Page 1

MOP$10

SEGUNDA-FEIRA 20 DE NOVEMBRO DE 2017 • ANO XVII • Nº 3938 SOFIA MARGARIDA MOTA

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

CIDADE INTELIGENTE

Presos na rede

Julgamento adiado A importância das ideias h VALÉRIO ROMÃO

PÁGINA 5

PUB

hojemacau

Emoções mistas A 64.ª EDIÇÃO DO GP DE MACAU CHEGOU AO FIM MARCADA POR SENTIMENTOS DISTINTOS: A EMOCIONANTE CORRIDA DE F3 QUE CONSAGROU DANIEL TICKTUM E O TRÁGICO ACIDENTE QUE VITIMOU DANIEL HEGARTY

ESPECIAL GP

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

GCS

GRANDE PLANO

CASO SULU SOU


2 grande plano

Durante a apresentação das Linhas de Acção Governativa para 2018, Chui Sai On reiterou dois dos objectivos mais mencionados nos últimos anos: a construção da cidade inteligente e a diversificação económica, sem muitas medidas concretas de real impacto no tecido socio-económico. Entretanto, o preço e a fraca qualidade do acesso à internet estrangulam a competitividade das empresas locais, forçando-as a procurar serviços no exterior

20.11.2017 segunda-feira

ANÁLISE

INTERNET CARA E MÁ COMPLICA CRIAÇÃO DE TERRITÓRIO INTELIGENTE E INOVADOR

Q

U EM em Macau nunca se exaltou e ficou a berrar com o telemóvel por uma chamada de WhatsApp cair devido a má ligação? É uma constante, assim como a velocidade de upload e download que por vezes atingem limites exasperantes. Quando o cliente é uma empresa, especialmente do ramo das altas tecnologias, a questão pode representar não só perda de competitividade como a perda do lugar num mercado de concorrência implacável. Aquando da apresentação das Linhas de Acção Governativa (LAG), Chui Sai On prometeu empenho “na promoção das participação das pequenas e médias empresas e dos residentes, especialmente dos jovens, do pessoal técnico e de gestão e dos profissionais no aperfeiçoamento da construção de software e hardware”. O compromisso prestado perante os deputados não é novo e tem como objectivo “estimular uma cultura inovadora e aumentar a capacidade empreendedora e de emprego dos residentes” no processo de construção da cidade inteligente. A ideia é boa. Apostar na inovação para contornar a notória dependência do tecido económico local da indústria do jogo e turismo. Outro chavão muito ouvido é a busca de talentos nas mais variadas áreas. Sendo que o sector da alta tecnologia é uma das apostas mais óbvias para prosseguir as metas pretendidas. Nesse domínio, Jorge Valente, candidato a deputado pela lista de Melinda Chan e empresário do sector das altas tecnologias, reconhece a boa vontade do Executivo, porém admite que “não se passa disso”. O macaense entende que a formação há muito que não é suficiente, assim como os incentivos nos primeiros instantes de vida de uma empresa, especialmente do ramo das tecnologias da informação. A diversificação económica acaba por ficar pelo caminho quando um jovem se forma nestas áreas, por mais talentoso que seja, tendo em conta a segurança dada por um emprego no ramo da hotelaria, ou

CIDADE numa concessionária de jogo. A remuneração é boa, com francas oportunidades de crescimento numa carreira que não enfrenta os riscos de um negócio começado de raiz. “Criar uma start-up em Macau, onde os custos são altos e a probabilidade de sucesso é mais baixa do que nos países e zonas vizinhas, é muito arriscado. Claro que os jovens vão trabalhar num hotel ou casino, em vez de arriscarem criar uma empresa num ramo onde as probabilidades de sucesso são menores”, explica Jorge Valente.

“Macau tem todas as condições para fazer um brilharete a todos os níveis, nomeadamente neste, porque há dinheiro, não faltam investidores para projectos, mas acabamos sempre por fazer mais tarde do que os outros.” RUI PEREIRA EMPRESÁRIO

O empresário entende que o talento que fica por Macau é residual, apesar da educação subsidiada pelo Governo, quando é natural que “uma pessoa que tenha uma boa ideia na área das altas tecnologias decida ir para Silicon Valley, Inglaterra, ou Lisboa, que está com um bom ambiente para startups”. Neste domínio existem medidas pouco concretas em termos de objectivos claros nas LAG como, por exemplo, “apoiar as organizações de jovens empreendedores de Zhuhai, Macau e Portugal no


segunda-feira 20.11.2017

OFFLINE “Criar uma start-up em Macau, onde os custos são altos e a probabilidade de sucesso é mais baixa do que nos países e zonas vizinhas, é muito arriscado. Claro que os jovens vão trabalhar para um hotel ou num casino.” “A electricidade é mais cara, telecomunicações mais caras, velocidade e qualidade menor. Quando estamos no mundo competitivo de empresas isto é incomportável e Macau acaba sempre por ficar atrás.” JORGE VALENTE EMPRESÁRIO

estabelecimento de ligações e no reforço da parceria para as startups das três partes”.

À ESPERA DE REDE

Tendo em conta as idiossincrasias da economia de Macau, torna-se mais fácil abrir uma empresa do sector tecnológico nos ramos económicos tradicionais, como a restauração, as agências de viagem, ou outros domínios turísticos. Mas para quem tem o seu negócio na internet, a fraca qualidade prestada pode fazer a diferença num mundo altamente competi-

tivo. Ignacio Valls, o fundador da Honect, uma empresa de marketing digital que também cria websites, confessa que já teve o seu negócio mais afectado pela velocidade da

“Em Macau não há escolhas em termos de fornecedor, ou seja, a CTM é como o Governo.” IGNACIO VALLS EMPRESÁRIO

internet. Hoje em dia é suficiente para o tipo de trabalho que desenvolve. Porém, não tem papas na língua ao afirmar que “em Macau não há escolhas em termos de fornecedor, ou seja, a CTM é como o Governo”. O empresário revela que mesmo que uma empresa queira fazer o seu próprio servidor, isso não é permitido. O dono da Honect explica ainda que apesar de Macau ter um regime fiscal atractivo para o empreendedorismo, esse requisito também existe em Hong Kong, onde o serviço é muito melhor. Daí não ter dúvida de que “a fraca qualidade da internet não permite que Macau seja atractivo para negócios”. Outro empresário do ramo da alta tecnologia, que não se quis identificar, confessa que costuma dizer que “um dos problemas mais graves que a sua empresa tem chama-se CTM”.

Também neste domínio, as promessas do Chefe do Executivo foram reiteradas durante a apresentação das LAG para 2018. “Iremos reforçar a supervisão dos serviços de telecomunicações, garantir a qualidade das redes e ampliar a área coberta pelas redes sem fio”, afirmou Chui Sai On perante os deputados. O dirigente máximo da RAEM reiterou que pretende “acelerar a elaboração do plano de desenvolvimento a longo prazo para o sector das telecomunicações, actualizando os respectivos diplomas legais e regulamentando a emissão e renovação de licenças”.

PREÇOS ALTOS

Outra das promessas anunciadas por Chui Sai On nas linhas mestras para os dois anos que restam da sua governação é a intensificação do desenvolvimento científico e tecnológico e o “incentivo à exploração de aplicações para dispositivos móveis inteligentes”. Rui Pereira é um empresário que desenvolve aplicações, essencialmente “web based”. A fraca qualidade de internet afecta o negócio dos seus clientes devido à perda de performance, o que “é absolutamente dramático”. Ainda assim, o gerente admite que na maior parte das vezes os clientes têm consciência de que o problema está mesmo na internet. Actualmente, Rui Pereira não se queixa do serviço, por conseguir desenvolver a sua actividade e por poder contar com a compreensão dos clientes. No entanto, há serviços que não consegue ter no território, nomeadamente ao nível de hosting. “Tenho de recorrer ao exterior porque não os consigo obter aqui, já para não falar que quando tento obter esses serviços em Macau os preços disparam de forma inacreditável”. Rui Pereira não é, nem por sombras, o único empresário a passar por esta situação. Aliás, mesmo no domínio privado quem compra um pacote de internet de fibra, com a garantia de 300 Mb/segundo está longe de obter

grande plano 3

a performance de internet que comprou. No entanto, o consumidor não pode simplesmente anular o serviço e procurar outro fornecedor de internet… porque não há. Para as empresas a qualidade não é o único problema. “As pessoas individuais não notam, porque os preços são ligeiramente mais caros mas aceitáveis. Mas para empresas é, para aí, 500 ou 1000 por cento mais caro do que em Hong Kong e na China”, revela Jorge Valente. Esta é a principal razão pela qual a JV-Tech, tem todos os seus servidores fora de Macau. “Pelo preço que se paga nem vale a pena considerar”. Sempre que o empresário tem um projecto novo, ou um trabalho em que o cliente tenha requisitos especiais, Jorge Valente pondera “se é mais viável pôr na China, Hong Kong, Singapura ou Tóquio”.

OPORTUNIDADE DESPERDIÇADA

Jorge Valente vai mais longe ao considerar que todo o esforço para diversificar a economia acaba por esbarrar nas coisas mais básicas. “A electricidade é mais cara, telecomunicações mais caras, velocidade e qualidade menor, quando estamos no mundo competitivo de empresas isto é incomportável e Macau acaba sempre por ficar atrás”, conta. Aos poucos, são dados passos tímidos em direcção à tal cidade inteligente. “Vão-se fazendo umas coisinhas, mas muito pouco”, comenta Rui Pereira. O empresário acrescenta ainda que “Macau tem todas as condições para fazer um brilharete a todos os níveis, nomeadamente neste, porque há dinheiro, não faltam investidores para projectos, mas acaba-se sempre por fazer mais tarde que os outros”. A acção começa tarde e sempre para correr atrás do prejuízo e apanhar um comboio que já passou. De acordo com dados do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial, no ano passado Macau era o terceiro território do mundo com maior produto interno bruto per capita, tendo em conta a paridade com o poder de compra. Trocado por miúdos, um dos territórios mais ricos do planeta, apenas superado pelo Qatar e Luxemburgo. A oportunidade económica trazida pela liberalização do jogo e o superávit dos cofres do Executivo deveriam permitir contornar os obstáculos mais básicos com que os empresários locais se defrontam no dia-a-dia. Talvez a busca de talentos se deva fazer ao mais alto nível. João Luz

info@hojemacau.com.mo


4 política

20.11.2017 segunda-feira

RENDIMENTOS DEPUTADO DE JIANGMEN SOMA PARTICIPAÇÕES EM ASSOCIAÇÕES

O associativista Zheng SOFIA MARGARIDA MOTA

Desde que foi eleito deputado, nos finais de 2013, Zheng Anting juntou-se a 71 associações locais, uma média de uma por mês. O deputado tem ainda 11 estacionamentos em seu nome para uso próprio

D

ESDE que se tornou deputado, a 16 de Outubro 2013, Zheng Anting juntou-se a 71 associações locais, o que dá uma média superior a uma associação por mês. A revelação é feita na declaração de rendimentos do deputado, que foi assinada a 20 de Outubro, deste ano. Em Janeiro de 2014, quando entregou a primeira declaração de rendimentos, Zheng era vice-presidente na Associação dos Conterrâneos de Kong Mung e vice-presidente da “Associação Inspirador Juventude de Macau”. Eram as únicas associações de que fazia parte. No entanto, com a sua eleição tudo mudou e, em vários casos, Zheng Anting chegou mesmo à posição de presidente. É o que acontece desde Outubro de 2013, altura em que tomou posse como deputado. Só nesse mês, o membro da Assembleia Legislativa passou a ser presidente daAssociação de Debates de Macau e daAssociação Ou Mun In Gong U Hao Choi (tradução fonética).

