 política

24.9.2018 segunda-feira

INUNDAÇÕES DEFENDIDAS MELHORIAS NA COMUNICAÇÃO AQUANDO DE CORTES DE ELECTRICIDADE

INTEGRAÇÃO SI KA LON QUER LIGAÇÕES ENTRE MACAU, ZHUHAI E GUANGZHOU

O comboio regional

O

OITO MIL POR DIA

Si Ka Lon entende que, com vista a garantir a ligação entre todas as cidades integradas na Grande Baía, é preciso um comboio que ligue Guangzhou, Zhongshan, Zhuhai e Macau

deputado à Assembleia Legislativa Si Ka Lon defende a construção de uma linha ferroviária que una Macau a Zhuhai e a Guangzhou, num modelo semelhante ao da vizinha Hong Kong que passou a estar ligada por comboio a Shenzhen e a Guangzhou. Isto porque, a seu ver, a ligação só trará vantagens, nomeadamente no contexto da construção da Grande Baía. Em declarações ao jornal Ou Mun, Si Ka Lon defendeu que a nova linha ferroviária de alta velocidade de Hong Kong para a China, que irá reduzir consideravelmente

Comandante-geral dos Serviços de Polícia Unitários (SPU), Ma Io Kun, reconheceu ontem serem necessárias melhorias, que incluem avisar a população com antecedência, aquando da suspensão do fornecimento de energia eléctrica durante inundações graves nas zonas baixas da cidade. Ma Io Kun, que falava ontem durante o programa GCS

TIAGO ALCÂNTARA

À semelhança da recéminaugurada linha ferroviária de alta velocidade que liga Hong Kong, Shenzhen e Guangzhou, o deputado Si Ka Lon propõe a ligação por comboio entre Macau, Zhuhai e Guangzhou

O

Zhuhai e Macau, as quais seriam integradas na rede de comboio de alta velocidade da China. A Grande Baía, que pretende tornar-se uma região metropolitana de nível mundial, abrange Macau e Hong Kong, bem como nove cidades da província de Guangdong (Guangzhou, Shenzhen, Zhuhai, Foshan, Huizhou, Dongguan, Zhongshan, Jiangmen, Zhaoqing).

o tempo de viagem, pode trazer benefícios indirectos aos residentes de Macau, bem como fomentar a economia local. O deputado argumenta que há muitos residentes de Macau que visitam Hong Kong, seja para fazer compras ou para apanhar ligações aéreas, e que também há um número considerável de residentes a estudar, ou trabalhar, em Shenzhen e Cantão. Na perspectiva de Si Ka Lon, a nova linha ferroviária Hong Kong-Shenzhen-Guangzhou motiva procura pela rede de trânsito entre Macau-Zhuhai-Guangzhou, podendo servir de exemplo para o lado oeste do Delta

do Rio das Pérolas, dado que produz efeitos práticos para a zona da Grande Baía e também no âmbito da iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”. O deputado defende assim uma ligação directa Macau-Zhuhai-Guangzhou, na medida em que a integração de Macau num projecto do tipo, idêntico ao de Hong Kong, teria amplos benefícios nomeadamente no quadro da cooperação regional. De acordo com o Ou Mun, Si Ka Lon entende que, com vista a garantir a ligação entre todas as cidades integradas na Grande Baía, além do comboio Hong Kong-Shenzhen-Guangzhou, é preciso outro que ligue Guangzhou, Zhongshan,

Segundo estimativas oficiais, o comboio entre Hong Kong e a China deverá transportar diariamente mais de 8.000 passageiros entre o centro financeiro asiático e o centro industrial vizinho da província de Guangdong. O comboio vai de Hong Kong a Shenzhen em apenas 14 minutos, enquanto para a capital de Guangdong, Guangzhou, a viagem dura agora pouco mais de meia hora. O projecto tem estado sob polémica, particularmente devido ao facto de o Governo de Hong Kong ter permitido a cedência de jurisdição do novo terminal de West Kowloon a Pequim, que pode realizar controlos de imigração e alfândega no terminal de Hong Kong. Esta decisão provocou críticas por parte da oposição pró-democrata da Região Administrativa Especial que argumentou que a medida é uma violação da Lei Básica. Vítor Ng

info@hojemacau.com.mo

Fórum Macau da TDM, reiterou que a decisão da Companhia de Electricidade de Macau (CEM) de suspender o fornecimento de energia eléctrica na zona do Porto Interior durante a passagem do tufão Mangkhut, na semana passada, reduziu ao mínimo os danos, escreveu a Macau News Agency (MNA). Depois de a água ter atingido a linha de alerta, a CEM decidiu suspender o fornecimento de energia eléctrica, uma medida de contingência que afectou aproximadamente 20 mil clientes. “Estas instalações ficariam completamente danificadas se ficassem inundadas enquanto carregadas com energia”, afirmou o comandante-geral dos SPU, sublinhando que, graças à suspensão do fornecimento, puderam voltar a ser utilizadas rapidamente depois da drenagem da água.

Grande Baía Alexis Tam destaca importância do plano quinquenal

O secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, destacou que a sua tutela segue o plano quinquenal de Macau com a maior atenção e importância. As declarações foram feitas ontem de manhã, de acordo com o canal chinês da Rádio Macau. Alexis Tam explicou que a sua tutela tem seguido com grande atenção a integração na Grande Baía, assim como o investimento de empresas locais na Ilha da Montanha. O secretário para os Assuntos Sociais e Cultural prometeu ainda deslocar-se no futuro a Zhuhai, para discutir com os governantes do Interior da China, o andamento dos diferentes projectos regionais.

PUB

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO N.° 612/AI/2018

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO N.° 617/AI/2018

-----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se o infractor WONG, Chiu Lung, portador do Bilhete de Identidade de Residente Permanente de Hong Kong n.° P4318xxx, que na sequência do Auto de Notícia n.° 64/DI-AI/2017, levantado pela DST a 20.03.2017, e por despacho da signatária de 11.09.2018, exarado no Relatório n.° 564/DI/2018, de 22.08.2018, em conformidade com o disposto no n.° 1 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010, lhe foi desencadeado procedimento sancionatório por suspeita de controlar a fracção autónoma situada na Travessa da Amizade n.° 82, Edf. Centro Internacional de Macau, Bloco 8, 2.° andar D, Macau onde se prestava alojamento ilegal.--------------------------------------------------No mesmo despacho foi determinado, que deve, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, apresentar, querendo, a sua defesa por escrito, oferecendo nessa altura todos os meios de prova admitidos em direito não sendo admitida apresentação de defesa ou de provas fora do prazo conforme o disposto no n.° 2 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010. --------------------------------------------------A matéria apurada constitui infracção ao artigo 2.° da Lei n.° 3/2010, punível nos termos do n.° 1 do artigo 10.° do mesmo diploma.--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18.° andar, Macau.-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

-----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se o infractor PHAM VAN HAI, portador do Titulo de Identificação de Trabalhador Não-Residente n.° 22164xxx e portador do Passaporte da Vietnam n.° B7552xxx, que na sequência do Auto de Notícia n.° 75/DI-AI/2016 levantado pela DST a 01.07.2016, e por despacho da signatária de 11.09.2018, exarado no Relatório n.° 569/DI/2018, de 30.08.2018, nos termos do n.° 1 do artigo 10.° e do n.° 1 do artigo 15.°, ambos da Lei n.° 3/2010, lhe foi determinada a aplicação de uma multa de $200.000,00 (duzentas mil patacas) por controlar a fracção autónoma situada na Travessa da Amizade n.° 82, Edf. Centro Internacional de Macau, Bloco 9, 2.° andar D onde se prestava alojamento ilegal.---------------------------------------------------------------------------------------------O pagamento voluntário da multa deve ser efectuado no Departamento de Licenciamento e Inspecção destes Serviços, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, de acordo com o disposto no n.° 1 do artigo 16.° da Lei n.° 3/2010, findo o qual será cobrada coercivamente através da Repartição de Execuções Fiscais, nos termos do n.° 2 do artigo 16.° do mesmo diploma.------------------------------------------------------------------------------------Da presente decisão cabe recurso contencioso para o Tribunal Administrativo conforme o disposto no artigo 20.° da Lei n.° 3/2010, a interpor no prazo de 60 dias, conforme o disposto na alínea b) do n.° 2 do artigo 25.° do Código do Processo Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto-Lei n.° 110/99/M, de 13 de Dezembro.----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Desta decisão pode o infractor, querendo, reclamar para o autor do acto, no prazo de 15 dias, sem efeito suspensivo, conforme o disposto no n.° 1 do artigo 148.°, artigo 149.° e n.° 2 do artigo 150.°, todos do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.° 57/99/M, de 11 de Outubro.---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Há lugar à execução imediata da decisão caso esta não seja impugnada.----------------------------------------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18.° andar, Macau.------------------------------------

-----Direcção dos Serviços de Turismo, aos 11 de Setembro de 2018. A Directora dos Serviços, Maria Helena de Senna Fernandes

-----Direcção dos Serviços de Turismo, aos 11 de Setembro de 2018. A Directora dos Serviços, Maria Helena de Senna Fernandes


política 5

segunda-feira 24.9.2018

OFFSHORES BENEFÍCIOS FISCAIS TERMINAM EM 2021

imposto de selo, relativamente aos bens móveis e imóveis que venham a adquirir. Os quadros dirigentes e técnicos especializados das instituições «offshore» autorizados a fixar residência na RAEM deixarão de usufruir do benefício fiscal relativo ao imposto profissional. Por seu turno, as instituições «offshore» deixarão de usufruir do benefício fiscal relativo ao imposto complementar de rendimentos e aos rendimentos provenientes da propriedade intelectual que tenha sido adquirida a partir de data prevista legalmente.

