Page 1

PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

PUB

MOP$10

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • SEGUNDA-FEIRA 12 DE MARÇO DE 2012 • ANO XI • Nº 2568

Ter para ler

TEMPO PERÍODOS DE CHUVA MIN 10 MAX 13 HUMIDADE 75-98% • CÂMBIOS EURO 10.5 BAHT 0.2 YUAN 1.2

Cidadã chama a polícia e sai-lhe agente que desconhece a lei

Nas mãos da ignorância Ao fazer um pagamento com cartão de crédito, pediram-lhe uma taxa ilegal. Solicitou ajuda à polícia, mas foi aí que começaram os piores problemas. Uma saga difícil de acreditar, onde quem devia proteger o cidadão nunca o fez. PÁGINA 5

SEGUNDA RONDA DA REFORMA POLÍTICA

Governo avança propostas concretas para mais deputados PÁGINA 2

EMPRESA É ALVO DOS DEMOCRATAS

Jason Chao fez-se passar por trabalhador e acusa Sands de irregularidades PÁGINA 4

UM ANO APÓS TERRAMOTO

Físico americano diz que Fukushima podia ter sido evitado PÁGINA 9


política

2

Já há propostas concretas para o aumento das cadeiras na Assembleia Legislativa no próximo ano e para a Comissão Eleitoral do Chefe do Executivo em 2014

segunda-feira 12.3.2012

www.hojemacau.com.mo

Abre segunda ronda de consultas sobre reforma do sistema político

O documento que faltava

Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

E

RA o documento de que se estava à espera para decidir sobre as alterações aos métodos eleitorais e o Governo apresentou-o na sexta-feira, com propostas concretas. Na primeira ronda de consultas públicas, 60% da população chegou a consenso sobre o aumento entre dois a quatro membros do hemiciclo e de 100 pessoas para a Comissão que elege o Chefe do Executivo. Faltava só o Governo compilar as opiniões e apresentá-las em formato de documento, que vai ser agora analisado novamente pela sociedade – depois de passar pelas mãos de Pequim – e, se aceite, chegar à aprovação da Assembleia Legislativa. Inicialmente, a maioria dos cidadãos pediam mais dois deputados eleitos pela via directa e mais dois eleitos indirectamente para as próximas eleições da AL, em 2013. O Governo incluiu esta proposta no novo documento, mas fez ainda outra: o aumento de apenas um deputado em cada uma destas vias. O número de

INSCRIÇÕES ABERTAS

DISTRIBUIÇÃO DOS ASSENTOS PARA A COMISSÃO ELEITORAL Actualmente em vigor:

Proposta: aumentar até 400 membros

300 membros

SECTOR INDUSTRIAL, FINANCEIRO E COMERCIAL Actual – 100 membros

Proposta 1 – mais 25

Proposta 2 – mais 20

Proposta 1 – mais 25

Proposta 2 – mais 35

Proposta 1 – mais 25

Proposta 2 – mais 35

Proposta 1 – mais 25

Proposta 2 – mais 10

SECTOR CULTURAL, EDUCACIONAL E PROFISSIONAL Actual – 80 membros

SECTOR DE TRABALHO, SERVIÇO SOCIAL E RELIGIÃO Actual – 80 membros

REPRESENTAÇÃO POLÍTICA Actual – 40 membros

PUB

Sociedade de Pelota Basca de Macau, S.A. Convocatória

Ao abrigo dos estatutos desta Sociedade, é este meio convocada a Assembleia Geral dos Accionistas, para reunir em sessão ordinária, no Restaurante Asian, 1.º andar do Palácio Pelota Basca, no dia 29 do Março de 2012 (Quinta-Feira), pelas 17:00 horas, com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Discussão e aprovação dos relatórios, balanço e contas finais, apresentados pelo Conselho de Adminis tração, bem como a aplicação de resultados e o parecer do Conselho Fiscal, referentes ao exercício de 2011; 2. Deliberação sobre remuneração dos membros dos órgãos sociais; 3. Nomeação dos auditores para o ano de 2012;

4. Quaisquer outros assuntos de interesse da Sociedade. Macau, 12 de Março de 2012.

deputados nomeados pelo Executivo não se altera nas duas possibilidades. O aumento de cadeiras para os deputados à AL já tem, por isso, números definidos, resta saber qual a opinião que vai vigorar. Caso as opiniões pretendam o aumento de dois membros indirectos no hemiciclo, o Executivo propõe que se distribuam pelo sector empresarial (um) e pelo sector educacional, cultural e desportivo (outro). A constituição da AL no que diz respeito à existência de três tipos de deputados – directos, indirectos e nomeados - vai manter-se inalterada, conforme ordens da Assembleia Nacional Popular, bem como a existência de uma comissão para eleger o Chefe do Executivo. Ainda assim, e de acordo com as opiniões da sociedade, os lugares dentro da Comissão Eleitoral vão ser também alargados. O número proposto é o mesmo que o pretendido pela maioria da população, mudando apenas a distribuição dos lugares. (ver caixa)

Presidente da Mesa da Assembleia Geral, Leong On Kei

SESSÕES DE CONSULTA PÚBLICA • DIA 16 DE MARÇO – das 20h às 22h Grande Auditório do Centro Cultural Inscrição de dia 10 de Março a 14 de Março • DIA 26 DE MARÇO – das 20h às 22h Grande Auditório do Centro Cultural Inscrição de dia 20 a 24 de Março • DIA 15 DE ABRIL – das 15h às 17h Grande Auditório do Centro Cultural Inscrição de dia 9 a 13 de Abril

Depois de uma primeira sessão com alguma polémica, a consulta sobre as alterações ao sistema eleitoral vai passar agora à segunda ronda. A partir de hoje e até 23 de Abril vão ser recolhidas opiniões da sociedade, deputados e associações, para que em Maio – como espera Florinda Chan – a proposta de alteração seja entregue à aprovação da AL. A secretária para a Administração e Justiça assegura que não há qualquer posição tomada da parte do Executivo. Apesar da apresentação de duas propostas, os cidadãos podem sugerir outras coisas se não concordarem com nenhuma delas. Vão ser 45 dias de consulta pública, com 10 sessões. Depois de ter sido duramente criticado por ter feito apenas uma sessão pública, o Executivo alarga agora esta possibilidade, com três delas dirigidas à sociedade. Além disso, as opiniões podem continuar a chegar ao Governo via telefone, carta, e-mail ou fax. As inscrições para participar nas sessões (ver caixa) podem ser feitas no site www. cdm.gov.mo, por telefone (8987 1138) ou directamente no Edifício dos Serviços de Administração e Função Pública, na Rua do Campo. Cada sessão pode contar com 800 pessoas e os inscritos terão cinco minutos para intervir.


segunda-feira 12.3.2012

A outra conversa joana.freitas@hojemacau.com.mo

É

HOJE MACAU

só “um primeiro passo”, mas vai sê-lo durante alguns anos. A alteração às metodologias eleitorais no território foi autorizada por Pequim, mas apenas para a escolha dos deputados em 2013 e do Chefe do Executivo em 2014. Todas as mudanças agora feitas aos anexos da Lei Básica não vão sequer estudar a implementação do sufrágio universal a curto ou médio prazo. Florinda Chan, secretária para a Administração e Justiça, explicou na sexta-feira que o sufrágio universal não está ao alcance do território porque o Governo Central não deixa. “Não nos esqueçamos que, quanto à questão do sistema político, o Governo da RAEM não tem autonomia total para decidir por si próprio. Se se tiver que alterar a Lei Básica, e não só os seus anexos, mas o corpo dos artigos, isso será outro processo e não estamos neste momento a fazer isso. O Governo da RAEM não está autorizado pela Assembleia Nacional Popular [de Pequim] a encetar este processo do sufrágio universal.” A implementação do método um voto por cidadão não está, relembra a secretária, contemplada na Lei Básica, o que implicaria uma alteração ao corpo da mini-constituição do território. A oportunidade para isso não vai ser aproveitada enquanto são

3

GONÇALO LOBO PINHEIRO

Metodologias eleitorais podem ter que mudar novamente em 2016

Joana Freitas

política

www.hojemacau.com.mo

feitas estas mudanças, até porque, diz Florinda Chan, os métodos actuais têm funcionado ao longo de 12 anos. “Na Lei Básica não encontramos isso do voto directo. A lei é muito clara e o nosso trabalho agora é proceder à revisão adequada das metodologias.”

SEM CALENDÁRIO

Depois das eleições no próximo ano e em 2014, vai ser só em 2016 e 2017 que vão haver mais mudanças na AL e no lugar do Chefe do Executivo. Resta saber se haverá novamente um processo semelhante ao quem tem vindo a acontecer desde o ano passado, desta vez para a implementação ao sufrágio directo. Recorde-se que, na primeira sessão sobre reforma política após a decisão de Pequim, Qiao Xiaoyang – secretário-geral da Assembleia Nacional Popular (ANP) – afirmou que a escolha dos deputados por sufrágio directo estava totalmente fora de questão, mas que a opção poderia ser viável para o Chefe do Executivo. O secretário-geral da ANP citou a Lei Básica, que prevê que o líder do Governo seja eleito por consulta ou eleição, o que mostra que a escolha pode ser feita pelo método actual – comissão selectiva – ou por sufrágio universal. Isso não vai, contudo, acontecer para já e não há qualquer calendário para que possa acontecer em 2017, altura para a escolha de um novo Chefe do Executivo.

Jorge Godinho falou da importância da candidatura à AL

Voz Plural mantém-se activa A

S últimas críticas vindas a público sobre a falta de continuidade do projecto Voz Plural, proferidas por Miguel de Senna Fernandes, foram refutadas este sábado por Jorge Godinho, braço direito de Casimiro Pinto no projecto. Em entrevista à Rádio Macau, o advogado e professor da Universidade de Macau garantiu que o grupo continua a desenvolver projectos e que brevemente os seus membros terão mais intervenção política na sociedade. Reforçando o trabalho que ele próprio tem vindo a elaborar, Jorge Godinho salientou que o médico Mário Évora também tem tido intervenção cívica. Apesar de assumir a existência de dificuldades na criação da associação, o número dois da Voz Plural destacou a importância de manter a actividade do grupo. “Tem que marcar o seu lugar, vir a terreno, participar no debate, com os seus valores, que são os valores do segundo sistema.” Para o advogado, é também

importante continuar na corrida às próximas eleições legislativas, que se realizam no próximo ano. “Não apresentar uma candidatura à Assembleia Legislativa seria um mau sinal, seria péssimo, representaria uma de forma de apagamento da comunidade, que não pode acontecer. Tem que surgir, mesmo que não consiga a eleição, tem que estar no debate, na campanha, e apresentar as suas propostas.” Face ao anúncio da candidatura de Luiz Pedruco, Godinho apenas considerou a iniciativa “muito positiva”. O advogado defendeu ainda que Maio é a melhor data para a realização das eleições, “por causa do tempo”.

MACAU DEVE TER MÉTODO HONDT

Na mesma entrevista, Jorge Godinho defendeu um novo sistema de contagem de votos. “Com o actual sistema vamos ter vários pares de listas divididas artificialmente para tentar eleger um terceiro ou um quarto deputado. Devemos abandonar esta regra

Governo propõe optimizar sufrágio indirecto

Durante a primeira ronda de auscultação pública foram muitas as propostas para que fosse o melhorada a eleição por sufrágio indirecto. O Governo parece ter acatado as sugestões e decidiu propor a redução do limite percentual para a constituição de comissões de candidatura para este tipo de eleição – de 25% para 20%. O Executivo propõe ainda aumentar o número de votantes das associações ou pessoas colectivas, que eram apenas 11, passando a permitir que 22 pessoas votem. Para José Chu, director dos Seviços de Administração e Função Pública, a ideia é aumentar a democratização do sistema. Mas há mais, porque o Governo lançou uma questão à população: deve ou não haver votação quando o número total de candidatos ao sufrágio indirecto for igual ou inferior ao número de mandatos atribuídos ao seu colégio eleitoral? - J.F.

que temos da divisão de votos por 1,2,4,8,16, etc., e passar para o método de Hondt, que é um método proporcional mais fidedigno. A divisão de listas não deve ser encorajada e não faz sentido. É um sinal que algo está mal no actual sistema, que precisa de ser alterado.” O número dois da Voz Plural acredita ainda que devem existir mais deputados pela via directa. “O sistema devia evoluir para ter mais quatro ou seis deputados pelo sufrágio directo. Para passar a ter uma maioria de deputados eleitos: 18 versus 17. Seria uma meta mais ambiciosa, sem ser um grande salto.” Godinho acrescenta que os deputados nomeados devem manter-se, sendo que “o Chefe do Executivo deve até designar um membro da comunidade portuguesa”. As alterações que estão a ser programadas para a eleição de mais deputados não deverá trazer alterações na AL, que, segundo Godinho, tornou-se um fórum de debate. “Tem vindo a crescer em termos políticos.”


