Page 1

gcs

este suplemento é parte integrante do hoje macau e não pode ser vendido separadamente

62

º

grande prémio de macau sexta-feira 20.11.2015

Arranca primeiro dia, numa quinta-feira à maneira

Surpresas, acidentes e emoções ao rubro A

manhã as coisas são mais a sério, mas o dia de ontem não deixou de ser marcante por diversos aspectos no Grande Prémio de Macau. O dia foi de treinos-livres e cronometrados e foi também o dia das primeiras alegrias e desilusões. Como em todas as quinta-feiras de GP, o, pouco se decide, pois o fim-de-semana é longo e ainda há três dias pela frente. Mas, além deste ser o dia perfeito para tirar a temperatura do que será o fim-de-semana que aí vem, alguns casos mudaram de figura e apresentam intrigantes eventuais mudanças. Rosenqvist na F3 e McGuiness nas motas O sueco que venceu na prova rainha do ano passado, Felix Rosenqvist, conseguiu ontem a pole-position provisória para a corrida de qualificação de F3 no sábado. Mas, se Rosenqvist já conhece bem o Circuito da Guia, o mesmo não se pode dizer de Calum Ilott, estreante no circuito que conseguiu ser o segundo mais rápido, ficando a mais de oito décimas do sueco, que conseguiu percorrer a Guia em 2m11s841ms, depois de conseguir descer por duas vezes o tempo. Ilott, que tem apenas 17 anos, correu bem

perto de Rosenqvist e deixou-se seguir por Antonio Giovanazzi, Sam McLeod e Daniel Juncadella, outro ex-vencedor da F3 em Macau. O piloto de Macau Andy Chang foi o último na sessão, muito devido aos problemas de caixa-de-velocidades no seu Dallara-Mercedes. Ao contrário do habitual, a corrida foi calma e sem interrupções. Mas sábado é que é a doer, já que é aqui que se decidem os lugares definitivos na grelha. Nas duas rodas, assistiu-se à surpreendente performance do veterano John McGuiness, que deixou atrás de si Michael Rutter e Martin Jessopp. McGuiness fez um tempo de 2m27s246ms, deixando o veterano Rutter muito, muito aborrecido. Easton surpreendeu, mas pela negativa, já que o piloto – titular do melhor tempo de sempre na Guia em motos – ficou-se pelo 15º lugar. Aspecto negativo foi ainda a queda aparatosa do estreante Russ Mountford, britânico, que teve de ser hospitalizado. Não corre risco de vida, mas não se sabe qual a condição em que se encontra. Os representantes da lusofonia, Nuno Caetano, que chegou a Macau lesionado, e André Pires, foram o 24º e o 29º na corrida

que promete ser, como sempre, uma das mais emocionantes de amanhã. Ávila e Couto em bom plano Os dois pilotos portugueses do território, André Couto e Rodolfo Ávila, estiveram em bom plano, tanto na Taça FIA de GT, como na Corrida da Guia. No que respeita aos carros de Grande Turismo, a Mercedes-Benz colocou os seus dois automóveis nas duas primeiras posições, com Renger van der Zande a superar Maro Engel por apenas duas décimas. Eduardo Mortara e o seu novo Audi foram terceiros. Ainda na Taça do Mundo FIA de GT, André Couto foi o melhor dos Mclaren, batendo o compatriota Álvaro Parente, como o francês Kevin Estre. Parente ainda conseguiu estar mais rápido que Couto, mas o piloto da casa, que ainda se está a adaptar ao carro inglês, ficou a 2.5 segundos da marca do melhor Benz. Foi o sétimo da geral, mas as esperanãs continuam altas para a corrida que aí vem. Nos acidentados treinos da Corrida da Guia, Rob Huff pulverizou a concorrência, com o seu Honda a rodar em tempos impossíveis de acompanhar pelo resto do pelotão do TCR internacional ou asiático.

