Issuu on Google+

PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

MOP$10

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • TERÇA-FEIRA 17 DE JANEIRO DE 2012 • ANO XI • Nº 2532

Ter para ler

TEMPO MUITO NUBLADO MIN 13 MAX 18 HUMIDADE 60-85% • CÂMBIOS EURO 10.2 BAHT 0.2 YUAN 1.2

Mil profissões querem entrar na Assembleia, mas critério para lugares é uma incógnita

TAXA RECORDE DE SUICÍDIOS

ALUNOS CHINESES NÃO AGUENTAM FALHAR NA ESCOLA Página 2

LEI DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA

GOVERNO RETIROU NORMAS DE PROPOSTA SEM AVISO Página 7

DESCIDA DA MOEDA NÃO PÁRA

VALOR DO EURO PREOCUPA CHINA E JAPÃO Última

Só nós dois é que cabemos Com consenso generalizado sobre número de deputados indirectos a aumentar com a Reforma Eleitoral, resta a dúvida: como decidir quem ocupará os dois apetecidos lugares? A inclinação pende para o sector profissional e é aí que começa a guerra. Médico ou engenheiro? Informático ou arquitecto? Taxista ou professor? PÁGINA 4


TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

2

A

S taxas de suicídio na China estão entre as mais altas do planeta, segundo os dados da Organização Mundial da Saúde. Em Setembro de 2011, o Centro para Controlo e Prevenção de Doenças, órgão governamental chinês, anunciou que 287 mil pessoas acabam com a própria vida, no país, anualmente, o que equivale a 3,6% das mortes registadas. A faixa etária mais afectada é a dos jovens entre os 15 e os 34 anos. Os casos que envolvem tentativas de suicídio são registados em todos os níveis da educação chinesa. Um dos mais recentes ocorreu em Novembro de 2011, quando uma estudante de 13 anos morreu após saltar do sexto andar de um prédio. A investigação conduzida pelo departamento de educação de Luoyang, em Henan, onde a menina morava, concluiu que sofria castigos físicos na escola quando não fazia os trabalhos de casa. A professora de matemática obrigava alguns alunos, entre eles a rapariga, a fazer “agachamentos” (pôr-se de cócoras) que, por vezes, totalizavam 800 repetições. O caso não é isolado. Três semanas antes, no dia 24 de Outubro, duas alunas tomaram veneno na sala de aula numa escola da província de Anhui. Antes, deixaram uma mensagem no quadro. “Se morrermos, a culpa é da professora de matemática. Chamem a polícia para que a prendam.” A investigação concluiu que a docente teria troçado das notas baixas atingidas pelas raparigas num teste. Em Setembro, por muito pouco outra história não teve desfecho igualmente trágico. Uma aluna do 5ª ano e duas do 6ª, deram as mãos e saltaram do segundo andar de um prédio na província de Jiangxi. O motivo do incidente quase fatal foi a incapacidade das raparigas terminarem os trabalhos de casa.

MOTIVOS DIFERENTES

Com os estudantes mais velhos , os motivos são diferentes. “Para os que têm mais de 18 anos, em geral,

ACTUAL Altas taxas de suicídio na China

Estudantes sucumbem ao fracasso escolar

após a abertura económica. A esta cultura centenária é atribuído o alto nível de exigência das escolas, somado ao desenvolvimento do ensino no país. Hoje, por exemplo, os estudantes são encorajados desde cedo a levarem as lições da escola para casa para copiar as aulas inúmeras vezes, com o objectivo de memorizar o conteúdo. Não é raro os alunos terem de declamar em frente da turma o que está a ser ensinado. Na capital chinesa, segundo a OCDE, a carga horária diária é de oito horas e 45% dos alunos passam mais quatro horas semanais em aulas de reforço. As escolas têm o direito de expulsar alunos que fracassarem em mais da metade das disciplinas por três bimestres consecutivos. “Na Universidade de Pequim, um aluno pode ser ‘convidado a sair’ se chumbar a cinco disciplinas”, conta a professora Xie Guihua.

O EXEMPLO DE XANGAI

as mortes são atribuídas a relacionamentos amorosos ou pressões económicas”, explica Michael Phillips, director do Centro de Pesquisa de Métodos de Prevenção de Suicídio de Xangai. “Com a expansão do ensino superior na década de 1990, o número de jovens com diploma universitário cresceu rapidamente, mas o mercado de trabalho não acompanhou o processo e mostrou-se incapaz de absorver tanta mão de obra qualificada”, declara a professora de Ciências Sociais da Universidade do Povo Xie Guihua. Foi justamente por causa da pressão financeira que Hong Qiankun saltou da janela do dormitório após receber o título de mestre pela universidade Tsinghua, a mais prestigiada do país juntamente com a Universidade de Pequim, em 2007. O bilhete deixado aos pais era desolador. “O vosso filho é bom. Não consigo encon-

trar emprego. Não quero continuar a ser um peso.” O mesmo ocorreu com Liu Wei, uma estudante de 21 anos da província de Shandong, que acabou com a própria vida em 2009 por não conseguir trabalho para ajudar os pais, camponeses pobres. A resposta de Pequim foi promover a migração desses novos trabalhadores para o interior do país, fazendo-os deixar os grandes centros urbanos, como Xangai e a capital nacional. “Como professora, não consigo perceber por que razão os estudantes chineses sofreriam mais pressão aqui do que noutros países”, diz Xie Guihua.

DADOS INQUIETANTES

Entre 2005 e 2007, a Universidade de Pequim coordenou um estudo com 140 mil estudantes do Ensino Médio na China. Segundo o inquérito, 20,4% disseram já ter pensado em suicídio, e 6,5% teriam inclusive planeado o acto - tendo já

comprado medicamentos ou escrito cartas à família. A pressão escolar e solidão seriam as causas principais, mas não as únicas. “É muito simplista pensar que suicídios ocorrem só em função da escola” avalia Michael Phillips. “Existe uma série de factores biológicos, sociais e emocionais que contribuem para a tentativa de tirar a própria vida.” Desde 2009 que foi implementada uma norma que promete punir universidades com mais de 10 casos anuais de suicídio com a perda de pontos na avaliação de qualidade de ensino feita pelo órgão governamental a que são filiadas (como o Ministério da Educação ou o governo provincial). É uma forma de fazer com que os centros de estudo estejam atentos ao comportamento dos jovens e também mantenham uma política de exigência mais razoável. “As universidades estão a dar mais atenção à prevenção do

suicídio e à avaliação geral do desempenho dos alunos”, afirmou Michael Phillips. As instituições, contudo, não se pronunciam sobre a norma, considerada um reflexo de um aspecto negativo da educação no país, e nem sequer são divulgados números. “A fim de controlar esses números, as universidades estabelecem programas de apoio psicológico aos estudantes e designam ‘mentores’ para cada turma”, diz a professora Xie Guihua. Os casos são no entanto mantidos em sigilo pelo governo.

QUESTÃO HISTÓRICA

A China tem uma tradição secular em sistemas de exames. Desde o século VII que os burocratas mandarins tinham de passar por vários exames de filosofia de Confúcio para conseguirem uma posição na corte imperial. Na fase mais recente do país, a versão nacional de exames de ingresso voltou a ser implementada

Já em Xangai, centro financeiro e económico da China e que possui o melhor nível de educação em termos de compreensão textual, ciências e matemática do mundo, segundo a avaliação trienal do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) de 2009, cerca de 90% dos alunos dormem menos de sete horas diárias, menos três do que o recomendado pelo Ministério de Educação do país. Em Novembro, o Gabinete de Educação do Distrito de Xuhui divulgou uma pesquisa com 20 mil estudantes dos ensinos básico e médio da cidade, revelando que 60% dos entrevistados gastam entre duas e quatro horas diárias a fazer os trabalhos de casa. Anualmente, o país gasta 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB) com a educação, e 90,4% dos estudantes dos ensinos básico e médio estão matriculados em escolas públicas. Durante os primeiros cinco anos, os estudos são financiados pelo governo a 100%. A partir do 6º ano, as famílias pagam uma anuidade que consome 12,1% dos rendimentos anuais familiares, segundo dados do departamento de estatística chinês.


Uma reportagem da televisão local MASTV, faz eco do que se comentava há muito: no chamado “Jardim Triangular”, há anos que estará montado um autêntico mercado de trabalhadores ilegais. O provável, há quem diga, é a existência de outros lugares, na região, para o efeito. Tudo na maior tranquilidade. Helder Fernando, P.15

Académicos dizem que reeleição de Ma Ying-jeou traz benefícios

Alunos de Macau a ganhar Virginia Leung

O

Virginia.leung@hojemacau.com.mo

 

Professor Liu Shih-diing, do Departamento de Comunicação da Universidade de Macau, afirmou após a vitória eleitoral de Ma Ying-jeou que as relações entre Taiwan e Macau foram sempre positivas, apesar de difíceis de descrever. Sublinhou, no entanto, que o contínuo aumento de actividades culturais entre a juventude dos dois territórios, e o estabelecimento do Centro Económico e Cultural de Taipei em Macau, consolidou

o relacionamento entre as duas regiões. “Desde que Ma Ying-jeou se tornou presidente de Taiwan, os canais comunicação com a China Continental intensificaram-se, o que enfraqueceu um pouco a posição de Macau. No entanto, Ma Ying-jeou, também reforçou a comunicação entre Macau e Taiwan.” Segundo o professor, as relações entre as duas regiões fazem-se sentir sobretudo em áreas académicas e profissionais e, embora Macau faça parte do território da China e da politica de “um país, dois sistemas”, ainda existe um número considerável de jovens a

querer ingressar nas universidades de Taiwan. “Antigamente havia muita gente de meia idade a querer ir trabalhar para aquela ilha, mas as oportunidades profissionais que entretanto surgiram em Macau, atraem agora muitos jovens de Taiwan ao território da RAEM.”

VISTO DE CÁ

O presidente da Associação de Educação de Macau, Lei Pui Sam, declarou entretanto que a vitória de Ma Ying-jeou garante estabilidade e beneficia não só os estudantes que queiram prosseguir os estudos em Taiwan, como aqueles que já se licenciaram. O

sistema de inter-comunicação das habilitações académicas entre os dois territórios será cada vez mais efectivo, segundo Lei Pui Sam. Também Chen Chien Ying, Vice-Presidente do Conselho Regional de Macau para a Promoção da Reunificação Pacífica da China, acredita nos benefícios para a juventude que advêm desta vitória eleitoral, destacando o desenvolvimento de oportunidades de âmbito profissional. Acrescentou que Macau, sob a politica de “um país, dois sistemas”, poderá aspirar a ter grande autonomia de forma a que “o povo de Macau governe Macau”.

LONDRES ESCOLHIDA PARA PROMOVER MOEDA CHINESA

Este é o yuan, majestade O

George Osborne

S líderes britânicos e de Hong Kong afirmaram que pretendem juntar-se para desenvolver Londres como um centro de comercialização internacional da moeda oficial chinesa, o yuan. O ministro do Tesouro britânico, George Osborne, afirmou ontem em Hong Kong que a sua visita à Ásia, esta semana, pretende promover o diálogo com as autoridades da China e com os bancos chineses e ingleses, com vista ao “estabelecimento de Londres como um novo polo para o mercado

de yuan, complementando Hong Kong”. O Chefe do Executivo da antiga colónia britânica, Donald Tsang, disse que o novo grupo será criado para reforçar os laços entre Hong Kong e Londres ao nível dos sistemas de pagamento, liquidez de mercado e desenvolvimento de produtos financeiros denominados em yuan.

