Issuu on Google+

gonçalo lobo pinheiro

barcos-dragão Agência Comercial Pico • 28721006

pub

sem surpresas no centro naútico da praia grande

pub

Mop$10

Director carlos morais josé • quinta-feira 13 de junho de 2013 • ANO XII • Nº 2870

aguaceiros ocasionais min 23 max 28 hum 80-95% • euro 10.3 baht 0.2 yuan 1.2

anteneiros

Fraco sinal É esse o sinal que o Executivo tem dado à população no que toca a resolver o problema que envolve anteneiros e Macau Cable TV. Os deputados falam

Ter para ler Venham mais cinco (séculos)

• estudo do ipm revela

Problema tem de ser resolvido, dizem deputados

da falta de um sistema de responsabilização do Governo e dão outros exemplos para a pouca celeridade na resolução das questões que suscitam mais polémica. Para Lee Chong Cheng, por exemplo, “o contrato de concessão foi celebrado sem consenso social” o que tem feito com que a questão se venha a arrastar sem fim à vista. A DSRT admite que ainda não encontrou qualquer saída para o imbróglio mas o secretário para as Obras Públicas e Transportes, Lau Si Io, quer uma solução imediata. página 2

Chineses amam a Pátria como Macau Página 6

• apoio escolar

Mais subsídios para ensino não superior Página 5

• estudantes estrangeiros

AL não quer debate sobre permanência Página 3

• segurança rodoviária

Deputados acusam Governo de ignorar Página 4

pub

CENTRAIS


política

2

quinta-feira 13.6.2013

www.hojemacau.com.mo

Anteneiros Plenário pede ao Executivo que resolva o problema e aponte responsáveis

“Governo deve negociar a exclusividade” salvaguardar a equidade e a justiça social. As entidades competentes já deveriam ter procedido a uma revisão do contrato, (...) a fim de que este correspondesse à realidade social. O Governo deve rescindir o contrato de exclusividade por razões de interesse público”. Au Kam San preferiu lembrar que o contrato de exclusividade com a Macau Cable Tv foi feito na administração portuguesa, num altura em que se devia pensar na liberalização dos serviços televisivos. “Trata-se, sem dúvida de um atentado ao direito ao acesso a sinais televisivos por parte de cerca de 100 mil famílias”, atirou, ressalvando, contudo, que não se devem atribuir culpas ao governo português da altura. O deputado democrata pede, sim, que o Governo apure responsabilidades pelo que entende ser a negligência da Direcção dos Serviços de Regulação de Telecomunicações. “O Governo deve, de imediato, negociar com a empresa para reaver a exclusividade.” Também Chan Meng Kam considera que a DSRT não aprendeu com a suspensão da transmissão de emissões televisivas em 2008 e diz mesmo que as justificações dadas pelo Governo não passam de uma anedota. – J.F.

Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

E

stou de acordo de que os dirigentes consensualmente considerados incapazes pela sociedade devem mudar de cargo, ser despromovidos ou até exonerados.” A frase é de Chan Meng Kam, durante o período antes da ordem do dia na Assembleia Legislativa (AL). O deputado foi um dos que escolheu o plenário para apontar o dedo ao Governo no que toca aos problemas mais polémicos que ultimamente têm surgido. “Os anteneiros, os autocarros fantasma, as campas, as concessões de terrenos em frente ao aeroporto...” O pedido de um sistema de responsabilização do Governo foi o mote comum de todos os deputados, mas o caso dos anteneiros foi o que mais levantou a discussão. Todos pedem uma rápida solução do problema, já que o caso que opõe a Macau Cable Tv e os anteneiros, dizem, foi-se arrastando. “o contrato de concessão foi celebrado sem consenso social, a questão nunca se conseguiu resolver”, apontou Lee Chong Cheng. “O Governo tem a responsabilidade de resolver este problema legado pela história, a fim de garantir o interesse público e

DSRT admite ainda não ter encontrado saída para problema com Tv Cabo

Secretário quer solução imediata

A

Direcção dos Serviços de Regulação e das Telecomunicações (DSRT) reuniu com os anteneiros, para ouvir as opiniões das empresas sobre a decisão do Tribunal de Segunda Instância (TSI) em extinguir a retransmissão de canais televisivos daqui a menos de três meses. Em comunicado, a DSRT admite estar a estudar as sugestões dos anteneiros, de forma a “procurar soluções viáveis”, mas admite não ter ainda encontrado qualquer solução. “A DSRT espera

definir, a curto prazo, uma solução adequada à necessidade e ao desenvolvimento da sociedade geral”, refere o organismo. Lau Si Io, contudo, não ficou satisfeito com um relatório que a DSRT terá enviado para o seu gabinete sobre o assunto. Em declarações à TDM, o secretário para as Obras Públicas e Transportes, disse que “o relatório preliminar da DSRT não era satisfatório, nem do ponto de vista da qualidade técnica, nem do ponto de vista legal”.

Lau Si Io admitiu ainda que quer o problema resolvido em menos de três meses. “A DSRT tem de acelerar o processo por causa dos 90 dias, não deve entregar o relatório no terceiro mês. Demos indicação de que temos de resolver este assunto assim que possível.” A DSRT assegura querer reduzir ao mínimo o impacto que o corte das antenas comuns tem na vida da população. Segundo o que disse o deputado Au Kam San no plenário de terça-

-feira, chegam às 100 mil as famílias que utilizam os serviços dos anteneiros. O problema entre a TV Cabo e os anteneiros é um problema de há vários anos e a DSRT afirma que é complicado encontrar soluções viáveis, mas dz estar a procurar soluções que passam por seguir exemplos de fora. “Tomamos como referência o serviço a nível internacional, a promoção da cooperação, a divulgação da protecção dos direitos de autor dos programas televisivos, a participação

no trabalho de alteração da lei dos direitos de autor, o combate e proibição da construção ilegal da rede de fibra óptica, entre outros.” Recorde-se que, na semana passada, o TSI deu razão à Macau Cable Tv no que diz respeito ao contrato de exclusividade da emissão de sinais televisivos, exigindo que os anteneiros deixem de retransmitir daqui a 90 dias. Sobre uma possível liberalização do mercado, diz a TDM, Lau Si Io nada disse, optando pelo silêncio. – J.F.

Deputados sugerem aumentar taxa de juros de previdência

O deputado Lam Heong Sang e a deputada Melinda Chan consideram a taxa de juros de previdência demasiada baixa, tendo em vista que os jovens só vão poder usar esse dinheiro depois de dezenas de anos de espera. O Governo de RAEM tem vindo a injectar dinheiro nas contas individuais, que tem acumulado 22mil patacas per capita. Contudo, o valor dos dividendos é apenas de 350 patacas, que, segundo Melinda Chan, embora aceitável, pode prejudicar o interesse dos jovens de maneira indirecta em visão de longo prazo. Lam Heong Sang sugere que o Governo adopte diferentes estratégias de investimento conforme a faixa etária.


quinta-feira 13.6.2013

AL Reprovada proposta de debate sobre permanência de estudantes estrangeiros em Macau

Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

S

Sem tempo e sem dados tiago alcântara

ó nove deputados se mostraram disponíveis para debater a questão da integração dos estudantes estrangeiros no mercado laboral de Macau. A proposta de debate pedida em Junho por Kwan Tsui Hang foi, por isso, reprovada na terça-feira. “O Governo deve ou não criar um novo canal separado do regime de importação de trabalhadores não-residentes para permitir que os estudantes do exterior que frequentam instituições de ensino superior em Macau possam aqui permanecer e trabalhar?”, questiona Kwan Tsui Hang. A deputada, que se tem mostrado contra a hipótese de que estudantes do exterior que estudam em universidades de Macau se insiram no mercado de trabalho da RAEM após terminarem a licenciatura, considera o assunto de interesse público. E explica. “Jovens, trabalhadores e pais de estudantes preocupam-se com a hipótese de o Governo poder vir a admitir que estes adquiram a qualidade de residentes, o que não só irá agravar a desordem já registada no mercado laboral, mas também retirar aos locais as oportunidades de emprego e de ascensão social.” Os deputados concordam, mas não a 100%. O maior problema, dizem, é não haver dados suficientes para discutir o caso na Assembleia

Justificações que reprovam • “Se realizarmos um debate nesta época [de eleições], os resultados vão ser negativos.”

Tsui Wai Kwan

• “Não temos dados suficientes e podíamos induzir a população em erro.”

Vong Hin Fai

• “Temos de perceber a ideia do Governo [primeiro].”

Chan Chak Mo

gonçalo lobo pinheiro

• “Não vejo desvantagem na política, os estudantes bem podem ficar cá a trabalhar, mas em termos de ‘timing’ não é boa altura. Talvez na próxima legislatura.”

Tsui Wai Kwan

• “Gostaria de ter mais informação para falar sobre esta matéria e concordo que não temos muito tempo.” Lau Veng Seng

Liberdade de expressão?

osé Pereira Coutinho acusou Florinda Chan de estar envolvida no caso das campas no plenário de terça-feira e Vong Hin Fai acusou o colega de estar a violar a lei. “Temos que cumprir a legislação local, o Código de Processo Penal e o Código Penal, inclusivamente o dever de sigilo e o segredo de justiça”, atirou. “Creio que o senhor deputado violou o regimento da Assembleia Legislativa.” O também advogado considerou que, enquanto deputado, Pereira Coutinho não

3

Legislativa (AL). “O Governo diz que ainda não tem um regime concreto, não há condições suficientes para discutir se não sabemos a ideia do Governo”, frisou Chan Chak Mo. Ao colega, juntou-se Vong Hin Fai. “Uma discussão sem dados não daria uma conclusão correcta e poderia induzir a população em erro.” A justificação é semelhante entre todos os deputados que falaram contra a proposta de debate: não se sabe o suficiente sobre a política e não há tempo na AL para mais trabalho até ao fim da legislatura, em Agosto.

Apoiantes

Caso das campas Coutinho entrega petição e Vong Hin Fai acusa colega de violar a lei

J

política

www.hojemacau.com.mo

deveria acusar Florinda Chan. Pereira Coutinho disse que “a responsabilidade na demora na entrega de documentos ao Ministério Público deveria ser também assumida politicamente pela secretária para a Administração e Justiça. A demissão do presidente do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais do cargo de membro da Comissão dos Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa descredibilizou e prejudicou a imagem do Governo, devendo o Chefe do Executivo assacar as responsabilidades da número dois da hierarquia do Governo de Macau.” Pereira Coutinho não partilha da mesma opinião, argumentando que não está obrigado ao segredo de justiça, já que não está envolvido no processo e justifica o que diz como liberdade de expressão. “Se verificar que há algumas incertezas ou inverdades naquilo que afirmei hoje, espero que o Governo as aponte para que eu as possa corrigir”, disse ainda ao colega. Liberdade que Pereira Coutinho vai tentar expressar novamente, amanhã, ao entregar um pedido de declaração pública “quanto à constituição de arguida da secretária para a Administração e Justiça”. – J.F.

Kwan Tsui Hang não ficou sozinha, contudo, a lutar para que a proposta de debate fosse aprovada. Além de seis abstenções, a deputada viu o seu pedido receber nove votos a favor. Um dos que apoiou Kwan foi Ng Kuok Cheong. “O Governo ainda não se pronunciou e está a evitar-se esclarecimentos. Estamos a reprimir falarmos no hemiciclo, só se fala lá fora. Porque não um debate público para tentar resolver o problema?” Ho Ion Sang também votou a favor, alegando que a questão seria melhor esclarecida no hemiciclo. A apoiar Kwan estiveram ainda Lee Chong Cheng, Au Kam San, Ng kuok Cheong, Paul Chan Wai Chi, Pereira Coutinho e Melinda Chan, considerando que o debate “é sempre positivo”.

Coronavírus Aprovada na AL inclusão na lista de doenças transmissíveis

Exames findos num dia M

acau já tem o novo tipo de coronavírus na lista de doenças transmissíveis e, logo, de declaração obrigatória. Os deputados aprovaram, na terça-feira, no plenário, a alteração à Lei de Prevenção, Controlo e Tratamento de Doenças Transmissíveis. Por votação unânime, a modificação passou com 24 votos a favor. Ainda assim, os deputados levantaram dúvidas, já que, consideram, a inclusão na lista deste novo vírus não é suficiente. “Há medidas suficientes para impor exames a turistas do Médio Oriente ou da Arábia Saudita [local onde se manifesta o vírus]?”, questionou Paul Chan Wai Chi. Melinda Chan quis saber ainda “quanto tempo demora para ter os resultados da análise”. Lei Chin Ion, director dos Serviços de Saúde (SS), es-

teve presente para responder às dúvidas dos deputados e garante que bastam 24 horas para detectar se uma pessoa tem ou não o vírus. Quanto à pergunta do deputado democrata, o responsável limitou-se a dizer que não há motivo para proibir a entrada desses visitantes. A alteração à lei passou com sistema de urgência, uma vez que dados da Organização Mundial de Saúde

mostram que o novo tipo de coronavírus já infectou 50 pessoas até dia 31 de Maio – 30 das quais morreram -, em oito países diferentes – números que mostram ainda que esta nova estirpe tem uma taxa de mortalidade de 60%. Os sintomas são semelhantes a uma gripe ou constipação, já que o coronavírus afecta o sistema respiratório. – J.F.


