Issuu on Google+

PUB

AGÊNCIA COMERCIAL PICO • 28721006

II GUERRA

PUB

MOP$10

Ter para ler

DIRECTOR CARLOS MORAIS JOSÉ • QUINTA-FEIRA 1 DE AGOSTO DE 2013 • ANO XII • Nº 2905

LUTA DAS MULHERES DE CONFORTO COREANAS AINDA NÃO ACABOU

CENTRAIS

• ASSOCIAÇÃO DE DEFESA DO PATRIMÓNIO QUER RESPOSTA

“O que vão fazer às Portas do Cerco?” PÁGINA 5

• HABITAÇÃO PÚBLICA

Canos enferrujados um ano depois PÁGINA 6

• POLÍCIA CHINESA

Os chengguan assustam o povo PÁGINA 8

PUB

500% INCOMODA

PAC ON Deputados querem ouvir Comissariado de Auditoria

MUITA GENTE

A derrapagem de mais de 500% nas obras do Terminal do Pac On deixou os deputados cheios de dúvidas. Que querem ver detalhadamente esclarecidas pelo Comissariado de Auditoria. Chan Meng Kam diz mesmo que há “dirigentes medíocres.” PÁGINA 3


POLÍTICA

Numa interpelação escrita entregue ao Governo, o deputado disse que há mulheres que optam por ter menos filhos devido às altas despesas com os cuidados infantis, o que pode agravar o envelhecimento da população

hoje macau quinta-feira 1.8.2013

MAK SOI KUN QUESTIONA POLÍTICAS DEMOGRÁFICAS

População, essa desconhecida TIAGO ALCÂNTARA

2

CECÍLIA LIN

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

M

AK Soi Kun pretende saber quais as políticas exactas que o Governo tem para lidar com as questões da taxa de natalidade e do envelhecimento da população e, por isso, enviou ontem uma interpelação escrita ao Executivo. No documento consta uma tabela com dados detalhados sobre o envelhecimento em Macau desde 1990 a 2012. Mak Soi Kun aponta que, desde 2000, que Macau entrou para as estatísticas das Nações Unidas (ONU) como sendo uma “sociedade em envelhecimento”, dado que mais de 7% da população tem mais de 65 anos. O deputado pede, assim, que o Governo explique como é que vai analisar a situação e resolver os problemas que podem surgir no futuro. “Em 1993 a população com mais de 65 anos já ocupava a taxa de 7%. Em 1994 e 1995 es-

ses números aumentaram, tendo caído para 6,8% em 2008, ano em que decorreu a crise financeira internacional. Em 2012 esse envelhecimento subiu até 7,7%, o que mostra que a situação está cada vez pior.” O deputado cita também os discursos dos especialistas para mostrar que os serviços de prestação de cuidados aos idosos enfrentam desafios. Mak Soi Kun recorda que só no ano passado o Fundo de Segurança Social gastou 1,4 mil milhões de patacas. “Há escassez a longo prazo de lares e centros de dia para idosos. Então as ideias políticas do Governo para garantir os cuidados aos

“Em Macau as causas para o recuo da taxa de natalidade são o aumento dos casamentos tardios ou mesmo da não existência de casamento, o aumento das disparidades económicas, o aumento dos preços e o stress do dia-a-dia” MAK SOI KUN deputado

idosos, para que desfrutem da sua velhice, não passam de um mero slogan”, apontou o deputado.

OS BAIXOS NASCIMENTOS

Mak Soi Kun cita ainda a “recusa da taxa de natalidade”, uma expressão

popular japonesa que exemplifica as mulheres com menos de dois filhos, e cujos filhos também vão ter apenas um rebento, ou mesmo nenhum. “Embora o ano passado tenham nascido 7315 bebés por causa do efeito do ano do dragão,

os especialistas dizem que, no futuro, Macau vai ter menos bebés.” Enquanto isso, é citado o índice de envelhecimento, que este ano fala de 156 idosos para 100 crianças. “Em Macau as causas para o recuo da taxa de natalidade são o aumento dos casamentos tardios ou mesmo da não existência de casamento, o aumento das disparidades económicas, o aumento dos preços e o stress do dia-a-dia”, disse Mak Soi Kun, que não esqueceu o aumento dos casos de suicídio. “Também é uma reflexão de que a vida nas cidades contem hoje mais pressão do que antes.” Mak Soi Kun mostra-se preocupado de que, à semelhança do que acontece no Japão, Taiwan ou Singapura, de que a baixa taxa de natalidade traga o agravamento de questões sociais como a perda de competitividade a nível nacional ou regional, devido à baixa produção, maiores encargos na saúde e segurança social, ou mudanças na estrutura familiar tradicional. “A baixa taxa de natalidade é uma tendência no futuro, mas a maior questão é se Macau terá falta de competitividade nacional e mundial. O Governo deveria fazer já estudos sobre esta questão e desenvolver medidas pró-activas para melhorar a situação.” Mak Soi Kun acusa ainda o Governo de não ter consultado as opiniões dos cidadãos para fazer a politica populacional, pelo que a mudança sem análise “vai causar muitos problemas no futuro”.

NOVO CÔNSUL DOS EUA PARA HONG KONG E MACAU INICIOU ONTEM FUNÇÕES

Orgulhoso pelo papel dos americanos na RAEM O novo cônsul-geral dos Estados Unidos para Hong Kong e Macau, Clifford Hart, iniciou ontem funções e quer trabalhar em conjunto com as autoridades das duas regiões administrativas especiais chinesas para “promover os alargados interesses comuns”. “Estou satisfeito por voltar à China como novo cônsul-geral dos Estados Unidos para Hong Kong e Macau”, disse Clifford Hart numa mensagem ontem divulgada a partir do gabinete de Hong Kong. O novo cônsul norte-americano em Hong Kong

referiu que as duas regiões administrativas especiais da China o fascinam desde a sua primeira visita há 30 anos, pela abertura, dinamismo e integração especial da modernidade e tradições da cultura chinesa. “Estou ansioso por trabalhar com as autoridades destas regiões para promover os nossos alargados interesses comuns. Estou entusiasmado com esta oportunidade de aprofundar o meu conhecimento da população de Hong Kong e de Macau e para celebrar as suas sociedades diversificadas e notáveis conquistas”, indicou.

Para Clifford Hart, “o respeito pelo estado de direito e reconhecidas liberdades fundamentais sustentam o estatuto de Hong Kong como “cidade mundial da Ásia” e ambos são vitais para a prosperidade e estabilidade destas sociedades globalmente internacionais e chinesas”. “Estas são algumas das principais razões por que mais de 60.000 americanos estão contentes por fazerem de Hong Kong a sua casa. Estou bastante honrado por marcar presença nesta nova fase de desenvolvimento e progresso democrático de

Hong Kong com vista ao genuíno sufrágio universal sob o princípio ‘Um país, dois sistemas’”, afirmou. Sobre Macau, em particular, o cônsul-geral dos Estados Unidos disse tratar-se de “outra região chinesa única”, salientando que o território “tem uma história rica e tem registado um rápido desenvolvimento económico nos anos recentes”. “Estou orgulhoso do papel fundamental desempenhado pelas empresas norte-americanas neste crescimento”, frisou. Por outro lado, manifestou “a intenção de continuar

a trabalhar com o governo e população de Macau, à medida que a região diversifica a sua economia e ultrapassa os desafios criados pelo sucesso económico”. “Vou fazer o meu melhor para aprofundar o intercâmbio educacional e cultural da América com Macau, o que pode aprofundar os laços de amizade e entendimento entre os nossos povos”, concluiu. Clifford Hart foi enviado especial para as negociações a seis partes - as duas Coreias, China, Japão, Rússia e Estados Unidos - no âmbito do relançamento do diálogo sobre

o desarmamento nuclear. O desempenho destas funções valeu-lhe a atribuição, pelo Presidente norte-americano, Barack Obama, do título de embaixador. Com 30 anos de carreira diplomática, Clifford Hart desempenhou três missões na China e outras duas na antiga União Soviética e Iraque. O novo cônsul-geral dos Estados Unidos para Hong Kong e Macau é mestre pela Universidade de Virgínia e estudou língua chinesa em Taiwan. Clifford Hart substitui no cargo Steve Young.


política 3

hoje macau quinta-feira 1.8.2013

JOANA FREITAS

joana.freitas@hojemacau.com.mo

ZHOU XUEFEI

info@hojemacau.com.mo

C

E ninguém é responsável?

Os deputados querem saber exactamente como é que a obra teve uma derrapagem de 500% de patacas para 3,28 mil de patacas. Também José Pereira Coutinho entregou na terça-feira uma interpelação escrita a questionar o Governo sobre o mesmo caso. Pereira Coutinho duvida que o aumento envolva uma transacção de dinheiro entre oficiais e empreiteiros, sugerindo que o CCAC

intervenha na investigação “a fim de apurar a verdade”.

CONCURSO PARA MAIS OBRAS

No mesmo dia em que Chan Meng Kam e Ung Choi Kun se juntam a Pereira Coutinho para pedir esclarecimentos sobre o Pac On, o Gabinete para o Desenvolvimento

de Infra-estruturas (GDI) pôs a concurso público as obras para a construção de arruamentos que envolvem o terminal. “Os trabalhos no interior do terminal devem ser concluídos no prazo máximo de 90 dias, os trabalhos na Rotunda do Pac On devem ser concluídos no prazo TIAGO ALCÂNTARA

HAN Meng Kam e Ung Choi Kun apresentaram juntos uma interpelação que pretende forçar o Governo a explicar o “aumento dramático” do orçamento do terminal marítimo do Pac On, na Taipa. A concretização efectiva da responsabilização dos altos cargos é outro dos pedidos feitos na carta ao Governo, que fala sobre um assunto que tem levantado bastante polémica na sociedade. Os deputados salientam que, desde Julho de 2011, que já começaram a acompanhar o caso do terminal marítimo provisório, apresentando interpelações a apelar à regulamentação das “confusões na construção”. Dois anos depois, dizem, “a situação piorou ainda mais”. Ao contrário do que os que acham que a culpa é da falta de um mecanismo de fiscalização do orçamento, Chan Meng Kam e Ung Choi Kun acreditam que o problema reside “no facto de a RAEM ter demasiados dirigentes medíocres a governar”. Os deputados exigem que o Comissariado de Auditoria vá à Assembleia Legislativa explicar a derrapagem de 500% no orçamento inicial – passando de 583 milhões

CASO PAC ON DEPUTADOS QUEREM EXPLICAÇÕES DO COMISSARIADO DE AUDITORIA

AL PEDIDO AUMENTO DE NÚMERO DE DEPUTADOS NAS COMISSÕES

Por uma “eficácia melhorada” JOANA FREITAS

joana.freitas@hojemacau.com.mo

A

Comissão de Regimento e Mandatos quer alterar o Regimento da Assembleia Legislativa (AL). Numa proposta entregue a Lau Cheok Va e ontem admitida pela AL, é pedida a modificação do artigo respeitante às composições das Comissões Permanentes. “O artigo 27 [do Regimento da AL] diz que as comissões permanentes não podem ter menos de cinco, nem mais de nove deputados”, pode ler-se na nota

justificativa que acompanha a proposta. “Devido ao aumento do número de deputados à AL estão reunidas as condições para se proceder ao aumento do número de deputados nas Comissões Permanentes”, consideram os deputados da Comissão de Regimento e Mandatos. Na proposta analisada pelo HM, e disponibilizada no site da AL, esta comissão diz ser “absolutamente necessário para a melhoria da eficácia” das comissões que analisam as propostas de lei na especialidade, antes destas subirem a nova votação no plenário. Os deputados querem, agora,

que as comissões passem a ter “não menos de sete” e até 11 membros. As Comissões Permanentes actuais são três e estão constituídas por nove deputados cada uma, tendo em mãos entre um a dois diplomas para analisar até ao fim desta legislatura. O pedido de alteração feito por Fong Chi Keong (presidente), Vong Hin Fai, Kou Hoi In, Au Kam San, Ung Choi Kun, Lam Heong Sang e Gabriel Tong surge após a alteração do número total de deputados na AL, que passará na nova legislatura de 29 para 33 membros.

JOGO CHAN MENG KAM PROPÕE UMA OPERADORA PÚBLICA

O comunismo aplicado ao pano verde C

HAN Meng Kam quer que o Governo crie uma operadora do jogo pública que distribua os lucros pela população de Macau. De acordo com a Rádio Macau, que cita o jornal Business Daily, a proposta consta de cartazes espalhados pela cidade, em que surge em grande plano a

figura do candidato à Assembleia Legislativa. Em declarações ao jornal, o deputado e membro do Conselho Executivo argumenta que o Governo deve aproveitar o facto de se aproximar a data para a revisão das licenças do jogo para avançar com

uma operadora em que todos os residentes têm uma participação. Deste modo, diz Chan Meng Kam, partilha-se a prosperidade económica de forma “razoável”. O deputado, que procura ser reeleito, diz ainda que a ideia não se deve à aproximação

das legislativas e que defendeu este plano, pela primeira vez, em 2001. Uma associação liderada pelo homem forte do casino Golden Dragon vai agora recolher assinaturas para uma petição de apoio à ideia de uma operadora do jogo pública.

Chan Meng Kam e Ung Choi Kun acreditam que o problema reside “no facto de a RAEM ter demasiados dirigentes medíocres a governar” máximo de 120 e os trabalhos de ligação de redes de drenagem de água pluvial e residual do Terminal Marítimo devem ser concluídos no prazo de 150 dias”, pode ler-se num despacho analisado pelo HM. Neste concurso vão ser admitidos como concorrentes as entidades inscritas na Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e o prazo para a entrega das propostas termina no dia 29 de Agosto. Não se conseguiu apurar se o preço destas obras está incluído no montante que derrapou.

