Hoje Macau 02 DEZEMBRO 2021 #4904

Page 1

Nº 4905 QUINTA-FEIRA 2-12-2021 DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

hoje macau

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

MOP$10

ROTA DAS LETRAS

CARTAZ ENRIQUECIDO ÚLTIMA

CASINOS

RECEITAS CRESCEM PÁGINA 5

OPINIÃO

COP26 SUCESSO OU FRACASSO? OLAVO RASQUINHO

CASO SUNCITY

MAIS PESOS NA BALANÇA CENTRAIS

Hospitaleiros

Abertura do Hospital das Ilhas, aumento de quadros qualificados e actualização das instalações de saúde, são algumas das medidas apresentadas ontem pela responsável da pasta dos Assuntos Sociais e Cultura, Elsie Ao Ieong U, no debate das Linhas de Acção Governativa do sector, para promover Macau como destino de Turismo de Saúde. PÁGINAS 2-3


2 lag 2022

2.12.2021 quinta-feira

www.hojemacau.com.mo

ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA

RÓMULO SANTOS

HOSPITAL DAS ILHAS GOVERNO QUER DESENVOLVER TURISMO DE SAÚDE

O que é de mais enjoa

Pedido “equilíbrio” nas medidas de prevenção da covid-19

E

LLA Lei argumentou ontem pelo “equilíbrio” nas medidas adoptadas pelo Governo para lidar com a pandemia. “Quais são os critérios concretos para estas medidas, tal como as que estão ligadas à entrada de estrangeiros? Como se pode garantir o equilíbrio? No ano passado tínhamos a variante Delta e agora temos uma nova [Ómnicron]. O Governo vai estudar as medidas aplicadas para a prevenção da pandemia?”, questionou. Para Ella Lei, é necessário melhorar a passagem dos alunos transfronteiriços. “Não digo para se baixar a guarda, mas são necessários critérios uniformes. O sector da cultura parece ser aquele que encerra as suas actividades mais cedo”, apontou. No entanto, a secretária adiantou poucos detalhes. “Em Outubro fizemos algumas melhorias nas nossas medidas em relação aos locais de isolamento e de quarentena”, disse a secretária. A governante admitiu também falta de tempo para concretizar as sugestões feitas pelos especialistas da Comissão Nacional de Saúde da China em Agosto. “Não conseguimos agir de forma tão rápida. Temos agora uma nova estirpe vinda da África do Sul e estamos a fazer esse acompanhamento.”

Peito às balas

A secretária para os Assuntos Sociais e Cultura frisou que, caso Macau registe novo surto ou problemas associados com a gestão da pandemia, irá assumir as responsabilidades. “Assumo a responsabilidade sobre qualquer onda de surto da pandemia. Precisamos de melhorar a coordenação e vou assumir as responsabilidades”, disse, explicando que o objectivo das autoridades é travar o impacto negativo com o encerramento de algumas actividades económicas. “Vamos reforçar os trabalhos [de divulgação] para que as pessoas se vacinem e vamos analisar que sectores necessitam suspender actividade. Tentamos reduzir o impacto na vida da população, daí que nos meses de Agosto a Outubro tentámos reabrir as lojas e reiniciar as actividades para que a população possa ter entretenimento e praticar desporto”, concluiu. A. S. S.

De férias na enfermaria A secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Elsie Ao Ieong U, espera que Macau se torne num destino de turismo de saúde nos próximos anos com a abertura do novo Hospital das Ilhas. Na próxima semana, o Governo reúne com responsáveis do Peking Union Medical College Hospital para ultimar detalhes de gestão

O

debate sobre o relatório das Linhas de Acção Governativa (LAG) para o próximo ano na área dos Assuntos Sociais e Cultura ficou marcado por questões sobre a gestão do futuro Complexo Hospitalar de Cuidados de Saúde das Ilhas. A secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Elsie Ao Ieong U, disse esperar

RESPOSTA MENTAL Alguns deputados alertaram ontem para o aumento do suicídio juvenil, bem como os problemas de saúde mental associados à pandemia. No entanto, Elsie Ao Ieong U garantiu que a Direcção dos Serviços de Educação e Desenvolvimento da Juventude e o Instituto de Acção Social “têm cooperado com organismos sociais e escolas para prestar um melhor serviço à população” nesta matéria. “Com um cenário de pandemia e a pressão sentida no dia-a-dia as pessoas podem sentir [dificuldades], e temos depositado a nossa atenção junto das comunidades e escolas. Temos [os serviços] do hospital público e um canal verde para as pessoas que precisem de um médico na área da saúde mental”, acrescentou.

que o novo hospital possa atrair visitantes para o segmento do turismo de saúde. “Reunimos condições para promover o turismo de saúde e nos próximos anos posso garantir que as instalações de saúde serão mais actualizadas e teremos quadros mais qualificados”, começou por dizer. “Muitos chineses reconhecem a qualidade do Peking Union Medical College Hospital nas áreas da oncologia e cirurgia plástica e isso pode levar à promoção do turismo de saúde em Macau”, frisou a governante. Perante as perguntas dos deputados, a secretária referiu que a gestão do futuro hospital será abordada na próxima semana numa reunião entre o Governo e responsáveis da entidade hospitalar de Pequim. O centro terá “um modelo diferente do hospital público, pois os trabalhadores não serão considerados da Função Pública”. A secretária adiantou que “haverá medidas de gestão financeiras próprias” e será criado “um novo órgão de direcção para gerir o hospital”. O Governo vai preparar “um pacote de diplomas legais para ser apreciado pelo

hemiciclo” a propósito da gestão do novo hospital. Elsie Ao Ieong U adiantou também que os médicos especialistas ou chefes de serviço serão contratados por esta entidade de gestão no Interior da China ou no estrangeiro. O objectivo é contratar “médicos de renome para trabalhar em Macau, que vão prestar cuidados médicos e ensinar os profissionais de saúde”. Além disso, “os profissionais de saúde de Macau serão formados pela Peking Union

“Muitos chineses reconhecem a qualidade do Peking Union Medical College Hospital nas áreas da oncologia e cirurgia plástica e isso pode levar à promoção do turismo de saúde em Macau.” ELSIE AO IEONG U SECRETÁRIA PARA OS ASSUNTOS SOCIAIS E CULTURA

Medical College Hospital e só depois podem começar a trabalhar” no novo hospital. Elsie Ao Ieong U falou da possibilidade de os profissionais de saúde de outros hospitais serem também formados pela Peking Union Medical College Hospital.

Faltam especialistas

A governante prometeu desenvolver o sector da saúde, apostando em especialidades médicas como a oncologia, onde “existe falta de médicos” e tendo em conta que “muitos pacientes foram encaminhados para o estrangeiro para fazerem o seu tratamento”. O Governo quer ainda desenvolver áreas médicas como a neurologia e cirurgia plástica. Actualmente, Macau tem uma média de dois médicos por cada mil habitantes, rácio semelhante a Singapura “que não baixo em comparação com os territórios vizinhos”. No entanto, admitiu a secretária, “temos falta de médicos especialistas”. Andreia Sofia Silva


quinta-feira 2.12.2021

lag 2022 3

www.hojemacau.com.mo

RÓMULO SANTOS

Ano Novo Governo sem planos para festa na rua A secretária para os Assuntos Sociais e Cultura não tem ainda planos para a habitual festa de passagem de ano na rua devido à pandemia. “Não temos ainda um plano concreto para controlar o fluxo de pessoas. [Este evento] não pode ser como o Grande Prémio porque não há muitas saídas no recinto e não podemos ter um local que tenha apenas uma entrada e saída. Os participantes podem chegar aos 25 mil, enquanto que no Festival de Gastronomia participaram apenas 700 pessoas”, apontou.

Ensino superior Questionado o aumento das propinas Ngan Iek Hang questionou o Executivo sobre o aumento de propinas no ensino superior. “Recebemos opiniões sobre a taxa de propinas na Universidade de Macau (UM). O aumento tem a ver com os custos e outros factores, mas [este assunto] está relacionado com a formação de quadros qualificados”, frisou. A secretária para os Assuntos Sociais e Cultura explicou que se chegou a um consenso com as instituições de

ensino superior para definir os novos valores das propinas. “O aumento para as propinas dos cursos de licenciatura para os alunos locais será de 35 por cento. Há muito tempo que não alterávamos o valor das propinas e comparámos com os valores cobrados em Hong Kong.” Uma licenciatura na Universidade de Macau custa, por ano, 37.500 patacas para alunos de fora, enquanto estudantes de Macau pagam menos de seis mil patacas.

