Page 1

TAIWAN

Delegação local refuta acusações de explorar empregados Agência Comercial Pico • 28721006

pub

última

pub

Mop$10

Ter para ler

Director carlos morais josé • quinta-feira 16 de maio de 2013 • ANO XII • Nº 2852

aguaceiros ocasionais min 26 max 31 hum 80-98% • euro 10.1 baht 0.2 yuan 1.2

Venham mais cinco (séculos)

Roberto Azevedo

ManifestAção contra fundação macau

o novo líder da Organização mundial do comércio

Maioria idosa desconhece porque estava na rua Página 2

Desigualdade SOCIAL Santa Casa pede revisão dos critérios da atribuição dos subsídios

centrais

Elevar parâmetros

O Instituto de Acção Social traçou um cenário com “tendência para não aumentar” mas a Santa Casa da Misericórdia não concorda com o pensamento do Governo. As desigualdades sociais são, de acordo com António José de Freitas, cada vez maiores e para isso, diz, o Executivo terá de rever os critérios de atribuição de subsídios. “Ajudamos pessoas que enfrentam a carestia de vida”, refere o provedor aludindo à Loja Social da SCM, bastante solicitada ultimamente. página 5

droga

IAS admite a criação de uma lei mais severa Página 6 pub

Jogo

SJM recebe oficialmente terreno no Cotai Página 7

fibra óptica

Deputado diz que José Chu viola dados pessoais Página 4


política

quinta-feira 16.5.2013

www.hojemacau.com.mo

tiago alcântara

2

Manifestação Muitos dos que protestaram contra Fundação Macau afinal não sabiam ao que iam

A ignorância debaixo de 29 graus A maioria dos que participaram no protesto organizado pelos operários eram idosos e não sabiam, sequer, porque estavam a manifestarse. Cheong Wen Fa negou que tenham sido influenciados a participar no movimento em troca de comida Cecília Lin

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

A

tarde de ontem esteve soalheira e a temperatura atingiu os 29 graus, mas nem isso demoveu a Associação de Mútuo Auxílio dos Operários de Macau (AMAO) de se manifestar nas ruas contra os apoios financeiros doados pela

Fundação Macau (FM). Contudo, as cerca de 500 pessoas que participaram no evento eram idosas e nem sequer sabiam porque estavam na rua. Cheong Wen Fa, presidente da AMAO, vestia uma t-shirt cor-de-rosa enquanto respondia aos jornalistas. As perguntas diziam respeito a alegadas pressões para os idosos participarem na manifestação a troco de taças de arroz. A resposta foi não. “Estes são os pais dos operários, porque os operários precisam de trabalhar. Estávamos à espera de 200 pessoas no centro da cidade mas vieram 500. Alguns deles não compreendem os assuntos da manifestação, mas não faz mal porque estão aqui a apoiar a nossa associação.” O objectivo era a entrega de uma carta nas instalações da FM, mas a tentativa saiu gorada quando a Policia de Segurança Pública (PSP) não deixou ninguém entrar no edifício. Alguns idosos não compreendiam o que se estava a passar, e quando Cheong Wen Fa conseguiu entrar no escritório da entidade liderada por Wu Zhiliang, muitos

queriam libertar-se da polícia. Ocorreram mesmo conflitos temporários entre os manifestantes e a PSP. Contudo, as autoridades afirmaram sempre que a iniciativa decorreu da melhor forma.

Taiwan e estudantes do continente

Apesar da associação falar em 500 pessoas, a policia apresentou

números menores: 200. A maioria eram mulheres e poucos foram os homens que se juntaram às vozes no Largo do Senado. Aí, debaixo dos chapéus de chuva que protegiam do sol, surgiram outros motivos para protestar, nomeadamente a questão dos estudantes do continente em Macau ou a morte de residentes de Taiwan nas Filipinas.

A reacção da Fundação Macau No mesmo dia em que os protestos se ouviram nas ruas, a Fundação Macau (FM) lançou um comunicado à carta entregue pelos operários, onde se lê que “qualquer associação tem o direito de se manifestar, de forma legítima e bem fundamentada, as suas opiniões e expectativas”. No seguimento da explicação a FM garante “cumprir a lei e os seus estatutos relativamente à concessão de apoios financeiros e trata todas as associações de igual forma, não fazendo qualquer tipo de discriminação”. “A concessão de apoios por parte da FM visa fazer os recursos públicos beneficiar, via a rede de serviços das associações, a população em gera. Assim, o montante de apoio concedido pode não estar ligado à dimensão de cada associação, mas sim dependente dos serviços a oferecer por cada uma das associações requerentes e do número estimado de residentes beneficiários.” Destacase ainda a aposta nos apoios sociais. “A FM entende que deve envidar mais esforços para apoiar os mais necessitados, com vista a maximizar o aproveitamento dos recursos públicos para se obter os benefícios sociais pretendidos. Dentro desta perspectiva, convém que a quantidade de festas de convívio e os banquetes não sejam realizados em número elevado e as respectivas despesas devam ser moderadas e bem controladas.”

A reunião no Senado fez com que a PSP enviasse 60 polícias para manter a ordem, pois foi recusada a proposta do manifesto decorrer na praça Jorge Álvares. Mas o ponto central que levou a voz ao altifalante foi mesmo a FM. Principal motivo? O montante doado de 70 mil patacas neste trimestre, pois os operários tinham pedido 300 mil para a realização de um jantar para os idosos membros da AMAO. Cheong Wen Fa argumentou que foram cedidos 38 milhões para a Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM) e mais de 20 milhões para a União Geral das Associações dos Moradores de Macau, também conhecidos como os Kai Fong. Contudo, as 70 mil patacas serviram apenas para ceder um jantar no valor de 22 patacas. “Será que a FM nos tratou como uma associação podre? Só criámos a nossa associação há três anos mas já temos mais de 50 mil membros. Tenho orgulho nisso e ninguém pode ignorar a força dos operários”, disse o presidente de altifalante na mão.


quinta-feira 16.5.2013

política

www.hojemacau.com.mo

3

Angela Leong 249 pessoas dirigiram-se ao gabinete da deputada desde Setembro

As muitas queixas ouvidas pela deputada

Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

Cecília Lin

cecília.lin@hojemacau.com.mo

O

facto da deputada Angela Leong ser directora-executiva da Sociedade de Jogos de Macau (SJM) faz dela uma natural representante do sector do jogo na Assembleia Legislativa (AL), mas isso não significa que os seus apoiantes não procurem o seu gabinete para se queixarem de outras questões. Segundo dados fornecidos pelo gabinete da deputada ao Hoje Macau, a habitação pública foi o assunto que mais queixas gerou por parte dos cidadãos. No geral, pedem que o Executivo acelere o processo de entrega das chaves para a ocupação dos apartamentos, o “aumento da transparência dos processos de

Problemas sociais também lá estão

Os cidadãos queixaram-se ainda das necessidades dos portadores com deficiência, exigindo a criação de “vários tipos de lares” e de instalações públicas de apoio”. Quanto à terceira idade, a lista de queixas também é extensa: são exigidas mais habitações sociais e maior oferta de serviços de saúde. É ainda falado do “problema dos transportes”. Outro dos tópicos que gera preocupação são as políticas dedicadas à população. Pede-se “diversificação das indústrias”, fala-se no “problema do emprego”, do ambiente ou da falta de instalações públicas. Não é esquecida a questão dos filhos maiores que não podem deixar o continente. De recordar que muitas das situações acima descritas já foram alvo de diversas interpelações escritas da deputada ao Governo. A titulo de exemplo, em Março último a directora-executiva da SJM alertou quanto à elevada taxa de suicídios no seio dos trabalhadores do jogo, bem como para a falta de apoios extra-horário laboral.

aprovação” ou ainda “maior humanidade no processo de selecção da habitação”. No segundo lugar da lista surgem as necessidades dos que trabalham nos casinos. Os funcionários voltam a queixar-se da habitação, mas no que diz respeito ao mercado privado, afirmando que “os preços subiram muito”, falando de dificuldades na aquisição de moradias. A falta de serviços de acolhimento para crianças é outra das preocupações para quem trabalha por turnos, sem esquecer as queixas sobre os problemas de saúde e a nível mental. Os funcionários falam, ainda, da necessidade de um “desenvolvimento sustentável” na profissão. No total, o gabinete de atendimento de Angela Leong recebeu um total de 249 queixas entre Setembro de 2012 e Abril deste

AL Plenário vai analisar projectos de lei entregues por deputado

Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

Segunda ronda de Pereira Coutinho

A

diploma a ser analisado pelos deputados do hemiciclo chama-se Processo Especial de Tutela dos Trabalhadores com Base na

tiago alcântara

Assembleia Legislativa (AL) admitiu ontem um total de quatro projectos de lei para analise e aprovação dos deputados. Além do projecto de lei que pretende controlar as rendas do imobiliário privado – como avançado pela edição de ontem do Hoje Macau -, o presidente do hemiciclo admitiu outros três projectos, também elaborados por José Pereira Coutinho. Lau Cheok Va deu autorização para que a proposta do deputado sobre a possibilidade de os trabalhadores terem mais protecção no que toca aos seus direitos de privacidade. Intitulado de “Processo Especial de Tutela da Personalidade do Trabalhador”, o projecto de lei prevê, sobretudo, que a privacidade dos trabalhadores na relação com o patronato seja defendida. Outro dos projectos de

ano. Só em Novembro último, foram 42.

tiago alcântara

Das muitas reclamações ouvidas pela deputada eleita pela via directa destacam-se as que versam sobre a habitação pública e as necessidades sentidas pelos funcionários do jogo. Cidadãos pediram esclarecimentos sobre as medidas para a população e exigem mais ajudas aos idosos

Igualdade e Não Discriminação em Função do Sexo e da Orientação Sexual e, como o nome indica, prevê que haja possibilidade de

os trabalhadores poderem recorrer aos tribunais caso sejam discriminados. A sugestão chegou após ter sido chumbado AL o projecto de Lei sobre a União Civil entre Pessoas do Mesmo Sexo, também entregue pelo mesmo deputado. O deputado considera que existe esta necessidade de protecção especial, ainda que refira que a lei básica proíbe a discriminação, e pede ainda que a Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL) proceda ao registo dos casos, através da informação dos tribunais sobre os julgamentos relacionados com esta situação, de forma a ficar com registo das empresas violadoras da lei. Na lista ainda dos projectos admitidos consta

um outro, também feito pelo mesmo deputado, que pretende uma nova legislação sobre os serviços prestados pelos centros telefónicos. Em resposta às “muitas queixas da população relativamente ao mau funcionamento” deste serviço, o deputado pretende “reforçar a posição do consumidor perante o recurso crescente aos ‘call centers’” através do Regime Jurídico Aplicável à Prestação de Serviços de Promoção, Informação e Apoio aos Consumidores e Utentes, através de Centros Telefónicos. Em 12 artigos, fica estabelecida a proibição de fazer o consumidor esperar em linha mais de 60 segundos. Fica definido um horário de chamadas (das 9 às 22h)

para “respeitar o horário de descanso das pessoas”. É garantido ao consumidor o cancelamento do serviço e a gravação de chamadas deve manter-se por um prazo mínimo de 90 dias. A AL prepara, agora, um plenário para a próxima terça-feira, onde estas propostas devem ser analisadas e aprovadas. Recorde-se que, anteriormente, diversos projectos de lei entregues por Pereira Coutinho foram reprovadas. A justificação dos deputados prendeu-se sobretudo com a “falta de tempo para analisar as leis”. No plenário marcado para dia 21, espera-se ainda a audição de um debate sobre Coloane, num pedido apresentado pela bancada democrata.


4

política

quinta-feira 16.5.2013

www.hojemacau.com.mo

Caso fibra óptica Pereira Coutinho lança rol de questões ao Governo sobre José Chu

Ouve o que digo, não vejas o que faço Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

C

omo serão protegidos e garantidos os dados pessoais dos cidadãos, caso o director dos SAFP envie por meios electrónicos ou divulgue via Internet os dados pessoais dos cidadãos de Macau?” A questão é levantada por José Pereira Coutinho na sua mais recente interpelação ao Executivo. Desta vez, a autorização da instalação de fibra óptica pelo próprio director Serviços de Administração e Função Pública (SAFP) é o tema que leva Pereira Coutinho a fazer comparações entre o que diz e o que faz o director dos SAFP. Recorde-se que José Chu lançou recentemente uma circular onde avisava os trabalhadores da Administração de que “constitui violação de segredo profissional o trabalhador que tira fotocópias ou fotografa documentos do

Universidade de Macau (UMAC) vai ser encarregue de realizar um estudo sobre o conceito “Terras de Macau destinadas a residentes de Macau”. O Chefe do Executivo, Chui Sai On, admitiu que eram necessários mais estudos sobre o tema e cumpriu. O chefe do Gabinete do Secretário para os Transportes e Obras Públicas, Wong Chan Tong, foi apontado como o responsável pela celebração do contrato entre o Executivo e a UMAC. De acordo com um despacho publicado ontem em Boletim Oficial, a decisão foi tomada no início do mês e assinada por baixo por Lau Si Io, secretário para as Obras Públicas e Transportes. Recorde-se que o conceito “Terras de Macau destinadas a residentes de Macau” foi diversas vezes levantado na Assembleia Legislativa (AL). A ideia é que os novos aterros e os terrenos que forem revertidos ao Executivo sejam apenas

processos e incrementar a respectiva transparência”, para questionar se o Governo vai propor legislação para evitar que as informações do interesse público e relacionadas com o uso de fundos públicos não sejam bloqueadas com o dever de sigilo. “Após os cidadãos terem conhecimento deste novo escândalo, o Governo em vez de mandar averiguar a sua legalidade ainda permitiu que o director dos SAFP continuasse a abusar dos seus poderes públicos para descobrir a fuga de informação”, queixa-se o deputado. Florinda Chan, secretária para a Administração e Justiça, já veio a público explicar que a instalação da Internet no domicilio é legal, até porque os cargos de direcção não têm horário de trabalho fixo no escritório, podendo trabalhar em casa. Afirmação que leva Pereira Coutinho a fazer uma outra questão. “Como será apurado rigorosamente o trabalho realizado na residência particular do director?”

