Page 1

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

WWW.HOJEMACAU.COM.MO

MOP$10

INVALIDEZ

LI GANG SUGERE PASSAR SECTOR INDUSTRIAL PARA A ILHA DA MONTANHA

Pais de deficientes mentais queixam-se de injustiças

TERRAS PARA RESIDENTES PÁGINA

6

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

CARTÃO DO IAS PÁGINA

S E G U N DA - F E I R A 2 4 D E M A R Ç O D E 2 0 1 4 • A N O X I I I • N º 3 0 5 6

hojemacau

4

PUB

Ter para ler

Moradores do Sin Fong Garden manifestam-se

ACAMPAMENTO NO PATANE

É a última e grande evolução de um caso que se arrasta há muito. Os moradores do Sin Fong Garden estão acampados no meio da rua junto à porta do prédio e prometem lutar até ao fim. No imediato, fizeram com que o Governo reunisse de emergência. PÁGINA 5

ENTREVISTA PROJECTO RED STUDIO PGS

2E3

TESTEMUNHA CONFUSA

SALLY BENSON E SÉRGIO ALMEIDA ESTÃO À PROCURA DOS TALENTOS DE MACAU

Tribunal assistiu outra vez às incertezas de Armando de Jesus CASO DAS CAMPAS PÁGINA

PUB

7


2

ENTREVISTA

SALLY BENSON E SÉRGIO ALMEIDA, PROPRIETÁRIOS E CRIADORES DO RED STUDIO

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

“Macau é um gigante adormecido É um projecto que começou agora, mas Sally Benson e Sérgio Almeida têm os planos bem traçados: descobrir onde estão os talentos de Macau nas áreas performativas e conseguir que tenham uma carreira. Como ser actor, modelo, fazer maquilhagem ou ser um duplo de cinema, ou apenas organizar uma festa com o entretenimento assegurado - o Red Studio promete ajudar todos que tenham interesse, desde os pequenos aos mais graúdos JOANA FREITAS

joana.freitas@hojemacau.com.mo

O que é exactamente o Red Studio? Sally - É uma empresa de entretenimento baseada nas artes performativas. Focamo-nos primeiramente na educação através da expressão dramática e nas artes performativas. Temos, por exemplo, aulas de drama para crianças, workshops de modelo, tanto para adolescentes, como para adultos... basicamente, queremos manter tudo o que fazemos dentro da área das artes: cinema, televisão, média. Tudo o que seja criativo. Sérgio - Focamo-nos em tudo o que seja criativo e artes cénicas, de performance. Também fazemos entretenimento, por exemplo em festas para crianças. Fornecemos animação com mascotes – como a Minnie e o Mickey Mouse -, pinturas, artistas de balões, mágicos. Sally – Isso é, aliás, uma grande parte do nosso negócio, diria que 50%. Temos quase todos os fins-de-semana cheios e é bastante engraçado, porque nos envolvemos nós próprios nas festas. Porquê abrir o Red Studio em Macau? Sally – Vimos um nicho de mercado no que dizia respeito a workshops de criatividade. Por exemplo, uma das coisas que acontece muito na Austrália é ter workshops aos fins-de-semana, ou dois sábados seguidos, onde a pessoa vai para aprender alguma coisa. Sinto mesmo que isso não acontece aqui. Se quiser ir aprender algo que não seja apenas num dia – nesta indústria – não há. Sérgio – Ambos crescemos em Macau, mas vivemos seis anos em Pequim.

Sally – Sempre planeamos voltar cá. Pequim apresentava bastantes oportunidades para nós, principalmente ao nível do trabalho. E, na minha área, consegui progredir bastante rápido, sendo loira e falando mandarim. Consegui um lugar na televisão, de forma fácil. Mas, tínhamos planeado voltar já. A poluição em Pequim e o facto de sentirmos que não tínhamos a nossa vida estabilizada, foram os factores que nos fizeram voltar. Sérgio – Sempre foi algo que sentíamos ser temporário, Macau estaria sempre nos nossos planos. Não estávamos preparados para ir para Portugal ou Austrália e Macau foi a escolha mais provável. Mas, antes de voltarmos cá, fizemos o nosso plano de negócios em Pequim. Sentimos também que podíamos dar algo a Macau, no que diz respeito às áreas criativas e, especialmente, na área do cinema. A maior parte do que temos para oferecer vai ser relacionado com filmes e cinema. Sally – Quando procurei o que fazer cá em freelancer, e como actriz, não encontrei nada. Daí, tiramos esta pequena ideia de começar por ensinar drama a crianças e construímos um plano em que houvesse realmente uma empresa que, conhecendo tanta gente com uma criatividade impressionante em Macau, pudesse fazer algo. Há pessoas que querem fazer mais. Como é que analisam o mercado local nessa área, então? Sérgio – É exactamente o mercado que queremos melhorar. Temos uma lista extensa de contactos que nos podem ajudar a trazer profissionais cá e ensinar as pessoas locais. Um dos nossos planos é esse, ainda que a longo prazo. Mas, ao nível da


entrevista 3

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

começar a fazer produções cá, ainda que, actualmente, o mercado esteja na China continental.

de talento” representação há bastante talento em Macau. Há muito potencial, não está desenvolvido da forma como deveria. Mas, criando estes workshops, acreditamos que podemos chamar a atenção das pessoas e testar o mercado, de forma a que, quem tem esse potencial, possa avançar para aulas mais sérias que, no final de tudo, lhes dê um certificado. Mas, temos que começar por testar o mercado. Qual a reacção das pessoas quando se apercebem do trabalho que vocês fazem? Sérgio – O feedback é sempre óptimo. O que fazemos é uma novidade e as pessoas divertem-se. As pessoas gostam de saber que existe algo que está a acontecer em Macau, algo deste género. Mas, entre mostrarem interesse a participarem em algo é um passo grande ainda. Sally – Acho que educação é o primeiro passo. Assim que as pessoas se apercebem que são capazes de fazer algo, mostram mais interesse. Se perguntarmos a um miúdo na escola agora se ele quer ser actor quando crescer, duvido que ele diga que sim. Onde é que poderia ele

S

E pensa que não tem jeito – ou figura – para ser modelo ou actor, desengane-se. “Toda a gente pode sê-lo”, é o que nos diz Sally Benson que, ao lado de Sérgio Almeida, nos abre as portas do Red Studio. Ela, australiana. Ele, português. Ambos cresceram em Macau e é por cá que prometem ajudar quem quer desenvolver as suas capacidades artísticas. Sally é actriz e viu o filme onde assume o seu primeiro papel principal – “A Song for Autumn” - estrear há bem pouco tempo, na China continental. Mas, se pensa que Sally está nisto há pouco tempo, esqueça. Há mais de seis anos que a representação faz parte da vida da australiana que, com Sérgio Almeida, viveu em Pequim. Pelo que nos conta, podemos ver que na capital, Sally Benson chegou, viu e venceu. “Estudei representação na Austrália e, como todos os actores, não consegui arranjar trabalho. Depois, convenci o meu querido namorado

estudar representação em Macau? Não há escolas, não há aulas. Há o básico no que diz respeito a teatro, mas não a um nível suficiente para que haja realmente desenvolvimento nesta área.

Criando estes workshops, acreditamos que podemos chamar a atenção das pessoas e testar o mercado SÉRGIO ALMEIDA

Acreditam que há mercado para desenvolver esse trabalho de representação e da moda? Sally – Sim, há mercado. Muitas das empresas de produção cinematográfica que conheço em Pequim, têm ideia de filmar aqui. Há pessoas interessadas em filmar em Macau programas para passar na China. As pessoas de Macau – quer seja em grupos pequenos ou individualmente – acreditam que podem

Vocês dão aulas em mandarim, português e inglês? Sally - A maioria das aulas são dadas em inglês. Mas, temos imensos alunos chineses na nossa aula de drama para crianças, por exemplo, porque os pais pretendem precisamente utilizar esses sábados das aulas para os filhos melhorarem o inglês. Não temos, para já, aulas de drama sem ser em inglês, mas, claro, se houver procura, podemos ensinar em mandarim. Depois de aprenderem com Red Studio, os alunos mantêm-se ligados a vocês, fazem recomendações no caso de uma empresa precisar de talentos, por exemplo? Sally – Sim, a 100%. Sérgio – Definitivamente. Essa é, aliás, uma das nossas intenções. Não queremos apenas ensiná-los e deixá-los à sua sorte. Quem é bom, quem quer realmente seguir a carreira pode contar com a nossa ajuda. Aliás, isso aconteceu já com um dos jovens que fizerem o nosso primeiro workshop de modelo. Sally – Isso deixa-nos orgulhosos, também. Nós tentamos promover o facto de que estamos cá para ajudar os nossos alunos sempre. Quero que me contactem se tiverem um casting, se forem contactados por um agente e não estiverem seguros quanto a um trabalho, se sentirem nervosos... o que quer que seja. Não

estamos apenas aqui para fazer um workshop e mandá-los embora. Se temos contactos na China, em Hong Kong, etc., e tenho alguém com potencial, porque não recomendar? Temos também os contactos dos nossos alunos que fizeram o workshop e divulgamos pelos nossos contactos. Isto, porque sente-se que 50% deles – pelo menos no caso do workshop de modelos – vêem realmente isto não como uma carreira, mas como uma actividade que gostam de fazer e que os ajuda

ou algo mais do que a sua profissão. Em Macau, é difícil perseguir uma carreira artística e fazê-lo localmente. Se as pessoas não têm dinheiro para ir para fora estudar ou se não podem fazê-lo devido à sua situação profissional. Uma das coisas que esperamos conseguir é pessoas com interesse nestas áreas, e claro, com um pouco de talento inato, mas que saibam que podem fazê-lo além do trabalho. Queria realmente fazer isto. As próprias empresas em Macau só querem

Em Macau, é difícil perseguir uma carreira artística e fazê-lo localmente. Se as pessoas não têm dinheiro para ir para fora estudar ou se não podem fazê-lo devido à sua situação profissional SALLY BENSON

a ganhar algum dinheiro extra. Sérgio – No caso do workshop de duplos de cinema, por exemplo, o actor que vai ensinar disse inclusive que poderá precisar de pessoas. Quem vier a este workshop pode, sem dúvida, ter oportunidades. Acreditam que vão ter sucesso? Sally – Acho que Macau é um gigante adormecido de talento. Há muitas indústrias em todo o mundo relacionadas com as artes e isso acontece nos EUA, na Austrália. Alguém que tem uma carreira profissional, pode ser actor ou modelo

contratar em Hong Kong e quero mesmo que isso mude, porque há talento aqui. Sérgio – Chegámos a ter uma produção em Hong Kong a pedir-nos pessoas para filmagens cá, porque é, obviamente, mais caro para eles trazer pessoas de Hong Kong. Macau é um bom cenário, mas não há produção cá e nós adorávamos contratar locais para interpretar os papéis necessários. Estamos a tentar desenvolver esse talento e fazer com que, quando haja algo em Macau, que as empresas nos digam para podermos fornecer esse talento.

QUEM SÃO SALLY E SÉRGIO?

“Viemos para Macau para desenvolver o talento local” O QUE FAZ O RED STUDIO • Aulas de drama para crianças • Workshop de duplo de cinema • Workshop de modelo • Workshop de maquilhagem • Workshop de como falar em público • Workshop de actores • MiniPopstars – Festival de Música para crianças • Entretenimento para festas de aniversário

de Macau a ir para Pequim comigo e a experimentar representação. Mudámo-nos para lá e literalmente no primeiro mês consegui o meu primeiro papel. Foi só uma publicidade e eu era um ‘extra’, mas não quis saber. Só pensava que tinha sido para isto que estudei representação.” A língua poderia ter sido um entrave grande, mas Sally não se deixou ficar. Um ano e meio foi o suficiente para conseguir aprender a falar mandarim fluentemente. Se as portas estavam já abertas, a partir daqui escancararam-se. “Assim que a língua melhorou, os papéis melhoraram. Consegui entrar numa série que representava o século XIX e eu fazia o papel de

um inglesa. Mais de 300 mil pessoas assistem esta série.” A australiana também foi modelo, tendo inclusive sido fotografada para a Harper’s Bazaar.

A OUTRA FACE DO RED STUDIO

“O querido namorado de Macau” é um filho da terra. Foi aqui que viveu desde criança e frequentou a Escola Portuguesa de Macau. Hoje, Sérgio Almeida assume-se como estando mais focado “na parte administrativa” do projecto Red Studio. Foi gestor de empresas de informação tecnológica na capital chinesa e, daí, retirou o que aplica hoje na sua própria empresa. “Consegui muita experiência na delegação de tarefas, na organização

da empresa e na parte mais técnica e administrativa das coisas.” Ainda assim, o bichinho da representação atacou o português. Os trabalhos enquanto modelo e actor “foram chegando” e Sérgio confessa ao HM que “fez trabalhos que nunca pensou conseguir fazer”. Ora, isso é precisamente o que o fundadores do Red Studio querem criar em Macau: fazer com que pessoas que nunca souberam lidar com o seu talento, se descubram.Afinal, contam-nos, o território é um poço de surpresas. “As pessoas olham para os residentes locais e há muito a ideia, a mentalidade, de que em Hong Kong é tudo melhor. Na verdade, quando tivemos trabalhos lá com outros

artistas, até nos pediram para abrirmos lá o [Red Studio], porque há quem ensine, mas é preciso ter um verdadeiro ‘background’ como actor, por exemplo, para ensinar. Não basta saber a teoria. Nós conseguimos ter em Macau esta oportunidade, não só com a Sally, mas com outros que trabalham connosco.” Para já, o Red Studio está de portas abertas, mas em todo o lado e não num sítio só. Sérgio e Sally dizem não precisar de um lugar fixo, porque toda a Macau é, por si, o local ideal para desenvolver o talento que por aí anda. “Não faz sentido termos um sítio apenas, porque precisamos de áreas diferentes, consoante o workshop que estamos a fazer. Arrendamos sítios diferentes por um dia ou mais e vamos dando as aulas assim.” Ainda a começar, mas deixando já muitas promessas, Sally e Sérgio asseguram ter os planos traçados. “Viemos para Macau para desenvolver o talento local.” E isso é o que prometem fazer. – J.F.


