Hoje Macau 15 AGOSTO 2022 #5071

Page 1

JUÍZOS EM NOVEMBRO PÁGINA 5

GCS

DSSOPT | JULGAMENTO

GRANDE BAÍA

APOSTA NOS QUATRO CONJUNTOS PÁGINA 4

10 FANTASIA

ABRAÇA O ARCO-ÍRIS EVENTOS

OPINIÃO

DA ARTE DE ANDAR A PÉ

MÁRIO DUARTE DUQUE

HOJE MACAU Nº 5072

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ

Sob controlo

www.hojemacau.com.mo•facebook/hojemacau•twitter/hojemacau

RÓMULO SANTOS

SEGUNDA-FEIRA 15-8-2022 MOP$10

Os dois novos casos de infecção de covid-19 foram detectados em “zona de controlo” no Porto Interior. Um residente, de 64 anos, testou positivo na sexta-feira. Já ontem, foi reportado um novo caso de uma mulher de 70 anos, esposa do paciente diagnosticado no dia 10. Ambos foram classificados como casos importados. PÁGINAS 2-3


2 especial covid-19

15.8.2022 segunda-feira

www.hojemacau.com.mo

PORTO INTERIOR

DETECTADOS DOIS CASOS POSITIVOS EM ZONA “DE CONTROLO”

Todos a bordo

O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus anunciou duas infecções por covid-19 no Porto Interior. Os casos positivos dizem respeito a um residente de 64 anos e uma mulher de 70 anos, ambos classificados como casos importados

O RESTAURAÇÃO IAM RECOLHE INFORMAÇÕES DE TRABALHADORES

O

Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) lançou um programa para recolher informações relativas a trabalhadores da restauração que estão obrigados a realizar testes de ácido nucleico regularmente. Segundo um comunicado do IAM, a medida foi anunciada depois de reuniões com “várias associações comerciais e gru-

pos do sector” e tem o apoio da Associação Comercial de Macau. Com a programada compilação de dados, o IAM está em posição de fiscalizar os diversos estabelecimentos e garantir que as pessoas estão testadas, para actuar no caso de as exigências não serem cumpridas. A implementação de um sistema de monitorização implica a

cooperação dos proprietários dos espaços. Nesse sentido, o organismo liderado por José Tavares reuniu-se com proprietários e fez sessões de explicações para ensinar o sector a disponibilizar as informações necessárias. No comunicado divulgado na sexta-feira, o instituto congratulou-se pelo trabalho feito até ago-

ra. “O IAM tem vindo a manter uma boa comunicação com os sectores da restauração e dos produtos alimentares de Macau, já antes tendo organizado o registo de trabalhadores e inspecções para supervisão e controlo, e ouvido as opiniões dos representantes da União das Associações dos Proprietários de Estabelecimentos

de Restauração e Bebidas de Macau, Associação das Pequenas e Médias Empresas de Restauração de Macau, Associação de Desenvolvimento da Indústria de Restauração e Bebidas de Macau, Associação dos Comerciantes da Boa Cozinha de Macau, Associação de Qualidade Verde Marca”, pode ler-se no comunicado.

GCS

Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus anunciou na sexta-feira a descoberta de um caso positivo de covid-19 na zona de controlo do Porto Interior, o que levou as autoridades a decretarem duas rondas de testes de ácido nucleico para quem vive e trabalha na área. A pessoa infectada é um residente com 64 anos de idade, e as duas rondas de testagem têm de ser concluídas até hoje. “Foi diagnosticado um caso positivo do teste de ácido nucleico da covid-19 num residente de Macau, tripulante de navios de Hong Kong e Macau, do sexo masculino, com

64 anos de idade, que tinha sido considerado contacto próximo do caso diagnosticado em 10 de Agosto, também tripulante de navios de Hong Kong e Macau”, foi revelado pelo centro de coordenação de contingência. Segundo a mesma informação, o homem estava “sob controlo” desde a manhã de 10 de Agosto, por ter trabalhado entre 7 e 9 de Agosto com outro trabalhador infectado. Contudo, “todos os testes de ácido nucleico realizados entre 4 e 10 de Agosto foram negativos”, foi indicado. Esta infecção foi classificada “preliminarmente como caso importado de infecções assintomáticas da covid-19”, por estar relacionada


segunda-feira 15.8.2022

especial covid-19 3

www.hojemacau.com.mo

DSC Reclusos voltam a receber visitas

A Direcção dos Serviços Correccionais (DSC) anunciou que a partir de hoje vai permitir que reclusos e jovens internados recebam visitas, mas apenas uma vez a cada duas semanas. A medida, numa altura em que o Governo tem classificado os últimos casos como importados, foi anunciada no fim-de-semana. Além disso, a DSC vai permitir “actividades ao ar livre para reclusos e jovens internados”. Para que possam entrar na prisão, os “os visitantes e advogados devem possuir um certificado do resultado negativo do teste de ácido nucleico realizado nas últimas 48 horas, bem como resultado negativo de teste rápido de antigénio realizado no próprio dia”. Aos visitantes é igualmente exigido que utilizem máscara e apresentem o código de saúde.

Código de Saúde Falhas em versões Android

18 casos importados

Além do caso confirmado, as autoridades anunciaram igualmente

O homem estava “sob controlo” desde a manhã de 10 de Agosto, por ter trabalhado entre 7 e 9 de Agosto com uma pessoa infectada. Todos os testes de ácido nucleico feitos entre 4 e 10 de Agosto foram negativos

que até quinta-feira tinham sido registados mais onze casos importados, dos quais nove negaram qualquer histórico de infecção anterior, levando a que fossem considerados casos importados de infecções. Estas infecções envolveram três pessoas do sexo masculino e seis do sexo feminino, com idades entre os 26 e 63 anos, provenientes do Reino Unido, Portugal, Filipinas, Japão, Estados Unidos, Singapura, Hong Kong e Taiwan. Além disso, foram registados dois casos importados, do sexo masculino, com idades entre os 2 e 4 anos, provenientes de

DSEDJ REGRESSO ÀS AULAS COM REGRAS APERTADAS

A

Direcção dos Serviços de Educação e de Desenvolvimento da Juventude (DSEDJ) vai permitir que as aulas do ensino não superior recomecem na segunda metade deAgosto e no início de Setembro.Ainformação foi avançada na sexta-feira, através de um comunicado em que foi exigida uma “rigorosa observância das medidas de prevenção da epidemia”. Entre as orientações é pedido aos alunos que regressem “à sua residência habitual (Macau, Zhuhai ou Zhongshan) 10 dias antes do início das aulas”. Os estudantes vão ficar ainda obrigados a apresentar

“um certificado de teste negativo de ácido nucleico no mesmo dia do início das aulas, realizado até 72 horas antes, que será verificado pela respectiva escola”. Este critério é igualmente aplicado aos alunos do ensino superior. Ainda de acordo com as mesmas indicações da DSEDJ, os alunos e docentes que não fiquem 10 dias na residência habitual antes do início das aulas devem adiar o regresso, até cumprirem o critério. Nos últimos dias foram vários os pedidos de escolas e deputados para que a DSEDJ desse início à prepa-

ração dos trabalhos para o novo ano lectivo. No comunicado, o Governo considera que actuou no tempo oportuno. “ADSEDJ forneceu, em tempo útil, orientações às escolas do ensino não superior sobre a suspensão das aulas devido à epidemia, contidas no ‘Guia de Funcionamento das Escolas’ e, nos próximos dias, vai continuar a comunicar com o sector educativo para implementar as diversas disposições”, foi considerado. Além disso, a DSEDJ apelou igualmente à vacinação dos alunos e prometeu continuar a promover o “Dia da Vacinação dos Alunos”. J. S. F.