Cuidadores Âmbito do subsídio pode ser alargado

Em resposta às deputadas Ella Lei e Wong Kit Cheng, a secretária para os Assuntos Sociais e Cultura prometeu alargar o âmbito do subsídio atribuído aos cuidadores informais, ainda em fase experimental. “Vamos repensar [atribuir] este subsídio para cuidadores de doentes autistas graves, e acamados. Vamos considerar também a inclusão dos cuidadores dos portadores de deficiência. A primeira fase [deste plano] acabou e vamos continuar a fazer um balanço para ver onde podemos melhorar”, referiu Elsie Ao Ieong U.

Ensino Governo desiste do plano para Canídromo Ron Lam U Tou e Che Sai Wang questionaram ontem o Executivo sobre as razões para o abandono do plano de construção de escolas para o terreno do Canídromo. Segundo explicou Lou Pak Sang, director da Direcção dos Serviços de Educação e Desenvolvimento da Ju-

ventude, a falta de espaço foi a grande razão. “Escolhemos a zona A porque tem mais área, no terreno do Canídromo tínhamos apenas oito mil metros quadrados. Uma das escolas de ensino especial tinha uma área de 2.500 metros quadrados e agora podemos proporcionar

uma área de cinco mil metros quadrados. Na zona A teremos mais condições para os estudantes.” O dirigente garantiu que as novas escolas vão estar rapidamente ao serviço da comunidade e que ainda está a ser estudada a finalidade a dar ao terreno do Canídromo.

Residências|idosos Preços abaixo de 20 mil Mop Relativamente ao plano de construir residências para idosos, a secretária Elsie Ao Ieong U adiantou que os valores dos apartamentos serão abaixo de 20 mil patacas. “Estamos a comparar com as residências para idosos dos territórios vizinhos, e lá as rendas são caras, entre 20 a 30 mil por mês, e não vamos aplicar este preço. Vamos comparar o preço com os valores das residências existentes à volta desse terreno para que se fixe um preço.”


4 sociedade

2.12.2021 quinta-feira

www.hojemacau.com.mo

DROGA DETIDO POR TRAFICAR COCAÍNA NO VALOR DE 21 MIL PATACAS

Os pacotes malditos Um residente de Macau na casa dos 30 anos foi detido por uma burla praticada em 2018 que envolveu o desfalque de dois milhões de renminbis. Segundo o canal chinês da TDM-Rádio Macau, o homem foi detido enquanto tratava de formalidades junto do Departamento de Controlo Fronteiriço do Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP). O caso ocorrido em 2018 diz respeito ao câmbio ilegal de dinheiro, mais precisamente à troca de dois milhões de renminbis por dólares de Hong Kong (HKD). Na altura, após comprometer-se a fazer o câmbio, o suspeito nunca chegou a retribuiu o montante em HKD à vítima e deixou de estar contactável a partir daí. O caso foi encaminhado para o Ministério Público (MP), onde o homem irá responder pelo crime de abuso de confiança em valor consideravelmente elevado.

Activos Públicos Sónia Chan mais um ano no gabinete de supervisão

Sónia Chan vai continuar mais um ano à frente do Gabinete para o Planeamento da Supervisão dos Activos Públicos, organismo que lidera desde 2019. A renovação do mandato foi oficializada por despacho do Chefe do Executivo, publicado no Boletim Oficial, e entra em vigor no próximo dia 20 de Dezembro. PUB.

AVISO N.º 160/AI/2021 -----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se os infractores abaixo discriminados:--------------------------------------------------------1. Mandado de Notificação n.° 965/AI/2021:YAO YUFU, portador do Passaporte da RPC n.° EB1999xxx e portador do Salvo-Conduto para Deslocação a Hong Kong e Macau da RPC n.° C88588xxx, que na sequência do Auto de Notícia n.° 326/DI-AI/2019 levantado pela DST a 15.11.2019, e por despacho da signatária de 08.11.2021, exarado no Relatório n.° 1052/DI/2021, de 27.10.2021, nos termos do n.° 1 do artigo 10.° e do n.° 1 do artigo 15.°, ambos da Lei n.° 3/2010, lhe foi determinada a aplicação de uma multa de $200.000,00 (duzentas mil patacas) por controlar a fracção autónoma situada na Rua de Paris n.° 170, Jardim Nam Ngon, Bloco 3, 13.° andar O onde se prestava alojamento ilegal.-------------------------- 2. Mandado de Notificação n.° 974/AI/2021:LIANG JIANWEN, portador do Salvo-Conduto para Deslocação a Hong Kong e Macau da RPC n.° C99729xxx e portador do Título de Identificação de Trabalhador Não-Residente n.° 22223xxx, que na sequência do Auto de Notícia n.° 349/ DI-AI/2019 levantado pela DST a 28.11.2019, e por despacho da signatária de 08.11.2021, exarado no Relatório n.° 1063/DI/2021, de 29.10.2021, nos termos do n.° 1 do artigo 10.° e do n.° 1 do artigo 15.°, ambos da Lei n.° 3/2010, lhe foi determinada a aplicação de uma multa de $200.000,00 (duzentas mil patacas) por controlar a fracção autónoma situada na Taipa, Estrada Coronel Nicolau de Mesquita n.° 141, 22.° andar B onde se prestava alojamento ilegal.---------------------------------------------------------------------------O pagamento voluntário da multa deve ser efectuado no Departamento de Licenciamento e Inspecção destes Serviços, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, de acordo com o disposto n.° 1 do artigo 16.° da Lei n.° 3/2010, findo o qual será cobrada coercivamente através da Repartição de Execuções Fiscais, nos termos do n.° 2 do artigo 16.° do mesmo diploma.----------------------------------------------------------------------------Da presente decisão cabe recurso contencioso para o Tribunal Administrativo conforme disposto no artigo 20.° da Lei n.° 3/2010, a interpor no prazo de 60 dias, conforme disposto na alínea b) do n.° 2 do artigo 25.° do Código do Processo Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto-Lei n.° 110/99/M, de 13 de Dezembro.---------------------------------------------------Desta decisão pode os infractores, querendo, reclamar para o autor do acto, no prazo de 15 dias, sem efeito suspensivo, conforme o disposto no n.° 1 do artigo 148.°, artigo 149.° e n.° 2 do artigo 150.°, todos do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.° 57/99/M, de 11 de Outubro.------------------------------------------------------------------------------Há lugar à execução imediata da decisão caso esta não seja impugnada.---------------------------------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335341, Edifício ‘‘Hot Line” (Centro “Hot Line”), 18.° andar, Macau.-------------Direcção dos Serviços de Turismo, aos 24 de Novembro de 2021. A Directora dos Serviços, Maria Helena de Senna Fernandes

U

M homem de 34 anos de nacionalidade chinesa foi detido na passada terça-feira perto do Hotel Lisboa, por suspeitas da prática do crime de tráfico ilícito de estupefacientes. No decorrer da operação da Polícia Judiciária (PJ) que aconteceu entre segunda e terça-feira na zona do NAPE, foram apreendidos 16 pacotes de cocaína no valor de 21 mil patacas. De acordo com informações reveladas ontem pela PJ em conferência de imprensa, o caso veio a lume após as autoridades terem recebido uma informação que apontava para o facto de um homem estar dedicado à venda de estupefacientes no NAPE. No decurso da operação, a PJ conseguiu identificar o suspeito naquela zona da cidade, por volta das 3h00. Seguiu-se uma caça ao homem que só terminou junto ao Hotel Lisboa. Na sua posse, o suspeito não trazia qualquer estupefaciente ou material ilícito. No entanto, durante as buscas que decorreram no quarto do hotel onde o suspeito

A

S autoridades de saúde de Macau afirmaram ontem que devido à “preponderância de HIV em contactos sexuais entre pessoas do mesmo sexo” foi acentuada a “prevenção, controlo e teste a homossexuais do sexo masculino”. Assim sendo, e para fazer face ao crescimento da doença, os Serviços de Saúde (SSM) têm publicado “anúncios sobre testes periódicos em páginas electrónicas e aplicações para telemóveis destinadas a homossexuais em Macau”, assim como

pré-determinado para outro, onde a droga seria finalmente entregue a uma outra pessoa. Juntamente com as doses de cocaína foram ainda apreendidas duas fichas de jogo que o suspeito alegou ter obtido no casino.

