Page 1

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

MOP$10

TERÇA-FEIRA 2 DE ABRIL DE 2019 • ANO XVIII • Nº 4262

MGM

A BANIR O PLÁSTICO

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

hojemacau

PÁGINA 5

Mais vale prevenir Com uma pena de 5 anos e 3 meses por cumprir, o empresário Joseph Lau antecipou-se à possibilidade de vir a ser extraditado para Macau, de acordo com a nova lei em Hong Kong que poderá per-

ASSEMBLEIA

Cartas em mão PÁGINA 4

HUSH

CLUBE DA PRAIA

mitir o envio de fugitivos para o interior da China, Macau e Taiwan. No Tribunal Superior de Hong Kong deu entrada um pedido dos advogados de Lau para impedir que a extradição aconteça.

EVENTOS

KÁ HÓ

Hospital sem números GCS

HOJE MACAU

PÁGINA 6

PUB

PÁGINA 7

MARIA DE LURDES ALBINO

MACAU EM LISBOA GRANDE PLANO


2 grande plano

2.4.2019 terça-feira

PORTUGAL

UM LAR EM LISBOA

FOTOS HOJE MACAU

CASA DE MACAU QUER ENSINAR PATUÁ E TER MAIS SÓCIOS CHINESES

A

vivenda situada na avenida Almirante Gago Coutinho, em Lisboa, deixa adivinhar um espaço cheio de história. A sua decoração interior também. Notam-se uns jornais de Macau em cima da mesa, a tradicional mobília chinesa, a publicidade a eventos ligados a pedaços do Oriente que se realizam na capital portuguesa. No primeiro andar, permanece a sala destinada à pessoa que ocupa o cargo de presidente da Casa de Macau em Portugal (CMP), ainda que seja muito pouco utilizada. Descansam uns móveis doados por macaenses ou associações e sobressaiu um quadro que marca a memória da visita do ex-presidente da República Jorge Sampaio, que acompanhou o processo de transferência de soberania de Macau.

As paredes estão ocupadas por quadros de pintores da terra como Herculano Estorninho e fotografias de importantes sócios da casa, como o empresário Ng Fok. No rés-do-chão da casa dispõem-se mais salas onde um grupo de sócios joga bridge uma tarde por semana. A visita guiada pela casa que guarda pedaços de Macau é conduzia por Maria de Lurdes Albino, a actual presidente da CMP que não pode recandidatar-se a um novo mandato, mas que pondera fazer parte de uma lista candidata às próximas eleições. Maria de Lurdes Albino não acompanhou de perto o processo de transição, pois veio jovem estudar para Portugal e por lá casou. Mas nunca perdeu a ligação à sua terra, que visita várias vezes por ano. Roque Choi, importante

figura da comunidade chinesa que fazia a ligação com as autoridades portuguesas, era visita frequente da sua casa. Presidente desde 2013 (as últimas eleições foram em 2018), Maria de Lurdes Albino cumpre um segundo triénio de mandato e traça um balanço positivo dos

“O interesse pela gastronomia é enorme, e quando organizamos aqui eventos temos imensa gente interessada em aprender.” MARIA DE LURDES ALBINO PRESIDENTE DA CASA DE MACAU EM PORTUGAL

trabalhos associativos que têm sido feitos, mas revela que as dificuldades financeiras foram sempre uma realidade. “Não tem sido fácil fazer a gestão da Casa, mas temos conseguido ultrapassar as situações. Temos as actividades habituais, como as festas de Natal ou da Páscoa, e depois temos outras actividades que organizamos e que nos permitem continuar a auferir algum lucro para continuarmos a desenvolver o nosso trabalho sem grandes oscilações.” Os subsídios chegam da Fundação Casa de Macau, bem como do Conselho das Comunidades Macaenses pela via da Fundação Macau, sempre que há os habituais encontros anuais da comunidade. A CMP sofre de um problema comum a todas as entidades asso-

ciativas de macaenses espalhadas pelo mundo: a falta de jovens. “Embora os nossos associados tenham uma idade mais avançada, temos conseguido captar pessoas um pouco mais jovens, embora gostássemos de ter ainda mais”, assegurou ao HM. Tal pode passar pela implementação de outro tipo de actividades, “mais ligadas aos interesses dos jovens hoje em dia, como as novas tecnologias, por exemplo”, disse. Contudo, “não existem os meios adequados para tal”, adiantou Maria de Lurdes Albino. “Vamos fazendo o que podemos, com os subsídios que vamos tendo, que são usuais, porque a casa é uma entidade de utilidade pública sem fins lucrativos. Portanto, não podemos ter propriamente actividades que gerem lucros.” Maria de Lurdes Albino tem uma fórmula para renovar a CMP em termos de sócios, que passa “por suscitar o interesse dos jovens bolseiros” chineses que vão temporariamente para Portugal estudar a língua portuguesa ou outras áreas. “Neste momento, não têm grande capacidade de se tornarem sócios, porque estão cá pouco tempo e depois vão embora, mas isso não quer dizer que nós, enquanto direcção, não estejamos a pensar na hipótese de arranjar uma solução em que eles se tornem sócios temporariamente ou, eventualmente, manterem-se depois sócios mesmo regressando a Macau. Estamos a ponderar essa via”, frisou.

DIALECTO NA AGENDA

Numa altura em que o ensino do mandarim está na moda em Portugal, a CMP continua a oferecer cursos de cantonês que, garante Maria de Lurdes Albino, continuam a ser muito procurados. “Neste momento, começa a haver menos interesse pela frequência dos cursos de mandarim e começamos a ter pedidos de cursos de cantonês.” A presidente encontra uma explicação “talvez demasiado simplista” para esse facto. “As pessoas vão muito a Macau. Há quem tenha lá trabalho, porque Macau é mais atractivo para os portugueses devido à existência de uma comunidade portuguesa.


grande plano 3

terça-feira 2.4.2019

Maria de Lurdes Albino não pode voltar a candidatar-se à presidência da Casa de Macau em Portugal, mas pondera participar numa nova lista. Em entrevista concedida em Lisboa, a responsável fala dos projectos que pretende realizar apesar das dificuldades financeiras. O ensino do patuá é um deles, bem como a abertura da Casa de Macau a jovens bolseiros chineses Mesmo as pessoas que vão em viagem a Macau ou que vão aos encontros da comunidade e que não são macaenses, ou que não têm raízes, pedem porque precisam de saber falar no dia-a-dia. Neste momento, está a haver uma procura muito grande. Poderá haver outras razões.”

“Penso que vamos ter alunos suficientes porque já houve várias pessoas que demonstraram interesse no patuá.” MARIA DE LURDES ALBINO PRESIDENTE DA CASA DE MACAU EM PORTUGAL

Ao nível do ensino de idiomas, a CMP gostaria de abrir cursos de patuá, um objectivo que ainda não foi possível de concretizar. “Temos isso em mente e no nosso plano de actividades, mas é muito difícil de realizar. Fizemos muitos contactos em Lisboa e Portugal, mas não conseguimos arranjar alguém

que domine o patuá, porque quem domina o dialecto já são pessoas mais antigas.” “Em Macau não é tanto assim porque houve uma transmissão do patuá entre gerações, mas aqui em Portugal temos esse problema. Não é fácil e já fizemos imensos contactos e ainda não conseguimos. É um projecto que gostava imenso de levar a cabo”, acrescentou a responsável. Maria de Lurdes Albino garantiu que existe muita procura pelo ensino do patuá. “Penso que vamos ter alunos suficientes porque já houve várias pessoas que demonstraram interesse no patuá. Estamos inseridos na sociedade portuguesa e estamos dispersos, e não há muitas pessoas que saibam. Não é fácil passar para outras gerações alguns aspectos da cultura macaense. Mas tenho esperança de que vamos conseguir.”

ELOGIOS A ALEXIS

Quando o HM conversou com Maria de Lurdes Albino, Alexis Tam, secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, tinha recebido há dias o doutoramento Honoris Causa da Universidade de Lis-

boa. A presidente da CMP esteve presente na cerimónia e dedica os maiores elogios ao governante. “Foi falada essa questão da língua portuguesa em Macau e o estabelecimento de uma ponte entre a cultura portuguesa, através da língua. Estes jovens bolseiros, quando vêm aprender português, chegam a Macau e têm a possibilidade de continuarem os seus estudos de português, e essa é uma via muito importante para manter a cultura portuguesa viva e fazermos a ligação entre as duas culturas.” “Os chineses não têm a cultura de matriz portuguesa, mas já têm alguma aprendizagem que me parece bastante boa para depois dinamizarem em Macau essa ligação e continuarem os seus estudos. Gostei muito de ouvir o doutor Alexis Tam e acho que ele tem feito um excelente trabalho nesse aspecto”, frisou. Maria de Lurdes Albino não quis comentar questões políticas por ser algo que vai contra os estatutos da CMP, mas adiantou que “não há mais ou menos interesse” na língua portuguesa entre os governos de Edmund Ho e Chui Sai On.

“Penso que houve sempre bastante interesse da parte do governo da RAEM, com Edmund Ho e Chui Sai On. Não é uma questão de haver mais ou menos interesse, talvez seja uma questão de oportunidades. Durante o mandato de Edmund Ho houve muito interesse demonstrado pela cultura portuguesa, tal como agora haverá. Talvez agora haja um maior impacto em termos de divulgação, devido aos 20 anos da transição”, adiantou.

