Page 1

QUARTA-FEIRA 18 DE JULHO DE 2018 • ANO XVII • Nº 4095

hojemacau

E depois do adeus

PÉROLA ORIENTAL

ÁGUA NO TÚNEL

PÁGINA 8

ASSÉDIO SEXUAL

PETIÇÃO DA CHAN SUI KI

PÁGINA 9

h

URGÊNCIAS

JOÃO PAULO COTRIM

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

SOFIA MARGARIDA MOTA

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

Depois de 25 anos ao serviço da Novo Macau, Paul Chan Wai Chi sai de cena para se dedicar à fé católica. Em discurso directo, o histórico pró-democrata faz o balanço do quarto de século de actividade política, recorda os tempos mais difíceis na Novo Macau e tece considerações acerca do futuro da China. ENTREVISTA

MOP$10


2 ENTREVISTA

PAUL CHAN WAI CHI

Depois de meio século dedicado à Associação Novo Macau, chegou a altura de Paul Chan Wai Chi abraçar outros desafios. Para já, o ex-deputado vai dar primazia à fé que professa, o catolicismo. Em entrevista de balanço de actividade política, Paul Chan Wai Chi analisa a história do movimento pró-democrata em Macau, recorda os momentos mais complicados e analisa o significado da eleição de Sulu Sou Deixa a Novo Macau depois de 25 anos ligado à associação. Que balanço faz? Entrei na Novo Macau na altura em que Ng Kuok Cheong se candidatava às eleições (legislativas) e eu auxiliava a sua candidatura. Depois de Ng Kuok Choeng ser eleito, a Novo Macau empenhou-se em apoiar os seus trabalhos. Com o desenvolvimento social, a Novo Macau tornou-se progressivamente numa associação. Na altura em que me tornei presidente, a natureza política foi intensificada na sequência da necessidade social e do desenvolvimento da associação. Em 2009, ano em que fui eleito como deputado, salientei

“O início de uma nova fase” a importância de conseguir captar jovens para a Novo Macau para suceder nos trabalhos e desenvolver a associação. Por isso, em 2013 avançámos com uma lista (às eleições legislativas) constituída pelos membros jovens, mas falhou, o que foi lamentável. Depois das eleições houve mudanças nos corpos dirigentes da associação. Foi um período difícil. Até ao ano das eleições de 2017, que era decisivo para a Novo Macau, já pensava em sair da associação para fazer outro trabalho, tendo em conta que sou católico e que deveria ter feito melhor alguns serviços para a igreja. Entretanto, como Ng Kuok Cheong decidiu constituir uma outra lista independente da Novo Macau, senti a necessidade de avançar e acabei por ser o segundo candidato da lista (da Novo Macau) para apoiar Sulu Sulu e a Novo Macau para poder desenvolver-se. Nos passados 25 anos, consegui ajudar associação no seu crescimento e desenvolvimento. A minha missão está completa e agora é oportuno iniciar o meu trabalho na outra área. Como já acabaram as eleições, agora é a altura para me dedicar totalmente a Deus, por isso, decidi investir mais tempo na igreja.

Vai ter saudades da Novo Macau? Quais são as memórias mais fortes vai ter da associação? Considero que nós, enquanto pessoas que tentam impulsionar o avanço social, andamos todos no mesmo caminho. Mas há pessoas que andam a um ritmo diferente das outras. No entanto, basta termos o mesmo objectivo, somos iguais, mantemos comunicação e ajudamos os outros. Quanto à memória mais forte, tinha no passado um ideal que não chegou a ser realizado. Era transformar a Associação Novo Macau num grupo político. Em Macau não há partido político. Mas defendo que a política em Macau deve avançar, passo a passo, nessa direcção e não

deve ser baseada na cultura das associações. Quando era presidente (da Novo Macau) e deputado na AL queria atingir esse objectivo. Mas, se calhar por causa do ritmo do desenvolvimento de Macau, não aconteceu o que esperava. Em Hong Kong há, por exemplo, o partido cívico e o partido democrático. Em Macau não há. Isso é uma questão de tempo. Acredito que com o desenvolvimento de Macau e a consciência da população a amadurecer progressivamente, vai haver cada vez mais pessoas atentas à política e com vontade de participar nas actividades políticas. Esse são os elementos para surgir uma associação com natureza política.

“O desenvolvimento da democracia em Macau, para mim, está a ser cada mais florescente.” Pode-nos contar um bocadinho da história do movimento pro-democrata em Macau? Com base no meu conhecimento, o início está ligado à Associação de Amizade liderada por Alexandre Ho. Depois da revolução dos cravos em 1974 em Portugal, Macau passou a ter eleições nas assembleias, sendo assim os chineses, especialmente os que não estavam nas associações, tinham mais canais para participar na política. Alexandre Ho foi pioneiro na promoção da participação popular na política e fez a milagre de conseguir eleger três pessoas na AL. Em seguida, na sequência da mudança do sistema político de Portugal, a AL desenvolveu-se no sentido democrático e foi aumentado o número de deputados directos. Em 1991 ou em 1992, não tenho a certeza, houve eleições suplementares para dois lugares de deputados directos. Primeiro foi Alexandre

Ho que agregou alguns candidatos. Os jovens antes de 4 de Junho de 1989 começaram a tomar atenção ao futuro da China e às mudanças em Macau. Na altura, os jovens realizavam actividades alusivas ao 4 de Maio para discutir os assuntos. Até 4 de Junho, houve algumas mudanças no panorama político, e os mais jovens eram da opinião de que se precisava de continuar a valorizar o desenvolvimento da democracia. A participação na política era o meio, por excelência, para actuar na sociedade. Por isso, Ng Kuok Cheong decidiu candidatar-se às eleições suplementares mas não teve sucesso. Até às eleições legislativas em 1992, Ng Kuok Cheong criou a Novo Macau com outras pessoas e conseguiu um lugar na AL. Depois, Au Kam San entrou na Câmara Municipal do Leal Senado. Com o esforço e dedicação dos mais novos a Novo Macau cresceu. A associação cresce como um esforço colectivo... Posso dizer que com várias pessoas a participar houve mudança saudável na sociedade. Au Kam San entrou na AL em 2001. Nesta altura, a Novo Macau tornou-se uma das associações fomentadores da democracia, enquanto que no panorama associativo também houve reajustamentos ao progresso social. As outras associações também se transformaram, algumas passaram a ter mais membros jovens e fizeram muitos trabalhos para as classes sociais mais carecidas. O desenvolvimento da democracia em Macau para mim está a ser cada mais florescente. As eleições legislativas são eventos políticos que produzem vários novos talentos. Tenho uma posição optimista em relação ao futuro da democracia. No entanto, com a mudança social, tanto as oportunidades como os desafios são igualmente enormes para as pessoas, sobretudo se conseguirem enfrentar a onda e atingir o topo da onda. Isso é um grande desafio. No passado tivemos três deputados da Novo Macau na AL, um resultado brilhante. No entanto, tínhamos de avançar e arranjar alguém para suceder nos trabalhos, por isso fomentei a realização de actividades para formar talentos nos assuntos políticos e sociais. Sulu Sou disse que conheceu a Novo Macau através dessas actividades. Acho que esse tipo de acções podem atrair os jovens, dando-lhes oportunidades. Se se acreditar nos jovens e no sistema da associação, vai ser produzido um efeito de desenvolvimento mútuo. Isso é um desafio que as associações vão enfrentar no que diz respeito ao seu crescimento. Entre os anos

SOFIA MARGARIDA MOTA

ACTIVISTA E EX-DIRIGENTE DA ASSOCIAÇÃO NOVO MACAU

2013 e 2017, a Novo Macau enfrentava estes desafios mas sinto que agora já ultrapassámos essas dificuldades. Quanto ao futuro desenvolvimento da democracia em Macau, tendo em conta que não há eleições para os membros aos órgãos municipais, espero que o Governo tome uma atitude aberta para que os conselhos consultivos e os órgãos municipais tenham alto grau de representatividade. Tal é relevante para o desenvolvimento de Macau. Se as associações conseguem insistir no seu lema e os políticos tiverem como orientação máxima as suas intenções iniciais, o futuro será optimista. Quando saíram da associação históricos como Au Kam San e Ng Kuok Cheong, você ficou. Como foi este momento de ruptura para a associação? Au Kam San saiu primeiro da Novo Macau. Nas eleições legis-


3 quarta-feira 18.7.2018 www.hojemacau.com.mo

Novo Macau não foram feitos só por duas ou três pessoas, mas sim por um grupo maior. Se Sulu Sou não entrasse na Novo Macau, ou se não se candidatasse pela lista da Novo Macau, seria eleito? Isso é incerto. Mas a Novo Macau, como uma associação experiente na participação em eleições durante vários anos, tem capacidade para conseguir um lugar merecido na AL. Poderia ser Sulu Sou, Paul Chan Wai Chi ou Scott Chiang. Qualquer pessoa tem a possibilidade de ser eleito como primeiro candidato na lista. Relativamente à disputa por lugares cimeiros na ordem dos candidatos da lista, a ideia era responsabilizar os jovens. Em Hong Kong já se tem feito isso há anos. Algumas associações em Macau tiveram uma atitude semelhante. Por exemplo, a União Geral das Associações dos Moradores de Macau e a Federação das Associações dos Operários de Macau. As associações e os deputados estão naturalmente ligados. Não é adequado dizer que alguém salva outrem. As associações e os deputados progridem e declinam em conjunto.

lativas em 2017, Ng Kuok Cheong ainda era membro da associação. Apesar de lhe perguntar se ia ficar e empenhar-se com os mais jovens da associação, acabou por se candidatar na outra lista. Isso é lamentável e de certeza que teve um impacto na Novo Macau. Quer seja no caso da saída de Au Kam San ou no caso da decisão de Ng Kuok Cheong de não se candidatar com a Novo Macau, tivemos de fazer o nosso melhor para evitar uma influência negativa. As pessoas têm os seus objectivos. O que podemos fazer é respeitar as suas decisões. O período mais difícil da associação já passou. A eleição de Sulu Sou como deputado em 2017 é a prova de que a cooperação entre os membros da Novo Macau vai conseguir obter apoios dos cidadãos. Apesar de Sulu Sou ficar com função de deputado suspensa por estar envolvido em outro caso, acredito que Macau

é uma sociedade regulamentada por leis. Finalmente, o caso está resolvido, Sulu Sou regressou à AL, marcando tal o início de uma nova fase. Apesar da saída de Au Kam San e da decisão de Ng Kuok Cheong, continuou a ficar na Novo Macau. Porquê?

“O período mais difícil da associação já passou. A entrada de Sulu Sou na AL em 2017 é prova de que a cooperação dos membros da Novo Macau vai conseguir obter apoios dos cidadãos.”

Desde que saí da AL em 2013, continuei na Novo Macau. Por um lado, precisava de reflectir sobre o sucesso e as falhas nas eleições, por outro lado, precisava de fazer os trabalhos da nova direcção. Desde a saída de Au Kam San até às eleições em 2017, nunca pensei em sair da Novo Macau. Na altura, a associação necessitava de uma pessoa com experiência para enfrentar as questões com que se deparava. Em 2017 decidi ficar para ultrapassar o último desafio, que é conseguir um lugar na AL em prol do desenvolvimento da Novo Macau. Isso também é importante para a sociedade de Macau, porque acredito que o território precisa de associações diferentes como a nossa. Mas isso depende da decisão dos cidadãos e dos eleitores. Os factos apontam para a evidência de que os cidadãos e os eleitores apoiam as ideias da Novo Macau. Estou satisfeito com isso. Fiquei

para enfrentar os desafios da Novo Macau juntamente com os outros membros. Agora que foram ultrapassados chegou a altura de me empenhar nos meus próprios assuntos, nomeadamente, o religioso, sem causar influência à associação. Qual é o papel de Sulu Sou? Considera que representa a salvação da Novo Macau? É injusto, quer para Sulu Sou, quer para a Novo Macau, dizer que ele representa a salvação da associação. Nós, enquanto candidatos da lista Associação do Novo Progresso de Macau, assinámos um documento de compromisso onde concordode produzir efeitos positivos nor lugares cimeiros naa, o objectivo serm no inámos com as ideias da Novo Macau e que vamos aceitar a fiscalização da associação. Qualquer indivíduo que aceite os requisitos pode ser candidato. Ao longo dos anos os trabalhos da

“É injusto, quer para Sulu Sou, quer para a Novo Macau, dizer que ele representa a salvação da associação. Não é adequado dizer que alguém salva outrem. As associações e os deputados progridem e declinam em conjunto.” Fala de Xi Jinping no artigo escreveu para o HM e refere que a China precisa de se renovar. Como é que o país o pode fazer? Em primeiro lugar, o presidente Xi Jinping avançou com a ideia do sonho de rejuvenescimento do povo chinês. É de esperar que a China daqui a alguns anos consiga ser uma sociedade moderadamente próspera. Para mim, este sonho não só influencia profundamente o país, mas também pode produzir efeitos positivos no mundo inteiro. “A renovação e a abertura não podem voltar para atrás”, isso foi dito por Deng Xiaoping. Como é que se garante que se avançar pelo caminho certo? Sobre esta questão acho que cada cidadão chinês pode contribuir com o seu esforço, devendo ter o mesmo sonho, que pertence à China e ao Continua na página seguinte


4 entrevista

18.7.2018 quarta-feira

SOFIA MARGARIDA MOTA

mais importante é insistir e saber seguir o caminho certo. Em Macau muitas pessoas dizem que as leis estão desactualizadas e depois, na revisão das leis, (o Governo) quer reforçar-se na monitorização e melhorar a segurança na cidade devido ao número elevado de turistas. Para isso, foram instaladas câmaras de videovigilância nas ruas. É verdade que precisamos de legislação para que a sociedade seja regulamentada. Mas isso não quer dizer que seja adequado elaborar uma quantidade excessiva de leis. Nos últimos vinte anos desde 1999 quais são os aspectos que se pode melhorar quanto ao desenvolvimento do sistema político para que no próximo mandato o Governo se possa operar mudança. Mas qual é o momento oportuno, acho que em primeiro lugar a sociedade deve ter conhecimento e fomentá-lo em conjunto. Uma posição construtiva é melhor do que só criticar os outros. Os chineses valorizam o paz. Macau tem uma característica em termos da fusão de culturas. Nós tratamos bem desta questão. Além disso, com o avanço da Grande Baía, precisamos de ideias inovadoras. Não se deve passar sempre a responsabilidade ao Governo. Não pergunte o que o país pode fazer por si, mas pergunte a si próprio o que fez pelo país.

mundo.Assim poderemos participar em paz na comunidade internacional, minimizando os conflitos. No entanto, na sua prática, é óbvio que se vão enfrentar riscos e desafios. Por isso, acho necessário que sejam feitos esforços em conjunto para atingir o objectivo. Acredito que quando seguimos por um bom caminho, no final vamos chegar ao destino. Mas para isso temos de envidar esforços e não podemos esperar pela vinda de felicidade. Quais são os maiores desafios de Xi Jinping?