Hong Kong, que alegaram que tinham sido infectados pela COVID-19, pelo que foram classificados como caso de recaída. Ontem foram acrescentados mais sete casos à lista de importações, referentes a dois homens e cinco mulheres, com idades compreendidas entre 13 e 73 anos. Até ao dia de ontem, tinham sido registados 791 casos confirmados de covid-19 e 1.423 casos de infecção assintomática, num total de 2.214 casos. João Santos Filipe

GCS

com o caso mais recente importado, também de um trabalho no sector da logística, que realizava viagens entre Macau e Hong Kong. Em relação a contactos próximos, o centro informou que “os coabitantes e colegas estavam sob controlo desde 10 de Agosto”. Ontem, as autoridades reportaram um caso, referente uma residente de Macau, com 70 anos idade. A paciente é a mulher do tripulante com 73 anos de idade que foi diagnosticado no passado dia 10 de Agosto.

O Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus confirmou que a aplicação do Código de Saúde esteve inacessível em alguns modelos de telemóvel que funcionam com o sistema operativo Android. A situação foi confirmada depois de terem sido recebidas várias queixas, e nesse período as pessoas afectadas foram aconselhadas a recorrer ao portal do Código de Saúde. “Após verificação foi identificado que alguns modelos de telemóveis efectuaram uma actualização do sistema operativo Android e essa situação criou uma incompatibilidade com a aplicação do Código de Saúde de Macau, resultando numa interrupção ou falha na abertura do programa que antes funcionava normalmente”, foi confirmado. Além disso, o Centro recomendou que as pessoas descarreguem o programa no próprio portal da aplicação, em vez de recorrerem aos serviços da Google e Huawei, uma vez que as últimas actualizações ainda têm de ser aprovadas pelas plataformas.

Testes rápidos Custos entre 5 e 40 patacas

Os testes rápidos para detectar a covid-19 podem ser adquiridos no território por preços que variam entre 5 patacas e 40 patacas. As conclusões fazem parte do último relatório do Conselho dos Consumidores que recolheu informações em “60 farmácias locais” autorizadas a vender este tipo de produto. Segundo o relatório, o teste mais barato está à venda na Farmácia Tsan Heng II, na Rua do Campo, custa 5 patacas e é da marca Healgen. No polo oposto, o teste mais caro foi encontrado na Farmácia Guia, na Rua Nova à Guia, e é da marca Banitore. O preço para o público é de 40 patacas.


4 política

15.8.2022 segunda-feira

www.hojemacau.com.mo

HENGQIN COMISSÃO DE GESTÃO DISCUTE ORÇAMENTO E PLANOS DE INVESTIMENTO

Durante a terceira reunião da Comissão de Gestão da Zona de Cooperação Aprofundada, os governos de Macau e Guangdong apreciaram o orçamento e planos de investimento. Foi ainda vincada a aposta no sistema dos “quatro conjuntos” relativos ao comércio, construção, gestão e partilha

R

EALIZOU-SE na sexta-feira na Ilha da Montanha a terceira reunião da Comissão de Gestão da Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin, presidida pelo Chefe do Executivo, Ho Iat Seng e o governador da província de Guangdong, Wang Weizhong. Entre os principais pontos da agenda estiveram a apreciação do relatório de actividades, o orçamento e o plano de investimentos e foi ainda negociado o plano de actividades para a próxima fase. Segundo o Gabinete de Comunicação Social, Ho Iat Seng sublinhou a necessidade de actuar em conformidade com os objectivos fundadores do projecto de integração. “O Presidente Xi Jinping reiterou, várias vezes, que o propósito inicial da construção de Hengqin é promover a diversificação adequada da economia

de Macau”, indicou o Chefe do Executivo. Porém, Ho Iat Seng confessou que “existe ainda uma ligeira discrepância entre a Zona de Cooperação e outras zonas desenvolvidas”. Quanto a atrair investidores e capitais, os governos das duas regiões reforçaram ser “imprescindível uma perspectiva focada na promoção, considerando Hengqin como um conjunto, baseada nas necessidades de Macau e na escassez verificada em Hengqin”. No capítulo dos recursos humanos, a política é semelhante, com a introdução de quadros qualificados seguindo a compatibilidade das necessidades dos quatro grandes sectores programados para a zona de cooperação. Ho Iat Seng defendeu ainda o cumprimento rigoroso das exigências previstas no “novo sistema de desenvolvimento baseado nos “quatro conjuntos”, ou seja, o

FOTOS GCS

Os quatro conjuntos

O governador de Guangdong sublinhou que “a construção da Zona de Cooperação Aprofundada em Hengqin constitui uma grande decisão, tomada, planeada e promovida pessoalmente pelo Presidente Xi Jinping”

comércio conjunto, construção conjunta, gestão conjunta e partilha conjunta”. O Chefe do Executivo de Macau enalteceu o sistema, realçando-o como “a principal vantagem da zona de cooperação e, por outro lado, uma enorme reforma, sem precedentes, no

CASINOS RON LAM PEDE ACESSO A DOCUMENTOS DO CONCURSO

R

ON Lam quer saber se o Governo vai permitir que a população tenha acesso aos documentos do concurso público para a atribuição das novas licenças do jogo. Segundo uma interpelação escrita, o concurso para a exploração do jogo é um assunto fundamental para a população e uma oportunidade para o Governo aumentar a transparência da sua governação. No documento, Lam apontou que no passado houve alguns concursos públicos, como os dos taxímetros electrónicos, contratos de autocarros públicos ou exploração dos estacionamentos públicos, em que se registaram queixas de falta de transparência face aos critérios adoptados, que geraram várias polémicas. Em causa, está o facto

de as pessoas não perceberem os critérios utilizados pelos decisores. Além disso, Ron Lam quer saber se o Governo pode elaborar orientações uniformizadas para que todos os serviços públicos sejam obrigados a disponibilizar online nos seus websites os documentos sobre os concursos. O deputado levantou igualmente dúvidas sobre os preços

estipulados pelo Governo para se poder aceder à documentação dos concursos públicos. Para Ron Lam é incompreensível que os documentos para o concurso público dos taxímetros custassem 300 patacas, mas que os documentos para as concessões do jogo custem 5 mil patacas. A diferença é considerada demasiado grande.

contexto da política de ‘Um País, Dois Sistemas’”.

Ontem hoje e amanhã

O Chefe do Executivo realçou o trabalho feito na primeira metade de 2022 com a “introdução de benefícios fiscais, designadamente do imposto

complementar, destinadas aos contribuintes singulares e às empresas”, para atrair os “quadros qualificados e empresas de excelência de Macau, de dentro e fora do Interior da China”. Até ao fim do ano, Ho Iat Seng indicou que o caminho deverá ser trilhado rumo “à construção de área de cooperação financeira”. O governador da província de Guangdong, Wang Weizhong, sublinhou que “a construção da Zona de Cooperação Aprofundada em Hengqin constitui uma grande decisão, tomada, planeada e promovida pessoalmente pelo Presidente Xi Jinping”. Referindo que os trabalhos de construção da zona aprofundada decorrem a “bom ritmo”, Wang Weizhong “afirmou que é indispensável pôr em prática o espírito de abertura e desenvolvimento de Hengqin, proposto pelo Secretário-Geral Xi Jinping”, assim como “promover a diversificação adequada da economia de Macau.” O dirigente da província de Guangdong destacou a necessidade de apostar nos grandes projectos para “para acelerar a construção das instalações de fiscalização e operações alfandegárias de controlo da ‘segunda linha’”. Estas infra-estruturas são requisitos para “aproveitar a estação Norte de Hengqin da extensão da linha Cantão-Zhuhai de Intercity Railway e o sistema ferroviário interurbano Cantão-Zhuhai e o Metro Ligeiro de Macau”. Wang Weizhong sublinhou ainda a necessidade de “promover a coexistência das populações e das mentalidades” de ambos os lados da fronteira, assim como “consolidar a articulação com o ambiente de emprego, os serviços públicos prestados, o sistema de segurança social, as infraestruturas e a internet”. João Luz

