Page 1

MOP$10

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • QUINTA-FEIRA 1 DE SETEMBRO DE 2011 • ANO X • Nº 2445

Ter para ler

TEMPO AGUACEIROS OCASIONAIS MIN 27 MAX 32 HUMIDADE 70-95% • CÂMBIOS EURO 11.6 BAHT 0.3 YUAN 1.3

Empresas preferem apostar em outras línguas mais rentáveis

NOTÍCIAS SOBRE A CHINA EM LÍNGUA PORTUGUESA

Estudo sobre valor económico da língua nos mercados mundiais indicia aposta irrisória das empresas no português. Empresários preferem investir no inglês e traduções são último recurso. Apesar de ser um ‘soft power’ e dos milhões de falantes, a língua de Camões ainda não é um bom negócio. > PÁGINAS 10 E 11

www.hojemacau.com.mo

Português não é negócio

Previsões para o jogo

DEUTSCHE BANK DIZ QUE MACAU NÃO ESTÁ IMUNE A RECESSÃO • PÁGINA 7

GONÇALO LOBO PINHEIRO

PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

hojemacau

PUB

hojemacau no Facebook

LÊ, DIVULGA E COMENTA

Benfica de Macau

EQUIPA AVANÇA PARA PROFISSIONALIZAÇÃO DE JOGADORES • PÁGINA 12


QUINTA-FEIRA 1.9.2011 www.hojemacau.com.mo

2

ACTUAL Dívida chinesa pode sofrer novo corte de “rating”

Yuans em sofrimento

EX-DIRECTOR DA CHINA MOBILE É CONDENADO À MORTE Li Hua, ex-presidente da China Mobile na província de Sichuan, região sudoeste da China, foi condenado à morte - a pena pode ser comutada por prisão perpétua - pelo Tribunal Popular de Panzhihua, informou a agência Xinhua nesta quarta-feira. Esta sentença, que habitualmente é trocada por cadeia perpétua se o acusado tiver bom comportamento nos dois anos seguintes, condena Li por aceitar subornos no valor de 16,48 milhões de iuanes e por tráfico de influências. O facto de o acusado se ter entregue e devolvido o dinheiro procedente dos subornos não serviu como atenuante. Fontes da China Mobile consultadas pela agência Efe recusaram-se a avaliar o caso de “um trabalhador que já não pertence à companhia e que, portanto, não conserva nenhum vínculo com a China Mobile”. Esta condenação soma-se às do ex-subdirector-geral da companhia, Zhang Chunjiang, e do também director Shi Wanzhong, condenados nos mesmos termos este ano. Segundo o site da revista “Fortune”, a companhia de telecomunicações chinesa ocupa o 77º posto entra as maiores empresas do mundo e durante os últimos dez anos esteve entre as 500 mais importantes em nível global.

WIKILEAKS APPLE CRIOU GRUPO PARA COMBATER PIRATARIA NA CHINA Um documento vazado pela WikiLeaks e descoberto pela CNN mostra os esforços da Apple para combater produtos falsificados na China, acção que, segundo o memorando, começou há três anos. O documento é originado da Embaixada dos Estados Unidos na China e datado de Setembro de 2008. As informações são do site CNET. O memorando mostra informações sobre os planos da Apple para lidar com falsificações vindas da China. Uma das acções fala sobre a contratação de ex-funcionários da Pfizer para reforçar a segurança dos produtos. Os funcionários teriam sido os responsáveis na empresa farmacêutica por reprimir a produção de Viagra falsificado na região. O documento afirma que a falsificação de produtos da Apple no país é um problema grave, pois faz uso de moldes de fabricação legítimos, utilizados nas fábricas que produzem iPods e iPhones autênticos na região. Segundo a AFP, o documento afirma que “surpreendentemente”, a Apple não possuía uma equipa global para combater a pirataria até Março de 2008. “Fábricas na província de Guangdong estão a exportar falsificações suficientes para, sozinhas, abastecer o mundo com produtos falsificados da Apple”, diz o telegrama. Produtos falsificados incluem “o que parecem ser iPods reais com 80 gigabytes de armazenamento, mas que na verdade têm apenas um uma unidade muito barata de 1 GB”.

A

China enfrenta “grandes probabilidades” de sofrer mais um corte da sua dívida em moeda local, devido aos crescentes incumprimentos e à elevada inflação decorrentes do endividamento excessivo, advertiu ontem a agência de notação financeira Fitch. AFitch refere também, citada pela Agence France Press (AFP), que as autoridades chinesas irão enfrentar um dilema na resposta a uma nova contracção global, com o aumento dos preços no consumidor e o crédito malparado a evitarem a repetição dos fortes estímulos à economia lançados há quase três anos. Em Abril, a agência de notação financeira norte-americana colocou o “outlook” para a moeda chinesa sob perspectiva “negativa”, quando antes estava “estável”. Isto devido aos receios de uma maior desestabilização da dívida, sublinha a mesma fonte. Recorde-se que o “rating” da dívida soberana chinesa denominada em yuans está em “AA-”, quatro níveis abaixo da classificação máxima atribuída pela Fitch.

“A qualidade dos activos bancários (...) irá deteriorar-se substancialmente no médio prazo”, comentou hoje num seminário o responsável pelo departamento da dívida soberana da região Ásia-Pacífico na Fitch, Andrew Colquhoun. O mesmo responsável, citado pela AFP, alertou que a China poderá ter de resgatar os seus bancos, à medida que

mais administrações locais e empresas forem entrando em incumprimento, e prevê “grandes probabilidades” de a dívida chinesa em yuans sofrer um novo “downgrade” no prazo de dois anos. A China lançou um programa de estímulo económico em finais de 2008, no valor de 4 biliões de yuans, com o intuito de combater a crise global,

tendo ordenado aos bancos para abrirem as torneiras do crédito de modo a promover a actividade económica e evitar que a economia entrasse em recessão, recorda a AFP. O país continuou a injectar dinheiro, tendo o programa de estímulos praticamente duplicado, ao atingir 7,95 mil milhões de yuans em 2010, provocando pressões inflacionistas e fazendo disparar os preços das casas. A agência de “rating” estima que o volume de novos empréstimos na China continuará bastante elevado e relembra que o país teve de colocar alguns travões de forma a conter a concessão de empréstimos e a controlar a inflação, através de um aumento das taxas de juro e do aumento do montante de capital que os bancos devem ter de reserva. No entanto, a AFP sublinha que se os apuros económicos dos EUA e da Europa desencadearem uma nova recessão global e levarem a uma redução das trocas comerciais, as opções da China em matéria de medidas a tomar para amortecer o impacto ficarão limitadas.

ONU PREVÊ EFEITOS NEGATIVOS DA CRISE FINANCEIRA EM NAÇÕES EMERGENTES

China em maus lençóis A

crise nos países desenvolvidos começa a afectar as principais economias emergentes e tende a ser sentida principalmente no Brasil, China e Índia, aponta o relatório da Comissão Económica para América Latina e Caribe da ONU (Cepal). “Pode-se esperar para 2012 um menor ritmo de exportações para a Europa e Estados Unidos, de modo que as economias com maior orientação exportadora, voltadas para estes mercados, verão afectado o dinamismo de suas vendas”, observa o relatório divulgado hoje pela Cepal na sua sede em Santiago do Chile. O texto refere que um menor crescimento das economias emergentes, somado ao cenário de enfraquecimento das economias centrais, deverá reflectir-se na redução dos preços internacionais de produtos básicos. Neste caso, mais uma vez, o efeito negativo será sentido principalmente pelas nações exportadoras.

A partir destas análises, a comissão decidiu reduzir em 0,3 pontos percentuais a previsão de crescimento para a região este ano, que passa a ser agora de 4,4%. As nações mais afectadas, segundo a entidade, serão as sul-americanas, cuja previsão de crescimento, considerada separadamente, passou de 5,1% para 4,8% em 2011. As análises foram feitas no relatório “Panorama de inserção internacional da América Latina e Caribe 2010-2011”, no qual a instituição estuda as consequências económicas e comerciais provocadas pela incerteza criada pela crise internacional. Mesmo tendo em conta os fracos indicadores, a Cepal acredita que este cenário negativo possa ser alterado ainda na década de 2010. O relatório destaca a importância crescente, para toda a economia, do comércio e dos investimentos entre as nações do sul.


A destruição e carnificina de há dez anos forçou aqueles que tinham ilusões de esquerda a perceber que há limites para a tolerância e o pluralismo, que a nossa cultura e maneira de viver tem, afinal, inimigos ajuramentados que tudo farão para destruir as nossas sociedades, sabotar a paz e segurança e aniquilar os nossos valores. Arnaldo Gonçalves, P. 15

M

AIS poderes para deter dissidentes, mais censura na Internet. A China não deseja reformas agora que as revoltas populares deitam abaixo regimes ditatoriais no mundo árabe; antes pelo contrário: a ideia é reprimir para vencer. E nem os monges tibetanos escapam - dois deles foram esta semana condenados a 13 e 10 anos de prisão no Sudoeste da China por “homicídio intencional”, ou seja, por auxiliarem o monge Rigzin Phuntsog, que se imolou, em Março, em protesto contra a ocupação chinesa do Tibete. Os dois esconderam Phuntsog durante 11 horas até este morrer das queimaduras. As novas emendas ao Código de Processo Criminal na China, dizem os advogados de direitos humanos, permitirão às autoridades proceder à detenção de suspeitos de crimes contra o Estado em lugares secretos e sem informar as famílias. “Os suspeitos de cometer crimes contra a segurança do Estado, crimes terroristas e grandes crimes de suborno” poderão ser PUB

QUINTA-FEIRA 1.9.2011 www.hojemacau.com.mo

3

CHINA QUER MAIS PODERES PARA DETER DISSIDENTES E MAIS CENSURA NA INTERNET

Reprimir para vencer

detidos fora do sistema prisional oficial, diz a proposta de emenda. “Se isto fosse já lei, então pessoas como eu, Ai Weiwei e muitos outros poderíamos ser detidas com ainda menos problemas e obstáculos e com uma base legal sólida”, afirmou Jiang Tianyong,

um advogado de Pequim citado pela Reuters. Ai Weiwei, preso durante 81 dias e impedido pelas autoridades, depois da sua libertação, em 23 de Junho, de falar à imprensa, escreveu um artigo no site da revista “Newsweek” em que denuncia: as

autoridades “negam-nos os direitos básicos”. “O pior de Pequim é que nunca podemos confiar no sistema judicial”, escreve ainda o artista plástico que é um dos rostos chineses mais conhecidos no Ocidente. Para o governo, as opiniões expressas publicamente por dissi-

dentes como Ai Weiwei ou o Nobel da Paz do ano passado, Liu Xiaobo, actualmente preso, põem em risco o sistema e precisam de ser erradicadas antes que os ventos rebeldes soprem no Império do Meio. Dessa maneira, as autoridades chinesas querem também aumentar o controlo sobre a internet. A agência oficial de notícias, Xinhua, publicou ontem um artigo em que solicita às empresas, às entidades reguladoras e à polícia que recrudesça os esforços para limpar os “rumores” da rede. “A Internet é um importante veículo de informação social, civilização e progresso. Os rumores danificarão a rede e são um cancro perigoso”, explica a notícia da agência. “Para cultivar uma internet sã, devemos erradicar o solo em que crescem os rumores”, acrescenta.


PUB.

QUINTA-FEIRA 1.9.2011 www.hojemacau.com.mo

4

Anúncio O Pedido do Projecto de Apoio Financeiro do FDCT para à 3ª vez do ano 2011 (1)

(2)

(3)

Fins O FDCT foi estabelecido por Regulamento Administrativo nº14/2004 da RAEM, publicado no B. O. N° 19 de 10 de Maio, e está sujeito a tutela do Chefe do Executivo. O FDCT visa a concessão de apoio financeiro ao ensino, investigação e a realização de projectos no quadro dos objectivos da política das ciências e da tecnologia da RAEM. Alvos de Patrocínio (i) Universidades, instituições de ensino superior locais, seus institutos e centros de investigação e desenvolvimento (I&D); (ii) Laboratórios e outras entidades da RAEM vocacionados para actividades de I&D científico e tecnológico; (iii) Instituições privadas locais, sem fins lucrativos; (iv) Empresários e empresas comerciais, registadas na RAEM, com actividades de I&D; (v) Investigadores que desenvolvem actividades de I&D na RAEM. Projecto de Apoio Financeiro (i) Que contribuam para a generalização e o aprofundamento do conhecimento científico e tecnológico; (ii) Que contribuam para elevar a produtividade e reforçar a competitividade das empresas; (iii) Que sejam inovadores no âmbito do desenvolvimento industrial; (iv) Que contribuam para fomentar uma cultura e um ambiente propícios à inovação e ao desenvolvimento das ciências e da tecnologia; (v) Que promovam a transferência de ciências e da tecnologia, considerados prioritários para o desenvolvimento social e económico; (vi) Pedidos de patentes.