Existem dificuldades em cada fase. A renovação e a abertura da China trouxeram prosperidade económica, assim como alguns problemas. Como é que se unem as ideias e se juntam as forças para ultrapassar as dificuldades, isso é importante. A China tem agora melhor capacidade de gestão do país, apesar de estar a enfrentar problemas quer seja no plano exterior quer seja no plano interno. A China deve melhorar no âmbito político, social e económico. Seguindo a esta directriz, neste sentido as dificuldades vão ser resolvidas. Se se empenhar pelo

“A minha missão está completa e agora é oportuno iniciar o meu trabalho na outra área. Como já acabaram as eleições, agora é a altura para me dedicar totalmente a Deus, por isso, decidi investir mais tempo na igreja.”

interesse próprio, vai no final sofrer da consequência. Acha que as limitações à liberdade que se registam no continente estão cada vez mais presentes em Macau? Lembro-me que CY Leung, quando era membro do Conselho Consultivo da Lei Básica de Hong Kong, disse em Macau que “o futuro é brilhante, o caminho é com curvas”. Isso foi bem dito. No caminho do progresso é óbvio que se vão encontrar obstáculos. Às vezes podem mesmo acontecer recuos. O

Acha que o movimento independentista de Hong Kong influenciou as medidas que o Governo está a implementar em Macau? A ideia da independência de Hong Kong está relacionada com o sentimento de pertença dos jovens. Quer seja em Macau ou em Hong Kong, não há nenhuma condição para a independência. Por isso, a independência de Hong Kong não é uma situação realista. Mas por que razão é que o tema foi tão falado. Isso tem a ver com vários factores. Em prol de Macau, ou de Hong Kong precisamos de fazer o melhor para eliminar estes factores. Na altura da transferência de soberania estava preocupado com a forma como se podiam manter as características de Macau sob o sistema de “Um País, Dois Sistemas”. Para Hong Kong, é igual. Caso consiga manter as características, os residentes em Macau não precisam de se preocupar com as situações que ocorreram em Hong Kong. O Estado deu, de facto, liberdade à gestão (da região). Mas é lamentável que o assunto sobre as eleições universais não tenha sido bem tratado entre Hong Kong e a China. Tal circunstância causou conflitos na sociedade. Para mim, deve-se pensar em como obter equilíbrio na relação entre grupos diferentes de residentes. Vítor Ng

info@hojemacau.com.mo


política 5

quarta-feira 18.7.2018

HOJE MACAU

Um punhado de patacas Bilhetes do metro um pouco mais caros que tarifas dos autocarros

O

Executivo está a ponderar colocar os preços dos bilhetes do metro para a Linha da Taipa um pouco acima dos bilhetes de autocarro, que actualmente é de seis patacas. Apesar de não haver ainda uma decisão, o cenário foi avançado pelo director do Gabinete para as Infra-estruturas de Transportes (GIT), Ho Cheong Kei. “Em relação aos bilhetes para a Linha da Taipa vamos ter em consideração os preços nos autocarros. Temos que ter em consideração o preço nos autocarros porque a linha da Taipa não é muito atractiva para os cidadãos e nós queremos levar mais cidadãos a utilizarem esta linha”, disse o director do GIT. O Governo ainda vai ter de tomar uma decisão sobre o montante atribuído para subsidiar os bilhetes de metro para que o preço final junto do consumidor possa competir com o oferecido pelas operadoras de autocarros. Anteriormente, Raimundo do Rosário, na Assembleia Legislativa, admitiu que as perdas anuais com a Linha da Taipa podem ser superiores a mil milhões de patacas. Este é o valor pago anualmente às companhias de autocarros para subsidiar o custo dos bilhetes.

METRO GOVERNO COM ORÇAMENTO DE 16,4 MIL MILHÕES DE PATACAS

Preços a olho

A entrada em vigor da lei do enquadramento orçamental levou o Governo a incluir nas contas do metro mais rúbricas além da Linha da Taipa. Por esse motivo, o orçamento subiu de 12,8 mil milhões para 16,4 mil milhões, mesmo sem a Linha de Macau

O

orçamento apresentado ontem pelo Governo aos deputados para o Metro Ligeiro chegou aos 16,4 mil milhões patacas, a informação foi revelada por Mak Soi Kun. Além da Linha da Taipa as contas incluem outras fases do projecto como o custo da Estação Intermodal da Barra, Linha de Seac Pai Van, trabalhos de consultadoria, supervisão, exploração geológica para a Linha do Leste, que faz a ligação entre a Taipa e a Zona A, e o custo do Parque de Materiais e Oficina. “O custo da Linha da Taipa foi de 11 mil milhões e estavam orçamentados em 12,8 mil milhões. Mas houve uma subida

do orçamento para 16,4 mil milhões, com a inclusão da linha de Seac Pai Van, Estação da Barra, entre outros trabalhos”, explicou o deputado na sequência da reunião de ontem da Comissão de Acompanhamento para os Assuntos de Finanças Públicas. “O Governo explicou que com a entrada em vigor da lei do enquadramento orçamental houve certas rúbricas que não foram incluídas e que agora têm de ser. É por isso que há um aumento

no orçamento, porque foram integradas rúbricas que antes não faziam parte”, esclareceu. Este não é o orçamento final do projecto e, de acordo com Mak Soi Kun, que preside à comissão, no montante de 16,4 mil milhões de patacas não estão incluídos os custos com a Linha de Macau, nem os materiais e equipamentos circulantes na Linha de Seac Pai Van. A eventual ligação à Ilha da Montanha não foi igualmente calculada.

“Houve uma subida do orçamento para 16,4 mil milhões, com a inclusão da Linha de Seac Pai Van, Estação da Barra, entre outros trabalhos.” MAK SOI KUN DEPUTADO

Também por este motivo, o orçamento final da obra não é conhecido, e Mak Soi Kun revelou esperar que o orçamento sofra mais alterações.

5 MIL MILHÕES PARA MTR

Outro dos aspectos comentados foi a situação da empresa MTR, de Hong Kong, que vai ser a responsável pelos trabalhos de fiscalização do metro em Macau.Acompanhia está actualmente envolvida em várias polémicas devido a uma série de casos de negligência na construção das novas linhas de metro na região vizinha. “Estamos atentos à MTR em Hong Kong e sabemos que estão a ter problemas na região vizinha. As perguntas sobre o assunto foram colocadas ao Governo que explicou que há um sistema para avaliar o desempenho do metro que vai ser aplicado pela empresa. Pedimos também as informações sobre o contrato com a MTR para perceber se poderão ser aplicadas sanções à empresa em caso de incumprimento”, contou o presidente da Comissão. O Executivo comprometeu-se a responder por escrito, sendo que o contrato com a MTR tem a duração de cinco anos, com um pagamento anual a rondar os 900 milhões e com um valor final que ronda os cinco mil milhões. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo

DIFERENDO SEM IMPACTO

Em relação ao diferendo em tribunal entre o Governo e a empresa China Road and Bridge Corporation, Ho Cheong Kei afirmou que não teve qualquer impacto no andamento dos trabalhos. A empresa levou o Executivo para o Tribunal de Segunda Instância (TSI) por considerar que devia ter ficado em primeiro lugar no concurso público das obras do parque, em vez da Companhia de Engenharia e de Construção da China, que acabou por ficar com a obra. Na primeira decisão, o TSI deu razão à China Road and Bridge Corporation, mas Chui Sai On levou o caso para a Última Instância. “O problema sobre o contrato do Parque de Materiais e Oficina não afectou directamente o progresso e o orçamento do Metro Ligeiro. Não há uma relação directa. Todas as etapas estão a ocorrer dentro do previsto”, garantiu. Segundo o TSI, o Governo cometeu um erro quando fez os cálculos do concurso e deveria ter sido a China Road and Bridge Corporation a ficar em primeiro lugar. Por outro lado, o director do GIT voltou a reafirmar que o objectivo passa por colocar o metro a circular ainda ao longo deste ano: “A Linha da Taipa ainda tem como objectivo entrar em funcionamento durante 2019 e a nossa equipa está a envidar todos os esforços para concretizar este objectivo”, reiterou. Ho Cheong Kei referiu igualmente que o preço das obras só para a Linha da Taipa vão mesmo ficar pelo 11 mil milhões de patacas. J.S.F.


6 publicidade

Anúncio Concurso Público N.º 23/ID/2018 « Serviços de gestão das piscinas situadas em Macau afectas ao Instituto do Desporto » Nos termos previstos no artigo 13.o do Decreto-Lei n.o 63/85/M, de 6 de Julho, e em conformidade com o despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 5 de Julho de 2018, o Instituto do Desporto vem proceder, em representação do adjudicante, à abertura do concurso público para os serviços de gestão das seguintes piscinas situadas em Macau afectas ao Instituto do Desporto, durante o período de 1 de Março de 2019 a 28 de Fevereiro de 2021: 1 2

Designação das piscinas Piscina Estoril Piscina Dr. Sun Iat Sen

A partir da data da publicação do presente anúncio, os interessados podem dirigir-se ao balcão de atendimento da sede do Instituto do Desporto, sito na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, n.º 818, em Macau, no horário de expediente, das 9,00 às 13,00 e das 14,30 às 17,30 horas, para consulta do processo de concurso ou para obtenção da cópia do processo, mediante o pagamento de $500,00 (quinhentas) patacas. Podem ainda ser feita a transferência gratuita de ficheiros pela internet na área de download da página electrónica do Instituto do Desporto: www.sport.gov.mo. Os interessados devem comparecer na sede do Instituto do Desporto até à data limite para a apresentação das propostas para tomarem conhecimento sobre eventuais esclarecimentos adicionais. O prazo para a apresentação das propostas termina às 12,00 horas do dia 15 de Agosto de 2018, quarta-feira, não sendo admitidas propostas fora do prazo. Em caso de encerramento do Instituto do Desporto na data e hora limites para a apresentação das propostas acima mencionadas, por motivos de tufão ou por motivos de força maior, a data e a hora limites estabelecidas para a apresentação das propostas serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. Os concorrentes devem apresentar a sua proposta dentro do prazo estabelecido, na sede do Instituto do Desporto, no endereço acima referido, acompanhada de uma caução provisória no valor de $320 000,00 (trezentas e vinte mil) patacas. Caso o concorrente opte pela garantia bancária, esta deve ser emitida por um estabelecimento bancário legalmente autorizado a exercer actividade na Região Administrativa e Eespecial de Macau e à ordem do Fundo do Desporto ou efectuar um depósito em numerário ou em cheque (emitido a favor do Fundo do Desporto) na mesma quantia, a entregar na Divisão Financeira e Patrimonial, sita na sede do Instituto do Desporto. O acto público do concurso terá lugar no dia 16 de Agosto de 2018, quinta-feira, pelas 9,30 horas, no auditório da sede do Instituto do Desporto, sito na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, n.o 818, em Macau. Em caso de encerramento do Instituto do Desporto na data e hora para o acto público do concurso, por motivos de tufão ou por motivos de força maior, ou em caso de adiamento na data e hora limites para a apresentação das propostas, por motivos de tufão ou por motivos de força maior, a data e hora estabelecidas para o acto público do concurso serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. As propostas são válidas durante 90 dias a contar da data da sua abertura. Instituto do Desporto, 18 de Julho de 2018. O Presidente, Pun Weng Kun.