N

G Kuok Cheong e Au Kam San submeteram à Assembleia Legislativa (AL) um pedido de audição relativamente à responsabilização dos governantes após a passagem do tufão Hato, o pior em mais de meio século. A AL aprovou, na semana passada, a proposta de realização de um debate de interesse público – ainda não agendado – sobre “a efectivação das responsabilidades dos governantes”, mas Ng Kuok Cheong e Au Kam San entendem não ser suficiente.

postos em associações, por outro, ficou sem duas fracções habitacionais. Actualmente Zheng tem cinco casas em seu nome, das quais três são para uso próprio e duas para arrendar. Quatro ficam em Macau e uma no Interior da China. Em 2014, Zheng tinha declarado a posse de sete fracções habitacionais, todas para utilização própria, das quais cinco eram em Macau e duas no Interior da China. Em termos das lojas, o deputado de Jiangmen tem dez em seu nome, o mesmo número do que no passado. Contudo, actualmente tem sete desses espaços arrendados, quando em 2014 só tinha seis. Seis das lojas são em Macau e quatro ficam no Interior da China. Finalmente Zheng Anting tem 11 lugares de estacionamento, todos na RAEM e para uso próprio. No que diz respeito à participação em empresas, Zheng é proprietário, a 100 por cento, da Agência Comercial Chon Fong. O deputado detém ainda 40 por cento da Companhia de Investimento Internacional Seong Kam, sendo membro da administração. Os nomes das duas empresas estão traduzidos de forma fonética para português.

AU KAM SAN SEM PATRIMÓNIO

Mais três meses passados, e Zheng assumiu a presidência de outros dois movimentos associativos, neste caso da Associação dos Jovens de Macau Oriundos de Jiangmen e da Comissão Responsável pelos assuntos do Grupo 34 da Associação dos Escoteiros de Macau. Também a partir de Agosto de 2016, o deputado de Jiangmen passou a ser o vice-presidente da Associação dos Veteranos de Fute-

Actualmente Zheng Anting tem cinco casas em seu nome, das quais três são para uso próprio e duas para arrendar. Quatro ficam em Macau e uma no Interior da China

bol de Macau e vogal da Comissão de Apreciação Relativa ao Plano de Apoio a Jovens Empreendedor. Além das posições referidas, o deputado assumiu cargos de consultor, presidente, membro, alguns dos quais na condição de honorário, de mais outras 65 associações.

MENOS CASAS

Se por um lado, o número dois de Mak Soi Kun acumulou vários

Depois da tempestade

Deputados pedem responsabilização política sobre actuação no tufão Hato

Para que “o presente debate de interesse público seja eficazmente realizado é necessário esclarecer a veracidade de uma série de questões, por isso, há que apresentar, em simultâneo, uma proposta de audição, solicitando que seja constituída uma comissão especializada e convocadas as figuras relacionadas” com o caso para “prestarem

esclarecimentos”, diz a nota justificativa do pedido de audição, entretanto já admitido pela Assembleia Legislativa (AL). Entre as figuras que Ng e Au pretendem convocar constam o Chefe do Executivo, a secretária para a Administração e Justiça, o secretário para os Transportes e Obras Públicas e o actual e o anterior director

dos Serviços Meteorológicos e Geofísicos (SMG). “O tufão Hato devastou a RAEM [Região Administrativa Especial de Macau], aliás, foi um desastre que causou dez mortos, centenas de feridos, levando à suspensão do abastecimento de água e de electricidade em amplas zonas, com consequentes dificuldades e sofrimento para a vida da

Outro deputado que também apresentou a declaração de rendimentos foi Au Kam San, pró-democrata. No que diz respeito ao património e participação em empresas, Au não tem qualquer alteração, continuando sem nada a declarar, como aconteceu em 2013. Em relação à participação em associações, o pró-democrata está agora menos participativo ocupando os cargos de presidente da União para o Desenvolvimento da Democracia e de vice-presidente da Assembleia Geral da Iniciativa de Desenvolvimento Comunitário de Macau. Antes, Au Kam Sam participava em mais duas associações do que as referidas.

população”, sublinham os deputados na nota justificativa, sem esquecer ainda os “prejuízos significativos”.

À ESPERA DE RESPOSTAS

“O público suspeita que o Conselho para o Tratamento de Incidentes Imprevistos, liderado pelo Chefe do Executivo, e a Direcção dos Serviços Meteorológicos e Geofísicos (…) falharam nas suas responsabilidades no que respeita à referida catástrofe, nomeadamente no respectivo aviso, prevenção e salvamento”, lê-se

João Santos Filipe (com V. N.)

joaof@hojemacau.com.mo

na missiva, admitida pelo hemiciclo, mas igualmente por agendar. “Como é que vai ser implementada, de forma concreta, a efectivação das responsabilidades dos governantes? Ou será que se vai evitar as responsabilidades e empurrá-las?”, referem os deputados, questionando ainda se houve “falhas graves” ou “decisões altamente controversas” ou se “só um governante é que falhou”. “Tudo isto tem de ser concretamente esclarecido”, frisam.


política 5

Reunificação pacífica Joey Lao eleito presidente de associação

Segundo o jornal Ou Mun, o Conselho Regional de Macau para a Promoção da Reunificação Pacífica da China realizou uma assembleia geral, onde foi eleita a nova direcção da associação. O deputado nomeado Joey Lao é o presidente da associação, tendo dito que o conselho vai apreender as ideias do 19o congresso do Partido Comunista Chinês, tendo como orientação o pensamento do presidente Xi Jinping sobre o socialismo com características chinesas. Joey Lao disse ainda que vão trabalhar no sentido de aproveitar as vantagens de Macau, iniciar os trabalhos contra a independência das duas regiões administrativas especiais e impulsionar a unificação com a China. Edmund Ho, Susana Chou, Ho Iat Seng e Stanley Ho são presidentes honorários. O deputado Chui Sai Cheong foi eleito presidente da assembleia-geral.

SOFIA MARGARIDA MOTA

segunda-feira 20.11.2017

Economia Angela Leong pede museu do jogo

A deputada Angela Leong juntou-se aos membros da lista com que se candidatou às eleições legislativas, William Kuan e Arnaldo Ho, e reuniu com o secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong. Segundo um comunicado, a deputada sugeriu a criação de um museu do jogo, para que mostrem os jogos tradicionais da China, a história do desenvolvimento do jogo em Macau e as mudanças que o sector trouxe à sociedade. Além disso, Angela Leong considera que o território deveria ter um parque temático semelhante ao “Universal Studios”, para enriquecer os recursos turísticos. A deputada lembrou ainda que existe insuficiência de terrenos e de recursos humanos.

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA PEDIDO REFORÇO DE APOIOS

A

deputada Wong Kit Cheng entregou uma interpelação escrita ao Governo onde diz ser necessário um esforço dos apoios adicionais em casos de violência doméstica, bem como aumentar o nível de assistência aos vítimas, para que estas possam voltar a ter uma vida normal. A título de exemplo, Wong Kit Cheng disse ser necessário ter em consideração apoios posteriores à detecção dos casos, como uma maior assistência às vítimas, mais cuidados prestados aos menores e a criação de serviços de aconselhamento para os agressores. Wong Kit Cheng afirma que tem vindo a receber queixas de muitas mulheres que afirmam não ter apoios suficientes em termos económicos,

de alojamento e de aconselhamento. Muitas terão optado por manter um casamento com violência, uma vez que, com o divórcio, são obrigadas a sair de Macau e têm de se afastar dos filhos. A deputada frisa, portanto, que não basta contar com uma revisão da actual lei a cada três anos, sendo necessário avançar com mais medidas de assistência às vítimas. Wong Kit Cheng revelou também estar preocupada com a falta de recursos humanos nesta área, pois este factor pode influenciar a qualidade dos serviços oferecidos às vítimas de violência doméstica. Nesse sentido, a deputada deseja saber quais as medidas que estão a ser adoptadas tendo em conta os trabalhadores.

CASO SULU SOU TRIBUNAL CANCELA DATA DE JULGAMENTO

Decisões em banho-maria

O Tribunal Judicial de Base decidiu adiar o início do julgamento do deputado Sulu Sou e do activista Scott Chiang marcado para o dia 28 deste mês. A nova data será decidida depois da Assembleia Legislativa se pronunciar sobre uma eventual suspensão de mandato

O

deputado Sulu Sou e o activista Scott Chiang, ex-presidente daAssociação Novo Macau, já não vão comparecer perante os juízes no próximo dia 28, como estava marcado. Segundo um comunicado, o Tribunal Judicial de Base (TJB) decidiu anular a data do início do julgamento depois da Comissão de Regimento e Mandatos da Assembleia Legislativa (AL) ter decidido sobre uma eventual suspensão do mandato de Sulu Sou como deputado. “Atendendo à agenda da AL, que já tinha sido marcada para estes dias e, ao mesmo tempo, considerando que não será gravemente afectado o primeiro arguido do mesmo processo devido à espera da decisão da AL, [o TJB] decide cancelar a data inicialmente marcada para a audiência de julgamento”, pode ler-se.

A nova data só será decidida num “momento posterior”, depois “da AL decidir sobre a mencionada questão”. De frisar que a Comissão de Regimento e Mandatos finaliza hoje o parecer sobre esta matéria, não estando, para já, agendado o plenário em que será votada

“O crime de que sou acusado não é um crime que tenha grave impacto para o interesse público. Não é, por exemplo, um crime de corrupção, prevaricação ou criminalidade organizada.” SULU SOU DEPUTADO

a continuação ou a saída de Sulu Sou do hemiciclo. Sulu Sou está acusado do crime de desobediência qualificada no âmbito de um protesto organizado contra o donativo concedido pela Fundação Macau à Universidade Jinan, no continente. Numa carta assinada pelo deputado, este recorda que, à data da ocorrência dos acontecimentos de que é acusado, “ainda não tinha prestado juramento nem tomado posse”. “O crime de que sou acusado não é um crime que tenha grave impacto para o interesse público. Não é, por exemplo, um crime de corrupção, prevaricação ou criminalidade organizada”, lembrou. O deputado pede mesmo clemência dos seus colegas. “Com vista a defender a independência e a dignidade desta Assembleia, e assegurar que os deputados exerçam as suas funções de forma livre e pública, espe-

ro que todos os deputados tomem a decisão de não suspender o meu mandato.”

