Issuu on Google+

UM SÉCULO DE HISTÓRIA

Nova Iorque revelada CENTRAIS

PUB PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

MOP$10

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • QUINTA-FEIRA 10 DE MAIO DE 2012 • ANO XI • Nº 2606

Ter para ler

TEMPO AGUACEIROS OCASIONAIS MIN 26 MAX 32 HUMIDADE 55-95% • CÂMBIOS EURO 10.2 BAHT 0.2 YUAN 1.2

Funcionários públicos preparam ataque ao Executivo

SÍMBOLO DE CAMPANHA

Galgo Brooklyn sofreu acidente PÁGINA 12

PRESIDENTE DA AEPM

Lista da UNESCO não deve ser esquecida

Dá cá o subsídio de residência

Florinda Chan e Francis Tam vão receber em breve duas petições dos funcionários públicos que moram em casas do Governo. Discordam do novo pagamento de condomínio e só admitem uma variação: se tiverem de pagar, querem receber o subsídio de residência. PÁGINA 3

PÁGINA 15

SEGURANÇA ALIMENTAR

Discussão da nova lei divide deputados PÁGINA 2

CONDUTORES PROTEGIDOS

Faixa exclusiva para motas na ponte de Sai Van PÁGINA 4

CTM INVESTE FORTE

Fibra óptica prometida até fim do ano PÁGINA 5

ESTUDO SOBRE SATISFAÇÃO

Ambiente é o que mais preocupa em Macau PÁGINA 13


2

política

quinta-feira 10.5.2012

www.hojemacau.com.mo

Lei de Segurança Alimentar começou ontem a ser discutida na AL

Dúvidas não dão tempo para aprovação Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

A

Lei de SegurançaAlimentar está a causar muitas dúvidas entre os deputados, que ontem não conseguiram aprovar na generalidade a proposta apresentada em plenário. A sobreposição de funções dos serviços públicos foi um dos pontos que levantou mais discussão na Assembleia Legislativa (AL), já que o documento prevê que tanto o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM), como a Direcção dos Serviços de Economia (DSE) e a Direcção dos Serviços de Turismo (DST) tenham competências na área da segurança alimentar. Enquanto a DSE e o DST têm a seu cargo a fiscalização dos restaurantes que estão sob sua licença, ao IACM cabe gerir e fiscalizar os locais de produção e comercialização de alimentos, ajudar nas medidas de prevenção e tratar dos incidentes. A divisão dos trabalhos não agrada aos deputados. “Isto pode fazer com que haja sobreposição de tarefas e que os serviços públicos empurrem as responsabilidades de uns para os outros”, alertou Kwan Tsui Hang. À deputada juntou-se também Lee Chong Cheng, considerando que a coordenação de serviços pode ser um problema. “A DST faz a inspecção e se houver incidentes quem trata do processo é o IACM, então a quem nos queixamos? Se houver problemas, eles começam a empurrar as culpas.”

Ainda assim, André Cheong desdramatiza. “Não se dá dispersão de competências, porque a DST continua a fiscalizar as áreas de higiene e de segurança contra incêndio e o IACM fica incumbido da segurança alimentar.” O director dos Serviços para os Assuntos de Justiça afirma que a lei prevê acções conjuntas, mas assegura que tudo está bem distribuído. O mesmo diz Florinda Chan, secretária para a Administração e Justiça. Sublinha que tudo relacionado com a segurança alimentar está concentrado no IACM, incluindo as sanções a aplicar. A acção conjunta vem, por exemplo, quando é detectada uma infracção num hotel e este fica alvo de suspensão do alvará, que cabe à DST. Ung Choi Kun também contestou a distribuição das competências e olha para o envolvimento de diversos serviços públicos com um tom algo irónico. “Não está explícita a coordenação. Esta lei parece um arroz xau-xau, está tudo metido no mesmo prato.” No mesmo prato estão também outros problemas, que levaram o hemiciclo a prolongar a discussão para esta tarde.

DEFINIÇÕES E IMPORTAÇÃO

A definição de “produção” e de, além de os alimentos, também os aditivos estarem incluídos na lei foram outras questões discutidas. Chan Chak Mo olha de lado para a proposta apresentada pelo Executivo, pois acha que quem vende os produtos pode desconhecer que

Segurança Alimentar Raymond Tam garante expansão de laboratórios

O presidente do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) assegurou ontem na Assembleia Legislativa (AL) que a entidade pretende expandir o seu laboratório para investigação de alimentos. A notícia vem no seguimento da discussão da nova lei de Segurança Alimentar, que prevê a criação de um centro para o efeito sob alçada do IACM. O laboratório actual, diz o presidente do organismo, tem qualidade reconhecida pela China e a intenção é alargar o existente para responder à proposta de lei que agora está a ser discutida. Mas há mais. “Estamos a formar inspectores de segurança alimentar e o IACM já tem subunidades com pessoal que pode dar apoio. Além disso, se precisarmos de ajuda podemos pedir a outros laboratórios.” - J.F.

o aditivo incluído posteriormente à confecção da comida pode ser ilegal. “Se os produtos forem adquiridos no exterior e se estão incluídos na lei os aditivos, não terá de existir um relatório dos produtos aditivos que não podem ser incluídos nas comidas de Macau?” A proposta de lei diz ainda que os alimentos sem valores nutritivos exigíveis estão também sujeitos a fiscalização, o que, diz Chan Chak Mo, não é possível saber. “Vemos por onde? Pelo rótulo?” Ausentes do diploma que espera agora aprovação estão ainda critérios que devem ser seguidos para garantir segurança alimentar. “O que vamos seguir?”, questiona Lee Chong Cheng. “Os da China? Os da Europa? Não está nada na lei.” Num território onde a maioria dos alimentos é importada, este

foi um tema em que os deputados se debruçaram. “Como é possível importar produtos legais e com os mesmos critérios de Macau se não há uma lista de critérios a seguir?”, perguntou Ho Ion Sang.

DIVULGAÇÃO PRECISA-SE

As interrogações foram mais do que as respostas, num plenário que reservou pouco tempo para debater a proposta, devido ao atraso da discussão anterior sobre reforma política. Ainda assim, mais de uma dezena de deputados intervieram, com Ho Ion Sang a questionar, por exemplo, se três meses será tempo suficiente para que os comerciantes e produtores de alimentos se consigam inteirar da nova lei. O diploma traz multas mais pesadas que a legislação anterior – podem ir de 50 mil a 600 mil patacas ou mesmo até cinco

anos de prisão -, mas o deputado considera que quem trabalha com os produtos alimentares não está a ser bem informado. “Vão ter que cumprir requisitos exigentes sem divulgação suficiente. Eles têm de saber bem o que se passa, ainda mais porque estamos perto da fronteira da China e vêm muitos produtos de lá. Correm risco criminal e podem nem se aperceber. Esta é uma lei preventiva ou fiscalizadora?” Ung Choi Kun relembrou que o continente é um local onde acontecem “mil e uma coisas” que afectam a saúde e questiona se a lei tem total abrangência. André Cheong diz que sim. “Não há lacunas na fiscalização. Desde o fabrico, à produção e à venda nas lojas, todas as etapas estão incluídas na lei.” O diploma abrange tudo menos medicamentos chineses e vem em reforço de uma lei anterior, que o Executivo considera ter perdido força no regime de sanções e na percepção de algumas normas. “Por exemplo, a venda de um produto deteriorado passa a merecer sanção e não é só visto como uma infracção administrativa”, explicou André Cheong. A lei anterior foi feita com base no diploma português, elaborado em 1987. Alguns deputados consideram que a existência dos dois diplomas cria controvérsia pela incompatibilidade e assumem ser necessária a sua abolição. Sem se saber se vai ser aprovada na generalidade, a Lei de Segurança Alimentar promete mais discussão para esta tarde.

Ilha da Montanha Investidores japoneses querem vir Uma delegação da Câmara de Comércio Macau-Japão Comércio (CCMJ), incluindo 60 pessoas, visitou há dias a Ilha da Montanha para saber o desenvolvimento previsto, a visão geral e as políticas preferenciais. Tudo com o objectivo de descobrir mais oportunidades do investimento. “As PME japonesas foram limitadas no mercado local nestes anos por várias razões”, disse Sio Chi Wai, o diretor do MJCC. “Por isso, o mercado chinês é muito atractivo, em especial a zona da Ilha da Montanha. O sector turístico é aquele onde devem acontecer a maior cooperação, até porque Macau possui muita experiência nessa área.” O vice-diretor do Instituto de Promoção de Investimentos de Zhuhai, Li Dongpeng, adiantou que a cooperação entre a Ilha da Montanha e o Japão também dá benefícios à sua cidade. “Como Macau recebe mais de 200 mil turistas japoneses por ano, os novos eventos de turismo na Ilha da Montanha irão estimular estes turistas para ficarem mais tempo.” - C.L.


quinta-feira 10.5.2012

política

www.hojemacau.com.mo

O pagamento do condomínio por parte dos funcionários públicos que residem em casas do Governo está a gerar revolta. Está prometida a entrega de duas petições a Francis Tam e Florinda Chan, com um único objectivo: se têm de pagar condomínio, querem receber o subsídio de residência Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

Funcionários públicos só pagam em troca de subsídio

Cecília Lin

info@hojemacau.com.mo

E

NQUANTO os deputados Chan Meng Kam e Ung Choi Kun aprovavam na generalidade os novos métodos de eleição para a Assembleia Legislativa (AL), o debate fervia numa sala do seu gabinete. Mais de 30 funcionários públicos, residentes em casas do Governo, entravam um após outro, com a mesma causa que os fazia caminhar até ao NAPE: a luta contra o pagamento dos condomínios. As notificações chegaram há cerca de dois meses e ninguém compreende porquê. “Os cofres do Governo estão com tanto dinheiro, não percebemos por que é que nesta altura temos de pagar”, disse ao Hoje Macau um tradutor-intérprete. Cada morador terá de descontar 2% do seu salário para pagar o

Joana Freitas

joana.freitas@hojemacau.com.mo

S

EM Paul Chan Wai Chi e José Pereira Coutinho – que saíram da sala do plenário como forma de protesto – foi ontem aprovada a proposta de alteração à constituição da Assembleia Legislativa (AL). A revisão prevê o aumento de quatro deputados – dois pela via directa e dois eleitos indirectamente – e é a segunda alteração a ser aprovada no hemiciclo, depois de terça-feira ter sido aceite o acréscimo de cem pessoas ao grupo que escolhe o líder do Governo. Apesar de ser quase semelhante a esta alteração, a proposta inquietou os deputados, que a discutiram mais de três horas. O ponto

Condomínio da discórdia referido condomínio, o que gerou vozes discordantes. “Vivo com a minha mulher e a minha filha e ainda tenho de pagar por mês um montante grande para a renda da casa”, disse outro funcionário. Por viverem em casas do Governo, estes funcionários não recebem o subsídio de residência, mas agora querem inverter a situação. Caso tenham de pagar os condomínios, querem receber também o apoio. Por isso, estão a recolher o máximo de assinaturas para entregar duas petições ao Executivo. Uma quer pôr fim à exigência do pagamento dos condo-

mínios e vai ser entregue a Francis Tam, secretário para a Economia e Finanças. Outra é endereçada a Florinda Chan, secretária para a Administração e Justiça. “Vamos mandar uma petição a Florinda Chan para pedir a reconsideração sobre a emissão do pedido de residência, porque na altura em que o diploma foi aprovado o próprio José Chu [director dos SAFP] disse que os moradores dos prédios do Governo não precisavam de pagar o condomínio e não tinham direito ao subsidio”, referiu o mesmo funcionário. “Mas a carta que recebemos diz que temos essa

obrigação e a nossa ideia é pegar no que disse José Chu.” Questionado sobre este assunto, Francisco Manhão, presidente da Associação dos Aposentados, Reformados e Pensionistas de Macau (APOMAC) foi peremptório. “Não há hipótese, porque a lei não permite que eles recebam o subsídio. Não tem nada a ver com a Florinda Chan mas sim com Francis Tam, porque tratam-se de casas do Governo.”

“NÃO VOU ACEITAR PAGAR”

À medida que a discussão subia de tom, Novato do Rosário, mi-

litar reformado, entrava na sala acompanhado da mulher. Não sendo funcionário público, também foi notificado para pagar o condomínio do prédio onde vive. “Na altura [1996] a lei entrou na AL e nem o Governo português exigiu. Agora é que se lembraram que havia uma lei.” Em 2002 teve de deixar a casa das Forças Armadas onde vivia, porque a instituição decidiu vendê-la. Desde então mora num apartamento do Executivo. “Recebi a carta há pouco tempo, vou ter de pagar cerca de 400 patacas, agora é que se lembraram.” Outro trabalhador recusa-se a cumprir a ordem. “Não vou aceitar pagar as despesas de gestão e reparação de uma casa onde vivo há mais de 20 anos.” Um morador no edifício Hoi Fu fala ao Hoje Macau de injustiça. “Não temos direito a receber o subsídio de residência, por que é que temos de pagar agora? A minha opinião é que ou não pagamos o condomínio ou então, se pagarmos, passamos a ter direito ao subsídio.” Outra das críticas aponta para os funcionários que conseguiram comprar casa própria e que, por não estarem mais vinculados ao Governo, recebem o subsídio. “Conheço um proprietário de dez fracções que continua a receber, por que é que estas pessoas, que têm tantas despesas, não têm direito?”, referiu outro funcionário. No final, a reunião terminou com uma certeza, expressa por mais um trabalhador. “O Governo já ganha muito com as taxas pagas pelos casinos. O seu dinheiro não é para servir os residentes? Se já está tão rico para poder dar dinheiro aos residentes, por que é que ainda precisa do dinheiro dos funcionários?”

