Issuu on Google+

PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

MOP$10

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • QUARTA-FEIRA 21 DE NOVEMBRO DE 2012 • ANO XII • Nº 2739

TEMPO PERÍODOS DE CHUVA MIN 20 MAX 23 HUMIDADE 80-95% • CÂMBIOS EURO 9.9 BAHT 0.2 YUAN 1.2

LAG

2013 FLORINDA CHAN

ONDE PÁRAM AS LEIS, SENHORA SECRETÁRIA? PÁGINAS 2 E 3

Paulina Alves dos Santos só pode ser exonerada pelo Chefe do Executivo

Nas mãos de Chui

Assim diz o Estatuto Privativo do IPIM no n.º 2 do artigo 12.º. Se a lei for para cumprir em Macau, apenas Chui Sai On pode dar a última ordem para a demissão de Paulina Alves dos Santos do cargo de consultora do IPIM. A macaense continua a acreditar que tudo não passa de perseguição política por causa da denúncia do Caso das Sepulturas, algo que o secretário para a Economia e Finanças, Francis Tam, refuta. PÁGINA 5

PUB

AUTOMOBILISMO

Hinos ainda são tema em Portugal PÁGINA 16

CRÉDITOS HIPOTECÁRIOS

Solução inviável para os jovens PÁGINA 7

TRABALHADORES NÃO-RESIDENTES

Deputados atentos a discriminações PÁGINA 4


2

LAG

quarta-feira 21.11.2012

2013

Florinda Chan acusada de gerir máquina administrativa “empolada” e “incompetente”

Secretária não apresentou leis para 2013 Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

L

EIS em atraso ou desactualizadas, pouca eficiência e tudo isto sem que sejam dadas explicações à população. Foram estas algumas das críticas lançadas ontem à secretária para a Administração e Justiça, naquele que foi o primeiro dia do debate sectorial sobre as políticas da tutela para 2013. Uma das críticas mais ouvidas por Florinda Chan foi o facto de este ano não ter sido apresentado qualquer plano legislativo para 2013. Como vem sendo hábito nas Linhas de Acção Governativa (LAG), a secretária enumera em lista quais as propostas de lei que vão ser entregues aos deputados ou, pelo menos, elaboradas. Este ano, isso não aconteceu, fazendo com que soasse um coro de críticas da parte dos membros do hemiciclo. “Perdeu toda a credibilidade. Não temos calendarização para nada em 2013”, atirou Au Kam San. O deputado da bancada democrata comparou mesmo a apresentação de um plano em 2010 a um bebé que Florinda Chan decidiu “dar à luz”, optando, no entanto, “por abortar” em 2013. A secretária assegura que não vai haver qualquer tipo de “aborto” quanto à elaboração ou entrega de propostas de lei e justifica o motivo que levou à decisão de não planear qualquer calendário para o próximo ano. “Cabe a cada um dos secretários definir os planos legislativos da sua área. Esperamos que até à próxima sessão legislativa todas as propostas de lei [em falta] possam ser aprovadas, daí não termos definido um plano. Mas não quer dizer que vamos parar.” A intenção da secretária é, portanto, continuar os trabalhos das leis que estão há muito atrasadas. É o caso da Lei do Planeamento Urbanístico, da Lei de Terras, da Lei de Combate ao Crime de Violência Doméstica, de Segurança Alimentar e do Regime de Propriedade Horizontal, que ainda não chegaram às mãos dos deputados, quando algumas delas já deviam ter sido entregues em 2011.

REGIME DE MÉRITO NA MIRA

As críticas face ao atraso da legislação já não são novas, mas ontem os deputados voltaram a mostrar o desagrado face a este problema. Paul Chan Wai Chi foi o primeiro a intervir e não foi nada brando com Florinda Chan. O deputado democrata acusou a

PROMESSAS NA ADMINISTRAÇÃO E JUSTIÇA PARA 2013 • Garantir eleições para a Assembleia Legislativa justas, imparciais e sem corrupção • Proceder a reformas na administração pública • Criar gestão centralizada dos funcionários públicos • Abrir concursos para admissão de técnicos-superiores • Promover a formação jurídica do pessoal da Administração • Constituir regime de avaliação de mérito do desempenho dos dirigentes • Separar as funções da área ambiental, desporto e cultura do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais para outros organismos • Reforçar a execução dos processos legislativos em falta • Dar início às obras do novo mercado abastecedor no primeiro semestre

secretária de não cumprir os calendários e pede que a dirigente assuma a irresponsabilidade. “A desactualização das leis tem que ver com a AL ou com a sua área, a Administração e Justiça? Senhora secretária, faça o favor de explicar”. Mak Soi Kun não teve mãos a medir nas críticas e acusou a Administração de ter códigos e leis desactualizadas e traduções de diplomas que “ os jurídicos nem entendem”. Este foi mais um dos deputados que apontou o dedo a Florinda Chan. “Não acredito que o Governo esteja a ser eficaz. O Governo entrega aos deputados propostas de lei com problemas, que depois quem tem que resolver é a AL.” Uma das promessas de Florinda Chan para o próximo ano é precisamente melhorar a redacção das leis, mas a secretária descarta que haja lentidão no processo legislativo, contabilizando na sessão de ontem todas as propostas entregues e aprovadas durante esta sessão legislativa. Os deputados, contudo, continuam a mostrar-se insatisfeitos com o trabalho na área da Administração e Justiça, salientando que a máquina tem demasiados funcionários e muita incompetência. Ng Kuok Cheong foi um deles. “Os chefes são incompetentes e contratam funcionários incompetentes, que depois precisam de mais pessoal, porque não conseguem fazer o seu trabalho. E, se mesmo assim não funcionar, criam-se mais serviços departamentais. Por isso é que a máquina tem demasiados trabalhadores.” Florinda Chan já tinha anunciado um regime de avaliação dos altos cargos, mas anuncia agora mais um, sem explicar, contudo, como vai funcionar. É o regime de avaliação de mérito das chefias, necessário para distinguir quem trabalha bem de quem não cumpre as metas. Serve também para seleccionar novas chefias, uma vez que Florinda Chan prevê que, durante os próximos dez anos dois mil funcionários deixem a função pública, tendo que ser substituídos. A secretária assegura que todos os que trabalham na Administração são necessários, devido ao aumento da população e do número de turistas. Este ano, são 28 mil as pessoas que compõem a máquina administrativa, fazendo com que 70,2% do orçamento seja alocado com despesas para funcionários públicos.


quarta-feira 21.11.2012

3

www.hojemacau.com.mo

Ordenados da função pública podem subir no próximo ano, mas não se sabe quanto

Proposta só está pronta em 2013

Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

A

INDA não se sabe quando nem qual será o valor, mas os trabalhadores da função pública deverão receber aumentos salariais no próximo ano. Na apresentação das Linhas de Acção Governativa (LAG) para 2013, da área da Administração e Justiça, Florinda Chan admitiu que a Comissão de Avaliação das Remunerações dos Trabalhadores

da Função Pública concorda com a necessidade de aumento, mas ainda falta a proposta que o define. “Aumento salarial deve haver, mas quanto ainda não está definido”, avançou a secretária da tutela. “Temos de recolher dados todos os meses, todo o ano e recolher mais até ao final de Dezembro, para fazermos um cálculo sobre a taxa média de inflação.” Mak Soi Kun e Ho Sio Kam foram dois dos deputados que interrogaram a secretária para a

Administração e Justiça sobre o assunto, naquele que foi o primeiro dia de debate sectorial na Assembleia Legislativa. Para Ho Sio Kam, os aumentos nos ordenados não são apenas uma forma de elevar a moral dos funcionários públicos, mas também um direito fixado por lei e que não se tem cumprido. “Os benefícios e regalias não foram actualizados nos últimos anos e, através de despacho, o Chefe do Executivo diz que se devem actualizar.”

Deputados criticam sobreposição de funções na administração pública

mentos tenham as mesmas funções e estas se acabem por confundir. “Não está bem definida a coordenação inter-departamental e o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais é um exemplo de sobreposição de funções”, atirou Lau Veng Seng. A questão foi motivo de intervenção de outros deputados, que se queixam que os organismos públicos não executam a lei por não saberem ao certo que departamento está incumbido dessa função. A secretária para a Administração e Justiça assumiu existirem problemas nesta área. “Em alguns serviços

públicos detectamos problemas de execução [das funções]. Não em termos de corrupção ou infracções administrativas, mas alguns dirigentes não conseguiram atingir os objectivos definidos.” Uma das promessas nas Linhas de Acção Governativa (LAG) do próximo ano é precisamente a reforma na administração. Apesar de não se saber exactamente como será feita essa reforma, está prevista a separação de funções nos organismos. O IACM é o exemplo mais flagrante deste problema, já que acumulou todas as funções das ex-câmaras municipais. - J.F.

As primeiras propostas da Comissão de Avaliação das Remunera-

Solução “para breve”

P

AUL Chan Wai Chi diz que é uma medida desumana, Kwan Tsui Hang assegura que vai contra a lei. A decisão do Executivo em retirar os subsídios de habitação aos funcionários públicos que habitem nas casas económicas foi ontem

GONÇALO LOBO PINHEIRO

LORINDA Chan admite que há problemas na execução das funções de alguns serviços público. Problemas que promete tentar resolver, especialmente porque para o próximo ano será criado um regime de mérito de desempenho para os dirigentes. A secretária para a Administração e Justiça teve ontem na Assembleia Legislativa (AL) naquele que foi o primeiro debate sectorial das políticas para o próximo ano. Florinda Chan foi duramente criticada pelos deputados devido à sobreposição de funções na função pública, que leva a que muitos departa-

OLHAR PARA HONG KONG

Governo promete analisar retiro de subsídios de habitação a funcionários públicos

Separar para vencer

F

Também Mak Soi Kun foi um dos que apontou o dedo à Administração por esta não ter a calendarização certa para a elaboração da proposta de aumento e também por não se saber ao certo se vão ou não haver essas subidas. “Se o pão de cada dia não resolve a fome, como é que estes funcionários vão trabalhar motivados?”

ções da Função Pública rondam os 6% a 6,8% de aumento, mas o Executivo ainda assume estar à espera que o grupo entregue a proposta final. Este ano, já houve problemas face aos aumentos destes trabalhadores, que viram o seu salário subir apenas em Maio e sem direito a retroactivos. Para já, Florinda Chan não pode dizer ao certo quanto mais vai subir o vencimento de quem trabalha na máquina administrativa, mas a secretária assegura que a comissão está a aprender com os melhores. “Tem ido a Hong Kong, porque eles têm um sistema de mecanismo maduro há mais de dez anos.” Ainda que a comissão “considere mesmo necessário um regime permanente” – a ideia é criar um sistema de actualização automática -, mas Florinda Chan assume que esta ainda é uma fase inicial e que há ainda muito a fazer. “Tem que se ter em conta muitos factores para que haja aumento salarial, como a inflação, a capacidade financeira do Governo, o salário médio no privado, o poder de compra e as exigências dos funcionários.” Os deputados não se mostraram muito satisfeitos com as respostas da secretária sobre o assunto, mas para já Florinda Chan apenas se pode comprometer “a entregar a proposta [de actualização automática] à AL, assim que ela for elaborada”.

motivo de criticas pela parte dos dois deputados. A lei prevê que os funcionários públicos recebam este apoio em todas as situações, excepto se viverem em casas do Governo ou recebam outro tipo de subsídio especial, como é o

caso do Governo. Kwan Tsui Hang recorda que, de acordo com o diploma da habitação pública, as habitações económicas não são propriedade do Governo, que tem apenas a função de as planear. “Não consigo perceber a interpretação que fizeram da lei para decidir retirar o subsídio aos funcionários que vivem neste tipo de casas”, acusou. Florinda Chan promete que a questão vai ser estudada e analisada e que “muito em breve” haverá conclusões. A secretária desculpa-se com o facto de que, na altura em que as excepções aos subsídios foram feitas não existia o conceito de habitação económica. - J.F.


4

política

quarta-feira 21.11.2012

www.hojemacau.com.mo

TNR Votação na especialidade da lei só deverá acontecer em 2013

Deputados temem discriminações

Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

D

ECORREU ontem mais uma sessão de análise na especialidade da revisão da lei de contratação dos Trabalhadores Não Residentes (TNR) em sede da 3ª Comissão Permanente da Assembleia Legislativa (AL). As principais alterações prendem-se com o facto dos TNR só poderem ver a sua autorização de permanência no território renovada caso venha a exercer “funções idênticas” às do anterior contrato de trabalho. Actualmente a lei prevê o chamado “período de impedimento” de seis meses, durante o qual o TNR não pode trabalhar depois da caducidade ou revogação da sua autorização de permanência. O facto dos não residentes só poderem continuar em Macau caso continuem a desempenhar as mesmas funções levou os deputados a questionarem-se sobre eventuais discriminações. “Será que esta proposta de lei contraria os princípios da lei vigente, onde se prevê que não deve ser dado um tratamento menos favorável aos TNR? Será que a restituição dos seis meses segundo

o exercício de funções idênticas vai contrariar esse principio? Neste caso pode ficar restringido em termos de mobilidade transversal. Os TNR já manifestaram as suas opiniões e preocupações.” O deputado Cheang Chi Keong, presidente da 3ª Comissão Permanente, garantiu que os esclarecimentos ao Executivo serão pedidos mais tarde, e que primeiro é fundamental pedir à assessoria jurídica “se está em causa algum tipo de discriminação ou incompatibilidade com as convenções internacionais. Esperamos que possamos aperfeiçoar o articulado da proposta de forma razoável.”

Exclusão dos necessitados Rita Marques Ramos

rita.ramos@hojemacau.com.mo

A

VOTAÇÃO NA ESPECIALIDADE SÓ EM 2013

Segundo o deputado, a actual proposta de lei visa corrigir “uma lacuna” e “violação dos deveres funcionais”. “Muitos dos TNR provocam um despedimento, mudando assim de emprego. É intenção legislativa do Governo evitar a provocação dos despedimentos e procurar outro tipo de trabalho. É uma situação existente hoje em dia e é por essa razão que nasce esta proposta de lei.”