SUCESSO DA GASTRONOMIA

De entre as várias actividades que a CMP organiza, os eventos gastronómicos têm imenso sucesso, como comprovam as centenas de pessoas inscritas. “O interesse pela gastronomia é enorme, e quando organizamos aqui eventos temos imensa gente interessada em aprender.” Para Maria de Lurdes Albino, a gastronomia é um ponto chave para responder a uma pergunta que está eternamente sem resposta. “Passamos a vida a debater a questão da identidade, do que é ser macaense, e nunca há uma resposta. Há

Maria de Lurdes Albino confessa que “gostava de voltar a receber a visita de um governante chinês ou português”

diversos aspectos que confluem para uma característica diferente, específica em termos culturais, mas é muito difícil definir o que é a identidade macaense. Passa pela definição das várias vertentes. A gastronomia macaense é um dos pontos chave para que não se perca esta identidade. Outra seria o patuá, que seria importante manter.” A presidente da CMP assume não ser muito dada à cozinha, mas ainda guarda consigo muitas das receitas da sua família. Em casa, há sempre um minchi pronto a comer. “Hoje há muitos livros publicados, mas cada família tem a sua forma de cozinhar e as suas próprias receitas, com algumas diferenças. E não havia um conhecimento público do que se fazia. Até que as pessoas resolveram começar a colocar em livros. Quando era miúda havia pessoas que não queriam divulgar as receitas da família, que eram sagradas. É uma pena que não tenhamos a gastronomia macaense mais divulgada.” Os 50 anos da existência da CMP em Portugal comemoraram-se em 2016 com uma festa que reuniu grandes figuras ligadas ao território. Depois de Sampaio, Maria de Lurdes Albino confessa que “gostava de voltar a receber a visita de um governante chinês ou português”. Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo


4 política

2.4.2019 terça-feira

AL PRESIDENTE REENCAMINHOU CARTA DE COUTINHO PARA VONG HIN FAI

O presidente do hemiciclo informou José Pereira Coutinho que as dúvidas sobre os trabalhos da 3.ª Comissão Permanente, da qual é membro, podem ser esclarecidas directamente com o presidente dessa comissão

RÓMULO SANTOS

Os recados de Ho

REUNIÕES DE ASSESSORIA

Em relação ao andamento dos trabalhos, Ho Iat Seng explicou que no passado dia 6 de Março foi enviada uma nova versão da lei à 3.ª comissão, pelo Governo, e que têm sido feitas reuniões entre os assessores do Governo e da Assembleia Legislativa para estudar e debater a nova proposta.

“Como Vossa Excelência é membro da 3.ª Comissão Permanente e participa nos respectivos trabalhos, poderá, directamente, diligenciar junto do Presidente da Comissão.” HO IAT SENG PRESIDENTE DA AL

O

presidente da Assembleia Legislativa (AL), Ho Iat Seng, disse ao deputado José Pereira Coutinho que pode perguntar directamente na 3.ª Comissão Permanente a razão de não se reunirem para debaterem a lei das agências de emprego. Foi esta a resposta ao legislador, após uma carta enviada na semana passada, em que Coutinho procurava saber as razões da comissão dirigida por Vong Hin Fai não se encontrar “há meses” para debater este diploma. Apesar de ter reencaminhado a carta para Vong, Ho Iat Seng recordou a José Pereira Coutinho que ele é um dos membros da comissão em causa e que poderia ter feito a pergunta junto do presidente da Comissão.

o Governo e com o Presidente da Assembleia Legislativa”.

“Respeito o trabalho e a autonomia das comissões. Como Vossa Excelência é membro da 3.ª Comissão Permanente e participa nos respectivos trabalhos, poderá, directamente, diligenciar junto do Presidente da Comissão, no sentido de se inteirar do andamento do processo legislativo em causa”, escreve Ho Iat Seng. “Agradeço a atenção dispensada por Vossa Excelência em relação à proposta de lei intitulada ‘Lei

da actividade de agência de emprego’, e vou fazer chegar o ofício de V. Ex.ª ao Presidente da 3.ª Comissão Permanente”, é acrescentado. Ainda sobre as comissões, Ho Iat Seng recorda que os presidentes da comissões são eleitos pelos deputados e que é aos presidentes que compete organizar os trabalhos, nomeadamente “no que se refere à marcação e condução das reuniões” e “à coordenação dos trabalhos com

Na carta que tinha enviado sobre os trabalhos da comissão, o deputado ligado à Associação de trabalhadores da Função Pública de Macau (ATFPM) revelava que a comissão não se encontrava para debater a lei desde Agosto de 2018. Segundo Coutinho, estas reuniões teriam acontecido às “portas fechadas” e desde então não tinha havido novidades. “Entretanto já decorreram vários meses, sendo que a reunião foi em 2 de Agosto de 2018 e esta Comissão ainda está à espera de poder reunir com o Governo sobre as questões pendentes”, foi notado. A comissão tem agendadas duas reuniões até ao dia 18 de Abril, mas nenhuma vai ter como assunto a discussão da lei das agências de emprego.

Invisuais Song Pek Kei quer mais e melhores medidas

A deputada Song Pek Kei está preocupada com os problemas dos invisuais e com o facto de algumas das orientações gerais não serem seguidas. Um dos problemas apontados pela deputada está relacionado com as garagens privadas com ligações aos passeios, que não têm instalado piso táctil. Este tipo de pavimento permite aos invisuais estarem alerta para a possibilidade de haver carros a atravessar o passeio. É também utilizado nas passadeiras, para indicar se podem atravessar. Por este motivo, Song Pek Kei quer saber como é que o Governo vai fazer para que os privados cumpram as suas responsabilidades e procedam à instalação do piso táctil e quais as medidas de inspecção a ser aplicadas.

Restaurantes Electricidade ganha terreno na cozinha

Há cada vez mais restaurantes a recorrerem à electricidade para confeccionarem as refeições, de acordo com uma resposta do Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) a uma interpelação do deputado Ho Ion Sang. Segundo os dados oficiais, em 2018 foram pedidas 131 licenças para estabelecimentos de restauração. Entre estes, 73 diziam respeito a fogões e fornos eléctricos e os restantes 58 a gás. Por este motivo, o Governo garante que há cada vez mais mercado para os produtos eléctricos e que as políticas passam por incentivar este tipo de energia. Esta interpelação foi envida pelo deputado ao Governo depois de em Julho do ano passado ter havido uma explosão num restaurante que causou uma morte. Na origem do acidente esteve uma fuga de gás.

João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo

PUB

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO N.° 76/AI/2019 -----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se o infractor SHAN GUANXIANG, portador do Salvo-Conduto para Deslocação a Hong Kong e Macau da RPC n.° C55096xxx e portador do Passaporte da RPC n.° EA5593xxx, que na sequência do Auto de Notícia n.°269/DI-AI/2017, levantado pela DST a 27.11.2017, e por despacho da signatária de 19.03.2019, exarado no Relatório n.° 61/DI/2019, de 04.03.2019, em conformidade com o disposto no n.° 1 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010, lhe foi desencadeado procedimento sancionatório por suspeita de prestação de alojamento ilegal na fracção autónoma situada na Rua de Nagasaki n.° 80, Kam Fung Tai Ha, Bloco 1, 16.° andar H.-------------------------No mesmo despacho foi determinado, que deve, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, apresentar, querendo, a sua defesa por escrito, oferecendo nessa altura todos os meios de prova admitidos em direito não sendo admitida apresentação de defesa ou de provas fora do prazo conforme o disposto no n.° 2 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010.---------------------------------------------------A matéria apurada constitui infracção ao artigo 2.° da Lei n.° 3/2010, punível nos termos do n.° 1 do artigo 10.° do mesmo diploma.--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18.° andar, Macau.---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Direcção dos Serviços de Turismo, aos 19 de Março de 2019. A Directora dos Serviços, Maria Helena de Senna Fernandes

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO N.° 82/AI/2019 -----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se o infractor HUANG RONGBO, portador do Salvo-Conduto para Deslocação a Hong Kong e Macau da RPC n.° C73959xxx e portador do Título de Identificação de Trabalhador Não-Residente da RAEM n.° 20817xxx, que na sequência do Auto de Notícia n.°249/DI-AI/2017, levantado pela DST a 01.11.2017, e por despacho da signatária de 19.11.2018, exarado no Relatório n.° 640/DI/2018, de 23.10.2018, em conformidade com o disposto no n.° 1 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010, lhe foi desencadeado procedimento sancionatório por suspeita de controlar a fracção autónoma situada na Rua Dois Bairro Iao Hon n.° 19, 4.° andar D (E440) onde se prestava alojamento ilegal.--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------No mesmo despacho foi determinado, que deve, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, apresentar, querendo, a sua defesa por escrito, oferecendo nessa altura todos os meios de prova admitidos em direito não sendo admitida apresentação de defesa ou de provas fora do prazo conforme o disposto no n.° 2 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010. --------------------------------------------------A matéria apurada constitui infracção ao artigo 2.° da Lei n.° 3/2010, punível nos termos do n.° 1 do artigo 10.° do mesmo diploma.--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18.° andar, Macau.---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Direcção dos Serviços de Turismo, aos 19 de Março de 2019. A Directora dos Serviços, Maria Helena de Senna Fernandes


sociedade 5

terça-feira 2.4.2019

GOOGLE STREET VIEW

0,4% Jogo Casinos com receitas mais baixas em Março

Grant Bowie "Como um dos principais resorts integrados de Macau (...) temos a responsabilidade de usar a nossa escala para o bem e liderar a indústria hoteleira local num movimento livre de plástico."

AMBIENTE MGM PÕE FIM AO PLÁSTICO DE USO ÚNICO EM TODOS OS RESTAURANTES

Um virar de página

A operadora de hotéis e casinos MGM anunciou ontem que eliminou o plástico de utilização única em todos os seus restaurantes em Macau, prevendo poupar mais de quatro milhões de peças de plástico todos os anos

“O

MGM anuncia com orgulho que a empresa removeu com sucesso todos os plásticos de utilização única e substituiu-os por alternativas amigas do ambiente em todos os seus restaurantes", lê-se num comunicado enviado às redacções. O grupo tinha

D

prometido avançar com esta medida no primeiro trimestre do ano. "Como um dos principais resorts integrados de Macau (...) temos a responsabilidade de usar a nossa escala para o bem e liderar a indústria hoteleira local num movimento livre de plástico", afirmou, em comunicado, o director-executivo da MGM China, Grant Bowie.