Estudo Conceito de “Terras de Macau para residentes de Macau” vai ser analisado pela UMAC

Tirar dúvidas ao Executivo concedidos a residentes ou para construção de infra-estruturas públicas, como habitação social. tiago alcântara

A

serviço, ainda que não confidenciais e que os divulga por exemplo, dando uma cópia a um amigo, os envia por meios electrónicos ou os divulga na Internet”. Agora, é o próprio director quem está na calha, no que toca à divulgação de dados dos cidadãos da RAEM na Internet, uma vez que assegura utilizar a Internet de casa para trabalho. Mas, as questões do deputado não se ficam por aqui. Na interpelação, Pereira Coutinho exige ainda saber qual a base legal que permitiu ao director dos SAFP instalar na sua residência particular uma banda larga de uso ilimitado - serviço pago pelo erário público. O deputado recorda que, em 2009, o actual Chefe do Executivo prometeu ser necessário definir um mecanismo “perfeito de controlo financeiro e encorajar os serviços públicos, as instituições financeiras de serviços sociais e autoridades competentes optimizarem os respectivos

Da última vez que Chui Sai On esteve na AL, contudo, o Chefe do Executivo admitiu estar confuso com o conceito e

serem necessários mais estudos para o aprofundar. Da mesma forma, Lau Si Io também considerou que o tema era muito complexo ao nível jurídico, até porque tem de se saber identificar quem são os residentes de Macau e se empresas registadas no território estão ou não incluídas, por exemplo. O secretário para as Obras Públicas e Transportes já tinha anunciado que uma instituição de ensino superior iria ser a responsável pelo estudo, mas só ontem se ficou a saber que seria a UMAC. Não há prazo fixado para a conclusão do estudo, que se espera resolver as dúvidas do Executivo. Também não está ainda fixado o valor que o Governo pagará à instituição. - J.F.

Inundações Água na cave da habitação pública foi por causa da “qualidade da chuva”

Após a “análise preliminar”, a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) diz que a inundação no parque de estacionamento do edifício de habitação pública de Seac Pai Van, o Koi Ngai, se deveu “à qualidade das chuvas da tempestade, que saturou os esgotos e permitiu a intrusão da água”. A resposta chega depois do Hoje Macau ter questionado o organismo sobre as inundações. A DSAT continua, contudo, sem explicar porque é que, na última semana, o comunicado do Governo assegurava não ter havido inundação no estacionamento, quando os residentes se queixaram. A DSAT diz agora que a entidade da gestão do estacionamento do edifício já avisou a empresa de construção para acompanhar o caso, até porque fotos dos proprietários do edifício mostra que a situação ainda não se resolveu. - C.L.


quinta-feira 16.5.2013 tiago alcântara

www.hojemacau.com.mo

sociedade

5

Ajuda financeira IAS diz que não há mais famílias a pedir ajuda. SCM discorda

Pedida mudança de critérios para subsídios Pedimos ao Instituto de Acção Social para nos traçar um retrato da ajuda financeira dada às famílias nos últimos cinco anos. Os números não vão além dos seis mil agregados e o organismo diz que “não há tendência para aumentar”. Mas o provedor da Santa Casa da Misericórdia diz que “é preciso elevar os parâmetros, para que estes subsídios possam beneficiar mais famílias” Andreia Sofia Silva* andreia.silva@hojemacau.com.mo

P

arecem números escritos a seco, mas não são. Mais do que isso, representam o retrato da pobreza que existe num território com os cofres públicos cheios. São números da ajuda financeira que o Instituto de Acção Social (IAS) deu às famílias nos últimos cinco

anos, e que foram cedidos ao Hoje Macau. Se em 2008 o valor gasto era quase de 300 milhões de patacas, tal não variou muito até este ano. Quanto ao número de famílias que pediram ajuda, também não mudou muito, não chegando às 6500. O IAS considera mesmo que “segundo os dados desde 2008, o número de famílias beneficiadas não têm tendência para aumentar”.

Parecem boas notícias, mas podem estar distantes da realidade. Segundo o provedor da Santa Casa da Misericórdia, que há alguns meses que coordena a Loja Social (que distribui alimentos aos que mais precisam), os critérios para pedir ajuda deveriam ser alterados. “Acho estranho quando o IAS diz que não há tendência de aumento no número de pedidos. Os que

satisfazem os requisitos já estão abrangidos por esses benefícios, mas se um dia esses parâmetros fossem elevados com certeza haveria mais pessoas e mais pedidos”, garantiu ao Hoje Macau, António José de Freitas. “Para já é preciso mudar esta situação no sentido de elevar os parâmetros, por o custo de vida aumentou. (Tudo para que) estes subsídios possam beneficiar mais famílias”, acrescenta. António José de Freitas diz mesmo que “há uma faixa de pessoas ou mesmo de famílias que não reúnem os requisitos exigidos por lei e que não têm acesso a estes benefícios, daí o significado da nossa Loja Social. Ajudamos famílias que trabalham mas que não

auferem os rendimentos necessários para enfrentar a carestia de vida”.

Entre cinco a seis mil famílias

Recuemos então a 2008. Nesse ano 6180 famílias pediram ajuda ao Executivo, que com elas gastou 299 milhões de patacas. Em 2009, foram 6278 famílias, 274 milhões. O ano seguinte seria aquele em que os apoios seriam mais elevados – 342 milhões de patacas para 6193 famílias. No ano passado, a fasquia dos agregados familiares desceu ligeiramente para as 5930, com um gasto de 292 milhões de patacas. O IAS diz ainda que nos primeiros meses deste ano já gastou 88,73 milhões em “assistência económica

numa base regular”, a 5200 famílias. “As famílias são financiadas por motivos de pobreza, doença grave ou deficiência, ou ainda nos casos das famílias serem monoparentais. Os assistentes sociais analisam condições como a relação os beneficiados e a família, como a adaptação social, o meio ambiente ou a saúde física e mental, para garantir que os recursos sociais têm uma distribuição e utilizada apropriadas.” O objectivo, defende o IAS, “é salvar estas pessoas para que deixem de estar no limiar da pobreza”. Todos estes subsídios não estão ligados ao índice mínimo de sobrevivência, avaliado em 3500 patacas – rendimento médio mensal mínimo para pedir ajuda. - *com Cecília Lin


sociedade

6

Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

C

ontinuam a aumentar os toxicodependentes que consomem drogas em casa e continuam a aumentar os jovens que consomem drogas como o Ice (37,3%) e a Ketamina, que corresponde a 47% das drogas tomadas. As conclusões foram ontem anunciadas, após uma reunião da Comissão de Luta Contra a Droga, e mostram ainda que, apesar de ter havido uma redução no número de jovens toxicodependentes “registados”, verifica-se uma subida “no grau de abuso de drogas” desses jovens – um estudo do Instituto de Acção Social (IAS) mostra um aumento de 19,7%. “Provavelmente, essa situação tem a ver com o aumento na percentagem dos toxicodependentes punidos com pena suspensa que se submeteram à desintoxicação”, considera a Comissão. De acordo com dados de 2012 verificados no Sistema de Registo Central dos Toxicodependentes de Macau, houve uma redução

Droga Lei pode vir a ser mais severa, mas IAS admite que a actual já tem efeito dissuasor

Consumo ao domicílio de 7,7% no número dos toxicodependentes registados – que foi de 584 no ano passado –, bem como no número de jovens com dependência de drogas registados: 76 pessoas com menos de 21 anos ainda estão registadas como toxicodependentes.

ou de 20 anos para “associações delinquentes”. A não criminalização pode ser uma das medidas, mas houve também pessoas que apresen-

Já não é a primeira vez que deputados pedem que a Lei Anti-Droga seja revista, para que as penas sejam mais agravadas. Ontem, após a reunião do IAS, foi levantada essa possibilidade. De acordo com a Rádio Macau, Pak Kei Man, um dos membros da Comissão de Luta contra a Droga, avança que a pena máxima para a produção, consumo e tráfico de estupefacientes possa ser aumentada - actualmente é de 16 anos de prisão

Máquinas em salas vazias

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

N

a segunda-feira, o presidente da Forefront of the Macao Gaming, Ieong Man Teng, acusou os casinos de utilizarem máquinas especiais para a limpeza do ar dos casinos, enganando as medições feitas para o Governo sobre a qualidade do ar. Ontem, Ieong Man Teng falou com o Hoje Macau e assegurou que o casino em questão foi a Sociedade de Jogos de Macau (SJM). Ieong Man Teng, que afirmou também vir a ser candidato às eleições da AL de Setembro, lamenta que tanto os Serviços de Saúde (SS), como os casinos tenham “falta de sinceridade”. “Já passou quase cinco meses e a qualidade ainda não foi medida. Os SS continuam a dar mais tempo para os casinos melhorarem, contudo, na minha opinião, não há nada certo que resolva a questão e ainda ouvimos os funcionários a queixar-se de que existem casinos que deixam as maquinas de exame em salas fechadas sem clientes para estas atingirem os padrões.” O presidente da associação diz que um dos piores é a SJM, cujos edifícios são “muito antigos” e é difícil alterar as instalações dentro

taram uma alternativa que é a suspensão do processo judicial, ou seja, aqueles que cometam o crime pela primeira vez, em vez de serem sujeitos a julgamento

Lei mais severa

Fumo nos casinos Candidato à AL acusa operadoras e SS de não serem sinceros na medição da qualidade do ar

Cecília Lin

quinta-feira 16.5.2013

www.hojemacau.com.mo

dos casinos, para que se criem salas livres de fumo. A própria directora da SJM já disse aos meios de comunicação que tem pouca confiança nos próximos exames que os SS farão nos casinos da SJM. “A inacção do Governo e pouca sinceridade dos directores dos casinos deixa a questão de controlo de tabaco sem nunca

ser resolvida. Sinceramente, mais máquinas de limpeza de ar já podem melhorar um pouco a situação, mas os casinos andam a pensar fazer batota para passar os exames dos SS.” Teng afirma que quer ser candidato à AL este ano, precisamente para lutar pelos direitos dos funcionários do jogo.

e reinserção social, podem ver o processo ser suspenso ou até cancelado, explicou Hon Wai, outro dos membros da Comissão, aos microfones da Rádio Macau. Outro dos acrescentos na lei passa pela inclusão das novas drogas no mercado. Depois de notícias que davam conta do consumo e acesso fácil a drogas nas escolas, a Comissão de Luta contra a Droga disse que “já há um consenso entre os serviços públicos e a sociedade” sobre o agravamento das penas para o reforço do “efeito dissuasor”. Efeito que tem já sido suficiente – é que a suspensão de pena para toxicodependentes que escolham desintoxicar-se já levou, até 2012, a que cerca de 300 consumidores optassem por essa oportunidade. Na reunião, foram analisados os casos de droga nas escolas, mas o presidente do IAS não avançou com medidas concretas, dizendo apenas que o organismo vai “cooperar com a Polícia Judiciária e com a Polícia de segurança pública, fazer mais divulgação nas escolas e dar mais atenção ao uso de drogas entre os jovens”.

Hotelaria Número de hóspedes ultrapassa 2,5 milhões no primeiro trimestre

Sempre ocupados

O

número de hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros de Macau ultrapassou, no primeiro trimestre do ano, os 2,5 milhões de pessoas, mais 15,7% do que em igual período do ano passado, foi ontem anunciado. De acordo com os dados oficiais divulgados pelos Serviços de Estatística e Censos do Governo de Macau, entre Janeiro e Março deste ano estiveram alojados nos estabelecimentos hoteleiros de Macau 2.523.435 pessoas, fixando ainda a taxa de ocupação destes estabelecimentos em 79,6%, menos 3,6 pontos percentuais do que no primeiro trimestre de 2012.

A queda da taxa de ocupação está directamente relacionada como o aumento da oferta que no final de Março totalizava 28.125 quartos em 100 hotéis e pensões. O número de quartos disponíveis subiu em termos homólogos 26,3%, referem os serviços de estatística ao salientarem que 66,4% da oferta de quartos estava localizada em hotéis de cinco estrelas. Durante os três primeiros meses do ano, o número de hóspedes dos hotéis representou ainda 69,7% do total de turistas que chegaram a Macau, percentagem superior em 5,4 pontos percentuais ao apurado no mesmo período de 2012. - Lusa

Aulas começam no dia 2 de Setembro

Já são conhecidas as datas oficiais para o começo das aulas no próximo ano lectivo de 2013\2014. Segundo uma publicação da Direcção dos Serviços de Educação e Juventude (DSEJ) no Boletim Oficial, as actividades escolares do ensino não-superior começam entre os dias 2 e 6 de Setembro, terminando entre os dias 10 e 18 de Julho de 2014. O período escolar dividir-se-á em dois semestres, sendo que o primeiro termina no dia 28 de Janeiro e o segundo tem inicio a 10 de Fevereiro, até 18 de Julho. Quanto ao período de interrupções das aulas, decorrem entre o dia 20 de Dezembro e 1 de Janeiro, e depois entre 29 de Janeiro e 9 de Fevereiro. As escolas devem, segundo a nota oficial, decidir as datas do inicio e fim das actividades escolares e comunicar essa decisão à tutela até ao dia 5 de Julho de 2013. Devem, ainda, “adaptar o calendário escolar ao projecto educativo da escola, aos programas e condicionalismos da RAEM”.


quinta-feira 16.5.2013

sociedade

www.hojemacau.com.mo

7

Jogo SJM recebe oficialmente terreno no Cotai por 2,15 mil milhões

A estreia no Cotai Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

A

Sociedade de Jogos de Macau (SJM) vai pagar mais de 2,150 milhões de patacas pelo novo terreno no Cotai. A operadora viu ontem finalmente oficializada a concessão do lote de cerca de 71 mil metros quadrados para a construção de mais um hotel de cinco estrelas e área de jogo. O anúncio foi publicado ontem em Boletim Oficial, num despacho assinado por Lau Si Io, secretário para as Obras Públicas e Transportes. O terreno foi pedido inicialmente em 2006 e com uma área total de quase 74 mil metros quadrados. O primeiro projecto da SJM previa que o hotel tivesse ainda zona comercial, SPA e aparthotel, mas em Novembro de 2010, a operadora submeteu à Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT) o projecto actual. O terreno

concedido ficou então diminuído para 71 mil metros quadrados. A concessão foi feita sem concurso público e por arrendamento, tendo a SJM que pagar um valor total de 2.150.504.955 de patacas. O Governo considera que a nova construção tem valor para o desenvolvimento do território. “A DSSOPT considerou que [o projecto] reúne condições para ser autorizado, por se tratar de um empreendimento de reconhecido interesse para o desenvolvimento da RAEM, quer seja pelo valor do investimento, quer pelo número significativo de postos de trabalho capaz de gerar, tanto na fase de construção como na fase de exploração do complexo hoteleiro, além dos postos de trabalho indirectamente induzidos nas actividades ligadas ao turismo e, ainda, pela capacidade técnica e financeira que a SJM já demonstrou neste tipo de

empreendimentos”, pode ler-se no contrato entre a SJM e o Executivo. O prazo de arrendamento do terreno é válido por 25 anos, podendo ser renovado. O aproveitamento do terreno deve ficar concluído no prazo de cinco anos. Durante este período, além do montante pago pelo premio do terreno, a SJM tem ainda de pagar uma renda anual de pouco mais de dois milhões e114 mil patacas, passando a pagar uma renda anual de oito milhões e 966 mil patacas. Rendas revistas de cinco em cinco anos. Já no ano passado, em Outubro, a SJM tinha anunciado ter recebido luz verde do Executivo para a concessão do terreno, num comunicado enviado à bolsa de Hong Kong. O objectivo, dizia a operadora, era construir um casino com 700 mesas de jogo, mil “slot-machines” e um hotel com dois mil quartos. Este será o primeiro complexo deste género da operadora no Cotai.