4

POLÍTICA

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

Segundo as informações que eu recebi, a área dos cinco novos aterros tem apenas 3,5 quilómetros quadrados. Com o rápido crescimento populacional de Macau, este espaço ainda não é suficiente. Quando trabalhava em Hong Kong já sentia o espaço lotado, mas aqui a situação é pior

Tribunal arbitral em Hengqin abriu oficialmente no dia 21 de Março

O tribunal arbitral da nova zona da Ilha da Montanha já está em funcionamento desde a passada sexta-feira. De acordo com o jornal Ou Mun, os casos vão ser tratados através de conferências entre as partes, mas, neste momento, há apenas um juiz a tempo inteiro, tendo sido nomeados um presidente e dois vice-presidentes. Este é o primeiro tribunal arbitral na China continental, ainda de acordo com a imprensa chinesa. Ou seja, não há julgamentos, nem sanções, mas apenas a tentativa de chegar a acordo entre as partes. O anúncio de que o tribunal ia abrir portas tinha sido feito já em Dezembro e não foi preciso esperar muito para que o tribunal recebesse o primeiro caso: às dez da manhã de dia 21, foi recebido o primeiro caso para Xie Weidong, o juiz, tratar.

LI GANG SUGERE PASSAR SECTOR INDUSTRIAL PARA CIDADES VIZINHAS E DEIXAR TERRAS DE MACAU PARA OS RESIDENTES

Quando os “novos aterros não chegam” CECÍLIA LIN

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

L Kong Seng fora de reunião com Governo

A Kong Seng, empresa de antenas comuns, enviou ontem um comunicado aos jornalistas onde diz não ter sido convidada pelo Governo para participar numa reunião recentemente levada a cabo entre o Governo e os anteneiros. A empresa diz que a empresa não foi informada e “não entende as razões que estão na base do aludido tratamento diferenciado”. Por isso mesmo, a Kong Seng diz não estar “em posição de comentar ou de manifestar a sua concordância com a proposta que o Governo tenha apresentado ou venha a apresentar” e pede que o Governo “clarifique os detalhes da sua proposta muito brevemente, visando todos os interessados”. À Direcção dos Serviços de Regulação das Telecomunicações (DSRT) é deixado um alerta pela empresa: que os anteneiros sejam tratados de forma igual, “uma vez que [este] se trata de um assunto de interesse público que anda há já bastante a aguardar uma solução”.

I Gang considera que o “sector industrial e da fabricação” deveria mudar para Zhongshan, cidade ao lado de Zhuhai, e Nansha, em Cantão, de forma a que se pudesse deixar mais terras para construir casas ou instalações que possam ser usufruídas pelos residentes de Macau. O director do Gabinete de Ligação do Governo Central na RAEM disse na sexta-feira que, na Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, lhe foi dada a informação que as áreas dos novos aterros não vão chegar para o futuro de Macau. “Segundo as informações que eu recebi, a área dos cinco novos aterros tem apenas 3,5 quilómetros quadra-

LI GANG Director do Gabinete de Ligação do Governo Central na RAEM

O chefe do gabinete de ligação na RAEM diz que o desenvolvimento de Macau não vai permitir que haja espaço, nem com os novos aterros. Li Gang assume novas negociações com a ilha da Montanha para permitir a entrada de mais empresas de Macau aqui ao lado dos. Com o rápido crescimento populacional de Macau, este espaço ainda não é suficiente. Quando trabalhava em Hong Kong já sentia o espaço lotado, mas aqui a situação é pior.” Macau tem actualmente cerca de 30 quilómetros quadrados, ao qual se acrescenta um pouco mais

de um quilómetro quadrado do campus da Universidade de Macau na Ilha da Montanha. O chefe do gabinete de ligação diz, por isso, que, para o desenvolvimento a longo prazo, o sector das indústrias e fabricação deveria mudar para as cidades vizinhas. “O limite para entrar no Parque Industrial da Ilha

da Montanha é muito alto e, na próxima fase, vamos negociar com a parte de Hengqin, para baixar este limite às empresas de Macau. Contudo, não há nenhum limite a Zhongshan e os projectos da RAEM podem entrar lá a qualquer momento. Os que não pertencem à área da alta tecnologia e não conseguem entrar na Ilha da Montanha podem considerar isso.” Zhongshan fica a apenas 40 minutos de viagem de carro de Macau, relembra, por isso, poderiam ser criados hospitais, indústrias e fábrica lá. Li Gang disse que se as fábricas mudarem para Zhongshan e Nansha, poderá ser reduzida a ocupação das terras em Macau. O responsável considera que o Governo da RAEM precisa de resolver os problemas de habitação dos residentes de Macau e que, ao mesmo tempo, também tem que desenvolver os serviços públicos para melhorar a vida das pessoas.

PREVIDÊNCIA ESPECIAL MEDIDA PARA QUEM VEM DO SECTOR PRIVADO

Pensado regime para ex-governantes O Governo está a pensar criar um regime de previdência especial para os ex-titulares de cargos públicos que tenham deixado um emprego no sector privado. A ideia foi debatida na mais recente reunião da 2.ª Comissão Permanente da Assembleia Legislativa (AL) e ainda não há uma decisão final. “Se não foram funcionários públicos, vamos atribuir mais (do que a compensação financeira paga)? Não, não é essa a ideia. O Governo vai ponderar e estudar, e por isso talvez seja criado um regime de previdência especial”, disse Chan Chak Mo, deputado que preside à comissão. A ideia diz respeito ao “regime de garantia

dos titulares do cargo de Chefe do Executivo e dos principais a aguardar posse, em efectividade e após cessação de funções”, e pretende olhar com mais atenção para os casos daqueles que deixam um emprego no sector privado e, depois de cumprido o mandato de cinco anos, não conseguem regressar ao mesmo emprego. A pensar nisso, os deputados consideram ainda que a compensação a ser paga, avaliada em 14% da remuneração mensal, deve ser alterada. “A maioria entende que para empresários ou profissionais, como médicos e directores de escolas, têm de deixar o seu cargo original, e

o Governo sabe desta situação. Como se trata de um novo regime, vai-se ponderar sobre incentivar mais indivíduos do sector privado a assumir esses cargos. Mas se calhar vão rever a compensação dos 14%, ou haver menos limitações. Alguns deputados entendem que depois de assumir o cargo durante cinco anos a compensação de 14% é pouco”, explicou Chan Chak Mo. Outra área sobre a qual os deputados se debruçaram tem a ver com a definição de actividade paga no sector privado. Segundo o Governo, “é muito difícil elencar todas as situações quando se trata de actividade privada”. - A.S.S.


SOCIEDADE

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

SIN FONG GARDEN MORADORES MANIFESTAM-SE. GOVERNO REÚNE DE URGÊNCIA

joana.freitas@hojemacau.com.mo

OIS dias depois do Governo anunciar que vai estar concluído “em breve” o relatório da investigação complementar ao Sin Fong Garden, os moradores falaram mais alto. Mais de cem proprietários de apartamentos no edifício que, em 2012, foi evacuado por estar em risco de ruína acamparam ontem em frente ao prédio, na Rua do Patane. No local, além de cadeiras e guarda-sóis, cerca de uma dezena de tendas azuis ocupavam a estrada - cujo acesso por veículos estava cortado por agentes da PSP. Ao HM, Jason Chao - que declarou estar na manifestação apenas para ajudar os moradores com eventuais necessidades - explicou que os residentes querem o pagamento da indemnização e respostas do Chefe do Executivo. Eram cerca das 18h30 quando André Cheong, director dos Serviços para os Assuntos de Justiça, chegou ao local, tendo sido vaiado pelos moradores, que exigem explicações pessoais não só de Chui Sai On, como do secretário para as Obras Públicas, Lau Si Io. Ao que o HM apurou junto dos moradores, um dos pedidos é a reconstrução do edifício e a responsabilização de uma das partes envolvidas. Até isso acontecer, dizem, vão “lutar a longo prazo”. E essa luta poderá continuar hoje. Até à hora do fecho deste artigo - e ainda no local - o HM confirmou que muitos dos residentes dormiam em frente ao Sin Fong. Desde as 20h que decorreu uma reunião entre membros do Governo e um representante dos Kai Fong, onde se incluía o deputado Ho Ion Sang. Os deputados Ng Kuok Cheong e José Pereira Coutinho estiveram também presentes, mas

V

ÃO ser feitos na próxima semana os testes à qualidade à parte cabo eléctrico da Companhia de Electricidade de Macau (CEM) que não ficou danificado no incidente das flutuações de energia que se sentiram no território. O anúncio foi feito pelo Gabinete para o Desenvolvimento do Sector Energético (GDSE), através de um comunicado ontem publicado. O caso diz respeito a três incidentes de flutuação da tensão que causaram “tremulações” de energia eléctrica. O departamento disse-se “apreensivo” com os incidentes – três no espaço de um mês – e assegurou já querer apurar responsabilidades, por estar “extremamente preocupado”.

No acampar é que está o ganho Os moradores já tinham ameaçado e agora cumpriram. Ontem foi dia de acampamento junto ao edifício em ruínas. O Governo reuniu de emergência e, até ao fecho da edição, nada se soube de concreto até à hora do fecho desta edição não foi possível ao HM apurar se algo ficou resolvido na reunião. Certo é que até perto das 23h, o HM presenciou moradores no local, alguns já recolhidos nas tendas.

Durante o dia de ontem, moradores carregavam mesmo uma faixa vermelha onde instigavam o Governo Central a investigar os dirigentes da RAEM. Do lado do Governo, declarações de que “a

Administração nunca baixou os braços na manutenção dos canais de diálogo com os condóminos” e um alerta: para que se possa exigir ao responsável do incidente o pagamento de indemnização, deve

ser atingido um consenso com a maior brevidade possível sobre a questão da interposição da acção judicial. Na semana passada, Leonel Alves, deputado e advogado que presta consultoria jurídica aos moradores, tinha frisado que seria necessário que houvesse um consenso, mas que os moradores não se entendiam. Para já, sabe-se apenas que a maioria pede uma indemnização, a reconstrução do edifício e a casa de volta.

HOJE MACAU

JOANA FREITAS

D

5

CABOS DA CEM LABORATÓRIO INDEPENDENTE VAI FAZER TESTES

Zhuhai também foi afectada As flutuações de tensão – que são variações na emissão da energia – aconteceram apenas por 0,1 segundos, mas provocaram tremores de electricidade em todas as zonas de Macau. Os problemas deveram-se a danos em cabos de electricidade, mas o facto de não estarem a ser realizadas obras de construção ou escavação no local onde está o cabo danificado – no Pac On – fez com que fosse necessária a ajuda de uma entidade internacional independente. A situação foi rara. “O tempo de vida útil

de um cabo é normalmente de 30 anos e o investimento total neste cabo tronco de 220 kV, agora danificado, foi de quase 240 milhões de patacas. Por estar em uso há menos de dois anos - entrou em funcionamento em Junho de 2012 -, o envelhecimento foi excluído como causa da sua deterioração. Nos momentos em que se deram as falhas, a carga do cabo era bastante leve podendo-se excluir a hipótese de sobrecarga”, lê-se no comunicado. Já anteriormente, o GDSE tinha dito não serem visíveis outros

sinais que expliquem como os danos foram provocados. De novo, sabe-se ainda que os incidentes não ficaram restritos a Macau. A região vizinha de Zhuhai também foi afectada, “facto que ainda preocupa mais o Governo”. O departamento responsável tinha dito no início do mês que alguns equipamentos mais sensíveis de clientes da CEM foram afectados. O GDSE exigiu que a CEM enviasse a uma empresa consultora independente os três segmentos danificados do cabo, de forma

a confirmar as causas dos incidentes.

CABOS A 4%

De acordo com o gabinete, imediatamente antes de se dar a avaria, os dois grupos de cabos estavam a funcionar apenas a 4% da sua capacidade de transmissão total. Logo após o incidente, a CEM confirmou que a falha não punha em risco o fornecimento de electricidade e enviou uma equipa de manutenção para detectar a localização da avaria, que foi encontrada na Estrada da Ponte Cais do Pac On,

perto da Ponte da Amizade. Uma hora depois de um teste ter sido feito a um cabo reparado, aconteceu novamente a flutuação da tensão eléctrica. 
 Os cabos onde foi detectada a tripla avaria estão em funcionamento desde Junho de 2012 e ligam a subestação do Canal dos com a subestação Flor de Lótus, no Cotai, fazendo a ligação com as duas interligações de transmissão de energia eléctrica de Gongbei e Hengqin. A ideia é garantir o fornecimento de electricidade de Norte a Sul, caso falhe um dos cabos instalados num desses locais. Isto porque Macau, recorde-se, tem de importar energia eléctrica do interior da China por não haver mais centrais eléctricas para produção local. – J.F.


6 sociedade

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

PENSÃO DE INVALIDEZ PAIS DE DEFICIENTES MENTAIS QUEIXAM-SE DE INJUSTIÇAS NO ACESSO

Cartão do IAS não é reconhecido Por serem departamentos diferentes, o FSS não reconhece o cartão de avaliação de deficiência do IAS para atribuir a pensão de invalidez a deficientes mentais. O problema é que este cartão foi precisamente criado para ajudar quem padece de deficiências. O caso foi denunciado por um grupo de pais, que aponta ainda outras complicações: o tratamento dado às situações varia de pessoa para pessoa

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

U

M grupo de pais de deficientes mentais publicou uma carta aberta em várias edições de jornais chineses no sábado, acusando o Governo de injustiças. O grupo queixa-se que os cartões de registo da avaliação da deficiência – documento emitido pelo Instituto de Acção Social (IAS) – não serve como prova para o levantamento da pensão de invalidez do Fundo de Segurança Social (FSS). Há mais de três anos que os pais contribuem para o FSS e, “36 meses depois”, e quando começaram a pedir o acesso à pensão de invalidez para os filhos, os problemas começaram a aparecer. Segundo a carta aberta, os funcionários do FSS não reconhecem o cartão de registo de avaliação de deficiência emitido pelo IAS e estão a exigir aos pais atestados médicos que comprovem que os filhos sofrem mesmo de deficiência mental. Mas não só. “Em Fevereiro, não tinha provas do médico e tive de esperar. Alguns dias depois, entreguei o atestado, mas ainda tive de marcar outro encontro com a junta médica do FSS. A consulta só será em Maio”, pode ler-se num dos casos dados como exemplo. Até lá, não é atribuída a pensão.