OBSTÁCULOS

Pequim tem vindo a promover a internacionalização da sua moeda e Hong Kong como um centro de negócios

‘offshore’ em yuan. Contudo, analistas consideram que a missão atribuída à antiga colónia britânica enfrenta “obstáculos”. Um relatório divulgado recentemente pela Academia Chinesa de Ciências Sociais indica que cerca de dois terços do capital denominado em yuan em Hong Kong é mantido em depósitos a prazo, investimentos com uma rendibilidade “extremamente baixa”, situação que demostra que “não existem ferramentas de investimento suficientes na divisa chinesa”.

TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

3 CHINA YAO MING ENTRA PARA A POLÍTICA Yao Ming, o atleta mais popular da China, que anunciou a sua retirada do basquetebol profissional em Julho último, foi nomeado membro do principal órgão consultivo do governo da sua cidade, Xangai. De acordo com a edição de ontem do diário oficial “Shanghai Daily”, Yao será em 2012 um dos sete membros do Comité Permanente da Conferência Consultiva do Povo Chinês de Xangai. Terá como missão prestar assessoria ao presidente da câmara da cidade, Han Zheng, em matéria de desporto e educação. Com 2,29 metros, Yao Ming transformou-se numa estrela na China, após ter conquistado um lugar na NBA em 2002. CHINA APOIO À MUDANÇA NO MÉDIO ORIENTE O primeiro-ministro da China expressou o apoio do seu governo às mudanças radicais no mundo árabe, numa manifestação de apoio fora do comum, durante uma reunião com o chefe da associação de Estados muçulmanos. Wen Jiabao disse que a China “pede o fim da violência contra civis, apoia o apelo para a mudança nos países em questão, e espera e acredita que os governos e povos da região tenham a capacidade de resolver seus próprios problemas”, informou a agência de notícias estatal Xinhua. Os comentários de Wen Jiabao surgem num momento de aprofundamento da crise na Síria, embora a Xinhua não mencione um país específico. FILIPINAS DESTITUIÇÃO DO PRESIDENTE DO SUPREMO O senado das Filipinas iniciou ontem o processo de destituição do presidente do Tribunal Supremo, Renato Corona, por presumível parcialidade nos casos de corrupção que impedem sobre a ex-presidente Gloria Macapagal Arroyo, presa por fraude fiscal, informou a imprensa local. Os 23 membros da Câmara Alta filipina receberam o caso aprovado pelo Congresso em Dezembro e julgarão nas próximas semanas Corona, nomeado por Arroyo, apenas dois meses antes de terminar o seu mandato. “Estamos perante um processo para evitar que um magistrado desonesto arruíne uma instituição sagrada como o Tribunal Supremo”, afirmou o actual presidente das Filipinas, Benigno Aquino, que criticou publicamente Corona em diversas ocasiões desde que assumiu o cargo de chefe de estado, a 30 de junho de 2010.


TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

4

POLÍTICA

Assembleia Legislativa | Distribuição de deputados indirectos precisa de regras

A reforma eleitoral deve ser aproveitada para redefinir os métodos de eleição dos deputados pela via indirecta e os representantes dos diferentes sectores. É o que pretendem os representantes das associações de Macau

GONÇALO LOBO PINHEIRO

Quem é o representante social?

Joana Freitas

S

Joana.freitas@hojemacau.com.mo

EM novidades relativamente ao desejo de que sejam aumentados mais assentos na Assembleia Legislativa (AL) e na Comissão que elege o Chefe do Executivo – de forma a que haja mais representatividade social -, ontem, a 6ª. sessão de debate sobre o desenvolvimento político incidiu sobretudo sobre a necessidade de esclarecer os métodos de escolha. “Devemos clarificar como

se pode ser eleito para o sufrágio indirecto”, defendeu Leong Man Io, da Associação dos Engenheiros de Macau. “Neste momento, bastam 12 votos para que um deputado seja eleito por essa via, mas há que articular a proporção da associação que esse deputado representa com o número de votos.”

Para Leong Man Io, Macau deveria seguir critérios internacionais neste aspecto, já que o deputado indirecto é uma pessoa colectiva. Contudo, esta representação por grupos não obriga a que seja distinguida a quantidade de pessoas para determinar os votos necessários. “Uma associação que tenha dois

REFORMA ELEITORAL É “OPORTUNIDADE PARA REVER CONVERSÃO DE VOTOS” Ung Choi Kun, deputado eleito por sufrágio directo, esteve presente ontem na sessão de debate político dedicada aos membros associativos. Como membro da Comissão para a Habitação Pública, o legislador falou sobre a reforma nos métodos eleitorais, mas focou-se ainda noutros aspectos. Ung Choi Kun acredita que esta é uma boa oportunidade para rever a distribuição dos mandatos na votação indirecta. Recorde-se que, no território, o hemiciclo não faz a contagem de votos de acordo com o método de Hondt, utilizado em Portugal, que se baseia na atribuição de mandatos de forma a que haja proporcionalidade entre os votos recebido pelas listas candidatas e a composição do órgão legislativo. Na opinião de diversos políticos, esta fórmula de cálculo permite

às minorias ter uma representação razoável. Em Macau, tanto nos sufrágios directos como nos indirectos, a conversão dos votos em mandatos faz-se de acordo com o número de votos obtidos por cada candidatura dividido sucessivamente por 1, 2, 4, 8. Depois de se registar o número de mandatos a distribuir de acordo com os resultados, caso haja quocientes iguais na atribuição do último mandato, este é atribuído à lista que ainda não tenha obtido qualquer mandato ou à candidatura que obtiver maior número de votos. No caso de se constatar empate no número de votos, o mandato é distribuído por sorteio. No território, não é permitido que uma lista tenha mais de dois candidatos, tornando, assim, pouco provável que os grupos mais pequenos tenham representatividade no hemiciclo. - J.F.

mil membros só tem de ter 12 votos, da mesma forma que uma com cem também [só tem de reunir esse número de apoiantes].” A opinião foi defendida por outros representantes presentes. A distribuição dos sectores pelo hemiciclo deveria ser feita, dizem, de acordo com o grau de representatividade que esses têm na sociedade.

MEDIR O VALOR SOCIAL

As dúvidas que mais se levantam na questão do sufrágio indirecto é como escolher o sector que ficará com mais deputados. Dois, no caso de o Executivo decidir avançar com a opinião geral até agora manifestada. Para os representantes das associações ontem presentes no debate sobre a reforma política o pedido é concreto: mais indirectos para o sector profissional. E, se esta pode ser uma área muito geral, há mesmo quem aponte soluções. “Médicos, engenheiros, enfermeiros e

profissionais da assistência social são os que deviam estar mais representados, mas estas áreas deviam estar todas incluídas no sector profissional e, esse, subdividido em categorias”, defendeu Leong Man Io. Já Kwan Fong, do Conselho Consultivo dos Bairros Antigos, acredita que a distribuição dos sectores no hemiciclo deveria ser feita de forma proporcional “à profissão que tem mais participação na sociedade”. Ainda assim, a questão mantém-se difícil quando a decisão é escolher quais as profissões mais participativas ou, “mais profissionalizadas”. Os representantes das associações pediram, por isso, a Florinda Chan – que ontem representou o Executivo – que seja definido um regime mais adequado e com critérios mais claros para a forma de eleição dos deputados indirectos. “É precisa uma distribuição dos sectores mais razoável, não só na AL,

como na Comissão Eleitoral para o Chefe do Executivo”, sugeriu um representante da Associação de Informáticos de Macau. “Mas tem de se definir de forma mais científica o que é o representante e o que ele representa.” Para os representantes que ontem se reuniram no Instituto Politécnico, esta representação pode ser dúbia. “Como é que se sabe que os deputados que lá estão são os que têm mais representatividade?”, interrogou Lam Pou Iou do Conselho de Protecção Ambiental. “O Governo devia fornecer mais dados sobre esses deputados, para que a população pudesse aceitar a conclusão de que esses são os mais representativos.” Neste momento, o hemiciclo de Macau conta com dez deputados eleitos pela via indirecta: quatro que defendem os interesses comercial, industrial e financeiro, dois pelo laboral, dois pelo profissional e dois para a educação, cultura e desporto.

ASSOCIAÇÕES DEFENDEM OS “CINCO PASSOS”   A União Geral das Associações dos Moradores de Macau (UGAMM) debateu ontem as orientações da reforma do sistema politico, num fórum com os seus representantes. Ho Ion San, deputado e vice-presidente da UGAMM, defende a manutenção da estrutura da AL, mas afirma que o Governo tem a responsabilidade de ter dados exactos sobre a actual estrutura da população e a sua distribuição profissional, de modo a aperfeiçoar as mudanças a aplicar no actual sistema político. Os participantes do debate organizado pela associação concordaram com o momento de alterar os métodos eleitorais, apoiando o que já tem vindo a ser sugerido pelos políticos do território: o aumento dos assentos na Assembleia Legislativa e na Comissão Eleitoral. Como já vem sendo habitual nas sessões de debate sobre a reforma política, todos se mantêm firmes no que toca à forma como as alterações devem ser feitas. A decisão, dizem, pertence ao Comité Permanente da Assembleia Nacional Popular e Macau tem de seguir a regra dos “Cinco Passos”. Os “cinco passos” formulados pelo Executivo definem-se na apresentação, pelo Chefe do Executivo a Pequim, de um relatório sobre que reúna os métodos de alteração às eleições, na decisão do Comité Permanente e, caso aceite, na apresentação de uma proposta de resolução aos deputados da AL, após a realização de uma consulta pública. Em caso de aprovação por, pelo menos, 2/3 dos membros do hemiciclo, a proposta regressa ao Comité para eventuais ratificações e, se aceite, procede-se à alteração do sistema político. - V.L.


NOTAS COMEMORATIVAS DO ANO NOVO PROVOCAM CORRIDA AOS BANCOS

A especial e inédita emissão de notas comemorativas do Ano Novo Chinês, que se inicia na segunda-feira sob o signo do Dragão, tem estado na origem de uma corrida aos bancos em Macau. O tiro de partida foi dado na quinta-feira com o lançamento de duas novas notas com valor facial de dez patacas, de cor encarnada, que despertaram o interesse tanto da população em geral como dos coleccionadores em particular. A azáfama é visível um pouco por toda a cidade em frente às dezenas de sucursais, onde centenas de pessoas se concentram à espera que chegue a sua vez para trocarem papéis que valem dinheiro.

Deputado critica o governo por falta de medidas eficazes sobre terras concedidas

Terrenos abandonados Virginia Leung

O

virginia.leung@hojemacau.com.mo

 

RELAÇÃO ENTRE CHINA E TAIWAN AFECTA AEROPORTO DE MACAU Tem vindo a cair o número de passageiros que passam pelo Aeroporto Internacional de Macau. Desde 2007, os números apontam para uma queda de 26,5%, segundo dados divulgados na página da Sociedade do Aeroporto (CAM). António Rato afirmou à Rádio Macau que estas diminuições se devem às ligações directas entre a China e Taiwan. “Para além das vicissitudes que têm acontecido em termos de crise económica e as inundações na Tailândia, por exemplo, o facto essencial que conduziu a esta quebra foi a abertura dos voos directos entre Taiwan e a China em 2008”, explica o dirigente da CAM. “Tínhamos cerca de dois milhões e meio de passageiros em transferência neste tipo de voos que têm sido diluídos ao longo dos anos.” As cargas e mercadorias também têm denotado algumas quebras, essas justificadas pela forma como Macau é utilizado. António Rato defende que o território é apenas um centro de transferência, útil para a China escoar os seus produtos. “Os aeroportos de Cantão, de Shenzen e o de Hong Kong aumentaram a capacidade e, portanto, ficaram mais bem colocados para a exportação de bens da China do que Macau”, explica aos microfones da Rádio Macau. No ano passado, a diminuição no número de passageiros foi de 1%, mesmo tendo passado pelo aeorporto mais de quatro milhões de passageiros. Mas, para 2012 as previsões apontam para, pelo menos, mais 255 mil passageiros, até porque a CAM quer apostar nas ligações com a índia.