ADOS revelados ontem pela Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC) mostram que, até ao fim de Fevereiro, houve uma redução do número de motociclos matriculados. Pelo contrário, nas estradas de Macau verificaram-se mais acidentes de viação durante os primeiros dois meses. Até ao final de Fevereiro de 2019 havia 239.345 veículos matriculados, uma descida “ligeira” de 0,4 por cento face ao igual período do ano passado. O comunicado oficial da DSEC dá conta que “destes veículos, o número de ciclomotores (25.647) baixou 10,3 por cento, enquanto o de automóveis ligei-

Segundo Bowie, a medida traduz um "passo significativo para a redução das embalagens de plástico em Macau", evitando o despejo para o ambiente de 4,5 milhões de peças de plástico descartável todos os anos. No primeiro dia de 2019, também o grupo hoteleiro e operadora de jogo Sands China anunciou a proibição do uso de palhinhas de plástico,

prevendo economizar 2,2 milhões de palhinhas por ano, ou seja, uma tonelada de plástico.

COMBATE AO PROBLEMA

O uso excessivo de plástico descartável tem sido alvo de duras críticas, com activistas a exigir ao Governo medidas legislativas para combater o problema. No mês passado, o Executivo anunciou a intenção

Mais chapa amolgada Até Fevereiro houve menos motociclos matriculados e mais acidentes de viação ros (108.262) e o de motociclos (97.894) subiram um por cento e 1,2 por cento, respectivamente”. O número de veículos com matrículas novas equivaleu a 726, menos 36,9 por cento, em termos anuais. No que diz respeito às matrículas registadas na Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT), a quantidade de motociclos (410) e o de automóveis ligeiros (282) diminuíram 31,9 e 40,6 por cento, respectivamente.

Nos dois primeiros meses deste ano, o total de veículos com matrículas novas foi de 1.954, menos 31,6 por cento, face ao mesmo período do ano passado.

de aplicar taxas sobre os sacos de plástico e prometeu avançar com a restrição de outros materiais. O Governo propõe que “o fornecimento de sacos de plástico nos actos de venda a retalho seja efectuado obrigatoriamente a título oneroso”, ou seja, através de “um preço a fixar por despacho do chefe do executivo”. De acordo com o Executivo, a maioria dos participantes de uma consulta pública considerou o “uso excessivo” de sacos de plástico “uma situação crítica” no território, que em 2017 registava mais lixo ‘per capita’ do que Pequim, Xangai ou Hong Kong. No final de Agosto, uma petição contra o uso do plástico descartável reuniu milhares de assinaturas.

A DSEC contabilizou também um aumento de 3,6 por cento no espaço de um ano dos acidentes de aviação, que foram de 1153, que resultaram num total de 410 feridos. “Nos dois primeiros meses do corrente ano, o número de vítimas de acidentes de viação totalizou 709, sendo que uma das quais morreu”, aponta a DSEC.

CARROS NAS FRONTEIRAS

Os dados da DSEC revelam também que se verificou um aumento de seis por cento na circulação de automóveis nas fronteiras, face a Fevereiro de 2018, tendo sido registado uma subida de 3,1 por cento em termos anuais.

Os casinos fecharam Março com receitas de 25.840 milhões de patacas, um valor que traduz uma diminuição de 0,4 por cento em termos anuais homólogos, indicam dados divulgados ontem pela Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ). Trata-se da segunda descida registada desde o início do ano, após a queda de 5 por cento em Janeiro, a primeira anual homóloga em dois anos e meio. No acumulado dos primeiros três meses do ano, as receitas dos casinos encaixaram receitas de 76.152 milhões de patacas, traduzindo uma descida de 0,5 por cento face ao primeiro trimestre do ano passado. Apesar da queda de 0,4 por cento, Março foi o mês com o melhor desempenho em termos de receita, ficando ligeiramente acima de Fevereiro, mês que coincidiu com a ‘semana dourada’ do Ano Novo Chinês.

Destaca-se que o movimento de automóveis na Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau se situou em 19.691 veículos e que nas Portas do Cerco foi de 237.279, menos 4,8 por cento em termos anuais. Ao nível das viagens, foram realizados um total de 5.587 voos comerciais no Aeroporto Internacional de Macau, mais 16,1 por cento em termos anuais. Realça-se que o número dos voos entre Macau e a China Continental (2.256), bem como entre Macau e a Tailândia (590) cresceram 27,2 e 24,2 por cento, respectivamente. Já o número de voos entre Macau e Taiwan (1.054) desceu 2,2 por cento.


6 sociedade

SAM TSANG/SCMP

2.4.2019 terça-feira

AEROPORTO TRÊS MULHERES ENTRAM EM ZONA DE ACESSO RESTRITO

T

RÊS mulheres conseguiram ultrapassar o sistema de segurança do Aeroporto Internacional de Macau (AIM) e aceder a áreas de acesso restrito, de acordo com informação divulgada ontem pela Polícia Judiciária. Segundo o canal chinês da Rádio Macau, duas das visitantes tinham passaporte do Interior da China e foram encontradas na área de entrega de bagagem à procura de uma mala que alegadamente estaria perdia. De acordo com a explicação de uma delas às autoridades, as duas mulheres só deram pela falta da bagagem na altura de fazer check-in no hotel, mas depois conseguiram regressar ao aeroporto e aceder à zona de acesso restrito de entrega de bagagem. Já a terceira mulher, da Coreia do Sul, entrou na zona de embarque apesar de não ter bilhete com o alegado intuito de embarcar num avião para o Japão. Por sua vez, a segurança argumentou que não conseguiu detectar os três casos a tempo de evitá-los devido ao elevado número de passageiros.

JUSTIÇA JOSEPH LAU QUER QUE TRIBUNAIS EVITEM EXTRADIÇÃO PARA MACAU

Jogar em antecipação

O

empresário Joseph Lau quer garantias de que não poderá ser entregue a Macau ao abrigo da nova proposta de lei de extradição em Hong Kong, que vai permitir o envio de fugitivos para o Interior da China, Macau e Taiwan. A revelação foi feita ontem pelo escritório de advogados Sit, Fung, Kwong e Shum, em representação de Lau, que fez entrar um pedido na primeira instância do Tribunal Superior de Hong Kong, para que sejam feitas alterações à proposta de lei. Joseph Lau foi condenado em Macau a uma pena de 5 anos e 3 meses devido à prática de um crime de corrupção activa para acto ilício e de um crime de branqueamento de capitais. Como o empresário está actualmente em Hong Kong e não há acordo de entrega de fugitivos, não pode ser enviado para Macau, onde é procurado para cumprir pena.

No entanto, com o Governo de Carrie Lam a querer aprovar uma lei para que a entrega de fugitivos possa ser feita com jurisdições com as quais não há este tipo de acordos, onde se incluem Macau e o Interior da China, a porta para a transferir Lau pode mesmo abrir-se. É este o cenário que os advogados do multimilionário pretendem afastar. Segundo o pedido, cujo conteúdo foi publicado na integra pelo portal Hong Kong Free Press, os

No caso da proposta do Governo de Hong Kong ser aprovada [...] os advogados de Joseph Lau querem uma declaração dos tribunais a dizer que não se aplica de forma retroactiva

representantes legais do magnata pretendem assegurar algumas garantias. A primeira é que se declare que a entrega do empresário é contrária à Carta dos Direitos de Hong Kong. Em causa está o artigo número 10, que define o direito à “igualdade perante os tribunais e a um julgamento justo e aberto ao público, mas também o artigo 5, que define o direito à liberdade e à prisão dentro de condições justas e pré-definidas.

SEM RETROACTIVOS

Mas no caso da proposta do Governo de Hong Kong ser aprovada sem alterações ao texto actual, os advogados de Joseph Lau querem uma declaração dos tribunais a dizer que não se aplica de forma retroactiva, ou seja, que apenas incida sobre casos que se registem após a entrada em vigor da lei. A primeira sessão de discussão do diploma está agendada para amanhã no Conselho Legislativo,

o órgão legislativo de Hong Kong. Também a secretária da Justiça do Executivo de Hong Kong, Theresa Chang, recebeu uma cópia dos pedidos que entraram em tribunal. O Executivo de Hong Kong decidiu apresentar esta proposta de extradição em resposta ao alegado homicídio cometido por um residente de Hong Kong que terá assassinado a namorada, que estava grávida. O crime aconteceu em Fevereiro do ano passado e o suspeito conseguiu regressar a Hong Kong, escapando à justiça taiwanesa. Apesar dos pedidos das autoridades taiwanesas, e face à inexistência de acordo de extradição entre as duas regiões, o adolescente de 19 anos não foi enviado para Taiwan. A proposta de alteração legal que será apreciada pelos legisladores de Hong Kong visa colmatar estas lacunas de cooperação judiciária. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo

TIAGO ALCÂNTARA

Os advogados do empresário fizeram entrar um pedido em tribunal para evitar a possível entrega para cumprimento de pena em Macau. Lau foi condenado por corrupção activa para acto ilícito e branqueamento de capitais e tem uma pena de 5 anos e 3 meses por cumprir


sociedade 7

terça-feira 2.4.2019

Mais de 360 médicos e enfermeiros dos hospitais e centros de saúde não estavam protegidos contra o sarampo durante o recente surto. Todos foram, entretanto, vacinados

SARAMPO UM EM CADA DEZ MÉDICOS NÃO ESTAVA IMUNE DURANTE SURTO

Maiores e vacinados

O

S dados foram revelados ontem pelos próprios Serviços de Saúde: 14 por cento dos médicos e 6 por cento dos enfermeiros não estavam imunes contra o sarampo durante o surto da doença altamente contagiosa, traduzido, desde o início do ano, em 26 casos, dos quais oito envolvendo profissionais de saúde (três médicos, três enfermeiros, um auxiliar de enfermagem e um outro trabalhador), todos pertencentes ao Hospital Kiang Wu. O número facultado pelo director dos Serviços de Saúde, Lei Chin Ion, foi extraído dos dados recolhidos junto dos profissionais de saúde e apenas fornecido após todos terem sido vacinados. Contas feitas, com base em estatísticas oficiais, não estavam vacinados ou imunes (porque não contraíram a doença anteriormente), 228 de 1.633 médi-

cos e 134 de 2.235 enfermeiros, ou seja, 362. Desconhece-se, porém, a taxa de imunidade ao sarampo de outros profissionais de saúde, como auxiliares de enfermagem. Embora prometidos para a tarde de ontem, os resultados completos do levantamento, levado a cabo através de um inquérito, não foram divulgados até ao fecho desta edição. De recordar que, na semana passada, os Serviços de Saúde

reconheceram inicialmente desconhecer a proporção de profissionais de saúde vacinados ou imunes ao sarampo, estimando, depois, com base na taxa de imunidade da população em geral, uma cobertura na ordem dos 95 por cento.

