Page 1

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

PUB

hojemacau

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

TIAGO ALCÂNTARA

MOP$10

QUARTA-FEIRA 2 DE MAIO DE 2018 • ANO XVII • Nº 4042

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

Maio do mesmo As tradicionais manifestações do Dia do Trabalhador levaram às ruas de Macau cerca de 800 pessoas, de acordo com a PSP. O líder dos lesados do Pearl Horizon denunciou a recusa de entrada de um manifestante no território. As autoridades não comentaram o caso. GRANDE PLANO

JOSÉ AUGUSTO DUARTE

DÓCI PAPIAÇÁM

PÁGINA 9

EVENTOS

SUBIDA EM FLECHA

PALCO EM FESTA

COREIAS SOFIA M. MOTA

PÁGINA 4

SOFIA M. MOTA

O SENHOR PEQUIM

LUCROS CASINOS

COLUNAS EM SILÊNCIO ÚLTIMA


2 grande plano

2.5.2018 quarta-feira

Kou Meng Pok, líder dos lesados do Pearl Horizon, denunciou ontem a recusa de entrada de um manifestante que queria participar nos protestos do Dia do Trabalhador. Mas, de acordo com dirigente, terão ocorrido mais casos. As autoridades policiais recusaram comentar o caso

A

habitual manifestação que celebra o 1º de Maio, Dia do Trabalhador ficou marcada pela alegada recusa de entrada de uma pessoa na fronteira, que tinha como intenção marcar presença no protesto ao lado dos lesados do Pearl Horizon. O caso foi ontem denunciado por Kou Meng Pok, presidente da União dos Proprietários do Pearl Ho-

1º DE MAIO

O GRITO QUE FICOU NA GARGANTA

rizon e ex-candidato às eleições legislativas. Uma mulher acompanhou o líder dos lesados no protesto, tendo dito que é casada com o homem que, alegadamente, foi impedido pelas autoridades de Macau de entrar no território. O indivíduo em questão é residente de Hong Kong, mas não foi esclarecido se a tentativa de entrada na RAEM se fez pelas

RECUSADA ENTRADA EM MACAU A MANIFESTANTE LIGADO AO PEARL HORIZON

Portas do Cerco, ou pela via do terminal marítimo. Em resposta a este caso, o comissário da Divisão de Relações Públicas da Polícia de Segurança Pública (PSP), Lei Tak Fai, não quis fazer comentários por se tratar de um caso isolado, tendo acrescentado que a verificação de documentos de identificação é um trabalho regular que é feito pelos serviços policiais. A PSP limita-

REDES SOCIAIS CELEBRAM “PAI DOS CHEQUES PECUNIÁRIOS” A imagem do jornal Apple Daily com o alegado polícia que terá feito disparos em 2007, durante as manifestações do 1º de Maio, circulou ontem em vários grupos da rede social Facebook. Como a entrada em vigor dos cheques pecuniários aos residentes aconteceu depois das manifestações do Dia do Trabalhador, vários internautas apelidaram o polícia de o “Pai dos Cheques Pecuniários”.

Uma mulher acompanhou o líder dos lesados no protesto, tendo dito que é casada com o homem que, alegadamente, foi impedido pelas autoridades de Macau de entrar no território. O indivíduo em questão é residente de Hong Kong O comissário da Divisão de Relações Públicas da Polícia de Segurança Pública (PSP), Lei Tak Fai, não quis fazer comentários por se tratar de um caso isolado, tendo acrescentado que a verificação de documentos de identificação é um trabalho regular que é feito pelos serviços policiais

-se a autorizar, ou não, a entrada dos visitantes no termo da lei, acrescentou. Sobre o número de manifestantes, Kou Meng Pok disse que, apesar de ter comunicado às autoridades a previsão de cinco mil manifestantes, e uma vez que houve algumas proibições de entrada no território, restaram apenas 600 ou 700 pessoas contabilizadas pelos protestantes. Contudo, e de acordo com a PSP, a causa do Pearl Horizon levou para as ruas apenas 520 pessoas. Um dos manifestantes ligado ao grupo de lesados do Pearl Horizon, de apelido Wang, contou ao HM que perdeu o emprego pela participação nas reuniões e nas manifestações, devido ao elevado número de dias de férias tiradas. Relativamente à reunião com os membros do Governo, o manifestante disse estar preocupado por considerar que não está garantido o acesso às casas nas quais investiram as suas poupanças. O lesado não se mostrou optimista face às declarações dos governantes, nomeadamente os secretários e o Chefe do Executivo, que afirmaram quererem tratar o caso de acordo com a lei. Além dos lesados do Pearl Horizon, a manifestação do 1º de Maio contou também com a presença dos trabalhadores do jogo, representados pela Associação Novo Macau para os Direitos dos Trabalhadores


grande plano 3

“Desde a liberalização dos casinos que as operadoras de jogo não cumpriram as promessas que fizeram na altura do concurso público.”

SOFIA MARGARIDA MOTA

quarta-feira 2.5.2018

CLOEE CHAO REPRESENTANTE DOS TRABALHADORES DOS CASINOS

do Jogo, liderada por Cloee Chao. Participou também a associação que tem vindo a defender o regresso dos “filhos maiores” do continente para Macau.

LEMBRAR LI KEQIANG

Durante o protesto, Kou Meng Pok voltou a falar da importância de ter acesso às casas do edifício Pearl Horizon, cuja construção foi suspensa devido ao fim do prazo de concessão do terreno. O dirigente associativo chegou mesmo a citar o primeiro-ministro chinês. “O primeiro-ministro Li Keqiang disse que os contratos não se podem tratar como papéis que vão para o lixo. Por isso, o Governo deve valorizar os nossos contratos”, adiantou, tendo revelado algum optimismo depois do último encontro com o Executivo, ocorrido a semana passada. Kou Meng Pok disse esperar que esta reunião seja o reflexo de um bom início, mas continua a estar preocupado com eventuais respostas insatisfatórias. Nesse caso, o líder dos lesados do Pearl Horizon referiu que vão levar o caso a Zhang Xiaoming, director do Gabinete dos Assuntos de Hong Kong e Macau em Pequim.

AI OS SALÁRIOS

Cloee Chao, representante dos trabalhadores dos casinos, liderou o protesto que culminou na entrega de duas cartas ao Chefe do Executivo, assinadas por duas mil pessoas que pedem um aumento salarial na ordem dos seis por cento. De acordo com a dirigente, a actualização dos salários tem como objectivo acompanhar a taxa de inflação. A outra carta pede uma melhoria das regalias dos funcionários do jogo. “Desde a liberalização dos casinos que as operadoras de jogo não cumpriram as promessas que fizeram na altura do concurso público”, disse Cloee Chao, que alertou para uma redução das regalias nos últimos anos. A presidente da associação pede que o Governo intervenha no sentido de garantir mais aberturas de licenças de jogo que beneficiem a população. “As pessoas têm medo de entrar nos casinos para trabalhar por causa do fumo passivo e porque há falta de pagamento de subsídios para quem faz turnos nocturnos. Mesmo que sejamos insultados

ou agredidos pelos clientes, os chefes pedem que continuemos o trabalho.” No total, participaram 600 pessoas neste protesto ligado à indústria do jogo, de acordo com Cloee Chao. Um dos manifestantes

contou ao HM que as regalias têm, de facto, vindo a diminuir. De acordo com o canal chinês da Rádio Macau, o terceiro grupo está ligado à Associação dos Pais dos Filhos Maiores, tendo participado apenas quatro

pessoas. Foram entregues quatro cartas endereçadas ao Governo e Gabinete de Ligação do Governo Central em Macau para realizar o desejo de trazerem para Macau os filhos que deixaram no continente.

No total, a PSP enviou 250 agentes para as ruas para garantir a ordem dos protestos, que decorrem sem incidentes entre o bairro do Iao Hon e a sede do Governo. Vítor Ng (com A.S.S.) info@hojemacau.com.mo


4 política

O homem de Pequim DIPLOMACIA JOSÉ AUGUSTO DUARTE ENCARA A CHINA COMO A GRANDE PRIORIDADE ESTRATÉGICA

Está na capital chinesa desde Janeiro e terminou ontem a sua primeira visita a Macau. Para José Augusto Duarte, embaixador de Portugal em Pequim, o projecto do Porto de Sines deve avançar a bem da integração da política “Uma faixa, uma rota”. No que toca às liberdades, o diplomata entende que estes são assuntos que apenas dizem respeito à China

J

OSÉ Augusto Duarte, Embaixador de Portugal em Pequim, fez a sua primeira visita a Macau. O objectivo foi tomar conhecimento da situação local e definir objectivos estratégicos de forma a melhorar as interações entre a RAEM, o continente e Portugal. Apesar de bem impressionado, o diplomata que assumiu funções em Janeiro, admite que há ainda muito a fazer. “Temos uma relação constitucional saudável e equilibrada

e não há propriamente problemas de fundo, ou tensões a resolver”, começou por dizer no encontro de ontem com os jornalistas. De acordo com o embaixador, há espaço para aumentar as trocas comerciais, o investimento, e as relações culturais, científicas e tecnológicas. Quanto a Macau, as condições estão criadas, porém, é preciso passar à acção e ao envolvimento da sociedade civil. “Temos de ter acordos que permitam os investimentos. A partir do momento em

que já os temos, como é o caso em Macau, temos de ter também a própria dinâmica da sociedade civil para aproveitarmos estes mecanismos existentes”, apontou.

CONTINENTE À ESPERA

No que respeita ao continente a situação mantém-se, mas é preciso ainda trabalhar em alguns processos legislativos. José Augusto Duarte avança que está em curso, há vários anos, a possibilidade de exportar para o mercado chinês carne congelada portuguesa. De acordo com o diplomata, esta é uma matéria com “enorme interesse para as associações de suinicultores portugueses e para o Ministério da Agricultura, mas as negociações ainda decorrem”. Para já, as empresas portuguesas com registos de sucesso estão a ter lucros que não teriam em qualquer outro mercado internacional, referiu. “Exemplo disso é a Superbock, que está a ter um sucesso imenso nas suas exportações em grande parte devido às exportações para o mercado chinês. É, neste momento, a cerveja mais importada para a China”, apontou.

SINES ESTRATÉGICO

Em relação Porto Marítimo de Sines, o diplomata olha o futuro com optimismo. “O debate está a ser feito. Portugal tem um interesse inequívoco em ficar conectado com esta iniciativa de um ponto de vista económico”, esclareceu o embaixador José Augusto Duarte. “Não é apenas um interesse político abstracto, é concreto. Se Sines estiver ligado ao projecto “Uma faixa, uma rota”, a nossa economia pode sair muito beneficiada porque temos uma posição estratégica única na Europa de facilitação de ligação aos continentes americano

SOFIA MARGARIDA MOTA

2.5.2018 quarta-feira

e africano, por mar e terra, a toda a massa continental euro-asiática”, explicou. A embaixada está “em contacto com as autoridades chinesas para defender isso mesmo e provar que seria uma parceria win-win”, que estaria aberta a outras estruturas portuárias e não apenas a Sines, disse o diplomata.

“Se Sines estiver ligado ao projecto “Uma faixa, uma rota”, a nossa economia pode sair muito beneficiada, porque temos uma posição estratégica única na Europa de facilitação de ligação aos continentes americano e africano, por mar e terra, a toda a massa continental euro asiática.” Entretanto, a China está no topo das prioridades de Portugal. “A China impõe-se por si. Para onde quer que nos viremos a China marca presença e é um prioridade da política externa portuguesa”, sublinhou.