Wong Kit Cheng promove amamentação

N

O passado domingo, cerca de 50 mães amamentaram os seus filhos na actividade promotora do aleitamento materno realizado pelos Serviços de Saúde (SS), em conjunto com mães das quatro regiões do Delta do Rio das Pérolas, através de videoconferência. Segundo a imprensa chinesa, houve muitos pais que apontaram a falta de berçários em locais públicos. Houve também apelos para que haja uma legislação que proteja o direito de amamentar em público. Wong Kit Cheng, vice-presidente da Associação Geral das Mulheres e candidata às eleições, acompanhou a actividade, onde referiu que a promoção do aleitamento materno não pode basear-se apenas em palavras e slogans, e que o apoio em termos de condições materiais está longe de ser satisfatório. “Há muitas instituições comerciais e outros locais públicos sem berçários, e mesmo os que têm colocam-nos em sítios não muito desejáveis como nas casas de banho. Isso não é muito conveniente para as mães”, apontou. Wong Kit Cheng sublinhou que a carência de instalações leva a que as mães optem por não amamentar, o que representa um prejuízo par o crescimento das crianças. A candidata disse ainda que a associação tem sido muito activa na protecção do interesse das mães, tendo apelado aos departamentos públicos e à sociedade para apoiarem o aleitamento materno, através da criação de maiores recursos. - Z.X.


4 política

Operários pedem fronteiras mais abertas

A Associação de Mutuo Auxílio dos Operários de Macau entregou ontem uma carta ao Gabinete de Ligação do Governo Central na RAEM onde expressa a vontade de prolongar o horário de funcionamento do posto fronteiriço Macau-Zhuhai. Segundo a imprensa chinesa, a associação considera que esse prolongamento de horário iria “estimular mais os trabalhadores a alugar casas em Zhuhai, o que seria um alivio económico para eles e uma acção regulatória para o mercado imobiliário”. O horário sugerido é entre as 6 horas e as 2 horas da manhã do dia seguinte. Esta proposta seria o primeiro passo para, no futuro, abrir o horário até ao funcionamento 24 horas.

Tri-decade Action revoltada com lei do urbanismo

O grupo Tri-decade Action, candidato às eleições, entregou ontem na Assembleia Legislativa (AL) uma carta com 1000 assinaturas onde se manifesta a insatisfação popular sobre o regime de compensações presente na proposta de Lei do Planeamento Urbanístico. O grupo espera que o diploma, que ainda está a ser analisado na especialidade, venha a ser alterado a este nível, com a inclusão do regime de compensações com base na licença da obra, porque seria “mais benéfico para o desenvolvimento da região”. O grupo disse ainda que a proposta de lei é, na verdade, um “jogo de letras” onde se escondem “grandes conspirações para esgotar as reservas financeiras”.

hoje macau quinta-feira 1.8.2013

ATERROS KWAN TSUI HANG QUESTIONA CALENDÁRIO

Muitos resíduos, poucas medidas Kwan Tsui Hang falou ainda de um antigo estudo sobre o espaço. “As autoridades encomendaram um estudo sobre a implementação de um sistema de tratamento de resíduos, planeado para tratar o número de resíduos gerados pela indústria. Ao mesmo tempo, também servia para analisar a expansão da capacidade do aterro. Foi referido que a cooperação com o continente iria promover a criação de mais espaços, mas até agora ainda não foi feita nenhuma proposta por parte do Governo”, disse a deputada.

CECÍLIA LIN

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

A

deputada Kwan Tsui Hang quer saber qual o calendário proposto pela Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA) sobre os aterros de resíduos resultantes dos projectos de construção civil. Kwan Tsui Hang considera que a DSPAjá revelou anteriormente que o aterro existente actualmente iria estar cheio, mas que ainda não tinha nenhuma medida para enfrentar a questão. “Por causa do desenvolvimento económico, o número de obras aumentou nos últimos anos. Por outro lado, o Governo nunca promoveu a redução dos resíduos de construção, pelo que a quantidade desses resíduos desse sector tem tido um aumento incrível”, apontou a deputada e presidente da Federação das Associações de Operários de Macau (FAOM). A deputada citou, na sua interpelação escrita, dados já revelados

pela DSPA, que mostram que em 2002 os resíduos da construção civil tinham apenas 250 mil metros cúbicos de dimensão, mas que até 2007 esse valor já aumentou para 3,12 milhões de metros cúbicos, ou seja, onze vezes mais. “Nos últimos anos a quantidade média dos resíduos é de dois ou três metros cúbicos, sendo que o actual aterro, que começou a funcionar em 2006, já está quase cheio.”

QUANTO CUSTA?

Em Macau há duas formas de tratar os resíduos. Os que estão relacionados com o dia-a-dia da população têm como destino a incineração, os que são gerados pelo sector da construção civil vão para o aterro. Só no ano passado já houve 366 mil toneladas de lixo incinerado, um aumento de 11,1%. “Para tratar os resíduos

o Governo precisar de pagar muito dinheiro, mas ao mesmo tempo não pode evitar que surja poluição pela segunda vez. Por isso é que muitos Governos a nível mundial sugerem diferentes medidas para a redução e reciclagem de resíduos. O Governo de Macau também deveria fazer a mesma coisa.” Segundo Kwan Tsui Hang, “para reduzir a quantidade dos resíduos, a chave é promover a redução na origem em que estes são produzidos e a sua reciclagem, mas Macau ainda não iniciou nada quanto a esta questão. Que tipo de política de longo prazo está a ser feita para analisar esta questão e reduzir a quantidade dos resíduos? Como é que a curto prazo vamos promover a redução? Há um calendário especifico para esta política?” A deputada quer ainda saber o local do novo aterro e quais os valores pagos actualmente pela incineração e tratamento dos resíduos.

CHEONG KUOC VÁ AUTORIDADES NÃO ESCUTAM ACTIVISTAS NEM JORNALISTAS

“Os cidadãos sabem bem como é a polícia” O secretário para a Segurança, Cheong Kuoc Vá, disse ontem que a Polícia Judiciária (PJ) não recebeu nenhuma acusação contra o que alguns grupos se têm vindo a queixar de que estão a ser escutados e acredita que a PJ não anda

a escutar activistas nem jornalistas. Segundo o canal chinês da TDM, Cheong recusou-se a responder sobre o número concreto de casos relacionados com escutas, visto que este tipo de dados está coberto por “segredo de justiça” e também por não conseguir

disponibilizar os dados no momento. O secretário enfatiza ainda que escutar é uma medida de investigação, pelo que, durante ou antes de o fazer, a PJ precisa da sua aprovação. “Quando a PJ acha que existe necessidade de escutar alguém ou alguma instituição, solicita

aos departamento judiciais e inicia a acção depois de ser aprovada a solicitação”, explicou. Em frente aos média, Cheong Kuok Vá demonstrou ter confiança no mecanismo de fiscalização e na supervisão dos departamentos legislativos e judiciários.

O responsável concorda com o comportamento das autoridades e considera as escutas uma medida eficaz de investigação. Em relação aos prejuízos à imagem da polícia devido às escutas, o secretário disse que “os cidadãos sabem bem como é a polícia.”

PUB

AVISO da Direcção dos Serviços de Identificação A Direcção dos Serviços de Identificação chama a atenção para o seguinte: Ø Devem cuidar do seu documento de viagem. Nos termos do Regulamento Administrativo n.º 20/2009 da RAEM, a substituição do documento de viagem por extravio ou destruição implica a cobrança de taxa adicional, para além disso, é prorrogado o prazo de entrega e poderá ser reduzido o prazo de validade do novo documento concedido. O uso ilícito do documento de viagem extraviado por parte dos malfeitores, pode afectar o titular do documento na entrada nos países estrangeiros. Ø Devem recorrer a agências de viagem e pessoas de confiança para tratar da emissão de visto e da compra de bilhetes de avião, a fim de evitar o aproveitamento ilícito por parte dos malfeitores.


hoje macau quinta-feira 1.8.2013

ANDREIA SOFIA SILVA

andreia.silva@hojemacau.com.mo

A

presença do monumento português de cor amarela nas Portas do Cerco há muito que é uma imagem de marca do património de Macau para quem atravessa a fronteira com o continente. Contudo, a chegada da nova travessia na zona do Canal dos Patos e do Metro Ligeiro poderá trazer consequências que ainda estão por definir. Fonte do Gabinete para as Infra-estruturas e Transportes (GIT) confirmou ao HM que a futura localização do edifício histórico é uma das componentes que ainda estão a ser analisadas, num estudo iniciado em Maio do ano passado. O trabalho de consultadoria, a cargo da empresa de engenharia Parsons Brinckerhoff Asia, ainda não está terminado. “O estudo não é especificamente sobre o monumento mas sim sobre a integração do sistema do Metro Ligeiro com a nova fronteira.Aborda uma série de vertentes. Mas havendo o monumento trata-se de uma peça importante. Estão a ser abordadas várias questões e ainda não pode ser avançado mais nada.” O HM tentou saber como será feita a integração do monumento quando todos os projectos de infra-estruturas avançarem naquela zona, mas o Executivo não deu mais informações. Numa resposta escrita, apenas foi dito ao HM que a protecção do património estará garantida. “No processo de implementação do Sistema do Metro Ligeiro, o GIT tem dado prioridade à integração entre o projecto e o ambiente envolvente, sendo incluída a salvaguarda dos monumentos ou património cultural”, aponta o organismo, que garante ainda

GIT CONTINUA A ESTUDAR A ZONA. ASSOCIAÇÃO PEDE RAPIDEZ

Monumento das Portas do Cerco debaixo d’olho TIAGO ALCÂNTARA

Mais de um ano depois de ter iniciado um estudo sobre a ligação entre o Metro Ligeiro e a nova fronteira, o GIT continua sem resultados. Fonte próxima do organismo confirmou ao HM que a futura localização do monumento português também está sob análise

SOCIEDADE

5

ter vindo a manter “um diálogo estreito com os serviços na área do planeamento urbano e da salvaguarda do património cultural”. O HM entrou ainda em contacto com o consórcio EFS, ligado ao projecto do Metro Ligeiro, mas os responsáveis não quiseram fazer qualquer comentário, por se tratar de um estudo encomendado pelo Governo.

EXIGIDA RAPIDEZ E PROTECÇÃO

Contactada pelo HM, a Associação dos Embaixadores do Património de Macau (AEPM) afirma “concordar com o estudo feito pelo Governo” na zona e “acreditar que o estudo seja bem sucedido e ajude a preservar o património cultural”. Mais, a AEPM “espera que os resultados do estudo possam estar completos e ser publicados o mais depressa possível”. “O sistema do Metro Ligeiro trará um impacto negativo à paisagem visual das Portas do Cerco, especialmente para os que vivem nas redondezas. Não há dúvidas de que a preservação do património também tem de incluir o ambiente envolvente. Este impacto visual negativo no espaço, incluindo a praça das Portas do Cerco, não é aceitável”, disse o presidente da AEPM, Derrick Tam.

A HISTÓRIA DO AR CO DAS PORTAS DO CER CO A presença do monumento classificado pela UNESCO foi construído em 1870, tendo sido inaugurado a 31 de Outubro de 1871. A sua constituição junto à fronteira com a China serve de memória ao Governador Ferreira do Amaral e à tomada do forte do Passaleão. Com a frase “A Pátria honrai que a Pátria vos contempla” o monumento contém quatro lápides, que evocam precisamente o assassinato do Governador e a tomada do forte. Contudo, a construção da muralha do istmo é bem mais antiga, tendo surgido em 1573. Na época, era conhecida pelos portugueses como a “Porta do Limite” ou a “Porta do Cerco”, enquanto que os chineses a chamavam de “Kuan Chap”.

Os embaixadores do património falam ainda em “complicações” ao nível das ligações de rede do metro debaixo do solo, dado que os “edifícios estão muito concentrados”. E exigem informações antecipadas. “Na construção do projecto o Governo tem de perceber como é que vai instalar essa rede e lidar com o acesso às Portas do Cerco debaixo do solo. Se o plano avançar, vai afectar de forma severa a vida dos moradores. O Governo deveria explicar previamente a questão aos residentes, por forma a evitar respostas negativas do público.”


