Issuu on Google+

PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

hojemacau MOP$10

PUB

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • TERÇA-FEIRA 2 DE AGOSTO DE 2011 • ANO X • Nº 2423

Ter para ler

TEMPO POUCO NUBLADO MIN 26 MAX 33 HUMIDADE 50-90% • CÂMBIOS EURO 11.4 BAHT 0.3 YUAN 1.2

Meio ambiente

JOANA FREITAS

JARDINS NOS TELHADOS SÃO A MELHOR OPÇÃO PARA DESPOLUIR E ARREFECER MACAU • CENTRAIS

Novo serviço de autocarros apresenta-se cheio de falhas e decepciona passageiros

Caos instalado nas ruas

Máquinas que descontam mais dinheiro do que era suposto nos passes, atrasos, congestionamentos e 12 acidentes. As ruas de Macau estiveram ontem em polvorosa com o novo modelo de autocarros, que não impressionou, antes pelo contrário, desiludiu. O Governo reconhece que o primeiro dia não correu pelo melhor, mas promete tornar o serviço mais eficaz num curto espaço de tempo. > PÁGINA 6

Jovens apáticos e Governo surdo, denuncia Larry So Em entrevista ao Hoje Macau, o académico do Instituto Politécnico diz que o Governo manipula as opiniões, que as perguntas nas auscultações não são feitas como devem ser e que os jovens de Macau só querem trocar mexericos e falar de dinheiro. >PÁGINAS 4 E 5

Loucura pelo ouro

INVESTIR NO LUCRO GARANTIDO • PÁGINA 3


TERÇA-FEIRA 2.8.2011 www.hojemacau.com.mo

2

E

NQUANTO as superpotências espaciais e boa parte dos países ricos uniram esforços para criar a ISS (Estação Espacial Internacional), a China vai na contramão. O país está decidido a ter um cantinho só seu em órbita. O objectivo é ter uma estação espacial completa por volta de 2022. Enquanto isso, no entanto, o país deverá lançar cápsulas menores para testar os sistemas e as tecnologias que serão utilizadas. O primeiro passo do projecto multimilionário - mas sem cifras confirmadas oficialmente por Pequim - é o lançamento de um módulo científico até o fim deste ano. Baptizado de Tiangong-1, (“Palácio Celestial”, em chinês), funcionará como uma mini-estação espacial e passará dois anos em órbita. Com cerca de 8,5 toneladas, o módulo deverá ser visitado inicialmente pela nave não tripulada Shenzhou-8. Aacoplagem será a primeira feita em órbita pela China. No ano que vem, uma nave levando três taikonautas

ACTUAL China quer lançar mini-estação espacial até ao fim deste ano

Uma Pequim no espaço (como são chamados os astronautas do país) também deve acoplar-se ao módulo, que conta com um pequeno laboratório de experimentos. Até 2015, outros dois módulos muito parecidos deverão ser lançados. O último deles, Tiangong-3, terá capacidade para abrigar três taikonautas por até 40 dias. Após os módulos Tiangong, a China espera lançar entre 2020 e 2022 a sua estação espacial completa. De acordo com a Xinhua, a agência de notícias estatal chinesa, a nave será composta de um módulo principal e de dois anexos, projectados para receber diferentes tipos de experimentos científicos. No entanto, mesmo com três módulos e aproximadamente 60 toneladas,

a nova estação será muito pequena perto da ISS, de 471 toneladas. Até a já aposentada estação russa Mir era maior do que o projecto chinês, com as suas 130 toneladas. Num simpósio em França, em Março, Jiang Guohua, engenheiro-chefe do Centro de Pesquisa e Treino em Astronáutica de Pequim, destacou que a China não pretende isolar-se no seu cantinho no espaço. “Vamos manter a política de abrirmo-nos para o mundo”, disse. Muitos, no entanto, duvidam que isso vá acontecer. A começar por uma questão básica: o sistema de acoplamento da futura estação. Embora Jiang tenha afirmado que o projecto seguirá o modelo padrão da ISS, outras autoridades já

sinalizam o contrário. A realidade estaria mais próxima de um sistema fechado chinês, uma espécie de Macintosh do espaço. A principal declaração foi de Yang Liwei, que em 2003 se tornou o primeiro chinês no espaço

e actualmente é o vice-director do programa tripulado do país. Numa audiência transmitida pela Internet, o especialista afirmou que problemas técnicos “estão a dificultar a adopção do sistema de acoplamento padrão da ISS”.

COREIA DO SUL CENSURA ALUSÕES AO NORTE

Mais problemas à vista Maria João Belchior info@hojemacau.com.mo

A

agência de viagens Koryo Tours sedeada em Pequim tem o acesso à página online bloqueado a partir da Coreia do Sul. Numa nota à imprensa, a agência que organiza viagens à Coreia do Norte desde 1993, informa que a censura à página na Internet terá começado em Janeiro sem ter sido feito nenhum aviso prévio. Depois de uma reunião com a Comissão para as Comunicações, a agência de viagens foi avisada da necessidade de alteração de alguns conteúdos, considerados como propaganda ao norte e proibidos pelo Acto de Segurança Nacional sul-coreana.

Tal como no norte, também no Sul é proibido referir o país vizinho em alguma forma que possa ser entendida como propaganda. Separados há mais de cinquenta anos, os coreanos vivem divididos pela Zona Desmilitarizada que divide a península em duas. Para a Koryo Tours, uma agência gerida pelo britânico Nick Bonner, o acto de censurar a página online é “despropositado e exagerado.” A Coreia do Sul bloqueia também ligações a páginas alojadas no Norte e, como tal, favoráveis ao regime. Os norte-coreanos estão na maioria proibidos de sair do país. E para os sul-coreanos, a viagem ao norte só se pode fazer mediante uma autorização especial.

ANÁLISES DE PARTIR A LOUÇA

Gestores do Museu do Palácio da Cidade Proibida admitiram ter danificado um prato valioso de porcelana com mais de mil ano, no domingo. A relíquia foi esmagada a 4 de Julho, quando um pesquisador de laboratório uso u um dispositivo para examiná-lo, de acordo com um declaração do museu. Esta divulgação veio depois de um internauta no sábado ter alertado sobre o acidente e afirmou que o museu de Pequim, também conhecido como a Cidade Proibida, tentou encobrir o incidente. O prato de porcelana é uma das colecções do forno Ge, que foi um dos cinco mais famosos fornos da dinastia Song (960-1279).

PUB COMUNICADO AOS EVENTUAIS CREDORES DA “SOCIEDADE DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO GREENSFIELD, LIMITADA” (a “Sociedade”) com sede me Macau na Estrada de Sete Tanques, nºs 34-82. Edifício Bela Vista, 3.º andar B, na Ilha da Taipa, registada na Conservatória dos Registos Comercial e de Bens Móveis de Macau sob o n.º 26672 SO, com o capital social de MOP$25.000,00

COMISSÃO DE REGISTO DOS AUDITORES E DOS CONTABILISTAS

Aviso

Torna-se público que já se encontra finalizada a correcção da primeira prestação das provas para a inscrição inicial e revalidação de registo como auditor de contas, contabilista registado e técnico de contas, realizadas no ano de 2011 nos termos do disposto na alínea c) do artigo 1º do Regulamento da Comissão de Registo dos Auditores e dos Contabilistas, pela referida Comissão. Os respectivos resultados serão notificados aos interessados até ao dia 10 de Agosto, solicitando-se aos mesmos que contactem com a Sra. Vong, através do nº 85990168 ou 85990139, caso não recebam a mencionada notificação. Direcção dos Serviços de Finanças, aos 27 de Julho de 2011 O Presidente do Júri, Iong Kong Leong

Serve o presente anúncio para comunicar e informar todos os eventuais credores da Sociedade que os seus únicos e actuais sócios irão a breve trecho ceder a terceiros a totalidade das quotas que detêm na Sociedade. Assim, no âmbito dessa transmissão ficou acordado entre os cedentes e os cessionários que quaisquer dívidas e/ou encargos (independentemente da respectiva natureza ou origem e quer os mesmos se relacionem com a actividade comercial da Sociedade ou com quaisquer bens, móveis ou imóveis, que lhe pertençam ou se encontrem registados em seu nome) pelas quais a Sociedade seja responsável até à data da referida cessão de quotas serão suportados pelos actuais sócios, ficando os novos sócios totalmente exonerados dessa obrigação. Assim, com excepção do “The HongKong and Shanghai Banking Corporation Limited” relativamente a determinadas facilidades bancárias concedidas à Sociedade e que se encontram garantidas por hipoteca sobre as fracções AR/C e BR/C do prédio descrito na Conservatória do Registo Predial sob o n.º 4280, ficam desde já notificados todos os eventuais credores da Sociedade para no prazo de dez dias úteis, a contar da publicação do presente anúncio, virem reclamar junto desta o pagamento dos seus eventuais créditos sob pena de, findo o referido prazo, os mesmos se considerarem extintos. As reclamações deverão ser apresentadas por escrito, acompanhadas dos documentos comprovativos dos créditos reclamados, e entregues no seguinte endereço: Avenida Dr. Mário Soares, n.º 25, Edifício Montepio, 1.º andar, Comp. 13, Macau. Macau, aos 2 de Agosto de 2011


Só um cego ou irresponsável não vê e não se revolta com a maneira como muitos restaurantes e outros estabelecimentos trabalham por cá. Diz-se em voz alta que sempre houve prédios de habitação a servir de armazéns de botijas de gás; já foram fotografados e publicados na imprensa dezenas de vezes motociclistas transportando botijas penduradas sabe-se lá como. Helder Fernando, P.15

Maria João Belchior info@hojemacau.com.mo

A

procura aumentou e o preço subiu. O ouro está mais valioso que nunca. E enquanto uns empenham colares e pulseiras, outros procuram avidamente onde anda o metal luminoso. O “suor do Sol”, como em tempos foi chamado pelos Incas, transformou-se na maior garantia desde que a crise financeira começou em 2008. Nos últimos dois anos a procura aumentou e levou os preços nos mercados internacionais a subir em flecha. Na incerteza do cenário financeiro actual, as boas notícias são apenas para a China, que no primeiro trimestre deste ano ultrapassou a Índia como maior comprador mundial. E a tendência é para continuar. A China entrou tarde na corrida mas já conseguiu ultrapassar os concorrentes. As reservas em moeda estrangeira são uma aposta cada vez mais arriscada para o Governo chinês, que tem visto a crise mundial quase como observador estrangeiro. Para quem pode investir, as moedas e as barras de ouro tornaram-se uma segurança maior do que um saco cheio de notas. E na nova corrida ao ouro, a Índia e a China absorvem os primeiros lugares.

DE ONDE VEM, PARA ONDE VAI

O preço por onça triplicou nos últimos cinco anos. Hoje uma onça de ouro, medida

Chineses compram cada vez mais o ouro mundial

Uma China de Ouro de referência que equivale a 31.104 quilos, pode chegar aos 1600 dólares. E o valor pode subir até ao final do ano. Em 2005 foi dada autorização pelo Governo Central para que os chineses comprassem ouro. Até então vigorava uma proibição maoísta dos anos 50 que não permitia que individuais entrarem no negócio privado da compra. A liberalização de acesso ao mercado do ouro deu um impulso à produção nacional e a China é hoje um dos países produtores que deve passar as 400 toneladas por ano até 2014. Se vai ser suficiente para cobrir a procura nacional, fica por saber. Em 2010 a produção chinesa chegou às 340 toneladas de ouro, mas há dados que apontar para compras que podem ser quase o dobro. Pequim não publica oficialmente números sobre quanto importa de ouro, nem de

quanto tem em reserva nos bancos. Nos últimos dois anos as campanhas nacionais para investimentos em ouro levaram muitas famílias a

A EXPLORAÇÃO DO OURO

O preço do ouro foi pela primeira vez normalizado por Isaac Newton que era director da Casa da Moeda de Inglaterra em 1717. O valor em moeda e em papel passou depois a ser estabelecido pela oferta e procura. Em 1971 o dólar deixou de estar indexado ao ouro. Hoje o metal tem um valor volátil consequência da venda livre. Apesar da fama ter muitos anos, a grande corrida ao ouro só se verificou nos últimos cinquenta anos. Se continuar a mesmo velocidade de exploração, há estimativas que apontam para o fim do ouro daqui a cerca de cinquenta anos.

GOVERNO ATRIBUIU VIOLÊNCIA EM XINJIANG A TERRORISTAS

Do Paquistão para China A

China atribuiu a violência na província de Xinjiang, que causou 19 mortos no fim-de-semana, a “terroristas treinados no estrangeiro”, nomeadamente no Paquistão, revelaram fontes governamentais à agência oficial Xinhua. Segundo as fontes oficiais, 14 pessoas foram mortas no sábado e domingo na sequência de ataques com armas brancas pela minoria muçulmana uigures, e cinco atacantes pelas autoridades, na província Xinjiang, no noroeste da China. As autoridades da cidade de Kashgar

atribuiuram a autoria dos conflitos a “um grupo de religiosos extremistas liderado por homens treinados nos campos terroristas no estrangeiro”, informou a agência. Os primeiros elementos da investigação permitiram concluir que os dirigentes deste grupo “aprenderam a manusear explosivos e armas de fogo nos campos do Movimento Islâmico do Turquistão Oriental no Paquistão antes de entrarem em Xinjiang”, asseguram as autoridades de Kashgar, num comunicado citado pela Xinhua.

