Issuu on Google+

TRADIÇÃO

PROCISSÃO DE NOSSA SENHORA DAS DORES LEVOU FIÉIS À RUA AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

CENTRAIS

PUB

MOP$10

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • TERÇA-FEIRA 17 DE SETEMBRO DE 2013 • ANO XIII • Nº 2938

Ter para ler

Especialistas mostram as suas visões dos resultados eleitorais e comentam alegadas manobras de bastidores durante a campanha

A suspeita do costume • ETAR JULGAMENTO

CCAC continua a não conseguir explicar ilegalidades PÁGINA 6

• AUTOMOBILISMO

PÁGINA 16

DERROTADOS DIZEM QUE CULPA É DA CORRUPÇÃO PUB

RECONTAGEM DE VOTOS NULOS E BRANCOS PEDIDA POR ANGELA LEONG

PÁGINAS 2 A 5

Cinco pilotos de Macau no Troféu Asiático de WTCC

Os alegados actos irregulares que mancharam a campanha eleitoral do sufrágio directo à Assembleia Legislativa podem ter favorecido certos candidatos. Quem não tem dúvidas disso é o sociólogo Paulo Godinho que acredita que ofertas descaradas de dinheiro não seriam aceitáveis em “democracias maduras”. Já o académico Arnaldo Gonçalves, num contexto asiático, não vê maldade no “pertenço aliciamento”. Uma palavra ainda para a abstenção, numa análise alargada às eleições legislativas deste fim-de-semana.

CHAN MENG KAM AFIRMA QUE NÃO GOSTA DE SER DEPUTADO


2

ELEIÇÕES

2013

hoje macau terça-feira 17.9.2013

PAULO GODINHO E ARNALDO GONÇALVES COMENTAM RESULTADOS ELEITORAIS

Notas de uma corrupção eleitoral camuflada Paulo Godinho e Arnaldo Gonçalves, em declarações ao HM, mostram visões diferentes sobre os alegados actos irregulares nesta campanha que poderão ter favorecido os resultados de certos candidatos. Se o primeiro acredita que a oferta descarada de dinheiro e outras ofertas não teria lugar numa “democracia madura”, o segundo contextualiza o caso na região Ásia-Pacífico e vê no “pertenço aliciamento” um acto normal RITA MARQUES RAMOS rita.ramos@hojemacau.com.mo

O

S vencedores e derrotados nestas eleições legislativas foram escrutinados por Paulo Godinho e Arnaldo Gonçalves. Mas, mais do que isso, foi analisado o peso de toda a campanha e máquina política no decorrer das campanhas eleitorais para os resultados finais. O primeiro acredita, por exemplo, que actos potencialmente corruptos de alguns candidatos funcionaram a seu favor. O segundo não faz “uma análise maliciosa desses actos”, considerados “normais” no contexto social da Ásia-Pacífico. “Não vejo que sintam a necessidade de votar pelo facto de ser dada uma prendinha ou um convite de jantar ou almoço. Isso é um sinal de reconhecimento de alguns candidatos em relação aos seus eleitores”, explica Arnaldo Gonçalves, professor de Ciência Política e Relações Internacionais no Instituto Politécnico de Macau, ao entender que o público-alvo destes aliciamentos já são de facto eleitores dessa mesma lista. “Não sinto que esse pertenço aliciamento transforme ou manipule o resultado das eleições.” Opinião contrária tem Paulo Godinho, sociólogo e analista político, que entende que Mak Soi Ku terá sido o candidato que trabalhou para essa possível “compra de votos” que lhe saiu favorável. “A campanha e pré-campanha que fez e que gerou muita controvérsia com o aproveitamento de ser dirigente de outra associação [dos Amigos de Jiangmen] - quando andou a oferecer dinheiro a pessoas que são o seu alvo enquanto eleitorado para combater o aumento do custo de vida em cima de eleições - penso

que numa democracia madura teria sido um caso de polícia. [...] Se não indicia compra de votos anda mesmo muito perto disso”, entende. Neste ponto, segundo evidencia, a Comissão de Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa (CAEAL) terá um papel a cumprir que publicamente não é fácil de qualificar. “É muito discreta para não dizer quase secreta na sua forma de actuação porque sabemos que encaminharam alguns casos que lhes pareceram mais suspeitos, inclusivamente para o CCAC, mas não sabemos que casos foram e de que listas”, expressa.

AGRESSIVIDADE E DISCURSOS INFLAMADOS

Sobre campanhas inflamadas, há dois rostos que se destacam entre os demais, um vitorioso, outro vencido. São eles, explicitamente, Pereira Coutinho, número um da Nova Esperança, e Jason Chao, cabeça-de-lista da Liberais da Novo Macau. O académico do IPM entende que o primeiro beneficiou com o seu “estilo populista”, “capacidade de luta” e “determinação e estilo, às vezes, quezilento”. Mas, além disso, “dramatizou” a alegada difamação que foi feita contra si pelo que “poderá ter definido o voto das pessoas que não pensavam ir votar, ganhando alguns votos do eleitorado macaense numa reacção por terem atingido o seu bom nome”. Já Chao perdeu, no enten-

A tendência é para a abstenção em termos percentuais ir crescendo porque há sempre uma fatia já com alguma dimensão de eleitores que não poderá aparecer para votar

[Os eleitores] acharam que com o seu voto não iriam alterar as decisões da assembleia e a agenda política porque os directos estão em minoria

PAULO GODINHO

ARNALDO GONÇALVES

der de Arnaldo Gonçalves, com a “estratégia de agressividade” que “assustou as pessoas”, nomeadamente na campanha declarada contra Florinda Chan e Edmund Ho, além do já reconhecido plano falhado da Associação Novo Macau na candidatura de três listas. “As pessoas não estão habituadas a esse estilo de campanha e a essa forma de fazer política agressiva em Macau. Uma campanha de desobediência e discursos inflamados”, observa. Nesta questão, Godinho não é surpreendido pelo resultado da Novo Macau, que no total das três listas baixou 4409 votos face aos números de 2009 com apenas duas listas, porque foi uma “estratégia

Sobre a quebra percentual da afluência às urnas, Godinho acredita que tal se deve a uma “abstenção técnica”, já Gonçalves acredita na consciencialização da população para uma democracia minoritária

arriscada” em que “mesmo que não tivessem baixado o volume de votação, e mantivessem o de há quatro anos, seria muito complicado com as três listas conseguirem manter os três deputados”. Pereira Coutinho subiu um posto no ranking de conversão de votos em relação a 2009, por isso, fez apenas um pequeno esforço este ano para “lá chegar” o seu segundo, Leong Veng Chai.

OPERÁRIOS E O COMUNISMO EM QUEDA

Uma das surpresas destas eleições foi a quebra abrupta no número de votos de Kwan Tsui Hang (menos 9137), apurada em primeiro lugar em 2009, naquela que pode ter sido uma estratégia conciliada entre operários e moradores, que só beneficiou os segundos. Recorde-se que quando era aplicado o método D’Hondt (sistema de contagem de votos aplicado em Portugal) a União Eleitoral, partido liderado por Carlos D’Assumpção, juntava as duas forças. Arnaldo Gonçalves acredita que, sendo ela a representantes

do partido comunista em Macau, este resultado mostra que a força política deixou de ser “uma estrutura unitária de uma voz que havia até aqui”. Até aqui funcionou esta “forma antiga” de chamar “a burguesia patriótica para exercer o pode e partilhá-lo”, explica, mas agora ao não eleger mais um deputado, revela “incapacidade de crescimento”. Paulo Godinho assume que nunca pensou que “a quebra da associação dos operários fosse tão significativa”, já que se tivessem apenas “perdido mil ou dois mil votos” conseguiriam manter a eleição do segundo candidato. Por outro lado, Chan Meng Kam foi o rosto da vitória que, não só bateu “a grande vencedora de há quatro anos [União para o Desenvolvimento]” como “se conjugou com o seu mau resultado”. “Conseguiu aquilo que é quase impossível com o método de conversão dos votos em mandatos. [...] Se em Macau fosse seguido o método d’Hondt teria quatro deputados [a Associação dos Cidadãos Unidos de Macau] e não três”, analisa Paulo Godinho. Para Arnaldo Gonçalves, o resultado vai reproduzir-se numa “agenda própria” que vai “influenciar a vida da região nos próximos anos”.

AFLUÊNCIA EM QUEDA POR “ABSTENÇÃO TÉCNICA”

A queda do eleitorado que exerceu o seu voto, em termos percentuais e não absolutos, suscita algumas dúvidas. Será este um regime democrático que interesse cada vez menos aos eleitores? Arnaldo Gonçalves acha que sim. “Acharam que com o seu voto não iriam alterar as decisões da assembleia e a agenda política porque os directos estão em minoria”, explica, falando sobretudo do eleitorado jovem, que acredita mais consciencializado para o facto de que a escolha democrática de 14 em 33 deputados não faz com que a constituição da AL seja representativa da população. Paulo Godinho, ao contrário, acredita num fenómeno que agora começa a tomar expressão: a abstenção técnica. A razão prende-se com um recenseamento desactualizado, que remonta ao estabelecimento da RAEM e que, desde então, não foi corrigido por isso não contabiliza óbitos nem residentes a residir no estrangeiro. “A tendência é para a abstenção em termos percentuais ir crescendo porque há sempre uma fatia já com alguma dimensão de eleitores que não poderá aparecer para votar”, defende.


eleições 3

hoje macau terça-feira 17.9.2013

A NOVA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

(33 DEPUTADOS)*

SUFRÁGIO DIRECTO

• CHAN MENG KAM REELEITO Associação dos Cidadãos Unidos de Macau

• SI KA LON ESTREIA Associação dos Cidadãos Unidos de Macau

• SONG PEK KEI ESTREIA Associação dos Cidadãos Unidos de Macau

• MAK SOI KUN REELEITO União Macau-Guangdong

• ZHENG ANTING ESTREIA União Macau-Guangdong

• HO ION SANG REELEITO União Promotora para o Progresso

• WONG KIT CHENG ESTREIA União Promotora para o Progresso

• JOSÉ PEREIRA COUTINHO REELEITO Nova Esperança

• LEONG VENG CHAI ESTREIA Nova Esperança

• ANGELA LEONG REELEITA Nova União para o Desenvolvimento de Macau

• KWAN TSUI HANG REELEITA União para o Desenvolvimento

• NG KUOK CHEONG REELEITO Associação Próspero Macau Democrático

• AU KAM SAN REELEITO Associação Novo Macau Democrático

• MELINDA CHAN REELEITA Aliança Pr’a Mudança

SUFRÁGIO INDIRECTO

• HO IAT SENG REELEITO Sectores industrial, comercial e financeiro

• KOU HOI IN REELEITO Sectores industrial, comercial e financeiro

• CHEANG CHI KEONG REELEITO Sectores industrial, comercial e financeiro

• CHUI SAI PENG REELEITO Sectores industrial, comercial e financeiro

• LAM HEONG SANG REELEITO Sector do trabalho

• LEI CHENG I ESTREIA Sector do trabalho

• CHUI SAI CHEONG REELEITO Sector profissional

• LEONEL ALVES REELEITO Sector profissional

• CHAN IEK LAP ESTREIA Sector profissional

• CHAN HONG ESTREIA Sectores dos serviços sociais e educacional

• CHEUNG LUP KWAN REELEITO Sectores cultural e desportivo

• CHAN CHAK MO REELEITO Sectores cultural e desportivo

NOMEADOS PELO CHEFE DO EXECUTIVO

*APURAMENTO PARCIAL, DE ACORDO COM A CAEAL


4 eleições

hoje macau terça-feira 17.9.2013

DERROTADOS ATRIBUEM RESULTADOS A ACTOS DE CORRUPÇÃO E AO PODER ECONÓMICO

Maioria promete tentar mais uma vez

O resultado das eleições mostra que a consciência civil é muito má em Macau e a moral dos eleitores também é muito baixa LEI KIN ION candidato pela Associação de Activismo para a Democracia

Estou surpreso com o facto de ter ganho apenas 220 votos. Fiz tantos trabalhos dedicados às camada mais baixas da sociedade LEONG SEAK candidato pela Frente do Movimento Operário

CECÍLIA LIN

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

L

EI Man Chao, Leong Seak, Lee Sio Kuan - candidatos pelos operários -, Lei Kin Ion, Jason Chao e Paul Chan Wai Chi - candidatos democratas – estão todos no mesmo barco: não conseguiram ser eleitos. Da mesma forma, todos partilham da mesma opinião: a maioria pensa que os resultados das eleições é resultado da corrupção. Lei Kin Ion, por exemplo, afirmou ao HM que “a situação da corrupção [este ano] foi pior do que nas eleições anteriores”. “O resultado das eleições mostra que a consciência civil é muito má em Macau e a moral dos eleitores também é muito baixa.” O democrata radical, que alinha pelas cores da Associação de Activismo para a Democracia admite mesmo que não vai participar nas próximas eleições, porque “com esta situação, nunca vou ser eleito”. Também Leong Seak, número um da Frente do Movimento Operário, mostra-se desapontado. “Estou surpreso com o facto de ter ganho apenas 220 votos. Fiz tantos trabalhos dedicados às camada mais baixas da sociedade. Porque é que os Kai Fong (União Geral das Associações dos Moradores

Como podemos vencer os que usam autocarros para transportar os eleitores? Como podemos vencer os que alugam os restaurantes para oferecer refeições grátis? LEE SIO KUAN candidato pela Supervisão pela Classe Baixa

de Macau, UGAMM) conseguiu obter tantos votos? Não percebo.” O operário admite que o seu trabalho de campanha podia ter sido melhor, mas os parcos recursos – 35 mil patacas -, podem levar a explicar a derrota. “Obviamente que os outros grupos usaram muito mais do que este valor. Alguns eleitores foram comprados. Acredito que eles possam ter vendido a sua consciência por dinheiro. Macau já não tem possibilidade de mudar, estou desanimado e não quero participar mais nas eleições.”

