Page 1

GONÇALO LOBO PINHEIRO

ESTE SUPLEMENTO É PARTE INTEGRANTE DO HOJE MACAU E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE

60

º

GRANDE PRÉMIO DE MACAU SEGUNDA-FEIRA 11.11.2013

SÉRGIO FONSECA info@hojemacau.com.mo

A

S artérias do coração da RAEM voltaram a ser invadidas pelos ensurdecedores bólides de competição. Foram dois dias em que Macau sentiu novamente o Grande Prémio, mas desta vez numa versão “light”, sem o fervor “daqueles dias” de Grande Prémio e que serviu, acima de tudo, para preparar o próximo fim-de-semana, esse sim, que se espera com impacto internacional. Contudo, este foi um excelente fim-de-semana para a “prata da casa” se exibir entre nós, ela que habitualmente acaba sempre injustamente ofuscada pelas ditas “estrelas internacionais” no formato tradicional do evento.

Um fim-de-semana ligeiro para começar Porém o maior protagonista foi sem dúvida o São Pedro, que ofereceu a todos os concorrentes um inesperado e indesejável domingo chuvoso que trocou a voltas a muitos, principalmente quando todas as sessões de treinos de sábado foram realizadas em piso seco. A chuva trouxe “roletas

russas” nas corridas da “Taça CTM” e no “Troféu Hotel Fortuna” e uma monotonia anormal na “Taça Audi” e na “Taça Porsche”. Edoardo Mortara pode ter batido ontem o recorde de vitórias consecutivas no Grande Prémio e Sébastien Loeb pode até ter dado um grande “show” de condução à

chuva, mas a grande vencedora de domingo foi mesmo a Bentley, ou não tivesse o imponente “Safety-Car” ocupado o maior tempo de antena do dia. Sem surpresa, mais uma vez a maioria do pelotão local preferiu jogar na defensiva, sacrificando resultados. Os critérios de atribuição de subsídios para 2014 estão ainda no segredo dos Deuses e não vá o diabo tecê-las. André Couto, que voltou a subir a um pódio que há muito não visitava, Álvaro Mourato e Law Wai Lung ofereceram pódios à RAEM que terá que esperar mais uma semana na esperança de ver um dos seus vencer uma corrida em ano de 60.º aniversário. Por agora é tudo, mas dentro de três dias o carnaval motorizado continua numa rua perto de si...


GONÇALO LOBO PINHEIRO

60

º

GP

ANDRÉ COUTO VOLTA AO PÓDIO 13 ANOS DEPOIS

PARA MAIS TARDE RECORDAR RITA MARQUES RAMOS rita.ramos@hojemacau.com.mo

F

OI uma estreia e tanto de André Couto ao volante de um Audi. A chuva, que sempre traz mais complicações, acabou por abençoar a prova do piloto local na Taça Audi R8, ao alcançar a mesma posição que conseguira na sessão de qualificação.

TAÇA AUDI R8 LMS

Mortara bate recorde e Couto volta ao pódio

Em poucas palavras não será errado escrever que a corrida da “Audi R8 LMS Cup” ficou decidida na qualificação de sábado, quando Edoardo Mortara se impôs a André Couto por apenas duas décimas de segundo. Com a corrida de ontem teve início atrás do “SafetyCar”, o que limitou o piloto português de Macau de atacar a primeira posição logo no arranque. Seguro de si, Mortara mostrou a consistência e o andamento para controlar Couto a uma distância ponderada. Com este triunfo, O piloto oficial da Audi no DTM que “nunca se cansa de vencer aqui”, conquistou assim a quinta vitória consecutiva no Grande Prémio de Macau, batendo o recorde de John Macdonald que durava desde 1972. No próximo fimde-semana Mortara participa na Taça GT Macau e pode vencer pela sexta vez

“Consegui trazer a taça para Macau, para a malta de cá que sempre esteve do meu lado e é para eles o segundo lugar”, frisou, em declarações ontem aos jornalistas portugueses. “É sempre bom ir ao pódio. Pode abrir outras portas. Foi realmente excelente. Ainda tenho uma corrida bastante importante de Super GT no Japão, por isso, a época ainda não

acabou”, lembrou, indicando que continuar a correr pela Audi seja uma “hipótese” embora “não haja nenhuma categoria ainda confirmada para o próximo ano”. Numa corrida que esteve longe de ser “fácil”, não foi porém “das mais difíceis” que Couto disputou. “Controlei o meu andamento e levei o carro até ao fim”, explicou.