PUB

TERÇA-FEIRA 2.8.2011 www.hojemacau.com.mo

3 escolher este como a compra mais segura. E a nível nacional, cresceram os pontos de venda. Utilizando a sua própria tecnologia, várias companhias chinesas estabeleceram-se em países africanos onde nem sempre as explorações são legais. No Gana, segundo país exportador de África, as queixas contra a presença chinesa no negócio da exploração do ouro, já não são novidade. A procura do metal luminoso por parte da China deve aumentar até 22% nos próximos três anos. A distinguir-se como o primeiro país produtor, até ao final do ano a China pode ultrapassar também a Índia como comprador número um. Até ao momento, na produção já passou à frente da África do Sul, primeiro produtor mundial durante décadas, assim como dos Estados Unidos.


TERÇA-FEIRA 2.8.2011 www.hojemacau.com.mo

4

POLÍTICA

Entrevista | Larry So, professor da Escola de Administração Pública do IPM

“Falta voz” aos cidadãos do território para Joana Freitas e Virginia Leung joana.freitas@hojemacau.com.mo / virginia.leung@hojemacau.com.mo

C

OMECEMOS por falar dos recentes problemas com o Metro Ligeiro. Há muitos residentes a queixarem-se devido dos percursos e da segurança. Definitivamente. Tem havido muita polémica entre os residentes da zona da Rua de Londres, sobretudo. Recordemos que há cerca de dois anos se falava de fazer o metro passar por um túnel, não só pelo barulho como pelo valor comercial do terreno. Estas pessoas querem agora que o metro passe não na Rua de Londres, mas na marginal. De facto isto seria uma coisa simples, alterar essa passagem, e tudo seria muito mais facilitado. Mas, como sabemos, o Governo disse que não ia modificar esse projecto, que iria trazer muitas complicações. Mas a Administração não sabia do desejo dos residentes antes de elaborar o projecto? Sim, sabia. Mas há interesses no meio disto que iriam levantar muitos problemas. Há objecções que impedem a passagem do metro na marginal. Toda a gente sabe do que se trata, mas ninguém fala disso. Além que é necessário provas para debater isto. Fiquemos por aqui.

“É sabido que o Governo tenta manipular a opinião pública” Quais são os principais problemas em fazer o metro passar pela Rua de Londres? Temos diversos. Implementar carris no meio daquela rua vai implicar não só graves impactos ambientais, como barulho e outros. Além disso, há uma questão que está a ser constantemente levantada pelos residentes daquela zona desde o ano passado. Se houver um fogo naquela rua,

os bombeiros não a conseguem alcançar nem têm sequer local para colocar a escada, e o elevador não consegue subir, porque não há espaço para o metro, o carro dos bombeiros e a escada. Tem sido feito alguma coisa pelos moradores para tornar isso claro aos olhos da Administração? Claro. O Governo tem sido desafiado uma e outra vez. As pessoas perguntam “se acham que é seguro porque não o demonstram?”. E porque não fazem? No mês passado, os residentes organizaram uma reunião para a qual convidaram 11 departamentos públicos e nenhum deles apareceu. Essa não é uma novidade e é, pelo menos, a terceira vez que acontece. E mesmo os deputados que são convidados para virem a esta espécie de “fórum aberto” não aparecem. Só um apareceu e foi Ng Kuok Cheong. Não obstante, o Gabinete para as Infra-Estruturas dos Transportes (GIT) disse ter lançado um comunicado onde mencionava ter tido contacto com a população sobre esse assunto. Isso é verdade? De certa forma é, mas não há contacto pessoal, face a face. É apenas feito através de correio, comunicados e, mesmo, por telefone nos programas da rádio. Os residentes querem uma reunião formal. Claro que isso não é possível com cada um dos moradores, mas é-o através das associações, como a da União Geral das Associações dos Moradores de Macau. Eles [Governo e associações] falam em termos paralelos, em diferentes contextos, mas do mesmo assunto. O problema é que o Governo não quer enfrentar os residentes, porque sabe que será desafiado a falar outra vez sobre a mesma questão, até se poder obter uma resposta, como é o caso da segurança contra o

JOANA FREITAS

Larry So dá aulas no Instituto Politécnico de Macau há mais de meia década e, além de trabalhar como investigador na área das relações sociais, desempenha ainda o papel de analista político. Em entrevista ao Hoje Macau, o professor fala das lacunas em determinados procedimentos da Administração, nas leis que estão a ser revistas e na ausência de conhecimentos políticos dentro da comunidade de Macau

“É fácil manipular dados nessas pesquisas de saber se a população está satisfeita ou não. São perguntas feitas ao telefone. E lhe perguntarem ‘está feliz?’, vai dizer que não? Nem sequer há definição concreta de que tipo de felicidade estamos a falar” incêndio: se é seguro, porque não o demonstram? Levem um bombeiro lá e um carro e demonstrem como vão salvar as pessoas que vivem no quinto e sexto andares em caso de incêndio. Porque acontece isto? O Governo está sempre a mencionar a transparência e a comunicação com o público. A Administração não quer realmente ouvir a opinião pública ou não sabe responder às questões dos cidadãos? Eles sabem responder. Só não querem. Voltamos ao exemplo do incêndio. Na última reunião a que fui, pedimos para nos escreverem em papel que era de facto segura essa situação. Isto foi

no ano passado e não temos ainda o relatório, os responsáveis pelo metro não conseguiram publicar qualquer resposta formal. Mas eles precisam desse relatório para voltarem a ouvir a população, certo? Eu sei que eles precisam de preparar isso. O problema é que eles não o têm! Acerca dos gastos excessivos de que o GIT foi recentemente acusado, através do Comissariado de Auditoria: é legítimo que o Governo permita este esbanjamento do erário público? Primeiro que tudo, nós temos realmente dinheiro em Macau. Esse é um facto. Mas esses problemas acontecem devido aos

procedimentos governamentais nos pedidos de dinheiro para as obras públicas. Por exemplo, em Hong Kong, é obrigatório que o uso de uma avultada quantia de dinheiro seja primeiramente autorizada. Não vamos ao Governo pedir dinheiro exterior ao orçamento. Temos de ir ao Conselho Legislativo, passar pelo Departamento de Finanças, ser avaliado e interrogado vezes sem conta. A preparação do orçamento é muito cuidada em Hong Kong. Em Macau é diferente, porque o orçamento e o controlo financeiro são ambos feitos pela Administração, o que faz com que os pedidos para mais dinheiro sejam feitos internamente. Não têm de ir à Assembleia Legislativa, o que significa que podem falar directamente com a Administração. Portanto, deveria existir em Macau um conselho de avaliação para alterações nos orçamentos? Sim. A autorização do orçamento extra deveria subir a Assembleia Legislativa, ao Departamento de


CHUI NA MONGÓLIA INTERIOR PARA REFORÇAR COOPERAÇÃO BILATERAL

O Chefe do Executivo de Macau, Fernando Chui Sai On, iniciou ontem uma visita oficial de quatro dias à Região Autónoma da Mongólia Interior com a qual pretende reforçar a cooperação bilateral. Chui Sai On lidera uma delegação empresarial do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) e faz-se acompanhar nesta deslocação dos Secretários para a Administração e Justiça, Florinda Chan, e para a Economia e Finanças, Francis Tam, tendo na agenda encontros com dirigentes daquela região autónoma.

questionar o Governo Finanças e nós não temos isso. Mas o orçamento do Governo tem de ser aprovado na AL... Não, não tem. Apenas passa lá. Não há um comité para escrutinar cada um dos detalhes onde o dinheiro vai ser gasto. Isso trata-se de falta de organização ou falta de interesse da parte do Governo em querer que as pessoas saibam quanto dinheiro alberga a RAEM? Posto formalmente, temos sistemas diferentes e procedimentos diferentes. Aqui é um pouco mistura do legado português e do chinês. Na Lei Básica, o Governo Central controla a Administração do território, incluindo orçamentos. Não há departamentos separados, como no sistema britânico que sentimos na RAEHK. Pode vir a surgir no futuro um pouco mais de poder da parte da AL em gerir o orçamento e agora com estas alterações das reservas financeiras, que não tínhamos antes. Falamos em alterações. Podemos dizer que o Governo está, neste momento, a fazer isso com as leis. No entanto, algumas delas entram em conflito com a Lei Básica – como a dos casinos. Podemos concluir desta forma? Não propriamente. Há determinados conceitos onde podemos definir a idade própria para trabalhar num certo local ou onde podem ser admitidos funcionários de um determinado sexo. Este é um problema básico. Se dizemos que não podem trabalhar homens assistentes sociais com raparigas problemáticas, podem dizer que é discriminação. Mas, na realidade não podemos pôr um homem como assistente destas jovens raparigas porque isto pode levantar problemas de assédio sexual ou outros mais graves. Portanto, podemos determinar sexo e idade, não é tão contraditório à Lei Básica como dizem. Claro que, em Macau, segundo a lei, com 18 anos é-se adulto. Mas ser-se adulto não significa que uma pessoa possa ser ‘dealer’ ou funcionário de casino. Eu apoio essa alteração. Mas como podemos explicar isso às pessoas, é uma questão de segurança? Não é apenas uma questão de

segurança, é uma questão de regras. Conduzir não categoriza alguém como adulto. Pode beber mas não tem idade suficiente para fazer tudo o resto. E depois também não podemos esquecer que uma pessoa com 18 pode ser muito responsável e outra com 21 ser um jogador patológico. São questões de regras.

a ‘part-time’? Não sabem o que se passa, não é apropriado. Os legisladores têm de arranjar forma de resolver. De certa forma, não é exactamente contraditório mas não se encaixa na lei laboral. Os contratos anuais ou de dois em dois anos também formulam outra das questões polémicas. Porquê?

“A auscultação pública é mais profunda. Mas nunca publicam os resultados. Só a conclusão de todas as opiniões. A maioria delas, especialmente as mais controversas, como as relacionadas com as da Taipa Pequena, nós estamos sempre à espera que o Governo decida o que quer mostrar” Relativamente aos jogadores patológicos, é legal que possa ser interditada a sua entrada em casinos mesmo sem a sua autorização? Esta é uma questão que está a ser ponderada pelo Governo. Essa questão faz parte do “jogo responsável”. É complicado porque quando a pessoa declara a proibição de entrar por ser viciado no jogo nunca lhe é removido esse rótulo. Se a família poder assinar por si, como acontece em Singapura, estamos a falar de uma questão controversa. Como tratar o assunto? Pôr o indivíduo como membro de uma família que se insere na sociedade ou como um indivíduo único na sociedade? Na cultura chinesa a escolha é a família como unidade base da sociedade. Eu iria por cada um em particular, porque se um jogador estiver mesmo motivado para largar o vício ele assina, se não estiver motivado arranja outra maneira de jogar sem ser nos casinos, até de forma online. Acerca da lei dos professores, a lei laboral diz que o trabalho não pode ser efectuado em ‘parttime’, mas no novo regime dos docentes, quem tiver mais de 65 anos só pode continuar funções dessa forma. Como pode isto ser resolvido? Acontece aqui a mesma coisa. Não sei como pode ser resolvido, basicamente com 65 anos eu tenho de me reformar, mas se quero trabalhar têm de me empregar só em ‘part-time’. Esta é uma regulação básica. Depois como podem directores sê-los

O problema de ter de renovar contrato a cada ano é que perdemse benefícios. Começou a 1 de Agosto e o contrato termina a 31 de Julho do próximo ano. Durante esse período de 24 horas, não há contrato, não há benefícios mesmo que em caso de acidente de trabalho. Além de que não oferece segurança trabalhar desta forma. Há pouco estávamos a falar do metro, um assunto que nos remete para a auscultação pública. Como podemos analisar a recente situação que surgiu com a Associação Novo Macau em relação à Taipa Pequena?