Num outro caso, continua a carta, um funcionário do FSS explicou aos pais que, por terem um filho com deficiência mental com 28 anos de idade, o atestado médico teria de ser “válido por três meses”, devido ao IAS e ao FSS “serem departamentos diferentes”. Os pais dizem não perceber, uma vez que as deficiências mentais são, usualmente, eternas.

TIAGO ALCÂNTARA

CECÍLIA LIN*

CASOS BIZARROS

Um outro caso deixa ainda mais surpresa aos pais, neste caso de uma jovem. Os pais dizem ter pedido um atestado médico a um médico do privado, que afirmou não lhes poder passar o documento como prova. Os pais deslocaram-se, então, ao centro de saúde, mas lá foi-lhes passado um atestado com base no próprio cartão do IAS que o FSS não reconhece. “O médico lá disse que o cartão de deficiência é já uma prova da deficiência, por isso, no atestado, o médico escreveu ‘segundo as informações do cartão emitido pelo IAS, o paciente é avaliado como deficiente mental’”. Há, ainda, incongruências no tratamento dado aos diferentes casos. Exemplo disso é outra situação dada a conhecer na carta: um funcionário do FSS disse a um dos pais que não precisava de en-

tregar nenhum cartão do IAS ou relatório de avaliação de médico, mas que bastava ser avaliado pela junta médica do FSS. Porém, o resultado da junta médica foi o de não aprovação do pedido da pensão de invalidez. Isto, porque, “ antes de fazer contribuições, os filhos já estavam em situação de invalidez”, refere a carta. “Esta regra da lei de 2010 já não é adequada, contudo, o Governo toma uma atitude evasiva, não considera que os residentes deficientes também são uma parte dos residentes da RAEM, nem tem em conta as particularidades das pessoas com deficiência, só

SEGURANÇA AO MÁXIMO EM GONGBEI As entradas e saídas de Macau pelas Portas do Cerco estão a ser minuciosamente revistas pela polícia de Zhuhai. Todos os haveres das pessoas estão ser exaustivamente passados a pente fino e a fronteira é 24h patrulhada com polícias munidos de metralhadoras de guerra.

porque são naturalmente deficientes mentais. Ou seja, mesmo que façamos as contribuições não conseguem ser beneficiados como deveriam ser, porque um dos dois departamentos não reconhece o cartão de registo de avaliação da deficiência emitido pelo outro. Como assim? Não há normas uniformes do Governo, consideramos isto uma injustiça para com os deficientes de Macau.” O cartão de avaliação do tipo e grau de deficiência é foi lançado em 2011 pelo Governo e o IAS já recebeu mais de 7500 pedidos de avaliação para a obtenção deste cartão. 
O documento foi implementado precisamente para atribuir benefícios aos portadores com incapacidades.
 O instituto começou inclusive em 2011 a aceitar pedidos para a obtenção do regime de subsídio de invalidez, que entrou em vigor em Agosto desse ano, com retroactivos aos anos de 2009/2010. A lei que permitiu financiar os cidadãos com deficiência aprovou ainda o seu acesso a cuidados de saúde gratuitos, mas, recentemente, foi também denunciado na imprensa chinesa que alguns funcionários do Centro Hospitalar Conde de São Januário não sabem a função do cartão dos deficientes. - *com Joana Freitas

Cuidado com Tailândia, diz GDCT

Tendo sido declarado o fim do estado de emergência em Banguecoque e, tendo ainda sido recolhida a informação junto da indústria turística de Macau indicando o recomeço da venda de pacotes de excursões organizadas com início na próxima semana para Banguecoque, o Gabinete de Crises de Turismo alerta os residentes de Macau que planeiem deslocar-se à Tailândia para se manterem vigilantes a possíveis desenvolvimentos em relação à segurança no destino. Até à presente data, o gabinete recebeu um total de 111 pedidos de informação, não tendo recebido no entanto nenhum pedido de auxílio.

Empréstimos hipotecários em Janeiro com aumentos superiores a 46%

O valor dos novos empréstimos hipotecários para habitação e dos comerciais para actividades imobiliárias concedidos pelos bancos de Macau registou aumentos anuais superiores a 46% em Janeiro, indicam dados oficiais divulgados. De acordo com as estatísticas publicadas pela Autoridade Monetária de Macau (AMCM), os novos empréstimos hipotecários para habitação aprovados pelos bancos de Macau atingiram 4,4 mil milhões de patacas, traduzindo um aumento mensal de 45,2% e uma variação homóloga anual de 46,2%. A mesma tendência verificou-se ao nível dos novos empréstimos comerciais para a actividade imobiliária, aprovados pelos bancos de Macau, os quais subiram 138,6% e 46,7% em termos mensais e anuais, respectivamente, ascendendo a 5,5 mil milhões de patacas. No final de Janeiro, o saldo bruto dos empréstimos hipotecários para habitação atingiu 121,1 mil milhões de patacas, mais 2,4% relativamente a Dezembro e 23,3% comparativamente a igual mês do ano passado. Segundo os dados da AMCM, o saldo bruto dos empréstimos comerciais para actividades imobiliárias aumentou 3,6% em relação ao Dezembro e 25,1% face ao período homólogo, totalizando 88,4 mil milhões de patacas.

Taxa de inflação atingiu 5,57%

A taxa de inflação em Macau nos 12 meses terminados em Fevereiro fixou-se em 5,57% devido a subidas significativas nas componentes de habitação e combustíveis (10,34%), produtos alimentares e bebidas não alcoólicas (6,59%) e saúde (6,13%). Dados divulgados pela Direcção de Serviços de Estatística e Censos (DSEC) indicam que, em contrapartida, se verificou uma descida (2,36%) no índice de preços da secção das comunicações. O Índice de Preços no Consumidor (IPC) de Fevereiro subiu 5,65%, face ao idêntico mês de 2013, num crescimento impulsionado pela ascensão de preços das refeições adquiridas fora de casa, das rendas de habitação e dos produtos hortícolas, enquanto em termos mensais aumentou 0,37%. Nos dois primeiros meses do ano, em termos anuais, o IPC geral médio cresceu 6%, informa a DSEC. O IPC geral, com base no período 2008/2009, permite conhecer a influência da variação de preços na população de Macau.


sociedade 7

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

Paulina Alves dos Santos voltou a questionar Armando de Jesus sobre o índice de documentos sobre as campas entregues no gabinete de Florinda Chan em 2010, por considerar que existiram “contradições” no último depoimento. Mas a testemunha voltou a dizer que não tem certezas ANDREIA SOFIA SILVA

andreia.silva@hojemacau.com.mo

E

M mais uma sessão do julgamento que coloca Raymond Tam, ex-presidente do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) e três arguidos no banco dos réus, a assistente Paulina Alves dos Santos voltou a insistir na questão do índice de documentos sobre o caso das campas, entregue no gabinete da secretária para a Administração e Justiça, Florinda Chan, em Março de 2010. Esse índice continha dados sobre os documentos entregues em duas caixas pretas. Paulina Santos considerou que, na última sessão do julgamento, “ficou tudo baralhado sobre os documentos enviados”, nomeadamente o índice dos mesmos. À semelhança do que já tinha dito perante o juiz, Armando de Jesus confidenciou “não ter 100% de certeza” se tinha visto esse documento. “Um dia foram enviadas à secretária duas caixas, vi por alto que tinha uns nomes e números de telefone, mas não consigo ter a certeza a 100%. Um documento tenho 50% de certeza que vi”, disse Armando de Jesus, tendo declarado várias vezes “não se lembrar” do conteúdo. Paulina Alves dos Santos falou da existência de uma “contradição”. “Viu e agora não se lembra de nada, parece que está a ser assustado por alguém”, disse, referindo-se a Armando de Jesus. O pedido de inquirição por parte da assistente do processo gerou uma troca de palavras com os advogados de defesa dos arguidos, que alegaram que a testemunha já tinha explicado não se recordar do conteúdo dos documentos em questão. “A testemunha já disse

CASO DAS CAMPAS TESTEMUNHA VOLTOU A SER INQUIRIDA SOBRE ÍNDICE DE DOCUMENTOS

A baralhação de Armando que não tinha a certeza, a senhora assistente pode ouvir a gravação”, disse o juiz. Paulina Alves dos Santos quis ainda fazer uma “experiência” para comprovar que os documentos enviados ao IACM por Alexis Vong, actual presidente do organismo, a pedido do tribunal eram menos do que aqueles que foram enviados a Florinda Chan em 2010. “Peço que ele veja a olho nú, são duas caixas, como é que cabiam tantos documentos?”, questionou, tendo o pedido sido negado pelo juiz. Depois das perguntas a Armando de Jesus, Paulina Santos frisou “não valer a pena insistir, porque temos provas documentais”.

PROCEDIMENTOS DESDE QUANDO?

À data dos acontecimentos, Armando de Jesus trabalhava no departamento de arquivo do IACM e era responsável pela expedição de documentos. Cada documento

saído dos arquivos teria de ter um número de referência para que o registo ficasse feito, com uma cópia. Mas a testemunha disse que nem todos os documentos passaram pelas suas mãos. “Um dos motivos pode ser porque o documento é muito urgente e tem mesmo de ser enviado para um departamento, então aí é directamente enviado de um departamento a outro”, disse a testemunha, sem saber precisar se este tipo de procedimento tinha começado antes ou depois de 2010. “Não é uma situação que vemos habitualmente”, disse. Mas a defesa dos quatro arguidos disse que a data poderia ser confirmada posteriormente. Recorde-se que Raymond Tam e mais três arguidos estão acusados pelo Ministério Público (MP) do crime de prevaricação, por não terem entregue documentos essenciais à investigação no caso das campas. A próxima audiência

Um dia foram enviadas à secretária duas caixas, vi por alto que tinha uns nomes e números de telefone, mas não consigo ter a certeza a 100%. Um documento tenho 50% de certeza que vi ARMANDO DE JESUS Testemunha

está marcada para esta sexta-feira, 28, no TJB. José Sales Marques, antigo presidente da Câmara Municipal do Leal Senado, será uma das testemunhas ouvidas pelo juiz.

A TESTEMUNHA QUE POUCO SABE

Houve ainda tempo para mais uma testemunha. Arnaldo Azedo, transferido em 2001 para a divisão de tratamento de documentos do IACM, foi ouvido por ter andado a procurar guias de entrega de documentos relativos às dez campas no cemitério São Miguel Arcanjo, mas

frisou que nunca lhe foi exigida a procura de documentos sobre as campas. “Só há um ano, em Maio de 2013, é que o meu chefe de divisão me pediu para procurar os guias de entrega dos documentos sobre o caso. Fui a três armazéns procurar. Não vi a entrega pessoal dos guias de entrega, parece que foram entregues a Sio Kok Kun (quarto arguido no processo).” Sobre o caso, Arnaldo Azedo disse que antes de 2010 nunca ouviu falar do caso das dez campas no cemitério de São Miguel Arcanjo e que só soube mais informações na imprensa. Também desconhece quais os documentos que estão nos arquivos do IACM. Questionado sobre as duas caixas pretas de documentos entregues no gabinete da secretária Florinda Chan, Arnaldo Azedo disse não saber precisar a quantidade de papéis entregues. “Eram caixas mas não estava escrito o que é que era. Não acompanhei pessoalmente e não posso ter a certeza da quantidade de documentos.” Arnaldo Azedo foi também questionados sobre um “apontamento pessoal” feito sobre a instalação de câmaras de videovigilância nos arquivos, feita em Novembro de 2010. “Tinha de fazer esse registo, era da minha responsabilidade. (A instalação) servia para ver quem entrava e saía das salas.”

MINISTÉRIO PÚBLICO QUATRO ACUSADOS E DIVERGÊNCIAS NAS CONDENAÇÕES

Confusão com folhetos pornográficos Q

UATRO suspeitos ficaram sujeitos a medidas de coacção, devido à distribuição de folhetos pornográficos. Os homens são todos da China continental e estavam a distribuir os folhetos à volta do Hotel L’Arc, por volta da meia-noite, tendo sido apreendidos mais de mil folhetos na sua posse e cerca de 25 mil na residên-

cia dos suspeitos. Três dos suspeitos confessaram ter encontrado trabalho via internet e foram pagos de 350 a 450 dólares de Hong Kong por dia para a distribuição dos papéis. Noutro caso, o suspeito foi interceptado pela polícia no dia 12 deste mês quando se encontrava a distribuir os folhetos pornográficos na zona perto da Rua de Cidade de Sintra. Foram

apreendidos cerca de dois mil folhetos pornográficos na sua posse. O homem confessou ter perdido dinheiro no jogo e aceitado a oferta de emprego de um homem desconhecido. Os folhetos davam conta de “serviços 24 horas por dia com a disponibilidade de raparigas, alunas, professoras de escolas infantis, modelos, entre outras, vindas da China,

Coreia, Japão, Europa e dos EUA”. O Ministério Público não divulga as medidas de coacção, mas admite que “existem divergências sobre a possibilidade de condenação deste tipo de crimes” e “decisões judiciais completamente contrárias”. Por isso mesmo, o delegado do procurador disse que não deveria aplicar a punição ao abrigo de

regulamento administrativo, “uma vez que existem fortes indícios que apontam para o cometimento do crime de venda, exposição e exibição públicas de material pornográfico e obsceno pelos quatro suspeitos”, punindo os homens de acordo com a lei. O caso foi devolvido à polícia para mais investigação e posteriormente uma possível acusação.


8

CHINA

O

primeiro-ministro australiano admitiu uma esperança crescente na possibilidade de descobrir o que aconteceu ao avião da Malaysia Airlines, desaparecido há mais de duas semanas com 239 pessoas a bordo, depois de detritos terem sido avistados na zona de buscas. “Ainda é muito cedo para ser peremptório, mas agora tivemos uma quantidade de pistas muito credíveis e há uma esperança acrescida, não mais que uma esperança, de que estamos no caminho certo para descobrir o que aconteceu a este infortunado avião”, declarou Tony Abbot. O primeiro-ministro australiano falava depois de vários objectos não identificados terem sido avistados na zona das buscas do avião Boeing 777, a cerca de 2.500 quilómetros ao largo de Perth. Questionado sobre mais informações sobre estes detritos, o primeiro-ministro referiu-se a “um número de pequenos objectos bastante próximos dentro da zona de busca australiana, incluindo uma palete de madeira”. Estas declarações foram feitas depois de a Autoridade Australiana da Segurança Marítima ter anunciado que seriam realizados “mais esforços para perceber se os objectos avistados estão relacionados com o MH370”.