Aprovada proposta que acrescenta mais quatro lugares ao hemiciclo

Deputados defendem indirectos

fulcral foi a constituição da AL, que a maioria aprova. Os mesmos que antes se tinham mostrado contra – Paul Chan Wai Chi, Au Kam San, Ng Kuok Cheong e José Pereira Coutinho – continuam a não gostar da forma como está constituída a AL. O projecto que vai definir que os assentos dos deputados cresçam de 29 para 33 viu-se, contudo, aprovado com 24 dos 26 votos a favor. Os dois contra chegaram dos dois democratas que ficaram no plenário – Ng Kuok Cheong e Au Kam San -, depois de Paul Chan Wai Chi se

ter retirado. O deputado da Associação Novo Macau continua a insistir que as opiniões do Governo sobre a reforma política são falsas. “Não é possível subscrever esta proposta de revisão apresentada pelo Governo e a título de protesto vou deixar a sala.”

DEFESAS DO STATUS QUO

Apesar das manifestações contra a manutenção da constituição da AL – recorde-se que os democratas pediam mais directos e eliminação dos indirectos -, a maioria dos membros

3

do hemiciclo mostra-se favorável à actual forma como os assentos estão distribuídos: nomeados pelo Executivo, directos e indirectos. A maior parte dos argumentos de defesa veio dos membros eleitos através das associações, os indirectos, e dos nomeados. “Há que ver a contribuição que as associações dão à sociedade e respeitá-las”, defendeu Ho Sio Kam. “A população prefere a estabilidade”, atirou Tsui Wai Kwan, manifestando-se contra as eleições através de sufrágio universal. O

deputado acusou ainda a Novo Macau de ter recorrido a apoios de Hong Kong e permitir que ajuda externa se intrometesse nos assuntos de Macau. Recorde-se que a associação fez a sua própria consulta com ajuda da Universidade da RAEHK. Os democratas insistem que sem mais directos não há democracia. Pereira Coutinho não apoia totalmente o que dizem, mas discorda também que as opiniões recolhidas tenham sido as correctas. Pediu que Florinda Chan analisasse as sugestões e dissesse qual a “cientificidade” dos números apresentados – foram 160 mil as opiniões a favor da proposta do Executivo. A falta de resposta da secretária levou-o também a sair da sala, em protesto.


sociedade

DSAT prevê também reduzir e controlar as velocidades dos veículos de duas rodas, que só poderão agora aceder à ponte a partir da Barra

quinta-feira 10.5.2012

www.hojemacau.com.mo

Faixa exclusiva para duas rodas na ponte de Sai Van a partir de Agosto

Motas ficam mais protegidas

Circulação nas pontes

MINA AO

4

Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

O

NTEM à tarde foram 17 os deputados que participaram numa reunião, em sala de plenário, com a Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT), para aprovar duas novas medidas a partir de Agosto próximo. Motociclos e ciclomotores passam a ter uma via exclusiva, à direita, na ponte de Sai Van, e não poderão exceder a nova velocidade máxima de 60 km/h (que por agora se mantém nos 80 km/h), tal como acontece na circulação pela cidade. “A medida que apresentámos e que vamos adoptar é a mais viável a nível de segurança e que menos impacto vai ter para os condutores”, refere Wong Wan, director da DSAT, depois de ter exposto diversas medidas analisadas, ainda em discussão. Adiantou também que esta via exclusiva não teria condições para ser aplicada nas outras duas pontes, Amizade e Nobre de Carvalho. “100 mil pessoas seriam afectadas na Nobre de Carvalho por causa do corredor exclusivo para transportes públicos [posto em funcionamento em 2005].” De qualquer forma, trata-se de uma solução a título experimental, como frisou Kwan Tsui Hang, deputada da primeira comissão permanente da Assembleia Legislativa (AL). Ainda assim, prevê-se que seja “uma medida preventiva para minimizar os acidentes” que “só poderão ser travados com uma maior consciência dos condutores na travessia da ponte”.

MENOS VELOCIDADE

O acesso exclusivo vai ter também nova especificidade. A entrada e saída dos veículos de duas rodas

só poderá ser feita a partir da Barra - os restantes transportes passarão a utilizar unicamente o acesso que circunda a Torre de Macau. A velocidade reduzida na ponte da Amizade vai contar com recurso a controlo, para que haja “tempo para travagem em caso de necessidade, já que os ciclomotores estão mais sujeitos a ventos e outros factores climatéricos, que condicionam a circulação”. Kwan Tsui Hang disse também que os deputados presentes na discussão de ontem entenderam que o problema tem a ver com a aplicação das leis para proteger os motociclistas e outros utentes

Lucros da Sands China crescem 6,4% A Sands China anunciou lucros líquidos de 2,1 mil milhões de patacas no primeiro trimestre de 2012. De acordo com os resultados apresentados pela operadora, trata-se de um aumento de 6,4% em comparação com o mesmo período do ano passado. Os números da Sands China mostram que a subida dos lucros deve-se sobretudo ao desempenho do casino Venetian, um dos quatro que a concessionária opera em Macau. No Venetian, o EBITDA ajustado (os resultados antes de impostos, encargos financeiros e amortizações) atingiu MOP 2,2 mil milhões, mais 23,6% do que há um ano. No casino Sands, o EBITDA ajustado subiu 16%, para MOP 830 milhões, enquanto que no Plaza a subida do EBITDA ajustado foi de 17,8%, para MOP 529 milhões.

das vias públicas. Por isso, vão “dialogar mais com as entidades aplicadoras da lei, para além da DST”.

ESTUDO E OPINIÕES

O aumento do número de acidentes de motociclistas, especificamente na ponte da Amizade, que tem registado mesmo vítimas mortais, levou a que o Governo realizasse estudos sobre falhas de circulação nas pontes, como “a manutenção da distância, a intersecção entre faixas ou a não cedência de prioridade nas ultrapassagens” - algumas das causas dos acidentes apontadas por Wong Wan.

A DSAT encomendou um estudo à Universidade de Macau (UMAC) sobre a possibilidade de abertura do tabuleiro inferior, tendo analisado os resultados e opiniões das pessoas. Não será, porém, uma opção. “O tabuleiro só será aberto no início do funcionamento do Metro Ligeiro (construído para este fim). Recebemos outras opiniões sobre medidas de segurança e controlo de motociclos, nomeadamente velocidades, agora vamos implementar uma medida menos controversa. Mas ainda há contrariedades sobre a mesma por isso estamos a recolher e analisar opiniões.”

A ponte Sai Van é também a que mais veículos de duas rodas recebe. Enquanto que na ponte da Amizade circulam diariamente 5 mil motociclos, na Sai Van passam numa média diária 17900. A nível global de transportes, também houve um aumento de circulação nas pontes nos últimos três anos, segundo dados da DSAT. No primeiro trimestre de 2010 circularam 52 mil transportes diariamente na ponte da Amizade, enquanto no mesmo período deste ano circularam 62 mil, embora tenha havido um abrandamento (em dois mil veículos) relativamente ao ano passado. O aumento de veículos a circular na ponte Sai Van entre 2010 e 2012, no primeiro trimestre, foi menor, mas, ainda assim, somou mais de sete mil veículos diariamente (de 47 mil para 54 mil). Comparativamente ao ano anterior, circularam mais dois mil veículos. A ponte Nobre de Carvalho, por estar fechada exclusivamente a transportes públicos e táxis desde 2005, é a que regista menos fluxo rodoviário, não tendo inclusivamente aumentado muito o número de veículos a circular. Em 2010, circulavam 13 mil veículos e em 2012 circularam 16 mil no primeiro trimestre, o mesmo número relativamente ao ano passado.

O público, os especialistas e os deputados pediam também a consideração de uma via única para motas na ponte Nobre de Carvalho ou a utilização da segunda plataforma para motociclos e ciclomotores na ponte Sai Van. Neste sentido, a deputada Kwan Tsui Hang deixou um recado. “Espero que o Governo esclareça melhor a sociedade e estude mais aprofundadamente sobre a circulação relativamente às outras pontes, especialmente os limites de velocidade.” Até porque, aponta, o início das obras de grandes empreendimentos que aí vêm exige medidas com uma utilização melhor das pontes. Não esquecendo o desenvolvimento socioeconómico do território. A DSAT anunciou que 40% dos acidentes ocorridos, e que desencadeiam vítimas mortais, são de motociclos com mais do que um passageiro na Ponte da Amizade, como no caso do acidente ocorrido em Abril passado, que vitimou uma passageira de um motociclo num choque com um autocarro.


quinta-feira 10.5.2012

sociedade

www.hojemacau.com.mo

5

Gonçalo Lobo Pinheiro glp@hojemacau.com.mo

S

ÃO mais de 900 milhões as patacas que a Companhia de Telecomunicações de Macau (CTM) arrecadou no ano de 2011. O exercício financeiro da empresa de telecomunicações foi divulgado ontem juntamente com o Relatório Anual de 2011. Comparando com o ano anterior, a empresa obteve um aumento de 15% nos seus dividendos. Grosso modo, os resultados da CTM foram impulsionados pela rede móvel. A 31 de Dezembro do ano passado, a empresa registava 634 mil clientes nessa área – mais 23% do que no ano anterior. Existem ainda cerca de 166 mil clientes na rede fixa e 138 mil a usufruírem de serviços de internet. Com esta saúde financeira, a maior empresa de telecomunicações do território irá gastar 1,2 mil milhões no aperfeiçoamento da sua rede, com enfoque na totalidade de instalação de fibra óptica que actualmente cobre dois terços de Macau. “Até ao final do ano vai estar disponível em todo o território”, referiu o presidente da Comissão Executiva, Vandy Poon. Para 2012, espera crescimento “mesmo que os números não sejam tão elevados como os verificados em 2011”.

INVESTIR PELO CLIENTE

Na senda do investimento, a CTM quer também desenvolver o sistema de quarta geração e um pacote de entretenimento que incluirá cinema, televisão e diversas interactividades. O caminho está traçado, mas, em relação a este último desejo, Vandy Poon assume que a CTM ainda “terá de pedir uma licença” e “esperar pela oportunidade para trabalhar com o Governo para obtê-la o mais depressa possível”.

ACCIONISTAS • 51% Cable & Wireless • 28% Portugal Telecom • 20% CITIC Telecom International • 1% Correios de Macau

CTM vai investir 1,2 mil milhões de patacas nos próximos anos

Fibra óptica até ao final do ano No dia em que revelou lucros líquidos de 933,6 milhões de patacas, Vandy Poon, presidente da Comissão Executiva, garantiu que a CTM “aprendeu bem a lição” do apagão de Fevereiro Com o avanço tecnológico e com a adesão em massa à rede móvel, o calcanhar de Aquiles da operadora é a rede fixa. O número de clientes tem vindo a baixar ao longo dos anos e, de 2007 até agora, a CTM perdeu 12 mil. A liberalização deste sector, onde a CTM é dona e senhora, não preocupa o presidente da Comissão Executiva. Para Vandi Poon, “a CTM é de Macau”. “Servimos Macau. Não temos razão para ter medo de concorrências. Para continuar a ser o operador mais forte só temos uma opção: seguir em frente e servir melhor os nossos clientes.”

LIÇÃO APRENDIDA

O apagão de comunicações verificado em Fevereiro, e que já fez

a CTM desembolsar 30 milhões de patacas em compensações também mereceu uma palavra do presidente da Comissão Executiva. “Tratou-se de um erro humano não deliberado, relacionado com a introdução de dados que não foram precisos.” Para Vandy Poon a “lição está aprendida” e a companhia “está mais preparada” para enfrentar o futuro. Recorde-se que a população ficou privada de comunicações, durante seis horas, nas redes 3G, Internet e rede fixa. Em relação às diversas concorrências – MTEL na rede fixa e TV Cabo no serviço de Internet -, Poon mostra-se tranquilo. “A CTM sempre apoiou o Governo numa gradual e suave entrada

Fraude de mais de um milhão

A Polícia Judiciária prendeu um comerciante local, de apelido Chou, por suspeita de fraude que envolve mais de um milhão de patacas. A manobra foi feita através do programa investidor imigrante, cancelado há alguns anos. As vítimas queriam imigrar para a RAEM em Abril do ano passado e, para isso, chegaram a pagar uma comissão de 150 mil patacas à irmã do suspeito. Este terá prometido às vítimas emprego num organismo com o nome de Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau, entidade que não existe. Cada vítima deu ainda 500 mil patacas para o suspeito tratar da papelada da imigração, algo que nunca chegou a suceder. Às autoridades, o comerciante negou ter enganado as pessoas mas admitiu que gastou todo o dinheiro. – C.L.

de concorrentes nas telecomunicações. A tecnologia evolui muito rapidamente. Com o mercado liberalizado o cliente

escolherá o melhor. Porque os clientes pedem cada vez mais e melhores serviços. E a CTM está na vanguarda.”