JOGO LEONG HONG SAI QUESTIONA CRITÉRIOS DE CONCURSO PÚBLICO

O

deputado dos Kaifong, Leong Hong Sai, questionou o Governo sobre a viabilidade de fazer o concurso de atribuição das licenças de jogo, numa altura em que a Assembleia Legislativa está a discutir a lei da actividade de exploração de jogos de fortuna ou azar em casino. Para o deputado, esta é uma dificuldade acrescida para os participantes no concurso público, uma vez que o futuro diploma que define alguns aspectos como a relação entre as concessionárias e as empresas promotoras de jogo ainda está a ser discutido. Por outro lado, Leong Hong Sai apontou que critérios de apreciação das propostas incluem a avaliação sobre campanhas para atrair clientes do exterior. No entanto, Leong

não deixou de notar que este objectivo é definido numa altura em que o Governo local tem medidas altamente restritivas ao nível da circulação de estrangeiros. Por isso, e a bem da principal indústria do território, Leong apelou para que sejam levantadas as restrições mais apertadas. Na interpelação, é também questionado o que vai ser feito para que a cidade tenha mais sinais e indicações nas línguas inglesa, japonesa e coreana, para facilitar a circulação dos turistas. Finalmente, Leong Hong Sai quer saber se o Governo vai promover o desenvolvimento de atracções turísticas em Hengiqn, na Zona da Cooperação com Cantão.


segunda-feira 15.8.2022

ECONOMIA MENOS 518 SOCIEDADES FACE A 2.º TRIMESTRE DE 2021

D

ADOS da Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC) revelam que, no segundo trimestre deste ano foram criadas 923 sociedades, menos 518 por comparação a igual período do ano passado. Os números mostram também que a maior parte das sociedades, 346, pertence à área do comércio por grosso e retalho, enquanto que 237 pertencem ao ramo dos serviços prestados às empresas. No entanto, criaram-se, nestes segmentos económicos, menos 121 e 151 sociedades, respectivamente. Relativamente ao capital social, mais de metade das sociedades, 69,6 por cento, tem um capital social inferior a 50 mil patacas, sendo que a totalidade do montante envolvido é de 17 milhões de patacas. A nível global, o capital das sociedades criadas no segundo trimestre deste ano foi de 322 milhões de patacas, mais 39,2 por cento em termos anuais. A DSEC explica este aumento no capital social devido “à constituição de sociedades com capital social relativamente elevado no ramo dos serviços prestados às empresas e no ramo das actividades financeiras”. Sobre a origem do dinheiro investido, 78 por cento do capital social das sociedades veio do Interior da China, num total de 251 milhões de patacas, enquanto que o capital social da mesma zona do país, mas de cidades que pertencem à Grande Baía, foi de 154 milhões de patacas, dos quais 53 por cento de Zhongshan. O capital social proveniente de Macau foi de 62 milhões de patacas e o de Hong Kong fixou-se em seis milhões de patacas. Por sua vez, no mesmo período, foram dissolvidas 171 sociedades com um capital social de 27 milhões de patacas. A. S. S.

sociedade 5

www.hojemacau.com.mo

OBRAS PÚBLICAS JULGAMENTO DE LI CANFENG E JAIME CARION EM NOVEMBRO

Calendário definido

A primeira sessão está agendada para 4 de Novembro, e vai ter como presidente do colectivo de juízes Lou Heng Ha, que também tem em mãos o caso que implica Alvin Chau

O

julgamento do caso que envolve os ex-directores dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes, Li Canfeng e Jaime Carion vai arrancar no dia 4 de Novembro. A informação foi divulgada na sexta-feira pela Rádio Macau. A primeira sessão daquele que é o maior escândalo de corrupção a implicar as autoridades da RAEM desde o julgamento de Ho Chio Meng, ex-Procurador, está marcada para as 10h. O colectivo de juízes vai ter como presidente Lou Heng Ha, juíza que, segundo a Rádio Macau, está igualmente encarregue de outro caso mega mediático, com Alvin Chan, junket fundador da empresa Suncity. Jaime Carion é acusado de um crime de associação secreta, em concurso com o crime de associação criminosa, cinco crimes de corrupção passiva para acto ilícito e seis crimes de branqueamento de capitais. O antigo director das Obras Públicas não está em Macau há vários anos. O seu paradeiro é desconhecido, apesar das suspeitas de que esteja algures em Portugal ou no Brasil, pelo que as hipóteses de passar tempo na prisão são praticamente nulas.

Li Canfeng, ex-director dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes

No que diz respeito a Li Canfeng, sucessor de Carion nas Obras Públicas, é acusado de um crime de associação secreta, em concurso com o crime de associa-

Li Canfeng está preso preventivamente no Estabelecimento Prisional de Coloane desde Dezembro de 2021

ção criminosa, 11 crimes de corrupção passiva para acto ilícito, 10 crimes de branqueamento de capitais, um crime de falsificação de documentos e quatro crimes de inexactidão de elementos. O ex-director está preso preventivamente no Estabelecimento Prisional de Coloane desde Dezembro de 2021, depois de ter sido detido no Interior do país.

Outros crimes

ção secreta, em concurso com o crime de associação criminosa, dois crimes de corrupção activa, cinco crimes de branqueamento de capitais e quatro crimes de falsificação de documentos. O empresário William Kuan Vai Lam, que enquanto estava em liberdade foi responsável pela venda de terrenos mais cara de sempre em Macau, é acusado de um crime de associação secreta, em concurso com o crime de associação criminosa, três crimes de corrupção activa e três crimes de branqueamento de capitais. Sio Tak Hong e William Kuan foram detidos em Macau em Dezembro de 2021, na mesma altura que Li Canfeng. No processo, consta ainda o nome do empresário Miguel Wu, ex-sócio de Pedro Chiang, que já havia sido condenado no âmbito do processo com o ex-secretário Ao Man Long. Wu é acusado de um crime de associação secreta, em concurso com o crime de associação criminosa, dois crimes de corrupção activa e dois crimes de branqueamento de capitais.

João Santos Filipe

Por sua vez, Sio Tak Hong é acusado de um crime de associa-

JUSTIÇA ARRANCA JULGAMENTO NO INTERIOR RELACIONADO COM ALVIN CHAU

A

S autoridades de Wenzhou anunciaram que 35 arguidos suspeitos de crimes relacionados com jogo ilegal no Interior e as actividades de Alvin Chau confessaram-se culpados. A informação foi divulgada através de um comunicado do Tribunal Popular de Segunda Instância de Wenzhou, da província

de Zhejiang, na rede social WeChat. Os arguidos estão acusados de crimes de jogo ilegal e organização ilegal, num processo que tem como protagonista Alvin Chau e as actividades da Suncity. Segundo a informação disponibilizada, os crimes foram possíveis porque desde 2007 que Alvin Chau e a empresa

junket exploravam salas VIP de jogo em Macau. Além disso, a rede criminosa terá igualmente, a partir de 2015, passado a permitir o jogo online em casinos das Filipinas e outras regiões, a que os jogadores podiam aceder no Interior, através dos telemóveis. Ainda segundo a acusação, os arguidos auxiliaram o milionário de

Macau a obter ganhos ilegais, com a criação de um sistema de agentes para a captação de jogadores. Este “serviço” implicou a criação de uma empresa de gestão de activos, utilizada para garantir que as dívidas relacionadas com Macau e o jogo online podiam ser cobradas do outro lado da fronteira. Os agentes e os criminosos, em troca da

participação na rede de jogo, recebiam avultadas comissões. As autoridades dizem ainda que até Novembro de 2021, a rede de jogo online contava com 60 mil agentes, que terão chegado a pelo menos 60 mil jogadores. Na versão da acusação, esta rede “trouxe grandes riscos para a sociedade e economia”.