LIBERDADES À PARTE

Questionado acerca da sua posição relativamente ao crescente poder do presidente chinês Xi Jinping, José Augusto Duarte considera que se trata de um assunto que apenas à China, e aos seus cidadãos, diz respeito. “Acho que compete aos cidadãos chineses e à China fazer

os debates que consideram oportunos, as reformas que consideram adequadas, e ter o seu próprio modelo de desenvolvimento e de evolução naquilo que são os direitos cívicos, ou o que são as ordens constitucionais estabelecidas relativamente ao número de mandatos”, referiu. Por outro lado, salientou que “uma coisa é certa, a China com o seu próprio


política 5

quarta-feira 2.5.2018

CONSULADO EM AQUECIMENTO

A

abertura do consulado em Cantão, a terceira maior cidade da China, “é literalmente uma questão de dias”, afirmou ontem o embaixador de Portugal em Pequim, José Augusto Duarte. “Temos todas as autorizações e já estão pessoas a trabalhar lá dentro”, anunciou o embaixador, durante uma conversa com os jornalistas, na residência oficial do cônsul-geral de Portugal em Macau e Hong Kong. Trata-se do terceiro consulado de Portugal na China, depois de Macau, Pequim e Xangai, e terá como área de jurisdição as províncias de Guangdong, Hainan, Hunan, Fujian e a região autónoma de Guangxi. Questionado sobre a possibilidade de abrirem mais consulados na China, o embaixador declarou não haver “para já” essa hipótese. Mas “mais importante do que abrir mais consulados, é dotar as embaixadas que já temos com todos os meios necessários”, ou seja, “mais recursos humanos e materiais”, sublinhou.

modelo estabelecido, sobretudo após as reformas iniciadas por Deng Xiaoping. Atingiu patamares de desenvolvimento económico e social que dão que pensar ao mundo inteiro e que fazem a criação de um ordem geo-económica internacional nova. O embaixador mantem uma posição de prudência também em relação ao impedimento de entra-

das no território de autores que iriam participar no Festival Rota das Letras. “Aqui, não vejo questões internas como um problema, acho que devemos estar atentos, devemos ir observando”. Por outro lado, este tipo de situações, considera, em nada afectam a política de “Um país dois sistemas”. “Acho que seria muito forçado considerar que

estaria em causa a solidez dessa política”, disse, até porque, “qual é o país do mundo que nos seus processos de integração ou de independência tem algo parecido com o que existe entre a RAEM e a China?”, questionou retoricamente. “Neste momento, não temos motivos que nos levem a ter uma preocupação ou a pôr em causa o que quer que seja na nego-

ciação que foi feita relativamente à transição”, rematou.

MUDAR O DIA DE PORTUGAL

Se até agora o dia de Portugal, 10 de Junho, era comemorado na embaixada de Pequim com a realização de um cocktail. O embaixador José Augusto Duarte quer alterar a celebração de forma a mostrar o melhor de Portugal a Pequim.

“Quero mudar a forma como se comemora o dia de Portugal”, revelou. A razão deve-se ao facto de ser um momento privilegiado em que “temos uma boa parte da administração do Estado que nos recebe, temos convidados estrangeiros que competem connosco, temos amigos vários e temos a imprensa. Já que tenho estas condições aproveito e projecto o meu país de uma forma mais elevada”, justifica. Este ano, a opção foi um concerto de música barroca. O evento vai contar com a presença da Orquestra de música barroca da Casa da Música do Porto e com um filme que apresenta a cidade invicta. A escolha não foi ingénua. “No fim do séc. XVII houve um imperador chinês, Kanxi, que teve uma relação espacialíssima com Portugal. Apreciava o país e teve um conselheiro diplomático português que foi de Macau. O conselheiro era Tomás Pereira, do Porto e era também musicólogo. Por isso, “ao invocar Kanxi, Tomás Pereira e o Porto estamos a invocar uma época áurea entre o nosso entendimento”, abrilhantado com o melhor da música erudita. Entretanto, cônsul-geral de Portugal em Macau e Hong Kong, Vítor Sereno, termina o mandato este ano e pode ter já o sucessor escolhido. “O substituto já está à partida escolhido, mas são processos longos e burocráticos e não está ainda garantido”, referiu o embaixador. Quanto à data para a substituição, ainda é um incógnita, sendo que “não andará longe dos seis meses”. Sofia Margarida Mota

sofia.mota@hojemacau.com.mo


6 política

2.5.2018 quarta-feira

APOIOS SOCIAIS GOVERNO RETIRA PRAZO DE 90 DIAS PARA PEDIR REFORMA

O

NOVO MACAU PROPOSTA DE REDUÇÃO HORÁRIA PARA MULHERES DURANTE O PERÍODO MENSTRUAL

Tolerância periódica

A associação liderada por Kam Sut Leng quer que o território estude a implementação de uma medida de protecção laboral inovadora. Num comunicado especial do Dia do Trabalhador, a Novo Macau acusa o Governo de implementar medidas laborais que favorecem sempre as entidades patronais

A

N ovo Macau quer que o Governo estude a possibilidade de serem criadas pausas no trabalho para mulheres menstruadas. O com-

promisso com a agenda foi afirmado ontem, em comunicado, sendo que a Novo Macau considera que o Primeiro de Maio é a celebração do “grande contributo da classe trabalhadora

para a economia e a sociedade” “Devia ser desenvolvida a investigação para estudar a possibilidade de reduzir o número de horas diárias e semanais de trabalho,

De acordo com um comunicado, Rita Santos, presidente da assembleia-geral da Associação dos Trabalhadores da Função Pública de Macau (ATFPM), defendeu que a lei sindical deveria ser implementada até 2019, ano das eleições para o Chefe do Executivo. “Em 2019 vai ser realizada a eleição do Chefe do Executivo da RAEM. Esperamos que a lei do direito fundamental da associação cultural possa ser aprovada através dos esforços envidados pelo deputado José Pereira Coutinho, porque a sua importância e necessidade é inegociável. A execução da lei pode proteger os direitos fundamentais dos trabalhadores”, lê-se no comunicado. A ATFPM comemorou o Dia do Trabalhador com várias actividades desportivas com associados.

Ainda neste contexto, a associação pró-Democracia sublinha que “o fosso entre o crescimento económico e a qualidade de vida nunca foi tão claro”.

CONTROLO AOS NÃO-RESIDENTES

Ainda no mesmo comunicado, a Novo Macau reforça a necessidade de se controlarem as quotas para os trabalhadores não-residentes no sector do jogo.Aassociação reforça a necessidade da quota de 20 por cento não dever ser ultrapassada e ser rigorosamente respeitada. Por outro lado, a associação defende que os não-residentes só devem ser autorizados em Macau, no sentido de serem um complemento aos trabalhadores locais. A associação apela assim ao Governo que cumpra de forma rigorosa as regras e que puna severamente todos os que não respeitam a política de quotas. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo

ATFPM

Lei sindical ATFPM espera implementação até 2019

assim como sobre a possibilidade de criar pausas para as mulheres com menstruação, independentemente dos dias de baixa”, declara a associação. A associação não elabora mais sobre a sugestão, mas o assunto tem sido estudado em países europeus como, por exemplo, na Itália. Por outro lado, a associação deixa críticas aos Governos de Chui Sai On e Edmund Ho por considerar que os interesses do patronato saem sempre beneficiados com as políticas adoptadas desde a criação da RAEM. “As políticas laborais do Governo, que estão em sintonia com os interesses da comunidade patronal, ainda tendem a favorecer os empresários e não tem havido acções concretas para alterar as leis laborais. Até as questões menos polémicas estão a ser atrasadas”, acusa a Novo Macau.

Governo vai retirar o prazo de 90 dias que actualmente é obrigatório para todos os funcionários públicos que queiram pedir a reforma de forma voluntária. Tal mudança está enquadrada no processo de revisão do Estatuto dos Trabalhadores da Administração Pública de Macau. A secretária para a Administração e Justiça, Sónia Chan, referiu, citada por um comunicado, que a “proposta sobre a dispensa da condição de o prazo mínimo de 90 dias sobre a data em que o interessado pretende ser desligado do serviço, para apresentar o requerimento de aposentação voluntária, tem como objectivo criar maior flexibilidade aos serviços públicos no tratamento do pedido de aposentação”. A secretária acrescentou ainda que “quando a aposentação de pessoal não afectar o funcionamento dos serviços e for possível tratar dos procedimentos de aposentação num período curto de tempo, a revisão da lei vem dar maior flexibilidade aos serviços públicos no tratamento desses pedidos, tais como, por razões de saúde ou familiares”. Sónia Chan frisou também que “a alteração prevista refere-se a procedimentos, e não afecta a qualificação para se requerer a aposentação”, além de que “o essencial da revisão da lei é rever a relação entre o regime de aposentação actual e o regime de processo disciplinar”.

CCAC NÃO CONFIRMA INVESTIGAÇÃO A TERRENO

O

comissário do Comissariado contra a Corrupção (CCAC), André Cheong, não confirmou, nem desmentiu, se está em curso uma investigação ao terreno referido num vídeo de um alegado membro de uma tríade, de nome “Shangai Boy”, que foi vendido a um empresário de Hong Kong. No mesmo vídeo são referidos os nomes de Edmund Ho e Chui Sai On, os dois Chefes do Executivo da era RAEM. Citado pelo Jornal do Cidadão, André Cheong adiantou que o CCAC só inicia uma investigação no caso de ocorrerem denúncias ou queixas sobre determinado caso, ou se existirem diversas informações nos media. Cheong frisou também que o CCAC nunca divulga informações enquanto decorrem investigações, e que é importante agir de acordo com a lei orgânica do CCAC e a legislação do território. “Shangai Boy”, o alegado membro da tríade Wo Shing Wo, conhecido como Kwok Wing-hang, aparece num vídeo publicado no Youtube a acusar Edmund Ho de ter cedido dois terrenos em Macau, devido a uma chantagem de Ma Ching Kwan, proprietário do jornal Oriental Daily. André Cheong indicou ainda que já foi concluída a análise sobre a revisão do regime da imigração por investimento, estimando que o resultado será divulgado no próximo mês.


quarta-feira 2.5.2018

sociedade 7

INSÓLITO DESCOBERTA DE OSSADAS HUMANAS OBRIGA A PARAGEM DE OBRAS Os trabalhos junto ao acesso pedonal para o Reservatório na zona do D. uma urna que se encontrava Bosco foram enterrada no local. Os trabalhos só foram suspensos interrompidos, quando uma parte da urna na sextaacabou escavada. Após o alerta para a si-feira, quando tuação, a Polícia Judiciária deslocou-se ao local, mas os pedreiros nega que haja qualquer indício de crime. escavaram um “Não existem indícios urna com ossos. A de actividades criminais com os ossos Polícia Judiciária relacionadas encontrados. Os ossos estavam dentro de uma urna, que garante que não estava enterrada no local, e transportados para o existem indícios foram Hospital do Governo, onde estão a ser guardados na morde crimes

“A Policia Judiciária chegou ao local por volta das 14h30 e fez as investigações necessárias. Foram igualmente tomadas as precauções necessárias para lidar com este tipo de casos e agora os restantes trabalhos vão ser feitos pelos outros departamentos do Governo.”

Sete palmos de terra

O

S trabalhos de escavação para instalar tubagens na zona de acesso ao reservatório, junto ao acesso pedonal que vem do Campo D. Bosco, tiveram de ser interrompidos depois de terem sido descobertas ossadas humanas. O caso aconteceu na sexta-feira, por volta das 11h, quando os trabalhadores escavaram

gue”, afirmou uma porta-voz da Polícia Judiciária, ao HM. “Acreditamos que os ossos já estivessem enterrados há muitos anos. É um local onde as pessoas costumavam enterrar os seus familiares antigamente. Olhamos para as provas e os indícios que encontramos não apontam para actividades criminosas, não há nada que indique nesse sentido. Tudo aponta para que fossem ossos que ali estava há

muitos anos”, acrescentou a mesma fonte.

BOMBEIROS NO LOCAL

Apesar do alerta para a situação ter sido dado de manhã, as primeiras autoridades a chegar ao local foram a Polícia de Segurança Pública e os bombeiros, com ambulâncias e carros de combate a incêndios.

Também alguns corredores e pessoas que circulavam na zona pararam para espreitar o que se passava. Só mais tarde, já por volta das 14h30 é que chegou a PJ para realizar os trabalhos normais de apuramento de indícios que apontassem para actividade criminosa.

“A Policia Judiciária chegou ao local por volta das 14h30 e fez as investigações necessárias. Foram igualmente tomadas as precauções necessárias para lidar com este tipo de casos e agora os restantes trabalhos vão ser feitos pelos outros departamentos do Governo”, acrescentou fonte da PJ.

PORTA-VOZ DA POLÍCIA JUDICIÁRIA

Por esta razão, de momento as autoridades ainda não sabem qual a idade provável das ossadas e quanto tempo tiveram enterradas antes de serem descobertas. As investigações das autoridades prolongaram-se durante horas e depois das 22h ainda era possível ver veículos no local. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo

GRANDE BAÍA MACAU PROMOVE REGIÃO JUNTO DE OPERADORES PORTUGUESES

TURISMO MAIS DE TRÊS MILHÕES NOS HOTÉIS E PENSÕES DE MACAU ATÉ MARÇO

A

M

promoção do destino turístico da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau como itinerário multi-destino esteve em foco nas conversações entre representantes da indústria turística de Portugal e da China, na Expo Internacional de Turismo de Macau. De acordo com a Direcção dos Serviços de Turismo (DST), “representantes da indústria turística de Portugal e de outros países trocaram ideias, com parceiros de Guangdong, sobre o Intercâmbio de Turismo China-Portugal”, partilhando ainda “ideias sobre itinerários

multi-destino” e a sua implementação no mercado internacional, durante a 6.ª Expo Internacional de Turismo de Macau, que se realizou entre sexta-feira e domingo. Macau, que foi eleito pela Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo como destino preferido da associação para 2019, “pretende encorajar operadores turísticos de Portugal e outras partes do mundo a lançarem itinerários e produtos multi-destinos, para atrair mais visitantes de mercados de longo curso para a Grande Baía Guangdong-Hong

Kong-Macau”, declarou a DST. Segundo a DST, estiveram presentes na Expo Internacional de Turismo de Macau “cerca de 130 operadores turísticos de Portugal, Estados Unidos, Austrália, Japão, Coreia do Sul, Malásia, Tailândia, Indonésia e Índia, bem como do Interior da China, Hong Kong e da região de Taiwan”. Estiveram também presentes na Expo membros da direcção dos serviços turísticos de São Tomé e Príncipe, bem como representantes do Ministério do Turismo da Guiné-Bissau.