De volta à costa

A OCDE tinha aconselhado Macau a pôr fim à actividade offshore. O Governo ouviu. O Conselho Executivo terminou a discussão da proposta de lei que acaba com este tipo de benefícios fiscais. As empresas têm até 31 de Dezembro de 2020 para fechar portas ou será o próprio Governo a implementar a medida

A

actividade das empresas offshores têm os dias contados em Macau e uma data para cessar por completo, 31 de Dezembro de 2020, revelou o porta-voz do Conselho Executivo, Leong Heng Teng, na passada sexta-feira. A medida está prevista na proposta para a revogação do decreto de lei que estabelecia o regime geral de benefícios fiscais destas empresas,

criado em 1999. A revogação do regime jurídico da actividade offshore é alargada aos respectivos diplomas complementares, sendo, no entanto, estabelecidas disposições transitórias, referiu Leong. Neste sentido, “as instituições offshore existentes podem continuar a exercer actividade até ao final de 2020 e, a partir de 1 de Janeiro de 2021, as autorizações para o exercício de actividade ‘offshore’ que ainda não

tenham cessado, serão caducadas”, esclareceu. Leong Heng Teng referiu ainda que a proposta vai de encontro às responsabilidades de Macau para com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) no “combate da erosão das base tributária e à transferência de lucros”. De acordo com o relatório divulgado pela organização internacional, “o regime da actividade

«offshore» em Macau é um sistema fiscal potencialmente prejudicial, devendo ser cancelado o referido regime de benefício fiscal até ao dia 30 de Junho de 2021”, acrescentou o porta-voz do CE.

O QUE SE VAI

Com a aprovação do diploma, a partir da entrada em vigor da proposta de lei, as instituições «offshore» deixarão de beneficiar da isenção do

OBRAS PÚBLICAS CONCURSO PARA QUARTA LIGAÇÃO ATÉ AO FINAL DO ANO

O

director dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT), Li Canfeng, afirmou que o concurso para a quarta ligação entre Macau e a Taipa vai ter lugar até ao final do ano. A conclusão da obra de construção encontra-se prevista, de acordo com as Linhas de Acção Governativa, para 2020. Em resposta a uma interpelação escrita do deputado Lei Chan U, o mesmo responsável indica que foi concluído o projecto de concepção preliminar, estando “presentemente em curso os trabalhos preparativos para o início do respectivo procedimento concursal”. “O GDI [Gabinete

para o Desenvolvimento de Infra-estruturas] irá continuar a acompanhar estreitamente os respectivos trabalhos, tendo em vista a realização, em 2018, conforme o previsto, do respectivo concurso”, complementou. Já sobre a quinta travessia marítima entre Macau e a Taipa, o director da DSSOPT refere que o estudo de viabilidade foi concluído no final do ano passado, mas que a DSSOPT se encontra agora a proceder a diferentes estudos temáticos, incluindo sobre a navegação ou impacto ambiental, a divulgar oportunamente ao público quando terminados.

Estão estabelecidas em Macau 360 entidades offshores que dão emprego a cerca de 1700 trabalhadores De acordo com dados fornecidos por Leong Heng Teng, estão estabelecidas em Macau 360 entidades offshores que dão emprego a cerca de 1700 trabalhadores. Sofia Margarida Mota

sofia.mota@hojemacau.com.mo

APN Chui Sai On encontrou-se com ex-membros da CCPPC

Durante um encontro com a Associação de Amizade e Coordenação dos ex-Deputados da Assembleia Popular Nacional e ex-Membros da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês de Macau, Chui Sai On referiu que as sugestões dos membros da organização devem servir de referência nos trabalhos preparatórios das Linhas de Acção Governativa. O Chefe do Executivo destacou a capacidade e experiência dos membros da associação, cujas opiniões valoriza e tem em conta. O presidente da associação, Ng Fok, agradeceu a Chui Sai On a liderança e desempenho das autoridades públicas durante a passagem do tufão Mangkhut e acrescentou que manterá o apoio às acções do Governo na implementação do princípio de “Um País, Dois Sistemas”. O Chefe do Executivo referiu ainda que o Governo que lidera tem como prioridade as políticas destinadas aos mais jovens, nomeadamente medidas que fomentem a transmissão do valor crucial de “amor à pátria, amor a Macau”.

PUB

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO N.° 623/AI/2018

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO N.° 624/AI/2018

-----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se a infractora HUANG, HANPING, portadora do Salvo Conduto para Deslocação a Hong Kong e Macau da RPC n.° C38347xxx, que na sequência do Auto de Notícia n.° 66/DI-AI/2016 levantado pela DST a 02.06.2016, e por despacho da signatária de 28.06.2018, exarado no Relatório n.° 432/DI/2018, de 11.06.2018, nos termos do n.° 1 do artigo 10.° e do n.° 1 do artigo 15.°, ambos da Lei n.° 3/2010, lhe foi determinada a aplicação de uma multa de $200.000,00 (duzentas mil patacas) por controlar a fracção autónoma situada na Rua Cidade de Sintra n.° 422, Praça Wong Chio, 9.° andar W, Macau onde se prestava alojamento ilegal.---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------O pagamento voluntário da multa deve ser efectuado no Departamento de Licenciamento e Inspecção destes Serviços, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, de acordo com o disposto no n.° 1 do artigo 16.° da Lei n.° 3/2010, findo o qual será cobrada coercivamente através da Repartição de Execuções Fiscais, nos termos do n.° 2 do artigo 16.° do mesmo diploma.------------------------------------------------------------------------------------Da presente decisão cabe recurso contencioso para o Tribunal Administrativo conforme o disposto no artigo 20.° da Lei n.° 3/2010, a interpor no prazo de 60 dias, conforme o disposto na alínea b) do n.° 2 do artigo 25.° do Código do Processo Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto-Lei n.° 110/99/M, de 13 de Dezembro.----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Desta decisão pode a infractora, querendo, reclamar para o autor do acto, no prazo de 15 dias, sem efeito suspensivo, conforme o disposto no n.° 1 do artigo 148.°, artigo 149.° e n.° 2 do artigo 150.°, todos do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.° 57/99/M, de 11 de Outubro.-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Há lugar à execução imediata da decisão caso esta não seja impugnada.----------------------------------------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18.° andar, Macau.------------------------------------

-----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se a infractora LU YAN, portadora do passaporte da RPC n.° E26681xxx, que na sequência do Auto de Notícia n.° 126/DIAI/2016, levantado pela DST a 24.10.2016, e por despacho do Director dos Serviços de Turismo, Substituto, de 10.05.2018, exarado no Relatório n.° 283/DI/2018, de 23.04.2018, em conformidade com o disposto no n.° 1 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010, lhe foi desencadeado procedimento sancionatório por suspeita de controlar a fracção autónoma situada na Praceta de Miramar n.° 51, Jardim San On, Bloco 3, 7.° andar M, Macau onde se prestava alojamento ilegal.------------------------------------------------------------------------------No mesmo despacho foi determinado, que deve, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, apresentar, querendo, a sua defesa por escrito, oferecendo nessa altura todos os meios de prova admitidos em direito não sendo admitida apresentação de defesa ou de provas fora do prazo conforme o disposto no n.° 2 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010. --------------------------------------------------A matéria apurada constitui infracção ao artigo 2.° da Lei n.° 3/2010, punível nos termos do n.° 1 do artigo 10.° do mesmo diploma.--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18.° andar, Macau.-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

-----Direcção dos Serviços de Turismo, aos 10 de Setembro de 2018. A Directora dos Serviços, Maria Helena de Senna Fernandes

-----Direcção dos Serviços de Turismo, aos 10 de Setembro de 2018. A Directora dos Serviços, Maria Helena de Senna Fernandes


6 publicidade

24.9.2018 segunda-feira

NOTIFICAÇÃO EDITAL (nota de acusação)