“A maioria dos jovens só fala em dinheiro e nas receitas que obtém, querem comprar motas, carro e uma casa”

Esta é uma maneira bastante nova de analisar e calcular cada opinião individual. O Governo tem obrigatoriamente que justificar isso. É sabido que o Governo tenta manipular a opinião pública. Mas se tivermos em conta os recentes resultados de um estudo sobre a opinião acerca da governação, as respostas são sempre que os cidadãos estão satisfeitos com os princípios políticos. Porquê esta contradição? É fácil manipular dados nessas pesquisas de saber se a população está satisfeita ou não. São perguntas feitas ao telefone. E lhe perguntarem “está feliz?”, vai dizer que não? Nem sequer há definição concreta de que tipo de felicidade estamos a falar. Cada vez mais são utilizados mecanismos como vozes mecânicas que fazem as questões para as pessoas responderem e isso não é uma forma científica de se fazerem relatórios. A opinião pública é muito fluida, pode mudar de dia para dia. Depois eles dão um minuto para responder a cada questão e fazem três só para analisarem e concluírem resultados. Não é suficiente. As decisões não são feitas com base na opinião pública. Deviam? Não são, mas sem dúvida que deveriam. Quando foi para sugerir nomes para os pandas, foram aceites todas as opiniões, mas as restantes mais controversas ficam de fora. O Governo tenta não acompanhar opiniões que não se encaixem no que procuram? Sim. Por isso as exigências constantes em que as auscultações sejam publicadas. Não há regras para regular a auscultação pública? Não. E a opinião pública não pode ser usada para questões como o metro, é muito básica e simples. Tem de ser a auscultação pública, cujas questões são mais técnicas, há fóruns e reuniões. A opinião é “precisamos de mais cheques? Sim, Não, Não sei”. É isto. A auscultação pública é mais profunda. Mas nunca publicam os resultados. Só a conclusão de todas as opiniões. A maioria delas, especialmente as mais controversas, como as relacionadas com as da Taipa Pequena, nós estamos sempre à espera que o Governo decida o que quer mostrar. Como pode ser isso resolvido? Devia haver regulação. Por exemplo, as auscultações deviam ser mais espaçadas. Sem

TERÇA-FEIRA 2.8.2011 www.hojemacau.com.mo

5 tempo para analisar, há fortes possibilidades de manipular. Não podemos sentar durante um mês inteiro alguém a analisar três diferentes auscultações, sem perceber o que realmente se passa. Cada tema tem de ser investigado, dados devem ser recolhidos. Eu, por exemplo, estive a analisar a lei dos idosos uma semana inteira antes de ir à reunião de auscultação. Se não é o meu campo, tenho de investigar. Essa regulação devia definir o alvo – primeiro pessoal técnico, os trabalhadores e só depois o público. Falou na questão da Taipa Pequena. Como podemos analisar essa questão? Se o contrato de desenvolvimento de terreno expira, o lote tem de voltar para o Governo. Mas o empreiteiro mudou o projecto depois de reavê-lo, ou seja, não está a actuar de acordo com o contrato. Quem é responsável? O público quer saber, mas nem Governo nem empreiteiros assumem nada. Somos cidadãos, pagamos impostos, temos direito de saber. Aquele pedaço de terra tem estado em discussão há já muitos anos, mas estamos a falar de interesses económicos. As pessoas começam a aperceber-se e a questionar. Acredita que as pessoas em geral estão formadas para questionar o Governo? Não, não têm vocalização verbal para isso. Os cidadãos, maioria os idosos, falam desses assuntos e de “política” durante o ‘yam cha’. Não estão satisfeitos porque isso notam que há muito dinheiro mas que eles não fazem parte desse círculo onde ele existe. E os jovens? Não querem saber muito de política. A maioria deles só fala em dinheiro e nas receitas que obtém, querem comprar motas, carro e uma casa. Em Hong Kong há participação política, os movimentos estudantis lá começaram no início dos anos 70. Aqui nunca houve nada. A comunidade é calada e os estudantes são formatados desde a escola à universidade, vivem dentro de um quadrado cercados de tudo o que se passa em volta. As redes sociais servem para mexericos, não há discussões políticas, fala-se em dinheiro. Os blogs são engraçados. E não é só isso que se quer. Um blog sobre política não pode acontecer aqui em Macau. Porquê? Tem de haver jovens maduros e não temos isso aqui. É pena.


TERÇA-FEIRA 2.8.2011 www.hojemacau.com.mo

6

SOCIEDADE

Novo sistema de autocarros públicos provoca congestionamentos e confusões

Alterações chegam, mas nada muda Não foi um balanço muito positivo para o primeiro dia de funcionamento com mais e novos autocarros em Macau: 12 acidentes envolveram todas as operadoras, duas pessoas ficaram feridas, ainda que sem gravidade, 20% das carreiras sofreram atrasos, a DSAT recebeu mais de cem queixas e até o Macau Pass falhou Virginia Leung e Joana Freitas virginia.leung@hojemacau.com.mo joana.freitas@hojemacau.com.mo

F

OI o caos de Norte a Sul do território. Depois de grandes expectativas, o novo sistema de autocarros públicos falhou, provocou congestionamentos, atrasos, reclamações e outros problemas. Logo pela manhã, o terminal das Portas do Cerco transformou-se num centro de queixas. A Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) alterou a disposição das paragens, o que gerou uma enorme confusão entre as centenas de passageiros desorientados, alguns provenientes da China. Conforme relataram ao Hoje Macau, quando encontraram a nova paragem, tiveram de ficar largos minutos à espera que aparecesse o veículo. Para piorar a situação, nem os próprios motoristas estavam preparados para a nova fase. Os condutores da Reolian, por exemplo, estacionaram os veículos que fazem o percurso 3A e 30 nos locais errados. Os atrasos denotaram-se especialmente nas horas de ponta. O primeiro autocarro da Transmac para a rota número 25 ficou sete minutos parado nas Portas do Cerco, causando tumultos na longa fila de espera, com pessoas a forçarem a entrada no veículo. Uma visita do Hoje Macau à Rua do Comandante João Belo, no Fai Chi Kei, foi suficiente para perceber a falta de organização do primeiro dia do novo serviço. Mais de 30 pessoas faziam fila por volta das 9h, mas os autocarros não chegavam. A espera chegou a prolongar-se por mais de 20 minutos, com protestos dos passageiros. O percurso do autocarro número 3 foi o mais criticado. Na Avenida

do Almirante Lacerda, o número de passageiros à espera do transporte estava acima do normal. “Como estava antes, estava melhor. Mudar para piorar é que não”, apontou um residente na fila. O Hoje Macau ficou mais de 25 minutos à espera desse mesmo autocarro e contabilizou ainda mais de três minutos de espera em cada uma das paragens desde o Mercado Vermelho ao Casino Rio, devido à demora para arranjar lugar dentro do autocarro para todos os passageiros à espera.

DSAT PEDE DESCULPA

Ontem, Wong Won, director da Direcção dos Serviços de Assuntos de Tráfego (DSAT), admitiu que o serviço não se estreou como o planeado e pediu “desculpa aos passageiros”.

VEÍCULOS A MAIS

Em conferência de imprensa, o responsável do departamento anunciou que 1/5 das carreiras sofreu “muitas falhas” e atrasos. Para a DSAT o dia de ontem causou um “impacto muito negativo” entre a população. Dos problemas que mais se

Além dos problemas com os autocarros, o trânsito não ajudou nada durante o dia de ontem. Foram notados congestionamentos por toda a cidade durante praticamente o dia inteiro. “A frequência até pode melhorar, mas há muitos problemas com o trânsito no geral. Mesmo que seja mais fácil apanhar um autocarro, é difícil que ele consiga movimentar-se pela cidade. Acabamos por perder muito tempo na deslocação”, apontou Ieong, agente de seguros que se dirigia da zona do Mercado Vermelho para a AIA Tower. “Cheguei à paragem 15 minutos antes do que costumo chegar. E ainda assim cheguei ao trabalho com um atraso de 20 minutos. Isto é impraticável todos os dias”, acrescentou o jovem. Tam, uma estudante que está a tirar a licenciatura no estrangeiro e regressou de férias, estava surpresa com a confusão que andava nas ruas de Macau. “Não está nada fácil apanhar um autocarro. Estou há mais de meia hora na paragem à espera do 3”, explicava a jovem ao Hoje Macau enquanto o autocarro chegava. Mas Tam não conseguiu apanhá-lo. “O motorista nem sequer abriu a porta. Estava a abarrotar. Mais vale ir à pé!”, constatou. Wong, secretária, apontou ao Hoje Macau que não estava a sentir melhorias no serviço, como foi tantas vezes frisado pelo Governo. “Nem sequer parece que há mais uma companhia a operar.” Este foi um apontamento feito por diversos cidadãos ontem, mas a realidade é que existem agora um total de 666 autocarros no território, apesar de circularem separadamente. “Existem 432 autocarros novos a circular durante o dia, metade são novos da Reolian e 63 novos da TCM”, explicou Wong Won. O problema reside no facto de os autocarros não terem sido acrescidos às carreiras, mas estas terem sido distribuídas pelas três empresas, substituindo uma operadora por outra e não pondo mais autocarros a fazer o mesmo percurso.

destacaram, estão a segurança, avarias nos sistemas de passes e atrasos. “Temos registados 12 acidentes, dos quais saíram dois feridos ligeiros, uma idosa e um motorista. Todos se deveram a choques leves nos semáforos ou nas chegadas às paragens”. Os cartões da empresa Macau Pass descontaram dinheiro a mais aos passageiros e, em alguns casos, não chegavam mesmo a funcionar. “A Macau Pass terá de reembolsar os passageiros”, frisou Wong Won. Ainda no que diz respeito às frequências dos autocarros, objectivo principal a tratar aquando da criação do novo sistema de transportes, foram 20% as carreiras que não cumpriram horários. “À noite vamos aumentar a frequência das carreiras da TCM e Reolian”, prometeu o director da DSAT, acrescentando que o Governo iria rever o esquema operacional com urgência, reunindo-se com os responsáveis das três companhias. Falta organização entre as saídas dos autocarros, fazendo com que alguns chegassem ao mesmo tempo depois de um longo período sem que qualquer aparecesse. “Esse problema deve-se aos novos condutores, que não têm experiência e conduzem mais devagar”, justificou Wong Won.

Para hoje, a DSAT promete um melhor fluxo, com um tempo de espera menor para os utentes. “A frequência foi aumentada e a confusão deveu-se à falta de coordenação, a ajustes no tempo e a avarias no sistema de cobrança das tarifas”, disse, acrescentando que, no entanto, “até foi satisfatório o serviço”. O mesmo não pensam os passageiros e os motoristas. Foram 101 as queixas recebidas até às 15horas de ontem. Um motorista da Reolian afirmou ao Hoje Macau que o seu primeiro dia de trabalho “não correu nada bem”. O condutor diz ter sido “bastante pressionado” quando chegou à estação terminal, porque não havia outro veículo para arrancar no horário previsto. “Estamos ainda a trabalhar a meio gás, não temos a equipa completa. A administração precisa de reforçar a comunicação com os seus trabalhadores para discutir os problemas e reduzir o impacto sobre os residentes”, disse. Num balanço negativo, uma nota positiva: todos os autocarros novos disponibilizam agora o nome escrito e sonoro das paragens nas duas línguas oficiais (cantonês e português) e ainda em mandarim e inglês.


DÉFICE DA BALANÇA COMERCIAL AGRAVOU-SE 46,8%

O défice da balança comercial de Macau agravou-se 46,8% no primeiro semestre do ano face a igual período de 2010, para 24,54 mil milhões de patacas. Segundo dados dos Serviços de Estatística e Censos, as exportações de Macau totalizaram até Junho 3,40 mil milhões de patacas, menos 6,3% do que no primeiro semestre de 2010, enquanto que as importações aumentaram 37,3% para 27,94 mil milhões de patacas. O fluxo da reexportação caiu 10,4% e o da exportação doméstica subiu 2,7% no mesmo período.

TERÇA-FEIRA 2.8.2011 www.hojemacau.com.mo

7

Governo acusado de fazer contratos de emprego a privilegiar alguns

O mesmo trabalho com diferentes salários Virginia Leung

virginia.leung@hojemacau.com.mo

S

E é para desempenhar as mesmas funções, o contrato e o salário devem ser iguais. Mas não o são nos departamentos da Administração Pública. A acusação é feita pelo deputado Lee Chong Cheng, que garante que o Governo está a usar diferentes métodos de contratação – assalariamento, além-quadro, individual, quadros ou por tarefa – para beneficiar aqueles que mais lhe convém. O membro da Assembleia Legislativa aponta que há leis a regular muito especificamente as questões contratuais, como salários, subsídios, promoção e perspectivas de carreira para o pessoal dos quadros. Mas para aqueles contratados além-quadros, assalariamento, por tarefa ou a título individual, não há um método uniforme para que aqueles que fazem o mesmo, ganhem o mesmo salário e tenham acesso aos mesmos benefícios. “O problema é que alguns departamentos têm uma pressa descabida em contratar e ignoram os procedimentos oficiais para o fazer”, critica Lee. Segundo o Estatuto dos Trabalha-

D

EPOIS da confusão que se armou durante o fim-de-semana devido a candidatos excluídos das provas para oficial de Justiça, o deputado Ng Kuok Cheong, que esteve a acompanhar o caso, não perdeu tempo e enviou ontem uma interpelação escrita ao Governo, a acusá-lo de falta de critério nos seus processos. No sábado, mais de 50 candidatos às provas de admissão ao curso de habilitação para ingresso nas carreiras de oficial de Justiça judicial e oficial de justiça do Ministério Público foram impedidos de entrar no recinto dos exames, por alegadamente terem chegado com dois minutos de atraso. O democrata contesta a exclusão dos candidatos, por considerar que as instruções dadas pelo Centro de Formação Jurídica e Judiciária (CFJJ) foram ambíguas. Foi

dores da Administração Pública de Macau, como destaca o deputado, o contrato laboral deve ser estabelecido de acordo com um projecto específico ou uma função temporária. No entanto, tal prática “passou há muito à história”. “Devido a tantas diferenças nos métodos de contratação, trabalhadores com a mesma formação e a desempenhar exactamente as mesmas funções, estão a ganhar ordenados diferentes e estão a ser promovidos distintamente nas suas carreiras. Tal procedimento está a influenciar negativamente as perspectivas de crescimento”, constatou o deputado. Para evitar mais problemas e solucionar os que já existem, Lee sugere ao Governo que estabeleça um único método de recrutamento e contratação, para evitar tantas discrepâncias e elevar o moral dos trabalhadores da função pública. De acordo com o legislador, o Executivo já tem um rascunho de uma nova proposta de lei para normalizar os contratos da função pública. Através de uma interpelação escrita enviada ontem ao Governo, Lee questiona quando é que a Assembleia Legislativa poderá pôr os olhos no documento e que métodos foram usados para se chegar aos artigos.