Deputado defende alargamento da pensão de invalidez

Embora o presidente da AL, Lau Cheock Va, tenha estipulado um prazo até 7 de Dezembro para a conclusão da análise da proposta na especialidade, os prazos não deverão ser cumpridos. “Pedimos a prorrogação do prazo até ao dia 20 de Março de 2013”, garantiu Cheang Chi Keong.

pensão de invalidez é um dos apoios sociais atribuídos pelo Fundo de Segurança Social que, no entender do deputado Pereira Coutinho, não abrange um grupo de pessoas necessitadas por não preencherem todos os requisitos necessários. Nomeadamente, alguns menores e pessoas portadoras de deficiência. Em interpelação escrita ao Governo, Coutinho pede que se considere a cobertura desta pensão para este grupo de pessoas e deficientes mentais, evocando ainda a necessidade de serem abertas novas inscrições para habitações públicas para este último agregado. “Alguns deficientes são portadores de deficiência congénita ou detectaram a sua deficiência muito cedo(...) a degeneração do organismo, a redução de peso e diminuição

da capacidade motora” obriga “as pessoas com deficiência” a “desligar-se do trabalho antes de conseguirem obter o estatuto de beneficiários”, indica o tribuno. E exemplifica ainda com os deficientes mentais, um dos grupos mais frágeis, j�� que a degeneração é mais célere. “Segundo os encarregados de educação destes deficientes, os seus filhos nem sequer podem, eles próprios, solicitar apoio financeiro. No seio destas famílias aparecem situações de pais e filhos deficientes já velhos, que não têm capacidade para o trabalho e têm de enfrentar os elevados preços dos produtos de primeira necessidade”, aponta Pereira Coutinho, não esquecendo a necessidade de serem criadas candidaturas especiais para habitação pública, “a fim de se concretizar o alargamento do leque de benefícios a toda a população.”

PUB

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO PARA “Empreitada de Construção do Centro de Inspecções de Veículos em Cotai (2.ª Fase)” 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12.

13.

14.

15.

16.

Entidade que põe a obra a concurso: Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes. Modalidade de concurso: Concurso Público. Local de execução da obra: perto da Avenida do Aeroporto. Objecto da Empreitada: construção de Centro de Inspecções de Veículos em Cotai. Prazo máximo de execução: 450 dias ( quatrocentos e cinquenta dias). Prazo de validade das propostas: o prazo de validade das propostas é de noventa dias, a contar da data do Acto Público do Concurso, prorrogável, nos termos previstos no Programa de Concurso. Tipo de empreitada: a empreitada é por Série de Preços. Caução provisória: $5 000 000,00 (cinco milhões patacas), a prestar mediante depósito em dinheiro, garantia bancária ou segurocaução aprovado nos termos legais. Caução definitiva: 5% do preço total da adjudicação (das importâncias que o empreiteiro tiver a receber, em cada um dos pagamentos parciais são deduzidos 5% para garantia do contrato, para reforço da caução definitiva a prestar). Preço Base: não há. Condições de Admissão: Serão admitidos como concorrentes as entidades inscritas na DSSOPT para execução de obras, bem como as que à data do concurso, tenham requerido a sua inscrição, neste último caso a admissão é condicionada ao deferimento do pedido de inscrição. Local, dia e hora limite para entrega das propostas: Local: Secção de Atendimento e Expediente Geral da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, R/C, Macau; Dia e hora limite: dia 27 de Dezembro de 2012 (Quinta-feira), até às 12:00 horas. Em caso de encerramento desta Direcção de Serviços na hora limite para a entrega de propostas acima mencionada por motivos de tufão ou de força maior, a data e a hora limites estabelecidas para a entrega de propostas serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. Local, dia e hora do acto público: Local: Sala de reunião da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, 5º andar, Macau; Dia e hora: dia 28 de Dezembro de 2012 (Sexta-feira), pelas 9:30 horas. Em caso de adiamento da data limite para a entrega de propostas mencionada de acordo com o número 12 ou em caso de encerramento desta Direcção de Serviços na hora estabelecida para o acto público de abertura das propostas acima mencionada por motivos de tufão ou de força maior, a data e a hora estabelecidas para o acto público de abertura das propostas serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. Os concorrentes ou seus representantes deverão estar presentes ao acto público de abertura de propostas para os efeitos previstos no artigo 80º do Decreto-Lei n.º74/99/M, e para esclarecer as eventuais dúvidas relativas aos documentos apresentados no concurso. Local, hora e preço para obtenção da cópia e exame do processo: Local: Departamento de Edificações Públicas da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, 17º andar, Macau; Hora: horário de expediente (Das 9:00 às 12:45 horas e das 14:30 às 17:00 horas) Na Secção de Contabilidade da DSSOPT, poderão ser solicitadas cópias do processo de concurso ao preço de $2 200,00 (dois mil e duzentas patacas). Critérios de apreciação de propostas e respectivos factores de ponderação: - Preço razoável 60%; - Plano de trabalhos 10%; - Experiência e qualidade em obras 18%; - Integridade e honestidade 12%. Junção de esclarecimentos: Os concorrentes poderão comparecer no Departamento de Edificações Públicas da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, 17º andar, Macau, a partir de 3 de Dezembro de 2012 (inclusivé) e até à data limite para a entrega das propostas, para tomar conhecimento de eventuais esclarecimentos adicionais. Macau, aos 14 de Novembro de 2012.

O Director dos Serviços Jaime Roberto Carion


quarta-feira 21.11.2012

sociedade

www.hojemacau.com.mo

5

Gonçalo Lobo Pinheiro glp@hojemacau.com.mo

C

ONFORME já havia adiantado na edição do passado dia 13: Paulina Alves dos Santos só pode ser demitida do cargo de consultora do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento (IPIM) após o ok do Chefe do Executivo, Fernando Chui Sai On. Quem o diz é o n.º 2 do artigo 12.º do Estatuto Privativo do Pessoal IPIM. “Em casos pontuais e a título excepcional a Comissão Executiva [do IPIM], obtida autorização do Governador [leia-se, hoje, Chefe do Executivo], pode celebrar contratos individuais de trabalho com consultores de reconhecida experiência e mérito, com retribuição diferente da constante da tabela de vencimentos aprovada”, pode ler-se no Estatuto. Paulina Alves dos Santos foi avisada pelo IPIM, no passado dia 14, de que as suas funções como consultora estavam cessadas – em carta n.º 16066/DAF/2012 -, ou seja, “decidiu resolver o meu contrato individual de trabalho a partir de 1 de Abril de 2013, com 137 dias de antecedência”, pode ler-se na missiva escrita, a 19 de Novembro, por Paulina Alves dos Santos e dirigida ao presidente do Conselho de Administração do IPIM, Cheong Chou Weng, a que o Hoje Macau teve acesso, e também foi enviada com conhecimento do Gabinete do Chefe do Executivo. “A deliberação de resolução do meu contrato individual de trabalho só será válida após obtida autorização (não delegável) do Chefe do Executivo”, afirmou Paulina. Paulina Alves dos Santos foi, em Setembro, exonerada pelo Executivo de presidentes do Conselho de Administração da Sociedade para o Desenvolvimento dos Parques Industriais de Macau (SDPIM). Aliás, o deputado Au Kam San, na altura, deixou antever que as demissões estariam ligadas a “perseguição política relacionada com o Caso das Campas” [ver caixa]. “Correm rumores de que a resolução do meu contrato constitui uma punição pelo facto de ser denunciante ao Ministério Público no chamado Caso das Dez

Estatuto Privativo do Pessoal do IPIM não deixa dúvidas

Paulina só pode ser resolvida por Chui Sai On Foi quem denunciou o Caso das Sepulturas e, agora, diz-se “vítima de perseguição política” porque um dia quis uma campa para o seu irmão. Paulina Alves dos Santos, contudo e de acordo com Estatuto Privativo do Pessoal do IPIM, só pode ser exonerada pelo próprio Chefe do Executivo. Francis Tam nega perseguição política e diz que a exoneração foi decisão sua. Novela prossegue Sepulturas (...) porém em tal dificilmente posso acreditar”, refere Paulina na carta dirigida ao IPIM. Aliás, Paulina refere mesmo que a decisão do IPIM é “nula por carecer de forma legal”. “É uma nulidade que não produz quaisquer efeitos jurídicos nos termos do n.º 1

do artigo 123.º do CPA [Código do Procedimento Administrativo].” Contactada pelo Hoje Macau, Paulina Alves dos Santos não se alongou nos comentários. “Não quero alimentar polémicas onde não existem. Falei o que tinha a falar hoje [ontem] de manhã ao

Au Kam San acusou Governo de “limpeza” Au Kam San, deputado à Assembleia Legislativa (AL), acusou o Executivo de estar a fazer uma “operação” para desviar a atenção dos intervenientes no caso das dez sepulturas perpétuas do Cemitério de São Miguel Arcanjo. “Toda a gente sabe que foi a dirigente daquela sociedade [Paulina Alves dos Santos, enquanto presidente do Conselho de Administração da SDPIM] que denunciou o caso, por isso suspeitase de que a sua substituição

repentina esteja associada ao caso dessas sepulturas”, escreveu o democrata numa interpelação escrita ao Governo, no passado dia 12 de Novembro. O deputado teceu também algumas considerações sobre o caso no jornal Son Pou, no passado dia 16. Paulina Alves dos Santos redigiu um comentário, entregue no jornal Son Pou, no passado dia 18 ao artigo publicado. “Em Março de 2010, a secretária Florinda Chan viu

todos os documentos incluindo os formulários de inscrição, muitos deles sem quaisquer assinaturas, o que significa que não eram válidos, contudo aprovados. Em Agosto de 2010, a mesma secretária fez uma comunicado oficial com dez pontos concluído que os procedimentos de recepção dos pedidos foram legais, contudo, a meu ver, foram ilegais. Tudo não passa de manobras de abuso de poder, mentiras à população e falsas declarações.”

canal de rádio chinesa e a carta que dirigi ao IPIM fala por si.”

FRANCIS TAM REFUTA PERSEGUIÇÃO POLÍTICA

O secretário para a Economia e Finanças, Francis Tam, à margem da apresentação do “Portal de Con-

venções e Exposições de Macau”, referiu que não existe qualquer tipo de perseguição política ou vingança até porque “se o Governo quisesse fazer retaliação ou punição, não seria com tantos anos de atraso”. “Trata-se simplesmente de uma mudança no trabalho e ela é uma funcionária pública reformada.” Quanto à exoneração do cargo de administradora da Sociedade para o Desenvolvimento dos Parques Industriais de Macau (SDPIM), Francis Tam explicou: “Os Parques desenvolveram-se muito e precisamos de alguém com mais capacidades, por isso demos a Lo Loi Weng a responsabilidade de a substituir, porque acreditamos na sua experiência. Quero deixar claro que a exoneração é da minha responsabilidade e não do Chefe do Executivo.”

INDIGITADA POR EDMUND HO

Paulina Alves dos Santos foi convidada pelo ex-Chefe do Executivo, Edmund Ho, para pertencer à antiga Sociedade para os Parques Industriais da Concórdia (SPIC) – mais tarde SDPIM, e foi igualmente indigitada consultora permanente do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento (IPIM) – cargo apenas dado pelo Chefe do Executivo a pessoas com mérito e experiência e de acordo com o documento oficial e confidencial do Estatuto Privativo do Pessoal do IPIM, no seu artigo 12º, n.º 2. A bola está, de acordo com Paulina Alves dos Santos, do lado do IPIM e do Chefe do Executivo. “Tem o IPIM tempo mais do que suficiente para suprir esta deficiência se a decisão de resolução do contrato é mesmo do Chefe do Executivo”, algo que não constava da carta recebida por Paulina no passado dia 14.


6

sociedade

quarta-feira 21.11.2012

www.hojemacau.com.mo

Sítio online é nova aposta do Governo para revitalizar as indústrias MICE

Olá mundo virtual Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

O

Executivo tem vindo a anunciar subsídios avultados para aquela que acredita ser a grande aposta na diversificação da economia - a indústria de exposições e convenções (MICE, na sigla inglesa). Ontem o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento (IPIM) de Macau divulgou mais uma plataforma - www. mice.gov.mo - que pretende ajudar a promover estes even-

tos locais e estrangeiros com cunho de Macau, optando por uma maior divulgação dos mesmos. “Esperamos que o novo portal vá permitir, por um lado, a melhor divulgação das vantagens, actividades e instalações do sector de convenções e exposições de Macau (...), por outro lado, poderá disponibilizar várias facilidades na pesquisa de informações, de modo a atrair os visitantes profissionais, empresários e turistas para a participação em conferências e feiras em Macau”, diz Jackson Chang, presidente

do IPIM, na apresentação do “Portal de Convenções e Exposições de Macau”. O secretário-geral da Comissão para o Desenvolvimento de Convenções e Exposições (CDCE) e também director dos Serviços de Economia, Sou Tim Peng, já tinha anunciado em Outubro deste ano novos tipos de subsídios, nomeadamente para o marketing da indústria, que serão financiados pelo Governo até um máximo de 15%, entrando em vigor até ao princípio do próximo ano. A nova medida pode ser vista

agora como mais uma porta de divulgação do sector das MICE em Macau até porque se tem registado um decréscimo no número de actividades até ao momento (menos 10% no segundo trimestre face ao homólogo do ano transacto). No entanto, o Governo continua a solidificar o seu “plano de encorajamento” (27 milhões este ano para 36 projectos aprovados), que

também consta do novo portal online, mas Jackson Chang prefere realçar os números de participantes neste ano comparativamente a 2011. “No primeiro semestre de 2012 foram realizadas 505 convenções e feiras em Macau, durante as quais o número agregado de entradas excedeu 290 mil, correspondente a um crescimento de 17% em relação ao ano anterior.