Considerando que se revela ser impossível notificar, nos termos do n.º 1 do artigo 72.º do Código de Procedimento Administrativo (CPA), aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, os indivíduos abaixo mencionados, por ofício, telefone, pessoalmente, ou outra forma, Lai Kin Lon, Chefe do Departamento de Inspecção do Trabalho (DIT), Lei Sio Peng e Lam Sau Heong, Chefes do Departamento de Inspecção do Trabalho (DIT), Substitutas, mandam que se proceda, nos termos do n.º 2 do artigo 11.º do Decreto-Lei n.º 52/99/M – “Regime geral das infracções administrativas e respectivo procedimento”, conjugado com o n.º 1 do artigo 93.º do CPA, à notificação dos mesmos, para no prazo de 15 (quinze) dias, a contar do dia seguinte ao da publicação da presente notificação edital, entregar nestes Serviços a defesa e as delegações escritas em relação às eventuais infracções: 1. Processo n.º 1242/2018: ZHANG MINGZHU (titular de Bilhete de Identidade de Residente de Hong Kong), é suspeita do exercício pessoal e directo de actividade em proveito próprio, sem autorização administrativa para esse efeito, cometendo eventualmente infracção à alínea 4) do artigo 2.º , conjugada com o n.º 1 do artigo 3.º do Regulamento Administrativo n.º 17/2004 – Regulamento sobre a Proibição do Trabalho Ilegal”. Nos termos da alínea 1) do n.º 1 do artigo 9.º do mesmo Regulamento, a eventual infractora pode ser punido com multa de $20 000,00 (vinte mil patacas) a $50 000,00 (cinquenta mil patacas). Ao mesmo tempo, nos termos do artigo 10.º do mesmo Regulamento, a eventual infractora também pode estar sujeito à sanção acessória de impedimento de exercício de qualquer actividade laboral na RAEM por um período de dois anos. 2. Processo n.º 1452/2017: ZHU HENG (titular de Título de Identificação de Trabalhador Não Residente), é suspeito de ter aceitado a prestação de trabalho por duas trabalhadores não residentes, não sendo titular de autorização de contratação válida. Nos termos da alínea 1) do n.º 1 do artigo 32.º da Lei n.º 21/2009 – “Lei da Contratação de Trabalhadores Não Residentes”, o eventual infractor pode ser punido com multa de $20 000,00 (vinte mil patacas) a $40 000,00 (quarenta mil patacas), sendo que a multa varia de $10 000,00 (dez mil patacas) a $20 000,00 (vinte mil patacas) por cada trabalhador em relação ao qual se verifique a infractor também pode estar sujeito à sansão acessória de revogação de todas ou parte das autorizações de contratação de trabalhadores não residentes concedidas, acompanhada da privação, pelo período de seis meses a dois anos, do direito de pedir novas autorizações. 3. Processo n.º 963/2018: Falcão de Campos Gorjão Henriques Rodrigo (titular do Passaporte da República Portuguesa), é suspeito de ter prestado trabalho na RAEM sem autorização para aqui permanecer na qualidade de trabalhador. Nos termos da alínea 1) do n.º 5 do artigo 32.º da Lei n.º 21/2009 – “Lei da Contratação de Trabalhadores Não Residentes”, o eventual infractor pode ser punido com multa de $5 000,00 (cinco mil patacas) a $10 000,00 (dez mil patacas). 4. Processo n.º 1038/2018: WANG JIANXIN (titular do Passaporte da República Popular da China), é suspeita do exercício pessoal e directo de actividade em proveito próprio, sem autorização administrativa para esse efeito, cometendo eventualmente infracção à alínea 4) do artigo 2.º , conjugada com o n.º 1 do artigo 3.º do Regulamento Administrativo n.º 17/2004 – Regulamento sobre a Proibição do Trabalho Ilegal”. Nos termos da alínea 1) do n.º 1 do artigo 9.º do mesmo Regulamento, a eventual infractora pode ser punido com multa de $20 000,00 (vinte mil patacas) a $50 000,00 (cinquenta mil patacas). Ao mesmo tempo, nos termos do artigo 10.º do mesmo Regulamento, a eventual infractora também pode estar sujeito à sanção acessória de impedimento de exercício de qualquer actividade laboral na RAEM por um período de dois anos. Os eventuais infractores acima mencionados poderão, dentro das horas de expediente, levantar a respectiva nota de acusação no Departamento de Inspecção do Trabalho, sita na Avenida do Dr. Francisco Vieira Machado nºs 221-279, Edifício “Advance Plaza”, 1º andar, Macau, sendo-lhes também facultada a consulta dos respectivos processos, mediante requerimento escrito. Findo o prazo acima referido, a falta de apresentação da defesa escrita é considerada como tendo sido efectuada, de facto, a audiência do eventual infractor. Departamento de Inspecção do Trabalho, aos 19 de Setembro de 2018. O Chefe do D.I.T., Lai Kin Lon

Anúncio 【N.º150/2018】

N.º 38/2018

Nos termos do n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, são por este anúncio notificados, os representantes dos agregados familiares candidatos à aquisição de habitação económica, do seguinte: Representante do agregado familiar candidato à aquisição de habitação económica

Número de boletim de candidatura

HOI MUI FONG

82201304890

LAO LAN FONG

82201307755

CUEVAS PERILLO PEDRO III

82201313727

PUN KUONG FONG

82201329366

MOK LAI NA

82201302167

U PUI TOU

82201300888

LOU KAM PIO

82201330677

Causa e fundamento legal da exclusão do adquirente seleccionado O elemento de agregado familiar que tenha vendido uma fracção de habitação económica (Nos termos da alínea 7) do n.º 5 do artigo 14.º e alínea 1) do n.º 1 do artigo 28.º da Lei n.º 10/2011, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 11/2015) Falta de entrega dos documentos necessários para a avaliação do requerimento, no prazo fixado (Nos termos da alínea 2) do n.º 1 do artigo 28.º da Lei n.º 10/2011, alterada pela Lei n.º 11/2015) (A cônjuge do representante do agregado familiar ) um agregado familiar de habitação económica (Nos termos da alínea 5) do n.º 5 do artigo 14.º e alínea 1) do n.º 1 do artigo 28.º da Lei n.º 10/2011, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 11/2015) Falta de entrega dos documentos necessários para a avaliação do requerimento, no prazo fixado (Nos termos da alínea 2) do n.º 1 do artigo 28.º da Lei n.º 10/2011, alterada pela Lei n.º 11/2015) O elemento de um agregado familiar de habitação económica (Nos termos da alínea 3) do n.º 5 do artigo 14.º e alínea 1) do n.º 1 do artigo 28.º da Lei n.º 10/2011, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 11/2015) Falta de entrega dos documentos necessários para a avaliação do requerimento, no prazo fixado (Nos termos da alínea 2) do n.º 1 do artigo 28.º da Lei n.º 10/2011, alterada pela Lei n.º 11/2015)

Nos termos dos artigos 93.º e 94.º do Código de Procedimento Administrativo, o Instituto de Habitação (IH) notificou, no dia 31 de Agosto de 2018, através de anúncio, os referidos representantes dos agregados familiares candidatos à aquisição de habitação económica para que apresentassem, no prazo de 10 dias, justificação escrita, não sendo a mesma considerada quando submetida fora do prazo, considerando-se como desistência. Os representantes dos respectivos agregados familiares candidatos à aquisição de habitação económica não apresentaram qualquer justificação escrita dentro do prazo fixado, pelo que o presidente do IH aprovou, de acordo com o despacho exarado na Proposta n.º1964/DAJ/2018, no dia 19 de Setembro de 2018, a exclusão dos referidos agregados familiares de adquirentes seleccionados. Caso não concorde com a decisão acima referida, deve ser apresentada reclamação ao presidente do IH (sem efeito suspensivo) nos termos do artigo 149.º do Código de Procedimento Administrativo no prazo de quinze dias a contar da data da publicação do presente anúncio, ou/e intentar a acção do recurso contencioso ao Tribunal Administrativo dentro do prazo legal nos termos do artigo 25.º do Código do Processo Administrativo Contencioso. Atenciosamente Instituto de Habitação, aos 19 de Setembro de 2018 O Chefe da Divisão de Assuntos Jurídicos, Nip Wa Ieng


sociedade 7

segunda-feira 24.9.2018

COLOANE GARANTIDAS MEDIDAS PARA MINIMIZAR IMPACTO DA TRANSFERÊNCIA DE GALGOS

Boa vizinhança O Centro Internacional de Realojamento de Galgos de Macau garante que tem adoptado medidas para minimizar o impacto da transferência dos galgos para Coloane

E

decorrentes do realojamento dos galgos no terreno da Cordoaria, em Coloane, estando a executar os trabalhos com base nessas sugestões. Nesse sentido, indica que foram tomadas medidas para garantir a higiene do local planeado para o realojamento temporário dos cães, bem como a ventilação e zonas arborizadas e de modo a reduzir o ruído. O centro cita como exemplo a consolidação dos muros e a instalação de equipamentos isoladores de som, assegurando ainda disponibilidade para instalar aparelhos de ar condicionado e de purificação do ar no asilo caso seja necessário.

SOFIA MARGARIDA MOTA

M resposta às preocupações manifestadas por idosos do Asilo Vila Madalena com a transferência dos cães do Canídromo para Coloane, o Centro Internacional de Realojamento de Galgos de Macau garante que tem adoptado medidas para minimizar o impacto da mudança, designadamente nos domínios da limpeza, ventilação e ruído. Em comunicado, enviado ontem às redacções, o centro refere que recebeu opiniões do Instituto de Acção Social e da Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA) relativamente a potenciais impactos negativos

O centro refere que, para já, 477 galgos serão entregues a adoptantes locais e do estrangeiro, sendo que os 53 que ainda não reúnem condições para ser adoptados vão ficar a cargo do Centro Internacional de Realojamento de Galgos. Com efeito, uma vez concluído o processo de adopção, os equipamentos vão ser removidos do terreno da Cordoaria, diz a mesma nota.

ALEXIS EM CONTACTO

Em declarações aos jornalistas, este sábado, o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, afirmou que o Instituto de Acção Social mantém-se em contacto estreito com o Asilo Vila Madalena em relação às instalações provisórias para galgos planeadas para junto do terreno onde fica localizado. Segundo um comunicado oficial, Alexis Tam indicou que vai inteirar-se melhor do assunto para estar em comunicação com os serviços competentes, esperando que os idosos não sejam afectados. Dado que os serviços médicos de proximidade aos idosos, lançado este ano pelo Governo, não abrangem o Asilo Vila Madalena, o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura deu conta de que espera visitar o lar, com a sua equipa de trabalho, de modo a acelerar a organização dos respectivos serviços àquele asilo. Vítor Ng

info@hojemacau.com.mo

Convenções IPIM distinguido com prémio do melhor organismo público O Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) anunciou ter sido distinguido com o prémio de melhor organismo público de convenções e exposições. O galardão foi entregue na 29.ª edição dos prémios TTG Travel, que decorreu em meados do mês, em Banguecoque. Os prémios TTG Travel distinguem as entidades e empresas dos sectores de turismo e de convenções e exposições que tenham apresentado o melhor desempenho na Ásia. As nomeações e selecções em relação a cada prémio são feitas por operadores dos sectores de turismo e de convenções e exposições.

Saúde Vacinação contra a gripe sazonal começa hoje

A vacinação contra a gripe sazonal 2018/19 tem hoje início. A prioridade na administração da vacina, que é gratuita, será dada aos grupos de alto risco. Em comunicado, divulgado ontem, os Serviços de Saúde indicaram que os centros e postos de saúde vão prolongar o horário de funcionamento até às 20h (de segunda a sexta-feira) de modo a facilitar o acesso à vacina. Em 2017/2018 foram administradas 140 mil doses de vacina quadrivalente antigripal, sendo a taxa de cobertura da vacinação de 22 por cento da população total. Para 2018/19, os Serviços de Saúde adquiriram 150 mil doses da vacina antigripal.