4

política

quinta-feira 13.6.2013

www.hojemacau.com.mo

AL Deputados acusam Governo de ter ignorado pedido para evitar acidentes nas passadeiras

Escolas já podiam estar seguras

O menino de nove anos que morreu atropelado numa passadeira em frente à escola motivou diversas interpelações de deputados na AL. Todos acusam o Governo de ter ignorado pedidos das escolas e associação de moradores para prevenir acidentes. E as justificações não convencem o hemiciclo Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

O

s deputados apontaram críticas ao Governo por ignorar os pedidos da população sobre medidas de protecção contra atropelamentos, perto da Escola Primária da Ilha Verde, onde morreu uma criança na passadeira, na semana passada. No plenário de terça-feira, na Assembleia Legislativa (AL), foram muitos aqueles que asseguraram que não só as escolas – há três no mesmo local -, como a própria associação de moradores pediram que fossem colocadas lombas antes da passadeira e outros sinais. “A escola apelou várias vezes às autoridades para que dispensassem mais atenção

à segurança rodoviária no Bairro da Ilha Verde, tendo até sugerido a colocação de instalações preventivas nas embocaduras, para garantir a segurança de idosos e crianças, mas [as autoridades] fizeram ouvidos moucos”, apontou Kou Hoi In, que também falou em nome de Ho Iat Seng, Cheang Chi Keong e Fong Chi Keong. Perto da zona onde morreu a criança de nove anos – atropelada na passadeira por um camião que seguia em excesso de velocidade – há ainda dois lares de idosos. De acordo com os deputados, as instituições e a associação de moradores terão mesmo insistido junto da Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes (DSSOPT) e da Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT) que

colocassem as lombas em frente às passadeiras perto das Escolas da Ilha Verde e de Santa Teresa. O organismo ignorou o pedido e a justificação surpreende os deputados. “A DSAT recusou este requerimento com base em, primeiro, no facto de a passadeira ficar junto da paragem de autocarro e, portanto, quando estes entram ou saem da paragem, as viaturas que circulam atrás têm de reduzir a velocidade, não sendo necessária a colocação das lombas em questão”, explica Kou Hoi In. “Segundo, porque a distância entre a esta e outra passadeira é muito curta, por isso não há espaço suficiente para colocar lombas a fim de limitar a velocidade.” Os deputados denominam a primeira justificação do Governo como

“caricata” e recordam que, no dia do acidente, não havia qualquer autocarro no local.

Acusação semelhante

Mas não foram apenas estes os deputados que se queixaram. O período antes da ordem do dia no plenário encheu-se de críticas ao Governo, baseadas nas mesmas acusações. “No programa da rádio Fórum Macau, várias vezes os residentes levantaram os problemas de trânsito que afectam o local, terminando sempre por apelar às autoridades para reforçarem a gestão”, atirou Ung Choi Kun. “Um dos residentes revelou até ter presenciado quatro acidentes de viação não fatais envolvendo crianças.” Também Ho Ion Sang e Ho Sio Kam se juntaram ao coro, com o primeiro a pedir ao Governo que re-

forçasse ainda as punições para as infracções rodoviárias, evocando dados que revelam que houve, no ano passado, mais de 5200 vítimas de acidentes de viação, entre as quais 18 mortos. Já a deputada do sector da educação, Ho Sio Kam, solicitou que fosse mais divulgada a Lei de Trânsito Rodoviário. Ho Sio Kam foi outro dos membros do hemiciclo que repetiu o facto de terem sido requeridas lombas e semáforos para o local do acidente às autoridades. “Há anos. Só que as autoridades não entendem que [seja necessário].” Segundo os deputados, havia cerca de 220 mil automóveis em Macau em 2012 e, de Janeiro a Maio deste ano, foram contabilizadas 386 autuações relativas à não cedência de passagem aos peões nas passadeiras.

pub

Open Tender Notice Request for Proposal – MIA - Maintenance Dredging Work for Navigational Channel – RFQ-168 1. 2. 3. 4.

5.

6.

Company: Macau International Airport Co. Ltd. (CAM) Tendering method: Open tendering Objective: To select a qualified contractor to perform the maintenance dredging work for navigational channel. Request for tender documents: Tender Notice and Tender Document can be downloaded from the website www.macau-airport.com and www.camacau.com until 7 days prior to the deadline for submission of Bidders’ tenders. Please regularly check the website for any clarification or changes/ modification/amendment of the Tender Document. Location and deadline for submission of Bidders’ tenders: Macau International Airport Co. Ltd. (CAM) 4th Floor, CAM Office Building, Av. Wai Long, Taipa, Macau Before 12:00(noon) on 5 Aug 2013 (Macau Time) The addressee of the tender shall be Mr. Deng Jun – Chairman of the Executive Committee. The tenders received after the stipulated date and time will not be accepted. CAM reserves the right to reject any tender in full or in part without stating any reasons. -END-


quinta-feira 13.6.2013

O

tiago alcântara

Governo vai aumentar os subsídios para o ensino não superior, não só das bolsas de estudo, como dos apoios para a compra de material. Na terça-feira, a Direcção dos Serviços de Educação e Juventude (DSEJ) anunciou que, no ano lectivo 2013/2014, o subsídio de escolaridade gratuita vai aumentar de 605 mil patacas para 755 mil e até do máximo actual de 930 mil patacas para 1.143.000 patacas. Valores por turma e dependendo do grau de ensino, sendo o mínimo para o ensino infantil e o máximo para o secundário complementar. Quanto aos subsídios de propinas, o montante será aumentado das

Ensino DSEJ aumenta subsídios de apoio escolar para ensino não superior e vagas para bolsas

Inflação pesa no ensino 14 mil para 15.800 e até às 19.600 patacas por aluno. No que diz respeito ao subsídio para aquisição de manuais escolares, o montante vai subir também - das 1500 para as duas mil patacas por aluno no ensino infantil e das 1900 para as 2400 patacas por aluno nos ensinos primário e secundário. “Quanto ao subsídio da optimização dos rácios turma/professor ou professor/alunos da educação regular, o

montante máximo será aumentado para as 124.600, 143.600 e as 300 mil patacas, por turma, nos ensinos infantil, primário e secundário”, assegura a DSEJ.

Alunos de mérito e necessitados

O montante das bolsas-empréstimo e das bolsas de mérito será aumentado, de acordo com a região onde os alunos se encontrem a frequentar os seus cursos. O

Menino de 11 anos voltou para escola

A Direcção dos Serviços de Educação e Juventude (DSEJ) disse ontem que a criança de 11 anos que tinha abandonado a escola já tinha voltado. Dias atrás, um cidadão relatou ao programa Macautalk de TDM, que desde os 8 anos o menino ficava muitas vezes sozinho em casa sem ninguém cuidar dele, e nem frequentava a escola. A chefe do Departamento de Ensino da DSEJ, Leong Vai Kei referiu num evento público que houve assistentes a acompanhar a assunto mas que estes perderam o contacto com os pais. Leong Vai Kei reiterou que as autoridades garantem que nenhum aluno abandone a escola por dificuldades financeiras e os pais devem assegurar que os filhos recebam a educação escolar.

tiago alcântara

joana.freitas@hojemacau.com.mo

montante máximo destas bolsas será de cinco mil patacas mensais, mas a DSEJ tem ainda uma bolsa especial, cujo valor será de seis mil patacas por mês. Não só de dinheiro se fazem os aumentos, no entanto, sendo que abrem também mais vagas para as bolsas de mérito – que passam das 200 para as 280. Também no Plano de Financiamento para a frequência de cursos de educação por alunos excelentes vão abrir mais 20 va-

5

gas, passando a haver a hipótese de serem 60 os estudantes candidatos a receberem um máximo de 190 mil patacas por ano lectivo. Além disto, e “com vista a dar apoio significativo aos alunos com dificuldades económicas no seu agregado familiar e assegurar a equidade de oportunidades educativas”, o Governo vai ainda disponibilizar subsídios de alimentação e de aquisição de material escolar, de acordo com a inflação que se tem feito sentir no território. Para a alimentação, os alunos podem receber 2600 patacas cada, enquanto o montante do subsídio de aquisição de material escolar será aumentado de 1500 para 1700 patacas nos ensinos infantil e primário e das duas mil para as 2200 patacas no ensino secundário.

Mecanismo de suspensão das aulas por tempestade

Em relação às alterações das cláusulas sobre as medidas que as escolas devem tomar nos dias de tempestade que Cheong U, Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, garantiu no fim de Maio, Leong lai, a directora dos Serviços de Educação e Juventude (DSEJ), afirmou que a Direcção discutirá com o departamento de meteorologia, tomando como princípio a segurança dos alunos.

tiago alcântara

Joana Freitas

sociedade

www.hojemacau.com.mo


sociedade

6

www.hojemacau.com.mo

Sondagem Centro de Estudos do IPM revela confiança no segundo sistema

Soraia Zhou

info@hojemacau.com.mo

O

Centro de Estudos “Um País, Dois Sistemas” do Instituto Politécnico de Macau (IPM) divulgou na segunda-feira o resultado da quinta sondagem telefónica sobre o princípio subjacente ao território. Como conclusão, mostrou que os residentes admiram e respeitam a aplicação do princípio, têm senso de identidade nacional muito forte e amam a pátria tanto quanto a Macau. A sondagem incluiu 19 perguntas sobre “Um País, Dois Sistemas”, a condição de vida, o valor essencial da sociedade e o senso da identidade nacional, entre outras, que foram feitas a 1157 residentes permanentes adultos, dos quais 32% acham os princípios “Um País, Dois Sistemas”, “ Macau governado pelas suas gentes” e “alto grau de autonomia” muito sucedidos; 61% acham que são aplicados com sucesso; 80% têm confiança nos princípios e 87% têm confiança no Governo Central, sendo que 82% sentem-se orgulhosos por serem cidadãos chineses.

O IPM diz mesmo que “se pode ver que o senso e o orgulho de identidade nacional tem gradualmente aumentando”.

por sufrágio indirecto e os nomeados precisam de ouvir mais a voz do povo.

Expectativas altas para a nova AL

Ao mesmo tempo, cerca de 20% dos inquiridos consideram que o desenvolvimento da economia não os beneficiaram, muito pelo contrário, trouxeram-lhe stress. Para resolver isso, o Governo deve preocupar-se mais com o fosso entre ricos e pobres e tomar medidas para melhorar a vida dos residentes, conclui o Centro de Estudos “Um País, Dois Sistemas”. Além disso, a percentagem dos cidadãos que não têm confiança na economia de Macau aumentou cerca de 10%, ultrapassando os 20%. Isto quer dizer que o desenvolvimento económico não beneficia pessoas com baixos rendimentos, “sendo isto um grande desafio ao Governo”. 75% entrevistados pedem mais habitação económica e controlo do mercado imobiliário, 70% querem acabar com o conluio entre o Governo e os empresários e 70% dos entrevistados tem uma atitude positiva considerando que o Executivo tem espaço para melhorar.

Uma outra sondagem divulgada tratava as expectativas que os cidadãos têm acerca do novo elenco da Assembleia Legislativa (AL), a ser eleito em Setembro. Cerca de 70% por cento dos respondentes esperam que a nova AL “se preocupe com o interesse popular”, “reflicta a opinião pública de maneira completa” e “supervisione o Governo cuidadosamente”. O Centro de Estudos do IPM julga que o resultado significa que os residentes têm expectativas mais altas para a próxima legislatura. A pesquisa também mostrou que os cidadãos estão mais satisfeitos com os deputados eleitos por sufrágio directo. O nível de satisfação dos eleitos por sufrágio indirecto não excede os 50% e o dos nomeados quase que não chega aos 30%. Para o centro de estudos, os resultados mostram também que o Governo de RAEM deve promover uma reforma política e os deputados eleitos

20% acham que a vida não melhorou

Receitas Macau encerra com mais 21% nos cofres, mas despesas continuam baixas

Saldo muito positivo

M

acau encerrou os primeiros cinco meses do ano com as receitas a subirem quase 21% e uma queda de 13% na despesa permitindo um saldo positivo de 47.665,2 milhões de patacas. Entre Janeiro e Maio, o Governo registou receitas totais de 61.133,8 milhões de patacas, mais 20,7% do que no mesmo período do ano passado e 53,1% do previsto para 2013. As receitas correntes, contabilizadas em 59.631,4 milhões de patacas, estavam executadas também em 53,1% e subiam 17,9% face aos primeiros cinco meses de 2012. Os impostos directos sobre as receitas brutas de jogo, de 35%, valeram à Administração 50.692,3 milhões de patacas, mais 15,1% face aos primeiros cinco meses do ano passado e uma execução de 53,6% do previsto para 2013. Os impostos directos sobre o sector do

jogo valem 82,9% das receitas totais, 85% das receitas correntes e 98% dos impostos directos. Já no campo da despesa, Macau registou entre Janeiro e Maio 13.468,6 milhões de patacas, menos 13% face ao mesmo período do ano passado e uma execução de apenas 18% do previsto. Os investimentos do Plano (PIDDA), numa contabilização de despesas já pagas, estavam em forte declínio com uma despesa global nos primeiros cinco meses de apenas 515,2 milhões de patacas, menos 64% do que no mesmo período de 2012 e a contar apenas 2,9% do total de 18.312 milhões de patacas orçamentados para 2013. Entre receitas e despesas, a Administração de Macau, que no orçamento registou uma previsão de saldo positivo de 40.477,7 milhões de patacas. - Lusa

tiago alcântara

Amar a Pátria tanto quanto Macau

quinta-feira 13.6.2013


quinta-feira 13.6.2013

sociedade

www.hojemacau.com.mo

pub

Saúde Novas urgências do São Januário devem estar concluídas no quarto trimestre de 2013

Serviço actual é “incapaz”

Joana Freitas

DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE TURISMO

joana.freitas@hojemacau.com.mo

O

Centro Hospitalar Conde de São Januário pode começar a entrar em pleno funcionamento a partir do quarto trimestre deste ano. A confirmação foi feita pelos Serviços de Saúde (SS), que optaram por emitir um comunicado para todos os média, depois do Hoje Macau ter questionado o organismo sobre a situação do hospital. “A obra de ampliação começou no final de 2010 e, actualmente, já está concluída a construção da estrutura principal do edifício, estando em curso os acabamentos das fachadas e do interior e a instalação eléctrica”, frisa a resposta dos SS. “Prevê-se que após a conclusão da obra pelos empreiteiros e uma vez aprovada a recepção, se proceda desde logo à decoração interior e às aferições, e caso a obra decorra normalmente, é possível que o edifício entre gradualmente em funcionalmente no quarto trimestre do corrente ano.”