À ESPERA DE VACINAS

Segundo dados facultados pelos Serviços de Saúde, só na quinta e

Quantos são?

Hospital de Reabilitação de Ká-Hó abre hoje, sem se saber número de profissionais de saúde

querem transferir”, complementou o também director do CHCSJ. Não obstante a insistência dos jornalistas, GCS

O

Hospital de Reabilitação de Ká-Hó entra hoje em funcionamento, mas os Serviços de Saúde falharam em responder com quantos médicos ou enfermeiros ao serviço ou em facultar estimativas sobre o número de pacientes que a nova valência pode receber. “Vamos ter em consideração as necessidades [e] o ponto de situação actual. Precisamos de ter um número suficiente de pessoal de enfermagem, por exemplo, e depois precisamos de ver ainda se há doentes que precisam de ser transferidos para este hospital novo”, afirmou o subdirector dos Serviços de Saúde, Kuok Cheong U, garantindo que há “um plano”. “Claro que precisamos de considerar se os doentes do CHCSJ precisam ou não verdadeiramente do serviço de reabilitação e também consultar os [seus] familiares para saber se

Desconhece-se, porém, a taxa de imunidade ao sarampo de outros profissionais de saúde

Kuok Cheong U não avançou com números: “Vamos pensar no número de doentes e só depois número exacto

na sexta-feira foram administradas mais de 200 vacinas por dia. Vacinas destinadas actualmente apenas aos grupos definidos como prioritários: crianças com menos de 2 anos, pessoal de creches e profissionais de saúde. Macau possui actualmente aproximadamente de 1.300 doses de vacina contra o sarampo, rubéola e parotidite epidémica (papeira), mas encomendou, entretanto, 15 mil doses da vacina. Esta semana deve chegar a primeira remessa de 5.400, um número definido pelo director dos Serviços de Saúde como “suficiente” para responder à actual procura. Relativamente às restantes 9.600 vacinas “não há prazo” estimado de chegada, afirmou Lei Chin Ion, apontando

que os fornecedores vão priorizar os países e regiões com surtos de sarampo de maior dimensão. O director dos Serviços de Saúde falava à margem da cerimónia de inauguração do Hospital de Reabilitação de Ká-Hó, em Coloane, que contou com a presença do Chefe do Executivo, Chui Sai On, e do secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam. Nenhum dos dois prestou declarações aos jornalistas. Macau sinalizou, desde o início do ano, 26 casos de sarampo. Todos os pacientes receberam alta hospitalar. Nos últimos quatro dias não houve registo de novos casos. Diana do Mar

dianadomar@hojemacau.com.mo

INFECTO-CONTAGIOSAS EDIFÍCIO AINDA SEM ABERTURA À VISTA

O

edifício de doenças infecto-contagiosas, a nascer junto ao Centro Hospitalar Conde de S. Januário (CHCSJ), ainda não tem data de abertura prevista. Segundo o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, a obra das fundações, que arrancou em 2018, deve estar concluída no próximo

de profissionais necessários, mas um enfermeiro pode servir seis camas”. O Hospital de Reabilitação de Ká-Hó disponibiliza 188 camas, das quais 100 vão ser geridas pela Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM). No entanto, numa

ano, não havendo calendário para a abertura. A construção do edifício, junto ao CHCSJ, foi fortemente contestada por moradores da zona, bem como por deputados que defenderam que seria mais conveniente erguer a nova unidade junto ao futuro Hospital das Ilhas, mas em vão.

primeira fase, apenas “são precisas” 20, adiantou o mesmo responsável. Os Serviços de Saúde subsidiam há 13 anos o Centro de Reabilitação, na Taipa, subordinado à FAOM, destinado especialmente aos pacientes encaminhados pelo CHCSJ, que se transfere agora para a nova unidade em Ká-Hó, em Coloane.

NOVA FASE

Para o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, o facto de “serem criadas em Macau, pela primeira vez, instalações médicas independentes de reabilitação” marca a entrada “numa nova fase” dos serviços médicos existentes no território. “O Hospital de Reabilitação de Ká Hó destina-se a dar resposta à procura de serviços médicos integrados para idosos e, portanto, nesse mesmo edifício serão integradas as essenciais subunidades fun-

cionais e disponibilizados equipamentos e serviços de qualidade para desenvolver serviços complexos mais adequados”, afirmou Alexis Tam, no discurso que proferiu durante a cerimónia de inauguração, que contou com a presença do Chefe do Executivo, Chui Sai On. Neste âmbito, Alexis Tam destacou a quantidade, mas também a qualidade de que estará dotada a nova valência em Coloane: “A enfermaria de reabilitação do CHCSJ dispõe de 88 camas – mais do dobro das existentes na área de reabilitação do hospital” e “de uma equipa médica especializada, proporcionando tratamentos complexos aos doentes, em especial, tratamento clínico, fisioterapia, terapia ocupacional, gestão da dor, aconselhamento psicológico, entre outros”. D.M.


8 eventos

FACEBOOK

2.4.2019 terça-feira

Concerto à beira-m

Os nomes das bandas e DJs que compõem o cartaz do Hush!! 2019 estão aí. Durante os dias 28 e 30 de Abril e 1 de Maio, a Praia de Hac Sa será o epicentro da celebração da música ao vivo, num evento com uma tradição em Macau de mais de uma década. No cartaz despontam bandas internacionais e locais como Youngr e Concrete/Lotus

MÚSICA CARTAZ DO HUSH!! 2019 COM QUASE 40 BANDAS E DJS

S dias de areia preta nos pés e sons melodiosos com vista para o mar estão no horizonte próximo. Ao longo dos dias 28 e 30 de Abril e 1 de Maio, a Praia de Hac Sa terá três palcos montados, por onde vão passar quase quatro dezenas de bandas e DJs. O primeiro dia de concertos tem como destaque incontornável o britânico

que o seu pai é Kid Creole, uma lenda viva do funk e disco que mistura influências caribenhas e convida a dançar desde 1980. Youngr sobe ao palco Hot Wave no dia 28 ao final da tarde. No mesmo dia e no mesmo palco, antes da performance de Youngr, os fãs da soul mais relaxada não vão, por certo, querer perder o concerto de Phum Viphurit, um músico tailandês de 22 anos que

O

Youngr, uma estrela em ascensão no panorama da pop electrónica. Ainda a caminho de uma audiência mais alargada, o músico baseado em Manchester deu-se a conhecer em 2016 com uma versão de “Sweet Disposition” de Temper Trap. Em duas semanas, a cover rebentou a internet e conseguiu 15 milhões de visualizações, exposição que catapultou o jovem britânico para a ribalta. Desde então,

Youngr, ou Dario Darnell fora dos palcos, lançou o seu primeiro single “Out Of My System”, que conseguiu até hoje mais de 11 milhões de streams no Spotify. Estava pavimentada a estrada para o álbum de estreia, “This Is Not An Album”, lançado no ano passado e que levou o britânico em tour pela Ásia, América e Europa. É de salientar que Youngr tem a música no sangue, uma vez

cresceu na Nova Zelândia. Com um forte pendor romântico, Phum Viphurit tem uma sonoridade acústica, algures entre o indie folk e o funk que promete arrebatar corações no areal de Hac Sa.

O DIA SEGUINTE

O segundo dia do Hush!! 2019 será marcado só por um concerto: Jun Kung & the Latin Connection featuring Steve Thornton.

Jun Kung é um produtor e músico local, com carreira em Hong Kong onde é conhecido como um dos mais icónicos e influentes bateristas da actualidade. Os melómanos podem esperar um concerto ritmado, abrilhantado com a participação especial do percursionista Steve Thornton, oriundo de Brooklyn em Nova Iorque. O norte-americano tem no seu currículo trabalhos com lendas como Miles Davis, Sadao


eventos 9

terça-feira 2.4.2019

ANA CRISTINA ALVES PALESTRA SOBRE NOÇÕES OCIDENTAIS FACE À LÍNGUA CHINESA

A

Watanbe, Herbie Hancock, Mongo Santamaria, McCoy Tyner, Tracy Chapman, Mariah Carey e Michael Jackson. No último dia do Hush!! 2019, destaque para os locais Concrete/Lotus, o projecto constituído por Kelsey Wilhelm e Joana de Freitas que explora a melódica progressão entre sonoridades acústicas e electrónica. Ainda dentro das bandas locais, destaque para o con-

certo de João Gomes e Banda, no palco Hot Wave, às 13h15. Sensivelmente à mesma hora, mas no palco Summer Chill, actuam os 80 & Tal. Ainda no capítulo das bandas de Macau, destaque para os Evade, que sobem ao palco Hot Wave, no dia 28 de Abril, ao final da tarde. O grupo de música electrónica, lançou o seu EP de estreia, “Evade EP”, há dez anos atrás. Em 2012 saiu para os escaparates Destroy &

O primeiro dia de concertos tem como destaque incontornável o britânico Youngr, uma estrela em ascensão no panorama da pop electrónica