Sands Tribunal ordena pagamento de 70 milhões a Suen

gonçalo lobo pinheiro

Sheldon Adelson condenado

S

heldon Adelson foi condenado a pagar 70 milhões de dólares americanos a Richard Suen, o empresário de Hong Kong que diz ter ajudado a Las Vegas Sands a obter a licença de jogo no território. Richard Suen pedia 328 milhões de dólares como compensação. A decisão foi tomada por um juiz do Supremo Tribunal do Nevada que, pela segunda vez, deu razão a Suen. O empresário de Hong Kong assegura ter arranjado encontros com oficiais de Pequim, para que Sheldon Adelson conseguisse autorização para operar casinos na RAEM, em 2002. Segundo a imprensa e agências norte-americanas, Sheldon Adelson já disse que deverá recorrer da

decisão porque a empresa tem “razões convincentes e suficientes” para o fazer e irá fazê-lo “de forma agressiva”, assegurou Ron Reese, um porta-voz da empresa. Sheldon Adelson testemunhou em tribunal, dizendo que Suen em nada contribuiu para que a Sands China conseguisse a licença e fosse seleccionada pelo Governo de Macau. Os advogados de Adelson afirmaram que o Governo de Macau “tomou as suas decisões de forma independente do Governo Central, sendo a autorização para o jogo um assunto interno do território, no qual Pequim não pode interferir”. Já Richard Suen disse em tribunal que as reuniões com as autoridades de Pequim iriam ajudar Adelson a cair nas boas graças, para a Sands ser escolhida, numa altura em que o Governo pensava acabar com o monopólio de jogo de Stanley Ho. “Foi feita justiça”, disse Suen após a leitura do veredicto. “Eu acreditava no sistema judicial e acabei por estar correcto.” O empresário de Hong Kong citou mesmo nomes – vice primeiro-ministro chinês Qian Qichen e o presidente do município de Pequim, Liu Qi – que, garante, foram cruciais para que a Sands obtivesse a licença. – J.F.

Galaxy Grupo anuncia crescimento de 15 %

Mais de metade só em Macau

A

Galaxy Entertainment Group, que opera casinos em Macau, anunciou ontem uma receita no primeiro trimestre de 15.200 milhões de dólares de Hong Kong, mais 15% do que no período homólogo de 2012. De acordo com os resultados divulgados, as receitas do primeiro trimestre subiram 6%, face ao último trimestre de 2012. O EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) do primeiro trimestre subiu 29% face ao primeiro trimestre de 2012, para 2.800 milhões de dólares de Hong Kong, o que representa também uma subida de 10% comparativamente ao último trimestre de 2012. O Galaxy Macau, o maior complexo da operadora de jogo, que tem apenas a primeira de quatro

fases terminada, gerou a maior receita da empresa, com um total de 8.900 milhões de dólares de Hong Kong, mais 23% do que no período homólogo de 2012. A Galaxy Entertainment Group revela ainda nos resultados apresentados que a construção da fase dois do Galaxy Macau se mantém dentro do orçamento previsto e do prazo de meados de 2015 para estar concluído. Já as obras das fases três e quatro do projecto dos aterros entre as ilhas da Taipa e de Coloane, conhecidos como zona do Cotai, deverão arrancar no final de 2013 ou início de 2014. No final de Março, a Galaxy Entertainment Group tinha ainda em disponível um total de 16.000 milhões de dólares de Hong Kong, sendo que em caixa estavam 5.600 milhões de dólares de Hong Kong.


8

nacional

www.hojemacau.com.mo

quinta-feira 16.5.2013

Indústria Empresa portuguesa inaugura fábrica no nordeste da China

Confiança lusitana em alta

A

819 pessoas continuam hospitalizadas depois do terramoto de Lushan

Um total de 819 pessoas feridas no terramoto de 7,0 graus de magnitude que sacudiu o sudoeste da China no mês passado permanecem hospitalizadas, informaram esta terça-feira as autoridades de saúde. Dos 819 pacientes hospitalizados, 33 estão em estado crítico e 14 em estado grave, segundo a comissão. Não foram registados casos epidémicos graves nem emergências de saúde pública na área, acrescentam os serviços de saúde. O sismo fez pelo menos 196 mortos. Estima-se que dois milhões de residentes tenham sido afectados pelo desastre natural.

ONU aplaude esforços da China na promoção da paz no Oriente Médio

A Organização das Nações Unidas (ONU) aprecia os esforços da China na promoção do processo da paz no Oriente Médio, declarou esta terça-feira o gabinete do porta-voz do secretário-geral da ONU. A ONU elogiou o desempenho da China na promoção da retoma das negociações de paz entre a Palestina e Israel. A organização apoia a participação das principais regiões do mundo e dos seus parceiros internacionais neste processo, considerando indispensável a acção conjunta da comunidade internacional para impulsionar uma solução para a crise. O presidente palestiniano, Mahmoud Abbas, e o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, visitaram a China em meados deste mês. No encontro do presidente chinês Xi Jinping com Abbas foram apresentadas quatro sugestões para colocar fim à crise na Palestina.

fábrica de Dalian, no nordeste da China, da empresa de componentes para automóveis Sodecia foi inaugurada ontem, concretizando um dos maiores investimentos portugueses na China, estimado em cerca de 200 milhões de patacas. “Conseguimos ser competitivos num nicho de topo do mercado e captar a confiança de clientes como a Volkswagen e a General Motors”, realçou à agência Lusa o novo embaixador de Portugal na China, Jorge Ryder Torres Pereira, acerca do empreendimento. A Sodecia Dalian, com cerca de duzentos trabalhadores, produz componentes para as transmissões de veículos automóveis (“shift forks” e “part break systems”), neste caso para a unidade do grupo Volkswagen estabelecida naquela cidade da costa norte da China. Trata-se de um projecto industrial que “transmite uma mensagem de optimismo e confiança na capacidade de Portugal superar as actuais dificuldades” e é “uma tradução prática da excelência das relações luso-chinesas”, salientou também o embaixador Torres Pereira. A nova fábrica espera facturar já este ano quase 300 milhões de patacas, indicou o mês passado à agência Lusa o director de marketing da empresa, Orlando Pinheiro. Instalada num terreno de 3,6 hectares, a Sodecia Dalian foi “toda construída de raiz”,

A

China vai lançar um programa piloto que abrange 19 cidades e uma sub-região para ajudar a estabelecer um sistema social que proteja os direitos dos menores de idade, anunciou esta terça-feira o Ministério dos Assuntos Civis. O programa pretende reduzir ao mínimo o número de menores de rua, garantir a sua saúde, ajudar os mais necessitados e as suas famílias, garantir a custódia, a educação e o crescimento saudável, disseram funcionários do ministério.

com equipamento importado, e começou a laborar já no ano passado. É também o maior investimento feito na Ásia pela Sodecia, empresa com sede no Porto, fundada em 1980 e entretanto implantada em nove países de quatro continentes (África do Sul, Alemanha, Argentina, Brasil, Canadá, China, Estados Unidos, Índia e Portugal). Conhecida até há cerca de duas décadas como “Reino das Bicicletas”, a China tornou-se em 2010 o maior mercado automóvel do mundo, ultrapassando os Estados Unidos. As vendas de automóveis na China aumentaram 6,8% em 2012, para 14,68 milhões de unidades, e subiram ainda mais (19,2%) no primeiro trimestre de 2013. Segundo o website da Sodecia, a empresa emprega cerca de 5.500 pessoas (mais de o dobro de há apenas quatro anos) e em 2012 as suas vendas somaram cerca de 6 mil milhões de patacas. O embaixador Torres Pereira participou na inauguração da Sodecia Dalian acompanhado pela delegada da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) em Pequim, Alexandra Ferreira Leite. Antigo embaixador na Tailândia, Torres Pereira foi colocado na China em Abril passado, sucedendo a José Tadeu Soares, entretanto nomeado para Madrid.

Protecção de menores Pequim lança programa piloto

Luta contra a miséria

Embora o ministério tenha adoptado medidas nos últimos anos para proteger os direitos dos

menores de idade, alguns ainda enfrentam problemas relacionados com a sobrevivência, a custódia

e o crescimento devido à pobreza, à violência doméstica e à educação imprópria, informou o ministério. O programa exige que as 19 cidades, entre as quais Pequim e Dalian, e a sub-região Aksu da Região Autónoma Uigur de Xinjiang, no noroeste do país, criem uma rede de protecção que ligue as diversas comunidades.

Nestas regiões irá ser feito um levantamento sobre as crianças que abandonaram os estudos ou estão na rua a pedir esmola e sem custódia. As regiões também devem contribuir para a luta contra os crimes praticados por aqueles que se aproveitam ou incitam as crianças, afirma o comunicado do Ministério dos Assuntos Civis.


quinta-feira 16.5.2013

região

www.hojemacau.com.mo

9

Diplomacia Conselheiro do primeiro-ministro japonês realiza visita à Coreia do Norte

Assim, de surpresa

U

Taiwan Suspensa contratação de trabalhadores filipinos

Sem desculpas O

Presidente de Taiwan, Ma Ying-jeou, suspendeu na quarta-feira a contratação de trabalhadores filipinos para manifestar o “forte descontentamento” sobre a forma como Manila está a gerir o caso da morte de um pescador taiwanês. “O Presidente Ma manifestou o seu forte descontentamento com a falta de sinceridade das Filipinas”, disse o porta-voz Lee Chia aos jornalistas. Um pescador taiwanês foi morto na semana passada pelas autoridades filipinas nas águas do arquipélago. O Governo taiwanês emitiu no sábado um ultimato de 72 horas para as Filipinas deterem os responsáveis pela morte de um pescador. As Filipinas expressaram

as suas condolências, sem pedir desculpa pelo incidente, e culpam o pesqueiro taiwanês de tentar chocar contra a embarcação das suas autoridades, acusando-o ainda de pesca ilegal nas suas águas. Taiwan considera que os disparos foram injustificáveis e constituem uma violação da Lei do Mar e quer julgar no seu territórios os responsáveis pelo incidente. Também o Gabinete para os Assuntos de Taiwan do Conselho de Estado da China realizou esta quarta-feira uma conferência de imprensa em que o porta-voz da entidade, Yang Yi, pediu que o governo filipino dê uma resposta séria ao incidente que causou a morte do pescador de Taiwan.

Morreu o sociólogo Lu Xueyi, defensor das reformas sociais na China

Considerado um dos mais assíduos defensores das reformas económicas e sociais na China, o sociólogo chinês Lu Xueyi morreu na última segunda-feira aos 79 anos, informou esta quarta-feira o jornal South China Morning Post. Próximo do governo comunista - era membro da Academia Chinesa de Ciências, o principal “think tank” (fábrica de ideias) do regime -, Lu morreu na segunda-feira, embora não haja mais informações a respeito da morte do sociólogo. Apesar de sua figura estar ligada ao governo, Lu era um crítico activo da política de desenvolvimento “a todo custo” que o país asiático adoptou a partir dos anos 80.

m conselheiro do primeiro-ministro japonês está na Coreia do Norte numa visita surpresa, informou a imprensa nipónica e a agência oficial norte-coreana. Questionado sobre esta visita, o porta-voz do Governo japonês, Yoshihide Suga, não quis tecer comentários. O conselheiro de Shinzo Abe, Isao Iijima, chegou na terça-feira a Pyongyang. “Pelo diálogo e a pressão, trabalharemos para a resolução global de diversos problemas [com a Coreia do Norte] como raptos [de japoneses por Pyongyang], a questão nuclear e dos mísseis”, disse apenas Suga em conferência de imprensa. Imagens transmitidas pela televisão japonesa mostram Iijima a cumprimentar Kim Chol Ho, vice-director do departamento dos Assuntos Asiáticos do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte, no aeroporto de Pyongyang. A televisão pública nipónica NHK precisou que a visita de Iijima à Coreia do Norte deverá prolongar-se até ao fim da semana. A agência oficial norte-coreana KCNA também deu conta da

visita deste responsável japonês num breve despacho. Iijima já tinha trabalhado com o antigo primeiro-ministro conservador Junichiro Koizumi

(2001-2006), tendo organizado duas viagens à Coreia do Norte em 2002 e em 2004. Os dois países não têm relações diplomáticas.