Henry Ho, também em Honda, foi o melhor piloto local, tendo sido o quinto da geral, três décimas à frente de Rodolfo Ávila, que lamentou as dificuldades que os SEAT têm em acompanhar os carros nipónicos nas zonas sinuosas do traçado do território. Macau domina na Road Sport e Taça Chinesa A RAEM dominou os acontecimentos na Macau Road Sport, com cinco representantes no Top-5, liderados por Leong Ian Veng. Na Taça CTM, Paul Poon, veterano piloto de Hong Kong, foi o mais lesto. Entre os pilotos da casa, Chao Chong In foi o quarto da geral, tendo Filipe Souza obtido um motivante quinto “crono” e Célio Alves Dias o sétimo. Na Taça da Corrida Chinesa, Michael Ho fez o melhor tempo com o BAIC da AAMC, enquanto Helder Assunção posicionou o carro na 6ª posição. Mas, como lá diz o povo: “o primeiro milho é para os pardais…” e muito mais há a acontecer. As corridas continuam hoje e as emoções, essas, nem se fala. Joana Freitas

Joana.freitas@hojemacau.com.mo

Sérgio Fonseca info@hojemacau.com.mo


62

º

GP

Corrida no Tempo

Foi ha 20 anos! ´

49º Grande Prémio de Motos de Macau

Um duelo a três O Grande Prémio de Motos de Macau vai para a sua 49ª edição e aquela que é a prova rainha da especialidade vai ser osso duro de roer. Três dezenas dos melhores motociclistas de provas de estrada, provenientes de quatro continentes - Europa, América, Austrália e África do Sul – vão desafiar o Circuito da Guia. A prova continua a cativar todos aqueles que provam o seu sabor e este ano quatro dos vencedores anteriores vão estar alinhados. São eles Stuart Easton, Ian Hutchinson, Michael Rutter e John McGuinness. Desde a conferência de imprensa de

Outubro pequenas coisas mudaram e Easton, vencedor do ano passado, não será companheiro de equipa de Ian Hutchinson na Paul Bird Motorsport. O escocês vai correr com uma Yamaha da equipa SMT alugada à equipa SMR. Esta troca de equipa de última hora deveu-se ao contrato que assinou o mês passado para a próxima temporada do Campeonato Britânico de Superbikes. Hutchinson, que este ano esteve particularmente forte na Ilha de Man TT, irá tripular a única Kawasaki verde da Paul Bird, mas também ele já está de trouxas e bagagens feitas para

Limitações Lusitanas

cgpm

A boa relação entre as entidades de cá e a Federação de Motociclismo de Portugal permitirá novamente que Portugal esteja presente na prova com dois representantes: Nuno Caetano e André Pires. Sem terem o mesmo material disponível que a maioria da concorrência, os dois representantes lusos, ambos repetentes no Circuito da Guia, têm as habituais limitações de performance. Caetano voltará a tripular uma Kawasaki do FMP Team Portugal e parte com o simples objectivo de tentar “obter o seu melhor resultado” até aqui na prova.

Motivado pela vitória na última ronda do nacional de Superbikes no Estoril, Pires, que o ano passado acabou por não correr após uma queda, regressa com uma Yamaha R1 do Team SBK/IncortCar e está “com os olhos num lugar dentro do Top-10”. Nota ainda para a presença da CF Racing Team 32 que fará a sua segunda aparição no evento. Liderada pelo ex-piloto local João Fernandes, a equipa que acaba por representar as cores do território inscreveu apenas uma moto que será entregue ao sulafricano Allann-Jon Venter.

Na tarde de 19 de Novembro de 1995, um sábado, quinze Mazda Astina alinharam atrás de um Mazda MX-5, enviado de propósito do Japão para uma volta de saudação ao Circuito da Guia. Jackie Chan acenava ao público do banco traseiro do carro nipónico, que antecedeu uma corrida de celebridades femininas. Esta corrida teve a particularidade de cada celebridade ter no banco do

passageiro um Kong, hoje retir de uma corrida já que o caos se acabou com um Chan e todos os o Hotel Metrop

O que esperar Easton, Rutter e Hutchinson são, pelas mais diversas razões, os grandes favoritos. Contudo, numa prova propicia à incerteza, poderão existir surpresas de outros quadrantes

outra equipa, a BMW Tyco que voltará à RAEM apenas em 2016. Quem poderá tirar vantagem destas mudanças, será Michael Rutter que este ano vem com uma BMW da Penz13. A marca germânica tem uma história de sucesso nos automóveis em Macau, mas nunca venceu nas duas rodas. McGuiness tripulará uma Honda da Honda Racing Team, mas o veterano das ilhas do canal há muito que não discute as vitórias, entrando no lote dos ‘outsiders’ que lutam por uma presença no pódio no sábado à tarde, em conjunto com Gary Johnson, o companheiro de equipa de Rutter, Lee Johnston, que vai estar de olho em voos altos, depois de ter conquistado três vitórias no Grande Prémio de Ulster, no início deste ano, ou Martin Jessopp, terceiro classificado em 2014. Destaque para o regresso da Bimota, com duas BB3 para Brandon Cretu e Bien Wylie, num ano em que o pequeno preparador italiano lançou a sua primeira campanha internacional nas corridas de estrada. S.F.