AVISO Sessão de esclarecimento - “Simplificação do procedimento de licenciamento” O organismo admite que, com o aumento da população e o agravamento da tendência de envelhecimento, o serviço de urgência actual do Conde de São Januário “se revelou incapaz de fazer face ao crescente número de utentes”, pelo que foi necessário mais “A ampliação é três vezes maior do que a do actual Serviço de Urgência.” O Hoje Macau colocou diversas questões sobre as melhorias nas infra-estruturas de saúde e na formação de pessoal médico e de enfermagem, mas os SS não responderam a essas questões, descartando-as para mais tarde. Sobre a quantidade de médicos ne-

Tribunal diz que pode saber-se que junkets trabalham com que casinos

O Tribunal de Segunda Instância (TSI) deu razão a um advogado do território, que pediu que fossem divulgados com que casinos dois dos operadores junket estão a fazer negócios. De acordo com a revista Macau Business, Vong Chon Kio terá pedido à Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DCIJ) para divulgar esta informação, mas o organismo negou o pedido. A justificação, diz a publicação, foi a de que o advogado não teria motivos para ter acesso à informação. Vong Chon Kio recorreu ao Tribunal Administrativo, que negou, tendo o causídico recorrido à Segunda Instância. O TSI diz não haver “nada restrito e confidencial, íntimo ou secreto” em saber para que casinos trabalham determinados junkets.

Manifestação no domingo pela protecção animal

Pelo quarto ano, a Associação de Protecção aos Animais Abandonados de Macau vai realizar uma manifestação com intuito de pedir, de uma vez por todas, uma legislação para a protecção dos animais. O presidente da associação, Yoko Choi, acusou o Governo de não dar qualquer atenção ao direito dos animais. “Se nos próximo anos ainda não houver uma legislação relevante, as manifestações vai aumentar de duas vezes por ano para três.” A manifestação vai começar pelas 15h na Plaza de Tap Seac e está previsto a entrega de uma proposta, bem como assinaturas dos cidadãos, ao Chefe do Executivo.

cessários para Macau – que o Hoje Macau quis também saber – os SS nada dizem e limitam-se a dizer que está a ser intensificada a formação a médicos graduados e que serão realizadas a formação e os recrutamentos destinados aos médicos, enfermeiros e técnicos de diagnóstico e terapêutica “em conformidade com as necessidades”, apesar de não se saberem que necessidades são essas. Os SS não se alongam muito, mas afirma que a formação dos médicos irá aproveitar “a capacidade do São Januário, do Hospital Kiang Wu e do Hospital Universitário [da Universidade de Ciência e Tecnologia] na área da formação”.

Comunica-se que a Direcção dos Serviços de Turismo vai introduzir em breve novas medidas de simplificação do procedimento de licenciamento de estabelecimentos e actividades sujeitos à sua autorização (hotéis, pensões, restaurantes, bares, salas de dança e estabelecimentos de saunas, massagens, “health clubs” e “karaoke”), nas áreas de licenciamento e de alterações de instalações, e promoverá, para o efeito, uma sessão de esclarecimento juntamente com a Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes, o Corpo de Bombeiros, os Serviços de Saúde, o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais e a Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental, de acordo com o que segue: Data: 19 de Junho de 2013, quarta-feira Hora: Das 16H00 às 17H30 Local: Sala de conferência sita no 5.º andar do Edifício da Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego, na Estrada de D. Maria II *A sessão decorrerá em Cantonês, com serviço de interpretação simultânea em Português. A inscrição da presença pode ser feita através do fax ((853) 2833 0518) ou do email (dl@macautourism.gov.mo) até 17 de Junho de 2013, mediante preenchimento do boletim abaixo identificado. Para esclarecimento ou informação adicional queira ligar para o telefone 8397 1682 ou 8397 1384. Nota: 1. No caso de inscrição por email, por favor escreva ‘Sessão de esclarecimento “Simplificação do procedimento de licenciamento”’ no assunto do email e indicar no texto as seguintes informações: designação da empresa/nome do interessado, número de telefone, o email e número total de pessoas a assistir à sessão. 2. Com vagas limitadas, as mesmas são distribuídas em função da ordem de chegada das inscrições.

Direcção dos Serviços de Turismo Sessão de esclarecimento - “Simplificação do procedimento de licenciamento” Designação da empresa/nome do interessado: _______________________________ Número total de pessoas a assistir à sessão: _________________________________ Telefone: _____________________________ Email: _______________________________ Direcção dos Serviços de Turismo, aos 11 de Junho de 2013. A Directora dos Serviços,Subst.a Tse Heng Sai

7


8

nacional

Homem que incendiou autocarro comprou gasolina uns dias antes As autoridades chinesas confirmaram terça-feira que o principal suspeito de incendiar um autocarro que causou a morte a 47 pessoas, incluindo o atacante, provocou o fogo com gasolina que comprou dias antes num posto de abastecimento de Xiamen. O caso aconteceu sexta-feira quando um autocarro que circulava numa rua de Xiamen, sudeste da China, se incendiou resultando do ataque 47 mortos e 34 feridos. As autoridades chinesas confirmam agora que o principal suspeito do ataque, que também morreu no incêndio, comprou a gasolina num posto da cidade e a guardou em casa até sexta-feira quando lançou fogo ao autocarro no qual seguiam cerca de 90 pessoas. O principal suspeito foi identificado como Chen Shuizong, de 59 anos que terá perpetrado o ataque para se vingar de problemas pessoais, tendo inclusivamente deixado em casa escritas algumas notas dando a conhecer o que iria fazer.

quinta-feira 13.6.2013

www.hojemacau.com.mo

Trangénicos China abre o seu mercado a três variedades de soja do Brasil

Morte às lagartas

A

China, o principal mercado da soja brasileira, decidiu abrir o seu mercado a três variedades geneticamente modificadas da leguminosa, anunciou esta terça-feira o Ministério da Agricultura brasileiro. “Foram aprovadas a variedade Intacta RR2 PRO, que tem a capacidade de suprimir as lagartas, muito prejudiciais às lavouras brasileiras, assim como as variedades CV 127 e Liberty Link, tolerantes aos herbicidas”, precisou um comunicado, depois de um encontro entre os ministros da Agricultura dos dois países, em Pequim. Numerosos produtores

brasileiros estavam à espera deste acordo com a China, antes de se lançarem na produção destas variedades geneticamente modificadas (transgénicas), já que a China é o principal consumidor da soja do Brasil, indicou o ministério brasileiro. Dos 7,15 milhões de toneladas de soja em grão exportadas pelo Brasil em Abril, mais de 5,6 milhões foram destinados ao mercado chinês. “Esta autorização é ainda mais importante devido à propagação da lagarta “Helicoverpa armigera” em vários estados brasileiros, acrescentou o comunicado. Normalmente chamadas de traças do tomate, estas

lagartas provocaram danos, neste ano, de cerca de 5,27 mil milhões de patacas apenas nas plantações de algodão e soja do estado da Baía, que foi colocado em estado de emergência fitossanitária no início de Abril. Algumas variedades de soja transgénica têm genes modificados que permitem à planta segregar, ela mesma, um pesticida contra o insecto. O Brasil, que disputa com os Estados Unidos o primeiro lugar de produtor mundial de soja, prevê uma colheita de 81,28 milhões de toneladas da leguminosa no período 2012-2013, 10,9% a mais do que no ano anterior.

Explosão Dez mortos e nove feridos em edifício

P

Cosmos Iniciada quinta missão espacial a bordo da “Shenzhou X”

Missão sagrada

O

s astronautas chineses Wang Yaping, Zhang Xiaoguang y Nie Haisheng partiram esta terça-feira da base espacial de Jiuquan (noroeste da China) a bordo da nave “Shenzhou X”, naquela que é a quinta missão realizada pelo país asiático. O lançamento aconteceu às 17h38, hora local, com a presença do presidente chinês, Xi Jinping. Xi disse aos três astronautas, para “fazerem com que toda população chinesa se sinta orgulhosa”, porque “a missão é gloriosa e sagrada.” Pequim considera que o programa espacial, de vários biliões de dólares, é um marco do seu desenvolvimento a nível global,

bem como um sucesso do Partido Comunista. Wang é a segunda mulher astronauta que viaja até ao Espaço e Nie o primeiro piloto que repete a aventura espacial, depois de ter integrado a equipa do “Shenzhou VIII”, lançado em 2005. A “Shenzhou X” irá atracar no “Tiangong I” – “Palácio Celestial” – laboratório espacial, onde a tripulação irá fazer experiências de tecnologia médica e espacial. A China enviou o primeiro ser humano para o espaço apenas em 2003, estando muito aquém dos EUA e da Rússia. Com um programa muito ambicioso, inclui planos para enviar um homem para a Lua e construir uma estação na órbita da Terra em 2020.

Conclusão: fuga de gás

elo menos dez pessoas morreram esta terça-feira e outras nove ficaram feridas numa explosão num edifício da cidade chinesa de Suzhou, na província oriental de Jiangsu, informaram as autoridades locais. Dos nove feridos, que estão hospitalizados, três estão em estado muito grave e estima-se que várias pessoas estejam ainda sob os escombros do edifício de três pisos, adianta a agência oficial Xinhua. A explosão ocorreu às 7h locais naquela cidade industrial, que se situa no delta do rio Yangtsé. Segundo uma investigação preliminar, a detonação poderá ter sido provocada por uma fuga de gás. O incêndio junta-se aos nume-

rosos incidentes que têm ocorrido na China nos últimos dias. Na semana passada, um incêndio num matadouro avícola no norte da China, alegadamente causado por uma fuga de amoníaco, fez 120 mortos e cerca de 70 feridos.

Após estes acidentes, que levantaram questões sobre o estado de segurança dos locais e a capacidade de resposta das autoridades, o presidente chinês, Xi Jinping, advertiu que o país “nunca poderá procurar desenvolver-se à custa da vida das pessoas”.

Canal inter-oceânico na Nicarágua vai ser construído por grupo chinês

A empresa de origem chinesa HK Nicaragua Canal Development Investment Co. Limited (HKND Group) foi a escolhida para construir o canal inter-oceânico na Nicarágua, informou na terça-feira o assessor económico da Presidência, Bayardo Arce. A escolha da empresa foi justificada com o argumento de que “a China, nos últimos anos, foi o país que fez os mega-projectos mais importantes, não só na China, mas em todo o mundo”, acrescentou Arce, em declarações aos jornalistas. Fontes da maioria sandinista na Assembleia Nacional anunciaram que as leis para adjudicar o projecto à HKND Group serão aprovadas esta quinta-feira.


quinta-feira 13.6.2013

O

primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, desloca-se à Europa entre 15 e 20 de Junho em visita oficial que inclui a participação na cimeira do G8 e encontros bilaterais onde vai explicar a sua política económica designada “Abenomics”. Durante a sua estada, que se inicia na Polónia, Abe deverá reunir-se no domingo, dia 16, com os dirigentes deste país e da República Checa, Eslováquia e Hungria, no âmbito de uma cimeira a cinco, para, de seguida, manter encontros bilaterais, precisou, em conferência de imprensa, o porta-voz do Governo, Yoshihide Suga. Abe deverá, designadamente, promover junto dos líderes do grupo de Visegrad as capacidades técnicas do Japão em termos de infra-estruturas, incluindo os reactores nucleares.