Coreia do Norte Norte-americano detido começou a cumprir pena

Evangelista subversivo U

m operador turístico norte-americano de ascendência coreana, que foi condenado a 15 anos de trabalhos forçados na Coreia do Norte por alegada subversão, começou a cumprir a pena de prisão, informou ontem a imprensa oficial norte-coreana. Kenneth Bae começou a cumprir pena numa “prisão especial” na terça-feira, refere a agência oficial norte-coreana KCNA num

breve despacho, sem avançar pormenores, reafirmando apenas que Bae foi condenado por tentar “derrubar” o regime de Pyongyang. Bae, cujo nome coreano é Pae Jun-Ho, foi detido em Novembro quando entrava no porto da cidade norte-coreana de Rason e julgado a 30 de Abril. Na semana passada, um porta-voz do Supremo Tribunal da Coreia do Norte indicou que Bae

Sanções financeiras atrasam bomba atómica norte-coreana, diz ONU

Um conjunto de sanções financeiras cada vez mais duras, um embargo de armas e outras restrições internacionais sobre o comércio com a Coreia do Norte não interrompeu o programa nuclear ilícito de Pyongyang, mas parece têlo atrasado de maneira significativa, de acordo com um relatório confidencial de um painel de especialistas da ONU obtido pela Reuters esta terça-feira. “Embora a imposição de sanções não tenha suspendido o desenvolvimento dos programas nuclear e de mísseis balísticos, muito provavelmente atrasou consideravelmente a agenda (da Coreia do Norte)”, informa o relatório de 52 páginas.

era um evangelista cristão que contrabandeou material crítico para o país, procurando estabelecer uma base subversiva em Rason. O mesmo porta-voz indicou que Bae confessou os crimes e que, por isso, foi condenado a uma pena de prisão e não a pena de morte. O Departamento de Estado norte-americano apelou à “libertação imediata” de Bae.


10

comércio

Era até à passada semana o representante do Brasil na mais alta entidade para os assuntos comerciais no mundo inteiro. Mas agora o diplomata brasileiro Roberto Azevedo, de 55 anos, assume o cargo de director-geral por um período de quatro anos. Em entrevista à agência Lusa, assume que a OMC “não negocia nada efectivamente há vinte anos” e deposita esforços na próxima reunião ministerial, em Bali

quinta-feira

www.hojemacau.com.mo

Roberto Azevedo é o novo director-geral da Organização Mundial d

“Não vou trabalhar a fa

O

novo director-geral da Organização Mundial de Comércio (OMC) garante que não vai trabalhar “a favor de nenhum grupo específico”, mas admite que a sua nomeação pode vir a ‘facilitar a vida’ aos países emergentes e em desenvolvimento. “Não vou trabalhar a favor de nenhum grupo específico de países, nem dos emergentes, nem dos desenvolvidos ou dos menos desenvolvidos. Eu vou trabalhar para todos”, afirmou o diplomata brasileiro Roberto Azevedo, quando questionado sobre se a sua nomeação significava também uma vitória desses países. Em declarações à agência Lusa, o novo director-geral da OMC reconheceu, contudo, que o facto de ser “oriundo de um país como o Brasil” faz com que entenda “os problemas e interesses dos países emergentes e em desenvolvimento com mais facilidade”. “Eles não precisam de ficar horas a explicar-me as coisas porque já estou familiarizado com a sua situação. Mas não passa disso. Eles terão um director-geral que está perfeitamente consciente dos seus problemas e que ajudará a encontrar soluções com os restantes [membros da organização]”, afirmou. Mas o “diretor-geral não vai trabalhar a favor de ninguém”,

“A facilitação do comércio e das trocas comerciais será necessariamente um ganho importante para Portugal”

reiterou o diplomata, de 55 anos, representante do Brasil na OMC desde 2008. Designado por consenso na semana passada para suceder a 1 de Setembro ao francês Pascal Lamy, Roberto Azevedo explicou que as suas prioridades passam por

“redinamizar a OMC e funcionar como um facilitador de consensos”. A “prioridade absoluta do director-geral da OMC”, apontou, deve ser o de “redinamizar o pilar das negociações”, sobretudo quando a organização “não negocia nada

efectivamente há vinte anos”. Essa é “uma situação que tem de mudar porque esse estado de paralisia está a debilitar muito a organização”, apontou. É por isso que, no entender de Roberto Azevedo, o “primeiro projecto” deveria ser o de “tentar encontrar

um resultado negociado” na próxima reunião ministerial ordinária da organização, que se realiza em Bali, Indonésia, em Dezembro. O diplomata disse esperar que essa reunião possa servir como uma espécie de “colheita antecipada”, designadamente que dela


a 16.5.2013

do Comércio

avor de ninguém” na Ronda de Doha e tentar ver o que podemos fazer, seja no conjunto global das negociações, seja em áreas específicas”, acrescentou.

A lusofonia

Na opinião do novo director-geral, Portugal, tal como os restantes países lusófonos, tem muito a ganhar se conseguir gerar negócios fora das suas fronteiras. “A facilitação do comércio e das trocas comerciais será necessariamente um ganho importante para Portugal”, disse Roberto Azevedo, apontando que o bem-estar social e a redistribuição de riqueza estão “intimamente associados à capacidade de [Portugal] gerar negócios fora das fronteiras da União Europeia”. O diplomata brasileiro salientou que nesse sentido Portugal, enquanto “membro do maior bloco comercial do mundo”, mas também os restantes países lusófonos, têm muito a ganhar com a “redinamização da OMC” e se conseguirem “fortalecer a sua presença nos fluxos comerciais internacionais”. O responsável lembrou que as “regras e disciplinas” da OMC “ajudam e favorecem a aumento desses intercâmbios”. Roberto Azevedo lembrou que os países lusófonos são um bloco “muito diversificado”, em que cada um dos oito membros têm a sua “experiência própria na OMC”, mas que cada um deles “pode beneficiar muito das actividades” da organização.

O tabu Angola

possam surgir alguns “acordos parciais” que permitam o avanço das negociações da Ronda Doha. Negociações essas que foram iniciadas em 2001 para facilitar o comércio mundial, mas que estão paralisadas desde 2008 devido às divergências

comércio

www.hojemacau.com.mo

entre exportadores e importadores, entre países ricos e pobres, sobretudo em relação ao tamanho dos cortes sobre os subsídios agrícolas e sobre as tarifas industriais e agrícolas. “Depois disso penso que os membros devem olhar para o resto do que esta sobre a mesa

O diplomata brasileiro foi parco nas palavras quando questionado sobre Angola, afirmando que “cada país encontrará maneiras de participar nos fluxos comerciais internacionais da maneira mais adequada” para as suas políticas de crescimento económica e social. “Acho que os modelos fechados não são modelos sustentáveis e que de uma maneira geral dos governos devem procurar a criação de eficiências e desenvolvimento de uma competitividade global e internacional”, apontou. Roberto Azevedo disse

contudo ter a “certeza” de que “Angola encontrará o seu modelo de inserção nas redes de comércio internacional” e que isso “beneficiaria todos os seus cidadãos.” Já sobre Moçambique, o novo director-geral da OMC destacou tratar-se de um país que com uma “vocação muito forte na produção de matérias-primas” e que “evidentemente pode beneficiar das disciplinas comerciais que regulamentam as transacções comerciais nessa área.”

A Ronda de Doha

Por outro lado, o diplomata brasileiro manifestou-se esperançado de que as negociações bilaterais entre a União Europeia e os países do Mercosul “cheguem a bom porto”, mas lembrou

pub

11

Macau vai ter Câmara Europeia de Comércio

De acordo com a Rádio Macau, a RAEM deverá ter até ao final do ano uma Câmara de Comércio Europeia. A garantia foi dada pelo director do Gabinete da União Europeia (UE) para Macau e Hong Kong, Vicent Piket, à margem do seminário sobre os contributos da Europa para Macau, decorrido ontem no Clube Militar. O evento contou com a presença da secretária para a Administração e Justiça, Florinda Chan. “Como representante da União Europeia estamos empenhados em que este novo organismo floresça. Esperemos que possa dar mais apoio ao comércio bilateral e mais visibilidade às empresas da União Europeia. Penso que a abertura estará iminente”, confirmou Piket. Já Florinda Chan disse à Rádio Macau que Macau, como membro fundador da OMC, terá de analisar as recomendações feitas por esta entidade. O relatório da OMC, já noticiado pelo Jornal Tribuna de Macau, frisa a preocupação quanto à falta de recursos humanos e à necessidade de liberalizar os concursos públicos.

que o processo “não estará” nas suas mãos. O responsável salientou que existe “um forte interesse político” em avançar nesse sentido, mas admitiu que as negociações bilaterais “também foram contaminadas” pela paralisação da Ronda de Doha. Iniciadas em 2001 para facilitar o comércio mundial, essas negociações encontram se paralisadas desde 2008 devido a uma série de divergências entre

os países ricos e pobres, sobretudo no que diz respeito à questão agrícola. “Se por um lado a paralisação da Ronda [de Doha] poderia favorecer as negociações bilaterais, por outro lado a eclosão da crise anulou esse estímulo. E portanto essas negociações ainda não foram retomadas a pleno vapor mas há, pelo que entendo, um interesse político forte dos dois lados de mudar esse quadro”, concluiu. - A.S.S. com Lusa


12

publicidade

quinta-feira 16.5.2013

www.hojemacau.com.mo

Governo da Região Administrativa Especial de Macau Gabinete para a Protecção de Dados Pessoais

Aviso

ANNOUNCEMENT

(Recrutamento de pessoal) Faz-se público que, por despacho de S. Ex. o Chefe do Executivo, de 10 de Abril de 2013, e nos termos do disposto na Lei n.º 14/2009 (“Regime das carreiras dos trabalhadores dos serviços públicos”) e no Regulamento Administrativo n.º 23/2011 (“Recrutamento, selecção, e formação para efeitos de acesso dos trabalhadores dos serviços públicos”), se acha aberto o concurso comum, de ingresso externo, de prestação de provas, para o preenchimento de dois lugares de auxiliar do 1.º escalão (área de servente), da categoria de auxiliar, em regime de contrato de assalariamento do Gabinete para a Protecção de Dados Pessoais. a

Aviso de abertura foi publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau n.° 20, II Série, de 15 de Maio de 2013. O prazo para a apresentação de candidaturas é de vinte dias, a contar do primeiro dia útil ao da publicação do presente aviso no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau. Os candidatos devem preencher a “ficha de inscrição em concurso” aprovada pelo Despacho do Chefe Executivo n.º 250/2011 (pode ser requisitada na Imprensa Oficial ou descarregada na página electrónica daquela entidade pública) juntamente com o arquivo associado, e apresentá-la, no período definido, durante o horário de expediente (segunda-feira a quinta-feira, 9:00 – 13:00; 14:30 – 17:45; sexta-feira, 9:00 – 13:00; 14:30 – 17:30), sito na Avenida da Praia Grande, n.º 804, Edifício China Plaza, 13.º andar, A-F, em Macau. Para mais informações é favor consultar o site deste Gabinete http://www.gpdp.gov.mo.

1. Objective:

Open invitation to one tender.

2. Procuring entity:

Macao Science Center Limited.

3. Address of procuring entity:

Macao Science Center Limited, Avenida Dr.Sun Yat Sen, Centro de Ciência de Macau.

4. Works, goods and services to be procured:

For” New Exhibits Fabrication for G08 and G10 Galleries of Macao Science Center” PA-13-062

5. Location of work and installation:

Macao Science Center.

6. Conditions of entry:

Macao Science Center registered suppliers under the relevant categories

7. Method for obtaining tender documentation:

Registered suppliers can send in your request through email to tender@msc.org.mo. For suppliers not yet registered, please attach with commercial registration documents & contact details.

8. Tender submission location, deadline and deliver:

Location: Macao Science Center Limited, Avenida Dr.Sun Yat Sen, Centro de Ciência de Macau. Deadline: 61th days starting from the date of announcement or 16 JUL 2013 (TUE) at 5:00pm (Macao time) deliver: Please refer to Article 5 - Part II Tender Scheme – Open consultation document

9. Tender opening meeting location and time:

Location: Macao Science Center Limited, Avenida Dr.Sun Yat Sen, Centro de Ciência de Macau. Time:The 1st working day after the deadline or 17 JUL, 2013 (WED) at 15:30 (Macao time). Bidder or its representative shall be present at the Tender Opening Meeting for clarification of possible questions arisen from submitted tenders. If bidder or its representative cannot be present in the Tender Opening Meeting, and clarification is required, Tender Opening Committee will send a notification letter to the bidder. The bidder must present a clarification letter and send back to the Tender Opening Committee before the deadline specified in the notification letter. The qualified list of bidders will be released afterwards.

10. Validity period of the tender:

90 days starting from the date of tender opening (the validity period may be extended according to the Tender Procedures).

11. Provisional guarantee:

Exempted.

12. Definitive guarantee:

Exempted.

13. Selection Criteria:

Please refer to Part III.Tender Regulations Evaluation – Open consultation document.

14. Additional information:

All related information will be uploaded to Macao Science Center website (www.msc.org.mo) from the day following the publication of this announcement until the tender closing date. Bidders are responsible to visit the website for additional information.

