Page 1

PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

MOP$10

Ter para ler

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • QUINTA-FEIRA 21 DE JUNHO DE 2012 • ANO XI • Nº 2636

TEMPO AGUACEIROS OCASIONAIS MIN 25 MAX 30 HUMIDADE 70-95% • CÂMBIOS EURO 10.1 BAHT 0.2 YUAN 1.2

Portugal – República Checa, 22 de Junho, 02h45

É hora de abrir as asas Um capitão genial em subida de forma, uma equipa unida e moralizada, um treinador que fala grosso. Com o fadinho do pessimismo para trás das costas, está na altura de tocar bem alto a música dos vencedores. E dar baile aos checos. PÁGINAS 12-14

SEGURANÇA ALIMENTAR

Importação preocupa deputados PÁGINA 2

TURISMO MOTIVA CRÍTICAS

Chan Chak Mo diz que “não existe promoção suficiente” PÁGINA 3

MUDANÇA DE 2G PARA 3G

Queixas no CCAC levam Governo a adiar alteração PÁGINA 5

ARRAIAL DE SÃO JOÃO

Saída forçada do adro da igreja não mata a festa PÁGINA 19


2

política

Os deputados da segunda comissão da Assembleia Legislativa reuniram-se e chegaram apenas a um consenso: as dúvidas que querem levantar novamente junto do Governo. O controlo sobre a importação de alimentos é o ponto que menos convence Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

“O

S procedimentos de controlo, fiscalização e autuação não são claros relativamente aos géneros alimentares importados”, afirma Chan Chak Mo, porta-voz dos deputa-

quinta-feira 21.6.2012

www.hojemacau.com.mo

Controlo da origem dos alimentos ainda não convence os deputados

Lei pouco clara sobre a importação dos da segunda comissão, que estudam o diploma sobre a lei de segurança alimentar. “A lei consagra muitos artigos sobre esta matéria mas ainda não são suficientes.” Ontem, os deputados reuniram-se, sem representantes do Governo, e manifestaram ainda muitas dúvidas sobre o diploma, que pretendem apresentar numa próxima reunião. Os dispostos sobre o controlo da origem dos produtos, por exemplo, ainda não reúne consenso. Por isso, a Comissão quer voltar a questionar o Governo sobre a falta de um mecanismo de identificação de origem dos alimentos importados. “Segundo o diploma, o IACM deve pedir aos importadores as facturas ou o registo dos alimentos durante determinado período de tempo. Não sabemos ainda como é que isso vai ser efectuado. Falámos também sobre as

barras codificadas porque é um procedimento para saber a origem dos produtos.” Existe já a obrigação de conservação de facturas e recibos relativos à produção e comercialização dos produtos, com prazo definido, mas não chega. “Não se pode falar só em nome dos proprietários dos restaurantes. Não é suficiente a disposição na lei sobre o registo. Se houver conservação de registo de importação do país de origem, norma e produto de série consegue-se reforçar o controlo.”

CRITÉRIOS

A segurança dos alimentos e dos serviços alimentares colocam questões que não vêem resposta na proposta de lei. Isto porque a matéria é definida por despacho do Chefe do Executivo. “Defendemos que devem ser aprovados antes por regulamento

administrativo, por isso vamos reflectir este consenso com o Governo.” Há países de referência relativamente aos padrões de segurança que são seguidos no território, afirma Chan Chak Mo, tais como os da União Europeia, do Japão e da América do Norte, mas há competências a nível de inspecção, por exemplo, que ainda não estão garantidas. “Os inspectores têm de saber quais as suas competências no exercício de funções.” Por essa razão, os deputa-

dos vão tentar perceber qual a incidência de problemas de segurança alimentar e se vão estar descriminados pelo Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), depois de revelados pelos vários departamentos - Economia, Turismo, Alfândega, Saúde - que acompanham, por hipótese, a confecção dos alimentos.

QUEM TEM O DEVER DE QUÊ?

A questão que persiste de reunião para reunião prende-se com a sobreposi-

Centro de segurança alimentar Os deputados mantêm-se insatisfeitos com a posição do Governo face ao Centro de Segurança Alimentar. A entidade, sob a tutela dos Serviços de Saúde, vai passar para a supervisão do IACM, mas a Comissão mantém firme que o organismo deveria passar para uma entidade independente do Governo. “Dizem que o IACM vai aumentar a eficácia de fiscalização e análise aos géneros alimentares e que, em caso de necessidade, e só neste caso, vão recorrer aos laboratórios de Hong Kong”, explica Chan Chak Mo. “Mas isto é justo?”

ção de funções dos serviços associados à segurança alimentar. Por esta razão, os deputados dizem que, dado o número de perguntas, será uma matéria que “o Governo vai redigir de melhor maneira”. O Executivo só intervém na investigação de salubridade dos alimentos, diz a Comissão. Por outro lado, se não houver questões de segurança alimentar, o IACM não vai intervir. “As competências não são claras. Os inspectores têm de saber quais as suas competências no exercício de funções.” Há ainda outros diplomas que consagram a sobreposição de competências de diferentes sectores. “Como é que isto vai ser conjugado na proposta de lei de segurança alimentar?” Assim, assessores da Comissão e juristas do Governo vão analisar os entraves técnicos.


quinta-feira 21.6.2012

Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

Esteve presente na apresentação do relatório da PATA. Quais são os grandes passos que o Governo deve dar para desenvolver o sector? A maioria das recomendações são muito boas e algo que temos de concretizar. A criação de uma Comissão de Gestão de Turismo, enquanto organização central para implementar todas as politicas, é um passo importante, que tem de ser criado. Mas temos de ver quem vai liderar a comissão e quais os seus departamentos.

3

Chan Chak Mo quer que executivo defina prioridades no turismo

“Não existe promoção suficiente” O deputado ouviu as recomendações da Associação de Turismo Ásia-Pacifico (PATA) e concorda com a maioria. Salienta que o Executivo deveria dialogar mais com Pequim na questão dos vistos, além de apoiar as companhias low cost que queiram operar em Macau

A necessidade de ter mais voos de baixo custo em Macau foi referida. Sem dúvida que necessitamos de mais voos internacionais, mas o controlo que existe no espaço aéreo ou no aeroporto tem de ser bem analisado. Não temos voos low cost e é uma questão que tem de ser encarada não só pela companhia aérea de Macau como pela empresa de aviação. É um assunto que tem de ser investigado. A questão do turismo sustentável também é muito importante, tem de ser o foco da industria.

está a planear esse tipo de actividades, como a criação de parques temáticos e mercados. Contudo, está a ser um processo lento e os projectos deveriam ser mais acelerados.

Macau tem de apostar ainda mais no património, como diz a PATA? Concordo que os locais distinguidos pela UNESCO devem ser mais explorados nos percursos turísticos, e sem dúvida que temos de diversificar o sector. Há que pensar noutras coisas que podem ser feitas, até na perspectiva das famílias que visitam Macau. Não temos nada a esse nível, mas penso que o Governo

“Ainda há restrições” Como é que o Governo pode responder à necessidade de mais voos internacionais? Outra verdade que Andrew Drysdale [presidente da PATA] referiu foi o facto da janela de oportunidades estar fechada, e que o sector deveria estar mais aberto ao resto do mundo e às linhas aéreas internacionais. Talvez o Executivo pudesse dialogar mais com o Governo

C

política

www.hojemacau.com.mo

HEGOU ao fim mais um ano lectivo para os alunos do Instituto Politécnico de Macau (IPM), cuja cerimónia de encerramento contou com a presença do Chefe do Executivo, Chui Sai On. Perante a comunidade académica, não esqueceu os apoios continuados que o Governo pretende manter no ensino superior e não-superior, tendo focado o caso especifico do IPM. No caso da instituição, foi pedido que desenvolva sistemas de avaliação iguais às universidades e politécnicos do exterior. “Esperamos que o IPM, no gozo legal da autonomia e flexibilidade que lhes são atribuídas (...)

Central para garantir maior abertura de algumas cidades, para ter ainda mais visitantes da China Continental. Ainda há muitas restrições para viajar para Macau e esse processo deveria ser reavaliado. O que pode ser feito para atrair mais turistas estrangeiros? Mais planos locais e olhar para a grande comunidade que é o Delta do Rio das Pérolas. Quando a ponte Macau-Zhuhai-Hong Kong estiver concluída, em 2016, pode haver maior coordenação com o aeroporto de Hong Kong para que possam chegar ainda mais turistas internacionais a partir daí.

Esse deveria ser o principal foco. Houve muitos pontos abordados por Andrew Drysdale e de facto temos de definir quais são as nossas prioridades a partir destas recomendações. É sabido que a Companhia do Aeroporto de Macau (CAM) tem tido problemas financeiros.

Deveriam ser criadas mais infra-estruturas aéreas? Esses problemas já estão resolvidos desde que o Governo injectou dinheiro na CAM. Sendo o principal accionista da empresa, não vejo que existam grandes dificuldades financeiras no futuro, porque o Executivo tem dinheiro. Têm sido feitas algumas renovações no aeroporto, ao nível dos espaços comerciais, com novos restaurantes e lojas. Não existe qualquer problema com o aeroporto, mas trazer pessoas a Macau continua a ser da responsabilidade das autoridades da aviação e também da companhia aérea local. O monopólio do espaço aéreo deveria chegar ao fim? Já temos o espaço aéreo aberto. Existe a politica do “céu aberto” e deveríamos continuar com ela. A questão é que quando as companhias aéreas chegam a Macau querem ter a rentabilidade

Air Macau em silêncio As conclusões do relatório da PATA não mereceram quaisquer comentários de Zhu Songyan, presidente executivo da Air Macau. À margem da cerimónia de formação de hospedeiras e comissários de bordo, o responsável apenas falou à Rádio Macau de contas e projectos futuros. Setembro é a data apontada para o aumento de salários na companhia, sendo esperados lucros que poderão atingir 50% do orçamento da empresa.

Encerramento do ano lectivo contou com presença de Chui Sai On

IPM deve avaliar segundo “parâmetros internacionais” tome a iniciativa de estabelecer um mecanismo de avaliação comparável com os parâmetros internacionais, sendo que desta forma pode contribuir para o reforço do desenvolvimento dos recursos humanos de Macau.” Para Chui Sai On, é importante reforçar os apoios para que todos possam concluir os

estudos do ensino secundário. “O Governo mantém-se empenhado na continuidade da política de escolaridade gratuita de 15 anos e na optimização de medidas complementares, garantindo o direito dos cidadãos de Macau à conclusão do ensino não superior”, disse, reforçando o objectivo de “apostar na edu-

garantida. Se acharem que as operações não são rentáveis, então não investem. O Governo deveria olhar para esta questão, talvez concedendo subsídios, para que essas companhias aéreas possam trazer mais turistas internacionais. O relatório também aborda a questão dos espaços históricos. O urbanismo e o património são áreas cuja legislação está actualmente em discussão na Assembleia. Estas leis já deveriam estar cá fora? Essa não é a principal questão, a legislação é suficiente. O problema está na promoção. O relatório diz que os transportes têm de ser melhorados, que deveríamos ter percursos pedestres e mais itinerários. E quando queremos ir aos sítios nomeados pela UNESCO temos de ter pessoas qualificadas para falar da história local, para que possam ser interessantes para as pessoas. Mas neste momento não temos isso. Especialmente os turistas estrangeiros gostam muito de visitar esses locais. Para um turista que está no Venetian, por exemplo, é difícil encontrar um transporte que o leve ao centro histórico. Não temos promoção suficiente e é uma grande área para melhorar.

cação para o desenvolvimento de Macau”. Além de ter referido a importância de formar mais recursos humanos, Chui Sai On lembrou o esforço do Governo em fazer “o reforço institucional do ensino superior”, através do “aperfeiçoamento contínuo das leis e diplomas complementares”. Para isso, o Executivo tem vindo a delinear “projectos de desenvolvimento do ensino superior a médio e longo prazo”. Na mesma ocasião, Lei Iong Iok, presidente do IPM, elogiou a ideia de Chui Sai On em criar um centro regional de língua portuguesa. “É de grande importância e revela visão.”


4

sociedade

quinta-feira 21.6.2012

www.hojemacau.com.mo

ATFPM quer saber porquê

Administração cancela cursos em Pequim

M

ANDA a tradição que os finalistas do curso de mandarim sejam enviados para Pequim a fim de fomentarem a aprendizagem da língua, numa iniciativa promovida pelos Serviços de Administração e Função Pública (SAFP). Mas, desta vez, a viagem não se vai realizar, porque o curso terá sido cancelado. José Pereira Coutinho, na qualidade de presidente da Associação dos Trabalhadores da Função Pública de Macau (ATFPM), quer saber as razões. “Na sequência de solicitações de vários dos nossos associados,

Maqueta do Metro Ligeiro exposta no Sábado

No próximo dia 23, Sábado, a população vai poder conhecer a maqueta do Metro Ligeiro à escala real. A “Exposição da Maqueta da Carruagem à Escala 1:1 do Sistema de Metro Ligeiro de Macau” vai estar disponível até ao dia 18 de Julho. Os visitantes podem ter acesso a visitas guiadas em cada 30 minutos. Este serviço será proporcionado de segunda a sexta-feira, das 17h00 às 21h00, mas aos sábados e domingos ficará disponível das 11h00 às 21h00. A maqueta foi fabricada pela Mitsubishi a pedido do Gabinete para as Infra-estruturas de Transportes (GIT). O objectivo é que os cidadãos possam “sentir de perto as características da concepção do veículo Ocean Cruiser”. A par disso, o GIT, em colaboração com a Associação de Fotografia Digital de Macau (AFDM), organiza o Concurso Fotográfico Temático “Ocean Cruiser”. Os interessados podem adquirir o boletim de candidatura tanto no GIT como na AFDM (www.mdpa.mo).

Inspecções detectam 34 trabalhadores ilegais

As operações comandadas pelo Governo e pelo Corpo de Polícia de Segurança Publica (CPSP) registaram um total de 34 de indivíduos ilegais a trabalhar na RAEM, no mês de Maio. Da parte da Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL), foram encontrados cinco trabalhadores ilegais dos 22 locais que foram fiscalizados. A polícia fiscalizou 426 locais (com quatro deles a serem transferidos pela DSAL), tendo sido encontrados 29 pessoas em situação ilegal. A maior parte dos trabalhadores nesta situação foram encontrados em obras de construção civil e residências, além de estabelecimentos comerciais e industriais. Tais números agora divulgados mostram um ligeiro decréscimo face ao passado mês de Abril. Operações das duas entidades encontraram na altura 32 trabalhadores ilegais.

todos finalistas do curso de mandarim efectuado pelos SAFP (...) solicitamos que nos seja mandado informar qual o motivo deste ano ter sido cancelado o curso”. Tal é importante “e valioso para os finalistas do curso de mandarim, pois contribui para o aprofundamento dos conhecimentos na língua e cultura chinesa”.