Deputado à assembleia Legislativa Chan Meng Kam questionou o governo sobre a eficácia da recuperação de terrenos abandonados ou daqueles que foram concedidos, mas que posteriormente deixaram de ter uso. Além disso, recordou a intenção do Executivo de recuperar terrenos abandonados, para construção de habitação pública, instando-o depois a usar de forma apropriada e transparente os valiosos terrenos. O deputado declarou que, dos 29 casos de terrenos concedidos e PUB

CHEFE DO EXECUTIVO QUER RAEM NO PANORAMA INTERNACIONAL

Competitiva e pioneira C

HUI Sai On deseja que Macau seja cada vez mais competitiva a nível internacional. O Chefe do Executivo discursou no jantar de Primavera entre o Gabinete de Ligação da China na RAEM e o Governo e deixou claro o objectivo de atingir novos horizontes. “Prevê-se que Macau viva um ano repleto de oportunidades e desafios (...) e continuaremos a promover a optimização da estrutura económica e a diversificação adequada da economia, mas sem perdermos o nosso espírito pioneiro.” O Chefe do Executivo garante que a aposta da Administração é o reforço na cooperação regional mas também o intercâmbio internacional.

As alterações na estrutura da Administração nao ficaram de fora do discurso de Chui Sai On para o novo ano. Recorde-se que Macau está já a remodelar a máquina administrativa, integrando mais funcionários para dar resposta às necessidades da população. “Faremos o nosso melhor para acompanhar a evolução social e as aspirações da população, procurando encontrar soluções adequadas às questões que mais preocupam.” Desenvolvimento de infra-estruturas urbanas, mais dinamismo na economia e desenvolvimento do sistema político estão na lista de Chui Sai On, assim como a competitividade e a aprendizagem sociais. - J.F.

TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

5 abandonados que o governo prometeu resgatar no final de 2011, só vinham más notícias. “Ainda não tivemos qualquer anúncio oficial até agora. Porquê?”

DE QUEM É A CULPA?

Chan Meng Kam quis saber de quem era a responsabilidade sobre os terrenos abandonados e porque é que não havia audições e esclarecimentos públicos sobre a matéria, de forma a promover transparência no sistema. “Se não houver progressos nas terras abandonadas, de quem é a responsabilidade? Do Governo?” Criticou ainda o facto de haver terras abandonadas há mais de 20 anos, e de o governo não estar a tomar medidas certas, nem a aplicar multas a quem pratica estes actos. Numa altura em que a “Lei das Terras” está a ser revista, Chan Meng Kam inquiriu que medidas estão a ser tomadas para reforçar o seu cumprimento, e o que poderá o Governo fazer para evitar o aparecimento de mais terrenos abandonados.


TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

6

SOCIEDADE TURISMO COM PREÇOS MAIS ALTOS

Construtores de barcos de recreio pedem mais espaços

Onde é que ponho o meu iate? Virginia Leung

A

Virginia.leung@hojemacau.com.mo

indústria de construção naval já teve melhores dias, segundo conta o Ou Mun. Chow Kwok Cheong, porta-voz da Pak Keong Equipamentos de Motor, disse ao jornal que a área de construção de barcos mudou bastante com o desenvolvimento recente da economia. Falando

directamente sobre Macau, afirma ser essencial o Governo criar melhores condições para que esta indústria possa continuar a expandir-se, nomeadamente através da criação de espaços para quem tem iates. Cheong contou que a empresa que representa criou em Macau a Pak Keong Navio Ltd. no ano passado, à procura de alargar a sua rede de negócios, até porque sentem não haver

muita competição nesta área. No entanto, para que o êxito financeiro da aposta seja real, apela ao apoio do Executivo. A empresa já trabalha em vários projectos que envolvem o Governo, assim como em reparações de iates e de logísticas de apoio.

DESPORTOS AQUÁTICOS

O que começa a escassear, diz ainda o porta-voz da Pak Keong, são os clientes, o que

Os visitantes de Macau pagaram mais pelo consumo de bens e serviços turísticos nos últimos quatro meses de 2011. Segundo os Serviços de Estatística e Censos, o Índice de Preços Turísticos (IPT) situou-se nos 128,1, o que representa um aumento de 18,9%. Tais números foram potenciados pelo aumento dos preços de alojamento e dos serviços de restauração. Já a média anual do IPT situa-se nos 117,2, um acréscimo de 15,5% face a 2010. O preço médio dos serviços de alojamento aumentou em 35,7%, enquanto a restauração teve aumentos de 11,7%. Os bens diversos tiveram um acréscimo de 19,8%, enquanto os preços praticados em sectores como a alimentação, bebidas alcoólicas e tabaco também tiveram aumentos, na ordem dos 11,5%. As variações de preços do IPT foram calculadas com base no período entre Outubro de 2009 e Setembro de 2010.

poderia mudar se houvesse mais locais para os barcos aportarem. Por isso deseja que o Governo aprove o pedido para a criação de novos portos de iates, assim como a reserva destes espaços nas zonas dos novos aterros. Uma oportunidade, garante, de se desenvolver também todo o turismo relacionado com desportos aquáticos e, claro, seduzir velejadores e donos de iates.

MISSÃO PARA OS TRABALHADORES MIGRANTES PREOCUPADA

COMPANHIA ESTATAL NAM KWONG QUER MAIS LUCROS

Salários muito baixos

TCM foi comprada

Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

N

O terceiro trimestre do ano passado, 46% dos trabalhadores residentes do território ganharam menos de 10 mil patacas por mês. Mas os números descem ainda mais para 7,4% da população trabalhadora de Macau, que fixou o salário mensal em menos de 3500 patacas. Os números foram avançados pela Missão para os Trabalhadores Migrantes. Os responsáveis da entidade aproveitaram o último domingo para celebrar o dia internacional do trabalhador migrante, mas não foi apenas isso que levantou preocupação à Missão. Relembrando que o Governo de Macau está a fazer os estudos sobre a implementação

do salário mínimo para os trabalhadores da área da limpeza e da segurança – maioritariamente ocupados por trabalhadores não-residentes -, a entidade do território pede mais. “Devemos unir-nos à população local para que o salário seja para todos, incluindo as empregadas domésticas”, frisa a Missão para os Trabalhadores Migrantes num comunicado. A intenção, dizem, é que todos os que trabalham no território possam beneficiar da economia, uma vez que também contribuem para ela.

SALÁRIOS CURTOS

As empregadas domésticas são a classe que menos aufere em Macau, tendo o seu ordenado mensal calculado em menos de três mil patacas. “Mesmo quando o Governo de Macau subsidia com 3200 patacas os residentes que precisam de

assistência de uma doméstica.” A Missão para o Trabalhador Migrante congratula o Executivo por estar a rever a Lei de Impedimento, que obriga os trabalhadores não-residentes a saírem de Macau por seis meses, depois de deixarem o empregador aqui no território. Ainda assim, há assuntos que ainda não foram tratados. “Os aspectos mais negativos e mais preocupantes mantêm-se: a regra de sair do território por seis meses se o contrato for terminado por justa causa ou quando o próprio trabalhador decidir abandonar o trabalho sem justa causa”, explica a Missão em comunicado. A entidade acredita que a revisão da Lei de Impedimento proposta pelo Executivo - apenas um ano após a sua implementação – é o resultado da sua oposição firme ao diploma.

O

grupo Nam Kwong comprou a TCM - Sociedade de Transportes Colectivos de Macau, uma das três companhias de transporte público do território. O anúncio foi feito a semana passada por Xu Kaicheng e avançado ontem pelo jornal Macau Post Daily. O presidente da empresa não revelou o valor pelo qual adquiriu a TCM,

mas assegura que faz parte dos planos da Nam Kwong – uma empresa estatal -, para aumentar os lucros e as receitas em, pelo menos, dois dígitos. Xu Kaicheng adiantou ainda que o grupo adquiriu outras duas companhias, no ano passado. A Zhuhai Jiuzhou Travel e a Limbar Gas Company fazem agora parte do leque da Nam Kwong, que cobre sectores como o mercado dos bens de consumo, hotéis, turismo, imobiliário e petróleo. Desde 1986 que a TCM está instalada no território e só tinha concorrência da Transmac, até Agosto do ano passado, altura em que chegou a francesa Reolian. A TCM era liderada pelo empresário Ng Fok e, em 2010, teve lucros em cerca de 29 milhões de patacas. Actualmente, opera 13 rotas de um total de 61. Segundo o Macao Post Daily, o director da TCM mostrou-se confiante que a empresa iria funcionar melhor e assegurou que todos os funcionários actuais se vão manter.


TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

7

PUB

ANÚNCIO [N.º 16/2012] Para os devidos efeitos, vimos por este meio notificar os representantes dos agregados familiares seleccionados da lista de espera de habitação económica abaixos mencionados: N.º do boletim de candidatura 75506 76335 77999 86395 127546 94965 82209

KU HENG MEI NG LAI LENG WONG CHI SAN FOK IONG CHAN PEREIRA ALBERTINA NG SIO PANG CHUCK HOU IN

N.º do boletim de candidatura 74443 111439 83024 73865 103608 116808 89173

68361

TANG CHI FONG

127593

111253 114217 87495

MUI IOK FAN CHEANG TAI HONG CHEANG MAN WAI CHAN WENG CHEONG CHEONG VENG NGA LOU KA WAI NG LAI SAN

77718 72884 77928

SAM IN KEONG LONG SAO FONG WONG SIO IN CHAN YEE TAT LEI KENG FONG CHAO KUAI LIN SIT IENG DA LUZ LEONG LUCIANO SAM SAI KIT LEONG IOK IENG CHEONG KUOK IENG

85360

KONG IN

110887 116302 116820

HO SAI KAM CHAN HOK KIN LEONG CHAO KENG

60156 90242 94112 87633

PROPOSTA DA LEI DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA

Governo retirou 18 normas sem avisar Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

E

NTRE Julho e Dezembro de 2011, o Governo retirou 18 normas da segunda proposta da Lei de Mediação Imobiliária, depois do acordo com a comissão da Assembleia Legislativa. Esta quer agora saber porquê e não põe de parte a resolução do caso por via judicial. Em mais uma reunião que juntou o Executivo com a 1ª Comissão Permanente da Assembleia Legislativa (AL), no âmbito da proposta de Lei da Mediação Imobiliária, a polémica surgiu. Segundo a deputada Kwan Tsui Hang, o Governo decidiu retirar, sem discussão prévia,18 artigos do documento interno apresentado à comissão sobre este assunto, depois da inserção dos mesmos pontos ter ficado decidida. “A 11 de Julho de 2011 o Executivo ouviu as opiniões da comissão e aceitou acrescentar as normas que já estavam previstas nos regulamentos administrativos. A 15 de Dezembro recebemos

uma nova versão e essas normas tinham sido eliminadas.” Segundo a deputada, “esta versão nem se compara com a original”, e a comissão da AL quer saber os porquês de tal mudança. Para encontrar as respostas, os deputados esperam chegar a um acordo com o Executivo nos próximos meses. Caso não se verifique, a questão poderá ser levada ao Tribunal de Última Instância (TUI). “Se calhar teremos de seguir por via judicial, mas espero que consigamos chegar a uma uniformização de entendimento”, apontou Kwan Tsui Hang.