SEM ARGUMENTOS

Outro representante dos operários – o número um da lista Supervisão pela Classe Baixa, Lee Sio Kuan - apontou que, em todas as eleições houve corrupção, e que, desta vez, isso também foi notório. “É o fim das eleições, é um ponto final. As camadas baixas querem participar nas eleições para a Assembleia Legislativa (AL), mas, comparando com as associações ricas, como podemos vencer os que usam autocarros para transportar os eleitores? Como podemos vencer os que alugam os restaurantes para oferecer refeições grátis?” Lee Sio Kuan revelou ainda que usou mais de 200 mil patacas para a sua campanha e que ainda vai avaliar se participará nas próximas eleições.

Andámos a resolver conflitos entre patrões e trabalhadores, contudo, não temos recursos suficientes que nos ajudem no nosso trabalho

Algumas listas têm um apoio... como descrever? Um apoio com estranhas tendências. Não vou criticar mais

O Governo deixa algumas listas fazer actos de corrupção. Há tantas provas mas não toma qualquer posição

PAUL CHAN WAI CHI candidato pela Associação de Próspero Macau Democrático

JASON CHAO candidato pela Liberais da Novo Macau

LEI MAN CHAO candidato pela Aliança da Democracia de Sociedade

Lei Man Chao, antigo vogal da Associação Novo Macau (ANM), que desta vez liderou a Aliança da Democracia de Sociedade, disse também ao HM que considera que o resultado das eleições é muito “interessante”. “Algumas listas não conseguiram obter votos suficientes e perderam cargos que possuíam na AL. Para os que conseguiram obter dois cargos, penso que foi por causa do seu poderio económico.” Lei Man Chao aponta ainda que o grupo que liderou apenas teve cinco a seis voluntários durante as campanhas, mas algumas associações têm mais funcionários a tempo inteiro. “Não apenas durante o período de campanha, mas também durante os últimos anos, andámos a resolver conflitos entre patrões e trabalhadores, contudo, não temos recursos suficientes que nos ajudem no nosso trabalho. Tivemos pouco tempo para preparar estas eleições, começamos a partir Junho, porque todos temos emprego.” Ainda assim, diz, vai participar nas próximas eleições, “sem falta”.

DEMOCRATAS DESOLADOS

Quem ainda não sabe o que fazer nas próximas eleições é Jason Chao e Paul Chan Wai Chi. O número dois de Ng Kuok Cheong na Associação de Próspero Macau

Democrático considera que não pode prever o que acontece no futuro. “Aceito o resultado das eleições, tenho de aceitar. É uma escolha dos eleitores, estou sereno. Algumas listas têm um apoio... como descrever? Um apoio com estranhas tendências. Não vou criticar mais, mas acho que a cultura eleitoral de Macau tem espaço para ser melhorada.” O presidente da ANM, Jason Chao, que concorreu pela Liberais da Nova Macau, refere, desolado, que há um senso comum na so-

ciedade de que houve corrupção nas eleições. “O Governo deixa algumas listas fazer actos de corrupção. Há tantas provas mas não toma qualquer posição. Participar nas eleições é apenas uma de muitas maneiras para supervisionar o trabalho do Governo. Claro que ser deputado dá mais poder e melhor posição política, bem como ajuda na luta pelos direitos dos cidadãos e pela democracia. Ainda assim, apesar de não ter sido eleito, não vou parar o meu trabalho de lutar pela democracia.”


eleições 5

hoje macau terça-feira 17.9.2013

RECONTAGEM DE VOTOS NULOS E BRANCOS PEDIDA POR ANGELA LEONG PROLONGA-SE POR DOIS DIAS

Esperança é a última a morrer vendo perspectivas de que se possa concluir até ao fim do dia. Angela Leong e Pereira Coutinho, bem como os respectivos números dois, assistiram à verificação na audiência da sala. Em declarações aos meios de comunicação, Coutinho disse estar “confiante” de que a eleição de Leong Veng Chai está assegurada. “Acredito nos profissionais que trabalharam e creio que a contagem está correcta. Portanto, vamos ter os dois lugares”, frisa. Mas explica que o pedido de Angela Leong tem fundamento, já que se trata “de um procedimento correcto” que está relacionado com “as normas eleitorais”.

RITA MARQUES RAMOS rita.ramos@hojemacau.com.mo

A

partir das 11 da manhã de ontem, e até à meia-noite, a Comissão de Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa (CAEAL) começou a verificar todos os boletins de voto considerados nulos ou brancos, depois da candidata número um da lista Nova União para o Desenvolvimento de Macau (NUDM), Angela Leong, ter levantado suspeitas sobre a forma como a contagem foi feita. Recorde-se que, de acordo com os resultados oficiais da CAEAL, o segundo candidato da lista Nova Esperança (NE), Leong Veng Chai, conseguiu apenas mais 16 votos do que Wong Seng Hong, candidato número dois da NUDM, que assim ficou de fora da Assembleia Legislativa (AL). No cômputo geral, a lista 9 totalizou 13118 votos contra os 13086 da lista 1. Durante o dia de

ontem, a comunicação social ficou apenas a saber de um novo voto contado a favor da lista de Angela Leong. No entanto, ontem, quando os jornalistas foram chamados à sede da CAEAL, no Edifício da Administração

Pública, pouco ou nada se sabia sobre quando iria ser tornada pública a nova contagem (ou verificação) destes votos mas, um porta-voz do GCS, mais tarde, deu conta de que recomeçaria hoje às nove da manhã ha-

ANGELA LEONG PODE MOVER ACÇÃO JUDICIAL

Na passada semana, Pereira Coutinho foi alvo de alegados ataques difamatórios, publicados na comunicação social, que, diz, o perturbou durante a campanha eleitoral mas que, no fim

CHAN MENG KAM NEGA ESTAR A PENSAR EM TENTAR SER CHEFE DO EXECUTIVO

“Não gosto de ser deputado, mas quero fazer algo por Macau” CECÍLIA LIN

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

D

E acordo com os dados oficiais, embora parciais, foram 26.385 votos obtidos e três deputados eleitos. Chan Meng Kam e a Associação dos Cidadãos Unidos de Macau (ACUM) têm motivos para festejar e o deputado fê-lo ontem. Chan Meng Kam admitiu que nunca pensou garantir três lugares na Assembleia Legislativa (AL), mas assegura que, como o seu número três é uma graduada da faculdade de Direito, o seu grupo é o mais competente no trabalho da AL. “Além dos cidadãos, também agradeço a todos os voluntários que fizeram parte da campanha e o seu apoio que permitiu eleger Si Ka Lon e Song Pek Kei para a AL.” O número dois da lista, Si Ka Lon, garante que “vai lutar para realizar todos os compromissos feitos durante a campanha.” A ACUM foi, depois dos resultados não darem qualquer margem para

dúvida, ao Fai Chi Kei, à Areia Preta e às Portas do Cerco, para agradecer aos seus apoiantes. Durante as actividades, o “rei” da noite eleitoral foi questionado outra vez se se estava a

Vivi 17 anos no continente e vivo há 33 aqui. Macau dáme oportunidade de lutar pela minha vida, admito que não gosto muito do trabalho de deputado, mas quero fazer alguma coisa por Macau e o trabalho de deputado é servir a sociedade CHAN MENG KAM

preparar para participar nas eleições para o lugar de Chefe do Executivo, mas negou. “Nunca pensei nisso”, disse com um sorriso. “Vivi 17 anos no continente e vivo há 33 aqui. Macau dá-me oportunidade de lutar pela minha vida, admito que não gosto muito do trabalho de deputado, mas quero fazer alguma coisa por Macau e o trabalho de deputado é servir a sociedade.” Para a campanha da ACUM, o mandatário, Ung Choi Kun, nega que o grupo tenha utilizado muito dinheiro nas actividades. “Durante os últimos oito anos, os cidadãos reconheceram o nosso esforço.” Chan Meng Kam também explicou que, nas eleições de 2009, a equipa realizou oito festas no exterior para os cidadãos, mas que, desta vez, apenas realizou uma festa “para não chatear os moradores.” Segundo dados oficiais divulgados, há mais de quatro mil votos que foram considerados inválidos, sendo que 10% desses apontavam para votos em Chan Meng Kam.

Coutinho disse estar “confiante” de que a eleição de Leong Veng Chai está assegurada. “Acredito nos profissionais que trabalharam e creio que a contagem está correcta. Portanto, vamos ter os dois lugares”, frisa. Mas explica que o pedido de Angela Leong tem fundamento, já que se trata “de um procedimento correcto” que está relacionado com “as normas eleitorais” de contas, jogou a favor da lista. “Sinceramente, contribuiu de alguma forma para que as pessoas ficassem ainda mais revoltadas e fossem votar. Havia pessoas que estavam na dúvida, mas votaram em nós. Hoje sabemos isso”, garante Pereira Coutinho. “Isto faz parte da política. São novos ares vindos, principalmente de Taiwan. As questões de Internet

são cada vez mais rápidas e difíceis de contradizer.” Angela Leong, por sua vez, assumiu ter perdido votos com as mensagens que circularam contra si. E, por isso, referiu que vai pedir ao advogado para entrar com uma acção judicial contra os autores destas difamações, até agora dados como anónimos, que prejudicaram o seu resultado final nestas eleições.

VOTOS ESTRANHOS, MAS ACEITES

Estes votos, divulgados ontem nas redes sociais, foram considerados válidos pela CAEAL. Se acordo com as “regras”, o voto só é inválido se o pick do carimbo estiver no meio de duas listas ou se alguém votar em mais do que uma lista, bem como danifique o boletim. Seja como for, é estranho que se aceitem votos destes, como as fotografias documentam. A rever...


6

SOCIEDADE

hoje macau terça-feira 17.9.2013

ETAR CCAC NÃO CONSEGUE MOSTRAR PROCEDIMENTOS ILEGAIS NA ADJUDICAÇÃO DE OBRAS

JOANA FREITAS

joana.freitas@hojemacau.com.mo

O

Comissariado contra a Corrupção (CCAC) admitiu ontem que não sabia exemplificar onde foram encontrados procedimentos ilegais na adjudicação da construção, manutenção e operação da ETAR do Parque Industrial Transfronteiriço e da segunda fase da ETAR de Coloane. Mak Chi Hong, inspector do organismo a servir de testemunha arrolada pela acusação, esteve ontem durante a tarde a ser inquirido pela defesa de Chan Ying Lun e não conseguiu responder a algumas das questões relacionadas com provas.