HOJE MACAU

Burla Preso por crime de 2018

A Polícia Judiciária deteve um residente do Interior da China na posse de 6,46 gramas de cocaína. O homem estava há três dias em Macau e era responsável por entregar os pacotes com droga a uma outra pessoa. Por dia, fazia até quatro entregas e recebia 1.000 renminbis pelo serviço

Não sei onde estou

estava hospedado, no NAPE, a PJ encontrou e apreendeu 16 pacotes de cocaína, com o peso total de 16,46 gramas. Durante o interrogatório, o homem confessou que estava em Macau há três dias para

auxiliar uma operação de tráfico de droga e para jogar nos casinos do território. Segundo o porta-voz da PJ, o suspeito alegou ainda estar apenas incumbido de apanhar e transportar a droga de um sítio

Por cada dia de trabalho, o homem recebia um vencimento de 1.000 renminbis e vincou não saber de onde vem a droga nem ser capaz de identificar os locais onde efectou as entregas por “não conhecer Macau”

Por cada dia de trabalho, o homem recebia um vencimento de 1.000 renminbis e vincou não saber de onde vem a droga nem ser capaz de identificar os locais onde efectou as entregas por “não conhecer Macau”, limitando-se a seguir instruções. Segundo a PJ, o valor de mercado dos 16,46 gramas apreendidos corresponde a 21 mil patacas. O caso seguiu ontem para o Ministério Público (MP), onde o homem vai responder pela prática do crime de tráfico ilícito de estupefacientes e de substâncias psicotrópicas. A confirmar-se a acusação, o suspeito pode vir a ser punido com uma pena de prisão entre 5 e 15 anos. Pedro Arede

O outro vírus

Serviços de Saúde dirigem campanha contra a SIDA à comunidade gay

“disponibilizado preservativos e lubrificantes em locais nocturnos onde é conhecida a frequência de homossexuais”. As autoridades afirmam que também organizaram actividades online de proximidade e apoiaram organizações não governamentais, esforços desenvolvidos com o intuito de oferecer “serviços de prevenção e controlo necessários e adequados à homosse-

xualidade em Macau”, escrevem os SSM. Com o objectivo de fazer diagnósticos e tratamentos precoces, assim como facilitar testes rápidos e encaminhamento médico, as autoridades lançaram em Março de 2021 um programa de autoteste para detectar o vírus do HIV. “Para aceder a este programa os interessados só precisam de completar o registo online, pagar o teste de

forma electrónica e levantar o kit de testes em armários inteligentes”, indicam os SSM. Até agora, 260 pessoas compraram os auto-detectores e foi encontrado um caso positivo, “o que revela a eficácia do programa”, é concluído.

Números do ano

O comunicado dos Serviços de Saúde, emitido no âmbito do Dia Mundial de Luta Contra a SIDA assi-

nalado ontem, indica que entre Janeiro e Outubro de 2021, foram registados 50 casos de infecção pelo vírus da SIDA, 35 destes referentes a residentes locais. Neste universo, as infecções por contacto homossexual ou transsexual representam a maioria dos novos casos, um total de 27, seguido pelo contacto heterossexual, 8 casos. Além disso, as autoridades destacam que desde 2015, os residentes de Macau que contraem a doença por via sexual entre homossexuais e transsexuais “têm vindo a aumentar”. J. L.


quinta-feira 2.12.2021

sociedade 5

www.hojemacau.com.mo

Alfândega Reconhecimento facial em 2022 O adjunto do director-geral dos Serviços de Alfândega, Lei Iok Fai, revelou que o sistema de reconhecimento facial entrará em funcionamento no segundo trimestre de 2022. De acordo com o canal chinês da TDM-Rádio Macau, Lei Iok Fai indicou que se encontra actualmente a recolher opiniões sobre o sistema, junto do Gabinete para a Protecção de Dados Pessoais. Sobre o actual mecanismo de combate ao contrabando entre Zhuhai e Macau, o responsável apontou que este tem sido “eficaz” e que,

quatro dos grandes casos desmantelados em 2021 materializaram-se na apreensão de material no valor 4,8 mil milhões de renminbi. Sobre os casos de casamento de falso, o segundo-comandante do Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP), Vong Vai Hong apontou que em 2020, o organismo denunciou 49 casos do género, envolvendo 102 pessoas no total. Já em 2021, o CPSP denunciou 85 casos de casamento falso, envolvendo 193 pessoas no total.

Cloee Chao não está confiante que a entidade a que preside, a Associação Novo Macau pelos Direitos dos Trabalhadores de Jogo, possa tornar-se num sindicato, se a lei sindical mantiver a linha seguida pelo documento orientador da consulta pública. A activista está preocupada com a possibilidade de a nova lei apenas permitir a criação de um sindicato por cada operadora de jogo. Em declarações ao jornal All About Macau, a candidata excluída das últimas eleições legislativas, indicou ser contra a restrição de apenas uma associação sindical por operadora. Além disso, defendeu que como em empresas de grande dimensão existem muitos tipos de tarefas diferentes, é impraticável todas as categorias e profissões

JOGO RECEITA DOS CASINOS SOBEM 54,6% EM NOVEMBRO

Mínimos olímpicos Em Novembro, as receitas brutas dos casinos fixaram-se em 6,74 mil milhões de patacas, uma subida de 54,6 por cento em relação ao mês anterior. Em termos de receita acumulada, o montante total gerado entre Janeiro e Novembro de 2021 foi de 78,90 mil milhões de patacas, ficando a faltar cerca de 7,1 mil milhões para o Governo atingir o objectivo anual, revisto em baixa, de 86 mil milhões de patacas

A

S receitas dos casinos em Macau cresceram 54,6 por cento em Novembro relativamente ao mês anterior, altura em que se verificou o pior resultado do ano. Os dados foram divulgados ontem pela Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ). Em relação ao período homólogo do ano passado, o montante arrecadado pelas operadoras de jogo permaneceu praticamente inalterado, com as receitas a atingirem os 6,74 mil milhões de patacas, informou o organismo. Contas feitas, até Novembro, a receita bruta acumulada subiu 49,9 por cento, dado que o montante total gerado entre Janeiro e Novembro de 2021 foi de 78,90 mil milhões de patacas, ou seja mais 26,28 mil milhões de patacas do total acumulado, ao fim dos primeiros onze meses de 2020 (52,62 mil milhões). A contribuir para a melhoria dos resultados de Novembro está a alteração de 48 horas para sete dias da validade dos testes de ácido nucleico, necessário para sair de Macau rumo a Zhuhai. Se-

gundo especialistas do sector ouvidos pelo HM na semana passada, a medida, que entrou em vigor recentemente está a ter um impacto “forte” e “imediato, nas receitas brutas de jogo, mas terá especial incidência no mês de Dezembro. Recorde-se, contudo, que os valores estão ainda longe dos montantes alcançados antes da pandemia, dado que, em 2019, os casinos obtiveram receitas de 292,4 mil milhões de patacas e, em 2020, terminaram o ano com uma quebra de 79,3% nas receitas em termos anuais.

Calculadora na mão

No final de Novembro, a Assembleia Legislativa aprovou a injecção de 6,3

As receitas brutas de jogo de Dezembro terão de ser superiores a 7,1 mil milhões de patacas para o objectivo do Governo ser alcançado

O contrato de concessão da Companhia de Telecomunicações de Macau, S.A.R.L. (CTM) foi prorrogado até 31 de Dezembro de 2023. O acordo celebrado com a RAEM pode ser cessado pelo Governo a 31 de Dezembro de

2022, mediante “mera comunicação à CTM com a antecedência de 60 dias, não tendo esta última direito a qualquer compensação por tal facto”. A prorrogação foi publicada ontem no Boletim Oficial.

PUB.

mil milhões de patacas no orçamento, voltando a recorrer à reserva financeira para colmatar a perda de receitas de impostos sobre o jogo. O Governo previa uma receita bruta do jogo de 130 mil milhões de patacas até ao final do ano, contudo, na semana passada, admitiu que esse valor seria de 86 mil milhões de patacas. Questionados sobre a meta de 86 mil milhões de patacas em impostos sobre o jogo, no seguimento da intenção de voltar a recorrer à reserva extraordinária, os especialistas ouvidos pelo HM consideraram a estimativa “alcançável” e “conservadora”. Contas feitas a partir do acumulado de 78,90 mil milhões de patacas obtido até Novembro, as receitas brutas de jogo de Dezembro terão de ser superiores a 7,1 mil milhões de patacas para o objectivo do Governo ser alcançado. Pedro Arede com Lusa

Aviso Avisam-se todos os interessados que se encontra aberto o concurso de avaliação de competências profissionais ou funcionais comum, externo, do regime de gestão uniformizada, para o preenchimento do seguinte lugar vago, em regime de contrato administrativo de provimento da Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude, de acordo com as condições referidas no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau, n.° 48, II Série, de 1 de Dezembro de 2021, e cujo prazo de apresentação das candidaturas termina no dia 14 de Dezembro de 2021: - Um lugar vago, de técnico superior de 2.ª classe, 1.º escalão, área de engenharia electromecânica. TIAGO ALCÂNTARA

CTM Concessão alargada até ao fim de 2023

serem representadas por apenas uma entidade sindical. Recorde-se que em Março deste ano, em entrevista ao HM, Chao referia ter “receio que os sindicatos sejam organizados pelos próprios empregadores, com inscrição obrigatória no momento da admissão na empresa”.

A Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude, aos 24 de Novembro de 2021. O Director, Lou Pak Sang

RÓMULO SANTOS

Trabalho Cloee teme não poder ser sindicalista


6 especial jogo

Intervenientes de peso no mercado junket como a Tak Chun, Guangdong Club ou Meg Star estão referenciados desde 2020 em investigações do Ministério Público do Interior da China por facilitar a vinda de jogadores a Macau. Todas as salas de jogo da Suncity estão encerradas, numa altura em que a transacção do grupo na bolsa de Hong Kong voltou a ser suspensa. Albano Martins crê que Pequim quer acabar com o sector do jogo em Macau

2.12.2021 quinta-feira

www.hojemacau.com.mo

O

S efeitos colaterais do caso Suncity parecem estar a chegar aos restantes promotores de jogo de Macau. Desde 2020 que alguns dos principais intervenientes no mercado de junkets aparecem referenciados em investigações no Interior da China, levadas a cabo pelo Ministério Público de províncias localizadas do lado de lá da fronteira. O economista Albano Martins acredita que a queda do grupo Suncity vai deixar o sistema financeiro de Macau “descalço” e que Pequim quer acabar com o sector do jogo no território. Segundo apurou o portal GGR Asia, que teve acesso à documentação em questão, promotoras de jogo como a Tak Chun, Guangdong Club ou Meg Star são mencionadas nas investigações, a par com alguns indivíduos que surgem identificados como agentes cuja função passava por “facilitar as viagens de jogadores do Interior da China para frequentar a salas VIP de grupos de renome”, não só em Macau, mas também noutros destinos. Segundo a mesma fonte, os casos envolvem, sobretudo, suspeitos das províncias de Jiangsu, Zhejiang, Fujian, Henan e Guangdong. Numa das acusações referente a Dezembro de 2020 e divulgada em Setembro de 2021 na província de Jiangsu, vários suspeitos do Interior da China estão indiciados pela prática do crime de “estabelecimento de casino”, por alegadamente terem facilitado apostas numa sala de jogo nas Filipinas, através da promotora Tak Chun. A revelação acontece poucos dias depois de o director executivo do grupo Suncity, Alvin Chau, um dos mais influentes promotores de jogo de Macau, ter sido colocado sob prisão preventiva, devido a um caso de exploração ilícita do jogo e branqueamento de capitais, anunciado pelo o Ministério Público do território.

Efeito do

CASO SUNCITY MAIS PROMOTORAS DE JOGO SOB INVESTIGAÇÃO NO I

Sempre a descer

DICJ NÃO COMENTA

A Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ) revelou ter recebido na terça-feira uma comunicação das operadoras de jogo a dar conta da suspensão da sua cooperação com o promotor de jogo Suncity, bem como do funcionamento das respectivas salas VIP. Em comunicado, a DICJ sublinha ainda que “não irá tecer qualquer comentário acerca das recentes suspeitas de crimes relacionados com o jogo, que se encontram em investigação judicial, sob o princípio do segredo de justiça” e que as operadoras e promotores de jogo devem desenvolver as suas actividades em “estrito cumprimento das leis”.

Além disso, segundo o canal chinês da TDM-Rádio Macau, desde a meia-noite de ontem, todas as salas de jogo VIP em Macau do grupo Suncity foram encerradas. Recorde-se que, as salas do grupo Suncity, estão presentes em mais de 40 por cento dos casinos de Macau. Um porta-voz do Galaxy Entertainment Group confirmou à agência Lusa que as salas de jogo do Suncity nos 'resorts' do grupo fecharam àquela hora, ao contrário do grupo Suncity, que não respondeu a pedidos de esclarecimento e cujo site se encontra “offline”. A reboque do encerramento de todas as salas VIP do grupo Suncity, a transacção de acções do grupo Suncity de Macau na Bolsa de Valores de Hong Kong voltou ontem a ser suspensa pouco antes do início da sessão. Recorde-se que a negociação das acções já tinha sido suspensa na

segunda-feira e que, no dia seguinte, caíram 48 por cento, com as restantes operadoras a sofrer também perdas significativas. Ontem, dois dos três operadores de casinos que possuem capital norte-americano registaram as maiores perdas: Wynn Macau (-8,63 por cento) e Sands China (-4,24 por cento). Já a MGM China foi das únicas a ficar no “verde”, sem grandes alterações

“A China não terá problema em acabar com uma coisa [o sector do jogo] que não é produtiva.” ALBANO MARTINS ECONOMISTA

(+0,6 por cento). A Melco (-1,63 por cento), SJM (-4,14 por cento) e Galaxy (-2,93 por cento) também encerraram a sessão no negativo.

Futuro incerto

O economista Albano Martins disse ontem à Lusa que a queda do grupo Suncity, deixará “descalço” o sistema financeiro em Macau e que Pequim quer acabar com o jogo no território.


quinta-feira 2.12.2021

ominó

INTERIOR DA CHINA

“Para além da questão do emprego, há uma situação mais complicada: o dinheiro que vinha para Macau através do Suncity, e que passava pelo sistema financeiro, vai deixar o sistema financeiro descalço”, antecipou.

Todas as salas de jogo VIP em Macau do grupo Suncity foram encerradas “Esta é uma perspectiva muito pessoal: o jogo não é algo muito bem visto pelo Governo central. Está a perder força e tenho a ideia de que a China não terá problema em acabar com uma coisa que não é produtiva, sendo que em Macau ainda não se percebeu muito bem isto. E por isso há tanta insistência no discurso da diversificação da economia”, argumentou. Recorde-se que, desde o pedido das autoridades chinesas para que o director-geral do Suncity se entregasse, até à prisão preventiva de Alvin Chau, pedido de demissão e encerramento das salas e suspensão da venda de ações, não passou uma semana. Pedro Arede com Lusa

Emprego Funcionários do Suncity queixam-se à FAOM para se inteirar do estado dos trabalhadores envolvidos. Por seu turno, o deputado Leong Sun Iok indicou que, nos últimos dias, a Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM) tem recebido queixas de funcionários do grupo Suncity que demonstraram ter medo de vir a ser despedidos ou forçados a entrar em regime

Queda livre Acontecimento com impacto imediato no emprego, afirma o especialista em Jogo Ben Lee

Promotoras de jogo como a Tak Chun, Guangdong Club ou Meg Star são mencionadas em investigações [do Interior da China] Albano Martins afirmou ainda que a queda do grupo “vai provocar um grande abalo na indústria do jogo em Macau”. Isto porque, sublinhou, “vai-se estender para o sistema financeiro e isso vai ser aterrador”, lembrando que se está a falar de um grupo que estava a posicionar-se para concorrer a uma das novas licenças de exploração do jogo, a atribuir em 2022. Além disso, frisou o economista, as políticas do jogo estão a ser determinadas por Pequim: “é uma questão interna da China, Macau não tem muita palavra”.

Em resposta ao jornal Ou Mun, a Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL) assegurou que, até à passada terça-feira, não recebeu qualquer queixa ou pedido de ajuda, por parte de trabalhadores do grupo Suncity. Contudo, o organismo diz estar atento ao encerramento das salas VIP e que já contactou o grupo

especial jogo 7

www.hojemacau.com.mo

de layoff. Isto, quando apenas foram informados oralmente pelos chefes de departamento de que não tinham de trabalhar. Além de não terem sido notificados oficialmente sobre a sua situação laboral, os trabalhadores queixaram-se ainda de não terem conseguido contactar o departamento de recursos humanos da empresa.

“pela diminuição ainda maior do segmento VIP, algo que já estava a acontecer, mas que vai ser ainda mais acelerada”, lembrando que este segmento chegou a ser responsável por 70 por cento das apostas. Mas não só, considerou: “Antecipo que vai ter mais implicações nos esforços de ‘marketing’ dos casinos e na concessão de crédito para jogar”.