6 eventos

www.hojemacau.com.mo

15.8.2022 segunda-feira

10 FANTASIA EMBRACE THE RAINBOW – “AN EMOTIONAL OUTLOOK” ATÉ 28 DE S

Cores depois d

As exposições estão de regresso ao espaço 10 Fantasia, ao lado do Albergue SCM, sob a batuta organizadora da Ark-Association of Macau Art. Até 28 de Setembro, está em exibição Embrace the Rainbow – “An Emotional Outlook”, que reúne trabalhos de U Weng Kam, Cheong Un Mei entre pinturas a óleo e composições mistas

D

EPOIS de as nuvens se dissiparem, os primeiros raios de sol no céu artístico de Macau voltam a brilhar. É com essa filosofia de retorno que a Ark-Association of Macau Art retoma o ciclo de exposições no segundo andar do espaço 10 Fantasia, ao lado do Albergue SCM, aberto ao público todos os dias, excepto à segunda-feira, das 11h às 18h. Ontem, foi inaugurada a 4.ª e penúltima edição do ciclo Embrace the Rainbow, intitulado “An Emotional Outlook”, que reúne trabalhos das artistas U Weng Kam e Cheong Un Mei. Segundo a Ark-Association of Macau Art, a expoPUB.

sição que estará patente no espaço 10 Fantasia até ao dia 28 de Setembro representa a saída de um período negro em direcção a um horizonte colorido. “Depois da neblina surge o sol, e o arco-íris vem sempre depois da tempestade. O título desta série de exposições gira em torno das ideias de esperança e recuperação. O que nos aconteceu durante a pandemia? O que merece a nossa gratidão? O que nos inspirou?”, questiona a associação. A organização da mostra realça a importância da arte no reajuste de mentalidades e no reforço da confiança e esperança. A estética e a expressão artística são instrumentos para encontrar paz interior, num mundo ditado por distâncias sociais e restrições de toda a ordem. Na apresentação da peça de U Weng Kam, é referido o aspecto permanente da existência de arcos-íris, apesar da presença ou não de seres humanos. “Animais e plantas que povoam o planeta vão continuar a viver, partilhando os recursos da Terra em harmonia contínua. Talvez um arco-íris não tenha significado para eles, porque é apenas um fenómeno físico”, teoriza a artista. U Weng Kam acrescenta que a sua expressividade artística é impregnada por elementos existencialistas, que procura questionar a posição do ser humano e das sociedades organizadas, e a forma como a pandemia veio baralhar tudo.

Raízes no território

U Weng Kam é mestrada em pintura a óleo e educação artística pelo Instituto Politécnico de Macau. Além da criação artística, lecciona em centros de educação no território. No que à inspiração diz respeito, U Weng Kam entende que a arte vai muito além da apreciação do que é belo, passa também pela interacção entre artista e público, na busca de espaços de reflexão, exploração, alívio e enten-

A Ark-Association of Macau Art retoma o ciclo de exposições no segundo andar do espaço 10 Fantasia, ao lado do Albergue SCM, aberto ao público todos os dias das 11h às 18h, excepto à segunda-feira


segunda-feira 15.8.2022

eventos 7

www.hojemacau.com.mo

SETEMBRO

Do papel para a galeria

da tempestade A

FRC acolhe “Exposição de Banda Desenhada e Animação de Macau” até sábado

Fundação Rui Cunha (FRC) inaugura amanhã, a partir das 18h30, uma mostra que reúne trabalhos dos membros da Associação de Intercâmbio Cultural de Banda Desenhada e Animação de Macau 2002, em exibição até ao próximo sábado. A organização indica que não haverá lugar a cerimónia de abertura, uma vez que já ocorreu no passado dia 16 de Julho. A mostra colectiva é composta por cerca de 30 trabalhos criados por oito artistas de banda desenhada, cartoon e animação. Seis dos artistas representados neste projecto são locais e amadores, que se dedicam de alma e coração ao género. Outros dois, são profissionais de Hong Kong e do Japão. Vincent Ho é um dos artistas de Macau, com o background em cinema, que se dedica há muitos anos à banda desenhada e está neste momento concentrado no seu primeiro trabalho pessoal, denominado “Cruel Angel”. Outro dos participantes na mostra, é Wing Mo, um ilustrador iniciante que começou por explorar diferentes técnicas de pintura e explora agora o universo da mixed media. Por sua vez, Greymon Chan é o autor de “Bony Guy”, uma personagem popular e amplamente divulgada nas redes sociais, cujos subprodutos estão em plena promoção. Z é desenhadora de manga desde 2012 e conhecida pelo seu trabalho mais recente, “Inumanos”, embora continue a explorar novas técnicas e temas de pintura. Nasu define-se como «50 por cento artista, 50 por cento beringela» e concentra a sua arte em ilustrações e personagens no estilo

dimento sobre as realidades sociais e pessoais. Cheong Un Mei teve um percurso semelhante à sua companheira de exposição, também passando pela formação em artes visuais no

Instituto Politécnico de Macau, hoje em dia designado como Universidade Politécnica de Macau. Apesar de não se dedicar exclusivamente a uma forma de expressão artística, Cheong

Un Mei tem predilecção pela arte conceptual e interactiva, em particular em peças tridimensionais e escultura que provoquem reacções. A Ark-Association of Macau Art irá organizar

mais uma exposição depois de “An Emotional Outlook” para completar o ciclo de mostras que pretendem apresentar a criatividade e a esperança depois da pandemia. João Luz

kawaii, hoje pintando sobretudo com aquarela e iPad. ST é outro dos membros da associação que organiza a mostra a ser inaugurada amanhã. O criador teve grande sucesso no mercado infantil de banda-desenhada com o seu primeiro trabalho, “The Caterpillar Family”, passando a publicar regularmente cartoons no jornal diário Vakio. O mais recente projecto de ilustração foi “Super Awakening” e hoje, além de continuar a explorar diferentes estilos, é também professor de ilustração.

Os profissionais

Leung Wai Ka é cartoonista profissional em Hong Kong e foi editor-chefe de projectos como “Eternal Dragon Slayer”, “The Legend of Black Panther”, e tantos outros. Depois de se tornar um criador independente, co-editou “Extinction Game” com Beyen Dai, produziu ilustrações e storyboard para a série de TV “The Detective”, coordenou a banda-desenhada de “Black Comics”, ilustrou o capítulo africano do “Jogo de Extinção” e está agora a trabalhar no novo projecto “One Hundred Spirits, One Kind of Man”. Hiroshi Kanatani é um consagrado cartoonista japonês, cujos trabalhos incluem Shonen Sunday, ilustrações encomendadas de Godzilla para a Toho Studios, contributos para o Famous Monsters of Filmland e a Monster Attack Team, e a colaboração com Clint Eastwood e o espólio de Bruce Lee. A sua paixão por monstros e heróis levou-o desenvolver projectos em Hong Kong, Taiwan e na América. Hoje é membro da Japan Manga Association e 2019 marcou a sua segunda aparição no San Diego Comic Fest. J. L.

MIECF Fórum sobre ambiente adiado para Dezembro

O Governo decidiu adiar para os dias entre 9 a 11 de Dezembro o Fórum e Exposição Internacional de Cooperação Ambiental de Macau 2022 (MIECF, na sigla inglesa), que deveria acontecer este mês, entre 18 e 20 de Agosto. Segundo uma nota de imprensa, o adiamento deve-se à situação pandémica e visa proporcionar “o tempo necessário para a preparação das actividades”.


8 china

15.8.2022 segunda-feira

www.hojemacau.com.mo

MNE EUA RESPONSABILIZADOS POR AFECTAREM COOPERAÇÃO ANTI-DROGA

PENGZHOU CHEIAS FAZEM SETE VÍTIMAS MORTAIS

S

ETE pessoas morreram num popular destino turístico no sudoeste da China, após terem sido arrastadas pela corrente de um rio cujas águas aumentaram repentinamente devido a fortes chuvas, anunciaram ontem as autoridades. No sábado, funcionários públicos e voluntários mobilizaram-se para pedir às pessoas que abandonassem a área, disse o departamento de gestão de emergências da cidade de Pengzhou, após receber um aviso de chuva forte iminente. Em vídeos publicados nas redes sociais, podem

ser vistas pessoas em fuga. No entanto, algumas foram arrastadas quando a torrente chegou. Segundo a Rádio Nacional da China, um homem presente no local disse que várias pessoas foram levadas, incluindo algumas crianças, quando o fluxo de água no curso inferior do rio aumentou repentinamente, em apenas 10 a 20 segundos. O governo da cidade de Chengdu disse no domingo que sete pessoas morreram e outras três foram hospitalizadas com ferimentos leves. PUB.