Anúncio Concurso Público N.º 24/ID/2018 « Serviços de gestão das piscinas situadas nas Ilhas afectas ao Instituto do Desporto » Nos termos previstos no artigo 13.o do Decreto-Lei n.o 63/85/M, de 6 de Julho, e em conformidade com o despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 5 de Julho de 2018, o Instituto do Desporto vem proceder, em representação do adjudicante, à abertura do concurso público para os serviços de gestão das seguintes piscinas situadas nas Ilhas afectas ao Instituto do Desporto, durante o período de 1 de Março de 2019 a 28 de Fevereiro de 2021. 1 2 3

Designação das piscinas Piscina do Parque Central da Taipa Piscina de Cheoc-Van Piscina do Parque de Hác-Sá

A partir da data da publicação do presente anúncio, os interessados podem dirigir-se ao balcão de atendimento da sede do Instituto do Desporto, sito na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, n.º 818, em Macau, no horário de expediente, das 9,00 às 13,00 e das 14,30 às 17,30 horas, para consulta do processo de concurso ou para obtenção da cópia do processo, mediante o pagamento de $500,00 (quinhentas) patacas. Podem ainda ser feita a transferência gratuita de ficheiros pela internet na área de download da página electrónica do Instituto do Desporto: www.sport.gov.mo. Os interessados devem comparecer na sede do Instituto do Desporto até à data limite para a apresentação das propostas para tomarem conhecimento sobre eventuais esclarecimentos adicionais. O prazo para a apresentação das propostas termina às 12,00 horas do dia 15 de Agosto de 2018, quarta-feira, não sendo admitidas propostas fora do prazo. Em caso de encerramento do Instituto do Desporto na data e hora limites para a apresentação das propostas acima mencionadas, por motivos de tufão ou por motivos de força maior, a data e a hora limites estabelecidas para a apresentação das propostas serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. Os concorrentes devem apresentar a sua proposta dentro do prazo estabelecido, na sede do Instituto do Desporto, no endereço acima referido, acompanhada de uma caução provisória no valor de $430 000,00 (quatrocentas e trinta mil) patacas. Caso o concorrente opte pela garantia bancária, esta deve ser emitida por um estabelecimento bancário legalmente autorizado a exercer actividade na Região Administrativa e Eespecial de Macau e à ordem do Fundo do Desporto ou efectuar um depósito em numerário ou em cheque (emitido a favor do Fundo do Desporto) na mesma quantia, a entregar na Divisão Financeira e Patrimonial, sita na sede do Instituto do Desporto. O acto público do concurso terá lugar no dia 17 de Agosto de 2018, sexta-feira, pelas 9,30 horas, no auditório da sede do Instituto do Desporto, sito na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, n.o 818, em Macau. Em caso de encerramento do Instituto do Desporto na data e hora para o acto público do concurso, por motivos de tufão ou por motivos de força maior, ou em caso de adiamento na data e hora limites para a apresentação das propostas, por motivos de tufão ou por motivos de força maior, a data e hora estabelecidas para o acto público do concurso serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. As propostas são válidas durante 90 dias a contar da data da sua abertura. Instituto do Desporto, 18 de Julho de 2018. O Presidente, Pun Weng Kun

18.7.2018 quarta-feira

Anúncio Faz-se saber que no concurso público n. 27/P/18 para o «Fornecimento e Instalação de um Sistema de Monitorização Fisiológica e Sistema de Telemetria Cardíaca aos Serviços de Saúde», publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau n.º 26, II Série, de 27 de Junho de 2018, foram prestados esclarecimentos, nos termos do artigo 4.º do programa do concurso público pela entidade que o realiza e que foram juntos ao respectivo processo. Os referidos esclarecimentos encontram-se disponíveis para consulta durante o horário de expediente na Divisão de Aprovisionamento e Economato dos Serviços de Saúde, sita no 1. º andar, da Estrada de S. Francisco, n.º 5, Macau, e também estão disponíveis na página electrónica dos S.S. (www.ssm.gov.mo). o

Serviços de Saúde, aos 13 de Julho de 2018 O Director dos Serviços Lei Chin Ion

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO N.o 28/P/18 Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 4 de Julho de 2018, se encontra aberto o Concurso Público para «Fornecimento e Instalação de Um Sistema Ultrasónico Digital no Serviço de Cardiologia dos Serviços de Saúde», cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos se encontram à disposição dos interessados desde o dia 18 de Julho de 2018, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato destes Serviços, sita no 1.º andar, da Estrada de S. Francisco, n.º 5, Macau, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de MOP43,00 (quarenta e três patacas), a título de custo das respectivas fotocópias (local de pagamento: Secção de Tesouraria dos Serviços de Saúde) ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet na página electrónica dos S.S. (www.ssm.gov.mo ). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 23 de Agosto de 2018. O acto público deste concurso terá lugar no dia 24 de Agosto de 2018, pelas 10,00 horas, na “Sala Multifuncional”, sita no r/c da Estrada de S. Francisco, n.º 5, Macau. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de MOP40.000,00 (quarenta mil patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 12 de Julho de 2018 O Director dos Serviços Lei Chin Ion


política 7

O

Executivo está a ponderar rever o regime de recrutamento centralizado dos trabalhadores da Administração Pública. A ideia foi deixada ontem pelo presidente da Comissão de Acompanhamento para os Assuntos da Administração Pública depois da reunião com membros do Executivo. “O Governo está a pensar rever a lei”, disse Si Ka Lon. Em causa está a redução do tempo dos processos de recrutamento para a função pública, nesse sentido a possível revisão terá como alvo apenas os processos de entrevista. “Depois de prestarem provas de avaliação de competências profissionais, os candidatos são todos sujeitos a entrevista e por vezes gasta-se muito tempo neste processo”, revelou o deputado. A ideia é limitar as entrevistas estipulando uma proporção relativamente ao número de vagas. “Por exemplo se for necessária uma pessoa, podem-se fazer entrevistas a um quíntuplo do número de vagas, pelo que serão seleccionadas para entrevista os cinco candidatos com melhor classificação nas provas”, apontou. A proporção mínima estará na multiplicação por três, referiu tendo em conta as sugestões da secretária para a Administração e Justiça, Sónia Chan. De acordo com Si Ka Lon, actualmente um processo de recrutamento pode demorar, no mínimo, nove

A

lei do hino nacional tem que avançar o mais rapidamente possível. A exigência é feita em comunicado por Wong Kit Cheng. “A RAEM tem a responsabilidade constitucional de implementar a legislação local da Lei do Hino Nacional” lê-se no documento divulgado pela legisladora. Para a deputada, o relevância deste regime vai além da responsabilidade constitucional que considera tão importante como as directrizes relativas à bandeira nacional, até porque

TIAGO ALCÂNTARA

quarta-feira 18.7.2018

FUNÇÃO PÚBLICA GOVERNO PONDERA REVER REGIME DE RECRUTAMENTO

Selecção laboral

Depois de ter entrado em vigor em Julho de 2016, o regime de recrutamento centralizado dos trabalhadores da Administração Pública pode vir a ser revisto. Apesar de estar em vigor há apenas dois anos, o ímpeto reformista do Executivo terá como objectivo limitar o número de entrevistas de modo a que os processos sejam mais rápidos meses até ao final das provas de avaliação de competências profissionais, às quais se segue a entrevista. O objectivo dos deputados da comissão é reduzir este período de tempo.

FICAR A MEIO CAMINHO

Outra das preocupações do Governo tem que ver

com o facto de muitos dos candidatos que ingressam nos concursos públicos acabarem por desistir e não comparecer nas provas de avaliação. “Há concursos em que a continuidade se fica pelos 30 ou 40 por cento”, disse Si Ka Lon. As razões para tal fenómeno são diversas, “por exem-

De mão no peito Wong Kit Cheng quer lei do hino nacional pronta o quanto antes

é um meio importante para promover “uma educação patriótica no território”. Segundo Wong, a legislação referente ao hino não tem razões para ser demorada, até porque no seu entender éum processo muito simples. A deputada recorda as palavras da secretária para a Administração e Justiça, Sónia Chan que terá referido que “tem es-

perança que seja apresentada a proposta ainda nesta sessão legislativa”.

INTEGRAÇÃO TOTAL

Na óptica da deputada, está em causa a integração crescente do território nas políticas nacionais pelo que deve ser encorajada a coesão dos povos, um domínio no qual o hino representa um importante

plo, se as provas forem na Universidade de Macau, as pessoas podem pensar que é longe e não ir”. Tanto deputados como Governo querem que a continuidade seja assegurada por mais candidatos, havendo mesmo membros da comissão que sugeriram a criação de uma taxa a

papel. “O hino nacional é uma oportunidade para fortalecer e divulgar a consciência nacional como um todo, especialmente no seio da geração mais jovem”, refere. Para já, e antes da aprovação legislativa, Wong Kit Cheng apela ao Governo para que inicie os processos de divulgação deste aditamento à Lei Básica de modo a que os jovens comecem a ser sensibilizados para “expressar o amor à pátria em diferentes ocasiões”. Em Dezembro do ano passado, Sónia Chan anunciou

ser paga no momento de candidatura e que seria devolvida se o candidato não desistir do processo. O Executivo não concordou com a sugestão, até porque iria acarretar mais burocracias, revelou o presidente de comissão. Em Julho de 2016, entrou em vigor o novo sistema

que a Direcção dos Serviços deAssuntos de Justiça (DSAJ) já tinha “uma versão preliminar” e que previa finalizar os trabalhos internos até Janeiro. A Lei do Hino Nacional Macau proíbe que este seja utilizado, “ainda que de forma dissimulada, em marcas ou publicidade comercial,

de recrutamento, selecção e formação para acesso à Função Pública. O sistema inclui regulamentação para a avaliação de competências integradas nos concursos de gestão uniformizada em que a selecção dos trabalhadores dos serviços públicos é efectuada sob orientação da Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública (SAFP). O concurso de gestão uniformizada está dividido em duas fases. A etapa de avaliação de competências integradas, assegurada pelos SAFP e a etapa de avaliação de competências profissionais ou funcionais que fica a cargo dos serviços interessados no recrutamento dos trabalhadores, depois da qual são realizadas as entrevistas de selecção. Sofia Margarida Mota

Sofia.mota@hojemacau.com.mo

ou em ocasiões inadequadas como cerimónias fúnebres privadas”, bem como “música de fundo em local público, entre outros”. A versão em vigor desde 1 de Outubro já contemplava sanções para o desrespeito ao hino chinês, que variavam entre detenção por um máximo de 15 dias até processos penais “mais severos”, não especificados. No entanto, também em 4 de Novembro, aAPN aprovou alterações que se traduziram num endurecimento das penas, prevendo até três anos de prisão. S.M.M


8 sociedade

18.7.2018 quarta-feira

SINERGIA DE MACAU

A segunda nega Tribunal rejeita recurso sobre concessão de terreno na Praia Grande

A

Sinergia de Macau “Mais um episódio de construção de baixa qualidade de Macau, neste caso com um túnel pedestre.”

OBRAS NOVO TÚNEL PEDONAL DA PÉROLA ORIENTAL JÁ METE ÁGUA

Não demorou muito O túnel em questão faz parte das obras da ponte que liga Macau à Zona A e, segundo o portal do Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas, foi responsabilidade da empresa estatal chinesa Companhia de Engenharia Porto da China. A obra teve um custo de 305 milhões de patacas e sofreu um atraso de dois meses

A

BERTO à circulação há cerca de dois meses, o túnel pedonal da nova ponte que liga a Pérola Oriental aos Aterros da Zona A, e que teve um custo de 305 milhões de patacas, começou a meter água no domingo. A situação foi partilhada ontem nas redes sociais pela associação Sinergia de Macau, liderada pelo ex-candidato a deputado Ron Lam. Num vídeo publicado no Facebook da associação é possível ver a água a entrar junto de uma das portas na parede da infra-estrutura. “Mais um episódio de construção de baixa qualidade de Macau, neste caso com um túnel pedestre. O túnel pedestre da Pérola Oriental começou a meter água pouco tempo depois de ter aberto”, escreve a associação na publicação em que partilhou o vídeo.

“Na manhã de 15 de Julho houve residentes que passaram no túnel e repararam que junto da porta número um da estrutura havia água a inundar o túnel. Apesar de haver uma corrente a prender a porta, continuava a haver muita água a entrar no túnel”, é acrescentado. A inundação terá acontecido quando se registou uma subida do nível da água. “Os residentes contaram-nos que por volta do meio-dia o nível da água começou a subir e que as inundações se deram quando a água subiu acima do nível do túnel”, escreve a associação.

TRABALHOS DE MELHORIA

Após ter sido divulgada a informação, o Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas (GDI) emitiu um comunicado a fazer um ponto de situação sobre as inundações.