CORREIOS GERAM QUEIXAS

A ATFPM enviou ainda um pedido a Lau Wai Meng, responsável pela Direcção dos Serviços de Correios (DSC). Na carta é pedida a “implementação de um plano de auxilio para utilizar os juros dos

empréstimos da Caixa Económica Postal (CEP) em beneficio da acção social e da assistência dos trabalhadores da função pública”, sem esquecer “o pessoal da linha da frente e de baixo nível da carreira”. Para além disso, o preço cobrado pelo serviço também origina descontentamento. “A ATFPM tem vindo a receber muitas queixas dos cidadãos locais relativamente à tarifa de preços dos serviços de correios”, que “são mais elevadas 30% face a Hong Kong”. “Há possibilidade da DSC baixar os preços dos serviços de correios?”, questiona.

SECTOR DAS CONVENÇÕES GANHA NOVA ASSOCIAÇÃO

Macau conta desde ontem com mais uma entidade associativa. Chama-se Associação Geral dos Operadores da Indústria de Exposições e Convenções e tem já mais de 60 associados. David Chow, antigo deputado, afirma que criou esta entidade para “congregar as Pequenas e Médias Empresas que prestam serviços neste domínio”, para criar “uma nova marca para o sector”. O fomento dos negócios na área, olhando para a cooperação, é outro dos objectivos.


quinta-feira 21.6.2012

sociedade

www.hojemacau.com.mo

5

Alteração para 3G é prolongada até 31 de Dezembro devido a queixas registadas junto do CCAC

Residentes adiaram mudança tecnológica Os residentes estão preocupados com as avarias das operadoras de telecomunicações, relacionando-as com a transição do sistema 2G para 3G. As queixas foram levantadas junto do CCAC, que emitiu um relatório ao Chefe do Executivo sobre esta matéria. Chui Sai On decidiu o adiamento Rita Marques Ramos rita.ramo@hojemacau.com.mo

A

Direcção dos Serviços de Regulação de Telecomunicações informou ontem que ia adiar a transição do sistema de telemóveis 2G para 3G - anteriormente definido até 2 de Julho - para o último dia de 2012. A razão para o adiamento, avançaram em conferência de imprensa, está sobretudo associada ao número ainda elevado de clientes que continuam a operar com telemóveis de segunda geração. No entanto, muitos foram os cidadãos que manifestaram preocupações relativamente à imposição tecnoló-

gica junto do Comissariado Contra a Corrupção (CCAC), o que levou a que o Chefe do Executivo tomasse esta decisão. “Os cidadãos estão preocupados porque acham que as recentes avarias estão relacionadas com a passagem de 2G para 3G”, avançou o director da DSRT, Hoi Chi Leong. “Algumas reclamações ao CCAC pediam um prazo mais longo, o organismo emitiu então à DSRT um parecer e o Governo acedeu ao adiamento.” A DSRT desvaloriza, no entanto, o facto de os residentes terem recorrido ao organismo contra a corrupção, garantindo não haver ilegalidade administrativa. Por

Avaria da Hutchinson O relatório sobre as avarias da operadora de telecomunicações HutchinsonTelefone (Macau), Limitada, já está a ser preparado pela DSRT. As razões para a falha de comunicações deste serviço prendem-se com o update de um software, adianta Hoi Chi Leong. Porém, ainda não há prazo de divulgação da avaliação. “As equipas já estão a fazer a investigação preliminar relativamente à avaria da Hutchinson. Não tem a ver com o congestionamento 3G mas com o update de um software. Não podemos adiantar mais detalhes.” Por essa razão, fica por saber se foi erro humano, tal como aconteceu com a CTM. “Os dois incidentes são pontuais e também não são semelhantes”, afirma Loi Chi Leong, garantindo que os softwares utilizados não são os mesmos. No entanto, se forem verificar que a operadora é imputável, vão seguir “o processo administrativo e sancionar a operadora.”

outro lado, afiançam, a população não deve pôr em causa o bom funcionamento do sistema 3G, porque as avarias recentes - da CTM e Hutchinson - não estão relacionadas com a transição. “Os cidadãos são livres, podem ir a serviços diferentes dar as suas opiniões e reclamações portanto, não existe nenhuma ilegalidade administrativa. O serviço que emitiu esse parecer é que decide se publica o parecer.” Ontem, após a reunião promovida pela DSRT, o relatório do CCAC chegou aos órgãos de comunicação, informando sobre o conteúdo do mesmo parecer. “Com base na análise dos problemas detectados propôs-se que fosse reponderada pelo Governo a eliminação do serviço de 2G destinado aos residentes locais prevista para o dia 9 de Julho de 2012.”

HAVERÁ NOVO ADIAMENTO?

Desde o início da divulgação acerca da transição dos sistemas, a quantidade de subscritores de 2G está com uma tendência de queda. Ainda assim, segundo dados divulgados, 30 mil pessoas - maioritariamente idosos - continuavam a utilizar telemóveis de segunda geração até 31 de Maio.

Talões de venda informativos As lojas e serviços que vendam telemóveis 2G, que só operam para os residentes de Macau até ao fim do ano, ainda estão livres de sanções. Mais uma vez, o director da DSRT não especificou se serão aplicadas punições aos intermediários que não informem os clientes sobre o termo do serviço. “Macau tem cerca de 20 milhões de turistas por ano, por isso no mercado ainda admitimos que vendam os telemóveis, mas não podem enganar os clientes. Têm de se explicar claramente que no dia 31 de Dezembro estes telemóveis não podem ter acesso.” A única medida que vai ser tomada, então, é a de que os talões de venda têm de especificar que a utilização do aparelho vai ser suspensa até ao fim do ano.

“Apelamos a que todos os clientes fizessem esta mudança, não acredito que até ao final deste ano continue a haver 30 mil clientes 2G”, responde Hoi Chi Leong à pergunta da imprensa sobre se o prazo pode vir a ser adiado novamente. Mais uma vez, a DSRT diz exigir às operadoras de telecomunicações que os clientes que ainda não procederam à passagem sejam alertados porque até agora os avisos “não surtiram o efeito pretendido”. No entanto, acredita, há diversas razões para que os clientes ainda não tenham agido neste sentido. “Há pessoas que têm dois telemóveis e não precisam de proceder imediatamente a transição”,

justifica. “Os cidadãos são livres, podem utilizar até ao último dia.” A passagem não parece, por isso, ser negociável, ainda que haja cidadãos que não procurem novos aparelhos tecnológicos. A passagem de 2G para 3G, acha o director da DSRT, tem a ver com uma tendência de desenvolvimento de tecnologia. Os telemóveis 3G podem fornecer melhores serviços e mais diversificados e será mais abrangente a cobertura de rede, sobretudo dentro de recintos cobertos. “Na segunda metade do próximo ano, os serviços 3G serão melhorados”, fica ainda a promessa, uma vez que os investimentos (200 milhões de patacas) das operadoras são avultadas até ao momento.


publicidade

6

quinta-feira 21.6.2012

www.hojemacau.com.mo

ANÚNCIO [N.º195/2012]

ANÚNCIO [N.º193/2012]

Para os devidos efeitos, vimos por este meio notificar os representantes dos agregados familiares seleccionados da lista de espera de habitação económica abaixos mencionados:

Para os devidos efeitos vimos por este meio notificar os representantes dos agregados familiares do concurso de habitação económica abaixo indicados, no uso da competência delegada pela alínea 20) do n.º 3 do Despacho n.º 09/IH/2012, publicado no Boletim Oficial da RAEM, n.º 13, II Série, de 28 de Março de 2012 e nos termos do n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro: Nome CHAN WAN SI PONG LAI MENG AO IEONG PUI MAN CHU PUI SAN WONG PING KWONG CHENG KWAI HUNG LEONG WENG CHI PUN HI MEI KUONG KOK KEI KAM WAI SEONG CHEONG CHI LON CHIO SAI WA IEONG LAI NGA CHEONG WENG FAI SAM WAI HONG LAM LAN KOU CHAN MEI IP SIO WA MA KUOK HOU

N.º do boletim de candidatura 91576 91732 91736 92035 92331 92683 92855 92932 92950 93417 94012 94087 94116 94619 94674 95438 96040 96228 96348

Nome TANG UN KUAN CHAN HOU WAN WONG SEAK MAN CHAN AGATA CHEONG IAN IOK CHIANG MAN IENG CHOI WAI PENG KOU LAI FAN LEUNG WENG I LAM KIN WENG SIO LAI SEONG LEI KUAI NIN CHAO MEI LENG NG WENG HONG NG FEI NGO WONG NGON IN LIO NGAI IEK CHAN MAN KIT WONG WENG MAN

N.º do boletim de candidatura 96436 97331 98274 98370 99773 99966 100272 100511 100920 101856 102308 103098 103445 105564 106025 106288 106483 106703 106846

Ap����������������������������������������������������������������������������������� ������������������������������������������������������������������������������������� ós as verificações deste Instituto, notamos que os representantes dos agregados familiares e/ou os seus cônjuges de candidatos a habitação económica acima mencionados são proprietários de fracções autónomas com finalidade habitacional na Região Administrativa Especial de Macau, desde à data da apresentação da candidatura e até à data de celebração da escritura pública de compra e venda da fracção, pelo que, estes não reúnem os requisitos exigidos para a candidatura, nos termos do n.º 3 do artigo 14.º e n.º 5 do artigo 60.º da Lei n.º 10/2011(Lei da habitação económica). Tendo este Instituto publicado um anúncio na imprensa de língua chinesa e língua portuguesa, no dia 16 de Maio de 2012, a solicitar aos interessados acima mencionados para apresentarem por escrito as suas contestações pelos factos acima referidos no prazo de 10 (dez) dias a contar da data de publicação do referido anúncio, entretanto não o fizeram. Nos termos do n.º 2 do artigo 16.º do Regulamento de acesso à compra de habitações construídas no regime de contrato de desenvolvimento para a habitação, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 26/95/M, de 26 de Junho, revisto pelo Regulamento Administrativo n.º 25/2002, assim como do despacho do signatário, exarado na Informação n.º1674/DAHP/DAH/2012, os representantes dos agregados familiares e/ou os seus cônjuges forem retirados dos agregados familiares e as respectivas candidaturas serão excluídas da lista geral de espera, por não reunirem os requisitos para aquisição de habitação económica. E nos termos das alínea b) do n.º 2 do artigo 145.º, n.º 1 do artigo 154.º, nº.1 do artigo 155.º e n.º 1 do artigo 157.º do Código do Procedimento Adminstraivo, cabe recurso hierárquico necessário da respectiva decisão adminstrativa, ao Presidente deste Instituto, no prazo de 30(trinta) dias a contar da data de publicação do presente anúncio, o recurso hierárquico tem efeito suspensivo.

O Chefe do Departamento de Assuntos de Habitação Pública, Substª.

Ng Lok Mui 19 de Junho de 2012

N.º do boletim de candidatura 90005 111869 82821 89483 107418 126736 116840 121640 76763 116802 *112115 89559 126196 98634 99745 75308 60178 69705 94236 87158 *80082 82487 76135 72893

Nome

95106 70454 110657

CHEONG SIN IENG LOU HANG KIN U NGAI FAI LEI CHON SENG WONG CHIO KENG LAM CHAN CHUN CHAN U IEONG CHEONG WAI LIN LEI TAK FAI NG KEI IN *AO PUI MAN CHIANG IENG NAM FONG SIO HONG LEI KAM HOU TANG KIN IP TAM IAN TENG HONG VONG FAT CHAO NGA I CHAU TAT CHI MAK TAK HOU *NG WENG LONG PUN KAM KUONG HO KOK HONG WU CHO IAN FRANCISCO DO ESPIRITO SANTO WONG SU HONG LAM IOK CHENG SOU KAI IP

80238

MAK IOK I

85910

92067

N.º do boletim de candidatura 77123 121606 87432 103100 115747 92943 119703 72954 88326 77099 75275 82382 90032 80795 *115295 118466 92735 119966 82843 52328 85859 81404 88958 103707 104546

98993 83697 127622

KUAN CHON IN

Nome

LAM POU LAM FONG IOK PENG PANG KA WENG CHOU PEK CHI CHEONG IOK MAN CHEONG KA IAN HO KAI CHONG CHEONG KIN MAN LONG KIN SENG CHAN KUOK HENG TONG I LIN POON VAI SI WONG CHONG I CHAN LAI HENG *LEI HOI CHIO WONG NGA MAN CHEONG KAN CHAI TANG IAO KIT CHE IO TONG NG PUI KIN U KIN FONG KUOK CHON HONG LAU KAM KEUNG HO MEI SIN TANG WAI YENG

LAM MONG HO CHEOK IN LAM KUN FONG LEANDRO EUGENIO DA ROSA CHAN SUT WAI

107900 121847

Em virtude de não existirem fracções disponíveis da tipologia no local a que se candidataram, mas há outras fracções da mesma tipologia disponível em Coloane, de acordo com os termos do n.º 8 do artigo 60.º da Lei n.º 10/2011 (Lei da habitação económica) e do artigo 12.º do Decreto-Lei n.º 26/95/M, de 26 de Junho, o Instituto de Habitação (IH) informa os representantes dos agregados familiares acima referidos, através de ofícios, para se dirigirem pessoalmente ao IH, sita na Travessa Norte do Patane, n.º 102, Ilha Verde, Macau (perto da Escola Primária Luso-Chinesa do Bairro Norte), no dia 11 de Julho de 2012, às horas fixadas nos respectivos ofícios, para escolha das fracções de habitação económica disponíveis de T2 na zona de Coloane. Nessa altura, os agregados familiares da lista de espera acima referidos devem apresentar os documentos comprovativos (originais e cópias) abaixo mencionados, para efectuar a nova verificação dos requisitos da candidatura da aquisição de habitação económica. Caso as respectivas informações afectem os actuais requisitos da aquisição de fracção ou existirem mudança da composição dos agregados familiares acima referidos, este Instituto irá suspender, imediatamente, o procedimento da escolha de habitação económica: 1. Documentos de identificação de todos os elementos do agregado familiar e os seus cônjuges (caso houver) registados no boletim de candidatura de habitação económica. 2. Prova de casamento (aplicável aos indivíduos casados. Caso tenha entregue ao IH, nos últimos três meses, não é necessário a entregar de novo). 3. Boletim de candidatura dos dados dos agregados familiares de habitação económica devida mente preenchidos e assinados. De acordo com os termos do n.º 2 do artigo 13.º do decreto-lei acima referido, com as alterações introduzidas pelo Regulamento Administrativo n.º 25/2002, caso os agregados familiares da lista de espera acima referidos não tenham comparecido no IH, no dia e horas fixados, e apresentado os documentos acima referidos, para escolha de habitação ou não pretendam adquirir nenhuma das fracções de habitação económica disponíveis no momento podem optar entre, por motivo não justificado, implica a perda do direito de escolha e passagem automática para o último lugar da lista geral; ou após a apreciação dos dados apresentados, verifique que não reunirem com os requisitos da candidatura, os agregados familiares seleccionados serão excluídos na lista geral. * Em caso da 2.ª convocação, os agregados familiares seleccionados que não tenham comparecido no IH, no dia e horas fixados, e apresentado os documentos acima referidos, para escolha de habitação ou não pretendam adquirir nenhuma das fracções de habitação económica disponíveis no momento podem optar entre, serão excluídos na lista geral, de acordo com os termos das alínea a) do artigo 14.º do decreto-lei acima referido, com as alterações introduzidas pelo Regulamento Administrativo n.º 25/2002 e alínea 2 do n.º 5 do artigo 60.º da Lei n.º 10/2011. No intuito de proporcionar os agregados familiares seleccionados para terem mais conhecimentos sobre as informações das fracções de habitação económica disponíveis, o IH juntamente os ofícios enviará em anexo o catálogo com descrições das fracções para venda, tabela dos preços, rácio bonificado, pontos de observação, informações sobre a fracção de modelo. Caso os agregados familiares seleccionados não tenham recebidos os ofícios remetidos pelo IH, até sete dias antes da data fixada, poderão dirigir-se ao IH sito na Travessa Norte do Patane n.º 102, Ilha Verde, Macau) ou consultar através do telefone n.º 2859 4875, durante o horário de expediente.