A RAZÃO DO EXECUTIVO

Uma das matérias retiradas desta proposta de lei, que prevê uma mediação do sector imobiliário em Macau, prende-se com as multas aplicadas aos agentes do sector. Enquanto a comissão defende que estes preâmbulos devem constar no novo diploma, o Governo entende o contrário. Como frisou Kwan Tsui Hang, o Executivo “entende que estas são matérias dos regulamentos

administrativos”, tais como o código comercial ou o código dos regulamentos administrativos. “As matérias devem ser reguladas em lei, mas o Executivo queria fazê-lo através dos regulamentos administrativos. Após uma análise a Administração achou desnecessária a reposição das normas na lei como antes tinha sido discutido em comissão.” Outro dos pontos que ainda está pendente prende-se com a definição de competências da parte do Instituto da Habitação (IH) e da Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL). Este impasse acaba por constituir, na opinião dos deputados, um “problema jurídico e político”, o que leva a que não se avance na nova Lei da Mediação Imobiliária. “Não havendo uma clara divisão de competências não se pode avançar com a proposta de lei”, disse Kwan Tsui Hang. “Há que existir uma uniformização da interpretação para evitar que no futuro surjam novas questões.”

Nome

Nome

De acordo com os termos do artigo 12.º do Decreto-Lei n.º 26/95/M, de 26 de Junho, o Instituto de Habitação (IH) informa os representantes dos agregados familiares acima referidos, através de ofícios, para se dirigirem pessoalmente ao IH, sita na Travessa Norte do Patane, n.º 102, Ilha Verde, Macau (perto da Escola Primária Luso-Chinesa do Bairro Norte), no dia 7 de Fevereiro de 2012, às horas fixadas nos respectivos ofícios, para escolha das fracções de habitação económica disponíveis de T1 na zona de Macau. Nessa altura, os agregados familiares da lista de espera acima referidos devem apresentar os documentos comprovativos (originais e cópias) abaixo mencionados, para efectuar a nova verificação dos requisitos da candidatura da aquisição de habitação económica. Caso as respectivas informações afectem os actuais requisitos da aquisição de fracção ou existirem mudança da composição dos agregados familiares acima referidos, este Instituto irá suspender, imediatamente, o procedimento da escolha de habitação económica: 1. Documentos de identificação de todos os elementos do agregado familiar e os seus cônjuges (caso houver) registados no boletim de candidatura de habitação económica. 2. Prova de casamento (aplicável aos indivíduos casados. Caso tenha entregue ao IH, nos últimos três meses, não é necessário a entregar de novo.) 3. Boletim de candidatura dos dados dos agregados familiares de habitação económica devidamente preenchidos e assinados. De acordo com os termos do n.º 2 do artigo 13.º do decreto-lei acima referido, com as alterações introduzidas pelo Regulamento Administrativo n.º 25/2002, caso os agregados familiares da lista de espera acima referidos não tenham comparecido no IH, no dia e horas fixados, e apresentado os documentos acima referidos, para escolha de habitação ou não pretendam adquirir nenhuma das fracções de habitação económica disponíveis no momento podem optar entre, por motivo não justificado, implica a perda do direito de escolha e passagem automática para o último lugar da lista geral; ou após a apreciação dos dados apresentados, verifique que não reunirem com os requisitos da candidatura, os agregados familiares seleccionados serão excluídos na lista geral. No intuito de proporcionar os agregados familiares seleccionados para terem mais conhecimentos sobre as informações das fracções de habitação económica disponíveis, o IH juntamente os ofícios enviará em anexo o catálogo com descrições das fracções para venda, tabela dos preços, rácio bonificado, pontos de observação, informações sobre a fracção de modelo. Caso os agregados familiares seleccionados não tenham recebidos os ofícios remetidos pelo IH, até sete dias antes da data fixada, poderão dirigir-se ao IH sito na Travessa Norte do Patane n.º 102, Ilha Verde, Macau) ou consultar através do telefone n.º 2859 4875, durante o horário de expediente. O Presidente, Tam Kuong Man 16 de Janeiro de 2012


vida

TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

8

A

S emissões de dióxido de carbono (CO2) causadas pela acção do homem terão o efeito de retardar o início da próxima Era Glacial, segundo afirma um novo estudo. A última Era Glacial terminou há 11.500 anos, e os cientistas têm vindo a discutir quando começará a próxima. Os pesquisadores usaram dados da órbita da Terra e outros itens para encontrar o período interglacial mais parecido com o actual. Num artigo publicado na revista Nature Geoscience, lê-se que a próxima Era Glacial poderia começar daqui a 1500 anos, mas que isso não acontecerá por causa do alto nível de emissões. “Nos actuais níveis de CO2, mesmo se as emissões parassem agora teríamos provavelmente uma longa duração interglacial determinada por quaisquer processos de longo prazo que poderiam começar para reduzir o CO2 atmosférico”, afirma o coordenador da pesquisa, Luke Skinner, da Universidade de Cambridge. O grupo de Skinner, que também inclui cientistas da University College London, da Universidade da Flórida e da Universidade de Bergen,

Emissões de CO2 atrasam nova Era Glacial, diz estudo

Nem parando tudo na Noruega, calcula que a concentração atmosférica de CO2 deveria cair para menos de 240 partes por milhão (ppm) para que a glaciação pudesse começar. O actual nível de CO2 é de cerca de 390 ppm, e outros grupos de pesquisadores já mostraram que mesmo que as emissões parassem instantaneamente, as concentrações se manteriam elevadas por pelo menos mil anos, o suficiente para que o calor armazenado nos oceanos provocasse potencialmente um significativo derretimento do gelo polar e o aumento do nível do mar.

CICLOS DE MILANKOVITCH

A causa básica das transições entre as Eras Glaciais e os períodos interglaciais são as variações subtis na órbita terrestre conhecidas como ciclos de Milankovitch, descritas pelo cientista sérvio Milutin Milankovitch

há quase um século. Essas variações ocorrem em períodos de dezenas de milhares de anos. A maneira precisa como mudam o clima da Terra entre os períodos interglaciais, mais quentes, e as Eras Glaciais a cada 100 mil anos mais ou menos não é conhecida. Por si só, as variações não são capazes de levar a uma diferença de temperaturas de cerca de 10 graus Celsius entre a Era Glacial e o período interglacial. As pequenas variações iniciais são amplificadas por vários factores incluindo o lançamento de dióxido de carbono na atmosfera quando o aquecimento começa e a absorção do gás pelos oceanos quando o gelo se forma novamente. Também está claro que cada transição é diferente das anteriores, porque a combinação que precisa de factores orbitais não se repete exactamente - apesar de condições

Click ecológico

muito semelhantes acontecerem a cada 400 mil anos. As diferenças de um ciclo para o seguinte seriam a razão de os períodos interglaciais não terem sempre a mesma duração. Usando análises de dados da órbita terrestre, além de amostras de rochas retiradas do fundo do oceano, a equipa de Skinner identificou um episódio chamado Estágio Marinho Isótopo 19c (ou MIS19c), há 780 mil anos, que mais se parece com o presente. Segundo esta equipa, a transição para a Era Glacial foi sinalizada por um período quando o arrefecimento e o aquecimento se revezaram entre os hemisférios norte e sul, provocados por interrupções na circulação global de correntes oceânicas. Se a analogia ao MIS19c for correcta, essa transição deveria começar daqui a 1500 anos, segundo os pesquisadores, se as concentrações de CO2 estivessem em níveis “naturais”.

ENDOSSO

As conclusões mais amplas dos investigadores foram endossadas por Lawrence Mysak, professor de ciências atmosféricas e oceânicas na Universidade McGill, em Montreal, no Canadá, que também investigou as transições entre as Eras Glaciais e os períodos interglaciais. “A questão-chave é que estão a estudar 800 mil anos para trás, o que é duas vezes o ciclo de 400 mil anos, então estão a ver o período correcto em termos do que poderia ocorrer sob a ausência de forças antropogénicas”, disse ele à BBC. Mysak sugeriu que o nível de 240 ppm de CO2 para provocar a próxima glaciação poderia ser muito baixo. Outros estudos sugeriram que esse nível poderia ser 20 ou até 30 ppm mais alto. “Mas em todo caso, o problema é como chegamos a 240, 250 ou o que quer que seja? A absorção pelos oceanos leva milhares ou dezenas de milhares de anos, então não acho que seja realista pensar que veremos a próxima glaciação na escala natural.”

OPOSIÇÃO

REPOVOAR • Um grupo de pessoas lançou uma campanha no Facebook com vista à união de esforços para a repovoação do Lince Ibérico em Portugal. Até ao momento mais de 15 mil pessoas assinaram o manifesto.

Grupos que se opõem à limitação das emissões de gases do efeito estufa já citam o estudo como uma razão para apoiar a manutenção das emissões humanas de CO2. O grupo britânico Global Warming Policy Foundation, por exem-

plo, cita um ensaio de 1999 dos astrónomos Fred Hoyle e Chandra Wickramasinghe. “A volta das condições da Era Glacial deixaria grandes fracções das maiores áreas produtoras de alimentos do mundo inoperantes, e levaria inevitavelmente à extinção da maioria da população humana presente. Precisamos de encontrar um efeito estufa sustentado para manter o presente clima


METEOROLOGISTAS PREVÊEM 2012 ENTRE OS 10 ANOS MAIS QUENTES

O ano de 2012 pode-se tornar um dos dez mais quentes desde 1850, afirmou o Met Office - Departamento de Meteorologia do Reino Unido. O ano de 2011 foi o 11º ano mais quente já registado, com 0,36 grau Celsius acima da média de 1960 e 1990, que foi de 14 graus. Os meteorologistas prevêem que em 2012 o desvio acima da média será de 0,48 graus. Em 2011, o mundo assistiu a um fortíssimo La Niña - fenómeno climático caracterizado pelo arrefecimento das águas no Pacífico equatorial -, que pode arrefecer temporariamente as temperaturas globais.

TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

9

REFLORESTAR NÃO RESOLVERÁ AQUECIMENTO GLOBAL, AFIRMA ESTUDO

Percurso longo para a solução O

S projectos de reflorestamento de florestas só terão um impacto limitado no aquecimento global. O alerta parte de um estudo publicado na revista científica “Nature Geoscience”. Os pesquisadores Vivek Arora, da Universidade de Victoria, no Canadá, e Alvaro Montenegro, da Universidade de St. Francis Xavier também no Canadá, examinaram os efeitos de reflorestamento no solo, na água e no ar, se a temperatura da superfície terrestre aumentasse 3º C em 2100. O resultado demonstra que, mesmo se todas as terras cultivadas do mundo forem reflorestadas, isto só bastaria para reduzir o aquecimento global em 0,45º C no período 2081-2100. Isto porque se exige décadas para que os bosques sejam suficientemente velhos para captar o CO2 que fica estancado durante séculos na atmosfera. Um reflorestamento de 50% das terras cultivadas só limitaria a elevação da temperatura em 0,25º C.

Reflorestar as regiões tropicais é três vezes mais eficaz para “evitar o aquecimento” do que fazê-lo em latitudes mais elevadas ou em regiões temperadas. Os bosques são mais escuros do

que as terras cultivadas e, portanto, absorvem mais calor. O abate de árvores, sobretudo nas selvas tropicais, é causador de 10% a 20% das emissões de gases-estufa do planeta.

DOENÇA PROVOCA ALTERAÇÕES NOS PIGMENTOS DAS PENAS

Pinguim “isabelino” encontrado na Antárctica O

S visitantes que seguiam a bordo de um cruzeiro na Antárctica, numa visita organizada pela National Geographic, nem queriam acreditar no que viam. Junto a uma das ilhas Shetland do Sul, encontrava-se um pinguim de cor branca, uma espécie rara. A descoberta foi anunciada pelo naturalista David Stephens através do seu blogue. O responsável pertence à empresa de cruzeiros

mundial vantajoso. Isso implica a habilidade de injectar efectivamente gases de efeito de estufa na atmosfera, o oposto do que os ambientalistas estão erroneamente a defender.” Luke Skinner e sua equipa já antecipavam esse tipo de reacção. “É uma discussão filosófica interessante. Poderíamos estar melhor num mundo mais quente do que numa glaciação? Provavelmente sim. Mas

estaríamos a perder o ponto central da discussão, porque a direcção em que estamos a ir não é manter o nosso clima quente actual, mas um aquecimento ainda maior, e adicionar CO2 a um clima quente é muito diferente de adicionar a um clima frio (...) O ritmo de mudança com o CO2 é basicamente sem precedentes, e há enormes consequências se não pudemos lidar com isso.”