“As infiltrações detectadas na passagem inferior tiveram origem num ponto do compartimento de visita de cablagem. Já foi solicitada à equipa construtora avaliação da situação junto do local e retirar o excesso de água do respectivo compartimento”, foi explicado. “De seguida será dado início a trabalhos de melhoria, incluindo aperfeiçoamento do sistema de drenagem, aumento de bombas de água, etc”, foi acrescentado. Contudo, e apesar de ter sido questionado pelo HM, o GDI não quis confirmar qual a empresa responsável pela obra. A informação foi obtida no portal online do próprio GDI. O túnel pedonal faz parte da empreitada de Construção da Ponte de Ligação entre a Zona A dos Novos Aterros e a Rotunda da Pérola Oriental, também conhecida como Rotunda da Amizade. A obra

foi adjudicada no Verão de 2016 à empresa Companhia de Engenharia Porto da China, que é controlada pelo Estado chinês através do grupo China Communications Construction. Na altura da adjudicação o preço foi de 305 milhões de patacas e as obras tinham como prazo de conclusão Novembro de 2017. Contudo, os trabalhos apenas foram finalizados em Janeiro. Segunda a informação do GDI, os atrasos ficaram a dever-se a “condições climatéricas adversas”. Já a fiscalização da obra foi adjudicada à Pengest Internacional por um valor de 9,75 milhões de patacas, que teve um prazo de 450 dias para prestar o serviço. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo

Sociedade de Investimento Imobiliário Fong Keng Van viu o Tribunal de Segunda Instância (TSI) rejeitar-lhe um recurso apresentado no âmbito da anulação da concessão decretada pelo Governo, relativa a um terreno localizado na zonaAdo “Fecho da Baía da Praia Grande”. O recurso foi apresentado em Maio deste ano depois da publicação do despacho assinado pelo Chefe do Executivo, no âmbito da Lei de Terras. A empresa alegou que a anulação da concessão do terreno “resultaria numa série de prejuízos de difícil reparação”, tal como a “perda do grande valor de dinheiro para custear as despesas já realizadas para a execução das obras com vista à viabilização do empreendimento ‘Fecho da Baia da Praia Grande’”, além da “perda sem qualquer compensação, após a reversão do terreno a favor do Estado, das benfeitorias já realizadas no terreno”. Além disso, a Fong Keng Van argumentou também poder vir a ser alvo de “perda de credibilidade e fidelidade perante os empreiteiros que realizaram contratos”, sem esquecer a “impossibilidade da participação da requerente no empreendimento de modo a prejudicar a sua grande vontade de contribuir

para o desenvolvimento económico de Macau”. Contudo, os juízes do TSI alegaram que a empresa não vai, afinal, sofrer grandes danos com a decisão do Governo. Isto porque “não existe ainda um projecto concreto de reaproveitamento do terreno a ser implementado imediatamente”, pelo que a não execução imediata da retirada do terreno, “apenas num curto período, não causará uma lesão grave do interesse público”. O tribunal entende que, apesar de não existir um projecto concreto para este terreno, nem da parte da concessionária nem da parte do Executivo, este “não desaparece do mundo físico nem será imediatamente aproveitado para outros fins”. Como tal, se “o recurso vier a triunfar no sentido de não ficar caducada a concessão do terreno” cabe ao Governo “reconstruir o status quo”. Este é outro argumento utilizado pelo tribunal para provar que a empresa não vai ter grandes prejuízos. Isto porque, caso a concessão se mantenha, “basta fazer reinvestir [a empresa] na titularidade da concessão”. Para os juízes tal “é possível e não difícil, desde que o terreno permaneça existente, não concedido a outrem ou ainda não aproveitado para outros fins”. A.S.S.

Urbanismo Membros do CPU visitam zona A dos novos aterros

O Conselho do Planeamento Urbanístico (CPU) enviou, no início deste mês, uma delegação à Zona A das Novas Zonas Urbanas e à Ilha artificial do posto fronteiriço Zhuhai-Macau da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, para conhecer o planeamento urbanístico daquela área. De acordo com o comunicado oficial, a visita “permitiu aos membros da delegação aprofundar e actualizar os conhecimentos sobre o planeamento urbanístico da Zona A das Novas Zonas Urbanas e respectivas instalações”. No entanto, permanecem receios por parte dos membros do CPU, nomeadamente “a eventual pressão no trânsito entre a zona nordeste da Rotunda da Amizade de Macau e a Zona A, depois da Ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau entrar em funcionamento”, aponta o comunicado.


sociedade 9

quarta-feira 18.7.2018

Tufão Baixa probabilidade de sinal 8

Jogo Receitas VIP crescem 17,7 por cento no primeiro semestre As receitas do jogo VIP dos casinos de Macau forma superiores a 80 mil milhões de patacas no primeiro semestre de 2018, o que representa um crescimento homólogo de 17,7 por cento, foi divulgado na segunda-feira. Entre Janeiro e Junho, as receitas angariadas nas salas de grandes apostas fixaram-se nas

83,9 mil milhões de patacas, contra as 71,4 mil milhões de patacas registadas em igual período do ano passado, indicou a Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ). No ano passado, as receitas geradas pelo segmento VIP voltaram a crescer, invertendo a tendência dos últimos anos, e atingiram 150,6 mil

ASSÉDIO SEXUAL FINALISTAS DO COLÉGIO CHAN SUI KI EXIGEM INVESTIGAÇÃO

A petição inicial

Um grupo de finalistas do colégio do perpétuo socorro Chan Sui Ki criou uma petição online a pedir uma investigação interna sobre alegados casos de assédio sexual que têm vindo a acontecer na escola. A acção conta com o apoio da Associação Novo Macau

O

S media chineses noticiaram a ocorrência de um alegado caso de assédio sexual que terá sido cometido por um professor do colégio do perpétuo socorro Chan Sui Ki, uma escola de matriz católica. Após a divulgação das informações, um grupo de alunos finalistas da escola decidiu criar uma petição e inquérito online a pedir uma investigação interna a este e mais casos que terão ocorrido, fazendo uma relação ao movimento #metoo.

O sinal n.º3 de Tempestade Tropical foi emitido ontem às 18h. De acordo com um comunicado dos Serviços Meteorológicos e Geofísicos (SMG), o ciclone tropical “Son-Tinh” estaria a mover-se muito rapidamente para o quadrante oeste sendo esperado que cruze a parte Norte do Mar do Sul da China em direcção à Ilha de Hainão. A banda de chuva associada vai trazer tempo instável para a costa sul da China. Os ventos em Macau vão aumentar assim como os aguaceiros que vão ter um aumento gradual acompanhados de trovoadas. A probabilidade de içar o sinal 8 é baixa, refere o mesmo documento.

milhões de patacas. Só o jogo VIP contribuiu para mais de metade (56,7 por cento) do total arrecadado pelos casinos de Macau em 2017. Os casinos de Macau fecharam o último ano com receitas de 265,7 mil milhões de patacas, um aumento de 19 por cento que pôs termo a três anos consecutivos de queda.

A petição foi divulgada pelo deputado Sulu Sou nas redes sociais. Este garantiu ao HM que o apoio que está a ser dado a esta iniciativa é apenas informal, no sentido de “apoiar [os autores] para impulsionar o Governo e a escola a investigar o caso de forma clara”. O HM chegou à fala com um dos porta-vozes do grupo, que não quis ser identificado, apesar da petição, apenas em língua chinesa, conter os emails de alguns dos autores da iniciativa.

“Quero deixar claro que nunca quisemos que este caso viesse parar à imprensa”, começou por afirmar o peticionário. “Ainda não entregámos a petição, mas temos visto, com base nas notícias, que a escola continua a não dar uma resposta formal. O que sabemos é que a escola admitiu que terão ocorrido estes incidentes e disse que a rapariga em causa tem vindo a ser protegida e a receber aconselhamento. Não estamos satisfeitos com os resultados, mas estamos contentes com o facto da escola

ter feito alguma coisa sobre isto. Acreditamos, contudo, que o tipo de aconselhamento com base em rezas não é suficiente. Têm sido publicados nas redes sociais textos que denunciam alegados casos de assédio sexual nos últimos anos. Queremos clarificar o facto de nunca ter existindo uma resposta formal por parte da escola.”

ALUNA RECEBE APOIO

Este porta-voz garantiu que a escola já terá dado apoio à aluna, mas o grupo de finalistas considera que não é suficiente. O aluno finalista quis ainda deixar claro que o objectivo desta petição não é fazer acusações de forma infundada. “Muitas pessoas acusam-nos de incriminar determinados professores com base em alegações e publicações no Facebook, mas não estamos a fazer isso. Só queremos que a escola inicie uma investigação formal e nos dê uma resposta concreta. Esse é o grande objectivo da petição.” Isto porque o grupo acredita que “esta não foi a primeira vez que estas coisas aconteceram e a escola ainda não avançou com os procedimentos a adoptar”. “Queremos garantir que

“Acusam-nos de incriminar determinados professores com base em alegações e publicações no Facebook, mas não estamos a fazer isso. Só queremos que a escola inicie uma investigação formal e nos dê uma resposta concreta.” PORTA-VOZ DO GRUPO DOS FINALISTAS DO COLÉGIO DO PERPÉTUO SOCORRO CHAN SUI KI

estes casos não voltam a acontecer”, concluiu. O HM tentou chegar à fala com a direcção do colégio do perpétuo socorro Chan Sui Ki, mas até ao fecho desta edição não foi possível estabelecer contacto. Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo


10 eventos

18.7.2018 quarta-feira

Amizad

PUB

TEATRO ESPECTÁCULO INFANTIL “O CAMINHO PARA CA

FOTOS ANITA MURPHY

Inspirado no livro do ilustrador Oliver Jeffers, “O culos em 2014. Os artistas falam de uma peça de m

P

ENSADO para crianças com mais de quatro anos, “O Caminho para Casa” regressa ao auditório do Centro Cultural de Macau (CCM) para mais espectáculos, que decorrem entre hoje e domingo.Apeça de marionetas conta a história de um rapaz que um dia descobre um avião a hélice no seu armário e decide voar até ao espaço. Quando o motor começa a falhar e perde o combustível, o jovem conhece um pequeno marciano que também ficou sem meio de transporte. Esta é a história por detrás do espectáculo que mostra aos mais pequenos o poder da amizade, através de dois personagens que se ajudam mutuamente no regresso ao planeta Terra. Como não há diálogos,

a história é contada por via de sons e gestos que revelam a história dos dois amigos. A produção resulta do trabalho conjunto do teatro Refleksion, da Dinamarca, e do Branar Teatar, da Irlanda. Ontem, os artistas Aapo Juhana Repo e Neasa Padhraicin Ni Chuanaigh, contaram mais detalhes deste espectáculo que pretende dar maior destaque às marionetas, pelo que se pode esperar um jogo de contrastes entre a luz e a escuridão. “Vai existir pouca visibilidade para que as marionetas tenham uma maior atenção por parte do público, para que seja também mais mágico. Fizemos umas pequenas adaptações, mas se lerem o livro de Oliver Jeffers não ficarão desapontados com

ARQUEOLOGIA ESTUDO

U

MA equipa multidisciplinar colocou a descoberto, no Vale do Côa, provas que mostram "com clareza" que o homem de Neandertal ocupou de forma continuada aquele território antes da chegada do ‘homo sapiens sapiens’. "A presença continuada do homem de Neandertal,


eventos 11

quarta-feira 18.7.2018

ade de Marte

ASA” REGRESSA AO CCM

FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA ÓPERA “L’ELISIR D’AMORE” INICIA PROGRAMA

A

32ª edição do Festival Internacional de Música de Macau (FIMM) acontece em Setembro e Outubro com o tema “Viver - O Momento na música”, mas já é conhecido o espectáculo que fará a abertura o programa. Trata-se da ópera em dois actos “L’Elisir d’Amore”, que marcará a celebração dos 170 anos da morte do compositor Gaetano Donizetti. De acordo com um comunicado do Instituto Cultural (IC), o espectáculo irá mostrar ao público “o poder mágico do amor através da sua música magnífica”. O cartaz deste ano conta ainda com o Quarteto Hagen, “que traz virtuosismo em perfeita harmonia”, enquanto que o pianista jamaicano Monty Alexander “mostra o seu talento” no espectáculo “Uma Vida no Jazz”. Além disso, a Orquestra de Macau junta-se à Orquestra Filarmónica de Xangai e apresenta a versão original (1887) esquecida durante muito tempo da Sinfonia nº. 8 em Dó Menor de Bruckner, que toca de forma profunda os sentimentos e inspirações da humanidade. O IC revela ainda que o programa desta edição do FIMM visa também “apresentar os clássicos da Alemanha e Áustria: a Camerata Salzburg, proveniente da cidade natal de Mozart, junta-se ao famoso violinista francês Renaud Capuçon e traz a mais pura interpretação da música clássica da escola vienense, demonstrando um fantástico diálogo entre o solista e a orquestra”. “Com uma história mais de 400 anos, a Staatskapelle Dresden apresenta a mais autêntica música alemã, sob a batuta do maestro Christian Thielemann, ao interpretar as sinfonias do compositor romântico Schumann”, aponta ainda o mesmo comunicado. Os bilhetes para a 32ª edição do FIMM começam a ser vendidos em Agosto. Mais detalhes do programa serão divulgados nas próximas semanas.

Caminho para Casa” regressa ao Centro Cultural de Macau depois do sucesso dos primeiros espectámarionetas em que se celebra o poder da amizade entre um menino e um pequeno marciano

o nosso espectáculo”, explicou o artista Aapo Repo. Oliver Jeffers já viu o espectáculo duas vezes e sempre gostou do que viu, ainda que tenha imposto uma única condição para a adaptação subir ao palco. “Esteticamente tinha de ser semelhante ao livro”, explicou a outra artista que faz parceria com Aapo Repo, Neasa Ni Chuanaigh.