6 sociedade

hoje macau quinta-feira 1.8.2013

EDUCAÇÃO DSEJ ATRIBUIU MAIS DE 70 MILHÕES EM TRÊS MESES

Governo aposta em professores especializados Comércio externo Mais 10% no primeiro semestre

O

comércio externo de Macau cresceu 13% no primeiro semestre do ano para 43,42 mil milhões de patacas, face ao período homólogo do ano passado, indicam dados oficiais ontem divulgados. Entre Janeiro e Junho, Macau exportou mercadorias avaliadas em 4,61 mil milhões de patacas - mais 17% face ao período homólogo de 2012 -, com a reexportação a corresponder a 3,60 mil milhões de patacas, fruto de um crescimento de 30%. As importações, por seu turno, sofreram um aumento de 13%, em termos anuais, para 38,81 mil milhões de patacas, agravando o défice da balança comercial no primeiro semestre para 34,20 mil milhões de patacas. De acordo com os dados divulgados pela Direcção de Serviços de Estatística e Censos (DSEC), de Janeiro a Junho, os valores exportados para Hong Kong (2,55 mil milhões de patacas) e para o interior da China (779 milhões de patacas) sofreram acréscimos de 29 e 24%, respectivamente, face ao período homólogo do ano passado. Em contrapartida, os valores exportados para os Estados Unidos (181 milhões de patacas) e para a União Europeia (141 milhões de patacas) diminuíram, respectivamente, 31 e 17%, comparativamente aos primeiros seis meses de 2012. Entre Janeiro e Junho, Macau exportou 4,18 mil milhões de patacas de produtos não têxteis - mais 23% -, com destaque para os componentes electrónicos (449 milhões de patacas) e joalharia com diamantes (358 milhões de patacas), os quais registaram acréscimos de 91 e 130%, respectivamente. Já os produtos têxteis e vestuário exportados foram avaliados em 435 milhões de patacas - menos 21% do que no período homólogo de 2012. Em termos de importações, no primeiro semestre, Macau comprou mercadorias ao interior da China avaliadas em 12,68 mil milhões de patacas e à União Europeia no valor de 9,03 mil milhões de patacas, mais 15 e 13%, respectivamente. Segundo a DSEC, as importações de bens de consumo aumentaram 18 % relativamente ao primeiro semestre do ano passado, atingindo 24,76 mil milhões de patacas. Do total, 4,12 mil milhões de patacas dos bens de consumo importados diziam respeito a joalharia em ouro, mais 18%, a relógios de pulso, mais 19%, a produtos de beleza e de maquilhagem, mais 55%, e calçado, mais 16% do que no mesmo período de 2012. Só no mês de Junho, Macau exportou mercadorias avaliadas em 758 milhões de patacas - reflectindo uma subida de 16% -, contra importações de 6,63 mil milhões de patacas, as quais também sofreram um ‘pulo’ de 16%, colocando o défice da balança comercial em 5,87 mil milhões de patacas. – Lusa

JOANA FREITAS

joana.freitas@hojemacau.com.mo

D

E Abril a Junho deste ano saíram dos cofres do Governo mais de 70 milhões de patacas para a Educação. De acordo com dados ontem publicados em Boletim Oficial, e analisados pelo HM, só o Fundo de Desenvolvimento Educativo atribuiu quase 100% deste total a diversas instituições de ensino. No segundo trimestre, este fundo doou um total de 69,243,390 patacas a escolas e centros de educação, sendo que 3% deste valor foi alocado para subsidiar “pessoal especializado”. Este é um dos subsídios atribuídos pelo Fundo

de Desenvolvimento Educativo da Direcção dos Serviços de Educação e Juventude e visa apoiar as escolas a contratar pessoal especializado nas áreas de promoção da leitura, actividades extracurriculares, enfermagem escolar, ensino de tecnologias de informação e comunicação e gestão de laboratórios. Durante os três meses em análise, 11 escolas pediram este apoio, fazendo com que pouco mais de dois milhões de patacas fossem utilizados para este fim. Dentro do pacote de subsídios atribuídos por este Fundo, 664 mil patacas foram alocadas em compra de computadores portáteis para os docentes. Houve ainda

duas escolas que pediram um total de 64 milhões de patacas para “ampliação dos edifícios escolares”.

SUPERIORES EM ACÇÃO

No Boletim Oficial ontem publicado, pode ter-se ainda acesso ao montante de subsídios atribuídos pelas duas instituições de ensino superior do Governo – a Universidade de Macau (UMAC) e o Instituto Politécnico de Macau (IPM). Ambas as entidades doaram mais de um milhão de patacas cada uma, sendo a maior parte deste dinheiro entregue a alunos como forma de subsídios de “alimentação, residência e vida” ou bolsas de estudo.

UM ANO DEPOIS HABITAÇÃO PÚBLICA COM TUBOS ENFERRUJADOS

Moradores temem pela vida ZHOU XUEFEI

info@hojemacau.com.mo

A

edição de ontem do jornal Ou Mun revela que os tubos de gás do edifício Koi Nga, bem como os tubos de água do Edifício do Lago apresentam sinais de ferrugem, apesar dos referidos edifícios, de habitação pública, terem começado a ser ocupados pelos moradores há cerca de um ano. O facto tem vindo a surpreender não só os próprios moradores como também os deputados. Mak Soi Kun, em declarações ao mesmo jornal, disse que deve ser exigida a responsabilização à empresa de supervisão do projecto. E acredita que os problemas têm origem numa “construção precária”. “Se realmente os tubos estão enferrujados, a empresa de supervisão, responsável por fiscalizar toda a construção, deve assumir as responsabilidades.” Já o deputado Ho Ion Son apresentou ontem uma interpelação escrita ao Governo, onde duvida dos problemas de qualidade das

habitações. Ho Ion Sang diz que, embora os preços sejam mais baixos, o Governo não deve negligenciar a qualidade. “Há muitas coisas por explicar e existem atrasos na conclusão das 19 mil fracções. Devem haver mais medidas para garantir que os casos não se repetem.”

MATERIAIS ERRADOS

Especialistas do sector, ouvidos pelo Ou Mun, dizem que os tubos de gás deveriam ser de cobre, um material que não enferruja, pelo que o Governo deveria explicar melhor a situação. Os moradores dizem que a qualidade dos tubos “põem em risco a vida” dos que lá vivem, pelo “perigo de explosão”. Por isso também exigem explicações. Já no Edifício do Lago os moradores estão a ponderar substituir os tubos, por suspeitas de que a água que passa neles esteja poluída. Duvidam ainda que o Governo tenha negligenciado a qualidade da construção e esteja a empurrar os gastos para os pequenos proprietários.

Dados oficiais apontam para mais de 220 mil veículos em Macau Macau tinha, no final de Junho, um total de 220.951 veículos em circulação, mais 5 por cento do que no período homólogo do ano passado, dos quais metade (53%) eram motociclos. De acordo com os dados divulgados hoje pela Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC), foram atribuídas 8.994 novas matrículas entre Janeiro e Junho, o que traduz um aumento anual de 8%. Os automóveis ligeiros particulares e os motociclos constituíram, respectivamente, 52% e 42% do total. Nos primeiros seis meses do ano, ocorreram 7.156 acidentes de viação, contra 7.160 em igual período do ano passado, dos quais resultaram 2.514 vítimas, dez das quais mortais. Entre Janeiro e Junho, movimentaramse 2.275.304 viaturas nas fronteiras terrestres entre Macau e o interior da China, mais 6%, face ao mesmo período do ano precedente, com o movimento no posto fronteiriço das Portas do Cerco a equivaler a 82 % do total. Na vertente do transporte marítimo, os mesmos dados indicam que foram realizadas 69.398 viagens de barco entre Macau e Hong Kong, bem como Macau e o interior da China, ou seja, menos 1%, face a igual período de 2012. As viagens de barco para o transporte de passageiros entre Macau e Hong Kong perfizeram 79% do total, informa a DSEC. No primeiro semestre do ano foram efetuados 21.692 voos comerciais, correspondentes a um crescimento de 21 % em termos anuais, devido ao aumento significativo de voos entre Macau e a China Continental; Macau e a Tailândia, e Macau e Taiwan. Segundo a DSEC, no heliporto realizaram-se 8.196 voos entre Macau e Hong Kong e Macau e o Interior da China, ou seja, menos 5 %, em comparação com o mesmo período do ano passado. Já ao nível das telecomunicações, Macau somava, no final de Junho, 1,53 milhões de utilizadores de telemóvel, mais 4 % em termos anuais, muitos dos quais de cartões pré-pagos, usados frequentemente pelos turistas. Já os utentes do telefone fixo eram 160.326, menos 2 % do que na primeira metade de 2012. No plano do serviço de internet, contabilizavam-se 240.952 assinantes - mais 10 % -, os quais utilizaram 386 milhões de horas no primeiro semestre do ano, ou seja, mais 21% face ao período homólogo de 2012.


sociedade 7

hoje macau quinta-feira 1.8.2013

FUNDO DE SEGURANÇA SOCIAL NÃO HÁ CONSENSO NAS CONTRIBUIÇÕES. GOVERNO FARÁ NOVA PROPOSTA

Governo de mãos atadas ou sem pulso? O Governo quer aumentar as contribuições para salvar o Fundo. Mas, entre patrões e empregados, o consenso não existe

contribuições. “As 30 patacas não podem ser ajustadas em dobro. É uma grande alteração”, explica o vice-presidente da Direcção da Associação Comercial de Macau (ACM), sem dar conta de uma nova proposta de valor, mas avançando um grande sobrecarga para as empresas que já suportam grandes encargos.

O ESSENCIAL O Governo quer satisfazer vontades mas, tanto patronato como empregadores, não estão a facilitar a vida. Por isso, vai avançar com nova proposta já que a subida de 45 para 100 patacas e a proporção que recai em ambas as partes, não é aceite pelos parceiros sociais

RITA MARQUES RAMOS rita.ramos@hojemacau.com.mo

E

M sete meses não foi possível obter consenso sobre a proposta entregue pelo Governo aos parceiros sociais relativa à subida de 45 para 100 patacas nas contribuições para o Fundo de Segurança Social (FSS). Neste caso, patronato deveria assumir 60 patacas e empregadores 40 patacas deste encargo, que servirá de apoio à pensão de velhice, este ano aumentada para três mil patacas. O Executivo diz compreender a dificuldade na conciliação de vontades no Conselho Permanente de Concertação Social (CPCS) e vai avançar com nova proposta este ano. No entanto, não adianta para já os valores ou proporções em causa. “Depois de recolhermos as opiniões, o nosso gabinete vai fazer o estudo e vamos ponderar outra viabilidade de ajustamento para que as duas partes possam aceitar [...] Quanto ao calendário de apresentação ainda não posso determinar. Iremos propor constantemente durante este ano mas ainda não temos uma proposta

preliminar”, indica Ip Peng Kin, presidente do Fundo de Segurança Social (FSS), à saída de mais uma reunião com os parceiros sociais. A ideia do Governo com a actual proposta é de que se mantenha a sustentabilidade do Fundo de Segurança Social - cuja sobrevivência actual está garantida em 90% pelaAdministração

DUAS EMPRESAS VÃO INVESTIR NO FSS A percentagem de investimento internacional no Fundo de Segurança Social (FSS) será ajustado de 12 para 40%. Neste momento, explica Ip Peng Kin, há duas empresas a “apoiar” o FSS nos investimentos estrangeiros, a State Street e a JP Morgan, mas há outras duas candidatas. “No futuro iremos acrescentar mais duas empresas para fazer investimento (...) Agora ainda não foi celebrado o contrato por isso não posso divulgar [os nomes] mas já estamos a fazer a elaboração dos mesmos”, avançou ontem o presidente do FSS. Isto porque, explica, o reembolso sobre o investimento (3,7%) é actualmente menor que a inflação. Embora o responsável frise que a intenção não seja ultrapassar este indicador mas manter um “tipo de investimento estável”, o FSS pondera ainda “ alguns tipos de investimento de alto risco”.

e apenas em 10% pelos beneficiários e empregadores - e consequentemente o pagamento da pensão de velhice. A ideia é de que as reformas sejam garantidas sem tanta dependência dos cofres do Governo. Nesse caso, o aumento para 100 patacas das contribuições do patronato e trabalhadores passar a representar 15% das 664 patacas que o Fundo de Segurança Social tem de contribuir para sustentar um idoso com três mil patacas. “Há muitas zonas arredores que com a situação do envelhecimento da população a sobrecarga é cada vez maior até ultrapassa os limites de encargo da parte do Governo para manter o desenvolvimento saudável do FSS”, explica Ip Peng Kin.

“UM PARA UM” INVIABILIZADO POR TRABALHADORES

Da parte dos trabalhadores, esta questão não está muito bem escla-

recida. A sociedade não está correctamente informada e, por isso, dizem, é preciso que o Governo se socorra também de uma consulta pública para haver um acordo. “Quando aumentamos os subsídios [de velhice, invalidez, social e de doença, actualizados este ano] deve ser aumentado também o montante de contribuição mas a população não tem muitos conhecimentos e não está clara a proposta que o Governo está a lançar por isso tem de fazer mais divulgações e até uma consulta pública à sociedade e não apenas propor ao CPCS esta proposta para aprovarem”, explica Ella Lei, vice-presidente da Federação das Associações dos Operários de Macau (FAOM). Por sua vez, o representante dos empregadores Veng Kok Seng pede justiça no ajustamento das

Outra das intenções do Governo é não só um ajustamento gradual das contribuições como a equiparação na sua proporção por parte de patronato e empregadores em quatro anos. A ideia agrada às pequenas e médias empresas mas não aos empregados. “Achamos que deve ser mantida a proporção de dois para um [patrões a suportarem o dobro dos empregados]. Temos de ponderar a capacidade de ab sorção e encargos dos trabalhadores. Penso que o grau de ajustamento não deve ser muito alto [...] Queremos saber os fundamentos do Governo para mudar a proposta de um para um [metade/metade]”, frisou Ella Lei. O porta-voz dos empregadores, por sua vez, vincou que “a parte patronal só está a dar” e não irá beneficiar de nada. Recorde-se que os trabalhadores descontam actualmente 15 patacas e patrões 30 patacas por isso, com a última proposta, apresentada em Dezembro do ano passado, a Administração pretendia reduzir a diferença entre as contribuições das duas partes, com os empregadores a subirem o percentual da contribuição em mais de metade.