Em transformação

O

especialista em jogo Ben Lee disse ontem à agência Lusa que o cenário de desintegração do grupo Suncity, o maior angariador de apostadores do mundo, vai ter impacto imediato no emprego em Macau. “O encerramento [de salas de jogo] vai ter impacto imediato na perda de emprego local, já que o Suncity é um grande empregador de Macau”, presente em mais de 40 por cento dos casinos de Macau, salientou Ben Lee, analista da consultora de jogo IGamix. “Sobretudo quando a economia está em baixo e a taxa de desemprego tem estado ligeiramente acima do que é habitual e tem sido motivo de preocupação” das autoridades, acrescentou. “A outra implicação, agora é muito claro para nós, é que a China incluiu Macau no alcance da lei anti-jogo e na anunciada ‘lista negra’ de jurisdições”, sublinhou, numa referência à legislação de 2019 com a qual as autoridades chinesas procuram apertar o controlo à saída de capitais. O especialista afirmou que, até agora, “havia uma zona cinzenta” e que se considerava que “a promoção do jogo em Macau era tolerada por Pequim”. Mas, agora, “parece que ficou tudo ‘preto no branco’” para Macau, o único território na China onde o jogo é legal, concluiu. Por outro lado, Ben Lee disse que outra das consequências passa

Finalmente, a queda do grupo Suncity pode ter impacto na redefinição dos operadores da indústria do jogo, numa altura em que as autoridades se preparam para lançar o concurso público para novas licenças de exploração de casinos, argumentou. “Após o anúncio [da consulta pública para as novas concessões], a reacção dos mercados não se fez esperar”, e agora, com novas perdas na transacção das acções na bolsa de Hong Kong, estando “mais baratas do que alguma vez estiveram”, isso pode abrir ainda mais o caminho para os operadores locais garantirem uma maior fatia do mercado, à custa dos interesses norte-americanos presentes no território (Sands, MGM e Wynn), afirmou. A transacção de acções do grupo Suncity de Macau na Bolsa de Valores de Hong Kong voltou ontem a ser suspensa pouco antes do início da sessão [ver texto principal]. A suspensão surge depois de todas as salas de jogo VIP em Macau terem sido encerradas e da prisão preventiva do director-geral do grupo Suncity, Alvin Chau, que pediu a demissão do cargo. O Ministério Público defende a existência de indícios suficientes da prática dos crimes de participação em associação criminosa (punível com pena de prisão até 10 anos), chefia de uma associação criminosa (até 12 anos de prisão), branqueamento de capitais (até oito anos de cadeia) e de exploração ilícita do jogo (até três anos).

Hong Kong Membro principal do grupo detido desde 2020 Além de pedir a Alvin Chau para se entregar às autoridades e cooperar na investigação do grupo Suncity, o mandado de captura emitido pela província de Wenzhou revelou também que, Zhang Ningning, membro principal do grupo e residente de Hong Kong, encontra-se detida desde Julho de 2020. De acordo com o jornal HK01, só recentemente é que os pais da detida tomaram conhecimento de que o caso estava relacionado com o jogo, alegando não ter conseguido visitar a filha ao longo do

último ano. Além disso, alegaram ainda não ter recebido qualquer anúncio oficial por parte das autoridades, sendo o único ponto de contacto o advogado da suspeita, recrutado pelo grupo Suncity. Dado que Zhang Ningning é titular do bilhete de identidade de Hong Kong, a família espera agora que o caso seja tratado no território. Por seu turno, o Departamento de Segurança de Hong Kong confirmou ter sido notificado pelas autoridades do Interior da China em Julho do ano passado.


8 china

www.hojemacau.com.mo

2.12.2021 quinta-feira

LÍNGUA LANÇADA CAMPANHA PARA PROMOVER MANDARIM

A

China está a lançar uma campanha para promover o chinês mandarim, estimando que 85 por cento dos seus cidadãos vão utilizar o idioma oficial nacional até 2025, em detrimento de dialectos regionais e línguas minoritárias. A mudança parece colocar dialectos regionais chineses ameaçados, como o cantonês, e língua minoritárias, como o tibetano, mongol e uigur sob pressão. A ordem emitida ontem pelo Conselho de Estado da China apontou que o uso do mandarim, conhecido em chinês como “putonghua” ou a “língua comum”, continua a ser “desequilibrado e inadequado”, necessitando de melhorias, para atender à procura da economia moderna. A política visa também tornar o mandarim virtualmente universal até 2035, inclusive nas áreas rurais e entre as minorias étnicas do país. A promoção do mandarim em relação a outras

línguas gerou protestos ocasionais, inclusive, no ano passado, na região autónoma da Mongólia Interior, quando o idioma mongol foi substituído pelo mandarim como língua padrão no sistema de ensino. A política é apoiada por requisitos legais e o documento emitido ontem exige supervisão reforçada para “garantir que a língua nacional comum falada e escrita é usada como a língua oficial das agências governamentais e usada como a língua básica nas escolas, órgãos de comunicação, rádio, cinema e televisão, serviços públicos e outros campos”. O mesmo documento também pede às autoridades que “melhorem vigorosamente o estatuto internacional e a influência da língua chinesa” nos meios académicos, organizações internacionais e reuniões globais.

CONGO PEQUIM APELA A CHINESES QUE SAIAM DO PAÍS FACE À VIOLÊNCIA

Não há condições A PUB.

China pediu ontem aos seus cidadãos que abandonem três províncias no leste do Congo, face ao intensificar da violência naquela região rica em minerais. A embaixada chinesa em Kinshasa informou, em comunicado, que vários cidadãos chineses foram atacados e sequestrados nas três províncias de Kivu do Sul, Kivu do Norte e Ituri, no mês passado. A mesma nota apontou que os chineses que residem nas três províncias devem fornecer dados pessoais até 10 de Dezembro e fazer planos para partir para áreas mais seguras do Congo. Aqueles que permanecerem nos distritos de Bunia, Djugu, Beni, Rutshuru, Fizi, Uvira e Mwenga devem partir imediatamente, apontou a embaixada, acrescentando que quem não o fizer “vai ter que arcar com as consequências”. “Pedimos a todos os cidadãos chineses e empresas com investimentos chineses no Congo que prestem muita atenção às condições locais, aumentem a sua consciencialização sobre segurança e preparação para emergências e evitem viagens externas desnecessárias”, referiu a embai-

xada. Não foram avançados detalhes sobre os incidentes, embora a embaixada tenha relatado, no mês passado, que cinco cidadãos chineses foram sequestrados numa operação de mineração em Kivu do Sul, que faz fronteira com o Ruanda, Burundi e Tanzânia. A situação de segurança na área é “extremamente complexa e sombria” e há pouca possibilidade de enviar ajuda em caso de ataque ou sequestro, notificou na altura a embaixada. Vários grupos armados, incluindo as Forças Democráticas pela Libertação do Ruanda, conhecidas pela sigla francesa FDLR, Mai-Mai e

A embaixada chinesa em Kinshasa informou, em comunicado, que vários cidadãos chineses foram atacados e sequestrados nas três províncias de Kivu do Sul, Kivu do Norte e Ituri, no mês passado

M23 competem regularmente pelo controlo dos recursos naturais no leste do Congo. Apesar do perigo, as empresas chinesas abriram operações no Congo e em outros estados africanos instáveis, na busca de cobalto e outros minerais e recursos raros.

Da segurança

A segurança foi um tema importante na reunião na segunda-feira em Dakar, entre o ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, Wang Yi, e o seu homólogo congolês, Christophe Lutundula, de acordo com a agência noticiosa oficial Xinhua. O Governo da China e o Partido Comunista Chinês “atribuem grande importância à segurança das empresas chinesas e dos cidadãos chineses no exterior, e o lado chinês está extremamente preocupado com os recentes crimes graves de sequestro e assassinato dos seus cidadãos na RDC”, disse Wang. Wang instou o Congo a garantir a libertação dos sequestrados e a criar um “ambiente seguro e estável para a cooperação bilateral”. Os ataques tornaram-se mais frequentes nos últimos meses, com a violência a espalhar-se pela fronteira.


quinta-feira 2.12.2021

retrovisor

LUÍS CARMELO

De repente ela encosta a boca ao teu ombro. Os lábios abertos pousados no ombro. A mão toca no troço interior e escorre na liquidez do olhar. Um olhar enxuto. Abraçam-se. Ela tinha há minutos aberto uma melancia e sabia agora na língua a essa melancia muito doce. Serpenteiam-se de bruços com as tuas mãos por baixo das costas dela, numa assimetria de unhas que ignora o movimento dos pés e dos joelhos que se entrelaçam com a ira. Depois explode um vagar que atinge o calor da pele recortado nos lençóis. Nesse lance, ou nessa convulsão, a tua cabeça mergulha entre as coxas dela, abre-as com as mãos e o rasgo e a incursão da língua penumbram nos lírios. Um dos braços estreita um beijo fugaz, como se fosse espiga levantada pelos olhos fechados, mas ainda a sulcar um ou outro silêncio. Há como que um torrão de barro a desfazer-se nessa picada que ocupa o corpo a corpo. Uma melancolia por dissecar. Subitamente a voz eleva-se. Um gemido rude de gavinhas até que ela te traz de novo à boca e o aflora em preâmbulos sucessivos. Do arroubo separa-se uma nuvem e ficam os dois sentados a encarar o sumiço com que os dedos levemente se tocam. Uma saudade da saudade ou um sínodo quase final apenas para arrolar o suor. Ela despia-se rapidamente sem se dar ao corpo ainda solto dentro do vestido, maciço, incandescente. E tu num curso giratório segredaste o alarido ou o resquício surdo e ela sorriu com a pele quase absoluta. Reentraste assim com os dedos na raiz dos cabelos dela e, logo a seguir, percorreste a cintura como uma luz que se afunda até ao sangue. Ela mastigou o polegar enquanto tu te arrastaste para essa omissão macia no meio das coxas. A boca continuou aberta pelo sopro que era a água turva, a avidez. Deixaste a mão aberta até lhe atingir a profundidade das costas. Ela desejava enlaçar com as pernas todo o ócio desses dias sem fim numa única lufada. Numa única seda. Num único revólver. Fervia de tanto crispar. Resvalaste ao longo das axilas com os lábios dela já molhados. Pediu-te que a tomasses pelo pescoço, que lhe bebesses as mamas e que te viesses. Fechou ainda os olhos e logo tocou

www.hojemacau.com.mo

Uma despedida

h

9

na cavidade com que a olhavas para dentro dela, ao mesmo tempo que lhe engolias a ostra emaciada com excessiva lentidão. Fizeste-o com aquela dicção do rosto que coagula no tempo e ela ficou ilesa, refractária. Deitada de lado só já com as pestanas a compor o fim da tarde que se ouvia vindo do mar.