REACÇÕES IGUAIS

Os directores das duas companhias teatrais conheceram-se em 2009, mas levou algum tempo até que “O Caminho para Casa” subisse ao palco. “Quando se conheceram achavam que Oliver Jeffers era um grande ilustrador. Sempre falaram em fazer uma co-produção em parceria, e em 2012 ou

2013 acharam que era a altura certa”, apontou Neasa Ni Chuanaigh. Com digressões feitas ao longo da Europa, América e Ásia, os artistas confessam que a reacção das crianças acaba por ser muito semelhante. “Tem sido muito bom ver as crianças de todo o mundo a rir nas mesmas partes do espectáculo e gostar. É diferente do que interpretar perante um público adulto, e penso que podem ser mais pacientes do que as crianças. Precisamos de ter mais cuidado com os movimentos, mas as crianças estão atentas ao espectáculo, no geral”, adiantou Aapo Repo. O teatro Refleksion sempre se dedicou à produção de teatro de animação e de marionetas, não apenas para crianças como para adultos, sendo um trabalho que desenvolve há 25 anos. Um comunicado do CCM refere que as produções desta companhia dinamarquesa “são simples em termos de expressão mas com um grande sentido de pormenor, tanto no que respeita às marionetas como no que respeita ao design dos cenários”. Além disso, a companhia “busca uma universalidade em cada tema, uma vez que os espectáculos abordam com frequência questões da condição humana, focando-se na importância da amizade e na necessidade de enfrentarmos os nossos temores”. Hoje “O Caminho para Casa” faz-se às 19h30, com repetição amanhã nesse horário e também às 17h. Na sexta-feira o espectáculo sobe ao palco às 15h, 17h e 19h30. Aos sábados e domingos decorre às 11h, 15h e 17h. Cada espectáculo tem a duração de 50 minutos.

“Vai existir pouca visibilidade para que as marionetas tenham uma maior atenção por parte do público, para que seja também mais mágico. Fizemos umas pequenas adaptações, mas se lerem o livro de Oliver Jeffers não ficarão desapontados com o nosso espectáculo.” AAPO REPO ARTISTA

Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

em acampamento ao ar livre, no Vale do Côa, ficou comprovada com este registo arqueológico, composto para sondagens arqueológicas, o que torna este sítio único na Europa", disse à Lusa o arqueólogo Thierry Aubry, um dos especialistas da Fundação Côa Parque envolvidos

na investigação. Depois de se percorrer cerca de 25 quilómetros por estradas sinuosas, chega-se ao sítio arqueológico do Salto do Boi/ Cardina, nas proximidades da aldeia de Chãs, onde foi descoberta, através de um conjunto de sondagens, esta "novidade para a arqueologia".

Para os investigadores, ao longo das várias camadas evidenciadas nas sondagens arqueológicas feitas no lugar do Salto do Boi/Cardina, é possível perceber que o homem de Neandertal e o ‘homo sapiens sapiens’ ocuparam o mesmo sítio durante milhares de anos, de forma

contínua, o que permite comparar o seu modo de vida e dar um contexto à arte rupestre do Côa. Segundo ThierryAubry, no interior da Península Ibérica há pouco sítios arqueológicos datados do Paleolítico Médio, e o que se conhece são ocupações únicas e não continuadas.

JUDITH SCHLOSSER

O MOSTRA QUE HOMEM DE NEANDERTAL OCUPOU VALE DO CÔA


12 china

18.7.2018 quarta-feira

manos, disse Xi. “Como a maior organização de cooperação intelectual do mundo, a UNESCO pode desempenhar um papel importante na construção de uma comunidade de futuro compartilhado para a humanidade”, acrescentou.

UMA FAIXA CULTURAL

DIPLOMACIA XI JINPING ENCONTRA-SE COM A DIRECTORA-GERAL DA UNESCO

Um mundo ligado

O presidente chinês e a dirigente da UNESCO, Audrey Azoulay, encontraram-se em Pequim na segunda-feira.Xi Jinping reforçou o compromisso com o diálogo entre civilizações de forma a fomentar o progresso humano. O líder chinês reiterou que a via da cooperação internacional é o caminho para a paz e prosperidade

N

A segunda-feira, o presidente chinês Xi Jinping reuniu-se com a directora-geral da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), Audrey Azoulay, em Pequim. Ao receber a directora-geral da UNESCO, Azoulay, na sua primeira visita à China, Xi

disse que o futuro e o destino das pessoas em todo o mundo estão cada vez mais intimamente ligados. “Na nova era, a China adere à autoconfiança cultural, desenvolve vigorosamente empreendimentos educacionais, científicos, tecnológicos e culturais, e melhora a qualidade da civilidade”, disse Xi. “A China também defende

o conceito de ‘um mundo de grande harmonia’ e coexistência harmoniosa, e defende o respeito mútuo, maior comunicação e maior compreensão mútua para diferentes culturas.” A China está disposta a dar maiores contribuições para o avanço do diálogo entre civilizações, desenvolvimento e progresso hu-

Destacando que o desenvolvimento sustentado e estável das relações da China com a UNESCO foi favorável à paz e prosperidade globais, Xi afirmou que Pequim sempre atribuiu grande importância à UNESCO e apoiou firmemente o importante papel que a organização internacional desempenhou na promoção do desenvolvimento global. “A China está disposta a aprofundar a cooperação com a UNESCO, trabalhar em conjunto pelos benefícios dos povos de todos os países, especialmente para ajudar os países em desenvolvimento a avançar na educação, ciência e tecnologia e cultura”, disse. Azoulay agradeceu a China pelo seu firme apoio à UNESCO e elogiou a cooperação entre os dois lados, dizendo que aprecia o compromisso chinês com o multilateralismo. Há um ressurgimento do isolacionismo e unilateralismo no mundo de hoje, disse a líder da UNESCO, sugerindo que a comunidade internacional siga a abertura e a inclusão, apoie o multilateralismo e defenda o diálogo e a comunicação que fazem parte importante da governação global. Observando que a UNESCO é altamente compatível com os conceitos chineses, Azoulay disse que a organização concordou com a proposta de Xi de “construir uma comunidade de futuro compartilhado para a humanidade”. “A UNESCO está disposta a participar activamente da cooperação associada à iniciativa Uma Faixa, Uma Rota e a contribuir para a paz, segurança e cooperação internacional”, finalizou Azoulay. Xinhua

PUB

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO N.o 29/P/18 Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 3 de Julho de 2018, se encontra aberto o Concurso Público para «Fornecimento do hardware e software necessários para o funcionamento do Sistema “eHR”aos Serviços de Saúde», cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos se encontram à disposição dos interessados desde o dia de 18 de Julho de 2018, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato destes Serviços, sita no 1º andar, da Estrada de S. Francisco, n.º 5, Macau, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de MOP36,00 (trinta e seis patacas), a título de custo das respectivas fotocópias (local de pagamento: Secção de Tesouraria dos Serviços de Saúde) ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet na página electrónica ( www.ssm.gov.mo). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 2 de Agosto de 2018. O acto público deste concurso terá lugar no dia 3 de Agosto de 2018, pelas 10,00 horas, na “Sala Multifuncional”, sita no r/c da Estrada de S. Francisco, n.º 5, Macau. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de MOP48.703,00 (quarenta e oito mil, setecentas e três patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 12 de Julho de 2018

O Director dos Serviços Lei Chin Ion

Ambiente Controlo do fluxo do rio Yangtzé estimula desova de peixes

Quatro importantes espécies de carpa chinesa no rio Yangtzé depositaram 100 milhões de ovos graças ao controle do fluxo da água do reservatório da Barragem das Três Gargantas, informou nesta terça-feira o Ministério dos Recursos Hídricos. Em Maio e Junho, o reservatório na Província de Hubei (centro) realizou duas operações ecológicas, aumentando a vazão para criar picos de cheia e estimular a desova. Segundo o instituto de hidrologia do ministério, foram monitoradas três temporadas de desova no curso médio do rio durante o período. A desova natural das quatro importantes espécies de carpa chinesa exige temperatura e nível de água específicos. Desde 2011, o reservatório ajusta regularmente o volume da água para criar condições ideais para estimular a reprodução dos peixes. De acordo com a Xinhua, o reservatório continuará a explorar maneiras de restaurar o ambiente dos pantanais ao longo do curso inferior do rio Yangtzé de forma a preservar os habitats aquáticos.

CIMEIRA CHINA CELEBRA MELHORIA DAS RELAÇÕES ENTRE RÚSSIA E EUA

A

China celebrou ontem a melhoria das relações entre Estados Unidos e Rússia, afirmando que a cimeira entre os líderes dos dois países, em Helsínquia, ajudará a unir a comunidade internacional. Rússia e EUA “têm uma grande responsabilidade na cena internacional, e na paz e segurança mundiais”, disse a porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros, Hua Chunying. Após uma cimeira de cerca de quatro horas, o Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou que a relação do seu país com a Rússia “mudou” e que se deram os “primeiros passos” de um “largo processo”, que visa melhorar as relações bilaterais. “Esperamos que ajude ao diálogo e cooperação entre ambos os países” e à “união da comunidade internacional para enfrentar desafios comuns”, disse Hua, sobre a cimeira. A porta-voz negou que a aproximação entre Trump e Vladimir Putin afecte as relações entre Moscovo e Pequim, mostrando “plena confiança” nos laços bilaterais. O Presidente russo visitou em Junho a China, onde foi galardoado com a primeira medalha da amizade atribuída por Pequim, ilustrando a prestígio do chefe de Estado russo no país asiático. O próprio Presidente chinês, Xi Jinping admitiu já que ele e Putin têm “personalidades semelhantes”. Já o líder russo considerou Xi um “parceiro agradável” e “um amigo de confiança”. A Rússia e a China alinharam posições nas Nações Unidas, ao oporem-se a uma intervenção na Síria e anularem tentativas de criticar as violações dos direitos humanos pelos dois países. Moscovo apoia a oposição de Pequim à navegação da marinha norte-americana no Mar do Sul da China. Ambos os países, que são considerados por Washington as principais ameaças à segurança nacional dos EUA, realizaram já exercícios militares conjuntos, incluindo no Báltico. A Rússia partilhou também com a China alguma da sua tecnologia militar mais avançada.


região 13

quarta-feira 18.7.2018

MADOKA OGAWA

FILIPINAS TEMPESTADE LEVA A ALERTA DE INUNDAÇÕES

A

tempestade tropical Son-Tinh intensificou-se ontem depois de passar pela ilha de Luzon, no norte das Filipinas, onde as autoridades elevaram o alerta de inundações por causa das novas chuvas das monções. AAgência Meteorológica das Filipinas (PAGASA) declarou o alerta laranja nas províncias de Metro Manila, Bulacan, Bataan e Batangas, onde as águas subiram. Em Manila, as áreas mais baixas sofreram inundações durante a manhã, causando engarrafamentos de trânsito. Por isso, o Governo filipino decretou a suspensão das aulas em todas as escolas públicas nas áreas de alerta de laranja, bem como o

JAPÃO RENOVADO ACORDO QUE PERMITE RECICLAR COMBUSTÍVEL NUCLEAR

Fukushima, meu amor

O pacto entre o Japão e os Estados Unidos que permite àquele país asiático ser a única potência sem armas nucleares autorizada a reciclar combustível nuclear foi ontem automaticamente renovado

O

acordo entre os dois países entrou em vigor em Julho de 1988 e permitiu ao Japão, nas últimas três décadas, reciclar combustível nuclear, extrair plutónio e enriquecer urânio. A renovação ocorreu ontem, 30 anos depois. O futuro, contudo, per-

manece incerto, num momento em que Washington olha desconfiada para as reservas de plutónio de Tóquio. O acordo pode ser cancelado a qualquer momento, através de uma notificação de uma das partes com uma antecedência de seis meses. De acordo com o Governo nipónico, o

Japão tem cerca de 47 toneladas de plutónio - 10 armazenadas no território, o restante no Reino Unido e em França. Apesar da quantidade ser suficiente para produzir cerca de 6.000 ogivas nucleares, o Japão alega que limitou a pesquisa, o desenvolvimento e o uso da energia nuclear para fins pacíficos.

NÃO PROLIFERAR

No seu mais recente plano energético, aprovado no início do mês, o executivo japonês prometeu tentar reduzir as reservas de plutónio. “O Japão fará o possível para manter o regime de não-proliferação, mantendo o pacto nuclear [com os EUA]”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros japonês, Taro Kono, citado pela agência Kyodo. O Japão, país com uma dependência energética superior a 90 por cento, fez altos investimentos em energia nuclear, mas o desastre em Fukushima, em 2011, provocou um ‘apagão’atómico de dois anos. Actualmente, apenas sete dos 42 reactores estão a funcionar. A administração do primeiro-ministro, Shinzo Abe, mantém uma política pró-nuclear e estima que a dependência energética do país não ultrapasse os 22 por cento já em 2030.

Economia União Europeia e Japão assinam acordo de comércio livre contra proteccionismo A União Europeia (UE) e o Japão assinaram ontem, em Tóquio, um acordo de comércio livre que o presidente do Conselho Europeu considerou ser uma “mensagem clara” contra o proteccionismo. “Enviamos uma mensagem clara de que fazemos uma frente comum contra o proteccionismo”, disse Donald Tusk, em conferência de imprensa após a assinatura do acordo. A UE e o Japão assinaram ontem um Acordo de Associação Económica que, segundo uma declaração

conjunta dos três líderes signatários, “envia uma mensagem poderosa de promoção do comércio livre, justo e regrado, e contra o proteccionismo”. Este é o maior acordo comercial negociado pela UE e que liberaliza a maior parte das trocas comerciais com o Japão. O documento foi assinado por Donald Tusk, pelo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e pelo primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, concluindo um processo negocial que se iniciou em 2013.

