__MAIN_TEXT__

Page 1

MOP$10

SEGUNDA-FEIRA 18 DE JANEIRO DE 2021 • ANO XX • Nº 4691

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

hojemacau

TIMOR-LESTE

GUERRA GANHA BATALHA

Mudança de planos

O edifício, já construído, do Hospital das Ilhas, não vai afinal ser entregue ao Instituto de Enfermagem do Kiang Wu, como estava previsto. Os Serviços de Saúde anunciaram a suspensão da entrega, alegando a

GRANDE PLANO

EUA | RELATÓRIO

Recados devolvidos PÁGINA 5

CASINOS | JOGO

A ascensão das massas PÁGINA 6

OPINIÃO

necessidade de aproveitar melhor o espaço e torná-lo mais eficiente. Para que tal aconteça, é preciso “rever e organizar”, dizem as autoridades de saúde. Como e com que fins, ainda está por explicar.

NA GAIOLA ANDRÉ NAMORA

PÁGINA 7

ADRIANO NEVES

(1958-2021)

CINEMATECA | HERÓIS DAS ILHAS EVENTOS

MACAU-LIFESTYLE

ÓBITO

PUB.

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

ANOS


2 grande plano

O

Tribunal de Recurso timorense absolveu o casal de portugueses Tiago e Fong Fong Guerra, condenado em 2017 por peculato a oito anos de prisão e a uma indemnização ao Estado, ordenando o descongelamento das suas contas. O acórdão, aprovado por unanimidade por um colectivo de três juízes, e que foi na sexta-feira comunicado às partes, determina a absolvição do crime de peculato, pelo qual o Tribunal de Díli tinha aplicado uma pena de oito anos de prisão efectiva e o pagamento de uma indemnização de 859 mil dólares. Segundo fontes judiciais contactadas pela Lusa, o tribunal determina ainda o descongelamento das contas bancárias do casal e o levantamento de todas as medidas de coacção que estavam a ser aplicadas. Ao HM, o ex-advogado de defesa do casal neste processo, Álvaro Rodrigues, disse tratar-se de uma “excelente notícia” e confirmou o fim das medidas de coacção. “Estávamos à espera [desta decisão], porque a acusação e a condenação que foi feita em Timor-Leste era injusta e não tinha qualquer fundamento.” Álvaro Rodrigues adiantou também que o casal Guerra terá acesso ao acórdão esta semana, tendo de aguardar ainda um prazo de 15 dias para que o mesmo transite em julgado, o que vai efectivar o fim das medidas de coacção até agora decretadas. O advogado adiantou também que Tiago e Fong Fong Guerra “estão extremamente felizes” com o desfecho deste processo, que teve algum impacto negativo junto da comunidade portuguesa de Timor-Leste. “Mas isso depois foi diluído e hoje acho que já se esqueceu e com esta decisão de um tribunal de recurso, superior, a declarar que eles são completamente inocentes, acho que a comunidade facilmente esquecerá esse impacto.” Entretanto, corre em Macau um outro processo conexo, onde o casal e os pais de Fong Fong Guerra estão acusados de um crime de branqueamento de capitais, numa acção que, segundo a defesa, teve por base o processo de Timor-Leste e as cartas rogatórias na sequência de pedidos de informação feitos a Macau. Álvaro Rodrigues, que defende o casal neste processo em Macau, não quis tecer comentários adicionais. “Esta decisão é importante não só no processo que decorreu em Timor mas também por causa de um outro processo conexo que está a decorrer em Macau. Não vou fazer comentários porque o processo está em curso. E também devido a normas deontológicas estou impedido de tecer comentários.”

O QUE DIZ O ACÓRDÃO

O acórdão conclui um processo que durou dois anos e meio.

18.1.2021 segunda-feira

JUSTIÇA

SEGUNDO ASSALTO

CASAL GUERRA ABSOLVIDO EM TIMOR-LESTE, MAS CASO CONEXO PROSSEGUE EM MACAU

O casal de portugueses Tiago e Fong Fong Guerra, residentes de Macau, foram condenados pelo crime de peculato em 2017, mas na sexta-feira foi tornado público o acórdão do Tribunal de Recurso de Timor-Leste que os absolve. No entanto, ainda decorre um processo conexo em Macau, uma vez que tanto o casal como os pais de Fong Fong Guerra estão acusados do crime de branqueamento de capitais Nele os juízes dão deferimento ao recurso da defesa à sentença de 24 de Agosto de 2017, onde se argumentava que a decisão da primeira instância padecia de “nulidades insanáveis” mais comuns em “regimes não democráticos”, baseando-se em provas manipuladas e até proibidas. O casal foi preso pela polícia timorense em Díli a 18 de Outubro de 2014 e esteve desde então impedido de sair de Timor-Leste, com Tiago Guerra obrigado a apresentar-se semanalmente na Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL). Enquanto aguardava a decisão sobre o recurso à sentença do Tribunal Distrital de Díli,

mantendo sempre a sua inocência e acusando o Tribunal de primeira instância e o Ministério Público de várias irregularidades, o casal fugiu para a Austrália, onde che-

“Estávamos à espera [desta decisão], porque a acusação e a condenação que foi feita em Timor-Leste era injusta e não tinha qualquer fundamento.” ÁLVARO RODRIGUES ADVOGADO

gou, de barco, em 9 de Novembro de 2017, tendo depois chegado a Lisboa em 25 de Novembro desse mesmo ano. O casal foi representado pelos escritórios Da Silva Teixeira e Associados e Abreu e C&C Advogados que, depois da fuga do casal renunciaram ao mandato. Contactados pela Lusa, os dois escritórios de advogados confirmaram que não puderam receber cópia do acórdão por terem renunciado ao mandato. No recurso, a defesa apresentou 13 pontos de contestação à sentença, incluindo a “intromissão não autorizada em correspondência”. “Ao fim de 15 sessões de

julgamento e depois de ter sido proferido o Acórdão ora colocado em crise, constata a defesa, sem qualquer margem para dúvida, que este processo padece de várias nulidades insanáveis, algumas das quais apenas acontecem em regimes não democráticos, o que não é o caso de Timor-Leste”, refere o recurso da defesa. O texto, apresentado junto do Tribunal de Recurso, considera ter havido “manipulação de prova, utilização de prova proibida e valoração da mesma”, defende ter havido inconstitucionalidade, omissão de realização de diligências necessárias para a descoberta da verdade e “insuficiência de


segunda-feira 18.1.2021

grande plano 3

matéria de facto provada para a decisão”. Os dois portugueses foram julgados pelos crimes de peculato, branqueamento de capitais e falsificação documental sendo central ao caso uma transferência de 859 mil dólares, feita em 2011 a pedido do consultor norte-americano, Bobby Boye. Boye, um consultor pago pelo governo norueguês e posteriormente pelo governo timorense, chegou a ser co-arguido neste processo foi, entretanto, condenado nos Estados Unidos onde está a cumprir pena. A fuga do casal causou tensão diplomática entre Portugal e Timor-Leste, com o assunto a suscitar críticas de dirigentes políticos e da sociedade civil, com artigos a exigir até investigações à embaixada de Portugal em Díli. Na sequência da fuga do casal, o Ministério Público timorense acusou um outro português e dois timorenses de vários crimes, incluindo branqueamento de capitais, por alegadamente terem apoiado na fuga do casal. Esse processo está ainda a decorrer no Tribunal Distrital de Díli.

UM CASAL SATISFEITO

Tiago Guerra “Têm sido tempos difíceis. Temos estado a viver à custa de família. Retomamos o trabalho devagar e temos estado a tentar refazer a nossa vida, voltar a ter uma família normal.”

Tiago Guerra disse à Lusa estar “muito satisfeito” porque “foi feita justiça”. “Estou muito satisfeito que depois de tantos anos finalmente foi feita justiça”, disse Tiago Guerra, contactado telefonicamente em Lisboa e informado pela Lusa da decisão do colectivo de juízes do Tribunal de Recurso. “Ainda sem ler o acórdão fico grato que a justiça esteja a ser reposta. Sempre mantivemos a nossa inocência e isso é muito positivo”, considerou. Agradecendo o apoio da equipa de defesa, familiares e amigos, Tiago Guerra disse que a notícia da absolvição termina um longo e difícil processo para toda a família. Actualmente a viver em Portugal, Tiago Guerra disse que a decisão do Tribunal de Recurso “muda tudo”. “Têm sido tempos difíceis. Temos estado a viver à custa de família. Retomamos o trabalho devagar e temos estado a tentar refazer a nossa vida, voltar a ter uma família normal”, afirmou. Tiago Guerra acrescentou que a decisão de Díli deverá ter um impacto num outro processo a decorrer em Macau, onde ele próprio, Fong Fong Guerra e os pais da mulher são arguidos. “Se realmente esse crime de que estamos acusados não existe, e era o subjacente do processo de Macau, esse ficaria sem mérito. Imagino que Timor-Leste comunique agora a Macau a decisão”, referiu. A.S.S. / LUSA


4 política

18.1.2021 segunda-feira

Colina da Penha Associação Novo Macau lança petição

A Associação Novo Macau (ANM) lançou uma petição online intitulada “Salvaguardar a Nossa Colina da Penha”, onde exige a retirada dos projectos urbanísticos para as zonas C e D da Baía da Praia Grande. Para a ANM, devem ser divulgados estudos de impacto ambiental e paisagístico dos projectos, além de pedir o respeito pelas opiniões expressas na consulta pública sobre o Plano Director. A petição pede que os planos para as zonas C e D recomecem apenas mediante a aprovação do Chefe do Executivo. A petição pede ainda o respeito pelas opiniões proferidas no âmbito da consulta pública sobre o Plano de Salvaguarda e Gestão do Centro Histórico de Macau, realizada em 2018, a fim de cumprir a promessa de protecção da paisagem entre a Colina da Penha e a ponte Governador Nobre de Carvalho. A 6 de Janeiro, na reunião do Conselho do Planeamento Urbanístico, o Governo admitiu que os projectos podem não assegurar a vista da Colina da Penha, ao lado da ponte do cais, e da paisagem em geral ao lado da Colina da Penha.