Mostrar o novo paradigma nipónico De seguida vai participar, nos dias 17 e 18, na cimeira dos oito países mais poderosos do mundo (G8) na Irlanda do norte, “onde Abe tem a intenção de fornecer uma contribuição activa ao apresentar, entre outros assuntos, a política económica do Japão”, aos restantes países presentes (Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Canadá, Itália e Rússia), precisou Suga. Em Londres, Abe vai pronunciar, perante uma plateia de economistas e empresários, um discurso sobre a estratégia de crescimento, e ainda sobre outros aspectos da sua política designada “de três setas”. “Desta forma,

Missão impossível

presidente das Filipinas, Benigno Aquino, exigiu às Nações Unidas maiores medidas de segurança para os efectivos do seu país que integram a missão de capacetes azuis nos Montes Golã entre a Síria e Israel. No final de Maio, o ministro filipino dos Negócios Estrangeiros, Albert del Rosario, aconselhou o presidente a mandar regressar ao país os 341 militares na missão internacional depois do sequestro de vários capacetes azuis filipinos perpetrados por rebeldes sírios. Benigno Aquino descartou, no momento, a ideia de retirada, mas afirmou que

9

Japão Primeiro-ministro visita Europa entre 15 e 20 de Junho

Filipinas Presidente exige mais segurança para capacetes azuis nos Montes Golã

O

região

www.hojemacau.com.mo

na avaliação do seu país, a “missão é impossível de ser realizada”. Em conferência de imprensa, o chefe de Estado das Filipinas pediu para serem revistas as condições de segurança da missão internacional e para serem ampliados os “procedimentos operacionais” e as equipas utilizadas. Na sexta-feira um militar filipino ficou ferido devido a uma explosão durante confrontos entre tropas governamentais sírias e rebeldes. Em Março, 21 capacetes azuis das Filipinas foram retidos na cidade de Deraa por grupos rebeldes e no início de Maio outros

quatro militares foram capturados na mesma zona também por rebeldes, apesar de, mais tarde, todos terem sido libertados sem ferimentos. As declarações de Aquino acontecem após a Áustria ter anunciado a retirada o mais depressa possível dos seus 380 militares e de outros países, como o Japão, Canadá ou Croácia já o terem feito devido ao recrudescer das batalhas entre as tropas governamentais e os rebeldes sírios. A missão da ONU onde estão integrados os militares das Filipinas fiscaliza desde 1974 o cessar-fogo entre a Síria e Israel nos Montes Golã.

Crise nas Coreias Norte não atendeu chamada telefónica do Sul A Coreia do Norte não respondeu à chamada telefónica feita ontem por Seul, revelou o Ministério da Unificação da Coreia do Sul um dia depois de ambos os países cancelarem aquilo que seria o seu primeiro encontro de alto nível em seis anos. “Fizemos a chamada telefónica às 9h locais para abrir o contacto, mas não recebemos resposta da Coreia do Norte”, disse à agência Efe uma porta-voz do Ministério. A mesma responsável explicou que a Coreia do Sul fez a chamada através da linha de comunicação de

Panmunjom, actualmente a única via de contacto entre os Governos das duas Coreias. Num aparente gesto de atenuar a tensão, a Coreia do Norte reabriu a linha na sexta-feira depois de a ter mantido cortada três meses, em plena campanha de ameaças a Seul e a Washington. A ausência de resposta acontece depois de na terça-feira os dois países não terem chegado a acordo sobre a composição das suas delegações para um encontro de alto nível previsto para ontem e que acabou por ser cancelado.

pretende divulgar ao mundo a imagem de um Japão que se renova”, sublinhou Suga. Na agenda das conversações está ainda incluído o processo negocial em curso sobre um acordo de comércio livre entre o Japão e a Europa. Abe, que regressou ao poder no final de Dezembro de 2012 (após uma primeira passagem pelo Governo em 2006-2007), tem-se destacado pela audácia da sua política económica, e também pretende recuperar a influência perdida pelo Japão na diplomacia internacional, devido à instabilidade política do país que se prolongava desde 2006.

Japão Morreu Jiroemon Kimura, o homem mais velho do planeta

Com 116 anos e 54 dias O

japonês Jiroemon Kimura, reconhecido pelo livro Guinness de Recordes como a pessoa mais velha do planeta, morreu aos 116 anos ao início da madrugada e por causas naturais, revelaram responsáveis do município de Quioto. Jiroemon Kimura morreu no hospital de Kyotango, localidade da prefeitura de Quioto, oeste do Japão, onde viveu durante toda a sua vida, e onde estava internado desde 11 de Maio. O japonês, que nasceu numa família de agricultores a 19 de Abril de 1897 foi reconhecido como o homem mais velho do mundo em Abril de 2011.

Já em Dezembro de 2012 seria reconhecido como a pessoa mais velha do planeta depois da morte da norte-americana Dina Manfredini, na altura com 115 anos. Poucos dias depois, conquistaria outro recorde ao bater a 28 de Dezembro de 2012 o recorde de Christian Mortensen, um norte-americano que morreu em 1998 aos 115 anos e 252 dias de vida e que detinha o título do homem que mais tempo tinha vivido. Jiroemon Kimura viveu 116 anos e 54 dias, tempo ainda longe do recorde da francesa Jeanne Louise Calment, que morreu em 1997 depois de ter vivido 122 anos e 164 dias.


gonçalo lobo pinheiro

10

barcos-dragão

www.hojemacau.com.mo

quinta-feira

China Nanhai Jiujiang triunfa na

Selecção da In Marco Carvalho info@hojemacau.com.mo

N

ão houve surpresas, no Centro Naútico da Praia Grande. Um ano depois de ter quebrado uma década de hegemonia da China Nanhai Jiujiang nas Regatas Internacionais de Barcos-Dragão de Macau, a Selecção Indonésia da modalidade voltou a impor-se na mais importante prova de regatas do território. A tripulação indonésia não deixou créditos por mãos alheias e garantiu o triunfo na mais importante das provas em cartaz no âmbito da edição de 2013 das Regatas Internacionais com uma prestação a todos os níveis memorável. A Selecção de Barcos-Dragão da Indonésia cum-

priu os 500 metros regulamentares da categoria “open” da competição num tempo avassalador de um minuto, cinquenta e três segundos e trezentos e noventa e nove milésimos. A prestação, obtida na regata decisiva da prova, foi a melhor alcançada pelas mais de meia centena de equipas que durante os três dias do certame se lançaram ao assalto das águas da antiga Baía da Praia Grande. Na grande final da categoria “open”, a Selecção Indonésia levou a melhor sobre a tripulação da China Nanhai Jiujiang por uma fracção mínima de segundo. A formação oriunda do Continente cumpriu a distância regulamentar em um minuto, cinquenta e três segundos e quinhentos e sessenta e sete milésimos, tendo gasto mais cento e sessenta e oito milésimos de segundo que o vencedor para completar a prova. A formação do Exército das Filipinas encerrou as contas do pódio, terminando a regata com uma desvantagem de mais de um segundo para o vencedor. A tripulação do colectivo militar filipino afastou do pódio outro representante do vizinho arquipélago. A formação de elite que a Federação de Barcos Dragão das Filipinas trouxe a Macau acabou por defraudar, ao não conseguir ir além de um quarto a quase quatro segundos da Selecção da Indonésia.


a 13.6.2013

www.hojemacau.com.mo

categoria feminina

ndonésia repete vitória Depois de se ter notabilizado no sábado ao conquistar a edição de 2013 das Regatas Universitárias por Convites em grandes embarcações, a tripulação da China Northeast Dianli University voltou ontem a estar em destaque no Centro Náutico da Praia

Grande, ao concluir a mais conceituada das provas em cartaz na quinta posição. Por entre a elite da edição de 2013 das Regatas Internacionais de Barcos Dragão esteve também a Selecção de Macau. A formação do território concluiu a prova na sexta e

última posição, a mais de sete segundos do grande vencedor do certame.

Outros protagonistas

Na categoria feminina, a história da edição de 2013 da mais cotada prova de regatas da RAEM escreveu-se com outros protagonistas. Derrotada na categoria “open”, a tripulação da China Nanhai Jujiang dominou por completo as regatas na categoria de senhoras, ao triunfar na grande final da competição com um tempo de 02:03:602. Menos forte mas igualmente vistosa, a Selecção Feminina de Barcos Dragão da Indonésia conquistou a prata no Centro Náutico da Praia Grande, cortando a meta com mais de dois segundos de atraso para a formação da China continental. Menos cotada, a Selecção de Singapura encerrou as contas do pódio, agarrando a terceira posição e a medalha de bronze que lhe é inerente ao vencer o duelo pelo terceiro lugar que manteve com a Selecção do território. A RAEM colocou, de resto, três formações nas seis primeiros lugares no âmbito das regatas da categoria feminina. Para além do quarto lugar da Selecção de Macau, as cores do território estiveram também representadas pela Galaxy Pearl e pela MGM Macau, que alcançaram respectivamente o quinto e o sexto lugar da prova.

pub

barcos-dragão

11


12

publicidade

quinta-feira 13.6.2013

www.hojemacau.com.mo

CSR MACAU – COMPANHIA DE SISTEMAS DE RESÍDUOS, LIMITADA RELATÓRIO ANUAL DA ADMINISTRAÇÃO – 2012 No decurso do ano de 2012 a Sociedade dedicou-se à execução do contrato com o Governo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), no âmbito do qual a Sociedade se obrigou a prestar os seus serviços para remoção e limpeza dos resíduos sólidos comunitários em todo o território da RAEM. O referido contratou expirou em 31 de Março de 2012, tendo sido todavia prorrogado nos mesmos termos e condições, terminando a actual prorrogação em 31 de Março de 2013.

DESEMPENHO GERAL Apesar das condições económicas adversas, tanto a nível local como internacional, a Sociedade manteve uma actividade operacional lucrativa, com uma elevada distribuição de dividendos, conseguida através da implementação de vários programas de poupança de custos/melhoria de eficiência. De acordo com as demonstrações financeiras auditadas do exercício findo a 31 de Dezembro de 2012, a Sociedade apresentou receitas no valor de 191,2 milhões de Patacas (2011: 175,3 milhões de Patacas), com um lucro líquido de 39,2 milhões de Patacas (2011: 40 milhões), correspondente a 20,5% das receitas (2011: 22,8%). O valor total de dividendos pagos aos sócios durante o ano de 2012 ascendeu a 20 milhões de Patacas (2011: 20 milhões de Patacas), ou 10,5% das receitas (2011: 11,4%).

FACTOS PRINCIPAIS O actual contrato de remoção e limpeza dos resíduos sólidos comunitários terminará a 31 de Março de 2013. Estamos satisfeitos com o bom desempenho contínuo apresentado pela Sociedade durante o ano de 2012. Os resultados e bom desempenho da Sociedade devem-se à qualidade dos serviços prestados aos nossos clientes durante o ano transacto. Estamos confiantes de que a Sociedade estará apta a fornecer serviços de alta qualidade no futuro, que contribuirão para a contínua melhoria do meio ambiente de Macau.

Aproveitamos esta oportunidade para expressar o nosso agradecimento e apreço a todos os funcionários pelo seu árduo trabalho, e aos Relatório de Auditor Independente sobre Demonstrações Financeiras Resumidas Para os accionistas da CSR Macau – Companhia de Sistemas de Resíduos, Limitada (sociedade de responsabilidade limitada, registada em Macau)

cidadãos de Macau pelo seu contínuo apoio.

Mark Rudolf Christiaan VENHOEK

LAM Sio Kuan

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras da CSR Macau – Companhia de Sistemas de Resíduos, Limitada (a «Sociedade») relativas ao ano de 2012, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 11 de Março de 2013, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

Presidente Administrador

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem a demonstração de posição financeira, à data de 31 de Dezembro de 2012, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

WONG Ka Lok

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas a que acima se faz referência. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas. Para a melhor compreensão da posição financeira da Sociedade e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditor.