O cenário Taça Intercontinental FIA de Fórmula 3

A Prema Powerteam de hoje não é a mesma equipa que André Couto correu de 1995 a 1998 de F3 em Macau. Hoje, a equipa da família Rosin, fundada nos anos oitenta do século passado como Prema Racing, está ainda mais forte. O investimento encapotado do empresário canadiano multi-milionário Lawrence Stroll, pai do seu piloto Lance Stroll, trouxe outra estabilidade e possibilidades de ir mais além, como investir em

O que esperar Tudo o que não seja um triunfo de Rosenqvist será uma surpresa. Contudo, o Circuito da Guia é dado a surpresas e Giovinazzi já mostrou que ombrear o rival sueco em condições normais. O campeão japonês Nick Cassidy foi a revelação da corrida de 2014 e num evento onde a sorte conta mesmo, ninguém poderá ignorar a experiência de Juncadella ou Sims.

desenvolvimento e contratar este ano o “veterano” Felix Rosenqvist. Na sua quinta tentativa, o sueco venceu o europeu da especialidade, dando o quinto título consecutivo aos milaneses. Este ano, Rosenqvist vai tentar repetir o feito do ano passado e igualar o recorde de duas vitórias de Edoardo Mortara. Ao mesmo tempo o piloto nórdico continuará a servir de “tutor” dos seus companheiros de equipa Jake Dennis e Stroll, este último piloto da academia de pilotos da Ferrari e que para o ano poderá ter uma posição na Williams F1 Team. Rosenqvist admite o estatuto de favorito este ano, até porque a equipa transalpina goza de uma relação privilegia com a HWA Mercedes, mas também diz “que só é possível vencer em Macau com um pouco de sorte”. Como nos últimos três anos, a equipa italiana veste o traje da SJM Theodore Racing, trazendo à memória a antiga equipa do saudoso Teddy Yip, agora com o seu filho, Teddy Yip Jr, ao leme.


hoje macau sexta-feira 20.11.2015

E se pudesse perguntar algo ao seu piloto preferido?

O que seria? Envie-nos a pergunta a um dos pilotos que participam este ano no Grande Prémio de Macau e veja-a respondida no nosso Facebook e suplemento diário! Envie a sua pergunta devidamente identificada para info@hojemacau.com. mo, com o assunto “Grande Prémio”. Esperamos por si!

Rapidinhas BMW com decoração especial

As motas BMW do britânico Michael Rutter e do canadiano Dan Kruger apresentam uma decoração especial na edição deste ano da prova, tendo ambas sido desenhadas pelos atletas da associação para-olímpicos de Macau Sin Kei Cheong e Tam Chan Ki

cgpm

Pergunte você mesmo!

m experiente co-piloto. A actriz de Hong rada das lides, Eugina Lau foi a vencedora a que logo à segunda volta foi interrompida, e tinha instalado em pista. O sábado à noite ma festa, onde marcaram presença Jackie s artistas no Hotel Grandeur, onde é agora park.

F3 e GT reis do $$

A Taça do Mundo FIA de GT e a Taça Intercontinental FIA de F3 são aquelas que atribuem os maiores prémios monetários. Em ambas as provas, os vencedores levarão para casa 12 mil dólares americanos, um valor bem acima dos 32 mil dólares de HK do vencedor do GP Motos

Primeiras baixas

O francês Rafael Galiana, participante da Corrida da Guia, foi a primeira baixa da semana, ao destruir o chassis do SEAT Léon TCR numa acidente na Curva R. Já o belga Dylan Derdaele não tinha a certeza de continuar na Taça GT pois a equipa Gulf não tem um vidro da frente sobressalente para o Porsche 911 GT3-R

Guerra de pneus

o perfeito “O René fornece-nos consistentemente os carros melhores preparados da grelha de partida e a nossa longa relação com a SJM assegura que a Theodore Racing esteja sempre na frente do clamor e excitação deste carnaval conhecido mundialmente da cidade”.