BENEFÍCIOS FISCAIS FISCALIZAÇÃO GEROU DÚVIDAS DE DEPUTADOS

Pontos de vantagem

Emprego Sulu Sou quer saber quantos TNR trabalham na função pública

Depois de questionar a necessidade de mais benefícios fiscais, a 1.ª Comissão Permanente acredita que a proposta do Governo pode favorecer a fixação de empresas que exerçam actividades de inovação científica e tecnológica. O Executivo garantiu que os Serviços de Finanças podem verificar a existência de incumprimentos de empresas através das declarações anuais de impostos

A

1.ª Comissão Permanente da Assembleia Legislativa assinou o parecer referente à proposta de lei do regime de benefícios fiscais para empresas que exerçam actividades de inovação científica e tecnológica. O documento revela que a necessidade de criar mais benefícios fiscais para atrair empresas foi questionada pelos deputados, tendo em conta o “convidativo” quadro fiscal actual. “Será necessária a concessão de mais benefícios e isenções fiscais para atrair empresas do exterior para que se instalem na RAEM?”, pode ler-se no documento. Além da isenção do imposto complementar de rendimentos durante três anos, está prevista a isenção do imposto do selo sobre a transmissão de bens pela aquisição de imóveis e a redução dos encargos do imposto profissional dos trabalhadores da empresa. No entanto, com base nas medidas de regiões vizinhas, o Governo manteve a convicção de que as isenções propostas são benéficas. “Trata-se, pois, de um

regime fiscal muito competitivo, apto a atrair efectivamente as empresas a instalarem-se na RAEM”, descreve o parecer, que aponta para a convergência da opinião das duas partes. A comissão acha que a proposta pode ter “um duplo efeito”: por um lado, atrair empresas do exterior; por outro lado, reter as empresas já instaladas em Macau, prevenindo a deslocalização para outras zonas.

QUESTÕES DE FISCALIZAÇÃO

Alguns deputados “tiveram dúvidas” sobre a revisão da

“Trata-se, pois, de um regime fiscal muito competitivo, apto a atrair efectivamente as empresas a instalarem-se na RAEM.” Parecer da 1.ª Comissão Permanente

concessão destes benefícios, questionando como se podem detectar irregularidades. “Como a Comissão de Avaliação procede à revisão da concessão dos benefícios apenas no quarto ano após a data da análise e reconhecimento (...), como poderá verificar o incumprimento de alguma empresa ocorrido nos anos imediatamente anteriores à data da revisão?”, pode ler-se. O Governo argumentou que a revisão só é feita ao fim de quatro anos por ser esse o período em que “as empresas de inovação tecnológica e científica normalmente consolidam a sua actividade após os primeiros anos de investimento e prejuízo”. No entanto, esclareceu que a actividade das empresas é acompanhada e que as declarações anuais do imposto complementar de rendimentos permitem à Direcção dos Serviços de Finanças (DSF) saber se os requisitos legais são cumpridos. Os deputados quiseram também saber se no caso de incumprimento as empresas beneficiárias são obrigadas a devolver todos os

benefícios que, entretanto, lhes foram concedidos. O Governo esclareceu que a actividades das empresas é acompanhada e que as declarações anuais do imposto complementar de rendimentos dão conhecimento sobre o cumprimento dos requisitos legais. A versão final da proposta de lei inclui agora a obrigatoriedade de as empresas pagarem todos os impostos e contribuições de que tenham sido isentos, correspondentes ao “período em que deixaram de preencher os requisitos”. A nova versão da proposta determina ainda que quem prestar informações falsas ou usar meios ilícitos para conseguir benefícios fiscais “incorre em responsabilidade disciplinar, administrativa, civil ou penal nos termos da lei”. Além disso, o director dos Serviços de Finanças tem competência para acabar com isenções, e que esses beneficiários “devem ainda efectuar o pagamento do imposto e contribuição de que tenham sido isentos”. Salomé Fernandes

info@hojemacau.com.mo

Sulu Sou quer saber os argumentos do Governo para empregar permanentemente trabalhadores não residentes (TNR) na função pública e se cada serviço da administração pública tem um mecanismo de substituição para promover o trabalho local. Com vista a “elevar a transparência da administração pública”, o deputado pede, em interpelação escrita, que Executivo actualize o número de TNR nesta situação, recordando a obrigatoriedade de declarar as razões da contratação e as opiniões da Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública (DSAFP) que estão na base da tomada de decisão. Segundo informações da DSAFP, até 31 de Maio de 2020, o Governo tinha contratado, no total, sete consultores, todos de Portugal e 134 técnicos especializados, provenientes de regiões como o Interior da China, Portugal, Taiwan, Hong Kong, Itália, Alemanha e Coreia do Sul.

Ensino Wong Kit Cheng alerta para riscos de sexo antes do casamento

Os jovens devem pensar bem no impacto de iniciar a vida sexual antes do casamento. Esta foi uma das ideias partilhadas pela deputada Wong Kit Cheng, num evento dedicado à educação sexual, na Escola Keang Peng. Segundo um comunicado, divulgado ontem pela Associação Geral das Mulheres, a legisladora apontou aos jovens que o sexo deve resultar de uma escolha saudável, segura, dentro da legalidade e do respeito próprio e do parceiro ou parceira. Wong Kit Cheng afirmou que a entrada na adolescência, com todas as alterações físicas e psicológicas, é uma “idade-chave” para cultivar a correcção nas relações entre os sexos. Além de destacar a importância do compromisso e intimidade na vida amorosa, mencionou aos jovens as penas previstas na lei para crimes como o sexo com menores ou a prática do aborto.


política 5

segunda-feira 18.1.2021

RELATÓRIO GOVERNO DIZ QUE WASHINGTON FALHA NA SUA PRÓPRIA GOVERNAÇÃO

Jogo de espelhos

Vacina diplomática

O Executivo de Ho Iat Seng reagiu ao relatório anual do Congresso norte-americano sobre a China, que incide sobre Macau, argumentando que o documento ignora factos e que Washington “falha na sua própria governação”. O relatório enumera casos como a proibição da exposição fotográfica em memória do Massacre de Tiananmen e a falta de progresso democrático

J

F

ALHA na sua própria governação, mas critica os assuntos internos de Macau. Esta prática de jogar com dois pesos e duas medidas é ridícula e impopular.” Foi assim que o Gabinete de Comunicação Social respondeu ao relatório anual de 2020 da Comissão Executiva do Congresso dos Estados Unidos da América para a China, que, como é hábito, dedica alguma atenção a Macau. O Executivo alega que o relatório do Congresso norte-americano “ignora os factos” e merece firme oposição. Além disso, o Governo refere a obtenção de “grandes êxitos”, “reconhecidos mundialmente”, com

destaque no ano passado para a resposta à pandemia. O órgão legislativo norte-americano também repete no relatório relativo a 2020 algumas críticas feitas no ano anterior, nomeadamente a falta de progresso no

“Falha na sua própria governação, mas critica os assuntos internos de Macau. Esta prática de jogar com dois pesos e duas medidas é ridícula e impopular.” GCS

caminho para o sufrágio universal para eleger o Chefe do Executivo e a forma como Ho Iat Seng foi eleito. Os membros do Congresso citam a Lei Básica da RAEM quanto à “garantia do alto grau de autonomia” e “à protecção de direitos e liberdades reconhecidos internacionalmente, incluindo o direito a votar e ser eleito em eleições genuínas e periódicas, através de sufrágio universal e equitativo”. O documento destaca também o encontro entre Ho Iat Seng, duas semanas antes de ser eleito para o mais alto cargo político do território, e a Associação Novo Macau, em que o governante não afastou a hipótese da implementação do sufrágio universal durante o seu mandato, mas que talvez fosse preferível “a reforma política ser proposta ou iniciada pela geração mais nova”. É referido ainda que a reunião ocorreu pouco depois do lançamento de uma sondagem informal, levada a cabo pela associação, cujo resultado relevou que entre 5.698 residentes inquiridos 94 por cento era favorável à eleição do Chefe do Executivo por sufrágio universal. O documento refere que a sondagem foi abruptamente cancelada e que membros da associação foram alvo de insultos, ataques físicos e ameaças.

HONG KONG ALI AO LADO

O ano passado foi ainda regionalmente marcado pela turbulência política e social vivida em Hong Kong. Nesse capítulo, os congressistas recordam o cancelamento de uma manifestação contra a violência policial no território vizinho, que chegou a ser anunciada nas redes sociais. Outro episódio mencionado, foi a revogação da

autorização, pelo Instituto para os Assuntos Municipais em Maio do ano passado, da mostra fotográfica em memória do Massacre de Tiananmen, cortando com uma tradição de cerca de três décadas. O relatório menciona ainda vários episódios de restrições à liberdade de imprensa e recusa de entrada em Macau ocorridos aquando da visita do Presidente Xi Jinping ao território para a celebração dos 20 anos da RAEM, e o apelo da Associação de Imprensa em Português e Inglês de Macau para que o Governo respeite a liberdade de imprensa. Também é referido um artigo publicado no South China Morning Post sobre prostituição em Macau, sustentando preocupações sobre tráfico humano. No plano tecnológico, o relatório do congresso menciona a retirada do emoji da bandeira de Taiwan dos serviços da Apple para usurários de Macau. João Luz

info@hojemacau.com.mo

Deputados à AR exigem plano de vacinação para embaixadas e consulados

OSÉ Cesário e Carlos Gonçalves, deputados à Assembleia da República (AR) pelo Círculo Fora da Europa, questionaram o Governo português sobre a necessidade de o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) criar um plano de vacinação para os funcionários e diplomatas da rede de embaixadas e consulados em todo o mundo. Ao HM, José Cesário adiantou que o Executivo está a trabalhar num plano, mas que são necessários resultados a curto prazo. “Sei que têm estado a trabalhar nisso, tenho essa informação, mas não quisemos deixar de manifestar essa necessidade, porque os nossos postos têm estado sob enorme pressão.” “Há muita gente, portugueses e não só, que precisam de viajar, pelo que há um contacto permanente com os postos consulares, tem havido problemas sociais em vários sítios, muitos funcionários que têm tido contactos com muita gente. Portanto, numa fase em que se começa a generalizar a vacinação o Estado tem de definir critérios e um plano para fazer chegar a vacina às pessoas, ou para que localmente elas possam ser adquiridas, mas essa é uma questão

que depende de país para país”, adiantou.