Além de destacar os eventos com lugar em Macau este ano, nomeadamente a 3.ª Exposição da Indústria de Restauração da China ou a 17.ª Feira Internacional de Macau (MIF), o presidente do IPIM preferiu destacar outras actividades de promoção temática no continente e no estrangeiro por operadores locais. “As referidas conferências e feiras, para além de promoverem e aperfeiçoarem a imagem global de Macau e ajudarem as Pequenas e Médias Empresas locais na procura de oportunidades de negócio e na expansão empresarial, destacaram-se em juntar esforços e a sabedoria do sector industrial de convenções e exposições em Macau”, realça, garantindo que sendo “apenas um website” não foi “despendido muito dinheiro” no mesmo.

Residente entregou carta ao MP contra alegadas ameaças

“O mecanismo da justiça já não me protege” Cecília Lin

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

D

IANA Teresa Lobo, uma residente local, entregou esta segunda-feira uma carta junto do Ministério Público (MP) contra alegadas ameaças que tem vindo a sofrer por parte de organizações ligadas à máfia e até agentes da polícia. Tudo terá começado em 2003, depois de um acidente de aviação onde Diana assume ter dado falsas declarações para assumir a responsabilidade do mesmo, para proteger um amigo, de apelido Kuong. O pai de Kuong será uma figura influente e foi guarda prisional, tendo-se reformado depois do acidente. Diana Teresa Lobo afirma

que ajudou o amigo porque o pai de Kuong confirmou que não iria haver rastos na polícia e posteriores problemas. Contudo, “foi tudo mentira”, aponta a autora da petição. “Depois do caso vi-me envolvida em diversos casos ligados ao senhor

Kuong, tive de pagar os custos do acidente e já apresentei declaração de falência. Além disso, eu alterei depois os meus depoimentos junto do MP, fui ameaçada pela máfia e alguns funcionários da Policia Judiciária (PJ). Tudo porque no final

eu já tinha testemunhado em como Kuong era o condutor do veículo envolvido no acidente”. Diana Teresa Lobo contou ainda à imprensa que durante cinco anos não conseguiu encontrar nenhum emprego, sofreu dois abortos e teve de procurar ajuda psiquiátrica. Esta assume que durante anos teve de entrar em casa escoltada por agentes, por forma a garantir a sua segurança. As ligações à máfia surgem alegadamente por intermédio do pai de Kuong, apontado como tendo um cargo sénior na PJ e acusado por Diana Lobo de ter mantido ligações à máfia no período em que trabalhava no Governo. “Já consultei Edmund Ho, antigo Chefe do Executivo, o actual, Chui Sai

On, o MP e o Comissariado contra a Corrupção (CCAC), mas ninguém me respondeu sobre o seguimento do processo. Como o suspeito é alguém especial, com ligações ao Governo e à máfia, sinto que o actual mecanismo da justiça já não funciona e não me dá protecção, e queria que as ameaças parassem de imediato”. Diana Teresa Lobo aponta que em Outubro último sofreu ameaças no momento em que se preparava para ir a tribunal apresentar falência. “Disseram para ter cuidado com as minhas declarações. Já apontei os nomes das pessoas que me fizeram essas ameaças, mas não sei quais as confissões que estão nos documentos do Governo”.

PUB

AVISO CONCURSO PÚBLICO N.º 31/P/2012

Faz-se público que, por despacho do Exmo. Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 01 de Novembro 2012, se encontra aberto o Concurso Público para “Fornecimento De Seis Desfibrilhadores Portáteis aos Serviços De Saúde”, cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos se encontram à disposição dos interessados desde o dia 21 de Novembro de 2012, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato, sita na Cave 1 do Centro Hospitalar Conde de S. Januário, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de $33,00 (trinta e três patacas), a título de custo das respectivas fotocópias ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet no website dos S.S. (www.ssm.gov.mo). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São

Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 26 de Dezembro de 2012. O acto público deste concurso terá lugar no dia 27 de Dezembro de 2012, pelas 10,00 horas, na sala do “Museu” situada no r/c do Edifício da Administração dos Serviços de Saúde junto ao C.H.C.S.J. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de $ 30 000,00 (trinta mil patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 13 de Novembro de 2012. O Director dos Serviços, Lei Chin Ion

AVISO CONCURSO PÚBLICO N.º 32/P/2012

Faz-se público que, por despacho do Exmo. Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 07 de Novembro 2012, se encontra aberto o Concurso Público para “Fornecimento e Instalação do Sistema e Rede de Informação para os Serviços de Saúde”, cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos se encontram à disposição dos interessados desde o dia 21 de Novembro de 2012, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato, sita na Cave 1 do Centro Hospitalar Conde de S. Januário, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de $30,00 (trinta patacas), a título de custo das respectivas fotocópias ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet no website dos S.S. (www.ssm.gov.mo). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São

Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 11 de Dezembro de 2012. O acto público deste concurso terá lugar no dia 12 de Dezembro de 2012, pelas 9,30 horas, na sala de “Reunião” situada no 4.º andar do Edifício da Administração dos Serviços de Saúde junto ao C.H.C.S.J. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de $ 130 000,00 (cento e trinta mil patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 15 de Novembro de 2012. O Director dos Serviços, Subst.º Chan Wai Sin


quarta-feira 21.11.2012

sociedade

www.hojemacau.com.mo

7

Atribuição facilitada de créditos para habitação não é solução viável para os jovens

Hipotecas é que não, defende especialista Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

E

SPECIALISTAem estrutura de mercado e inovação financeira, William Cheung, acredita que aguardar por mais oferta de habitações nos novos aterros - que se esperam prontos em, pelo menos, quatro anos - será a melhor solução para jovens adultos interessados em comprar casa, concordando com as respostas dadas pelo Chefe do Executivo. Isto porque, abraçar riscos - “tanto financeiros como não-financeiros (insolvência, encerramento e por aí fora)” - ao comprar uma casa, ainda que “com eventuais facilidades em adquirir um crédito hipotecário mais

As associações de jovens locais estão descontentes com as novas políticas de habitação, apresentadas pelo Governo para o próximo ano, e dizem ter cada vez mais dificuldades em obter empréstimos bancários. No entanto, William Cheung, especialista em finanças, não acredita na aquisição de créditos hipotecários de uma forma mais facilitada como solução para enfrentarem os altos preços do mercado imobiliário baixo” não é sinónimo de um bom incentivo, diz Cheung, até porque é preciso ter atenção à ‘crise do subprime’ de 2007, ou seja, a quebra de instituições financeiras nos Estados Unidos devido à concessão de créditos hipotecários de alto risco. As associações juvenis locais - a Associação de Nova Identidade Chinesa de Macau, “Macau Tri-Decade

Action Union” e Macau Youth Dynamics - criticaram na semana passada as medidas endereçadas pelo Chefe do Executivo, sobre política da habitação, que dizem deixá-los numa “situação desamparada” e “sem confiança”. Entre as suas reivindicações, constam as dificuldades da sua geração em ter capacidade financeira para comprar as suas habitações, já que vêm nestas

políticas uma barreira maior em obter créditos hipotecários. Em seu entender, um recém-licenciado tem agora de trabalhar entre 10 a 20 anos para poder fazer um pagamento inicial de um apartamento. Mas William Cheung, académico na Faculdade de Administração de Empresas da Universidade de Macau, não tem dúvidas. “Esperar

Reolian reage ao caso de agressão entre motorista e dois passageiros

“Condutor violou políticas da empresa” Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

Cecília Lin

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

D

EPOIS da cena de violência ocorrida na passada quinta-feira, dia 15, envolvendo um motorista da Reolian e dois passageiros, a empresa reage ao ocorrido afirmando que “comportamentos violentos não são aceites”. “A Reolian presta a máxima atenção ao incidente e pede desculpa às partes afectadas. A investigação começou logo após o ocorrido e ficou provado que o comportamento do motorista violou as políticas da empresa. A Reolian suspendeu o motorista para mais investigações”, pode ler-se no comunicado enviado às redacções. “A

Reolian compreende a pressão que existe nos motoristas e passageiros, mas acredita que ambas as partes poderiam ter agido com respeito mútuo”, acrescenta ainda. Para o futuro, fica a promessa de “reforço das formações e linhas de orientação para os motoristas nos serviços junto dos clientes”, bem como “apoio na pressão do trabalho”. O relógio marcava as 8h30 de quinta-feira quando o condutor agrediu dois passageiros. Tudo terá sido originado por uma pergunta de um passageiro, que questionou se o autocarro 3A se dirigia para as Portas do Cerco. Segundo a imprensa de língua chinesa, o individuo terá colocado duas vezes a mesma questão, tendo sido ignorado pelo motorista.Até que

este respondeu “não vê o número da rota?”. A discussão começou, à qual se terá juntado o segundo passageiro, criticando a atitude do motorista. Quando o autocarro chegou à fronteira, as agressões começaram.

DSAT TAMBÉM REAGIU

O motorista terá sido preso de imediato para prestar declarações, já tendo sido posto em liberdade. Entretanto, a Direcção dos Serviços para osAssuntos de Tráfego (DSAT) já veio afirmar que “condena” a atitude de violência e que irá proceder à análise do caso. “Enquanto responsável pelo serviço de autocarros, o Governo não vai tolerar quaisquer actos de violência”, reiterando que vai continuar a fazer o trabalho de vários de supervisão quanto ao

número de viagens de autocarro, a segurança na condução, o nível de satisfação dos passageiros, por forma a “melhorar gradualmente os serviços de autocarros de Macau”.

quatro anos é pouco comparado com uma hipoteca de 20 anos”, defende. O especialista em finanças acredita que neste momento todos os cidadãos devem ser “pacientes, planear o futuro e preparar-se para o mercado volátil”. “Devem saber se podem assumir o risco de comprar uma casa. É como um investimento com uma relação diferente de risco e retorno”, evidencia William Cheung. Para já, evidencia, os jovens têm à sua disposição uma gama de apoios que não deve ser escamoteada. “Habitações públicas, subsídios do governo, um mercado de arrendamento activo. No entanto, subsidiá-los com custos baixos, empréstimos para estudantes, nomeadamente, no pagamento inicial, poderia ser útil”, garante.

Maria João Bonifácio é a nova cara da AICEP A delegação em Macau da AICEP - Agência para Investimento e Comércio Externo de Portugal já tem nova responsável. Anterior delegada da Associação Empresarial de Portugal (AEP) em Macau na década de 90, Maria João Bonifácio volta agora ao território para assumir a liderança da AICEP no início do próximo ano, segundo apurou a Rádio Macau. A nova delegada é quadro da AICEP há quase 30 anos e vem agora substituir Mariana Oom, responsável pelos destinos da Agência no território nos últimos dois anos, que no fim deste ano regressa a Portugal. Maria João Bonifácio está actualmente colocada na sede da AICEP em Lisboa, mas já passou por muitas paragens no exterior. Foi a principal responsável nas sedes em Washington, Nova Iorque e Toronto, tendo cumprido a última internacionalização na delegação americana de São Francisco.

PUB

AVISO CONCURSO PÚBLICO N.º 33/P/2012

Faz-se público que, por despacho de Sua Excelência, o Chefe do Executivo, de 07 de Novembro 2012, se encontra aberto o Concurso Público para “Fornecimento de Material de Consumo Clínico aos Serviços de Saúde”, cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos se encontram à disposição dos interessados desde o dia 21 de Novembro de 2012, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato, sita na Cave 1 do Centro Hospitalar Conde de S. Januário, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de $72,00 (setenta e duas patacas), a título de custo das respectivas fotocópias ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet no website dos S.S. (www.ssm.gov.mo). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São

Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 26 de Dezembro de 2012. O acto público deste concurso terá lugar no dia 27 e Dezembro de 2012, pelas 15,00 horas, na sala de “Museu” situada no r/c andar do Edifício da Administração dos Serviços de Saúde junto ao C.H.C.S.J. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de $ 100 000,00 (cem mil patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 15 de Novembro de 2012. O Director dos Serviços, Subst.º Chan Wai Sin

Anúncio

Informa-se que, nos termos definidos no n.º 2 do artigo 19.º do Regulamento Administrativo n.º 23/2011, será afixada, a partir da data da publicação do presente anúncio, no quadro de anúncio do Centro de Atendimento e Informação do EPM, sito na Avenida da Praia Grande, China Plaza, 8.º andar “A”, Macau e no Website deste Estabelecimento Prisional www.epm.gov.mo, a lista definitiva do concurso comum, de ingresso externo, de prestação de provas, para o preenchimento, em regime de contrato além do quadro, de duas vagas na categoria de médico geral, 1.º escalão (área de medicina geral), da carreira médica do Estabelecimento Prisional de Macau, aberto por aviso publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial Macau n.º 21, II Série, de 23 de Maio de 2012.. Estabelecimento Prisional de Macau, aos 9 de Novembro de 2012.

Presidente do Júri Ho Sio Mei


8

nacional

quarta-feira 21.11.2012

Compra da EDP “ajuda” a novo recorde de investimentos chineses na Europa

Números começam a inverter

A

compra de 21,35% da EDP por parte da China Three Gorges contribuiu para que, pela primeira vez, a China investisse mais na Europa do que os europeus na China, revela um estudo publicado esta segunda-feira pela consultora PwC. O documento refere que, pela primeira vez, o montante de investimentos chineses na Europa ultrapassou os cerca de 110 mil milhões de patacas contra os cerca de 70 mil milhões de patacas que as empresas europeias investiram na China. O estudo revela também que, já no primeiro semestre deste ano, aconteceu uma “tendência inversa” no número de negócios, pois as empresas chinesas fizeram 32 investimentos na Europa, contra 26 operações na China por empresas europeias. De acordo com a consultora PwC, o valor pago pela China Three Gorges à EDP em 2011 foi dos maiores negócios dos chineses em território europeu.

A França, segundo o estudo, é o primeiro investidor europeu na China e o terceiro maior beneficiário de investidores chineses, atrás da Alemanha e do Reino Unido. Os chineses consideram que

“a incerteza na zona do euro está a aumentar as possibilidades de compra de empresas europeias em dificuldades e anteriormente inacessíveis”, afirmou à AFP Helen Rives, responsável pela China na PwC.

