Issuu on Google+

PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

MOP$10

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • QUARTA-FEIRA 22 DE AGOSTO DE 2012 • ANO XI • Nº 2678

Ter para ler

TEMPO POUCO NUBLADO MIN 27 MAX 34 HUMIDADE 50-90% • CÂMBIOS EURO 9.6 BAHT 0.2 YUAN 1.2

Número de funcionários públicos aumentou 50% desde a transição

A máquina imparável Quase 26 mil pessoas trabalham na administração pública, quando em 2002 eram pouco mais de 17 mil. E isto sem contar com os chamados “tarefeiros”. Governo argumenta que só assim é possível responder

FEZ CARREIRA EM ÁFRICA

João Laurentino Neves vai dirigir o IPOR PÁGINA 20

aos novos desafios. O deputado Ng Kuok Cheong diz que é gente a mais, contratada por uma razão simples: “os altos cargos não conseguem resolver os problemas do dia-a-dia sozinhos”. PÁGINAS 2-3

ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA

Macau recebe conferência internacional PÁGINA 7

MEDICINA CHINESA

RAEM dá impulso à investigação a nível nacional PÁGINA 5


2

política

quarta-feira 22.8.2012

www.hojemacau.com.mo

Os deputados dizem que não é preciso, mas o Governo considera necessários todos os trabalhadores a seu cargo. Os dados mais recentes mostram que há 25.994 funcionários públicos. Ou seja, 4,57% da população de Macau

Número de funcionários na máquina administrativa continua a aumentar. Desde a transição já subiu 50%

Venham mais, muitos mais DISTRIBUIÇÃO DOS EFECTIVOS POR SECRETARIAS E OUTROS ÓRGÃOS Secretarias e Outros Órgãos

Nº de efectivos

Chefe do Executivo

658

Secretária para a Administração e Justiça

4.070

Secretário para a Economia e Finanças

2.197

Secretário para a Segurança

8.976

Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura

6.209

Secretário para os Transportes e Obras Públicas

2.793

Comissariado Contra a Corrupção

222

Joana Freitas

Comissariado da Auditoria

105

A

Assembleia Legislativa

90

joana.freitas@hojemacau.com.mo

tendência mantém-se: os trabalhadores do Governo vão aumentando de ano para ano, com uma subida de 49,6% desde 2002 (17.368 funcionários) até 2011 (25.994). Quase 26 mil pessoas trabalhavam na Administração Pública no ano passado, contra as 24.895 que exerciam cargos no Governo em 2010. E a acompanhar as subidas no número de trabalhadores, estão também as subidas nos vencimentos médios. Os dados foram compilados pelos Serviços de Administração e Função Pública (SAFP), mas deixam de fora todos os que trabalham por contrato de tarefa ou prestação de serviços – não há números concretos sobre quantos serão, mas os deputados falam em cerca de quatro mil pessoas. “Macau é uma cidade pequena, que não precisava de tantos funcionários”, critica Ng Kuok Cheong, quando confrontado com os recentes dados pelos Hoje Macau. “Mas claro que quando os altos cargos não conseguem resolver os problemas do dia-a-dia sozinhos, precisam de 26 mil funcionários

Tribunais 400 Ministério Público

274

Total 25.994

DISTRIBUIÇÃO DO VENCIMENTO MÉDIO POR SECRETARIAS E OUTROS ÓRGÃOS Secretarias e Outros Órgãos Vencimento Médio (MOP) Chefe do Executivo

20.642,70

Secretária para a Administração e Justiça

20.703,20

Secretário para a Economia e Finanças

25.021,00

Secretário para a Segurança

20.006,00

Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura

25.059,80

Secretário para os Transportes e Obras Públicas

21.864,10

Comissariado Contra a Corrupção

27.006,70

Comissariado da Auditoria

32.723,20

Assembleia Legislativa

30.659,00

Tribunais 27.705,90 Ministério Público

no Governo, a maior parte como assistentes.” Os aumentos constantes de trabalhadores na chamada máquina administrativa são tema recorrente na Assembleia Legislativa (AL). De um lado, deputados criticam

os aumentos “ridículos” e o “esbanjamento” do erário público. Do outro, Florinda Chan, secretária para a Administração e Justiça, considera ser necessário mais recursos humanos dado o aumento do número

29.044,60

de turistas e o objectivo de diversificação da economia. Florinda Chan, interpelada na AL o ano passado, assegura que se a RAEM quer ter um “Governo de serviços” todos os funcionários públicos existentes são necessários. Têm apenas de ser melhor distribuídos. A má gestão dos empregados do Governo, que faz

com que haja sobreposição de funções, é uma das preocupações dos deputados, a par com o que chamam de níveis de educação baixos dos que têm cargos altos. “Se os funcionários de alto escalão continuarem a não saber exercer as suas responsabilidade, o número de funcionários vai continuar a aumentar”, reitera Ng Kuok

REPARTIÇÃO DOS CARGOS DE DIRECÇÃO E CHEFIA POR NATURALIDADE Naturalidade

Director

Subdirector

Chefe de Departamento

Chefe de Divisão

Chefe de Sector

Chefe de Secção

Outros Total

RAEM

47

49

109

233

19

51

30 538

Interior da China

7

12

36

70

0

5

4

RAEHK

4

2

8

8

0

1

0 23

Portugal

1

0

2

2

2

1

6 14

Outros

4

4

12

12

1

3

3 39

Total

63

67

167

325

22

61

43 748

134

Cheong, deputado da ala democrática. “É difícil dar um número certo dos trabalhadores que são precisos, porque isso depende do nível de formação dos oficiais do Governo.”

SEGURANÇA MASCULINA

São os homens que desempenham mais cargos na Administração (59%), mas as mulheres não ficam muito abaixo, ocupando 41% dos cargos. Os dados referem-se ao total de empregados efectivos tanto dos serviços públicos como das Forças de Segurança, onde o sexo masculino vinga mais. “A presença de homens é mais acentuada, já que 77,1% dos trabalhadores são masculinos”, pode ler-se no relatório dos SAFP. De Portugal há apenas 297 pessoas (1,1%), com os naturais de Macau a ocuparem a maior parte dos lugares na Administração – 16271 são da RAEM, seguidos dos funcionários do interior da China. “Verifica-se a predominância dos naturais da RAEM em todos os grupos de pessoal, excepto no de pessoal operário.” A diversidade é contudo notória na máquina administrativa. Há trabalhadores da Europa, de Angola, do Bangladesh, do Brasil, do Nepal, do Peru, das Filipinas, de Moçambique e de Timor-Leste, entre muitos outros. A maior parte dos portugueses trabalham como técnicos superiores, mas há 14 em cargos de direcção e chefia e 10 magistrados. De todos os naturais de Portugal, 90% são homens. O pessoal de direcção e chefia ocupa 748 lugares (2,9%), sendo 60% homens. O maior número de elementos, porém, está nos técnicos de apoio (7.055) e nos seguranças (6.827). Os magistrados totalizam apenas 84 (0,3%).

SALÁRIO É DESPESA

Foi nos cargos de técnicos (apoio e superiores) que se registaram as maiores subidas na contratação de trabalhadores. Mais 712 pessoas foram destacadas para estas áreas em relação ao ano anterior. Também nos cargos de chefia e direcção houve aumentos – mais 22 pessoas assumiram cargos de presidência ou direcção. O aumento de funcionários na máquina administrativa pode ser visto como necessário pelos membros do Executivo, mas os depu-


quarta-feira 22.8.2012

política

www.hojemacau.com.mo

3

EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE EFECTIVOS POR GRUPO DE PESSOAL Grupo de pessoal

2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011

Direcção e chefia

635 646 669 671 687 696 705 708 726 748

Magistrados

52 50 49 48 48 54 54 62 72 84

Assessor/Téc. Agregado 42 43 46 47 52 59 61 69 112 120 Técnico Superior

1.558 1.616 1.632 1.707 1.828 1.904 2.151 2.392 3.925 4.335

Docente

479 468 449 443 447 445 446 447 500 510

Técnico

1.237 1.263 1.328 1.390 1.559 1.713 1.897 2.033 1.632 1.592

Técnico de Apoio

3.765 3.866 3.989 4.238 4.540 4.794 5.186 5.742 6.753 7.055

Segurança

5.403 5.403 5.527 5.636 5.730 5.883 6.074 6.315 6.543 6.827

Operário

4.197 4.141 4.089 4.070 4.067 4.081 4.079 4.219 4.499 4.537

Outro

0 0 0 0 0 0 0 9 133 186

Total

17.368 17.496 17.778 18.250 18.958 19.629 20.653 21.996 24.895 25.994

tados contestam a decisão. Paul Chan Wai Chi percebe que com o desenvolvimento económico se precisa de mais funcionários, mas acusa o Governo de exagerar. “Apesar de o Governo ser rico agora, tem que considerar bem antes de aumentar o número de pessoas e o salário.” O essencial, afirma o deputado da ala democrata, é melhorar a eficiência. “Entre 560 mil residentes ter mais de 20 mil funcionários públicos é um bocado ridículo. A proporção é alta, isso traz saturação.” Paul Chan Wai Chi considera que alguns departamentos podem utilizar os serviços de outros funcionários, que muitas vezes não têm trabalho diário, como já admitiu a própria secretária Florinda Chan na AL. Para 2012 estão alocados mais de 12 mil milhões de patacas só para as despesas com a administração pública. Em Hong Kong o rácio é de um funcionário para 45 pessoas, segundo cálculos dos membros do hemiciclo, enquanto que em Macau esse número é de um para 22. Os salários têm acom-

panhado os aumentos ao longo dos dez anos analisados no livro publicado pelos SAFP, com a média de vencimento em 2011 a atingir as 22.300 patacas.

Metade dos funcionários recebem salários abaixo das 18.600 patacas e 44,6% têm ao final do mês entre 18.660 a 37.200. É no Comissariado de

Auditoria que as médias dos vencimentos são mais altas – acima de 32.700 patacas -, seguida da Assembleia Legislativa e do Ministério Público.

Tinha dito na Assembleia Legislativa que os jovens iam ser, no futuro, uns inúteis, e parece querer mudar isso. O deputado Fong Chi Keong doou ontem 720 mil patacas a estudantes do Instituto Politécnico de Macau, como se fosse uma bolsa de estudo para apoiar os alunos a complementar os seus estudos. O Governo tem sido a implementação dos objectivos de política para melhorar o nível cultural e educacional de Macau, o ensino superior em Macau tornou-se cada vez mais popular. Embora o Governo tenha aumentado o investimento no ensino superior, algumas famílias de baixos rendimentos ainda têm dificuldades a pagar os estudos universitários dos filhos. “Por isso, alguns estudantes pobres têm que trabalhar para conseguir pagar apenas a matrícula da universidade. É lamentável ver que alguns alunos que se tornam académicos bem sucedidos ainda são incapazes de conseguirem prosseguir mais estudos devido a restrições financeiras”, frisou Fong Chi Keong. - C.L.

Chan Meng Kam reclama de adjudicação directa de obras

Vencimento médio (MOP) 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 ADM

16.108,20 16.469,70 16.771,80 17.788,90 17.994,50 19.059,30 20.716,80 21.053,10 21.799,30 23.546,30

FSM

12.359,20 12.524,90 12.540,60 13.153,30 13.735,50 14.478,90 18.792,20 18.784,80 18.971,60 20.006,60

Média

14.697,60 14.986,40 15.157,90 16.017,70 16.387,50 17.320,00 19.986,20 20.199,20 20.816,10 22.323,80

DISTRIBUIÇÃO DOS EFECTIVOS POR LÍNGUA MATERNA SEGUNDO GRUPO DE PESSOAL Dir/Chef

Ung Choi Kun alertou ontem para o problema da falta de pessoal médico no território. Numa interpelação escrita, o deputado frisou que o novo centro de saúde da Taipa só poderá responder à chamada dos pacientes se o Governo atender às necessidades dos serviços de saúde. O deputado apontou que quando a habitação pública de Seac Pai Van, em Coloane, estiver pronto, a procura dos moradores de ilhas por estes serviços de saúde vai ser grande. “Agora, a expansão da construção da área de emergências do Centro Hospitalar Conde de São Januário (CHCSJ) já foi iniciada e o centro de saúde na Taipa vai estar pronto no fim deste ano. Aí, a população nas ilhas irá aumentar significativamente, tal como os médicos que vão ser precisos para os dois locais. Não sei se o Governo está preparado para isso.” Ung Choi Kun relembrou que o Governo anunciou em Fevereiro de 2010 que ia as camas nos serviços de emergência, sendo 400 camas no Cotai, mas “infelizmente o trabalho está ainda na fase inicial do planeamento”. - C.L.

Fong Chi Keong ajuda estudantes do IPM

EVOLUÇÃO DO VENCIMENTO MÉDIO

Língua Materna

Falta de pessoal médico preocupa Ung Choi Kun

Mag

Ass/Téc-Agr

Téc. Sup.

Doc

Téc.

Téc-Apoio

Seg.

Op.

Outro

Total

Chinesa

652

69

84

3.965

447 1.463

6.313 6.675 4.451 157 24.276

Portuguesa

96

15

36

328

52 124

720 45 78 25 1.519

Outra

0 0 0 42 11 5 22 107 8 4 199

Total

748

84

120

4.335

510 1.592

7.055 6.827 4.537 186 25.994

Chan Meng Kam não quer deixar passar em branco e volta a criticar a adjudicação directa da obra do novo canal transfronteiriço entre Macau e Guangdong. Numa interpelação escrita, o deputado frisou que o acordo de cooperação entre as duas regiões foi assinado em Maio deste ano e ainda está a esperar aprovação do Governo Central, mas o projecto do novo canal já foi dado ao Grupo Nam Yue, a empresa de Guangdong que realiza também o projecto do túnel que liga Macau à Ilha da Montanha. “A Direcção para os Transportes e Obras Públicas explicou que a companhia já realizou o projecto de novo campus da Universidade de Macau (UM) na Ilha Montanha e que por isso tem muita experiência. Mas não concordo com a explicação. Tem que haver um mecanismo para a concessão da obra, tem que ser aberto e ajusto, mas não. Foi decidido pelo Governo.” Chan Meng Kam considera que as obras só foram adjudicadas sem concurso público porque a empresa é a Nam Yue. “Não pode ser a única companhia a fazer os projectos relacionados com a cooperação de Macau e Guangdong. O Governo também não pode só justificar que a experiência é o ideal para a adjudicação. A companhia já foi a responsável pelo acidente do colapso do túnel, qual é a vantagem da experiência do Grupo Nam Yue?” - C.L.


sociedade

4

quarta-feira 22.8.2012

www.hojemacau.com.mo

PENSÃO ILEGAL NA TAIPA?