preciso que lhe voltas a sondar os seios como se pegasses nas vísceras e logo despertas para a voz amotinada que pareceria sair de outra noite e de outro flanco. Sempre, sempre a ofegar. Sem hesitar, ela avança com a cabeça para surrar esse calor, prende-te a cintura e deseja têlo inteiro, teso e espesso dentro

sufoco ao jeito de um poente que rompe o desgosto de teres de a deixar já amanhã. Nada é eterno. Mas ela insiste e torna a curvar o dorso para deglutir a luz amarelada das persianas. Nesse desfalecimento, fixaste-lhe as pálpebras e o suor a lamberlhe as linhas muito planas da testa. Com os cabelos a cobrirem

Beijas-lhe, beijas-lhe outra vez os pés num rompante e ela eleva-se sobre o sofá. Ampara-te no peito e antecipa o formigueiro a penetrar o veludo liso das virilhas onde as tuas mãos se estreitam em forma de casulo. Ela respira a incitar com as palmas das mãos muito abertas e é nesse momento

da boca. Deseja tê-lo intacto a esbarrar contra o céu da boca. Fecha os lábios cheios de carne e em círculos continuados reclina as costas, apoiando-se nos joelhos. Travaste-a pelas ancas, depois nas nádegas enquanto ela, oblíqua, comprimia as pernas a rastejar contra os braços do sofá. Um soluço acirrou o breve

o rosto, caiu então pela pequena morte igual a uma única bala dividida pelos dois. Voltaste ainda a entrar dentro dela numa derradeira fúria, uma demora rápida até te vires em pedra, no osso. Ela olhou-te então do interior do grande estuário, como se o encanto e a danação fossem o mesmo e longo gemido para poder finalmente lavrar as horas. Era o último dia, era ainda a grande janela, a grande sacada. Ficaste a observar o reposteiro que imitava a brisa, que devagar a possuía. Permaneceram os dois como duas esfinges a olhar para a janela aberta de par em par. A janela que dá para o mar. No amor não há despedida.

ERA O ÚLTIMO DIA, ERA AINDA A GRANDE JANELA, A GRANDE SACADA. FICASTE A OBSERVAR O REPOSTEIRO QUE IMITAVA A BRISA, QUE DEVAGAR A POSSUÍA. PERMANECERAM OS DOIS COMO DUAS ESFINGES A OLHAR PARA A JANELA ABERTA DE PAR EM PAR. A JANELA QUE DÁ PARA O MAR. NO AMOR NÃO HÁ DESPEDIDA


43

44

9 3

5 4 7 0 1 10 5 [f]utilidades 6 3 0 2 9 7 0 6 1 9 3 6 4 8 0 1 2 7 6 5 1 0 3 7 5 8 1 0 9 4 7 8 TEMPO POUCO NUBLADO MIN 12 MAX 0 9 1 4 8 3 1 2 7 0 9 4 7 3 5 4 7 0 1 2

2 4 4 7

5 www.hojemacau.com.mo 2.12.2021 quinta-feira 6 0 7 1 7 9 4 6 5 3 8 9 7 3 9 5 0 2 1 20 HUM 25-55% UV 4 (MODERADO) • EURO 9.09 BAHT 0.23 YUAN 1.26 2 6 1 7 ´ 9 3 8 0 2 CINETEATRO 1 0 3

S U D O K U UM DISCO HOJE

44 6 47 2 5 6 0 1 5 7 2 9 3 8 4 8

46

9 8 1 9 3

5 9 2 1

3 2 8 1 0 7 5 0 7 4 2 6 5 9

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 44

9 4 3 6 2 3 2 6 5 0 9 0 1 8

PROBLEMA 45

45

2 3 7 5 8

7

8

1 9 4 4 3 8 0 8 5 7 6 6 7 2

8 3 5 9 7 3 6 2 6 4 1 0 1 9 5 78 0

7 5 8 6 1 6 3 2 0 9 49

2 4 0 0 9 7 5 9 6 8 37 1 3

4 7 6 0 9 3 5 1 2 84 0 2

3 1 2 8 4 8 0 7 5 6 93

0 8 3 7 9 1 2 4 62 30 9 15 57 4

5 6 1 5 8 7 9 2 4 70 03 3

9 0 3 8 5 7 14 87 4 20 6

4 0 2 7 1 6 9 5 3 8

3 8 9 6 2 5 1 4 7 0

7 5 3 0 8 9 6 1 2 4

8 2 1 4 0 7 3 6 9 5

2 6 4 5 3 8 0 7 1 9

1 7 8 9 5 4 2 0 6 3

9 3 0 2 6 1 4 8 5 7

0 1 7 8 9 3 5 2 4 6

6 4 5 3 7 2 8 9 0 1

7 4 0 8 9 1 6 5 3 2

9 1 4 5 7 8 0 2 6 3

8 6 7 2 3 4 1 9 0 5

2 3 5 0 6 9 7 8 4 1

0 9 8 4 2 7 5 3 1 6

3 7 2 1 5 6 8 0 9 4

1 5 3 6 0 2 4 7 8 9

6 8 9 7 4 3 2 1 5 0

4 0 1 9 8 5 3 6 2 7

PUB.

5 9 6 1 4 0 7 3 8 2

48 5 2 6 3 1 0 9 4 7 8

46

YOU CAN'T TEACH AN OLD DOG NEW TRICKS | SEASICK STEVE | 2011

8 2 9 0 5 2 6 7 1 6 3 8 5 7 6 2 8 4 1 9 7 0 6 3 2 9 1 4 5 3 1 0 9 3 2 9 1 6 4 0 5 9 7

48

3

8 2 0 3

2 4 8 0 0 5 8 9 3 8 5 2 1 6 7 9 7 6 2 0 9 6

“You Can't Teach An Old Dog New Tricks” é a canção que empresta o nome ao quinto álbum de Seasick Steve, artista norte-americano mergulhado há décadas num “blues” inspirado nos vários trabalhos braçais que fez quando era mais novo. Das guitarras incontornáveis aos acabamentos melódicos e pujantes, a sabedoria popular soa bem quando é entoada de cabelo ao vento. Pedro Arede

C I N E M A

SALA 1

ANITA [C]

(FALADO EM CANTONENSE LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS) Um filme de: Longman Leung Com: Louise Wong, Lau Chun Him, Fish Liew, Louis Koo, Lam Ka Tung 14.15, 19.00

SWORD ART ONLINE THE MOVIE - PROGRESSIVE - ARIA OF A STARLESS NIGHT [B] (FALADO EM CANTONENSE LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS) Um filme de: Ayako Kono 16.45, 21.30 SALA 2

ENCANTO [A]

(FALADO EM CANTONENSE) Um filme de: Byron Howard, Jared Bush 14.30, 16.30, 19.30

GHOSTBUSTERS AFTERLIFE [B] Um filme de: Jason Reitman Com: Paul Rudd, Finn Wolfhard, Mckenna Grace 21.30 SALA 3

QUEENPINS [C]

Um filme de: Aron Gaudet, Gita Pullapilly Com: Kristen Bell, Kirby Howell-Baptiste, Vince Vaughn, Paul Wallter Hauser 14.30, 16.30, 21.30

SHOWBIZ SPY [B]

(FALADO EM CANTONENSE LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS) Um filme de: Keian Chui Com: Anson Lo@Mirror, Chole So, Summer Chan, Heidi Lee, Alina Lee 19.30