8

CHINA

hoje macau quinta-feira 1.8.2013

“CHENGGUAN”, A VIOLÊNCIA DE UMA POLÍCIA À PAISANA

Polícia que se comporta como os bandidos São uma força policial desarmada, criada nos anos 90. Mas agora extravasa e muito o seu poder original. Fala-se de máfia de “trabalhos sujos”

A

polícia local da China, os temidos “chengguan”, é há anos o grupo mais criticado e temido pelos cidadãos do país, que pedem sua extinção ou, pelo menos a sua regulamentação, especialmente após dois casos recentes de agressões violentas por parte dos seus soldados. Em princípio, essa é a força policial – e na China há dezenas delas – com a tarefa mais simples: reprimir os pequenos crimes e realizar missões de rotina, tais como controlar os vendedores ambulantes, zelar para que as ruas estejam limpas e agir em pequenos litígios. No entanto, a instituição criada em meados dos anos 1990 para reduzir a carga de trabalho das forças nacionais de segurança, acabou por se tornar na mais odiada pela população chinesa, ao ponto de na linguagem coloquial “ser um chengguan” é um insulto equivalente a ser comparado com um bandido. Subordinados às administrações locais, e não ao Ministério da Segurança Pública como as outras polícias, os chengguan, nem sempre uniformizados, não têm autoridade para prender nem multar e sua arma mais frequente é a agressão violenta, a maioria das vezes contra

o seu grande “alvo”: os vendedores ambulantes ilegais. No dia 17 deste mês, a morte de um deles, na província central de Hunan, um vendedor de melancias espancado até a morte pelos chengguan, foi amplamente condenada pela opinião pública e lembrou mais uma vez a brutalidade do corpo policial.

Deng Zhengjia, de 60 anos, foi espancado até à morte com os pesos de sua própria balança, apesar de ter seguido as ordens dos polícias e ter transferido a sua barraca para um mercado local, após uma discussão em que sua esposa também foi agredida. Um dia depois, outro vendedor em Harbin, cidade do nordeste do país, foi atingido na cabeça com tijolos por outros chengguan – que normalmente patrulham desarmados – que depois se negaram a levá-lo a um hospital para que fosse atendido. Os dois incidentes são apenas alguns exemplos de uma longa lista e orga-

ELO menos dez pessoas morreram devido a uma vaga de calor que está a afectar a cidade chinesa de Xangai e que é a maior dos últimos 140 anos, informou ontem a imprensa oficial chinesa. Durante oito dias consecutivos, Xangai registou temperaturas superiores a 38 graus.

O ATENTADO DE PEQUIM

Isso explica o motivo pelo qual no dia 20 de Julho, quando outra vítima dos chengguan – um ex-taxista que em 2005 ficou inválido por uma dessas surras – detonou uma bomba no Aeroporto de Pequim. O facto não foi unanimemente condenado e houve comentários em

redes sociais e, inclusivé, em artigos jornalísticos que mostraram certa compreensão com ele. “Eles ganharam reputação de brutalidade e impunidade, o que levou o povo a identificá-los com a força física, as prisões ilegais e os roubos”, dizia no ano passado a directora da HRW na China, Sophie Richardson, quando a organização apresentou o seu relatório sobre o corpo policial. Há ainda quem os vincule às máfias locais ou suspeite que praticam extorsão, e muitos governos locais recorrem a eles para fazer o “trabalho sujo” do qual a polícia e o exército

Qualquer um pode integrar o grupo, por isso muitos de seus membros são pessoas sem formação e não é raro que venham de ambientes violentos, sem qualquer tacto para resolver os novos conflitos que nascem em cidades modernas onde a extrema riqueza convive com milhões de imigrantes rurais pobres

Pelo menos dez mortos em Xangai devido à maior vaga de calor em 140 anos

P

nizações de direitos humanos que investigaram o controverso grupo, como a Human Rights Watch (HRW), registaram até 150 agressões semelhantes entre 2010 e 2012, entre eles o assassinato de um vendedor deficiente físico e uma tareia numa mulher grávida que a levou a abortar.

Médicos citados pela agência Xinhua recomendaram aos residentes de Xangai, especialmente aos mais idosos, a utilização do ar condicionado, já que a maioria dos pacientes afectados pela vaga de calor tinha os aparelhos de ar condicionado desligados em casa para cortar na

factura de electricidade ou por temer doenças respiratórias. Para demonstrar o calor que se faz sentir em Xangai, o canal de televisão Shanghai TV colocou em directo um bife na calçada que ficou cozinhado em dez minutos. Esta onda de calor está a afectar uma dezena de províncias da China.

preferem não participar, por medo de denúncias sobre violações dos direitos humanos. Em Janeiro de 2008, foi muito condenado o assassinato, pelos chengguan, do empresário Wei Wenhua, que tentava filmar com uma câmara como os soldados agiam perto de manifestantes que protestavam pela abertura de um aterro sanitário em seu bairro. O problema do grupo, cuja denominação oficial poderia ser traduzida como “administradores da lei de gestão urbana” é, segundo os observadores, a sua falta de regulamentação, talvez pela sua recente criação, há apenas 15 anos. Qualquer um pode integrar o grupo, por isso muitos de seus membros são pessoas sem formação e não é raro que venham de ambientes violentos, sem qualquer tacto para resolver os novos conflitos que nascem em cidades modernas onde a extrema riqueza convive com milhões de imigrantes rurais pobres. “É preciso que mudem”, dizia recentemente o especialista em desenvolvimento urbano Huang Shiding, que destacava que o governo “deve aprovar uma legislação nacional que regule seu comportamento”. A violência dos “chengguan” foi mais divulgada na China graças ao rápido desenvolvimento das redes sociais, onde uma agressão filmada em vídeo pode circular em questão de segundos, e o discurso da população chinesa mostra-se cada vez mais coeso: os polícias locais precisam de parar de agir como bandidos.

Operários chineses em greve contra venda de empresa norte-americana de pneus

M

AIS de 5.000 operários chineses de uma empresa norte-americana de fabrico de pneus estão em greve contra a aquisição da companhia por um grupo indiano, informou ontem a agência oficial Xinhua. Os funcionários da Cooper Chengshan estão em greve desde 13 de Julho na provín-

cia chinesa de Shandong para manifestar a sua oposição com a compra da Cooper Tire & Rubber, que detém 65 % da Cooper Chengshan, pelo grupo indiano Apollo Tyres, indicou a Xinhua. A Cooper e o Apollo anunciaram a 12 de Julho a operação que envolveu cerca de 19 mil milhões de patacas e permite ao grupo

indiano tornar-se no sétimo principal fabricante de pneus do mundo, segundo um comunicado conjunto. Os operários chineses duvidam da capacidade do grupo indiano de pagar as dívidas que a empresa norte-americana tem e estão, por isso, preocupados com os seus postos de trabalho, salienta a Xinhua.


china 9

hoje macau quinta-feira 1.8.2013

O

Comité do Partido Comunista da China (PCCh), que reúne 25 influentes autoridades do país, acredita que a segunda economia mundial deverá manter um crescimento “estável” na segunda metade de 2013 e, por isso, descartou as medidas de estímulo financeiro e monetário que estavam a ser alvo de especulações, informou esta quarta-feira a imprensa oficial. Na reunião, realizada na terça-feira e liderada pelo secretário-geral do Partido e presidente da China, Xi Jinping, os altos cargos comunistas assinalaram que, apesar das condições “extremamente complicadas”, dentro e fora do país, continuam a acreditar que a economia nacional alcançará o objectivo de crescimento anual de 7,5%. No primeiro trimestre do ano, o PIB do gigante asiático apresentou um crescimento de 7,7% e, no segundo, 7,5%, sua taxa mais baixa em 13 anos, facto que confirmou a redução da economia chinesa registada desde o último ano. Neste contexto, a economia é afec-

LÍDERES CHINESES DESCARTAM PACOTES DE ESTÍMULO ECONÓMICO

Tudo sob controlo

SAMSUNG GALAXY S4 “EXPLODE” E CAUSA INCÊNDIO

Não há duas sem três U M smartphone Samsung Galaxy S4 terá explodido e causado um incêndio em Hong Kong, segundo o Huffington Post, que cita o site chinês Xianguo.com como fonte. De acordo com a publicação, o homem identificado apenas como Du diz que um Galaxy S4 foi a causa de um incêndio na sua casa. Du diz que ouviu um estouro na bateria do aparelho enquanto jogava “Love Machine” no aparelho e então atirou o smartphone para um sofá próximo, o que deu inicio ao incêndio. O fogo acabou por se espalhar causando

grandes estragos em grande parte do imóvel onde Du vive com a esposa. O casal conseguiu escapar sem ferimentos. De acordo com Du, o smartphone Galaxy S4, assim como o carregador e a bateria, eram todos originais. O relato acontece pouco depois de outros dois casos similares na China que envolvera, o iPhone, o principal rival do Galaxy S4. Num dos incidentes, uma jovem hospedeira de bordo do país morreu após ser electrocutada enquanto carregava o aparelho na tomada; um carregador falso teria sido a causa – a Apple ainda continua a investigar o caso.

Preços de terrenos nas principais cidades chinesas continuam a aumentar

O Ministério de Terras e Recursos da China divulgou esta terça-feira os dados estatísticos do primeiro semestre deste ano onde se regista que os preços dos terrenos nas principais cidades chinesas aumentaram de forma contínua nos primeiros seis meses do ano. No primeiro trimestre, os preços gerais foram em média de 3.175 yuans por metro quadrado segundo a sondagem efectuada em 105 cidades do país, um aumento de 3,86% quando comparado com o mesmo período do ano passado. No segundo trimestre, os preços subiram para 3.226 yuans, um aumento de 1,62% em relação ao mês anterior. Neste mesmo período a procura de terrenos para construção continuou a aumentar. Este é o maior índice de procura de terras registado nos últimos anos.

tada principalmente pela fraqueza das exportações e pelas dificuldades dos seus principais parceiros (EUA e a UE). Na reunião do Comité, os líderes sublinharam que o governo chinês “deliberadamente desacelerou o ritmo para evitar bolhas” nalguns sectores - como o imobiliário - e asseguraram que os indicadores económicos “se mantiveram em níveis razoáveis na primeira metade do ano”. Os líderes comunistas assinalaram ainda que o processo de reestruturação da economia nacional será mantido a longo prazo, já que o objectivo é conseguir um crescimento mais estável e promover as reformas, mantendo “uma política monetária prudente e uma política fiscal pró-activa”. Na semana passada, a China anunciou que eliminará impostos para as pequenas empresas, oferecerá mais ajuda para os exportadores e ampliará os canais de financiamento para acelerar o investimento em ferrovias, nos esforços mais recentes de Pequim para impulsionar a economia em desaceleração.

CHINA CENSURA TERMOS RELACIONADOS COM TECNOLOGIA

Vigilância apertada A

vigilância da China sobre os seus cibernautas já é bastante conhecida. No entanto, os conteúdos controlados pelos censores do governo são ainda um mistério.  Mas um recente estudo, publicado no site First Monday, identificou mais de quatro mil palavras-chave que são controladas pelo governo chinês em plataformas de mensagens instantâneas e de redes sociais.  A investigação focou-se nos programas Skype e Sina Weibo, uma espécie de Twitter chinês, e usou técnicas de engenharia reversa para capturar e analisar pacotes de dados enquanto os mesmos passam pela rede.  Mais de 20% dos termos censurados no Sina Weibo são relacionados com tecnologia, incluindo URLs específicas, spyware e outros termos mais técnicos, revela o estudo. Algumas palavras-chave também se referem a sites

dedicados à disseminação de informação como a Wikipedia.  Termos mais genéricos como “sistema”, “administrador” e “notificações de sistema” são outros dos que também aparecem na lista. Para os investigadores, estas palavras podem ser usadas em tentativas de roubar dados de utilizadores do Sina Weibo, por exemplo.   Outros termos mais comuns como “internet”,

“chat”, “world wide web” e “cidadão chinês” são também alvos dos censores.  Para além disto, os investigadores revelaram que a lista de censura é flexível para responder a grandes acontecimentos. Como aconteceu após o início da Primavera Árabe em 2010, em que muitos tentaram levantar um protesto similar na China tendo as palavras-chave sido rapidamente adicionadas à lista dos censores.


10

II GUERRA MUNDIAL

JOANA FREITAS

joana.freitas@hojemacau.com.mo

U

MA mulher coreana - esta de bronze - sentada numa cadeira ao lado de outra cadeira vazia é o símbolo em memória de todas as mulheres asiáticas que foram escravas sexuais na II Guerra Mundial. A estátua, erigida ontem no Central Park de Glendale, na Califórnia, é o primeiro memorial a ser colocado numa cidade da costa oeste dos EUA. Entre 1940 e 1945, cerca de 200 mil mulheres asiáticas foram forçadas à escravidão sexual pelo exército japonês. Apesar de chegarem de diversos pontos do continente – como a Indonésia e a China -, cerca de 80% vieram da Coreia, que, na altura, estava sob domínio japonês. Ainda hoje, estas mulheres conhecidas como “mulheres de conforto” procuram um pedido de desculpas oficial do governo nipónico e, claro, recompensas financeiras por tudo o que passaram. Enquanto isso não acontece – e a ferida se mantém aberta entre o Japão e Coreia -, há quem ajude a não deixar que estes acontecimentos caiam no esquecimento – erguendo estátuas ou fazendo vigílias semanais.

