Page 1

Nada mais nada menos do que 43. São os membros do Conselho para as Indústrias Criativas centrais

Projectou o “Ninho do Pássaro”, em Pequim, mas foi agredido pela polícia centrais

tempo aguaceiros isolados min 27 max 32 humidade 65-95% câmbios euro 10.5 baht 0.25 yuan 1.19 pub

Agência Comercial Pico • 28721006

hojemacau Mop$10

pub

Director carlos morais josé • quinta-feira 12 de agosto de 2010 • ANO IX • Nº 2186

Deputados questionam sustentabilidade do Fundo de Segurança Social

Tragédia

Um milhar de mortos em Gansu • Última

Media

Murdoch abandona a China • P.2

Transportes

TAP quer voar para Pequim e Xangai

Um futuro assustador As previsões da evolução do FSS, um documento que esteve sete meses em análise na 3ª Comissão especializada da Assembleia Legislativa suscitaram muitas preocupações aos deputados. Os números apontam para saldos negativos de grande dimensão. Mesmo assim, o diploma foi aprovado. >página 4

Jornalista inglês revela como funciona o poder na China

Os segredos do PCC

Página 3

• P.3

Assembleia Legislativa

Os pandas, os nomes e a Democracia • P.5

Censos

Experiência piloto arranca amanhã • P.6

Desporto

Braga campeão das transferências • P.10

www.hojemacau.com.mo Ligue-se a nós


quinta-feira 12.8.2010 www.hojemacau.com

2

actual

News Corporation vende canais de televisão de Guangdong

Murdoch sai da China

O grupo de Media News Corporation, do empresário Rupert Murdoch, anunciou a venda do controle accionista de três canais de televisão - Xing Kong, Xing Kong International e Canal China Continental - e de um catálogo de filmes na China a um fundo de participações em empresas, controlado por capital estatal. O fundo China Media

Capital (CMC), gerido pelo Banco de Desenvolvimento da China e pelo Shanghai Media Group, terá o controle das acções dos canais e do catálogo de filmes. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, após 20 anos a tentar consolidar-se no mercado chinês, a News Corp. cedeu às pressões de órgãos estatais, que estão a investir cada vez mais em meios de

comunicação para tentar melhorar a imagem do país no exterior. Além disso, o grupo de Murdoch, assim como outras multinacionais, não conseguiu manter-se no mercado chinês, caracterizado por rígidas normas quanto ao investimento de capital estrangeiro e pelo excesso de medidas proteccionistas.

A News Corp. só tinha permissão para transmitir a programação das suas emissoras na província de Guangdong, região sul da China. Para a analista de Media Vivek Couto, as autoridades chinesas vêem no controle dos meios de Comunicação Social uma opção para crescer no mercado, e pretendem que esses meios sejam ad-

ministrados por chineses. Recentemente, a agência estatal Xinhua anunciou o lançamento do canal CNC World, que transmitirá 24

horas de notícias em inglês com o objectivo de mostrar os acontecimentos do mundo sob uma “perspectiva chinesa”.

condenadas à morte por envolvimento em prostituição

tailândia | confiscada fortuna de ex-primeiro-ministro

A Justiça chinesa condenou ontem à morte nesta duas mulheres que chefiavam uma rede de prostituição, reforçando a repressão contra as máfias da cidade de Chongqing. Wang Ziqi e Tao Minggu foram condenadas por crime organizado, submissão de mulheres à prostituição, suborno de autoridades e vários outros crimes, segundo a agência de notícias Xinhua. Outros 24 cúmplices receberam sentenças de dois anos de prisão até pena de morte suspensa - que provavelmente será comutada em prisão perpétua. Bo Xilai, dirigente comunista de Chongqing, ganhou fama nacional por liderar a repressão ao crime organizado nesta cidade do centro da China, que tenta tornar-se um pólo económico regional. Num país onde pouca gente se opõe

O antigo primeiro-ministro tailandês Thaksin Shinawatra perdeu ontem a última oportunidade de recuperar 46 biliões de bahts (cerca de 10 biliões de patacas), confiscados este ano pelo Supremo Tribunal da Tailândia. O Supremo realizou uma sessão plenária, à qual assistiram 119 magistrados de um total de 149 da câmara, e 103 magistrados ratificaram a sentença anterior que ordenava a confiscação dos bens do antigo primeiro-ministro. Dos 119 magistrados, quatro rejeitaram a sentença e 12 abstiveram-se. “Chegámos ao final do caminho de acordo com a lei. A decisão da sessão plenária do Supremo Tribunal é definitiva”, declarou o advogado de defesa Chatthip Thanthaprapas aos jornalistas depois de conhecida a decisão. A 26 de Fevereiro último, a divisão anticorrupção do Supremo Tribunal ordenou a confiscação, alegando que o dinheiro tinha

Limpeza em Chongqing

ao uso disseminado da pena de morte, Wang e Tao não devem receber muita solidariedade. O tribunal entendeu que Wang fundou vários bordéis na cidade, a partir de 1994, e que de 1998 a 2009 o seu grupo criminoso arrecadou ilegalmente 100 milhões de yuans (14,8 milhões de dólares americanos). Nos últimos meses, tribunais locais já condenaram dezenas de pessoas à morte ou a longas penas de prisão por envolvimento com o crime organizado, e no mês passado um ex-juiz da cidade foi executado após ter sido condenado por corrupção, violação e outros crimes. Alguns observadores dizem que Bo, filho de um líder revolucionário comunista, está a tentar projectar-se como um novo líder nacional.

Sem dinheiro para o Thaksin sido obtido de forma ilícita. Anteriormente, o Supremo tinha considerado Shinawatra culpado de abuso de poder, ocultação de bens e de ter causado ao Estado perdas avaliadas em 80 biliões de bahts (cerca de 19 biliões de patacas) durante os cinco anos em que governou o país, entre 2001 e 2006. No mês seguinte, em Março deste ano, os advogados de Shinawatra recorreram da sentença. Shinawatra não compareceu em tribunal porque vive no exílio no estrangeiro desde que foi deposto por um golpe militar a 19 de Setembro de 2006. Em Outubro de 2008, outro tribunal condenou Shinawatra a dois anos de prisão por um crime de abuso de poder. A Tailândia atravessa uma profunda crise política devido à luta pelo poder entre opositores e apoiantes do multimilionário Shinawatra, que já foi denominado “Berlusconi da Ásia”.

pub

Aviso Por despacho de S. Ex.ª Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 23 de Julho de 2010, considerado que não se apresentaram ao presente concurso público quaisquer concorrentes, foi anulado o Concurso Público n.º 4/P/2010 para o «Fornecimento de produtos de proteínas plasmáticas humanas para uso clínico, após a transformação de sangue humano fornecido pelos Serviços de Saúde», cujo aviso de abertura foi publicado no Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau n.º 4, II Série, de 27 de Janeiro de 2010. Serviços de Saúde, aos 29 de Julho de 2010. O Director dos Serviços, Lei Chin Ion

Aviso Faz-se público que, por despacho do Ex.mo Senhor Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, de 27 de Julho de 2010, se encontra aberto o Concurso Público nº. 26/P/2010 – “Fornecimento de Fraldas Descartáveis e Pensos Higiénicos aos Serviços de Saúde”, cujo Programa do Concurso e o Caderno de Encargos encontram-se à disposição dos interessados desde o dia 11 deAgosto de 2010, todos os dias úteis, das 9:00 às 13:00 horas e das 14:30 às 17:30 horas, na Divisão de Aprovisionamento e Economato sita na Cave 1 do Centro Hospitalar Conde de S. Januário, onde serão prestados esclarecimentos relativos ao concurso, estando os interessados sujeitos ao pagamento do custo das respectivas fotocópias ou ainda mediante a transferência gratuita de ficheiros pela internet no website dos S.S. (www.ssm.gov.mo). As propostas serão entregues na Secção de Expediente Geral destes Serviços, situada no r/c do Centro Hospitalar Conde

de S. Januário e o respectivo prazo de entrega das propostas termina às 17:30 horas do dia 27 de Agosto de 2010. O Acto Público deste concurso terá lugar em 30 de Agosto de 2010, pelas 10:00 horas na sala do “Museu” situada no r/c do Edifício da Administração dos Serviços de Saúde junto do C.H.C.S.J.. A admissão a concurso depende da prestação de uma caução provisória no valor de trinta e oito mil patacas (MOP$ 38.000,00) a favor dos Serviços de Saúde, mediante depósito, em numerário ou em cheque, na Secção de Tesouraria destes Serviços ou através da Garantia Bancária/Seguro-Caução de valor equivalente. Serviços de Saúde, aos 3 de Agosto de 2010 O Director dos Serviços, Lei Chin Ion


Quando peguei em mim e comecei a escrever foi porque tinha a impressão que havia algo que merecia ser dito. Que daquilo que se diz e que se ouve todos os dias existia ainda uma parcela de frases que tinham ficado esquecidas. Coisas sem definição e sem forma, sem a acutilância de um sim ou de um não. De um bom dia ou de uma trovoada. Não tinham rosto esses termos, não existiam ainda no vocabulário de qualquer idioma. Mas ditavam um rosto. Eram uma chama dentro de mim e pediam apenas para serem escritas, como matéria em bruto a precisar de ser esculpida. Antønio Falcão P.15

quinta-feira 12.8.2010 www.hojemacau.com

3

Correspondente do “Financial Times” explica tudo sobre o PC Chinês

O partido com paredes de vidro “The Party” (“O Partido”, em tradução livre) é o livro mais lido do momento por intelectuais, sinólogos e politólogos da Ásia, com excepção da China, onde a publicação está proibida, por fazer revelações daqueles que estão no poder do país desde 1949. “Na China, o Partido Comunista é como Deus: está em todas partes, mas não se pode vê-lo”, diz um professor universitário ao autor do livro, o jornalista australiano Richard Mcgregor, que revela detalhes inéditos de um dos partidos mais secretos do mundo, o Partido Comunista Chinês (PCC). O site onde é vendida a obra, subtitulada “The Secret World of China’s Communist Rulers” (“O Mundo Secreto dos Dirigentes Comunistas da China”, em tradução livre), já teve a honra de ser censurado no país, onde o autor foi classificado como “perversamente adulador”. Ex-director do diário “Financial Times” na China, Mcgregor expôs, num encontro com correspondentes de imprensa em Pequim que o objectivo do livro era explicar por que razão o PCC sobreviveu à maioria dos partidos comunistas do mundo, à queda da União Soviética e às atrocidades cometidas pelo maoísmo, como a Revolução Cultural e o Grande Salto Em Frente, que deixou 40 milhões de mortos. “Após cada catástrofe, o Partido levantou-se, reconstruiu as suas defesas e reforçou os seus flancos. De alguma forma, sobreviveu,

melhorado ou simplesmente proibindo criticas, desconcertando os analistas que profetizaram o seu desaparecimento em inúmeras conjunturas”, assinala Mcgregor. O Partido imiscui-se em todos os aspectos da vida na China - apesar de carecer de existência legal e de actuar fora da lei -, autodenomina-se comunista e mantém a estrutura e o secretismo da hierarquia leninista, mas liderou uma transição histórica da economia planificada ao capitalismo.