Para combater alojamento ilegal a partir de Outubro

Mais inspectores ao serviço José C. Mendes

josecmendes@hojemacau.com.mo

Um leitor do Hoje Macau, que pediu para não ser identificado, enviou esta foto tirada no sábado, pelas 22h00, junto ao número 27 da urbanização Jardins Nova Taipa. O cenário tinha dezenas de camas para beliche e outros tantos colchões de espuma, bem como cacifos de madeira prensada e cadeiras. De acordo com alguns moradores, a mudança foi cancelada durante duas horas por causa do burburinho que se instalou no local. Contactada, a polícia afirmou que a situação não era da sua competência mas sim da Direcção de Serviços de Turismo (DST).

P

ARALELAMENTE à conferência de imprensa sobre o Concurso de Fogo de Artifício de Macau, o director da Direcção dos Serviços de Turismo, (DST), João Manuel Costa Antunes anunciou para Outubro o aumento do número de inspectores para combater o alojamento ilegal. “As pensões ilegais

são um tema quente, que já existe há alguns anos e com o aumento do número de visitantes extravasou um pouco.” No entanto, segundo divulgou, a partir de Outubro vão ser acrescentados aos 12 inspectores agora existentes, mais cinco e posteriormente mais 40, de fora do quadro. “Esperamos que com este aumento, os resultados daqui a um ano sejam melhores.” Durante os últimos dois

anos, os 12 inspectores realizaram duas mil inspecções, tendo sido encerradas 260 pensões ilegais, revelou Costa Antunes. Sobre a previsão do crescimento do número de visitantes ao território da RAEM, o director da DST não duvida que esse número irá continuar a crescer, embora abaixo dos 12% ou 15%. “Calculo que andaremos perto dos 30 milhões.” A situação económica mais difícil dos países de

origem dalguns desses visitantes levou a que a o governo de Macau, juntamente com Hong Kong e outras regiões do Delta do Rio das Pérolas, desenvolvesse acções de promoção da região junto de países emergentes. “No fim desta semana partirá para a Índia uma delegação conjunta destas regiões para promover o turismo na zona. A criação de voos directos Macau-Índia está também no horizonte.”

Associação Ecológica de Macau pede acção do Governo na fábrica dos Panchões

As árvores da questão Cecília Lin

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

A

fábrica de panchões Iec Long foi abandonada há muito tempo, mas as árvores decanas da área – algumas devastadas pelo tufão Vicente – não podem ir pelo mesmo caminho, reclama a Associação Ecológica de Macau (AEM). Há falta de cuidado em relação às árvores, que estão a minar a estrutura dos edifícios que, por sua vez, ameaçam a segurança dos transeuntes, diz a associação ao jornal Ou Mun. As duras críticas da associação são dirigidas ao Governo, a quem pedem acção sobre os edifícios danificados, além da retirada urgente das plantas prejudiciais dentro das ruínas. O grupo de revita-

lização da zona antiga tem vindo a mostrar-se preocupado com os perigos decorrentes da queda dos prédios e das árvores da fábrica. Enquanto membro do grupo, a AEM enviou uma equipa de peritos à fábrica no último dia 9 de Agosto para fazer levantamento da vegetação, identificação de espécies e tirar fotos, para perceber, em particular, a largura do número de árvores velhas e a altura das árvores. Os resultados da pesquisa mostram que existem 83 espécies na fábrica, parte de 44 famílias e 75 géneros. Existem muitas árvores com mais de 50 anos, que têm valor ornamental, pelo que há necessidade de serem classificadas como árvores antigas e famosas

com história na lista da protecção. A equipa concluiu ainda que as raízes aéreas penetraram na parede do edifício ou do telhado, causando danos na estrutura e possibilidade de colapso, representando uma ameaça para moradores e visitantes. A AEM propõe ao Governo reforçar o apoio dos edifícios danificados, podar e limpar os galhos mortos para reforçar a prevenção de doenças e pragas, a fim de evitar o colapso e colocar em risco a segurança dos peões. A AEM pede que sejam retiradas as plantas nocivas para reforçar as medidas de prevenção e controlo regular, de forma a não pôr em perigo a segurança do ecossistema na zona antiga da Taipa.

População perde poder de compra aos poucos A taxa de inflação em Macau atingiu os 6,45% nos 12 meses terminados em Julho face aos 12 meses imediatamente anteriores, indicam dados oficiais divulgados ontem. De acordo com dados dos Serviços de Estatística e Censos, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) registou, em Julho, uma subida de 6,04% face ao mesmo mês de 2011 – e de 0,37% relativamente a Junho –, impulsionada sobretudo pela ascensão dos preços das refeições adquiridas fora de casa e de produtos hortícolas. Em termos anuais, verificaram-se aumentos “notáveis” no índice

de preços das secções de bebidas alcoólicas e tabaco (32,4%), habitação e combustíveis (8,3%) e produtos alimentares e bebidas não alcoólicas (8,2%). Em contrapartida, os preços da secção de comunicações sofreram uma diminuição na ordem dos 6,5% comparativamente ao período homólogo de 2011, segundo os Serviços de Estatística e Censos. Nos primeiros sete meses de 2012, o IPC geral médio aumentou 6,37%. O IPC geral, com base no período 2008/2009, permite conhecer a influência da variação de preços na população de Macau. - Lusa

Fundações do Parque de Materiais do Metro Ligeiro prontas este ano. Obras arrancam em 2013

Promessas ecológicas

“M

ELHOR controlo do ruído e da poluição do ar.” A garantia é dada por um assessor do Gabinete de Infraestruturas e Transportes (GIT) – estruturas do Parque de Materiais do Metro Ligeiro serão amigas do ambiente. O Parque de Materiais e a Oficina do Metro Ligeiro (ML) vão contar com tecnologias diferentes das tradicionais para assegurar menos riscos para o meio ambiente. As fundações estarão prontas até ao final deste ano, para

que em 2013 possam arrancar as obras. O Gabinete de Infraestruturas e Transportes (GIT) promete para já reduzir o ruído da obra e a poluição atmosférica. “Com este tipo de método vamos ter um melhor controlo de ruído e da poluição do ar em comparação com os métodos tradicionais”, Peter Chan, técnico de gabinete de infraestruturas e transportes. O espaço era um reservatório de lixo, que começa agora a ser limpo, para dar

lugar às fundações, que consistem na construção de 299 pilares, que juntos têm um comprimento de mais de 21 quilómetros. A obra é considerada o coração de todo o projecto do novo transporte, segundo Peter Chan, uma vez que vai dar lugar ao centro de controlo operacional do sistema do metro, que alberga o ensaio dos comboios. “Vai incluir um edifício administrativo, uma área de estacionamento, edifícios de manutenção.”


quarta-feira 22.8.2012

sociedade

www.hojemacau.com.mo

MUST organiza o Consórcio para a Globalização da Medicina Chinesa

5

FUNCIONÁRIO DA REOLIAN QUASE ESMAGADO ENTRE AUTOCARROS

Macau impulsiona investigação nacional O 11º Encontro realiza-se até amanhã, destacando os avanços obtidos pelo laboratório para a Investigação da Qualidade em Medicina Chinesa Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

C

OMEÇOU ontem o 11º Encontro do Consórcio para a Globalização da Medicina Chinesa (CGCM, na sigla inglesa), que pela primeira vez é realizado em Macau. Tem a Universidade de Ciências e Tecnologia de Macau (MUST) como organizador, já que, em conjunto com a Universidade de Macau (UMAC), coordena o laboratório para a Investigação da Qualidade em Medicina chinesa, reconhecido em Janeiro de 2011

como referência nacional. O encontro tem duração de três dias, decorrendo no Venetian. Na cerimónia de apresentação, Liu Liang, vice-reitor da MUST, destacou o importante papel da MUST no desenvolvimento desta medicina alternativa, que desde 2001 “está comprometida com o desenvolvimento integral da medicina chinesa, educação e serviços médicos”, como salientou em discurso. O laboratório de medicina chinesa em Macau vai ser levado até ao novo campus da UMAC, onde terá mais de três mil metros quadrados e cerca de uma centena de académicos. “Foi uma força para melhorar a qualidade de pesquisa, de modo a alcançar os avançados standards internacionais.” O sistema curricular em Farmácia de Medicina Chinesa está agora concluído. “Combina serviços médicos chineses e ocidentais, equipamentos e uma equipa de especialistas.” Enquanto presidente do Comité da Organização do

Objectivos da CGCM O Consórcio para a Globalização da Medicina Chinesa foi estabelecido por 16 instituições-membro em Dezembro de 2003. Liu Liang e Cheng Yung Chi, da Escola de Medicina da Universidade de Yale, cujo secretariado funciona na Universidade de Hong Kong, foram dois membros fundadores. O CGCM pretende integrar a sabedoria e a força da investigação da medicina chinesa na academia e indústria de todo o mundo. As instituições de investigação e companhias farmacêuticas provêem de mais de 20 países e regiões. O CGCM congrega cerca de 129 membros, tendo recebido candidaturas de mais seis instituições durante este seminário. A 11ª reunião da CGCM recebeu um total de 319 resumos dos participantes, de mais de 12 países e regiões.

CGCM este ano, destacou a importância do encontro em Macau, apelidando-o de “necessário e oportuno”, com impacto na “cooperação internacional de cooperação na investigação médica chinesa em Macau”. A plateia presente na sessão de abertura, composta por 500 participantes, junta profissionais de 12 regiões e países – Ásia, Europa Austrália e Américas – e académicos da Universidade de Yale e da Universidade de Xangai. Sou Chio Fai, director do Gabinete para o Apoio do Ensino Superior (GAES), afirmou que o plano nacional apoiou o Governo de Macau a promover a diversificação da sua economia e a acelerar o desenvolvimento da medicina chinesa, dando ênfase à indústria de medicamentos à base de plantas. “Estou confidente que poderá ser favorável aos profissionais desta área, assim como para promover o desenvolvimento de Macau.”

Um funcionário da Reolian, responsável pelo comando do estacionamento dos autocarros da empresa no terminal das Portas do Cerco, quase que foi esmagado entre dois autocarros. O incidente aconteceu pelas 12h de ontem e o funcionário, de 34 anos, teve ferimentos nas costelas o que provocou alguma apreensão pois os pulmões estavam em risco de ruptura. Apesar da condição crítica, o funcionário está já livre de perigo. De acordo com a polícia, o motorista que causou a incidente tem 55 anos, 21 dos quais com experiência de condução de pesados de passageiros.

Terrenos do Fai Chi Kei sem consenso

“Ainda não nos foi dada a terra” L

AU Si Io, secretário para as Obras Públicas e Transportes, adiantou na passada semana que haveria consenso com o concessionário dos dois lotes atribuídos em concurso público ao empresário Liu Chak Wan, um dos dirigentes da MUST. Garantiu que a responsabilidade de limpar os terrenos – atulhados de sucata e carros abandonados – era totalmente do proprietário, embora o

Governo pudesse dar uma ajuda. Ontem, Liu Chak Man, à margem da inauguração do 11º Encontro do Consórcio para a Globalização da Medicina Chinesa, insistiu não ter nas mãos a posse das terras, depois de ter pago 1,4 mil milhões de patacas há quatro anos. “Ainda não foi dada a terra”, explicou, quando inquirido sobre quando iria limpar os terrenos. As únicas informações

provenientes do Governo chegam-lhe através dos jornais, segundo comunicou aos jornalistas. Indicações directas do Governo? “Não, nada”, garantiu. Desta forma, ainda não se sabe quanto tempo será dado a Liu Chak Wan para aproveitar o terreno, já que o responsável da pasta das Obras Públicas apenas disse esperar que a concessionária possa cumprir com o contrato. - R.M.R.


publicidade

6

Anúncio

EDITAL

Concurso Público de Aquisição de Seguro Escolar para os Alunos do Ensino Não Superior

Edital nº: 130/E/2012 Processo nº: 301/OI/2012/F Assunto: Notificação do despacho de embargo e início do procedimento de audiência pela infracção às respectivas disposições do Regulamento Geral da Construção Urbana (RGCU) Local: Rua do General Rodrigues nº 28, Edf. San Mei, fracção 3º andar I (CRP: I2), Macau.

1. Entidade adjudicante: Fundo de Acção Social Escolar. 2. Modalidade do concurso: Concurso público. 3.

Objecto do concurso: Aquisição de Seguro Escolar para os Alunos do Ensino Não Superior.

4. Período da prestação dos serviços: De 1 de Janeiro de 2013 a 31 de Agosto de 2014. 5. Prazo de validade das propostas: É de noventa dias, a contar da data do acto público do concurso, prorrogável, nos termos previstos no programa do concurso. 6. Caução provisória: MOP 140.000,00 (cento e quarenta mil patacas), a prestar mediante depósito em numerário ou garantia bancária aprovada nos termos legais, à ordem do Fundo de Acção Social Escolar, no Banco Nacional Ultramarino (conta no 9003857873). 7. Caução definitiva: 4% do preço total da adjudicação. 8. Preço base: Não há. 9. Condições de admissão: Podem candidatar-se, ao presente concurso, as seguradoras registadas na Autoridade Monetária e Cambial de Macau, que estejam autorizadas a operar nos Ramos Gerais de Seguro 1. Acidentes e 13. Responsabilidade Civil Geral, nos termos e ao abrigo do Decreto-Lei n.° 27/97/M, de 30 de Junho. 10.

quarta-feira 22.8.2012

www.hojemacau.com.mo

Local, dia e hora limite para entrega das propostas: Local: Secção de Arquivo e Expediente Geral da DSEJ, Avenida D. João IV, n.os 7-9, 1.° andar. Dia e hora limite: às 17:30 horas do dia 6 de Setembro de 2012.