APOIANTES E OPOSITORES

Foi o que ontem aconteceu: Glendale, nos EUA, tem relações de “cidades- irmãs”

Bok-dong tinha 14 anos quando foi forçada a viajar para Taiwan, Hong Kong, Malásia, Tailândia e Singapura – entre outros locais – para servir de escrava sexual dos militares japoneses. Hoje, anda pelo mundo para contar a sua história e tentar fazer com que o Japão se desculpe, oficialmente

hoje macau quint

ESCRAVATURA SEXUAL ESTÁTUA ERGUIDA NA CALIFÓRNIA RELEMBRA MULHERES VÍTIMAS

MULHERES DE CONFORTO Um eu

O nome pelo qual são conhecidas pode ser carinhoso – “mulheres de conforto” – mas não foi co II Guerra Mundial. Ontem, uma estátua foi posta a descoberto para relembrar as escravas sexuai pedido de desculpas na Coreia do Sul e, de acordo com os censos do país, 5% da sua população é descendente de coreanos. O pedido de erguer uma estátua foi feito por grupos comunitários coreanos que vivem nos EUA e a imagem que agora aparece no Central Park é uma réplica perfeita do “monumento da paz” erguido em frente à embaixada japonesa em Seul, na Coreia do Sul. Este não é, no entanto, um pedido que tem sido bem aceite em diversos outros locais. É que se há quem apoie estas “mulheres de confronto”, há também quem se oponha à importância que lhes é dada. É o caso de alguns “nacionalistas japoneses” – como são chamados pelos média norte-americanos -, que reclamam, desde há muito, que estas mulheres nunca foram escravas sexuais, mas antes optaram por ser prostitutas. Além de apelidarem as “mulheres de conforto” de mentirosas, reagem contra a ideia de se colocarem estátuas em sua memória. A maior parte das vezes, estas reacções são enviadas aos milhares às autoridades dos locais onde se pondera a exposição do memorial, por e-mail. Aconteceu em Glendale, apesar de sem sucesso, mas tem sido motivo para que caiam por terra as ideias de colocar mais estátuas noutros sítios do mundo.

MUITO MAIS QUE UMA MEMÓRIA

Enquanto idosas sul-coreanas se juntaram ontem – como todas as quartas-feiras desde há 23 anos – em Seul, Kim Bok-dong, de 88 anos, esteve presente na revelação da estátua ontem erguida. Bok-dong tinha 14 anos quando foi forçada a viajar para Taiwan, Hong Kong, Malásia, Tailândia e Singapura – entre outros locais – para servir de escrava sexual dos militares japoneses. Hoje, anda pelo mundo para contar a sua história e tentar fazer com que o Japão se desculpe, oficialmente. E

para contrariar o que dizem aqueles que se opõem às homenagens às ‘mulheres de conforto’. “Isto é o que me faz sentir zangada. Eu sou uma testemunha. Eu sou uma pessoa. Eu sou uma vítima. Como é que eles, enquanto seres humanos, podem dizer que o que passámos foi uma mentira?”,

disse, citada pela imprensa norte-americana. Kim Bok-dong vivia com os pais, quando os militares japoneses lhe prometeram um trabalho numa fábrica. Em vez disso, foi enviada para a China. Deram-lhe uma cama de madeira e forçaram-na a ter sexo com “longas filas de soldados”,


II guerra mundial 11

ta-feira 1.8.2013

Kim Bok-dong vivia com os pais, quando os militares japoneses lhe prometeram um trabalho numa fábrica. Em vez disso, foi enviada para a China. Deram-lhe uma cama de madeira e forçaram-na a ter sexo com “longas filas de soldados”, das 8h às 17h. Tinha 14 anos

DOS MILITARES JAPONESES

ufemismo doloroso

onforto que algumas mulheres encontraram durante a is dos soldados japoneses, que, ainda hoje, exigem um

PUB

Aviso Sobre a Declaração de Forma Simplificada do Sistema CCTV Conforme o disposto da Lei da Protecção de Dados Pessoais, se uma instituição tratar dados pessoais pelo sistema CCTV com finalidade de segurança, deve efectuar declaração ao Gabinete para a Protecção de Dados Pessoais (adiante designado por este Gabinete). Este Gabinete já emitiu a Autorização n.o 01/2013 para as instituições competentes realizar a declaração de forma simplificada. As instituições competentes podem dirigir-se a este Gabinete (sito na Avenida da Praia Grande, n.° 804, Edif. China Plaza, 13.° andar A-F) ou descarregar o formulário específico no website deste Gabinete ou usar o “Sistema da Declaração de Forma Simplificada” para preencher e imprimir o formulário. As instituições competentes devem realizar os trâmites de declaração o mais breve possível para evitar a infracção da lei. Para mais informações é favor consultar através do telefone n.o 28715666.

das 8h às 17h. Tinha 14 anos. “Nós nem sabíamos quantos tínhamos de servir, não nos conseguíamos aguentar de pé ao fim do dia. Agora, a minha única esperança é que antes de morrermos – não temos muito tempo mais de vida – o Japão apresente desculpas e ofereça compensações.” Kim Bok-dong tem uma

associação sem fins lucrativos que, actualmente, ajuda mulheres vítimas de tráfico sexual. Para ela, o erguer desta estátua é mais do uma

memória. “Não é o fim, é o início. Com isto esperamos trazer à luz do dia o tráfico humano que ainda se passa no mundo.”


12 publicidade

hoje macau quinta-feira 1.8.2013


VIDA

hoje macau quinta-feira 1.8.2013

CANAL DOS PATOS ZHUHAI REAGE A ACUSAÇÃO SOBRE POLUIÇÃO DEVIDO À CONSTRUÇÃO DA NOVA PONTE

Chuvas na origem A Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental de Zhuhai assumiu a responsabilidade sobre a poluição do canal dos patos. Segundo resposta ao Governo, as últimas tempestades arrastaram juntamente com as águas fluviais, as lamas e areias produzidas nas obras de construção da ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau para o canal dos patos. Por essa razão, o organismo da cidade vizinha exigiu a “activação imediata da solução de contingência pela parte da entidade responsável pela execução de obras, o aumento de sacos de areia e a instalação de placas de vedação, no sentido de prevenir a ocorrência de acidentes semelhantes que produzem impacto negativo no Canal dos Patos”, explicou a Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental (DSPA) em comunicado, depois de ter recebido a resposta do departamento homónimo de Macau.

Saúde Recursos humanos são escassos aqui e em Hong Kong

O

NTEM, o director dos Serviços de Alimentação e Saúde de Hong Kong, Ko Wing Man, visitou Macau. O responsável visitou as instalações dos Serviços de Saúde em Areia Preta e na Taipa e sublinhou que, tanto Hong Kong e Macau, têm de enfrentar desafios na escassez dos recursos humanos no sector da saúde. Comparando com Macau, diz, a situação de

Hong Kong é pior, porque os residentes de Macau costumam consultar os médicos em Hong Kong. No futuro, acrescenta, as duas cidades deverão cooperar, apesar de admitir que, com o aumento da população de Macau causado pelo desenvolvimento económico, o território tem cada vez melhores instrumentos para a saúde.

Sands China coopera com a “Clean the World” na reciclagem de produtos de higiene

A

Por outro lado, o departamento ambiental de Zhuhai garantiu ainda que a Direcção dos Serviços de Assuntos Aquáticos de Zhuhai já solicitou ao Centro de Gestão de Rios e Esgotos que tome as “medidas eficientes durante a época de chuvas, de forma a garantir

a segurança do meio ambiente adjacente ao Canal dos Patos”. A DSPA, por sua vez, garantiu que continuará atenta ao estado do ambiente do Canal dos Patos, mantendo estreita comunicação com as entidades relacionadas dos governo vizinha.

28 CASINOS NÃO MANTÊM QUALIDADE DO AR NOS NÃO-FUMADORES

Não há fumo sem cigarro CECÍLIA LIN

13

Fundação “Clean the World” juntou-se numa parceria com a operadora Sands China, que se compromete a trabalhar mais na defesa ambiental, sobretudo, no uso de produtos de higiene reciclados, nomeadamente, sabonetes de banho. O acordo terá lugar no dia 7 de Agosto, próximo quarta-feira, no Holiday Inn Macau. “A Clean the World é uma empresa que se compromete a proteger o ambiente e a salvar vidas, ao recolher sabonetes, de forma a combater a propagação de doenças”, diz a operadora, através de comunicado. “A Sands China está orgulhosa por ser a patrocinadora desta empresa, que se alinham com as nossas estratégias de sustentabilidade”, referiu Mark McWhinnie, vice-presidente de operações do Venetian Macao e do Sands Cotai Central. “Com um número tão vasto de quartos de

hotel [mais de nove mil], há uma grande oportunidade para reciclar os sabonetes e contribuir para um ecoturismo.” Esta não é a primeira iniciativa da Sands China, no que toca ao ambiente. Os hotéis da operadora têm chuveiros de poupança de água, lâmpadas LED e reciclagem de papel, plástico e metal. “Estamos a trabalhar para ter reciclagem de vidro e de desperdícios de comida.”
De acordo com a Organização Mundial de Saúde, explica ainda a Sands, centenas de crianças morrem todos os dias de problemas respiratórios e diarreias devido a microrganismos que podem ser combatidos através de um banho com sabonete. “A Clean the World conseguiu transformar mais de 700 metros cúbicos de lixo e criar mais de 12 milhões de novas barras de sabão, que são entregues em 67 países.”

cecilia.lin@hojemacau.com.mo

N

O primeiro exame às zonas de fumo dos casinos, 28 falharam em manter a qualidade do ar das zonas de não fumadores. O director dos Serviços de Saúde (SS), Lei Chin Ion, afirmou ontem que o segundo exame está na última fase e, se os casinos falharem mais uma vez, o Governo vai reduzir as zonas de fumo para punir os casinos. “O relatório do segundo exame é de uma grande qualidade de trabalho, os dados têm que ser muito rigorosos. Além disso, os trabalhos de controlo do tabagismo só começaram hoje [ontem] e o Governo vai lidar com mais cuidado.” Lei Chin Ion não revelou quando ia publicar os resultados, nem quantos casinos vão ser punidos. Sobre a polémica de existirem máquinas que limpam o ar nos casinos, um funcionário do jogo disse ao HM que o casino era da Sociedade de Jogos de Macau (SJM). Ontem, Lei Chin Ion mencionou o caso, dizendo que os SS já enviaram uma carta para aquele casino e, durante as inspecções actuais, não se descobriram mais violações.

Nova espécie de lémur encontrada na ilha de Madagáscar

N

O Sudeste da ilha de Madagáscar, na época das chuvas, as poucas dezenas de lémures-anões-lavasoa param de hibernar e tornam-se activos nas florestas. Em 2001, estes primatas foram observados pela primeira vez por um cientista, mas só agora se compreendeu que pertencem a uma espécie nova para a ciência. O artigo com a descoberta foi agora publicado na revista Molecular Phylogenetics and Evolution e citado pelo jornal Público. Madagáscar terá recebido há cerca de 60 milhões de anos a espécie de lémur antepassada das que hoje lá habitam. Não se sabe exactamente como é que lá chegou, mas teve oportunidade de prosperar e de se diversificar nas florestas distribuídas pela ilha – que tem 6,3 vezes o tamanho de Portugal – sem a competição de outros primatas que, entretanto, levaram à extinção as antigas espécies de lémures que viviam no continente africano. Hoje, conhecem-se cerca de 100 espécies de lémures. Todas

vivem em Madagáscar, à excepção de duas que habitam as ilhas Comores, mas que foram provavelmente introduzidas lá por pessoas. A nova espécie Cheirogaleus lavasoensis é um lémur-anão que se pensava pertencer à espécie Cheirogaleus crossleyi. Mas investigadores do Instituto de Antropologia da Universidade Johannes Gutenberg em Mainz, na Alemanha, capturaram 51 lémures-anões em nove locais diferentes para lhes retirarem amostras de tecido. Os animais foram devolvidos à natureza. Com as amostras, os cientistas fizeram análises moleculares e genéticas, para compreender melhor a diversidade genética entre diferentes géneros de lémures.


14

CULTURA

hoje macau quinta-feira 1.8.2013

Orquestra de Macau Pianista Chen Sa é a convidada de encerramento

A

“Sons Persistentes”, série de concertos deste ano da Orquestra de Macau (OM), vai ser presenteada com a presença de Chen Sa, uma pianista natural da província de Chongqing, premiada em concursos internacionais de piano de Leeds, Chopin e Van Cliburn e descrita pela Classic Fm como “uma das executantes mais brilhantes da sua geração”. A artista vai apresentar-se a 4 de Agosto, domingo, pelas 20 horas, no Grande Auditório do Centro Cultural de Macau (CCM) para o encerramento de mais uma temporada de concertos de música clássica da OM. Chen Sa iniciou os estudos de piano aos 7 anos de idade e em 2005 recebeu o Prémio Cristal no 12º

Concurso Internacional de Piano Van Cliburn, ganhando a reputação de “a melhor executante de Chopin da China da actualidade”. O concerto será dirigido pelo Director Artístico e Maestro Principal da OM, Lü Jia e Chen Sa irá interpretar o Concerto para Piano e Orquestra N.º 4 em Sol Maior, de Beethoven, uma obra sublime e complexa, considerada uma das obras mais singulares do compositor. Os espectadores com bilhete para o dia 27 de Julho e que não possam comparecer na nova data podem devolver os seus bilhetes na Rede Kong Seng a partir de hoje até 4 de Agosto. Os novos bilhetes estão à venda e custam entre 80 e 120 patacas.