A Presidente Subst.a,

Kuoc Vai Han 20 de Junho de 2012


quinta-feira 21.6.2012

www.hojemacau.com.mo

Aviso Abertura de Concurso Público – Atribuição de Moradias da RAEM aos Funcionários dos Quadros Locais de Nomeação Definitiva dos Serviços e Organismos Públicos 1. Nos termos do Decreto-Lei n.º 31/96/M, de 17 de Junho, com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei n.º 5/99/M, de 8 de Fevereiro, conjugado com o Despacho n.º 42/GM/96, de 12 de Junho, procede-se à abertura do concurso público para atribuição de moradias da RAEM destinadas ao alojamento dos funcionários dos quadros locais, de nomeação definitiva, dos serviços e organismos públicos e respectivo agregado familiar. 2. O prazo de apresentação das candidaturas é de um mês, a contar do dia seguinte da data de publicação do presente aviso no «Boletim Oficial da RAEM». O período de apresentação de candidatura é de 21/06/2012 a 20/07/2012. 3. As listas classificativas são válidas por um período de dois anos. 4. Os boletins de candidatura podem ser levantados ao balcão da Divisão de Administração e Conservação de Edifícios, localizada na Avenida da Praia Grande nº 575-579 e 585, Edifício Finanças, 7º andar, ou fazendo download do boletim de candidatura através do website da Direcção dos Serviços de Finanças (http://www.dsf.gov.mo). 5. Os boletins de candidatura devem ser entregues junto da Direcção dos Serviços de Finanças, durante as horas normais de expediente, conjuntamente com as respectivas certidões e declarações, sendo o local e o período de admissão a concurso de 21/06/2012 a 06/07/2012, no balcão do 7º andar da Divisão de Administração e Conservação de Edifícios, do Edifício Finanças, entre 09/07/2012 a 20/07/2012, no balcão de segurança localizado na sobreloja do Edifício Finanças, e não se aceitarão candidaturas após as dezassete horas e trinta minutos da tarde do dia 20/07/2012. 6. As listas provisória e definitiva dos candidatos excluídos e admitidos são ordenadas por grupo e tipologia, e afixadas no local de exposição ao público no rés-do-chão do Edifício Finanças dentro do período determinado na lei. 7. Os requisitos gerais para a admissão do concurso são os seguintes: a) O candidato deve ser funcionário do quadro, de nomeação definitiva; b) O candidato só pode requerer moradia de tipologia compatível com o número actual dos membros do seu agregado familiar, nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 10º do decreto-lei atrás citado; c) Ao candidato não pode, por si, por membro do seu agregado familiar, ou por interposta pessoa, ser atribuída qualquer moradia da RAEM ou ser arrendada qualquer moradia pertencente a outra entidade pública, salvo tratando-se de moradia reservada; d) O candidato não pode ter adquirido, à DSF, moradia da RAEM, mesmo que já a tenha vendido no momento da apresentação da candidatura; e) O candidato e qualquer membro do seu agregado familiar que consigo coabite, não podem ser proprietários de qualquer prédio habitacional situado na RAEM; f) Nem o candidato, nem nenhum membro do agregado familiar do candidato pode constar em mais do que um boletim de candidatura. 8. O número total das moradias a concurso é de 160, das quais 40 são de grupo “A” e 120 de grupo “B”. 9. As moradias do grupo “A” são destinadas ao alojamento dos funcionários públicos que integrem carreira de nível igual ou superior a 5, determinados na Lei n.º 14/2009, e as moradias do grupo “B” são destinadas ao alojamento dos restantes funcionários. 10. O candidato pode requerer moradia de tipologia T1 a T5. 11. Os boletins de candidatura devem corresponder aos requisitos abaixo indicados, apresentando-se conjuntamente os seguintes documentos: a) Fotocópia do documento de identificação do candidato e de todos os membros do seu agregado familiar; b) Certificado emitido pelos respectivos serviços sobre a situação jurídico-funcional, proventos recebidos não apenas pelo candidato, como igualmente dos membros do seu agregado familiar que exerçam funções na administração pública; c) Declaração dos vencimentos provenientes do trabalho exercido no ano de 2011, auferidos por parte dos respectivos membros do agregado familiar que exerçam funções junto de entidade privada; d) Cópia da declaração do imposto complementar de rendimentos (modelo M/1 do Grupo A ou modelo M/1 do Grupo B) ou da declaração do imposto profissional (modelo M/5) (conforme seja o caso do membro do agregado familiar ser trabalhador por conta própria ou empregador); e) Declaração de rendimentos não provenientes do trabalho no ano de 2011, por parte dos membros do seu agregado familiar; f) Declaração de inexistência de rendimentos em 2011, por parte dos membros do seu agregado familiar; g) Declaração da situação de titularidade quanto à propriedade ou arrendamento, por parte do candidato e do seu agregado familiar; h) Fotocópia da certidão de casamento do candidato e dos membros do agregado familiar que sejam casados, declaração de união de facto ou declaração do estado civil; Compete à Direcção de Serviços o fornecimento, conjuntamente com o boletim de candidatura, de exemplares para referência, respeitantes aos documentos indicados nas alíneas b), c), e) a h) atrás especificadas. A Direcção dos Serviços de Finanças, em 13/06/2012 A Presidente do Júri do concurso, Chong Seng Sam

publicidade

7


8

nacional

M

ARTA Agostinho, autora de um dos raros estudos portugueses acerca do emergente turismo chinês, é peremptória: “Numa altura em que a Europa está em crise, devemos investir mais na China.” Em Paris e outras capitais europeias, as excursões de turistas chineses multiplicam-se, mas Marta Agostinho alerta para que “a imagem de Portugal que se vende na Alemanha ou no Reino Unido não funciona na China”. “Os chineses gostam da praia como paisagem e não para tomar banho ou apanhar sol. Eles veneram a brancura.” Formada em turismo e em gestão, no Instituto Politécnico de Viana do Castelo e no Instituto

quinta-feira 21.6.2012

www.hojemacau.com.mo

20%, para 69 milhões, e este ano deverá exceder os 80 milhões. A esmagadora maioria fica-se por Hong Kong e Macau, duas Regiões Administrativas Especiais chinesas, mas cada vez há mais chineses a viajar para o Sueste Asiático, Estados Unidos e Europa. Pelas contas da European Travel Comission, em 2030, a Europa atrairá cerca de oito milhões de turistas chineses, mais do dobro dos 3,8 milhões registados em 2010. A Rússia, que recebeu então 848.000 turistas chineses, foi o destino mais procurado, seguido da Alemanha (593.000), França (558.000) e Itália (485.000). Segundo estimativas portuguesas, entre 40.000 e 50.000 turistas chineses visitaram Portugal no ano passado.

História e paisagens atraem mais do que a praia

“China tem cartas para dar ao mundo inteiro” Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE), em Lisboa, Marta Agostinho, de 29 anos, concluiu este mês na Universidade de Pequim (Beida) uma tese de mestrado intitulada “Turistas Chineses: Perfil e Percepções de Portugal”. “O objectivo é disponibilizar informação mais aprofundada

Pedido de desculpas norte-americano veio atrasado

A Câmara dos Deputados norte-americana aprovou uma resolução na segunda-feira pedindo oficialmente desculpas pela lei de exclusão chinesa, aprovada no ano de 1882. O Diário do Povo, jornal oficial da China, publicou um artigo ontem comentando que “uma desculpa atrasada, é também uma justiça atrasada”. O artigo diz que uma China poderosa é o verdadeiro motivo do pedido de desculpas. Ao mesmo tempo, o acto do Congresso não representa a erradicação completa da discriminação. A realidade do respeito total para com os descendentes chineses e de outras etnias ainda vai demorar algum tempo a ser implantada. Sobre o tratamento adequado para a igualdade entre as diferentes etnias no país e o tratamento igualitário para a procura dos interesses razoáveis relativos ao desenvolvimento e segurança, os EUA ainda têm muito que evoluir, diz a publicação. O artigo lembra ainda que os EUA cometeram erros durante o seu desenvolvimento e só agora começaram a corrigi-los.

sobre a futura geração de turistas chineses”, disse a investigadora à agência Lusa. Marta visitou a China pela primeira vez em Maio de 2011, numa viagem de uma semana, e voltou no fim do ano com uma bolsa de estudo de seis meses concedida pelo Banco Santander e o China

Construction Bank, no âmbito do programa Marco Pólo. “A China está a emergir de forma galopante e nas próximas décadas tem cartas para dar ao mundo inteiro.”

NÚMEROS ESTONTEANTES

Em 2011, o número de chineses que viajaram para o exterior aumentou

Francês próximo de Bo Xilai detido no Camboja. Pequim quer a sua extraditação

A última peça do puzzle U

M francês próximo de Bo Xilai, político chinês envolvido num escândalo e afastado dos seus cargos, foi detido no Camboja e é reclamado por Pequim, informaram hoje fontes oficiais. Uma porta-voz da embaixada de França em Phnom Penh confirmou à agência noticiosa francesa AFP a interpelação de Patrick Devillers, de 52 anos, que o cônsul visitou logo após a detenção. A representação diplomática “pediu às autoridades cambojanas esclarecimentos sobre os motivos da detenção”. O chefe da polícia de Phnom Penh, Touch Naruth, explicou que o arquitecto francês foi detido há cerca de duas semanas “com a cooperação da China”. “Estamos a analisar a possibilidade de o entregar à

PORTUGAL INVESTE

Esta semana, o Turismo de Portugal reuniu em Pequim nove empresas portuguesas do sector, a maioria das quais agências de viagens, e cerca de 30 profissionais chineses, na maior acção do género promovida na capital chinesa. “Em termos de promoção na China ainda estamos no zero. O turismo representa cerca de 10% do PIB português, mas não se dá a devida importância ao sector”, lamenta Marta Agostinho. A promoção - defende a investigadora - devia “realçar a História e a paisagem” e “concentrar-se em algumas regiões”. “Os turistas chineses não terão tempo para ver tudo e procuram sobretudo coisas completamente diferentes do que têm no seu país.”

China ou a França. (Pequim) pediu-nos para ele ser enviado para a China, pois cometeu infracções.” Bo Xilai esperava entrar para o comité permanente do Partido Comunista Chinês (PCC), cuja composição será decidida pelo congresso do partido no Outono. Mas na primavera foi suspenso da comissão política e do comité central do partido. A mulher de Bo Xilai, Gu Kailai, uma advogada famosa, é suspeita de envolvimento no assassínio de um britânico, com o qual ela e Bo tinham negócios. A queda de Bo começou quando o seu antigo braço direito Wang Lijun, dirigente da polícia em Chongqing, tentou pedir asilo ao consulado norte-americano de Chengdu. Este terá revelado informações que implicaram a família de Bo no assassínio do britânico Neil Heywood. O papel do francês neste caso não é claro, assim como as razões oficiais para a sua detenção, mas aparentemente seria sócio e amigo de Bo e de Gu.


quinta-feira 21.6.2012

nacional

www.hojemacau.com.mo

Lama; e do apoio da China ao Paquistão. As relações pioraram no ano passado por causa de uma disputa de soberania no Mar da China Meridional, grande parte do qual é reivindicado por Pequim. A ONGC, que tem vindo a explorar o Bloco 128 na costa do Vietname, foi duramente criticada pela China no ano passado por supostamente violar a soberania chinesa, uma acusação que Hanói rejeita veementemente. No mês passado, o vice-ministro do Petróleo da Índia, R.P.N. Singh, disse que a empresa vai devolver o bloco ao Vietname, mas não é claro se essa decisão fará parte do novo acordo entre os dois países.

POUCA ABERTURA

China e Índia unem-se na procura de petróleo e gás

“É melhor cooperar do que competir”

A

s maiores empresas petrolíferas da Índia e da China fecharam acordo para explorar conjuntamente petróleo e gás natural em todo o mundo. Trata-se de uma tentativa de pôr de lado uma longa rivalidade e fazer melhor uso dos seus conhecimentos e recursos financeiros para garantir o suprimento de combustível às suas economias em rápido crescimento, escreve o Wall Street Journal esta terça-feira. Embora os dois países com défice de energia já trabalhem juntos em vários projectos internacionais de petróleo, têm também um historial de más relações e de propostas de alianças para comprar activos estrangeiros e de petróleo bruto que na maioria das vezes não vingaram. De acordo com um pacto preliminar assinado na segunda-feira entre a estatal indiana Oil

& Natural Gas Corp. (ONGC) e a chinesa National Petroleum Corp. (CNPC), as empresas vão explorar conjuntamente activos noutros países, consolidando as parcerias existentes em Mianmar, Síria e Sudão. A ONGC informou numa declaração por escrito que as empresas também concordaram em ampliar a cooperação na refinação e processamento de petróleo bruto e gás natural, na comercialização e distribuição de produtos petrolíferos e na construção e operação de gasodutos e oleodutos. “Achamos que é melhor cooperar do que competir”, disse Dinesh Sarraf, administrador da ONGC Videsh Ltd., braço de investimentos internacionais da ONGC. O presidente do conselho de administração da ONGC, Sudhir Vasudeva, disse no mês passado que a empresa quer crescer atra-

vés de parcerias e vai garantir alianças para as áreas e tipos de recursos, incluindo a exploração em águas profundas e de gás natural encontrado em formações rochosas de xisto.

MOTIVOS DE TENSÃO

A China tem-se saído melhor do que a Índia em adquirir participações em activos de petróleo e gás em todo o mundo, fornecendo muitas vezes grandes empréstimos e financiamentos para projectos de infra-estruturas em países em desenvolvimento para garantir a assinatura de acordos pelas quatro petrolíferas estatais chinesas, a maior das quais é a CNPC e a sua unidade de capital aberto, a PetroChina Co. As tensões entre a Índia e a China decorrem de uma antiga disputa de fronteira no Himalaia; da decisão da Índia de acolher o líder espiritual tibetano, o Dalai

A Índia não tem sido muito aberta às empresas chinesas que investem no sector de energia ou de telecomunicações, citando preocupações de segurança, embora as fabricantes chinesas de equipamentos para a geração de electricidade tenham sido bem sucedidas no mercado indiano. Entre os projectos nos quais a ONGC Videsh trabalha com a CNPC está um gasoduto para transportar gás a partir da Baía de Bengala, em Mianmar, atravessando toda a Índia até o sudoeste da China. O gasoduto deverá estar concluído no próximo ano. Os dois países também trabalham em conjunto na Síria, onde detêm participações combinadas em 36 campos produtivos, bem como no Sudão, embora a produção de petróleo tenha sido amplamente interrompida devido a conflitos militares entre o Sudão e o Sudão do Sul. Tanto a CNPC como a ONGC estão entre as empresas que manifestaram interesse em construir um oleoduto que unirá o sul do Sudão à costa leste africana no Quénia, para evitar a rota de exportação tradicional pelo norte.