Administrador Administrador

LEUNG Chi Keung Kent Administrador

Bao, King To Auditor de Contas Ernst & Young - Auditores Macau, aos 11 de Março de 2013

CHENG Wing Kin

Macau, aos 11 de Março de 2013.


quinta-feira 13.6.2013

vida

www.hojemacau.com.mo

13

Genética Equipa portuguesa revela mecanismos da formação do tronco e da cauda dos vertebrados

Conhecer problemas humanos congénitos

U

m trabalho publicado esta segunda-feira na revista Developmental Cell, permitiu desvendar os mecanismos por trás da formação do tronco e cauda nos ratinhos. Os autores mostraram, explica o Instituto Gulbenkian de Ciência em comunicado, que “a transição da formação do tronco para

a cauda está intrinsecamente relacionada com a indução da formação das pernas e da cloaca (abertura final dos tractos digestivo, reprodutivo e urinário) embrionária” e que esta transição “é coordenada por uma cascata genética desencadeada pelo factor de sinalização Gdf11”. A equipa dirigida por Moisés Mallo verificou, em experiências com rati-

nhos, que quando o Gdf11 é inactivado, os animais têm troncos maiores, com as patas traseiras situadas mais longe dos membros anteriores. Pelo contrário, quando o Gdf11 é activado precocemente, o resultado são “troncos extremamente reduzidos” e patas traseiras localizadas imediatamente a seguir aos membros anteriores. “Ficámos de queixo

Stress pós-traumático Investigadores descobrem forma de suprimir problema

Químico evitou agitação em roedores A

s vivências de uma guerra têm o potencial de marcar qualquer um, mas muitos soldados e vítimas da guerra tornam-se doentes crónicos devido ao stress pós-traumático. Um estudo em ratinhos descobriu um químico que evita esta condição nos roedores, revela um artigo publicado nesta semana na revista Science Translational Medicine. A descoberta poderá ser usada para evitar esta síndrome em pessoas sujeitas a experiências traumáticas como cataclismos ou violência física. O stress pós-traumático parece uma exacerbação da memória com que ficamos de situações que causaram sofrimento e medo. Tanto ratinhos como humanos conseguem associar sinais do ambiente, como uma explosão, a situações que no passado lhes causaram dor e sofrimento. Essa informação é útil para evitar perigos. Mas no stress pós-traumático há vários sintomas que se podem manter e condicionar a vida para sempre: depressão, explosões de raiva, dificuldade de dormir, de se concentrar, reviver essas situações, etc. O composto encontrado pela equipa de cientistas chama-se SR-8993 e activa um dos vários receptores celulares dos opióides. São estes receptores, nas células nervosas, a que o ópio e os derivados como a morfina se ligam e conseguem assim produzir os seus efeitos. Numa investigação recente, descobriu-se que ao se aplicar morfina nas pessoas logo após um ferimento traumático, era possível diminuir os riscos de se sofrer de stress pós-traumático. “À primeira vista, pode-se inferir que o principal mecanismo em que a morfina funciona é na redução do nível de dor, mas os nossos resultados levam-nos a pensar que a morfina pode afectar o processo da aprendizagem do medo”, explica Kerry Ressler, professor e investigador na Escola de Medicina da Universidade de Emory, Atlanta, Estados Unidos. O investigador está interessado em per-

ceber o que acontece na região da amígdala, a nível da expressão genética, durante as experiências traumáticas que os ratinhos foram sujeitos no laboratório. Esta região do cérebro está envolvida na regulação das respostas ao medo. Os ratinhos expostos a situações de stress tornam-se ansiosos e podem ficar paralisados pelo medo, mesmo em situações em que não há nenhum sinal de perigo. Os cientistas notaram numa molécula que é um receptor celular da família dos receptores de opióides, mas que não é sensível ao ópio e aos derivados, chamada oprl1. A expressão do gene deste receptor é desligada quando os ratinhos aprendem a ter medo de um som associado a um choque eléctrico. Mas nas sucessivas vezes que experimentam este stress, o gene permanece ligado. Quando a equipa injectou nos ratinhos o composto SR-8993, que activa o gene Oprl1, logo após estes terem sido expostos a uma experiência de stress, apesar de continuarem a aprender a terem medo do som, os ratinhos não apresentavam tantos sinais de stress pós-traumático. A memória do medo não durava tanto e os ratinhos não “congelavam” com tanta frequência mal ouviam o som, mesmo quando a experiência traumática era repetida. “Pensamos que o SR-8993 está a ajudar a promover um processo natural que ocorre depois de uma experiência traumática, prevenido a aprendizagem do medo de se tornar excessiva e generalizada”, explica Ressler. “O nosso modelo defende que no stress pós-traumático, o sistema Oprl1 serve como um travão para a aprendizagem do medo, mas este deixa de funcionar quando se tem uma experiência traumática se já houver um primeiro trauma.” Este químico poderá ser uma via para se encontrar um composto que previna esta síndrome em humanos. Em teoria, esse composto teria de ser administrado poucas horas depois do trauma, defende o cientista.

caído quando vimos estes embriões pela primeira vez, porque nunca antes tinham sido observadas alterações tão grandes na posição das pernas”, disse Moisés Mallo. A investigação indicou também que “o programa genético que regula a transição da formação do tronco para a cauda tem de ser coordenado na perfeição no tempo e no espaço”, frisa ainda o comunicado. As alterações deste programa genético podem levar a malformações que afectam a coluna vertebral e os tractos digestivo, urinário e reprodutor, refere ainda o documento, adiantando que “estas malformações reproduzem de perto as características clínicas de algumas patologias humanas como a síndrome da regressão caudal ou a disgenesia vertebral segmentar”.

Moisés Mallo

Moisés Mallo salientou que a descoberta da sua equipa “pode ser importante não só para entender os mecanismos que geram uma tão grande diversidade anatómica dos vertebra-

dos, mas também para dar pistas relevantes” para a compreensão de algumas das síndromas humanas congénitas que apresentam malformações na parte inferior do corpo.

pub

ANÚNCIO CONCURSO PÚBLICO PARA “EMPREITADA DE CONSTRUÇÃO DO CENTRO DE TRATAMENTO E REABILITAÇÃO, SITA NO KA-HO” 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13.

14. 15. 16.

Entidade que põe a obra a concurso: Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes. Modalidade de concurso: Concurso Público. Local de execução da obra: Estrada de Nossa Senhora de Ká Hó. Objecto da Empreitada: construção de residência para enfermos do sexo masculino e feminino afeto ao centro de tratamento e reabilitação, sita no KA-HO. Prazo máximo de execução: 450 dias (quatrocentos e cinquenta dias). Prazo de validade das propostas: o prazo de validade das propostas é de noventa dias, a contar da data do Acto Público do Concurso, prorrogável, nos termos previstos no Programa de Concurso. Tipo de empreitada: a empreitada é por Série de Preços. Caução provisória: $1 860 000,00 (um milhão e oitocentas e sessenta mil patacas), a prestar mediante depósito em dinheiro, garantia bancária ou seguro-caução aprovado nos termos legais. Caução definitiva: 5% do preço total da adjudicação (das importâncias que o empreiteiro tiver a receber, em cada um dos pagamentos parciais são deduzidos 5% para garantia do contrato, para reforço da caução definitiva a prestar). Preço Base: não há. Condições de Admissão: Serão admitidos como concorrentes as entidades inscritas na DSSOPT para execução de obras, bem como as que à data do concurso, tenham requerido a sua inscrição, neste último caso a admissão é condicionada ao deferimento do pedido de inscrição. Local, dia e hora limite para entrega das propostas: Local: Secção de Atendimento e Expediente Geral da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, R/C, Macau; Dia e hora limite: dia 4 de Julho de 2013 (quinta-feira), até às 12:00 horas. Em caso de encerramento desta Direcção de Serviços na hora limite para a entrega de propostas acima mencionada por motivos de tufão ou de força maior, a data e a hora limites estabelecidas para a entrega de propostas serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. Local, dia e hora do acto público: Local: Sala de reunião da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, 5º andar, Macau; Dia e hora: dia 5 de Julho de 2013 (sexta-feira), pelas 9:30 horas. Em caso de adiamento da data limite para a entrega de propostas mencionada de acordo com o número 12 ou em caso de encerramento desta Direcção de Serviços na hora estabelecida para o acto público de abertura das propostas acima mencionada por motivos de tufão ou de força maior, a data e a hora estabelecidas para o acto público de abertura das propostas serão adiadas para a mesma hora do primeiro dia útil seguinte. Os concorrentes ou seus representantes deverão estar presentes ao acto público de abertura de propostas para os efeitos previstos no artigo 80º do Decreto-Lei n.º74/99/M, e para esclarecer as eventuais dúvidas relativas aos documentos apresentados no concurso. Local, hora e preço para obtenção da cópia e exame do processo: Local: Departamento de Edificações Públicas Divisão de Projectos e Obras da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, 17º andar, Macau; Hora: horário de expediente (Das 9:00 às 12:45 horas e das 14:30 às 17:00 horas) Na Secção de Contabilidade da DSSOPT, poderão ser solicitadas cópias do processo de concurso ao preço de $2 600,00 (duas mil e seis centenas patacas). Critérios de apreciação de propostas e respectivos factores de ponderação: - Preço razoável 60%; - Plano de trabalhos 10%; - Experiência e qualidade em obras 18%; - Integridade e honestidade 12%. Junção de esclarecimentos: Os concorrentes poderão comparecer no Departamento de Edificações Públicas Divisão de Projectos e Obras da DSSOPT, sita na Estrada de D. Maria II, nº 33, 17º andar, Macau, a partir de 20 de Junho de 2013 (inclusivé) e até à data limite para a entrega das propostas, para tomar conhecimento de eventuais esclarecimentos adicionais. Macau, aos 07 de Junho de 2013. O Director dos Serviços Jaime Roberto Carion


14

cultura

Música Jazz no Anfiteatro das Casas-Museu da Taipa

Li Gaoyang, jovem saxofonista de apenas 19 anos, recentemente distinguido com o prémio “Artista Chinês Emergente”, no Chinese Music Awards, actuará com o seu quarteto, no próximo dia 15 de Junho, pelas 17:30 no Anfiteatro das CasasMuseu da Taipa. Li Gaoyang iniciou a sua carreira aos 14 anos e é hoje considerado um dos mais reputados músicos de jazz da China. No concerto, Li Gaoyang será acompanhado por Hau Yun (teclados), Bi Zhigang (baixo) e Shao Haha (bateria). Muitos especialistas têm destacado o poder criativo e a capacidade musical destes quatro jovens. O quarteto tem-se dedicado ao estudos de standards e a linhas de improviso fundadas no Hard Bop.

Arte Retrospectiva de Hung Keung em Hong Kong

Desde o dia 22 de Maio, está em exibição, na Schoeni Art Gallery, a primeira retrospectiva de Hung Keung. Com o título Transmigration: from single to multiple screens: a retrospective show of Hung Keung. A exposição apresenta cinco dos mais relevantes trabalhos em video, realizados entre 1997 e 2007, incluindo o premiado I Love My Country’s Sky (1997– 2013), Transmigration (1998–2013), CD ROM: Human Being and Moving Images (2000), Upstairs/ Downstairs: Stories of Human Activities Told in the 1,440 Minutes of a 24-Hour Stretch (2005–2012) e Eating Noodle (2007–2013). A retrospectiva apresenta um panorama sobre a progressão artística de Hung na última década, bem como os pressupostos conceptuais relatios a cada uma das suas obras. Todas as obras em exibição (com a excepção de CD ROM: Human Being and Moving Images) foram revistas por Hung Keung para serem agora apresentadas numa nova versão digital. A exposição estará patente ao público até ao próximo dia 22 de Junho.

quinta-feira 13.6.2013

www.hojemacau.com.mo

Literatura Francisco José Viegas vai pôr o inspector Jaime Ramos a investigar em Macau

Mistério e inquietação

M

acau vai servir de cenário ao próximo romance de Francisco José Viegas, que decidiu pôr o “seu” inspector Jaime Ramos a investigar no “último lugar do Império”, revelou esta terça-feira o escritor, de visita, pela primeira vez, ao território. “Tive sempre o sonho de o ‘meu’ detective vir a Macau e [aqui] passar algum tempo. Nesta altura, como está esse argumento em cima da mesa, junta-se o útil ao agradável, ou seja, venho a Macau e, ao mesmo tempo, investigar algumas coisas que precisava de investigar para esse livro”, explicou, num encontro com jornalistas, à margem do seminário “Francisco José Viegas de A a Z”, que decorreu no Instituto Português do Oriente (IPOR).