Macau estreia-se na Bienal Bi-citadina de Urbanismo e Arquitectura em Shenzen

É

uma estreia absoluta para Macau. Pela primeira vez, vai participar na Bienal Bi-citadina de Urbanismo e Arquitectura de Shenzhen e Hong Kong 2013, a convite da organização. O Instituto Cultural (IC), em cooperação com aAssociação dosArquitectos de Macau (AAM), está agora a aceitar propostas para a construção do Pavilhão de Macau. Os residentes candidatos podem apresentar propostas a título individual ou como pessoas colectivas até 30 de Agosto. O IC

vai realizar uma sessão de esclarecimentos no dia 10 de Agosto, às 15 horas, na sede do organismo no Tap Seac, na qual irão ser apresentados os antecedentes, o local e a temática da bienal. “Fronteiras Urbanas” é o tema da exposição deste ano, que parte da premissa da multiplicidade de valores característica das áreas citadinas, centrando-se na diversidade, diferenciação e individualidade. O IC tem esperança que a sua participação promova o intercâmbio cultural entre Macau e o exterior, bem como um melhor conhecimento das tendências culturais nacionais

e internacionais no âmbito do urbanismo e da arquitectura, e que desperte o interesse da população pela arquitectura, planeamento urbanístico, arte e design. Esta é actualmente a única bienal a nível mundial dedicada exclusivamente à temática da cidade, a Bienal Bi-citadina conta já com quatro edições realizadas em Shenzhen e Hong Kong, onde foram expostas mais de 520 obras de todo o mundo e organizados mais de 110 fóruns. A exposição deste ano, em Shenzhen, será curada pelas equipas de Ole Bouman em colaboração com a equipa de Li Xiangning e Jeffrey Johnson.

CHINA TEM DÍVIDA DE MILHÕES DE DÓLARES COM ESTÚDIOS DE HOLLYWOOD

O imposto que não está à vista P OR causa de um impasse relacionado com os impostos, o governo da China tem uma dívida milionária com os sete maiores estúdios de Hollywood, gerada nos últimos meses – um período em que filmes como “O Homem de Aço”, “007 - Operação Skyfall” e “Além da Escuridão - Star Trek” fizeram fortunas nas bilheteiras chinesas.

Segundo a revista americana “The Hollywood Reporter”, a organização que representa os distribuidores de filmes na China suspendeu os pagamentos aos estúdios depois de um novo imposto de 2% sobre o valor acrescentado ao produto ter sido introduzido no país. Pequim entende que os estúdios americanos é que deveriam pagar essa nova

taxa para que os seus filmes sejam exibidos. No entanto, os estúdios defendem-se dizendo que, segundo a Organização Mundial do Comércio, devem receber 25% das bilheteiras chinesas dos seus filmes, sem pagamentos adicionais (incluindo impostos) a reduzir esta quantia. Assim sendo, a Warner Brothers deve receber pelo

menos US$ 31 milhões por “O Homem de Aço”, “O Hobbit - Uma Jornada Inesperada” e “Jack - O Caçador de Gigantes”, enquanto a Sony receberia US$ 23 milhões por “007 - Operação Skyfall” e “Depois da Terra”, a Disney, US$ 35 milhões por “Homem de Ferro 3” e “Oz: Mágico e Poderoso” e a Paramount, US$ 30 milhões por “Além da Escuridão - Star

Trek”, “G.I. Joe - Retaliação” e “Jack Reacher”. Universal, Fox e MGM também teriam quantias a receber da China. O presidente da Associação de Cinema dos Estados Unidos, Chris Dodd, está a tentar resolver o impasse. Os estúdios desejam que a questão seja solucionada sem que seja preciso passar pela Organização Mundial do Comércio.

O mercado de cinema da China já é o segundo maior do mundo e deve superar o dos Estados Unidos em 2020. Nos próximos cinco anos, o país pretende construir mais 25 mil salas de cinema, e o governo chinês recentemente aumentou de 20 para 34 o número de filmes estrangeiros que podem ser exibidos nos seus cinemas todos os anos.


cultura 15

hoje macau quinta-feira 1.8.2013

AOS 30 ANOS DE CARREIRA, SURGE UM SEGREDO

O novo projecto secreto de Madonna É misterioso, logo, pouco se sabe dele. Mas já se podem ver dois vídeos do novo projecto de Madonna

N

O sábado, 27 de Julho, completaram-se 30 anos sobre o lançamento do primeiro e homónimo álbum de Madonna. Nos últimos tempos a cantora tem estado longe dos holofotes, mas tudo indica que será por pouco tempo. Ainda não existem dados suficientes para conferir o que aí vem, mas pelos indícios deixados na internet nos últimos dias existirá mesmo um novo projecto no horizonte. Não se trata de um novo disco. Nem de nova digressão. Apenas se sabe que o título da coisa é, apropriadamente, intitulado Secret Project e que resulta de uma parceria com o conhecido fotógrafo Steven Klein, muito ligado ao universo da moda. Os rumores indiciam que poderá ser uma iniciativa global sobre formas de intolerância. Mas são apenas rumores, sem

ra são apenas dois teasers, que podem ser vistos em baixo, e que tanto podem indiciar uma curta-metragem, uma longa, um vídeoclip ou até um ensaio fotográfico. Afirmações só mesmo as de Steven Klein que disse que o projecto será “espectacular e controverso” e que abordará “questões políticas e sociais.” Ou seja, quase nada. Sabe-se que cerca de 40 profissionais, entre bailarinos, actores e modelos estarão envolvidos na iniciativa. Ao que parece também outras cantoras poderão participar no misterioso projecto. Fala-se de Lady GaGa – que por estes dias também tem andado ocupada com o seu novo álbum, a lançar até ao final do ano – e de Rihanna.  Em algumas fotos que foram parar à internet – descuidadamente ou propositadamente? – Rihanna aparece vestida como se fosse Marilyn Monroe, naquele que acaba por ser também um visual semelhante ao de Madonna. E uma outra imagem revela uma descrição onde se pode ler: “de Madonna, para Rihanna.” Enfim, pouco que se sabe. É natural. É segredo.

PUB

confirmação, baseados no facto de num dos vídeos Madonna aparecer a falar de questões sociais, dizendo que as pessoas estão cada vez

mais intolerantes, ou que “a democracia parece já não existir”, ou que vivemos um tempo de medos. O que se conhece até ago-

TAILÂNDIA SEMANA DA LITERATURA LUSO-ESPANHOLA

Promoção de autores ibero-americanos N UMA iniciativa que celebra o seu estatuto de Capital Mundial do Livro em 2013, e em associação com alguns países ibero-americanos (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Espanha, México e Peru), Banguecoque acolhe de 31 de Julho a 8 de Agosto uma Semana da Literatura em Português e em Espanhol. O evento, organizado pela Embaixada de Portugal na capital tailandesa em colaboração com a Faculdade de Letras da Universidade de Chulalongkorn, visa promover as literaturas em Língua Portuguesa e Espanhola e despertar o interesse dos editores para a tradução e edição de autores dos vários países participantes. Ao longo da semana decorrerá um encontro de editores e tradutores em que será apresentado o programa de Apoio à Edição do Camões - Instituto da Cooperação e da

Língua, IP. Serão também exibidos filmes relacionados com as obras literárias ou com os autores em foco. Em representação de Portugal será projectado o documentário “José e Pilar”, de Miguel Gonçalves Mendes, antecedido por uma conferência sobre a obra do Prémio Nobel da Literatura 1998, José Saramago, a cargo da leitora do Camões IP, Luísa Dutra, e de Pralom Boonrussamee, tradutora de português. Para o dia 7 de Agosto está agendada uma conferência de imprensa relativa à inauguração, no Parque Lumpini, do Bibliobus UE, um autocarro que sensibiliza para a diversidade linguística característica da União Europeia. A iniciativa tem o apoio da EUNIC,uma rede constituída pelos Institutos Nacionais de Cultura da União Europeia.

MORREU PATRICK HURDE

Mestre da dança em televisão

P

ATRICK Hurde, nome artístico de David Higgins, foi bailarino do Ballet Gulbenkian e “o grande coreógrafo da televisão em Portugal”, com a qual começou a trabalhar em 1985, no programa “1,2,3”, realizado por Luís Andrade, disse à Lusa o bailarino e professor de dança Antonio Miguens. “Na televisão ele marcou a diferença ao ir buscar para as coreografias, bailarinos com formação de dança clássica”, explicou

Miguens, que integrou um desses grupos, em 1986. Natural do Reino Unido, Hurde vivia em Lisboa, no Bairro Alto, desde 1965.“O Patrick [Hurde] é uma figura incontornável no ensino da dança na Companhia Nacional de Bailado, na Escola de Dança do Conservatório Nacional, e na Escola Superior de Dança”, salientou Miguens, tendo a sua actividade sido alvo de uma tese de doutoramento na Universidade de Lisboa. A tese, Patrick Hurde - história de vida: um contributo para a história da dança em Portugal, na segunda metade do séc. XX e início do séc. XXI, de Vera Amorim, foi defendida este ano, na área de Estudos Artísticos na Faculdade de Letras de Lisboa, sob a orientação de Maria João Brilhante.


16

DESPORTO

Pizzi pediu para ficar em Espanha

O extremo Pizzi, 23 anos, assinou contrato com o Benfica por cinco épocas mas a primeira será cumprida em Espanha, por empréstimo, ao serviço do Espanhol de Barcelona. A cedência foi ao encontro do desejo do jogador, que passava por continuar a jogar no país vizinho. As águias, que tinham mais opções para o futuro imediato do internacional português, acabaram por ser sensíveis à vontade do atacante. Entretanto, Pizzi foi ontem oficialmente apresentado na Catalunha, juntamente com Sidnei, central brasileiro, de 23 anos, também cedido por uma época - segundo a Imprensa espanhola, em ambos os casos não ficou definida cláusula de opção de compra por parte do Espanhol.

Diogo Carvalho com recorde nos 200 metros

O português Diogo Carvalho qualificouse ontem para as meias-finais de 200 metros estilos dos Mundiais de natação, que decorrem em Barcelona, ao melhorar o recorde nacional nas eliminatórias. O nadador do Galitos, de 25 anos, nadou em 1.59,39 minutos, retirando 0,12 segundos ao máximo que já lhe pertencia desde os Mundiais de 2011, disputados em Xangai, conseguindo o 13.º melhor tempo nas eliminatórias. Diogo Carvalho vai tentar apurar-se para a final dos 200 metros estilos no Palau Sant Jordi, a partir das 17:00, na pista um da segunda série, juntamente com o recordista mundial da distância, o norte-americano Ryan Lochte (1.54,00 minutos).  

Michelle de Brito eliminada em Washington

A tenista portuguesa Michelle de Brito, número 111 do mundo, foi eliminada terça-feira na ronda inaugural do torneio de Washington. Depois de passar o “qualifying”, a número um portuguesa foi afastada à primeira do quadro principal pela norte-americana Madison Keys, 40.ª da hierarquia (a melhor posição da carreira) e oitava favorita da prova norte-americana. Esta foi a desforra de Keys sobre Michelle de Brito, que tinha vencido a norte-americana no único frente a frente até ao reencontro de terça-feira, na primeira ronda do torneio norteamericano de Midland de 2012. Depois de ter eliminado a russa Maria Sharapova na recente edição de Wimbledon e ter chegado à terceira ronda do Grand Slam inglês, esta foi a segunda vez consecutiva que Michelle de Brito passou o “qualifying” de um torneio do circuito profissional e foi afastada logo na primeira eliminatória, depois da passagem por Stanford, também nos Estados Unidos.

hoje macau quinta-feira 1.8.2013

GP MACAU AOS 77 ANOS, ALBERT POON REGRESSA AO CIRCUITO DA GUIA

Septuagenário a abrir SÉRGIO FONSECA info@hojemacau.com.mo

O

septuagenárioAlbert Poon, uma lenda vida do desporto motorizado de Hong Kong, vai fazer um regresso às pistas na 60ª edição do Grande Prémio de Macau. O primeiro piloto de Hong Kong a vencer a corrida rainha do Grande Prémio do território vai participar na “Corrida Lotus Grande China”, não conseguindo recusar a proposta colocada em cima da mesa pelo empresário e promotor da corrida Eric Wong.   “Já não estou activamente a correr e conheço os meus limites. Mas quando sou convidado a correr em Macau, só posso estar feliz em aceitar”, disse Poon ao South China Morning Post. O ex-polícia assistiu à prova pela primeira vez em 1958, estreou-se na prova um ano depois, foi terceiro classificado em 1962 e  venceu Grande Prémio de Macau de 1964, ao comandos de um Lotus 23 Sport. Outro memorável resultado foi a vitória na “Guia 101” - prova única de resistência de seis horas realizada em Maio de 1969 pela então - com um Mercedes-Benz 300 SEL 6.3. Para história também ficará o facto de em, 1967, quando o Esquadrão de Combate da Rebelião Maio-Vermelho-Macau ameaçou de morte todos os pilotos chineses que alinhassem na prova, ter recebido por parte das autoridades portuguesas uma permissão especial para carregar consigo um revólver enquanto pilotava o seu Brabham. Agora com 77 anos, afastado das pistas, Poon fala com saudade do passado: “Todos os anos que corri em Macau foram memoráveis, mas os primeiros anos foram os melhores. Nunca mais me irei esquecer quando vi a corrida a primeira vez em 1958. Eu pensei para mim mesmo: ‘eu consigo fazer aquilo, eu faço aquilo o tempo todo na estrada’”, referiu ainda ao jornal de língua inglesa do território vizinho. A “Corrida Lotus Grande China” colocará nas ruas da RAEM cerca de duas dezenas de Lotus 1.6 Elise CR e, de acordo com o Coordenador da Subcomissão Desportiva do Grande Prémio, Chong Coc Veng, é destinada “a pilotos do Interior da China, Hong Kong, Macau e Taipé Chinês que serão convidados a competir contra os conterrâneos asiáticos”. Poon deverá tomar contacto

com este modelo da Lotus pela primeira vez numa corrida de demonstração a realizar em Setembro no Circuito Internacional de Guangdong, onde marcarão presença outros pilotos que depois correrão em Macau. O piloto da RAEM que mais vezes

disputou o Grande Prémio de Fórmula 3 e também ele retirado das lides, Michael Ho, deverá ser um dos pilotos da casa neste troféu monomarca que não conta com o apoio oficial da marca anglo-malaia. Como quem sabe nunca

esquece, a última vez que Poon conduziu a valer no Circuito da Guia foi nas celebrações do jubileu do evento, em 2003, tendo vencido convincentemente a corrida “Troféu dos Entusiastas do Clube MINI de Macau” disputada em piso molhado.