11. Local, dia e hora do acto público do concurso: Local: Sala de reuniões, na sede da DSEJ, Avenida D. João IV, n.os 7-9, 1.º andar. Dia e hora: às 10:00 horas do dia 10 de Setembro de 2012. Em conformidade com o disposto no artigo 27.o do Decreto-Lei n.o 63/85/M, de 6 de Julho, os concorrentes ou os seus representantes devem estar presentes no acto público de abertura das propostas para esclarecer dúvidas que eventualmente surjam, relativas aos documentos constantes das suas propostas. 12. Local, dia e hora para exame do processo e obtenção da cópia: Local: Secção de Arquivo e Expediente Geral da DSEJ, Avenida de D. João IV, n.os 7-9, 1.º andar. Dia e hora: Dentro das horas de expediente, a partir da publicação do respectivo anúncio até ao dia e hora do acto público do concurso. 13. Critérios de apreciação das propostas e respectivos factores de ponderação: - Preço: 60%; - Qualidade dos serviços oferecidos: 35%; • cobertura: 15% • processo de indemnização: 10% • redução/retribuição de prémio: 5% • cláusulas excepcionais (que não têm cobertura): 5% - Experiência nos Ramos Gerais de Seguro 1. Acidentes e 13. Responsabilidade Civil Geral, previstos no Decreto-Lei n.° 27/97/M, de 30 de Junho: 5%. 14. Junção de esclarecimentos: Os concorrentes devem comparecer na sede da DSEJ, na Avenida D. João IV, n.os 7-9, 1o andar, a partir da publicação do presente anúncio até ao prazo para entrega das propostas do concurso público, para tomarem conhecimento de eventuais esclarecimentos adicionais. Aos 8 de Agosto de 2012. A Presidente do Conselho Administrativo do Fundo de Acção Social Escolar, Leong Lai (Directora)

Chan Pou Ha, Subdirectora da Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT), no uso das competências delegadas pela alínea 7) do nº 1 do Despacho nº 09/SOTDIR/2009, publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), nº 16, II Série, de 22 de Abril de 2009, faz saber por este meio ao proprietário, dono da obra ou seu mandatário, ao encarregado da obra, aos técnico responsável pela obra e executores da obra existente no local acima indicado, cujas identidades se desconhecem, o seguinte: 1. Em 29/06/2012, o agente de fiscalização desta DSSOPT deslocou-se ao local acima indicado e verificou a realização de obra cuja descrição e situação é a seguinte: Obra Situação da obra Em curso 1.1 Obra de modificação no interior da fracção. 1.2 Instalação de pala metálica na fachada do edifício junto Em curso à varanda da fracção. 1.3 Instalação de suporte de vaso metálico na fachada do Em curso edifício junto à varanda da fracção.

2. A obra acima indicada foi executada sem prévia apreciação do projecto e correspondente concessão de licença por esta DSSOPT, conforme exigido pelo nº 1 do artigo 3º do Decreto-Lei nº 79/85/M de 21 de Agosto, alterado pela Lei nº 6/99/M de 17 de Dezembro e pelo Regulamento Administrativo nº 24/2009 de 3 de Agosto, pelo que a obra é considerada ilegal. 3. Nos termos dos n.os 1 e 5 do artigo 52º do Decreto-Lei nº 79/85/M, o agente de fiscalização ordenou a imediata suspensão da execução da obra da fracção mencionada no ponto 1 pelo prazo de 48 horas. 4. Nestas circunstâncias e em cumprimento do disposto nos nos 1 e 5 do artigo 52º do Decreto-Lei nº 79/85/M acima indicado, determinei o embargo da obra mencionada no ponto 1, os notificados deverão: 4.1 Suspender de imediato a obra no local acima indicado 5. Caso os interessados referidos no ponto 1 não dêem cumprimento ao presente edital, são��������������������������������������������������������������������� sancionáveis com multa de $2 500,00 patacas, sem prejuízo da responsabilidade criminal que caso houver, em conformidade com o disposto no artigo 67º do Decreto-Lei nº 79/85/M. 6. Nos termos do artigo 59o do Decreto-Lei nº 79/85/M e das competências delegadas pelos nos 1 e 4 da Ordem Executiva no 124/2009, publicada no Boletim Oficial da RAEM, Número Extraordinário, I Série, de 20 de Dezembro de 2009, da decisão referida no ponto 4 do presente edital cabe recurso hierárquico necessário para o Secretário para os Transportes e Obras Públicas, a interpor no prazo de 15 dias contados a partir da data de publicação do presente edital. 7. O recurso referido no ponto anterior não tem efeito suspensivo, devendo por isso a obra mencionada no ponto 1, manter-se embargada. 8. Nestas circunstâncias e nos termos dos artigos 52º e 65º do Decreto-Lei nº 79/85/M, pode ser ordenado que os infractores procedam à demolição da obra ilegal referida no ponto 1, e à reposição da parte comun afectada do edifício (fachada do edifício) de acordo com o projecto aprovado por esta Direcção de Serviços, bem como são sancionáveis com multa de $1 000,00 a $20 000,00 patacas. 9. Nos termos dos artigos 93º e 94º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei nº 57/99/M, de 11 de Outubro, os interessados podem apresentar a sua defesa por escrito e as demais provas para se pronunciar sobre as questões que constituem objecto do procedimento, bem como requerer diligências complementares, no prazo de 10 (dez) dias contados a partir da data de publicação do presente edital. 10. O processo pode ser consultado durante as horas de expediente nas instalações da Divisão de Fiscalização do Departamento de Urbanização desta DSSOPT, situadas na Estrada de D. Maria II, nº 33, 15º andar, Macau (telefones nos 85977154 e 85977227) Aos 17 de Agosto de 2012 A Subdirectora dos Serviços Engª Chan Pou Ha


quarta-feira 22.8.2012

sociedade

www.hojemacau.com.mo

2ª Conferência do Fórum da Gestão do Ensino Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa decorre em Macau

Ensino do português salta barreiras Promover o intercâmbio entre docentes, alunos e investigadores é o grande objectivo. A segunda edição da conferência é realizada em Novembro no Instituto Politécnico de Macau Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

E

NTRE os próximos dias 6 e 8 de Novembro, o Instituto Politécnico de Macau (IMP) vai receber docentes, investigadores e representantes ou técnicos ligados à gestão de instituições de ensino superior onde a língua portuguesa predomina, para promover o intercâmbio de políticas para o desenvolvimento do ensino superior das diferentes regiões. O evento é realizado pelo recém-criado Fórum da Gestão do Ensino

Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa (FORGES). Luciano de Almeida, coordenador do curso de doutoramento em Língua e Cultura Portuguesa no IPM e membro da Comissão Organizadora da 2ª Conferência, acredita que o colóquio “Por um Ensino Superior de Qualidade nos Países e Regiões de Língua Portuguesa” pode ser proveitoso para a evolução do sistema de ensino superior em Macau. “Há dois painéis de grande importância para partilhar o conhecimento sobre as experiências de cada um dos países e referenciar os aspectos que funcionaram menos bem e os mais bem sucedidos.” O académico fala de “Políticas Públicas de Desenvolvimento e de Reforma do Ensino Superior”, uma vez que “Macau está neste momento em processo de reforma”, e de “Avaliação e Garantia da Qualidade do Ensino Superior”, palestras que decorrem no dia 6 de Novembro. As medidas apresentadas, acredita, podem assim apresentar soluções viáveis para incorporar na nova lei de bases do ensino superior de Macau.

Aos olhos de Luciano de Almeida, a 2ª conferência do FORGES pode projectar o intercâmbio entre os vários países e regiões de língua portuguesa, a partir de participantes de peso. “Vai cá estar o reitor da UNILAB, no Brasil, Paulo Speller, que é uma universidade criada para facilitar o intercâmbio. A sua vinda representa um sinal muito grande no sentido de se criar uma via que permita o apoio desse processo, que envolve recursos elevados.” O intercâmbio entre instituições permite concretizar projectos e parcerias comuns, que o FORGES tem proporcionado. “Decorre já um projecto de investigação que coordeno, um estudo comparado sobre os sistemas de ensino superior, com investigadores portugueses e de Macau, Angola, Moçambique, Brasil, Timor-Leste, Cabo-Verde e Guiné-Bissau.”

80 DE MACAU

Na última quarta-feira acabaram as inscrições para os interessados na apresentação de comunicações, que serão expostas na Sessão Paralela de dia 7 de Novembro. “Já recebemos

mais de 85 propostas de comunicações provindas de Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde e também de Macau, Timor Leste e São Tomé e Príncipe, que serão submetidas a apreciação da Comissão Científica [até 10 de Setembro]”, indica Luísa Cerdeira, pro-reitora da Universidade de Lisboa, instituição membro da Comissão Instaladora do FORGES e co-organizador da 1ª Conferência em Portugal. Esta sessão é de suma importância, no entender

da académica, porque dá a conhecer questões, problemas e políticas no âmbito do ensino superior, que estão a ser debatidas nos diversos países de língua portuguesa. Haverá ainda as comunicações plenárias em painéis temáticos onde participarão cerca de 20 palestrantes. As inscrições para participantes podem ser feitas até dia 15 de Outubro. A organização estima que haverá entre 150 a 200 inscritos, dos quais cerca de 80 provenientes de Macau. Na

Objectivos do Fórum O FORGES é uma associação sem fins lucrativos constituída no final da 1ª Conferência, que decorreu em Lisboa e em Coimbra, entre os dias 14 e 16 de Novembro de 2011, tendo sido eleita uma Comissão Instaladora proveniente de sete regiões: Portugal, Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Macau. Os objectivos propostos são a realização anual de uma conferência em diferentes regiões e países de língua portuguesa, potenciar projectos conjuntos de investigação em rede e a promoção de cursos em comum. A FORGES pretende ainda promover a publicação de uma revista de investigação, onde se publiquem artigos científicos em língua portuguesa, e uma electrónica. Outra iniciativa em desenvolvimento são as visitas de estudo a instituições de ensino superior dos países de língua portuguesa. “O intercâmbio entre docentes e estudantes entre as diferentes instituições de ensino superior é uma ferramenta poderosa para a consolidação da língua portuguesa ao mais alto nível do conhecimento e da investigação”, defende Luísa Cerdeira, pro-reitora da UL.

7

opinião de Luísa Cerdeira, os números são animadores – ainda que inferiores aos do ano passado – e mostram que o “interesse pelas questões de governação, da administração e da gestão do ensino superior mobilizam muitas pessoas interessadas em discutir e reflectir sobre estratégias e comparação de políticas de financiamento, de acesso, de apoios sociais a estudantes, de organização pedagógica de cursos, de inserção de novas tecnologias no ensino superior.” Para colmatar ausências, a organização planeia integrar a transmissão das sessões do Fórum via internet, ficando acessível para qualquer parte do mundo. Nos modelos de ensino superior destas regiões e países de língua portuguesa – membros da rede FORGES – Luísa Cerdeira vê pontos de semelhança decorrentes da expansão. “A questão da garantia da qualidade é um problema comum. Os modelos de gestão, a participação da iniciativa pública e privada, o modelo da estrutura pedagógica são diferentes nos diversos países. Contudo, a discussão destas temáticas é importante porque se discutem e antecipam questões que vão interessar a todos os países.” Todo o programa da 2ª Conferência do FORGES pode ser visto no sítio online (www.aforges.org/), que vai actualizar os oradores convidados.


8

nacional

quarta-feira 22.8.2012

www.hojemacau.com.mo

Associações da imprensa estrangeira preocupadas com condições de reportagem

“Violações da liberdade de informação”

T

RÊS associações que representam a imprensa estrangeira na China afirmaram-se ontem “extremamente preocupadas” com os recentes incidentes que envolveram jornalistas alegadamente ameaçados, perseguidos ou intimidados em reportagem no país. O Clube de Correspondentes Estrangeiros na China, o Clube de Correspondentes Estrangeiros de Xangai e o Clube de Correspondentes Estrangeiros de Hong Kong apontaram vários exemplos de violações da liberdade de informação, que a China assegura garantir. Estas associações citam designadamente o caso de um jornalista do diário japonês “Asahi Shimbun”, agredido pela polícia quando fazia a cobertura de uma manifestação na cidade

alegada deterioração nas condições de reportagem naquele país. O Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês rejeitou estas acusações, considerando que a liberdade de informar se tinha expandido na China. Já na segunda-feira a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) criticou a “falta de transparência” no julgamento da mulher do ex-dirigente chinês Bo Xilai, condenada a pena de morte suspensa pelo homicídio de um empresário britânico. Em comunicado, a organização acusou as autoridades chinesas de terem manipulado e censurado a informação relativa a este escândalo político, dado que ocultaram qualquer elemento que pudesse prejudicar o Partido Comunista chinês. Neste sentido, as autoridades combinaram “sábias

chinesa de Nantong e cujo material confiscado não lhe foi devolvido. De acordo com as mesmas entidades, jornalistas da cadeia de televisão pública alemã ARD foram também agredidos por um grupo de pessoas que os acusaram de espionagem, quando efectuavam uma reportagem junto a uma fábrica de química na província de Henan, tendo depois sido detidos durante nove horas. “O que nos preocupa particularmente é que alguns destes incidentes envolvem membros das forças de segurança oficiais ou pessoas que estão a elas ligadas”, refere o comunicado das organizações de correspondentes estrangeiros na China.

O USO DA CENSURA

Em Maio, uma centena de jornalistas estrangeiros na China denunciaram uma

Cidades-fantasma indiciam bolha chinesa

A

Vinhos da União Europeia causam desconforto

A Associação de Bebidas Alcoólicas da China (ABAC) pediu recentemente que o Ministério do Comércio do país realize investigações anti-dumping e anti-subsídio contra o vinho importado da União Europeia (UE). O secretáriogeral da Subdivisão de Vinhos da ABAC, Wang Zuming, afirmou que a bebida proveniente da UE registou um aumento anual de 67,7% nos últimos anos e que a sua proporção no mercado chinês subiu de 4,94% para 14,32%. Segundo Wang, as provas recolhidas pela ABAC demonstram que a UE oferece subsídios consideráveis à indústria vinícola, o que deixa o sector chinês numa posição muito desfavorável na competição com as empresas europeias.