INCLUIR EXTERNOS

Portugal tem, neste momento, 120 postos consulares pelo mundo [onde se inclui o consulado-geral de Portugal em Macau e Hong Kong], pelo que “cada caso é um caso”, descreve José Cesário, que chama a atenção para a necessidade de protecção de funcionários externos. “O MNE não pode deixar de ter um plano que inclua a vacinação a toda a gente, desde o diplomata até ao auxiliar, incluindo os prestadores externos de serviços que são bastante importantes em alguns postos.” “Há casos de pessoas contaminadas e se os diplomatas têm seguro de saúde, mais ou menos eficaz, os restantes funcionários não têm. Quem está fora do espaço da União Europeia tem de suportar essas despesas inerentes aos tratamentos”, frisou.  Na questão colocada ao Governo, os deputados pediram também dados relativos aos anos de 2019 e 2020 sobre o número de documentação emitida, tal como cartões de cidadão ou passaporte, entre outras informações. Andreia Sofia Silva

info@hojemacau.com.mo

ADRIANO DAS NEVES Falecimento A família enlutada de ADRIANO DAS NEVES, tem o doloroso dever de informar que este seu ente querido faleceu no dia 14 de Janeiro de 2021, pelas 22H22 no Hospital Kiang Wu. Deixa a sua esposa Kou das Neves, Mei Si e a sua filha Adriana Maria das Neves. A missa do corpo presente será realizada no dia 18 de Janeiro de 2021, às 20H00 horas na Casa Mortuária Diocesano. No dia seguinte, 19 de Janeiro de 2021 pelas 12H00 horas, será realizado o funeral e uma missa na Casa Mortuária Diocesano, a que se seguirá a ida para o Cemitério Nossa Senhora de Piedade, Macau. Antecipadamente se agradece a todos quantos queiram participar no piedoso acto. Esposa Kou das Neves, Mei Si Filha Adriana Maria das Neves


6 sociedade

18.1.2021 segunda-feira

Os Serviços de Alfândega (SA) concluíram o processo disciplinar contra um inspector alfandegário envolvido num caso de corrupção. Segundo o Gabinete do Secretário para a Segurança, a pena de demissão “foi executada em 15 de Janeiro de 2021”. Os SA notificaram o indivíduo, através de aviso publicado nos termos legais, visto que o seu paradeiro é desconhecido. O caso foi divulgado no final de 2015, depois da investigação do Comissariado contra a Corrupção ter dado conta de que o inspector alfandegário terá prestado auxílio a um visitante, interceptado pelos SA, quando na entrada em Macau transportava consigo um valor em numerário superior ao limite permitido.

sável por gerar 12,15 mil milhões de patacas, à medida que as restrições relativas à pandemia de covid-19 foram apertando, as receitas foram caindo. Contas feitas, o segmento VIP gerou 1,50 mil milhões de patacas no segundo trimestre, 2,34 mil milhões no terceiro trimestre e, por fim, 7,62 milhões de patacas no quarto trimestre. Também de acordo com os dados revelados pela DICJ, no final de 2020, Macau contava, no total dos 41 casinos do território, com 6.080 mesas de jogo e 8.960 máquinas de jogo.

HOJE MACAU

Corrupção Inspector alfandegário demitido

CARNAVAL DO CONSUMO TRANSACÇÕES NA PENÍNSULA ULTRAPASSAM 740 MILHÕES

A

iniciativa “Carnaval de Consumo na Zona Centro e Sul e na Zona Norte 2020”, que terminou ontem, gerou até 10 de Janeiro transacções num montante que ultrapassou 740 milhões de patacas, o dobro do registado em 2019. A medida, promovida pela Direcção dos Serviços de Economia (DSE), em parceria com a Federação da Indústria e Comércio de Macau Centro e Sul Distritos e a Associação Industrial e Comercial da Zona Norte, teve como objectivo impulsionar o consumo comunitário e apoiar as pequenas e médias empresas (PME). Nesta área do território participaram 15 mil lojas, o dobro dos estabelecimentos aderentes em 2019. Os residentes que fizeram compras superiores a 68 patacas, usando plataformas de pagamento

electrónico em lojas designadas, não incluindo hotéis, casinos e centros comerciais de grande dimensão, habilitaram-se à oferta de “cupões de consumo electrónico para consumo nas PME”, num valor total superior a 8 milhões de patacas. O montante foi deduzido automaticamente após o pagamento do próximo consumo. Esta segunda compra fez circular 140 milhões de patacas em lojas da península de Macau. O Carnaval do Consumo das Ilhas terminou no fim de Outubro do ano passado, contou com a participação de 16 mil lojas e gerou transacções num valor superior a 860 milhões de patacas. A DSE relembra que decorre até 28 de Fevereiro de 2021 o prazo de utilização dos cupões de consumo electrónicos das PME. J. L.

POUCO AUSPICIOSO

JOGO MERCADO DE MASSAS VOLTA A SUPLANTAR VIP EM 2020

O novo normal

Pelo segundo ano consecutivo, as receitas do segmento de massas dos casinos de Macau foram superiores às receitas do jogo VIP. Num ano atípico, que registou quebras anuais de 79,3 por cento, o segmento de massas representou 56,6 por cento das receitas brutas de jogo

S

E 2019 foi a excepção à regra, 2020 confirmou definitivamente a tendência ascendente do mercado de massas. Pelo segundo ano consecutivo, as receitas de jogo do mercado de massas suplantaram as do segmento VIP, representando 56,6 por cento do total das receitas brutas de jogo, que se fixaram em 60,44 mil milhões de patacas em 2020. De acordo com dados divulgados na passada sexta-feira pela Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ), o segmento de massas, incluindo todas as modalidades de jogo, gerou 34,16 mil milhões de patacas ao longo de 2020. Por seu turno, o jogo VIP, materializado, segundo a

DICJ, na modalidade “Bacará VIP”, foi responsável pelos restantes 26,28 mil milhões de patacas (43,4 por cento). O ano de 2019, altura em que as receitas brutas de jogo se fixaram em 292,45 mil milhões de patacas, marcou definitivamente o momento de viragem no panorama da indústria do jogo em Macau, confirmando, através de uma

O segmento de massas, incluindo todas as modalidades de jogo, gerou 34,16 mil milhões de patacas ao longo de 2020

preponderância acima dos 50 por cento, a tendência de crescimento do mercado de massas. Isto porque em 2019, o segmento de massas gerou 157,22 mil milhões de patacas (53,8 por cento), contra as 135,22 mil milhões de patacas (46,2 por cento) geradas pelo segmento VIP. Voltando a 2020, a análise do segmento VIP por trimestre mostra uma recuperação à medida que o ano se foi aproximando do fim, facto que estará intimamente relacionado com a retoma de emissão de vistos turísticos, individuais e de grupo, para vir a Macau, desde o Interior da China, a partir do dia 23 de Setembro. Se no primeiro trimestre de 2020, o melhor do ano, o segmento VIP foi respon-

Com o ressurgimento de novos casos de novos casos na China e os pedidos emitidos pelas autoridades do Interior e de Macau, no sentido de desencorajar viagens desnecessárias durante o período do Ano Novo Chinês, as festividades, que até aqui eram alvo de grande esperança para o sector turístico, não deverão trazer a recuperação almejada pela indústria do jogo. Nem tão pouco a perspectiva parece ser melhor para os meses que se seguem. De acordo com um investidor do mercado junket, citado pelo portal GGR Asia, o sector “está preparado para o pior”, dado que existem ainda muitas incertezas quanto à estabilização da pandemia e que, a partir do dia 1 de Março, entra em vigor uma nova lei no Interior da China que implica novas restrições para a movimentação de fundos destinados ao jogo para fora do país. “Definitivamente isto não são boas notícias para o segmento VIP. Esta medida vai afectar alguns jogadores, nomeadamente ao nível da facilidade de acesso a fundos de jogo”, afirmou o investidor. Um responsável do casino do Ponte 16 disse à mesma fonte prever que, na melhor das hipóteses, em 2021, as receitas brutas do segmento VIP possam registar valores entre os 15 e os 20 por cento relativamente aos montantes registados antes da pandemia. Pedro Arede

pedro.arede.hojemacau@gmail.com


sociedade 7

segunda-feira 18.1.2021

HOSPITAL DAS ILHAS INSTITUTO DE ENFERMAGEM DO KIANG WU SUSPENSO

Futuro incerto

QUEDA DE AZULEJOS PEDIDA INTERVENÇÃO DO GOVERNO

O plano de entrega do Edifício Pedagógico de Enfermagem do Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas ao Instituto de Enfermagem Kiang Wu foi suspenso. Os Serviços de Saúde comunicaram que o aproveitamento do edifício será revisto, sem adiantar de que forma

HOJE MACAU

A

S deputadas Agnes Lam e Ella Lei querem que o Governo se responsabilize e intervenha nos casos de queda de azulejos registados no Edifício do Lago e no Edifício Ip Heng, empreendimentos destinados à habitação económica. Agnes Lam aponta que os casos resultam de uma “óbvia” falta de qualidade do desenho dos edifícios e de falhas ao nível da supervisão, construção e vistorias. Dado que o Governo é um dos proprietários dos edifícios e que, por isso, tem de pagar anualmente os custos afectos à manutenção, a deputada questiona se o Executivo tem participado activamente nas obras de reparação dos imóveis e se tem dado apoio à gestão do condomínio. Já em declarações ao jornal Ou Mun, Ella Lei recorda que os dois edifícios foram recentemente inaugurados pelo Executivo e que o Instituto de Habitação (IH) apontou que os proprietários têm de responsabilizar-se pela reparação das partes comuns dos edifícios, visto que já não se encontram cobertos pelo prazo de garantia. Aproveitando o balanço, Ella Lei referiu ainda que o Governo deve “melhorar a qualidade das obras públicas e das grandes infra-estruturas”, apontando ter recebido queixas de vários empreiteiros. Segundo a deputada, o Governo deve melhorar os moldes em que são feitos os concursos públicos e a supervisão das obras de grande envergadura, dado que, muitas vezes, o desenho inicial dos projectos acaba por não ser respeitado, nomeadamente ao nível do orçamento e da utilização de materiais. N.W.

são especificadas as mudanças em causa. Estava previsto que o edifício pedagógico de enfermagem fosse gerido pelo Instituto de Enfermagem Kiang Wu. Na página electrónica da escola de enfermagem do Kiang Wu, a construção e mudança para um novo campus no Complexo das Ilhas é incluída no plano de desenvolvimento decenal, apontando que a área de construção é o quádruplo dos dois campus existentes. De acordo com o canal chinês da TDM Rádio Macau, a directora do Instituto de Enfermagem Kiang Wu disse que as instalações actuais de ensino são aceitáveis, e espera que haja no futuro mais locais para actividades e desporto. Em conferência de imprensa na passada quinta-feira, a responsável indicou que a suspensão da entrega do edifício talvez se deva ao Governo precisar dele para utilização própria. “Segundo o plano, devíamos ter mudado para lá no ano passado. No entanto, devido a vários factores, sobretudo a pandemia, se calhar o Governo tem outras ideias”, disse Van Iat Kio.

DESENVOLVIMENTO INCERTO

O

único edifício do Hospital das Ilhas que está construído vai ter um novo destino. Os Serviços de Saúde comunicaram que vão “rever e reorganizar” o Edifício Pedagógico de Enfermagem e que a entrega do prédio ao Instituto de Enfermagem Kiang Wu foi suspensa. Num comunicado publicado no final da semana passada, os SS asseguraram que o Governo “atribui grande importância” ao desenvolvimento da educação na área.

Covid-19 Quarentena para quem chega de Jilin O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus decretou quarentena obrigatória para todas as pessoas provenientes das cidades de Tonghua e Vila Fanjiatun, do Município de Gongzhuling da Cidade de Changchun, ambas na província de Jilin, China. A medida encontra-se em vigor desde as zero horas de hoje, 18 de Janeiro, e aplica-se a todos aqueles que tenham estado nestes locais 14 dias antes à chegada a Macau. A quarentena será de 14 dias em local a designar. Esta medida está também em vigor para quem chega de outras cidades da China, das províncias de Hebei, Liaoning, Heilongjiang, Suihua e cidade de Pequim.