4

sociedade

segunda-feira 12.3.2012

www.hojemacau.com.mo

Jason Chao pede mais fiscalização do Governo

Sands acusada de irregularidades Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

J

ASON Chao, presidente da Associação Novo Macau, referiu ao Hoje Macau que se deparou com inúmeras irregularidades na última Feira de Recrutamento promovida pela Sands China. Encontrou-as, diz, ao passar por trabalhador para “observar o sistema de recrutamento”. Na hora de preencher os formulários de candidatura, deparou-se com falta de clareza das condições de despedimento. “Têm que estar explícitas, e havia a referência de condições ‘incluídas, mas não limitadas’, o que significa que há uma lista

aberta de regras de despedimento. Quando perguntei quais eram, disseram-me que variavam de departamento para departamento.” Segundo a legislação em vigor, “não é permitido existirem mais condições de despedimento de um trabalhador, sobre as quais não tem conhecimento”. Ao preencher outro formulário, viu que não constavam os procedimentos da Sands China, os quais o trabalhador tem de respeitar e conhecer ao assinar contrato. Perante a dúvida, foi-lhe dito que só iria ter conhecimento “quando começasse o trabalho”. Entretanto, já reuniu com Wong Chi Hong, director do Gabinete de Recursos Humanos (GHR), mas defende que o

Governo deve promover uma fiscalização mais activa nas feiras de recrutamento.

OUTRAS SUSPEITAS

Chao suspeita que possam ter ocorrido contratações a não residentes, nomeadamente para condutores de limusinas. “Vi três locais serem rejeitados. Disse que não tinha licença de condução, mas que era de Macau. Disseram-me que os seus condutores não estavam familiarizados com as estradas, e que um dos meus trabalhos seria ensinar os percursos. Entendi que poderiam estar a contratar pessoas de fora.” Wong Chi Hong garantiu, contudo, que os 16 condutores contratados eram locais.

Académico defende importação de croupiers

Encorajem jovens a aderir Virginia Leung

virginia.leung@hojemacau.com.mo

O

vice-presidente da Associação dos Trabalhadores da Indústria de Jogos de Fortuna e Azar de Macau, Leong Sun Iok, disse ao jornal Ou Mun que existe uma grande procura pela profissão de croupier entre os residentes. Ao comentar o problema da falta de recursos humanos, sublinhou que apareceram mais de mil pessoas para frequentar os cursos de dealer, dados em cerca de 300 espaços, o que reflecte bem a procura local. Tu Ji Ji, directora-executiva de uma empresa da indústria do jogo,

afirmou que existem mais oportunidades de carreira naquela área e que os benefícios e os salários são cada vez melhores. Salientou ainda que existem muitos jovens licenciados a quererem trabalhar naquela indústria, onde esperam ganhar mais de MOP 10 mil mensais.

REJUVENESCER AS MESAS

Chan In Lam, do Instituto Milénio de Macau, revelou que existe muita gente de idade com poucos estudos a trabalhar na indústria do jogo. Assinalou que era preciso encorajar a juventude a participar naquela indústria, desenvolvendo uma carreira de baixo para cima, de forma

a melhorar o desenvolvimento do sector do jogo. Segundo Loi Hoi Ngan, professor do Instituto Politécnico de Macau, o Governo deveria alterar as medidas que permitem apenas a contratação de croupiers locais, abrindo as portas à importação. Para Loi Hoi Ngan, o Governo poderia começar por importá-los de Hong Kong de forma a promover a competitividade local. Além disto o académico recomendou a vinda para Macau de jovens universitários da China Continental, para trabalharem em part-time, com a aprovação das universidades, de modo aliviar o problema da falta de recursos humanos.

DCIJ falou sobre o tema CasinoLeaks

Não vamos investigar J

EFFREY Fiedler, responsável pela CasinoLeaks - o novo site que promete revelar alegadas ligações criminosas à indústria do jogo em Macau - acusou directamente a Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ) de nada fazer para prevenir estes alegados casos. “O senhor [Manuel] das Neves deve estar a dormir”, atirou Fiedler ao telefone com a TDM.

Manuel das Neves é o director da DICJ, que depois das recentes acusações que têm vindo a ser feitas pela CasinoLeaks, já veio a público dizer que não pretende investigar as alegadas ligações da Neptuno – grupo junket de Macau – a Cheung Chi Tai, alegado membro de uma tríade. Segundo o jornal Tribuna de Macau, Manuel das Neves afirma que a

regulação de jogo é diferente em Macau e em Las Vegas, pelo que não vai iniciar qualquer processo que determine a “idoneidade” da Neptuno para fazer negócio no território. Recorde-se que o pedido de fiscalização foi feito pelo Sindicato dos Engenheiros ligados às empresas de jogo de Las Vegas às autoridades reguladoras do Nevada. Manuel das Neves diz

que conhece todo o material que está no site e afirma que é totalmente baseado em informações públicas e passíveis de ser obtidas por qualquer pessoa. Sobre a alegada ligação de Cheung Chi Tai ao grupo Neptuno e a outras “cinco ou seis operadoras”, como acusa Fiedler, Manuel das Neves afirmou à TDM que o suposto líder de uma tríade foi ilibado de todas as acusações.

Mais 30 mil no mercado de trabalho O secretário para a Economia e Finanças Francis Tam declarou que, para responder ao adverso ambiente económico exterior, é necessário preservar o actual estado da economia e manter o fornecimento estável de recursos humanos. Francis Tam sublinhou que com a abertura em Abril do Sands Cotai Central, estando praticamente completo o recrutamento de recursos humanos, se ultrapassou o pico do volume de negócios. O secretário informou que a população no mercado de trabalho aumentou em cerca de 30 mil pessoas, o que eleva as necessidades de subsistência na região, acrescentando ser prioritário prover as necessidades de recursos humanos das PME empresas, um sector muito importante para Macau no seu todo. - V.L.

Investidores de Macau proibidos de comprar lojas em Guangzhou

Aqui não entram Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

N

A sexta-feira – e ao mesmo tempo que Cantão avançava com novas medidas para liberalizar ainda mais a troca de serviços entre Hong Kong e Macau – uma notícia deu conta que a província vizinha elaborou uma lei que traz impedimentos ao território. Segundo o jornal South China Morning Post de Hong Kong, Cantão implementou a 1 de Março uma lei que proíbe investidores estrangeiros – que inclui os de Macau e Hong Kong – de comprar lojas na cidade de Guangzhou. As medidas – consideradas demasiado restritas por alguns comerciantes – servem para proteger aquele que é, actualmente, o mercado imobiliário

mais especulado na cidade. Nos últimos três meses de 2011, os investidores imobiliários deixaram de especular as propriedades residenciais e focaram-se nas lojas de comércio, afirma Ellis Wong ao SCMP. O responsável da Centaline Propriedades diz que a empresa compilou dados que mostram que as vendas de lojas comerciais aumentaram significativamente na segunda metade do ano passado, o que encorajou ao investimento. Ellis Wong acredita que a nova política não vai afectar os residentes de Macau e Hong Kong porque, diz, estes só detêm 15% a 20% das lojas na cidade de Guangzhou. Ainda assim, este é claramente um sinal de limitação ao investimento dos residentes do território, até porque o ano passado os investidores estrangeiros também já foram banidos da possibilidade de comprarem escritórios ou residências. O interesse de Cantão em Macau e Hong Kong será, por isso, mais limitado à troca de serviços, de acordo com a reunião que líderes das regiões tiveram em Pequim à margem da Conferência Consultiva Política. Este tipo de trocas originaram no ano passado mais de quatro mil milhões de dólares americanos.


segunda-feira 12.3.2012

sociedade

www.hojemacau.com.mo

Esquadra complica reclamação de residente contra agente da PSP

Um agente da PSP foi chamado a uma ocorrência, mas só piorou o cenário por desconhecer o decretolei que motivou a reclamação de uma residente portuguesa. Fazer queixa dele foi ainda mais difícil...

HOJE MACAU

“Inexperiência” como desculpa

Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

P

ARA fazer uma queixa contra um agente da autoridade “existem vários canais”, disse ao Hoje Macau a porta-voz da Polícia de Segurança Pública (PSP). Passam pelo e-mail, telefone à linha directa de reclamação ou dirigir-se à esquadra e são, afirmou a responsável, tratados por uma entidade independente, ainda que não saiba explicar bem qual é e como funciona. Na prática, as queixas contra polícias não funcionam de forma tão fácil. A semana passada, uma residente portuguesa do território viu-se obrigada a reclamar de um agente da PSP – não a ajudou por desconhecimento da lei que motivou a chamada da polícia. Além disso, conforme relata a residente, o comportamento do agente não terá sido o mais apropriado. “Chegou e falava muito mal inglês. Foi preciso que os donos da loja lhe explicassem o meu problema. Ele começou a trocar palavras com eles e riram-se na minha cara. O polícia disse que não via qualquer problema, que aquilo era normal e que ia embora.” A portuguesa ainda tentou pedir o número do agente, mas, garante, “ele fez que não entendeu.”

A RAZÃO DA CHAMADA

A mulher chamou a polícia depois de lhe ter sido exigido o pagamento de mais 2% do total da compra que fazia, numa loja de máquinas fotográficas, por ter decidido pagar com cartão de crédito. Os encargos adicionais aquando da utilização desta forma de pagamento são repetidamente exigidos pelas lojas do território, mas proibidos por lei. Segundo o decreto-lei 16/95/M, “todos os pagamentos de bens e serviços efectuados no território de Macau com recurso a cartões de crédito ou cartões de débito, emitidos localmente ou no exterior,

5

queixoso em 45 dias, “depois de haver uma averiguação interna”.

UM PAPELINHO

A portuguesa afirma que na esquadra não lhe foi dito qualquer tipo de prazo e só depois de uma segunda ida à esquadra e muita insistência lhe foi dado um pedaço de papel branco com o número 140, que será a identificação da reclamação levada a cabo pela residente. “Eu pedi-lhes uma prova da queixa. Primeiro andavam de um lado par ao outro dentro do balcão, a falar uns com os outros como se não tivessem registado nada. Por fim, lá me deram o papel.” De acordo com a porta-voz da PSP, o procedimento será normal. Não há qualquer documento computorizado que seja entregue a quem apresente reclamação na autoridade. Mas não há nada que justifique o comportamento do agente. Segundo a própria porta-voz da PSP, “os agentes da autoridade têm de saber as leis, obrigatoriamente”.

SEM PODER E SEM SABER

terminais electrónicos de pagamento em postos de venda e outros instrumentos similares, devem ser realizados em patacas, não sendo permitido invocar esta obrigação para adicionar aos preços ajustados ou ao valor da transacção quaisquer encargos adicionais”. O decreto prevê que a fiscalização deste tipo de acção compete “a todas as autoridades públicas do território”, até porque a punição para este tipo de infracção pode ir mesmo até às cem mil patacas. A PSP é uma autoridade pública e foi, por isso, a escolha da portuguesa – que não quis ser identificada – para pedir ajuda. O agente da PSP dirigiu-se à loja, na Rua do Campo. Como não conhecia a lei, deixou o estabelecimento.

cobrança passou a não ser a única coisa, eu queria também fazer queixa do polícia, que desconhecia completamente a lei.” Na esquadra, assegura a portuguesa, fazer a queixa foi difícil. Conta que os polícias tentaram dissuadi-la de fazer reclamação contra o agente. “Veio a esquadra em peso dizer-me que ele era inexperiente e para eu não reclamar. Depois alguns faziam que não percebiam.” Ainda assim, preencheu um

papel onde descreveu a queixa, tendo-lhe sido dito depois que a averiguação iria ser interna e não poderia ser feita uma queixa directamente contra o polícia. Ao que o Hoje Macau conseguiu apurar, de acordo com a porta-voz da PSP, o procedimento normal é fazer uma reclamação na esquadra – como foi feito – ou via e-mail ou pela linha hotline de atendimento da PSP. Segundo a responsável, a queixa tem que ser aceite e a resposta é dada ao

RECLAMAÇÃO NA ESQUADRA

Depois de ter efectuado a compra noutra loja – ainda que com o mesmo método de cobrança adicional -, a cliente fez questão de se dirigir a uma das esquadras principais da PSP. Não sem antes fazer queixa no Conselho de Consumidores (CC). “Mas o CC é apenas uma entidade consultiva, sem qualquer poder para resolver este problema. E a

Foi este o único “documento” entregue à queixosa

Os comerciantes que vendiam uma Canon 5d Mark ii, não perceberam o problema, uma vez que afirmaram ser prática comum. “Eles disseram que faziam aquilo há 13 anos e que nunca tinha havido problemas”, explicou a residente. “Foi por uma questão de princípio que chamei a polícia. Não era por mais 300 ou 400 patacas que ia implicar, mas sei que é ilegal e optei por chamar a polícia.” O CC tem vindo constantemente a denunciar este tipo de acção, até porque recebeu o ano passado queixas acerca de pagamentos extra, principalmente aquando da compra de viagens em agências turísticas do território. Mas a falta de poder punitivo do organismo remete a fiscalização para entidades públicas, como a Autoridade Monetária de Macau. Em casos como o da residente portuguesa, a polícia poderia ser uma solução para apontar a reclamação.