O PCC agora prefere métodos persuasivos de sedução, sob a legitimidade que o povo lhe confere por meio do desenvolvimento económico do país “Se o Partido se submetesse à legalidade, automaticamente seria mais transparente”, explicou o autor durante o encontro. Utilizando fontes pouco comuns, Mcgregor revela diversos detalhes, como a existência da “máquina vermelha”, uma linha telefónica privada e oculta - versão chinesa da antiga “vertushka” do Kremlin - que estabelece as comunicações entre os 300 políticos, ministros e empresários mais poderosos da China. Outro detalhe é que o escritó-

rio do Departamento Central de Organização, gerente dos “recursos humanos” do PCC e outras entidades, não possui número de telefone nem letreiro no gigantesco edifício que ocupa na Praça da Paz Celestial, em Pequim, mantendo o sigilo aos olhares do povo. Trata-se do departamento que administra os arquivos pessoais dos líderes do PCC, a burocracia, os negócios, os meios de comunicação, o Poder Judiciário e os académicos, mas todas as suas deliberações são secretas, explicou Mcgregor. O autor assinala que os seus anos de trabalho para preparar o livro conseguiram mostrar apenas “a ponta do iceberg” da actual gestão do Partido, para o qual ele prevê vida longa. “Enquanto a economia chinesa crescer, o Partido continuará a ser legitimado e a permanecer no poder”, assinalou Mcgregor ao apresentar o seu livro, um dos poucos que fala sobre o maior partido político do mundo, com 78 milhões de filiados, e o que mais tempo permaneceu no poder - 60 anos - até agora. “Ninguém mais sabe como fazer o trabalho de governar na China. Só eles têm o conhecimento burocrático”, acrescentou o jornalista, referindo-se a um partido que em três décadas e partindo da pobreza está a ponto de transformar a China na segunda potência económica mundial. Quanto aos “chamados ‘’partidos democráticos’, acho que

aqui todos sabemos que estão subvencionados e controlados pelo PCC. Não os vejo como uma futura alternativa”, acrescentou Mcgregor. “The Party” é, juntamente com “China’s New Rulers” (“Os Novos Dirigentes da China”, em tradução livre) - livro de 2004, de Andrew J. Nathan e Bruce Gilley -, uma das poucas obras que aborda a actual geração de líderes chineses e o sistema com que se governa 1,32 bilhão de pessoas, um quinto da população mundial. Cada vez menos recorrente ao autoritarismo com o qual terá morto centenas de estudantes na Praça da Paz Celestial em 1989, a estratégia do PCC agora prefere métodos persuasivos de sedução,

sob a legitimidade que o povo lhe confere por meio do desenvolvimento económico do país. Por esse motivo, a ideologia comunista foi relegada a uma pura retórica e os líderes assumiram um materialismo sem concessões, explicam as fontes de Mcgregor em seu livro. A China é hoje um dos países com mais desigualdade na distribuição de renda, a corrupção é endémica, o Poder Judiciário não é independente e o Exército não serve o povo, mas ao Partido. No entanto, o sistema demonstrou ser “suficientemente flexível”, sobretudo em matéria económica, indica o autor, que reside em Londres desde 2005 após ter trabalhado 20 anos na Ásia.

Transportadora nacional pediu três licenças para rotas

TAP quer voar para Pequim A TAP pretende ligar, de forma mais regular, Portugal à China. Para tal, já pediu três licenças de exploração de serviços de transporte aéreo regular ao Instituto Nacional de Aviação Civil (INAC). A transportadora aérea nacional pediu, na passada semana, três licenças para novas ligações regulares a Pequim e Xangai, segundo noticiou o jornal i. As licenças em causa poderão estar relacionadas com o facto de a comunidade portuguesa na China estar a aumentar cada vez mais e ainda com o forte crescimento da economia chinesa. Ligar Lisboa e Porto a

Pequim e Lisboa a Xangai são os objectivos da transportadora. O jornal i adianta ainda que todas as companhias aéreas que agora pretendam apresentar candidaturas alternativas à da TAP têm 15 dias úteis para o fazer. A companhia aérea é ainda notícia por ter conseguido garantir capital para refinanciar a dívida, adianta o Jornal de Negócios. Já este ano, a TAPconcluiu duas operações de financiamento para o pagamento dos “leasing” operacionais das suas aeronaves Airbus 330. No final de 2009, a dívida companhia aérea portuguesa era de 1,3 mil milhões de euros.


quinta-feira 12.8.2010 www.hojemacau.com

4

política kahon chan

Francis Tam, secretário para Economia e Finanças, escapou à controvérsia surgida ontem, na sessão plenária da Assembleia Legislativa (AL). Em discussão estava a nova lei do regime de segurança social, que em si, reconhecem os deputados, é positiva, mas não assegura a longo prazo o funcionamento do Fundo de Segurança Social (FSS). Ainda assim, o diploma foi aprovado e entra em vigor a 1 de Janeiro de 2011.

Novas contemplações

Vanessa Amaro

hojemacau@yahoo.com

“Se calhar o senhor secretário assustou-se com o assunto em pauta e não apareceu”, disse, em tom sarcástico, Ng Kuok Cheong, devido à ausência por motivo de férias de Francis Tam, responsável pela pasta da Economia e Finanças. A discussão em plenário do diploma que estabelece novas normas de funcionamento da segurança social começou acalorado e terminou frio, com a aprovação unânime de todos os 81 artigos da lei, com a excepção do ponto um do artigo 13o. Os deputados não se mostraram convencidos com os números “baralhados e confusos” que o FSS apresentou à 3a Comissão Permanente – que esteve sete meses a apreciar o documento – sobre como reagirá o sistema daqui a 30 anos. Kwan Tsui Hang disse que a olhar para os números distribuídos por cinco tabelas de projecções não ia lá. Ng Kuok Cheong questionou quais são as dotações orçamentais para manter o fundo a funcionar com o alargamento de mais beneficiários e subsídios. Au Kam San queria saber em que dados foram baseadas as previsões, enquanto Ho Io Sang considerou a informação sobre o futuro “assustadora”, receando que os jovens que comecem agora a contribuir possam ficar a ver navios quando chegar a altura de se reformarem. Rombo de 6374 milhões

Com a ausência de Francis Tam, coube ao presidente do FSS, Fung

da residência permanente, vivem no estrangeiro e visitam a região esporadicamente. O artigo foi então submetido separadamente à votação, obtendo 23 votos a favor, três contra e uma abstenção. Os demais artigos da lei não suscitaram dúvidas maiores e acabaram por ser todos aprovados por unanimidade pelos 27 deputados presentes.

Fung Ping Kuen.

Deputados criticam mas aprovam lei da segurança social

Haverá dinheiro?

Ping Kuen, pôr os pontos nos is sobre as questões de dinheiro. Em 2039, o valor dos activos do fundo vai ter um saldo negativo: 6374 milhões de patacas. A contar com 180 milhões de patacas de contribuições a entrar, o Governo a injectar 2355 milhões, os 5390 milhões de benefícios pagos e um retorno líquido dos investimentos negativo de 536 milhões, a somar e a subtrair o valor dos activos no fim de 2039 será de 9765 milhões de patacas negativos. “Está visto que em 2039 o FSS estará completamente falido. Só será salvo com grandes aplicações de capital por parte do Governo. É um assunto bastante perigoso”, desabafou Ng Kuok Cheong. Outros deputados também consideram o desfalque “preocupante” e “demasiado avultado”, em que se chegou através de projecções a contar com a renda tributária da indústria do jogo, as possíveis contribuições e o pagamento de subsídios de forma alargada. Por isso mesmo, manter o pagamento de 45 patacas mensais

por parte dos beneficiários pode ser um dado irrealista, explicou Fung Ping Kuen. “Depois da aprovação da lei, iremos proceder a estudos aprofundados sobre qual seria o montante mais apropriado das contribuições. O valor será estipulado em despacho do Chefe do Executivo e após consulta do Conselho de Concertação Social”, explicou o presidente do FSS. As projecções foram encomendadas a uma empresa privada e só levaram em conta a pensão de velhice para os cálculos. Apostouse numa versão mais conservadora, segundo Fung Ping Kuen, para que o optimismo não se revelasse uma faca de dois gumes. “Não quisemos elevar as expectativas, nem prever se a receita proveniente do jogo seria maior ou menor do que a actual”, referiu. De acordo com os dados oficiais, caso a pensão de velhice de 1700 patacas for aumentada em 4%, cada contribuinte teria de reembolsar 279 patacas mensais, para

evitar que as contas ficassem a vermelho. Ng Kuok Cheong e Kwan Tsui Hang pediram que o Governo faça novas contas e as apresente de forma mais clara, para “evitar camuflagens da realidade”. Unanimidade

Apesar do falatório em torno do tema, quando chegou a hora de carregar o botão da votação, nenhum dos 27 deputados presentes se opôs aos artigos do 1º ao 8º. Na fase seguinte da votação, José Pereira Coutinho pediu para que o ponto número um do artigo 13o fosse analisado à parte, por considerar uma restrição à liberdade dos residentes, ao estabelecer a exigência de 183 dias durante os 12 meses anteriores ao pedido de inscrição no FSS. O Governo fundamentou a decisão a explicar que tal requisito é comum em outras jurisdições e é uma forma de garantir que os residentes com forte vínculo a Macau tenham acesso ao benefício, contrariamente àqueles que, apesar

A proposta de lei, que entra em vigor a 1 de Janeiro de 2011, revogando o actual regime vigente há mais de 19 anos, alarga o âmbito da cobertura dos beneficiários a todos os trabalhadores e aos demais residentes com, pelo menos, 18 anos, desde que tenham permanecido na região, pelo menos, 183 dias no ano anterior ao pedido de inscrição no novo regime. Outra alteração é o aumento de cinco para 30 anos do período de contribuição para se auferir da totalidade da pensão de velhice aos 60 ou 65 anos. A contribuição da população inactiva e dos trabalhadores por conta própria será facultativa e assumida integralmente pelos mesmos, um regime disponível também para os funcionários públicos, além do regime obrigatório. Já os residentes trabalhadores por conta de outrem ficam obrigados a contribuir para o novo regime se tiverem prestado, pelo menos, 15 dias de trabalho, sendo o montante assumido proporcionalmente com a entidade empregadora. Os patrões, que não paguem ao Fundo de Segurança Social a contribuição devida e descontada do salário dos funcionários, ficam sujeitos a uma pena até três anos de prisão. O novo regime abrange as modalidades de pensão de velhice e invalidez, subsídio de desemprego, doença, nascimento, casamento, funeral e prestações por doenças pulmonares crónicas. A pensão de velhice será atribuída na sua totalidade após 30 anos de contribuições aos que completem 65 anos, tenham residência em Macau há, pelo menos, sete anos e tenham contribuído, pelo menos, 60 meses para o FSS. Mas a partir de 1 de Janeiro será possível reclamar uma parte da pensão de velhice com 60 anos, adquirindo-se o direito à sua totalidade aos 80 anos, com a opção de dar continuidade às contribuições, o que aumentará anualmente o valor da pensão. Actualmente, há 320 mil beneficiários inscritos no FSS, de acordo com os dados do Conselho de Administração do fundo.