Dream”, lançado pela editora de Singapura Kitchen Label. Também no primeiro dia, destaque para outra banda local, os Pyjamars, que actuam às 14h45 convidando à dança com as suas sonoridades situadas algures entre o Disco Funk, Acid Jazz e a música electrónica. Os Pyjamars, banda cujo nome alude à propensão para as improvisações em elaboradas jams com influências espaciais, venceram a sexta edição da Competição de Rock Clássico de Macau e o Concurso de Música Original e Jovem, entre outras distinções regionais. Finalmente, impossível não referir as SCANDAL, banda japonesa que fecha o palco principal do Hush!! 2019. O grupo feminino, oriundo de Osaka, foi formado em 2006 e fez parte de várias bandas sonoras de séries de animação como “Bleach” e “Fullmetal Alchemist: Brotherhood”. Com um imaginário profundamente influenciado pela anime, as SCANDAL têm rockado palcos do mundo inteiro e contam com sete álbuns na discografia. João Luz

info@hojemacau.com.mo

História, Cultura e Religião, tendo obtido o grau na sequência da defesa duma dissertação sobre estudos de género: a Mulher na China (2007), na qual analisa os princípios Yin/Feminino e Yang/Masculino na tradição cultural chinesa do Clássico das Mutações (《易经》) à actualidade. Tem ainda vários trabalhos publicados, entre os quais se destacam: na área de Filosofia, A Sabedoria Chinesa (2005), na de literatura infantil em coautoria com Celina Veiga de Oliveira, Oito Cartas de Macau (1998); em cultura e tradução em coautoria com Wang Suoying, Contos da Terra do Dragão (2000) e Mitos e Lendas da Terra do Dragão (2009); nos estudos de tradução, Culturas em Diálogo: A Tradução Chinês-Português (2016); e na área linguística, dicionário de Chinês-Português/ Português-Chinês. As sessões vão decorrer até quinta-feira, entre as 19h e 21h30, na sala E21-1046 da UM. Apenas a sessão de hoje irá decorrer na FRC e tem entrada livre.

TIAGO ALCÂNTARA

os mar

Fundação Rui Cunha (FRC) organiza, em parceria com a Universidade de Macau (UM) a oficina “Diálogo Intercultural – Caracteres Chineses e Noções Ocidentais”, protagonizada por Ana Cristina Alves, docente da UM. A oficina de duas horas e meia será dividida em duas partes, a primeira para a apresentação teórica dos temas e conceitos propostos para discussão, a segunda reservada ao diálogo com os participantes. O objectivo desta iniciativa consiste em “pensar algumas características fundamentais dos pensamentos grego e chinês comparativamente”, bem como descobrir “quais os preconceitos e más interpretações relativos ao ‘Mesmo’ e ao ‘Outro’”. Serão também abordados temas como as filosofias contemporâneas e o diálogo útil entre culturas: Dào (道), Rén (仁) Xīn ( 心) nas filosofias chinesa e ocidental, sendo que será feita uma leitura filosófica dos pictogramas chineses. Ana Cristina Alves é doutorada em Filosofia da

Língua Congresso internacional dedicado ao português em Novembro

Professores e investigadores de todo o mundo vão reunir-se em Macau, em Novembro, para um congresso internacional dedicado à língua portuguesa, disse ontem à Lusa o director do Instituto Português do Oriente (IPOR).“Podemos esperar um grande encontro de lusitanistas, de nível mundial, não só dos países lusófonos, como de outras regiões”, afirmou Joaquim Ramos, sublinhando a “dimensão global” do evento.O congresso “Macau e a língua portuguesa: Novas pontes a Oriente”, organizado em conjunto pelo IPOR e pelo Instituto Politécnico de Macau (IPM), vai realizar-se entre 27 e 29 de Novembro, num ano de várias celebrações. “Estamos a organizar isto em colaboração com Instituto Politécnico de Macau, onde vamos incluir também as celebrações dos 30 anos do IPOR, portanto acho que fazia sentido incluir aqui uma dimensão mais científica”, indicou. Neste sentido, o congresso vai “reunir professores, investigadores, editores e pessoas ligadas à cultura”, para partilharem as suas pesquisas sobre temas relativos à língua portuguesa, disse Joaquim Ramos, sem adiantar nomes.


10 china

2.4.2019 terça-feira

O

NOVA ZELÂNDIA PEQUIM PEDE AMBIENTE DE INVESTIMENTO JUSTO E TRANSPARENTE

Abram alas à Huawei

A pressão do primeiro-ministro chinês sobre a sua homóloga neo-zelandesa, que se encontra de visita a Pequim, surge na sequência das restrições impostas por Wellington à utilização de equipamentos da Huawei no desenvolvimento da rede 5G no país REUTERS

primeiro-ministro da China, Li Keqiang, pediu ontem à homóloga da Nova Zelândia que assegure um ambiente de investimento “justo, transparente e conveniente”, depois de Wellington ter imposto restrições à gigante chinesa das telecomunicações Huawei. As relações bilaterais deterioraram-se nos últimos meses, depois de os serviços secretos da Nova Zelândia terem impedido a empresa nacional de telecomunicações Spark de usar equipamento da Huawei no desenvolvimento de redes de Quinta Geração (5G). No início de um encontro com Jacinda Ardern, em Pequim, Li Keqiang não mencionou a Huawei, mas disse que a China quer melhorar as relações para servir os interesses das empresas de ambos os lados. “AChina está disposta a, com base no respeito mútuo e igualdade de tratamento, elevar a confiança política mútua com a Nova Zelândia, expandir a cooperação prática e aumentar o intercâmbio humano”, disse Li a Ardern, no Grande Palácio do Povo, após uma cerimónia formal de boas-vindas. “Esperamos que (…) quando as empresas de cada lado investem em negócios do outro, possam desfrutar de um ambiente justo, transparente e conveniente”, disse.

REPÚDIO NACIONAL

ACORDOS ASSINADOS

Nas suas declarações públicas, Ardern não abordou questões sobre investimento, mas agradeceu a Li por expressar condolências pelo ataque que matou 50 fiéis, em duas mesquitas, na Nova Zelândia. A primeira-ministra nova-zelandesa reunir-se ontem com o Presidente chinês, Xi Jinping, depois de a visita ter sido encurtada devido aos ataques de 15 de Março.

No entanto, Ardern disse que, apesar do momento, manteve a visita a Pequim “para sublinhar a importância” que a Nova Zelândia atribui ao relacionamento com a China. “É uma das relações mais importantes e de maior alcance para nós, um ponto que frisei nos meus discursos públicos, no ano passado”, disse. Após a reunião, os dois líderes assistiram à assinatura de acordos nas áreas agricultura, intercâmbio financeiro, ciência e pesquisa, e para evitar a dupla tributação.

Li Keqiang “Esperamos que (…) quando as empresas de cada lado investem em negócios do outro, possam desfrutar de um ambiente justo, transparente e conveniente.”

A decisão dos serviços de inteligência da Nova Zelândia de restringir o uso de equipamento da Huawei, por representar um “risco significativo para a segurança”, provocou indignação na China. A imprensa estatal chinesa condenou a decisão e ameaçou com retaliação económica. A China é o maior parceiro comercial da Nova Zelândia e um importante mercado para os produtos lácteos e outros produtos agrícolas do país. Segundo o Governo da Nova Zelândia, o comércio entre os dois países quase triplicou nos últimos dez anos, desde que um acordo de livre comércio entrou em vigor, em 2008. No mês passado, Ardern disse que não foi ainda tomada uma decisão final sobre o uso de equipamento da Huawei na rede 5G do país. As redes sem fio 5G destinam-se a conectar carros autónomos, fábricas automatizadas, equipamento médico e centrais eléctricas, pelo que vários Governos passaram a olhar para as redes de telecomunicações como activos estratégicos para a segurança nacional.

DEFESA TAIWAN FALA EM PROVOCAÇÃO APÓS APROXIMAÇÃO DE CAÇAS CHINESES

T

AIWAN informou ontem que foi feita uma advertência aos caças chineses que cruzaram a linha central do Estreito de Taiwan, que separa a ilha da China continental, classificando o acto como uma provocação de Pequim. “Ontem [domingo], aeronaves militares chinesas provocaram-

-nos ao violarem o acordo tácito depois de cruzarem a linha mediana do Estreito de Taiwan. Eles recuaram para o lado oeste da linha mediana após advertências da Força Aérea”, disse a Presidente taiwanês Tsai Ing-wen em declarações à margem de uma cerimónia militar.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Joseph Wu, disse aos jornalistas, que se tratou de um acto intencional, apelidando-a como provocação perigosa. O mesmo responsável disse que Taiwan informou os “parceiros regionais” sobre o incidente. O Ministério da Defesa de Taiwan explicou que um par de

caças J-11 chineses entraram no espaço aéreo sudoeste da ilha na manhã de domingo. Taiwan enviou caças para estabelecer contacto com os aviões chineses, que ficaram a cerca de 185 quilómetros da ilha. O Ministério da Defesa adiantou, numa publicação na rede social

Twitter, que os aviões chineses “violaram o acordo tácito de longa data, cruzando a linha mediana” do Estreito. A Presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, disse aos jornalistas que estes actos procuram alterar o ‘status quo’ e ameaçam a segurança e a estabilidade regionais.


região 11

terça-feira 2.4.2019

A operação de investigação dos restos mortais das vítimas da Guerra da Coreia foi decidida durante o encontro entre o Presidente sul-coreano Moon Jae-in, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, em Setembro do ano passado

A

Coreia do Sul lançou ontem o trabalho preparatório na zona desmilitarizada (DMZ) para a exumação dos restos mortais das vítimas da Guerra da Coreia (1950-1953), apesar do silêncio de Pyongyang, que inicialmente concordou em participar neste projecto. O Ministério da Defesa da Coreia do Sul divulgou que a Coreia do Norte não respondeu aos seus apelos e que o exército sul-coreano iniciaria hoje [ontem] o trabalho preparatório de escavação ao sul da zona desmilitarizada entre os dois países. “Estamos a lançar os preparativos para que esta possa tornar-se uma operação norte-sul, assim que a Coreia do Norte responda”, disse aos jornalistas o porta-voz adjunto do Ministério, Roh Jae-cheon. Esta operação foi decidida em Setembro, durante uma cimeira em Pyongyang entre o Presidente sul-coreano Moon Jae-in, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un. Os dois líderes haviam assinado um acordo militar para contribuir para a redução das tensões na península norte-coreana, prevendo-se ainda que uma centena de pessoas de ambos os lados participaria nas operações de investigação dos restos mortais entre 1 de Abril e 31 de Outubro. No entanto, nenhum progresso foi feito desde então sobre a ques-

Ministério da Defesa da Coreia do Sul “Estamos a lançar os preparativos para que esta possa tornar-se uma operação norte-sul, assim que a Coreia do Norte responda.”