QUEIXAS ACUMULAM-SE

Os casos de queixas contra agentes da polícia não parecem ser poucos no território. O ano passado a PSP de Macau recebeu 414 reclamações contra agentes, num total de 1704 queixas recebidas. Este ano, a conta vai já em 21 reclamações acerca dos polícias desta área, que cai bem mais no desagrado dos residentes do que a Polícia Judiciária, que reuniu apenas 12 queixas contra os seus profissionais em 2011. Segunda a porta-voz da PSP, há razões diversas que motivam as queixas, não sendo possível defini-las de forma mais concreta. O Hoje Macau sabe, contudo, que o desconhecimento de uma lei foi a razão que implicou outra reclamação contra a PSP, esta já feita no mês de Março.


6

publicidade

www.hojemacau.com.mo

Open Tender Notice

Request for Proposal - Public Address (PA) System (Phase 2) at Macau International Airport 1. Company: Macau International Airport Co. Ltd. (CAM) 2.

Tendering method: Open tendering

International Airport with demolition of existing system.

3.

4.

5.

Tender objective: To select a supplier to suply and install PA system at Macau Request for tender documents:

Tender Notice and Tender Document can be downloaded from MIA’s website www.macau-airport.com until 7 days prior to deadline for submission of Bidder’s tenders.

Please regularly check the website for any clarification or changes/modification/amendment in the Tender Document.

Location and deadline for submission of Bidder’s tenders: Macau International Airport Co. Ltd. (CAM)

4th Floor, CAM Office Building, Av. Wai Long, Taipa, Macau

Before 17:00 noon on 27 April 2012 (Macau Time).

The tenders receive after the stipulated date and time will not be accepted.

6.

The addressee of the tender shall be Ms. Suning Liu - Executive Director.

CAM reserves the right to reject any tender in whole or in part without stating any reasons.

-END-

segunda-feira 12.3.2012


segunda-feira 12.3.2012

publicidade

www.hojemacau.com.mo

Aviso 〔N.º 161/2012〕

Aviso 〔N.º 162/2012〕

Assunto: Notificação de audiência Local: Povoação de Sam Ká, na Taipa, Barraca n.º 22-06-06-032-001 (assinalada na planta em anexo)

Assunto: Notificação de audiência Local: Povoação de Sam Ká, na Taipa, Barraca n.º 22-06-06-025-001 (assinalada na planta em anexo)

São por esta via notificados os utilizadores Ung Kiu Hou, Chan Keng Chi, Chan Keng Him, Chan In Fan, Chan Kam Nin, Chan Chan Hong, Chou Ian Fong, Chou Ian Lon, Chou Ian Lin e Chou Ian Kuai, da barraca acima mencionada e outras pessoas, conforme as averiguações deste Instituto, verificou-se que a barraca n.º22-06-06-032-001 se encontra há mais de 60 dias. Nos termos da alínea b) do n.º 2 do artigo 10.º do DecretoLei n.º 6/93/M, de 15 de Fevereiro, são cancelados os elementos de registo daqueles que deixem de residir na edificação informal onde se encontravam recenseados, considerando-se para o efeito a verificação factual por parte da fiscalização deste Instituto, presumindo-se como tal o abandono da edificação informal por período superior a 60 dias consecutivos.

São por esta via notificados os utilizadores Kok Kuan, Sin Hou e Ung Ngo, da barraca acima mencionada e outras pessoas, conforme as averiguações deste Instituto, verificou-se que a barraca n.º22-06-06-025-001 se encontra há mais de 60 dias. Nos termos da alínea b) do n.º 2 do artigo 10.º do Decreto-Lei n.º 6/93/M, de 15 de Fevereiro, são cancelados os elementos de registo daqueles que deixem de residir na edificação informal onde se encontravam recenseados, considerando-se para o efeito a verificação factual por parte da fiscalização deste Instituto, presumindo-se como tal o abandono da edificação informal por período superior a 60 dias consecutivos.

De acordo com os artigos 93.º e 94.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, deve apresentar, por escrito, a sua contestação e todas as provas testemunhais, materiais, documentais ou as demais provas, no prazo de 10 dias, a contar da data de publicação do presente aviso.

De acordo com os artigos 93.º e 94.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, deve apresentar, por escrito, a sua contestação e todas as provas testemunhais, materiais, documentais ou as demais provas, no prazo de 10 dias, a contar da data de publicação do presente aviso.

Se não apresentar a contestação por escrito no prazo fixado ou a mesma não for aceita por este Instituto, segundo o disposto do artigo 10.º do Decreto-Lei n.º 6/93/M, de 15 de Fevereiro, este Instituto cancelará os elementos de registo daqueles que residiam na edificação informal.

Se não apresentar a contestação por escrito no prazo fixado ou a mesma não for aceita por este Instituto, segundo o disposto do artigo 10.º do Decreto-Lei n.º 6/93/M, de 15 de Fevereiro, este Instituto cancelará os elementos de registo daqueles que residiam na edificação informal.

No caso de dúvidas, poderão dirigir-se ao IH, sito na Travessa Norte do Patane, n.º 102, Ilha Verde, Macau, durante as horas de expediente, ou contactar a Divisão de Fiscalização Habitacional deste Instituto através do tel. n.º 2859 4875, para consultar o processo.

No caso de dúvidas, poderão dirigir-se ao IH, sito na Travessa Norte do Patane, n.º 102, Ilha Verde, Macau, durante as horas de expediente, ou contactar a Divisão de Fiscalização Habitacional deste Instituto através do tel. n.º 2859 4875, para consultar o processo.

A Vice-Presidente,

A Vice-Presidente,

Kuoc Vai Han 8 de Março de 2012

Kuoc Vai Han 8 de Março de 2012

7


8

nacional

Autoridades repatriam 31 norte-coreanos A China repatriou 31 nortecoreanos detidos em Fevereiro, apesar da pressão internacional contra esta decisão, informaram este fim-de-semana activistas sulcoreanos, alertando que aqueles poderão ser severamente punidos. Os activistas sul-coreanos temem que os desertores possam ser alvo de abusos ou até de execução na Coreia do Norte por terem desertado durante o período de luto pela morte do líder Kim Jongil. O líder da Aliança de Cidadãos para os Direitos Humanos dos Refugiados Norte-coreanos, Do Hee-Yun, disse à agência noticiosa AFP que os 31 desertores foram detidos em diferentes locais na China e regressaram ao seu país clandestinamente nas últimas duas semanas.

segunda-feira 12.3.2012

www.hojemacau.com.mo

Liderança comunista deve manter-se “por um longo período”

Diferenças essenciais

O

líder chinês Wu Bangguo defendeu este fim-de-semana que “a firme liderança do Partido Comunista” deve ser “acarinhada e defendida por um longo período de tempo”, rejeitando o sistema político ocidental. “Temos de estar plenamente conscientes das diferenças essenciais entre o nosso sistema e os sistemas de poder político dos países capitalistas ocidentais”, afirmou o presidente da Assembleia Nacional Popular chinesa. No relatório apresentado aos delegados da Assembleia, Wu Bangguo defendeu que “para gerir bem os assuntos da China”, o país precisa de “seguir uma via de desenvolvimento adequada às suas condições”. Wu Bangguo, de 70 anos, e “número dois” da hierarquia do país, atribuiu o sucesso económico da China à liderança do PCC e ao “socialismo com características chinesas”, introduzido com a adopção da política de “Reforma Económica e Abertura ao Exterior”, no final da década de 1970. “Foi sobretudo porque desbravámos um caminho adequado às condições da China que conseguimos manter uma duradoura estabilidade política e harmonia social, salvaguardar a unidade nacional e a solidariedade étnica e sustentar um desenvolvimento com uma velocidade raramente vista no mundo.”

Enviado para falar da Síria

Pequim anunciou que vai mandar um novo enviado à Arábia Saudita, ao Egipto e a França para explicar a posição chinesa sobre a Síria. O diplomata Zhang Ming deslocarse-á à Arábia Saudita e ao Egipto e, entre 14 e 16 de Março, a França, precisou Liu Weimin, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês. A China já redigiu uma proposta com seis pontos, em que apela para um cessar-fogo imediato na Síria e a negociações entre as partes em conflito, mas rejeitando qualquer intervenção estrangeira, também se prontificou a apoiar o envio de ajuda humanitária, sob a égide das Nações Unidas ou de um organismo independente, com a condição de que a soberania síria seja preservada. No fim-de-semana Liu assegurou que Pequim “apoiava o papel construtivo” do emissário da ONU e da Liga Árabe para a Síria, Kofi Annan, que deve chegar no sábado a Damasco.

Inflação no valor mais baixo em 18 meses

A pressão inflacionista na China parece ter aliviado acentuadamente em Fevereiro com o crescimento do Índice de Preços no Consumidor (IPC) a registar a maior descida do último ano e meio, para 3,2%. O IPC em Fevereiro, anunciado sexta-feira pelo Gabinete Nacional de Estatísticas, caiu 1,3 pontos em relação ao mês anterior (4,5%) e ficou 2,2 pontos percentuais abaixo da média da inflação em 2011 (5,4). Foi o crescimento mais baixo desde Junho de 2010 e corresponde a menos de metade do pico dos últimos três anos (6,5%), registado em Julho passado. Entretanto a Administração-Geral das Alfândegas informou que a balança comercial da China registou em Fevereiro um défice de cerca de MOP 250 mil milhões, com as importações a superarem as vendas do país ao exterior.

MÃO FIRME

Numa aparente referência ao colapso do comunismo

Activistas dizem que 2011 foi uma desgraça

O ano da repressão

A

repressão sobre os dissidentes chineses, no seguimento dos protestos da Primavera Árabe, fizeram do ano de 2011 o pior numa década, em termos de direitos e liberdades, considerou este fim-de-semana uma associação de activistas. A China registou, no ano passado, uma “espiral negativa” no que toca a direitos humanos,

com períodos prolongados de prisão para dissidentes, desaparecimentos forçados e tortura, disse o grupo Defensores Chineses dos Direitos Humanos (DCDH), no seu relatório anual. O estudo dá conta de mais de 3.800 casos de detenções arbitrárias, bem como de mais de cem pessoas que sofreram torturas por serem activistas dos direitos humanos.

O grupo disse estar preocupado, sobretudo, com o que considerou ser o “uso alargado” de detenções extralegais e de desaparecimentos forçados. “A repressão teve impacto não só nos activistas individuais mas também, de forma ameaçadora, transmite uma mensagem aos cidadãos chineses normais: quem quer que desafie o Governo será punido.”

na vizinha Rússia e na Europa de Leste, Wu Bangguo disse que o PCC, no poder há 62 anos, “estudou em profundidade as lições e a experiência” de outros países no processo de construção do sistema socialista. Considerou que “a firme liderança” do PCC é “uma vantagem política”. Constitucionalmente, a Assembleia Nacional Popular é “o supremo órgão do poder de Estado” na China. Os líderes e comités das aldeias chinesas já são eleitos por sufrágio directo, mas os delegados às assembleias populares provinciais e à Assembleia Nacional Popular, a maioria dos quais funcionários do Governo, são escolhidos internamente. Devido à dimensão da China, “é difícil organizar eleições directas a todos os níveis”, justificou no domingo o porta-voz da Assembleia, Li Zhaoxing. Entretanto um jornal de Pequim anunciava que a China está a “ponderar reduzir a proporção” de quadros do Partido Comunista e do Governo na Assembleia Nacional Popular, que ultrapassa os 60%, e “aumentar o número de camponeses e operários”. “É fácil para eles formarem grupos de interesses e afastarem-se das massas populares”, afirmou um professor da Universidade de Nanquim, ao “Global Times”. Segundo aquele jornal, o projecto deverá “dar mais lugares a camponeses e operários”, reduzindo o número de quadros de funcionários.