TIAGO ALCÂNTARA

O diz que disse e alguma Internet

As ordens de pagamento a Ao Man Long foram dadas por Chan Ying Lun MAK CHI HONG inspector do Comissariado contra a Corrupção

Da mesma forma, o inspector também não conseguiu explicar algumas das conclusões retiradas pelo CCAC, de que Chan Ying Lun estaria envolvido no esquema de alegada corrupção. Esta tem sido uma das lutas da defesa, composta por Alexandre Morais Correia, que aponta que o gerente-geral adjunto do Departamento de Engenharia Civil da Companhia de Construção e Engenharia Civil China (CCECC) - uma das empresas participantes do consórcio com a Waterleau e a ATAL Engineering, que venceu o concurso internacional das ETAR – nem sequer consta de documentos que serviram de base à acusação. “As ordens de pagamento a Ao Man Long foram dadas por Chan Ying Lun”, começou por dizer Mak Chi Hong. “Mas em que se baseia para dizer isso?”, indagou Alexandre Morais Correia, apontando que as declarações de um dos arguidos que culpavam Chan por isso – não poderiam servir de base. Nesta altura, o inspector do CCAC apresentou uma factura emitida pela Waterleau à CCECC de Hong Kong, alegando que este documento estava “dirigido a Chan Ying Lun” e que mostrava os 3% que a CCECC teria pago a Ao Man Long como suborno, sendo que factura tinha como assunto “pagamentos de serviços de consultadoria”. Mas, segundo a defesa, a história não foi bem assim. “Permita-me

discordar. A factura foi emitida pela Waterleau, mas está dirigida à CCECC e tem até a morada da empresa. Diz é ‘à atenção de Chan Ying Lun’. Na factura não consta a assinatura de Chan Ying Lun, só a do responsável da empresa, logo Chan não procedeu ao pagamento.”

SEM PROVAS

O facto de o nome do arguido defendido por Alexandre Morais Correia não constar nem de documentos que servem de base à acusação, nem das agendas onde Ao Man Long apontava encontros já tem vindo a ser levantado pela defesa. Ainda assim, o CCAC continuou ontem a insistir que o arguido manteve encontros com o ex-secretário. Algo que, mais uma vez, Mak Chi Hong não conseguiu provar. “Não, não vimos o nome [nas agendas]”, disse, após alguma insistência. “Mas sabemos que Ao Man Long se encontrou com Luc Vriens [director-executivo da Waterleau e arguido no processo], de acordo as agendas e os registos das fronteiras e Chan Ying Lun

também esteve em Macau nos dias em que os dois se encontravam, talvez haja a possibilidade [de Chan se ter encontrado com Ao], acreditamos que se encontraram. Mas, de facto, o registo de Ao só falava em Luc, não disse quantas pessoas estavam”, acabou por admitir o inspector do CCAC. Durante toda a tarde, só Alexandre Morais Correia falou com Mak Chi Hong, que também afirmou não haver registos de que Chan Ying Lun conhecesse Ao Man Long ou Pedro Chiang, empresário de Macau também arguido no processo.

Outro dos pontos focados ontem pela defesa foi o de que Chan Ying Lun é identificado pelo CCAC como sendo o gerente-geral da CCECC, ou seja alguém com poder decisório, quando, na verdade, é apenas o gerente-geral adjunto de um dos departamentos da companhia. “Está a anos-luz de qualquer posição decisória”, contestou Alexandre Morais Correia. O CCAC admitiu não ter verificado a estrutura da empresa e as funções do arguido nela, sendo que “a estrutura da CCECC foi investigada na Internet”.

Permita-me discordar. A factura foi emitida pela Waterleau, mas está dirigida à CCECC e tem até a morada da empresa. Diz é ‘à atenção de Chan Ying Lun’. Na factura não consta a assinatura de Chan Ying Lun, só a do responsável da empresa, logo Chan não procedeu ao pagamento ALEXANDRE MORAIS CORREIA advogado de Chan Ying Lun

Chan é acusado de corrupção activa, porque o Ministério Público assegura que fez pagamentos a Ao Man Long, ex-secretário para as Obras Públicas, para conseguir a adjudicação das obras da ETAR, mas o dia de ontem serviu ainda para que a defesa conseguisse uma outra declaração do CCAC, que contraria as acusações que têm vindo a ser feitas: o organismo não sabe especificar onde foram encontrados procedimentos ilegais na adjudicação das obras e diz mesmo que “em nenhum dos contratos houve verificação de procedimentos ilegais”. A acusação do CCAC, disse Mak Chi Hong, baseia-se em declarações de Pun Pou Leng, antiga coordenadora-adjunta do Gabinete para o Desenvolvimento de Infra-estruturas (GDI), ao organismo, de que Ao Man Long teria influenciado para que as obras fossem adjudicadas a este consórcio. Contudo, a engenheira já admitiu em tribunal que isso não aconteceu. A inquirição ao inspector continua amanhã.


sociedade 7

hoje macau terça-feira 17.9.2013

UNIVERSIDADE DE MACAU INICIA ANO LECTIVO

Mais alunos, apesar das polémicas tregues o mais brevemente possível. Recorde-se que o início do ano lectivo da UMAC tem sido marcado por várias polémicas. Depois do

atraso na mudança para a Ilha da Montanha, surgiram problemas relacionados com o acesso a uma casa no novo campus. O HM apurou que não é preciso haver lugar a

concurso público ou esperar pela atribuição imediata de casa para os que vêm de fora, como manda a lei. Pelo contrário, todos entram no mesmo sistema de atribuição

RECLUSA DE 78 ANOS MORRE DEVIDO A CANCRO TERMINAL NO PÂNCREAS

A mais velha do EPM U

MA reclusa do Estabelecimento Prisional de Macau, com 78 anos e de nacionalidade vietnamita, morreu ontem devido à falha de múltiplos órgãos na sequência de um cancro do pâncreas. A mulher morreu na Ala de Internamento Prisional do São Januário. Choi era a reclusa mais idosa do EPM. No ano de 2010, foi condenada a nove anos de prisão por crime de tráfico de droga. Conforme os registos clínicos do EPM, no ano de 2011, a reclusa foi submetida a uma

de alojamento com base em pontos, que só beneficiam docentes e funcionários mais antigos. São estes que terão acesso facilitado às maiores casas, quando em Hengqin

os T3 estão em minoria. O processo está parado e está a ser investigado pelo Comissariado contra a Corrupção e Comissariado de Auditoria. – J.F.

TIAGO ALCÂNTARA

A

Universidade de Macau (UMAC) recebeu 1500 novos alunos no início do novo ano lectivo. Entre os estudantes, cerca de seis mil regressaram ontem às aulas. As aulas vão-se manter no actual campus da UMAC em Macau, já que, segundo um comunicado da instituição, “os edifícios do novo campus da Ilha da Montanha ainda estão sob inspecção”. Recorde-se que recentes notícias davam conta do atraso no início das aulas no lado de lá da fronteira, algo diversas vezes contrariado pela própria instituição. Este ano, a UMAC recebeu um recorde de mais de nove mil novas aplicações, mais 21% do que no ano passado. Dos 1520 novos alunos admitidos, 80% são caloiros. “Para atrair ainda mais estudantes locais notáveis a UMAC continuou a atribuir bolsas de estudo para os alunos recomendados pelos directores das escolas secundárias. Este ano, um total de 247 estudantes receberam bolsas nesta categoria.” Este ano, a UMAC lançou dois novos programas de graduação, em Filosofia e Contabilidade. A universidade espera que os edifícios na Ilha da Montanha possam ser en-

operação craniana, devido a hemorragias cranianas crónicas. Após a operação, recuperou o seu estado de saúde normal, conseguindo independência na sua vida quotidiana. Em Maio do corrente ano, foi-lhe diagnosticado cancro do pâncreas já em fase terminal com metástases dos gânglios linfáticos abdominais. Em Julho, após hemorragias repetidas nos tubos digestivos e extrema debilidade física, foi transferida várias vezes para a urgência do CHCSJ. Posteriormente, a

pedido da reclusa, no dia 2 de Agosto do corrente ano, foi comunicada a sua situação de saúde ao Consulado Geral do Vietname de Hong Kong e, no dia 13 do mesmo mês, a mesma foi visitada pelo cônsul. Em vida a mulher declarou que não tinha familiares ou amigos no Vietname, tendo sido visitada, a partir de Julho de 2012, por um voluntário local, de nacionalidade vietnamita, que prometeu prestar apoio nas formalidades funerárias da agora falecida. Em 13 de

Setembro, devido ao agravamento do estado de saúde, a reclusa foi conduzida ao hospital para tratamentos. Na manhã do dia 16, após informação hospitalar sobre o estado crítico da reclusa, o EPM destacou uma técnica social para a visitar e compreender a situação no hospital, entrando em contacto, simultaneamente, com o voluntário. Quando chegaram ao hospital, contudo, a reclusa encontrava-se já em coma, tendo sido declarada a sua morte às 11 horas e 19 minutos.

Sete casos de febre de Dengue registados

F

ORAM ontem confirmados pelo Centro de Prevenção e Controlo da Doença dos Serviços de Saúde (SS) dois casos de febre de Dengue importados, totalizando-se agora em Macau sete pessoas infectadas com este vírus. Os dois doentes são filho e pai, comerciantes, com 52 e 24 anos de idade, respectivamente, que residem na zona de Fai Chi Kei, mas os SS dizem tratar-se de casos importados já que os dois residentes foram em viagem até Cantão. As autoridades de saúde pública vão, no entanto, proceder ao trabalho de pesquisa e eliminação das fontes de proliferação na zona onde residem os doentes. Neste momento, não se registou qualquer caso de contaminação local. No entanto, na sequência de registo de casos locais de febre de Dengue em Zhongshan, Cantão, Zhuhai, Foshan e Jiangmen, respectivamente, com 135, 27, 10, 18 e seis casos, no mínimo, surgiram também nos dias recentes sete casos locais de contaminação pela febre de Dengue na Cidade de Shunde.


8

CHINA

hoje macau terça-feira 17.9.2013

“WARREN BUFFETT DA CHINA” É UM DOS CANDIDATO ÀS SEGURADORAS DA CGD

Decisão chega em Dezembro O consórcio chinês Fosun, candidato à privatização das seguradoras da Caixa Geral de Depósitos (CGD), é um dos mais lucrativos grupos privados do país e o seu presidente, Guo Guangchang, já foi mesmo considerado “o Warren Buffett da China”. Guo Guangchang, 46 anos, não rejeita a comparação com o multimilionário norte-americano. Pelo contrário: “Estamos a aprender com os seus métodos de investimentos”, disse o líder e fundador do grupo Fosun a uma estação de televisão ocidental. “Esperamos crescer apoiados nas nossas próprias forças e tornar-

mo-nos discípulos bem sucedidos de Buffett”, acrescentou. Fundado em 1992 por jovens licenciados de uma universidade de Xangai, cidade onde tem a sua sede, o grupo Fosun figura hoje entre os 20 maiores consórcios privados da China, com investimentos em diversos sectores, do imobiliário à saúde, passando pelo turismo e a indústria farmacêutica. Cotado na Bolsa de Hong Kong desde 2007, o grupo Fosun tem também interesses na área das finanças, seguros, media, publicidade e minas. Em Junho passado, saltou para as primeiras páginas da imprensa europeia ao associar-se ao grupo AXA para comprar 92% do capital

do Club Mediterranée, um ícone da indústria hoteleira francesa, com cerca de 80 ‘resorts’ em 40 países, e onde o consórcio chinês já tinha uma pequena participação. Numa apresentação feita o ano passado a empresários portugueses, o Fosun assumiu-se como “um dos mais bem sucedidos grupos de investimentos da China” e “um parceiro de eleição para aproveitar as oportunidades da China”. Segundo a Federação da Indústria e Comércio da China, entidade que representa o sector privado chinês, os lucros do grupo Fosun aumentaram 18,9% em 2011, para cerca de 4,5 mil milhões de patacas. Guo Guangchang, entretanto,

ascendeu ao 527.º lugar da lista de milionários da Forbes, com uma fortuna avaliada em cerca de 20.000 milhões de dólares, e no ‘ranking’ chinês está já no 23.º lugar. Na referida entrevista, concedida em Abril passado à cadeia norte-americana CNBC, o presidente do grupo Fosun salientou que “a China está numa fase cheia de desafios” “Numa perspectiva empresarial, estamos a tentar propor algumas sugestões ao governo. Não apenas para beneficiar o grupo Fosun, mas para benefício de todas as empresas privadas, especialmente propostas para ajudar pequenas e médias empresas”, afirmou Guo Guangchang.