O fundo soberano chinês CIC, criado em 2007, recebeu mais de 3 biliões de patacas em reservas para investir no exterior. O fundo comprou 7% do operador de satélites Eutelsat

Communications por cerca de 3,8 mil milhões de patacas e adquiriu 8,68% da empresa de águas britânica Thames por uma quantia não revelada. No mês passado, o grupo espanhol Ferrovial anunciou um acordo com uma subsidiária da CIC para vender 5,72% do FGP Topco, a empresa que gere o aeroporto inglês de Heathrow, por cerca de 3,2 mil milhões de patacas. Segundo a PwC, os fundos chineses procuram a “diversificação financeira” e “acesso a recursos”, enquanto as empresas da China “querem, designadamente, adquirir tecnologias chave para que as possam utilizar no seu país e no exterior”. O grupo chinês de máquinas para construção Sany comprou este ano o fornecedor alemão de construção de máquinas Putzmeister por cerca de 5 mil milhões de patacas e antes fez uma aliança com os fabricantes de gruas austríaco Palfinger. Em relação às empresas europeias, o Ministério do Comércio da China informou no mês passado que o investimento directo estrangeiro (IDE) dos 27 países da União Europeia caiu 6,3% nos primeiros nove meses de 2012, comparado com o mesmo período de 2011.

Navios patrulha chineses entram em águas territoriais de ilhas disputadas com Japão

A luta continua

Q

China encontra a Europa

De 28 a 30 Novembro de 2012, várias delegações internacionais reúnem-se na Cimeira de Hamburgo: China encontra a Europa, a mais importante conferência económica sinoeuropeia da Alemanha e a primeira conferência internacional de grande escala da China depois das eleições dos EUA e das mudanças na liderança do país asiático. Os tópicos incluem as relações comerciais sino-europeias, o seu papel na economia global, fornecimento de matéria-prima, liberalização da moeda, cidades inteligentes e as estratégias da China e da Europa num mundo multipolar.

UATRO navios patrulha chineses entraram ontem em águas territoriais das ilhas controladas pelo Japão no Mar da China Oriental, cuja soberania é reivindicada por Pequim, anunciou a guarda costeira do Japão. Os barcos penetraram em águas territoriais japonesas por volta das 11h (hora local) na área de 22 quilómetros em torno de Minamikojima, uma das cinco ilhas do arquipélago das Diaoyu. A disputa pela soberania deste arquipélago, desabitado e com uma superfície inferior a sete quilómetros quadrados, levou a que as relações entre a China e o Japão conhecessem um dos seus piores

momentos em décadas, depois de Tóquio ter adquirido, em meados de Setembro, três das ilhas a um proprietário privado. O gesto foi contestado tanto pela China como por Taiwan – que também reclama a soberania das ilhas – e gerou uma onda de protestos contra o Japão em várias cidades chinesas que, em alguns casos, tiveram contornos violentos, e ao cancelamento de eventos diplomáticos. Desde que o clima de tensão se agravou, a zona alvo da contenda tem vindo a ser patrulhada por barcos da China e do Japão, que administra as ilhas Diaoyu, onde se suspeita que existam importantes reservas de petróleo e gás natural.

Ministro da Segurança Pública chinês promovido depois de Congresso

Sem surpresa

O

ministro da Segurança Pública chinês vai chefiar a poderosa Comissão política e judicial do Partido Comunista Chinês (PCC), depois de ter assegurado a realização sem problemas do 18.º congresso do PCC, foi esta segunda-feira noticiado. A Comissão política e judicial do PCC, que dispõe de um orçamento colossal, tem poder sobre a polícia e os tribunais e assume um importante papel na manutenção da ordem e na repressão de dissidentes políticos. De acordo com a agência

noticiosa oficial Xinhua, o ministro da Segurança Pública chinês, Meng Jianzhu, de 65 anos, vai substituir o actual responsável pela comissão, Zhou Yongkang, de 70 anos. A promoção era esperada, depois de Meng ter assegurado uma estabilidade da segurança sem falhas durante 18.º congresso do PCC, que terminou na semana passada em Pequim. O novo comité permanente do comité político do PCC passou de nove para sete membros, sob a liderança do futuro presidente, Xi Jinping.


quarta-feira 21.11.2012

região

www.hojemacau.com.mo

9

Banco do Japão conclui reunião sem anúncio de novas medidas de flexibilização monetária

Economia com futuro incerto

O

Banco do Japão (BOJ) concluiu ontem a sua reunião mensal, de dois dias, sem anunciar novas medidas de flexibilização monetária. O anúncio do banco emissor que, nos encontros de Setembro e de Outubro, ampliou o seu pro-

grama de compra de activos para injectar liquidez no mercado, está em consonância com as previsões dos analistas. Num comunicado, emitido após o encontro, o BOJ, que decidiu manter as taxas de juro entre 0 e 0,1%, indica ser de esperar que a economia nipónica “se mantenha

relativamente fraca”, antes de voltar “à senda de recuperação moderada”, apoiada numa sólida procura interna e na recuperação gradual da economia global”. Embora a “aversão ao risco” dos mercados tenha diminuído, as economias estrangeiras permanecem em fase de desaceleração, o

que causou no Japão uma quebra ao nível do investimento privado, da produção industrial ou das exportações, as quais representam cerca de 40% do Produto Interno Bruto, sublinha o banco central nipónico na mesma nota, citada pela agência noticiosa espanhola Efe. O BOJ sustenta ainda que a

economia japonesa enfrenta “um elevado grau de incerteza” devido às perspectivas sobre a crise da dívida na Europa, à tímida recuperação dos EUA ou ainda à “propagação” dos efeitos da deterioração das relações do país com a China por causa de uma disputa territorial.

Militares da GNR começaram a deixar Timor-Leste

Seis anos depois O

primeiro grupo de 67 militares do sub-agrupamento Bravo da GNR destacado em Timor-Leste, no âmbito da Missão Integrada da ONU naquele país, começou ontem a regressar a Portugal. “Hoje vão 67 do primeiro grupo”, afirmou o comandante do sub-agrupamento Bravo, capitão Jorge Barradas, acrescentando que o próximo grupo de 66 militares parte na quinta-feira. Em declarações à agência Lusa, o comandante Jorge Barradas disse que os militares chegam a Figo Maduro na quarta-feira de manhã. “Só será possível determinar a hora precisa da chegada a Lisboa depois de o voo que transporta os militares sair da Jordânia”, afirmou o capitão Jorge Barradas. O voo, onde seguem os mili-

tares da GNR, vai fazer paragens na Malásia, Paquistão, Azerbaijão, Jordânia e Tunísia antes de chegar a Portugal. Em Timor-Leste vão permanecer sete elementos da GNR para tratar de aspectos administrativos, nomeadamente carregamento no navio das viaturas e dos contentores. O sub-agrupamento Bravo da GNR foi destacado para Timor-Leste em Junho de 2006, na sequência de um pedido das autoridades timorenses. A GNR terminou a actividade operacional autorizada pela ONU em território timorense no passado 31 de Outubro. A GNR tinha destacado em Timor-Leste 140 militares mais três elementos do Instituto Nacional de Emergência Médica.

Mitsubishi vai abrir primeira fábrica na Malásia em 2013

Boas perspectivas de vendas O

fabricante automóvel japonês Mitsubishi anunciou ontem que planeia abrir a primeira fábrica na Malásia no final do próximo ano, com o objectivo de aumentar as vendas no país asiático.

Economia da Coreia do Sul sofre quebra desde 1997

Crescimento cai para metade O

potencial de crescimento da Coreia do Sul, quarta economia da Ásia, caiu quase para metade face à taxa que mantinha antes da crise financeira asiática, em 1997, segundo dados oficiais divulgados ontem. Os números, publicados por vários organismos estatais sul-coreanos, assinalam que a taxa de crescimento potencial este ano é de

3,7 %, quase metade da taxa registada em 1997 (6,1 %), pouco antes da crise financeira que abalou o país. A taxa de crescimento potencial indica o maior ritmo a que uma economia se pode expandir sem gerar inflação. O declínio do indicador na Coreia do Sul nos últimos anos tem agravado a preocupação rela-

tivamente à falta de elementos ou meios que permitam ultrapassar a desaceleração da economia, indicou a agência local Yonhap. A crise, que teve início no verão de 1997, obrigou a Coreia do Sul a pedir um resgate ao Fundo Monetário Internacional (FMI) no valor de cerca de 270 mil milhões de patacas ao câmbio actual.

De acordo com o conselheiro delegado da filial malaia da empresa, Tetsuya Oda, a localização da unidade fabril e a sua capacidade de produção ainda estão a ser negociadas. Os detalhes sobre a unidade da Mitsubishi na Malásia devem ser revelados no primeiro trimestre de 2013. Tetsuya Oda fez o anúncio durante a apresentação na Malásia do Mitsubishi Mirage, que recebeu mais de 45.000 encomendas na Tailândia desde Março, indica um despacho da agência noticiosa espanhola Efe. O fabricante japonês espera vender 30.000 veículos na Malásia até 2015. A indústria automóvel tem um mercado atractivo no Sudeste Asiático, região que tem observado um crescimento sustentável, com cerca de 620

milhões de habitantes e onde o número de viaturas por cada mil pessoas subirá de 50 para 80 em 2020. Tailândia, Indonésia e Malásia, por um lado, e as grandes marcas japonesas, por outro, ‘mandam’ no sector, cuja produção sofreu um aumento médio de 18 % entre 1998 e 2010. Já o ritmo de crescimento das vendas foi de 14 %, segundo um relatório do Deutsche Bank. Especialistas calculam que a compra de veículos aumentará 10 % até 2015, mantendo depois uma taxa de crescimento na ordem dos 7 % até 2020. As previsões dizem respeito à Birmânia, Brunei, Camboja, Filipinas, Indonésia, Laos, Malásia, Singapura, Tailândia e Vietname, os países que integram a Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).


10

cimeira

Andreia Sofia Silva* andreia.silva@hojemacau.com.mo

D

ONOS de ligações seculares, Portugal, Espanha e a América Latina resolveram dar mais um passo nas suas relações institucionais e comerciais através da assinatura da Declaração de Cádis, cidade do sul de Espanha onde decorreu a XXII Cimeira Ibero-Americana, terminada na passada sexta-feira, dia 17. O documento, assinado por delegações de 21 países, promete o desenvolvimento económico de infra-estruturas, a promoção das Pequenas e Médias Empresas (PME) e a criação do “trabalho digno”, de acordo com a agência Lusa. Mas não ficou esquecido o reforço institucional pensado para um futuro. Ricardo Martinelli, presidente do Panamá, país que vai acolher a cimeira em 2013, focou o seu discurso na necessidade dos governos e empresas ibéricas “olharem mais” para a América Latina. “Muitas das empresa ganham uma boa quantidade das suas receitas e dos balanços da América Latina. Mas talvez Espanha e Portugal tenham esquecido um pouco a região como destino de investimento.” Martinelli garantiu que o objectivo para os próximos anos é “conseguir incorporar esse grande mercado, incluindo a quinta maior economia do mundo”, numa referência ao Brasil. “As empresas ibéricas são mais que bem-vindas. Se as empresas apostarem neste mercado, vão poder

quarta-feira

www.hojemacau.com.mo

XXII Cimeira Ibero-Americana terminou este fim semana

Promessas de fomento económico saídas do sul de Espanha As relações entre a Península Ibérica e os países da América Latina ganharam novo fôlego com a assinatura da Declaração de Cádis, assinada no último dia de mais uma edição da Cimeira IberoAmericana. Da cidade espanhola saiu a vontade de promover empresas e criar “trabalho digno” reinvestir muitos dos seus ganhos em Espanha e Portugal e isso vai ajudar muito a resolver a crise”, afirmou.

PORTUGAL DEVE OLHAR PARA LATINOS, DIZ CAVACO SILVA

Cavaco Silva, presidente da República portuguesa, concordou com Ricardo Martinelli e frisou que é preciso dar um “impulso reforçado” às relações económicas com Portugal.

“Um relacionamento mais forte e cada vez mais próximo com os países latino-americanos é para Portugal uma prioridade. Existe, no quadro da comunidade ibero-americana, um potencial ao nível do comércio e do investimento que não foi ainda devidamente aproveitado. Está nas nossas mãos dar-lhe um impulso reforçado. Hoje, talvez mais do que em nenhum outro momento da nossa história

Políticas de Obama vão influenciar Portugal Cavaco Silva e Passos Coelho seguiram a mesma linha de discurso quanto às futuras políticas financeiras adoptadas por Barack Obama: vão ser influentes para Portugal. “A política do dólar relativa ao euro não é indiferente” para o sucesso das exportações portuguesas e que “isso não depende apenas da Europa, depende também das políticas que os Estados Unidos da América vierem a seguir nos tempos mais próximos”. Já Cavaco Silva frisou “a influência que as políticas que o presidente Obama irá seguir no seu segundo mandato terão na Europa e no mundo em geral. É algo que nós não podemos ignorar.”

comum, temos a responsabilidade de reinventar o nosso relacionamento”, acrescentou. O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho também esteve presente no encontro e frisou que é importante apostar em economias abertas com a América Latina, deixando de lado as politicas proteccionistas. “A nossa comunidade tem de estar virada e aberta ao mundo e ser um exemplo de economias modernas e sociedades abertas que rejeitam a discriminação económica e o proteccionismo em razão da geografia”.

CRISE EUROPEIA COM ESPECIAL ATENÇÃO

Cavaco Silva e o primeiro-ministro português Pedro Passos Coelho marcaram presença num encontro onde os debates ficaram marcados pela crise

económica europeia. Para o presidente da República, os chefes de Estado e de Governo da América Latina “têm uma certa sensação de que não estão a ser beneficiados, estão até a ser um pouco prejudicados pela baixa taxa crescimento económico na Europa e, em particular, na zona do euro”. “Esta cimeira prestou uma atenção particular às políticas de crescimento económico”, acrescentou o presidente, tendo frisado os quatro países da comunidade ibero-americana: Espanha, México, Brasil e Argentina. “Aí, esperemos que seja defendida uma coordenação ao nível global das políticas económicas e financeiras que favoreça a recuperação da economia mundial, com efeitos benéficos também na zona do euro, a que nós pertencemos”, disse ainda. Apesar dos “ciclos económicos diferentes”,


21.11.2012

www.hojemacau.com.mo

PUB

Cavaco Silva considera que “existiu um certo entendimento em relação a estas linhas de orientação básicas” entre a Europa e os países latinos.