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

VOO MH370 AUSTRÁLIA FALA DE “ESPERANÇA CRESCENTE”. CHINA CONFIRMA TER AVISTADO NOVOS OBJECTOS

Desfecho à vista?

O primeiro-ministro australiano não mencionou especificamente a imagem de um satélite chinês, captada no dia 18 e divulgada este sábado, que mostrava uma peça grande a flutuar, próximo do local onde antes duas imagens de satélite haviam revelado possíveis destroços, numa zona remota do oceano. Abbott revelou que a sua confiança também está relacionada com o aumento dos recursos que estão

EXERCÍCIO HUMANITÁRIO

Abbott, que falava no final de uma visita à Papua Nova Guiné, aplaudiu o envolvimento internacional nas buscas. “Isto é realmente um grande esforço internacional e mostra que muitos países são capazes de se unirem num momento difícil. É um exercício humanitário muito importante. Devemos às quase 240 pessoas a bordo

Isto é realmente um grande esforço internacional e mostra que muitos países são capazes de se unirem num momento difícil. É um exercício humanitário muito importante TONY ABBOT Primeiro-ministro da Austrália

envolvidos nas operações de busca. Quatro aviões, dois chineses e dois japoneses, juntaram-se este domingo aos seis aparelhos já envolvidos na gigantesca operação, disse o governante. “Claro que quantos mais aviões tivermos, quantos mais navios tivermos, mais confiantes ficamos na recuperação de qualquer material que esteja por lá”, afirmou, acrescentando: “Antes de podermos ser muito específicos sobre do que se tratará, precisamos antes de efectivamente

APOLOGIA AO RESPEITO POR DIREITOS HUMANOS E LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Lição no feminino por Michelle Obama A

primeira dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, defendeu sábado na China a necessidade de respeitar os direitos humanos universais, incluindo o pleno acesso à informação e às liberdades de expressão e culto. Michelle Obama encontra-se em Pequim, a primeira etapa de uma visita de uma semana à China, acompanhada pelas duas filhas, Malia e Sacha, e pela mãe, Marian Robinson. No seu discurso perante estudantes norte-americanos e chineses no Centro Stannford da Universidade de Pequim, a primeira dama elegeu a liberdade de expressão como temática central. “Quando se trata de nos expressarmos livremente, de rezar a quem escolhemos e de ter acesso aberto a informação, acreditamos que esses são

recuperar algum desse material”.

direitos universais, um direito de nascimento de cada pessoa neste planeta”, afirmou. Para Michelle Obama, uma informação que circule livremente e a que se possa aceder é imprescindível na descoberta da verdade:

“percebemos o que de verdade ocorre nas nossas comunidades, no nosso país, no nosso mundo”. Acrescentou ainda que os países se tornam mais fortes “quando podem ouvir as vozes e opiniões de todos os cidadãos”.

As palavras da primeira dama têm uma importância especial ditas na China, onde a censura mantém bloqueadas redes sociais estrangeiras como o Facebook e o Twitter, assim como as páginas na Internet de vários meios de comunicação.

daquele avião, devemos às suas famílias em luto, devemos aos governos dos países afectados fazer tudo o que está ao nosso alcance para descobrir o máximo que conseguirmos sobre o destino do MH370”, declarou. O voo da Malaysia Airlines desapareceu dos radares no dia 8 de Março, quando viajava entre Kuala Lumpur e Pequim, e duas semanas mais tarde os investigadores da Malásia ainda acreditam que o avião foi deliberadamente desviado por alguém a bordo. O Governo chinês confirmou sábado que satélites do seu país detectaram um objecto de grandes dimensões no sul do oceano Índico que pode estar ligado ao avião da Malásia Airlines. Segundo a agência de notícias Xinhua, que cita a Administração Estatal de Ciência, Tecnologia e Indústria para a Defesa Nacional, o objecto encontra-se a uns 120 quilómetros da zona onde há alguns dias a Austrália detectou elementos possivelmente ligados ao aparelho desaparecido. O objecto terá 22 metros de largura e 13 de comprimento, de acordo com dimensões aproximadas divulgadas por aquele organismo estatal chinês, e foi detectado por um satélite de observação terrestre já na terça-feira. As coordenadas onde se localiza o objecto correspondem ao corredor no qual os peritos consideram que poderia estar o avião depois do seu desaparecimento.


china 9

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

PRESIDENTE CHINÊS NA UE DESDE SÁBADO, EM VIAGEM DITA “HISTÓRICA”

Parceiros interdependentes O Presidente chinês, Xi Jinping, iniciou sábado na Holanda uma visita de dez dias a quatro países da União Europa, descrita em Pequim e em Bruxelas como “histórica”. “O comércio continua a ser uma componente marcante da relação UE-China”, mas esse relacionamento já não é simplesmente bilateral e “esforça-se por enfrentar em conjunto os mais importantes desafios globais”, disse a chefe em exercício da Delegação da UE em Pequim, Cármen Cano, num artigo publicado sábado no jornal China Daily. É a primeira viagem do Presidente Xi Jinping à Europa desde que assumiu o cargo, há um ano, e também a primeira visita de um chefe de Estado chinês à sede da União Europeia, em Bruxelas. A visita às instituições europeias, agendada para 31 de Março, será a ultima etapa de um périplo que, além da Holanda e da Bélgica, inclui duas das principais economias da UE (Alemanha e França). Em 2013, o comércio entre a China e a União Europeia somou cerca de 4,3 biliões de patacas, fazendo da U E o maior parceiro comercial da China pelo 10.º ano consecutivo. A visita do Presidente Xi Jinping irá “injectar um novo ímpeto” nas relações entre a

China e a União Europeia, disse esta semana Wang Chao, vice-ministro chinês dos Negócios Estrangeiros. “China e União Europeia estão ambas numa fase crítica de reforma e desenvolvimento, o que cria novas e históricas oportunidades para o crescimento das suas relações”, salientou Wang Chao. Durante a visita de Xi Jinping, até dia 01 de Abril, China assinará dezenas de acordos de cooperação em diversas áreas, nomeadamente finanças, agricultura, aviação, telecomunicações, ciência e educação, adiantou o mesmo responsável. “Tornámo-nos fundamentalmente interdependentes e parceiros maduros capazes de resolver divergências através de negociações. Temos agora um interesse mútuo cada vez maior no contínuo crescimento e segurança globais”, escreveu a representante da União Europeia no referido artigo. A visita “será um grande marco nas relações bilaterais”, disse o vice-ministro Wang Chao. O Presidente chinês participará também na 3.ª Cimeira sobre Segurança Nuclear, que decorrerá nos dias 24 e 25 de Março em Haia, na Holanda, com líderes de mais de 50 países, entre os quais o Presidente norte-americano, Barack Obama, com quem terá um encontro bilateral.

Mandado da Interpol é posterior a visto “gold” dado a cidadão suspeito de burla

O

cidadão de nacionalidade chinesa que foi detido na quinta-feira pela prática de burla qualificada deixou de preencher os requisitos para residir em Portugal, onde tem estado com uma autorização de residência para actividade de investimento, o chamado visto “gold”, emitido pelo Estado português. A Polícia Judiciária deteve-o na sequência de um mandado de captura internacional emitido pela Interpol, a pedido das autoridades chinesas. O suspeito, de cerca de 40 anos, a resi-

dir em Portugal desde o final do ano passado, comprou uma casa de luxo, na zona de Cascais, alegadamente com dinheiro ilícito resultante de crimes cometidos na República Popular da China. Estes vistos especiais foram lançados no início de 2013 para captar investimento estrangeiro. Estas autorizações de residência por seis anos podem ser atribuídas a estrangeiros que invistam 500 mil euros na aquisição de imobiliário, criem dez postos de trabalho ou que para cá transfiram um milhão de

euros. Não pode, em qualquer caso, ter registo criminal. Nestes casos, o cancelamento do visto é uma medida administrativa. Portugal tem um acordo de extradição com a República Popular da China desde 2009. A questão que se coloca agora é a de saber se Portugal optará por um mero cancelamento administrativo do visto ou se irá mesmo avançar com a extradição do cidadão. Se o Tribunal da Relação se decidir pela extradição, a decisão final caberá sempre à titular da Justiça, Paula Teixeira da Cruz.

MILHARES NO FUNERAL DE BISPO DE XANGAI NÃO RECONHECIDO

Diocese sob pressão M

ILHARES de católicos chineses reuniram-se sábado para as cerimónias fúnebres do jesuíta Joseph Fan Zhongliang, bispo de Xangai não reconhecido oficialmente, que morreu naquela cidade chinesa aos 97 anos, no domingo. Joseph Fan Zhongliang passou 14 anos em prisão domiciliária na China. O Governo chinês tinha proibido a transferência do corpo de Joseph Fan Zhongliang para a catedral da diocese, pelo que a cerimónia decorreu numa casa funerária onde os fieis acorreram e foi celebrada uma missa. A morte de Fan aconteceu 11 meses depois do falecimento do bispo oficial da capital económica chinesa, Aloysius Jin Luxian, aos 96 anos, em Abril de 2013, que também passou 17 anos na prisão por se opor à associação eclesiástica oficial da China, que chegou a presidir. O falecimento de ambos os religiosos deixa a diocese de Xangai - uma das mais importantes da China - sob pressão para que seja encontrado novo bispo, já que a sucessão está em aberto desde Abril passado. Como sucessor oficial de Jin estava designado o bispo auxiliar Thaddeus Ma Daqin, que tinha sido eleito de comum acordo entre

Pequim e o Vaticano, com a mediação precisamente de Jin e Fan. Mas durante a sua própria cerimónia de ordenação, em Julho de 2012, Ma rompeu publicamente com a Associação Católica Patriótica da China, pelo que Pequim retirou-o de funções em Dezembro do mesmo ano. Estima-se que Ma tenha ficado retido desde então no seminário católico de Sheshan, nos arredores de Xangai. Segundo o portal católico chinês, Fan morreu no domingo no seu apartamento, na companhia de vários sacerdotes. Fan foi designado pelo papa João Paulo II como bispo de Xangai em 2000, mas não foi reconhecido pela igreja oficial chinesa, que depende do Partido Comunista de China (PCCh), que por sua vez controla a República Popular desde a sua fundação em 1949, pelo que desde a sua nomeação esteve submetido a prisão domiciliária. Jin era o bispo oficial desde 1988 e, embora não tenha contado com a aprovação do Vaticano, conseguiu que o Papa o reconhecesse como sacerdote em 2004. A China tem entre oito e 12 milhões de católicos, e estima-se que cerca de metade fora da igreja oficial.

Pequim continua a apoiar destruição de armas químicas da Síria

A China elogiou o progresso na retirada e destruição das armas químicas da Síria, prometendo continuar com a sua coordenação conjuntamente as partes envolvidas, a fim de garantir o transporte e a eliminação, sem contratempos, dos stocks restantes. O portavoz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China, Hong Lei, comentou o caso esta sexta-feira em resposta a uma questão sobre uma declaração das Nações Unidas sobre as armas sírias. Mais de 53% das armas químicas sírias já foram destruídas ou retiradas do país até quinta-feira passada, segundo uma declaração da missão conjunta das Nações Unidas e da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPCW, em inglês).


10

EVENTOS

hoje macau segund

A

ARTE GRANDE PRÉMIO EDP PARA ANA JOTTA

A escolha evidente de tão pouco evidente Q

UANDO escreveu a Biografia Alternativa de Ana Jotta para o catálogo da exposição retrospectiva da artista, em 2005, na Casa de Serralves, a dada altura, Gaëtan Lampo foi buscar a ideia de um labirinto: Ana Jotta, nem pintora, nem desenhadora, nem escultora; tudo isso, mas, sobretudo, uma especialista em jogos de claro-escuro, aproximação e fuga, sedução e despiste, exposição total e ocultação absoluta. Aos 68 anos, aquela que o comissário Ricardo Nicolau, adjunto da direcção do Museu de Serralves, definiu um dia como “a mais jovem das artistas portuguesas” é a quinta vencedora do Grande Prémio EDP/Arte 2013, escolhida por unanimidade. Uma surpresa para toda a gente, a começar pelo próprio júri, desta vez constituído pelo presidente do conselho de administração executivo da EDP António Mexia; o filósofo José Gil; o curador e crítico de arte francês Frédéric Paul; a historiadora de arte, crítica e comissária espanhola Gloria Moure; a professora e ex-directora do Museu de Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado Helena Barranha; o subdirector artístico do Reina Sofia e ex-director do Museu de Serralves João Fernandes; e o historiador de arte e curador João Pinharanda, programador cultural da Fundação EDP. “Começámos, como é habitual, com um leque de nomes expectáveis. Depois surgiu este nome inesperado que se foi tornando inevitável”, disse ao jornal Público João Pinharanda pouco depois do fim da reunião do júri. Nessa reunião, conta Pinharanda, “a certa altura alguém disse que não valia a pena votar uma lista final de nomes: a escolha era evidente de tão pouco evidente”. “Era um prémio que todos tínhamos na cabeça, mas que nunca esperámos que acontecesse”, acrescenta João Fernandes. “Foi para todos uma agradável surpresa quando reuniu consenso.” O que faz de Ana Jotta (n. Lisboa, 1946) uma escolha tão pouco óbvia para o mais relevante prémio de artes plásticas português? O carácter da sua obra, ele próprio sempre surpreendente e desconcertante: “[Na obra de Ana Jotta] a coerência está na multiplicidade. Não tem uma unidade – nela, a unidade é de outro tipo: a coerência está na singularidade diferencial [de cada trabalho]”, diz José Gil. A arte de Ana Jotta não imita a vida, é uma manifestação de um modo singular de viver,

escreveu em tempos João Fernandes: “Referências da história da arte misturam-se com referências da cultura popular do século XX numa permanente reciclagem.” Velázquez, Mondrian, Paul Klee, Edward Hopper, Mike Kelley, Stuart Carvalhais, Tom, Vilhena, Bill Watterson, imagens de livros de colorir, calendários, pintura vernácula… Os processos de Ana Jotta começam com a artista como respigadora das mais diferentes realidades plásticas para culminar num trabalho de “samplagem” derrisória em que os mais diferentes elementos ganham nova vida. Ana Jotta pinta, desenha e usa tudo o que vai vendo, lendo, experimentando e até roubando: “A pintura e o desenho são, precisamente, para ela, um território de iconoclastia e dessacralização”, escreveu ainda João Fernandes que, na sexta-feira, apontava “a condição libertária” de uma obra “contra todos os estilos”, “feita de avatares”. São qualidades marcantes também para Frédéric Paul, que fala numa “impertinência” e num humor em que o antigo, o novo e o kitsch se misturam num trabalho “muito livre”: “Tem a particularidade de tocar a arte popular mas também as referências mais eruditas. Ela não está entre as duas linguagens: resolve ambas.”