DINHEIRO A SOBRAR TAMBÉM NO EXTERIOR

Os investimentos dos residentes de Macau no exterior aumentaram 8,1% em 2010, para 125,7 mil milhões de patacas, o montante mais elevado desde o lançamento das estatísticas, em 2002. Em 2009, os investimentos dos residentes de Macau - indivíduos, Governo e outras pessoas colectivas, excluindo o fundo de reserva cambial – em títulos emitidos por entidades não residentes independentes tinha aumentado 42% para 116,3 mil milhões de patacas. De acordo com os dados da Autoridade Monetária de Macau, os investimentos dos residentes em acções e obrigações de longo prazo aumentaram 13,9% e 3,6% face a 2009, para 69,6 mil milhões de patacas e 51,7 mil milhões de patacas, respectivamente. Só os investimentos em fundos mútuos e em ‘trusts’ atingiram as 16,7 mil milhões de patacas. Já os investimentos em obrigações de curto prazo caíram 16,9% para 4,4 mil milhões de patacas. Por países ou territórios, o maior volume de investimento dos residentes de Macau foi aplicado em 2010 no mercado de títulos emitidos por entidades na China Continental – 20,5% do total -, totalizando 25,7 mil milhões de patacas, mais 26,3% face a 2009, tendo ultrapassado pela primeira vez o de Hong Kong.

CONFUSÃO EM PROVAS PARA OFICIAL DE JUSTIÇA MOSTRA FALTA DE RIGOR

Chorar sobre o leite derramado pedido a todos que chegassem ao local do exame com meia hora de antecedência e, segundo Ng, os que chegaram muito perto desse horário foram impedidos de entrar. “As pessoas com quem falei garantem que estavam lá com mais de meia hora de antecedência, mas

quando estavam na fila para entrar no recinto, os funcionários do CFJJ fecharam as portas, não permitindo a sua entrada”, relata o democrata. O deputado acredita que a confusão deveu-se ao facto das normas de entrada serem diferentes nas duas fases do exame. Na primeira

fase, que decorreu em Junho e serviu de pré-selecção para a prova do fim-de-semana, as autoridades pediram aos candidatos para chegarem com pelo menos 30 minutos de antecedência. No entanto, foi permitida a entrada de “atrasados” mesmo depois do início da prova. Desta vez,

contudo, a situação alterou-se por completo e terá apanhado os pré-qualificados de surpresa, denuncia Ng. Para explicar melhor a situação, Ng Kuok Cheong até faz uma comparação com as eleições legislativas. O deputado lembra que no dia da votação, mesmo após o encerramento oficial das urnas, os residentes que esperavam nas filas puderam votar sem problemas. Nos exames para oficial de Justiça, aponta o deputado, as pessoas que estavam na fila e que não puderam entrar antes devido à forte afluência, foram muito penalizadas. O membro da Associação Novo Macau pede ao Governo que lance directrizes

que regulem a situação. “Afinal, as pessoas que estão a fazer fila e já lá estavam no horário de fecho, podem ou não seguir com o seu compromisso?”, questiona. Ng pede para que a revisão seja feita o quanto antes e quer que o Governo reconsidere a situação dos mais de 50 candidatos excluídos das provas. No domingo, o CFJJ mostrou-se relutante em avançar para uma nova sessão de exame para os que não conseguiram entrar nos recintos. “Houve alguns candidatos que chegaram ao local da prova após às 13h30 e não foram autorizados a entrar. Eles exigiram uma explicação, por isso, e para informação geral, o júri do concurso vem por este meio comunicar que os funcionários do SAFP executaram com rigor a regra afixada no aviso”, contesta o CFJJ. - V.L.


vida

TERÇA-FEIRA 2.8.2011 www.hojemacau.com.mo

Segundo os resultados preliminares do Inqué consumo de energia foi utilizado pelos veícul que os portugueses gastam mais energia nos aumentar. Em 1989, apenas 21,8% do consu

PATRÍCIA FERREIRA

8

PORTUGUESES GASTAM

Planos de arborização chegam a alguns lugares de Macau

Um mundo de vantagens nos jardins suspen Patrícia Ferreira

patricia.ferreira@hojemacau.com.mo

O

plano de arborização tem sido adoptado por muitos países como um método para a preservação do meio ambiente. A adopção dos telhados verdes já é uma realidade no território. Leong Kun Fong, do Conselho de Administração dos Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), afirmou ao Hoje Macau que a RAEM já adoptou no início do corrente ano os telhados verdes, com o objectivo de incluir Macau nos países ecológicos. “A arborização tridimensional traz optimização ao ambiente de Macau e com isso a cidade será vista como uma cidade ecológica” disse o responsável. O projecto inclui arborizações de paredes, varandas, base dos viadutos e canteiros. A arborização já pode ser vista no mercado municipal da Taipa, no Mercado Vermelho, nos centros do serviço do IACM e em algumas casas ao lado da Escola Portuguesa. Na “Semana Verde” do próximo ano estão já a ser pensada a realização de propostas para o alargamento da arborização nos prédios privados e de, aos poucos, integrar todos neste projecto. O plano de informar a população das enormes vantagens dos jardins suspensos a Macau já está a ser elaborada, conforme afirma o Conselho de Administração do IACM, e será divulgada na semana

Benefícios dos jardins nos telhados • Absorve entre 70% e 90% das águas das chuvas • Reduz a perda de calor do edifício no Inverno • Reduz a temperatura interna do edifício durante o Verão • Reduz custos de energia • Esteticamente atraente e com benefícios para a vida selvagem • Melhora a acústica do edifício • Plantas absorvem dióxido de carbono e poluentes do ar • Protege o edifício dos raios UV aumentando a vida da estrutura

verde de 2012. Além de reduzirem o consumo de energia, de provocarem um decréscimo no uso do ar condicionado nas regiões quentes

e de isolarem o frio em regiões com Invernos rigorosos, também reduzem os efeitos danosos dos raios ultravioletas e dos efeitos do

vento. Com os jardins no telhado, a temperatura não passa de 25º C contra os 60º C que podem ser atingidos nos telhados convencionais. Outro dos aspectos interessantes é que nas regiões de chuva intensa, este projecto pode fazer com que as plantas possam reter de 15% a 70% do volume das águas pluviais, prevenindo a ocorrência de enchentes. Leong Kun Fong afirma “embora seja necessário algum tempo para o crescimento das plantas, os espaços verdes proporcionam às pessoas uma sensação de calma e tranquilidade, para além de também poderem enriquecer as áreas

periféricas das construções urbanas, criando-lhes uma excelente paisagem”. O IACM frisou que embora não haja uma lei que obrigue os proprietários a adoptar os “jardins no telhado”, espera a cooperação de todos os cidadãos para uma cidade mais verde. “Esperamos que todos possam contribuir para um ambiente mais saudável”, afirmou o responsável ao Hoje Macau. A Suécia, que é um dos países mais ecológicos do mundo, a consciência verde começou a ser trabalhada há décadas e hoje existem bairros ecológicos e sustentáveis com jardins nos telhados para manter as casas quentes. Alemanha, Brasil, Espanha, Grécia, Bolívia, Cuba, México e Equador têm também adoptado leis que regulamentam este projecto em grane escala. A ideia é manter o ambiente mais saudável ao adoptar os telhados verdes.

NO TOPO DO MUNDO

Jardins nos telhados remontam à antiguidade. Desde plantas em vasos a jardins com árvores e arbustos, tudo é possível ser plantado no topo dos edifícios. Vários métodos têm sido desenvolvidos para combater o problema do peso do solo e plantas na estrutura do edifício. Um destes métodos, denominado hydroponics, é baseado num líquido que contém todos os nutrientes necessários para as plantas e que substitui o solo.


M MAIS ENERGIA COM OS CARROS DO QUE COM A PRÓPRIA CASA

TERÇA-FEIRA 2.8.2011

érito ao Consumo de Energia no Sector Doméstico, divulgado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no ano passado, 51% do los de transporte individual. Este inquérito já teve outras duas edições, em 1989 e 1996, mas esta é a primeira vez que concluem s carros do que no próprio alojamento. Nas edições anteriores, percebeu-se que o consumo com os veículos pessoais vinha a umo total de energia dizia respeito aos transportes, mas, em 1996, já era de 38,4%.

www.hojemacau.com.mo

9

SUÉCIA É O LÍDER MUNDIAL NO CONCEITO DE JARDINS NO TOPO DOS EDIFÍCIOS

Quem tem telhados verdes... poupa na energia A

nsos Este tipo de solução é muito usada quando existe falta de espaço físico para áreas verdes como nas cidades, em que cada metro quadrado é precioso e os jardins cada vez mais escassos. Estes jardins podem conter desde árvores e arbustos bastante desenvolvidos a tapetes de plantas rasteiras que são facilmente plantadas em qualquer casa e com bastantes benefícios ecológicos. Outro tipo de jardim cada vez mais utilizado em espaços limitados é vertical. A popularidade deste tipo de conceito tem vindo a crescer cada vez mais, e pela primeira vez este ano o famoso Chelsea Flower Show teve cinco projectos de jardins para telhados, onde ideias inovadores foram colocadas em prática. Para terraços pouco abrigados, pode utilizar-se vasos com plantas e pequenos arbustos resistentes ao vento. Esta pode ser uma boa solução e que não implica grande volume de construção. Num jardim de telhado outra ideia é criar uma área com rochas como conceito para a plantação. São resistentes à seca, e plantas como cactos e suculentas podem criar efeitos espectaculares e um espaço que antes não era utilizado agora é mais um “quarto” da casa para relaxar e receber convidados. Áreas maiores podem suportar estruturas diferentes como painéis de vidro para protecção do vento. Existe uma imensidade de ideias que podem ser utilizadas, mas é importante saber exactamente o porquê e para quê deste espaço.