Febre de construção

PESAR de concentrar 20% da população do planeta e de ter uma forte migração urbana nas últimas décadas, a China convive com enormes cidades-fantasmas. O fenómeno de milhares de prédios novos e desabitados ocorre em várias regiões e alimenta o debate sobre o excesso de investimento imobiliário como causa de uma bolha prestes a fazer estragos na segunda economia do mundo, escreve ontem a folha de S.Paulo. A escala dos empreendimentos vazios impressiona. Só em Chenggong, no sudoeste chinês, são 100 mil apartamentos vazios e uma vasta infra-estrutura de universidades, escolas, bancos e até duas estações de comboios. A cidade começou a ser erguida em 2003 para ser um satélite da vizinha Kunming, capital da província de Yunnan. Mas, até agora, ainda nada aconteceu. A várias centenas de quilómetros de Yunnan, na desértica Mongólia Interior, está Ordos, a mais famosa das cidades fantasmas. A expectativa inicial era de que a cidade, cercada por jazidas de carvão e gás, crescesse rapidamente. Mas, passados dez anos, a promessa não se cumpriu, e hoje

são 300 mil apartamentos e uma vasta infra-estrutura para uma população oficialmente estimada de cerca de 30 mil pessoas. “Os chineses pretendiam manter a migração para as cidades nos próximos 20 anos”, diz João Carlos Scatena, especialista em planeamento de transporte, há sete anos na China como

consultor. “Como a economia desacelerou, não estão a conseguir gerar empregos suficientes para retirar as pessoas do campo, apesar de estarem ainda a construir cidades.”

ESTOURO OU DESINCHAR?

A anomalia estende-se mesmo em áreas próximas a Pequim.

doses de manipulação e de censura pura e simples”, pelo que a população se viu “privada de toda a informação independente sobre o julgamento de Gu Kailai”, referiu a organização. O julgamento da mulher de Bo Xilai e dos seus cúmplices, a 9 de Agosto, realizou-se à porta fechada e nem os meios de comunicação social nacionais ou internacionais puderam fazer a cobertura, à excepção da agência estatal Xinhua, a única fonte que se pôde citar. A RSF referiu que a fim de controlar os jornalistas, a polícia “concentrou-os” num hotel próximo ao palácio da justiça onde se realizou o julgamento e relatou que um agente da polícia à paisana bateu num jornalista de Hong Kong que tentava filmar um manifestante.

Em Tianjin, cidade portuária a meia hora da capital via TGV, um novo bairro com dezenas de prédios de escritórios está a ser construído num plano do governo local para criar um pólo de empresas do mercado financeiro. Conhecida como Yujiapu, a região ficará pronta em 2019 e terá réplicas de edifícios de Manhattan, incluindo o Rockfeller Center. A febre de construção também parece ter sido exagerada em Hainan, a ilha tropical no sul do país, onde está a Phoenix Island, um arquipélago artificial em construção para abrigar um resort, que inclui uma torre de 200 metros. O projecto foi denominado “Dubai da China”. Uma das principais explicações para as cidades vazias é a falta de opções de investimento. “Não há outro lugar onde colocar dinheiro, a não ser em propriedades ou debaixo do colchão”, escreveu este mês o empresário britânico radicado na China Mark Kitto, na revista Prospect. “O mercado de acções é manipulado, os bancos operam de uma forma não comercial, e o yuan não é convertível.” Kitto prevê que a bolha rebentará ou, numa hipótese mais remota, desinchará lentamente, provocando alguma instabilidade social.


quarta-feira 22.8.2012

região

www.hojemacau.com.mo

Hong Kong Autoridade Monetária alerta para efeitos da crise mundial

Atenção ao imobiliário

O

director executivo da Autoridade Monetária de Hong Kong disse estar preocupado com os efeitos da crise mundial na economia da cidade, por sua vez já afectada com problemas da “bolha” imobiliária, escreveu o South China Morning Post. Em entrevista ao diário de língua inglesa, publicado em Hong Kong, o director executivo da Autoridade Monetária daquela região, Norman Chan Tak-lam, disse que “os sinais económicos são mistos”. “Por um lado, a economia de Hong Kong pode ser afectada pelas crises económicas nos Estados Unidos e Europa. Por outro, o mercado imobiliário está a dar sinais de sobreaquecimento”, afirmou. Ao abordar a crise fi-

nanceira global, Norman Chan Tak-lam considerou que “quatro anos depois, o Governo norte-americano fez muito para impulsionar a economia”, mas que “isso não ainda trouxe um forte crescimento económico”. Segundo o jornal, desde que assumiu o cargo de CEO da Autoridade Monetária de Hong Kong, em 2009, Norman Chan reformulou quatro vezes as regras dos empréstimos, o que fez com que as transações das propriedades e valores das casas diminuíssem, apesar de uma recuperação registada no último mês de Fevereiro. Em Junho do ano passado, a Autoridade Monetária de Hong Kong reduziu o máximo dos empréstimos bancários à habitação para propriedades avaliadas em mais de 10 milhões de

Desde então, os promotores e investidores têm apelado à flexibilização das regras da Autoridade Monetária de Hong Kong face ao abrandamento dos investimentos derivado da crise económica global. “O que posso dizer é que há incertezas tanto na nossa economia como no nosso mercado de propriedades”, afirmou, salientando que a Autoridade Monetária “tem de acompanhar a situação e fazer alterações sempre que necessário”. Norman Chan invocou também a necessidade de uma política monetária prudente para evitar que os bancos corram demasiados riscos quando o mercado imobiliário enfrenta uma crise potencial. - Lusa

Não à “lavagem cerebral”

Associação das Escolas Secundárias de Hong Kong contestou a introdução da Educação Nacional e Moral enquanto disciplina independente, em carta aberta enviada ao Governo, noticiou o South China Morning Post. Segundo o jornal, a carta aberta enviada ao secretário para a Educação, Eddie Ng Hak-kim, indica que as escolas devem poder decidir o modo de ensino e os métodos de abordagem à educação nacional e moral. Entretanto o sindicato de professores [Professional Teachers’ Union] recolheu mais de 2.000 assinaturas durante

as primeiras três horas de uma petição realizada no domingo num bairro de Hong Kong contra a introdução da disciplina de Educação Nacional e Moral nas escolas. Para o sindicato, a medida representa uma “lavagem cerebral”. A inclusão da disciplina nos currículos das escolas tem sido contestada por diversos grupos. O debate tem subido de tom, nomeadamente no que diz respeito à forma como a classe docente deve abordar as políticas do interior da China após se ter descoberto que um conjunto de textos financiados pelos Serviços

dólares de Hong Kong em dez pontos percentuais até 50% do seu valor. Para propriedades avaliadas entre sete milhões de dólares de Hong Kong e dez milhões de Hong Kong, o rácio do valor dos empréstimos foi reduzido de 70 para 60%.

FLEXIBILIZAR AS REGRAS

Hong Kong Associação contestou “Educação Nacional”

A

9

de Educação elogia a prática de um partido único. O secretário da tutela, Eddie Ng Hak-kim, explicou, entretanto, que os textos, produzidos pelo Centro de Serviços de Educação Nacional pró-Pequim, foram compilados antes de terem sido elaboradas as directrizes curriculares, na tentativa de afastar o envolvimento por parte do Governo na preparação dos textos. No ano letivo 2011/2012, estavam em funcionamento em Hong Kong 528 escolas primárias e 497 escolas secundárias.

Governo japonês confirma morte de jornalista

O

Alepo a ferro e fogo

Ministério dos Negócios Estrangeiros japonês confirmou ontem a morte de uma jornalista nipónica na segunda-feira, quando fazia a cobertura dos confrontos na cidade síria de Alepo. “Tivemos a confirmação de que se tratava de Mika Yamamoto”, de 45 anos, disse à agência AFP um responsável do Ministério. A jornalista trabalhava para a Japan Press, uma agência noticiosa japonesa, desde 1995 e já tinha feito a cobertura de vários conflitos armados, designadamente no Afeganistão, no final de 2011, e no Iraque, em 2003, segundo o portal da agência. Um colega que viajava com Yamamoto identificou o seu corpo, acrescentou a mesma fonte. “Ela trabalhava em Alepo, no norte da Síria, quando foi atingida durante um tiroteio”, explicou o responsável do Ministério dos Negócios Estrangeiros japonês. As primeiras informações sobre a morte desta jornalista partiram dos rebeldes

sírios citados pelo Observatório sírio dos direitos humanos (OSDH), segundo as quais a repórter foi gravemente ferida na segunda-feira quando fazia a cobertura dos confrontos num bairro de Alepo e morreu no hospital. Um empregado de um hotel da cidade turca de Kilis, perto da fronteira síria, disse, citado pela agência japonesa Kyodo, que dois japoneses – um homem e uma mulher – deixaram a unidade hoteleira na segunda-feira de manhã, dizendo que iam para a Síria, e que deixaram as suas coisas no hotel. Yamamoto foi a quarta jornalista estrangeira a ser morta na Síria desde Março do ano passado. O francês Gilles Jacquier foi morto a 11 de Janeiro em Homs, onde também a jornalista norte-americana Marie Colvin e um fotógrafo francês morreram a 22 de Fevereiro.

Filipinas Ministro do Interior morreu em queda de aeronave O ministro do Interior das Filipinas foi encontrado ontem morto entre os destroços da aeronave onde viajava e que se despenhou no sábado junto à costa da ilha filipina de Masbate, informaram as autoridades locais. O ministro Jesse Robredo, de 54 anos, estava desaparecido desde sábado, a par de outras duas pessoas que viajavam com ele, depois da queda da aeronave onde seguiam no sábado,

quando tentava realizar uma aterragem de emergência na ilha de Masbate devido a um problema no motor. O corpo de Robredo foi descoberto nos destroços do avião, que estavam a uma profundidade de 60 metros a cerca de 800 metros da costa, e foi retirado do mar. Quatro pessoas estavam a bordo do Cessna e apenas um colaborador de Robredo sobreviveu, tendo o ministro e os dois pilotos morrido no acidente.


10

música

quarta-feira

www.hojemacau.com.mo

Associação local promove semana de música em Dezembro

Jingle Bells dá lugar ao jazz Com dois anos de existência, o grupo liderado por Mars Lee organiza a sua primeira semana de jazz este ano. Uma prenda para todos, mas especial para quem quer mais do que as musiquinhas típicas de Natal

C

Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

N

ASCERAM em 2010 com vontade de revolucionar o panorama de um género musical que está a crescer a passos largos em Macau, mas só no ano passado começaram a ensinar e a expandir o jazz em alguns palcos do território. Agora, a Associação Promotora de Jazz de Macau (APJM) prepara-se para dar mais um salto: a “Macau Jazz Week” organiza-se pela primeira vez e pretende trazer bandas internacionais. O seu presidente da associação, Mars Lee, levanta a ponta do véu daquilo que o público poderá ouvir. “Vamos ter três grupos muito diferentes. Um deles é um dueto francês, que irá tocar na cerimónia inaugural. Depois vamos ter um músico norte-americano a tocar no Centro Cultural de Macau (CCM), além de uma banda malaia e chinesa.” O responsável adianta que as actividades não vão decorrer de forma diária, mas haverá também debates e filmes, onde se abordam as características do Jazz. “Este é

ONVERSAVAM tendo o jazz como pano de fundo, na Casa Garden, e desse diálogo surgiu a ideia de criar uma banda. Foi assim, de acasos musicais, que nasceu a “Macau Jazz Experience”, grupo composto por dois macaenses e dois portugueses. Apesar de estarem no inicio da actividade, pretendem mudar o jazz que se toca e compõe deste lado do mundo. “A

ideia de criar a banda surgiu numa conversa”, conta Paulo Pereira, saxofonista e um dos membros da banda. “A verdade é que estavam lá muitos músicos mas cada um tocava o seu instrumento, não havia uma banda fixa.” Para já, os quatro músicos estão focados em tocar versões e compor as suas próprias canções. “Há cerca de um mês fomos a um


a 22.8.2012

música

www.hojemacau.com.mo

o nosso segundo ano de actividade e já temos alguma experiência em concertos, bem como na formação de músicos. Queremos ir mais além, o conceito é esse. Pretendemos enfatizar o que já desenvolvemos e promover o jazz através de workshops e alguns debates.” Dono de várias sonoridades, o jazz promete fazer-se ouvir na “Macau Jazz Week” nas suas mais diversas vertentes, embora Mars Lee tenha dificuldade em dizer quais. “Esse é um problema. Na nossa associação tentamos promover mais a corrente comum do jazz, incluindo algumas sonoridades clássicas. Temos ainda algumas experiências com free jazz. Vamos ter sons padrão, mas tentamos manter diversos estilos que de certa forma correspondem ao jazz.” O evento conta com apoios financeiros da Fundação Macau e do Instituto Cultural.

to de música contemporânea numa universidade local e contactos com músicos. A APJM define-se como uma escola de música para jovens apaixonados por este género musical. “Procuramos partilhar novos sons e experiências e temos muitos alunos. Queremos sobretudo formar músicos.” Olhando para trás, Mars Lee faz um balanço positivo, apesar das dificuldades. “Estamos muito

dependentes de patrocínios e de apoios do Governo, Macau ainda não tem muita promoção a este nível. Está tudo a correr bem, mas é sempre difícil quando se fala de dinheiro (risos).”

O FUTURO

Questionado sobre o futuro deste género musical em Macau, Mars Lee revela optimismo. “As coisas serão positivas daqui para a frente. As pessoas estão cada vez mais

disponíveis para ouvir novas sonoridades, graças à internet. Vamos também tentar ter cada vez mais músicos e tocar por nós próprios.” Contudo, continua a ser necessário fazer mais. “Há algumas bandas portuguesas a tocar e é preciso lembrar que Macau foi uma das primeiras regiões asiáticas a mostrar o jazz. Agora, na nossa geração, é preciso trazer mais músicos.” Com o renascimento do Clu-

11

be de Jazz, com o qual a APJM garante ter uma “boa ligação”, Mars Lee acredita que haverá o espaço para tocar que actualmente não existe. “Este ano tivemos os concertos no anfiteatro e tiveram de ser interrompidos porque não parava de chover. Praticamente só temos o CCM. O Governo precisa de arranjar mais infra-estruturas, não interessa onde. Isso porque ao nível da educação musical é muito importante.”