Tabagismo Aprovadas dez salas de fumo em dois casinos

Uma vez concluído o processo de adopção, os equipamentos vão ser removidos do terreno da Cordoaria

O director dos Serviços de Saúde (SS), Lei Chin Ion, afirmou ontem que recebeu pedidos de 16 casinos para a instalação de um total de 233 salas de fumo, tendo sido vistoriadas e aprovadas dez salas de fumo relativas a dois espaços de jogo. Segundo o canal chinês da Rádio Macau, Lei Chin Ion aproveitou para lançar um apelo às operadoras de jogo para que entreguem os pedidos antes de sextafeira. Isto porque, caso submetam depois de dia 28, podem ter as salas de fumo aprovadas apenas em Fevereiro ou Março do próximo ano, advertiu o director dos SS.


8 publicidade

Auto-Silo de Nam Van(Pak Wu) Anúncio de Reclamacão dos Veículos Removidos Tendo os veículos abaixo referidos violado o Artigo 36° “Estacionamento abusive nos autos-silos”do 《Regulamento do Serviço Público de Parques de Estacionamento》e tendo sido removidos pela nossa empresa para o Depósito dos Veículos Estacionados Abusicamente do Cotai, os seus proprietários devem deslocar-se ao Auto-Silo de Nam Van(Pak Wu), para pagar as taxas e realizar as formalidades para a reclamação dos respectivos veículos. Se o veículo não foi reclamado dentro do prazo de 90 dias, é condiderado abandonado. Favor notar que caso o proprietário não reclame o seu veículo, a nossa empresa cobrará as respectivas taxas por via judicial nos termos do Artigo 48° “Constituição do Débito relative taca”do 《Regulamento do Serviço Público de Parques de Estacionamento》. Caso tenha pagado as taxas e realizado as formalidades de reclamação do seu veículo, deverá ignorar o presente anúncio. N°de Matrícula (Automóveis ligeiros): Auto-Silo de Nam Van(Pak Wu): MI-57-58 Para mais informações, ligue 28430036/63222682

COMPANHIA DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E ADMINISTRAÇÃO DE PROPRIEDADES SAN WAI SON LIMITADA

24.9.2018 segunda-feira


sociedade 9

segunda-feira 24.9.2018

Princípios académicos

Academia Médica com regulamento administrativo na calha

O

Conselho Executivo concluiu a discussão sobre o projecto do Regulamento Administrativo “Alteração à organização e funcionamento dos Serviços de Saúde” que define a criação da Academia Médica. O novo organismo, que vai substituir a Direcção dos Internatos Médicos, tem como missão unificar e uniformizar a formação de especialistas dos serviços públicos e privados de saúde, apontou o porta-voz do CE, Leong Heng Teng na passada sexta-feira. “A actual Direcção dos Internatos Médicos tutelada pelos Serviços de Saúde regulamenta, somente, a formação de internato médico do regime da função pública, enquanto os hospitais privados definem, eles próprios, os regimes de formação”, apontou o representante. A Academia Médica não é um centro de formação de médicos, acrescentou Lei Chin Ion, director dos Serviços de Saúde. “Uma faculdade de medicina, forma médicos e a Academia Médica destina-se aos que já concluíram a licenciatura e que se querem tornar especialistas”, explicou. Vai caber ainda a esta instituição, além da formação profissional médica, a organização, coordenação e supervisão dos internatos médicos. A acompanhar os médicos em formação vão

estar os especialistas que já integram os quadros dos SS, sendo que em caso de necessidade, os serviços pretendem contratar profissionais estrangeiros de modo a garantir a qualidade da formação, acrescentou. Neste aspecto, Lei Chin Ion recordou ainda que a Academia já conta com a colaboração com dois especialistas de Hong Kong. “Os médicos vão continuar a fazer os cursos nos hospitais e os médicos especialistas vão ser os orientadores dos formandos”, disse. As especializações vão compreender um período de seis anos, dois dos quais de formação básica e quatro de formação avançada. A Academia que vai funcionar no Centro Hotline, no NAPE, será constituída por dois órgãos: o Conselho de Especialidades e o coordenador, ambos designados por despacho do Chefe do Executivo.

SAÚDE APENAS TRÊS MÉDICOS PORTUGUESES RECRUTADOS

Especialistas por um canudo Os Serviços de Saúde abriram dois concursos para a contratação de 35 médicos especialistas portugueses. Até hoje, apenas três processos de recrutamento estão concluídos. Um pediatra e dois cirurgiões gerais devem chegar a Macau até ao final do ano

FACULDADE À VISTA

Lei Chin Iong reafirmou ainda que vê com bons olhos a criação de uma faculdade de medicina em Macau, na sequência das declarações do secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, que referiu que o Gabinete de Apoio ao Ensino Superior (GAES) está “a analisar e estudar”, o requerimento para o estabelecimento da Faculdade de Medicina, apresentado pela Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau (MUST). Entretanto, a MUST pode vir a ter um papel na especialização de médicos, reiterou o director dos SS. “A MUST ainda não tem nenhuma formação para médicos especialistas e vamos atender à situação da MUST e ver quais os ramos de especialidade em que pode contribuir para a formação de médicos especialistas. Eles podem e devem continuar a formar, porque têm capacidade e competências para a formação de médicos especialistas”, acrescentou. S.M.M.

Em Fevereiro, foi lançado o segundo concurso para a contratação de 14 médicos nas especialidades de cardiologia, ortopedia, oftalmologia, otorrinolaringologia e anestesiologia. As remunerações oferecidas vão das 82.917 patacas às 114.750 patacas

O

processo de recrutamento de médicos portugueses anunciado pelos Serviços de Saúde (SS) previa a contratação de 35 especialistas. No entanto, e até ao final do ano, poderão chegar ao território apenas três profissionais. A informação foi avançada na passada sexta-feira pelo director dos SS, Lei Chin Ion, à margem de uma conferência de imprensa do Conselho Executivo. De acordo com o responsável, “os processos de três médicos já estão concluídos e com luz verde do secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam”. Deste reduzido universo, dois são especialistas em cirurgia geral e um em pediatria.

Recorde-se que no passado mês de Julho, o director do Centro Hospitalar Conde de São Januário,

Kuok Cheong U, anunciou a conclusão dos processos de recrutamento de oito médicos de nacionalidade por-

tuguesa e chegou mesmo a adiantar que estariam prontos para vir para Macau. O responsável avançava ainda que 15 especialistas tinham os seus processos em fase final. Segundo informações fornecidas na passada sexta-feira por Lei Chin Ion, os SS receberam certa de 30 currículos que estão em análise. “Temos feito a análise, selecção e entrevistas on-line” apontou. Em comunicado, os SS esclareceram ainda que receberam, até 19 de Setembro, a informação de que cinco médicos especialistas não podem trabalhar em Macau.

VAGAS POR PREENCHER

Desde o anúncio no ano passado de que os SS iriam recrutar especialistas portugueses para colmatar a falta de profissionais, foram realizados dois concursos, o primeiro aconteceu em Novembro do ano passado. Neste processo foram abertas vagas para 21 médicos especialistas em 13 áreas: gastroenterologia, imagiologia, neurologia, nefrologia, pediatria, cirurgia geral, cirurgia torácica, cirurgia vascular, cirurgia metabólica, pneumologia, geriatria, psiquiatria e anatomia patológica. Em Fevereiro deste ano, foi lançado o segundo concurso para a contratação de 14 médicos nas especialidades de cardiologia, ortopedia, oftalmologia, otorrinolaringologia e anestesiologia. As remunerações oferecidas vão das 82.917 patacas às 114.750 patacas. Sofia Margarida Mota

sofia.mota@hojemacau.com.mo

PUB

AVISO COBRANÇA DA CONTRIBUIÇÃO ESPECIAL 1. Faço saber que, o prazo de concessão por arrendamento dos terrenos da RAEM abaixo indicados, chegou ao seu término, e, que de acordo com o artigo 53.º da Lei n.º 10/2013 <<Lei de Terras>>, de 2 de Setembro, conjugado com os artigos 2.º e 4.º da Portaria n.º 219/93/M, de 2 de Agosto, foi o mesmo automaticamente renovado por um período de dez anos a contar da data do seu termo, pelo que devem os interessados proceder ao pagamento da contribuição especial liquidada pela Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes. Localização dos terrenos: - Travessa de Ma Kau Seak, n.ºs 7 a 15, em Macau, (Edifício Industrial Kin Va); - Avenida de Venceslau de Morais, n.ºs 143 a 173, Avenida do Almirante Magalhães Correia, n.ºs 11 a 91 e Rua Cinco do Bairro da Areia Preta, n.ºs 13 a 21, em Macau, (Edifício Centro Industrial Keck Seng); - Avenida de Sidónio Pais, n.ºs 71 a 73, Rotunda de S. João Bosco, n.ºs 115 a 131 e Avenida do Coronel Mesquita, n.ºs 1 a 1A, em Macau, (Edifício The Phoenix Terrace); - Alameda Dr. Carlos D ´Assumpção, n.º 682, Rua de Luís Gonzaga Gomes, n.ºs 25 a 67H e Rua de Kunming, n.ºs 12 a 58, em Macau, (Edifício Hotel Rio); - Rua Nova à Guia, n.ºs 327 a 347, em Macau, (Edifício Tong Seng Koc). 2. Agradece-se aos contribuintes que, no prazo de 30 dias subsequentes à data da notificação, se dirijam à Recebedoria destes serviços, situada no rés-do-chão do Edifício “Finanças”, ao Centro de Serviços da RAEM, ou, ao Centro de Atendimento Taipa, para os efeitos do respectivo pagamento. 3. Na falta de pagamento da contribuição no prazo estipulado, procede-se à cobrança coerciva da dívida, de acordo com o disposto no artigo 6.º da Portaria acima mencionada. Aos, 28 de Agosto de 2018. O Director dos Serviços de Finanças, Iong Kong Leong