Suécia é um dos países mais ecológicos do mundo. A sua consciência verde começou a ser trabalhada há décadas, e hoje em dia todos separam o lixo e trocam o carro pela bicicleta ou pelos transportes públicos sem reclamar. Lá existem ainda bairros ecológicos e sustentáveis com jardins nos telhados, que servem para manter as casas quentes. E se pudesse escolher, desenhar e mudar o bairro onde vive ao seu gosto? Os habitantes da zona problemática de Augustenborg, em Malmö, Suécia, puderam fazê-lo há 12 anos e agora vivem num dos bairros mais ecológicos do mundo. Aqui o que conta são os pormenores baseados nos desejos dos habitantes. As casas têm jardins nos telhados, 14 centros de reciclagem, uma escola e um lar para idosos que fabricam a energia que gastam e parques infantis desenhados pelas crianças. A vontade dos mais novos foi ouvida até para a criação de um “hotel para coelhos”, um local onde estão mais de cem coelhos que pertencem às crianças de Augustenborg que não podem ter animais de estimação em casa. Os 3000 habitantes desta área são até mais saudáveis do que os restantes habitantes de Malmö, segundo a convicção de Louise Lundberg, da Associação Telhados Verdes Escandinavos. É que além dos jardins em frente das casas, este bairro tem jardins no telhado. Uma inovação que permite manter o interior quente e que ajuda a absorver grande parte da água da chuva - um problema da zona até à reconstrução. Estes telhados são ainda “uma forma de proteger alguns ecossistemas que as cidades destruíram”, defende Louise Lundberg, enquanto mostra os telhados verdes que constrói. O único senão desta aplicação amiga do ambiente é o preço. A instalação custa 500 a 900 euros por metro quadrado. De resto, este será

provavelmente o único dinheiro gasto, pois os telhados-jardins não precisam de manutenção. O solo apenas precisa de ser fertilizado de dois em dois anos e as plantas escolhidas não deixam crescer ervas daninhas e mantêm-se pequenas. Além dos telhados, todos os edifícios têm outras características que os tornam sustentáveis do ponto de vista ambiental. Para lá dos tradicionais painéis solares para aquecimento e painéis fotovoltaicos para gerar electricidade, as casas recebem energia produzida pelo tratamento do lixo gerado no bairro, que também produz biogás, que alimenta as casas e os transportes públicos. Um dos exemplos do funcionamento do sistema é a escola de Augustenborg, onde estudam 80 crianças. O espaço tem painéis solares, tintas não poluentes, telhados verdes, sistema inteligente de ventilação e iluminação (que se accionam só quando alguém está na sala). Esta escola sem muros nem vedações, rodeada por jardins cuidados, e onde os alunos têm aulas no exterior, está construída por mó-

Planeta em números

60%

é o peso que o gasóleo tem nas escolhas dos portugueses. Este é o combustível de eleição do país lusitano.

dulos, podendo assim ser deslocada de forma separada. “Se a escola for grande de mais para o número de alunos e outra escola precisar de mais espaço, pode deslocar-se um módulo daqui”, explica a técnica dos telhados verdes. Mas se este espaço onde as crianças circulam descontraidamente de jardim em jardim resultou de uma reconstrução financiada pela

União Europeia e pela empresa de construção, outros na Suécia foram construídos de raiz a pensar no meio ambiente. Malmö tem um desses bairros, mas o mais famoso é o Hammerby Sjöstad, em Estocolmo. Esta zona da cidade começou a ser planeada em 1990 para ser a aldeia olímpica de 2004, com a ideia de fazer os Jogos Olímpicos mais limpos de sempre, que acabaram por se realizar em Atenas. “O objectivo desta construção é que 50% da energia consumida pelos habitantes seja produzida por eles”, refere Melina Karlsson, do centro de informação do bairro. Num cubo de vidro com vista para a zona, a técnica faz questão de sublinhar que as rendas não ultrapassam os 600 euros por mês, que as casas pertencem ao município e que usam tecnologia semelhante à do bairro de Augustenborg. Enquanto isso, o pouco calor que se faz sentir leva dezenas de crianças a aproveitar a água das fontes instaladas nas ruas de Hammerby. Provavelmente ainda não sabem, mas estas crianças estão a contribuir para um planeta mais verde e menos poluente.


TERÇA-FEIRA 2.8.2011 www.hojemacau.com.mo

10

N

UNO Hipólito, autor do livro “As mensagens da Mensagem”, lançou uma petição na Internet para resgatar a arca de papéis de Fernando Pessoa, sobre a qual a secretaria de Estado da Cultura afirmou desconhecer o paradeiro. A arca, onde Fernando Pessoa guardou poemas, cartas e livros, foi arrematada em leilão, em 2008 em Lisboa, por 50 mil euros por um coleccionador particular e “estará no norte do país”, disse à Lusa o especialista na obra de Pessoa, Nuno Hipólito, que defende que o Estado compre a arca e a exponha ao público. “Os pessoanos, como eu, ficaram chocados por o Estado não ter comprado a arca”, disse o promotor da petição que já recolheu cerca de 540 assinaturas online. Nuno Hipólito afirmou-se “preocupado com o paradeiro da arca que pode até sair do país, bem como pelo seu estado de conservação”. “Quase garanto que o Estado, em rigor, não sabe onde ela está”, disse.

A

MY Winehouse estava a trabalhar no seu terceiro álbum de inéditos, o sucessor de “Back to Back”, pouco antes de morrer. Gravadas estão 12 músicas e em breve os milhões de fãs da cantora britânica, que morreu no passado sábado, poderão ficar a conhecê-las. Uma fonte da editora Universal revelou ao “The Guardian” que um álbum póstumo está a ser preparado. “Back to Black”, de 2006, é o último trabalho conhecido de Winehouse. A origem de toda a fama, o ‘culpado’ que colocou a cantora no centro das atenções. Tudo o que de bom Amy Winehouse conseguiu, inclusive cinco Grammys, foi alcançado com este segundo álbum, mas também tudo de pior aconteceu à jovem britânica que não soube lidar com a fama. Depois da roda-viva em que viveu os últimos anos, entre entradas e saídas constantes de clínicas de reabilitação, Winehouse estava a preparar um terceiro disco. Com algumas pausas pelo meio, nos últimos dois anos, a britânica esporadicamente refugiava-se no estúdio, onde terá deixado pelo menos 12 músicas. Algumas delas ainda não estarão acabadas e preci-

CULTURA Petição quer que Estado português compre baú do poeta

A arca perdida de Pessoa O gabinete do secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, confirmou que não sabia do paradeiro da arca: “O seu paradeiro, como se compreende, não é do conhecimento da secretaria de Estado da Cultura”, afirmou a fonte oficial. A mesma fonte disse que “não é neste momento intenção da secretaria de Estado da Cultura encetar qualquer processo de aquisição do referido objecto”. “A secretaria de Estado da Cultura compreende a intenção dos cidadãos ao envolverem-se numa petição desta natureza; no entanto, recorda que o espólio literário do poeta foi salvaguardado, encontrando-se actualmente na Biblioteca Nacional, disponível para consulta e estudo”, salientou a mesma fonte. A petição on-line (http://

findthetrunk.com/signatures.html) inclui nomes como António Cícero, Arnaldo Saraiva, Gastão Cruz, Guilherme d’Oliveira Martins, Jacinto Lucas Pires, Jerónimo Pizarro, José Gil e Lídia Jorge. Maria Andresen, Maria Bethânia, Mariano Deidda, Manuel Gusmão, Miguel Real, Onésimo Teotónio Almeida, Patrick Quillier, Pilar del Río e Pedro Tamen são outros dos signatários da petição. Nuno Hipólito lançou a petição “com esperança de que o novo Executivo se mostrasse mais sensível a esta matéria”. O espólio documental do poeta Fernando Pessoa foi classificado como bem de interesse nacional, por decreto-lei publicado em Setembro de 2009. De acordo com o diploma n.º 21/2009 do Ministério da Cultura, esta classificação passa a designar

NOVO ÁLBUM DE AMY WINEHOUSE PODE ESTAR A CAMINHO

Disco póstumo sarão do trabalho de um produtor, quem sabe Mark Ronson. “AAmy tinha mostrado interesse em voltar aos estúdios, e depois de algumas conversas toda a gente achou que era uma coisa positiva e uma forma de ela se distrair das outras coisas”, disse uma fonte da Universal, que não quis ser identificada. Outra fonte, próxima da cantora, assegurou ao “The Guardian”

que um novo álbum vai sair em breve e que existem mais do que 12 músicas. “A Amy era uma escritora, ela estava sempre a escrever músicas. Ela tinha estúdio em casa e costumava criar demos. Ultimamente até cantava e tocava bateria”, disse a fonte, explicando que em casa de Winehouse existem muitos materiais inéditos, pelo menos “para mais dois álbuns”.

Depois da morte de Amy Winehouse, a decisão de lançar um novo álbum passa também pelos pais da cantora. Só depois da permissão dos dois é que a editora pode planear o lançamento do disco.

NO TOPO

Há uma semana que os dois álbuns da britânica têm visto as vendas

o espólio do escritor como tesouro nacional. Pelo decreto-lei ficam abrangidos “todos os documentos produzidos ou reunidos por Fernando Pessoa, seja na forma de manuscritos autógrafos, isolados ou integrados em documentos de terceiros, assinados ou não, de dactiloscritos ou tiposcritos, com ou sem intervenção autógrafa, assinados ou não”. São ainda incluídos “todos os documentos biográficos de Fernando Pessoa ou que registem as suas técnicas e hábitos, assinados ou não, seja qual for o acabamento do texto ou textos neles contidos, e os documentos impressos que se reconheça terem pertencido à sua biblioteca e ostentem marcas autógrafas de utilização”. O promotor da petição pretende reunir dez mil assinaturas para as enviar a Francisco José Viegas, mas por ora reúne cerca de 540, contando, por exemplo, com Rui Reininho, Rui Zink, Tatiana Salem Levy, Teresa Rita Lopes, Valter Hugo Mãe, Ana Luísa Amaral e Júlio Machado Vaz.

disparar um pouco em todo o mundo. Antes da sua morte “Back to Black” ocupava apenas a posição 59, segundo a Official Charts Company, escreve a agência noticiosa Reuters. Contudo, agora destronou o disco “21” de Adele, que passou para o segundo lugar. Já “Frank”, o seu álbum de lançamento, está em quinto lugar. Em Portugal, o responsável da FNAC revelou que a procura de “Frank” e “Back to Black” triplicou, tendo esgotado o estoque em muitas lojas. Em Junho, Winehouse preparava-se para uma digressão europeia, depois de uma longa ausência dos palcos, mas a estreia não correu como esperado. Deu um concerto desastroso em Belgrado, onde apareceu visivelmente embriagada e sem condições para continuar. Todos os restantes concertos, inclusive em Portugal, foram cancelados e aos fãs ficou a promessa de regressar apenas quando estivesse bem de saúde, o que nunca viria a acontecer. Quanto às causas da sua morte, a autópsia de Amy foi inconclusiva e a polícia pediu exames complementares cujos resultados toxicológicos só serão divulgados daqui algumas semanas.


MANOEL DE OLIVEIRA ADAPTA PARA CINEMA PEÇA DE TEATRO O realizador Manoel de Oliveira vai rodar em Setembro, em Paris, o filme “O Gebo e a Sombra”, uma adaptação de uma peça de teatro de Raúl Brandão. “O Gebo e a Sombra” tem argumento adaptado do próprio realizador, de 102 anos, e será rodado em língua francesa, com a participação do actor francês Michel Piccoli, da mulher, Ludivine Clerc, de Ricardo Trêpa e, possivelmente, de Leonor Silveira. De acordo com a revista “Variety”, o filme tem coprodução luso-francesa e um orçamento de 1,6 milhões de euros.

TERÇA-FEIRA 2.8.2011 www.hojemacau.com.mo

11

Peça única com motivos raros para a época descoberta em Lisboa

O que faz uma taça chinesa pornográfica no convento?

I

NVESTIGADORES em Arqueologia da Universidade Nova de Lisboa descobriram em escavações do antigo Convento de Santana, em Lisboa, uma peça única no mundo, com motivos raros para a época, imagens com cenas pornográficas numa taça chinesa do século XVII. As escavações arqueológicas tiveram início em 2002, e terminaram em 2010, no local onde estão a ser construídos equipamentos da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova, onde existia o edifício do Instituto Bacteriológico Câmara Pestana, ao Campo Santana. O investigador Mário Varela Gomes explica que aquela “é uma peça única no mundo”, porque da época são conhecidas porcelanas chinesas com motivos eróticos, mas sem sexo explícito. “Esta peça ultrapassa tudo o que se conhece da época, já tem conteúdos pornográficos”, explica à agência Lusa o investigador em Arqueologia da Universidade Nova de Lisboa. Trata-se de uma taça de porcelana com imagens que constituem uma espécie de manual de práticas sexuais, à semelhança de outras obras da época na filosofia do Kamasutra.

U

MA equipa de peritos suecos investiga no fundo do Mar Báltico um naufrágio que pode ser o navio ainda intacto mais antigo que se conhece no mundo. Tudo indica que a embarcação seja uma coca medieval, modelo comum na região entre os séculos XII e XIV. Jaz a 100 metros de profundidade, num local não revelado algures entre as ilhas de Gotland e Öland, ao largo da costa leste da Suécia. Este poderá ser o mítico navio do rei dinamarquês Valdemar Atterdags (Valdemar IV) que naquelas águas naufragou em 1361, afirma a Ocean Recycling, empresa responsável pelo

Os investigadores já contactaram especialistas de outros países e ainda não encontraram registo de peça semelhante. Só se encontram peças semelhantes dos finais do século XIX. Para Mário Varela

Gomes, há uma explicação possível para a descoberta de uma peça destas nas ruínas de um convento de freiras em Lisboa: “Terá sido uma encomenda única feita por um nobre português abastado e

o facto de se encontrar num convento, pode ter sido uma forma de manter a peça escondida, já que era muito perigoso, na época, com a inquisição, estar na posse de uma obra daquelas”.