15. Base price:

No base price

A Coordenadora Chan Hoi Fan 09/05/2013

Macao Science Center Limited 16 MAY, 2013.


quinta-feira 16.5.2013

O

Instituto de Habitação (IH) efectuou, em conjunto com a Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA), uma visita aos equipamentos de protecção ambiental e de tratamento de resíduos da habitação pública de Seac Pai Van. A nota, divulgada pelo Gabinete de Comunicação Social do Governo (GCS), refere que o empreendimento de habitação pública de Seac Pai Van é o maior empreendimento de habitação pública de Macau financiado pelo Executivo da RAEM. “É a primeira comunidade com utilização de gás natural para uso doméstico e sistema de sanitários que utilizam água reciclada.” Na área da utilização dos equipamentos de conservação energética e de protecção ambiental, “foram adoptadas lâmpadas de conservação energética, torneiras economizadoras de água, chuveiros

Gás natural e água reciclada

Pai Van e das novas zonas envolventes, o Governo “irá instalar nesta zona iluminação na rua com sistema LED de poupança energética”. Paralelamente, a DSPA tem vindo a disponibilizar a colocação de contentores de inox de reciclagem de resíduos no lobby dos edifícios, caixas empilhadas de separação de resíduos recuperáveis nas cabines de resíduos em cada andar dos edifícios, assim como caixas de reciclagem de capacidade de 120 litros nos posto de resíduos situados no rés-do-chão, facilitando a separação e a reciclagem de resíduos recuperáveis, quer para os residentes, quer para as empresas de gestão dos edifícios.

economizadores de água, caixas de água e sanitas economizadoras de água”. Na área da construção, “optou-se pela iluminação natural nas escadas e nos corredores públicos, com o objectivo de reduzir o consumo de electricidade na utilização de iluminação artificial e optou-se ainda na medida possível por optimizar a ventilação natural nas escadas, corredores públicos e nas casas de banho dos apartamentos, com o propósito de reduzir o consumo de energia pelos ventiladores eléctricos, o pódio foi também aproveitado, instalando-se um jardim”. Além disso, devido ao desenvolvimento do complexo de habitação pública de Seac

“Seria uma espécie de sanduíche”

homem Neandertal e o homem moderno, a nossa espécie, coexistiram nos Picos da Europa, em Espanha, até há 40 mil anos, conclui um estudo de uma universidade espanhola em co-autoria com Universidade de Oxford. Os investigadores analisaram depósitos arqueológicos da zona mais alta de um abrigo rochoso, na entrada de uma gruta em La Guelga (Astúrias), e encontraram materiais atribuídos ao homem anatomicamente moderno entre estratos com materiais produzidos por Neandertais. “Seria uma espécie de sanduíche, em que as fatias de pão corresponderiam a estratos de materiais utilizados pelos

13

Habitação pública IH e DSPA mostram como Seac Pai Van protege o ambiente

Evolução humana Neandertais e homens modernos conviveram até há 40 mil anos nos Picos da Europa

O

vida

www.hojemacau.com.mo

Neandertais e o recheio era formado por materiais deixados por homens modernos”, explica em comunicado Jesús F. Jordá, um dos investigadores da Universidade Nacional de Educação à Distância (UNED). A descoberta “confirma a coexistência dos

dois grupos de humanos na zona cantábrica, refere o investigador, acrescentando que “os humanos modernos ocuparam durante algum tempo a mesma gruta que, antes e depois, foi habitada por Neandertais”. Os Picos da Europa, uma formação montanho-

sa na Cordilheira Cantábrica, que se estende pelas Astúrias e a Cantábria, entre outras comunidades autónomas espanholas, é uma das escassas zonas da Península Ibérica em que os Neandertais e os homens modernos (Homo sapiens sapiens) chegaram a coexistir há 40 mil anos. A Península Ibérica foi o derradeiro refúgio dos Neandertais, para onde foram recuando do resto da Europa, antes da extinção e com a chegada dos humanos modernos vindos de África. O novo estudo, divulgado esta terça-feira, foi publicado num livro editado pelo Museu Neandertal de Mettmann, na Alemanha.

Leilão DiCaprio arrecada quase 40 milhões de dólares

Pela conservação da natureza C

om um empurrão de Leonardo DiCaprio, cerca de 300 milhões de patacas provenientes da venda de obras de arte num leilão em Nova Iorque serão direccionados para o ambiente e a preservação de espécies ameaçadas. O “Leilão da 11.ª Hora”, como foi chamada a iniciativa na Christie’s, foi patrocinado pelo actor norte-americano, que tem uma fundação com o seu nome dedicada à protecção da natureza. DiCaprio apelou os coleccionadores de arte para se juntarem à causa e o convite funcionou. No total, 33 obras foram

vendidas, das quais nove com valores acima de 7,7 milhões de patacas. A mais cara foi um quadro do pintor norte-americano Mark Grotjahn, autor de obras abstractas com motivos geométricos, e que foi arrematado por 50 milhões de patacas – o dobro do preço estimado. Um quadro representando o próprio actor Leonardo DiCaprio, pintado por Elizabeth Peyton, foi vendido por 8,1 milhões de patacas. “Apesar dos esforços importantes das organizações e indivíduos em todo o mundo, o nosso modo de vida causou uma devastação sem precedentes dos nossos oceanos, florestas e vida selvagem”, disse o actor. Criada em 1998, a Fundação Leonardo DiCaprio financia projectos que vão desde a preservação dos tigres no Nepal à protecção do ambiente naAntárctida.


14

cultura

quinta-feira 16.5.2013

www.hojemacau.com.mo

Arquitectura Ou Ning no Júri da Trienal de Arquitectura de Lisboa

A primeira edição do Prémio Début Trienal de Lisboa Millennium BCP, anunciado no final do ano passado, e que vai premiar jovens arquitectos, já tem júri, encabeçado pela britânica Beatrice Galilee. À curadora da Trienal de Arquitectura de Lisboa junta-se o chinês Ou Ning, a espanhola Eva Franch i Gilabert, a mexicana Tatiana Bilbao e o português Diogo Seixas Lopes. À terceira edição, que inaugura a 12 de Setembro com o tema Close, Closer, a Trienal de Arquitectura decidiu apresentar um prémio que pretende reconhecer um jovem arquitecto (menos de 35 anos) ou um estúdio (a média etária também tem que ser abaixo dos 35), nacionais ou internacionais. Para além das candidaturas submetidas pelos próprios profissionais, a Trienal convida ainda o público em geral a nomear as suas escolhas. Mas, a par disso, haverá uma lista de candidatos nomeados por 50 personalidades portuguesas ou internacionais, cujos nomes ainda não foram revelados. O prémio é de cinco mil euros, e haverá dez menções honrosas. As candidaturas podem ser feitas até ao dia 21 de Junho. O objectivo é construir uma perspectiva alargada da actual produção arquitectónica, com vista a identificar potenciais direcções futuras, bem como os seus protagonistas. O elemento chinês do júri, Ou Ning, é activista, curador, editor, artista e investigador na área do urbanismo, tendo nos últimos anos desenvolvido investigação sobre complexos informais habitacionais no Sul da China. O vencedor será anunciado numa cerimónia oficial durante a Semana Inaugural de Close, Closer, que acontece entre os dias 12 e 15 de Setembro. - T.Q.

Música Novo álbum dos Daft Punk em escuta integral no iTunes

O novo álbum dos Daft Punk, Random Access Memories, só será editado segunda-feira, mas já pode ser ouvido online no iTunes. Get lucky, o single, lidera as tabelas de várias dezenas de países e tem sido presença constante na rádio ou nas redes sociais. O single, porém, é apenas uma das 13 canções do novo álbum dos Daft Punk, duo francês cujo regresso aos discos de originais tem sido aguardado com entusiasmo crescente. Muitos escrevem que Random Access Memories é o álbum mais aguardado do ano. A banda de “One more time” ou “Around the world”, responsável no final da década de 1990 por uma verdadeira revolução na música de dança electrónica sempre foi cuidadosa na forma como se apresentou ao público. Ao longo de dezasseis anos, editou apenas três álbuns e uma banda sonora, em 2010, para Tron. Random Access Memories, anunciado pelos próprios como homenagem à música que mais os inspirou na passagem da década de 70 para a de 80 e, ao mesmo tempo, como manifesto para resgatar a música electrónica ao imobilismo em que, considera a banda, esta vive actualmente, foi sendo revelado pouco a pouco. Os Daft Punk de regresso, com a pompa a que nos habituaram. 13 canções, mais de 70 minutos de música. - T.Q.

MoMA deixa demolição do Museu de Arte Tradicional de Nova Iorque em aberto

Duas novidades saíram da última reunião do conselho de administração do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMA): será o gabinete Diller Scofidio + Renfro a projectar a expansão do edifício do MoMA em Manhattan e a demolição subsequente do edifício contíguo, do Museu de Arte Tradicional, está afinal em aberto. A contestação de arquitectos de renome, prémios Pritzker incluídos e encabeçada pela Liga de Arquitectura de Nova Iorque, parece ter dado frutos. Segundo um comunicado de Glenn D. Lowry, director do MoMA, foram os responsáveis da Diller Scofidio + Renfro a pedir que lhes dessem tempo para considerar a globalidade do espaço, inclusive do Museu de Arte Tradicional, com vista ao planeamento da solução arquitectónica para o projecto de expansão. Os planos da administração do MoMA para o prédio contíguo originaram uma carta aberta da Liga de Arquitectura de Nova Iorque a contestar a decisão de destruir o notável edifício que alberga o Museu de Arte Tradicional de Nova Iorque. A decisão de demolir o Museu de Arte Tradicional de Nova Iorque foi anunciada no início de Maio, no âmbito do processo de expansão do MoMA e eram indicados motivos como o facto de a fachada do edifício existente (de bronze) não se coadunar com a do MoMA (vidrada) e pelo facto dos pisos não estarem nivelados. - T.Q.

Pintura A arte do chinês Tan Ping

O corpo da técnica Tiago Quadros

info@hojemacau.com.mo

O

s efeitos acidentais entre a pintura a óleo e a gravura são diferentes. Apesar de ambos estarem associados com o subconsciente, a pintura a óleo pode conter em si traços involuntários, resultantes dos reflexos motores do artista, enquanto que na gravura, todo e qualquer desvio à estrutura prevista, resulta de um “erro de procedimento”, não raras vezes ocorrido durante o processo de produção. Não existe nenhum significado independente relativo às técnicas utilizadas na arte tradicional, sendo referidas, apenas, enquanto condições básicas na reprodução de um objecto. A forma é comunicada através de determinada técnica, que raramente tem um papel directo na reprodução, estando esse destinado à forma representada. Baseado na linguagem da técnica, a obra do artista Chinês Tan Ping revela-se na relação entre a técnica e o espírito. O efeito produzido pelas técnicas artísticas é determinada pela natureza da técnica e pelo artista. A recuperação pura de determinadas técnicas artísticas foi um processo histórico muito utilizado na arte moderna. Desde logo, a independência da técnica utilizada face à reprodução, sobretudo nas artes gráficas tradicionais, foi um processo comum, apesar de raramente reconhecido pela generalidade das pessoas. A técnica determina a forma

e ao mesmo tempo destrói a forma. Na obra de Tan Ping somos levados a seguir estruturas leves, delicadas e profundamente gestuais, consagradas na força da linha, sem que nenhuma imagem (forma) se sobreponha sobre a composição muito pura. De modo similar, o trabalho de gravura de Tan Ping recorre, muito frequentemente, às relações entre branco e preto, bem como aos resultados acidentais provenientes do pó deixado no processo de impressão, valorizando os contrastes entre branco e preto. A obra de Tan Ping ensina-nos que o limite não está na forma, mas antes no uso que o artista faz da técnica adoptada. Esta ideia foi abordada em profundidade pelos pós-modernistas, num processo de revisão crítica fundado em ideias e princípios modernistas. O argumento defendido por muitos artistas, baseava-se no facto da técnica se assumir enquanto caminho para a forma e do artista se focar na exploração da técnica em detrimento da forma. Um dos resultados desta prática foi o alcance de uma autonomia e diversidade maiores em termos de linguagens artísticas. De certa forma, é impossível analisar os trabalhos de Tan Ping, de acordo com uma determinada corrente linguística ou estética. Tan criou uma série de pinturas minimalistas, onde a dimensão desmesurada da tela concorre com as escolhas monocromáticas do artista Chinês. Tan não produziu a técnica embora procure na reformulação de hipóteses transformá-la numa

nova expressão, mais nova e livre do pó das coisas. As cores pintadas de modo repetido, umas sobre as outras, em camadas que se cumprem em sobreposição de valores e quantidades, dão-se a descobrir de um modo quase etéreo. Nesse sentido, estamos perante um trabalho que rejeita ser confundido com uma interpretação da superfície, antes um registo que procura evocar o puro.

A acção, no material, pelo corpo

“+40 M”, de Tan Ping, resulta da simplicidade máxima que o acto físico do artista pode conter – a acção, no material, pelo corpo. “+40 M” começa no espaço, no silêncio de um ‘efeito teatral’, à espera de seguir as linhas e as experiências que o tempo transporta para o processo. E o processo não tem como destino um qualquer efeito visual final, mas antes a caracterização de uma linguagem que se afirma como símbolo de vida. “+40 M” não é acerca de uma determinada procura visual, numa senda hedionda de se apresentar razoavelmente legível ao público. Comparado com outros trabalhos, “+40 M” presta mais atenção à relação que se estabelece entre corpo, caracterização e técnica. Tan Ping procura nas técnicas mais tradicionais ecos de uma expressão nova. Todo o processo, na obra de Tan Ping, funda-se na vontade de criar novas tradições. Entre materiais, ferramentas e meios de produção, a expressão da técnica procura uma janela aberta para se voltar a mostrar, agora mais nova do que nunca. Nesse sentido, a caracterização da técnica é a caracterização do corpo. Porque o corpo também pensa. E isso acontece quando actividades físicas subconscientes fazem nascer novos objectos. E isso acontece na obra de Tan Ping.


quinta-feira 16.5.2013

cultura

www.hojemacau.com.mo

Língua Portuguesa Aprovada proposta que a potencia na Galiza

Promotores falam de “dia histórico”

O

s promotores da iniciativa popular para potenciar a língua portuguesa na Galiza afirmaram esta terça-feira que a sua aprovação, naquele parlamento, representa um “dia histórico” por aproximar, linguisticamente, o que foi separado no passado. “Acho que vai ser, para todos nós, para todos os galegas e

galegos, para os que virão depois de nós, um dia histórico e lembrado. O dia em que voltamos a unir o que a história separou”, afirmou, perante os deputados do parlamento galego, Xosé Carlos Morell, da comissão promotora desta proposta. O aproveitamento do português é visto naquela região como uma forma de potenciar a utilização do

galego, dada a sua proximidade, facilidade de compreensão e tronco comum de origem, em termos linguísticos, relegado para segundo plano pela língua nacional. Esta proposta de lei, subscrita por mais de 17.000 pessoas, foi desenvolvida durante o ano de 2012 pela comissão promotora da Iniciativa Legislativa Popular (ILP) “Valentín

Cinema Filme timorense “A Guerra de Beatriz” procura apoios

Chegar ao mundo

A

primeira produção cinematográfica totalmente feita por timorenses, “A Guerra de Beatriz”, precisa de apoios financeiros para conseguir chegar aos festivais de cinema ainda durante este ano, disse hoje Stella Zammataro, produtora do filme. “Precisamos de 15 mil dólares nos próximos dois meses para concluir o filme”, afirmou à agência Lusa Stella Zammataro. Segundo a produtora, o financiamento é necessário para concluir a

pós-produção, nomeadamente som, efeitos visuais e cópias para serem transmitidas em festivais de cinema de vários locais do mundo. As pessoas interessadas em contribuir podem fazê-lo através da página na Internet da FairTrade Films Australia (www.fairtradefilms.com.au) ou contactar Stella Zammataro através do endereço electrónico: stella@ abrafilms.com. “Os interessados também podem entrar em contacto connosco no nosso escritório em

Xosé Carlos Morell

Díli, em Bemori”, disse a produtora. O filme é apoiado pela Díli Film Works e pela FairTrade Films Australia. O canal australiano SBS e o The World Movie Channel já garantiram a divulgação do filme. “A Guerra de Beatriz”, escrito pela timorense Irim Tolentino, que também faz o papel de Beatriz, conta a história de Timor-Leste entre 1975 e 2002 através do amor de uma mulher pelo seu marido. A direcção é da responsabilidade de Bety Reis e de Luigi Acquisto, enquanto a produção ficou a cargo de Lurdes Pires e de Stella Zammataro. José da Costa, do Díli Film Works, é responsável pela co-produção do filme em que trabalharam mais de 60 timorenses, segundo a página para recolha de fundos na Internet.