NÃO EXISTEM “DIVERGÊNCIAS ORÇAMENTAIS”

Passos Coelho considerou que a falta de autonomia monetária dos países da zona euro “torna realmente mais difícil para os países latino-americanos compreenderem o processo europeu” de resposta à crise financeira e disse que os países latinos gostariam que a Europa respondesse de forma mais rápida à crise financeira, mas negou divergências sobre a necessidade de disciplina orçamental. Segundo o primeiro-ministro, os países da América Latina gosta-

riam que esse processo “fosse mais efectivo, que apresentasse resultados efectivos mais rapidamente”, mas “não é verdade que exista uma divergência quanto à necessidade de conter a dívida e de conter o défice”. Referindo-se em geral aos países da América Latina, o primeiro-ministro sustentou que “esses países sabem muitíssimo bem que é indispensável executar políticas de disciplina financeira e de rigor financeiro, sabem que não é possível crescer sem apresentar credibilidade suficiente sobre as políticas que são executadas”. Passos Coelho referiu que vários países latino-americanos já enfrentaram “crises de dívida” e que na cimeira de Cádis houve uma “troca de experiências interessante” sobre este tema. - *com Lusa

Passos Coelho defende cimeiras bianuais e mais baratas Pedro Passos Coelho afirmou que “Portugal está disponível para participar no debate sobre o futuro da comunidade ibero-americana nas suas várias dimensões - financeira, institucional e substantiva”, mas defendeu encontros realizados de dois em dois anos, ao invés de cimeiras anuais, e com custos reduzidos. “A arquitectura da comunidade ibero-americana tem-se relevado demasiado pesada e onerosa para os tempos de crise que vivemos, parecendo-nos, mais do que nunca, que se justifica a sua revisão de modo a torná-la mais racional, moderna e adaptada à menor abundância de recursos disponíveis.” Actualmente os países da Península Ibérica são responsáveis por aproximadamente de 70% do orçamento e os da América Latina pelos restantes 30%, cabendo a Espanha a maior fatia das verbas, 60%, e a Portugal quase 10% das verbas.

cimeira

11


vida

quarta-feira 21.11.2012

Chan Meng Kam diz que avaliação ambiental é “ocasional”

Cecília Lin

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

O

deputado Chan Meng Kam entregou uma interpelação escrita ao Executivo onde questiona o trabalho de avaliação ambiental desenvolvido pela Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA). No documento, o deputado critica os relatórios de avaliação de grandes projectos de infra-estruturas, como é o caso do mercado nocturno junto aos lagos Sai Van. Tal já terá sido entregue à DSPA mas o organismo é acusado de adiar sempre a sua publicação, por isso os cidadãos “começam a questionar os resultados da avaliação feita ao ambiente”. “Enquanto departamento de protecção ambiental, a DSPA parece ficar passiva perante o seu trabalho, e não conseguiu até agora desempenhar

Trabalho da DSPA alvo de críticas efectivamente os seus deveres de acreditação e supervisão”, aponta Chan Meng Kam, que fala ainda de “avaliações polémicas” em projectos como o centro rodoviário junto às Casas-Museu da Taipa, o Metro Ligeiro ou as obras em Seac Pai Van.

a ecologia. “O trabalho também é importante para o desenvolvimento de Macau, porém, as autoridades ficam passivas na hora de publicar os relatórios da avaliação. “O Governo usa sempre a desculpa de estar a pensar em publicar ou que só publica quando tiver condições para tal. Questiono se o trabalho da avaliação é ocasional. Quero saber quantos projectos, especialmente os grandes projectos de infra-estruturas, já foram submetidos a avaliações e quais são os padrões utilizados.” No final da sua interpelação, Chan Meng Kam pergunta ainda como é que o Governo pode desempenhar de forma correcta um trabalho de avaliação ambiental quando ainda não existe legislação especifica sobre o assunto, olhando para os casos específicos do Metro Ligeiro, novos aterros ou a ponte Macau-Zhuhai-Hong Kong.

GONÇALO LOBO PINHEIRO

12

AVALIAÇÃO PROMOVE “EQUILÍBRIO”

O deputado apontou ainda que o sistema de avaliação é importante para reduzir os efeitos poluentes causados pelo desenvolvimento de projectos, para que se possa promover o “equilíbrio” entre a saúde dos cidadãos e

Obras nas Portas do Cerco em Dezembro A Direcção dos Serviços para os Assuntos de Trafego (DSAT) respondeu a outra interpelação de Chan Meng Kam e afirma que “o Governo está a planear transformar o centro de transportes das Portas do Cerco e que o projecto já está na última fase, estando previsto o inicio das obras no final do ano.” Segundo a DSAT, estas obras vão “melhorar a situação actual dos locais de espera dos autocarros”.

Pessoas madrugadoras morrem de manhã e as noctívagas à noite

O

Morte com hora certa

destino está traçado. A morte é uma certeza. Mas hoje há ainda uma outra evidência, avançada por uma equipa de cientistas do centro médico de Beth Israel, em Boston, nos Estados Unidos: a hora certa do adeus à vida terrena. A turma liderada pelo investigador Andrew Lim comprovou que as pessoas madrugadoras morrem

por volta das 11 horas da manhã a as noctívagas a partir das seis da tarde. Um grupo de cientistas descobriu o gene que dá corda ao relógio biológico e que, segundo a revista “Annals of Neurology”, é capaz de determinar o momento em que vamos morrer, avança o jornal espanhol “ABC”. “O relógio biológico

interior regula muitos dos aspectos da biologia e comportamento humano e também inclui a hora de estados clínicos graves como um derrame cerebral ou um enfarte”, explica Andrew Lim. A ideia inicial de Lim e dos seus colegas era prevenir enfermidades e determinar o traço genético que determina o aparecimento de determinadas doenças

como a Alzheimer ou a Parkinson. No total, cerca de 1.200 pessoas com mais de 65 anos submeteram-se a um estudo efectuado pela equipa de investigadores, através de uma pulseira que vigiava os seus ciclos de sono e vigília. Assim foi descoberto que as pessoas que costumam madrugar e deitar-se cedo apresentam diferenças genéticas em relação aos que preferem levantar-se tarde e só se vão deitar de madrugada. Como os seres humanos possuem pares de cromossomas, a adenina e a guanina também estão duplamente presentes (AA, G-G ou A-G). O estudo revela que os portadores do par A-A acordam aproximadamente uma hora antes dos portadores do par G-G, enquanto que os A-G dormem meia hora menos que estes últimos. Os investigadores decidiram comparar também a descoberta em coelhos da índia, após a sua morte, e comprovaram que estas variedades genéticas podem indicar a hora da morte dos seus portadores.

Temperatura da Terra pode subir mais quatro graus

Um relatório encomendado pelo Banco Mundial alerta para os efeitos de um aquecimento de 4°C na temperatura do planeta até o fim do século. Caso sejam mantidas as emissões nos níveis actuais, ondas de calor, longos períodos de estiagem, enchentes e outros desastres naturais deixariam de ser eventos ocasionais. Segundo o estudo, o cenário para 2100 projecta um aumento de temperaturas de forma desigual - em áreas continentais, a temperatura pode subir até 6°C até meados de 2060. Os picos de calor ocorrerão nos países de maior latitude, mas o maior aumento de temperatura média será nos trópicos, com 15% a 20% a mais de elevação no nível do mar do que o restante do planeta. Secas e ciclones também serão mais frequentes nessas regiões, de acordo com o Instituto Potsdam de Pesquisa de Impacto do Clima (PIK).

KOALA VS MIKE TYSON

E a vitória foi do koala. Mike Tyson pode ser uma das maiores lendas do boxe, mas também ele tem medo. Pelo menos de tocar em koalas. Tyson esteve na Austrália, uma das muitas paragens da sua tour à volta do mundo, e não foi capaz de acariciar o animal. Isto, porque se afirma um telespectador assíduo do programa norte-americano “Quando os animais atacam” e também porque os “animais têm bactérias”.


quarta-feira 21.11.2012

www.hojemacau.com.mo

Alunos portugueses descobrem três asteróides

De pequenino se estuda o espaço

T

RÊS novos asteróides (pequenos planetas) foram descobertos por alunos de duas escolas portuguesas no âmbito do projecto “International Astronomical Search Colaboration”, disse ontem à Lusa a coordenadora da iniciativa em Portugal. Os jovens “cientistas” portugueses fazem parte de um projecto internacional de “pesquisa de asteróides” - apoiado pela Universidade Hardin-Simmons do Texas - que visa “envolver alunos em projectos ligados à ciência”, explicou Ana Costa, em entrevista telefónica à agência Lusa. Os pequenos descobridores dos três asteróides são alunos da Escola Básica de Vilar de Andorinho, Gaia, com idades entre os 11 e 12 anos, e da Escola Secundária D. Maria II, de Braga, com idades entre os 15 e 17 anos. Dois dos asteróides foram descobertos pela equipa de Vilar de Andorinho e um terceiro asteróide foi identificado pela equipa da escola de Braga. A descoberta dos asteróides no âmbito do projecto intitulado International

Astronomical Search Collaboration (IASC) foi fruto da captação de imagens “do céu nocturno pelo Observatório Astronómico dos EUA”. Estas imagens são enviadas imediatamente no dia seguinte para as escolas portuguesas e tratadas pelos estudantes com a ajuda de um “software” especial de astronomia, explicou a professora. Nas observações, os alunos sabem que as estrelas não se movimentam, mas quando identificam corpos celestes em movimento também sabem que podem ter conseguido descobrir asteróides, ou seja, restos de formação do sistema

solar que reflectem a luz que recebem das estrelas. A participação de Portugal no projecto internacional faz-se através do Núcleo Interactivo de Astronomia, uma instituição sem fins lucrativos criada em 2001 por astrónomos profissionais e amadores e cujos objectivos são a divulgação e o ensino da Ciência, em particular da Astronomia e Astrofísica. Os três asteróides vão ser baptizados pelo Minor Planet Center, num processo que pode demorar “vários anos”, o tempo necessário para determinar o tamanho ou a trajectória, acrescentou.

Google leva multa de mais de 23 milhões de patacas por espionagem

O

Safari acompanhava vida dos utilizadores

maior motor de pesquisa da internet terá de pagar uma multa de cerca de 22,5 milhões de dólares americanos (sensivelmente 23 milhões de patacas) imposta pela Comissão de Comércio americana por ter usado um browser para monitorizar as actividades dos clientes. Esta é maior multa de sempre imposta a uma única companhia pela Comissão Federal do Comércio norte-americano para um acto considerado de espionagem aos utilizadores do Safari - browser de navegação na internet da Google

para a Apple - através das “cookies”, levado a cabo em Fevereiro deste ano. Desta forma, conseguia recolher dados úteis para o envio de publicidade. No entanto, a empresa assegurou que utilizou a funcionalidade do Safari sempre “com o consentimento dos utilizadores”, dizendo que não era recolhida “informação pessoal”. De acordo com o “The Wall Street Journal”, a Google e outras empresas de publicidade conseguiram intrometer-se na configuração privada de milhões de pessoas que utilizam o

navegador Safari, da Apple, através de um código de programação. A decisão da multa foi bem recebida pela Comissão de Comércio, no entanto, um grupo defensor dos direitos dos consumidores, Consumer Watchdog, veio dizer-se contra a sanção aplicada, que no seu entender deveria ser “muito mais severa”, já que os quase 18 milhões de dólares são “trocados” para a Google. Durante o trimestre que terminou no passado mês de Outubro, a Google gerou 14 mil milhões de dólares somente em ingressos.

PUB

vida

13


14

cultura

quarta-feira 21.11.2012

Imagens de Israel e Macau a partir de sexta-feira na Livraria Portuguesa

“Aqui ou Ali” de Mina Ao

A Estado de saúde de Niemeyer piora

O estado clínico do arquitecto brasileiro Oscar Niemeyer sofreu um agravamento segundafeira, após um novo episódio de hemorragia digestiva, que foi controlada, segundo boletim médico divulgado pelo hospital Samaritano. Niemeyer também está com insuficiência renal e realiza fisioterapia respiratória. O arquitecto foi internado no último dia 2, pela terceira vez este ano, devido a uma desidratação. O paciente está internado na Unidade Coronariana e encontrase lúcido, informa o boletim médico. Não há previsão de alta.

Galeria da Livraria Portuguesa apresenta a partir da próxima sexta-feira, pelas 18h30, a exposição fotográfica “Aqui ou Ali” – Imagens de Israel e Macau, de Mina Ao. Para aquela que é a sua primeira exposição individual em Macau, Mina seleccionou cerca de 20 pares de fotografias, para as mostrar em dípticos, a partir de duas séries de trabalhos construídos entre 2007 e 2012, um dos quais se baseia em cenas de rua de Israel, o outro em cenas de rua captadas em Macau, informa o comunicado de imprensa da organização. Em cada par de fotografias, semelhanças e diferenças são identificadas e configuradas, espelhando o ambiente circundante e o modo de vida em que assentam a existência e a identidade cultural dos dois lugares. A ideia não é estabelecer comparações directas entre as duas culturas, visto que uma comparação superficial

PUB

jamais permitiria fazer emergir a riqueza destas duas culturas. Ao contrário, a artista espera que estas fotografias suscitem a curiosidade de quem as vê e que dêem origem a um diálogo entre as duas culturas, acrescenta a nota de imprensa. Mina Ao nasceu e cresceu em Macau. Depois de se mudar para Nova Iorque em 2007, foi assistente de vários fotógrafos ao mesmo tempo que desenvolvia os seus próprios projectos na área da fotografia. Foi também em Nova Iorque que se manifestou o interesse pela cultura Judaica. Mina Ao vive actualmente no Canadá e visita Macau regularmente. A exposição “Aqui ou Ali” é patrocinada pela Livraria Portuguesa, Conrad Macau, Quasar Light Co., Ltd, CanDesign, Winecetera e Le Cesar Macau, As obras fotográficas podem ser vistas de 23 de Novembro até 22 de Dezembro, de segunda a domingo, das 11 às 19h. - J.C.M.