O lugar no pódio, ao lado de Edoardo Mortara, fica para a história de Couto como “uma óptima fotografia de lembrança”, até porque ambos corriam pela mesma equipa - a Brothers Racing. A certa altura percebeu que não conseguiria alcançar Mortara e, por isso, esforçou-se apenas para “encurtar a margem de distância”,

conseguindo cerca de três segundos de diferença. “Não estive bem no primeiro treino, tive problemas no carro e não me sentia confiante. Finalmente, consegui ficar a duas décimas dele na qualificação. Mas se tivesse a seco a história podia ter sido outra mas a molhado foi mais complicado para mim. Tive de controlar mais a corrida”, descreveu Couto.

consecutiva na RAEM. Efectuando a sua corrida, Couto, que nos treinos teve algumas dificuldades em se adaptar à sua viatura, também não deu cavaco ao resto do pelotão que habitualmente compete no troféu organizado pela Audi China, terminando na segunda posição, admitido no entanto que “não foi uma corrida fácil, nunca guiei este carro à chuva e ir logo directo para a corrida assim é um pouco complicado.” Desde 2000 que Couto não visitava o pódio do Circuito da Guia, tendo este resultado um sabor especial, dedicando o resultado aqueles “que estiveram sempre ao meu lado, e é para eles este segundo lugar.” Este resultado também provou que a opção de Couto de abdicar da sua participação na prova do WTCC, por esta corrida estava certa. Atrás dos dois Audi R8 roxos da Brothers Racing Team terminou o carro amarelo de Adderly Fong, que com este terceiro lugar suado, pois o compatriota Marchy Lee, que fez a

melhor volta, nunca lhe deu espaço para respirar, celebrou em Macau o triunfo no campeonato. O piloto de Hong Kong beneficiou da ausência na corrida de Alex Yoong, que na qualificação destruiu a sua viatura após um aparatoso acidente logo após a Curva do Mandarim.

o segundo período de “Safety-Car”, causado pela colisão entre Benjamin Rouget e Jason Zhang na Curva dos Pescadores. Com a pista a secar, o seu domínio de Bamber foi incontestável e a vitória merecida. Contudo, a figura em destaque na corrida foi o estreante Loeb, que proporcionou momentos de excelente espectáculo aos comandos do Porsche 911 GT3 Cup da Porsche China, tendo mesmo ameaçado vencer a corrida. O convidado francês foi, desde os treinos, particularmente rápido na zona sinuosa do circuito, fazendo prevalecer a sua experiência nos ralis, ultrapassando na corrida primeiro Sawa e depois pressionando Bamber, enquanto o Circuito da Guia estava bastante molhado. “Não foi fácil, mas consegui fazer uma boa corrida. O carro estava bom e apenas perdia tempo nas curvas rápidas”, afirmou o gaulês que para o ano voltará à RAEM mas para correr no WTCC. O austríaco Martin Ragginger,

que saiu do quinto lugar, completou o pódio, após ultrapassar o japonês Sawa quando a contenda estava a meio. Na qualificação de sábado Rodolfo Ávila lutou taco-a-taco com Loeb pelo terceiro lugar da grelha de partida, mas ontem viu-se limitado pela sua viatura, terminando na quinta posição, posição em que ficou após ter sido ultrapassado por Ragginger ainda na volta inicial. Insatisfeito com o seu resultado, o piloto português do Team Jebsen explicou o porquê do seu sentimento: “O meu carro estava particularmente difícil de conduzir, principalmente nas rectas. Não me restou outra coisa que não tentar evitar ao máximo qualquer erro e levar o carro até ao fim, pois é isso que têm que fazer os pilotos de Macau. A chuva acabou por estragar o nosso fim-de-semana, porque o carro na qualificação, em piso seco, estava muito bom e poderíamos muito bem ter saído daqui com um lugar no pódio”. Kevin Tse, o outro piloto de