Sob a bandeira da SJM Theodore Racing, a Prema Powerteam venceu esta corrida em 2013 com o inglês Alex Lynn. Mas enganam-se todos aqueles que pensem que esta vai ser uma caminhada fácil para o sueco. Antonio Giovinazzi será o ponta-de-lança da equipa Carlin, a poderosa

Correr pel a sobrevivência A incompreensível política de atribuição subsídios para as provas internacionais pode fazer este fimde-semana várias vítimas, mas esta pode ser a mais pesada, pois tratase do único piloto da RAEM com menos de 20 anos e com uma carreira internacional já lançada. Visto que é o único representante de Macau na corrida, Andy Chang Wing Chung terá que terminar nos “70% dos melhores resultados na classificação final” na corrida de domingo se quiser estar habilitado a receber o precioso “subsídio a pilotos locais participantes nas corridas no exterior em 2016”, isto, segundo o regulamento publicado em Julho passado. A estudar em

Inglaterra e sem apoios para mais, Chang fez apenas cinco eventos do Campeonato da Europa FIA de Fórmula 3, tendo terminado no 18º posto em três ocasiões nas catorze corridas que completou. Para conseguir o seu objectivo primordial, Chang irá tripular um DallaraMercedes da equipa inglesa Fortec Motorsport, equipa que desapontou ligeiramente esta temporada, e espera “um lugar nos dez primeiros seria fantástico, mas não será fácil de obter porque a concorrência é muitíssimo forte este ano”. O ano passado Chang terminou no 19º lugar, um resultado que este ano “caía quem nem uma luva”.

formação britânica que conta com motores VW e que ajudou Félix da Costa a vencer aqui em 2012. O italiano venceu o Masters de Fórmula 3 em Zandvoort e foi o maior adversário de Rosenqvist ao longo do ano. “Macau é sempre Macau, nunca sabes o que pode acontecer. Saímos do Reino Unido 100% preparados para vencer. Veremos o que conseguiremos no domingo”, diz o simpático piloto que hoje está na esfera da Audi. Devido às medidas de contenção de custos impostas pela FIA, os carros são os mesmos: Dallara F312, iguais para todos, mas com motores diferentes - Mercedes-Benz, VW, Toyota, e Tomei. Se é da Europa que chegam a maior parte das equipas, do Japão aterra como é hábito em Macau uma equipa que todos respeitam. A Tom’s voltará a trazer os seus monolugares equipados com os badalados super-motores Toyota, este ano entregues ao campeão e vice-campeão japoneses, Nick Cassidy e Kenta Yamashita. Destaque igualmente para o regresso de Daniel Juncadella, o vencedor da edição de 2011, que aproveitou a vaga causada pela desistência do neto de Emerson Fittipaldi. O espanhol que tem estado empenhado no DTM só fez uma corrida de F3 este ano, mas como diz o povo, “quem sabe, nunca esquece...” Sérgio Fonseca

info@hojemacau.com.mo

O coordenador do Grande Prémio destacou, em declarações à Rádio Macau, a qualidade do programa da edição 2015. “Pretendemos todos os anos ter o melhor programa possível. Penso que o trabalho realizado nos anos anteriores possibilitou ter sido convidado pela FIA para organizar o primeiro troféu GT a nível mundial. Não é uma novidade para o Grande Prémio, que já o fez durante oito anos. Vamos ter uma grelha muito competitiva. Espero que nos próximos anos o número de marcas e competidores aumente, já que fomos convidados a organizar este ano o troféu GT um pouco tarde”

Alexis Tam quer investir mais

gcs

Costa Antunes destaca qualidade

gonçalo lobo pinheiro

Pirelli (Taça GT), Yokohama (F3), Michelin (Corrida da Guia) estão presentes este ano em força no evento. Contudo, a guerra de fornecedores de pneus, devido à livre escolha regulamentar, está apenas presente em três provas: GP Motociclismo, Macau Road Sport Challenge e Taça CTM

O Secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, que ontem participou na inspecção ao Circuito da Guia, disse à Rádio Macau que o Governo vai investir mais no maior cartaz turísticodesportivo da RAEM. “Penso que temos grande experiência. Temos que investir ainda mais. Temos que sensibilizar a população para a importância que este evento tem, uma vez que Macau está a criar um centro internacional de turismo e lazer”, afirmou Alexis Tam.