ACCIONISTA CHINÊS DA EDP DIZ QUE FÁBRICA DE AERO-GERADORES “ESTÁ EM DISCUSSÃO”

Sem compromisso O presidente da China Three Gorges (CTG), Cao Guangjing, disse este domingo que “a possibilidade” de a sua subsidiária Goldwind construir uma fábrica de turbinas eólicas em Portugal “não está fechada”, mas negou que tenha assumido esse compromisso. “No acordo (com o governo português) dissemos que iríamos fazer ‘os melhores esforços’. Não houve um compromisso”, afirmou Cao Guangjing à agência Lusa em Pequim. “Fizemos o melhor e fizemos

os nossos estudos. O investimento (da Goldwind) está ainda em discussão. A cooperação entre a Goldwind e a EDP é boa. As três empresas (EDP, Goldwind e CTG) estão a cooperar noutros países. O assunto não está fechado”, acrescentou. Na passada quarta-feira, em Lisboa, o Jornal de Negócios anunciou disse que, “atendendo ao excesso de capacidade de fabrico de turbinas existente na Europa”, a construção da referida unidade industrial “já não está nos planos da CTG”.

O grupo Fosun e os norte-americanos da Apollo Managment Internacional LLP foram os dois investidores apurados para a segunda fase do processo de privatização das companhias de seguros do grupo Caixa Geral de Depósitos (Fidelidade, Multicare e Cares). O fundo norte-americano propõe-se comprar “a totalidade das acções” das seguradoras e o consórcio chinês Fosun apresentou uma proposta de aquisição “mista”, prevendo a compra de 70% da sociedade Alfa e 51% da sociedade Beta, dois veículos criados dentro da operação e que concentrarão as actividades dos seguros. As propostas vinculativas para a privatização das seguradoras do grupo CGD, com uma quota de mercado superior a 30% em Portugal, terão de ser apresentadas até ao início de Novembro, devendo o Conselho de Ministros tomar uma decisão até 11 de Dezembro.

Chanceler chinês convidado para participar na 68.ª Assembleia Geral da ONU

A convite do secretário-geral de Estado norteamericano, John Kerry, o chanceler chinês, Wang Yi, vai visitar entre os dias 19 e 21 de Setembro os EUA. Pequim e Washington vão debater as relações bilaterais, questões internacionais e regionais de interesse comum, anunciou esta segunda-feira o porta-voz da Chancelaria chinesa, Hong Lei. Esta terçafeira, realiza-se a 68.ª Assembleia Geral da ONU. O chanceler chinês, Wang Yi, vai liderar a delegação para participar no evento entre os dias 22 e 27 de Setembro na sede das Nações Unidas. O chanceler chinês falará durante o debate geral da Assembleia Geral, para apresentar a estratégia diplomática da nova liderança da China, explicar a situação internacional segundo a parte chinesa e expressar as suas opiniões sobre as questões internacionais e regionais, informa a rádio China.


china 9

hoje macau terça-feira 17.9.2013

EMBAIXADOR PORTUGUÊS EM PEQUIM SAUDOU “NOVA DINÂMICA” NAS RELAÇÕES ECONÓMICAS BILATERAIS

Manter a chama da diplomacia viva O

embaixador de Portugal na China, Jorge Torres Pereira, considerou este domingo o fórum empresarial da EDP em Pequim como um “exemplo” susceptível de “manter a nova dinâmica” instaurada nos últimos dois anos nas relações económicas luso-chinesas. “Os investimentos chineses em Portugal representam uma nova etapa qualitativa e estamos efectivamente numa nova dinâmica nas relações

económicas bilaterais. É preciso não deixar esmorecer este ímpeto”, disse Torres Pereira. O diplomata falava na embaixada de Portugal em Pequim, durante uma recepção às dezenas de executivos portugueses e chineses que vão participar segunda e terça-feira num fórum organizado pela EDP e o seu maior accionista, a China Three Gorges (CTG). “Eventos como este ajudam Portugal a ter outro papel em relação à área de

maior crescimento global e nós temos uma oportunidade de contribuir para resolver grande parte dos problemas da economia portuguesa”, disse o embaixador português. É um dos maiores fóruns empresariais luso-chineses e o primeiro do género promovido pela Electricidade de Portugal (EDP) na capital chinesa. “Queremos intensificar o relacionamento económico entre Portugal e a China e pôr os dois países a olhar conjunta-

PEQUIM PEDE CONTENÇÃO A LONDRES SOBRE ELEIÇÕES DE HONG KONG

mente para as oportunidades de um mercado emergente, que é África, e particularmente os PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa) “, disse à agência Lusa João Marques da Cruz, membro da Conselho de Administração Executivo da EDP. Além dos tradicionais fornecedores da EDP, sobretudo empresas de engenharia e de equipamento, a reunião de Pequim contará com a participação de bancos, escritórios

de advogados e até de companhias eléctricas chinesas concorrentes da China Three Gorges (CTG), o maior accionista da eléctrica portuguesa. De acordo com o programa, a sessão de abertura contará com a participação dos presidentes da EDP e da CTG, António Mexia e Cao Guangjing, respectivamente, de um representante do ministério chinês do Comércio e do embaixador de Portugal.

URBANISMO IMPULSIONAD0 NAS CIDADES

Apoio estrangeiro descartado Mais investimento, consumo e emprego N A ENHUM governo ou funcionário estrangeiro deve criticar ou interferir no desenvolvimento político de Hong Kong, afirmou este domingo o porta-voz do Gabinete do Comissário do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China na Região Administrativa Especial de Hong Kong. O chanceler britânico Hugo Swire publicou um texto num jornal de Hong Kong, afirmando que qualquer proposta de eleições gerais em Hong Kong deve oferecer uma verdadeira oportunidade de escolha aos moradores locais, permitindo que estes decidam o seu futuro. Hugo Swire afirmou que o Reino Unido está pronto para dar qualquer apoio em qualquer momento. O porta-voz do Gabinete de Comissário em Hong Kong divulgou no domingo no seu site oficial que o desenvolvimento político de Hong Kong tem como base a Lei Básica e as decisões da Comissão Permanente da Assembleia Popular Nacional. Não é preciso nenhum apoio de um governo estrangeiro. O porta-voz pede cautela nos discursos sobre o desenvolvimento político de Hong Kong. O chefe do executivo de Hong Kong, Leung Chun-ying, declarou também que a região não precisa de apoio estrangeiro para a realização das eleições gerais de 2017. Este é um tema que diz respeito aos residentes e ao governo de Hong Kong e não tem nada a ver com governos estrangeiros, incluindo o governo britânico, destacou Leung. A eleição do novo chefe do executivo de Hong Kong é uma meta da reforma política de 2017 e é assunto que diz respeito apenas aos chineses, salientou.

China disse esta segunda-feira que estabeleceu os planos para impulsionar a construção de infra-estruturas de projectos relacionados com os transportes e a energia, para acelerar a urbanização e apoiar o crescimento económico. Os projectos devem contribuir para o crescimento económico estável e ajudar a avançar com a urbanização, disse o Conselho Estatal, o gabinete do país, em comunicado no principal site do governo. A China deverá adicionar 50% ou mil quilómetros de redes ferroviárias urbanas até 2015, informa o comunicado. O país tem actualmente um total de 2,1 mil quilómetros de linhas de caminho de ferro, em

18 cidades, disse anteriormente o governo. As autoridades também planeiam expandir e modernizar um gasoduto de gás natural de 80 mil quilómetros e finalizar a construção de 73 mil quilómetros de novos canais de esgoto durante o mesmo período, revela o comunicado. O órgão não especifica quanto é que as autoridades planeiam investir, nem cita as cidades que serão contempladas com estes investimentos. “Reforçar as infra-estruturas urbanas pode ajudar a impulsionar a reestruturação económica e mudar o modo de crescimento económico, contribuindo para o investimento e o consumo, ao mesmo tempo que se expande emprego”, disse o comunicado.


10

TRADIÇÃO

hoje macau terça

PROCISSÃO CENTENÁRIA REALIZOU-SE ESTE DOMINGO

Nossa Senhora das Dores saiu à rua

da a procissão e as fotografias com todas as congregadas deu-se início ao chá gordo. A devoção a Nossa Senhora das Dores foi criada em Verona, Itália, pela Beata Madalena de Canossa, fundadora das Filhas de Caridade Canossianas. Instituiu na Sexta-feira da Paixão do ano de 1829 a primeira congregação de Nossa Senhora das Dores, na casa das Filhas da Caridade de Verona, chamada de São José, com a revelação: “Porque do sábio e cristão procedimento de uma mãe de família depende o bem, tanto espiritual como temporal, dos indivíduos que compõem a mesma família, por isso de há muito tempo desejava, quem isto escreve, ver formada uma sociedade de senhoras casadas, as quais unidas ao Senhor por meio do santo laço da caridade e vivendo uma vida conforme aos ensinamentos que Nosso Senhor nos deu no Santo Evangelho pudessem servir de exemplo e estímulo às outras.”

A CONGREGAÇÃO EM MACAU

JOSÉ SIMÕES MORAIS info@hojemacau.com.mo

R

EALIZOU-SE ontem, domingo, 15 de Setembro, a festa de Nossa Senhora das Dores, com uma missa, no fim da qual saiu a imagem da santa, reproduzida no estandarte e numa escultura de madeira transportada num andor, em procissão para dar uma volta ao pátio da igreja de S. António. Após uma semana, setenário que ocorreu de 9 a 15 de Setembro na igreja de S. António, todos os dias foi rezado, pelas devotas da Congregação de Nossa Senhora das Dores, o terço e Ave Marias. Assim acontece todos os anos e de novo no passado dia 15 de Setembro, ocorreu

uma missa iniciada às 17:30 e celebrada pelo padre Francisco Xavier Chan Pou Chun, coadjuvado pelos outros dois padres da paróquia de S. António. A igreja encontrava-se com muitas congregadas vestidas a preto, usando uma fita roxa em volta do pescoço com a medalha de Nossa Senhora das Dores, acompanhadas por outros crentes católicos. Procedeu-se à entrada de quatro novas congregadas, que aceitaram seguir as doze Regras da Congregação, numa cerimónia presidida pelo Director da Congregação, o padre Francisco Chan, que celebrou a cerimónia litúrgica da imposição das insígnias como reverendo director espiritual. Depois de celebrada a missa, o estandarte e o andor de Nossa Senhora das Dores,

A devoção a Nossa Senhora das Dores foi criada em Verona, Itália, pela Beata Madalena de Canossa, fundadora das Filhas de Caridade Canossianas. Instituiu na Sexta-feira da Paixão do ano de 1829 a primeira congregação de Nossa Senhora das Dores, na casa das Filhas da Caridade de Verona, chamada de São José foram transportados para dar uma volta ao adro da igreja de S. António. À frente, o sacristão com o recipiente a fumegar mirra é seguido pelo porte estandarte com a imagem da Nossa Senhora das Dores encimada por

uma coroa de um lado e do outro, o coração atravessado por uma espada. Atrás vinha o andor com a imagem da Santa e após os três padres seguiam todas as congregadas, às quais se juntaram outros católicos. Termina-