AIS de três milhões de pessoas alojaram-se nos hotéis e pensões de Macau no primeiro trimestre do ano, um acréscimo de 9,2 por cento face ao período homólogo de 2017, indicam dados oficiais. Segundo a Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC), ao todo pernoitaram 3.352.000 hóspedes, numa média de 1,5 noites. Ataxa de ocupação média atingiu 88,8 por cento, mais 5,3 pontos percentuais do que no mesmo período do ano passado. No final de Março estavam registados do terri-

tório de Macau 115 hotéis e pensões, representando, em conjunto, 39 mil quartos, já a oferta nos hotéis de cinco estrelas foi de 24 mil. Só no mês de Março alojaram-se nos hotéis e pensões da região 1.43.000 hóspedes, uma subida de 8,2 por cento em termos anuais. O número de hóspedes provenientes da China continental (768.000) registou um aumento de 9,5 por cento, em termos anuais, enquanto os da Coreia do Sul (38.000) subiram 11,2 por cento, no mês de Março. Neste mês, o número de hóspedes de Hong Kong

subiu 1,2 por cento, para 131 mil, já os turistas de Taiwan que pernoitaram na região aumentaram 4,1 por cento. Macau recebeu, entre Janeiro e Dezembro de 2017, mais de 29,5 milhões de visitantes. O visitante refere-se a qualquer pessoa que tenha viajado para Macau por um período inferior a um ano, um termo que se divide em turista (aquele que passa pelo menos uma noite) e excursionista (aquele que não pernoita). As unidades hoteleiras de Macau receberam mais de 13.155 milhões de hóspedes em 2017.


8 publicidade

2.5.2018 quarta-feira

AVISO Faz-se saber que em relação ao concurso público para «Empreitada de execução do aterro e construção do dique da «Zona C» dos novos aterros urbanos», publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau n.º 15, II Série, de 11 de Abril de 2018, foram prestados esclarecimentos, nos termos do artigo 2.2 do programa do concurso, e foi feita aclaração complementar conforme necessidades, pela entidade que realiza o concurso e juntos ao processo do concurso. Os referidos esclarecimentos e aclaração complementar encontram-se disponíveis para consulta, durante o horário de expediente, no Gabinete para o Desenvolvimento de Infraestruturas, sito na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 10º andar, Macau. Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, aos 23 de Abril de 2018. O Coordenador, substituto Sam Weng Chon

AVISO Faz-se saber que em relação ao concurso público para « Empreitada de construção de fundações e cave da Habitação Pública na Avenida de Venceslau de Morais », publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau n.º 15, II Série, de 11 de Abril de 2018, foram prestados esclarecimentos, nos termos do artigo 2.2 do programa do concurso, e foi feita aclaração complementar conforme necessidades, pela entidade que realiza o concurso e juntos ao processo do concurso. Os referidos esclarecimentos e aclaração complementar encontram-se disponíveis para consulta, durante o horário de expediente, no Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, sito na Av. do Dr. Rodrigo Rodrigues, Edifício Nam Kwong, 10.º andar, Macau. Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, aos 23 de Abril de 2018. O Coordenador, substituto Sam Weng Chon

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO PARA “Obra de remodelação das instalações do Centro de Formação Jurídica e Judiciária situado nos 18. ºe 19. º andares do Edifício Banco Luso Internacional” 1.

Entidade que põe a obra a concurso: Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes.

2.

Modalidade de concurso: concurso público.

3.

Local de execução da obra: Rua do Dr. Pedro José Lobo, n.os 1-3, Edif. Banco Luso Internacional, 18.º e 19 .º andares, Macau.

4.

Objecto da Empreitada: obras de remodelação interior.

5.

Prazo máximo de execução da obra: 180 dias de trabalho. O prazo de execução da obra a apresentar pelo concorrente deve obedecer às disposições do n.º 7 do Preâmbulo do Programa de Concurso e dos n.os 5.1.2 e 5.2.2 das Cláusulas Gerais do Caderno de Encargos.

6.

Prazo de validade das propostas: 90 (noventa) dias, a contar a partir da data de encerramento do acto público do concurso, prorrogável, nos termos previstos no Programa de Concurso.

7.

Tipo de empreitada: empreitada por Série de Preços.

8.

Caução provisória: $150 000,00 (cento e cinquenta mil patacas), a prestar mediante depósito em dinheiro, garantia bancária ou seguro-caução aprovado nos termos legais.

9.

Caução definitiva: 5% do preço total da adjudicação (das importâncias que o adjudicatário tiver a receber, em cada um dos pagamentos parciais serão deduzidos 5% para garantia do contrato, em reforço da caução definitiva prestada).

10. Preço Base: não há. 11. Condições de admissão: serão admitidos como concorrentes as entidades inscritas na DSSOPT para execução de obras, bem como as que à data do concurso, tenham requerido a sua inscrição ou renovação. Neste último caso, a admissão é condicionada ao deferimento do pedido de inscrição ou renovação. 12. A sessão de esclarecimentos relativa à empreitada será realizada em 10 de Maio de 2018, quinta-feira, pelas 10,00 horas, no local da obra, sendo o local de encontro é na Rua do Dr. Pedro José Lobo, n.os 1-3, Edif. Banco Luso Internacional, 19.º andar, em Macau. 13. Local, dia e hora limite para entrega das propostas: - Local: Secção de Atendimento e Expediente Geral da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, n.º 33, R/C, Macau; - Dia e hora limite: dia 23 de Maio de 2018 (quarta-feira), até às 12:00 horas. Em caso de encerramento desta Direcção de Serviços por motivos de tufão ou de força maior, a data estabelecida para a entrega de propostas será adiada para o primeiro dia útil seguinte. 14. Local, dia e hora do acto público do concurso : - Local: sala de reunião da DSSOPT, 17.º andar; - Dia e hora: dia 24 de Maio de 2018 (quinta-feira), pelas 9:30 horas. Em caso de encerramento desta Direcção de Serviços por motivos de tufão ou de força maior, a data estabelecida para o acto público do concurso será adiada para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. Os concorrentes ou seus representantes deverão estar presentes ao acto público do concurso para os efeitos previstos no artigo 80.º do Decreto-Lei n.º 74/99/M, para esclarecimento de eventuais dúvidas relativas aos documentos apresentados no concurso. 15. Línguas a utilizar na redacção da proposta: - Os documentos que instruem a proposta são obrigatoriamente redigidos numa das línguas oficiais da R.A.E.M.. Caso os documentos acima referidos estiverem elaborados noutras línguas, deverão os mesmos ser acompanhados de tradução legalizada para língua oficial, e aquela tradução deverá ser válida para todos os efeitos (excepto a descrição ou a especificação de produtos). 16. Local e hora para cousulta e obtenção de cópias do processo: - Local para cousulta: Departamento de Edificações Públicas da DSSOPT, sito no 17.º andar; - Hora: dias úteis, das 9:00 às 12:45 horas e das 14:30 às 17:00 horas; - Obtenção de cópias: Na Secção de Contabilidade da DSSOPT, mediante o pagamento de $500,00 (quinhentas patacas). 17. Critérios de avaliação das propostas e respectivas proporções: Parte relativa ao preço Parte técnica

Critérios de avaliação Preço da obra Prazo de execução Programa de trabalhos Experiência em obras executadas Integridade

Proporção 11 2 3 2,6 1,4

Pontuação final = Pontuação da parte relativa ao preço x Pontuação da parte técnica. Em conformidade com o relatório de avaliação das propostas, os 3 concorrentes com pontuação final mais alta são ordenados por ordem crescente dos preços da obra e o dono da obra procederá à adjudicação com base na respectiva ordenação. 18. Esclarecimentos adicionais: - Os concorrentes poderão comparecer no Departamento de Edificações Públicas da DSSOPT, sito no 17.º andar, a partir de 9 de Maio de 2018 e até à data limite para a entrega das propostas, para tomarem conhecimento de eventuais esclarecimentos adicionais. Região Administrativa Especial de Macau, aos 24 de Abril de 2018. O Director de Serviços Li Canfeng


sociedade 9

quarta-feira 2.5.2018

Abril foi um mês de festa para o sector do jogo. Com uma média diária de 858 milhões de patacas no quarto mês do ano, o valor equiparou-se aos montantes diários registados em altura do Ano Novo Chinês e da Semana Dourada

A

S receitas brutas do jogo ultrapassaram pela terceira vez em quatro meses a barreira dos 25 mil milhões, durante o mês de Abril. Os números para o quarto mês do ano foram avançados ontem pela Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ) e cifram-se no 25,7 mil milhões de patacas. Este valor representa uma subida de 27,6 por cento face ao mês homólogo do ano passado, quando o montante foi de 20,2 mil milhões de patacas.

JOGO RECEITAS ULTRAPASSARAM OS 25 MIL MILHÕES DE PATACAS EM ABRIL

Sobe, sobe, balão sobe O crescimento homólogo do mês de Abril foi o segundo mais alto registando uma percentagem de 27,6 por cento. No entanto, o maior salto foi verificou-se em Janeiro, quando as receitas cresceram ao ritmo de 36,4 por cento, de 19,3 mil milhões para 26,3 mil milhões de patacas. Já em Março foi registada uma subida de 22,2 por cento e em Fevereiro o crescimento foi de 5,7 por cento. Ainda de acordo com os dados divulgados, entre Janeiro e Abril deste ano as receitas geradas pelos casinos do território foram de 102,2 mil milhões de patacas, o que represente um aumento de 22,2 por cento, em relação aos 83,6 milhões de patacas gerados no período homólogo do ano passado. Os dados revelados ontem permitem também perceber que as receitas do jogo crescem há 21 meses consecutivos, desde Agosto de 2016, depois da fase de quebra que começou em 2014.

ACIMA DAS EXPECTATIVAS

Os resultados publicados superaram as expectativas do analistas que, de acordo com

“O crescimento foi registado apesar do calendário ser desfavorável, por haver um sábado a menos do que em Abril do ano passado e pelo crescimento em 2017 ser de difícil comparação, porque as receitas já tinham aumentado 16 por cento em Abril do ano passado.” GRANT GOVERTSEN ANALISTA DA UNION GAMING

a Bloomberg, previam um crescimento ao ritmo de 20,5 por cento. Num relatório sobre o mercado do jogo de Macau, o analista da Union Gaming Grant Govertsen definiu o montante de Abril como “impressionante”. “O crescimento foi registado apesar do calendário ser desfavorável, por haver um sábado a menos do que em Abril do ano passado e pelo crescimento em 2017 ser de difícil comparação, porque as receitas

já tinham aumentado 16 por cento em Abril do ano passado”, escreveu Grant Govertsen. “Se fizermos uma análise das receitas diárias, o valor foi de 858 milhões em Abril, um valor impressionante, que está em linha com os montantes registados nas alturas dos feriados e épocas altas do jogo, como em Outubro (na Semana Dourada), com 859 milhões, e nos resultados combinados de Janeiro e Fevereiro (Altura do Ano

Novo Chinês) com valores de 857 milhões”, explica o analista. Segundo o analista, a subida está a beneficiar do crescimento tanto no segmento de massas, como dos grandes apostadores, conhecido como VIP, sendo que as operadoras Galaxy Entertainment e Sands China são vistas como as principais beneficiadas. Em causa está o facto destas duas concessionárias terem uma maior exposição tanto

ao mercado VIP, como de massas. No documento divulgado ontem, Grant Govertsen escreve ainda que a Union Gaming mantem as perspectivas de um crescimento anual na ordem dos 17 por cento. Também o analista Carlo Santarelli, da Deutsche Bank, num relatório sobre o mercado de Macau, se confessou “surpreendido” com o montante de Abril. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo

COMÉRCIO EXPORTAÇÕES AUMENTAM EM MARÇO, MAS DÉFICE COMERCIAL AGRAVA-SE

A

S exportações de Macau aumentaram 0,8 por cento no primeiro trimestre de 2018, em relação ao período homólogo de 2017, mas o défice da balança comercial local continua a aumentar devido ao crescimento das importações em 27,2 por cento. Segundo dados oficiais ontem divulgados pelos Serviços de Estatística e Censos do Go-

verno local, o défice da balança comercial alargou-se para 19,65 mil milhões de patacas. Macau exportou bens, entre Janeiro e Março, avaliados em 2,97 mil milhões de patacas, mais 0,8 por cento do que em Janeiro e Março de 2017. Apesar do crescimento das exportações globais de Macau, o défice da balança comercial local ampliou-se para 19,65 mil milhões

de patacas, fruto do forte aumento das importações em 27,2 por cento para 22,62 mil milhões de patacas. No mesmo período do ano passado, o défice da balança comercial era de 15,06 mil milhões de patacas, menos 4,59 mil milhões de patacas do que neste ano. O valor total do comércio externo de mercadorias até Março deste ano atingiu 25,59 mil milhões

de patacas, mais 23,4 por cento, em relação ao período homólogo anterior, de acordo com os dados divulgados pelo DSEC. As exportações para a China continental atingiram, no período em análise, 471 milhões de patacas, mais 15,2 por cento, face a idêntico período do ano passado. O valor das exportações para as nove províncias do Delta do

Rio das Pérolas, vizinhas de Macau, no sul do país, representou 97,4 por cento da totalidade das exportações para a China continental. Já as vendas para os Estados Unidos e a UE caíram 25,9 e 21,7 por cento, respectivamente, em termos anuais. As exportações para Hong Kong registaram uma descida de 1,1 por cento.