9

Dez anos de recordes de pedidos de registo de marca Desde a entrada no novo século que cresce a um ritmo acelerado o número anual de pedidos de registo de marcas na China. O país é o primeiro colocado no ranking mundial há dez anos consecutivos, o que coloca a China ao lado dos grandes países na área de marcas. Em 2002, foram mais de 300 mil os pedidos de registo de marca. Em Março deste ano, o número ultrapassou os 10 milhões, tendo as autoridades dos sectores da indústria e comércio adoptado uma série de medidas para acelerar a verificação de marcas. O número anual de verificação de marcas tem sido acima de um milhão nos últimos três anos e, actualmente o ciclo do processo foi reduzido para o prazo de dez meses - antes, era necessário esperar três anos. Até agora, o número solicitações de registo de marca pendentes é de cerca de 7 milhões, um número que coloca a China no primeiro lugar do mundo neste segmento.

FUTURO RISONHO

Nipun Sharma, um analista da Mirae Asset, de Hong Kong, diz que o acordo mais recente parece ser apenas uma renovação de um pacto de exploração já existente. “O pacto anterior resultou apenas num punhado de projectos, incluindo um no Sudão”, disse Sharma. “Desta vez, se os dois países forem capazes de alinhar melhor seus interesses económicos e políticos, poderíamos ver projectos de exploração combinados no futuro próximo. Isso seria definitivamente um ponto positivo para a ONGC, que precisa de acelerar o seu programa de internacionalização para conseguir aumentar a produção e reduzir sua exposição aos riscos de preços no mercado doméstico.”

Pelo menos 17 mortos em acidente em Fujian

Pelo menos 17 passageiros morreram, na madrugada de quarta-feira, depois de um autocarro cair de uma ribanceira na província oriental de Fujian. O acidente, de causas ainda não esclarecidas, deixou ainda três feridos em estado grave. A tragédia aconteceu por volta das 2 horas desta quarta-feira numa estrada do condado de Xiapu, em Fujian. O veículo, que transportava 45 passageiros, rolou por mais de 50 metros da ribanceira abaixo. Por enquanto, não se sabe se todos os passageiros que viajavam no veículo no momento do acidente já foram retirados, apesar de a agência oficial assinalar que uma equipa de resgate foi enviada ao local.


10

publicidade

www.hojemacau.com.mo

quinta-feira 21.6.2012


quinta-feira 21.6.2012

região

www.hojemacau.com.mo

11

Procura interna dá fôlego à economia do Japão

A nova força motriz

O

Banco Central do Japão (BCJ) informou que, pela primeira vez nos últimos 20 anos, a procura interna, e não as exportações, está a ser a força motriz do crescimento económico, já que a crise da zona do euro e o fraco crescimento da economia americana continuam a reprimir a procura internacional, publicou esta semana o Wall Street Journal. O BCJ reviu em alta a avaliação geral da economia, dando crédito à actividade que se seguiu ao terramoto e ao tsunami de Março de 2011 no norte do país. “A actividade económica no Japão começou a ganhar força moderadamente”, declarou o banco no relatório mensal divulgado domingo. “A procura interna continua estável, devido sobretudo à procura ligada à reconstrução.” O aumento da procura interna seria uma boa notícia para o BCJ, já que o cresci-

mento dos salários é visto como a melhor maneira de romper com o longo ciclo deflacionista que há muito mantém a subida dos preços praticamente nula. Ainda assim, a autoridade monetária continua cautelosa quanto às perspectivas no exterior, já que a crise europeia deflagrada pela Grécia continua activa. “Ainda existe um alto grau de incerteza na economia mundial”, afirmou o BCJ, acrescentando que é preciso dar especial atenção aos “desdobramentos nos mercados financeiros mundiais” face à crise da dívida europeia. Depois do estouro da bolha especulativa no Japão no início da década de 90, a economia do país cresceu sobretudo na base das exportações; já a procura doméstica ficou praticamente estagnada. Desta vez, no entanto, a situação parece ser outra, pois a procura internacional anda fraca devido à crise da dívida europeia

e o crescimento nos EUA continua ténue.

GASTOS SUPÉRFLUOS

A procura interna está a ser fomentada pelos cerca de MOP 1,8 biliões a serem investidos em obras públicas ao longo dos próximos cinco anos, um factor crucial para a taxa de crescimento anual do PIB registada no primeiro trimestre: 4,7%. Embora o consenso entre os economistas do sector privado seja o da queda do crescimento para um ritmo anual de 1,9% no período Abril-Junho, os especialistas não prevêem um retorno ao quadro geral de contracção económica.

Exercício de treino na quinta-feira para preparar falhas de energia no verão

Risco de apagão

O

governo sul-coreano anunciou esta terça-feira a realização de um exercício sem precedentes em todo o país, destinado a preparar a população para falhas de energia no verão. O exercício, com o recurso a sinais sonoros, surge numa altura em que se fala cada vez mais de uma possível falha geral de energia em Julho e Agosto, quando as temperaturas quentes atingem o auge e os ares condicionados trabalham sem parar. Na terça-feira, os termómetros em Seul marcaram 33º centígrados, uma das temperaturas mais elevadas dos últimos 12 anos. “Desligue todas as tomadas

É que o consumo das famílias, que responde por cerca de 60% da economia, continua firme. O japonês médio está a gastar em carros e em casas de maior eficiência energética, menos nocivos para o ambiente. Depois de um período de comedimento voluntário após a tragédia do ano passado, o consumidor japonês parece hoje mais disposto a fazer gastos supérfluos. “Não há dúvidas de que a procura interna é hoje o grande motor”, disse uma fonte ligada ao BCJ.

EXPORTAR AINDA CONTA

Alguns economistas do sector privado dizem que

quando ouvir as sirenes”, de acordo com um anúncio difundido no “site” do governo Em casa, as pessoas deverão desligar os ares condicionados e ventoinhas e deixar de usar ferros de engomar, aspiradores, máquinas de lavar e fornos eléctricos. O aviso também é dirigido a lojas, edifícios de escritórios e fábricas. “O exercício destina-se a reforçar a capacidade da população para lidar com uma crise energética através de uma participação voluntária nos esforços de poupança de energia”, de acordo com o governo. No início do mês, as reservas eléctricas sul-coreanas atingiram níveis perigosamente baixos, aumentando os receios de que o país podia registar uma falha generalizada pela primeira vez desde Setembro de 2011. O “apagão” de Setembro levou à demissão do ministro responsável Choi Joong-kyung.

a economia poderia ser sustentada pelo menos este ano sem o aumento das exportações. Devido à prolongada deflação no país, os salários basicamente não se alteraram em 2011, tendo ficado 0,2% menores do que no ano anterior. “Dificilmente as exportações serão um factor que arraste a economia para baixo”, disse Akihiko Suzuki, economista-chefe da Mitsubishi UFJ Research and Consulting. “O essencial é saber se os salários vão subir ou não” para facilitar uma recuperação sustentável, acrescentou. As autoridades não estão

a apostar numa recuperação “sem exportações”, dizendo que a tradicional dependência de vendas externas ainda é um factor crítico, responsável por 15,1% do PIB no ano fiscal encerrado em Março. Para o banco, o aumento das exportações e da produção é uma condição indispensável para a economia japonesa entrar em plena recuperação. “A economia do Japão deve voltar a um caminho de recuperação moderada à medida que a procura interna continue estável e as economias externas saiam do período de desaceleração.”

Fosso entre ricos e pobres atinge recorde em Hong Kong O fosso entre ricos e pobres em Hong Kong atingiu o máximo das últimas três décadas, indicam dados governamentais divulgados terça-feira pela imprensa da região. Segundo a imprensa, os dados mostram que nem o crescimento económico nem as medidas de apoio do governo foram bem sucedidas no objectivo de melhorar a condição dos pobres do território. Membros do governo indicaram que a disparidade de rendimentos deve piorar nos próximos anos, já que o envelhecimento da população irá “roubar” mais pessoas

ao mundo do trabalho. O número de “famílias economicamente inactivas”, definição para as que não têm emprego, aumentou 48% de 280 mil para 420 mil, de acordo com o Departamento de Estatística e Censos. Já o rendimento médio mensal para 10% da população com menores recursos, incluindo quem recebe assistência social, caiu de 2.250 para 2.070 dólares de Hong Kong nos últimos cinco anos. Os residentes mais ricos aumentaram os rendimentos de 76.250 para os actuais 95.000 no mesmo intervalo de tempo.


12

quinta-feira

www.hojemacau.com.mo

TREINADOR DE BANCADA NUNO G. PEREIRA

RONALDO É DEMASIADO HUMILDE • Sem distinção dos outros pobres que ficam milionários, Ronaldo porta-se como o miúdo na loja de doces: quero o Lamborghini de chocolate branco, quero a casa com piscina de caramelo, quero a modelo russa de gomas empinadas. Quer e tem, porque o dinheiro adoça a vida. Coisas que não esconde, levando os invejosos a chamarem-lhe arrogante. Uma mentira, para azar da selecção das quinas, porque ele ainda é um menino incapaz de esconder a insegurança latente. Um génio da arrogância entra em campo e só vê relva, balizas e bola. Gladiador sem ansiedade, sabe que falta pouco para a turba gritar em êxtase. Entre quem vi jogar, com tanto de talento como superioridade, só me lembro de duas figuras: Platini e Maradona. De Platini não falo. Um burguês anafado, que continua a acumular dinheiro e a falar a língua mais irritante do planeta? Não dá, é impossível gostar do bicho. Maradona é outra coisa. Estoirou o dinheiro, quase morreu da droga, insulta a Igreja, cospe no capitalismo, diz dos nababos da UEFA aquilo que Platini, o cínico, sempre soube que não devia

dizer. Maradona nunca se arrependeu. Só pedia desculpas quando fazia pior no minuto seguinte. “Qué la chupen! Qué la sigan chupando!” Ronaldo não manda ninguém mamá-la. E é pena, porque poupava o tempo que desperdiça a justificar-se, a amuar, a dar importância à ralé que vomita irrelevâncias. Maradona levou o Nápoles à glória, fez da Argentina um sinónimo dele próprio. Sem 10 escudeiros fora de série, como existem no Real Madrid e no Barcelona. O próximo jogo de Portugal, contra a República Checa, é outra oportunidade para Ronaldo mandar a modéstia às malvas. Nada de tratar o adversário com respeito, dignidade e outras fracas figuras de estilo. Os checos – como quaisquer outros – são apenas 11 cocós a evitar, para as chuteiras chegarem imaculadas ao objecto do seu desejo. Ninguém atinge o Olimpo por convite, a tradição lá do sítio é entrar à bruta. Por isso, Ronaldo, esquece o por favor e o obrigado, os Messis e as Irinas. Mais logo, faz só o que tens de fazer. E se não gostarem, manda-os mamar.

• JOGO JOGADO

Fábio Coentrão C

AXINAS, terra de pescadores em Vila do Conde, deu ao futebol dois internacionais famosos: André e Paulinho Santos. Ambos médios defensivos, do F.C.Porto e conhecidos pela propensão para acertar mais nas canelas dos adversários do que na bola. Fábio Coentrão também nasceu lá e também é rijo, só que sobressai pelo talento. Começou como extremo esquerdo, mas Jorge Jesus pô-lo mais recuado, a defesa, posição que ocupa no Benfica e, depois, na selecção portuguesa. No Real Madrid, onde milita actualmente, faz todo o corredor esquerdo e até já jogou a médio centro. O miúdo deslumbrado, que por isso quase passou ao lado da

• RELVADO PRINCIPAL

A sombra da dúv Marco Carvalho info@hojemacau.com.mo

carreira (nos primeiros tempos de Benfica, antes de ser emprestado, chegou uma vez ao treino de limousine), amadureceu e é hoje uma das pedras mais sólidas de Portugal. Até porque nesta equipa as suas exibições tendem a ser ainda melhores (foi o futebolista de topo da selecção no Mundial na África do Sul). Oxalá assim continue até à final do Euro.

A

sorte, diz-se, é dos audazes, que são ao fim e ao cabo quem mais a procura. Nem só de audácia se orquestra, no entanto, a mecânica das estrelas. Há rasgos insuspeitos de fortuna que se revelam em erros, em omissões ou em decisões aparentemente inócuas. Não é que alguém o pudesse vislumbrar, mas antes ainda de entrar em campo a Inglaterra já tinha derrotado

a anfitriã Ucrânia e fê-lo com a conivência e o patronato da UEFA, ainda que por ordens de razão distintas. O organismo que chama a si a tutela do desporto-rei no Velho Continente empurrou a Selecção dos Três Leões para a vitória por culpa própria e por omissão, ainda que a inércia – pelas frequentes consequências que acarreta – seja neste particular bem mais grave que a acção. Grande sorte teve a selecção inglesa quando a UEFA consentiu a redução do castigo

a que estava sujeito Wayne Rooney de três para dois jogos. O dianteiro do Manchester United arriscava passar ao lado do Euro 2012 depois de ter agredido o montenegrino Miodrag Dzudovic no último encontro da fase de qualificação para a prova, mas Londres pressionou Platini e Rooney saltou das bancadas para a titularidade. Sentenciou a um adeus prematuro uma Ucrânia que fez mais remates, teve maior posse de bola e construiu as melhores situações

de perigo, pelo menos na primeira parte.

CEGUEIRA OFICIAL

Se o perdão de Rooney até pode ser aceite com maior ou menor condescendência por quem gosta de futebol, mais difícil é engolir sem pruridos o “orgulhosamente sós” das instâncias que chamam a si o controlo do futebol internacional no que diz respeito à utilização de tecnologias de apoio às decisões do árbitro. A Ucrânia foi a última de


a 21.6.2012

13

www.hojemacau.com.mo

RELVADO SECUNDÁRIO

REMATE DO DIA

• SUÉCIA 2 – FRANÇA 0 O melhor golo da competição até ao momento, por Ibrahimovic, fez com que a saída da Suécia fosse um pouco menos má. Já a França, com uma exibição fraca, ficou em segundo no grupo e terá agora de se bater com a Espanha. Problemático.

• À VOLTA DO ESTÁDIO

SHEVCHENKO ABANDONA SELECÇÃO Andriy Shevchenko, um dos melhores avançados da última década do futebol europeu, tendo brilhado sobretudo com a camisola do AC Milan, realizou esta terça-feira o seu último jogo com a camisola da Ucrânia ao peito. No final do jogo com a Inglaterra o avançado do Dínamo de Kiev garantiu que renuncia ao estatuto de internacional, para dar lugar aos mais novos. SCOTT PARKER, O RAPAZ DO ANÚNCIO Acumulou quatro internacionalizações com quatro selecionadores diferentes. Agora, aos 31 anos, o médio do Tottenham é membro regular na Selecção e foi mesmo o capitão na derrota de Fevereiro frente à Holanda. O talento de Parker é conhecido há muito. Aliás, com apenas 12 anos, apareceu num anúncio da McDonalds onde demonstrava o seu potencial futebolístico. O MECÂNICO, E ACTOR, ADIL RAMI Adil Rami era mecânico. Então, um dia, como por magia, tornou-se jogador de futebol. Passou a ser famoso e concordou posar nu para a revista Dieux du Stade. As imagens foram, provavelmente, a razão para receber um excelente convite – fazer um filme com Isabelle Adjani.

vida

um longo rol de vítimas da ortodoxia da FIFA e da UEFA. O futebol moderno, ópio dos povos, rosário de emoções, é um repositório de gestas de sucesso, de milongas de esforço onde o sonho voa de mãos dadas com o impossível. Mas é também um cemitério de de triunfos decepados, de vitórias abortadas por decisões ambíguas, tomadas a quente, à sombra da dúvida. Errar é humano, que não restem dúvidas. Mas há erros que nada custam a rectificar. Haja vontade.