FUTILIDADES

hoje macau quinta-feira 1.8.2013

17

TEMPO AGUACEIROS OCASIONAIS MIN 26 MAX 30 HUM 70-95% • EURO 10.4 BAHT 0.2 YUAN 1.2

[TELE]VISÃO 30 - FOX Sports 13:00 La Liga: Mourinho’s Madrid 14:00 Senior Open Championship 2013 - Highlights 15:00 (Delay) MLB Regular Season 2013 Houston Astros vs. Baltimore Orioles 18:00 Senior Open Championship 2013 - Highlights 19:00 (Delay) The World Games 2013 - Highlight Show 19:30 (LIVE) FOX SPORTS Central 20:00 (LIVE) Ricoh Women’s British Open 2013 Day 1 31 - STAR Sports 13:00 Mobil 1 The Grid 2013 13:30 Smash 2013 14:00 HSBC Asian 5 Nations Rugby 2013 - Highlights 15:00 Kieler Woche 15:30 FIM Mx3 World Championship 2013 - Highlights 16:00 Sports Max 2013/14 17:00 Mobil 1 The Grid 2013 17:30 Smash 2013 18:00 2013 FIFA Beach Soccer World Cup Qualification Brazil vs. Ecuador 19:00 FIM Mx3 World Championship 2013 - Highlights 19:30 BWF World Super Series Highlights 2013 20:30 Nissan GT Academy 2013 21:00 Total Rugby 21:30 (LIVE) Score Tonight 2013 22:00 Global Football 2012/13 22:30 Premier League Darts 2013

[

] C I N E M A

SALA 1

DORAEMON THE MOVIE: NOBITA IN THE SECRET GADGET MUSEUM [A] (FALADO EM CANTONÊS) 14.00, 17.45

R.I.P.D. [B]

Um filme de: Robert Schwentke Com: Ryan Reynolds, Jeff Bridges, Kevin Bacon 15.55, 21.45, 23.30

THE WOLVERINE [C] Um filme de: James Mangold com: Hugh Jackman 19.30

Cineteatro

Sala 2

Sala 3

Um filme de: James Mangold com: Hugh Jackman 14.30, 21.30

(FALADO EM CANTONÊS) Um filme de: Raja Gosnell 14.00, 15.55, 17.50

THE WOLVERINE [C]

THE SMURFS [A]

THE WOLVERINE [3D] [C]

THE SMURFS [3D] [A]

R.I.P.D. 3D [B]

MONSTERS UNIVERSITY [A]

Um filme de: James Mangold com: Hugh Jackman 16.45

Um filme de: Robert Schwentke Com: Ryan Reynolds, Jeff Bridges, Kevin Bacon 19.30

(FALADO EM CANTONÊS) Um filme de: Raja Gosnell 19.45

(FALADO EM CANTONÊS) Um filme de: Dan Scanlon 21.45

M A C A U [ S Ã ] A S S A D O ECOLOGIA

Foto: Hoje Macau

• O IACM dá belos exemplos ecológicos. Vejam só como são respeitadas as ervas daninhas na escadaria do ex-Tribunal, futura Biblioteca. E logo no centro da cidade, para turista ver. É assim mesmo. Força, estamos contigo! Iáqueme, iáqueme!

40 - FOX Movies 11:50 Liberal Arts 13:30 Cloudy With A Chance Of Meatballs 15:00 Rise Of The Planet Of The Apes 16:45 The Chronicles Of Narnia 19:15 Seeking A Friend For The End Of The World 21:00 Skyfall 23:25 Enough 41 - HBO 11:30 Extremely Loud & Incredibly Close 13:45 Hbo Central 14:15 Jane Eyre 16:15 Harry Potter And The Prisoner Of Azkaban 18:40 The Rocketeer 20:30 Jack And Jill 22:00 Batman Begins 00:15 Wanderlust 42 - Cinemax 12:00 Police Academy: Mission To Moscow 13:45 Hart’S War 16:00 Girls! Girls! Girls! 17:45 Batman: Gotham Knight 19:00 Beavis And Butt-Head Do America 20:30 Glass House: The Good Mother 22:00 Blood & Chrome 23:30 D.C. Sniper 50 - Discovery Channel 13:00 Strip The City 14:00 Really Big Things With Matt Rogers 15:00 Triggers 16:00 Modern Sniper 17:00 River Monsters: Killer Catfish 18:00 How Do They Do It? 18:30 How It’s Made 19:00 Dirty Jobs 20:00 Amish Mafia 21:00 What Happened Next? 21:30 Magic Of Science 22:00 The Devils Ride 23:00 Blood Relatives 00:00 Amish Mafia 51 - National Geographic Channel 12:30 World’s Creepiest Killers 13:25 The Border 15:15 Abandoned 16:10 Diggers 17:05 Locked Up Abroad 18:00 Kung Fu Quest 19:00 Cesar Millan’s Leader of the Pack 20:00 Megastructures 21:00 Abandoned 21:30 Bid & Destroy 22:00 Diggers 23:00 Locked Up Abroad 00:00 Lords of War

À VENDA NA LIVRARIA PORTUGUESA E ONDE ESTÁ O AMOR? • Ana Zanatti

Seis mulheres e três homens, reúnem-se para confessar o que lhes parece inconfessável. Casamentos falhados, amores que não se cumprem, ciúme, traição, medo, frustração, erotismo, solidão. De tudo se fala nessa tarde, num encontro transformador do qual ninguém sai como entrou.

AÇORIANITE AGUDA (E OUTRAS MALEITAS)… • LUÍS CARDOSO

Professor nas horas vagas, Luís Cardoso carrega consigo um segredo: em 2007, aquando da sua migração para os Açores, foi mordido por uma vaca que o levou a contrair um caso grave de “Açorianite Aguda”. Diagnosticada precocemente, os sintomas consistiam num enamoramento pelo arquipélago, assim como a constatação da enorme quantidade de espaço para crescimento pessoal que a região proporcionava e que lhe conferiu o super-poder de não ser apenas “mais um professor”. O receituário foi simples: filosofar com desenhos, aprendendo sempre um pouco mais todos os dias sobre a arte. Os trabalhos aqui reunidos são um fugaz desmascarar da sua identidade secreta. RUA DE S. DOMINGOS 16-18 • TEL: +853 28566442 | 28515915 • FAX: +853 28378014 • MAIL@LIVRARIAPORTUGUESA.NET

POR MIM FALO

Pu Yi

A história da ilha pequenina Hoje vou contar-vos uma história de uma empresa pequena e média, que é como quem diz, uma Pequena e Média Empresa (PME). Esta empresa não está na Rua dos Ervanários onde o cheiro de uma Macau tradicional se entranha na pele. Pode estar, imagine-se, na zona norte, num prédio velho, sujo. Emprega 50 pessoas e produz materiais para souvenirs. Um dia o dono desta empresa ouviu falar de uma coisa chamada Ilha da Montanha, ou Ilha de Hengqin, e foi a um seminário saber como é que podia entrar lá. O terreno até é de Macau, cedido pela China através de arrendamento, e pode ser uma oportunidade de crescimento, pensou. Foi lá pobre e saiu pobrezinho, como disse a filha do banqueiro: chegou à conclusão que nunca iria conseguir os 100 ou 200 milhões de yuan mínimos para abrir um escritório pequenino, uma representação, sabe-se lá, um lugarzinho na terra prometida. Ao seu lado, o dono da empresa pequena tinha donos de empresas grandes que mostravam sorrisos de satisfação. Saiu do seminário, apanhou um táxi e regressou para a zona norte e para o seu negócio de sempre. Pequenino, pequenino. Uns dias mais tarde estava a ver o telejornal e ouviu o senhor do Governo a dizer que as pequenas empresas deveriam olhar para as oportunidades, mais do que para tantos yuan. Ouviu, não compreendeu, mas calou-se. Não conseguiu perceber como se constrói a terra prometida quando os pequenos não têm dinheiro. É assim a ilha. Hoje é pequena, amanhã será grande, muito grande. Só não sabemos é para quem.


18 publicidade

hoje macau quinta-feira 1.8.2013


OPINIÃO

hoje macau quinta-feira 1.8.2013

19

Ricardo Pinho

disse-me um passarinho...

twitter.com/ricardo

Usar demasiado perfume é como falar demasiado alto.

LEOCARDO

Agosto para todos os gostos variado de opções, em alguns casos mais económicos e esmerados em termos de serviço, a Tailândia está para o turista local como o Algarve está para os veraneantes portugueses. É mais prático e cómodo, e além disso já se sabe o que esperar. Para a esmagadora maioria dos expatriados portugueses, ir a Portugal de férias é quase uma obrigação. Nem a distância que implica pelo menos doze horas de vôo até uma cidade europeia e mais duas ou três até Lisboa, sem contar com o tempo de espera durante a escala, impede que os nossos compatriotas aliviem essa comichão provocada pela saudade, esse sentimento tão característico do nossa matriz lusitana. Quem fica um ano ou dois sem lá ir, seja por motivos económicos ou outros, fica a sonhar com a próxima vez que vai abraçar os familiares, beber uns copos com os amigos, dar festinhas ao cão, rever os locais que lhe compõem o imaginário de infância. Mesmo aqueles que já passaram a maior parte das suas vidas em Macau e não perspectivam o regresso às origens se recusam a abandonar as raízes. Continuar a considerar Portugal “o seu lar” apesar de fazer a vida do outro lado do mundo e da sensação de distanciamento da realidade actual do país é mais do que simples nostalgia. É teimosia, pura e simplesmente. Ir de férias a Portugal com uma frequência anual é uma “brincadeira” que sai cara. Para um casal com dois filhos, por exemplo, são cerca de 40 mil patacas só em passagens. Os mais endinheirados (ou devotos) chegam a fazer questão de juntar o Natal às férias de Verão. Há quem sofra quando fica mais de seis meses longe de Portugal; aqueles que não conseguem assentar os dois pés em Macau e encarar a nova realidade, ficam a “ressacar” quando lhes falta um “caldo” de Portugal para “chutar” na veia. Para muitas famílias portuguesas do território, a motivação para juntar umas poupanças durante onze meses de ano é apenas uma: passar um mês de férias em Portugal. Os que não podem por razões de liquidez ou VAN GOGH, DESCANSO

E

NTRÁMOS agora no mês de Agosto, o Verão está a meio, e para quem ainda tem férias, é o tempo de viajar, o que depois de mais um ano de clausura em Macau, é ideal para mudar de ares. Trabalhar em Macau, ter férias pagas e não viajar é quase visto como um sinal exterior de pobreza. É como que proibitivo, uma “vergonha”. Meter-se num avião e sair daqui para fora está para as férias como picar o ponto está para um dia normal de trabalho. É uma prova de vida. Mesmo os mais acomodados, a quem não apetece passar por esse elaborado cerimonial das reservas, da marcação dos hotéis, dos enfadonhos “tours” e tudo mais vê-se “empurrado” a tirar proveito dos dias de folga fora do território, especialmente se tiver família. A perspectiva de aproveitar as férias para descansar, ficar em casa de papo para o ar, sem horas para ir dormir ou para acordar, pode parecer atractiva, mas para os padrões locais, é tido como um “desperdício”. É irritante quando se regressa de férias e os colegas perguntam onde fomos, e se respondemos que ficámos em Macau, olham para nós como se fossemos algum leproso. É como se viver e trabalhar aqui fosse um privilégio, mas com uma cláusula de “fuga” anual obrigatória. Quem nasceu em Macau e tem cá a família, opta por fazer férias nas vizinhanças, e neste aspecto o território beneficia do factor geográfico, com vários destinos idílicos para gozar disfrutar de uma semana de lazer à distância de duas horas de avião. A Tailândia é o destino de eleição do residente local médio, e muitas famílias já perderam a conta das vezes que passaram as férias naquele país. Conheço casos de pessoas a quem pergunto onde vão de férias, e respondem com um encolher de ombros: “na Tailândia, onde mais?”. Esta insistência na sempre-mesmice do mais-que-visto tem uma explicação simples. Nos anos 80, quando muitos países asiáticos eram ainda pouco recomendáveis para quem procurava um local seguro para viajar com a família em busca de praia, sol e diversão, a Tailândia oferecia condições ideais, impermeável a dissabores e surpresas desagradáveis. Apesar de existir actualmente um leque bastante

por falta de férias que justifiquem o investimento (normalmente quinze dias “não dão para nada”), ficam com o coração nas mãos quando assistem através da RTPi aos outros emigrantes a fazer a festa durante o mês de Agosto. Como gostavam de poder também participar nesse Woodstock da sardinhada, do tintol e da música pimba. Esta insistência em manter uma ligação umbilical a Portugal, mesmo que o regresso não esteja nos planos a curto ou médio prazo, pode fazer maravilhas ao ego, mas passa uma mensagem errada aos mais pequenos. Muitos dos filhos destes expatriados de Macau que aqui nasceram acompanham os pais na sua peregrinação anual às origens, e para eles as férias escolares são sinónimo de pelo menos trinta dias em Portugal. É difícil incutir numa criança que nasceu e cresceu numa realidade totalmente diferente dos pais a noção de que aquele sítio divertido onde passa um mês por ano é o seu país, o seu lar, e é ali que muito provavelmente vai ingressar no ensino superior. Aquele lugar distante onde vão a banhos, convivem com os avós, tios e primos com que têm pouca ou nenhuma intimidade, e as crianças da sua idade têm uma mentalidade e atitude diferentes da sua é-lhes apresentado como uma perspectiva de futuro. Para isso basta a ilusão que Macau lhes dá que são melhores que os outros que por lá andam, pois são filhos do “sotôr” e desconhecem o significado da palavra “austeridade”. Para eles Portugal “é canja”.