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA MILHÕES DE PENSAMENTOS PERVERSOS • Ogi Ogas, Sai Gaddam Quando se fala de sexo, ninguém diz a verdade. Mas na privacidade da Internet, homens e mulheres revelam-se nos sites que procuram, nas fantasias que perseguem. Cientes disso, dois neurocientistas entraram no “quarto escuro” das pesquisas online, onde não há tabus e cada clique é uma revelação. E descobriram impressionantes diferenças entre o desejo sexual masculino, feminino e homossexual.

escrita é um “desafio” em qualquer cultura, defenderam sexta-feira em Macau os autores que participaram, na Universidade de Macau, no seminário “O lugar da escrita na Vida contemporânea”, integrado no programa da Rota das Letras. “Não é só para os escritores chineses, mas para todos. A escrita foi sempre um desafio, desafio para ganhar liberdade, para conquistar esse espaço de verdade através da forma literária, ficcional e por isso é um desafio”, destacou Yao Jing Ming, vice-presidente do Instituto Cultural de Macau, co-organizador da Rota das Letras que está a decorrer em Macau. Yao Jing Ming falava no final do seminário que decorreu na Universidade de Macau perante alunos de etnia chinesa interessados em perceber até que ponto a liberdade pode ou não estar condicionada na China continental. A resposta acabou por chegar dos próprios autores chineses como Sheng Keyi, conhecida pela sua escrita interventiva e que salientou, por exemplo, que os problemas do quotidiano podem ser “um estimulante para a escrita”.

ROTA DAS LETRAS ESCRITA É UM “DESAF

Espaço de

Residente em Pequim, Sheng Keyi reconhece que há livros que não podem ser publicados na China, mas garante que ao escrever “encontra a liberdade”, o que a leva a acreditar que, assim, o “mundo seja mais rico”.

O mote da liberdade através da escrita tinha sido lançado pela brasileira Andréa del Fuego, que disse ser a escrita a forma “quase única” de liberdade e que, no caso das redes sociais, pode até ser equiparada a “mini-

CCM BANG ON A CAN ALL-STARS AMANHÃ PARA CONCERTO ÚNIC

Música sem fronteiras O

S norte-americanos Bang on a Can All-Stars vão estar amanhã no palco do Pequeno Auditório do Centro Cultural de Macau para um concerto único, pelas 20:00h. Formados em 1992 pelo conhecido grupo de Nova Música nova-iorquino Bang on a Can, os Bang on a Can All-Stars são mundialmente conhecidos pelos seus ultra-dinâmicos espectáculos ao vivo e pelas suas gravações da música

mais inovadora da actualidade. Cruzando livremente as fronteiras entre a música clássica, o jazz, o rock, a música experimental e do mundo, este conjunto de seis elementos tem vindo continuamente a forjar uma identidade distinta e impossível de categorizar, levando a música por territórios desconhecidos. Actuando todos os anos nos EUA e internacionalmente, os All-Stars lançaram por terra a definição daquilo que

a música de concerto é hoje em dia e foram descritos como “o veículo mais importante para a música contemporânea do país” pelo jornal San Francisco Chronicle, informa o comunicado de imprensa da organização. Em conjunto, os All-Stars têm trabalhado em estreitíssima colaboração com alguns dos mais importantes músicos do nosso tempo, incluindo Steve Reich, Ornette Coleman, o mestre percussionista

RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

PORTO DE ABRIGO • Elizabeth Berg Neste novo romance, Elizabeth Berg urde uma história maravilhosamente escrita e rica em reminiscências sobre uma mãe e uma filha em trânsito emocional. Helen Ames – que enviuvou recentemente, a lidar com a perda e com a dor, incapaz de fazer o trabalho que sempre a sustentou – começa a depender demasiado da filha de vinte e sete anos, Tessa, e intromete-se na vida dela, dando conselhos não solicitados e mal recebidos. Os problemas de Helen são agravados pela descoberta chocante de que o marido, afável e aparentemente fiel, levava, ao que tudo indica, uma vida dupla.


eventos 11

da-feira 24.3.2014

FIO” EM QUALQUER CULTURA, DEFENDEM AUTORES

e verdade

-contos”. “No Brasil, milhares de pessoas voltaram a ler e a escrever com a internet”, disse, acrescentando que a escrita é fundamental no papel de “ponte” também entre os povos e na manifestação dos desejos de cada um.

“Lembro-me, por exemplo, do escrito moçambicano José Craveirinha, que escreveu ser de um país que não existia quando o nosso país era ainda uma colónia portuguesa. Exerceu a sua liberdade e manifestou o desejo da liberdade do seu país”, explicou. Já o poeta Bei Dao, residente e professor em Hong Kong, salientou que na escrita se “fazem escolhas” nos temas do quotidiano e recordou um livro que escreveu sobre a sua infância em Pequim, cidade da qual esteve afastado quase 13 anos - entre 1989 e 2001 - e que teve necessidade de escrever “para reviver a cidade natal que já não conhecia”. “Quase não conseguia encontrar a minha casa, sinto-me um estrangeiro na minha cidade e este livro é uma negação da Pequim actual”, explicou, salientando que será um pouco como “manifestar a

raiva e o ódio” pelo que se transformou a cidade. Tal como Bei Dao, também Yan Geling, natural de Xangai, mas residente em Berlim, disse que escreve para recordar a China que visita várias vezes por ano, mas onde não voltou a viver fruto da sua vida nómada de “esposa de diplomata”. “A escrita é uma forma de contacto com o meu país todos os dias”, disse, salientando que já teve necessidade de escrever textos que as editoras consideraram pouco comerciais, mas que se manteve firme na sua vontade porque tinha essa necessidade pessoal. “Solitária”, como salientaram os autores, a escrita, ou literatura, pode ser também um mar de gente porque, como disse João Paulo Borges Coelho, o autor escreve sozinho, mas pode estar “numa sala cheia de gente, cheia de personagens”.

EXPOSIÇÃO “POESIAS, ARTIGOS E CALIGRAFIA DE LIN KA SANG”

Mais de 90 obras do poeta de Macau O RGANIZADA pela Fundação Macau, “Doutrinas nas Letras e Sentimentos pelas Escovas - Exposição de Poesias, Artigos e Caligrafia de Lin Ka Sang”, integrada no Projecto de Promoção de Artistas de Macau, inaugura amanhã, pelas 18H30, na Sala de Exposição do Centro Kam Pek. A mostra reúne mais de 90 obras seleccionadas do famoso calígrafo de Macau, Lin Ka Sang. Na altura, será também lançada uma publicação contendo as obras exibidas na exposição com o título “Doutrinas nas Letras e Sentimentos pelas Escovas - Colecção de Poesias, Artigos e Caligrafia de Lin Ka Sang”, informa o comunicado de imprensa da organização. Lin Ka Sang, natural de Chao Yang Guang Dong, é

PUB

CO

birmanês Kyaw Kyaw Naing, Tan Dun, DJ Spooky, entre muitos outros. Os mais aplaudidos projectos do grupo incluem as suas gravações históricas do clássico de música ambiente de Brian Eno, Music for Airports e In C, de Terry Riley, assim como concertos ao vivo com Philip Glass, Meredith Monk, Don Byron, Iva Bittova, Thurston Moore, Owen Pallett entre outros, acrescenta a nota de imprensa. Alguns destaques recentes incluem a estreia mundial, concertos e gravações de 2 X 5, de Steve Reich, incluindo um espectáculo esgotado no Carnegie Hall; as recentres digressões do grupo incluem a Ópera de Sydney, na Austrália, e o Festival de Música de Pequim; a digressão norte-americana e o espectáculo no Carnegie Hall com Steel Hammer, de Julia Wolfe, um concerto com o Trio Mediaeval e as obras encomendadas por Louis Andriessen, Bill Frisell, Ryuichi Sakamoto e outros, finaliza a nota.

Nove artistas locais na “Affordable Art Fair Hong Kong 2014”

A “Affordable Art Fair Hong Kong 2014” teve lugar este fim de semana e contou com a participação da AFA, (Art for All), que levou até ao território vizinho 36 obras de nove artistas locais. Segundo a nota de imprensa da organização, esta feira de arte tem como objectivo principal aproximar a arte do público em geral, abrindo portas a novos artistas. Os trabalhos levados até Hong Kong incluem pintura a óleo, desenho, escultura, entre outros, dos artistas Lai Sio Kit, Sylviye Lei, Cai Guojie, Nick Tai, Coke Wong, Rui Rasquinho, Eric Fok, Hong Wai e Mina Ao. Segundo a nota de imprensa, as obras dos artistas locais foram bem recebidas tendo sido efectuadas diversas vendas.

Vocalista dos Tara Perdida morreu devido a doença respiratória

O vocalista dos Tara Perdida, João Ribas, morreu este domingo, vítima de doença respiratória. Com 48 anos, o músico encontravase internado desde o início do mês no Hospital de Santa Maria, em Lisboa. A banda foi formada em 1995 e é composta por Nuno Espírito Santo, Pedro Rosário, Tiago e Rui Costa. Além dos Tara Perdida, João Ribas integrou outros projectos ligado ao espectro punk, como os Kus de Judas e os Censurados, tendo feito parte também de uma banda de tributo aos Ramones.

um grande calígrafo, excelente teórico na matéria, educador e poeta, acrescenta a nota de imprensa. Nascido em 1939 em Hai Feng, desde pequeno, dedicou-se à prática da caligrafia. As suas obras caligráficas têm vindo a participar em exposições nacionais e internacionais

nomeadamente no Japão, Coreia do Sul, Singapura, Hong Kong, Macau e Taiwan. Participou em 17 exposições individuais, tanto em Portugal como em cidades chinesas, como Xian, Guilin, Changchun, Xangai, Guangzhou e Pequim, entre outras. Esta será a terceira exposição individual de Lin Kan Sang em Macau e das obras expostas farão parte os seus trabalhos mais recentes que compreendem as caligrafias em Estilo do Selo (Zhuan Shu), Estilo das Escribas (Li Shu), Estilo Regular (Kai Shu), Estilo Comum (Xing Shu) e Estilo de Erva (Cao Shu). A Exposição decorrerá todos os dias, de 26 de Março a 3 de Abril, entre as 10 e as 18h, na Sala de Exposição do Centro Kam Pek.


12 publicidade

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

ANÚNCIO 【N.º32/2014】 Para os devidos efeitos vimos por este meio notificar os representantes dos agregados familiares da lista de candidatos a habitação social abaixo indicados, no uso da competência delegada pelas alíneas 11) do n.º 1 do Despacho n.º 01/IH/2014, publicado no Boletim Oficial da RAEM, n.º 3, II Série, de 15 de Janeiro de 2014 e nos termos do n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro: Nome

N.º do boletim de candidatura

Nome

N.º do boletim de candidatura

KONG LONG PENG

31200903425

*WONG TIM KAM

31200907434

LOI CHI IP

31200903447

*NG SOK IENG

31200903879

U IM CHI

31200905205

*CHAN KUOK CHOI

31200907163

WONG CHI HOU

31200906680

*O LAI HEONG

31200901104

CHAO CHI HONG ZIPAGAN HUFANA SHERYLL NG CHENG PO

31200900220

*AO IEONG SAO CHU

31200905620

31200902523

*KUOK MAN FAI

31200901754

31200900225

*LAI IOI HONG

31200903331

TAI KENG IAM

31200902395

*TAI KANG

31200906569

NG WAI HA

31200902931

*WAN WENG ON

31200904797

CHEONG HIO KONG

31200900850

*CHU POU KEANG

31200906192

LAM HOI KUONG

31200905038

*LAM TAI LONG

31200900652

LOU CHON FAI

31200904369

*CHAO ION CHUN

31200906861

CHOI PENG PENG

31200906891

*HO KEANG UN

31200903416

CHAO KIN I

31200901560

*CHU HONG SIO

31200900353

CHAN CHEOK NANG 31200906263

*WONG LAI CHAN

31200905233

CHAN SIO LENG

31200901810

*HONG TEK

31200906733

CHOI SIO FAN

31200902875

*CHAN SOI SAM

31200907391

*WONG CHI WA

31200906034

*CHIO PUI KEI

31200906339

*LEONG WAI IN

31200900774

*WONG KIT LENG

31200907324

*LI WING CHEUNG

31200905586

*LEI IAM CHUN

31200903976

*CHAN CHOI KENG

31200902549

*TONG TAI

31200905489

*WONG HIO FAN

31200906179

*CHON KUAI MENG

31200905554

*LAM POU IENG

31200901540

MAK KIN WA

31200907241

*LEI CHI KIN

31200903836

De acordo com o n.º 2 do artigo 9.º do Regulamento de Candidatura para Atribuição de Habitação Social, aprovado pelo Despacho do Chefe Executivo n.º 296/2009, alterado pelo Despacho do Chefe do Executivo n.º 141/2012, para nova verificação, se os candidatos preenchem os requisitos de candidatura ao arrendamento de habitação social, o Instituto de Habitação (IH) informou-os por meio de ofício, para que sejam entregue os documentos indicados no prazo fixado, mas os interessados acima referidos não entregaram os documentos dentro do prazo fixado, pelo que não reúnem nos termos do n.º 3 do artigo 9.º do mesmo regulamento. De acordo com os artigos 93.º e 94.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, devem apresentar, por escrito, as suas contestações e todas as provas testemunhais, materiais, documentais ou as demais provas, no prazo de 10 (dez) dias, a contar da data de publicação do presente anúncio. Caso não apresentarem a contestação no prazo fixado ou os mesmos não forem aceite pelo IH, as respectivas candidaturas serão excluídas da lista geral de espera por IH, nos termos dos artigo 5.º, n.º 3 do artigo 9.º e alínea 1) do artigo 11.º do Regulamento de Candidatura para Atribuição de Habitação Social, aprovado pelo Despacho do Chefe Executivo n.º 296/2009. * Simultaneamente, será cessado a concessão de abono de residência por o agregado familiar beneficiário ter sido excluido da lista geral de espera, de acordo com os termos da alínea 1) do n.º 1 do artigo 8.º do Regulamento Administrativo n.º 23/2008(Plano Provisório de Atribuição de Abono de Residência a Agregados Familiares da Lista de Candidatos a Habitação Social). No caso de dúvidas, poderão dirigir-se ao IH, sito na Travessa Norte do Patane, n.º 102, Ilha Verde, Macau, durante as horas de expediente, ou contactar Sra. Ho, através o tel. n.º 2859 4875 (ext. 222), para consulta do processo. O Chefe do Departamento de Habitação Pública, Chan Wa Keong 19 de Março de 2014