“Para aproveitar ao máximo o Edifício Pedagógico de Enfermagem do Complexo de Cuidados de Saúde, dar-lhe uma maior eficiência e para que este

possa melhor desempenhar o seu papel, os Serviços de Saúde vão proceder à revisão, e reorganização do edifício para lhe dar maior desenvolvimento”, diz a nota. Não

“Para aproveitar ao máximo o Edifício Pedagógico de Enfermagem do Complexo de Cuidados de Saúde, dar-lhe uma maior eficiência e para que este possa melhor desempenhar o seu papel, os Serviços de Saúde vão proceder à revisão, e reorganização do edifício.” SERVIÇOS DE SAÚDE

Nas Linhas de Acção Governativa é indicado em que em 2020 deu-se início a um inquérito sobre as circunstâncias em que os residentes recorrem a serviços médicos e o nível de protecção da saúde, bem como o estudo de viabilidade dos modelos de funcionamento do Complexo de Cuidados de Saúde das Ilhas. Para este ano, estão estipulados apenas preparativos da fase inicial para o funcionamento do Hospital das Ilhas, a par do fortalecimento de cooperação entre instituições públicas e privadas. Recorde-se que no ano passado, o Edifício Pedagógico de Enfermagem foi estreado devido à pandemia. O edifício com capacidade para 192 camas recebeu doentes recuperados em quarentena e pessoas de alto risco ou de contacto próximo com infectados. Pelo menos, 26 pessoas foram encaminhadas para as instalações. Salomé Fernandes e Nunu Wu info@hojemacau.com.mo

Autoridade Monetária Reservas cambiais aumentam 3,9 por cento As reservas cambiais da RAEM chegaram de 200,8 mil milhões de patacas em Dezembro, o que se traduz num aumento de 3,9 por cento face ao mês anterior. Em Novembro, as reservas cambiais foram de 193,2 mil milhões de patacas. Os dados foram ontem divulgados pela Autoridade Monetária e Cambial de Macau

(AMCM) e mostram também que, no final de Dezembro, as reservas cambiais registaram cerca de 11 vezes em relação à circulação monetária, ou 85,3 por cento do agregado monetário M2 em patacas, no final de Novembro de 2020. A taxa de câmbio efectiva da pataca, ponderada pelas suas quotas do comércio,

foi de 102,4 em Dezembro de 2020, o que representa um decréscimo de 1,28 pontos e 5,35 pontos, respectivamente, sobre os dados do mês anterior e relativos a Dezembro de 2019. Nesse sentido, a AMCM explica que “globalmente a pataca caiu face às moedas dos principais parceiros comerciais de Macau”.


8 eventos

18.1.2021 segunda-feira

Heróis há mu CINEMATECA FILMES INDONÉSIOS EM DESTAQUE ATÉ AO FIM DO MÊS

GUNDALA

THE GOLDEN CANE WARRIOR

MARLINA THE MURDERER IN FOUR ACT

FESTIVAL DE VENEZA BONG JOON HO, REALIZADOR DE "PARASITAS", PRESIDE AO JÚRI    

O

realizador sul-coreano Bong Joon Ho vai presidir, em Setembro, ao júri do 78.º Festival Internacional de cinema de Veneza, em Itália, anunciou a direcção. "Como presidente do júri - e mais importante, como um eterno cinéfilo - estou pronto para contemplar

e aplaudir todos os óptimos filmes seleccionados pelo festival", disse o realizador de "Parasitas", em comunicado. O festival de cinema de Veneza decorrerá de 1 a 11 de Setembro e o júri, que Bong Joon Ho vai presidir, atribuirá vários prémios aos filmes

da competição, entre os quais o Leão de Ouro. Bong Joon Ho, 51 anos, fez os primeiros filmes na década de 1990, contando na filmografia com obras como "Memories of murder" (2003), premiado em San Sebastian (Espanha), "The Host - A criatura" (2006),

"Mother - Uma força única" (2009), ambos estreados em Cannes (França). Em 2013 assinou a primeira produção internacional, com elenco ocidental, com "Snowpiercer - O expresso do amanhã" (2013), seguindo-se "Okja" (2017), o filme que

causou polémica por ter estreado em Cannes e apenas na plataforma Netflix. A consagração internacional deu-se com "Parasitas" (2019), uma comédia, tragédia sul-coreana, reflexão sobre ricos e pobres e diferenciação social, que em 2020 conquistou vários

prémios, entre os quais a Palma de Ouro em Cannes, e fez história nos Óscares, porque nunca antes um filme estrangeiro tinha vencido o prémio de melhor filme. "Parasitas" venceu ainda os Óscares de Melhor Realização, Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Argumento Original.

IC Templo de Foc Tac fechado para obras

O Instituto Cultural (IC) decidiu fechar temporariamente o tempo de Foc Tac, situado na Rua do Teatro, até ao início do mês de Fevereiro. A acção deve-se à realização de “obras de renovação de interiores, inspecção dos equipamentos eléctricos e instalação do sistema de segurança contra incêndios”, explica o IC em comunicado.


eventos 9

segunda-feira 18.1.2021

uitos H

A Cinemateca Paixão anunciou o cartaz do programa “Cinema Asiático Hoje” que decorre em paralelo com as selecções de Janeiro. Ao todo, serão exibidas quatro obras produzidas na Indonésia, que partem em busca da definição de herói, com e sem capa, na aridez do campo, na cidade e com mais ou menos fantasmas

CTS

SITI

Á heróis de capa e espada e outros que acabam por sê-lo para sobreviver, ensombrados. Focado no cinema indonésio, a Cinemateca Paixão anunciou o cartaz do programa “Cinema Asiático Hoje”, mostra que inclui quatro obras focadas na temática do herói, e todas as suas facetas. Os filmes serão exibidos na sala de projecção da Travessa da Paixão até ao final do mês, paralelamente com as já anunciadas selecções de Janeiro. Produzido por Eddie Cahyono em 2014, “Siti” pinta em tons de preto e branco a história de um dia na vida de Siti, uma mulher de 24 anos que “faz das tripas coração” para cuidar do filho, da sogra e do marido, incapacitado após sofrer um acidente enquanto pescava. Isto tudo, enquanto segura dois empregos para conseguir pagar dívidas e suportar a família. Se de dia é vendedora de bolachas em Parangtritis, no Sul da ilha de Java, de noite, Siti trabalha como guia de karaoke. Contudo, novos dilemas impõem-se nesta periclitante ginástica diária, quando o marido de Siti condena a vida nocturna que leva e decide deixar de lhe falar. Siti conhece um polícia disposto a casar com ela e fá-la hesitar. “Siti” será exibido na Cinemateca na próxima quarta-feira (19h30) e no dia 28 de Janeiro (21h30). Também da Indonésia, mas fruto de uma co-produção que adicionou contributos franceses, malaios e tailandeses, chega “Marlina the Murderer in Four

Acts”, um drama com trejeitos de western que testemunha a vida sofrida de uma viúva que, para se defender, é forçada a matar. Ao longo de um penoso e assombrado caminho de redenção, a ilha de Sumba serve de cenário para quatro actos tão heróicos quanto áridos e desafiantes, onde a figura feminina e os direitos das mulheres estão no centro da equação. Da autoria da realizadora indonésia Mouly Surya, “Marlina the Murderer in Four Acts” poderá ser visto na Travessa da Paixão no próximo domingo (19h00) e no dia 27 de Janeiro (19h30).

COMO NA BD

Lançado em 2019, “Gundala” tem o condão de repescar a fórmula de sucesso dos heróis com super-poderes e uniforme a condizer, enquadrando-a com as disparidades sociais, ascensão criminal e dificuldades em arranjar emprego sentidas na pele por uma população de Jacarta cada vez menos esperançosa. Perante um sistema viciado e depois de ter sido atingido por um trovão, Sancaka, órfão que perdeu o pai

“Marlina the Murderer in Four Acts”, um drama com trejeitos de western que testemunha a vida sofrida de uma viúva que, para se defender, é forçada a matar

durante um motim, desenvolve a capacidade de expelir raios eléctricos pelas próprias mãos, decide lutar pelos direitos dos oprimidos, cada vez em maior número e vontade de rebelião. Inspirado na banda desenhada de sucesso com o mesmo nome lançada em 1981, “Gundala” pode ser visto na Cinemateca Paixão na próxima quinta-feira (19h00) e no dia 29 de Janeiro (19h30). Por fim, o foco no cinema produzido na Indonésia termina com “”, uma epopeia centrada nos conceitos de lealdade, integridade, ambição e traição, onde dois aprendizes de uma poderosa e ancestral arte marcial partem em busca de uma relíquia bélica que caiu nas mãos erradas. Realizado por Ifa Isfansyah, “The Golden Cane Warrior” será exibido na Cinemateca Paixão na próxima sexta-feira (19h00) e no dia 31 de Janeiro (16h30). Recorde-se que até ao final do mês, o cartaz da Cinemateca Paixão inclui ainda exibições de obras provenientes dos quatro cantos do globo, com destaque para “Never Rarely Sometimes Always” (EUA e Reino Unido), o filme de animação “Waltz with Bashir” (Israel, França e Alemanha), “Bamboo Theatre” (Hong Kong), “True Mothers” (Japão), “The Woman Who Ran” (Coreia do Sul) e “Undine” (Alemanha e França).

TANGO COREÓGRAFO JUAN CARLOS COPES MORRE VÍTIMA DE COVID-19 AOS 89 ANOS

O

bailarino e coreógrafo argentino Juan Carlos Copes, conhecido pela participação no filme "Tango", de Carlos Saura, morreu ontem, aos 89 anos, em Florida, Buenos Aires, na sequência de infecção pelo coronavírus SARS-CoV-2, anunciou a família. Nascido na capital argentina, em 31 Maio de 1931, Juan Carlos Copes foi pioneiro

no estabelecimento do tango como expressão coreográfica própria, a partir da tradição popular, estabelecendo o chamado "Tango Escenario", que levou a dança aos principais palcos internacionais. Copes foi o coreógrafo de Astor Piazzolla (1921-1992), o impulsionador do Novo Tango, para a ópera “María de Buenos Aires”. Concebeu igualmente

as coreografias de tango para o filme de Carlos Saura. Com a bailarina Maria Nieves, sua companheira de vida, Juan Carlos Copes formou o par conhecido como "Fred Astaire e Ginger Rogers do tango", que dançou durante mais de quatro décadas. A história de ambos foi retratada no filme "O Nosso Último Tango", de German

Kral, estreado nas salas de cinema portuguesas em 2018. "Ele brilhou sob as luzes da Broadway e foi aplaudido na Europa", escreveu o Ministério da Cultura da Argentina, na sua página oficial no Twitter, numa reação à morte do bailarino e coreógrafo. A Associação ProTango Argentina, por seu lado, destacou o trabalho de

Juan Carlos Copes como "formador de gerações de artistas", que levou "espectáculos inovadores de tango" ao mundo inteiro. "O meu pai brilhará para sempre entre as estrelas e na história do tango", escreveu Johana Copes, filha do coreógrafo e também bailarina, que acompanhou o pai nos últimos anos da sua carreira.