FORMAR MÚSICOS

Em Maio, a APJM conseguiu levar música ao anfiteatro das Casas-Museu da Taipa, ao promover um concerto com a banda chinesa Lawrence Ku Trio, que tocou em conjunto com o trompetista Toby Mak. Em 2011 a associação pôs os seus alunos a participar no primeiro programa de intercâmbio em Kuala Lumpur, na Malásia, que incluiu uma visita ao departamen-

Uma banda à procura da mudança

“Há falta de jazz em Macau” concurso internacional. Não ganhámos nada mas foi uma boa experiência, porque nos abriu portas. Para já não temos nada agendado, mas vamos tentar arranjar alguns concertos. Somos todos músicos profissionais e cada um tem os seus trabalhos, o jazz é apenas mais um. Vai haver um festival de jazz em Zhuhai, e à partida há uma possibilidade de irmos lá.” Quanto às influências

musicais, Paulo Pereira garante que se deixam levar pelos grandes clássicos. “Mas depois também há outro lado, como a música clássica. Não tocamos apenas o jazz tradicional. Todos os membros da banda iniciaram os seus estudos musicais através da música clássica, e só mais recentemente é que musicámos no jazz. Mas a música clássica está enraizada.”

A criação da banda surgiu como uma necessidade. “Há falta de jazz em Macau, toda a gente tem essa noção. As bandas vêm todas de fora. Então criámos as condições para reunir alguns músicos de Macau.”

SONS DO LUSITANUS

Cada membro da banda possui uma relação próxima com a Associação Promotora de Jazz de Macau, com a qual

mantém alguns projectos. Para os próximos tempos, Paulo Pereira acredita que este género musical irá expandir-se, muito por culpa do Clube de Jazz. “Já estão a ser desenvolvidos projectos, mas muito lentamente. Mas o jazz está a crescer, sem duvida. Surgiu uma escola profissional de música clássica, o que vai criar grandes oportunidades aos músicos de tocar e depois de

profissionalizá-los. Os hotéis e casinos acabam também por promover pequenos concertos. Ou seja, há mercado e está em crescimento.” Para além das suas experiências na banda, Paulo Pereira anima as noites de cultura portuguesa no restaurante Lusitanus, acompanhando Paulo Valentim com o seu saxofone. “É mais instrumental, mas não deixa de ter a nossa

linguagem portuguesa. É uma boa experiência e um bom trabalho da Casa de Portugal, gratificante para nós enquanto músicos.” Apaixonado pela musica, amante de vários géneros, diz que tocar num restaurante não tem nada de especial. “Como músico, todos os concertos são um desafio, seja num palco ou num restaurante. Temos de fazer o melhor possível.”


12

publicidade

quarta-feira 22.8.2012

www.hojemacau.com.mo

Edital Nos termos do art.º 12.º do Decreto-Lei n.º 31/96/M de 17 de Junho, com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei n.º 5/99/M de 8 de Fevereiro, e por despacho de 20 de Agosto de 2012 da Directora dos Serviços de Finanças, para efeitos de elaboração da lista provisória do Concurso Público para Atribuição de Moradias da RAEM aos Quadros Locais da Administração Pública, notificam-se os candidatos abaixo indicados para se dirigirem aos respectivos serviços onde exercem funções, a fim de levantarem o ofício remetido pela Direcção dos Serviços de Finanças e entregarem os documentos em falta até ao dia 4 de Setembro de 2012. Nome

Nº. de Candidatura

Nome

Nº. de Candidatura

DE LEMOS FERREIRA, BELINDA

11

CHEONG KAM TUN

347

CHAN IOK WU

168

SUN KUAN POK

532

UNG CHI FUNG

179

LEONG KUOK CHEONG

561

LEI SEC KEONG

262

KAM HOU IN

884

A Direcção dos Serviços de Finanças, em 20/08/2012 A Presidente do Júri do concurso, Chong Seng Sam

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO PARA «EMPREITADA DE REMODELAÇÃO DE EQUIPAMENTOS SOCIAIS NA HABITAÇÃO PÚBLICA DE SEAC PAI VAN, LOTE CN3» 1. Entidade que põe a obra a concurso: Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas. 2. Modalidade de concurso: concurso público. 3. Local de execução da obra: na habitação pública de SEAC PAI VAN, Lote CN3. 4. Objecto da Empreitada: Remodelação de Equipamentos Sociais. 5. Prazo máximo de execução: 240 (duzentos e quarenta) dias. 6. Prazo de validade das propostas: o prazo de validade das propostas é de noventa dias, a contar da data do acto público do concurso, prorrogável, nos termos previstos no programa do concurso. 7. Tipo de empreitada: a empreitada é por série de preços. 8. Caução provisória: $600 000,00 (seiscentas mil patacas), a prestar mediante depósito em dinheiro, garantia bancária ou seguro-caução aprovados nos termos legais. 9. Caução definitiva: 5% do preço total da adjudicação (das importâncias que o empreiteiro tiver a receber em cada um dos pagamentos parciais são deduzidos 5% para garantia do contrato, para reforço da caução definitiva a prestar). 10. Preço base: não há. 11. Condições de admissão: serão admitidos como concorrentes as entidades inscritas na DSSOPT para execução de obras, bem como as que à data do concurso, tenham requerido a sua inscrição, neste último caso a admissão é condicionada ao deferimento do pedido de inscrição. 12. Local, dia e hora limite para entrega das propostas: Local: sede do GDI, sito na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 10.º andar; Dia e hora limite: dia 11 de Outubro de 2012, quinta-feira, até às 17,00 horas. 13. Local, dia e hora do acto público: Local: sede do GDI, sito na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 10.º andar, sala de reunião; Dia e hora: dia 12 de Outubro de 2012, sexta-feira, pelas 9,30 horas. Os concorrentes ou seus representantes deverão estar presentes ao acto público de abertura de propostas para os efeitos previstos no artigo 80.º do Decreto-Lei n.º 74/99/M e para esclarecer as eventuais dúvidas relativas aos documentos apresentados no concurso. 14. Local, hora e preço para obtenção da cópia e exame do processo: Local: sede do GDI, sita na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 10.º andar; Hora: horário de expediente; Preço: $2 000,00 (duas mil patacas). 15. Critérios de apreciação de propostas e respectivos factores de ponderação: - Preço razoável 60%; - Plano de trabalhos 10%; - Experiência e qualidade em obras 18%; - Integridade e honestidade 12%; 16. Junção de esclarecimentos: Os concorrentes poderão comparecer na sede do GDI, sita na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 10.º andar, a partir de 24 de Setembro de 2012 inclusive, e até à data limite para a entrega das propostas, para tomar conhecimento de eventuais esclarecimentos adicionais. Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, aos 6 de Agosto de 2012. O Coordenador Chan Hon Kit

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO PARA “EMPREITADA DO REORDENAMENTO VIÁRIO DO ZAPE, FASE 3” 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11.

Entidade que põe a obra a concurso: Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes. Modalidade de concurso: Concurso Público. Local de execução da obra: Arruamentos e vias pedonal envolvente pelas Rua de Pequim, Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues e Praceta de Um de Outubro. Objecto da Empreitada: Melhoramento dos arruamentos e reordenamento do sistema de drenagem. Prazo máximo de execução: 210 dias ( duzentos e dez dias ). Prazo de validade das propostas: o prazo de validade das propostas é de noventa dias, a contar da data do Acto Público do Concurso, prorrogável, nos termos previstos no Programa de Concurso. Tipo de empreitada: a empreitada é por Série de Preços. Caução provisória: $240 000,00 (duzentas e quarenta mil patacas), a prestar mediante depósito em dinheiro, garantia bancária ou seguro-caução aprovado nos termos legais. Caução definitiva: 5% do preço total da adjudicação (das importâncias que o empreiteiro tiver a receber, em cada um dos pagamentos parciais são deduzidos 5% para garantia do contrato, para reforço da caução definitiva a prestar). Preço Base: não há. Condições de Admissão: Serão admitidos como concorrentes as entidades inscritas na DSSOPT para execução de obras, bem como as que à data do concurso, tenham requerido a sua inscrição, neste último caso a admissão é condicionada ao deferimento do pedido de inscrição. 12. Local, dia e hora limite para entrega das propostas: Local: Secção de Atendimento e Expediente Geral da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, R/C, Macau; Dia e hora limite: dia 14 de Setembro de 2012 (sexta -feira), até às 12:00 horas. Em caso de encerramento desta Direcção de Serviços na hora limite para a entrega de propostas acima mencionada por motivos de tufão ou de força maior, a data e a hora limites estabelecidas para a entrega de propostas serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. 13. Local, dia e hora do acto público: Local: Sala de reunião da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, 5º andar, Macau; Dia e hora: dia 17 de Setembro de 2012 (segunda-feira), pelas 9:30 horas. Em caso de diamento da data limite para a entrega de propostas mencionada de acordo com o número 12 ou em caso de encerramento desta Direcção de Serviços na hora estabelecida para o acto público de abertura das propostas acima mencionada por motivos de tufão ou de força maior, a data e a hora estabelecidas para o acto público de abertura das propostas serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. Os concorrentes ou seus representantes deverão estar presentes ao acto público de abertura de propostas para os efeitos previstos no artigo 80º do Decreto-Lei n.º74/99/M, e para esclarecer as eventuais dúvidas relativas aos documentos apresentados no concurso. 14. Local, hora e preço para obtenção da cópia e exame do processo: Local: Departamento de Infra-Estruturas da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, 16º andar, Macau; Hora: horário de expediente (Das 9:00 às 12:45 horas e das 14:30 às 17:00 horas) Na Secção de Contabilidade da DSSOPT, poderão ser solicitadas cópias do processo de concurso ao preço de $450,00 (quatrocentas e cinquenta patacas). 15. Critérios de apreciação de propostas e respectivos factores de ponderação: - Preço razoável 60%; - Plano de trabalhos 10%; - Experiência e qualidade em obras 18%; - Integridade e honestidade 12%. 16. Junção de esclarecimentos: Os concorrentes poderão comparecer no Departamento de Infra-Estruturas da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, 16º andar, Macau, a partir de 30 de Agosto de 2012 (inclusivé) e até à data limite para a entrega das propostas, para tomar conhecimento de eventuais esclarecimentos adicionais. Macau, aos 16 de Agosto de 2012. O Director dos Serviços Jaime Roberto Carion


quarta-feira 22.8.2012

publicidade

www.hojemacau.com.mo

HOJE NO PRATO Anúncio

ANÚNCIO

Concurso público da empreitada de « Construção de Pavilhão do panda pequeno no Parque de Seac Pai Van»

Concurso público da empreitada de “Reformulação das instalações da infra-estrutura da Praia de Hac Sá” (2ª fase)

1.

Modalidade do concurso: concurso público.

1. Modalidade de concurso: concurso público.

2.

Local de execução da obra: Parque de Seac Pai Van.

2. Local de execução da obra: Praia de Hac Sá.

3.

Objecto da empreitada: Construção de Pavilhão do panda pequeno no Parque de Seac Pai Van.

3. Objecto da empreitada: reformulação das instalações da infra-estrutura da Praia de Hac Sá.

4. Prazo de validade das propostas: o prazo de validade da proposta é de 90 dias, a contar da data do acto público do concurso, prorrogável nos termos previstos no programa de concurso. 5.

Tipo de empreitada: a empreitada é por Série de Preços.

6.

Caução provisória: MOP$280,000.00 (Duzentos e Oitenta mil patacas) e pode ser prestada por depósito em dinheiro, por garantia bancária ou por seguro-caução aprovado nos termos legais.

7.

Caução definitiva: a caução definitiva é de 5% do preço total da adjudicação (das importâncias que o empreiteiro tiver a receber em cada um dos pagamentos parciais são deduzidos 5% para garantia do contrato, em reforço da caução definitiva a prestar).

8.

Preço base: não há.

9.

Condições de admissão: inscrição na DSSOPT na modalidade de execução de obras.

10. Local, dia e hora limite para entrega das propostas: Núcleo de Expediente e Arquivo do IACM, sito na Av. de Almeida Ribeiro, n.º 163 -R/C, Edif. Sede do IACM, até às 17:00 horas do dia 03 de Setembro de 2012 (a proposta deve ser redigida numa das línguas oficiais da RAEM). 11. Local, dia e hora do acto público: Divisão de Formação e Documentação do IACM, sita na Avenida da Praia Grande, Edifício China Plaza, 6º andar, no dia 4 de Setembro de 2012, pelas 10:00 horas. Os concorrentes ou seus representantes deverão estar presentes no acto público de abertura de propostas para os efeitos previstos no artigo 80.º do Decreto-Lei n.º 74/99/M, e para esclarecer as eventuais dúvidas relativas aos documentos apresentados no concurso. 12. Local, dia e hora para exame do processo e obtenção da cópia: O projecto, o caderno de encargos, o programa do concurso e outros documentos complementares podem ser examinados, nos Serviços de Construções e Equipamentos Urbanos do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais, sitos na Av. da Praia Grande, Edifício Comercial Nam Tung, 18º andar - Macau, durante as horas de expediente, desde o dia da publicação do anúncio até ao dia e hora do acto público do concurso. No local acima referido poderão ser solicitadas até às 17:00 horas do dia 30 de Agosto de 2012, cópias do processo de concurso ao preço de MOP$1,000.00 (mil patacas) por exemplar, ao abrigo do n.º 3 do artigo 52.º do Decreto-Lei n.º 74/99/M.