AU KAM SAN PRONUNCIA-SE

Na sua página de Facebook, o deputado Au Kam San, também ligado ao campo pró-democrata, explicou que o parecer que será hoje assinado “não contem opiniões tendenciosas sobre a suspensão do mandato de Sulu Sou”. O deputado, que pertence à Comissão de Regimento e Mandatos, escreveu ainda que “tendo em conta a estrutura da comissão, seria óbvio que qualquer resultado teria uma visão tendenciosa”. Para Au Kam San, este caso revela a ocorrência de uma “pressão política no exercício dos direitos civis”, tendo lembrando que, com o actual Executivo, o Ministério Público (MP) “passou a acusar frequentemente os manifestantes, quer no caso dos Filhos Maiores, quer nos lesados do Pearl Horizon”. O deputado, que está também a ser alvo de uma investigação após queixa por difamação apresentada pelo secretário Raimundo do Rosário, recordou que, num incidente de 2013, “nenhum manifestante foi acusado pelo MP, apesar de terem ocorrido confrontos físicos com a polícia após uma manifestação, quando os participantes estavam a caminho da sede do Governo”. Na visão de Au Kam San, é “inaceitável o exercício do Governo no combate aos direitos dos cidadãos”, revelando estar contra uma possível perda de mandato. Algo que, a acontecer, se deverá a uma “pressão política” por parte das autoridades. Andreia Sofia Silva e Vitor Ng info@hojemacau.com.mo


6 publicidade

20.11.2017 segunda-feira

Aviso Considerando que não se revela possível notificar directamente os interessados, por ofício, telefone ou outros meios, para efeitos de prosseguimento das respectivas decisões administrativas, nos termos dos artigos 68° e 72° do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei nº 57/99/M, de 11 de Outubro. Nos termos da alínea 10) do artigo 10º do Regulamento Administrativo nº 32/2001 e no uso das competências conferidas pelo Conselho de Administração e constantes da Proposta de Deliberação nº 01/PDCA/2017, de 17 de Fevereiro, publicada no B.O. nº 9, II série, de 01 de Março de 2017, o Presidente do Conselho de Administração, José Tavares proferiu, em 03 de Novembro de 2017, o despacho no sentido de notificar os interessados que ocupam ilegalmente o terreno, sito na Estrada de D. João Paulino, de que devem proceder à remoção da referida construção ilegal, no prazo de 30 (trinta) dias, a contar da data da publicação deste aviso, nos termos do artigo 6º do Regulamento Geral dos Espaços Públicos, aprovado pelo Regulamento Administrativo nº 28/2004 e do nº 1 do artigo 144º do Código do Procedimento Administrativo, caso contrário, o IACM procederá à sua remoção. Caso os interessados não cumpram as suas obrigações no prazo determinado, o IACM procederá, nos termos e para os efeitos do nº 2 do artigo 144º do Código do Procedimento Administrativo, à execução directa de tal tarefa, ficando neste caso todas as despesas por conta dos interessados. Segundo as disposições do artigo 149º e do nº 2 do artigo 155º do Código do Procedimento Administrativo, os interessados poderão apresentar, a partir do dia seguinte ao da publicação deste aviso, reclamação junto do Presidente do Conselho de Administração dentro do prazo de 15 (quinze) dias e/ou recurso hierárquico facultativo junto do Conselho de Administração, no prazo de 30 (trinta) dias. Por último, os interessados poderão ainda apresentar recurso contencioso junto do Tribunal Administrativo, dentro do prazo de 30 (trinta) dias, definido pelo artigo 25º do Código do Processo Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto-Lei nº 110/99/M, de 13 de Dezembro. Macau, aos 20 de Novembro de 2017. O Administrador do Conselho de Administração Mak Kim Meng WWW. IACM.GOV.MO

Aviso Considerando que não se revela possível notificar directamente os interessados, por ofício, telefone ou outros meios, para efeitos de prosseguimento das respectivas decisões administrativas, nos termos dos artigos 68° e 72° do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei nº 57/99/M, de 11 de Outubro. Nos termos da alínea 10) do artigo 10º do Regulamento Administrativo nº 32/2001 e no uso das competências conferidas pelo Conselho de Administração e constantes da Proposta de Deliberação nº 01/PDCA/2017, de 17 de Fevereiro, publicada no B.O. nº 9, II série, de 01 de Março de 2017, o Presidente do Conselho de Administração, José Tavares proferiu, em 03 de Novembro de 2017, o despacho no sentido de notificar os interessados que ocupam ilegalmente o terreno, sito na Escada da Árvore, de que devem proceder à remoção da referida construção ilegal, no prazo de 30 (trinta) dias, a contar da data da publicação deste aviso, nos termos do artigo 6º do Regulamento Geral dos Espaços Públicos, aprovado pelo Regulamento Administrativo nº 28/2004 e do nº 1 do artigo 144º do Código do Procedimento Administrativo, caso contrário, o IACM procederá à sua remoção. Caso os interessados não cumpram as suas obrigações no prazo determinado, o IACM procederá, nos termos e para os efeitos do nº 2 do artigo 144º do Código do Procedimento Administrativo, à execução directa de tal tarefa, ficando neste caso todas as despesas por conta dos interessados. Segundo as disposições do artigo 149º e do nº 2 do artigo 155º do Código do Procedimento Administrativo, os interessados poderão apresentar, a partir do dia seguinte ao da publicação deste aviso, reclamação junto do Presidente do Conselho de Administração dentro do prazo de 15 (quinze) dias e/ou recurso hierárquico facultativo junto do Conselho de Administração, no prazo de 30 (trinta) dias. Por último, os interessados poderão ainda apresentar recurso contencioso junto do Tribunal Administrativo, dentro do prazo de 30 (trinta) dias, definido pelo artigo 25º do Código do Processo Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto-Lei nº 110/99/M, de 13 de Dezembro. Macau, aos 20 de Novembro de 2017. O Administrador do Conselho de Administração Mak Kim Meng WWW. IACM.GOV.MO


sociedade 7

segunda-feira 20.11.2017

D

E tudo se ouviu na primeira sessão de consulta pública sobre a implementação do salário mínimo para todas as profissões. Representantes do patronato defenderam, por exemplo, que o salário mínimo não deve ir além dos sectores da limpeza e da segurança porque há empregados mais preguiçosos do que outros ou porque há diferentes formas de cálculo consoante os sectores. José Tang, empresário do sector têxtil, dos poucos que ainda possuem fábricas no activo em Macau, lembrou que a generalização do salário mínimo pode levar a despedimentos no seio das cerca de mil pessoas que trabalham como seguranças em edifícios residenciais. “Vemos que muitos desses trabalhadores foram substituídos pelos trabalhadores não residentes (TNR), pois a maior parte dos trabalhadores são TNR e as empresas ainda têm lucro. Os locais não beneficiaram desta medida”, frisou. O empresário lembrou que “uma vez que se implemente plenamente o salário mínimo esses trabalhadores com mais de 60 anos podem ser despedidos”. “Num cenário de diversificação económica não é necessário implementar, na totalidade, o salário mínimo. Basta reverem a lei”, acrescentou José Tang. Contudo, os dados apresentados pela Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL) na sessão contrariam esta tendência negativa. Referindo-se aos seguranças dos edifícios, So Wing Young, técnico da DSAL, explicou que, antes da implementação do salário mínimo apenas para duas profissões, a média de idades era de 51 anos. A partir de 2016, ano em que a lei entrou em vigor, a média passou a ser de 52 anos. “Não existe qualquer alteração ao nível da idade. Há uma tendência para contratar trabalhadores mais jovens, mas não recebemos

SALÁRIO MÍNIMO PATRÕES CONTINUAM A NEGAR GENERALIZAÇÃO

Os irredutíveis

Os representantes do patronato continuam a estar contra a generalização do salário mínimo a todas as profissões, apesar dos números mostrarem que não houve um aumento significativo de despedimentos nos sectores da limpeza e da segurança quaisquer queixas em relação ao despedimento por causa da idade”, explicou. A subdirectora da DSAL, Ng Wai Han, lembrou que a implementação da lei, em 2016, trouxe uma “situação normal e não se tem verificado grandes falências”. “Não temos recebido muitos casos de despedimentos e não verificamos que foi por essa razão que os locais foram despedidos”, disse ainda. “Gostaríamos de encontrar uma solução aceite pela sociedade e não observar apenas o lado negativo do salário mínimo”, adiantou.

José Tang defendeu ainda que os trabalhadores da indústria têxtil deveriam ficar de fora desta proposta de lei, à semelhança do que já acontece com as empregadas domésticas e portadores de deficiência. “Os trabalhadores da indústria manufactureira também tem de estar isentos. Esta sociedade de mercado livre permite-nos ajustar o salário do trabalhador.”

MEDO DAS PME

Na sessão de consulta pública ouviram-se também muitos receios de futuras falências por parte das

Pequenas e Médias Empresas (PME), por não conseguirem suportar os ajustes de ordenado. “Se implementarmos esse actual regime, significa que os patrões vão

“Gostaríamos de encontrar uma solução aceite pela sociedade e não observar apenas o lado negativo do salário mínimo” NG WAI HAN SUBDIRECTORA DA DSAL

RECEITAS PÚBLICAS EXCEDEM ATÉ OUTUBRO O PREVISTO PARA TODO O ANO

A

S receitas públicas de Macau subiram 14,8 por cento até Outubro e atingiram 94.971 milhões de patacas, excedendo o orçamentado para todo o ano de 2017, indicam dados oficiais divulgados. De acordo com dados provisórios disponíveis no portal da Direcção dos Serviços de Finanças, a Administração de Macau fechou os primeiros dez meses

do ano com receitas totais de 94.971 milhões de patacas, traduzindo uma execução de 104,5 por cento. Os impostos directos sobre o jogo foram de 76.266 milhões de patacas, reflectindo um aumento de 17,4 por cento relativamente ao mesmo período do ano passado e uma execução de 106,1 por cento comparativamente ao orçamento autorizado para 2017.

A importância do jogo reflecte-se no peso que detém no orçamento: 80,3 por cento nas receitas totais, 80,4 por cento nas correntes e 91,9 por cento nas derivadas dos impostos directos. Já as despesas cifraram-se em 55.691 milhões de patacas nos primeiros dez meses do ano, menos 5,2 por cento em termos anuais homólogos, estando

cumpridas em 65,3 por cento. Nesta rubrica destacam-se os gastos ao abrigo do Plano de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração (PIDDA) que alcançaram 8.537 milhões de patacas, traduzindo um aumento de 158 por cento, mas uma execução de 56 por cento. Entre receitas e despesas, a Administração

de Macau acumulava até Outubro um saldo positivo de 39.279 milhões de patacas, um aumento de 64 por cento em relação aos primeiros dez meses do ano transacto. A almofada financeira excede em muito o previsto para todo o ano (5.567 milhões de patacas), com a taxa de execução a corresponder já a 705,5 por cento do orçamentado para o corrente ano de 2017.

despedir os empregados da terceira idade e das PME, além de que poderão haver falências. Sugiro ao Governo dar um subsídio aos trabalhadores com baixos rendimentos”, apontou Lei, representante da federação de fornecedores. Lei, outro representante das PME, acusou o Governo de estar a impor uma medida ao sector empresarial. “Ao legislar está a impor-nos algo, a limitar-nos, não haverá qualquer flexibilidade. Temos de fazer uma análise mais profunda e ouvir também as opiniões dos trabalhadores”, lembrou. A subdirectora da DSAL não negou que poderão existir impactos económicos com a generalização do salário mínimo, mas explicou que é por essa razão que a sua implementação está a ser feita de forma faseada. “Não podemos dizer aqui que não vai afectar a inflação ou a economia, há mesmo uma diferença. Mas qual é a sua envergadura? Temos, primeiro, de tratar do salário mínimo e ponderar sobre vários factores, como a protecção dos direitos e deveres das pessoas”, rematou Ng Wai Han. Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

Enlatados Produto com substância tóxica não existe em Macau

O Governo de Hong Kong publicou um comunicado que fala da existência de latas de peixe no mercado com uma substância tóxica no seu interior, de nome verde malaquita. Entretanto, o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) adiantou que, de acordo com dados das importações feitas nos últimos anos, esse produto não foi comercializado para Macau. A amostra que foi detectada com a substância tóxica teve origem no interior da China e é da marca “Pearl River Bridge”, contendo peixe frito com feijão preto salteado. A venda do produto já foi suspensa em Hong Kong. Ainda assim, o Centro de Segurança Alimentar do IACM alerta os consumidores sobre os perigos deste produto.