HM • 1ª vez • 15-8-22

ANÚNCIO Falência nº

CV1-22-0002-CFI

1.º Juízo Cível

REQUERENTE: G2000 (MACAU) LIMITADA, registada na Conservatória dos registos Comercial e de Bens Móveis sob o nº 26309 (SO), com sede em Macau, na Alameda Dr. Carlos D´Assumpção n.ºs 411-417, Edifício Dynasty Plaza, 15.º andar D-H.----------------------------------------------------------------------*** -----FAZ-SE SABER, que nos autos de falência acima identificados, foi, por sentença de 08 de Agosto de 2022, declarada em estado de Falência a requerente G2000 (MACAU) LIMITADA, acima identificada, tendo sido fixado em 60 (Sessenta) dias, contados da publicação do anúncio a que se refere o artigo 1089.º e n.º 2 do artigo 1140.º, do C.P.C., no Boletim Oficial da R.A.E.M., o prazo para os credores reclamarem os seus créditos.------------------Tribunal Judicial de Base da R.A.E.M., aos 08 de Agosto de 2022.----------------------------------------------------------------------***

Confiança foi minada O porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China, Wang Wenbin, declarou esta sexta-feira que os Estados Unidos devem arcar plenamente com as consequências de minarem as relações bilaterais e prejudicarem a cooperação anti-narcotráfico China-EUA. Um funcionário da Casa Branca disse que a decisão da China de suspender a cooperação com os EUA para combater o tráfico de narcóticos, incluindo o fentanil ilícito, é “inaceitável”, acrescentando que a epidemia de overdose em andamento impulsionada pelo fentanil matou mais de 100 mil vidas nos EUA no ano passado. “Desconsiderando o severo aviso e as repetidas representações da China, a presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, insistiu na sua visita provocadora à região chinesa de Taiwan, que prejudicou seriamente a base política das relações China-EUA”, disse Wang em conferência de imprensa, citado pela Xinhua. As oito contramedidas da China, incluindo a suspensão da cooperação anti-narcotráfico, são uma resposta à provocação. Essas medidas são razoáveis e apropriadas, acrescentou Wang. “Quanto ao abuso de fentanil nos Estados Unidos, gostaria de dizer que primeiro, a raiz da crise está nos EUA”, disse o porta-voz.

Haja rigor

A comunidade internacional, incluindo a China, tornou-se cada vez mais rigorosa no controlo de substâncias semelhantes ao fentanil. No entanto, o abuso deste e outros opióides sintéticos continua a piorar nos EUA e o número de mortes por overdose está a aumentar. Vale a pena ponderar as razões para isso pelos Estados Unidos, assinalou Wang. “De acordo com o Conselho Internacional de Controlo de Narcóticos, os Estados Unidos são o maior produtor e consumidor mundial de

Wang Wenbin, porta-voz do MNE chinês “As oito contramedidas da China, incluindo a suspensão da cooperação anti-narcotráfico, são uma resposta à provocação (da visita de Pelosi a Taiwan). Essas medidas são razoáveis e apropriadas.”

substâncias semelhantes ao fentanil. Os norte-americanos, que representam 5 por cento da população mundial, consomem 80 por cento dos opióides do mundo”, acrescentou. Wang disse que o governo norte-americano perdeu o controlo sobre medicamentos prescritos, não teve publicidade suficiente sobre os danos das drogas e tomou medidas ineficazes para reduzir a demanda de drogas, terminando com um controlo deficiente. Ressaltou que os EUA devem enfrentar os seus próprios problemas em vez de se esquivar deles. “Segundo, a China fez grandes esforços para ajudar os Estados Unidos a resolver o problema do fentanil”, disse o porta-voz. Wang observou que

o fentanil não é um grande problema na China e nunca foi abusado em larga escala. Com uma atitude humanitária e responsável, a China tem ajudado os EUA a resolverem a crise do abuso de fentanil e a trabalhar com outros países para enfrentar os novos desafios do problema das drogas, continuou. “A China é o primeiro país do mundo a implementar um controlo de classe inteira de substâncias semelhantes ao fentanil, que está muito além do escopo da convenção da ONU.” “As consequências de minar as relações bilaterais e prejudicar a cooperação antidrogas China-EUA devem ser totalmente arcadas pelo lado norte-americano”, disse Wang.

TAIWAN CHINA IMPÕE SANÇÕES A VICE-MINISTRA LITUANA APÓS VISITA

A

China anunciou ontem sanções contra a vice-ministra dos Transportes e Comunicações lituana e a suspensão da cooperação com a Lituânia nessas áreas, após Agne Vaiciukeviciute ter visitado Taiwan na semana passada. O Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês disse que decidiu interromper “todo e qualquer intercâmbio” com o Ministério dos Transportes

e Comunicações lituano, bem como a cooperação com o país europeu no domínio do transporte rodoviário internacional. O comunicado, citado pela imprensa estatal chinesa, não refere que tipo de sanções serão impostas a Vaiciukeviciute. Em casos semelhantes, as sanções incluíram a proibição de entrar na China continental, Hong Kong e Macau e de fazer negócios no mercado chinês.

Vaiciukeviciute realizou uma visita oficial de cinco dias a Taiwan, algo que o ministério chinês considera ter “violado” o princípio “Uma só China”, interferido em assuntos internos e afectado a soberania e integridade territorial do país. O Ministério dos Negócios Estrangeiros classificou como “uma óbvia provocação” a visita da vice-ministra à ilha, que se juntou a deslocações

da vice-ministra da Economia e Inovação lituana e do vice-ministro da Agricultura lituano, em Junho. O porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Wang Wenbin, prometeu esta semana que o país iria responder “de forma resoluta” ao que chamou de provocações de “certas pessoas da Lituânia”, tendo acusado o país báltico de agir com “aparente má-fé”.


segunda-feira 15.8.2022

www.hojemacau.com.mo

h

9

A imaginação de Zhu Haogu em paredes de templos PAULO MAIA E CARMO texto e ilustração

«O espírito contemplativo do chan perturba-se com a algazarra dos demónios da poesia/ Mas a lua fria, a brisa tão suave, que se pode fazer?/ Toda a noite tentando reprimi-los mas não consigo reprimi-los,/ Estes insubordinados dos demónios são tantos e tantos e chegam sempre tão numerosos.»

Gu Jianlong (1606- depois de 1687) que nas figuras de alguns contemporâneos que pintou revelou um cuidado e atenção na compreensão dos retratados, também fez um retrato imaginado de uma figura mítica que nunca viu. No retrato de Lu Dongbin, datado dos inícios do século dezassete (rolo vertical, tinta e cor sobre seda, 63,1 x 32,1 cm, no Museu Nacional em Varsóvia) o pintor representa o mestre daoísta sentado num tapete. Atrás dele de um lado, um pote de vinho, jiu’ou do outro, o seu ajudante Liu Shujing, o «espírito do salgueiro», de cuja cabeça vai crescendo a árvore do seu nome e que segura nas mãos a famosa «cobra verde», a espada do mestre. A pintura também é uma fantasia temporal, na sua concepção delicada e arcaica, num estilo antigo que o pintor podia observar em obras preservadas das anteriores dinastias Song e Yuan. A figura do sábio daoísta que terá vivido durante a dinastia Tang e o inspirou nessa recriação, ao nascer recebeu o nome Lu Yan, e tomou depois o nome de cortesia Dongbin, o «anfitrião da caverna». E como numa gruta, cenas da sua vida estão pintadas nas paredes do mais antigo e intacto templo daoísta, preservado desde a dinastia Yuan, e mostram etapas marcantes da sua biografia desde o misterioso advento, anunciado pelo voo de um grou branco que pousou no pátio da morada da família. O que despertou a sua mãe que logo deu à luz o menino, cujo nascimento infundiu no quarto um raro e agradável perfume. De

acordo com a lenda esse templo Yongle gong, construído entre 1240 e 1338 em Shanxi, terá sido erigido no próprio lugar onde ele nasceu cerca do ano 796. Hoje já não é exactamente o mesmo local porque foi transferido pedra a pedra cerca de três quilómetros desde o sítio original, devido à construção de uma barragem, o que se adequa a uma personagem de quem se diz que terá mudado a margem de um rio num acesso de raiva. Zhu Haogu, o pintor e monge budista que viveu durante o século treze e a quem é atribuída a autoria dessas cinquenta e duas pinturas hagiográficas é autor de outras memoráveis pinturas em paredes de templos em Shanxi. Dessas criações, entendidas para ficarem imóveis para esclarecimento visual dos lugares onde foram feitas, uma delas teria um fim inesperado e surpreendente. Pintado nas paredes do templo Xinghua Si em Xiaoning, que já não existe, a ilustração do Paraíso de Maitreya, o buda do futuro (502 x 1101 cm, tinta e cor, originalmente sobre uma base de argila misturada com palha) datado do ano 1298, seria objecto de uma original protecção por parte dos monges que numa altura perigosa de guerras civis, o cortaram em sessenta e três partes. Viajando por comboios e navios a pintura chegou a Toronto em 1933, onde hoje se encontra no Museu Real de Ontário. Um destino que foi porventura apenas o desenrolar da imaginação com que fora concebida.