OS MÚSICOS CHECOS As grandes estrelas da República Checa são bons músicos. O médio Rosicky toca guitarra e já actuou em palco com a sua banda favorita. O guarda-redes Petr Cech toca bateria e também já deu nas vistas em público. Tomás Pekhart, outro dos músicos, sabe tocar clarinete.

O CIGANO PIRLO Dizem os rumores que o médio Andrea Pirlo é descendente dos Sinti, um dos três grandes grupos que compõem o povo cigano, que se instalou no norte de Itália no fim do século XIX. Pirlo nunca confirmou a origem, o que não impede que seja visto como um símbolo dos ciganos.

• “CINCO ÁRBITROS EM CAMPO E NADA VIRAM” Oleh Blokhin, seleccionador ucraniano, sobre o golo invalidado, frente à Inglaterra, no adeus ao Euro-2012.

MESTRE PU YI

ADIVINHA

LOW RECUSOU FALAR DE POLÍTICA O treinador da Selecção da Alemanha recusou pronunciar-se sobre as conotações políticas do encontro com a Grécia, para as meias-finais do Euro-2012. “Angela Merkel e eu temos uma boa relação e um acordo em que ela não me aconselha na escalação da equipa nem eu a aconselho em decisões políticas.” MADAÍL DESGASTADO COM PLATINI Gilberto Madail não gostou das recentes declarações do presidente da UEFA, Michel Platini, que vaticinou um embate entre Espanha e Alemanha na final do Europeu. “São declarações insensatas e impulsivas, de quem pensa que pode dizer tudo. São declarações condenáveis porque, se tal vier a acontecer, podem levar a largas especulações.” KADLEC QUER CUMPRIR TRADIÇÃO DE FAMÍLIA E ELIMINAR PORTUGAL Michal Kadlec vai tentar repetir o feito do pai, Miroslav Kadlec, que em 1996 alinhou na equipa da Selecção da República Checa que eliminou Portugal nos quartosde-final do Campeonato da Europa, em Inglaterra. “É uma coincidência ser o mesmo encontro de 1996, com a diferença de nos termos qualificado em primeiro e Portugal em segundo.”

• Mestre Pu Yi já recuperou parte das suas forças cósmicas, mas continua avesso a adivinhações de resultados, ainda vulneráveis à interferência de sombras parapsicóticas, um género particularmente agressivo de desvio metafísico. No entanto, deixa hoje outra previsão: Portugal pode ganhar ou perder o próximo jogo, mas Carlos Queiroz vai dizer mal da selecção.

www.facebook.com/hoje.macau

REPETIÇÃO RFA DE BECKENBAUER

COM A BOLA TODA

FORA DE JOGO

• SUÉCIA

• FRANÇA

Já tinha o destino traçado antes do terceiro desafio da fase de grupos do Campeonato da Europa e jogou, por isso, como se não houvesse amanhã. Desafogada e frontal, a Suécia provou frente à França que a presença na fase final do Euro não foi um equívoco. Zlatan Ibrahimovic apontou um dos melhores tentos da prova, a Suécia jogou com objectividade e venceu por duas bolas a zero. Podiam ter sido quatro ou cinco.

Fez uma campanha de qualificação irrepreensível e desembarcou no Europeu com o estatuto de grande candidata ao triunfo em Kiev. Um curto empate frente à Inglaterra e um triunfo pouco convincente sobre a Ucrânia não bastam para justificar os altos voos que lhe eram consignados. Com um futebol nervoso e inconstante, a França carimbou sem pompa a passagem aos quartos-de-final do Euro. Tem pela frente outra incerteza, a Espanha campeã mundial.

Dois anos antes de ser campeã do mundo, a selecção da República Federal Alemã ganhou o Europeu, em 1972, realizado na Bélgica. Beckenbauer já comandava uma equipa fortíssima, onde também se destacava Müller, um dos mais temíveis pontas de lança de todos os tempos. O vídeo mostra a caminhada dos alemães até ao título.

www.facebook.com/hoje.macau


14

portugal / euro

quinta-feira 21.6.2012

www.hojemacau.com.mo

GONÇALO LOBO PINHEIRO

Personalidades diversas falam com esperança numa vitória de Portugal

“Axé, Portugal” Daniela Mercury, cantora Gonçalo Lobo Pinheiro glp@hojemacau.com.mo

P

ORTUGAL joga hoje um jogo decisivo contra a República Checa que, em caso de vitória, catapulta a Selecção Nacional para as meias-finais do Europeu de futebol 2012, que se disputa na Polónia e na Ucrânia. O Hoje Macau foi saber junto de diversas figuras públicas de Portugal, de Macau e até do Brasil qual o desejo e as expectativas para este embate tão importante. A maior surpresa surgiu da terra do samba. A cantora brasileira Daniela Mercury começou por dizer ao Hoje Macau que “ama futebol”

Paulo Bento Revelações no dia do 43.º aniversário

O seleccionador de Portugal, Paulo Bento, comemorou ontem o seu 43.º aniversário. Domingos Estanislau, presidente do Futebol Benfica, dirigente que projectou o seleccionador Paulo Bento no futebol, recorda as origens do treinador. “Paulo Bento estava no Palmense. Um dia foi jogar pelo seu clube a Mem Martins. O tesoureiro do Futebol Benfica assistiu ao desafio e viu-o jogar. Falou com ele e com o seu presidente e a transferência concretizou-se.” Estanislau sentiu logo que estava ali um craque. “A forma como aos 19 anos dominava o balneário não enganava ninguém.” O dirigente viu no jovem um homem de convicções e disciplina. Uma pessoa correcta que até começou como suplente e aceitou essa condição sempre com um sorriso nos lábios. O presidente do Futebol Benfica recorda o primeiro ordenado de Paulo Bento: “Quinze contos. Era muito dinheiro há vinte e tal anos.”

para depois, em jeito de conclusão deixar “um beijo muito especial para a Selecção de Portugal. Do lado de Macau, o porta-voz do Governo, Alexis Tam referiu que “amanhã [hoje] vou fazer parte dos muitos milhões de adeptos que vão estar a torcer por Portugal. Esperamos todos que as poucas horas de sono na sexta-feira de manhã tenham valido a pena.” Também a deputada da Assembleia Legislativa (AL), Melinda Chan, não se esquivou ao comentário e disse ao Hoje Macau que está a torcer por Portugal. “Acho que vão ganhar.” Confira na caixa em baixo todos os vaticínios para o jogo de mais logo, com a República Checa.

O QUE ELES DESEJAM A PORTUGAL “Garra, coragem e determinação são fundamentais para a nossa vitória. Eu acredito. Força Portugal!” • HERMÍNIO LOUREIRO (ex-presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional)

“Portugal contra a República Checa? Há vários resultados em jogo. Eles ganharão certamente em claque, tal como a Holanda vão muito mais bem equipados que nós nesse aspecto (e aspecto é a palavra certa). Por outro lado nós ganhamos em técnica e penteados.” • NILTON (humorista)

“Espero que o Ronaldo esteja ao seu nível. Aproveito para relembrar as palavras de José Mourinho: ‘Não são simplesmente profissionais de futebol (esses são os que jogam nos clubes), mas, além disso, portugueses comuns que vão fazer aquilo que outros não podem fazer, isto é, defender Portugal, a sua auto estima, a sua alegria’. Que se lembrem que defendem Portugal, que lutem por eles próprios e por todos nós. Se ganharem, ganhamos todos. Se perderem, perdemos juntos!” • JOÃO FERNANDES (motociclista)

“Estou a torcer por Portugal. Acho que vão ganhar” • MELINDA CHAN (deputada da AL de Macau)

“Todos unidos para um só objectivo: a vitória. Força Portugal!” • CESINHA (ex-jogador do Ka I)

“Amanhã vou fazer parte dos muitos milhões de adeptos que vão estar a torcer por Portugal. Esperamos todos que as poucas horas de sono na sexta-feira de manhã tenham valido a pena.”

“Espero que todos os jogadores pensem que ao ganharem podem um dia vir a ter uma namorada como a do Ronaldo e o Ronaldo se vencer que poderá vir a ter uma mulher como a do Figo.”

• ALEXIS TAM (porta-voz do Governo de Macau)

• FERNANDO ALVIM (radialista)

“Com uma Selecção vencedora, Portugal fica maior. Apoiamos todos, com toda a força, a Selecção de Portugal.”

“Força Portugal! Aqui estamos de ‘olhos em bico’ a torcer pela nossa Selecção!” • MARGARIDA VILA-NOVA (actriz)

“Eu e os meus amigos japoneses, que adoram Portugal, torcemos pela Selecção Nacional. Cremos que vai vencer.”

“Amo futebol. Quando eu era menina ia muito a estádios assistir aos jogos com o meu pai. Eu adorava aquele clima. Todo mundo fica mais eufórico, principalmente quando as seleções estão em campo. As pessoas param diante da televisão e acompanham tudo sem perder um lance. É motivo para reunir os amigos em casa, na rua, em qualquer lugar que tenha uma televisão. Nesse Campeonato Europeu de Futebol, quero desejar muita força e garra para todos os times e um beijo especial para a Selecção de Portugal. Axé!”

• KUMIKO TSUMORI (fadista japonesa)

• DANIELA MERCURY (cantora)

• MARIA DE BELÉM ROSEIRA (deputada do PS na Assembleia da República Portuguesa)

“O meu ‘feeling’ é que Portugal passa mais esta etapa.” • Rui Cardoso (treinador do Benfica de Macau)

“Checos mate!” • JOAQUIM MAGALHÃES DE CASTRO (investigador)


quinta-feira 21.6.2012

www.hojemacau.com.mo

VIVA O EURO-2012 COM O

• Todos os dias, em duas páginas a cores, a informação que interessa sobre o acontecimento desportivo do ano. Os bastidores, as tácticas, os falhanços, os momentos de glória.

publicidade

E, melhor ainda que um polvo no aquário, temos cá Mestre Pu Yi, o gato adivinho que acerta sempre nos resultados. Ou quase.

15


16

T

vida

quinta-feira 21.6.2012

www.hojemacau.com.mo

ANTO a gestão do ex-presidente dos EUA George W. Bush como a do actual chefe de Estado americano, Barack Obama, se mostraram contrárias à ideia do Brasil de convocar a Rio+20, que iniciou ontem as suas discussões entre autoridades de alto nível. Telegramas da diplomacia americana obtidos pelo site WikiLeaks revelam que a Casa Branca qualificou a cúpula como “precipitada”, questionou a utilidade do encontro e os gastos que envolveria e ainda tentou convencer outros governos de realizar uma conferência apenas em 2017. Obama, para justificar a sua resistência, usou exactamente os argumentos de Bush. Com isso a conferência corre o risco de ser concluída com resultados muito aquém dos pretendidos. O conteúdo dos telegramas revela que a resistência dos EUA à reunião ocorre desde 2008. Parte dos documentos a questionar a cúpula foram assinados por Hillary Clinton, secretária de Estado americana e representante de Obama na Rio+20 esta semana. Um telegrama de 31 de Outubro de 2008 - assinado pela então secretária de Estado, Condoleezza Rice - deixa a entender que a ideia da realização do encontro veio do G-77, grupo de países em desenvolvimento. Naquele momento, não havia ainda um acordo de que a reunião

Wikileaks revela telegramas diplomáticos

EUA tentaram adiar Rio+20

ter questões, incluindo qual seria a meta do encontro, como (a cúpula) adicionaria valor ao trabalho já existente em desenvolvimento sustentável, como evitaríamos que (o encontro) afete as conclusões do processo da Comissão para o Desenvolvimento Sustentável.”

PEDIDOS DE ADIAMENTO

ocorreria no Rio de Janeiro. “O presidente brasileiro Lula da Silva e o primeiro-ministro sul-coreano, Han Duck-soo, propuseram sediar uma Rio20.” Segundo o documento, o governo sul-coreano teria pedido à Casa Branca apoio para que a cúpula ocorresse em Seul - e o Itamaraty também fez pressão em busca da ajuda de Washington. Naquele momento, porém, a orientação de Condoleezza à sua missão perante

a ONU era de tentar travar o projecto da reunião, alertando que 2012 não seria o momento. O principal argumento era de que uma agenda de trabalho já tinha sido estabelecida e seria concluída em 2017. Portanto, não haveria motivo para a convocação de uma nova reunião.

DECISÃO PREMATURA

Condoleezza sugeria que a representação americana na ONU explicasse que os PUB

DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE FINANÇAS EDITAL IMPOSTO COMPLEMENTAR DE RENDIMENTOS Faço saber, face ao disposto no n.º 1 do artigo 43.º do Regulamento do Imposto Complementar de Rendimentos, aprovado pela Lei n.º 21/78/M, de 9 de Setembro, que ao exame dos contribuintes referidos no n.º 3 do artigo 4.º, do mesmo Regulamento, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 6/83/M, de 2 de Julho, estarão patentes os respectivos rendimentos colectáveis atribuídos pela Comissão de Fixação, podendo estes, de 16 a 30 de Junho do corrente ano, reclamar para a Comissão de Revisão, caso não se conformem com o rendimento fixado, não terminando, porém, o prazo, sem que hajam decorridos vinte dias sobre a data do registo dos avisos postais enviados aos contribuintes. E, para constar, se passou este edital e outros de igual teor, que vão ser afixados nos lugares públicos de costume e publicados nos principais jornais chineses e portugueses, sendo, ainda, reproduzido no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau. Aos 6 de Junho de 2012. A Directora dos Serviços Vitória da Conceição

EUA “não eram contrários à cúpula em si, mas estavam preocupados com os recursos, tanto financeiros como humanos, que seriam exigidos”. “Temos dúvidas quanto à produtividade dessa cúpula nesse estágio, à luz dos nossos compromissos em andamento sobre desenvolvimento sustentável.” Segundo a ex-secretária de Estado, a diplomacia americana deveria “enfatizar que o papel da Comissão para o Desenvolvimento Sustentável da ONU e o seu ciclo de trabalho são prioridades importantes para os EUA”. O cronograma da comissão da ONU previa para 2017 uma nova etapa de negociações.