10 eventos

24.9.2018 segunda-feira

A poção do É já na próxima sexta-feira que arranca o Festival Internacional de Música de Macau (FIMM). “L’Elisir D’Amore”, ópera em dois actos do compositor italiano Gaetano Donizetti, tem as honras da grande abertura

FOTOS JUDITH SCHLOSSER

FIMM ÓPERA “L’ELISIR D’AMORE” SOBE AO PALCO DO CCM NA SEXTA-FEIRA

F

OI em Milão, no ano de 1832, que “L’Elisir D’ Amore” se estreou em palco. Desde então correu mundo, tornando-se uma presença frequente em casas de ópera de renome internacional. A obra intemporal do compositor italiano Gaetano Donizetti (1797-1848) chega agora a Macau, integrada no FIMM, quando se assinalam os 170 anos da sua morte. A trama gira em torno do amor que tudo supera – desde os interesses materiais às diferenças de classe social. A ópera, em dois actos, composta em apenas seis semanas, centra-se num jovem camponês (Nemorino) que se apaixona por uma rica e bela proprietária de terras, que o atormenta com a sua diferença (Adina). Nemorino convence-se de que uma poção mágica o poderá ajudar

na conquista do seu amor e, com a chegada à aldeia do sargento Belcore que pede Adina em casamento, empenha todas as suas economias num frasco de elixir do amor, que adquire ao charlatão Dulcamara. O segundo acto começa com Nemorino a implorar a Dulcamara um elixir mais potente, face à iminência da assinatura do contrato de casamento entre Adina e Belcore. Em troca, sem dinheiro para pagar, o jovem camponês aceita alistar-se no exército de Belcore. Dulcamara conta a Adina o que se passa com Nemorino, e esta acaba por ganhar consciência do amor que o protagonista lhe devota, entregando-lhe o papel que o resgata do serviço militar e admitindo que o amará

“Estou muito feliz por poder mostrar ao público [de Macau] uma das minhas produções preferidas.” GRISCHA ASAGAROFF ENCENADOR

MUSEU DE SERRALVES DIRECTOR ARTÍSTICO APRESENTA DEMISSÃO

O

director artístico do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, João Ribas, apresentou na sexta-feira a demissão porque "já não tinha condições para continuar à frente da instituição", segundo disse o próprio ao jornal Público. O jornal escreveu que a demissão surge depois de a administração ter limitado a maiores de 18 anos

uma parte da exposição dedicada ao fotógrafo norte-americano Robert Mapplethorpe, comissariada por Ribas, e ter imposto a retirada de algumas obras com conteúdo sexualmente explícito. O próprio director artístico tinha dito anteriormente que nesta retrospectiva não haveria "censura, obras tapadas, salas especiais ou

qualquer tipo de restrição a visitantes de acordo com a faixa etária", recorda o Público. A exposição, com fotografias de nus, flores, retratos de artistas como Patti Smith ou Iggy Pop e imagens de cariz sexual foi inaugurada na quinta-feira em Serralves, no Porto. Questionado pela Lusa antes da inauguração sobre

se considerava que algumas imagens da exposição poderiam vir a surpreender ou até a chocar o público, João Ribas declarou que estas foram mostradas em dezenas de museus no mundo inteiro e que Mapplethorpe é “uma das grandes figuras da fotografia” e “um artista conceituado que continua a ser influente na fotografia contemporânea”. “Houve

muitas exposições com milhares de visitantes e acho que é uma das grandes figuras da arte contemporânea, não consigo fazer essa projecção”, acrescentou, referindo que uma exposição tem sempre a função de despir o público de preconceitos. Fonte oficial da Fundação de Serralves escusou-se por enquanto a fazer declarações.

para sempre. Nemorino vem a herdar uma fortuna, de um falecido tio, e Dulcamara vangloria-se dos poderes do seu elixir que, além do amor, trouxe riqueza ao jovem camponês que acaba por casar-se com Adina.

ELENCO DE LUXO

“L’Elisir d’Amore” – que vai subir ao palco do Centro Cultural de Macau na sexta-feira e no domingo – é uma produção da Ópera de Zurique. Com duração de duas horas e 45 minutos, incluindo um intervalo entre os dois actos, é interpretada em italiano, com legendas em chinês, português e inglês. O tenor Arturo Chacón-Cruz, aluno de Plácido Domingo, e a aclamada soprano Laura Giordano, dão vida às personagens de Nemorino e de Adina. A ópera conta com a mestria visual do célebre encenador alemão Grischa Asagaroff que a viu pela primeira vez no início dos anos 1980, numa famosa produção em Hamburgo. Com efeito, seria preciso uma década para voltar a contactar com “L’Elisir d’Amore” e apaixonar-se de imediato, com a famosa ária “Una furtiva lagrima”,


eventos 11

segunda-feira 24.9.2018

o amor uma das razões que o levou a aceitar o desafio de encenar a obra. “Esta produção em Macau, com uma grande orquestra [Orquestra PUB

de Macau, dirigida pelo maestro austríaco Ralf Weikert], um coro famoso [Coro Lírico Siciliano] e um maravilhoso elenco de grandes cantores e actores, mostrará ao grande compositor Donizetti por que, passados 186 anos, a sua ópera continua a ser um êxito intemporal”, observou o encenador num encontro com a imprensa, que teve lugar na sexta-feira. “Estou muito feliz por poder mostrar ao público [de Macau] uma das minhas produções preferidas”, complementou Grischa Asagaroff. O preço dos bilhetes para “L’Elisir d’Amore”, o espectáculo de abertura do FIMM, oscila entre 300 e 600 patacas. Diana do Mar (com S.M.M.) dianadomar@hojemacau.com.mo

A

activista brasileira Marielle Franco foi homenageada com um mural em Lisboa, da autoria do português Vhils, que deixa na pedra “para sempre a memória de uma defensora dos Direitos Humanos que pagou com a vida o seu trabalho”. O mural onde Vhils esculpiu o rosto de Marielle Franco, assassinada em Março no Rio de Janeiro, insere-se no projecto “Brave Walls”, da organização de defesa dos Direitos Humanos Amnistia Internacional. “Nesta altura [em] que se fala tanto de muros para separar as pessoas, estamos a utilizar os muros para expressar a arte e Direitos Humanos, união, e que seja um mundo onde os muros só sejam usados para a arte, mas nunca para separar pessoas”, disse o director-executivo da Amnistia Internacional Portugal, Pedro Neto, em declarações à Lusa. O retrato foi esculpido numa parede do Panorâmico de Monsanto, em Lisboa, que entre hoje e domingo acolhe o festival Iminente, dedicado à música e a à arte urbana e que tem em Vhils um dos seus mentores. A ideia do artista, explicou o próprio à Lusa, “foi tentar fazer uma homenagem ao

Muros bravos Vhils homenageou Marielle Franco com mural em Lisboa

legado, à história e a toda a mensagem e ao trabalho incrível” que Marielle Franco fez. Durante o festival, o mural - que poderá ser visitado depois, quando o Panorâmico de Monsanto voltar a estar aberto ao público como miradouro - “vai ser acompanhado de um trabalho de vídeo”, no qual se recupera “trabalho, entrevistas e material de arquivo” de Marielle Franco, para “com isto chamar a atenção e prolongar o seu trabalho, o seu legado”. No Brasil de hoje, onde se vive “uma situação muito tensa” e se “levantam uma série de questões que são sensíveis e preocupantes”, Vhils destaca que “é importante haver estas pessoas que têm essa missão de chamar a atenção para muitos dos problemas que existem”.

Apesar de este não ser o primeiro mural do projecto “Brave Walls” em Portugal – há um outro em Leiria, dinamizado por artistas locais e pelo grupo local da Amnistia Internacional Portugal, “sendo o Vhils um artista renomado a nível internacional, este tem um alcance internacional mais sonoro, mais abrangente”, frisou Pedro Neto. O mural é desvendado numa altura em que passam seis meses do assassinato de Marielle Franco e a Amnistia “não vai deixar que esta tragédia seja esquecida”. “Para que se faça justiça e que, com isso, possamos dar esperança, quer à família, quer à Mônica [a companheira de Marielle], quer a todos os que defendem os Direitos Humanos no Brasil e que colocam a sua em vida risco por causa disso”, afirmou Pedro Neto. Marielle Franco, negra, lésbica, nascida num complexo de favelas no Rio de Janeiro e militante de esquerda do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), destacou-se por denunciar abusos das forças policiais nas favelas e pela defesa dos direitos humanos. Aos 38 anos foi assassinada.