Lindblad Expeditions, que realiza estas viagens em conjunto com a National Geographic. Encarado à primeira vista como sendo um pinguim “albino”, esta espécie sofre, na verdade, de uma doença genética, como referiu a especialista P. Dee Boersma, da Universidade de Washington, em Seattle. Essa doença chama-se “isabelinismo” e, segundo um artigo do jornal Marine Ornithology, provoca uma mudança

de cor do animal, através da diluição nos pigmentos das penas. Desta forma, o pinguim apresenta cores que variam entre o amarelo acinzentado ou o castanho claro. Observações dos cientistas mostram que a maior parte dos casos desta mutação genética foram encontrados numa espécie que vive na península da Antárctica. Já a menor incidência de casos regista-se nos animais que vivem nas costas da América do Sul.

Sabia que... ... para descobrir se o seu autoclismo perde água, basta pôr umas gotas de corante no depósito? Se vir água com corante na sanita, sem ninguém ter puxado o autoclismo é porque há uma fuga.


TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

10

PUB.


CULTURA

TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

11

PETER JACKSON MOSTRA AS DIFERENÇAS COM OS DOIS LIVROS DE TOLKIEN

“O Hobbit” é diferente P

Florinda Chan desejou Kung Hei Fat Choi

De felicidade e fortuna Gonçalo Lobo Pinheiro

E

glp@hojemacau.com.mo

STÁ oficialmente aberta a festa do Ano Novo Lunar, dedicado ao Dragão. A secretaria para a Administração e Justiça, Florinda Chan, e a equipa do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) desejou a todos os que se deslocaram ao Largo do Senado um “feliz ano novo, com muita felicidade e fortuna sob o signo do Dragão”. Com toda a pompa e circunstância, Florinda Chan discursou aos presentes referindo que Macau “engalanou-se” para mostrar aos turistas como se vive “a maior de todas as festas chinesas”. Raymond Tam, presidente do IACM, referiu que este ano o Governo decidiu investir em 73 zonas iluminadas e dedicadas às comemorações do Ano do Dragão. “Em Macau, na Taipa e em Coloane. O território está repleto de alegorias que mostram a importante entrada no ano do Dragão”, enfatizou Tam. De acordo com a Astrologia, no ano do Dragão – mascote e símbolo do povo chinês, que ocupa a quinta posição do zodíaco -, “as fortunas, assim como os desastres, virão em

ondas maciças”. Por norma, é um ano marcado por muitas surpresas e actos violentos da natureza. Uma pessoa de signo Dragão é “cheia de vitalidade e força”, mas ao mesmo tempo é “egoísta, dogmático e pouco razoável”. O nativo de Dragão também pode ser “orgulhoso e aristocrático” e exige para a sua vida – e para quem o acompanha - elevados padrões de perfeição.

COM ÁLCOOL A MAIS

Na senda das celebrações, o Instituto Cultural (IC) organiza, no Museu de Macau, a exposição “Uma Dança Arrojada – O Festival do Dragão Embriagado de Macau”. A mostra ficará patente de 19 de Janeiro a 15 de Abril e mostra a fundo “as práticas deste festival”, através de objectos cerimoniais, fotografias históricas, vídeos e relíquias culturais. Reza a história que Macau pertenceu ao município de Xiangshan, o berço da lenda do Dragão Embriagado. O festival faz parte da história e costumes do território e, hoje em dia, é muito mais que um simples culto ou entretenimento. Aliás, é mesmo uma festividade celebrada regularmente pelos membros da Associação dos Comerciantes de Peixe Fresco de Macau.

O Festival do Dragão Embriagado foi inscrito, em 2009, na Lista do Património Cultural Imaterial de Macau, e, em Maio de 2011, na Lista do Património Cultural Imaterial Nacional. A cerimónia de inauguração da exposição terá lugar no próximo dia 18 de Janeiro, quarta-feira, pelas 17h. PUB

ETER Jackson realizou os três filmes de “O Senhor dos Anéis” e agora está a trabalhar na adaptação ao livro de J.R.R. Tolkien, “O Hobbit”. Se há alguém que conhece bem o universo de Tolkien e sabe as diferenças entre as personagens da “terra média” é Peter Jackson. “‘O Hobbit’ é um livro para crianças e o ‘Senhor dos Anéis’ é outra coisa diferente. Não foi escrito para crianças. Eu percebi que as personalidades dos dwarfs são muito diferentes. A energia e o desleixo pelo politicamente correcto dão um certo espírito de divertimento ao ‘Hobbit’”, confessou Jackson, citado pelo Reelz. O realizador acrescentou ainda: “A minha preocupação era fazer com que 13 dwarfs barbudos fossem diferentes uns dos outros e fosse possível distingui-los. Neste filme, com Bilbo e Gandalf, no total são 15 personagens, mas até agora está a correr bem. Os dwarfs trazem uma qualidade de comédia que é diferente de ‘O Senhor dos Anéis’”.

“O Hobbit” vai ser gravado em alguns dos mesmos locais de “O Senhor dos Anéis”. Por exemplo, o cenário de Hobbiton é o mesmo. Peter Jackson fez questão que assim fosse para manter o visual e a mesma aparência da “terra média”. “Quero que pareça que estamos a voltar à ‘terra média’. Que este dois filmes pertencem ao inicio da história contada na trilogia ‘Senhor dos Anéis’.” O elenco é formado por Martin Freeman (o jovem Bilbo) e Ian Holm vai repetir o seu papel de “O Senhor dos Anéis” como o velho Bilbo. Cate Blanchett (Galadriel), Elijah Wood (Frodo), Andy Serkis (Gollum/Smeagol), Ian McKellen (Gandalf), Christopher Lee (Saruman) e Orlando Bloom (Legolas) também estarão presentes na tela. “O Hobbit: Uma Jornada Inesperada” chega aos cinemas a 14 de Dezembro deste ano. A segunda parte do filme estreia em 13 de Dezembro de 2013.


TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

12

DESPORTO

OPEN DA AUSTRÁLIA MARIA JOÃO KOEHLER ELIMINADA POR CLJSTERS Maria João Koehler foi eliminada do Open da Austrália, depois de ter perdido com a campeã em título Cljsters, por parciais de 7-5 e 6-1. A tenista portuguesa, 223 classificada no raking WTA, ainda deu luta no primeiro ‘set’ e ameaçou várias quebras de serviço, mas não conseguiu superar a adversário belga. No torneio masculino, Rafael Nadal e Roger Federer não tiveram problemas em superar a 1.ª eliminatória, com vitórias claras por 3-0. O tenista espanhol eliminou o norte-americano Alex Kuznetsov, com parciais de 6-4, 6-1 e 6-1, enquanto Fedex levou a melhor sobre o russo Alexandr Kudryavtsev (7-5, 6-2 e 6-2). No primeiro dia do Open da Austrália houve, contudo, várias surpresas no torneio masculino, uma vez que tenistas como Verdasco, Alberto Montanes, Ljubicic, Juan Monaco, Jurgen Melzer e Davydenko foram eliminados por adversário teoricamente inferiores, logo na primeira ronda. MARADONA OPERADO PARA REMOVER PEDRAS NOS RINS O ex-futebolista argentino Diego Maradona foi submetido a uma cirurgia para remoção das pedras nos rins e deverá ter alta nas próximas horas. A informação foi avançada pelo porta-voz do Canadian Specialist Hospital, no Dubai. Maradona, que actualmente treina o Al Wasl, dos Emirados Árabes Unidos, deverá ter alta nas próximas horas. Maradona foi admitido no hospital no domingo, com queixas de fortes dores abdominais. O técnico de 51 anos, que orientou a Argentina no Mundial 2010, tem passado por vários problemas de saúde, tendo mesmo passado dez dias nos cuidados intensivos, em 2004, com problemas respiratórios. Depois de deixar o futebol, na década de 1990, Maradona debateu-se com problemas de toxicodependência, obesidade e alcoolismo. Em 2005 foi sujeito a uma operação para lhe ser colocada uma banda gástrica, e dois anos depois voltou ao hospital com hepatite. DAKAR HÉLDER RODRIGUES PEDE MAIS APOIOS Hélder Rodrigues (Yamaha) foi o português mais bem classificado na edição deste ano do Dakar, ao terminar a prova no terceiro lugar da geral nas motas, atrás de Cyril Despres e Marc Coma, ambos KTM, igualando assim o resultado do último ano. Em declarações à Antena 1, o motard português mostrou-se muito satisfeito com a classificação obtida, mas sublinhou que “agora as coisas têm de evoluir mais um bocadinho”. “Uma equipa mais forte, uma ajuda maior da parte de todos os patrocinadores, e muito trabalho”; para Hélder Rodrigues, são estes os elementos que faltam para que possa melhorar o 3º lugar conquistado na classificação geral, resultado obtido também no último ano. No entanto, o piloto da Yamaha foi este ano mais consistente e alcançou a terceiro posição bastante cedo, ao contrário do que aconteceu na edição de 2011, em que subiu ao pódio só na última especial. Apesar de considerar que é possível chegar mais alto, Hélder Rodrigues mostrou-se muito satisfeito com o resultado obtido. “É muito bom estar na elite, com os melhores do Mundo. Estão ali dois pilotos à minha frente, que já venceram, entre eles, sete edições do Dakar, por isso não é fácil batê-los”, lembrou o português mais bem classificado de sempre na prova rainha de todo-o-terreno.

Macau Polo Club disputa torneio na Tailândia

Golos a galope Marco Carvalho

D

info@hojemacau.com.mo

OIS atacantes, dois defesas, uma bola branca de oito centímetros, um relvado bem tratado e uma simbiose perfeita entre a perícia do cavaleiro e a ligeireza do cavalo. Até há pouco mais de um ano, falar de desportos de montaria em Macau era falar impreterivelmente das iniciativas organizadas pelo Jockey Club, mas a persistência de três entusiastas das artes equestres bastou para que o nome da RAEM começasse a despontar fora de portas por outros motivos que não corridas e apostas. Rodrigo Mendia de Castro, Pedro Bettencourt e Gonçalo Cabral fundaram em Março a primeira associação de pólo equestre do território para ajudar a divulgar uma modalidade sem historial em Macau, mas que conta com um número crescente de praticantes um pouco por toda a Ásia. Países como a Tailândia e a Malásia têm enorme tradição nas lides do pólo equestre e é na Tailândia que se disputa até ao próximo fim-de-semana um dos principais torneios asiáticos da modalidade. A edição de PUB