OS NÚMEROS DA CTM • Penetração móvel de 240% • 90% utilizadores de 3G • 24.728.100 metros de cabos de fibra óptica instalados • 300 milhões de minutos de chamadas IDD de e para Macau • 166.310 clientes de rede fixa • 633.936 clientes de rede móvel • 138.222 clientes de serviços de internet • 933,6 milhões de patacas de lucro em 2011

Criadas mais sociedades face a 2011

Nos primeiros três meses do ano foram criadas 881 sociedades no território, número que representa um acréscimo de 14,7% em relação a igual período de 2011. Em capital social atingiu as 199 milhões de patacas, o que representa um aumento de 151%. Segundo dados avançados pela Direcção de Serviços de Estatísticas e Censos (DSEC), a maior parte das sociedades – 327 – pertence ao sector do comércio por grosso e retalho. Já 156 sociedades prestam serviços às empresas e 82 dedicam-se a actividades imobiliárias. 66,2% das sociedades constituídas situa-se no escalão de capital social inferior a 50 mil patacas, enquanto 80% das sociedades constituídas detém o estatuto de sociedades por quotas. A maior parte do capital social provém do território, atingindo a fasquia das 69 milhões de patacas. O capital social oriundo de nove províncias do Delta do rio das Pérolas atingiu as seis milhões de patacas sendo que cinco milhões foram aplicados pela província de Guangdong.


nacional

6

Pequim recebe líderes da Coreia do Sul e do Japão para cimeira tripartida

Coreia do Norte em pano de fundo

O

Presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-Bak, anunciou ontem uma visita a Pequim no domingo, para participar na cimeira anual com os líderes da China e do Japão. Lee vai encontrar-se, em Pequim, com o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, e com o primeiro-ministro japonês, Yoshihiko Noda, para conversações que têm como pontos principais a questão da Coreia do Norte, a cooperação económica e a cooperação em temas ambientais, disse ontem o gabinete do líder sul-coreano. Os três países vão também assinar um acordo que prevê

quinta-feira 10.5.2012

www.hojemacau.com.mo

tratamento preferencial ao investimento de países parceiros sendo que, no domingo, Lee, Wen e Noda deverão manter

encontros entre si, para resolver questões bilaterais, disse ainda o gabinete de Lee. A cimeira de domingo será a quinta desde que começou o diálogo trilateral anual, em 2008. A edição deste ano decorre quando, em pano de fundo, a região receia um terceiro ensaio nuclear da Coreia do Norte, depois do falhanço do lançamento de um míssil de longo alcance por parte de Pyongyang, no mês passado. A China é o maior aliado internacional da ditadura estalinista norte-coreana e a principal coluna que suporta a frágil economia da Coreia do Norte, um dos países mais isolados do mundo.

Lenovo lança televisão inteligente

“Semear o futuro” A

S televisões inteligentes são o mais recente motivo de disputa entre gigantes de electrónica como Apple, Samsung Electronics e Lenovo - todos se esforçam por capturar o interesse e o dinheiro dos consumidores ávidos por conteúdos 3D e por ecrãs de alta definição sem precisar sair de casa. O mais recente lançamento deste mercado foi feito pela Lenovo, em Pequim, na terça-feira. A segunda maior fabricante mundial de computadores exibiu

o seu televisor inteligente K91, com um ecrã de 55 polegadas. Os convidados puderam ler microblogs, jogar partidas simuladas de ténis e assistir ao filme “A Origem”. Embora relativamente bem estabelecidos noutros mercados, os televisores inteligentes estão a demorar a impor-se na China devido às restrições ao conteúdo e porque o conceito ainda é relativamente novo. A série K será a primeira linha de televisores

“Bebés em pó” investigados As autoridades chinesas vão voltar a investigar o contrabando de cápsulas com carne humana em pó, alegadamente feitas na China com bebés mortos, e que algumas pessoas pensam que podem curar doenças, noticiou esta terça-feira a agência oficial chinesa. O porta-voz do Ministério da Saúde chinês, Deng Haihua, afirmou, citado pela Xinhua, que as autoridades chinesas vão retomar a investigação, depois de notícias sobre o contrabando destas cápsulas para a Coreia do

inteligentes da Lenovo, e a empresa decidiu lançá-la no seu mercado de origem, porque afirma ser mais fácil negociar acordos de conteúdo na China. “Estivemos muito ocupados, nas últimas semanas, a semear o futuro”, disse Yang Yuanqing, administrador da Lenovo, acrescentando que “a empresa quer ser não só um importante fornecedor de computadores, mas também um líder mundial no fornecimento de aparelhos para acesso à Internet”.

Sul. Segundo a agência Deng, os departamentos sanitários chineses vão trabalhar com a polícia, alfândegas e autoridades comerciais sulcoreanas para investigar as últimas alegações. Os serviços alfandegários da Coreia do Sul anunciaram na segunda-feira a apreensão de cápsulas com carne humana em pó fabricadas no nordeste da China. De acordo com a mesma fonte, no fabrico são usados bebés, cujos corpos são cortados em pequenos pedaços e desidratados em fornos, antes de serem transformados em pó.

PUB

NOTIFICAÇÃO EDITAL (Reparação coerciva)

N.º 64/12

Raimundo Vizeu Bento, Chefe do Departamento de Inspecção do Trabalho, manda que se proceda, nos termos do n.º 3 do artigo 9.º e do artigo 11.º do Regulamento Administrativo n.º 26/2008 --- Normas de funcionamento das acções inspectivas do trabalho conjugados com os artigos 58.º, 72.º n.º 2 e 136.º n.º 2 do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, à notificação da transgressor do auto n.º 72/0708/2012, de 1 de Março de 2012, sociedade “華瑜國際科技開發有限公司” (romanizada Wa U Kok Chai Fo Kei Hoi Fat Iao Han Cong Si), sita em Macau, na Rua Ribeira do Patane, n.º 86-D, 3.º andar, para no prazo de 15 (quinze) dias, a contar do 1.º dia útil seguinte à da publicação dos presentes éditos, proceder ao pagamento da multa aplicada no aludido auto, no valor de Mop$20.000,00 (vinte mil patacas), por prática da transgressão laboral prevista no n.º 3 do artigo 62.º e punida na alínea 6) do n.º 1 do artigo 85.º da Lei n.º 7/2008 – Lei das relações de trabalho, de 18 de Agosto, sendo que de acordo com o artigo 87.º da mesma Lei, a pena de multa prevista na alínea 6) do n.º 1 do artigo 85.º, é convertível em prisão nos termos do código Penal. Por outro lado, a notificada deve, no mesmo prazo, proceder ao pagamento da quantia em dívida à trabalhadora Tong Lai Lai no valor de Mop$4.133,30 (quatro mil, cento e trinta e três patacas e trinta avos), devendo ainda, nos 5 (cinco) dias subsequentes ao do termo do atrás citado prazo, fazer prova do pagamento efectuado. A cópia do auto, a notificação, o mapa de apuramento e as guias de depósitos deverão ser levantados, dentro das horas normais de expediente, no Departamento de Inspecção do Trabalho, sita na Avenida do Dr. Francisco Vieira Machado, n.os 221-279, Edifício “Advance Plaza”, 1.º andar, Macau, sendo facultada a consulta do processo em causa, instruído por estes Serviços. Decorridos os prazos, sem que tenha sido dado cumprimento à presente notificação, seguirse-á a tramitação judicial, com a remessa do auto ao Juízo. Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais – Departamento de Inspecção do Trabalho, aos 4 de Maio de 2012. O Chefe do Departamento, Raimundo Vizeu Bento

NOTIFICAÇÃO EDITAL

(Solicitação de comparência do trabalhador)

N.º 65/2012

Nos termos das alíneas b) e c) do n.º 1 do artigo 6.º do Regulamento da Inspecção

do Trabalho, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 60/89/M, de 18 de Setembro, conjugadas

com o artigo 58.º e n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, notifica-se os senhores

Chong Leong Chak, Ho Son Chun e Chao Chi Pui, ex-trabalhadores residentes da empresa “Construção Predial Man Fai”, para no prazo de 10 (dez) dias, a contar

do primeiro dia útil seguinte à da publicação dos presentes éditos, comparecer no Departamento de Inspecção do Trabalho, sita na Avenida do Dr. Francisco Vieira

Machado, n.os 221-279, Edifício “Advance Plaza”, 1.º andar, a fim de prestarem declarações no processo n.º 7983/2010, proveniente da queixa apresentaram nestes

Serviços em 28/10/2010 e relativamente às matérias de salário, descanso semanal e feriado obrigatório.

Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais – Departamento de Inspecção do Trabalho, aos 4 de Maio de 2012.

O Chefe do Departamento, Raimundo Vizeu Bento


quinta-feira 10.5.2012

nacional

www.hojemacau.com.mo

7

Economista do WSJ sugere investimento na internet chinesa. Lucros podem ser mais fáceis

Muito melhor do que o Facebook

O

analista de economia do Wall Street Journal, Tom Orlik, sugeriu esta semana, num artigo de opinião, o investimento na internet chinesa como alternativa à participação na abertura de capital do Facebook. “Em vez de investir na abertura de capital do Facebook, querem saber o que os investidores poderiam comprar?”, pergunta Orlik. “Um bom pedaço da internet chinesa.” Um valor de mercado de cerca de 750 mil milhões de patacas para o Facebook, com base no lucro líquido de cerca de MOP mil milhões em 2011, parece complicado, sobretudo se considerarmos que a receita no

primeiro trimestre caiu 6% em relação aos três meses anteriores. Para colocar a coisa em contexto, cerca de MOP 785 mil milhões daria para comprar o Baidu, o portal cotado no Nasdaq que é a resposta da China ao Google, e o Tencent, cotado em Hong Kong, líder no mercado de mensagens instantâneas e com presença crescente noutros segmentos da internet na China. A internet chinesa, na qual a rede social Facebook é vetada, tem o maior grupo de utilizadores do mundo e continua a crescer a passos largos. Segundo estimativas da eMarketer, a receita da publicidade na rede deve crescer para cerca de MOP 74 mil milhões em 2014, mais do que o dobro dos cerca de

35 mil milhões de patacas de 2011. Embora muito maior, com cerca de MOP 244 mil milhões em 2011, o mercado americano só deve crescer 45% no mesmo período. O Baidu, que domina o mercado de busca na China, e o Tencent, com tentáculos em mensagens instantâneas, jogos, redes sociais e comércio electrónico, têm tudo para ganhar com isso. Tal como o Facebook, estão em crescimento acelerado. E dão um lucro equiparável: em 2011, cerca de 8 mil milhões de patacas no caso do Baidu e cerca de MOP 12 mil milhões no do Tencent.

JOGO PERIGOSO

Comparar valores de mercado é um jogo perigoso, principalmente

Adeus liderança em ofertas públicas iniciais de acções

A

Declínio de mais de 50%

China perdeu a sua posição como o país com o maior volume de ofertas públicas iniciais de acções (IPO, em inglês) em termos de dólares, sendo ultrapassada pelos Estados Unidos, de acordo com os dados da empresa Dealogic. A China, que dominou o palco das ofertas públicas iniciais nos últimos três

anos, registou um declínio no corrente ano de mais de 50% do volume de IPO em dólares segundo os dados divulgados. O volume é de 10,3 mil milhões, face aos 23,1 mil milhões no mesmo período do ano passado. O valor deixa o país na segunda posição, atrás dos EUA, cujo volume captado em dólares nas IPO

porque as dúvidas quanto à contabilidade e à estrutura de controlo significam que até a acção da mais respeitável das empresas chinesas cotadas em bolsas estrangeiras é negociada com desconto em relação às das rivais americanas. Além disso, enquanto o Facebook é uma empresa mundial, as empresas chinesas de internet lutam pelo mercado interno. Ainda assim, tanto o Baidu, avaliado em 39 vezes o lucro, como o Tencent, avaliado em 36 vezes, parecem ficar mais em conta do que o Facebook. Para o investidor com medo de ser amigo da rede social de Mark Zuckerberg, aproveitar a internet chinesa é sempre uma alternativa, conclui Tom Orlik.

totalizou 11,9 mil milhões no presente ano. Embora o resultado dos EUA tenha sido 38% inferior ao registado no mesmo período do ano passado, o declínio foi menos acentuado do que o observado na China. As empresas chinesas tornaram-se uma venda mais difícil no ano passado para os investidores

em importantes mercados, como os de Hong Kong e dos EUA. Muitas das ofertas tiveram um desempenho abaixo da média em Hong Kong. As empresas chinesas também foram afectadas nos EUA por acusações de fraudes contabilísticas e problemas de gestão corporativa em acções cotadas nas bolsas norte-americanas.

Pagamentos com cartão de crédito em rápido crescimento As transacções através de cartão de crédito totalizaram cerca de MOP 9 mil milhões na China em 2011, o que representa uma subida anual de 47,95%, com destaque para a subida das compras online, segundo um relatório da Associação de Bancos da China (ABC), divulgado esta terça-feira. Cerca de 167 milhões de pessoas, ou 33% dos cibernautas chineses, utilizaram o pagamento online no ano passado, correspondendo a um aumento de 21,6%, em relação ao ano anterior, segundo o documento. A base de clientes de pagamento por internet tem vindo a expandir-se desde que o sector de cartões de crédito começou a fornecer serviços bancários online e iniciou cooperações com um maior número de instituições de pagamento não financeiras, segundo o secretário-geral da ABC, Chen Yuannian. A ABC sugeriu o fortalecimento da supervisão das instituições financeiras dos pagamentos on-line, uma vez que o rápido crescimento do sector apresenta riscos de fuga de informações e de transacções fraudulentas.

Começou em Pequim o Fórum Internacional sobre China, América Latina e Caraíbas

A

Momento histórico de cooperação comercial

transição da economia mundial, focada na China e na América Latina, é o tema principal do seminário inaugurado esta terça-feira em Pequim. Organizado pela Academia de Ciências Sociais da China e pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF, sigla em inglês), o fórum foi dividido em quatro blocos: desafios do processo de transição da economia mundial, acesso a serviços financeiros, desafios da reestruturação industrial e transformação do modelo de desenvolvimento de um país. Mais de 200 personalidades da área da economia

chinesa e internacional foram convidadas a participar, entre os quais o presidente executivo do Banco de De-

senvolvimento da América Latina, Enrique García, que questionado sobre se é possível manter a dinâmica

económica da China e dos países daAmérica Latina e das Caraíbas, face à incerteza por que passa a economia mun-

dial, respondeu com realismo. “Chegamos a um momento histórico na cooperação comercial China-América Latina. A política geográfica internacional e a situação económica mundial encontram-se em grande transformação. Nestas circunstâncias, a Ásia e a América Latina tornam-se dois blocos económicos dinâmicos que enfrentam grandes desafios e novos problemas que surgem no caminho da industrialização e na tentativa da eliminação das desigualdades em todos os aspectos.”