Sérgio Vasco expõe na Livraria Portuguesa

tiago alcântara

Paz-Andrade” e reclamava “o aproveitamento da língua portuguesa e vínculos com a lusofonia”. A aprovação foi feita terça-feira de manhã, com os votos favoráveis dos quatro agrupamentos políticos representados no parlamento da Galiza, em Santiago de Compostela, durante uma discussão que levou cerca de uma hora e quinze minutos,

É já no próximo Sábado, dia 18, que o artista plástico brasileiro Sérgio Vasco vai mostrar o seu trabalho na Livraria Portuguesa, num evento recheado com um “cocktail bem brasileiro com caipirinhas e salgadinho”. Quem o diz é Jane Martins, presidente da Casa do Brasil em Macau, entidade que promove a iniciativa. No total serão expostos dez quadros executados com missangas, onde se poderão ver rostos de grandes senhoras como Frida Kahlo ou Marilyn Monroe. “Esta é uma exposição inédita, que foi preparada especialmente para Macau, e consiste na releitura de fotografias e quadros, utilizando uma técnica com missangas, que comecei a desenvolver há alguns anos”, afirma Sérgio Vasco.

15

tendo a proposta sido admitida a processo legislativo, que ainda será preparado antes de publicado oficialmente. “Não se trata de construir impérios, que já passaram, ou novos poderes, mas de recuperar humanidade e relações económicas, naturalmente”, disse ainda Morell. Apontou como passo seguinte a criação de “redes comuns” entre a Galiza e Portugal. Até pela “representação” daquela língua e região autónoma espanhola, “por direito próprio”, na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), enquanto “origem e parte da lusofonia”.

Ilustração Cartaz de festival nova-iorquino tem assinatura lusa

Português em alta O

ilustrador português Tiago f Moura assina, pelo segundo ano consecutivo, o cartaz do Art of Brooklyn Festival, que decorre anualmente em Nova Iorque. O artista foi de novo escolhido pela organização para criar a imagem gráfica de um festival que conta com alguns dos principais nomes da sétima arte norte-americana. Depois de ter vencido o concurso internacional para o design do cartaz do Art of Brooklyn Film Festival de 2012, Tiago f Moura volta a ser a escolha principal da organização de um evento, que este ano conta com o apoio da “gigante” da indústria cinematográfica HBO. “Esta é uma grande oportunidade e depois de ter ganho o concurso no ano passado fiquei surpreendido e muito honrado com este convite, e espero que possa abrir mais portas em Nova Iorque - uma

cidade que sempre me fascinou”, disse o artista português. O autor do cartaz tem 31 anos, nasceu em Lisboa e já conta com um vasto portefólio na área do design gráfico e da ilustração. A renovação do convite pelo festival nova-iorquino representa para o artista o “reforço desta relação com o mercado norte-americano, considerado o mais competitivo do planeta no que diz respeito ao mundo das artes”. O festival, que todos os anos decorre no bairro de Brooklyn, dedica-se à arte e à cultura cinematográfica, dando especial atenção aos trabalhos de cineastas emergentes. De 15 a 19 de Maio vão estar presentes nesta gala realizadores como Jason Cusato e Joseph Shahadi, ou actores como Anthony DeVito, Eric Mabius e Annabella Sciorra.

pub

AVISO CONCURSO PÚBLICO N.º 14/P/2013 Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 26 de Abril de 2013, se encontra aberto o Concurso Público para “Fornecimento e Instalação de um Sistema de Identificação Bacteriana e de Teste de Sensibilidade aos Antibióticos aos Serviços de Saúde”, cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos se encontram à disposição dos interessados desde o dia 15 de Maio de 2013, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato destes Serviços, sita na Rua Nova à Guia, n.º 335, Edifício da Administração dos Serviços de Saúde, 1.º andar, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de $29,00 (vinte e nove patacas), a título de custo das respectivas fotocópias ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet no website dos S.S. (www.ssm.gov.mo). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral

AVISO CONCURSO PÚBLICO N.º 15/P/2013

destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 13 de Junho de 2013. O acto público deste concurso terá lugar no dia 14 de Junho de 2013, pelas 10,00 horas, na sala do “Museu” situada junto ao C.H.C.S.J. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de $24.000,00 (vinte e quatro mil patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde aos 7 de Maio de 2013 O Director dos Serviços, Lei Chin Ion

Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 26 de Abril de 2013, se encontra aberto o Concurso Público para “Fornecimento e Instalação de Uma Unidade de Endoscopia Urológica aos Serviços de Saúde”, cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos se encontram à disposição dos interessados desde o dia 15 de Maio de 2013, todos os dias úteis, das 9,00 às 13,00 horas e das 14,30 às 17,30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato destes Serviços, sita na Rua Nova à Guia, n.º 335, Edifício da Administração dos Serviços de Saúde, 1.º andar, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento de $31,00 (trinta e uma patacas), a título de custo das respectivas fotocópias ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet no website dos S.S. (www.ssm.gov.mo). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral

destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde de São Januário e o respectivo prazo de entrega termina às 17,45 horas do dia 13 de Junho de 2013. O acto público deste concurso terá lugar no dia 14 de Junho de 2013, pelas 15,00 horas, na sala do “Museu” situada junto ao C.H.C.S.J. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de $22.000,00 (vinte e duas mil patacas) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde aos 7 de Maio de 2013 O Director dos Serviços, Lei Chin Ion


16

desporto

Futebol Sporting vence Serviços de Alfândega por 4-1

Marco Carvalho info@hojemacau.com.mo

O leão é quem mais ordena nho e por João Maria Pegado tentou repor o equilíbrio no placard ainda durante a primeira parte, mas a reviravolta acabaria por surgir apenas após o intervalo. A quebra teve uma acção tonificante sobre a moral do onze leonino e na segunda metade, o domínio pertenceu inquestionavelmente ao Sporting, que aproveitou o desnorte táctico do adversário para golear. A igualdade surgiu ao fim de pouco mais de cinco minutos, com o macaense Francisco Cunha a assinar um grande golo, depois de uma boa movimentação do

ataque verde e branco. O médio, que vestiu por várias ocasiões a camisola da Selecção do Lótus, consumou a reviravolta no placard pouco depois, antes do brasileiro Leandro Fernandes ter apontado o terceiro golo dos leões na cobrança exímia de um livre directo. Pedro Maia encerrou a contagem na recta final da partida, confirmando a décima segunda vitória consecutiva do Sporting Clube de Macau em treze jornadas disputadas. Com o triunfo ontem alcançado, os leões do território passam a somar 36 pontos e levam já doze pontos de vantagem sobre o segundo classificado, o Lai Chi, formação que defronta esta noite a Casa de Portugal, num desafio que o conjunto de matriz portuguesa está proibido de perder.

Motociclismo Federação Portuguesa espera por convite antes de decidir

Sérgio Fonseca

info@hojemacau.com.mo

A

da baliza contrária de forma irregular. O Sporting demorou a encontrar-se dentro de campo e permitiu que o onze dos Serviços de Alfândega levasse uma das investidas um pouco mais além. Uma falta de João Braga sobre um adversário em plena grande área do conjunto de matriz portuguesa acabou por facilitar o trabalho dos homens do emblema dos serviços de fronteira, que aproveitaram a grande penalidade para inaugurar o marcador. Em desvantagem, a formação orientada por Mandi-

antónio mil-homens

O

Sporting Clube de Macau deu ao início da noite de ontem um passo decisivo rumo à conquista do Campeonato de Futebol da II Divisão, ao golear a formação dos Serviços de Alfândega por quatro bolas a uma, num desafio com duas metades completamente distintas. Os leões do território confirmaram a boa forma e o estatuto de principais candidatos ao título e à subida ao convívio dos grandes do desporto-rei do território, mas até foi o conjunto adversário a entrar melhor na partida. A primeira parte do desafio decorreu a ritmo morno, com as duas formações a abeirarem-se

quinta-feira 16.5.2013

www.hojemacau.com.mo

convite da Comissão do Grande Prémio de Macau, Portugal tem vindo a estar representado no Grande Prémio de Macau de Motociclismo nos últimos anos. Dada à boa relação entre a organização da prova e a Federação de Motociclismo de Portugal (FMP), habitualmente três motociclistas lusos são convidados a participar na prova do território a que um dia os portugueses apelidaram de “Pérola do Oriente”. Porém, a participação portuguesa na edição deste ano ainda está por confirmar, estando ainda na memória a trágica edição do ano transacto. Recorde-se que a participação da comitiva portuguesa no 59.º Grande Prémio de Macau ficou marcada pelo fatal acidente de Luís Carreira. O simpático motard da Bennimoto/ Raider/Cetelem, quarto classifica-

Nuno Caetano quer marcar presença do na edição de 2009, participava pela sétima vez no Grande Prémio de Macau, não tendo sobrevivido aos ferimentos causados por um violento acidente na Curva dos Pescadores. No seguimento da fatalidade, os dois outros pilotos portugueses inscritos no evento, Nuno Caetano e Fernando Costa, decidiram abandonar a prova em sinal de respeito pela morte de Carreira na primeira sessão de qualificação, uma decisão que foi tomada em sintonia com a federação portuguesa. Sobre a possível participação de uma comitiva lusitana na 60.ª edição do Grande Prémio de Macau na única prova de duas rodas, o órgão federativo português ainda

não decidiu o que irá fazer. “A participação de pilotos portugueses será ponderada em devido tempo, uma vez que ela tem decorrido de

convite da Organização do Grande Prémio de Macau à FMP”, disse ao Hoje Macau o Coronel Armando Vieira Marques, Director Geral

da Federação de Motociclismo de Portugal, que sublinhou que “a decisão (só) será tomada, quando se verificar o convite”. Para Nuno Caetano, que o ano passado correu pela segunda vez no Circuito da Guia, não há dúvidas quanto a uma eventual participação lusitana na prova. “Penso participar na edição deste ano. Após o luto que fizemos o ano passado, há que agora olhar em frente e manter a tradição de ter portugueses presentes na prova”, explicou ao Hoje Macau. Em ano de celebração do Jubileu de Diamante do evento, o Grande Prémio de Macau de Motociclismo será realizado no segundo fim-de-semana de provas, de 14 a 17 de Novembro.

pub

AVISO COBRANÇA DA CONTRIBUIÇÃO ESPECIAL 1.

2. 3.

Faço saber que, o prazo de concessão por arrendamento dos terrenos da RAEM abaixo indicados, encontra-se terminado, e, que de acordo com o artigo 3.º da Lei n.º 8/91/M de 29 de Julho, conjugado com o artigo 2.º e o artigo 4.º da Portaria n.º 219/93/M, de 2 de Agosto, foi o mesmo automaticamente renovado por um período de dez anos a contar da data do seu termo, pelo que, deverão os interessados proceder ao pagamento da contribuição especial liquidada pela Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes. Localização dos terrenos: - Avenida de Venceslau de Morais, n.os 237 a 251, Rua Venceslau de Morais, n.os 2 a 18 e Avenida do Dr. Francisco Vieira Machado, n.os 577 a 615, em Macau, (Edifício Industrial Fu Tai); - Estrada de Cacilhas, n.os 21 a 21D, em Macau, (Edifício Jardim da Guia); - Avenida do Coronel Mesquita, n.os 11S a 11W, em Macau, (Edifício Yee Fu); - Avenida Marginal do Patane, n.os 542 a 546, em Macau, (Edifício Chun Fai Kok); - Avenida do Almirante Lacerda, n.os 69 a 71, em Macau, (Edifício Man Si Tak-Mazda). Agradecemos aos contribuintes que, no prazo de 30 dias subsequentes à data da notificação, se dirijam ao Núcleo da Contribuição Predial e Renda, situado no rés-do-chão do Edifício “Finanças”, ao Centro de Serviços da RAEM, ou, ao Centro de Atendimento da Taipa, para levantamento da guia de pagamento M/B, destinada ao respectivo pagamento nas Recebedorias dos referidos locais. Na falta de pagamento da contribuição no prazo estipulado, proceder-se-á à cobrança coerciva da dívida, de acordo com o disposto no artigo 6.º da Portaria acima mencionada. Aos, 26 de Abril de 2013. A Directora dos Serviços de Finanças, Vitória da Conceição