10 eventos

2.5.2018 quarta-feira

FAM DÓCI PAPIAÇÁM DI MACAU APRESENTAM

Comédia A nomeação de Macau como cidade criativa da gastronomia da UNESCO foi o mote para o grupo de teatro em patuá, liderado por Miguel de Senna Fernandes, abordar as situações cómicas que acontecem quando não se domina a essência da comida macaense. A suspensão do deputado Sulu Sou chegou a ser ponderada como material para sátira, mas a ideia foi abandonada por ficar “fora de contexto”

A

genuína gastronomia macaense continua a ser servida em poucos restaurantes de Macau, apesar do seu reconhecimento oficial pela UNESCO depois da nomeação do território como cidade criativa da gastronomia. Enquanto isso, proliferam restaurantes que se dizem de comida portuguesa ou macaense, mas que, na hora de olhar para o prato, deixam muito a desejar no que à veracidade do menu diz respeito.

SOFIA MARGARIDA MOTA

PUB

Foi a pensar nestes exemplos de falsa gastronomia macaense que o grupo de teatro em patuá Dóci Papiaçám di Macau decidiu partir para a peça “Qui di Tacho?” (Que é do Tacho?), que faz parte do programa do Festival de Artes de Macau (FAM) e que sobe ao palco nos dias 19 e 20 deste mês. “Recentemente, Macau foi nomeada cidade criativa da gastronomia pela UNESCO e este é um tema bastante forte, e naturalmente rica em

À VENDA NA LIVRARIA PORTUG ERA UMA VEZ EM GOA • Paulo Varela Gomes

Estamos em 1963, dois anos volvidos sobre a expulsão dos portuguese da Índia. Os territórios de Goa, Damão e Diu encontram-se sob o domíni ainda ambíguo do governo indiano, mas, nas ruas, o concacim e o inglê convivem a toda a hora com um sub-reptício português, os letreiros da lojas ainda mal apagados, a religião ecléctica com as marcas de Cristo os edifícios e a cultura no limbo de um colonialismo defunto. Graham um cidadão britânico que chega a Goa com escassos recursos e por meio pouco ortodoxos, antecipando-se às ondas hippies que encontrarão n Índia o reduto místico por excelência. Sistematicamente confundido com um perigoso infiltrado português, Graham terá de sofrer rocambolesco encontros, desencontros e aventuras até vislumbrar os sentidos possívei da complexa cultura goesa.


eventos 11

quarta-feira 2.5.2018

M “QUE É DO TACHO?”

a da mesa para o palco “importante é meter um pastel de nata e um galo de Barcelos à porta, e nem sabem porquê”. “Vamos brincar com uns determinados especialistas em gastronomia, uns entendidos que aparecem a dizer uns disparates”, frisou o director do grupo.

CASO SULU SOU ADIADO

situações de comédia. Aproveitamos para brincar um pouco com esse tema”, contou o director do grupo teatral Miguel de Senna Fernandes. A peça deverá abordar várias situações em que se confunde comida macaense com a portuguesa, além de conter outros elementos próprios de falsos restaurantes portugueses e macaenses em Macau. “Continuam a haver pessoas que não entendem muito bem o que é a gastronomia de Macau, há muita falta de infor-

GUESA

es io ês as o, é os na m os is

mação sobre este assunto. As pessoas confundem as coisas. Não percebemos porque é que aparece o galo de Barcelos em todo o lado e o pastel de nata se mistura com a comida macaense”, acrescentou Miguel de Senna Fernandes. A ideia não é fazer uma crítica, mas sim explicar ao público o que são os verdadeiros paladares macaenses, cujas receitas têm passado de geração em geração. “Quando falamos de gastronomia, convém chamar a atenção para

determinadas situações que as autoridades competentes confundem. O grande público não sabe o que é a gastronomia macaense, e confunde pratos tipicamente portugueses, por exemplo, e isso cria situações muito engraçadas.” A peça poderá ser vista no grande auditório do Centro Cultural de Macau (CCM) e promete fazer rábulas sobre situações em que as pessoas “não percebem nada de gastronomia e tentam fazer dinheiro à custa disto”, onde o

No ano em que celebra um quarto de século de existência, o grupo Dóci Papiaçám di Macau vai também apresentar em palco alguns vídeos e imagens com os momentos mais marcantes das muitas peças que já subiram ao palco. Além disso, haverá também lugar à abordagem de outros temas. Miguel de Senna Fernandes confessou ao HM que chegou a ser pensado fazer um vídeo sobre a suspensão do deputado Sulu Sou da Assembleia Legislativa (AL), mas a ideia foi afastada por estar “fora de contexto”. “A questão do deputado suspenso era uma coisa engraçada, mas ficava fora de contexto. Tínhamos uma rábula à volta disso, mas não fazia sentido e decidimos retirar. Não vamos agora forçar, e o nosso estilo merece que as coisas estejam dentro de contexto. Sem dúvida [para uma próxima peça]”, adiantou Miguel de Senna Fernandes. Os espectadores poderão contar ainda com “uma ou outra boca”, tal como tem sido habitual nas últimas décadas. “Este ano não houve grandes temas que mereçam um destaque especial na peça. Temos uma ou outra boca, as pessoas entendem, ou não. Este ano

RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

AS MULHERES E A GUERRA COLONIAL • Sofia Branco

Rezaram e fizeram promessas por eles. Escreveram-lhes centenas de aerogramas, adiando o amor, às vezes sem volta. Tornaram-se madrinhas de guerra de homens que nem sequer conheciam. Foram com eles para o território desconhecido de África, que amaram ou odiaram, ou resignaram-se a esperar por eles, com filhos nos braços. Voaram para os resgatar do mato, onde chegaram mesmo a morrer por eles, e organizaram-se, com maior ou menor cunho ideológico, para lhes aliviar a saudade, enquanto apoiavam as suas famílias. Mães, irmãs, filhas, amantes, companheiras, amigas, muitas mulheres viveram a guerra colonial como se também elas tivessem sido mobilizadas. Depois da guerra, também para elas nada foi como dantes.

não foi particularmente em temas bons para comédia.”

TEATRO SEM CENSURA

Miguel de Senna Fernandes adianta que o grupo não foi alvo de qualquer pressão, por parte do Instituto Cultural (IC), relativamente ao conteúdo da peça. Aliás, em 25 anos de existência, essas restrições nunca aconteceram, garante. “Nunca houve restrições e se calhar tem a ver com a nossa maneira de abordar as questões. Quando brincamos com coisas sérias fazemo-lo de maneira especial. Somos conhecidos por sermos críticos em relação aos assuntos da sociedade, temos a nossa maneira de criticar e as pessoas reconhecem e aceitem.” Um dos casos que mereceu mais atenção da parte do IC, por estar em causa imagens de violência, foi a abordagem por parte do grupo à actuação daAl-Qaeda e o seu líder, Bin Laden. “Foi um dos primeiros vídeos que fizemos, sobre o Bin Laden, e era um tema PUB

sensível, com as imagens dos reféns da Al-Qaeda. A notícia saiu logo nos jornais, não era para sair, e aí o IC pediu-nos se poderíamos reconsiderar. Mais tarde, num dos encontros da comunidade macaense, voltamos a pôr esse vídeo e não houve problemas.” Miguel de Senna Fernandes lembra, aliás, que “sempre houve encorajamento [da parte do IC] para abordar este ou aquele assunto. Nunca houve nenhuma imposição por parte do IC.” Este ano, a peça tem dois novos elementos, um deles ainda estudante. Miguel de Senna Fernandes salienta, aliás, que há muitos talentos na Escola Portuguesa de Macau (EPM) que gostaria de ver como membros do elenco do grupo Dóci Papiaçám di Macau. “Vamos ver no próximo ano o que vai acontecer, depois do espectáculo da EPM vimos que há muitos talentos e alguns já estão na minha mira. Não sei como os vou abordar, mas há muito potencial da EPM. Vão ter de passar por um processo de aprendizagem da língua, mas em palco tudo é possível de se fazer”, frisou. Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo


12 china

O

Gabinete da Presidência de Taiwan instou a China a "suspender de imediato" todas as acções que afectem negativamente as relações bilaterais e a paz e a estabilidade na região. Taiwan acusou a China de prejudicar "a paz e a estabilidade" da região, num momento em que na península coreana se procura a reconciliação através do diálogo, de acordo com um comunicado. Pequim está a aumentar a intimidação militar e a manipular a política de "uma só China" para obrigar Taipé a aceitá-la, e as suas acções "aumentaram as tensões no estreito de Taiwan", indicou a Presidência, o que na opinião das autoridades da ilha "não deve ser o comportamento de uma parte interessada responsável". Taipé disse que "lamenta profundamente" a decisão da República Dominicana de reconhecer a China, mas não cederá à ameaça ou à pressão de Pequim. "O Governo não cederá à pressão de Pequim, e fará tudo o que é possível para salvaguardar os interesses da nação, defender a soberania e a dignidade da República da China (Taiwan) e trabalhar com amigos da comunidade internacional para garantir a paz e a estabilidade regionais", segundo o comunicado. Deputados da oposição e peritos afirmaram que a pressão diplomática chinesa vai continuar até que a Presidente Tsai rejeite o "consenso de 1992", o que significa aceitar que a ilha é parte da China. "É de esperar que a China continue a conquistar aliados de Taiwan até que haja um sinal de mudança na posição da Presidente", disse a

2.5.2018 quarta-feira

TAIWAN TAIPÉ AFIRMA QUE NÃO VAI CEDER À PRESSÃO DE PEQUIM

Efeito dominó

A Presidente de Taiwan afirmou ontem, numa cerimónia militar, que a ilha não vai ceder “à pressão de Pequim”, na sequência do corte de relações diplomáticas entre Taipé e a República Dominicana professora do Instituto da América Latina da Universidade Tamkang, Elisa Wang. Outros especialistas consideraram que a China não vai lançar uma campanha para conquistar muitos dos 19 aliados diplomáticos de Taipé, mas poderá tentar que o Paraguai, ou outro país de maior importância económica ou estratégica, deixem de reconhecer Taiwan.

SEM EFEITO

Nas últimas semanas, Taipé entregou ajuda à República Dominicana no valor de 29 milhões de euros, dois helicópteros, 90 camiões militares e 100 motociclos, para consolidar os laços bilaterais, lembrou na edição de ontem o diário Jinji Ribao. Em conferência de imprensa, na manhã de ontem, em Taipé, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Joseph Wu, anunciou o fim das relações diplomáticas com a República Dominicana "para manter a dignidade nacional" e "a suspensão imediata de todos os projetos de cooperação e ajuda".