Tabaco dá 390 milhões de lucro por dia

O monopólio estatal do tabaco na China gera mais de MOP 390 milhões de lucros por dia, indicam dados revelados esta semana. A China National Tobacco Corporation (CNTC) acumulou lucros líquidos de cerca de MOP 145 mil milhões em 2010, um valor superior aos lucros do Banco da China, e que segundo os apoiantes de políticas anti-tabaco explica as tímidas tentativas por parte do Governo para fazer valer a aplicação de leis capazes de “apertar o cerco” ao tabaco. Estima-se que na China existam 300 milhões de fumadores, o que torna o país no mais “fumador” do mundo.


segunda-feira 12.3.2012

Maria João Belchior info@hojemacau.com.mo

Q

UANDO se assinala o primeiro aniversário do tsunami que atingiu o Japão e do consequente desastre nuclear na central de Fukushima Daiichi, as respostas continuam a ser difíceis de aceitar. James M. Acton, físico, investigador e associado sénior do programa para uma política nuclear no Carnegie Endowment for International Peace em Washington, falou recentemente em Pequim sobre o desastre de Fukushima, a 11 de Março de 2011. Num estudo publicado este mês, James Acton conclui que houve muitas falhas e aponta o dedo ao governo japonês, à Tepco e à Nisa, agência para a segurança nuclear e industrial no Japão. “Não existia um bom plano de evacuação porque ninguém acreditava que tal acidente pudesse acontecer”, disse o físico em Pequim. A probabilidade de uma onda de tal dimensão atingir a central existia e, por mais pequena que fosse, o Japão tinha registo de um tsunami com a mesma dimensão que ocorreu no ano 869. Para James Acton, havia uma evidência histórica de que há terramotos e maremotos com a mesma dimensão a cada 1000 anos. A prevenção estava imaginada para um maremoto até sete metros, mas a onda que atingiu a central nuclear chegou aos 13,4 metros acima do nível do mar. Sabendo que é muito difícil a previsão de um tsunami, o físico considera que se o Japão tivesse imaginado o pior, poderia ter protegido de forma mais eficaz os componentes-chave da central nuclear, fosse através de construção de uma casamata, fosse através da construção da central a uma altura superior à pior previsão de uma onda gigante. Assim, James Acton considera que houve pouca atenção aos registos históricos, mas também erros no modelo informático da empresa Tepco e negligência por parte da agência Nisa. “Não agiram da melhor forma

região

www.hojemacau.com.mo

Houve má preparação e má resposta

Fukushima era evitável

9

Japão reforça sanções contra a Síria

O ministro nipónico dos Negócios Estrangeiros, Koichiro Gemba, afirmou este fim-de-semana que o Japão reforçou as sanções contra a Síria, através do congelamento de activos de diferentes entidades do país, em resposta à repressão levada a cabo pelo regime. As novas sanções serão aplicadas a quatro entidades financeiras: Commercial Bank of Syria, Syrian Lebanese Commercial Bank, Syria Trading Oil e General Petroleum. Serão também atingidas pelas sanções duas pessoas próximas do presidente sírio Bashar al-Assad. “Apesar dos repetidos apelos do nosso país e muitos outros da comunidade internacional, a repressão continua”, afirmou Gemba citado pela agência noticiosa Kyodo.

Casa com centenas de animais selvagens

segundo os padrões estabelecidos internacionalmente.”

DÚVIDAS ENTRE TODOS

A inundação dos reactores, que derreteram libertando radiação para a atmosfera, colocou milhares de pessoas em risco. A área evacuada, inicialmente de 20 quilómetros, deixou dúvidas a muitos, que acusaram o governo nipónico de não estar a dar toda a informação. O maior desastre nuclear dos últimos anos, depois de Chernobyl em 1986, Fukushima foi um duro golpe na imagem de um Japão preparado e organizado. Quase um ano depois, em Dezembro, a Tepco anunciou ter

conseguido o arrefecimento dos reactores através do que se chama no jargão nuclear de “paragem fria”. Mas a notícia não descansou a maioria e organizações como a Greenpeace criticam a falta de informação que ainda persiste. Dizem que a “paragem fria” apenas pode aplicar-se a reactores que são desligados e nunca numa situação em que três dos reactores ficaram totalmente destruídos. Para uma aproximação aos reactores, a Tepco está a utilizar robôs, sistemas computorizados e palpites, uma vez que a radiação que ainda está a ser libertada não permite que ninguém se aproxime. Para James Acton, a utilização da expressão de “paragem fria” sig-

nifica apenas que se estabilizou a temperatura. Aceita que não sejam as palavras mais correctas para uma situação como a de Fukushima, embora não existam outras para este caso. “Existe um esforço imenso para conseguir estabilizar os reactores.” Muitos dos que vivem perto de Fukushima continuam diariamente em estado de alerta, enquanto as equipas da Tepco procuram assegurar que a temperatura não volta a subir. A limpeza dos destroços ainda não começou e James Acton diz que vai levar de 30 a 40 anos até que tudo seja removido e os custos vão ultrapassar os 100 mil milhões de dólares.

Japão pára para homenagear vítimas O Japão parou ontem às 14:46 locais, a mesma hora em que o forte sismo de magnitude 9,0 abalou o país, para cumprir um minuto de silêncio em memória das mais de 19 mil vítimas da tragédia. Os transportes públicos foram interrompidos em Tóquio e nas principais cidades do país. O primeiro-ministro Yoshihiko Noda e o imperador Akihito discursaram numa cerimónia transmitida pela televisão. Yoshihiko Noda comprometeuse a acelerar os trabalhos de reconstrução, enquanto o

imperador apelou à união e ao apoio à reconstrução. Nas regiões devastadas pelo desastre, os sobreviventes acenderam milhares de velas em memória das vítimas. Em Tóquio, várias pessoas concentraram-se em frente à sede da Tepco para protestar contra a energia nuclear, situação que se repetiu em Koriyama, a 60 quilómetros da central de Fukushima. Entretanto, o governo divulgou que o número de suicídios no Japão aumentou significativamente após o

desastre. Só no mês de Maio houve um aumento de 20 % face ao mês homólogo de 2010, tendo sido registados 30.651 suicídios no Japão durante 2011. “Um sentimento de ansiedade espalhou-se no seio da sociedade japonesa após a catástrofe e suspeitamos que este sentimento possa ter sido um factor de agravamento”, declarou um responsável do governo nipónico. Mais de 340 mil pessoas vivem em situação precária no nordeste do Japão.

Mais de 200 animais selvagens, como cangurus, tigres, leões albinos e orangotangos, foram descobertos pela polícia tailandesa num zoológico privado dentro de uma casa na província de Saraburi, no centro da Tailândia. Os agentes descobriram ainda flamingos, pandas vermelhos, camelos e leões na residência de um antigo vendedor de animais, durante uma operação contra o tráfico de animais. O dono do zoológico privado arrisca uma pena até quatro anos de prisão. A Tailândia é um dos maiores centros de tráfico de animais em perigo de extinção.

Um morto e 20 feridos em incêndio

Pelo menos uma pessoa morreu e 20 ficaram feridas num incêndio que deflagrou na quinta-feira num hotel do centro de Banguecoque frequentado por estrangeiros, de acordo com as autoridades locais. O incêndio ocorreu no quinto andar no Grand Park Avenue Hotel, com 221 quartos. “Um turista morreu por asfixia”, informou uma fonte hospitalar citada pela agência noticiosa AFP. A nacionalidade da vítima é, para já, desconhecida.

Xanana Gusmão em comício de Taur Matan Ruak

Xanana Gusmão, participou ontem pela primeira vez num comício de Taur Matan Ruak, candidato às presidenciais de dia 17, que decorreu em Díli. “Uma surpresa, não constava do programa”, disse à agência Lusa um elemento da candidatura de Taur Matan Ruak. Xanana Gusmão apareceu acompanhado pela família. Chamado ao palco, perante o êxtase dos apoiantes, Xanana apelou ao voto em Taur Matan Ruak.


10

banda desenhada

segunda-feir

www.hojemacau.com.mo

Cartoonista francês morre aos 73 anos

Adeus, Moebius

O

cartoonista francês Jean Giraud, que assinou as suas obras sob o pseudónimo Moebius, morreu este sábado aos 73 anos em Paris, anunciou à AFP uma das suas colaboradoras. “Morreu nesta manhã após uma longa doença”, indicou uma amiga da família, que também trabalha na editora Moebius Production Jean Giraud. Jean Henri Gaston Giraud era um dos principais cartoonistas franceses e também ficou famoso no Japão e nos EUA. Grande parte da sua obra é inspirada nos xamãs e no deserto do México. Nascido no leste de Paris em 8 de Maio de 1938, Jean Giraud estudou na escola de arte e começou a actuar como ilustrador para a indústria da publicidade e da moda antes de entrar para o mercado dos quadradinhos. Ficou famoso quando criou o tenente “Blueberry”, em 1963, e adoptou o pseudónimo de Moebius para as ilustrações de livros e revistas de ficção científica. “A minha ambição era tremenda”, disse

uma vez Moebius em entrevista à AFP. “Queria arrasar, para que todo mundo na indústria dos quadrinhos ficasse impressionado.” Durante uma exposição na Fundação Cartier para a Arte Contemporânea, em Outubro de 2010, o artista reafirmou que possuía uma “dupla personalidade”, pelo menos no plano artístico. “Tenho dois polos, dois gestos. Quando estou na pele de Moebius, tento fugir do meu ‘eu’, desenho em estado de transe”, explicou. Além de trabalhar para as principais revistas francesas, ele actuou em parceria com artistas japoneses de Manga e co-produziu com Stan Lee uma aventura do super-herói em quadrinhos: “O Surfistra Prateado”. A arte de Mobieus inspirou filmes como “O Quinto Elemento”, de Luc Besson, “Alien”, de Ridley Scott, e “O Segredo do Abismo”, de James Cameron.

O MUNDO CURVA-SE PERANTE O ARTISTA

Homenagens ao “gigante” da banda desenhada e “um

dos melhores artistas gráficos do mundo” salpicaram no Twitter logo depois que a notícia da sua morte foi divulgada. O ministro da Cultura francês, Frederic Mitterrand, disse que a França perdeu “dois grandes artistas”, referindo-se a Giraud e ao seu pseudónimo. “O grande Moebius morreu, mas o grande Moebius ainda vive”, postou o escritor Paulo Coelho no Twitter. Moebius ilustrou o romance “O Alquimista”, de Paulo Coelho, em 1995. “O corpo dele morreu, mas o seu trabalho está mais vivo do que nunca”, completou. Benoit Mouchart, director-artístico do Festival Internacional de Banda Desenhada, em Angouleme, sudeste da França, afirmou que a “França perdeu um de seus artistas mais conhecidos no mundo”. “Em Japão, Itália, EUA, é uma estrela incrível que influenciou os quadrinhos mundiais”, referiu. “Ele era incrível, disse uma vez que queria mostrar o que os olhos nem sempre veem.”


ra 12.3.2012

www.hojemacau.com.mo

banda desenhada

11


12

vida

segunda-feira 12.3.2012

www.hojemacau.com.mo

O

“Fórum e Exposição Internacional de Cooperação Ambiental Macau 2012” (2012 MIECF) será realizado nos dias 29 a 31 de Março de 2012, no Venetian. A organização, prevê, logo na data da sua inauguração, uma série de actividades do “Dia de Cooperação Empresarial Verde”. Os tópicos “Eficiência Energética” e “Electro-Mobilidade”, assinalados como temas quentes no mercado do Sector Verde, são os grandes focos dos trabalhos do primeiro dia. São esperados painéis de discussão abrangente, compostos por peritos e altos representantes das empresas internacionais de renome, avançando com a identificação das oportunidades de negócio e a análise das tendências do mercado. O “Dia de Cooperação Empresarial Verde” permitirá às empresas aproveitarem as oportunidades de negócio no sector verde e procurarem potenciais parceiros através do Fórum Empresarial Verde. O painel de discussão sobre a “Eficiência Energética” contará, como moderador, com António Trindade, presidente da Associação para a Protecção Ambiental Industrial de Macau, e como oradores de honra, Ou Jun, secretário-geral, substituto, da Associação para a Indústria de Protecção Ambiental de Guangdong; Jean-Baptiste

MIECF 2012 Fórum ambiental no Venetian de 29 a 31 de Março

Pela eficiência energética e a electro-mobilidade

Wallaert, presidente do Grupo de Trabalho sobre o Meio Ambiente do Delta do Rio das Pérolas junto da Câmara de Comércio da União Europeia na China; Renato Roldão, representante-chefe da Ecoprogresso em Pequim; Wilfred Chan, gerente do Projecto de Desenvolvimento Sustentável da

Click ecológico

Ásia e do Pacífico junto da “British Standards Institution (BSI)”, entre outros. Em relação ao painel sobre a “Electro-Mobilidade”, o moderador será Daniel M. Cheng, presidente da “Hong Kong Environmental Industry Association”, participando como oradores de

honra o Zhang Jingxin, presidente da “Shenzhen Wuzhoulong Motors Group”, Bill Reinert, gerente nacional da tecnologia avançada da “Toyota Motor Sales, USA”, Stefan Ferber, director das Comunidades e Redes de Parceria para Produtos e Serviços via Internet junto da “Bosch Software Innovations

GmbH”, Paul Lin, gerente superior do Departamento de Marketing Global da “BYD Auto Co., Ltd.”, José Carlos Quadrado, presidente do ISEL – Instituto Superior de Engenharia de Lisboa, entre outros. O Governo da RAEM já prometeu a presença de um alto dirigente para presidir às actividades.