TAÇA PORSCHE CARRERA ASIA

Bamber vence, Loeb convence e Ávila cumpre

O campeão 2013 da Taça Porsche Carrera Ásia, Earl Bamber, provou ontem no Circuito da Guia o porquê do título, vencendo a corrida do troféu da casa de Weissach entre nós. Numa manobra arriscada, o neo-zelandês ultrapassou o companheiro de equipa Keita Sawa logo nos primeiros metros de uma corrida que começou com partida atrás do SafetyCar e que só teve realmente seis voltas de acção. Assim no comando, Bamber apenas teve que aguentar a pressão de um endiabrado Sébastien Loeb após


hoje macau segunda-feira 11.11.2013 GONÇALO LOBO PINHEIRO

RODOLFO ÁVILA DEIXA CRÍTICAS À COMISSÃO DO GP

“ISTO NÃO TEM PÉS NEM CABEÇA”

A

Embora, durante o fim-de-semana, tivesse destacado o objectivo de concluir a prova - para garantir o subsídio do Governo, que obriga aos pilotos locais concluir as provas - essa concretização não foi suficiente. “A organização não percebe a pressão que coloca sobre os pilotos, não percebe que isto não tem pés nem cabeça, e que em todos os Grandes Prémios vimos correr com o futuro nas mãos, pois esta ajuda que o Governo nos dá é para corremos no estrangeiro e não em Macau”, frisa. “O que me interessa é fazer 12 corridas por ano lá fora, é muito mais importante do que esta corri-

da em Macau. Tenho pena de vir a um circuito onde adoro conduzir e sentir esta grande pressão”, desabafa Ávila. A Comissão do GP, em resposta às críticas, disse que o subsídio pretende garantir boas prestações. “O subsídio que se dá ao piloto, para provas internacionais, não é para subsidiar uma carreira de um piloto internacional mas apoiá-los a promoverem-se e a terem um bom rendimento no GP”, disse Costa Antunes à Rádio Macau. Para o ano, salienta, gostaria de continuar no campeonato Porsche Carrera, “um dos melhores campeonatos da Ásia, melhor até que a Audi”.- R.M.R.

O QUE DISSE...

SÉBASTIEN LOEB

“Estive satisfeito com o equilíbrio do carro. Estava com medo porque não tinha testado antes mas consegui correr de forma rápida e aproveitei a prova. Foi uma prova boa e desafiante”

GONÇALO LOBO PINHEIRO

CARINHAS L AROCAS

sessão de qualificação permitiu-lhe partir em 4.º lugar mas ontem, no vale tudo, Rodolfo Ávila não conseguiu ir além do 5.º lugar na Taça Porsche Carrera Ásia. A distância para o primeiro classificado, o neozelandês Earl Bamber, foi muito maior (em cerca de 43 segundos) numa corrida onde a meteorologia foi desfavorável. “A chuva veio estragar o meu fim-de-semana. Ontem [sábado] estava bastante feliz por estar a um segundo da pole [position] e havia sempre a oportunidade de chegar ao terceiro lugar mas a chuva veio hoje. Não consegui”, lamenta o piloto local.