Para o escritor, Macau tem os condimentos para ser palco de uma aventura de Jaime Ramos, o inspector da Polícia Judiciária do Porto que entrou no imaginário do policial português, porque é “um pouco um cenário de muitas histórias de mistérios” e, quando se chega, uma “aura de inquietação está muito presente”. Macau “tem um cenário que estou a achar absolutamente maravilhoso para isso”, afirmou, prevendo poder colocar o novo romance nos escaparates, dentro de “um ano a um ano e meio”. Além disso, Macau “é, apesar de tudo, o último lugar do Império e isso dá-lhe uma carga emocional e afectiva muito mais forte”, acrescentou. “Acho que nenhum português fica sem uma pontinha de comoção ou de emo-

ção, quando enfrenta Macau ou quando se perde nas ruas, como me acontece a mim”. “Acho que os portugueses nunca se livraram da ideia de Império, não no sentido imperial ou imperialista, mas no sentido da diáspora, de estar perdido pelo mundo”, observou Francisco José Viegas, ressalvando que esse império “não é propriamente de poder ou estrategicamente situado pelo mundo fora”. “É muito diferente: é uma espécie de território da diáspora”. Na perspectiva do autor de “Morte no Estádio”, “Lourenço Marques” ou “O Mar em Casablanca”, “os portugueses foram sempre um povo extraterritorial, viveram sempre muito fora, habituaram-se a viajar, a fixar-se em todo o lado e isso fez de

Arte Museu de Sifang abre em Outubro

Este ano, pelo menos quatro museus, de propriedade privada, vão abrir na China. Em Outubro, o Museu de Arte de Sifang, em Nanjing, abrirá ao público com a sua primeira exposição. O Museu, desenhado por Steven Holl, está situado num jardim, e é composto por vários edifícios, de entre os quais se contam um centro de congressos, um hotel e várias villas. O curador e director do Museu, Philippe Pirotte, promete conjugar arte, arquitectura e paisagem sob o tema de ‘utopia crítica’. As obras de arte reunidas para a primeira exposição, prevista para Outubro de 2013, partilham a consciência de que as relações sociais e espaciais não estão, necessariamente, contidas nos objectos artísticos. Nesse sentido, os projectos seleccionados por Philippe Pirotte incluem uma instalação da autoria de He An, prevista para o principal espaço expositivo do Museu, a obra Dolphin Estate Series (2008) do artista Nigeriano Otobong Nkanga. A artista Belga, Ann Veronica Jannssens, apresentará Bikes (2001), enquanto que Lucy Raven terá em exibição o seu documentário, China Town (2009). Xu Zhen será convidado a construir a sua obra Movement Field (2013) no jardim que envolve o Museu.

nós um povo especial e faz da nossa cultura uma cultura de relacionamento, empréstimo, de muitos espelhos, e essa riqueza é muito visível em Macau”. “Macau não é propriamente um dos grandes lugares do império mas é muito simbólico desse império”, encaixando no perfil dos casos do seu ‘investigador’. “O Jaime Ramos investiga sempre casos relacionados com essa perdição dos portugueses pelo mundo. Os personagens que investiga estão sempre perdidos do outro lado do Atlântico, do outro lado do Índico, do outro lado de qualquer mar”. O protagonista de ‘O Coleccionador de Erva’, o mais recente livro de Francisco José Viegas, lançado em Março, é precisamente o inspector, o qual já figura em oito livros, primeiro em dupla, mas desde 1996 a solo. “É uma personagem com que me habituei a trabalhar, que me habituei a conhecer, que fui desenhando e da qual provavelmente não me consigo livrar tão cedo”, pois “um autor vai usando e fabricando personagens e, a certa altura, fica prisioneiro delas”. “No caso do Jaime Ramos acho que é uma figura que aos pouco foi ficando não só para mim, mas felizmente para muitos leitores”, comentou. Depois do seminário, Francisco José Viegas, de 51 anos, distinguido, em 2005, com o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores pelo romance policial “Longe de Manaus”, marcou presença, ontem ao final da tarde, na Livraria Portuguesa, num encontro informal para conversar sobre “Portugal entre a Europa e a nostalgia do império”, seguido de uma sessão de autógrafos. O escritor veio a Macau a convite do Consulado-Geral de Portugal em Macau e Hong-Kong e do IPOR, no âmbito do programa das comemorações do dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Feira do livro IPOR e Livraria Portuguesa presentes em Hong Kong

A Língua Portuguesa aqui ao lado O

Instituto Português do Oriente (IPOR) vai, pela primeira vez, marcar presença na Feira do Livro de Hong Kong, em parceria com a Livraria Portuguesa, disse à agência Lusa em Macau o director João Laurentino Neves. A próxima edição da Feira do Livro de Hong Kong, uma das maiores da Ásia, decorre entre os dias 17 e 23 de Julho, no centro de convenções da antiga colónia

britânica. “A presença na feira é feita através da Livraria Portuguesa, que é nossa concessionada e que tem essa tarefa específica da promoção da cultura portuguesa. Achámos que faria todo o sentido essa parceria”, afirmou o director do IPOR. João Laurentino Neves sublinhou a visibilidade do evento cultural que, no ano passado, contou com cerca de 900 mil

visitantes. “O que é importante nesta fase é entrar numa rede regional muito importante e que a literatura portuguesa também possa estar representada, a par de outras literaturas estrangeiras na feira, onde há uma fortíssima presença em língua inglesa”, indicou. Estar na Feira do Livro de Hong Kong “é um passo importante e o abrir de uma

nova porta”, reforçou João Laurentino Neves. A Feira do Livro de Hong Kong contou, em 2012, com 535 expositores de cerca de 20 países e territórios, tendo acolhido mais de 300 actividades culturais, incluindo seminários de escrita, com autores internacionais, que atraíram cerca de 160 mil participantes, mais 23% do que na edição anterior. - Lusa


quinta-feira 13.6.2013

cultura

www.hojemacau.com.mo

15

U

ma bailarina que apenas é descrita em termos superlativos – “uma mulher extraordinária, uma bailarina completa, muito, muito rara”, para o ex-director do Ballet Gulbenkian Jorge Salavisa; “uma referência, em termos interpretativos, para a sua geração e para as seguintes”, para Maria José Fazenda, professora da Escola Superior de Dança. Graça Barroso, bailarina do Ballet Gulbenkian e fundadora da Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo, morreu esta terça-feira aos 63 anos em Lisboa. A causa da morte foi doença prolongada, segundo informou fonte familiar à Lusa. Graça Barroso destacou-se primeiro como bailarina no Ballet Gulbenkian – companhia fundada em 1965 e extinta em 2005 -, onde se cruzaria com Jorge Salavisa, também ele ex-bailarino e professor, até 2010 director do Teatro São Luiz, em Lisboa. Salavisa diz mesmo ao jornal Público que “a Graça foi uma das razões por que vim para Portugal [em 1977]. Nunca pensei que houvesse uma bailarina tão bonita e tão extraordinária em Portugal”, descreve, sobre o regresso a Portugal e sobre o cargo que assumiu na companhia após o 25 de Abril. Primeiro, como mestre de bailado e depois como director artístico. “Ela sempre foi um espanto, em palco e em estúdio.” Graça Barroso começou a estudar dança com Ana Ivanova na escola do Teatro Nacional de S. Carlos, em 1964. Quatro anos mais tarde, aos 16 anos, o coreógrafo Walter Gore dá-lhe entrada no Ballet Gulbenkian. Só lá ficaria os dois anos a seguir. Procurava novas abordagens à dança, mais contemporâneas, e aos 18 anos vai estudar para a Escola de Dança Rosella Hightower em França, muito longe do Sporting Clube de Portugal onde praticou ginástica enquanto menina. É convidada, ainda em França, a integrar a companhia Les Ballets Du Rhin de Jean Babille - é a nova solista que será uma Desdémona para si criada pelo coreógrafo John Buttler, lê-se na sua nota biográfica da Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo. Depois de vários espectáculos pela Europa, voltaria a Portugal e à Gulbenkian para se tornar numa sua referência. Vive-se o ano de 1974 e Madalena Perdigão convida-a a voltar, como primeira bailarina, ao Ballet Gulbenkian. Pertenceu

Bailado Graça Barroso morreu aos 63 anos

“Completa e muito rara” durante mais de 25 anos a esta companhia, até a deixar em 1994. Maria José Fazenda, ex-crítica de dança e professora na Escola Superior de Dança, lembra-se imediatamente da peça que Olga Roriz criou para Graça Barroso:

“um solo extraordinário, Casta Diva”, que justapõe às criações e coreografias de Vasco Wellencamp como os mais memoráveis trabalhos da bailarina.  Com Vasco Wellencamp, seu marido, coreógrafo e bailarino, Graça Barroso e

a dança portuguesa teriam vários momentos que ficariam como referências para o sector. A importância de Graça Barroso na dança portuguesa passa pelo seu domínio do corpo e da musicalidade. Tinha “caracterís-

ticas expressivas, interpretativas e técnicas muito elevadas e a combinação que fazia de tudo isso tornava-a uma grande bailarina que marcou muito todo o percurso do Ballet Gulbenkian”, explica Maria José Fazenda. Graça Barroso foi também professora na Escola Superior de Dança e no Escola de Dança do Conservatório Nacional. Abandonou os palcos nos anos 90 do século passado devido a várias lesões no joelho depois de um acidente em 1986, em que fracturou o joelho.

DocLisboa Extensão de Macau arranca hoje no IPOR

Oito documentários em seis dias O

DocLisboa realiza a partir de hoje e até ao próximo dia 22 de Junho, uma extensão do festival em Macau, numa parceria com o Instituto Português do Oriente e com a Apordoc - Associação Pelo Documentário. O programa da extensão compreende a exibição de oito documentários que integraram a secção de competição portuguesa da 10ª edição daquele Festival internacional, que decor-

reu em Outubro de 2012. Obras de Sílvia Firmino, Tiago Afonso, José Vieira, João Rodrigues, André Gil Mata, Nathalie Mansoux, Thom Andersen e Hiroatsu Suzuki e Rossana Torres traçam uma amostra da mais recente produção portuguesa na área do documentário. A extensão Macau do DocLisboa começa às 18h15, no Café Oriente do IPOR com a exibição

da longa metragem Amanhecer a Andar, de Sílvia Firmino. Prossegue no dia 14, à mesma hora, e no dia 15, às 17h15 com os filmes Histórias do Fundo do Quintal, Reconversão e O Sabor do Leite Creme. As sessões, também com início às 18h15, a partir de dia 20 e até dia 22, serão já no Auditório da Casa Garden, onde passarão os filmes O Pão que o Diabo Amas-

sou, Cativeiro, A Nossa Casa e Deportado. A extensão termina no dia 22, com a exibição dos filmes A Nossa Casa de João Rodrigues e Cativeiro de André Gil Mata, também parte da competição portuguesa de longas e vencedor do prémio CPLP para melhor filme de língua portuguesa e do prémio Doc Alliance (melhor filme da Selecção Doc Alliance 2013).


16

desporto

quinta-feira 13.6.2013

www.hojemacau.com.mo

Liga francesa Milionário russo Dmitry Rybolovlev sonha alto

Mónaco “louco” por Cristiano Ronaldo

Futebol Após cinco anos no Ajax, internacional sérvio assina

Sulejmani no Benfica por cinco anos O

Benfica continua a reforçar-se para a temporada 2013-14. Um dia depois de terem apresentado Lazar Markovic, os “encarnados” oficializaram a contratação de outro futebolista sérvio: Miralem Sulejmani, de 24 anos, chega proveniente do Ajax. A contratação foi anunciada oficialmente pelo Benfica através de um comunicado colocado na página oficial do clube na Internet. O jogador cumpriu os exames médicos e assinou contrato até Junho de 2018. Sulejmani chegou ao Benfica como jogador livre, após o seu

contrato com o Ajax (onde jogava desde 2008) ter expirado. Antes, tinha representado o Heerenveen (2006-2008) e o Partizan. “Trata-se de um jogador polivalente, que pode desempenhar várias posições no meio campo ofensivo e no ataque. Velocidade, técnica e visão de jogo são características que lhe são reconhecidas”, pode ler-se no comunicado do Benfica sobre Sulejmani. A apresentação do novo futebolista “encarnado” será realizada “nas próximas semanas”, esclarece ainda o clube da Luz.

R

adamel Falcao, James Ridríguez e João Moutinho já custaram praticamente 130 milhões de euros ao Mónaco, porém, o emblema do Principado promete não ficar por aqui. O milionário russo Dmitry Rybolovlev, dono do clube, está preparado para bater todos os recordes com a contratação de Cristiano Ronaldo. Noticia o The Independent que Rybolovlev está disponível para desembolsar 100 milhões de euros para convencer o Real Madrid a libertar o internacional português, que tem mais dois anos de contrato e cujo processo de renovação com os merengues continua num impasse. O Mónaco tem ainda argumentos para convencer Cristiano Ronaldo a abraçar o novo projecto do clube, oferecendo um salário anual de 20 milhões de euros limpos, o que faria do avançado luso o futebolista mais bem pago do Mundo.

A confirmar-se, Ronaldo estaria de novo envolvido na transferência mais cara de sempre na história do futebol, depois de ter trocado o Manchester United pelo Real Madrid, em 2009, por 94 milhões de euros.