Sabia que...

PELICANO NA CALIFÓRNIA • Pelicano-pequeno (Pelecanus occidentalis) sobrevoa a linha de costa em La Jolla, Califórnia. Este indivíduo pertence à mais pequena espécie das oito conhecidas de pelicanos. Foto: Mike Blake/Reuters

...o ano passado, o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais deitou abaixo

dez árvores e plantou 40, na praia de Hac Sá? Mais de 70 árvores vão ter de ser abatidas.


segunda-feira 12.3.2012

www.hojemacau.com.mo

Japão termina época de caça à baleia sem cumprir quotas

A culpa é dos ecologistas

O

Japão anunciou nesta sexta-feira o fim da sua campanha anual de caça à baleia na Antárctida, com apenas um terço do número de cetáceos que contava capturar (267), por causa de “actos de sabotagem” ecologistas. AAgência de Pescas nipónica disse que a frota já está de regresso ao Japão, “conforme o previsto”, mas reconheceu que as capturas foram bem inferiores aos objectivos fixados. Os baleeiros, que partiram do Japão em Dezembro, capturaram 266 baleias-anãs (Balaenoptera acutorostrata) e uma baleia-comum (Balaenoptera physalus), especificou a agência, números bem longe dos 900 animais que contavam matar. “As capturas foram bem inferiores ao que estava previsto devido às condições meteorológicas e a actos de sabotagem perpetrados por activistas”, segundo a agência. Os activistas da associação de defesa do Ambiente Sea Shepherd, com sede nos Estados Unidos, perseguiram, como nos últimos anos, a frota japonesa nas águas da Antárctida, a bordo dos seus próprios navios. O seu objectivo é impedir ao máximo a caça às baleias e para isso lançaram bombas de mau cheiro para as embarcações e bloquearam as hélices dos navios nipónicos com cabos.

Oficialmente, as actividades da frota nipónica na Antárctida destinam-se a “investigação científica”, uma excepção prevista pela Comissão Baleeira Internacional, que proíbe a caça comercial às baleias desde 1986. As autoridades japonesas afirmam que esta pesca faz parte da sua cultura mas não esconde que a carne de baleia acaba nos supermercados. A organização Sea Shepherd anunciou no seu site que também vai interromper a campanha contra a caça às baleias, por este ano. “Esta foi uma campanha coroada de sucesso. Não tanto como no ano passado mas melhor do que nos outros anos”, comentou o fundador da Sea Shepherd, Paul Watson. O Governo australiano emitiu um comunicado em que saúda a suspensão da caça pela frota japonesa. “As actividades baleeiras japonesas são contrárias à legislação internacional”, declara o Governo.

O declínio do albatroz E maltratar os albatrozes é uma fonte de má sorte, como a lenda do marinheiro diz, então o último relatório sobre o estatuto das aves marinhas põe o mundo em maré de azar. Uma revisão do estado deste grupo de aves publicada de animais Bird Conservation International mostra que das 346 espécies de aves marinhas que existem, 97 estão globalmente ameaçadas e 10% estão perto de ficarem ameaçadas. “As principais ameaças no mar são causadas pela pesca comercial (devido à competição e mortalidade causada pelas artes de pesca) e pela poluição, enquanto em terra, as espécies invasoras e predadoras, a degradação do habitat e a perturbação humana são as ameaças mais representativas”, explica o resumo da investigação liderada por John Croxall, responsável do Programa Global de Aves Marinhas da BirdLife.

13

HOJE NO PRATO Paula Bicho

Naturopata e Fitoterapeuta • obichodabotica@gmail.com

Tomilho NOME BOTÂNICO: Thymus vulgaris L. FAMÍLIA: Lamiaceae (Labiatae). NOMES POPULARES: Amor-de-deus; Arçã; Arçanha; Cheiros; Segurelha; Tomilho-ordinário; Tomilho-vulgar.

Aves marinhas ameaçadas

S

vida

Quase metade das espécies está em declínio. Os albatrozes são o grupo de aves mais ameaçado, 17 das 22 espécies estão actualmente ameaçadas de extinção. “As aves marinhas são um grupo diverso com distribuição mundial e como predadores de topo são um indicador valioso da saúde marinha”, disse o professor John Croxall, num comunicado da Bird Life International. O artigo oferece algumas soluções para reverter este declínio, como a protecção dos locais onde as aves marinhas se agrupam tanto em terra, onde se reproduzem, como no mar, onde se alimentam. A organização já identificou vários locais importantes no mar e irá publicar um inventário sobre estes locais. Uma das apostas é a criação de uma rede de áreas marinhas protegidas.

De cheiro aromático e sabor amargo, o Tomilho é uma erva culinária clássica. É nativa da bacia mediterrânica ocidental, onde habita em colinas áridas banhadas pelo Sol que lhe enaltece o aroma e sabor. Conhecido dos Sumérios, Egípcios, Gregos e Romanos, o Tomilho tem uma utilização milenar. Na Antiguidade era considerado uma planta sagrada. Foi usado nos tribunais da Idade Média para prevenir as infecções e na 1ª Guerra Mundial para as tratar e aliviar a dor. O seu nome deriva do grego thymon, que significa coragem, talvez numa alusão à grande resistência da planta. Actualmente é considerada uma erva da longevidade por prevenir a degradação das funções cerebrais. Em culinária usam-se as partes aéreas, em fitoterapia as partes aéreas floridas e o óleo essencial. COMPOSIÇÃO Óleo essencial (com timol e carvacrol na sua composição), resina, princípios amargos, fitosteróis, ácidos fenólicos, flavonóides, taninos, glúcidos (pectina), vitaminas (B1 e C) e sais minerais. ACÇÃO TERAPÊUTICA Muito conhecido como antibiótico natural, o Tomilho combate vários microrganismos. Assim, não só protege o organismo de infecções contribuindo para a manutenção da saúde, como também auxilia na sua cura. Previne e trata. Com uma poderosa actividade antibacteriana sobre diferentes estirpes de bactérias, esta aromática apresenta ainda acção antiviral, calmante da tosse, expectorante e balsâmica, suavizando as mucosas das vias respiratórias; todos estes efeitos são excelentes no combate às afecções das vias respiratórias (constipação, gripe, rinite, sinusite, amigdalite, garganta inflamada, laringite, e tosse, seja produtiva, irritativa ou convulsa). Antiespasmódica brônquica, estimula igualmente a eliminação de muco, aliviando a asma e a bronquite. Grande desinfectante e descongestionante pulmonar pode ser coadjuvante em situações como pleurisia, pneumonia e tuberculose (neutraliza o bacilo de Koch). OUTRAS PROPRIEDADES Como tónico digestivo, esta aromática estimula o apetite, favorece a digestão, acalma e restabelece o funcionamento perturbado do estômago; beneficia a actividade do fígado; aumenta o tónus da musculatura dos intestinos, combate a putrefacção intestinal, e é antiespasmódica, facilitando a expulsão de gases e aliviando cólicas. Estas propriedades são úteis em caso de náuseas e vómitos, digestões lentas, gases, cólicas, gastroenterites, colites e atonia intestinal. Favorece ainda a expulsão de parasitas intestinais (lombrigas). Após a toma de antibióticos, na diarreia ou na candidíase, saiba que esta erva pode ser preciosa pois ajuda a reequilibrar a flora intestinal. Com uma acção tónica e estimulante sobre o sistema nervoso, o Tomilho é igualmente benéfico em situações de ansiedade, nervosismo, irritabilidade, stress, depressão pós-parto, fadiga e cansaço, bem como em dificuldades de memória e concentração. COMO CONSUMIR O Tomilho pode ser utilizado fresco ou seco. É um ingrediente base do tradicional ramo de cheiros utilizado em culinária, para temperar pratos e molhos. Também pode ser usado em pó. Sugestões: • Pode ser usado em simples ou com alho, cebola, salsa e louro. • Para aromatizar sopas e caldos. • No tempero de carne ou peixe; pode ser usado em marinadas. • Em pratos de carne, peixe ou leguminosas. • Para dar um toque especial a saladas de vegetais. • Adicionado a molhos; combina bem com molho de Tomate. • Muito indicado para os pratos pesados. • Para aromatizar azeite ou vinagre. • Em tisana: 1 colher de chá por chávena de água fervente, 5 minutos de infusão. Para tomar 3 chávenas por dia. • Não deve ser misturado com Manjerona (devido à semelhança do seu óleo essencial). PRECAUÇÕES Deve ser consumido com moderação durante a gravidez, devido a uma acção sobre o sistema hormonal feminino. A infusão muito concentrada pode ser agressiva e irritante para os intestinos.


14

publicidade

www.hojemacau.com.mo

segunda-feira 12.3.2012


segunda-feira 12.3.2012

cultura

www.hojemacau.com.mo

15

Design, acessórios e produtos de beleza nas bancas da Dai Kai Art Fair

Convite à arte de Macau e Hong Kong rita.ramos@hojemacau.com.mo

N

A rua dos Mercadores, atrás da praça do Leal Senado, há um espaço cultural e criativo que durante a semana preenche os tempos livres de pequenos e graúdos. O espaço, entre paredes arruinadas, a lembrar à primeira-vista a “Casa Tetcheles” em Berlim, tem uma área de recreio que chama pais e filhos ao fim do dia, enquanto os mais velhos praticam exercício nas máquinas do município e jovens vão pintando com ‘graffiti’ as paredes. Mas a partir de Fevereiro, o espaço também alberga uma vez por mês a Dai Kai Art Fair. Uma mostra de artesanato que funde as novidades no campo das artes de manufactura de Macau e Hong Kong. A ideia surgiu do Instituto dos Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) que decidiu revitalizar o espaço e proporcionar uma área em que os valores artísticos e criativos das duas regiões especiais falam mais alto no segundo fim-de-semana de cada mês. Neste último, apesar das fracas condições meteorológicas - com a chuva a ganhar todo o protagonismo - 44 artesãos resistiram e mostraram a paixão que têm pelos seus produtos feitos à mão.

O DESIGN DE LUXO DAS AMIGAS

Yakult, Ella, Sharon, Theresa são quatro amigas, e ex-

D

-colegas de estudos, e decidiram montar o seu primeiro expositor com algumas peças da colecção que juntas começaram a criar há menos de um ano. “Nós já nos licenciámos em Design e estamos agora a formar uma nova marca, a Luxury Girl.” Cada uma junta as suas criações, como malas em tecido reciclado, bolsas de artigos de senhora, porta-chaves, e - como artigo comum a tantas outras bancas - as capas de iPhone. “Personalizamos com desenhos em verniz e noutros materiais, muitos deles à medida do que as pessoas queiram.”

utilidades - mala de lanche, mala para sair, pequenas carteiras de senhora”, revela KimAn. Os tecidos das malas vêm sobretudo do Japão, USA, Taiwan e Hong Kong, e os materiais para pulseiras e brincos são feitos sobretudo de plástico mas também de cristais Swarovski, acrescenta An.

