Page 1


PROGRAMA DE IDENTIDADE VISUAL da marca:

UFPEL. Centro de Artes. Design Grá co. Identidade Visual. Prof. Ms. Lúcia Weymar. Fábio Amaral. Henrique Peter. Março de 2013

2


SUMÁRIO:

Apresentação____________________ 4 Introdução______________________ 8 A marca_________________________ 9 Grade de Construção______________16 Área de Proteção_________________17 Alfabeto Institucional______________18 Cores institucionais_______________19 Fundos Sugeridos_________________20 Outros fundos____________________21 Usos Vetados_____________________22 Aplicativos______________________24

3


APRESENTAÇÃO: por Profª Lúcia Weymar Grupo de Pesquisa em Linguagens, Metodologias e Teorias do Design. Este é um grupo de pesquisa que reúne docentes, discentes e servidores dos Cursos de Bacharelado em Design Grá co e Bacharelado em Design Digital da Universidade Federal de Pelotas. Design Grá co objetiva formar pro ssionais com foco projetual em identidade visual, design editorial, design de embalagens, ilustração, produção grá ca e envolvimento em projetos de identidade institucional das organizações. Design Digital objetiva formar pro ssionais que atuem no desenvolvimento de interfaces digitais nos diversos dispositivos tecnológicos, desde páginas da web até conteúdo para dispositivos móveis. A partir da consolidação destes dois cursos eda titulação de seu corpo docente

(19 professores sendo 11 doutores, 07 mestres e 01 mestrando), urge a abertura de um grupo de pesquisa que repense a relação entre ensino e pesquisa (compreendida como a necessidade da buscar conhecer o não-conhecido). Não podemos, ainda, considerar as repercussões desta pesquisa em design haja vista a recente mobilização do grupo em torno do assunto. Importa declarar que, para atingir possíveis repercussões positivas, o grupo em questão propõe três linhas diferentes de atuação, a seguir apresentadas.

4


APRESENTAÇÃO:

1. Linguagens do design: comunicação, cultura e arte (Pesquisar a interface entre design, comunicação, cultura e arte na contemporaneidade; Reunir pesquisadores em diferentes contextos históricos e em diversas mídias a partir de uma abordagem que pense a imagem, sua linguagem e seus signi cados na sociedade contemporânea; Desenvolver pesquisas multidisciplinares, privilegiando perspectivas vinculadas à relação entre design, comunicação, cultura e arte; Conhecer os processos do design e sua in uência na produção de sentidos e valores sociais);

5


APRESENTAÇÃO:

2. Metodologias do design: tecnologias, sistemas e processos (Pesquisar métodos de produção de artefatos interativos numa compreensão antropológica do comportamento humano; Investigar elementos que permeiam a criação e produção em hipermídia, como testes de usabilidade, way nding, mobilidade, em uma compreensão holística do processo de design; Produzir e disponibilizar informações sobre novas metodologias e processos envolvendo o design grá co e digital, a partir de sua interação com o âmbito acadêmico e, também, com o mercado de trabalho);

6


APRESENTAÇÃO:

3. Teorias do Design: história, filosofia e crí ca (Oportunizar a inves gação que contemple temas vinculados às tendências do campo do design ligado à cultura, à história, às tecnologias e aos negócios; Desenvolver estudos acerca da teoria e da história do design com especial interesse pela historiografia, seus atores e suas produções, bem como pelas teorias do design e pela sua crí ca; Desenvolver inves gações rela vas à implantação de poé cas visuais e narra vas da crí ca e da teoria do design em diferentes períodos históricos).

Palavras-Chave: design e arte; design e comunicação; design e cultura; linguagens do design

7


INTRODUÇÃO:

Após o brie ng tem início uma nova fase: a análise de concorrentes, ou seja, grupos de pesquisa vinculados às universidades com ênfase na relação com arte, comunicação e design. Nesta pesquisa é constatado o frequente uso de siglas ou palavras curtas nos nomes. A partir destes resultados, se agregam valores extraídos do brie ng como inter-relação , soma e união que dão origem ao nome Tricô . Além de fazer referência aos conceitos observados, o nome também é um acrônimo para Tríade em Comunicação .