XINHUA/ROUELLE UMALI

De acordo com o Governo nipónico, o Japão tem cerca de 47 toneladas de plutónio. Apesar da quantidade ser suficiente para produzir cerca de 6.000 ogivas nucleares, o Japão alega que limitou a pesquisa, o desenvolvimento e o uso da energia nuclear para fins pacíficos.

trabalho nos escritórios do Governo. O nível da água no rio Marikina atingiu 15,8 metros acima do nível do mar. Se atingir os 17 metros, as autoridades vão retirar as pessoas que moram juntam ao rio. As inundações e as chuvas fortes também causaram atrasos e cancelamentos nos comboios e nos voos domésticos. Além disso, as províncias de Rizal, Cavite, Pampanga e Zambales também localizadas na ilha de Luzón - estão sob alerta amarelo, onde choveu muito e há risco de inundações. As monções também afectam as ilhas de Mindoro, Palawan e as Visayas ocidentais, na região central do arquipélago.

PUB HM • 2ª VEZ • 18-7-18

ANÚNCIO

Acção de Interdição n.º CV2-18-0020-CPE 2º Juízo Cível Requerente: Ministério Público (檢察院). Requerida: Lam Lai Chon (林麗春). *** O MERITÍSSIMO JUIZ DO 2º JUÍZO CÍVEL DO TRIBUNAL JUDICIAL DE BASE DA R.A.E.M.: FAZ SABER que foi distribuída ao 2º Juízo Cível do Tribunal Judicial de Base de R.A.E.M., a Acção acima mencionada, contra a requerida Lam Lai Chon (林麗 春), solteira, nascida em 24 de Fevereiro de 1973, residente em Macau, na Rua Três do Bairro da Areia Preta, n.º 15, Edf. Man Lei, 3.º andar C, para o efeito de ser declarada a sua interdição por anomalia psíquica. Macau, ao 02 de Julho de 2018. *****


14

h

18.7.2018 quarta-feira

Ora as sombras existem, ´ as sombras têm exaustiva vida própria

A Poesia Completa de Li He

湖 中 曲 長 眉 越 沙 采 蘭 若 , 桂 葉 水 葒 春 漠 漠 。    橫 船 醉 眠 白 晝 閒 , 渡 口 梅 風 歌 扇 薄 。    燕 釵 玉 股 照 青 渠 , 越 王 嬌 郎 小 字 書 。    蜀紙封巾報雲鬢,晚漏壺中水淋盡。

Canção: No Lago Rapariga de longas sobrancelhas cruza as areias, Colhendo orquídeas e íris. Folhas de cássia e persicária espalham Um perfume ambiente. Zonza de vinho, ociosa todo o dia branco Num barco ancorado, Na brisa de ameixa junto à jangada acena Com seu leque de cantar.1 Os garfos de jade dos seus ganchos de cabelo Faíscam no canal claro, O formoso filho do rei de Yue Envia-lhe uma carta delicada. Papel de Shu, envolta num lenço,2 Diz a esta rapariga de cabelos de nuvem, Que se encontrarão quando a clepsidra Travar suas gotas.

1 2

A “brisa das ameixas” era um vento que lançava por terra estes frutos ao soprar no quinto mês lunar. O “leque de cantar” servia para ocultar o rosto enquanto se cantava. O papel de Shu era conhecido pela sua excelente qualidade. No verso acima, “carta delicada” traduz a expressão “uma carta em caracteres pequenos”, sinal da esmerada educação do príncipe.

Tradução de Rui Cascais • Ilustração de Rui Rasquinho Li He (790 a 816) nasceu em Fu-chang durante a Dinastia Tang, pertencendo a um ramo menor da casa imperial. A sua morte prematura aos vinte e sete anos, a par da escassez de pormenores biográficos, deixam-nos apenas com uma espécie de fantasma literário. A Nova História dos Tang (Xin Tang shu) diz-nos que He “nunca escrevia poemas sobre um tópico específico, forçando os seus versos a conformarem-se ao tema, como era prática de outros poetas [...] Tudo quanto escrevia era inquietantemente extraordinário, quebrando com a tradição literária.” Segundo um crítico da Dinastia Song, o alucinátorio idioma poético de Li He é a “linguagem de um imortal demoníaco.” A versão inglesa de referência aqui usada é a tradução clássica da autoria de J.D. Frodsham, intitulada Goddesses, Ghosts, and Demons, publicada em São Francisco, em 1983, pela North Point Press.


ARTES, LETRAS E IDEIAS 15

quarta-feira 18.7.2018

João Paulo Cotrim

HORTA SECA, LISBOA, 6 JULHO Sejam minudências, mas com solidez de pedra no sapato. Por mais provas que se façam, nada evita o maravilhamento do livro acabado de imprimir. Só então se revela a sua aura, se acede ao seu espírito. Além do pasmo. Temos controlo total para diminui-lo, mas o imprevisto acontece, por mais testes que se cumpram. O nosso mais recente, «Uma Mancha Chamada Berlim», tem a capa ligeiramente descentrada. Mais, a escolha daquele amarelo para segunda cor provocou uma aflição no Ricardo [Ben-Oliel], pois só lemos as dedicatórias com esforço extremo. Na rede que tece entre as memórias e as palavras estas ligações a nomes são de extrema importância. Estamos fartos de saber que abrir branco sobre o amarelo não resulta. Experimentar sempre, mas já agora para errar diferente. No caso, aceito as imperfeições com bonomia. O descentramento do rosto parece resultar do movimento que a espiral suscita. E os destinatários quase apagados no amarelo ganham doravante a potência do enigma. Neste ofício, a perfeição resulta de estranhos equilíbrios. Mais uma colecção que não o queria ser, mas conta já com uns cinco volumes, foi iniciada precisamente com «Silêncio», do Ricardo, para contrariar ideias feitas em torno do parente pobre dos géneros literários, o conto. Com o Luís [Taklin], grande criador de infografias, desenvolvemos paginação desafogada, desperdiçando entradas generosas para cada conto, além de pictograma, essa máxima síntese de conceito numa figura, e duas cores no miolo, em papel de toque suave pouco transparente. Queríamos dar máximo conforto ao leitor, uma respiração mais pausada em objecto que revelasse pensamento e cuidado. Na capa, um desenho mais elaborado, com a espessura do baixo-relevo, capaz de sugerir tema ou de piscar o olho, como aconteceu com o espelho em «Da Família». E, desde o início, me agrada a sugestão de parede dada pelas texturas. Um conto pode ser fenda, tijolo, marca em grande muro. No caso de «Uma Mancha…» demorámos a encontrar o tom, mesmo depois de nos termos fixado no óbvio: o tempo. A espiral, onde podíamos colocar (breve) história do universo, chegou tarde, soavam de novo os alarmes das urgências. Este título estava previsto para o mês em que se confirmou a falência, tendo sido o primeiro a ser empurrado pela onda de choque. Não podia atrasar mais, de tão cheio de ícones de relógios e referências ao soberano que nos escraviza. Sem resultados palpáveis, pretendíamos com o expediente gráfico su-

Urgências de lugares comuns! Lá está, se se tornaram comuns devemo-lo a autores como Sérgio Godinho. Década após década, SG fez-se gigante construtor de canções que traçaram pontes, ruas e túneis, aliás, mapas entre gerações e géneros, temas e estilos, personagens e imagens. Foram relâmpagos que continuam acontecendo à medida que vivemos, para nos ajudar a perceber a dimensão exacta do que fomos mal o ouvimos, mal ouvimos as canções. Esta arte do Sérgio assenta na peculiar atenção ao que fica do que passa; na raiz mergulhada na experiência pessoal mas de um modo tal que rima com universal; nas coreografias com que a palavra arrasta os ritmos. Nisto e nos enigmas da curiosidade que recolhe, mistura, amadurece e atira. Para voar e nos levar também.»

JOSÉ FRADE

Diário de um editor

gerir unidade, sem vender narrativa por lebre. Afirmar que, por exemplo, as deambulações das personagens do Ricardo eram fruto de uma mesma demanda de identidade, podiam ser lidas como faces, fragmentos de uma mesma viagem pelos lugares e na continuidade. Parte da popularidade do romance resulta da capacidade de nos transportar para algures e aí nos manter tempos infindos. Por ironia, o conto acontece ser demasiado curto para estes dias de não haver tempo para nada. Menos ainda para ler. S. LUIZ, LISBOA, 7 JULHO O Sérgio [Godinho] chamou fechar de círculo a este seu primeiro concerto com orquestra sinfónica. Orquestra Metropolitana de Lisboa e banda, os Assessores, dirigidos pelo Nuno Rafael. Orquestra, sob batuta de Cesário Costa, e piano. Orquestra e arranjos, também do Filipe [Raposo], aquele que desenha paisagens sentado ao piano. Orquestra e pulmão do SG. O palco estava, portanto, transbordante a ponto de nos encher de marés a nós, aos sentados sob o grande candelabro. Com sensível sabedoria, na escolha e alinhamento, nas oscilações entre o sussurrante e o extravagante, na carne acrescentada ao esqueleto das canções, o concerto insuflou. E voou. O gozo contagiante do bloco das cordas, que tantas vezes nos

levou às cordas, cantando coros e gingando foi apenas sinal do que por ali se ergueu. Gastámos o resto da noite a discutir que outras canções mereciam ser aumentadas e de que modos e maneiras. Como pedras atiradas à água, as canções continuaram como continuam ondulando em círculos. Abertos, de tal modo que vou ao passado apanhar o que quero para matar esta sede de dizer agora. «”E coisa mais preciosa no mundo não há”. Falamos de canções, certo? Não vejo maneira de crescer sem elas, miopia minha, que não distingo o longe horizonte sem degrau mínimo, este íntimo à mão de semear. As paisagens que fomos construindo no último século, hesitando ou correndo, sentados no passeio ou comendo alcatrão, seriam impossíveis de percorrer sem estes seres particulares. Chamemos-lhe canções, para facilitar, embora sejam bastante mais do que isso, síntese letal de poder que invoca diamantes e granadas. Não conheço melhor maneira de cruzar ciência e poesia, pensamento e prazer, quotidiano e intemporalidade do que nestes nós que nos acompanham vida fora, por causa do verso estilhaço ou da melodia tatuagem. Os dias deixam-se oxidar, amarelando sensaborões até que a batida nos invade, aquela que sendo de todos parece apenas nossa. E logo Lisboa amanhece. Ou o Porto fica perto. Tão fácil falar

Como pedras atiradas à água, as canções continuaram como continuam ondulando em círculos. Abertos, de tal modo que vou ao passado apanhar o que quero para matar esta sede de dizer agora

S. JOSÉ, LISBOA, 9 JULHO Quando em apuros, volto à música. O flamenco acompanha-me nas idas e vindas ao hospital tornando peregrinante o percurso banal. A imensa noite de S. João da Cruz dedilhada à velocidade da luz, as palavras jorrando de fonte fresca onde Lorca bebe enquanto faz tombar as estátuas. As vozes de Enrique Morente ou Rosalía são visitas das horas. HORTA SECA, LISBOA, 12 JULHO Recebo do José Carlos [Costa Marques] o seu «Uma Voz Entre Vozes», nas Edições Afrontamento, dedicado ao eterno adolescente Cristovam Pavia e tendo a morte por horizonte. São 35 poemas que ajuízam caminhos, causas, lutas, entre o solar tenebroso e o brilho iluminado da noite, que reflectem e celebram a natureza. Com candura. E alegria, mesmo tintada de amargura. «Alegria suprema é estarmos vivos na carne/ Como Larkin, estremecê-la e sentirmos assim// Sentirmos assim a carne habitada Vibrante/ Ridente como o sol da manhã lá fora// Entre neblinas devassando o inverno/ por entre a erva tépida// Sermos assim alegres na carne Que é onde a vida passa e trespassa/ E onde a somos E onde ela é pro dentro de nós// Vibra também a carne do crucificado A carne do torturado/O estremecer no fim da carne que a doença venceu// Vibra no terror No grito que não chega a gritar Vibra no pânico e exala// Quem nos levará da suprema alegria que vivemos na carne/ Àquela outra liberta da carne Liberta da tortura// Quando nada mais formos Nem carne nem espírito// Apenas Alegria» Gosto deste modo de, com maiúscula, abrir vale da quase pausa, afirmando assim que o verso pode esconder um outro. Assim descubramos o valor da letra.


16 publicidade

18.7.2018 quarta-feira


desporto 17

ISTOCK

quarta-feira 18.7.2018

Futebol Daley Blind transfere-se do Manchester United para o Ajax

O futebolista internacional holandês Daley Blind transferiu-se para o Ajax por 16 milhões de euros (ME), quatro anos depois de se ter transferido para o Manchester United, anunciaram ontem os dois clubes. Blind, de 28 anos, foi a primeira contratação de Louis van Gaal, quando o treinador holandês assumiu o comando do Manchester United, em 2014, mas disputou apenas 17 jogos na época passada, sob a liderança técnica do português José Mourinho. “Sinto-me orgulhoso por ter feito parte da família do Manchester United. Ter jogado no melhor clube do mundo representa muito para mim. Vou ter saudades do ‘teatro dos sonhos’, mas está na altura de regressar a casa”, disse Blind. O Ajax precisou que o defesa, filho do ex-jogador Danny Blind, um dos históricos do futebol holandês, assinou por quatro épocas e que o valor da transferência poderá ascender a 20,5 ME, em função das cláusulas contratuais com o clube inglês.