Pedro Arede

pedro.arede.hojemacau@gmail.com


10 desporto

18.1.2021 segunda-feira

DAKAR LEIRIENSE MANTÉM VIVA A TRADIÇÃO SINO-PORTUGUESA NO AUTOMOBILISMO

Luxemburgo. O escritório central na Alemanha fechou portas e o projecto do SUV eléctrico terá sido cancelado. O facto do fundador da Ucar, Charles Zhengyao Lu, estar a ser investigado pelos negócios da Luckin Coffee, não abona a favor do futuro da marca. O resultado de Ricardo Porém com certeza não irá mudar o futuro da Borgward, mas pelo menos deixou um registo positivo de uma marca chinesa entre os adeptos e entusiastas europeus.

Combinação de sucesso Terminou na sexta-feira passada, em Jeddah, o rali Dakar 2021, a prova rainha de Todo-o-Terreno que já não percorre o trajecto de Paris à capital senegalesa, mas este ano disputou-se ao longo de 8000 quilómetros, divididos por 12 etapas, inteiramente na Arábia Saudita. A dupla portuguesa Ricardo Porém/Jorge Monteiro, a única nos automóveis, chegou com sucesso ao fim da prova, com a particularidade de o ter feito ao volante de um carro de uma marca chinesa, seguindo uma tradição

A

O volante de um Borgward BX7 DKR Evo, um carro que foi construído na Holanda há dois anos, tendo como base o Mitsubishi Racing Lancer, a dupla portuguesa terminou a prova na 20.ª

posição da geral. “Estamos naturalmente satisfeitos com o resultado alcançado. A Wevers Sport e a Borgward Rally Team prepararam-nos uma viatura que conseguiu superar uma prova como o Dakar sem um único problema mecânico nos mais PUB.

OUTROS FEITOS

de 8,000 quilómetros de corrida, sendo que todos os problemas que o Borgward sentiu, fruto da dureza das etapas, foram prontamente resolvidos por esta equipa fantástica que me acompanhou na prova”, disse o piloto de Leiria. Com mais de quarenta e quatro horas de competição, a edição 2021 do rali Dakar foi vencida nos automóveis pelo francês Stéphane Peterhansel (MINI), enquanto que o argentino Kevin Benavides (Honda) tornou-se o primeiro sul-americano a vencer nas motas. A representação chinesa esteve particularmente bem nos automóveis, com os três BAIC oficiais a terminarem a prova classificados na 13ª, 14ª e 15ª posições da geral, com a dupla Binglong Lu/Wenke Ma a serem os melhores iniciados na prova. O buggy SMG pilotado por

Wei Han, a maior estrela do todo-o-terreno chinês e que conta com o apoio do maior construtor automóvel privado chinês, a Geely, terminou no 18º lugar. O rali Dakar é das poucas provas internacionais em que os construtores de automóveis chineses se aventuram com regularidade. O Borgward BX7 DKR foi construído como ferramenta promocional a pensar na prova, isto quando a marca alemã falida em 1961 foi ressuscitada pela Foton Motor, uma subsidiária do BAIC Group. O objectivo

era vender 800,000 viaturas por ano, mas este nunca foi concretizado. Após mais de 4 mil milhões de yuans de prejuízo e de ter feito um investimento inicial da mesma ordem, a Foton decidiu vender dois terços da sua participação à Ucar, uma empresa chinesa de partilha e aluguer de curta duração de automóveis. O construtor fundado em 1929 concentra agora a maior parte das suas vendas na China, onde terá vendido 5,000 unidades na primeira metade de 2020. Na Europa apenas tem uma concessionária no

“Estamos naturalmente satisfeitos com o resultado alcançado. A Wevers Sport e a Borgward Rally Team prepararamnos uma viatura que conseguiu superar uma prova como o Dakar sem um único problema mecânico.” RICARDO PORÉM PILOTO

Apesar da curta história da indústria automóvel chinesa no automobilismo, a verdade é que a combinação “carro chinês-piloto português” tem dado bons resultados. Com mais de uma década e meia de participações no Dakar, a primeira, e única até aqui, etapa vencida por um carro chinês aconteceu em 2014 pelas mãos de um piloto português. Carlos Sousa venceu a primeira etapa da 33ª edição do rali Dakar, quando este ainda se disputava na América do Sul, ao volante de um Haval da Great Wall Motors, um feito nunca mais igualado. Os pilotos portugueses de Macau também têm dado um contributo precioso para o sucesso das marcas chinesas no desporto. Rodolfo Ávila foi vice-campeão do Campeonato da China de Carros de Turismo (CTCC) pela SAIC Volkswagen e foi vice-campeão do Campeonato TCR China com o único carro da categoria construído na China Interior, o MG6 XPower TCR. André Couto venceu a sua única prova do CTCC também com um SAIC Volkswagen, enquanto que Helder Assunção conquistou a Taça da Corrida Chinesa do 64ª edição do Grande Prémio de Macau, um troféu monomarca para os Senova D50 “Made in China". Sérgio Fonseca

info@hojemacau.com.mo

ANDEBOL/MUNDIAL PORTUGAL MARCA ENCONTRO COM A FRANÇA

A

seleção portuguesa de andebol assegurou sábado a passagem à fase principal do Mundial2021, no Egipto, em que irá defrontar a também já apurada França, ao alcançar a segunda vitória na prova frente a Marrocos (33-20). Com uma segunda parte de luxo, com destaque para o parcial de 11 golos marcados e um sofrido, em 12 minutos, Portugal acabou com o sonho de Marrocos, que, a ganhar por 7-2, 9-4

e 10-6, chegou a acreditar ser possível vencer a selecção lusa. No outro encontro do grupo, depois da derrota na jornada inaugural frente a Portugal (25-23), a Islândia venceu a Argélia, por 39-24, somando os dois primeiros pontos e colocando-se na calha para também prosseguir em prova. No grupo E, que irá cruzar na fase principal com o F de Portugal, a França – medalha de bronze no Mundial2019 -

também alcançou a segunda vitória frente à Áustria, por 35-28, e com um jogo por disputar, na segunda-feira com a Suíça, assegurou a presença na fase seguinte. A Noruega, finalista vencido na última edição, frente à Dinamarca, venceu a Suíça, por 31-25, e adiou para a derradeira jornada a confirmação da passagem à fase seguinte, onde leva vantagem juntamente com a selecção helvética.


china 11

segunda-feira 18.1.2021

COVID-19 CORONAVÍRUS EM GELADOS PRODUZIDOS NO PAÍS

A

SURTO CONSTRUÍDO HOSPITAL EM CINCO DIAS NA PROVÍNCIA DE HEBEI

Resposta pronta

O recente aumento de casos levou as autoridades chinesas a construir um hospital com 1500 quartos em cinco dias na província de Hebei

A

China concluiu a construção de um hospital com 1.500 quartos para pacientes infectados com covid-19 em cinco dias, para responder ao aumento do número de casos na província de Hebei, a sul de Pequim. Segundo a informação divulgada pelos media locais, este hospital é um de seis com um total de 6.500 quartos que estão a ser construídos em Nangong, na província de Hebei e todos devem ser concluídos esta semana. A China, que em grande parte conteve a disseminação do coronavírus, sofreu centenas de infecções

este mês em Nangong e na capital da província de Hebei, a sudoeste da capital chinesa. Um programa semelhante de construção rápida de hospitais foi lançado no início do surto no ano passado para instalar unidades de isolamento em Wuhan, a cidade central onde o vírus foi detectado pela primeira vez. A Comissão de Saúde da China anunciou 130 novos casos de covid-19 entre sexta-feira e sábado, incluindo 115 de contágio local, a maioria nas províncias de Hebei e Heilongjiang. Hebei, que conta com várias cidades seladas e milhões de habitantes em quarentena, diagnosticou

90 casos de origem local, enquanto na província de Heilongjiang, na fronteira com a Rússia, foram registados 23 contágios locais.

Este hospital é 1 de 6 com um total de 6.500 quartos que estão a ser construídos em Nangong, na província de Hebei e todos devem ser concluídos esta semana

Os restantes dois casos locais foram identificados nas províncias de Shunyi e em Pequim.

OUTROS CASOS

A Comissão de Saúde da China contabilizou ainda 15 casos oriundos do exterior, os chamados “importados”. A cidade de Xangai (leste) somou sete contágios, Tianjin (norte) três, enquanto as províncias de Sichuan (centro) registaram dois, e as de Chongqing (centro), Hunan (centro) e Shaanxi (centro) um cada uma. As autoridades também indicaram ter detectado 79 assintomáticos, 24 dos quais importados, embora Pequim só inclua estes doentes nos casos confirmados se manifestarem sintomas da covid-19. A Comissão de Saúde da China disse que, entre sexta-feira e sábado, 18 pacientes receberam alta, pelo que o número de pessoas infectadas ativas no país se fixou em 1.113, incluindo 38 em estado grave. O organismo tinha anunciado uma nova morte devido à covid-19, na quinta-feira, depois de quase oito meses, desde 17 de Maio, sem registar nenhum óbito causado pela doença. O número de mortes é agora de 4.635.

S autoridades chinesas anunciaram ontem que detectaram vestígios do novo coronavírus em gelados produzidos numa fábrica no leste da China, levando ao seu encerramento. A fábrica Daqiaodao Food Co., situada em Tianjin, a uma centena de quilómetros de Pequim, foi encerrada, enquanto os empregados são testados, segundo um comunicado das autoridades locais, citado pela agência de notícias Associated Press (AP). A maioria dos 29 mil lotes ainda não tinham sido vendidos, segundo a mesma fonte, tendo 390 unidades vendidas em Tianjin sido recolhidas. Dos ingredientes fazem parte leite em pó importado da Nova Zelândia e soro de leite em pó da Ucrânia. Em 16 de Dezembro, as autoridades chinesas anunciaram pela primeira vez que encontraram vestígios do novo coronavírus em embalagens de carne de frango congelada de produção doméstica, também numa cidade do leste da China. Até aí, a China tinha anunciado vários casos de vestígios de SARS-CoV-2 em embalagens de alimentos congelados, mas oriundos de outros países, entre os quais o Brasil.