12 publicidade

24.9.2018 segunda-feira


segunda-feira 24.9.2018

publicidade 13


14 publicidade

24.9.2018 segunda-feira


segunda-feira 24.9.2018

publicidade 15


16

h

24.9.2018 segunda-feira

Os amigos amei/ despido de ternura/ fatigada uns iam, outros vinham,/ a nenhum perguntava Paulo Maia e Carmo texto e ilustração

As flores pintadas

G

EORGIA O’Keeffe (1887-1986) pintou as flores com uma minúcia e uma escala que causou espanto e uma inevitável vontade de interpretação que ela foi sucessivamente negando. É estreita a relação entre as flores e a pintura europeia, ela está presente, por exemplo, no nome de um dos lugares onde nasce a grande tradição. Florença, designação que quer dizer «florescimento», «nascimento de flores» e que significativamente tem com emblema o lírio, uma flor que pode ser vista quase como um emblema da pintura do Ocidente. Conotada com a pureza, aparece com frequência

géneros de flores, terá tido a preferência nas representações populares e religiosas. A pintura de flores enquanto género particular alcança uma relevância erudita a partir do tratado de Zou Yigui (1686-1772), Xiaoshan Huapu, cuja primeira parte é a elas dedicada em particular. O texto é escrito durante o reinado de Qianlong (1736-1795) em que, sob o patrocínio imperial, o interesse pela colecção e aquisição de obras de arte alcança um inédito carácter sistemático. Essa vontade de reconhecimento e identificação da arte na China não se fará sem uma referência à arte estrangeira, notoriamente vista como bárbara. No texto de Zou Yigui apare-

A pintura de flores enquanto género particular alcança uma relevância erudita a partir do tratado de Zou Yigui (1686-1772), Xiaoshan Huapu, cuja primeira parte é a elas dedicada em particular em pinturas para identificar as representações de certas figuras religiosas como São José ou o Anjo da Anunciação. Mas Georgia O’Keeffe sempre pareceu desejar que as suas flores não fossem outra coisa que não flores. Como no verso de Gertrude Stein: «Rose is a rose is a rose is a rose.» (Em Sacred Emily, 1913). Bai Juyi (772-846) escreveu sobre a brevidade das flores: «Flor, não há flor./ Bruma, não há bruma. A noite vem,/ a aurora vai./ Vem o sonho da breve Primavera/ e vai, nuvem da manhã, sem deixar rasto.» (tradução de A. Graça de Abreu). Poderia ser um programa para a tradição chinesa da pintura, em que o único reconhecido mestre do pintor é a natureza, e as suas mutações, o seu processo. O que está bem presente no caracter lian, em lianhua, a flor do loto que, entre todos os

ce uma das primeiras análises à pintura europeia: «Os ocidentais são dotados para a geometria. Medem com precisão a sombra e a luz, o primeiro plano e o plano de fundo… Nas suas obras os objectos são medidos com um esquadro, de modo a reduzir o seu tamanho em função da distância. Quase temos vontade de passear nas suas casas e entre as paredes que eles pintam. (…) Embora sejam meticulosamente bem executadas, as suas obras são trabalho de artesãos e não podem ser consideradas como pinturas.» O aspecto geral é negativamente apreciado acusado de rigidez, falta de harmonia e ausência de método. Como muitas vezes acontece ao estranho, ao diferente, mas as flores também são todas únicas e diferentes, como as surpreendentes flores de Georgia O’Keeffe que são apenas flores.


china 17

segunda-feira 24.9.2018

Pequim chama embaixador dos Estados Unidos após sanções contra exército

O Governo chinês chamou sábado o embaixador dos Estados Unidos em Pequim, Terry Branstad, para protestar contra as sanções de Washington ao exército chinês, anunciou o Global Times. Em causa, estão a sanções impostas pelo Governo norteamericano ao Equipment Development Department (EDD), responsável pelas armas e equipamentos do exército chinês, e ao seu director, Li Shangfu, por ter comprado armamento à empresa Rosoboronexport, exportadora russa de armamento, que já havia sido sancionada por Washington. Com estas sanções, a empresa chinesa fica impedida de fazer transacções financeiras nos EUA e de exportar produtos. Na sexta-feira, o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China, Geng Shuang, pediu aos EUA a retirada das sanções, sublinhando que as mesmas violam as normas internacionais e afectam a relação entre os dois países.

HONG KONG LINHA DE ALTA VELOCIDADE PARA O INTERIOR DA CHINA INAUGURADA FITCH SOLUTIONS PAGAR EMPRÉSTIMOS COM PETRÓLEO ANGOLANO ACARRETA PERIGOS

Riscos do ouro negro

A

consultora Fitch Solutions considerou ontem que o modelo de empréstimos pagos com petróleo, muito usado pela China no financiamento a África, nomeadamente a Angola, vai aumentar no continente, mas alerta para os riscos para ambos. “Enquanto os empréstimos pagos em petróleos reduzem os riscos de pagamento para os financiadores chineses, evitando confiarem na capacidade do governo angolano para cumprir as obrigações de pagar a dívida, salientamos que os altos níveis de endividamento em Angola, representando uns estimados 71,4% do PIB em 2018, vão limitar a capacidade para apoiar projectos de infra-estruturas e restringir o crescimento da indústria da construção nos próximos anos”, escrevem os analistas. Numa nota sobre a crescente dependência de Angola do financiamento chinês, que vai chegar a mais de 40% da dívida total no seguimento de um acordo de

financiamento de 11 mil milhões de dólares para 78 projectos de infra-estruturas acordados em Setembro, em Pequim, a Fitch Solutions escreve que “os custos de servir a dívida vão aumentar e, com o declínio das receitas petrolíferas, o orçamento deverá manter-se em défice até 2027”. Apesar dos riscos deste modelo, a Fitch Solutions reconhece que o apoio chinês a África, em geral, e a Angola, em particular, deverá acentuar-se devido às dificuldades de financiamento que os países africanos enfrentam devido aos altos níveis de dívida pública a que se sujeitaram no seguimento da descida dos preços das matérias-primas, desde 2014, e ao consequente impacto nas

contas públicas e no crescimento económico, que chegou a atirar Angola para uma recessão desde 2016 e que se prolongou ainda no primeiro trimestre deste ano. “Este acordo reflecte, ainda assim, o considerável empenho da China no desenvolvimento das infra-estruturas em Angola, que tem sido um dos maiores beneficiários do financiamento chinês na África subsariana”, lê-se na nota enviada aos investidores e a que a Lusa teve acesso.

APOSTA SUPREMA

“A China é o maior financiador estrangeiro de infra-estruturas em Angola, num total de 22,4 mil milhões de dólares, segundo a nossa base de dados, e o financiamento

“A China é o maior financiador estrangeiro de infra-estruturas em Angola, num total de 22,4 mil milhões de dólares, segundo a nossa base de dados, e o financiamento chinês foi fundamental para o progresso dos maiores projectos de infra-estruturas.” FITCH SOLUTIONS

chinês foi fundamental para o progresso dos maiores projectos de infra-estruturas, incluindo os 6,4 mil milhões de dólares para o novo Aeroporto de Luanda, os 4,5 mil milhões para o projecto da central hidroeléctrica de Caculo Cabaça e a reconstrução dos caminhos de ferro de Benguela, orçados em 1,8 mil milhões de dólares”, acrescentam os analistas. Estes e outros financiamentos fizeram o sector da construção crescer quase 17,5% ao ano entre 2008 e 2017, segundo a consultora Fitch Solutions, mas o ritmo deverá abrandar para quase um terço (6,4%) até 2027. “O pacote de ajuda financeira de 11 mil milhões de dólares, que vale um sexto do total prometido para a África subsariana no Fórum de Cooperação China África, é prova deste empenho chinês, mas os altos níveis de dívida pública, as decrescentes receitas petrolíferas e o limitado espaço orçamental para apoiar o desenvolvimento de infra-estruturas vai manter o crescimento económico abaixo do potencial”, concluem os analistas.

H

ONG Kong inaugurou sábado uma nova linha ferroviária de alta velocidade para o interior da China, que irá reduzir consideravelmente o tempo de viagem entre os dois territórios, sendo que parte da estação fica sob jurisdição chinesa. As novas infra-estruturas custaram cerca de 10 mil milhões de dólares, demoraram mais de oito anos a serem finalizadas e as autoridades estimam transportar diariamente mais de 80.000 passageiros entre o centro financeiro asiático de sete milhões de habitantes e o centro industrial vizinho da província de Guangdong. O comboio vai de Hong Kong para Shenzhen em apenas 14 minutos, sendo que o anterior demorava quase uma hora a percorrer os 26 quilómetros que separam os dois territórios. Já para a capital de Guangdong, Guangzhou, os passageiros vão demorar pouco mais de meia hora, cerca de 90 minutos mais rápido que o anterior. Em Junho, o Governo de Hong Kong aprovou uma lei onde permite a cedência de jurisdição do novo terminal de West Kowloon para Pequim, que pode realizar controlos de imigração e alfândega no terminal de Hong Kong. Esta decisão provocou críticas por parte da oposição pró democrática da região especial administrativa que argumentou que a medida é uma violação da Lei Básica.


18 (f)utilidades TEMPO

24.9.2018 segunda-feira

?