8 publicidade

20.11.2017 segunda-feira

Horário da desmontagem das barreiras metálicas do 64º Grande Prémio de Macau Com a conclusão e sucesso do 64º. Grande Prémio de Macau, a Comissão Organizadora agradece o apoio e cooperação prestada pela população de Macau ao evento, e informa-se que as obras de desmontagem das barreiras metálicas se iniciou logo após a conclusão do evento, e prevê-se a reabertura total do circuito no dia 30 de Novembro, com o seguinte programa de obras: Data

Hora

Local

(1) Desmontagem dos portões metálicos

20-23/11/2017

08:00 até 20:00

(2) Desmontagem das barreiras me-

20-25/11/2017

08:00 até 20:00

Desmontagem das barreiras metálicas desde a Avenida da Amizade até à Curva do Reservatório

23-30/11/2017

08:00 até 20:00

Desmontagem das barreiras metálicas desde a Rua dos Pescadores até à Curva do Reservatório

08:00 até 20:00

Desmontagem das barreiras metálicas na troço inferior da Colina da Guia

25-30/11/2017

tálicas junto aos portões metálicos

ANÚNCIO Concurso público n.º 010/SFI/2017 Arrendamento da Área de Restauração e de Aluguer de Bicicletas da Zona de Lazer da Marginal da Taipa Por deliberação do Conselho de Administração do IACM, tomada em sessão de 27 de Outubro de 2017, se acha aberto o concurso público para o “Arrendamento da Área de Restauração e de Aluguer de Bicicletas da Zona de Lazer da Marginal da Taipa”, para fins de explorar estabelecimentos de restauração e de aluguer de bicicletas, na Zona de Lazer da Marginal da Taipa, dependente do Instututo para os Assuntos Cívicos e Municipais. O Programa de Concurso e o Caderno de Encargos podem ser obtidos, todos os dias úteis e dentro do horário normal de expediente, no Núcleo de Expediente e Arquivo do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), sito na Avenida de Almeida Ribeiro n.º 163, r/c, Macau. O prazo para a entrega das propostas termina às 17h00 do dia 6 de Dezembro de 2017. Os concorrentes ou seus representantes devem entregar as propostas e os documentos no Núcleo de Expediente e Arquivo do IACM e prestar uma caução provisória no valor de MOP$30.000,00 (Trinta mil patacas). A caução provisória pode ser efectuada na Tesouraria da Divisão de Contabilidade e Assuntos Financeiros do IACM, sita na Avenida de Almeida Ribeiro n.º 163, r/c, Macau, por depósito em dinheiro, cheque ou garantia bancária, em nome do “Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais”. O preço base mensal é de MOP15.000,00 (Quinze mil patacas). O acto público de abertura das propostas realizar-se-á na Divisão de Formação e Documentação do IACM, sita na Avenida da Praia Grande, n.° 804, Edf. China Plaza 6.° andar, pelas 10h00 do dia 7 de Dezembro de 2017. A sessão de esclarecimento terá lugar no dia 23 de Novembro de 2017, às 10h00, na Divisão de Formação e Documentação do IACM, sita na Avenida da Praia Grande, n.° 804, Edf. China Plaza 6.° andar. No mesmo dia, o IACM vai organizar uma visita ao local para observação. Macau, aos 10 de Novembro de 2017. O Administrador do Conselho de Administração Mak Kim Meng WWW. IACM.GOV.MO


sociedade 9

segunda-feira 20.11.2017

HABITAÇÃO PREÇO MÉDIO DO METRO QUADRADO SOBE

O

preço médio do metro quadrado das casas em Macau atingiu 117.360 patacas em Outubro, mais 31% que o registado no mesmo mês do ano passado, indicam dados oficiais. Segundo estatísticas publicadas no portal da Direcção dos Serviços de Finanças, ao mesmo tempo que os

preços subiram em termos anuais homólogos, o número de fracções transaccionadas desceu: venderam-se 930 casas, menos 20% que em Outubro de 2016. Das três áreas de Macau, a Taipa era a mais cara em Outubro e onde se verificou o maior aumento de preços em termos anuais, de acordo

com os mesmos dados respeitantes às transacções de imóveis destinados a habitação que foram declaradas para liquidação do imposto de selo. Nesta zona, o preço médio do metro quadrado fixou-se em 134.747 patacas, mais 55% que no mesmo mês do ano passado.

31%

Esta foi também a zona onde se verificou um maior aumento no número de transacções de imóveis: de 206 vendidos em Outubro de 2016, passou-se para 287 este ano, ou seja, mais 39%. A segunda zona mais cara de Macau era a ilha de Coloane, onde o me-

tro quadrado custava em média 122.869 patacas, registando uma ligeira diminuição de preço em relação ao ano passado, de 2%. Apesar de os preços em Coloane se terem mantido estáveis, verificou-se uma acentuada descida no número de fracções transacciona-

UM NOVO REITOR É ENGENHEIRO ELECTROTÉCNICO E ASSUME FUNÇÕES EM JANEIRO DE 2018

Sai Wei Zhao, antes de completar o seu mandato, entra Yonghua Song. Está escolhido o novo reitor da Universidade de Macau depois de um processo de selecção que durou meses e que contou com vários candidatos

O

próximo reitor da Universidade de Macau (UM) vai ser Yonghua Song, académico da área de engenharia electrotécnica e inicia funções no próximo dia 9 de Janeiro, anunciou ontem a instituição de ensino superior pública. A UM destaca que o professor Yonghua Song trabalhou, durante um longo período, na área da investigação e ocupou cargos de direcção em instituições de ensino superior britânicas e da China, com experiência na gestão de alto nível do ensino superior. Yonghua Song, que se tornará no nono reitor da Universidade de Macau, sucede a Wei Zhao.

GONÇALO LOBO PINHEIRO

A dança das cadeiras

“Tendo em conta a sua profunda experiência na gestão institucional, largo horizonte internacional, amplas redes de contacto (…), bem como o seu grande entusiasmo e empenho no desenvolvimento do ensino superior, o Conselho da Universidade entende que o professor doutor Song é a melhor escolha para liderar a UM no seu futuro desenvolvimento”, refere a instituição em comunicado.

O Conselho da Universidade recomendou, por unanimidade, Yonghua Song como o único candidato para o cargo de reitor, uma proposta aceite pelo chefe do Executivo de Macau, Fernando Chui Sai On.

PASSAGEM PELA TSINGHUA

Yonghua Song é doutorado pelo China Electric Power Research Institute. Em 2002, obteve o douto-

A UM destaca que o professor Yonghua Song trabalhou, durante um longo período, na área da investigação e ocupou cargos de direcção em instituições de ensino superior britânicas e da China

ramento em Ciência, na Universidade Brunel, pelos seus contributos na área electrotécnica. Em 2014, foi-lhe atribuído o doutoramento honorário em engenharia, pela Universidade Bath, de acordo com a mesma nota da UM. Em 1991, foi trabalhar como docente e investigador no Reino Unido e seis anos mais tarde contratado como professor catedrático no Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores da Universidade Brunel, tornando-se, em 2004, no primeiro académico chinês a integrar a equipa de gestão de alto nível duma universidade britânica, segundo salienta a UM. Nesse mesmo ano, Yonghua Song foi eleito ‘fellow’ da

das: de 231 para 14, ou seja, menos 94%. A península de Macau foi a zona que, em Outubro, registou os preços médios mais baixos (104.524 patacas, mais 28%) e também onde se venderam mais casas, 629, apesar de uma queda anual de 13% nas transacções.

Academia Real de Engenharia. Posteriormente, em 2007, passou a ser professor catedrático de engenharia electrotécnica na Universidade de Liverpool, acumulando as funções de reitor executivo da Xi’an Jiaotong – Universidade de Liverpool em Suzhou, na China. Em 2009, regressou à China na sequência de um convite da Universidade de Tsinghua, assumindo as funções de professor catedrático de engenharia electrotécnica e reitor assistente daquela universidade. Desde Novembro de 2012, é vice-reitor executivo da Universidade de Zhejiang, sendo ainda director do ‘campus’ internacional e professor catedrático de engenharia electrotécnica da mesma universidade. Dedicado à investigação de sistemas eléctricos, Yonghua Song “contribuiu para o desenvolvimento da indústria da energia eléctrica através dos seus trabalhos nas áreas da energia, engenharia informática e engenharia de controlo”, sublinha a UM. Yonghua Song foi nomeado, em 2002, consultor do Conselho de Ciência e Tecnologia do Governo de Macau, cargo que ainda desempenha. O processo de recrutamento internacional para o cargo de reitor da UM foi lançado depois de, em Março, Wei Zhao, ter comunicado que pretendia deixar o lugar no termo do seu mandato, em Novembro de 2018. Contudo, a sua saída foi antecipada, dado que o seu sucessor assume funções já em Janeiro. Wei Zhao iniciou em 2008 um mandato de cinco anos como reitor da Universidade de Macau, o qual foi renovado, por igual período de tempo, em 2013.


10 publicidade

20.11.2017 segunda-feira


eventos 11

segunda-feira 20.11.2017

LITERATURA SERGIO RAMÍREZ VENCE PRÉMIO CERVANTES 2017

De político a escritor

O

escritor nicaraguense Sergio Ramírez venceu o Prémio Cervantes 2017, no valor de 125.000 euros, o mais importante galardão da literatura hispânica, anunciou ontem o ministro espanhol da Educação, Cultura e Desporto, Íñigo Méndez de Vigo. Nascido em 1942, em Masatepe, a 50 quilómetros de Manágua, Sergio Ramírez venceu o Prémio Alfaguara de Romance com “Margarita, está lindo o mar”, em 1998, obra publicada em Portugal pela Difel, numa tradução de Helena Pitta. Do autor está também publicado em Portugal “Tiveste Medo do Sangue?”, romance publicado pela Editorial Caminho, em 1989, numa tradução de Manuel Ruas. Sergio Ramirez foi vice-presidente da Nicarágua no primeiro Governo sandinista (1979-1990). A agência noticiosa espanhola, Efe, refere que, com a atribuição do prémio ao nicaraguense Sergio Ramírez, volta a cumprir o princípio, não escrito, de que o galardão

é atribuído alternadamente entre um autor espanhol e um latino-americano. No ano passado, o vencedor foi o espanhol Eduardo Mendoza, nascido em Barcelona, em 1943. Entre títulos originais de Sergio Ramírez, disponíveis no mercado livreiro português, contam-se “La manzana de oro. Ensayos sobre literatura”, “Antologia personal. 50 anos de cuentos” e “Cuentos completos”, assim como os romances “Flores oscuras”, “La Fugitiva”, “El cielo llora por mi” e “Sara”, publicados pela Alfaguara espanhola.

ALFREDO ZUNIGA/ASSOCIATED PRESS

Sérgio Ramírez, ex-vice-presidente da Nicarágua, é o vencedor da edição deste ano do prémio Cervantes, o mais importante da literatura hispânica

OUTRAS OBRAS

Ramírez é também autor, entre outras obras, de “El viejo arte de mentir”, “Mil y una muertes”, “Sombras nada más”, “El reyno animal”, “Catalina y Catalina”, “Cuando todos hablamos” e “Adiós, muchachos”, relato da revolução sandinista da Nicarágua. O Prémio Cervantes foi criado em 1975, pelo Ministério da Cultura de Espanha, com o intuito de reconhecer a carreira de um escritor que, com

Nascido em 1942, em Masatepe, a 50 quilómetros de Manágua, Sergio Ramírez venceu o Prémio Alfaguara de Romance com “Margarita, está lindo o mar”, em 1998, obra publicada em Portugal pela Difel, numa tradução de Helena Pitta

todo o seu trabalho, contribuiu para enriquecer o legado literário hispânico. O poeta espanhol Jorge Guillén foi o primeiro distinguido, em 1976, seguindo-se o cubano Alejo Carpentier, os espanhóis Damaso Alonso e Gerardo Diego, o argentino

Jorge Luis Borges e o uruguaio Juan Carlos Onetti. Entre os distinguidos contam-se também Maria Zambrano, Octavio Paz, Rafael Alberti, Ana María Matute, Gonzalo Torrente Ballester, Ernesto Sábato, Carlos Fuentes, Juan Marsé e Juan Goytisolo.