(4)

Valor de Apoio Financeiro (1) Igual ou inferior quinhentos mil patacas. (MOP$500.000,00) (2) Superior a quinhentos mil patacas. (MOP$500.000,00)

(5)

Data do Pedido Alínea (1) do número anterior Alínea (2) do número anterior

(6)

Forma do Pedido Devolvido o Boletim de Inscrição e os dados de instrução mencionados no Art° 6 do Chefe do Executivo nº 273 /2004, «Regulamento da Concessão de Apoio Financeiro», publicado no B. O. N° 47 de 22 de Nov., para o FDCT. Endereço do escritória: Alameda Dr. Carlos d’Assumpção, n° 411-417, Edf. “Dynasty Plaza” 9° andar, Macau. Para informações: tel. 28788777; website: www.fdct. gov.mo.

(7)

Condições de Autorizações Por despacho do Chefe do Executivo nº 273 /2004, processa o «Regulamento da Concessão de Apoio Financeiro»w.

Todo o ano A partir do dia 1 – Set. – 2011 até 31 – Out. – 2011 (O próximo pedido será realizado no dia 3 –Jan. – 2012 ao 2 –Mar. – 2012)

O Presidente do C. A. do FDCT Tong Chi Kin 31 / 8 / 2011


POLÍTICA

QUINTA-FEIRA 1.9.2011 www.hojemacau.com.mo

5

Recrutamento único não ajuda funcionários que queiram mudar de ares

Muitas falhas no cérebro central Virginia Leung

virginia.leung@hojemacau.com.mo

A

Associação dos Trabalhadores da Função Pública de Origem Chinesa (ATFPOC) acredita que o novo sistema de recrutamento central, anunciado pelo Executivo este mês, vai ser prejudicial aos candidatos, à medida que não dará o verdadeiro valor ao talento de cada um. Por exemplo, diversos sectores estão a recrutar altos cargos técnicos para o campo jurídico. As questões que aparecem nas diferentes áreas do direito, tais como direito penal, direito civil, direito administrativo civil, direito notarial, lei da nacionalidade e direito marítimo, entre outras, podem ser entraves ao recrutamento. A pontuação dos candidatos pode vir de um conteúdo específico, o que de acordo com o método de selecção, pode ser atribuída a sectores não adequados que levam à incompatibilidade de talentos. Além disso, de acordo com os pressupostos da nomeação, “mudam por completo o modo

T

de escolha e recrutamento para os diferentes departamentos com prejuízos a longo prazo que podem passar pela redução da qualidade geral dos serviços públicos”, diz a associação. A falta da humanismo e o desperdício de recursos humanos é outro dos pontos criticados pela ATFPOC. A legislação consagra

que não importa qual é a pontuação dos candidatos, contudo os trabalhadores não podem escolher os departamentos preferenciais ou adequados para si, o que pode levar novamente à incompatibilidade de recursos humanos. Os actuais funcionários públicos que pretendam juntar-se ao recrutamento e gostariam de entrar para

um determinado sector devido à sua familiaridade com o conteúdo do trabalho, podem ser atribuídos a outro sector, devido à votação electrónica ou designação, o que significa que os conhecimentos e experiência do candidato podem não contar na hora da transferência de funções. AATFPOC considera ainda que os funcionários públicos, mesmo os que tenham as qualificações elevadas, não estão dispostos a aderir ao exame para mudarem de departamento ou subirem na carreira. Para aqueles que aderem ao recrutamento central, não importa o nível do salário que auferem e nem tão pouco a experiência profissional. O salário do novo cargo começaria no nível mais básico e, portanto, os trabalhadores iriam criar resistências para se transferirem. Além disso, o candidato também pode ter que permanecer no mesmo sector, devido ao modo de votação electrónica, o que pode levar à queda abrupta da sua moral e também pode causar o pensamento “quanto menos fizer, menos erro”. A associação afirma que não

se considera a situação de recrutamento dos supervisores. A legislação não prevê que após a demissão devido a erros dos supervisores ou pessoal de nível que não possam voltar à posição original. Além disso, uma candidatura para uma nova posição não contemplaria experiências anteriores dos supervisores, levando a um aumento das suas preocupações e pressões, e consequente falta de entusiasmo. No entender da ATFPOC, as melhorias têm de passar pelo ajustamento dos exames nas áreas de trabalho diferentes bem como a condução do trabalho de segmentação para alocar os candidatos de acordo com a sua pontuação nas áreas de determinados sectores. Outra questão importante para a associação tem a ver com o direito de escolha de acordo com os níveis de pontuação do pessoal recrutado. Por último, a ATFPOC pede que, para o funcionário público que queira fazer os exames, a lei deve ter em consideração os seus níveis de salário original, experiências relevantes, relatórios de avaliação e prémios.

DEPUTADO PEDE RECURSOS PARA AVALIAR GOVERNO

CHUI INFLEXÍVEL COM CONTRATAÇÃO DE IMPORTADOS

Todos de volta à escola

De olho no autocarro

ONG Io Cheng, académico e deputado da Assembleia Legislativa (AL), que não tinha qualquer experiência em assuntos políticos, acredita que trabalhar na 2.ª Sessão da AL o fez ter o papel de “jurista” e o ensinou a saber responder e lidar com diferentes assuntos. O deputado acredita que desde há dois anos, altura em que incluiu a AL, o sistema legislativo está a amadurecer, uma vez que a AL passou propostas de lei relacionadas com as bases do sistema da sociedade, como a habitação económica, o fundo social, o regime de poupança financeira. Tong Io Cheng disse que Macau não estabeleceu o Sistema de Avaliação da

Sociedade, impedindo a formação de peritos que possam avaliar a AL e o Governo. Devido à ausência de cursos para investigadores relacionados com a legislação, é impossível concretizar com eficácia uma avaliação aos responsáveis durante o processo legislativo. Por isso mesmo, o Governo deveria considerar a formação destes especialistas para colocar as leis no caminho certo, considerou o deputado. Ainda assim, refere Tong Io Cheng, é compreensível a dificuldade em treinar pessoas em direito, uma vez que Macau conta com a questão de ter duas línguas oficiais. Já Chu Lam Lam, directora dos Serviços da Reforma Jurídica e

do Direito Internacional, tinha dito anteriormente haver espaço para melhorar e acelerar os trabalhos legislativos. Para a responsável, a elaboração da legislação é um trabalho em grupo e é necessária coordenação e participação de vários campos, que incluiu os gabinetes dos secretários e sectores da lei. O processo legislativo tem ainda depois de passar por consulta pública e têm de ser combinadas as opiniões de moradores e apresentadas ao conselho Executivo, após a análise. Chu Lam Lam disse que todos os sectores e consultores da lei estão a fazer bem o seu trabalho de finalização e revisão da proposta. – V.L.

C

HUI Sai On frisou ontem, à partida para Xinjiang, onde vai participar na Expo-Eurasia, que a importação de mão-de-obra é uma política de complementaridade para colmatar a escassez da força laboral local. Instado a comentar os problemas recentes com as empresas de autocarros e a falta de força laboral, o Chefe do Executivo disse ainda compreender que o público dê atenção ao desempenho do serviço de autocarros para estudantes e encarregados de educação no primeiro dia de aulas, a fim de verificar se este consegue alcançar os objectivos previamente definidos. Para Chui Sai On, a equipa do secretário para os Transportes e Obras Públicas, Lau Si Io, e do director dos

Serviços para os Assuntos de Tráfego, Wong Wan, tem envidado esforços, através de aplicação de medidas, para que o início do ano lectivo arranque sem sobressaltos. Relativamente à questão inerente às três companhias de transportes públicos e dos recursos humanos, Chui Sai On acrescentou que esta questão tem de ser tratada de acordo com a lei em vigor. O Chefe do Executivo

reiterou que o ajustamento que está a ser feito no serviço de transportes públicos, tem como objectivo principal servir a população e incentivar a uma maior utilização dos transportes colectivos. À partida no Aeroporto Internacional de Macau para Xinjiang, Chui Sai On disse que a RAEM tem mantido uma cooperação com aquela região nas áreas da educação, do turismo, formação e comércio, nos últimos dez anos. A convite do Ministério do Comércio, a RAEM vai marcar presença com um pavilhão na 1.ª edição da Expo China-Eurasia. O pavilhão promocional de Macau faz uma apresentação da RAEM como plataforma de comércio, serviços e ainda sobre a cooperação entre as duas regiões.


PUB.

QUINTA-FEIRA 1.9.2011 www.hojemacau.com.mo

6

AVISO AVISO De acordo com o artigo 17o do“Regulamento dos Apoios a Conceder pelo IACM”, aprovado pelo Despacho do Chefe do Executivo no 83/2004, o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais passa, a partir da presente data, a receber requerimentos para a atribuição de subsídios de funcionamento ou de subsídios para planos de actividades anuais referentes ao ano 2012. As associações, eventualmente interessadas em apresentar os referidos requerimentos, devem preencher os respectivos boletins, anexar os documentos necessários e fazer a sua entrega ao IACM. O prazo-limite para a apresentação de requerimentos termina no dia 31 de Outubro deste ano.

Vimos por este meio informar que, o escritório do ADVOGADO e NOTÁRIO PRIVADO MARCELO POON, mudou desde o dia 30 de Agosto de 2011 para o seguinte endereço : AV. da Praia Grande, n. o 599, Edif. Comercial Rodrigues, 13.o andar “B”, Macau. Contactos : Tel.: 28323963 Fax.: 28323962 e-mail: mplawyer2008@gmail.com Com os melhores cumprimentos,

Locais para a obtenção e entrega dos impressos de requerimento:

Marcelo Poon

• Divisão de Apoio e Promoção Associativa do Gabinete do Cidadão

Av. da Praia Grande, Nº 517, Edf. Comercial “Nam Tung”, 4º andar, Macau.

Advogado & Notário Privado

• Centro de Prestação de Serviços ao Público da Zona Norte

Rua Nova da Areia Preta, no. 52, Centro de Serviços da RAEM, Macau

Centro de Prestação de Serviços ao Público das Ilhas Rua da Ponte Negra, Bairro Social da Taipa, No.75K, Taipa.

• Posto de Atendimento e Informação Central

Avenida da Praia Grande No.762-804, Edf. China Plaza, 2o andar, Macau.

Posto de Atendimento e Informação de Tói Sán Avenida de Artur Tamagnini Barbosa No.127, Edf. D. Julieta Nobre de Carvalho, bloco“B”, r/c, Macau.

• Posto de Atendimento e Informação de S. Lourenço

Rua de João Lecaros, Complexo Municipal do Mercado de S. Lourenço, 4ºandar, Macau Os impressos podem, ainda, ser obtidos através do Website do IACM (http://www.iacm. gov.mo). Em caso de dúvida, queira contactar através do telefone No 2833 7676, Linha do Cidadão do IACM.

Macau, aos 22 de Agosto de 2011.