4. Prazo de validade das propostas: o prazo de validade da proposta é de noventa dias, a contar da data do acto público do concurso, prorrogável nos termos previstos no programa de concurso. 5. Tipo de empreitada: a empreitada é por série de preços. 6. Caução provisória: Duzentas e dez mil patacas (MOP 210 000,00), a prestar mediante depósito em dinheiro, garantia bancária ou seguro caução aprovado nos termos legais. 7. Caução definitiva: 5% do preço total da adjudicação (das importâncias que o empreiteiro tiver a receber em cada um dos pagamentos parciais são deduzidos 5% para garantia do contrato, em reforço da caução definitiva a prestar). 8. Preço base: não há. 9. Condições de admissão: inscrição na Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes, na modalidade de execução de obras. 10. Local, dia e hora limite para entrega das propostas: Local: Núcleo de Expediente e Arquivo do IACM, sito na Av. de Almeida Ribeiro, nº. 163, R/C, Edif. Sede do IACM; Dia e hora limite para a entrega das propostas: dia 18 de Setembro de 2012, às 17:00 horas (a proposta deve ser redigida numa das línguas oficiais da RAEM). 11. Local, dia e hora do acto público: Local: Centro de Formação do IACM, sito na Avenida da Praia Grande n°. 804, Edf. China Plaza, 6° andar, Macau. Dia e hora: dia 20 de Setembro de 2012, pelas 10:00 horas. Os concorrentes ou seus representantes deverão estar presentes ao acto público de abertura de propostas para os efeitos previstos no artigo 80º do Decreto-Lei nº 74/99/M, e para serem esclarecidas as eventuais dúvidas relativas aos documentos apresentados no concurso. 12. Local, dia e hora para exame do processo e obtenção da cópia: O projecto, o caderno de encargos, o programa do concurso e outros documentos complementares podem ser examinados nos Serviços de Saneamento, Vias e Manutenção Urbana do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais, sitos na Av. da Praia Grande, Edifício Comercial Nam Tung, 17º andar, Macau, durante as horas de expediente, desde o dia da publicação do anúncio até ao dia e hora do acto público do concurso. No local acima referido, poderão ser solicitadas até às 17:00 horas do dia 11 de Setembro de 2012, cópias do processo de concurso ao preço de MOP$1,000.00 (mil patacas) por exemplar, ao abrigo do nº 3 do artigo 52º do Decreto-Lei nº 74/99/M. 13. Prazo de execução da obra: O prazo de execução não poderá ser superior a 120 dias.

14. Critérios de apreciação de propostas e respectivos factores de ponderação: - Preço Global da empreitada e Lista de Preços Unitários 60% - Prazo de execução razoável: 10% - Os processos construtivos e os meios propostos para a execução dos trabalhos 10% - Experiência em obras semelhantes 10% - Material 10%

14. Critérios de apreciação de propostas e respectivos factores de ponderação: - Preço global da empreitada e lista de preços unitários - 60% - Prazo de execução razoável - 10% - Plano de trabalhos: i.            O nível de descritivo das actividades elementares - 3%  ii.            A interdependência das actividades elementares - 3% iii.            A adequabilidade e viabilidade dos prazos de execução - 4% - Programa e proposta da realização da obra - 5% - Experiência em obras semelhantes - 5% - Qualidade do material - 5% - Plano de Segurançã - 5%

15. Junção de esclarecimentos: Os concorrentes deverão comparecer nos Serviços de Construções e Equipamentos Urbanos do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais, sitos na Av. da Praia Grande, Edifício Comercial Nam Tung, 18º andar - Macau, a partir de 30 de Agosto de 2012, inclusive, e até à data limite para entrega das propostas, para tomar conhecimento de eventuais esclarecimentos adicionais.

15. Junção de esclarecimentos: Os concorrentes deverão comparecer nos Serviços de de Saneamento, Vias e Manutenção Urbana do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais, sitos na Av. da Praia Grande, Edifício Comercial Nam Tung, 17º andar, Macau, a partir de 11 de Setembro de 2012 até à data limite para entrega das propostas, para tomar conhecimento de eventuais esclarecimentos adicionais.

Macau, aos 9 de Agosto de 2012.

Macau, aos 16 de Agosto de 2012.

O Presidente do Conselho de Administração Tam Vai Man

13. Prazo de execução da obra: O prazo de execução não poderá ser superior a 120 dias, contados a partir da data de consignação dos trabalhos.

www. iacm.gov.mo

O Presidente do Conselho de Administração,Subst°

Lei Wai Nong

www. iacm.gov.mo

13


14

vida

www.hojemacau.com.mo

quarta-feira 22.8.2012

Antibióticos dados a bebés podem explicar obesidade

nosso corpo e que nos permitem ficar magros”, disse. Os investigadores analisaram a utilização de antibióticos por 11532 crianças nascidas em Avon, no Reino Unido, entre 1991 e 1992, tendo concluído que os bebés que estiveram expostos a antibióticos nos primeiros cinco meses de vida pesavam mais para o seu tamanho do que as outras crianças. A diferença de peso foi reduzida entre os 10 e os 20 meses, mas acentuou-se novamente aos três anos e dois meses, e as crianças que tinham sido tratadas com antibióticos no início da sua vida tinham mais 22% de possibilidade de terem excesso de peso. Já os bebés tratados com antibióticos a partir do seu quinto mês não apresentavam diferenças de peso notáveis em relação às outras crianças. “Os agricultores já sabem que os antibióticos são úteis para produzir vacas maiores para vender”, salientou Jan Blustein, outra investigadora da Universidade de Nova Iorque. A investigadora admitiu ser necessária a “realização de mais trabalhos para confirmar as descobertas, mas que este estudo sugere que os antibióticos contribuem para o aumento do peso dos humanos, particularmente das crianças”.

A morte das bactérias saudáveis

A

administração de antibióticos a bebés com menos de seis meses poderá contribuir mais tarde para a obesidade dessas crianças, revela um estudo publicado, esta terça-feira, pelo “International Journal of Obesity”. “Geralmente pensamos que a obesidade é um problema que se deve em grande parte a uma dieta alimentar pouco saudável e à falta de exercício, mas cada vez mais estudos sugerem que é mais complicado”, explicou um dos co-autores do estudo, Leonardo Trasande, da Faculdade de Medicina da Universidade de Nova Iorque, citado pela agência noticiosa AFP. De acordo com o investigador, “os micróbios nos nossos intestinos poderão desempenhar um papel importante na forma como absorvemos as calorias”. “A exposição aos antibióticos, sobretudo em idade jovem, poderão matar algumas bactérias que influenciam a forma como assimilamos os alimentos no

Emissões de dióxido de carbono nos EUA baixam

A

Níveis históricos

S emissões de dióxido de carbono no primeiro trimestre de 2012, dos Estados Unidos da América (EUA), foram as mais baixas dos últimos 20 anos. Um aumento no consumo de gás natural em detrimento do carvão é uma das razões apontadas pelo relatório da Energy Information Administration (EIA), publicado na semana passada. Os EUA são o segundo maior emissor de dióxido de carbono no mundo, e estes resultados surgem como

uma surpresa. Contudo, não se sabe se esta diminuição é somente temporária ou se anuncia uma tendência mais significativa. Segundo os registos do EIA, as emissões de carbono, - relativas ao consumo de energético -, caíram 2,4% entre 2010 e 2011 – não estando associadas às flutuações económicas, como aconteceu em 2009. Durante o primeiro trimestre de 2012, as emissões diminuíram quase 8% em relação ao mesmo período de 2011, atingindo

o seu nível mais baixo desde 1992. No entanto, o EIA explica que é preciso conter o ânimo, pois isto pode-se dever somente ao inverno ter sido mais ameno, o que levou a uma diminuição na demanda por aquecimento. Apesar de o EIA acreditar que é difícil “tirar conclusões” de um ano para o outro, sublinha que o aumento do uso de gás natural em detrimento do carvão e a melhoria da eficiência dos automóveis pode estar a ter um impacto a longo prazo. No mesmo trimestre foi também registada a menor percentagem de emissões provenientes do carvão – o mais poluente de todos -, desde 1983. Isto está a impulsionar o uso do gás natural. Porém, esta fonte energética também é descrita como “controversa”, pois a sua técnica de extracção pode contaminar águas subterrâneas. A mesma agência estima que, em 2020, os EUA, emitam menos 9% de dióxido de carbono do que em 2005.

Poluição sonora no mar atrapalha comunicação entre baleias

A culpa do tráfego de embarcações I

NVESTIGADORES afirmam que o aumento do volume de ruído debaixo de água, criado pelo tráfego de embarcações, está a envolver as baleias francas numa “névoa acústica”, que dificulta a sua comunicação. A espécie do Atlântico Norte, ameaçada de extinção, usa mais a audição do que a visão. Os bichos mantêm contato entre si por meio dos sons. Um artigo escrito por investigadores do Governo norte-americano e da Universidade Cornell estima que, nos últimos 50 anos, a área onde as baleias se comunicam na região de Massachusetts, nos EUA, tenha caído dois terços por causa do barulho. Isso dificulta as actividades dos animais, como se juntar e compartilhar informações que os ajudem a achar comida, evitar predadores, reproduzir-se e proteger os seus filhotes.

A líder do estudo, Leila Hatch, do National Oceanic and Atmospheric Administration, comparou a situação das baleias à de uma pessoa numa festa lotada que precisa de gritar ou sair do recinto para ser ouvida. No caso das baleias, elas podem mudar a frequência ou o volume do canto, o que pode limitar a eficácia da comunicação e causar stress nos animais, diz Hatch. A espécie chegou perto da extinção no século XVIII. Hoje restam entre 350 e 550 baleias francas do Atlântico Norte. Para realizar o estudo, os cientistas usaram dados recolhidos por microfones na água na baía de Massachusetts. Uma solução para o problema seria melhorar o design dos navios para que eles gerassem menos ruído, mas isso pode demorar muito para acontecer.


quarta-feira 22.8.2012

cultura

www.hojemacau.com.mo

A actualização, como explicou o director dos Serviços de Turismo, visa “aumentar a grandiosidade” e “enriquecer os elementos das exibições pirotécnicas” do Concurso Internacional que fecha, como é tradição, no feriado de 1 de Outubro, Dia Nacional da República Popular da China.

José C. Mendes*

josecmendes@hojemacau.com.mo

O

24º Concurso Internacional de Fogo de Artifício de Macau foi ontem apresentado pelas 15h, na Torre de Macau. Organizado pela Direcção dos Serviços de Turismo (DST), coube ao seu director, João Manuel Costa Antunes fazer a apresentação da edição deste ano que contará com dez equipas em competição. A Pirotecnia Minhota representará Portugal no concurso, que vai decorrer entre 8 de Setembro e 1 de Outubro. O Concurso Internacional de Fogo de Artifício de Macau abre com as actuações da Coreia do Sul e da Tailândia (8 de Setembro), seguindo-se Taiwan e Estados Unidos (15 de Setembro), Portugal e França (22 de Setembro), Japão e Austrália (29 de Setembro), num evento que encerra com os espectáculos das equipas de Itália e da China (1 de Outubro). A Pirotecnia Minhota, uma das veteranas do certame, está entre as dez equipas de “renome internacional”, tendo vencido anteriormente o espectáculo anual. A equipa “Lacroix Ruggieri” (França), detentora de uma experiência na produção pirotécnica de mais de 250 anos e considerada uma das melhores do sector na Europa, e a “Orzella Fireworks” (Itália), criada em 1884, são as grandes novidades no Concurso Internacional de Fogo de Artifício. Entre as restantes equipas que já participaram no Concurso de Macau, está a maior companhia produtora de fogo de artifício da Austrália, a Foti International

CHINA A DEFENDER O TÍTULO

24º Concurso Internacional de Fogo de Artifício de Macau foi apresentado ontem

Com cunho minhoto Fireworks, responsável pela cerimónia de abertura e encerramento dos Jogos Olímpicos de Sidney, ou a equipa vinda dos EUA, a Pyro Specteculars by Souza, que para além de ter organizado o fogo do Campeonato do Mundo de Futebol de 2002 participou também em três edições dos Jogos Olímpicos.

O evento organizado pelos Serviços de Turismo, conta, este ano, com um orçamento de 11,5 milhões de patacas, um valor que representa mais 21% face ao ano passado, indicou o director, Costa Antunes, durante a conferência de imprensa de apresentação do evento. O aumento das verbas, que não

se fazia há quatro anos, deve-se nomeadamente à revisão em alta do subsídio para material de fogo de artifício, que aumenta 25% para cerca de 195 mil patacas a partir deste ano, bem como dos valores correspondentes ao apoio destinado ao transporte do mesmo material.

“Humorália” de Rodrigo de Matos inaugura hoje no Albergue SCM

D

“Rir é uma coisa séria”

ESDE pequeno que sonhava poder trabalhar na área do cartoon, mas nunca pensou que tal pudesse vir a ser uma realidade. Mas a realidade tornou o sonho possível e a exposição “Humorália”, que hoje inaugura no Albergue, pelas 18h30, exibe cinco dezenas de trabalhos que o cartoonista Rodrigo de Matos publicou em Portugal no Expresso e em Macau, no Ponto Final. “Era miúdo quando comecei a ver os cartoons que vinham nos jornais e revistas que o meu pai trazia para casa e foi nessa altura que comecei a sonhar em trabalhar nessa área, mas nunca pensei que isso fosse possível. Entretanto cheguei

15

à universidade e fiz o curso de jornalismo e depois de trabalhar durante seis anos como jornalista em Lisboa, comecei a pensar se a minha vida não passaria mais por esta profissão de cartoonista,” disse o artista ao Hoje Macau. Deu o salto para Espanha e em Madrid, estudou ilustração. Durante um mês construiu um portfolio com as notícias do dia. O livro foi apresentado a vários jornais portugueses e o Expresso acabou por contratá-lo. “A partir daí tornei-me cartoonista profissional”, conta.

HUMOR COMO LINGUAGEM Será o humor uma arma? O cartoon pode ser usado

como uma arma? Rodrigo, como simplesmente gosta de ser tratado, acha a expressão demasiado forte. “Para mim acima de tudo é uma linguagem. É a linguagem com a qual me expresso para chamar a atenção das pessoas sobre aquilo que acho que é importante. Mais do que dizer que, isto é assim, ou assado, é uma chamada de atenção para que as pessoas pensem sobre determinado assunto. Mas é claro que às vezes o cartoon pode fazer mossa em certos interesses ou lobbies,” concede o cartoonista radicado em Macau desde 2009. A arte do cartoon resiste ao tempo e continua a ter um grande

impacto, mas será que tem a capacidade de mudar consciências. Para Rodrigo tem pelo menos a capacidade “ de criar alguma consciência onde dantes havia “inconsciência”. Os cinquenta cartoons de “Humorália” que podem ser vistos a partir de hoje no Albergue SCM, abrangem temas como a enchente demográfica em Macau, ou o aquecimento global ou o tsunami no Japão entre muitos outros. Num mundo paradoxal, nenhum acontecimento está imune ao humor nem ao pensamento crítico. Porque rir é uma coisa séria, diz a nota de imprensa da organização. - J.C.M.