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO N.° 15/AI/2012

-----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se a infractora GANBAT SUVDERDENE que, na sequência do Autos de Notícia n.º 1/DI-AI/2011, de 01.01.2011, levantado pela DST, por prestação ilegal de alojamento da fracção autónoma situada na Rua de Cantão, Edifício I San Kok, 20° andar A, bem como por despacho do signatário de 12.01.2012, exarado no Relatório n.º 16/DI/2012, de 09.01.2012, foi determinado a aplicação de uma multa de $200.000,00 (duzentas mil patacas), e ordenado a cessação imediata da prestação ilegal de alojamento no prédio ou da fracção autónoma em causa, nos termos do n.˚1 do artigo 10.º e n.˚1 do artigo 15.°, todos da Lei n.º 3/2010. ----------------O pagamento voluntário da multa deve ser efectuado no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, de acordo com o n.° 1 do artigo 16.° dos Lei n.° 3/2010, findo o qual será cobrada coercivamente através da Repartição de Execuções Fiscais, nos termos do n.° 2 do artigo 16.° do mesmo diploma.---------------------------------Da presente decisão cabe recurso contencioso para o Tribunal Administrativo, a interpor no prazo de 60 dias, conforme estipulado na alínea b) do n.° 2 do artigo 25.° do Código do Processo Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto-Lei n.° 110/99/M, de 13 de Dezembro e no artigo 20.° da Lei n.° 3/2010.----------------------------------------------------------------------------------------------------------Haverá lugar à execução imediata de decisão caso esta não seja impugnada. ------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d’Assumpção n.ºs 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18° andar, Macau. -----------------Direcção dos Serviços de Turismo, em Macau, aos 12 de Janeiro de 2012. O Director dos Serviços, João Manuel Costa Antunes

2012 do BMW-B Grimm Thai Polo Open reúne em Pattaya um total de nove formações, oriundas de países como a Malásia, Singapura ou a República Popular da China. Rodrigo Castro, Pedro Bettencourt e Gonçalo Cabral disputam a prova pelo segundo ano consecutivo, mas o certame pauta a estreia oficial do Macau Polo Club em grandes torneios internacionais. Coube, de resto, à formação do território abrir a competição, num braço-de-ferro equilibrado frente aos malaios do Ranhill. A competir perante um adversário mais experiente, o quatro de Macau não se deixou intimidar e abriu o marcador no início do primeiro dos sete períodos do encontro (denominados

de chukka na gíria da modalidade), antes de permitir o empate ao adversário. Bem disputado, o desafio terminou com a derrota da formação capitaneada por Rodrigo Mendia de Castro pelo parcial de 7 - 5 1/2. No domingo, o quatro do território voltou a esgrimir argumentos contra um adversário oriundo da Malásia, acabando por repetir o teor e a amplitude do resultado. A derrota frente ao La Sarita afastou o Macau Polo Club da luta pelas quatro primeiras posições no torneio tailandês, mas os representantes da RAEM ainda estão a tempo de alcançar o que consideram ser uma prestação de excelência na prova: “Não conseguimos alcançar o grupo das equipas que vão

disputar os quatro primeiros lugares, mas também não tínhamos ilusões. Éramos claramente a equipa menos forte em prova e ainda assim conseguimos sair de cabeça erguida de ambos os encontros, ao perdermos por um parcial muito equilibrado. Vamos tentar o nosso melhor nos encontros que temos pela frente. Se conseguíssemos terminar o Open em sexto lugar seria excelente”, confidencia Rodrigo Mendia de Castro. O Macau Polo Club volta a entrar em campo já esta tarde, num desafio difícil frente aos chineses da Team Axus. Na segunda fase da prova, o quatro do território terá que esgrimir argumentos com as outras quatro formações que não conseguiram um lugar no grupo de elite da edição de 2012 do Open de Pólo da Tailândia. Para além da Team Axus, o conjunto da RAEM vai ainda esgrimir argumentos com as formações do EFG Bank, do Ranhill e com os anfitriões do Thai Polo. Troika, La Sarita, Royal Pahang e BRDB-IBIL vão lutar entre si pelos dois lugares em aberto no encontro decisivo da competição, um desafio que se disputa no próximo sábado. Sem poder contar com estruturas adequadas à prática da modalidade na RAEM, os dinamizadores do Macau Polo Club têm como quartel-general o Thai Polo and Equestrian Club, organismo responsável pela organização do Open tailandês da modalidade. Para além da Tailândia, o pólo equestre é hoje um desporto com raízes firmadas em países e territórios como a Malásia, Singapura ou as Filipinas. Na República Popular da China, a modalidade começa também a encontrar o seu próprio espaço, como parece indicar o aparecimento de clubes e associações em cidades como Xangai ou Tianjin, onde se pratica a variante de pólo na neve.


Cineteatro | PUB

[ ] Cinema

[f]utilidades TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

13

SALA 2

THE DARKEST HOUR 3D [B] Um filme de: Chris Gorak Com: Emile Hirsch, Olivia Thirlby 14.30, 16.30, 19.30, 21.30 SALA 3 SALA 1

THE AWAKENING [C] Um filme de: Nick Murphy Com: Rebecca Hall, Dominic Wes 14.30, 19.30, 21.30

FROM UP ON POPPY HILL [A] FALADO EM CANTONÊS Um filme de: Gora Miyazaki 16.30

NEW YEAR’S EVE [B]

Um filme de: Garry Marshall Com: Halle Berry, Jessica Biel, JonBon Jovi 14.30, 16.45, 19.15

LAUGHING GOR TURNING POINT 2 [C]

Aqui há gato

FALADO EM CANTONÊS LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Herman Yau Com: Michael Tse, Francies Ng, Chapman To 21.30

VERTICAIS: 1-Superfície côncava. Oceano. 2-Projécteis. Contrariedade, ravia (Interj.). 3-Que serve de asa. Lentura. 4-Partícula empregada nos nomes geográficos, e que significa para cá ou aquém. Relativo ao dorso. 5-Postura. Emissão de urinas azuladas. 6-Para (Red.). Anda! 7-Enganada (Fig.). Serra do Algarve. 8-Vento do Sul, suão. Dirigir-se para cá. 9-Adverti. Proibição, recusa. 10-Flutuai. Puxara com o rodo. 11-Para o lado de onde sopra o vento (Náut.). Prender com açaime.

SOLUÇÕES DO PROBLEMA

Su doku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: 1-Fruto do abacateiro. Nome de mulher. 2-O m. q. balar. Diz-se da batalha entre navios. 3-Folhas de certas palmeiras em que se escrevia. Prurido. 4-Botequim. Balsa da lagarada. 5-Indivíduo de grande valor e notoriedade. Unguento preparado com a parte mucilaginosa da raiz de alteia. 6-Discurso laudatório. Nome de homem. 7-Inclinado (o navio). Deus-Sol, no antigo Egipto. 8-Isola como em ilha (Fig.). Transita. 9-Causara a morte. Contemplam. 10-Suprimi, anulei. Insígnia eclesiástica que os bispos, arcebispos e cardeais poem na cabeça. 11-Multidão. Caçar com o furão.

[Tele]visão TDM 13:00 13:30 14:30 16:35 18:00 18:30 19:30 20:30 21:00 21:30 22:00 23:00 23:30 00:00 00:30

TDM News - Repetição Jornal das 24h RTPi DIRECTO Liga Sagres: Braga - Sporting (Repetição) That 70\’s Show (Que Loucura de Família) TDM Desporto (Repetição) Amanhecer Telejornal TDM Entrevista Grande Entrevista com António Arnaut e António Reis Passione TDM News A Verde e as Cores Telejornal (Repetição) RTPi DIRECTO INFORMAÇÃO TDM

RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:30 Alta Pressão 15:00 Ingrediente Secreto – Café 15:30 Grande Reportagem-SIC 16:00 Bom Dia Portugal 17:00 O Elo Mais Fraco 17:45 Resistirei 18:30 A Hora de Baco 19:00 Himalaias – A Viagem dos Jesuítas Portugueses 20:00 Jornal da Tarde 21:15 O Preço Certo 22:00 Nativos Digitais 22:45 Portugal no Coração ESPN 30 12:30 (Delay) Innsbruck Winter Yog 2012 Daily H/L 13:30 2011 World Cup Of Trick Shots 14:30 Asean Basketball League 2012 Philippine Patriots vs. Bangkok Cobras 16:30 Winter X Games Classix 17:30 Len European Short Course Swimming Championships 19:30 (LIVE) Sportscenter Asia 2012 20:00 The Football Review 20:30 Emotional Celebration 21:00 Winter X Games Classix 22:00 Sportscenter Asia 2012 22:30 The Football Review 23:00 Emotional Celebration 23:30 Innsbruck Winter Yog 2012 Daily H/L

STAR SPORTS 31 08:00 (LIVE) Australian Open 2012 20:00 Max Power 2012/13 21:00 Game 21:30 (LIVE) Score Tonight 2012 22:00 FA Cup 2011/12 Highlights 22:30 (Delay) Australian Open 2012 Day #2 Highlights 23:30 Australian Open 2012 Men’s / Women’s 1st Round FOX MOVIES 40 12:40 Vantage Point 14:15 The One 15:45 Bewitched 17:30 One Fine Day 19:20 500 Days Of Summer 21:00 Date Night 22:45 The Switch 00:30 Post Grad HBO 41 12:00 14:15 16:30 18:15 20:00 22:00 23:50

You Don’T Know Jack The Score Mother Leap Of Faith It’s Complicated Temple Grandin Van Helsing

CINEMAX 42 12:45 14:15 16:00 17:30 19:15 19:35 20:10 22:00 23:25

Weird Science The Beast Agent For H.A.R.M. Funeral In Berlin The Making Of Funny People Hollywood Buzz Boardwalk Empire Frankenfish Scarface

HORIZONTAIS: 1-ABACATE. ANA. 2-BALIR. NAVAL. 3-OLAS. PRUIDO. 4-BAR. CROSSA. 5-AS. DIALTEIA. 6-D. LOA. ARI. Ç. 7-ADERNADO. RA. 8-INSULA. VAI. 9-MATARA. VEEM. 10-ABOLI. MITRA. 11-ROR. AFUROAR. VERTICAIS: 1-ABOBADA. MAR. 2-BALAS. DIABO. 3-ALAR. LENTOR. 4-CIS. DORSAL. 5-AR. CIANURIA. 6-T. PRA. ALA. F. 7-ENROLADA. MU. 8-AUSTRO. VIR. 9-AVISEI. VETO. 10-NADAI. RAERA. 11-ALO. AÇAIMAR.

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA PONTO ÓMEGA • Don DeLillo

No deserto do Arizona. Um jovem realizador obcecado com uma ideia para um filme: um único plano-sequência, uma única personagem. Frente à câmara e encostado à parede («como num assalto ou num fuzilamento»), está Richard Elster, um intelectual que, ao serviço do Pentágono, traçou a cartografia conceptual da Guerra do Iraque («eu queria uma guerra em haiku… uma guerra em três versos»). Quando a filha de Elster entra em cena, o fio da conversa filosófica dos dois homens é abruptamente cortado e a dinâmica da história conhece uma dramática inflexão.