O ministro atribuiu a responsabilidade pela ruptura à China e às ofertas de "incentivos financeiros", promessas de investimento e ajuda ao país das Caraíbas, destinadas a levar ao corte diplomático com Taiwan. Em Pequim, o chefe da diplomacia da República Dominicana, Miguel Vargas, anunciou o fim das relações diplomáticas com Taiwan, em conferência de imprensa, na presença do homólogo chinês, Wang Yi. "Anunciamos à nação dominicana que decidimos estabelecer relações diplomáticas com a República Popular da China, com a convicção de que esta decisão será extraordinariamente positiva para o futuro do nosso país", declarou

o executivo, em comunicado. O acordo foi formalizado em Pequim, na segunda-feira, pelo ministro dos Negócios Estrangeiros dominicano, Miguel Vargas. Ao mesmo tempo, o consultor jurídico do Governo dominicano, Flavio Dario Espinal, fazia o mesmo anúncio no palácio da presidência, em Santo Domingo. Dario Espinal disse que o Governo dominicano apoiava, a partir de agora, o princípio de "uma só China", passando a reconhecer Taiwan como parte do país. "A República Dominicana reconhece que, no mundo, existe apenas uma única China e Taiwan é parte inalienável do território chinês", de acordo com o comunicado, que agra-

Pequim está a aumentar a intimidação militar e a manipular a política de “uma só China” para obrigar Taipé a aceitá-la, e as suas acções “aumentaram as tensões no estreito de Taiwan”, indicou a Presidência, o que na opinião das autoridades da ilha “não deve ser o comportamento de uma parte interessada responsável”

dece a Taipé a cooperação mantida ao longo dos anos e a realização de numerosos programas. Mas "a história e a realidade socioeconómica obrigam agora a uma mudança", indicou. "O Governo está confiante de que a nova situação resultante desta decisão será gerida da forma mais construtiva e mais harmoniosa possível", referiu o comunicado.

REACÇÃO EM CADEIA

Com esta ruptura, Taiwan mantém apenas 19 aliados, dez dos quais na América Latina e Caraíbas. Em Dezembro de 2016, São Tomé e Príncipe cortou as relações diplomáticas com Taipé e passou a reconhecer Pequim. Na mesma altura, o Presidente norte-americano, Donald Trump, decidiu dar protagonismo à ilha, com um telefonema a Tsai Ing-wen, o que agravou o relacionamento entre Pequim e Taipé. Depois da vitória de Tsai nas presidenciais, Pequim interrompeu as negociações e contactos oficiais com Taipé, enviou navios e aviões militares para zonas mais próximas da ilha Formosa, e tem procurado isolar o Governo de Tsai. O Vaticano, único Estado europeu com relações diplomáticas com Taiwan, está a negociar uma aproximação com Pequim, o que pode resultar numa mudança de apoio. O número de países que reconhecem Taiwan caiu consideravelmente nas últimas décadas, tendo permanecido estável apenas durante a governação de Ma Ying-jeou, nos últimos oito anos, quando as relações entre Pequim e Taipé entraram num período de desanuviamento sem precedentes.


região 13

quarta-feira 2.5.2018

O Presidente do Brasil, Michel Temer, cancelou pela segunda vez uma deslocação oficial que estava programada para Maio a vários países do sudeste asiático

BRASIL MICHEL TEMER CANCELA PELA SEGUNDA VEZ UMA DESLOCAÇÃO OFICIAL À ÁSIA

Quem não deve, não teme sancionado pelo Presidente para o sector dos portos beneficiou a empresa Rodrimar e se a mesma empresa pagou suborno para o partido de Temer, o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), mudar esta lei.

M

ICHEL Temer tinha previsto visitar, entre os dias 7 a 14 de Maio, Singapura, Tailândia, Indonésia e Vietname. A primeira viagem, que chegou a estar prevista para Janeiro, foi cancelada porque o chefe de Estado brasileiro enfrentava problemas de saúde. Michel Temer, de 77 anos, havia sido hospitalizado um mês antes para corrigir um problema urinário após fazer uma cirurgia à próstata e uma angioplastia em três artérias coronárias. Desta vez, fontes do Palácio do Planalto alegaram que o Presidente precisou de adiar a deslocação porque nas próximas semanas vai "concentrar-se" na "agenda legislativa" do país. As mesmas fontes acrescentaram que a viagem será feita mais tarde, mas, por enquanto, não há uma data definida. A decisão de cancelar pela segunda vez uma deslocação ao sudeste asiático coincide com o aparecimento de novas informações sobre uma investigação

O jornal Folha de São Paulo publicou na passada sexta-feira que há suspeitas de que Michel Temer branqueava dinheiro de suborno através da compra de bens adquiridos em nome da mulher e do filho, de 9 anos

contra o chefe de Estado brasileiro. O jornal Folha de São Paulo publicou na passada sexta-feira que há suspeitas de que Michel Temer branqueava dinheiro de suborno através da compra de bens

adquiridos em nome da mulher e do filho, de 9 anos.

DINHEIRO BRANCO

Perante esta notícia, o Presidente fez uma declaração à imprensa

em que protestou contra a investigação, que classificou de "mentiras" que afectaram a sua honra e a da família. Actualmente, a Polícia Federal do Brasil está a investigar se um decreto

A abertura da investigação contra Michel Temer foi autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em Setembro de 2017 a pedido do antigo procurador-geral do Brasil Rodrigo Janot, que acusou o Presidente de actos de corrupção em duas ocasiões. Em ambas as ocasiões o Congresso, responsável por decidir se deve ou não abrir um julgamento contra um Presidente com mandato em exercício, rejeitou as acusações impedindo a abertura dos processos contra Michel Temer.

ONU Coreia do Sul pede supervisão do fecho de base nuclear da Coreia do Norte

Sondagem Maioria dos sul-coreanos acredita na desnuclearização

Diplomacia Ministro chinês visita hoje Coreia do Norte

O

M

O

Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, pediu ontem às Nações Unidas que supervisionem o encerramento da base de ensaios nucleares da Coreia do Norte previsto para este mês. Segundo fonte da presidência sul-coreana citada pelas agências internacionais de notícias, numa conversa telefónica com o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, Moon solicitou que a ONU (Organização das Nações Unidas) participe enquanto observadora para verificar o compromisso da Coreia do Norte para a desnuclearização. Pyongyang comprometeu-

-se a encerrar de forma definitiva a base em que realizou testes nucleares, depois de os dois países terem chegado a acordo sobre a “completa desnuclearização” da península durante uma cimeira entre o presidente sul-coreano e o líder da Coreia do Norte, Kim Jon-un. De acordo com informações transmitidas pela presidência da Coreia do Sul durante o passado fim-de-semana, a Coreia do Norte vai proceder ao encerramento da base de ensaios nucleares com a presença de observadores internacionais e de jornalistas.

AIS de 60 por cento dos sul-coreanos confia nas intenções da Coreia do Norte sobre a desnuclearização, depois da histórica cimeira intercoreana realizada na sexta-feira, de acordo com uma sondagem publicada por uma agência de notícias. O inquérito publicado pela agência noticiosa sul-coreana Yonhap, realizado no mesmo dia do encontro histórico entre os líderes das duas Coreias, mostrou que 64,7 por cento dos entrevistados acreditam nas intenções de Pyongyang em desnuclearizar o território e alcançar a paz na península. Em contrapartida, 28,3 por cento dos inquiridos dis-

seram não confiar no regime norte-coreano, enquanto 7 por cento não têm certezas, de acordo com as respostas de 500 pessoas que responderam ao inquérito. De acordo com o mesmo estudo, mais de metade dos inquiridos (52 por cento) admitiu ter mudado de opinião sobre a Coreia do Norte, ao passo que 26,2 por cento recusou confiar no "regime estalinista". Uma outra pesquisa, agora divulgada, mostrou uma aprovação recorde de 85,7 por cento do Presidente da Coreia do Sul.

ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, Wang Yi, está de visita à Coreia do Norte hoje e amanhã, anunciou hoje o Ministério. A visita de Wang realiza-se na sequência de um convite do homólogo norte-coreano, de acordo com um comunicado. É a primeira vez desde 2007 que um chefe da diplomacia chinesa é convidado a entrar no território. Na sexta-feira, a China elogiou os "resultados positivos" alcançados na cimeira presidencial entre o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e o Presidente da Coreia

do Sul, Moon Jae-in para promover a paz e a cooperação na península coreana, indicou a agência oficial Xinhua. Pequim, principal apoio diplomático e económico da Coreia do Norte, opôs-se firmemente aos ensaios nucleares de Pyongyang e aplicou, no ano passado, as sanções económicas decididas pela ONU contra o país. No domingo, a Coreia do Norte anunciou o encerramento do centro de testes nucleares, em Maio, aplicando o acordo firmado durante a reunião histórica entre Kim e Moon.


14

h

2.5.2018 quarta-feira

Os erros são os portais da descoberta

Michel Reis

A Poesia Completa de Li He

南園十三首 (第 三 部 分 ) 邊 讓 今 朝 憶 蔡 邕,無心裁曲臥春風。    舍 南 有 竹 堪 書 字,老去溪頭作釣翁。  長 巒 谷 口 倚 嵇 家,白晝千峰老翠華。    自 履 藤 鞋 收 石 蜜,手牽苔絮長蓴花。  松 溪 黑 水 新 龍 卵,桂洞生硝舊馬牙。    誰 遣 虞 卿 裁 道 帔,輕綃一匹染朝霞。 小 樹 開 朝 徑 , 長茸濕夜煙。    柳 花 驚 雪 浦 , 麥雨漲溪田。    古 剎 疏 鐘 度 , 遙嵐破月懸。    沙 頭 敲 石 火 , 燒竹照漁船。 

Treze Poemas do Meu Jardim Meridional (Parte III) 10 Esta manhã Biang Rang pensava Em Cai Yong,1 Deitado na brisa de primavera, Sem alento para cantar. A sul de minha casa crescem bambus Para placas de escrita. Quando for velho, vou para montante viver Como um antigo pescador. 11 A casa de Xi fica perto de um pequeno cume, Junto à entrada de um vale. Sob o sol branco, mil montanhas Do mais escuro verde. Deambulando em sandálias de cana, Colhendo mel de pedras, Arranco mechas de musgo De longas plantas d’água.

12 Águas negras do Córrego do Pinheiro Dão frescos ovos de dragão.2

A Caverna de Cassia dá sulfato – 3 Velhos dentes de cavalo.4 Quem fez túnicas taoistas Para este Yu Qing,5 A partir de seda leve Tingida com névoas rosa de aurora? 13 Sob pequenas árvores um caminho se abre na aurora, Erva longa e espessa ensopada de névoa nocturna. O amento de salgueiro espanta as margens nevadas, Chuvas de trigo inundam os campos junto ao córrego! Ocasional tanger de um sino do velho mosteiro, Distantes nuvens de tormenta penduradas numa lua estilhaçada. Acendo um fogo na margem arenosa, chispando pedras – Bambu ardente acende-se no barco do pescador.

1

2 3 4 5

Biang Rang (séculos II e III) foi um jovem brilhante promovido a um cargo elevado ainda na juventude, graças ao apoio de Cai Yong (133-92), um notável poeta e escritor da dinastia Han Tardia. O Córrego do Pinheiro e a Caverna de Cássia eram locais em Chang-gu. Nome para o sulfato de sódio purificado. Referência ao poeta Xi Kang (223-62). Yu Qing (período dos Estados Combatentes), escreveu o Yu-shi Chun-qiu enquanto vivia na mais profunda miséria.

Tradução de Rui Cascais • Ilustração de Rui Rasquinho Li He (790 a 816) nasceu em Fu-chang durante a Dinastia Tang, pertencendo a um ramo menor da casa imperial. A sua morte prematura aos vinte e sete anos, a par da escassez de pormenores biográficos, deixam-nos apenas com uma espécie de fantasma literário. A Nova História dos Tang (Xin Tang shu) diz-nos que He “nunca escrevia poemas sobre um tópico específico, forçando os seus versos a conformarem-se ao tema, como era prática de outros poetas [...] Tudo quanto escrevia era inquietantemente extraordinário, quebrando com a tradição literária.” Segundo um crítico da Dinastia Song, o alucinátorio idioma poético de Li He é a “linguagem de um imortal demoníaco.” A versão inglesa de referência aqui usada é a tradução clássica da autoria de J.D. Frodsham, intitulada Goddesses, Ghosts, and Demons, publicada em São Francisco, em 1983, pela North Point Press.