A Congregação foi fundada no Mosteiro de Santa Clara, que havia sido confiado às Canossianas por Dom António Joaquim de Medeiros, bispo de Macau (1884-1897). A fundadora tanto da Congregação de Nossa Senhora das Dores, como das Filhas de Maria, foi a Madre Teresa Lucian, Superiora da Casa de Beneficência (1879-1909), que faleceu em Macau numa áurea de santidade a 27 de Agosto de 1909. O Livro das actas desta Congregação dá a seguinte notícia dos seus inícios: “Lançaram-lhe os primeiros fundamentos as Madres Canossianas, apoiadas pelo Padre João G. de Moura S. J., missionário em Macau, que esteve à frente da Congregação apenas quatro meses” mas que, por seu intermédio vieram o Diploma de Agregação e o Catálogo das indulgências. A primeira admissão foi em 11 de Abril de 1901, quando entraram cinco congregadas: Clementina de Sousa, Etelvina Gil, Maria de Sousa, Maria Victal e Teresa Siqueira. A 26 de mesmo mês foram admitidas mais seis: Áurea Melina da Silva Basto, Claudina Marques, Maria Clélio, Maria F. Rodrigues e Maria Pereira Marques, hoje falecidas. Em Agosto deste mesmo ano partiu o Pe. Moura para Portugal e foi nomeado Director o Padre António M. Alves S. J.. As congregadas eram senhoras distintas da sociedade de Macau e as regras que se adoptaram foram as escritas pela Beata Madalena de Conossa, fundadora do Instituto Canossiano em Itália, tendo como obrigação, educar bem os filhos, ser anjos no lar doméstico, visitar as congregadas doentes e levar consolação a todas as pessoas que sofrem. A Beata Madalena de Conossa foi canonicamente agregada à Prima-Primária de Roma no ano de 1903. A 17 de Novembro de 1903 chegaram a Macau as Franciscanas Missionárias de Maria, às quais Dom João Paulino, Bispo de Macau


tradição 11

a-feira 17.9.2013

(1902-1918), confiou o Mosteiro e o Colégio anexo de Santa Rosa de Lima, que foram acompanhadas pela Congregação de Nossa Senhora das Dores para a Casa de Beneficência, que levou para a nova sede a estátua de Nossa Senhora das Dores. Logo desde PUB

os primeiros tempos que a Senhora tomou posse da sua capela, tiveram as congregadas a felicíssima ideia de fazer arder perenemente diante dela um candelabro de sete luzes em honra das Sete Dores. No ano de 1904 eram 82 as con-

gregadas e evoluíram para mais de 100 até 1910, quando com a chegada da República a Portugal, os Jesuítas são expulsos de Macau e só regressam em 1930, mas as Canossianas voltaram pouco tempo depois. Quando em 1930 o Padre Alves

A Congregação foi fundada no Mosteiro de Santa Clara, que havia sido confiado às Canossianas por Dom António Joaquim de Medeiros, bispo de Macau (1884-1897). A fundadora tanto da Congregação de Nossa Senhora das Dores, como das Filhas de Maria, foi a Madre Teresa Lucian, Superiora da Casa de Beneficência (18791909), que faleceu em Macau numa áurea de santidade a 27 de Agosto de 1909

retomou para o cargo de Director da Congregação, havia umas 50 congregadas e o seu número quase que duplicou até 1935, quando se fundaram duas secções: de protecção e dos pobres. A secção de protecção tinha em vista preservar dos perigos as meninas pobres, que, terminada a sua educação na Casa de Beneficência como internas, tinham de enfrentar o mundo. A secção dos pobres era para fornecer vestidos decentes às criancinhas pobres, sobretudo para o dia da sua Primeira comunhão. As Congregadas tomaram para sua protectora secundária Santa Isabel, Rainha de Portugal em 1935. As actas da Congregação de 1901 a 1951 anos perderam-se e só existem a partir de 1952 até 4 de Março de 1974, em que se suspenderam. Referem as reuniões, missas, práticas mensais e retiros anuais, eleições de novas dignidades, procissões, enfim, o serviço religioso, segundo as regras da Congregação. Este capítulo foi mais ao menos reproduzido de textos encontrados nas revistas católicas e boletins eclesiásticos onde também ficamos a saber que antigamente a procissão dava uma volta pela praça Luís de Camões e terminava frente à gruta de Nossa Senhora de Lurdes num recreio da Casa de Beneficência.


12 publicidade

hoje macau terรงa-feira 17.9.2013


VIDA

hoje macau terça-feira 17.9.2013

N

O 4.º Fórum Internacional Cidade Ecológica, realizado ontem em Tianjin, o vice-director do departamento de combate às alterações climáticas da Comissão Estatal de Desenvolvimento de Reformas da China, Sun Zhen, afirmou que o Governo chinês esforça-se para promover legislação que lide com as mudanças climáticas e estabelecer um mercado nacional de carbono, a fim de criar um sistema administrativo para regular a emissão de gases do efeito estufa. Sun referiu que desde 2001 a China começou a testar a baixa emissão de carbono em algumas zonas, elaborando um plano para regular as emissões e tem vindo a ampliar as experiências a todo país, através do lançamento de uma série de políticas. Segundo o responsável, as alterações climáticas são um grande desafio enfrentado pela humanidade. É necessário que os países se unam para combater esta realidade. “Para concretizar uma redução das emissões de carbono, é necessária uma coordenação entre o governo central e governos locais, bem como a participação de toda a sociedade.” Recentemente, o Conselho de Estado da China divulgou, pela primeira vez, o Plano de Acção para Prevenção e Tratamento da Poluição Atmosférica, o que demonstra a determinação do país em combater a poluição que muitas cidades enfrentam. De acordo com plano, no prazo de cinco anos, a qualidade do ar do país deverá ter sido melhorada, especialmente em Pequim, Tianjin, na província de Hebei, na Região do Delta do

13

CHINA IMPULSIONA BAIXA EMISSÃO DE CARBONO NAS ZONAS URBANAS

Cuidar das cidades e do país

Rio de Yangtzé e na Região do Delta do Rio das Pérolas. Especialistas estrangeiros estão atentos ao desenvolvimento de cidades ecológicas na China. O presidente da Associação Internacional de Energia Sustentável, Gustav Grob, disse que a China presta cada vez mais atenção à protecção ambiental. Grob apontou, aliás, que o país asiático deve dar importância à aplicação de recursos renováveis no desenvolvimento urbano. O académico da Academia Nacional de Engenharia dos Estados Unidos, Michael R. Hoffmann, considerou necessário ponderar a importância do desenvolvimento sustentável na construção de cidades ecológicas.

PUBLICADO MAPA GENÉTICO QUE PODE EXPLICAR RESISTÊNCIA ÀS DOENÇAS

Uma questão de ácido ribonucleico O ácido ribonucleico é vulgarmente definido como sendo o material genético ou a molécula que dirige as fases da síntese de proteínas. O estudo, inserido no projeto “Genetic European Variation in Health and Disease”, é coordenado por Xavier Estivil, do Centro de Regulação Genómica de Barcelona, e resultou de uma investigação das causas genéticas da diferenciação entre as pessoas na resistência a certo tipo de doenças. A pesquisa, que foi publicada na revista “Nature” e “Nature

Biotechnology”, oferece um maior conjunto de dados sobre o genoma humano (ADN) e a atividade funcional deste genes ao nível do ácido ribonucleico. O estudo foi desenvolvido por 50 cientistas de nove centros de investigação europeia, entre eles espanhóis do Centro Nacional de Análises Genómicas (CNAG) de Barcelona e da Universidade de Santiago de Compostela. Compreender como o genoma de cada um o torna, mais ou menos, susceptível de sofrer certas doenças é um dos grandes desafios

científicos, pelo que os investigadores estudam os diferentes perfis genéticos e a influência que determinados genes têm no controlo de certas doenças. Este estudo sequencial do ácido ribonucleico incidiu sobre as células de 462 pessoas, de forma a formar um inédito catálogo com 1000 genomas humanos. “A riqueza da variação genética que influi na regulação dos nossos genes surpreendeu-nos”, afirmou Tuuli Lappainen, actual investigadora da Universidade de Stanford. O conhecimento das variações

genéticas responsáveis pela actividade dos genes humanos pode converter-se numa poderosa chave para o diagnóstico, prognóstico e intervenção em várias doenças, assinalou Emmanouil Dermitzakis, professor na Universidade de Genebra. Permite ainda, na opinião do investigador, compreender os mecanismos causadores das doenças e preparar tratamentos para o futuro. Os dados do estudo serão disponibilizados gratuitamente a toda a comunidade científica.

PUB

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO N.° 320/AI/2013

-----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se a infractora 呂香榮(portadora do passaporte da RPC n.º G42269xxx), que na sequência do Auto de Notícia n.° 12.1/DI-AI/2011 de 11.02.2011, levantado pela DST, por prestação ilegal de alojamento da fracção autónoma situada na Avenida da Amizade n.os 361-B - 361-K, Edifício I On, 15.° andar G, bem como por despacho da Directora dos Serviços de Turismo de 18.06.2013, exarado no Relatório n.° 221/DI/2013, de 20.05.2013, lhe foi determinada a aplicação de uma multa de $200.000,00 (duzentas mil patacas), e ordenada a cessação imediata da prestação ilegal de alojamento no prédio ou da fracção autónoma em causa, nos termos do n.°1 do artigo 10.° e n.°1 do artigo 15.°, todos da Lei n.° 3/2010.-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------O pagamento voluntário da multa deve ser efectuado no Departamento de Licenciamento e Inspecção destes Serviços, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, de acordo com o n.° 1 do artigo 16.° da Lei n.° 3/2010, findo o qual será cobrada coercivamente através da Repartição de Execuções Fiscais, nos termos do n.° 2 do artigo 16.° do mesmo diploma.-----------------------------------------------------------------Da presente decisão cabe recurso contencioso para o Tribunal Administrativo, a interpor no prazo de 60 dias, conforme estipulado na alínea b) do n.° 2 do artigo 25.° do Código do Processo Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto-Lei n.° 110/99/M, de 13 de Dezembro e no artigo 20.° da Lei n.° 3/2010.-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Há lugar à execução imediata da decisão caso esta não seja impugnada.------------------------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18.° andar, Macau.------------------Direcção dos Serviços de Turismo, aos 06 de Setembro de 2013. A Directora dos Serviços, Subst.ª, Tse Heng Sai

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO N.° 327/AI/2013

-----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se a infractora 晏萍(portadora do Salvo-Conduto para Deslocação a Hong Kong e Macau da RPC n.° W52902XXX), que na sequência do Auto de Notícia n.° 81/DI-AI/2011, de 09.11.2011, levantado pela DST e por despacho do Director dos Serviços de Turismo, Substituto, de 03.07.2013, exarado no Relatório n.° 160/DI/2013, de 18.06.2013, lhe foi desencadeado procedimento sancionatório, por prestação ilegal de alojamento da fracção autónoma situada na Rua de Nagasaki, n.° 80, Edf. Kam Fung Tai Ha - Kam Fung, Bloco 1, 10.° andar B.--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------No mesmo despacho foi determinado, que deve, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, apresentar, querendo, a sua defesa por escrito sobre a matéria constante daquele Auto de Notícia, oferecendo nessa altura todos os meios de prova admitidos em direito. Nos termos do n.° 2 do artigo 14.° da Lei n.° 3/2010 não é admitida apresentação de defesa ou de provas fora do prazo.----------A matéria constante daquele Auto de Notícia constitui infracção ao artigo 2.° da Lei n.° 3/2010, tal facto é punível nos termos no n.° 1 do artigo 10.° da Lei n.° 3/2010.--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.os 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18.° andar, Macau.----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Direcção dos Serviços de Turismo, aos 06 de Setembro de 2013. A Directora dos Serviços, Subst.ª, Tse Heng Sai


14

CULTURA

hoje macau terça-feira 17.9.2013

MONTRA DE ARTES DE MACAU APRESENTA NOVO TRABALHO DE HA TIN CHEONG

Portugueses na equipa fixa do Rock in Rio

Quase dez anos depois da primeira edição, o Rock in Rio-Lisboa ajudou a criar uma equipa fixa de profissionais, dos quais quase metade são portugueses, e trabalham durante todo o ano para o evento.”Quando fomos para Lisboa, começámos a investir nas mesmas pessoas e hoje temos uma equipa de portugueses que está há muito mais tempo connosco porque ficámos dez anos seguidos em Portugal, e dez fora do Brasil”, conta a vice-presidente da empresa Rock in Rio, Roberta Medina. Realizado no Brasil pela primeira vez em 1985, o evento decorreu mais duas vezes no Brasil - em 1991 e 2001 - antes de chegar a Lisboa, em 2004, onde se fixou como uma festa bienal que celebrará dez anos de existência em Maio do próximo ano. De acordo com a empresária, a equipa permanente, que não se desfaz após o período em que o evento se realiza, dando início logo em seguida aos preparativos para o ano seguinte, é composta por 50 profissionais, dos quais, pelo menos, 20 são portugueses.