10 [f]utilidades

15.8.2022 segunda-feira

www.hojemacau.com.mo

TEMPO AGUACEIROS DISPERSOS MIN 26 MAX 32 HUM 70-95% UV 13 (EXTREMO) • EURO 8.27 BAHT 0.22 YUAN 1.19

S U D O K U UM FILME HOJE 32

4

7 3 34 1 6 2 5 4

33

PUB.

4 5

7 6

2 1 5 3 7 3 6 4 6

5 3

1 4

3 6 4 5 1 1 2 7 5

4 7 2 7 3 6 1 5 5

1 2 7 4 2 5 3 6 3

6 5 3 2 4 5 7 1 6

5 4 6 1 7 3 4 2 7

SOLUÇÃO DO PROBLEMA 31

31

7

7

“THE MEYEROWITZ STORIES” | NOAH BAUMBACH

PROBLEMA 32

2

1

CINETEATRO

32

Esta comédia dramática é a panaceia ideal para quem tem saudades dos velhos filmes de Woody Allen. Realizada por Noah Baumbach e com um elenco de luxo, encabeçado por Dustin Hoffman, Adam Sandler, Ben Stiller, Elizabeth Marvel e Emma Thompson, “The Meyerowitz Stories” é um filme profundamente familiar e nova-iorquino. Com a narrativa a circular em torno da personagem do patriarca, um esquecido guru artístico protagonizado por Dustin Hoffman, “The Meyerowitz Stories” é um divertido e comovente somatório de traumas familiares reprimidas, que encontram libertação num problema de saúde. João Luz

C I N E M A

SALA 1

DORAEMON THE MOVIE: NOBITA’S LITTLE STAR WARS 2021 [A] FALADO EM CANTONÊS Um filme de: Yamaguchi Susumu 14.00, 17.45

MINIONS: THE RISE OF GRU [B] FALADO EM CANTONÊS LEGENDADO EM CHINÊS Um filme de: Kyle Balda, Brad Ableson, Jonathan del Val 16.00, 19.45

CHILLI LAUGH STORY [B]

FALADO EM CANTONÊS LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS Um filme de: Coba Cheng Com: Ronald Cheng, Gigi Leung, Edan Lui, Sandra Ng 21.30 SALA 2

MAMA’S AFFAIR [B]

FALADO EM CANTONÊS LEGENDADO EM CHINÊS E INGLÊS

Um filme de: Kearen Pang Com: Teresa Mo, Keung To, Jer Lau 14.30, 19.15, 21.30

CRAYON SHINCHAN THE MOVIE: THE TORNADO LEGEND OF NINJA MONONOKE [B] FALADO EM CANTONÊS Um filme de: Masakazu Hashimoto 16.45 SALA 3

THOR: LOVE AND THUNDER [B]

Um filme de: Taika Waititi Com: Chris Hemsworth, Natalie Portman, Tessa Thompson, Christian Bale 14.15, 19.15, 21.30

SUMIKKOGURASHI: THE LITTLE WIZARD IN THE BLUE MOONLIGHT [A] FALADO EM CANTONÊS LEGENDADO EM CHINÊS Um filme de: Takahiro Omori 16.30, 17.45

3 4 5 1 2 7 6 2 1 7 4 3 6 5 THOR: LOVE AND THUNDER 1 5 6 3 4 2 7 6 2 1 7 5 4 3 Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editores João Luz; José C. Mendes Redacção Andreia Sofia Silva; João Santos Filipe; Pedro Arede, 4 3 2 Nunu 6Wu Colaboradores 7 5 1 Anabela Canas; António Cabrita; Ana Jacinto Nunes; Amélia Vieira; Duarte Drumond Braga; Gonçalo Waddington; José Simões Morais; Julie Oyang; Paulo Maia e Carmo; Rosa Coutinho Cabral; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Colunistas André Namora; David Chan; João Romão; Olavo Rasquinho; www. 5 7 3 Paul2Chan 6 1 4 Wai Chi; Paula Bicho; Tânia dos Santos Grafismo Paulo Borges, Rómulo Santos Agências Lusa; Xinhua Fotografia Hoje Macau; Lusa; GCS; Xinhua hojemacau. Secretária com.mo 7 6 4 Morada 5 Pátio 1de redacção 3 e Publicidade 2 Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare da Sé, n.º22, Edf. Tak Fok, R/C-B, Macau; Telefone 28752401 Fax 28752405; e-mail info@hojemacau.com.mo; Sítio www.hojemacau.com.mo 34

1 3 7 2 1 4 6 5 2 3 6 7 5 4 1 4 6 1 3 7 5 2 5 7 4 3 2 1 6 1 2 5 6 3 7 4 7 6 1 4 3 5 2 Notificação Edital 36 5 4 7 2 1 3 (execução 6 3 5 2 1 6N.º 39/2022 7 4 coactiva) 6 7 Lei3Sio Peng, 4 Chefe 5 do2 6Departamento 2 1 4 2 7 5 1 6 3 de Inspecção do Trabalho, manda que se proceda, nos terdo 5 2 2mos 1n.º 36do artigo 7 9.º e5artigo411.º do3Regulamento Administrativo 6 1n.º 26/2008 5 2– “Normas 4 de3fun-7 cionamento das acções inspectivas do trabalho”, conjugados com o n.º 2 do artigo 72.º e n.º 2 do artigo (CPA), aprovado 3 4Administrativo 6136.º 5do Código 3 de4Procedimento 2 1 7 1 4pelo Decreto-Lei 3 6 n.º757/99/M, 2 à5 notificação da transgressora Companhia de Grupo de De Ying Hui, Limitada, n.º de Registo Comercial SO 78544, Dr. Carlos D´Assumpção n.ºs 181-187, Centro Comercial do 3 com1sede na Alameda 5 Grupo Brilhantismo, 7.º andar Q – V, Macau, do Auto de Notícia n.º AT-214/2022/DIT, para no prazo 35de 15 (quinze) dias,6a contar ao da publicação da presente notificação 1 do primeiro dia últil seguinte36 edital, proceder ao pagamento da multa aplicada no aludido auto, no valor de MOP$120.000,00 (cennos termos 5tocome vinte 2 mil4patacas), 7 por6 3prática1das transgressões 6 4da alínea 3 2)7do artigo 5 10.º,2conjugados 1 6 o n.º 3 do artigo 62.º, n.º 3 do artigo 62.º e artigo 77.º da Lei n.º 7/2008 – “Lei das relações de punida5 nos termos 3 do artigo 1trabalho”, 2 7 e5 3 6 das2alíneas 4 2) e 6) do n.º 1, alínea 5 5)2do n.º 1 4 85.º 3 de mesma 6 7 Lei. Deve a transgressora efectuar aos pagamentos das quantias em dívidas aos trabalhadores KUOK 3SItal CHON, 4 TAI 6 POU2LIN,5WONG 7 IAO1SENG e CHAN FEI3IN dentro 7 do6mesmo2prazo,5no valor 4 to-1 de MOP$424.031,50 (quatrocentos e vinte e quatro mil, trinta e um patacas e cinquenta avos). Por 7outro 5lado, deve 1 a transgressora 6 4 apresentar 3 2 ao DIT os comprovativos 6 4dos pagamentos 3 1 acima 7 referidos 2 5 nos 5 (cinco) dias subsequentes ao do termo do prazo acima referido. acima mencionado poderá, dentro das horas normais de expediente, levantar as 4cópiasA1transgressora 7 a3 2 os6mapas5 de apuramento das2quantias 5 em4dívidas6aos 1referidos 7 tra-3 do Auto, notificação, guias de depósito, no Departamento de Inspecção do Trabalho, sita na Avenida do 6balhadores 3 e2asVieria 4Machado, 1 n.ºs 5 221-279, 7 Edifício “Advance 7 Plaza”, 1 1.º2andar,3Macau, 6 sendo-lhe 5 4 Dr. Francisco facultada a consulta dos processos n.ºs 2243/2021, 745/2022 e 945/2022, mediante requeri2também 5 1 7 4 3 1 6 5 7 4 3 2 mento6escrito. Decorridos os prazos acima referidos, a falta de apresentação dos documentos compravativos dos pagamentos efectuados, implica a remessa por este DIT, nos termos legais, os respectivos documentos ao Juízo. Departamento de Inspecção do Trabalho, aos 12 de Agosto de 2022. A Chefe do Departamento, Lei Sio Peng