ARTES, LETRAS E IDEIAS 15

quarta-feira 2.5.2018

Cidade ecrã Rui Filipe Torres

250 filmes de Todos os géneros num festival

ABERTURA OFICIAL DO 15º FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DE LISBOA

Carlos Ramos, Miguel Valverde, Nuno Sena, apresentam a 15 edição como “continuar a fazer do IndieLisboa uma grande festa à volta de um cinema permanentemente aberto à descoberta formal, à singularidade autoral e às convulsões do mundo contemporâneo.” Afirmam que a programação aposta numa selecção que promove o encontro entre nomes consagrados do cinema de autor mundial e novos cineastas. A característica mais distintiva do festival é a mistura, a hibridez de géneros, e duração. No cartaz estão curtas e longas. A secção do Herói Independente é, como sempre, incontornável. Este ano faz-se com o cinema de Jacques Rozier , nome da vanguarda da modernidade cinematográfica europeia desse tempo de mudança conhecido como “nouvelle vague”. Jacques Rozier é um dos mais desconhecidos cineastas desse movimento. A sua obra vai poder ser descoberta ou revisitada numa das mais completas retrospectivas fora de França, nas salas da Cinemateca Portuguesa. O segundo herói nesta edição, chega da Argentina e tem nome e corpo de mulher, é a cineasta Lucrecia Martel. Vai ter uma retrospectiva alargada da sua obra, desde a curta até ao filme Zama. Martel vai estar no Festival e fazer uma MasterClass onde partilhará a sua visão do cinema. A longa metragem de André Gil Mata, ARVORE, foi título escolhido para a cerimónia de abertura do festival do realizado. O filme chega ao ecrã do cinema S. Jorge depois de ter estreado na Berlinale Forum.

Uma SOLIDÃO PÓS-UTERO. O filme tem uma belíssima fotografia assinada pelo João Ribeiro, o trabalho de som é do António Figueiredo e a montagem do Tomás Baltazar. O filme é um claríssimo tributo ao cinema de Bela Tárr e também do soviético André Tarkovsky. Retoma a ancestral estrutura de todas as tradições das literaturas orais e escritas nas histórias dos povos do mundo, em que estão presentes a iniciação, a demanda do herói e o regresso. O cinema desde sempre se apropriou das estruturas narrativas presentes na literatura e da tradição iconográfica e pictórica e aqui, no filme de André Gil Mata querendo e procurando uma ideia radical de cinema, é essa tradição oral e pictórica que o filme sobretudo afirma. Aqui temos um infante que olha o mundo através da janela perto da proteção da mãe. O homem que sobe o rio carregado de garrafas vazias para encher na fonte da água inicial. O encontro do homem com o infante e o regresso à fala da mãe, esse lugar único e protetor no mundo gélido e lunar do habitar humano, ainda mais quando a memória da guerra e o e a neve do inverno se instala. A infância, esse lugar primeiro da singularidade do humano, é sobretudo a marca de um tempo onde o calor da casa e o quente e protetor afecto da mãe protegem do exterior. O bafo quente contra o vidro embaciado da janela, olhar a neve e frio perto do calor do fogão da movimentação da mãe. Há depois um tempo de confronto com o mundo sempre hostil, é preciso esforço sacrificial na procura da água da fonte não poluída e a metáfora instalasse por um tempo largo. Um homem caminha na terra coberta de neve e sobre com o esforço dos braços que remam o pequeno barco as águas do milenar rio que atravessa Sarajevo na direção da fonte da água limpa onde possa encher as garrafas vazias. É necessário lembrar que Saravejo é/foi recentemente na história da europa esse lugar da humilhação e do horror sangue e dólares sempre presentes nas no tabuleiro do poder do geopolítico. Fantasmas, que são afinal o que resulta desta vontade de acumulação e fixação do animal homem, ainda que efémera no habitar do tempo. Em Saravejo é um rio que assiste e lava a dolorosa memória, na atualidade na Síria são areias e pó de cimento e em muitas outras geografias muros electrificados de arame farpado, o horror, tal como a beleza, é universal.

É por isso que crescer é também este confronto com o horror, e que a criança inicial foge do homem adulto que regressa da fonte e olhado da sua perspectiva como o fascista. Crescer é difícil, e os perigos são muitos. Mas crescer é alimentar a curiosidade, dar respostas ao deslumbramento perante o espanto e a natureza do mundo. O Homem diz-lhe que sabe um segredo, é quanto basta para apaziguar os medos da cabeça do infante. Um segredo que passa por esse lugar inicial do amor da mãe como talvez o único lugar capaz da proteção e conforto perante o mundo, o mundo natural e o mundo humano. Estamos num cinema que trabalha a materialidade, as marcas do tempo impressas no corpo das coisas, um cinema tempo de compridos travellings, e planos sequência, do escuro e da luz, da procura da revelação. Uma obra que retoma linhas e posicionamentos formais dos grandes mestres Tarkovsky e Bela Tárr. Aliás André Gil Mata, que é Mestre em Dramaturgia e Realização pela Escola Superior de Teatro e Cinema teve uma passagem na film. factory, escola dirigida por Bella Tárr.

MACAU NO INDIE 2018

Uma curta e uma longa, o programa foi organizado para mostrar a diversidade géneros produzidos no território. BETWEEN THE LIES de Lou Ka Choi, Leong Kin. Animação. ILLE GALIST de Penny Lam Ficção , 26 minutos , preto e branco O primeiro filme de ficção da Penny Lam , tem como tema a imigração do continente, um para trabalhar nas obras e uma nas atividades comerciais do sexo. Mas nada é propriamente fácil. PASS ON , de Benz Wong Documentário que trabalha a educação no núcleo família e como pode a educação em casa influenciar o mundo. THE LAST ROAR OF A MOTHER BEAR de Marble Leong e Zachary Fong , 80 minutos, ficção. Dois homicídios com onze anos de distância afectam profundamente dois estranhos. Ele levou um tiro na cabeça e desenvolveu uma perturbação de Identidade Dissociativa que não conhecia. Ela foi mentalmente ferida e a sua retaliação é a única coisa que a faz, perigosamente, continuar.

MY MACAU Filme performance de António Pedro

Cine-performance epistolar, entre o passado e o presente. Num registo autobiográfico, um homem partilha cartas, imagens e sons que trouxe de Macau, onde viveu. Um português longe de casa mas a sentir-se em casa no meio da China. “... a cleverly-imagined, impressionistic, well-executed and ultimately touching show.” (Peter Gordon/Asian Review of Books) Este filme - performance teve a sua primeira exibição no território de Macau, surge aliás de um convite The Script Road - Festival Literário de Macau.

António Pedro coloca no ecrã textos selecionados a partir das 194 cartas que recebeu quando viveu em Macau. Das 194 restaram 21. António Pedro tinha em 1994, 24 anos, a questão mais central que se lhe colocava e que queria dar resposta era “ O que quero fazer com a minha vida, o que não quero fazer” António Pedro coloca no ecrã textos selecionados a partir das 194 cartas que recebeu quando viveu em Macau. Das 194 restaram 21. António Pedro tinha em 1994, 24 anos, a questão mais central que se lhe colocava e que queria dar resposta era “ O que quero fazer com a minha vida, o que não quero fazer”. Um trabalho entre o passado e futuro com imagens captadas em diferentes suportes lidas e musicadas pelo próprio . Concepção e direção artística António-Pedro Apoios The Script Road - Festival Literário de Macau ,DGArtes, Fundação GDA, Fundação Oriente, Bazar do Vídeo, Câmara Municipal de Lisboa


16 desporto

TAÇA AFC BENFICA DE MACAU PROCURA REGRESSAR ÀS VITÓRIAS EM TAIWAN

Uma questão de honra

“As baixas fazem com que tenhamos de adaptar jogadores a posições em que não estão habituados a jogar. Por isso, será uma partida que vai exigir um grande espírito de sacrifício dos atletas.”

FACEBOOK

As águias vão à Ilha Formosa procurar mais uma vitória para se manterem no luta pelo segundo lugar do Grupo I da Taça AFC. Em declarações ao HM, Bernardo Tavares admite que a equipa vai ter pela frente um desafio muito difícil

2.5.2018 quarta-feira

O

Benfica de Macau está em Taiwan e defronta esta tarde, pelas 19h, o Hang Yuen, no quinto jogo do Grupo I da Taça AFC. Ao HM, o treinador Bernardo Tavares previu uma tarefa muito difícil para as águias, mas garante que a motivação dos atletas está em alta, apesar das duas derrotas seguidas frente ao 25 de Abril, por 8-0 e 2-0. “A atitude da equipa tem sido fantástica e a motivação está nos 200 por cento. Até os jogadores que estão lesionados querem ir para o relvado e participar nos encontros para a Taça AFC. O esforço do atletas tem sido inexcedível”, afirmou o treinador das águias. No primeiro jogo oficial do Benfica de Macau na Taça AFC, a formação local conseguiu ganhar em Macau diante da equipa de Taiwan por 3-2, após ter estado a perder por 2-0. No entanto, Bernardo Tavares espera agora uma tarefa mais complicada, até porque o Hang Yuen já começou a participação na Liga da Ilha Formosa. “Vai ser um jogo mais difícil. Apesar de termos vencido por 3-2 em Macau, esta equipa já começou o campeonato e tem um entrosamento maior. Também estão melhor fisicamente e isso ficou demonstrado pelo último jogo, em

BERNARDO TAVARES TREINADOR DO BENFICA

que só perderam por 1-0, diante do Hwaepul”, explicou. “É uma equipa muito agressiva que tem jogadores muito físicos como Lin Shih-Kai e Chen Ching-Hsuan. Também no meio-campo têm o Jean-Marc Alexandre, um jogador possante e com experiência da liga norte-americana”, acrescentou o técnico sobre os pontos fortes do Hang Yuen.

MENOS DE 72 HORAS

Por outro lado, Bernardo Tavares reconheceu que a tarefa das águias é mais complicada pelo facto da equipa ter tido menos de 72 horas de descanso, após o último encontro para a Liga de Elite. Este foi um jogo em que os encarnados derrotaram o Ka I por expressivos 8-2.

Benfica Rui Gomes da Silva admite candidatura caso haja eleições antecipadas

O antigo vice-presidente do Benfica Rui Gomes da Silva admitiu candidatar-se à presidência do clube, caso haja eleições antecipadas, durante o programa Dia Seguinte, da SIC Notícias. "Se houver eleições, admito a possibilidade de me candidatar. Não sou opositor de Luís Filipe Vieira, mas rompi com as pessoas que lá estão e, quando vou a eleições, vou para ganhar. Estou farto, assumo que estou farto. Este ano, o Benfica devia ter percebido que era um campeonato em que ia ser atacado e nunca vi nenhum membro da estrutura a vir dar a cara. O Benfica perde o campeonato por culpa própria", disse o ex-dirigente. As declarações de Rui Gomes da Silva surgem dois dias depois de o Benfica ter perdido em casa com o Tondela por 3-2, jogo que ditou praticamente o afastamento dos 'encarnados' na corrida pelo 'penta', ficando a cinco pontos do FC Porto, quando faltam apenas duas jornadas para o fim campeonato.

Ao mesmo tempo, o Benfica tem vários jogadores em dúvida, como Cuco, Edgar Teixeira, David Tetteh, Lei Chi Kin e Nicholas Torrão. Confirmadas estão as ausências de Vítor Almeida, Filipe Duarte, por lesões, e Gilchrist Nguema, suspenso por acumulação de amarelos. “As baixas fazem com que tenhamos de adaptar jogadores a posições

em que não estão habituados a jogar. Por isso, será uma partida que vai exigir um grande espírito de sacrifício dos atletas. Também tivemos um descanso inferior a 72 horas com viagens pelo menos, após o último jogo e poderá haver cansaço. Não serve como desculpa, mas é uma situação nova com que temos de lidar”, disse o treinador do Benfica.

Bernardo Tavares faz ainda um balanço positivo da participação na competição, mesmo que os resultados no jogo de hoje e depois frente ao Hwaepul, a 16 de Maio, não sejam os que a equipa deseje. “Se olharmos para o que se passou nos dois jogos que ganhámos e para o resultados em si, acho que as pessoas em Macau e o Futebol de Macau têm de estar orgulhosos com o que se conseguiu fazer”, considerou. No outro encontro do grupo, o Hwaepul recebe o já apurado 25 de Abril, às 14h de Macau. As águias e a formação do Hwaepul estão neste momento a lutar pelo segundo lugar do grupo. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo

GRUPO I Posição

Equipa

Jogos

Pontos

Vitórias

Empates

Derrotas

Golos

1.º

25 de Abril

4

12

4

0

0

15-1

2.º

Benfica de Macau

4

6

2

0

2

6-14

3.º

Hwaepul

4

6

2

0

2

9-5

4.º

Hang Yuen

4

0

0

0

4

4-15

MUNDIAL 2018 ESTUDO APONTA PORTUGAL COMO NONO FAVORITO

O

Observatório do Futebol (CIES) realizou um estudo que mostra Portugal como a nona selecção favorita a vencer o Mundial2018. A Espanha é a principal candidata, à frente de Brasil e França. A selecção campeã da Europa e quarta no ‘ranking’ da FIFA surge na nona posição desta lista, liderada pela Espanha, primeira adversária da

equipa das ‘quinas’, em 15 de Junho, em Sochi. De acordo com este estudo, o Brasil surge como segundo favorito, à frente de França, Alemanha, Inglaterra, Bélgica, Argentina e Croácia, enquanto a Suíça, adversária de Portugal na qualificação, surge no 10.º posto. Para este estudo foi utilizado um índice de ‘poder’ que combina a per-

centagem média de jogos do campeonato disputados desde 1 de Julho de 2017 pelos 23 jogadores mais utilizados por cada selecção durante a campanha de qualificação com o nível desportivo médio dos clubes que os utiliza. Marrocos, adversário dos lusos em 20 de Junho, em Moscovo, é 19.º, enquanto o Irão de Carlos Queiroz, que os portugue-

ses defrontam em 25 de Junho, em Saransk, é 29.º e antepenúltimo, apenas à frente de Arábia Saudita e Panamá. Segundo o Centro Internacional para o Estudo do Desporto (CIES), sedeado em Neuchatel, na Suíça, a Rússia, país anfitrião, é o 14.º favorito.