RESISTÊNCIAS CAUSAM DECEPÇÃO

Obama assumiria a presidência americana no início de 2009, dando ao mundo a esperança de que colocaria a questão ambiental no centro de sua agenda, reavaliando a política implementada por Bush, duramente criticada por ambientalistas. Mas em Junho daquele ano, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, assinou

uma carta que seria enviada para a ONU revelando que a resistência da nova administração em relação ao evento no Rio permanecia no Governo dos EUA. As Nações Unidas ainda estudavam a realização do evento e tinham pedido que delegações de todo o mundo fizessem os seus comentários. Na época, não se falava de Rio+20, mas de um “possível evento de alto segmento” sobre o tema. Diplomática, Hillary insistiu que os EUA estavam “dedicados na busca de desenvolvimento sustentável e acreditam fortemente na cooperação internacional”. A americana também elogiava os resultados das conferências de clima realizadas no passado. Mas, em grande parte, repetia quase que integralmente a posição adotada por Bush. Hillary afirmou que, em 2003, a ONU havia estabelecido uma revisão da estratégia e uma análise de quanto o mundo caminhou - o que deveria ocorrer em 2017, no fim do calendário de trabalho estabelecido pela entidade. “Continuamos a

A secretária de Estado também chega à mesma conclusão que a sua antecessora. “Se a meta dos dois eventos de alto nível é o mesmo, Estados-membros devem considerar adiar qualquer cúpula até 2017, quando teríamos uma oportunidade sem precedentes para reavaliar a história completa dos acordos de desenvolvimento sustentável e conquistas para que possamos nos informar sobre os próximos passos e embarcar em novas metas.” Até o argumento financeiro da gestão Bush voltou à tona. “Muitos Governos, incluindo os EUA, não têm recursos e nem funcionários para preparar duas cúpulas em cinco anos.” Segundo Hillary, Washington participaria dos debates sobre a conveniência de realizar a cúpula, mas o foco de Washington deveria ser “especialmente sobre a implementação de acordos já feitos”. Noutro telegrama, vindo de Moscovo, diplomatas dos EUA questionam os russos sobre qual seria a posição do Kremlin. EmAagosto de 2009, outro telegrama assinado por Hillary voltou a levantar dúvidas sobre o evento. O documento era uma mensagem da Secretaria de Estado à missão americana da ONU e tinha como objectivo começar a preparar o que seria o primeiro discurso de Obama na entidade, no mês seguinte. “O nosso objectivo é a locomoção em direcção a um mundo que supere a divisão histórica Norte/Sul criando oportunidades para uma ampla gama de Estados, incluindo aqueles do G-77 e do Movimento Não Alinhado, trabalhar de forma mais cooperativa com os EUA.” Mas, sobre o meio ambiente, a visão foi de hesitação.


quinta-feira 21.6.2012

vida

www.hojemacau.com.mo

17

Dominar malária mudando alimentação dos mosquitos

Com outro cardápio

A

mortífera e assustadora malária poderá ser combatida por via de uma mutação genética que determine a alimentação dos mosquitos. Trata-se de uma teoria do controlo dos insectos, que não entrou na área experimental, para lutar contra uma doença que mata três milhões de pessoas por ano. Um debate que pode abrir portas para esta tese. A investigação está pronta a entrar no terreno e consiste em fazer alterações genéticas que permitam determinar a alimentação dos mosquitos responsáveis pela transmissão da malária. Através desse ‘domínio’, os cientistas acreditam que a doença pode ser combatida. Para já, a teoria. Segundo explicou à Lusa o investigador Carlos Ribeiro, membro do Programa Neurociências da Fundação Champalimaud, o primeiro passo desta pesquisa é o debate que acontecerá hoje e permitirá perceber o modo como o comportamento dos animais é influenciado pela necessidade de alimentação. Ou seja, compreender até que ponto a necessidade de alimento torna os animais vulneráveis à comunidade científica. Se os resultados forem animadores, a

genes, para que estes optem por outro tipo de alimentação. Neste debate, que contará com especialistas em alimentação, saúde e em genética, serão discutidas diversas vertentes da alimentação animal, com recurso ao conhecimento já adquirido em moscas, insectos já repetidamente usados, em trabalhos de laboratório.

MORTALIDADE POR MALÁRIA EM QUEDA

malária – assim como outras doenças transmissíveis por via de insectos – poderá ser combatida na origem, ‘domando’ o responsável pela transmissão da doença. O objectivo é, por via de uma alteração genética, impedir a picada num humano por parte do insecto transmissor de malária. Ou seja, através desse controlo dos genes, criar novos hábitos alimentares no insecto, para que o sangue humano não satisfaça o voador. Os cientistas consideram que é possível modificar as preferências de alimentação dos insectos através de um domínio dos seus

Na última década, a mortalidade associada à malária teve uma queda de 25%, o que atesta o sucesso do combate à doença. No entanto, os resultados são “frágeis” e, num instante, podem “inverter-se”. O alerta partiu da Organização Mundial da Saúde (OMS), que no Dia Mundial da Malária, com um duplo apelo: para que a erradicação da doença continue a ser encarada como uma prioridade e para que haja mais investimento na investigação. E é precisamente o caminho da investigação que o Programa Neurociências da Fundação Champalimaud prossegue, através de uma alteração genética. A malária mata cerca de três milhões de doentes por ano, em todo o mundo, sendo que afecta 500 milhões de pessoas picadas pelo insecto.

Macau Sã Assado

FICAR BEM CONTEMPLADO... • As autoridades avisam: “Dê-lhes acompanhamento e fiquem bem contemplados”. Nós temos algumas dúvidas sobre que acompanhamento dar e, em particular, que contemplação dar. Bom, assumamos que as crianças são uma bela paisagem e contemplemos Porque Macau sã assi mas também sã assado Foto: Rita Marques Ramos

Humanidade pesa 287 milhões de toneladas

Biomassa humana S

E o assunto é produção de alimentos de forma sustentável, o peso da população pode ser mais importante do que o seu número. É o que defendem investigadores britânicos, num estudo inusitado, no qual calcularam o peso de todos os humanos juntos. Estima-se que a população mundial tenha superado os 7 bilhões de indivíduos, e todas essas pessoas precisam se alimentar. No entanto, a necessidade de energia de uma espécie não depende apenas do número de indivíduos, mas também da sua massa média. Os investigadores estimaram a massa total da população humana, e definiram a sua distribuição por região, e a proporção dessa “biomassa” devida ao excesso de peso e à obesidade.

PESO DA HUMANIDADE

Com os estudos estimaram o peso da população humana adulta em 287 milhões de toneladas - algo como 5.400 Titanic’s. 15 milhões dessas toneladas devem-se ao excesso de peso, e outros 3,5 milhões devem-se à obesidade. Enquanto a massa corporal média global foi de 62 kg, na América do Norte, que tem a maior massa corporal de todos os continentes, o peso médio por indivíduo chega aos 80,7 kg.

AAmérica do Norte tem apenas 6% da população mundial, mas 34% da biomassa humana, devido à obesidade. Em contraste, a Ásia tem 61% da população mundial, mas apenas 13% da biomassa humana.

MASSA E QUEIMA DE ENERGIA

“Os nossos resultados enfatizam a importância de olhar para a biomassa, em vez de apenas para os números populacionais, quando se considera o impacto ecológico de uma espécie, especialmente dos humanos,” disse Sarah Walpole, uma das autoras do estudo. “Todos concordam que o crescimento populacional ameaça a sustentabilidade ambiental global - o nosso estudo mostra que a gordura da população também é uma grande ameaça. A menos que enfrentemos tanto o crescimento da população quanto a gordura, nossas chances são magras,” disse o professor Ian Roberts, co-autor dos cálculos do peso humano na Terra. Até metade de todos os alimentos consumidos queimam-se na actividade física. Aumentar a massa significa maiores exigências de energia, porque é preciso mais energia para mover um corpo pesado. Mesmo em repouso um corpo maior queima mais energia.

A ANIMA vai fazer uma feira de adopção animal no próximo sábado, dia 24, na praça do Tap Seac. O evento durará das 14h às 17h. A ANIMA convida-o a adoptar. Apareça!


18

publicidade

www.hojemacau.com.mo

quinta-feira 21.6.2012


quinta-feira 21.6.2012

Miguel Senna Fernandes garante que a “festa promete”

Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

A

bênção para a sexta edição do arraial de S.João faz-se no início da tarde do próximo Sábado, mas este ano a festa ficou ensombrada pela proibição da paróquia de São Lázaro, que não deu autorização à organização para realizar os espectáculos no adro da igreja. Apesar disso, Miguel Senna Fernandes, presidente da Associação dos Macaenses (ADM), garante que a proibição “não é uma desgraça” e que a festa “será levada adiante”. Contudo, vai implicar algumas mudanças do programa, nomeadamente a possível ausência do grupo de dança da Casa de Portugal em Macau. “Com a limitação de espaço teremos de fazer adaptações. O grupo base da Casa de Portugal não vai conseguir actuar, mas vamos ver se conseguimos resolver com a actuação dos grupos de folclore. Vamos arranjar alternativas, ainda faltam alguns dias para fazer a organização das actuações.” O presidente da ADM não compreende o porquê da proibição, sendo que não foram dadas quaisquer explicações.

José C. Mendes

josecmendes@hojemacau.com.mo

E

NTRETECIMENTO: tecer fios de diferentes cores ou várias coisas entre si, diz o dicionário. A mostra ontem inaugurada na Casa Garden junta precisamente várias expressões artísticas para nos falar do vestuário como uma segunda pele do ser humano. O projecto conceptual de Li Qing é apresentado como uma alegoria do comportamento civilizacional dos nossos dias. “Esta exposição é sobre a relação entre o ser humano e o vestuário”, explica o autor. “Tem dois níveis de significados que devem ser sublinhados. O primeiro é a confecção. As roupas a ser feitas. O segundo tem a ver com a forma como o vestuário interage com o corpo humano. Tem tudo a ver com uma série de ideias e conceitos por detrás da relação do vestuário com o corpo humano.” Li Qing tem passado os últimos dois anos a olhar para a forma como a relação da sociedade chinesa com os bens de consumo se desenvolve. “Escolhi falar sobre as roupas por-

cultura

www.hojemacau.com.mo

Arraial já não vai no adro Começa no Sábado mais um arraial do S.João, mas desta vez a música não vai acontecer no adro da igreja de São Lázaro. Ainda assim, a animação está prometida

19

“Sempre respeitámos todas as regras que a paróquia nos deu. É compreensível que existam pessoas que não gostam, mas sempre tentámos aliviar a questão do barulho. Queremos que a paróquia nos diga o que é que podemos melhorar.” Senna Fernandes acrescenta que se trata de “uma festa religiosa e uma tradição para Macau”.

CONFRARIA VAI À FESTA

Apesar do contratempo, Miguel Senna Fernandes garante que “o formato não vai ser alterado”, podendo contar com espectáculos, artesanato e ainda as habituais tendas de comes e bebes. Este ano a “festa promete”, dado que há mais participantes. Ontem a organização já tinha confirmado a presença de 23 tendas. Com a presença da Tuna Macaense, e de mais dois grupos de folclore, bem como a presença de sons mais roqueiros. Senna Fernandes conta que, da parte da ADM, a grande novidade é a participação da Confraria da Gastronomia Macaense. “Contamos com mais uma entidade, que faz todo o sentido estar no S.João”. A ADM leva ainda “pequenos jogos para a criançada”.

Exposição do artista plástico Li Qing na Casa Garden

A segunda pele

que os mesmos corpos de homens mortos dão lugar a vestidos de mulher. “Quando entramos e vemos os trabalhos baseados na obra de Goya, em que as roupas substituem os corpos, fazemos logo uma associação entre estes dois elementos. O corpo e o vestuário. As roupas que usamos são uma forma de enfrentarmos o mundo, a sociedade. E são também um elemento de pressão.”

ENRIQUECER É PROBLEMA

que para além de serem um bem fabricado pelo homem, são também uma necessidade. Como uma segunda pele.” A receber os visitantes da exposição estão duas

obras surpreendentes, baseadas em trabalhos de Goya. O quadro “A Festividade chegou ao Fim” baseado na gravura de Goya da série “Desastres de Guerra”; “Grandes Feitos! Com

Homens Mortos!” em que Li Qing substitui os corpos de homens mutilados, de Goya, que pendem mortos de uma árvore, por fatos de Pai Natal; e a instalação “O Bosque de Goya”, em

A globalização já chegou ao gigante asiático e, segundo Li, a mentalidade da China contemporânea está também a ser afectada pelo desejo de mostrar estatuto e riqueza. “A China está a mudar e não sei bem como vai estar daqui a 20 ou 30 anos. Estará certamente diferente, mas não sei até que ponto. A disparidade entre ricos e pobres é o maior problema que existe de momento na China. O governo terá de trabalhar para haver um maior equilíbrio na distribuição da riqueza. Se tiver sucesso nesse aspecto as pessoas terão outras coisas em que pensar que não em ganhar dinheiro e ser ricas.” Para o curador da expo-

sição, Chang Tsong-zung, professor convidado da Academia de Artes da China de Hangzhou e director da Hanart TZ Gallery, o puzzle que Li Qing apresenta é reminiscente dos jogos de pintura que construíram inicialmente a sua reputação. O conjunto de obras desta mostra é uma montagem de puzzles visuais para distrair o espectador da narrativa da história que, frequentemente, transporta mensagens políticas actuais, diz Chang no catálogo da exposição. “É muito interessante para mim ver como um artista contemporâneo chinês aborda a realidade actual através da história da arte. No caso de Li Qing a abordagem é feita através da arte ocidental e é também muito interessante ver a forma como ele pega nos temas...mas se fosse crítico gostaria mais que ele o fizesse através da história da arte chinesa (risos).” Depois de Macau o consagrado artista plástico, de apenas 30 anos, seguirá para a Bienal de Xangai, tendo também a curto prazo outras exposições internacionais apontadas. “Entretecimento” pode ser visto Casa Garden até 26 de Agosto.


20

desporto

U Juventus volta a pensar em Bruno Alves

Clube italiano parece apostar em reforçar o eixo defensivo com um defesa português, depois de tanto se ter falado de Rolando. O “Tuttosport” avança com a informação de que Bruno Alves está de volta à mira da Juventus para reforçar o eixo defensivo. O emblema de Turim estará prestes a apresentar uma proposta ao Zenit pelo internacional português. Recorde-se que já no ano passado foi falada a possibilidade de o central trocar a Rússia por Itália. Rolando, do FC Porto, também foi apontado como um alvo da Juventus.

União de Leiria quer Estádio Municipal

A União Desportiva de Leiria, que vai disputar os campeonatos distritais de Leiria, pretende apoio da Câmara de Leiria para jogar no Estádio Municipal, construído para o Euro2004 e sem equipa residente há um ano. O presidente do clube, Mário Cruz, avançou à agência Lusa a pretensão de pedir ajuda à autarquia para que a nova equipa possa jogar no estádio, sem jogos de futebol regulares há um ano, desde que a SAD cortou relações com a Leirisport, que gere a infraestrutura. “O primeiro passo é encontrar um local para jogarmos. Vamos marcar uma reunião com a Câmara para debater essa questão. Mas se queremos aproximar o clube da população de Leiria, a equipa tem de jogar no Estádio Municipal. Era importante que a Câmara e a Leirisport não perdessem esta oportunidade de aproximar a equipa à cidade”, afirma o dirigente.