ANÚNCIO 【N.º 34/2014】 Para os devidos efeitos vimos por este meio notificar os representantes dos agregados familiares do concurso de habitação económica abaixo indicados, no uso da competência delegada pela alínea 15) do n.º 1 do Despacho n.º 01/IH/2014, publicado no Boletim Oficial da RAEM, n.º 3, II Série, de 15 de Janeiro de 2014 e nos termos do n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo DecretoLei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro: Nome IEONG CHONG NGOK LOI KIN FU CHAN TIN LEI IEK FUN KUOK KAM WAI

N.º do Boletim de candidatura 71532 83171 87373 99700 8411

Nome NG SEK HIN AO IEONG HANG PENG KUOK KAI MENG WONG CHI WA LAM KAM LONG

N.º do Boletim de candidatura 33884 89367 87802 93588 84912

Por causa dos representantes dos agregados familiares acima mencionados não comparecerem no este Instituto para escolha de habitação após a emissão da segunda convocação, as respectivas candidaturas serão excluídas na lista geral, de acordo com os termos da alínea 2) do n.º 5 do artigo 60.º da Lei n.º 10/2011 (Lei da habitação económica) e alínea a) do artigo 14.º do Regulamento de Acesso à Compra de Habitações Construídas no Regime de Contrato de Desenvolvimento para a Habitação, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 26/95/M, de 26 de Junho, revisto pelo Regulamento Administrativo n.º 25/2002. De acordo com os artigos 93.º e 94.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, devem apresentar, por escrito, as suas contestações e todas as provas testemunhais, materiais, documentais ou as demais provas, no prazo de 10 dias, a contar da data de publicação do presente anúncio. Se não apresentarem as contestações no prazo fixado, considerando as desistências do respectivo direito e não aceitação das contestações entregues fora do prazo fixado. No caso de dúvidas, poderão dirigir-se ao IH, sito na Travessa Norte do Patane, n.º 102, Ilha Verde, Macau, durante as horas de expediente, ou contactar Srª. Cheong, através o tel. n.º 2859 4875 (Ext. 220), para consulta do processo. O Chefe do Departamento de Habitação Pública, Chan Wa Keong 19 de Março de 2014


luz de inverno

Boi Luxo

CARAVAGGIO, DEREK JARMAN, 1986

N

UMA altura em que a cristandade se aproxima da época Pascal, na qual se celebra (celebrava?) a Missa de Ofício de Trevas, é conveniente lembrar o filme Caravaggio, de Derek Jarman. Este, como Michelangelo Merisi da Caravaggio e como Jesus Cristo teve uma vida curta. A propósito da doença de Jarman, que o vitimou aos 52 anos, faláramos já do azul, a cor que domina exclusivamente o ecrã do seu filme Blue (1993). O filme que explora a vida de Caravaggio começa na fase terminal da vida do celebrado pintor. Os tons dominantes são quentes. Este esforço, confesse-se, trai uma outra impressão. Mostra-se, até dia 13 de Abril, em Hong Kong, nas instalações luxuriantes e muito pouco tenebrosas da Ásia Society, um quadro de Caravaggio. A esta iniciativa associa-se, em intertexto, um conjunto de obras de 4 artistas do território sob a seguinte titulagem: Teatralidade; Realismo; Sombras; Mistério. Todos se aplicam com propriedade ao filme de Jarman. Tudo o que rodeia a vida do pintor italiano está envolto numa misteriosa sombra. O quadro em exibição é Ceia em Emmaus (a versão que está em Milão, na Pinacoteca de Brera e não a que existe na National Gallery, em Londres) e que alude a uma refeição em que, depois da ressurreição, o Messias é reconhecido por dois dos seus discípulos numa estalagem na povoação de Emmaus. O tenebrismo é uma opção estética que se impôs nos fins do século XVI e inícios do seguinte, uma escolha que Ca-

h

13

ARTES, LETRAS E IDEIAS

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

ravaggio levou a um extremo de perfeição que o instituiu como o grande iniciador de um hábito pictórico que se manteve durante séculos mas cuja origem permanece, como tantas coisas na sua vida, um mistério. Que Caravaggio se tenha libertado, aparentemente sozinho (ou como vítima de um ecletismo muito disperso), dos costumes que o maneirismo impusera durante décadas, é de uma petulência violenta. Caravaggio, de Derek Jarman, é um filme deliberadamente tenebrista. Quem, tendo acompanhando a sua carreira, lembra Blue, não pode deixar de sentir uma mórbida excitação. Em Blue não há imagens, apenas um ecrã sempre azul, a única cor que Derek Jarman via na fase terminal da sua doença em que passou por um estado de temporária cegueira. É um filme quase exclusivamente (exceptuando o ecrã azul) sonoro, ouvem-se vozes de quatro personagens. Em Caravaggio (filme e quadros do pintor) há muito poucos azuis. Ao invés, é uma exibição de corpos banhados por tons quentes, muitas vezes curados e cruzados pela imposição de faixas de luz que alternam com a presença simultaneamente amniótica e fatal das trevas, homenagem fatal ao pintor italiano. Derek Jarman delicia-se na exposição da pele de Caravaggio, Ranuccio Tomassoni, Lena e alguns dos seus modelos. São figuras do submundo, as mesmas que Caravaggio insolente e violentamente usa nos seus quadros. A figura que usa para retratar Cristo é uma figura da rua, expressiva mas prosaica.

O meio dos deserdados e marginais é o meio do próprio pintor. O Cristo é um homem do seu século e esta transposição foi chocante na altura. Ceia em Emmaus (esta versão é muito mais sombria e austera que a que se mostra em Londres mas, ao mesmo tempo, mais intensa de expressões) foi pintado numa altura em que Caravaggio se encontrava em fuga por ter, alegadamente, morto Ranuccio, um dos seus conhecimentos marginais, seu modelo e possivelmente seu amante. As suas figuras são tão desesperadas e tão banais quanto os seus companheiros. O elogio ao naturalismo que acompanha a obra do pintor de Caravaggio, a cidade onde nasceu, não foi, durante o século XVII, geral. A pintura da fealdade e da baixeza não recolheu muito favor: “… monstro único do natural, levado pelo seu próprio instinto à imitação do verdadeiro”, diz F. Scanelli em, 1657 em Il microcosmo della pittura; “depreciação da majestade da arte (…) o desprezo pelas coisas belas (…) a imitação das coisas vis” (G.P. Bellori, Le vite de’ pittori, scultori e architetti moderni, 1674); “a sua maneira levava ao abismo e à ruína a arte muito nobre e muito sublime da pintura” (G.C.Malvasia, La Felzina Pittrice, 1678); “não executava um só traço que não fosse feito directamente a partir do modelo vivo ” (K. van Mander, Het Leven der Moderne oft dees-tijsche doorluchtighe Italiaensche Schilders, 1603). (1) Se, como diz Stendhal, alguns quadros de Caravaggio foram rejeitados pelas próprias pessoas que os encomendaram, por não serem suficientemente belos, este filme de Derek Jarman não agradará a todos.

Jarman também é um moderno, usando – sem que este artifício passe de um pequeno artifício, sem se intrometer demasiado em nós – um conjunto de pequenos anacronismos (uma mota, uma calculadora, uma máquina de escrever). Compõe o seu filme com uma modernidade decorrente desses pequenos desajustes cronológicos e de uma narrativa pouco linear mas não demasiadamente desconcertada. Por vezes deseja-se que o desconcerto seja mais acentuado. As figuras de Jarman são, igualmente, banais, carnais, sempre cobertas de uma sujidade e de um sangue feroz. As trevas são o anúncio da divindade de Cristo mas são também o anúncio desesperado de uma existência vivida com intensidade e com um deleite fugaz. É óbvio que Jarman pretendeu, e bem, aliar a extrema teatralidade das peças de Caravaggio com o retrato das classes baixas e uma voluptuosidade dos corpos, por vezes repugnante, que anuncia constantemente a sua efemeridade. Lembrar Blue, no meio de tudo isto, é, repita-se, excitante. À sujidade das suas personagens alia-se a da venalidade e a lubricidade viscosa das classes dominantes e do papado. As cenas da festa nos domínios de um cardinal demonstram com a volúpia necessária o deleite na certeza da abastança e da superioridade social, garantidas 3 qualidades: o dinheiro, a arte e o sexo. (1) traduções do autor de passagens colhidas em Tout L’oeuvre Peint du Caravage, 1967, Flammarion.


14

h

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

Ricardo Araújo Pereira IN VISÃO

POSFÁCIO

Q

UEM gosta de ficção científica deve ler o prefácio de Cavaco Silva ao livro que reúne os seus discursos. E quem aprecia uma boa noite de sono deve ler os discursos. São muito repousantes. Mas o prefácio é uma pequena pérola de criatividade e imaginação. Sobressalta e inquieta, como toda a boa ficção, mantém o leitor agarrado ao enredo, e no entanto contém expressões como “sustentabilidade da dívida pública”, “crescimento anual do produto nominal” e “monitorização da política económica”. Uma proeza de que Ray Bradbury e Phillip K. Dick nunca foram capazes. Bradbury tentou, em tempos, imaginar um futuro distante em que máquinas, homens e o crescimento anual do produto nominal batalhavam pelo domínio do planeta, mas nunca passou do primeiro capítulo. E Dick chegou a esboçar um romance acerca da sustentabilidade da dívida pública no planeta Zordon, mas acabou por desistir. Cavaco é o primeiro autor a conseguir conciliar a ficção científica com o Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020.

A grande ideia do prefácio é a seguinte: Cavaco imagina o Portugal de 2035, um país em que a dívida, em grande medida, já foi paga, e desceu para um valor próximo dos 60% do PIB. Para que isso aconteça, há que seguir a estratégia que, nos últimos anos, fez com que a dívida subisse de 90% para 120% do PIB. De acordo com as contas do Presidente, Portugal precisará de crescer 3% ao ano durante 20 anos seguidos para atingir este objectivo. No entanto, segundo pessoas que foram consultar dados, nos últimos 40 anos Portugal não conseguiu crescer

CAVACO É O PRIMEIRO AUTOR A CONSEGUIR CONCILIAR A FICÇÃO CIENTÍFICA COM O QUADRO FINANCEIRO PLURIANUAL 2014-2020

3% uma única vez. Tenho de ir reler o prefácio, porque não dei pela parte em que seres de outros planetas visitam o nosso país e o colocam no caminho do crescimento económico inédito, partindo dos escombros deixados por uma das maiores crises de sempre. É capaz de estar nas entrelinhas e eu, que sou um leitor pouco sofisticado, não percebi. Tenho dado por mim a lamentar que o meu pensamento seja tão rústico. A questão da Rússia e da Ucrânia vai ou não iniciar uma guerra mundial? Confesso que não sei. Se não assassinarem um arquiduque ou invadirem a Polónia, não consigo perceber se vai haver conflito global. O aspecto mais corajoso do prefácio é o facto de Cavaco não ter medo de ser desmentido pela realidade. Quando hoje assistimos à série Espaço 1999 não podemos deixar de rir com a ideia que os seus autores faziam do que o mundo seria há 15 anos. Mas Cavaco aposta num mundo extraordinariamente fantasioso já a médio prazo. Politicamente, nunca primou pela coragem, mas como escritor é um valente.


artes, letras e ideias 15

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

António Lobo Antunes

IN VISÃO

CACILDA

S

E alugasse um dos quartos ajudava-me a pagar a renda da casa, se alugasse os dois dormia na sala mas ficava com a renda paga. Encolhendo-me dá para caber no sofá, o problema é a coluna, o médico preveniu - Tem que dormir direita e eu, de manhã, toda torcida, sem me conseguir mexer, afligida pela claridade que entra pelas persianas e me acorda logo de madrugada, puxando-me de sonhos confusos, com as pernas dormentes, não mencionando que os hóspedes têm que passar por aqui se querem ir à cozinha e o barulho dos chinelos, pssss, pssss, pssss, arrepia-me. Claro que finjo que continuo a dormir, claro que finjo não reparar nos gestos feios que atiram na minha direcção e na palavra

- Caiu na asneira de confiar em doutores misturadas com latidos de cães e aquelas máquinas infernais, de consertar passeios, a estremecerem o mundo, obrigando os ossos da gente a chocalharem sem fim. Isto optando por não referir a hipótese de esbarrar com o meu marido entre raízes - Andas a enganar-me sua vaca? à procura de um calhau perdido para me aleijar com ele, comigo a tentar escapar de campa em campa - Deixa-me em paz, Dionísio ou o vizinho do beijo, a cheirar a comida azeda

- Sua jeitosona sua jeitosona prendendo-me a saia numa gargalhadinha feroz.