DESENVOLVIMENTOS

Por seu lado o presidente da Associação de Amizade

China, América Latina e Caraíbas, e economista de renome, Cheng Siwei, reafirmou a necessidade da China seguir o caminho da reforma e da abertura. “É preciso transformar o modelo de desenvolvimento e seguir o caminho de reforma e abertura. O desenvolvimento económico da América Latina está mais avançado do que o nosso. Os problemas que a China enfrenta hoje já foram sentidos nos países da América da Latina. Nos últimos anos, a situação na América Latina começou a melhorar. A sua experiência é, por isso, muito valiosa para nós.”


8

publicidade

www.hojemacau.com.mo

quinta-feira 10.5.2012


quinta-feira 10.5.2012

Governo local e parceiros de desenvolvimento reúnem-se em Díli. Com um regresso surpreendente

Presidente indonésio em Timor-Leste

O

Governo de Timor-Leste e os parceiros de desenvolvimento reúnem-se na próxima semana em Díli para analisar estratégias para o futuro e a eficácia dos programas implementados no país, refere em comunicado ontem divulgado o executivo timorense. Segundo o documento, a reunião anual, dedicada ao tema “Uma Nação Desenvolvida Entrega Sucessos, Desafios e Oportunidades para o Futuro”, vai decorrer na terça e quarta da próxima semana no Centro de Convenções de Díli. “O objectivo da reunião é reflectir sobre os sucessos e desafios do desenvolvimento e, ao mesmo tempo, considerar as estratégias direccionadas para o futuro, o reforço do alinhamento e a eficácia do desenvolvimento dos programas implementados em Timor-Leste.” O encontro é organizado pelo Ministério das Finanças através da Direcção de Eficácia para a Assistência Externa. Participam nas reuniões, que se realizam anualmente, países e organizações internacionais e não-governamentais que desen-

O

líder norte-coreano Kim Jong-un repreendeu os funcionários de um parque de diversões nos subúrbios de Pyongyang, numa rara visita ao local, por alegadamente prestarem um mau serviço ao povo, responsabilizando-os pelas más condições do local. O líder norte-coreano visita normalmente infra-estruturas militares, fábricas, quintas ou locais de construção, sendo raro realizar visitas a locais de lazer, mas desta vez deslocou-se ao parque de diversões Mangyongdae e “repreendeu” os responsáveis pelo local, informou a agência oficial norte-coreana KCNA. Kim Jong-un criticou os funcionários do parque por terem “um

região

www.hojemacau.com.mo

Yudhoyono, regressa a Timor-Leste sete anos depois da sua última visita, para participar no dia seguinte na tomada de posse do presidente eleito Taur Matan Ruak. Para além da presença na tomada de posse do futuro chefe de Estado timorense, a visita tem como objectivo impulsionar as relações económicas entre os dois países. O Presidente Susilo Bambang Yudhoyono, que realizou a última visita ao país em Abril de 2005, será também homenageado com a Ordem de Mérito pelas autoridades timorenses.

FORTALECER RELAÇÕES

volvam acções que contribuam para o desenvolvimento do país. Nações Unidas, União Europeia, Portugal, Austrália, Estados Unidos, China, Cuba, Japão, Singapura e Banco Mundial são

alguns dos parceiros de desenvolvimento de Timor-Leste.

SETE ANOS DEPOIS

No dia 19, o Presidente da Indonésia, Susilo Bambang

O ministro da Coordenação Económica indonésio, Hatta Rajasa, disse, citado pelo Jakarta Post, que o objectivo da visita visa um fortalecimento das relações económicas. Na semana passada, o ministro da Economia de Timor-Leste, João Gonçalves, esteve reunido em Jacarta com o ministro da Coordenação Económica da Indonésia, a quem apresentou um “desenvolvimento económico integrado”. “Timor-Leste convidou-nos para fornecer materiais para apoiar projectos no sector das infra-estruturas e investir no sector do petróleo e do gás”, disse Hatta Rajasa. O volume de negócios entre Indonésia e Timor-Leste foi, em 2011, de mais de 2 mil milhões de patacas, tendo aumentado 109,36% nos últimos cinco anos, refere o jornal. No dia 22 de Maio, o Presidente Susilo Bambang Yudhoyono recebe em Jacarta o chefe de Estado português, Cavaco Silva.

Líder norte-coreano Kim Jong-un repreendeu funcionários de parque de diversões

O ralhete supremo

espírito de servir o povo abaixo de zero”, tendo ficado irritado com as más condições do local ao constatar o mau es-

tado de conservação dos pavimentos, a pintura das instalações de diversão a saltar e as bases das árvores mal arranjadas.

“Ao ver as ervas daninhas a crescer entre os blocos do pavimento, ele, com um ar irritado, começou a arrancá-las uma a uma”, descreve um despacho da KCNA, segundo o qual Kim Jong-un repreendeu os funcionários do parque por não repararem neste tipo de coisas e pela falta de “afeição pelo local de trabalho e de consciência de servir o povo”.

NEGÓCIO E IDEOLOGIA

O líder norte-coreano afirmou na ocasião, citado pela KCNA, que

“não se trata apenas de uma questão de negócio, mas de ideologia” ao considerar que os oficiais “deverão aprender uma lição séria com a visita ao parque de diversões Mangyongdae”, alertando-os para a necessidade de terem um espírito apropriado para servir o povo. Chang Yong-Seok, do Instituto para a Paz e Unificação da Universidade Nacional de Seul, constatou ser raro o líder norte-coreano repreender publicamente alguém durante estas visitas, considerando que Kim Jong-un pretendeu reforçar o seu poder perante a elite de Pyongyang e enviar uma mensagem ao povo de que está a tratar bem dele, disse à agência noticiosa AFP.

9

Tailândia FIDH quer morte investigada

A Federação Internacional dos Direitos Humanos (FIDH) apelou ontem às autoridades tailandesas para investigarem a morte na prisão, aparentemente por razões de saúde, de um sexagenário condenado pelo crime de lesa-majestade. Ampon Tangnoppakul, de 61 anos, morreu na terça-feira numa cadeia de Banguecoque, onde cumpria, desde Novembro de 2011, uma pena de 20 anos de prisão. Foi condenado no ano passado, por ter enviado mensagens escritas ao secretário pessoal do primeiro-ministro de então consideradas “inapropriadas” pela polícia, alegadamente por “insultarem a monarquia”. Em comunicado, a FIDH denunciou que as condições em que o sexagenário, com problemas de saúde, se encontrava preso não cumpriam os requisitos mínimos internacionais e pediu uma revisão da lei de lesa-majestade, que qualificou de “injusta” e contrária à liberdade de expressão.

Filipinas Incêndio em loja mata 17 pessoas

Pelo menos 17 pessoas morreram ontem na sequência de um incêndio que deflagrou, durante a madrugada, numa loja de roupa na cidade de Butuan, na ilha de Mindanao, no sul das Filipinas, informaram as autoridades locais. As vítimas são funcionários da loja e estavam a dormir no interior do estabelecimento comercial quando ocorreu o incêndio. As autoridades filipinas indicaram que 22 pessoas se encontravam no interior da loja quando ocorreu o incêndio, cerca das 3:55 locais. Os bombeiros demoraram cerca de cinco horas para dominar o fogo e as autoridades estão agora a investigar as suas causas.

Coreia do Sul Soldado americano condenado

Um tribunal de Seul condenou ontem um soldado norte-americano a seis anos de prisão, por ter violado uma jovem sulcoreana no ano passado. A condenação de Kevin Robinson seguiu-se à de outro norte-americano, a quem foi aplicada, em Novembro do ano passado, uma pena de 10 anos de prisão por um crime semelhante. Os EUA têm cerca de 28.500 soldados estacionados na Coreia do Sul.


10

fotografia

quinta-feira

www.hojemacau.com.mo

Município de Nova Iorque divulga 870 mil fotos

Mais de um século de história F

OI musa de Weegee, Irving Penn, Robert Frank, Diane Arbus, Berenice Abbott, entre outros. Imaginada, sugerida, evocada mas sobretudo imortalizada em milhões de fotografias e em milhares de filmes ao longo dos últimos 150 anos, Nova Iorque provavelmente seja a modelo mais cobiçada das cidades do planeta. A sua indiscutível fotogenia, unida ao talento de quem a converteu em estrela da imagem e em insuperável decoração cinematográfica, contribuiu para alimentar a infinita curiosidade mundial por uma cidade onde os sonhos não desvanecem e em que as desilusões podem ser tão devastadora como ver um homem na calçada a partir de qualquer um de seus arranha-céus. Foi em Nova Iorque que a fotografia se converteu em arte graças ao trabalho de, entre muitos outros, Alfred Stieglitz e Paul Strand. Por isso é impossível tirar os olhos da cidade. Prova disso é que o site lançado para divulgar 870 mil imagens dos Arquivos Municipais de Nova Iorque ficou offline no mesmo dia em que foi lançado, devido ao imenso tráfego virtual. Os registos cobrem desde meados do século XIX até aos anos de 1980. Fazem parte de um conjunto de mais de dois milhões de fotografias que chegarão à Internet à medida que haja dinheiro para completar o processo de digitalização.

PONTES, PRÉDIOS E HORIZONTE

As fotografias não são nem famosas nem conhecidas. Pelo contrário, na sua maioria foram feitas por funcionários para, por exemplo, registar a existência de cada um dos edifícios da cidade, ou o andamento de uma obra de infra-estrutura. Ou mesmo, um crime, ou a simples beleza do horizonte visto do alto de uma ponte que o emoldura como se fosse uma janela. Apesar de não estarem tocados pela fama, os autores demonstram que o mundo esteve, e está, cheio de grandes talentos cujos nomes nunca vão ser conhecidos. Entre eles, muitos detectives do Departamento de Polícia de Nova Iorque, que presumivelmente tem a maior colecção de imagens de crimes e criminosos dos EUA. Os amantes do género mais mórbido vão ter à sua disposição online centenas de imagens de casos não resolvidos. Mas essa é só uma pequena parte. O grosso do acervo é composto por

800 mil retratos tirados nos anos 80 de cada um dos edifícios dos cinco bairros da cidade.Além disso há 1.300 imagens da época da depressão feitas por fotógrafos locais que trabalharam para a ‘Works Progress Administration’, agência criada para por em prática o ‘New Deal’. “Sabíamos que tínhamos colecções fantásticas de fotografia e ninguém imaginava quão boas eram” disse na à agência AP Kenneth Cobb, um dos membros do Departamento de Registos Municipais, uma repartição por sua vez dividida em subdepartamentos como o de Pontes, Túneis e Estruturas. Aí trabalhava, como chefe de fotografia, uma das poucas quase celebridades da colecção: Eugene de Salignac. O funcionário permaneceu no anonimato até que o próprio Arquivo Municipal decidiu resgatá-lo do ostracismo e catalogar toda a sua obra, que vai de 1906 a 1934. Um período considerado chave na história de uma cidade que, nessas décadas, deixava de ser cidade para se tornar a grande metrópole do século XX. As imagens de Salignac registam momentos épicos da história de Nova Iorque, como um grupo de pintores em equilíbrio sobre os tensores da ponte do Brooklin ou o início da construção da ponte de Manhattan vista a partir de uma rua do bairro de Dumbo. Então um reduto de operários, o bairro está hoje transformado num dos mais finos da cidade. Se há algo de excelente nessa colecção, que até agora só podia ser consultada fisicamente na sede dos Arquivos Municipais, é que ela mostra a metamorfose sofrida por uma cidade que não seria a mesma no imaginário colectivo se não fossem, precisamente, as milhões de imagens que dela há.


a 10.5.2012

www.hojemacau.com.mo

fotografia

11


12

vida

quinta-feira 10.5.2012

www.hojemacau.com.mo

Galgo da campanha da Grey2K USA sofreu acidente

Macau

Brooklyn, que futuro? Gonçalo Lobo Pinheiro glp@hojemacau.com.mo

I

RONIA das ironias. O rosto da campanha de sensibilização “Salvem o Brooklyn”, da organização norte-americana Grey2K USA, sofreu um acidente durante uma corrida de galgos no Canídromo de Macau, anteontem. O Hoje Macau sabe que Brooklyn está fora das corridas, com diversos ferimentos, mas ainda não conseguiu apurar, junto da Companhia de Corrida de Galgos de Macau Yat Yuen, qual a gravidade das lesões. “Brooklyn está ferido numa perna e retirado da competição”, pode ler-se na página oficial do Canídromo. Instado a comentar o sucedido, o presidente da ANIMA - Sociedade Protectora dos Animais de Macau, Albano Martins, nem quer

acreditar no que aconteceu. “Frustrante. O Brooklyn é o rosto de uma campanha que visa proteger os cães galgo.” Brooklyn sempre foi um cão vencedor, mas desde há uns tempos que vinha perdendo o gás. “Era um cão rápido mas agora está cansado?”, desabafou o presidente da ANIMA. “Tem vindo a ficar nas posições mais baixas das corridas e agora isto.” Para já, Albano Martins PUB

assume contactos oficiais com o Governo. “Enviei uma carta dirigida à Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ) e ainda outra dirigida ao Chefe do Executivo, Fernando Chui Sai On.” Paralelamente, o também economista preocupa-se com a imagem de Macau. “Se o cão for abatido a opinião pública internacional cairá em cima do Governo da RAEM, não tenho dúvidas.”