COREIA SEUL INICIA TRABALHOS PARA EXUMAÇÃO DE VÍTIMAS DA GUERRA

Cuidar dos mortos tão fundamental da desnuclearização na península coreana.

BANHO-MARIA

Kim e o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reuniram-se em Hanói em Fevereiro numa cimeira que terminou sem

uma declaração conjunta, fracasso que lançou uma sombra sobre as perspectivas de cooperação entre as Coreias. Moon, que se reuniu com Kim três vezes em 2018, promove há muito uma maior cooperação com os norte-coreanos para

reverter os anos de tensão entre os dois países. O Presidente sul-coreano desempenhou um papel fundamental na reaproximação excepcional entre Pyongyang e Washington. Numa reunião de ontem com os seus principais conselheiros,

Nepal Tempestade faz pelo menos 30 mortos e 500 feridos nos distritos de Bara e Parsa

Um novo balanço das autoridades do Nepal elevou para 30 mortos e 500 feridos o número de vítimas de uma tempestade que atingiu o sul do país no domingo. A tempestade abateu-se sobre os distritos de Bara e Parsa, onde destruiu casas, arrancou árvores e derrubou postes de eletricidade, acrescentou o porta-voz do Ministério do Interior, Ram Krishna Subedi, citado pela agência de notícias espanhola EFE. Numa publicação na rede social Twitter, o primeiro-ministro nepalês, K. Sharma Oli, endereçou condolências às famílias, dando então conta do primeiro balanço: 25 pessoas mortas e cerca de 400 feridos.

Moon disse que o fracasso da cimeira de Hanói representou uma “dificuldade temporária”. “Foi confirmado que a Coreia do Sul, a Coreia do Norte e os Estados Unidos não pretendem voltar atrás”, disse Moon. O Presidente sul-coreano vai visitar Washington na próxima semana. Moon disse que esta rápida reunião organizada com Trump mostra que os dois aliados querem relançar “a dinâmica do diálogo o mais rápido possível”.


12 publicidade

2.4.2019 terça-feira

PRECISA-SE Jornalista de língua portuguesa para trabalho a tempo inteiro POR FAVOR CONTACTAR JORNAL HOJE MACAU

TEL: 2875 2401 • EMAIL: info@hojemacau.com.mo


terça-feira 2.4.2019

Onde é que os mortos dormem?

Filosofia a pés juntos António de Castro Caeiro

Dedicado a José António Tenedório.

A

palavra fronteira tem vários sentidos. O primeiro que ocorre é geográfico. A fronteira delimita países geograficamente. Mas historicamente alteram-se tal como diferentes foram os diversos povos que habitaram o espaço delimitado por uma mesma fronteira. Há fronteiras naturalmente geográficas: rios e montanhas. Outras foram forçadas política ou militarmente. O conceito de fronteira tem múltiplas dimensões. Definem-se espaços dentro das fronteiras nacionais e além-fronteiras. Além disso, ser fronteira não define apenas estaticamente localidades, locais, lugares, regiões, províncias terrestres, mas também há fronteiras marítimas que são território nacional de um país e vão muito além do território terrestre. Ser fronteira não é assim definido bem por uma linha geográfica. Ela é difusa ao olhar ainda que bem definida em latitude e longitude. Ser fronteira não é assim um objecto apenas realmente existente. Ao olhar para o globo terrestre como um todo, encontramos morfologias marítimas e terrestres que são as únicas heterogeneidades que encontramos a olho nu. Ser fronteira permite compreender o que é entrar num país e sair de outro país, o que é invadir e defender, acolher e exilar-se, regressar e partir. São muitos os infinitivos que estão conjugados no ser fronteira. A expansão das fronteiras nos impérios historicamente relevantes permite compreender também outros sentidos. Do ponto de vista do império e do invasor colonizador, o projecto para o mundo inteiro é integrar dentro dos seus limites. Do ponto de vista dos colonizados é ter sido invadido e ter perdido a identidade nacional dada pelo corpo definido na anatomia da sua fronteira. Aquém e além, dentro e fora, no interior e no exterior, acolher e libertar são determinações pensadas no fundo da concepção de fronteiras. A cabeça da serpente que era Roma para o seu império tinha as suas fronteiras numa periferia móvel. Um historiador

h

13

Fronteiras I. como Tácito compreende o império a partir da relação tensa que há entre a fronteira na Germânia por exemplo e o que se passa na cidade. O arco tenso entre o núcleo duro do senado romano e as fronteiras do império funda o espaço interior estruturante do próprio império. A nossa vida tem diversas fronteiras vitais. Os sítios que habitamos na nossa existência estão localizados num mapa vital que pode ser partilhado com outras pessoas. Enquanto mapa definido pela vida humana desmultiplica-se em múltiplos sítios, lugares, localidades. Há tantos países quantas as pessoas que são naturais dos seus países e uma única pessoa conhece vários países. Há tantos globos terrestres quantas as pessoas que o habitam, ainda que só lhe acedam pelo ângulo particular do canto do olho. Há múltiplos globos terrestres vistos por uma única pessoa conforme o país que habita ou visita apenas e o duplo olhar que se constitui como natural de um país ou como habitante, provisória ou definitivamente, de um outro país. O conceito de fronteira corresponde em certa medida ao conceito de horizonte. Mesmo que compreendamos a existência de fronteiras e elas possam ser efectivamente ultrapassadas, mesmo que consigamos ver fronteiras representadas ou fotografadas na contemporaneidade ou ao longo da história, a interpretação do ser fronteira implica sempre uma vivência existencial do sentido, do que é estar em casa, em segurança, de um modo

acolhedor, cómodo, familiar. E por outro lado, o que é projectado para fora dessa comodidade, o que é inóspito e inospitável, o que é estranho, está fora de casa, nos faz sentir como peixes fora de água. Gizamos, assim, as nossas próprias fronteiras ou vemos como elas são projectadas a partir do interior da existência humana. Define-se para nós de algum modo desde sempre o espaço estrutural do que é familiar e nós é próprio, do que nos pertence, e o espaço inóspito do que provoca alienação em nós, nos é estranho e não nos pertence. O espaço desta fronteira é afectivo ou sentimental. As fronteiras alteram-se a partir da intimidade da nossa sensibilidade que nos faz sentir em casa no mesmo sítio que nos faziam sentir não em casa. E vice versa: podemos deixar de nos sentir em casa no mesmo sítio a que outrora chamávamos casa. Há fronteiras delineadas com outros que ficam borradas, quando os outros desaparecem. Há fronteiras definidas com outros, quando não havia nenhuma linha a determinar qualquer horizonte de habitabilidade. Há fronteiras que são imaginadas, quando no passado eram inimagináveis, e passamos a habitar um sítio que é bom de ser habitado. Há mundos perfeitos que desabam por não terem fronteiras afectivas. Não por desaparecerem, mas porque nos lembram cidades fantasma inabitáveis pelos próprios nós que já foramos e não seremos outra vez ou só muito dificilmente. Cada pessoa giza as fronteiras do seu próprio império

Há tantos globos terrestres quantas as pessoas que o habitam, ainda que só lhe acedam pelo ângulo particular do canto do olho. Há múltiplos globos terrestres vistos por uma única pessoa conforme o país que habita ou visita apenas e o duplo olhar que se constitui como natural de um país ou como habitante, provisória ou definitivamente, de um outro país

e tem que se ver com as fronteiras dos impérios que são as existências dos outros. Ao sermos com outros, somos por eles e contra elas, passamos por eles na nossa mais completa indiferença, ou ficamos presos uns aos outros pela ausência de indiferença, quando os outros fazem a diferença e nós fazemos a diferença nas suas vidas. Cruzam-se várias nações com outras pessoas, esboçam-se mundos, refazem-se mundos, desfazem-se mundos, constrói-se impérios e destroem-se impérios. Somos Roma e as zonas limítrofes mais periféricas, de nós mesmos e dos outros. As fronteiras são desenhadas a partir do próprio que é nosso, a partir do interior, da intimidade da nossa própria vida. A vida nas suas múltiplas formas com outros e sem eles, sensibilidades, impactos afectivos, crises emocionais, ganhos e perdas é vista a partir da Roma do império que somos nós com outros até à periferia do mundo inteiro na sua totalidade. É aí que se definem os outros na importância muita, pouca, nenhuma ou total das nossas vidas nas dos outros e das dos outros nas nossas vidas. É nesse interior que se define o ateniense em nós e os bárbaros, os que são nossos e os outros. É aí que nos definimos, que percebemos se riscamos ou não riscamos, se somos importantes, muito, pouco ou nada, ou somos tudo parar os outros. E nós próprios na multidão de gente que somos, na múltipla personalidade que é a nossa, definimos também fronteiras para o nosso eu mais íntimo, aquele mesmo que nós somos, e para os outros eus que desprezamos, de quem temos medo, que segregamos, que não afirmamos ou até negamos que alguma vez tenham existido. À superfície da consciência ou sou quem giza a fronteira entre o aquém de mim e o além de mim, quem eu integro e quem eu expulso. Que fronteiras são estas? Qual é o sentido do ser fronteira em que eu entro e saio, eu integro e expulso, eu segrego e acolho? Cancelar-me-ei de mim próprio ou estou sempre continuamente numa posição de apropriação? E a fronteira da vida que é o seu limite, o além, depois da morte?