LISBOA LIVROS DO ORIENTE APRESENTA DUAS NOVAS EDIÇÕES

O

primeiro volume de textos do sinólogo Manuel da Silva Mendes (1867-1931), que se fixou em Macau, no início do século XX, e “O Silêncio dos Céus”, de Fernando Sobral, que tem Macau por cenário, em 1851, são dois novos títulos dos

Livros do Oriente, publicados a semana passada. O livro “Manuel da Silva Mendes: Memória e Pensamento” reúne todos os textos sobre arte, filosofia e religião, cultura e tradições chinesas, do advogado e juiz português, e inclui três

ensaios sobre o autor, de António Aresta, Amadeu Gonçalves e Tiago Quadros. Esta edição surge quando se assinalam os 150 anos do nascimento do intelectual, em Vila Nova de Famalicão, que viveu em Macau de 1901 a 1931.

“O Silêncio dos Céus”, de Fernando Sobral, decorre no contexto das guerras de ópio, centrando-se nas conspirações, paixões, relações de amizade e de ódio que rodeiam uma tentativa de independência de Macau.

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA GLÓRIA • Vasco Pulido Valente

Um fresco notável da segunda metade do nosso século XIX. Através de uma personagem histórica menor (Vieira de Castro), Pulido Valente retrata todos os aspectos da elite oitocentista: o caos circense da Universidade de Coimbra, os bastidores da política da monarquia constitucional, o marialvismo dos jovens e velhos bacharéis de Lisboa. Haverá quem diga que Glória não é uma biografia, mas sim um romance. Sobre isso, há que dizer uma coisa: os grandes historiadores são escritores. Um grande livro de História não passa à condição de romance só porque é muito bom. Vasco Pulido Valente é tão escritor como Lobo Antunes ou Saramago. E a biografia não é um género inferior ao romance.

“Manuel da Silva Mendes: Memória e Pensamento” é apresentado em Lisboa, esta segunda-feira, a partir das 17:30, pelo investigador António Aresta, na Delegação Económica e Comercial de Macau.

Sabores de Natal Fado com novo menu marcado pelos paladares da quadra festiva

O

restaurante Fado, no Hotel Royal Macau, serve a quadra natalícia à mesa revestindo os sabores tradicionais da consoada e passagem de ano com o requinte que transforma uma refeição em algo mais do que isso. Sob a batuta do Chef LuísAmérico, o novo menu do Fado transporta para Macau os paladares que preenchem a época que se avizinha. “A ideia deste menu foi pegar nos ingredientes que são tradicionais da noite de natal e da passagem de ano, esse foi o mote, percorrer aquelas iguarias que são habituais nesse período”, conta o Chef Renato Santos, co-autor do menu. O banquete inicia-se com um pequeno iogurte de camarão, uma entrada fresca e suave para abrir as hostilidades. “A ideia do iogurte é jogar com as duas texturas, o creme e o tártaro, à qual se alia a alusão ao final do ano com o marisco”, descreve o Chef. A segunda entrada é o polvo assado, servido com areia de cebola, chutney de pimentos assados e chicória. Começa o passeio de paladares pelos conceitos que preenchem uma típica mesa de noite natalícia. Apesar do creme de pimentos assados aludir ao tradicional polvo grelhado, a alface chicória confere à entrada

a frescura e o equilíbrio necessário para contrabalançar o peso do polvo.

REI BACALHAU

O primeiro prato da refeição, como não poderia deixar de ser tratando-se de um natal à portuguesa, é o bacalhau, reinterpretado pelos cozinheiros do Fado. Apesar do prato ter um twist moderno, tanto no paladar como na apresentação, reúne todos os elementos do tradicional bacalhau de consoada. O peixe vem acompanhado por hortaliças, com couve local, um cremoso puré de batata, cenoura e azeite. De seguida é servido o carré de borrego e roupa velha de alheira. “Um conceito que a cultura local não deve conhecer, mas que os portugueses compreendem bem”, explica Renato Santos. A ideia por detrás deste prato foi aliar a ideia da roupa velha com um típico prato nobre da noite de consoada. Para terminar em beleza, o Fado propõe uma aletria com cardamomo, granola de frutos secos e gelado de uvas passas. “As pastas nascem aqui na Ásia e achámos que seria interessante fazer uma sobremesa que tivesse um bocadinho dessa influência asiática à qual juntámos o sorvete de uvas passas e uma granola com frutos secos, tudo o que tem a ver com o natal”, revela Renato Santos. A conjugação de todos os pratos é bastante equilibrada, trazendo para a mesa do Fado todo o requinte dos sabores tradicionais do Natal. J.L.

RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

ARTE PORTUGUESA - HISTÓRIA ESSENCIAL • Paulo Pereira

Da pré-história aos nossos dias, o essencial de mais de dois mil anos de História da Arte em Portugal. Nesta obra procura-se o que é essencial. Não porque exista a pretensão de penetrar na essência da arte, ou de procurar qualquer invariante absolutamente portuguesa - porque até é provável que não exista - mas sim porque o que aqui se encontra resulta de um trabalho de actualização de conhecimentos essenciais, incontornáveis, fundamentais: é esse o sentido do título. O permanente diálogo entre as diversas épocas e as diversas geografias da Europa e do Mundo, o peso umas vezes inerte de tradições de “longa duração”, outras vezes dinâmico e leve de vanguardas súbitas e torrenciais, é o pano de fundo de um percurso pela arte produzida em (e para) Portugal.


12 china

20.11.2017 segunda-feira

M

PEQUIM PORTUGUÊS DISTINGUIDO COMO DJ DO ANO

IGUEL Santos foi para Pequim estudar chinês na Universidade de Língua e Cultura, mas foi nos clubes nocturnos da capital chinesa que descobriu a sua vocação, tendo decidido já enveredar pela carreira de DJ. “Estou a tentar concentrar-me mais na música”, conta à agência Lusa DJ Nigls, como é conhecido na noite de Pequim. “Se calhar, terminarei o curso depois”, diz. O interesse de Nigls, 24 anos, pela música electrónica surgiu “através de amigos” e por influência do irmão. Há sete anos, estreou-se como DJ, mas foi só em 2012 que começou a tocar “a sério”, em estabelecimentos nocturnos de Wudaokou, a zona universitária de Pequim. Hoje, toca quase todos os fins-de-semana no Lantern, um dos mais emblemáticos clubes ‘underground’ da capital chinesa, situado junto ao Estádio dos Trabalhadores, ícone da arquitetura socialista, erguido em 1959 para celebrar o 10.º aniver-

Lanterna lusitana costeira do norte da China, onde tocou 12 horas seguidas. O truque para evitar o cansaço é sentir a energia do público, afirma. “Se estiveres a tocar e as pessoas entrarem na tua viagem e sentirem a tua música, tu sentes também a energia que te estão a transmitir e acabas por esquecer o cansaço”, explica. Nigls define a música electrónica como um “outro lado da música”, em que “qualquer ferramenta” pode ser usada para criar um som. “Há certos sons que se calhar nunca ouviste ou nunca pensaste que podiam ser enquadrados na música, mas o processo de produção de música electrónica passa bastante por isso: a experimentação com os equipamentos, para criar sons interessantes e trabalhares o produto final”, diz. PUB

HM • 1ª VEZ • 20-11-17

ANÚNCIO Proc. ordinário de execução n.º

CV2-16-0190-CEO

2º Juízo Cível

Exequente: Companhia de Yield City Limitada (亦城有限公司), com sede em Macau, na Alameda Dr. Carlos D´Assumpção, edf. Chong Tou, 13º andar L e M. Executado: Bond World Limited, com sede no Palm Grove House, P.O. Box 438, Road Town, Tortola, Britich Virgin Islands. Nos autos supra identificados, foi designado o dia 05 de Dezembro de 2017, pelas 09:30 horas, neste Tribunal, para a abertura de propostas do bem penhorado abaixo indicado. Os interessados na compra devem entregar a sua proposta em carta fechada na Secção Central deste Tribunal, até ao dia 04 de Dezembro de 2017, inclusivé, pelas 17:45 horas, devendo os proponentes indicar nos envelopes das propostas, a seguinte expressão “proposta em carta fechada”, número da verba e o número do respectivo processo:

sário da China comunista. “A indústria da música electrónica na China não está ainda ao nível da Europa”, considera o DJ português, ressalvando que “está a crescer” e deverá lá chegar “dentro de cinco anos”. A chamada “vida nocturna” é uma indústria nova na China, mas que tem vivido um ‘boom’ nos últimos anos, com ‘nightclubs’ e bares a brotar rapidamente nas grandes cidades do país. “As pessoas têm necessidade de ter experiências novas e contacto com coisas diferentes”, afirma Nigls.

Bem penhorado A quota social que a executada Bond World Limited possue na Companhia Mico Limitada (民廣有限公司), matriculada na Conservatória dos Registos Comercial e de Bens Móveis sob o nº.46597(SO), a quota com o valor nominal de MOP$10.850.000,00. É fiel depositária Lam Sut Man, com domicílio em Macau, na Avª. da Praia Grande nº 409, edf. China Law, 25º andar. * Quaisquer titulares de direito de preferência na alienação do bem penhorado supra referido, podem, querendo, exercerem o seu direito no próprio acto da abertura das propostas, se alguma proposta for aceite, nos termos do art.º 787.º do C.P.C.M. Para constar se lavrou este edital e mais dois de igual teor que vão ser devidamente fixados nos lugares designados por Lei. Aos 09 de Novembro de 2017.

O português foi considerado DJ do ano de Pequim pela revista City Weekend Beijing, uma publicação em língua inglesa voltada para a comunidade de expatriados na capital chinesa

Para o português, um dos “grandes obstáculos” ao desenvolvimento da música electrónica na China é a ausência da cultura do ‘dance floor’. No país asiático, a maioria das discotecas reserva pouca área para as pistas de dança, optando por preencher o espaço com mesas. “O público chinês aprecia a música e quer também dançar, mas um pouco pela sua cultura precisam sempre de ver uma pessoa a dançar e a sentir a música para se libertarem e não se sentirem envergonhados”, nota.

DAS RAÍZES

Nascido em Macau, Miguel Santos mudou-se para Portugal aos dez anos, mas decidiu voltar para a Região Especial Administrativa chinesa aos 16, para terminar o ensino secundário. Concluído o liceu, rumou a Pequim para estudar chinês na Universidade de Língua e Cultura, considerada uma “míni-ONU”, com cerca de 9.000 alunos estrangeiros. “Queria crescer como pessoa e ver o mundo de outra maneira”, diz. Nigls toca sobretudo Techno e House. O seu ‘set’ mais longo foi em Qingdao, cidade

A chamada “vida nocturna” é uma indústria nova na China, mas que tem vivido um ‘boom’ nos últimos anos, com ‘nightclubs’ e bares a brotar rapidamente nas grandes cidades do país O português foi considerado DJ do ano de Pequim pela revista City Weekend Beijing, uma publicação em língua inglesa voltada para a comunidade de expatriados na capital chinesa. Para Miguel Santos, um bom DJ deve ter “uma visão do dance floor” e conseguir “estudar as pessoas e a atmosfera do clube”. “É alguém que sabe conectar as pessoas na sua viagem musical e criar a sua história numa noite”, resume. Lusa

JET LI E JACK MA UNEM-SE PELO TAI-CHI NOS JOGOS OLÍMPICOS

A

estrela chinesa de cinema Jet Li e o magnata chinês Jack Ma criaram juntos uma nova arte marcial, com base no tai-chi, visando a sua inclusão nos Jogos Olímpicos, informou sexta-feira a agência noticiosa oficial Xinhua. Ma, que desde há 20 anos pratica tai-chi, e Li baptizaram esta nova arte marcial como Gong Shu Dao, com o objectivo de profissionalizar as artes marciais com origem na China e a sua inclusão no programa olímpico. O coreano taekwondo e o japonês judo são já desportos olímpicos. “Desde 1990, todos os praticantes de artes marciais na China têm pensado como levar [o tai-chi] aos Jogos Olímpicos, e temos trabalhado nesse sentido durante décadas, mas sem sucesso”, afirmou Li, durante a cerimónia de apresentação do Gong Shu Dau, citado pela Xinhua. Li, que luta desde os oito anos e foi campeão nacional da China aos 12, revelou que debateu esta questão com Jack Ma e decidiram imitar as experiências do Japão e Coreia do Sul. Ambos adoptaram então por converter o tai-chi aos padrões exigidos pelo programa olímpico. Jack Ma é fundador do grupo Alibaba, responsável por cerca de 90% do comércio electrónico na China, e um dos homens mais ricos do país.