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição SOLUÇÃO DO PROBLEMA DO DIA ANTERIOR

JORNAL DE LETRAS, ARTES E IDEIAS

Jornal quinzenal de informação especializada que aborda de forma ligeira e opinativa as diversas áreas da cultura (literatura, teatro, cinema, música, etc.). Assuntos actuais do mundo da cultura; Avaliação dos principais acontecimentos nas várias artes (novos livros, exposições, espetáculos, etc.); Antevisão crítica dos vários acontecimentos nas diversas áreas da cultura; Entrevistas a personalidades das várias áreas culturais; Destaque de livros, discos, cinema. Disponibilidade garantida mediante assinatura. RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

ZEROS A PERDER DE VISTA Steve Wynn é um homem de visão - foi ele que transformou Las Vegas na cidade onde o jogo se tornou sinónimo de espectáculo, opulência e grandes hotéis. E está, como se sabe, também presente em Macau, onde a sua maneira de encarar o negócio fez escola. Esta semana, surgiu uma notícia dizendo que um dos sócios dele, Kazuo Okada, estava a processá-lo por não poder consultar os registos financeiros da empresa. Um dos pontos de discórdia foi um alegado donativo de 135 milhões de dólares, feito pela empresa de Wynn ao Fundo de Desenvolvimento da Universidade de Macau. Bom, para lá de qualquer discussão, até um gato vê o óbvio: uma doação e pêras. Ora ainda estava eu meio zonzo com esta história quando aparece outra de eriçar o pêlo. Segundo o dirigente da ANIMA - associação protectora de animais aqui no território -, Wynn passou um cheque de dois milhões de patacas (!) a esta instituição. Longe de mim querer pôr em causa tanta amizade pelos animais, mas lá diz o ditado que quando a esmola é muita o gato desconfia. A curiosidade, porém, toma muito mais conta de mim do que a desconfiança, pelo que fui investigar melhor a coisa. Um dado chamou-me a atenção: Steve Wynn vê mal. Atingido por uma doença degenerativa da retina, o multimilionário tem um episódio famoso: há uns anos, espetou o cotovelo num Picasso que tinha em casa, por calcular mal a distância a que se encontrava do quadro. Fez-lhe um furo com o gesto, enquanto os amigos presentes engoliam em seco. Azar dos azares, já tinha a venda assegurada da obra, por 139 milhões de dólares (comprara-o por menos de 50 milhões), e o negócio foi à vida. Wynn acabou por ficar com o quadro e descreveu a história como o seu “momento Closeau”. Este Closeau, detective trapalhão interpretado por Peter Sellers, descobria pouca coisa. Eu, na posse de toda esta informação, prefiro o Sherlock Holmes para vos dar a solução do caso. Para mim, todas estas doações de muitos milhões são apenas erros de percepção - quando Wynn preenche os cheques, só vê metade dos zeros... Pu Yi


TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

14

OPINIÃO ca d er n o d i á r i o Pedro Correia

TERÇA, 10 “Uma pequena história narrada numa escala épica.” A definição é de Barry Norman, um dos mais prestigiados críticos de cinema britânicos, e parece a que melhor capta a essência deste filme desmesurado, que transcende todos os padrões do cinema conhecido no final da década de 30, e de algum modo antecipou tendências: “E Tudo o Vento Levou” funciona como raiz ancestral de todas as ficções telenovelescas que se tornaram uma maçadora banalidade dos nossos dias. A receita não voltou a pegar: revejase “O Gigante” (George Stevens, 1956), por exemplo: não há comparação possível. A diferença reside no carácter pioneiro desta ficção que pretende celebrar os “valores” sulistas dos EUA totalmente ao arrepio da torrente da história na América progressista de Franklin Roosevelt: há um certo charme neste assumido anacronismo. E é também uma questão de escala: tudo foi concebido em grande pelo produtor do filme, David O. Selznick - megalómano, ególatra, dotado de uma tenacidade quase lendária, produtor ímpar da era de ouro do cinema norte-americano. Selznick só sabia pensar em grande. Para ele, mais era sempre sinónimo de melhor: nunca se contentou em ficar a meio caminho. Reuniu a maior equipa técnica, o maior naipe de figurantes, o maior número de estrelas. Conseguiu o maior número de nomeações (onze, obtendo um total de oito estatuetas) para os Oscars de Hollywood. E sobretudo alcançou a maior receita de bilheteira: se actualizarmos o valor da inflação, “E Tudo o Vento Levou” foi provavelmente o maior campeão de bilheteira de todos os tempos. O génio empresarial de Selznick ficou logo patente nessa brilhante jogada publicitária que foi a escolha do elenco para o filme, estreado no cinema Fox, em Atlanta, a 15 de Dezembro de 1939. Todas as actrizes conceituadas da época e muitas aspirantes ao estrelato, de uma forma ou outra, manifestaram interesse em conseguir o papel principal, o de Scarlett O’ Hara. Um megaconcurso de testes cinematográficos que acabou por servir de rampa de lançamento para a fama de uma britânica de 25 anos, em início de carreira. Chamava-se Vivien Leigh. Sem ela, “E Tudo o Vento Levou” não seria o que foi. Não seria o que é. Se compararmos o cinema às grandes criações literárias, a Scarlett de celulóide equivale a uma das grandes personagens romanescas de que há memória. Com a sua força de carácter, a sua vivacidade, o seu apego tenaz aos valores familiares, à herança do sangue, aos vínculos afectivos à terra-mãe. Numa das cenas mais marcantes do filme, o pai de Scarlett, Gerald O’ Hara (grande interpretação de Thomas Mitchell, um dos secundários mais talentosos de Hollywood), diz-lhe: “A terra é a única coisa do mundo por que vale a pena lutar ou morrer.”

Victor Fleming, único que figurou nos créditos finais, George Cukor (responsável por algumas cenas marcantes, como a da discussão inicial entre Scarlett e Mammy), Sam Wood e o fotógrafo William Cameron Menzies. Mas é um filme de Selznick, sem sombra de dúvida. Num tempo em que o produtor concebia a obra de arte e o realizador era apenas o seu artífice. Outros tempos, outros costumes. Numa cena capital, Rhett diz para Scarlett: “É um momento histórico. Pode dizer aos seus netos como viu o Sul desaparecer numa noite.” A última frase do filme, proferida por uma Vivien Leigh em estado de graça, é uma das mais célebres de sempre na Sétima Arte: “Amanhã será outro dia.” Verdade histórica, verdade cinematográfica. O facto é que o cinema não voltaria a ser o mesmo.

Ela faz desta frase um lema de vida. E remete tudo o resto a um plano inferior, fiel ao juramento que fará mais tarde: “Deus é testemunha que não deixarei ninguém derrotar-me.” Indiferente aos ventos da história, que sopram implacáveis contra o orgulhoso Sul tão bem descrito pelo capitão Rhett Butler (Clark Gable) em vésperas da eclosão da guerra civil norte-americana. “Os sulistas”, sublinha ele, “só têm palavras, escravos e arrogância.” Guerra e amor, os dois maiores condimentos do cinema clássico, estão presentes em “Gone With the Wind”. Mas o que mais prende a atenção do espectador, num filme que tem largas dezenas de personagens, é o destino de um quarteto: Scarlett, Rhett, Melanie (Olivia de Havilland) e Ashley. Personagens convictas, cada qual a seu modo, de que aquela guerra significaria “o fim do nosso mundo”, como um angustiado Ashley (Leslie Howard) diz à sua apaixonada Scarlett em vésperas da mobilização geral no Sul. Ironias do destino: no momento em que o filme estreou, também na vida real se travava uma guerra que mudaria para sempre a face do mundo. E o britânico Leslie Howard estaria envolvido nela, como agente de Churchill, acabando por ser abatido em 1943, num voo entre Lisboa e Bristol, no Reino Unido, pela aviação nazi. “E Tudo o Vento Levou” é uma película cheia de momentos memoráveis. Momentos visuais e também auditivos: as primeiras quatro notas do Tema de Tara, composto por Max Steiner, são ainda hoje reconhecíveis em todo o mundo. Como esquecer as cenas do baile (que serviu de inspiração a outros filmes que deixaram rasto, como “O Padrinho” e “O Caçador”), o incêndio de Atlanta, as imagens do fim da guerra e da subsequente devastação que atingiu o sul dos EUA, a morte da criança e a vasta escadaria

Há, por exemplo, uma história espantosa sobre a última declaração atribuída ao presidente-rei Sidónio Pais momentos antes de expirar, vítima de uma bala assassina, na estação ferroviária do Rossio, perto da meia-noite de 14 de Dezembro de 1918: “Sei que morro! Salvem a pátria...” na mansão da família O’ Hara que serve de excelente metáfora das relações sentimentais - os degraus parecem poucos quando o amor predomina e dir-se-iam intermináveis quando o ódio prevalece? Qual o segredo de Selznick para que este filme de 1939 parecesse muito à frente da sua época e ainda hoje permaneça no imaginário dos espectadores? O segredo de sempre: soube rodear-se dos melhores. Entre a equipa de argumentistas, por exemplo, figurou um tal Scott Fitzgerald. Capaz, como outros, de reduzir as 1037 páginas do romance de Margaret Mitchell, galardoada com o Pulitzer, para cerca de um terço. Por uma vez sem exemplo, less was more. Comecei por falar em Selznick, acabo o texto também a invocá-lo. Porque nenhum outro grande protagonista do cinema como ele perturbou tanto a “política de autores” teorizada na década de 50 por alguns críticos franceses, que centravam as suas análises no realizador, apontando-o como o verdadeiro autor de um filme. Selznick era uma carta fora do baralho: é dele que se fala ainda hoje, quando se fala de “Gone With the Wind”. O filme chegou a ter quatro realizadores:

QUARTA, 11 Nos últimos meses tenho vindo a coleccionar as últimas frases de figuras célebres, portuguesas e estrangeiras. Várias delas apócrifas, naturalmente. É uma tarefa que pareceria macabra mas acaba afinal por tornar-se divertida. A última frase de Humphrey Bogart, por exemplo, é genial: “I should never have switched from scotch to martinis.” Outra das melhores últimas frases de sempre foi de outro actor norte-americano, Douglas Fairbanks, em 1939: «Nunca me senti tão bem.” Há, por exemplo, uma história espantosa sobre a última declaração atribuída ao presidente-rei Sidónio Pais momentos antes de expirar, vítima de uma bala assassina, na estação ferroviária do Rossio, perto da meianoite de 14 de Dezembro de 1918: “Sei que morro! Salvem a pátria...” Esta frase resultou da pura invenção de um jornalista: o célebre Repórter X, que nessa noite chegou atrasado à estação do Rossio e procurou compensar o atraso empolgando a história dando-lhe contornos ainda mais dramáticos. O certo é que a lenda se tornou verdade. Como no filme do John Ford: “When lhe legend becomes fact, print the legend.” Uma das mais célebres frases apócrifas de todos os tempos é a do general Custer, em Little Big Horn: “Rapazes, vamos dar cabo daqueles índios!” Acontece também por vezes na política: os “índios” afinal são bastante mais do que parecem. Enfrentá-los em batalha aberta é puro suicídio. Aprende-se sempre alguma coisa nestas pesquisas, onde a história se entrelaça com a ficção. QUINTA, 12 Princípio básico: há que resistir à tentação de disparar sobre o mensageiro quando surgem as más notícias. SEXTA, 13 A frase da semana: “Numa época de universalização da mentira, dizer a verdade é um acto revolucionário.” (George Orwell)


Ciclone

As motorizadas de Macau ficariam bem melhores no fundo daquele aterro em frente à Ponte da Amizade, bem cobertas de areia, do que estacionadas nos passeios etc. Por Fernando

TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

15 à f l or d a p el e Helder Fernando

As malhas que a região tece I Manifesta falta de agentes policiais para combater vários tipos de crimes como agiotagem, sequestros e outros relacionados com o crescimentos astronómico da indústria do jogo. Sector imobiliário é alvo constante de duras críticas, nomeadamente pelos preços, também astronómicos, com que coloca no mercado habitações para vender e alugar. Tráfico de droga, logo a partir do aeroporto, também cresce, principalmente em número de casos de transporte de droga no interior de corpo humano. É o próprio director da PJ, admitindo o aumento da criminalidade, a afirmar que “a RAEM é um ponto de passagem para o tráfico”. Qualquer dos leitores pode acrescentar: não apenas de droga. E continua como bom assunto de conversa a utilização de tecnologia avançada em muitos crimes de burla. Negócios diferenciados com trabalhadores ilegais têm historial longo em Macau. Uma reportagem da televisão local MASTV, faz eco do que se comentava há muito: no chamado “Jardim Triangular”, há anos que estará montado um autêntico mercado de trabalhadores ilegais. O provável, há quem diga, é a existência de outros lugares, na região, para o efeito. Tudo na maior tranquilidade, assim como o comportamento inacreditável de alguns “profissionais” dos táxis que continuam descontraidamente a utilizar espaços não destinados a paragens oficialmente reconhecidas e identificadas, para levarem à prática duvidosas operações de exploração de incautos - entre outras atitudes intoleráveis para o cidadão comum, mas aparentemente toleradas pelas autoridades. Como compensação, estão a chegar aumentos nos preços. As malhas que a região vai deixando tecer. Apesar dos 28 milhões de visitantes em 2010, mais os quase 600 mil cidadãos residentes, tudo isto em apenas 30 quilómetros quadrados, a situação bem podia ser melhor. Valores que aumentam todos os dias. São as presentes concepções de desenvolvimento social. II Logo à partida, dá imensa vontade de rir aquela faceta ingénua do principal treinador da selecção de futebol de Macau no estranho caso do voto para o melhor jogador de futebol

do mundo, bem como o melhor treinador. O seleccionador local, recebido o formulário da FIFA, das mãos da Associação de Futebol, votou por ele e pelo capitão da nossa selecção. Um dois em um nada desportivo. Sem fazer ideia, garante o sujeito, de como funcionam as coisas, uma vez que a Associação nunca lhe explicou. Interessante, este bastidor do futebol de Macau. Vale mesmo