Rafael Nadal é o portaestandarte de Espanha

O tenista Rafael Nadal será o atleta responsável por transportar a bandeira espanhola na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos, agendada para 27 de Julho. A Cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos londrinos vai decorrer no Estádio Olímpico, localizado em Marshgate Lane. Rafa Nadal é entre os atletas espanhóis que irão participar nas olimpíadas aquele que melhor palmarés tem.

quinta-feira 21.6.2012

www.hojemacau.com.mo

M mês depois de sido decisivo na final da Liga dos Campeões - onde o Chelsea derrotou o Bayern de Munique nas grandes penalidades -, Didier Drogba confirma que assinou por dois anos pelo Shanghai Shenhua. O marfinense será o mais bem pago jogador da Superliga chinesa. O emblema chinês confirmou ontem a contratação e, no seu site, Drogba acrescentou que entrará formalmente na abertura de mercado do próximo mês. Não há dados oficiais acerca dos valores envolvidos, mas a imprensa chinesa, citada pela Associated Press, fala num vencimento de quase 120 milhões de patacas por ano. “Estudei todas as ofertas que recebi nas últimas semanas e sinto que ir para o Shanghai Shenhua é o melhor caminho para mim neste momento. Estou ansioso por este novo desafio, por descobrir uma nova cultura e estou

Didier Drogba no Shanghai Shenhua

Agora sim, a confirmação

muito entusiasmado da liga chinesa de futebol”, explica o jogador, num comunicado. O clube destaca a contratação no seu site e fala no mais importante jogador a juntar-se a uma equipa da Superliga e o

porta-voz do emblema alude à reacção entusiástica dos adeptos na internet. Antes destes nove anos no Chelsea, Drogba passou pelos franceses de Le Mans, Guingamp e Marselha.

Ciclista está em grande

Rui Costa nas Olimpíadas R

UI Costa, recente vencedor da Volta à Suíça, Manuel Cardoso e Nelson Oliveira foram esta quarta feira confirmados como os escolhidos pelo seleccionador José Poeira para a equipa de ciclismo de Portugal nos Jogos Olímpicos de Londres2012. Os três ciclistas vão disputar a prova de fundo (250 km), marcada para 28 de Julho, um dia depois do início oficial da prova, enquanto Nelson Oliveira participará também no contrarrelógio (44 km), a 1 de Agosto. “São todos corredores com experiência internacional, o que será fundamental numa competição como os Jogos Olímpicos”, começou por explicar José Poeira na cerimónia que serviu para apresentar os ciclistas para Londres 2012. Sobre Rui Costa, o seleccionador português considerou o atleta da Movistar “um todo-o-terreno”, que com a recente vitória na Volta a Suíça, uma das provas mais importantes do circuito mundial, “poderá

disputarem o campeonato -, 15 pontos abaixo do Guangzhou Evergrande, treinado por Marcello Lipp i e que terá tornado o argentino Dario Conca no terceiro jogador mais bem pago do mundo após a saída do Fluminense.

Empresário sobre James no United

“É um tema muito complexo...” S

ter uma palavra a dizer no caso de o pelotão se partir na parte mais dura da corrida olímpica”. “Manuel Cardoso é um velocista, com vitórias de etapa em corridas do WorldTour, que poderá ser uma mais-valia numa eventual chegada em pelotão”, realçou José Poeira sobre o ciclista da Caja Rural. Quanto a Nelson Oliveira, o seleccionador português considera o atleta da RadioSchak “um contrarrelogista em plena evolução, que abre perspectivas de um bom resultado na prova contra o tempo”. Bruno Pires (Saxo Bank) e Tiago Machado (RadioShack) são os dois ciclistas de prevenção.

Agora vai para um campeonato bem menos competitivo do que os vizinhos japonês ou sul-coreano, e onde têm abundado as notícias de corrupção. O Shanghai Shenhua está em 12º lugar - há 16 equipas a

ILVIO Sandri, empresário de James, mostrou-se muito enigmático quando confrontado, por O Jogo, sobre o renovado interesse do Manchester United em James. “Não há nada de novo... Esse é um assunto que está a ser analisado pelo FC Porto. Dentro de 10/15 dias vou a Portugal para conversar com os dirigentes do clube”, começou por explicar.

A primeira afirmação levou a várias perguntas, que tiveram sempre a mesma resposta. “Não posso falar muito sobre este assunto. É um tema muito complexo. Peço desculpa”. Esta posição de Silvio Sandri é bem diferente daquela que o empresário teve há cerca de um mês, quando confirmou o “interesse do Manchester United” em James.


quinta-feira 21.6.2012

[ ] Cinema

futilidades

www.hojemacau.com.mo

21

Cineteatro | PUB SALA 2

SADAKO [3D] [C]

FALADO EM JAPONÊS LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Tsutomu Hanabusa Com: Satomi Ishihara, Kôji Seto 14.30, 16.30, 19.30, 21.30 SALA 3

PROMETHEUS [3D] [C] THE RAVEN

Um filme de: Ridley Scott Com: Naoomi Rapace, Michael Fassbender, Logan 14.30, 16.45, 21.30

DIN TAO: LEADER OF THE PARADE [C]

SALA 1

THE RAVEN [C]

Um filme de: James McTeigue Com:John Cusack, Luke Evans, Alice Eve, Brendan Gleeson 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

Aqui há gato

FALADO EM MANDARIM LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Fai Teng Com: Alan Kuo, Hung-Sheng Huang, Crystal Lin 19.15

VERTICAIS: 1-Rossio. Tirar o miolo. 2-Imaginação. Leva a cabo. 3-101 (Rom.). Ligara. Unidade. 4-Pedra (Bras.) Grande quantidade. Letra grega correspondente ao X. 5-Não, nunca (Pop.). Funesto. lúgubre (Fig.). 6-Amarra, corda grossa. 7-Partidário do nazismo. Pátios. 8-Nota musical (pl.). Vigésima terceira letra do alfabeto grego. Avestruz. 9-No corrente ano (abrev. lat.). Arremessa. 499 (Rom.). 10-Raiz de urze, de que se faz carvão. Apresenta como bom. 11-Obstáculo (Fig.). Agastaras. Irritaras.

SOLUÇÕES DO PROBLEMA

Sudoku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: 1-Género de plantas euforbiáceas, cuja sememte dá um oleo purgativo e vermífugo (Bot.). Peças de vestuário. 2-Publica. Grandes pedaços de qualquer coisa. 3-Condição. Quadril (pl.). Réis (abrev.). 4-Senhora (Bras.). Está deitado, no solo ou no leito. Agosto (abrev.). 5- Pessoa que trata por iatralíptica. 6-Preposição e artigo (Contr.) Silício (s.q.). 7-Tirar a rabeira aos cerais. 8-Palhote de indígenas (Bras.). Três (Pref.).Vizinhança. 9-Entré nós. Julgai, acreditai. Autor (Suf.). 10-Depravação. Detesta, agoura. 11-Planta urticácea. Servidas.

[Tele]visão TDM 13:00 TDM News - Repetição 13:30 Jornal das 24h 14:30 RTPi DIRECTO 18:30 Montra do Lilau (Repetição) 19:00 Euro 2012: Portugal - Holanda (Repetição) 20:30 Telejornal 21:00 TDM Talk Show 21:30 Castle 22:15 Aquarela do Brasil 23:00 TDM News 23:35 Herman 2012 00:30 Reportagem Sic 00:55 Jogos Cruéis 02:15 Telejornal (Repetição) 02:45 Euro 2012: República Checa - Portugal (Directo) 04:45 RTPi DIRECTO INFORMAÇÃO TDM RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:30 Sal na Língua: Nampula 15:00 Prémios Cotec 2012 16:00 Bom Dia Portugal 17:00 O Elo Mais Fraco 18:00 Vingança 18:30 O Sagrado Timor Lorosae 19:20 Liberdade 21 20:00 Jornal Da Tarde 21:15 Portugal no Coração 30 - ESPN 12:30 15:30 18:30 19:30 20:00 20:30 21:00 22:00

US Open Championship 2012 3rd Round MLB Regular Season 2012 Atlanta Braves vs. New York Yankees (Delay) Baseball Tonight International 2012 (LIVE) Sportscenter Asia 2012 ABL 2012 Weekly H/L Spirit Of London X Games La Classix Sportscenter Asia 2012

22:30 23:00 23:30

ABL 2012 Weekly H/L Spirit Of London X Games La Classix

31 - STAR Sports 12:00 Wimbledon 2010 Best Of The Championships 15:00 ATP - AEGON International Last 16 18:00 Wimbledon Official Film 2009 19:00 Total Rugby 19:30 Inside Grand Prix 2012 20:00 2 Wheels 20:30 (LIVE) Score Tonight 2012 21:00 (LIVE) ATP - AEGON International Quarterfinals 40 - FOX Movies 12:30 Once Upon A Time 13:20 Anger Management 15:05 Shanghai Knights 17:00 The Legend Of Zorro 19:15 Homeland 20:15 Once Upon A Time 21:00 Drive Angry 22:45 Never Let Me Go 00:30 Once Upon A Time 41 - HBO 11:30 Scott Pilgrim Vs. The World 13:20 Fast Five 15:25 Arthur And The Revenge Of Maltazard 17:00 Raising Waylon 18:30 Bean 20:00 Back To The Future 22:00 Back To The Future Part Ii 23:50 Back To The Future Part Iii 42 - Cinemax 12:35 Surviving The Game 14:15 Paul 16:00 The Incredible Shrinking Man 17:30 Macarthur 19:35 Hollywood Buzz 20:10 Up In The Air 22:00 Seattle Superstorm 23:25 Spartacus: Gods Of The Arena

VERTICAIS: 1-RESSIO. OCAR. 2-IDEIA. CABA. 3-CI. ATARA. UM. 4-ITA. ROR. CSI. 5-NANJA. ATRO. 6-O. CALABRE. U. 7-NAZI. EIDOS. 8-FAS. PSI. EMA. 9-AC. ATIRA. ID. 10-TORGA. ABONA. 11-OSSO. IRARAS. HORIZONTAIS: 1-RICINO. FATO. 2-EDITA. NACOS. 3-SE. ANCAS. RS. 4-SIA. JAZ. AGO. 5-IATRALIPTA. 6-O. AO. A. SI. I. 7-ARRABEIRAR. 8-OCA. TRI. ABA. 9-CA. CREDE. OR. 10-ABUSO. OMINA. 11-RAMI. USADAS.

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA A ARTE DA VIAGEM • Paul Theroux

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição SOLUÇÃO DO PROBLEMA DO DIA ANTERIOR

Cinquenta anos de viagens celebrados por uma recolha de textos que formaram Paul Theroux enquanto leitor e enquanto viajante - um manual literário de viagem, um guia filosófico, uma antologia de grandes autores que viajaram, entre eles Theroux. “A Arte da Viagem” mostra toda a bagagem - espiritual ou física - que levaram e que trouxeram; os lugares por onde passaram, ou nunca passaram; os prazeres e os sofrimentos do viajante, os paradoxos da viagem, a solidão, o anonimato, o encontro com estranhos; a estrada enquanto vida; as cidades, os comboios, as paisagens; a aventura; e a tradição, a política e a pornografia na viagem; o tempo e o amor na viagem; e a viagem enquanto transformação. Neste extraordinário tributo encontramos, entre muitos, Vladimir Nabokov, Samuel Johnson, Evelyn Waugh, Mark Twain, Bruce Chatwin, Graham Greene, Isak Dineses, Anton Tchekov, Ernest Hemingway e o melhor de Paul Theroux.

ÁGAPE CUB • Padre Marcelo Rossi

Ágape é o amor incondicional, o amor generoso, o amor sem limites. Partindo desse conceito, o Padre Marcelo Rossi constrói uma obra bela e tocante. Uma pausa, um instante de paz no meio das turbulências diárias. “Ágape” é já o maior sucesso da edição brasileira, tendo vendido até ao momento mais de 7 milhões de exemplares. RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

A PREVISÃO QUE FALTOU As sugestões anunciadas ontem pela Associação de Turismo Ásia-Pacifico (PATA) sobre o sector do turismo em Macau fazem-nos reflectir sobre o caminho que tem sido percorrido até aqui. Quando ouvimos um grupo de peritos dizer que é preciso apostar ainda mais no património, ter itinerários a pensar nos turistas e desenvolver o espaço aéreo são reflectoras de um Governo que deixou o turismo andar ao sabor da maré. Mas mais grave é o pedido da PATA face à criação de estratégias a longo prazo, para os próximos 10 ou 20 anos. Tais planos não deveriam ter sido já criados? Questionado sobre o trabalho já realizado, João Costa Antunes, da Direcção dos Serviços de Turismo (DST), afirmou que quando começou a desenvolver o seu trabalho nesta área, não havia sequer aeroporto e que a Air Asia operava com cerca de seis aviões. É certo que hoje temos um aeroporto, mas é pequeno quando comparado com as grandes cidades a nível internacional. Mais do que o tamanho, este aeroporto não tem infra-estruturas e grandes lojas. Quanto ao monopólio da Air Macau, talvez seja tempo de começar a dar oportunidades a outras companhias, porque afinal de contas Macau é cada vez mais o centro da indústria do jogo, mas parece que não consegue acompanhar certos ritmos que não sejam os das slot machines. Temos Cheong U, secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, a dizer que estamos ainda numa “fase inicial” no que diz respeito a esta área. Fase inicial? Não passaram já 12 anos sobre o nascimento da RAEM e mais uns quantos sobre a liberalização do jogo, e ninguém foi capaz de prever o “boom”? Pior é que Cheong U disse depois que ia levar cerca de cinco anos a estudar as melhores formas de desenvolver o sector. Nem quero pensar se vem aí mais uma consulta pública... Mais do que trabalho governamental, que garanta percursos próprios, bons acessos ao centro histórico e uma coordenação dos transportes, é necessário olhar para a base do trabalho: as agências de turismo. A coordenação é muito bonita mas precisa de ter um suporte básico que é garantir que não há quaisquer burlas a turistas vindos do continente. Além disso, há que garantir que estão a ser vendidos pacotes turísticos com conteúdo e que os guias turísticos têm todas as condições. A DST já veio dizer que está tudo bem, mas as queixas não param de chegar. Parece que é mais um assunto a pôr no tal plano a 10 anos...