Festas depois da festa • Roadhouse O Roadhouse, que tem o novo espaço no Broadway Macau, recebe, a partir de quinta-feira e até sábado, a banda The Bleu Rascals. O grupo foi vencedor do Cotai Jazz & Blues Festival do Venetian e regressa agora a Macau para brindar o público com música ao vivo. A festa começa às 22h00 e sábado conta com John McGuiness e outros corredores de motas, sendo que algumas destas máquinas vão estar expostas no espaço. Nessa noite haverá ainda tempo para leiloar t-shirts do Grande Prémio, cujas receitas irão reverter para ajudar Stephen Thompson, piloto que perdeu um braço em Maio deste ano. A entrada é livre. • Pacha A partir de sexta-feira e até domingo, o Pacha organiza um ‘after party’ do GP, a partir

das 22h00 e até às 5h00. Dia 20 a festa arranca com o Dj Dirty South, seguindo-se Sunnery James e Ryan Marciaano no sábado e Chuckie no domingo. A entrada é feita através de guest list, que pode ser conseguida através de mensagem pelo Facebook da discoteca. • Cubic A festa no Cubic começa na quinta-feira, com Seraphim Yami. Sexta-feira, é a vez de Sesco tomar conta dos pratos, para depois dar lugar ao Dj oficial da Red Bull, Dean Fuel, directamente da África do Sul. Domingo, o Dj residente do Cubic, ATL, sobe aos decks. O Cubic vai dar oportunidade aos clientes para ganharem prémios, das marcas Vírus Arms, Oakley, Red Bull e Master & Dynamics, e apresenta ainda três simuladores do Grande Prémio.


62

º

GP

À conversa com... nuno

hoje macau sexta-feira 20.11.2015

Onde ver as corridas Macau: Praça das Portas do Cerco, Jardim do Mercado do Iao Hon, Largo do Senado, Rotunda de Carlos da Maia, Tap Seac, Praça da Amizade Taipa: Rua do Cunha

pinto

“Rosenqvist e Juncadella não têm nada a provar, tanto em Macau como na F3” O português Nuno Pinto, fundador da WinWay - Intensive Driver Development Program, é um dos treinadores de piloto da Prema Powerteam e tem a particularidade de ter trabalhado de perto com os dois ex-vencedores do GP Macau F3 que estarão novamente prova este fim-de-semana, Felix Rosenqvist e Dani Juncadella Tanto o Rosenqvist, como o Juncadella venceram a prova de F3 em Macau. Ao voltarem este ano, não têm mais a perder que a ganhar? É verdade que os dois já não têm nada a provar tanto em Macau como na F3, mas a verdade é que ambos voltam principalmente pela paixão que têm por esta prova e pela vontade de voltar a competir naquele que é o seu circuito e evento preferido. Claro que em termos de carreira não existe muito para ganhar, mas é bom perceber que alguns pilotos ainda correm pelo simples prazer de conduzir num dos circuitos mais desafiantes para um piloto e não deixa de ser um aliciante suplementar o facto

de poderem tentar igualar o feito do Mortara. Para além disto, o Felix é o único piloto da Prema com experiência prévia de Macau e desde o início do acordo com a equipa que estava previsto que ele ia participar novamente na prova para servir de referência aos novos pilotos.     O Rosenqvist é mesmo o piloto a bater este fim-de-semana?  Sim, o Felix é o claro favorito para esta prova uma vez que é o piloto mais experiente do pelotão da F3 e vem de uma época em que finalmente conseguiu o seu grande objectivo de vencer o campeonato FIA F3, tendo demonstrado ser também o piloto mais rápido ao longo de todo o ano. Depois de cinco temporadas na F3, onde foi sempre rápido mas pouco regular de forma a poder lutar pelo campeonato, a verdade é que desde que ingressou na Prema, que tem sido a equipa a bater na F3. O Rosenqvist ganhou nova motivação e confiança e dominou totalmente os adversários, não tendo assegurado o título com maior antecedência apenas porque foi vítima de alguns

infortúnios e incidentes causados por outros pilotos na primeira metade da temporada. Penso que ele chega agora a Macau ainda mais motivado para fechar com chave de ouro um ano memorável na sua carreira.   O que fez o Juncadella voltar a Macau, sabendo à partida que, devido ao facto de ter estado afastado das provas de monolugares nos últimos anos, pode pecar por falta de ritmo?  O Dani, depois de ter ganho em Macau em 2011, ter vencido o Masters de F3 e o Campeonato FIA F3 em 2012, tornou-se piloto profissional no DTM com a Mercedes e foi ainda 3º piloto da Force India na F1 em 2014, mas nunca deixou de afirmar que o GP de Macau tinha sido o momento mais especial da sua carreira e que desejava voltar a competir aqui.  Tem nos últimos anos tentado regressar, mas devido a compromissos no DTM ou na F1 não foi possível. Este ano desde o início que sabia que não haveria coincidências de calendário e esteve o ano inteiro a “chatear”, passe