segunda-feira 15.8.2022

opinião 11

www.hojemacau.com.mo

Mário Duarte Duque*

PLANEAMENTO GERAL DO TRÂNSITO E TRANSPORTES TERRESTRES DE MACAU III – DA ARTE DE ANDAR A PÉ (continuação de dia 8 de Agosto) A MOBILIDADE PEDONAL é a mais primordial, a mais comprometida com o acréscimo da complexidade urbana, mas também aquela que mais revela tendência e vontade crescentes em dela cuidar, nomeadamente devolvendo um sentido de humanidade às cidades. A mobilidade pedonal é também aquela dotada de maior liberdade de movimentos, seja por se processar por decisões individuais, seja por não depender da utilização de equipamentos. Ou seja, algo que aos humanos importa, porque isso reveste-se de sentido de auto determinação. A tradição urbana que caracteriza as cidades de hoje ainda se pauta pela condução sistemática de serviços, tal como resultou da revolução industrial, os quais convivem regradamente num espaço canal (as ruas), onde cada utilidade tem um local destinado (i.e. as circulações motorizadas individuais e colectivas, rodoviárias e de carril, mas também redes de esgotos e de abastecimento), o qual define um território “infra-estruturado”, onde a circulação pedonal tem um local reservado lateralmente a que chamamos “passeio”, construídos elevadamente para resguardo da drenagem de superfície que corre na parte rodoviária da via, antes de ser recolhida subterraneamente. Ou seja, um arquétipo urbano, que em cada situação concreta tem um desenho próprio, mas subjacente à mesma ideia. É isto que identificamos ter sido implementado na RAEM na cidade antiga, ter sido praticado nas urbanizações recentes, mas que também que se antevê ser o modelo dos novos aterros. Todavia, modelos que têm como limites uma proporção máxima e fixa entre os diferentes caudais de fluxos, e que entram necessariamente em crise quando esses caudais se alteram, como aconteceu com o exponencial acréscimo do transporte rodoviário individual. A primeira consequência foi a redução da largura desses passeios para aumento de número de faixas de rodagem. A segunda consequência foi “guardar” os passeios com vedações de segurança, porque o fluxo de peões também aumentou. Mais fácil e perigosamente esses peões podiam resvalar para a faixa rodoviária, como atravessar essas vias onde passou a não ser autorizado. A terceira foi dotar esses passeios de um sentido pedonal único, como acontecia na

Av. Almeida Ribeiro, em tempos em que a economia de Macau efervescia com o turismo, mas muito disfuncionalmente. Da mesma forma que os lugares têm um contingente máximo de ocupação, as comunicações também têm um contingente máximo de fluxo Efectivamente, a circulação pedonal de superfície vem sendo condicionada na RAEM sem moldes de quantificação, e vem sendo definida com grande sacrifício para a liberdade dos peões. Simultaneamente, e em sentido contrário, os centros das cidades conheceram o aumento de circulação pedonal com o estabelecimento de zonas pedonais exclusivas. Tipicamente a pedonalização dos centros iniciou-se com grande oposição dos comerciantes com receio de perda de negócio. Antagonicamente, os centros das cidades acabaram mudar as características do comércio, exactamente por acréscimo de afluência, e disso o centro de Macau não foi excepção. Efectivamente, pela pedonalização, o centro das cidades aliviou-se e humanizou-se mas também por compressão no restante tecido urbano, colocando o interface de fluxos nos pontos onde se comuta da circulação pedonal para as circulações gerais da cidade. Principalmente quando esses centros não estão serviços por outro transporte público subterrâneo. A isso o centro de Macau também não é excepção. Efectivamente não é razoável que o acesso pedonal da Av. da Praia Grande ao centro, se faça por um passeio vedado com menos de metro e meio de largura na Calçada de S. João, logo ao lado de uma

circulação rodoviária, onde os veículos, predominantemente poluentes, têm que aumentar drasticamente a rotação dos motores, por causa da subida. Também nunca se cuidou em diversificar esses acessos ao centro, nomeadamente libertando alguns logradouros públicos que proliferam pela cidade antiga, e que se encontram bloqueados. Ou seja, situações que não podem expandir, mas que podem ser mais bem aproveitadas no seu detalhe, nomeadamente dando utilidade ao obsoleto. Noutra vertente, mas também em consequência da intensificação do trânsito, houve necessidade de resolver os atravessamentos das circulações para que se processassem sem interrupções de fluxo, nomeadamente os atravessamentos pedonais, introduzindo passagens superiores para peões. Foram soluções necessárias, mas pouco atractivas para os peões pelo esforço e desconforto que acarretam, e mais uma vez em sacrifício de uma liberdade pedonal. Por essa razão, a medida complementou-se com os gradeamentos ao longo dos passeios para impedir os peões de atravessar as vias em locais não designados. Anos depois o sacrifício foi atenuado com a equipagem dessas passagens superiores com elevadores e escadas rolantes. Só mais recentemente se deu a mudança de paradigma quando algumas dessas passagens deixaram de ser meros atravessamentos desnivelados e passaram a constituir um nível de circulação próprio, que Planeamento Geral do Trânsito e Transportes Terrestres de Macau, em discussão, apresentou como um sistema 3D, e que se caracteriza por camadas desejavelmente contínuas, autónomas e intercomunicáveis, que se pautam por um melhorado e elevado sentido de conforto. Ou seja, um sistema que não devolvendo a mesma liberdade de movimentos que os peões tinham à superfície, alivia-os sobremaneira de muitos sacrifícios de que foram aflitos. Importa também ter presente que esse modelo também não constitui outro paradigma que a mesma condução sistemática de serviços por uma via infra-estruturada, tal como resultou da revolução industrial, e por que ainda se pauta toda a cidade, tal como a conhecemos. Constitui apenas maior intensificação, com melhor desempenho, por mais bem arrumado e melhor coordenado e articulado. Ou seja, a verdadeira mudança de paradigma na forma de conduzir circulações e fluxos deveria acontecer nos novos aterros que, sendo planeados de início, poderiam ser palco de soluções que melhoram acomodam todas as necessidades tal como já se