Textos desconhecidos reunidos em livro

Escritos do jovem Proust E

ANÚNCIO

HM 2ª vez 21-11-12 通常宣告案第 CV3-11-0063-CAO 號 Processo: Acção Ordinária

第三民事法庭 3º Juízo Cível

Autores: LEONG SENG TAI, residente em Macau奧林匹克大馬路華寶花 園第一座14樓C座; LEONG KAM HA, residente em Macau 龍嵩街龍運大廈10樓J座; LEONG SENG WAI, residente em Macau 大碼頭街16號2樓 LEONG KAM FAN, residente em Macau龍嵩街龍運大廈10樓I座 LEONG SENG TCHONG, residente em Macau柯維納大馬路南新 花園第二座13 樓F座. Réu: CHAN IAO IP, com última morada conhecida em Macau na Rua do Teatro, nº16, ora ausente em parte incerta. INTERVENIENTES: INTERESSADOS INCERTOS. *** FAZ-SE SABER que pelo Tribunal, Juízo e processo acima referidos, correm éditos de TRINTA DIAS, contados da segunda e última publicação do anúncio, citando os interessados incertos, para no prazo de TRINTA DIAS, findo o dos éditos, querendo, oferecer o seu articulado ou declarar que faz seus os articulados do réu na Acção Ordinária acima indicada, cujo pedido consiste em que deve a presente acção ser julgada procedente, por provada, devendo os Autores acima referidos ser declarados como legítimos titulares do direito de domínio útil do imóvel sito em Macau, descrito na Conservatória do Registo Predial de Macau sob o nº964, com a área da parcela de 75 m2. Se o citado intervier no processo passado o prazo referido, tem de aceitar os articulados da parte a que se associa e todos os actos e termos já processados. Tudo como melhor consta do duplicado dos articulados dos presentes autos, que se encontra nesta Secretaria do 3º Juízo Cível à disposição do citando. A intervenção do citando nos autos implica a constituição de advogado – artº74º do Código Processo Civil de Macau.

NTRE os 19 e os 20 anos, Marcel Proust (18711922) publicou, na revista Le Mensuel, uma série de onze textos agora reencontrados e reunidos no livro Le Mensuel Retrouvé, que acabou de ser lançado em França pela editora Busclat. Os textos são de natureza muito diversa e incluem duas narrativas, crónicas mundanas, comentários a exposições e espectáculos de variedades, recensões literárias, e mesmo artigos sobre moda. O futuro autor de Em Busca do Tempo Perdido, que terminara há pouco os seus estudos liceais e frequentava então os cursos universitários do historiador Albert Sorel e do filósofo Henri Bergson, publicou os artigos para Le Mensuel entre Novembro de 1890 e Setembro do ano seguinte, tendo-os assinado com diversos pseudónimos. Só num caso usou o seu nome, Marcel Proust, e noutro as suas iniciais. Os restantes textos são

subscritos por “de Brabant “, “Fusain”, “Y”, “Bob”, ou por pseudónimos mais elaborados, como “Étoile Filante” (estrela cadente) ou “Pierre de Touche” num jogo de palavras com o nome próprio Pedro e o substantivo homógrafo pedra, o jovem crítico Marcel Proust auto-intitula-se “pedra de toque”, um utensílio usado para avaliar a pureza dos metais.

Na primeira das duas narrativas que escreveu para Le Mensuel, e que estavam completamente esquecidas há mais de um século, Proust evoca as paisagens marítimas e os parques da Normandia, que depois revisitará muitas vezes nas páginas de Em Busca do Tempo Perdido. A segunda ficção, intitulada Souvenir (recordação), centra-se numa rapariga

chamada Odette, que o narrador da história amara e de quem se lembra com nostalgia, anos mais tarde. O prefácio de Le Mensuel Retrouvé é redigido pelo escritor e cineasta Jérôme Prieur, autor da obra Proust Fantôme, que fornece abundante informação de contexto para a leitura destas primeiras incursões literárias do jovem Proust.


quarta-feira 21.11.2012

cultura

www.hojemacau.com.mo

15

PUB

EDITAL Edital no: 163/E/2012 Processo no: 198/BC/2012/F Assunto: Início do procedimento de audiência pela infracção às respectivas disposições do Regulamento de Segurança Contra Incêndios (RSCI) Locais: Rua de Coelho do Amaral no 75, Edf. Tim Fai Kok, fracção 3º andar B (CRP: A2), Macau Rua de Coelho do Amaral no 75, Edf. Tim Fai Kok, fracção BR/C (CRP: A R/C), Macau

Poeta chinês, Li Bifeng, condenado a 12 anos de prisão por fraude contratual

Condenação pode estar ligada a fuga

O

poeta dissidente chinês, Li Bifeng, cuja detenção provocou um apelo internacional pela sua libertação foi condenado esta segunda-feira a 12 anos de prisão por fraude contratual, segundo o seu advogado. Li Bifeng - que já passou cinco anos preso por envolvimento no movimento pela democracia na Praça da Paz Celestial - foi sentenciado pelo tribunal de Shehong, na província de Sichuan, de acordo com o advogado Zhao Jianwei. A defesa alega que a acusação é infundada e deve recorrer da decisão: “Acreditamos que o veredicto não foi baseado em factos, e que os promotores e o tribunal violaram os regulamentos e as leis processuais”. Um funcionário do tribunal, que preferiu não se identificar, confirmou que a audiência de Bifeng teve lugar, mas não divulgou mais detalhes. Liao Yiwu, um dissidente exilado e amigo de Bifeng, disse que o poeta de 48 anos se tornou alvo do governo da China porque era suspeito de financiar a sua fuga do país no ano passado. Yiwu afirmou que as suspeitas são infundadas. Ainda este ano, após o poeta ser detido, Yiwu lançou um apelo internacional na Alemanha pedindo a sua libertação. Entre os que apoiaram o pedido estavam Herta Muller, vencedora do Nobel da Literatura, e Ha

Jin, vencedor do Prémio Nacional de Literatura dos Estados Unidos. Zhan Xia, esposa de Bifeng, disse esta segunda-feira que a acusação estava relacionada com um acordo de venda que Bifeng assinou com uma empresa de álcool. O contrato era para ajudar na venda de apartamentos no sul da ilha de Haian. “Depois dos apartamentos terem sido vendidos, a empresa processou-o por fraude contratual, o que é completamente infundado - disse Zhan. - Ele é muito amigo de Liao Yiwu, mas não me disse se o ajudou a fugir.

O julgamento pode estar relacionado com uma suposta ajuda a Liao, porque a acusação contra ele não pode ser provada”, disse. Zhan acrescentou que viu o marido apenas uma vez depois de este ter sido preso em Setembro de 2011. Foi durante o julgamento, em Julho deste ano. “Não estava mentalmente equilibrado”, relatou Zhan. O tribunal de Shehong disse que não sabia nada sobre o caso e as chamadas feitas pela agência de notícias AP à Secretaria de Segurança Pública de Shehong não foram atendidas.

Chan Pou Ha, Subdirectora da Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT), no uso das competências delegadas pela alínea 7) do no 1 do Despacho no 09/SOTDIR/2009, publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), no 16, II Série, de 22 de Abril de 2009, faz saber por este meio aos donos das obras ou seus mandatários, aos encarregados das obras, aos técnicos responsáveis pelas obras e executores das obras existentes nos locais acima indicados, cujas identidades se desconhecem, o seguinte: 1

Local da obra: Rua de Coelho do Amaral no 75, Edf. Tim Fai Kok, fracção 3º andar B (CRP: A2) Em 24/02/2012, o agente de fiscalização desta DSSOPT deslocou-se ao local acima indicado e verificou a realização de obra sem licença cuja descrição e situação é a seguinte:

1.1

2

Obra

Situação da obra

Construção de varanda metálica na fachada do edifício junto à janela da fracção

Em curso

Infracção ao RSCI e motivo da demolição Infracção ao no 12 do artigo 8o, obstrução do acesso aos pontos de penetração no edifício.

1.2

Nestas circunstâncias e em cumprimento do disposto no no 3 do artigo 88o do RSCI, aprovado pelo Decreto-Lei no 24/95/M, de 9 de Junho, o agente de fiscalização ordenou a imediata suspensão da execução da obra.

1.3

Nos termos do no 1 do artigo 88o do RSCI e no uso das competências delegadas pela alínea 7) do no 1 do Despacho no 09/SOTDIR/2009, publicado no Boletim Oficial da RAEM. no 16, II Série, de 22 de Abril de 2009, por meu despacho de 12/03/2012, exarado sobre as informações no 1313/DURDEP/2012, confirmei a suspensão de trabalhos e determinei o embargo das obras, emitindo em consequência o despacho de embargo no 57/DE/2012 e afixando em 13/03/2012 no mesmo local.

Local da obra: Rua de Coelho do Amaral no 75, Edf. Tim Fai Kok, fracção

BR/C (CRP: A R/C)

Em 04/06/2012, o agente de fiscalização desta DSSOPT deslocou-se ao local acima indicado e verificou a realização de obra sem licença cuja descrição e situação é a seguinte:

2.1

3

Obra

Situação da obra

Gaiola metálica na fachada do edifício junto à varanda da fracção em mau estado de conservação e deficiência

Concluída

Infracção ao RSCI e motivo da demolição Infracção ao no 12 do artigo 8o, obstrução do acesso aos pontos de penetração no edifício.

Sendo a janela ou a varanda da fracção acima indicada considerada como ponto de penetração para realização operações de salvamento de pessoas e de combate a incêndios, não podem ser as mesmas dificultadas com elementos fixos ( gaiolas, grelhagens, etc.), de acordo com o disposto no no 12 do artigo 8o do RSCI, aprovado pelo Decreto-Lei no 24/95/M, de 9 de Junho. As alterações introduzidas pelos infractores nos referidos espaços, descritas nos pontos 1 e 2 do presente edital, contrariam a função desses espaços enquanto ponto(s) de penetração no edifício e comprometem a segurança de pessoas e bens em caso de incêndio. Assim, as obras executadas não são susceptíveis de legalização pelo que terão necessariamente de ser determinadas pela DSSOPT a sua demolição a fim de ser reintegrada a legalidade urbanística violada.

4

Nos termos do no 7 do artigo 87o do RSCI, a infracção ao disposto no no 12 do artigo 8o, é sancionável com multa de $2 000,00 a $20 000,00 patacas.

5

Considerando a matéria referida nos pontos 3 e 4 do presente edital, podem os interessados, querendo, pronunciar-se por escrito sobre a mesma e demais questões objecto do procedimento, no prazo de 5 (cinco) dias contados a partir da data de publicação do presente edital, podendo requerer diligências complementares e oferecer os respectivos meios de prova, em conformidade com o disposto no no 1 do artigo 95o do RSCI.

6

Os processos podem ser consultados durante as horas de expediente nas instalações da Divisão de Fiscalização do Departamento de Urbanização desta DSSOPT, situadas na Estrada de D. Maria II, n.o 33, 15.º andar, Macau (telefones nos 85977154 e 85977227).

Aos 19 de Outubro de 2012 A Subdirectora dos Serviços Engª Chan Pou Ha


16

desporto

quarta-feira 21.11.2012

Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting protesta contra episódio caricato

Troca de hinos causa indignação lusa ximo que regula o desporto automóvel. “Tendo tomado conhecimento desse insólito e desagradável facto, a FPAK enviou de mediato por e-mail um protesto formal e veemente, dirigido à sua congénere federativa de Macau bem como à Comissão Organizadora do 59.º Grande Prémio de Macau, dando do mesmo conhecimento à FIA, já que se tratava de

Sérgio Fonseca info@hojemacau.com.mo

O

incidente que se seguiu ao brilhante triunfo de António Félix da Costa no passado domingo no Circuito da Guia ainda continua a dar que falar. A Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK) deu a conhecer à Associação Geral Automóvel de Macau – China (AAMC) e à Comissão do Grande Prémio de Macau o seu desagrado pelo episódio caricato da cerimónia do pódio da 30.ª edição da Taça Intercontinental FIA de Fórmula 3, onde o hino de Portugal só tocou quinze minutos depois do início do procedimento. A federação portuguesa também deu conhecimento da sua insatisfação à Federação Internacional do Automóvel (FIA), o órgão má-

uma competição FIA. Desse mesmo protesto foi dado igualmente conhecimento imediato a Sua Exa. o Secretário de Estado do Desporto e Juventude”, era possível ler ontem em comunicado. A troca do hino nacional no início da cerimónia e o tempo de espera para que “A Portuguesa” fosse ouvida foi “uma falha”. “Não podemos acreditar só nos sistemas téc-

nicos, informáticos ou base de dados que por vezes nos dão informações erróneas”, disse aos jornalistas o coordenador do evento, o Eng.º Costa Antunes que apresentou um pedido de desculpas públicas pelo sucedido ainda no final do próprio dia. A comissão organizadora da corrida fez questão de tocar o hino português no jantar de entrega de prémios.

Campeã sul-americana da Maratona corre na RAEM

Atletas lusófonos à conquista de Macau

Marco Carvalho info@hojemacau.com.mo

PUB

D

EPOIS do Grande Prémio de Macau, a Maratona Internacional do território é a próxima grande competição desportiva a ter as ruas da RAEM como palco. A trigésima primeira edição do evento sai para a estrada no primeiro domingo de Dezembro e a exemplo do que sucedeu nos últimos anos volta a trazer ao território mais de uma dezena de atletas oriundos do círculo dos países lusófonos. Cabo Verde foi uma das primeiras nações de língua oficial portuguesa a confirmar a presença no principal certame de atletismo do território. O arquipélago da “morabeza” vai estar representado no evento por dois atletas. Os fundistas Adilson Spencer e Crisolita Rodrigues voam para Macau no final do corrente mês para disputar não a maratona propriamente dita, mas a segunda principal prova em cartaz, a Meia Maratona. A presença dos dois atletas foi confirmada no final do mês de Outubro por António do Rosário Ramos. O presidente da Federação Cabo-verdiana de Atletismo adianta que o organismo que dirige estaria a criar as condições logísticas necessárias para que a estreia a Oriente de Adilson Spencer e Crisolita Rodrigues se possa fazer sem sobressaltos.