AGUACEIROS

O QUE FAZER ESTA SEMANA Diariamente

EXPOSIÇÃO “PINTURA DE ZHAO MINGSHAN” Museu de Arte de Macau | Até 26/10

MIN

24

MAX

31

HUM

65-95%

EURO

9.45

BAHT

EXPOSIÇÃO “ESCULTURA, UM CAMINHO”, DE ANTÓNIO LEÇA Albergue SCM | Até 21/10 EXPOSIÇÃO “POST-OX WAREHOUSE EXPERIMENTAL SITE” Galeria do Armazém do Boi, rua do Volong | Até 7/10

1O CARTOON STEPH DE

4 54 5 3 8 2 6 1 9 8 29 2 75 7 61 36 3 1 6 7 4 9 3 25 82 7 1 94 59 5 2 8 6 85 68 6 1 3 27 2 4 23 2 69 6 8 74 57 5 9 3 5 2 1 48 74 67 76 7 1 43 54 5 9 8 2 84 8 7 96 9 3 1 3

JOHNNY ENGLISH STRIKES AGAIN THE PREDATOR [C] Um filme de: Shane Black Com: Jacob Tremblay, Boyd Holbrook, Olivia Munn 14.30, 16.30, 19.30, 21.30 SALA 2

JOHNNY ENGLISH STRIKES AGAIN [B] Um filme de: David Kerr Com: Rowan Atkinson, Olga Kurylenko, Emma Thompson 14.30, 16.30, 19.30, 21.30 SALA 3

GOLDEN JOB [C]

FALADO EM CANTONENSE LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Chin Ka-Iok Com: Ekin Cheng, Jordan Chan, Chin Ka-Iok, Michael Tse 14.30, 16.45, 19.15, 21.30

WHEN I GET HOME, MY WIFE ALWAYS PRETENDS TO BE DEAD [B] FALADO EM JAPONÊS LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Toshio Lee Com: Nana Eikura, Ken Yasuda, Sumiko Nono, Ryohei Ohtani 19.15

7 4 8 3 9 1 6 2 5

2

PROBLEMA 2

3

4

para ser utilizado pelo think thank, que tem propósitos obscuros. A série foca a fuga de Jarod e a sua aventura para reencontrar as suas raízes. João Santos Filipe

5

2 4 1 6 5 9 7 8 3

4

26 92 4 58 1 7 5 3 7 9 8 18 1 53 75 9 6 2 14 6

6

Macau tem duas línguas oficiais: o chinês e o inglês. É esta a realidade da Universidade de Macau há vários anos e Song Yonghua não veio alterar a situação, apesar de no início ter dito que ia prestar atenção ao português. O normal nestas bandas, principalmente entre os políticos. São também frequentes os comunicados da UM a dizer que está empenhada em criar quadros bilingues de chinês-português, contudo naquele departamento de comunicação não há uma única alma capaz de falar português... Os comunicados de imprensa para as redacções são sempre em chinês e inglês. Quando surgem as traduções, aparecem com vários dias de atraso, já depois das possíveis notícias terem sido traduzidas e escritas na imprensa portuguesa. Para se ter uma ideia, o último comunicado traduzido no site da UM data de 10 de Setembro, “Monday”, até a data surge a inglês. Desde essa altura, foram publicados no site mais 17 comunicados, todos em inglês. Os anos passam e nada se altera. Entram e saem pessoas do departamento de comunicação da UM, mas continuam orgulhosamente a expressar-se em inglês. É comum ouvir os cidadãos mais novos dizerem que a Universidade de Macau é uma instituição barata do Interior da China, também devido ao facto de estar situada na Ilha da Montanha. A forma como a UM só comunica em chinês e inglês prova que em muitos aspectos isso é verdade. No entanto, a grande tragédia para os residentes de Macau, é que sendo vista como uma instituição do Interior da China, a qualidade do ensino está longe das universidades como a Universidade de Tsinghua ou a Universidade de Pequim, com reputações invejadas internacionalmente. João Santos Filipe

7

49 24 72 7 1 8 5 36 7 8 6 95 9 3 1 4 3 5 1 64 6 82 8 79 64 6 7 9 3 21 52 5 5 5 1 9 8 2 4 73 7 2 3 8 76 7 5 19 1 1 57 35 3 68 46 24 2 8 8 49 24 2 5 7 6 3 6 6 2 13 1 4 9 7 8

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 1

3UMA 7 3 8 4 16 5HOJE 1 5 9 SÉRIE 6 9 51 5 3 2 87 48 Jarod 2 5(Michael 4 5 Weiss) 9 78 7 63 6 é um jovem em fuga, depois 4 de5tersido 2 raptado 1 7 9 8 3 em criança por um think conhecido como4 6 71 7 8thank, 29 2 3 8 Centro. Depois de ter demonstrado 1 6 87em5criança 8 5 3 4 92 o potencial para ser um Pretender, 96uma 49 4 275 8 31 ou3seja, pessoa com a capaci9 4de7desempenhar 4 3 2 5 681 dade qualquer profissão, Jarod 5 foi5raptado 62 6 7 1 8 9 4 da 1 família

5

2

S U D O K U

1

SALA 1

1.17

O DESPREZO DO MEDÍOCRES

EXPOSIÇÃO “CHAPAS CÍNICAS” Museu das ofertas sobre a transferência da soberania de Macau | Até 7/12

C I N E M A

YUAN

VIDA DE CÃO

EXPOSIÇÃO “PARA ALÉM DA PAISAGEM” DE WU LI Museu de Arte de Macau | Até 11/11

Cineteatro

0.24

3 2 7 8 6 4 9 1 5

3 2 7 9 6 4 5 1 8

1 4 6 8 5 2 3 7 9

8 9 5 7 1 3 4 2 6

6 3 9 5 4 7 2 8 1

4 5 8 1 2 9 6 3 7

2 7 1 6 3 8 9 4 5

7 8 3 2 9 5 1 6 4

5 6 4 3 8 1 7 9 2

9 1 2 4 7 6 8 5 3

9 5 13THE1PRETENDER 7 4 8 8 7 CRAIG 1 5 4 | 1996 2 9 | STEVEN LONG MICHELL, SICKLE 5 69 6 7 1 3 2 9 5 4 1 6 3 2 3 42 84 8 9 65 6 6 2 3 8 9 7 5 2 1 7 86 98 9 4 1 9 8 7 3 4 6 4 28 52 5 6 1 3 5 4 2 9 8 6 7 6 4 9 23 2 7 5 3 6 7 2 1 5 8 7 6 1 42 4 8 9 7 1 5 3 2 8 4 8 7 5 34 23 2 1 2 3 6 4 5 9 1 1 83 98 9 5 6 7 4 8 9 6 7 1 3

6 8 1 5 3 4 9 7 2

3 7 4 2 1 9 6 8 5

8 2 5 1 7 9 3 4 6

3 4 9 5 6 2 1 8 7

9

11

3 3 51 65 76 7 2 9 84 8 9 5 28 2 7 6 1 3 4 4 5 2 7 6 9 1 4 4 16 1 9 83 8 2 5 7 6 87 8 93 9 24 2 15 1 8 6 9 1 5 3 7 7 7 3 2 1 4 5 69 86 8 4 92 59 5 1 8 7 63 6 1 7 3 2 8 4 6 98 59 5 4 2 73 17 61 6 9 5 4 1 8 7 6 2 3 7 9 8 3 2 6 4 8 6 42 54 5 3 91 79 7 6 4 57 5 18 1 23 2 9 3 2 4 5 9 1 8 1 3 27 62 6 59 5 8 4 1 32 3 67 6 9 4 8 5 5 1 6 8 4 7 3 Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; Diana do Mar, João Santos Filipe; Sofia 351Mota; 2 Vieira; 75 Castro 8 9 7 9 6 8 4Margarida 3 Vitor1Ng Colaboradores 2 2 Anabela 1 6 9Cabrita; 4 António 7 Caeiro; 3 António Falcão; Gonçalo 2 4 5 6João Paulo 7 Cotrim; Amélia Canas;8 António Lobo Pinheiro; José Drummond; José Simões Morais; Manuel Afonso Costa; Michel Reis; Miguel Martins; Paulo José Miranda; Paulo Maia e Carmo; Rui Cascais; Rui Filipe Torres; Sérgio 82 8 1 963Fonseca; 47David 64Chan; 56Fa Seong; 1 Simão; Leocardo;6Paul3 7Chi;9Paula1Bicho;2Tânia 5 6Valério 4 Romão 7 Colunistas 5 António Conceição3Júnior; 5 Jorge 2 Morbey; 8 Jorge 9 Rodrigues Chan Wai dos Santos Cartoonista Steph Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua Secretária www. 45hojemacau. 5 98 39 3 71 Assistente 7 6de marketing 4 2Vincent Vong Impressão9Tipografia 8 Welfare 1 4 3Calçada 5 de 2 4 3 712de redacção 1 8e Publicidade 6 9Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Morada com.mo

Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


opinião 19

segunda-feira 24.9.2018

reencarnações

JOÃO LUZ

I

MAGINE a inversão da história do menino que gritava “lobo!”. Melhor ainda, a redenção depois da passada negligência. Durante anos, esta cidade refastelou-se em preguiça e habituou-se a não passar cartão aos alertas de tufões. O desleixo chegou ao ponto das próprias autoridades menosprezarem a força dos elementos e as suas consequências. O relaxamento revelou-se assassino na sequência do fulminante Hato. Era evidente que tudo tinha de mudar. O Governo tinha de limpar a imagem de amadorismo e ineptidão na resposta à tempestade do ano passado, depois da trapalhada dos alertas, da triste figura de ver bombeiros a cortar árvores com pequenas serras de marceneiro e da acumulação de lixo nas ruas chegar ao ponto de necessitar de intervenção militar. Da tragédia nasceram múltiplos organismos para responder a tufões, comprou-se equipamento e passou-se a olhar para o poder da natureza com outros olhos. Também a população, que antes zombava dos sinais 8, já não se apanha tão facilmente desprevenida. Até que eu me formo, algures nos arredores de Guam, imponente em tamanho e ferocidade de ventos. Das águas tépidas faço-me monstro e agiganto-me em superlativas ameaças. Ainda estava a milhares de quilómetros de distância e já o meu percurso era estudado com apreensão. Maduro como o fruto, vermelho de ira por fora, pálido por dentro e amargo para os minúsculos e insignificantes infelizes que apanhei no caminho. Apesar do impressionante volume, da raiva a tudo o que é sólido e inteiro apaziguei-me com o desaceleramento das rajadas. Quando cheguei, tinha toda gente à minha espera, todos sabiam que o lobo cirandava pelas colinas que rodeiam a aldeia. Rendido à hospitalidade de Macau arrastei a minha cauda por cá durante horas e horas, até me fartar e partir para outra paragem. No meu caminho deixei um tímido rasto de destruição, comparado com o que fez o meu antecessor. Espero que não esqueçam a lição, que não se retorne à complacência. Porque, como eu, haverá muitos daqui para a frente. A tepidez das águas alimenta fenómenos atmosféricos da minha estirpe e não se vislumbra um cenário futuro de oceanos mais frios. Mas sejamos honestos. Imaginem que passava no estreito no Estreito de Luzon, entre as Filipinas e Taiwan, sem esbanjar intensidade em terra firme e que continuava a galgar oceano. Imaginem que em vez de passar a 60 quilómetros de distância ater-