A “Panda Fireworks” (China), que participa pela terceira vez, vai defender o título “numa concentração de grande nível que irá com certeza trazer espectáculos pirotécnicos memoráveis”, realçou Costa Antunes. A organização vai instalar sistemas de transmissão sonora dos espectáculos em vários pontos da cidade, ao mesmo tempo que o canal chinês da Rádio Macau fará a transmissão em directo da música de cada uma das apresentações. Os Serviços de Turismo e a União Geral de Moradores de Macau voltam também este ano a cooperar na organização do arraial do Fogo de Artifício que, no ano passado, atraiu mais de 25 mil pessoas à zona ribeirinha em frente à Torre de Macau. Entretanto, já a pensar nas bodas de prata, em 2013, os Serviços de Turismo vão realizar um concurso de design do troféu, cujo período de inscrições abriu ontem, “destinado a aumentar o grau de participação e envolvimento do público e “a incentivar os talentos locais na área do design a mostrarem a sua criatividade”. Os trabalhos vencedores podem ser usados no design dos troféus entregues às equipas participantes. - * com Lusa


16

desporto

Pelé critica Messi e Maradona

Pelé voltou a reavivar a picardia entre o futebol brasileiro e o argentino. Para o antigo craque “canarinho”, agora com 71 anos, Neymar tem tudo para ser melhor jogador do que Maradona e Messi. “O Maradona só jogava com a perna esquerda e não era muito forte de cabeça. O Messi? É mais ou menos uma cópia dele. O Neymar pode vir a ser mais forte que os dois argentinos, já que tem qualidades para isso. Falta-lhe amadurecer», opinou Pelé. O tricampeão do Mundo em 1958, 1962 e 1970 reconheceu ainda ter consciência do impacto e polémica que as suas palavras vão originar. “Os argentinos ficam sempre chateados quando falo”, ironizou.

quarta-feira 22.8.2012

www.hojemacau.com.mo

Jogos Olímpicos Agente do nadador já veio negar

Phelps em risco de perder as medalhas

Maxi Pereira na órbita do Chelsea

O lateral Maxi Pereira é o mais recente nome do plantel do Benfica a ser ventilado no mercado de transferências, por conta do alegado interesse do Chelsea no uruguaio. O jogador de 28 anos, que inicia a sexta época de águia ao peito, é colocado na agenda do clube londrino pelo site espanhol estadiodeportivo no âmbito do interesse do Bétis em Nolito. Contratado ao Defensor Sporting em 2007, Maxi Pereira, peça fundamental do onze de Jorge Jesus, está vinculado aos encarnados até Junho de 2015, com uma cláusula de rescisão de 300 milhões de patacas.

Saviola Málaga nega negociações

O Málaga desmentiu esta segundafeira que esteja em negociações para a contratação de Javier Saviola, avançado do Benfica. Fonte do clube disse ao jornal espanhol AS que não existem quaisquer conversações nem com o Benfica nem com o próprio jogador. Recorde-se que, também esta segunda-feira, em declarações à Antena 1, Diego Queiruga, empresário de Saviola, disse que o Málaga está interessado no jogador.

Empresário de Luisão revela que jogador pode não ser castigado

G

Benfica crente

IULIANO Bertolucci revelou que a Direção do Benfica tem transmitido a Luisão que o capitão “tem poucas chances de ser castigado” na sequência do episódio protagonizado com o árbitro do jogo com o Fortuna Dusseldorf. “Ele está confiante. A Direcção diz-lhe que tem poucas chances de ser castigado. Ele diz que está de consciência tranquila. Foi um incidente. Quis defender um companheiro e deu toda aquela confusão. Não deu qualquer encosto, correu na direcção do árbitro e acabou por haver o choque. Não teve intenção”, conta o

agente do capitão encarnado, em declarações à Antena 1. “Estão a fazer uma tempestade num copo de água. Ele está tranquilo e focado no trabalho. Deixou esse assunto para a Direcção do Benfica resolver”, refere Bertolucci, realçando que o jogador “sabe separar as coisas”. “Um jogador com a sua envergadura tem de ter capacidade para aguentar este tipo de situações”, nota. Quanto ao futuro do brasileiro de águia ao peito, diz o empresário que Luisão “está muito feliz” no Benfica: “Está em Portugal há quase dez anos, nunca teve problemas. Uma ou duas expulsões. É um menino de ouro.”

M

ICHAEL Phelps teve uma prestação fantástica nos Jogos Olímpicos de Londres, conseguindo ser o atleta mais medalhado de sempre, mas agora está em risco de perder as medalhas. O motivo? Não tem nada a ver com doping, mas sim, com publicidade. O atleta terá violado a regra que diz que nenhum atleta participante dos Jogos Olímpicos poderá participar em campanha publicitária de uma marca que não seja patrocinadora dos Jogos, no período entre 18 de Julho e 15 de Agosto. O que aconteceu com o Phelps é que imagens do nadador a posar para uma campanha da Louis Vuitton foram divulgadas em sites e no Twitter no dia 13 de Agosto. Como a marca francesa não faz parte do rol de patrocinadores, Phelps poderá ser punido com a desclassificação e a perda das quatro medalhas de ouro e duas de prata conquistadas em Londres. Fonte da Louis Vuitton já garantiu que a campanha só seria lançada após o final do período de proibição e que as fotos divulgadas são não oficiais e foram roubadas da empresa. À agência AP, o empresário do nadador, Peter Carlisle, também negou a responsabilidade pela veiculação das imagens, apontando que elas foram divulgadas por uma pessoa ainda não identificada. Caso se prove que as imagens publicitárias foram divulgadas antes do prazo estabelecido pelo COI (Comité Olímpico Internacional) de forma intencional, Phelps poderá perder as medalhas. Se o nadador prove que realmente a divulgação da campanha nessa data não foi propositada, poderá ser punido apenas com uma multa.

Milionário norte-americano investe no Manchester United

Directo de Wall Street

G

EORGE Soros tornou-se accionista do clube de futebol britânico, ao adquirir 7,85% das acções da equipa em Wall Street, informou na segunda-feira o regulador do mercado de capitais dos EUA. O milionário norte-americano George Soros, detentor de um fundo de investimento familiar, adquiriu 3,1 milhões de acções de classe A do Manchester United na bolsa de Nova Iorque. Soros torna-se, assim, a ser um dos principais investidores associados ao clube, que é detido e controlado pela família americana Glazer, segundo o documento do órgão regulador do mercado de capitais norte-americano, a Securities Exchange Comission (SEC). As acções adquiridas por George

Soros que, segundo o Financial Times, terão custado cerca de 43,4 milhões de dólares e representam 1,9% do Manchester United quando são tidas em conta as acções de classe B detidas pelos membros da família Glazer. O Manchester United, onde joga o português Nani, entrou na bolsa de Nova Iorque no passado dia 9 de Agosto e apresenta, actualmente, um valor em bolsa que ronda as 17,3 mil milhões de patacas.


quarta-feira 22.8.2012

[ ] Cinema

Brenda Chapman 16.00, 19.30

Um filme de: Tony Gilroy Com: Jeremy Renner, Rachel Weisz 14.30, 19.15, 21.30

THE DARK NIGHT RISES [B]

MCDULL, THE PORK OF MUSIC [B]

FALADO EM CANTONENSE, LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Brian Tse 16.45 SALA 2

PARANORMAN [3D] [B] LEGENDADO EM CHINÊS Um filme de: Chris Butler, Sam Fell 14.15, 17.45

Um filme de: Christopher Nolan Com: Christian Bale, Gary Oldman, Anne Hathaway 21.15 SALA 3

SAMMY’S 2: ESCAPE FROM PARADISE [3D] [C] FALADO EM CANTONENSE Um filme de: Len Wiseman Com: Ben Stassen 14.30, 16.15, 18.00

Aqui há gato

MCDULL, THE PORK OF MUSIC [B]

BRAVE [3D] [B]

FALADO EM CANTONENSE, LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Brian Tse 19.45, 21.30

FALADO EM CANTONENSE Um filme de: Mark Andrews,

VERTICAIS: 1-Aparelho de propulsão accionado por um motor e aplicado aos navios, aviões, torpedos, etc.. Estímulo, incitamento. 2-Mau cheiro (Bras.). Diz-se do ácido oxigenado resultante da combinação de um anidro com a água (Quím.). 3-Orangotango, chimpanzé. Que não estão lesos. 4-Fazer bojo. Criminosa. 5-Semelhante, na forma e no tamanho, a um ovo de galinha. Relação, lista. 6-Grupo de palavras que exprimem uma ideia. Decrépita, velha. 7-Abalavam. Designo, aponto. 8-Sopro. Deixara para outro dia. 9-Tailândes. Em forma de asa. 10-Palmeira da India. Rincho do cavalar (Onomat.). 11-O m. q. Ohm. Extensão de água salgada que rodeia os continentes.

SOLUÇÕES DO PROBLEMA

Sudoku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: 1-Exista. Sucesso desairoso. 2-Reflexão de um som. Discursariam. 3-Revestiam de laca. Nome de homem. 4-Peça de artilharia, parecida com um morteiro comprido. Planta apiácea. 5-Cobalto (s.q.). Semelhante ao azeite. 6-Reclame com direito. Em isto. 7-Alarido. Do corrente ano (abrev. lat.). 8-Bordo (planta). Recitará, alegará. 9-Flor-de-lis. Avelórios para colar ou rosário. 10-Aromático, odorífero. Departamento de França. 11- O m. q. orvalhinha (planta). Solitário.

[Tele]visão TDM 13:01 13:30 14:45 17:00 19:00 19:35 20:30 21:05 21:30 22:15 23:00 23:35 01:15 01:45 02:45

TDM News - Repetição Jornal das 24h RTPi DIRECTO Liga Sagres: Académica - Sporting (Repetição) TDM Entrevista (Repetição) Resistirei Telejornal Tempos Modernos Brothers and Sisters (Irmãos e Irmãs) Hilda Furacão TDM News Maria e as Outras Telejornal (Repetição) RTPi DIRECTO Liga dos Campeões: Braga - Udinese Calcio (Directo) INFORMAÇÃO TDM

RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:30 Viva a Música 15:30 Cenas do Casamento - SIC 16:00 Bom Dia Portugal 17:00 Decisão Final 17:45 Vingança 18:30 Destino: Portugal – Alcácer do Sal 19:00 Os Donos de Portugal 19:45 Vida Animal em Portugal e no Mundo 20:00 Jornal Da Tarde 21:15 O Preço Certo 22:15 Verão Total 30 - ESPN 13:00 13:30 15:00 15:30 18:30 19:30 20:00 20:30 21:00 22:00 22:30 23:00

The Football Review Volta A Catalunya 2012 Geico PBA Summer Shootout MLB Regular Season 2012 New York Yankees vs. Chicago White Sox (Delay) Baseball Tonight International 2012 (LIVE) Sportscenter Asia 2012 Engine Block 2012 Global Football 2012/13 Beach Soccer Highlights 2012 Sportscenter Asia 2012 Global Football 2012/13 London 2012 Olympic Games Onc Highlights Day 8

31 - STAR Sports 13:00 FEI Equestrian World 2012 13:30 Golf Focus 2012 14:00 Ladies Irish Open Day 1 Highlights 15:00 Laureus Spirit Of Sport 15:30 Autobacs Super GT Series 2012 16:30 British Touring Car Championship 2012 17:30 FIA Asia Pacific Rally Championship 2012 18:00 The Championships, Wimbledon 2012 19:30 Ladies Irish Open Day 3 Highlights 20:30 FIA Asia Pacific Rally Championship 2012 21:00 Smash 2012 21:30 (LIVE) Score Tonight 2012 22:00 Mobil 1 The Grid 2012 22:30 ash 2012 23:00 British Touring Car Championship 2012 40 - FOX Movies 12:15 The Taking Of Pelham 123 14:00 Up 15:40 London Boulevard 17:25 Blue Valentine 19:15 Zookeeper 21:00 Killers 22:45 Up 00:25 The Whistleblower 41 - HBO 12:00 The Mummy 14:00 The Mummy Returns 16:05 Black Sheep 17:30 Grown Ups 19:15 Morning Glory 21:00 The Newsroom 22:00 Jaws 2 23:55 After.Life 42 - Cinemax 12:25 Blink 14:05 Dante’S Peak 16:00 The Incredible Shrinking Man 17:20 Batman: Under The Red Hood 18:45 Beverly Hills Ninja 20:20 She’S Out Of My League 22:00 Universal Soldier 23:25 Kick-Ass

HORIZONTAIS: 1-HAJA. FIASCO. 2-ECO. ORARIAM. 3-LACAVAM. ARI. 4-I. OBUS. AMIO. 5-CO. OLEIDEO. 6-EXIJA. NISTO. 7-ALARIDA. AC. 8-ACER. DIRA. E. 9-LIS. ROCALHA. 10-ODOROSO. AIN. 11-ROSELA. ERMO. VERTICAIS: 1-HELICE. ALOR. 2-ACA. OXACIDO. 3-JOCO. ILESOS. 4-A. ABOJAR. RE. 5-OVULAR. ROL. 6-FRASE. IDOSA. 7-IAM. INDICO. 8-AR. ADIARA. E. 9-SIAMES. ALAR. 10-CARIOTA. HIM. 11-OMIO. OCEANO.

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA O REI DA BOLA • José Jorge Letria

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição SOLUÇÃO DO PROBLEMA DO DIA ANTERIOR

17

Cineteatro | PUB

SALA 1

THE BOURNE LEGACY [B]

futilidades

www.hojemacau.com.mo

A História de Eusébio contada aos mais novos. Rodrigo, Martim, Luisa e Afonso mal podiam acreditar nos seus olhos. Eusébio da Silva Pereira, o mítico Pantera Negra, ídolo de várias gerações, descia do pedestal da sua estátua no Estádio da luz para partilhar com eles a história da sua vida, dos seus sonhos de menino e da ascensão à categoria de símbolo desportivo aquém e além-fronteiras. É este o ponto de partida para esta biografia assinada pela mestria de José Jorge Letria e ilustrada por Alberto Faria, onde vais ficar a conhecer a vida e a carreira de um dos maiores futebolistas de todos os tempos.