REMOVAL NOTICE Please be inform that the office of MARCELO POON LAWYER & PRIVATE NOTARY, has been moved to the following address since 30th August, 2011: AV. da Praia Grande, n. o 599, Edif. Comercial Rodrigues, 13.o andar “B”, Macau. Contact : Tel.: 28323963 Fax.: 28323962 e-mail: mplawyer2008@gmail.com Yours Faithfully, Marcelo Poon

O Presidente do Conselho da Administração, Subst° Lei Wai Nong www. iacm.gov.mo

Lawyer & Private Notary


SOCIEDADE

QUINTA-FEIRA 1.9.2011 www.hojemacau.com.mo

7

Moody’s, Governo e Deutsche Bank fazem previsões diferentes para o jogo

Uns dizem que cresce, outros que encolhe

A

Moody’s prevê para Macau este ano um aumento das receitas de jogo entre 15 e 25%, mas o Governo local aponta para mais de 35%, enquanto o Deutsche Bank alerta para uma eventual recessão. A Moody’s divulgou ontem um relatório sobre o sector do jogo na Ásia Pacífico, que abrange os mercados de Macau, Singapura, Austrália e Malásia, os únicos na região onde o jogo está legalizado, em relação aos quais salienta ter uma “perspectiva estável, tendencialmente positiva”. “A perspectiva reflecte as nossas expectativas favoráveis em relação às condições de crédito fundamentais do sector do jogo de Macau e Singapura nos próximos 12 a 18 meses, parcialmente compensadas por uma eventual estagnação do crescimento na Malásia e Austrália”, afirma Kaven Tsang, analista da Moody’s que assina o relatório. AMoody’s Investors Service prevê que os sectores do jogo de Macau

N

e Singapura “continuem a registar um crescimento a curto prazo”, alertando, porém, que “um ambiente macroeconómico incerto poderá abrandar o ritmo do crescimento”. “As receitas do sector do jogo de Macau deverão registar um aumento anual entre 15 e 25 por cento, conduzido pelo crescimento do negócio VIP decorrente de um aumento dos créditos dos casinos e ‘junkets’, valorização do yuan e au-

mento do rendimento das famílias chinesas, que se traduzem em gastos com viagens e jogo, e abertura de novos casinos”, aponta a agência. Para Singapura, a Moody’s prevê um crescimento das receitas a dois dígitos nos próximos 12 a 18 meses, apoiado numa “concorrência limitada e perspectivas favoráveis em relação ao ambiente macroeconómico do sudeste asiático” e da cidade-Estado, e para a

Austrália e Malásia as perspectivas são de estagnação. O director dos Serviços de Inspecção e Coordenação de Jogos de Macau, Manuel Joaquim das Neves, afirmou em declarações publicadas pelo jornal “Macau Daily Times” que as receitas brutas do sector do jogo – a principal fonte de receitas da administração local - deverão registar este ano um crescimento “acima dos 35%”.

Por outro lado, o Deutsche Bank considera que esse crescimento deverá ficar-se este ano entre 10 e 20%. A instituição constata sinais de abrandamento do consumo na China continental na sequência da crise dos EUA e Europa e alerta que aqueles poderão reflectir-se na performance dos casinos de Macau se os grandes apostadores do outro lado da fronteira decidirem conter as suas apostas nas mesas de pano verde da Região perante as menores facilidades de acesso ao crédito. “Não concordamos com a perspectiva consensual de que Macau está imune a uma recessão”, refere o Deutsche Bank numa nota enviada este mês aos investidores. Até Julho, os 34 casinos de Macau registaram receitas brutas de 148,34 mil milhões de patacas, mais 45,2% face a igual período de 2010, ano em que atingiram 189,58 mil milhões de patacas, mais 57,5% do que em 2009.

CRESCIMENTO ECONÓMICO SEM AUMENTO

PAI DE RAPARIGA EM ESTADO VEGETATIVO PEDE AJUDA A CHUI

“Equilíbrio de mercado”

Justiça para a filha

A segunda metade do ano prevê-se que o crescimento económico de Macau não tenha tanto crescimento quanto demonstrou nos primeiros seis meses – em que registaram aumentos de cerca 20%. Indústrias e turismo foram os factores que impulsionaram mais o crescimento económico, bem como os investimentos públicos. À partida para Xinjiang, onde irá participar na 1.ª edição da Expo China-Eurasia, o secretário para a Economia e Finanças revelou aos jornalistas que, apesar de não aumentar tanto, o ambiente económico de Macau vai continuar a ser o “ideal”. Francis Tam, disse, no entanto, esperar que os valores anuais ultrapassem os 10%.

O secretário salientou ainda que após a liberalização da indústria do jogo o rápido desenvolvimento económico de Macau tem vindo a demonstrar durabilidade e os grandes investimentos das operadoras e das infra-estruturas da área do turismo têm sido causa para o forte crescimento económico. “Depois desta fase, a taxa de crescimento económico vai, naturalmente, alcançar um equilíbrio no mercado”, seguindo o comunicado que cita Francis Tam. Os próximos trabalhos do Executivo não têm como prioridade incentivar o crescimento económico, devido às reivindicações da sociedade em pedir um desenvolvimento sustentável e saudável e um equilíbrio entre o desenvolvimento

social e económico, garante o secretário. Face à questão dos recursos humanos na sequência do desenvolvimento económico, Francis Tam indicou ainda que “as políticas do governo são, indubitavelmente, a prioridade de emprego aos residentes locais”. Ainda assim frisou”actualmente ainda há necessidade de importação de quadros qualificados e força laboral” na RAEM. Francis Tam disse aos jornalistas que estão a ser desenvolvidos planos para a formação de quadros qualificados importados, que “incrementem uma mais valia” nos trabalhadores locais para que possam desempenhar cargos numa categoria mais elevada ou desenvolver a sua carreira profissional.

É

a sexta vez. Chan Kuok Sam, pai da menina que se encontra em estado vegetativo há sete anos, voltou a escrever ao Chefe do Executivo a pedir ajuda no caso que o põe contra o Centro Hospitalar do Conde de São Januário e o Tribunal Criminal. Em 2001, foi diagnosticado à filha de Chan Kuok Sam uma doença chamada púrpura trombocitogénica idiopática, que diminui o número de plaquetas no sangue. Em 2004, a adolescente, então com 15 anos, deu entrada no hospital Conde de São Januário, tendo alta três dias depois. Mas uma hemorragia cerebral voltou a levá-la ao hospital, tendo sido operada. Ainda assim, a rapariga entrou em estado vegetativo. Segundo o pai, o primeiro diagnóstico médico terá sido

errado. O homem interpôs um processo por negligência médica, mas em Junho de 2010 o tribunal deu o caso como encerrado por falta de provas. Chan Kuok Sam, convocou ontem uma conferência de imprensa, com o apoio da Associação Novo Macau, onde voltou a acusar as autoridades judiciais e de saúde de nada fazerem. Recorde-se que o tribunal já encerrou o processo criminal deste caso, restando apenas a Chan Kuok Sam esperar pelo civil, estagnado há mais de dois anos. Mas todas as queixas têm sido permanentemente arquivadas. Agora, o homem pede mais uma vez a Chui Sai On que intervenha e pede que sejam apuradas as responsabilidades no caso da filha, actualmente com 21

anos. Chan Kuok Sam diz ter relatórios médicos que mostram que o Centro e o Hospital Conde São Januário alteraram os factos médicos. O homem disse lamentar o pouco apoio dos deputados, e, segundo a rádio Macau, do presidente da Assembleia Legislativa, que terá recusado ajuda. No ano passado, em Dezembro, Chan Kuok Sam esteve três dias no largo do Senado em manifestação, tendo sido nessa altura que enviou a quinta carta a Chui Sai On. Na altura, o homem disse aos jornalistas estar apenas à procura de justiça para a filha e de demonstrar o quão mau era o Governo de Macau, já que, acusou, estaria a proteger os erros dos médicos. Chan Kuok Sam frisou mesmo que não pretendia qualquer indemnização. - J.F.


QUINTA-FEIRA 1.9.2011 www.hojemacau.com.mo

8

vida

METEORITOS VÊM DE A

Há muito que os astrónomos suspeitavam que a orige rochosos que povoam o sistema solar não condiziam c Itokawa, regressando à Terra, no ano passado, com um mesmo dos asteróides, sobretudo dos mais próximos

ÓLEO DE COENTROS PODE SERVIR PARA ATACAR BACTÉRIAS

Amigo do homem O

óleo de coentros pode atacar várias bactérias nocivas ao homem, segundo um estudo de investigadores Filomena Silva, Susana Ferreira, João Queiroz e Fernanda Domingues, da Universidade da Beira Interior (UBI). O estudo, intitulado “Óleo essencial de coentros: a sua actividade anti-bacteriana e modo de acção avaliados por citometria de fluxo”, indica, segundo Fernanda Domingues que liderou o trabalho de investigação -, que o óleo de coentros ataca a membrana que envolve células bacterianas e acaba por destruí-las, indica o jornal “Público”. Esta conclusão sugere que o óleo poderá ter “importantes aplicações em

aditivos usados na indústria alimentar e farmacêutica”. A descoberta poderá ajudar a combater a transmissão de doenças através de alimentos, situação que afecta, todos os anos, “até um terço da população dos países desenvolvidos”. A investigadora da UBI acrescenta que “o óleo de

coentro poderá também tornar-se numa alternativa natural aos antibióticos comuns”. A utilização em medicamentos poderá assumir a forma de loções ou com-

primidos, “para combater infecções bacterianas multi-resistentes que de outra forma não poderiam ser tratadas e, com isto, melhorar significativamente a qualidade de vida das pessoas”. O grupo de investigadores da UBI testou o óleo de coentro em doze estirpes bacterianas, incluindo Escherichia Coli, Salmonella enterica, Bacillus cereus e MRSA. O óleo de coentro actuou como bactericida para quase todas as bactérias testadas, “à excepção da Bacillus cereus e da Enterococcus faecalis”, referiu. Os resultados do estudo foram publicados, na semana passada, na revista científica “Journal of Medical Microbiology”.

Click ecológico

Líbia | Animais esquecidos em

Sem água nem

O

S moradores dos jardins zoológicos são, muitas vezes, os primeiros a ser negligenciados quando as cidades são atingidas por catástrofes de origem humana ou natural. Nic Robertson, um correspondente da CNN no local, descobriu uma terrível situação na terça-feira no Jardim Zoológico de Tripoli, que luta para se manter em funcionamento com o contínuo conflito ao seu redor. Robertson encontrou os portões fechados e foi-lhe dito que o zoológico estava em manutenção e que não havia lá animais. Mas o rugido de um leão contou uma história diferente e Robertson seguiu o

som do animal, que se d com o barulho dos tiro O jornalista encon com tigres, leões, tart hipopótamos hienas, veados, emas e outros Todos os animais tarem subnutridos e l lhes fosse dada água ninguém estava por p Um tigre mostrava flácida, pela falta de olhar para ele e pode magro e a forma como os ossos das ancas”, des no vídeo editado no ca “Não há ninguém a quantas vezes eles são

EX-MINISTRO DA CHINA QUER CONSTRUIR

Investir em turismo n U O LIXO QUE DEU À COSTA NAS FILIPINAS • O tufão Nanmadol passou pelas Filipinas e deixou um rasto de destruição. Este fim-de-semana, o mar arrastou para a costa toneladas de plásticos e lixo variado que, alguns moradores de Manila, tentam aproveitar para reciclar.

M magnata dos negócios chinês quer comprar uma grande área do nordeste da Islândia para construir um hotel de luxo e eco-resort. Huang Nubo terá oferecido 8,8 milhões de dólares para comprar a terra de 300 quilómteros quadrados e, Grimsstadir. Os críticos do plano temem que esta seja uma forma da China ganhar uma posição

estratégica na Islândia, mas as autoridades islandesas congratularam-se com a compra e nos mais de 20 mil dólares que o magnata diz que pretende investir. Huang é o presidente do grupo de investimento Zhongkun e foi ministro na Central de Propaganda do Departamento e Ministério da Construção da China.

E q e e é d b

p a d


ASTERÓIDES ROCHOSOS MAIS PRÓXIMOS

QUINTA-FEIRA 1.9.2011

em da maioria dos meteoritos que caem na Terra estava nos asteróides. Mas, observadas cá de baixo, as assinaturas físico-químicas desses corpos com as dos meteoritos. A única maneira era ir lá buscar uma amostra para tirar teimas e foi o que a missão japonesa Hayabusa fez, no asteróide ma mão-cheia de pedacinhos intactos. E o enigma está resolvido: os condritos, a maioria dos meteoritos que caem na superfície terrestre, vêm da Terra, designados de tipo S. Os primeiros estudos das amostras do Itokawa estão publicados na “Science”.

9

PREÇO DO MARFIM DISPARA MATANÇA DE ELEFANTES NO QUÉNIA

China é o principal mercado A

caça furtiva de elefantes na reserva Samburu, no Quénia, disparou devido ao aumento do preço do marfim. O número de capturas nos últimos dois anos e meio é superior ao total dos onze anos anteriores e o pior cenário registou-se nos primeiros cinco meses de 2011. A China é o principal mercado deste negócio ilegal que ameaça extinguir os elefantes. Segundo o El País, a situação dramática na Reserva Na-

m zoo sofrem devido à guerra

m comida

destacava mesmo os da cidade. ntrou então jaulas tarugas gigantes, , ursos, macacos s. aparentavam eslutavam para que ou comida, mas perto. a a pele da barriga alimento. “Basta ver-se como está o ele anda mostra screveu Robertson anal da CNN. aqui para dizer-nos o alimentados ou

www.hojemacau.com.mo

o quanto eles são alimentados”, frisou Robertson, acrescentando que nem sequer se percebe se há um veterinário para cuidar dos animais. Durante a visita da CNN, o tratador do zoo acabou por chegar e explicou que, desde há sete dias, devido ao tumulto do conflito em Tripoli, os animais não têm nada. Agora 10 da equipa de 200 pessoas voltaram e estão a tentar alimentar todos os animais. Os grandes felinos só têm apenas metade do que realmente precisam e todos os animais definham devido ao bem mais essencial ser muito escasso: a água. “Parece que sem ajuda, nessas temperaturas sufocantes, todos os animais aqui vão continuar a sofrer sem esse bem precioso”, disse Robertson. - J.F.