Ténis Pedro Sousa passa à segunda ronda do torneio de Bastad

O tenista português Pedro Sousa qualificou-se ontem para a segunda ronda do torneio de Bastad, na Suécia, depois de derrotar o moldavo Radu Albot, em dois ‘sets’. O português, 136.º do ‘ranking’ mundial, precisou de uma hora e 38 minutos para derrotar o adversário, 93.º, por 6-4, 6-3. Esta foi a primeira vez que Pedro Sousa se qualificou para a segunda ronda de um torneio do circuito ATP fora de Portugal. Na próxima ronda, o português vai defrontar o vencedor do encontro entre o espanhol Fernando Verdasco, quinto cabeça de série, e o italiano Lorenzo Sonego.

BASQUETEBOL SUMMER SUPER 8 ARRANCOU ONTEM NA NAVE DESPORTIVA

Os oito magníficos

Macau será, até domingo, a capital regional do basquetebol de elite, com a participação de equipas do Interior da China, Filipinas, Taiwan, Japão e Coreia do Sul. O Torneio Summer Super 8 arrancou ontem com a primeira jornada

O

torneio asiático, com a chancela da Federação Internacional de Basquetebol (FIBA), Summer Super 8 arrancou, ontem, na Nave Desportiva dos Jogos da Ásia Oriental. Na conferência de imprensa que marcou o arranque da primeira edição da competição, Pun Weng Kun, presidente do Instituto do Desporto, comprometeu-se a apoiar o desenvolvimento do sector local, através da realização de eventos internacionais. “Valorizamos e apoiamos o desenvolvimento do desporto de Macau. Os torneios Summer Super 8 e The Terrific 12, em Setembro, vão trazer o basquetebol de alta competição a Macau assim como a

paixão pelo desporto internacional aos cidadãos”, afirmou Pun Weng Kun, de acordo com o comunicado do ID. Por sua vez, Brian Warwick Goorjian, treinador dos Xinjiang Guanghui Flying Tigers, equipa do Interior da China, destacou o facto de haver uma competição internacional que permite às equipas asiáticas elevarem o nível da região. “Já trabalho nesta zona há mais de 10 anos. Durante este período sempre encontrei joga-

dores e treinadores muito empenhados em melhorarem o nível do basquetebol regional. Porém, sempre faltaram competições internacionais para desenvolver ainda mais o talento dos jogadores e para permitir comparações entre os diferentes países. Os torneios Super Summer 8 e The Terrific 12 criam essas oportunidades”, considerou. Sobre o facto do torneio ser em Macau, o técnico mostrou-se optimista em relação ao futuro do evento: “Acho que estamos no

“Os torneios Summer Super 8 e The Terrific 12, em Setembro, vão trazer o basquetebol de alta competição a Macau.” PUN WENG KUN INSTITUTO DO DESPORTO

início de algo especial. O facto de ser em Macau aumenta as hipóteses da competição ser bem sucedida”, sublinhou.

ROAD WARRIORS ENTRAM A GANHAR

Ontem foi disputada a primeira jornada na competição que é constituída por dois grupos. No A, a formação filipina NLEX Road Warriors bateu a equipa de Taiwan Formosa Dreamers por 94-68, enquanto os Etland Elephants, da Coreia do Sul, se impuseram aos Xinjiang Guanghui Flying Tigers, do Continente, por 81-67. No Grupo B, os filipinos Blackwater Elite bateram os Seoul Samsung Thunders, da Coreia do Sul, por 78-67. À hora de fecho do HM, os Guangzhou Long Lions estavam a ganhar diante do japoneses do Rizing Zephyr Fukuoka por 36-30, no final do segundo período. Hoje, os jogos começam às 15h, com os Etland Elephants a enfrentarem NLEX Road Warriors. Às 17h, Rizing Zephyr Fukuoka e Seoul Samsung Thunders tem encontro marcado e, às 19h, entram em acção Guangzhou Long Lions e Blackwater Elite. Os jogos terminam com a partida, às 21h, entre Xinjiang Guanghui Flying Tigers e Formosa Dreamers. João Santos Filipe

joaof@hojemacau.com.mo

FUTEBOL WILLIAM CARVALHO DIZ QUE TERÁ SEMPRE "O SPORTING NO CORAÇÃO"

O

futebolista internacional português William Carvalho, que vai actuar em 2018/19 nos espanhóis do Bétis, despediu-se ontem dos adeptos do Sporting, confessando estar a viver “um dia difícil”. “Despeço-me da família Sporting, a minha casa nos últimos

13 anos. O clube que me viu crescer e que me deu a oportunidade de dar o salto para o futebol profissional, que me permitiu celebrar títulos por esta grande camisola e ser campeão da Europa pelo meu país”, escreveu William na rede social Instagram.

O médio luso lembrou os “momentos complicados” que o clube viveu, e o levaram a rescindir contrato com justa causa, mas frisou que não queria sair a mal. “Se teria de sair daquela que será sempre a minha ‘casa’, teria de ser da melhor forma possível

para o clube”, escreveu. William Carvalho disse ainda que levará “para sempre” o ‘seu’ Sporting “no coração” e que será “sempre mais um adepto, esteja onde estiver”. “Quero agradecer aos adeptos pelo carinho e apoio incondicional ao

longo destes anos e a todos os meus companheiros, treinadores, médicos, fisioterapeutas, roupeiros e direcção que me ajudaram a ser melhor futebolista, mas sobretudo melhor pessoa. Obrigado a todos de coração. Até breve”, finalizou.


18 (f)utilidades

?

AGUACEIROS

O QUE FAZER ESTA SEMANA Hoje

V CICLO DE CINEMA CREDDM - "FIREWALL" Casa Garden | 19h30

Amanhã

MIN

CONCERTO COM CHAI KEFU X CHON CHAN Live Music Association | Das 21h00 às 00h00

Sexta-feira

CONCERTO “UMA NOITE COM PIANO NA GALERIA ASSOCIAÇÃO ELITE” Fundação Rui Cunha | 18h00

Sábado

RHYS LAI - WORKSHOP DE PINTURA PARA PAIS E FILHOS Fundação Rui Cunha | 15h00 CONCERTO “CHAMBER EVENING WITH BEETHOVEN” Fundação Rui Cunha | 20h00

MAX

29

HUM

80-98%

EURO

9.45

BAHT

13

13

14

62 46 4 9 1 85 38 3 9 81 8 7 6 3 52 45 35 3 7 4 28 2 6 9 6 17 1 5 3 8 4 92 4 5 69 6 2 7 3 81 28 2 3 91 9 4 5 67 3 9 86 58 5 71 7 4 1 41 4 25 2 7 96 9 8 7 87 8 2 3 94 19 1 6 15

EXPOSIÇÃO “AYIA” Casa Garden | Até 9/9 EXPOSIÇÃO “UNIVERSO” Armazém do Boi | Até 9/9 EXPOSIÇÃO “APROFUNDAR” Art Garden | Até 9/9 EXPOSIÇÃO “CHAPAS SÍNICAS” Museu das Ofertas sobre a Transferência de Soberania de Macau | Até 7/8 “MARC CHAGALL – LUZ E COR NO SUL DE FRANÇA” MAM | Até 26/8

C I N E M A

YUAN

1.20

ANDAR A REBOQUE 7 4 1 9 8 6 2 3 5

O CARTOON STEPH 15

5 9 8 2

14

1 8 2 4 6 7 5 39 5 3 16 91 89 8 7 2 47 4 9 5 2 3 1 8 4 2 31 73 97 89 8 6 69 6 87 8 4 35 3 1 53 5 8 2 1 6 49 4 6 31 3 7 8 42 54 95 8 9 5 6 43 4 72 7 2 7 94 9 15 1 6 3

19

3 4 6 5 2 7 9 1 8

DE

EXPOSIÇÃO “ART IS PLAY” Grande Praça – MGM | Até 9/9

0.24

VIDA DE CÃO

Diariamente

Cineteatro

24

83 18 1 2 4 59 65 6 6 5 39 3 78 7 2 4 4 27 2 1 5 6 8 3 7 9 84 38 13 1 6 5 28 52 5 7 6 4 1 39 1 6 3 95 9 2 87 8 2 3 98 9 1 5 4 7 5 5 74 7 6 2 93 19 1 9 9 1 46 4 7 38 3 52 17

16

7 1 9 2 3 4 6 8 5

16

8 71 7 63 6 9 4 25 94 9 2 57 5 8 3 6 5 3 16 41 24 2 8 9 3 3 54 25 2 79 7 1 8 6 8 9 4 13 1 2 7 7 2 1 6 8 95 49 4 9 35 3 8 2 76 17 1 1 1 6 4 9 37 3 5 2 2 2 7 58 5 1 64 6 93

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 15

PROBLEMA 16

17

18

3 UM 45 4 69HOJE 3 8FILME 6 7 21 2 6 1 7 8 93 9 54 Nanette 9 7 12espectáculo 9 47seria4só mais 5um 1 6 3 de standup comedy. Mas Hannah Gadsby uma 4 oportu39 43 75 7 8 2faz de6Nanette nidade para contar a sua história num 1 misto 1 de3tragédia 7 e6comédia. 5 Hannah 8 4 2 é natural de uma pequena cidade da 83 68 4da5 9 12 1 7onde Ilha Tasmânia, na Austrália, até 1997 ser homossexual era, além 9 89 3crime. 8 3Ao longo 4 2da sua1 6 de5pecado, vida, de uma 7 sofreu 4 abusos 2 61sexuais 6 e5 8 9 série de preconceitos, alguns vindos dela anos usou 29 52a 45 6 mesma. 1 83Durante 8 7 autodepreciação como forma de

2 5 8 1 9 6 7 3 4

2 1 7 6 5 3 4 8 9

18

6 6 1 29 2 3 7 4 8 32 3 15 1 4 78 97 9 4 8 7 9 65 6 12 31 5 2 1 4 39 3 8 6 69 86 8 7 1 5 3 4 7 4 3 6 28 92 59 5 3 5 6 28 2 9 71 47 8 78 7 4 63 6 1 5 2 1 91 9 2 5 7 4 36 3

Às vezes tenho a sensação de que andamos todos a reboque de qualquer coisa invisível em Macau. Sentimos que o Governo não está, de facto, onde deve estar, nas coisas urgentes do dia-a-dia, quando de facto se exige governação a sério. Há qualquer entidade omnipresente que faz com que tudo ande para diante, seja de que maneira for. Falo do caso do Canídromo. Só ontem é que a secretária para a Administração e Justiça, Sónia Chan, anunciou a realização de uma conferência de imprensa sobre a situação dos galgos, quando já toda a gente percebeu o comportamento que a Companhia de Corridas de Galgos Yat Yuen tem tido e quais os seus verdadeiros objectivos. Outro exemplo: as inundações. Macau registou três dias com chuvas um pouco mais fortes do que o normal e o Porto Interior encheu de imediato. Lá foi o Chefe do Executivo presidir a uma reunião interdepartamental para resolver o problema, quando na verdade os moradores do Porto Interior já não ligam: limpam o que ficou sujo e cruzam os braços à espera da solução que não vem. Incrível mesmo é o comunicado dos Serviços de Saúde: os residentes não devem ter contacto com a água suja. Posso escrever Lol? Vivemos no território onde se pretende legislar sobre coisas indefinidas, onde se viola a lei mas cuja resposta oficial é “fizemos tudo de acordo com a lei”. Vêm aí os novos aterros, o malfadado metro ligeiro, a utopia chamada Grande Baía, mas tudo anda a reboque de qualquer coisa, com governantes meio presentes, meio ausentes. Valham-nos as receitas do jogo que não param de chegar. Andreia Sofia Silva

1 3 4 9 8 2 5 6 7

2 9 7 5 3 6 8 1 4

5 6 8 7 1 4 2 3 9

9 4 6 8 5 1 7 2 3

3 2 5 6 9 7 1 4 8

8 7 1 4 2 3 9 5 6

7 1 2 3 4 9 6 8 5

4 8 9 1 6 5 3 7 2

6 5 3 2 7 8 4 9 1

7 4 5 1 2 6 3 8 9

8 3 1 7 9 5 6 4 2

2 8 6 5 1 3 9 7 4

4 9 7 8 6 2 1 5 3

5 1 3 4 7 9 8 2 6

6 5 4 9 8 1 2 3 7

3 2 8 6 5 7 4 9 1

1 7 9 2 3 4 5 6 8

3NANETTE 2 1| HANNAH 4 9GADSBY 7 6 7 5 6 3 2 8 9 9 8 4 6 1 5 3 1 9 3 8 7 2 4 8 6 2 9 5 4 7 4 7 5 1 3 6 2 6 4 9 7 8 1 5 5 3 8 2 6 9 1 2 1 7 5 4 3 8

8 1 7 5 3 9 2 4 6

5 4 2 6 1 8 3 7 9

21

S U D O K U

TEMPO

18.7.2018 quarta-feira

9 6 2 3 4 8 7 1 5

23

5 6 3 7 2 1 4 9 8

fazer comédia. Até hoje, aos 40 anos, não teve coragem de se assumir para avó. Em Nannete Hanna despe-se e despede-se num alerta sempre válido contra o preconceito e o abuso de poder. Sofia Margarida Mota

SKYSCRAPER SALA 1

ANT-MAN AND THE WASP [B] Um filme de: Peyton Reed Com: Paul Rudd, Evangeline Lilly, Michael Douglas 14.30, 16.45, 19.15, 21.30 SALA 2