O PÂNICO DA GREY2K USA

A organização norte-americana Grey2K USA luta,

Sã Assado desde 2001, pela extinção das corridas de galgos. De acordo com Albano Martins, ficou em “pânico” com a notícia. “Falei com eles de madrugada e pediram-me para levar o animal para a ANIMA, algo que não foi autorizado pelo Canídromo.” A campanha “Salvem o Brooklyn” começou no final do ano passado, após visita de uma representante da Grey2K USA a Macau. Na altura, para além da parceria feita com a ANIMA, a organização norte-americana lançou uma campanha para convencer os proprietários Companhia de Corrida de Galgos de Macau Yat Yuen a permitir que Brooklyn fosse adoptado após a retirada das corridas. Neste momento, tudo é uma incógnita. “E agora será abatido?”, questionou Martins. “Há mais de seis meses que os americanos pediram a sua libertação e agora o cão está ferido.”

DISCURSO DÍFICIL As palavras escaparam-se-me por entre os dedos. Não sei mais o que diga enquanto te espero junto ao tanque de “gasoled”. Talvez “fuma” se tiver “rume” para acender o cigarro. É “proeido” não vires... Porque Macau Sã Assi mas também Sã Assado Foto: Ana Croce

Arquitecto português apresenta projecto de casas solares HM 1.ª VEZ 10-5-12 Execução Ordinária Exequente: Executados:

ANÚNCIO n.º CV2-08-0031-CEO

2º Juízo Cível

DBS BANK (HONG KONG) LIMITED/星展銀行(香港)有限 公司, com sede em Hong Kong e sucursal em Macau, na Rua da Santa Clara, nº 5 a 7E, Edifício Ribeiro, Lojas “C” e “D”, registado na Conservatória dos Registos Comercial e de Bens Móveis de Macau, sob o nº 17182. AGÊNCIA COMERCIAL DE DESENVOLVIMENTO TONG HANG INTERNACIONAL LIMITADA/同享國際商 貿有限公司, com sede em Macau no Beco da Alegria, nº 61, Edifício “Chong Fok Garden, Liking Court”, 11º andar “F”, registada na Conservatória dos Registos Comercial e de Bens Móveis sob o número 14064; e. TONG WA LENG/湯華玲, solteira, residente em Macau na Rua do General Ivens Ferraz, Bairro Fai Chi Kei, nº 422-A, 6º andar, D.

Faz-se saber que nos autos acima indicados são citados os credores desconhecidos dos executados para, no prazo de quinze dias, que começa a correr depois de finda a dilação de vinte dias, contada da data da segunda e última publicação do anúncio, reclamar o pagamento dos seus créditos pelo produto do bem penhorado sobre que tenha garantia real, e que é o seguinte: Imóvel Penhorado Denominação da fracção autónoma: “D6” do 6º andar “D”. Situação: nºs 427 a 497 da Rua do Comandante João Belo, Bairro Fai Chi Kei; nºs 422 a 498 da Rua do General Ivens Ferraz, Bairro Fai Chi Kei; e nºs 230 a 260 da Rua da Doca Seca. Fim: Para habitação. Número de matriz: nº. 73136. Número de descrição na Conservatória do Registo Predial: nº. 21911, a fls. 97 do Livro B106. Número de inscrição da propriedade horizontal: nº. 34225, a fls. 31 do Livro nº F127M. Macau, em 18 de Abril de 2012.

U

Seguir o sol como uma flor

MA casa com painéis solares que gira para acompanhar o Sol, imitando os girassóis, é o projecto de um investigador português, que será apresentado em Setembro, em Madrid, na Solar Decathlon. Esta é a maior feira do mundo especializada em arquitectura sustentável. O projecto é de Manuel Lopes, de 40 anos, aluno de mestrado na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP). Sonha com “o primeiro aldeamento vivo do mundo”, em que várias casas de um bairro girem em sincronia como

num campo de girassóis, de modo a recolher mais energia do que consomem. A maquete já está pronta

e ilustra “o sistema mecânico que permite que a cobertura da casa, revestida a painéis fotovoltaicos, se

*NOTA DA REDACÇÃO O Hoje Macau substituiu a rubrica “Click Ecológico” por outra, intitulada “Macau sã assado”. O desafio serve para mostrar diversos aspectos do quotidiano caricato do território. Os nossos leitores ficam assim convidados a enviar fotos para o e-mail info@hojemacau.com. mo, em assunto “Macau sã assado” e uma breve legenda. As fotos devem retratar os momentos mais engraçados e insólitos do dia-a-dia de Macau e deverão ser identificadas com o nome do seu autor.

comporte com um efeito de girassol”, o que pode permitir produzir “cerca de duas vezes e meia mais electricidade do que precisa”. “Os movimentos da casa surgiram como solução para obter uma maior produção de energia”, explicou em entrevista à agência Lusa, “sempre na perspectiva de conseguir um ganho térmico de forma a conseguir mais sombra durante o Verão e permitindo que o Sol incida mais na fachada durante o Inverno”, dando assim azo a um ganho térmico na ordem dos 60% a 80%.


quinta-feira 10.5.2012

Andreia Sofia Silva

andreia.silva@hojemacau.com.mo

A

Universidade de São José (USJ) voltou a juntar-se à revista Macau Business para elaborar o 11º Relatório sobre a Qualidade de Vida em Macau e os resultados são claros: o ambiente é o sector da sociedade que gera menos confiança na população. Olhando para o Índice Nacional de Bem-Estar, o estado do ambiente aparece em último lugar, com 61% das respostas, valor que desceu relativamente ao último estudo. Richard Whitfield, um dos autores do estudo e também docente da USJ, afirmou ao Hoje Macau que o resultado não o surpreendeu. “O ambiente está num nível mais baixo porque é bastante pobre em Macau. Esperava que estivesse no fim da tabela.” Deixando de lado questões ambientais, os níveis de satisfação da população atingiram os valores

13

Estudo revela níveis de satisfação dos cidadãos

Confiança ambiental em baixa mais elevados desde os últimos tempos, com cerca de 64%. “As pessoas preocupam-se com Macau mas consideram que a situação está estável, sendo que o que se passa à volta do mundo não interessa.” A confiança na segurança do território está no máximo, com quase 70%, seguindo-se a situação económica e os negócios, que registaram um aumento. “A turbulência da economia no mundo não teve impacto no território e as pessoas pensam que as coisas vão ficar cada vez melhores”, acrescentou o docente. Olhando para o gráfico de análise desde os primórdios do estudo, em 2007, houve apenas dois casos que fizeram baixar a satisfação da população: a crise económica mundial, em 2008, e o começo do caso Ao Man Long, em 2007.

O LUGAR DO GOVERNO

Apesar de estar em penúltimo lugar na tabela, a satisfação com o trabalho do Governo apresenta níveis elevados, na ordem dos 61%, tendo aumentado cerca de três pontos face ao último relatório. O estudo revela que os apoios financeiros que o Governo dá à população são uma explicação para o facto, mas o docente da

USJ tem outra ideia para explicar uma posição que fica muito atrás da satisfação na segurança da RAEM ou dos negócios. “Onde quer que façamos estudos deste género o Governo aparece sempre nos níveis mais baixos, é um padrão geral. Embora o Executivo dê dinheiro, não o faz com toda a gente. Quando foram inquiridas, as pessoas reagiram às coisas que as afectam de forma

HOJE MACAU

A segurança, a situação económica e os negócios estão no topo da satisfação dos cidadãos, mas o ambiente está em último lugar. Para quando uma mudança?

vida

www.hojemacau.com.mo

directa: o aumento da inflação, as rendas altas e a qualidade dos serviços médicos.” Richard Whitfield não tem dúvidas: “as pessoas querem que o Executivo dê mais apoios, com mais casas públicas e ajudas financeiras aos hospitais.” Quando ao Índice Pessoal de Bem-Estar, situa-se nos 65,1%. Os cidadãos estão mais satisfeitos com as suas relações pessoais,

com a segurança e com a saúde. A família, os amigos e o lazer são as três prioridades na vida. Quanto à política e à religião, estão no fundo da tabela, com 60% e 55% das escolhas, respectivamente.

RELIGIÃO POUCO IMPORTA

Todos os anos o relatório tenta focar-se num ponto diferente. Desta vez, foram analisados os valores e crenças da população de Macau. Os resultados mostram que “a religião não é uma parte integrante da vida das pessoas”, segundo revela o docente da USJ. Apesar de 56% dos inquiridos terem afirmado que estudaram numa escola religiosa, “a sociedade de Macau não é muito religiosa, nem se preocupa com as questões espirituais”, diz o estudo. 47,6% diz que frequenta a igreja “em certas ocasiões”, enquanto 30,8% afirma que “nunca” praticou tal acto. 38,7% dos inquiridos são católicos, 31% não têm religião e 24,1% são budistas. “A sociedade parece aberta e tolerante mas na generalidade não é muito religiosa. Não é atribuída uma grande importância ao papel de Deus e da religião na vida das pessoas, que não pensam muitas vezes em questões transcendentes, como o sentido da vida.”


14

publicidade

quinta-feira 10.5.2012

www.hojemacau.com.mo

EDITAL Edital no :33/E/2012 Processo no :1404/2005/F, 1427/BC/2010/F e 2517/2006/F Assunto :Demolição da obra não autorizada pela infracção às respectivas disposições do Regulamento de Segurança Contra Incêndios (RSCI) Locais :Rua do Colonos no 4, Edf.添業, terraço sobrejacente à fracção 5o andar A (CRP: A4), Macau. Rua do Colonos no 4, Edf.添業, terraço sobrejacente à fracção 5o andar B (CRP: B4), Macau. Rua do Colonos no 4, Edf.添業, terraço sobrejacente à fracção 5o andar C (CRP: C4), Macau. Chan Pou Ha, subdirectora da Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes, no uso das competências delegadas pela alínea 7) do no 1 do Despacho no 09/SOTDIR/2009, publicado no Boletim Oficial da RAEM no 16, II série, de 22 de Abril de 2009, faz saber por este meio ao Sr. Chan Keng Lin, interessado, bem como aos demais donos da obra ou seus mandatários e aos utentes dos locais indicados em epígrafe, cujas identidades se desconhecem, o seguinte: 1 Processo no 1404/2005/F. Local da obra: Rua do Colonos no 4, Edf.添業, terraço sobrejacente à fracção 5o andar A (CRP: A4), Macau. O agente de fiscalização desta DSSOPT deslocou-se ao local acima indicado e verificou a realização de obra sem licença cuja descrição e situação é a seguinte: Infracção ao RSCI e Sanção motivo da demolição Construção de um compartimento não autor- Infracção ao no 4 do artigo Nos termos do no 3 do artigo 87o do izado com paredes em alvenaria de tijolo, janela 10o, obstrução do caminho mesmo regulamento, é sancionável 1.1 com multa de $4 000,00 a $40 em caixilharia de alumínio, cobertura em betão de evacuação. 000.00 patacas. e pala metálica. Obra

2

1.2 De acordo com o no 1 do artigo 95o do RSCI, foi realizada, no seguimento de notificação por edital publicado nos jornais em língua chinesa e portuguesa de 07/01/2011, a audiência escrita dos interessados, mas não foram carreados para o procedimento elementos ou argumentos de facto e de direito que pudessem conduzir à alteração do sentido da decisão de ordenar a demolição da obra não autorizada acima indicada. Processo no 1427/BC/2010/F. Local da obra: Rua do Colonos no 4, Edf.添業, terraço sobrejacente à fracção 5o andar B (CRP: B4), Macau. O agente de fiscalização desta DSSOPT deslocou-se ao local acima indicado e verificou a realização de obra sem licença cuja descrição e situação é a seguinte: Infracção ao RSCI e Sanção motivo da demolição Construção de um compartimento não autor- Infracção ao no 4 do artigo Nos termos do no 3 do artigo 87o do izado com paredes em alvenaria de tijolo, cobe- 10o, obstrução do caminho mesmo regulamento, é sancionável 2.1 com multa de $4 000,00 a $40 rtura em betão, pala e gradeamento metálicos. de evacuação. 000.00 patacas. Construção de mais uma cobertura em chapa Infracção ao no 4 do artigo Nos termos do no 3 do artigo 87o do de zinco e suporte metálico sobrejacente ao 10o, obstrução do caminho mesmo regulamento, é sancionável 2.2 de evacuação. com multa de $4 000,00 a $40 compartimento referido no ponto 2.1. 000.00 patacas. Obra

3

2.3 De acordo com o no 1 do artigo 95o do RSCI, foi realizada, no seguimento de notificação por edital publicado nos jornais em língua chinesa e portuguesa de 07/01/2011, a audiência escrita dos interessados, mas não foram carreados para o procedimento elementos ou argumentos de facto e de direito que pudessem conduzir à alteração do sentido da decisão de ordenar a demolição da obra não autorizada acima indicada. Processo no 2517/2006/F. Local da obra: Rua do Colonos no 4, Edf.添業, terraço sobrejacente à fracção 5o andar C (CRP: C4), Macau. O agente de fiscalização desta DSSOPT deslocou-se ao local acima indicado e verificou a realização de obra sem licença cuja descrição e situação é a seguinte: Infracção ao RSCI e Sanção motivo da demolição Construção de um compartimento não au- Infracção ao no 4 do artigo Nos termos do no 3 do artigo 87o do torizado com paredes em alvenaria de tijolo, 10o, obstrução do caminho mesmo regulamento, é sancionável 3.1 com multa de $4 000,00 a $40 janela em caixilharia de alumínio e cobertura de evacuação. 000.00 patacas. em betão. Construção de mais uma cobertura em chapa Infracção ao no 4 do artigo Nos termos do no 3 do artigo 87o do de zinco, suporte e gradeamento metálicos 10o, obstrução do caminho mesmo regulamento, é sancionável 3.2 com multa de $4 000,00 a $40 sobrejacente ao compartimento referido no de evacuação. 000.00 patacas. ponto 3.1. Obra