R ECO-RESORT NA ISLÂNDIA

natural

O Ministério das Relações Exteriores da Islândia disse que os planos de Huang envolvem parques nacionais e que o objectivo da empresa é dar “ênfase na conservação da natureza e turismo ambiental”. Huang prometeu cooperar plenamente com as autoridades islandesas, disse o ministério, e renun-

ciar a quaisquer mexidas nas águas do Rio Jökulsá, que atravessa a propriedade, mas algumas pessoas na Islândia têm levantado preocupações sobre as implicações de longo prazo do território islandês entrar em mãos estrangeiras e que a terra possa dar à China acesso futuro aos portos de águas profundas na área.

tural de Samburu foi descrita pela Nature. De acordo com um artigo de três especialistas publicado por esta revista, o aumento da caça furtiva deve-se “à subida do preço do marfim no mercado nego, que quase duplicou desde 2007 e que é actualmente de uma magnitude superior ao dos anos 90”. “Com os preços actuais, o marfim dos elefantes maiores caçados em Samburo equivale a um ano e meio de salário dos guardas

MAIS DE MIL DENTES DE ELEFANTE IAM PARA A MALÁSIA A polícia de Zanzibar apreendeu 1041 dentes de elefante, escondidos dentro dos contentores de um navio que tinha como destino a Malásia. Assim como outros países africanos ricos em vida selvagem, nos últimos anos a Tanzânia tem registado um aumento dos casos de abate ilegal de elefantes e rinocerontes, por causa das suas presas usadas como ornamento ou para fins medicinais. Duas pessoas foram detidas no porto de Zanzibar, informou o porta-voz da polícia Mohammed Mhina, à agência Reuters. De acordo com a polícia, a maioria dos dentes de elefante traficados em África acaba em países asiáticos. “Enquanto país com a segunda maior população de elefantes africanos, é de importância vital que a Tanzânia demonstre um bom cumprimento da lei, não só em termos de interdições mas também de investigação, detenção e condenação dos responsáveis pelos crimes”, comentou, em comunicado, Tom Milliken, responsável da organização TRAFFIC, iniciativa conjunta da WWF (Fundo Mundial da Natureza) e da UICN (União Internacional da Conservação da Natureza). “Esta apreensão representa um mínimo de 500 elefantes mortos. Por isso, é essencial descobrir quem está por detrás destes abates e como é que o marfim conseguiu chegar até aqui”, acrescentou.

do parque ou a 15 anos de salários dos trabalhadores não qualificados. Nos últimos tempos, quase triplicaram as capturas de marfim ilegal no Quénia ou procedentes deste país africano”, escreve o jornal espanhol, citando os peritos da Nature. George Wittemyer (Colorado State University, EUA) e dois colegas seus do Quénia que fazem parte da organização Save the Elephants dizem que a caça furtiva provocou um rombo significativo no número de machos, que são agora metade do número de fêmeas. Mas a matança estende-se agora também às fêmeas adultas, o que está a colocar em risco a sobrevivência de vários grupos de elefantes: uma em cada cinco famílias tem falta de fêmeas adultas, essenciais na estrutura dos grupos, pois são as matriarcas que lideram as famílias, e o número de crias órfãs aumenta rapidamente. “A procura de marfim e os pre-

PUB

ços alcançaram um nível tal que os caçadores furtivos põe na sua mira inclusive áreas bem protegidas e populações de elefantes vigiadas. Com muitas populações pouco vigiadas e já sobre-exploradas, a pressão sobre os elefantes do Samburo pode ser um anúncio do que se pode esperar nas áreas protegidas de África”, indica o texto da “Nature”.

Planeta em números

9

metros é quanto pode medir uma orca assassina adulta


QUINTA-FEIRA 1.9.2011 www.hojemacau.com.mo

10

CULTURA

Estudo sobre valor económico da língua desmente internacionalização do português

Os empresários preferem os louros info@hojemacau.com.mo

A

língua pode ser um ‘soft power’, sedutora, atraente, falada, mas nem as empresas portuguesas nem as multinacionais lhe reconhecem potencial e o valor devido. Pelo contrário, a língua é menorizada face ao inglês. Esta uma das conclusões que atravessou o simpósio dedicado à língua portuguesa nos caminhos da internacionalização e que ontem à tarde, na Escola Portuguesa, juntou uma comunicação sobre a dimensão cultural da diplomacia externa portuguesa e outra acerca das tendências económicas da internacionalização da língua. Se a primeira constituiu um relatório sobre o historial da diplomacia pública de Lisboa, em especial dos anos noventa até hoje, a segunda foi mais acutilante insinuando as falácias da retórica oficial sobre a promoção do português no mundo. O estudo trata ainda de dados preliminares compiladas por Alexandra Albuquerque, do Instituto Politécnico do Porto e da Universidade Nova de Lisboa, no âmbito de um projecto do Agência para o Investimento e Comércio Externo, para averiguar o valor económico da língua nos mercados de tradução técnica mundial. Era, pelo menos, esta a intenção inicial do projecto que numa análise a 58 empresas, e apesar de algumas alterações pelo caminho, demonstrar como, em várias dimensões, o investimento da língua portuguesa raramente é contabilizado e quando o é revela cifras irrisórias. “Fala-se imenso do português como língua internacional. O título desta comunicação é ‘quando o valor das letras se mede em números’. Mas quando perguntamos ao empresários quanto é que gasta no português’ verificamos que é muito pouco”, observou a investigadora. “É valor irrisório e que muitas vezes nem sequer é contabilizado, a não ser em empresas que, de facto, têm um perfil tecnologicamente muito especifico e que são obrigadas a ter tudo traduções nas línguas do mercado onde operam”. A internacionalização, é neste aspecto, um manto de fumo. “É muito bonito dizer que a língua portuguesa é uma língua internacional, e é, pela sua

“É muito bonito dizer que a língua portuguesa é uma língua internacional, e é, pela sua história”, mas não é relevante nem a nível comercial, ou de negócios, nem como uma via de entrada para mercados importantes”, nota ALEXANDRA ALBUQUERQUE

HOJE MACAU

Carlos Picassinos

termo”. Mas, a jusante, os consumidores nunca reclamam quando, por exemplo, as instruções de uso surgem em mau português”.

BOCA CHEIA, BOLSO VAZIO

Apesar destes indícios e do estado prliminar da investigação, Alexandra Albuquerque acredita que conseguirá encontrar um número indicativo do valor económico da língua portuguesa. Conhece estudos anteriores sobre a mesma questão, em particular, dados mais mediáticos como a da investigação do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e Empresa, da autoria de José Esperança, que, em 2009, fixava o valor económico da língua nos 17 por cento do Produto Interno Bruto português. “É um cálculo que se for feito de outra maneira dará outra estatística”, relativiza. “Mas que língua portuguesa é que estamos a falar, e onde é que é que se fala essa língua portuguesa. Em Portugal, no Brasil?” Como todas as estatísticas “é falaciosa mas não deixa de ser

um ponto de partida, os dados são perfeitamente válidos, vale o que vale. As estatísticas servem para isso, para nos dar uma ideia e também nós vamos tentar ter essa ideia sobre o valor da língua” nos mercados internacionais de tradução especializada. Nem que seja para demonstrar que a realidade fica aquém do discurso oficial. A esse propósito Alexandra Albuquerque, já no final da tarde, ainda interpelou Ana Filipa Teles, a oradora que a tinha precedido com a comunicação relativa à dimensão cultural da diplomacia externa portuguesa “É certo que os dados que apresentou mostram que Portugal tem uma dimensão cultural e pública que, mal ou bem, tem sido desenvolvida. Enche-se a boca de que a língua portuguesa é a quinta, ou sexta, mais falada do mundo, que temos não sei quantos milhões de falantes pelo mundo inteiro, mas a verdade”, sublinhou, “é que quando se tenta traduzir esta realidade em números verificamos que existe muito pouco”.

PORTUGAL SEM MEIOS PARA A “GUERRA DE IDEIAS”

Alexandra Albuquerque revelou ontem dados de um estudo que demonstra como a língua portuguesa é desvalorizada pelas empresas

história”, mas quando Alexandra Albuquerque se reporta a estes dados, verifica que o português “não é relevante nem a nível comercial, ou de negócios, nem como uma via de entrada para mercados importantes. Pode ser no Brasil”, ressalva, “ou noutros mercados de língua portuguesa mas quando não é assim, o inglês passa logo para a frente”. A questão não é apenas de falta de vontade ou de impotência po-

lítica ou económica. É, sobretudo, um problema de mentalidade. A cultura das empresas tende a menorizar um recurso intangível como a língua. “Os empresários preferem não investir se podem economizar” através do recurso a traduções de estagiários advogados, gestores, engenheiros, “dispensando serviços de empresas profissionais de tradução, ou seja, “desenrasca-se uma tradução que é mesmo esse o

Ao longo dos últimos anos, Portugal esteve onde outros países estiveram, mas a escassez de recursos e meios financeiros fará com que a diplomacia pública portuguesa esteja condenada ao insucesso na “guerra de ideias” que, actualmente, caracteriza o mundo globalizado. A conclusão foi ontem partilhada por Ana Filipa Teles no seminário sobre internacionalização do português. Depois de uma resenha histórica sobre os sucessos e a visibilidade da cultura portuguesa no mundo ao longo da última década do século XX - “anos de ouro da diplomacia pública”, como lhe chamou – a investigadora e leitora de português na Universidade de Estudos Internacionais de Xangai, admite que a crise económica e financeira poderá obrigar o novo governo de Lisboa a efectuar cortes na rede de ensino de português no estrangeiro e a desviar recursos da acção cultural portuguesa. Apesar do optimismo da Declaração de Brasília, no quadro da CPLP, e das prioridades da nova direcção do Instituto Camões incluírem a Ásia e a China, a investigadora diz não ficar surpreendida se, nos próximos anos, a cultura portuguesa perder capacidade de resposta “num mundo em que as ideias imperam cada vez mais”. - C.P.


CARTAS INÉDITAS DE JOHN LENNON VÃO SER PUBLICADAS EM LIVRO O conteúdo de mais de 250 cartas que John Lennon escreveu para a sua família e amigos vai ser dado a conhecer pela primeira vez. Hunter Davies, autor da única biografia oficial dos Beatles, é o responsável pela publicação das cartas em livro. Hunter Davies reuniu os documentos pessoais de Lennon depois de uma longa pesquisa, não só juntos dos familiares e amigos próximos do músico, como também nos leilões de momorabilia de John Lennon. Yoko Ono, viúva de Lennon, permitiu, pela primeira vez, que o escritor britânico tivesse livre acesso à sua correspondência da altura trocada com o músico, autorizando a sua publicação.