Na época era comum encontrar-se peças baseadas na ideia do Kamasutra, ou nos livros das noivas, em que eram demonstradas posições para a prática do sexo, a diferença é que “nunca se encontrava sexo explícito”. “O convento seria o melhor sítio para se esconder uma peça daquelas, que pode ter sido uma herança de família, alguém que trouxe da China secretamente”, explica o investigador. Em que contexto aquela porcelana foi parar a uma vala de detritos não se sabe. No entanto, sabe-se que na sequência do terramoto de 1755 o convento ruiu parcialmente, entrando em declínio a partir daí. Ainda foram feitas reconstruções, no reinado de D. Maria I, até à extinção das Ordens Religiosas, em 1834. Nas escavações feitas no antigo Convento de Santana, onde chegaram a viver cerca de 300 pessoas, em 1702, das quais 130 religiosas, foi encontrado um vastíssimo espólio que permite aos investigadores reconstituir aspectos relacionados com a vida e a morte naquela instituição. Rosa Varela Gomes e Mário Varela Gomes, os investigadores que coordenaram o trabalho, depararam com valas onde foram depositados detritos do antigo convento, e foi aí que tiveram a mais surpreendente descoberta. Naquelas valas existiam variadíssimos artefactos, muitos deles ainda intactos, que permitem identificar os quotidianos assim como a espiritualidade das residentes, fossem elas religiosas ou laicas. De referir que aquele era o maior convento feminino da capital, nos séculos XVII e XVIII, quando existiam quase uma centena de conventos na capital.

NAVIO INTACTO MAIS ANTIGO DO MUNDO PODE ESTAR NO FUNDO DO BÁLTICO

Notícias da mítica embarcação do rei achado. “As embarcações de Valdemar Atterdags tomaram a ilha de Gotland e alcançaram a capital Visby”, sublinha a Ocean Recycling. “Reza a lenda que Atterdag decidiu poupar a vida dos residentes de Visby em troca de três barris de cerveja cheios de ouro, prata e outros tesouros.” Depois de ter detectado a embarcação naufragada com o recurso a um sonar, no início de Julho, a equipa da Ocean Recycling investiga

agora o interior do navio com robôs subaquáticos munidos de câmaras. De acordo com a mitologia regional, Valdemar atacou Gotland em 1361 para travar os avanços da Liga Hanseática e, especula o folclore sueco, como resposta às canções de escárnio que os habitantes de Visby escreviam sobre si. “Não temos a certeza de que se trate desse naufrágio, mas é um navio muito interessante”, comentou Richard Lund-

gren ao “Dagens Nyheter”. Para este perito em explorações submarinas que gere a operação, “este achado fará sensação fora das fronteiras da Suécia”. A embarcação mede 28 metros de comprimento e sete de largura. Os mergulhadores acreditam ser medieval por ter só um mastro. A boa visibilidade submarina ajuda nas explorações em curso para identificar o navio. O fundo plano, a ausência de vermes que corroem as madeiras e os baixos níveis de oxigénio das águas do Mar Báltico ajudam a preservar os restos dos navios ali naufragados.


TERÇA-FEIRA 2.8.2011 www.hojemacau.com.mo

12

DESPORTO

Em tempos de crise, transferências do futebol não dão sinais de recessão

Os reis indiscutíveis do mercado

F

ÁBIO Coentrão, já descrito em Espanha como um “três em um”, é dos reforços mais sonantes do Verão, a par de Kun Aguero e Alexis Sánchez. Já jogou a extremo esquerdo, a extremo direito e a médio centro – só falta ser testado a lateral esquerdo, a posição em que se destacou no Benfica e lhe abriu as portas da selecção portuguesa. Também por lá passará no Real Madrid, mas José Mourinho tem planos mais ambiciosos para Fábio Coentrão: torná-lo um jogador todo-o-terreno e assim justificar os 30 milhões de euros investidos no português das Caxinas, por agora a segunda transferência mais cara do mercado de Verão.

O ELOGIO DE MOURINHO

“Obviamente, não ia pedir ao clube que gastasse 25 milhões num jogador se viesse apenas para fazer concorrência a Marcelo no lado esquerdo da defesa. Fábio está aqui porque pode jogar em muitas posições”, salientou há dias Mourinho, descontando os cinco milhões de euros que o Benfica pagou aos merengues por Garay. Tendo em conta o dinheiro envolvido, a mudança de Fábio Coentrão para Madrid é não só o segundo negócio mais avultado

seiam por reforços, mas desta vez vamos agir de forma diferente. Temos de avaliar bem para não cometermos erros nas contratações”, sublinhou o técnico português do Chelsea no início da semana.

MÁLAGA, O NOVO CHELSEA

desta pré-época como será um dos mais escrutinados. Mas a desconfiança dos espanhóis parece estar a esfumar-se depressa. Logo no jogo de estreia, frente à equipa de David Beckham, os LA Galaxy, a exibição de Coentrão valeu-lhe honras de manchete nos dois jornais desportivos de Madrid. E o generalista ABC antecipava o que Mourinho confirmaria depois: “Fábio Coentrão, três jogadores em um”. A um mês de fechar a principal janela de transferências, só o argentino Kun Aguero movimentou mais

dinheiro, ao trocar o Atlético de Madrid pelo Manchester City. Na sombra até agora, o xeque Mansour, dono do clube inglês, disponibilizou esta semana 45 milhões de euros para a contratação do avançado de 23 anos. Com esta operação, o Atlético de Madrid, que já havia realizado outra venda milionária com a saída do guarda-redes De Gea para o Manchester United por 20 milhões de euros, afastou o Benfica do top 5 dos clubes que mais engordaram os seus cofres neste Verão. Os ‘encarnados’, com um

encaixe a rondar os 31 milhões de euros, caíram para o sexto posto da tabela, logo a seguir ao Barcelona, que vendeu Zlatan Ibrahimovic ao AC Milan por 24 milhões e Bojan à Roma por 12. As receitas dos catalães cobrem a verba despendida com o único reforço que Pep Guardiola viu chegar a Nou Camp até ao momento: o promissor extremo chileno de 22 anos Alexis Sánchez, contratado à Udinese por 26 milhões de euros. Mas se o Barça acabar por ganhar o braço-de-ferro com o Arsenal por Cesc Fàbregas, arrisca-se

a ultrapassar os 55 milhões investidos pelo Real Madrid. Perante a tendência das últimas épocas, seria tão surpreendente como o Chelsea fechar o mês de Agosto com despesas inferiores às do Manchester United. Para já, no entanto, é o que se verifica: Alex Ferguson esticou a corda com Ashley Young (18 milhões de euros), Phil Jones (19) e De Gea (20) e é dos mais gastadores na Europa, enquanto André Villas-Boas se mantém na expectativa. “A pré-época é sempre frenética porque todos an-

As loucuras passadas de Roman Abramovich, o patrão russo do clube londrino, parecem agora fazer escola em Málaga, onde o xeque Al-Thani, da família real do Qatar, não olha a meios para desafiar o poderio financeiro dos gigantes Real Madrid e Barcelona. A mais mediática das dez caras novas, o avançado holandês Van Nistelrooy, chegou a custo zero, mas as restantes nove custaram quase 60 milhões de euros, um terço à conta da investida pelo extremo espanhol do Villarreal, Santi Cazorla. Em toda a Europa, além do Manchester City, só a Juventus gastou mais, apostada em voltar a ombrear com AC Milan e Inter. A ‘Velha Senhora’, já derrotada pelo Sporting nesta pré-época, apostou forte no mercado interno: Matri foi o mais caro (15,5 milhões de euros), mas não tão sonante como Andrea Pirlo, o médio da selecção italiana que chegou sem custos do AC Milan.

MICHAEL PHELPS ANUNCIA DESPEDIDA DA NATAÇÃO APÓS 2012

Acabou-se o que era bom O

norte-americano Michael Phelps admitiu que não voltará a competir em Mundiais e deverá retirar-se após os Jogos Olímpicos de Londres de 2012. Após vencer ontem os 4x100 estilos no Mundial de Xangai, o nadador com mais medalhas e títulos em Jogos Olímpicos e em Mundiais, escreveu no seu “Twitter”: “É de loucos pensar que os 4x100 estilos de hoje foram a minha última prova em Mundiais. Fantástico

terminar com uma medalha de ouro e fazê-lo numa estafeta”. Tudo indica que Michael Phelps quer estar no máximo nos Jogos de Londres, onde tentará aumentar a sua proeza de ser o nadador com mais medalhas olímpicas e depois disso retirar-se, sem estar no Mundial de Barcelona, em 2013. Em Xangai, no Mundial que terminou no domingo, Phelps encontrou no seu compatriota

Ryan Lochte um rival à altura. Lochte, de 26 anos, conquistou cinco medalhas de ouro: nos 200 e 400 metros estilos, 200 livres, 200 costas e estafeta de 4x200 metros livres. Já Michael Phelps, que na sua carreira conta com 16 medalhas olímpicas, 14 delas de ouro, saiu da China com sete medalhas, das quais quatro de ouro, embora tenha perdido nos dois duelos directos com Lochte.


[f]utilidades Cineteatro | PUB

[ ] Cinema

TERÇA-FEIRA 2.8.2011 www.hojemacau.com.mo

13

SALA 2

HARRY POTTER AND THE DEATHLY HALLOWS: PART 2 [B] Um filme de: David Yates Com: Daniel Radcliffe, Emma Watson, Rupert Grint 14.30, 16.45, 19.15, 21.30 SALA 1

KUNG FU PANDA 2 [A] FALADO EM CANTONENSE Um filme de: Jennifer Yuh Nelson 14.15, 16.00, 17.45, 19.30

TRANSFORMERS DARK OF THE MOON [B] Um filme de: Michael Bay Com: Shia LaBeouf, Markiss McFadden 21.15

SALA 3

CARS 2 [A] FALADO EM CANTONENSE Um filme de: John Lasseter 14.30, 16.30, 19.30

MR. POPPER’S PENGUINS [A] Um filme de: Mark Waters Com: Jim Carrey 21.30

VERTICAIS: 1-Superfície côncava. Oceano. 2-Proécteis. Contrariedade, raiva (Interj.). 3-Que serve de asa. Lentura. 4-Partícula empregada nos nomes geográficos, e que significa para cá ou aquém. Relativo ao dorso. 5-Postura. Emissão de urinas azuladas. 6-Para (Red.). Anda!. 7-Enganada (Fig.). Serra do Algarve. 8-Vento do Sul, suão. Dirigir-se para cá. 9-Adverti. Proibição, recusa. 10-Flutuai. Puxara com o rodo. 11-Para o lado de onde sopra o vento. (Náut.). Prender com açaime.

SOLUÇÕES DO PROBLEMA HORIZONTAIS: 1-ABACATE. ANA. 2-BALIR. NAVAL. 3-OLAS. PRUIDO. 4-BAR. CROSSA. 5-AS. DIALTEIA. 6-D. LOA. ARI. Ç. 7-ADERNADO. RA. 8-INSULA. VAI. 9-MATARA. VEEM. 10-ABOLI. MITRA. 11-ROR. AFUROAR. VERTICAIS: 1-ABOBADA. MAR. 2-BALAS. DIABO. 3-ALAR. LENTOR. 4-CIS. DORSAL. 5-AR. CIANURIA. 6-T. PRA. ALA. 7-ENROLADA. MU. 8-AUSTRO. VIR. 9-AVISEI. VETO. 10-NADAI. RAERA. 11-ALO. AÇAIMAR.

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição SOLUÇÃO DO PROBLEMA DO DIA ANTERIOR

Su doku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: 1-Fruto do abacateiro. Nome de mulher. 2-O m. q. balar. Diz-se da batalha entre navios. 3-Folhas de certas palmeiras em que se escrevia. Prurido. 4-Botequim. Balsa da lagarada. 5-Indivíduo de grande valor e notoriedade. Unguento preparado com a parte mucilaginosa da raiz de alteia. 6-Discurso laudatório. Nome de homem. 7-Inclinado (o navio). Deus-Sol, no antigo Egipto. 8-Isola como em ilha (Fig.). Transita. 9-Causara a morte. Contemplam. 10-Suprimi, anulei. Insígnia eclesiástica que os bispos, arcebispos e cardeais põem no cabeça. 11-Multidão. Caçar com o furão.