MANDADO DE NOTIFICAÇÃO N.° 136/AI/2013 -----Atendendo à gravidade para o interesse público e não sendo possível proceder à respectiva notificação pessoal, pelo presente notifique-se o infractor IEONG, CHI CHIO (portador de Bilhete de Identidade de Residente Permanente da RAEM nº 74146XXX), que na sequência do Auto de Notícia n.° 72.1/DI-AI/2012, de 16.07.2012, levantado pela DST e por despacho do signatário de 10.05.2013, exarado no Relatório n.° 169/DI/2013, de 22.04.2013, foi desencadeado procedimento sancionatório, por controlar a fracção autónoma situada na Praceta de Miramar n.º 51, Jardim San On, Bloco 3, 7º andar M e utilizada para a prestação ilegal de alojamento.-------No mesmo despacho foi determinado, que deve, no prazo de 10 dias, contado a partir da presente publicação, apresentar, querendo, a sua defesa por escrito sobre a matéria constante daquele Auto de Notícia, oferecendo nessa altura todos os meios de prova admitidos em direito. Nos termos do n.° 2 da artigo 14.° da Lei n.° 3/2010 não é admitida apresentação de defesa ou de provas fora do prazo.-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------A matéria constante daquele Auto de Notícia constitui infracção ao artigo 2.° da Lei n.° 3/2010, tal facto é punível nos termos no n.° 1 do artigo 10.° da Lei n.° 3/2010.----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------O processo administrativo pode ser consultado, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Licenciamento e Inspecção desta Direcção de Serviços, sito na Alameda Dr. Carlos d'Assumpção n.os 335-341, Edifício “Centro Hotline”, 18.° andar, Macau.------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------Direcção dos Serviços de Turismo, aos 10 de Maio de 2013. O Director dos Serviços, Subst°., Manuel Gonçalves Pires Júnior


quinta-feira 16.5.2013

[ ] Cinema

futilidades

www.hojemacau.com.mo

17

Cineteatro | PUB Sala 2

star trek: into darkness [b] Um filme de: JJ. Abrams Com: Benetic Cumberbatch, Alice Eve 14.30, 19.15

star trek: into darkness [3D] [b] The Great Gatsby

Um filme de: JJ. Abrams Com: Benetic Cumberbatch, Alice Eve 16.45, 21.30

Sala 1

Sala 3

Um filme de: Baz Luhrmann Com: Leonardo DiCaprio, Tobey Maguire, Carey Mulligan 14.15, 16.45, 21.45

Um filme de: Shane Black Com: Robert Downey Jr., Gwyneth Paltrow, Don Cheadle 14.15, 16.45, 19.45

the great gatsby [b]

iron man 3 [c]

Um filme de: Shane Black Com: Robert Downey Jr., Gwyneth Paltrow, Don Cheadle 19.15

iron man 3 [3D] [c]

Aqui há gato

the great gatsby [3d] [b]

Um filme de: Baz Luhrmann Com: Leonardo DiCaprio, Tobey Maguire, Carey Mulligan 19.15

VERTICAIS: 1-Produtora. 2-Imposto de Ciruclação (abrev.). Tornariam oco. 3-Casa, pátria (Fig.). Sorri. Desfolhado. 4-Falecimento. Sua pessoa. Hipótese. 5-Sua (Arc.). Escolherdes. 6-Olé!. Imposto sobre o rendimento colectivo (sigla.). Nome de mulher. 7-Roubariam (Gír.). Existes. 8-Expressão do rosto. Concede. Canais de irrigação. 9-Naquela. Distingue, divisa, Caminhai. 10-Retábulos. Nesse lugar. 11-O que possui, possuidor.

Soluções do problema

Sudoku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: 1-Filosófico. 2-Entrar em cabalas. Poeira. 3-Manifesta o riso. Falta (Pref.). Naquelas. 4-Letra grega. Contracção dos pronomes Te e O. Ajunteis. 5-A febre-amarela (Ant.). Nordeste (abrev.). 6-Oferecei, Três (Pref.). Notas, observas. 7-Cidade bíblica. Extraíeis. 8-Zunir (os ouvidos). Funesta. Sozinho. 9-República Árabe Unida (Extinta). Ceda gratuitamente. Tratamento que se dá na China a certas pessoas. 10-Suflixo, o m. q. INO. Feita a sementeira. 11-Avaliásseis o peso.

[Tele]visão TDM 13:00 13:30 14:40 19:00 19:30 20:30 21:00 21:30 22:10 23:00 23:30 01:00 01:30

31 - STAR Sports 12:30 (LIVE) Sk Telecom Open Day 1 15:30 HSBC Asian 5 Nations Rugby 2013 UAE vs. Japan 17:30 AFC Cup 2013 Kelantan vs. Kitchee 19:30 FIA F1 World Championship 2013 - Highlights Spanish Grand Prix 21:00 2 Wheels 21:30 (LIVE0 Score Tonight 2013 22:00 HSBC Sevens World Series 2012/13-Highlights 22:30 2 Wheels 23:00 (Delay) Sk Telecom Open Day 1 Highlights

TDM News - Repetição Telejornal + 360º (Diferido) RTPi DIRECTO Montra do Lilau (Repetição) Vingança Telejornal TDM Talk-Show Castle Sr.4 Escrito nas Estrelas TDM News Liga Europa Final: Benfica – Chelsea (Repetição) Telejornal (Repetição) RTPi Directo

40 - FOX Movies 11:50 Armored 13:20 The Chronicles Of Narnia 15:40 Freelancers 17:20 People Like Us 19:20 We Are The Night

RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:35 Destino: Portugal 15:00 Biosfera 15:30 Moda Portugal 16:00 Bom Dia Portugal 17:00 AntiCrise 17:25 Portugal Aqui Tão Perto 18:20 O Teu Olhar (Telenovela) 19:05 Fátima e o Mundo 20:00 Jornal Da Tarde 21:15 O Preço Certo 22:10 A hora de Baco 22:35 Ler +, Ler Melhor 22:45 Portugal no Coração

21:00 The Girl With The Dragon Tattoo 23:35 Freelancers

30 - FOX Sports 12:30 Tour Of Turkey 2013: Event Highlights 13:30 AFC Champions League 2013 Central Coast Mariners vs. Guangzhou Evergrande 15:30 MLB Regular Season 2013 Seattle Mariners vs. New York Yankees 18:30 (Delay) Baseball Tonight International 2013 19:30 (LIVE) FOX SPORTS Central 20:00 ABL Crossover 2013 20:30 Total Rugby 21:00 HSBC Sevens World Series 2012/13-Highlights 21:30 The Football Review 2012-2013 22:00 FOX SPORTS Central 22:30 Thursday Fight Night With UFC 23:00 UFC Ton/ Primetime Tape 23:30 UFC Unleashed Tape

41 - HBO 11:30 Johnny English Reborn 13:15 Payback 15:00 28 Days 16:45 Repo Man 18:20 Intolerable Cruelty 20:00 Three Kings 22:00 Game Of Thrones 23:00 The Town 42 - Cinemax 12:00 Surviving The Game 13:50 Bad Company 16:00 Journey To The Far Side Of The Sun 17:50 Hollywood On Set 18:30 Dracula Dead And Loving It 20:15 Bloodsport 22:00 Hall Pass 23:35 Casualties Of War

HORIZONTAIS: 1-FILOSOFAL. P. 2-CABALAR. PO. 3-P. RI. AN. NAS. 4-RO. TO. ADAIS. 5-OCROPIRA. NE. 6-DAI. TRI. VES. 7-UR. SACAVEIS. 8-TINIR. MA. SO. 9-RAU. DE. LI. R. 10-IM. SEMEADA. 11-Z. PESASSEIS. VERTICAIS: 1-F. PRODUTRIZ. 2-IC. OCARIAM. 3-LAR. RI. NU. P. 4-OBITO. SI SE. 5-SA. OPTARDES. 6-OLA. IRC. EMA. 7-FANARIAM. ES. 8-AR. DA. VALAS. 9-L. NA. VE. IDE. 10-PAINES. AI. 11-POSSESSOR. S.

À venda na Livraria Portuguesa Explicações de Português • Miguel Esteves Cardoso

“Sair dos dias. Não dormir. Não falar com ninguém. Ficar de fora do lá de fora. Ocupar o coração. À força. Ser como ele. É muito bom e faz muito bem. Sair de nós. Cair nos outros. Não escrever. Ler. Não pensar. Lembrar. Os amigos quietos. O murmúrio do riso que riram. A família parada. O colo onde cabe a cabeça. O amor adormecido. Estas coisas acordam. E sossega saber que nós não somos nada sem eles. É muito bom e faz muito bem.”

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição solução do problema do dia anterior

Os Meus Problemas • Miguel Esteves Cardoso

“Não se pode ter muitos amigos. Mesmo que se queira, mesmo que se conheçam pessoas de quem apetece ser amiga, não se pode ter muitos amigos. Ou melhor: nunca se pode ser bom amigo de muitas pessoas. Os amigos, como acontece com os amantes, têm de ser escolhidos. Pode custar-nos não ter tempo nem vida para se ser amigo de alguém de quem se gosta, mas esse é um dos custos da amizade. O que é bom sai caro.” Rua de S. Domingos 16-18 • Tel: +853 28566442 | 28515915 • Fax: +853 28378014 • mail@livrariaportuguesa.net

Pagar pela saúde numa terra com dinheiro Tem dias em que me apetece ser apenas um turista nesta terra que, à partida, parece maravilhosa e sem problemas de maior. Mas como sou residente, vou descobrindo os podres à medida que desbravo caminhos. Ontem desbravei mais um. Não é que ande muito doente, mas tinha dores nas minhas patinhas e dirigi-me ao Centro Hospitalar Conde de São Januário para fazer uns exames. Do atendimento nada tenho a apontar: foram todos simpáticos e passada apenas meia hora tinha os meus exames feitos. A cadeira da sala de espera nem chegou a aquecer com o meu rabinho. O pior foi quando eu tive de pagar pelos exames que tinha acabado de fazer: quase 600 patacas, por um raio-X e uma ecografia. E isto porque tive direito a desconto por ser residente da RAEM, embora não permanente. Estamos a falar de um hospital público numa terra que não tem apenas muito dinheiro: como se diz em bom português, nada em patacas. São tantas que dá para esbanjar à vontade sem ninguém perceber muito bem. Como é que pedem a um residente para pagar seja o que for, e ainda por cima com um valor tão elevado como este? Onde está o conceito de saúde gratuita para os residentes, que aqui deveria já ter sido implementado há muito? Ironicamente, no mesmo dia em que eu me dirigi ao São Januário, foi formalizada em Boletim Oficial a concessão do terreno à Sociedade de Jogos de Macau (SJM) na zona do Cotai. Para quem ainda não percebeu a ligação entre os dois pontos, faça uma busca no Google e tente encontrar uma notícia da Reuters que tem como título “Um hospital público, 36 casinos”. É o que temos: pouco, velho e a precisar do último grito em tecnologia. O pior é que ainda pagamos pelo serviço. Mesmo com 36 casinos.

Pu Yi


18

opinião

quinta-feira 16.5.2013

www.hojemacau.com.mo

Estaremos a ver o mesmo jogo? Alberto Castro Jornal de Notícias

O

paralelismo continua! O percurso dos dois Vítores (Gaspar e Pereira) parece continuar alinhado, cada um no seu domínio. Após semanas negras, o panorama desanuviou-se para ambos na semana que passou. Em rigor, no caso de Gaspar, algumas das boas notícias (alargamento de prazos e do limite do défice) já vinham de trás. E, em rigor, ainda, nem tudo foram boas notícias: o desemprego atingiu níveis históricos. Coisas da economia real. Como é ministro das Finanças, o que contou mesmo foi a emissão de dívida a 10 anos. Um sucesso. Para o seu homónimo Pereira, a semana foi, ainda, melhor: viu o Benfica começar por empatar, o que deu ao jogo no Dragão, contra o rival, outra importância, e, depois, ganhou quando já nada nem ninguém o previa. Se o paralelismo se mantiver, o desfecho da reunião de hoje do Eurogrupo poderá antecipar o do campeonato. Se os resultados da cimeira não forem bons, a emissão de dívida da semana passada será como a vitória sobre o Benfica: uma alegria momentânea que de pouco serviu: testaram-se os mercados que nos acolhe-

Consciente de que a margem de crescimento das nossas exportações e a capacidade de substituição de importações são, no curto prazo, limitadas, é natural que o Governo tente diminuir a pressão, reduzindo as necessidades de financiamento, contendo o défice público e reformando o Estado. Era e é inevitável ram a um preço insustentável; quebrou-se a invencibilidade do adversário sem tirar daí tirar outro proveito. Na verdade, os paralelismos acabam aqui. Ganhar o campeonato é quase uma questão simbólica. O que conta mesmo é a presença, que tanto Porto como Benfica já asseguraram na chamada liga milionária, a Champions. No caso das Finanças, ou melhor, do país, o simbólico esteve na emissão. Faltam os milhões da liga milionária, não sendo óbvio que tenhamos treinador, equipa e táctica para nos sairmos a contento. O treinador não dá a cara. Instalado em Bruxelas ou Frankfurt, fala por interpostas pessoas, os seus adjuntos, Passos e Gaspar. Os adeptos desesperam com o que ouvem e vêem. Portugal é uma equipa à deriva em que até o massagista aparece a mandar palpites sobre os erros a evitar. O presidente nada diz. Os treinadores, autocráticos, insistem na mesma receita, perdendo jogo

atrás de jogo, falhando meta atrás de meta. Exaurem a equipa e desmotivam a massa associativa. O assunto é demasiado sério para continuar com metáforas. As ideias de base são simples e estão correctas: aquilo que gastamos a mais na frente interna tem de ser compensado através do aumento das exportações e da substituição de importações. Não se compra português, nem sequer cá dentro, só por o ser. É preciso ter preço. Para isso é necessário que os custos baixem (daí a pressão sobre os salários), a produtividade aumente (a importância da gestão) e, eventualmente, as margens diminuam. Se não houver os incentivos certos, aquilo que, de outro modo poderia ter efeitos virtuosos, traduzindo-se em ganhos de competitividade e criação de emprego, pode redundar apenas num aprofundamento da desigualdade na distribuição de rendimentos. Descem os custos, aumentam os lucros e nada se alte-

ra. A insistência na facilitação do crédito, sem critério, contém o risco de perpetuar o modelo que nos trouxe até aqui. Os incentivos hão-de ser para a mudança desta lógica, premiando o autofinanciamento do investimento e o saneamento da estrutura de capitais. Uma simples descida do IRC sem condicionalidades não chega. Consciente de que a margem de crescimento das nossas exportações e a capacidade de substituição de importações são, no curto prazo, limitadas, é natural que o Governo tente diminuir a pressão, reduzindo as necessidades de financiamento, contendo o défice público e reformando o Estado. Era e é inevitável. A sua concretização, em forma e ritmo, é que pode diferir. É uma das reformas necessárias. Não suficiente. Em conjunto com algumas das outras (mercado de trabalho, justiça, concorrência, sistema fiscal, etc.) talvez dê para começarmos a entrar no radar dos investidores estrangeiros dignos desse nome, que não se limitam a comprar dívida pública e criam riqueza. Esses, se apreciam as reformas, exigem estabilidade. Detestam a incerteza. O que não se consegue sem uma visão de longo prazo e acordos interpartidários sobre como lá chegar. Governo, Oposição e presidente estarão mesmo a ver o jogo?