china 13

AP PHOTO/MARK SCHIEFELBEIN

segunda-feira 20.11.2017

Os meios oficiais chineses informaram que Song reuniu-se com Kim Jong-un para transmitir os resultados do XIX Congresso do PCC, mas a visita coincide com um período em que Pyongyang enfrenta as mais duras sanções de sempre

U

M enviado especial do Governo chinês chegou este fim-de-semana à Coreia do Norte, num período de crescente isolamento do regime de Kim Jong-un, imposto com a aprovação da China, devido ao seu programa nuclear e de mísseis balísticos. Song Tao, chefe do Departamento de Colaboração Internacional do Partido Comunista Chinês (PCC), é o primeiro funcionário com nível ministerial a visitar a Coreia do Norte, desde Outubro de 2015. Os meios oficiais chineses informaram que Song

Xinjian Incêndio causa 19 mortos e oito feridos

PYONGYANG ENVIADO CHINÊS NA CAPITAL NORTE-COREANA

Discurso directo reuniu-se com Kim Jong-un para transmitir os resultados do XIX Congresso do PCC, realizado em Outubro passado, mas a visita coincide com um período em que Pyongyang enfrenta as mais duras sanções de sempre, após ter efetuado vários testes nucleares e com mísseis balísticos. A China, que é o principal aliado diplomático e

Dezanove pessoas morreram e oito ficaram feridas num incêndio que deflagrou, no sábado, num edifício de apartamentos nos subúrbios de Pequim, noticiou ontem a agência de notícias chinesa Xinhua. O incêndio registado na localidade de Xinjian, no distrito de Daxing, foi dominado três horas depois de ter sido reportado, segundo a agência chinesa.Os feridos foram transportados para o hospital. Fotos divulgadas pela Xinhua mostram bombeiros fora de um edifício de dois andares com um anúncio a fazer publicidade a unidades com casa de banho, água quente, cozinhas, aquecimento e outras instalações. Este tipo de unidade é frequentemente arrendado a trabalhadores migrantes que procuram trabalhos na cidade que requerem mão-de-obra intensiva. O departamento de bombeiros e governo distrital escusaram-se a prestar declarações sobre o incêndio.

maior parceiro comercial do regime norte-coreano, votou a favor das sanções impostas pelo Conselho de Segurança da ONU, e adoptou ainda sanções unilaterais. Durante a recente visita do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a Pequim, o Governo chinês disse à administração norte-americana que as sanções estavam a começar a ter

efeito e poderão pressionar Pyongyang a retornar ao diálogo. “É um passo importante. Vamos a ver o que acontece!”, escreveu sexta-feira Trump na rede social Twitter, sobre a visita de Song e a possibilidade de Pyongyang voltar à mesa de negociações. Nos anos 1950, China e Coreia do Norte lutaram

juntos contra os EUA. O PCC e o Partido dos Trabalhadores, formação política única na Coreia do Norte, têm ligações de longa data.

POSIÇÃO DEFINIDA

No entanto, desde que, em 2013, ascendeu ao poder, Xi Jinping nunca se encontrou com Kim Jong-un, tendo-se mesmo tornado no primeiro líder chinês a visitar a Coreia

do Sul antes de ir à Coreia do Norte. Em editorial, o principal jornal norte-coreano, o Rodong Sinmun, descartou a hipótese de o país negociar o seu programa nuclear. O texto assegura que Pyongyang já aprendeu que “não há outra forma de se opor à repressão imperialista dos Estados Unidos, a não ser através da dissuasão nuclear”. Nos últimos meses, os sucessivos ensaios nucleares de Pyongyang e a retórica beligerante de Trump elevaram a tensão para níveis inéditos desde o fim da Guerra da Coreia (1950-1953).

HONG KONG UMA EM CADA CINCO PESSOAS CONSIDERADA POBRE

O

número de pobres em Hong Kong continua a subir e chegou a um valor recorde no ano passado, com um em cada cinco habitantes a viver abaixo do limiar da pobreza, de acordo com dados oficiais sexta-feira divulgados. O limiar da pobreza é definido em metade da mediana do rendimento mensal por agregado familiar, de acordo com o tamanho do agregado. Em 2016, este valor foi de 4.000 dólares de Hong Kong por uma pessoa, 9.000 dólares de Hong Kong por duas pessoas e 15 mil dólares de Hong Kong por um agregado de três pessoas,

noticia o jornal South China Morning Post. Um relatório da Oxfam sobre gastos com a alimentação indica que uma pessoa deve gastar no mínimo 1.696 dólares de Hong Kong em comida por mês de modo a satisfazer as suas necessidades nutricionais básicas. O relatório de 2016 sobre a Situação da Pobreza em Hong Kong revela que 1,35 milhões dos 7,35 milhões de residentes da cidade podem ser considerados pobres, um número superior ao registado em 2015, quando eram 1,34 milhões.

Hong Kong só começou a medir a pobreza entre os seus residentes em 2009, e os números do ano passado são os mais elevados em termos de valores absolutos. “O envelhecimento da população e a redução do tamanho

das famílias têm impulsionado a taxa de pobreza”, disse o número dois do Governo de Hong Kong Matthew Cheung Kin-chung, durante a divulgação do relatório anual, sexta-feira. Cheung, que lidera a Comissão da Pobreza, indicou, porém, que os números do estudo podem estar sobrestimados, já que apenas os rendimentos, e não os bens, são avaliados. Após serem tidos em conta os apoios do Governo, como a pensão para idosos ou segurança social, o número de pobres desce para 996 mil, o que representa menos 25 mil que em 2015.


14

h

20.11.2017 segunda-feira

Não ter deveres, nem horas certas, nem realidades...

SHEN HAO

Paulo Maia e Carmo tradução e ilustração

«Hua Zhu»

Discurso sobre a Pintura

Deve ser encontrada a relação apropriada entre o senhor e os seus servidores numa composição, ou seja os motivos principais e os secundários, na qual a montanha deve ser o mestre; e como é que deve ser suportada pelas árvores e qual é a árvore mestra e como é suportada pela montanha: então, pode-se jogar com o pincel e a tinta. Se for usado um carvão de fraca qualidade1 e se se trabalhar de modo hesitante, a alma da pintura será fraca, o seu espírito vital distorcido, e quanto mais nos esforçarmos pior fica. Pintar com Cores2. Wang Wei (698-759) disse: «A tinta fluida é suprema.» Grande verdade; só não se deve começar

no momento em que se segura o pincel misturando a tinta fluida com as cores. Deve procurar-se primeiro a harmonia completa da tinta até o esboço estar completo, só então não haverá objecção a pintar com cores. Pontilhar de Musgo. É um método comum usar pontos de musgo nas montanhas e nas rochas e ao longo de águas correntes e nascentes. O musgo seco de Wang Meng (c.13081385)3 e o musgo acumulado de Wu Zhen (1280-1354) são dois métodos que têm origem na mesma semente. Estudantes actualmente tentam imitar estes estilos mas fazem-no de modo bastante deficiente.

1 - O tipo de carvão, origem da madeira queimada triturada formando uma pasta maleável que, depois de seca forma a barra com que se apresenta a tinta, influencia a sua qualidade. 2 - A designação tradicional das «seis qualidades coloridas» da tinta revela que se trata de facto de modos de usar a tinta negra. Assim, a enumeração das seis: o negro, o branco, o seco, molhado, espessa, fluida ou pálida. Ou então as «cinco cores» que são as precedentes menos o branco, que é uma qualidade negativa. A tinta «fluida», bastante diluída em água e portanto com um ar pálido, por oposição a «espessa», toma durante a dinastia Qing a primazia numa hierarquia de valor. (Ver por exemplo Tang Dai ou Hua Lin, em «Hualun Congkan» citados por Pierre Ryckmans em Les propos sur la peinture du moine citruille-amère, Plon, France, 2007,p.38) 3 - Com Wu Zhen, Zhao Mengfu e Huang Gongwang considerado, entre outros por Wang Shicheng (1526-1593), como um dos «quatro mestres da dinastia Yuan». Dong Qichang juntou-o a Huang Gongwang, Nizan e Wu Chen, na mesma designação de «quatro grandes mestres dos Yuan» que constituiriam um linha contínua daqueles a que chamou os wenrenhua, os pintores de cultura, que tinha começado com Wang Wei.


ARTES, LETRAS E IDEIAS 15

segunda-feira 20.11.2017

o ofício dos ossos Valério Romão

“T

ENHO uma ideia bestial para um romance!” Tenho a certeza de que todos os escritores já ouviram isso. Normalmente surge em conversa com uma criatura bem-intencionada mas incapaz de aquilatar o valor de uma ideia relativamente à sua concretização literária. “Isto daria um livro óptimo!”. Talvez. Talvez não. O que não faltam são exemplos de ideias geniais arrastadas pelo pântano de uma trama incipiente até ao suspiro da vergonha alheia. E, por outra parte, os exemplos contrários também abundam: Romeu e Julieta, por exemplo, o franchise de boy meets girl mais aclamado de sempre. O problema está na percepção do valor intrínseco da ideia. O capitalismo aplicado à tecnologia decorrente da ciência produziu um entendimento muito específico do que é uma ideia. Uma ideia deixou de ser uma possibilidade passível de materialização técnica mais ou menos feliz para ser o valor absoluto na cadeia de concretização das coisas. Mesmo que a realidade não corresponda a este enunciado romântico da

A importância das ideias importância superlativa da ideia, a verdade é que passámos a encará-la deste modo. Quando pensamos no Google, na Apple ou no Facebook, pensamos naqueles que perseguiram um sonho visionário sobre o qual alicerçaram fortunas incomensuráveis e uma influência de nível planetário. O problema é o da memória selectiva: por cada multinacional ciclópica, há milhões de projectos que definharam do trajecto do estirador para o público. Por cada Google, houve um Hotbot, um AOL Search ou um Altavista; por cada Facebook, um

Hi5 ou um Myspace. E estes exemplos dizem respeito a empresas com milhões de utilizadores que, por motivos mais ou menos óbvios, foram perdendo popularidade e clientes até se tornarem uma nota de rodapé na história da internet. Os projectos que não passaram sequer de animadas conversas com amigos e de apaixonados sales pitches perante investidores são, na verdade, a pilha de cadáveres sobre a qual repousam as pouquíssimas coroas de glória da indústria. A verdadeira dificuldade não parece ser a de pensar num “computador

Quando alguém me conta uma ideia genial para um romance, o que apetece imediatamente pedir à criatura em questão é um caderno de encargos e um mapa ou, mais comedidamente, um algoritmo; qualquer coisa que faça a ponte entre as resoluções de ano novo e deixar de fumar

pessoal”, num “smartphone” ou numa “rede sem fios”, só para citar exemplos mais óbvios. A verdadeira dificuldade, não obstante o peso decisivo da ideia que preside ao percurso que cada projecto percorre, é precisamente o espaço entre o lampejo de génio e as carteiras dos clientes, e esse espaço está minado das mais diversas dificuldades, desde as puramente técnicas às financeiras, desde as estruturais às que dependem da moda em vigor. Esse espaço é também um espaço invisível ao público e um limbo do qual a maior parte dos vencedores não se orgulham. Portanto, quando alguém me conta uma ideia genial para um romance, o que apetece imediatamente pedir à criatura em questão é um caderno de encargos e um mapa ou, mais comedidamente, um algoritmo; qualquer coisa que faça a ponte entre as resoluções de ano novo e deixar de fumar. Qualquer coisa que não seja a andorinha perdida a caminho da primavera que nunca mais chega. Qualquer coisa grande em todas as medidas. Ou dizer, pura e simplesmente, faz tu.