Lia Coelho

lia.coelho@hojemacau.com.mo

“P

ODEMOS sair da esfera do informal e dar aos alunos jogos, brincadeiras ou um copo de bebida em alegre companhia, a partilha de historietas e passatempos alegres, dançar e cantar – e criar uma sala de aula através da leitura, visualização de filmes ou dramatização, proporcionando um ambiente propício ao regozijo.” Assim começou a apresentação que trouxe a Macau Laura Areias, professora na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, para o Simpósio Mundial dos Estudos de Língua Portuguesa (SIMELP). Laura Areias lecciona o curso semestral de “Humor em autores lusófonos”, que consegue ser “maleável e flutuante, consoante os alunos, o país ou o contexto em que é ensinado”. “Nada está nos livros, está tudo na minha cabeça, vou adaptando o curso e lecciono numa atmosfera ‘gostosa’”, diz a docente. E porque não? Porque sim. Nas palavras de Laura

Português chega ao mundo com humor

Aprender a rir

“Uso o humor para ensinar de outra forma. Mostro autores que expressam a arte, a metáfora da língua no universo dos falantes de português”

Areias é apenas uma proposta de ensino. Com quase 40 anos dedicados à docência em seis países de quatro continentes, inspirou-se na tese “Uma história da Alegria”, de Deborah Ehrenreich, para criar o curso de humor. De Gil Vicente a Mia Couto, criou um processo de ensino circular e um enredo da vida

real que põe a descoberto culturas, que têm uma mesma base – a lusofonia. “Uso o humor para ensi-

A

Escola Portuguesa de Macau tem as salas ocupadas para falar de português. Português que percorre o mapa mundo. De Portugal, ao Brasil, chegando aos países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP). Apesar de ser falada por uma minoria em Macau, é com ela que os africanos falantes de português se integram na região. A conclusão é revelada pelo estudo de Roberval Teixeira e Silva, da Universidade de Macau (UMAC), e Adams Bodomo, da Universidade de Hong Kong, sobre o papel da identidade linguística no estabelecimento dos PALOP no território. As migrações africanas para a China é, cada vez mais, um fenómeno global, ganhando um espaço maior no continente. No território, os africanos falantes de português, segundos os dados revelados pelo estudo, representam uma comunidade com uma organização interna bem estruturada, que promove a cultura e que une as diferentes comunidades dos diversos países que constituem os PALOP. “Isto é mostrado pelas associações que cada um dos países, através de um apoio institucional, do Fórum de Cooperação entre China e os PALOP”, explica

Roberval Teixeira. O próprio Governo promove assim a difusão de culturas e as relações das comunidades do continente africano. O professor da UMAC conclui que o fenómeno tem uma explicação clara: a lusofonia. “A comunidade africana que fala português é a mais bem estabelecida e organizada na China. Um identidade linguística comum entre os membros deste grupo e que também é dividida com outros falantes de português é um dos factores mais importantes da comunidade”, aponta o docente universitário. Para melhor compreender o facto, Roberval Teixeira deu o exemplo de João, um desportista do Gana, que em Macau quer aprender a língua portuguesa para se poder integrar na comunidade africana. “Ele sente uma falta de aceitação social e nem quer saber do cantonês. Vê o português como uma forma de pertencer a um grupo, o africano que é o seu”, argumenta o docente. Apesar de um quadro cultural comum e da comunidade que vem para Macau ter um estatuto relativamente elevado, é através da língua, que os emigrantes africanos se reúnem e “quando é para festejar todos se juntam”, diz Roberval Teixeira.

www.hojemacau.com.mo

11

nar de outra forma. Mostro autores que expressam a arte, a metáfora da língua no universo dos falantes de português”, explica a académica. Um leccionar que partilha o riso, o humor lusófono. Nas suas aulas há cultura com kizomba, com fantoches, com cinema brasileiro e muito mais. “Há a arte em todas as suas expressões. Nós precisamos de comunicar, seja de que forma for”, afirma Laura Areias. Portugal, um país em depressão, que precisa de rir e onde as “pessoas se juntam e realmente riem, esquecendo assim os problemas”, como afirma Laura Areias, há um manancial de cultura para dar ao mundo e uma língua única. Mais conhecida como a língua dos poetas, pela palavra saudade e o fado de tristeza, o português é na metáfora da professora de literatura e cultura portuguesa “um rio que alimenta muitos povos

que a usam para cozinhar diferentemente as suas culturas, a sua matéria prima”. E foi neste rio que Laura Areias se deixou levar para o mundo, levando consigo o ensino do português para os quatro cantos do mundo. “Já dei aulas de Portugal à Nova Zelândia e vou para onde me pedirem que ensine”, conta também a membro fundador da Associação de Estudos de Humor Luso-Hispânico, em Filadélfia. A professora deixou de lado uma sala de aulas estereotipada e ensina a língua, a literatura, a história social e cultural dos países lusófonos através do humor. Ou talvez não. Como disse ao Hoje Macau, não ensina através do humor, ensina o humor através da cultura. E porquê? “Porque sou uma pessoa alegre” e porque há toda uma potencialidade na língua que um dia conquistou o mundo, justificou Laura Areias.

PUB

LÍNGUA PROLIFERA ATRAVÉS COMUNIDADE AFRICANA NA CHINA

O Português da união

QUINTA-FEIRA 1.9.2011

AVISO COBRANÇA DO IMPOSTO COMPLEMENTAR DE RENDIMENTOS

Avisa-se os Srs. contribuintes que o referido Imposto é pago em 2 prestações, se for superior a MOP3,000.00, em Setembro e Novembro de cada ano. Se for não superior a MOP3,000.00, é pago numa única prestação, em Setembro de cada ano. O não pagamento da 1.ª prestação no mês de vencimento (Setembro) importa para além da cobrança de juros de mora e 3% de dívidas, o imediato vencimento da prestação vincenda. No mês de pagamento, se os contribuintes não tiverem ainda recebido o conhecimento de cobrança, agradecemos que se dirijam ao NÚCLEO DE INFORMAÇÕES FISCAIS, situado no r/c do Edifício “Finanças”, ao Centro de Atendimento Taipa ou ao Centro de Serviços da RAEM, trazendo consigo o conhecimento de cobrança ou fotocópia do ano anterior, para efeitos de emissão de 2.ª via do conhecimento de cobrança. 4. O pagamento da 1.ª ou única prestação pode ser efectuado, até ao último dia do mês de Setembro, nos seguintes locais: - Nas Recebedorias do Edifício “Finanças”, dos Centros de Atendimento Taipa ou do Centro de Serviços da RAEM; Os impostos/contribuições poderão ser pagos por intermédio de cartão de crédito ou de débito emitido pelo Banco da China ou Banco Nacional Ultramarino (incluindo “Maestro” e “UnionPay”). O montante total de pagamento não pode ser inferior a MOP200.00 (duzentas patacas), nem superior a MOP100 000,00 (cem mil patacas). O pagamento, através de cartão de crédito ou de débito, deve ser efectuado pelo montante total da dívida, sendo apenas permitido utilizar na operação um único cartão. - Nos balcões dos Bancos a seguir discriminados: Banco da China; Banco Comercial de Macau; Banco Delta Ásia; Banco Industrial e Comercial da China; Banco Luso Internacional; Banco Nacional Ultramarino; Banco Tai Fung e Banco Weng Hang. - Nas máquinas ATM da rede Jetco de Macau, assinaladas com a indicação «Jet payment»; - Por pagamento electrónico [“banca-on-line”], no Banco da China, no Banco Nacional Ultramarino ou no Banco Tai Fung, através dos endereços: www.bocmacau.com, www.bnu.com.mo e www.taifungbank.com, respectivamente; - Por pagamento telefónico “banca por telefone”, no Banco da China ou no Banco Tai Fung. 5. Se o pagamento for efectuado por meio de cheque, a data de emissão não poderá ser anterior, em mais de três dias, à da sua entrega nas Recebedorias da DSF, e deve ser emitido a favor da «Direcção dos Serviços de Finanças», nos termos das alíneas 2) e 3) do n.º 1 do Artigo 4.º do Regulamento Administrativo n.º 22/2008 da RAEM. Se o valor do cheque for igual ou superior a MOP50 000,00, deverá o mesmo ser visado, nos termos do alínea 4) do Artigo 5.º do Regulamento Administrativo acima mencionado. 6. Os contribuintes podem também efectuar o pagamento através do envio de ordem de caixa, de cheque bancário ou de cheque por correio registado para a Caixa Postal 3030. Note-se que não se pode enviar dinheiro, mas apenas ordem de caixa, cheque bancário ou cheque que deve incluir-se um envelope devidamente selado e endereçado ao próprio contribuinte, a fim de se enviar o respectivo conhecimento, comprovando o pagamento. Lembra-se que devem ser respeitadas as regras descritas no ponto 5, relativamente aos cheques. -- O envio para a caixa postal deve ser feito 5 dias úteis antes do termo do prazo de pagamento indicado no conhecimento de cobrança. 7. Nenhum dos métodos acima mencionados acarreta quaisquer encargos adicionais aos contribuintes pela prestação do serviço de cobrança. 8. Para a sua comodidade, evite pagar os impostos nos últimos dias do prazo. 1. 2. 3.

Aos 26 de Agosto de 2011.

O Director dos Serviços, Subst.º Iong Kong Leong


QUINTA-FEIRA 1.9.2011 www.hojemacau.com.mo

12

DESPORTO

Entrevista | Rui Borges, chefe do departamento de futebol do Benfica de Macau

A mística chega ao território glp@hojemacau.com.mo

E

STÁ aí um Benfica renovado e à imagem do passado glorioso da casa-mãe. O Hoje Macau conversou com o homem forte do futebol da Casa do Benfica de Macau, Rui Borges, e ouviu palavras que podem revolucionar a colectividade, que este ano atingiu a primeira divisão, bem como toda a estrutura do futebol de Macau. Profissionalização impõe-se, defendem os benfiquistas. Na calha pode estar o campeonato mais disputado de sempre na RAEM. O Benfica, esse, fará a sua parte, promete Rui Borges. Com a subida à primeira divisão novos desafios se impõem. O que é que o Benfica pretende? Pretendemos antes de mais nada salvaguardar a instituição Sport Lisboa e Benfica. Porque nós funcionamos como uma Casa do Benfica e nessa perspectiva existem vários pressupostos que acima de tudo devem garantir a manutenção do bom nome e da dignidade da colectividade. Em termos locais, o Benfica chega à primeira divisão este ano e na base dessa dignificação, queremos ter um comportamento nesse campeonato que se coadune com o próprio nome da equipa. É claro que não vamos embarcar em facilidades porque não é por aí que vamos defender o nome do clube, mas estamos a trabalhar no sentido de preparar uma época que garanta uma boa participação e se possível ganharmos o campeonato, apesar de não ser, para já, o nosso objectivo fundamental. E qual o objectivo fundamental da colectividade? Queremos criar as condições necessárias, nomeadamente infra-estruturas e modelo administrativo, que permitam ao Benfica em Macau ficar na primeira divisão e depois a partir daí traçar objectivos mais ambiciosos que passam, logicamente, por vencer as competições em Macau e depois, se se proporcionar, irmos competir ao nível da Liga Asiática. É um projecto de dois ou três anos. Neste momento o que é que falta para ter essas condições? Falta a aprovação do projecto em si que, embora já esteja delineado e discutido, ainda requer alguns acertos. Precisamos de apoios e patrocínios, nos quais temos vindo a trabalhar, bem como na criação das estruturas necessárias. Claro que pretendemos funcionar em função daquilo que os próprios associados de Macau pretendam, mas sobretudo está na nossa mente criar uma estrutura que dignifique o nome do Benfica. Este ano então será o ano do Benfica? O nosso presidente já disse em entrevista que, se não for este ano, estarão criadas

as condições para que no próximo ano o Benfica esteja na máxima força. Temos conhecimento que as outras equipas se têm vindo a reforçar fortemente com jogadores estrangeiros. Nessa base, vamos trabalhar para que o Benfica também consiga ter um comportamento dignificante. O Benfica também poderá estar na senda de ir buscar jogadores ao estrangeiro? Sim, o nosso presidente disse que nós iríamos ter como base preferencial da nossa escolha o mercado português. Depois procuraremos jogadores locais com qualidade e alguns jogadores da China. Queremos criar uma equipa que possa representar aquilo que é a imagem do território.

nome Benfica desde há muitos anos. É um homem empenhado no próprio Benfica. Dentro dessa perspectiva e colocando-se a possibilidade de criar uma equipa profissional então o Rui Cardoso estará disponível para abraçar um projecto profissional. É claro que nós temos que discutir muito bem todo esse processo porque o Rui não é um profissional dedicado exclusivamente ao futebol, por ter a sua profissão. Se o projecto Benfica for um projecto ambicioso, nós teremos que ter no nosso grupo de trabalho um treinador profissional. Poderá ser o Rui Cardoso ou outro treinador. O Benfica gostaria e tudo está a fazer para que seja o Rui a liderar o processo mas estamos na fase de

GONÇALO LOBO PINHEIRO

Gonçalo Lobo Pinheiro

“O futebol em Macau tem de deixar de ser tipo merceeiro. Tem de passar a ser um futebol de grande superfície. As pessoas têm de deixar de brincar ao futebol para abraçar o caminho da profissionalização, principalmente nas suas estruturas básicas” Qual o papel da casa-mãe neste novo projecto do Benfica de Macau? A casa-mãe apoia-nos na nossa intenção de dignificar o futebol em Macau e ao mesmo tempo fazer com que o nome do Benfica se expanda na Ásia. Existem vários entendimentos ao nível das direcções e existem várias obrigações da Casa do Benfica relativamente aos regulamento do funcionamento das Casas. Fala-se da possibilidade do treinador do Ka I, Rui Cardoso, vir treinar a equipa principal do Benfica de Macau. O que é que pode adiantar? É do conhecimento geral que o Rui é um benfiquista de coração e está ligado ao

discussão, com apresentações de projectos, propostas e contra-propostas. Existe em Macau gente interessada em investir no Benfica? Já temos alguns patrocinadores. Temos outros que estão a ser abordados. Alguns mostraram-se bastante disponíveis para apoiar o Benfica neste projecto mas ainda é muito cedo para divulgarmos nomes. Efectivamente existem alguns pontos de contacto que esperamos se concretizem. Com tudo o que me tem dito até agora quer dizer que o Benfica está apostado em mudar o cenário do futebol em Macau. A intenção do Benfica é de criar as dinâmicas necessárias para que o futebol em