A palavra tríade faz referência às bases fundamentais do grupo: Linguagens (comunicação, cultura e arte), Metodologias (tecnologias, sistemas e processos) e Teorias do Design (história, loso a e crítica). Do ponto de vista estético, a marca é formada por logotipo e atividade- m. Sua aparência é uida e contínua, sugerindo um o de lã (referente ao tricô) e simultaneamente, à união de diversos elementos. Na página seguinte encontra-se, de forma esquemática, uma descrição mais clara do nome do grupo. Fábio Amaral e Henrique Peter

8


A MARCA - Concepção:

1. Expressão tipicamente gaúcha 2. Indicativo do número três

1. O grupo faz parte de uma instituição sediada no Rio Grande do Sul; 2. As bases do grupo são três correntes do design;

}

3. O Design é um campo da comunicação; 4. Associa-se a união de várias correntes do Design.

3. Pre xo para comunicação 4. companhia

9


A MARCA - Principal:

PESQUISA EM DESIGN

10


A MARCA - Assinatura institucional:

Como o grupo terá visibilidade além dos portões da academia, é necessária uma assinatura que informe sua procedência.

11


A MARCA - Assinatura com slogan:

Para reforçar os ideais do grupo, há uma versão contendo o slogan, que completa o nome. A aplicação do slogan é abaixo do logotipo, pois desta forma se diferencia das demais. assinaturas.

12


A MARCA - Sem especi cação: exemplos:

Por possuir uma grande pregnância, o logotipo pode ser aplicado sem atividade- m ou slogan. Esta versão é indicada para uso dentro do Centro de Artes/UFPel. Somente nesta versão é possível utilizar a marca colorida, desde que, se mantenha um bom contraste com o fundo e uso de cor chapada.

13


A MARCA - Vers達o negativa:

PESQUISA EM DESIGN Para possibilitar a visualiza巽達o da marca em fundos escuros, existe uma vers達o negativa.

14


A MARCA - Reduções:

7,8 mm

7 mm As seguintes reduções máximas devem ser respeitadas, a m de manter os critérios de legibilidade impostos e s p e c i c a m e n te p o r cada assinatura.

10 mm

PESQUISA EM DESIGN

20 mm

10 mm 11,5 mm

15


GRADE DE CONSTRUÇÃO:

Módulo

Grade

2x 2x

A grade de construção visa facilitar a reprodução da marca, nela podem ser melhor observados os detalhes e proporções que devem se manter.

16


ÁREA DE PROTEÇÃO:

Para evitar que a marca seja inter ferida por detalhes de terceiros, há uma área de proteção baseada na grade construtiva que precisa ser mantida em qualquer aplicação.

17


ALFABETO INSTITUCIONAL:

E m ra z ã o d a p e r s o n a l i d a d e d o logotipo, se utiliza como alfabeto auxiliar uma tipogra a neutra e que não interfere no peso da marca. As tipogra as são: MyriadPro, MyriadPro Bold e MyriadPro Italic. *Vale destacar que as fontes apresentadas estão aqui apenas como demonstração, sendo necessária uma licença para seu uso pessoal.

Myriad Pro ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ abcdefghijklmnopqrstuvwxyz 1234567890{(.,;: ?!~^+=∗)} Myriad Pro Bold A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T UV W X Y Z abcdefghijklmnopqrstuvwxyz 1234567890{(.,;: ?!~^+=*)} Myriad Pro Italic ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ abcdefghijklmnopqrstuvwxyz 1234567890{(.,;: ?!~^+=*)}

18


CORES INSTITUCIONAIS:

É desnecessário apontar cores institucionais para a aplicação da marca, já que, apresenta boa adaptação em qualquer tom desde que mantido o contraste. No entanto, é sugerido o uso das cores primárias do sistema CMYK como fundo.

19


FUNDOS SUGERIDOS:

É preciso atenção para utilizar os fundos sugeridos para que o contraste se mantenha de maneira que não comprometa a legibilidade.

PESQUISA EM DESIGN

PESQUISA EM DESIGN

PESQUISA EM DESIGN

PESQUISA EM DESIGN

20


OUTROS FUNDOS:

PESQUISA EM DESIGN

PESQUISA EM DESIGN

Assim como nos fundos institucionais é preciso atentar quanto à legibilidade. Em fundos onde não há predomínio de tons claros ou escuros é necessário o uso da área de proteção.

PESQUISA EM DESIGN

21


USOS VETADOS:

x x x x x x x UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

PESQUISA EM DESIGN

não usar versão positiva sobre fundos escuros

não criar novas assinaturas

não criar diferentes áreas de proteção

PESQUISA EM DESIGN

Apresentados todos os usos e regulamentações da marca, estão proibidas as seguintes situações:

PESQUISA EM DESIGN

não remover elementos da marca

não utilizar versão outline

não alterar ordem dos elementos

não alterar proporção da marca

22


USOS VETADOS:

x x

não aplicar tons sobre assinatura composta

PESQUISA EM DESIGN

não alterar tipogra a

x x

não aplicar degradês sobre a marca

não assossiar outros símbolos a marca

x x

não alterar a perspectiva da marca

PESQUISA EM DESIGN

não deformar logotipo

23


APLICATIVOS:

Nesta seção do PIV são apresentados produtos com a aplicação da marca que possuem elementos visuais que reforçam a identidade do grupo de pesquisa. Como observação vale ressaltar que todas as cores utilizadas nas peças não são institucionais, podendo ser substituídas em produções futuras, se mantendo apenas o respeito com a legibilidade e contraste em relação às informações textuais e seguindo necessariamente as normas de aplicação da marca.