DSAL e PSP juntas contra trabalho ilegal

quinta-feira 12.8.2010

A Polícia de Segurança pública e a Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais detectaram durante o mês de Julho um total de 62 trabalhadores ilegais na sequência de uma série de operações conduzidas no território. Durante as acções foram fiscalizados ao todo 395 locais. As duas entidades efectuaram oito operações de fiscalização conjuntas que resultaram na detecção de oito trabalhadores sem papéis. As operações de fiscalização incidiram principalmente em estaleiros da construção civil, residências, estabelecimentos comerciais e industriais.

www.hojemacau.com

5

Deputado critica secretária para Administração e Justiça

Palavra de deputado

Pandas e democracia O deputado Ng Kuok Cheong aproveitou ontem o período de antes da ordem do dia, no hemiciclo, para criticar a atenção que tem sido dada à escolha dos nomes do casal de pandas, facto que tem relegado para último plano a discussão do sufrágio universal. O nome de Florinda Chan esteve mais uma vez em cheque, com o deputado a referir que “a secretária está apenas concentrada nos pandas, alegando, com toda a razão, que de acordo com as LAG, a tarefa mais importante para a vida da população é a recepção dos pandas”. “Quanto às tarefas sobre a

eleição universal, a secretária está concentrada apenas na eleição de cinco pares de nomes para os pandas, não tendo ainda explicado à população qual a relação entre a eleição universal para a escolha dos nomes dos pandas e a reforma do sistema político. São assuntos em relação aos quais o Chefe do Executivo deve prestar a devida atenção e esclarecer o público”, disse o deputado, durante a sessão plenária. Ng Kuok Cheong acusa Florinda Chan de não ter esclarecido devidamente a Assembleia Legislativa, na semana passada, sobre os

trabalhos de auscultação pública referentes à reforma do sistema político. “Não existe qualquer plano concreto sobre essa auscultação, isto é, a secretária não conseguiu fornecer informações concretas sobre prazos, meios de consulta, actividades envolvidas e meios de divulgação dos resultados”, aponta. A pedir que o próprio Chefe do Executivo vá ao hemiciclo tratar do tema, Ng Kuok Cheong relembra que “a maioria da população concorda com o desenvolvimento do sistema político democrático e com a realização de eleições por

sufrágio universal, só que a maioria desconhece a actual metodologia para a escolha do Chefe do Executivo”. O deputado pede que seja efectuada uma consulta à população sobre a democratização do sistema, de forma a reunir consenso. A concluir, Ng considera que “o Chefe do Executivo não deve esconder-se em círculos restritos e satisfazer-se com aqueles votos, em número bem menor do que os necessários para a escolha de nomes de animais de estimação, tudo para se esquivar às responsabilidades de reunir o consenso da população.” - V.A. kahon chan

Deputado elogia frontalidade de Susana Chou

Não devia, mas está feito, está feito O deputado Paul Chan Wai Chi considerou ontem, durante a sessão plenária da Assembleia Legislativa (AL), louvável a atitude de Susana Chou em pronunciar-se sobre questões políticas, quando “mal passou um ano sobre a data da sua saída de presidente da AL”. A frisar que percebe as razões que levam a empresária a usar o seu blogue para criticar assuntos públicos - “preocupa-se com a situação do país e da sociedade, independentemente da ocasião e da posição que ocupa” -, Paul Chan Wai Chi afirma que “nem todos compartilham” da mesma opinião que ele, especialmente quando Susana Chou teceu palavras duras ao Governo contra o diploma de apoio judiciário aos funcionários públicos,

através do seu blogue, na semana passada. “Acredito que ninguém tem dúvidas sobre o seu amor por Macau e a sua atenção para com a sociedade. Bem sabia que não devia pronunciar-se, especialmente sobre uma proposta de lei que está ainda a ser discutida no seio deste hemiciclo, portanto, sem estar ainda concluída. Isso pode facilmente ferir susceptibilidades”, afirmou o deputado durante a sua intervenção. Paul Chan Wai Chi lembra que a ex-presidente da AL “pôs tudo isso de lado” e mostrou-se muito crítica com a possibilidade de funcionários públicos recorrerem ao erário público para demandar terceiros. “Expôs as suas preocupações para bem do futuro de Macau, apontando que a

Administração não teve em atenção o princípio de igualdade aquando da elaboração da proposta de lei. Alertou ainda para o facto de, se o artigo 4o vier a ser aprovado, poder ser concedido, em caso devidamente justificado, apoio judiciário a expensas do erário público a qualquer funcionário público para demandar civil ou criminalmente terceiros, o que gravemente viola o princípio de igualdade consagrado na Lei Básica”, explica. Durante o seu discurso, o deputado questiona a validade da extensão do apoio judiciário a todos os funcionários públicos e frisa o risco de “caso se criem excepções para as excepções ou se alarguem de forma contínua as excepções, o regime irá, com certeza, desmoronar-se”. - V.A.

O Fundo de Segurança Social, o fumo em casinos, ideias pioneiras para os novos aterros ou a falta de fiscalização dos dinheiros públicos foram alguns dos temas protagonistas da sessão plenária de ontem, na Assembleia Legislativa. Com a palavra, os senhores deputados • “Chui Sai On está determinado a concretizar o que foi prometido nas LAG, só que o Governo é composto por uma equipa e não apenas por um Chefe do Executivo. (…) Existe um problema grave, ou seja, os membros do Governo só têm poderes e não têm responsabilidades, o que resulta em políticas ineficazes, decisões inadequadas e desperdício do erário público. Assim, para resolver esta questão, é essencial proceder a uma revisão do sistema, e a chave disso reside em avançar com o regime de responsabilização dos membros do Governo.” Chan Meng Kam • “O Governo de Macau deve pensar, a longo prazo, o funcionamento do Fundo de Segurança, para que, no futuro, mesmo face a eventuais situações de inflação, disponha de erário público suficiente para atribuir subsídios e pensões de velhice. Com vista a chegar a consenso social, deve ainda o Governo realizar, o mais rápido possível, estudos e debates sobre a percentagem das contribuições pagas pelas partes patronal e pelo Governo.” Ho Ion Sang • “Quanto ao planeamento dos novos aterros, sugiro que as ideias relacionadas, por exemplo, com a imagem de Macau, o seu património cultural, que possam contribuir para o desenvolvimento sustentável, sejam reflectidas nos objectivos [dos novos aterros]. No que diz respeito aos tons modernos, deve construir-se uma nova e grande avenida semelhante à famosa dos Campos Elíseos, em Paris,à avenida da Liberdade, em Lisboa, ou a Changan de Pequim.(...) Deve definir-se um plano concreto de conjugação entre os transportes públicos e as zonas pedonais nas áreas mais comerciais. Quanto às cidades inteligentes, devem instalar-se nos novos aterros redes de internet que ofereçam uma cobertura total e serviços de qualidade à preço razoável.” José Chui Sai Peng • “O orçamento continua a ser elaborado segundo o critério da procura de equilíbrio entre as receitas e as despesas, o que em nada contribui para demonstrar claramente a situação de ganhos e perdas. Além disso, a existência da dotação provisional que integra a parte dos custos é uma verba que pode ser utilizada pelo Governo a qualquer momento, sem fiscalização da AL, o que acrescido às falta de normas jurídicas que regulem a execução e elaboração do orçamento, leva a que os serviços públicos possuam mais flexibilidade para utilizarem e mobilizarem o erário público. A falta de transparência e fiscalização tanto estimula o esbanjamento como constitui um berço para a corrupção.” Kwan Tsui Hang • “Os cidadãos sentem a falta de um órgão independente como funcionava o ex-Tribunal de Contas, que fiscalizava a priori os contratos híbridos, controlava a sua legalidade e oportunidade, no sentido de evitar o empolamento dos quadros, 'enfiando' amigos e familiares, como tem acontecido com tanta frequência nos últimos dez anos. A fiscalização efectiva do ex-Tribunal de Contas ajudava na transparência e boa governação, reduzindo as oportunidades para o abuso de poderes e o desbarato dos fundos públicos, como aconteceu ainda recentemente, com a tentativa de gastar 60 milhões com a construção do edifício do metro ligeiro, como se os 60 milhões fossem 60 patacas.” José Pereira Coutinho • “No que respeita a proibição do fumo nos casinos, proponho que seja aplicada uma solução uniforme para todos, ou melhor, que seja determinada na lei a proibição de fumar em todos os recintos fechados, incluindo casinos e estabelecimentos nocturnos. Contudo, entendem alguns que, por se admitir o fumo na maioria dos países onde existe casinos e pelo facto de a nossa economia depender dos rendimentos do jogo, a proibição de fumar é o mesmo que entrar em ‘zanga com o dinheiro’, por isso, para evitar cortes nas receitas é preferível sacrificar a saúde dos trabalhadores. Por ser esta a situação que se vive em muitos países, mas não deve impor-se que venha a ser também a conclusão a retirar pelo facto de o sector do jogo ser algo de muito especial em Macau.” Au Kam San


quinta-feira 12.8.2010 www.hojemacau.com

6

sociedade

Inquérito piloto arranca esta sexta-feira

SEC ensaiam censos 2011 dos agregados familiares informações básicas como o sexo, a idade e local de nascimento, poderá ser preenchido pelos inquiridos e posteriormente entregue a um agente recenseador, ou completado directamente através da internet. Num segundo questionário, mais longo, os inquiridos deverão dar informações mais detalhadas relativas a características demográficas como nacionalidade, migração, língua de uso frequente, educação, emprego, entre outras. Ambos os questionários vão incluir perguntas sobre os residentes portadores de deficiência com o intuito de avaliar a situação daquela faixa da população.

Marco André de Sousa hojemacau@yahoo.com

Cerca de uma centena de agentes recenseadores vai sair esta sexta-feira para as ruas de uma zona definida no norte da cidade para a realização de um inquérito piloto destinado a preparar e melhorar os Censos 2011. A cobertura deste minirecenseamento vai abranger cerca de 8.000 residências localizadas em edifícios de uma área delimitada entre a Avenida Artur Tamagnini Barbosa, o Istmo de Ferreira do Amaral e a Rua Marginal do Canal das Hortas. O estudo vai incluir dois tipos de questionário. Um curto, que recolhe junto

Para além das línguas oficiais do território, os inquéritos também vão estar disponíveis em tagalo, tailandês e japonês. Pela primeira vez na história dos censos de Macau, os agentes vão andar de porta em porta munidos de computadores portáteis onde poderão registar directamente os dados recolhidos. Outra preocupação tida em conta pelos serviços de Estatísticas e Censos prendese com a identificação dos elementos que irão fazer as entrevistas nas fracções abrangidas pelo questionário piloto. Os serviços criaram uma linha azul para que, em caso de dúvida, os inquiridos possam confirmar que o indi-

víduo que lhes bateu à porta se trata realmente de um agente recenseador, sendo a confirmação fornecida através de mensagem sms. Por outro lado, a segurança dos elementos dos SEC também será reforçada tendo a polícia sido contactada no sentido de reforçar as patrulhas na área onde se vai realizar o inquérito. A iniciativa vai ser coordenada a partir da escola luso-chinesa Tamagnini Barbosa num operação que envolve um total de 118 elementos e o preenchimento dos questionários vai ter um acompanhamento de modo a que seja assegurada uma alta taxa de participação. Os Censos têm a sua décima quinta edição marcada para o próximo ano e realizam-se em Macau a cada cinco anos. Os Serviços de Estatísticas e Censos vão concluir este teste no dia 27 de Agosto.

pub

Activistas querem demissão do director da DSAL

Federação contra Shuen

kahon chan

A recém-formada federação das associações sindicais exigiu a demissão do chefe da Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais (DSAL), Shuen Ka Hung, na sequência das más práticas assinaladas no relatório do Comissariado contra a Corrupção (CCAC), embora não concorde com tratamento dado pelo CCAC às denúncias anónimas. Os activistas dos direitos dos trabalhadores, liderados por Leong Seac, Lei Kin Iun e Ng Sek Io, exibiram uma faixa e gritaram palavras de ordem ontem à tarde em frente à sede da DSAL, exigindo acções efectivas contra o emprego ilegal. Com base numa investigação do CCAC sobre as inspecções à MASTV, os trabalhadores criticaram a “selecção arbitrária” da DSAL para as rusgas em busca de trabalhadores ilegais, enquanto as

acções de grande visibilidade em locais de construção de grandes dimensões têm sido consideradas exibições ineficazes. As associações sindicais, no entanto, discordam do CCAC no que diz respeito ao tratamento dado às denúncias anónimas uma vez que os empregados muitas vezes preferem denunciar os seus patrões sem serem identificados. Os activistas consideram que o maior problema da DSAL em relação às denúncias anónimas, pelo contrário, é ter sido lenta a dar seguimento a essas reclamações. As associações laborais pedem a demissão de Shuen Ka Hung pelo seu fracasso em controlar o emprego ilegal e por uma alegada tentativa de restringir a liberdade de imprensa através de uma série de acções contra a estação de televisão MASTV.


Ar de Macau sempre bom durante o mês de Julho

quinta-feira 12.8.2010

A qualidade do ar observada em quatro estações de medição durante o mês de Julho obteve a classificação de "bom". Em todos os pontos, distribuídos em Macau, Taipa e Coloane, durante os 31 dias do mês passado, o ar obteve sempre a classificação positiva. Em Junho, na Taipa chegou-se a registar dias de ar “insalubre”, o que fez soar o alerta para as pessoas com problemas respiratórios.