HONG KONG ACTIVISTAS PRÓ-DEMOCRACIA PEDEM ASILO NOS EUA

C

INCO activistas pró-democracia de Hong Kong chegaram esta semana aos Estados Unidos para tentar obter asilo naquele país, anunciou no sábado um grupo de defesa das liberdades na antiga colónia britânica, sediado nos EUA. A fuga segue-se à repressão maciça contra figuras

da oposição de Hong Kong, detidas ao abrigo da Lei da Segurança Nacional imposta por Pequim ao território, em Junho de 2020, após os enormes protestos em 2019. “Os activistas, todos com menos de 30 anos, participaram em protestos pró-democracia em Hong Kong, foram detidos e acusados e

fugiram da cidade de barco, em Julho”, disse à agência de notícias France-Presse (AFP) Samuel Chu, fundador do Hong Kong Democracy Council (HKDC), uma organização que defende a causa dos activistas de Hong Kong nos EUA. A imprensa de Taiwan noticiou em Agosto que estes

cinco residentes de Hong Kong tinham tentado obter asilo naquele território no final de Julho. Na sexta-feira, os Estados Unidos impuseram sanções a seis autoridades chinesas e de Hong Kong, depois da repressão das autoridades da antiga colónia britânica contra 50 activistas pró-democracia.


12 publicidade

18.1.2021 segunda-feira

DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE TURISMO ANÚNCIO Concurso Público n.º 2/CON/DGI/2020 A Direcção dos Serviços de Turismo, faz público que, de acordo com o Despacho de 31 de Dezembro de 2020 da Ex.ma Senhora Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, se encontra aberto concurso público para o “Arrendamento do Café do Museu do Grande Prémio de Macau”. 1. 2. 3. 4.

Entidade adjudicante: Secretária para os Assuntos Sociais e Cultura Entidade responsável pela realização do processo: Direcção dos Serviços de Turismo. Modalidade do concurso: Concurso Público. Objecto: Arrendamento do Café do Museu de Grande Prémio de Macau (doravante designada por Café), para exploração de cafetarias de alta qualidade. 5. Renda base: rendamento mensal base MOP25.000,00 6. Prazo de validade das propostas: O prazo de validade da Proposta é de 90 dias, a contar da data do acto de abertura das propostas do concurso público, sendo prazo prorrogável nos termos no artigo 36.o do Decreto-Lei n.o 63/85/M, de 6 de Julho. 7. Caução provisória: A caução provisória de MOP25.000,00 (vinte e cinco mil patacas), pode ser prestado mediante: 1) depósito em numerário à ordem do Fundo de Turismo no Banco Nacional Ultramarino de Macau 2) garantia bancária 3) depósito nesta Direcção dos Serviços em numerário, em ordem de caixa ou em cheque, emitidos à ordem do Fundo de Turismo 4) por transferência bancária na conta do Fundo do Turismo do Banco Nacional Ultramarino de Macau. 8. Caução definitiva: A caução definitiva correspondente a dois meses de renda. 9. Local para obtenção da cópia e consulta do processo do concurso: Desde a data da publicação do presente anúncio, nos dias úteis e durante o horário normal de expediente, os interessados podem examinar Entidade o Processo do Concurso na Direcção dos Serviços de Turismo, sita em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.os 335-341, Edifício “Hotline”, 12.o andar, e ser levantadas cópias, incluindo o Programa do Concurso, o Caderno de Encargos e demais documentos suplementares, mediante o pagamento de duzentas patacas (MOP200,00); ou ainda consultar o website da Direcção dos Serviços de Turismo: http://industry.macaotourism.gov.mo , e fazer “download” do mesmo. 10. Local, dia e horário da Sessão de esclarecimento: A Sessão de esclarecimento será realizada no Auditório da Direcção dos Serviços de Turismo, sito em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.os 335-341, Edifício “Hotline”, 14.o andar pelas 10:00 horas do dia 19 de Janeiro de 2021. 11. Os pedidos de esclarecimento de quaisquer dúvidas relativas ao conteúdo do processo devem ser apresentados, por escrito, até às 17:45 horas do dia 26 de Janeiro de 2021, na página electrónica da indústria turística da Direcção dos Serviços de Turismo (http://industry.macaotourism.gov.mo), na coluna de informação relativas às aquisições, e as respectivas respostas serão publicadas através da página electrónica. 12. Local, dia e horário limite para entrega das propostas: Os concorrentes deverão apresentar as propostas na Direcção dos Serviços de Turismo, sita em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.os 335-341, Edifício “Hotline”, 12.o andar, durante o horário normal de expediente e até às 17:00 horas do dia 24 de Fevereiro de 2021. 13. Local, dia e horário do acto de abertura das propostas: O acto público do concurso será realizado no Auditório da Direcção dos Serviços de Turismo, sito em Macau, na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n.os 335-341, Edifício “Hotline”, 5.o andar pelas 10:00 horas do dia 25 de Fevereiro de 2021. Os representantes legais dos concorrentes deverão estar presentes no acto público de abertura das propostas para efeitos de apresentação de eventuais reclamações e/ou para esclarecimento de eventuais dúvidas dos documentos apresentados a concurso, nos termos do artigo 27.o do Decreto-Lei n.o 63/85/M, de 6 de Julho. 14. Adiamento: Em caso de encerramento destes Serviços por causa de tempestade ou por motivo de força maior, o termo do prazo de entrega das propostas, a data e hora de sessão de esclarecimentom inspecção do local e de abertura das propostas serão adiados para o primeiro dia útil imediatamente seguinte, à mesma hora. 15. Critérios de adjudicação e factores de ponderação Critérios de adjudicação Factores de ponderação Valor da renda 20% Planos de gestão e de exploração comercia 20% Plano de venda dos produtos 20% Projecto de planeamento do interior do Café 20% Experiências do concorrente 20% Direcção dos Serviços de Turismo, aos 7 de Janeiro de 2021.

A Directora Maria Helena de Senna Fernandes

Anúncio O Pedido do Projecto de Apoio Financeiro do FDCT para à 1ª vez do ano 2021 (1)

Fins

O FDCT foi estabelecido por Regulamento Administrativo nº14/2004 da RAEM, publicado no B. O. N° 19 de 10 de Maio, e está sujeito a tutela do Chefe do Executivo. O FDCT visa a concessão de apoio financeiro ao ensino, investigação e a realização de projectos no quadro dos objectivos da política das ciências e da tecnologia da RAEM.

(2)

Alvos de Patrocínio (i) Universidades, instituições de ensino superior locais, seus institutos e centros de investigação e desenvolvimento (I&D); (ii) Laboratórios e outras entidades da RAEM vocacionados para actividades de I&D científico e tecnológico; (iii) Instituições privadas locais, sem fins lucrativos; (iv) Empresários e empresas comerciais, registadas na RAEM, com actividades de I&D; (v) Investigadores que desenvolvem actividades de I&D na RAEM.

(3)

Projecto de Apoio Financeiro (i) Que contribuam para a generalização e o aprofundamento do conhecimento científico e tecnológico; (ii) Que contribuam para elevar a produtividade e reforçar a competitividade das empresas; (iii) Que sejam inovadores no âmbito do desenvolvimento industrial; (iv) Que contribuam para fomentar uma cultura e um ambiente propícios à inovação e ao desenvolvimento das ciências e da tecnologia; (v) Que promovam a transferência de ciências e da tecnologia, considerados prioritários para o desenvolvimento social e económico; (vi) Pedidos de patentes.

(4)

Tipo de projecto candidato De acordo com a classificação da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), os candidatos devem seleccionar o tipo de. projecto candidato a que pertence entre os seguintes: (i) Tipo de investigação fundamental: projectos desenvolvidos para obter novos conhecimentos sobre os princípios subjacentes aos fenómenos e factos observáveis. (ii) Tipo de investigação aplicada: projectos com objectivos de investigação claros e inovação, desenvolvidos para promover as descobertas da investigação básica à aplicação. (iii) Tipo de desenvolvimento experimental: projectos desenvolvidos para aplicações práticas, destinados a gerar novos produtos, materiais, dispositivos, processos, sistemas e serviços, incluindo especificamente a cooperação da indústria-universidade-investigação, investigação e desenvolvimento empresarial e investigação clínica.

(5)

Valor de Apoio Financeiro (i) Projectos de montante igual ou inferior a MOP 500.000,00(quinhentas mil patacas) (aprovados pelo Conselho de Administração) (ii) Projectos de montante superior a MOP 500.000,00 (quinhentas mil patacas) (aprovados pelo Conselho de Curadores)

(6)

Data do Pedido De 4 de Janeiro a 4 de Fevereiro de 2021

(7)

Forma do Pedido Preenchido o Boletim de Inscrição e os dados de instrução mencionados no Art° 6 do Chefe do Executivo nº 235 /2018,«Regulamento da Concessão de Apoio Financeiro», publicado no B. O. N° 40 de 3 de Outubro 2018, através do sistema informático - “online” do FDCT (website: www. fdct.gov.mo). Endereço do escritória: Avenida do Infante D. Henrique N.º 43-53A, Edf. “The Macau Square ”, 11.º andar K, Macau. Para informações: tel. 28788777.

(8)

Condições de Autorizações É realizada em conformidade com os Regulamento da Concessão de Apoio Financeiro, aprovado pelo Despacho do. Chefe do Executivo n.º 235/2018. Dependendo da natureza da candidatura, é ainda necessário adoptar os seguintes critérios. (i) Tipo de investigação fundamental: valor científico e pioneiro; (ii) Tipo de investigação aplicada: praticidade e perspectivas de aplicação; (iii) Tipo de desenvolvimento experimental: cenários de aplicação reais, avanço dos indicadores de desempenho técnico, e benefícios sociais ou económicos. O Presidente do C. A. do FDCT, Chan Wan Hei

2020 / 12 / 31


segunda-feira 18.1.2021

A minha carne soa a bronzes de prisão...