Mangostão

rava em cheio em Macau. Imaginem o meu aniquilador auge. Rajadas máximas de mais de 350 quilómetros por hora e ventos sustentados superiores às rajadas mais velozes do Hato, durante sete ou oito horas. Será que estariam a distribuir palmadinhas nas costas? Mais tarde ou mais cedo, o lótus terá de se confrontar com uma tempestade como eu, sem ferocidade diminuída ou trajectórias benevolentes. Em primeiro lugar, Macau terá de se reinventar em termos de prioridades imobiliárias. Compreendo que a vida de quem vive por cá seja um factor

Imaginem o meu aniquilador auge. Rajadas máximas de mais de 350 quilómetros por hora e ventos sustentados superiores às rajadas mais velozes do Hato, durante sete ou oito horas. Será que estariam a distribuir palmadinhas nas costas?

menor face aos milhões que se arrecadam no super inflacionado mercado de imobiliário. É incompreensível como não se instalem janelas de vidros duplos e caixilharias com caixas-de-ar num dos territórios mais ricos do mundo que insiste em pintar tudo em tons de dourado. Todos sabem que nas colinas circundantes ferozes lobos de vento aguçam os dentes. Quanto tempo mais é necessário para equipar a cidade com uma rede de tratamento de esgotos condigna com o presente século? Quantos anos, quantos procedimentos labirínticos de burocracia serão necessários ultrapassar até se construírem barreiras para evitar cheias nas zonas baixas da cidade? O que é preciso para se chegar a um entendimento com quem fica a montante do rio de forma a tentar controlar caudais em tempos de aflição? Quantas décadas? Quantos discursos vazios de cooperações nas áreas disto e daquilo os cidadãos terão de ouvir, enquanto o essencial é tratado como acessório. Até quando se vai queimar carvão à maluca, sem respeito pelas consequências ambientais? Desta vez, todos se portaram bem e fui recebido com o devido respeito que merecia. Mas uma coisa é certa: mais se seguirão.


Se fosse possível explicar-te tudo não precisarias de perceber nada. Agostinho Silva

PALAVRA DO DIA

GASTRONOMIA MACAU EM FESTIVAL DO PISTÁCIO NA TURQUIA

Economia Inflação em Macau fixou-se em 2,48 por cento em Agosto

M

ACAU juntou-se a outras Cidades Criativas da UNESCO em Gastronomia para o 1.º Festival Internacional de Gastronomia de Gaziantep, na Turquia, que decorreu entre quinta-feira e sábado. Em comunicado, a Direcção dos Serviços de Turismo (DST), que esteve representada pela sua directora, Maria Helena de Senna Fernandes, indica que foi também realizada uma sessão especial dedicada ao projecto de pesquisa sobre a história das relações baseadas na cultura da comida na Rota da Seda, iniciado por Gaziantep, que inclui Macau entre as cidades-membro. No festival marcaram presença representantes de 15 Cidades Criativas de Gastronomia, de duas Cidades Criativas deArtesanato e Arte Popular, a par com 12 cidades geminadas com Gaziantep. O tema do festival centrou-se especialmente no pistácio, o “ouro verde” de Gaziantep, uma vez que Setembro é o mês de colheita. As Cidades Criativas da UNESCO em Gastronomia têm novos encontros marcados, incluindo em Macau, no início do próximo ano, no Fórum Internacional de Gastronomia, agendado para Janeiro.

Moto2 Miguel Oliveira GP Aragão no 7.º lugar

O piloto português largou da 18ª posição e fez uma recuperação notável. Miguel Oliveira acabou por conseguir minimizar os estragos de uma qualificação para esquecer. O português saiu do 18.º lugar, acabando por subir 11 posições durante a corrida. O seu rival nas contas do Mundial, o italiano Francesco Bagnaia, foi segundo, e aumentou para 19 pontos a vantagem sobre o português, quando faltam cinco provas para terminar a temporada. Bagnaia e Oliveira são os únicos pilotos que até agora pontuaram em todas as provas.  O próximo grande prémio disputa-se a 7 de outubro, na Tailândia. 

segunda-feira 24.9.2018

Fogo cruzado O PR DO IRÃO ACUSA INDIRECTAMENTE SEPARATISTAS ÁRABES EM ATAQUE NO PAÍS

Presidente do Irão, Hassan Rouhani, acusou ontem separatistas árabes apoiados por um país “da margem sul do Golfo Pérsico” de estarem por detrás do atentado que fez pelo menos 29 mortos em Ahvaz, no sudoeste do Irão. “Não temos dúvidas sobre a identidade daqueles que fizeram isto, sobre o seu grupo e sua filiação”, disse Rohani à televisão estatal antes de partir para Nova Iorque, onde vai participar na Assembleia Geral das Nações Unidas. Durante a guerra entre o Iraque e o Irão (1980-1988), “aqueles que causaram esta catástrofe (de sábado) (…) apoiaram os agressores e cometeram crimes”, acrescentou Rouhani. “Enquanto (o antigo Presidente iraquiano) Saddam (Hussein) estava vivo, eles eram os seus mercenários. Em seguida, mudaram de mestres e um dos países da margem sul do Golfo Pérsico” foi responsável por apoiá-los, afirmou o Presidente iraniano, sem nomear nenhum país. “Todos esses pequenos países mercenários que vemos na região são apoiados pelos Estados Unidos. São encorajados pelos norte-americanos”, acrescentou Rouhani. O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) reivindicou a responsabilidade pelo ataque a Ahvaz, mas as

autoridades iranianas não parecem levar a sério esta reivindicação.

CRÍTICAS A OCIDENTE

O Ministério dos Negócios Estrangeiros do Irão anunciou no sábado à noite que convocou diplomatas da Dinamarca, da Grã-Bretanha e da Holanda em Teerão para expressar “o forte protesto do Irão contra o facto de que os seus respectivos países abrigarem alguns membros do grupo terrorista que perpetraram o ataque em Ahvaz. A Frente Popular e Democrática dos Árabes de Ahvaz reivindicou também o atentado a partir de um canal por satélite, Iran International, baseado em Londres. O Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano disse que insistiu junto do ministério homólogo britânico que é “inaceitável que o porta-voz (deste grupo separatista) seja autorizado a reivindicar este

“Não temos dúvidas sobre a identidade daqueles que fizeram isto, [atentado que fez 29 mortos em Ahvaz ] sobre o seu grupo e sua filiação.” HASSAN ROHANI PRESIDENTE DO IRÃO

acto terrorista numa estação de televisão em Londres”. Teerão também criticou Copenhaga e Haia por serem complacentes como grupo, acusando os dois países europeus de acolherem alguns dos seus membros no seu território “Esses terroristas comportam-se exactamente como EI”, afirmou a chancelaria iraniana, acusando a Europa de falta de empatia com o Irão quando é tocada por ataques. Já no sábado, Ramezan Sharif, porta-voz da Guarda Revolucionária Iraniana, acusou os atacantes de estarem ligados a um grupo separatista árabe apoiado pela Arábia Saudita. De acordo com o mais recente balanço oficial, 29 pessoas foram mortas em Ahvaz, no sábado, por um comando de quatro homens que abriram fogo contra a multidão que assistia a um desfile militar. O secretário-geral da ONU, António Guterres, também transmitiu as suas condolências aos iranianos afectados pelo ataque em Ahvaz. Num comunicado, divulgado no sábado pela ONU, Guterres “condenou o ataque de hoje (sábado) na cidade no sudoeste do Irão de Ahvaz”. A nota acrescentou que Guterres “expressou as suas condolências às famílias das vítimas, ao Governo e ao povo do Irão”, também desejando que “todos os feridos recuperem rapidamente”.

A taxa de inflação nos 12 meses terminados em Agosto fixou-se em 2,48 por cento em relação aos 12 meses imediatamente anteriores, indicam dados dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC) divulgados na sexta-feira. O Índice de Preços no Consumidor (IPC) subiu sobretudo face ao aumento dos preços das secções de vestuário e calçado (+5,15 por cento), da saúde (+4,79 por cento), dos transportes (+4,50 por cento) e da educação (+4,20 por cento). Só em Agosto, o IPC cresceu 3,32 por cento, em termos anuais. Já nos primeiros oito meses do ano, o IPC aumentou 2,89 por cento face ao mesmo período do ano transacto. O IPC Geral permite conhecer a influência da variação de preços na generalidade das famílias de Macau. Em 2017, a taxa de inflação fixou-se em 1,23 por cento, a mais baixa desde 2009, ano em que foi de 1,17 por cento.

Bolo Lunar Lei Chin Ion avisa: cuidado com os doces

O director dos Serviços de Saúde apelou aos residentes que comam bolo lunar com moderação, principalmente as pessoas que sofrem de diabetes. As declarações foram feitas ontem, de acordo com um artigo do canal chinês da Rádio Macau. Segundo Lei Chin Ion, a maior parte dos bolos lunares, mesmo os que não são feitos com sementes de lótus, contêm elevados nível de açúcar, pelo que devem ser consumidos com moderação. Ainda durante os tradicionais jantares em família do Festival Lunar, Lei Chin Ion recordou aos cidadãos para não abusarem no sal nem nos óleos.

Hoje Macau 24 SET 2018 #4140  

N.º 4140 de 24 de SET de 2018

Hoje Macau 24 SET 2018 #4140  

N.º 4140 de 24 de SET de 2018

Advertisement