1 2 7 2 (f)utilidades 17 1 9 74 7 63 6 5 8 2 6 3 2 5 9 4 7 15 1 7 23 2 6 4 9 8 4 9 6 1 87 38 3 2 5 1 5 4 6 8 7 9 85 8 42 4 1 9 7 36 3 2 8 43 54 5 9 17 61 6 9 8 7 3 2 1 4 37 3 6 2 5 18 1 94 9 4 7M3A8X 33 05 6H U9M 7 0 - 9 82%84 •58 E 75U R7O 1 99. 6 93 6B A H T 0 . 8 T E M P O P O U C O N U B L A D O 1 M I1N 22 4 2 5 1 Y9U A2N 6 1 5 . 2 83 8 3 5 6 9 4 71 27 2 3 4 6 1 7 8 2 16 51 35 93 9 4 72 7 8 7 96 9 2 1 5 48 4 3 9 37 83 8 26 2 4 5 1 2 7 5 4 3 9 1 VIDA DE CÃO 8 5 1 6 2 7 93 9 4 7 2 1 8 4 6 5 6 76 7 58 5 4 2 39 3 1 O QUE FAZER 4 6 3 9 5 2 8 49 24 2 8 3 61 6 5 7 4 4 72 7 9 8 3 6 51 5 ESTA SEMANA TÁXIS, ESSA 3 5 91 9 76 7 2 8 4 3 6 9 1 4 85 28 2 7 5 9 8 7 1 3 6 SELVAJARIA Diariamente MULHERES ARTISTAS - 1ª BIENAL INTERNACIONAL DE MACAU MAM | Até 13/5 3 4 3 4 9 os turistas chineses expeEm Portugal, rimentam a comida, tiram selfies ao sol, EXPOSIÇÃO DE DESIGN “HOJE, ESTILO SUÍÇO” 3 3 6 9 8 27 2 45 4 1 7 5 3 1 64 26 2 8 9 8 em6táxis9decentes. 2 4 ouvem o1 fado3 e andam Galeria Tap Seac | Até 17/06 Em Macau, 5 85 8 2 4 6 1 7 3 9 1 41 4 32 3 8 59 5 6 7 9 os6turistas 5 chineses 7 8fazem 4 isto2 tudo, à excepção da compra irracional de EXPOSIÇÃO “THE DINOSAUR HUNT” 71 47 4 3 59 5 26 2 8 6 98 9 27 2 5 1 4 3 7 4e dos 1 táxis. 5 3 6 produtos2de higiene Estudio City Macau Em Macau é impossível descrever o com5 15 41 4 9 7 8 6 3 2 7 3 6 12 1 84 8 59 5 5 9 7 8 6 1 3 portamento dos taxistas, tendo em conta os atropelos 8 2 75 7 3 9 4 1 6 3 76 7 2 5 1 94 89 8 6 diário 2 à1lei, às3regras 4 mínimas 5 7 de boa educação e ao civismo. Regressar 2 9 8 36 43 4 7 1 5 4 ou8até mesmo 3 2da China 7 9onde1 94 19 1 6 5 38 3 7 2 da Europa, os taxistas 8 têm1 um2serviço 9 adequado, 3 7 e5 6 56 35 3 1 2 7 9 48 4 8 8 57 45 4 1 3 9 62 6 chegar a Macau é ter a sensação de que se 9 1 8 45 4 3 2 76 7 5 6 sem4regras, 1 a8roçar9 9 9 2 1 8 6 7 3 45 4 chega a 3 um território a selvajaria e o total desgoverno. 2 4 97 89 8 6 1 5 3 4 3 56 5 29 2 8 17 1 7 4 9 5 2 6 8 Inicialmente, quando estava há pouco 1

quarta-feira 2.5.2018

?

DE

5

9

Cineteatro

C I N E M A

9 3 7 4 26 12 5 96 8 8 7 3 1 2 5 4 4 68 1 9

5 2 7 48 4 61 8 19 61 6 5 2 1 4 5 83 8 9 9 8 14 1 37 3 4 3 92 19 61 56 2 5 76 7 9 4 7 31 3 64 86 98 6 7 9 2 3 5 3 86 58 5 2 47

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 5

UMA SÉRIE HOJE

AVENGERS: INFINITY WAR SALA 1

AVENGERS: INFINITY WAR [B] Um filme de: Anthony Russo, Joe Russo Com: Robert Downey Jr., Chris Evans, Chris Hemsworth 18.00, 21.00 SALA 2

TOMORROW IS ANOTHER DAY [C] FALADO EM CANTONÊS COM LEGENDAS EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Chan Tai-Lee Com: Teresa Mo, Ling Man Lung, Rau Liu, Bonnie Xian 19.45

AVENGERS: INFINITY WAR [B] Um filme de: Anthony Russo, Joe Russo

Com: Robert Downey Jr., Chris Evans, Chris Hemsworth 14.15, 17.00

6 3 7 2 5 8 9 1 4

6 5 8 6 2 4 4 3 3 81 9 9 7

6

PROBLEMA 6

3 79 1 6 5 7 8 34 52

2 7 4 8 1 9 6 13 65

47 2 39 3 68 25 4 1 6

64 1 3 9 6 42 5 7 8

6 5 58 71 7 4 93 2 9

1 4 75 57 2 8 9 6 3

89 36 27 5 3 1 72 8 4

8 3 2 4 9 6 7 5 1

S U D O K U

5O CARTOON STEPH

tempo em Macau, achei que a recusa de passageiros visava apenas os estrangeiros. Depressa percebi que não – calha a todos. Há dias o deputado Vong Hin Fai, presidente da comissão da Assembleia Legislativa que analisa a nova lei dos táxis, disse que o diploma vai novamente a consulta pública por terem ocorrido, nos últimos três anos, mudanças económicas e sociais. Tem toda a razão. A única coisa que não mudou foi o calibre da educação dos taxistas que operam em Macau. Nenhuma lei vai mudar isso. Para quem trabalham estes táxis? Qual a lei que os regula, afinal? Quantos governantes já andaram de táxi neste pequeno território? De que servem as suas retóricas sobre o tema? Andreia Sofia Silva

11 2 7 1 4 8 3 6 5 9

5 8 3 6 7 9 2 1 4

6 4 9 2 5 1 8 7 3

7 2 4 1 6 5 3 9 8

9 1 5 3 4 8 7 6 2

8 3 6 9 2 7 5 4 1

1 9 8 7 3 6 4 2 5

THE IT CROWD | GRAHAM LINEHAN | 2006-2013

O estereótipo do maluquinho por informática e tecnologia é o busílis nesta série britânica, de autoria do irlandês Graham Linehan. Dois colegas de trabalho partilham um escritório minúsculo e desorganizado na cave de uma empresa, até que chega uma colega para desempenhar o cargo de gestora de relações com o cliente. As muitas horas livres que passam leva-os a passar pelas situações mais inesperadas e hilariantes. Andreia Sofia Silva

SECRET SUPERSTAR [B] FALADO EM HINDI COM LEGENDAS EM CHINÊS E INGLÊS Filme de: Advait Chandan Com: Aamir Khan, Zaira Wasim 21.30 SALA 3

RAMPAGE [C] Um filme de: Brad Peyton Com: Dwayne Johnson, Naomie Harris, Malin Akerman, Jake Lacy 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

www. hojemacau. com.mo

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; Diana do Mar, João Santos Filipe; Sofia Margarida Mota; Vitor Ng Colaboradores Amélia Vieira; Anabela Canas; António Cabrita; António Castro Caeiro; António Falcão; Gonçalo Lobo Pinheiro; João Paulo Cotrim; José Drummond; José Simões Morais; Manuel Afonso Costa; Michel Reis; Miguel Martins; Paulo José Miranda; Paulo Maia e Carmo; Rui Cascais; Rui Filipe Torres; Sérgio Fonseca; Valério Romão Colunistas António Conceição Júnior; David Chan; Fa Seong; Jorge Morbey; Jorge Rodrigues Simão; Leocardo; Paul Chan Wai Chi; Paula Bicho; Tânia dos Santos Cartoonista Steph Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo

1 3 6 4 5 8 9 7 2

8 2 5 7 9 6 3 1 4

7 1 9 4 8 5 6 2 3

5 3 8 2 9 6 4 7 1

4 5 7 8 1 2 9 3 6

3 6 2 5 9 4 1 8 7


18 ócios/negócios

2.5.2018 quarta-feira

OLD TOWN VINTAGE, LOJA DE ROUPA COM TRAÇOS CLÁSSICOS

Regresso ao passado Na Rua Manuel Arriaga há uma loja de roupa que transporta os clientes às décadas de 20, 30, 40, 50 e 60 do século passado. No interior da Old Town Vintage, enquanto as pessoas escolhem os vestidos que mais gostam, podem disfrutar dos ritmos das músicas da época

completamente viciada em artigos vintage e utilizo artigos deste género sempre que posso”, admitiu. Formada em Estudos Ingleses, pela Universidade de Macau, foi ainda durante os seus tempos de estudante universitária que deu aquele que considerou o principal passo para a abertura deste negócio. O momento marcante foi uma viagem a Londres, em que aproveitou para visitar tantas lojas do género quanto possível. “Quando ainda estava na universidade aproveitei para ir a Londres. Nessa visita fui a muitas lojas vintage com a preocupação de estudar o mercado e compreender que tipos de produtos oferecem e como se organizam. Depois disso, avancei para a abertura deste negócio”, explicou. Mas se hoje o estilo retro poderá ter mais popularidade, a proprietária reconhece que esta situação ainda não se verificava em 2014. O facto de ainda não haver um mercado deste género, exigiu algum trabalho extra. “Honestamente, quando abri a loja ainda não havia muita gente interessada neste estilo e o conhecimento não era muito. No início, foi preciso informar muito bem as pessoas sobre este estilo e explicar as tendência”, recorda. “Havia muito a ideia errada de que as roupas vintage eram todas em segunda mão e isso não corresponde à verdade”, acrescentou.

AJUDA DE DI CAPRIO

A

BERTA em 2014, a loja Old Town Vintage foi o concretizar de um sonho de criança para Clara Yung. Neste espaço, a proprietária concilia a ambição de ter onde vender artigos de roupa com o desejo de estar rodeada pelo seu estilo favorito: o vintage. Esta é uma tendência que se caracteriza por apresentar traços clássicos e antigos e peças feitas nas décadas de 20, 30, 40, 50 e 60 do século XX. “Abri a loja em 2014, foi o concretizar de um sonho de infância. Quando as meninas são crianças, todas têm aqueles sonhos, algumas querem ser cantoras, outras modelos, coisas deste género. O meu sonho era abrir uma loja e vender roupa, que é uma coisa que adoro”, contou Clara Yung, ao HM. “Em 2014 concretizei esse sonho com a abertura da Old Town Vintage”, acrescentou. Clara Yung admite ser viciada em roupa antiga. “É um estilo que adoro, sou

A maior parte dos produtos que chegam à Old Town Vintage vêm da Europa, Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos. Por isso, filmes datados entre as décadas de 20 e 60 ajudam bastante na promoção de alguns artigos e aumentam o interesse na loja. Neste aspecto, Clara Yung teve a ajuda do actor Leonardo DiCaprio, através do filme “The Great Gatsby”. Inspirado no romance de Francis Scott Key Fitzgerald com o mesmo nome, cuja acção se desenrola em 1922, Clara destaca que a película ainda hoje tem a capacidade chamar a atenção às pessoas para o estilo retro. “Sei que muitos clientes vêm procurar produtos vintage na loja, principalmente depois de terem assistido a filmes, como o “The Great Gatsby”. Procuram muito chapéus e vestidos dessa época. Nesse sentido, os filmes são influentes”, contou. Contudo, esta influência através da sétima arte não se fica pelos filmes norte-americanos, a situação repete-se no Japão, Taiwan e Coreia do Sul. “São mercados em que as pessoas adoram o estilo vintage. Por isso, é muito normal que surja com muita frequência nos filmes e séries. São povos que têm um sentido de moda mais apurado e diversificado do que as pessoas

de Macau. Mas sinto que em Macau se começa a seguir essas tendências”, aponta. No ambiente de negócios em Macau, nem todas as condições são fáceis, principalmente no que diz respeito às rendas e à competição das vendas online através do Taobao, apesar da Old Town Vintage também disponibilizar vendas através da internet.