QUEENPINS

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editores João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; João Santos Filipe; Pedro Arede, Nunu Wu Colaboradores Anabela Canas; António Cabrita; António de Castro Caeiro; Ana Jacinto Nunes; Amélia Vieira; Duarte Drumond Braga; Emanuel Cameira; 2 Waddington; 3 Gonçalo M.Tavares; Gonçalo Inês Oliveira; João Paulo Cotrim; José Simões Morais, Julie Oyang; Luis Carmelo; Nuno Miguel Guedes; Paulo José Miranda; Paulo Maia e Carmo; Rosa Coutinho Cabral; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Teresa Sobral; Valério Romão Colunistas André Namora; David Chan; João Romão; Olavo 9 Rasquinho; 8 3 Paul 0 Chan Wai Chi;6Paula Bicho; Tânia dos Santos Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua de redacção 4 Secretária 1 2e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Pátio da Sé, n.º22, Edf. Tak Fok, R/C-B, Macau; Telefone 28752401 Fax 28752405; e-mail info@hojemacau.com.mo; Sítio www.hojemacau.com.mo

www. 4 hojemacau. 7 com.mo

3 5

4 9


quinta-feira 2.12.2021

opinião 11

www.hojemacau.com.mo

a propósito de

Olavo Rasquinho*

CIMEIRA SOBRE O CLIMA DE GLASGOW (COP26)

SUCESSO OU FRACASSO? MUITOS DE nós, pelo menos aqueles que têm mais de 40 anos, lembrar-se-ão certamente do muito debatido “buraco do ozono”. Na década de 80 do século passado, a grande preocupação de muitos cientistas e daqueles que se interessavam pela sustentabilidade da vida no nosso planeta, era a rarefação do ozono na chamada ozonosfera, camada da estratosfera entre 20 e 30 km de altitude, onde se concentra cerca de 90% do ozono atmosférico, que constitui uma espécie de filtro de parte da radiação ultravioleta emitida pelo sol. A diminuição da concentração desse gás permitia que parte dos raios ultravioletas prejudiciais (raios ultravioleta B) atingissem a superfície do globo, em especial na região da Antártida e países em latitudes altas, como a Argentina e parte do Chile, afetando a saúde dos humanos e outros animais. O termo “buraco” foi adotado pelos meios de comunicação social, mas, na realidade, tratava-se de uma zona em que a concentração daquele gás se apresentava acentuadamente mais atenuada do que o habitual. Curiosamente, o ozono (O3), cujas moléculas são constituídas por três átomos de oxigénio, desempenha um papel importante quando na ozonosfera, mas é prejudicial na camada limite da atmosfera, onde nós desenvolvemos as atividades no dia a dia. A formação do ozono nesta camada ocorre quando determinados gases, como os óxidos de azoto e compostos orgânicos voláteis, reagem com o oxigénio na presença da radiação solar. Quando respirado, pode provocar inflamação das vias respiratórias, por vezes com graves consequências em pessoas com doenças respiratórias. A sua concentração tende a aumentar em zonas urbanas e industriais, em determinadas condições meteorológicas, principalmente quando ocorrem anticiclones estacionários, aos quais estão associados grande estabilidade atmosférica e ventos fracos. Menciono esta situação anómala (do buraco do ozono), na medida em que a sua atenuação constituiu um exemplo de como é possível reverter situações de degradação do ambiente causadas pelas atividades humanas. Uma vez comprovada que a causa dessa diminuição de concentração era devida à ação de determinados gases de efeito de estufa (GEE) que também afetam o ozono estratosférico (ODS – ozone depleting substances), os cientistas induziram os decisores políticos a tomarem medidas no sentido da proibição do seu uso. Na realidade, após o Protocolo de Montreal, entrado em vigor em 1989, em que se preconizou a eliminação progressiva dos ODS, a concentração do ozono estratosférico evoluiu no sentido do seu aumento. Hoje considera-se este facto como um exemplo em que foi possível evitar, em larga medida, a degradação do ambiente causada pelas atividades antropogénicas. A aplicação das medidas preconizadas no referido Protocolo teve tal êxito que levou Kofi Anan (Secretário-Geral

da ONU entre 1997 e 2006 e prémio Nobel da paz 2001) a afirmar que “talvez seja o mais bem-sucedido acordo internacional de todos os tempos”. Outro exemplo de êxito de tomada de medidas com sucesso no sentido da melhoria do ambiente, embora numa área mais restrita, foi o Clean Air Act de 1956, que consistiu numa lei do Parlamento do Reino Unido com a finalidade de reduzir a poluição causada pela queima de carvão em lareiras domésticas e fornos industriais na região de Londres. Esta medida foi tomada na sequência de vários episódios de poluição extrema causada por smog (mistura de fumo e nevoeiro – smoke + fog), nomeadamente o Great Smog de Londres, entre 5 e 9 de dezembro de1952, que causou a morte de cerca de 12.000 pessoas.

Great Smog de Londres (5 a 9 de dezembro de 1952)

Exemplos como este constituem um fator de esperança no que se refere à possibilidade, não direi de recuperação das características do clima, mas de atenuação da sua degradação, no sentido de limitar o progressivo aquecimento e as consequências que comprovadamente daí advêm. É conveniente relembrar que o Acordo de Paris, alcançado cerca de16 anos depois do falhado Protocolo de Quioto (ratificado em 1999), consistiu essencialmente em compromissos a nível global no sentido de reduzir a emissão de GEE, mitigar as consequências das alterações climáticas e tomar medidas financeiras e estruturais para a adaptação a essas alterações. Para concretizar estas pretensões foram estabelecidos os seguintes principais objetivos: 1) manter, até 2100, o aumento da temperatura inferior a 2 graus Celsius, tendo como referência os valores pré-industriais, e incentivar esforços para limitar o aumento a 1,5 ºC; 2) Promover a capacitação dos países para enfrentar os impactos das alterações climáticas; 3) Tornar os fluxos financeiros consistentes com uma via de desenvolvimento com baixas emissões e resiliente ao clima. Na cimeira de Glasgow, que se realizou de 31 de outubro a 12 de novembro de 2021, esteve prestes a alcançar-se unanimidade no que se refere à proposta de acabar com o uso do carvão. A Índia exerceu, no entanto, forte pressão para impedir esta recomendação, tendo conseguido que no texto final da COP26 se substituísse o termo “eliminação progressiva” (phase out), referente ao uso do carvão, por “redução gradual” (phase down).

Provavelmente, se fosse só este país a propor esta alteração, teria havido maior resistência no sentido de tal não ser aceite, mas a China e outras economias emergentes também se manifestaram nesse sentido. Outros, embora não se tivessem manifestado, devem ter esfregado as mãos de contentamento quando a alteração foi aprovada (estou a pensar nos representantes da Austrália, por exemplo). Fazendo um balanço das discussões e, perante o resultado final, não se pode dizer que a Cimeira de Glasgow tenha sido um fracasso, mas esteve longe de satisfazer os mais exigentes, entre eles António Guterres, Secretário-geral das Nações Unidas, que, no seu discurso de encerramento, se referiu ao resultado da cimeira nos seguintes termos: “Os textos aprovados são um compromisso. Refletem os interesses, as condições, as contradições e o estado da vontade política no mundo de hoje. São passos importantes, mas, infelizmente, a vontade política coletiva não foi suficiente para superar algumas contradições profundas”. Do Pacto de Glasgow sobre o Clima (Glasgow Climate Pact), assinado por governantes de cerca de 200 países, ressaltam, entre outros, os seguintes compromissos e constatações: 1) Finalização do Livro de Regras de Paris (Paris Rulebook), documento que consta de orientações detalhadas sobre como os países devem proceder para alcançarem a neutralidade carbónica. 2) Necessidade de os países desenvolvidos cumprirem totalmente a meta anual de US$100 mil milhões para apoio aos países em desenvolvimento, com urgência, com a devida transparência na implementação das suas promessas (compromisso estabelecido anteriormente, mas não integralmente cumprido). 3) Compromisso de atualização anual das Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDCs - Nationally Determined Contributions) em vez de a cada cinco anos, conforme havia sido estipulado no Acordo de Paris. (Entende-se por NDCs os planos que constam das ações previstas para a redução das emissões dos GEE e adaptação às alterações climáticas, como contributo nacional para se atingir as metas globais estabelecidas no Acordo de Paris). Foi também um ato significativo a assinatura por parte de 140 países e Comissão Europeia da “Declaração de Líderes de Glasgow sobre Florestas e Uso da Terra” (Glasgow Leaders’ Declaration on Forests and Land Use), em que se estabelece o compromisso de se acabar com o desmatamento até 2030. A área abrangida por estes países é de cerca de 90% da cobertura florestal mundial. Entre os que assinaram a declaração contam-se o Brasil, China, EUA, Indonésia, Malásia e Rússia, países com grande extensão de florestas. Pena é a Bolívia e a Venezuela, onde se encontra parte da Amazónia, não a tenham assinado.