Os monges iconoclastas do Budismo Chan

Paulo Maia e Carmo texto e ilustração

D

AJIAN Huineng (673-713) o sexto e último Patriarca do Budismo Chan, com as suas acções rebeldes que tocavam a irracionalidade marcaria de modo impressivo uma atitude que, quando visivelmente interpretada por pintores, deixaria no desenvolvimento da arte, como a cauda de um bólide, um persistente rasto luminoso. Logo no processo da sua escolha para suceder a Daman Hongren (601-75) o quinto patriarca, este deparou-se com um problema: todos os monges achavam que o favorito era o sábio e influente estudante Yuquan Shenxiu (606?-706). Mas numa curiosa hagiografia não histórica e posterior (O Sutra da plataforma) conta-se que a escolha teria sido feita através de uma competição de poemas proposta por Hongren. De noite, cheio de dúvidas Shenxiu teria escrito na parede do mosteiro: «O corpo é a árvore bodhi/ A mente é como um suporte para um espelho brilhante./ A toda a hora devemos esforçar-nos para o polir/ E não deixar que ele apanhe pó.» Huineng, um monge até então obscuro, diz-se que pouco letrado respondeu também de noite numa parede: «Originalmente bodhi nem tinha árvore/ O espelho brilhante também não tinha suporte/ Fundamentalmente nenhuma coisa existe/ De onde poderia surgir o pó?» Hongren entregaria a veste patriarcal a Huineng. O derrotado não achou possível a submissão ao novo líder e com alguns seguidores deixaria o centro budista de Luoyang, situada

no final da Rota da Seda e estabeleceria um novo mosteiro numa província mais a Norte. Shenhui, um sucessor de Huineng passaria a designar essa outra corrente interpretativa como a «Escola do Norte», que segundo ele, ensinaria o caminho «gradual» (jianjiao) para atingir a iluminação, oposto do método «súbito» (junjiao) de Huineng, que seria então a «Escola do Sul». Dong Qichang (1555-1636) e outros eruditos, durante a dinastia Ming, aproveitariam esta distinção para caracterizar tipos de pintura, escolhendo o partido de Huineng que acentua o carácter intuitivo e favorece a imaginação criativa, não descurando o choque mental com o inesperado. Foi o que mostraram muito antes deles pintores como Liang Kai (c.1140-1210) em pinturas de que basta enunciar o título para provocar uma surpresa. Em «Huineng rasgando os Sutras» (tinta sobre papel, 72,9 x 31,6 cm) que está no Museu Memorial de Mitsu, no Japão, os traços breves revelam um aparente sacrilégio. Ou Fanyin Tuoluo, um monge pintor adepto do Chan que teria vindo da Índia e que viria a ser abade num templo em Kaifeng e viveu na transição do século XIII para XIV, na pintura «Danxia Tianran queimando uma figura de madeira do Buda» (rolo horizontal, tinta sobre papel, 35 x 36,8 cm) que está no Museu de Arte Ishibashi em Kurume, Fukuoka, que mostra com as suas figuras esquemáticas as possibilidades da pintura para referir intuitivas realidades interiores e o desprezo pelo mundo visível.

h

13


14 (f)utilidades TEMPO

POUCO

18.1.2021 segunda-feira

NUBLADO

MIN

9

MAX

17

HUM

LUTA CONTRA O TEMPO

8

8 4 3 6

5 3 4 2

1 7 3

71 0

6 10 0 7 4 5 5 2 9 3 8 8 1

5 1 8 0 7 9 5 4 9 3 3 6 8 7 1 2

9

8 3 0 7

9 2 8 3 1 7 9 1 8 6 5 0 5 4 3 6

8 5 4 8 3 7 0 1 2 9 3 6 0 6

3 9 1 3 8 0 6 7 4 8 7 2 5 5

7 6 0 5 1 2 3 8 5 7 4 9 8 9

2 4 5 7 9 6 4 7 0 8 0 1 3 1

4 3 5 2 2 6 4 8 9 1 0 5 6 7 0 3

8

3 4

0 8 6 2 6 3 2 5 4 7 0 1 5 4 7 9

1 7 9 5 8 4 0 8 2 3 4 6

0 5 3 4 6 2 8 7 9 1

3 5 1 9 4 6 7 2 8 0

8 8 1 5 4 09 1 0 3 7 8 7 6 9 1 7 0 5 7 8 8 6 6 1 5 8 0 3 4 2 2 0 9 3 0 4 1 6 2 5 7 8

0 9 4 3 7 6 5 2 3 5 2 1 4 6 7 9 8 7 7 2 3 2 5 0 8 1 4 46 9 1 3 6 2 7 6 8 5 3 0 1 9 4

4 0 8 2 1 7 9 6 3 5

1 4 9 3 0 5 2 7 6 8

5 8 3 1 2 9 6 0 4 7

3 45 66 77 2 1 4 5 22 5 3 2 8 3 2 79 0 1 1 6 2 89 5 9 8 7 74 46 9 9 1 3 50

0 2 7 5 6 4 8 9 1 3

6 9 4 7 8 0 1 3 5 2

7 3 2 6 9 8 5 4 0 1

9 1 5 0 3 2 4 8 7 6

8 6 0 4 7 1 3 5 2 9

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 11

11

9.65

BAHT

0.26

YUAN

1.23

O número de vítimas mortais de um sismo registado na sexta-feira na ilha de Celebes, na Indonésia, subiu para 60, segundo um novo balanço ontem divulgado. O anterior balanço apontava para 56 mortos, segundo as autoridades locais. Uma corrida contra o tempo está em curso na ilha indonésia, para tentar encontrar sobreviventes. O terramoto, com magnitude de 6,2 na escala de Richter, aconteceu durante a noite de sexta-feira, deixando milhares de pessoas desalojadas e várias centenas de feridos.

0 4 6 7 9 6 5 1 3 1 5 4 0 3 8 9 3 0 5 2

PROBLEMA 12

2 6 7 4 3 7 1 8 0 3 9

EURO

3 7 0

S5 9U4 6D2 7O0 8K3 1U 12

3 0 - 6 0 %´ •

7 6 2 8 4 9 1 3 5 0

1 9 8 3 0 7 5 4 6 2

8 1 0 7 3 4 9 6 2 5

4 7 5 9 8 1 2 0 3 6

0 2 8 9 4 6 1 8 5 7 9 1 3 5 7 0 WILD MOUNTAIN THYME [B] Um filme de: John Patrick Shanley 0 5 Com: Emily6 Blunt, 9 Jamie Blant, Christopher 1 Walken 3 2 4 14.30, 21.30 2 8 4 3 8 1 5 2 7 4 3 6 9 0 6 7

1 3 2 9 7 8 6 0 5 4

Cineteatro 10

6 2 4 5 1 0 3 8 7 9

2 8 6 1 5 3 4 9 0 7

9 4 1 2 7 6 0 5 8 3

5 3 7 0 9 8 6 2 1 4

C I N E M A

SALA 1

LOVE YOU FOREVER [B]

FALADO EM PUTONGHUA LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Yoyo Yao Com: Lee Hongchi, Li Yitong 16.45, 19.15

12

3 0 9 6 2 5 7 1 4 8

9 1 8 5 5 7 3 9 2 6 0 4 4 3 9 8 7 4 5 0 6 0 2 3 0 8 1 2 1 2 6 7 3 www. 5 7 6 hojemacau. 8com.mo 9 4 1

SALA 2

4 6 5 3 5 EM7JAPONÊS2 9 FALADO LEGENDADO EM CHINÊS Um 0filme de:3Sotozaki4Haruo 6 14.30, 16.45, 19.15, 21.30 6 4 8 2 OK! MADAM [B] 8 EM2JAPONÊS1 4 FALADO LEGENDADO EM CHINÊS Um 7filme de:5Solozaki9Haruo 0 14.30, 16.30, 19.30, 21.30 1 0 7 5 3 9 6 7 9 1 0 8 2 8 3 1

7 0 8 1 3 6 9 4 2 5

THE MOVIE DEMON SLAYER: KIMETSU NO YAIBA MUGEN TRAIN [C]

SALA 3

UM FILME HOJE Numa história que retrata a importância da educação e do trabalho em equipa, este filme conta como um jovem de 13 anos constrói uma turbina eléctrica para lutar contra a fome que se sente numa vila em Malawi. É baseado em factos verídicos. Apesar de os pais de William Kamkwamba acreditarem nas oportunidades trazidas pela educação, as dificuldades económicas atrasam o pagamento das propinas, impedindo o jovem de frequentar a escola. Mas isso não o impede de tentar recorrer a livros sobre electricidade para construir um mecanismo que permita lidar com a seca que assola a terra, e encontrar solução para a fome que se sente Salomé Fernandes na vila.

THE BOY WHO HARNESSED THE WIND | CHIWETEL EJIOFOR

0 2 4 6 7 3 1 8 6 4 2 0 7 3 5 9 8 1 6 1 7 2LOVE0YOU FOREVER 5 3 9 2 8 1 6 8 5 1 7 4 9 4 Propriedade 6 9 Fábrica 3 5de Notícias, 7 Lda Director Carlos Morais José Editores João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; João Santos Filipe; Pedro Arede; Salomé Fernandes Colaboradores Anabela Canas; António Cabrita; António de Castro Caeiro; Ana Jacinto Nunes; Amélia Vieira; Duarte Drumond Braga; Emanuel Cameira; 9 Gonçalo 4 0M.Tavares; 5 3Inês Oliveira; 8 João Paulo Cotrim; José Simões Morais; Luis Carmelo; Nuno Miguel Guedes; Paulo José Miranda; Paulo Maia e Carmo; Rosa Coutinho Cabral; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Teresa Sobral; Valério Romão Colunistas André Namora; David Chan; João Romão; Jorge Rodrigues Simão; Olavo Rasquinho; Paul 2 Chan 0 Wai8Chi;1Paula9Bicho; 4 Tânia dos Santos Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de 5 Santo 7 Agostinho, 3 0 n.º619, Centro 2 Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


opinião 15

segunda-feira 18.1.2021

ai, portugal, portugal

ANDRÉ NAMORA

A

Í está a chamada tradição do Natal transformada em confinamento. Todos achavam que a celebração eucarística da família à mesa com bacalhau e peru é que tinha de acontecer. Em primeiro lugar estava a oportunidade de dizer à covid-19 que passasse ao lado da malta porque as festas eram importantíssimas... nem sequer o alerta de certos especialistas clínicos a avisar que os ajuntamentos familiares no Natal iriam provocar grandes dissabores traduzidos em números astronómicos de infecção e aumento do número de óbitos, permitiu que as pessoas não aderissem às festas natalícias. De nada serviu, os médicos atentos ao que se vai passando por esse mundo sabiam que as festas iriam dar bronca. Festas que foram do conhecimento das autoridades com 100, 300 ou 500 pessoas. Tudo na maior. Toca a banda e abre o garrafão que é Natal ou ano novo. A Guarda Nacional Republicana ainda entrou por umas quintas a dentro e acabou com o festim. Numa delas, havia mulheres e homens nus numa piscina interior aquecida em plena orgia do tipo grego com uvas e outras bolas nas mãos. No interior do salão com lareira manjava-se javali e veado cozinhados com vinho tinto. Resumindo: estava tudo bêbedo sem se darem conta que o coronavírus andava por lá a marcá-los à distância para passadas duas semanas enviá-los para o hospital, na secção chamada de covid. A propósito, de falarmos sobre a covid-19 e o aumento estonteante do número de infectados e de mortes que levaram o governo a decretar novo confinamento à população, há que registar o excelente e sacrificado trabalho dos profissionais de saúde pública, especialmente os enfermeiros e assistentes sociais. As secções nos hospitais onde são instalados os doentes com a pneumonia covid são geridas com uma seriedade espantosa. Qualquer profissional está equipado dos pés à cabeça com bata especial plastificada, uma touca, dois pares de luvas, sapatos especiais, óculos de plástico, máscara profissional, todo este material que ao deixarem a secção onde se encontram os doentes com a covid são atirados fora para recipientes próprios para cada tipo de objectos utilizados. Os enfermeiros merecem os nossos maiores aplausos pelo trabalho que realizam. É proibido entrar nos hospitais mas tive a oportunidade de ver um vídeo que um profissional hospitalar realizou e vê-se que felizmente não se está a brincar em serviço. Quem brinca com o povo são os políticos tão incompetentes que até eles apanham a covid-19, como foi o caso da ministra do Trabalho e da Segurança Social. Por sinal,