conhecem, se quantificam, e se antevêem, e não aquelas que, mesmo sendo engenhosas, resultam de situações de exaustão. Efectivamente, a malha urbana dos novos aterros antecipa vias convencionais, a serem infra-estruturadas convencionalmente, definindo lotes convencionais, para os quais, pelas actuais regras da edificação, a DSSCU continuará a exigir o ingresso das edificações à superfície, atribuindo uma cota de soleira. Assim como o Departamento de Planeamento Urbanístico continuará a definir ingressos à superfície para as entradas de estacionamento, seja em Planos de Pormenor, seja em Plantas de Condições Urbanísticas na delonga de Planos de Pormenor. No que se prende com o acréscimo significativo de percursos pedonais que vêm sendo proporcionados, nomeadamente com aperfeiçoadas condições ambientais, importa distinguir os que se fazem em tempo de pausa, por desporto ou por lazer, dos que se fazem em rotinas diárias. As rotinas pedonais diárias figuram em planeamento urbanístico e prende-se com a distância máxima a atribuir a esses percursos, nomeadamente em complemento dos trajectos efectuados em transportes públicos, como uma distância admissível de 400m. Esse valor é deveras relativo na medida em que tanto é reduzido por factores de comunidade, como é aumentado por factores de saúde e de desejáveis rotinas de manutenção. Ou seja, depende do que anima uma sociedade em determinado momento. Todavia essas distâncias pedonais podem ser consideravelmente estendidas se esses percursos puderem ser feitos por bicicleta, praticamente com a mesma autonomia dos circuitos pedonais, contando que esses utilizadores possam transportar bicicletas nos transportes públicos, nas passagens elevadas, e nos elevadores que lhes dão acesso. Para isso assistem bicicletas que se dobram e se admitem em transportes públicos, que por sua vez têm entradas próprias e espaços designados, para não atrapalharem os demais utentes. E se a tendência é de reduzir o transporte automóvel privado, o mesmo significa um decréscimo de utilização rodoviária, logo alguma capacidade de devolver algum equilíbrio tradicional às circulações de superfície, nomeadamente as pedonais. Em verdade, em toda a RAEM os edifícios continuam a ser pedonalmente acessíveis ao nível da rua. (continua) *arquitecto


“O destino baralha as cartas, e nós jogamos.” PALAVRA DO DIA

NUCLEAR PYONGYANG CRITICA GUTERRES

Regimes prontos a usar Conselho Executivo conclui análise sobre três diplomas legais

COREIA DO NORTE MÁSCARAS JÁ NÃO SÃO OBRIGATÓRIAS

A

Outro diploma analisado pelo Conselho Executivo, foi o “regulamento técnico de segurança contra incêndios em edifícios e recintos”, que alarga as competências do Corpo de Bombeiros

E

STÁ concluída a análise, por parte do Conselho Executivo, de três diplomas legislativos que darão entrada na Assembleia Legislativa. Um deles é o novo Estatuto dos Trabalhadores da Administração Pública de Macau (ETAPM) e diplomas conexos. O novo regime visa flexibilizar a mobilidade dos funcionários públicos e garantir um melhor aproveitamento dos recursos humanos. Além disso, “foram clarificadas as competências do pessoal de direcção na gestão [dos funcionários públicos]”, tendo sido introduzidas “disposições legais para regulamentar a digitalização” dos processos. Tudo para “elevar a eficiência administrativa”. O Conselho Executivo concluiu ainda, na sexta-feira, a discussão do regulamento ad-

ministrativo relativo ao regime jurídico da construção urbana, que define o procedimento a adoptar para o licenciamento de obras. Ficam, assim, definidos os critérios exigidos para pedir o licenciamento de uma obra, bem como “as fases de apresentação dos projectos de obra, os procedimentos e critérios de apreciação e aprovação dos projectos, a emissão de licença de obra, bem como a fiscalização e vistoria de obras concluídas”. São ainda acrescentadas as disposições sobre os projectos de segurança contra incêndios, sistemas de segurança contra incêndios e de telecomunicações. O novo regulamento administrativo visa ainda a “simplificação dos circuitos”, sendo criado o regime de comunicação prévia. Desta forma será mais fácil fazer obras simples

de reparação ou modificação sem necessidade de apresentar um pedido de licença.

Mudanças nos incêndios

Outro diploma analisado pelo Conselho Executivo, foi o “regulamento técnico de segurança contra incêndios em edifícios e recintos”, que alarga as competências do Corpo de Bombeiros (CB) para estes locais, além de melhorar e actualizar as regras técnicas de segurança contra incêndios. É ainda reforçada a monitorização inteligente dos incêndios por parte do CB, para que estes possam acompanhar, em tempo real, o funcionamento dos sistemas de segurança contra incêndios. O diploma implementa também o novo regulamento técnico de segurança contra incêndios. A.S.S.

Egipto Pelo menos 41 mortos em incêndio em igreja copta Pelo menos 41 pessoas morreram e outras 14 ficaram feridas num incêndio ocorrido ontem numa igreja no Cairo, informou a Igreja Copta. “As fontes do Ministério da Saúde disseram que os mortos chegam a 41 até agora, enquanto os feridos são PUB.

15.8.2022

Arthur Schopenhauer

A

Coreia do Norte criticou ontem o secretário-geral da ONU, descrevendo como “palavras perigosas” o apoio de António Guterres à desnuclearização completa da península coreana, durante uma visita ao Sul. O ministro-adjunto dos Negócios Estrangeiros norte-coreano, Kim Son Gyong, acusou o líder da ONU de mostrar “simpatia” pelo que chamou de políticas hostis dos Estados Unidos, país que há muito defende o desarmamento de Pyongyang. “Só posso expressar o meu profundo pesar pelas observações do secretário-geral da ONU, que são extremamente carentes de imparcialidade e justiça”, disse Kim, num comunicado divulgado pela agência oficial norte-coreana KCNA. O ministro-adjunto dos Negócios Estrangeiros defendeu que a “desnuclearização completa, verificável e irreversível” da Coreia do Norte seria “um ataque à soberania” do país. “Aconselhamos o secretário-geral Guterres a ter cuidado ao proferir palavras e acções tão perigosas”, disse Kim, comparando as observações do português com “gasolina atirada às chamas”. Na sexta-feira, Guterres disse, numa reunião com o Presidente sul-coreano, Yoon Suk-yeol, que a desnuclearização da península coreana é um “objectivo fundamental para trazer paz, segurança e estabilidade a toda a região”. Guterres encontrou-se com Yoon na capital sul-coreana como parte da sua digressão asiática, que se centra na promoção do desarmamento nuclear e da cooperação internacional em áreas como a crise climática. No encontro com Yoon, Guterres salientou a importância de fazer progressos no processo de desnuclearização para garantir a segurança regional, a paz e a estabilidade, segundo um porta-voz do Governo de Seul, citado pela agência espanhola EFE.

segunda-feira

14 pessoas”, disse a Igreja Copta em comunicado publicado na sua conta oficial no Facebook. De acordo com as primeiras investigações, o incêndio na igreja de Abu Sifine, no bairro popular de Imbaba, ocorreu, em consequência de uma falha eléctrica,

durante um culto religioso em homenagem a São Mercúrio de Cesareia que reuniu centenas de fiéis. As chamas e o fumo acabaram por provocar uma debandada desordenada, segundo fontes do Ministério do Interior ao jornal egípcio Al Ahram.

Coreia do Norte decretou ontem o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras em quase todos os locais públicos, dias após o líder Kim Jong Un ter declarado vitória na luta contra a covid-19. “A exigência de uso de máscara foi suspensa em todos os lugares, excepto nas áreas da linha de frente e cidades e condados fronteiriços”, anunciou a agência de notícias oficial norte-coreana KCNA. As medidas de distanciamento social também foram suspensas em todas as regiões, excepto nos territórios fronteiriços, acrescentou a KCNA. O regime, no entanto, recomenda o uso de máscara para pessoas com sintomas e pede aos norte-coreanos que “fiquem alerta a qualquer coisa anormal”, uma possível referência aos balões com propaganda enviados por activistas da Coreia do Sul. Apesar de uma proibição imposta pelas autoridades de Seul em 2021, activistas sul-coreanos continuam a enviar balões contendo panfletos políticos e notas de dólares, provocando protestos de Pyongyang. A Coreia do Norte acusou Seul de ter introduzido o coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, a partir da fronteira entre os dois países. Durante o pico da vaga de covid-19 na Coreia do Norte em Maio, foram comunicados até 200.000 casos num único dia. Desde o final de Julho, as autoridades norte-coreanas têm anunciado sucessivamente zero casos, o que levou Pyongyang a facilitar as medidas de isolamento.