Pequim Brasil na Feira Internacional do Livro

A Feira Internacional do Livro de Pequim, na qual, o Brasil foi convidado para apresentar um pouco da sua cultura e literatura ao público chinês, foi inaugurada este domingo. Tarsila Borges, representante do sector cultural da embaixada brasileira no evento, em declarações à rádio China, declarou que com o desenvolvimento das relações entre a China e o Brasil, cada vez mais chineses estão interessados em conhecer melhor o país sul-americano. E claro que querem saber bem mais do que apenas sobre samba e futebol, disse. No quiosque brasileiro da feira do livro, figuram várias obras literárias, música e vídeos de promoção que têm atraído muitos chineses.

A

curta-metragem de animação O Coveiro, deAndré Gil Mata, foi eleita o melhor filme do Motelx - Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, que terminou no domingo, anunciou o júri no Cinema São Jorge. O filme conquistou o prémio pela “concepção extraordinariamente poética, cumprindo o melhor da tradição literária do horror”, afirma o júri, elogiando a “composição técnica irrepreensível e de grande originalidade”. O Coveiro, animação de 14 minutos escrita e realizada por André Gil Mata, narra uma “história sobre marginais redimidos pelo amor e as estranhas criaturas da noite que povoam as trevas”, descreveu o júri. O realizador receberá um prémio monetário de cerca de 30 mil patacas

Encontros e despedidas I

NTEGRADO no programa “Montra de Artes de Macau”, o Museu de Arte de Macau, tem desde a semana passada patente ao público o novo trabalho do artista macaense, Ha Tin Cheong, Encontros e Despedidas – Arte e Multimédia. Segundo o comunicado do Museu, Ha Tin Cheong explora “relacionamento” e “conexão” através do seu trabalho. Esta é uma mostra, interactiva através da ligação triangular das esculturas, projecções de imagens e música, informa a organização. Na explicação sobre o conceito criativo do trabalho, Ha Tin Cheong, diz que “cada ‘alma’ tem o seu pensamento diferente, a diferença da vida de experiência e do sentimento de cada pessoa causa resultados diferentes, produzindo assim várias imagens da natureza humana.” A obra apresenta a expansão através das esculturas de pirâmide quadrangular interligadas e o hexágono de estrutura alveolar representa a integração. “A interpretação do código-fonte e da hiperligação através de pontos de luz criou mais conjuntos anteriormente não vistos. Pessoas comunicam com indivíduos de diferentes espaços através da Internet. ” A obra utiliza as imagens experimentais que se projectam na escultura, para apresentar situações diferentes de ligação. Corta a parte da “minha” alma que deposita no “seu” corpo, tivemos um contacto íntimo sem qualquer distância… E agora vivemos separados sem qualquer relação. A vida, como um sonho, é imprevisível. Não se importa se aceitamos ou não este facto, voltamos a ser sozinhos no final

e esperamos pelo único destino. A obra interpreta a correspondência de luz, sombra e voz apresentando assim o processo de encontros e despedidas”, diz o artista macaense. Ha Tin Cheong nasceu em Macau em 1982. Concluiu o curso

superior em Design gráfico e de multimédia no Instituto Politécnico de Macau. Em 2009, no âmbito do concurso “GDC09” (‘Concurso de Design Gráfico na China em 2009), ganhou o Prémio de Prata no grupo de cartaz e o Prémio de Bronze no grupo de imagem empresarial

(em que se responsabilizou pela ilustração). Nos últimos anos, as suas obras foram, principalmente, de multimédia, fazendo a criação em sons e imagens. A exposição pode ser vista no Museu de Arte de Macau até ao próximo dia 20 de Outubro.

O COVEIRO, DE ANDRÉ GIL MATA, PREMIADO NO FESTIVAL MOTELX

Seleccionado para o prémio Méliès d’Or e o Méliès d’Argent para melhor curta-metragem, sendo automaticamente seleccionado para concorrer ao prémio anual Méliès d’Or, atribuído pela Federação Europeia de Festivais de Cinema Fantástico, em Outubro, em Sitges (Espanha). Em Junho, André Gil Mata foi distinguido no Festival de Cinema de Curitiba, no Brasil, e em Maio recebeu o prémio da DocAlliance, uma associação de festivais de documentário europeus, entregue durante o Festival de Cannes, com a primeira longa-metragem, Cativeiro.

A sétima edição do Motelx exibiu, durante cinco dias, 80 curtas e longas-metragens, nacionais e internacionais, dedicada aos múltiplos caminhos do cinema de terror. Da programação destacou-se a presença em Lisboa do realizador norte-americano Tobe Hooper, que dirigiu Poltergeist e Massacre no Texas, e de quem foi exibida uma retrospectiva. A sétima edição do MOTELx homenageou igualmente o norte-americano Ray Harryhausen, criador de efeitos especiais, falecido em Maio.


cultura 15

hoje macau terça-feira 17.9.2013

“MACBETH AFRICANO” ESTREIA EM PORTUGAL COM 13 ACTORES QUE “CELEBRAM A LUSOFONIA”

Salada russa com vários sotaques A S Orações de Mansata”, peça do guineense Abdulai Sila, estreia em Coimbra a 17 de Outubro, com um elenco de actores de seis países lusófonos, sendo também exibida depois no Brasil, Guiné-Bissau e Angola. A história da peça, trabalho final do 4.º Estágio Internacional de Actores Lusófonos, começou há “alguns anos” e espelha o trabalho “lento e paciente” que a Cena Lusófona, co-produtora da peça, tem desenvolvido, contou à agência Lusa o encenador Augusto Barros. A peça, baseada na tragédia “Macbeth” do dramaturgo inglês William Shakespeare, surge de “um desafio” que Augusto Barros fez a Abdulai Sila, considerando que os romances do escritor guineense “tinham bastante teatralidade”. A dramaturgia acabou por ser editada em 2007, sendo a primeira peça de teatro da Guiné-Bissau publicada. “É um texto de leitura universal, que espelha a realidade africana, a instabilidade política e a corrupção esmagadora e chocante”, explicou o encenador. O estágio, que culmina com a digressão intercontinental entre Novembro de 2013 e Maio de 2014, estreando a peça no Teatro da Cerca de São Bernardo, começou com acções de formação em Angola, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe, destinadas às comunidades teatrais desses países. Das três acções de formação, foram seleccionados três actores angolanos, dois da Guiné-Bissau e dois de São Tomé e Príncipe, juntando-se ao elenco de três portugueses e um moçambicano, das companhias da Escola da Noite, de Coimbra, e Theatro Circo, de Braga, e dois brasileiros do Bando de Teatro Olodum, de Salvador da Baía, no Brasil. Os 13 actores encontraram-se pela primeira vez em Agosto, na ilha de São Tomé. Desse primeiro contacto, o actor Ridson Reis, da companhia de Salvador da Baía, recordou um episódio: “um membro da produção são-tomense fazia anos e então

cantámos-lhe os parabéns de todos os lugares. Foi uma riqueza de parabéns”. “Apesar de a língua ser o português, há diferentes sentidos e jeitos de interpretar as coisas”, explicou Ridson, opinião partilhada por Augusto Barros, que disse à agência Lusa que “criar uma linguagem comum a partir de culturas muito

diferentes” tornou-se “um grande desafio” no decorrer dos ensaios. O trabalho também se desenvolve em torno da Língua, tentando-se “encontrar uma linguagem comum a partir de culturas muito diferentes”, “sem se perder sotaques e musicalidades”, afirmou Augusto Barros. “É uma salada russa,

cada um com o seu sotaque”, adiantou Marlene dos Santos, da companhia angolana Horizonte Nzinga Mbande. Jorge Biague, actor da Guiné-Bissau, sente-se “motivado” por poder representar a primeira peça guineense publicada, enaltecendo a “troca fantástica de culturas que tem acontecido”. O início dos ensaios é

o espaço para isso: Jorge Biague ensinou uma dança da Guiné, Ridson Reis introduziu música, Marlene dos Santos apresentou um canto em quimbundo. “Na peça, vão surgir reflexos da fusão de expressões culturais, das suas mutações, e daquilo que os actores nos dão da sua cultura”, afirmou Augusto Barros. Miguel Magalhães, actor

da Escola da Noite, evidencia a “multiplicidade de culturas”, dizendo que, “em 16 anos de actor profissional, este é o trabalho mais intensivo” que já teve. “Isto é uma celebração da lusofonia”, frisou o actor são-tomense Amador Fernandes, afirmando que os actores são “os embaixadores dos seus países, das suas culturas”.

CASSETE, SINÓNIMO DE MUITA MÚSICA E MOMENTOS INESQUECÍVEIS, CELEBRA 50 ANOS

Ferro, metal ou crómio? Escolha você A

cassete celebra esta sexta-feira os 50 anos desde a sua criação. Hoje em dia é uma tecnologia esquecida e praticamente abandonada, mas o que os mais jovens consideram actualmente ser um objecto do milénio passado, foi outrora um meio revolucionário. Criada pela Phillips a 13 de Setembro de 1963, a descendente do cartucho de oito pistas foi originalmente pensada para substituir a fita de bobina para voz mas acabou por se tornar mundialmente popular para gravação áudio e playback. Conseguiu alcançar o disco LP como o formato de música mais vendido no início dos anos 70 e, até ao final dos anos 90, foi, a par do CD, campeão de vendas neste mesmo registo.

E, como tudo na vida, hoje a cassete é odiada por uns, amada por outros e ignorada por muitos: os mais velhos vão-se lembrar dos insultos que dirigiram à cassete e aos músicos que lançavam a sua

música neste formato, alegando que veio estragar toda a magia dos discos vinis. Por outro lado, os que cresceram durante as décadas de 80 e 90 não se esquecem das horas passadas em frente ao rádio, à

espera que os locutores preferidos mostrassem os novos sons para meter a cassete a gravar David Bowie ou Sex Pistols e depois Ramones ou Nirvana. No entanto o avanço tecnológico e os novos e melhorados formatos remeteram a mítica cassete para o esquecimento nos últimos 15 anos. Hoje em dia já ninguém se gaba de conseguir enrolar a fita em menos de 30 segundos ou de ser o melhor a escolher as músicas pela ordem perfeita para fazer aquela compilação para dar à namorada na escola. Todas estas memórias foram possíveis com a ideia que passou a existir há 50 anos. Parabéns à cassete.


16

DESPORTO

SÉRGIO FONSECA info@hojemacau.com.mo

F

ILIPE Clemente de Souza e Jerónimo Badaraco foram os primeiros a confirmar a participação nas três rondas que compõem o novo “Troféu Asiático” do Campeonato do Mundo FIA de Viaturas de Turismo (WTCC). Porém, no final da semana transacta três outros nomes de Macau confirmaram igualmente a sua participação na mesma competição: Ng Kin Veng, Henry Ho Wai Kun e Mak Ka Lok. Ng Kin Veng tem sido este ano um dos habitues no asiático de Turismo este ano e é o companheiro de equipa de Souza no Campeonato de Macau de Carros de Turismo (MTCC).

hoje macau terça-feira 17.9.2013

WTCC AO TODO SERÃO CINCO PILOTOS DA RAEM NO TROFÉU ASIÁTICO

Quando vai um português... Nas três provas do mundial, Veng irá tripular o seu Chevrolet Cruze LT, carro que será assistido pela China Dragon de Hong Kong. Henry Ho não é um estranho ao WTCC, tendo corrido pela primeira vez em 2009. Para além de Macau, o ex-protegido de André Couto participou por duas ocasiões na ronda de Okayama. Para as três rondas do “Troféu Asiático” Ho guiará um BMW 320si, carro de motor

2-litros, incapaz de ombrear com os actuais carros do mundial de turismos motorizados com blocos de 1.6-litros turbo, da Liqui Moly Team Engstler, equipa alemã por quem correu no passado, com resultados discretos. O quinto representante da RAEM é outra figura conhecida do automobilismo local. Este é o terceiro ano que Mak Ka Lok toma parte de eventos do WTCC, mas será a primeira vez que o veterano

correrá fora de Macau. Mak irá participar com o seu BMW 320si preparado pela pequena estrutura local RPM Racing. Este ano, o Eurosport Events anunciou a organização de um mini-troféu dentro do mundial para os pilotos asiáticos e em que o Grande Prémio de Macau é a última prova pontuável. Apenas as provas do WTCC de Suzuka, de Xangai e do Circuito da Guia atribuem pontos e só os pilotos