O coordenador do Gabinete para o Desenvolvimento do Sector Energético (GDSE), Arnaldo Santos, esclareceu que o Governo tenciona manter o mecanismo de entrada livre e criar condições justas para a competitividade, para que o desenvolvimento do mercado dos produtos derivados do petróleo se processe de forma saudável, se sustente a competitividade positiva do sector e se protejam os direitos dos consumidores. O responsável acrescentou, em resposta à interpelação escrita da deputada Kwan Tsui Hang sobre o preço do petróleo, que será permitida a entrada de novos concorrentes na indústria do sector, mediante a supervisão de todo o funcionamen-

www.hojemacau.com

7

Governo diz estar atento à tendência do preço do petróleo

De olho na gasolina

to, todas as exigências e segurança das tecnologias dos equipamentos relacionados. Arnaldo Santos disse ainda que, além do mais, o Governo irá supervisionar os preços de venda a retalho dos produtos derivados do petróleo de Macau, através da supervisão dos preços offshore de Singapura e Hong Kong desses produtos. “Macau é uma economia livre e aberta, sempre funcionou em

conformidade com as regras de um mercado livre, desenvolvendo mecanismos de regulação automática, de acordo com as condições do mercado. O Governo não interfere directamente nos preços dos produtos derivados do petróleo”, informa o coordenador do GDSE. “Contudo, com vista a proteger os direitos dos consumidores, evitar irregularidades nas operações comerciais e preços pouco razoá-

veis e ainda, de molde a manter a transparência na informação sobre os preços, tal como dados sobre o preço dos produtos derivados do petróleo, em que se incluem os preços médios de importação e preços médios de venda a retalho, estas informações são regularmente divulgadas nas estatísticas mensais da Direcção dos Serviços de Estatística e Censos, de forma a permitir uma supervisão mais eficaz por parte

do público em geral”, sublinhou. O coordenador do GDSE recordou que, a dimensão do mercado de Macau é pequena, os preços são afectados pelos preços do petróleo a nível mundial e de importação. Arnaldo Santos lembrou que, de acordo com o sector, o anúncio dos preços dos produtos derivados do petróleo é determinado pelo anúncio da subida de preços pelos principais fornecedores em Hong Kong.

Gripe | Vacinação de grupos de risco é recomendável

Fundo para a Protecção Ambiental em vias de facto

Desde o passado dia 10 de Agosto que a Organização Mundial da Saúde (OMS) diminuiu o nível de alerta da gripe pandémica (H1N1) do nível 6 para a fase pós-pandémica. A decisão foi tomada com base na avaliação feita pelo Comité de Emergência da OMS sobre a situação global bem como dos relatórios de vários países onde ainda persistem casos da gripe. Segundo as autoridades sanitárias internacionais, a partir de agora e durante o período pós-pandémico, é baixa a probabilidade da ocorrência de um surto “out-of-season” (fora de época) ou da ocorrência de um vírus unitário, sem que no entanto tal signifique que o vírus HINI já desapareceu. A OMS ressalva que é possível que o vírus assuma um comportamento sazonal, continuando a sua transmissão nos próximos anos e também não exclui a ocorrência de uma situação de alta transmissão, tal como a que está a acontecer actualmente na Nova Zelândia. A taxa de contaminação natural de um determinado nível e uma alta taxa de vacinação poderão provocar a mutação do tipo de ocorrência, alertam os serviços

O director dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA), Cheong Sio Kei, anunciou ontem que será activado em breve o Fundo para a Protecção Ambiental e a Conservação Energética (FPACE). O objectivo do novo organismo é apoiar e promover o desenvolvimento dos produtos ambientais e, prioritariamente, projectos que visem melhorar a qualidade de ar, a conservação energética e a poupança de água. Além disso, frisa o responsável, estuda-se já os meios de promoção de “compras verdes”. A Administração já está convocada a dar o exemplo, ao introduzir mais produtos amigos do ambiente no mercado. Em resposta a uma interpelação escrita do deputado Chan Wai Chi, Cheong Sio Kei recorda que o Conselho de Consumidores lançou, a partir de Janeiro de 2009, a campanha de o “Dia Sem Sacos de Plástico” no dia 28 de cada mês. A iniciativa conta, até ao

OMS baixa nível de alerta

daquela organização. A OMS salientou ainda que a mutação é imprevisível durante o período imediato pós-pandémico, pelo que a vigilância contínua é de grande importância. Em simultâneo, a OMS manifestou que, com base nas evidências disponíveis e na experiência de pandemias anteriores, é provável que o vírus continue a causar doenças graves nos grupos etários mais jovens, pelo menos no período imediato pós-pandemia. Os grupos identificados com um risco maior de doença grave ou fatal permanecerão provavelmente em risco elevado, embora seja esperada uma diminuição do número de casos. Para além disso, relativamente à pneumonia primária viral grave, que normalmente não ocorre durante a gripe sazonal,

e que atingiu, ao longo do período de pandemia, uma proporção pequena dos doentes infectados, incluindo jovens e saudáveis, não se sabe se este tipo vai mudar durante o período que se segue. A OMS recomenda que, nesta fase, todos os países no mundo mantenham a vigilância em relação à mutação anormal da epidemia, bem como a detecção e participação precoces na ocorrência do eventual modelo de transmissão viral, incluindo a patogenicidade e a resistência aos medicamentos A organização salienta que a vacinação é uma medida importante para a redução da taxa de ocorrência da doença e da taxa de mortalidade. É portanto altamente recomendável que os indivíduos de alto risco se vacinem.

Selo verde a caminho

momento, com a adesão de 148 supermercados e mercearias, que estão devidamente sinalizadas como “Lojas Certificadas” para o efeito, a fim de que o consumidor saiba que, nesse dia, se deve munir do próprio saco quando for às compras. Cheong Sio Kei indicou ainda que, relativamente ao projecto de melhoria da recolha de resíduos a longo prazo, estão já propostas várias acções para o efeito, no âmbito de uma das estratégias do planeamento ambiental de “incentivar o conceito da conservação de recursos”. Entretanto, em resposta à interpelação do deputado Mak Soi Kun, o director dos Serviços de Protecção Ambiental clarifica que os Serviços de Estatística e Censos, embora ainda não procedam ao cálculo do PIB “verde”, cuja importância tem aumentado nos últimos anos, estão atentos tanto ao estudo sobre o seu desenvolvimento a nível internacional, como às orientações.

pub

Aviso Encontra-se aberto pelos Serviços de Saúde o concurso de prestação de provas para a admissão de 30 candidatos ao Internato Geral, cujos detalhes estão publicados no Boletim Oficial n.º 32 – II Série, de 11 de Agosto de 2010 e disponíveis no website dos Serviços de Saúde (http://www.ssm. gov.mo) para consulta. O requerimento pode ser descarregado no website supracitado ou obtido na Secção de Expediente Geral dos Serviços de Saúde. Serviços de Saúde, aos 3 de Agosto de 2010. O Director dos Serviços, Lei Chin Ion


quinta-feira 12.8.2010 www.hojemacau.com

8 António Falcão* hojemacau@yahoo.com

São 43 as individualidades que se vão sentar à mesa nas reuniões do Conselho para as Indústrias Criativas (CIC), recentemente estabelecido pelo executivo de Macau, seguindo o pressuposto do Artigo 5º do despacho do Secretário para os Assuntos Socias e Cultura, Cheong U: “O número de membros do Conselho não pode ultrapassar 43.” Não nos parece ser este um número auspicioso. Na lista, “demoradamente preparada”, publicada no Boletim Oficial mais recente, estão 30 individualidades ligadas às artes e cultura, bem como profissionais, académicos e empresários, que se juntam aos já nomeados no despacho referido anteriormente, integrada por representantes de diversos serviços públicos da RAEM, e que estabelece como presidente do Conselho o próprio Cheong U. Na lista agora divulgada encontram-se os nomes de Leong Heng Teng, membro do Conselho Executivo e deputado, que assume a vice-presidência do CIC; Kong Mei Fan, presidente da Associação de Mulheres Empresárias, o académico Ieng Weng Fat; Leonel Leong Vai Tac, Presidente do Centro de Pesquisa Estratégica para o Desenvolvimento de Macau e sistematicamente considerado “futuro Chefe do Executivo”; Chui Sai Peng, empresário, deputado e primo de Chui Sai On; Mio Pang Fei, pintor chinês há muito estabelecido em Macau; Wilson Lam, director da Macau Creations, o designer que estabeleceu o primeiro espaço comercial que tem como base o trabalho dos artistas de Macau, entre muitos outros outros. Na lista estão também os macaenses Carlos Marreiros, arquitecto; António José de Freitas, provedor da Santa Casa da Misericórdia; Luís Sales Marques, presidente do Instituto dos Estudos Europeus de Macau e o ressuscitado Casimiro Pinto que volta aos palcos da Imprensa depois da sua tentativa falhada de eleição à AL. No pulso do mercado

Para o executivo a estrutura agora estabelecida “permitirá uma recolha alargada de opiniões e sugestões dos diversos sectores da sociedade sobre as indústrias culturais para a definição de políticas adequadas para o território.” Na opinião de Leonel Leong, que também faz parte do Conselho Executivo e é um destacado membro do Congresso Nacional Popular da RPC, as suas expectativas são grandes e complementam o que o público espera, face ao avanço do CIC, referindo que “a indústria se vai tornar um novo ponto de crescimento para a econo-

cultura O número da sorte Conselho para as Indústrias Criativas composto na sua totalidade

mia local.” Afirmando ainda “que o modo de realizar a industrialização é a chave para a toda a questão, com opiniões com visão internacional e experiências com o consumidor e o mercado.” Quando inquirido sobre como devem avançar as indústrias culturais em Macau, Leong lista algumas possibilidades: “Uma indústria não pode incluir tudo. Primeiro é preciso saber quais os produtos culturais que trazem mais benefícios e com mais probabilidades de florescerem a indústria. Além dos benefícios económicos, também devemos considerar os espaços dados à expansão dos criadores através do desenvolvimento sustentável com foco na industrialização”, disse Leong ao Hoje Macau.

Cheong U

Em declarações à Rádio Macau, Carlos Marreiros congratula-se com a inclusão na lista de algumas “personalidades jovens com provas dadas em Macau.” Uma delas é James Chu, responsável pela Associação Art For All, que crê que todos os membros do CIC irão dar o seu melhor e que houve “uma razão para a sua escolha.” Afirmando ainda que “esta comissão não é uma organização com poder de decisão mas apenas para dar opinião e sugestões ao Chefe do Executivo”, acreditando que não será um processo rápido. “Mas é melhor do que nada”, referiu o designer que também foi candidato a deputado no ano passado. “Para se ter uma decisão rápida é preciso um homem só, mas este não é o espírito da democracia”, referiu James Chu. “Para um bom desenvolvimento ou, pelo menos, para tentar alcançar essa meta, qualquer decisão deve passar pela discussão e debate, com diferentes facções de interesse e profissões. Especialmente quando estamos a falar da indústria criativa. Alguém acredita que um homem pode ter a decisão certa na mão? Eu não acredito.” A comissão visa estabelecer uma “task-force” na primeira reunião que irá acontecer em breve para se concentrar em questões específicas, como as regras para a comissão e estabelecer também

uma rota para a indústria cultural de Macau. Ver para querer

Para outros agentes culturais do território como Michael Wong, directorgeral da mais proeminente associação de animação e banda desenhada, e Alice Kuok, artista e jornalista cultural, o foco mais importante e o primeiro passo que a CIC deve tomar será o de criar um veículo forte na educação artística com a criação de uma verdadeira escola de artes. Wong observou que desde que Ung Vai Meng assumiu a liderança do IC, que as artes visuais se tornaram peça central na “industrialização” do sector cultural, “enquanto a criação da indústria tem de se concentrar principalmente no lado educativo.” Será um passo que deve ser tomado pelas “entidades mais competentes do sector artístico em Macau”, sempre com a mão do governo para dar o apoio necessário, refere Alice Kuok. Outra iniciativa será a de recuperar os edifícios mais antigos para criar aí centros vivos de toda esta indústria que se quer lançar, onde não faltarão restaurantes, “também a gastronomia é uma arte”, e espaços para a criação artística, afirmou Kuok, dando também o exemplo de outras cidades com Xangai, que criou um verdadeiro fluxo cultural nos seus bairros mais característicos.