Confirmada nas ruas do território está também a brasileira Conceição Oliveira. A campeã sul-americana da maratona obteve no final de Fevereiro uma dupla vitória em Caracas. A atleta canarinha venceu a Maratona da Integração Latino-Americana, evento que constituía a derradeira etapa do Campeonato Sul-Americano de Maratona. Com o triunfo nas ruas da capital venezuelana, a atleta do Piauí garantiu também a conquista do ouro na principal competição do atletismo de fundo da América do Sul. Conceição Oliveira quer repetir no Sul da China os bons resultados alcançados em Caracas e tem-se vindo a preparar com afinco para a participação na edição de 2012 da Maratona Internacional de Macau. Oliveira foi uma das mais de trinta atletas que disputaram, em Brasília, a última etapa do circuito brasileiro de corridas de rua. Coroada a melhor maratonista do Brasil em

Adilson Spencer

2005, em 2008 e em 2011, a atleta quer deixar o nome do Brasil bem visto nas ruas do território: “Gostei muito da experiência na Venezuela. Agora, quero representar bem o meu país na China. E já estou cheia de expectativa para conhecer Macau. Vou usar o que sobrar de fôlego da maratona, lá, para fechar a temporada com chave de ouro na Volta da Pampulha e na São Silvestre”, adianta Conceição Oliveira em declarações ao portal brasileiro “Cidade Verde”. Organizada pelo Instituto do Desporto, a 31.ª Maratona Internacional de Macau vai distribuir prémios no valor de um milhão e meio de patacas. O vencedor da prova receberá um cheque no valor de 20 mil dólares norte-americanos, mas a quantia pode ainda ser mais elevada caso o vencedor tenha cruzado a meta abaixo das duas horas e 16 minutos (ou duas horas e 35 minutos, na categoria feminina). O recorde da Maratona Internacional de Macau foi batido no ano passado pelo queniano Stephen Chemlany, que terminou a prova em duas horas, 12 minutos e 49 segundos. A trigésima edição do certame, disputada há um ano, registou um número recorde de participantes, ao atrair cerca de seis mil atletas oriundos de quase seis dezenas de países e territórios distintos.


quarta-feira 21.11.2012

[ ] Cinema

futilidades

www.hojemacau.com.mo

17

Cineteatro | PUB SALA 2

WHEN A WOLF FALLS IN LOVE WITH A SHEEP [B]

(Falado em mandarim e legendado em chinês/inglês) Um filme de: Hou Chi Jan Com: Chen Tung Ko, Jian Man Shu, Guo Shu Yao, Chang Shu Hao 14.30, 16.15, 18.00, 19.45 ARGO SALA 1

COLD WAR [C]

(Falado em cantonês e legendado em chinês/inglês) Um filme de: Longman Leung, Sunny Luk Com: Aaron Kwok, Andy Lau, Tony Leung Ka Fai, Eddie Peng 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

SKYFALL [C]

Um filme de: Sam Mendes Com: Daniel Craig, Javier Bardem, Ralph Fiennes 21.30 SALA 3

Aqui há gato

ARGO [C]

Um filme de: Ben Affleck Com: Ben Affleck, Alan Arkin, Bryan Cranston, John Goodman 14.30, 16.45, 19.15, 21.30

VERTICAIS: 1-Long-Play (abrev.). Agreguem. O m. q. tris (Pref.). 2-Da Arábia. Agarrei. 3-Acção de talar os campos. Extensão de água salgada que cobre a maior parte da Terra. 4-Pau-fero. Apertas com atilho. Uso (Suf.). 5-Avaliei. Escavam. 6-Contunde, fere. Adorai. 7-Tumor que se forma no peito do cavalo. Margem. 8-Admiração (Interj.). Ilharga, direcção. Departamento de França. 9-Sujo de baba. Protecção. 10-Lavra, suica. Lápide, chapa. 11-Ente. Mestre da lei entre os Judeus. Osmio (s.q.).

SOLUÇÕES DO PROBLEMA

Sudoku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: A língua dos antigos Romanos. Malucas. 2-Prato (Ant.). Existe. 3-Série de vasos que encaixam uns nos outros formando tubo. Taberna. 4-Proximidade. Tornar solitário ou incomunicável. 5-Outorge. Nomear abade para. 6-Ouvido (Pref.). Acrescento 7-Má sorte, infelicidade (Pop.). Chumbo (s.q.). 8-Gergelim. Aquele lugar. 9-Irmã da mãe. Mestiço de índio e branco (Bras.). 10-Saliência. Osso par que ocupa as partes laterais da bacia. 11-Objecto de grande paixão (Fig.). Asas.

[Tele]visão TDM 13:00 TDM News Repetição 13:30 Jornal das 24h RTPi 15:00 Debate das Linhas de Acção Governativa para 2013 – Área da Administração e Justiça (Directo) 20:00 Documentário Sobre o 10º Aniversário da RAEM 20:30 Telejornal 21:00 Montra do Lilau 21:30 Irmãos e Irmãs 22:10 A Raia dos Medos 23:00 TDM News 23:30 Resumo Liga dos Campeões 23:45 Há sempre um Amanhã 01:10 Telejornal (Repetição) 01:45 RTPi Directo INFORMAÇÃO TDM RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:35 Viva a Música 15:35 Construtores de Impérios 16:00 Bom Dia Portugal 17:00 Decisão Final 17:50 Vingança 18:35 Destino: Portugal Coimbra 19:00 Ler +, Ler Melhor 19:15 Mário Viegas 20:00 Jornal Da Tarde 21:15 O Preço Certo 22:00 Vida Animal em Portugal e no Mundo 22:15 Portugal no Coração 30 - ESPN 13:00 FIFA Beach Soccer World Cup 2013 Qualifiers Ukraine vs. Spain 14:00 Premier League Darts 2012 15:30 Big Ten Conference Basketball 2012/13 Boise State vs. Michigan State 17:30 AFF Suzuki Cup 2010 Indonesia vs. Philippines 19:30 (LIVE) Sportscenter Asia 2012 20:00 Engine Block 2012 20:30 Chang World of Football 2012/13 21:00 FIFA Beach Soccer World Cup 2013 Qualifiers Ukraine vs. Spain 22:00 Sportscenter Asia 2012 22:30 Chang World of Football 2012/13 23:00 Engine Block 2012

23:30 FIFA Beach Soccer World Cup 2013 Qualifiers Ukraine vs. Spain 31 - STAR Sports 13:00 Golf Focus 2012 13:30 Inside WTCC 14:00 V8 Supercars Championship Series 2012 15:30 Rolex FEI World Cup Jumping 2012/13 16:30 V8 Supercars Championship Series 2012 19:00 Golf Focus 2012 19:30 Ifmxf Freestyle Motocross World Championships 2012 20:00 World of Gymnastics 2012 20:30 Inside WTCC 21:00 Smash 2012 21:30 (LIVE) Score Tonight 2012 22:00 SBK Superbike World Championship 2012 22:30 Smash 2012 23:00 World of Gymnastics 2012 23:30 FIA Asia Pacific Rally Championship 2012 40 - FOX Movies 12:00 The Mechanic 13:35 Lincoln Lawyer 15:35 Spider-Man 17:40 Spider-Man 3 20:00 Homeland 21:00 Shanghai Noon 22:55 Cars 2 00:45 In Time 41 - HBO 12:00 Van Helsing 14:15 Congo 16:20 Finding Forrester 18:45 Lost In Space 21:00 Boardwalk Empire 22:00 Captain America 00:10 Clear And Present Danger 42 - Cinemax 12:45 Timecop: The Berlin Decision 14:15 The Rundown 16:00 The Incredible Shrinking Man 17:20 Green Lantern 18:40 Hercules Ii 20:05 Navy Seals 22:00 Strike Back 23:35 Hollow Man

HORIZONTAIS: 1-LATIM. BOBAS. 2-PRATEL. HA. E. 3-ALUDEL. BAR. 4-ABA. ISOLAR. 5- DE. A. ABADAR. 6-A. OTO. ADO. A. 7-MACACA. O. PB. 8-SESAMO. ALI. 9-TIA. MARABA. 10-R. NO. ILIACO. 11-IDOLO. ANSAS. VERTICAIS: 1-LP. ADAM. TRI. 2-ARABE. ASI. D. 3-TALA. OCEANO. 4-ITU. ATAS OL. 5-MEDI. OCAM. O. 6-LESA. AMAI. 7-B. LOBA. ORLA. 8-OH. LADO AIN. 9-BABADO. ABAS. 10-.A ARA. PLACA. 11-SER. RABI. OS.

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA MEDICINA CHINESA NAS MÃOS DE ASSASSINOS • Frédéric Lenormand

Ti Jen-Tsie (630-700) foi um magistrado tão reconhecido que figura nos anais judiciários da dinastia Tang. As novas aventuras que Frédéric Lenormand lhe dedica convida-nos a descobrir a fascinante cultura chinesa através dos meandros de uma intriga policial. Um médico ousou introduzir um veneno mortal no círculo do imperador da China. O juiz Ti foi encarregado de investigar no seio do “Grande Serviço Médico”, uma instituição única no mundo que reúne todos os conhecimentos médicos e forma os melhores sábios do império. Da acupunctura à farmacopeia, Ti lança-se numa perseguição a um assassino tão brilhante quanto perigoso, levando-nos a descobrir todas as subtilezas da arte da medicina chinesa.

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição SOLUÇÃO DO PROBLEMA DO DIA ANTERIOR

MEL • Ian McEwan

Grã-Bretanha, 1972. Serena Frome, a bela filha de um bispo anglicano, é aliciada para os Serviços Secretos no seu ano final em Cambridge. A guerra fria cultural prossegue e o país é assolado por convulsões sociais e actos de terrorismo. Serena é então enviada numa «missão secreta» que a faz imergir no mundo literário de Tom Haley, um jovem escritor promissor. Ela começa por gostar das suas histórias, mas rapidamente passa a gostar do próprio homem que as escreve. Conseguirá Serena manter a ficção da sua vida oculta? Para isso, ela vai ter de ignorar a primeira regra do espião: Não confies em ninguém. RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

O MAL JÁ FOI FEITO Bem sei que a Assembleia Legislativa (AL) tem andado ao rubro nos últimos dias, tais são os assuntos que precisam de debate, e, sobretudo, de respostas. Mas apesar de eu ser um gato, nunca hei-de perceber porque é que os deputados perdem tanto tempo de antena a discutir uma coisa tão comum como um mercado nocturno junto ao lago de Sai Van. Para além de todas as reacções que já ecoaram na imprensa, a sessão plenária de segunda-feira foi introduzida por um período de interpelações orais onde o dito mercado acabou vir à baila. Ontem no debate sectorial das Linhas de Acção Governativa (LAG), que teve a secretária Florinda Chan a explicar os assuntos da sua pasta de Administração e Justiça, houve espaço para os ditos aumentos da Função Pública que teimam em chegar e... correcto, o mercado em Sai Van. Parece-me a mim que os nossos dirigentes não têm força politica para tomar decisões rápidas. O chamado murro na mesa, que eu às vezes gosto de dar com as minhas patinhas. Tem que existir uma decisão vinda de cima e colocar-se em prática. Pronto. É importante saber o que as pessoas acham sobre o assunto, mas este tema já roça o exagero há muito tempo: vamos para a segunda ronda de consulta pública! Trata-se de um desperdício de tempo e dinheiro para o mais comum dos projectos. Trata-se apenas de criar algo novo em Macau. Porquê tanto receio pelas criticas? Vão sempre existir. Se de facto o Governo quer revitalizar a vida nocturna de Macau e apoiar as PME e a cultura local, então que crie o dito mercado, com regras que de facto venham a apoiar os locais e não os bolsos de alguns. Tomem a decisão e comecem as obras. Se a população se chatear, os vossos lugares continuam garantidos, caros senhores. Percam o receio de uma vez por toda e façam. Ah, e para todos aqueles que temem a poluição do lago e outros ataques ambientais: caros amigos, eles começaram a ser feitos quando a liberalização do jogo apareceu. Já temos poluição visual suficiente, sonora, carros com fartura. Para quê analisar ao pormenor, com estudos comprados pelo Governo, um projecto como este? O mal já foi feito.