Macau também evolua em termos internacionais, que ao nível da própria Selecção o território possa ter uma prestação muito mais digna. Não quer dizer que o perder não seja digno, mas por vezes a estrutura de apoio a esses jogadores pode ser melhorada. O Benfica procurará com a sua intervenção que isso venha a acontecer. Quiçá a trazer outros jogadores de outras partes que se mostrem, depois, com vontade de representar a Selecção de Macau, observando todos os regulamentos que estão em vigor. Se o Benfica e outras equipas se reforçam a este nível, o futebol em Macau irá ter outra visibilidade, não só internamente como a nível internacional. Vamos trabalhar no sentido de dignificar o futebol em Macau. Sabemos que temos grandes desafios pela frente, designadamente na nossa ligação com a Associação de Futebol de Macau. É importante que a associação ganhe alguma dinâmica em termos dos seus regulamentos e competições internas, porque se nós queremos partir para uma situação em pé de igualdade com outras associações, Macau terá de fazer algumas adaptações nesse sentido. Concretamente o que é que falta ao futebol de Macau? Se calhar vou dizer coisas que já venho a dizer desde 1997. O futebol em Macau tem de deixar de ser tipo merceeiro. Tem de passar a ser um futebol de grande superfície. As pessoas têm de deixar de brincar ao futebol para abraçar o caminho da profissionalização, principalmente nas suas estruturas básicas. Vamos olhar para o futebol como algo que movimenta massas, mas que isso aconteça o futebol tem de ser apelativo. Todas as equipas de Macau se debatem com problemas relacionados com espaços e campos para treinar. Os sub-23, sub-18 e sub-16 são as únicas equipas em Macau que têm o estádio para treinar duas vezes por semana. Mesmo o canídromo ou o estádio do MUST também não estão acessíveis às outras equipas. Isso tem de mudar. Mas não é só, pois não se entende porque é que na Taça de Macau cada parte tenha 30 minutos de jogo ou porque é que um campeonato de juniores se faça com quatro equipas e a uma volta, entre outras questões. Em termos pessoais, como encara esta nova etapa de ser o homem forte do futebol do Benfica de Macau? A possibilidade de poder trabalhar num projecto desta envergadura é mais um desafio na minha carreira, que até aqui tem sido tratada aos níveis de gestão administrativa e financeira. Agora aqui está em causa a criação de uma estrutura administrativa/ desportiva que possa dar uma resposta cabal àquilo que são os objectivos delineados pela direcção da Casa do Benfica. É um desafio que eu abraço com todo o entusiasmo.


[f]utilidades Cineteatro | PUB

[ ] Cinema

QUINTA-FEIRA 1.9.2011 www.hojemacau.com.mo

13

SALA 2

COWBOYS & ALIENS [B] Um filme de: Jon Favreau Com: Daniel Craig, Harrison Ford 14.30, 16.45, 19.15, 21.30 SALA 3

WASAO [A] FALADO EM CANTONENSE Um filme de: Yoshinari Nishikôri 14.30, 16.30, 19.30

SALA 1

RISE OF THE PLANET OF THE APES [B] Um filme de: Rupert Wyatt Com: James Franco, Freida Pinto, John Lithgow 14.30, 16.30, 19.30, 21.30

THE FORTUNE BUDDIES [B] FALADO EM CANTONENSE Um filme de: Chung Shu Kai Com: Eric Tsang, Cho-Iam Wong, Siu Cheung Yuen 21.30

SOLUÇÕES DO PROBLEMA HORIZONTAIS: 1-BABA. MIMA. 2-B. LABIADO. G. 3-AFOGA. XORDO. 4-NA. ARAIS. II. 5-IBIS. B. ABAS. 6-IA. VOA. AC. 7-FAMA. N. PROA. 8-EN. CEARA. NT. 9-BOATO. ALIOU. 10-O. MALABAR. M . 11-RASO. ISCA. VERTICAIS: 1-BANI. FEBO. 2-B. FABIANO. R. 3-RALO. AIM. AMA. 4-BAGAS. ACTAS. 5-ABAR. V. EOLO. 6-I. ABONA. A. 7-MAXI. A. RABI. 8-IDOSA. PALAS. 9-MOR. BAR. IRC. 10-A. DIACONO. A. 11-GOIS. ATUM.

REGRAS |

Insira algarismos nos quadrados de forma a que cada linha, coluna e caixa de 3X3 contenha os dígitos de 1 a 9 sem repetição SOLUÇÃO DO PROBLEMA DO DIA ANTERIOR

Su doku [ ] Cruzadas

HORIZONTAIS: 1-Ama-seca (Bras.). Exprime por gestos. 2-Diz-se de um órgão animal ou vegetal que apresenta a forma de dois lábios. 3-Mata por imersão. Manco e surdo (Prov.). 4-Nada (abrev. pop.). Lavrais. Segundo. 5-Ave pernalta, que foi objecto de culto entre os Egípcios. Bairro ou parte contígua às povoações. 6-Figurava. Corre com grande velocidade (Fig.). Actínio (s.q.). 7-Glória, celebridade. O rosto de um barco. 8-Em (Arc.). Estado do Brasil, cuja capital é Fortaleza. Nota do tradutor (abrev.). 9-Notícia anónima , sem confirmação, que corre publicamente. Combinou. 10-Gado bovino resultante do cruzamento de touros zebus com vacas nacionais. 11-Plano, rapado. Engoda. VERTICAIS: 1-Afastei. O Sol (Poét.). 2-Um pobre-diabo (Fam.). 3-Pedido de atenção (Interj.). Andavam. Criada grave, aia. 4-Frutos em forma de bagos miudinhos. Relato do que se disse ou se fez em assembleias (pl.). 5-Levantar as abas de. Vento forte. 6-Dá por bom. 7-Prefixo que significa muito grande. Rabo (Pref.). 8-De idade avançada, anciã. Anteparo para resguardar os olhos da claridade (pl.). 9-Maior. Botequim. Interner Relay Chat (abrev.). 10-Clérigo que tem a segunda das ordens sacras. 11-Apelido. Peixe escômbrida.

[Tele]visão www.macaucabletv.com TDM 13:00 13:30 14:30 19:00 19:30 20:25 20:30 21:00 22:10 22:40 22:58 23:00 23:35 00:05 00:30

TDM News - Repetição Jornal das 24h RTPi DIRECTO Música Movimento (Repetição) Amanhecer Acontecimentos Históricos Telejornal Jornal da Tarde da RTPi JK Falsos, Simpáticos e Manhosos Acontecimentos Históricos TDM News Ásia Global Green Matters (Ecomundo) RTPi DIRECTO

STAR SPORTS 31 13:00 Mobil 1 The Grid 2011 13:30 Ace 2011 14:00 Sports Max 2011/12 15:00 JK Racing Asia Series 16:00 GP2 Series 2011 18:00 FA Classics 2008/09 FA Cup Arsenal vs. Chelsea 19:00 Rugby World Cup 2011-Preview Show 20:00 V8 Supercars Championship 2011-Highlights 21:00 Ace 2011 21:30 (LIVE) Score Tonight 22:00 Global Football 2011 22:30 Game 23:00 Rugby World Cup 2011-Preview Show INFORMAÇÃO TDM

RTPi 82 14:00 Telejornal Madeira 14:30 A Verde e a Cores 15:00 O Humor e a Cidade 15:30 Reportagem RTP 16:00 Bom Dia Portugal 17:00 Quem Quer Ser Milionário – Alta Pressão 18:00 Resistirei 18:45 Uma História ao Jantar 19:15 Luís de Matos – Mistérios 20:00 Jornal Da Tarde 21:15 O Preço Certo 22:00 Mar à Vista 23:00 Verão Total – Castelo Vide TVB PEARL 83 06:00 Bloomberg West 07:00 First Up 07:30 NBC Nightly News 08:00 Putonghua E-News 08:30 ETV 10:30 Inside the Stock Exchange 11:00 Market Update 11:30 Inside the Stock Exchange 11:32 Market Update 12:00 Inside the Stock Exchange 12:02 Market Update 12:30 Inside the Stock Exchange 12:35 Market Update 13:00 CCTV News - LIVE 14:00 Market Update 14:40 Inside the Stock Exchange 14:43 Market Update 15:58 Inside the Stock Exchange 16:00 Sesame Street 17:00 Escape from Scorpion Island 17:30 Me & My Monsters 18:00 Putonghua News 18:10 Putonghua Financial Bulletin 18:15 Putonghua Weather Report 18:20 Financial Report 18:30 FIFA Football World 19:00 Rich Mate Poor Mate II 19:30 News At Seven-Thirty 19:50 Weather Report 19:55 Earth Live 20:00 State of Style 20:30 Summer Fun: Junior Masterchef Australia 21:30 Dolce Vita 22:00 Lonely Planet’s the Odyssey 22:30 Marketplace 22:35 The Good Wife 23:30 The CEO Connection 23:35 World Market Update 23:40 News Roundup 23:55 Earth Live 00:00 Brothers & Sisters 00:55 Heston’s Feast 01:50 European Art at the MET 02:00 Bloomberg Television 05:00 TVBS News 05:30 CCTV News ESPN 30 12:30 13:30 15:30 18:30 19:30 20:00 20:30 21:00 22:00 22:30 23:00

Chinese Badminton Super League Highlights Len European Diving Championships MLB Regular Season 2011 New York Yankees vs. Boston Red Sox (Delay) Baseball Tonight International 2011 (LIVE) Sportscenter Asia Total Rugby 2011 Geico PBA Team Shootout Chinese Badminton Super League Highlights Sportscenter Asia Total Rugby 2011 Chinese Badminton Super League Highlights

STAR MOVIES 40 11:40 Day Watch 13:50 The A-Team 15:50 Percy Jackson & The Olympians 17:50 Date Night 19:25 Post Grad 21:00 The Incredibles 23:00 George Of The Jungle 00:35 The Sorcerer’S Apprentice HBO 41 12:00 13:45 15:40 17:20 19:30 22:00 00:00

A Perfect Getaway Mary Reilly Fire From Below I Love You, Man Apollo 13 Game Of Thrones Pacific Heights

CINEMAX 42 12:30 14:30 16:00 17:20 18:45 20:30 22:00 23:55

Lethal Weapon 2 Dinocroc Vs Supergator 20 Million Miles To Earth Earth Vs. The Flying Saucers Hercules Ike: Countdown To D-Day Robocop 2 Sinbad Of The Seven Seas

MGM 43 12:45 14:30 16:00 17:30 19:00 21:00 22:45 00:15

Eye of the Needle Alphabet City Critical Assembly K-9000 At Close Range Easy Money Bridge to Silence Callie & Son

DISCOVERY CHANNEL 50 13:00 Mythbusters 14:00 Time Warp 15:00 7 Wonders Of The Muslim World 16:00 River Monsters With Jeremy Wade 17:00 Dirty Jobs 18:00 Everything You Need To Know 18:30 How Do They Do It 19:00 Kidnap & Rescue 20:00 Deadliest Catch 21:00 Auction Hunters

(MCTV 54) History Channel 00:00 PAWN STARS

21:30 22:00 23:00 00:00

First Time Film Build It Bigger Mega Builders Auction Hunters

NATIONAL GEOGRAPHIC CHANNEL 51 13:00 Shark Men 14:00 Food Lover’s Guide To The Planet 15:00 Perfect Weapon 16:00 Wild Case Files 17:00 Hooked 18:00 Is It Real? 19:00 Earth Shocks 20:00 Shark Men 21:00 When Continents Collide 22:00 Mega Factories 23:00 Mega Breakdown 00:00 When Continents Collide ANIMAL PLANET 52 13:00 Growing Up... 14:00 Snake Crusader With Bruce George 15:00 Venom In Vegas 16:00 Nature’s Deadliest 17:00 Escape To Chimp Eden 18:00 Chasing Nature 19:00 Luke Gamble’s Vet Adventures 20:00 Growing Up... 21:00 Amba The Russian Tiger 22:00 Nature’s Deadliest 23:00 Going Ape 00:00 Chasing Nature HISTORY CHANNEL 54 13:00 Modern Marvels 14:00 Ottomans vs Christians 15:00 Malaysia Revisited 16:00 Ancient Aliens 17:00 The Universe 18:00 Modern Marvels 19:00 Monster Quest 20:00 Mega Disasters 21:00 IRT Deadliest Roads 23:00 Swamp People 00:00 Pawn Stars BIOGRAPHY CHANNEL 55 13:00 Heavy (South Carolina) 14:00 I Survived 15:00 The Locator 16:00 Mahathir 18:00 Heavy 19:00 Flip This House 20:00 Storage Wars 21:00 Tycoons Of Asia 22:00 Trauma: Life In The E.R. 23:00 Heavy (South Carolina) 00:00 I Survived AXN 62 12:15 13:05 14:00 14:55 15:50 16:40 17:30 18:20 19:15 20:10 21:05 22:00 22:55 23:50 00:45

CSI: Ny The Guardian Winter Wipeout The Amazing Race CSI: Ny Ncis: Los Angeles Hawaii Five-0 CSI: Crime Scene Investigation CSI: Miami Spring Wipeout Hawaii Five-0 The Defenders CSI: Crime Scene Investigation The Defenders CSI: Crime Scene Investigation

STAR WORLD 63 12:10 Masterchef Australia 13:05 DC Cupcakes 13:35 Hell’s Kitchen 14:30 The Glee Project 15:25 Glee 16:20 Ugly Betty 17:15 Australia’s Next Top Model 18:10 How I Met Your Mother 18:35 Masterchef Australia 19:30 DC Cupcakes 20:00 Grey’s Anatomy 20:55 The Gates 21:50 Glee 22:45 Masterchef Australia 23:40 DC Cupcakes 00:05 Grey’s Anatomy Informação Macau Cable TV


PUB.