Também contactado pelo Hoje Macau foi Henry Chan, vice-presidente da Associação das Companhias e Serviços de Publicidade de Macau, que não encontrou na lista nenhum representante activo do sector de publicidade, depois de ler os nomes confessou que a “publicidade é a chave dos conteúdos criativos para uma comercialização eficaz, assim o trabalho da indústria não vai produzir alguma coisa. É muito burro!”, afirmou peremptório. Referindo ainda que a elaboração desta lista parece “um círculo fechado em si próprio.” James Chu, mesmo não esperando muito da comissão, retém que o importante é que as pessoas ligadas ao sector não desistam de tentar e que “devem trabalhar no duro e acreditar em si mesmos, não deixando escapar esta oportunidade de ouro.” Também Leonel Leong acrescentou que “o público e os media devem manter os olhos sobre o Conselho e expressar as suas expectativas continuamente, enquanto o governo deverá aumentar a transparência das reuniões e informar o público sobre o seu progresso regularmente.” Cheong U admitiu que dezenas de pessoas escreveram ao Governo a pedir um lugar nesta comissão, e que alguns foram aceites, enquanto a composição geral poderia ser dividida em profissionais de artes e cultura, académicos de instituições de ensino superior e os empresários. “O governo tem sempre dado grandes apoios e incentivos à criatividade artística e cultural e o desenvolvimento das indústrias criativas será uma linha de orientação a ponderar pelo Conselho, no futuro”, afirmou. Perante a dúvida sobre a nomeação de Leong Heng Teng, Cheong disse que o público subestima os seus conhecimentos. “Ele tem feito um grande esforço no Bairro de São Lázaro, durante muitos anos, bem como para a promoção de jovens criadores culturais fora de Macau”, justificando ainda a presença de Chui Sai Peng, primo do Chefe do Executivo, “pela contribuição e estudos sobre a conservação do património.” Espera-se assim que a comissão de 43 membros parta à frente do Metro Ligeiro e leve Macau a assumir uma postura diferente no campo da divulgação cultural, “industrializando” a economia desde sector com avidez. * com Kahon Chan


De mãos dadas com o Homem Realiza-se este Sábado mais uma conferência no Creative Albergue intitulada “Change in Hand from God to Man” que traz ao território Liu Ke Cheng, graduado na Faculdade de Arquitectura e Tecnologia de Xian, onde é actualmente professor, tendo obtido já alguns prémios de arquitectura em competições internacionais . O orador vem falar das diferentes fases da vida do Homem e das mudanças provocadas pelo meio ambiente na evolução dos tempos. O seminário divide-se em cinco partes distintas, percorrendo o período que vai desde a génese às escolhas pós adolescência que definem o trajecto de toda uma vida.

A história é do jornal inglês Guardian, relatada também pelo jornal Público, e refere a agressão de polícias chineses ao famoso artista chinês Ai Weiwei, um dos criadores do célebre Estádio Nacional de Pequim, conhecido como “Ninho de Pássaro”, que fez furor nos Jogos Olímpicos de 2008 e que é considerado um dos projectos arquitectónicos magistrais do século. O enredo começa na esquadra da polícia da cidade de Chengdu, capital da província de Sichuan, no sudoeste da China, quando o artista aí se deslocou para apresentar uma queixa sobre uma alegada agressão ocorrida anteriormente, que lhe causou uma hemorragia cerebral. Recusando-se a aceitar a denúncia, as autoridades encaminharam-no para outro departamento policial na cidade de Jinniu, onde Weiwei terá sido rodeado por um grupo de polícias à paisana que o insultou e agrediu, bem como ao seu assistente, relatou ontem ao Guardian, Ai Weiwei. Num telefonema para o jornal inglês o artista e arquitecto chinês descreveu a situação: “Alguns polícias à paisana rasgaram as nossas camisas e tentaram agarrar as nossas máquinas fotográficas. Eram, talvez, uns dez. Eles empurram-nos e pontapearam-nos”. À pub

Arquitecto do Ninho de Pássaro agredido

Garantir o direito à liberdade chegada ao edifício, o grupo de homens tê-lo-á rodeado e gritado: “Se queres justiça, volta para os Estados Unidos”, país onde Ai viveu como estudante entre 1981 e 1993. Ai Weiwei está desde há muito sob vigilância por parte das autoridades chinesas, como um dos activistas que se manifestou publicamente sobre a considerável taxa de mortalidade de crianças no terramoto de Sichuan, em 2008, devido à alegada má construção das escolas públicas na região. Acabou por ser detido no ano passado quando se deslocou a Chengdu para um julgamento de um outro activista da mesma causa que contava com o seu testemunho e acompanhado por um grupo de contestatários que pretendiam assistir ao julgamento. Acção que terminaria com actos violentos por parte da polícia, com Ai a acabar numa sala de cirurgias na Alemanha uma semana depois, quando os médicos descobriram que tinha uma hemorragia interna, notícia que foi amplamente

relatada pela imprensa internacional com uma reportagem na CNN. Ai Weiwei tentava assim expor o seu protesto pela via judicial, entregando um relatório dos acontecimentos no preciso local onde tinha sofrido a agressão anterior, reconhecendo inclusive um dos agentes que estiveram envolvidos na sua detenção, nesta nova investida trajando à civil, tirando daí a conclusão de que o conjunto de agressores

quinta-feira 12.8.2010 www.hojemacau.com

9

era composto por agentes policiais. Depois deste novo alegado ataque, Ai Weiwei disse ao telefone: “Agora estamos a ser atacados porque nos queixámos sobre o sucedido da última vez. É tão irónico.” O artista, que foi contratado recentemente para criar uma instalação para o Museu Tate Modern em Londres, referiu ainda o seu desgosto pela justiça chinesa: “O sistema judicial da China está totalmente corrupto e paralisado. Mesmo com um caso que as pessoas conhecem internacionalmente... eles estão-se nas tintas”, disse em declarações citadas pelo jornal Guardian. Jornal que publicou um artigo do artista chinês, em 2008, em que o mesmo afirmava que iria estar afastado dos “politizados” Jogos Olímpicos de Pequim em defesa da liberdade de expressão, algo que afirmava ser possível mas que “precisa de lealdade, coragem e força.” Terminando o texto com um clamor de esperança no futuro: “Se queremos que isso aconteça, hoje pode ser um momento de coragem, esperança e paixão. Este dia irá testar a nossa fé na raça humana, e a nossa determinação de construir um futuro melhor.” Apesar da China dar mostras de alguma abertura, Ai Weiwei continua afincadamente a lutar por isso. - A.F.


quinta-feira 12.8.2010 www.hojemacau.com

10 Sporting de Braga é o clube da Liga portuguesa de futebol que mais lucrou nas transacções de jogadores no ano de 2010, com quase 10,5 milhões de euros positivos, suplantando mesmo os três “grandes” do futebol português. Ao lucro da formação minhota (10,45 milhões), referente às entradas e saídas de jogadores entre Janeiro e Agosto deste ano - verbas relativas a cedências temporárias foram excluídas - devese aplicar-se o lema “vender bem e comprar melhor”. A cerca de três semanas de fechar o mercado de transferências, o resultado da balança de transacções dos bracarenses ultrapassa mesmo o valor conjunto de Benfica (3,8 milhões positivos), FC Porto (400 mil euros negativos) e Sporting (3,8 milhões negativos). Dos 19 atletas contratados desde 01 de Janeiro, apenas o lateral direito Mi-

desporto

Campeão de lucros nas transferências de jogadores

Braga é o maior nos cifrões

guel Garcia (ex-Olhanense) obrigou os bracarenses a “abrirem os cordões à bolsa”, pagando, a meio da época passada, 50 mil euros pelo passe do defesa português.

Quanto a saídas, bastou apenas a venda de três jogadores para que os “arsenalistas” obtivessem o referido lucro, sendo que a maior fatia veio de Alvalade, para pub

onde viajaram os laterais João Pereira e Evaldo, que custaram seis milhões de euros aos “leões”. No entanto, foi com o guarda redes internacional português Eduardo, para os italianos do Génova, por 4,5 milhões, que o Sporting de Braga realizou, até ao momento, o maior encaixe da época. Benfica dá lucro

O Benfica regista, até ao momento, um saldo positivo no que diz respeito às entradas e saídas de jogadores no ano de 2010, com 3,8 milhões de euros de lucro nas transacções de atletas.

dia 1 de Janeiro deste ano, resulta da diferença entre os 37 milhões de euros encaixados com a venda de atletas e os 33,2 milhões gastos em aquisições. Para o proveito dos “encarnados” muito contribuíram as recentes vendas do argentino Angél di María, que saiu para o Real Madrid por 25 milhões de euros, e do brasileiro Ramires, que viu o campeão inglês Chelsea pagar 22 milhões pelo seu passe. No caso do extremo argentino, ficou ainda estipulado que aos 25 milhões de euros poderão juntar-se mais cinco, dependentes da utilização do jogador, e outros

Ao lucro da formação minhota (10,45 milhões), referente às entradas e saídas de jogadores entre Janeiro e Agosto deste ano - verbas relativas a cedências temporárias foram excluídas - devese aplicar-se o lema “vender bem e comprar melhor”. A menos de um mês do fecho do mercado de transferências, o campeão nacional é, aliás, o único clube dos chamados três “grandes” do futebol português que regista um saldo positivo, pois tanto FC Porto como Sporting apresentam números negativos. A balança positiva, apenas correspondente às transferências realizadas desde o

seis, relativos aos prémios de performance desportiva, que poderão elevar o valor total para os 36 milhões. No entanto, em ambos os casos, o Benfica acaba por não receber a totalidade dos valores acordados, pois já havia alienado parte dos passes dos dois jogadores. Sporting é o pior

Sporting é o clube, entre os

chamados três “grandes”, com pior saldo financeiro nas transferências de atletas durante o ano de 2010, ao registar um prejuízo de 3,8 milhões de euros nas transacções de atletas. A balança negativa, apenas correspondente às transferências realizadas desde o dia 01 de Janeiro deste ano, resulta da diferença entre os 20 milhões de euros recebidos na venda de atletas e os 23,8 milhões gastos em aquisições. Os “leões” ficam atrás de Sporting de Braga (10,45 milhões positivos), Benfica (3,8 milhões positivos) e FC Porto (400 mil euros negativos), apesar de terem gasto menos dinheiro que os dois principais rivais. Para este resultado contribuiu o reduzido número de vendas efectuadas desde o início do ano, durante o qual apenas transferiu dois atletas, ambos no início da nova época e ambos criados na “cantera” verde e branca: João Moutinho e Miguel Veloso. O antigo “capitão” disse adeus a Alvalade e rumou ao FC Porto, com os “leões” a receberem 11 milhões de euros, antes de Miguel Veloso aceder ao convite do Génova e mudar-se para Itália a troco de nove milhões. Sem qualquer venda registada no “mercado de inverno” da temporada passada, os dirigentes da formação de Alvalade deram primazia às aquisições e foi precisamente durante esse período que “aterraram” em Alvalade quatro dos 11 reforços de 2010. O central moçambicano Mexer, proveniente do Desportivo de Maputo, foi o primeiro a chegar, seguindo-se o francês Sinama-Pongolle (ex-Atlético de Madrid), segunda contratação mais cara da história do clube (6,5 milhões), e os portugueses João Pereira (ex-Sporting de Braga) e Pedro Mendes (ex-Glasgow Rangers).