O Grande Prémio de Macau é lugar de destaque no que a mulheres bonitas diz respeito. O HM mostra algumas dessas belezas

VOLTA DE AQUECIMENTO Macau presente na prova e que correu pela primeira vez num Porsche, terminou na 11.ª posição, o que lhe valeu o terceiro lugar da Classe B, destinada aos “Gentleman Drivers”. TAÇA DE CARROS DE TURISMO DE MACAU

Lei da sobrevivência

A “Taça CTM” proporciona sempre um bom espectáculo e algumas surpresas, mas esta foi sem dúvida uma das mais duras corridas da sua longa história, tendo vingado aqueles que conseguiram sobreviver e cortar a meta intactos. Roger Leung (Honda Accord) de Hong Kong foi o inesperado vencedor, aproveitando os vários acidentes, provocados pelo piso traiçoeiro e pelo entusiasmo de alguns concorrentes, que ao longo de 12 voltas foram retirando de prova ou atrasando muitos dos favoritos, incluindo o campeão de Macau Leong Ian Veng (Honda Accord), o campeão chinês e “pole-position” Andy Yan

(Chevrolet Lacetti) ou o campeão asiático Tin Sritrai (BMW 320si). Leung só assumiu a liderança na última volta quando os dois primeiros na altura acabaram por colidir. Num pódio quase impossível de adivinhar à partida, o desconhecido Law Wai Lung (Honda FD2) foi o segundo classificado e o terceiro lugar da prova foi para Lui Man Fai (Honda DC5) de Macau. Nota para a sétima posição Belmiro Aguiar (Honda DC5), o melhor resultado do veterano local na última década. Pai e filho Hélder (Honda DC5) e José Mariano da Rosa (Honda EP3) ficaram ambos fora de prova. INTERPORT MAC/HKG – HOTEL FORTUNA

A escalada de Mourato, Valente e Lacerda

A primeira corrida do dia, disputada com o piso molhado, trouxe algumas surpresas. Naquela que era a corrida em que as probabilidades de um piloto

de Macau vencer eram maiores, o favorito e “pole-position” Chou Keng Kuan deitou por terra um triunfo que parecia seguro, com um acidente ao fim de seis voltas, ele que era confortavelmente o mais rápido em pista. Billy Lo herdou a liderança da corrida e viu a bandeira de xadrez na frente do pelotão, a primeira vez que um piloto de Hong Kong vence esta corrida - desde que esta passou a colocar frente a frente os pilotos de Macau e Hong Kong em viaturas N2000 - e que para o ano poderá sofrer alterações. Álvaro Mourato foi o segundo classificado, o melhor piloto do território e o resultado poderia ser outro se não tivesse partido da 11ª posição após uma qualificação frustrante. Lo Sze Ho completou o pódio. Rui Valente e Sérgio Lacerda também protagonizaram excelentes corridas de recuperação, após ambos terem sido prejudicados pelas interrupções

bandeiras na sessão de qualificação de sábado. Valente saiu de 15.º para terminar em 6.º e Lacerda partiu de 23.º e terminou em 8.º! SUPER TROFEO LAMBORGHINI ASIA

Um ‘affair’ italiano

O troféu da marca italiana do Grupo VW, que dificilmente voltará a correr na RAEM no futuro próximo, teve como vencedor o transalpino e já campeão 2013 Max Wiser. Dezassete Gallardo LP570 nas especificações do troféu conseguiram dobrar a Curva do Melco, mas o domínio de Wiser, o único piloto profissional à partida, ao longo do fim-desemana nunca foi colocado em causa. O experiente Hanss Lin, da Formosa, foi o segundo classificado numa corrida que teve duas bandeiras vermelhas, enquanto que o japonês Toshiyuki Ochiai “fechou” o pódio. Esta foi a única corrida do programa que não contou com qualquer piloto local à partida.

POR SÉRGIO FONSECA FÓRMULA MASTERS CHINA SÉRIES

Chang a meio da tabela

A única categoria de monolugares do fim-de-semana foi marcada por vários acidentes. Só a sessão de qualificação de sábado teve oito acidentados, o que deixou a organização do campeonato patrocinado pela VW China em sérias dificuldades de stock de partes sobressalentes. Depois de um puxão de orelhas, o pelotão portou-se à altura na corrida, que, para não variar, começou atrás do carro da segurança devido ao piso molhado. O indiano de 16 anos Akash Nandy, que corre com licença desportiva da Malásia, fez o melhor tempo na qualificação e liderou de fio a pavio uma corrida com poucos pontos de interesse, levando de vencida o britânico Dan Wells e o malaio Shaun Thong. Andy Chang, a futura coqueluche do automobilismo de Macau, aguentou a pressão da estreia no Circuito da Guia e, mesmo sem ter efectuado uma performance extraordinária, obteve o sétimo lugar final.