a expressão, os responsáveis da Mercedes para correr na prova dos GT. Essa participação esteve perto de acontecer mas no final a marca propôs que ele competisse antes na F3 uma vez que duas das equipas Mercedes iriam alinhar apenas com pilotos “rookies” em Macau. Quando surgiu esta possibilidade, ele não hesitou e volta não só para representar a marca mas também para cumprir o sonho de voltar a correr em Macau. Claro que não vai ser fácil e falta-lhe ritmo de F3 mas o trabalho que fez na F1 nos últimos anos permitiu-lhe não estar três temporadas sem pilotar um monolugar. Ele rodou um dia com o F3 da Fortec em Silverstone antes dos carros partirem para Macau e participou na última corrida do EuroOpen F3 em Barcelona, o que não é suficiente para estar ao nível dos pilotos que competiram toda a temporada com estes monolugares. Mas a motivação do piloto está em alta e pode ser que consiga fazer alguma surpresa e dê trabalho aos favoritos.   Sérgio Fonseca

info@hojemacau.com.mo

PROGRAMA PROVISÓRIO • hoje 6h00 Fecho do circuito 6h30 às 7h00 Inspecção do circuito 7h30 às 8h15 Treinos livres do 49º Grande Prémio de Motos de Macau - Suncity Grupo 8h40 às 9h10 Treinos livres do Suncity Lotus Celebrity Cup Race 9h35 às 10h15 Treinos livres do Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 - Suncity Grupo – Taça Intercontinental da FIA 10h40 às 11h10 Treinos livres da SJM Taça GT Macau - Taça GT Mundial da FIA 11h35 às 12h05 Treinos da Macau Road Sport Challenge (cronometrados) 12h30 às 13h00 Treinos livres da Corrida da Guia de Macau 2.0T – Suncity Grupo 13h55 às 14h25 Treinos livres da Taça de Carros de Turismo de Macau – CTM (cronometrados) 14h55 às 15h25 Treinos da SJM Taça GT Macau - Taça GT Mundial da FIA (cronometrados) 15h55 às 16h35 Treinos do Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 - Suncity Grupo – Taça Intercontinental da FIA (cronometrados) 16h45 às 17h15 Treinos livres da Taça da Corrida Chinesa (cronometrados) 18h45 Abertura do Circuito • Amanhã 6h00 Fecho do circuito 6h30 às 7h00 Inspecção do circuito 7h30 às 8h10 Treinos da Corrida da Guia de Macau 2.0T – Suncity Grupo (cronometrados) 8h40 às 9h40 Macau Road Sport Challenge - 10 voltas 10h10 às 11h10 Suncity Lotus Celebrity Cup Race - 10 voltas 11h25 às 11h45 Treinos livres do 49.º Grande Prémio de Motos de Macau Suncity Grupo 12h15 às 13h15 SJM Taça GT Macau - Taça GT Mundial da FIA - (Prova Classificativa) - 12 voltas 13h45 às 14h45 Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 - Suncity Grupo – Taça Intercontinental da FIA (Prova Classificativa) 10 voltas 15h05 às 16h05 49.º Grande Prémio de Motos de Macau - Suncity Grupo – 12 voltas 16h35 às 17h15 Taça da Corrida Chinesa - 8 voltas 18h45 Abertura do Circuito • Domingo 6h00 Fecho do circuito 6h30 às 7h00 Inspecção do circuito 7h00 às 7h30 Carros de Segurança e Intervenção Rápida – Voltas de teste 8h30 às 9h30 Taça de Carros de Turismo de Macau - CTM - 12 voltas 10h00 às 14h15 SJM Taça GT Macau - Taça GT Mundial da FIA -18 voltas 14h20 às 14h40 Evento especial 15h10 às 15h25 Dança do Leão 15h30 às 16h30 Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 - Suncity Grupo – Taça Intercontinental da FIA – 15 voltas 18h30 Abertura do Circuito

62.º GP Macau #2 - 20/11/2015  

Suplemento 62.º Grande Prémio de Macau - 20/11/2105 - Dia 2

62.º GP Macau #2 - 20/11/2015  

Suplemento 62.º Grande Prémio de Macau - 20/11/2105 - Dia 2

Advertisement