Na gaiola outra vez

quando a vi toda gaiteira e a falar sem máscara, disse para comigo “esta não se safa à covid”. Dito e feito. Mas, a verdade total neste aspecto não vem a público: há mais governantes e assessores infectados e incrivelmente, pelo menos um deles, sabia que estava positivo e foi “trabalhar” para o Ministério onde

As ruas estão cheias de “confinamento”, uns foram à farmácia, outros ao hipermercado, alguns dizem que vão ao dentista, outros que vão à consulta que o médico marcou há duas semanas, há muitos a passear o cãozinho, à porta do talho vêem-se as filas de carnívoros, enfim, são tantas as excepções ao confinamento que estou certo que o número de infectados e de mortos não vai baixar

se encontram centenas de colegas. A irresponsabilidade tem sido grande, o governo perdeu o controlo da pandemia, os médicos que sabem da matéria não têm sido levados a sério e assim estamos com cerca de 150 mortes por dia. Quem diria que chegávamos a um ponto tão trágico e tão triste e mesmo assim foi decretado um confinamento da treta. Qual confinamento? As escolas estão abertas, os pais saem à rua para ir levar e buscar os filhos aos estabelecimentos de ensino, os supermercados estão abertos, as pastelarias estão abertas servindo o cafezinho numa mesa colocada à entrada e onde os ajuntamentos de clientes são uma realidade, as padarias não param de vender toda a espécie de pão, as mercearias estão cheias dos clientes habituais lá do bairro, os cabeleireiros estão fechados mas as marcações telefónicas levam a que no interior o trabalho não pare. Resumindo: as ruas estão cheias de “confinamento”, uns foram à farmácia, outros ao hipermercado, alguns dizem que vão ao dentista, outros que vão à consulta que o médico marcou há duas semanas, há muitos a passear o cãozinho, à porta do talho vêem-se as filas de carnívoros, enfim, são tantas as excepções ao confinamento que estou certo que o número de infectados e de mortos não vai baixar.

Por outro lado, tenho um vizinho que já trocou o seu Mercedes pelo último modelo. É proprietário de uma agência funerária e disse-me que nunca imaginou ficar tão rico. Só os funerais dos muçulmanos dão-lhe um lucro astronómico porque é das poucas agências que sabem tratar dos rituais inerentes à religião de Maomé. O confinamento que foi decretado na passada sexta-feira é um fiasco e tristemente o civismo das pessoas ainda não alcançou uma plataforma de compreensão de que esta pneumonia covid não brinca com os humanos, simplesmente trata-lhes da saúde enriquecendo as agências funerárias. As pessoas não entendem o que é uma pandemia, não querem compreender a gravidade deste tipo de vírus e até há quem brinque aos testes. Hoje dá negativo, no dia seguinte deu positivo, tem que ficar 15 dias confinado, mas depois de mais um teste volta a resultar negativo e aí vai ele para a rua porque as eleições estão à porta e há quem queira continuar a ser presidente da República. O que me apetecia era ter uma fábrica de gaiolas onde pudesse meter esta passarada toda... *Texto escrito com a antiga grafia


“Aquele que se conhece é o único senhor de si próprio.”

A Fundação Rui Cunha, em parceria com o Rotary Club de Macau, promove esta sexta-feira, dia 22, pelas 18h, um seminário sobre os efeitos da pandemia da covid-19 em Macau. “Covid19 - 365 dias” acontece um ano depois de o território registar o primeiro caso de infecção local com o novo coronavírus. O evento tem por objectivo fazer um ponto de situação sobre os efeitos e consequências psicológicas que a pandemia provocou, aponta um comunicado. O debate conta com a presença de Elvo Sou, psicoterapeuta, e Fátima Santos Ferreira, em representação da associação de cariz social Fuhong, sendo moderada pelo jornalista José Carlos Matias.

UE Esperada presença dos EUA em reuniões

A União Europeia espera que responsáveis da administração de Joe Biden participem nos conselhos de ministros europeus durante a presidência portuguesa e assegura não ter recebido qualquer reclamação de Washington sobre a conclusão do acordo de investimento UE-China. “Durante a presidência portuguesa, esperamos que os secretários de Estado, da Defesa e dos Negócios Estrangeiros, participem nos nossos conselhos. E aqui, em Portugal, teremos ocasião de os receber nos nossos conselhos”, afirma o chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, numa entrevista à Lusa, na sexta-feira, à margem da visita do colégio de comissários a Lisboa, no âmbito da presidência rotativa do Conselho da União Europeia (UE). Questionado sobre o acordo de princípio recentemente alcançado sobre um pacto de investimentos com a China, semanas depois de Joe Biden ter proposto um diálogo transatlântico sobre “o desafio estratégico” colocado pela China, o Alto Representante da UE para Política Externa assegura que não teve qualquer queixa da equipa de transição.

MACAU-LIFESTYLE

FRC Conferência sobre pandemia sexta-feira

segunda-feira 18.1.2021

PALAVRA DO DIA

Pierre de Ronsard

Filipinas Portas fechadas a estrangeiros vindos de Portugal e Brasil

A

Restauração mais pobre Amigos recordam Adriano Neves, fundador do “Caravela” e de “A Lorcha” 

A

DRIANO Neves, fundador do restaurante “A Lorcha” e do café “Caravela” faleceu aos 62 anos vítima de doença prolongada, noticiou a TDM Rádio Macau na sexta-feira. Natural de Macau, Adriano Neves frequentou o Colégio Dom Bosco, onde se tornou amigo de Miguel de Senna Fernandes. Ao HM, o advogado e presidente da Associação dos Macaenses recorda um bom amigo que soube inovar na área da restauração. “Lembro-me dele dos tempos de escola, ele era um pouco mais velho do que eu e andávamos no Colégio Dom Bosco. Foi sempre um homem muito afável, um desportista. Depois surpreendeu-me um bocado quando ele fundou “A Lorcha”, uma coisa fantástica quando apareceu, com um novo conceito de restaurante, de comida portuguesa.” Miguel de Senna Fernandes recorda os bifes servidos no Lorcha, “que eram fantásticos”. “Ele conseguiu atrair bastante gente, muitos turistas, foi um sucesso enorme. Mudou o conceito de restauração que até então existia”, frisou. 

O restaurante, situado na zona da Barra, abriu portas em 1989 e era tão popular que até o último Governador de Hong Kong, Chris Patten, era cliente habitual, segundo a TDM Rádio Macau. “A Lorcha continua a ser um local bastante bom, e está muito bem situado. Oxalá que a nova gerência saiba aproveitar para fazer algo de diferente, espero que “A Lorcha” continue enquanto restaurante de sabores ocidentais e portugueses”, adiantou Miguel de Senna Fernandes.

SEM INVEJAS

O sucesso do “A Lorcha” levou Adriano Neves a investir no café

“Ele conseguiu atrair bastante gente, muitos turistas, foi um sucesso enorme. Mudou o conceito de restauração que até então existia.” MIGUEL DE SENNA FERNANDES ADVOGADO

Caravela que também marcou a diferença por ser a primeira pastelaria tipicamente portuguesa a surgir no território. O espaço abriu em 1999, meses antes da transferência de soberania de Macau. Fernando Sousa Marques, empresário da restauração e amigo, recorda estes tempos. “Estive em Macau quando criou o “Caravela” com dois sócios, que depois deixou. Não havia um café português e acho que foi ele que criou o primeiro”, disse ao HM.  O empresário fala de Adriano Neves como alguém que “criou um mundo de amizades no ramo hoteleiro”. “Não havia conflitos, era uma amizade única. Não era uma pessoa de invejas”, frisou.  O Governo de Macau atribuiu, em 2007, a Adriano Neves a Medalha de Mérito Turístico. Adriano Neves chegou a praticar hóquei em campo e representou o território em competições internacionais, incluindo o campeonato do Mundo de Juniores, na Malásia, em 1977. Foi também jogador de futebol na equipa “Negro Rubro”. A.S.S.

S Filipinas prolongaram até ao final de Janeiro a proibição da entrada de estrangeiros que estiveram em Portugal ou no Brasil nas últimas duas semanas, devido às novas estirpes do novo coronavírus. Também na sexta-feira, um grupo de trabalho interdepartamental decidiu desencadear um sistema de alertas a aplicar a companhias aéreas que permitem o embarque de passageiros vindos de países na lista negra em voos com destino às Filipinas. A única excepção prevista são os passageiros que apenas mudaram de voo em Portugal ou no Brasil, não tendo abandonado o aeroporto. Este grupo terá ainda assim de se submeter a um período de quarentena de 14 dias, que poderá ser feito em casa, caso façam um teste negativo ao novo coronavírus. Já os cidadãos filipinos poderão entrar no país, tendo, no entanto, de se submeter a uma quarentena de 14 dias num local designado pelas autoridades, mesmo que à chegada façam um teste com resultado negativo. A decisão abrange mais de 30 países, incluindo o Reino Unido, a China, os Estados Unidos da América e a África do Sul.

ÍNDIA INÍCIO DA VACINAÇÃO ENTRE O SUCESSO E ALGUMA APREENSÃO

O

PUB PUB.

início da campanha de vacinação contra a covid-19 na Índia foi um sucesso, com mais de 190.000 pessoas a tomarem a primeira dose, anunciou o Ministério da Saúde, mas uma das vacinas usadas suscita inquietação. A campanha iniciou-se no sábado na segunda nação mais populosa do mundo. A Índia conta vacinar 300 milhões de pessoas, quase o equivalente à população norte-americana, até Julho, no âmbito de uma das

maiores campanhas de vacinação no mundo. O programa baseia-se em duas vacinas: a Covaxin, desenvolvida pela Bharat Biotech e pelo Conselho de Investigação Médica da Índia, e a Covishield, a versão criada pela AstraZeneca e pela universidade de Oxford. Ambos os produtos foram aprovados “em emergência” pelo Serum Institute of Índia, em Janeiro. “Tivemos reações encorajadoras e satisfatórias no primeiro dia”, disse no sábado

o ministro indiano da Saúde, Harsh Vardhan. “Esta vacina vai ser, de facto, um `Sanjeevani` (salvador de vidas)”, acrescentou. O ministério afirmou que não foi registado “qualquer caso de hospitalização após a vacinação”, mas a imprensa local revelou que um agente da segurança do All India Institute of Medical Sciences (AIIMS), principal hospital público do país, desenvolveu uma reacção alérgica logo após ter recebido a injecção.

Profile for Jornal Hoje Macau

Hoje Macau 18 JAN 2021 #4691  

N.º 4691 de 18 de JAN de 2021 - Edição em papel do jornal Hoje Macau

Hoje Macau 18 JAN 2021 #4691  

N.º 4691 de 18 de JAN de 2021 - Edição em papel do jornal Hoje Macau

Profile for hojemacau
Advertisement