“Sei que muitos clientes vêm procurar produtos vintage na loja, principalmente depois de terem assistido a filmes, como o The Great Gatsby. Procuraram muito chapéus e vestidos dessa época.”

Rua de Manuel Arriaga 64-A, Macau

“Quando abrimos a loja, o Taobao ainda não era tão popular. Mas desde o ano passado que sinto que há mais gente a comprar através do Taobao. É um facto que nos dificulta a vida. Mas lidamos com isso disponibilizando artigos muito únicos. Mais caros, é verdade, mas originais e que não se encontram nessa plataforma”, confessa. No entanto, o valor das rendas é mais difícil de ultrapassar. Ao HM, Clara Yung confessa que as condições são demasiado complicadas. “Não faz sentido pagar tanto de renda num local onde o mercado não é assim tão grande. Se falarmos de rendas altas em Hong Kong, compreende-se melhor porque o mercado deles tem sete milhões de pessoas. Em Macau, são só 700 mil pessoas, mas as rendas são na mesma elevadas. Não há um equilíbrio”, defende. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo


opinião 19

quarta-feira 2.5.2018

sexanálise

TÂNIA DOS SANTOS

Q

UEM tem uma vagina mulheres, mulheres trans e também possivelmente homens – saberá que é um pedaço de corpo delicado e versátil, com capacidade de promover o prazer e a procriação. Quando nós temos caprichos do sexo e fantasiamos com tudo e mais um par de botas (daquelas com salto agulha, sensuais), o nosso corpo também tem uns caprichos por satisfazer. O que quero dizer com isto: o capricho, definido como uma vontade inexplicável e repentina, não é só uma vontade da mente, mas uma vontade do corpo. E quem é que entende as vontades do corpo na sua plenitude? Poucos de nós. Porque vivemos a vida presos na nossa existência mental, e lá de vez em quando temos uma brecha de consciencialização deste corpo que nos carrega, que tem apetites, que tem manias e caprichos. As vaginas são pedaços particularmente misteriosos que poucos parecem entender – poucas e poucos parecem ter a vontade, sequer, de olhá-la, cara a cara, mediada com a ajuda de um espelho. A inabilidade de poder olhá-la francamente no nosso dia-a-dia talvez venha ajudar ao nosso evitamento constante. Há quem se lembre, certamente, da primeira vez que tentou colocar um tampão – porque enfim, está sol, há uma boa praia e nós queremos evitar pensar que o período existe e que possa estragar os nossos planos – e é então necessário todo um domínio das partes íntimas para poder colocar um ‘mini’ pedaço fálico de algodão, com o intuito de absorver o inevitável sangramento. A vulva e vagina são vistas como sagradas, e a ideia de que está lá toda uma área flexível (muito flexível), capaz de absorver aquele pedacinho, é, para muitas, difícil de compreender. Se isto é difícil para as virgens, para as que começaram a sua vida sexual também pode ser complicado porque, é como vos digo, há pouca consciência da vagina. A vagina ressente-se, claro, e capricha-se. O que se tornou no senso comum vaginal de evitamento, algum nojo, e em casos mais extremos de repúdio, faz com que as necessidades da vagina não sejam ouvidas com atenção. O tabu da menstruação e do prazer sexual feminino também leva com o tabu da vagina, tanto que mais não seja porque ‘originalmente’ estaria escondida por detrás de um pequeno arbusto de pelugem púbica, que até essa é rejeitada hoje em dia. Já ouviram a vossa vagina hoje? Estará em que fase folicular? Como é que gosta de ser estimulada? Saberemos tratá-la bem, com saúde e bem-estar? Estou ciente da minha hipocrisia, porque verdade,verdadinha, também não percebemos nada do nosso corpo de outras partes menos censuráveis, quanto

BLUE FLOWERS, GEORGIA OKEEFFE

Caprichos (ou como ouvir uma vagina)

menos do orgão sexual biologicamente tido como feminino, e historicamente alvo de alguma negligência, de todas as naturezas. Se pudesse mudar de carreira num abrir e fechar de olhos, provavelmente teria sido

ginecologista e terapeuta sexual, e tentaria pregar por aí a importância do bem-estar vaginal – e digamos que não são só as mulheres que se aproveitam desta vantagem. Vagina feliz leva a um sexo feliz, em qualquer

As vaginas são pedaços particularmente misteriosos que poucos parecem entender – poucas e poucos parecem ter a vontade, sequer, de olhá-la, cara a cara, mediada com a ajuda de um espelho. A inabilidade de poder olhá-la francamente no nosso dia-a-dia talvez venha ajudar ao nosso evitamento constante

idade. Será necessário relembrar que o nosso corpo que cresce e se desenvolve, muito na expectativa do sexo, passa por fases mais ou menos difíceis? Com mais ou menos apetites, mais ou menos lubrificação. A maternidade até, que de partos e nascimentos transformam vaginas e o sexo. Onde e quando é que se fala disso? Na novela das 21h? No telejornal? Na literatura erótico-pornográfica? Na medicina? Onde é que afinal se fala de vaginas felizes e caprichosas ao longo da idade adulta?


Um líder é alguém que sabe o que quer alcançar e consegue comunicá-lo. Margaret Thatcher

PALAVRA DO DIA

quarta-feira 2.5.2018

Colunas de guerra COREIAS DESMANTELAM ALTIFALANTES DE PROPAGANDA DA ALTURA DA GUERRA FRIA

CARTAS DE CONDUÇÃO RECONHECIMENTO MÚTUO ESTÁ PARA BREVE

O

secretário para os Transportes e Obras Públicas, Raimundo do Rosário, já foi autorizado pelo Chefe do Executivo para assinar o acordo para o reconhecimento mútuo das cartas de condução com o Interior da China. De acordo com o Jornal do Cidadão, o secretário indicou que o acordo pode ser assinado a curto prazo, tendo salientado que, uma vez que o território é parte integrante da China, esta medida é necessária, não existindo alternativas. Raimundo do Rosário acrescentou também que, nesta fase, o Governo de Macau está apenas a aguardar a

conclusão dos procedimentos necessários por parte das autoridades chinesas. Quanto às possíveis consequências negativas do acordo, o secretário para os Transportes e Obras Públicas frisou que esta medida se deve concretizar e que não é muito diferente do reconhecimento que foi feito às cartas de condução portuguesas antes de 1999. “Podem existir dúvidas, podemos pensar se devemos fazer ou não, ou adiarmos o assunto. Muitas vezes não temos opções e é mesmo necessário adoptar [a medida]. Para mim, é preciso fazer isto”, referiu o secretário.

A

S coreias do Norte e do Sul anunciaram ontem o desmantelamento dos altifalantes instalados na época da Guerra Fria para difusão de propaganda junto à fronteira. O anúncio aconteceu no dia em que o Presidente da Coreia do Sul pediu à Organização das Nações Unidas (ONU) que verifique o plano dos norte-coreanos para o encerramento do local dos testes nucleares, segundo a agência de notícias norte-americana Associated Press (AP). A retirada de dezenas de altifalantes estava prevista

no acordo de reconciliação assumido pelos líderes das coreias, no encontro da última sexta-feira. Contudo, ainda não está claro se estas medidas podem trazer paz permanente, uma vez que não houve, na cimeira, nenhum grande avanço no impasse relativo à questão nuclear da Coreia do Norte. Soldados sul-coreanos desmontaram os altifalantes em várias áreas da linha de frente, na presença de jornalistas, antes de os retirar da fronteira, disse o ministro da Defesa. Um oficial militar da Coreia do Sul, que pediu

anonimato, afirmou ontem que a Coreia do Norte também começou a retirar, ao início do dia, os seus altifalantes de propaganda. Ambas as Coreias cancelaram as emissões de propaganda ao longo dos 248 quilómetros da fronteira, na semana passada, antes do encontro entre os dois líderes. Na sexta-feira, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, concordaram tomar medidas para a "completa desnuclearização" da península coreana e procurar pôr permanentemente fim à guerra, de acordo

com a declaração conjunta que os dois dirigentes assinaram. A Guerra da Coreia (195053) terminou com a assinatura de um armistício que nunca foi substituído por um tratado de paz, o que significa que os dois países continuam tecnicamente em guerra. A cimeira, realizada na cidade fronteiriça sul-coreana de Panmunjom, foi a primeira entre líderes coreanos em 11 anos e Kim Jong-un foi o primeiro dirigente norte-coreano a pisar solo da Coreia do Sul desde o fim da guerra que separou os dois países.

SEGURANÇA NACIONAL GABINETE DE LIGAÇÃO QUER CONTINUIDADE DE EXPOSIÇÃO

Z

PUB

HENG Xiaosong, director do Gabinete de Ligação do Governo Central na RAEM, referiu num comunicado que a primeira exposição educacional sobre a segurança nacional organizada no território teve sucesso, esperando-se um maior espaço e conteúdos numa futura segunda edição. Zheng Xiaosong espera que a nova exposição possa ter um maior espaço e um horário de abertura alargado, com conteúdos mais enriquecidos e próximos dos residentes, sem esquecer a aposta em mais meios tecnológicos. O director referiu

que, apesar do curto espaço de tempo em que esteve patente, a exposição foi bem sucedida, uma vez que se registaram mais de 18 mil visitantes, sendo que uma grande parte pertence à Função Pública e às áreas culturais, sociais ou educacionais. O responsável defendeu que o Governo deve continuar a esforçar-se no sentido de realizar mais actividades em prol da protecção da segurança nacional, para que se cumpram as responsabilidades constitucionais e se impulsione a política “Um País, Dois Sistemas” em Macau.

Turismo Macau e São Tomé e Príncipe assinam cooperação

M

ACAU e São Tomé e Príncipe assinaram um memorando de entendimento de cooperação na área do turismo para trocarem experiências em matéria de sistemas de planeamento, gestão e certificação da actividade. O documento reconhece o "peso [do turismo] na economia de Macau e de São Tomé e Príncipe" e estabelece o desenvolvimento de parcerias entras as operadoras turísticas e a partilha de "informações sobre a evolução dos mercados turísticos", a "formação e desenvolvimento das competências de quadros técnicos" para a actividade turística. Neste âmbito, a Direcção dos Serviços de Turismo (DST) vai “organizar três sessões de estágios por ano, com a

duração de duas semanas cada, envolvendo funcionários governamentais de turismo de São Tomé e Príncipe”. O memorando foi assinado no âmbito da 6.ª Expo Internacional de Turismo (Indústria) de Macau, que decorreu entre sexta-feira e domingo. Macau assinou memorandos de entendimento de cooperação em matéria de turismo com seis países lusófonos: Cabo Verde, Guiné-Bissau e Moçambique, em 2010, Timor-Leste (2013), Angola (2015) e, mais recentemente, com Portugal, em 2016, indicou a DST, em comunicado. Em Dezembro de 2016, São Tomé e Príncipe rompeu relações diplomáticas com Taiwan e passou a reconhecer a República Popular da China.

Diplomacia Cimeira entre Japão, Coreia do Sul e China dia 9

Japão, Coreia do Sul e China reúnem-se no dia 9 de Maio na primeira cimeira trilateral em mais de dois anos, encontro que pretende maior cooperação para alcançar a desnuclearização do regime norte-coreano. Segundo o executivo de Seul, no encontro vão participar o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, o Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e o primeiro-ministro chinês, Li Kegiang. A reunião pretende “aprofundar a situação regional e internacional no nordeste asiático”, incluindo o processo de desnuclearização da península da Coreia. Em comunicado, o Governo de Seul disse que Moon vai explicar aos países vizinhos o resultado da cimeira entre as duas Coreias realizada na sexta-feira passada e “analisar formas de fortalecer a cooperação entre os três países para a desnuclearização da península e estabelecimento de uma paz permanente”.

Hoje Macau 2 MAI 2018 #4042  

N.º 4042 de 2 de MAI de 2018

Hoje Macau 2 MAI 2018 #4042  

N.º 4042 de 2 de MAI de 2018

Advertisement