DIETAS SEM DIETA • Paula Veloso

Se fosse fácil emagrecer, provavelmente ninguém seria gordo. Porque comer é, sem dúvida, um enorme prazer... Este manual ensina-lhe os passos básicos para emagrecer saudavelmente, fornecendo-lhe receitas e dicas que lhe permitem perder peso com satisfação. Inclui 31 menus, de fácil e rápida execução, para desfrutar com toda a família. RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

E O URSO É ELE? Venham lá com o blá-blá de que se não fosse o Governo de Macau o Bo Bo estaria num tacho. Ok, obrigado, mas não me satisfaz essa desculpa quando a pergunta é quando dão mais condições ao pobre do bicho. No outro dia gatinhei até ao Jardim da Flora. Sinceramente não me atrai ir até Seac Pai Van onde dizem que estão os ursos-gatos – é mesmo? Aquilo parece-vos um gato? Acho piada que o pobre do Bo Bo tem um espaço de uns dez metros de comprimento para andar, com uns pneus e uma bola para se entreter. Sem ar condicionado. Sem um pavilhão gigante que custou milhões de patacas. Mas tudo bem. Ele lá se vai escondendo do calor no seu buraco de pedra, onde dorme sempre sozinho porque não tem um Hoi Hoi ou um Sam Sam como vizinhos. Eu até percebia que o Governo decidisse deixá-lo lá se não quisesse ter mais animais em Seac Pai Van. Mas, eis que na semana passada surge a notícia de que o parque dos chatos dos pandas – que são tão bem tratadinhos porque foram um presente da mamã pátria e não estavam num restaurante à espera do lume – vai ter mais uns ursitos e flamingos. Ok. Não estou a dizer que não foi de valor salvarem o urso da panela. Sim, foi. Mas daí a esquecêlo, vai um longo passo. Porque é que em vez de comprarem mais animais novos para Seac Pai Van não põem lá o Bo Bo? Com um espaço decente, brinquedos para urso velho que ainda brinca e com um belo de um arcondicionado? Oh Sr. Chui Sai On deixe lá o ursinho ir brincar com os amigos para Seac Pai Van. Acredite que as receitas iriam subir muito mais. Primeiro porque os chineses gostam de tudo o que seja a pagar – porque se se paga é porque é bom – e ele sempre fazia uma figura bem mais porreira do que os dois gordos que tem lá a comerem bambu o dia todo e a dormirem de barriga para cima. Não sei. Eu sou gato, bem sei e isto é só uma sugestão... Mas nunca o Executivo pensou nisto? E o urso é ele?

Pu Yi


18

opinião

www.hojemacau.com.mo

quarta-feira 22.8.2012

O cinismo da “real politik” Fernando Santos in Jornal de Notícias

A

sobreposição dos interesses económicos à ladainha da ética e da moral dita um universo de cinismo nas relações internacionais, Estado a Estado, bloco a bloco. Ditando a substituição do enunciado ideológico pela satisfação da necessidade, a maioria dos líderes à escala internacional esboça um encolher de ombros e dá cambalhotas pela via da mais simplória das desculpas: “real politik”. O cardápio dos Direitos Humanos é, para todos os efeitos, o mais impactante dos argumentos de circunstância... antes do oportunismo. As intervenções da comunidade internacional na Líbia de Kadhafi ou no Iraque de Saddam Hussein são paradigmáticas. Os ditadores foram apoiados - e, até, idolatrados - enquanto alimentaram a indústria petrolífera e de armamento

cartoon por Steff

do Ocidente; quando passaram a ousar ou deixaram de estar sob o controlo das negociatas descobriu-se-lhes, por fim, um cardápio pecaminoso e arranjou- -se maneira de exterminá-los. Pouquíssimos resistem.... Os ditadores acabam, pois, por ser bons ou maus, consoante a conjuntura. Os intocáveis defensores dos Direitos Humanos e da defesa do estabelecimento da Democracia mudam de posição em função do gigantismo dos interlocutores ou do seu próprio estado de penúria. O caso da República Popular da China é o mais vincado de todos. Apesar de tentar construir o modelo um país dois sistemas, o gigante asiático comete tropelias a regras básicas de civilização, sejam elas de dignidade humana ou de liberdade de expressão e pensamento, mas, enfim, cada vez mais tudo se lhe perdoa. Basta serem os chineses os principais financiadores - e credores -, para o combate ao seu modelo não passar do simples estrebuchar de parte significativa do

Poderão parecer minudências, mas não. Por um lado, ninguém tugiu nem mugiu sobre os atropelos aos Direitos Humanos na China e, por outro, cantaram-se hossanas por um empréstimo sequencial à parceria estratégica através da qual a China Three Gorges Corporation adquiriu 21,35% de capital da EDP por 2,7 mil milhões de euros mundo ocidental, rico nos princípios, mas deficitário nas contas.... Portugal é uma impressiva partícula do macrocosmos cínico internacional. Não obstante uma relação secular com o Oriente, via Macau, não deixou de ser (uma vez mais) exemplificativo o dia de ontem.

Enquanto na China, julgada num só dia, a senhora Gu Kailai, advogada e mulher de um dos membros do Partido Comunista tidos como potenciais líderes da China, mas entretanto caído em desgraça, era condenada à pena de morte - suspensa por dois anos! - por ter estado envolvida no homicídio de um empresário britânico, em Lisboa jorrava a pompa e a circunstância na cerimónia de formalização de um empréstimo de mil milhões de euros do China Development Bank Corporation à EDP. Poderão parecer minudências, mas não. Por um lado, ninguém tugiu nem mugiu sobre os atropelos aos Direitos Humanos na China e, por outro, cantaram-se hossanas por um empréstimo sequencial à parceria estratégica através da qual a China Three Gorges Corporation adquiriu 21,35% de capital da EDP por 2,7 mil milhões de euros. Assim como assim, expôs-se a “real politik”. Com a particularidade de se ter considerado como parte do processo de privatizações a entrada do Estado chinês na EDP. Também está bem.

QUÍMICOS, NÃO!


quarta-feira 22.8.2012

opinião

www.hojemacau.com.mo

Fernando Eloy

19

chá muito verde

A minha ilha é maior do que a tua

E

STA história do agora desembarco eu, agora desembarcas tu, se não fosse séria só daria vontade de rir. Rir por, à luz de uma dimensão universal ser uma profunda patetice, chorar, por à luz da nossa pequena realidade se poder tornar num caso muito sério. Mais uma vez, estamos perante um exemplo do mundo que devemos largar se ambicionamos viver melhor. Esta disputa tem tanto de ridícula como de anacrónica e só vem dar razão às vozes que se erguem um pouco por todo o lado a alertarem para as pretensões expansionistas chinesas. Servem também para provar a necessidade uma ordem internacional de facto ou, melhor ainda, de uma consciência internacional evoluída que evite este tipo de comportamento medieval. De quem são as ilhas? Legalmente vai ser impossível de determinar. Os chineses dizem que desde o séc. XVI que lhes pertencem, os japoneses assumiram-nas oficialmente em meados do séc. XIX. Depois veio a II Guerra, as invasões japonesas, e os tratados pós-conflito que obrigaram os japoneses a largarem os territórios ocupados, facto a que os chineses se agarram para justificar que também as Senkaku, ou Diaoyu, fazem parte dos territórios ocupados apesar de os japoneses o terem feito muito antes da guerra, mais precisamente a 14 de Janeiro de 1895. Naturalmente, na época não estariam a pensar nas supostas reservas de petróleo que só foram assinaladas (como uma possibilidade) em 1969 num relatório da Comissão Económica para a Ásia e Extremo Oriente das Nações Unidas, mas sim na sua própria integridade territorial fácil de entender quando olhamos para o mapa. Pode até ser que o petróleo seja o busílis da questão neste momento, mas eu duvido. A questão é mais fálica e menos prosaica. O conflito Senkaku/Diaoyu tem mais a ver com ódios de estimação, arrogâncias nacionalistas e formas antigas de encarar o mundo e, eventualmente, com a necessidade da China em exercer maior controle nos mares da região, do que com quaisquer eventuais recursos naturais. Segundo a lei internacional, as soberanias são exercidas até 200 milhas marítimas da costa. No caso, este lindo arquipélago deserto, dista da costa chinesa praticamente 200 milhas, o que equivale a dizer que sendo controlado pela China, as suas milhas estender-se-iam 400 para além de Fuijan, ou seja, precisamente através das águas japonesas do Arco

A China que promove a harmonia até à exaustão é a mesma que envia recados agressivos ao Japão quando os deles hasteiam a Hinomaru e a mesma que vira a cara para o outro lado quando os seus cidadãos cometem as barbaridades desta semana em Shenzhen e noutras cidades Ryukyu (Ilhas Nansei) que ninguém parece disputar serem japonesas, nem mesmo a China. Ou seja, a China tomava conta do arquipélago e o Japão teria legítimas razões para se sentir invadido, a menos que a lei

das milhas fosse ignorada, e isso não deve interessar à China. Outra hipótese, o Japão mantém as ilhas e a China diz-se ofendida. A China que promove a harmonia até à exaustão é a mesma que envia recados agressivos ao Japão quando os deles hasteiam a Hinomaru e a mesma que vira a cara para o outro lado quando os seus cidadãos cometem as barbaridades desta semana em Shenzhen e noutras cidades. Talvez porque enquanto os furibundos anónimos se entretiverem a virar automóveis japoneses se esqueçam dos seus próprios problemas internos e deixem o partido comunista alapar-se durante mais uns tempos na Cidade Proibida. Existe uma solução, claro, que duvido qualquer das partes aceite, ou seja, uma soberania partilhada. Seria um exemplo para o mundo. Um exemplo de boa convivência e da tal harmonia apregoada por

Pequim. Mas soluções deste género fazem parte de um mundo que ainda não nasceu. Nesse mundo, até faria sentido que tanto a China como a Rússia (especialmente esta porque menos populosa) cedessem, de livre vontade uma parte do seu território continental ao Japão que, não esqueçamos, é um arquipélago constantemente ameaçado por cataclismos da pior espécie - não deve ser fácil para uma nação viver descansada nas condições deles. Talvez daí as loucuras expansionistas do passado. Agora, que estão mais calmos, e a China mais forte, querem tirar-lhes uma ilha miserável para que o gigante se sinta maior e mais Zhong Guo. O que nenhum dos dois parece ligar é que episódios caricatos como os que se viveram na passada semana podem escalar a situações muito mais graves e isso duvido que algum dos dois pretenda. Ou qualquer um de nós, cidadãos do mundo.

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editores Nuno G. Pereira; Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Cecilia Lin; Joana Freitas; José C. Mendes; Rita Marques Ramos Colaboradores António Falcão; António Graça de Abreu; Fernando Eloy; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Carlos M. Cordeiro; Correia Marques; David Chan; Gonçalo Alvim; Helder Fernando; Jorge Rodrigues Simão; José Pereira Coutinho, Marinho de Bastos; Paul Chan Wai Chi; Pedro Correia; Peng Zhonglian; Vanessa Amaro Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


www.hojemacau.com.mo

Escolhido o novo director do Instituto Português do Oriente

A vez de João Laurentino Neves J

OÃO Laurentino Neves é o novo director do Instituto Português do Oriente (IPOR), com sede em Macau, revela um comunicado do Camões, Instituto da Cooperação e da Língua enviado ontem à agência Lusa. Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas - Estudos Portugueses e Ingleses - pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, João Laurentino Neves sucede a Rui Rocha que abandona o cargo, ao final de três anos, no fim deste mês. Laurentino Neves foi o escolhido entre os 17 candidatos que responderam ao convite de manifestação de interesse para o cargo de director do IPOR. “Depois de uma apreciação assente no perfil apresentado, seguida de entrevista, João Laurentino Neves foi quem melhor se adequou ao perfil pretendido”, indica a mesma nota. Para a próxima semana, está já agendada uma reunião entre

os associados principais - Camões, Instituto da Cooperação e da Língua e Fundação Oriente - e o novo director, “para definição de objectivos do projecto IPOR para o próximo triénio”. João Laurentino Neves exerceu funções de docente e coordenador de centros de Língua portuguesa em Moçambique desde 1995 até 2002. Já desde 2003 desempenha o cargo de director do Instituto Camões - Centro Cultural Português na Cidade da Praia, em Cabo Verde, onde teve como principais actividades e responsabilidades a elaboração, execução e avaliação do Plano Anual de Atividades do Centro, bem como a gestão administrativa e financeira do Centro na Praia e do Polo no Mindelo. Durante o mesmo período, exerceu ainda funções de adido cultural junto da embaixada de Portugal na Cidade da Praia: assessoria do chefe de missão nas áreas da Cultura, Educaç��o e Património e ligação com os órgãos de comunicação social; representação do chefe de missão em sessões/encontros de trabalho quando objecto de sua delegação. Neste âmbito, João Laurentino Neves foi ainda responsável por dar acompanhamento a projectos de cooperação entre Portugal e Cabo Verde (cooperação Estado a Estado ou entre instituições) nas áreas referidas, diz a mesma nota. - Lusa

Apple é empresa mais valiosa de sempre

A empresa Apple obteve, esta segunda-feira, o título de empresa mais valiosa de sempre ao atingir o um novo recorde em bolsa. O novo recorde verificou-se quando as acções atingiram o valor de 664,47 dólares. Este aumento significou uma capitalização que ronda os 623 mil milhões de dólares para a empresa, superando o maior valor de sempre que foi alcançado pela Microsoft em 1999, com 620,58 mil milhões de dólares. Contudo, após atingir este pico, durante a tarde de segunda-feira, os valores de cotação de bolsa da empresa Apple voltaram a descer significativamente.

Moody´s Reformas de Portugal, Grécia, Irlanda e Espanha insuficientes

A agência de rating Moody´s considerou, esta terça-feira, que as reformas levadas a cabo por Portugal, Grécia, Irlanda e Espanha não são suficientes. “A adopção de um certo número de reformas estruturais pelos países periféricos da zona euro – Grécia, Irlanda, Portugal e Espanha – permitiu melhorias, mas não resolveu completamente os desequilíbrios externos que se desenvolveram nesses países antes da crise”, revelou um comunicado da agência de notação financeira. Para a Moody´s, “na melhor das hipóteses”, as reformas apenas resolveram metade dos problemas, “consoante os países em questão”, mas a crise que atravessam “poderá levar vários anos” a ser resolvida.

PUB

quarta-feira 22.8.2012


Hoje Macau 22 AGO 2012 #2678