3.3 De acordo com o no 1 do artigo 95o do RSCI, foi realizada, no seguimento de notificação por edital publicado nos jornais em língua chinesa e portuguesa de 07/01/2011, a audiência escrita dos interessados, mas não foram carreados para o procedimento elementos ou argumentos de facto e de direito que pudessem conduzir à alteração do sentido da decisão de ordenar a demolição da obra não autorizada acima indicada. 4 Sendo as escadas e corredores comuns e terraço do edifício considerados como caminhos de evacuação, devem os mesmos conservar-se permanentemente desobstruídos e desimpedidos, de acordo com o disposto no no 4 do artigo 10o do RSCI. 5 Nestas circunstâncias, de acordo com o no 1 do artigo 88o do RSCI e no uso das competências delegadas pela alínea 7) do no 1 do Despacho no 09/SOTDIR/2009, publicado no Boletim Oficial da RAEM no 16, II Série, de 22 de Abril de 2009, e por meu despacho de 07/05/2012 exarado sobre a informação no 6944/DURDEP/2011, ordeno aos donos da obra ou seus mandatários que procedam, por sua iniciativa, no prazo de 8 (oito) dias contados a partir da data de publicação do presente edital, à demolição das obras acima indicadas e à reposição dos locais afectados, devendo, para o efeito e com antecedência, apresentar na Divisão de Fiscalização do Departamento de Urbanização desta DSSOPT, a declaração de responsabilidade do construtor responsável por essa demolição, bem como a apólice de seguro contra acidentes de trabalho e doenças profissionais. Após a conclusão dos referidos trabalhos deverá ser comunicado o facto à DSSOPT para efeitos de vistoria. 6 Findo o prazo da demolição e da desocupação não será aceite qualquer pedido de demolição da obra acima mencionada. De acordo com o no 2 do artigo 139o do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei no 57/99/M, de 11 de Outubro, notifica-se ainda que nos termos dos nos 1 e 2 do artigo 89o do RSCI, a DSSOPT, em conjunto com outros serviços públicos e com a colaboração do Corpo de Polícia de Segurança Pública, procederá a partir do termo do prazo atrás referido à execução dos trabalhos acima referidos, a expensas do infractor. Além disso, tendo o prazo da demolição e da desocupação voluntárias expirado, a DSSOPT dará início aos trabalhos da demolição e da desocupação, não podendo ser cancelados os referidos trabalhos uma vez iniciados. Por fim, os materiais e equipamentos deixados no local acima indicado serão depositados no local indicado à guarda de um depositário a nomear pela Administração. Findo o prazo de 15 (quinze) dias a contar da data do depósito e caso os bens não tenham sido levantados, consideram-se os mesmos abandonados e perdidos a favor do governo da RAEM, por força da aplicação do artigo 30o do Decreto-Lei no 6/93/M, de 15 de Fevereiro. 7 As obras acima indicadas infringem o disposto no RSCI, pelo que, os infractores são sancionáveis com a respectiva multa. Além disso, de acordo com o no 4 do artigo 87o do mesmo regulamento, em caso de pejamento dos caminhos de evacuação, será solidariamente responsável a entidade que presta os serviços de administração ou segurança do edifício. 8 Nos termos do no 1 do artigo 97o do RSCI e das competências delegadas pelos nos 1 e 4 da Ordem Executiva no 124/2009, publicada no Boletim Oficial da RAEM, Número Extraordinário, I Série, de 20 de Dezembro de 2009, da decisão referida no ponto 5 do presente edital cabe recurso hierárquico necessário para o Secretário para os Transportes e Obras Públicas, a interpor no prazo de 8 (oito) dias contados a partir da data de publicação do presente edital. Aos 07 de Maio de 2012 A Subdirectora dos Serviços Enga Chan Pou Ha


quinta-feira 10.5.2012

cultura

www.hojemacau.com.mo

15

Lista da UNESCO não deve ser esquecida, diz presidente da AEPM

“Esperemos que a realize o quanto antes” O Hoje Macau foi saber a posição da Associação dos Embaixadores do Património de Macau (AEPM) face às medidas que estão a ser pensadas para os bens classificados e a zona histórica da cidade. As respostas do presidente, Tam Chi Kuong, foram contundentes Rita Marques Ramos rita.ramos@hojemacau.com.mo

De acordo com a vossa apreciação relativa à nova lei de salvaguarda do património - em apreciação na Assembleia Legislativa (AL) - quais é que são as verdadeiras garantias de conservação e protecção do património? Desde que a Protecção do Património Cultural foi proposta - as consultas públicas começaram em 2008 - o Governo só entregou o projecto de lei para a AL este ano. A nossa associação espera que o projecto possa ser aprovado pelos deputados, claro, sob o princípio de protecção do património cultural. Queremos também que o Governo faça os programas de gestão adequados para o património cultural, bem como continue a realizar o trabalho de promoção

as reconstruções têm que ser adaptadas às fachadas dos prédios mais antigos, uma consideração que parte do Instituto Cultural. Para nós, o mais importante é a protecção das construções e ruas antigas, que também têm de ser adequadas com o planeamento da cidade.

e educação de património cultural para os cidadãos. Há sanções previstas para as pessoas que danifiquem o património, inclusivamente os proprietários privados que desleixam os seus edifícios considerados património? A lei recente sobre o salvaguarda do património cultural não tem uma especificação clara sobre o tipo de punição que será aplicada quando o cidadão ou o proprietário danifique o património cultural. A punição dirige-se não só contra a acção relativa ao edifício danificado, deteriorado ou arruinado, mas ajuda também as autoridades a terem um instrumento quando fazem o acompanhamento dos diferentes casos. Concordamos que a punição tem que ser mais pesada comparando com os casos de prejuízo actualmente dispostos para chamar a atenção ao povo. As novas punições serão suficientes? Não. Consideramos que deveria existir um ponto na nova proposta de lei para punir as acções incivilizadas, como as de cidadãos que são apanhados a atirar moedas nas Ruínas de S. Paulo, mas não há nada contra isso. Consideramos que estes casos podem ser prejudiciais para o património cultural, a nível de danificação e estética da imagem. Se o cidadão é alertado a não fazê-lo (tal como está explicito nos letreiros do monumento) e ainda assim o faz, deveria ser punido. Os edifícios classificados, pertencentes a privados, têm de ser

restaurados e conservados pelos próprios. Não deveria ser o Governo detentor de todos os bens classificados como património? Os proprietários do património cultural têm que sentir orgulho de possuir tais edifícios, é uma honra. Significa que têm a possibilidade de ser os detentores do património cultural raro de RAEM e o privilégio conservá-lo, passando esse testemunho da história de Macau para os descendentes. No entanto, os proprietários devem ter responsabilidades sociais, não podem usar os seus prédios para proveito próprio, por exemplo, ganhando dinheiro com turistas que o queiram visitar. As recentes experiências mostram-nos que os projectos alvo de construção atraem mais povo, por isso

também se promove o desenvolvimento económico. Mas não é ideal que o Governo seja detentor do património cultural. Relativamente ao reordenamento do território e dos bairros antigos, também previsto no diploma, como avaliam a questão e a vida dos moradores destas zonas? A reconstituição das zonas antigas é uma parte importante no desenvolvimento social, mas isso não significa que estes bairros antigos têm que ser todos reconstruídos ou demolidos. Isto é uma questão que tem de ser muito bem analisada. É necessário planear aqueles que devem ser restaurados e mantidos sob conservação vigiada e quais os que devem ser reconstruídos. Necessariamente

A aguardar entrada na Assembleia Legislativa está ainda o novo Planeamento Urbanístico de Macau. Quais os interesses que vão ser tidos em consideração? O planeamento tem que ser aprovado o mais rapidamente possível. Tem que ser a base da lei para de Salvaguarda do Património Cultural, desenvolvimento de cidade, reconstrução da cidade, uso da terra (Lei de Terras). O planeamento urbanístico tem de considerar o património cultural. O Instituto Cultural deveria já ter entregue uma lista emendada de bens a classificar - edifícios classificados ou património intangível - pedida pela UNESCO há cinco anos. Há novos edifícios a serem considerados? Esperemos que o Governo realize o quanto antes os compromissos relativamente a novos edifícios a considerar na Protecção do Património Cultural. Deve fazer a lista das protecções do património cultural, segundo um recenseamento dos patrimónios, a fim de incluir as construções do território, os espaços verdes e fazer menção dos edifícios que têm mais valor patrimonial.

Feira de Arte do Tap Seac começa sexta-feira

A

Artistas da Malásia vêm cá

Feira de Arte do Tap Seac está a chegar. Nos próximos dois fins-de-semana, entre as 17h00 e as 20h00, a praça vai reunir artesãos de Macau, Cantão, Hong Kong, Taiwan e, uma estreia nesta quinta edição, Malásia. Este ano, participarão 71 tendas locais (mais 11 do que no último ano), num total de 360. A organização espera bater os 30 mil visitantes de 2011, uma vez que alargou ainda mais as actividades e o número de participantes, despendendo 1,1 milhão de patacas.

“Temos nove vezes mais participantes comparativamente à primeira vez [Junho de 2008]. Há mais artistas de Macau, incluindo grupos jovens a provarem as suas capacidades”, refere Chai Chi Hong, chefe dos serviços culturais e recreativos. Pelo menos três marcas ou associações incluem participações estudantis. Vanessa Cheah, coordenadora do grupo de artistas da Malásia, diz que serão introduzidas 10 marcas de vários grupos da capital e de outras regiões. “Apareceram dois

grupos na minha loja de moda com vontade de participar e eu decidi convidar os restantes. A Feira é realmente reconhecida no exterior, sob desígnios de autenticação e originalidade.” De Taiwan vem a marca de designers CAMPOBAG, do interior da China aparece o Mercado Criativo e Hong Kong vê-se representado por The Boys’ and Girls’ Clubs Association, que inclui a promoção dos conceitos de protecção ambiental e desenvolvimento criativo dos jovens. No recinto também marcarão presença 10

bandas e cantores, durante os dois sábados, entre as 17h00 e as 21h00. Nos fins-de-semana de 11 a 13 e de 18 a 20 de Maio vai haver lugar também para 16 workshops - artes manuais, carimbos, máscaras, álbuns de fotografias, arte de bambu - cujo valor de inscrição é 50 patacas, com limite de participação de 20 pessoas. As inscrições podem ser feitas nos Serviços Culturais e Recreativos do IACM (Av. Praia Grande, 517, 7º andar) até 30 minutos antes. - R.M.R.


desporto

16

quinta-feira 10.5.2012

www.hojemacau.com.mo

Singapura acolheu combates da WBA e da IBO

A capital do boxe Marco Carvalho info@hojemacau.com.mo

T

EVE o pássaro na mão e deixou-o fugir. Macau poderá ter perdido para Singapura a possibilidade de se tornar a principal montra asiática de boxe ao mais alto nível, depois da cidade-estado ter recebido no início do mês dois dos combates de maior nomeada do final da temporada competitiva de 2011/2012. A Arena Desportiva do resort Marina Bay Sands encheu para assistir ao frente-a-frente entre Chris John e Shoji Kimura. O atleta japonês desafiou, sem sucesso, o

A

comissão executiva da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) aprovou nesta terça-feira os calendários das candidatura para as competições profissionais, que terão de ser apresentadas até às 18h de 21 de Maio. A LPFP apostou no endurecimento das formalidades referentes aos pressupostos de natureza financeira de candidatura para a época 2012/2013, nomeadamente no que diz respeito à apresentação dos orçamentos dos clubes sujeitos ao regime especial de gestão e às sociedades desportivas. Os eventuais incumprimentos constituem fundamento de impedimento de participação, desclassificação para a divisão inferior, perda do direito de promoção ou exclusão das competições profissionais,

titular do estatuto de campeão do mundo na categoria de pesos-pena da Associação Mundial de Boxe. O lutador indonésio respondeu ao desafio com uma exibição categórica que lhe valeu a revalidação do título e a 45ª vitória da carreira. Em 47 combates, Yohannes Christian John nunca provou o sabor da derrota, tendo vencido 22 confrontos por KO e somado empates em apenas dois desafios. Os mais de 4000 espectadores que assistiram à revalidação do título por parte de Chris John viram também o seu compatriota Daud Yordan incutir a primeira derrota da carreira ao filipino Lorenzo Villanueva. O

combate servia também para coroar um novo campeão do mundo na categoria de pesos-pena, ainda que no âmbito das lides competitivas tuteladas pela Organização Internacional de Boxe.

A PRESENÇA DE JIMMY LENNON

O sucesso da iniciativa, que juntou pela primeira vez num mesmo ringue competitivo a decisão de títulos mundiais de duas organizações distintas, foi amplificado pela presença em Singapura de Jimmy Lennon, um dos mais conhecidos mestres de cerimónias do mundo do boxe. O apresentador norte-americano considera que com o

Liga endurece requisitos para evitar incumprimento dos clubes

Pulso firme

com a excepção dos pressupostos estabelecidos para os clubes sujeitos ao regime especial de gestão e para as sociedades desportivas que estejam em processo de regularização de dívidas à administração fiscal e Segurança Social. A 28 de Maio termina o prazo para a primeira verificação pelos serviços administrativos da Liga de clubes, a 6 de Junho realiza-se a primeira reunião da comissão técnica de estudos e auditoria, a 8 de Junho são notificados os clubes e as SAD sobre o “sentido provável da decisão”, a 19 de

PUB

Informa-se que a lista provisória para o preenchimento de nove lugares de fiscal técnico de 2.ª classe, 1.º escalão da área de actividade de obras públicas, do quadro de pessoal da Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental, encontra-se afixada na Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental, sita na Alameda Dr. Carlos D’Assumpção, n.os 393 a 437, Edifício “Dynasty Plaza”, 10.° Andar, em Macau, e publicada na página electrónica www.dspa.gov.mo. Os candidatos admitidos condicionalmente devem entregar os documentos em falta na Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental, no prazo de 10 dias úteis a contar da data de publicação da referida lista provisória, durante o horário de expediente, sob pena de, não o tendo feito, se considerar como desistência do concurso. O Director, Cheong Sio Kei Aos 9 de Maio de 2012

nadores não pode ultrapassar 70% do valor das despesas ordinárias consignadas no orçamento dos clubes.