Pu Yi


18

opinião

quarta-feira 21.11.2012

Não gosto de dar esmolas Jorge Fiel in Jornal de Notícias

N

ÃO tenho o hábito de dar esmolas. Incomoda-me ser confrontado por pessoas a quem não me liga qualquer espécie de laço e que, sem mais, me pedem dinheiro. Digo que não com a cabeça, mas fico com um sentimento de culpa por não ter correspondido ao pedido de auxílio de alguém que as circunstâncias da vida forçaram a abdicar dos mais básicos princípios da dignidade humana e a andar pelas ruas, de mão estendida, a pedir uma moedinha. Sinto culpa mas também revolta até porque há algo de extorsão emocional no ato de pedir, a que sinto que não devo ceder. “Olha para ti, bem alimentado, dinheiro na carteira, salário a cair todos os fins de mês na conta e egoísta ao ponto de não me dares uma moeda de valor equivalente ao que custa uma saqueta de cromos para o teu filho ou ao que deixas de gorjeta na mesa do restaurante”. É esta censura chantagista que sinto no olhar dos pedintes de rua - e por isso evito cruzar-me com eles, o que já me obrigou a refazer os percursos. Em vez de subir a Av. da Boavista até à Rotunda, passei a cortar pela rua do cemitério de Agramonte para evitar a

O mais alarmante é que, por causa do desemprego, divórcio ou sobre-endividamento, 41% dos carenciados são novos pobres. E a pobreza de quem nunca foi pobre é socialmente mais preocupante do que a resignação das pessoas que já não se importam de a ostentar, andando pelas ruas a pedir uma moedinha velhinha de óculos, com idade para ser minha mãe, que todas as manhãs estaciona bem cedo, nos semáforos da Casa da Música, e bate no vidro do lado do condutor a pedir uma moedinha. Infelizmente, a pobreza alastra como uma mancha de óleo. Com 1,4 milhões de reformados com pensões inferiores a 500 euros/mês, mais de um milhão de pessoas sem emprego, 330 mil a viverem do RSI e 550 mil a ganharem o salário mínimo, não nos podemos espantar quando o Eurostat diz que um em cada quatro portugueses vive em risco de pobreza. O mais alarmante é que, por causa do desemprego, divórcio ou sobre-endividamento, 41% dos carenciados são novos pobres. E a pobreza de quem nunca foi pobre é socialmente mais preocupante do que a resignação das pessoas que já não se importam de a ostentar, andando pelas ruas a pedir uma moedinha. Eu sei que não me compete a mim,

individualmente, combater a pobreza e desigualdade galopantes. Esse o papel de redistribuição da riqueza e fomento da coesão social pertence ao Estado que há 34 anos alimento com os meus impostos. Mas também sei que, a curto prazo, o Estado é tão capaz de ter sucesso nessa tarefa como uma bailarina com uma perna de pau. Por isso, todos nós devemos contribuir directamente para atenuar a pobreza, de forma organizada e não dando esmolas, mesmo sabendo que isso é uma aspirina que atenua a dor mas não extirpa o mal. Por isso, vou ser particularmente generoso na próxima recolha do Banco Alimentar, agendada para o primeiro fim de semana de Dezembro. Temos de ser cuidadosos a distinguir entre a filantropia da responsabilidade social e a bolorenta caridade do bodo aos pobres. Mas não podemos deixar de ajudar a diminuir o índice de infelicidade no próximo Natal.


quarta-feira 21.11.2012

www.hojemacau.com.mo

opinião

19

Nós, os jornalistas José António Saraiva in Sol

É

sabido que nós, os jornalistas, gostamos das más notícias. Preferimos muito mais escrever: “O desemprego voltou a aumentar este mês” do que “Os juros da dívida portuguesa baixaram”; estamos prontos a dar mais destaque a uma notícia como “A Fitch atirou Portugal para o nível de lixo” do que “O presidente do BCE diz que Portugal está no bom caminho”. Para nós, quanto mais negra for a realidade melhor. Nós temos uma volúpia pelas notícias negativas – e, obviamente, por aquelas que põem em causa os senhores do poder. Nós assumimo-nos como contra-poder e temos meios para virar do avesso, às vezes, uma declaração. Há umas três semanas, Fernando Ulrich deu uma entrevista à RTP em que elogiava o ministro das Finanças (“Acho que é o homem certo no lugar certo”), referia alguns bons resultados já alcançados pelo país e finalizava dizendo que neste período de crise deveria haver eleições de dois em dois anos. Ora, como o Governo completa dois anos em Maio, vários colegas nossos titularam: Ulrich defende eleições em Maio. E assim, conseguiu-se que uma entrevista positiva e elogiosa para o Governo fosse percepcionada por muita gente como uma crítica. De facto, uns dias depois, um colunista afecto ao PCP escrevia: “Nunca pensei estar de acordo com um banqueiro. Mas até Fernando Ulrich defende a demissão do Governo e a realização de eleições em Maio.” Há outra maneira de apresentar a realidade a que nós, nos últimos tempos, estamos a recorrer. É fazermos notícias a partir das opiniões. Em vez de abrirmos os noticiários ou os telejornais com factos, abrimo-los com opiniões, o que permite uma maior coerência noticiosa. Imaginemos este exemplo de abertura de um Telejornal: 1.ª notícia: “Mário Soares defendeu a demissão do Governo” 2.ª notícia: “Manuela Ferreira Leite diz que o Governo é incompetente”

3.ª notícia: “Freitas do Amaral afirmou que o Governo perdeu a legitimidade” 4.ª notícia: “Marcelo Rebelo de Sousa adiantou que Miguel Relvas já não devia ser ministro” 5.ª notícia: “Bagão Félix acusou o Governo de querer acabar com a Segurança Social” 6.ª notícia: “Marques Mendes considerou o Orçamento um roubo à mão armada” Algumas afirmações podem nem ser desse dia, mas juntas umas às outras contribuem para produzir mais efeito e ninguém dá por isso. Há pessoas a dizer que já não ouvem os telejornais e evitam ler jornais. Umas por acharem que somos tendenciosos, outras por já não terem paciência para as notícias negativas ou por entenderem que os noticiários só contribuem para a depressão. É lá com elas.

Para lá de tudo isto, consideramos que o Governo está a arruinar o país, pelo que o seu derrube é uma tarefa patriótica que urge levar a cabo quanto antes. Um verdadeiro ‘serviço público’ Nós achamos que as más notícias vendem mais, sobretudo quando as pessoas andam revoltadas com o Governo. Além disso, nós também não gostamos deste Governo e faremos o que for possível para o fragilizar. Porquê? 1 – Porque, sendo nós maioritariamente de esquerda, estaremos sempre contra governos de direita. 2 – Porque o Governo anunciou a intenção de privatizar a RTP, o que desagradou a todos nós: os da RTP não querem naturalmente ser privatizados, os da SIC e os da TVI acham com razão que a existência de mais um canal privado lhes vai roubar audiências e publicidade.

3 – Porque, ao contrário de outras alturas, nós também somos directamente afectados por esta política – seja pelo aumento dos impostos, seja pela perda de subsídios, seja pelas ameaças de despedimento. Ora, enquanto outras classes profissionais têm de protestar na rua (como os polícias) ou fazer greves (como os estivadores), nós, os jornalistas, temos os jornais, as rádios e as TVs para protestarmos. Para lá de tudo isto, consideramos que o Governo está a arruinar o país, pelo que o seu derrube é uma tarefa patriótica que urge levar a cabo quanto antes. Um verdadeiro ‘serviço público’. Nesta medida, não nos consideramos obrigados a ser independentes, nem a ser rigorosos, nem a cumprir o código deontológico. Achamos que todas as armas são legítimas para fazer cair um Governo ilegítimo. Consideramos que, neste caso, os meios justificam os fins. Exultamos ao ouvir Mário Soares dizer que é preciso correr com esta gente quanto antes – e temos um especial gozo em pô-lo a abrir os telejornais. Pensamos que isso só nos fica bem.

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Cecilia Lin; Joana Freitas; José C. Mendes; Rita Marques Ramos Colaboradores António Falcão; António Graça de Abreu; Fernando Eloy; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Carlos M. Cordeiro; Correia Marques; David Chan; Gonçalo Alvim; Helder Fernando; Jorge Rodrigues Simão; José Pereira Coutinho, Leocardo; Maria Alberta Meireles; Mica Costa-grande; Paul Chan Wai Chi; Vanessa Amaro Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


quarta-feira 21.11.2012

www.hojemacau.com.mo

Desemprego entre a população activa de Macau é de 2%

A taxa de desemprego em Macau é de dois por cento, de acordo com dados oficiais hoje divulgados, que indicam ainda um aumento de dois por cento na população activa no terceiro trimestre para 351 mil pessoas. De acordo com os mesmos dados divulgados pelos Serviços de Estatística e Censos, apesar de a taxa de actividade ter caído 0,6 pontos percentuais para 72,2%, apurados entre Julho e Setembro de 2012 contra o mesmo período do ano passado, a taxa de desemprego caiu 0,7 pontos percentuais e a taxa de subemprego 0,2 pontos percentuais para, respectivamente, 2% e 0,8%. Entre os 7.000 desempregados, 20,8% estavam à procura do primeiro emprego. Nos dados agora divulgados afere-se também que 26,4% dos empregados estavam ligados a actividades culturais e recreativas, lotarias e outros serviços, 15,8% a hotéis, restaurantes e similares, 12,1% ao comércio por grosso e a retalho e 9,4% à construção. Excluindo os trabalhadores não residentes - pessoas autorizadas a permanecer em Macau por um determinado período para prestarem um determinado trabalho impossível de satisfazer com recurso à mão de obra local -, a população activa foi calculada em 270.000 pessoas, das quais 263.000 estavam empregadas correspondendo assim a uma taxa de desemprego de 2,6% entre os titulares de direito de residência, menos 0,8 pontos percentuais do que o apurado no terceiro trimestre de 2011.

cporaSteff r t o on

Comércio a retalho em Macau sobe 13%

BAN KI-MOON EM JERUSALÉM

EUA tornaram-se o maior mercado da China

Europa destronada

O

S Estados Unidos tornaram-se este ano o maior mercado das exportações chinesas, ultrapassando a União Europeia, anunciou hoje o porta-voz do ministério chinês do Comércio, Shen Danyang. “O maior [mercado] é os Estados Unidos e a União Europeia é o segundo. A União Europeia costumava ser o maior”, disse o porta-voz. Pelas contas da Administração das Alfândegas da China,

nos primeiros dez meses de 2012, as exportações chinesas para os Estados Unidos somaram 2,3 biliões de patacas e para a União Europeia 2,2 biliões de patacas. “Este ano a situação económica internacional tem sido grave e complexa. Tem havido muitas incertezas, a mais severa das quais foi uma fraca da procura externa”, comentou o porta-voz. O comércio externo chinês cresceu apenas 6,3% entre Ja-

neiro e Outubro, aquém da meta de 10 % apontada pelo governo. As exportações para o Japão, que era o terceiro maior mercado da China, somaram só 978 mil milhões de patacas, menos 301 mil milhões de patacas do que para a ASEAN (Associação das Nações do Sudeste Asiático), que antes estava no quarto lugar. Nos últimos três anos, a China tornou-se o maior exportador e a segunda economia mundiais, à frente da Alemanha e do Japão.

PSY vai estar em Macau no dia 29 Reforço de cooperação militar ibérica

Portugal e Espanha vão estudar o desenvolvimento de capacidades militares em conjunto ao nível da União Europeia e da NATO, segundo decidiram os ministros da Defesa português e espanhol reunidos, esta terça-feira, em Madrid. De acordo com o DN, este será um dos pontos a integrar a declaração final da reunião José Pedro AguiarBranco e Pedro Morenés, que revela um avanço no processo de consultas bilaterais, ao nível político e militar - na sequência do que foi decidido na última Cimeira LusoEspanhola, realizada no Porto em Maio deste ano. Além da NATO e da União Europeia, a cooperação entre Portugal e Espanha na área da Defesa abrange também a chamada “Iniciativa 5+5”, que junta Estados europeus e africanos do Mediterrâneo.

E

STÁ confirmado. O rapper do momento PSY vai fazer a sua primeira aparição em Macau no Club Cubic no próximo dia 29 , quinta-feira. O autor do estrondoso sucesso “Gangnam Style” vai apresentar-se em Macau com o cunho do City of Dreams e a informação sobre o preço dos bilhetes será divulgada no próximo dia 21, quarta-feira, na página oficial do Club Cubic no Facebook. “Gangnam Style” foi lançado em Julho e faz paródia ao estilo de vida dos habitantes de Gangnam, a zona mais luxuosa e rica da capital da Coreia do Sul, Seul. Psy, ou Park Jae-sang, veste roupas extravagantes e junta ao vídeo mulheres bonitas, carros de marca e cavalos. Danças ousadas e pouco habituais para os videoclipes coreanos – já que mais de metade da coreografia imita uma personagem a cavalgar no ar – fizeram com que o vídeo fosse o mais do YouTube com quase oitocentas milhões de visualizações, em quatro meses.

Os negócios do comércio a retalho em Macau aumentaram 13% no terceiro trimestre em relação ao trimestre homólogo de 2011 para um total de 12,45 mil milhões de patacas (1,22 mil milhões de euros), foi ontem anunciado. Dados relativos ao comércio a retalho de Macau indicam também que os aumentos mais consideráveis verificaram-se nas categorias de “mercadorias de farmácia” e “mercadorias de supermercado”, mais 18%, e “relógios e joalharia” e “combustíveis para veículos a motor”, com mais 12%. No trimestre em análise, os produtos como “relógios e joalharia” representaram 28% das vendas do comércio a retalho com 3,55 mil milhões de patacas (347,8 milhões de euros), enquanto as “mercadorias de armazéns e quinquilharias” tiveram um peso de 15%, os “artigos de couro” de 11%, “vestuário para adultos” de 9%, “automóveis” 7% e “mercadorias de supermercado” 7%. Apesar do crescimento homólogo face a 2011, as vendas do terceiro trimestre caíram 3% face aos três meses terminados em Junho deste ano, em que o comércio a retalho efectuou vendas de 12,82 mil milhões de patacas (1,25 mil milhões de euros), uma queda potenciada pela diminuição de 14% nas vendas de “relógios e joalharia” e de 12% de “automóveis”. Macau é uma região administrativa especial da China desde 20 de Dezembro de 1999 e tem a sua economia muito dependente do turismo e diversões, essencialmente do sector do jogo, às quais o comércio a retalho está indirectamente associado.

Míssil atinge Jerusalém

Um míssil terá caído em Jerusalém, esta terça-feira, minutos depois de terem soado as sirenes de aviso de ataque. De acordo com a televisão israelita, citada pela Reuters, não há registo de feridos uma vez que o “rocket” terá atingido uma zona não habitada. Entretanto, Israel terá decidido adiar, provisoriamente, avançar com uma incursão terrestre na Faiza de Gaza, para dar tempo às negociações obre o cessar-fogo, numa altura em que a crise israelo-palestiniana já provou mais de 100 vítimas mortais. “Foi tomada a decisão de suspender provisoriamente qualquer projecto de ofensiva terrestre para dar hipótese de êxito aos esforços diplomáticos”, disse um alto responsável israelita, que pediu o anonimato, citado pela AFP. Esta decisão ainda não foi anunciada oficialmente e terá saído de uma reunião do governo israelita que, segunda-feira à noite, analisou uma proposta do Egipto para uma trégua com o Hamas, segundo a imprensa israelita.


Hoje Macau 21 NOV 2012 #2739