HOJE MACAU

Rita Marques Ramos

COM A DEVIDA DEDICAÇÃO

ARTE EM MEIA-IDADE E FEITA À MÃO

Numa banquinha logo em frente, encontrámos Brian Cheung, um senhor de meia-idade que veio de Hong Kong junto com a mulher para expor na Dai Kai Art Fair. “Soubemos da feira pela internet, candidatámo-nos e a organização aceitou-nos e ofereceu-nos uma acomodação por uma noite.” Portanto, segundo constatámos, os artesãos que se deslocam da região vizinha, não tem quaisquer custos com o espaço na feira nem com a acomodação. Brian promove a loja que tem em Hong Kong, a Jovial, e mostrar algum dos produtos maioritariamente feitos à mão pela mulher, “geleia e biscoitos caseiros, mas também sabonetes, batons, produtos de aromoterapia, tudo feito à mão”. Os produtos, garantem, são também todos naturais, como o “natural henna”, que serve para

OIS anos antes do poeta e pintor surrealista Mário Cesariny morrer, em 2006, Miguel Gonçalves Mendes encontrou-se com o homem de 80 anos e, a partir do seu quarto, tentou mostrar o outro lado do artista. Em “Autografia”, o também autor de “José e Pilar” partiu do poema de Cesariny e, em três actos, mostra cada pedaço daquele que foi um dos maiores expoentes do movimento surrealista português. Durante três anos, Miguel Gonçalves Mendes trabalhou no documentário que sábado passou por Macau. Segundo a sinopse escrita pelo realizador, este contém o registo de “vários planos”. “O de análise do poema; o das respostas; o do seu trabalho (exposto na sua

aclarear os cabelos. A gama de produtos é especialmente dedicada às mulheres mas, diz Brian, “podem ser os homens a oferecerem-lhes a e, quem sabe, depois renderem-se a

alguns artigos para tratamento de pele”.

OS ACESSÓRIOS DE KIM

Quem também veio de Hong Kong foi Kim An, que quis

expor em Macau os acessórios artesanais que há dois anos cria em part-time. “Faço brincos, pulseiras, acessórios para o cabelo, capas de iPhone, e malas com diversas

Jaime Chui, de 25 anos, é estudante de design gráfico, em Hong Kong, mas é na colecção “Over the Rainbow” que investe toda a sua dedicação. “Faço anéis e colares com tecidos mais vintage, muitos deles com cisnes que eu própria costuro.” Os anéis custam à volta de HKD 70/80 enquanto os fios custam perto de HKD 100. De resto, valores estes muito próximos dos de outros vendedores de linhas de bijutaria. Chui decidiu vir porque “não pagava nada para expor e acho que Macau tem um bom nível de desenvolvimento de artes, acho que incentivam o trabalho que desenvolvemos”. A maioria dos compradores é unânime e assume que gostaria de voltar, já que é sempre bom terem oportunidades de exporem o seu trabalho. Além do mais, acham que a feira foi bem organizada, e houve muitas ajudas à divulgação dos artistas mas as condições meteorológicas infelizmente condicionaram as vendas. A feira volta agora no dia 14 e 15 de Abril, sábado e domingo, entre as 15 e as 20h.

Documentário “Autografia” apresentado no Albergue SCM

O homem que nunca escreveu em casa intimidade) e o da nossa própria interpretação”. Além disso, é “uma espécie de respigar ou reciclar de citações e de conteúdos que acabam por nos permitir uma apropriação de Mário Cesariny”. Miguel Gonçalves Mendes abordou na película as diversas fases do pintor-poeta: a má relação com o pai, a homossexualidade, os tempos de boémia, a criação artística nos cafés Royal e Gelo, histórias de infância, e ainda a cumplicidade com a irmã Henriette. Cesariny fala

da morte e assume ter saudades do tempo em que sonhava que voava. Sempre com um cigarro entre os dedos, o poeta assume que nunca escreveu um poema em casa. Na película o espectador pode observar um homem que, apesar de estar na fase final da sua vida, mantém toda a sua irreverência. “Autografia” venceu o prémio de Melhor Documentário Português no festival DocLisboa, bem como o Grande Prémio Lusofonia, no FamaFest.


desporto

16

segunda-feira 12.3.2012

www.hojemacau.com.mo

Equipas orientadas por portugueses entram na Super Liga 2012 a perder

Pacheco e Vingada de pé esquerdo A

Selecção feminina de râguebi do Brasil em Hong Kong

A estreia das meninas

A

Selecção feminina de râguebi do Brasil foi convidada, pela primeira vez, para participar no prestigiado Torneio de “Seven’s” na vizinha Hong Kong. São já conhecidos os adversários do Brasil – Canadá e Rússia -, na primeira fase do Torneio de

JOGOS DO BRASIL 9h30 10h50

Hong Kong, que as Amazonas brasileiras vão disputar nos próximos dias 23 e 24 deste mês. Esta é a primeira vez que as brasileiras são convidadas para participar no prestigiado Torneio, que se disputa desde 1997, e é de notar o elevado nível das equipas presentes.

Ao todo, são 12 as equipas participantes, que foram divididas em quatro grupos de três, com o Canadá, Inglaterra, Austrália e Estados Unidos escolhidas como cabeças de série, logo seguidas por Espanha, Holanda, China e Brasil, para terminar com Rússia, Japão, Hong Kong e Tunísia

GRUPOS

Canadá vs Brasil

GRUPO A

Canadá, Brasil, Rússia

Brasil vs Rússia

GRUPO B

Inglaterra, China, Japão

GRUPO C

Austrália, Holanda, Hong Kong

GRUPO D

Estados Unidos, Espanha, Tunísia

Os jogos terão lugar, a 23 de Março, no recinto do Hong Kong Football Club, no Happy Valley

CHUI APADRINHA DANÇA

S duas equipas orientadas por técnicos portugueses - o Beijing Guo’An, de Jaime Pacheco, e o Dalian Shide, de Nelo Vingada - iniciaram hoje a Super Liga chinesa de futebol a perder. Na primeira jornada da temporada, o Dalian Shide perdeu em casa por 2-1 com o Changchun Yatai e o Beijing Guo’An foi a Cantão perder por 3-1 frente ao Guangzhou R&F, que ascendeu este ano à Super Liga. Foi a segunda derrota da equipa de Jaime Pacheco em menos de uma semana, depois de ter perdido por 2-1 o primeiro jogo da Liga dos Campeões asiáticos, disputado na terça-feira passada na Coreia do Sul. Jaime Pacheco e Nelo Vingada não são os únicos portugueses das respectivas equipas: este ano, Manú (ex-Marítimo, transferido do Legia de Varsóvia) alinha pelo

Beijing Guo’An, e Ricardo Esteves, outro ex-Marítimo, está no Dalian Shide. Ambas as equipas contam também com dois avançados brasileiros - Reinaldo (Beijing Guo’An) e Adriano (Dalian Shide) - e mais três jogadores da Croácia, Senegal, Sérvia, no primeiro caso, e da Coreia do Sul, Zâmbia e Bulgária, no segundo, preenchendo o máximo permitido de cinco estrangeiros. A Super Liga chinesa, que decorre até Novembro, é disputada por 16 equipas, 13 das quais orientadas por técnicos estrangeiros. Em 2011, o Beijing Guo’An ficou no segundo lugar, a 15 pontos do campeão, o Guangzhoug Evergrande, e o Dalian Shide no 12.º. A profissionalização do futebol na China começou há cerca de 20 anos, depois de o Partido Comunista Chinês ter adotado a “economia de mercado socialista”.

Capdevila é exemplo mas sem desculpas A revelação do pai de Capdevila quanto ao pedido de desculpas de Jesus ao defesa surpreendeu tudo e todos e deixou o técnico encarnado agastado. Tudo porque o treinador benfiquista garante que essa informação “é pura mentira”. “Pedido de desculpas a Capdevila? Isso não existe. Não tive essas conversas com Capdevila e não sei de onde isso veio”, disparou quando questionado sobre as declarações de Joan Capdevila, pai do camisola 38, que tem o mesmo nome, sobre o facto de este não jogar mais e de não ter sido autorizado a ingressar em janeiro no Espanhol. Garantindo que não teve “quaisquer conversas desse tipo” com o internacional espanhol, Jesus elogiou, ainda assim, a atitude do ex-Villarreal: “Tem sido um grande profissional e é um exemplo no balneário. É um jogador com muitos anos e muita experiência na profissão, como Saviola.” Com Emerson ausente

por castigo após a expulsão ante o FC Porto, Capdevila deve assumir a titularidade. Contudo, e ainda em tom duro, o técnico lembrou que “até pode ser a oportunidade de Luís Martins”. “O Benfica tem três laterais-esquerdos. Emerson tem jogado mais, e agora pode jogar qualquer um”, frisou.

Guardiola apela à Federação Espanhola para dar a cara sobre arbitragens

O Chefe do Executivo da RAEM, Fernando Chui Sai On, presenciou à abertura do Campeonato Asiático de Dança Desportiva 2012 e do Campeonato Aberto de Dança Desportiva, em Macau

Muito se tem falado de arbitragens em Espanha, ultimamente. Tudo porque Mourinho acusou o Barcelona de se dizer muito diferente mas afinal também comentar o assunto quando se sente afectado, o que originou resposta pronta de Guardiola, que garante que existe uma diferença em relação à atitude dos dois clubes, e se gerou nova troca de palavras. E depois de muitas insinuações de parte

a parte, o treinador catalão entende que é hora de pôr fim à polémica. “O presidente da Federação Espanhola tem de fazer alguma coisa. Os árbitros estão sob demasiada pressão. Existem mil insinuações, ele tem de falar, senão parece que não se ganha por ter Messi ou Cristiano Ronaldo mas sim por ser seu amigo” disse. “E se assim for, teremos de discutir a sua cláusula de rescisão”, acrescentou.


segunda-feira 12.3.2012

[ ] Cinema

futilidades

www.hojemacau.com.mo

17

Cineteatro | PUB

JOHN CARTER

SALA 1

A SIMPLE LIFE [A] Um filme de: Ann Hui Com: Andy Lau, Deannie Yip 14.30, 16.45, 19.15, 21.30 SALA 2

JOHN CARTER [B] [3D]

Um filme de: Andrew Stanton Com: Taylor Kitsch, Lynn Collins, Mark Strong 14.15, 16.45, 19.15, 21.45 SALA 3

GHOST RIDER: SPIRIT OF VENGEANCE [C] [3D]

Aqui há gato

Um filme de: Mark Neveldine, Brian Taylor Com: Nicolas Cage, Violante Placido 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

VERTICAIS: 1-Planta terebintácea (Bras.) Assento, extremidade. 2-Uma das divindades dos indígenas da América do Norte. O ambiente doméstico. 3-Debaixo de. Saia muito curta. Tantálio (s.q.). 4-Lavrai. Asseado. 5-Graça (Fig.). Adianta, dá por bom. 6-Egoísmo. Choraminga (Fig.). Érbio (s.q.). 7-Género de plantas a que pertence a relva-dos-caminhos. Superior de certos conventos. 8-Repetições. Ingiram. 9-Extrema suavidade (Fig.). Antiga embarcação de baixo bordo. Bromo (s.q.). 1-Desmorone-se. O m. q. tris (Pref.). 11-Dolorosa. Recife circular de coral.

SOLUÇÕES DO PROBLEMA

Su doku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: 1-Terem conhecimento. 2-Namoro, afecto. Concede. 3-Saliva viscose que corre da boca (pl.). Substância fecundante do vegetal. 4-Falta (Pref.). Andavamos. Afastado, único. 5-Orgão do aparelho urinário. Borras, sedimento. Qualquer fluido aeriforme. 6-Diz-se do dia que não é feridado. Saliva que escorre da boca. 7-Conciliava. Depile, descasque. 8-Que ainda não tem barba. 9-Outra coisa (Ant.). Colocaria. Tês. 10- Pau de substância plástica impregnada de carmim e por vezes aromatizada, com que as senhoras pintam os lábios. Parte superior do braço. 11-Exora, fala. Rio que banha Berna. Dança escocesa.