24


APLICATIVOS INSTITUCIONAIS - Cartaz:

A temática escolhida para o cartaz de apresentação do grupo é a construção da marca, a qual consiste na soma de diversas áreas do design, podendo também fazer analogia aos pontos que constituem a malha do tricô.

25


APLICATIVOS INSTITUCIONAIS - Cartão de Visitas:

frente

verso

O cartão de visita utiliza linguagem semelhante a desenvolvida para o cartaz. Seu verso é branco com o objetivo de contrastar com a frente, além de proporcionar uma área para anotações.

26


APLICATIVOS INSTITUCIONAIS - Papel Timbrado:

Como a marca não possui nenhuma forma decorativa exceto s u a p ró p r i a s i m b o l o g i a , e m algumas peças são usados recortes e sangria da marca como adorno. Vale salientar neste ponto que tal uso deve ser feito apenas como complementar à visualidade das peças, portanto, separadamente, não funcionam como marca.

Rua Alberto Rosa 62 . CEP: 96O48-234 . Pelotas.RS TEL: +55 53 3284 5518 . trico.design@gmail.com www.tricodesign.com.br

27


APLICATIVOS INSTITUCIONAIS - Envelope: frente

verso

Mantendo a identidade proposta através da aplicação de recortes e sangrias da marca, o envelope prevê o uso de sua área total, dando continuidade entre sua frente e verso e contrastando as cores saturadas da parte externa com o branco da parte interna.

28


OUTROS APLICATIVOS - Agenda: frente

verso

08 Março

10 Março

Sexta-feira

Domingo

Design é função, não forma Steve Jobs

09 Março Sábado

Assim como o envelope, a agenda foi planejada visando o contraste entre parte interna e externa. Na base do box de cada dia foi transcrita uma frase referente a prática do design.

Design é a busca constante da forma, uma forma de sensibilizar a alma . Farah Bucarter

Design dá ao mundo algo que ele não sabia que sentia falta Paola Antonelli

11 Março Segunda-feira

O engenheiro trabalha com o quilômetro, o arquiteto com o metro, o designer com o centímetro Tomas Maldonado

29


OUTROS APLICATIVOS - Certi cado:

CERTIFICADO:

Atesto para os devidos ns que o (a) acadêmico (a)

pesquisa em design Tricô, vinculado ao Centro de Artes da Universidade Federal de

No desenvolvimento do cer ti cado também foi utilizada a padronagem da marca em sangria, porém utilizou-se como fundo a cor branca, visando uma melhor legibilidade.

Ana da Rosa Bandeira Prof. Coordenadora do colegiado dos curso de Design

Lúcia B. da Costa Weymar Prof. Coordenadora do grupo de pesquisa Tricô

Rua Alberto Rosa 62 . CEP: 96O48-234 . Pelotas.RS TEL: +55 53 3284 5518 . trico.design@gmail.com www.tricodesign.com.br __

30


OUTROS APLICATIVOS - Tag/Etiqueta:

Para o cializar produtos do grupo que n達o tenham a marca aplicada existe uma etiqueta com sua assinatura institucional.

31


OUTROS APLICATIVOS - Camiseta: verso

frente

CENTRO DE ARTES UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

Seguindo a ideia de que a etiqueta denota pertencimento a produtos do grupo, a estampa da camiseta simula o seu efeito.

32


OUTROS APLICATIVOS - Marca página: frente

verso

Outro uso permitido da marca é sua aplicação sobre imagens. Na aplicação desta deve-se ater a legibilidade.

CENTRO DE ARTES UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS

33


OUTROS APLICATIVOS - Site:

Privilegiando a legibilidade e a ergonomia, o site é composto por elementos menos complexos. A identidade do grupo é perpetuada através do uso de formas sem preenchimento, assim como ocorre no cartaz e cartão de visitas.

34


fabioamaral92@hotmail.com . henriquerpeter@gmail.com

PIV - Grupo de Pesquisa - Tricô  

Trabalho acadêmico desenvolvido em parceria com Fábio Amaral para a disciplina de "Identidade Visual" do 4ºsemestre do curso de Design Gráfi...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you