Ainda segundo o jornal britânico, a proposta do Mónaco está pronta a avançar, caso o processo de renovação de Ronaldo com o Real Madrid não fique acertado até finais de Julho ou início de Agosto.

pub

ANÚNCIO

Concurso Público

Concurso Público n° 001/DI/2013 “Aquisição do Sistema de Gestão do Licenciamento dos Estabelecimentos de Comidas e Bebidas”

Prestação de serviços de tratamento dos relvados e das zonas verdes das instalações desportivas afectas ao Instituto do Desporto Nos termos previstos no artigo 13.o do Decreto-Lei n.o 63/85/M, de 6 de Julho, e em conformidade com o Despacho do Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, 24 de Maio de 2013, o Instituto do Desporto vem proceder, em representação do adjudicante, à abertura do concurso público para a prestação de serviços de tratamento dos relvados e das zonas verdes das seguintes instalações desportivas afectas ao Instituto do Desporto, durante o período de 01 de Outubro de 2013 a 30 de Setembro de 2015: Relvados: Relvado do campo de futebol do Centro Desportivo Lin Fong; a) b) Relvados do campo de futebol e do Quintal Desportivo (relvados da zona de aquecimento e do campo de futebol em miniatura) do Centro Desportivo Olímpico; c) Quintal Desportivo (relvado da zona de lançamento/campo de futebol em miniatura) do Centro Desportivo Olímpico; d) Relvado do campo de futebol/atletismo da Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau. Zonas verdes: a) Centro Desportivo Lin Fong; b) Centro Desportivo Tamagnini Barbosa; Estádio do Centro Desportivo Olímpico; c) d) Quintal Desportivo do Centro Desportivo Olímpico; e) Piscina do Centro Desportivo Olímpico; f) Centro Internacional de Tiro; g) Centro de Bowling e Academia de Ténis; Nave Desportiva dos Jogos da Ásia Oriental de Macau; h) i) Kartódromo de Coloane; j) Centro Náutico de Hác-Sá. A partir da data da publicação do presente anúncio, os interessados poderão dirigir-se ao balcão de atendimento da sede do Instituto do Desporto, sito na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, s/n, Fórum de Macau, Bloco 1, 4.o andar, no horário de expediente, das 9:00 às 13:00 e das 14:30 às 17:30 horas, para consulta do processo do concurso ou para obtenção da cópia do processo, mediante o pagamento da importância de MOP $ 500.00 (quinhentas) patacas ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet no Download ficheiro da página electrónica: www.sport.gov.mo. Os interessados deverão comparecer na sede do Instituto do Desporto até à data limite para tomar conhecimento dos eventuais esclarecimentos adicionais. O prazo para a apresentação das propostas termina às 12:00 horas do dia 11 de Julho de 2013, não sendo admitidas propostas fora do prazo. Os concorrentes devem apresentar a sua proposta dentro do prazo estabelecido, na sede do Instituto do Desporto, no endereço acima referido, acompanhada de uma caução provisória no valor de MOP $280,000.00 (duzentas e oitenta mil) patacas. Caso o concorrente optar pela garantia bancária, esta deve ser emitida por um estabelecimento bancário legalmente autorizado a exercer actividade na RAEM e à ordem do Fundo de Desenvolvimento Desportivo ou efectuar um depósito em numerário ou em cheque na mesma quantia, na Divisão Administrativa e Financeira na sede do Instituto do Desporto. O acto público de abertura das propostas do concurso terá lugar no dia 12 de Julho de 2013, pelas 09:30 horas, no auditório da sede do Instituto do Desporto, sito na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, s/n, Fórum de Macau, Bloco 1, 4.o andar. As propostas são válidas durante 90 dias a contar da data da sua abertura. Instituto do Desporto, aos 13 de Junho de 2013. O Presidente do Instituto, Vong Iao Lek.

Faz-se público que, por deliberação do Conselho de Administração do IACM, tomada em sessão de 22 de Março de 2013, se acha aberto o concurso público para a “Aquisição do Sistema de Gestão do Licenciamento dos Estabelecimentos de Comidas e Bebidas”. O Programa de Concurso e o Caderno de Encargos podem ser obtidos, dentro do horário normal de expediente, no Núcleo de Expediente e Arquivo do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), sito na Avenida de Almeida Ribeiro n.º 163, r/c, Macau. O preço de cada exemplar do Programa de Concurso e do Caderno de Encargos é de MOP80.00 (oitenta patacas), nos termos do n° 3 do artigo 10° do Decreto-Lei n° 63/85/M. O prazo para a entrega das propostas termina às 17:00 horas do dia 15 de Julho de 2013. Os concorrentes ou seus representantes legais devem entregar as propostas e os documentos no Núcleo de Expediente e Arquivo do IACM e prestar uma caução provisória no valor de MOP140.000,00 (cento e quarenta mil patacas). A caução provisória pode ser efectuada na Tesouraria da Divisão de Contabilidade e Assuntos Financeiros do IACM, sita no rés-dochão do mesmo edifício, por depósito em dinheiro, cheque ou garantia bancária, em nome do “Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais”, ou ainda por seguro-caução a favor do mesmo Instituto. O acto público do concurso realizar-se-á no Centro de Formação do IACM, sito na Calçada do Gamboa, No 6, Edf. “Comissariado No 1”, 1o andar, Macau, pelas 10:00 horas do dia 16 de Julho de 2013. O IACM realizará uma sessão de esclarecimento sobre o concurso às 10:00 horas do dia 27 de Junho de 2013 no mesmo local.

Macau, aos 4 de Junho de 2013.

O Vice-Presidente do Conselho de Administração, Lei Wai Nong

www. iacm.gov.mo


quinta-feira 13.6.2013

[ ] Cinema

futilidades

www.hojemacau.com.mo

17

Cineteatro | PUB Sala 1

now you see me [b]

Um filme de: Louis Leterrier Com: Mark Ruffalo, Jesse Eisenberg, Woody Harrelson, Mélanie Laurent 14.30, 16.30, 19.30, 21.30 Sala 2

after earth [c]

Um filme de: M. Night Shyamalan Com: Will Smith, Jaden Smith 14.30, 16.30, 19.30, 21.30 Sala 3

Long weekend [c]

now you see me

(Falado em tailandês e legendado em chinês/inglês) Um filme de: Taweewat Wantha Com: Shin Chinawut, Namche Sheranat, Sean Jindachote 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

VERTICAIS: 1 – Objecto, geralmente em forma de taça, que se oferece como prémio; conjunto de utensílios de cozinha. 2 – Italiano (abrev.); que atingiu a maioridade legal; contr. da prep. de com o art. a. 3 – Designativo de afirmação. 4 – Unir com pontos de agulha; transporta. 5 – Posição vertical de uns objectos sobre outros (pl.); contrair os músculos e as linhas da face de modo especial, por efeito de alegria ou nervoso. 6 – Fluido gasoso, transparente e invisível que constitui a atmosfera; submeter à acção directa do fogo em seco, ou ao calor do forno; curada. 7 – Cólera; cerramento momentâneo ou obliteração de um canal ou abertura natural. 8 – Mau; designção genérica de qualquer aparelho de aviação. 9 – Curso de água natural, mais ou menos caudaloso, que desagua em outro curso de água, num lago ou no mar. 10 – Contr. da. prep. a com o art. def. o; barrete de forma cónica fendido na parte superior, e que em certas solenidades é usado por bispos, arcebispos e cardeais; a mim. 11 – Necessidade ou grande apetite de comer; veia.

Soluções do problema

Sudoku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: 1 – Sinal gráfico que serve para nasalar a vogal que se sobrepõe; pôr calibros em. 2 – Antigo Testamento (abrev.); serviço que efectua o transporte e a distribuição de correspondência. 3 – Astro considerado como centro de um sistema planetário; caixilho de madeira para os vãos das janelas, etc. 4 – Amerício (s.q.); transpira; pedra circular e rotativa de moinho ou de largar, 5 – Anexo; instrumento para encurvar as calhas das linhas férreas. 6 – Planta lilácea da China; rede de emalhar; a ti. 7 – Conjunto de coisas descritas e enumeradas; defender de perigo. 8 – Érbio (s.q.); nome próprio masculino; avenida (abrev.). 9 – Existir; que tem saúde. 10 – Acto ou efeito de dividir; terceira nota musical. 11 – Pequeno crustáceo decápode; elemento de formação de palavras que exprime a ideia de novo.

Aqui há gato [Tele]visão TDM 13:00 13:30 14:45 18:40 19:00 19:30 20:30 21:00 21:30 22:10 23:00 23:30 00:30 01:00

14:00 Wimbledon Classic Matches 1978 16:00 Legends Of Wimbledon: Bjorn Borg 17:00 FIM Mx3 World Championship 2013 Highlights Grand Prix of Croatia 17:30 2014 FIFA World Cup Brazil Asian Qualifiers Korea Republic vs. Uzbekistan 19:30 FIA F1 World Championship 2013 Highlights Canadian Grand Prix 21:00 2 Wheels 21:30 (LIVE) Score Tonight 2013 22:00 SBK Superbike World Championship 2013 Highlights 22:30 2 Wheels 23:00 Against The Odds

TDM News - Repetição Telejornal + 360° (Diferido) RTPi DIRECTO Cougar Town - Sr.1 Montra do Lilau (Repetição) Vingança Telejornal TDM Talk-Show Castle Sr.4 Escrito nas Estrelas TDM News Herman 2013 Telejornal (Repetição) RTPi DIRECTO informação tdm

40 - FOX Movies 12:45 The Ides Of March 14:25 Bad Ass 15:55 The Sitter 17:15 John Carter 19:30 Alvin And The Chipmunks 21:00 21 Jump Street 22:50 Grey, The 00:50 The Darkest Hour

RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:35 Poplusa 15:30 Moda Portugal 16:00 Bom Dia Portugal 17:00 AntiCrise 17:25 Portugal Aqui Tão Perto 18:15 O Teu Olhar (Telenovela) 19:00 Segredo de Justiça 20:00 Jornal da Tarde 21:15 O Preço Certo 22:15 A Hora de Baco 22:45 Portugal no Coração 30 - FOX Sports 13:00 Fedex St. Jude Classic 14:00 (Delay) US Open Championship 2013 Preview 2 15:00 US Open Championship 2012 4th Round 18:00 Tour De Taiwan 2013 Highlights 18:30 World of Gymnastics 2013 19:00 ABL Crossover 2013 19:30 (LIVE) FOX SPORTS Central 20:00 US Open Championship 2013 Preview 2 21:00 (LIVE) US Open Championship Day 1 31 - STAR Sports 13:00 Mobil 1 The Grid 2013 13:30 Smash 2013

41 - HBO 12:00 Michael Jackson 14:30 Men In Black 3 16:15 Arthur 18:10 Ghost 20:15 Doom 22:00 Game Of Thrones 23:00 The Warrior’S Way 00:40 Moneyball 42 - Cinemax 12:30 Superman Vs. The Elite 14:00 Bad Company 16:00 The Cool Ones 17:45 Ambushed 19:30 Hollywood On Set 20:00 China Moon 22:00 Thor 00:00 Jurassic Attack

HORIZONTAIS: 1-TIL. CAIBRAR. 2-AT. CORREIO. 3-Ç. SOL. ARO. 4-AM. SUA. MO. 5-APENSO. GIM. 6-TI. RASCA. TE. 7-ROL. SALVAR. 8-ER. L. RUI. AV. 9-SER. SÃO. E. 10-DIVISÃO. MI. 11-CAMARÃO. NEO. VERTICAIS: 1-TAÇA.TREM. 2-IT. MAIOR. 3-SIM. 4-COSER. LEVA. 5-COLUNAS. RIR. 6-AR. ASSAR. SÃ. 7-IRA. OCLUSÃO 8-BERA. AVIÃO. 9-RIO. 10-AO. MITRA. ME. 11-FOME. VEIO.

À venda na Livraria Portuguesa Corto Maltese: A Juventude • Hugo Pratt

Em 1981, o jornal francês Le Matin encomendou a Pratt uma banda desenhada, a ser publicada em episódios ao longo desse ano. Pratt começa por narrar os bastidores da guerra entre a Rússia e o Japão, na Manchúria de 1905. Desenha as trincheiras escavadas pelos soldados japoneses e o orgulho dos oficiais, a debandada das tropas russas e a loucura de uma situação na qual alguns continuam a massacrar-se apesar de a guerra ter acabado. Ele fez de Jack London, o escritor americano e correspondente de guerra, o artesão do encontro e da amizade entre Rasputine e Corto Maltese. E quando a história de Pratt termina antes do tempo, em consequência de um desentendimento com o editor, a história como que por magia não ficará inacabada, mas passa a ser uma outra história. “A Juventude” será um relato sobre a amizade e a honra, sobre a liberdade, a loucura e o rigor.

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição solução do problema do dia anterior

IOS 7

Astérix: A Rosa e o Gládio • René Goscinny, Albert Uderzo

Há uma revolução na Aldeia de Astérix! Esta história gira em torno da condição feminina, com várias peripécias com as mulheres no centro da acção. É talvez o único dos livros da Astérix em que as mulheres são protagonistas! O primeiro episódio leva ao abandono da aldeia pelo bardo, farto de bárbaros e vexado pelas senhoras da aldeia que, não contentes com a educação ministrada pelo ele aos seus filhos, contratam Maestria, uma mulher bardo de Lutécia, para o substituir. Maestria incentiva as suas irmãs gaulesas a dizer não à tirania masculina. A revolta instala-se, as aldeãs usam bragas, e Boapinta quer ter assento no Conselho da Aldeia. Até o exército romano submete as suas legiões às regras da paridade... A lendária galanteria gaulesa posta à prova, vista por um Albert Uderzo mais inspirado do que nunca!