DAKAR CARLOS SOUSA CONTINUA COM A GREAT WALL PARA 2014

Confiança do Império do Meio O piloto português Carlos Sousa renovou contrato com o construtor chinês Great Wall Motors para disputar o rali todo-o-terreno “Dakar” em 2014. O experiente piloto luso, que foi o primeiro piloto estrangeiro a ser contratado por uma equipa oficial de um construtor automóvel do “Império do Meio”, prossegue a ligação à Great Wall após o excelente sexto lugar na última edição do Dakar, o melhor resultado de sempre de um construtor chinês numa grande prova de automobilismo internacional. Sousa aceitou renovar contrato dado que a Great Wall avançou com a introdução de novas evoluções no SUV Haval, nomeadamente a nível das suspensões e gestão electrónica do motor. “Costumo sempre dizer que, se uma equipa quiser ter a ambição de lutar por um pódio no

Dakar, precisa evoluir o seu carro a cada seis meses. Continuamos muito longe do potencial e dos meios à disposição das principais equipas do pelotão, mas vamos, pelo menos, procurar não baixar a nossa performance”, explicou o português que já testou as novas evoluções o mês passado em França. Antes do Dakar, Sousa e a Great Wall têm um outro grande desafio pela frente, o Grande Rali da China. Com estatuto de cabeça-de-cartaz da prova idealizada e dirigida pelo francês Hubert Auriol, Sousa foi um dos 120 participantes a largar, no passado domingo, do Estádio Olímpico de Pequim, para esta longa e debutante maratona, disputada ao longo de 6.008 quilómetros, divididos por 15 etapas, ligando a capital Pequim à província de Gansu, no noroeste da China. “Será a

minha estreia competitiva no continente asiático e uma oportunidade fantástica para ganhar algum ritmo competitivo e preparar a participação no próximo Dakar. É uma prova completamente nova, pelo que não sei o que poderemos esperar em termos de dificuldades. Em todo o caso, acredito que a passagem pelo deserto de Gobi (o quinto maior do mundo em extensão) poderá constituir o ponto alto deste rali”, admite o piloto português, sem rejeitar alguma dose de favoritismo. Para esta aventura, Sousa escolheu para co-piloto o também português, e bastante experiente em provas do género, Miguel Ramalho. A Great Wall, cujas viaturas de competição são construídas e desenvolvidas em França pela empresa SMG, inscreve ainda um segundo carro, para o chinês Zhou Yong. – S.F.

com licenças desportivas emitidas por federações ou associações do continente asiático, e que não estejam inscritos a tempo-inteiro no mundial de turismos, serão aceites. Na prova de Suzuka, que celebrará a 200ª corrida da história do WTCC, esta primeira edição do “Troféu Asiático” contará com os cinco pilotos do território e com dois japoneses: Yukinori Tanigushi (BMW 320TC) e Takuya Izawa (Honda Civic S2000).


FUTILIDADES

hoje macau terça-feira 17.9.2013

17

TEMPO AGUACEIROS OCASIONAIS MIN 26 MAX 31 HUM 60-90% • EURO 10.6 BAHT 0.2 YUAN 1.3

[TELE]VISÃO TDM 13:00 13:30 14:30 17:30 18:10 19:30 20:30 21:00 21:25 22:00 23:00 23:30 00:30 01:00

TDM News - Repetição Telejornal + 360° (Diferido) RTPi DIRECTO Caminho das Índias (Repetição) TDM Desporto (Repetição) Vingança Telejornal TDM Entrevista Irmãos e Irmãs Sr.4 Caminho das Índias TDM News Portugal Aqui tão Perto Telejornal (Repetição) RTPi DIRECTO

RTPi 82 14:00 14:35 15:00 15:30 16:00 17:00 17:15 18:15 19:10 20:00 21:15 22:00 22:30

Telejornal Madeira Geosfera Iniciativa O Nosso Tempo Bom Dia Portugal Surf Report Verão Cá Dentro O Teu Olhar (Telenovela) Viva a Música Jornal da Tarde O Preço Certo Profissões Portugal no Coração

] C I N E M A

[ SALA 1

30 - FOX Sports 13:00 Liga Bbva 2013/14 Real Betis vs. Valencia CF 14:30 Dutch Eredivisie 2013/14 Twente Enschede vs. PSV Eindhoven 16:00 Archery World Cup 2013 16:30 The Football Review 2012 - 13 17:00 Liga Bbva 2013/14 Weekly Review 18:00 Dutch Eredivisie 2013/14 Highlights 19:00 Vachery Festival Triathlon 19:30 (LIVE) FOX SPORTS Central 20:00 (LIVE) AFC Cup 2013 Quarterfinal, Leg 1 22:00 FOX SPORTS Central 22:30 The Ultimate Fighter 18 23:30 La Liga 2013/14 FC Barcelona vs. Sevilla FC 31 - STAR Sports 13:00 Planet Speed 2013/14 13:30 Motorsports@ Petronas 14:00 Inside European Rally Championship 14:30 V8 Supercars Championship Series - Race 28 18:00 Planet Speed 2013/14 18:25 Motorsports@ Petronas 18:55 (LIVE) AFC Cup 2013 Quarterfinal, Leg 1 21:00 Golf Focus 2013 21:30 (LIVE) Score Tonight 2013 22:00 The Football Review 2012 - 13 22:30 Golf Focus 2013 23:00 Inside European Rally Championship 23:30 FINA Aquatics World 2013 40 - FOX Movies 12:30 Fantastic Four 14:20 The Sitter 15:45 Bad Ass 17:15 Shanghai Noon 19:10 The Expendables 2 21:00 The Darkest Hour 22:30 Once Upon A Time 23:20 Moby Dick 00:55 Bad Ass 41 - HBO 13:00 The Three Musketeers 15:00 The Interpreter 17:20 Matchstick Men 19:15 Xxx: The Next Level 21:00 Priest 22:30 Gossip 00:00 Terminal Velocity 42 - Cinemax 12:05 The Delta Force 14:10 Sucker Punch 16:00 The Reluctant Astronaut 17:45 The Eiger Sanction 19:55 True Crime 22:00 Spartacus: War Of The Damned 23:00 Manticore 00:30 Night Of The Creeps

RIDDICK [C]

Um filme de: David Twohy Com: Vin Diesel, Kerl Urban, Katee Sackoff, Jordi Mollà 14.30, 16.45, 19.15, 21.30

Com: Bruce Willis, John Malkovich, Mary-Louise Parker, Helen Mirren 14.30, 16.30, 19.30, 21.30 SALA 3

SALA 2

RED 2 [B]

Um filme de: Dean Parisot

2 GUNS [C]

Um filme de: Baltasar Kormakur Com: Denzel Washington, Mark Wahlberg,

Cineteatro Paula Patoon 14.00, 15.50, 19.30, 21.30

A FIG [B]

FALADO EM CANTONÊS LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Vincent Chui Com: Jenny Li, Eliz Lao, Lo Chun Yip, Carson Chung 17.45

M A C A U [ S Ã ] A S S A D O SAIR PELA “APORTA”

Foto: Facebook

POR MIM FALO

Pu Yi

Na cidade E a cidade adormece Depois do ocaso forte de um dia morto. Nada fiz, apenas assisti ao definhar do sol. Podia lá eu salvá-lo, se a noite se ergueu. O ar petrificou as minhas acções Nesta noite de verão frio. Se quiseres grito por ti, Mas nada mais posso fazer. • A TCM brinda-nos, novamente, com mais uma pérola nos seus autocarros. Repare que, para sair do veículo, o utente terá sempre de esperar que “aporta” abra. Só assim conseguirá “asair”...

Estou atado a esta ignorância nocturna Que vai e vem todos os dias, antes de me deitar. Pela janela vejo a cidade, Engolida na alta noite. O som das luzes criam em mim

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA

Sonambulismos de chorar. Quero dormir!

O FEITIÇO DE XANGAI • Juan Marsé Os sucessivos aparecimentos e desaparecimentos dos maquis que vêm do outro lado da fronteira são a única coisa que anima a vida cinzenta de um bairro de Barcelona na época mais dura do pós-guerra. Este romance é o relato da aventura de um desses heróis míticos, que embarca rumo a Xangai para cumprir uma missão perigosíssima entre pistoleiros, ex-nazis, belas mulheres e sinistros clubes nocturnos; é ainda a história do efeito que tal relato provoca num grupo de jovens que se encontra sem rumo na vida. Daí que o feitiço deste romance não esteja tanto na apresentação da vida real quanto na da imaginada, provavelmente a única verdadeira. “O Feitiço de Xangai”, um dos mais significativos romances de Juan Marsé, é uma lufada de ar fresco num tempo morto de um país morto e, ao mesmo tempo, um magistral romance dentro do romance. O ANJO QUE QUERIA PECAR • Francisco Salgueiro O «Mistério da Boca do Inferno» assombrou gerações durante décadas. O inexplicável desaparecimento do célebre mestre do oculto e da magia negra Aleister Crowley, com a conivência do escritor Fernando Pessoa, colocou Portugal e a Europa em sobressalto nos anos 30. Mas, factos só agora revelados demonstram que a conspiração se prolongou muito para lá do seu tempo, chegando aos dias de hoje e envolvendo uma perversa teia de sexo e manipulação orquestrada por uma criatura demoníaca, da qual foi vítima o Anjo que Queria Pecar. RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

Acordar num sonho da cidade branca E sorrir.


OPINIÃO

hoje macau terça-feira 17.9.2013

JACQUES-LOUIS DAVID, A COROACÃO DE NAPOLEÃO

18

CR7, o você e o dia de folga

I ´

Fernando Santos in Jornal de Notícias

CONE milionário de Portugal, Cristiano Ronaldo transforma a sua genialidade no futebol em caixa registadora insaciável. Como se já não estivesse rico, acaba de renovar contrato com o Real Madrid melhorando a folha salarial para os 17 milhões de euros/ano. Um balúrdio, sim, ao qual ainda se juntam os milhões arrecadados em publicidade. O dinheiro pago a estrelas do espectáculo, sejam elas do futebol, do automobilismo, da música ou do cinema é um debate eterno. Aprofundado sempre e quando a valores astronómicos se sucedem outros ainda mais estratosféricos. Muitos portugueses interrogam-se: os valores recebidos por Cristiano Ronaldo - como alguns outros, poucos - não são aviltantes numa sociedade marcada por um cavar de fosso cada vez maior entre pobres e ricos? O que produz em benefício da comunidade

Cristiano Ronaldo para justificar um camião de dinheiro ao final de cada mês? Quem não tem dinheiro para comprar uma côdea ou vive sem horizontes de futuro tenderá a um rotundo não, descartando qualquer espécie de racionalismo. Nem a felicidade e o gozo estético da genialidade convence - ou, sequer, o pagamento de impostos. O que transfere a discussão para outro plano: o da irresponsabilidade de quem gere um clube de futebol e está disposto a pagar milhões para ter uma estrela à escala planetária. E no entanto...

Cristiano Ronaldo, aqui trazido apenas por ser o mais recente caso, constitui-se numa marca de enorme rentabilidade. Tem um efeito reprodutor ao nível do marketing e da publicidade e arregimenta multidões, nos estádios ou nos ecrãs de televisão de todo o Mundo, replicando audiências e um efeito cascata único. Ficando ainda por contabilizar, por ser impossível fazê-lo, o tal lado artístico a espalhar prazer em milhões de adeptos do futebol. É fundamental, pois, relativizar os ganhos financeiros de Cristiano Ronaldo. E,

Cristiano Ronaldo é um nome incontornável do Portugal de hoje no Mundo. É um modelo-atracção para jovens na ingénua ambição de lhe seguirem as pisadas - de menino pobre a senhor rico, num percurso idêntico ao de Messi, a sua grande sombra dos estádios e no reconhecimento mundial

embora possa parecer contraditório, compete ao próprio perceber a necessidade de não contribuir para o tal aviltamento. Cristiano Ronaldo é um nome incontornável do Portugal de hoje no Mundo. É um modelo-atracção para jovens na ingénua ambição de lhe seguirem as pisadas - de menino pobre a senhor rico, num percurso idêntico ao de Messi, a sua grande sombra dos estádios e no reconhecimento mundial. Uma responsabilidade assim tem, evidentemente, um custo. Idolatrado pelo perfume futebolístico que exala nos estádios, apreciado por gestos de generosidade, a Cristiano Ronaldo cobra-se uma factura de compostura social. Perdoa-se-lhe que trate um presidente da República por você mas o mesmo não acontece sempre e quando é ostensivo na amostragem de sinais exteriores de riqueza. Na impossibilidade de muitos cidadãos se candidatarem a fazer as folgas do astro, recebendo o valor correspondente, aceite-se que do dinheiro tire Cristiano Ronaldo bom proveito. Com peso e medida pública.


opinião 19

hoje macau terça-feira 17.9.2013

Ricardo Pinho

disse-me um passarinho...

twitter.com/ricardo

As batatas fritas de sabor a churrasco não sabem a churrasco, os iogurtes de banana

não sabem a banana, e por aí fora. Ninguém estranha?