14 (f)utilidades

?

NUBLADO

O QUE FAZER ESTA SEMANA Diariamente EXPOSIÇÃO | OBRAS-PRIMAS DE ARTE RUSSA MAM | Até 22/04

MIN

20

MAX

24

HUM

70-90%

5 7 2 1 9 4 0 6 4 5 7 3 1 0 2 6 5 8 9 7 9 8 6 0 3 Cineteatro 4 1 3 9 2 5 9 8 0 4 6 2 3 5 7 0 1 8 2 6 1 3 4 7

CONCERTO | FAUX FIGHTERS 3 9 2 7 LMA8| 30/04

3 6 0 4 1 8 7 9 5

6 1 9 7 4 0 5 2 8

9 8 4 2 1 5 7 3 6 0

C I N E M A

33 3 2 4 0 6 1 5 7 9 8

7 5 1 8 9 0 4 6 2 3

35

6 9 8 3 5 2 7 4 0 1

9 7 0 5 2 3 8 1 6 4

4 1 5 9 8 6 0 2 3 7

5 7 9 4 1 0 [A]8 3 9 5 DUMBO FALADO EM INGLÊS LEGENDADO 4 EM1CHINÊS2 6 3 Um filme de: Tim Burton Com: Colin Farrel, Eva Green, Michael Keaton, 2 4 0 9 6 Danny DeVito 14.30, 16.30,19.30, 21.30 3 9 0 2 4 EXTREME 1 JOB 6 [C]7 5 8 FALADO EM COREANO LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS 7 de: Lee5Byeong-Heon 8 1 6 Um filme Com: Ryu Seung-Yong, Lee Hanee, Jin Sun-Kyu, 9 Lee Dong-Hwi, 3 Gong-Myoung 1 7 2 14.30, 16.30, 21.30 2 4 6 8 0 US [C] Um filme de: Jordan Peele 0 Winston 5 Duke,3 7 Com:8 Lupita Nyong’o, SALA 1

SALA 2

Elisabeth Moss 19.15

8 6 2 4 3 7 9 0 1 5

0 3 7 6 1 4 2 5 8 9

1 8 9 2 7 5 6 3 4 0

5 4 6 1 0 8 3 9 7 2

2 0 3 7 4 9 1 8 5 6

8 2 0 6 SHAZAM! 3 7SHAZAM! 6 [B]2 4 1 Um filme de: David F.Sandberg Zachary 0Com: 8 Levi,5Asher Angel, 7 Mark9Strong 14.30 3MASQUERADE 7 1HOTEL 5 [B]8 FALADO EM JAPONÊS INGLÊS 6 5LEGENDADO 1 EM CHINÊS 7 E8 Um filme de: Masayuki Suzuki Com: Takuya Kimura, 9 Masami 3 Nagasawa 4 2 0 21.15 2 0 9 3 4 LOVE LIVE! SUNSHINE!! SCHOOL IDOL 6MOVIE, 4OVER8THE RAINBOW 0 5[B] FALADO EM JAPONÊS LEGENDADO EM CHINÊS 1Um filme5de: Kyohei3Yamaguchi 9 7 Com: Sou Okuno, Atsuhiro Inukai, 4 Gaku9Oshida,6 1 2 SALA 3

Shieri Ohata 17.00, 19.15

0.25

YUAN

1.19

DEIXA-ME RESPIRAR 32 5 8 7 4 2 1 6 3 9 0

6 2 0 7 9 8 3 4 5 1

1 9 3 6 5 4 0 2 7 8

2 1 9 8 0 3 7 6 4 5

8 4 5 3 1 9 2 7 0 6

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 32

6

5 3 1 9 2 2 6 5 8 9 4 7 3 9 6 0 3 1 2

pulmão, pneumonia e doença pulmonar obstrutiva crónica, directamente ligadas à poluição e qualidade do ar. Nove em cada 10 pessoas no mundo inala ar que contém altos níveis de poluentes, o que resulta em 8 milhões de óbitos anuais. 91% da população mundial vive em áreas que excedem os limites aceitáveis pela OMS.

9 3 6 5 7 0 4 8 1 2

0 7 4 2 6 5 8 1 3 9

7 0 8 1 3 6 5 9 2 4

3 6 1 0 4 2 9 5 8 7

4 5 2 9 8 7 1 0 6 3

33

3

6 4 8 1 9 7 1 6 3 8 1 0 7 8 3 9 4 2 9 1 6 7 5 8 2 4 3 2 0 6 3 1 8 4

PROBLEMA 33

35

5 7 3 DOCUMENTÁRIO 5 0 1 8 4 9 6 2 HOJE UM 8 2 1 5 3 6 9 0 9 6 4 2 7 5 Muito antes do ataque terrorista 4 6 perpetrado 0 1 7contra 3 8 os cartoonistas do Charlie 3 7 houve 4 9 um6 autor 0 2 Hebdo, condenado à morte no Irão 5 1 2 8 9 4 0 sem ter a nacionalidade iraniana 1 8 ou9 sequer 6 5visita2 3 do o país. Graças à obra 2 Versículos 5 3 7Satânicos”, 4 9 1 “Os Salman Rushdie viveu 9 0 7 2 8 anos 5 6 com a vida condicionada pois 6 temia 4 8sofrer 3 um0ataque 1 7 devido à sentença aplicada pelo líder do Irão à época, o36 ayatollah Khomeini. Um retrato importante sobre a obra numa 6 do 1 autor, 8 9 3 altura 4 em que se celebram 30 anos 5 4a ocorrência 2 6 7 desse 1 sobre episódio. Andreia Sofia Silva

com.mo

9 4

7 9

6 2 1 3 1 8 6 A Organização Mundial de Saúde estima que só no Vietname 3 haja460.000 7 vítimas 5 anuais de enfarte, cancro do

34

9 0 3 4 7 9 5 1 1 7 6 2 3 8 0 7 0 2 4 5 4 3 1 0 8 5 9 3 2hojemacau. 6www. 7 8

2

32

9 8 3

CONCERTO | HANGAR 18 + EMILY BURNS LMA | 10/04

7 0 5 8 3 2 6 1 4 9

BAHT

COMIDA CHINESA NA TELEVISÃO

1 0

CONCERTO | “CONCERTO DE PÁSCOA - ORATÓRIO DE HANDEL: MESSIAS” Igreja de S. Domingos | 20/04

31

9.07

31

6

CONCERTO | MOCKING BULLET + ELI + LAVY LMA1| 13/04 0 4 8 5 6 2 3

EURO

VIDA DE CÃO

EXPOSIÇÃO | JU MING MGM Cotai | Até 07/04

CONCERTO | NEUROOTS + SIDE BURNS + SINO HEARTS LMA | 11/04

7 8 2 1 6 4 0 3 5

4 3 9 5 7 0 8 1 2

0 1 5 8 3 7 6 4 9

2 6 1 0

7

9 1

S U D O K U

TEMPO

2.4.2019 terça-feira

Em Portugal é transmitido todos os domingos 5 6 à noite2 o chamado0“Frente 3 a Frente”, em que várias famílias 4 3 concorrentes devem mostrar os seus dotes 7 culinários através 5 6de diversos desafios. O deste domingo foi cozinhar 7 0 comida chinesa para alguns membros 9 5 que 1nos últimos 7 3 4 da2comunidade anos tem crescido. É positivo que a comida 1 8 4 9 0 6 2 chinesa esteja assim representada num 3 de horário nobre no canal 9 programa público 3 de televisão 7(RTP), 8 e foi feita uma representação fidedigna deste tipo 0 1 os dumde cozinha, onde se incluíram plings 0 e1outros pratos 5 de carne9e peixe 7 cozidos ao vapor. Com um programa de televisão dedicado à gastronomia chinesa 34 aproximam-se as culturas numa altura em que os dois países estão cada 5 0 É1importante 8 4 que 9a vez mais próximos. ligação2se faça cada vez mais pelo lado 5 9 4 cultural e não apenas pelo económico. Já 0 o tempo em que2os chineses 7 lá vai eram vistos como aqueles que não pagavam 9 4 6 impostos no país e tinham restaurantes 3 más condições 4 1 com de higiene. Alguns preconceitos 5 2têm sido ultrapassados 6e a comunidade chinesa é cada vez mais 1 8 aceite. É certo que esta tem as suas es- 0 pecificidades, mas lamento 2 4 9quenãohaja esta aproximação cultural com outras 0 2 6 1 comunidades imigrantes que residem 8Talvez 3 com 0 1o tempo 7 isso 5 em Portugal. aconteça. Andreia Sofia Silva

4 2 8 7 0 3

1 5 8 3 7 6

36

4 SALMAN2RUSHDIE – PERSEGUIDO 3 9 3 KARELL 4 0(2019) PELA MORTE | WILLIAM 3 9 5 7 6 2 2 3 0 5 3 4 2 5 7 6 0 9 3 7 7 5 8 3 0 4 5 1 6 2 5 8 7 4 3 0 7 4 5 8 1 0 9 0 4 6 8 1 9 3 2 6 0 5 1 0 5 6 9 7 4 8 5 9 0 5 3 9 6 1 8 4 9 1

0 2 5 7 8 9 3 0 2 5 7 6 1 8 8 3 6 0 2 4 9 0 5 8 4 3 1 2 4 5 9 6 6 8 3 1 7 9 Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; Diana do Mar, João Santos Filipe; Sofia Margarida 5 Mota 6 Colaboradores 9 7 8Amélia2Vieira; António Cabrita; António Castro Caeiro; António Falcão; Gonçalo Lobo Pinheiro; João Paulo Cotrim; José Drummond; José Navarro de Andrade; José Simões Morais; Luis Carmelo; Michel Reis; Nuno Miguel Guedes; Paulo José Miranda; Paulo Maia e Carmo; Rita Taborda Duarte; Rui Cascais; Rui Filipe Torres; Sérgio Fonseca; 0 Valério 7 Romão 2 4 6 António 1 Conceição Júnior; David Chan; João Romão; Jorge Morbey; Jorge Rodrigues Simão; Olavo Rasquinho; Paul Chan Wai Chi; Paula Bicho; Tânia Colunistas dos Santos Cartoonista Steph Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua Secretária 4 de9redacção 1 e3Publicidade 0 5Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de

Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo

4 3 6 9


opinião 15

terça-feira 2.4.2019

JOSÉ MANUEL PUREZA in Esquerda.net

A opacidade da transparência PIETER BRUEGHEL, AYMENT OF THE TITHES OR THE VILLAGE LAWYER ( 1564 - 1637/8)

E

RA de esperar. Depois de meses, muitos meses, de trabalho parlamentar sobre um pacote legislativo de combate à corrupção, PS e PSD acertaram à última hora as escapatórias que garantam a intocabilidade de alguns interesses poderosos. Muito alarde sobre a criação de um Comité de Ética, muito alarde sobre a regulamentação do lobbying, muito alarde sobre a adopção de códigos de conduta. Mas, onde se exigia determinação para combater os mecanismos ágeis dos circuitos das influências, eis que PS e PSD se juntam para barrar caminho a mudanças a sério. Veja-se o caso dos deputados advogados. O resultado do trabalho alcançado na Comissão da Transparência tinha sido este: “É vedado aos deputados (…) integrar ou prestar quaisquer serviços a sociedades

civis ou comerciais que desenvolvam qualquer uma das actividades referidas na alínea anterior” (consultoria, autoria de pareceres ou patrocínio judiciário”. Sublinho: não só prestar esses serviços como integrar as sociedades que os prestem. Pois bem, na vigésima quinta hora, PSD e PS aprovaram uma proposta de alteração ao que tinha sido adoptado com a seguinte redacção: “É vedado aos deputados (…) intervir em qualquer uma das actividades referidas na alínea anterior que sejam desenvolvidas por sociedade civil

Depois de meses de trabalho parlamentar sobre um pacote legislativo de combate à corrupção, PS e PSD acertaram à última hora as escapatórias que garantam a intocabilidade de alguns interesses poderosos

ou comercial à qual preste serviços ou da qual seja sócio (…)”. A diferença é tão óbvia que magoa: é vedado ao deputado intervir directamente mas não ser membro da sociedade que intervém. Não é que fosse preciso, mas fica mais que provado que a regulamentação do lobbying entra pela porta e sai logo pela janela. PS e PSD (e CDS, no caso) aprovam que quem faz lobbying tem que se registar como tal e as reuniões tidas com agentes políticos têm que ser publicitadas. Mas os mesmos PS e PSD aprovam depois que um deputado-advogado fica de mãos livres para legislar em assuntos tratados pela sociedade de que é membro, contanto que tenha o cuidado de pedir ao colega do gabinete ao lado que seja ele a aparecer formalmente nos processos sobre o assunto lesgislado. Concessão de vistos gold é um simples exemplo, totalmente ao acaso, pois claro. O Comité de Ética bem pode aplicar todos os códigos de ética que quiser. Mas a ética ficou, mais uma vez, à porta dos interesses que PS e PSD defendem.


Agradecidos são aqueles que ainda têm algo a pedir. Pitigrilli

terça-feira 2.4.2019

FIFA ONOFRE COSTA ASSUME DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO

BRUNEI ONU APELA A RECUO NA PENA DE MORTE PARA GAYS E ADÚLTERAS

O

A

português Onofre Costa assumiu ontem o departamento de comunicação da FIFA, sucedendo no cargo ao francês Fabrice Jouhaud, anunciou o organismo que rege o futebol mundial. De acordo com a FIFA, Onofre Costa, antigo responsável pela comunicação da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), iniciou ontem funções em Zurique. Fabrice Jouhaud liderava a comunicação da FIFA desde Agosto de 2016. Onofre Costa, de 45 anos, assessorou o actual presidente da FIFA, o suíço Gianni Infantino, nas eleições para o organismo vencidas pelo antigo secretário-geral da UEFA, em Fevereiro de 2016, depois de ter liderado a comunicação da candidatura do ex-futebolista português Luís Figo ao mesmo cargo, tendo também integrado a comunicação da candidatura conjunta de Portugal e Espanha à organização do Mundial2010.

Licenciado em Direito, foi jornalista da RTP. Depois tornou-se gestor do projecto na sociedade Euro2004, antes de assumir a direcção de comunicação da FPF. Desempenhou ainda funções no comité de media da UEFA e, recentemente, era consultor de comunicação de várias entidades portuguesas e estrangeiras. “Damos as boas-vindas a Onofre na direção, enquanto expressamos a nossa sincera gratidão a Fabrice pelos anos de bom trabalho e desejando-lhe sucesso nos desafios futuros”, lê-se no comunicado da FIFA. A FIFA descreve o português como um “experiente executivo, com larga experiência na área administrativa no mundo do futebol”. PUB

PALAVRA DO DIA

É só fazer as contas Jornal israelita acusa Likud de manipulação através de redes sociais

U

MA investigação israelita revela a existência de uma rede de contas na rede social Twitter, alegadamente falsas, usadas para defender o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e difamar os candidatos da oposição às eleições da próxima semana. De acordo com o jornal israelita Yediot Aharonot, as contas criadas nos últimos anos estão coordenadas entre si, tendo multiplicado a actividade para “promover os temas defendidos por Netanyahu e do partido Likud” e difundir “propaganda”, “mentiras” e “calúnias” contra alguns meios de comunicação social e candidatos às eleições legislativas de 9 de Abril. De acordo com o jornal, as centenas de contas de Twitter são “geridas por pessoas que não revelam a identidade” e que usam

imagens de perfil retiradas de “bases de dados estrangeiras” ou de plataformas de design gráfico. A rede foi descoberta pelo Projecto Bit Bots, um grupo de investigação que estuda as más práticas das redes sociais e que é financiado através de subscrição pública. Várias das contas de Twitter em causa estão supostamente associadas a altos cargos do partido Likud e ao filho mais novo do primeiro-ministro, Yair. Uma das contas mais activas tem o nome Moshe e usa uma imagem de perfil que mostra um jovem de olhos azuis, barba e bigode e que na realidade é uma fotografia do modelo grego Theo Theodoridis.

REGRESSO À VIDA

Este perfil, que publica textos relacionados com temas políticos, foi criado em Março de 2015 e, embora em 2018 tenha publicado muito

pouco, aumentou a actividade nos primeiros meses de 2019, logo após o anúncio sobre a marcação das eleições israelitas. Desde essa altura a conta difundiu mais de 2.500 mensagens, destacando-se os elogios a Netanyahu e as críticas aos membros da oposição, indica o Yediot Aharonot. “A esquerda vai converter-se ao Islão, é só uma questão de tempo”, escreveu recentemente o autor da conta com o nome Moshe. Outras contas ligadas ao mesmo utilizador acusaram o candidato centrista Beni Gantz, principal rival de Benjamin Netanyahu, de ser “um violador com problemas mentais”. De acordo com o Projecto Big Bots, a actividade da rede pode estar a violar a legislação eleitoral e de financiamento de campanhas, assim como as leis fiscais e de privacidade.

Futebol Maradona dedica triunfo a Maduro

A lenda do futebol argentino Diego Maradona dedicou o triunfo dos Dorados, frente ao Tampico Madero, esta segunda-feira, por 3-2. O ex-jogador criticou os EUA e o Presidente americano Donald Trump. «Este triunfo, quero dedicar a Nicolás Maduro e a toda a Venezuela, que estão sofrendo, que os xerifes do mundo, que são os yankees, porque têm a maior bomba do mundo, acreditam que podem passar por cima de nós. Não. Por cima de nós, não», disse, depois do apito final do jogo», rematou, numa indireta a Donald Trump.

ONU classificou ontem como cruel e desumana a nova legislação que instaura a pena de morte para homossexualidade ou adultério no Brunei, pequeno Estado do sudeste asiático muito rico em petróleo. “Apelo ao Governo [do Brunei] para que não deixe entrar em vigor o novo código penal draconiano que, se for aplicado, representará um sério recuo da protecção dos direitos humanos”, apelou a Alta Comissária dos Direitos Humanos, Michele Bachelet, em comunicado ontem divulgado. A partir de quarta-feira, o Brunei vai juntar-se ao grupo de países que penaliza o adultério e a homossexualidade com a pena de morte, neste caso por apedrejamento e chicotadas. O actor norte-americano George Clooney e o cantor inglês Elton John já apelaram a um boicote aos nove hotéis de luxo detidos pelo sultão do Brunei. A decisão resulta de uma directiva do sultão do Brunei, Hassanal Bolkiah, um dos chefes de Estado mais ricos do mundo - com uma fortuna pessoal que ronda os 20 mil milhões de dólares - e que se mantém no trono desde 1967. Hassanal Bolkiah descreveu a implementação do novo código penal como “uma óptima conquista”. O anúncio foi acolhido com horror pelos grupos de defesa dos direitos humanos. A Amnistia Internacional instou o Brunei a “suspender imediatamente” a implementação destas sanções. “Além de serem penas cruéis, desumanas e degradantes, [a nova lei] restringe a liberdade de expressão, de religião e de fé e põe no papel a discriminação contra mulheres e raparigas. Legalizar penas tão cruéis e desumanas é pavoroso só por si”, afirmou a responsável da Amnistia Internacional no Brunei, Rachel Chhoa-Howard.

Profile for Jornal Hoje Macau

Hoje Macau 2 ABR 2019 #4260  

N.º 4260 de 2 de ABR de 2019

Hoje Macau 2 ABR 2019 #4260  

N.º 4260 de 2 de ABR de 2019

Profile for hojemacau
Advertisement