Cartaz numa manifestação durante a COP26

Os diplomatas brasileiros presentes na COP26 foram bastante construtivos nas discussões realizadas na cimeira de Glasgow, o que contrastou com a política atualmente a ser praticada pelo atual governo brasileiro. Segundo o Observatório do Clima, apesar da atitude colaborante sob pressão internacional, o atual governo tem vindo a desmontar políticas de combate à desflorestação e tem, pelo menos, cinco projetos de lei no Congresso que amnistiam o roubo de terras e põem em risco as terras indígenas, as quais constituem barreiras eficazes contra a destruição da floresta. (O Observatório do Clima é uma rede de 37 entidades da sociedade civil brasileira que tem por objetivo discutir as alterações climáticas no contexto nacional). Também segundo o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazónia (Imazon), a Amazónia brasileira perdeu 10.476 km² de floresta entre agosto de 2020 e julho de 2021, o que corresponde a 57% mais do que no mesmo período anterior (agosto 2019/ julho 2020), além de ser a maior destruição da floresta dos últimos 10 anos. (O Imazon é um instituto brasileiro de investigação cuja missão é promover conservação e desenvolvimento sustentável na Amazónia)

Vastas zonas da Amazónia sofrem anualmente forte desflorestação

Será que a humanidade, analogamente ao que sucedeu com o Protocolo de Montreal e o Clean Air Act de 1956, estará preparada para tomar medidas drásticas no sentido de pôr em prática as recomendações do Acordo de Paris e, mais recentemente, da cimeira da ONU sobre o clima, realizada em Glasgow? Esperemos pela COP27, que se realizará de 7 a 18 de novembro de 2022, em Sharm El-Sheikh, no Egito... *Meteorologista. O autor escreve segundo o novo acordo ortográfico


quinta-feira

“O que é um adulto ? Uma criança de idade.” PALAVRA DO DIA

2.12.2021

Simone de Beauvoir

CHONGQING MACAU PROMOVIDO COMO DESTINO SAUDÁVEL

A

iniciativa “semana de Macau em Chongqing” arranca oficialmente esta sexta-feira, para atrair visitantes e promover a recuperação da economia turística da cidade, fortemente afectada pelo impacto da covid-19. A promoção de rua vai levar a Chongqing, no sudoeste da China, “ofertas turísticas no valor de mais de 100 milhões de renminbis, incluindo bilhetes de avião, alojamento em hotéis e restauração”, entre outros, de acordo com um comunicado da Direção dos Serviços de Turismo (DST). A campanha vai também ser divulgada ‘online’ em diferentes plataformas chinesas, acrescentou. Em Outubro, o número de turistas chineses em Macau voltou a cair, tanto em relação ao mês anterior (menos 47,8 por cento) e ao mesmo mês de 2020 (menos 43,6 por cento), tendo sido recebidos 328.245 visitantes, com forte impacto nas receitas do jogo. As autoridades justificaram esta diminuição com medidas mais restritivas na fronteira com a China, na sequência da detecção de menos de uma dezena de casos de covid-19, no início de Outubro, no território. Nos primeiros 10 meses do ano, Macau registou 6.083.773 de visitantes, quando em média entravam no território uma média de três milhões por mês, no período pré-pandémico, tendo sido contabilizado em 2019 um total de quase 40 milhões de visitantes. Desde o início da pandemia, Macau registou 77 casos de covid-19.

HK Portugal, Suécia e Japão países de elevado risco

PUB PUB.

Portugal, Japão e Suécia vão juntar-se à lista de países de elevado risco para a covid-19 em vigor em Hong Kong, na sequência da detecção de casos com a variante Omícron, anunciou o governo. Os não-residentes de Hong Kong, que tenham estado mais de 21 dias naqueles países, não podem entrar na região, indicou o Executivo liderado por Carrie Lam. Os residentes, que regressem de países do grupo A, têm de estar completamente vacinados e cumprir uma quarentena obrigatória de 21 dias num hotel designado pelas autoridades, acrescentou. O grupo A passa a incluir 48 países, como Angola, Brasil, Moçambique, Espanha, Países Baixos, Reino Unido e Estados Unidos, apesar de alguns ainda não terem registado quaisquer casos com a variante Omícron, de acordo com o governo de Hong Kong. Para quem chegar de países que identificaram uma transmissão local com a variante Omícron, ou dos casos "importados" de Hong Kong, têm de cumprir os primeiros sete dias no centro de quarentenas de Penny's Bay.

Escritas correntes Francisco José Viegas e Stacey Kent juntam-se à lista de convidados do Rota das Letras

O

elenco da 10.ª edição do Festival Literário de Macau – Rota das Letras foi alargado com três nomes de peso: o escritor português Francisco José Viegas, o realizador norte-americano Tony Shyu e a cantora norte-americana de jazz Stacey Kent. Ainda com a pandemia a empurrar para o online parte do cartaz, o festival decorre entre sexta-feira e domingo, mas hoje oferece já dois aperitivos performativos aos amantes das artes de Macau. O primeiro é uma performance de teatro físico, sem texto, intitulada “Por Confirmar”, marcada para as 17h30, na residência do cônsul-geral de Portugal na RAEM, no edifício do antigo Hotel Bela Vista, e repetida à mesma hora amanhã e no sábado. O espectáculo é baseado na escrita de Olga Tokarczuk, que ganhou o Prémio Nobel da Literatura em 2018, com interpretação e coreografia da autoria do grupo Cai Fora, composto por Lou Chong-neng e Hsueh Mei-hua. Palavras são substituídas pelo corpo na actuação que foca um olhar distanciado sobre a azáfama do quotidiano, cheio de

correrias, suor e cansaço, com almas que se desprendem de pessoas que as deixam para trás. A outra entrada do Rota das Letras deste ano é a performance “Não Querer Saber de Nunca Saber por Onde Ir”, apresentada hoje e amanhã às 22h no edifício Art Garden, sede da associação Art For All. O espectáculo, que une performance musical e monólogo, é da responsabilidade de Isaac Pereira e François Girouard. Assim arranca o cartaz que reúne quase seis dezenas de auto-

Estão marcados para hoje uma performance de teatro físico, no edifício do antigo Hotel Bela Vista e um espectáculo que une performance musical e monólogo no edifício Art Garden res convidados, onze sessões de apresentação de livros e debate dos mais diversos temas; quatro performances com um total de onze representações, uma das

quais um concerto e duas exposições de fotografia.

Artes com todos

Com epicentro na Casa Garden, sede da Fundação Oriente, o festival literário arranca com uma palestra para estudantes sobre os 200 anos do Cemitério Protestante de Macau, ainda antes da cerimónia de inauguração. A partir das 14h de amanhã, numa sessão reservada a estudantes, Stephen Morgan e Andrew Leong conduzem uma visita guiada ao cemitério protestante, com a obra e vida de Robert Morrison como fio condutor. De seguida, é apresentada uma palestra para o público geral sobre os 200 anos da tradução da Bíblia e do Cemitério Protestante. Stephen Morgan, Andrew Leong e Tereza Sena serão os oradores. Depois, haverá uma segunda visita ao cemitério, desta feita para o público em geral, guiada por André Lui, João Guedes e Paul B. Spooner, que irão contar em chinês, português e inglês as muitas histórias que o espaço encerra. Estas actividades, repetem-se no sábado, às 14h30. A acção passa para o espaço ao lado, a Casa Garden, com a cerimónia de abertura do festival

marcada para as 17h de amanhã, seguida da inauguração de duas exposições de fotografia. “A Estranha Familiaridade”, promovida pela revista Macau Closer, e “Visto com os Pés, Escrito com os Olhos”, mostra nascida da parceria criativa de Carlos Morais José e Rosa Coutinho Cabral. Em relação às novidades anunciadas ontem, no sábado às 15h30, a Casa Garden transmite online uma entrevista em directo à cantora de jazz norte-americana Stacey Kent sobre o seu novo tema “Tango em Macau”, música com letra de Kazuo Ishiguro, Prémio Nobel em 2017. Num painel de novidades editorais, marcado para as 14h30 de domingo na Casa Garden, o realizador norte-americano Tony Shyu irá fazer online a apresentação do argumento do filme “Macau Omen”. Na mesma tarde, às 18h15, Francisco José Viegas participa na palestra “Narrativas da Escrita e da Fotografia”, em conjunto com Nuno Veloso, Sara Augusto, João Palla Martins, Shihan de Silva Jayasuriya, João Miguel Barros (online), António Júlio Duarte, Rusty Fox, Chan Hin Io e Leo Fan. João Luz


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.