- Peixinho, peixinho, que é mais saudável do que caviar)

- Estou num dilema entre despedir o Cosme e não despedir o Cosme

mastigada sem pressa a fim de durar mais tempo. E depois pode ser que o hóspede deixasse umas sobras no balde, no meio de cascas e, com sorte, talvez descobrisse por lá um restito de febra. A falta de dinheiro é um problema, tenho a luz em atraso, tenho o gás em atraso, esta semana, depois de escurecer, vou andar para aí a bater nas paredes, palpando o ar à cata do sofá e magoando a barriga na esquina da mesa. Já não me fiam na farmácia, a dona da mercearia faz que não me conhece, até se fartar de me ver palpar melões e me gritar

porque o Cosme se abotoou com uns dinheiros da caixa, a justificar-se - É por conta dos três meses de ordenado que me deve e, além disso, media um metro e noventa e tinha um cunhado polícia. Mas alugar um dos quartos ajudava-me a pagar a renda e almoçar de vez em quan-

- Andor

que, sinceramente, aos cinquenta e seis anos me dói, embora concorde que pareço mais do que a minha idade, também é natural com a vida que tive, o trabalho de limpeza no armazém, o meu marido com o problema do álcool, que o vinho dava-lhe para a bruteza

ela que, durante anos, considerei uma amiga, casada com um homem no género do meu marido, permitindo-nos comparar más sinas e nódoas negras. Ainda pensei procurar o meu chefe mas quem aceita uma empregada de limpeza de cinquenta e seis anos, mesmo mostrando o bilhete de identidade

- Andas a enganar-me sua vaca

- Está aqui no cartão, repare

eu que nunca o enganei, palavra de honra, aceitei uma ocasião um beijo de um vizinho e fugi logo, nem sei como aquilo aconteceu. O vizinho, que era viúvo, teve um ataque um mês depois, os bombeiros levaram-no e até hoje. Das duas uma, ou bateu a bota ou está, de boca à banda, num lar, sem conhecer as pessoas. Se aquilo acontecesse comigo o que preferia eu? Bater a bota ou ficar para ali, a receber uma sopinha que nem consigo engolir, de fraldas, a cheirar a comida azeda, no meio de colegas de fraldas, a cheirarem a comida azeda, ao lado de um sujeito que grita o tempo inteiro? Talvez bater a bota e ter sossego, mas quem me irá pôr flores na jarrinha da lápide? E quem me garante que não se ouvem, lá em baixo, as conversas dos vivos

ou - Ao menos com ele ali quietinho tenho paz e bengalas que se afastam no sentido do portão

(o médico

Portanto estou num dilema, como dizia o meu chefe

- Velha

- Sabe o que me disse o médico, dona Isaura?

do uma postazita de peixe com grelos por causa da dieta

competente, educada, honesta? Talvez o melhor seja deixar esta casa com os tarecos e tudo, e sair para rua ao acaso. É capaz de haver lugares vagos debaixo das pontes ou nas entradas dos prédios, é capaz de existirem homens decentes - Velha mas jeitosona desejosos de dividirem comigo os cobertores, o caldo da paróquia e o sabão do balneário público, capazes de me oferecerem metade do seu degrau no coreto - Agarradinhos cabemos

A FALTA DE DINHEIRO É UM PROBLEMA, TENHO A LUZ EM ATRASO, TENHO O GÁS EM ATRASO, ESTA SEMANA, DEPOIS DE ESCURECER, VOU ANDAR PARA AÍ A BATER NAS PAREDES, PALPANDO O AR À CATA DO SOFÁ E MAGOANDO A BARRIGA NA ESQUINA DA MESA

e dormimos um contra o outro, na eventualidade de não ressonarem muito, com um rafeiro, preso por uma corda, aos pés, aquecendo-nos os joanetes, e passarmos as tardes num banco de jardim, lado a lado, disputando migalhas aos pombos, apanhando-as com um prego espetado no fim de uma vara, ou até, com sorte, apanhando um pombo mais distraído e chamar-lhe faisão.


16

DESPORTO

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

TÉNIS NÚMERO UM PORTUGUÊS DEFRONTA HOJE TOMAS BERDYCH

o serviço em branco, para 2-4 e demorou a reencontrar o seu ténis. No set decisivo, Sousa entrou melhor e quebrou logo no segundo jogo, para adiantar-se para 3-0 e, depois, 4-1. Mas o português viria a ceder o serviço, em branco, só que Simon não aproveitou e voltou a ceder, no 19.º break-point do encontro.Aservir a 5-3, Sousa rapidamente chegou a 40-0, no entanto, precisou de quatro match-points para fechar, concluindo a maratona de três horas e quatro minutos, com um passing-shot de direita. Após ganhar o oitavo de 17 encontros disputados esta época, Sousa terá amanhã pela frente o checo Tomas Berdych que se estreou ontem no torneio, vencendo o francês Stéphane Robert (90.º), por 7-6 (7/5), 6-1.

Sousa na terceira ronda de Miami J

OÃO Sousa obteve neste sábado, em Miami, a maior vitória desta época e uma das melhores da carreira, ao eliminar Gilles Simon do Sony Open Tennis. O tenista português venceu o actual 27.º do ranking mundial após uma maratona de três horas, cheia de momentos de tensão e incerteza – e em que não faltou uma paragem forçada pela chuva – para qualificar-se para a terceira ronda do segundo Masters 1000 de 2014. A fasquia elevou-se e como tal, o próximo adver-

sário de Sousa é um dos 10 melhores do mundo: o checo Tomas Berdych, sétimo na hierarquia do ténis mundial. Diante de um Simon longe do seu melhor – apresenta um registo negativo (quatro vitórias-cinco derrotas) em 2014 e vem de uma derrota na estreia em Indian Wells – Sousa impôs-se pelos parciais de 7-6 (7/5), 3-6 e 6-3. Sousa entrou mal no encontro, cedendo o serviço em branco. Os primeiros serviços continuaram sem fazer mossa e o francês quebrou novamente, para

3-0. O número um português reagiu, quebrou o adversário e ganhou finalmente o seu serviço para 2-3. O encontro tornou-se mais equilibrado, mas Simon serviu a 5-4,

chegando a 40-0. Sousa anulou os três set-points, recuperou o segundo break de desvantagem e, com um jogo de serviço em branco, passou comandar o marca-

MALDITA CHUVA

A chuva interrompeu durante uma hora o encontro quando Simon servia no terceiro jogo. No reatamento, repetiu-se a história inicial: Sousa reentrou mal, perdeu

Futebol português Presidente do Conselho de Arbitragem teme pela vida dos árbitros

WTCC PILOTO LAMENTA QUE PROVA NÃO PASSE ESTE ANO EM PORTUGAL

Tiago Monteiro ficou triste O piloto português Tiago Monteiro (Honda) lamentou que o Campeonato do Mundo de Turismos (WTCC) não passe este ano por Portugal, mas mostrou-se confiante de que a categoria voltará no futuro às pistas portuguesas. “É pena (o WTCC) não passar por Portugal. Sempre disse que tinha muita sorte por estar num Campeonato do Mundo que passava no meu país. (...) Agora, não acontecendo, fico triste pelo facto de não correr frente aos meus amigos, fãs, apoiantes”, disse o piloto portuense, na apresentação da equipa oficial da Honda no circuito Ricardo Tormo, em Valência (Espanha). Tiago Monteiro, que esteve em testes no circuito valenciano ao volante do novo Honda Civic para a temporada de 2014, mostrou-se convencido de que o campeonato voltará a passar pelas pistas portuguesas. “O público português tem

sido fantástico comigo. É pena, mas digamos que já foi um privilégio tê-lo feito durante muitos anos e de qualquer forma estou convencido de que vai regressar a Portugal, foi só uma pequena paragem”, salientou. O WTCC deste ano arranca a 13 de Abril, no circuito citadino de Marraquexe (Marrocos), passando depois por França, Hungria, Eslováquia, Áustria, Rússia, Bélgica, Argentina, Estados Unidos, China, Japão e Macau. Num Honda Civic totalmente renovado (adaptando já as alterações técnicas deste ano), Tiago Monteiro destacou que poderá ser a Citroën a dar mais luta à sua equipa, que no ano passado se sagrou campeã mundial de fabricantes. A equipa francesa conta com os pilotos Sebastien Loeb (nove vezes campeão do Mundo de ralis) e Yvan

dor, numa série de 11 pontos consecutivos. O tie-break começou com uma dupla-falta do jogador luso, mas recuperou de imediato e chegou a liderar por 4/2. O mini-break decisivo permitiu-lhe servir a 6/5. E Sousa não hesitou para fechar ao fim de 58 minutos.

Muller (tetra-campeão do WTCC). “Temos uma concorrência muito forte. Mais do que o Sebastien Loeb, é a Citroën em si, que vem com o Yvan, a arma mais perigosa da nossa concorrência”, sublinhou o piloto português. Já o companheiro de equipa de Tiago Monteiro na Honda, o italiano Gabriele Tarquini, considera que nesta altura de testes não é possível aferir das capacidades dos adversários. “Nunca se sabe o poder dos teus adversários. Estou curioso por ver em Marraquexe. Mas o meu objectivo no início do ano é sempre ganhar corridas e ser campeão. Depois depende dos pontos que conseguir nas primeiras corridas, depois logo vejo se vou lutar para o título ou para os pontos individuais”, disse o piloto italiano, que no ano passado ficou em segundo lugar no campeonato.

A

frase pertence ao presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol. Em entrevista ao jornal Record, Vítor Pereira fala dos “actos verdadeiramente criminosos que têm sido praticados contra os árbitros e as suas famílias”. “Receio que estas ameaças deixem de o ser e cheguem a vias de facto”, diz o dirigente. O dirigente lamenta o clima de intimidação, que refere também no contexto das críticas recorrentes do Sporting e, embora evite uma resposta directa aos leões, deixa esta ideia, quando questionado sobre o facto de o presidente do Sporting já ter pedido

árbitros estrangeiros. “Isso vai acontecer, assim que o Sporting esteja nas competições europeias.” Bruno de Carvalho já comentou entretanto as palavras de Vítor Pereira. “Há os que gostam de falar cara a cara e os que o fazem através da comunicação social. Estou à espera que ele se digne marcar uma reunião para nos dizer cara a cara o que pensa e deixar-se desse ‘show off´. Já não é a primeira vez que é confrontado por nós e abana com a cabeça que sim a tudo e depois, mais tarde, vem dizer outra coisa através da imprensa”, afirmou o presidente dos leões, no Funchal.

PUB

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO N.° 100/AI/2014

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO N.° 138/AI/2014

-----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal relativamento os infractores WU DEBAO e HU SUFANG, pelo presente notifique-se os infractores ZHOU YU (portador do Bilhete de Identidade de Residente Não Permanente da RAEM n.° 14692xxx), WU DEBAO (portador do salvo-conduto para deslocação a Hong Kong e Macau da RPC n.° W51868xxx) e HU SUFANG (portadora do salvo-conduto para deslocação a Hong Kong e Macau da RPC n.° W37762xxx), que na sequência do Auto de Notícia n.° 58/DI-AI/2012, de 14.06.2012, levantado pela DST e por despacho da signatária de 14.03.2014, exarado no Relatório n.° 129/DI/2014, de 14.02.2014, lhes foi desencadeado procedimento sancionatório, por controlar a fracção autónoma situada na Rua de Xangai, n.° 182, Edf. Hoi Kun Chong Sam (Centro Hoi Kun), 13.° andar F e utilizada para a prestação ilegal de alojamento.--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------No mesmo despacho foi determinado, que deve, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, apresentar, querendo, a sua defesa por escrito sobre a matéria constante daquele Auto de Notícia, oferecendo nessa altura todos os meios de prova admitidos em direito. Nos termos do n.° 2 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010 não é admitida apresentação de defesa ou de provas fora do prazo.---------A matéria constante daquele Auto de Notícia constitui infracção ao artigo 2.° da Lei n.° 3/2010, tal facto é punível nos termos no n.° 1 do artigo 10.° da Lei n.° 3/2010.------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d'Assumpção n.os 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18.° andar, Macau.---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

-----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se a infractora YU FUZHEN (portadora do Salvo-Conduto de dupla viagem da RPC n.° W43229XXX) , que na sequência do Auto de Notícia n.° 92/DI-AI/2012 de 24.08.2012, levantado pela DST, por controlar a fracção autónoma situada na Rua do Terminal Maritimo n.os 93-103, Edf. Centro Internacional de Macau, Bloco 2, 14.° Andar H e utilizada para a prestação ilegal de alojamento, bem como por despacho da signatária de 20.03.2014, exarado no Relatório n.° 190/DI/2014, de 03.03.2014, lhe foi determinada a aplicação de uma multa de $200.000,00 (duzentas mil patacas), e ordenada a cessação imediata da prestação ilegal de alojamento no prédio ou da fracção autónoma em causa, nos termos do n.° 1 do artigo 10.° e n.° 1 do artigo 15.°, todos da Lei n.° 3/2010.----------------------------------O pagamento voluntário da multa deve ser efectuado no Departamento de Licenciamento e Inspecção destes Serviços, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, de acordo com o n.° 1 do artigo 16.° da Lei n.° 3/2010, findo o qual será cobrada coercivamente através da Repartição de Execuções Fiscais, nos termos do n.° 2 do artigo 16.° do mesmo diploma.-----------------------------Da presente decisão cabe recurso contencioso para o Tribunal Administrativo, a interpor no prazo de 60 dias, conforme estipulado na alínea b) do n.° 2 do artigo 25.° do Código do Processo Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto-Lei n.° 110/99/M, de 13 de Dezembro e no artigo 20.° da Lei n.° 3/2010.------------------------------------------------------------------------------------------------------------Há lugar à execução imediata da decisão caso esta não seja impugnada.---------------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18.° andar, Macau.---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

-----Direcção dos Serviços de Turismo, aos 14 de Março de 2014.

-----Direcção dos Serviços de Turismo, aos 20 de Março de 2014. A Directora dos Serviços, Maria Helena de Senna Fernandes

A Directora dos Serviços, Maria Helena de Senna Fernandes


FUTILIDADES

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

TEMPO

POUCO

NUBLADO

Cineteatro

CINEMA

MIN

17

MAX

22

HUM

65-90%

EURO

11.0

BAHT

0.2

YUAN

17

1.3

HOJE NA CHÁVENA Paula Bicho

Naturopata e Fitoterapeuta • obichodabotica@gmail.com

Guaraná Nome botânico: Paullinia cupana Kunth. Família: Sapindaceae. DIVERGENT

Diz a lenda que um rebento de Guaraná, fonte de força, beleza e longevidade, nasceu dos olhos de uma bonita índia. O seu nome, fruto da juventude, deriva da palavra índia warana. Trata-se de uma trepadeira lenhosa, sempre-verde, que pode atingir os 10 metros de altura, de flores amarelas claras, discretas mas fragantes, formando cachos; os frutos, de cor vermelha ou alaranjada, abrem-se com a maturação expondo uma semente castanha escura e brilhante, cuja forma nos lembra a de um olho. É nativo das florestas tropicais da Amazónia brasileira. Utilizado há milhares de anos, o Guaraná era uma planta muito importante para a cultura índia da América do Sul. Com o pó obtido das suas sementes secas os índios confecionavam alimentos, bebidas e remédios. Atualmente tornou-se uma bebida muito popular constituindo até uma alternativa ao Café. Em fitoterapia são usadas as sementes torradas e pulverizadas.