Pu Yi


22

opinião

www.hojemacau.com.mo

quinta-feira 21.6.2012

Como ajudar a Birmânia Radek Sikorski * in Público

P

OR todo o Médio Oriente, e agora na Birmânia (Myanmar), ressurgiu uma das grandes questões da política global contemporânea: como podem os países evoluir de um autoritarismo decadente para uma qualquer forma de pluralismo auto-sustentado? Os ministros dos negócios estrangeiros em toda a parte, por sua vez, enfrentam questões políticas cruciais. Quando um país lança uma tal transição política, em que momento devem outros países ajudar, e qual a melhor maneira de fazê-lo? As transições felizes, parafraseando Tolstoi, são todas iguais; mas cada transição infeliz é infeliz à sua própria maneira. As transições felizes através de grande parte da Europa Central, a seguir ao fim da Guerra Fria, foram facilitadas pelo facto de que a velha ordem comunista mais ou menos morreu por si e renunciou pacificamente ao poder. Isto, juntamente com o apoio generoso da Europa Ocidental, dos Estados Unidos e de outros, ajudou a criar um ambiente conducente à reconciliação, permitindo a cada país enfrentar, de um modo comedido e não vingativo, as muitas e difíceis questões morais difíceis decorrentes do obscuro passado recente. Acima de tudo, talvez, estas transições tomaram lugar por entre uma mais ampla rede de instituições legítimas – a União Europeia, a OSCE, a OTAN e o Conselho da Europa – que defendem o estado de Direito. Este contexto propício forneceu um roteiro aos legisladores nacionais, ajudando-os a construir instituições democráticas e a marginalizar extremistas. No resto do mundo, as coisas não são tão fáceis. Regimes desacreditados podem agarrar-se de modo impiedoso e ruinoso ao poder, como na Síria. Ou podem criar todo o tipo de novos problemas ao abandonarem o poder, como na Líbia. Ou podem ter dificuldades para introduzir a responsabilização democrática enquanto mantêm a estabilidade, como no Egipto. Na Birmânia, vemos outro modelo – uma tentativa ousada, depois de décadas de governo militar, para avançar controlada mas determinadamente para uma nova e inclusiva forma de governo. Aqui existem semelhanças notáveis com o que aconteceu na Polónia quando terminou o comunismo. Uma elite militar favorece uma reforma faseada, mas quer proteger a sua posição e está determinada a evitar uma descida no caos. A oposição é liderada por um líder carismático com enorme apoio popular. E a elite governante abre um número de assentos parlamentares ao voto popular, apenas para se escandalizar com uma vitória

Regimes desacreditados podem agarrar-se de modo impiedoso e ruinoso ao poder, como na Síria. Ou podem criar todo o tipo de novos problemas ao abandonarem o poder, como na Líbia. Ou podem ter dificuldades para introduzir a responsabilização democrática enquanto mantêm a estabilidade, como no Egipto esmagadora da oposição. Além disso, como se verificou na Polónia, os líderes da oposição da Birmânia têm de manter um equilíbrio delicado: satisfazer os seus impacientes apoiantes (muitos dos quais sofreram duramente sob o antigo regime), e ao mesmo tempo oferecer aos que ainda estão no poder a perspectiva de um futuro meritório. Mas há diferenças importantes. A Birmânia tem uma dinâmica política interna muito própria, muito por causa das relações complexas entre as suas várias comunidades étnicas e linguísticas – clivagens

sociais que não constituíam problema na transição de uma Polónia amplamente homogénea. Além disso, ao contrário da Polónia quando o comunismo entrou em colapso, a Birmânia já tem poderosos magnatas que lucram com o sistema existente – e que pretendem manter e desenvolver os seus privilégios. Acima de tudo, não há um contexto institucional internacional imediato que encoraje a mudança estável e que estabeleça padrões e parâmetros de referência: a Birmânia deve encontrar o seu próprio caminho.

No início deste mês, visitei a Birmânia, onde me encontrei com o presidente Thein Sein e com a líder da oposição Aung San Suu Kyi, bem como com antigos prisioneiros políticos e muitos outros activistas. Voltei convencido que a Birmânia é um país em movimento – e movendo-se firmemente numa boa direcção. Todas as partes aceitam que este país grande e rico em recursos tem registado um desempenho abaixo do esperado por demasiado tempo. Também concordam que uma aproximação faseada, baseada na reconciliação, é preferível a uma luta aberta pelo poder, que poderia rapidamente tomar uma dimensão étnica calamitosa. Esse consenso permanecerá credível enquanto a reforma política continuar e o crescimento económico acelerar. Depois de um tão grande período de estagnação, o povo exige ver e sentir mudanças para melhor nas suas próprias vidas. Pelo nosso lado, devemos ser construtivos e criativos, em vez de prescritivos e picuinhas. Acima de tudo, devemos ser pacientes. A suspensão de sanções e a prontidão geral da UE em envolver-se construtivamente fazem sentido. A liderança da Birmânia deveria responder, libertando todos os restantes prisioneiros políticos e abrindo completamente o processo político. A UE também deveria garantir que a sua assistência ao desenvolvimento – e o modo como é implementada – melhora o pluralismo e a reconciliação, ao beneficiar todas as comunidades da Birmânia de modo justo e transparente. A Polónia está a fazer a sua contribuição directa, ajudando acima de tudo os decisores birmaneses de topo, os líderes da oposição, e os representantes do sector empresarial a compreender a “tecnologia da transição” – isto é, a sequência de reformas técnicas que ajudaram a fazer da Polónia uma das mais saudáveis economias da Europa de hoje. Os representantes do nosso sector empresarial viajaram comigo para apresentar projectos de investimento de grande escala. Talvez o aspecto mais encorajador da minha visita à Birmânia tenha sido a vontade de abertura e de aprender com outros países que encetaram a dolorosa transição da ditadura para a democracia. Um general perguntou-me, oficiosamente: “Como conseguiriam implementar tais mudanças políticas dramáticas sem derramar sangue?” Uma jovem mulher no nosso seminário sobre democracia disse aos jornalistas e conferencistas reunidos: “Pensávamos que a Birmânia era um exemplo isolado. Agora vemos que países longínquos tiveram experiências muito similares. Sentimo-nos menos sós – tudo correu bem convosco.” Dado esse espírito – e assistência externa apropriada – estou confiante que tudo também correrá bem com a Birmânia. * Ministro dos Negócios Estrangeiros da Polónia


quinta-feira 21.6.2012

opinião

www.hojemacau.com.mo

Carlos M. Cordeiro

23

da estrela

Transparência e integridade com algemas

P

AULO Morais foi vereador da Câmara Municipal do Porto. Dizem os seus amigos que fartou-se de ver tanta corrupção que abandonou o cargo. Actualmente é a pedra basilar da Associação Cívica Transparência e Integridade (TIAC), uma instituição que tem alertado e combatido as mais diversas formas de corrupção e de ilegalidades no comando da cousa pública e ficou célebre por ter afirmado que a Assembleia da República era o centro da corrupção em Portugal. Paulo Morais é adorado por uns e odiado por outros. O costume, quando o combate é sério e mexe com muitos interesses. Em especial quando as verbas em causa são avultadíssimas. Há quem afirme que a associação que dirige é a única que toca com o dedo nas feridas. Na área da justiça, por exemplo, a TIAC entende que falta independência e integridade à investigação criminal levada a cabo pelo Ministério Público (MP). Isto é muito grave se atendermos à ideia de que sempre se entendeu esta matéria como intocável. A associação de Paulo Morais analisou os principais pontos negros registados em Portugal e aponta o dedo a pressões exercidas sobre a investigação de casos de corrupção. A entidade, em relatório agora divulgado, questiona alguns procedimentos no MP, nomeadamente, a instauração de processos disciplinares a magistrados que investigaram crimes relacionados com políticos, banqueiros ou altas figuras da vida pública e empresarial. Um dos casos que surpreendeu pela negativa foram os processos disciplinares que atingiram os procuradores Paes Faria e Vítor Magalhães que tinham a seu cargo a investigação do caso Freeport, que envolveu o nome do ex-primeiro-ministro José Sócrates. A TIAC vai mais longe e propõe que o procurador-geral da República (PGR) passe a ser eleito pelo Parlamento, colocando em dúvida o método de nomeação do PGR que perde a sua isenção ao ser indicado pelo Governo em vigor. Mas será que Paulo Morais

Mas será que Paulo Morais tem andado a falar para o boneco? Também aqui as opiniões dividemse. Para certos comentadores a sua labuta tem resultado em benefícios para a sociedade enquanto outros contrariam a certeza adiantando que em Portugal apenas se encontram 17 pessoas presas por casos de corrupção. Há ainda quem ironize acrescentando que se os corruptos em Portugal fossem culpabilizados não existiam prisões que chegassem para os recolher tem andado a falar para o boneco? Também aqui as opiniões dividem-se. Para certos comentadores a sua labuta tem resultado em benefícios para a sociedade enquanto outros contrariam a certeza adiantando que em Portugal apenas se encontram 17 pessoas presas por casos de corrupção. Há ainda quem ironize acrescentando que se os corruptos em Portugal fossem culpabilizados não existiam prisões que chegassem para os recolher. No entanto, Paulo Morais não se cala. Recentemente escreveu um artigo na imprensa que deu muito que falar. O articulista-combatente anti-corrupção e docente universitário, a propósito do Dia 10 de Junho, de Portugal e das Comunidades Portuguesas, apelava ao Presidente da República que condecorasse Valentim Loureiro, Fátima Felgueiras, Isaltino Morais, Duarte Lima, Dias Loureiro, Vale e Azevedo, Oliveira e Costa e Armando Vara. Contudo, o dirigente da TIAC sugeriu a Cavaco Silva que as condecorações não fossem com medalhas, mas sim com algemas...

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editores Nuno G. Pereira; Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Cecilia Lin; Joana Freitas; José C. Mendes; Rita Marques Ramos Colaboradores António Falcão; António Graça de Abreu; Fernando Eloy; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Carlos M. Cordeiro; Correia Marques; Gonçalo Alvim; Helder Fernando; Jorge Rodrigues Simão; José Pereira Coutinho, Marinho de Bastos; Paul Chan Wai Chi; Pedro Correia; Peng Zhonglian; Vanessa Amaro Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


quinta-feira 21.6.2012

www.hojemacau.com.mo

c a r t o on por Steff

CIMEIRA G20 EM LOS CABOS

Julian Assange pediu asilo político

O fundador do Wikileaks, Julian Assange, pediu asilo político ao Equador, confirmaram fontes oficiais do país sul-americano. “O Equador está a analisar o pedido”, disse o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Ricardo Patino. O pedido de Assange surge porque enfrenta uma ordem de extradição para a Suécia, uma vez que é acusado de abusos sexuais. Na semana passada o Supremo Tribunal Britânico rejeitou um pedido para reavaliação do caso.

Itália e Espanha à beira de resgate

As economias de Itália e Espanha poderão estar na iminência de um mega-resgate. Segundo a imprensa britânica, a operação poderá envolver 7,5 biliões de patacas. O Daily Telegraph escreve que o resgate vai realizar-se através do Fundo Europeu de Estabilidade e do futuro Mecanismo Europeu de Estabilidade, que entra em vigor no próximo dia 1 de Julho. As verbas destes fundos serão utilizadas para comprar dívida de economias em dificuldades, como Espanha e Itália, e o acordo estabelecerá que o Mecanismo Europeu de Estabilidade vai assegurar 5 biliões de patacas e o Fundo Europeu de Estabilidade o restante.

Mubarak morreu ou não?

A agência AFP já confirmou a morte do antigo ditador Hosny Mubarak devido a um acidente vascular cerebral. Condenado a prisão perpétua há duas semanas, o antigo líder egípcio sofreu uma paragem cardíaca durante a tarde e foi reanimado, sem sucesso, com ajuda de um desfibrilhador. Imagens da SIC Notícias mostram manifestantes na Praça Tahrir, no Cairo, a festejar a morte de Mubarak. Entretanto, fontes militares disseram à Reuters que as notícias sobre a morte do exlíder egípcio são falsas e que está inconsciente mas a respirar.

Terramoto abala região do Douro

Um terramoto de magnitude 3.4 na escala de Richter abalou, no final da noite de anteontem, a região do Douro, em Portugal. O epicentro do abalo localizou-se a quatro quilómetros a noroeste da região transmontana de Freixo de Espada à Cinta. Ter-se-á ouvido um estrondo no local e alguns habitantes terão saído à rua, mas até ao momento não foram reportados danos ou vítimas. O abalo também foi sentido nos concelhos de Mogadouro, Torre de Moncorvo e Miranda do Douro.

Putin preocupado com o dólar americano

Tráfico humano no território

Washington vigia Macau A

falta de progressos no combate ao tráfico de seres humanos levou Washington a voltar a colocar Macau sob “vigilância”, indica o relatório anual do Departamento de Estado norte-americano, divulgado na terça-feira. “A RAEM não cumpre totalmente os padrões mínimos para a eliminação do tráfico, no entanto tem vindo a envidar esforços significativos. Apesar disso, as autoridades não demonstraram provas do aumento dos esforços no combate ao tráfico de seres humanos e, portanto, Macau é colocada no grupo 2 da lista de vigilância.” Uma lista da qual se tinha ‘libertado’ em 2008.

O documento publicado pelo Departamento de Hillary Clinton, que avalia o cumprimento dos padrões contra a “escravatura dos tempos modernos” em 186 países e territórios, critica o facto de o Governo não ter feito “qualquer progresso visível na acusação de infractores de tráfico sexual e de trabalho forçado” e a ausência de condenações no período em análise. Washington recomenda, por isso, um incremento da capacidade de acusação nos casos de tráfico humano, através do aumento de delegados do Ministério Público responsáveis por processos-crime, propondo que se destaque um delegado espe-

cificamente para o tratamento deste tipo de casos e advogando por mais esforços ao nível da investigação e acusação dos traficantes, dos perpetradores de trabalho forçado e da cumplicidade por parte das autoridades.

A QUESTÃO DOS IMIGRANTES

No relatório, o Departamento recomenda ainda ao Governo que acabe com a regulação que define que os trabalhadores não residentes despedidos por justa causa (ou que rescindem contrato) são obrigados a abandonar o território por seis meses, para obterem um novo visto de trabalho. “Permite que os imigrantes fiquem vulneráveis ao trabalho forçado.” A redução do número de investigações de tráfico humano reportadas pelas autoridades locais que não efectuaram quaisquer acusações ou condenações e o facto de o sistema judiciário “continuar mal preparado para responder ao tráfico, tendo apenas 11 magistrados do Ministério Público para lidar com os processos-crime” também motiva reparos.

O presidente russo afirmou ontem que gostaria que o G20 tivesse prestado mais atenção à questão da dívida norte-americana e não só ao euro. “Estou animado com a abordagem da Comissão Europeia, com quem raramente concordamos, e dos principais países da zona euro sobre como planeiam resolver os problemas que enfrentam”, disse Vladimir Putin, no final da cimeira do G20, no México. O chefe do Estado russo apenas criticou a falta de clareza sobre o futuro do dólar norte-americano. “Se mantivermos [metade das reservas] em dólares e títulos dos EUA, gostaríamos de saber o que vai acontecer com o dólar depois das presidenciais norte-americanas.” Dizendo que a dívida dos EUA ascende a “15 biliões de dólares”, Putin deixou questões no ar: “O que vai acontecer à principal moeda de reserva do mundo? Para o que é que nos devemos preparar?”

Implantes mamários PIP quase inofensivos

Um relatório de um grupo de investigadores britânicos indica que o gel de silicone colocado dentro das próteses PIP não é tóxico nem aumenta o risco de cancro da mama. Apesar disso, o documento revela que essas próteses têm entre 15% a 30% mais probabilidades de rotura num espaço de 10 anos, contra 10% a 14% das outras. As conclusões fazem parte de um relatório que, desta forma, deixa mais descansadas as 400 mil mulheres com implantes PIP. Os testes foram realizados em diferentes lotes de implantes da marca do Reino Unido, França e Austrália.

Hoje Macau 21 JUN 2012 #2636  

Edição do Hoje Macau de 21 de Junho de 2012 • Ano X • N.º 2636

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you