QUINTA-FEIRA 1.9.2011 www.hojemacau.com.mo

14 ANÚNCIO

ANÚNCIO

【N.º 54/2011】

【N.º 55/2011】

Para os devidos efeitos vimos por este meio notificar os representantes dos agregados familiares da lista de candidatos a habitação social abaixo indicados, nos termos do n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro:

Para os devidos efeitos, vimos por este meio notificar o representante do agregado familiar da lista de candidatos a habitação social abaixo indicado, nos termos do n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro:

Nome NG MENG WA WONG KUAI CHIO

N.º do Boletim de candidatura 5018108 5018554

Nome CHAN KAN MAN

N.º do boletim de candidatura 5000453

Após as verificações deste Instituto, notamos que os elementos dos agregados familiares de candidatos a habitação social acima mencionados são proprietários de fracções autónomas na Região Administrativa Especial de Macau, desde o termo do prazo para entrega do boletim de candidatura até à data de assinatura do contrato de arrendamento com este Instituto, pelo que não reúnem os requisitos exigidos para a candidatura, nos termos da alínea 2) do n.º 4 do artigo 3.º do Regulamento Administrativo n.º 25/2009. Tendo este Instituto publicado um anúncio na imprensa de língua chinesa e língua portuguesa, no dia 11 de Junho de 2011, a solicitar aos interessados acima mencionados para apresentarem por escrito as suas contestações pelos factos acima referidos no prazo de 10 (dez) dias a contar da data de publicação do referido anúncio, entretanto não o fizeram. Nos termos dos artigo 5.º, n.º 2 do artigo 9.º e alínea 2) do artigo 11.º do Regulamento de Candidatura para Atribuição de Habitação Social, aprovado pelo Despacho do Chefe do Executivo n.º 296/2009, assim como do despacho do Presidente do Instituto, exarado na Informação n.º 1295/DAHP/DAH/2011, as respectivas candidaturas foram excluídas da lista geral de espera. E nos termos dos artigos 148.º e 149.º e n.º 2) do artigo 150.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, podem reclamar da respectiva decisão administrativa, ao Presidente deste Instituto, no prazo de 15 (quinze) dias a contar da data de publicação do presente anúncio, a reclamação não tem efeito suspensivo; ou pode apresentar directamente recurso judicial ao Tribunal Administrativo, no prazo de 30 (trinta) dias a contar da data de publicação do presente anúncio, nos termos do artigo 25.º do Código de Procedimento Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 110/99/M, de 13 de Dezembro.

Após as verificações deste Instituto, notamos que o elemento do agregado familiar de candidato a habitação social acima mencionado é elemento que figure no boletim de candidatura de outro agregado familiar, ao qual este Instituto já tenha autorizado a aquisição da habitação nos termos do Decreto-Lei n.º 35/96/M, de 8 de Julho, do Regulamento Administrativo n.º 24/2000 (Regime de bonificação ao crédito para aquisição ou locação financeira de habitação própria) ou do Regulamento Administrativo n.º 17/2009 (Regime de bonificação de juros de crédito concedido para aquisição de habitação própria), pelo que não reúne os requisitos exigidos para a candidatura, nos termos da alínea 4) do n.º 4 do artigo 3.º do Regulamento Administrativo n.º 25/2009. De acordo com os artigos 93.º e 94.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, deve apresentar, por escrito, a sua contestação e todas as provas testemunhais, materiais, documentais ou as demais provas, no prazo de 10 dias, a contar da data de publicação do presente anúncio. Se não apresentar a contestação no prazo fixado ou a mesma não for aceite por este Instituto, a respectiva candidatura será excluída da lista geral de espera por IH, nos termos do artigo 5.º, n.º 2 do artigo 9.º e a alínea 2) do artigo 11.º do Regulamento de Candidatura para Atribuição de Habitação Social, aprovado pelo Despacho do Chefe do Executivo n.º 296/2009. No caso de dúvidas, poderá dirigir-se ao IH, sito na Travessa Norte do Patane, n.º 102. Ilha Verde, Macau, durante as horas de expediente, ou contactar Sr. Wong através o tel. n.º 2859 4875 (Ext. 216), para consulta do processo.

O Presidente,

O Presidente,

Tam Kuong Man 25 de Agosto de 2011

Tam Kuong Man 25 de Agosto de 2011

ANÚNCIO

ANÚNCIO

【N.º 56/2011】

【N.º 57/2011】

Para os devidos efeitos, vimos por este meio notificar os representantes dos agregados familiares da lista de candidatos a habitação social abaixo indicados, nos termos do n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro:

Para os devidos efeitos vimos por este meio notificar os representantes dos agregados familiares da lista de candidatos a habitação social abaixo indicada, nos termos do n.º 2 do artigo 72.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro:

Nome IEONG KAM SAN LO HAP FUN LENG SON MUI

Nome LAM HIO WA WONG IOK CHON

N.º do boletim de candidatura 5000229 5008217 5009636

N.º do boletim de candidatura 5003146 5017214

Após as verificações deste Instituto, notamos que os elementos dos agregados familiares de candidatos a habitação social acima mencionados são proprietários de fracções autónomas na Região Administrativa Especial de Macau, desde o termo do prazo para entrega do boletim de candidatura até à data de assinatura do contrato de arrendamento com este Instituto, pelo que, estes não reúnem os requisitos exigidos para a candidatura, nos termos da alínea 2) do n.º 4 do artigo 3.º do Regulamento Administrativo n.º 25/2009. De acordo com os artigos 93.º e 94.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, devem apresentar, por escrito, as suas contestações e todas as provas testemunhais, materiais, documentais ou as demais provas, no prazo de 10 dias, a contar da data de publicação do presente anúncio. Se não apresentarem as contestações no prazo fixado ou as mesmas não forem aceite por este Instituto, as respectivas candidaturas serão excluídas da lista geral de espera por IH, nos termos do artigo 5.º, n.º 2 do artigo 9.º e a alínea 2) do artigo 11.º do Regulamento de Candidatura para Atribuição de Habitação Social, aprovado pelo Despacho do Chefe do Executivo n.º 296/2009. No caso de dúvidas, poderão dirigir-se ao IH, sito na Travessa Norte do Patane, n.º 102. Ilha Verde, Macau, durante as horas de expediente, ou contactar Sr. Wong através o tel. n.º 2859 4875 (Ext. 216), para consulta do processo.

Após as verificações deste Instituto, notamos que o total do rendimento mensal dos agregados familiares de candidato a habitação social acima mencionada ultrapassa o valor constante da tabela I do n.º 1 do Despacho do Chefe do Executivo n.º 297/2009, pelo que não reúnem os requisitos exigidos para a candidatura, nos termos da alínea 3) do artigo 2.º e n.º 1 do artigo 3.º do Regulamento Administrativo n.º 25/2009, este Instituto informou-os por meio de ofícios, com os n.os 1104140013/DAH, datada de 18 de Abril de 2011 e 1103220037/DAH, datada de 28 de Março de 2011, a solicitar aos interessados acima mencionados para apresentarem por escrito as suas contestações pelo facto acima referido no prazo de 10 (dez) dias a contar da data de recepção do referido ofício, que fizeram a entrega das suas contestações, mas as mesmas não foram aceites por este Instituto. Neste acto recorrereu uma infracção, nos termos dos artigo 5.º, n.º 2 do artigo 9.º e alínea 2) do artigo 11.º do regulamento acima mencionado. E, de acordo com as decisões do despacho do Presidente, exaradas nas informações n.os 0935/DAHP/DAH/2011 e 0590/DAHP/ DAH/2011, as respectivas candidaturas foram excluídas da lista geral de espera. E nos termos dos artigos 148.º e 149.º e n.º 2) do artigo 150.º do Código do Procedimento Administrativo, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 57/99/M, de 11 de Outubro, podem reclamar da respectiva decisão administrativa, ao Presidente deste Instituto, no prazo de 15 (quinze) dias a contar da data de publicação do presente anúncio, a reclamação não tem efeito suspensivo; ou podem apresentar directamente recurso judicial ao Tribunal Administrativo, no prazo de 30 (trinta) dias a contar da data de publicação do presente anúncio, nos termos do artigo 25.º do Código de Procedimento Administrativo Contencioso, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 110/99/M, de 13 de Dezembro.

O Presidente,

O Presidente,

Tam Kuong Man 25 de Agosto de 2011

Tam Kuong Man 22 de Agosto de 2011


OPINIÃO

QUINTA-FEIRA 1.9.2011 www.hojemacau.com.mo

15

cr ep ú scu l os d os í d ol os

Lembrando o 11 de Setembro

Arnaldo Gonçalves

Os nossos inimigos cometeram o erro que os inimigos da América sempre fazem. Viram liberdade e pensaram ter visto fraqueza. Agora vêm a sua derrota. George W. Bush, Presidente dos Estados Unidos

1. A primeira crónica de Setembro recai nos acontecimentos de que se assinala, na próxima semana, a passagem de uma década: os atentados do 11 de Setembro de 2001. É uma recorrência dizer-se que o mundo mudou nesse dia e que nada passou a ser como dantes mas esta afirmação tem tanto de verdadeira quanto de assertiva. O mundo mudou, desde logo, na forma como nós, Ocidentais, passámos a ver o Outro, como tivemos que repensar a lógica de inclusão e de pacífica assimilação de culturas e grupos étnicos nas nossas sociedades. Algo que constituiu, durante décadas, elemento distintivo do nosso projecto civilizacional e ideia do mundo. A destruição e carnificina de há dez anos forçou aqueles que tinham ilusões de esquerda a perceber que há limites para a tolerância e o pluralismo, que a nossa cultura e maneira de viver tem, afinal, inimigos ajuramentados que tudo farão para destruir as nossas sociedades, sabotar a paz e segurança e aniquilar os nossos valores. Colocou na agenda internacional e da opinião pública o problema do terrorismo como a ameaça mais séria e perdurável à nossa sobrevivência colectiva. Os atentados das Torres Gémeas e do Pentágono fizeram-nos pensar na tensão não revolvida entre os valores da liberdade e da segurança, pondo-nos perante o dilema de termos de ceder um pouco da primeira para dispormos o suficiente da segunda. Atentados subsequentes em Madrid, Londres, Bali ou Mumbai reforçaram a ideia que o problema tinha mais ramificações do que se pensara (no início) e que sendo a expressão de uma visão extremada e radicalizada de viver os ensinamentos do Islão não se podia resumir a uma guerra religiosa contra o cristianismo e o Ocidente. Uma guerra em que uns pudessem sair vencedores e outros derrotados. O ajuste de contas com os perpetradores dos atentados, Osama bin Laden e a sua rede Al Qaeda, atravessou o mandato de dois Presidentes norte-americanos, um republicano e outro democrata. Uniu-os mais do que se suporia. Ouvindo Barack Obama, há dias, perante ex-combatentes e legionários

norte-americanos, dei comigo a pensar que o mesmo discurso poderia ter sido feito por George W. Bush, tal a sintonia das palavras, o tom, o orgulho nacionalista, a determinação na defesa da pátria. O tempo permite a distância suficiente para julgarmos os homens públicos e sendo trivial ridicularizar a presidência e estilo político de George W. Bush, deveríamos ser mais honestos em reconhecer, que talvez em nenhum outro momento da história recente, os Estados Unidos passaram teste maior à sua liderança do mundo livre do que nos anos que se seguiram a 1 de Setembro de 2001. O abate de Bin Laden, a destruição de parte significativa da direcção da Al Qaeda, as dificuldades que esta encontra no seu reagrupamento, comprova que a estratégia definida por Bush, Rumsfeld e depois Rice, estava afinal correcta e que produziria, com tempo, os seus efeitos. Era uma questão de esperar. Naturalmente, no melhor dos mundos, os responsáveis pelos atentados deveriam ter sido levados à Justiça e julgados com todas as garantias de defesa. Não vivemos, contudo, no melhor dos mundos e a execução desses terroristas foi um acto de justiça, de respeito pela memória dos que caíram em