SALA 1

DIVERGENT [C]

Um filme de: Neil Burger Com: Woodley, Kate Winslet, Maggie Q, Zoe Kravitz 14.15, 16.45, 19.15, 21.45 SALA 2

NON-STOP [B]

Um filme de: Jaume Collet-Serra Com: Liam Neeson, Julianne Moore 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

SALA 3

NEED FOR SPEED [B]

Um filme de: Scott Waugh Com: Aaron Paul, Dominic Cooper, Imogen Poots 14.30, 16.45, 21.30

300: RISE OF AN EMPIRE [C] Um filme de: Noam Murro Com: Sullivan Stapleton, Eva Green, Lena Headey 19.30

Holandês já engravidou 98 mulheres por solidariedade • Na Holanda há um guia turístico que se tornou famoso, não pelo seu trabalho ligado ao turismo mas sim pela ajuda que diz prestar a mulheres que querem ser mães. Ed Houben já engravidou 98 desconhecidas que o procuraram unicamente pelos lendários poderes de inseminação. O holandês é um “doador de esperma solidário”, já que ajuda casais de lésbicas, mulheres solteiras e até casais heterossexuais com problemas de fertilidade a ter filhos de forma gratuita. Tudo começou em 2002 com uma doação para um banco de esperma. Mas a sua carreira como dador evoluiu quando na Holanda a doação de esperma anónima foi proibida. E foi aí que começou a oferecer os seus serviços gratuitamente na Internet.

Polícias do Havai querem lei que lhes permita sexo com prostitutas • Os polícias de Honolulu (Havai, EUA) querem que os deputados do estado americano aprovem uma lei que permita que os agentes façam sexo com prostitutas enquanto estiverem disfarçados em alguma investigação criminal. O Congresso havaiano está a avaliar a questão.

COMPOSIÇÃO Alcaloides (cafeína, teobromina e teofilina), proantocianidinas, catequinas e epicatequinas, saponósidos, colina, resina, mucilagens, óleo volátil, óleo gordo (ácido oleico), amido e proteinas. É uma das plantas conhecidas com maior conteúdo em cafeína, contendo cerca de três vezes mais do que o Café.

DÁVALOS A DOBRAR Em tom de brincadeira, em terras colombianas, dizem que ambas existem a dobrar por uma provocação da natureza. Falamos de Mariana e Camila Dávalos, manequins e enorme sucesso na Colômbia, que têm a particularidade de serem gémeas. Deixam qualquer um de queixo caído com uma beleza deslumbrante da cabeça aos pés.

fonte da inveja

O fim das metanarrativas transformou-se

numa metanarrativa.

João Corvo

AÇÃO TERAPÊUTICA O Guaraná é um estimulante físico e mental: melhora as capacidades cognitivas (atenção, concentração e raciocínio), a vitalidade e energia do organismo reduzindo a fadiga. A sua ação é rápida e eficaz, mas ao contrário dos tónicos que fortalecem o organismo, os estimulantes não fornecem os nutrientes necessários e podem até inibir os mecanismos naturais de recuperação… Assim, a sua utilização deve ser a curto prazo e equacionada em função de outras alternativas. Não obstante, é usado com certa frequência em situações de fadiga física e mental, stress, astenia e sensação de debilidade. Os estudantes em épocas de exames e os desportistas tomam-no para aumentar a performance e a resistência. Esta trepadeira é igualmente esti-

mulante sobre o coração, dilata os vasos sanguíneos, é antioxidante e anti-inflamatória, reduz o colesterol LDL e diminui a agregação das plaquetas, prevenindo a aterosclerose e a formação de trombos, fatores predisponentes para a doença cardiovascular. Pode ser empregue na hipotensão arterial. OUTRAS PROPRIEDADES Tradicionalmente utilizado para atenuar a sensação de fome em períodos de escassez alimentar, o Guaraná é atualmente empregue em regimes de emagrecimento (como adjuvante da dieta e do exercício físico). Além de suprimir o apetite, facilita a saída de gordura das células disponibilizando-a como fonte de energia e acelera o metabolismo aumentando a temperatura do organismo e os gastos energéticos, contribuindo para a perda de peso; é ainda diurético, combatendo a retenção de líquidos e favorecendo a eliminação das toxinas acumuladas. É ainda considerado um afrodisíaco, provavelmente por aumentar os níveis de energia no organismo e ser simultaneamente um vasodilatador, sendo indicado para homens e mulheres. COMO TOMAR • Uso interno Pó: 1 colher de café diluída num copo de água ou sumo de frutas. Tomar antes do pequeno-almoço ou do almoço. Em ampolas, tintura, xarope, cápsulas e comprimidos. Faz parte de diversas fórmulas para o cansaço, memória, emagrecimento e como tónico sexual. O Guaraná encontra-se ainda em misturas com café solúvel e em “bebidas energéticas”. • Uso externo Em máscara e gel para a celulite. PRECAUÇÕES O uso continuado produz dependência, pelo que os tratamentos devem ser descontínuos. Não associar a outros estimulantes pois pode potenciar o seu efeito. Em pessoas sensíveis ou em doses elevadas pode provocar nervosismo, insónia, tremores, taquicardia, palpitações e inflamação do estômago. Não deve ser tomado por pessoas com ansiedade, insónia, hipertiroidismo, hipertensão arterial, arritmias e gastrites, bem como durante a gravidez e amamentação. Em caso de dúvida, consulte o seu profissional de saúde.


18 publicidade

hoje macau segunda-feira 24.3.2014


OPINIÃO

hoje macau segunda-feira 24.3.2014

DAVID CHAN* legalpublicationsreaders@yahoo.com.hk • http://blog.xuite.net/legalpublications/hkblog

As nossas crianças

E

NCONTRAMOS com frequência nos jornais notícias sobre casos de abuso de crianças e de violência familiar. Na maioria das ocasiões, o pai é o réu acusado de magoar o filho, a mãe ou outro familiar. É raro vermos pais serem processados pelos filhos. No dia 7 de Março de 2014, o website “hk. news.yahoo.com” relatou que entre 2010 e 2013, um pai cometeu por quatro vezes o crime de sodomia contra a sua filha tinha na altura entre 10 e 13 anos. Como medida de protecção, a criança, agora com 14 anos, apresentou o seu testemunho por vídeo-conferência, e não no sala do Tribunal de Hong Kong. Durante a investigação, a criança disse que mentiu ao tribunal, o que fez com que a acusação revogasse todas as acusações contra o pai. Juiz: “Sabe que é um crime mentir em tribunal?” Filha: “Não sabia que era um crime.” O motivo pelo qual a rapariga mentiu é interessante: o pai não lhe dava uma mesada.  Após ser libertado, o pai prestou declarações a um jornalista. Disse apenas: “Ela é minha filha. Como é que posso estar zangado com ela? Precisamos de tempo para a educar.” Uma história semelhante aconteceu nos EUA. No mesmo dia, 7 de Março de 2014, a queixosa, Rachel Canning, de 18 anos, que não vivia em casa e frequentava o ensino secundário processou os pais e exigiu-lhe que pagassem:  1. 2. 3.

pais de 55 a 64 anos tinham de adiar a data de aposentação para pagar os empréstimos para os filhos estudarem. Existem dois casos semelhantes de crianças a processarem os pais. Em 2012, dois irmãos acusaram a mãe de esta lhes ter roubado dinheiro do mealheiro. O tribunal de Taiwan acabou por determinar que não haveria litigação porque a mãe usou o dinheiro para comprar roupas e outros bens para os filhos. Em 2011, um jovem espanhol, estudante universitário de direito, processou os pais por estes não lhe darem uma mesada de 588 dólares norte-americanos. O caso acabou por não ter seguimento porque o juiz argumentou que o estudante não arranjou um trabalho para ganhar dinheiro para pagar as suas despesas. Atentemos nos quatro casos acima descritos. O artigo 1733º (1) do nosso Código Civil determina que os pais devem dar dinheiro aos filhos e ajudá-los a crescer. Os pais têm de despender uma quantia considerável de dinheiro com os filhos. O artigo 1734º requer ainda que os pais devem suportar todas as despesas diárias, de saúde e de educação

19

macau visto de hong kong

Uma mulher estava a estacionar o carro numa zona restrita. Era um caso de estacionamento ilegal. Tal como em Macau, o polícia passaria uma multa. Se a multa fosse paga, o caso ficaria encerrado. No entanto, a mulher quando viu que o polícia vinha na sua direcção para a multar, tentou fugir subornando o agente. Um cão de rua que tinha sido alimentado pela mulher mordeu o polícia quando este estava a passar a multa dos filhos. No entanto, apenas o artigo 1733º (2) determina que os filhos devem obedecer aos pais. Se os quatro casos acima descritos tivessem acontecido em Macau, será que o artigo 1733º (2) podia ser usado para resolver

os problemas? Seja qual for a resposta, talvez seja tempo de pensarmos nos deveres dos membros da família. Por exemplo, como é que se “deve educar” uma criança? Quais são as suas “responsabilidades”? O que é “melhor” para os nossos filhos? As respostas a estas perguntas podem variar de família para família. Como é que a lei resolve estes problemas? A utilização da lei para resolver conflitos familiares pode ser um assunto a abordar no futuro. No mesmo dia, 7 de Março de 2014, chegou outra notícia de Hong Kong. Uma mulher estava a estacionar o carro numa zona restrita. Era um caso de estacionamento ilegal. Tal como em Macau, o polícia passaria uma multa. Se a multa fosse paga, o caso ficaria encerrado. No entanto, a mulher quando viu que o polícia vinha na sua direcção para a multar, tentou fugir subornando o agente. Um cão de rua que tinha sido alimentado pela mulher mordeu o polícia quando este estava a passar a multa. Comparando os quatro primeiros casos, com este do cão, não acham que por vezes os nossos animais de estimação são muito mais queridos?

cartoon por Stephff

As despesas do quotidiano e As propinas do ensino secundário e As propinas da universidade.

O tribunal declarou que Canning tinha não tinha direito aos dois primeiros pagamentos exigidos. Uma nova sessão terá lugar no mês que vem para decidir se tem, ou não, direito ao terceiro.  Os factos são simples. Canning, que não vivia em casa desde Outubro de 2013, faltava às aulas, por isso os pais deixaram de lhe dar dinheiro e de pagar as propinas. Ao ver-se sem dinheiro Canning decidiu processar os pais. No julgamento, o juiz declarou que Canning não respeitou os pais. Se o tribunal aceitasse a sua queixa, poderia estar a dar um sinal enganoso e, mais tarde poderia haver casos de crianças a processar os pais por estes não lhes darem um iPhone 5 ou uma Xbox e por aí fora. Os tribunais ficariam cheios de processos judiciais, etc..  O “New York Times” indicou que 9% dos

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Cecilia Lin; Joana de Freitas; José C. Mendes Colaboradores Amélia Vieira; Ana Cristina Alves; António Falcão; António Graça de Abreu; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Agnes Lam; Arnaldo Gonçalves; Correia Marques; David Chan; Fernando Eloy ; Fernando Vinhais Guedes; Isabel Castro; Jorge Rodrigues Simão; Leocardo; Paul Chan Wai Chi Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau Pineda; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia Gonçalo Lobo Pinheiro; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@ hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


hoje macau segunda-feira 24.3.2014

H7N9 TRABALHADORES DO MERCADO SAEM DE ISOLAMENTO OBRIGATÓRIO IMPOSTO PELO TRIBUNAL

Fora de perigo E

STÃO fora do isolamento obrigatório os cinco trabalhadores do mercado municipal que tiveram contacto com aves infectadas com a gripe H7. Os funcionários foram colocados em alerta, depois do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) ter dado conta de que poderiam estar em risco, uma vez que foi descoberto o vírus da gripe aviária em duas amostras de ambiente recolhidas a 12 de Março em bancas de venda de galinhas do Mercado de São Domingos e do Mercado de São Lourenço. Dias antes, tinha sido detectada a presença do vírus num lote de animais vivos no mercado abastecedor da Nam Yue. Os Serviços de Saúde (SS) colocaram 49 pessoas sob aviso, sendo que cinco deles - confirmados como pessoas com contacto próximo – foram submetidos, obrigatoriamente, a observação médica em local de isolamento, após uma ordem do tribunal. “Dado que as pessoas em causa recusaram ficar sob observação médica em local designado pelos SS,

para efeitos de proteger a saúde pública, o director dos SS emitiu e aplicou em colaboração com o PSP, a ordem de isolamento obrigatório para aquelas cinco pessoas. A decisão do respectivo isolamento obrigatório foi confirmada em 17 de Março pelo Tribunal Judicial de Base”, pode ler-se num comunicado enviado pelos SS. Ontem, foi atingido o período de 10 dias a contar da data do último contacto com aves domésticas que são eventuais portadoras de vírus, e até ao momento, nenhuma destas pessoas apresentou sintomas de infecção humana, pelo que foi terminado o isolamento obrigatório ou a observa-

ção médica. Durante o período de isolamento, foram monitorizados os sinais vitais, tais como tosse, dor na garganta, dificuldade respiratória e temperatura corporal, pelo que tiveram de tomar Tamiflu “para efeitos de tratamento preventivo”. Além disso, foi realizado o teste de vírus de secreções respiratórias por três vezes. “Todos os testes evidenciam reacção negativa e nenhuma destas pessoas apresentou sintomas de infecção.” Actualmente, na China houve já 396 casos confirmados de infecção humana pela gripe, dos quais resultaram 92 óbitos. Em Macau, ainda não há registo de casos. - J.F.

LIGA DE ELITE - 6.ª JORNADA RESULTADOS Ka I

10 – 0

Sub-23

Lai Chi

1 – 2

Polícia

Monte Carlo

6 – 1

Kei Lun

Chao Pak Kei

0 – 0

Sporting

Folgou o Benfica

CLASSIFICAÇÃO

J V E D GM-GS P

1 Sporting

5

4

1

0

11-1

13

2 Monte Carlo

6

4

1

1

21-5

13

3 Benfica

5

3

1

1

16-2

10

4 Ka I

5

3

1

1

17-3

10

5 Chao Pak Kei

5

3

1

1

15-4

10

6 Polícia

5

2

1

2

5-5

7

7 Lai Chi

5

1

0

4

2-15

3

8 Sub-23

6

1

0

5

1-29

3

9 Kei Lun

6

0

0

6

4-33

0

PUB

Hoje Macau 24 MAR 2014 #3056  

Hoje Macau N.º3056 de 24 de Março de 2014.

Advertisement