[Tele]visão TDM 13:00 TDM News - Repetição 13:30 Jornal das 24h RTPi 14:45 RTPi Directo 15:40 Liga Sagres: Porto - Académica (Repetição) 17:20 Perdidos Sr.4 18:00 Música Movimento 18:30 Contraponto ( Repetição ) 19:30 Amanhecer 20:30 Telejornal 21:00 TDM Desporto 22:10 Passione 23:00 TDM News 23:30 Novas Direções 00:00 Telejornal - Repetição 00:30 RTPi Directo INFORMAÇÃO TDM RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:30 Histórias Que a Vida Conta 15:00 Magazine Canadá Contacto 15:30 Um Dia no Museu 16:00 Bom Dia Portugal 17:00 O Elo Mais Fraco 18:00 Resistirei 18:45 Best of Portugal 19:15 Pai à Força 20:00 Jornal Da Tarde 21:15 O Preço Certo 22:15 Magazine Canadá Contacto 22:45 Portugal no Coração ESPN 30 12:00 ACC Basketball TournamentChampionship 14:00 US Open 9-Ball C’ship 2011 17:30 ACC Basketball Tournament Championship 19:30 (LIVE) Sportscenter Asia 2012 20:00 Monday Night Verdict 20:30 Beijing Golden Moments 2 21:00 Mundialito De Clubes - Beach Soccer Vasco De Gama vs. Flamengo 22:00 Sportscenter Asia 2012 22:30 US Figure Skating Championship STAR SPORTS 31 13:00 Tour De Taiwan 2012 Highlights

13:30 Planet Speed 2011/12 14:00 2011/12 Australia Ironman Champs 15:00 FIM Snowcross World Championship 2012 16:00 The Championships, Wimbledon 2010 17:30 Planet Speed 2011/12 18:00 FEI Equestrian World 2012 18:30 When The Games Begin 19:00 Australian Open 2011 Women’s Singles & Men’s Doubles Finals 21:00 (Delay) Tour De Taiwan 2012 Highlights 21:30 Score Tonight 2012 22:00 The S-League Show 22:30 FIA F1 World Championship Season Preview 23:00 F1 Classics - 2003 Japanese Grand Prix FOX MOVIES 40 12:40 Treasure Guards 14:20 Limitless 16:05 Cars 18:05 Tron: Legacy 20:10 The Walking Dead 21:00 Flight Of Fury 22:40 The Fighter 00:35 The Foreigner HBO 41 12:00 13:50 15:15 17:20 19:00 20:30 22:00 23:00 00:20

True Grit The Marc Pease Experience Tomorrow Never Dies Planes, Trains & Automobiles Identity The Special Relationship Luck Devil Valentine’S Day

CINEMAX 42 12:00 14:00 16:00 18:15 19:55 20:15 22:00 00:00

Cirque Du Freak Point Of No Return True Grit Merrill’S Marauders Epad On Max Faster Rocky Ii The Goods

HORIZONTAIS: 1-G. SABEREM. P. 2-AMOR. U. CEDE. 3-BABAS. POLEN. 4-AN. IAMOS. SO. 5-RIM. LIA. GAS. 6-UTIL. A. BABA. 7-UNIA. PELE. 8-R. IMBERBE. A. 9-AL. PORIA. TT. 10-BATON. OMBRO. 11-ORA. AAR. RIL. VERTICAIS: 1-GABARU. RABO. 2-MANITU. LAR. 3-SOB. MINI. TA. 4-ARAI. LIMPO. 5-B. SAL. ABONA. 6-EU. MIA. ER. A. 7-R. POA. PRIOR. 8-ECOS. BEBAM. 9-MEL. GALE. BR. 10-DESABE. TRI. 11-PENOSA. ATOL.

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA 10 HISTÓRIAS DE AMOR EM PORTUGAL • Alexandre Borges

Este livro inclui dez histórias de amor portuguesas. Algumas mais distantes no tempo e, por isso, sendo baseadas em dados históricos, podem envolver-se numa atmosfera de lenda. No entanto, a maioria destas histórias são romances vividos no século XX e alguns permanecem até hoje. Seja pelas peripécias que envolvem várias destas paixões, seja pela relevância pública dos seus intervenientes, estas são algumas das grandes histórias de amor portuguesas.

A QUEDA DE WALL STREET • Michael Lewis

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição SOLUÇÃO DO PROBLEMA DO DIA ANTERIOR

Com apenas 24 anos, Michael Lewis foi contratado pelo banco Salomon Brothers. Recebia centenas de milhares de dólares por ano mas não percebia nada de acções. Três anos depois bateu com a porta e escreveu o Liar’s Poker a relatar a sua experiência. E ficou à espera: tinha a certeza absoluta de que Wall Street, mais cedo ou mais tarde, iria cair com estrondo. Provavelmente o maior bestseller de sempre sobre a actual crise, A Queda de Wall Street narra-nos a história dos visionários que previram a mudança de paradigma, e que ganharam milhões de dólares com isso, e mostra-nos um mundo que poucos conhecem – a alta finança, as agências de rating e os seus monstruosos equívocos. RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

A MACAU O QUE É DE MACAU A Lorcha Macau que está apeada na marina de Portimão pertence a Macau. Disso não tenho quaisquer dúvidas, quanto mais não seja porque é património, arrisco-me a dizer, intangível da cultura do território. Não pertence a Portugal, não deve pertencer à Fundação Oriente e, tão pouco, ao seu presidente Carlos Monjardino. A embarcação, construída em 1988, é património de Macau como são as Ruínas de São Paulo, a Casa do Mandarim ou o Farol da Guia. O problema é que estes não podem ser deslocados para exibição em Portugal. Partindo do pressuposto que desconheço em que moldes é que a lorcha foi “oferecida” a Portugal, aquando da Expo’ 98, ainda com o território sob Administração Portuguesa, que é o mesmo que dizer que Portugal ofereceu a lorcha a Portugal, o mais correcto teria sido que os lusos, depois do fim da exposição mundial, ou, pelo menos, em Dezembro de 1999, devolvessem a embarcação à sua origem. Mas não. E pior. A mesma ficou na posse da Fundação Oriente, foi emprestada às termas de Monchique – sabe-se lá porque razão – e, agora, simplesmente se vende ao preço da uva mijona – 95 mil euros -, num estado degradado. Monjardino ainda veio dizer ao Hoje Macau que não sabe o que se passa e que a embarcação não é para ser vendida. Eu penso que devia ter dito: a embarcação não é para venda e vamos, de imediato, devolvê-la às gentes de Macau. A lorcha é importante demais para Macau. Pouco ou nada importante para Portugal. Se a embarcação não tem lugar no Museu da Marinha ou no Museu do Oriente, que se devolva a mesma a quem, por certo, irá cuidar. Para já, aparentemente, o negócio terminou. Uma ida à página da Internet onde estava à venda revela que o conteúdo da mesma foi removido. E agora, Portugal, devolve-se à precedência o que a ela pertence, ou assume-se orgulho desmedido por uma pertença antiga?

Pu Yi


18

opinião

segunda-feira 12.3.2012

www.hojemacau.com.mo

curva apertada

Chico Moore VIAJANTE NO TEMPO

Se fosses tu, fazias melhor? Quando criei a máquina de viajar no tempo, antevi-me no papel do observador, passeando serenamente entre pessoas e momentos da História que gostava de ter testemunhado. Até agora, nem sombra de sossego – a máquina atira-me sempre para o meio da acção que não pedi. Deve ser um problema no alternador.

MARCAMOS UM CHÁ PARA SÃO MAMEDE EU - Vês como é fácil manobrá-la? Aqueles putos de Castela é que são tenrinhos, vais levantá-la sem dificuldade. AFONSINHO - Não sei, D. Chico... São 15 quilos de espada. D. TERESA - Pare com isso, D. Chico, o miúdo é tão lingrinhas, está-se mesmo a ver que não levanta nada. AFONSINHO - Cala-te! HhhhheeeeeAAAAAHHHH! Olhem para isto, até voa nas minhas mãos! EU - Muito bem, rapaz! D. TERESA - Quem diria, hein?! Deves sair a mim, que o teu pai era uma desgraça em levantamentos. AFONSINHO - Cala-te! Não digas mal do papá! EU - Bom, passemos à segunda par-

te: como usar a espada para trinchar mouros. D. TERESA - D. Chico, não alimente essas utopias no miúdo. Se ele conseguir acertar num barril já é uma sorte. AFONSINHO - Cala-te! Tu é que estás um barril! Vai fazer dieta, lambona! D. TERESA - Já viu como ele me fala, D. Chico? À própria mãe? Hmpf! Vou para o quarto. EU - D. Teresa, tenha calma, o Afonsinho é impulsivo mas bom moço. D. TERESA - Um insolente a precisar de açoites, isso sim! Onde está a minha aia? Quero que chame o espanholito para ele me ler uma história de adormecer. AFONSINHO - O espanholito... Ainda me passo com a velha!

O MITO ARIANO NASCEU À TARDE EVA - Por favor, diz que me amas. EU - Sabes que não posso. EVA - Então sou só um bocado de carne para satisfazeres as tuas tardes de tédio em Berlim? EU - Não és só um bocado de carne, és um bom bocado de carne. EVA - Porco! Cala-te de vez e vem para perto de mim!

EU - Ora aí está uma boa... ADOLFO (abrindo a porta no piso de baixo) - Querida, saí mais cedo! EVA - O palerma do meu namorado! Esconde-te! EU - No armário? EVA - Não, é pequeno para os teus ombros largos. EU - Atrás dos cortinados?

EVA - Não, podes raspar o teu bem torneado traseiro. EU - Onde?!? EVA - Rápido, debaixo da cama! ADOLFO (entrando no quarto) - Já estás nua para o teu namorado, Evazinha? Marota, marota, marota! EVA - Tive calor, este Verão berlinense é insuportável. ADOLFO - Parece que sim, estás suada.

EVA - Muito calor, muito calor. ADOLFO - E corada? O que é isto, Evazinha? Tens outro homem?!? EVA - És maluco, lá estás tu com a tua mania da perseguição! ADOLFO - Ele ainda está aqui? EVA - Pára! ADOLFO - Está, está, o Pilipufhen garante-me que tens outro! EVA - Quem? ADOLFO - O Pilipufhen, o meu duende mágico. EVA - Dolfinho, esquece isso, não há aqui ninguém. ADOLFO - Estou a cheirá-lo! Estou a cheirá-lo! EU (em sussurro) - Inventa um gajo depressa! EVA - Espera! Foi um momento de fraqueza! ADOLFO - Eu sabia! Quem é ele? EVA- Isaac, o ourives boxeur. ADOLFO - Isaac “Torpedo Kosher” Cohen? Da joalharia na Hardenbergstrass? EVA - ... ADOLFO - Fräulein Braun, isto não vai ficar assim!

DORES DE CABEÇA JFK - A Marilyn já chegou? EU - Não. JFK - Ainda bem, acho que a Jackie vem aí. EU - Johnny, a segurança alertou-me para um problema... JFK - São uns chatos. Não tens assunto melhor? Viste a minha secretária nova? Que pernas! EU - Dizem que devias acabar com os carros descapotáveis, porque... JFK - Descapotável é a estagiária mamalhuda do Gabinete de Justiça. Aquele Bobby não brinca em serviço! EU - O argumento deles é que ficas desprotegido e... JFK - Esquece! A Marilyn já chegou? EU - Não, ninguém telefonou. JFK - Estou a ficar com uma fomeca que não me aguento. Já são 11 da matina e nada! EU - Posso pedir à tua querida secretária nova para trazer uma travessa de acepipes. JFK - Ela que se ponha na travessa! Se não dou uma de manhã fico com dores de cabeça. EU - Estão a ligar, espera. É a Jackie, vem aí. JFK - Fónix, essa chata nunca falha. Só pensa em roupa, deve ser para me pedir dinheiro. E olha que há uns anos dávamos umas bem boas no jardim dos pais dela, a maluca adorava que eu... EU - Deixa, dispenso o resto. JFK - Caraças, já estou com comichões. Tenho de dar uma! Ou duas!! Até a Sala Oval abana! EU - O telefone outra vez. É a Marilyn. JFK - O pá, ainda bem! Entretém-me a Jackie, que aqui o menino vai dar uma data delas. EU - Dá-las, dá-las... Um dia vai ser o teu fim.