SKYSCRAPER [B] Um filme de: Rawson Marshall Thurbe Com: Dwayne Johnson, Neve Campbell, Chin Han 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

SALA 3

BEIRUT [C] Um filme de: Brad Anderson Com: Jom Hamm, Rosamund Pike 14.30, 16.30, 19.15

CODE GEASS LELOUCH OF THE REBELLION III [B] FALADO EM JAPONÊS LEGENDADOEM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Goro Taniguchi 21.15

www. hojemacau. com.mo

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; Diana do Mar, João Santos Filipe; Sofia Margarida Mota; Vitor Ng Colaboradores Amélia Vieira; Anabela Canas; António Cabrita; António Castro Caeiro; António Falcão; Gonçalo Lobo Pinheiro; João Paulo Cotrim; José Drummond; José Simões Morais; Manuel Afonso Costa; Michel Reis; Miguel Martins; Paulo José Miranda; Paulo Maia e Carmo; Rui Cascais; Rui Filipe Torres; Sérgio Fonseca; Valério Romão Colunistas António Conceição Júnior; David Chan; Fa Seong; Jorge Morbey; Jorge Rodrigues Simão; Leocardo; Paul Chan Wai Chi; Paula Bicho; Tânia dos Santos Cartoonista Steph Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


opinião 19

quarta-feira 18.7.2018

sexanálise

GEORGIA O’KEEFFE

TÂNIA DOS SANTOS

Volta ao mundo à saúde reprodutiva

J

Á discuti extensivamente como a saúde feminina deve ser divulgada e discutida, e de como existem variações nacionais (às vezes até regionais!) na forma como as mulheres podem ter (ou não) acesso a certos produtos, medicamentos ou serviços. Parece-me que, se já no nosso local de residência habitual pode tornar-se um pesadelo encontrar certas atenções que a nossa vagina pode necessitar, imaginem no estrangeiro. Nós somos mulheres emancipadas, senhoras dos nossos narizes, e corremos mundo à procura de emprego, bem-estar, ou simplesmente divertimento. Mas num mundo de desigualdades de oportunidades e de direitos, a saúde reprodutiva feminina nem sempre é um direito ou não é de fácil acesso, na generalidade. Num mundo globalizado esta é informação útil às mulheres que precisam de ter acesso a pílulas contraceptivas, pílulas do dia seguinte, de um(a)

ginecologista, de um antifúngico para aquela vaginite chata e persistente, em qualquer ponto do globo. Com isto em mente, nasceu o projecto ‘gynopedia’, uma wikipedia online da vagina e das questões femininas em geral, para quem corre mundo e precisa de arranjar soluções para certos desafios particulares. Assim saberás que na China pode ser difícil comprar um tampão, mas que uma pílula do dia seguinte não precisa de receita médica, e é facilmente adquirida em qualquer farmácia. Até oferecem uma tradução para mandarim de como fazer o pedido. E esta lógica aplica-se às outras páginas de outros países ou cidades, não de tantos quanto se gostaria, porque que ainda se esperam novas colaborações – de pessoas como tu! especialista na forma como se vive a saúde reprodutiva no teu local de residência – para completar a enciclopédia dos assuntos femininos globais.  Este é um

projecto/plataforma ainda em estado muitíssimo embrionário mas acho que merece toda e qualquer atenção - entendam-no como um guia turístico para os assuntos femininos e reprodutivos. No mundo ocidental, o tal que é supostamente democrático e desenvolvido, dissemina-se a representação de que é lá que se faz tudo e muito bem, porque de bem verdade que é lá que a tecnologia de ponta está à disposição. Mas existem sempre transformações e mutações inesperadas. O progresso nem sempre tem um caminho ascendente, às vezes tem uns percalços e cai a pique. A Polónia é um exemplo deste declínio porque, entre outras acções, inutilizaram a prática de educação sexual nas escolas e tornaram o aborto ilegal. Parece que os EUA estão a ir por um caminho tortuoso também, vendo recuar certas liber-

O progresso nem sempre tem um caminho ascendente, às vezes tem uns percalços e cai a pique. A Polónia é um exemplo deste declínio porque, entre outras acções, inutilizaram a prática de educação sexual nas escolas e tornaram o aborto ilegal. Parece que os EUA estão a ir por um caminho tortuoso também, vendo recuar certas liberdades sexuais e de reprodução por outras mais arcaicas

dades sexuais e de reprodução por outras mais arcaicas. O que este projecto colaborativo oferece é uma possibilidade de nos mantermos sempre informadas acerca de certos progressos, mas de forma mais preocupante, de certos retrocessos também. Acho que estou entusiasmada com a possibilidade saber onde procurar caso necessite de uma pílula do dia seguinte quando estiver de férias no Brasil, mas também porque facilita ter esta informação organizada e de fácil acesso, para uma perspectiva de como o mundo vai e como é que a saúde reprodutiva é tratada e regulamentada pelo globo. E porque é que esta consciencialização é importante? Porque é preciso um movimento de descoberta e de união, que não servirá para o perpetuar um movimento à la globalização neo-liberal, mas para possibilitar a compreensão que apesar de existirem vários feminismos e várias formas de vivermos a feminilidade, o direito a uma saúde reprodutiva plena deveria ser um direito universal. Infelizmente o direito à nossa intimidade e ao controlo do nosso corpo não é um dado adquirido, em nenhum dos hemisférios (perdoem-se o pessimismo ocidental) mas vale sempre a pena contribuir para a discussão e divulgação do que são corpos – e vaginas – felizes.


Opinião pública, preguiças privadas. Friedrich Nietzsche

O

PUB

Governo da Índia ordenou uma inspecção a todos os centros para crianças geridos pela congregação católica da Madre Teresa no país, após a detenção de uma das suas freiras por alegadamente vender bebés. A ministra das Mulheres e do Desenvolvimento da Criança, Maneka Gandhi, instou as autoridades locais “a inspeccionarem imediatamente os centros para crianças geridos pelas Missionárias da Caridade”, a congregação fundada por Madre Teresa de Calcutá, indica um comunicado divulgado na segunda-feira à noite. No início do mês, a polícia indiana deteve uma freira e um empregado de um daqueles centros, que dava assistência a grávidas e mães solteiras em Ranchi, capital do estado de Jharkhand (leste), e que teriam vendido crianças. A adopção ilegal é um negócio importante na Índia, onde perto de 90.000 crianças desaparecem anualmente, segundo os dados oficiais. Algumas são dadas por pais pobres, outras são raptadas no hospital ou em estações de comboios. A superiora geral da ordem, irmã Mary Prema, lamentou o assunto e dissociou a congregação das acções de uma pessoa. “Cooperamos com as investigações e estamos abertos a qualquer inquérito livre e justo”, declarou num comunicado. As Missionárias da Caridade foram fundadas em Calcutá em 1950 pela Madre Teresa, uma religiosa albanesa que se tornou um ícone mundial da compaixão. Recebeu o prémio Nobel da Paz em 1979 e morreu em 1997, tendo sido declarada santa pela Igreja católica em 2016. A congregação conta com mais de 5.000 religiosas em 130 países.

Partir um partido Governo de Hong Kong inicia processo para proibir partido político

O

G o v e rn o de Hong Kong iniciou ontem o processo para proibir um partido político pró-independência. O secretário de Segurança do Governo regional, John Lee, anunciou numa conferência de imprensa que o Partido Nacional de Hong Kong tem o prazo de 21 dias para apresentar “alegações escritas sobre porque acreditam que não se deva dar a ordem” de proibição. Lee reconheceu que em Hong Kong há liberdade de associação, mas argumentou que “esse direito não está isento de restrições”. O secretário de Segurança especificou que essas restrições referem-se à legislação regional, aos “interesses de segurança nacional, à segurança pública, à ordem pública, à protecção da saúde pública e à moral e protecção dos direitos e liberdades de outros”. No entanto, Lee não detalhou o que esse partido político fez para merecer a tentativa de proibição por parte das autoridades e limitou-se a dizer que todos devem agir “dentro dos limites da lei”.

CHINA DAILY

ÍNDIA GOVERNO ORDENA INSPECÇÃO A CENTROS DA CONGREGAÇÃO DA MADRE TERESA

POR OUTRO LADO

Um dos cofundadores do partido, Andy Chan, disse ao South China Morning Post que agentes entregaram-lhe ontem um documento oficial que referia que o funcionário responsável pela supervisão das associações havia

quarta-feira 18.7.2018

PALAVRA DO DIA

Cosmologia Descobertas 12 novas luas em torno de Júpiter

Cientistas nos Estados Unidos descobriram mais 12 luas em torno do planeta Júpiter, conjecturando que as suas órbitas opostas resultam de colisões entre outros corpos celestes maiores. Com a descoberta das luas, que foram vistas pela primeira vez em 2017, eleva-se a 79 o número de satélites do maior planeta do sistema solar. Nove dos novos satélites descobertos fazem parte de um conjunto mais distante que orbita Júpiter ao contrário do sentido da rotação do planeta. Estão agrupados em pelo menos três grupos orbitais distintos e pensa-se que são o que resta de três corpos celestes maiores que se partiram por causa de colisões com asteroides, cometas ou outras luas, demorando dois anos a completar a órbita de Júpiter.

Cinema Filme chinês mais caro de sempre sai dos cinemas após estreia

John Lee

recomendado a proibição do partido. O documento referiu o artigo 8º. da lei da associação, que inclui as alegações citadas por John Lee na sua conferência de imprensa, como base para a proibição de uma organização política. O anúncio “pode ter consequências a longo prazo”, disse Patrick Poon, um investigador da Amnistia Internacional, num comunicado. Para Poon, “usar referências muito amplas de ‘segurança nacional’para silenciar as vozes dissidentes é uma táctica usada pelos governos repressivos”. A tentativa de banir esse partido político “soa o alarme sobre o que o Governo tentará restringir da próxima

vez em nome da segurança nacional”, acrescentou Poon. O Partido Nacional de Hong Kong foi fundado em Março de 2016, no âmbito da efervescência política que gerou os protestos democráticos, em finais de 2014, contra o sistema eleitoral supervisionado que o Governo de Pequim tentou implementar na antiga colónia britânica. Outro partido pró-independência, criado após os protestos, é o Demosisto, fundado em Abril de 2016 por Nathan Law e Joshua Wong, dois dos jovens líderes dos protestos de 2014, que passaram um período na prisão devido ao seu papel nesse movimento.

A produção cinematográfica mais cara de sempre na China, intitulada “Asura”, com um custo de 750 milhões de yuan (96 milhões de euros), foi retirada dos cinemas após uma decepcionante estreia comercial no fim de semana. O filme épico, baseado na mitologia budista, arrecadou 49 milhões de yuan (6,2 milhões de euros) no fim-de-semana de estreia, nos cinemas chineses, apesar de uma forte campanha publicitária. Os produtores anunciaram a retirada dos cinemas através das redes sociais, mas sem detalhar quais os motivos. Mais de 2500 pessoas trabalharam na produção de “Asura”, filme produzido na China e cuja pós-produção foi feita ao longo de mais de um ano nos Estados Unidos. Num artigo publicado antes da estreia, Yang Hongtao, presidente do grupo Ningxia Film Group, um dos produtores, considerou o filme “muito imaginativo”. “Queremos que o filme aumente a confiança na nossa própria cultura e capacite os nossos talentos domésticos”, afirmou.

TRUMP REUNIÃO COM PUTIN FOI “AINDA MELHOR” DO QUE CIMEIRA DA NATO

O

Presidente norte-americano, Donald Trump, disse ontem que a sua reunião com o homólogo russo foi “ainda melhor” do que a cimeira da NATO e culpou os ‘media’ por darem uma ideia errada da cimeira bilateral. “Apesar de ter tido uma excelente reunião com a NATO, captando vastas quantidades de dinheiro, tive uma conversa ainda melhor com Vladimir Putin, da Rússia. Infelizmente, os ‘media’ não estão a contar a história assim

- os ‘media’ ‘Fake News’ estão a ficar loucos”, escreveu Trump numa mensagem divulgada na rede social Twitter. Trump tem sido criticado nos Estados Unidos por não ter confrontado Putin com as interferências russas nas eleições norte-americanas e por ter questionado as conclusões das agências dos serviços secretos norte-americanos sobre essas interferências. Mesmo apoiantes de Trump, como o presidente da

Câmara dos Representantes, Paul Ryan, ou o presidente da comissão dos Negócios Estrangeiros do Senado, Bob Corker, criticaram o seu desempenho na cimeira de Helsínquia. Donald Trump reafirmou na segunda-feira, numa conferência de imprensa conjunta com Putin após uma cimeira bilateral em Helsínquia, que não houve “conluio” entre a sua campanha e os russos. “Fizemos uma campanha brilhante, por isso é que eu sou

o Presidente. As sondagens são um desastre no nosso país, não existiu nenhum conluio”, afirmou Trump. As principais agências dos serviços secretos norte-americanas, incluindo a CIA e o FBI, dizem há meses ter provas de que a Rússia interferiu nas eleições presidenciais norte-americanas, mas descartam que a sua interferência tenha influenciado o resultado final, que permitiu a Trump ganhar a Hillary Clinton.

Hoje Macau 18 JUL 2018 #4094  

N.º 4094 de 18 de JUL de 2018

Hoje Macau 18 JUL 2018 #4094  

N.º 4094 de 18 de JUL de 2018

Advertisement