quinta-feira 16.5.2013

opinião

www.hojemacau.com.mo

Leocardo

19

bairro do oriente

Não pagamos! (ou pagamos menos)

M

acau é uma cidade onde o pecado mora ao lado. Já lhe chamaram em tempos “Sodoma e Gomorra” do Oriente, e apesar da crueldade implícita nessa comparação (é preciso recordar que fim tiveram essas duas cidades bíblicas) não consigo deixar de concordar com ela, pelo menos em parte. Quem conhece bem o território, o seu mecanismo e as suas “instituições” sabe que por aqui temos muitos lobos vestidos com pele de cordeiro, ouvimos histórias de fazer os mais puritanos corar de vergonha, e é tudo regado com uma enorme dose de hipocrisia. Temos um pouco de tudo, menos anjinhos. Os santos que adornam os altares das inúmeras igrejas um pouco por toda a cidade são feitos de pau, mas as pessoas são de carne e osso. Congratulo-me por viver numa cidade onde o acesso ao sexo, mesmo que pago, é facilitado. Em Macau só é agressor sexual quem quer, ou quem sofre efectivamente de algum tipo de psicose ou desvio. Existem opções para todos os gostos e carteiras, e um cardápio variado que serve todos os delírios, até os mais bizarros. É só pagar um pouco mais e realiza-se (quase) qualquer capricho. Quem chega ao território fica rapidamente a conhecer os locais onde pode cometer aquilo que a educação religiosa convencionou chamar de “sexo extra-marital”. Quem afirma não conhecer é porque anda mesmo distraído – ou está a mentir. De noite todos os gatos são pardos, e não é raro encontrar nesses locais personalidades que de dia são tidas como “respeitáveis”. Nem o facto de se ser casado é relevante. O ónus do casamento não é impeditivo para que se provem as iguarias do banquete do pecado da carne. Carne é mesmo o que não falta por aqui. O português, o macho-latino, é por natureza um romântico. O fenómeno da prostituição em Portugal é ainda visto como vergonhoso, marginal e censurável. Associado a gente decadente e sem classe. A prostituição de rua é um mundo sujo, onde reina a promiscuidade, e controlado por gente muito pouco recomendável, desde o proxeneta de bairro às máfias do leste europeu. A prostituição de luxo, as jovens bonitas e sãs que se encontram nas casas de alterne da moda, estão ao acesso de poucos. Chegando a Macau encontramos um mundo completamente diferente, que em termos

Os hábitos dos portugueses de Macau no que toca ao relacionamento íntimo com o sexo oposto, mesmo que fora da santidade do matrimónio, diferem da atitude mais pragmática dos locais. Enquanto alguns não se importam de pagar o que for necessário, o português gosta de “engatar” comparativos chega até a ser encantador. Um serviço completo, bem feito, seguro, efectuado com o mínimo de higiene e bom gosto não está apenas ao acesso de empresários, dirigentes desportivos e árbitros de futebol. Uma ida à sauna é de longe mais sofisticada que uma “ida às meninas” no prostíbulo lá da terra. E não é vergonha nenhuma. Os hábitos dos portugueses de Macau no que toca ao relacionamento íntimo com o sexo oposto, mesmo que fora da santidade do matrimónio, diferem da atitude mais pragmática dos locais. Enquanto alguns não se importam de pagar o que for necessário, o português gosta de “engatar”. A arte do engate é própria da nossa natureza de povo conquistador, que em tempos idos promoveu a miscigenação com os povos indígenas das paragens distantes onde o imenso mar os levava. Além do padrão e da bandeira, fazíamos questão de enterrar mais qualquer coisinha. A nossa costela marialva de animal de sangue quente prefere sempre o engate à frieza do sexo pago; é mais gratificante e mais pessoal. Não tem piada nenhuma estar com alguém apenas porque se pagou pela companhia. É desagradável ter a sensação que se alugou uma pessoa para nos “aturar”. Não queremos ser aturados nem gostamos de fingimento. Queremos ser amados a sério. Queremos que gostem de nós, pá! Essa perspectiva romântica do amor e do prazer carnal leva a que os portugueses sejam conhecidos por algumas profissionais do ramo como “aqueles tipos chatos que não gostam de pagar”. Esta fama é facilmente verificável com uma rápida visita aos corredores do

velhinho Hotel Lisboa, onde se podem encontrar várias prostitutas oriundas da China continental. Para estas jovens, bastante atraentes e impecavelmente bem vestidas, somos aqueles gajos que “pagam mal e só querem brincadeira”. Como tempo é dinheiro, o alvo preferencial destas mulheres são os jogadores de etnia chinesa, que conhecendo as regras do jogo, limitam-se a cumprir o essencial, pagar e ir embora, sem que sequer olhem nos olhos a pessoa com quem acabaram de partilhar um momento íntimo. Para nós parece demasiado frio, um acto mecânico e desapaixonado. Contam-se mil e uma histórias de elementos da nossa comunidade que se recusaram a pagar por serviços sexuais, muitas vezes com o pretexto de que o encontro “foi consentido”, ou de que a outra parte “também gostou”, ou ainda, e este o mais comum “não gostaram do serviço”. Alguns destes incidentes acabam mesmo na polícia, e não são assim tão raros. A nossa apetência pela aventura, pelo sexo casual e grátis, pela gratificação mútua e todos os restantes expedientes que nos alimentam o ego e a convicção de que somos “bons na cama” leva a mal-entendidos. Na realidade não somos forretas ou velhacos que se aproveitam da ingenuidade de algumas meninas. Somos uma malta que gosta de

festa rija, de foguetes e de bailarico, de convívio e conversa fiada. Temos uma tradição contestatária derivada do desejo incontrolável que nos amem. Da mesma forma que os estudantes que se recusam a pagar propinas à Universidade que lhes dá o canudo, ou dos utentes das pontes que se recusam a pagar portagens, gostamos de gritar alto e bom som: “Não pagamos!”. Não nos importamos de pagar pelo sexo, se for necessário, mas queremos pelo menos um tratamento especial, e já agora um desconto pela nossa “simpatia”. A personagem do Zézé Camarinha, que é tido por muitos como um tipo machista e desprezível, não é mais do que o expoente máximo do homem português, do latino lusitano em todo o seu esplendor. Soltemos o Zézé Camarinha que há dentro de cada um de nós. Mesmo que em pequenas doses.

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Cecilia Lin; Joana Freitas; José C. Mendes; Rita Marques Ramos Colaboradores António Falcão; António Graça de Abreu; Fernando Eloy; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Carlos M. Cordeiro; Correia Marques; David Chan; Gonçalo Alvim; Helder Fernando; Isabel Castro; Jorge Rodrigues Simão; José Pereira Coutinho, Leocardo; Maria Alberta Meireles; Mica Costa-grande; Paul Chan Wai Chi; Vanessa Amaro Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


quinta-feira 16.5.2013

www.hojemacau.com.mo

Julgar e punir homem que mordeu coração

Os rebeldes sírios prometeram, esta quarta-feira, encontrar, julgar e punir o homem que protagonizou o polémico vídeo que circulou esta semana nos media e nas redes sociais em que arranca o coração de um militar do regime de Bashar al-Assad e o trinca. “Todos os actos contrários aos valores pelos quais o povo sírio está a pagar com seu sangue e a perder as suas casas não serão tolerados. O culpado de abusos será punido com rigor, inclusive se for membro do Exército Sírio Livre”, afirmou o principal grupo da oposição num comunicado enviado às agências internacionais. O Exército Sírio Livre afirma ter dado instruções para que se “inicie rapidamente uma investigação sobre os factos e para que o responsável seja levado à justiça”. A Human RIghts Watch, a ONG que denunciou o vídeo esta terça-feira, disse que as imagens são o “retrato cruel de uma guerra civil que provocou o ódio sectário e mortes por vingança”, assinalando que já há conflitos não só entre rebeldes e membros do regime mas também entre diversas facções da oposição a Bashar al-Assad.

c a r t o on por Steff

Suposta receita secreta da Coca-Cola está à venda

Taiwan Centro Económico e Cultural em Macau explica-se

“Um enorme mal-entendido” Gonçalo Lobo Pinheiro glp@hojemacau.com.mo

Menina com hidrocefalia foi operada com sucesso

Roona Begum, uma menina indiana com hidrocefalia, uma doença rara que aumenta o volume da cabeça, foi operada esta quarta-feira “com sucesso” para diminuir a circunferência da cabeça que já tinha alcançado os 94 centímetros, quase o dobro do normal. O caso provocou uma onda de solidariedade depois de um fotógrafo da AFP publicar fotografias da criança, da família e da comunidade do estado de Tripura, uma região isolada e pobre do nordeste da Índia, em Abril. “A operação foi perfeita, muito melhor do que o esperado”, disse o neurocirurgião Sandeep Vaishya à France Press, depois de operar a menina de 15 meses. “Mas ainda é cedo para saber como será sua qualidade de vida no futuro”, salvaguardou Vaisha depois da cirurgia no Instituto de Investigação Fortis Memorial em Nova Délhi. Esta doença traduz-se numa grave anomalia neurológica que provoca o aumento do volume das cavidades que contêm o líquido cefalorraquiano, o que aumenta a pressão sobre o cérebro. O tamanho da cabeça impedia a criança de se manter em pé.

espionagem dos EUA na rússia

N

o passado dia 2 de Maio, os trabalhadores locais do Centro Económico e Cultural de Taiwan em Macau referiram ao Hoje Macau sentirem-se explorados desde 2003. Só agora, a delegação de Taipé explicou a sua posição ao nosso jornal. “Trata-se de uma crítica muito grave que até me deixou doente. Isto só pode ser um enorme mal-entendido”, começou por dizer o chefe do gabinete taiwanês, Chang-Shui Lu. “O que posso dizer é que aquilo que nos acusam não é verdade. Não entendo esta súbita erupção. Temos os contratos todos em dia e tudo está de acordo com a lei.”

O número um da delegação vai mais longe e diz que os queixosos procuram “protagonismo”. “Quem se queixou deve ter algum motivo, nem que seja o de dar-se a conhecer ao Governo de Macau e aos advogados que lêem o jornal português.” Agora é a palavra de uns contra a de outros. Chang-Shui Lu lamenta a dimensão que o caso possa ter tomado, porque, diz, “as coisas são para ser tratadas dentro de casa”. “Até posso entender que os trabalhadores queiram receber mais dinheiro, até porque a inflação é cada vez maior, mas o que saiu cá para fora não corresponde à verdade”, afirmou ainda o chefe da delegação de Taiwan, que assegurou que não haverá

lugar a represálias. “Só quero é que isto acabe pois não faz sentido. Não quero nem saber quem é que fez as queixas, mas não admito que se coloque em questão a harmonia do gabinete e as relações entre Macau e Taiwan. Isso não.” Recorde-se que, na verdade, foram todos os trabalhadores locais do gabinete – nove no total – que se queixaram. Desses, oito trabalham há dez anos para o Governo de Taiwan e outros seis transitaram ainda do tempo da Administração Portuguesa. Não há um que seja que não se queixe de “diminuição de bem-estar” no local de trabalho. As razões, adiantam, prendem-se maioritariamente com questões de ordem monetária uma vez que em termos pessoais nada têm a apontar aos responsáveis, e seus chefes, da Formosa. “Ao mesmo tempo que os salários não sofreram melhorias significativas, deixaram de pagar o 13.º mês e o subsídio de Natal. Na verdade, pensamos que nos fizeram alterações contratuais ilegais que nos fizeram perder subsídios. Há ainda quem esteja a trabalhar sem contrato assinado”, referiram os trabalhadores.

Cliff Huge, dono de um antiquário no estado norte-americano da Geórgia, garante que encontrou uma carta de 15 de Janeiro de 1943 que contém a receita original do refrigerante Coca-Cola e está a tentar vender o documento por 15 milhões de dólares. O item está disponível no eBay sob o título “Coca Cola Recipe - Formula Letter January 15,1943 - Historical Document” e está posto a leilão a partir da oferta mínima de cinco milhões de dólares, a menos que alguém o compre pelos 15 milhões. “Tornemos isto perfeitamente claro nunca poderemos garantir e afirmar que esta é a receita real para a Coca-Cola. Mesmo que esta fórmula seja 100 por cento precisa em todos os aspectos existem apenas duas pessoas no mundo que podem verificar sua autenticidade, e eu duvido que eles estejam dispostos a comprometer a Coca-Cola para reconhecer a exactidão desta receita. É por isso que nós estamos a vender isto como um artefacto histórico”, explica Kluge na página do eBay. Kluge e a esposa dizem ter encontrado este tesouro num amontoado de documentos antigos que adquiriram recentemente e acreditam que é autêntico. A CocaCola guarda a fórmula a sete chaves desde 1893, quando a marca foi registada. De acordo com os media norte-americanos, a empresa ainda não se manifestou sobre o assunto.

AIEA e G5+1 retomam negociações nucleares com o Irão

As potências do G5+1 e a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) retomam esta quarta-feira em Istambul e Viena as respectivas negociações com o Irão sobre o seu programa nuclear. As conversas procuram continuar o processo negociador paralisado há semanas pela falta de acordo. A alta representante de Política Externa e de Segurança Comum da União Europeia (UE), Catherine Ashton, e o secretário do Conselho Supremo de Segurança Nacional, Saeed Jalili, reúnem-se nesta tarde em Istambul para desbloquear o diálogo entre Teerão e o G5+1 (as cinco potências do Conselho de Segurança da ONU - EUA, China, Rússia, Reino Unido e França - mais a Alemanha). Ashton coordena o G5+1, enquanto Jalili é o principal negociador de seu país neste processo, além de candidato à presidência iraniana nas eleições de 14 de Junho.


Hoje Macau 16 MAI 2013 #2852  

Edição do jornal Hoje Macau N.º 2852 de 16 de Maio de 2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you