A UNIÃO DE LEIRIA

Junho completa-se o prazo de audiência dos interessados e a 25 de Junho é elaborado o parecer definitivo e notificados os clubes e as SAD da decisão da comissão executiva. Em relação ao processo de candidatura, a LPFP exige que os respectivos orçamentos respeitem vários requisitos, entre os quais o de que as receitas ordinárias devem cobrir as despesas ordinárias, o cálculo da massa salarial anual não pode ter por base valores inferiores aos fixados por instrumento de regulamentação colectiva aplicável e a massa salarial anual dos praticantes e trei-

AVISO

investimento certo a cidade-estado pode fazer sombra a Las Vegas como um dos principais palcos mundiais da modalidade: “Parece-me óbvio que Singapura reúne as condições adequadas para se tornar

A Liga também estabelece regras quanto aos pareceres dos revisores oficiais de contas ou da Sociedade Revisora de Contas, referentes aos orçamentos apresentados e às declarações que comprovem a inexistência de dívidas salariais a jogadores e treinadores na época 2011/2012. No caso de acordos escritos de regularização, o clube deverá fazer prova documental do cumprimento das obrigações vencidas à data da apresentação da candidatura (21 de Maio de 2012) e que tenham por objecto as retribuições-base ou compensações mensais devidas até 5 de Maio de 2012. As certidões comprovativas da situação contributiva regularizada, quer perante a administração fiscal, quer perante a Segurança Social, por referência às dívidas até 30 de Abril de 2012, terão de ser necessariamente emitidas. Os novos pressupostos financeiros aprovados pela Liga surgem após declarações do novo presidente daquele organismo, Mário Figueiredo, no sentido do endurecimento da fiscalização aos clubes e às SAD das respectivas situações salariais, após o caso da União de Leiria, clube que foi alvo de um processo de rescisão colectiva por parte dos jogadores devido a vários meses de salários em atraso – os leirienses começaram o jogo

um grande centro mundial do boxe. Durante os últimos anos, temos visto outras cidades com casinos roubar protagonismo a Las Vegas. Esta é uma tendência que acontece um pouco por todo o mundo, mas também dentro dos próprios Estados Unidos”, defende. Singapura deve tornar-se ainda este ano o segundo maior destino de jogo do mundo, logo atrás de Macau. A organização de combates de boxe com grandes figuras da modalidade pode vir a atrair um número ainda maior de visitantes a um destino que se notabilizou pela variedade da oferta. A hipótese do território se tornar uma grande montra da modalidade no continente asiático chegou a ser aventada, mas a RAEM acabou por receber um único combate de magnitude internacional quando o veterano Ray Mercer defrontou Derric Rossy na Arena do Cotai em Janeiro de 2008.

com o Feirense apenas com oito futebolistas.

EQUIPAS B

Por outro lado, a LPFP divulgou também nesta terça-feira o aditamento do contrato com a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), contemplando a entrada das equipas B na edição de 2012/2013 da Liga de Honra. O contrato estipula que a próxima edição da Liga de Honra vai ser disputada por 16 equipas principais e por um máximo de seis equipas B, mas esclarece que, se não houver esse número de equipas B, a Liga de Honra vai ser reduzida. “Se, em resultado da redução (...), a competição ficar com um número ímpar de participantes, abrir-se-á uma vaga que será preenchida pelo clube da Liga de Honra melhor classificado

nos lugares de descida”, pode ler-se no documento. A partir da época 2013/2014, inclusive, o contrato publicado no site da LPFP especifica que descem três equipas à II Divisão, de onde sobem três clubes. O aditamento ao contrato declara ainda que a LPFP e a FPF se comprometeram, logo após a realização da última jornada, a formalizarem um acordo sobre os quadros competitivos da Liga. A3 de Maio, a assembleia-geral da LPFP aprovou o alargamento do principal campeonato para 18 clubes, com recurso a um regime transitório de descidas no fim da presente temporada, no qual os dois últimos classificados da Liga defrontam os terceiro e quarto classificados da Liga de Honra, numa eliminatória a duas mãos.

Portugal conserva quinto lugar entre os melhores do mundo

A Selecção portuguesa de futebol mantém-se no quinto lugar, no ranking da FIFA, actualizado esta quarta-feira. Nos 10 primeiros, apenas uma mudança, a Dinamarca, anteriormente na nona posição, é agora 10.ª, trocando de lugar com a Alemanha. Em vésperas do Euro2012, Portugal manteve a quinta posição no ranking da FIFA divulgado esta quarta-feira. A campeã mundial e europeia Espanha, a primeira adversária de Portugal no Grupo B do Euro 2012, lidera a tabela. No segundo posto surge a Alemanha, seguida do Uruguai, Selecção vencedora da Copa América em 2011. A Holanda, finalista vencida no Mundial de 2010, frente à Espanha, aparece na quarta posição, imediatamente antes da Selecção das quinas.


quinta-feira 10.5.2012

[ ] Cinema

futilidades

www.hojemacau.com.mo

17

Cineteatro | PUB SALA 2

THE AVENGERS [3D] [B]

Um filme de: Joss Whedon Com: Robert Downey Jr., Chris Evans, Mark Ruffalo 14.15, 16.45, 19.15, 21.45 SALA 3

LOCKOUT [D] DARK SHADOWS

Um filme de: James Mather, Stephen St. Leger Com: Guy Pearce, Maggie Grace 14.30, 16.30, 19.30

DARK FLIGHT [3D] [C]

SALA 1

DARK SHADOWS [C]

Um filme de: Tim Burton Com: Johnny Depp, Michelle Pfeiffer 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

Aqui há gato

(Falado em thai e inglês, legendado em chinês) Um filme de: Isara Nadee Com: Macha Wattanapanich, Peter Knight 21.30

SOLUÇÕES DO PROBLEMA

Sudoku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: 1-Toadas, boatos. Que mia muito. 2-Bruto. Malícia (Fig.). Protecção. 3-Vogais. Iguais. Vaso bojudo, de gargalo estreito, geralmente de barro. Idem (abrev.). 4-Encerrado. 5-Paraíso terreal. Eleve, erga. 6-Comida (Prov.). Instrumento que serve para determinar a direcção vertical. 7-Corrente de água. Segurar-se com as gavinhas. 8-Carboneto de hidrogénio proveniente da destilhação da hulha. 9-Carta de jogar. Importunes, enfades. Consoantes iguais. 10-Faz doação. Combinação, mistura (Prep.). Jogo semelhante ao da paciência. 11-Evitas um mal. Zunir, zumbir. VERTICAIS: 1-Irradiem. Rio que banha o distrito de Beja. 2-É engnado. Entregar, Debaixo de. 3-De outro modo. Ave fabulosa, única no seu género, a qual durava séculos e que, queimada, renascia das próprias cinzas (Mit.). Avenida (abrev.) 4-Espécie de resina perfumada que corre das incisões feitas no tronco do benjoeiro. 5-Tal como foi ditto. Verniz preto ou vermelho. 6-Dá pancada, bate. Vielas. 7-Porção de terra cercada de água por todos os lados. E não. 8-Agregareis. 9-Imprime. Luneta. Cobalto (s.q.). 10-Rio da Rússia. Ave corredora. Doutora (abrev.) 11-Porto abrigado. Declamador.

[Tele]visão TDM 13:00 13:30 14:30 17:30 19:00 19:30 20:30 21:00 21:30 22:15 23:00 23:35 23:45 00:40 01:15 01:45

TDM News - Repetição Jornal das 24h RTPi DIRECTO Liga Europa Final: Atlético Madrid - Atlético Bilbao (Repetição) Montra do Lilau (Repetição) Amanhecer Telejornal TDM Talk Show Castle Passione TDM News Resumo Liga Europa Herman 2012 Reportagem Sic Telejornal (Repetição) RTPi DIRECTO INFORMAÇÃO TDM

RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:30 Gostos e Sabores 15:00 Poplusa 16:00 Bom Dia Portugal 17:00 O Elo Mais Fraco 18:00 Vingança 18:30 Escape.tv – SIC 19:00 Moda Portugal 2 19:20 Os Compadres 20:00 Jornal Da Tarde 21:20 O Preço Certo 22:00 Com Ciência 22:30 Portugal no Coração ESPN 30 13:00 14:30 15:30 18:30 19:30 20:00 20:30 21:00 22:00 22:30 23:00

C-USA Men’s Tennis Championship 1 NASCAR Sprint Cup Series 2012 - Highlights MLB Regular Season 2012 Tampa Bay Rays vs. New York Yankees (Delay) Baseball Tonight International 2012 (LIVE) Sportscenter Asia 2012 ABL 2012 Weekly H/L The Contenders Russia vs. Beach Soccer Worldwide Mundialito Portugal vs. Brazil Sportscenter Asia 2012 ABL 2012 Weekly H/L Global Football 2011

23:30

Beach Soccer Worldwide Mundialito Portugal vs. Brazil

STAR SPORTS 31 12:00 (LIVE) GS Caltex Maekyung Open Day 1 15:00 Smash 2012 15:30 Mobil 1 The Grid 2012 16:00 FIM Trial World Championship 2012 17:00 Sports Max 2011/12 18:00 Inside Grand Prix 2012 18:30 SBK Superbike World Championship 2012 Highlights 19:00 V8 Supercars Championship Series - Highlights 21:00 Total Rugby 21:30 (LIVE) Score Tonight 2012 22:00 Global Football 2011 22:30 2 Wheels 23:00 (Delay) GS Caltex Maekyung Open Day 1 Highlights FOX MOVIES 40 13:00 Peter Pan 14:55 Return To Me 16:55 Neverland (Part 1 Of 2) 18:25 Paul Blart: Mall Cop 20:00 Homeland 21:00 Neverland (Part 2 Of 2) 22:30 Prom 00:15 Gulliver’S Travels HBO 41 12:00 13:45 15:15 17:25 18:50 20:20 22:00 00:05

She’S Out Of My League Undefeated The Bridges Of Madison County Stuart Little 2 Ace Ventura Starsky & Hutch Red Get Him To The Greek

CINEMAX 42 12:30 14:05 16:00 18:10 18:40 20:20 22:00 23:55

Hush Pale Rider Ocean’S 11 Hollywood Buzz Babylon 5: In The Beginning Knight Rider 2000 The Eagle Strike Back

HORIZONTAIS: 1-ECOS. MIADOR. 2-MAU. SAL. ABA. 3-II. BILHA. ID. 4-T. FECHADO. A. 5-EDEN. A. ICE. 6-MANJA. PRUMO. 7-RIO. B. ELAR. 8-S. XILENIO. A. 9-AS. MACES. DD. 10-DOA. COM. CRO. 11-OBVIAS. ZOAR. VERTICAIS: 1-EMITEM. SADO. 2-CAI. DAR. SOB. 3-OU. FENIX. AV. 4-S. BENJOIM. I. 5-SIC. A. LACA. 6-MALHA. BECOS. 7-ILHA. P. NEM. 8-A. ADIREIS. Z. 9-DA. OCULO. CO. 10-OBI. EMA. DRA. 11-RADA. ORADOR.

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA CAMPOS DA MORTE • Simon Scarrow

Estamos no ano de 1810. O Visconde Wellington e o Imperador Napoleão conquistaram fama e reputação como comandantes militares brilhantes. Wellington goza ainda de maior fama durante os seus anos em Espanha, mas sabe que o seu derradeiro teste ainda está para vir: enfrentar o poderoso exército de Napoleão. Quando invade a França no ano de 1814, Wellington obtém uma vitória rápida. Enquanto se deixa seduzir por uma estadia em Viena, chegam notícias do regresso triunfante de Napoleão. Este, ambicioso como sempre, inicia uma campanha russa que termina em desastre e é depois derrotado em Leipzig na maior batalha alguma vez travada na Europa. Com o declínio do poder de Napoleão, Wellington quer esmagar o tirano de uma vez por todas - e assim os dois gigantes enfrentam-se uma última vez, em Waterloo...