Desculpas pela imprensa Em declarações à imprensa brasileira, Rubens Barrichello admitiu ser da opinião que Michael Schumacher só pediu desculpas pelo incidente do GP da Hungria através da imprensa, não o fazendo a nível pessoal, como seria natural que sucedesse, se o arrependimento pela manobra foi sentido. Após o incidente, o alemão foi punido em 10 posições na grelha de partida no GP da Bélgica, não sem antes ter tecido algumas declarações que contrastaram com a opinião generalizada. Contudo, Schumacher, no dia seguinte colocou um comunicado no seu site oficial pedindo desculpas, alegando que depois de ver as imagens ficou com uma perceção completamente diferente.

quinta-feira 12.8.2010 www.hojemacau.com

11

Carlos Queiroz confia na absolvição e critica Madail

Coreia norte | jogadores terão sido presos

Carlos Queiroz fala de “uma tempestade num copo sem água” e diz acreditar que estará no banco da Selecção portuguesa no primeiro jogo da fase de qualificação para o Euro 2012 , a 3 de Setembro próximo, frente ao Chipre . É a confiança do treinador depois de terem sido ouvidas algumas das suas testemunhas abonatórias no âmbito do processo disciplinar que foi aberto depois dos insultos que proferiu aos elementos de um controle anti-doping feito à Selecção, antes do Mundial da África do Sul . Alex Ferguson, Luís Figo e Pinto da Costa foram “defender” o seleccionador perante o Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF). Depois das au-

A FIFA questionou as autoridades da Coreia do Norte sobre as notícias de alegados castigos aos membros da selecção que participaram no Mundial 2010. Joseph Blatter disse que foi enviada uma carta às autoridades nortecoreanas “para saber se as alegações são verdadeiras”. “O primeiro passo é falar com eles e veremos que resposta nos dão. No passado tivemos um caso parecido, quando se disse que noutro país os jogadores tinham sido censurados e castigados fisicamente, e isso revelouse falso”, afirmou o presidente da FIFA. Uma rádio da Coreia do Sul assegurou há alguns dias que o regime de Pyongyang tinha organizado uma cerimónia pública de humilhação dos jogadores e que o seleccionador tinha sido condenado a trabalhos forçados pela ditadura que controla o país mais

Tempestade num copo de água FIFA investiga Kim

pub

diências, Queiroz lamentou à comunicação social que “não foi possível dialogar”, frisando que isso aconteceu não por “responsabilidade” sua. “Te-

nho de aceitar as regras que me foram impostas, não fui eu que as ditei e sou obrigado a jogar o jogo para o qual fui empurrado”, frisou ainda. E Gilberto Madaíl , presidente da FPF, acredita que este processo não vai afectar o desempenho da equipa das quinas no apuramento para o próximo Europeu. “O seleccionador nacional está em funções, pelo que estão assegurados todos os actos e procedimentos relativos aos jogos de qualificação para o Euro 2012”, constata o dirigente. Quanto ao processo disciplinar a Queiroz, Madaíl refere que “a direcção da FPF não deve expressar qualquer posição que possa ser entendida como pressão ou tentativa de influência nas decisões” do CD.

fechado do Mundo. O presidente da Confederação asiática, o malaio Mohamed Bin Hamman, revelou por seu lado que conversou há um mês com quatro membros da equipa e nenhum deles denunciou maus-tratos. A Coreia do Norte começou o Mundial perdendo com a margem mínima com o Brasil (1-2), mas depois sofreu às mãos de Portugal a derrota mais pesada da competição (0-7). Despediu-se com uma derrota (0-2) frente à Costa do Marfim.


quinta-feira 12.8.2010 www.hojemacau.com

o Hoje [r]ecomenda

12

[f]utilidades Su doku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: 1-Sem nome, não assinada. Segurei com a mão. 2-Estar na idade de. Prisão, xadrez (Gír.). Inseparável. 3-Caro, prezado. 4-Numeral. Fímbria, rebordo exterior. 5-Apelido. O trabalho do toureiro, lide (pl.). 6-Antiquado (abrev.). Um casal. Interior (abrev.). 7-Mulheres de cabelos loiros. Aguço. 8-Nome de homem. Mulher pequena, anã. 9-Desvairar. 10-Basta!. Embarcação de recreio. Dificilmente, apenas. 11-Substância tintorial usada na India. Ave pernalta da América do Sul também conhecida por seriema. VERTICAIS: 1-Apertta com laçada. O m. q. galveta. 2-Nordeste (abrev.). Proprietários, senhores. Rio de França. 3-Relativo à orquite. 4-Umas (Arc.). Rabino. 5-Alces, ergas. Casaco comprido, desportivo, impermeável e com capuz (pl.). 6-Imensidão (Fig.). Nota musical (pl.). Letra grega. 7-Dar cor de anil. 6-Género típico das aceráceas. 8-Deixe para outro dia. O m. q. Alna. 9-Que tem todas as formas conhecidas. 10-Sigla automobilística da URSS. Desterrrava. Amerício (s.q.) 11-Que se impôs. Remoinho de água (Prov.).

Soluções do problema HORIZONTAIS: 1-ANONIMA. ASI. 2-TER. CANA. UM. 3-A. QUERIDO. P. 4-DUAS. LIMBO. 5-GOIS. FAENAS. 6-ANT. PAR. INT. 7-LOIRAS. AFIO. 8-OSCAR. ANOA. 9-E. OBCECAR. 0 10-TA. IATE. MAL. AAL. SARIEMA. VERTICAIS:1-ATA. GALOETA. 2-NE. DONOS. AA. ORQUITICO. L. 4-N. UAS. RABI. 5-ICES. PARCAS. 6-MAR. FAS. ETA. 7-ANILAR. ACER. 8-ADIE. ANA. I. 9-A. OMNIFORME. 10-SU. BANIA. AM. 11-IMPOSTO. OLA.

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição solução do problema do dia anterior

Drums de Brooklyn

Alguns meses depois de se fazerem notar com o EP Summertime! os novaiorquinos Drums apresentam o primeiro longa-duração. As influências óbvias dos Joy Division e The Cure continuam bem presentes, mas o quarteto liderado pelo imberbe Jonathan Pierce consegue subir um ou dois degraus com canções bem construídas e orelhudas. O epíteto de nova grande esperança indie assentalhes como uma luva e a avaliar por este disco o futuro sorrir-lhes-á. Parece que é um disco perfeito para as noites quentes de Verão.

[ Te l e ] v i s ã o TDM 13:00 Tdm News - Repetição 13:30 Jornal Das 24h 14:30 Rtpi Directo 19:30 Olhos De Água 20:28 Acontecimentos Históricos 20:30 Telejornal 21:00 Jornal Da Tarde Da Rtpi 22:15 Novela: O Clone 22:58 Acontecimentos Históricos 23:00 Tdm News 23:35 Casas Com História 00:00 Câmara Café 00:30 Rtpi Directo

www.macaucabletv.com

14:00 Blue Sky 15:45 UHF 17:30 Child in the Night 19:15 Love Chronicles 21:00 For Better or For Worse 22:45 The Curse 00:15 Sticky Fingers DISCOVERY CHANNEL 50 13:00 Mythbusters - Viewers Special 2 14:00 Building The Future - 21st Century Shelter 15:00 River Monsters - Death Ray 16:00 Build It Bigger - South African Gold Mine 17:00 Dirty Jobs - Fuel Tank Cleaner 18:00 Factory Made 19:00 World War II In Colour - The Island War 20:00 Egypt's Mystery Chamber 21:00 Build It Bigger - Melbourne Stadium 22:00 Construction Intervention - Just Wingin' It 23:00 Belly Of The Beast - Tanks 00:00 Build It Bigger - Melbourne Stadium

INFORMAÇÃO TDM TVB PEARL 83 06:00 Bloomberg Rewind 07:30 NBC Nightly News 08:00 CCTV News – LIVE 08:30 ETV 10:30 Inside the Stock Exchange 11:00 Market Update 11:30 Inside the Stock Exchange 11:32 Market Update 12:00 Inside the Stock Exchange 12:02 Market Update 12:30 Inside the Stock Exchange 12:35 Market Update 13:00 CCTV News - LIVE 14:00 Market Update 14:40 Inside the Stock Exchange 14:43 Market Update 15:58 Inside the Stock Exchange 16:00 What’s Your News? 16:30 League Of Super Evil 17:00 Escape From Scorpion Island 17:30 The Spectacular Spider-Man 18:00 Putonghua News 18:10 Putonghua Financial Bulletin 18:15 Putonghua Weather Report 18:20 Financial Report 18:30 FIFA Football World 19:00 Parenting 19:30 News At Seven-Thirty 19:50 Weather Report 19:55 Earth Live 20:00 Walking With Dinosaurs 20:30 Medium 21:30 Dolce Vita 22:00 Modern Family 22:30 Marketplace 22:35 The Good Wife 23:30 World Market Update 23:35 News Roundup 23:50 Earth Live 23:55 Heroes 00:50 Superhuman 01:40 European Art At The MET 02:00 Bloomberg Television 05:00 TVBS News 05:30 CCTV News ESPN 30 13:00 Barclays Premier League 2009/10 Chelsea vs. Sunderland 15:00 KIA X Games Asia 2010 15:30 MLB Regular Season 2010 New York Yankees vs. Texas Rangers 18:30 Total Rugby 19:00 Global Football 19:30 (LIVE) Sportscenter Asia 20:00 Premier League World 20:30 Total Rugby 21:00 KIA X Games Asia 2010 - Highlights Show 22:00 Sportscenter Asia 22:30 Premier League World 23:00 Soccerex 23:30 Goals Of The Season 2009/10 STAR SPORTS 31 13:00 GT 4 Rounds 3 & 4 14:00 Guinness World Series Of Pool 2010 Semifinals 17:00 FA Classics 1991/92 FA Cup Final Liverpool vs. Sunderland 18:00 Qatar Challenge 18:30 FIA Wtcc 2010 - Inside Wtcc 19:00 England Friendlies 2010/11 England vs. Hungary 21:00 Game 21:30 (LIVE) Score Tonight

NATIONAL GEOGRAPHIC CHANNEL 51 13:00 Mythbusters - Viewers Special 2 14:00 Building The Future - 21st Century Shelter 15:00 River Monsters - Death Ray 16:00 Build It Bigger - South African Gold Mine 17:00 Dirty Jobs - Fuel Tank Cleaner 18:00 Factory Made 19:00 World War II In Colour - The Island War 20:00 Egypt's Mystery Chamber 21:00 Build It Bigger - Melbourne Stadium 22:00 Construction Intervention - Just Wingin' It 23:00 Belly Of The Beast - Tanks 00:00 Build It Bigger - Melbourne Stadium ANIMAL PLANET 52 13:00 Great British Sea Monster 14:00 The Secret Life Of Otters 15:00 Whale Wars - Boiling Point 16:00 Untamed & Uncut 17:00 I'm Alive - Out Of The Blue 18:00 Animal Witness 19:00 Groomer Has It - The Recap Show 20:00 Great Ocean Adventures 22:00 Untamed & Uncut 23:00 I'm Alive - Brotherhood 00:00 The Red Devil Squid

(MCTV 54) History Channel 23:00 pawn stars

22:00 Mobil 1 The Grid 22:30 Ace 2010 23:00 FIA Wtcc 2010 - Inside Wtcc 23:30 Game STAR MOVIES 40 11:25 Blonde & Blonder 13:05 Unknown 14:40 Love In The Time Of Cholera 17:00 Instinct 19:10 Hannah Montana The Movie 21:00 Pink Panther 2, The 22:45 The Fog 00:35 Instinct

HBO 41 13:00 Notting Hill 15:00 City Of Angels 17:00 Divine Secrets Of The Ya-Ya Sisterhood 19:00 Terminator Salvation 21:00 Death Race 22:40 True Blood 23:45 Notting Hill

HISTORY CHANNEL 54 13:00 The Port Of Last Resort 14:00 The Ancient Mega-Fort 15:00 Into The Wild 16:00 Medusa 17:00 Caesar: Super Siege 18:00 Taj Mahal 19:00 Alcatraz Down Under 20:00 Strange Weapons 21:00 Gigantic Killer Fish 2 22:00 UFO Hunters - Area 52 23:00 Pawn Stars 00:00 Dirty Gold STAR WORLD 63 13:00 Everybody Loves Raymond 14:00 Australia's Next Top Model 15:00 Grey's Anatomy 16:00 Private Practice 17:00 Australia's Next Top Model 18:00 How I Met Your Mother 18:30 American Idol 19:30 Two and a Half Men 20:00 Glee 21:00 America's Got Talent 22:30 American Idol 23:30 Glee 00:30 America's Got Talent

CINEMAX 42 12:00 Carrie 13:45 The Foreigner 15:30 Once Upon A Time In The West 18:30 Dr. Cyclops 20:00 Mega Fault 22:00 The Hindenburg 00:30 Fortress 2: Re-Entry MGM 43 12:15 Electric Dreams

Informação Macau Cable TV


quinta-feira 12.8.2010 www.hojemacau.com

[O]bjectiva Manuel Malzbender

13 Raio [X]

marli daí largada Marli já não sabia mais.