bairro do oriente É interessante observar como nas restantes comunidades portuguesas um pouco por esse mundo fora os nossos emigrantes façam os possíveis por integrar os filhos no seu país de acolhimento, para que se tornem cidadãos de pleno direito, e não apenas “filhos de emigrantes”. Tenho dois primos nascidos em França que se consideram franceses, não falam português e para eles a nação dos seus pais serve de mera referência, e explica o facto de não terem um apelido francês. Isto apesar da proximidade geográfica com Portugal, além das semelhanças étnicas e culturais, que tornariam menos complicada uma eventual integração na terra dos seus antepassados. A forma como encaramos a nossa vivência em Macau é outra, e mesmo sendo fácil entender as razões, não posso concordar com elas, peço desculpa. Preparar os nossos filhos para um futuro num país que desconhecem quando o nosso próprio comodismo nos leva a ir ficando por Macau não faz sentido. Será falta de confiança no futuro desta terra que nos acolheu e onde somos bem tratados? Medo daquele “papão” que ia chegar em 1999 e de que ainda estamos à espera? Não me digam que a explicação reside no arcaico sebastianismo que nos leva a acreditar naquele Portugal próspero que vem sendo eternamente adiado ao ponto do desespero. Dava jeito ter uma bola de cristal que ajudasse a tomar as opções correctas, mas uma coisa é certa: o nosso historial em matéria de futurologia não nos permite ter certezas absolutas.

O HOJE ERROU Na edição de ontem, no artigo intitulado “Aposentados | APOMAC anuncia Melinda Chan como mandatária junto do Chefe do Executivo”, onde está “O Comissariado contra a Corrupção (CCAC) chegou a dar razão aos aposentados, concluindo que de acordo com o teor do artigo 10º da Lei nº.2/2011, de 28 de Março, os aposentados que transferiram as suas pensões para a CGA de Portugal devem ter direito ao subsídio de residência. No entanto, diz Fão, ‘para isso teria de se alterar a lei e isso iria causar instabilidade social’”, deve ler-se: “O Comissariado contra a Corrupção (CCAC) chegou a dar razão aos aposentados, concluindo que de acordo com o teor do artigo 10º da Lei nº.2/2011, de 28 de Março, os aposentados que transferiram as suas pensões para a CGA de Portugal devem ter direito ao subsídio de residência. No entanto, diz Fão, ‘se a intenção do Governo não for essa, então teria de se alterar a lei e isso iria causar instabilidade social’”. Aos leitores e aos visados, as nossas desculpas.

Propriedade Fábrica de Notícias, Lda Director Carlos Morais José Editor Gonçalo Lobo Pinheiro Redacção Andreia Sofia Silva; Cecilia Lin; Joana de Freitas; José C. Mendes; Rita Marques Ramos; Zhou Xuefei [estagiária] Colaboradores Amélia Vieira; Ana Cristina Alves; António Falcão; António Graça de Abreu; Fernando Eloy; Hugo Pinto; José Simões Morais; Marco Carvalho; Maria João Belchior (Pequim); Michel Reis; Rui Cascais; Sérgio Fonseca; Tiago Quadros Colunistas Arnaldo Gonçalves; Correia Marques; David Chan; Fernando Vinhais Guedes; Helder Fernando; Isabel Castro; Jorge Rodrigues Simão; Leocardo; Paul Chan Wai Chi Cartoonista Steph Grafismo Catarina Lau; Paulo Borges Ilustração Rui Rasquinho Agências Lusa; Xinhua Fotografia António Falc��o, Gonçalo Lobo Pinheiro; Tiago Alcântara; Lusa; GCS; Xinhua Secretária de redacção e Publicidade Madalena da Silva (publicidade@hojemacau.com.mo) Assistente de marketing Vincent Vong Impressão Tipografia Welfare Morada Calçada de Santo Agostinho, n.º 19, Centro Comercial Nam Yue, 6.º andar A, Macau Telefone 28752401 Fax 28752405 e-mail info@hojemacau.com.mo Sítio www.hojemacau.com.mo


hoje macau quinta-feira 1.8.2013

Lisboa TC suspende acção contra Seara

O Tribunal Constitucional classificou de “urgente” o recurso de Fernando Seara e atribuiu efeito suspensivo a este recurso contra a acção judicial para impedir a sua candidatura à Câmara Municipal de Lisboa, refere um acórdão. De acordo com o acórdão de 29 de Julho, além de atribuir o efeito suspensivo ao recurso que suspende o impedimento da candidatura determinado por instâncias judiciais anteriores - o TC decidiu também ordenar o prosseguimento do processo para alegações, fixando um prazo de vinte dias para as partes se pronunciarem. A decisão foi tomada por maioria, com voto vencido da conselheira Maria Lúcia Amaral que, na sua declaração de voto, afirmou não subscrever a decisão na questão que atribui efeito suspensivo ao recurso.

Portugal Investimento externo em queda

Os fluxos de investimento directo estrangeiro em Portugal atingiram os 452,4 milhões de euros no final do primeiro trimestre deste ano, o que representa uma diminuição de 64,7% face ao período homólogo de 2012. Os dados preliminares divulgados ontem pela OCDE Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (FDI in figures) indicam que a quebra é de 40% relativamente aos fluxos de IDE registados no último trimestre do ano passado. Em termos anuais, os números da OCDE revelam que Portugal recebeu um total de 6,7 mil milhões de euros em 2012, menos 20,2% que o verificado em 2011, ano em que os fluxos de investimento directo estrangeiro ascenderam a 8,4 mil milhões de euros. Em 2010 tinham sido 1,9 mil milhões. Esta tendência não é seguida pela Grécia e pela Irlanda.

Galiza Maquinista não compreende

Francisco José Garzón, de 52 anos, revelou não saber o que pensava na altura do trágico acidente ferroviário na Galiza, que provocou a morte de 79 pessoas e mais de 150 feridos. O maquinista confessa que o desastre é “um peso tremendo” que irá “carregar toda a vida”. “Sinceramente, digo-lhe que não sei, não sou suficientemente louco para não travar”, confessou Garzón ao procurador Antonio Roma, durante um interrogatório realizado no domingo passado e presidido pelo juiz Luis Alaez. O maquinista respondeu afirmativamente quando lhe perguntaram se tinha activado o travão em algum momento, acrescentando que, no entanto, “já era inevitável”. “Na curva vi que não passava, que não a passava e antes de o comboio se virar, activei tudo e vi que não, que não passava”, explicou.

cartoon

ELEIÇÕES NO ZIMBABUÉ

por Stephff

ETAR NEGADAS LIGAÇÕES DE CHIANG À BEST CHOICE E À WATERLEAU

O cunhado que disse não JOANA FREITAS

joana.freitas@hojemacau.com.mo

D

EZ minutos bastaram para que uma testemunha abonatória prestasse ontem depoimento no Tribunal Judicial de Base (TJB), em mais uma sessão do caso das Estações de Tratamento de Águas Residuais de Macau (ETAR), onde Pedro Chiang é um dos principais arguidos. O cunhado do empresário de Macau esteve presente no tribunal, naquela que foi a última audiência antes das férias judiciais, para responder a questões feitas por Choi Veng Cheong, da defesa de Pedro Chiang. Entre respostas de ‘sim’ ou ‘não’, a testemunha confirmou que o empresário “nunca falou consigo sobre as ETAR”, nem “sobre a Best Choice”. Esta empresa, recorde-se, era uma das off-shore de Ao Man Long, da qual Chiang era alegadamente administrador, e onde terá caído dinheiro dos subornos recebidos pelo ex-secretário para as Obras Públicas e Transportes. Na sessão de ontem, o cunhado do empresário que está a ser julgado à revelia por se encontrar em Portugal afirmou ainda perante o tribunal que Pedro Chiang “nunca mencionou ser sócio da Waterleau” - a empresa belga que fazia parte do consórcio com a ATAL Engeneering e a Companhia de Construção e Engenharia Civil China - e que venceu o concurso para a cons-

trução, operação e manutenção da ETAR do Parque Industrial Transfronteiriço e da segunda fase da de Coloane. De acordo com a acusação, a Waterleau Global – da qual é director-executivo Luc Vriens – terá vencido o concurso internacional porque pagou a Ao Man Long. Pedro Chiang – já condenado num outro processo – vem acusado de quatro crimes

de corrupção activa e um de branqueamento de capitais. Uma das acusações é a de que o empresário detinha 20% da Waterleau Macau através da Best Choice. A testemunha disse ontem que nunca ouviu que o cunhado fosse sócio da Waterleau e confirmou ainda que, caso estivesse relacionado com uma ou outra empresa, “iria ao escritório tratar de assuntos com frequência”. Como é técnico e engenharia, o cunhado de Chiang disse ainda que se o empresário estivesse interessado numa empreitada pública – como era o caso da operação da ETAR – tinha-lhe dito. Pedro Chiang é o dono da empresa “Sun Tak”, que existe em Macau há mais de 30 anos e construiu mais de 90 empreendimentos no território. O empresário foi ainda o fundador e presidente da Associação dos Mediadores do Fomento Predial de Macau.

TRIBUNAL PEDE ESCL ARECIMENTOS À PSP O Tribunal Judicial de Base (TJB) vai “oficiar” a Polícia de Segurança Pública (PSP) para que organismo esclareça o que se passou afinal com os registos de entrada e saída do território do antigo secretário para as Obras Públicas e Transportes. Recorde-se que, na semana passada, em mais um julgamento do Caso La Scala, defesa e acusação apresentaram dados diferentes sobre a presença de Ao Man Long em Macau, no dia 22 de Junho. Enquanto o Ministério Público (MP) diz que o ex-secretário estava cá e teve um jantar com os dois arguidos – Steven Lo e Joseph Lau -, a defesa diz que não, que estava fora. “Os dados indicam apenas dois registos em Maio e Junho, mas nos autos mostra várias entradas e saídas. Vamos enviar estes registos à PSP, para tentar apurar”, explicou Mário Silvestre, presidente do colectivo de juízes. - J.F.

Merkel em vantagem nas sondagens

A coligação governamental de Angela Merkel continua a liderar nas sondagens de opinião na Alemanha e um novo estudo, ontem publicado pelo instituto FORSA, atribui-lhe uma vantagem de três pontos sobre os partidos da oposição. De acordo com o FORSA, se as eleições se realizassem no domingo, a União DemocrataCristã (CDU), da chanceler alemã, e o aliado da Baviera, a União Social-Cristã (CSU), teriam 41% dos votos. O outro partido da coligação, o Partido Liberal (FDP), teria 5%. Na oposição, o Partido Social-Democrata (SPD) teria 22%, os Verdes, possível aliado numa coligação, 13% e o Die Linke (A Esquerda) 8%, acrescenta o FORSA. O Partido Pirata teria apenas 3% dos votos, resultado aquém do necessário para conseguir representação parlamentar, indica a sondagem. As eleições gerais alemãs estão marcadas para 22 de Setembro.

Snowden Pai diz-lhe para ficar na Rússia

O pai do ex-técnico da CIA Edward Snowden, que revelou uma rede de espionagem global dos Estados Unidos, aconselhou-o a ficar na Rússia, onde pediu asilo temporário, em entrevista à televisão pública russa. “Ed, está tudo bem connosco, amamos-te e esperamos que nos possamos ver em breve. Mas primeiro quero que estejas em segurança”, declarou Lon Snowden em entrevista à televisão Rossia 24. O pai de Snowden considera que a Rússia tem a “possibilidade de proteger” o filho. “Se estivesse no seu lugar, estaria grato pelas ofertas da Venezuela, do Equador e da Bolívia, mas vemos o que se passou recentemente com o avião do Presidente [boliviano] Evo Morales”, apontou.

Atsu “No FCP é só mafiosos”

A mulher de Christian Atsu, jogador do FC Porto, afirma que o atleta está a ser perseguido por não ter renovado e acusa que «no FC Porto é só mafiosos». Marie-Claire Rupio, casada há um ano com o jovem ganês, disse ao site ghanasoccernet que os tricampeões nacionais não olham a métodos para pressionar Atsu. «Como é que eles podem estar a fazer-lhe isto? Mas ele vai conseguir o que quer», assegura a alemã de 19 anos. Atsu, que tem mais um ano de contrato com os dragões, indicou no Facebook ter vontade de sair. O jogador foi ostracizado, encontrando-se a treinar com a equipa B e falhou a apresentação, no passado domingo, frente ao Celta de Vigo.


Hoje Macau 1 AGO 2013 #2905