[Tele]visão www.macaucabletv.com TDM 13:00 13:20 14:30 19:00 19:30 20:25 20:30 21:00 22:15 22:58 23:00 23:30 00:20 01:10 01:40

TDM News - Repetição Jornal das 24h RTPi DIRECTO TDM Desporto (Repetição) Ganância Acontecimentos Históricos Telejornal Jornal da Tarde da RTPi Viver a Vida Acontecimentos Históricos TDM News Estado de Graça Portugueses pelo Mundo Telejornal (Repetição) RTPi DIRECTO

13:30 14:00 16:00 17:00 18:00 19:00 19:30 21:00 21:30 22:00 22:30 23:00

INFORMAÇÃO TDM

RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:30 Gostos e Sabores 15:00 Linha da Frente – Finalmente Mulher 16:00 Bom Dia Portugal 17:00 Quem Quer Ser Milionário – Alta Pressão 17:45 Resistirei 18:30 A Alma E A Gente 19:00 Enxoval – Documentário 20:00 Jornal Da Tarde 21:15 O Preço Certo 22:15 Portuguese Pelo Mundo 23:00 Verão Total – Porto Covo TVB PEARL 83 06:00 Bloomberg West 07:00 First Up 07:30 NBC Nightly News 08:00 Putonghua E-News 08:30 ETV 10:30 Inside the Stock Exchange 11:00 Market Update 11:30 Inside the Stock Exchange 11:32 Market Update 12:00 Inside the Stock Exchange 12:02 Market Update 12:30 Inside the Stock Exchange 12:35 Market Update 13:00 CCTV News - LIVE 14:00 Market Update 14:40 Inside the Stock Exchange 14:43 Market Update 15:58 Inside the Stock Exchange 16:00 Get Squiggling! 16:15 Penelope K, By the Way 16:30 Gaspard and Lisa 17:00 Scooby-Doo! Mystery Incorporated 17:30 Bang Goes the Theory 18:00 Putonghua News 18:10 Putonghua Financial Bulletin 18:15 Putonghua Weather Report 18:20 Financial Report 18:30 Football Asia 19:00 Cultural Heritage – The Railroad 19:30 News At Seven-Thirty 19:50 Weather Report 19:55 Earth Live 20:00 Eat Street 20:30 Desperate Housewives 21:30 Shark Eden 22:30 Market Place 22:35 Strike Back 23:35 The CEO Connection 23:40 World Market Update 23:45 News Roundup 00:00 Earth Live and Leading Brands of the World 00:05 The Mentalist 00:55 The Pearl Report 01:25 Transworld Sport 02:30 Bloomberg Television 05:00 TVBS News 05:30 CCTV News ESPN 30 11:30 13:30 15:30 16:00 19:00 19:30 20:00 21:00 22:00 22:30

Tiger Street Football 2011 Len European Diving Championships FINA Aquatics World 2011 Ricoh Women’s British Open 2011 Baseball Tonight International 2011 (LIVE) Sportscenter Asia Ironman Texas Beach Soccer Worldwide Miami Cup 2011 Match: Mexico vs. USA Sportscenter Asia US Senior Open Championship

STAR SPORTS 31 13:00 FIM Mx3 World Motocross Championship 2011 - Hls

Engine Block 2011 FIM Mx1 World Motocross Championship 2011 - Races International Motosport News 2011 HSBC Asian 5 Nations Rugby - Highlights Meydan FEI Nations Cup 2011 FIA Wtcc 2011 - Inside Wtcc FIA F1 World Championship Highlights 2011 Hungary Grand Prix FIA Wtcc 2011 - Inside Wtcc (LIVE) Score Tonight Community Shield 2011/12, The - Preview Show Golf Focus 2011 MotoGP World Championship 2011 - Highlights

STAR MOVIES 40 12:35 Shanghai 14:25 Ice Age 3: Dawn Of The Dinosaurs 16:05 The Lost Future, The 17:40 I Love You, Beth Cooper 19:25 Gamer 21:00 Hot Shots, Part Deux! 22:30 Ninja 00:00 The Marine 2 HBO 41 12:00 14:10 15:25 17:00 18:30 20:00 22:00 23:30

Beyond Borders A Number Daddy Day Care The Lonely Guy Who Is Clark Rockefeller Rocky Ii Please Give American Pie: The Wedding

CINEMAX 42 12:15 14:00 16:00 17:50 19:00 20:30 22:00 23:40

Piranha Ii: The Spawning Operation: Daybreak Fahrenheit 451 The Invisible Man The Bannen Way Money Talks The Seventh Sign Pride And Glory

MGM CHANNEL 43 12:45 Bojangles 14:30 Sticky Fingers 16:00 Spellcaster 17:30 Foxes 19:15 Igby Goes Down 21:00 Mississippi Burning 23:15 Great Balls of Fire! DISCOVERY CHANNEL 50 13:00 Mythbusters 14:00 Man Vs. Wild 15:00 Beyond Survival With Les Stroud 16:00 Deadliest Catch Season 7 18:00 Factory Made 18:30 How Do They Do It?

(MCTV 54) History Channel 23:00 ASIA’S MONARCHIES

19:00 20:00 21:00 22:00 23:00 00:00

Aircrash Confidential Monsters Resurrected Sons Of Guns I Shouldn’t BE Alive Moments Of Impact Sons Of Guns

NATIONAL GEOGRAPHIC CHANNEL 51 12:00 Ancient Secrets: Cathedrals Decoded 14:00 Cooking The World - Brazil 16:00 Ancient Megastructures - The Colosseum 17:00 Planet Carnivore - Icebear 20:00 Expedition Wild - Project Kodiak ANIMAL PLANET 52 13:00 Predators’ Prey - Speed 13:30 Fooled By Nature 14:00 Animal Cops Houston 15:00 Wild Recon - Ocean Killers 16:00 Swamp Brothers 17:00 Nick Baker’s Weird Creatures 18:00 Safari Sisters 19:00 Mad Mike And Mark 20:00 Predators’ Prey - Supersense 20:30 Fooled By Nature 21:00 Operation Wild 21:30 The Pack 22:00 Swamp Brothers 22:30 Snake Crusader With Bruce George 23:00 Nick Baker’s Weird Creatures 00:00 Safari Sisters - Lion Legend HISTORY CHANNEL 54 13:00 Modern Marvels 14:00 10 Ways To Kill Bin Laden 16:00 Pawn Stars 17:00 American Pickers 18:00 Modern Marvels 19:00 Monsterquest 20:00 Modern Marvels 21:00 Greatest Tank Battles 22:00 Battleplan 23:00 Asia’s Monarchies 00:00 Swamp People BIOGRAPHY CHANNEL 55 13:00 Intervention 14:00 Obsessed 15:00 Airline USA 16:00 Kylie Minogue 17:00 Child of Our Time: 2002 18:00 Intervention 19:00 Sell This House 19:30 Rescue Mediums 20:00 Celebrity Ghost Stories 21:00 Farrah Fawcett 22:00 Heavy 23:00 Relapse 00:00 Obsessed AXN 62 12:15 13:05 14:00 14:55 15:45 16:35 17:30 18:20 19:15 20:10 21:05 22:00 22:55 23:50 00:45

Csi: Ny Blue Bloods Breaking The Magician’S Code Chuck Csi: Ny Hawaii Five-O Chuck Criss Angel Mindfreak Csi: Miami Caught On Camera Chuck Csi: Miami Ncis: Los Angeles Chuck Ncis: Los Angeles

STAR WORLD 63 12:10 Masterchef Australia 13:05 Rules of Engagement 13:35 Raising Hope 14:30 Traffic Light 15:25 Desperate Housewives 16:20 Parenthood 17:15 Got To Dance UK 18:10 Cougar Town 18:40 Masterchef Australia 19:35 Cougar Town 20:00 Grey’s Anatomy 21:50 Desperate Housewives 22:45 Masterchef Australia 23:40 How I Met Your Mother 00:05 Grey’s Anatomy Informação Macau Cable TV


TERÇA-FEIRA 2.8.2011 www.hojemacau.com.mo

14

OPINIÃO

Portugal para nascer,

o mundo para viver S ÁBIA frase esta do padre António Vieira: “Para nascer, Portugal; para morrer, o mundo.” Proferida no século XVII em Roma por um lisboeta que morreria na Baía, sintetiza com tremenda beleza poética aquele que parece ser o destino de um povo. Basta pensar nas Descobertas, feitas a pensar nas especiarias e na mensagem de Cristo, mas que só foram possíveis porque ao domínio da ciência e da técnica os portugueses de Quatrocentos e de Quinhentos juntaram a ousadia de quererem explorar novos mundos; de ir longe, muitas vezes ficar por lá, outras até nunca mais voltar. É certo que nunca fomos muitos neste cantinho da Europa e por isso povoar Brasil, Áfricas e Índia não passava de uma quimera. A solução foi a mistura, ao ponto de ainda hoje haver gente que perdeu a memória dos antepassados portugueses, há gerações que esqueceu a língua e mesmo assim se orgulha de apelidos como Souza, Dias ou Silva. Encontram-se um pouco por todo o planeta, tanto na recepção de um hotel em Cotonu, como num mercado de Bombaim. É que há uma altura em que uma família de emigrantes portugueses se torna em lusodescendentes.

Mas se com as Descobertas tivemos as necessidade. Ouça-se as suas histórias primeiras vagas de emigrantes, o fenómeno contadas num café de uma aldeia beirã ou nunca mais parou. No século XX foram mui- num recanto do Minho, agora que muitos tos os que partiram. Estados Unidos, Brasil, regressaram para viver a sua reforma ao sol, Venezuela, África do Sul, França, Suíça e e todos falam da difícil travessia de Espanha, Alemanha receberam milhares e milhares da dificuldade da língua nos primeiros temde portugueses. Os números variam muito. pos, das saudades de casa, dos filhos que lá Os dados oficiais dizem que temos hoje um tiveram e que muitas vezes acabaram por milhão de emigrantes, o sétimo maior contingente mundial. Mas outras contas Agora que se vive uma séria crise, muitos falam de cinco milhões, ou seja um em cada três portugueses. É excepcional no voltam a emigrar. É a terceira vaga mais contexto do planeta. Tirando pequenas nações como Cabo Verde, capaz de ter forte no espaço de cem anos, mas que tem o dobro da sua gente no estrangeiro características novas. Os destinos são cada vez em relação aos que ficaram nas ilhas, é uma proporção altíssima. A título de mais diversificados, e quem emigra também comparação, veja-se a China: o mais possui qualificações superiores às do passado populoso país do mundo, com mais de 1300 milhões de habitantes, conta com 40 milhões de expatriados, muita gente em casar--se, ficar e lá ter filhos. Nesses anos 60, termos absolutos, uma escassa percentagem o País até perdeu população. Os nascimentos não compensaram as partidas. Foi, pois, uma na realidade. Por regra, procurar uma vida melhor é década única, também a última completa de a grande motivação de quem emigra. Na uma ditadura que nos mantinha pobres e em década de 1960, quando também se combatia guerra, e que preenche ainda hoje com muita em África, portugueses sem conta partiram força o imaginário português. Partem para viver melhor, mas também para França e Alemanha, empurrados pela

ajudam muito o País. As remessas dos emigrantes atingiram no ano passado 2,4 mil milhões de euros, qualquer coisa como 1,4% do PIB. Mas já houve tempos em que andaram nos dois dígitos. Por exemplo, em 1985, último ano antes da entrada na então CEE, ainda valiam mais de 10% do PIB. Chega menos dinheiro porque são menos, mas pesa menos também porque o País se desenvolveu, passou a criar mais riqueza. Agora que se vive uma séria crise, muitos voltam a emigrar. É a terceira vaga mais forte no espaço de cem anos, mas que tem características novas. Os destinos são cada vez mais diversificados, e quem emigra também possui qualificações superiores às do passado. Descobrimos portugueses em cem países do mundo. Temos a certeza de que haverá gente a trabalhar em alguns outros ainda, talvez até dezenas mais. O que faz voltar ao sermão do padre António Vieira e à frase “para nascer, Portugal; para morrer, o mundo”. Talvez hoje seja, antes: Portugal para nascer; o mundo para viver. in Diário de Notícias


A regra é simples: mandar menos e melhor, mas cumprir aquilo que se manda.

fazer

Padre Manuel Teixeira [1912-2003]