Os atentados das Torres Gémeas e do Pentágono fizeram-nos pensar na tensão não revolvida entre os valores da liberdade e da segurança, pondo-nos perante o dilema de termos de ceder um pouco da primeira para dispormos o suficiente da segunda Nova Iorque e desde então noutros pontos do mundo. É fácil reprovar a actuação norte-americana quando se vive resguardado das ameaças globais sob o chapéu nuclear dos Estados Unidos e da NATO, quando nada há que fazer para garantir a segurança colectiva. 2. É notório que as feridas abertas na sociedade americana não estão ainda completamente cicatrizadas mas enganaram-se aqueles que julgaram que os seus actos criminosos seriam suficientes para destruir a unidade americana e a solidariedade dos EUA com aliados e amigos. Existe hoje uma melhor compreensão do que pensam, uns e outros, do que os distingue

e irmana, do que é verdadeiramente essencial à construção de uma sociedade internacional estável e mais segura. A segurança total é inatingível. Nunca admitiremos sacrificar um quantum significativo da nossa liberdade para nos sentirmos muito mais seguros. Gostamos de dizer o que pensamos, praticar a religião da nossa escolha (ou nenhuma), escrever sem auto-censura, eleger os nossos dirigentes, criticar o governo, e fazê-lo substituir quando é tempo. É isso que nos faz diferentes e, teimo em pensar, melhores. O ground zero permanece no centro de Manhattan como memória dos acontecimentos de há dez anos, dos homens, mulheres e crianças que pereceram vítimas de um ódio irracional contra a nossa maneira de viver e os valores que nos fazem o que somos. Um ódio fundado numa pretensa superioridade de uma religião, de um Deus, de uma cultura sobre todas as outras. Um ódio fundado no opróbrio e na mentira. Planeava lá estar, dia 11, em Manhattan mas a vida prega-nos, por vezes, partidas. Estarei contudo em pensamento com os que se que ali estiverem, nessa data, para recordar os que desapareceram e lembrar porque há dez anos “fomos todos americanos”.

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor Vanessa Amaro Redacção Gonçalo Lobo Pinheiro; Joana Freitas; Lia Coelho; Rodrigo de Matos; Virginia Leung Colaboradores António Falcão; Carlos M. Cordeiro; Carlos Picassinos; José Manuel Simões; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Rui Cascais; Sérgio Fonseca Colunistas Arnaldo Gonçalves; Boi Luxo; Correia Marques; Gilberto Lopes; Hélder Fernando; Jorge Rodrigues Simão; José I. Duarte, José Pereira Coutinho, Marinho de Bastos; Paul Chan Wai Chi; Pedro Correia Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falcão, Gonçalo Lobo Pinheiro; António Mil-Homens; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Laurentina Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Av. Dr. Rodrigo Rodrigues nº 600 E, Centro Comercial First Nacional, 14º andar, Sala 1407 – Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


ca r t oon por Steff

SÍRIA TORTURA MATA CRIANÇAS E MULHERES Pelo menos 88 manifestantes pró-democracia morreram nestes últimos cinco meses em prisões na Síria, incluindo dez crianças, na sequência de espancamentos e outros actos brutais de tortura, denuncia um relatório divulgado hoje pela Amnistia Internacional. As vítimas apresentam marcas de terem sido espancadas, submetidas a queimaduras e choques eléctricos, chicoteadas e mutiladas nos órgãos genitais, sublinha a agência de direitos humanos, apontando ser “muito credível” que todos estes mortos sejam pessoas que foram detidas durante as manifestações contra o regime do Presidente sírio, Bashar al-Assad, que eclodiram em Março passado pedindo uma maior abertura democrática no país e o fim da corrupção.

www.hojemacau.com.mo

MACAU TEMPESTADES E CALOR PARA OUTUBRO A previsão climática para Outubro é de temperaturas acima da média e de, pelo menos, duas tempestades tropicais. Os SMG antevêem que a temperatura média deste Outono vai estar no valor normal ou acima do normal, no intervalo de 23,8 a 24,5 graus Celsius e a precipitação esteja no valor normal, no intervalo de 220 a 400 milímetros.

ALEMANHA PROSTITUTAS PAGAM “PARQUÍMETRO” A ideia é simples e está suportada num argumento de justiça laboral: as prostitutas que operam na cidade alemã de Bona vão ter de pagar uma taxa diária quando estiverem a trabalhar na rua, entre as 20h15 e as 6 horas, no valor de seis euros. Para provar que pagaram a taxa referente àquele dia, as profissionais do sexo vão dirigirse a uma máquina em tudo parecida com um parquímetro e retirar, contra pagamento, um recibo. As prostitutas que não apresentem tal recibo vão pagar uma multa que pode chegar aos 100 euros. As autoridades pretendem com esta medida arrecadar cerca de 300 mil euros por ano e assim fazer igualar a justiça fiscal entre as prostitutas de rua e as que trabalham num bordel, pois estas últimas, devido ao “imposto sexual”, já pagam para operar em locais fechados de acesso público. EUA VIH PÁRA INDÚSTRIA PORNOGRÁFICA A indústria pornográfica de Los Angeles interrompeu a produção depois de um actor ter acusado positivo num teste de despistagem de VIH. A Free Speech Coalition, organização que congrega as empresas do ramo, já veio a público afirmar que a pausa durará o tempo necessário até que se confirme se o actor está de facto infectado com o vírus da sida. Caso se confirme que o actor é portador (a identidade, sexo ou idade da pessoa não foram revelados), os seus parceiros sexuais serão também testados. As regras da indústria pornográfica norteamericana obrigam os actores a submeter-se a testes mensais de VIH. No entanto, o uso de preservativo não é obrigatório. Em 2010, a indústria pornográfica, que movimenta milhões de dólares, sofreu uma interrupção pelas mesmas razões.

QUINTA-FEIRA 1.9.2011

Revolução de Sun Yat-sen comemorada em Macau

Ideias revolucionárias Joana Freitas

Joana.freitas@hojemacau.com.mo

A

partir de 10 de Setembro, o Instituto Cultural de Macau realiza actividades relacionadas com a Revolução de 1911 para “aprofundar o conhecimento público sobre Sun Yat-sen e a própria revolução”. A Exposição “Pelo povo – Sun Yat-sen e Macau” (ver caixa) vai apresentar um série de relíquias culturais, provenientes de coleccionadores ou associações de Xangai, Hong Kong, Macau, Shenzhen e Guangdong. “São cerca de 191 as relíquias que vão ser emprestadas. De Taiwan e Hong Kong vêm algumas dezenas, de Macau a percentagem não é muita”, disse Lam Chong Keong Lily Sun, neta de Sun Yat-sen vai marcar presença no Seminário Comemorativo do Centenário da Revolução de 1911, cujo tema se foca na “Aliança entre Revolucionários”. Com a presença de especialistas de Portugal, China e das RAE’s, o seminário vai apresentar comunicações sobre a história e o papel do território nos preparativos para a revolução. Duas palestras vão também ser levadas a cabo por dois académicos locais – Li Changsen, professor do Instituto Politécnico de Macau, e Lam Iok Fong, professora no departamento de comunicação da Universidade de Macau, vão apresentar temáticas que se debruçam sobre a comunidade macaense e a actividade jornalística durante a revolução. Já para quem preferir actividades ao ar livre, o

Instituto Cultural e a Associação dos Embaixadores do Património de Macau organizaram passeios pelos locais onde passou Sun Yat-sen e onde deixou vestígios quer da sua actividade revolucionária quer da sua profissão de médico. As visitas, oferecidas com guias em cantonês ou inglês, passam, por exemplo, pela Casa Memorial de Sun Yat-sen, Largo do Lilau, a sede do jornal “Echo Macaense”, a casa de encontros secretos do Partido da Revolução de Chong Hua, entre outros. Todos os passeios são gratuitos, mas é obrigatória a inscrição, que pode ser feita na página electrónica do Instituto Cultural até ao dia 19 de Setembro. O Festival Internacional de Música de Macau, também conta este ano com um espaço dedicado à revolução, com a apresentação de duas peças musicais. Mas se quer comparecer em algum destes espectáculos, apresse-se porque estão esgotados os bilhetes para o dia 9 de Outubro, restando só o espectáculo de dia 16 do mesmo mês que versa sobre a “juventude rebelde de Sun Yat-sen e o seu percurso na preparação da causa revolucionária de que foi líder”. O musical “Sol Nascente” tem lugar na Casa do Mandarim. A Orquestra Chinesa de Macau aparece ainda em cena para um outro espectáculo – “Concerto Comemorativo da Revolução Xinhai” -, que apresenta quatro peças com estreia mundial especialmente encomendadas para a ocasião. Demonstrar as relações intimas entre Macau e a revolução e despertar o interesse público é o objectivo do Museu de Macau, que frisa ainda que “Macau foi de onde Sun Yat-sen partiu para o mundo e um palco importante das suas actividades revolucionárias”. Em Janeiro que foi criado o Comité para os Trabalhos de Comemoração dos cem anos da Revolução de 1911. Constituído por 26 pessoas, o comité vai organizar uma reunião de comemoração da revolução no dia 4 de Setembro, na Torre de Macau. Com a participação Chui Sai On, Chefe do Executivo, de Steve Lam, vice-presidente do Conselho de Administração do Centro de Ciência de Macau, membros do Conselho Consultivo da Assembleia Popular da China, deputados e outras 26 personalidades, vão ser lidos discursos e apresentadas ideias e estudos sobre a revolução.

HOLANDA “CHOVEU” DINHEIRO EM ESTRADA Quem pensou que estava a ter uma visão ao ver chover notas de euros, enganou-se. De facto, elas voavam e caíam no chão como chuva. O insólito aconteceu na muito movimentada auto-estrada 2 nos arredores de Maastricht, na Holanda. Na segunda-feira, uma carrinha de valores deixou, literalmente, fugir notas de euros. O dinheiro espalhou-se pela autoestrada e provocou o caos. Os automobilistas, entusiasmados com a dança esvoaçante das notas, estacionaram os carros na berma e correram atrás delas. GUATEMALA PESSOAS USADAS COMO COBAIAS Cientistas dos EUA usaram como cobaias 5500 pessoas da Guatemala em experiências levadas a cabo entre 1946 e 1948, sem conhecimento dos envolvidos e às escondidas da comunidade científica internacional. Foram infectadas propositadamente cerca de 1300 pessoas com doenças venéreas, causando a morte a 83, revela a comissão de inquérito criada por Barack Obama. SPORTING DJALÓ DE SAÍDA PARA FRANÇA Yannick Djaló está perto de de trocar o Sporting pelo Nice, da primeira Liga francesa. O atacante de 25 anos viajou na noite passada para França para assinar um contrato que vai render ao Sporting 4,5 milhões de euros. A hipótese do avançado português rumar à Liga gaulesa foi posta a circular pela imprensa francesa, que deu conta do interesse de Bordéus, Lille e Rennes em Djaló. EUA OBAMA DECLARA ESTADO DE CATÁSTROFE O presidente norte-americano, Barack Obama, declarou ontem o estado de “grande catástrofe” na Carolina do Norte e Nova Iorque na sequência da passagem do furacão “Irene”, que provocou 49 mortos nos Estados Unidos, Canadá e Caraíbas. A decisão permitirá desbloquear fundos federais para as operações de socorro naqueles dois estados, onde a passagem do furacão, no fimde-semana, originou inundações e danos significativos, deixando milhões de pessoas sem energia eléctrica.

Hoje Macau 01 SET 2011 #2445  

Edição do Hoje Macau de 1 de Setembro de 2011 • Ano X • N.º 2445

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you