segunda-feira 12.3.2012

opinião

www.hojemacau.com.mo

José I. Duarte

19

na margem

Os anteneiros, a novela de uma vida

H

Á dias assim. O tempo está invernoso. A humidade torna o frio menos tolerável, insinua-se e tolhe o pensamento. O corpo pede recolhimento. E a mente, se pede alguma coisa, provavelmente será descanso. Mas o mundo não pára e, inevitavelmente, há que dar resposta aos desafios que ele nos lança. Gostaríamos, todavia, por vezes, de poder ignorar essa realidade. Sobretudo quando ela é incómoda, quando nos encontramos na obrigação de justificar o que é de difícil justificação, ou de proclamar isto quando se está mesmo a ver que é aquilo. Um exemplo? Como foi tornado público, a empresa operadora da nossa TV por cabo demandou judicialmente o Governo, pedindo uma indemnização fundada na existência de uma violação do seu contrato de exclusividade. De acordo com a Agência Lusa, o regulador das telecomunicações enviou àquela agência um email sobre o assunto. Fazendo fé, como faço, no relato que a imprensa fez sobre o assunto, devo concluir que os argumentos aduzidos ou alinhavados naquele documento parecem padecer do mal da estação. Que seja claro, não me move nenhuma simpatia especial pela empresa. E não porque tenha contra ela nada de particular: até sou membro do grupo - minoritário, ao que parece - dos seus clientes. Mas, por princípio e inclinação, não aprecio monopólios. Nem nada me move contra a autoridade reguladora. Ao contrário, beneficia até da minha simpatia pois foi colocada, ao que se me afigura, numa situação difícil, por quem menos esperaria. Ora que se fica a saber a partir do referido email? Reproduzo uma citação incluída no artigo publicado neste mesmo jornal no passado dia 9. Aí se declara que “a adjudicação do Contrato de Concessão do Serviço Terrestre de Televisão por Subscrição envolveu a consideração de elementos como o mercado e avanço tecnológico, [o que] porém, só por si, não pode ser encarado como uma panaceia para todos os problemas”. Esta frase inspira vários comentários. Que se tenham considerado elementos relativos ao mercado e às condições tecnológicas na decisão nada tem de extraordinário. Se não tivesse sido esse o caso, isso sim, seria absolutamente extraordinário. A questão aqui está em saber se alguns e, em particular, quais desses aspectos são relevantes para a análise da questão em apreço. Nada se esclarecendo quanto a isso, a invocação daquele facto óbvio – “a consideração de elementos como o mercado e avanço tecnológico” – não releva para a avaliação do problema em causa. O mesmo

“A história deste processo ler-se-á, quiçá, um dia, como uma novela. Desde o processo de concepção e atribuição da concessão original, ao processo da venda ao actual concessionário, passando pela evolução no tempo dos interesses dos chamados anteneiros e da sua interacção com outros interesses, públicos ou privados, muito haverá certamente para contar” se pode dizer da invocação de que aquela concessão não é “panaceia para todos os problemas”. Obviamente não é, nunca foi, nem ninguém, me parece, julgou alguma vez que o fosse. Num caso como noutro, estas “clarificações” só parecem servir para encher, confundir ou ofuscar. São irrelevantes para a matéria. Outras partes do e-mail citado naquela notícia seguem o mesmo padrão. A resolução do problema envolve não só “questões legais, como técnicas, políticas e sociais”? E o pessoal que não fazia ideia! Mas, agora que já sabemos, pode perguntar-se: quais são as questões, em concreto, relevantes para a resolução do problema? E a partir delas, que se conclui? Isto é: quais são as acções adequadas, previstas ou em curso, para encontrar uma solução? É que a questão

essencial não é saber se este é ou era o modelo político e técnico ideal, ou o mais adequado às circunstâncias locais. Isso, certamente, é discutível. Mas não é, agora, o essencial. O essencial é que persiste uma situação de violação, patente, notória e contumaz da lei! Com a complacência, tolerância e, para efeitos práticos, a cumplicidade objectiva da administração a quem competia velar, preservar e fazer cumprir as leis e os contratos. Isto é: mais um rombo no porta-aviões do estado de direito! A história deste processo ler-se-á, quiçá, um dia, como uma novela. Desde o processo de concepção e atribuição da concessão original, ao processo da venda ao actual concessionário, passando pela evolução no tempo dos interesses dos chamados anteneiros e da sua interacção com outros

interesses, públicos ou privados, muito haverá certamente para contar. Mas o facto importante, hoje e aqui, é que uma empresa concessionária de um monopólio público vai para treze anos que não consegue obter do governo o respeito do elemento fundamental desse mesmo contrato de concessão: o exercício exclusivo da actividade. Invocar, como mais uma vez se faz naquele e-mail, o entrada em vigor, proximamente, do regime jurídico dos direitos de autor e afins é, mais uma vez, levantar uma nuvem de poeira para desviar a atenção do fundamental. É claro, como referi acima, que a posição da entidade reguladora – algo difícil, como julgo evidente – me suscita alguma simpatia. Ela tentou, há uns dois pares de anos, resolver o problema. E fê-lo de uma forma a um tempo apropriada - porque visava impor o respeito da legalidade - e sensata – porque concedia aos anteneiros uma período para regularizarem as suas situações sem quebra dos serviços que prestavam. Ora, foi o próprio governo, pela voz, se a memória me não atraiçoa, do seu responsável máximo, que veio travar o processo. E permitir, de facto, o prolongamento de uma situação de manifesto incumprimento da lei e do contrato. Até hoje...

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editores Nuno G. Pereira; Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Joana Freitas; José C. Mendes; Virginia Leung; Rita Marques Ramos (estagiária) Colaboradores António Falcão; António Graça de Abreu; Carlos Picassinos; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Carlos M. Cordeiro; Correia Marques; Gonçalo Alvim; Helder Fernando; Jorge Rodrigues Simão; José I. Duarte, José Pereira Coutinho, Marinho de Bastos; Paul Chan Wai Chi; Pedro Correia; Peng Zhonglian; Vanessa Amaro Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


segunda-feira 12.3.2012

www.hojemacau.com.mo

c a r t o on Metro Ligeiro

UM ANO

por Steff

Sun Jiabin vai ter criação no Cotai

Coutinho defende legislação própria O Gabinete para as Infra-estruturas de Transportes (GIT) reuniu na passada sexta-feira com uma delegação da Associação para o Desenvolvimento da Comunidade de Macau (ADCM) onde foi discutido o projecto de construção do Metro Ligeiro. De entre as dez pessoas que compunham o grupo da ADCM, o deputado José Pereira Coutinho foi uma delas, tendo questionado “os motivos por que não se legisla primeiro no domínio da construção do Metro Ligeiro”, tendo pedido ainda “mais dados em relação ao coeficiente de segurança”. O GIT assume, em comunicado, que “apesar de ainda não existir por enquanto um projecto de lei exclusivo para o transporte ferroviário em Macau, a construção do projecto do Metro Ligeiro desenvolve-se segundo a lei vigente no território”. Outro dos aspectos referidos foi a segurança. Neste âmbito, a ADCM “está atenta ao eventual problema da segurança devido à construção do Metro Ligeiro, esperando que ainda possa ser ajustado o traçado para o segmento do NAPE”. Sobre as propostas de mudança do actual traçado, o GIT assume que o actual plano “é o melhor”. Caso haja alterações, para que o metro passe pela marginal da cidade ou de forma subterrânea, pode surgir problemas como “restrições múltiplas em termos técnicos” e “redução significativa de taxa de cobertura”, onde “a sociedade teria de pagar um preço elevado”.

Funcionários dos casinos são mais tentados

A generalidade dos trabalhadores dos casinos “sente-se motivada” para as apostas por considerarem ser uma “forma fácil” de fazer dinheiro. O estudo, feito através de inquéritos directos aos trabalhadores dos vários operadores de jogo em Macau, conclui que, além de ser uma forma fácil de fazer dinheiro, o jogo é encarado também como um “escape ao ‘stress’ diário”. Carla Coteriano, autora do estudo sobre jogo responsável, que trabalha na Galaxy Entertainment Group salienta também que os funcionários dos casinos, proibidos de jogarem em “casa”, são tentados pelo convívio diário com as mesas de jogo, mas mostram-se “mais protegidos” das apostas quando possuem uma relação estável nas suas vidas pessoais. Com análises comparativas a demonstrarem, através de outros estudos, que viver a menos de 16 quilómetros de um casino aumenta para 90 por cento a possibilidade de uma pessoa se transformar num jogador problemático, Carla Coteriano afasta, contudo, essa realidade de Macau.

ATFPM junta 150 mulheres para discutir direitos

Voz activa das mulheres Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

J

OSÉ Pereira Coutinho disse ontem que as mulheres continuam a ser altamente discriminadas em Macau. Um dia depois do seminário “Os Direitos da Mulher na RAEM”, que teve lugar na Associação dos Trabalhadores da Função Pública de Macau (ATFPM), Pereira Coutinho diz que o cenário laboral continua crítico para as mulheres, nomeadamente “a nível de salários e na procura de primeiro emprego”. Mas o maior problema que se coloca, refere o presidente da ATFPM, relaciona-se com a licença de maternidade que “discrimina as mulheres com base na natureza da sua função”. Hoje, as mulheres do privado têm direito a 56 dias de descanso em oposição aos 90 dias atribuídos às mulheres da função pública. Uma situação a que o deputado se opõe veementemente, e que

expressou aquando da votação na Assembleia do artigo sobre o menor número de dias para o privado, pois “violam grosseiramente a lei básica de igualdade entre pessoas”. O deputado irá manter a luta contra a discriminação, e assegura ainda outra intenção: “garantir a licença de paternidade com pelo menos dez dias”.

MAIS TEMPO DE ACOMPANHAMENTO

Pereira Coutinho defende ainda que deveria haver “mais tempo de acompanhamento da família” porque o sector privado trabalha uma média de 10h por dia, de segunda a sábado, “o que não é suficiente para mãe e pai acompanharem os seus filhos”. Por essa razão, o deputado diz que deveria haver uma “limitação da carga horária diária e semanal”. Na função pública, o deputado acha que os turnos deveriam ser executados sem prejuízo do descanso de feriados obrigatórios, que não são pagos aos tra-

Ciclone

balhadores públicos. Por outro lado, por exemplo no sector do jogo, “os regimes de turnos não são escalonados nem sequer pagos” como acontece na função pública, diz o deputado. José Pereira Coutinho refere ainda que o sector público, bem como as concessionárias de jogo, discriminam as mulheres ao nível de cargos de chefia, tal como identificam os números recentemente divulgados pelos serviços de administração e função pública. Mas não só, diz haver discriminação em questões de idade, profissão e ideologia política, admitindo mesmo que até a nível de imagem exterior, “as mulheres gordas não têm trabalho”. No seminário de ontem, 150 mulheres tiveram direito a expressarem as suas preocupações face às discriminações do género, e manifestaram vontade de mudança em algumas áreas, esperando que o deputado as possa representar junto do Governo de Macau. Alguns dos pedidos de atenção foram: as rendas elevadas dos apartamentos, a dificuldade em encontrar vaga nas creches e nas escolas para as crianças, possibilidade de ter acesso de saúde gratuito para as mulheres, com idade superior a 65 anos no Hospital Kiang Wu, e a assistência médica e medicamentosa gratuita, face as elevadas receitas da RAEM.

A natureza está a reorganizar o seu sistema de auto-defesa. POR FERNANDO

A partir de Abril poderá ser visto no Sands, no centro do Cotai Strip, dentro do resort Paradise Gardens, uma estátua do Deus da Fortuna. Esta estátua, de mais de 16 metros de altura, é feita de bronze polido e apresenta 24 quilates de ouros em acabamentos, ficando em cima de um pedestal de três metros. A criação é de Sun Jiabin, um dos três escultores mais prestigiados e influentes na China. Alguns dos seus maiores trabalhos foram a estátua em mármore branco de Mao Zedong, no memorial do presidente em Pequim e do primeiro-ministro Zhou Enlai, no seu memorial em Huai’an, em Jiangsu. Sun estabeleceu-se como um artista de grandes pesos esculturais, que têm sido reconhecidos dentro e fora da China, e que o levou a ganhar alguns prémios, incluindo a medalha de ouro nos primeiros Prémios Nacionais de Escultura de Cidade, e ainda o prémio de maior escultura do New China City Sculture Construction Achievement Awards. Muitos dos seus outros trabalhos estão espalhados por diversas cidades na China, como Pequim, Xangai, Nanjing, Wuhan e Shenzen.

Michael Madsen detido por alegada violência O actor Michael Madsen, de 54 anos, foi detido pelas autoridades norte-americanas, alegadamente devido a um caso de violência doméstica. A vítima terá sido o próprio filho, de 15 anos. Depois de várias personagens violentas interpretadas no mundo do cinema, o actor parece ter agora transposto para a vida real esta faceta mais agressiva. Em causa estão acusações de violência contra o filho, que levaram à sua detenção na sexta-feira à tarde, quando se encontrava em casa, em Malibu, Los Angeles, Califórnia. A polícia foi chamada ao local devido a uma queixa de violência doméstica, constatando que o actor se teria envolvido em cenas de pancada com o filho, de 15 anos. A possibilidade de Madsen estar sob influência de álcool nessa altura é uma suspeita. Fala-se também que o filho estaria a fumar marijuana, o que terá irritado ainda mais o pai. Segundo a Reuters, o actor foi levado para os calabouços da esquadra de Lost Hills, continuando detido sob fiança de 100 mil dólares.

Hoje Macau 12 MAR 2012 #2569  

Edição do Hoje Macau de 12 de Março de 2012 • Ano X • N.º 2569

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you