Rua de S. Domingos 16-18 • Tel: +853 28566442 | 28515915 • Fax: +853 28378014 • mail@livrariaportuguesa.net

Bom, confesso que não sou grande fã da Apple, mas adoro aquelas tardes em que acordo de uma longa sesta, todo fresquinho como uma alface. Levanto-me de alguma caixa, chateio o pessoal do escritório, aguento as festas na barriga e os beijos, e no fim, jogo “fruit ninja” no meu iPad, deitado na varanda. Pensava que a minha vida nunca mudaria até que ontem, saiu o IOS 7. Meu deus, como é que pode ser tão feio, mas tão feio assim como o Android? Todos os ícones perderam o brilho e as cores fazem doer os olhos. O interface ficou muito, muito chato, e quem é que gosta de coisas chatas? Nem um gato, como eu! Tim Cook obviamente não tem bom gosto. “Não aguento isto”, ouvi na rua, ontem, dito por um hipster. “Defendo toda a estupidez que eles fizeram, mas que raio é isto?!” Mas mesmo insatisfeito, eu sei que ele vai comprar quando sair iPhone 6, ou iPhone 5S, ou outro iPhone qualquer, não importa o nome, vai comprar, e vai comprar toda a gente, por mais feio que seja. A última vez também se queixaram da extensão da ecrã mas compraram na mesma logo que saiu. Sinceramente, não entendo os seres humanos. Mas será que eu também vou comprar? Hmm... Não sei, sou diferente do que muitos deles, consigo viver sem produtos digitais.

Pu Yi


18

opinião

quinta-feira 13.6.2013

www.hojemacau.com.mo

Correia Marques

a paliçada

Palhaços

N

a aldeia onde eu nasci e cresci não havia “Cirque du Soleil”, nem sequer, por não ter população suficiente para tornar rentável o assentar arraiais, por lá apareciam os grandes circos nacionais. Arribavam, isso sim, de quando em vez, uns grupos de saltimbancos compostos por membros de uma mesma família, os quais chegavam em velhas auto-caravanas, montavam a lona no chão e, sobre ela, os aparelhos rudimentares e davam o seu espectáculo, a meio do qual faziam circular o prato para recolher os donativos. Não havia venda de bilhetes, nem preço estipulado. Valia a boa vontade dos assistentes. Não me recordo já - o tempo não perdoa - mas terá sido tocado pela pobreza de um desses grupos de saltimbancos, nos quais não podia faltar o palhaço, que, em 1972 (tinha eu 20 ou 21 anos, pois do manuscrito tirado do baú não constam o dia, nem o mês, apenas o ano da sua feitura) escrevi o poema que aqui vos deixo:

cartoon por Steff

Palhaço que ri, que salta Em cena quando representa Palhaço que sofre, que chora Quando vai embora. Palhaço que ri, que canta Palhaço mordaz, que troça Palhaço que finge, que encanta Que corre, pula e pinta a manta. Palhaço que é gente, que sente Que mascara a cara, a alma ocultando Que ri sofrendo e canta chorando Homem leal e sincero, carente. Estes versos são mais do que suficientes para deixar bem claro o respeito que nutro pelos palhaços de profissão, como aliás por qualquer outra profissão, por mais modesta que ela seja, desde que a mesma seja exercida de forma digna. O que seria dos nossos pobres pés se não existissem sapateiros? Ao invés, desprezo os políticos travestidos de palhaços. E, chegados aqui, torna-se necessário esclarecer que não me refiro aos cómicos de

profissão que enveredam pela política. Destes são exemplos o palhaço “Tiririca” deputado federal eleito no Brasil com o slogan eleitoral “Votem no Tiririca, pior não fica!”, o qual tentaram impedir de assumir o mandato (temendo a concorrência?) alegando que ele não sabia ler nem escrever, ou o mais recente Pepe Grilo que, nas últimas eleições legislativas em Itália, obteve à volta de 30% dos votos válidos. Na verdade o humor, a sátira e a ironia, são armas políticas poderosas e demolidoras e o povo parece começar a preferir que os palhaços cheguem ao poder e de lá tirem os políticos “palhaços”. O que é alarmante, porque muito perigoso para a democracia. Não, perigoso não é que do poder sejam afastados aqueles que nos levaram ao Estado a que chegámos, perigoso é que, através da descredibilização merecida dos políticos “palhaços” e corruptos, seja posto em causa o próprio sistema democrático de direitos, liberdades e garantias, abrindo as portas ao “pesadelo” de que as coisas só se endireitam com mais poder e menos direitos; mais força e menos liberdades e mais repressão e menos garantias. E Macau? C’um caneco, tinha de ser assim,

E, neste 10 de Junho (dia em que escrevi o texto), à laia de alerta para a comunidade portuguesa, aqui fica o trecho da canção do Sérgio Godinho: “Para melhor está bem, está bem. Para pior já basta assim.” o provincianismo político da Região não podia deixar de fermentar o seu político bobo e manhoso. Aliás é proverbial a manha dos tolos, sem balizas ou barreiras morais. Contra natura é a importância que alguns ainda lhe dão e a credibilidade que ele julga ainda ter. E, neste 10 de Junho (dia em que escrevi o texto), à laia de alerta para a comunidade portuguesa, aqui fica o trecho da canção do Sérgio Godinho: “Para melhor está bem, está bem. Para pior já basta assim.” De acordo com a vontade do autor, este texto respeita o novo acordo ortográfico

china no espaço


quinta-feira 13.6.2013

opinião

www.hojemacau.com.mo

Leocardo

19

bairro do oriente

Cérebros pelo ralo abaixo

A

falta de quadros especializados que satisfaça as necessidades actuais da RAEM é um assunto que está na ordem do dia. A recente polémica empolada pela eventualidade de estudantes da China continental que frequentam instituições de ensino do território poderem vir aqui exercer uma profissão na sua área de especialização foi mal recebida por alguns, temendo que estes venham a competir com os locais no mercado de trabalho, levando a um eventual aumento do desemprego entre os residentes de Macau. Se estamos aqui a falar de “quadros especializados”, esta é uma pescadinha de rabo na boca; não se pode recrutar quadros de for a porque estes vão ocupar as vagas dos locais, e estes não são em número suficiente para suprimir as carências. O que parece ser um simples braço-de-ferro com vantagens em termos de agenda política para alguns, pode ter a médio ou longo prazo efeitos nocivos para uma região que atravessa um rápido período de desenvolvimento acompanhado de um exponencial crescimento populacional. Há coisas com que á coisas com que é melhor não brincar. Mas este é o cerne da questão: a especialização. Se os tais estudantes da China continental estudam nos mesmos cursos das mesmas universidades que os estudantes locais, fazendo as mesmas cadeiras, realizando os mesmos exames e obtendo os mesmos créditos, o que os torna tão especiais? Terão eles super-poderes que os permitam apreender melhor a matéria e, mais importante, colocar os conhecimentos adquiridos em prática? Se em Macau falta profissionais de saúde e não existe uma faculdade de Medicina (com excepção da obscura escola de medicina chinesa da MUST), não é com estudantes do continente que aqui concluíram os estudos que vamos preencher essa lacuna. Faria mais sentido recrutar profissionais, do continente ou de outra origem, com experiência e provas dadas. A eventual integração destes estudantes na origem da controvérsia terá outra finalidade que não a de responder às exigências do mercado. Mas isso são contas de outro rosário. E porque nos faltam então quadros especializados? O problema é de base e há muito que foi identificado. Vivemos numa cidade onde o sistema de ensino é abaixo de

Os que optam por ficar ou são muito crentes, ou não são grande coisa. Se no presente ainda é possível resolver alguns dos problemas atirando-lhes com o dinheiro dos casinos, o futuro é uma incógnita. Qualquer dia acabamos como aqueles mortos-vivos das sessões da meia-noite: “Brains! I want brains!” sofrível, apesar da boa vontade e dos apoios governamentais, onde os jovens não adquirem hábitos de leitura e a falta de cultura geral é endémica. Vigora uma mentalidade orientada para o lucro e tudo o que não dá dinheiro “não interessa”. Recompensa-se a batota – não fosse Macau o paraíso do jogo – e elogia-se o chico-espertismo mais

elementar. Um aluno que queime as pestanas a noite inteira a estudar para um exame e tire boa nota é “aplicado”. Outro que por becos e travessas obtenha o enunciado no dia antes é “vivaço”, e se calhar “vai longe”, porque “sabe-a toda”. E ao dizer isto convém puxar a pálpebra inferior e exclamar “ó, ele é de Olhão e joga no Boavista”. A instituição de ensino mais credível por estas bandas ainda é a escola da vida. Tiram-se cursos superiores “a martelo”, quando não se compram pura e simplesmente, e para muitos um diploma não é mais que a chave que abre a porta a um emprego bem remunerado. Isto até não é grave se as funções que se desempenham não requerem conhecimentos que se podem adquirir com um simples curso secundário, mas certamente ninguém gostaria de confiar a saúde a um medico licenciado na Universidade da Candonga. E como pensa o Governo resolver este imbróglio? Uma das propostas em cima da mesa é a criação de um conjunto de incentives que leve de regresso ao território residentes que optaram por trabalhar nos países onde obtiveram as suas qualificações. Brilhante ideia, mas tardia e difícil de concretizar. Alguns destes países, nomeadamente o Reino Unido, aproveitam os estudantes ultramarinos mais qualificados oferecendo-lhes condições que não encontram em Macau. E é assim que se vai dando o tal “brain drain”, ou numa tradução literária, a “fuga dos cérebros”, Que motivação terá um neurocirurgião, um arquitecto paisagista, um designer de interiores ou um cientista em regressar a Macau quando pode usufruir de uma qualidade de vida e uma oportunidade de carreira noutro país onde a sua profissão é levada a sério? Alguns destes “cérebros” com mais amor à camisola ainda regressam depois de terminar os seus cursos de modo a apalpar terreno, mas cedo são acometidos de enxaquecas e resolvem dar meia-volta. Os que optam por ficar ou são muito crentes, ou não são grande coisa. Se no presente ainda é possível resolver alguns dos problemas atirando-lhes com o dinheiro dos casinos, o futuro é uma incógnita. Qualquer dia acabamos como aqueles mortos-vivos das sessões da meia-noite: “Brains! I want brains!”

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Cecilia Lin; Joana Freitas; José C. Mendes; Rita Marques Ramos; Soraia Zhou[estagiária] Colaboradores António Falcão; António Graça de Abreu; Fernando Eloy; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Carlos M. Cordeiro; Correia Marques; David Chan; Gonçalo Alvim; Helder Fernando; Isabel Castro; Jorge Rodrigues Simão; José Pereira Coutinho, Leocardo; Maria Alberta Meireles; Mica Costa-grande; Paul Chan Wai Chi; Vanessa Amaro Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


www.hojemacau.com.mo

Timor-Leste ONU dá formação sobre vírus da SIDA

Dar resposta

A

ONU e a Provedoria dos Direitos Humanos e Justiça de Timor-Leste realizaram ontem e continuam hoje uma formação sobre o vírus da SIDA para dar resposta a um eventual aumento do número de contaminados no país. “A formação tem como objectivo dar resposta às crescentes preocupações manifestadas pelo governo e especialistas em saúde internacional, que suspeitam que o país corre riscos de uma epidemia”, refere, em comunicado, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que organiza a formação com o Fundo da ONU para as Populações. A taxa de prevalência do vírus da SIDA em Timor-Leste é inferior a 0,1 por cento. Segundo o PNUD, dos 1,2 milhões de habitantes e Timor-Leste, em 2009 existiam no país 151 pessoas contaminadas com o vírus, 71 dos quais mulheres. Entre 2004 e 2009, 20 pes-

soas morreram de doenças relacionadas com o vírus da SIDA. As preocupações das autoridades aumentaram, segundo o PNUD, na sequência de uma triagem feita ao banco de doações de sangue, onde foram identificadas 20 pessoas contaminadas com o vírus da SIDA. Segundo o comunicado, durante o dia de hoje a formação tem como objectivo explicar a doença e o “potencial abuso de direitos humanos” das pessoas que vivem com aquele vírus. Na quinta-feira, a formação vai abordar os vários tipos de discriminação a que aqueles doentes são sujeitos, nomeadamente o acesso aos cuidados de saúde e o direito ao trabalho. A formação é direccionada a funcionários da Provedoria dos Direitos Humanos e Justiça, Ministério da Saúde, Secretaria de Estado da Formação e Emprego, bem como funcionários de organizações não-governamentais.

Caso das campas Governo procede a averiguações a funcionários do IACM

O Chefe do Executivo, Chui Sai On, disse, ontem que, relativamente ao processo envolvendo o presidente do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), Raymond Tam, e outros funcionários do organismo, o Governo já recebeu o despacho de pronúncia do tribunal, estando já em curso os trabalhos de averiguação e respectivos procedimentos administrativos. Em resposta aos jornalistas, à margem as Regatas Internacionais de Barcos-Dragão, Chui Sai On garantiu que tudo será feito para que tal se processe com a maior celeridade possível, pese embora que, à semelhança do processo judicial, o processo administrativo e os trabalhos de averiguação requerem, também, algum tempo. No entanto, sob o princípio da transparência, o público ficará a par da situação em tempo oportuno. Quando questionado sobre as férias da Secretária para a Administração e Justiça, Florinda Chan, Chui Sai On afirmou que esta está a gozar os dias de férias a que tem direito, autorizadas por ele próprio, e não querer tecer especulações sobre os motivos das mesmas.

pub

quinta-feira 13.6.2013


Hoje Macau 13 JUN 2013 #2870