é o entusiasmo posto pelas equipas dentro das quatro linhas. III Desde sempre seguidas com a maior atenção por Pequim, as mais recentes eleições em Taiwan, no fim-de-semana passado, deram nova vitória a Ma Ying-jeou, assim reeleito chefe de Estado. Satisfação dos dirigentes

? O seleccionador local, recebido o formulário da FIFA, das mãos da Associação de Futebol, votou por ele e pelo capitão da nossa selecção. Um dois em um nada desportivo. Sem fazer ideia, garante o sujeito, de como funcionam as coisas, uma vez que a Associação nunca lhe explicou. Interessante, este bastidor do futebol de Macau.

chineses, uma vez que o principal adversário do presidente taiwanês, uma adversária com peso relativo, era a independentista Tsai Ing-wen que, naturalmente, fartou-se de defender a independência formal da ilha face à RPC.  Aqui e ali, com a discrição posta nestes assuntos, as autoridades chinesas deixam escapar alguma satisfação pelos resultados eleitorais na chamada “ilha rebelde”. Pretende-se estabilidade, passados que são 63 anos desde a vitória militar dita comunista, com a respectiva implantação da RPC e a fuga dos ditos nacionalistas para Taiwan. Para já, Ma é a figura que de momento melhor personifica a intenção política desse desejo de paz e estabilidade. Como se sabe, este 2012 é um ano importante para a China. Por diferentes razões. Duas delas: a renovação da sua cúpula dirigente (dentro de 10 meses), e a confirmação da China como uma das nações com maior crescimento económico do mundo (e não somente económico).  IV Pronto, já não se fala tanto do Natal, não se corre aos presentes, não se fala em paz, amor e doçarias, não se massacram os ouvidos com os jingle bells repetitivamente enjoativos. Tudo regressou rapidamente à normalidade, para o ano há mais.  Por este Oriente é a época do Kung Hei Fat Choi, o tradicional desejo de bom ano, também repleto de sentimentos maravilhosos e alguma barulheira rebentando pelo ar - muitíssimo menos do que há uns bons anos, pelo menos em Macau. Até os panchões se tornaram enjoativos, quase saindo da longa moda. Se calhar a lei anti-tabaco (com alguns disparates no seu conteúdo) ajudou a termos muito menos fumarada estrondosa, embora não abranja a fumarada dos foguetórios. V O gosto da palavra escrita e dita. O movimento  por vezes hierático da nossa língua - cada vez mais bela, cada vez mais rica em expressões e em fonéticas. Há palavras inevitáveis, como há momentos da vida que também o são. Vida e palavra, constroem-nos, não podemos passar ao lado de nenhuma delas. Não existimos se o fizermos.

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Redacção Andreia Sofia Silva; Gonçalo Lobo Pinheiro; Joana Freitas; José C. Mendes; Nuno G. Pereira; Virginia Leung Colaboradores António Falcão; António Graça de Abreu; Carlos Picassinos; Hugo Pinto; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros; Vanessa Amaro Colunistas Arnaldo Gonçalves; Carlos M. Cordeiro; Boi Luxo; Correia Marques; Hélder Fernando; Jorge Rodrigues Simão; José I. Duarte, José Pereira Coutinho, Marinho de Bastos; Paul Chan Wai Chi; Pedro Correia; Peng Zhonglian Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Laurentina Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


c a r t o on por Steff

ABANDONAR O NAVIO

H5N1 MACAU SOSSEGA CIDADÃOS SOBRE GRIPE A Associação de Laboratórios Tecnológicos de Macau recordou informações para evitar preocupações dos residentes após os recentes casos de H5N1 revelados em Hong Kong. A associação sublinhou que, segundo a Organização Mundial de Saúde, não existem provas de que as aves cozinhadas e os seus ovos possam ser veículos de transmissão do H5N1. O contacto directo com os animais é a única via conhecida de transmissão do vírus. GLOBOS A DAMA DE FERRO E O ARTISTA O filme francês “O Artista” e o drama “Os Descendentes” repartiram a glória na 69.ª edição dos Globos de Ouro, com três e dois galardões cada um, respectivamente. “O Artista”, de Michel Hazanavicius, ganhou como melhor comédia ou musical, melhor actor nesse domínio (Jean Dujardin) e melhor banda sonora original (Ludovic Bource). “Os Descendentes” venceu nas categorias de melhor drama e melhor actor de drama (George Clooney). Meryl Streep arrecadou o Globo de Ouro para melhor actriz de drama pelo desempenho em “A Dama de Ferro”, enquanto Michelle Williams ganhou o prémio de melhor actriz em comédia pelo seu desempenho de Marilyn Monroe no filme “Uma Semana com Marilyn”. GUANGZHOU FEIRA ORIGINA QUATRO PROTOCOLOS Terminou dia 15 a primeira edição da “Feira de Produtos Famosos de Macau-Guangzhou 2012”. Os três dias do evento, segundo a organização, revelaram-se um “sucesso” na promoção de artigos oriundos das duas regiões. No total, foram assinados quatro protocolos de cooperação, na área dos produtos culturais e criativos. Realizaram-se ainda 698 bolsas de contacto e 135 mil pessoas passaram pelo evento. TAILÂNDIA POLÍCIA ENCONTRA MATERIAL PARA BOMBAS A polícia da Tailândia encontrou ontem material utilizado para o fabrico de bombas num armazém perto de Banguecoque, trazido por um alegado terrorista líbio detido na quinta-feira, informou a imprensa local. Atris Hussein, o alegado terrorista membro do grupo xiita Hezbollah, foi escoltado pelos agentes até ao armazém onde foram detectados, em várias caixas, fertilizante de ureia e nitrato de amónio líquido, componentes químicos com os quais se podem fabricar explosivos.

TERÇA-FEIRA 17.1.2012 www.hojemacau.com.mo

ÁSIA PREOCUPADA COM QUEDA DO EURO

O

Naufrágio do Costa Concórdia sobe para seis mortos

Comandante visto a beber

A

lista de vítimas do acidente ocorrido com o navio cruzeiro Costa Concórdia já subiu para seis mortos. Ontem foram encontrados os corpos de dois idosos que ficaram presos junto à popa do navio. Até ao momento, encontram-se desaparecidas 15 pessoas. Neste momento, as buscas a eventuais vítimas e desaparecidos encontra-se suspensa, devido ao facto do navio se ter movido e se encontrar apoiada em três pontos de uma rocha, perto de uma falha com 70 metros de profundidade. A presença do Costa Concórdia junto à ilha de Giglio poderá originar danos ambientais “muito elevados”, sendo necessária uma “intervenção urgente”, segundo Corrado Clini, ministro do ambiente italiano. Isto porque a embarcação contém 2390 toneladas de combustível no seu interior, mas até

ao momento não houve nenhuma fuga para o mar.

ERRO HUMANO

As últimas declarações proferidas pelas autoridades às agências notícias apontam para a responsabilidade do comandante, Francesco Schettino.

Tanto o ministro da defesa de Itália como o presidente da Costa Cruises (proprietária do navio) falam da existência de “erro humano”. O tempo gasto entre o embate e a chamada de alarme para a capitania terá sido de, aproximadamente, uma hora, o que levou o responsável pela investigação a questionar “porque é que o comandante esperou tanto tempo”. Declarações de passageiros aos jornais ingleses mostram que Francesco Schettino esteve a beber no bar do navio antes de pegar no leme. “O que mais me escandalizou foi ver o capitão a estar horas no bar a beber agarrado a uma mulher, antes de embater na rocha”, contou ao The Sunday Telegraph Monique Maurek, uma holandesa de 41 anos. A Carnival Corporation, dona da proprietária do navio, já disse num comunicado que a empresa deverá estar fora de serviço até ao final do ano.

SECTOR PROCURA DIVERSIFICAR-SE

Oportunidades na área da logística Virginia Leung

Virginia.leung@hojemacau.com.mo

 

O

jornal Ou Mun diz que a população acha que a reeleição de Ma Ying-jeou irá provocar uma maior aproximação entre a China e Taiwan. No entanto, as reacções por parte da área de logística local não são tão entusiastas, declarando que as três ligações entre China, Macau e Taiwan já existem há muito tempo e o volume de cargas tem vindo a diminuir de forma

contínua. Responsáveis daquela indústria afirmaram que o sector tem de acelerar se quer acompanhar o desenvolvimento na plataforma asiática, acrescentando que continuar o desenvolvimento às cegas só poderá causar mais problemas ambientais. Embora o sector veja no horizonte surgirem novas oportunidades de grandes projectos, ainda é cedo para avançar com estimativas. No entanto, segundo indicações desta indústria, Macau pode vir a desempenhar um papel importante na zona do sudeste asiático.

euro atingiu ontem o valor mais baixo em quase uma década face à moeda chinesa, ao descer para 8,0104 yuan, indicam as cotações do Banco Central da China. Foi a terceira descida do euro em duas semanas e atingiu a sua pior cotação face ao yuan desde Setembro de 2002. Há uma semana um euro valia 8,0221 yuan, menos 0,0556 que três dias antes. Pelas cotações do Banco Central Europeu, que são ligeiramente superiores às do Banco Central da China, no dia 17 de setembro de 2002, um euro valia apenas 7,9865 yuan. Em Dezembro de 2004, pelo contrário, um euro chegou a valer 11,284 yuan. Desde então, e sobretudo nos últimos três anos e meio, o euro desvalorizou-se cerca de 30% face à moeda chinesa. O yuan ainda não é inteiramente convertível, mas a sua cotação pode variar 0,5 pontos por dia face a um pacote de moedas internacionais que inclui o dólar norte-americano, o yen japonês, o euro e a libra britânica. Quando a moeda única europeia começou a circular, em Janeiro de 2002, um euro valia 7,4808 yuan e um mês depois desceu para 7,1447. Mas em Junho de 2002 a cotação do euro passou a barreira dos oito yuan e, apesar de algumas flutuações pontuais, desde Março de 2003 esteve quase sempre acima dos nove yuan.

JAPÃO APREENSIVO

O ministro das Finanças japonês, Jun Azumi, demonstrou a sua preocupação pela “rápida” queda do euro registada nos mercados de divisas, que o levou a atingir novos mínimos em 11 anos frente ao iene, na zona da Ásia-Pacífico.”O movimento é um pouco rápido e preocupa-nos”, disse em declarações recolhidas pela agência local Kyodo. A moeda europeia registou um novo mínimo de 97,04 ienes em Tóquio, pouco depois de ter atingido os 97,17 ienes na Oceânia. O ministro japonês evitou dar a sua opinião sobre o corte do “rating” na sexta-feira pela Standard & Poor a nove dos 17 países da zona euro, incluindo a França, que perdeu a classificação AAA.


Hoje Macau 17 JAN 2012 #2532