Para[ ]comer • Pérola 3/F, Sands, Largo de Monte Carlo, no.203 8983 82222888 3352 http://www.sands.com.mo • VINHA Alm Dr. Carlos d' Assumpção 393 r/c AC 2875 2599vinha@macau.ctm.net http://www.vinha.com.mo • FAT SIU LAU (SINCE 1903) Av.Dr.Sun Yat-Sen,Edf.Vista Magnifica Court Rua de Felicidade No.64, R/C Macau 2857 3585fsl1903@macau.ctm.net http://www.fatsiulau.com.mo

• Casa Carlos Bispo Medeiros 28D 2852 2027

• HAC SA PARK Hac Sa Park-Hac Sa Beach Coloane 2888 2297 http://www.yp.com.mo/hacsa

• António (TP) R, dos Negociantes 3 28999998

• SOL NASCENTE (TP) Av Dr Sun Yat Sen No.29-37 R/C 2883 6288 http://www.yp.com.mo/solnascente • TENIS CIVIL (LEON) Av.da República N°14 1° Macau 2830 1189 http://www.yp.com.mo/leon • Platão Trav. São Domingos No.3 2833 1818 reservation@plataomacau.com • Banza (Tp) Nam San Bl.5, GH 28821519

Vivia?

Ou morrera? Já não sabia mais... Sete horas, marcava o relógio. • Galo (Tp) Clérigos 45 2882 7318 http://www.yp.com.mo/domgalo • Riquexó Av Sid Pais 69 2856 5655

• Clube Militar Av Praia Grande 795 2871 4000 cmm@macau.ctm.net • Espaço Lisboa Lda (Col) Gaivotas 8 2888 2226 2888 1850 • Camilo Av Sir Anders Ljungsted 37 2882 5688

• Dom Galo Vista Magnifica Court 2875 1383 domgalo@yp.com.mo http://www.yp.com.mo/domgalo • O Santos (TP) R. do Cunha 28827508 • Porto Exterior Ed Chong U 2870 3276 http://www.portoext.com.mo • Restaurante Fernando (Col) Praia Hác Sá 9 2888 2264

• Ó MANEL (Tp) Fernão M Pinto 90 2882 7571

• Litoral Restaurante Lda Alm Sérgio 261 2896 7878 2896 7996 http://www.yp.com.mo/litoral

• A PETISQUEIRA (TP) S João 15A 2882 5354

• Nga Tim Café (Col) Caetano 8 2888 2086

Tacos – Cozinha internacional & Café Bar (Macau) – Rua Cidade de Braga 51 A r/c. Tel.28750151

• O Porto Interior Alm Sérgio 259B 2896 7770 • A Lorcha Alm Sérgio 289 2831 3195

• Sawasdee Thai Av Sid Pais 43AE 2857 1963 • Aquamarine Thai Café (Tp) Jardm Nova Taipa bl 21 2883 0010 • Bangkok Pochana Ferrª Amaral 31 2856 1419 • Kruatheque Henrique Macedo 11-13 2835 3555 • Restaurante Thai Abreu Nunes 27E 2855 2255

• Afonso III Central 11A 2858 6272

• LA COMEDIE CHEZ VOUS Ed Zhu Kuan S/N G (Oppsite Cultural Centre) 2875 2021

• Bar Oporto Tv Praia 17 2859 4643 • Maria’s Comida Portuguesa Patane 8A 2823 3221

• LE BISTROT (Tp) Nova Taipa Garden Block 27, G/F 2884 37392884 3994

• Restaurante Pinocchio (Tp) Regedor 181-185 2882 7128 • Canal dos Patos Parque Municipal Sun Yat Seng 2822 8166

• CHURRASCÃO Nova Taipa Garden, Block 27 G/F, Taipa 2884 37392884 3994 • Yin Alª Dr Carlos d’Assumpção 33 2872 2735

inception the last airbender Cineteatro | PUB

• Fogo Samba VENETIAN-Grand Canal Shoppes Apt 2412 2882 8499

[ ] Cinema

Sala 1 the last airbender [b] Um filme de: M. Night Shyamalan Com: Noah Ringer, Nicola Peltz 14.30, 16.30, 21.45, 23.45

SALA 2 the sorcerer’s apprentice [B] Um filme de: Jon Turteltaub Com: Nicolas Cage, Jay Baruchel 14.15, 18.00, 20.00, 22.00

Inception [C] Um filme de: Christopher Nolan Com: Leonardo Dicaprio, Ellen Page 19.00

Sala 2 Toy Story 3 [a]

Sala 3 Doraemon: nobita’s great battle of the mermaid king [a]

falado em Cantonês

falado em Cantonês

Um filme de: Lee Unkrich 16.15

Sala 3 The jade and the pearl [B] falado em Cantonês

Um filme de: Janet Chun Com: Raymond Lam, Charlene Choi 14.15, 18.00, 20.00, 22.00

Um filme de: Kôzô Kusuba 16.15

Sete horas e um minuto.

Sete horas e nove minutos.

Sete horas e trinta e quatro minutos... Oito horas... Dez...

Meio-dia...

Mas Marli não se queria levantar. Para quê?!

Para se lembrar que tinha uma família morta? O seu marido.

Os seus irmãos.

Os seus sobrinhos.

E como se não bastasse... os seus filhos! Os seus filhos...! O relógio dormia. Ou era o tempo? Ou a vida?

Aliás, que vida?

Uma vida de cão que nem trabalho tinha!? Sem forças?

Sem dignidade? Sem felicidade? Sem vida?!! Que vida?

Uma criança deixa umas moedas no copo em frente ao

relógio do lado do travesseiro de Marli... na calçada da Avenida São João.

Sem olhar, agradece.

Sem poder olhar, mantêm-se na mesma posição. Sem poder evitar, derrama lágrimas no chão.

E assim aguarda que outra alma tão boa quanto a anterior lhe venha trazer as esmolas que irão providenciar um sanduíche, um cigarro, e as pingas diárias.

[Daí é estudante]


quinta-feira 12.8.2010 www.hojemacau.com

14

O

opinião

Os partidos e a nova fractura Norte-Sul

Francesco Alberoni in i

nosso sistema político é uma república parlamentar na qual, do ponto de vista jurídico, o parlamento é formado por representantes do povo que decidem individualmente as leis. Na realidade, se estes representantes não chegassem a acordo antes das eleições nunca conseguiriam fazê-lo depois. Sociologicamente, a base da democracia parlamentar é o partido político, que nasce habitualmente de um movimento colectivo que se institucionaliza em torno de uma elite capaz de mobilizar o voto de milhões de pessoas e que, no parlamento, permanece unida para pôr em prática o programa eleitoral e

ca r t o o n por Steff

Mais cedo ou mais tarde, a Itália vai mergulhar numa luta de todos contra todos. A desordem vai gerar outras estruturas políticas fortes, mas também dividir o país enfrentar a posterior disputa eleitoral. As democracias mais antigas e com instituições mais estáveis têm apenas dois partidos e as pessoas habituaram-se a votar num ou noutro. Em Itália isso não foi possível porque durante a Guerra Fria entre os EUA e a URSS, o Partido Comunista era considerado um aliado da União Soviética. Por conseguinte, o país foi sempre governado por uma coligação de centro-direita. Depois, de repente, em 1989, a Guerra Fria terminou e tivemos a oportunidade de iniciar também

o bipartidarismo: à direita, uma união dos antigos partidos moderados; à esquerda, um PCI renovado. Mas isso não aconteceu porque os antigos partidos do governo foram afastados da vida política por via judicial. A esquerda estava prestes a aceder ao poder quase sozinha quando, no centro-direita ainda não estruturado, se formou um movimento colectivo, Forza Italia, que a esquerda nunca aceitou como interlocutor legítimo, mas que sempre teve esperança de que se desvanecesse por inconsistência interna ou

por causa dos erros ou ineficácia pessoal do respectivo líder. Por essa razão, não se formaram dois grandes partidos estruturados, mas sim uma configuração conflitual anómala na qual temos, por um lado, um partido fraco com um líder carismático forte e, por outro, a coligação de todos aqueles que, apesar de terem programas diferentes, têm por objectivo principal abater o líder adversário. E vão consegui-lo, mais cedo ou mais tarde. Mas nessa altura o maior partido existente também estará fracturado e, apesar de acordos e coligações, será uma luta de todos contra todos. Tal estado de desorganização vai gerar um novo período de movimentos colectivos análogo ao que vivemos em 1968-76 e em 1989-94. Daí vão emergir novas estruturas políticas fortes, mas talvez também uma linha divisória entre Norte e Sul.

colonialismo


Quando os Homens se esquecem do céu e se apegam à terra, vem um cataclismo a Padre Manuel teixeira [1912-2003]

lembrar-nos a pátria.

quinta-feira 12.8.2010 www.hojemacau.com

15

m em ór i a i n du l gen te Antønio Falcão

s comunicações falharam e deixo-me escorregar pelo tempo sem sequer ter um norte. Minutos, dias, anos. E nada. Repito esta palavra com uma certa indignação: o “nada.” Que posso esperar então? E que podia eu fazer para além de aguardar, a não ser deixar-me ir? Nada! Não existe coisa alguma que possa ainda mudar o rumo do que está para acontecer. Nenhum dizer, nenhuma acção. Nem um grito, nem um choque eléctrico. E assim, do tudo que poderia ser feito, o que resta é um grave e redondo zero. Não se adianta nenhum caminho, deixase estar como está, não se abre nenhum buraco. Tudo o que existe já aconteceu. Foi. Lá atrás. Longe do presente. Longe do dia de hoje. Perto de um amanhã que não vai nascer nunca. E nesse limite, na extremidade do possível, escorrego pelo tempo. Quando peguei em mim e comecei a escrever foi porque tinha a impressão que havia algo que merecia ser dito. Que daquilo que se diz e que se ouve todos os dias existia ainda uma parcela de frases que tinham ficado esquecidas. Coisas sem definição e sem forma, sem a acutilância de um sim ou de um não. De um bom dia ou de uma trovoada. Não tinham rosto esses termos, não existiam ainda no vocabulário de qualquer idioma. Mas ditavam um rosto. Eram uma chama dentro de mim e pediam apenas para serem escritas, como matéria em bruto a precisar de ser esculpida. Mármore, bronze, jade. Plasticina. O que fosse. Não eram minhas as palavras - não são - duvido que tenham dono. Sou apenas o veículo que as transporta. Nem sou eu que as digo. Agarro-as como alguém que apanha pedras para fazer uma