HELDER FERNANDO

à flor da pele

Coutinho foi o caminho José Pereira Coutinho, atleta campeão, entende os obstáculos de toda esta grande corrida de fundo, e entende a maneira de os ultrapassar, inclusive de saltar por cima deles. Mesmo com um ou outro erro de percurso – qual de nós nunca deixou queimar demasiado a torrada – este deputado lutador coloca o seu discurso e a generalidade das suas práticas enquanto dirigente de uma associação de trabalhadores e na figura de deputado, ao lado de quem trabalha por conta de outrem, ao lado dos que mais necessitam de sentir um braço de apoio, uma voz que tenha a sua voz VINCENT VAN GOGH, CAMINHO COM UM CIPRESTE E UMA ESTRELA

I A parte continental portuguesa, onde ainda me encontro quando nesta terça-feira o estimado leitor ler esta crónica, parece um país territorialmente muito maior do que na realidade é. Fui percorrendo diferentes regiões, há alguns anos que não o fazia. Por dever e por prazer, ouvi muito de muita gente. Tantos motivos de irritação, de revolta estranhamente calada, de cidadãos viciando-se em passividade, que é a pior e a mais baixa macaqueação de pacifismo. Há vários portugais em Portugal. O do rosto fechado, olhar desconfiado, invejoso, fala embezerrada – cada vez menos, é a ideia com que fico. Mas, estimulante, está a realizar-se um outro Portugal – envolvido em não se deixar amarrotar pela crise, humilhar pela estranja, roubar pelas governanças. Um Portugal activo. Corajoso. De sorriso afável. Um Portugal não submisso. Ao mesmo tempo, há um País que recupera sem absurdos complexos, as suas tão profundas e diferentes riquezas culturais. As músicas, as danças, os cantares. As iguarias. Estórias cheias de História. Narrações com letra antiga. Personagens que já não existem. Hábitos onde residem os bons e os maus. Princípios de semeio, regadio, colheita. Na agricultura, na jardinagem. Nos multiplicados riscos da pesca. Na genialidade jovem desenvolvendo Ciência e Filosofia. Abrem-se a esta parte melhor de Portugal - hoje amordaçado de outra maneira – horizontes novos e cada vez mais amplos. Um governo que não observa o positivo destas resistências activas e reage consequentemente, é um governo politicamente pateta. Mesmo que um ou outro responsável se destaque do marasmo paralítico. Apesar de tantos pesares, a Cultura anda de novo viva por aqui. E este sol e este azul de ponta a ponta. Esta fulgência, quem sabe, facilitando esta paciência. II Entre tragédias escondidas por vergonha, idosos espoliados, sistema de ensino à de-

riva, desemprego disfarçado pelas pontuais actividades de Verão, auto-estradas desertas, sai um regulamento moralizador emanado por uma escola de Gaia proibindo as professoras de usarem “calças excessivamente

descidas, saias excessivamente curtas e decotes excessivos”. Há, nitidamente, excessiva falta de tino. Sobre a novela pimba dos denominados localmente “dinossauros” autárquicos que

se agarram ao poder como lapas, só resta dizer que é o retrato mais nítido deste poder político e do estado da Justiça. III Mesmo a terminar esta crónica, chegam-me com algum pormenor os resultados eleitorais em Macau. Algumas vitórias e derrotas provocam necessárias reflexões. Tem significado para a comunidade de língua portuguesa, a vitória do deputado português natural de Macau José Pereira Coutinho, e de toda a sua estrutura apoiante nestas eleições legislativas. Mesmo entre aqueles que não lhe deram o voto. Goste-se ou não, por questões meramente pessoais, ou políticas, ou de estilo, ou outras quaisquer, as sucessivas vitórias de Coutinho - que agora consegue sentar o seu número dois, Leong Veng Chai, a seu lado na Assembleia Legislativa - uma coisa significam: muito trabalho no terreno, muita sabedoria mobilizadora, muita tenacidade. Em qualquer parte do mundo é extremamente difícil resistir, lutar e ainda mais vencer esquemas montados com armamento muito mais pesado, em Macau tal luta raramente tem consequência visível. Entende-se como sociopoliticamente correcto que quase tudo se mova entre fumos envolventes – porque é assim a cultura chinesa, raciocínio provavelmente muito valioso, também proclamado entre os que de cultura chinesa não fazem qualquer ideia do que isso seja para além dos clichés. José Pereira Coutinho, atleta campeão, entende os obstáculos de toda esta grande corrida de fundo, e entende a maneira de os ultrapassar, inclusive de saltar por cima deles. Mesmo com um ou outro erro de percurso – qual de nós nunca deixou queimar demasiado a torrada – este deputado lutador coloca o seu discurso e a generalidade das suas práticas enquanto dirigente de uma associação de trabalhadores e na figura de deputado, ao lado de quem trabalha por conta de outrem, ao lado dos que mais necessitam de sentir um braço de apoio, uma voz que tenha a sua voz. Que nunca Coutinho se desvie desse caminho, exigirá o seu eleitorado e também acredito, os seus princípios. Inclusive, que aprimore o seu incansável trabalho.

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Cecilia Lin; Joana de Freitas; José C. Mendes; Rita Marques Ramos; Zhou Xuefei [estagiária] Colaboradores Amélia Vieira; Ana Cristina Alves; António Falcão; António Graça de Abreu; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; David Chan; Fernando Eloy ; Fernando Vinhais Guedes; Gonçalo Alvim; Helder Fernando; Isabel Castro; Jorge Rodrigues Simão; Leocardo; Paul Chan Wai Chi Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Tiago Alcântara; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


hoje macau terça-feira 17.9.2013

cartoon

Adolescente luso comprou servidor do Wikileaks

Um português de 17 anos comprou um servidor que foi utilizado pela organização Wikileaks por quase 250 mil patacas, na Internet. O adolescente usou a conta do pai no site de vendas eBay e após uma série de licitações, venceu o leilão, noticia a revista norte-americana Wired. Quem não achou piada à brincadeira foi o pai do jovem, que estará a tentar cancelar o negócio, adianta a publicação. Por 248 860 payacas o jovem comprou um equipamento que foi utilizado para armazenar mais de 600 mil documentos confidenciais norteamericanos. O servidor pertence à empresa sueca Bahnhof, que o alugou ao Wikileaks. A Wired escreve que o administrador da Bahnhof, John Karlung, e o pai do comprador têm trocado mensagens uma vez que o pai alega que o negócio foi feito pelo filho e sem a sua autorização. “Os discos rígidos foram apagados (...) e a informação original não pode ser recuperada, nem mesmo pela NSA [Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos]”, esclareceu Karlung.

por Stephff

O ACORDO COM A SÍRIA

PEQUIM EMBAIXADORES DA LUSOFONIA REÚNEM-SE A 25 DE SETEMBRO

Encontro para acertar agulhas O

S embaixadores dos países de língua portuguesa reúnem-se a 25 de Setembro em Pequim com as autoridades chinesas para definirem a data final da quarta reunião ministerial do Fórum Macau, disse à agência Lusa fonte oficial. De acordo com a mesma fonte, a reunião formal deverá decorrer a 5 e 6 de Novembro em Macau, com a chegada das delegações “o mais tardar até 4 de Novembro”, acrescentou a fonte ao garantir que a China, no 10.º ano do FóPUB

Juros da dívida ainda acima dos 7%

Os juros da dívida de Portugal estavam esta segunda-feira a descer a dois e dez anos, mas no prazo mais longo estavam acima dos 7,4%. Na manhã de ontem, os juros a dez anos estavam a ser negociados a 7,407%, depois de terem fechado a 7,420% na sextafeira, pelo sexto dia consecutivo acima da barreira dos 7%. Os juros a dois anos estavam a ser negociados a 5,979%, depois de sexta-feira terem terminado a 5,987%. No prazo de cinco anos, os juros estavam a negociar a 7,014%, o mesmo valor do encerramento de sexta.

Morto a tiro na Coreia do Norte

Tropas sul-coreanas mataram a tiro um homem que tentava atravessar a nado o rio Imijin, que faz fronteira com a Coreia do Norte. De acordo com a BBC, os soldados atiraram depois de o homem ter saltado para a água e, alegadamente ignorado os avisos para que parasse. O incidente acontece no dia em que as duas partes finalizaram uma lista de pessoas para promover a reunião de famílias separadas pela guerra de 1950-53.

rum Macau, estará representada na chefia da delegação “com uma alta figura do Conselho de Estado”. “Ainda não há confirmação oficial, mas esperamos ter em Macau o primeiro-ministro chinês Li Keqiang, bem como outros chefes de Estado e de governo dos países de língua portuguesa”, disse a fonte contactada pela Lusa em Macau. O Fórum Macau assinala este ano o seu décimo aniversário e tem, desde o início, impulsionado a cooperação económica e comercial entre a China e os países de

língua portuguesa, potenciando o papel de Macau como ponte da China para a lusofonia. A importância da data - o décimo aniversário - leva a China a “elevar o estatuto da sua delegação esperando que os países de língua portuguesa seguiam o mesmo exemplo conferindo a importância política e estratégica que Pequim quer dar ao Fórum Macau e ao papel da sua Região Administrativa Especial na sua política externa de ligação à lusofonia”.

Resgate do Costa Concordia atrasado devido a mau tempo

Já começou a operação de resgate do navio de cruzeiros Costa Concordia. Numa tentativa inédita, engenheiros vão tentar «endireitar» o paquete e colocálo na posição correcta, ao largo da ilha de Giglio, em Itália. A operação deveria ter começado de madrugada, por volta das 5 horas locais, mas o início foi adiado devido a mau tempo, uma tempestade. As operações começaram, então, por volta das 8 horas locais. O naufrágio, que ocorreu há quase dois anos, causou a morte de 30 pessoas, estando ainda dois corpos por recuperar. Desde então o navio está virado sobre o costado direito. O paquete foi estabilizado com um falso pavimento e com centenas de sacos de cimento, tornandose uma atracção turística. A operação deverá custar cerca de 6 mil milhões de patacas à empresa Costa Cruzeiros, dona da embarcação.

Japão Quatro desaparecidos à passagem de tufão

Pelo menos quatro pessoas estão desaparecidas e 65 feridas depois da passagem do tufão Man-yi pelo Japão com ventos de 162 quilómetros/ hora a acompanhar e chuvas intensas. Cerca de 200 voos foram cancelados. A tempestade, que atingiu o centro sul do arquipélago japonês, obrigou as autoridades a retirar de casa 300 mil pessoas devido a um alerta de chuvas torrenciais. Também a região onde está localizada a central nuclear de Fukushima está em alerta máximo.

EUA Pelo menos quatro mortos em ataque a base naval

O tiroteio da manhã desta segunda-feira numa base naval localizada em Washington causou a morte a pelo menos quatro pessoas e feriu pelo menos outras dez, de acordo com o último balanço feito pelas autoridades norte-americanas. A polícia acredita que haja pelo menos duas pessoas responsáveis pelo ataque ao complexo da Marinha, sendo que uma delas já terá sido capturada pelas autoridades. Nesta altura as informações ainda são provisórias – e até mesmo contraditórias – mas a imprensa norte-americana fala em dez feridos (oito civis e dois polícias). Os funcionários que permanecem base foram aconselhados a procurar refúgio, uma vez que pelo menos um dos atirados ainda se encontra dentro do complexo militar.


Hoje Macau 17 SET 2013 #2938