TERÇA-FEIRA 2.8.2011 www.hojemacau.com.mo

15 à f l or d a p el e

Lavar sim, mas devagar... M

ACAU lava mais branco e mais rápido. Não sei bem se lava se não, mas da fama não se livra. Gerações sobre gerações, vão deixando, nesta matéria, histórias de desencantar. Os valores das alegadas lavagens parece que têm aumentado nos últimos anos. Diz o “Vancouver Sun” (desconheço o nível de credibilidade desta publicação), citado na imprensa livre de Macau, neste caso no “Ponto Final”, que “uma das principais rotas para os milhões de dólares que voam anualmente da China são as mesas de apostas dos casinos de Macau”. Há mais vida na RAEM para além de “branqueamentos” e de “lavandarias”. Então não há? Quase no final da semana, o “Hoje” falava da irredutibilidade do Governo em participar no Fundo de Previdência para docentes, isto no âmbito da chamada “discussão e análise” da proposta de lei sobre o “Quadro Geral do Pessoal Docente das Escolas Particulares do Ensino Não Superior”. Sobre a não participação nesse fundo, esclarece um ilustre deputado sentado na cadeira da presidência da 2ª Comissão: “Como já foi criado o Regime de Poupança Central e todos os anos, com os saldos acumulados, o Governo injecta montantes nas contas individuais dos residentes, não vai pensar em participar também na contribuição para o Fundo de Previdência dos docentes”. Ou a lógica já tivesse passado definitivamente a uma ciência da batata. Fuga de gás, um estardalhaço monumental, 13 feridos, electricidade e comunicações cortadas, portas de um casino estilhaçadas, um susto daqueles. Para além da perigosíssima circunstância, o tradicional “milagre” das deusas em vigor em Macau: não houve mortos. Novidade, absolutamente nenhuma. Alguém irá responder perante a lei? Lá mais para o Verão, verão. Acidentes acontecem em todo o lado, mesmo quando a segurança pública está efectivamente assegurada, que não é o caso. Neste, e em muitos outros de diferentes géneros, é o completo desleixo à solta. Sentido cívico e saber viver em sociedade, são valores em crise. O IACM (a tal instituição para os “assuntos cívicos”) informa: duplicaram as violações às regras de civismo nos espaços públicos, da escarradela para o ar até ao lixo e a dejectos atirados ou deixados pelas ruas e passeios, chegando praticamente às 7 mil nos

primeiros seis meses de 2011. Desconheço se total ou parcialmente por falta de civismo, mas desconfio: neste primeiro semestre, o número de acidentes subiu para mais de 1100 mensalmente. Só um cego ou irresponsável não vê e não se revolta com a maneira como muitos restaurantes e outros estabelecimentos trabalham por cá. Diz-se em voz alta que sempre houve prédios de habitação a servir de armazéns de botijas de gás; já foram fotografados e publicados na imprensa dezenas de vezes motociclistas transportando botijas penduradas sabe-se lá como. Já todos vimos a maneira como circulam algumas carrinhas que transportam botijas sem qualquer segurança ou protecção; também já todos nos assustámos com as maneiras como são manuseadas botijas de gás durante o transporte e nos próprios armazéns. Estará real e eficazmente assegurada a fiscalização, competente e sistemática, também aos edifícios com gás canalizado? Pum! A abarrotar de dinheiro, talvez a contabilidade aos cofres da RAEM vá sendo cada vez mais difícil de gerir. Há senhores deputados que gostariam de saber com mais rigor como anda e para onde vai o erário que por inerência da palavra, é público, é do Estado. Na falta de melhor, também utilizam o famoso expediente parlamentar do “período antes da ordem do dia” para interpelar oralmente. Como as respostas, talvez por serem muitas as questões, tardam a chegar, é altura de o Governo ir a plenário; a ideia será dar explicações, por exemplo sobre o que acontece ou aconteceu com as obras do terminal da Taipa ou com o projecto “Macau Studio City”, ou que critérios adopta para a disparidade flagrante no apoio a associações cívicas com sede em Macau e até com sede em Hong Kong. Mãos largas para uns, punhos fechados para outros? Devem existir algumas explicações, o que não quer dizer que venham a ser conhecidas. Na sequência da política de liberalização na instalação dos casinos, sabe-se alguma coisa - há famílias inteiras que sabem tudo, infelizmente - sobre a fuga de jovens locais em direcção aos novos “el dorado” para terem emprego seja lá a fazer o quê. Posteriormente, uma série de más notícias, a corrosão tremenda na inteligência, na cultura, nos horizontes dos jovens de Macau, escandalizaram uma

Fuga de gás, um estardalhaço monumental, 13 feridos, electricidade e comunicações cortadas, portas de um casino estilhaçadas, um susto daqueles. Para além da perigosíssima circunstância, o tradicional “milagre” das deusas em vigor em Macau: não houve mortos. Novidade, absolutamente nenhuma. Alguém irá responder perante a lei? Lá mais para o Verão, verão

boa parte da sociedade, aquela parte que ainda insiste em reflectir sobre as questões mais importantes da vida, para lá das máquinas e processos de fazer dinheiro rápido, fácil e muito. Na Assembleia Legislativa tem sido tema de algumas intervenções, até surgir agora a proposta no sentido de subir de 18 para 21anos a idade mínima para poder ser admitido como trabalhador na indústria dos jogos de fortuna ou azar. Fica a tal in-

Helder Fernando

terrogação que aqui se faz eco: Porque não é extensível essa interdição a outros recintos de apostas, como as corridas de cães, de cavalos e também às lotarias? O sistema conhecido por “big brother” é pretexto para controlar tudo; pronto, quase tudo. Não sei se com algum esforço e sinceridade, mas acredito que sim, as forças de segurança da RAEM lá admitem a hipótese de ouvirem associações de moradores antes de desatarem a colocar câmaras de filmagem por tudo o que é lado; salvo o exagero. Em causa, o habitual nestas circunstâncias: o direito que os cidadãos têm à sua privacidade, o uso que podem ser feitos dos dados recolhidos por essas câmaras de videovigilância, e até o direito que deve ser salvaguardado, de as populações também poderem usar os elementos recolhidos pelo “big brother” para se defenderem. Depois das férias de Verão é que o Governo deverá estar disponível para decidir... criar mais uma comissão para estudar o monumental assunto do “salário mínimo” e sua implementação em Macau. Curiosamente, o que não faltam é entidades interessadas em participar nesses estudos. Antes isso. O patronato anda nervoso. Credo, ordenado mínimo?, que coisa tão estranha. Mais estranho é o pequeno e médio comércio e indústria de Macau ser esmagado impiedosamente pelos crocodilos e tubarões de várias proveniências. Com a maior das sem vergonhices, são exigidas fortunas para arrendar pequenas lojas de comércio. Como não estão criados sistemas de controlo destas especulações infernais, só sobrevivem os que mais têm, os que não acrescentam qualidade, nem inovação, nem autenticidade, nem acompanham a história desta terra no que ela deve conter de afecto verdadeiro, de conservação da própria alma, que é o que faz a sua diferença. Mais vale uma lavandaria trabalhando 24 horas por dia do que uma pequena livraria de qualidade, um restaurante típico de qualidade, uma casa de chá de qualidade, um espaço de conforto ou de reflexão por entre a barulheira medonha. Ou um cinema, tipo estúdio, onde se pudesse - finalmente! assistir à projecção de filmes de qualidade em ambiente de qualidade. Ah, mas isso não dá negócio. Pois não, com o preço mal lavado que andam a exigir por cada metro quadrado...

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor Vanessa Amaro Redacção Gonçalo Lobo Pinheiro; Joana Freitas; Patrícia Ferreira, Rodrigo de Matos; Virginia Leung Colaboradores António Falcão; Carlos Picassinos; José Manuel Simões; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Rui Cascais; Sérgio Fonseca Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Correia Marques; Gilberto Lopes; Hélder Fernando; Jorge Rodrigues Simão; José I. Duarte, José Pereira Coutinho, Luís Sá Cunha, Marinho de Bastos; Paul Chan Wai Chi; Pedro Correia Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; António Mil-Homens; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Laurentina Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Av. Dr. Rodrigo Rodrigues nº 600 E, Centro Comercial First Nacional, 14º andar, Sala 1407 – Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


cartoon

TERÇA-FEIRA 2.8.2011 www.hojemacau.com.mo

por Steff

PORTUGAL DESEMPREGO RECUA PELA PRIMEIRA VEZ Em Junho, a taxa de desemprego em Portugal recuou pela primeira vez num ano, fixandose nos 12,2%. De acordo com o gabinete de estatísticas europeu, a taxa de desemprego desceu em Junho de 12,4% para 12,2%, naquela que é o primeiro recuo este ano. Desde Dezembro do ano passado que o desemprego permanecia inalterado nos 12,4%. EUA ACORDO PARA SUBIR TECTO DE DÍVIDA Os democratas e os republicanos chegaram finalmente a um acordo para subir o tecto legal de endividamento do país, pondo fim a um impasse que deixou o país à beira do default. Na noite de domingo [madrugada de segunda-feira em Macau], o presidente norte-americano Barack Obama anunciou que os partidos tinham chegado a um acordo, a apenas um dia de os EUA ficarem sem dinheiro para pagar aos credores, ou seja, de entrarem em incumprimento. O acordo irá permitir aumentar o limite legal de endividamento em 2,4 milhões de milhões de dólares em duas fases.

MÉXICO 1500 MORTOS POR CARTEL DE DROGA A polícia mexicana diz que um homem suspeito de trabalhar como assassino a soldo para um cartel de droga e que foi detido na sexta-feira confessou ter mandado matar 1500 pessoas no norte do estado de Chihuahua. Jose Antonio Acosta Hernandez, 33, é igualmente suspeito de ter mandado executar o ataque contra uma funcionária do consulado norte-americano e contra o seu marido, em Ciudad Juarez, no ano passado. IRÃO DESFIGURADA PERDOA AGRESSOR Ameneh Bahrami, que ficou cega e com a cara desfigurada depois de ter sido atacada pelo namorado com ácido, perdoou ao agressor e solicitou às autoridades iranianas que não aplicassem a chamada Lei de Talião (retaliação), que consiste em punir o agressor com o mesmo castigo, evitando assim que o homem ficasse cego. Um juiz confirmou que a jovem desistiu de reclamar a cegueira do seu agressor. Mas exigiu uma indemnização de 150 mil euros para financiar o seu tratamento.

AQUÁRIOS

NORUEGA PLÁSTICA PARA PARECER ARIANO Anders Behring Breivik, o terrorista norueguês que matou 77 pessoas no dia 22 de Julho, terá feito uma operação plástica para ficar parecido com o típico ariano puro idealizado pelos nazis, disse a líder dos serviços secretos noruegueses numa entrevista publicada no “Sunday Times”.

Modernização da Defesa e do Exército continuará

Festa de aniversário com promessas

O

Ministro da Defesa chinês, Liang Guanglie, assegurou nesta segunda-feira que o país continuará a modernização de sua Defesa nacional e do Exército Popular de Libertação (EPL). Segundo Liang, em discurso na recepção para comemorar o 84º aniversário da fundação do EPL, “a paz e o desenvolvimento enfrentam actualmente múltiplos desafios no mundo e a China atravessa também mudanças sociais amplas sem precedentes”. O ministro destacou que as forças armadas enfrentam cada vez tarefas mais árduas e devem permanecer alertas aos desafios, por isso que é necessário fortalecer a capacidade de abordar tarefas diversas a fim de ganhar batalhas locais com a informática como núcleo central. “Ampliaremos e aprofunda-

remos a preparação para a luta armada, desenvolveremos com intensidade os treinos militares com informatização, impulsionaremos a inovação no desenvolvimento da ciência e equipamentos”, acrescentou. Liang também falou em impulsionar a construção de modernas logísticas, intensificar o treino

do pessoal, as reformas militares e continuar a modernização do Exército. “Durante 84 anos, o EPL contribuiu para salvaguardar a soberania nacional, a segurança e a integridade do território chinês assim como a impulsionar o desenvolvimento económico e social do país”, concluiu Liang.

MOURINHO OBRIGADO A CORRER PARA FUGIR A ADEPTOS NA CHINA

Foge, ‘special one’, foge O

treinador português José Mourinho foi esta segunda-feira obrigado a correr para fugir a adeptos num centro comercial em Cantão, na China, onde a equipa de futebol do Real Madrid vai disputar um encontro particular. A presença do Real Madrid tem gerado uma onda de euforia em Cantão e a polícia local e a segurança do clube montaram um grande dispositivo de segurança que, contudo,

não tem sido suficiente. Com uma multidão à porta do hotel onde está instalada a equipa, a segurança tentou fazer passar Mourinho por um centro comercial anexo. Contudo, os adeptos chineses reconheceram o treinador português, obrigando-o a um “sprint” para fugir a cerca de 200 pessoas. Na quarta-feira, o Real Madrid vai defrontar a equipa cantonesa do Guangzhou Evergrande.

INSÓLITO MENSAGEM NA GARRAFA ENCONTRADA Paul Pierce lançou uma garrafa ao mar com uma mensagem no interior há mais de 30 anos. Agora, a filha, Paula, recebeu-a. “Devolver ao Ocean Boulevard, 419, e receber uma recompensa de 15 dólares de Tina, dona do [hotel] Beachcomer”. É esta a mensagem que sobreviveu a várias décadas à deriva no oceano e que agora foi encontrada por um professor de inglês, Clint Buffington, a 3200 quilómetros a sul de onde residia e reside a família Pierce. Tina, a mulher do autor da mensagem, já morreu, mas a filha, Paula, ficou espantada por ter notícias do pai, também já falecido. ESTUDO 50% DOS JOVENS FAZEM SEXO BÊBADOS Mais de metade dos jovens portugueses entre os 15 e 30 anos teve relações sexuais sob o efeito de álcool no último ano. Esta é uma das conclusões de um inquérito a 1257 jovens de nove cidades portuguesas publicado na revista “Toxicodependências”. O estudo focou-se em jovens que saem à noite, a maioria dos quais consome álcool (91%) e é sexualmente activa (85%). Uma combinação que leva a comportamentos de risco, como sexo desprotegido. A percentagem dos que tiveram relações embriagados é superior em cidades como Coimbra (64,80%) e Lisboa (60,42%), mas a média incluindo Angra do Heroísmo, Aveiro, Funchal, Porto, Viana do Castelo, Viseu, Ponta Delgada - é de 53,5%. E cerca de um quinto teve sexo sob o efeito de outras drogas.


Hoje Macau 02 AGO 2011 #2423