António Falcão | bloomland.cn

A

Daquilo de que gostamos mais

Daqui foi retirado o essencial que também não importava porque na verdade toda a matéria se faz de coisa nenhuma pirâmide e depois se fecha nela à espera de um fim. O que acabei por arranjar foi um diferente modo de existir. Vivo agora encarcerado neste monte de papéis, refém da rotina e da incerteza, a aguardar a minha independência, sem guerras e sem feridas. Mas a juntar a minha vontade a uma faixa de pessoas que necessitam de deitar para o exterior pequenos pedaços de vida. Uma pirâmide, um faraó. Nada mais simples. Uma torre Eiffel, um bordel em Amesterdão, um pequeno beco da esperança. Tanto faz, são exactamente a mesma coisa. Os mesmos lugares. Posso estar na Sicília, na Gronelândia ou em Buenos Aires, as estradas são sempre iguais, os momentos correm da mesma maneira, com pressa, uns a seguir aos

outros e a independência é sempre difícil de alcançar, é um mito que não tem dimensão. Quando se chega lá não há mãos para a conduzir e acaba-se por se modelar uma peça sem volume e sem a unidade que o rosto humano pode e deve ter. Um mundo onde se confunde o imaginário com o real e os pés com as mãos. Não é propriamente a escrita que é importante, que faz com que se leia depois, não é isso que está em causa. Não é a explicação dos acontecimentos, não é só o relato, o contar. Nem é o que me traz aqui. O que me trouxe foi o ter-me perdido. Foi o desoriente. Ao pegar em mim desta maneira, como faço ao pensar que a segunda-feira é quinta, e pedra a pedra construo esta prisão onde

durmo todas as noites, estou apenas a pactuar com a mudança e com o desenrolar em série. A vestir-me de coisas que não têm outra maneira de existir a não ser quando são enxotadas para o papel. Estas letras atiradas para a folha dão início a um processo de escolha e de formação. De aprendizagem. Uma tomada de consciência que se faz e que se adquire apenas no acto de ler e no acto de escrever, em pausas de tempo. Em confusão. Quando agarro em mim e me enfio neste buraco, que não foi nem nunca será escavado, consigo encontrar o chão do momento, consigo pisar a sua superfície com uma multidão de vozes e viver por analogia o doce que é a representação de tudo o que me rodeia. Só dentro de mim, no meu

interior, onde as palavras ardem, consigo estabelecer uma relação e viver com o que está lá fora. Com o que floresce. Com o dia-a-dia. Com o nada! A talhar a dispersão do espaço consigo partir para um modelo válido onde possa existir. Onde possa saborear um dia inteiro sem o garrote dos ponteiros de um relógio. Não importa. Não quero saber. Seja um grito ou um choque eléctrico. Talvez o mundo não esteja ainda preparado. Feliz será aquele que dorme pacificamente num leito de penas, arrancadas ao peito de um ganso, com o seu mais bonito vestido. Dorme para sempre como sempre dormiu. Em paz. Vive para lá do que é tempo. Para lá da indignação do nada. Do que foi. Vive no fim que esperava com serenidade. Fica esta memória que não confunde o imaginário com o real, que não confunde a verdade com a mentira. Fica uma escultura bela que alguém soube inventar. Um modelo. Fica a compreensão e a tolerância. Fica a independência sem a aberração. Fica o todo, o sentido e a expressão. Ficamos nós com a capacidade de tentar fazer tanto, de saber esculpir da mesma maneira um bom dia ou uma trovoada. Uma cena, um plano, uma acção. É essa a fórmula que os bons exemplos nos dão. Uma montanha de luz. E isto escrevi-o quando alguém querido deixou se foi, que para sempre está no meu coração.

[Para Z.]

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José editor Paulo Reis Redacção António Falcão; Kahon Chan; Marco André de Sousa; Rodrigo de Matos; Vanessa Amaro Colaboradores Carlos Picassinos; Francisco Isöo; José Manuel Simões; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Severo Portela Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Correia Marques; Duarte Santos; Gilberto Lopes; Hélder Fernando; João Miguel Barros; Jorge Rodrigues Simão; José I. Duarte; Marinho de Bastos; Paul Chan Wai Chi; Pedro Correia; Zélia Ribeiro Cartoonista Steph Grafismo Paulo Borges; Catarina Lau Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão; António Mil-Homens; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Laurentina Silva (hojemacau@gmail.com) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Av. Dr. Rodrigo Rodrigues nº 600 E, Centro Comercial First Nacional, 14º andar, Sala 1407 – Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail hojemacau@yahoo.com Sítio www.hojemacau.com


a fechar quinta-feira 12.8.2010 www.hojemacau.com

Mais de 600 pessoas desaparecidas na província de Gansu

Balanço de mortos ultrapassa o milhar Pequim preparado para surto de gripe

O Ministério da Saúde Pública da China disse que recorrerá à sua experiência no controle da gripe A(H1N1) para garantir a prevenção da chamada gripe comum, logo após a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciar os seus planos para o período posterior à pandemia. “Com base na experiência acumulada na prevenção e controle da gripe A(H1N1), vamos rever os planos de emergência e continuaremos com os esforços de prevenção da gripe com o objectivo de garantir a saúde das pessoas”, indica um comunicado emitido pelo ministério. Estatísticas do ministério mostram que o número de novos casos da gripe A(H1N1) reportados por semana tem sido inferior a 30 desde meados de Abril passado. Além disso, não foi registado nenhum caso fatal em 12 semanas consecutivas.

O número de mortos nos deslizamentos de terra que destruíram no domingo várias aldeias de um distrito na província chinesa de Gansu aumentou ontem para 1.117, enquanto 627 permanecem desaparecidos, segundo o último relatório das autoridades locais. O Departamento de Assuntos Civis da província revelou que 567 sobreviventes receberam tratamento médico e que outros 64 estão gravemente feridos no distrito de Zhouqu, onde 30% da população é tibetana. Cerca de 45 mil pessoas foram evacuadas da região diante do perigo de novos deslizamentos de terra e desabamentos, devido à

previsão de chuvas que dificultam os trabalhos de resgate realizado por 10 mil soldados. Embora os deslizamentos em Zhouqu tenham soterrado inúmeras pessoas desde Maio e a possibilidade de encontrar sobreviventes diminua com o passar do tempo, ainda há milagres como o resgate, ontem, de um homem de 50 anos chamado Wang Dianlan, após 81 horas soterrado. O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, visitou a área atingida, onde o barro formou um lago artificial que ameaça transbordar, embora os soldados tenham conseguido drená-lo até reduzir o risco, assegurou o vice-

ministro de Recursos Hídricos, Jiao Yong. O odor exalado pelos corpos a céu aberto, a contaminação da água e a insistência dos sobreviventes em recuperar os seus objetos de valor entre os escombros representam um grave perigo para a saúde. No entanto, o subdirector dos serviços de emergências do Ministério da Saúde, Zhang Guoxin, assegurou em Pequim que não foram detectados focos epidémicos na região, aonde foram enviados cerca de 800 médicos. Uma área de 310 mil metros quadrados foi desinfectada para impedir possíveis epidemias, acrescentou Zhang.

Duas mil fábricas encerradas na China

O governo chinês anunciou o encerramento de mais de duas mil fábricas de indústrias pesadas até dia 30 de Setembro, noticia o “El País”. De entre as fábricas com encerramento agendado contam-se 762 cimenteiras, 279 produtoras de papel, 175 de aço e 84 de pele. Li Yizhong, ministro da Indústria do país, citado pelo jornal espanhol, afirmou ao “China Daily” que estas fábricas são “obsoletas, consomem muita energia, poluem o ambiente e têm riscos de segurança. Também são a causa da queda da qualidade, da ineficiência e baixa competitividade da nossa economia”. O ministro acredita que só com estas medidas a China melhorará a sua estrutura industrial e produtividade.

Inflação aumenta, produção industrial desce

O crescimento da produção industrial da China registou um abrandamento, enquanto a inflação avançou em linha com o esperado em Julho, indicam dados divulgados ontem pelas autoridades de Pequim. A produção da indústria progrediu 13,4%, face a igual mês de 2009, estabelecendo o ritmo mais fraco dos últimos 11 meses. Por seu lado, a inflação atingiu 3,3%, em Julho, a comparar com os 2,9% de Junho e a alcançar o nível mais alto em mais de um ano e meio devido ao aumento dos alimentos. Ainda, de acordo com dados publicados hoje, o índice de preços na indústria (PPI) registou incremento de 4,8%, menos do que os 6,4% da subida contabilizada em Junho.

as estranhas contas bancárias

caso Freeport | magistrados reagem

Rosalina Ribeiro, assassinada a 7 de Dezembro no Brasil, terá transferido nove milhões de euros das contas de Lúcio Tomé Feteira num espaço de três meses, já depois da morte do empresário de Vieira de Leiria, refere o jornal 1. Desse montante, 5,25 milhões terão sido transferidos para Domingos Duarte Lima, advogado de Rosalina e ex-deputado do PSD. A revelação é de Olímpia Feteira de Menezes, filha de Lúcio, que cedeu à polícia brasileira uma cópia dos extractos da União de Bancos Suíços, uma das instituições bancárias onde o empresário guardava dinheiro. “Ela [Rosalina] apoderou-se do dinheiro todo, num valor muito alto, em contas do meu pai não só na Suíça, mas também no Brasil, nos Estados Unidos, em Inglaterra”, garante a engenheira ao i. “Depois de nove anos a tentar fazer justiça, vou continuar a lutar para reaver o dinheiro”, acrescenta. Segundo Olímpia, “depois de uma primeira movimenta-

A equipa de procuradores responsáveis pelo caso Freeport condenou ontem o que classifica de “campanha de destruição de honorabilidade, carácter e profissionalismo” de que diz ter sido alvo e reafirma a sua coesão. Numa nota assinada pelos três magistrados do Ministério Público responsáveis pelo processo - a directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), Cândida Almeida, e os procuradores Vítor Magalhães e Pães Faria -, os magistrados repudiam as notícias que vieram a público nos últimos dias a dar conta de alguma divisão na equipa. “Repudiamos, desde já, todas as notícias e intervenções públicas que coloquem em causa o estrito cumprimento da lei e das funções que nos estão confiadas, exclusivamente subordinadas aos princípios da legalidade e objectividade, nomeadamente, as que dão conta de uma pretensa divisão entre os magistrados responsáveis pela investigação e sua supe-

Duarte e os milhões Procuradores à defesa ção de dinheiros a 11 de Março de 2001, seguiram-se cinco transferências para a conta do advogado e ex-deputado do PSD Duarte Lima”, que representava os interesses de Rosalina. A última terá acontecido a 22 de Maio do mesmo ano, no valor de 181 mil euros. No total, Duarte Lima terá recebido “5,25 milhões de euros”, explica Olímpia Feteira. Contactado pelo i, o advogado Duarte Lima preferiu não se pronunciar sobre o caso. “Não comento em público a natureza das minhas relações com os meus clientes, mesmo falecidos”, respondeu. Duarte Lima terá sido a última pessoa a ver Rosalina Ribeiro com vida. O ex-deputado do PSD confirma que teve uma “reunião de trabalho” a pedido de Rosalina, no dia do homicídio, a 7 de Dezembro. Mas garante que só “passados alguns dias”, quando já estava em Portugal, é que teve conhecimento de que a sua cliente “estava desaparecida”.

rior hierárquica”, refere a nota enviada à agência Lusa. No documento, os magistrados sublinham ainda que, a propósito do caso Freeport, “foi lançada uma campanha de destruição da honorabilidade, do carácter e do profissionalismo dos magistrados responsáveis”. Quanto ao decorrer do processo, recordam que o Conselho Superior do Ministério Público já tinha em Fevereiro do ano passado determinado a realização de diligências a serem levadas a cabo num inquérito anunciado pelo Procurador Geral da República no final de Julho. Na altura, numa nota divulgada à comunicação social, o PGR anunciou que tal inquérito serviria “para o integral esclarecimento de todas as questões de índole processual ou deontológica” que o processo Freeport pudesse suscitar. Na mesa nota, o PGR adiantava que tal inquérito visava igualmente apurar “eventuais anomalias registadas na concretização de actos processuais”.

Hoje Macau • 2010.08.12 #2187  

Edição do jornal Hoje Macau de Quinta-feira • 12 de Agosto de 2010 • ANO IX • Nº 2187

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you