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição SOLUÇÃO DO PROBLEMA DO DIA ANTERIOR

AVATAR DE KUSHIEL • Jacqueline Carey

A nação de Terre d’Ange é um lugar de beleza e graça sem par. Diz-se que os anjos deram com a terra e a acharam boa… e que a raça resultante da semente dos anjos e dos homens se rege por uma simples regra: Ama à tua vontade. Phèdre nó Delaunay é uma mulher atingida pelo Dardo de Kushiel, eleita para toda a vida experimentar a dor e o prazer como uma coisa só. O seu caminho tem sido estranho e perigoso, e ao longo de todo ele o devotado espadachim Joscelin tem estado a seu lado. A natureza dela é uma tortura para ambos, mas ele jamais violou o seu voto: proteger e servir. RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

QUEBRAR TUDO NA AL “Todos têm direito à sua opinião”, disse ontem a presidente da Federação das Associações dos Operários de Macau. Essa dá direito a boas risadas, nem precisam de me tocar no pêlo sensível. Então a menina que assina a sua opinião sobre a reforma política (a sua não, com certeza a do pai que a acompanha) tem legitimidade para ser analisada pelo Governo? Pois claro, então voltemos ao mesmo, eu com as minhas patinhas que arranharam Pu Yi no papel de opinião também devo ser considerado. Mas que percebo eu disso e que vontade tenho de perceber? E a menina de nove anos? Esta democracia está bem virada do avesso. Esta não-questão pelo menos ultrapassa-me, devo confessar. Acho que foi também contra este tipo de pessoas que representam a sociedade que dois membros da Novo Macau se decidiram manifestar no plenário. Uma encenação que também me valeu boas risadas. Depois da greve de fome, vieram aviões de papel e camisolas com “Tenham vergonha do Governo de Macau”. Talvez pareçam radicais mas realmente estas consultas públicas, este prolongar das deliberações sobre a reforma política para tudo ficar tal e qual como está (ou virão mais uns 100 protegidos do Governo escolher o seu chefe?) cheira realmente a esturro. A verdade é que as irregularidades são irrefutáveis - pedir opiniões válidas a crianças, turistas e não residentes não foi de todo o procedimento mais credível feito e assumido pelo Governo. Pu Yi


18

opinião

www.hojemacau.com.mo

quinta-feira 10.5.2012

Ligação ao futuro Shashi Tharoor *

U In Público

MA das minhas fotografias favoritas mostra um sadhu (monge) hindu que parece saído de um filme – o corpo nu, com o cabelo comprido e emaranhado e barba, a testa pintada com cinza, ao pescoço leva um rudrakshamala (rosário feito de sementes de rudraksha) – a conversar ao telemóvel. O contraste diz muito sobre a terra de paradoxos que é a Índia actual – um país que, como escrevi há alguns anos, consegue viver em vários séculos em simultâneo. Há algo particularmente especial sobre o  sadhu  e o seu telemóvel, porque é nas comunicações que a transformação da Índia nos últimos anos tem sido mais significativa. Quando em 1975 saí da Índia para os Estados Unidos para prosseguir os estudos superiores, havia talvez 600 milhões de indianos e apenas dois milhões de telefones fixos. Ter um telefone era um privilégio raro: caso não fossemos funcionários importantes do governo, médicos, ou jornalistas, podíamos definhar numa longa lista de espera e nunca chegar a receber um telefone. Um dos privilégios dos membros do parlamento era o direito de atribuir 15 ligações telefónicas a quem eles considerassem digno de as poder ter. Além disso, um telefone, caso tivéssemos um, não era necessariamente uma bênção. Fiz o ensino secundário em Calcutá e lembro-me que, quando levantávamos o auscultador, não havia garantias de que teríamos sinal de linha, se tivéssemos sinal de linha e marcássemos um número, não havia garantias de que conseguíssemos a ligação ao número que pretendíamos e eram mais as vezes em que ouvíamos a expressão “número errado!” num tom de voz exaspe-

cartoon por Steff

rado do que aquelas em que ouvíamos um cordial “Estou”. Se quiséssemos telefonar para outra cidade, por exemplo, Deli, tínhamos de pedir uma “chamada interurbana” e depois ficávamos sentados ao lado do telefone durante todo o dia à espera da chamada. Ou podíamos pagar um valor oito vezes superior à taxa em vigor e optar por uma “chamada relâmpago” - mas até mesmo os relâmpagos eram lentos na Índia daquela altura, por isso a concretização de uma chamada relâmpago demorava uma meia hora em vez das habituais três ou quatro (ou mais) horas. Ainda em 1984, quando um deputado se levantou para protestar contra as avarias telefónicas frequentes e conta o lamentável desempenho por parte de um monopólio do sector público, o então ministro das Comunicações respondeu de forma arrogante. Num país em desenvolvimento, declarou ele, os telefones são um luxo, não um direito, o governo não tinha obrigação de proporcionar um serviço melhor; e qualquer indiano que não estivesse satisfeito com o seu serviço de telefone podia devolver o seu telefone já que havia uma lista de espera de 8 anos para telefones. Avancemos agora até ao presente. Na primeira edição do meu livro “O elefante, o Tigre e o Telemóvel” referi que, em Abril de 2007, a Índia estabeleceu um novo recorde mundial com a venda de sete milhões de telemóveis no mesmo mês, o que representa mais ligações telefónicas do que o alguma vez estabelecido num mês por qualquer país. Na altura em que o livro foi impresso, encadernado e distribuído às livrarias, esse número já estava desactualizado. E em 2010, a Índia vendeu 20 milhões de telemóveis em três meses consecutivos. A Índia já ultrapassou os EUA, tornando-

Os agricultores tinham de enviar um familiar fisicamente capaz – talvez um rapaz 10 anos – numa árdua caminhada para a cidade sob o sol escaldante para saber se o mercado estava aberto, se a sua colheita poderia ser vendida e, em caso afirmativo, a que preço. Agora, poupam meio-dia com apenas uma chamada de dois minutos. -se o segundo maior mercado de telefónico, com 857 milhões de cartões SIM em circulação e cerca de 600 milhões de utilizadores individuais. Na China este número é maior, mas a Índia lidera no que diz respeito ao número de telefones per capita, está a aumentá-los de forma mais rápida e prevê-se que ultrapasse a China antes do final de 2012. Não estou apenas a celebrar um triunfo para os capitalistas da Índia. O que é maravilhoso sobre o “milagre móvel” (não tenho pudor de o denominar assim) é que conseguiu algo que as nossas políticas socialistas proclamaram mas pouco fizeram para o conseguir – dava poderes aos menos afortunados. Os beneficiários não são apenas os ricos, mas as pessoas que antigamente não teriam sequer sonhado inscrever-se nas pavorosas listas de espera. É uma fonte de prazer constante para mim encontrar telemóveis nas mãos do mais improvável dos meus concidadãos: taxistas,  paan wallahs  (vendedores de bétele), agricultores e pescadores. Se visitarmos um amigo num subúrbio de Deli, nas ruas

laterais vamos reparar num istri Wallah com um carrinho de madeira que parece ter sido criado no século XVI e que usa um ferro de vapor a carvão que parece ter sido inventado no século XVIII, para engomar as roupas das pessoas da vizinhança. Actualmente, porém, ele tem no bolso um instrumento do século XXI; na Índia, as chamadas recebidas são isentas de custos na maioria dos tarifários de chamadas, por isso ele não tem que pagar nada para saber quem necessita dos seus serviços. Recentemente visitei a quinta de um amigo em Kerala. Perguntou-me se queria tomar uma água de coco fresca; Eu disse sim e ele pegou no telemóvel e ligou para o toddy tapper(lavrador de palmeira) local. Uma voz respondeu: “Estou aqui”, olhámos para cima e lá estava ele, no topo do coqueiro mais próximo, com o seu lungi amarrado pelos joelhos, um machado numa mão e um telemóvel na outra. Os pescadores levam telemóveis para o mar para ligar para as vilas comerciais na costa no caminho de regresso, para saber onde podem obter os melhores preços para a sua pescaria. Os agricultores tinham de enviar um familiar fisicamente capaz – talvez um rapaz 10 anos – numa árdua caminhada para a cidade sob o sol escaldante para saber se o mercado estava aberto, se a sua colheita poderia ser vendida e, em caso afirmativo, a que preço. Agora, poupam meio-dia com apenas uma chamada de dois minutos. O telemóvel capacitou a subclasse indiana de uma forma que 45 anos de conversas sobre socialismo não conseguiram. Na nova Índia, as comunicações tornaram-se no grande nivelador. * Ex-ministro de Estado indiano para os Assuntos Externos e subsecretário geral da Nações Unidas

A GRÉCIA E OS MERCADOS


quinta-feira 10.5.2012

Ciclone

opinião

www.hojemacau.com.mo

19

Quando o telefone móvel cai na sanita, surge maravilhoso o sossego. POR FERNANDO

Carlos M. Cordeiro

da estrela

Uma crise muito doce

O

povo tem fome, tem dinheiro e tem vergonha. Portugal é um país “sui generis” se atendermos ao desenvolvimento que se verificou na última atitude social. Não, não vou falar de quantos não têm possibilidade de manter a prestação da casa, mas já alinham se após a entrega da residência ao banco credor, este passar a mesma fracção habitacional para um contrato de aluguer. A loucura da semana e que ainda é veículo de conversa em todas as tertúlias, incluindo cá na serra no café do Tio Manel, tem a ver com o desconto de 50 por cento que a cadeia de hipermercados Pingo Doce resolveu levar a efeito. “Se considerarmos que a responsabilidade social das empresas é criar e motivar a negociação, a campanha do Pingo Doce foi um disparate”, afirmou o académico e pró-reitor do Instituto Universitário de Lisboa. O professor Rui Pena Pires é pragmático no que diz e eu concordo com ele, pela simples razão de que o problema não está no desconto da ambiciosa empresa Jerónimo Martins, mas porque anula a tarefa das empresas em promover um bom ambiente económico. A bagunçada nas lojas do Pingo Doce chegou a assustar as autoridades policiais. O caos poderia ter provocado mortos e feridos sem qualquer exagero, se atendermos que a avultada e inesperada corrida às compras podia ter descambado em sinistralidade desamparada. E o disparate não ficou apenas traduzido no resultado que esteve à vista, onde os desacatos que se verificaram mostraram bem que nem sequer estamos ainda preparados para acções deste tipo. Como foi triste ver clientes a empurrarem-se, a zangarem-se, a roubarem os produtos que outros já tinham retirado das prateleiras, a discutir acerrimamente com funcionários da segurança e das lojas. Algo vai mal no reino do comércio, quando para se comprar umas quantas latas de conserva, garrafas de azeite, manteiga, iogurte e rolos de papel higiénico tem de se chamar a polícia. O país diz-se em crise, mas de repente, apareceram milhares de pessoas com quinhentos, mil e mais euros na mão para a compra de tudo o que pudessem reco-

Os supermercados Pingo Doce encheram-se de gente que não se importou de estar horas e horas em filas intermináveis. Ávidos de umas compras mais baratas, alguns dos presentes que participaram na operação [quase “suicida”] nem se aperceberam que ficaram sem dinheiro para o resto do mês, após terem regressado à realidade da crise tão badalada. Uma crise muito doce...

lher. Há fome, mas também há dinheiro. Há dinheiro, mas também há vergonha. Quantos clientes do Pingo Doce foram vistos a tapar a cara com vergonha do momento em que se inseriram. À vizinhança manifestam a sua precariedade e depois são vistos na televisão com o carrinho cheio de compras avaliadas em mais de 500 euros, mesmo com metade de desconto no preço dos produtos. Um desconto que foi premeditadamente equacionado para o dia 1º de Maio. Ninguém me conseguirá convencer que a Jerónimo Martins escolheu a data só porque dava jeito, não, a escolha foi simbólica e intencional tendo a ver certamente com a negociação

que o professor Rui Pires salientou. O grupo empresarial da cadeia Pingo Doce tem feito coisas boas, nomeadamente, no âmbito da protecção social e na formação profissional, mas não tinha qualquer necessidade de um “marketing” gratuito que só veio aumentar o confronto ideológico. Os supermercados Pingo Doce encheram-se de gente que não se importou de estar horas e horas em filas intermináveis. Ávidos de umas compras mais baratas, alguns dos presentes que participaram na operação [quase “suicida”] nem se aperceberam que ficaram sem dinheiro para o resto do mês, após terem regressado à realidade da crise tão badalada. Uma crise muito doce...

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editores Nuno G. Pereira; Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Cecilia Lin; Joana Freitas; José C. Mendes; Rita Marques Ramos Colaboradores António Falcão; António Graça de Abreu; Fernando Eloy; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Carlos M. Cordeiro; Correia Marques; Gonçalo Alvim; Helder Fernando; Jorge Rodrigues Simão; José Pereira Coutinho, Marinho de Bastos; Paul Chan Wai Chi; Pedro Correia; Peng Zhonglian; Vanessa Amaro Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


www.hojemacau.com.mo

PUB

Ao Man Long assegura que não foi subornado

“Inocente”, jura ex-secretário

F

OI a segunda vez que falou em tribunal e para dizer que está inocente. Ao Man Long assegura que os empresários Steven Lo e Joseph Lau – os dois empresários de Hong Kong já constituídos arguidos num caso conexo – não o subornaram. Segundo a Rádio Macau, presente na audiência, o ex-secretário para as Obras Públicas e Transportes garante que não recebeu os 20 milhões de patacas que a acusação diz ter recebido, por ter concedido os terrenos em frente ao aeroporto aos dois homens. O dinheiro, que terá sido depositado na conta da offshore Ecoline, empresa controlada por Ao, não veio de subornos mas de trabalhos de consultadoria à empresa de Ho Meng Fai – que apresentou os dois homens ao

ex-secretário -, por muitas dívidas acumuladas. Conforme a Rádio Macau, Ao Man Long defendeu-se também das acusações em relação às ETAR da Ilha Verde e de Coloane, dizendo que um dos documentos apresentados pelo Ministério Público não foi escrito por ele. Ao Man Long afirma ainda não ter dinheiro para multas do tribunal, quando questionado pelo juiz sobre a situação familiar – que lamenta estar cada vez pior. Ao Man Long vai acusado de seis crimes de corrupção passiva para acto ilícito e três crimes de branqueamento de capitais. Segundo a Rádio, a acusação pretende que os montantes alegadamente resultantes destes crimes revertam para os cofres da RAEM. A data da leitura do acórdão ainda não está marcada.

quinta-feira 10.5.2012


Hoje Macau 10 MAI 2012 #2607