º

GP

hoje macau segunda-feira 11.11.2013

60

CHEFE NA CORRIDA

SUÍÇA RAHEL FREY ESTREOU-SE EM MACAU

Chui Sai On presidiu, ontem, à partida da parada de carros clássicos do 60.º Grande Prémio de Macau

“CIR CUITO DA GUIA É DESAFIANTE” RITA MARQUES RAMOS Rita.ramos@hojemacau.com.mo

STAR RIVER • WINDSOR ARCH 60.º GRANDE PRÉMIO DE MACAU 3 • 14 DE NOVEMBRO (QUINTA-FEIRA) 6h - Fecho do Circuito 6h30/7h - Inspecção do Circuito 7h30/8h30 - Treinos livres do 47.º Grande Prémio de Motos de Macau - Star River•Windsor Arch 8h55/9h35 - Treinos livres da Corrida Cotai Strip Resorts Lotus Grande China 9h55/10h35 - Treinos livres da Macau Road Sport Challenge – Suncity Group 10h55/11h40 - Treinos livres do Grande Prémio de Macau de Fórmula 3–Star River•Windsor Arch 12h/12h30 - Treinos livres da Taça GT Macau - City of Dreams 12h50/13h30 - Treinos livres de Masters Challenge Scirocco R China 13h50/14h20 - Teste do Campeonato do Mundo de Carros de Turismo da FIA – Corrida da Guia de Macau – apoio Star River•Windsor Arch 14h40/15h10 - Treinos do Grande Prémio de Macau de Fórmula 3–Star River•Windsor Arch (cronometrados) 15h50/16h35 - Treinos do 47.º Grande Prémio de Motos de Macau - Star River•Windsor Arch (cronometrados) 18h30 - Abertura do Circuito • 15 DE NOVEMBRO (SEXTA-FEIRA) 6h - Fecho do Circuito 6h30/7h - Inspecção do Circuito 7h30/8h15 - Treinos do 47.º Grande Prémio de Motos de Macau - Star River•Windsor Arch (cronometrados) 8h30/9h - Treinos livres do Campeonato do Mundo de Carros de Turismo da FIA – Corrida da Guia de Macau – apoio Star River•Windsor Arch 9h20/9h50 - Treinos da Corrida Cotai Strip Resorts Lotus Grande China (cronometrados) 10h10/10h40 - Treinos da Macau Road Sport Challenge – Suncity Group (cronometrados) 11h/11h45 - Treinos livres do Grande Prémio de Macau de Fórmula 3–Star River•Windsor Arch 12h15/12h45 - Treinos livres do Campeonato do Mundo de Carros de Turismo da FIA – Corrida da Guia de Macau – apoio Star River•Windsor Arch 13h05/13h35 - Treinos de Masters Challenge Scirocco R China (cronometrados) 13h55/14h25 - Treinos da Taça GT Macau - City of Dreams (cronometrados) 14h45/15h15 - Treinos do Grande Prémio de Macau de Fórmula 3–Star River•Windsor Arch (cronometrados)