16 publicidade

20.11.2017 segunda-feira


desporto 17

segunda-feira 20.11.2017

FUTEBOL DE SETE BENFICA BATE SPORTING POR 2-0 E ESTÁ NAS “MEIAS-FINAIS”

Finalização faz a diferença Apesar de uma boa primeira parte, os leões não conseguiram marcar qualquer golo diante das águias e perderam o encontro decisivo. Nas “meias” do Torneio de Futebol de Sete os encarnados vão ter pela frente o Kei Lun enquanto o Ka I vai defrontar o Cheng Fung

Taça da China Villas Boas perde primeira mão da final

O Shanghai SIPG, treinado pelo português André Villas Boas, perdeu ontem em casa do Shanghai Shenua, na primeira mão da final da Taça da China de futebol. No dérbi de Xangai, um golo do veterano avançado nigeriano Ofabemi Martins, aos 38 minutos, decidiu o encontro. A 26 de Novembro, a equipa de Villas Boas, segunda do campeonato chinês, recebe o Shanghai Shenua, que terminou a liga na 11.ª posição, no segundo encontro da final da Taça.

Portugal Rio Ave avança para os ‘oitavos’ ao derrotar Braga

O Rio Ave venceu sábado o Sporting de Braga, por 1-0, com um golo de Guedes, e qualificouse para os oitavos de final da Taça de Portugal de futebol. Em Vila do Conde, o golo do avançado português, aos 36 minutos, ditou a vitória dos anfitriões no encontro da quarta eliminatória e a eliminação dos bracarenses da competição. O Rio Ave juntou-se nos ‘oitavos’ a Sporting, que eliminou o Famalicão, da II Liga, FC Porto, que derrotou o Portimonense, e Benfica, que afastou o Vitória de Setúbal.

Benfica Estreia prometedora de Keaton Parks

O

Benf ica de Macau e o Ka I são as duas equipas do Grupo B que se apuraram para as ‘meias-finais’ do Torneio de Futebol de Sete, após as águias terem vencido, na sexta-feira, o Sporting de Macau por 2-0. Os apurados juntam-se assim a Cheng Fung e Kei Lun, que já se tinham qualificado, através do Grupo A. Na passada sexta-feira, águias e leões encontram-se no Canídromo para o encontro decisivo, mas depois de uma primeira parte muito bem conseguida do Sporting, foi o Benfica que venceu a partida. Já no segundo tempo, o defesa do Benfica Chan Man tenta fazer um passe em profundidade para desmarcar Nicholas Torrão. A bola sofre um desvio na defensiva contrário, e acaba por seguir mesmo para a frente do avançado das águias. Torrão rodou e rematou em jeito, fazendo o 1-0 , com a bola a passar por cima do guardião adversário.

O golo foi apontado logo no primeiro minuto da segunda parte e teve um impacto no ânimo leonino. Mais sete minutos, e aos 28, arrancada forte, pelo lado esquerdo, do Benfica e assistência para Carlos Leonel. À entrada da área o avançado rematou para o 2-0. Ao HM, Daniel Melo, director técnico do Benfica, destacou o facto da formação não ter sofrido

“Na meia-final vamos tentar ter mais controlo de jogo, mais iniciativa e materializar essa postura. O objectivo vai ser sempre trabalhar para nos qualificarmos para a final.” DANIEL MELO DIRECTOR TÉCNICO DO BENFICA

golos e ter tido uma actuação muito pragmática. “Não termos sofridos golos mais uma vez, mostra que estamos muito bem em termos defensivos. Mas o mais importante era fechar a participação na fase de grupos, para facilitar as contas do apuramento. Foi que conseguimos”, disse o director técnico. “O nosso objectivo foi alcançado, conseguimos chegar às meias-finais. Agora queremos vencer o próximo desafio, antes de pensar em definir outras metas para a competição”, acrescentou.

CAPELA ELOGIA PROGRESSÃO

Por sua vez, Nuno Capela, treinador dos leões, elogiou o desempenho da primeira parte no encontro de sexta-feira, reconhecendo que depois do primeiro golo a equipa acusou a desvantagem. “O Sporting fez uma excelente primeira parte. Dominámos o jogo, criámos muitas oportunidades e há uma flagrante aos três, quatro ou

cinco minutos, em que existe uma clara grande penalidade a nosso favor que não foi assinalada”, disse o técnico leonino. “Apesar desse lance continuámos a trabalhar porque só a vitória nos interessava. A equipa tentou tudo, mas depois na segunda parte sofremos cedo e começamos a sentir que já ia ser complicado virar o jogo”, reconheceu. Na próxima fase da competição o Benfica vai ter pela frente o Kei Lun, e o Ka I vai defrontar o Cheng Fung. Os encontros ainda não estão agendados no portal oficial da Associação de Futebol de Macau. Para o Benfica, o objectivo passa agora por conseguir carimbar a presença na final: “Na meia-final vamos tentar ter mais controlo de jogo, mais iniciativa e materializar essa postura. O objectivo vai ser sempre trabalhar para nos qualificarmos para a final”, afirmou Daniel Melo. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo

O norte-americano Keaton Parks, médio de 20 anos, 1,93 metros e 85 quilos, estreou-se na equipa principal do Benfica diante do Vitória de Setúbal, sendo inclusivamente o primeiro jogador a saltar do banco dos suplentes, rendendo Pizzi no vértice direito do triângulo do meio campo dos encarnados ao minuto 71. Estreia prometedora do jogador, que participou inclusivamente no lance do segundo golo dos tetracampeões nacionais, com passe oportuno para o lado esquerdo que encontrou Franco Cervi livre de marcação, permitindo ao argentino construir o lance finalizado por Filip Krovinovic. Parks, refira-se, chegou à Luz este ano, no Verão, contratado ao Varzim, e tem sido aposta consistente de Hélder Cristóvão na equipa B dos encarnados, pela qual esteve em campo em 11 ocasiões, com dois golos apontados.


18 (f)utilidades TEMPO

MUITO

20.11.2017 segunda-feira

O QUE FAZER ESTA SEMANA Hoje

II CICLO CINEMA BRASILEIRO: “NISE, O CORAÇÃO DA LOUCURA” Fundação Rui Cunha | 19h00

Amanhã

?

NUBLADO

MIN

16

MAX

20

HUM

70-95%

EURO

9.48

BAHT

Quarta-feira

BLISSFUL THANKSLIVING Blissful Carrot, Taipa | 18h00 às 20h00 Sábado X THE ROOMS, FIRST LIVE GIG IN MACAU WHAT’S UP POP UP Calçada do Amparo | 20h00 às 22h00

Diariamente

O CARTOON STEPH

SALÃO DE OUTONO Casa Garden REPRESENTAÇÕES DA MULHER - COLECÇÃO DO MUSEU DE ARTE DE MACAU NOS SÉCULOS XIX E XX MAM | Até 10/12 EXPOSIÇÃO “O TEMPO MEMORÁVEL” MAM | Até 25/02/2018

Cineteatro

C I N E M A

JUSTICE LEAGUE SALA 1

JUSTICE LEAGUE [B] Fime de: Zack Snyder Com: Ben Affleck, Gal Gadot, Raymond Fisher, Jason Momoa, Erza Miller 14.30, 16.45, 21.30 SALA 2

JUSTICE LEAGUE [B] [3D] Fime de: Zack Snyder Com: Ben Affleck, Gal Gadot, Raymond Fisher, Jason Momoa, Erza Miller 19.15

THE GLASS CASTLE [B] Fime de: Destin Daniel Cretton Com: Brie Larson, Woody Harrelson, Max Greenfield, Sarah Snook 14.30, 16.45, 21.30

THOR: RAGNAROK [B] Fime de: Taika Waititi

PROBLEMA 164

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 163

UM FILME HOJE

SUDOKU

DE

EXPOSIÇÃO “PURGE ONE´S MIND” DE LEUNG KIT MAN, IM HOK LON E MOK HEI SAN Galeria do lago Nam Van | Até 25/11

A LINGUAGEM E A ARTE DE XU BING MAM | Até 4/3/2018

1.21

CHUVA DE ESTRELAS

HARMONIZAÇÃO DO VINHO DO PORTO E CHOCOLATE Clube Militar de Macau | 18h30 às 20h30

EXPOSIÇÃO “YOYO WONG” MMM Wokshop e Juju Studio | Até 19/11

YUAN

PÊLO DO CÃO

II CICLO DE CINEMA BRASILEIRO: “QUE HORAS ELA VOLTA?” Fundação Rui Cunha | 19h00

EXPOSIÇÃO “PHOTOSYNTESIS” DE TANG KUOK HOU IFT Café | Até 01/12

0.24

Bem-vindos ao “Macau tem talento”, o programa político que se assemelha a um concurso de televisão sem vencedores à vista, sem interpretações da Mariah Carey, mas que também dá vontade de chorar por motivos diferentes da glória de arrebatar um colectivo de exigentes e rabugentos juízes. Macau não procura quadros qualificados, não procura destreza ou capacidade de raciocínio, muito menos soluções práticas. Busca o mais absoluto génio, o total prodígio emergido entre a turba mediana ou, genericamente, fraquita. Procura-se o portento que esmaga toda a concorrência, que deslumbra os seus rendidos pares em todos os domínios. Seja na contabilidade (onde o prodígio, desde cedo, elaborou os mais extraordinários balancetes e relatórios de contas), seja na arquitectura (com o equivalente ao Mozart no engenhoso comando do AutoCAD), seja na informática (onde se apuram os novos Galileos da programação em java). Em Macau não deveria haver recursos humanos mas agenciamento de estrelas, os salários deveriam ser substituídos por cachés, os gabinetes por Olimpos de eficiência. Este território é uma constelação de fenómenos e o lapidar destes diamantes em bruto um dos desígnios divinos da governação. Quanto assombro nos espera a nós, comuns mortais, na demanda por mais um fornada de personificações da sapiência. Que cheguem rápido, os imperiosos talentos, que venham inspirados, pois a mediania agoniza à vossa espera. João Luz

O CHEIRO DO RALO | HEITOR DHALIA

Inspirado no livro com o mesmo nome do brasileiro Lourenço Mutarelli, o Cheiro do Ralo (2006) explora a história do dono de uma loja de penhores, Lourenço, que é interpretado por Selton Mello. Acostumado a fazer tudo para conseguir o melhor negócio e aproveitar-se de pessoas em dificuldades financeiras, Lourenço começa a colocar tudo em causa, quando desenvolve uma obsessão com o traseiro de uma empregada de bar. João Santos Filipe

Com: Chris Hemsworth, Cate Blanchett, Tom Hiddleston 19.00 SALA 3

MIX! [A] FALADO EM JAPONÊS LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Fime de: Junichi Ishikawa Com: Yui Aragaki, Eita, Ryoko Hirosue, Koji Seto, Mei Nagano, Yu Aoi 14.30, 19.15