| PROGRAMA PROVISÓRIO

15h35/16h25 - Treinos do Campeonato do Mundo de Carros de Turismo da FIA – Corrida da Guia de Macau – apoio Star River•Windsor Arch (cronometrados) 18h30 - Abertura do Circuito • 16 DE NOVEMBRO (SÁBADO) 6h - Fecho do Circuito 6h30/7h - Inspecção do Circuito 7h30/7h50 - Treinos livres do 47.º Grande Prémio de Motos de Macau - Star River•Windsor Arch 8h20/9h20 - Corrida Cotai Strip Resorts Lotus Grande China - 10 voltas 9h50/10h50 - Macau Road Sport Challenge – Suncity Group - 10 voltas 11h20/12h20 - Masters Challenge Scirocco R China - 8 voltas 12h50/13h10 - Treinos da Taça GT Macau - City of Dreams (cronometrados) 14h/14h50 - Grande Prémio de Macau de Fórmula 3–Star River•Windsor Arch– (Prova Classificativa) - 10 voltas 15h30/16h30 - 47.º Grande Prémio de Motos de Macau - Star River•Windsor Arch – 15 voltas 18h30 - Abertura do Circuito • 17 DE NOVEMBRO (DOMINGO) 6h - Fecho do Circuito 6h30/7h - Inspecção do Circuito 7h15/7h40 - Treinos livres 7h55/8h05 - Treinos livres da Taça GT Macau - City of Dreams 8:30/8:45 - Treinos livres do Campeonato do Mundo de Carros de Turismo da FIA – Corrida da Guia de Macau – apoio Star River•Windsor Arch 9h20/10h20 - Taça GT Macau - City of Dreams – 12 voltas 10h45/13h - Campeonato do Mundo de Carros de Turismo da FIA – Corrida da Guia de Macau–apoio Star River•Windsor Arch - 2 corridas de 9 voltas com 15 minutos de intervalo 13h40/14h40 - Evento Especial 15h10/15h25 - Dança do Leão 15h30/16h30 - Grande Prémio de Macau de Fórmula 3–Star River•Windsor Arch – 15 voltas 18h30 - Abertura do Circuito * O programa está sujeito a alterações sem aviso prévio. ** Se as condições permitirem a abertura do circuito, antes da hora marcada, será anunciado.

N

A última etapa da Taça Audi R8, Rahel Frey conseguiu garantir o quarto lugar na classificação geral deste campeonato. A piloto suíça, de 27 anos, uma das únicas duas mulheres a participar no campeonato, a par da chinesa Naomi Ran Zhang, diz ao HM que participar pela primeira vez no Circuito da Guia foi “desafiante” numa prova que é “muito técnica” e de “alta velocidade” Como se sente por ter terminado esta etapa em 5.ª lugar e ter garantido o 4.º na classificação geral da Taça Audi R8? Fiz apenas quatro corridas de fins-de-semana. Falhei duas por ter batido em etapas na Europa. Por isso, comparada com outros, foi um bom campeonato. Ter perdido dois “rounds” e ter ficado em 4º lugar é um bom resultado. Mas, como sempre, há lugar a melhorar. Ainda assim, estou feliz de ter participado na Taça, e por conduzir um carro da Castrol. No fim, foi uma óptima experiência. Foi uma das duas raparigas a participar nesta Taça, acha que

as mulheres representam de facto uma competição mano-a-mano com os homens, sempre em maior número? Para os média é sempre interessante ter mulheres em prova. Mas devo dizer que é muito normal porque desde que corria em karts, sempre competi contra rapazes e não sei ver as coisas de outra maneira. Correu pela primeira vez em Macau. Como foi para si fazer o Circuito da Guia? Toda a gente falava de Macau. Diziam que devia fazê-lo pelo menos uma vez porque era especial. E, de facto, é um percurso muito rápido e muito desafiante. E, claro, se não tens experiência neste circuito, vir cá e ter apenas 30 minutos de treinos livres é um grande desafio. É mesmo uma prova muito técnica e de alta velocidade. No fim, todo o piloto tem de decidir por si qual o risco que quer correr porque pode ser perigoso. E é. O que pensa fazer na próxima época? Agora tenho de encontrar uma nova negociação. E, neste momento, ainda é muito cedo. Tive um bom ano e fiz mais de 20 corridas, por isso, vou ver.

HOJE MACAU

GP Macau #60 - II  

Suplemento do 60.ª edição do Grande Prémio de Macau 2013 - II

Advertisement