LET ME EAT YOUR PANCREAS [B] FALADO EM JAPONÊS LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Fime de: Sho Tsukikawa Com: Minami Hamabe, Takumi Kitamura, Shun Oguri 16.45, 21.30

www. hojemacau. com.mo

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; João Luz; João Santos Filipe; Sofia Margarida Mota; Vitor Ng Colaboradores Amélia Vieira; Anabela Canas; António Cabrita; António Castro Caeiro; António Falcão; Gonçalo Lobo Pinheiro; João Paulo Cotrim; José Drummond; José Simões Morais; Julie O’Yang; Manuel Afonso Costa; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Miguel Martins; Paulo José Miranda; Paulo Maia e Carmo; Rui Cascais; Rui Filipe Torres; Sérgio Fonseca; Valério Romão Colunistas António Conceição Júnior; André Ritchie; David Chan; Fa Seong; Jorge Rodrigues Simão; Leocardo; Paul Chan Wai Chi; Paula Bicho; Rui Flores; Tânia dos Santos Cartoonista Steph Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


opinião 19

segunda-feira 20.11.2017

reencarnações JOÃO LUZ

Convidado de casamento chinês

C

OMO em qualquer parte do mundo, a cerimónia do matrimónio na China é uma epopeia de mil labores e rituais simbólicos que culminam no dia em que o noivo conquista definitivamente a noiva, começando a perdê-la de imediato. Ok, dramatizo, mas foi assim que senti a coisa, como uma mudança de estação. No entanto, a primeira reflexão foi bem mais prática. Não faria mais sentido o lançamento de arroz num casamento oriental? Esta forma de agressão ritualística com comida, após uns copos de vinho chileno, agigantou-se para a fantasia do arremesso de noodles aos recém-casados. Tudo é possível no sossego da imaginação enquanto se sorri educadamente para os convivas de mesa. Mas, adiante. No meio de um considerável fosso linguístico e cultural, foi-me explicado que a própria data do casamento não é deixada ao acaso. Como tal, a data deve ser escolhida por um monge, um vidente, ou alguém com uma sintonia paranormal ao universo da boa e má numeração. O objectivo é encontrar um dia auspicioso para dar o nó. Na véspera do grande dia, cumpre-se a cerimónia de escovar o cabelo da noiva, algo que ultrapassa em muito o significado de uma normal ida ao cabeleireiro. A tarefa deve ser executada pela mãe, ou sogra, enquanto são recitadas frases de desejos de

um matrimónio que dure a vida inteira, onde não faltem filhos, dinheiro e saúde. Estes gestos trazem a noiva, definitivamente, para a idade adulta. Outro aspecto interessante e bem diferente do que se passa na cultura ocidental é a serenata que o noivo faz enquanto a noiva se encontra noutra sala atrás de uma porta semi-aberta. Este detalhe do protocolo chinês tem como palco a casa da noiva onde o noivo tenta recolher a aprovação dos amigos e familiares da sua futura esposa. Não me foi explicado o que acontece no caso do noivo ter uma voz de unhas em quadro de ardósia. No fundo, esta parte da cerimónia pretende representar a ideia de que a lindíssima noiva não se entrega a um pelintra qualquer. Finda a cantoria e alguns jogos de compreensão impossível, a noiva sai do quarto e junta-se ao seu futuro esposo e encaminha-se para o automóvel que a levará ao altar, que neste caso foi num hotel em Kowloon. Chega a altura de uma das fases mais importantes do casamento chinês, a cerimónia do chá, em que os noivos agradecem e demonstram todo o respeito que os seus pais merecem por os terem aturado este tempo todo.

No fundo, o casamento chinês é um somatório de cerimónias carregadas de simbolismo e respeito, longe do deboche e da ébria orgia de excessos que é a celebração do matrimónio à ocidental

À semelhança do casamento ocidental, há também o corte de um bolo de núpcias mas, no Oriente o bolo é falso, num aparato desprovido de sentido para um português com apetites de pastelaria. No fundo, o casamento chinês é um somatório de cerimónias carregadas de simbolismo e respeito, longe do deboche e da ébria orgia de excessos que é a celebração do matrimónio à ocidental. Talvez fosse desta específica boda, mas a educação e a classe foram a tónica da noite inteira. Indo ao que interessa, e àquilo que nos une enquanto seres humanos, a noite foi marcada pelo festim infinito de comida, um desfile sem fim de iguarias e copos sempre cheios. Um mundo inteiro unido em mil brindes, com os noivos e os seus séquitos a irem de mesa em mesa brindar com os convidados. A certa altura senti pena dos noivos que não tiveram um momento de descanso ao longo do dia, forçados a não desarmar os amistosos e agradecidos sorrisos perante milhentas fotografias de circunstância. Como não poderia deixar de ser, a última mesa a ser desocupada no inteiro andar do hotel, onde se celebraram pelo menos três casamentos, foi a nossa. Ali ficámos a vogar numa maré cheia de tinto chileno até nos mandarem embora, cumprindo o nosso desígnio de ébrios marinheiros, aportados pelo acaso num casamento chinês em Hong Kong. A minha primeira boda oriental deixou-me com uma ideia sentimentalista de unidade entre os povos. Seja em que canto do mundo for, o dia do casamento é uma festa e uma celebração de indulgência para todos, menos para os noivos, vítimas de mil labores festivos. Que vivam uma longa vida nos braços um do outro.


Aproximo-me suavemente do momento em que filósofos e imbecis têm o mesmo destino. PALAVRA DO DIA

Voltaire

ÓBITO MORREU MALCOLM YOUNG, GUITARRISTA E CO-FUNDADOR DOS AC/DC

Troca de mimos

Donald Trump critica Hillary Clinton depois de declarações sobre abusos sexuais

PUB

Zimbabué Emmerson Mnangagwa segue para as presidenciais

A União Nacional Africana do Zimbabué – Frente Patriótica (Zanu-PF) apresentou ontem Emmerson Mnangagwa como candidato às eleições presidenciais de 2018. Citado pela Agência France Presse, o partido avançou que “Emmerson Mnangagwafoi eleito presidente e primeiro secretário do Zanu-FP […] e designado candidato presidencial às eleições de 2018”. Emmerson Mnangagwa sucede a Robert Mugabe, afastado da liderança da União Nacional Africana. “Foi adoptada uma resolução para remover o Presidente e substituí-lo por Mnangagwa”, disse à AFP fonte

M

ALCOLM Young, guitarrista e co-fundador do grupo de rock AC/DC, morreu sábado aos 64 anos, vítima de doença prolongada, anunciou a banda, fundada na Austrália em 1973, na sua página na Internet. “Com profunda tristeza, anunciamos o falecimento de Malcolm Young”, lê-se na nota, que lembra que o guitarrista co-fundou a banda com o irmão Angus, salientando a “enorme dedicação e compromisso” que sempre mostrou com o grupo. “Como guitarrista, compositor e visionário, foi um perfeccionista e um homem único. Sempre defendeu os seus pontos de vista e fez e disse exactamente o que quis. Tinha muito orgulho em tudo o que fez e a lealdade para com os fãs era inultrapassável”, acrescenta a nota dos AC/DC, escrita por pelo próprio Angus Young. No comunicado, em que surge Malcolm numa fotografia sentado ao lado de um amplificador tendo ao colo a “sua” guitarra “Gibson Les Paul”, Angus refere que, como irmão, é-lhe “difícil expressar em palavras o que significou o irmão para a sua vida, “uma vez que a ligação entre ambos era “única e muito especial”. “Deixa para trás um enorme legado que irá perdurar para sempre”, considerou Angus, que termina a nota com um simples “Malcolm, belo trabalho”. Nascido na cidade escocesa de Glasgow, Malcolm e Angus criaram a banda em 1973, em Sidney, na Austrália.

segunda-feira 20.11.2017

Ancara Autoridades proíbem eventos LGBTI

A reacção de Trump surge depois de Hillary Clinton o ter acusado de alegados abusos sexuais a várias mulheres no passado

O

Presidente norte-americano, classificou sábado a sua adversária nas eleições presidenciais de 2016 como a “pior perdedora de todos os tempos”, depois desta o acusar de não aceitar qualquer responsabilidade no caso de abusos sexuais feitos por várias mulheres. “A desonesta Hillary Clinton é a pior (e a maior) perdedora de todas os tempos. Ela simplesmente não pode parar, o que é tão bom para o Partido Republicano. Hillary, continua com a tua vida e tenta novamente daqui a três anos”, escreveu Donald Trump, na rede social Twitter, referindo-se às eleições presidenciais de 2020. O Presidente dos Estados Unidos já expressou, em outras ocasiões, o desejo de Hillary Clinton competir com ele nas próximas eleições para a Casa Branca, embora a ex-secretário de Estado tenha afirmado que a sua carreira “como política activa” chegou ao fim. A reacção de Trump surge horas depois de Hillary Clinton

ter acusado o seu ex-adversário eleitoral de alegados abusos sexuais a várias mulheres no passado. Clinton referia-se ao caso do senador democrata Al Franken, eleito pelo Estado do Minnesota, que foi acusado na quinta-feira de beijar à força e apalpar em 2006 uma correspondente desportiva da televisão Fox TV, agora uma animadora de rádio em Los Angeles. A acusação contra Franken ocorreu num momento em que o problema dos abusos sexuais está a agitar o Congresso dos Estados Unidos devido às alegações contra Roy Moore, candidato republicano ao Senado peloAlabama, acusado de se ter aproveitado de várias adolescentes durante quatro décadas.

QUEM SE ASSUME

Na entrevista à estação de rádio WABC, em Nova Iorque, Clinton valorizou o facto de Franken assumir a responsabilidade. “Eu não ouço isso de Roy Moore ou de Donald Trump. Olhe o contraste entre Al

Franken, aceitando a responsabilidade, pedindo desculpas, e Roy Moore e Donald Trump, que não fizeram nada disso”, criticou a ex-candidata presidencial democrata. Em Outubro, a Casa Branca disse que todas as mulheres que acusaram Trump de assédio sexual mentem e essa é a posição oficial sobre o assunto. Durante a campanha eleitoral de 2016, várias mulheres alegaram que o então candidato presidencial republicano abusou sexualmente delas, tendo Trump repetidamente negado. O então candidato presidencial, que fez a fanfarronada pública sobre apalpar as partes privadas das mulheres – mas negou que o tenha feito –, acabou eleito Presidente, meses antes de uma cascata de alegações de assédio sexual, que tem terminado com a carreira de homens poderosos em Hollywood, empresas, comunicação social e política.

As autoridades turcas informaram ontem que proibiram a realização de todos os eventos organizados por grupos LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e intersexuais) em Ancara, “para proteger a segurança pública”. Citado pela agência Associated Press, o gabinete do governador de Ancara referiu que a restrição foi imposta “para proteger a segurança pública”, uma vez que os eventos podem causar animosidade entre os diferentes grupos, colocando em período a “saúde e moralidade”, bem como os direitos e liberdades dos restantes cidadãos. O gabinete do governador referiu ainda que alguns grupos podem sentir-se provocados pelos eventos LGBTI, agindo contra os participantes devido a “certas sensibilidades sociais”. A proibição abrange todas as exibições de filmes, peças de teatro, painéis e exposições LGBTI. A medida, que entrou em vigor no dia 18 de Novembro, irá prolongar-se por tempo indefinido.

Síria Exército expulsa EI e recupera Boukamal

O Exército sírio e os seus aliados expulsaram de novo ontem o grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico (EI) de Boukamal, última cidade nas mãos da organização terrorista, afirmou uma fonte militar. Com a perda desta cidade do leste da Síria, o EI só controla algumas bolsas na Síria, depois do afundamento do seu ‘califado’ autoproclamado há três anos. “O Exército sírio e as forças aliadas assumiram o controlo da cidade de Boukamal e estão a limpar de minas e de explosivos colocados pelo EI”, indicou a fonte citada pela AFP. “O EI opôs uma resistência feroz, tendo recorrido a engenhos explosivos e a atacantes suicidas”, precisou a fonte. O Exército sírio tinha anunciado no início de Novembro que tinha reconquistado esta cidade do leste da Síria antes dos ‘jihadistas’ terem recuperado o controlo dias mais tarde. A agência oficial síria Sana também noticiou que as tropas governamentais e os seus aliados “esmagaram as últimos bolsas de terroristas do EI na cidade”.

Hoje Macau 20 NOV 2017 #3938  

N.º 3938 de 20 de NOV de 2017

Hoje Macau 20 NOV 2017 #3938  

N.º 3938 de 20 de NOV de 2017

Advertisement